DESTAQUES GERAIS (MAIORES)

‘Morar paulistano’ ganha mostra no Museu da Casa Brasileira

Fotógrafo

(mais…)

“Capão Palace”: teatro na Fábrica de Cultura Capão Redondo!

Peça teatral discute especulação imobiliária no Capão Redondo.

(mais…)

“Sonho de uma Noite de Verão” estreia em novembro no Theatro São Pedro

Estreia em 10 de novembro, a quarta e última montagem da temporada lírica 2018 do Theatro São Pedro. Desta vez a obra escolhida é a contemporânea Sonho de Uma Noite de Verão, composta por Benjamin Britten, o primeiro grande compositor inglês desde Henry Purcell, do século XVII e tido como um dos precursores na produção operística de seu país. Ao todo serão cinco récitas, a ópera fica em cartaz até o dia 18 e os ingressos custam de R$ 30 a R$ 80 (inteira).

Com direção cênica de Jorge Takla, que tem assinadas diversas produções de ópera, teatro e musicais, figurinos de Fábio Namatame, iluminação de Caetano Vilela e cenografia de Nicolás Boni, a montagem tem direção musical de Cláudio Cruz, que comanda a Orquestra do Theatro São Pedro e um coro formado especialmente para a produção. Também integra o time Anselmo Zolla, que assina a coreografia.

Do elenco principal, destaque para a contralto Kismara Pessatti, uma das grandes representantes do país no cenário lírico internacional e que atualmente mora na Alemanha, aqui no papel de Oberon, o Rei das fadas e a soprano Rosana Lamosa como Tytania, a Rainha das fadas.

A mezzo Luciana Bueno (Hermia), a soprano Manuela Freua (Helena), o tenor Daniel Umbelino (Lysander) e o barítono Johnny França (Demetrius) formam o quarteto amoroso da ópera. O ator Rodrigo Lopéz interpreta o trapaceiro Puck e no papel do rústico Bottom, que se transforma em asno, o barítono Homero Velho.

A ópera em três atos é baseada na peça Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare. Com atmosfera de magia e humor, o libreto foi uma adaptação feita pelo tenor Peter Pears, amigo e parceiro de Britten em muitas de suas obras. Foi só estrear em junho de 1960, em Londres, para Sonho de Uma Noite de Verão consolidar-se no repertório operístico mundial e tornar-se uma das montagens mais interpretadas desde a segunda Guerra Mundial.

Fiel ao espírito original, a obra de Britten é considerada uma das mais bem-sucedidas adaptações operísticas de uma peça de Shakespeare. Para críticos, é possivelmente a mais sedutora e encantadora de todas as óperas de Britten.

Sonho de Uma Noite de Verão fica em cartaz de 10 a 18 de novembro e as récitas acontecem na quarta, sexta e sábado, às 20h, domingo, às 17h e segunda, em novo horário do Theatro São Pedro, excepcionalmente às 14h. Uma oportunidade de acesso a novos públicos, como estudantes da rede pública de ensino.

A HISTÓRIA

Em um bosque mágico de Atenas, no curto tempo de uma noite de verão, os limites entre sonho e realidade desaparecem. Nele, cruzam-se três mundos: o misterioso, o lírico dos amores e o “real” dos homens. O misterioso é representado pelas fadas, os reis Tytania e Oberon, e seu criado Puck. O universo lírico é retratado pelos amores contrariados de quatro jovens amantes da corte de Theseus: Lysander, Demetrius, Hermia e Helena, que fogem da cidade para o bosque. Já o mundo dos homens é constituído pelos artesãos e seu teatro amador ensaiado, onde os personagens preparam uma peça para celebrar o casamento de Theseus com Hippolyta.

Com raiva porque sua esposa, a rainha Tytania, briga pela posse de uma criança, Oberon, o rei do mundo das fadas, instrui o trapaceiro Puck a conceber um feitiço, causado por uma poção de uma erva mágica, que ao ser borrifada nas pálpebras de alguém que dorme, causa paixão doentia pela primeira criatura que vir ao acordar. Enquanto isso, no bosque mágico, um grupo de rústicos artesãos planeja montar uma peça para o casamento de Theseus.

Os enganos de Puck, personagem mitológico caracterizado por ser malicioso e travesso, provocam grande confusão entre os casais de apaixonados – Hermia e Helena, Lysander e Demetrius. Enquanto os artesãos ensaiam, Puck enfeitiça Bottom, o líder do grupo, transformando sua cabeça na de um burro. Enfeitiçada também pela mesma poção, a rainha Tytania se apaixona pelo homem da cabeça de burro, e instrui duas fieis fadas-servas a cortejá-lo.

O rei do mundo das fadas Oberon, livra Tytania do feitiço e organiza toda a confusão dos casais feita pelo Puck. Ao despertarem, comemoram o fim do feitiço e celebram seu amor. Os artesãos, que estavam no meio da confusão, apresentam sua ridícula peça cômica Píramo e Tisbe na comemoração do casamento de Theseus, governante do reino do mundo dos homens.

A MONTAGEM DO THEATRO SÃO PEDRO

Composta por elementos poéticos, a montagem tem como proposta romper a teatralidade da obra dramatúrgica de Shakespeare, escrita em meados de 1590. Trata-se de uma peça cômica, mesmo que ainda contenha a seriedade da reflexão sobre a indefinição sobre o que é fantasia e o que é realidade. O elenco é formado por 31 profissionais, entre corpo principal de solistas e coro.

A sofisticação musical da partitura de Britten terá direção do maestro Cláudio Cruz, que no ano passado esteve à frente de duas elogiadas produções do São Pedro: Don Giovanni, de Mozart e La Belle Hélène, de Jacques Offenbach. Ele estará à frente da Orquestra do Theatro São Pedro e de um coro selecionado por audição, formado por jovens de diferentes instituições que integram alguns dos melhores grupos de São Paulo.

Na criação de Nicolás Boni, uma floresta invade todos os espaços de cena e uma escadaria de um palácio que não leva a lugar algum. Sob um céu noturno, onde as nuvens remetem à ideia de sonho, a vegetação verde da floresta invade torna-se o ambiente perfeito para o habitat dos personagens místicos da montagem.

Fábio Namatame mescla a dualidade da relação entre a fantasia e a realidade. O figurinista buscou nos desenhos antigos sobre sonhos referência para as cerca de 70 peças que vestem todo o elenco. Imagens feitas por Jung e Freud, e outras do começo do século XX, antes mesmo do surgimento da psicanálise, serviram de ponto de partida.

A coreografia dirigida por Anselmo Zolla é baseada nas sensações, de como o irreal pode ser real. Vai na contramão de outras montagens, onde se busca o lúdico pelo espaço concreto da realidade. A relação de inversão que a obra propõe ao público está presente nesta produção.

Onde fica?

“Oscar do Circo” tem apoio da #CulturaSP!

Em maio, o Brasil recebe duas produções inéditas importantes para o mundo circense: o “1st Cirque International Festival of Brazil Contest”, considerado o “Oscar do Circo” e que já acontece em diversas cidades cosmopolitas de países como França, Ucrânia, Itália, China, e o espetáculo “Reverie”, com uma série de apresentações circenses. As atrações acontecerão no Anhembi, na capital paulista, e contam com organização da La Force Productions e da Spacial Cultural Entretenimento. Os eventos tem o apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

O “1st Cirque International Festival of Brazil Contest”, que será realizado de 2 a 6 de maio, é uma importante oportunidade para que talentos nacionais participem pela primeira vez de uma das competições mais importantes no segmento e tenham a chance interagir e trocar experiências com artistas de diversos lugares do mundo, além de especialistas circenses.

Serão 70 artistas de países como China, Ucrânia, Rússia, Argentina, Suécia, Canadá, USA, Etiópia, Moldova, entre outros, e de diversos estados brasileiros. O júri também terá participação de referências no mundo circense, como Eugene Chaplin,  filho de Charlie Chaplin, atual presidente do Festival Internacional de Cinema de Comédia de Vevey e diretor do documentário “Charlie Chaplin: A Family Tribute”, entre outros espetáculos.

O festival foi criado em 1974 pelo Príncipe Rainier III com o nome de Monte-Carlo International Circus Festival, e tornou-se o maior e mais importante do segmento no mundo. Em 2006, a Princesa Stéphanie de Mônaco assumiu a presidência do Festival e proporcionou ainda maior projeção. O “1st Cirque International Festival of Brazil Contest” seguirá os moldes da produção de Monte-Carlo, com o apoio da organização internacional do festival.

“Reverie”, que em português significa “Devaneio”, estreia no dia 11 de maio e seguirá com apresentações até 12 de agosto, com dezenas de atrações exclusivas que prometem levar o público a uma viagem em um universo utópico cheio de emoções surpreendentes. Nele, um simples homem, através de um sonho, passa a viver em um turbulento mundo governado por um estranho feiticeiro, enfrentando obstáculos e dificuldades para provar seu amor a uma bela princesa. Para que esse sonho se torne realidade, precisará acreditar nesse novo mundo, readquirindo sua verdadeira identidade de força e poder, libertando todos os seres dominados pelo “Reverie”, trazendo liberdade e esperança para conquistar o seu grande amor.

A produção artística de ambos os eventos estará a cargo de Mathieu Laplante, canadense fundador da Showtime Solution, que treinou e competiu como ginasta nacionalmente e internacionalmente. Na direção técnica estará Vincent Schonbrodt, que atuou no início da sua carreira como artista no show “O” do Cirque du Soleil, em Las Vegas. No Brasil, criou sua própria empresa de montagem técnica no Rio de Janeiro, e destacou-se pela elaboração artística da Olímpiada Rio 2016.

Mais detalhes dos eventos estão disponíveis nos sites www.cirquefestivalcontest.com.br e www.showreverie.com.

#CulturaEmCasa completa cinco meses com mais de 1,6 milhão de visualizações

Plataforma de streaming com conteúdo cultural de alta qualidade criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa já foi acessado por 129 países
(mais…)

#CulturaSP promove encontro com dirigentes municipais

Joca Duarte / Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo promove no dia 5/4, quinta-feira, em sua sede (Rua Mauá, 51 – Luz – São Paulo/SP), o encontro com dirigentes municipais “Tira-Dúvidas”. O objetivo é apresentar as ações e programas desenvolvidos pela pasta em todo o estado, promover o diálogo entre os municípios e o Governo do Estado e discutir novos caminhos e parcerias. As atividades ocorrem das 8h30 às 13h00.

Interessados devem se inscrever pelo e-mail parlacultura@sp.gov.br até o dia 26 de março, segunda-feira. Serão aceitas até três inscrições por prefeitura. Os participantes receberão certificado online.

Estarão presentes o secretário da Cultura do Estado José Luiz Penna, o secretário-adjunto Romildo Campello e os coordenadores das unidades da Secretaria da Cultura do Estado, que falarão a respeito dos trabalhos desenvolvidos em suas respectivas áreas. Na oportunidade, os convidados poderão tirar dúvidas, dar sugestões e discutir temas comuns.

#SPGastronomia: museus, bibliotecas e Fábricas de Cultura têm programação relacionada ao tema em outubro

Oficinas que unem literatura e culinária, jogos sobre alimentação, oficinas de empreendedorismo no setor e exibições de filmes que abordam a gastronomia integram o calendário

(mais…)

13/04 é Dia dos Jovens: conheça iniciativas da #CulturaSP para esse público!

Okinosmov / Núcleo Luz – Foto: Gasbox Studio

Para celebrar o Dia do Jovem (13/4), reunimos aqui algumas atividades realizadas por espaços da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que são voltadas para esse público!

MÚSICA

Conservatório de Tatuí

Oferece cursos nas áreas de música, luteria e artes cênicas, de formação continuada com duração média de seis anos. A escola está localizada no município de Tatuí, a 131 quilômetros da capital paulista, e recebe estudantes de todas as regiões brasileiras e também de fora do país.

Mais informações: https://www.conservatoriodetatui.org.br

Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP)

Localizada no centro da capital paulista, oferece cursos de iniciação musical e prática de instrumentos desde 1989. Seu primeiro reitor e presidentefoi o maestro Antonio Carlos Jobim. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: https://www.emesp.org.br

Projeto Guri

Programa de formação cultural que oferece cursos de teoria musical, coral, instrumentos de cordas, madeiras, sopro e percussão para jovens até 18 anos. Possui vários polos, distribuídos na capital, no litoral e no interior do Estado.

Mais informações: https://gurisantamarcelina.org.br/ (para polos da capital e região metropolitana) e https://www.projetoguri.org.br/ (para polos do interior e litoral)

Conservatório de Tatuí – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

DANÇA

Núcleo Luz

O projeto oferece a jovens de baixa renda a oportunidade de vivenciarem a linguagem da dança de maneira mais aprofundada. A participação é gratuita mediante inscrição e processo seletivo.

Mais informações: https://fabricasdecultura.org.br/nucleo-luz/

São Paulo Companhia de Dança

Criada em 2008, a Cia faz espetáculos no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior. De tempos em tempos, a SPCD promove workshops, palestras, oficinas e audições.

