DESTAQUES GERAIS (MENORES)

“Beatles para Crianças” nas Fábricas de Cultura

Em eventos previamente agendados, com escolas e instituições das regiões, o BPC leva “o primeiro show de rock” aos palcos das Fábricas de Cultura

As Fábricas de Cultura Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, têm programação de maio com banda cover dos Beatles. A banda “Beatles para Crianças”, fará apresentações nas unidades do Itaim Paulista (20/05 – 10h), Vila Curuçá (20/05 – 14h) e São Bernardo do Campo (27/05 – 17h).

O espetáculo reúne os sucessos do quarteto de Liverpool, com arranjos originais, entre eles I Want To Hold Your hand, All My Loving e Yellow Submarine, mesclando histórias contadas e cantadas. Durante a apresentação, a banda também mostra para a criançada diferentes instrumentos musicais, como ukulele, washboard, keytar, kazoo e muitos outros.

Todos os shows têm público previamente agendado, formado por escolas e instituições das regiões onde estão localizadas as Fábricas de Cultura.

Sobre a banda ‘Beatles para Crianças’

A banda foi criada em 2014 pelos educadores Fabio Freire e Gabriel Manetti que, de uma maneira lúdica e muito bem pensada, têm proporcionado às famílias um momento único de diversão deixando bem claras as bases do projeto: a musicalização, a iniciação ao rock, a língua inglesa e a inquestionável referência do universo dos Beatles e suas canções. O grupo domina completamente o repertório dos Beatles e apresenta cada canção com sabor de novidade, com uma pegada atual e sem medo de incluir alguns instrumentos lúdicos e divertidos, como ukulele, bandolim, washboard, e kazoo nas apresentações. Além das apresentações pelo país, o grupo também acumula dois discos lançados: o CD, Beatles Para Crianças, de 2016; e o segundo álbum, Beatles Para Crianças 2 – A Bagunça Continua, de 2018. A banda Beatles Para Crianças é formada por Fabio Freire na guitarra e voz, Gabriel Manetti na voz, Eduardo Puperi na guitarra e teclado, Marcos Klis no contrabaixo e Humberto Zigler na bateria.

“DE ESPERANÇA EM ESPERANÇA” uma homenagem a Dom Paulo Evaristo Arns

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS / SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Basílica Menor de Sant`Ana, inaugura, no dia 25/1, na Sala MAS/Metrô Estação Tiradentes, a exposição “De ESPERANÇA em Esperança”, composta por 40 fotografias que registram a trajetória eclesiástica e pastoral de Dom Paulo Evaristo Arns, sob curadoria do Prof. Dr. Pe. José Roberto Abreu de Mattos e Prof. Dr. Pe. José Ulisses Leva.

Com imagens registradas por Luciney Martins, Douglas Mansur e dos acervos do Arquivo da Arquidiocese de São Paulo e do Banco de Imagens do Colégio Santo Américo, a exposição visa retratar momentos representativos na vida de Dom Paulo Evaristo Arns, desde sua nomeação como Bispo Auxiliar de São Paulo, em 1966 a seu período de cardinalato em São Paulo. O Cardeal dos Pobres, mas também o Cardeal da ESPERANÇA,, exerceu seu ministério episcopal com grande dedicação, deixando inúmeros ensinamentos. Nos 28 anos à frente da Arquidiocese, criou 43 paróquias, construiu 1.200 centros comunitários e incentivou e apoiou o surgimento de mais de 2.000 Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) na capital paulista, tendo sua biografia relatada em uma dezena de livros.

Nascido em Forquilhas (SC), Dom Paulo Evaristo Arns é o quinto de uma família de 13 irmãos, filho de um casal de descentes alemães, imigrantes da região do Rio Mosela. Em setembro de 1921 decidiu seguir o caminho da vida religiosa tornando-se frade franciscano. Faleceu em dezembro de 2016, aos 95 anos, reconhecido, nacional e internacionalmente, como teólogo, escritor, estudioso de patrística, defensor da pessoa humana e pastor dedicado a Igreja.

Em 1983, criou a Pastoral da Criança com a irmã Zilda Arns. Em entrevistas, costumava dizer que: “para que transformações aconteçam, é importante cada um se interessar pela política e agir, no sentido de defender os direitos daqueles que mais precisam”. Em 2012, se tornou o mais antigo de todos os membros do Colégio Cardinalício. Como cardeal eleitor, participou de dois conclaves, os de agosto e outubro de 1978, que escolheram os papas João Paulo I e João Paulo II, a quem recepcionou em São Paulo em 1980. Muito pode ser dito sobre este franciscano que amou os pobres, organizou a Igreja nas periferias paulistanas, teve zelo pela liturgia e incentivou o protagonismo do leigo. Intelectual, pessoa de fácil comunicação e promotor de pastorais e obras sociais, recebeu inúmeros prêmios e homenagens no Brasil e no exterior. Entre eles, o Prêmio Nansen do Alto Comissariado da ONU (Organização das Nações Unidas) para Refugiados (Acnur), o Prêmio Niwano da Paz (Japão) e o Prêmio Internacional Letelier-Moffitt de Direitos Humanos (EUA), além de 38 títulos de cidadania.

“A exposição, ‘De Esperança em Esperança’ – Itinerário eclesiológico no Pastoreio de Dom Paulo Evaristo Arns, desejou contemplar, através de registros fotográficos, uma história edificadora de entrega e serviço ao Reino de Deus, que completamente envolvido com o ‘Reino dos homens’, deixou sua marca na defesa e liberdade dos direitos humanos. Um homem de um carisma e humanidade admiráveis”.

Pe. José Roberto Abreu de Mattos e Pe. José Ulisses Leva.

Exposição: “De ESPERANÇA em ESPERANÇA” | Dom Paulo Evaristo Arns

Curadoria: Prof. Dr. Pe. José Roberto Abreu de Mattos e Prof. Dr. Pe. José Ulisses Leva.

Abertura: 25 de janeiro – terça-feira – das 11h às 14h

Período: de 26 de janeiro a 20 de março de 2022.

Local: Sala MAS/Metrô – Estação Tiradentes

Endereço MAS/SP: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – informações adicionais

Horários: De terça-feira a domingo, das 11 às 17h (entrada permitida até as 16h30)

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação

OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA E APRESENTAÇÃO DE COMPROVANTE DE VACINAÇÃO

INGRESSOS PODEM SER ADQUIRIDOS ATRAVÉS DO SITE DO MUSEU – link para ingressos

“É Sacro, É Moderno – Arte Sacra dos Modernistas”: a nova exposição do Museu de Arte Sacra

Museu de Arte Sacra de São PauloMAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, abre a exposição, “É Sacro, É Moderno – Arte Sacra dos Modernistas”, sob curadoria de Beatriz Cruz e Di Bonetti que, com cuidadosa seleção e pesquisa forma um conjunto de trabalhos de artistas do segmento, presentes ou não na Semana de Arte Moderna. O fio condutor do recorte apresentado é a dominância do tema ‘sacro’, ou relativo ao ‘sagrado’, presente em todos os trabalhos.

Aldo Bonadei, Alfredo Ceschiatti, Alfredo Volpi, Anita Malfatti, Antônio Gomide, Cândido Portinari, Clóvis Graciano, Di Cavalvanti, Djanira, George Przyrembel, Heitor Villa Lobos, Gino Bruno, Mario de Andrade, Paulo Rossi Osir, Samsom Flexor, Sylvio Alves, Thomaz Ianelli, Victor Brecheret, possuem obras em “É Sacro, É Moderno – Arte Sacra dos Modernistas”. Embora nem todos tenham participado da “Semana de 22”, conviveram entre si, foram amigos, trocaram experiências e influenciaram uns aos outros. Anita Malfatti, “Mãe do Modernismo Brasileiro”, foi a precursora. Foi o gatilho que impulsionou a renovação estética, após angariar base de conhecimentos através de estudos na Europa e Estados Unidos. Uma das primeiras pintoras que arriscou pintar a seu modo, com ousadia para brincar com as cores e formas. É justo afirmar que a grande maioria dos artistas e intelectuais de São Paulo na década de 20, se conheciam e se frequentavam. Anita Malfatti esteve bem perto de Tarsila do Amaral, pois as famílias eram amigas. Em Paris, Anita tinha seu ateliê próximo ao de Brecheret e tiveram convívio durante os 5 anos que lá residiu. Anita foi, também, grande incentivadora de Di Cavalcanti, chegou a dar-lhe aulas, quando ele veio do Rio de Janeiro para morar em São Paulo. Volpi, Bonadei, Gomide, Portinari, Gino Bruno e Sylvio Alves, de uma forma e de outra, se conheciam, conviviam ou tinham amizade.

Na exposição, tem-se a oportunidade, talvez primeira, de um contato dirigido a um conjunto de obras da produção modernista de Arte Sacra, seja na pintura, escultura, música ou literatura. A arquitetura também foi incluída pois, após 100 anos, tem-se acesso às plantas e esboços da “Taperinha”, concebida em estilo neocolonial e apresentada por Przyrembel na Semana de 22. Ao seu lado os esboços do projeto de uma de suas obras mais conhecidas em São Paulo, a Basílica Nossa Senhora do Carmo. ‘Enraizadas consciente ou inconscientemente, as temáticas sacras seguiram abordadas pelos artistas modernistas, que a partir de uma nova estética produzida, muitas vezes vista como profana, trouxeram novos olhares para o sagrado”, enfatiza a curadoria.

“O propósito em reunir obras destes artistas modernos, de cunho sacro, certifica de maneira palpável, a religiosidade impregnada em cada um deles através da influência familiar, e, dos grandes mestres”, explica Beatriz Cruz.

“ESTE É O ESTILO QUE DE NÓS ESPERAM OS PASSADISTAS, PARA ENFORCAR-NOS, UM A UM, NOS FINOS BARAÇOS DOS ASSOBIOS DE SUAS VAIAS. PARA ELES NÓS SOMOS UM BANCO DE BOLCHEVISTAS DA ESTÉTICA, CORRENDO A 80 H.P. RUMO DA PARANÓIA.SOMOS O ESCÂNDALO COM DUAS PERNAS, O CABOTISMO ORGANIZADO EM ESCOLA.JULGAM-NOS UNS CANGACEIROS DA PROSA, DO VERSO, DA ESCULTURA, DA PINTURA, DA COREOGRAFIA, DA MÚSICA, AMOTINADOS NA JAGUNÇADA DO CANUDOS LITERÁRIO DA PAULICÉIA DESVAIRADA.”

Menotti Del Picchia, 17 de fevereiro de 1922

Exposição: “Modernismo: Arte Sacra e Religiosidade

Artista: Aldo Bonadei, Alfredo Ceschiatti, Alfredo Volpi, Anita Malfatti, Antônio Gomide, Cândido Portinari, Clóvis Graciano, Di Cavalvanti, Djanira, George Przyrembel, Heitor Villa Lobos, Gino Bruno, Mario de Andrade, Paulo Rossi Osir, Samsom Flexor, Sylvio Alves, Thomaz Ianelli, Victor Brecheret.

Curadoria: Beatriz Cruz e Di Bonetti

Abertura: 09 de abril – sábado – das 11h às 14h

Período: de 09 de abril a 10 de junho de 2022

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo || MAS/SP

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Estacionamento gratuito/alternativa de acesso: Rua Jorge Miranda, 43 (sujeito à lotação)

Tel.: 11 3326-5393 – informações adicionais

Horários: De terça-feira a domingo, das 09 às 17h (entrada permitida até as 16h30)

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação

OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA E APRESENTAÇÃO DE COMPROVANTE DE VACINAÇÃO

INGRESSOS PODEM SER ADQUIRIDOS ATRAVÉS DO SITE DO MUSEU – link para ingressos

Número de obras: aproximadamente 40

Técnicas: pinturas, desenhos, esculturas, fotografias

Dimensões: variadas

“Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol”: esporte e diversão para toda a família

Dezembro começa com um evento de esporte, cultura e entretenimento para toda a família, na área externa do Museu do Futebol. É o “Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol: esporte e diversão para toda a família”.

De 6 a 9/12, de quinta a domingo, das 10h às 17h (exceto dia 8/12 que será das 9h às 15h), uma programação esportiva/recreativa irá estimular a prática da atividades físicas e a descoberta de novas modalidades, ressaltando a arte do convívio proporcionado pelo esporte.

Divididas em quatro circuitos (Recreativo; Poliesportivo; Bem-estar e Ptinação/Skate), as atividades incluem aulas de futebol e rugby, aulas de Yoga, alongamento, além de atividades para as crianças, de equilíbrio, subir cordas e ‘teia de aranha’. Completa o dia de muita diversão a visita ao Museu do Futebol (ingressos: R$ 12 inteira I R$ 6 meia-entrada).

programação

“A ludicidade, o brincar junto, a convivência intergeracional e a atividade em equipe proporcionam – além do estímulo à prática esportiva e à vida saudável – o desenvolvimento da cidadania, do respeito e da integração. A parceria com a empresa Decathlon proporciona quatro dias de atividades abertas, gratuitas, para toda a família.”

Eric Klug
Diretor executivo do Museu do Futebol

CIRCUITO RECREATIVO

Pular corda
Pular muro por cima
Pular muro pelo meio
Passar pelo muro por baixo
Teia de aranha (trama de corda fixa c/ grama sintética) para as crianças atravessarem o obstáculo
Gangorra de madeira

CIRCUITO POLIESPORTIVO

Futebol
Aulas de falta
Aulas de pênalti
Aulas de dribles

Rugby
Aulas de defesa
Aulas de Ataque
Aulas de Arremesso

CIRCUITO BEM-ESTAR

Aulas Yoga
Aulas de Alongamento
Aulas de Dança

CIRCUITO PATINAÇÃO/SKATE

Pista com mini cones no vão central

onde fica?

“SP Cultura na Rua” leva música para o Jardim São Luís!

Projeto leva artistas de rua para as periferias da capital

(mais…)

#CulturaEmCasa exibe Mostra Xingu 60 anos

Evento marca os 60 anos do Território Indígena do Xingu. Na programação, estão obras inéditas do cineasta Takumã Kuikuro

O mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado às temáticas socioambientais e dos povos originários, a Mostra Ecofalante de Cinema, promove a partir de 1 de dezembro programação especial Xingu 60 Anos, com 31 filmes e debates disponibilizados de forma online e gratuita. Todos serão disponibilizados on demand até o dia 12. São longas, médias e curtas-metragens, reunindo produções pioneiras realizadas a partir do ano de 1932, títulos finalizados em 2021 e inéditos. A iniciativa é da ONG Ecofalante, com direção de Chico Guariba. Os filmes e debates podem ser acessados gratuitamente via site da Ong e plataforma #CulturaemCasa. (Confira programação abaixo). Criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa e gerida pela Amigos da Arte, a ferramenta já registrou mais de 7 milhões de visualizações.

O evento marca as 6 décadas de existência do Parque Indígena do Xingu (PIX), hoje conhecido como Território Indígena do Xingu (TIX). Foi criado em 1961 para garantir a sobrevivência, melhores condições de vida, a posse da terra à população indígena da região e para preservar sua cultura, seus hábitos e suas crenças.   À época a maior e mais importante reserva indígena brasileira, o parque foi uma iniciativa de sertanistas liderados pelos irmãos Villas-BôasCláudio, Orlando e Leonardo.

O aclamado longa Raoni (1978) abre a Mostra Ecofalante de Cinema. O filme é um dos primeiros documentários de longa-metragem a abordar os problemas relacionados à questão indígena no Brasil. Conquistou quatro premiações na edição de 1979 no Festival de Gramado, incluindo a de melhor filme. A obra acompanha a luta do cacique Raoni pela preservação do Parque Nacional do Xingu, ameaçado por grileiros, caçadores e madeireiras. O longa-metragem foi filmado clandestinamente no Parque Nacional do Xingu no princípio de 1975, durante a ditadura militar brasileira. A direção é assinada pelo cineasta e escritor belga Jean-Pierre Dutilleux e pelo fotógrafo e montador brasileiro Luiz Carlos Saldanha. Na mostra, o filme é exibido em cópia recentemente digitalizada em resolução 4K, que oferece a maior qualidade de imagem.

Destacam-se também obras assinadas por cineastas indígenas. Entre elas, as do diretor Takumã Kuikuro. O filme Kukuho – Canto Vivo Wauja (2021) focaliza um músico, contador de histórias e líder da comunidade Waujá do Xingu que tenta preservar e compartilhar a música tradicional do seu povo. Território Pequi (2021) mostra como o pequi se tornou símbolo de vasto patrimônio cultural e genético. Membro da aldeia indígena Kuikuro, atualmente vivendo na aldeia Ipatse, no Parque Indígena do Xingu, Takumã Kuikuro recebeu em 2017 o prêmio honorário Bolsista da Queen Mary University of London. Em 2019, foi o primeiro jurado indígena do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

“A Mostra Ecofalante de Cinema reúne o que há de melhor sobre as temáticas relacionadas aos povos originários, às questões climáticas e ao meio-ambiente. A exibição em formato online e gratuita, amplia a difusão destes conteúdos. E, principalmente, incentiva a reflexão e a conscientização sobre a riqueza da pluralidade cultural étnica e a força do cinema indígena”, destaca Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre a #CulturaEmCasa

Em 20 meses a plataforma já disponibilizou mais de 4 mil conteúdos. Já são 4 mil cidades do Brasil e 165 países atingidos. O objetivo da plataforma é democratizar o acesso da população a eventos culturais e artísticos de alta qualidade gerados ou não por instituições vinculadas à Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SEC). Entre elas, a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu da Imigração, o Museu da Casa Brasileira, o Museu do Futebol, a Biblioteca de São Paulo, a Biblioteca Parque Villa Lobos, a São Paulo Companhia de Dança e o Projeto Guri. A ferramenta apresenta também conteúdos dos Teatro Sérgio Cardoso, do Teatro Estadual de Araras e do Museu da Diversidade Sexual (MDS). Além de diversos programas de difusão cultural e de incentivo à economia criativa como a #Virada SP Online, reunindo nomes como Dudu Nobre, Sérgio Britto, Roberta Miranda, Marcelo Falcão, Alceu Valença, Chico César e artistas dos municípios paulistas. A plataforma também transmite o maior programa de incentivo ao setor gastronômico – o #SP Gastronomia, convidando chefs como Lucas Corazza, Renato Carioni, e Fred Caffarena.

Em celebração aos 100 anos da Semana de Arte Moderna, a plataforma organiza e produz a série ‘Outras Vanguardas’, que fala com celebridades do mundo artístico e que, de alguma forma, ecoa o movimento modernista. Tetê Espíndola, Arrigo Barnabé, Pascoal da Conceição, Cida Moreira, Tulipa Ruiz, entre outros já participaram do programa.

Filmes da Mostra Ecofalante de Cinema

Raoni

Olhares Cruzados – Parque Indígena do Xingu 50 anos

Ao Redor do Brasil

O Destino das Mulheres Amazonas

Contato com Tribo Hostil

Incidente no Mato Grosso

Kuarup

Bubula, O Cara Vermelha

O Índio Cor de Rosa Contra a Fera Invisível: A Peleja de Noel Nutels

Xingu/Terra

Debate Parque Indígena do Xingu (PIX): Origens

Uaka

Imbé Gikegü – Cheiro de Pequi

Kiarãsâ Yõ Sâty – O Amendoim da Cutia

A História da Cutia e do Macaco

De Volta à Terra Boa

Para Onde Foram as Andorinhas

Kîsêdjê ro Sujareni – Os Kisêdjê contam a sua história

A Última Volta do Xingu

Topawa

Yarang Mamin

Wotko e Kokotxi, Uma História Tapayuna

O Corpo e os Espíritos

Kukuho – Canto Vivo Wauja

Território Pequi – com Carlos Fausto Kamikia Kisêdjê, Takumã Kuikuro e Mari Corrêa

Pïrínop: Meu Primeiro Contato

Itão Kue-gü – As Hiper Mulheres

Coração do Brasil

O Último Kuarup Branco

Xingu – A Terra Ameaçada

O Brasil Grande e os Índios Gigantes

O Segundo Encontro

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

 

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

#CulturaSP concorre em diversas categorias no Prêmio Concerto 2018 – VOTE!

A Revista Concerto divulga os finalistas do Prêmio CONCERTO 2018, que chega este ano à sua sétima edição. São cinco categorias – Prêmio Lauro Machado Coelho de Ópera; Música Orquestral; Música de Câmara/Recital/Coral; Jovem Talento; CD/DVD/Livro –, além do Grande Prêmio 2018.

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo concorre nas seguintes categorias:

  • MÚSICA ORQUESTRAL, com “Saccades”, de Philippe Manoury, interpretada por Emmanuel Pahud (flauta) e Thierry Fischer (regente), da OSESP
  • PRÊMIO LAURO MACHADO COELHO DE ÓPERA, com “Kátia Kabanová”, de Janácek (Ira Levin/André Heller-Lopes) e “Sonho de uma noite de verão”, de Britten (Claudio Cruz/Jorge Takla), ambos do Theatro São Pedro
  • GRANDE PRÊMIO, com Integral das sinfonias de Heitor Villa-Lobos, performada pela OSESP sob regência de Isaac Karabtchevsky

Todos os finalistas foram definidos após discussões e votações de um júri formado por especialistas da área musical. A banca contou com os jornalistas e críticos musicais Camila Frésca, Irineu Franco Perpetuo, João Luiz Sampaio, João Marcos Coelho, Nelson Rubens Kunze e Sidney Molina.

O Prêmio Concerto de Ópera foi nomeado Lauro Machado Coelho, uma homenagem ao jornalista e crítico falecido no início do ano. Machado Coelho publicou pela Editora Perspectiva a extraordinária coleção História da ópera, em diversos volumes, além de vários livros sobre música e poesia. Como jornalista, Lauro desenvolveu importante trabalho no Jornal da Tarde, na Revista Época, na Revista Bravo e na rádio Cultura FM. Durante muitos anos foi crítico musical do jornal O Estado de S.Paulo. De 1996 até seu afastamento em 2010, Lauro Machado Coelho foi articulista da Revista Concerto.

Para o Prêmio Concerto 2018, os leitores poderão escolher seus candidatos favoritos votando na enquete no Site Concerto, que fica no ar até o dia 17 de dezembro. Os vencedores, tanto do voto da crítica quanto do voto do público, serão conhecidos na edição de janeiro/fevereiro de 2019 da Revista Concerto.


PARTICIPE! Clique aqui e vote em todas as categorias

#MISemCasa tem programação de fim de ano online com muita música e cinema

Público poderá conferir vídeos inéditos no canal do Museu no Youtube. Já a visitação presencial da exposição John Lennon em Nova York por Bob Gruen retorna em 8 de janeiro de 2021 (mais…)

#ProACExpresso prorroga prazo para inscrição em editais

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa prorrogou as inscrições para projetos nas linhas de teatro, dança, infanto-juvenil, festivais, circo, artes visuais e música. As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas através do site www.proac.sp.gov.br. Confira os editais com novos prazos:

Prazo prorrogado para 30/07, até às 17h:

Teatro
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de teatro
– Circulação de espetáculos de teatro

Dança
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de dança
– Circulação de espetáculos de dança

Infanto-Juvenil
– Produção e temporada de espetáculos inéditos para o público infanto-juvenil
– Circulação de espetáculos para o público infanto-juvenil

Prazo prorrogado para 31/07, até às 17h:

Festivais
– Festivais, mostras, feiras, mercados de cultura e artes e festas populares

Circo
– Aquisição e manutenção de lonas de circo
– Produção e circulação de espetáculos circenses

Artes Visuais
– Produção de exposições inéditas de artes visuais

Música
– Produção e circulação de espetáculos inéditos de música
– Gravação de álbuns musicais inéditos e realização de shows de lançamento

#ViagemLiterária: Bibliotecas do interior paulista recebem escritores de Literatura Fantástica

Programa Viagem Literária acontece entre os dias 9 de setembro e 2 de outubro, percorre 76 cidades e é destinado a todas as idades

(mais…)

Nota de esclarecimento sobre o ProAC ICMS

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que o ProAC ICMS terá seu prazo de vigência em 2020 estendido de 31/10 para 31/12, conforme decreto a ser publicado em breve. No que diz respeito a 2021 e aos anos seguintes, a manutenção deste mecanismo de incentivo fiscal para projetos culturais depende de decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária, a ser tomada em dezembro. Esta decisão se refere ao conjunto dos estados. O ProAC ICMS não integra o projeto de lei 529/2020,  aprovado no dia  13 de outubro  pela Assembleia Legislativa de São Paulo.

100 dias de Cultura e Economia Criativa

Secretaria de Cultura e Economia Criativa completa 100 dias de gestão com ações de fomento e foco em formação

(mais…)

10ª Edição do Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

Programação trará palestrantes de diferentes países em sua programação.
(mais…)

3ª edição dos Encontros Históricos com estrelas da MPB

Paulinho da Viola, Fafá de Belém, Daniela Mercury, Maria Gadú e Gal Costa estão entre os convidados destes novos Encontros, que acontecem entre 2 de abril e 17 de dezembro; ingressos já podem ser adquiridos

Em 2022, a Sala São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, traz para seu palco mais uma temporada dos Encontros Históricos. Depois de receber grandes nomes da música popular brasileira acompanhados pela Brasil Jazz Sinfônica, corpo estável do Governo do Estado, entre 2020 e 2021, a nova edição dará as boas-vindas a Paulinho da Viola & Família, Fafá de Belém & Otto, Daniela Mercury & Maria Gadú, Teresa Cristina & Dudu Nobre, Arnaldo Antunes & Lenine e Gal Costa & Silva, entre outras estrelas da MPB.

No primeiro ano dos Encontros Históricos na Sala São Paulo, foram realizados encontro entre artistas como Erasmo Carlos & Roberta Sá, Ivan Lins & MP4 e João Donato & Marcos Valle. Na segunda edição, subiram ao palco nomes como Gilberto Gil, Alcione, Martinho da Vila, Elba Ramalho e Carlinhos Brown realizando performances inesquecíveis, sempre com o acompanhamento da Brasil Jazz Sinfônica, orquestra parceira do projeto.
O primeiro concerto desta nova temporada está marcado para o dia 2/abr, quando o cantor e compositor carioca Paulinho da Viola estará junto com os filhos Beatriz Rabello e João Rabello. As apresentações acontecem sempre aos sábados, às 22h, e os ingressos já podem ser adquiridos neste link.

“Os Encontros Históricos, que agora chegam à terceira temporada, vão além de um encontro entre dois artistas. Eles são também o encontro de dois artistas com a orquestra, e extraem da Brasil Jazz Sinfônica o que ela tem de melhor para oferecer, que é a excelência na produção de música popular orquestral. A constância com que presenciamos encontros inusitados ou improváveis neste projeto torna tudo ainda mais instigante, e isso nos dá a chance de mostrar a veia criativa da orquestra”, afirma Ruriá Duprat, Diretor Musical da Brasil Jazz Sinfônica.

Confira o calendário completo da terceira temporada dos Encontros Históricos na Sala São Paulo.

PROGRAMAÇÃO
02 ABR (SÁB), 22H00
PAULINHO DA VIOLA & FAMÍLIA
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

28 MAI (SÁB), 22H00
YAMANDU COSTA, ARMANDINHO MACÊDO & RENATO BORGHETTI
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

25 JUN (SÁB), 22H00
TERESA CRISTINA & DUDU NOBRE
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

20 AGO (SÁB), 22H00
FAFÁ DE BELÉM & OTTO
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

03 SET (SÁB), 22H00
DANIELA MERCURY & MARIA GADÚ
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

15 OUT (SÁB), 22H00
ARNALDO ANTUNES & LENINE
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

26 NOV (SÁB), 22H00
MARIENE DE CASTRO & LUEDJI LUNA
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

17 DEZ (SÁB), 22H00
GAL COSTA & SILVA
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

SERVIÇO

ENCONTROS HISTÓRICOS NA SALA SÃO PAULO
Data: Entre 2 de abril e 17 de dezembro
Endereço: Sala São Paulo | Praça Júlio Prestes, 16
Taxa de ocupação limite: 1.498 lugares
Recomendação etária: 7 anos
Ingressos: de R$ 50,00 a R$ 220,00 (valores inteiros*)
Bilheteria (INTI): Neste link
(11) 3777-9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.
Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.
Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 600 vagas; 20 para portadores de necessidades especiais; 33 para idosos.
* Estudantes, pessoas acima dos 60 anos, jovens pertencentes a famílias de baixa renda com idade de 15 a 29 anos, pessoas com deficiências e um acompanhante e servidores da educação (servidores do quadro de apoio — funcionários da secretaria e operacionais — e especialistas da Educação — coordenadores pedagógicos, diretores e supervisores — da rede pública, estadual e municipal) têm desconto de 50% nos ingressos para os concertos da Osesp na Sala São Paulo, mediante comprovação.

3º Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro recebem programação voltada ao fomento e formação de profissionais da dança (mais…)

7ª Mostra de Dança do Programa de Qualificação em Artes, em Santo Antônio do Pinhal

O público entrará em contato com várias narrativas a partir de gêneros como a dança contemporânea, street dance, jazz e sapateado; a Mostra, com mais de 10 grupos,  também se torna um atrativo aos turistas que buscam aproveitar o final de semana de 18 a 20/11, na cidade

A 7ª edição da Mostra de Dança do Programa de Qualificação em Artes (PQA), uma das áreas de Oficinas Culturais, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, acontecerá em 18, 19 e 20 de novembro,  na cidade de Santo Antônio do Pinhal (SP), localizada no Vale do Paraíba e a cerca de 170km da capital paulista. Mais de 10 companhias de dança do interior, litoral e Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) apresentam seus processos autorais.

Totalmente gratuita, a programação passará pelo Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza, onde os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência, e no palco da  Praça do Artesão. Além dos espetáculos, o público em geral, bailarinos e estudantes de dança poderão participar das práticas corporais nos espaços do Projeto Montanharte.

O público conhecerá as apresentações dos grupos de dança das cidades de Bauru, Campinas, Guarujá, Jacareí, Jundiaí, Ourinhos, Salto, Santo André, Taubaté e  Ubatuba. Uma novidade é que durante os três dias da 7ª edição da Mostra, os espectadores também poderão ver as versões mais dinâmicas de parte dos espetáculos no formato Pocket Dança.

Os espetáculos foram desenvolvidos com o apoio do ciclo de orientações do Programa de Qualificação em Artes – Dança de 2022, o qual colabora na autonomia dos coletivos do estado paulista, na diversidade das linguagens desenvolvidas por eles e conta com Alex Soares, curador convidado do PQA – Dança desde 2021. Soares também é videomaker e coreógrafo. No campo da dança, ele já integrou grupos como o Balé da Cidade de São Paulo (BCSP) e Balé Teatro Guaíra (Curitiba), colaborou em coreografias do Balé Teatro Castro Alves (Salvador), Corpo de Baile do Amazonas e Hubbard Street Dance (Chicago/EUA), entre outros.

Neste ano, a Mostra convida a Cia. Jovem de Dança de Jundiaí que apresenta Instagrimm, espetáculo que narra os contos dos irmãos Grimm em um cenário que simboliza o ambiente virtual dos stories.

Em 2022, o Programa de Qualificação em Artes – Dança tem a parceria da Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal.  Após as edições no formato virtual dos últimos dois anos, devido à pandemia de Covid-19, em 2022 a Mostra de Dança retorna no modo presencial e com uma agenda formada por espetáculos em diversos gêneros e abordagens, entre eles, cotidiano, universo feminino, dança contemporânea, dança urbana, sapateado, jazz e balé clássico. A seguir, a agenda completa.  Para mais detalhes, como a ficha técnica de cada espetáculo, acesse o site do Programa: clique aqui.

Agenda dos espetáculos de dança
Locais:
Santo Antônio do Pinhal (SP)
Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro
Praça do Artesão  – Endereço:  Avenida Min. Nelson Hungria, 170
Projeto Montanh’arte – Endereço: Avenida Ministro Nelson Hungria, 120
Grátis | Distribuição de ingressos no Auditório Municipal com uma hora de antecedência. Sem a necessidade de inscrição. Recomenda-se chegar com 30 minutos de antecedência nas apresentações abertas ao público.

18 DE NOVEMBRO, SEXTA-FEIRA
MOSTRA DE DANÇA
Local: Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro
16h

 


INSTAGRIMM
Cia. Jovem de Dança de Jundiaí
Os contos dos irmãos Grimm em stories
Classificação: Livre | Duração:40 minutos
Com o advento da internet nos últimos anos, as redes sociais ganharam uma proporção muito grande na vida das pessoas, inclusive das crianças. O espetáculo “Instagrimm” brinca com os contos dos irmãos Grimm e faz alusão à rede Instagram, durante uma coreografia lúdica e com humor voltada ao público infantil. Com o diálogo entre os contos clássicos e a tecnologia, revisita conhecidas histórias da infância, ao mesmo tempo em que propõe a reflexão de como seria nosso relacionamento com os personagens se pudéssemos segui-los nas redes sociais, apresentando diversos estilos de dança para os pequenos, como o hip-hop, sapateado, funk e balé clássico, com a proposta de estimular a dança dentro de cada um desde cedo.  

19h30
Abertura


20h
Zás Cia de Dança – Jacareí


Espetáculo: Mulher
Classificação: 14 anos | Duração: 30 minutos
Temas: Feminilidade, pré-conceitos, emoções, julgamentos, realidade, cotidianos.
Sempre atual, a Zás Cia de Dança leva ao palco o universo feminino e busca jogar luz na complexidade dessa realidade. O elenco jovem e dinâmico ressalta a forma como a sociedade olha, cobra e pré-julga, seja apontando caminhos ou querendo dizer o que é certo ou errado, pensar, falar ou vestir. São oito mulheres diferentes, oito corpas, diferentes histórias em cena, com músicas prioritariamente compostas por mulheres brasileiras e com uma linguagem cênica que traz brasilidade.

20h35

Balé da Cidade de Taubaté

Espetáculo: d. o. n. A.

Classificação: 14 anos |

Duração: 40 minutos

Gênero: dança contemporânea | Tema: Performance. Identidade e conflito de identidades| Cenas de nudez

Dona pode dizer muito e significar tanto: organizar e (re)estruturar-se como um universo de  sujeitos compostos de referências que de fato não são suas, corpos que performam identidades de um lugar natural para um lugar social. Dona se revela em que lugar se coloca um corpo, no seu espaço ou no espaço de outro dono. De quem ou o que permite ser dono. Construir e nomear aquilo que de essência não é nominável, se deleitar e despir-se de tantas, pois és agora a única habitante desse corpo, a própria dona.

 

21h25

Sigma Cia de Dança – Bauru

Espetáculo: Senda

Classificação: Livre | Duração: 45 minutos

Dentro de cada brasileiro desponta a sensação sui generis de pertencimento à nação, e por seu caráter inseparável aos indivíduos. Mas o que define a identidade, a essência brasileira? “Senda” revisita questões ancestrais ao mesmo tempo que traz à tona diversos questionamentos contemporâneos, afunilando ao microcosmo das histórias pessoais. A partir de cada escolha de nossa trajetória, muitas vezes imposta, buscamos a liberdade de compor e tecer nossas possibilidades. Entre realidades e utopias, existimos e resistimos às interseções desses fios, alargando esse caminho estreito.

 

ATIVIDADES FORMATIVAS:

14h às 17h

Local: Projeto Montanh’arte – Avenida Ministro Nelson Hungria, 120

Público: estudantes de dança, bailarinos e demais interessados

Práticas corporais do Oriente: respiração, conexão e criação

Com Eduardo Fukushima

Esta oficina pretende destacar as práticas orientais e suas experiências artísticas exploradas pelo reconhecido bailarino Eduardo Fukushima. Os objetivos são explorar a respiração, o relaxamento, a soltura das articulações e a vibração para conduzir um estado de concentração do corpo próprio e consequentes experimentações guiadas de improvisação.

Duração: 2 horas

Vivência do peso: exploração do tema como elemento fundamental da dança

Com Uxa Xavier

Aqui, pretende-se trabalhar sobre diferentes formas de experimentar e explorar o elemento peso na dança. Entre as reflexões levantadas estarão: Como vivemos e sentimos as transições do peso quando dançamos? Como organizamos nosso peso enquanto entrega, impulso e alavanca para o movimento dançado? Reconhecer no corpo em movimento esse elemento é base fundamental para o trabalho corporal do bailarino, auxiliando no trabalho em diversas modalidades técnicas de dança.

Duração: 2 horas

19 DE NOVEMBRO, SÁBADO

Local: Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro

12h

Grupo Experimental Sapateia –  Santo André

Espetáculo: RELANCE

Classificação:  Livre | Duração: 20 minutos

Gênero: Dança, Sapateado americano, Dança contemporânea | Tema: Memórias

Inspirado pela saudade e pelas transformações da pandemia, o espetáculo percorre particulares sentimentos gerados pelos encontros e reencontros da vida. Na vibração do som que ecoa dos pés e das formas que o corpo desenha em ato, memórias são revividas e emoções passageiras se fazem presentes. Um convite ao recordar daquilo que passou pelos olhares, de vislumbre, de RELANCE.

14h45

Blow Up Cia de dança – Salto

Espetáculo: A trilha

Classificação indicativa: Livre | Duração: 50 minutos

Com o objetivo de transportar o público para lembranças das próprias vidas, o elenco escolheu algumas cenas inspiradas nas fases mais marcantes das trilhas pessoais, utilizando música ao vivo e performance em alguns momentos. Inspirado na letra de “Tempo sem tempo” de José Miguel Wisnik, este espetáculo fala um pouco sobre o que trilhamos em nossas vidas, as escolhas que nossos pais fazem por nós, nossas próprias escolhas e as que fazemos por nossos filhos.

15h40

Saloly Cia. De Dança – Ubatuba

Espetáculo: Transcenda

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

Transcenda retrata um momento muito particular da vida de sua diretora, Saloly Furtado, a morte de sua mãe. “O chão se abriu com sua partida. Me inundou de um imenso vazio, mas através das nossas doces lembranças, transformo esta dor em movimento e sigo dançando, te sentindo viva em mim.”

16h20

Grupo: EMBO –  Escola Municipal de Bailado de Ourinhos

Espetáculo:  TIM TIM

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

Gênero: danças urbanas, contemporâneo | Tema: perda emocional, superação e alegria

Este espetáculo traz um paralelo com a trajetória  de um artista plural, criativo, polêmico, irônico e sobretudo talentoso, o Sebastião Rodrigues Maia/ Tim Maia, que uniu o soul ao baião, o funk, a bossa nova, o jazz ao rock, o disco, a MPB. A temática aborda pelo corpo, sua personalidade – ora agressiva, ora bem-humorada –  mas sem fazer juízo de valor, com foco sobretudo em suas fases e faces do caminho como artista, e no que suas experiências para além da fama se assemelham as vidas de muitos de nós, sua origem, trajetória, e as dificuldades constantes. Da simplicidade ao ápice de seu sucesso, ele nos deixou, mas sua obra fica, viva Tim Maia, um brinde ao intenso, TIM TIM.

19h30

Companhia de dança Vanessa França – Campinas

Espetáculo: Rasgo

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

Uma materialidade quase impossível de tocar, manipulando tudo aquilo que pesa sobre nossas cabeças, ombros, vidas. Cargas são divididas sem a certeza de aguentarmos e imediatamente aguentando. Quanto da nossa força é mascarada em nome da sutileza? Dançamos sob a vulnerabilidade. Uma luta motivada pelas vivências de todos os dias. Impulso vital que transforma, rasga e transborda, transcende, cria espaços, conecta e se perpetua. As múltiplas perspectivas de uma mesma mulher. Somos muitas, trazemos muitas, vivemos muitas. Presente, passado e futuro em convergência. Quantas cada uma de nós carrega entre nossas mãos?

Sabemos muito, mas dizemos apenas o essencial porque ainda não nos compreendem. Porém, há uma força que nos habita e nos faz resistir. Seguimos porque o que nos move é muito maior do que o que nos cala. E esse algo em nós também existe em você.

20h15

Grupo: Instituto Arte em Movimento Ana Zucchi – Guarujá

Espetáculo: Chiquinhassss

Classificação: livre | Duração:  40 minutos

Gênero: Dança híbrida que dialoga com ballet clássico, flamenco, jazz, dança moderna e teatro

Há 175 anos nascia essa mulher gerada de um casamento inter-racial, uma mulher negra que criou passos abrindo alas na música, no comportamento e também na política, criando a SBAT que garante os direitos autorais de compositores. Abrir alas é dar passagem para todes, um espírito coletivo feminino de viver acreditando com coragem em seus sonhos e na arte. Esse espetáculo passeia por fases da vida desta grande mulher, Chiquinha Gonzaga. A criança que investigava sons como primeira experiência musical, a mulher/artista que compunha suas dores e amores, que rompeu barreiras frequentando rodas de samba e criando parcerias com músicos populares e se apresentando em lugares “não recomendáveis” para as famílias. Dançar Chiquinha nos leva a alegria, a melancolia  e ao amor de criar.

21h

Jeff Street Dance – Taubaté

Espetáculo: REFÉM

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

REFÉM é um espetáculo de danças urbanas criado a partir das emoções individuais de seus intérpretes cuja cumplicidade move a necessidade de ser-sentir-existir no hoje. Acolher as sombras, os ruídos internos, a solidão, as fragilidades e as emoções incontroláveis. Reconhecer-se refém da rotina, das lógicas socialmente impostas, das estruturas de poder e do outro. Como libertar-se dos aprisionamentos criados na própria mente? Juntes/as/os no palco os bailarinos expurgam seus conflitos mais internos pela dança.

9h às 12h

Mesas – Atividade exclusiva para os grupos de dança do PQA

Mesas: A Experiência da Orientação no Programa de Qualificação em Artes – Dança

Mediação: Cássia Navas

Mesa 1: líderes de grupos orientados

Mesa 2: artistas orientador/as

 

20 DE NOVEMBRO, DOMINGO

Local: Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro

MOSTRA INTERNA – somente para os grupos do Programa de Qualificação em Artes – Dança

11h45

Grupo: Hip Hop Rescue –  Miracatu

Espetáculo: O Encontro

Classificação:  12 anos| Duração:  20 min.

Gênero: Street Dance

Desde de 2019 o coletivo Hip Hop Rescue desenvolve e fomenta a cultura Hip Hop no município de Miracatu, resgatando a identidade, as raízes, a história e a cultura da cidade junto ao recorte da Street Dance. Assim, surge o espetáculo “O encontro” que faz essa viagem pelos tempos, sons, corpos e espaços na busca pela consciência e a reafirmação do território.

 

PALCO ABERTO – POCKET DANÇA

Local: Praça do Artesão – Endereço: Avenida Min. Nelson Hungria, 170

18 DE NOVEMBRO, SEXTA-FEIRA

17h

Grupo: Instituto Arte em Movimento Ana Zucchi – Guarujá

Espetáculo: Chiquinhassss

Classificação: Livre | Duração:  20 minutos

19 DE NOVEMBRO, SÁBADO

13h30

Sigma Cia de Dança – Bauru

Espetáculo: Senda

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

20 DE NOVEMBRO, DOMINGO

9h45

Jeff Street Dance – Taubaté

Espetáculo: Refém

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

10h10

Saloly Cia de Dança – Ubatuba

Espetáculo: Transcenda

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

10h30

Blow Up Cia de Dança – Salto

Espetáculo: A Trilha

Classificação: Livre | 20 minutos

10h55

Companhia de dança Vanessa França – Campinas

Espetáculo: Rasgo

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

A “cara” do Revelando: participantes revelam tradições e histórias no festival

Dona Lúcia, de Cruzeiro: “Não tem como mudar a história, porque a história não muda”

(mais…)

Abertura de equipamentos culturais

O Centro de Contingência da Covid-19 do Estado de São Paulo, que reúne 19 dos mais renomados especialistas no assunto, autorizou o início da retomada de diversas atividades culturais e criativas em São Paulo quatro semanas após a entrada de cada região e da Capital na Fase Amarela do Plano São Paulo. Apontou também os protocolos e medidas de prevenção que devem ser adotados. Esta é a posição que o Governo do Estado considera adequada e prudente, em sintonia com os exemplos internacionais. Os municípios tem autonomia para seguir essas recomendações ou adotar medidas mais restritivas, como fez a Prefeitura da Capital. Os equipamentos culturais do Governo do Estado estão prontos para reiniciar suas atividades, com a adoção dos protocolos necessários. As datas de reabertura serão comunicadas assim que as prefeituras das cidades em que se localizam emitirem suas autorizações.

Acesse o relatório de execução da LAB


Prezado Gestor Cultural, todos os projetos contratados pelos Editais ProAC Expresso LAB devem preencher e encaminhar o Relatório de Execução a seguir: https://forms.gle/TMh2ACVFNzt9wjR18

Fiquem atentos às orientações de preenchimento e utilizem o modelo abaixo para confeccionar o Relatório Gerencial, que deve ser anexado em um dos campos do formulário:


Editais Eixo Licenciamento

Nos Editais 41 e 42 – Eixo de Licenciamento, o conteúdo final editado a ser entregue deve seguir o seguinte caminho:

  1. Apresentar as Logomarcas Oficiais (conforme régua de créditos do ProAC Expresso LAB, disponível no Manual de Identidade Visual);

  2. Conter a vinheta do #CulturaEmCasa, disponível clicando aqui

  3. Ter resolução 4K ou full HD Extensão MPEG 4 ou MOV Codec H.264 ou H.265;

  4. Ser salvo em Pen Drive ou HD; deve ser colada uma etiqueta com ID do projeto;

  5. Ser colocado em envelope e etiquetado com as seguintes informações externas: ID do Projeto, Nome do Projeto, Nome do Proponente;

Devido às condições impostas pela pandemia, o Pen Drive ou HD com o vídeo finalizado deve ser enviado por meio dos Correios, via SEDEX ou PAC AR, para o endereço da Secretaria de Cultura e Economia Criativa: rua Mauá, 51 – Luz, São Paulo – SP, CEP 01028-000. Setor de Protocolo.


Atendimento

Com relação à execução os projetos do ProAC LAB, informações e dúvidas:

Dúvidas gerais: (11) 99342 8877 (WhatsApp Business)
Horário de atendimento: horário comercial

Dúvidas específicas sobre projetos: duvidaseditaisproaclab@sp.gov.br.
Importante: o “assunto do e-mail” deve citar o número do Edital e o ID do projeto.

Exemplo: Assunto: Edital 60; ID: 0000

Atenção: é possível enviar mais de uma dúvida no mesmo e-mail quando se tratar do mesmo projeto. Em caso de projetos diferentes, encaminhar um e-mail para cada um.

Ações educativas do Detran para crianças no Museu Catavento

Neste Maio Amarelo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) promove no Museu Catavento atividades de educação para o trânsito voltados ao público infantil, dentro do Programa Clube do Bem-te-vi. E mais: essas ações serão regulares no museu.

Desenvolvido com a Polícia Militar, o Clube do Bem-te-vi tem como objetivo compartilhar, por meio de palestras em escolas, vídeos e brincadeiras, os princípios básicos de segurança e cidadania no trânsito.

As ações do Maio Amarelo — mês dedicado internacionalmente às questões de educação e de segurança no trânsito — serão entre os dias 22 e 30 de maio, de terça a sexta-feira. As atividades lúdicas ocorrerão para turmas agendadas em períodos matutinos (10h50 e 11h30) e vespertinos (15h15 e 15h55), nos dias 22, 23, 24, 25, 29 e 30 de maio.

A parceria com o Museu Catavento se inicia no Maio Amarelo, mas será estendida para os próximos meses. A agenda será divulgada em breve.

“Nossa intenção é envolver mais turmas até o final do ano para participar das atividades. Nelas, as crianças aprendem brincando os conceitos de respeito e cidadania, tão fundamentais para a construção de um trânsito mais humano.”
MESSAGE-ICON
Maxwell Vieira
Diretor-presidente do Detran.SP

As crianças que participarem das atividades poderão tirar fotos no cenário com os personagens do Clube do Bem-te-vi e receberão um kit com uma cartilha ilustrada, uma carteira de habilitação e um talão de multas mirins para que multipliquem os conhecimentos adquiridos e sensibilizem as pessoas de seu convívio social para uma consciência cidadã em relação ao trânsito.

Visite

Agenda Bonifácio tem extensa programação comemorativa sobre o Bicentenário da Independência

Agenda virtual irá concentrar todas as atividades relativas ao programa ‘Brasil 200/São Paulo Celebra o Bicentenário da Independência’, entre os destaques estão os 100 eventos preparados pelas cerca de 69 instituições do Estado como Mostra de Cinema, Concertos, Exposições e Espetáculos

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo lançou nesta quarta-feira (18), o programa ‘Brasil 200/São Paulo Celebra o Bicentenário da Independência’, do qual fazem parte a Agenda Bonifácio, plataforma online que irá concentrar as atividades culturais do poder público e da sociedade civil relacionadas ao tema, a programação cultural preparada pelas 69 instituições do Governo Estadual, com mais de 100 eventos e o Festival do Bicentenário, no Parque da Independência, que será realizado de 3/9 a 11/9, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, com apresentações artísticas variadas, incluindo o espetáculo de abertura, no dia 7/9.

O anúncio do lançamento foi feito pelo Governador Rodrigo Garcia e pelo secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado, Sérgio Sá Leitão, no Museu do Ipiranga.

Agenda Bonifácio

Para ancorar toda a programação relacionada ao Bicentenário da Independência, a Agenda Bonifácio, batizada em referência a José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos personagens mais importantes da Independência, é uma plataforma on-line que está sendo atualizada constantemente. Ao todo serão 100 atividades, sendo 13 já realizadas e 87 que ocorrerão até dezembro deste ano. Ela estará em site e perfis em redes sociais. Também haverá conteúdos exclusivos com linha do tempo, entrevistas, destaques do acervo do Novo Museu do Ipiranga, notícias e curiosidades. Mais detalhes no site: https://agendabonifacio.com.br/.

A ação também dará visibilidade aos 16 projetos apoiados via ProAC Editais de 2021, programa de fomento à cultura do Governo de São Paulo, relacionados ao tema do Bicentenário, sendo nove do interior e sete da capital, com um investimento total  de R$1,5 milhão.

Programação comemorativa

Confira algumas das programações das 69 instituições culturais do Governo de São Paulo que fazem parte do programa ‘Brasil 200/São Paulo Celebra o Bicentenário da Independência’:

Espetáculo de projeção mapeada ‘Brasil 200’, na fachada do Palácio dos Bandeirantes (de 04 a 08 de setembro). Com visita presencial e exibição na plataforma #CulturaEmCasa.

Mostra “200 Anos da Independência em 200 filmes”, com exibição de cem curtas e cem longas-metragens nacionais no Cine Petra Belas Arte (2 a 30 de junho) e na plataforma #CulturaEmCasa (15 a 30 de junho).

Concerto “Floresta Villa-Lobos”, com execução da Osesp e regência de Marin Alsop, apresentando obras de Villa-Lobos, Tom Jobim, Philip Glass, entre outros compositores, e projeções audiovisuais concebidas por Marcello Dantas. Apresentações na Sala São Paulo (1 a 3 de setembro – Transmissão ao vivo 02/09) e no Carnegie Hall, em Nova York (15 de outubro).

Espetáculo “Noite Villa-Lobos”, na Sala São Paulo, com execução da Osesp, regência de Roberto Tibiriçá e performances inéditas da São Paulo Companhia de Dança (15, 16, 17, 18 de setembro de 2022 – Transmissão ao vivo 16/09).

Exposição “São Paulo, 1822 – Bahia, 1823: datas da Independência”, no Museu Afro Brasil, sobre dois processos de independência do Brasil: a proclamada, em 1822, em São Paulo, e aquela que só conheceu seu desfecho em 1823, na Bahia (7 de setembro a 11 de dezembro).

Exposição “Te Deum Laudamus – A Primeira Missa do 1º Reinado”, no Museu de Arte Sacra, com reprodução da antiga Igreja da Sé e apresentação do hino solene de ação de graças, oferecido a Deus por ocasião da independência. A abertura da exposição será marcada pelo toque simultâneo dos sinos de todas as igrejas da cidade de São Paulo (8 de setembro a 15 de outubro).

Exposição de obra site-specific “Dalton Paula: Rota do Algodão”, desenvolvida para o Octógono da Pinacoteca, a partir da reflexão sobre a história brasileira e a diáspora africana (de 27 de agosto a 30 de janeiro de 2023).

Exposição Jonathas de Andrade, na Estação Pinacoteca, envolvendo diferentes suportes sobre práticas decoloniais e ética das representações (de 24 de setembro a 28 de fevereiro de 2023).

Exposição “Nhe’ē Porã” no Museu da Língua Portuguesa, sobre a diversidade das línguas indígenas faladas no Brasil, o processo colonial e a resistência destas culturas milenares (de 16 de setembro a 23 de abril de 2023).

Programa CentFest, em comemoração aos 100 Anos da Bolsa Oficial do Café, hoje sede do museu, e aos 200 Anos da Independência do Brasil – Residência artística e exposição “Santos 2022” (de 24 de março a 30 de agosto), baile “100 anos da Bolsa Oficial do Café” (1 de setembro) e feira criativa ”Mercado Coffee” (1 de outubro).

Aluno da EMESP Tom Jobim ganha concurso internacional e é convidado para tocar na Philharmonie de Paris

Jonathan Marim, 11 anos, aluno de piano do 1º Ciclo na EMESP Tom Jobim, com o professor Luiz Guilherme Pozzi, conquistou o primeiro lugar no concurso internacional de música Grand Prize Virtuoso. Como parte da premiação, foi convidado para fazer um recital na Philharmonie de Paris, na França, no dia 17 de abril.

Jonathan Marimingressou na EMESP Tom Jobim aos 9 anos. Apesar da pouca idade, já conseguiu conquistar as primeiras colocações em concursos de piano como o Concurso Latino-Americano de Piano de Curitiba e o tradicional Concurso de Piano Souza Lima, na capital paulista.

Grand Prize Virtuoso International Music Competition é um concurso internacional de música para instrumentos de cordas, piano, sopro e voz. A competição é aberta a todas as nacionalidades e alguns dos ganhadores foram convidados para se apresentar no Amphitheatre da Philharmonie de Paris, na França, em abril de 2020.

EMESP Tom Jobim

Referência no ensino brasileiro de música, a EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Atende gratuitamente 1.300 alunas e alunos em seus cursos e habilitações em música popular e erudita, da teoria à prática musical. Em 2019, a EMESP Tom Jobim comemorou 30 anos de atuação. A Escola tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP Tom Jobim vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP Tom Jobim oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A Escola mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para as alunas e os alunos da Escola.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na AppStore. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

Alunos do Projeto Guri participam do LorenVale 2018

Festa é uma das mais tradicionais do Vale do Paraíba

Alunos do Grupo de Referência de Lorena. Foto: Cláudio Ribeiro

Integrantes do Projeto Guri de Lorena, a Orquestra do Polo e o Grupo de Referência de Lorena – Coro se apresentarão em mais uma edição do LorenVale, no dia 10 de maio, às 19h00, na Praça Baronesa de Santa Eulália.

Os alunos do Polo Lorena do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – farão um show no primeiro dia do evento com temas de filmes e séries como Piratas do Caribe, A Bela e a Fera, Missão Impossível e Game Of Thrones. Na sequência, o Grupo de Referência de Lorena – Coro apresentará as músicas Na Minha Terra, África, Don’t Stop Believing, Vambora, entre outras canções.

O LorenVale é realizado pela Prefeitura Municipal de Lorena por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e tem como objetivo valorizar a cultura regional, mantendo viva as tradições da festa. Além da apresentação dos alunos do Projeto Guri, o evento terá feira de artesanato com artistas e artesãos de Lorena e região do Vale do Paraíba, além de uma praça de alimentação com comidas típicas.

Grupo de Referência de Lorena – Coro

É composto por sopranos, contraltos, tenores e baixos. No repertório, há canções que vão da renascença até os dias atuais, entre peças populares e eruditas. Em 2013, o grupo protagonizou o espetáculo Lendas Amazônicas, com músicas de Waldemar Henrique, no Teatro São Pedro (SP) e na Sala São Paulo (SP) – esse último na série Aprendiz de Maestro. O Coro já foi conduzido por Pablo Trindade (2012), André Guimarães (2013), Patrícia Costa (2014) e Katherine Zeserson (2015).

SERVIÇO

LorenVale

Quando: 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Praça Baronesa Santa Eulália

Endereço: Praça Baronesa Santa Eulália – Centro, Lorena/SP
Entrada: gratuita.
Evento aberto ao público.

Parceiro local: Prefeitura Municipal de Lorena

O Grupo de Referência de Lorena – Coro tem o patrocínio das empresas Catho, VALGROUP, Supermercados Tauste e Caterpillar.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Aniversário de Portinari é celebrado com programação especial em Brodowski

Museu Casa de Portinari realiza dois espetáculos musicais em homenagem aos 114 anos do artista, morto em 1962 (mais…)

Apresentações e debates dos povos Guarani Mbya, Guarani Nhandewa e Tupi-Guarani compõem o Ciclo de Cultura Tradicional, em Mongaguá

Expressões culturais das aldeias localizadas em Mongaguá (SP) estarão reunidas no último encontro presencial do CCT 2022 

O Ciclo de Cultura Tradicional (CCT), realizado por Oficinas Culturais – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis, celebra as manifestações culturais indígenas, em Mongaguá, no dia 26 de novembro, sábado, a partir das 16h. O encontro traz apresentações de dança, canto e trabalhos artesanais de aldeias indígenas dos povos Guarani Mbya, Guarani Nhandewa e Tupi-Guarani, localizadas na cidade do litoral sul. O público também poderá assistir a estreia do curta-metragem Nhandereko: canto de proteção, dirigido por Ataíde G Vilharve. 

A programação do Ciclo é gratuita e acessível em Libras. Por Mongaguá, o objetivo é ampliar as reflexões sobre os costumes e resistência dos Guarani nesta e em outras regiões do país. No encontro do dia 26, o projeto conta com a correalização da Prefeitura Municipal de Mongaguá, por meio da Diretoria Municipal de Cultura. 

Ao longo de nove edições, o CCT reúne os públicos com agentes culturais, lideranças, mestres e pesquisadores de diferentes regiões do estado paulista. Assim, colabora com a troca de saberes entre os participantes e na valorização das tradições culturais caipiras, indígenas, afro-brasileiras, caiçaras, migrantes e imigrantes. 

O encerramento do CCT 2022 será veiculado pelo canal de YouTube das Oficinas Culturais no dia 1º de dezembro, a partir das 19h, quando os documentários em curta-metragem – lançados ao longo dos encontros pelo interior e litoral paulista – serão transmitidos junto aos debates com os respectivos diretores. 

Atrações do Ciclo de Cultura Tradicional em Mongaguá:

26/11 – sábado

Local: Praça Fernando Arens – Av. Marina, s/n, Centro

Acessível em Libras

Programação

16h às 20h30

ARTESANATO

Aldeia Aguapeú, Aldeia Cerro Korá, Aldeia Itaoca Tupi e Aldeia Nhanderupo 

Moradores das aldeias Aguapeú, Cerro Korá, Itaoca Tupi e Nhanderupo expressam sua cultura ancestral indígena por meio de uma das bases da economia de suas comunidades: o artesanato.  Esculturas em madeira, cestas, além de adornos e joias feitas de conchas, sementes, penas, miçangas e fios estarão expostas. 

Sobre as aldeias participantes:

Aldeia Aguapeú está localizada em reserva ambiental da Mata Atlântica, em Mongaguá. A comunidade Guarani Mbya de Aguapeú, que concebeu o projeto “Jaguatareí Nhemboé: caminhando e aprendendo”, desenvolve trabalho de Turismo de Base Comunitária, promovendo atividades de visitação e divulgando a importância da terra para a cultura Guarani;

 

Aldeia Cerro Korá mantém as raízes Tupi-Guarani. No local, vivem cerca de 40 pessoas, entre adultos e crianças, preservando a ancestralidade, além de manifestações como as danças do Xondaro, Tangará e o canto Mborai marãe’y. A comunidade produz peças artesanais e a venda contribui para a divulgação da cultura e de seu modo de vida;

 

Aldeia Itaoca Tupi está situada em meio à diversidade da fauna e flora da Mata Atlântica, em Mongaguá. Pertencente à etnia Guarani Nhandewa, a comunidade composta por 25 famílias vende artesanatos tradicionais, plantas e palmitos. Em fase de fortalecimento cultural da sua ancestralidade, utiliza o canto para expressar a valorização de seu povo e agradecer à Nhanderu por toda a natureza, sua casa;

 

Aldeia Nhanderupo é composta por 22 moradores da etnia Guarani. A agricultura (banana e palmito) é a base da economia da comunidade, bem como a venda do artesanato. A cultura e o conhecimento ancestral é mantido por meio da língua guarani, prioritariamente falada entre seus membros. 

16h às 19h | Apresentações

CANTO, DANÇA E CULTURA ANCESTRAL
Aldeia Itaoca Tupi, Aldeia Aguapeú, Aldeia Nhanderupo e Aldeia Cerro Korá 

O grupo Txondario e Txondaria da Aldeia Itaoca Tupi apresenta seu canto em agradecimento a Nhanderu, à natureza e aos visitantes. Na sequência, a Aldeia Aguapeú traz suas músicas tradicionais e a dança do Xondaro. Por meio do Coral Guatapu, a Aldeia Nhanderupo apresenta seus cânticos e destaca a importância da manutenção da tradição e da língua. Para encerrar, a Aldeia Cerro Korá apresenta as danças do Xondaro, Tangará e o canto do grupo Mborai marãe’y. 

19h | Filme

NHANDEREKO: CANTO DE PROTEÇÃO

Direção: Ataíde G Vilharve | BRA | 2022 | Doc | 15 min

Ambientado em aldeias de origem Guarani Mbya (Aguapeú, Cerro Korá e Nhanderupo), localizadas em Mongaguá (SP), o filme retrata o modo de ser indígena em diálogo com a natureza, a importância do território para a sobrevivência da cultura originária e do canto para fortalecimento do nhandereko e sua proteção. Nos conhecimentos ancestrais dos Guarani Mbya, nhandereko significa bem viver, os costumes desse povo. Após a exibição, haverá bate-papo com Trudruá Dorrico e Ataíde G Vilharve (diretor).

Sobre os convidados:

Trudruá Dorrico pertence ao povo Macuxi. Doutora em Teoria da Literatura pela PUCRS, administradora do perfil @leiamulheresindigenas no Instagram e do canal no YouTube “Literatura Indígena Contemporânea”. Também atuou como curadora da I Mostra de Literatura Indígena no Museu do Índio (UFU). Ainda é poeta, escritora, palestrante e pesquisadora de literatura indígena, autora da obra “Eu sou macuxi e outras histórias” (Caos e Letras, 2019).

 

Ataíde G Vilharve é Vherá Mirim, nome nativo e sagrado para o povo Guarani Mbya. Idealizador e coordenador da Mídia Mbya, canal de comunicadores indígenas do Vale do Ribeira (SP), e pesquisador da PARI-c (Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à Covid-19). Graduando em Tecnologia da Gestão Pública pela UNINOVE, cursou Gestão de Segurança Pública e Privado pela Faculdade Orígenes Lessa. 

20h | Show

OZ GUARANI

Direto da Terra Indígena Jaraguá, do povo Guarani Mbya, o grupo de rap Oz Guarani, junto ao Coral Mbaraeté, chega a Mongaguá para interpretar canções de resistência e fortalecimento da luta indígena por seus direitos. Seus integrantes, xondaros e xondárias, apresentam rimas e melodias que enaltecem a cultura e a diversidade dos povos originários e expõem suas necessidades.

Oz Guarani foi fundado em 2014, por Karai Djeguaka Xondaro. O grupo interpreta canções de resistência e fortalecimento da luta indígena A partir das rimas, expõe as necessidades de seu povo, relata os problemas diários sofridos em sua comunidade e narra o conflito histórico pela demarcação de terras.

 

Agenda de encerramento do Ciclo de Cultura Tradicional 2022:

Virtual: documentários transmitidos pelo canal de YouTube do programa Oficinas Culturais – clique aqui

01/12 – quinta-feira

Acessível em Libras

Programação

19h | Filme

DO CONGO À CONGADA: DEVOÇÃO A SÃO BENEDITO

Direção: Daniel Aguiar | BRA | 2022 | Doc | 18 min

 

O encontro entre dois grupos de congada da cidade de Franca, interior de São Paulo: Congada Três Colinas e Congada Os Marinheiros de Franca. Norteado pela essência dessa manifestação, com depoimentos e imagens do festejo, o filme aborda a importância da tradição e da cultura popular nos tempos atuais.

 

Após a exibição, haverá bate-papo com Daniel Aguiar (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

19h30 | Filme

JONGUEIROS DO AMANHÃ

Direção: Pedro Japa | BRA | 2022 | Doc | 21 min 

Na comunidade do Tamandaré, o Jongo é uma das culturas que dá ritmo ao bairro e traz pessoas de diversas regiões e estados para acompanhar suas festividades. Porém, entre o som do tambu e a fogueira, surge a preocupação de como manter viva essa tradição diante de avanços tecnológicos e desafios geracionais. 

Após a exibição, haverá bate-papo com Pedro Japa (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior. 

20h | Filme

KARAOKÊ: SOLTE SUA VOZ

Direção: Elica Ito | BRA | 2022 | Doc | 15 min 

Vivendo em um país do outro lado do mundo, imigrantes japoneses adaptaram-se ao Brasil, mas preservaram tradições da terra natal. Na música, os festivais de karaokê constroem essa relação entre o passado e o presente, com artistas amadores entoando canções do Japão. 

Após a exibição, haverá bate-papo com Elica Ito (diretora) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

20h30 | Filme

SÃO PEDRO, PESCADOR

Direção: J. Valpereiro | BRA | 2022 | Doc | 15 min 

O filme retrata os pescadores do bairro de São Francisco e a comunidade católica de São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo. Seus cotidianos, contados da perspectiva de um observador, levam a reflexões acerca da construção da fé nas comunidades. 

Após a exibição, haverá bate-papo com J. Valpereiro (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior. 

21h | Filme

NHANDEREKO: CANTO DE PROTEÇÃO

Direção: Ataíde G Vilharve | BRA | 2022 | Doc | 15 min 

Ambientado em aldeias de origem Guarani Mbya (Aguapeú, Cerro Korá e Nhanderupo), localizadas no município de Mongaguá, Litoral Sul de São Paulo, o filme retrata o modo de ser indígena em diálogo com a natureza, a importância do território para a sobrevivência da cultura originária e do canto para fortalecimento do nhandereko e sua proteção.

Após a exibição, haverá bate-papo com Ataíde G Vilharve (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

A programação do Ciclo também está disponível no site do programa Oficinas Culturais: agenda em Mongaguá e encerramento. 

Aprimoramento dos editais do programa de ação cultural para 2018

O Coordenador da UFC convida a dar suas sugestões para aprimoramento dos editais do Programa de Ação Cultural (mais…)

As férias mais divertidas da região são as do Museu Casa Portinari!

Brincadeiras, oficinas artísticas e de brinquedos e um ateliê a céu aberto são algumas das atrações em Brodowski

(mais…)

Auditório Claudio Santoro recebe, até 12/9, a 28ª edição New Fest Dance Campos do Jordão

De 3 a 5/9 e de 10 a 12/9, evento apresenta espetáculos de diferentes modalidades da dança, como jazz, sapateado, dança inclusiva e outras

O Auditório Claudio Santoro, instituição da Secretaria de Cultura e Economia do Estado de São Paulo, recebe de 3 a 5/9 e de 10 a 12/9 a 28ª edição do New Fest Dance Campos do Jordão. O festival de dança realizado pelo Instituto Cultural RV tem apresentações de diversas modalidades: clássico, moderno, jazz, contemporâneo, estilo livre, repertório, dança folclórica, sapateado, street dance, dança do ventre, dança gospel, dança inclusiva, dança da terceira idade e dança de salão.    

Nesta edição, o New Fest Dance Campos do Jordão recebe grupos vindos de São Paulo (capital, interior e litoral sul), Goiânia, Uberaba, Rio de Janeiro, Fortaleza, Santa Catarina. O evento é uma oportunidade para que bailarinos, grupos e academias divulguem seus trabalhos e também é uma ocasião de intercâmbio cultural e pedagógico entre alunos e professores. 

Os ingressos podem ser obtidos por WhatsApp: 11 96588-6654. Mais informações nos seguintes canais: 11 3222-3219, 11 93146-4208, Instagram @institutoculturalrv, Facebook Institutoculturalrv e e-mail  jacyrv@uol.com.br. 

 

Sobre o Auditório Claudio Santoro 

Localizado em Campos do Jordão, no Estado de São Paulo, o Auditório tem seu surgimento e sua trajetória institucional ligados ao Festival de Inverno de Campos do Jordão. Além de ser uma obra-prima da arquitetura, conta com 814 assentos e infraestrutura com elevador de cargas, 2 salas de produção, 3 camarins individuais e 2 coletivos, alojamentos e área administrativa. 

Autorização para filmagens nas fases Laranja e Vermelha

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa tem recebido diversas consultas de entidades do setor audiovisual sobre a realização de filmagens na Fase Laranja e na Fase Vermelha do Plano São Paulo. De acordo com o Decreto Estadual em vigor e as determinações do Centro de Contingência da Covid-19, não há óbice por parte do Governo do Estado à realização de filmagens na Fase Laranja e na Fase Vermelha do Plano São Paulo, desde que os protocolos sejam rigorosamente cumpridos e não haja aglomeração. As prefeituras podem, claro, estabelecer regras mais restritivas.

Belas Artes Drive-in completa 3 meses com a marca de 38 mil expectadores

Iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa com a Petra Belas Artes já exibiu 87 produções em 153 sessões desde o lançamento

(mais…)

Beneficiado pelo ProAC LAB, projeto virtual Estanca tem programação até novembro

Ação de ativismo cultural nas redes busca interagir as diversas manifestações da arte, da performance da intervenção urbana, a partir da perspectiva da produção intelectual independente e periférica; Programação vai de 25/9 a 13/11

O projeto virtual Estanca, que promove o debate entre profissionais do setor editorial e interessados em cultura literária e poesia autoral, estreia neste sábado 25/9. A intensa programação cultural gratuita, que inclui bate papos temáticos, sarau virtual, lançamento de livro e conversas com escritores, ocorre até 13/11, no instagram @aosprimataspoeta. Esse é mais um projeto contemplado pelo ProAC LAB 2020, programa de fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

A ação de ativismo cultural nas redes busca integrar literatura, artes visuais, fotografia, arte da performance e intervenção urbana a partir da perspectiva da produção intelectual independente e periférica. A idealização do projeto é do poeta e produtor cultural Math’eus Borges, em sintonia com outros artistas visuais e da palavra, além da parceria com o editor Tiago Mine.

A Lei Federal Aldir Blanc, de agosto de 2020, foi criada durante a pandemia para amparar o setor cultural, um dos mais afetados pela  crise sanitária. No Estado de São Paulo, esses fundos são investidos no programa de fomento cultural ProAC LAB.

ProAC LAB 2021

As inscrições para o ProAC LAB 2021, com investimento de R$ 19,6 milhões – valor é residual do Proac LAB do ano passado –, estão abertas até 28/9. Nesta edição, 11 editais contemplam 400 projetos de pessoas físicas e jurídicas nas áreas de música, teatro, dança, circo, audiovisual, artes visuais e literatura.

“Esse investimento integra o conjunto de programas de fomento à cultura do Governo do Estado de São Paulo, coordenados pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que tem como objetivo de injetar recursos no setor cultural e criativo para mitigar o impacto da pandemia do coronavírus e criar condições para a retomada de todas as atividades”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.

De acordo com as regras dos editais de fomento à cultura do Estado de São Paulo, proponentes pessoas físicas e jurídicas que receberam recursos do ProAC LAB 2020 não serão considerados pelo ProAC LAB 2021. “O ProAC Lab 2021 é um complemento do ProAC LAB 2020 para que possamos alcançar e beneficiar um número ainda maior de artistas, técnicos e produtores”, diz o secretário.

Linhas do ProAC LAB 2021

  1. Teatro/ Produtoras: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  2. Teatro/ Grupos, companhias e corpos estáveis: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  3. Dança/ Grupos, companhias e corpos estáveis: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  4. Circo/ Grupos, Companhias e circos de lona: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  5. Literatura/ Autores: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  6. Artes visuais/ Artistas: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  7. Música/ Orquestras, bandas, fanfarras, corais e grupos sinfônicos: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto: R$ 50 mil
  8. Música/ Artistas: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  9. Audiovisual/ Diretores: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  10. Audiovisual/ Produtoras: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil
  11. Pontos de Cultura: valor total R$ 2 milhões; valor por projeto R$ 50 mil

Prêmios do ProAC LAB 2021

Além das 11 linhas, o ProAC LAB 2021 também investe em prêmios para valorizar e reconhecer históricos de realizações nas áreas de música (grupos e artistas), teatro (produção e grupos), dança (grupos), circo (grupos), audiovisual (produtoras e diretores), literatura (autores), artes visuais e pontos de cultura.