Mais informações: https://www.spcd.com.br/

São Paulo Cia. de Dança – Conservatório de Tatuí – Foto: João Caldas/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

TEATRO

SP Escola de Teatro

Oferece cursos gratuitos de formação em teatro abrangendo as mais diversas áreas das artes cênicas, dentre elas Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. Além disso, a Escola mantém o Programa Kairós, que distribui bolsas de estudos e estágios para parte dos aprendizes, além de intercâmbios culturais.

Mais informações: www.spescoladeteatro.org.br

SP Escola de Teatro – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

LITERATURA

Bibliotecas de São Paulo e do Parque Villa-Lobos

As bibliotecas-modelo do Governo do Estado de São Paulo – uma, localizada no Parque da Juventude, e a outra, no Parque Villa-Lobos – oferecem diversas atividades voltadas para o público jovem, além do seu acervo de livros e jogos. Entre elas, oficinas de escrita criativa, de fotografia e de literatura. Há também o Luau, atividade regular que apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura e poesia, e oferece um espaço para apresentações musicais. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: https://bsp.org.br/ e https://bvl.org.br/

Biblioteca do Parque Villa-Lobos – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

FORMAÇÃO E DIFUSÃO CULTURAL

Fábricas de Cultura

Programa de difusão e formação cultural que oferece cursos gratuitos e atividades de difusão cultural para toda a comunidade. O programa conta com 10 unidades espalhadas pelas zonas norte, sul e leste, e suas atividades contemplam diversas linguagens, como teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios.

Mais informações: https://fabricasdecultura.org.br/

Oficinas Culturais

As quatro unidades do programa realizam atividades gratuitas de formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas, como artes visuais, circo, dança, fotografia, literatura, música, teatro, entre outras.

Mais informações: https://www.oficinasculturais.org.br/

50 anos depois, “1968 operário” é lembrado em Sábado Resistente

Evento será no dia 12 de maio, às 14h00, com entrada gratuita e a presença de Ênio Seabra, João Batista Candido, Luis Cardoso, Luiz Antonio Duarte e Luci Praun

Memorial da Resistência (foto: Patricia Carvalho)

No dia 12 de maio, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promoverá mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O encontro que faz parte dos eventos programados na cidade de Osasco denominados “Osasco 1968+50” será às 14h00, e irá tratar sobre os acontecimentos que marcaram o ano de 1968 para a classe operária, especialmente as primeiras greves nas cidades de Contagem (MG) e de Osasco (SP).

Com o golpe militar de 1964 no Brasil, principalmente a partir da nomeação de interventores militares nos sindicatos das principais categorias de trabalhadores, ocorreu a desarticulação do movimento sindical operário. As greves operárias de 1968 no país, tendo como símbolo as greves nestas duas cidades representaram o esforço de reorganização da classe trabalhadora.

Dentro dessa onda de greves, o dia 1º de maio de 1968 – Dia dos Trabalhadores – também ficou na história e será lembrando por alguns de seus atores. Na oportunidade, membros da classe operária de toda região metropolitana de São Paulo se reuniram na Praça da Sé para a transformação do ato oficial, organizado pelo sindicalismo de conciliação, com a presença de autoridades, em uma manifestação pública de protesto e repudio a ditadura por parte dos trabalhadores e estudantes.

PROGRAMAÇÃO

14h00 – Boas-vindas –Memorial da Resistência de São Paulo
14h10 – Coordenação – Oswaldo de Oliveira Santos
(Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h20 – Mesa Redonda 

Participantes:

Ênio Seabra Eletricista, começou a trabalhar em 1953 na Companhia Siderúrgica Mannesmann. Em 1967 foi eleito na chapa Verde (de oposição) para o Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem (MG), onde chegou a ser presidente e como tal foi um dos líderes da primeira greve operária em abril de 1968 na cidade. Participou, com um depoimento importante, do livro “Greves no Brasil (de 1968 aos dias atuais) editado pelo DIEESE em 2015.

João Batista Candido – Operário metalúrgico e coordenador regional da JOC (Juventude Operária Comunista) desde sua juventude, começou a trabalhar aos 28 anos na fábrica da Cobrasma de Osasco. Foi o presidente da Comissão de Fábrica do Brasil quando ela foi reconhecida em 1966, tendo participado também da fundação da sub sede da Frente Nacional do Trabalho naquela cidade. Em 1967, com a eleição da Chapa Verde presidida pelo José Ibrahim, João Candido é eleito Secretário Geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e nesta condição participa ativamente da Greve de 1968 que ocorreu no mês de julho naquela

Luis Cardoso – também conhecido como Luisão, era ajustador mecânico e trabalhava no controle de qualidade na Braseixos no ano de 1968. Participou da greve de Osasco e teve importante atuação na manifestação que transcorreu na Praça da Sé no dia 1º de Maio.

Luiz Antonio Duarte – Professor, era militante da Ação Popular (AP) sendo integrante da coordenação seccional na região do ABC paulista. Participou da manifestação de maio na praça da Sé.

Luci Praun – Socióloga, com mestrado e doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É atualmente docente do Centro Universitário Fundação Santo André e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Mundo do Trabalho e suas Metamorfoses (GEMT), Unicamp/CNPq. Coautora do livro “Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil I” (Ed. Boitempo), organizado por Ricardo Antunes, e do livro “Sindicatos Metalúrgicos no Brasil Contemporâneo” (Ed. Fino Traço), organizado por Davisson C. Souza e Patrícia Tropia. Autora do livro “Reestruturação Produtiva, Saúde e Degradação do Trabalho”


16h10 – Debate

 

SERVIÇO

 

Memorial da Resistência de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar

Telefone: (011) 3335-4990/ faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br

Aberto de quarta a segunda (fechado às terças)

Entrada Gratuita

Agenda de cursos de curta duração para diferentes áreas profissionais

Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade oferecem cursos de curta duração para diferentes áreas profissionais

Meios digitais de ensino para professores, acessibilidade em projetos culturais e a representação trans no cinema latino-americano estão entre os destaques

A Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade – integrantes da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciada pela Poiesis – mantêm a grade de cursos livres no mês de março. As aulas ocorrem em plataformas virtuais, como o Google Meet e Zoom, além de serem totalmente gratuitas. Para se inscrever, é necessário acessar os links de cadastros pelos sites das instituições.

A Casa Mário de Andrade promove cursos para docentes, profissionais da área de gestão e produção cultural que desejam oferecer acessibilidade aos seus públicos, além de uma palestra sobre o avanço das rádios digitais.

Jamile Borges, coordenadora adjunta do Programa de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos – PÓSAFRO/UFBA e pesquisadora em antropologia do mundo contemporâneo (África) e museus (como projetos na área de museus digitais), coordena o curso Educação digital no mundo pós-pandemia direcionado principalmente para professores. Participantes podem conhecer o debate contemporâneo relacionado às formas de inclusão e o ensino por meios digitais durante as aulas nos dias 10, 17, 24 e 31 de março, das 19h às 21h. Pós-verdade, racismo como um dos sistemas da chamada pandemocracia, frameworks e currículos insurgentes fazem parte do cronograma de atividades. A inscrição está aberta aqui: https://cutt.ly/jlqvOMy.

Acessibilidade em Projetos Culturais é um curso que ocorre nos dias 4, 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h, e realizado por Claudio Rubino, coordenador do programa de Acessibilidade do Instituto Tomie Ohtake e pós-graduado em Educação Inclusiva com ênfase em deficiência física pela UNIFESP.  Rubino apresenta um panorama das principais ações norteadoras que habilitam projetos culturais dentro da acessibilidade, em sintonia com o direito, o acesso universal à memória e ao patrimônio cultural. Terminologias, gestão democrática, comunicação digital acessível e representatividade compõem o cronograma. Para fazer a inscrição, acesse: https://cutt.ly/llqvMA2.

Já a palestra O Rádio na era digital, apresentada por Marcelo Abud, mestre em Comunicação, professor nas áreas de criação e produção em áudio da FAAP e integrante do corpo crítico de rádio da APCA, está marcada para o dia 13 de março, a partir das 16h30. A atividade é voltada para pessoas interessadas em rádio, jornalismo e difusão musical, e pretende debater os impactos das novas tecnologias na radiodifusão, além dos movimentos de rádios comunitárias que se concentram na democratização do acesso à informação por meio de rádios digitais. Cadastre-se aqui: https://cutt.ly/plqbrYf.

Literatura e Cinema são algumas das linguagens trabalhadas pelos cursos da Casa Guilherme de Almeida. Eliane Fittipaldi, doutora em Letras pela USP e tradutora de mais de trinta livros para várias editoras, coordena Trajetórias do “Eu” feminino na literatura e no cinema: Cléo das 5 às 7 de Agnès Varda e Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres de Clarice Lispector. As aulas ocorrem nos dias 8, 15, 22 e 29 de março, das 19h às 21h.

O estudo fica em torno do discurso que indica duas importantes personagens femininas em narrativas produzidas pela cineasta Agnès Varda e pela escritora Clarice Lispector nos anos 1960, quando a voz das mulheres abriu caminhos nos meios artísticos e intelectuais do mundo ocidental para conquistar maior autonomia de escolhas. A inscrição está disponível aqui: https://cutt.ly/ZlqDDl4.

Introdução ao filme documentário: leitura e caminhos interpretativos tem a coordenação de Luciana Biffi, doutoranda na Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), no programa ‘Educação, Arte e História da Cultura’, e mestre pela pós-graduação de História da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Os encontros em 5, 12, 19 e 26 de março, a partir das 19h, buscam apresentar noções básicas para uma leitura de documentário, entendendo-o como um estilo específico das produções audiovisuais, que comporta questões, problemáticas e recursos característicos. Para participar, é necessário fazer a inscrição previamente: https://cutt.ly/jlqbvK3.

A partir da análise de filmes, o curso Representação trans no cinema propõe observar a construção histórica da representação trans no cinema latino-americano até as novas narrativas emergentes. Considerando o contexto histórico e o lugar de fala dos autores, Rosa Caldeira, um corpo trans, sugere um debate sobre imaginários nos dias 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h. Caldeira é diretor de fotografia, cineasta trans e militante, desenvolvendo ideias para atuar com a cultura LGBT e a periferia. Seu curta-metragem, Perifericu, recebeu prêmios como o de Melhor Curta no Festival de Tiradentes de 2020, além de ser co-idealizador do Festival Cuir, festival de cinema e artes na periferia da zona sul de São Paulo que está previsto para este ano. Para fazer parte da turma, inscreva-se: https://cutt.ly/rlqbRCm.

SERVIÇO

Casa Mário de Andrade

 

CURSO: EDUCAÇÃO DIGITAL NO MUNDO PÓS-PANDEMIA

Com Jamile Borges
Quartas-feiras, 10, 17, 24 e 31 de março, das 19h às 21h
Plataforma: Google Meet | 200 vagas | Grátis
Público-alvo: professores
Inscrição aberta até 10/03 – https://cutt.ly/jlqvOMy

CURSO: ACESSIBILIDADE EM PROJETOS CULTURAIS

Com Claudio Rubino e convidados

Quintas-feiras, 4, 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h

Plataforma: Google Meet | 250 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 4/03 – https://cutt.ly/llqvMA2

PALESTRA: O RÁDIO NA ERA DIGITAL

Com Marcelo Abud
Sábado, 13 de março, das 16h30 às 18h

Plataforma: Google Meet | 250 vagas | Grátis

Cadastro aberto até 13/03 – https://cutt.ly/plqbrYf

——
Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085 | E-mail: casamariodeandrade@casamariodeandrade.org.br; educativo@casamariodeandrade.org.br

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://www.casamariodeandrade.org.br/planeje-sua-visita

O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casamariodeandrade.org.br e https://poiesis.org.br/maiscultura/

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo

Acessibilidade: rampa de acesso ao andar térreo e fraldário móvel.
Programação gratuita

Casa Guilherme de Almeida

TRAJETÓRIAS DO “EU” FEMININO NA LITERATURA E NO CINEMA: CLÉO DAS 5 ÀS 7 DE AGNÈS VARDA E UMA APRENDIZAGEM OU O LIVRO DOS PRAZERES DE CLARICE LISPECTOR

Com Eliane Fittipaldi

Segundas-feiras, 8, 15, 22 e 29 de março das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 5/03 – https://cutt.ly/ZlqDDl4

INTRODUÇÃO AO FILME DOCUMENTÁRIO: LEITURA E CAMINHOS INTERPRETATIVOS

Com Luciana Biffi

Sextas-feiras, 5, 12, 19 e 26 de março, das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 3/03 – https://cutt.ly/jlqbvK3

 

REPRESENTAÇÃO TRANS NO CINEMA

Com Rosa Caldeira

Quintas-feiras, 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 9/03 – https://cutt.ly/rlqbRCm

—-

Tel.: 11 3673-1883 | 3803-8525 | 3672-1391 | 3868-4128 | E-mail: contato@casaguilhermedealmeida.org.br, educativo@casaguilhermedealmeida.org.br
Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/agendamento-e-normas-de-visitacao/
O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/ e https://poiesis.org.br/maiscultura/

  1. Macapá, 187 – Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo | Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Sumaré, São Paulo/SP
    Acessibilidade: rampa de acesso, elevador, piso podotátil e banheiro adaptado; videoguia em Libras e réplicas táteis.
    Programação gratuita

Aprenda a fotografar com o smartphone no workshop de Erick Amarante

O artista visual e fotógrafo Erick Amarante estará na Secretaria de Cultura na quarta-feira, 5 de dezembro, às 16h00, para a “Palestra + Workshop ENTREMUNDOS – SMART”.