Edital 41 – Prêmio por Histórico de Realização em Música Orquestras, Bandas, Fanfarras, Corais e Grupos Sinfônicos

Parâmetros Específicos – Edital 41.LAB.2021

Parâmetros Gerais – Edital 41.LAB.2021

Anexos – Edital 41.LAB.2021

Edital 42 – Prêmio por Histórico de Realização em Música – Artistas

Parâmetros Específicos-Edital 42.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital 42.LAB.2021

Anexos-Edital 42.LAB.2021

Edital 43 – Prêmio por Histórico de Realização em Teatro – Produção

Parâmetros Específicos-Edital 43.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital 43.LAB.2021

Anexos-Edital 43.LAB.2021

Edital 44 – Prêmio por Histórico de Realização em Teatro – Grupos, Companhias e Corpos Estáveis

Parâmetros Específicos-Edital 44.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital

Anexos-Edital 44.LAB.2021

Edital 45 – Prêmio por Histórico de Realização em Dança – Grupos, Companhias e Corpos Estáveis

Parâmetros Específicos-Edital 45.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital 45.LAB.2021

Anexos-Edital 45.LAB.2021

Edital 46 – Prêmio por Histórico de Realização em Circo – Grupos, Companhias e Circos de Lona

Parâmetros Específicos-Edital 46.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital 46.LAB.2021

Anexos-Edital 46.LAB.2021

Edital 47 – Prêmio por Histórico de Realização em Audiovisual – Produtoras

Parâmetros Específicos-Edital-47.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital-47.LAB.2021

Anexos-Edital-47.LAB.2021

Edital 48 – Prêmio por Histórico de Realização em Audiovisual – Diretores

Parâmetros Específicos-Edital-48.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital-48.LAB.2021

Anexos-Edital-48.LAB.2021

Edital 49 – Prêmio por Histórico de Realização em Literatura – Autores

Parâmetros Específicos-Edital-49.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital-49.LAB.2021

Anexos-Edital-49.LAB.2021

Edital 50 – Prêmio por Histórico de Realização em Artes Visuais – Artistas

Parâmetros Específicos-Edital-50.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital-50.LAB.2021

Anexos-Edital-50.LAB.2021

Edital 51 – Prêmio por Histórico de Realização para Pontos de Cultura

Parâmetros Específicos-Edital-51.LAB.2021

Parâmetros Gerais-Edital-51.LAB.2021

Anexos-Edital-51.LAB.2021

Investimento recorde 

Os recursos para o ProAC Expresso Editais 2021, ProAC Expresso Direto, Proac LAB e Juntos pela Cultura 2021 fazem parte de um investimento recorde de R$ 200 milhões que beneficia cerca de 9.340 mil projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras. Este valor representa um aumento de 13% em comparação ao liberado no ano passado, de R$ 177,2 milhões. O objetivo do Governo de São Paulo é estimular a retomada das atividades culturais e criativas, fortemente impactadas pela crise gerada pela pandemia do coronavírus, e incentivar a geração de renda, emprego e desenvolvimento.  A Secretaria estima gerar 138 mil postos de trabalho e um impacto econômico de R$ 300 milhões.

São três programas de fomento articulados e complementares com recursos próprios do Governo de São Paulo: ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso Direto e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural, totalizando um investimento recorde de R$ 182 milhões. Formulados a partir de consulta pública; reuniões setoriais com representantes de entidades e associações do setor; regras gerais, linhas, valores e parâmetros aprovados pelo Conselho Estadual de Cultura e Economia Criativa; e comissões de avaliação formadas também a partir de chamada pública, é o maior conjunto de programas de fomento à cultura em nível estadual no país e o maior investimento em produção cultural realizado por um estado brasileiro, que alcança todas as regiões e formas de expressão artística.

Biblioteca de São Paulo oferece curso gratuito de gramática e interpretação de texto para vestibular

Instituição do Governo do Estado de São Paulo ministrará a atividade on-line durante seis encontros. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser realizadas no site da BSP

A Biblioteca de São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, irá realizar curso gratuito de gramática e interpretação textual para vestibular. A oficina acontece virtualmente durante seis encontros, nos dias 13, 15, 20, 22, 27 e 29 de julho, das 10h às 12h30. As inscrições já estão abertas no site da BSP, e as vagas são limitadas.

O curso será ministrado por Naiara Costa, professora de literatura e escrita criativa em cursinhos pré-vestibular com mais de 11 anos de experiência, formada em Letras pela Universidade de São Paulo e  especialização em Cinema e Literatura pela Universidade de Buenos Aires. As aulas têm a proposta de fornecer uma revisão do conteúdo escolar e contribuir para o aprimoramento do conhecimento de elementos e conceitos essenciais para o domínio da linguagem normativa. Indicada para pessoas a partir de 16 anos.

A BSP retomou as atividades presenciais de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, atendendo às medidas da fase de transição do Plano São Paulo.  Para saber mais sobre a programação da BSP, acesse o site www.bsp.org.br .

Serviço

Curso de gramática e interpretação textual para vestibular

Data: 13, 15, 20, 22, 27 e 29 de julho

Horário: das 10h às 12h30

Inscrições: bsp.org.br/inscricao

Professora: Naiara Costa

Biblioteca de São Paulo realiza atividade online e gratuita para quem quer empreender

Com a pandemia, muitos procuraram formas de empreender e apostaram na economia criativa. Nesse contexto, a Biblioteca de São Paulo (BSP) realizará, em 28 de maio, a atividade online intitulada Empreendedorismo: Caixa Presente Lucrativa, com a chef confeiteira Laís Berlatto. A BSP é equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerida pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo terceiro ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.

Em aula, os participantes aprenderão a preparar brigadeiros de alta durabilidade, pães de mel, alfajores e barras recheadas, que podem compor caixas presenteáveis para vender o ano todo. A atividade inclui, além das técnicas de confeitaria, dicas de marketing e precificação, explanações sobre como acondicionar os produtos de forma atraente, e temas como normas de higiene e boas práticas para a manipulação e conservação dos alimentos.

Laís Berlatto é especialista em Gastronomia e Cozinha Autoral, atualmente pós-graduanda do programa de Nutrição, Alimentação Saudável e Empreendedorismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Trabalha há oito anos na área, ministra cursos e mantém produções para eventos em seu ateliê.

Com a necessidade de estimular o distanciamento social e outras medidas de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o #Culturaemcasa, que amplia a oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos. Importante lembrar que a BSP está retomando as atividades presenciais de terça a domingo, das 10h às 16h, atendendo às medidas da fase de transição do Plano São Paulo. Para saber mais sobre a programação da biblioteca, acesse o site www.bsp.org.br e as redes sociais (BSPbiblioteca).

Empreendedorismo: Caixa Presente Lucrativa

Atividade online e gratuita.

Com Laís Berlatto.

Sexta-feira, 28 de maio, das 10h às 13h.

Indicado para maiores de 14 anos.

Inscrições abertas em www.bsp.org.br/inscricao.

Biblioteca de São Paulo realiza Oficina de HQs com foco em personagens femininas

Serão três encontros, em formato presencial, e com carga horária de 6 horas

A Biblioteca de São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, abre inscrições para a oficina “A Construção da Personagem Feminina nas HQs”. A atividade acontecerá nos dias 21, 22 e 23 de setembro, das 14h às 16h, em formato presencial. Serão três encontros, com carga horária total de 6 horas. As aulas serão ministradas por Aline Zouvi, que fez mestrado sobre as obras autobiográficas da quadrinista Alison Bechdel, e trabalha com quadrinhos, ilustração e cartuns.

Os participantes terão uma breve introdução teórica à forma como a personagem feminina tem sido representada nos quadrinhos ocidentais e que tipo de mudanças essa representação tem se manifestado. Também serão convidados a produzir uma tira ou página de quadrinhos de acordo com o tema. O objetivo é ensinar os avanços que a HQ contemporânea tem mostrado quanto a representação feminina na cultura.

A oficina é indicada para pessoas a partir de 16 anos e as inscrições podem ser feitas pelo link: www.bsp.org.br/inscricao. As vagas são limitadas, preenchidas por ordem de inscrição.

Serviço

Oficina a Construção da Personagem Feminina nas HQs

Ministrante: Aline Zouvi

Formato: Presencial

Data e horário: 21, 22 e 23 de setembro, das 14h às 16h

Local: Biblioteca de São Paulo Av. Cruzeiro do Sul, 2630 – Santana, São Paulo – SP, 02030-100

Vagas limitadas

Inscrições: www.bsp.org.br/inscricao.

 

Programação

1º Encontro – 21/09 

  • 14h – 14h30: Apresentação da ministrante e dos alunos
  • 14h30 – 14h50: Apresentação da proposta do curso. Exercício de aquecimento:

ilustração de 1 quadro – autorretrato

  • 14h50 – 15h20: Apresentação sobre A representação da mulher nos quadrinhos
  • 15h20 – 16h: Discussão sobre a apresentação em conjunto com análise

dos autorretratos feitos e as escolhas de autorrepresentação feitas pelos alunos.
2º  Encontro – 22/09 

  • 14h – 14h30: Exercício de aquecimento: tirinha de 3 a 4 quadros abordando algum

tema relacionado a vivências femininas

  • 14h50 – 15h20: Apresentação sobre A representação da mulher nos quadrinhos –

Continuação

  • 15h20 – 16h: Discussão sobre a apresentação em conjunto com análise das tirinhas

produzidas pelos alunos e os temas abordados por eles.

3º  Encontro – 23/09 

  • 14h – 14h50: Exercício de aquecimento: elaborar uma página (número de

quadros pode variar) desenvolvendo o tema abordado no encontro anterior

  • 14h50 – 15h20: Apresentação com exemplos de roteiro, storyboard e

arte-final

  • 15h20 – 16h: Discussão sobre as páginas produzidas pelos alunos e encerramento

da oficina.

Biblioteca Parque Villa-Lobos comemora 3 anos!

Espetáculo do grupo Parlapatões, bate-papo com Xico Sá, abertura de exposição e muito mais (mais…)

Biblioteca Parque Villa-Lobos é finalista em premiação internacional

A Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerido pela Organização Social SP Leituras, é uma das cinco finalistas do Prêmio Biblioteca Pública do Ano 2018 / Systematic Public Library of the Year Award, promovido pela IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias), a mais importante entidade internacional da área.

Este ano, a instituição, que congrega as bibliotecas de todo o mundo, recebeu 35 inscrições de 19 países. A biblioteca vencedora será conhecida durante encontro internacional da entidade em Kuala Lumpur, em 28 de agosto. Junto com a BVL, aparecem como finalistas bibliotecas da Holanda, da Noruega, de Singapura e dos Estados Unidos.

Entre os critérios de premiação, constam a interação do equipamento com o entorno e a programação de serviços e atividades.

Segundo Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, a nomeação representa mais uma notável oportunidade para discutir o direito da população à leitura e a bibliotecas públicas de qualidade: “Esta indicação, no mesmo ano em que a Biblioteca de São Paulo figurou entre as quatro finalistas do Prêmio Internacional da Feira do Livro de Londres, é extremamente significativa. Novamente, fomos colocados na companhia de bibliotecas extraordinárias de todo o mundo e esperamos que esta visibilidade nos ajude a defender e melhorar a proposta contida nestes equipamentos.”

A BVL está instalada na porção oeste do Parque Villa-Lobos, área onde antes funcionava um depósito de lixo a céu aberto. Do esforço de revitalização e transformação do local nasceu a biblioteca, que hoje atende não só visitantes da região mas, em função do fácil acesso (inclusive por ciclovias e trem), também pessoas de outras áreas da cidade.

Hoje a BVL está configurada como um ambiente público, dinâmico, que traz em seu DNA a ideia de “biblioteca viva”, propondo-se ainda a ser um “terceiro lugar”, onde há liberdade e escolha para compartilhar saberes e lazer.

Ocupando área de 4 mil metros quadrados dentro do parque, a BVL possui arquitetura arrojada, moderna, favorável à integração com a área verde externa e está dividida em três pavimentos (térreo e dois pisos). Na área central, uma grande oca é o ponto de encontro dos frequentadores e palco de variadas ações culturais.

Também possui diversidade de atividades e serviços voltados para a aproximação das pessoas e das famílias com o mundo da cultura. Conta ainda com acervo atualizado permanentemente e ambiente inclusivo. Salas de criatividade, ludoteca, jogos eletrônicos, computadores e programação com mais de 800 eventos anuais compõem o espaço, escolhido pelos visitantes como extensão de seu momento de lazer.

A IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias) é a instituição que congrega e representa os interesses de bibliotecas e serviços de informação e seus usuários. Parceira da Unesco e considerada a voz global das bibliotecas, a IFLA foi fundada em 1927, em Edimburgo, na Escócia, e atualmente soma mais de 1.400 membros de mais de 140 países no mundo todo.

Para saber mais sobre a IFLA: https://www.ifla.org/

Para saber mais sobre a premiação e o evento: https://www.ifla.org/node/59304

Para conhecer melhor os critérios da premiação: https://www.ifla.org/node/29023

Visite

Biblioteca Parque Villa-Lobos promove bate-papo com escritor Fernando Bonassi; confira programação

Bate-papo com escritor Fernando Bonassi, contação de histórias e oficinas de literatura e de redação para o Enem são algumas das atividades para o mês de agosto

O mês de agosto chega com programação cultural diversificada na Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. As atividades, sempre gratuitas, combinam encontros presenciais e on-line, alguns deles com inscrições. São cursos, oficinas e bate-papos para públicos diversos.

O programa Segundas Intenções on-line receberá, este mês, Fernando Bonassi, em 23/8, na programação da BVL. Mediado pelo jornalista Manuel da Costa Pinto, o encontro com o escritor, roteirista e dramaturgo será transmitido simultaneamente nas páginas do Facebook da biblioteca, da Biblioteca de São Paulo, do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB) e do Literatura Brasileira no XXI. Com o objetivo de apresentar livros em múltiplos formatos acessíveis e contribuir com a formação de leitores, prioritariamente com deficiência, constam nas atividades de agosto a Oficina de Mediação de Leitura Acessível e Inclusiva e a Mediação de Leitura para Todos: A Aldeia Sagrada, de Francisco Marins. Ambos são encontros on-line, com interpretação em Língua Brasileira de Sinais e inscrições a partir de 10/8, às 10h. Confira abaixo as datas e horários destas e outras atividades.

Toda a programação on-line pode ser conferida diretamente da plataforma #CulturaEmCasa, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que amplia a oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos. A BVL está com atividades presenciais de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, seguindo todas as medidas de segurança e higiene de combate à pandemia. Para saber mais sobre a programação da biblioteca, acesse o site da Biblioteca Parque Villa-Lobos e as redes sociais da instituição.

Confira a programação completa abaixo:

Biblioteca Parque Villa-Lobos
Av. Queiroz Filho, 1205 – Alto de Pinheiros.
Para fazer sua inscrição, acesse o site Biblioteca Parque Villa-Lobos.
Vagas limitadas.

Hora do Conto 
PRESENCIAL. Sábados e domingos, das 14h às 14h45.
Com grupos convidados.
Sextas-feiras, das 15h às 15h30.
Com equipe BVL. Não é necessário fazer inscrição. As vagas são limitadas e preenchidas por ordem de chegada.

Vivência em LIBRAS

PRESENCIAL. Sábados, dias 7 e 14, das 14h45 às 15h15.

Domingos, dias 1º, 8, 15, das 14h45 às 15h15.

Com Glauber Lethieri. Não é necessário fazer inscrição. As vagas são limitadas e preenchidas por ordem de chegada.

Oficina Professores Personagens da Literatura: textos sobre outros textos

ON-LINE. Sábados, dias 7, 14, 21 e 28, das 10h às 13h.
Com Lilian do Rocio Borba. Atividade integra o Literatura Brasileira no XXI, projeto em parceria com a Unifesp. Indicada para maiores de 16 anos. Inscrições abertas.

Curso de Redação para o Enem

ON-LINE. Dias 10, 11, 12, 13, 17 e 18, das 14h às 16h30.

Com Naiara Costa dos Santos. Indicado para maiores de 16 anos. Inscrições abertas.

Oficina Como Sobreviver no Mercado de Quadrinhos

ON-LINE. Quarta-feira, dia 11, das 10h às 13h.

Com Ana Cardoso. Indicada para maiores de 14 anos. Inscrições abertas.

Tecnologia Dia a Dia 
Oficina virtual de smartphone +60.
ON-LINE. Quartas e sextas-feiras, de 11 a 27, das 14h às 16h (Turma 9).
Aulas por meio do WhatsApp. Com equipe BVL. Indicada para maiores de 60 anos.Inscrições abertas.

Oficina de Mediação de Leitura Acessível e Inclusiva

ON-LINE. Quarta-feira, dia 18, das 10h às 13h.

Com Carla Mauch, Danilo Santos e Mario Paulo Greggio. Realização: Mais Diferenças, em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo. Indicada para maiores de 16 anos. A atividade contará com interpretação em Língua Brasileira de Sinais. Inscrições a partir de 10 de agosto, às 10h.

Sarau na BVL
PRESENCIAL.Sexta-feira, dia 20 de agosto, das 14h às 15h.
Com Sarau Baobá. Não é necessário fazer inscrição. As vagas são limitadas e preenchidas por ordem de chegada.

Segundas Intenções 
ON-LINE. Segunda-feira, dia 23, das 19h às 20h.
Bate-papo com Fernando Bonassi.
Mediação de Manuel da Costa Pinto. Transmissão na página do Facebook da biblioteca.

Clube do Audiolivro

ON-LINE. Terça-feira, dia 24, das 14h30 às 16h.

O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, versão adaptada para o público infantojuvenil. Com equipe BVL. Indicado para jovens entre 11 e 14 anos. Atividade realizada em parceria com a Tocalivros. Os inscritos receberão instruções para realizar o empréstimo gratuito do audiolivro. Inscrições a partir de 3 de agosto, às 10h.

Mediação de Leitura para Todos: A Aldeia Sagrada, de Francisco Marins

ON-LINE. Quinta-feira, dia 26, das 12h às 13h.

Com Guacyara Labonia e Letícia Ferreira Guimarães e Silva. Realização: Mais Diferenças, em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo. Indicada para maiores de 14 anos. A atividade contará com interpretação em Língua Brasileira de Sinais. Inscrições a partir de 10 de agosto, às 10h.

Xadrez
ON-LINE.Quinta-feira, dia 26, das 16h às 17h.
Com Kaiser Luiz Mafra. Tema: Ataque de Roques opostos. Indicado para jogadores iniciantes, a partir de 7 anos.

Não é necessário fazer inscrição. Transmissão na página do Facebook da biblioteca.

Clube de Leitura
ON-LINE. Sexta-feira, dia 27, das 15h às 17h.
O som do rugido da onça, de Micheliny Verunschk. Com equipeBVL. Parceria: Companhia das Letras. Os primeiros inscritos receberão instruções para realizar o download do livro gratuitamente.Inscrições a partir de 7 de agosto, às 10h.

Para mais informações sobre estas atividades e a programação presencial, acesse o site e as redes sociais.

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo
Assessoria de Imprensa
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162
(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Acompanhe a Cultura: Site | Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube

Bibliotecas do Governo de São Paulo realizam bate-papo online com escritores Raimundo Carrero e Laura Erber

Encontro virtual com os escritores brasileiros acontece dentro do programa ‘Segundas Intenções’ exibido nas redes sociais das Bibliotecas do Estado em 12 e 26 de julho, respectivamente

O programa Segundas Intenções, atividade online da Biblioteca de São Paulo (BSP) e da Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, receberá os premiados escritores Raimundo Carrero na segunda-feira, 12 de julho, e Laura Erber, em 26 de julho. O bate-papo começa às 19h com transmissão ao vivo pelo Facebook das bibliotecas. 

O pernambucano Raimundo Carrero é escritor, jornalista e professor de criação literária. Já publicou 23 livros e conquistou prêmios como Jabuti (2000); Prêmio São Paulo de Literatura (2010); APCA (1995 e 2015); Prêmio Machado de Assis (1995 e 2010) e Prêmio Revelação do Ano 1987. Também foi finalista do Prêmio Coberto na França em 2016, do Prêmio Jabuti e do Prêmio São Paulo de Literatura, da Secretaria, em 2015.  Tem livros traduzidos na França (dois), Romênia (três), Uruguai e Bulgária e atualmente sua obra Estão Matando os Meninos está sendo traduzido na Argentina.

A carioca Laura Erber é escritora e crítica de literatura e artes visuais. É autora de diversos livros, entre eles A Retornada (Relicário, 2017), Esquilos de Pavlov (Alfaguara, Brasil, 2013), traduzido para o espanhol e publicado na Argentina, e Os corpos e os dias (Merz-Solitude, Alemanha, 2006 e Editora de Cultura, São Paulo, 2008). Também foi finalista do Prêmio Jabuti de 2009, na categoria poesia. Laura colabora para jornais e suplementos culturais brasileiros, tais como Folha de S. Paulo, O Globo e Suplemento Pernambuco. Entre seus livros de crítica estão Ghérasim Luca (EdUERJ, 2012) e O Artista Improdutivo (Editora Âyiné, Brasil, 2021).

A Biblioteca de São Paulo (BSB) e a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) retomaram as atividades presenciais de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, atendendo às medidas da fase de transição do Plano São Paulo. Para saber mais sobre a programação da BSP e da BVL, acesse, respectivamente, os sites www.bsp.org.br e  www.bvl.org.br .

‘Segundas Intenções’ Online

Biblioteca de São Paulo
Bate-papo com Raimundo Carrero
Mediação: Manuel da Costa Pinto
Segunda-feira, 12 de julho, das 19h às 20h30
Transmissão ao vivo na página da biblioteca no Facebook: @BSPbiblioteca
Não é necessário fazer inscrição

Biblioteca Parque Villa-Lobos
Bate-papo com Laura Erber
Mediação: Manuel da Costa Pinto
Segunda-feira, 26 de julho, das 19h às 20h
Transmissão ao vivo na página da biblioteca no Facebook: @BVLbiblioteca.
Não é necessário fazer inscrição

Bibliotecas do Governo de São Paulo têm oficinas presenciais de mini-horta e literatura no mês de julho

Programação acontece nas Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos e inclui luau, sarau musical e introdução prática de histórias em quadrinhos

As Bibliotecas de São Paulo (BSP) e do Parque Villa-Lobos (BVL), instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, prepararam uma programação aberta ao público no mês de julho que vai desde oficinas de plantio de mini-hortas à introdução prática de histórias em quadrinhos. As atividades acontecem presencialmente nos espaços culturais e as vagas são limitadas, preenchidas por ordem de inscrição.  Confira a programação completa e participe!

A BSP e a BVL convidam o público a participar da atividade Licença Poética em 14 e 21 de julho, das 14h às 15h. O objetivo é realizar uma interação com o público presente nas unidades, com foco na oralidade e declamação de poesias. Nesta atividade não é necessário realizar inscrição, pois os mediadores irão circular pelas bibliotecas.

Para introduzir o público no famoso Luau das Bibliotecas, que apresenta aos jovens temas relacionados à música, à literatura e à poesia, a BVL realiza, nos dias 8 e 22 de julho, um encontro das 15h às 16h. Já na BSP, a atividade acontece em 15 e 29 de julho, das 15h às 16h. As vagas são preenchidas por ordem de chegada nas duas unidades.

Aos amantes de quadrinhos, a dica é a Oficina de Introdução Prática às HQs que acontece na Biblioteca de São Paulo em 17 de julho, das 13h às 16h. Nesta oficina serão revelados os fundamentos das histórias em quadrinhos e como começar a criar as próprias narrativas. Indicado para pessoas a partir de 14 anos. A oficina será ministrada pelo premiado autor de HQs  Thiago Souto Pereira, que ganhou o HQMIX 2015 e 2018, e lançou na Comic Con Experience de 2018 a HQ “Por Muito Tempo Tentei me Convencer de que te Amava” (Balão Editoria), onde narra sua relação de amor e ódio com a cidade de São Paulo durante um passeio pela avenida Paulista. Pereira trabalha atualmente em uma história infanto-juvenil com previsão de lançamento para 2022. Para se inscrever, acesse o link bsp.org.br/inscricao. As vagas são limitadas.

A Biblioteca de São Paulo também fará a atividade Fui Lá e Plantei: Oficina prática de microgreens (mini-horta) em 25 de julho, das 11h às 12h30. A oficina será ministrada pela Moetá, grupo social que reconta a relação das pessoas com a natureza e atua na transformação e no engajamento da cultura socioambiental que envolvem atividades educativas e plantios de florestas urbanas. A atividade tem como objetivo ampliar o cultivo de alimentos em pequenos espaços, mostrando como é possível plantar o próprio alimento com materiais simples e de baixo custo. Indicado para pessoas a partir de 14 anos. As inscrições devem ser realizadas pelo site.

Já a Biblioteca Parque Villa-Lobos apresenta em 29 de julho o Sarau Musical da Capoeira, na programação do Sarau na BVL. Para participar é necessário se inscrever na unidade, por ordem de chegada.

Serviço

Biblioteca de São Paulo

Localizada em: Parque da Juventude

Endereço: Av. Cruzeiro do Sul, 2630 – Santana, São Paulo

Horário de funcionamento: das 10h às 16h – de terça-feira a domingo

https://bsp.org.br/

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Localizada em: Parque Villa-Lobos

Endereço: Av. Queiroz Filho, 1205 – Alto de Pinheiros, São Paulo – SP

Horário de funcionamento: das 10h às 16h – de terça-feira a domingo

https://bvl.org.br/

Bienal Afro-Brasileira do Livro

Seminário Preparatório na Unesp tem inscrições abertas (mais…)

Boletim Dicas de Cultura – 19 de novembro

Link: https://soundcloud.com/governosp/20201119-boletim-dicas-de-cultura-pgm-15

.

Festival #CulturaEmCasa – Anelis Assumpção 

Nesta sexta-feira, a plataforma #CulturaEmCasa lança o Museu do Itamar Assumpção, o MU.ITA, o primeiro museu virtual de um artista negro brasileiro e o primeiro a ser traduzido para iorubá, a língua-mater nigero-congolesa. O lançamento da instituição, que reúne um acervo com mais de 2 mil itens, será feito por meio do show Oferendas de Anelis Assumpção, que vai interpretar as canções do pai em show ao vivo no Teatro Sérgio Cardoso.

Data: Sexta-feira (20), às 21h30

Link: www.culturaemcasa.com.br 

.

Virada Online SP – Rio Grande da Serra 

Rio Grande da Serra integra a programação da #ViradaOnlineSP neste final de semana. A programação será transmitida diretamente do Teatro Sérgio Cardoso. Alguns artistas que irão se apresentar são Letrux, Mato Seco, Pedra Branca, entre outros. Confira a programação completa pela plataforma #CulturaEmCasa.

Data: Sábado (21), a partir das 16h

Link: www.culturaemcasa.com.br

.
Museu da Imagem e do Som – Cineciência

O Museu da Imagem e do Som apresenta mais um Cineciência. Desta vez, o filme escolhido foi “Tempos Modernos” de Charles Chaplin. O longa faz uma crítica ao capitalismo, ao nazifascismo e ao imperialismo durante a Revolução Industrial. Logo depois do filme, tem bate-papo com a socióloga Laura Tragtenberg, o físico Luis Carlos Meneses e mediação de José Luiz Goldfard. Acompanhe pelo youtube da instituição.

Data: Domingo (22), às 17h

Link: https://www.youtube.com/user/missaopaulo/videos

Boletim Dicas de Cultura – 4 de dezembro

Link: https://soundcloud.com/governosp/20201204-boletim-dicas-de-cultura-pgm-16

.

Memorial da América Latina – Mostra Latino-Americana de Curtas

O Memorial da América Latina apresenta a Mostra Latino-Americana de Curtas para promover a produção cinematográfica contemporânea da região. Cada noite da Mostra será dedicada a um país com participação do Paraguai, Nicarágua, República Dominicana, Argentina, Equador, Uruguai, México, Cuba e Brasil. Os filmes serão exibidos pela plataforma  www.culturaemcasa.com.br, de 1º a 20 de dezembro.

.

ViradaSPOnline

Neste final de semana tem ViradaSPOnline a partir das 16h do sábado com grandes nomes como Ana Cañas e Karol Conka, além da apresentação da grande final do Concurso de Viola Caipira do Revelando SP. Toda a programação será transmitida será transmitida ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso pela plataforma www.culturaemcasa.com.br.

.

Museu da Imigração – 25ª Festa do Imigrante Online

Iniciada em 30 de novembro, a 25ª Festa do Imigrante Online acontecerá até o dia 06 (domingo), por meio de um extenso cronograma de atrações na plataforma #CulturaEmCasa. Com apoio da Associação Paulista Amigos da Arte, o evento conta com lives de apresentações artísticas e oficinas gravadas de artesanato, dança e gastronomia. Durante a semana da celebração, a página disponibiliza, ainda, indicações e contatos de comunidades participantes para a aquisição de artesanatos e realização de pedidos de pratos típicos por delivery.

https://museudaimigracao.org.br/

Boletim Dicas de Cultura – 11 de dezembro

Link: https://soundcloud.com/governosp/boletim-dicas-de-cultura-pgm-17

#ViradaSPOnline Araçatuba

A #ViradaSPOnline terá shows ao vivo de grandes nomes. Entre eles, o músico Rolando Boldrin, a cantora Roberta Campos, lançando neste show seu EP Só Conheço o Mar, com cinco músicas autorais e inéditas e o trio As Baías (As Bahias e a Cozinha Mineira).

Link: www.culturaemcasa.com.br

Data: Sábado (12), a partir das 12h

.

Festival Literário de Votuporanga – FLIV

A 10ª edição da FLIV vai até o dia 13 de dezembro, com 51 horas de atrações transmitidas diretamente do Centro de Convenções Jornalista Nelson Camargo, em Votuporanga. Entre os destaques da programação, está o show do cantor e compositor Zeca Baleiro, que acontece neste sábado (12), às 21h.

Link: www.culturaemcasa.com.br 

.

Mostra Latino-Americana de Curtas 

O Memorial da América Latina, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a Secretaria de Relações Internacionais apresentam a Mostra Latino-Americana de Curtas. A proposta é exibir curtas metragens dos países latino-americanos para promover a divulgação da produção cinematográfica contemporânea da região. Os filmes serão exibidos pela plataforma #CulturaEmCasa, de 1º a 20 de dezembro, às 19h.

12 de dezembro (Sábado)

Brasil / UnB

Censurado, de Pedro Buson

P4, de Layo Stambassi

Vida Pregressa, de Ilana Lara

13 de dezembro (Domingo)

Brasil / Ufscar

A Dama das Onze Horas, de Danilo Teixeira, Nalú de Souza e Walklenguer Oliveira

Da Grade pra Cá, de Wesdras Aklen, Larissa Bela Fonte e Nayara Demari

Eu Preciso te Ver no Fundo dos Meus Olhos, de Letícia Gomes

Meninos Rimam, de Lucas Nunes

O Homem do Saco, de Christian Savi e Luiz Fernando Coutinho

Link: www.culturaemcasa.com.br

.

Série Teatro Sérgio Cardoso 40 anos
Pensando em disponibilizar cultura e entretenimento, de qualidade, gratuitamente, toda sexta-feira, às 21h, é veiculada apresentação de artistas que gravaram especiais no Teatro Sérgio Cardoso sem plateia. Compositores, músicos, cantores e atores foram convidados a se apresentar no teatro vazio. Já se apresentaram na série a cantora Ana Cañas, o pianista Vitor Araújo, o ator e palhaço, Raul Barreto, do grupo Parlapatões, Simoninha, a atriz Lara Córdulla, a banda Ira!, o bailarino e coreógrafo Jorge Garcia, a artista Lívia Mattos, o músico Maurício Fleury, Rappin’ Hood, Sérgio Britto, Josyara, Chico César e a dupla de músicos Prettos, Dexter, o projeto Dança Hoje, da São Paulo Companhia de Dança, Marina Peralta, a ópera O Guarani e a banda de rock Leela.

Link: www.culturaemcasa.com.br

Boletim Dicas de Cultura – 2 de outubro

São Paulo, 2 de outubro de 2020 –
Link: https://soundcloud.com/governosp/20200911-boletim-dicas-de-cultura-pgm-10 
.
Festival #CulturaEmCasa – Paula Lima “Soul Lee” 
A cantora Paula Lima revive os sucessos de Rita Lee que marcaram gerações, como Mutante, Pagu e Erva Venenosa.
.

Data: Sábado (3), às 21h30 

Link: https://culturaemcasa.com.br/

.

Museu da Imagem e do Som (MIS) – Bate-papo #Cineciência “O Dilema das Redes”

O #CineCiência promove um debate sobre o filme ‘O dilema das redes’ (The Social Dilemma, Dir. Jeff Orlowski, EUA, 2020, 12 anos, documentário, 94 min), grande sucesso da Netflix. Com mediação de José Luiz Goldfarb, curador do projeto, as convidadas Lidia Zuin e Laura Trachtenberg Hauser irão debater com o público como as redes sociais podem ter um impacto destrutivo sobre a nossa sociedade.

.

Data: Domingo (4), às 18h

Link: https://www.youtube.com/watch?v=dRsluKxY_5o 

.

Festival #CulturaEmCasa – Espetáculo “Mário de Andrade desce aos infernos” 

Ao narrar contos do poeta Mario de Andrade,  o ator Pascoal da Conceição relembra a importância do movimento modernista para a arte contemporânea. A apresentação inclui trecho da conferência de 1942, quando o poeta contou sobre sua inspiração para os poemas que inauguraram a Semana de Arte Moderna, em 1922.

.

Data: Domingo (4), às 21h30

Link: https://culturaemcasa.com.br/

.

Theatro São Pedro: Händel & Beethoven

A Orquestra do Theatro São Pedro convida o maestro Luis Otavio Santos, renomado intérprete da Música Antiga, para apresentar a Oitava Sinfonia com um olhar histórico. Completou o repertório a cantata barroca Apollo e Daphne, de Händel, com a participação da soprano Marília Vargas e do barítono Sabah Teixeira.

A apresentação está disponível no YouTube do Theatro São Pedro: https://www.youtube.com/watch?v=4zJ_kgvGsuo&t=354s

Brincadeiras clássicas nas Férias do Museu do Futebol

O Museu do Futebol entra em ritmo de férias e oferece àqueles que ficam ou visitam a cidade neste verão mais uma edição do programa “Férias no Museu”, realizado de 18 de dezembro a 27 de janeiro, de terça a domingo, das 10h às 17h, com entrada gratuita. As atividades desta edição do programa Férias no Museu foram inspiradas na exposição temporária “Clássico é Clássico e Vice-Versa”, em exibição até 03/02, e que conta com patrocínio do Grupo Globo e apoio da TV Globo e do SportTV, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Com o tema brincadeiras clássicas, as atividades ocorrem na área externa do Museu com a presença de monitores. Pebolim, futebol de botão, pula corda, jogo da velha, bambolê, futebol de dedo, ping-pong e amarelinha são algumas das brincadeiras que a criançada poderá curtir e os adultos reviverem a infância.

O acesso ao espaço “Férias no Museu” é gratuito e para visitar o Museu do Futebol é necessário adquirir o ingresso na bilheteria. Às terças o Museu tem entrada gratuita para todos os visitantes.

Atenção: Nos dias 24, 25, 31 de dezembro e 1º de janeiro o Museu estará fechado.

Aos finais de semana, as tradicionais atividades conduzidas pela equipe de educadores do Museu continuarão sendo realizadas: visitas mediadas, oficinas e jogos, Espaço Dente de Leite para que todos aproveitem ainda mais o passeio. Todas elas estão no site www.museudofutebol.org.br

Se vier de carro, drible os flanelinhas. Estacione na Praça Charles Miller com Zona Azul Digital, a R$ 5 por três horas.

onde fica?

BSP Digital tem cerca de 15 mil acessos em menos de um mês de lançamento

Sócios podem ler os e-books gratuitamente em celulares, tablets e computadores. Entre as obras mais alugadas estão clássicos como “O Alienista” e “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, e “A Odisseia”, de Homero

A Biblioteca de São Paulo e a Biblioteca Parque Villa-Lobos, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, contam desde 15 de dezembro de 2020 com um plataforma on-line com mais de mil livros de diversos gêneros, que pode ser acessada gratuitamente. No total, a BSP Digital, como é chamada, já obteve 14.818 mil visitas de associados. Entre as obras mais emprestadas neste período estão clássicos como “O Alienista”, “Dom Casmurro” e “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis; “A Odisseia”, de Homero; “Os Três Mosqueteiros”, de Alexandre Dumas; “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Caroll, “Cordéis Divertidos”, de Varneci Nascimento; “O dia de Chu”, de Neil Gaiman; “A Filosofia Explica Grandes Questões da Humanidade”, de Clóvis de Barros Filho; “Jodie e O Livro da Rosa”, de Julie Hodgson; e “Outsider”, de Stephen King.

Quem quiser se tornar sócio das bibliotecas pode se cadastrar diretamente nos sites de cada uma das unidades – bsp.org.br/cadastro-online/ e bvl.org.br/cadastro-online/.  Para isso, basta ter em mãos o número do documento de identidade, endereço, e-mail e telefone. Apenas será necessário escolher uma senha para acesso aos serviços digitais.  A plataforma  é operada pela Odilo, uma das maiores empresas de conhecimento e educação do mundo.

Os sócios também podem fazer empréstimos e reserva de livros físicos, de até duas obras por 15 dias, além de   sugestões de compras para o acervo. A modalidade dá acesso, também, à  Tocalivros, que oferece centenas de audiolivros.

A BSP e a BVL são equipamentos geridos pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo terceiro ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.

Casa das Rosas realiza o Festival Viva Vaia

Evento ocupará o salão nobre do Theatro Municipal de São Paulo

O museu Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, Instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo,  inicia o mês de abril com o Festival Viva Vaia, evento gratuito que busca referência no poema de mesmo nome do poeta concretista Augusto de Campos. O público poderá assistir recitais, apresentações musicais e audiovisuais no dia 2 de abril, sábado, das 14h às 19h, no salão nobre do Theatro Municipal de São Paulo. Os convidados serão os músicos Cid Campos, Iara Rennó e Livio Tragtenberg, além dos grupos Poetas Ambulantes e Riverão.

A entrada é livre, gratuita e sem a necessidade de cadastro prévio. Para o Festival, o salão nobre poderá receber até 100 espectadores.

Pelo Festival, o museu Casa das Rosas busca evocar ações de renovação cultural e artística, relembrando ocasiões marcantes de vaias desde a Semana de Arte Moderna de 1922. A ocasião em que o músico Caetano Veloso foi vaiado no Festival Internacional da Canção, em 1968, época da Ditadura militar brasileira, inspirou Augusto de Campos a construir o poema Viva Vaia.


Programação
:

O grupo Poetas Ambulantes ficará à frente da apresentação “Viva Vaia: Essepê Desvairada”, composta de leituras relacionadas ao movimento modernista brasileiro. A partir das 14h, diversas vaias que fizeram parte da história cultural serão resgatadas por meio de claquetes sonoras, com possível colaboração do público presente.

Em seguida, será a vez do recital “De 1922 pra cá: leituras contemporâneas”, com a curadoria de Luiza Romão, atriz, poeta e slammer, e Paulo Ferraz, poeta e mestre em Teoria Literária. Aqui, a diversidade poética contemporânea dividirá o palco com as apresentações musicais de Iara Rennó, Cid Campos e Livio Tragtenberg.

Como encerramento do festival, às 18h o grupo Riverão mostrará o vídeo-montagem “De semana a cem anos” para incorporar uma direção contrária à Semana de 1922 e ao panorama da arte e cultura brasileiras. Transitando pelas linguagens do documentário, ficção e montagem, o filme destacará o percurso dos antecedentes da Semana de Arte Moderna até chegar ao conceito da antropofagia.

SERVIÇO:

FESTIVAL VIVA VAIA

Grátis | Livre

Capacidade do salão nobre: 100 pessoas

2 de abril, sábado, das 14h às 19h

Local: Salão nobre do Theatro Municipal de São Paulo – End: Praça Ramos de Azevedo, s/nº, Sé – São Paulo/SP

14h – 15h | APRESENTAÇÃO “VIVA VAIA: Essepê Desvairada”

Com Poetas Ambulantes

15h15 – 17h30 | RECITAL “DE 1922 PRA CÁ”: Leituras contemporâneas

Curadoria: Luiza Romão e Paulo Ferraz

Participação musical de Cid Campos, Iara Rennó e Livio Tragtenberg

18h – 19h | VÍDEO-MONTAGEM “DE SEMANA A CEM ANOS”

Com grupo Riverão (Diego Dias, Gabriel Kerhart e Walter Vetor)

Duração: 50 minutos

Casa Guilherme de Almeida abre processo seletivo para o Programa Cinematographos

4ª edição da capacitação em estudos de Cinema tem inscrições até 18 de abril

Estão abertas as inscrições do processo seletivo da quarta edição do Programa Cinematographos de Estudos de Cinema da Casa Guilherme de Almeida, que integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

Os participantes terão aulas teóricas e práticas online com especialistas na área cinematográfica como Ana Rita Bueno, Juliana Garzillo, Donny Correia e Bruno Polidoro. Os interessados não precisam ter experiência prévia e terão durante o curso aprendizagens envolvendo a história e teorias do Cinema, workshops práticos de roteiro, produção executiva, direção de arte, fotografia, montagem e edição de filme, entre outras atividades envolvendo a crítica cinematográfica.

O valor da matrícula é de R$ 250,00, com cinco bolsas integrais serão oferecidas para candidatos selecionados no processo seletivo que declararem baixa renda por um formulário que deve ser solicitado pelo e-mail do museu, no campo inscrições e matrículas.

 

SERVIÇO:

4ª edição do Programa Cinematographos de Estudos de Cinema

Inscrições: até 18/04/2022 em http://www.casaguilhermedealmeida.org.br/cinema/

Valor: Taxa única de R$ 250,00 (cinco bolsas integrais para candidatos que possam comprovar baixa renda por meio de formulário)

 

Cronograma

20/04/2022 – divulgação do resultado do processo seletivo por e-mail

20 a 27/04/2022 – período de matrícula

5/05/2022 – previsão do início das aulas online via Zoom

 

Eixo teórico

História do Cinema
Aulas do módulo 1 às terças-feiras, 10 de maio a 28 de junho, das 19h às 21h. Semanal.
Aulas do módulo 2 às terças-feiras, 2 de agosto a 20 de setembro, das 19h às 21h. Semanal.

Teorias do cinema

Aulas do módulo 1 às quintas-feiras, 5 de maio a 30 de julho, das 19h às 21h. Semanal.
Aulas do módulo 2 às quintas-feiras, 4 de agosto a 22 de setembro, das 19h às 21h. Semanal.

 

Eixo prático

Workshops temáticos
Produção, roteiro, direção de arte, fotografia, produção sonora, montagem e edição, e crítica cinematográfica.

Encontros aos sábados (dois por mês) – 21 de maio; 4 e 25 de junho; 6 e 20 de agosto; 3 e 17 de setembro, das 10h às 13h.

Casa Mário de Andrade é tema de episódio da série ‘Ruas de Cultura’

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo lançou, nesta quarta-feira (8), o segundo episódio da websérie Ruas de Cultura para promover de forma leve e divertida eventos e espaços culturais paulistanos. Desta vez, a Casa Mário de Andrade e a história do escritor, um dos principais expoentes do modernismo e da Semana de Arte Moderna de 1922 são homenageados. Neste episódio é realizado um tour pelos pontos da capital paulista que fazem parte do poema ‘Quando eu morrer’ do modernista que passeia pelo Pateo do Colégio, Praça do Correio, Largo do Paissandu e Teatro Municipal.

Para conferir todos os episódios da série, acesse o YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Casa Mário de Andrade realiza oficinas gratuitas nas férias

Que tal começar 2019 aprendendo algo novo? Talvez aprender a cantar ou dançar? Ou, quem sabe, técnicas para começar a escrever? A Casa Mário de Andrade preparou diversas oficinas para quem gosta de música, dança e literatura. As aulas são livres, gratuitas e acontecem a partir do dia 8 de janeiro. As inscrições para as atividades podem ser feitas pelo site do museu.

Na oficina Danças Brasileiras, Val Ribeiro auxilia os participantes a experimentarem diversas danças brasileiras, como rodas de jongo, congada e caboclinho. O objetivo é incentivar a expressão corporal a partir de coreografias de ritmos nacionais. As aulas acontecem entre 8 e 11 de janeiro, de terça a sexta-feira, 15h.

Quer aprender técnicas de escrita? Durante a oficina Criação Literária, a poeta Geruza Zelnys desenvolve atividades práticas de redação e escrita criativa. Os encontros serão realizados de 29 de janeiro a 1 de fevereiro, de terça a sexta-feira, às 15h.

Já na oficina de Canto e Técnica Vocal, realizada entre os dias 15 e 18 de janeiro, de terça a sexta-feira, às 13h, a cantora Alice Juguero orientará os participantes no desenvolvimento do canto, identificando suas características próprias e ampliando seu repertório musical em diversos estilos, da MPB à música norte-americana.

onde fica?

Centro Cultural de Tatuí recebe a Estação da Língua!

27.02_MCW_GOVSP-CULT_INSTA_LINGUA

A exposição itinerante Estação da Língua Portuguesa, que leva na bagagem acervos do Museu da Língua Portuguesa (atualmente em reconstrução), retoma sua viagem pelo interior de São Paulo e fez sua primeira parada em Tatuí, onde fica até 24/3, no Centro Cultural de Tatuí (Praça Martinho Guedes, 12).

A itinerância traz conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, que apresenta a língua portuguesa como patrimônios imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para a mostra Estação da Língua Portuguesa.

O vídeo “Sotaques”, com texto “O Paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Como novidade apresentada nessa viagem, ela está atualizada trazendo mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da língua portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas.

Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura.

“A presença da Estação da Língua aqui vem somar a todas essas ações desenvolvidas pela Cultura de Tatuí”, declarou Davidson Kaseker, diretor do SISEM – Sistema Estadual de Museus.

José Salim, presidente da CCR/SPVias, falou sobre a importância da itinerância: “É uma honra, um orgulho muito grande. Estamos falando de um museu que já foi visitado por 4 milhões de pessoas em São Paulo, e que já foi escolhido o melhor museu do Brasil. A população vai se beneficiar muito com isso”.

Erik Klug, diretor da ID-Brasil, organização responsável pelo Museu, fala um pouco sobre a exposição: “Essas experiências dentro do Museu da Língua, com vídeos, fotos, imagens, recursos táteis, o público vai poder ter aqui, em Tatuí”.

Maria José Vieira de Carvalho, prefeita de Tatuí, finaliza: “Quero agradecer publicamente esta oportunidade, onde o nosso município abre a Temporada 2018 no interior paulista”.

Ciclo de Cultura Tradicional apresenta documentários inéditos sobre as tradições indígenas, afro-brasileiras e nipo-brasileiras

pós cinco encontros presenciais pelo litoral e interior de São Paulo, as produções audiovisuais serão exibidas em meio virtual

 

O Ciclo de Cultura Tradicional (CCT), ação realizada pelas Oficinas Culturais programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, encerra a edição de 2022 apresentando os documentários que tiveram estreia ao longo dos encontros presenciais que rodaram as cidades de Bauru, Franca, Guaratinguetá, Mongaguá e São Sebastião. As sessões serão exibidas no dia 1º de dezembro, a partir das 19h, e no canal de YouTube das Oficinas Culturais, seguidas de bate-papo com cada diretor das produções audiovisuais.

 

Cada documentário aborda uma tradição cultural praticada em diferentes territórios, entre elas, a Congada, o Jongo e o modo de viver de aldeias do povo Guarani Mbya. O Ciclo de Cultura Tradicional é realizado por Oficinas Culturais – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis – e vem reunindo diversos públicos com agentes culturais, lideranças, mestres e pesquisadores de diferentes regiões do estado paulista.

 

Dessa forma, o CCT propõe a troca de saberes entre os participantes e colabora com a valorização das tradições culturais caipiras, indígenas, afro-brasileiras, caiçaras, migrantes e imigrantes. Mais informações sobre os diretores dos documentários e programação completa estão disponíveis no site do programa Oficinas Culturais.

 

Serviço:

 

Sessões – Encerramento do Ciclo de Cultura Tradicional 2022:

Virtual: Documentários transmitidos pelo canal de YouTube do programa Oficinas Culturais – clique aqui

01/12 – quinta-feira, das 19h às 21h40

Acessível em Libras

Programação:

 

19h | Filme

DO CONGO À CONGADA: DEVOÇÃO A SÃO BENEDITO

Direção: Daniel Aguiar | BRA | 2022 | Doc | 18 min

 

O encontro entre dois grupos de congada da cidade de Franca, interior de São Paulo: Congada Três Colinas e Congada Os Marinheiros de Franca. Norteado pela essência dessa manifestação, com depoimentos e imagens do festejo, o filme aborda a importância da tradição e da cultura popular nos tempos atuais.

 

Após a exibição, haverá bate-papo com Daniel Aguiar (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

19h30 | Filme

JONGUEIROS DO AMANHÃ

Direção: Pedro Japa | BRA | 2022 | Doc | 21 min

 

Na comunidade do Tamandaré, o Jongo é uma das culturas que dá ritmo ao bairro e traz pessoas de diversas regiões e estados para acompanhar suas festividades. Porém, entre o som do tambu e a fogueira, surge a preocupação de como manter viva essa tradição diante de avanços tecnológicos e desafios geracionais.

 

Após a exibição, haverá bate-papo com Pedro Japa (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

20h | Filme

KARAOKÊ: SOLTE SUA VOZ

Direção: Elica Ito | BRA | 2022 | Doc | 15 min

 

Vivendo em um país do outro lado do mundo, imigrantes japoneses adaptaram-se ao Brasil, mas preservaram tradições da terra natal. Na música, os festivais de karaokê constroem essa relação entre o passado e o presente, com artistas amadores entoando canções do Japão.

 

Após a exibição, haverá bate-papo com Elica Ito (diretora) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

20h30 | Filme

SÃO PEDRO, PESCADOR

Direção: J. Valpereiro | BRA | 2022 | Doc | 14 min

 

O filme retrata os pescadores do bairro de São Francisco e a comunidade católica de São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo. Seus cotidianos, contados da perspectiva de um observador, levam a reflexões acerca da construção da fé nas comunidades.

 

Após a exibição, haverá bate-papo com J. Valpereiro (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

21h | Filme

NHANDEREKO: CANTO DE PROTEÇÃO

Direção: Ataíde G Vilharve | BRA | 2022 | Doc | 30 min

 

Ambientado em aldeias de origem Guarani Mbya (Aguapeú, Cerro Korá e Nhanderupo), localizadas no município de Mongaguá, Litoral Sul de São Paulo, o filme retrata o modo de ser indígena em diálogo com a natureza, a importância do território para a sobrevivência da cultura originária e do canto para fortalecimento do nhandereko e sua proteção.

Após a exibição, haverá bate-papo com Ataíde G Vilharve (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

SOBRE O PROGRAMA OFICINAS CULTURAIS

 

Como uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela POIESIS – Organização Social de Cultura, o Programa Oficinas Culturais promove formação e vivência à população no campo da cultura desde 1986.

Oficinas Culturais dialoga com o interior por meio de dois festivais (FLI — Festival Literário e MIA – Festival de Música Instrumental), Jornadas de Gestão Cultural, Ciclos de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade, Programa de Qualificação em Artes que dá orientação artística a grupos, companhias ou coletivos de dança e teatro no interior, litoral e região metropolitana de São Paulo, e o Programa de Formação no Interior que oferece atividades formativas.

Além disso, na cidade de São Paulo, o programa realiza atividades de formação e difusão em três espaços: Oficina Cultural Oswald de Andrade (Bom Retiro), Oficina Cultural Alfredo Volpi (Itaquera) e Oficina Cultural Maestro Juan Serrano (Taipas).

Cineclube da Oficina Cultural Oswald de Andrade exibe filmes em homenagem à dança

Projeto Cineclube Oswald retorna com exibições diárias. Em abril, as obras em cartaz buscam celebrar o Dia Mundial da Dança (29/04)

 

Além de atividades voltadas para as artes visuais e cênicas, a Oficina Cultural Oswald de Andrade, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, também investe na área de cinema e linguagem audiovisual com cursos, palestras e exibições. No mês em que é celebrado o Dia Mundial da Dança (29/4), esta linguagem artística irá nortear a seleção de filmes em destaque na programação do Cineclube Oswald, projeto que desde 2018 exibe filmes gratuitos na unidade.

Em abril, o Cineclube Oswald retorna com novidades: a programação será ampliada de forma a permitir que sejam exibidos filmes quase diariamente, sempre em duas sessões que acontecerão de segunda a sexta, com início às 15h e às 19h30, e aos sábados às 15h e às 18h. Aos domingos a unidade não abre.

O espaço acomoda confortavelmente 25 pessoas e possui 1 lugar para cadeirante, também dispõe de aparelhagem sonora (5.1) e projeção de alta qualidade. É necessário retirar os ingressos com 1 hora de antecedência para cada exibição.

A programação de abril, que celebra a dança, terá exibições de filmes como Grease (1978), dirigido por Randal Kleiser; Cisne Negro (2011), dirigido por Darren Aronofsky, que resgata o clássico Lago dos Cisnes; o documentário Pina (2011), de Wim Wenders, que aborda a vida e a carreira da artista Pina Bausch e mostra as incríveis atuações de sua companhia; Moulin Rouge (2001), do diretor Baz Luhrmann; O Baile (1983), com direção de Ettore Scola, que é um passeio pelo mundo da dança retratado através de um salão francês; e do clássico Cantando na Chuva (1952), de Gene Kelly e Stanley Donen.

Confira o cronograma:

Dias 05 e 28/04

  • DIRTY DANCING

Dias 06 e 14/04

  • FLASHDANCE

Dias 07 e 23/04

  • BILLY ELLIOT

Dias 08 e 19/04

  • O BAILE

Dias 09 e 12/04

  • CISNE NEGRO

Dia 11/04

  • CARMEN

Dias 13 e 29/04

  • GREASE

Dias 16 e 26/04

  • CANTANDO NA CHUVA

Dias 20 e 27/04

  • PINA

Dias 22 e 25/04

  • MOULIN ROUGE

 

Para entrada nos prédios das Oficinas Culturais é obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação contra Covid-19, com duas doses ou dose única, de acordo com o decreto nº 60.989, da PMSP. Em razão do avanço da pandemia, algumas atividades podem ser alteradas ou canceladas. Antes de ir, entre em contato com a unidade. As unidades recomendam o uso da máscara de proteção nos ambientes internos.

A programação completa pode ser acessada no site das Oficinas Culturais.

SERVIÇO:

CINECLUBE OSWALD – PROGRAMAÇÃO ESPECIAL PARA O MÊS DA DANÇA

De 5 a 29 de abril.

Horário: exibições às 15h e às 19h30 de segunda a sexta e aos sábados às 15h e às 18h.

Lotação máxima: 25 pessoas.

Retirar ingressos com 1 hora de antecedência.

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

Clube de Leitura do Memorial da América Latina recebe a escritora Ana Brêtas

Último encontro da temporada apresenta os contos “Jogo da Velha”, “Casinha” e “Coelho Sai da Toca”, dia 12 de junho, com a participação da autora

O Memorial da América Latina recebe, no último encontro da temporada do Clube de Leitura Ler a América Latina, no dia 12 de junho, às 10h, a escritora Ana Brêtas, que apresenta os minicontos “Jogo da Velha”, “Casinha” e “Coelho Sai da Toca”. Juliana Leuenroth, do projeto Leia Mulheres, fará a mediação da conversa.

Os minicontos integram o livro Cem Vezes Uma, publicado pela Editora Jandaíra, composto por cem histórias curtas sobre situações singulares presentes no cotidiano feminino. Muitos dos títulos são inspirados em nomes de jogos, brinquedos e brincadeiras infantis. A autora convida o leitor a explorar sentimentos e sensações, com uma prosa poética no limite do factual e da sugestão.

Com objetivo de fomentar a leitura e a discussão sobre a literatura latino-americana, o clube tem como tema, neste semestre, “Mulheres Contam”, com escritoras da Bolívia, Uruguai e Brasil. O primeiro encontro, em 13 de março, foi com a autora boliviana Giovanna Rivero. Dia 10 de abril foi a vez da uruguaia Gabriela Aguerre. Dia 15 de maio, o encontro foi com a paraense Monique Malcher.

As atividades acontecem sempre aos sábados, com a curadoria do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina (CBEAL) e em parceria com as editoras Incompleta e Jandaíra, por meio da plataforma Zoom, das 10h às 11h30. O link para acessar os contos selecionados para o projeto será enviado por e-mail para todos os inscritos.

O link para acessar a plataforma será enviado por e-mail aos participantes 15 minutos antes de cada encontro. Haverá emissão de certificado (frequência mínima de 75%).

As inscrições devem ser feitas por meio de formulário on-line, no link  https://forms.gle/Q5ZLSRpn9EcMBuPH6

A atividade também está relacionada com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que prevê 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), especificamente ao Objetivo 4: “Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos” (https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/).

Sobre a autora:

Ana Brêtas nasceu em São José do Rio Preto (SP). Desde 2015 se dedica ao seu processo de formação como escritora, frequentando especialização, cursos livres, oficinas e participando de concursos literários.

Foi finalista do Prêmio Sesc de Crônicas Rubem Braga – Edição 2015  e, em 2017, no Concurso literário Mulheres Contistas, promovido pela Editora Zouk e Casa da Mãe Joanna. Lançou seu primeiro livro Velhices e Outras Histórias, em 2018.

Serviço:
Clube de Leitura Ler a América Latina – Mulheres Contam
Dia 12 de junho, às 10h
“Jogo da Velha”, “Casinha” e “Coelho Sai da Toca”, com Ana Brêtas
Plataforma: Zoom (link enviado um dia antes de cada encontro)
Certificados: frequência mínima de 75% dos encontros do ciclo
Inscrições: https://forms.gle/Q5ZLSRpn9EcMBuPH6

Saiba mais:
https://bit.ly/3kmLmlf

Clube de Leitura do Memorial da América Latina recebe a escritora paraense Monique Malcher

Encontro apresenta o conto “Suas Sandálias me Cabem”, dia 15 de maio, com a participação da autora

O Memorial da América Latina recebe, no próximo encontro do Clube de Leitura Ler a América Latina, no dia 15 de maio, às 10h, a escritora paraense Monique Malcher, que apresenta o conto “Suas sandálias me cabem”, publicado no livro Flor de Gume, da Editora Jandaíra.

A publicação, composta por 37 contos, tem uma prosa poética intensa que traz à tona as dores de meninas, mães e avós, em um passeio pelas ruas e águas do Pará. A autora é também a criadora da capa e das imagens que subdividem o texto em partes.

Com objetivo de fomentar a leitura e a discussão sobre a literatura latino-americana, o clube tem como tema, neste semestre, “Mulheres Contam”, com escritoras da Bolívia, Uruguai e Brasil. O primeiro encontro, em 13 de março, foi com a autora boliviana Giovanna Rivero, com cerca de 150 participantes. Dia 10 de abril foi a vez da uruguaia Gabriela Aguerre e contou com 103 participantes.

Os encontros acontecem sempre aos sábados, com a curadoria do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina (CBEAL) e em parceria com as editoras Incompleta e Jandaíra, por meio da plataforma Zoom, das 10h às 11h30. O link para acessar os contos selecionados para o projeto será enviado por e-mail para todos os inscritos.

Em junho (12), último encontro dessa segunda edição, apresentará os três minicontos “Jogo da Velha”, “Casinha” e “Coelho sai da toca”, de Ana Brêtas (Brasil), inspirados em brincadeiras infantis tradicionais.

O link para acessar a plataforma será enviado por e-mail aos participantes 15 minutos antes de cada encontro. Haverá emissão de certificado (frequência mínima de 75%).

As inscrições devem ser feitas por meio de formulário on-line, no link  https://forms.gle/siGjrY9gT3gDsRBx7.

A atividade também está relacionada com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que prevê 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), especificamente ao Objetivo 4: “Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos” (https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/).

Sobre a autora:

Monique Malcher é paraense e tem se destacado no cenário literário feminino amazônico. Editou a zine Segredo, com 13 escritoras do seu estado, resultado do curso de autopublicação, ministrado por ela no Sesc no Pará. É uma das curadoras da antologia de escritoras paraenses Trama das Águas, da Monomito Editorial. Flor de Gume é seu livro de estreia.

Programação

15 de maio
“Suas Sandálias me Cabem?”, com Monique Malcher (Brasil)

12 de junho
“Jogo da Velha”, “Casinha” e “Coelho Sai da Toca”, com Ana Brêtas (Brasil)

Serviço:
Clube de Leitura Ler a América Latina – Mulheres Contam
Dia 15 de maio, às 10h
“Suas Sandálias me Cabem”, com Monique Malcher

Plataforma: Zoom (link enviado um dia antes de cada encontro)

Certificados: frequência mínima de 75% dos encontros do ciclo

Inscrições: https://forms.gle/siGjrY9gT3gDsRBx7

Saiba mais:

https://bit.ly/3kmLmlf

Comprovante de vacinação contra COVID-19 será exigido nas instituições culturais do Estado

Medida vale a partir desta segunda-feira (10), sem data de término prevista 

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SEC) do Estado de São Paulo vai passar a exigir o comprovante de vacinação contra a COVID-19 em todas as instituições culturais. A medida, alinhada com decreto da prefeitura paulista, publicado no Diário Oficial do Município no dia 7, foi tomada para evitar um número ainda maior de contaminação pela variante ômicron do coronavírus na capital paulista. O documento será obrigatório para acesso às dependências dos espaços culturais públicos e privados a partir desta segunda-feira (10). 

“Até o momento, São Paulo é o primeiro estado do Brasil a chegar a 90% da população vacinada contra a COVID-19, mas sabemos que precisamos estar vigilantes e atentos aos protocolos sanitários para manter um eficiente enfrentamento da pandemia e suas variantes”, afirmou Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. 

Em função do avanço de casos do coronavírus e do novo vírus da influenza (H3N1), a Secretaria de Cultura determinou que os protocolos sanitários, como a venda online de ingressos, o distanciamento social, o uso obrigatório de máscaras, bem como a disponibilização de álcool em gel e a testagem constante de funcionários, sigam sendo realizados nos equipamentos do estado. 

Comunicado para as entidades do setor cultural sobre o CRCE

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo solicita que as entidades sem fins lucrativos inscritas, em 2020, no ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso LAB ou ProAC ICMS que não tenham o Certificado de Regularidade Cadastral de Entidades (CRCE) cliquem no link abaixo:

Comunicado: espaços para gravação e transmissão de espetáculos do ProAC LAB


A Secretaria de Cultura e Economia Criativa disponibilizará espaços para gravação e transmissão de espetáculos do Proac LAB. A oferta é direcionada aos projetos que enfrentam dificuldades com o fechamento dos espaços de filmagem, em razão da Fase Emergencial decretada no Estado de São Paulo.

As vagas serão limitadas à capacidade de atendimento, de acordo com a viabilidade técnica. Abaixo os espaços disponíveis:

Teatros das Fábricas de Cultura: apenas para conteúdos com classificação etária livre.
Como se inscrever: enviar solicitação pelo e-mail: ana-cavalcanti@cataventocultural.org.br, tendo como assunto: “LAB – Uso do Teatro. Projeto ID 0000”. No corpo do texto informar o nome e ID do projeto, proponente, dados de contato e “uma linha de descrição da atividade cultural a que será desenvolvida”.

Teatro Sérgio Cardoso e Teatro Estadual de Araras: disponíveis para conteúdos de qualquer classificação etária. Enviar solicitação até o dia 24/03/2021 por meio do formulário: https://amigosdaarte.org.br/editais-proac-expresso-lab/

ATENÇÃO

Toda infraestrutura de equipamentos e serviços para realização é de total responsabilidade do executor do projeto, assim como a obediência às regras dos teatros e às normas de segurança sanitária de prevenção da COVID 19.

Leia Mais:

Orientações para aplicação de logomarcas do ProAC Expresso LAB

Condephaat celebra 50 anos com concurso para seleção de nova marca!

Em 2018, o Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo completa os 50 anos da Lei 10.247 de 22/10/1968.

Para comemorar a data, entre outras ações, o órgão lançou um concurso para seleção do logotipo do CONDEPHAAT e do emblema comemorativo dos seus 50 anos. O projeto vencedor ganhará R$ 5 mil (cinco mil reais).

Podem participar pessoas residentes no estado sem exigência de formação ou experiência. As inscrições estão abertas até o dia 20/08/2018 às 17h00.



ACESSE O EDITAL

Confira a programação da Semana Mundial do Meio Ambiente

Museus, unidades de formação, bibliotecas e corpos artísticos prepararam uma agenda com concerto, oficinas, filme, espetáculo teatral e atividades diversas para todos os estilos e gostos

As instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo prepararam programação especial para a Semana Mundial do Meio Ambiente. Entre as sugestões estão documentários, oficinas, espetáculos teatrais, concerto, prática de yoga e passeios nos museus, bibliotecas, oficinas culturais e fábricas de cultura.

Confira a programação completa:

A Oficina Cultural Maestro Juan Serrano irá realizar o projeto itinerante “Ciranda Sustentável”, de 1ª a 11 de junho, que traz a exposição “Cultura e a Arte em Reciclagem”, de Sandro Rodrigues, durante o mês, em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente. As obras da mostra são feitas com materiais reciclados. Cohab Taipas (01/06 -11/06), segunda a sexta das 10h às 17h e sábado das 10h às 13h; depois seguirá para outros dois locais parceiros: Teia Cachoeirinha (11/06-21/06), terça a sexta das 10h às 19h e sábado das 10h às 18h e Teia Taipas (21/06-30/06), segunda a sexta das 8h às 17h.

O público também poderá conferir as oficinas “Arte sustentável com garrafa PET que ensina como gerar renda, de 8 a 22 de junho; o espetáculo teatral “Que História é essa? – Projeto tendas culturais, no dia 9 de junho, das 14h às 15h.

Mais informações: https://oficinasculturais.org.br/unidade/juanserrano/

Para celebrar a data, a Osesp – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, fará um concerto híbrido no dia 6 de junho, às 20h30. Serão dois regentes, o spalla da Osesp, Emmanuele Baldini, e o Trombonista Solista da Osesp, Wagner Polistchuk. O programa terá peças de Vivaldi, Piazzolla, Carl Nielsen e Villa-Lobos inspiradas na natureza.

Mais informações: http://www.osesp.art.br/home.aspx

As Fábricas de Cultura das Zonas Norte, Sul e Diadema farão diversas atividades no dia 8 de junho, como: “Reciclarte”, às 14h, que convida o público para confeccionar brinquedos a partir de materiais recicláveis e decorá-los aproveitando os materiais disponíveis no depósito da biblioteca e o “Jardins Comestíveis”, às 10h, com produção de jardins pensados em suas cores, harmonia e distribuição espacial.

Mais informações: https://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i

No Memorial da América Latina, de 1° a 30 de junho, o público poderá conferir a ação “Marina Week”, Semana do Mar de São Paulo, com apoio do Memorial. O evento abordará o uso sustentável do meio ambiente marinho e a formação de uma cultura oceânica na sociedade com palestras e ações. Já no dia 4 de junho, às 10h, acontece o terceiro encontro do Clube de Leitura Ler a América Latina, com apresentação do conto “Estranha, bela flor matinal”, do panamenho Enrique Jaramillo Levi. No dia 26 de junho, das 9h30 às 12h, terá a edição do projeto Yoga no Memorial, com palestra sobre espiritualidade e aula prática de yoga.

Mais informações: https://memorial.org.br/

O Museu Casa de Portinari, em Brodowski, interior de São Paulo, exibirá no dia 1º de junho, a partir das 19h, o vídeo documentário “Ateliê Portinari – Meio Ambiente Sustentável: Protagonismo Ambiental”, realizado na sala principal do Museu. Já no dia 5 de junho, às 10h, o Museu irá apresentar obras do artista Cândido Portinari com a temática ambiental.

Mais informações: https://www.museucasadeportinari.org.br/

Já o Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, fará nos dias 4, 5, 18 e 19 de junho a oficina de fantoches da Mata Atlântica “Família no Museu”,  ensinando a produzir os bonecos com materiais recicláveis. No dia 7 de junho, às 18h, a equipe do educativo irá promover uma ação que apresenta a forma de extrair as cores de alguns produtos naturais para serem utilizados como corantes alimentícios. Outra dica é uma visita no museu, que fica localizado em uma importante reserva da Mata Atlântica, no qual já foram identificadas centenas de espécies de plantas.

Mais informações: https://www.museufelicialeirner.org.br/

Confira a programação de abril da Biblioteca Parque Villa-Lobos

As atividades voltadas para públicos de todas as idades integram as comemorações do mês dedicado ao livro

Para celebrar o Dia da Biblioteca (09/04), o Dia Nacional do Livro Infantil (18/04) e o Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais (23/04), a Biblioteca Parque Villa-Lobos , instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, preparou uma série de atividades para incentivar o hábito da leitura. São eventos, oficinas e cursos voltados para a produção de textos, ilustrações e HQs, além de encontros do Clube de Leitura e Clube do Audiolivro. Veja abaixo os destaques da programação. As inscrições podem ser realizadas pelo link: bvl.org.br/inscricao.

As comemorações começam com o lançamento de quatro livros da Coleção Caravelas, editada pela Editacuja, no dia 9 de abril, das 14h30 às 16h30. Estarão presentes na biblioteca os escritores Ana Cláudia Romano Ribeiro (Ave, Semente), Marco Catalão (No Cravo e na Ferradura), Pedro Marques (Saques & Sacanagens) e Pablo Simpson (O Tio da Caminhonete). No encontro, os autores apresentam o conteúdo das obras e propõem experiências audiovisuais interativas a partir de cada livro. Não é necessário inscrição.

Para mostrar que a produção e a divulgação de textos exigem responsabilidade, João Varella, fundador da editora Lote 42 e das livrarias Sala Tatuí e Banca Tatuí, ministra a oficina on-line, ao vivo, Como Saber que a News é Fake. A facilidade de acesso a vários conteúdos faz com que os cuidados sobre o que é verdade, mentira, exagero ou manipulação sejam redobrados. O encontro promove uma discussão sobre fake news e como abordar o assunto com amigos e familiares, além de atividades práticas para estimular um ambiente saudável de circulação de informações. A atividade acontece no dia 12 de abril, das 10h às 11h30, e é indicada para pessoas a partir de 12 anos.

Ainda com foco na produção de qualidade para as redes sociais, a BVL realiza no dia 13 de abril, das 10h às 13h, a oficina on-line, ao vivo, Fotografia Digital para Instagram, ministrada pela fotógrafa e produtora cultural Bruna Grassi. O objetivo é apresentar o universo da fotografia digital por meio de smartphones e dar dicas sobre o uso da luz, copywriting, processos criativos e narrativas. Para participar, não é necessário ter conhecimento prévio sobre fotografia. Indicada para pessoas a partir de 16 anos.

No mesmo dia (13/04), das 14h às 17h, os fãs de quadrinhos poderão participar da oficina on-line, ao vivo, Produção de uma HQ Independente, com o ilustrador Daiandreson Victor, autor das tiras Afroboy no Instagram e desenhista do selo Bruttal do Omelete. Durante o encontro, os inscritos aprendem a fazer a produção de HQs e conhecem as ferramentas necessárias e os meios ideais de publicação e divulgação. Indicada para pessoas a partir de 16 anos.

A produtora cultural Bruna Grassi ministra no dia 14 de abril, das 10h às 13h, mais uma oficina on-line, ao vivo. A Criação de Conteúdo para Redes Sociais tem o intuito de ampliar o engajamento do público e aborda, entre outros assuntos, a fotografia digital, a narrativa visual e a produção de elementos gráficos e textuais.

Mesmo quem não sabe escrever é capaz de contar lindas histórias feitas com as próprias mãos. Essa é a atividade proposta pela ilustradora e escritora Nina Anderson para comemorar o Dia Mundial do Livro. A oficina presencial Livros Imaginários acontece no dia 23 de abril, das 14h às 15h30, e convida crianças a partir de 5 anos a criarem um livro-objeto, produzido com imagens, códigos e suportes totalmente inusitados. No fim da aula, os participantes poderão levar a lembrança para casa. Não é necessário inscrição.

Uma imagem também contém muitas histórias. Para comprovar, a escritora e artista plástica Lúcia Hiratsuka ministra o Curso de Ilustração – Palavras, Imagens, Silêncio e Movimento, nos dias 27 e 28 de abril, das 15h às 18h. A proposta das aulas é contextualizar a linguagem do livro ilustrado e promover uma vivência artística com a criação de ilustrações para um poema ou um trecho curto de um conto, além de experimentar diferentes materiais. É indicado para pessoas a partir de 16 anos e não há necessidade de saber desenhar.

Para quem precisa de incentivos extras para ler com regularidade, a BVL possui duas atividades especiais: o Clube de Leitura e o Clube do Audiolivro. Em abril, os encontros serão presenciais, o que torna a dinâmica dos debates ainda mais atrativa. O Clube do Audiolivro é dirigido a jovens de 11 a 14 anos e discute no dia 26 de abril, das 14h30 às 16h, a obra As Melhores Histórias de Andersen, de Hans Christian Andersen. Para a reunião do Clube de Leitura, no dia 29 de abril, das 15h às 17h, o livro escolhido é A Pediatra, de Andréa Del Fuego.

Encerrando as atividades do mês, o escritor, ilustrador e pesquisador Odilon Moraes participa do programa Segundas Intenções, no dia 30 de abril, das 11h às 13h. Formado em arquitetura e urbanismo pela USP, Odilon preferiu construir livros em vez de casas. Ganhou quatro vezes o Jabuti por seus trabalhos de ilustração e como escritor recebeu o prêmio de “melhor livro do ano para crianças”, dado pela Fundação Nacional do Livro para Infância e Juventude (FNLIJ), pelas obras Pedro e LuaA Princesinha Medrosa e Rosa. O encontro presencial é mediado pelo jornalista Manuel da Costa Pinto, com transmissão ao vivo pela página da BVL no Facebook. Não é necessário inscrição.

Confira a programação especial do Mês da Mulher

Com programação híbrida e diversificada durante todo o mês de março, Fábricas de Cultura, Museus, Oficinas Culturais e Bibliotecas refletem sobre a data

Museus, Fábricas de Cultura, Oficinas Culturais e Bibliotecas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo estão com programação especial para celebrar o Dia Internacional da Mulher (8/3) durante o mês de março. As atrações vão desde Festival de Cinema Feminino virtual na plataforma de streaming #CulturaEmCasa, bate-papo sobre Mulher, Ancestralidade e Ciência no Museu Afro Brasil, passando por oficinas de artes gráficas e testemunhos. Confira essas e outras programações das instituições estaduais.

Festival de Cinema Feminino #CulturaEmCasa

Programação da Plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa

A Jornada da Heroína      https://culturaemcasa.com.br/video/jornada-da-heroina/

Amor Post Mortem https://culturaemcasa.com.br/video/amor-post-mortem/

A Casa de Alice      https://culturaemcasa.com.br/video/a-casa-de-alice/

Iniciação (pagu)    https://culturaemcasa.com.br/video/iniciacao/

Fábulas Reais        https://culturaemcasa.com.br/video/fabulas-reais/

Rainha do Maracatu https://culturaemcasa.com.br/video/rainha-do-maracatu/

Cartas para Cecília https://culturaemcasa.com.br/video/artas-para-ceciliac/

Lora   https://culturaemcasa.com.br/video/lora/

Chega de Fiu Fiu    https://culturaemcasa.com.br/video/chega-de-fiu-fiu/

 

Filmes Estreando na Plataforma

Data: 8/3, a partir das 19h:

Cores e Botas (2010), As Minas do Rap (2015) e Leva (2011).

MUSEUS

Museu Afro Brasil

Data: 8/3, às 15h

Negras Palavras: Mulher, Ancestralidade e Ciência – Pelo Zoom

Como parte da Programação do Mês da Mulher, o Museu Afro Brasil oferece um encontro sobre a experiência de mulheres na ciência e na relação com suas ancestralidades. Para isso, convidam Jaqueline Gomes de Jesus, doutora em Psicologia Social, e Isis Paixão, biomédica e mestra em Patologia Experimental e Comparada. O evento será mediado pela professora e doutora Dulci Lima.

Formato: online, ao vivo: https://www.youtube.com/watch?v=eyY4DRxz1S4

Não é necessário inscrição prévia.

Data: 19/3, às 14h

Museu na Marquise: A dança das Yabás – Na marquise do Museu

O Museu Afro Brasil oferece uma oficina na Marquise do Museu, inspirada nas Orixás, que tem como objetivo despertar a corporeidade africana e indígena contida na nossa ancestralidade corporal afro-brasileira. Para isso, o MAB convida a bailarina afro, historiadora e arte-educadora Regina Santos para esse encontro com o corpo ancestral no Museu na Marquise.

Formato: Presencial

Data: 26/3, às 10h

Negras Palavras: Mulher e as Artes Visuais – No auditório do Museu

O Museu Afro Brasil oferece um encontro sobre a experiência de mulheres nas artes visuais, em um diálogo entre literatura e artes gráficas. Para isso, o MAB convida a escritora Elizandra Souza e a artista visual e multimídia Sheia Ayo. O evento será mediado pela doutoranda em História da Arte Joyce Farias, pesquisadora do Museu Afro Brasil.

Formato: Presencial

Data: 26/3, às 14h

Oficina de Artes Gráficas – No Museu

O Museu oferece também uma oficina em diálogo entre a escrita e as possibilidades das artes gráficas. Para isso, o MAB convida a doutoranda em História da Arte Joyce Farias, pesquisadora do Museu Afro Brasil.

Formato: Presencial

Museu Catavento

Data: 8/3, das 09h às 17h

Para marcar o Dia Internacional da Mulher, a exposição temporária Mulheres na Ciência foi prorrogada até 8 de março. A mostra visa promover maior visibilidade às mulheres que se dedicaram e dedicam às ciências. Na exposição, serão apresentadas 12 mulheres cientistas, de diferentes épocas, nacionalidades e campos do conhecimento e que exerceram de maneira significativa seu trabalho em prol da ciência.

Formato: Presencial

Memorial da Resistência de São Paulo

Data: 7, 9 e 11/3, às 14h;

Na semana do 8 de março, data que marca o Dia Internacional da Mulher, o Memorial da Resistência homenageia e relembra a luta durante o período da ditadura civil-militar brasileira (1964-1985) de mulheres entrevistadas pelo programa Coleta Regular de Testemunhos.

Formato: Publicação nas redes sociais e site do Memorial de trechos de entrevistas pertencentes ao programa Coleta Regular de Testemunhos

 

Paço das Artes

Data: 8/3, às 17h

Paço Conversa com Gretta Sarfaty e Maya Messina

Partindo da exposição “Máscaras: fetiches e fantasmagorias”, a curadora Mirtes Marins e Maya Messina, da Central Galeria, conversam com Gretta Sarfaty sobre sua produção centrada no feminismo e na body art, e sobre sua icônica publicação “Auto-Photos”, de 1978.

Formato: Presencial

 

MIS -SP

Data: 8 a 13/3

Em 2022, o MIS presta homenagem à atriz e produtora americana Frances McDormand, que completa 65 anos, mais de 30 deles dedicados ao cinema. Formato: Presencial – Retirada apenas on-line pelo site mis-sp.byinti.com a partir do dia 04, sexta, às 12h

CINEMATOGRAPHO – CLÉO DAS 5 ÀS 7

Data: 27/3, às 15h

Formato: Presencial | R$20 (inteira) e R$10 (meia) – Retirada apenas on-line pelo site mis-sp.byinti.com a partir do dia 18, sexta, às 12h

CURSO: Arte no Brasil do século 20 pelas obras de artistas mulheres

Data: 09, 14, 16 e 21/3, segundas e quartas, das 19h às 21h

Formato: On-line | R$120 – Inscrições em: mis-sp.org.br/cursos

CURSO: Feminismos e cinema da América Latina

Data: 15, 17, 22, 24, 29 e 31/3, das 19h às 21h

Formato: On-line | R$180 – Inscrições em: mis-sp.org.br/cursos

Museu do Futebol

Data: 8/3, às 10h e 11h

Às 10h, haverá uma visita temática para público espontâneo, por ordem de chegada, com o tema “As mulheres no futebol”.

A partir das 11h, será ofertado o quiz “Mulheres de Ouro”, em que os visitantes serão desafiados a conhecer mais sobre as campeãs famosas e anônimas do Brasil, de diferentes modalidades.

Formato: Presencial

Museu da Imigração

Data: 31/03, das 11h às 18h

Em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania/SMDHC e a Organização Internacional das Migrações (OIM), o Museu realizará um evento voltado para as mulheres migrantes. Haverá visita guiada à exposição temporária “Mulheres em Movimento”, rodas de conversa, palestras e oficinas. A programação contará também com cadastro para vagas de emprego e orientação sobre serviços e regularização migratória.

Formato: Presencial

 

Museu da Língua Portuguesa

Data: 12/3, das 10h30 às 12h

O Núcleo de Articulação Social do Museu da Língua Portuguesa promove uma visita temática pela exposição principal destacando o protagonismo das mulheres trans no acervo da instituição. A visita é um convite à reflexão sobre as pluralidades das identidades femininas a partir da palavra travesti.

Formato: Presencial

Data: 13/3, às 10h e às 13h

O Núcleo Educativo do Museu da Língua Portuguesa prepara uma visita temática pela exposição principal com enfoque no protagonismo das mulheres.

Formato: Presencial

Casa Mário de Andrade

Data: 8, 15, 22 e 29/3, das 19h às 21h

CURSO (Formato virtual, transmitido via Zoom)

SETE MULHERES NA VIDA DE MÁRIO DE ANDRADE

Com Laura Escorel e convidados

O curso apresenta sete mulheres que tiveram papel marcante na trajetória do escritor Mário de Andrade, apresentando momentos da obra do escritor relacionados a elas.

Formato: virtual, pelo Zoom: clique aqui

Casa Guilherme de Almeida

Data: 19/3, 15h às 16h

VISITA TEMÁTICA

AS MULHERES DO MODERNISMO NA CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Com Ana Lídia Teberga, do Núcleo de Ação Educativa do museu

A visita presencial abordará, com base no acervo do museu, a participação de mulheres escritoras e artistas plásticas no modernismo. Entre outras, serão focalizadas Cecília Meireles e Rachel de Queirós, na literatura, e Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Moussia Pinto Alves, no campo das artes visuais, buscando oferecer aos visitantes possibilidades de reflexão sobre a atuação feminina e seu legado para a arte e a cultura brasileiras.

Formato: Presencial – Agendamento prévio até 19/03 ou até o preenchimento das vagas – clique aqui

Casa das Rosas

Data:26/3, 15h às 15h30

RECITAL – POEMAS MODERNISTAS: Pagu

Com Maria Giulia Pinheiro
Nesta série on-line de vídeos, promovida quinzenalmente pela Casa das Rosas, autores são convidados a fazer leituras e comentários de poemas modernistas. Desta vez, a poeta, performer e pesquisadora feminista Maria Giulia Pinheiro lê poemas e outros textos de Patrícia Galvão, a Pagu.

Formato: virtual
Atividade realizada pelo canal de YouTube do museu. Não há necessidade de inscrição.

Casa das Rosas

Data: 26/3, das 18h às 20h

SLAM DAS MINAS

O Slam volta ao jardim da Casa das Rosas para comemorar seu sexto ano de disputas de poesia falada. A batalha ocorrerá em três rodadas, sendo duas de competição geral entre participantes e a última apenas de finalistas.

Formato: presencial – no jardim do museu. Sem a necessidade de inscrição

Museu do Café – Santos/SP

Data: 19/3, às 14h

Título do evento: Cartografia afetiva – Registro de memórias através da literatura de mulheres negras

Detalhes da programação: Mediado pela poeta Ornella Rodrigues, o encontro visa a troca de experiências de escritoras negras da região, abordando suas escritas, vivências e memórias afetivas.

Formato: Presencial

OFICINAS CULTURAIS

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Data: 7 a 18/3, das 9h às 13h

Formação Em Ofício Cultural – Releitura Moderna da Semana de 22 Com Lady Brown
Seleção: Por ordem de inscrição:

https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/e3bb9fa75d0ae7da40a40c4e3f2f3fd4

Formato: Presencial

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Data: 11/3 a 25/3, sextas-feiras, das 14h às 16h

ORIGAMI – A ARTE DE DOBRAR PAPEL: NÚCLEO DE CAPACITAÇÃO ARTÍSTICA PARA MULHERES

Com Liane Bittencourt

Seleção: Por ordem de inscrição:

https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/ad6bf3efd234fc87c76f3158c2a973df

Formato: Presencial – Rua Joaquim Pimentel, 200. Brasilândia – São Paulo/SP | On-line – Zoom ao vivo.

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Data: 14 a 25/3, das 14h às 18h

Formação Em Ofício Cultural – Releitura Moderna da Semana de 22 Com Soberana Ziza
Seleção: Por ordem de chegada. Inscreva-se até 13/3.

Formato: Presencial

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Data: 19/3, das 10h às 13h

Ocupação Sustentável Convida Dona Helena (Mulheres De Gau)
Coordenação: Natali Santos e Dona Helena (Mulheres de Gau)

Formato: Presencial

Oficina Cultural Oswald de Andrade

EXPOSIÇÃO | VOZES DA PAREDE: O TESTEMUNHO DO ESPAÇO

Concepção: Paula Halker, Marina Legaspe, Emilie Becker e Gabrielle Távora.

Formato: Presencial

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Data: 31/3 a 30/4

ESPETÁCULO: MULHERES SONHARAM CAVALOS

Direção de Malú Bazán

Formato: Presencial

BIBLIOTECAS

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Data: 8/3, das 16h às 18h

Roda De Conversa Conhecendo Intelectuais Negras Brasileiras

Apresentação de intelectuais negras ainda pouco conhecidas e seu protagonismo nos processos históricos. Um bate-papo com as pesquisadoras do projeto “Intelectuais Negras Brasileiras”, coordenado pela professora Renata Gonçalves. Livre. Com NEAB UNIFESP – Grupo de Estudos e Pesquisa Reflexos de Palmares.

Formato: On-line. Vagas limitadas, preenchidas por ordem de inscrição (bvl.org.br/inscricao).

 

Data: 26/3, das 11h às 13h

Segundas Intenções

Bate-papo com Alice Sant’Anna, poeta e editora. Publicou “Dobradura” (2008, 7 Letras), “Rabo de baleia” (2013, Cosac Naify, prêmio APCA) e “Pé do ouvido” (2016, Companhia das Letras), além de paquetes independentes. Seus livros foram lançados no Chile e nos Estados Unidos. Todos os volumes estão reunidos na edição portuguesa “Aula de natação” (Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2018). Mediação de Manuel da Costa Pinto.

Formato: Presencial com transmissão ao vivo pela página no Facebook. Não é necessário inscrição. Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Biblioteca de São Paulo

Data: 12/3, das 11h às 13h

Segundas Intenções

Bate-papo com a escritora Micheliny Verunschk. Seu primeiro romance, Nossa Teresa – vida e morte de uma santa suicida (editora Patuá, 2014) foi agraciado com o Programa Petrobras Cultural e com o Prêmio São Paulo de melhor livro de 2015. É autora, entre outros, de Geografia Íntima do Deserto (Landy, 2003), O movimento dos pássaros (Martelo, 2020) e O som do rugido da onça (Companhia das Letras, 2021).  Mediação de Manuel da Costa Pinto.

Formato: Presencial com transmissão ao vivo pela página no Facebook

FÁBRICAS DE CULTURA

Fábrica de Cultura Sapopemba

Data: 10/3, às 15h

Live: Mulheres no Breaking

Em comemoração ao “Dia das Mulheres”, as educadoras Carolina (preparadora corporal do Projeto Espetáculo) e Daniella (Street Dance) realizarão uma live com foco em mulheres dançarinas que dançam breaking, estilo de dança majoritariamente dançada por homens.

Formato: Transmissão ao vivo (YouTube – Tv Fábricas)

Fábrica de Cultura Parque Belém

Data: 8/3, às 11h

Encontro de Leitores: Pagu e o Teatro

Patrícia Rehder Galvão, conhecida como Pagu, foi poeta, jornalista, tradutora, diretora teatral e militante do Partido Comunista. A mulher que nasceu para quebrar todas as estruturas do sistema viveu entre 1910 e 1952. Foi considerada pelos escritores e pintores modernistas a musa do modernismo quando tinha apenas 18 anos. Foi presa 23 vezes por lutar contra a desigualdade social e por melhores condições de vida para toda a população.

Formato: Presencial

Confira o programa de capacitação on-line para elaboração de projetos do ProAC 2022 e balcão virtual de dúvidas

Artistas e agentes culturais já podem inscreverem seus projetos no ProAC desde 14/4; As capacitações ocorrem em maio, em horários e dias variados, com 40 vagas por turma

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo inicia em maio o programa de capacitação para o Programa de Ação Cultural – ProAC 2022, uma iniciativa do Governo de São Paulo. O objetivo das oficinas é auxiliar os interessados em se inscrever no ProAC na elaboração, gestão e prestação de contas dos projetos. Os horários e dias são variados com 40 vagas por turma. Os interessados podem se inscrever para participar das Oficinas on-line no site bit.ly/oficinas-proac.

Outra iniciativa da pasta para auxiliar os proponentes, os balcões virtuais de dúvidas, no YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, começam a partir do dia 28/4, todas às quintas-feiras, às 17h, e seguirão até a finalização das inscrições.

Confira abaixo as oficinas on-line:

OFICINA DE PROJETOS CULTURAIS PARA PROAC

Coordenação: Eva Laurenti

Turma A: 3, 6, 10 e 13/5 – 10h às 12h. Vagas preenchidas.

Turma B: 17, 20, 24 e 27/5 – 14h às 16h. + informações e inscrições: https://forms.gle/4b6mia1GkqLgHzjV7 

Turma C: 4, 11, 18 e 25/5 – 15h30 às 17h30. + informações e inscrições: https://forms.gle/WtFqaxNcEgrZfGUE6

OFICINA: COMO PARTICIPAR DE UM EDITAL CULTURAL (PROAC)

Coordenação: Carla Lopes

Turma 1: 2, 3, 9 e 10/5 – 20h às 22h. + informações e inscrições: https://forms.gle/aZkvu8fmArE5FDVn9

Turma 2: 12, 13, 16 e 17/5 – 20h às 22h. + informações e inscrições: https://forms.gle/Vd3wBpGDkUTVyTp37

Turma 3: 23, 24, 30 e 31/5 – 20h às 22h. + informações e inscrições: https://forms.gle/5CD19cEwekq4R6fi9

OFICINA DE ESCRITA DE PROJETOS CULTURAIS (PROAC)

Coordenação: Amanda Prado

Turma I: 9, 10, 16 e 17/5 – 18h às 20h. + informações e inscrições: https://forms.gle/ArAdqLDNcX9AXDSL6

Turma J: 11, 12, 18 e 19/5 – 9h às 11h. + informações e inscrições: https://forms.gle/U8fuKMBtUD1M2etZA

Turma K: 14, 15, 21 e 22/5 – 9h às 11h. + informações e inscrições: https://forms.gle/Gdxct7joTvJ3qvLd8

OFICINA: ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS CULTURAIS E NEGÓCIOS CRIATIVOS

Coordenação: Elenor Júnior Cecon

Turma A: 2, 4, 9 e 11/5 – 14h às 16h. + informações e inscrições: https://forms.gle/VbUfmRfJdHXWLXsw9

Turma B: 10, 12, 17 e 19/5 – 18h30 às 20h30. + informações e inscrições: https://forms.gle/ZCX6zziwmHN4oYop6

Economia criativa 

O ProAC Expresso Editais terá 50 linhas de editais, 14 a mais que o ano passado, e recebeu o valor recorde de R$ 100 milhões. Como em 2021, há linhas de editais que contemplam ações locais em favelas e periferias, para projetos de artistas, grupos coletivos, espaços culturais, organizações sociais e corpos estáveis de comunidades, e os que agraciam a produção ldo interior e litoral paulista, abrangendo as regiões do Pontal do Parapanema, Baixada Santista e Vale do Ribeira. Essas últimas integram dois programas estratégicos do Governo de São Paulo e envolvem ações de outras Secretarias: Programa Comunidades e Programa Vale do Futuro.

As demais linhas se dirigem a áreas como teatro, dança, audiovisual, literatura, música e espetáculos para o público infanto-juvenil, contemplando espetáculos e produtos físicos, além de apresentações online, que serão exibidas por demanda na plataforma de streaming #CulturaEmCasa, criada em 2020 com o objetivo de ampliar a difusão cultural virtual e que, em um ano, alcançou a marca de 7,3 milhões de visualizações de cerca 4,6 mil conteúdos, acessados em mais de 4 mil cidades, de 166 países.

O ProAC Expresso ICMS, programa de fomento  que funciona por meio de patrocínios incentivados e renúncia fiscal, retoma este ano com o valor de R$ 100 milhões. Além disso a Secretaria resgatou o Cultura Viva SP, uma premiação em dinheiro e materiais audiovisuais para entidades e coletivos culturais que deve beneficiar R$ 4,1 milhões de projetos, sendo 1 edital com 3 modalidades.

Para mais informações sobre o ProAC acesse os canais de atendimentos:

Por e-mail: comunicacaoproaceditais@sp.gov.br

Balcão virtual (YouTube): todas às quintas-feiras, às 17h, a partir do dia 28/04, até a finalização das inscrições.

Atendimento ProAC ICMS:

proacicms@sp.gov.br

Atendimento Pontos de Cultura:

duvidaspontosdecultura@sp.gov.br

Mais informações #JuntospelaCultura

WhatsApp: +55 (11) 3882-8080

Perguntas e respostas frequentes

https://amigosdaarte.org.br/faq-juntospelacultura2022/

Confira os detalhes do ProAC Expresso LAB

Confira os municípios selecionados para o Revelando SP

Confira os municípios selecionados

O Secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão e o Secretário de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi anunciaram hoje, em evento com prefeitos e secretários municipais de cultura de São Paulo, a realização do programa Juntos pela Cultura / Estado + Prefeituras, que destina R$ 12,5 milhões para parcerias com prefeituras em cinco iniciativas: Virada SP, Circuito SP, Tradição SP, Revelando SP e +Gestão SP. Por meio de chamadas públicas, prefeituras de todo o Estado poderão inscrever projetos para participar das ações.

“Aqui em São Paulo tratamos cultura como uma coisa séria, importante na educação, na preservação, na memória e, principalmente, no bem de cada cidadão. Nós temos uma tradição e uma história na cultura, e essa história está sendo preservada”, declarou o Governador João Doria.

“O objetivo central do programa Juntos pela Cultura é ampliar o acesso à arte e à cultura em todas as regiões do estado, com mais eficiência e mais eficácia e uma visão municipalista de gestão. Estado e Prefeituras devem atuar em sintonia para melhorar os resultados”, destacou Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa. “Todo o investimento será feito por meio de chamadas públicas e com as prefeituras, de modo a agilizar os processos e valorizar a visão local.”

“Somos 645 municípios, todos no mesmo rumo: o do desenvolvimento, da qualidade de vida, e hoje, o rumo da cultura. O Secretário Sérgio Sá Leitão traz hoje uma grande inovação na parceria dos municípios do Estado de São Paulo. Através das ações feitas aqui, nós vamos ter cada vez mais a população desses 645 municípios envolvida, gerando um impacto cada vez maior, valorizando os eventos que já existem e potencializando novas oportunidades”, disse o Secretário de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi.

A partir de terça-feira (10), estarão abertas no site www.cultura.sp.gov.br as chamadas públicas para as prefeituras inscreverem projetos nas seguintes linhas:

Revelando SP: Inscrições encerradas.

Circuito SP: Inscrições encerradas.

Virada SP: Inscrições encerradas.

Tradição SP: Chamada de fluxo contínuo, não há data específica para término – as propostas serão avaliadas por ordem de inscrição e o processo de aprovação se dará até o esgotamento de recursos do programa, quando também passará a ser indisponível a inscrição.

+GESTÃO SP: Novo programa que vai oferecer, em parceria com instituições de excelência, cursos executivos em gestão cultural para secretários municipais e gestores de equipamentos culturais, com a flexibilidade da educação à distância e sem custo para as prefeituras. (+ INFORMAÇÕES EM BREVE)

“Todos terão igualdade de condições para competir pelos recursos que estão sendo disponibilizados. Queremos, com isso, ampliar o alcance e também elevar a eficiência e eficácia do nosso investimento”, enfatizou o Secretário Sérgio Sá Leitão.

Seminário Juntos pela Cultura

O Seminário Juntos pela Cultura apresentou também, durante todo o dia, palestras com os Secretários, integrantes da equipe da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, representantes municipais e gestores de cultura. O público teve a oportunidade de conhecer as diretrizes, ações em andamento e projetos da Pasta.

“O objetivo deste seminário é transmitirmos uma percepção do alcance e do papel da cultura e da economia criativa para o desenvolvimento, visando o quanto o segmento movimenta as economias locais, valoriza o PIB, promove relações sociais harmônicas, diminui a violência e impacta a economia. Há muitos anos não se considerava essa dimensão, que hoje já se torna permeável à toda sociedade”, disse a Secretária Executiva de Cultura e Economia Criativa Cláudia Pedrozo.

“As atividades culturais e criativas no Brasil já produzem 2,64% do nosso PIB, o que significa que se a gente encarar toda arte, toda cultura, toda economia criativa como um setor econômico, ele está entre os dez maiores da nossa economia”, completou Sérgio Sá Leitão.

Confira os resultados do #JuntosPelaCultura 2020

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo divulga três editais com selecionados de programas do #JuntosPelaCultura 2020. Foram escolhidos os municípios que irão receber o Tradição SP Online, artistas e municípios do Revelando SP Online e os vencedores do Concurso de Piano Guiomar Novaes.

Veja os selecionados clicando na imagem:

Conheça o Curso de DJ das Fábricas de Cultura!

A Fábrica de Cultura de Sapopemba disponibiliza gratuitamente uma oficina que promete sacudir a galera: O Curso de DJ com o educador Jefferson Mendes, mais conhecido como DJ Smockey, é para jovens, crianças e adultos – incluindo pais e avós!

“O curso tem 4 meses de duração, e neste período os alunos vão do primeiro contato com o equipamento à discotecagem”, explica Smockey, que fez parte de um dos grupos de hip hop do país, o Doctor MC’s. “Trabalho na Fábrica de Cultura há 4 anos e muitas turmas já se formaram neste lugar”. Com ênfase na história dos DJ’s no Brasil e no mundo, o curso também fala sobre ritmos, percepção musical, mixagem, especificações dos equipamentos, além de estudos sobre os diferentes estilos musicais, como eletrônica, rap, MPB, rock, R&B, samba rock, soul, entre outros gêneros.

“Fico contente pois desde que eu me tornei educador eu sempre tento passar para os meus alunos tudo o que deu certo para mim.”
MESSAGE-ICON
Jefferson Mendes | DJ Smockey
DJ Profissional e Educador das Fábricas de Cultura

Um DJ é um profissional que vai além de levar agitação e euforia, mas também cria diferentes composições, mixa músicas, seleciona e produz sua playlist de forma que consiga contagiar o público ouvinte, seja em pistas de dança, bailes, clubes, boates e/ou  danceterias. “Eu sou DJ desde o final da década de 70, comecei a tocar quando era bem jovem. Sempre conto minha trajetória para os alunos como forma de ensiná-los e incentivá-los a seguir seus sonhos. Hoje o DJ é muito valorizado, tanto publicamente como legalmente, e isso é muito importante para eles”, afirmou Jefferson.

“A Fábrica de Cultura tem uma grande importância, pois está oferecendo um curso muito bom, gratuito, difícil de achar”, afirma o aluno Guilherme Faria, de 16 anos. Guilherme Reis, de 17 anos, complementa: “A história do professor é demais! Eu sempre quis trabalhar como DJ, isso ia ser muito difícil se a Fábrica de Cultura não estivesse disponibilizando esse curso”.

A presença feminina faz grande diferença nas aulas. “É bem difícil encontrar uma mulher DJ. Os meninos ficam chocados com a nossa presença. Passei a ter vontade de aprender essa profissão através dos vídeos de DJ’s famosas”, afirma Beatriz dos Santos, de 17 anos, que está em seu segundo semestre de curso.

Em visita ao curso para uma oficina especial, o DJ Ronaldinho da Rádio Energia 97FM elogiou a estrutura e a iniciativa: “Achei o projeto sensacional e vou indicar pra um monte de gente. É uma iniciativa de vida, onde você dá uma direção para as pessoas. Isso é importante para estimular o gosto das pessoas e sugerir como uma profissão a seguir”.

“Isso é uma homenagem a nós, DJ’s!”
MESSAGE-ICON
Isso é uma homenagem a nós, DJ’s
Rádio Energia 97FM

Conheça a Fábrica de Cultura de Sapopemba!

A unidade funciona de terça a domingo, e fica na Rua Augustin Luberti, 300 (esquina com a rua André Thevet).

Conselho do Condephaat toma posse em cerimônia virtual da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

São 24 membros e 23 suplentes que fazem parte do Conselho, que inclui as áreas de meio ambiente e museus

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo realiza nesta sexta-feira, 23, às 10h30, cerimônia, virtual, de posse dos indicados para compor o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) de 2021 a 2023. Como presidente Carlos Augusto Mattei Faggin, a vice-presidente Valéria Rossi Domingos e os conselheiros titulares e suplentes integram a composição.

Presidente do Condephaat, Carlos Augusto Mattei Faggin

Presidente do Condephaat, Carlos Augusto Mattei Faggin

Conheça os membros do Conselho:

Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Carlos Augusto Mattei Faggin, titular e presidente, em recondução;

Valéria Rossi Domingos, como titular e Vice – Presidente, e Erika Hembik Borges Fioretti, como suplente, ambas em recondução;

Maithê Rocha da Costa Monteiro, como titular, em recondução, e Roberta Martins Silva, como suplente;

Marcelo Manhães de Almeida, e Alberto Mussallem, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Secretaria de Governo

Heloisa Maria de Salles Penteado Proença e Marília Alves Barbour, respectivamente como titular e suplente, ambas em recondução;

Secretaria da Fazenda e Planejamento

Jorge Aires Kanno e Adriano Somera Fantini, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente

José Ronal Moura de Santa Inez e Glaucio Attore Penna, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Secretaria da Habitação

Luiz Eduardo de Oliveira Camargo, como titular, em recondução, e Ana Maria Antunes Coelho, como suplente;

Secretaria de Desenvolvimento Regional

Matilde da Costa, como titular, em recondução, e Ronaldo Daher, como suplente;

Secretaria de Turismo e Viagens

Wagner Seian Hanashiro e Vanilson Fickert Graciose, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Procuradoria Geral do Estado

André Luiz dos Santos Nakamura e Fábio Teixeira Rezende, respectivamente como titular e suplente;

Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Antonio Luiz Lima de Queiroz e Célia Regina Buono Palis Poeta, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN

Victor Hugo Mori e Eneida Carvalho Ferraz Cruz, PCMG, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Museu de Arqueologia e Etnologia da USP – Maeusp

Paulo Antonio Dantas Deblasis e Eduardo Góes Neves, respectivamente como titular e suplente;

Universidade de São Paulo – USP

Jorge Bassani, como titular e Tomas Antonio Moreira, como suplente, em recondução;

Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp

Saulo Philipe Sebastião Guerra e Marcelo Ornaghi Orlandi, respectivamente como titular e suplente;

Universidade Estadual de Campinas – Unicamp

Fernando Augusto de Almeida Hashimoto e Wenceslao Machado de Oliveira Junior, respectivamente como titular e suplente;

Universidade Federal de São Paulo – Unifesp

Odair da Cruz Paiva e Lucília Santos Siqueira, respectivamente como titular e suplente;

Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB

Fernando Atique e Maira Barros, respectivamente como titular e suplente;

Instituto de Engenharia de São Paulo – IESP

Marcos Moliterno e Fernando Bertoldi Correa, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Associação Paulista de Municípios – APM

Benilson Antonio Toniolo de Oliveira e Marcelo Alves de Godoy Magnani, respectivamente como titular e suplente;

Profissional de notório saber em História da Arte e Arquitetura

Paulo Romani Vicelli e Marcelo Costa Dantas, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Profissional de notório saber em Urbanismo

Pedro Taddei Neto e Eduardo Sampaio Nardelli, respectivamente como titular e suplente, ambos em recondução;

Profissional de notório saber em Patrimônio Imaterial

José Guilherme Cantor Magnani e Daniela do Amaral Alfonsi, respectivamente como titular e suplente.

Sobre o Condephaat
O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) é o órgão que tem a função de proteger, valorizar e divulgar o patrimônio cultural no Estado de São Paulo. Isso é feito por meio do tombamento de móveis, imóveis, edificações, monumentos, bairros, núcleos históricos, áreas naturais e até de bens imateriais, como no caso do Samba Paulista, reconhecido como patrimônio imaterial em 2016.

O tombamento é um instrumento legal que tem como objetivo preservar bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e até afetivo. O ato tem a intenção de impedir a destruição ou descaracterização dos patrimônios para que eles continuem fazendo parte da vida das pessoas, assumindo, inclusive, novos usos com o passar do tempo.

O conselho do Condephaat é formado por representantes de diversas entidades, entre as quais secretarias estaduais, instituições de classe e universidades. Os conselheiros se reúnem periodicamente para deliberar sobre questões relativas à preservação do patrimônio cultural do Estado de São Paulo, tais como tombamentos ou autorização para intervenções em bens tombados ou em áreas envoltórias.

Conservatório de Tatuí oferece 638 vagas em mais de 50 cursos regulares; inscrições já estão abertas

Os processos seletivos para as áreas de Música serão realizados remotamente, por meio de vídeos e entrevistas virtuais; já o de Artes Cênicas será presencial, respeitando todos os protocolos de segurança e saúde propostos como prevenção ao contágio da Covid-19

O Conservatório de Tatuí, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo,  considerado a maior escola de música e artes cênicas da América Latina, está com inscrições abertas para novos(as) alunos(as). A instituição oferece cerca de 638 vagas em mais de 50 cursos regulares, nas áreas de Música Erudita, Música Popular, Educação Musical e Artes Cênicas. Em respeito ao Plano SP e aos protocolos para prevenção à Covid-19, o processo seletivo será realizado de forma híbrida. A seleção para os cursos das áreas de Música será realizada por meio de vídeos e entrevistas virtuais; já o processo seletivo para cursos de Artes Cênicas será presencial. Os cursos são totalmente gratuitos e os interessados podem se inscrever pelo site do Conservatório de Tatuí, até às 18h do dia 21 de janeiro.

Na área de Música Erudita, são oferecidas 196 vagas em Tatuí, nas habilitações de Acordeão, Canto Lírico, Canto Barroco, Clarinete, Contrabaixo Acústico, Cordas Dedilhadas Históricas, Cravo, Eufônio, Fagote, Flauta Doce, Flauta Transversal, Fortepiano, Harpa, Luteria, Oboé, Percussão Sinfônica, Piano Clássico, Saxofone, Trombone, Trompa, Trompete, Tuba, Viola, Violão Clássico, Violino, Violino Barroco/Viola Barroca, Violoncelo e Violoncelo Barroco/Viola da Gamba. E mais 42 vagas no Polo de São José do Rio Pardo, nos cursos de Canto Lírico, Clarinete, Contrabaixo, Flauta Transversal, Percussão Sinfônica, Piano, Piano Colaborativo, Saxofone, Trombone/Eufônio/Tuba, Trompa, Trompete, Viola, Violão Clássico, Violino e Violoncelo. Também são disponibilizadas vagas para pessoas cegas ou com baixa visão nos seguintes cursos de instrumento: Oboé, Piano, Violão Clássico e Violino.

Há vagas para candidatos(as) com e sem conhecimento musical. Candidatos(as) que não tenham conhecimento musical serão chamados para uma entrevista virtual com uma banca de professores da instituição. O link para a entrevista será enviado por e-mail após o encerramento do prazo de inscrições. Candidatos(as) que já tenham conhecimento musical deverão gravar um vídeo em que tocam ou cantam uma peça de livre escolha do repertório erudito. Depois de gravado, o vídeo deverá ser disponibilizado no Youtube, no modo “não listado”, e o link deve ser informado na Ficha de Inscrição.

Na área de Música Popular, a instituição disponibiliza 52 vagas distribuídas nos cursos de MPB/Jazz (Bateria, Canto, Clarinete, Contrabaixo Acústico, Contrabaixo Elétrico, Flauta Transversal, Guitarra, Percussão, Piano, Saxofone, Trombone, Trompete e Violão), Choro (Bandolim, Cavaquinho choro, Flauta Choro, Percussão choro e Violão 7 Cordas) e Música Raiz (Viola Caipira). Nestas habilitações, as vagas disponíveis no momento são destinadas apenas a candidatos(as) que já tenham conhecimento musical. Os(as) candidatos(as) deverão gravar um vídeo em que tocam ou cantam a obra ou o exercício proposto no edital para o curso do seu interesse. O vídeo deve ser disponibilizado no Youtube, no modo “não listado”, e o link deve ser informado na Ficha de Inscrição.

Na área de Educação Musical, as vagas disponíveis são 168 para Musicalização Infantil e 40 para Formação em Educação Musical. Sendo distribuídas entre Musicalização Infantil 1 (4 anos), Musicalização Infantil 2 (5 anos), Musicalização Infantil 3 (6 anos), Musicalização Infantil 4 (7 anos) e Formação em Educação Musical (manhã ou tarde). Essas serão preenchidas mediante sorteio aberto ao público, a ser realizado no dia e horário estabelecidos pela Sustenidos. Para o curso de Formação em Educação Musical, a seleção será feita por meio de análise curricular e formulário de avaliação, conforme orientação do edital.

Na área de Artes Cênicas, são oferecidas 140 vagas para os cursos de Ateliês de Iniciação às Artes da Cena para Crianças, Ateliês em Artes da Cena para Adolescentes, Artes Cênicas e Cenografia. As vagas para os cursos de Ateliês de Iniciação às Artes da Cena para Crianças e para Adolescentes serão distribuídas por meio de sorteio. Candidatos(as) ao curso de Artes Cênicas passarão por 5 dias consecutivos de aulas, laboratórios de artes cênicas, prova escrita e entrevista com os(as) professoras da escola. Neste caso, o(a) candidato(a) que não comparecer em algum dos dias estará automaticamente desclassificado(a). Já para o curso de Cenografia, a seleção será feita por meio de entrevista com banca formada por professores(as) da Área de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí.

A instituição esclarece que a quantidade de vagas abertas está condicionada à quantidade de vagas remanescentes ao final do ano letivo 2021 e, por isso, alguns cursos mantidos pela instituição não dispõem de vagas para novos alunos neste momento, incluindo Regência. Todavia abriremos processo seletivo, para lista de espera de Acordeão, Piano, Harpa, Violão, Flauta doce, Bateria (MPB/Jazz), Trombone (MPB/Jazz), Cavaquinho (Choro), Violão de 7 cordas (Choro), Percussão (Choro).

BOLSAS DE ESTUDOS – Os(as) candidatos(as) com conhecimento musical e teatral que forem aprovados(as) no Processo Seletivo para Novos(as) Alunos(as), cujo resultado está previsto para ser divulgado a partir de 18/02, poderão se inscrever, também, para concorrer a vagas para bolsistas nos Grupos Artísticos do Conservatório de Tatuí. As inscrições para as Bolsas Performance ficarão abertas até 1º de março. Estes editais já estão disponíveis no site do Conservatório de Tatuí.

SERVIÇO
Processo Seletivo para Novos(as) Alunos(as) 2022
Inscrições: de 4 a 21 de janeiro de 2022
Link de acesso no site do Conservatório de Tatuí.

 

 

Conservatório de Tatuí reabre inscrições para novos alunos

As vagas remanescentes são para cursos das áreas de Música Erudita e Artes Cênicas; as inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o dia 27 de maio.

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerido pela Sustenidos Organização Social de Cultura – reabre inscrições para novos alunos. As vagas remanescentes são para cursos de instrumento, canto lírico e teatro juvenil. Há opções para candidatos com e sem conhecimento musical, tanto na cidade de Tatuí quanto no Polo de São José do Rio Pardo. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo site da instituição (www.conservatoriodetatui.org.br/processo-seletivo) até o dia 27 de maio.

Na cidade de Tatuí, as vagas para os candidatos com conhecimento musical são oferecidas nos cursos de Contrabaixo, Oboé, Saxofone, Trompa, Trompete, Trombone, Eufônio, Tuba, Percussão Sinfônica, Harpa, Flauta Doce, Cravo e Violoncelo Barroco/Viola da Gamba. Para quem não tem conhecimento musical, as opções são nos cursos de Contrabaixo, Saxofone, Trompa, Tuba, Percussão Sinfônica e Flauta Doce. Há vagas também para o curso de Teatro Juvenil, para jovens com idade entre 13 e 15 anos.

No Polo de São José do Rio Pardo, as vagas remanescentes são para os cursos de Trompa, Percussão Sinfônica, Canto Lírico, Viola, Violoncelo, Contrabaixo e Violão Clássico. Podem se inscrever candidatos com e sem conhecimento musical.

Para o curso de Teatro Juvenil, não haverá seleção. Se o número de inscritos superar o número de vagas disponíveis, haverá um sorteio para distribuição das vagas.

Para os cursos de Música Erudita, haverá dois tipos de seleção. Candidatos sem conhecimento musical serão convocados para uma entrevista virtual. Neste caso, os inscritos receberão um e-mail com link, data e horário da entrevista. Já os candidatos com conhecimento musical serão avaliados por meio de vídeos. Neste caso, os inscritos deverão gravar obras ou trechos de obras que estão indicadas no regulamento e enviar um link do vídeo junto com a inscrição. As gravações serão avaliadas por uma banca de professores do Conservatório de Tatuí.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela internet até as 23h59 do dia 27 de maio. Para saber todos os detalhes e efetuar a sua inscrição, acesse o site: www.conservatoriodetatui.org.br/processo-seletivo.

SERVIÇO
Processo Seletivo para Novos Alunos – Ano 2021 – Vagas Remanescentes

Período de inscrições: 07 a 27 de maio de 2021
Regulamento e Ficha de Inscrição: www.conservatoriodetatui.org.br/processo-seletivo
Inscrições gratuitas

Conservatório de Tatuí realiza 60ª Semana da Música com concertos presenciais e atrações virtuais

Evento mais longevo da instituição, a Semana da Música celebra o Dia do Músico e de Santa Cecília, padroeira dos músicos – 22 de novembro – com apresentações de Grupos Artísticos e convidados

Com uma programação recheada de concertos presenciais e atrações virtuais, vem aí a 60ª Semana da Música do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo –, considerada a maior escola de música e teatro da América Latina. Evento mais longevo da instituição, criado em 1961 pela então diretora Yolanda Rigonelli, a Semana da Música ocorre sempre próximo ao dia 22 de novembro, quando é celebrado o Dia do Músico e Dia de Santa Cecília, padroeira dos músicos. Cancelada no ano passado em razão da pandemia, a programação deste ano será estendida de 7 de novembro a 4 de dezembro, e marca a ampliação da retomada gradual de atrações culturais presenciais da instituição.

“O evento mais tradicional do Conservatório de Tatuí – a Semana da Música – trará em sua programação diversos gêneros e estilos musicais, ocupando espaços públicos da cidade. A grande novidade deste ano é a transmissão de alguns eventos na internet, o que permite a democratização do acesso aos concertos e projeta o nome do Conservatório e de Tatuí para o mundo”, afirma Renato Bandel, gerente artístico do Conservatório de Tatuí.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

Data: 7/11, às 16h

Concerto: Toninho Ferragutti & Quinteto de Cordas
Local: Praça da Matriz de Tatuí/SP

Descrição: Toninho Ferragutti é acordeonista, compositor, arranjador e educador, professor de acordeão e prática de grupo da Emesp Tom Jobim e com extensa participação em CDs e shows de artistas e grupos consagrados. Com 15 CDs gravados e várias premiações importantes, acaba de lançar o CD “De Sol a Sol”, pelo selo SESC, com obras inéditas para acordão e quinteto de cordas. Ele se apresenta ao lado de Luiz Amato (1º violino), Liliana Chiriac (2º violino), Adriana Schincariol Vercellino (viola), Adriana Holtz (violoncelo) e Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo).

Data: 13/11, às 20h30
Concerto: Big Band do Conservatório de Tatuí & NAILOR PROVETA
Local: Praça da Matriz deTatuí/SP
Descrição: Criada em 1975, a Big Band do Conservatório de Tatuí recebe, para este concerto, NAILOR PROVETA, saxofonista e clarinetista líder da Banda Mantiqueira. Transita por vários estilos, como choro, música erudita, sambas contemporâneos e a música instrumental em geral. Coordenação: Diego Garbin

Data: 19 e 20/11, às 20h
Concerto: Coro do Conservatório de Tatuí & YUKA DE ALMEIDA PRADO (USP)
Local: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Igreja Santa Cruz), Tatuí/SP
Descrição: O Coro do Conservatório de Tatuí foi fundado em 1988 e desenvolve repertórios variados, que passam pela música brasileira, repertório sinfônico, música sacra, entre outros. Neste concerto, o grupo recebe a solista YUKA DE ALMEIDA PRADO, professora do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo (USP) desde 2005, onde leciona canto e realiza pesquisas relacionadas a voz cantada por meio do Laboratório de Performance e Ciências do Canto. É doutora e mestre pela Escola de Comunicações e Artes (ECA/USP) e bacharel em Canto pela Faculdade da Música Kunitachi (Tóquio, Japão). Além de educadora, é cantora de ópera e música de câmara, atuando principalmente na divulgação da canção de câmara brasileira. Regente e preparador vocal: Marcos Baldini.

Data: 20/11, às 19h
Apresentação virtual: Grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí
Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: Em atividade desde 1975, o Grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí é o mais antigo grupo do gênero no país e foi criado para oferecer aos estudantes de nível básico, intermediário e avançado da escola a oportunidade de executar peças deste segmento, algo raro no país. Para isso, o grupo utiliza os mais variados instrumentos e acessórios de percussão. Coordenação: Luis Marcos Caldana

Data: 21/11, às 19h
Apresentação virtual: Camerata de Violões do Conservatório de Tatuí
Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: Formado em 1996, o grupo busca oferecer alto aperfeiçoamento artístico aos estudantes do curso de Violão Clássico da instituição. Desenvolve, regularmente, projetos de pesquisa e divulgação, buscando a promoção da grande diversidade de obras escritas para o universo violonístico. Coordenação: Edson Lopes

Data: 22/11, 19h
Apresentação virtual: Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí & EMMANUELE BALDINI
Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí foi criada em 1985 para dar suporte à performance dos estudantes da área de cordas sinfônicas da instituição. Para esta apresentação, o grupo convida violinista e maestro EMMANUELE BALDINI. Nascido na Itália e filho de músicos, iniciou estudos de violino em sua cidade natal com Bruno Polli, posteriormente em Genebra com Corrado Romano, em Salzburgo e Berlim com Ruggiero Ricci, e recentemente estudou a condução com Isaac Karabtchevsky e Frank Shipway. Músico premiado e atualmente residindo no Brasil, atua como solista ou recitalista em todo o mundo. Também embarcou em empreendimentos musicais como maestro, fundou o Quarteto OSESP (com líderes de seção da orquestra da qual ele é mestre de concertos), intensificou suas atividades de ensino, e com o violino, começou a explorar os vastos tesouros musicais do repertório brasileiro, muitos dos quais, infelizmente, permanecem desconhecidos.

Data: 23/11, às 19h
Apresentação virtual: Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí & IZAÍAS BUENO DE ALMEIDA
Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: O Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí é um dos grandes incentivadores do gênero no Brasil e destaca-se pela grande versatilidade, vasto repertório e notável capacidade de improvisação. Fundado em 1993, o grupo convida para esta apresentação IZAÍAS BUENO DE ALMEIDA, líder do conjunto ‘Izaias e seus chorões’, fundado no início da década de 1970. Nascido em 1937, destacou-se desde criança como solista de bandolim. Por 20 anos, integrou o Conjunto Atlântico comandado por Antônio D’Auria, além de várias atuações nas extintas TV Tupi e TV Excelsior. Considerado um dos maiores representantes do choro na atualidade e o mais respeitado bandolinista de São Paulo, já compartilhou solos com grandes nomes da música brasileira, é parte viva da história do Choro instrumentista, compositor e grande pesquisador do gênero contando com um acervo pessoal de mais de 1500 partituras musicais.

Data: 24/11, às 19h
LIVE – Concerto: PianOrquestra  e 16º Concurso Interno de Piano do Conservatório de Tatuí “Revisitando o Modernismo”
Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: Premiado grupo carioca, PianOrquestra apresenta o espetáculo “COLETIVO”, dirigido pelo músico Cláudio Dauelsberg. Dez mãos e um piano. Essa é a proposta pioneira do PianOrquestra, que há mais de 15 anos encanta plateias pelo Brasil e o mundo. O grupo é formado por quatro pianistas, uma percussionista e um piano preparado. Com luvas, baquetas, palhetas de violão e outros acessórios, os músicos exploram infinitas possibilidades de timbres e sonoridades produzida pelo piano, transformando o instrumento em orquestra. A formação reúne o diretor artístico e músico Claudio Dauelsberg, o diretor de produção Carlos Fausto e os músicos Verónica Fernandes, Nathália Martins, Matheus Kern e Mako. Segundo o diretor, o trabalho inaugura uma experiência no conceito de Coletivo de Piano Brasileiro, com compartilhamento do teclado, soma de individualidades e virtuosismo, explorando as sonoridades do piano em todos os seus limites e extensões, contribuindo com inovações para a literatura do Piano. O repertório traz obras de compositores brasileiros como Pixinguinha, Claudio Santoro e Villa-Lobos, chegando à cena pop contemporânea mundial com Beatles, Queen e Michael Jackson, entre outros. O evento também terá o anúncio dos vencedores do 16º Concurso Interno de Piano do Conservatório de Tatuí “Revisitando o Modernismo”, que integra a programação da Agenda Tarsila e as comemorações do Centenário da Semana de 1922.

Data: 25/11, às 19h
Apresentação virtual: Música de Câmara do Conservatório de Tatuí
Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: O Conservatório de Tatuí apresenta sua Mostra de Música de Câmara, com trabalhos produzidos por alguns dos diversos grupos de música de Câmara formados ao longo do ano por alunos e alunas da instituição. Com formações que incluem duos, trios, quartetos a octetos e que combinam voz e instrumentos de diferentes áreas, a mostra garante uma variedade sonora incrível, além de proporcionar aos estudantes variadas ideias para futuros empreendimentos.

Data: 26/11, às 19h
Apresentação virtual: Grupo de Música Raiz do Conservatório de Tatuí & ZÉ MULATO E CASSIANO

Acesse: youtube.com/VideosConservatorio
Descrição: Criado em 2018, o Grupo de Música Raiz do Conservatório de Tatuí visa a pesquisa e difusão do que há de mais valioso na música brasileira de raiz. Nesta apresentação, o grupo convida ZÉ MULATO E CASSIANO, dupla sertaneja brasileira formada pelos irmãos Zé Mulato (José das Dores Fernandes) e Cassiano (João Monteiro da Costa Neto). Nascidos em Passabém, Minas Gerais, mudaram-se para Brasília em 1969 e gravaram o primeiro álbum em 1978, intitulado ‘Zé Mulato e Cassiano interpretam Zé Carreiro e Carreirinho’, pela gravadora Chororó. Ganhadores do Prêmio Sharp na categoria Melhor Dupla Regional pelo álbum ‘Meu céu’ (1998) e do 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Dupla Regional (2015). Seu repertório apresenta diversidade rítmica e poética, numa viagem pelos seus 40 anos de carreira.

Data: 27/11, às 14h
Concerto: Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí & MATIAS NIEVA
Local: Praça da Matriz de Tatuí/SP
Descrição: A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí foi fundada em 1992, no intuito de garantir novas possibilidades de vivência artística para alunos da instituição em seu processo de formação e profissionalização. Para este concerto, o grupo convida MATIAS NIEVA, um dos músicos mais versáteis e ativos do cenário musical ibero-americano, improvisador, solista internacional, fundador  e criador do Trumpet Fest Argentina, empreendedor digital pioneiro no ensino de trompete on-line. Participou de diversos grupos, em diferentes países. Também atua como professor em vários festivais e áreas de ensino. Este concerto marca o início do projeto ‘A Banda do Villa’, que integra a Agenda Tarsila e as comemorações do Centenário da Semana de 1922.

Data: 04/12, às 11h
Concerto: Jazz Combo do Conservatório de Tatuí & WANESSA DOURADO
Local: Praça da Matriz de Tatuí/SP
Descrição: Nascida em 1992 com o sobrenome “Combo” (do inglês combination ou combinação em português), o grupo tem formação não convencional e a missão de pesquisar repertório, estudar, resgatar, praticar e divulgar a música instrumental. O grupo convida WANESSA DOURADO, paulistana que se dedica ao violino popular e erudito. É uma das fundadoras do Quarteto Fios de Choro, grupo de São Paulo de música instrumental brasileira, com gravou suas primeiras composições e, desde então, desenvolve arranjos autorais. Conquistou 2º lugar no Prêmio Nabor Pires Camargo, de Indaiatuba (2018) e participa de apresentações e gravações ao lado de vários artistas consagrados.

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

www.cultura.sp.gov.br
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162
imprensaculturasp@sp.gov.br

Convênio com Estado possibilita reforma do Centro de Convivência Cultural de Campinas

*Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Campinas

A reforma do Centro de Convivência Cultural de Campinas, uma obra muito aguardada pela população, agora é definitiva. O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, assinaram o documento que oficializa o convênio para o repasse de R$ 40 milhões destinados à revitalização do complexo.

Momento da assinatura  do convênio, no Palácio dos Bandeirantes – Foto: Joca Duarte

A cerimônia (foto acima), realizada na tarde desta quarta-feira, 4 de abril, no Palácio dos Bandeirantes, contou com a presença dos secretários municipais de Campinas Ney Carrasco (Cultura), Pedro Leone (Infraestrutura), Thiago Milani (Gestão e Controle); do regente titular da Sinfônica de Campinas, Victor Hugo Toro, entre outras autoridades.

Após a liberação dos recursos, a próxima etapa será a elaboração do edital de licitação.  O imóvel passará por completa recuperação e instalação de novos equipamentos. A obra terá início ainda neste ano e estará pronta em dois anos.

“Acabamos de assinar o convênio que vai revitalizar o Centro de Convivência, um dos maiores convênios que foi assinado pela Casa Civil, cerca de R$ 40 milhões. O Centro de Convivência é uma memória da nossa cidade, terra de Carlos Gomes”, destacou o prefeito Jonas Donizette, agradecendo o empenho do governador Geraldo Alckmin “por tudo que tem feito por Campinas e pelo Brasil”.

O governador Alckmin reiterou a “alegria” de participar da iniciativa. “É uma boa parceria. São R$ 40 milhões que vão fazer o restauro, a recuperação desse centro cultural importantíssimo. Parabéns a Campinas, cidade que é um orgulho de São Paulo e do Brasil, e um grande  polo de inovação de pesquisa, de ensino e também da cultura”.

Para o secretário de Cultura Ney Carrasco, o convênio representa um “grande passo para a finalização do processo de reforma do Centro de Convivência, que será totalmente configurado. Continuará  a ideia original do arquiteto Fábio Penteado, mas vai se sofisticar muito com equipamentos de última geração. Estamos devolvendo um equipamento amado pela cidade”.

O Centro de Convivência, inaugurado em 9 de setembro de 1976, é um dos maiores patrimônios arquitetônicos da cidade. Sua importância para a vida cultural consolidou-se ao longo de mais de 40 anos de vida tornando-o um dos mais significativos equipamentos culturais de toda a Região Metropolitana. Desde sua inauguração, nunca passou por reforma completa e estrutural, apenas obras pontuais de reparo.

A interdição ocorreu em 14 de dezembro de 2011. Reabriu parcialmente entre janeiro e fevereiro de 2012 para a Campanha de Popularização do Teatro.  Em dezembro de 2014, a Orquestra Sinfônica de Campinas apresentou um concerto no Teatro de Arena após a finalização de testes de resistência que comprovaram a segurança da estrutura.

Centro de Convivência Cultural de Campinas – foto: Prefeitura Municipal de Campinas

Restauração

O projeto de restauro, elaborado pela empresa Falcão Bauer como parte de um Termo de Acordo de Compromisso com a Prefeitura de Campinas, preserva a ideia original do arquiteto Fábio Penteado (o projeto foi premiado com a Grande Medalha de Ouro da I Quadrienal de Teatro de Praga, em 1967, na então Tchecoslováquia, em um concurso de projetos de teatro).

O complexo tem quatro galerias, seis salas (entre teatro, de ensaio, técnica, administrativo etc), cinco camarins individuais e três coletivos, todos com banheiro, saguão e o teatro de arena.

A área total é de cerca de seis mil metros quadrados, sendo quatro mil da área externa (Teatro de Arena) e dois mil da interna (salas e galerias).

Em relação ao teatro propriamente dito, a reforma prevê a valorização da estrutura cênica e a acústica para manter a altíssima qualidade, com padrões de  referência internacional, como a Sala São Paulo.

Localizado imediatamente à frente do palco, em nível abaixo, e considerado essencial para a encenação de espetáculo dramático musical, o fosso de orquestra será reativado representando um ponto importante do projeto, permitindo a realização plena de espetáculos dramático-musicais, tais como óperas, musicais e balés. A orquestra contará com espaço administrativo e um salão de ensaio com a mesma acústica do palco.

Entre as intervenções previstas estão, ainda, novo sistema de drenagem, recuperação da estrutura, impermeabilização para evitar novas infiltrações, reforma dos banheiros com modernização e adaptação para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, novos sistemas luminotécnico, cênico e acústico com equipamentos modernos e tecnológicos de alta qualidade; acessibilidade com rampas, corrimões, piso táteis, elevadores; substituição das redes elétrica e hidráulica, remodelação da sala de teatro, troca de poltronas e modernização do sistema de ar condicionado.

Ícone

O icônico espaço atravessou décadas como um dos mais significativos palcos do país, celebrando a arte e a cultura de maneira plena. A Orquestra Sinfônica de Campinas, que se tornaria marco da cena musical brasileira e internacional, realizou o concerto de inauguração do Teatro Interno, que recebeu o nome do importante mímico campineiro Luís Otávio Burnier.

No Teatro de Arena, outro importante palco do complexo, a abertura se deu com a tragédia grega “Hipólito”, de Eurípides, protagonizada pelo grupo Rotunda.

Desde então, a Feira de Artes, Artesanato, Antiguidades, Quitutes e Esotéricos de Campinas, popularmente chamada de Feira Hippie, se tornou forte atrativo cultural e de economia criativa para os campineiros e visitantes.

Palco de artistas que marcaram e projetaram a cidade, o Centro de Convivência recebeu o maestro e compositor Tom Jobim em inesquecível show realizado em 1990. O espaço traz, ainda, na memória, preciosidades que até hoje são temas nas rodas de conversa, como as apresentações de Hermeto Pascoal, Sivuca, Elza Soares, Angela Maria, Regina Duarte, grupo Bons Tempos, Claudia Raia, Milton Nascimento, Jards Macalé, Free Jazz Festival, Heineken Concert’s, Belchior, João Bosco, Sá e Guarabira, 14 Bis, Francis Hime e Olívia Hime, Quinteto Violado; a estreia nacional de “Macbeth”, com Antonio Fagundes, Vera Fischer e Paulo Goulart, além dos concertos da Sinfônica de Campinas que sempre transitaram entre o erudito e o popular.

Convênio dá acesso a dados de lotes de São Paulo

Desde segunda-feira, 19/04, a Certidão sobre Incidência de Legislação Municipal (DPH/Conpresp) e estadual (UPPH/Condephaat), que trata da preservação do patrimônio cultural, está disponível para acesso por meio eletrônico. O documento pode ser obtido no Portal GeoSampa, que traz dados dos lotes da cidade de São Paulo.

A iniciativa é resultado de um convênio com o Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura, cujo objetivo é permitir o compartilhamento das informações sobre o patrimônio cultural no município.  Também será possível desburocratizar o processo de emissão das informações relacionadas ao tombamento.

Como  acessar?
Para obter as informações desejadas, é preciso entrar no  Portal GeoSampa, clicar no ícone “pesquisar” e selecionar a aba CIT (Cadastro de Imóveis Tombados). Com o número do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), preencha os dados solicitados e clique em “listar”. Uma janela será aberta com informações sobre o lote pesquisado. Para obter a Certidão de Incidência de Legislação de Patrimônio Cultural, pressione “Visualizar Impressão”.

 

 

Convocação Pública para gestão do Conservatório de Tatuí será online

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo realiza nesta segunda-feira, 7 de dezembro, a Convocação Pública para a gestão do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, em Tatuí.

Para dar ampla transparência ao processo de escolha, a sessão pública virtual, de acordo com os termos previstos na Resolução SCEC nº 34/2020, será transmitida por meio da plataforma Zoom, a partir das 14h. O link para acesso é:  https://zoom.us/j/91645851434

Leia mais

Coral Jovem do Estado apresenta concerto dedicado a compositoras mulheres

Sob regência de Tiago Pinheiro, grupo artístico da EMESP Tom Jobim apresenta obras de compositoras como Chiquinha Gonzaga, Hildegard Von Bingen, Fanny Mendelssohn, Lili Boulanger e Joyce Moreno, nos dias 16, 17 e 18 de setembro; Apresentação será também transmitida pela internet 

O Coral Jovem do Estado, grupo ligado à EMESP Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, apresenta concerto com destaque para obras de compositoras nos dias 16, 17 e 18 de setembro, às 20h, no Theatro São Pedro.

Sob regência de Tiago Pinheiro e preparação vocal de Marília Vargas, o grupo traz o programa Mater Musica que apresenta obras do repertório erudito e popular que buscam as ancestralidades do feminino na música. O concerto reúne repertório com obras de diferentes períodos que abarca desde o século XI até o século XXI. A apresentação abre com uma composição de Hildegard von Bingen (1098-1179) que foi uma das figuras mais fascinantes de sua época. Nascida na Renânia, Alemanha, além de compositora foi dramaturga, escritora, monja, teóloga, pintora, cientista, botânica.

O  programa contempla também uma peça de  Fanny Mendelssohn (1805-1847) que foi uma pianista e compositora alemã e que tem mais de 400 composições. Entre elas predominam cânticos no estilo lied, o que era muito popular na época. Muitas dessas peças de Fanny Mendelssohn não foram publicadas durante sua vida, mas as que foram precisaram ser associadas ao seu irmão Felix Mendelssohn como autor.

A pioneira Chiquinha Gonzaga (1847 – 1935) também está presente no programa com a peça Corta Jaca. Pianista, compositora e regente é autora de peças para piano solo, canções e operetas. Outra pioneira, Lili Boulanger (1893-1918) foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio de Roma de composição. Da compositora francesa, o Coral Jovem do Estado interpreta La Source. O programa traz composições ainda de Joyce Moreno, Juliana Ripke, Marília Vargas, entre outras. As apresentações contam com a participação de Bia Nascimento no violão e Ingrid Cavalcanti no contrabaixo.

Para quem mora fora de São Paulo, o concerto do dia 17 de setembro, sexta,  também será transmitido pelo canal de YouTube (https://www.youtube.com/user/TJEMESP).

 

SERVIÇO:

CORAL JOVEM DO ESTADO

MATER MUSICA

Tiago Pinheiro, regência
Marília Vargas, preparação vocal e regência
Sin Ae Lee, piano e preparação

Bia Nascimento, violão

Ingrid Cavalcanti, contrabaixo
PROGRAMA

HILDEGARD VON BINGEN
Caritas abundat

FANNY MENDELSSOHN
Lockung 

LILI BOULANGER
La source

CHIQUINHA GONZAGA
Corta Jaca [arr. Damiano Cozzella]

JULIANA RIPKE / MARÍLIA VARGAS
Athena

JOYCE MORENO
Mistérios [arr. Juliana Ripke]

LULU / LUCINA
Denguinho de manhã [arr. Amanda Temponi]

NINA OLIVEIRA
Dandara [arr. Juliana Ripke]

Datas: 16, 17 e 18 de setembro, quinta, sexta e sábado às 20h
Local: Theatro São Pedro
Endereço: Rua Barra Funda, 171 – Barra Funda, São Paulo/SP
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
Compra de Ingressos: theatrosaopedro.byinti.com

Cultura Guarani-Mbya e Ciclo Mulheres tradutoras são destaques do museu Casa Guilherme de Almeida

Já estão abertas as inscrições para as atividades do mês de maio no Centro de Estudos de Tradução Literária  

 

O Centro de Estudos de Tradução Literária do museu Casa Guilherme de Almeida, instituição que faz parte da rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, traz uma série de novidades para o mês de maio. Entre elas, uma agenda em parceria com coletivos indígenas da etnia Guarani-Mbya e outra focada na tradução literária exercida por mulheres.  

 

Já estão abertas as inscrições para o curso de Língua e cultura dos Guarani-Mbya, que será ministrado por Anthony Karai Poty, integrante do coletivo Tenonderã Ayvu, liderança da aldeia Pyau, na Terra Indígena do Jaraguá, em São Paulo, professor e pesquisador da língua Guarani-Mbya. Os encontros presenciais estão programados entre os meses de maio e dezembro, com duas aulas por mês, sempre aos sábados, das 15h às 17h, e com início no dia 7 de maio no Anexo do museu.  

 

Já tradutoras e pesquisadoras participam de palestras e mesas-redondas do chamado Ciclo Mulheres Tradutoras, evento gratuito que será realizado ao longo do ano. As conversas partem das trajetórias dessas profissionais e dialogam sobre a relação entre teoria e prática, limites e desafios, além da especificidade da criação literária inseparável da arte da tradução. 

 

No dia 19 de maio (quinta-feira) a partir das 19h, a palestra “Por uma teoria da tradução de poesia de vanguarda” será apresentada por Simone Homem de Mello, coordenadora do Centro de Estudos de Tradução Literária da Casa Guilherme de Almeida, escritora, poeta e tradutora literária dedicada à poesia moderna e contemporânea de língua alemã, além de doutora em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. 

 

No dia 26 de maio (quinta-feira), às 19h, Marie-Hélène Catherine Torres apresentará a palestra “Traduzir a Amazônia: a história esquecida dos relatos de viagem” no formato online. Professora Titular da UFSC voltada à Língua e Literatura estrangeiras, e Estudos da Tradução, além de coordenar o PROCAD-AMAZÔNIA, em cooperação com as pós-graduações em Estudos Antrópicos na Amazônia da Universidade Federal do Pará – UFPA e em Ciências Humanas da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Marie apontará traduções publicadas e em andamento de relatos de viajantes, botânicos e exploradores que atuaram pela Amazônia. 

A programação completa do mês de maio da Casa Guilherme de Almeida está disponível no site do museu  e nas as redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter).  

 

 

SERVIÇO 

   

CURSO – LÍNGUA E CULTURA DOS GUARANI-MBYA 

COM ANTHONY KARAI POTY (COLETIVO TENONDERÃ AYVU) 

 

Local: Anexo do Museu 

Datas: Aos sábados, 7 e 21 de maio, 4 e 25 de junho, 16 e 30 de julho, 13 e 27 de agosto, 10 e 17 de setembro, 1º e 15 de outubro, 5 e 19 de novembro, 3 de dezembro, das 15h às 17h 

 

Inscrições abertas até 6/05 (30 vagas): aqui 

Taxa única de matrícula: R$ 100,00. As pessoas que obtiverem as vagas receberão um e-mail com os dados para transferência bancária. 

 

CICLO MULHERES TRADUTORAS 

Palestra e lançamento Por uma teoria da tradução de poesia de vanguarda 

Com Simone Homem de Mello, tradutora do livro em lançamento Phantasus - Poema-non-plus-ultra, de Arno Holz 

 

Local: Anexo do Museu 

Data: quinta-feira, 19 de maio, das 19h às 21h 

Inscrições abertas até 18/05: aqui 

Transmissão ao vivo no canal de YouTube 

 

PALESTRA – TRADUZIR A AMAZÔNIA: A HISTÓRIA ESQUECIDA DOS RELATOS DE VIAGEM 

Com Marie-Hélène Catherine Torres 

 

Data: quinta-feira, 26 de maio, das 19h às 21h 

Plataforma: Zoom 

Inscrições abertas até 25/05 (300 vagas): aqui 

 

 

ENDEREÇOS 

 

Museu Casa Guilherme de Almeida: rua Macapá, 187, Perdizes, São Paulo/SP  
 

Anexo: rua Cardoso de Almeida, 1943, Sumaré, – São Paulo/SP

CulturaEmCasa completa seis meses de ‘vida’

Plataforma criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa  oferece um acervo com 1,5 mil vídeos; pesquisa revela  que atividade cultural online diminui sensação de solidão durante pandemia

(mais…)

Curso de contação de histórias acontece na Casa das Rosas

A atividade é gratuita e ministrada pelo grupo Arte Despertar (mais…)

Da viola caipira a espetáculo modernista: Oficinas Culturais têm programação diversificada em maio

As unidades Alfredo Volpi e Maestro Juan Serrano oferecerão oficinas artísticas e de geração de renda, enquanto a unidade Oswald de Andrade recebe a peça “A Morta”, apresentada pela Cia. Aberta de Teatro 

 

As Oficinas Culturais, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, irão explorar diversas linguagens artísticas ao longo do mês de maio. Toda a programação é gratuita, com atividades presenciais e online. 

 

OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE 

Com inscrições até 1º de maio, a Oficina Surdos em Cena tem como objetivo estimular jovens e adultos surdos a produzirem teatro em Libras. Coordenada pela atriz Thais Pimpão e pelo professor de Libras Fábio De Sá, a Oficina pretende promover o acesso às práticas teatrais para a comunidade surda, contribuindo para que entendam o fazer teatral também como uma forma possível de comunicar, sensibilizar, entreter e manifestar diferentes assuntos. As aulas serão online e ocorrerão às quartas-feiras, das 10h30 às 13h, de 5 a 26 de maio. 

 

As artes cênicas continuam em destaque na unidade, mas sob outro olhar com o Ciclo de Conversas “Mulheres e Cultura: perspectivas interdisciplinares”, que integra o processo de pesquisa e criação do espetáculo “Parque Industrial”, baseado no romance de Patrícia Galvão e que terá direção de Gilka Verana. O ciclo visa interseccionar o romance de Pagu com um panorama historiográfico relacionado à invisibilidade feminina na sociedade brasileira. Para participar do ciclo é necessário se inscrever até 07 de maio. Os debates serão transmitidos no Canal do YouTube das Oficinas Culturais às quartas e quintas-feiras, a partir das 19h. Os inscritos receberão o link para acompanhar. Confira o cronograma: 

 

  • 12/5 – Tema: Patrícia Galvão, um panorama 

Convidada: Leda Cintra Castellan, publisher na Editora Cintra e crítica literária. 

  • 18/5 – Tema: Parque Industrial 

Convidada: Thelma Guedes, escritora, roteirista e autora do livro Pagu: Literatura e Revolução. 

  • 19/5 – Tema: Destronando Cânones 

Convidada: Amara Moira, escritora, professora de literatura e ativista brasileira. 

  • 25/5 -Tema: A militância feminina na década de 30 

Convidada: Iracélli Alves, professora e historiadora, especialista nos estudos sobre feminismos e política no Brasil. 

  • 26/5 – Tema: Feminismo e literatura contemporânea 

Convidada: Milena Britto, professora de literatura e cultura brasileira. 

 

Estreia no dia 11 de maio a adaptação da peça “A Morta” (1937), de Oswald de Andrade, com direção de Cacá Toledo, da Cia Aberta de Teatro. Toledo foi convidado para coordenar o projeto ‘Didática da Encenação’, da Oficina Cultural Oswald de Andrade, iniciativa composta por uma série de oficinas formativas para capacitar os atores e a equipe técnica e artística, tendo como produto final a peça que celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna.  

Em “A Morta“, Oswald de Andrade se insere inteiramente no movimento modernista e faz questão de questionar a si mesmo, levantando o conflito entre o tradicional e o moderno. A encenação leva em conta o atual sucateamento dos patrimônios públicos, o desmonte da cultura do atual governo e a especulação imobiliária do entorno. As apresentações seguem até 26 de maio, de quarta à sexta das 20h às 21h30, e aos sábados das 18h às 19h30. 

 

OFICINA CULTURAL JUAN SERRANO 

Na Zona Norte, a linguagem que move as atividades é a geração de renda. Na Oficina Prática de Assemblage: Conceito e Estética os participantes aprenderão sobre a prática e o conceito estético da técnica de assemblage, termo francês para montagem. Aplicada em um quadro de MDF e fazendo uso da colagem, os participantes serão orientados a incorporar todo e qualquer tipo de material, principalmente os recicláveis, em sua produção. A oficina é presencial e será ministrada pela arte-educadora Maria Bob. Os materiais serão oferecidos gratuitamente durante as aulas que ocorrerão às terças-feiras, a partir de 3 de maio, das 14h30 às 16h30. Inscrições até 1º de maio. 

 

Outra atividade em destaque é a Oficina de Arte do Stencil na Economia Criativa, que será realizada de 16 a 30 de maio, às segundas-feiras, das 14h30 às 16h30. Utilizando materiais como papelão ou chapas utilizadas para raio X, os participantes criarão a própria figura e, após um minucioso trabalho de corte, decalcarão a imagem com tintas coloridas em superfícies, como papel, tecidos, plásticos e paredes. Os materiais serão oferecidos gratuitamente. É possível se inscrever até 12 de maio. A oficina presencial será ministrada pelo artista Thiago Alves, ou Looca, como é conhecido.  