Das 16h00 às 17h30, será a vez do WORKSHOP, onde o artista estimulará nos participantes o “fazer criativo” pela produção de imagens com smartphone. Ensinará técnicas de fotografar com o aparelho celular e dará dicas de como trabalhar imagens com apps e recursos da câmera, de acordo com o método de observação goetheanística, do filósofo alemão Johann Goethe, que é baseado na premissa do “observar fora para entender dentro”.

Após o workshop, das 18h00 às 19h00, Erick Amarante fará uma PALESTRA em que apresentará seus projetos artísticos, como ENTREMUNDOS – SMART, que dá nome a este evento, e outros projetos 100% feitos com smartphone, falará sobre economia criativa, o processo de criação artística, o poder do pensamento e a nossa responsabilidade perante a realidade à volta, sempre focando na sua referência de trabalho e pesquisa, que é o pensamento de Goethe.

Foto: Erick Amarante

+INFOS

onde fica?

Para assistir à palestra não é necessário inscrição. Entretanto, o workshop tem vagas limitadas e, por isso, a inscrições (gratuitas!) devem ser feitas até o dia 03/12 pelo e-mail: lbveltrone@sp.gov.br

Recado aos participantes do Workshop

Recomenda-se instalar previamente no smartphone um dos seguintes apps: Camera 360, Snapseed, PicsART ou Lightroom CC!

Apresentação da Jazz Sinfônica no Ibirapuera será exibida na TV Cultura no próximo domingo

No espetáculo sonoro e visual, o grupo revela suas raízes ao levar uma roupagem orquestral à música popular brasileira. (mais…)

Atividades de teatro e dança são destaques na programação da Oficina Cultural Oswald de Andrade

Atividades gratuitas estão com as inscrições abertas

A Oficina Cultural Oswald de Andrade, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, está com a programação de janeiro dedicada às artes cênicas e à dança. A maioria das atividades acontece por meio das plataformas on-line da instituição.

No espetáculo Danças Adroatlânticas, os dançarinos e pesquisadores do coletivo Danças Afroatlânticas trazem à cena elementos ligados às origens africanas e indígenas das danças de salão e das danças populares praticadas no continente americano, buscando responder às perguntas: “o que essas danças têm em comum?” e “o que delas se perdeu ao longo do processo de elitização e embranquecimento?”. Vibrante e questionador, o espetáculo será exibido via live do Youtube da Oficinas Culturais, na sequência de cada exibição, acontecerá uma roda de conversa do público com os integrantes do coletivo, via plataforma Zoom. As exibições acontecerão nos dias 28 e 29 de janeiro e 4 e 5 de fevereiro, quintas e sextas-feiras, às 20h.

O laboratório Dramaturgia sem palco: experimentos sonoros, plásticos e gráficos pretende aprofundar estudos de obras que habitam a fronteira entre literatura, performance, artes visuais e teatro, além de acompanhar o desenvolvimento de projetos autorais de dramaturgia em campo expandido. Para trazer outras perspectivas e fomentar o debate, foram convidados os artistas-pesquisadores: Babi Fontana, João Turchi e Lígia Oliveira que trabalham com o texto e a palavra em territórios de fronteira para intervir em alguns dos encontros, que acontecerão de forma on-line às segundas-feiras, de 18 de janeiro a 1 de março, das 16h às 18h. As inscrições estão abertas neste link até 14 de janeiro.

A partir do diálogo entre Dança e Eutonia, a proposta das aulas on-line da oficina Mover o tocar – movimento e eutonia entre mulheres é trabalhar o corpo em movimento de modo sensível, em busca de entrar em contato com a capacidade e potência de se autocuidar em um momento tão delicado pelo qual passamos. Serão abordados e desenvolvidos temas como a consciência da pele, ossos e suas relações com o suporte do solo e com o espaço que nos cerca. As práticas têm como princípio a expansão da atenção e presença no corpo, abertura de espaços internos, a experiência do auto-toque e a escuta silenciosa ao desejo do corpo, suas necessidades e possibilidades de movimentos. A atividade será desenvolvida às seundas-feiras das 10h30 às 12h, de 18 de janeiro a 22 de fevereiro. As inscrições devem ser feitas neste link até o dia 17 de janeiro.

O laboratório de movimento Treinamento modo flow propõe a ação de estudar e desenvolver um pensamento do corpo, a conexão de corpo-mente-ambiente no trabalho do ator, a sofisticação da escuta, o mapeamento do movimento involuntário dos olhos, a coordenação motora, a dissociação cerebral, a rítmica corporal (investigação cognitiva e afetiva), a sequência coreográfica autoral, a improvisação de ações, o antídoto do movimento. Os encontros serão realizados às terças-feiras, de 19 de janeiro a 23 de fevereiro, das 18h30 às 20h30 pela plataforma Zoom. Para participar, é necessário realizar a inscrição neste link até o dia 15 de janeiro.

Os participantes da oficina Arte participativa e performance relacional terão contato com um panorama artístico nacional e internacional, no qual se propõem reflexões sobre quais as relações que podemos estabelecer entre Arte e Público. Durante esta vivência coletiva será montado o espetáculo-experiência “Afectos”, junto aos participantes da oficina que quiserem adentrar neste experimento relacional participativo. Esta montagem é um desdobramento da exposição virtual de fotoperformances “Afecto” do casal de artistas, Marcelo Prudente e Pedro Orlando. Os encontros irão ocorrer às quintas-feiras, de 21 de janeiro a 4 de março, das 19h às 21h pelo Google Meet. As inscrições devem ser feitas até o dia 17 de janeiro neste link.

O Workshop de teatro físico: Corpo e interpretação é uma oficina de livre criação, com intenso treinamento corporal e gestual baseado nos ensinamentos presentes nos estudos de mestres como Meyerhold, Grotowski e Antonin Artaud. Os encontros serão focados em provocar a emergência e a organização dos desejos poéticos em um detalhado estudo corporal. A atividade é presencial e será realizada em sala ampla na Oficina Cultural Oswald de Andrade, respeitando o distanciamento social e as normas sanitárias, sendo obrigatório o uso de máscara. Os encontros acontecerão às quartas e sextas-feiras das 14h às 16h30 de 3, 5 10 e 12 de fevereiro. Os interessados deverão se inscrever neste link até o dia 29 de janeiro.

Por meio da teoria de Carl Gustav Jung – fundador da psicologia analítica, a oficina Ampliando o inconsciente da personagem – um estudo sobre atuação e vida, busca oferecer subsídios para refletir a partir dos símbolos teatrais, o que o inconsciente de forma criativa nos coloca em contato por meio da atuação. Cada participante será convidado a escolher um personagem de algum texto, performance ou tema para traçar paralelos entre o processo de atuação na apropriação do papel e em seu processo de vida. A oficina será virtual e acontecerá às quartas-feiras, de 20 de janeiro a 24 de fevereiro, das 10h às 12h. As inscrições devem ser realizadas neste link até o dia 17 de janeiro.

Às quintas-feiras, de 21 de janeiro a 25 de fevereiro, os participantes da oficina A organicidade do ator através de exercícios plásticos serão guiados por meio do treinamento psicofísico, conhecido como: “Exercícios plásticos”, desenvolvido no Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski. Os encontros, das 14h às 16h via Zoom, promoverão o estudo de elementos como: impulsos, precisão, atenção, escuta, energia e fluidez. Para participar, é necessário se inscrever neste link até o dia 17 de janeiro.

O principal foco da oficina Poemas do corpo – pesquisa de movimento é propiciar, a partir de um ambiente de experimentação, que cada participante possa acessar o campo sensível e entrar em contato com seu processo criativo e linguagem corporal. Pela plataforma Zoom, os encontros serão realizados às quintas-feiras, das 10h30 às 12h, de 21 de janeiro a 25 de fevereiro. Os interessados em participar deverão se inscrever neste link até o dia 17 de janeiro.

A máscara e o teatro caminham juntos há muito tempo: como os gregos antigos, que nos legaram como símbolos do teatro as clássicas máscaras da comédia e tragédia, ou as máscaras japonesas do Teatro Nô, não menos antigas, passando ainda pela Commedia Dell’Arte da velha Europa e em experiências inovadoras, como as máscaras Larvárias, introduzidas no cenário contemporâneo pelo teatrólogo francês Jacques Lecoq. Nos encontros no formato live/bate papo do curso A máscara como ferramenta no treinamento do ator, o artista visual Wander Rodrigues abordará temas sobre a criação, execução, manuseio de uma máscara teatral e também comentará sobre importância da máscara como ferramenta no treinamento e trabalho do ator/artista. O curso acontecerá pela plataforma Zoom de 22 de janeiro a 5 de fevereiro, sextas-feiras, das 15h às 17h. As inscrições devem ser realizadas neste link até o dia 20 de janeiro.

O Núcleo Menos 1 Invisível irá proporcionar juntamente com Eduardo Fukushima um treino aberto de Introdução às práticas da respiração chinesa aliadas com a dança. Esta ação gratuita faz parte do projeto “Mergulho” contemplado pelo 28º edital de Fomento à Dança para Cidade de São Paulo e tem o apoio da Oficina Cultural Oswald de Andrade. As aulas são presenciais em espaços abertos da Oficina Cultural Oswald de Andrade e acontecerão de 26 de janeiro a 23 de fevereiro, terças-feiras, das 12h às 14h. As inscrições devem ser feitas neste link até o dia 18 de fevereiro.

O mestre Pedro Peu e o Núcleo Menos 1 Invisível irão realizar um treino aberto de Capoeira Angola, com muito ritmo e cantoria numa só ginga. Esta ação também faz parte do projeto “Mergulho” contemplado pelo 28º edital de Fomento à Dança para Cidade de São Paulo e tem o apoio da Oficina Cultural Oswald de Andrade. Com aulas presenciais em espaços abertos da Oficina Cultural Oswald de Andrade, as vagas são limitadas respeitando o distanciamento coletivo e as normas sanitárias, sendo obrigatório o uso de máscara. Os encontros serão realizados às quintas-feiras, de 28 de janeiro a 25 de fevereiro, das 12h às 14h. Os interessados devem se inscrever neste link até o dia 18 de fevereiro.

A oficina Introdução à dramaturgia contemporânea pelo pensar da pedagogia feminista foi concebida como uma porta de entrada para conhecer ou se aproximar mais das estéticas e processos criativos pertinentes ao ofício da escrita voltada à cena teatral contemporânea. Serão oferecidos materiais teóricos, textos de dramaturgia nacional e internacional, assim como exercícios de experimentação criativa para a escrita de pequenas cenas. Em cada encontro, os participantes receberão uma proposta de exercício prático que dialogue com o material apresentado. O workshop acontecerá dentro de uma prática político-pedagógica embasada na Pedagogia Feminista, com técnicas e dinâmicas de escuta/fala/reflexão igualitárias, materiais teóricos e dramaturgias escritas por mulheres. A atividade será conduzida de forma colaborativa pelas integrantes do NED – Núcleo de Experimentação em Dramaturgia, atuante desde 2016. Por meio do Google Meet, a atividade será realizada às sextas-feiras, de 29 de janeiro a 26 de fevereiro, das 15h às 17h. Os interessados deverão se inscrever neste link até o dia 26 de janeiro.

EXIBIÇÃO DO ESPETÁCULO: DANÇAS AFROANTLÂNTICAS
Coordenação: Mariana Franco
28 e 29 de janeiro; 04 e 05 de fevereiro – quintas e sextas-feiras – 20h
Classificação etária: 16 anos
Duração do vídeo-dança: 40 minutos
Plataforma de exibição: Youtube das Oficinas Culturais

LAB DRAMATURGIA SEM PALCO: EXPERIMENTOS SONOROS, PLÁSTICOS E GRÁFICOS
Coordenação: Sofia Boito | Carolina Mendonça | Miguel Caldas
18 de janeiro a 1 de março – segundas-feiras – 16h às 18h
Inscrições: 7 até 14 de janeiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/c9cf439982f9d0f89ac7f1ed43e85f7d
Seleção: Análise de currículo | Questionário
Vagas: 20

OFICINA: MOVER O TOCAR – MOVIMENTO E EUTONIA ENTRE MULHERES
Coordenação: Carolina Minozzi | Tatiana Burg
18 de janeiro a 22 de fevereiro – segundas-feiras – 10h30 às 12h (dia 25/01 não haverá oficina)
Inscrições: 7 até 17 de janeiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/9c121513cf1e1f6de37b405531a60891
Seleção: Por ordem de Inscrição
Vagas: 30
Plataforma de exibição: Zoom

LABORATÓRIO DE MOVIMENTO _EXPERIÊNCIA ONLINE: TREINAMENTO MODO_FLOW
Coordenação: Leonardo Bertholini
19 de janeiro a 23 de fevereiro – terças-feiras – 18h30 às 20h30
Inscrições: 7 até 15 de janeiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/3f194fbcc671d39373d095ac1e4aab4d
Seleção: Currículo resumido e carta de interesse
Vagas: 20
Plataforma de exibição: Zoom

OFICINA: ARTE PARTICIPATIVA E PERFORMANCE RELACIONAL
Coordenação: Marcelo Prudente | Pedro Orlando
De 21 de janeiro a 4 de março – quintas-feiras – 19h às 21h
Inscrições: 7 até 17 de janeiro
https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/ae789113b952dd0673b4c80a48720bfe

Seleção: Carta de interesse
Vagas: 20
Plataforma de exibição: Google Meet

WORKSHOP DE TEATRO FÍSICO: CORPO E INTERPRETAÇÃO
Coordenação: Pamela Duncan
De 3, 5, 10 e 12 de fevereiro – quartas e sextas-feiras – 14h às 16h30
Inscrições: 7 até 29 de janeiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/381dae8478b35448f4506cfc75009042
Seleção: Análise de currículo
Vagas: 12

OFICINA: AMPLIANDO O INCONSCIENTE DA PERSONAGEM – UM ESTUDO SOBRE ATUAÇÃO E VIDA
Coordenação: Patrícia Teixeira
De 20 de janeiro a 24 de fevereiro – quartas-feiras – 10h às 12h
Inscrições: 7 até 17 de janeiro
https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/c9513b89892fb5a2667053143887285a

Seleção: Análise de currículo | Carta de interesse
Vagas: 20

OFICINA: A ORGANICIDADE DO ATOR ATRAVÉS DE EXERCÍCIOS PLÁSTICOS
Coordenação: Marco Antônio Barreto
De 21 de janeiro a 25 de fevereiro – quintas-feiras – 14h às 16h
Inscrições: 7 até 17 de janeiro
https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/8a5d67822c772017ee2e734f9387f00e

Vagas: 20
Plataforma de exibição: Zoom

OFICINA: POEMAS DO CORPO – PESQUISA DE MOVIMENTO
Coordenação: Key Sawao
De 21 de janeiro a 25 de fevereiro – quintas-feiras – 10h30 às 12h
Inscrições: 7 até 17 de janeiro
https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/719c6c64efb8dbf088b2677dee1a2c2e

Seleção: Análise de currículo | Carta de interesse
Vagas: 20
Plataforma de exibição: Zoom

CURSO ONLINE: A MÁSCARA COMO FERRAMENTA NO TREINAMENTO DO ATOR
Coordenação: Wander Rodrigues
De 22 de janeiro a 5 de fevereiro – sextas-feiras – 15h às 17h
Inscrições: 7 até 20 de janeiro  https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/9754f4e85b915d1ecb9de2911d9d80cb
Seleção: Por ordem de Inscrição
Vagas: 20
Plataforma de exibição: Zoom

AULAS ABERTAS: INTRODUÇÃO ÀS PRÁTICAS DA RESPIRAÇÃO CHINESA ALIADAS COM A DANÇA
Coordenação: Núcleo Menos 1 Invisível e Eduardo Fukushima
Data e horário: 26 de janeiro e 23 de fevereiro – terças-feiras – 12h às 14h
Inscrições: 7 de janeiro até 18 de fevereiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/74ca370079f9b8a16f111e4f943bfe24
Seleção: Por ordem de Inscrição
Vagas: 10

AULAS ABERTAS: VIVÊNCIA DE CAPOEIRA ANGOLA “VAMOS VADIÁ”
Coordenação: Núcleo Menos 1 Invisível e Pedro Peu
28 de janeiro e 25 de fevereiro – quinta-feira – 12h às 14h
Inscrições: 7 de janeiro até 18 de fevereiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/4974a9fe76a5b447c35ad12a15fa0260
Vagas: 10

OFICINA: INTRODUÇÃO À DRAMATURGIA CONTEMPORÂNEA PELO PENSAR DA PEDAGOGIA FEMINISTA
Coordenação: Carina Murias | Claudia Jordão | Juliane Pimenta
29 de janeiro a 26 de fevereiro – sextas-feiras – 15h às 17h
Inscrições: 7 até 26 de janeiro https://poiesis.education1.com.br/publico/inscricao/7153f307b5c0c430849e99573d3f3176
Seleção: Carta de interesse | Análise da ficha de inscrição
Vagas: 30
Plataforma de exibição: Google Meet

Baby do Brasil é a convidada do Notas Contemporâneas do MIS em fevereiro

Primeira edição de 2018 traz um bate-papo musical com a artista, uma das fundadoras do grupo Novos Baianos e responsável por sucessos como “Menino do Rio”, “Cósmica”, “Sem Pecado” e “Sem Juízo”, entre outros (mais…)

Biblioteca Parque Villa-Lobos realiza oficina de HQ inspirada na observação do cotidiano

A Oficina de Histórias em Quadrinhos com Annima de Mattos, programação online e gratuita com início no dia 27 de abril na Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), está com inscrições abertas em www.bvl.org.br/inscricao (vagas limitadas). Indicada para maiores de 16 anos, a atividade terá dois encontros virtuais e será realizada das 14h às 16h. A BVL é equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerido pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo terceiro ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.

Nesta atividade, serão apresentados exemplos de quadrinhos e zines com uma estética menos convencional, além das etapas de construção de uma publicação, que incluem a arte em si, a finalização e a distribuição. Os participantes da oficina serão estimulados a desenvolver seu próprio material a partir da observação do cotidiano e do universo pessoal.


Formada em artes plásticas pela Universidade de Brasília (UnB) em 2012, Annima atua como ilustradora e editora de zines e livros, além de produzir publicações individuais e coletivas. Colaborou com os artistas dos ateliês Espaçonave e 716 e do coletivo Worst Year Ever Comics, intensificando, assim, sua produção e pesquisa em quadrinhos, gênero e publicações independentes.

Com a necessidade de estimular o distanciamento social e outras medidas de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o #Culturaemcasa, que amplia a oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos. Importante acrescentar que a biblioteca ficará com as atividades presenciais suspensas até 11 de abril, atendendo às novas medidas de prorrogação da fase emergencial do plano São Paulo. Para mais informações, acesse o site www.bvl.org.br e nossas redes sociais.

 

 

Oficina Online História em quadrinhos para quem não sabe desenhar


Com 
Annima de Mattos.
Dias 27 e 29 de abril, das 14h às 16h. 
Indicado para maiores de 16 anos.
Inscrições em: 
www.bvl.org.br/inscricao.
Vagas limitadas.

Bibliotecas do Governo de São Paulo realizam bate-papo com escritores

Jeferson Tenório e Leão Serva são os convidados deste mês do programa Segundas Intenções, atividade online da Biblioteca de São Paulo e da Biblioteca Parque Villa-Lobos

O programa Segundas Intenções, atividade online da Biblioteca de São Paulo (BSP) e da Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, receberá em setembro  o escritor Jeferson Tenório  e o jornalista Leão Serva.

O bate-papo com Jeferson Tenório começa às 19h, no dia 20/9, com transmissão ao vivo pelo Facebook da Biblioteca de São Paulo. Tenório  é doutorando em teoria literária pela PUC-RS. Estreou na literatura com o romance O beijo na parede (2013), eleito o livro do ano pela Associação Gaúcha de Escritores. Teve textos adaptados para o teatro e contos traduzidos para o inglês e o espanhol. É autor também de Estela sem Deus (2018). O avesso da pele (2020) é seu romance mais recente, publicado pela editora Companhia das Letras.

Já o encontro com Leão Serva será presencial, na Biblioteca Parque Villa-Lobos, no dia 25/9, às 11h.  Serva é jornalista, diretor de Jornalismo da TV Cultura, professor de Ética Jornalística na ESPM-SP e escritor, autor de vários livros, sendo o mais recente “A Fórmula da Emoção na Fotografia de Guerra” (SESC, 2021).

Segundas Intenções:

Biblioteca de São Paulo
Bate-papo com Jeferson Tenório
Mediação: Manuel da Costa Pinto
Segunda-feira, dia 20 de setembro, das 19h às 20h
Transmissão ao vivo na página da biblioteca no Facebook: @BSPbiblioteca
Não é necessário fazer inscrição

Biblioteca Parque Villa-Lobos
Bate-papo com Leão Serva

Mediação: Manuel da Costa Pinto
sábado, dia 25 de setembro, das 11h às 13h
Atividade ocorre na Biblioteca Parque Villa-Lobos
Não é necessário fazer inscrição

A BSP e a BVL estão atendendo com capacidade total de terça-feira a domingo, das 9h30h às 18h30h, na atual fase do Plano São Paulo do Governo do Estado.  Para saber mais sobre a programação da BSP e da BVL, acesse, respectivamente, os sites www.bsp.org.br e  www.bvl.org.br .

Bibliotecas do Governo do Estado de São Paulo celebram o Dia do Bibliotecário com atividades online  

Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos oferecem programação virtual e gratuita durante todo o mês de março para crianças e adultos; Entre as ações está o bate-papo com o  jornalista e escritor Edney Silvestre no “Segundas Intenções”; webinares, cursos e contação de histórias para toda família

As Bibliotecas do Governo do Estado de São Paulo comemoram o Dia do Bibliotecário (12/3) com programação diversificada no mês de março para crianças e adultos.  Entre as ações está o bate-papo  , escritor, jornalista e dramaturgo ganhador do prêmio Jabuti e São Paulo de Literatura, ambos em 2019, pelo romance “Se eu fechar os olhos agora”. O encontro virtual acontece na segunda-feira 22/3, das 19h às 20h, pelo Facebook da Biblioteca Parque Villa-Lobos e terá mediação de Manuel da Costa Pinto, que também é jornalista, escritor e crítico literário.

Para a criançada aproveitar o momento em família, a tradicional contação de histórias para incentivar a leitura e o desenvolvimento criativo, “Lê no Ninho”, das bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos é uma das opções. A atividade está na quarta temporada, com vídeos focados no livro infantil, trazendo luz aos autores com ilustrações e informações para toda família. Acontece aos domingos 14, 21 e 28 de março, às 11h, pelo Facebook das duas Bibliotecas BSP e BVL.

Já a “Oficina Ilustração e Poesia”, terá formato online, é indicada para jovens a partir de 14 anos e será ministrada por Lúcia Hiratsuka. A atividade traz um diálogo entre palavras e imagens a partir da apresentação de alguns poemas ilustrados. Acontece dia 19/3, das 17h às 18h30, e as inscrições devem ser realizadas no site da BVL: bvl.org.br/inscricao .

Para quem quer estar mais atualizado com o universo livreiro, o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SISEB) está com inscrições abertas para cursos online e gratuitos neste mês. São eles: Webinar Bibliotecas para o Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030, no dia 12/3, das 14h às 16h, com Elizete Vieira Vitorino, Manuel Gama, Marina Marçal e mediação de Adriana Ferrari, além de intervenção poética de Luz Ribeiro; Curso A Arte da Fala: sobre silêncios, escutas, dizeres, nos dias 16 e 18/3, das 15h às 17h30; Webinar Marketing em mídias sociais para bibliotecas: um olhar sobre o digital, no dia 25/3, das 15h às 17h, ministrado por Mayara Cabral; Bibliotecas digitais: acervos, plataformas e direitos autorais, no dia 30/3, das 15h às 17h. As vagas são limitadas e, para mais informações, acesse o site: www.siseb.sp.gov.br/agenda/.

Bibliotecas trazem programação especial para férias de janeiro!

As Biblioteca de São Paulo e do Parque Villa-Lobos prepararam intensa programação para o mês de janeiro. São atividades gratuitas que prometem encher de diversão e conhecimento o período de férias.

BSP

Começamos pelas oficinas promovidas pela Cia. Malas Portam aos sábados, das 14h às 15h, com temas variados como a criação de livro-dobradura e a recriação de animais da fauna brasileira em Tangram, entre outros.

A contação de histórias também merece destaque com apresentações sempre às sextas, por conta da equipe da biblioteca e, aos sábados e domingos, às 16h, com grupos e artistas convidados, entre eles: Conte com Elas, Tricotando Palavras, Cia. Som em Prosa, Cia. Mapinguary, além das duplas Mirela Estelles/Sylvia Sato, Chris Cruz/Bruna Brancati, e Kelly Orasi e Paula Dugaich (confira as datas abaixo).

O Domingo no Parque, programa que leva as atividades da biblioteca para o Parque da Juventude Dom Evaristo Arns, acontecerá, em janeiro, em dois dias: 6 e 20, com sessões do Lê no Ninho (indicado para os pequenos entre 6 meses e 4 anos), das 11h30 às 12h15, e de contações com o Núcleo Educatho (6) e Josafah Barbosa (20), das 12h15 às 16h. Dia 20, das 14h30 às 16h30, é a vez do Sarau na BSP, que reúne literatura, canto e poesia, e é comandado pelo Grupo de Poetas Cantores e Declamadores Independentes de São Paulo, com coordenação de Terezinha Rocha.