 

OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI 

Já na Zona Leste, a música terá destaque com a Oficina de Iniciação à Viola Caipira, ministrada de forma presencial por Renato de Sá, de 13 de maio a 24 de junho, das 14h às 17h. A oficina tem como objetivo trabalhar na formação básica do aspirante a instrumentista, abordando os fundamentos básicos da Viola Caipira e estabelecendo as primeiras diretrizes para a execução de repertório voltado à Música Caipira Raiz. Os interessados podem se inscrever até 10 de maio. 

 

A criançada também terá espaço nas atividades do mês com a Oficina de Teatro Infantil: Uma Viagem Modernista, que será realizada de 14 de maio a 25 de junho, sempre aos sábados, das 10h às 13h. Voltada para crianças de 7 a 12 anos, a oficina pretende estimular a expressão através da música, literatura, artes plásticas e do teatro, de forma a trazer para os pequenos os contextos da Semana de Arte Moderna de 1922. Inscrições até 10 de maio. 

 

Outro destaque é o Espetáculo Revoada, do Coletivo Corpo Aberto, que une o teatro e a dança para trazer corpos pássaros que se deslocam e realizam aprendizados de voo através de uma menina brincando com passarinhas no quintal, planejando o dia que conseguirá revoar com elas. A apresentação será no sábado, 17 de maio, das 10h às 11h, na Oficina Cultural. 

 

Para entrada nos prédios das Oficinas Culturais é obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação contra Covid-19, com no mínimo duas doses ou dose única, de acordo com o decreto nº 60.989, da PMSP. Em razão do avanço da pandemia, algumas atividades podem ser alteradas ou canceladas. Antes de ir, entre em contato com a unidade. As unidades recomendam o uso da máscara de proteção nos ambientes internos.  

 

A programação completa pode ser acessada no site das Oficinas Culturais. 

 

SERVIÇO: 

Oficina Cultural Oswald de Andrade 

 

OFICINA: SURDOS EM CENA 

Coordenação: Thais Pimpão e Fábio De Sá 

De 05 a 26/05 | Quintas-feiras – das 10h30 às 13h 

Inscrições: até 1/5 | Aqui. 

Vagas: 20 

Atividade on-line: Plataforma Zoom 

Maiores de 16 anos 

 

ESPETÁCULO “A MORTA” 

Coordenação: Cia Aberta de Teatro 

De 11 a 28/05, sendo:  

De quarta à sexta das 20h às 21h30 | Sábados das 18h às 19h30 

Presencial na OC Oswald de Andrade. O espetáculo ocupa de forma itinerante os espaços internos e externos da Oficina.  

Lotação: 40 

Retirar ingressos com 1 hora de antecedência. 

 

FICHA TÉCNICA: 

A Morta, de Oswald de Andrade 

Criação, dramaturgia e encenação: Cia Aberta de Teatro 

Direção: Cacá Toledo 

Elenco: Amadeu Carvalho, Alanis Mahara, Arys Cavalcante, Bianka Barbalho, Bia Torres, Francesco Chiocolla, Garcia, Laura Ludwig, Lae Araújo, Lucas Frizo, Luma Belfort, Marco Arcúrio, Marta Braga, Marina Rodrigues, Marina Atra, Maria Marangoni, Maurício Soares Filho, Noedir Ferrara, Patricia Nardo, Rafaela Bortoletto, Raul Vicente, Roberto Herreira, Rosseline Juarez, Vitória Mancini. 

 

CICLO DE CONVERSAS “MULHERES & CULTURA: PERSPECTIVAS INTERDISCIPLINARES” 

De 12 a 26/05 | Quartas e quintas – das 19h30 às 21h30 

Inscrições até 07 de maio | Aqui. 

Vagas: Aberta ao público 

Atividade online: Canal Youtube das Oficinas Culturais 

 

Oficina Cultural Oswald de Andrade 

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo 

Telefone: (11) 3222-2662 | Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira das 10h às 21h00, aos sábados das 11h às 18h.  

No site Oficinas Culturais, o público encontra informações sobre as medidas sanitárias para combater a proliferação de Covid-19;  

Acessibilidade: rampa de acesso para cadeirantes. 

Programação gratuita. Para conferir a programação completa acesse o site do programa Oficinas Culturais. 

 

—- 

OFICINA CULTURAL MAESTRO JUAN SERRANO 

OFICINA PRÁTICA DE ASSEMBLAGE – CONCEITO E ESTÉTICA: OFICINAS DE OFÍCIO COMO GERAÇÃO DE RENDA 

Coordenação: Maria Bob. 

De 3 a 17/5 | Terças-feiras das 14h30 às 16h30 

Descrição do Público: Terceira idade e demais interessados (maiores de 18 anos) em empreendedorismo e um novo ofício na área artística 

Inscrições: Até 01/05 | Aqui. 

Vagas: 12 

Atividade presencial na OC Maestro Juan Serrano 

OBS. Os participantes receberão da Oficina Cultural Juan Serrano todos os materiais gratuitamente. 

 

A ARTE DO STENCIL NA ECONOMIA CRIATIVA: OFICINAS DE OFÍCIO COMO GERAÇÃO DE RENDA 

Coordenação: Looca. 

De 16 a 30/5 | Segundas-feiras das 14h30 às 16h30 

Descrição do Público: Terceira idade e demais interessados em empreendedorismo e um novo ofício na área artística. 

Vagas: 12 | Aqui. 

Atividade presencial na OC Maestro Juan Serrano 

OBS: Os participantes receberão da Oficina Cultural Juan Serrano todos os materiais gratuitamente. 

 

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano 

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo  

Telefone: (11) 3994-3362 | Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.  

Para visitar a Oficina, agende antecipadamente pelo WhatsApp (11) 3971-3640. 

No site Oficinas Culturais, o público encontra informações sobre as medidas sanitárias para combater a proliferação de Covid-19;  

Acessibilidade: rampa de acesso para cadeirantes e barras de segurança no sanitário 

Programação gratuita. Para conferir a programação completa acesse o site do programa Oficinas Culturais. 

 

 

OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI 

 

OFICINA: INICIAÇÃO À VIOLA CAIPIRA 

Coordenação: Renato de Sá 

De 13/05 a 24/06 – Sextas-feiras das 14h às 17h 

Inscrições até 10/5 | Aqui. 

Vagas: 12  

Presencial | OC Alfredo Volpi  

 

OFICINA DE TEATRO INFANTIL: “UMA VIAGEM MODERNISTA”
Coordenação: Alexandre Meirelles.
14/5 a 25/6 – Sábado(s) das 10h às 13h
Faixa Etária: de 7 a 12 anos
Inscrições: até 10/5 | Aqui.
Vagas: 12
Presencial | OC Alfredo Volpi  

 

ESPETÁCULO REVOADA 

Coordenação: Coletivo Corpo Aberto 

17/5 – Terça-feira das 10h às 11h 

Pré-requisitos: Aberta ao público 

Vagas: 20 

Presencial | OC Alfredo Volpi 

 

Oficina Cultural Alfredo Volpi  

Rua Américo Salvador Novelli, 416 Itaquera São Paulo 

Telefone: (11) 2205-5180 | Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, das 11h às 17h.  

Detalhes sobre os protocolos para visitas podem ser conferidos no site. 

Acessibilidade: Elevador, banheiro acessível para cadeirantes e rampa de acesso na entrada.
Programação gratuita. Para conferir a programação completa acesse o site do programa Oficinas Culturais. 

 

Definidos os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado divulgou nesta terça-feira, 1/12, os 20 finalistas da 13ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura. Serão contemplados um autor pela categoria “Melhor Romance de Ficção do Ano de 2019” e um pela de “Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2019”. Cada ganhador receberá  R$ 200 mil.

Após a seleção realizada pelo juri de especialistas, ficaram na disputa autores de nove estados brasileiros – São Paulo (7), Rio de Janeiro (4), Rio Grande do Sul (2), Amazonas (1), Bahia (1), Ceará (1), Espírito Santo (1), Mato Grosso (1) e Santa Catarina (1)- e uma finalista do Uruguai. No total, a edição deste ano recebeu  a inscrição de 200 livros.

Veja a lista de finalistas:

Melhor Romance de Ficção de 2019
Adriana Lisboa, Todos os santos (Schwarcz)
Claudia Lage, O corpo interminável (Record)
Javier Contreras, Crocodilo (Schwarcz)
João Anzanello Carrascoza, Elegia do irmão (Schwarcz)
Joca Reiners Terron, A morte e o meteoro (Todavia)
Julián Fuks, A ocupação (Schwarcz)
Maria Valéria Rezende, Carta à rainha louca (Schwarcz)
Milton Hatoum, Pontos de fuga (Schwarcz)
Patrícia Melo, Mulheres empilhadas (Casa dos Mundos)
Paulo Scott, Marrom e amarelo (Schwarcz)
(mais…)

Desenvolvimento é o tema de nova exposição multimídia no Museu Catavento

A evolução na construção, mobilidade, agricultura, energia e mineração é ilustrada com ferramentas digitais interativas em “INTEGRA: a cultura de um povo, o desenvolvimento de um país” (mais…)

Design aerodinâmico na nova expo do MCB!

A exposição “Design aerodinâmico – Metáfora do futuro” chegou ao Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, apresentando mais de 250 objetos significativos do estilo streamline, também conhecido como streamform ou streamlining. Os objetos pertencem às coleções de Giacomo Favretto, Renato Oliva, Gilberto Moscovich e da família Bosworth, e foram selecionados pelas curadoras Adélia Borges e Patrícia Fonseca.

Entre os mais de 50 designers com obras na exposição estão Raymond Loewy, Norman Bel Geddes, Walter DorwinTeague, Henry Dreyfuss, Isamu Noguchi, Gio Ponti, Buckminster Fuller e John Vassos. Em meio as empresas representadas teremos Black & Decker, Eastman Kodak, Electrolux, Gaggia, General Electric, Gillette, Osterizer, Philips, Polaroid, RCA Victor, Sears, Steam-O-Matic e Westinghouse. Dentre os objetos selecionados, alguns fazem parte também dos acervos de importantes museus tais como o Cooper Hewitt Design Museum (Nova York), Centre George Pompidou (Paris), Montréal Museum of Fine Arts e Victoria & Albert Museum (Londres).

“Trata-se de uma rara oportunidade para o público brasileiro conhecer ao vivo peças que estão nos compêndios de história do design”, comenta Adélia Borges, uma das curadoras. “O streamline se firmou como um dos estilos mais populares do século 20 e também marca a implantação da profissão do designer industrial nos Estados Unidos”, complementa a também curadora da exposição, Patrícia Fonseca.

Os objetos expostos englobam vários segmentos, de meios de transporte a utensílios domésticos, incluindo artefatos de uso pessoal, ferramentas de trabalho, equipamentos audiovisuais, brinquedos e folhetos, entre muitas outras tipologias. A exposição ocupará cinco salas do Museu da Casa Brasileira, divididas por temas. Uma delas trará o impacto do estilo no Brasil, com produtos da Arno, Consul e Real, entre outras empresas, além de incluir trabalhos do californiano Charles Bosworth, que se estabeleceu em São Paulo em 1947 para implantar a sede do escritório de Raymond Loewy e viveu aqui até falecer, em 1999.

Contexto histórico

Streamline surgiu nos Estados Unidos como uma resposta à crise econômica de 1929. Em 1933, em função da regulamentação dos preços dos bens de consumo, os industriais incorporaram designers nas linhas de produção das fábricas e isso fez com que os produtos tivessem um novo diferencial no mercado de consumo.  Pesquisas feitas desde o final do século 19, abrangendo a aplicação de princípios aerodinâmicos em veículos como os trens e aeronaves, passaram a se estender praticamente a todos os segmentos de produtos. Independente do uso a que se destinavam, os objetos ganharam formas arredondadas que remetem a velocidade e modernidade, representando a promessa de um mundo melhor, um futuro promissor em contraposição à devastadora crise, da qual o país começava a se recuperar.

Visite o MCB

Dia da Voz: conheça iniciativas da #CulturaSP relacionadas ao canto!

A voz é um importante recurso de comunicação. Mas além dessa finalidade, o som produzido pelas cordas vocais também é amplamente utilizado por artistas tanto no canto quanto no teatro.

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo possui programas, projetos e atividades gratuitos cujo objetivo é fazer a preparação vocal para desenvolver essa habilidade nas pessoas.

“O acompanhamento vocal com bons profissionais é muito importante para qualquer pessoa que faça um uso mais constante da sua voz. As cordas vocais são delicadas e o abuso vocal pode causar danos mais difíceis de tratar. Por isso a importância de alguns pontos básicos e simples, mas que nos trazem grandes benefícios.”
MESSAGE-ICON
Marilia Vargas
Professora de canto barroco na EMESP

Marilia Vargas é professora na Escola de Música do Estado de São Paulo nas modalidades lírico e barroco – este último, um dos únicos no Brasil. “Nosso trabalho foca no repertório do século XVII e primeira metade do século XVIII, período da história da música em que nasceu a ópera e os primeiros estudos de técnica vocal. Além do estudo técnico, trabalhamos muito na estética e conhecimento teórico, imprescindíveis para a boa interpretação desta música, que cada vez mais ganha espaço nos maiores teatros do mundo”, comenta. São alunos dela os componentes do Coral Jovem do Estado que, além dos ensaios, têm aulas de técnica vocal individualmente e em grupo. Acompanhar os colegas é importante para perceber as diferenças que a técnica vai trazendo, comentando, discutindo e entendendo.

Na OSESP, a avaliação vocal é feita no momento das audições. “Na seleção dos cantores para o Coro busca-se beleza de timbre, capacidade de cantar em toda a extensão do naipe e a capacidade de execução das dinâmicas exigidas na música. Tratando-se de um coro de alta performance o conhecimento musical deve ser checado com muito rigor”, explica Marcos Thadeu, Maestro dos Coros Juvenil e Acadêmico da Orquestra.

Além de um bom acompanhamento técnico, a correta preparação para cantar é essencial. “Me preparo da mesma forma que um atleta. Comer corretamente, muito exercício físico, trabalhos corporais com intuito de ampliar a auto consciência, muitas horas de técnica e estudo profundo das peças a serem cantadas. Isso feito, o palco deve ser a extensão desse trabalho diário e não um momento especial e exclusivo para a performance”, afirma Natalia Aurea, soprano do Coro da OSESP.

Desde 2015, o Projeto Guri também comemora o Dia Mundial da Voz para a promoção dos cuidados com as cordas vocais no dia a dia. Para isso, os polos organizam atividades com profissionais da voz (fonoaudiólogo, radialista, cantor ou educador), que falam sobre o tema. “Em minhas visitas de monitoramento, observava os alunos nos intervalos entre as aulas cantando muito forte, cantando com postura corporal inadequada, fazendo competição sonora e infelizmente não dando importância ao que lhes era dito pelos educadores”, explica Etiene Consolaro, Supervisora Educacional, sobre o período anterior ao Dia Mundial da Voz. “Foi uma maneira que encontramos de estimular, valorizar, divulgar e manter alunos do curso de Canto Coral da Regional Araçatuba. Hoje, vejo melhoras significativas”, complementa.

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais de Arte (1998, p.79), “a maioria dos jovens brasileiros não toca um instrumento musical, mas gostaria de fazê-lo, diz que não tem voz, mas gostaria muito de saber cantar direito”. Pensando nisso, o Conservatório de Tatuí realizará o curso “Introdução ao canto coral nas Escolas”. As inscrições ficam abertas entre os dias 16 e 20/4 (mais informações aqui). O objetivo é orientar e preparar professores, pais e voluntários que desejam montar um coral infantil em unidades de ensino. Serão abordados temas como: o que é um coro; qual a formação adequada; que repertório utilizar com os alunos; como organizar e conduzir os ensaios; como preparar e coordenar uma apresentação.

Quem canta, seus males espanta! Para além do estudo e da profissão, o canto representa um estilo de vida para muitas pessoas. “O canto é algo que me leva além, me completa e me aproxima da felicidade”, afirma Rafael Oliveira, tenor do Coro Acadêmico da OSESP.

“O canto é a possibilidade constante de desenvolver a alma, o ser, o espírito, a mente. É o instrumento cujo invólucro sagrado é o corpo, e o som é sempre mediado pelo coração.”
MESSAGE-ICON
Natalia Aurea
Soprano do Coro da OSESP

DICAS

É necessário reaprender a respirar bem, de forma mais baixa, expandindo o abdômen, para total aproveitamento do ar. “Digo reaprender, pois quando somos crianças pequenas, respiramos exatamente assim e vamos perdendo isso com o surgimento do stress e pouca consciência corporal”, explica Marilia Vargas.

É preciso entender os sinais de stress vocal dados pelo corpo. “Pode ser uma tosse ou mesmo um grito, para perceber o “apoio” que involuntariamente já sabemos fazer. E a partir daí, precisamos treinar esta consciência e capacitar-nos para o bom
uso do corpo durante o exercício da voz”, comenta.

É essencial descobrir as boas ressonâncias e harmônicos da nossa voz, para exaltar suas qualidades e volume.
“Tudo isso, um bom profissional da voz poderá ajudar a encontrar. Seja para quem usa a voz cantando a música popular ou a erudita, ou para quem usa a voz falada.
Temos também que nos lembrar que o corpo todo é nosso instrumento, e por isso cuidados de bem estar e consciência corporal, também nos ajudam diretamente no trato vocal”, finaliza a professora da EMESP.

Saiba mais

EMESP – Escola de Música de São Paulo

Largo General Osório, 147, Santa Ifigênia, São Paulo – SP | Tel: +55 11 3585-9888

www.emesp.org.br

Fundação OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, Santa Ifigênia, São Paulo – SP | Tel: +55 11 3367 9500

www.osesp.art.br

Conservatório de Tatuí

Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí – SP | Tel: +55 15 3205 8444

www.conservatoriodetatui.org.br

Projeto Guri

Polos da capital e região metropolitana – clique aqui

Polos do interior e litoral – clique aqui

Dia do Índio: Fábricas de Cultura realizam atividades de valorização da cultura indígena

Apresentação e conversa com a tribo Tekoa Itakupe, contação de história e bate-papo sobre obra do escritor Daniel Munduruku integram programação gratuita

No dia 19 de abril é celebrado o Dia do Índio. Para refletir sobre a cultura dos primeiros habitantes do Brasil, as Fábricas de Cultura Capão Redondo, Jardim São Luis e Vila Nova Cachoeirinha, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis, realizam atividades gratuitas para crianças e adolescentes.

Programação

Reprodução: perfil no Facebook da tribo Tekoa Itakupe

A tribo Tekoa Itakupe oferece uma tarde com o público que tem como programação o coral Guarani, apresentação da dança Xondaro e um bate-papo sobre os costumes da tribo e como eles vivem atualmente. Tekoa Itakupe, que significa “atrás da pedra”, é uma das aldeias da Terra Indígena Jaraguá. Com 76 hectares, a aldeia possui sua Opy (Casa de Reza), cozinha comunitária, resquícios históricos, horta comunitária, lago e nascentes do Ribeirão Manguinho. A atividade acontece na Fábrica Vila Nova Cachoeirinha no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00.

Em Pintura indígena, os participantes realizam pinturas baseadas nos grafismos indígenas, após um bate-papo sobre costumes, crenças, arte e cultura de diversos povos indígenas do Brasil. Um mural será montado com todos os desenhos feitos na atividade. O encontro acontece no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00, na Fábrica Capão Redondo.


Reunindo histórias disponíveis no acervo, a Contação de histórias: Dia do Índio, que acontece na Fábrica Jardim São Luís no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00, dá aos participantes a oportunidade de conhecer a história dos indígenas no Brasil. Dentre os livros utilizados no encontro estão Coisas de Onça, Daniel Munduruku; A queda do céu, Davi Kopenawa e Bruce Albert; Os índios Potiguara: memória, asilo e poder, José Manuel Simões, entre outros.

No projeto A história do autor, a biblioteca da Fábrica Vila Nova Cachoeirinha apresenta a trajetória de diversos autores, bem como suas obras, contando um pouco de sua trajetória. Na edição de abril, que acontece dia 6, sexta-feira, às 15h00, os participantes conhecem o trabalho do escritor paraense Daniel Munduruku. Formado em Filosofia, com licenciatura em História e Psicologia, seu livro Meu avô Apolinário foi escolhido pela Unesco para receber Menção honrosa no Prêmio Literatura para crianças e Jovens na questão da tolerância.

O escritor pertence a um dos 307 povos indígenas do país, o povo Munduruku, mas não gosta do termo índio, tampouco se considera indígena.

“A gente não quer ser tratado por esse apelido horroroso que colocaram na gente, e sim pelos nossos nomes. Eu ser Munduruku é diferente de ser índio. Índio é uma invenção, folclore puro, mas ser Munduruku é ter toda uma série de saberes que me dá identidade”

Daniel Munduruku  explica em entrevista para o jornal A Tarde, realizada em 2014.

Dia Mundial do Livro nas Fábricas de Cultura

O Dia Mundial do Livro é comemorado em 23 de abril desde 1995. Originalmente a data surgiu na Catalunha, região da Espanha, mas só com a morte do escritor inglês William Shakespeare a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) oficializou a comemoração. As Fábricas de Cultura das zonas norte e sul, organizaram uma série de atividades gratuitas para celebrar a data.

A programação terá início no dia 12 de abril, quinta-feira, às 15h00, com a Oficina de Reparos na Fábrica de Cultura Jardim São Luís. A proposta é conscientizar, de maneira lúdica, os participantes a conhecerem de forma teórica e prática as condições, os cuidados e os reparos com os materiais disponíveis nas bibliotecas. A atividade é livre e serão oferecidas 20 vagas.

Fábio Lisboa conta a história de seu livro O mistério amarelo da noite, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, também no dia 12 de abril às 15h00. A obra narra a aventura de um menino que está voltando sozinho para casa e, de repente, a iluminação desaparece. Correria e perseguição o levam até o Beco Escuro, onde o autor instigará seus ouvintes a usarem a imaginação e vencerem seus medos. Serão oferecidas 50 vagas para crianças de 6 a 11 anos. Essa contação de história acontecerá em todas as Fábricas em datas diversas.

Na Fábrica de Cultura Brasilândia, a equipe da biblioteca realizará a intervenção Dia do Livro, utilizando a literatura como ferramenta. No dia 18 de abril, quarta-feira, a partir das 13h, histórias serão contadas e poemas serão declamados por quem quiser participar. A atividade será livre e serão oferecidas 20 vagas.

Ainda na zona norte, a Fábrica de Cultura Jaçanã convida as crianças de 8 a 10 anos para construírem seus próprios diários no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00. Na oficina Construa este Diário, a equipe da biblioteca apresentará para a criançada uma série de “Diários” do acervo – como Diário de um Banana, Diário de uma Garota Nada Popular e Diário de um Zumbi do Minecraft –, para que eles montem seus diários pessoais, com histórias livres e criativas.

E fechando as comemorações, a Fábrica de Cultura Capão Redondo realizará a atividade Escrita Viva, no dia 26 de abril, quinta-feira, às 15h00. O jogo consiste em usar vários espaços da Fábrica para brincar, utilizando a leitura e a escrita como recursos; a ideia é construir o mundo em palavras e as palavras em mundo. A atividade será livre e serão oferecidas 15 vagas.

Dicas culturais do Secretário Sérgio Sá Leitão para o final de semana

Ouça o Boletim cultural 

Sugestão 1: Sábado é dia de conferir toda sonoridade da cantora, atriz e bailarina baiana Mariene de Castro. Notória por exaltar a cultura afro-brasileira, a artista começou sua carreira ainda criança, aos 5 anos, quando já se apresentava em espetáculos de dança no Teatro Castro Alves, em Salvador (BA). Ao fazer uma turnê pela França, Mariene chegou a se comparada com Edith Piaf, pela força de sua interpretação e a singularidade de seu timbre de voz. O espetáculo integra o Festival Cultura Em Casa.

Data: 22.5
Horário: 21h30
Link: culturaemcasa.com.br

Sugestão 2: A dica de teatro deste fim de semana é a peça “Hamlet Cancelado”, com Vinícius Piedade, que assina a direção do espetáculo com Fábio Vidal.  No monólogo, um ator vive a decepção de ter a peça na qual atuaria como coadjuvante – a tragédia Hamlet (1601) de Shakespeare –, cancelada minutos antes da estreia.  Inconformado, ele encena o grande clássico a partir de trechos que decorou e de recursos cênicos abandonados na coxia. Muita análise política e cenas culturais contemporâneas estão presentes no ótimo espetáculo.

Data: 23/5
Horário: 21h30
Link: culturaemcasa.com.br

Sugestão 3: Na Mostra Babenco do Museu da Imagem e do Som você poderá assistir ao filme ‘Carandiru’, de 2003. A produção conta a história de um médico que se oferece para realizar um trabalho de prevenção à AIDS no maior presídio da América Latina. Histórias de crime, vingança, amor e amizade, baseadas no livro homônimo do médico Dráuzio Varella, que também participa da produção ao lado de atores como Rodrigo Santoro, Milton Gonçalves, Caio Blat, Maria Luísa Mendonça e Wagner Moura. Logo depois da exibição, haverá um bate-papo com a participação de Dráuzio Varella e de Keila Pereira, cineclubista da SPCine. A mediação é feita pela roteirista e diretora Giuliana Monteiro. Carandiru fica disponível até amanhã, 22/05, com inscrição obrigatória pelo site do MIS.

Data: 22/5
Horário: 18h (bate-papo)
Link: mis-sp.org.br

Divulgada lista definitiva da edição de 2020

A lista definitiva de autores e obras inscritas na edição de 2020 do Prêmio São Paulo Literatura foi divulgada no Diário Oficial de sábado, 14 de novembro.  A relação confirma  a participação de escritores de diferentes estados brasileiros e nomes da Espanha, de Portugal e da Suíça.  De acordo com o regulamento do prêmio, o júri irá selecionar 10 finalistas para a categoria “Melhor Romance de Ficção do Ano de 2019” e outros 10 para“Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2019”. O vencedor de cada uma receberá o prêmio de R$ 200 mil. Os finalistas serão anunciados até a primeira quinzena de dezembro.

Grandes nomes e novos talentos

Criado em 2008, o Prêmio São Paulo de Literatura tem como objetivo estimular a produção literária de qualidade, valorizar o setor e favorecer a formação de leitores e escritores, reconhecendo grandes nomes e também novos talentos.  As obras cadastradas precisam ser do gênero romance de ficção, escritas originalmente em português e ter sua primeira edição e impressão no Brasil em 2019, além de possuir formato impresso da primeira edição com ISBN emitido em 2019.

Na categoria “Melhor Livro do Ano”, autores que já publicaram romances anteriormente também podem participar. Na categoria “Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2019”, as obras podem ser de outros gêneros, desde que o livro inscrito seja o primeiro romance de ficção do autor.

Veja a lista definitiva de inscrições:

Leia Mais

Domingo é dia de PinaFamília na Pinacoteca!

No segundo domingo de novembro, da 11 de novembro, a partir das 11h, a Pinacoteca de São Paulo promove mais uma edição do PinaFamília.

No PinaFamília as pessoas são conduzidas a uma viagem divertida pelo acervo da Pinacoteca. O objetivo principal do projeto é o desenvolvimento de processos educativos direcionados aos grupos familiares, estimulando a convivência deste público no museu. Em 2018, os temas norteadores são os elementos da imagem – escala, textura e tom – encontrados nas obras do acervo da Pinacoteca, especificamente nas exposições Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo, Galeria José e Paulina Nemirovsky – Arte Moderna” e Vanguarda brasileira dos anos 1960.

Durante o evento os visitantes têm acesso à Ilha de atividades, com jogos e propostas lúdicas, além de receber um guia de visita, material impresso para estimular a visita autônoma das famílias às exposições do acervo do museu. Quem quiser, pode ainda levar para casa o jogo PinaFamília, desenvolvido pelo NAE, que visa estimular a interação entre diversas faixas etárias, desenvolver a percepção, observação e argumentação lógica. Nele, os participantes associam textos e imagens, a partir das obras expostas, além de criar suas próprias imagens.

Outra atração é o espetáculo PinaCanção – uma história cantada entre pinturas, criado por Hélio Ziskind, diretor musical do programa Cocoricó, exibido na TV Cultura. Na narrativa, dois personagens se encontram na Pinacoteca e, em meio às canções, descobrem juntos tons, texturas e escalas do mundo da pintura. A apresentação, que reúne música, teatro e artes visuais, tem 40 minutos e ocorre às 15h00, no pátio da Pina Luz.

Visite

Economia criativa: cultura que transforma vidas

João Doria
Governador do Estado de São Paulo

A gestão inovadora que começamos a implantar no governo de São Paulo reconhece e valoriza uma das maiores forças econômicas do novo século: o poder da economia criativa.

Em números, estamos falando de um conjunto de atividades que envolve 100 mil empresas e instituições paulistas, gera 330 mil empregos diretos e representa 4% do PIB (Produto Interno Bruto) do estado. Metade dessa força econômica está no interior e no litoral, a outra metade, na capital, distribuindo equilibradamente o desenvolvimento da economia criativa em São Paulo.

Estudo de uma grande consultoria prevê taxas anuais de crescimento superiores a 5% nos próximos quatro anos — em alguns setores específicos, como games e “e-sports”, essa taxa pode ser três vezes mais elevada, quase 15% ao ano até 2022.

Por definição, a economia criativa está presente em dois grandes núcleos de atividades baseadas na criatividade e na imaginação. O mais conhecido é o cultural e artístico, no qual se inserem o cinema, a literatura, a música, as artes visuais e o teatro. E outro, igualmente transformador, integrado por design, moda, arquitetura, publicidade, games e gastronomia, entre outros, em que a criatividade gera produtos, serviços e agrega valor.

Para estimular essas áreas e seus profissionais, contribuindo para gerar emprego, renda e desenvolvimento, transformamos a Secretaria de Cultura do Estado em Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Estamos agora lançando dois programas: o Forma SP e o Programa de Ação Cultural, o ProAC Expresso.

O Forma SP, um programa de formação e capacitação, vai abrir as portas da economia criativa para dezenas de milhares de jovens num estado em que a recessão dos anos do PT deixou metade dos jovens sem ocupação fixa.

O ProAC Expresso terá mais recursos e menos burocracia. Vamos facilitar o acesso ao incentivo fiscal via ICMS e ampliar o fomento direto, abrangendo o conjunto do estado.

Dessa forma, vamos dinamizar esse setor e dar condições para que haja mais crescimento e uma maior oferta de serviços, que são fundamentais neste momento.

Ao mesmo tempo, vamos elevar o rigor no acompanhamento e cobrar grau de excelência no resultado. Não haverá projetos fantasmas ou superfaturados nem privilégios para projetos alinhados com ideologias.

Queremos valorizar a vocação de São Paulo para as atividades culturais e criativas. Elas estão no DNA de todas as regiões do estado. E são fundamentais para impulsionar o turismo, a tecnologia e as telecomunicações, entre outros setores.

Aos artistas e trabalhadores da economia criativa devemos o fato de a cidade de São Paulo ser o maior centro gastronômico do Brasil e o sexto maior do mundo, o maior polo de moda do continente, e ter os maiores museus e os melhores espetáculos. São ativos que atraem, a cada ano, mais de 15 milhões de turistas, nacionais e estrangeiros.

A força transformadora da economia criativa foi o que transformou um investimento de apenas R$ 3,5 milhões, a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), num evento que gera mais de 1.300 empregos diretos e indiretos e arrecada, em impostos, 40% a mais que o investimento, além de gerar um impacto econômico de quase R$ 50 milhões.

A economia criativa tem muitos outros benefícios, além de gerar empregos, renda e arrecadação. Ela qualifica as pessoas, melhora a imagem e a autoestima. E, além de tudo, gera encanto e felicidade — um conjunto de elementos fundamentais para sermos uma sociedade melhor e mais justa. Aqui, a política cultural não é gasto, é investimento. Com alto potencial de retorno econômico e institucional.

(Artigo publicado no jornal Folha de São Paulo em 18 de março de 2019)

Edital – Museu da Língua Portuguesa

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado lança edital de licitação para a contratação da organização social que fará a gestão do Museu da Língua Portuguesa. As instituições qualificadas como Organização Social de Cultura que possuírem interesse devem manifestar suas propostas até o dia 29 de janeiro.

Convocação Pública – Museu da Língua Portuguesa

Educativo MCB promove oficina virtual de desenho ‘Qual é a farmácia da sua casa?’

A atividade acontece no dia 26 de março, às 10h, pela plataforma Zoom

 

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realiza a oficina virtual ‘Qual é a farmácia da sua casa?’. A atividade acontece no sábado, dia 26 de março, das 10h às 12h, pela plataforma Zoom. Os interessados podem se inscrever pelo site.

A oficina, que acontece no âmbito da mostra ‘Design e Indústria – A história da tradicional botica Granado, tem como interesse mapear, trocar e ouvir sobre práticas medicinais de cuidados vindas do âmbito doméstico. Em um período anterior ao nosso e, ainda hoje, em meio a muitas comunidades neste país, a medicina e a farmácia não restringia ao âmbito comercial/mercantil moldado por grandes redes distribuidoras de uma medicina alopática, eram antes parte de uma economia local, baseada na solidariedade, na transmissão de saberes e no limite, uma construção de uma ciência baseada na investigação da natureza, das matas e florestas.

Os avanços que a medicina e a farmacologia modernas propiciaram no sentido de lidar e até mesmo erradicar uma série de enfermidades por muito tempo consideradas problemas insolúveis sem sombra de dúvidas são motivos de celebração, no entanto, o mesmo quadro de desenvolvimento ocasionou o apagamento de importantes tecnologias medicinais descobertas e desenvolvidas dentro do contexto das culturas nativas, africanas e mesmo europeias.

Não há restrição de idade para participar da oficina, mas as crianças devem estar acompanhadas de uma pessoa adulta capaz de mediar os conteúdos levantados no encontro.

SERVIÇO:

Oficina virtual de desenho: Qual é a farmácia da sua casa?

Dia 26 de março, sábado, das 10h às 12h

Inscrições: mcb.org.br

Atividade para todas as idades.

Participação gratuita.

Em dezembro, Garfield invade o MIS

No sábado, dia 1º de dezembro, o MIS preparou uma programação especial para toda a família: o Dia do Garfield, em comemoração aos 40 anos do icônico gato criado por Jim Davis. A atividade acontece dentro da programação paralela da megaexposição Quadrinhos, que traz um panorama da história das HQs no Brasil e no mundo.

O Dia do Garfield tem início às 15h, com bate-papo com dois quadrinistas, Carlos Ruas e Fábio Coala, e também Alexandre Boide, tradutor das cinco coletâneas mais recentes de Garfield lançadas pela coleção L&PM Pocket. A conversa será mediada por Yule Liberati, educadora do MIS. Após o bate-papo, haverá sorteio de exemplares dos livros do personagem editados pela L&PM Pocket.

Já às 16h, o público poderá ver (ou rever) Garfield – O Filme, longa de 2004 dirigido por Peter Hewitt. Na trama, Garfield é um gato preguiçoso que adora lasanha e tem a vida que sempre quis: come, dorme e vê televisão sempre que quer. Até que seu dono, Jon Arbuckle (Breckin Meyer), decide adotar um cachorro, Odie. Contrariado com o novo hóspede, que agora divide com ele a atenção de seu dono, Garfield inicia uma disputa particular com Odie. Porém, quando Odie é sequestrado, Garfield sente remorsos e parte para salvar o cachorro.

Para completar o passeio, o personagem estará durante a tarde no MIS para tirar fotos com os visitantes.

A entrada é gratuita – basta retirar o ingresso, que vale para as duas atividades, com 1h de antecedência na recepção.

Os visitantes podem aproveitar para conferir, na exposição Quadrinhos (entrada: R$ 14 inteira e R$ 7 meia) desenhos e tirinhas originais de Garfield, na seção América do Norte.

onde fica?


EMESP Tom Jobim abre inscrições para o Processo Seletivo 2023

As inscrições para os cursos gratuitos de formação e especialização musical da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim estão abertas até o dia 22 de novembro, são mais de 300 vagas

 

A Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, abre inscrições para ingresso de estudantes nos cursos de formação e de especialização musical. Os cursos são todos gratuitos e os interessados podem se inscrever até às 23h59 do dia 22 de novembro.

O processo seletivo é destinado a estudantes que buscam aprendizado focado na prática de canto e instrumentos variados como piano, violino, violão, guitarra, harpa, flauta, contrabaixo, saxofone, trompete, bateria, acordeão, entre outros. Os cursos de formação são divididos em três ciclos, tendo cada um os seguintes limites de idade: até 13 anos para o 1º ciclo; até 16 anos para o 2º ciclo; e até 21 anos para o 3º ciclo. Já os cursos de especialização correspondem ao 4º ciclo, nesta modalidade são oferecidos cursos de especialização em música instrumental, música antiga, composição e regência coral e não há limite de idade para o ingresso. Neste processo seletivo também estão abertas as inscrições para ingresso de bolsistas nos grupos artísticos: Banda Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Theatro São Pedro e Orquestra Jovem Tom Jobim com limite de idade até 25 anos e

Academia de Ópera do Theatro São Pedro e Coral Jovem do Estado destinados a jovens com idade até 28 anos.

As modalidades são independentes, assim como seus ciclos, não sendo necessário que o estudante tenha feito os ciclos anteriores para poder se inscrever. Ao candidato, basta ter os conhecimentos necessários exigidos no edital para concorrer.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site da EMESP Tom Jobim. O candidato encontra também no site o edital com todas as informações necessárias para inscrição, cronogramas e conteúdos programáticos. Para mais informações acesse:  https://emesp.org.br/1o-processo-seletivo-2023 

As aulas acontecem presencialmente e tem previsão de início em 13 de fevereiro, na sede da escola, localizada no bairro da Luz, em São Paulo.

Durante o processo seletivo, qualquer dúvida de interessados pode ser solucionada por meio das Perguntas Frequentes (FAQ) disponíveis na seção do edital, ou por meio do endereço eletrônico processo.alunos.emesp@emesp.org.br

Encontro do cinema com a psicanálise no MIS

A cada edição o Ciclo de Cinema e Psicanálise (programa realizado pelo MIS, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a Sociedade Brasileira de Psicanálise e a Folha de S.Paulo) traz debate on-line e ao vivo (com interpretação em Libras) sobre um filme, mediado por Luciana Saddi, coordenadora de Cinema e Psicanálise da Diretoria de Cultura e Comunidade da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP). Em seguida, o público pode participar com perguntas, integrando novas perspectivas sobre a obra discutida. Na temporada #MISemCASA, as edições são quinzenais, e o público pode assistir ao filme antecipadamente em plataformas de streaming.

A primeira edição deste mês, no dia 09 de março, terça, às 20h, debate o filme Crimes de família (dir. Sebastián Schindel, Argentina, 2020, 99 min, 14 anos, disponível na Netflix), trama que acompanha Alicia (Cecilia Roth), uma mãe que se encontra desesperada para fazer com que seu filho Daniel (Benjamín Amadeo), acusado de tentar matar a ex-mulher, não seja preso. O longa argentino aponta para a complexidade das relações familiares e intimidade do lar burguês, onde convivem ternura, rotinas, festas, afetos, sonhos e, também, mentira, loucura, ignorância, narcisismo, abusos e violências. O bate-papo conta com a participação especial do diretor e roteirista do filme Sebastián Schindel e da médica psiquiatra e psicanalista Marta Úrsula Lambrecht.

Luciana Saddi, que conduz o debate e é responsável pela escolha dos filmes, comenta o filme à luz da psicanálise, trazendo elementos que serão levantados durante o bate-papo ao vivo: “Em trama muito bem construída, Alicia (Cecilia Roth) procura evitar que o filho Daniel (Benjamín Amadeo) seja preso, acusado de tentar matar a ex-mulher. Este breve resumo pode sugerir que Crimes de família seja mais um filme hollywoodiano do gênero tribunal. No entanto, o filme é argentino e supera em muito tal expectativa, ainda que haja julgamentos em curso e que ocorra investigação sobre o desenvolvimento dos fatos.

A narrativa é articulada entre duas vias sobrepostas. De um lado, em flashbacks, cenas do passado e do presente constroem a trama e apresentam os personagens, sobretudo Alicia, burguesa, vaidosa, mãe amorosa e capaz de tudo para proteger o filho. De outro, o processo, os ritos, os acontecimentos e a lógica próprios do tribunal e dos julgamentos. Por essas vias, somos introduzidos aos poucos, como se recebêssemos doses homeopáticas de realidade, a respeito da complexidade das relações familiares e  intimidade do lar burguês. Segredos, acordos e desditos surgem.

Freud, a propósito do complexo de Édipo, afirmou que em Édipo Rei a carga dramática, trágica, comovia por remeter, inconscientemente, a desejos proibidos e anseios secretos dos homens. Matar o pai e desposar a mãe. Psicanalistas atestam ainda hoje a realidade de tais desejos e reconhecem a influência na formação da psique humana. A obra artística comove e perturba ao percorrer as sombras e os recantos mais remotos dos homens. O filme de Sebastián Schindel tem essa característica, além de inúmeras outras qualidades. Apresenta uma família pequeno burguesa convencional como muitas que conhecemos. Faz questão de demonstrar, desde as primeiras cenas, que amor e cuidado estão presentes. O filme também descortina as lutas intestinas no seio da família. Seria mais confortável acreditar que tais disputas de poder são características típicas das famílias monárquicas somente. Ou que acometem apenas famílias burguesas disfuncionais, que é como se costuma nomear de forma superficial abismos, tragédias, disputas, ausências, privações e conflitos domésticos. Explicitar a preponderância dos bens materiais na sociedade capitalista, que supera os vínculos amorosos, também faz sentido. Ainda que essas afirmações sejam verdadeiras (e são), a complexidade da família, bastião da tradição e moralidade – organização que sustenta nossa sociedade – parece nunca caber nas narrativas.

Crimes de família surpreende ao tecer rica trama, trabalhoso bordado, formada por fios tingidos por desejos inconfessos, cotidianos familiares, ternura, rotinas, festas, afetos simples e muitos sonhos. No avesso se assenta um emaranhado áspero constituído por perversão sexual, psicopatia, drogadição, mentira, loucura, ignorância, narcisismo, abusos e violências. Concluímos que nós e fios dispostos de maneira confusa, anárquica, sustentam o refinado desenho da família convencional e bem-comportada. A Justiça, por sua vez, no que tange às aplicações práticas, não se distancia tanto assim, como gostaríamos, do avesso emaranhado e sombrio que mantém intacto o desenho bordado e límpido da família.”

Sobre os debatedores

Marta Úrsula Lambrecht é médica psiquiatra,  psicanalista, membro efetivo e docente, analista didata e analista de crianças e adolescentes da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo.

Sebastian Schindel é diretor e roteirista do filme Crimes de família (2020). Estudou filosofia na Universidade de Buenos Aires e se especializou em tragédia grega. Estudou direção de fotografia na Escuela Nacional de Experimentación y Realización Cinematográfica. É sócio-fundador da produtora Magoya Filmes. Já dirigiu diversos documentários e séries para o Canal Encuentro. Em 2015, lançou seu primeiro longa de ficção, O patrão e, em 2019, O filho protegido. Os três filmes estão disponíveis na Netflix.

 

S e r v i ç o

 

Ciclo de Cinema e Psicanálise ao vivo | Crimes de família | #MISemCASA

09 de março, terça-feira, às 20h

No canal do MIS no YouTube

Espaço Café com Leite: brincadeiras e descobertas em janeiro no Museu do Café

Atividades para a criançada, de 3 a 28, animam as férias e promovem aprendizados (mais…)

Espaços culturais de São Paulo ganham Travellers’ Choice Awards 2020

16 instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo estão entre as mais bem avaliados pelo público na plataforma TripAdvisor

(mais…)

Espetáculo DANÇORÁCULO é a atração de dezembro do projeto Dança no MIS

Performance propõe uma viagem ‘poético-musical-dançante’ por meio de expressões artísticas da antiguidade (mais…)

Espetáculo narra a história da escritora Conceição Evaristo na Oficina Cultural Alfredo Volpi

O trabalho tem trilha sonora ao vivo, unindo literatura e música (mais…)

Estação Cultura abre as portas no Complexo Júlio Prestes

Sede da Secretaria da Cultura do Estado passa a receber programação cultural gratuita e aberta ao público; (mais…)

Estação Cultura recebe a exposição “Memória Paulistana”

O Estação Cultura, espaço expositivo da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo localizado na sede do órgão (Rua Mauá, 51 – Luz), inaugura no dia 3 de abril, terça-feira, às 19h30 horas, a exposição “Memória Paulistana”. A mostra traz 40 telas da artista plástica Cristiane Carbone e fica em cartaz até o dia 4 de maio. A entrada gratuita.

As pinturas, em óleo sobre tela, pretendem preservar a memória e a história da maior metrópole do país. “Sempre fui apaixonada pela arquitetura paulistana”, diz Cristiane. Apesar de sua primeira obra ter sido o Museu do Ipiranga, pintado em 1996, a Estação da Luz é, segundo a artista, um dos ícones do seu trabalho.


“A estação foi o monumento que mais me inspirou, porque quando criança, admirava sua beleza e arquitetura. Pintei ela pela primeira vez em 2001. Sinto grande necessidade de valorizar nosso patrimônio. Conhecer e reconhecer nossa história é encontrar a própria identidade.”
MESSAGE-ICON
Cristiane Carbone
Artista

Carbone desenvolve obras sobre o tema há quinze anos. Em 2004, apresentou exposição na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, em comemoração aos 450 anos da cidade de São Paulo. No início deste ano suas telas ficaram expostas no de Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, durante o Carnaval.

Durante o período da exposição, alunos de escolas estaduais da região farão visitas guiadas e participarão de roda de conversa com a artista, onde poderão ter contato com a história da cidade por meio das obras.

Estação Cultura recebe a mostra “Memória Paulistana”

Mostra com obras de Cristiane Carbone pretende valorizar a história da cidade de São Paulo e demonstrar as transformações ocorridas com o passar dos anos

(mais…)

Estação da Língua Portuguesa desembarca em Rio Claro

A “Estação da Língua Portuguesa”, itinerância do Museu da Língua Portuguesa, segue estrada pelo interior de São Paulo. Após atingir a marca de mais de 10 mil visitantes em Tatuí e Santos, a exposição que leva parte do acervo do Museu chega na Filarmônica Rio Clarense (Rua 5, 914 – Centro), em Rio Claro, no dia 18/5!


“A itinerância desta exposição permite que um público ainda maior viva a experiência do Museu da Língua Portuguesa e conheça um pouco mais do idioma português, um patrimônio riquíssimo e em constante transformação.”
MESSAGE-ICON
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Totem, com painéis que apresentam uma prévia do conteúdo da mostra, o segmento O que nos une e o espaço Mundo Lusófono foram especialmente pensados e produzidos para essa itinerância. A mostra também conta com acessibilidade: o Mapa do Mundo possui informações sobre os países que falam português em Braille; os Vídeos Culinária e Dança têm tradução em Libras; e a Linha do Tempo e os Falares Paulistas podem ser traduzidos em Libras com o auxílio de tablets.

“É por meio da interatividade e tecnologia, som e imagem, que a exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa transmite a infinidade e riqueza da língua”, declara o arquiteto e sócio da Arquiprom, Fernando Arouca. “Temos aqui um mapa de países que falam a língua portuguesa em braille, para pessoas com deficiência visual, e também um painel em LIBRAS para quem tem limitações auditivas”, explica Marina Sartori de Toledo, coordenadora da Estação da Língua Portuguesa. Erik Klug, diretor da ID-Brasil, organização responsável pelo Museu, complementa: “Essas experiências dentro do Museu da Língua Portuguesa, com vídeos, fotos, imagens, recursos táteis, o público vai poder ter aqui, na mostra itinerante”.

A exposição gratuita ficará em cartaz até 23 de maio, às segundas, quartas, sextas e sábados, das 8h00 às 17h00; e às terças e quintas-feiras, com horário estendido, das 8h00 às 21h00. Depois de passar por Rio Claro, a mostra “Estação da Língua Portuguesa” desembarcará no Sítio do Pica Pau Amarelo, em Taubaté. São Carlos, Bauru e Presidente Prudente também estão no roteiro de viagem de 2018.

Conheça a exposição

 

A itinerância traz na bagagem conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, instituição que apresenta a Língua Portuguesa como patrimônio imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para a mostra Estação da Língua Portuguesa.

O vídeo Sotaques, com texto “O paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Essa parte da viagem está atualizada com mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos, três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da Língua Portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas.

Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele, o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura.

Toda a estrutura da exposição é transportada de uma cidade a outra em caminhões, pois a Estação da Língua Portuguesa foi projetada de maneira que possa ser desmontada e novamente aberta ao público em outro município em até sete dias.

Visite!

Estado de São Paulo anuncia R$ 250 milhões em programas de fomento à cultura em 2022

Com a antecipação de recebimento de projetos, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa pretende ampliar o tempo dos artistas e produtores culturais na captação e análise. A partir do ano que vem, o ProAC ICMS também ganhará um novo sistema de cadastro e gestão dos processos_

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo anunciou hoje que começa a receber a partir de segunda-feira 25/10 os projetos de artistas e produtores culturais candidatos ao ProAC ICMS 2022, o programa de fomento voltado para incentivo fiscal à cultura. A antecipação tem como objetivo melhorar o fluxo de avaliação pela Comissão de Análise de Projetos (CAP) da pasta no próximo ano. Com isso, a Secretaria estima um ganho de 3 a 4 meses aos proponentes, que poderão fazer a produção e a captação neste período. O Poder Executivo propôs o valor de R$ 250 milhões para os programas de fomento e aguarda votação da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022 pela Assembleia Legislativa de São Paulo. Deste montante, R$ 100 milhões serão destinados ao ProAC ICMS 2022.

Estamos elevando de modo constante o programa de fomento do Governo do Estado de São Paulo, de longe o maior do País, e ampliando ano a ano o valor investido no ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso ICMS, ProAC Expresso Direto, ProAV e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.

Facilidade e acesso

A pasta também está em fase de teste do novo sistema operacional do programa. Além disso, irá consolidar a legislação em um documento único, para facilitar a compreensão e reduzir a incidência de erros nas prestações de contas dos proponentes.

Em 2021 o ProAC ICMS foi substituído pelo ProAC Expresso Direto, que manteve o mesmo valor de investimento, R$ 100 milhões, e o mesmo perfil, com parâmetros e ritos semelhantes e com o recurso chegando mais rápido ao proponente. Mas, a pedido do Governador João Doria, em 2022 o ICMS retornará. Nos anos anteriores, o ProAC IcMS injetou na economia paulista cerca de R$ 100 milhões ao ano — foram cerca de 1.139 inscritos em 2020 e 1.516 em 2019.

No ProAC ICMS, os projetos com certificados emitidos podem solicitar   patrocínio. Novos projetos podem ser inscritos por meio do site https://www.proac.sp.gov.br/proac_icms/sistema-de-cadastramento/. Eles podem ser online ou presenciais e as regras estão disponíveis no link: https://www.proac.sp.gov.br/faq_icms/como-o-proac-icms-funciona/ .


Maior investimento em fomento do País

O Governo do Estado de São Paulo fez em 2021 um investimento recorde de R$ 200 milhões para cerca de 9.340 projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras nos três programas de fomento articulados e complementares: ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso Direto e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural. Um aumento de 13% em comparação com o valor liberado no ano passado, de R$ 177,2 milhões. O objetivo é estimular a retomada das atividades culturais e criativas, fortemente impactadas pela crise gerada pela pandemia do coronavírus, e incentivar a geração de renda, emprego e desenvolvimento. Com esse investimento, a Secretaria estima gerar 138 mil postos de trabalho e provocar um impacto econômico de R$ 300 milhões.

 

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Assessoria de Imprensa

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Estado deve investir R$ 100 milhões no ProAC ICMS 2022

Com a antecipação de recebimento de projetos, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa pretende ampliar o tempo dos artistas e produtores culturais na captação e análise. A partir do ano que vem, o ProAC ICMS também ganhará um novo sistema de cadastro e gestão dos processos_

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo está recebendo desde o dia 25/10 os projetos de artistas e produtores culturais candidatos ao ProAC ICMS 2022, o programa de fomento voltado para incentivo fiscal à cultura. A antecipação tem como objetivo melhorar o fluxo de avaliação pela Comissão de Análise de Projetos (CAP) da pasta no próximo ano. Com isso, a Secretaria estima um ganho de 3 a 4 meses aos proponentes, que poderão fazer a produção e a captação neste período. O Poder Executivo propôs o valor de R$ 250 milhões para os programas de fomento e aguarda votação da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2022 pela Assembleia Legislativa de São Paulo. Deste montante, R$ 100 milhões serão destinados ao ProAC ICMS 2022.

Estamos elevando de modo constante o programa de fomento do Governo do Estado de São Paulo, de longe o maior do País, e ampliando ano a ano o valor investido no ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso ICMS, ProAC Expresso Direto, ProAV e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.

Facilidade e acesso

A pasta também está em fase de teste do novo sistema operacional do programa. Além disso, irá consolidar a legislação em um documento único, para facilitar a compreensão e reduzir a incidência de erros nas prestações de contas dos proponentes.

Em 2021 o ProAC ICMS foi substituído pelo ProAC Expresso Direto, que manteve o mesmo valor de investimento, R$ 100 milhões, e o mesmo perfil, com parâmetros e ritos semelhantes e com o recurso chegando mais rápido ao proponente. Mas, a pedido do Governador João Doria, em 2022 o ICMS retornará. Nos anos anteriores, o ProAC ICMS injetou na economia paulista cerca de R$ 100 milhões ao ano — foram cerca de 1.139 inscritos em 2020 e 1.516 em 2019.

No ProAC ICMS, os projetos com certificados emitidos podem solicitar   patrocínio. Novos projetos podem ser inscritos por meio do site https://www.proac.sp.gov.br/proac_icms/sistema-de-cadastramento/. Eles podem ser online ou presenciais e as regras estão disponíveis no link: https://www.proac.sp.gov.br/faq_icms/como-o-proac-icms-funciona/ .

 

Maior investimento em fomento do País

O Governo do Estado de São Paulo fez em 2021 um investimento recorde de R$ 200 milhões para cerca de 9.340 projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras nos três programas de fomento articulados e complementares: ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso Direto e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural. Um aumento de 13% em comparação com o valor liberado no ano passado, de R$ 177,2 milhões. O objetivo é estimular a retomada das atividades culturais e criativas, fortemente impactadas pela crise gerada pela pandemia do coronavírus, e incentivar a geração de renda, emprego e desenvolvimento. Com esse investimento, a Secretaria estima gerar 138 mil postos de trabalho e provocar um impacto econômico de R$ 300 milhões.

 

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Assessoria de Imprensa

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

Estéreo MIS de janeiro traz show da banda Selvagens à Procura de Lei

Grupo de rock de Fortaleza abre a programação de 2018 do projeto de música independente Estéreo MIS

(mais…)

Ex-aluna do Projeto Guri participa do The Voice Kids

Cybeli Cardoso, de 13 anos, integra o time Simone & Simaria (mais…)

Expansão cafeeira e obras de Portinari são temas de lives e especiais

Agenda traz detalhes sobre a  e vida e obra do artista plástico Macalé, tema da edição do Domingo com Arte Virtual 


Os efeitos da expansão cafeeira no Estado de São Paulo e detalhes da coleção de obras de Portinari são os temas que pautam as lives realizadas pela ACAM Portinari, Organização Social ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Nesta terça-feira, dia 6, o encontro virtual acontece em parceria com o Museu do Café de Santos. A partir das 17h,  as duas instituições abordam sobre os eixos norteadores da expansão cafeeira, ferroviária e a imigração. A transmissão será pelo canal do YouTube do Museu do Café.

Para quem conhecer um pouco mais sobre o Museu Casa de Portinari, localizado no município de Brodowski, a quinta-feira, dia 8, terá uma atividade especial sobre detalhes da pintura mural São Jorge e o Dragão, que será exibida nas redes sociais da instituição. Na sexta-feira, dia 9, será possível saber um pouco mais acerca de amigo íntimo de Portinari, visitante ilustre que passou pela casa do artista.

Já no dia 11, domingo, nas redes sociais do Museu, ocorrerá o  ‘Domingo com Arte Virtual’, que apresenta a rotina de um artista plástico renomado. Nesta edição, o homenageado escolhido é Jaime Domingos Cruz, mais conhecido como Macalé, autodidata que desenvolveu técnicas próprias e fez da sua arte uma forma de viver.  Acompanhe as redes socais da instituição e conheça parte das obras da produção do artista.

Medidas contra a Covid-19

Vale lembrar que o museu está fechado em decorrência da adoção de uma mais fase mais restritiva do  Plano São Paulo. A recomendação é a restrição total de atividades. Não há previsão de reabertura.

Como forma de continuar a disseminar a cultura, as ações educativas da instituição e também o tour virtual permanecem de forma online pelas redes sociais e site (@museucasadeportinari e www.museucasadeportinari.org.br).

Exposição do Museu da Língua Portuguesa desembarca na África!

Atualmente em reconstrução, o Museu da Língua Portuguesa vai percorrer Cabo Verde, Angola e Moçambique, propondo diálogos e trocas com os falantes da língua portuguesa no arquipélago cabo-verdiano e no continente africano. A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” será realizada nas cidades de Praia (Cabo Verde), em maio, Luanda (Angola) em junho, e Maputo (Moçambique), em agosto.

O conteúdo foi organizado a partir de quatro eixos temáticos: Nós da Língua Portuguesa no Mundo, História da Língua Portuguesa no Brasil, Poesia e Prosa e Diálogos. Com consultoria de conteúdo do compositor, escritor e professor de Literatura José Miguel Wisknik, a exposição propõe um percurso pela história da língua portuguesa, o contato com outras línguas, seus destinos na formação cultural brasileira, sua presença nos ritmos e nas melodias, nas expressões culinárias e na literatura. O visitante será convidado a participar da programação cultural organizada exclusivamente para cada país, deixar seu testemunho falado e, assim, ser também parte da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa.

“A itinerância do Museu da Língua Portuguesa é um compromisso da presidência pro tempore brasileira na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). É uma oportunidade de perceber e celebrar as diferenças e as semelhanças entre as diversas variantes que engrandecem nossa língua comum. Para o Itamaraty, a iniciativa reveste-se de especial importância pela ênfase que dá ao papel internacional da língua portuguesa, um eixo central de nossa política externa. Também nos orgulha contribuir para o enriquecimento do acervo de prestigiado museu do Brasil, que vai a Angola, Cabo Verde e Moçambique como um museu do português brasileiro, mas traz na volta todo um novo conteúdo do português africano para o Brasil”, afirma Aloysio Nunes, Ministro das Relações Exteriores do Brasil.

Percursos da exposição “A Língua Portuguesa em Nós”

Ao entrar na exposição, o visitante será conduzido por um passeio com curiosidades sobre os países que compõem a CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), vai descobrir as origens da Língua Portuguesa e como os idiomas vivem em constante movimento, nascem, se cruzam e se transformam.

A influência da Língua Portuguesa na diversidade da cultura brasileira será também celebrada em duas experiências audiovisuais. A Praça da Língua reproduz a experiência-símbolo do Museu da Língua Portuguesa: uma instalação audiovisual e imersiva com pérolas da criação artística em língua portuguesa, que formam um mosaico de músicas, poesias, trechos literários e depoimentos. A área Música e Culinária, por sua vez, aborda a relação entre língua, identidades e culturas.

A exposição contempla também um espaço de convivência, com uma diversa programação cultural organizada em parceria com curadores locais exclusivamente para cada país.  Nesse espaço, o projeto Falares vai coletar depoimentos e histórias locais que farão parte do acervo do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, que está em reconstrução e tem previsão de reinauguração em 2019.

“A língua portuguesa é um patrimônio global e em constante transformação. A iniciativa de levar uma exposição do Museu da Língua para outros países reforça a importância dessa instituição, que permanece viva e promovendo atividades de qualidade mesmo durante a reconstrução de sua sede em São Paulo”, afirma Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” é uma iniciativa do Itamaraty, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho, o Museu da Língua Portuguesa e o Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com coordenação da Expomus.

Exposição interativa “5R’s da Moda” chega ao Museu Catavento

Através da exposição o público do museu poderá entender a relação de suas roupas com os impactos sociais e ambientais no planeta, além de descobrir tipos de tecidos e alternativas de consumo (mais…)

Exposição Leonardo da Vinci volta em formato online ao MIS Experience

Atração  fica disponível ao público brasileiro até  30 de julho; Experiência online conta com nova plataforma, de fácil acesso e com capacidade para milhares de acessos simultâneos


A exposição Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio, do MIS Experience (instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo), reabre nesta terça-feira, 13, ao público brasileiro no formato online. Até o dia 30 de julho, será possível conferir, gratuitamente e sem sair de casa, todo o conteúdo que já arrebatou meio milhão de visitantes às galerias do MIS Experience. É a última oportunidade para conhecer a mostra, sucesso de público e crítica – o acesso online está disponível diretamente pelo site: www.exposicaodavinci500anos.com.br

Projeto reformulado

Reformulada para facilitar a visita do público, a plataforma oferece acesso simples e descomplicado à exposição, além de permitir milhares de visitantes simultâneos. Durante a experiência multissensorial, com imersão em 360 graus, é possível acompanhar animações em alta definição, ver detalhes das máquinas desenhadas pelo artista italiano em realidade aumentada, além de áudios e vídeos exclusivos.

Entre as seções da mostra digital, destaque para os “Segredos de Mona Lisa”, que apresenta uma análise científica da pintura mais famosa do mundo realizada no Museu do Louvre por Pascal Cotte, renomado engenheiro, pesquisador e fotógrafo de obras de arte.

Proposta educativa

Conteúdos educativos especiais para grupos escolares, coordenados pelo Núcleo Educativo do MIS Experience, com informações sobre a vida e obra de Leonardo da Vinci, além de lives exclusivas, também fazem parte da programação virtual. Para agendar uma visita educativa, o responsável pela instituição deve enviar e-mail para educativoexp@mis-sp.org.br com dados de contato e informações como quantidade de participantes e faixa etária média.

Serviço:

Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio
Data: de 13/04 a 30/07
Acesso: www.exposicaodavinci500anos.com.br
Formato: Digital e online
Classificação: Livre

Leia Mais

Exposição Musicais no Cinema chega ao MIS em novembro

Realizada em parceria com o Musée de la Musique – Philharmonie de Paris, a exposição é apresentada pela primeira vez fora da França e traça um panorama sobre o universo do gênero musical no cinema

(mais…)

Exposição resgata a tradição de cartões natalinos na Casa Guilherme de Almeida

Na mostra estão expostos 25 cartões, entre eles, um do pintor Alberto Guignard (mais…)

Exposições: “Afetividades Ordinárias” na Oficina Cultural Oswald de Andrade e “Maternagem” na Oficina Cultural Alfredo Volpi

A primeira estará composta por retratos das expressões plurais, principalmente pela temática LGBTQIA+, enquanto que a segunda abordando a complexidade das relações

Exposições pelas Oficinas Culturais Oswald de Andrade e Alfredo Volpi seguem pelo mês de fevereiro, com trabalhos do fotógrafo João Bertholini e da artista Bárbara Milano, respectivamente. Além de formações on-line do programa de Formação para o Interior com inscrições abertas. As unidades da capital e a ação itinerante pelo interior são das Oficinas Culturais, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis. A seguir, destaques da programação.

A Oficina Cultural Alfredo Volpi, incluindo o jardim da unidade, está com a exposição Maternagem aberta até o dia 27 de fevereiro. Segundo a artista Bárbara Milano, com trabalhos na mostra fotográfica, a pesquisa que fez acolhe a relação forte entre vida e obra, além de retratar relações amorosas de diferentes ângulos.

De forma presencial, é possível visitar a exposição de terça à sexta-feira, entre 11h30 e 15h, desde que o público interessado faça um agendamento prévio e siga as regras necessárias de cuidado com a saúde. Para mais informações, acesse: https://bit.ly/3bJmnWQ. A abertura virtual será no dia 19 de janeiro, terça-feira, às 11h, pelo Instagram @estudioimaterial (https://www.instagram.com/estudioimaterial/?hl=pt-br). No mesmo dia, a partir das 11h, o link da mostra para visitação de forma on-line estará disponível no site https://poiesis.org.br/maiscultura/.

Uma exposição fotográfica também ocupa a Oficina Cultural Oswald de Andrade. Em Afetividades Ordinárias, o fotógrafo João Bertholini apresenta 31 retratos e publicação de zine independente no formato digital, como o resultado da pesquisa de cerca de quatro anos que ele fez sobre o universo das pessoas trans, de ativistas reconhecidas e de pessoas vivendo em situação de rua. A mostra ficará aberta de modo virtual e terá o link divulgado no site https://poiesis.org.br/maiscultura/ a partir das 19h do dia 20 de janeiro, quarta-feira.

Com a curadoria de Neon Cunha, ativista e diretora de arte, a abertura da exposição será feita por meio de um bate-papo entre Neon e Bertholini pelo canal de YouTube do programa Oficinas Culturais (https://bit.ly/3nQ11cV), no mesmo dia e horário. A curadora e o fotógrafo levantarão as questões plásticas de construção de imagens, o olhar humano nas fotografias, bem como a contextualização das questões políticas e sociais que envolvem a abordagem do projeto com o foco principal nas expressões plurais, principalmente na temática LGBTQIA+.

E entre os dias 22 e 28 de fevereiro, uma conversa entre Bertholini e Neon sobre o questionamento e o alcance do papel da arte nos contextos políticos e sociais ficará com acesso disponível a partir do site https://poiesis.org.br/maiscultura/.

Já o programa de Formação para o Interior das Oficinas Culturais traz formações no campo audiovisual e da música pela plataforma Zoom.

A Oficina Documentário de família está com inscrições abertas até o dia 4 de fevereiro pelo link https://forms.gle/vG8kdv9sdLYyuV1s6. As aulas ocorrem nos dias 18, 23 e 25 de fevereiro, terças e quintas-feiras, das 14h às 16h, e são destinadas para o público que deseja realizar um filme a partir de arquivos pessoais e que tenha o conhecimento básico de edição. A breve formação busca debater e estimular experiências documentais para resgatar memórias e histórias de diferentes famílias, por meio de fotos, vídeos, cartas, entre outros materiais. O objetivo é transformar esses arquivos em filmes de interesse de mais pessoas para além do núcleo familiar abordado. Cada participante desenvolverá um projeto de curta-metragem nesse sentido.

Cantores, estudantes de canto e admiradores dessa arte poderão aproveitar a oficina Cante bem, cante mais, cante sem parar – convite de aprimoramento para cantores. Nos dias 18, 23 e 25 de fevereiro, das 17h30 às 19h30, as aulas pelo Zoom têm a intenção de sanar as dúvidas a respeito dos cuidados vocais, respiração, exercícios práticos e básicos. As inscrições estão abertas até o dia 4 de fevereiro neste link: https://forms.gle/thsC9vHbDQLVQkwD9.

SERVIÇO

Oficina Cultural Alfredo Volpi

MATERNAGEM – EXPOSIÇÃO FOTGRÁFICA
Ficha técnica:
Artista: Bárbara Milano
Artistas convidadas: Mônica Ventura e Nazaré Soares
Texto Curatorial: Renata Felinto

Período em cartaz: até o dia 27 de fevereiro
Faixa etária: livre

Abertura virtual
19/01, terça-feira, às 11h – Via Instagram: https://www.instagram.com/estudioimaterial/?hl=pt-br
Neste mesmo período o link da mostra para visitação de forma on-line estará disponível no site https://poiesis.org.br/maiscultura/. Sem a necessidade de inscrição.

Visita presencial: de terça à sexta-feira, entre 11h30 e 15h. Neste caso, pessoas interessadas devem fazer um agendamento prévio e seguir as regras necessárias de cuidado com a saúde, conforme as orientações pontuadas neste link https://bit.ly/3bJmnWQ.

—-
Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo
Telefone: (11) 2205-5180 | 2056-5028
E-mail: alfredovolpi@oficinasculturais.org.br

Funcionamento: de terça a sexta-feira das 11h às 15h. Pessoas que desejam visitar exposições e grupos artísticos que precisam utilizar espaços para ensaios devem agendar antecipadamente pelo site https://oficinasculturais.org.br/unidade/alfredovolpi, onde também encontram informações sobre as medidas para combater a proliferação da Covid-19.

Acessibilidade: elevador, banheiro acessível para cadeirantes e rampa de acesso na entrada.
Programação gratuita.
Parte da programação é mantida de forma virtual. Saiba mais: www.oficinasculturais.org.br e https://poiesis.org.br/maiscultura/

Oficina Cultural Oswald de Andrade

AFETIVIDADES ORDINARIAS – EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA

Artista/fotógrafo: João Bertholini

Curadoria: Neon Cunha

Período em cartaz: até o dia 28 de fevereiro. Disponível em qualquer horário por ser uma exposição virtual.

Plataforma: o link de acesso à exposição virtual estará disponível na data de abertura – às 19h do dia 20 de janeiro – no site https://poiesis.org.br/maiscultura/

Sem a necessidade de inscrição prévia.

Faixa etária: 18 anos

Programação:

 

LIVE DE ABERTURA DA EXPOSIÇÃO “AFETIVIDADES ORDINÁRIAS”
Com João Bertholini e Neon Cunha

Dia 20/1 – quarta-feira – 19h às 20h

Faixa etária: 18 anos

Plataforma de exibição da live: Youtube Oficinas Culturais – https://bit.ly/3nQ11cV

Sem a necessidade de inscrição prévia.

CONVERSA DO ARTISTA JOÃO BERTHOLINI COM A ATIVISTA E CURADORA NEON CUNHA

Coordenação: João Bertholini

Período que o vídeo ficará disponível: 22/01 a 28/02.

Plataforma de exibição do vídeo: canal de YouTube das Oficinas Culturais – https://poiesis.org.br/maiscultura/

Sem a necessidade de inscrição prévia.

Duração do vídeo: 10 minutos

Faixa etária: 18 anos

—–
Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo
Telefone: (11) 3221-4704 | E-mail: oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira das 12h às 16h. Pessoas que desejam visitar exposições e grupos artísticos que precisam ocupar espaços para ensaios devem agendar antecipadamente pelo site  https://oficinasculturais.org.br/unidade/oswalddeandrade/, onde também encontram informações sobre as medidas para combater a proliferação da Covid-19.
Acessibilidade: rampa de acesso para cadeirantes
Programação gratuita
Parte da programação é mantida de forma virtual. Saiba mais: www.oficinasculturais.org.br e https://poiesis.org.br/maiscultura/

Programa de Formação para o Interior:

OFICINA – DOCUMENTÁRIO DE FAMÍLIA

Coordenação: Bruna Callegari
18, 23 e 25/02 – terças e quinta, das 14h às 16h
Inscrições: até 04/02 – https://forms.gle/vG8kdv9sdLYyuV1s6
Plataforma: Zoom
15 vagas | Faixa etária: 16 anos
É necessário conhecimento básico de edição.

OFICINA – CANTE BEM, CANTE MAIS, CANTE SEM PARAR – CONVITE DE APRIMORAMENTO PARA CANTORES

Coordenação: Katia Baroni
18, 23 e 25/02. Das 17h30 às 19h30
Inscrições: até 04/02 – https://forms.gle/thsC9vHbDQLVQkwD9
Plataforma: Zoom
40 vagas | Faixa etária: 16 anos
Público-alvo: cantores, estudantes de canto e admiradores da arte de cantar

Fábrica de Cultura Parque Belém recebe apresentação musical do mexicano Juan Sant

Poeta e membro da comunidade indígena dos Totonacas promove a música como meio de recuperação ao vícío de drogas (mais…)

Fábrica de Cultura Sapopemba realiza ação social para jovens da região em parceria com CIEE

Iniciativa irá oferecer também palestras e dicas sobre como se sair bem em entrevistas de emprego  (mais…)

Fábricas de Cultura abordam questões de gênero, raça e ancestralidade

Entre os destaques estão bate-papos sobre ancestralidade indígena, gordofobia e população negra LGBTQIA+, o retorno do Sarau do Capão, exibição de filme que aborda os quilombos urbanos e muito mais

 

As Fábricas de Cultura, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, irão promover atividades que destacam as questões de gênero, raça e identidade nas programações de abril das unidades da Zona Norte (Brasilândia, Vila Nova Cachoeirinha e Jaçanã) e da Zona Sul (Jardim São Luís e Capão Redondo), além de Diadema. Todas as atividades são presenciais. Confira os destaques da programação:

No dia 9 de abril, às 18h, a Fábrica de Cultura Capão de Redondo recebe novamente em seu espaço o Sarau do Capão. O retorno presencial do sarau será marcado pela presença de Mariana Felix, poeta, escritora, slammer, apresentadora, militante feminista e autora os livros Mania (2016), Vício (2017) e Abstinência (2019), e da DJ Lorrany, que segue um estilo underground que se inicia no bass music br transitando entre afrobeat, dancehall, funk, vogue, trap, rap e hip hop.