Vale lembrar que a BSP estará aberta normalmente no dia 25 (sexta-feira), Aniversário de São Paulo. Na programação da data, o destaque é a Hora do Conto, com a Cia. Ruído Rosa, que apresentará Histórias da Garoa, texto baseado nas obras de Adoniran Barbosa, Álvares de Azevedo, Mário de Andrade e Oswald de Andrade. O mês termina com o Clube de Leitura, marcado para dia 31, das 15h às 17h. O livro do mês é “O ministério da felicidade absoluta”, de Arundhati Roy, e, para participar, não é necessário fazer inscrição. Vale lembrar ainda que a exposição Zona Norte conta suas histórias prossegue aberta na BSP até 10 de fevereiro e é dica bacana para quem quer conhecer melhor a região em mostra construída a partir de memórias de moradores da área.

BVL

Todos os sábados, das 11h às 13h, a Trupe Pitirilo vai propor atividades variadas em oficinas: no dia 5, a brincadeira é criar com luz e sombras; dia 12, a ideia é confeccionar um Livro-TV; dia 19, os participantes desenvolvem uma história do começo ao fim; e, 26, a sonorização da trama de um livro dá tema à brincadeira. A Hora do Conto é outra dica para todas as idades. Às sextas-feiras, a equipe da biblioteca comanda a contação de histórias, às 15h, na Oca. Grupos convidados realizam a atividade aos sábados e domingos, às 16h. Kelly Orasi, as duplas Chris Cruz/Bruna Brancati e Mirela Estelles/Amarilis Reto e as companhias Som em Prosa, Mapinguary, Ruído Rosa, Conte com Elas e Cia. Do Mar dividem as apresentações durante o mês .

Janeiro também é tempo de feriado na cidade de São Paulo, no dia 25 (sexta-feira). Quem estiver na capital paulista pode aproveitar contação de histórias com a Cia. Tricotando Palavras, às 13h, e o espetáculo Rádio Variété, às 16h, com a divertida Cia LaMínima. A celebração também ganha outras atividades temáticas durante o mês. Entre os destaques, consta ainda o Clube de Leitura, marcado para o dia 18 (sexta-feira), às 15h, que terá como tema o livro “Não verás país nenhum”, de Ignácio de Loyola Brandão.

Quem gosta de exposições conta com duas na BVL: a de fotografias sobre a arquitetura modernista de Kaunas, segunda maior cidade da Lituânia, que vai até 20 de janeiro; e a mostra “Lembra, corpo?”, que será inaugurada no dia 30, às 10h30, e segue para visitação até 3 de março.

Onde fica?


Casa das Rosas inicia obras de restauro em 2020

Projeto vai recuperar as características originais do imóvel construído na década de 1920 e aprimorar sua funcionalidade como espaço público de cultura; museu completou 15 anos em dezembro, contabilizando cerca de 447.809 visitantes em 2019

(mais…)

Catavento apresenta a exposição Líbano: Patrimônio da Humanidade

Como parte das comemorações do projeto “Líbano: Patrimônio da Humanidade”, a Secretaria de Estado da Cultura, por meio  da Assessoria de Relações Internacionais,  e a Associação Cultural Brasil Líbano apresentam, no Museu Catavento,  a exposição de imagens fotográficas de cidades históricas do Líbano. As cidades de Anjar, Baalbeck, Byblos, Tiro e o Vale Sagrado de Kadisha junto aos Cedros Milenares são considerados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO por ocasião da designação pela ONU 2017: Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento.

A exposição  será entre 7 a 30 de novembro, de terça a domingo, das 9 às 17 horas.

Catavento e Casa das Rosas estão entre os museus mais visitados do país

Os museus Catavento e Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, estão entre os 10 museus mais visitados do Brasil, segundo pesquisa realizada pelo Ibram (Instituto Brasileiro de Museus). Os dados do levantamento podem ser vistos clicando no link.

Divulgado  sexta-feira, 18, o documento aponta  que, em 2019, 25.528.284 visitantes passaram pelos 820 museus que realizam a contagem de público. O Catavento recebeu 665.452 pessoas, em sua maioria público espontâneo, 472.184, o que representa cerca 70%. Os 193.268 restantes compõem os agendamentos realizados por escolas, ONGs, associações, serviços de saúde e assistência social, entre outros. No mesmo período, o público da Casa das Rosas foi de 485.187.

O Museu Catavento, espaço dedicado à ciência e tecnologia, é gerido Organização Social Catavento Cultural e Educacional. Inaugurado em  março de 2009, seu objetivo é aproximar crianças, jovens e adultos do mundo científico, despertar a curiosidade e transmitindo conhecimentos básicos e valores sociais. Ele está localizado em um dos edifícios históricos mais importantes da cidade de São Paulo, o Palácio das Indústrias, inaugurado em 1924.

A Casa das Rosas está localizada na avenida Paulista. O local realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu se dedica à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento concretista durante a década de 1950.

Quer saber mais? Acesse os sites oficiais dos museus

Leia mais

Celebração do Dia dos Mortos terá música e gastronomia no Memorial

O tradicional evento com entrada gratuita vai oferecer atividades para agradar todos os público. (mais…)

Ciclo de Gestão Cultural oferece formações e debates

Segunda edição realizada de modo on-line está com inscrições abertas

O Ciclo de Gestão Cultural – realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Poiesis e programa Oficinas Culturais – oferece uma série de diálogos gratuitos com gestores, pesquisadores, produtores e agentes para debater diversas questões da área, além de colaborar no aprimoramento de profissionais das artes e da cultura de diferentes territórios e vivências. Pelo segundo ano realizado virtualmente, traz os eixos de formação e fruição por meio de webinários, mentorias e desmontagens, entre agosto e novembro. Programação completa e formulários de inscrição estão disponíveis no site do CGC (clique aqui).

A curadoria da edição de 2021 é de Galiana Brasil, gestora do núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural, atriz e mestranda no programa do Célia Helena Centro de Artes e Educação, e de Dani Ribas, diretora da Sonar Cultural Consultoria, doutora em Sociologia pela Unicamp e colaborou em trabalhos como a de consultora da UNESCO e do Mercosul Cultural.

Webinários

Webinários do Ciclo de Gestão Cultural convidam especialistas para diálogos sobre arte, cultura e territórios de produção de sentidos, buscando construir pontes e possibilidades de novas práticas de gestão. As transformações geradas pelos contextos digital e pandêmico são fios condutores para abordar as relações entre margem e centro, presencial e virtual, acessibilidade e capacitismo. Mediação cultural, curadoria, influência digital, patrimônio, memória e indicadores também estarão presentes nesta seção.

A veiculação ocorrerá pelo Zoom, mediante inscrição prévia os participantes poderão interagir com perguntas e comentários, além de receberem certificados. Esses diálogos também serão exibidos no canal de YouTube do programa Oficinas Culturais com acessibilidade em Libras.

Programação

O centro está em todas as partes

Com Cristiane Crispim, Érica Peçanha e Fagner Rodrigues | Mediação: Ricardo Rodrigues

Uma reflexão acerca das distorções do conceito de periferia e das relações entre centro e margens, interiores e capitais. Projetos, ações e produções de bordas que se mobilizam, reivindicam espaços, fomentam e fermentam seus núcleos e entornos.

16/8 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 12/8 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Cristiane Crispim – atriz, pesquisadora, produtora cultural, diretora, mestranda em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos pela UNEB e cofundadora da Cia Biruta de Teatro; Érica Peçanha – antropóloga, com estudos voltados à produção cultural das periferias e pesquisadora de pós-doutorado do Instituto de Estudos Avançados da USP; Fagner Rodrigues – diretor, dramaturgo, ator e produtor, fundador da Cia Cênica e orientador do Programa de Qualificação em Artes; Ricardo Rodrigues – empresário, agente e produtor cultural, graduado no curso de Imagem e Som da UFSCar, diretor geral do Festival CONTATO e sócio-fundador da Let’s GIG – Booking & Music Services, onde atua na produção e agenciamento de artistas como Luedji Luna, Mel, entre outros.

Migrações e hibridismos: do espaço físico ao virtual

Com Ana Garcia, Digg Franco e Francis Madson | Mediação: Fabrício Nobre

Diante do cenário pandêmico, projetos presenciais precisaram se reinventar e fazer transições criativas do contexto físico para o virtual. Esta conversa reflete sobre migrações e hibridismos entre espaços on-line e off-line, passando por formatação, programação e desenvolvimento do relacionamento entre públicos e produtos culturais no ambiente digital.

30/8 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 26/8 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Ana Garcia – diretora do festival No Ar Coquetel Molotov, vencedora do prêmio “Empreendedora do Ano” do Women’s Music Event 2019 e já produziu diversas turnês de artistas nacionais e estrangeiros, como Ibeyi, Sebastian Tellier e Thiago Pethit; Digg Franco – articulador político-cultural, empreendedor, pós-graduado em História da Arte, Crítica e Curadoria pela PUC e fundador e presidente da ONG Casa Chama; Francis Madson – diretor e autor da Soufflé de Bodó Company (AM) e da Cia. Boi de Piranha (RO), mestre em Ciências Humanas (UEA) e cocriou eventos como BR-CLOWN, PAN – Potências das Artes do Norte e Menor Festival de Ópera do Mundo; Fabrício Nobre – fundador do festival e selo Bananada, curador artístico do Phonogram.me e sócio da Braba Música e Cultura, além de responsável pelo agenciamento de artistas como João Donato, Tulipa Ruiz e The Legendary Tigerman.

A cultura da influência e seus impactos na Gestão Cultural

Com Aninha de Fátima Sousa, Fatima Pissarra, Rosane Borges e Val Benvindo | Mediação: Dani Ribas

Os influenciadores digitais impactam centenas e até milhares de seguidores com seus estilos de vida, opiniões e hábitos. Dada a importância das redes sociais e da internet em nossa sociedade, a produção cultural está refém ou pode se beneficiar dessa nova forma de interação com o público? Quais os limites entre relevância artística e influência digital?

13/9 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 9/9 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Aninha de Fátima Sousa – jornalista pela UFPE, trabalhou como produtora de eventos e de artistas, e integra a gerência de Comunicação e Relacionamento do Itaú Cultural; Fatima Pissarra – pós-graduada em Marketing e Gestão de Projetos, criou a Music2, representante exclusiva da Vevo no Brasil, em sociedade com Preta Gil abriu a Mynd8, empresa de projetos de marketing de influência, música e entretenimento, agenciando mais de 200 talentos; Rosane Borges – jornalista, professora pesquisadora do COLABOR – Centro Multidisciplinar de Pesquisas em Criações Colaborativas e Linguagens Digitais (ECA-USP) e autora de diversos livros, entre eles, o “Espelho infiel: o negro no jornalismo brasileiro” (2004) e “Esboços de um tempo presente” (2016); Val Benvindo – vodunsi, jornalista, produtora, apresentadora e consultora em diversidade racial, com a Benvindo Produções assinou a produção de grandes eventos culturais da Bahia, como a Noite da Beleza Negra do Ilê Aiyê.

Mediação cultural, crítica e curadoria

Com Dodi Leal, Julio Ludemir e Sandra Benites | Mediação: Kil Abreu

Reflexões sobre o valor do pensamento crítico, articulação de públicos, curadoria e produção de sentidos em tempos pandêmicos, quando as mediações se concentram quase que completamente via tecnologias digitais.

27/9 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 23/9 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Dodi Leal – travesti educadora, performer, doutora em Psicologia Social pela USP e professora do Centro de Formação em Artes e Comunicação da UFSB; Julio Ludemir – nove livros publicados, foi finalista do Prêmio Jabuti 2008 com o livro “Rim por rim” (Record), um dos criadores da Batalha do Passinho e da FLUP, além de ser um dos roteiristas de “400 contra 1”, de Caco de Souza; Sandra Benites – indígena da etnia guarani nhandewa, professora de ensino fundamental e ensino médio, doutoranda em Antropologia Social pelo Museu Nacional/UFRJ; Kil Abreu – jornalista, curador e pesquisador de teatro, coordenou a Escola Livre de Teatro de Santo André, compôs os júris dos principais prêmios do teatro brasileiro, como Shell e APCA, e é membro da Associação Internacional de Críticos de Teatro (IACT/AICT).

No chão sem o chão: cultura tradicional e cultura digital

Com Ana Paula do Val, Eliane Rodrigues e Juliano George Basso | Mediação: Mayra Kristina

Coletividade, contato, toque, território e identidade. No tempo em que o convívio está sitiado e as fronteiras revistas por conta de um vírus de entrada universal, como plantar, cultivar e manter vivo o brinquedo ancestral, encontrando novas possibilidades de espaços, narrativas e dimensões?

4/10 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 30/9 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Ana Paula do Val – urbanista, artista visual, mestre em Estudos Culturais e especialista em políticas públicas de cultura; Eliane Rodrigues – radialista, professora e coordenadora executiva da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata (AMUNAM); Juliano George Basso – produtor cultural e fundador da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, na Chapada dos Veadeiros (GO);  Mayra Kristina – atriz, educadora infantil, rapper e produtora cultural, integrante dos grupos Casa de Batuqueiro, Batuque de Umbigada, Mestre Tonho e Samba de Lenço, produtora do Festival Curau – Culturas Regionais e Artes Urbanas.