A programação continua na Fábrica de Cultura Jardim São Luís que no dia 12 de abril, às 19h, realiza o Sarau Museu do Inusitado, um encontro multicultural com foco na integração de linguagens e trocas não só literárias, mas também das artes plásticas, corporais e musicais, tanto da voz, como do instrumento. Com foco nos direitos indígenas, o sarau receberá o professor Júlio César Pereira de Freitas Guató (Karaí Jekupe, seu nome em guarani), da etnia Guató, que falará sobre a Aldeia Takuá Ju Mirim, oriunda da Aldeia Tekoa Yrexakã.

Os debates sobre a cultura indígena também irão ocorrer na Fábrica de Cultura Brasilândia através da atividade A Busca da Ancestralidade Indígena, realizada no dia 13 de abril, às 15h. Neste bate-papo, Pagu Fulni-ô, indígena do povo Fulni-ô e formada em ciências sociais pela USP, falará sobre resistência e retomada da identidade indígena em território urbano para o resgate de valores civilizatórios originários.

No dia 14 de abril, às 14h30, a equipe de biblioteca da unidade Jardim São Luís promove a atividade Mitã Hanga – Bonecas de Cabaça para crianças a partir dos 6 anos. Na oficina, o público infantil terá contato com a cultura indígena através dos ensinamentos de Lu Ahamy, indígena da etnia guarani M´bya, artesã, chefe de cozinha e coordenadora do Coletivo EtnoCidade. Lu ensinará aos participantes a criarem suas bonecas de cabaça, a fazer o grafismo e colocar seus adereços, cocar, colares, arco e flecha, e lança.

Já a Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha exibirá o episódio Cidade de Quem? da série documental Quilombo Brasil (2015), desenvolvida pelo Coletivo Política do Impossível e a Rede Mocambos, no dia 19 de abril às 19h. A produção discute a presença dos quilombos no passado, presente e futuro do Brasil. No mesmo dia e horário, a Fábrica do Capão Redondo realizará o bate-papo Produção Musical Executiva com a produtora Cida Gonçalves, que abordará aspectos básicos da produção executiva com ênfase em seu trabalho com artistas negros, principalmente na área da música

No dia 19 de abril, às 19h30, a Fábrica de Cultura Brasilândia recebe o Projeto (R)EXISTA para um bate-papo sobre sua atuação em prol da visibilidade da vivência e existência da população negra LGBTQIA+. O projeto trabalha para desconstruir estereótipos e dar visibilidade à representação não marginalizada nas comunidades.

Outra temática abordada na programação é a inclusão. Na formação Tradução de Músicas para Libras, Ricieri Palha, tradutor com mais de 10 anos de experiência na esfera artística, ensinará o processo de construção da tradução da língua portuguesa para a língua de sinais, apresentando as técnicas, estratégias e preparação da equipe de intérpretes para um evento artístico. A formação ocorre no dia 20 de abril, às 15h, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha. Não é necessário se inscrever.

O dia 20 de abril também estará movimentado na Fábrica de Cultura Jaçanã que realizará a 1ª edição do Sarau Amor de Quebrada, a partir das 17h. A proposta é reunir as narrativas de artistas da região do Jaçanã e Tremembé para uma partilha sobre amor, paz, justiça, amizade e encontros através de diversas linguagens, como: música, danças, performances, artes visuais e ensaios poéticos sobre o cotidiano e as pessoas.

Dia 26 de abril, a partir das 10h, o Coletivo Mariás apresenta Cálice, espetáculo que tem como norte o corpo que sangra, nutre, gera vida e tem o dom de curar. Esse corpo ambíguo que é forte e frágil, firme e gentil, profano e sagrado. Assim, o Coletivo Mariás apresenta quatro corpos que sangram em um único corpo cênico no espetáculo: Cálice. A apresentação será na Fábrica de Cultura Brasilândia.

A programação do mês será finalizada com atividades focadas nos debates sobre gordofobia. No dia 29 de abril, às 18h30, a unidade Jaçanã convida Lu Big Queen, produtora cultural, influencer preta, performer, modelo gorda, dançarina, atriz e ativista decolonial para falar sobre a emancipação e libertação de corpos de pretas e gordas.

Já às 19h30, a Fábrica de Cultura Diadema promove a intervenção-debate Poesia Através das Estrias. Nessa intervenção, três mulheres pretas questionam a relação de tempo/espaço trazendo visões pretas, periféricas com a poesia, dança, canto e ancestralidade, traçando um caminho com dados estatísticos dos lugares de solidão afetiva na perspectiva do corpo negro e gordo.

Até o dia 28 de maio, a unidade Diadema recebe a exposição Laboratório Diadema, que reúne trabalhos desenvolvidos pelos alunos da Escola da Cidade no 1º semestre de 2021 em parceria com a Prefeitura de Diadema. Os trabalhos buscam refletir sobre o habitat nas periferias a partir de territórios que apresentam características de centros de bairros onde poderiam se articular os equipamentos existentes, adequando sua arquitetura ao entorno de forma a criar territórios de convivência. É possível conferir os trabalhos expostos na unidade de terça a sexta, das 10h às 19h, e aos sábados, das 10h às 17h.

Para entrada nos prédios das Fábricas de Cultura é obrigatório a apresentação do comprovante de vacinação contra Covid-19, com duas doses ou dose única, de acordo com o decreto nº 60.989, da PMSP. Em razão do avanço da pandemia, algumas atividades podem ser alteradas ou canceladas. Antes de ir, entre em contato com a unidade. As unidades do programa recomendam o uso da máscara de proteção nos ambientes internos.

A programação completa pode ser acessada pelo hotsite +Cultura e no site das Fábricas de Cultura.

SERVIÇO:

Fábrica de Cultura Brasilândia

A BUSCA DA ANCESTRALIDADE INDÍGENA COM PAGU FULNI-Ô

13/4 – Quarta-feira – 15h
Atividade Livre.

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Av. General Penha Brasil, 2508 – Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo/SP

 

PROJETO (R)EXISTA!
19/4 – Terça-feira – 19h30
Faixa Etária: maiores de 16 anos

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Av. General Penha Brasil, 2508 – Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo/SP

CÁLICE COM COLETIVO MARIÁS
26/4 – Terça-feira – 10h
Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Av. General Penha Brasil, 2508 – Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo/SP

Fábrica de Cultura Capão Redondo

 

SARAU DO CAPÃO: O RETORNO – COM MARIANA FELIX E DJ LORRANY
9/4 – Sábado – 18h
Faixa Etária: maiores de 12 anos

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Bacia de São Francisco, s/n – Conjunto Habitacional Jardim São Bento – São Paulo/SP

 

PRODUÇÃO MUSICAL EXECUTIVA COM CIDA GONÇALVES
19/4 – Terça-feira – 15h
Faixa Etária: Atividade Livre
Descrição do Público: Classificação indicativa: 14 anos.

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Bacia de São Francisco, s/n – Conjunto Habitacional Jardim São Bento – São Paulo/SP

Fábrica de Cultura Diadema

A POESIA ATRAVÉS DAS ESTRIAS
29/4 – Sexta-feira – 19h30
Faixa Etária: maiores de 14 anos.

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP

EXPOSIÇÃO “LABORATÓRIO DIADEMA”
Até 28/5 – Terça a sexta, das 10h às 19h, e aos sábados das 10h às 17h
Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas

Local: Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP

FICHA TÉCNICA:
Realização
Prefeitura de Diadema e Escola da Cidade
Curadoria e expografia
Luiz Fellipe Machado e Luiz Sobral Fernandes
Conselho Técnico Escola da Cidade
Guilherme Paoliello e Felipe Noto
Apoio
Fábrica de Cultura Diadema

Fábrica de Cultura Jaçanã

SARAU AMOR DE QUEBRADA
20/04 – Quarta-feira – 17h
Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 – Conjunto Habitacional Jova Rural – São Paulo/SP

GORDOFOBIA NÃO É PIADA – BATE-PAPO COM LU BIG QUEEN
29/04 – Sexta-feira – 18h30
Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 – Conjunto Habitacional Jova Rural – São Paulo/SP

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

SARAU MUSEU DO INUSITADO COM KARAÍ JEKUPE, DA ALDEIA TAKUÁ JU MIRIM
12/4 – Terça-feira – 19h
Faixa Etária: Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651 – Parque Santo Antônio – São Paulo/SP

MITÂ HANGA – BONECAS DE CABAÇA COM LU AHAMY

Coordenação: Equipe de Biblioteca

14/4 – Quinta-feira – 14h30

Faixa Etária: maiores de 6 anos

Lotação máxima: 15 pessoas

Local: Rua Antônio Ramos Rosa, 651 – Parque Santo Antônio – São Paulo/SP

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

QUILOMBO BRASIL – CIDADE DE QUEM?
19/4 – Terça-feira – 15h
Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Franklin do Amaral – de 701/702 ao fim, 1575 – Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo/SP

TRADUÇÃO DE MÚSICAS PARA LIBRAS COM RICIERI PALHA

20/4 – Quarta-feira – 15h
Atividade Livre

Lotação máxima: 40 pessoas
Local: Rua Franklin do Amaral – de 701/702 ao fim, 1575 – Vila Nova Cachoeirinha – São Paulo/SP

——

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 | Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Diadema 

Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Funcionamento das unidades

De terça a sexta, das 9h às 19h. Finais de semana e feriados, das 12h às 17h.*

Funcionamento das bibliotecas

De terça a sexta, das 10h às 16h. Sem os finais de semana.

*Algumas unidades operam em horários noturnos e para conferir o horário exato de sua unidade, favor entrar em contato por telefone com a recepção.

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso tátil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braille, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e audiobooks).

Devido à pandemia da Covid-19, parte da programação cultural vem ocorrendo de forma on-line*. Todas as atividades são gratuitas. Saiba mais no hotsite +Cultura e no site das Fábricas de Cultura.

*Sujeito às mudanças mediante orientações dos órgãos responsáveis.

Fábricas de Cultura apresentam projeto para artistas da terceira idade

“Fábrica da Melhor Idade” tem artistas com mais de 60 anos selecionados para participarem da produção de videoclipes

As Fábricas de Cultura, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, acabam de lançar o projeto audiovisual dedicado a artistas com mais de 60 anos, o Fábrica da Melhor Idade.

O projeto tem como objetivo revelar talentos artísticos dos frequentadores das unidades de Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo. A primeira seleção aconteceu durante o ano de 2020.

Velha guarda

No Fábrica da Melhor Idade, artistas cantam músicas autorais que foram gravadas e produzidas nos estúdios das instituições e depois transformadas em videoclipes.

Os primeiros videoclipes já estão disponíveis no Youtube @TvFabricas. Uma vez por ano serão escolhidos novos artistas da terceira idade para participar do projeto, a partir de critérios como atuações em ensaios, lives e gravações nos estúdios das Fábricas de Cultura. A próxima classificação está prevista para acontecer ainda neste ano.

Confira alguns dos selecionados:

Marco Antônio – Flor Mais Linda
https://www.youtube.com/watch?v=sCmy1bEjQiY&ab_channel=TvF%C3%A1bricasdeCultura

Fátima Moreno – Grande Amor
https://www.youtube.com/watch?v=5wQ1dYsnyAE&ab_channel=TvF%C3%A1bricasdeCultura

João do Brega – Agora não me Ama
https://www.youtube.com/watch?v=It46JHk6aXQ&ab_channel=TvF%C3%A1bricasdeCultura

Samuel Khan – Amor Flamenco
https://www.youtube.com/watch?v=5wQ1dYsnyAE&ab_channel=TvF%C3%A1bricasdeCultura

Laerte Marques – Sushi com Vatapá
https://youtu.be/_qX8b9XnGvc

Cido da Toca – Maria Bonita
https://youtu.be/4d3o-GPDZis

Fábricas de Cultura apresentam temporada 2021 do Projeto Espetáculo

Ação acontece de setembro a novembro nas unidades da Zona Leste e São Bernardo do Campo e traz como tema central o ‘futuro’

As Fábricas de Cultura, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, promovem nos meses de setembro, outubro e novembro, o Projeto Espetáculo 2021 nas unidades de Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo. A ação faz parte da área de Formação Cultural dos aprendizes sob a orientação de educadores de diferentes linguagens para desenvolver todas as etapas que compõem um espetáculo cênico.

O projeto tem como objetivo oferecer uma experiência coletiva, na qual os jovens passam pela preparação corporal, vocal e musical, improvisações, dramaturgia, interpretação, cenografia, figurinos, maquiagem, iluminação, dentre outros, sempre com a orientação de profissionais especializados.

Em 2021, o Projeto Espetáculo foi repensado para o formato virtual, com desenvolvimento de produções audiovisuais para compartilhar com o público. Os temas que nortearam a ação deste ano foram: “qual a medida das nossas escolhas?” e “nós fazemos escolhas ou as coisas nos são impostas?”

Diversas referências bibliográficas surgiram ao longo do Projeto, mas duas obras se destacaram:   Ideias para adiar o fim do mundo do escritor brasileiro, líder indígena e ambientalista Ailton Krenak, com suas percepções sobre o ponto de vista dos povos originários; e o  livro  Esculpir o tempo  do cineasta russo Andrei Tarkovski, que expõe seu pensamento sobre o cinema e toma como base a poesia para desenvolver seus trabalhos.

Confira a programação completa abaixo:

Cronograma

Projeto Espetáculo Sapopemba

FIMTURO: registros dos fins de mi

“FIMTURO: registros dos fins de mim” é uma fábula sobre um futuro pensado como utopia. Em 2745 o mundo está prestes a acabar pela 4ª vez. Uma convenção, composta por vozes que nunca foram ouvidas antes, é organizada para propor soluções para evitar o fim. Uma história que nos mostra que os fins são apenas outras formas de começo.

Presencial:

30/09 Quinta-feira – 19h
02/10 Sábado 15h
06/10 Quarta-feira 19h
09/10 Sábado – 15h
14/10 Quinta-feira 15h
16/10 Sábado 19h
19/10 Terça-feira 11h
05/11 Sexta-feira 15h
13/11 Sábado – 19h

Local: Fábrica de Cultura Sapopemba

Rua Augustin Luberti, 300 – Fazenda da Juta

Telefone 2012-5803

Itinerância: de Sapopemba em Vila Curuçá – 27/10, quarta-feira – 15h.

Virtual: exibição no #CulturaEmCasa 23/10 Sábado – 16h

Projeto Espetáculo Vila Curuçá

DESPERTEMPOS

Quatro sonhos, quatro tempos, quatro histórias e múltiplos caminhos que desembocam em nós e nos outros de nós. Da ancestralidade ao futuro utópico. Do pesadelo ao despertar. A cabeça e o mundo se confundem em um universo que sonha e, exatamente por isso, desperta! O tempo nos guiará por sua cabaça: Despertempos!

Presencial:

01/10 Sexta-feira – 19h
02/10 Sábado – 19h
03/10 Domingo – 15h
05/10 Terça-feira – 15h
06/10 Quarta-feira – 15h
19/10 Terça-feira – 19h
03/11 Quarta-feira – 19h
06/11 Sábado 19h
07/11 Domingo –15h

Local: Fábrica de Cultura Vila Curuçá

Rua Pedra Dourada, 65. – Jardim Robru

Telefone: 2016-3316

Itinerância de Curuçá em Sapopemba 20/10 Quarta-feira – 15h

Virtual: Exibição no #CulturaEmCasa 22/10 Sexta-feira – 16h

Projeto Espetáculo Cidade Tiradentes

COSMoAÁÀGOOoooRÀÁA – a invenção de outro tempo

Um telejornal do ano de 2175 anuncia que foi encontrada uma cápsula do tempo. A cápsula, criada por um grupo de jovens dos anos 2020, contém vestígios poéticos sobre a invenção de outro Tempo. Um sopro coletivo no qual se reúnem sonhos, imagens e estratégias de recriação para uma vida infinita. Este filme é uma reafirmação de que estamos vivas, vives, vivos. É uma profecia para o futuro.

Presencial:

02/10 Sábado – 15h
06/10 Quarta-feira – 15h
08/10 Sexta-feira – 10h
14/10 Quinta-feira – 10h
15/10 Sexta-feira – 19h30minh
16/10 Sábado – 15h
26/10 Terça-feira – 15h
06/11 Sábado – 15h
12/11 Sexta-feira 19h30minh

Local: Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, nº 281 – Fazenda do Carmo

Telefone: 2556-3624

Itinerância de Tiradentes em Itaim 04/11 Quinta-feira – 15h

Virtual: exibição no #CulturaEmCasa 21/10 Quinta-feira – 16h

Projeto Espetáculo Itaim Paulista

TODO TEMPO QUE ECOA MEU DEVIR

Breno está atravessando um palco quando comunicam uma paralisação do tempo, uma pandemia, ninguém mais pode entrar ou sair. O palco se torna seu pequeno quarto. Enquanto o atravessa, ele questiona-se sobre sua vida. Nesta travessia, encontra Saturno, senhor do tempo, um viajante de universos que vem trazer a ele um pedido de alguém de outro tempo e espaço, um homem-pássaro chamado Assum. Na travessia, Assum, Saturno e Breno se atravessam e se confundem, mas não param ou retrocedem. “Todo tempo que ecoa meu devir” vem para nos lembrar que o importante é atravessar.

Presencial:

07/10 Quinta-feira – 19h
09/10 Sábado – 15h
10/10 Domingo – 15h
14/10 Quinta-feira – 10h
15/10 Sexta-feira – 10h
19/10 Terça-feira – 15h
26/10 Terça-feira – 19h
03/11 quarta-feira – 15h
13/11 Sábado – 15h

Local: Fábrica de Cultura Itaim Paulista

Rua Estudantes da China, nº 500 – Itaim Paulista

Telefone: 2025-1991

Itinerância: de Itaim Paulista em Cidade Tiradentes 10/11 Quarta-feira – 15h

Virtual: exibição no #CulturaEmCasa 30/10 Sábado – 16h

Projeto Espetáculo Parque Belém

Solitudes: o instante entre o antes e o depois

Solitudes: o instante entre o antes e o depois oferece um lugar-espelho, um campo de possíveis identificações, um emaranhado de outras perguntas para todas as perguntas simples que nos fazemos todos os dias, afinal, como estamos? Para saber se tudo faz sentido, somente encare a si mesmo. Os espelhos estão ao alcance dos nossos olhos, basta enxergar.

Presencial:

08/10 Sexta-feira – 15h
09/10 Sábado – 15h
13/10 Quarta-feira – 10h
15/10 Sexta-feira – 10h
21/10 Quinta-Feira – 15h
23/10 Sábado – 15h
29/10 Sexta-feira – 10h
04/11 Quinta-feira – 10h
06/11 Sábado – 10h

Local: Fábrica de Cultura Parque Belém

Av. Celso Garcia, nº 2.231 – Parque Belém

Telefone: 2618-3447

Itinerância: de Parque Belém em São Bernardo do Campo – 17/11, quarta-feira – 15h.

Virtual: exibição no #CulturaEmCasa 28/10 Quinta-feira – 16h

Projeto Espetáculo São Bernardo do Campo

6 DIAS DE CHUVA

6 DIAS DE CHUVA apresenta personagens que caminham no sentido contrário, um corpo coletivo que articula tecnologias em tempos de pandemia. São fragmentos de histórias com pouco menos de vinte anos e séculos de resistência. Qual é mesmo o tamanho do seu muro? O que a água que corre dentro e fora das nossas veias fala sobre os rios que escorrem das nuvens?

Presencial:

09/10 Sábado – 15h
14/10 Quinta-feira – 15h
15/10 Sexta-feira – 15h
16/10 Sábado – 15h
04/11 Quinta-feira – 19h
05/11 Sexta-feira – 19h
06/11 Sábado – 19h
12/11 Sexta-feira – 19h
13/11 Sábado – 19h

Local: Fábrica de São Bernardo do Campo

Av. Armando Ítalo Setti, nº 80 – Baeta neves, São Bernardo do Campo

Telefone: 4450-1710

Itinerância: de São Bernardo no Belém 19/11 Sexta-feira – 15h

Virtual: exibição no #CulturaEmCasa 29/10 Sexta-feira – 16h

Fábricas de Cultura da Zona Leste e de São Bernardo do Campo dedicam a programação de maio aos Beatles

Ação “Fábricas de Cultura em Liverpool” contará com baile para a terceira idade, apresentações de teatro, sessões de cinema, aula de ritmos, atividades nas bibliotecas e até concurso de redação inspirado na banda britânica.

As Fábricas de Cultura Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, dedicam a programação de maio aos Beatles. Todas as atividades são gratuitas e incluem baile para a terceira idade, apresentações de teatro, sessões de cinema, aula de ritmos, ações nas Bibliotecas e até concurso de redação inspirado na banda britânica.

Confira a programação completa:

Programação completa “Fábricas de Cultura em Liverpool”:

 

BiblioBeatles: atividades com literatura específica da banda

20, 21 e 26/5

  • Vila Curuçá

06/05 – 10h

  • Parque Belém

Nesta atividade, a equipe da biblioteca irá realizar a leitura de trechos do livro “As letras dos Beatles – a história por trás das canções”, de Hunter Davies. O livro reúne a primeira coletânea dos manuscritos com versões originais das letras mais famosas dos Beatles.

Lucy in the Sky with Spray – Grafiteiros transformando músicas em telas

Em todas as datas esta atividade acontece às 10h.

08/05

  • Cidade Tiradentes – grafiteiro Mandi / Canção Don’t let me down

14/05

  • Vila Curuçá – grafiteiro Banguone / Canção Lucy in the sky
  • Sapopemba – grafiteiro Del / Canção Blackbird
  • Itaim Paulista – grafiteiro Nino / Canção Hey Jude
  • São Bernardo – grafiteiro Melancia / Canção Eleanor Rigbi

14 ou 15/05

  • Parque Belém – grafiteiro Kueio / Canção Yesterday

Mexendo com os Beatles: aulas de ritmos com os sucessos da banda remixados

15/05

  • Cidade Tiradentes – Junto com o Baile Nostal Beatles

21/05

  • Sapopemba

21/05

  • São Bernardo do Campo

22/05

  • Vila Curuçá

28/05

  • Itaim Paulista

29/05

  • Parque Belém

O Quinto Beatle: jogo The Beatles – Rock Band de Playstation

Nesta atividade, os frequentadores poderão se sentir fazendo parte da banda como um “quinto elemento”.

04/05

  • Vila Curuçá às 14h

14/05

  • Itaim Paulista, das 13h às 17h

18/05

  • Cidade Tiradentes, das 13h às 17h

21/05

  • Parque Belém, às 13h

22/05

  • Sapopemba, das 9h às 17h

28/05

  • São Bernardo do Campo, das 9h às 17h

Desenhando o Submarino: Atividades de desenho e pintura tendo como referência a Graphic Novel de Yellow Submarine

04 à 07/05

  • Parque Belém

11 à 14/05

  • Itaim Paulista

12 à 27/05

  • Cidade Tiradentes

07, 14, 21 e 28/05

  • Sapopemba

04 ao 27/05

  • Vila Curuçá

07, 14, 21 e 28/05

  • São Bernardo do Campo

Baile NostalBeatles: baile da terceira idade com os clássicos da banda

13/05

  • Itaim Paulista, às 9h30

14/05

  • Vila Curuçá – Dança de Salão

15/05

  • Cidade Tiradentes – Junto com Mexendo com os Beatles

22/05

  • Sapopemba – Cantores: Di Ricardo Santos e DJ Beros, às 15h

Sessão de cinema especial Beatles – Documentário: The Beatles Yellow Submarine

04/05

  • São Bernardo do Campo, às 14h

11/05

  • Vila Curuçá, às 14h

13/05

  • Itaim Paulista, às 14h

19/05

  • Sapopemba, às 14h

25/05

  • Parque Belém, às 14h

27/05

  • Cidade Tiradentes, às 14h

Sessão de cinema especial Beatles – Filme: Yesterday

04/05

  • Sapopemba, às 14h

06/05

  • Vila Curuçá, às 14h

11/05

  • Itaim Paulista, às 14h

13/05

  • Parque Belém, às 14h

18/05

  • Cidade Tiradentes, às 14h

20/05

  • São Bernardo do Campo, às 14h

Beatles no TikTok: Grupos de danças irão inventar coreografias para os grandes sucessos As coreografias serão postadas pelas redes sociais das Fábricas de Cultura.

São Bernardo do Campo/ Coreografia da música: Get Back Beatles

Grupos:

  • Dirac: K-pop
  • Bright: K-pop
  • Real Question RQ: K-pop

Vila Curuçá/ Coreografias das músicas: Help e Twist And Shout

  • Nicole- Artista individual
  • Tigrão – Artista individual
  • Dudu – Storm dance
  • Vitória – Artista individual
  • Gerson – K-pop

Apresentações de teatro

29/05 – 14h

  • Parque Belém

No mesmo horário, a Fábrica terá duas apresentações. Uma é de um grupo de cheerleaders, o Art Cheer, ao som das músicas clássicas dos Beatles. O outro espetáculo será o Teatro Musical da Laviê Produções, chamado “Clube dos corações partidos”. A peça conta uma história sobre o ciclo do amor através das músicas dos Beatles.

Repertório musical da peça: All you need is love/ Yesterday / Revolution / You said goodbye and say hello / With a little help from my friends I wanna hold your hand / I’ve just seen I face/If i feel/ Hold me tight / Oh! Darling / Revolution /She loves you.

Concurso de redação com letra da música “Penny Lanne”

27/05

  • São Bernardo do campo: Entrega da premiação das melhores redações
  • Escola participante confirmada: ETEc Lauro Gomes e Escola Estadual Vladmir Herzog Jornalista

26/05

  • Vila Curuçá: Concurso de redação
  • Escola participante confirmada: Escola estadual Wilson Roberto Simonini

26/05

  • Sapopemba
  • Escolas participantes confirmadas: Escola Estadual República do Nicarágua e Colégio Giramundo

Fábricas de Cultura da Zona Leste e de São Bernardo do Campo realizam atividades presenciais e virtuais

Encontro com autores, jogos, rodas de conversa e exposições estão entre as programações de junho das unidades

As Fábricas de Cultura da Zona Leste e de São Bernardo do Campo, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, estão com programação diversificada no mês de junho. As atividades vão desde encontro com autores surdos que revelam o processo de criação no universo sem som da língua de sinais à roda de conversa sobre curiosidades dos  Cão-Guias e atividades interativas que celebram o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho.

Confira a programação das unidades:

Fábrica de Cultura Vila Curuçá

Atividade Jogo: Animais em Extinção

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente (05 de junho) o público poderá conferir algumas espécies ameaçadas de extinção em decorrência da destruição do meio ambiente e o que pode ser feito para tentar preservá-las colocando em discussão a importância da preservação dos recursos naturais do planeta.

Data(s): 05 de Junho – às 11h

Divulgação/transmissão:

Local: Biblioteca (Presencial)

Encontro com Autores André Rosa e Bruno Vital

Com os Autores André Rosa (ouvinte) e Bruno Vidal (surdo). Os convidados mostrarão o processo criativo do poema bilíngue “Metamorfose” e suas experiências no universo sem som da língua de sinais.

Poema disponível em: https://youtu.be/BPTeAAEiJr8

Data(s): 05 de Junho – às 14h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Transmissão ao vivo – Acessível em libras).

Roda de Conversa: Cão-guia Curiosidades

Bate-papo sobre acessibilidade e o direito da pessoa com deficiência visual de ter um cão-guia. O debate será a partir da história do cão-guia que salvou seu dono no atentado às “Torres Gêmeas” em 11 de setembro de 2001. Além disso, mostrando a importância do assunto, serão apresentadas informações e curiosidades que podem ser encontradas no site da Fundação Dorina Nowill para cegos.

Data(s): 19 de Junho – às 14h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Publicação de vídeo)

A Quadrilha e as Festas Juninas

O educador pernambucano Leandro Bezerra da Silva também irá contar um pouco sobre sua pesquisa com as quadrilhas e as danças populares do nordeste, em uma live no Canal TV Fábricas.

Data(s): 24 de Junho – às 14h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Transmissão ao vivo)

Leitura Mediada: A menina que não amava a natureza

Para trazer uma reflexão ao público sobre a preservação da natureza, será feita leitura mediada da obra “A menina que não amava a natureza”, de Simone Magno, que conta a história de uma garotinha que não respeitava a natureza.

Data(s): 26 de Junho -11h

Divulgação/transmissão:

Local: Biblioteca (Presencial) 

Fábrica de Cultura Sapopemba

Dia Mundial do Meio Ambiente Roda de Conversa – Nosso Meio Ambiente

Para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente (05 de junho) será realizada roda de conversa para falar sobre a origem dessa data e a importância do dia para refletir sobre a necessidade de preservação.

Data(s): 05 de Junho – 11h

Divulgação/transmissão:

Local: Biblioteca (Presencial)

Dia Nacional da Reciclagem Atividade Literária – O Homem Que Amava Caixas

A instituição convida o público para uma reflexão sobre reciclagem como uma alternativa para o mundo com leitura do livro “O Homem Que Amava Caixas”, de Stephen Michael King. A obra explora a complexidade das emoções envolvidas quando se ama alguém e mostra que, às vezes, o amor pode ser demonstrado através de atos e não de palavras.

Data(s): 05 de Junho – 15h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Publicação de vídeo)

Dia do Cinema Brasileiro – Exposição Mediada – Grandes Bilheterias do Cinema Nacional

Nessa exposição mediada serão mostradas em forma de ranking as “Grandes Bilheterias”, do Cinema Nacional, apresentando filmes como Minha Mãe é Uma Peça 3, Nada a Perder e Tropa de Elite 2.

Data(s): 19 de Junho – 15h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Publicação de vídeo)

Roda de Conversa – Dia Internacional do Orgulho LGBT

Para celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBT (28 de junho), haverá uma roda de conversa a respeito da data, que tem como principal objetivo conscientizar a população sobre a importância do combate à homofobia e a construção de uma sociedade livre de preconceitos e igualitária, independente do gênero sexual.

Data(s): 29 de Junho – 15h

Divulgação/transmissão: Instagram – @fabricadeculturasapopemba (Transmissão ao vivo)

Fábrica de Cultura Itaim Paulista

Dia do solista

Para comemorar o Dia do Solista, o educador de Sopro Metais Henrique Azevedo comentará brevemente sobre os prazeres e desafios que é fazer um solo e, em seguida, fará uma apresentação da versão para Trombone e Piano de “Colors of the Wind”, da trilha original de Pocahontas – Disney.

Data(s): 14 de junho – 15h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Publicação de vídeo)

Leitura Mediada: A menina que abraça o vento

Com foco no Dia Mundial do Refugiado (20 de junho), será realizada leitura mediada da obra “A menina que abraça o vento”, de Fernanda Paraguassu, que conta a história de Mersene, uma menininha que vem para o Brasil buscando refugio após fugir dos conflitos vividos na República Democrática do Congo.

Data(s): 19 de junho – 15h

Divulgação/transmissão: Instagram – @fabricadeculturaitaim (Será realizada pelo Instagram somente se não houver público presencial)

Local: Biblioteca (Presencial)

Comemoração ao Dia do Cinema Brasileiro

Para refletir sobre a importância do Dia do Cinema, será disponibilizada conversa com o professor Philippe Leão (RJ), que é crítico de cinema e ministra cursos de formação crítica e linguagem cinematográfica, além de manter um portal (e redes sociais) chamado “Cineplot”, um espaço pedagógico de introdução e aprofundamento da linguagem do cinema. A conversa será disponibilizada em formato Podcast.

Data(s): 19 de junho – 15h

Divulgação/transmissão: Youtube – Tv Fábricas (Publicação de vídeo) / Spotify

Fábrica de Cultura Parque Belém

Live “Dia Mundial do Malabarismo” com Rafael Kodaira

No dia 19 de junho, data que celebra o Malabarismo criada pela IJA (Associação Internacional dos Malabaristas), o educador cultural e malabarista Rafael Kodaira falará sobre a arte.

Data(s): 19 de Junho – 10h

Divulgação/transmissão: YouTube- Tv Fábricas (Transmissão ao vivo)

Curta com Bate-Papo: Rir é um ato de resistência (Dia do Cinema Brasileiro)

No bate-papo que celebra o Dia do Cinema Brasileiro serão lembrados alguns dos personagens como a Dona Hermínia, a mãe mais amada do Brasil, através do vídeo “Os personagens de Paulo Gustavo: DONA HERMÍNIA!”. Para cada saudade, um Paulo Gustavo do canal Humor Multishow, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ny1BzSUQMGw.

Data(s): 19 de Junho – 11h

Divulgação/transmissão:

Local: Biblioteca (Presencial)

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Contação de História: A Infância de Tarsila do Amaral

Nessa contação de história o público vai descobrir como foi a infância da artista Tarsila do Amaral que aos poucos foi descobrindo o desenho e a pintura. Durante a atividade será feita leitura do livro “A infância de Tarsila do Amaral”, da autora Carla Caruso.

Data(s): 08 de Junho – 15h

Divulgação/transmissão: YouTube – Tv Fábricas de Cultura (Publicação de vídeo)

Curta Com Bate-Papo: Dia Internacional do Orgulho Gay

Com o objetivo de debater sobre o respeito às diferenças, será exibido o curta-metragem “In a Heartbeat”, de Beth David e Esteban Bravo, em comemoração ao Dia Internacional do Orgulho Gay. A animação conta a história de um menino apaixonado por outro garoto, do mesmo gênero, que percebe que é impossível controlar o amor que sente.

Referência: https://www.youtube.com/watch?v=GgfvmHeOiqQ&t=1s

Data(s): 29 de Junho – 11h

Divulgação/transmissão:

Local: Biblioteca (Presencial)

Fábrica de Cultura São Bernardo do Campo

Encontro de Leitores: Planeta Poesia.

Em celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), a equipe da Bibliotech da Fábrica de Cultura 4.0 – São Bernardo do Campo realizará leituras de poesias do livro: Planeta Poesia – Versando Sobre o Planeta. Uma antologia poética organizada por Joilson Pinheiro resultante do “Sarau Planeta Poesia”, que aborda as temáticas que envolvem a proteção do meio ambiente e a preservação da natureza.

Data(s): 01 de junho, ás 14h.

Divulgação/transmissão: YouTube Tv Fábricas (Publicação de vídeo)

Encontro com Autora: Maria Angélica Amarante dos Anjos.

A unidade fará um encontro especial com a escritora Maria Angélica Amarante dos Anjos, psicóloga e mãe, sobre suas experiências, trabalho e pesquisa. Em 2015, ela iniciou um trabalho voltado à adoção, com a criação da página do Facebook intitulada: Anjos da Guarda Serviços de Apoio à Adoção. Contemplada pelo edital ProAC na categoria Prosa, lançou em 2019 o livro “Fui Adotada aos 56 anos” – uma história real de adoção tardia. Em 2020, por meio da Lei Aldir Blanc, fez seu mais recente lançamento, “Histórias na Varanda – Conversas sobre Adoção e Vida”.

Data(s): 08 de junho, às 14h30.

Divulgação/transmissão: YouTube Tv Fábricas (Transmissão ao vivo)

Fábricas de Cultura do Governo de São Paulo estão com vagas abertas nas unidades da Zona Leste e do ABC

Inscrições podem ser realizadas até 15/5 virtualmente; os cursos são gratuitos, nas modalidades presencial e online e oferecidos para crianças, jovens e adultos. 

As Fábricas de Cultura da Zona Leste e de São Bernardo do Campo, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, estão com 3 mil vagas abertas para os cursos de linguagens de teatro, dança, música, circo, multimeios, artes visuais e xadrez do 1º semestre de 2021. As aulas serão realizadas nas modalidades online e presencial, a depender do curso e unidade escolhida.

Inscrições podem ser realizadas pela internet até 15/5 no site: https://cursos.catavento.softwaregeo.com.br/ProcessoSeletivo/SelecaoInteresseComum. O candidato deve preencher o formulário e a equipe da respectiva unidade entrará em contato para confirmar a inscrição.

Confira os cursos disponíveis por unidade:

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Artes plásticas – 4ª e 6ª feira das 09h às 12h.

Balé – 4ª e 6ª feira das 09h às 12h.

Capoeira – 3ª e 5ª das 9h às 12h.

Canto coral – 4ª e 6ª das 14h às 17h.

Percussão – 4ª e 6ª das 14h às 17h.

Projeto espetáculo (8 a 21 anos) – 3ª e 5ª das 14h às 17h – sábado das 9h às 13h.

Canto coral – 4ª das 18h às 21h.

Capoeira – sábado das 10h às 12h.

Dança contemporânea – 3ª das 18h às 21h.

Dança de salão – 4ª das 18h às 21h.

Dança de salão – sábado das 10h às 12h.

Foto e vídeo – 4ª e 6ª das 14h às 17h.

Fábrica de Cultura Sapopemba

Violão – terça e quinta das 14 às 17h

Violoncelo – terça e quinta das 09h às 12h ou das 14 às 17h

Canto coral – terça e quinta das 14 às 17h

Percussão – quarta e sexta das 14 às 17h

Projeto espetáculo – 3ª e 5ª das 14h às 17h – sábado das 9h às 13h.

Fábrica de Cultura Parque Belém

Cenografia – sábados das 14h às 17h

Fotografia – terças e quintas das 09h às 12h ou das 14h às 17h

Teatro – quarta e sexta das 09h às 12h

Sopro metais – quartas e sextas das 14h às 17h

Percussão – quartas e sextas 14h às 17h

Violão – terças e quintas das 14h às 17h; quartas e sextas das 09h às 12h ou das 14h às 17h.

Street dance – terça e quintas das 09h às 12h ou das 14h às 17h

Teclado – terças e quintas das 09h às 12h ou das 14h às 17h

Edição de vídeo – quartas e sextas 14h às 17h

Violino e viola – terça e quinta das 09h às 12h ou das 14h às 17h

Projeto espetáculo – quarta e sexta das 14h às 17h e sábado 09h às 13h

Circo – quarta e sexta das 9h às 12h

Balé – quarta e sexta das 9h às 12h

Coral – sábado das 15h às 17h

Fábrica de Cultura de São Bernardo do Campo

Artes visuais – terça e quinta das 9h às 12h

Projeto espetáculo – quartas e sextas das 14h às 17h – sábados das 9h às 12h

Fábrica de Cultura Vila Curuça

Cenografia – terça e quinta – das 14h às 17h

Violoncelo – terça e quinta – das 14h às 17h

Violão – quarta e sexta das 09h às 12h

Sopro metais – quarta e sexta das 14h às 17h

Violão – terça e quinta das 09h às 12:00

Bordado e adereços – terça e quarta- das 14h às 17h

Xadrez – quarta e sexta das 09h às 12:00

Violino – terça e quinta das 09h às 12:00

Artes plásticas – terça e quinta das 14h às 17h

Percussão – terça e quinta- das 14h às 17h

Bordado e adereços – terça e quarta das 18h às 21h

Canto coral – quarta e sexta – das 14h às 17h

Dança de salão – quarta – das 18h às 21h

Canto coral – quarta – das 18h às 21h

Dança de salão – terça – das 18h às 21h

Fábrica de Cultura Itaim Paulista

Metais – Terças e quintas das 14h às 17h

Bordados e adereços – Terças e quintas ou quartas e sextas das 14h às 17h

Capoeira – Terças e quintas da 9h as

Cenografia – Quartas e sextas das 14h às 17h

Núcleo de Produção (Elaboração de Projetos) Terças e Quintas das 14h às 17h

Violoncelo – Quartas das 18h às 21h

Foto e Vídeo – Sábados das 10h às 12h

Projeto Espetáculo  – Terças e quintas das 14h às 17h e sábados das 9h às 13h

Fábricas de Culturas e Oficinas Culturais do Estado abrem inscrições para diversos cursos 

Mais de 8 mil vagas ofertadas para atividade que acontecem de janeiro a março deste ano; Inscrições podem ser realizadas diretamente no site das unidades 

AFábricas de Cultura e Oficinas Culturais, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, estão com inscrições abertas até março deste ano. Nas Fábricas de Cultura são para as turmas dos Ateliês e Trilhas do 1º semestre de 2022. No total, são 290 cursos distribuídos nas unidades da Zona Norte (Brasilândia, Jaçanã e Vila Nova Cachoeirinha), Sul (Capão Redondo e Jardim São Luís), e Diadema. 

As unidades das Fábricas de Cultura estão disponibilizando 6.500 vagas para os ateliês de formação artística e trilhas de formação cultural (curta e longa duração) que trabalham com as mais variadas linguagens, como dança, circo, música, escrita, economia criativa, artes visuais, capoeira, teatro, foto e vídeo. Os cursos semestrais são gratuitos e abertos para todos os públicos. As atividades começam a partir de 15 de fevereiro. 

Para se inscrever é necessário informar: RG ou documento com foto do responsável no caso de menores de idade; RG ou certidão de nascimento do aprendize comprovante de residência atual. É possível se inscrever em mais de uma trilha ou ateliê, se houver vagas e os horários não coincidirem entre os cursos ou, no caso de crianças e jovens em idade escolar, com os da escola. 

Os interessados podem realizar a inscrição pelo site das Fábricas de Cultura ou diretamente na unidade de interesse, que estão sujeitas a disponibilidade de vagas dos cursos. 

Já as Oficinas Culturais irão oferecer atividades variadas de modo presencial e virtual nas três unidades do programa que ficam na capital paulista (Alfredo Volpi, Juan Serrano e Oswald de Andrade), durante todo o mês de janeiro e fevereiro.  

Interessados do interior, litoral e região metropolitana de São Paulo poderão participar de palestras e oficinas virtuais, que oferecerão mais de 660 vagas em fevereiro, com inscrições abertas a partir do dia 10 de janeiro. 

Para conferir todas as informações da programação on-line de fevereiro para o interior, litoral e região metropolitana de São Paulo das Oficinas Culturais acesse o site link. 

Para mais informações entre em contato pelo e-mail interioronline@oficinasculturais.org.br. 

 SERVIÇO 

  • Fábricas Culturais 

Fábrica de Cultura Brasilândia 

Formação de Coral 

Data e horário: De 15 de fevereiro a 30 de junho – Terças e Quintas das 09h às 11h45 

Faixa etária: A partir de 14 anos 

Formato: Presencial 

As culturas pretas e indígenas e suas histórias tradicionais 

Data e horário: De 15 de fevereiro a 28 de junho – Terças-feiras das 18h às 21h 

Faixa etária: A partir de 18 anos 

Formato: Online 

Fábrica de Cultura Capão Redondo 

Dublagem 

Data e horário: De 15 de fevereiro a 30 de junho – Terças-feiras e quintas-feiras das 18h às 21h 

Faixa etária: A partir de 15 anos 

Formato: Online 

Costura, Moda e Criação 

Data e horário: De 15 de fevereiro a 28 de junho – Terças-feiras das 18h às 21h 

Faixa etária: A partir de 16 anos 

Formato: Presencial 

Fábrica de Cultura Diadema 

Teatro – Iniciação 

Data e horário: De 15 de fevereiro a 23 de junho – Terças e quintas das 14h às 16h45 

Faixa etária: 8 a 11 anos 

Formato: Presencial 

Trilha Litera-Rua: Leitura, Escrita e Editoração da Obra 

Data e horário: D20 de abril a 22 de junho – Quartas-feiras das 19h às 21h 

Faixa etária: A partir de 14 anos 

Formato: Online 

Fábrica de Cultura Jaçanã 

Musicalização: explorando os sons 

Data e horário: De 16 de fevereiro a 29 de junho – Quartas e sextas das 14h às 16h45 

Faixa etária: 8 a 14 anos 

Formato: Presencial 

Marketing digital e design 

Data e horário: De 10 de março a 30 de junho – Quintas-feiras das 19h às 21h 

Faixa etária: A partir de 14 anos 

Formato: Online 

Fábrica de Cultura Jardim São Luís 

Leitura e Escrita Criativa 

Data e horário: De 15 de fevereiro a 30 de junho – Terças e quintas das 14h às 16h45 

Faixa etária: A partir de 15 anos 

Formato: Presencial 

Criação de Ambientes Virtuais – Som, Projeção e Cenário 

Data e horário: D15 de fevereiro a 28 de junho – Terças das 18h às 21h 

Faixa etária: A partir de 14 anos 

Formato: Presencial 

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha 

Desenho, Pintura, Gravura, Escultura e Stencil 

Data e horário: De 16 de fevereiro a 1 de julho 

Turma – Quartas e Sextas das 9h às 11h45 | Turma 2 – Quartas e Sextas das 14h às 16h45 

Faixa etária: 8 a 12 anos 

Formato: Presencial 

Performance Arte: Corpo Performático 

Data e horário: De 19 de fevereiro a 2 de julho – Sábado das 14h às 17h  

Faixa etária: A partir de 14 anos 

Formato: Presencial  

Projeto Espetáculo 

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha  

Projeto Espetáculo (Teatro e Música) – A partir de 15 de fevereiro – Terças-feiras, das 14h às 16h45, e Sábados, das 9h às 11h. 

Presencial. 

Fábrica de Cultura Capão Redondo 

Projeto Espetáculo (Teatro e Música) – A partir de 15 de fevereiro – Terças e quintas, das 14h às 17h, e sábados, das 10h às 13h. 

Presencial. 

Fábrica de Cultura Jardim São Luís 

Projeto Espetáculo (Teatro e Dança Contemporânea) – A partir do dia 15 de fevereiro – Terças e quintas, das 14h às 16h45, e sábados, das 09h às 13h. 

Presencial. 

Fábrica de Cultura Jaçanã 

Projeto Espetáculo (Teatro) – A partir do dia 15 de fevereiro – Terças e quintas, das 14h às 17h, e sábados, das 10h às 13h. 

Presencial. 

Fábrica de Cultura Diadema 

Projeto Espetáculo (Ateliê de Cinema) – A partir de 15 de fevereiro – Terças, quartas e quintas, das 18h45 às 21h30. 

Projeto Espetáculo (Trilha de Fotografia para Cinema e Videomakers) – A partir do dia 7 de abril – Quintas-feiras das 19h às 21h. 

Projeto Espetáculo (Trilha de Edição para Cinema e Vídeo Digital) – A partir do dia 20 de abril – Quartas-feiras das 18h30 às 21h30. 

Fábrica de Cultura Brasilândia 

Projeto Espetáculo (Coral Cênico) – A partir do dia 15 de fevereiro – Terças e quintas, das 14h às 17h, e sábados, das 09h às 13h. 

Presencial. 

Projeto Espetáculo (Teatro e Coral Cênico) – A partir do dia 15 de fevereiro – Terças e quintas, das 14h às 16h45, e sábados, das 09h às 13h. 

Presencial. 

Total: 6.500 vagas 

 Mais informações: site das Fábricas de Cultura 

 Oficinas Culturais 

 Oficina Cultural Oswald de Andrade 

EXPOSIÇÃO: VIOLÊNCIA EM PRETO E BRANCO 

Artista: Alvo 

Em cartaz até 5/2  

Visitas de segunda a sexta-feira, das 10h às 21h. Sábado, das 11h às 18h. 

Público: Interessados em geral 

Participação: Aberta ao Público 

Indicação: maiores de 16 anos 

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP 

ESPETÁCULO: GRÃO 

Núcleo Macabéa 

24/1 a 10/2 – segunda a sexta – 20h às 21h30 | Sábados – 18h às 19h30 

Público: Interessados em geral a partir de 14 anos. 

30 espectadores – Retirar ingressos com uma hora antes do início do espetáculo. 

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP 

Realização: Núcleo Macabéa e Fomento à Cultura da Periferia da Cidade de São Paulo da Secretaria Municipal de Cultura. 

A MORTA: PROJETO DIDÁTICA DA ENCENAÇÃO 

Direção: Cacá Toledo (Cia Aberta de Teatro) 

De 17 de janeiro a 28 de maio de 2022 

Temporada de apresentações (prevista) | 11 a 28/5 – Quarta a sábado em horário a definir. 

Inscrições para oficina e ateliês até 22 de janeiro. 

Indicação: Maiores de 18 anos. 

*Os ateliês são destinados aos interessados em acompanhar como estagiários da área. 

**Após a 1º fase de seleção, os participantes serão chamados para uma conversa com coordenador (a) do ateliê. 

OFICINA DE DIREÇÃO E INTERPRETAÇÃO TEATRAL 

Coordenação: Cacá Toledo 

07/02 a 28/5 | Ensaios e criação – Segundas e terças-feiras das 14h às 19h 

Seleção: Análise da ficha de inscrição 

Inscrição: Clique aqui 

44 vagas | Gratuito  

Após a primeira fase de seleção, os participantes serão chamados para o processo de audição. O resultado será divulgado até o início de fevereiro. 

ATELIÊ DE CENOGRAFIA E CENOTÉCNICA 

Coordenação: Murillo Carraro 

17/1 a 28/5 | Ensaios e criação – Segundas e terças-feiras das 14h às 19h. 

Seleção: Análise de currículo | Carta de interesse 

2 vagas | Gratuito 

Inscrição: Clique aqui. 

ATELIÊ DE DIREÇÃO MUSICAL E TRILHA SONORA 

Coordenação: Felipe Antunes 

17/1 a 28/5 | Ensaios e criação – Terças e quartas-feiras das 14h às 19h 

Seleção: Análise de currículo | Carta de interesse 

30 vagas | Gratuito 

Inscrição: Clique aqui. 

ATELIÊ DE ILUMINAÇÃO 

Coordenação: Aline Santini 

17/1 a 28/5 | Ensaios e criação – Segundas e quartas-feiras das 14h às 19h; 

Seleção: Análise de currículo | Carta de interesse 

2 vagas | Gratuito 

Inscrição: Clique aqui. 

ATELIÊ DE PREPARAÇÃO CORPORAL E DIREÇÃO DE MOVIMENTO 

Coordenação: Claudia Nwabasili | Roges Doglas (Cia Pé No Mundo) 

17/1 a 28/5 | Ensaios e criação – Segundas, quartas e sextas-feiras das 14h às 16h30 

Seleção: Análise de currículo | Carta de interesse 

2 vagas | Gratuito 

Inscrição: Clique aqui. 

ATELIÊ DE PRODUÇÃO 

Coordenação: Jota Rafelli e Rafael Petri 

17/1 a 28/5 | Ensaios e criação – Segundas e quartas-feiras das 14h às 19h 

Seleção: Análise da ficha de inscrição 

2 vagas | Gratuito 

Inscrição: Clique aqui. 

  • Oficina Cultural Alfredo Volpi 

VISITA GUIADA COM A ARTISTA BEL OBALUÂNGE  

Dias 20/1 e 27/1 – Quintas-feiras – 15h 

Atividade presencial | Aberta ao Público 

Local: Oficina Cultural Alfredo Volpi – Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP 

MITOS DE ORIGENS E SEUS ENCANTOS 

Com: Patrícia Ashanti 

22/1 – Sábado – 15h 

Atividade Livre | Sem inscrição. 

Presencial: Oficina Cultural Alfredo Volpi – Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP 

Online: Instagram @patricia_ashanti 

 ORIXÁS E A NATUREZA 

Com: Patrícia Ashanti 

29/1 – Sábado – 15h às 16h 

Atividade Livre | Sem inscrição 

Presencial: Oficina Cultural Alfredo Volpi – Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP 

Online: Instagram @patricia_ashanti 

EXPOSIÇÃO: RAÍZES – EWÈ EWÈ, SEM FOLHA NÃO TEM ESSÊNCIA  

Artista: Bel Obaluânge 

Em cartaz até 11/2  

Presencial: De terça a sexta, das 11h às 17h. 

Local: Oficina Cultural Alfredo Volpi – Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP. 

*Agendamento necessário apenas para grupos a partir de 6 pessoas, com antecedência mínima de 24h através do contato (11) 2205-5180. 

Online: Disponível para acessar clicando aqui. 

 Oficina Cultural Maestro Juan Serrano 

SOBERANA ZIZA E A IMPORTÂNCIA DAS MULHERES NA HISTÓRIA DE SÃO PAULO  PROCESSO DE CRIAÇÃO EM GRAFITE
Coordenação: Soberana Ziza
25/1 – Terça-feira – 14h às 17h
30 vagas | Atividade Livre 

On-line: Transmissão através do Facebook @OficinasCulturais 

Local: Oficina Cultural Juan Serrano – Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo  

*Público presencial: deverá respeitar e seguir todos os protocolos adotados pela Oficina Cultural. **A prioridade para a presença será por agendamento seguida da ordem de chegada, agendamentos que não estiverem presentes até 13h45, serão dispensados.
Informações e agendamentos através do WhatsApp (11) 3971-3640.   

WORKSHOP DE LAÇOS E TIARAS
Coordenação: Vera Rodrigues
25/1 – Terça-feira – 14h50 às 15h50 

Vagas: 15 (Sendo presencial 8 vagas).  

Inscrição: Clique aqui | Até 18 de janeiro 

Seleção: Por ordem de Inscrição 

Faixa Etária: maiores de 18 anos  

Vagas: 15 (Sendo presencial 8 vagas).  

On-line: Plataforma Zoom 

Local: Oficina Cultural Juan Serrano – Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo 

Oficinas Culturais – Formação para o Interior  

Faixa etária: a partir dos 16 anos

PALESTRA | LYGIA CLARK: DA ARTE À TERAPIA – ESTUDOS DOS OBJETOS RELACIONAIS  
Coordenação: Dani Bargas 
1/02, 18h às 21h
Inscrições: 10/1 até o preenchimento das vagas – aqui 
50 Vagas Plataforma: Zoom 

INTRODUÇÃO À PRODUÇÃO CULTURAL MUSICAL EXECUTIVA
Coordenação: Cida Gonçalves
11/2 – 14h às 16h 
Inscrições: 10/1 até o preenchimento das vagas – aqui
50 Vagas | Plataforma: Zoom 

OFICINA: POESIA CONTEMPORÂNEA 
Coordenação: Caroline Maciel
16, 18 e 23/2, 14h às 16h
Inscrições: 10/1 até o preenchimento das vagas – aqui
30 Vagas | Plataforma: Zoom 

OFICINA: GRUPO GALPÃO – UMA HISTÓRIA DE TEATRO
Coordenação: Eduardo Moreira (Grupo Galpão) 
22 e 24/2, 18h às 20h
Inscrições: 10 a 27/01 – aqui
60 Vagas | Plataforma: Zoom 

Atenção: todas as inscrições da programação on-line de fevereiro para o interior, litoral e região metropolitana de São Paulo estão reunidas neste link. 

 

Falha no YouTube impede transmissão da reunião do Condephaat em tempo real

Em decorrência da falha no YouTube na manhã desta segunda-feira, 14 de dezembro, assim como em todas as ferramentas ligadas ao Google, a reunião do Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) não será transmitida em tempo real. Após a normalização do serviço de vídeo, ela será colocada à disposição de todos.

Férias no Museu do Futebol têm brincadeiras clássicas e atividades especiais

O Museu do Futebol continua até 27 de janeiro com sua programação especial do “Férias no Museu” (de terça a domingo, das 10h às 17h, com entrada gratuita), com brincadeiras e atividades clássicas como amarelinha, dama, futebol de botão, jogo da velha, bambolê, dentre outras.

Algumas das brincadeiras têm horários definidos e acompanhamento de monitores, como Arco e Flecha, Oficina de Pipa, Circuito Treino de Futebol, Futebol de Duplas, Futebol com bexigas, Futebol de Sopro e Futebol Vendado.

No sábado dia 12/1, às 13h30, acontece a “Oficina de pebolim de mesa”, que utilizando materiais simples como papelão, cola, palitos e pregadores de roupas irá construir com os participantes seus próprios brinquedos. A oficina é gratuita e é necessário retirar senha com 30 minutos de antecedência.

No domingo dia 13/1, às 11h30 e às 13h30, a intervenção artística “Nas abas do meu cordel” aproxima o publico da cultura brasileira. Os artistas da Cia da Matilde se misturam com seus instrumentos musicais, chamando a atenção por meio de cantigas, histórias rimadas, trava línguas e adivinhas, contando a história do cordel, de Patativa do Assaré, João Peron e outros.

Nos finais de semana, de 19 a 27 de janeiro, dois esportes de neve que gera muito interesse e curiosidade chegam ao Brasil em versões de verão: o Curling e o Bobsled.

O Curling é um esporte tradicional dos Jogos de Inverno realizado em uma pista de gelo, em que uma série de pedras são jogadas com o objetivo de ficar mais próxima do alvo, marcado do outro lado da pista. O street curling é uma forma adaptada de se jogar este esporte em países tropicais, cujo objetivo principal é oferecer aos visitantes uma vivência e que entendam a dinâmica do esporte.

A pista montada não é de gelo, e sim de um plástico resistente. As pedras possuem uma espécie de rodinha, que facilita o deslocamento. O Street curling é um esporte inclusivo podendo ser jogado independente de limite de idade, sexo ou condicionamento físico.

O Bobsled é um trenó de gelo para quatro pessoas que desliza sobre um tobogã. No Museu do Futebol, o esporte será vivenciado virtualmente, por meio da tecnologia de óculos de realidade virtual, que proporcionará aos visitantes a imersão neste esporte dos Jogos de Inverno.

As atividades desta edição do programa Férias no Museu foram inspiradas na exposição temporária “Clássico é Clássico e Vice-Versa”, em exibição até 03/02, e que conta com patrocínio do Grupo Globo e apoio da TV Globo e do SportTV, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Com o tema brincadeiras clássicas, as atividades ocorrem na área externa do Museu com a presença de monitores. Pebolim, futebol de botão, pula corda, jogo da velha, bambolê, futebol de dedo, ping-pong e amarelinha são algumas das brincadeiras que a criançada poderá curtir e os adultos reviverem a infância.

O acesso ao espaço “Férias no Museu” é gratuito e para visitar o Museu do Futebol é necessário adquirir o ingresso na bilheteria. Às terças, o Museu tem entrada gratuita para todos os visitantes.

Aos finais de semana, as tradicionais atividades conduzidas pela equipe de educadores do Museu continuarão sendo realizadas: visitas mediadas, oficinas, jogos e Espaço Dente de Leite para que todos aproveitem ainda mais o passeio. Todas elas estão no site www.museudofutebol.org.br 

Se vier de carro, drible os flanelinhas. Estacione na Praça Charles Miller com Zona Azul Digital, a R$ 5 por três horas.

onde fica?

Festival Cine MIS seleciona filmes inéditos para exibição gratuita no Museu da Imagem e do Som

Diretores e produtores de todo o país podem inscrever seus trabalhos na Convocatória 2020-2021, a partir desta terça (31), no site do MIS

Cineastas de todo o Brasil, amadores ou não, têm a oportunidade de exibir seus filmes no Museu da Imagem e do Som, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. A Convocatória do Festival Cine MIS 2020/2021 tem por objetivo criar um espaço de lançamento e difusão de filmes nos gêneros ficção, documentário e animação, captados em qualquer formato, sem limite de duração (curtas, médias e longas-metragens) e que ainda não tenham sido exibidos em circuito comercial.

As inscrições são gratuitas e ficam abertas de 31/8 até 19/9 no site do MIS. As exibições dos filmes selecionados serão feitas em dezembro de 2021, no Auditório MIS (a mostra poderá ocorrer no formato on-line por critérios de saúde sanitária). As sessões serão gratuitas, abertas ao público, e contarão com divulgação realizada pelo Museu.

#MISemCasa

Ainda nesta semana, a programação virtual do MIS apresenta: o Videoartepapo, com Janaina Wagner, na quinta-feira; Bate-papo de Cinema Pontos MIS, em parceria com Belas Artes À La Carte, com o filme Eva não dorme, no sábado.

Exposição Registros da Inclusão

O público também confere uma nova exposição presencial na sede do MIS, com entrada gratuita: “Registros da Inclusão”, realizado pelo Instituto Olga Kos (IOK) em parceria com o renomado fotógrafo e jornalista, Rogério Reis. Ao todo, estarão expostas cerca de 26 fotografias, sendo 12 de trabalhos do artista (acervo que foi doado ao Instituto Olga Kos), e outros 14 desenvolvidos em oficinas inspiradas em trabalhos de Reis, realizadas com beneficiários da iniciativa. As oficinas foram ministradas por fotógrafos do IOK, que mergulharam nos trabalhos de Rogério Reis e desenvolveram diferentes temas e técnicas com os participantes. A exposição fica em cartaz de 2 a 15 de setembro, no Espaço Expositivo Térreo do Museu, e tem entrada gratuita.

Programação #MISemCasa | YOUTUBE MIS

02.09 | Quinta-feira | 19h – ao vivo | Videoartepapo – Janaina Wagner

Quinzenalmente, o MIS apresenta um bate-papo ao vivo sobre videoarte conduzido por Marcia Beatriz Granero, com artistas representativos e exibição de obras que integram o Acervo do MIS. Nesta edição, a convidada é Janaina Wagner, que desenvolve seus trabalhos em diversas mídias, como vídeo, fotografia, livro, desenho, instalação, cenografia e pintura, para falar sobre as relações de limite, controle e contenção que o homem estabelece com o mundo.

14.08 | Sábado | 18h – ao vivo | Bate-papo de Cinema Pontos MIS | Eva não dorme

O Bate-papo de Cinema Pontos MIS realiza, aos sábados, exibições gratuitas de filmes seguidas de debates ao vivo no canal do Museu no YouTube, buscando trazer membros da equipe dos filmes, pesquisadores da área, críticos de cinema, jornalistas e agentes cineclubistas para discutir sobre a obra e apresentar curiosidades da produção.

Esta edição, que acontece em parceria com o serviço de streaming Belas Artes À La Carte*, apresenta Eva não dorme (dir. Pablo Aguero, Argentina, 2015, 85 min, 12 anos), filme estrelado por Gael García Bernal sobre a argentina Eva Perón e a tentativa de alguns ditadores de apagar seu legado da memória do povo. O filme pode ser acessado gratuitamente por meio deste link (das 11h de 2/9 até 4/9) e o bate-papo ao vivo sobre o filme acontece no canal do MIS no YouTube e conta com a participação do cineasta e pesquisador Bruno Cucio e da diretora e roteirista Giuliana Monteiro na mediação.

*O público que assistir ao filme receberá, após a sessão, um cupom para acesso por 01 (um) mês gratuito na plataforma Belas Artes à La Carte.

Exposições virtuais e Acervo Online MIS

Além da programação digital #MISemCASA, o Museu MIS apresenta cinco exposições virtuais realizadas em parceria com o Google Arts & Culture: Moventes (que traz imagens de situações de deslocamento em diferentes tipos de trabalho itinerante); A Coleção Guilherme Gaensly no acervo MIS: uma paisagem humana (que presenta imagens históricas sobre o cultivo do café no interior paulista); Cinema paulista nos anos 1970; Lambe-lambe: fotógrafos de rua em São Paulo nos anos 1970 e A mulher na Revolução de 32. Além das exposições virtuais, o público também pode conferir parte do Acervo MIS que está digitalizado e pode ser acessado neste link. No Acervo online, os visitantes encontram informações sobre os itens que compõem os acervos museológico e bibliográfico do MIS e, em alguns casos, terá amplo acesso ao conteúdo das coleções de fotografia, áudio e vídeo. Tendo como base um banco de dados desenvolvido especialmente para o acervo do Museu, o Acervo online apresenta-se ao público como um instrumento para a exploração dos milhares de itens que fazem parte do acervo MIS.

Cursos

O MIS está com inscrições abertas para diversos cursos on-line. São opções nas mais variadas áreas do conhecimento: cinema, HQ, fotografia, escrita criativa, geek, história da arte e música. Condições especiais: os interessados em participar de mais de um curso agora ganham abatimento nos valores com combos de desconto. E todos os idosos, a partir dos 60 anos, têm 50% de desconto em cada inscrição. A lista completa e todos os detalhes podem ser conferidos no site do Museu: www.mis-sp.org.br/cursos

Serviço

Exposição | Registros da Inclusão – Rogério Reis

Data 02 a 15/9

Entrada gratuita

Horário Terça a Sábado – 11h às 19h; Domingos e Feriados – 12h às 18h

Local Espaço Expositivo Térreo Museu da Imagem e do Som – avenida Europa, 158, Jd. Europa

#MISEMCASA

SITE www.mis-sp.org.br

Redes

museudaimagemedosom
@mis_sp
@mis_sp
/missaopaulo

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

Festival de Inverno de Campos do Jordão tem masterclasses com nomes internacionais

A 51ª edição do Festival de Verão e Inverno de Campos do Jordão, realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e pela Fundação Osesp e em parceria com a Prefeitura Municipal de Campos do Jordão,  apresenta este ano 20 masterclasses transmitidas ao vivo direto da Sala São Paulo, além de 800 horas de aula para 135 alunos. O festival acontece até 1º de agosto com apresentações em Campos do Jordão e na capital paulista.

Assim como a programação de concertos, as masterclasses poderão ser assistidas no YouTube do Festival e na plataforma #CulturaEmCasa. Nomes de referência no cenário internacional, os professores estarão fora do Brasil e irão ministrar as aulas à distância – o público terá a oportunidade de interagir através do chat do canal. Entre os convidados destacam-se o trompetista Pacho Flores (solista internacional), a pianista Yulianna Avdeeva (solista internacional), a flautista Silvia Careddu (professora da Hanns Eisler Berlin e da Barenboim-Said Akademie), o violinista Boris Brovtsyn (solista internacional), o contrabaixista Martin Heinze (Filarmônica de Berlim) e o trombonista Joe Alessi (Filarmônica de Nova York), entre outros.

“Tendo em conta a dificuldade em se realizar viagens internacionais causada pela crise da Covid-19, o Festival de Campos do Jordão elaborou uma série de masterclasses internacionais on-line. O formato nos permitiu convidar músicos que frequentemente não têm espaço em suas agendas para vir ao Brasil em julho. Nossos estudantes terão a chance única de ter uma aula virtual com alguns dos maiores músicos da atualidade e que são referências em seus respectivos instrumentos, como legendários instrumentistas de cordas, sopro e percussão de orquestras como as Filarmônicas de Berlim e Viena, Concertgebouw de Amsterdã, Philharmonia de Londres, Filarmônica de Nova York e Orquestra Nacional da França”, explica o Coordenador Artístico-Pedagógico do Festival, Fábio Zanon.

PROGRAMAÇÃO DAS MASTERCLASSES – 5 A 30 DE JULHO

5 JUL segunda 10H30
PERCUSSÃO
FLORENT JODELET
(Músico da Orquestra Nacional da França e professor do Conservatório de Paris – França)

6 JUL terça 10H30
TROMPETE
PACHO FLORES
(Solista Internacional)

7 JUL quarta 10H30
TUBA
ROGER BOBO
(Ex-tubista da Orquestra do Concertgebouw – Amsterdã, Holanda – e da Filarmônica de Los Angeles – EUA –; antigo professor da Musashino Academy of Music – Tóquio, Japão – e do Conservatório de Lausanne – Suíça)

8 JUL quinta 10H30
TROMBONE
JOE ALESSI
(Primeiro Trombone da Filarmônica de Nova York – EUA)

9 JUL sexta 10H30
VIOLINO I
LIVIU PRUNARU
(Spalla da Orquestra do Concertgebouw de Amsterdã – Holanda)

12 JUL sexta 10H30
HARPA
ANNE-SOPHIE BERTRAND
(Solista na Orquestra da Rádio de Frankfurt, Conservatório de Bruxelas, e professora do Conservatório de Bruxelas – Bélgica)

13 JUL sexta 10H30
CLARINETE
MARK VAN DE WIEL
(Principal Clarinete da Philharmonia Orchestra e da London Sinfonietta, professor na Royal Academy of Music – Londres, Inglaterra)

14 JUL sexta 10H30
PIANO I
YULIANNA AVDEEVA
(Solista internacional, 1º prêmio no Concurso Chopin de Varsóvia – Polônia)

15 JUL sexta 10H30
VIOLINO II
BORIS BROVTSYN
(Solista internacional)

16 JUL sexta 10H30
OBOÉ
GORDON HUNT
(Principal Oboé da London Chamber Orchestra e da World Orchestra for Peace e professor na Guildhall School of Music and Drama – Londres, Inglaterra)

19 JUL sexta 10H30
VIOLONCELO I
ALEXANDER CHAUSHIAN
(Solista Internacional e professor do Royal College of Music – Londres, Inglaterra)

20 JUL sexta 10H30
FLAUTA
SILVIA CAREDDU
(Professora da Hanns Eisler Berlin e da Barenboim-Said Akademie – Alemanha – e do Conservatório e Academia Superior de Música de Strasbourg – França)

21 JUL sexta 10H30
CONTRABAIXO
MARTIN HEINZE
(Músico da Filarmônica de Berlim – Alemanha –, e instrutor da Gustav Mahler Youth Orchestra – Áustria, Viena)

22 JUL sexta 10H30
PIANO II
PEDRO BURMESTER
(Solista Internacional e professor da Escola Superior do Porto – Portugal)

23 JUL sexta 10H30
VIOLÃO
MARCO TAMAYO
(Professor do Mozarteum de Salzburg – Áustria)

26 JUL sexta 10H30
FAGOTE
SOPHIE DERVAUX
(Fagote Principal da Filarmônica de Viena e da Ópera de Viena – Áustria)

27 JUL sexta 10H30
VIOLA
DIEMUT POPPEN
(Professora da Escuela Superior de Música Reina Sofia — Madri, Espanha)

28 JUL sexta 10H30
VIOLONCELO II
MARK KOSOWER
(Primeiro Violoncelo da Orquestra Sinfônica de Cleveland – EUA)

29 JUL sexta 10H30
VIOLINO III
LIANA GOURDJIA
(Professora da École Normale de Paris – França)

30 JUL sexta 10H30
Professor a confirmar

Serviço

51º Festival de Verão e Inverno de Campos do Jordão

Data: de 3 de julho a 1º de agosto (Masterclasses: de 5 a 30 de julho)

MASTERCLASSES:

– Transmissão ao vivo no YouTube do Festival e na plataforma #CulturaEmCasa.

CONCERTOS:

– AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO – Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3662-2334. 307 lugares. Gratuito.
Retirada de ingressos em www.festivalcamposdojordao.org.br/ingressos/ a partir de 10 dias antes de cada apresentação ou no dia do evento, na bilheteria do Auditório — consultar horário de funcionamento no site. Limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

– SALA SÃO PAULO – Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo, SP. Tel. (11) 3367-9500. 480 lugares. Gratuito.
Retirada de ingressos em www.festivalcamposdojordao.org.br/ingressos/ a partir de 10 dias antes da apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

Ficção científica e mercado de trabalho são temas de cursos na Casa Guilherme de Almeida

Quem gosta de ficção científica não pode perder o curso gratuito que a Casa Guilherme de Almeida organizou no mês de fevereiro. Ficção científica nos anos 1960: da literatura ao cinema será realizado entre os dias 11 e 15, das 19h às 21h, e no dia 16, das 14h às 18h.

A proposta das aulas é incentivar a reflexão sobre as adaptações de importantes obras da literatura sci-fi para as telas nos anos 1960. O curso busca identificar as escolhas estéticas adotadas nas transposições desses trabalhos e também analisar o contexto sócio-histórico-cultural da época das obras. No último dia, o filme Mortos que matam (1964), de Ubaldo Ragona e Sidney Salkow, será exibido para permear a discussão. Fernando Brito e Raphael Cubakowics, ambos críticos de cinema e curadores na Versátil Home Vídeo, comandarão os debates. 

Além deste, o Museu-Casa preparou também um curso especialmente para quem atua ou deseja atuar no campo cinematográfico no Brasil. Cinema e mercado de trabalho vai de 29 de janeiro a 1º de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 16h.

As aulas serão ministradas pelo jornalista Franthiesco Ballerini e introduzirão os participantes às principais áreas de atuação no mercado de trabalho cinematográfico no país. A partir de uma visão geral do cenário audiovisual brasileiro, o aluno aprenderá a distinguir cada área de atuação, suas características principais e seus requisitos específicos. Ballerini tem quase 20 anos de experiência no mercado, com foco nos segmentos de comunicação e artes. 

Com o crescimento e popularização de grandes plataformas de streaming, as séries ganham um espaço cada vez maior na vida dos amantes da sétima arte e do audiovisual como um todo. Pensando nesse crescimento de mercado, a Casa Guilherme de Almeida realiza também o curso Escrevendo roteiros para séries. Nele, o roteirista Henrique Melhado apresenta conceitos e ferramentas básicas para escrever um roteiro audiovisual de ficção. Os encontros serão de 14 a 18 de janeiro, de segunda a sexta-feira, às 19h.

Durante uma semana, os participantes entram em contato com temas como desenvolvimento de personagens, conflito dramático, tema, estrutura de roteiro, a função de um roteirista e a formatação de um roteiro. Para explicar os conceitos, Melhado utiliza exemplos de séries, animações e filmes atuais.

Todos os cursos são gratuitos; para participar basta se inscrever pelo site do museu.

 

onde fica?

Fundo Social e Secretaria de Cultura e Economia Criativa distribuem cestas básicas a circos da capital

Iniciativa prevê a entrega de 1.334 cestas para famílias circenses de todo o Estado; medida é parte do pacote de ações do Governo para o enfrentamento da pandemia da Covid-19

(mais…)

Governo de São Paulo distribui cestas básicas para profissionais da cultura

A doação será feita pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por meio da Fundação Memorial da América Latina e do Fundo Social. O ato simbólico acontece nesta sexta-feira (30). 

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SEC) entrega, nesta sexta-feira (30), cestas básicas que serão destinadas aos profissionais do setor artístico em situação de insegurança alimentar.  A doação, uma iniciativa do governo do Estado de São Paulo por meio da Fundação Memorial da América Latina (FMAL) e do Fundo Social (FUSP), acontece a partir das 14h.

A cerimônia simbólica de entrega das cestas será realizada no Memorial da América Latina com as presenças do secretário de Cultura Sérgio Sá Leitão, dos presidentes executivo e de honra da FUSP, Fernando Chucre e Bia Doria respectivamente, do presidente da FMAL, Jorge Damião,  e de representantes das entidades: ABRACIRCO (Associação Brasileira do Circo); Ordem dos Músicos de SP; APETESP (Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo); SINDDANÇA SP; SINDCINE (Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Cinematográfica e Audiovisual) e SATED (Sindicato dos Artistas e Técnicos). As seis instituições foram escolhidas para receber o voucher de retirada dos alimentos no Centro de Eventos Anhembi, onde as cestas estão estocadas.

A escolha das entidades foi realizada para contemplar profissionais de todas as áreas artísticas. Como não é possível atender à totalidade das organizações existentes, a Secretaria, o Fundo Social e a FMAL designaram uma de cada segmento global – audiovisual, circo, dança, música, teatro, técnicos e produtores.

“O setor cultural e criativo foi o mais impactado pela crise da pandemia, segundo estudos recentes do Seade, da FGV e do Itaú Cultural”, afirma Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. “A situação é grave. Por isso, o governo de São Paulo tomou uma série de medidas de estímulo a essa área tão importante, como os programas de fomento com valor recorde, as linhas de crédito em condições facilitadas e também a distribuição de cestas básicas em parceria com entidades representativas de todos os segmentos culturais.”

O presidente da Fundação Memorial da América Latina (FMAL), Jorge Damião, diz que a iniciativa é um ato de solidariedade a uma das classes que mais sofreram com as atividades suspensas em função da pandemia. “A doação das cestas é nossa contribuição para os artistas que nos alimentam diariamente com sua arte.”

A distribuição das cestas faz parte de uma série de ações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa em benefício do setor artístico. No ano passado, a pasta investiu R$ 177,1 milhões na área, com recursos do próprio Estado, por meio das linhas de fomento à cultura ProAC e Juntos pela Cultura. O aporte foi utilizado em cerca de 4,8 mil projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras selecionadas por chamadas públicas e curadorias independentes. Foi o maior investimento em produção cultural realizado por um estado brasileiro em 2020. Por meio da lei federal Aldir Blanc, o Estado de São Paulo recebeu R$ 566 milhões, dos quais R$ 264 milhões foram utilizados para auxílio emergencial de profissionais do setor e financiamento de editais.

Em 2020, foram liberadas ainda linhas de crédito do Banco do Povo e da Desenvolve SP para o auxílio de artistas impactados pela pandemia. Pelo Banco do Povo, os empréstimos variam entre R$ 200 e R$ 20 mil, com taxa de juros de 0,35% ao mês e prazo de 36 meses para pagamento. Os créditos de até R$ 3 mil podem ser pedidos sem analista. Por meio da Desenvolve SP, o setor da cultura conta com R$ 275 milhões. São créditos com 12 meses de carência e 60 meses para pagar, a juros de 1,2% ao mês.

Segundo o secretário Sérgio Sá Leitão, este ano o volume investido no setor baterá novo recorde. As linhas e valores estão sendo definidos e a previsão é de que, até meados de maio, sejam realizadas as primeiras chamadas públicas.

Governo de São Paulo homenageia 50 personalidades do setor cultural em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes

Premiações da Cultura de São Paulo 2020/2021 concedeu medalhas, prêmios e troféus aos profissionais que se destacaram nas áreas das artes, como literatura, artes plásticas e gestão cultural

O governador João Doria realizou na noite desta segunda-feira 13/12, no Palácio dos Bandeirantes, a cerimônia de Premiações da Cultura de São Paulo 2020/2021. Na ocasião, foram condecorados 50 profissionais que se destacaram por seus trabalhos dedicados ao desenvolvimento e à promoção da cultura no Estado. O propósito foi reconhecer e prestigiar aqueles que mantiveram viva a cultura paulista durante o período de paralização das atividades presenciais e celebrar a retomada das operações culturais e criativas em São Paulo.A honraria contemplou a entrega de três medalhas – Medalha Tarsila do Amaral (para as artes), Medalha Mário de Andrade (para as letras) e Mérito Museológico (para a conservação do patrimônio cultural) – e de dois prêmios – Prêmio São Paulo de Literatura e Prêmio Governo do Estado de São Paulo para as Artes. Entre os homenagedos, estavam presentes Benjamin Seroussi / Casa do Povo, Sérgio Freitas / Fábrica de Cultura 4.0 de São Bernardo do Campo, Preto Zezé / Central Única das Favelas, entre outros.“O período da pandemia mostrou mais uma vez que a cultura é fundamental para o Brasil e para todos nós. Mais cultura significa mais renda, mais emprego, mais inclusão e mais desenvolvimento. Significa, também, mais educação, mais turismo, mais saúde e mais democracia” afirmou o governador João Dória. “O país precisa da cultura e dos artistas e produtores culturais para prosperar. Nada mais justo, portanto, do que reconhecer e homenagear quem faz a cultura de São Paulo brilhar.”“2020 foi um ano muito difícil para todos. Em especial, para a cultura brasileira. Mas a cultura brasileira é intensa e potente. Seus profissionais são obstinados”, disse o secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado, Sérgio Sá Leitão. “Em São Paulo, o Governo do Estado elevou o investimento em cultura e ampliou os programas e ações. Assim, a cultura resistiu. E agora, com o avanço da vacinação, está em plena retomada.”Conheça os vencedores em cada categoria:

Medalha Tarsila do AmaralA Medalha Tarsila do Amaral foi criada em 2019 pelo Governo do Estado de São Paulo e tem o objetivo de reconhecer e homenagear quem se destaca por suas contribuições à cultura e à economia criativa de São Paulo no campo das artes.Conheça os 15 agraciados com a Medalha Tarsila do Amaral 2020/2021:– Abel Silveira Gomes (Abel Gomes)– Adriana Barbosa– Arrigo Barnabé– Carlos Eduardo Brito Lira (Eduardo Lyra)– Jorge Sirena Pereira (Dody Sirena)– Emanoel Alves de Araújo (Emanoel Araújo)– Emmanuele Baldini– Isa Grinspum Ferraz– Janaína Cecília Torres dos Santos Rueda (Janaína Rueda)– Jefferson Rueda– Jorge Philippe Takla (Jorge Takla)– José Olympio da Veiga Pereira (José Olympio Pereira)– Konrad Cunha Dantas (KondZilla)– Marcello Dantas– Monica Andreatta Tarragó (Monica Tarragó)Medalha Mário de AndradeA Medalha Mário de Andrade foi criada em 1977 pelo Governo do Estado de São Paulo e tem o objetivo de reconhecer e homenagear quem se destaca por suas contribuições à cultura e à economia criativa de São Paulo nos campos das letras e da gestão.Conheça os 15 agraciados com a Medalha Mário de Andrade em 2020/2021:– Ailton Alves Lacerda Krenak (Ailton Krenak)– Aline Nascimento Barrozo Torres (Aline Torres)– Ana Paula Maia– Aracy Abreu Amaral (Aracy Amaral)– Arnaldo Augusto Nora Antunes Filho (Arnaldo Antunes)– Carlos Augusto Mattei Faggin (Carlos Faggin)– Fábio de Sá Cesnik (Fábio Cesnik)– Gabriela Prioli Della Vedova (Gabriela Prioli)– João Silvério Trevisan– Maria Adelaide Almeida Santos Amaral (Maria Adelaide Amaral)– Murillo de Aragão– Patrícia Campos Melo– José Reinaldo Azevedo e Silva (Reinaldo Azevedo)– Roberto Teixeira da Costa– Sílvio Eduardo de Assis Pacheco Lancellotti (Sílvio Lancellotti)Medalha Mérito MuseológicoA Medalha do Mérito Museológico Waldisa Rússio Camargo Guarnieri foi criada em 2018 e tem o objetivo de reconhecer e homenagear quem se destaca por suas contribuições à cultura e à economia criativa de São Paulo no campo da museologia.Conheça as 3 agraciadas com a Medalha do Mérito Museológico em 2020:– Maria Cristina de Oliveira Bruno– Ana Mae Barbosa– Sônia Guarita do Amaral (In Memoriam)Prêmio São Paulo de LiteraturaO Prêmio São Paulo de Literatura foi criado em 2008 e tem o objetivo de reconhecer e homenagear os autores das obras escolhidas, por um júri formado por 10 especialistas, como o Melhor Romance de Estreia e o Melhor Romance publicados no Brasil no ano anterior. O júri, por sua vez, é indicado por uma comissão de 4 curadores. Cada autor premiado recebe R$ 200 mil.Conheça os 2 autores agraciados com o Prêmio São Paulo de Literatura 2020:– Melhor Romance de EstreiaMarcelo Labes / “Paraízo-Paraguay” (Editora Caiaponte)– Melhor RomanceClaudia Lage / “O Corpo Interminável” (Editora Record)Prêmio ArtesO Prêmio Governo do Estado de São Paulo para as Artes foi criado em 1950 e tem o objetivo de reconhecer e homenagear profissionais do setor cultural e criativo de São Paulo que se destacaram no ano anterior por suas realizações. Há 15 categorias temáticas. As indicações e escolhas são feitas por comissões, envolvendo ainda os órgãos colegiados de cultura do Governo do Estado de São Paulo. Os vencedores foram anunciados durante a cerimônia. Cada um recebeu, além do prêmio em dinheiro de R$ 30 mil, um troféu.1. Museus, equipamentos e centros culturaisBenjamin Seroussi / Casa do Povo2. Patrimônio cultural material e imaterialPaula Egydio (Yá Paula de Yansã) / Terreiro Axé Ilê Obá3. Grupos, companhias e corpos estáveisArthur Nestrovski, Marcelo Lopes e Thierry Fischer / Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo4. Cultura popular e tradicionalAdriana Aragão, Elisabeth Belisário e Girlei Miranda / Bloco Afro Ilú Obá De Min5. Cultura urbanaGlauciete Martins Gomes / Companhia Sansacroma6. Empreendedorismo cultural e criativoAlex Allard / Cidade Matarazzo7. Inovação e tecnologia em arte e culturaSérgio Freitas / Fábrica de Cultura 4.0 de São Bernardo do Campo8. Estudos e pesquisas em cultura e economia criativaAna Carla Fonseca Reis / “Dá Gosto Ser do Ribeira – Plano Estratégico de Economia Criativa do Vale do Ribeira”9. Mostras, festivais, mercados e eventos culturaisCristiane Guzzi e Marcelo Lima / ExpoCine10. Produção cultural independenteSérgio Ajzenberg / Divina Comédia Produções Artísticas11. Inclusão, diversidade e acesso à culturaFrancisco José Pereira de Lima (Preto Zezé) / Central Única das Favelas12. Formação e capacitação em arte e culturaDanilo Miranda / Centro de Pesquisa e Formação do SESC SP13. Livro, leitura e bibliotecasCibeli Moretti de Oliveira / Festival Literário de Votuporanga14. Comunicação culturalJuliana D’ Agostini / Programa “O Piano Mágico da Ju”, da TV Cultura15. Iniciativas culturais para crianças e adolescentesPatrícia Audi / Exposição “Tarsila para Crianças”

Governo de São Paulo investe em projetos culturais de 11 municípios do Estado

Cidades de seis regiões paulistas serão beneficiadas com investimento total de R$ 1,4 milhão 

O governador Rodrigo Garcia anunciou nesta quarta-feira (29) no Memorial da América Latina num evento que contou com a presença de todos os prefeitos do interior que o Estado vai viabilizar projetos culturais em 11 municípios nas regiões de Araçatuba, Campinas, Central, Ribeirão Preto, São José dos Campos e Região Metropolitana, com um investimento total de R$ 1,4 milhão. O Secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, assinou o acordo no palco da instituição cultural com o prefeito de Guariba, Celso Romano, que usará os recursos (R$ 150 mil) para adquirir equipamentos culturais e instrumentos musicais para o projeto “Fanfarra na Escola”. Romano representou os prefeitos das cidades beneficiadas. 

A cidade de Castilho, localizada na região de Araçatuba, receberá R$ 50 mil para a realização da primeira semana cultural do município.  Na região de Campinas, Artur Nogueira será contemplada com R$ 154.974,23 para adquirir e modernizar equipamentos culturais. O mesmo ocorrerá nas cidades de Mococa (R$ 100 mil para a modernização dos equipamentos) e São José do Rio Pardo (R$ 100 mil para a obtenção de equipamentos culturais). 

Em Araraquara, a economia criativa será fortalecida por meio de oito Oficinas de qualificação para Carnavalescos (R$ 100 mil). Já a cidade de Serrana, localizada na região de Ribeirão Preto, receberá R$ 100 mil para o Projeto “Ampliar-te” com oficinas culturais voltadas para danças urbanas, de salão, do ventre e balé clássico. 

Em Jacareí (região de São José dos Campos) foi dada a largada para o  Projeto “Em busca da liberdade: narrativas visais afro-urbanas” (R$ 100 mil). 

Por fim, a Região Metropolitana do Estado será contemplada com projetos culturais em três cidades. No município de Osasco, que acaba de ganhar uma Fábrica de Cultura 4.0, será implementado o projeto “Taca Tinta” (R$ 520 mil). Santo André terá R$ 170 mil disponíveis para a modernização do equipamento cultural  Teatro Conchita de Moraes e a cidade de Suzano usará os recursos para viabilizar o Projeto Trupe Volante (R$ 100 mil).  

Fomento 2022

O Governo do Estado de São Paulo lançou o maior programa de fomento à cultura da história do Estado. Com investimento recorde de R$ 273,2 milhões e divididos em 67 linhas de editais, os programas ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso ICMS, #JuntospelaCultura, Difusão Cultural e Cultura Viva SP vão beneficiar mais de 11 mil projetos culturais em 400 municípios do Estado. 

Governo de São Paulo lança Agenda Tarsila que reúne atividades do centenário da Semana de 1922

Iniciativa criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa é um guia completo e dinâmico sobre o movimento que revolucionou a cultura do País e ainda ecoa no cenário artístico atual. Além de acompanhar toda a programação comemorativa do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, o público terá acesso a um conteúdo diverso e exclusivo sobre o tema

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo lançou nesta quarta-feira (1), data em que se comemora o nascimento de Tarsila do Amaral, a Agenda Tarsila, um braço fundamental do projeto “Modernismo Hoje”, concebido pela pasta para celebrar o legado da Semana de Arte Moderna de 1922. A iniciativa é um guia especial e único sobre a temática. Além de acompanhar a programação, o público poderá conferir a história do movimento modernista, curiosidades, galerias de fotos, entrevistas exclusivas com familiares, artistas contemporâneos e pesquisadores dos principais personagens que lançaram tendência no Movimento Modernista, como Tarsilinha do Amaral, sobrinha-neta de Tarsila do Amaral.

“Uma data da importância da Semana de 22 precisa ser celebrada ao longo de um período significativo, suficiente para que muitos eventos aconteçam”, afirmou o secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado, Sérgio Sá Leitão. “Nós vamos ampliar cada vez mais a oferta de serviços e a programação da Agenda Tarsila. Ela estará disponível até dezembro de 2022 e depois ficará como um registro da celebração do centenário”, disse.

O projeto disponibilizará ainda conteúdo nas redes sociais (Instagram, Twitter, Facebook, TikTok e Youtube) com diversas novidades envolvendo o centenário. Toda a gestão e produção da Agenda Tarsila é realizada pela Organização Social Amigos da Arte.

“São Paulo sempre esteve na vanguarda deste movimento e agora, em seu centenário, não poderia ser diferente” afirmou Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte. “A Agenda Tarsila tem como principal objetivo fomentar continuamente essa programação diversa e democrática, que dialoga diretamente com os ecos deste movimento tão disruptivo e que segue presente na arte e na cultura cem anos depois.”

Ampla oferta Cultural

O projeto Modernismo Hoje é composto por quatro eixos integrados: Programação das instituições culturais do Governo; a Agenda Tarsila, um calendário integrado de atividades do poder público e da sociedade civil; Fomento, o apoio financeiro a projetos da sociedade civil e de prefeituras; e Articulação com o setor de turismo e o poder público de outras instâncias.

A ação tem como objetivo gerar uma oferta cultural de grande relevância e alta qualidade; valorizar a Semana de 22 e seu impacto na produção cultural brasileira; estimular a reflexão sobre o modernismo e o legado dos modernistas e destacar o papel de São Paulo e dos artistas paulistas no modernismo. O projeto já realizou mais de 40 atividades culturais como exposições, apresentações musicais, seminários, palestras, leituras dramáticas, cursos, oficinas, residências artísticas e outras atividades.

Dentro da linha de fomento, um investimento de R$ 1,5 milhão será destinado ao ProAC Expresso Edital, do Governo do Estado de São Paulo, com o objetivo de promover a realização de projetos da sociedade civil relacionados ao Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 no Estado de São Paulo. Foram 494 projetos inscritos no Edital 35/2021, que estão em processo de seleção.

Confira mais detalhes da Agenda Tarsila no site oficial: www.https://agendatarsila.com.br/.  Abaixo as próximas atrações:

Série Outras Vanguardas

Série audiovisual “Outras Vanguardas”, sobre os movimentos vanguardistas de São Paulo que surgiram desde a Semana de 22. Todas as sextas-feiras um episódio inédito, às 21h30 – Plataforma e aplicativo #CulturaEmCasa (22 de julho a 01 de outubro de 2021)

Estação Pinacoteca

Exposição “John Graz: idílico tropical e moderno” na Estação Pinacoteca, com mais de 150 itens para revisitar a trajetória de um dos mais importantes nomes do modernismo no Brasil (31 de julho de 2021 a 31 de janeiro de 2022)

Sala São Paulo/ Osesp

Série “Modernismo na Música Brasileira” com execução da Osesp, na Sala São Paulo: Concerto para violão de Francisco Mignone com regência de Neil Thomson e como solista Fábio Zanon (9, 10 e 11 de setembro / transmissão ao vivo dia 10)

Concerto para violoncelo n. 2 de Heitor Villa-Lobos, com regência de Isaac Karabtchevsky e como solista Antonio Meneses (23, 24 e 25 de setembro / transmissão ao vivo dia 24)

Live com Fábio Zanon sobre Francisco Mignone e Modernismo na Música Brasileira (7 de setembro)

Live com Isaac Karabtchevsky e Antonio Meneses, sobre a obra para violoncelo e orquestra de Villa-Lobos (22 de setembro)

Mediação lives: Arthur Nestrovski

Concerto “Floresta Villa-Lobos” na Sala São Paulo com execução da Osesp regida por Marin Alsop apresentando obras de Villa-Lobos, Tom Jobim, Philip Glass e outros compositores paulistas (18, 19 e 20 de novembro / transmissão ao vivo dia 19).

 

Pinacoteca de São Paulo

Exposição “A Máquina do Mundo” na Pinacoteca de São Paulo, com obras de artistas modernistas e contemporâneos e curadoria de José Augusto Ribeiro (06 de novembro de 2021 a 21 de fevereiro de 2022)

Memorial da América Latina

Espetáculo “Brasil 1922 a 2022”, com projeção de imagens e repertório musical tocado ao vivo pela São Paulo Big Band no Memorial da América Latina e em seis cidades do interior de São Paulo (Estreia no Memorial 05 e 06 de novembro)

Governo de SP e Proac LAB apresentam Festival Criativo – Velho Oeste

Destaque na programação para Fióti e a pesquisadora Ana Carla Fonseca, fundadora do Garimpo Soluções

Com uma programação totalmente gratuita e online, o primeiro Festival Criativo – edição Velho Oeste, apresenta ao Brasil e ao mundo um pouco do melhor que o Interior do Estado de São Paulo tem a oferecer. Entre os dias 22 e 27 de novembro, sempre a partir das 19h, serão transmitidas entrevistas com mais de 20 mentes ‘fora da caixa’.

As produções audiovisuais vão estar disponíveis na plataforma: https://nonossoquintal.com.br/festivalcriativo/.

Com apoio do Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e aprovação do Proac LAB, a produtora Nosso Quintal percorreu mais de 400 quilômetros pelo Centro-Oeste Paulista gravando com fazedores de cultura, artistas, empreendedores e trabalhadores da indústria criativa.

Os assuntos envolvem modelos de negócio mais sustentáveis e plurais, inovação e ações que impactaram positivamente as pequenas e médias cidades. A programação de seis dias passa pelos mais diversos segmentos: agroecologia, cinema, teatro, produção cultural, cultura popular, esporte, produção de cerveja e economia criativa.

Idealizadores do projeto, os produtores Brunno Alexandre e Ian Gigliotti mostram que a potência de São Paulo vai além da Capital e apresentam o que acontece de autêntico no Interior, assim como as conexões com novas tendências para a criatividade, o cooperativismo, a economia da cultura e as apostas para o futuro.

Destaque na programação para Evandro Fióti e a pesquisadora Ana Carla Fonseca, fundadora do Garimpo Soluções e referência internacional em Economia Criativa, com atuação como consultora da ONU (Organização das Nações Unidas).

Outros grandes nomes são: Guilherme Xavier, Sérgio Piva, Índio, João Gustavo, Márcio Blanca, Caio Cesaro, Diogo Natale, Julia Borges, Willian Marques, Gustavo Redondo, Rede Trem Bão, Cassiano Tosta, Havana Martins, Bob 13, Bruno Magalhães, Leandro Faria e Fomenta Vale.

POSSIBILIDADES

“O Interior é um espaço cheio de possibilidades, repleto de sotaques, comidas típicas, diferentes paisagens e oportunidades para a criatividade. Um celeiro com múltiplas possibilidades, cheio de música, dança, cinema, design, arquitetura, moda, gastronomia e turismo”, descrevem os produtores Brunno e Ian.

“O que tem pra fazer aqui? A pergunta é diferente! O que não dá para fazer aqui?!”, afirma a dupla. “Temos montanhas, vales, rios, cavernas, lagos e lagoas. Produtores rurais, músicos, atrizes, artistas plásticos, cantoras, dançarinas e cineastas na linha de frente”.

Eles exaltam a existência de mão de obra criativa e qualificada pelas cidades do Estado e convidam aqueles que se identificam com a proposta a “ocupar a programação com a nossa trama. Contamos com televisões regionais, jornais e rádios locais”.

Para a dupla “dá para fazer sim. Temos competência de sobra. Vamos cantar nossa música, estrelar nossos filmes e mostrar para quem visita as belezas do nosso Interior”.  Para Ian e Brunno a proposta é construir pontes e criar condições para que os profissionais criativos possam trabalhar, gerar e distribuir renda.

“Os criadores têm sede de produzir para um público carente de programação. O mercado e a indústria criativa no interior são emergentes e estão em franco crescimento”, destacam. Para eles, “é preciso estimular, engajar e despertar o potencial ainda adormecido”.

PROGRAMAÇÃO:

Segunda-feira – 22/11

  • Ana Carla Fonseca, Guilherme Xavier e Sérgio Piva

Terça-feira – 23/11

  • Fióti, Vertical Rapel e Márcio Blanca

Quarta-feira – 24/11

  • Caio Cesaro, Diogo Natale (Cervejaria Ficus) e Julia Borges

Quinta-feira – 25/11

  • Willian Marques (Tray), Gustavo Redondo (Cervejaria São Pedro) e Rede Trem Bão

Sexta-feira – 26/11

  • Cassiano Tosta, Bruno Magalhães (Rocha Escalada) e Havana Martins

Sábado – 27/11

  • Bob 13 – Batalha da Aldeia, Leandro Faria e Fomenta ValeInformações para a imprensa
    Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paul
    (11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

 

Governo de SP entrega ligação entre a Estação da Luz da CPTM e a Sala São Paulo

A nova passagem vai facilitar o trajeto entre os dois espaços com acessibilidade, segurança e conforto

O Governador João Doria entregou na manhã desta terça-feira (29) a ligação entre a Estação da Luz, que atende as Linhas 7-Rubi, 10-turquesa e 11-Coral da CPTM, e a Sala São Paulo, batizada de Boulevard João Carlos Martins, homenagem ao pianista e maestro brasileiro reconhecido mundialmente por sua obra.

“Essa estação é um símbolo de São Paulo, mas faltava essa ligação com a Sala São Paulo e com outros equipamentos culturais. Hoje é o dia da Cultura, a alma de um povo. A integridade dessa alma é a alma da Cultura, é isso o que nos coloca de pé, essa é a nossa verdadeira memória”, disse Doria.

“O Boulevard Maestro João Carlos Martins irá facilitar imensamente o acesso da população a todas as instituições e equipamentos culturais do complexo cultural Júlio Prestes. Uma homenagem ao maestro João Carlos Martins, que faz grandes contribuições para a arte e para a cultura”, afirmou o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.

A nova passagem oferece segurança e conforto aos pedestres com total acessibilidade a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, dispondo de rota tátil, elevador e escadas fixas para acesso ao equipamento de cultura.

“Essa também é uma obra de transporte e, assim como as outras cinco obras simultâneas que estão em andamento, essa é uma entrega que vai trazer mais segurança e mobilidade para os cidadãos. Essa obra foi feita em tempo recorde e entregue antes do prazo. Damos agora a oportunidade de todos os que utilizam o sistema de transporte estar ligado à Sala São Paulo”, ressalta o secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli.

Com investimento na ordem de R$ 11,2 milhões, que contempla também a execução de serviços para adequação da plataforma central e instalação de passarela provisória de acesso à Rua José Paulino, o projeto do boulevard foi todo elaborado para preservar as características originais do ambiente e permitir integração do público com o contexto histórico do local. Por isso, a cobertura do teto, os guarda-corpos da escada, passarela e o próprio elevador foram confeccionados em vidro para permitir a interação do público com o espaço.

Os 210 metros de percurso no boulevard contam com cobertura de vidro que prioriza a luz natural, sistema de iluminação projetado com lâmpadas led dispostas em formato horizontal e fitas que percorrem o pergolado, representando os dormentes (componentes que compõem os trilhos) de uma via férrea. Todo o trajeto está ambientado com projeto paisagístico decorado com jardim vertical e bancos de madeira restaurados no mesmo estilo dos usados na estação. O espaço também possui sistema de sonorização conectado ao sistema de som da estação.

“O grande desafio do projeto foi adequar as instalações de um imóvel histórico e de preservação a equipamentos de mobilidade e promover a integração desse ambiente cultural ao público e à cidade, mantendo toda as características originais. A valorização da nossa história passa pela preservação de imóveis como o complexo da Estação da Luz, afirma o presidente da CPTM Pedro Moro.

A cerimônia de inauguração contou com as presenças do Secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, o Secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, e o Presidente da CPTM, Pedro Moro. O evento também contou com participação especial do maestro João Carlos Martins e apresentação musical do Quinteto de Metais da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP).

Acesso ao Boulevard

Para quem pretende ir à Sala São Paulo vindo do sistema de transporte sobre trilhos da Estação da Luz, basta seguir pela Plataforma 1 da CPTM, acompanhar a sinalização e acessar direto a ligação até o estacionamento do espaço cultural.

Já para quem vem da Sala São Paulo para embarque na estação, é preciso validar a passagem na linha de bloqueios que está instalada na entrada do boulevard, no estacionamento da Sala São Paulo. É importante que o cidadão já possua o bilhete para validar neste bloqueio, pois no local não terá bilheteria.

O horário de funcionamento do boulevard João Carlos Martins é das 7h às 23h30, de segunda a sexta, incluindo feriados. Aos finais de semana o horário e das 7h até o fim do último evento no complexo cultural, limitado até 23h30.

Governo de SP oferece linha de crédito emergencial para empreendedores do setor cultural

São R$ 50 milhões em microcrédito para capital de giro com taxas de juros a partir de 0% ao mês. O empréstimo ocorre de forma totalmente on line

Para apoiar as micro e pequenas empresas dos setores mais afetados pela pandemia, o Governo do Estado de São Paulo anunciou diversas ações e parcerias em prol dos empreendedores.  Entre as medidas está a linha emergencial com condições especiais pelo Banco do Povo, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado. Um dos setores beneficiados é da Cultura e Economia Criativa.

Estão disponíveis R$ 50 milhões em microcrédito para capital de giro com taxas de juros de 0% a 0,35% ao mês, com carência de seis meses e prazo de pagamento de até 36 meses.

“A pandemia de coronavírus deve causar uma perda de R$34,5 bilhões para o setor cultural e criativo de São Paulo, impactando cerca de 500 mil postos de trabalho. Com essas ações do governador João Doria para mitigar a crise e estimular o setor, acreditamos que a  recuperação se dê a  partir do próximo ano”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão.

 

Linha emergencial

A linha emergencial atende diversos setores compostos de empreendedores formais (inclusive MEI, ME, EPP, LTDA e EIRELI), que não tenham restrições de crédito junto ao SERASA e que realizaram cursos dos programas Empreenda Rápido ou Empreenda Mulher. Não é necessário apresentar avalista.

Os empreendedores podem solicitar as linhas de crédito de forma totalmente online pelo site www.bancodopovo.sp.gov.br e da Desenvolve SP: www.desenvolvesp.com.br, onde é possível verificar mais detalhes.

Governo de SP substitui incentivo fiscal por fomento direto à cultura e mantém investimento de R$ 100 milhões

O Governo do Estado de São Paulo vai substituir o ProAC Expresso ICMS (programa de incentivo fiscal à cultura) por um programa de fomento direto a projetos culturais com recursos orçamentários, o ProAC Expresso Direto, mantendo o mesmo valor (R$ 100 milhões) e adotando normas e procedimentos semelhantes. Não haverá perda para o setor cultural e criativo. A medida valerá para 2021, 2022 e 2023 e foi tomada para enfrentar o déficit fiscal gerado pela crise da pandemia do coronavírus. O decreto orçamentário com este valor será publicado em breve. Posteriormente sairá o regulamento do novo ProAC Expresso Direto, a ser elaborado pela Comissão de Análise de Projetos (CAP) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que será a instância de análise e seleção de projetos. Será feita uma consulta pública para que a sociedade civil possa enviar contribuições. Os proponentes que tiverem projetos selecionados receberão os recursos diretamente. Com isso, o Governo do Estado de São Paulo reafirma seu compromisso com a valorização da cultura e o estímulo ao desenvolvimento do setor cultural e criativo. O ProAC Expresso Editais e o Programa Juntos Pela Cultura serão mantidos e também terão em 2021 recursos em patamar semelhante ao de 2020.

Governo do Estado de São Paulo destina R$ 10,3 milhões da Lei Aldir Blanc para 97 municípios

Recursos são provenientes da operação “re-reversão”, que aproveita valores destinados anteriormente, mas que não foram usados no prazo 

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, vai destinar R$ 10,3 milhões da Lei Aldir Blanc para 97 municípios. De acordo com a Lei 14.150, de 12 de maio de 2021, a operação chamada “re-reversão” permitirá que os recursos que não foram usados pelos contemplados dentro do prazo do ProAC LAB 2020 sejam aproveitados no ProAC LAB 2021, que está com inscrições abertas até 28/9. A Lei Federal Aldir Blanc, de agosto de 2020, destina recursos para que governos estaduais e municípios promovam a cultura. No Estado de São Paulo, esses fundos são investidos no programa de fomento cultural ProAC LAB. 

“Os recursos da Lei Aldir Blanc são federais, mas essa é uma política pública que vem sendo operacionalizada, até por determinação legal, pelos estados e municípios”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.  

Municípios que preencheram os requisitos da ‘re-reversão’

Município Valor Data da Devolução
AGUAI R$ 272,503.65 24/08/2021
ALTINOPOLIS R$ 133,166.32 24/08/2021
ALVARO DE CARVALHO R$ 54,321.72 24/08/2021
AMERICO DE CAMPOS R$ 58,538.91 24/08/2021
ANGATUBA R$ 201,108.11 24/08/2021
ARACOIABA DA SERRA R$ 13,946.91 24/08/2021
ARIRANHA R$ 79,657.72 24/08/2021
AURIFLAMA R$ 127,485.54 24/08/2021
BALSAMO R$ 76,232.12 24/08/2021
BARBOSA R$ 66,720.38 24/08/2021
BARRA BONITA R$ 27,451.18 24/08/2021
BREJO ALEGRE R$ 40,817.15 24/08/2021
CACAPAVA R$ 203,442.61 24/08/2021
CAJATI R$ 220,068.79 24/08/2021
CAJOBI R$ 92,800.98 24/08/2021
CESARIO LANGE R$ 152,576.79 24/08/2021
CHARQUEADA R$ 147,063.21 24/08/2021
CLEMENTINA R$ 73,657.21 24/08/2021
CORONEL MACEDO R$ 51,185.29 24/08/2021
DOLCINOPOLIS R$ 36,535.16 24/08/2021
ELISIARIO R$ 45,304.69 24/08/2021
ESPIRITO SANTO DO PINHAL R$ 102,727.63 24/08/2021
ESPIRITO SANTO DO TURVO R$ 52,046.33 24/08/2021
ESTIVA GERBI R$ 97,151.49 24/08/2021
ESTRELA DO NORTE R$ 40,251.93 24/08/2021
FARTURA R$ 132,321.34 24/08/2021
HERCULANDIA R$ 78,873.89 24/08/2021
IPEUNA R$ 67,542.52 24/08/2021
IRAPUA R$ 70,094.59 24/08/2021
ITAJOBI R$ 127,902.32 24/08/2021
ITAPIRAPUA PAULISTA R$ 48,673.19 24/08/2021
ITOBI R$ 69,226.77 24/08/2021
JACI R$ 64,807.75 24/08/2021
JARINU R$ 228,660.05 24/08/2021
JERIQUARA R$ 42,495.70 24/08/2021
LARANJAL PAULISTA R$ 67,697.48 24/08/2021
LINDOIA R$ 70,031.43 24/08/2021
LORENA R$ 271,774.79 24/08/2021
LOUVEIRA R$ 360,724.20 24/08/2021
LUIZIANIA R$ 57,537.58 24/08/2021
MACEDONIA R$ 45,573.02 24/08/2021
MAIRINQUE R$ 47,197.01 24/08/2021
MARINOPOLIS R$ 36,518.03 24/08/2021
MESOPOLIS R$ 35,353.33 24/08/2021
MINEIROS DO TIETE R$ 106,309.25 24/08/2021
MOMBUCA R$ 44,402.61 24/08/2021
NOVAIS R$ 57,745.31 24/08/2021
OLEO R$ 38,710.41 24/08/2021
ORLANDIA R$ 324,750.10 24/08/2021
OUROESTE R$ 91,767.59 24/08/2021
PALESTINA R$ 106,589.01 24/08/2021
PALMEIRA D’OESTE R$ 77,459.62 24/08/2021
PARAISO R$ 61,307.93 24/08/2021
PARISI R$ 36,797.79 24/08/2021
PAULICEIA R$ 66,514.84 25/08/2021
PAULO DE FARIA R$ 75,529.87 25/08/2021
PEDREGULHO R$ 136,363.54 25/08/2021
PIRACICABA R$ 357,547.32 23/08/2021
PIRAPOZINHO R$ 214,233.85 25/08/2021
PONTES GESTAL R$ 39,172.87 25/08/2021
PRATANIA R$ 54,496.71 25/08/2021
QUEIROZ R$ 43,905.90 25/08/2021
QUELUZ R$ 109,232.43 25/08/2021
QUINTANA R$ 62,358.45 25/08/2021
RANCHARIA R$ 226,728.16 24/08/2021
REDENCAO DA SERRA R$ 46,446.55 25/08/2021
REGINOPOLIS R$ 79,389.38 25/08/2021
RIBEIRA R$ 43,529.09 25/08/2021
RIBEIRAO BONITO R$ 108,084.85 25/08/2021
RIBEIRAO DO SUL R$ 50,385.99 25/08/2021
RIBEIRAO GRANDE R$ 68,267.61 25/08/2021
RIO CLARO R$ 745,363.54 24/08/2021
RIOLANDIA R$ 104,082.61 25/08/2021
RUBINEIA R$ 42,432.89 25/08/2021
SAGRES R$ 38,345.01 25/08/2021
SALTO R$ 34,910.47 24/08/2021
SALTO DE PIRAPORA R$ 258,841.12 24/08/2021
SALTO GRANDE R$ 77,733.67 25/08/2021
SANTA ADELIA R$ 129,146.95 25/08/2021
SANTA ALBERTINA R$ 58,761.57 25/08/2021
SANTA MARIA DA SERRA R$ 59,703.61 25/08/2021
SANTA RITA DO PASSA QUATRO R$ 214,405.13 25/08/2021
SANTA RITA D’OESTE R$ 38,721.83 25/08/2021
SANTO ANTONIO DO ARACANGUA R$ 72,532.47 25/08/2021
SANTOPOLIS DO AGUAPEI R$ 51,733.39 25/08/2021
SAO FRANCISCO R$ 40,565.94 25/08/2021
SAO JOSE DA BELA VISTA R$ 75,432.81 25/08/2021
SUD MENNUCCI R$ 68,524.53 25/08/2021
TACIBA R$ 60,343.06 25/08/2021
TAIACU R$ 60,400.15 25/08/2021
TATUI R$ 171.008.36 24/08/2021
TEODORO SAMPAIO R$ 181,079.39 25/08/2021
TIMBURI R$ 39,635.32 25/08/2021
TURMALINA R$ 34,319.94 25/08/2021
UCHOA R$ 82,181.24 25/08/2021
VALENTIM GENTIL R$ 108,695.75 25/08/2021
VARGEM GRANDE PAULISTA R$ 389,979.96 25/08/2021

ProAC LAB 2021

Ao todo, o programa de fomento ProAC LAB 2021 vai investir R$ 19,6 milhões em 400 projetos contemplados em 11 linhas, que beneficiam pessoas físicas e jurídicas nas áreas de música, teatro, dança, circo, audiovisual, artes visuais e literatura.  

De acordo com as regras dos editais de fomento cultural do Estado de São Paulo, proponentes pessoas físicas e jurídicas que receberam recursos do ProAC LAB 2020 não serão considerados pelo ProAC LAB 2021. “O ProAC Lab 2021 é um complemento do ProAC LAB 2020 para que possamos alcançar e beneficiar um número ainda maior de artistas, técnicos e produtores”, diz o secretário. 

Linhas do ProAC LAB 2021 

  • Teatro/ Produtoras: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  • Teatro/ Grupos, companhias e corpos estáveis: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  • Dança/ Grupos, companhias e corpos estáveis: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  • Circo/ Grupos, Companhias e circos de lona: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  • Literatura/ Autores: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil  
  • Artes visuais/ Artistas: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  • Música/ Orquestras, bandas, fanfarras, corais e grupos sinfônicos: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto: R$ 50 mil 
  • Música/ Artistas: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  • Audiovisual/ Diretores: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  •  Audiovisual/ Produtoras: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil  
  •  Pontos de Cultura: valor total R$ 2 milhões; valor por projeto R$ 50 mil 

 

Prêmios do ProAC LAB 2021 

Além das 11 linhas, o ProAC LAB 2021 também investirá em prêmios para valorizar e reconhecer históricos de realizações nas áreas de música (grupos e artistas), teatro (produção e grupos), dança (grupos), circo (grupos), audiovisual (produtoras e diretores), literatura (autores), artes visuais e pontos de cultura. 

Edital 41 – Prêmio por Histórico de Realização em Música Orquestras, Bandas, Fanfarras, Corais e Grupos Sinfônicos 

Parâmetros Específicos – Edital 41.LAB.2021 

Parâmetros Gerais – Edital 41.LAB.2021 

Anexos – Edital 41.LAB.2021 

  

Edital 42 – Prêmio por Histórico de Realização em Música – Artistas 

Parâmetros Específicos-Edital 42.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 42.LAB.2021 

Anexos-Edital 42.LAB.2021 

  

Edital 43 – Prêmio por Histórico de Realização em Teatro – Produção 

Parâmetros Específicos-Edital 43.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 43.LAB.2021 

Anexos-Edital 43.LAB.2021 

  

Edital 44 – Prêmio por Histórico de Realização em Teatro – Grupos, Companhias e Corpos Estáveis 

Parâmetros Específicos-Edital 44.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 

Anexos-Edital 44.LAB.2021 

  

Edital 45 – Prêmio por Histórico de Realização em Dança – Grupos, Companhias e Corpos Estáveis 

Parâmetros Específicos-Edital 45.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 45.LAB.2021 

Anexos-Edital 45.LAB.2021 

  

Edital 46 – Prêmio por Histórico de Realização em Circo – Grupos, Companhias e Circos de Lona 

Parâmetros Específicos-Edital 46.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 46.LAB.2021 

Anexos-Edital 46.LAB.2021 

  

Edital 47 – Prêmio por Histórico de Realização em Audiovisual – Produtoras 

Parâmetros Específicos-Edital-47.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-47.LAB.2021 

Anexos-Edital-47.LAB.2021 

  

Edital 48 – Prêmio por Histórico de Realização em Audiovisual – Diretores 

Parâmetros Específicos-Edital-48.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-48.LAB.2021 

Anexos-Edital-48.LAB.2021 

  

Edital 49 – Prêmio por Histórico de Realização em Literatura – Autores 

Parâmetros Específicos-Edital-49.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-49.LAB.2021 

Anexos-Edital-49.LAB.2021 

  

Edital 50 – Prêmio por Histórico de Realização em Artes Visuais – Artistas 

Parâmetros Específicos-Edital-50.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-50.LAB.2021 

Anexos-Edital-50.LAB.2021 

  

Edital 51 – Prêmio por Histórico de Realização para Pontos de Cultura 

Parâmetros Específicos-Edital-51.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-51.LAB.2021 

Anexos-Edital-51.LAB.2021 

 

Investimento recorde  

Os recursos para o ProAC Expresso Editais 2021, ProAC Expresso Direto, Proac LAB e Juntos pela Cultura 2021 fazem parte de um investimento recorde de R$ 200 milhões que beneficiará cerca de 9.340 mil projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras. Este valor representa um aumento de 13% em comparação ao liberado no ano passado, de R$ 177,2 milhões. O objetivo do Governo de São Paulo é estimular a retomada das atividades culturais e criativas, fortemente impactadas pela crise gerada pela pandemia do coronavírus, e incentivar a geração de renda, emprego e desenvolvimento.  A Secretaria estima gerar 138 mil postos de trabalho e um impacto econômico de R$ 300 milhões.    

São três programas de fomento articulados e complementares com recursos próprios do Governo de São Paulo: ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso Direto e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural, totalizando um investimento recorde de R$ 182 milhões. Formulados a partir de consulta pública; reuniões setoriais com representantes de entidades e associações do setor; regras gerais, linhas, valores e parâmetros aprovados pelo Conselho Estadual de Cultura e Economia Criativa; e comissões de avaliação formadas também a partir de chamada pública, é o maior conjunto de programas de fomento à cultura em nível estadual no país e o maior investimento em produção cultural realizado por um estado brasileiro, que alcança todas as regiões e formas de expressão artística.   

Governo do Estado de São Paulo inicia contagem regressiva para abertura do Novo Museu do Ipiranga

Com 70% das obras concluídas, instituição será reaberta em 372 dias

O Governador João Doria anunciou nesta terça-feira (31) o início da contagem regressiva para entrega do Novo Museu do Ipiranga que atualmente está com 70% das obras concluídas. A instituição entra agora na etapa de restauro e recuperação do Jardim Francês, que foi integrado ao projeto de restauro do museu. A reabertura acontecerá em setembro de 2022 para a celebração do bicentenário da Independência do Brasil.

“Ano que vem teremos uma grande festividade. A proposta do governo de São Paulo é um mês de festividades e atividades. Na parte externa, a partir de 7 de agosto, e na parte interna, a partir de 7 de setembro. Uma celebração de verdade, autêntica, dos 200 anos da nossa independência”, afirmou o Governador.

O projeto prevê a restauração de toda a área construída e botânica do Jardim Francês, além da construção de um restaurante com 270m², espaço para food bikes, modernização da iluminação, requalificação das vias de acesso e o resgate de duas fontes do projeto original, demolidas em 1972.

“Temos um conjunto de intervenções acontecendo simultaneamente: o restauro e ampliação do Edifício Monumento, a reforma do Jardim Francês, a recuperação do entorno, do Monumento da Independência, da Cripta Imperial e da Casa do Grito a cargo da prefeitura, a despoluição do Córrego do Ipiranga e a criação de uma nova área de lazer a cargo da Sabesp e a implantação de um novo modelo de gestão e sustentabilidade do museu”, detalhou Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa.

O investimento total nas obras é de R$ 210 milhões, dos quais R$ 170 milhões foram captados junto à iniciativa privada – com e sem Lei Rouanet. O valor investido pelo Governo de São Paulo é de R$ 19 milhões, por meio de convênio entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa e a Fundação de Apoio à USP, responsável pela gestão do projeto, além de um aporte de R$ 11 milhões da USP.

Novo Museu do Ipiranga

A obra, iniciada em outubro de 2019, é executada em duas frentes: ampliação e restauro do Edifício Monumento. Na parte da ampliação, foi realizada uma escavação em frente ao prédio, que abrigará a nova entrada, bilheteria, auditório para 200 pessoas, espaço do educativo, café, loja e sala de exposição temporária.

Já no restauro, estão sendo realizados reparos em todos os detalhes da arquitetura, incluindo a fachada, os interiores e os elementos de marcenaria, como portas e batentes. Quando reaberto, o Novo Museu do Ipiranga terá dobrado sua área total construída, e modernizado o espaço com elevadores, escadas rolantes e sistema de ar-condicionado.

“O museu não está sendo só restaurado e ampliado, ele está passando por importantes intervenções para ser entregue com total acessibilidade e sustentabilidade. Uma nova iniciativa que certamente vai deixar o povo paulista, o povo brasileiro, muito orgulhoso“, pontuou Vahan Agopyan, reitor da USP.

Programação

No dia 7 de setembro, o Museu contará com uma programação especial para comemorar o Dia da Independência. A instituição vai lançar um pocket show gravado por João Bosco no Edifício Monumento em homenagem a Aldir Blanc e com participação de Mart’nália, às 19h, no Facebook e no Instagram do Museu. Também vai inaugurar um totem com um relógio com a contagem regressiva para a reabertura do espaço.

Também serão lançados o game “Museu sob Ataque”; uma série de 12 vídeos sobre as obras mais icônicas do acervo, com o contador de histórias e influenciador digital Ivan Mesquita, divulgados mensalmente nas redes sociais; e projeções de cinco obras em fachadas de prédios em pontos diferentes da cidade, entre os dias 3 e 7 de setembro, das 19h às 21h.

Governo do Estado de SP abre o Museu das Favelas no Palácio dos Campos Elíseos

Sediado no Palácio Campos Elíseos, edifício  tombado pelo Condephaat, museu abre com mostra “Favela- raiz’, construída de maneira coletiva por artistas como Lidia Lisbôa e o Coletivo XiloCeasa;

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (25) a abertura do Museu das Favelas ao público. O espaço está localizado no Palácio dos Campos Elíseos, tombado no ano de 1977 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT). A instituição recebeu investimento de R$ 12 milhões do Governo do Estado.

O espaço é dedicado a preservar a história e a cultura das favelas e periferias do estado e dar visibilidade à sua produção artística e criativa. Contará com programação cultural e educativa, exposições, Centro de Referência, Biblioteca e Centro de Empreendedorismo e espaço de convivência.  O Museu das Favelas tem apoio da CUFA – Central Única das Favelas e a gestão é realizada pela organização social de cultura IDG – Instituto de Desenvolvimento e Gestão.

Nesta primeira fase a instituição museológica abre com a mostra “Favela-Raiz”, uma ocupação-manifesto que representa o primeiro movimento de transformação do Palácio dos Campos Elíseos, reverenciando a memória e as heranças da história, composta por cinco partes, sendo três internas e duas externas. Para 2023 o visitante poderá conhecer e participar de atividades no jardim, e nas salas do piso térreo e inferior,  enquanto os pavimentos superiores são preparados para receber a futura exposição de longa duração e outras instalações..

Memórias

A mostra ‘Favela-raiz” inicia no hall de entrada com esculturas tecidas em crochê, criadas pela artista Lidia Lisbôa com a colaboração de 7 mulheres do Coletivo Tem Sentimento e da Cooperativa Sin Fronteras, grupos de mulheres da vizinhança do Museu.

A sala expositiva lateral traz uma instalação audiovisual sensorial, cuja curadoria selecionou imagens de 20 fotógrafos e produtores de conteúdos de diferentes periferias do Brasil. A instalação, chamada de “Visão Periférica” revela aos visitantes a multiplicidade das experiências nas favelas, despertando memórias afetivas por meio do cruzamento de linguagens. No final do percurso interno da exposição, haverá uma instalação sonora no salão de espelhos do palácio, exaltando os diferentes modos de se pensar a beleza.

No ambiente externo, haverá uma instalação que sintetiza a história do Palácio dos Campos Elíseos, produzido com artes em serigrafia pelo Coletivo XiloCeasa. Nos jardins, Paulo Nazareth – conhecido por suas andanças ao redor do mundo e seu trabalho que questiona os limites da performance como linguagem artística – traz uma das instalações de seu projeto “Corte Seco”, em homenagem à Maria Beatriz Nascimento: uma escultura de alumínio, de 06 metros de altura, retratando essa que é uma mulher negra, historiadora, poeta, intelectual e ativista.

O Museu das Favelas receberá, ainda, a exposição “Identidade Preta: 20 anos de Festival Feira Preta”, em comemoração ao maior evento de cultura negra da América Latina. Além disso, traz ao público no final de semana da abertura, o SPerifas, versão reduzida da feira que está circulando em várias regiões da cidade.

Palácio dos Campos Elíseos

O Palácio dos Campos Elíseos (antigo “Palacete Elias Chaves”), situado na Avenida Rio Branco, zona central de São Paulo, foi projetado pelo arquiteto alemão Matheus Häusler, iniciado em 1890 e finalizado em 1899 para ser a residência do cafeicultor e político Elias Antônio Pacheco e Chaves. O imóvel, dividido em quatro pisos e com cerca de 4000 m², foi inspirado no Castelo de Écouen, na França. Sua construção utilizou inovações tecnológicas trazidas da Europa e a maioria dos materiais que o compõem foram importados: espelhos de Veneza, maçanetas de porcelana de Sévres, terracotas da Itália, fechaduras e dobradiças dos Estados Unidos.

O palacete foi denominado “Palácio dos Campos Elísios” em 1915, quando as grades que circundam o prédio deram lugar a muros altos, que escondem o prédio dos pedestres. O palácio foi tombado no ano de 1977 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT).

SERVIÇO

Museu das Favelas

Local: Palácio dos Campos Elíseos

Endereço: Entrada pela Rua Guaianases, 1024 – São Paulo

Funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 18h (a entrada é realizada até às 17h)

Entrada GRATUITA | ingressos poderão ser retirados de forma antecipada no site e, também, de maneira presencial no dia da abertura

Governo do Estado de SP anuncia municípios selecionados para a #ViradaSP 2022

Ao todo 22 municípios farão parte do evento que reúne artistas locais e nacionais para maratonas culturais em formato híbrido; Ação faz parte do programa de fomento e difusão da cultura #JuntosPelaCultura2022

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo acaba de anunciar os municípios selecionados para a #ViradaSP de 2022. Este ano,  22 cidades do interior e do litoral de São Paulo realizam a maratona de 24 horas ininterruptas com atrações culturais de diferentes linguagens nos formatos presencial, virtual e híbrido. A iniciativa faz parte do programa  #JuntosPelaCultura2022, de fomento e difusão cultural que une estado, prefeituras e segmentos artísticos para desenvolver a cultura e a economia criativa em todas as regiões de São Paulo.

A #ViradaSP de 2022 tem um investimento de R$ 15,7 milhões, orçamento recorde na história das Viradas pelo Governo do Estado. A previsão é que, mais uma vez,  o impacto econômico seja significativo com destaque para a geração de empregos diretos e indiretos nas regiões participantes. As datas e a programação de cada Virada ainda serão divulgadas.

No Litoral foram selecionadas as cidades de Santos, Bertioga, Itanhaém e São Sebastião. Já no interior Campinas, Presidente Prudente, São José dos Campos, Adamantina, Iguape, Ilha Solteira, Paraibuna, Santa Fé do Sul, Santa Rita do Passa Quatro, Santo Antônio do Pinhal, Ubarana, Botucatu, Mairiporã, Registro, Santa Bárbara d´Oeste, Votuporanga, Itapevi e Indaiatuba. Todos os municípios participantes recebem ainda o título de capitais culturais do estado do ano.

A novidade da #ViradaSP  fica por conta de seis cidades que participam pela primeira vez do evento. São elas, Santa Rita do Passa Quatro, Ubarana, Santo Antônio do Pinhal, Paraibuna, Adamantina e São Sebastião. Os proponentes suplentes em ordem decrescente de pontuação são as cidades de  Piracicaba, Araçatuba, Bauru, Jundiaí, Caraguatatuba, Serrana, São João da Boa Vista, Caieiras, Barueri, Praia Grande e Guarulhos.

Mais informações sobre o programa no site: http://amigosdaarte.org.br/editais-e-convocatorias/viradas-sp-juntos-pela-cultura-2022-chamada-publica/

Grupo de Coro do Projeto GURI e a Pianista Rafaela Moreira apresentam-se em Lorena

A apresentação integra a série ‘Mulheres na Música’, temporada de concertos dos Grupos de Referência do Projeto GURI, com participação de 14 artistas convidadas, em diversas cidades do Estado, até dezembro. O GR de Lorena – Coro compartilha o palco com a pianista Rafaela Moreira, no dia 30 de novembro, às 18h no Auditório UNISAL, em Lorena/SP

 

O Projeto GURI no Interior e Litoral, programa de educação musical e inclusão sociocultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerido pela Santa Marcelina Cultura – promove temporada de concertos gratuitos dos Grupos de Referência com ênfase na participação de artistas convidadas. O GR de Lorena – Coro compartilha o palco com a pianista Rafaela Moreira, no dia 30 de novembro, quarta-feira, às 18h, no Auditório UNISAL (Rua Dom Bosco, 284, portaria 7 – Lorena/SP).

 

Para este concerto, o grupo apresenta ‘Trajetória: caminhos percorridos de 22 a 22’, programa que reúne nove peças que fizeram parte do trabalho desenvolvido ao longo do ano, com obras de artistas como Elvira Drummond, Ana Yara Campos, Juliana Ripke e Heitor Villa-Lobos.

 

“As mulheres são o grande destaque da programação anual de concertos dos grupos artísticos do Projeto Guri do Interior e Litoral.  Um panorama de solistas e regentes, da música de concerto e popular, com destaque nacional e internacional, realizam residências artísticas quem têm como resultado 26 concertos. 

O objetivo é aumentar as referências femininas na música profissional, contexto que ainda é majoritariamente masculino”, explica Ari Colares, gerente artístico da Santa Marcelina Cultura, organização gestora do GURI.

 

As convidadas Adriana Holtz, Alda Bomfim, Eliana Sulpicio, Élodie Bouny, Fabricia Medeiros, Gê Côrtes, Jane do Bandolim, Juliana Ripke, Maíra Ferreira, Paula Castiglioni, Paola Picherzky, Paula Valente, Rosângela Rhafaella e Sarah Higino compartilham o palco com os Grupos de Referências de Araçatuba (Camerata de Violões), Bauru (Banda Sinfônica), Franca (Camerata de Cordas Dedilhadas), Itaberá (Banda Sinfônica), Jundiaí (Orquestra Sinfônica), Lorena (Coro), Marília (Percussão), Piracicaba (Coro), Presidente Prudente (Orquestra Sinfônica), Santos (Camerata de Violões), São Carlos (Big Band), São José do Rio Preto (Camerata de Cordas Friccionadas), Sorocaba (Coro e Percussão).

Grupo de Referência de Lorena – Coro

 

O Grupo de Referência de Lorena já protagonizou, em 2013, o espetáculo ‘Lendas Amazônicas’, com músicas de Waldemar Henrique, no Theatro São Pedro (SP) e na Sala São Paulo, este último na série ‘Aprendiz de Maestro’. O Coro já foi conduzido por Pablo Trindade (2012), André Guimarães (2013), Patrícia Costa (2014), Katherine Zeserson (2015) e Eduardo Fernandes (2017). Em 2018, o grupo apresentou um programa dirigido pelo arranjador Zeca Rodrigues, com participação do grupo Bebossa. Em 2020 e 2021 realizou produções audiovisuais com Zeca Rodrigues e Ceumar.

Grupos de Referência

Formados por alunos e alunas de diferentes polos do Projeto GURI, os grupos têm papel de referência e motivação para os demais integrantes do projeto. Os Grupos de Referência oferecem a experiência de compromisso, responsabilidade e execução de repertório qualificado, com desafios técnicos e artísticos compatíveis com o estágio de desenvolvimento musical. Implantados em 2010, os Grupos integram 381 Guris e Gurias.

Cada grupo ensaia duas vezes por semana, com uma carga horária de quatro horas semanais. Os ensaios acontecem nos polos-sede distribuídos por 13 cidades: Araçatuba, Bauru, Franca, Itaberá, Jundiaí, Lorena, Marília, Piracicaba, Presidente Prudente, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto e Sorocaba.

Apoio ao Grupo de Referência de Lorena: Prefeitura Municipal de Lorena.

Patrocinador Ouro: Tauste e Novelis

Patrocinador Prata: Valgroup

PROGRAMA – Grupo de Referência de Lorena – Coro

Vinícius Guedes, regente

Rafaela Moreira, pianista

ELVIRA DRUMMOND 

Missa Nordestina

Aleluia

Santo

Cordeiro de Deus

ANA YARA CAMPOS (1954 -)

História colorida

HEITOR VILLA-LOBOS (1887-1959)

Melodia Sentimental [arr. Patricia Costa]

CELESTE JAGUARIBE (1873-1938)

Padre Nosso

JULIANA RIPKE (1988-)

Cantares de Salomão 

STELLA JÚNIA

É madrugada

ESTHER SCLIAR (1926-1978)

Lua, lua, lua

MARLUI MIRANDA (1949-)

Três Cantos Nativos dos Índios Krahô [arr. Marcos Leite]

[Melodia recolhida por Marlui Miranda]

FÁTIMA LEÃO (1955-)

Eco da floresta

_ GR Lorena – Coro

Vinícius Guedes, regente

Rafaela Moreira, pianista

Serviço:

Data: 30 de novembro, quarta-feira

Horário: 18h

Local: Auditório UNISAL

Endereço: Rua Dom Bosco, 284, portaria 7 – Lorena/SP

Entrada: gratuita

Guri Capital e Grande São Paulo realiza lives para apresentar os instrumentos musicais

De 01 a 08 de dezembro, o programa realiza atividades online abertas para divulgar os instrumentos oferecidos pelo Guri Capital e Grande São Paulo. Os interessados poderão também fazer um cadastro de pré-matrícula para os cursos de 2021 (mais…)

Imagine Brazil prorroga inscrições e oferece mais um prêmio

Vencedor da competição brasileira ganhará prêmio de R$ 2.000,00 (mais…)

Indivdual de Cesare Pergola no Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São Paulo exibe Deposizioni – Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio, do artista multidisciplinar italiano radicado no Brasil Cesare Pergola. A individual exibe oito obras – em técnicas de modelação digital tridimensional, desenho a tinta sobre papel e vídeo instalação espacial – e propõe uma reflexão sobre os clássicos italianos do Renascimento e do Barroco, através de uma grafia contemporânea: a linguagem wireframe da computação digital.

Ao reconstruir obras bidimensionais em modelos digitais tridimensionais, o resultado que Cesare Pergola obtém é como uma arqueologia do desenho da peça original. Nesta nova mostra temporária do MAS, o artista reinterpreta o espaço da obra e sua composição, desde a perspectiva que existe no quadro. Para isso, foram escolhidas duas telas clássicas sobre uma cena comum: Cristo morto, deposto da cruz – história bem conhecida no mundo cristão ocidental. A primeira “tela-referência” é de Jacopo Pontormo, pintura a óleo sobre madeira, datada de 1526-1528, preservada na igreja de Santa Felicita em Florença. A segunda é de Michelangelo Merisi (Caravaggio), pintado em óleo sobre tela, feito entre 1602-1604 e mantido na Pinacoteca do Vaticano.


“O primeiro é um grande desenhista, temos vários estudos preparatórios da pintura. O segundo é conhecido por desenhar pouco, quase como se ele criasse o trabalho diretamente na tela. Caravaggio usa uma composição realista de seis caracteres, apoiando-se naquele grande paralelepípedo de pedra. O Pontormo, em vez disso, compõe uma cena maneirista e completamente irreal, são onze caracteres pendurados no espaço, quase sem gravidade”
MESSAGE-ICON
Cesare Pergola
Artista

A expografia de Deposizioni – Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio apresenta três momentos distintos. No primeiro, os visitantes encontram réplicas das obras de Caravaggio e de Pontormo, em tamanho original. “No segundo momento, as duas obras são transformadas em modelos digitais tridimensionais gerados por um programa de computador que os reproduz através de uma rede de pontos. As superfícies criadas desta forma, graças a outros programas, podem receber sombreados, cores e texturas digitais e ser transformados em modelos plásticos convencionais com o uso de uma impressora 3D”, explica Luciano Migliaccio, curador da exposição.  Por fim, são expostos os desenhos feitos por Cesare Pergola, em tinta preta sobre papel, sempre em escada 1:1. “São cinco anos que trabalho sobre essa pesquisa da reconstrução digital da realidade. Os objetos da pesquisa podem mudar, mas a linguagem permanece idêntica”, comenta o artista.

Movido por um forte interesse pelas grandes obras clássicas e suas narrativas, o artista relaciona sua criação com o panorama da arte contemporânea através de uma linguagem original advinda da pesquisa constante, pelo uso de ferramentas modernas – como o computador e a videoinstalação -, além da restituição do trabalho final em seus desenhos à mão livre. Nas palavras do diretor executivo do MAS/SP, José Carlos Marçal de Barros: “Graças a essa tecnologia e ao talento de Cesare Pergola, é possível a contemplação dessas obras-primas que, como poucas, tornam real e, mais do que nunca, presente o sacrifício daquele que veio ao mundo para nos salvar”.

A exposição “Deposizioni – Arqueologia do desenho, de Pontormo a Catavaggio” fica em cartaz no Museu de Arte Sacra de 25/3 a 06/5/2018.

Inscrições abertas para cursos regulares nas Fábricas de Cultura

A programação gratuita reúne cursos de cenografia, criação teatral, escrita criativa, direção musical e muito mais (mais…)

Inscrições abertas para nova edição do Programa formativo Patrimônio, Memória e Gestão Cultural

Profissionais e demais interessados pela área da preservação e da gestão do patrimônio cultural brasileiro terão aulas de forma híbrida 

O Centro de Pesquisa e Referência do museu Casa Mário de Andrade, da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, realiza a 3ª edição do Programa formativo “Patrimônio, Memória e Gestão Cultural”. Os cursos, oficinas e visitas técnicas a diversos espaços serão promovidos entre abril e setembro de 2022. As inscrições estão abertas até o dia 8 de março pelo site do museu, onde o público interessado pode acessar mais detalhes sobre o cronograma e a composição da grade curricular.

O programa busca colaborar na formação contínua dos profissionais da preservação e da gestão do patrimônio cultural brasileiro, além de pessoas interessadas em ingressar nessas áreas. A seleção levará em conta o currículo e a carta de intenção dos candidatos. Cerca de 60 vagas serão oferecidas e as atividades serão aplicadas de forma híbrida. No modo presencial, os encontros ocuparão uma sala da Casa Mário de Andrade (Rua Lopes Chaves, nº 546, Barra Funda, em São Paulo) e de forma virtual pelo Zoom, o que permite a participação da população fora da capital paulista.

A partir da segunda quinzena de março o resultado do processo seletivo será divulgado para os candidatos escolhidos. A taxa única de matrícula é de R$ 300,00. Serão oferecidas cinco bolsas integrais a candidatos selecionados que declararem baixa renda, por meio de um formulário a ser solicitado pelo e-mail do museu (aqui).

A seguir, alguns dos cursos e encontro que compõem a grade de formações:

Curso – Patrimônio cultural: aspectos históricos e teóricos

Com Fernando Atique e convidados

Terças-feiras, abril a agosto, das 19h às 21h | frequência semanal

Carga horária: 30 horas

As aulas ficarão centradas na memória e na diversidade do patrimônio cultural, com conceitos, trajetórias e temas contemporâneos sobre o assunto. As reflexões sobre a identificação e a preservação do patrimônio histórico-cultural, segundo a perspectiva de diferentes modelos teóricos, completam essa etapa.

Este curso será ministrado por Fernando Atique, arquiteto e urbanista, mestre e doutor pela USP, além de professor do Departamento de História da Unifesp, com aulas na pós-graduação na área de História, Espaço e Patrimônio Edificado.

Curso – Gestão do Patrimônio Cultural

Com Marilucia Bottallo e convidados

Quintas-feiras, abril a setembro, das 19h às 21h | frequência semanal

Carga horária: 30 horas

Serão apresentadas diferentes metodologias de trabalho em museologia abordando aspectos de salvaguarda e preservação patrimonial, bem como processos de comunicação museal e de mediação com os diferentes públicos de museus. O curso irá abordar alguns temas ligados à museologia contemporânea.

A coordenação será de Marilucia Bottallo, doutora em Ciências da Informação e Mestre em Artes, ambos pela ECA/USP, e museóloga pelo Instituto de Museologia de São Paulo da FESP. Trabalhou no MAM/SP, Pinacoteca do Estado de São Paulo, National Museum of American Art / Smithsonian Institution, entre outros espaços. É diretora técnica do Instituto de Arte Contemporânea.

Curso – Estudos de casos, pesquisa e orientação de trabalhos

Com Cecília Machado e Juliana Monteiro

Sábados, das 10h às 13h | frequência semanal
Carga horária: 45 horas

A proposta é que os participantes elaborem um projeto de pesquisa sob orientação das ministrantes, que definirão parâmetros teóricos e práticos como base para o trabalho. Serão oferecidas visitas técnicas a patrimônios culturais em restauro, além de museus, arquivos e bibliotecas.

Cecília Machado e Juliana Monteiro serão as coordenadoras do curso.

Cecília Machado é especializada em Museologia pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, em História da Arte e em História da Indumentária, e atualmente presta assessoria a museus do interior e da capital paulista, além de coordenar o curso técnico de Museologia da ETEC Parque da Juventude.

Juliana Monteiro é museóloga pela UFBA e mestra em Ciência da Informação pela ECA-USP. Trabalhou em instituições como o Museu da Energia de São Paulo e o Museu da Imigração. É professora do curso técnico em Museologia da ETEC Parque da Juventude e consultora para projetos diversos relacionados à gestão da informação em coleções culturais. Também é coordenadora de projetos OpenGLAM no capítulo brasileiro do Creative Commons.

Encontro de Museus-Casas Literários

Os alunos do Programa também deverão participar do Encontro de Museus-Casas Literários, evento anual realizado pela Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, formada pela Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade. O Encontro tem o objetivo de promover a troca de experiências entre instituições relacionadas a expoentes da literatura, por meio de profissionais a elas ligados, ou cujo campo de estudos se associe a tal segmento.

SERVIÇO

INSCRIÇÃO – PROGRAMA FORMATIVO “PATRIMÔNIO, MEMÓRIA E GESTÃO CULTURAL”

Cerca de 60 vagas

Híbrido: presencial no próprio museu, localizado na Rua Lopes Chaves, nº 546, Barra Funda, em São Paulo; virtual pelo Zoom

Cronograma da inscrição, do processo de seleção e do período de matrícula:

Inscrição aberta até 8/03/2022: aqui

15/03/22 – Divulgação do resultado do processo seletivo – primeira chamada. As pessoas selecionadas serão informadas por e-mail

16 a 23/03/22 – Matrícula dos selecionados. Taxa única de matrícula: R$ 300,00

29/03/22 – Chamada dos candidatos da lista de espera, com convocação feita por e-mail.

30/03/22 a 08/4/22 – Matrícula dos candidatos convocados em segunda chamada. Taxa única de matrícula: R$ 300,00

Cinco bolsas integrais para pessoas selecionadas e que declararem baixa renda, por meio de formulário a ser solicitado pelo e-mail do museu (aqui).

19/04/2022 – Início das aulas

———-

Casa Mário de Andrade

Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site do museu.
Horário de funcionamento: terça a domingo das 10h às 18h

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo

Acessibilidade: rampa de acesso ao andar térreo e fraldário móvel.
Programação gratuita

Inscrições abertas para Painéis Digitais do Encontro Paulista de Museus

Estão abertas, de 5/3 a 20/4, aos museus de todo Estado, as inscrições para a participação nos Painéis Digitais do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM) – principal evento das instituições museológicas paulistas, organizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP). O evento acontece de 18 a 20/7, no Memorial da América Latina.

Os Painéis Digitais são apresentações em formato digital a serem exibidas em televisores espalhados pelo local do evento. Dois temas foram abertos para o recebimento de inscrições:

  1. “Democratização de processos museológicos” – com ações desenvolvidas pelos museus que contaram com a participação do público e da comunidade em seus processos institucionais (orçamento participativo, gestão colaborativa, curadoria compartilhada, identificação e/ou ressignificação do acervo, definição da programação etc).
  2. “Ações de fomento à participação” – aquelas que possibilitaram a apropriação do público e da comunidade do espaço do museu, como, por exemplo, com a realização de parcerias com escolas ou associações de bairro para a realização de evento em conjunto; mutirão com vizinhos para a realização de uma benfeitoria na vizinhança; implementação de uma horta comunitária; campanha de arrecadação de insumos etc.

“Os Painéis Digitais, além de complementarem as apresentações e temas dos Encontros Paulistas de Museus, constituem o espaço ideal para que os museus paulistas mostrem a um grande público os seus trabalhos. O objetivo é que as ideias apresentadas sirvam de inspiração para outras instituições, criando-se, assim, uma rede compartilhada de soluções”.
MESSAGE-ICON
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP

COMO PARTICIPAR?

Para participar dos Painéis Digitais do 10EPM, os museus devem encaminhar a apresentação por meio da ficha de inscrição disponível no link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScd4iW9Czusiet7DmCNCfXyUHL6-sX2KN3SBZhogH7n3rTq_Q/viewform

Os selecionados serão divulgados em 27/04. Além disso, entre as apresentações selecionadas, até quatro de cada tema podem ser escolhidas para uma apresentação ao vivo no segundo e terceiro dias do encontro.

Detalhes para a elaboração dos Painéis Digitais estão disponiveis no link: https://www.sisemsp.org.br/epm/paineis-tematicos/. Após o 10EPM, todos serão disponibilizados no site do SISEM-SP (www.sisemsp.org.br). Dúvidas e informações pelo telefone (11) 3339-8111 e pelo e-mail sisem@sp.gov.br.

Inscrições para o Prêmio São Paulo de Literatura terminam dia 8 de outubro

Com duas categorias em disputa, concurso dará R$ 200 mil a cada vencedor. Autores e editoras podem apresentar obras publicadas até dezembro de 2019 (mais…)

Instalação artística e processo migratório pautam nova iniciativa do Museu da Imigração

A ação “Avoar” receberá inscrições de ceramistas até 14 de junho.

Primeira quinzena do mês também será de exposição virtual, oficina de culinária e mais

O Museu da Imigração – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo –, em parceria com a Cerâmica Contemporânea Brasileira (CCBRas), a Sou Cerâmica e a artista Hideko Honma, lança a ação colaborativa “Avoar”, convidando ceramistas de todo o Brasil e da América Latina para participarem do projeto por meio da confecção de pássaros que tragam mensagens positivas ao próximo.

Relacionando o espetáculo da migração dos pássaros, considerada uma das maravilhas da natureza, com o processo migratório humano, fenômeno permanente e fundamental na história da humanidade até os dias de hoje, a iniciativa marca uma celebração à 15ª Primavera dos Museus, realizada anualmente pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM).

Os artistas interessados deverão se inscrever até 14 de junho para essa proposta, que resultará no envio de peças produzidas no formato dessas aves e com a gravação de uma mensagem positiva ao próximo. A partir desses materiais, uma instalação será inaugurada no jardim do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, no mês setembro.

Ao término do período de exposição, o público poderá levar as produções para casa em troca da doação de 1kg de alimento não perecível. A arrecadação será direcionada, em sua totalidade, para organizações de caridade. O edital completo, com objetivo, requisitos, inscrição, entre outros detalhes, está disponível no site do MI.