Corpos com potências: cultura, acessibilidade e capacitismo

Com Edinho Santos, Estela Lapponi e Jéssica Teixeira | Mediação: Andreza Nóbrega

A supremacia capacitista e o olhar excludente do ideal de superação ainda seguem determinando caminhos e limitando os espaços de quem não atende aos padrões forjados de normalidade. Um diálogo que apresenta outras visões ao debate sobre criação, produção e acesso de artistas, a partir das perspectivas de seus corpos.

18/10 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 14/10 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Edinho Santos – integrante da organização do Slam de Surdes, pedagogo, produtor, ator e poeta; Estela Lapponi – performer, videoartista, investiga o discurso do corpo com deficiência e o conceito que criou, “Corpo Intruso”; Jéssica Teixeira – multiartista, produtora, diretora, dramaturga e iluminadora, além de ter trabalhado com diversos grupos teatrais cearenses; Andreza Nóbrega – atriz, encenadora, professora de teatro, audiodescritora, produtora e gestora da VouSer Acessibilidade, doutoranda em Teatro (UDESC), idealizadora de projetos, entre eles, Cineclube VouVer Filmes e Cine Às Escuras Mostra Erótica de Cinema Acessível.

Patrimônio, memória e cultura digital

Com Dalton Martins, Karen Worcman e Leno Veras | Mediação: Giselle Beiguelman

As novas tecnologias vêm revolucionando as áreas de patrimônio e memória. A partir de um dispositivo conectado à internet, é possível não apenas consultar e revisitar o passado, mas também construir novas formas de conhecimento sobre ele. Como pensar pontes e elaborar sentidos da cultura viva, ancorando tecnologias diversas em um país de matrizes culturais tão ricas e complexas como o Brasil?

8/11 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 4/11 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Dalton Martins – professor em universidades como a UnB, em Biblioteconomia, e coordena o projeto de pesquisa “Tainacan – software livre para a construção social de repositórios digitais”, em parceria com Ibram, Funarte e IPHAN; Karen Worcman – fundadora e curadora do Museu da Pessoa, doutoranda do Programa Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades da FFLCH/USP; Leno Veras – comunicólogo, professor dedicado à difusão da cultura e divulgação da ciência com foco na expansão do acesso aos acervos de arquivos, bibliotecas e museus, curador associado à Diretoria de Informação na América do Sul do Goethe-Institut; Giselle Beiguelman – artista, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, autora de artigos e livros sobre cultura digital e com obras artísticas em acervos de museus no Brasil e no exterior, como ZKM (Alemanha) e Pinacoteca de São Paulo.

Mapeamento e pesquisa: indicadores na gestão cultural

Com Carlos Paiva, Dani Ribas, Jader Rosa e Thabata Arruda | Mediação: Maria Teresa Piccoli

Esta conversa apresenta diversas formas de medição de atividades e práticas culturais, desde as tradicionais abordagens quantitativas sobre economia, passando por bases de dados institucionais, números para o desenvolvimento de políticas e levantamento sobre participação feminina em festivais.

22/11 – segunda-feira – 15h às 17h

Inscrições até 18/11 | Seleção: primeiros inscritos

Para receber certificado de participação e interagir com perguntas e respostas, inscreva-se clicando aqui.

Carlos Paiva – mestre em Administração Pública (Harvard Kennedy School) e Cultura e Sociedade (UFBA), assessor do Teatro Castro Alves e pesquisador do Observatório de Economia Criativa da Bahia; Dani Ribas – além de diretora da Sonar Cultural Consultoria,  integra a Rede SateliteLAT de Mulheres na Indústria da Música Latino-americana e é professora em locais como Music Rio Academy e FESPSP; Jader Rosa – designer e mestre em Multimeios pela Unicamp, além de gerente do Observatório Itaú Cultural; Thabata Arruda – pesquisadora musical, fundadora do hub criativo “Yes, Tupi” e vencedora na categoria “Inovação: Pesquisa em Música” na 4ª edição do Prêmio SIM; Maria Teresa Piccoli – MBA em Gerenciamento de Projetos, carreira de duas décadas como gestora de cultura e atualmente é coordenadora executiva da empresa Una! Criatividade e Impacto Positivo.

Mentorias de projetos e ações culturais

As Mentorias, individuais e coletivas, voltam-se às oportunidades, forças, fraquezas e ameaças dos projetos culturais, tópicos que devem ser acompanhados durante toda a concepção e aplicação das ações. As análises terão o apoio de Daniele Torres, sócia e coordenadora de cursos na escola Cultura e Mercado, especialista em leis de incentivo fiscais e captação de recursos; Pedro de Freitas, com Master Gestão de Instituições Culturais na Université Paris Dauphine, diretor da Périplo, produtora cultural focada na realização de projetos de intercâmbio e cooperação artística internacional; e de Olivieri Associados e Hub Cultural, voltada à consultoria jurídica no setor da cultura.

Agenda

Serão selecionados até 12 projetos por turma

Inscrições até 19/8

Seleção: projeto (resumo, objetivos, impactos e desafio atual)

Resultado da seleção: 6/9

Plataforma: Zoom

Inscreva-se aqui.

Elaboração e Planejamento de Projetos

Pedro de Freitas

20/9, 4 e 18/10 e 8/11 – segundas-feiras – 19h30 às 22h30

Questões Jurídicas, Aspectos Legais e Direitos Culturais

Olivieri Associados e Hub Cultural

21/9, 5 e 19/10 e 9/11 – terças-feiras – 19h30 às 22h30

Captação de Recursos

Daniele Torres

22/9, 6 e 20/10 e 10/11 – quartas-feiras – 19h30 às 22h30

Desmontagens

Em Desmontagens, cinco artistas que atuam em música, literatura, teatro, dança, artes visuais, performance e cultura LGBTQIA+ vão compartilhar processos criativos em desmontagens aplicadas em espetáculos, gêneros, movimentos e ideias.

As atividades estarão acessíveis em Libras e via YouTube de Oficinas Culturais com links exclusivamente para quem reservar os ingressos. Serão apresentadas por Kleber Lourenço, encenador, ator, bailarino, doutorando em Artes pela UERJ, diretor artístico e fundador do Visível Núcleo de Criação; Tânia Farias, atriz, figurinista, cenógrafa, professora e coordenadora da Escola de Teatro Popular da Terreira da Tribo; Uýra Sodoma, manifestação de Emerson, artista visual indígena que vive em Manaus (AM), mestre em Ecologia e arte-educador em comunidades ribeirinhas; Thiagson, pesquisador do funk, bacharel em Composição Musical pela Unesp e doutorando em Musicologia pelo Departamento de Música da USP; e Giovanni Venturini, ator, dramaturgo, roteirista e poeta. No final de cada desmontagem, o público poderá participar de um bate-papo mediado por Galiana Brasil.

Programação 

Negro de estimação

Kleber Lourenço

Lourenço compartilhará o processo de criação do solo de teatro-dança “Negro de Estimação”, cuja dramaturgia se desenrola a partir da ação dramática existente no livro “Contos Negreiros”, de Marcelino Freire. O corpo se desdobra em personagens que contam suas estórias e em movimentos fragmentados do universo das manifestações populares, apresentando a identidade racial, religiosidade, exploração sexual, violência e racismo, atravessadas com acidez, humor e poesia. A codireção é de Marcondes Lima.

25/8 – quarta-feira – 20h

Classificação etária: 16 anos

Reserve seu ingresso até 23/8 – clique aqui.

Evocando mortos – Poéticas da experiência

Tânia Farias

Essa desmontagem refaz o caminho do ator na criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea. Com um olhar voltado para as discussões de gênero, aborda as diversas violências contra a mulher, que passaram a ocupar centralmente o trabalho de criação do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, do qual Tânia faz parte desde 1984. Desvelando os processos de criação de diferentes personagens, criadas entre 1999 e 2011, a atriz deixa ver quanto as suas vivências pessoais e do coletivo Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz atravessam os mecanismos de criação. Pela ativação da memória corporal, ela faz surgir e desaparecer as personagens, proporcionando um ritual de evocação de seus mortos para compreensão dos desafios de fazer teatro nos dias de hoje.

8/9 – quarta-feira – 20h

Classificação etária: livre
Reserve seu ingresso até 6/9 – clique aqui.

Des Morfose

Uýra Sodoma

Demonstrando que mutar é a arte de anunciar movimentos, mover-se é a essência de tudo o que vive, por transferência, Uýra convida elementos à composição de seu corpo, que se transforma a cada chegada. O corpo como suporte narra em voz própria a história de cada parte, do que foi vivo, pra falar de Vida, retroalimentada – é abandono de uma estrutura antiga, convite à uma nova forma de Ser -, costura de uma materialidade efêmera. Morfose é voz pela forma em rito. O artista visual indígena Emerson desencarna Uýra Sodoma, árvore que anda e atravessa suas falas em fotoperformance e performance, manifestação em carne de bicho e planta que se move para exposição e cura de doenças sistêmicas coloniais.

29/9 – quarta-feira – 20h

Classificação etária: livre
Reserve seu ingresso até 27/9 – clique aqui.

O barulho das favelas: uma desmontagem do Funk

Thiagson

Funk é audição, dança, canto e invasão de sentidos. Um dos gêneros musicais mais ouvidos no Brasil e em países estrangeiros, ainda encontra dificuldades para a compreensão de sua cultura diversa, rica e, às vezes, contraditória. Em uma aula-espetáculo, Thiagson, pesquisador e doutorando em Musicologia, provoca o público à desconstrução de ideias preconcebidas que perseguem o movimento funk. A partir da desmontagem do processo de criação de um hit, examina tudo o que acompanha esse universo que envolve a dança, roupa, linguagem, gestos, estética e visão de mundo.

27/10 – quarta-feira – 20h

Classificação etária: livre
Reserve seu ingresso até 25/10 – clique aqui.

A Não Ser

Giovanni Venturini

Partindo de perguntas e de uma reflexão cotidiana sobre sua própria condição e os diferentes olhares que recebe, Giovanni Venturini criou um ato poético sobre a questão do nanismo como dispositivo para a criação. A peça, fruto do livro homônimo lançado em 2015, reúne diferentes linguagens, como a dança, poesia, teatro e circo, a fim de contextualizar o universo explorado pelo artista. Nesta desmontagem inédita, além de conhecer a fundo o processo criativo da obra, o público trilha um percurso que passa por definições técnicas, pragmáticas e lúdicas, mostrando o universo mágico e, muitas vezes, estereotipado, que estão acostumados a enxergar a pessoa com nanismo.

24/11 – quarta-feira – 20h

Classificação etária: livre

Reserve seu ingresso até 22/11 – clique aqui.

Em caso de dúvidas, suporte pode ser solicitado para o e-mail ciclosefestivais@oficinasculturais.org.br. Para mais informações sobre a edição on-line de 2021 do Ciclo de Gestão Cultural, acesse o site.

Sobre o programa Oficinas Culturais

Como uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciado pela POIESIS – Organização Social de Cultura, o Programa Oficinas Culturais promove formação e vivência à população no campo da cultura desde 1986.

Oficinas Culturais dialoga com o interior por meio de dois festivais (FLI – Festival Literário e MIA – Festival de Música Instrumental), Jornadas de Gestão Cultural, Ciclos de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade, Programa de Qualificação em Artes que dá orientação artística a grupos, companhias ou coletivos de dança e teatro no interior, litoral e região metropolitana de São Paulo, e o Programa de Formação no Interior que oferece atividades formativas.

Além disso, na cidade de São Paulo, o programa realiza atividades de formação e difusão em três espaços:  Oficina Cultural Oswald de Andrade (Bom Retiro), Oficina Cultural Alfredo Volpi (Itaquera) e Oficina Cultural Maestro Juan Serrano (Taipas).

Sobre a Poiesis

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Cidade de São Paulo anuncia fim de distanciamento mas obrigatoriedade no uso de máscaras

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que a partir de hoje, 15/10, não irá mais exigir distanciamento de 1,5 em salas de teatro e cinema na cidade de São Paulo. Desta forma, todos os espaços estão liberados para ocupação de 100% de sua capacidade. O uso de máscara segue obrigatório, assim como a disponibilização de álcool em gel nos estabelecimentos, conforme determinado pelo Plano São Paulo.

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Assessoria de Imprensa

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Cinema e debate na programação do #MISemCasa

Seis encontros acontecem, entre os dias 2 e 6 de junho, no canal do Museu no YouTube. Obras refletem sobre política, filosofia , cultura e identidade


Entre os dias 2 e 6 de junho, o VIII Festival de Finos Filmes traz seis debates ao Canal do YouTube do Museu da Imagem e do Som – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. O festival, criado e dirigido pelo cineasta Felipe Poroger, terá curtas-metragens como pontos de partida para debates sobre política, cultura, identidade, filosofia e outros. Em cinco dias de festival, serão seis debates. Bruna Linzmeyer, Linn da Quebrada, Alê Santos, Christian Dunker, Jeferson Tenório, Kenia Maria e Sabrina Fidalgo são alguns dos nomes confirmados.

Confira a programação:

· 2/6, 20h, quarta – Brasil Dividido: Ontem e Hoje, com Kenia Maria e Jeferson Tenorio. A partir do filmes “Batalha” (Caio Castor, Clara Lazarim, Guilherme César, Rica Saito) e “Ser Feliz no Vão” (Lucas H. Rossi). Mediação de Yasmin Santos.