Programação híbrida na primeira quinzena de junho

 

Seguindo a flexibilização do Plano São Paulo, o Museu amplia o expediente a partir do dia 1º, passando a funcionar de terça a domingo, das 11h às 17h, com encerramento da bilheteria às 16h. Na mesma data, uma nova produção integra-se ao Projeto RAIZ, desenvolvido para promover um espaço de escuta no tronco de uma das figueiras centenárias do complexo. Com essa iniciativa, os visitantes poderão prestigiar um material do cantor e compositor Emicida, que se soma à reflexão do historiador e escritor, Leandro Karnal, disponibilizada no início de maio.

No dia 05 (sábado), a instituição lançará a exposição virtual “Os registros do migrar”, por meio do Google Arts & Culture, às 11h. A mostra abordará a variedade de documentos existentes, tanto na forma quanto na função, e como é possível conhecer vivências e histórias a partir de como foram produzidos e preservados. Atualmente, a plataforma já conta com quatro curadorias digitais, englobando desde os impactos da experiência do deslocamento na alimentação e a história de algumas peças até os caminhos percorridos e os 25 anos da Festa do Imigrante.

Em mais live da série “A situação das mobilidades humanas na pandemia”, o pesquisador do MI, Thiago Haruo, receberá convidados para um bate-papo no Instagram. No dia 10 (quinta-feira), a conversa será com os integrantes do projeto de pesquisa regional “(I) Mobilidade nas Américas e Covid-19”, Caio Fernandes e Iréri Ceja Cárdenas, às 17h. A pauta terá conexão com a ocupação iniciada, no final de maio, na abordagem “Mobilidade Humana e Coronavírus”, publicada no Blog do CPPR.

Finalizando as atividades da primeira quinzena do mês, a oficina de culinária “Temperos do Mundo”, agendada para o dia 12 (sábado), às 11h, ensinará uma receita típica mexicana. Na ocasião, a representante dessa comunidade na Festa do Imigrante, Antonieta Lopez, apresentará o passo a passo da sopa de tortilla, tanto presencialmente quanto em uma live no Instagram. Os interessados em acompanhar diretamente da instituição devem se inscrever antecipadamente no site, sendo que as vagas são limitadas.

Serviço

Projeto RAIZ

Data: terça a domingo

Horário: 11h às 17h (bilheteria até as 16h)

Local: Jardim – Museu da Imigração

Exposição virtual “Os registros do migrar”

Data: 05 de junho

Horário: 11h

Plataforma: Google Arts & Culture

 

Live Série “A situação das mobilidades humanas na pandemia”

Data: 10 de junho

Horário: 17h

Plataforma: Instagram

 

Oficina “Temperos do Mundo” | México

Data: 12 de junho

Horário: 11h

Local: Museu da Imigração

Plataforma Live: Instagram

 

Ação colaborativa “Avoar”

Inscrições: até 14 de junho

Informações

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP

Tel.: (11) 2692-1866

Funcionamento: de terça a domingo, das 11h às 17h (fechamento da bilheteria às 16h).

R$10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição

www.museudaimigracao.org.br

Informações Imprensa

Museu da Imigração

Assessoria de Comunicação

Joanna Flora j.flora@museudaimigracao.org.br | (11) 2692-1866

Thâmara Malfatti | thamara@museudaimigracao.org.br

Caroline Nóbrega | comunicacao@museudaimigracao.org.br

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

Cintia Ruiz | (11) 98080-9800

Davi Franzon | (11) 93411-6428

Simone Blanes | (11) 94003-1711

imprensaculturasp@sp.gov.br

FOTO: Wendy Andrade 

Instituições Culturais do Governo do Estado de São Paulo oferecem espaço para gravação e transmissão de espetáculos contemplados na Lei Aldir Blanc  

Proponentes do ProAC Expresso LAB podem se inscrever até 24/3 para utilizarem os teatros das 12 unidades das Fábricas de Cultura, Teatro Sérgio Cardoso e Teatro Estadual de Araras. Até o momento foram recebidas cerca de 20 solicitações

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo está oferecendo seus espaços para gravações e/ou transmissões de espetáculos contemplados no programa de fomento ProAC Expresso LAB. Entre as instituições participantes da iniciativa estão: Teatro Sérgio Cardoso,  na capital; Teatro Estadual de Araras, no município de Araras, e as 12 unidades das Fábricas de Cultura distribuídas na capital (nas regiões da Zona Leste, Norte e Sul), Diadema e São Bernardo do Campo.

Toda infraestrutura de equipamentos e serviços para a realização dos eventos será de responsabilidade dos proponentes do projeto, que deverão seguir as regras dos teatros e as normas de segurança sanitária de prevenção à Covid-19. As inscrições podem ser feitas até 24/03.

Em 2020, foram  selecionados 4.096 projetos no programa de fomento à cultura ProAC Expresso LAB, em 25 linhas de editais. Cerca  de 20 proponentes  já pediram para utilizar  os espaços do Governo, com transmissões previstas para serem veiculadas a partir de abril. As vagas são limitadas à capacidade de atendimento e à viabilidade técnica.

Saiba como solicitar o cadastro nas instituições culturais :

  • Teatro Sérgio Cardoso: o espaço está disponível para gravação e transmissão de espetáculos, de qualquer classificação etária, no segmento de produções para pessoas jurídicas de Teatro, Dança, Infantojuvenil, Música, Festivais e os Eixos Licenciamento de Conteúdo para pessoas jurídicas e físicas e Eixo Licenciamento de Formação para pessoas físicas, por meio do formulário https://amigosdaarte.org.br/editais-proac-expresso-lab/. Para dúvidas ou mais informações entre em contato pelo e-mail atendimentolab@amigosdaarte.org.br;
  • Teatro Estadual de Araras: está disponível para gravação e transmissão de espetáculos, de qualquer classificação etária, no segmento de Produções para pessoas jurídicas de Teatro, Dança, Infantojuvenil, Música, Festivais e os Eixos Licenciamento de Conteúdo para pessoas jurídicas e físicas e Eixo Licenciamento de Formação para pessoas físicas, por meio do formulário https://amigosdaarte.org.br/editais-proac-expresso-lab/. Para dúvidas ou mais informações entre em contato pelo e-mail atendimentolab@amigosdaarte.org.br;
  • Fábricas de Cultura Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo: estão disponíveis apenas para conteúdos com classificação etária livre, a ser avaliado por meio do e-mail: ana-cavalcanti@cataventocultural.org.br. Proponente deve enviar no assunto “LAB – Uso do Teatro. Projeto ID 0000”, no corpo do texto informar o nome e ID do projeto, bem como os dados de contato e uma linha de descrição da atividade cultural que será desenvolvida;

Instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa recebem doações para a Campanha do Agasalho

Pontos de coleta estão em todas as regiões da cidade, além do interior e litoral

(mais…)

IV Semana de Música de Câmara do Conservatório de Tatuí traz grupos convidados

Evento realizado entre os dias 11 e 15 de dezembro apresenta recitais especiais;

(mais…)

João Trevisan: Corpo e Alma

As pinturas evocam os céus noturnos enquanto as esculturas fazem referência aos trilhos que cruzam a terra”.

Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, exibe a exposição “Corpo e Alma”, do artista plástico João Trevisan, sob curadoria de Simon Watson. Composta por trabalhos com técnicas e suportes diferenciados, a exposição apresenta 28 obras criadas nos três últimos anos, com uma seleção de pinturas a óleo, esculturas em madeira talhada e ferro bruto e uma vídeo-performance, registrada em local próximo ao estúdio do artista em Brasília. “Trevisan cria pinturas e esculturas que são meditações de fisicalidade, buscando criar um espaço que ofereça uma profunda contemplação ao púbico”, define o curador. João Trevisan: Corpo e Alma, é a primeira mostra individual institucional do artista e a primeira exposição do projeto LUZ Contemporânea.

A exposição, instalada no sentido horário, começa com os primeiros trabalhos do período – pinturas tão pequenas como livros de orações – e finaliza com os mais recentes – pinturas com dimensões semelhantes a murais. Intercaladas às telas, estão as esculturas. Para João Trevisan, o processo de pintura se assemelha a uma meditação profunda e inclui percorrer, varrer a superfície de cada trabalho mais de 500 vezes até atingir brilho polido. A cor preta, intensa, exibida na série de pinturas “Intervalo”, lhes concede uma qualidade meditativa que parece aludir não só à noite, mas ao cosmos como um todo.

“Essas são pinturas que, devido à sua tonalidade densa e escura, pedem vários minutos de observação intensa para simplesmente capturá-las. Elas exemplificam o que podemos chamar de “slow art”, recriando em um idioma secular as condições de contemplação que são comuns nas práticas espirituais. Para alguns, a pintura pode até sugerir orações noturnas”, define Simon Watson.

As esculturas são construídas a partir de peças de ferro descartadas – parafusos, porcas, sucata etc. – e dormentes de madeira encontrados em pátios ferroviários. A qualidade bruta dessas esculturas parece remeter ao sec. XIX quando os trens de carga percorriam a rede ferroviária do Brasil. Em destaque estão grandes vigas de madeira conectadas por dobradiças de ferro; uma pilha organizada em forma de leque de grandes parafusos industriais; e uma pilha de placas de ferro – todas com uma sensual pátina de ferrugem avermelhada que ecoa as superfícies das pinturas próximas.

Como destaque, temos a escultura instalação site-specific de João Trevisan, no jardim interno do MAS/SP, sobre a qual ele diz: “Gosto de pensar nas sete esculturas dispostas de forma ordenada no pátio como sete corpos apontando em direção ao céu, como se estivesse de pé e pedindo permissão para estar naquele lugar monástico”.

Vários aspectos da técnica de João Trevisan se juntam na performance de vídeo de seis minutos da exposição, “Caminhar para acender”. Em um devaneio de uma performance que parece falar poeticamente sobre o material de origem das pinturas do artista, Trevisan é visto primeiro em um trilho de ferrovia, ‘lutando’ com um enorme pedaço de madeira e em seguida, carregando-o no ombro colina acima, onde, ao anoitecer, ele o queima. Para aqueles que se lembram de ouvir trens distantes, essa vídeo-performance atinge diretamente a memória. Mas a obra possui força própria para seduzir a todos. Instalado no Museu de Arte Sacra, ecoa pelos corredores repletos de artefatos do barroco brasileiro e ícones religiosos, para nos lembrar da luta humana e dos anseios espirituais.

A exposição está concentrada nos trabalhos que o artista desenvolveu recentemente durante o período onde pintura e escultura foram executadas simultaneamente. Ao conceber e conceituar essa exposição, Simon Watson buscou inspiração nas comemorações de aniversário de 50 anos da Rothko Chapel (Houston, TX, USA) esperando que a mensagem transmitida por João Trevisan: “Corpo e Alma” seja de profunda meditação e tranquilidade.

Projeto LUZ Contemporânea

Idealizado pelo curador Simon Watson, LUZ Contemporânea é composto por 12 exposições – individuais e/ou coletivas – de artistas contemporâneos a serem desenvolvidas, em parceria com o Museu de Arte Sacra de São Paulo, onde temas diversos oferecerão propostas e desafios aos artistas convidados buscando diálogo conceitual e material com obras do acervo da instituição… ou não! Cada mostra é única em seu próprio universo.

Exposição: “Corpo e Alma

Artista: João Trevisan

Curadoria: Simon Watson

Abertura: 24 de abril de 2021, às 11hs.

Duração: de 20 de abril à 20 de junho de 2021

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo || MAS/SP

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – informações adicionais

Horários: De terça-feira a domingo, das 11 às 17h (entrada permitida até as 16hs)

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação

INGRESSOS – Compra de Ingressos

Número de obras: 28

Técnicas: pinturas, esculturas, vídeo-performance

Dimensões: variadas

Mídias Digitais

Site: www.museuartesacra.org.br

Instagram: https://www.instagram.com/museuartesacra/

Facebook: https://www.facebook.com/MuseuArteSacra

Twitter: https://twitter.com/MuseuArteSacra

YouTube: https://www.youtube.com/MuseuArteSacra

Google Arts & Culture: https://bit.ly/2C1d7gX

Jurassic Park ganha trilha sonora ao vivo no Cinematographo de janeiro do MIS

O evento acontece no dia 7/1, domingo, e os ingressos começam a ser vendidos no dia 22 de dezembro (mais…)

Legado arquitetônico de Neco Stickel ganha exposição no MCB

Mostra apresenta do aspecto processual dos desenhos a obras icônicas retratadas à mão – abertura 25/11 (mais…)

Lei Aldir Blanc – Nota Oficial

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que pagou até ontem, 30/12, a renda básica emergencial prevista no Inciso I da Lei Aldir Blanc para os 2.500 profissionais habilitados, totalizando R$ 7.665.600,00. Todos os recursos apresentados por potenciais beneficiários foram analisados e deferidos ou indeferidos. Também até 30/12 foi realizado plenamente o empenho dos valores necessários para o pagamento de 4.095 projetos culturais aprovados e contratados nas 25 linhas do ProAC Editais LAB, totalizando R$ 264.500.000,00. Os valores estarão disponíveis para os proponentes a partir de 18/01 nas contas bancárias do Banco do Brasil abertas para esta finalidade.

Com isso, em 2020 foram concluídas as etapas necessárias para assegurar a destinação, por meio da Lei Aldir Blanc, de R$ 272.165.500,00 ao setor cultural e criativo de São Paulo. Ao todo, o Governo do Estado recebeu R$ 281.838.497,67 do Governo Federal, sendo R$ 264.155.074,63 relativos à cota original do Estado e R$ 17.683.423,04 relativos à reversão de valores não utilizados por municípios. O índice de execução, portanto, foi de 100% do valor recebido inicialmente e de 96,9% do total recebido.

Literatura, dança e fotografia integram as formações das Oficinas Culturais no mês de abril

Atividades são gratuitas e abertas para o público a partir dos 16 anos

A partir do dia 11 de abril, as Oficinas Culturais – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – disponibilizarão uma nova etapa de formações no interior, que tem como objetivo fomentar a produção cultural de profissionais atuantes na região metropolitana, interior e litoral paulista. As atividades serão gratuitas e abertas ao público a partir de 16 anos.

Por meio de oficinas e workshops e a fim de descentralizar e identificar novas oportunidades nessas regiões, as novas formações terão início em maio para diferentes linguagens artísticas como artes visuais, dança, teatro, fotografia, literatura, novas mídias, gestão cultural, performance e circo.

As inscrições deverão ser feitas com antecedência pois as vagas são limitadas. Os encontros online serão realizados via Zoom.

A programação completa da Formação para o Interior – Oficinas Culturais, assim como os campos de inscrições, estão disponíveis em https://linktr.ee/oficinasnointerior

 

SERVIÇO – FORMAÇÃO PARA O INTERIOR – OFICINAS CULTURAIS

Stop Motion – animação com massinha

Esta oficina possibilitará que os participantes criem pequenas histórias em stop motion, uma das técnicas do cinema de animação. As aulas serão aplicadas pela Eliana Ribeiro, formada em Artes Plásticas pela UNICAMP, diretora de arte e de montagem em curtas e longas-metragens.

Turma A: 2, 4, 9 e 11/5 – 10h às 12h
Turma B: 18, 23, 25 e 30/5 – 14h às 16h
Inscrições: 11/4 até o preenchimento das vagas
40 vagas por turma
Público-alvo: oficina para principiantes
Link de inscrição Turma A: aqui
Link de inscrição Turma B: aqui

Fotógrafos latinos

Os encontros desta oficina destacarão as características dos artistas latino-americanos que trabalham com a fotografia e de diversas gerações. O objetivo é identificar as formas de ver e mostrar contextos históricos e, principalmente, como cada artista cria, interpreta e realiza uma imagem nas suas diferentes áreas. Também vai ocorrer um exercício fotográfico por onde os alunos deverão realizar e apresentar as fotos captadas.

A mediação será de Melissa Szymanski, fotógrafa formada e pós-graduada pela FASM – Faculdade Santa Marcelina, com cursos em Milão (Itália), nas áreas de Fotografia de Moda e Still Life, além de ter sido docente de Fotografia em instituições como IED – Istituto Europeo di Design, SESC e Centro Universitário Belas Artes.

Datas e horários: 10, 12, 17 e 19/5 – 14h às 16h
Inscrições: 11/4 até o preenchimento das vagas
20 Vagas
Público-alvo: pessoas interessadas em Artes Visuais e Fotografia
Link de inscrição: aqui

Kalungaerê – práticas criativas para as infâncias

Danuza Novaes – multiartista e intelectual periférica, formada em Comunicação Social pela Unisa, em Canto Popular pela Etec de Artes, Sonoplastia em Teatro pela SP Escola de Teatro, Produtora Cultural pelo Instituto Tomie Ohtake e pós-graduada em Gestão Cultural pelo Instituto Singularidades/Itaú Cultural – vai ministrar uma palestra focada nas vivências e possibilidades de criar e questionar o universo da contação de histórias e da música voltadas para as infâncias.

O recorte será pelas perspectivas culturais afro-brasileiras e a atividade faz parte do ciclo formativo “Cruzos poéticos”, coordenado por Felínio Freitas, mestrando em Artes pela Unesp, produtor cultural e pesquisador em mediação de leitura.

Turma A: 10/5 – 14h às 17h
Turma B: 11/5 – 18h30 às 21h30
Inscrições: 11/4 até o preenchimento das vagas
30 vagas por turma
Público-alvo: educadoras/es, artistas, bibliotecárias/os, mediadoras/es e demais interessados em arte, cultura e educação antirracista
Link de inscrição Turma A: aqui
Link de inscrição Turma B: aqui

 

Brincando de escritor – como dar uma oficina literária infantojuvenil?

Pais, educadores e estudantes interessados na mediação literária para o público infantojuvenil poderão conferir algumas técnicas na palestra coordenada por Marcela Schwab, artista visual pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, educadora com trabalhos em espaços como o Theatro Municipal de São Paulo, e à frente da área educacional da editora Kalinka, especializada em literatura russa, e por Fabiola Notari, artista visual, pesquisadora e pós-doutora em Comunicação e Artes, além de doutora em Literatura e Cultura Russa pela FFLCH/USP.

A atividade partirá do ponto de vista metodológico e com exercícios de desenho, mostrando possibilidades de ensinar procedimentos literários para as crianças, como a construção do narrador e da personagem, de maneira leve e didática.

12/5 – 18h30 às 20h30
Inscrições: 11/4 até o preenchimento das vagas
60 vagas
Público-alvo: pais, tutores, educadores, estudantes do ensino médio e graduação interessados em literatura e cultura russa
Link de inscrição: aqui

Oficina de conexão entre Dança Contemporânea e Danças Brasileiras

A oficina apresentará as danças brasileiras de origem africana e ameríndias como o Frevo, Samba de Coco, Bumba meu Boi e Maracatu Rural. Outra parte da abordagem se voltará para a consciência corporal somada com a dança contemporânea, trazendo novas possibilidades e qualidades de movimentos. A coordenação será feita por Mônica Alvarenga, atriz e dançarina profissional há mais de 20 anos, fundadora do Elekô Coletivo Cultural e do Ateliê Cênico de Dança em Pindamonhangaba-SP.

16, 18, 23 e 25/5 – 18h30 às 20h30
Inscrições: 11/4 até o preenchimento das vagas
30 Vagas
Público-alvo: atores, bailarinos, educadores e demais interessados, mesmo sem experiência na dança
Link de inscrição: aqui

A rebeldia das musas: Gabriela Mistral, Alfonsina Storni e Juana de Ibarbourou

Aqui o objetivo é desvendar o caminho traçado pelas primeiras mulheres que ingressaram no cânone literário latino-americano: Gabriela Mistral, Alfonsina Storni e Juana de Ibarbourou. Para isso, o destaque será para as mudanças estabelecidas pelo processo modernizador na América Latina, o surgimento do movimento feminista no continente e a relação dessas escritoras com esse contexto a partir da vida e obra delas.

A mediação será feita pela argentina Ayelén Medail, formada em História (ISP – JVG, CABA, Argentina) e em Letras (UNIP, SP), especialista em Educação Sexual com Perspectiva de Gênero (UNSAM, Bs. As., Argentina), além de atuar como professora de Espanhol na rede privada de ensino da cidade de São Paulo, tradutora literária e pesquisadora.

Data e horário: 19, 24, 26 e 31/5 – 18h30 às 20h30
Inscrições: 11/4 até o preenchimento das vagas
30 Vagas
Público-alvo: em geral, com afinidade e interesse pela temática
Link de formulário: aqui

 

Maria Valéria Rezende vence Prêmio São Paulo de Literatura com romance Outros Cantos

O Prêmio São Paulo de Literatura anunciou os melhores romancistas de 2016 (mais…)

Mariene de Castro faz live neste sábado (22/5) na plataforma #CulturaEmCasa

Programação de fim de semana também tem show de Caio Prado e transmissão da peça

“Hamlet Cancelado”, com Vinícius Piedade.

A plataforma #CulturaEmCasa, a primeira plataforma de streaming de conteúdo cultural das mais diferentes linguagens artísticas, totalmente gratuita, traz neste fim de semana lives do cantor e compositor Caio Prado, da cantora Mariene de Castro e a peça “Hamlet Cancelado”, com Vinícius Piedade. A programação integra o Festival #CulturaEmCasa, veiculado pela plataforma. Criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte, a plataforma já registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. (Confira programação deste fim de semana abaixo).

Militante da luta pelos direitos da comunidade negra e LGTBQIA+ e um dos mais importantes compositores e cantores independentes, Caio Prado, faz live na 6ª feira (21/5), a partir das 21h30. O compositor, que já foi gravado por importantes nomes da MPB, como Elza Soares, apresentará um repertório com as principais músicas de seus seis anos de estrada.

No sábado (22/5), também às 21h30, é a vez da cantora, atriz e bailarina Mariene de Castro. Notória por exaltar a cultura afro-brasileira, a artista começou sua carreira aos 5 anos de idade, quando já se apresentava em espetáculos de dança no Teatro Castro Alves, em Salvador (BA). Ao fazer uma turnê pela França, chegou a se comparada a Edith Piaf, pela força de sua interpretação e a singularidade de seu timbre de voz.

E, no domingo (23/05), às 21h30, será transmitida a peça “Hamlet Cancelado”, com Vinícius Piedade. O clássico “ser ou não ser”, de Shakespeare, traz a questão sobre a dificuldade em se fazer arte no Brasil. A direção é de Fábio Vidal.

“A plataforma #CulturaEmCasa tem como objetivo ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade e contribuindo para estimular a difusão cultural para todo país, com conteúdos da mais diferentes linguagens artísticas”, afirma Danielle Nigromonte.

 

Sobre #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios. Até o momento, a plataforma registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga.

A ferramenta reúne também conteúdos do Teatro Sérgio Cardoso, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o “Festival de Cinema Negro em Ação” e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto “Música Conecta” com o Espírito Santo Este mês também foi lançada parceria com o estado do Ceará, em que serão transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense como o “Cineteatro São Luiz”, “Porto Dragão Sessions” e “Zona de Criação”.

 

Sobre a Amigos da Arte

A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão dos teatros Sérgio Cardoso e de Araras e do Museu de Diversidade Sexual (MDS), trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos. Em seus mais de 15 anos, a entidade desenvolveu 58 mil ações que atingem mais de 25 milhões de pessoas.

 

Programação:

21/05 (sexta-feira)

21h30 Festival #CC Caio Prado

22/05 (sábado)

21h30 Festival #CC Mariene de Castro

23/05 (domingo) Festival #CC “Hamlet Cancelado” com Vinícius Piedade

 

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

 

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Mário de Andrade – 124 anos!

Casa Mário de Andrade comemora aniversário do seu patrono com apresentações de teatro, música e dança (mais…)

Memorial da América Latina inaugura exposição modernista

Caricaturas de 16 personalidades do modernismo brasileiro poderão ser vistas em fevereiro 

A partir de 13 de fevereiro, o público que visitar o Memorial da América Latina, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa,  poderá conferir, nas pilastras do Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro, a exposição de 16 caricaturas de artistas ligados ao Movimento de 22.  

Com curadoria de Jal (José Alberto Lovetro), presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil, a mostra “Pilares de 22” foi concebida e realizada pelo Memorial da América Latina e contará com caricaturas gigantes para homenagear quem participou da Semana da Arte Moderna e também aqueles que contribuíram para difundir as ideias modernistas pela América Latina. 

As caricaturas são do artista Luiz Carlos Fernandes, paulista de Avaré e que coleciona mais de 70 prêmios de artes gráficas no Brasil e no exterior. Elas retratam Victor Brecheret, Di Cavalcanti, Flávio de Carvalho, Graça Aranha, Anita Malfatti, Menotti del Picchia, Villa-Lobos, Antonieta Santos Feio, Guiomar Novaes, Guilherme de Almeida, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Plínio Salgado, Tarsila do Amaral, Manuel Bandeira e Pagu. 

Nesta exposição foram escolhidos não só quem participou diretamente da Semana de Arte Moderna de 22, mas também outros artistas brasileiros, portanto latino-americanos, que contribuíram para o que é considerado o Modernismo na América Latina, seja pela estética, pelas concepções, pelas técnicas, pelas figuras retratadas nas respectivas obras de artes para além do eixo Rio-SP, como a pintora paraense Antonieta Santos Feio. Outro artista, Flávio de Carvalho, não esteve na semana, mas foi considerado por Oswald o mais modernista dos modernistas. 

O público poderá fotografar, fazer selfies e stories para se sentir no clima de 1922. A entrada é gratuita, sem necessidade de agendamento prévio, respeitando os protocolos sanitários vigentes. 

As caricaturas ficarão instaladas nas pilastras em frente ao Pavilhão da Criatividade durante todo o ano e contarão com mini-biografias das personalidades.  

“A ideia é homenagear quem participou da Semana da Arte Moderna e também aqueles que contribuíram para difundir as ideias modernistas pela América Latina, pois a semana não foi só um estopim, ela foi uma das estrelas de um movimento que acontecia por toda a América Latina”, afirma Jorge Damião, presidente da Fundação Memorial da América Latina.  

ABERTURA 

A inauguração dos pilares acontecerá no dia 13 de fevereiro, ao meio-dia, data que marca o centenário de abertura da Semana de Arte Moderna no Theatro Municipal de São Paulo.  

O lançamento da exposição “Pilares de 22” contará com apresentação de chorinho do Trio Jr Alves. O repertório inclui canções que remetem ao cenário musical da época da Semana de 22. 

Serviço 

Exposição Pilares de 22
Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro / Praça da Sombra
Inauguração: 13 de fevereiro, às 12h
Visitação: De terça a domingo, das 10h às 17h 

Avenida Mário de Andrade, 664 – Barra Funda (acesso pelos portões 8 e 9) 

Entrada gratuita 

Sem necessidade de agendamento 

 

Memorial da América Latina lança publicações com artigos de pesquisadores bolsistas da instituição

Até o final deste ano, quatro publicações do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina estarão disponíveis no site do Memorial

O Memorial da América Latina, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, por meio do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina (CBEAL), lança até o final do ano quatro publicações contendo artigos de bolsistas da Cátedra Unesco para Integração da América Latina e do CBEAL. Os livros poderão ser baixados no site da instituição, no endereço: www.memorial.org.br/publicacoes.

Já está disponível para download Cadernos da Cátedra Vol II – Vidas em refúgio, que reúne os artigos dos bolsistas da Cátedra Memorial Unesco de 2021, sob orientação da profa. Dra. Ana Carolina de Moura Delfim Maciel, da Unicamp. Faça o download da publicação neste endereço.

CBEAL Pesquisa I – Tradução e Interpretação Comunitária também já pode ser baixado no site do Memorial da América Latina. O livro reúne os artigos produzidos pelos bolsistas do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina, em 2021, sob orientação da profa. Dra. Sabine Gorovitz e também dos professores que ministraram os seminários que compuseram o módulo I do curso de Formação de Tradutores e Intérpretes Comunitários, que ocorreu no mesmo período. Faça o download da publicação neste endereço.

A partir de dezembro, será lançado Cadernos da Cátedra Vol III – Ações culturais como facilitadoras de uma integração intercultural de pessoas em situação de refúgio no Brasil, que traz os principais resultados das pesquisas de cinco pesquisadores orientados pela pesquisadora-sênior do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina, profa. Dra. Elizabete Sanches Rocha.

Durante a segunda quinzena de dezembro, será disponibilizada CBEAL Pesquisa, volume II: Migrações forçadas e refúgio na América Latina durante a pandemia de Covid-19. A publicação traz os resultados das pesquisas realizadas pelos bolsistas do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina em 2022, sob orientação da profa. Dra. Julia Bertino Moreira, da UFABC.

SOBRE AS PUBLICAÇÕES

Cadernos da Cátedra Vol II – Vidas em refúgio

Livro Cadernos da Cátedra, Volume II: vidas em refúgio, com o resultado das pesquisas desenvolvidas na Cátedra Memorial Unesco em 2021. A coletânea reúne os artigos dos bolsistas da Cátedra Memorial Unesco de 2021, sob orientação da profa. Dra. Ana Carolina de Moura Delfim Maciel, da Unicamp e traz reflexões baseadas na captação de depoimentos de refugiados venezuelanos, afegãos e sírios, a partir das pesquisas realizadas pelos bolsistas para a produção de materiais audiovisuais que têm como tema o refúgio contemporâneo. O livro conta também com a colaboração de artigos de orientandos do programa de pós-graduação em Multimeios da Unicamp.

Disponível em: https://memorial.org.br/wp-content/uploads/2022/11/Cadernos_catedra_vol_II_vidas_refugio_2021.pdf

Cadernos da Cátedra Vol III – Ações culturais como facilitadoras de uma integração intercultural de pessoas em situação de refúgio no Brasil

Esta coletânea traz os principais resultados das pesquisas de cinco bolsistas a partir do projeto de pesquisa “Ações culturais como facilitadoras de uma integração intercultural de pessoas em situação de refúgio no Brasil”, orientado pela pesquisadora-sênior do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina, profa. Dra. Elizabete Sanches Rocha. O objetivo central foi o de fomentar ações culturais capazes de promover uma integração intercultural entre pessoas em situação de refúgio no Brasil presentes em diferentes regiões do país, a saber: Norte, Nordeste, Sul e Sudeste. Além disso, são apresentadas reflexões acerca dos desafios impostos pelos protocolos internacionais, histórica e politicamente estabelecidos, e seus limites na efetividade das ações que dão ênfase à securitização e não privilegiam práticas de integração intercultural, quando se trata de acolhimento de pessoas em situação de refúgio.

CBEAL Pesquisa I – Tradução e Interpretação Comunitária

A publicação CBEAL PESQUISA I – Tradução e interpretação comunitária reúne os artigos produzidos pelos bolsistas do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina, em 2021, sob orientação da profa. Dra. Sabine Gorovitz e também dos professores que ministraram os seminários que compuseram o módulo I do curso de Formação de Tradutores e Intérpretes Comunitários, que ocorreu no mesmo período. Os artigos foram divididos em quatro partes: A interpretação comunitária como garantia de direitos dos povos indígenas no Brasil; a interpretação comunitária no contexto de refúgio no Brasil; narrativas e dramatizações como base para a formação do intérprete comunitário e os dos professores dos seminários de formação de tradutores e intérpretes comunitários.

Disponível em: https://memorial.org.br/cbeal_pesquisa_i-2021/

CBEAL Pesquisa II: Migrações forçadas e refúgio na América Latina durante a pandemia de Covid-19

O livro CBEAL Pesquisa, volume II: Migrações forçadas e refúgio na América Latina durante a pandemia de Covid-19 traz os resultados das pesquisas realizadas pelos bolsistas do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina em 2022, sob orientação da profa. Dra. Julia Bertino Moreira, da UFABC. Os artigos mostram reflexões a partir das pesquisas relacionadas aos temas: 1) Migrações e refúgio no Brasil e na América Latina na atualidade; 2) Impactos da pandemia de Covid-19 para migrantes e pessoas em situação de refúgio; 3) Políticas públicas voltadas à integração de migrantes e pessoas em situação de refúgio e 4) Migrantes e pessoas em situação de refúgio à luz das interseccionalidades.

Memorial da América Latina promove Mostra Latino-Americana de Curtas

O Festival gratuito, em parceria com as secretarias de Cultura e de Relações Internacionais e com o apoio e realização da Amigos da Arte, vai
de 1º a 20 de dezembro

(mais…)

Memorial da América Latina realiza exposição inédita de Maureen Bisilliat

Mostra pode ser visitada a partir do dia 30 de abril 

 

O Memorial da América Latina, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, inaugura a exposição No escuro, é Permitido Sorrir, de Maureen Bisilliat, com imagens extraídas dos filmes Andanças e Jequitinhonha: a Última Viagem. Os vídeos registram as viagens que a artista e seu companheiro Jacques Bisilliat fizeram por países latino-americanos e pela região do Vale do Jequitinhonha em Minas. A mostra poderá ser visitada a partir de 30 de abril, no espaço Gabo, ao lado do Pavilhão da Criatividade. 

 

Para Darcy Ribeiro, parceiro de Oscar Niemeyer na concepção e realização do Memorial da América Latina, o Pavilhão da Criatividade seria o lugar no qual as culturas dos povos tradicionais seriam representadas, permitindo a seus herdeiros que se reconhecessem nelas. Com essa missão em mente, Maureen Bisilliat e seu companheiro Jacques Bisilliat partiram para suas andanças. 

 

Maureen e Jacques Bisilliat  visitaram  México, Guatemala, Peru e Equador, países das antigas civilizações Maias, Incas e Astecas,  para conhecer e adquirir peças do artesanato regional. A viagem foi feita de carro, caminhão, trem, em lombo de burro, a pé e de avião. Ao longo de dois meses, Maureen e Jacques tiveram contato com culturas vivas e em constante transformação, coletando objetos sagrados e profanos. O objetivo era compor um conjunto de itens representativos de cada país e de regiões do Brasil, que viriam a constituir o acervo do Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro. 

 

Fotos dos artesãos do filme Jequitinhonha: a Última Viagem, também integram a mostra. Na região conhecida pela riqueza de seu artesanato, especialmente as bonecas de barro, a artista entrou em contato com os artesãos do vale, além de trazer peças icônicas da cultura local. 

 

Para Maureen, “a produção do vale, ao invés de ter sucumbido à automaticidade sofrida por lugares mais expostos ao fluxo turístico, surpreende pela vitalidade constantemente renovada de suas criações”. 

 

A mostra também reúne frases de escritores e personalidades relevantes da  história latino-americana. Para a artista, dar destaque à palavra em uma exposição de imagens é fundamental, “especialmente pelo momento que estamos vivendo, de escuridão, incerteza”, conclui a artista.  

 

Reforçar por meio de imagens e textos o valor da cultura e educação é antes de mais nada um compromisso que a artista apresenta em No escuro, é permitido sorrir. 

 

 

Sobre 

 

Maureen Bisilliat 

Chega ao Brasil em 1952. Naturalizada em 1967. Iniciou os estudos em artes plásticas com André Lhote, em Paris (1955), e com Morris Kantor, no Art Students’ League, em Nova York (1957).

Passou a atuar como fotojornalista para as revistas Realidade e 4Rodas. Recebeu a bolsa de pesquisa da John Simon Guggenheim Foundation em 1970. Entre 1981 e 1987, foi bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo FAPESP.

Desenvolveu o projeto equivalências-fotográficas a partir dos mundos retratados pelos autores: Euclides da Cunha, Guimarães Rosa, Jorge Amado, Mário de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Adélia Prado e Jorge de Lima. Na década de 1970 foi diversas vezes ao Xingu, convidada pelos sertanistas Orlando e Cláudio Villas-Bôas. Em coautoria com os Villas-Bôas lançou o livro, XINGU/Território Tribal. Além de um documentário do mesmo título filmado por Lúcio Kodato.  Expôs o trabalho no Museu de História Natural de Nova York em 1983.

Em 1987, com seu marido, Jacques Bisilliat, e o sócio, Antônio Marcos Silva, criaram o Acervo de Arte Popular Latino-Americano, a convite de Darcy Ribeiro, do qual nasceu o Pavilhão da Criatividade do Memorial da América Latina, SP.

Em 2003, o Instituto Moreira Salles adquiriu seu Acervo Fotográfico, publicando, em 2009, o livro FOTOGRAFIAS / Maureen Bisilliat, acompanhado por uma exposição. 

Por 15 anos tem trabalhado com o editor Felipe Lafé, numa busca arqueológica em seu extenso arquivo em diversos suportes. O documentário autobiográfico – EQUIVALÊNCIAS / Aprender Vivendo – é um dos resultados diretos dessa parceria.
 

Serviço 

No escuro, é permitido sorrir
Exposição de Maureen Bisilliat
A partir de 30 de abril
Visitação: de terça a domingo, das 10h às 17h
Memorial da América Latina
Espaço Gabo – Praça da Sombra  acesso pelos portões 8, 9 e 13
Grátis 

 

Memorial da América Latina realiza exposição inédita de Maureen Bisilliat

Mostra pode ser visitada a partir do dia 30 de abril 

 

O Memorial da América Latina, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, inaugura a exposição No escuro, é Permitido Sorrir, de Maureen Bisilliat, com imagens extraídas dos filmes Andanças e Jequitinhonha: a Última Viagem. Os vídeos registram as viagens que a artista e seu companheiro Jacques Bisilliat fizeram por países latino-americanos e pela região do Vale do Jequitinhonha em Minas. A mostra poderá ser visitada a partir de 30 de abril, no espaço Gabo, ao lado do Pavilhão da Criatividade. 

 

Para Darcy Ribeiro, parceiro de Oscar Niemeyer na concepção e realização do Memorial da América Latina, o Pavilhão da Criatividade seria o lugar no qual as culturas dos povos tradicionais seriam representadas, permitindo a seus herdeiros que se reconhecessem nelas. Com essa missão em mente, Maureen Bisilliat e seu companheiro Jacques Bisilliat partiram para suas andanças. 

 

Maureen e Jacques Bisilliat  visitaram  México, Guatemala, Peru e Equador, países das antigas civilizações Maias, Incas e Astecas,  para conhecer e adquirir peças do artesanato regional. A viagem foi feita de carro, caminhão, trem, em lombo de burro, a pé e de avião. Ao longo de dois meses, Maureen e Jacques tiveram contato com culturas vivas e em constante transformação, coletando objetos sagrados e profanos. O objetivo era compor um conjunto de itens representativos de cada país e de regiões do Brasil, que viriam a constituir o acervo do Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro. 

 

Fotos dos artesãos do filme Jequitinhonha: a Última Viagem, também integram a mostra. Na região conhecida pela riqueza de seu artesanato, especialmente as bonecas de barro, a artista entrou em contato com os artesãos do vale, além de trazer peças icônicas da cultura local. 

 

Para Maureen, “a produção do vale, ao invés de ter sucumbido à automaticidade sofrida por lugares mais expostos ao fluxo turístico, surpreende pela vitalidade constantemente renovada de suas criações”. 

 

A mostra também reúne frases de escritores e personalidades relevantes da  história latino-americana. Para a artista, dar destaque à palavra em uma exposição de imagens é fundamental, “especialmente pelo momento que estamos vivendo, de escuridão, incerteza”, conclui a artista.  

 

Reforçar por meio de imagens e textos o valor da cultura e educação é antes de mais nada um compromisso que a artista apresenta em No escuro, é permitido sorrir. 

 

 

Sobre 

 

Maureen Bisilliat 

Chega ao Brasil em 1952. Naturalizada em 1967. Iniciou os estudos em artes plásticas com André Lhote, em Paris (1955), e com Morris Kantor, no Art Students’ League, em Nova York (1957).

Passou a atuar como fotojornalista para as revistas Realidade e 4Rodas. Recebeu a bolsa de pesquisa da John Simon Guggenheim Foundation em 1970. Entre 1981 e 1987, foi bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo FAPESP.

Desenvolveu o projeto equivalências-fotográficas a partir dos mundos retratados pelos autores: Euclides da Cunha, Guimarães Rosa, Jorge Amado, Mário de Andrade, João Cabral de Melo Neto, Adélia Prado e Jorge de Lima. Na década de 1970 foi diversas vezes ao Xingu, convidada pelos sertanistas Orlando e Cláudio Villas-Bôas. Em coautoria com os Villas-Bôas lançou o livro, XINGU/Território Tribal. Além de um documentário do mesmo título filmado por Lúcio Kodato.  Expôs o trabalho no Museu de História Natural de Nova York em 1983.

Em 1987, com seu marido, Jacques Bisilliat, e o sócio, Antônio Marcos Silva, criaram o Acervo de Arte Popular Latino-Americano, a convite de Darcy Ribeiro, do qual nasceu o Pavilhão da Criatividade do Memorial da América Latina, SP.

Em 2003, o Instituto Moreira Salles adquiriu seu Acervo Fotográfico, publicando, em 2009, o livro FOTOGRAFIAS / Maureen Bisilliat, acompanhado por uma exposição. 

Por 15 anos tem trabalhado com o editor Felipe Lafé, numa busca arqueológica em seu extenso arquivo em diversos suportes. O documentário autobiográfico – EQUIVALÊNCIAS / Aprender Vivendo – é um dos resultados diretos dessa parceria.
 

Serviço 

No escuro, é permitido sorrir
Exposição de Maureen Bisilliat
A partir de 30 de abril
Visitação: de terça a domingo, das 10h às 17h
Memorial da América Latina
Espaço Gabo – Praça da Sombra  acesso pelos portões 8, 9 e 13
Grátis 

 

Memorial da América Latina recebe exposição sobre jornalistas refugiados no Brasil

Exposição fotográfica, realizada em parceria com o ACNUR e a Folha de S. Paulo, retrata profissionais de imprensa forçados a deixar seus países devido a perseguições; abertura será no dia 10 de junho

O Memorial da América Latina, em parceria com o ACNUR – Agência da ONU para Refugiados e o jornal Folha de S. Paulo, recebe, a partir do dia 10 de junho, a exposição fotográfica Quem conta essa história: jornalistas refugiados ou refugiados jornalistas?.

Composta por fotos, textos e recursos audiovisuais produzidos pela Folha de S. Paulo e pelo ACNUR, a exposição relata os motivos do deslocamento forçado, a trajetória e o processo de integração de quatro jornalistas. Carlos, Claudine, Kamil e Victorios, que tiveram que deixar, respectivamente, a Venezuela, República Democrática do Congo, Turquia e Síria, em busca de proteção internacional no Brasil. Em suas novas residências, eles buscam reconstruir suas vidas com dignidade, sem deixar para trás os profissionais que são.

A exposição aborda a vida e trajetória de cada um dos jornalistas retratados, considerando o contexto que cada um foi forçado a abandonar, trazendo uma análise das violações de direitos humanos em cada país e os caminhos percorridos pelos profissionais do jornalismo, evidenciando a perseguição sofrida. Compõem a exposição textos descritivos contendo as narrativas de cada refugiado, ilustrados por fotografias e infográficos, além de vídeos com depoimentos em primeira pessoa, trazendo, assim, um olhar mais íntimo sobre a causa dos refugiados.

“A principal missão do Memorial da América Latina é ser um polo de integração latino-americana e, para isso, atuamos, desde a nossa fundação, no sentido de promover ações de acolhimento tanto dos povos latinos, quanto de qualquer outra população vulnerável. Recebemos essa exposição com a maior alegria e com a certeza de que esta é mais uma frente em que atuamos para a defesa dos direitos humanos”, afirma Jorge Damião, presidente do Memorial da América Latina.

A exposição integra as atividades realizadas pelo Memorial da América Latina em parceria com o ACNUR, por meio de um acordo de cooperação firmado entre as instituições em janeiro de 2021, com o objetivo de realizar ações de visibilidade sobre o tema dos refugiados e da apatridia a partir de uma perspectiva cultural e educativa. A atividade também celebra os 70 anos do ACNUR e os 100 anos da Folha de S.Paulo. A programação conta ainda com uma oficina de cobertura jornalística sobre refugiados, no dia 15 de junho, às 18h, também em parceria com a Folha de S. Paulo; e uma coletiva de imprensa para lançamento do relatório Tendências Globais – Deslocamento Forçado em 2020, no dia 18 de junho, às 11h.

A exposição ficará em cartaz entre os dias 10 de junho e 31 de agosto, de segunda a sábado, das 12h às 16h, seguindo os protocolos de segurança contra a disseminação da da Covid-19.

Serviço:

Exposição Quem conta essa história: jornalistas refugiados ou refugiados jornalistas?

De 10 de junho a 31 de agosto

De segunda a sábado, das 12h às 16h
Espaço Gabo – Praça da Sombra

Grátis

Memorial da Resistência abre exposição sobre as ditaduras na América Latina

“Hiatus” aponta para os dias de hoje, numa memória continuamente atualizada pelo esquecimento.

(mais…)

Memorial da Resistência de São Paulo apresenta a exposição “Memórias do Futuro”

Mostra com curadoria de Mário Medeiros traz ao público um panorama histórico de lutas por direitos da população negra no estado de São Paulo

O Memorial da Resistência, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, apresenta a partir do dia 4 de junho a exposição Memórias do Futuro: Cidadania Negra, Antirracismo e Resistência. A mostra traz um resgate das lutas pelos direitos da população negra no estado de São Paulo do período de 1888 até os dias de hoje, por meio de 450 materiais entre fotos, cartazes e documentos além da participação de artistas como Bruno Baptistelli, Geraldo Filme, João Pinheiro, Moisés Patrício, No Martins, Renata Felinto, Sidney Amaral, Wagner Celestino e Soberana Ziza.

O evento gratuito tem curadoria do sociólogo e escritor Mário Augusto Medeiros da Silva, com apoio da pesquisa documental feita pela historiadora Pâmela de Almeida Resende e pela pesquisadora do Memorial da Resistência Carolina Junqueira Faustini. A exposição é baseada nas lutas lideradas pela população negra brasileira e traz à tona a continuidade e a persistência do associativismo negro em suas formas de resistência ao longo dos anos.

Antes mesmo de adentrar ao museu, os visitantes já são impactados pela exposição. Ainda na área externa, haverá um grande painel com mais de 20 metros feito pela multiartista e grafiteira paulistana Soberana Ziza. Inspirada na força das palavras das mulheres negras de Geledés, ela fez uma obra que retrata a projeção da mulher negra. O painel que recebeu o nome de “Fio da Memória” é um convite para as pessoas visitarem a exposição, que contará com oito eixos que abordarão o período colonial, a imprensa e literatura negra, as expressões artísticas retratadas nos grupos e escolas de samba, teatro folclórico, bailes blacks e hip hop, o período da repressão, as perseguições às práticas religiosas de matrizes africanas e afro-brasileiras, a sequência da redemocratização e da nova república além do feminismo negro e diferentes reivindicações de mulheres negras.

A mostra ficará em cartaz no Memorial da Resistência de São Paulo até 8 de maio de 2023 e foi criada em colaboração com organizações e coletivos convidados, como a Coalização Negra por Direitos, a revista O Menelick 2º Ato, a Capulanas Cia de Arte Negra e o Ilú Obá de Min, em parceria com os arquivos e acervos de cultura negra no AEL – Unicamp, o Arquivo Público do Estado de São Paulo, o Museu da Imagem e do Som, a Pinacoteca do Estado e o Condephaat.

Serviço

Exposição: Memórias do Futuro: Cidadania Negra, Antirracismo e Resistência

Período: 04/06/2022 a 08/05/2023

Faixa etária: Livre

Entrada: Grátis

Local: Memorial da Resistência de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 – Santa Ifigênia

Horário: quarta a segunda, das 10h às 18h (fecha às terças)

Os ingressos do Memorial estão disponíveis no site e na bilheteria do prédio.  Reservas aqui.

Mercado Manual chega à sétima edição no MCB com produtos sustentáveis

O evento conta com expositores de artesanato e gastronomia, shows e oficinas, nos dias 2 e 3 de dezembro
(mais…)

Mês da Mulher – confira a programação!

SEMANA DA MULHER
@culturasp


ENTREVISTAS


DESAFIO LITERÁRIO


PROGRAMAÇÃO

ENTREVISTAS

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Daniela Alfonsi

“Machismo a gente enfrenta em qualquer área e eu acredito que o esporte é só mais uma delas”

Daniela é Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Elizabeth
Del Grande

“Se um homem mata um leão por dia, a gente tem que matar três”

Elizabeth é percussionista da OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Foto: Joca Duarte

Florangel Marquez

“Uma aula particular forma uma pessoa; uma escola de música forma um indivíduo que pensa em função de todos”

Florangel é integrante da Associação de Pais e Amigos da EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo

inesss

Inês
Bogéa

“Me instiga a
encontrar novas possibilidades de criar espaços para a dança, seja nos palcos, nas palavras ou nas imagens”.

Inês é Diretora Executiva e Artística da São Paulo
Companhia de Dança

Foto: Reprodução

Renata
Perón

“Gostaria de comemorar o Dia Internacional da Mulher ao lado de outras
mulheres. Hoje, não sinto que posso fazer isso”

Renata é recepcionista na SP Escola de Teatro e também é presidente da ONG CAIS – Centro de Apoio de Travestis e
Trans

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Valentina
Peleggi

“Na Itália não existe feminino para a palavra maestro. Ainda é percebido como um papel masculino”

Valentina é regente em residência da OSESP

02.03_MCW_GOVSP-CULT_FB_DESAFIO

DESAFIO
LITERÁRIO 2018

Livros de Escritoras

Queremos que você conheça mais livros escritos por mulheres e,
para isso, criamos esse #DesafioLiterário!

Cada círculo contém uma categoria na qual o título precisa estar contido. Convide as pessoas que você conhece para participar e veja quantos pontos cada um vai conseguir marcar.


voltar para o topo

PROGRAMAÇÃO

museu_da_imigracao

Museu da Imigração

Visitas educativas especiais

Sábados e domingos de março às 11h00

Durante todos os finais de semana do mês de março, às 11h, as visitas guiadas pelos educadores do Museu da Imigração abordarão a presença das mulheres na história da migração para o estado de São Paulo.

Para participar dessas atividades é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

Poesia no Concreto

11 de março

O Núcleo Educativo realiza, no dia 11/3, a atividade “Poesia no Concreto”. Nela, o público poderá questionar como as mulheres migrantes são representadas pelas mídias e quais notícias gostariam de ler sobre elas.

Para participar dessas atividades é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

Acessibilidade no local

www.museudaimigracao.org.br

Local

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)

(11) 2692-1866

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
Casa das Rosas_Foto Débora Nazari

Casa das Rosas

Ciranda das Mulheres

Terças de março e abril às 14h00

A Casa das Rosas realiza, até 24/04, a oficina “Ciranda das Mulheres”, sempre às terças-feiras, às 14h.

Sarau das Pretas

17 de março às 19h00

Mulheres negras atuantes no cenário cultural periférico de São Paulo se reúnem no dia 17/3, sábado, às 19h, para o Sarau das Pretas.

Slam das Minas

15 de abril às 14h30

No dia 15/4, domingo, às 14h30, acontece o Slam das Minas (SP). Completando seu terceiro ano na Casa das Rosas, o Slam propõe uma batalha de poesia entre escritoras e slammers, visando garantir uma vaga feminina para a competição em nível nacional, o Slam BR.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.casadasrosas.org.br

Local

Casa das Rosas

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP
Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

pinacotex

Pinacoteca

Exposição “Hilma af Klint”

À partir de 03 de março

A Pinacoteca abre sua primeira exposição do calendário de 2018 com “Hilma af Klint: Mundos Possíveis”, uma mostra individual da pintora sueca Hilma af Klint, que inclui 130 obras, com destaque para a série intitulada “As dez maiores”. Realizada em 1907, é considerada hoje uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental.

#SmashtheGlass

07 de março

A Pinacoteca recebem atividades do evento #SmashtheGlass. Essa ação propõe a dar visibilidade ao assédio sexual sofrido por mulheres a partir da realidade brasileira. A roda de conversa na Pina acontece no dia 7 de março, as inscrições são limitadas e gratuitas e devem ser feitas no link: https://goo.gl/147GjD.

Os ingressos para a Pinacoteca custam R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia).

Materna em Canto

10 de março às 11h00

Sábado, dia 10/3, o museu recebe o “Materna em canto” a partir das 11h na Pina Luz (átrio – 2º andar). Fundado por Isadora Canto, esse é o primeiro e mais antigo grupo vocal composto por mães que cantam juntas transformando histórias da maternidade e celebração das dores e delícias de ser mulher em apresentação musical.

Informações

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

www.pinacoteca.org.br

Local

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000

mis_sp

MIS – Museu da Imagem
e do Som

Mostra Viola Davis

De 06 a 08 de março,
às 18h00 e às 20h30

O MIS realiza uma mostra gratuita de filmes da premiada atriz norte-americana Viola Davis. Serão duas sessões por dia, sempre às 18h00 e 20h30.

O evento é gratuito, mas é necessário retirar ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência na recepção.

Brincando com a Tempestade

10 de março às 19h00

No dia 10 de março, a performance “Brincando com a Tempestade”, da paulista Andreza Aguida, que será apresentada no Auditório MIS, às 19h00, com entrada gratuita, vai ilustrar como uma tempestade pode ser convidativa para a afirmação do poder feminino.

Informações

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 21h00 | domingos e feriados, das 9h00 às 19h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.mis-sp.org.br

Local

Museu da Imagem e do Som – MIS-SP

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
fachada_pacaembu

Museu do Futebol

Visibilidade para o Futebol Feminino

01 de março a 29 de abril
Terça a sábado, das 10h às 22h
Domingos e feriados, das 10h às 18h

“Composta por 11 painéis e três vídeos com roteiro de Marcelo Duarte e narração de Claudete Troiano, a mostra foi feita especialmente para viajar para outras localidades e colaborar, assim, para tornar mais conhecida a participação feminina no futebol”, afirma Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol.

A conquistas DELAS

07 de março
às 19h30

Com o objetivo de inspirar mulheres que atuam ou desejam atuar como atletas, o Museu do Futebol realiza um debate sobre a luta das mulheres nos esportes.
Aline Pellegrino, Magic Paula e Fofão participam do debate intitulado “As Conquistas Delas: a história oculta das mulheres no esporte”, com mediação das Dibradoras.

O evento acontece no auditório do Museu, dia 7/3, quarta-feira, às 19h30, com entrada gratuita.

Informações

R$ 12,00 | Grátis às terças-feiras

Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 18h00 (Bilheteria até às 17h00)

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

www.museudofutebol.org.br

Local

Museu do Futebol

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu,  São Paulo- SP

(11) 3664-3848

sixty-photos-1187522

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

#SmashTheGlass

08 de março
das 10h00 às 12h00

A unidade Cidade Tiradentes recebe parte da programação do #SmashTheGlass, evento realizado pelos Governos de São Paulo e do Canadá que discute o assédio sexual nos espaços públicos. A partir das 10h acontece uma roda de conversa com participação de Evelyne Coulombe, representante do consulado canadense; Lunna Rabetti, da Frente Nacional das Mulheres no Hip Hop; Renata Perón, presidente da Associação Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Sexuais (CAIS). Para moderar o evento, foi convidada Heloísa Alves, da secretaria de Desenvolvimento Social do estado paulista e ex-coordenadora estadual de Políticas para Diversidade Sexual.

Informações

Participação livre e gratuita

Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

www.fabricadecultura.org.br

Local

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 – São Paulo/SP

(11) 2556-3624

Museu Índia Vanuíre - Foto Alisson de Oliveira Formenti (2)

Museu Índia Vanuíre

Atividades especiais no Dia da Mulher

08 de março
às 09h00

No Dia da Mulher, o Museu Índia Vanuíre realiza uma palestra destinada aos alunos de Tupã e público espontâneo, para discutir temas relacionados à importância da valorização e do respeito às mulheres. A palestra será conduzida por uma mulher ligada à defesa aos direitos das mulheres.

08 de março às 14h00

O Dia da Mulher mostra à sociedade como o gênero feminino deve ser tratado todos os dias. Neste momento, o Museu índia Vanuíre realiza um sarau com o objetivo de enaltecer e valorizar as mulheres por meio de músicas e poesias.

Informações

Ingresso voluntário

Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

Acessibilidade no local

www.museuindiavanuire.org.br

Local

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 – São Paulo, SP

(11) 2556-3624

Casa de Portinari_ Crédito André Luís Rezende (1)

Museu Casa de Portinari

08 de março
das 09h00 às 18h00

Em comemoração a essa data, o Museu Casa de Portinari homenageia as mulheres com a apresentação de vídeo com retratos de mulheres pintadas por Portinari.

Informações

Entrada: ingresso voluntário

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00
Acessibilidade no local

www.museucasadeportinari.org.br

Local

Museu Casa de Portinari – Brodowski

Praça Candido Portinari, 298 – Brodowski/SP

(16) 3664-4284

OCOswalddeAndrade_fotoMarciaAlves640x480

Oficina Cultural
Oswald de Andrade

Teatro – “Quarto 19”

09 de março
às 20h00
10 de março às 18h00

“Quarto 19”, peça inspirada no conto homônimo da escritora britânica Doris Lessing, fala sobre a liberdade das mulheres na sociedade patriarcal.

Palestra A Escrita da Dança com Inês Bogéa

17 de março
às 10h30

Antes do bate-papo, haverá a exibição do DVD A Escrita da Dança, produzido pela Companhia, que aborda a história da dança cênica ocidental em suas principais vertentes – clássica, moderna e contemporânea, procurando mostrar as diferentes maneiras pelas quais o corpo se organiza no espaço e as inter-relações entre esses estilos cênicos. O material faz parte de uma série produzida pela São Paulo que conta com documentário, textos e sugestões de exercícios que dialogam com os Cadernos de Arte da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e procura estimular o conhecimento do universo da dança de maneira a apreciá-lo, refletindo e percebendo-o de forma criativa.
Neste dia, os participantes também poderão assistir trechos dos ensaios na SPCD, além de receberem o DVD Escrita da Dança e certificado de participação, que será enviado por e-mail.

Teatro – “V.U.L.V.A.””

28 de março às 20h00

O espetáculo V.U.L.V.A investiga o lugar simbólico que a Vulva ocupa em nossa sociedade e se perguntar: Qual é o significado da negação de algo concreto e biológico como a Vulva? Que conhecimentos podemos obter dela? Por que os nomes usados para denominá-la geralmente são infantis e quase sempre colocados no diminutivo? Por que sempre esse movimento de diminuição?

Teatro – “6 gritos para o infinito”

28 a 30 de março às 20h00
31 de março às 18h00

“6 gritos para o infinito” é uma coreografia composta por seis histórias, contadas por seis mulheres, e tem como objetivo extrapolar os discursos e experiências de repressão ao experimentar um corpo cheio de potência, de resistência e de criação, expressando a busca da mulher pelo prazer e por seus sonhos.

Teatro – “Latinas”

30 e 31 de março às 17h00

O espetáculo “Latinas” apresenta personagens múltiplas que questionam o modelo do papel social da mulher latino-americana em São Paulo.

Informações

Entrada gratuita – é necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00

www.oficinasculturais.org.br

Local

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo – SP

(11) 3222-2662 | 3221-4704
3221-5558 | 3222-9574 | 3222-4683

oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

download

Sala São Paulo

OSESP

08 e 10 de março

A Temporada Osesp 2018 – Natureza dos Sons abre oficialmente de 8 a 10/3, com a Osesp regida por sua diretora musical e regente titular Marin Alsop, apresentando a Sinfonia nº 7 de Mahler, a primeira peça que Marin regeu com a Orquestra, ainda como convidada, em 2011.

Informações

Sala São Paulo: 1340 lugares
Sala do Coro: 150 lugares

Recomendação etária: 7 anos

www.osesp.art.br

Local

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) – Sala São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, São Paulo – SP

Bilheteria: (11) 3223-3966
Ingresso Rápido: (11) 4003-1212

ww.ingressorapido.com.br

"Dom Quixote" - Foto: Heloisa Bortz

Theatro São Pedro

Pedro e o Lobo

10 e 11 de março às 11h00

Uma história infantil contada por meio da música. Serão duas apresentações com entrada gratuita: sábado (10) e domingo (11), ambas às 11h00. A regência é da maestrina convidada Katarine Araújo, que comanda um grupo de músicos da Orquestra do Theatro São Pedro. E o ator e palhaço Wellington Nogueira, fundador do Doutores da Alegria, será o narrador dessa história. No dia 10, o evento é realizado em parceria com a Artematriz, e faz parte da Ciclovia Musical SP 2018.

Informações

https://www.theatrosaopedro.org.br

Local

Theatro São Pedro

Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda – São Paulo-SP (prox. ao Metrô e Praça Marechal Deodoro)

(11) 3661-6600 | 3667-0499 (bilheteria)

M_RESISTENCIA

Memorial da Resistência

Sábado Resistente

10 de março às 14h00

O Memorial da Resistência realiza um encontro entre militantes feministas de diferentes gerações para debater as mudanças nas lutas das mulheres ao longo dos anos, tanto nas demandas quanto nas formas de ação, além das melhores estratégias para a conquista de direitos das mulheres.

Na ocasião, será exibido o documentário de curta-metragem “Nossa voz resiste!”, que traz a história de três mulheres brasileiras: uma comunicadora que denuncia a violência policial em sua comunidade, uma jornalista independente e uma militante que luta pela liberdade de expressão.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de quarta a segunda (fechados às terças-feiras), das 10h00 às 17h30, com permanência até as 18h00.

www.memorialdaresistenciasp.org.br

Local

Memorial da Resistência

Largo General Osório, 66 – Santa Ifigênia, São Paulo – SP

(11) 3335-4990

biblioteca-sp2

Biblioteca de São Paulo

Bate-papo Literário

10 de março das 14h00 às 17h00

Baseada na antologia intitulada Fantásticas, os autores Walter Tierno, Giulia Moon, Bruno Melo, Dany Fernandez, Josy Santos entre outros, .conversam sobre o protagonismo feminino na literatura e no cinema.

Clube da Leitura

29 de março às 15h00

O Clube da Leitura deste mês debate o livro “Os Contos da Aia”, de Margaret Atwood, um romance distópico situado num futuro próximo, no qual uma sociedade fundamentalista cristã subjuga e explora mulheres, tirando delas seu individualismo e independência.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Acessibilidade no local

www.bsp.org.br

Local

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, São Paulo – SP
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Telefone: (11) 2089-0800 | (11) 3335-4990

Casa Guilherme de Almeida

Casa Guilherme de Almeida

A mulher no cinema

10 de março às 15h00
17 e 18 de março das 14h00 às 18h00

A Casa Guilherme de Almeida realiza em março duas atividades que falam sobre o papel da mulher no cinema: no dia 10/3, às 15h, acontece a palestra “Mulheres na Tela”; já nos dias 17 e 18/3, das 14h às 18h, a Casa realiza o curso “Olhar e resistência: A presença da mulher no cinema brasileiro”.

As atividade são gratuitas, mas é necessário inscrição nesse link.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h.

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Local

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

(11) 3673-1883 / 3672-1391

Imagem Externa - Museu Afro Brasil_– Fotos Nelson Kon

Museu Afro Brasil

10,17 e 31 de março às 14h00

O Museu Afro Brasil realiza uma mediação com foco na presença das mulheres negras em seu acervo.

Neste percurso, os visitantes serão direcionados a perceber a importância e a contribuição histórica e estética de mulheres artistas, escritoras, líderes religiosas, entre outras personagens fundamentais da história brasileira.

Informações

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)
Acessibilidade no local

www.museuafrobrasil.org.br

Local

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
MCB_Jardim_Chema_Llanos_22

Museu da Casa Brasileira

Música no MCB

13 e 18 de março às 11h00

O Museu da Casa Brasileira recebe a Orquestra Pinheiros com o show “Sophisticated Ladies”. A apresentação será no dia 11/3, às 11h00, com entrada gratuita. No dia 18/3, é a vez a Jazzmin’s Big Band, formada por 17 mulheres de diversas gerações com repertório voltado à música popular sem fronteiras.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos sábados, domingos e feriados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.mcb.org.br

Local

Museu da Casa Brasileira

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano – São Paulo-SP
CPTM Cidade Jardim (850m)

(11) 3032-3727

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
Museu Felícia Leirner - Paulo Vilela (1)

Museu Felícia Leirner

“A história da mulher contada através da moda e das décadas”

17 e 24 de março às 10h30
18 e 25 de março às 15h30

O Museu Felícia Leirner apresenta a história da mulher, a evolução da moda, da cultura e das conquistas femininas ao longo das décadas. Imagens, curiosidades, diálogos e sensibilizações serão utilizados para que todos possam mergulhar nesse universo e conhecer um pouco mais sobre a nossa própria história!

Informações

R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia estudante e idoso) – gratuita aos domingos

Cidadãos jordanenses não pagam mediante apresentação de comprovante de residência

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

www.museufelicialeirner.org.br

Local

Museu Felícia Leirner

Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP

(12) 3662-6000

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
Museu_Catavento_03_15

Museu Catavento

Exposição “Marie Curie”

18 de março

O Museu Catavento recebe a exposição “Marie Curie 1867-1934”, que traz os feitos da cientista que foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel e única a ser condecorada duas vezes – Nobel de Física, em 1903 e de Química, em 1911.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos Sábados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.cataventocultural.org.br

Local

Catavento Cultural e Educacional

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051

premio-sao-paulo-de-literat

Biblioteca Parque Villa-Lobos

“Encontro Literário”

10 de março, das 14h00 às 17h00

Dia 10 de março, sábado, das 14h00 às 17h00, a BSP realiza o “Encontro Literário” que irá debater o protagonismo feminino na literatura e no cinema.

Para participar é necessário retirar senhas com 30 minutos de antecedência.

Clube da Leitura

23 de março às 15h00

O Clube da Leitura deste mês debate o livro “Mrs. Dalloway”, um dos romances mais famosos de Virginia Woolf, que fala sobre os conflitos internos de Clarissa Dalloway, uma socialite ficcional que vive na Inglaterra pós-Primeira Guerra Mundial.

Sarau na BVL

24 de março das 12h00 às 17h00

A BVL recebe o Sarau do MISC – Manancial de Interligação de Projetos Sociais e Culturais. Desde setembro de 2012, quando nasceu o projeto, já se apresentaram mais de mil grupos e artistas periféricos em vários pontos e comunidade de São Paulo. Esta edição presta homenagem ao Dia Internacional da Mulher e terá a participação do músico Thera Blue, da Cia. Ballet Dança & Ritmo, entre outros convidados.

Slam das Minas

31 de março das 14h30 às 16h00

“Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e ao Dia da Poesia, a BVL recebe o Slam das Minas – SP, uma batalha de poetas destinada ao gênero feminino.
O evento inicia com o microfone aberto e em seguida as poetas se enfrentam em três rodadas eliminatórias. Regras: somente textos autorais de até três minutos, sem objeto cênico, figurino e acompanhamento musical. O júri é escolhido na hora.”

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Acessibilidade no local

www.bvl.org.br

Local

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros, São Paulo – SP

(11) 3024-2500

Metá Metá participa no 2º episódio da série Outras Vanguardas, que integra o projeto ‘Modernismo Hoje’

A série online, transmitida gratuitamente pela plataforma e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, inicia as atividades em homenagem ao centenário da Semana de 22 do Governo do Estado de São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, apresenta nesta sexta-feira, 30, às 21h30, o segundo episódio da série Outras Vanguardas, que tem como convidado especial o trio paulista de jazz Metá Metá com seu eclético trabalho. A série, produzida pela Organização Social Amigos da Arte, marca o início da celebração dos 100 anos da Semana de 1922 e também do projeto Modernismo Hoje, uma agenda com mais de cem iniciativas, de julho de 2021 a dezembro de 2022 (18 meses) para celebrar o legado da Semana de Arte Moderna de 1922. As 60 instituições, corpos artísticos, espaços e programas culturais do Estado participarão das comemorações.

Toda em 4k, Outras Vanguardas apresenta performances e depoimentos de personagens de diferentes gerações comprometidos com a renovação da linguagem, artistas pioneiros em atividade, movimentos disruptivos que guardam relação direta com os propósitos da Semana, seus desdobramentos e a expressão contemporânea do pensamento modernista. Pela primeira vez, são apresentados em uma única série, espetáculos e depoimentos de artistas que embarcam em seus trabalhos o conceito de vanguarda artística, como por exemplo, a trupe do Lira Paulistana.

Outras Vanguardas foi gravada no Teatro Sérgio Cardoso, tem transmissão gratuita às sextas-feiras, sempre às 21h30, pela plataforma #CulturaEmCasa. Os shows da série também fazem parte da agenda especial de lançamento do aplicativo #CulturaEmCasa, já disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android.

Composta por dez episódios, esta primeira temporada traz como protagonistas músicos, produtores, poetas e artistas gráficos do movimento da vanguarda paulista. O show de estreia foi de Arrigo Barnabé com participação especial do Isca de Polícia (grupo de Itamar Assumpção) e de Ian Uviedo. Na agenda também estão Premê, Cida Moreira, Língua de Trapo, Tetê Espíndola, Pascoal, Passoca, Tulipa Ruiz com Gustavo Ruiz, Chagas e Suzana Salles. Também será exibido um documentário reunindo todos os convidados desta primeira edição.

O trio, formado por Juçara Marçal, Kiko Dinucci e Thiago França destacam a experiência em participar da série. “Nós do Metá Metá ficamos muito felizes de participar da série Outras Vanguardas por estarmos inseridos de certa maneira à experiência da invenção na música brasileira e paulista como foram algum dia Mario e Oswald, concretistas, tropicalistas, vanguarda paulista, cada um em seu tempo e ao seu modo. Nos identificamos mais com a ideia de contemporaneidade do que de vanguarda, nosso tempo é agora, a nossa música dialoga com o que estamos vendo, de bom e de ruim no país.”

“Nosso objetivo é debater a cultura contemporânea e o novo modernismo do século 21, destacando o papel dos nossos artistas e integrando-os aos espaços do Governo Estadual”, diz Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

“A produção e a exibição de Outras Vanguardas tem a grata missão de apresentar o impacto da Semana de Arte Moderna em diferentes momentos da história cultural do país e em seus protagonistas. Cada integrante da série foi convidado a fazer uma reflexão sobre a Semana de 22 e o legado de modernistas como Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti e Anita Malfatti. E que até hoje influenciam as diversas linguagens artísticas”, explica Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigos da Arte, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios. No último dia 17, foi lançado também o aplicativo #CulturaEmCasa, com uma programação especial com apresentação do musical Auê, da Cia. Barca dos Corações Partidos. Entre os destaques estão a Cia. de Dança Debora Colker e shows de Emicida, Alinne Rosa e da A Banda Mais Bonita da Cidade.

O lançamento do app marca nova fase da plataforma #CulturaEmCasa. O app ampliará ainda mais o acesso à programação da plataforma, que possui mais de três mil conteúdos, 5,6 milhões de visualizações, atingindo 3,5 mil cidades e 157 países. Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga, entre outros.

A ferramenta reúne também conteúdos dos Teatro Sérgio Cardoso, de Araras, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o Festival de Cinema Negro em Ação e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto Música Conecta com o Espírito Santo e com o estado do Ceará, em que são transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense.

Migrantes venezuelanos são tema de exposição no Museu da Imigração

Inauguração faz parte do Programa de Seminário do Observatório das Migrações em São Paulo, que contará, ainda, com mesa redonda e lançamentos de livros

(mais…)

MIS dedica dia especial aos animais de estimação com programação gratuita

No próximo domingo, 12 de novembro, os amantes dos bichinhos têm lugar certo para passear (mais…)

MIS e Casa das Rosas estreiam ‘Renascimento’, instalação de Siron Franco

Obra presta homenagem às vítimas da pandemia, aos profissionais de saúde e ao mesmo tempo celebra a vida. Instalação formada por 365 manequins suspensos pode ser conferida a partir de 15 de janeiro.

Será preciso olhar alguns metros acima da linha dos olhos para se deparar com “Renascimento”, título da instalação inédita de Siron Franco, um dos principais artistas plástico do Brasil, composta por 365 manequins suspensos e que pretende celebrar a vida e a esperança na superação da Covid-19, além de homenagear as vítimas da pandemia e os profissionais da saúde.  Em cartaz a partir do dia 15 de janeiro, no jardim do museu Casa das Rosas, a mostra é resultado de uma parceria entre o Museu da Imagem e do Som e a Casa, gerenciada pela Poiesis, ambas instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

“A instalação de Siron Franco trata de um tema fundamental nos dias atuais e resulta de uma parceria estratégica entre duas instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo”, comenta Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. “Com ela, a Casa das Rosas continua oferecendo arte e reflexão ao público enquanto acontece a reforma do imóvel”.