· 3/6, 20h, quinta – Outros Mundos Possíveis: Arte e Educação – Debate com Linn da Quebrada e Milena Oliveira, a partir dos filmes “Antes do Azul” (Romy Pocztaruk), “àprova” (Natasha Rodrigues). As duas apontam caminhos para o futuro, através de arte e educação. Mediação de Thaís Regina.

· 4/6, 18h, sexta – Traumas Históricos em Imagens* – Christian Dunker e Ilana Feldman discutem três curtas alemães, cujas tramas têm como centro, cada uma à sua maneira, a representação de traumas históricos. “Aquele Que Cruzou o Mar” (Jonas Riemer), “Colegas”, (Jannis Alexander Kiefer), “A Mentira” (Rafael Spínola e Klaus Diehl). Mediação de Felipe Poroger. *Debate em parceria com Goethe-Institut São Paulo

· 4/6, 20h, sexta – Para Seguir Sonhando -, Alê Santos e Valéria Barcellos, Debate a partir dos filmes “Inabitável” (Matheus Farias e Enock Carvalho), “Portugal Pequeno” (Victor Quintanilha), “Perifericu” (Nay Mendl, Vita Pereira, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda). Mediação de Marina Lourenço.

· 5/6, 18h, sábado – Perspectivas para o Cinema Brasileiro – Debate com Bruna Linzmeyer e Sabrina Fidalgo, atriz e diretora do curta “Alfazema”, premiado no Festival de Brasília em 2019. As duas falam sobre o filme e a situação do cinema brasileiro atual. Mediação de Lyara Oliveira.

· 6/6, 18h, domingo – Trabalho, Cuidado e Família – Luana Alves e Fabiana Endo, a partir de “Construção” (Leonardo da Rosa) e “Pausa para o Café” (Tamiris Tertuliano), filmes que abordam as dificuldades e desafios no entrelaçamento entre mercado de trabalho e família. Mediação de Riva Feitoza.

A semana ainda traz mais atrações virtuais dentro programação do #MISemCasa: Notas Contemporâneas – Wanderléa; e Videoartepapo – Sonia Guggisberg; e #Cineciência – Guerra do Fogo. Todas as atividades ao vivo contam com intérprete de Libras durante a transmissão.

Companhia Dos a Deux é destaque do Festival #CulturaEmCasa

Transmissão gratuita será pela plataforma de streaming e pelo aplicativo #Cultura em Casa, já disponível nas lojas Apple Store e Google Play

 A plataforma #CulturaEmCasa, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, de streaming e vídeo por demanda de conteúdo cultural das mais diferentes linguagens artísticas, totalmente gratuita, tem programação especial neste fim de semana no Festival #CulturaEmcasa. No sábado, 31, às 21h30, acontece a live de uma das maiores pianistas solistas brasileiras da atualidade, Simone Leitão, e com participação especial da violinista sérvia Jovana Trifunovic. O concerto também será transmitido pelo aplicativo #CulturaEmCasa, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android. Agora toda a programação online e gratuita da plataforma #CulturaEmCasa está na palma da mão, ampliando ainda mais o acesso aos conteúdos culturais das mais diferentes linguagens artísticas.

E, no domingo, 1, também a partir das 21h30, será apresentando o espetáculo Dos a Deux 2º Ato, da companhia franco-brasileira Dos a Deux. Artur Luanda Ribeiro e André Curti assinam a dramaturgia, encenação, coreografia e cenografia da peça.  Eles recriam o espetáculo original de 1998, com interpretação de Guillaume Le Pape e Clément Chaboche. Sem palavras, essa peça tem seu tema e seus personagens, Didi e Gogo, emprestados da obra de Beckett Esperando Godot: uma espera sem fim, na qual dois clowns lunares erram com uma poesia e ternura raras.  A Cia. Dos à Deux já percorreu mais de 50 países, somando cerca de 1,5 mil apresentações por toda a Europa, África Central, Ásia, Polinésia Francesa e América do Sul. Após o espetáculo haverá bate-papo com os atores e diretores.

 “A plataforma e o recém-lançado aplicativo #CulturaEmCasa têm como objetivo ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade e contribuindo para estimular a difusão cultural para todo país, disponibilizando conteúdos da mais diferentes linguagens artísticas”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

 

Sobre #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios. Até o momento, a plataforma registrou 5,6 milhões de visualizações em três mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3,5 mil cidades e 157 países. E envolvendo 15.483 profissionais do setor. Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga.

A ferramenta reúne também conteúdos do Teatro Sérgio Cardoso, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o Festival de Cinema Negro em Ação e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto Música Conecta com o Espírito Santo. Este mês também foi lançada a parceria com o estado do Ceará, em que são transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense como o Cineteatro São Luiz, Porto Dragão Sessions e Zona de Criação.

 

Sobre a Amigos da Arte

A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão dos teatros Sérgio Cardoso e de Araras e do Museu de Diversidade Sexual (MDS), trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos. Em seus mais de 15 anos, a entidade desenvolveu 58 mil ações que atingem mais de 25 milhões de pessoas.

Programação

Sábado, 31, às 21h30 – Festival #CulturaemCasa Simone Leitão com participação de Jovana Trifunovic

 Domingo, 1, às 21h30 – Festival #CulturaemCasa 2º Ato, com Cia Dos a Deux e bate-papo com os atores e diretores após apresentação

 

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

 

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Comunicado: Indicação De Nomes para as Comissões Do ProAC Expresso Direto E ProAC Expresso Editais


A Secretaria de Cultura e Economia Criativa, em atendimento à Lei Estadual nº 12.268/2006, abre prazo para a indicação de nomes de especialistas nos segmentos culturais que serão objeto do Programa de Ação Cultural – ProAC Expresso Direto e Editais 2021. As inscrições serão recebidas até o dia 13 de maio por meio do link: https://forms.gle/W3pea64wZuHGcJyQ6

As indicações enviadas até o momento, a partir da publicação anterior, serão consideradas. As indicações devem ser feitas por entidades do setor cultural e artístico de todas as regiões do Estado.

Por “entidades artísticas do Estado de São Paulo” entende-se: aquelas  juridicamente estabelecidas, sediadas no Estado de São Paulo, que atuem no setor artístico, cultural e/ou representem artistas do Estado de São Paulo, bem como movimentos, fóruns e assemelhados sem representação jurídica (CNPJ), estabelecidos no Estado de São Paulo, que atuem no setor artístico, cultural e/ou representem artistas do Estado de São Paulo.

Cada entidade pode indicar até dois especialistas por segmento ou cada subitem de segmento do ProAC Expresso Direto e Editais 2021, conforme listagem a seguir:


    1. Artes Visuais:
      produção;
      circulação;
      licenciamento;


    2. Museus.


       

    3. Literatura:
      ficção;
      não-ficção;
      poesia;
      incentivo à leitura;
      histórias em quadrinhos;


    4. Música:
      produção;
      circulação;
      licenciamento;


    5. Teatro:
      produção;
      circulação;
      licenciamento;


    6. Público Infantojuvenil:
      produção;
      circulação;
      licenciamento;


    7. Dança:
      produção;
      circulação;
      licenciamento;


    8. Circo:
      produção;
      circulação;
      licenciamento;


    9. Cidadania Cultural:
      cultura negra;
      hip hop;
      cultura popular, caiçara, indígena e quilombola;
      cultura urbana;
      cultura LGBTQI+;


    10. Espaços Culturais.

    11. Audiovisual:
      produção;
      desenvolvimento;
      finalização;
      distribuição;
      licenciamento;
      curtas;
      games;
      AR/VR;


    12. Ações Culturais Locais no Interior ou em Comunidades.

    13. Eventos Culturais.


       

    14. Projetos Relacionados ao Centenário da Semana de Arte Moderna de 22.

    15. Bicentenário da Independência.

Ainda em atendimento ao artigo 16 da Lei Estadual nº 12.268/2006, ressaltamos que cada Comissão de Seleção de Projetos será constituída por 05 (cinco) membros de notório saber na área de atuação definida pelo respectivo edital, sendo 02 (dois) indicados pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que também indicará, entre eles, o Presidente e o Vice-Presidente; e 03 (três) escolhidos pela Secretaria entre os indicados por entidades do setor cultural e artístico do Estado.

As indicações devem atender a todos os critérios e exigências descritos no ANEXO ÚNICO que segue.

Durante o processo de análise dos projetos,  até a divulgação dos resultados pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, os membros de cada Comissão devem manter total sigilo no que se refere aos projetos inscritos, ao processo de seleção e sua participação. A composição de cada Comissão será divulgada após a realização dos trabalhos, juntamente com os Resultados Finais, no Diário Oficial do Estado.

Os selecionados receberão honorários nos seguintes valores brutos:

  1. R$ 6.000,00, pagos para cada membro de Comissão de Seleção de Projetos de linha com até 200 projetos inscritos;

  2. R$ 8.000,00, pagos para cada membro de Comissão de Seleção de Projetos de linha entre 201 e 400 projetos inscritos;

  3. R$ 10.000,00, pagos para cada membro de Comissão de Seleção de Projetos de linha com mais de 401 projetos inscritos;

Dúvidas: comproac@sp.gov.br


ANEXO ÚNICO

Sobre as reuniões:

São obrigatórias, ao menos, duas reuniões no período de análise. Caso haja interposição de recursos da decisão da Comissão, a Secretaria poderá solicitar, ao menos, mais uma reunião. As reuniões poderão ser realizadas de forma presencial ou remota, por meio de encontros virtuais.

Sobre a indicação:

A entidade artística deverá realizar a indicação informando:

  1. dados da entidade: nome, endereço, telefone de contato e e-mail;

  2. dados dos indicados: nome completo, endereço, Cadastro de Pessoa Física (CPF), telefone de contato atualizado (preferência o número do celular), e-mail e breve currículo.

Sobre os requisitos dos indicados:

Os candidatos indicados devem ainda atender aos seguintes requisitos:

  1. residir no Estado de São Paulo no momento da indicação;

  2. estar em situação regular no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF);

  3. ter notório saber na área cultural e/ou artística.

Sobre os impedimentos:

Não poderá participar desse processo de indicação representante legal de proponente que se enquadrar nas hipóteses de inelegibilidade previstas nas alíneas do inciso I do caput do artigo 1º da Lei Complementar 64, de 18-05-1990, com as alterações pela Lei Complementar 135, de 04-06-2010.

O integrante da Comissão de Seleção não poderá ter projeto inscrito; ser membro de grupo,  empresa, organização social ou coletivo proponente; nem integrar Ficha Técnica de projeto na linha do ProAC Expresso 2021 que participar como jurado, bem como seus familiares diretos, ascendentes e descendentes, podendo a inscrição do projeto ser impugnada em qualquer fase da seleção.

Informações Gerais:

  1.  os selecionados pela Secretaria serão informados pelo e-mail cadastrado no ato da inscrição e deverão confirmar imediatamente sua participação enviando a documentação solicitada por e-mail no prazo máximo de 03 (três) dias úteis;

  2. o prazo de trabalho do profissional integrante da comissão terá início na primeira reunião e se encerrará após a homologação do resultado final;

  3. o pagamento aos membros das Comissões de Seleção será realizado única e exclusivamente em conta-corrente do Banco do Brasil em nome do integrante. Caso necessário, poderá ser solicitado à Secretaria um ofício para abertura de conta corrente junto ao Banco do Brasil;

  4. dos valores brutos, serão descontados na fonte, os valores de Imposto de Renda – IRPF e INSS, conforme as tabelas específicas de cada tributo. Será solicitado o comprovante de contribuição junto ao INSS, caso o integrante da Comissão de Seleção já contribua, referente ao mês do trabalho realizado para a Secretaria;

  5.  o membro da Comissão de Seleção NÃO irá receber a sua remuneração caso esteja com o nome no Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais do Estado de São Paulo – CADIN ESTADUAL, instituído pela Lei nº. 12.799 de 11 de janeiro de 2008, e regulamentado pelo Decreto nº. 53.455 de 19 de setembro de 2008.

As entidades devem orientar seus indicados sobre: (i) a regularizarem de possíveis pendências junto ao CADIN Estadual antes de aceitarem o convite a ser realizado pela Secretaria, estando, desde já, cientes de que não haverá condição de realizar o pagamento do serviço prestado enquanto não forem regularizadas as pendências junto ao CADIN Estadual; e (ii) a necessidade de abrir conta-corrente do Banco do Brasil em nome do indicado até a conclusão dos trabalhos, como condição para o pagamento.

Concerto da Jazz Sinfônica com o acordeonista Toninho Ferragutti é exibido na TV Cultura

Espetáculo apresentado no Theatro Municipal de São Paulo traz tons da música nordestina brasileira para o jazz. Vai ao ar neste domingo (14/1), às 23h, na televisão e no aplicativo

(mais…)

Confira o calendário do ProAC Editais 2018!

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo divulgou calendário 2018 do Programa de Ação Cultural (ProAC), na modalidade Editais. Neste ano, serão lançados 47 editais, que irão contemplar 467 projetos. O investimento em premiação será de R$ 29 milhões.

Além dos 43 editais já publicados em anos anteriores, serão lançados cinco novos editais. A linguagem música ganhará dois concursos de estímulo: Bandas Marciais e Fanfarras (10 projetos com prêmio de R$ 40 mil cada) e Música Eletrônica e Alternativa: Rock, Reggae e Outros (12 projetos com prêmio de R$ 25 mil cada). Em festivais, o edital Festival de Música para Novos Talentos contemplará os escolhidos com quatro prêmios no valor de R$ 150 mil cada. Já a linguagem multidisciplinar premiará 15 projetos nos concursos Ações de Internacionalização das Produções Artísticas, no valor de R$ 38 mil cada, e Projetos Culturais para Artistas Residentes em Pequenos Municípios no Estado de São Paulo, com 16 prêmios no valor de R$ 20 mil cada.

Para o secretário da Cultura do Estado José Luiz Penna, a ampliação do número de editais reflete a importância do programa: “O ProAC Editais é um grande estímulo para os artistas de todo o Estado, tanto da capital quanto dos pequenos municípios que, agora, serão especialmente contemplados.” Penna reforça que serão destinados mais recursos para o programa com foco direto em municípios e ressalta a diversidade do público a ser alcançado: “Apontamos para o futuro, com o edital de música eletrônica, mas não esquecemos da tradição, com as bandas e fanfarras”, observa.

Os primeiros editais devem ser lançados já no mês de março, nos seguintes segmentos: teatro (quatro editais); dança (três editais); artes cênicas (dois editais) e música (seis editais). O calendário completo com o nome dos editais, valores e mês de publicação previsto está disponível aqui.

Todos os editais são publicados no Diário Oficial do Estado (www.imprensaoficial.com.br) e também são disponibilizados no site www.proac.sp.gov.br.

Confira os encontros online do Segundas Intenções em abril

Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos têm encontros sobre empreendedorismo cultural e poesia. Acompanhe nas redes sociais e nos sites oficiais


A edição de abril do programa ‘Segundas Intenções‘, realizado online pelas Biblioteca de São Paulo (BSP) e a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), receberá o escritor e jornalista Afonso Borges e a poeta e tradutora Angélica Freitas. Cada encontro começa às 19h e terá transmissão ao vivo pela página da biblioteca no Facebook. A BSP e a BVL são equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, geridos pela Organização Social SP Leituras. 

Quem são os convidados

Afonso Borges é responsável pela criação e curadoria do programa “Sempre um papo”, que está comemorando 35 anos de debates  com autores e lançamentos de livros. Também é empreendedor cultural e criador do Festival Literário de Araxá (Fliaraxá). Angélica Freitas é autora de “Canções de atormentar” (2020), “Um útero é do tamanho de um punho” (2012) e “Rilke shake” (2007), além da graphic novel “Guadalupe” (2012), em parceria com o artista visual Odyr.

#CulturaEmCasa

Com a necessidade de estimular o distanciamento social e outras medidas de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o #Culturaemcasa, que amplia a oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos. Importante lembrar que a BSP e a BVL estão com as atividades presenciais suspensas até 11 de abril, atendendo às medidas de prorrogação da fase emergencial do Plano São Paulo. Para saber mais sobre a programação da BSP e da BVL, acesse:  www.bsp.org.br e  www.bvl.org.br e nossas redes sociais.

 

Serviço: Segundas Intenções Online

Biblioteca de São Paulo
Bate-papo com Afonso Borges.
Mediação: Paula Rangel e Eric Nepomuceno.
Segunda-feira, dia 12 de abril, das 19h às 20h.

Transmissão ao vivo na página da biblioteca no Facebook: @BSPbiblioteca.
Não é necessário fazer inscrição.


Biblioteca Parque Villa-Lobos
Bate-papo com Angélica Freitas.

Mediação: Manuel da Costa Pinto.
Segunda-feira, dia 26 de abril, das 19h às 20h.
Transmissão ao vivo na página da biblioteca no Facebook: @BVLbiblioteca.

Não é necessário fazer inscrição.

 

Conservatório de Tatuí promove primeiro festival de MPB e Jazz

Evento será realizado virtualmente, de 16 a 21 de novembro, com Workshops, Master Classes, Mesa-Redonda e Lives com convidados do Brasil e do Exterior

(mais…)

Contação de história faz parte da programação do Museu Casa de Portinari

Agenda conta também com álbum virtual com imagens enviadas pelo público e convite para a ação global a Hora do Planeta

O Museu Casa de Portinari, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, preparou atividades para alegrar a criançada.

Você sabia que Mario de Andrade, poeta, já visitou a casa da Família Portinari? Na próxima quarta-feira (24), o Centro de Pesquisa e Referência do Museu contará ao público como foi a chegada desse poeta ilustre à cidade. A exibição do vídeo será compartilhada nas redes sociais da instituição.

Na quinta-feira (25) terá uma ação voltada para as crianças, por meio de uma contação de história realizada pelo setor educativo do museu. A temática da vez será o circo, uma apresentação que vai abordar como era esperada a chegada deles em Brodowski. É só acompanhar de casa, pelas ferramentas do estabelecimento.

As lembranças da infância de Portinari foram retratadas e eternizadas em suas obras. Toda criança tem direito a momentos de alegria e fantasia, por isso o museu preparou um álbum virtual com conteúdo enviado pelo público. Será mostrado no próximo sábado (27), nas redes sociais.

Além disso, no domingo (28), acontecerá a Hora do Planeta. Museu convida a todos a participarem de uma ação global, que será realizada entre 20h30 e 21h30, hora de apagar as luzes. O objetivo do movimento é sensibilizar as pessoas sobre as mudanças climáticas e o impacto delas na biodiversidade e na vida social, além de demonstrar preocupação com questões ambientais diversas.

Vale lembrar que o museu está fechado devido à regressão de todos os municípios do Estado de São Paulo para a fase emergencial do Plano São Paulo. A recomendação é a restrição total de atividades. Não há previsão de reabertura.

Como forma de continuar a disseminar a cultura, as ações educativas da instituição e também o tour virtual permanecem de forma on-line pelas redes sociais e site (@museucasadeportinari e www.museucasadeportinari.org.br).

Coral Jovem do Estado faz concerto no Theatro São Pedro

Sob regência de Tiago Pinheiro, grupo artístico da EMESP Tom Jobim apresenta concerto único no dia 29 de novembro

O Coral Jovem do Estado, grupo ligado à EMESP Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura, apresenta concerto inédito no domingo, dia 29 de novembro, às 17h, no Theatro São Pedro. Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10 (meia).

Sob regência de Tiago Pinheiro e preparação vocal de Marília Vargas, o grupo apresenta o programa Coração Africano com um olhar às tradições e sonoridades afro em diversas frentes que alimentam a arte e a vida em nosso país. Músicas como O dia da morte de Domingos Jorge Velho, de Luciano Cossima, e Africaniei, de Majur, estão entre as peças que compõe o repertório do programa. O concerto também será transmitido pelo canal de YouTube (https://www.youtube.com/user/TJEMESP).

Bilheteria

Neste momento, não haverá venda de ingressos na bilheteria do Theatro São Pedro. Os ingressos para todos os espetáculos devem ser adquiridos exclusivamente pelo site https://theatrosaopedro.byinti.com/

Protocolo de Segurança Sanitária

Para a retomada das atividades presenciais com público no Theatro São Pedro, a Santa Marcelina Cultura seguiu as diretrizes e recomendações do protocolo de reabertura do setor de teatros, casas de espetáculo publicado pela Prefeitura Municipal de São Paulo no Diário Oficial da cidade de São Paulo, no dia 03 de outubro de 2020.

Nessa primeira fase, o teatro irá operar com até 60% da capacidade, com os assentos intercalados, respeitando a distância mínima de 1,5m. Antes de entrar, o público deverá realizar a medição de temperatura corporal. O uso de máscaras de proteção facial será obrigatório.

Os espetáculos terão duração menor e serão sem intervalos. Para evitar a aglomeração e a formação de filas, o Theatro São Pedro abrirá 1h antes do início de cada apresentação. Dentre as principais medidas adotadas estão ainda a disponibilização de álcool gel 70% e a sinalização de todas as dependências do teatro, atendendo às normas sanitárias e de segurança.

O café do Theatro São Pedro também estará funcionando seguindo os protocolos sanitários.

CORAL JOVEM DO ESTADO

Coração Africano

Tiago Pinheiro, regência
Marília Vargas, preparação vocal

LUCIANO COSSINA
O dia da morte de Domingos Jorge Velho [arr. Daniel Reginato]

TRADICIONAL LUNDU MINEIRO DO SÉC. XVIII
Sinhá moça massurina [arr. Damiano Cozzella]

MAJUR
Africaniei [arr. Carlos Bauzys]*

PRINCE
Kiss [arr. Carlos Bauzys]

DATA: 29 de novembro, domingo

HORÁRIO: 17h

LOCAL: Theatro São Pedro
ENDEREÇO: Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP
INGRESSOS: R$ 20 (inteira) e R$10 (meia)
COMPRA DE INGRESSOS: theatrosaopedro.byinti.com

Tiago Pinheiro, regência

Graduado clarinetista, especializou-se em canto na Berklee College of Music. Dirigiu o grupo Beijo do Coralusp que, nas décadas de 80 e 90, investiu na pesquisa de interação cênica-musical em seus espetáculos e realizou parcerias com artistas como Marlui Miranda e Gilberto Gil, além de registros fonográficos e turnês nacionais e internacionais. Foi solista em diversas obras sinfônicas, entre as quais: Carmina Burana de C. Orff e Paixão segundo São João de J.S.Bach. Integrou o coro da OSESP entre 2000 e 2001. Foi regente titular do Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo. É regente titular do Coral Jovem do Estado desde fevereiro de 2015, quando iniciou uma reformulação artística no grupo.

Marília Vargas, preparação vocal

Uma das mais ativas sopranos brasileiras de sua geração, formou-se na Schola Cantorum Basiliensis (Suíça) e obteve o Konzert Diplom na classe de Christoph Prégardien, no Conservatório de Zurique (Suíça). Tem sido professora convidada de importantes festivais de música e universidades do Brasil e do mundo. Seus dois álbuns solo “Todo amor desta terra” e ”Tempo breve que passaste: Modinhas Brasileiras” estão esgotados. Marília Vargas é também professora de Canto Barroco da EMESP Tom Jobim, preparadora vocal do Coral Jovem do Estado e professora da Oficina de Música Barroca da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Coral Jovem do Estado

​O repertório eclético e o dinamismo das apresentações do Coral Jovem do Estado refletem uma proposta artístico-pedagógica que vai além do canto. O grupo artístico da EMESP Tom Jobim trabalha não apenas a voz humana, mas também expressão corporal e sensibilidade musical. O Coral Jovem mantém um importante tripé artístico: além do repertório lírico, o grupo explora a música antiga e popular. Tiago Pinheiro é regente titular do Coral Jovem do Estado desde fevereiro de 2015, em parceria com Marília Vargas na preparação vocal. . O Coral é um dos grupos de difusão e formação musical da EMESP Tom Jobim, escola do Governo de São Paulo gerida pela Santa Marcelina Cultura.

Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim

Referência no ensino brasileiro de música, a EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo do Estado de São Paulo gerida pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Atende gratuitamente 1.300 alunas e alunos em seus cursos e habilitações em música popular e erudita, da teoria à prática musical. Em 2019, a EMESP Tom Jobim comemorou 30 anos de atuação. A Escola tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP Tom Jobim vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP Tom Jobim oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A Escola mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para as alunas e os alunos da Escola.

Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro completa 100 anos com uma das histórias mais ricas e surpreendentes da música nacional. Inaugurado em uma época de florescimento cultural, o teatro se insere tanto na tradição dos teatros de ópera criados na virada do século XIX para o XX quanto na proliferação de casas de espetáculo por bairros de São Paulo. Ele é o único remanescente dessa época em que a cultura estava espalhada pelas ruas da cidade, promovendo concertos, galas, vesperais, óperas e operetas. Nesses 100 anos, o Theatro São Pedro passou por diversas fases e reinvenções. Já foi cinema, teatro, e, sem corpos estáveis, recebia companhias itinerantes que montavam óperas e operetas. Entre idas e vindas, o teatro foi palco de resistência política e cultural, e recebeu grandes nomes da nossa música, como Eleazar de Carvalho, Isaac Karabtchevsky, Caio Pagano e Gilberto Tinetti, além de ter abrigado concertos da Osesp. Após passar por uma restauração, foi reaberto em 1998 com a montagem de La Cenerentola, de Gioachino Rossini. Gradativamente, a ópera passou a ocupar lugar de destaque na programação do São Pedro, e em 2010, com a criação da Orquestra do Theatro São Pedro, essa vocação foi reafirmada. Ao longo dos anos, suas temporadas líricas apostaram na diversidade, com títulos conhecidos do repertório tradicional, obras pouco executadas, além de óperas de compositores brasileiros, tornando o Theatro São Pedro uma referência na cena lírica do país. Agora, o Theatro São Pedro, instituição do Governo do Estado de São Paulo gerido pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo inicia uma nova fase, respeitando sua própria história e atento aos novos desafios da arte, da cultura e da sociedade.

Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na App Store. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

Dia da África ganha conteúdo especial na plataforma #CulturaEmCasa

Entre os