A inspiração para “Renascimento” aconteceu quando Siron Franco (1947) retirou um manequim de seu ateliê em Aparecida de Goiânia e o pendurou em um varal de arame. Ao ver a cena e o efeito daquela representação humana em forma de boneco, nasceu a instalação que traz a ideia de uma população que “flutua”. As sombras criadas especialmente pelos vestidos femininos, dão a impressão de uma festa no céu, em que todos estão dançando. “Os que se foram, representados pelos manequins, bradam pela integração dos povos, pela compreensão que devemos amar à nossa espécie e pela defesa da igualdade e dos direitos inalienáveis de todos. Nas roupas, estará estampada a frase ‘Viva a Diferença, Viva a Humanidade, Viva a América Latina!’, que reforça esse clamor”, explica Siron Franco. Os manequins, de diferentes tamanhos e volumes, ocupam o jardim da Casa das Rosas e são suspensos por um cabo de aço a seis metros do chão.  Vestidos com roupas coloridas, alguns deles têm a “cabeça” coberta por um capuz que, segundo o artista “simbolizam a nossa insegurança quanto ao nosso destino. Para onde vamos?”, indaga.

A instalação é considerada por Siron uma obra que também traduz reflexões geradas pelo distanciamento social, da importância do contato físico, da celebração da vida. Para Marcos Mendonça, diretor geral do MIS, “’Renascimento’ é uma homenagem às vítimas e, ainda, à ciência e à vacina, que fazem ressurgir a esperança na vida das pessoas. O constante avanço da ciência nos traz segurança e saúde para esse recomeço, criando a perspectiva de novos e esperançosos tempos”.

A exposição acontece no período em que o imóvel da Casa das Rosas passa por restauro e as atividades do museu acontecem em seu jardim, além de por meio da internet. Para o programa do museu nesta fase, foi adotado o tema geral “Nasce morre nasce”, baseado em poema de Haroldo de Campos, que estabelece forte conexão com o título da instalação de Siron Franco.

A Casa preparou, também, ações baseadas na instalação, como oficinas literárias pelo jardim do museu. A primeira oficina – Ficções Vida – está programada para os dias 18, 20 e 27 de janeiro, das 18h às 20h, e estimulará a produção de pequenas biografias ficcionais de personagens que foram vítimas de Covid-19, abordando desde a dimensão humana à social. A segunda – Poesia de luto e de luta – acontecerá nos dias 10, 15 e 17 de fevereiro, das 18h às 20h, e focalizará no pensar e escrever sobre a morte no poema a partir da dor pessoal e coletiva. Fragmentos dos textos serão expostos posteriormente, somando com as obras de Siron Franco no jardim. As atividades são gratuitas e para participar é necessário fazer a inscrição até o primeiro dia de cada oficina, ou até o preenchimento das vagas, pelo site da Casa das Rosas (clique aqui).

O artista  

Siron Franco é pintor, escultor, ilustrador, desenhista, gravador e diretor de arte. Iniciou sua trajetória fazendo e vendendo retratos até que em 1965 começou a se concentrar nos desenhos.

Entre 1969 e 1971 foi morar em São Paulo e integrou o grupo que fez a exposição “Surrealismo e Arte Fantástica”, na Galeria Seta. Como pintor, alcançou o reconhecimento na 12ª Bienal Nacional de São Paulo, recebendo o prêmio de destaque que se repetiu na 13ª edição da Bienal Internacional. Em 1980, foi condecorado como melhor pintor do ano. Suas obras figuram nos mais importantes museus do Brasil e do mundo, como o Metropolitan Museum of Arts (The Met, em Nova York).

SERVIÇO

Instalação “Renascimento”, de Siron Franco 

Local: Jardim da Casa das Rosas (Av. Paulista, 37)

Data: 15 de janeiro de 2022 a 20 de março de 2022

Horário: Todos os dias, das 7h às 22h

Ingresso: gratuito

Classificação: livre

OFICINAS LITERÁRIAS:

Gratuitas e no jardim da Casa das Rosas. Inscrição pelo site do museu – link

Ficções vida

Com Carol Rodrigues e Reynaldo Damazio

Terças e quintas-feiras, 18, 20 e 27 de janeiro, das 18h às 20h

Inscrição até 18/01/2022 | 15 vagas

Poesia de luto e de luta

Com Michaela Schmaedel e Reynaldo Damazio

Terças a quintas-feiras, dias 10, 15 e 17 de fevereiro, das 18h às 20h
Inscrição até 10/02/2021 | 15 vagas

MIS Experience apresenta “Portinari em grafitti” no Conjunto Nacional

Grafiteiros de CEUs se inspiraram em clássicos do artista plástico e produziram suas próprias versões das pinturas

O MIS Experience – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – e o Conjunto Nacional promovem em parceria inédita a mostra Portinari em grafitti, uma exposição gratuita com dezenas de releituras de obras consagradas de Candido Portinari.

A mostra é resultado de uma ação realizada por meio da exposição Portinari para todos, em cartaz no MIS Experience, em que grafiteiros de Centros Educacionais Unificados (CEUs) foram convidados e produziram suas próprias versões de obras célebres de Candido Portinari, como Café, Os Retirantes, O Mestiço, Meninos soltando pipas, entre outras pinturas.

A seleção dos trabalhos de grafiteiros provenientes de áreas periféricas da capital paulista e de Osasco poderá ser conferida entre 5 de maio e 5 de junho no saguão do Conjunto Nacional, localizado na Avenida Paulista, em São Paulo.

A atividade é realizada em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação, por meio da Divisão de Cultura da Coordenadoria dos Centros Educacionais Unificados (COCEU).

Exposição Portinari para todos

 

O MIS Experience, localizado no bairro da Água Branca, promove a megaexposição Portinari para todos. Mais de 150 obras dos artistas são exibidas e reinterpretadas, a partir de recursos tecnológicos e audiovisuais, que preenchem o espaço expositivo do museu. A exposição poderá ser visitada até 10/07, e o site oficial é o www.portinariparatodos.com.br. A iniciativa faz parte do programa Modernismo Hoje, criado pelo Governo de São Paulo para celebrar o centenário da Semana de 1922.

Serviço

 

Portinari em grafitti

Data: 5/5 a 5/6

Horário: de segunda a sábado, das 6h às 22h / domingos e feriados, das 10h às 22h
Local: Saguão do Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073 – Consolação, São Paulo

Exposição Portinari para todos

Data: 05/03 a 10/07

Local: MIS Experience – Rua Cenno Sbrighi, 250 – Água Branca, São Paulo

Mais Informações: www.portinariparatodos.com.br

MIS Experience inaugura novo espaço ‘Quintal do Portinari’

Inspirado em pinturas que nasceram das memórias e do imaginário do artista – como Futebol (1935), Empinando Pipas (1941) e Espantalho (1959) –, o Quintal do Portinari é um mergulho em experiências lúdicas capazes de conduzir crianças, adolescentes e adultos, de forma inédita, à grandiosidade de Candido Portinari e sua obra;

A inauguração será realizada em 01/04 e os ingressos podem ser adquiridos no site do Museu; às terças-feiras a entrada é gratuita

Uma partida de futebol em um campinho improvisado de terra batida. Essa é uma das tantas memórias de infância reveladas pelo artista Candido Portinari em suas obras e que o MIS Experience, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, revisita para o cenário de seu novo espaço imersivo: o Quintal do Portinari.  Considerada uma experiência que preconiza e enriquece a visita à mostra Portinari para todos, o Quintal receberá o público a partir de 01/04 (sexta-feira) e os ingressos podem ser adquiridos pelo site do MIS Experience, .

A possibilidade de marcar gol em uma pelada à Portinari é apenas uma de muitas situações criadas para o público no ‘Quintal’. Outros personagens e cenários retratados pelo pintor permitem ainda empinar pipas, balançar em uma gangorra, rodar no gira-gira, testar a memória, coordenar os movimentos de um espantalho e até mesmo “passear” em uma carroça.

O espaço que abriga o Quintal de Portinari tem 600 metros quadrados e conta com instalações interativas, que fazem uso de recursos tecnológicos. É uma forma de aproximar o público das obras de Portinari, em especial as crianças, envolvidas pelo caráter lúdico e único da iniciativa.

“Quando essas crianças que passaram pelo Quintal se depararem com as obras da mostra reconhecerão, de imediato, um certo contexto daquelas brincadeiras”, aponta Marcos Mendonça, diretor geral da ACCIM – Associação Cultural Ciccillo Matarazzo, que gere o MIS, MIS Experience e Paço das Artes.

“O Quintal do Portinari une passado e presente, permitindo às crianças descobrirem brincadeiras muito distantes da atualidade. Já os adultos que tiveram a oportunidade de vivenciar os jogos na infância terão a sensação de um resgate das diversões que residem na memória de muitos de nós”, acrescenta o diretor.

Um dos objetivos do Quintal corrobora a ideia de concepção do MIS Experience, um espaço expositivo, que proporciona experiências inéditas, unindo tecnologia e arte. “Realizei um antigo sonho: criar um espaço dedicado ao público infantil. Idealizei um lugar de cultura lúdica, com atividades interativas, por acreditar que brincadeiras facilitam a aprendizagem e ajudam no desenvolvimento sociocultural da criança”, relata.

As brincadeiras

Mais de 10 instalações interativas estarão em funcionamento no Quintal do Portinari. No caso do futebol, funciona assim: a projeção destaca um dos personagens da obra (1935) esperando pela batida de um pênalti. O visitante se dirige até a marca e chuta uma bola de verdade em direção à tela… Na gangorra, um equipamento permitirá a brincadeira de forma inclusiva, considerando as necessidades de pessoas com mobilidade reduzida ou que utilizem cadeira de rodas.

Empinar uma pipa ganhou versão coletiva. As crianças terão acesso a folhas de papel com desenhos de pipas e balões para colorir. Depois o monitor responsável recolhe esses desenhos que ganham vida em uma tela de vídeo. Muito presente na memória do artista, o espantalho não ficou de fora: ao levantar os braços ou movimentar as pernas, o visitante é imitado pelo personagem em uma projeção provocativa e, ao mesmo tempo, muito delicada.

A “brincadeira” vai longe e conta também, entre outras atrações, com um jogo musical, inspirado na tela Chorinho (1942). O visitante poderá ouvir individualmente cada um dos instrumentos da pintura.

Na nova área expositiva do MIS Experience, o público também poderá conferir o Cinema do Candinho, com exibição de animações relacionadas com as obras do artista. Esta atração é gratuita.

Portinari para todos

Em exibição até 10 de julho, Portinari para todos explora mais de 150 pinturas do artista, por meio de projeções e diferentes tecnologias. Entre elas estão obras célebres, como o Lavrador de café (1934), A primeira missa no Brasil (1948), Café (1935) e Guerra e Paz (1952-1956). Segundo o curador de ‘Portinari para todos’, Marcello Dantas, esta é a primeira exposição de um artista brasileiro a utilizar as novas tecnologias imersivas.

Todo o acervo apresentado na mostra está sob os cuidados do Projeto Portinari, que tem a missão de pesquisar, preservar e democratizar o acesso ao legado do pintor.

João Candido Portinari, único filho do artista, fundador e coordenador da instituição, participou ativamente do trabalho expositivo e destaca que, neste processo, contar com todo o acervo do pintor, graças à tecnologia, foi uma das principais vantagens. “Pudemos nos valer da obra completa de Portinari, digitalizada em alta resolução, o que dificilmente acontece em outras mostras.”

SERVIÇO

Quintal do Portinari

Período: A partir de 01/4/2022

Horário: terça a sexta e domingo, das 10h30 às 15h30 (fecha às 16h30); sábado e feriados, das 10h30 às 16h30 (fecha às 17h30)

Ingressos: quarta a sexta: inteira R$30 / meia R$15; sábado, domingo e feriado: inteira R$45 / meia R$27,50; terça: gratuito

Promoção: 50% de desconto na compra conjunta de ingressos do ‘Portinari para todos’ e vice-versa; gratuidade para crianças de até 7 anos incompletos

Local: MIS Experience – Rua Vladimir Herzog, 75 – Água Branca – São Paulo/SP

Formato: Presencial

REGRAS PARA COMPRA DE INGRESSOS 

PÚBLICO GERAL: 

crianças até 10 anos devem estar acompanhadas obrigatoriamente por um responsável: 1 criança por 1 adulto/maior de idade

crianças entre 11 e 17 anos também devem estar acompanhadas obrigatoriamente por um responsável: 3 crianças por 1 adulto/maior de idade

Exposição: Portinari para todos

Período: 05/03 a 10/07/2022

Horário: terça a sexta-feira e domingo, das 10h às 17h | sábado e feriados, das 10h às 18h

Ingressos: terça-feira gratuito (sujeito a lotação) | quarta a sexta-feira R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) | sábado, domingo e feriados R$ 45 (inteira) e R$ 22,50 (meia)

Local: MIS Experience – Rua Vladimir Herzog, 75 – Água Branca – São Paulo/SP

Formato: Presencial

MIS Experience promove aula online “Portinari para todos: do cafezal à ONU”

Evento gratuito será conduzido por João Candido Portinari, filho do pintor

O MIS Experience, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, promove no dia 16 de maio (segunda-feira), às 19h, a aula ao vivo e online “Portinari para todos: do cafezal à ONU”. A proposta do evento é abordar da infância humilde do artista plástico Candido Portinari nos cafezais do interior de São Paulo ao reconhecimento mundial de suas obras em exibição na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

O encontro é gratuito e voltado para o público em geral. Os interessados em acompanhar a aula deverão se inscrever previamente no site do Museu da Imagem e do Som.

Para conduzir a transmissão, o museu convidou o professor e escritor João Candido Portinari, filho do artista e fundador do Projeto Portinari. Em 50 minutos, ele apresentará aspectos das obras do renomado artista e sua relação com demais nomes do movimento modernista nacional e internacional. O evento também abordará a criação e o trabalho desenvolvido pelo Projeto Portinari, que há 40 anos trabalha para a preservação do legado de um dos pintores mais importantes do século 20.

No encontro, o professor comenta também os bastidores de “Portinari para todos”, maior exposição já realizada sobre o artista. Em cartaz no MIS Experience, a mostra reúne projeções, objetos originais, maquetes, entre outros recursos tecnológicos, permitindo uma verdadeira imersão nas obras.

A exposição fica em cartaz até 10 de julho, assim como o “Quintal do Portinari”, outra atração do MIS Experience que permite vivenciar as brincadeiras de infância de Portinari por meio de recursos tecnológicos.

 

SERVIÇO

Aula on-line: Portinari para todos: do cafezal à ONU 

Data: 16/05/2022 (segunda-feira)

Horário: 19h

Inscrições gratuitas: clique aqui

Exposição: Portinari para todos

Data: A 10/07/2022

Horário: terça a sexta-feira e domingo, das 10h às 17h | sábado e feriado, das 10h às 18h

Ingressos: terça-feira gratuito (retirada na bilheteria – sujeito a lotação) | quarta a sexta-feira R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) | sábado, domingo e feriado R$ 45 (inteira) e R$ 22,50 (meia)

Local: MIS Experience – Rua Vladimir Herzog, 75 – Água Branca – São Paulo/SP

Espaço imersivo: Quintal do Portinari

Data: A 10/07/2022

Horário: de terça a sexta e domingo, das 10h30 às 15h30 (fecha às 16h30); sábado e feriados, das 10h30 às 16h30 (fecha às 17h30)

Ingressos: gratuito de segunda a sexta-feira até 31/05; sábado, domingo e feriado: inteira R$45 / meia R$27,50

Local: MIS Experience – Rua Cenno Sbrighi, 250 – Água Branca – São Paulo/SP

 

Site oficial: www.portinariparatodos.com.br

MIS Experience retoma exposição virtual ‘Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio | Digital’

 Experiência online conta com plataforma de fácil acesso e capacidade para milhares de acessos simultâneos – acesse aqui

 O MIS Experience, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, renovou os direitos de exibição virtual do conteúdo da exposição Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio | Digital. Sucesso de público e crítica, a mostra fica disponível gratuitamente para os internautas brasileiros até dezembro de 2021; o acesso online está disponível diretamente pelo site Exposição da Vinci 500 anos.

A plataforma oferece acesso simples e descomplicado à exposição, além de permitir milhares de visitantes simultâneos. Durante a experiência multissensorial, com imersão em 360 graus, é possível acompanhar animações em alta definição, ver detalhes das máquinas desenhadas pelo artista italiano em realidade aumentada, além de áudios e vídeos exclusivos.

Entre as seções da mostra digital, destaque para os Segredos de Mona Lisa, que apresenta uma análise científica da pintura mais famosa do mundo realizada no Museu do Louvre por Pascal Cotte, renomado engenheiro, pesquisador e fotógrafo de obras de arte.

Serviço

Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio | Digital

Data: até dezembro de 2021

Acesso:  www.exposicaodavinci500anos.com.br

Formato: Digital e online

Classificação: Livre

Sobre o MIS Experience

Construído em um galpão de 2 mil metros quadrados e 10 metros de pé direito, o MIS Experience é o mais novo espaço do Museu da Imagem e do Som (MIS) – instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – que traz para a cidade de São Paulo um novo conceito de exposições culturais. O MIS Experience foi inaugurado em 2 de novembro de 2019, com o objetivo de proporcionar a realização de exposições imersivas com novas tecnologias, levando o público a interagir de maneira diferente com artistas e suas obras de arte. A abertura do espaço aconteceu com a exposição Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio, experiência que possibilita ao visitante conhecer a vida e o legado de Da Vinci. A exposição foi um sucesso de público: recebeu cerca de 500 mil visitantes, teve mais de 85 mil visitações gratuitas e, a cada 15 minutos, uma escola foi atendida pela equipe do Educativo. O investimento para a criação do espaço, manutenção e montagem da exposição foi de R$ 8 milhões.

MIS homenageia 81 grandes personalidades negras brasileiras em megaexposição coletiva de grafites

Com entrada gratuita, 81 polos culturais da Capital e Grande SP – como museus, estações do Metrô e da CPTM, CEUs e Fábricas de Cultura – recebem simultaneamente a exposição MIS em Cena – Grandes Personalidades Negras;

Trabalhos, que foram produzidos por 81 artistas de periferia durante ação no Museu Afro Brasil, serão expostos (em formato original e reproduções) a partir de 5 de novembro.

No mês em que se comemora o Dia Nacional da Consciência Negra, o MIS em Cena – programa do Museu da Imagem e do Som (instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo) que busca democratizar o acesso à cultura e ir ao encontro dos territórios mais periféricos da cidade – apresenta sua terceira edição, homenageando 81 personalidades negras que fazem parte da história do Brasil. Para retratar cada homenageado, 81 artistas de periferia foram indicados por CEUs, Fábricas de Cultura e outras entidades culturais do Governo do Estado de São Paulo. Inspirados por cada personalidade, eles criaram as obras durante uma ação de live panting ocorrida em setembro, no Museu Afro Brasil. Dentre os homenageados, destacou-se Emanoel Araujo, célebre diretor e curador do Museu Afro Brasil, falecido em 7 de setembro deste ano. O artista baiano sempre atuou para a valorização e a visibilidade da produção afro-brasileira nos mais diversos campos, abrindo caminhos para muitos nomes e fundando assim o museu. O número de grafiteiros selecionados para o projeto, 81, foi escolhido por corresponder à idade de Emanoel Araujo, também em seu tributo.

O resultado dessa iniciativa compõe a megaexposição Grandes Personalidades Negras, que acontece simultaneamente em quase uma centena de espaços culturais, a partir de 5 de novembro, com entrada gratuita. Às 11h, o MIS realiza em sua sede (Av. Europa, 158) a abertura oficial da exposição com os grafites originais – inaugurando, também, a nova galeria no espaço expositivo do primeiro andar. As demais localidades exibem cartazes com reproduções das 81 obras também a partir do dia 5/11, conjuntamente.

Confira, abaixo, todas as entidades que participam da ação e recebem a mostra simultaneamente:

– MIS

– Museu Afro Brasil

– Memorial da América Latina

– Metrô

– Paço das Artes

– CEUS 

– Fábricas de Cultura

– EMTU

– CPTM

– CPDCN – Secretaria da Justiça e Cidadania

– Universidade Zumbi dos Palmares

– Palácio dos Bandeirantes

 

A escolha dos homenageados foi realizada pelo Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra (CPDCN) do Estado de São Paulo, primeiro órgão do país criado para a defesa dos direitos da comunidade negra e enfrentamento ao racismo. As 81 personalidades negras foram selecionadas tendo em vista sua trajetória, com o objetivo de evidenciar as biografias e oportunizando o acesso da grande massa aos conteúdos históricos de grandes nomes que deram sua contribuição à formação do país. Buscando exaltar o papel histórico de uma população, da raça, de sua diversidade, através de uma rica e milenar cultura, contribuindo para formação da sociedade brasileira em uma enormidade de aspectos: dança, música, religião, culinária e profissões diversas. “Com isso, a exposição também amplia o conhecimento do público, ao apresentar as biografias dos 81 homenageados que atuaram nos mais diversos campos com suas canetas, pincéis, vozes, armas e todos os instrumentos e habilidades de que dispunham na luta por equidade racial, isto é, por uma sociedade mais igualitária, justa e sem preconceito. Além de nomes já populares, o público terá a oportunidade de conhecer outras grandes personalidades negras que fizeram a diferença em nossa sociedade”, pontua Marcos Mendonça, diretor geral da ACCIM – Associação Cultural Ciccillo Matarazzo, que gere o MIS, MIS Experience e Paço das Artes.

O grafite foi o meio de expressão escolhido para o projeto tanto por seu potencial de falar sobre cada indivíduo, sobre a coletividade e o mundo, como por ser uma maneira de empoderar os artistas e afirmar as muitas identidades e existências que compõem as cidades, e que tantas vezes são invisibilizadas.

Entre as 81 personalidades negras homenageadas nesta edição do MIS em Cena, estão: 

Adelina, a charuteira

Adelina nasceu no Maranhão, em 1859. Era filha de um branco, senhor de escravos, e de uma escrava. Ela ganhou o apelido de charuteira quando começou ajudar o pai na venda de charutos pela cidade. Boa vendedora, Adelina conhecia muita gente, o que facilitou seu trabalho a favor da liberdade dos negros escravizados. Vendia seus charutos para estudantes abolicionistas e, com isso, ajudou a criar o Clube dos Mortos, um grupo de pessoas que facilitava a fuga dos escravos.

Antonieta Barros

Nascida em 1901, Antonieta Barros foi uma jornalista, professora e política brasileira. Foi uma das primeiras mulheres eleitas no Brasil e a primeira negra brasileira a assumir um mandato popular, tendo sido pioneira e inspiração para o movimento negro, apesar de um grande apagamento de sua história, que vem sendo retomada aos poucos.  

Conceição Evaristo

Maria da Conceição Evaristo de Brito (Belo Horizonte, 29 de novembro de 1946) é uma linguista e escritora brasileira. Agora aposentada, teve uma prolífica carreira como pesquisadora-docente universitária. É uma das mais influentes literatas do movimento pós-modernista no Brasil, escrevendo nos gêneros da poesia, romance, conto e ensaio. Como pesquisadora-docente, seus trabalhos focavam na literatura comparada. Suas obras, em especial o romance Ponciá Vicêncio, de 2003, abordam temas como a discriminação racial, de gênero e de classe. O romance foi foco de pesquisa acadêmica pela primeira vez, no Brasil, em 2007. A obra foi traduzida para o inglês e publicada nos Estados Unidos também em 2007. Em 2017, foi tema da Ocupação do Itaú Cultural de São Paulo. Já em 2019, Conceição Evaristo foi a grande homenageada da Bienal do Livro de Contagem.

Elza Soares

Uma das maiores artistas da história da música brasileira, com nove décadas de história de superação, e que continua inspirando gerações. Elza Soares nasceu no Rio de Janeiro, na Favela de Moça Bonita, uma estação ferroviária que se desenvolveu e hoje é conhecida como Vila Vintém. Filha de Avelino Gomes e Rosária Maria da Conceição, Elza estreou no universo musical cantando com seu pai, que na época era operário e tirava as horas vagas para tocar violão e cantar com a filha. Nas reviravoltas que teve que enfrentar em sua jornada, chegou a conquistar o Grammy Latino, conheceu Louis Armstrong e recentemente foi homenageada pela instituição de Beyoncé. Faleceu em janeiro de 2022, aos 91 anos de idade.

Emanoel Araujo

Artista baiano, Emanoel nasceu numa tradicional família de ourives, aprendeu marcenaria, linotipia e estudou composição gráfica na Imprensa Oficial de Santo Amaro da Purificação. Em 1959, realizou sua primeira exposição individual ainda em sua terra natal. Mudou-se para Salvador na década de 1960 e ingressou na Escola de Belas Artes da Bahia (UFBA), onde estudou gravura. Durante sua gestão no Museu Afro Brasil, a exposição “Africa Africans”, da qual foi curador, foi premiada como melhor exposição de 2015 pela ABCA. Como curador independente, sua exposição “Francisco Brennand Senhor da Várzea, da Argila e do Fogo” recebeu o prêmio Paulo Mendes de Almeida, como a melhor exposição realizada no país no ano de 2017.

Enedina Alves Marques

Professora e pioneira engenheira brasileira, Enedina se Formou-se em Engenharia Civil em 1945 pela Universidade Federal do Paraná, entrando para a história como a primeira mulher a se formar em engenharia no estado e a primeira engenheira negra do Brasil.  

José do Patrocínio

Foi um farmacêutico, jornalista, escritor e ativista político. Uma das figuras mais importantes dos movimentos abolicionista e monarquista no país e idealizador da Guarda Negra da Redentora, movimento negro do Brasil que atuava para proteger a monarquia e contra a aristocracia e os militares. Atuou no processo de emancipação do trabalho escravo e defendia o fim da escravidão a partir de discussões no Parlamento, de debates para defesa de uma abolição da escravatura, por meio da Sociedade Brasileira contra a Escravidão. 

Maria Soldado

Negra filha de escravos, paulista da cidade de Limeira, nascida aos 9 de dezembro de 1885, Maria José Bezerra atuava como cozinheira; mas, após a casa onde trabalhava ter sido alvejada durante a Revolução de 1932, ela trocou o avental por uma farda e juntou-se aos seus irmãos negros na batalha, abandonando assim os quitutes de caçarola em favor das armas. Maria Soldado é reconhecida pela força, coragem, patriotismo e abnegação, pela sua participação na Revolução Constitucionalista de 1932, tendo dado sua contribuição ativa na construção da história do país.

Sobre o programa

O MIS em Cena é um projeto que visa democratizar o acesso à cultura, contemplando a produção artística nas periferias da cidade, transpondo as barreiras físicas dos museus. Nesta terceira edição, as obras produzidas pelos grafiteiros serão fotografadas e reproduzidas em cartazes, que serão exibidos em uma grande exposição simultânea nos CEUs e Fábricas de Cultura da capital e Grande São Paulo. Outro propósito da ação é o reconhecimento da técnica do grafite como manifestação artística de valor cultural – combatendo preconceitos e valorizando as pluralidades de ações no âmbito das artes urbanas.

Em julho deste ano, a primeira edição do MIS em Cena exibiu a exposição “Revisitando Portinari”, com releituras de obras do consagrado pintor paulista – produzidas por 61 artistas da periferia e grafiteiros selecionados por CEUs e Fábricas de Cultura. A mostra simultânea foi exibida em 55 polos culturais da capital e Grande São Paulo. A primeira edição do MIS em Cena foi resultado de uma ação realizada por meio da exposição Portinari para todos, exibida no MIS Experience, e atingiu mais de 50 mil pessoas.

A segunda edição aconteceu em agosto deste ano com exposição simultânea em 73 pontos culturais da capital e Grande São Paulo (em 58 unidades dos CEUs – da Secretaria Municipal de Educação – e 15 unidades das Fábricas de Cultura – da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado). Foi composta por cartazes, fotos e mapas que representaram uma amostra da exposição “1932: Revolução, constituição e cidadania – A força de um ideal”, que ficou em cartaz de 09 de julho a 11 de setembro de 2022, na sede do MIS.

Serviço

GRANDES PERSONALIDADES NEGRAS – MIS EM CENA

Abertura: 5/11, às 11h, na nova galeria expositiva da sede do MIS – av Europa, 158 

Visitação: a partir de 5 de novembro em todos os locais

Ingresso: gratuito
Locais: MIS – Av. Europa, 158 (Jardim Europa – São Paulo) | terça a sexta, das 11h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

Demais localidades: consultar em www.mis-sp.org.br

MIS realiza a edição 2017 da Feira DES.GRÁFICA

O MIS, realiza anualmente a FEIRA DES.GRÁFICA, com curadoria gerl de Rafael Coutinho  (mais…)

MIS realiza mostra de filmes em homenagem a David Bowie

Sessões acontecerão no sábado, 13 de janeiro, com entrada gratuita

(mais…)

MIS realiza oficina exclusiva e gratuita de bordados inspirados em HQs

Participantes aprenderão a produzir desde os moldes até os bordados de seus personagens favoritos. A oficina, realizada pelo Educativo MIS, acontece no dia 23 de março, sábado

(mais…)

MIS realiza Semana do Terror com programação especial de cinema!

De 8 a 13 de outubro, Museu tem atrações para fãs de cinema do gênero, entre elas, Maratona Stephen King

(mais…)

MIS recebe evento especial sobre o filme “Venom”

Em parceria com a Sony Pictures Home Entertainment e com o Clube dos Vigias, o MIS promove um evento especial para comemorar o lançamento do filme Venom (2018, EUA, dir Ruben Fleischer) em Steelbook, Blu-ray e DVD.

Pensado como uma programação voltada para as férias escolares, o evento será composto por duas exibições de Venom, em versão dublada e legendada, intercaladas por gincanas e sorteios para crianças e adolescentes. A atividade integra a programação paralela da megaexposição Quadrinhos, em cartaz no Museu até o dia 31.3.

A atividade acontece no dia 15 de janeiro, terça-feira, a partir das 13h. A entrada é gratuita – basta retirar ingresso com 1h de antecedência na recepção do Museu. Confira a programação:

via GIPHY

13h – Abertura sessão diurna + concurso de cosplay mirim

14h – Exibição Venom (versão dublada)

16h – Quiz e sorteios

17h – Abertura sessão noturna + Quiz e sorteios

18h – Exibição Venom (legendado)

As gincanas serão comandadas pelo fã-clube Clube dos Vigias, e incluem jogos de perguntas e respostas e concursos de cosplay. Todas as brincadeiras serão com a temática de Venom e terão premiações especiais.

onde fica?

MIS seleciona cinéfilos para produção coletiva de filme!

Núcleo Experimental de Cinema do MIS busca interessados na produção coletiva de um curta

(mais…)

MIS traz espetáculo multimídia Cineópera Contemporânea HawwwaH em novembro

A apresentação, que une teatro, cinema e música, tem como pano de fundo o uso da internet (mais…)

Mostra “O Lápis Mais Criativo do Mundo” no Museu da Língua Portuguesa

Promovida pela Faber-Castell, exposição gratuita apresenta conteúdos inéditos de nomes como o cartunista Mauricio de Sousa, o padre Fábio de Melo e o artista visual Eduardo Srur

Para celebrar o poder da criatividade em todo e qualquer território e destacar a importância que o lápis tem para inspirar grandes obras, inovações, criações e objetos, o Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, sedia a mostra O Lápis Mais Criativo do MundoPromovida pela Faber-Castell, a exposição fica em cartaz de 8 de março a 3 de abril no saguão B do Museu, com entrada gratuita. O espaço reúne produções exclusivas de grandes artistas e personalidades brasileiras das mais diversas áreas como arte, pop, ilustração, design, moda e arquitetura, criadas a partir de um mesmo ponto de partida: um esboço a lápis.

Ao todo, reúne 40 obras e produções, divididas em cinco grandes espaços: O Lápis Mais Criativo do Mundo; O Lápis e as Invenções; Os Lápis que Fizeram História; Os Lápis Fazendo Arte; e O EcoLápis Faber-Castell apresentando seu ciclo sustentável. Além de contar com experiências sensoriais e multimídia, oferecendo assim um ambiente imersivo e conectado à criatividade.

“Na mostra, queremos materializar o conceito de que qualquer pessoa pode ser criativa, basta ter o lápis. E, pensando nisso, reunimos criações de diferentes segmentos e em diversos formatos, criadas a partir de esboços a lápis, para que os visitantes se inspirem e despertem seu potencial criativo”, afirma Flávia Giordano, diretora de marketing da Faber-Castell. “Queremos que as pessoas entendam que a criatividade é para todos e pode ser utilizada das mais variadas formas. E nosso lápis tem sido, ao longo da história, uma importante ferramenta no processo criativo”, complementa.

área externa da mostra conta ainda com uma escultura de 1,70 m concebida a partir de lápis coloridos reciclados, produzida pelo artista visual Eduardo Srur, inspirada na criatividade. O espaço conta também com três paredes instagramáveis ao longo do percurso para que o visitante possa registrar a experiência, além de uma loja física da Faber-Castell ao final, para tornar o passeio ainda mais completo.

No O Lápis Mais Criativo do Mundo, oito artistas e personalidades de diferentes segmentos apresentam criações exclusivas que tiveram um ponto em comum: foram criadas a partir de esboços produzidos com o mesmo lápis, em uma corrente de criatividade. O espaço reúne uma “Prece da Criatividade”, do padre Fábio de Melo; um vestido do estilista Alexandre Herchcovitch; luminárias do designer Paulo Biacchi; e outras obras inéditas dos artistas Sig Bergamin, Carlos Ruas, Hanna Lucatelli, Maddu Magalhães e Studio Dalzotto. Para oferecer uma experiência imersiva, cada criação conta com sons que remetem ao ateliê ou espaços nos quais foram criadas.

Na área dedicada ao O Lápis e as Invenções estão trabalhos de criativos brasileiros que tiveram um grande impacto para a sociedade. São três objetos em foco: Mochila Filtro, do projeto Água Camelo; Poste de Garrafa Pet, da organização Litro de Luz; e Escorregador de Arroz, da Therezinha Beatriz Alves de Andrade.

Já no espaço Os Lápis que Fizeram História, os visitantes encontram uma instalação multimídia no formato de livro digital com rascunhos inéditos de grandes invenções mundiais, entre elas: um esboço do 14 Bis, de Santos Dumont; o Manuscrito da Missões Folclóricas, de Mário de Andrade; e o Orelhão, criado por Chu Ming Silveira entre outras.

A mostra conta também com um espaço dedicado a expoentes da comunidade artística. Em Os Lápis Fazendo Arte estão os primeiros rascunhos dos personagens Bidu e Franjinha (da Turma da Mônica), de Mauricio de Sousa, e obras inéditas, criadas a partir de esboços a lápis, da artista plástica Regina Silveira e da drag queen amazônica Uýra Sodoma, e intervenções multimídia do artista digital VJ Suave.

O último espaço da mostra ressalta um tema inerente à história da Faber-Castell: a sustentabilidade. Por meio do ambiente O EcoLápis Faber-Castell é apresentado todo o seu processo de produção. As pessoas podem interagir e aprender sobre o tema de uma maneira lúdica e divertida. A ideia é chamar a atenção do público para o fato de que a marca é a única empresa no mundo a plantar a madeira para seus lápis, que são 100% fabricados com matéria-prima de reflorestamento. Os mais de 10 mil hectares de florestas da Faber-Castell no Brasil absorvem mais de 900 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2) da atmosfera, servindo não apenas como uma fonte sustentável de matéria-prima, mas também para compensar toda a pegada de carbono das unidades de produção da companhia em todo o mundo.

Para fechar com chave de ouro, o percurso termina em um elevador interativo com experiência sonora. Ambientado com a música “Aquarela”, do cantor Toquinho, o espaço faz uma homenagem ao artista que faz parte da história da Faber-Castell.

SERVIÇO
O Lápis Mais Criativo do Mundo
De 8 de março a 3 de abril
Das 9h às 16h30
Grátis
No Saguão B, do Museu da Língua Portuguesa

O Lápis Mais Criativo do Mundo
Realização e Concepção: Agência OITO™
Direção geral: Guil Salles
Direção criativa: Caio Campagni
Direção de Produção: Gabriel Polycarpo
Concepção e direção cenográfica: Mauricio Kusano
Design expográfico e arquitetura: Delistudio – Mauricio Kusano, Renato Bitencourt e Julia Lavieri
Direção Artistica: Demetrio Portugal
Gerencia de Projeto: Deco Mariano
Produção Executiva: Bruno F. F. Quental
Assistentes de Produção: Beatriz Almeida e Leonardo Lusa
Produtora Cultural: Graziela Adorno
Animação: Thiago Marcondes
Direção de Arte: Milena Freitas
Ilustrações: Filipe Ienco
Assistentes de Arte: Márcio Coelho, Carolina Caffé.
Edição de Texto: Gabriela Longman
Sonorização imersiva: CPRO

Mostra “Tarja Preta” fica até maio no Museu da Diversidade Sexual

Foto: Vania Toledo – Exposição Tarja Preta

Inaugurada em 24 de janeiro,  a exposição “Tarja Preta” é um resumo dos trabalhos da fotógrafa Vania Toledo, com fotos clicadas entre os anos 70 a 90 e também registros produzidos especialmente para a exposição, de ícones da cultura e da diversidade.

A entrada é gratuita e está no Museu da Diversidade Sexual, da Secretaria da Cultura do Estado, administrado pela organização social de cultura APAA.

“Tarja Preta”, que conta com a curadoria de Diógenes Moura, apresenta um registro de nossa efervescência cultural – da noite LGBT, do teatro, da música, das artes em geral. Os trabalhos exibidos no museu mostram como os questionamentos comportamentais – de sexo e expressão de gênero – têm forte presença na cultura e como essa chama se mantém viva.

Entre os trabalhos selecionados para a exposição, estão retratos de grandes ícones da cultura produzidos por Vania Toledo em vários momentos de sua carreira, como os da escritora Cassandra Rios, o cantor Ney Matogrosso e o estilista Clodovil. Também foram produzidos retratos especialmente para a mostra, com personalidades que atuam em diversas linguagens na área da cultura, como Laerte, Leo Moreira, Luana Hansen, João Silvério Trevisan, As Bahias e a Cozinha Mineira, Karina Dias e Jean Claude Bernadet.

Foto: Vania Toledo – Exposição Tarja Preta

“Meu vício é gente. Gente atuante, libertária, gente que produz e faz arte, que gosta de viver como eu. Por isso ou por aquilo, sempre fotografei pessoas assim, com esse perfil”, conta Vania. “Sou contra tudo o que é muito correto, muito confortável. Minha zona de conforto é a interrogação, é procura eterna pelo novo”

Vania Toledo

“A exposição ‘Tarja Preta’ enaltece a liberdade e infinidade de possibilidades de expressões artísticas, se opondo à caretice. A tarja preta, que tanto pode ser medicamento para controlar o que se diz loucura quanto um mecanismo de censura imagética, é a barreira a ser superada, escancarando o que está por trás, que no fim das contas nada mais é do que humano”, reflete Luis Sobral, diretor da APAA.

Mostra de cinema sobre transexualidade tem participação da #CulturaSP

A partir de 28 de junho, o Museu da Diversidade Sexual, a Casa das Rosas e o Museu da Imagem e do Som – MIS, participam juntos do TRANSdocumenta, uma mostra que discutirá assuntos ligados à transexualidade. Serão documentários, debates, exposições fotográficas, entre outras atividades. O evento é parte da agenda de direitos humanos “O Mundo que Queremos”, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI), em parceria com a ONU, e da campanha “Sonhar o Mundo”, realizada pelos museus da Secretaria da Cultura do Estado.

A abertura será nesta quinta-feira no Red Bull Station. Durante o evento, além de da exposição fotográfica “Com Muito Orgulho” – já em cartaz no Museu da Diversidade -, o público terá a oportunidade de acompanhar o lançamento do projeto “Memórias da Diversidade”, apresentado por Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual. A iniciativa traz depoimentos de pessoas LGBTIs com mais de 65 anos de idade. “Desde sua primeira edição, com poucas pessoas, até se transformar na maior manifestação da população LGBT, a Parada [do Orgulho LGBT de São Paulo] mostrou que é o espaço genuíno de reinvindicação, visibilidade e celebração do orgulho. E é com muito orgulho que o Museu da Diversidade Sexual homenageia todas as pessoas que de alguma forma contribuem, organizam e participam das Paradas pelo mundo”, comenta Reinaudo.

Também participa da cerimônia, Ana Paula Fava, assessora especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo, que irá discursar sobre o tema.

Os interessados em participar da abertura devem se inscrever aqui. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas.

Cartaz de “Quarto Camarim”
Cartaz de "Estamos Todos Aqui"
Cartaz de “Estamos Todos Aqui”
Cartaz de "My Prairie Home"
Cartaz de “My Prairie Home”
Cartaz de "Meu Nome é Jacque"
Cartaz de “Meu Nome é Jacque”

O objetivo da mostra é promover o diálogo e o debate abordando os desafios enfrentados pela população LGBTI+. Para isso, a programação inclui também rodas de conversas com diretores dos documentários que serão exibidos ao longo da semana, pocket shows e a feira “Ocupa Diversa”, com peças de empreendedores LGBTI+.

Entre os documentários, estão curtas e longa-metragens nacionais e internacionais – entre elas, uma produção holandesa, com direção de Daniel Abma, “Transit Havana” se passa em Cuba e conta a história de três transexuais que aguardam na fila de espera para realizar a cirurgia genital, realizada por cirurgiões europeus e organizada por Mariela Castro, filha do presidente. A Cônsul Geral Adjunta do Reino dos Países Baixos em São Paulo, Nanna Stolze, comentou sobre a importância da iniciativa e do poder de conscientização da população, por meio da arte. “Sempre procuramos formas de cooperação com Brasil na área de direitos LGBTI, que é um ponto importante na política interna e externa do governo dos Países Baixos, relata.

Confira a programação completa da mostra TRANSdocumenta:

RED BULL STATION
MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL
CASA DAS ROSAS
MUSEU DA IMAGEM E DO SOM – MIS
RED BULL STATION

28 de junho, quinta-feira, 19h00 às 22h00

Praça da Bandeira, 137, Centro, São Paulo

(11) 3107-5065

www.redbullstation.com.br

 

Abertura oficial da Mostra TRANSdocumenta

  • Exposição de fotografias Com Muito Orgulho, do Museu da Diversidade Sexual
  • Exibição do documentário “Estamos Todos Aqui” e conversa com os diretores

O curta de ficção abrange a questão da transexualidade, além de explorar a realidade dos moradores das favelas usando a personagem Rosa Luz como líder da Favela da Prainha, litoral sul de São Paulo. O papel de Rosa permite esclarecer os constantes desafios de discriminação sexual que tentam superar pessoas LGBTs de periferias do Brasil. Duração: 22 min | Direção: Chico Santos e Rafael Mellim (Brasil) | Classificação: 12 anos

  • Lançamento do projeto Memórias da Diversidade

Coquetel com pocket show

MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL

Estação República do Metrô – piso Mezanino

Rua do Arouche, 24, República – São Paulo

(11) 3882-8080

www.mds.org.br

29 de junho, sexta-feira

16h00 – Exibição do documentário “Last chance” (Última Chance)

Este documentário conta a história de cinco pessoas que buscam por asilo e fogem de seus países de origem para escapar da violência LGBTfóbica. Eles enfrentam obstáculos para chegarem até o Canadá, temem deportação e aguardam ansiosamente uma decisão que irá mudar suas vidas para sempre. Duração: 84 min | Direção: Paul-Émile d’Entremont (Canadá) | Classificação: 14 anos

18h00 – Exibição do documentário “Quarto Camarim”

O documentário apresenta a busca da diretora por a sua tia transexual depois de 6 anos sem contato. Desenvolvendo a temática da comunidade LGBT no papel da tia, o roteiro lida as ideias sociais e políticas que envolvem a controvérsia e os preconceitos da transexualidade com uma abordagem artística e familiar. Duração: 101 min | Direção:  Fabrício Ramos e Camele Queiroz (Brasil) | Classificação: 12 anos

30 de junho, sábado

16h00 – Exibição do documentário “Meu Nome é Jacque”

O documentário apresenta a história de uma mulher transexual lidando com a AIDS há mais de 20 anos. Reflete as questões da transfobia e da exclusão social contra as quais a protagonista luta. A diretora tentou expor a realidade da comunidade LGBT esforçando-se para quebrar os paradigmas usando o exemplo pessoal da ativista Jacque. Duração: 72 min | Direção: Angela Zoé (Brasil) | Classificação: 12 anos

18h00 – Exibição do documentário “Auf der anderen Seite” (Do outro lado)

Inicialmente, Nejat (um personagem andrógino) não aprova o relacionamento de seu pai com a prostituta Yeter, o que muda quando ele descobre que o pai envia constantemente dinheiro para a Turquia no intuito de pagar os estudos da filha dela, Ayten. Nejat cresce apaixonado por Yeter, mas sua repentina morte faz com que ele se afaste de seu pai. Nejat decide ir a Istambul para procurar Ayten, descobrindo que ela se tornou uma ativista política e está na Alemanha. Duração: 120 min | Direção: Fatih Akin (Alemanha) | Classificação: 12 anos

CASA DAS ROSAS

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP

Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

www.casadasrosas.org.br

 

01 de julho, domingo

13h00 – Exibição do documentário “Meu Corpo é Político” e conversa com a diretora Alice Riff

Vivenciado o dia a dia ao lado de diversos ativistas LGBTs moradores das periferias de São Paulo, o documentário faz um panorama do contexto social em que os personagens estão inseridos. Além disso, levanta questões sobre a população trans no Brasil e suas disputas políticas. Duração: 72 min | Direção: Alice Riff (Brasil) | Classificação: 12 anos

16h00 – Exibição do documentário “Transit Havana

Em Havana, as transexuais Odette, Juani e Malú aguardam cirurgia genital – realizada por cirurgiões de primeira linha e organizada pela filha do presidente, Mariela Castro. Novas possibilidades enfrentam problemas antigos: as pessoas trans cubanas encontrarão felicidade apesar da intolerância, pobreza e prostituição? Duração: 86 min | Direção: Daniel Abma (Holanda) | Classificação: 18 anos

05 de julho, quinta-feira

20h00 – Exibição ao ar livre do documentário “My prairie home” (Meu Lar nas Pradarias)

Neste documentário-musical feito por Chelsea McMullan, a pessoa não-binária de gênero fluído cantora indie Rae Spoon nos leva em uma viagem lúdica, meditativa e melancólica, às vezes. Com imagens majestosas das expansões infinitas das pradarias canadenses, o filme apresenta Spoon cantando sobre seu amadurecimento de gênero e musical. Entrevistas, performances e sequências musicais revelam processo de inspiração de Spoon de construir uma vida própria, como uma pessoa trans e como músico. Duração: 77 min | Direção:  Chelsea McMullan (Canadá)

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM – MIS

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

www.mis-sp.org.br

 

09 de julho, segunda-feira

Auditório

Exposição de fotografias COM MUITO ORGULHO, mostra do Museu da Diversidade Sexual

14h00 – Exibição do documentário “Transit Havana”

16h00 – Exibição do documentário “Estamos Todos Aqui”

17h00 – Exibição do documentário “Auf der anderen Seite” (Do outro lado)

18h30 – Exibição do documentário “Bicha Preta”

Bicha Preta aborda os aspectos socioculturais que auxiliam na marginalização da negritude, especificamente em relação ao indivíduo homossexual e contribui relatando a diversidade de expressões e lutas dentro de um mesmo movimento, trazendo a público nova reflexões e deixando marcado na história, vivências antes nunca documentadas. Duração: 23 min | Direção: Thiago Rocha | Classificação: 12 anos

 

Área externa

12h00 às 18h00 – Feira de expositores LGBTI+ e pocket shows

Onde




Mostra inédita online e presencial com 200 filmes comemora o bicentenário da Independência

Realizada pelo Governo do Estado de São Paulo, a mostra traz um recorte da produção nacional com sessões gratuitas e virtuais pela plataforma #CulturaEmCasa, gerida pela Amigos da Arte, e presenciais no Cine Petra Belas Artes a preços populares; Filme “Um Broto Legal”, cinebiografia da cantora Celly Campello, abrirá o Festival no Petra Belas Artes no dia 31 de maio, às 19h

Entre os dias 02 e 30 de junho, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo apresenta a mostra “200 anos da Independência em 200 filmes”, que comemora o Bicentenário da Independência do Brasil com uma seleção de cem curtas e cem longas-metragens nacionais.

Os filmes serão apresentados gratuitamente no formato virtual pela plataforma de streaming e vídeo por demanda do Governo do Estado #CulturaEmCasa, e no Petra Belas Artes, região central de São Paulo, a preços populares (de R$ 4,00 e R$ 2 – meia entrada). A mostra ocupará a sala 4 do Petra Belas Artes com pelo menos quatro sessões diárias compostas por um curta, seguido de um longa-metragem.

“A mostra de cinema realizada pelo Cine Petra Belas Artes e pela plataforma #CulturaEmCasa  integra o programa Brasil 200, feito pelo Governo do Estado de São Paulo para celebrar o Bicentenário da Independência e estimular a reflexão sobre o que essa data significa para os brasileiros. Estamos viabilizando mais de 100 atividades por meio das instituições e programas de cultura estaduais, além da Agenda Bonifácio, que traz toda a programação relacionada ao assunto. Trata-se de um dos principais marcos da história do Brasil. O cinema é uma das expressões culturais mais relevantes e potentes do nosso país e tem uma incrível capacidade de nos representar e encantar. Nada mais significativo do que apresentar ao público, dentro da comemoração do Bicentenário, uma mostra retrospectiva que refaz a trajetória do nosso cinema, com clássicos de todos os movimentos, estilos e gêneros.”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.

“Em 2022 o Brasil celebra seus 200 anos de Independência. Data que merece celebração. Como um país independente precisa ter uma Cultura própria, decidimos propor a realização de uma grande Mostra com 200 filmes feitos no país para mostrar a incrível variedade da produção nacional ao longo de mais de 120 anos”, diz André Sturm, presidente do Belas Artes Grupo. “Um país não é verdadeiramente independente se não for capaz de se ver nas telas do cinema. Vamos resgatar esta história com uma seleção de grandes momentos. Grandes filmes, diretores, artistas e técnicos que contribuíram para esta história serão lembrados”, completa.

O Brasil é um dos países com filmografia mais antiga e contínua do mundo. A primeira exibição aconteceu em 1896, no Rio de Janeiro. Dois anos depois, Afonso Segreto produziu um documentário curto com cenas da Baía de Guanabara, considerado o marco zero da produção nacional. Desde então, mesmo enfrentando algumas crises graves, a produção foi continuada.

“200 anos da Independência em 200 filmes” conta com obras de diversos períodos e movimentos tais como Cinédia, Vera Cruz, Chanchadas da Atlântida, Cinema Novo pioneiros, Cinema Marginal do Rio, Cinema Marginal de SP, Boca do Lixo, Pornochanchadas, Cinema da Embrafilme, Novo Cinema Paulista, Cinema da Retomada, além da produção atual. A produção brasileira de curta-metragem também é extensa, com destaque para a produção do final dos anos 1980 e início dos 1990.

“Completamos 2 anos de #CulturaEmCasa em 20 de abril com um número expressivo de mais de 7 milhões de visualizações em 166 países, estamos trabalhando para que a mostra siga o mesmo destino e transborde as fronteiras de São Paulo e do país porque é realmente um trabalho completo e muito importante para quem quer conhecer a cultura brasileira”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

E no dia 31 de maio, o Festival terá abertura oficial do Petra Belas Artes, com o filme “Um Broto Legal”, dirigido por Luiz Alberto Pereira, o filme narra a trajetória da cantora Celly Campello rumo ao sucesso transformando-se, ao lado do irmão, Tony Campello, num ícone cultural brasileiro, a primeira popstar do rock nacional.

Para a programação completa, acesse a plataforma #CulturaEmCasa ou o site do Cine Belas Arte.

Entre os filmes que serão exibidos estão:

A filha do advogado (1926), Jota Soares

Ganga Bruta (1933), Humberto Mauro

Matar ou Correr (1954), Carlos Manga

Rio, 40 Graus (1955), Nelson Pereira dos Santos

O Assalto ao Trem Pagador (1962), Roberto Farias

Vidas Secas (1963), Nelson Pereira dos Santos

Noite Vazia (1964), Walter Hugo Khouri

À Meia-Noite Levarei Sua Alma (1964), José Mojica Marins

A Grande Cidade (1966), Carlos Diegues

A Margem (1967), Ozualdo RIbeiro

Toda Nudez Será Castigada (1973), Arnaldo Jabor

Lilian M: Confissões Amorosas (Relatório Confidencial) (1975), Carlos Reichenbach

Ladrões de Cinema (1977), Fernando Coni Campos

Cabra Marcado Para Morrer (1984), Eduardo Coutinho

As Sete Vampiras (1986), Ivan Cardoso

Anjos do Arrabalde (1987), Carlos Reichenbach

A Dama do Cine Shanghai (1987), Guilherme de Almeida Prado

Anahy de las Misiones (1997), Sérgio Silva

Baile Perfumado (1997), Paulo Caldas/Lírio Ferreira

O Invasor (2001), Beto Brant

Branco Sai, Preto Fica (2014), Adirley Queirós

Que Horas Ela Volta? (2015), Anna Muylaert

Serviço

Mostra: 200 anos da Independência em 200 filmes

Data: 2 a 30 de junho de 2022
Horários: Sessões diárias (em breve a programação completa)

Ingresso: R$ 4,00 e R$ 2 (meia entrada)

Onde: Cine Petra Belas Artes

Endereço: Rua da Consolação, 2423

Sala 4 (144 lugares)

www.cinebelasartes.com.br

Mostra Online – 30 filmes

Data:   15 a 29 de junho de 2022

Ingresso: Gratuito

Onde: #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

Muita música e dança em Cidade Tiradentes nesse sábado!

Que tal um sábado cheio de música e dança? No próximo sábado, dia 19/5, o projeto “SP Cultura na Rua” leva apresentações gratuitas para o coreto da Av. dos Metalúrgicos, em Cidade Tiradentes! A partir das 15h, o público poderá conferir o som do músico Marcelo Gross, da banda Picanha de Chernobill, da dupla sertaneja Evelyn & Isabela e assistir o grupo de dança Just Dance Team.

Conheça os artistas!

Marcelo Gross, ex-guitarrista da banda Cachorro Grande, vai apresentar o show de lançamento de seu novo álbum duplo “Chumbo & Pluma”, que mistura o acústico e o rock’n’roll e inclui músicas de seu primeiro disco solo “Use o Assento para Flutuar”.


A dupla sertaneja Evelyn & Isabela está na estrada há dois anos apresentando músicas que expressam sentimentos. Já se apresentaram na Fábrica de Cultura Vila Curuçá e em diversos bares da cidade.

Picanha de Chernobill, consagrada banda de urban rock’n’roll com influência de blues, folk e música brasileira, formada pelos músicos gaúchos Matheus Mendes, Chico Rigo e Leonardo Ratão, foi premiada como melhor banda independente no Sul pela marca Polar e já realizou mais de 600 shows, incluindo turnê pela Europa em 2017 (França, Bélgica e Alemanha).

Just Dance Team é um grupo formado por dez professores de dança da região do Itaim Paulista que apresentam coreografias de diversos ritmos. Desde 2016, o grupo vem realizando apresentações nas Fábricas de Cultura da Zona Leste da cidade.


Mulheres representam 72% dos postos de chefia da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

*Sandra Di Croce Patricio, subsecretária de Relações Institucionais da Casa Civil e coordenadora do estudo

Pasta está em terceiro lugar numa pesquisa feita pelo Governo de São Paulo para  avaliar a presença de lideranças femininas  nos 26 órgãos da Administração Estadual

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa  ocupa a terceira posição entre as pastas com mais mulheres em cargos de liderança nos 26 órgãos de Administração Direta do Governo de São Paulo. Elas assumem 72% dos postos de chefia no primeiro e segundo escalões,  informa uma pesquisa inédita realizada pela Casa Civil.

Dos 54 cargos nas mais altas funções,  39 têm mulheres no comando. E queremos cada vez mais promover a igualdade e a diversidade em todos os níveis da secretaria” afirma Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa.   O estudo da Casa Civil concluiu que as mulheres têm participação majoritária nos cargos de liderança do estado. Nas ocupações de chefia, elas representam 64% do Governo. . Dos 26 órgãos levantados – secretarias, Procuradoria Geral do Estado e Fundo Social-, 13 têm entre 50% e 76% de mulheres na liderança. Em números absolutos, significa que, de um universo de 5.095 profissionais,  elas representam 3.253  nos 1º e 2º escalões. Os dados da pesquisa foram apurados de 1 de novembro de 2020 a 23 de fevereiro deste ano.

A pesquisa também fez um recorte nos dois principais níveis de chefia do governo e concluiu que, no primeiro escalão, que compreende secretários, secretários-executivos e chefes de gabinete,  30% dos 76 profissionais são mulheres. Já no segundo escalão,  composto por subsecretários, coordenadores, diretores, técnicos (I, II e III) e diretores (I, II e III), o percentual mais que dobra. São 3.230 mulheres no comando, 64% do total.

Sandra Di Croce Patricio, subsecretária de Relações Institucionais da Casa Civil e coordenadora do estudo, chama a atenção para a importância do conhecimento do perfil da administração pública sob a perspectiva de gênero. “É fundamental termos um indicador para o Estado trabalhar a questão da diversidade nos cargos de chefia”, afirmou. “Estamos falando de transparência e de representatividade, valores essenciais para a qualidade da democracia”, diz a subsecretária.

Museu Afro Brasil expõe as monumentais pinturas de João Câmara

Com uma produção que acirra as tensões entre o social e o político, artista paraibano é um dos destaques da programação que integra o 15º aniversário da instituição paulistana. Abertura da exposição acontece no dia 20 de novembro (mais…)

Museu Afro Brasil inaugura duas grandes exposições no dia do aniversário de São Paulo

Instituição do Governo de São Paulo abre em 25/1, com entrada gratuita, as mostras ‘Padre Jesuíno do Monte Carmelo aos Olhos de Mario de Andrade’, parte da extensa programação das instituições do Estado sobre o centenário da Semana de Arte Moderna, e ‘Arqueologia Amorosa de São Paulo’, sobre as manifestações culturais da capital paulista nos séculos XIX e XX

O Museu Afro Brasil, instituição do Governo de São Paulo, inaugura no dia 25/1 as mostras ‘Padre Jesuíno do Monte Carmelo aos Olhos de Mario de Andrade’ e Arqueologia Amorosa de São Paulo. A primeira é parte do programa Modernismo Hoje, uma extensa programação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo para marcar o centenário Semana de Arte Moderna, com mais de 200 eventos realizados por suas instituições, todos presentes na Agenda Tarsila, outra iniciativa da pasta. A segunda se debruça sobre a memória da capital paulista, tendo como foco as diversas manifestações culturais produzidas durante a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX na cidade. No dia da abertura das mostras, a entrada será gratuita.

A exposição ‘Padre Jesuíno do Monte Carmelo aos Olhos de Mario de Andrade’ apresenta um dos últimos trabalhos do artista, um dos grandes expoentes do Modernismo, na fase em que ele se debruçou sobre a produção artística dos séculos XVIII e XIX. Trata-se de um estudo sobre as obras do padre Jesuíno do Monte Carmelo a partir de pinturas em igrejas e conventos localizados nas cidades de Itu e São Paulo feitas pelo religioso, também músico e compositor.

Esta será a maior retrospectiva sobre a produção artística do padre Jesuíno do Monte Carmelo. São 27 obras de grandes dimensões, muitas delas exibidas pela primeira vez. A mostra tem curadoria de Maria Silvia Barsalini e Emerson Ribeiro e colaboração da equipe do Museu Afro Brasil.

‘Arqueologia Amorosa de São Paulo’ trata dos aspectos artísticos, sociais e culturais da capital paulista durante a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX, por meio de fotografias, manuscritos, objetos e o trabalho arquitetônico de renomados artistas, como Lina Bo Bardi, Paulo Mendes da Rocha, Flavio de Carvalho, Geraldo de Barros e Zanini Caldas. A exposição também apresenta trabalhos de grandes arquitetos, como Ramos de Azevedo, objetos da Revolução Constitucionalista de 1932 e do Quarto Centenário da cidade de São Paulo e registros sobre a construção do Parque Ibirapuera.

Outro destaque é uma manipulação tecnológica do artista Floro Freire a partir de uma imagem da Várzea do Carmo no século XIX captada por um dos maiores fotógrafos da época, Militão Augusto de Azevedo.  Arqueologia Amorosa de São Paulo tem curadoria do diretor-geral do museu, Emanoel Araújo.

 

SERVIÇO:
Exposições ‘Padre Jesuíno do Monte Carmelo aos Olhos de Mario de Andrade’ e ‘Arqueologia Amorosa de São Paulo’

De 25 de janeiro a 30 de junho de 2022, das 10h às 17h. No dia 25/01, a entrada é gratuita

Local: Museu Afro

Parque Ibirapuera, Portão 10/ Estacionamento pelo Portão 3

Ingressos: R$ 15 (meia-entrada R$ 7,50)

Entrada gratuita às quartas-feiras

Sobre o Museu Afro Brasil

O Museu Afro Brasil, localizado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, dentro do Parque Ibirapuera, conserva, em 12 mil m², mais de 8 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidas entre o século XVIII e os dias de hoje. O acervo abarca diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como religião, trabalho, arte e escravidão, e tem como objetivo retratar a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira. Inaugurado em 2004, a partir da coleção particular do seu atual diretor curatorial, Emanoel Araujo, o museu exibe parte do seu acervo na exposição de longa duração, realiza exposições temporárias e dispõe de um auditório e de uma biblioteca especializada, que complementam sua programação cultural ao longo do ano.

Museu Afro Brasil oferece programação em homenagem ao mês da Consciência Negra

No mês de novembro, o Núcleo de Educação realizará ações articuladas à programação cultural do MAB (mais…)

Museu Afro Brasil realiza uma das maiores exposições de fotografia do país

Com curadoria do escritor Diógenes Moura, a mostra, que teve sua primeira edição em 2018 no Fotofestival SOLAR, em Fortaleza, foi atualizada para tratar de assuntos como a pandemia e seu impacto na vida dos brasileiros

O Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Museu Afro Brasil – Organização Social de Cultura, e Fotofestival SOLAR apresentam, a partir de 18 de setembro, a exposição Terra em Transe, com curadoria de Diógenes Moura e patrocínio do Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria estadual da Cultura. Após a 1ª edição em 2018 no Museu de Arte Contemporânea do Ceará, a mostra chega à São Paulo atualizada e ampliada, com a adição de temas como as queimadas no Pantanal e na Amazônia, o incêndio na Cinemateca, o desastre ambiental de Brumadinho e a tragédia social provocada pela pandemia, com obras de Araquém Alcântara, Boris Kossoy, Carla Carniel, Dani Tranchesi, Daniel Kfouri, João Castellano e Michael Dantas.

Ao todo, são 60 fotógrafos e cerca de 600 imagens reunidas na exposição, inicialmente programada para 2020, mas que precisou ser adiada devido à pandemia. “É um desejo antigo do Museu exibir aqui Terra em Transe, que discute temas viscerais do Brasil, trazendo à tona retratos das injustiças sociais, raciais e políticas do país”, afirma Emanoel Araujo, diretor curador do Museu Afro Brasil. “É uma oportunidade para o público conhecer o trabalho de importantes fotógrafos brasileiros, mas também para repensar a realidade nacional a partir de um novo ponto de vista, necessário, atual e contundente”.

“A partir de março de 2020, com o início da pandemia do Coronavírus, passei a recortar jornais sobre o assunto para uma colagem de textos e imagens que agora compõem uma sala especial na exposição”, revela o escritor e curador de fotografia Diógenes Moura, que passou 7 meses em isolamento reunindo este material e desenvolvendo a atualização da exposição, para a qual dedicou mais de 20 anos de pesquisa e que terá um documentário sobre o processo de montagem em São Paulo, dirigido pelo curador e por Daniel Kfouri.

As novas imagens e vídeos se juntam às obras originais da exposição, de autores como Miguel Rio Branco, Nair Benedicto, Maureen Bissiliat, Mario Cravo Neto, Ewandro Teixeira, Marlene Bergamo e Lalo de Almeida ao lado de registros de fotojornalistas de todo o Brasil destacando desde o AI-5, em 1968, até o incêndio no Museu Nacional em 2018, passando pelas manifestações religiosas, o caos urbano, os desastres ambientais e as desigualdades sociais e raciais no país.

“É assim desde Vidas Secas. Desde Deus e o Diabo na Terra do Sol. É assim desde Macunaíma, de Cabra Marcado para Morrer, de Carandiru. É assim por dentro de Bacurau”, afirma Diógenes Moura no texto de abertura da exposição. “Todos juntos Brasil adentro entre políticos infames em processo de putrefação, entre miniaturas de homens públicos querendo roubar o pão que o diabo já amassou, entre as florestas devastadas – a face do horror. É assim diante do olho por olho, dente por dente, da poética como ‘um saco vazio dentro da alma’, do luxo e do lixo gota por gota, do navio negreiro navegando por dentro das nossas veias, das cicatrizes que não se transferem.(…) De dentro da noite dos tempos um vírus desperta. A pandemia fecha as portas do mundo. A morte chega sem piedade: ‘Ar, ar, ar, por misericórdia!’. Milhares de pessoas são enterradas no coração do Brasil. No fundo do poço, o rei está nu. ‘Quer ser feliz? Vá viver no inferno das cuias. Lá é bem mais razoável’. É assim em Terra em Transe”.

Sobre o Museu Afro Brasil

O Museu Afro Brasil, localizado no Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega, dentro do Parque Ibirapuera, conserva, em 11 mil m², mais de 8 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XVIII e os dias de hoje. O acervo abarca diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, a escravidão, entre outros temas ao registrar a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

Inaugurado em 2004, a partir da coleção particular do seu atual Diretor Curatorial, Emanoel Araujo, o Museu construiu, ao longo de mais de 16 anos de história, uma trajetória de contribuições decisivas para a valorização do universo cultural brasileiro ao revelar a inventividade e ousadia de artistas brasileiros e internacionais, desde o século XVIII até a contemporaneidade. O Museu exibe parte do seu Acervo na Exposição de Longa Duração, realiza Exposições Temporárias e dispõe de um Auditório e de uma Biblioteca especializada que complementam sua Programação Cultural ao longo do ano.

Sobre o Fotofestival SOLAR

Com regularidade bienal, o Fotofestival SOLAR faz parte de um plano de fortalecimento da cultura e das artes por meio da fotografia, integrando o calendário de eventos estratégicos da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Ceará. A primeira edição do SOLAR ocorreu de dezembro de 2018 a abril de 2019, em Fortaleza. Reuniu fotógrafos, pesquisadores, curadores, artistas e o público em geral em momentos de profunda reflexão sobre os tempos vertiginosos que vivemos. Além de atividades de formação, oficinas, apresentação de portfólios, projeções e debates, o SOLAR contou com cinco exposições em diferentes espaços do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Sobre Diógenes Moura

Diógenes Moura é escritor, curador de fotografia, roteirista e editor. Premiado no Brasil e exterior, acaba de publicar Vazão 10.8 – A Última Gota de Morfina, pela Vento Leste Editora. Com O Livro dos Monólogos [Recuperação para Ouvir Objetos], também publicado pela Vento Leste Editora, foi semifinalista do Prêmio Oceanos de Literatura 2019. Em 2020, publicou O Antiacarajé Atômico – Dias Pandêmicos (Selo Exu de Dentro), livro escrito durante os sete primeiros meses da pandemia. Escreve sobre existência, imagem, abismo e abandono. Vive e trabalha em São Paulo.

Lista de fotógrafos participantes:

ADENOR GONDIM

ANA CAROLINA FERNANDES

AVENER PRADO

BETO FIGUEIROA

CARLOS MOREIRA

CELSO BRANDÃO

CELSO OLIVEIRA

CLAUDIA GUIMARÃES

DANIEL MOREIRA

DANIEL SANTIAGO

DANILO GALVÃO

DANILO VERPA

DIÓGENES MOURA (CURADOR)

EDU SIMÕES

ELZA LIMA

ERIC GOMES

EVANDRO TEIXEIRA

FERNANDO JORGE

GILVAN BARRETO

GUY VELOSO

HIROSUKE KITAMURA

JOAQUIM PAIVA

JUCA MARTINS
LALO DE ALMEIDA

LUIZ BRAGA

LUIZ SANTOS

MARCELO REIS

MÁRCIO LIMA

MÁRCIO VASCONCELOS

MARCO ALVES

MARCUS LEONI

MÁRIO CRAVO NETO

MARLENE BERGAMO

MAUREEN BISILLIAT (SALA ESPECIAL)

MAURÍCIO SERRA
MIGUEL CHIKAOKA

MIGUEL RIO BRANCO

MIRIAN FICHTNER

NAIARA JINKNSS

NAIR BENEDICTO

NICOLAS GONDIM

NUMO RAMA

ORLANDO MANESCHY

PAULA SAMPAIO

RICARDO LABASTIER

RICARDO SENA

RICARDO TELES

ROCHELLE COSTI

ROSA GAUDITANO

RUBENS FERNANDES JUNIOR

UANDERSON FERNANDES

VICTOR DRAGONETTI

WAGNER ALMEIDA

WANDERSON ALVES

Versão Museu Afro Brasil 2021:

ARAQUÉM ALCÂNTARA

BORIS KOSSOY

CARLA CARNIEL

DANI TRANCHESI

DANIEL KFOURI

JOÃO CASTELLANO (VÍDEO)

MICHAEL DANTAS

Serviço

Exposição Terra em Transe
Visitação:
 18 de setembro a 5 de dezembro, das 10h às 17h (permanência até as 18h)
Local: Museu Afro Brasil
Endereço: Parque Ibirapuera, Portão 10/ Estacionamento pelo Portão 3
Ingressos: R$ 15 (meia-entrada R$ 7,50)/ Entrada gratuita às quartas-feiras

Museu Casa de Portinari apresenta detalhes do projeto de acessibilidade

Vídeo didático mostra curiosidade de maneira simples e objetiva; programação semanal tem mais atividades

Fevereiro começou com uma nova agenda no Museu Casa de Portinari, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari. Nesta semana, a programação on-line sugere brincadeiras, apresenta como é feita a higienização de uma das peças da coleção e, ainda, detalhes sobre o projeto de acessibilidade.

Nesta quarta-feira (3), o Cultura em Casa convida o público a acessar a página Brincando com Arte, no site do Museu. As atividades podem ser realizadas em casa, na escola, com amigos ou em família. O objetivo é conhecer melhor a vida e a obra de Candido Portinari, ampliar e testar conhecimentos e habilidades e conectar-se à casa.

Já a edição do Programa de Conservação será exibida no sábado (6). No vídeo, a equipe mostrará como é feita a higienização do acervo, com destaque para as cadeiras de taboa produzidas pelo Sr. Batista, pai de Candido Portinari.

No domingo (7), os internautas conhecerão detalhes sobre o projeto de acessibilidade do equipamento cultural. Serão apresentadas as ferramentas disponíveis de forma on-line, como acessos adaptados, textos informativos em tinta e em braile, maquete e réplicas de obras táteis, descrição para cegos em materiais utilizados para comunicação digital e site com aplicação de contraste.

Ainda, o Museu Casa de Portinari comunica que estará fechado para visitação presencial nos 6 e 7 de fevereiro, seguindo as determinações do Plano São Paulo, do Governo do Estado. Para conferir todas essas atividades, basta seguir as redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram e TikTok) @museucasadeportinari. Mais informações pelo site: www.museucasadeportinari.org.br/culturaemcasa.

Museu Casa de Portinari participa da ação Sonhar o Mundo

Atividades serão de 6 a 9 de dezembro com entrada gratuita
(mais…)

Museu Casa Mário de Andrade apresenta a exposição “Rostos Indígenas”

Visitação gratuita traz obras de Graça Arnús com base na diversidade dos povos indígenas presentes nas regiões centro-oeste, norte e nordeste

O Museu Casa Mário de Andrade, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, promove até o dia 30 de junho a exposição “ROSTOS INDÍGENAS: retratos por Graça Arnús”, que traz obras da artista plástica a partir de viagens aos estados da Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco e Tocantins. Graça buscou por meio da mostra trazer a diversidade cultural de diferentes povos indígenas encontrada nesses territórios. A entrada é gratuita, de terça a domingo das 10h às 18h, com agendamento prévio no site da instituição.

Graça Arnús vem pesquisando as culturas indígenas no Brasil desde 1998, quando participou de uma expedição por Tocantins e conheceu diferentes povos, entre eles, os Javaé, Krahô e Apinayé. A riqueza das pinturas corporais das etnias analisadas ao longo dos anos é um dos aspectos que tem inspirado a artista plástica na composição das obras.

Os visitantes encontrarão mais de 15 imagens organizadas em três salas do andar superior do museu. Localizada na região da Barra Funda e próxima à estação de metrô Marechal Deodoro, a Casa Mário de Andrade faz parte da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo e gerenciada pela Poiesis.

SERVIÇO

ROSTOS INDÍGENAS: retratos por Graça Arnús

Data: De terça a domingo, até 30/6/2022

Horário: 10h às 18h

Entrada livre: para agendar a sua visita, clique aqui

Museu Casa Mário de Andrade

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo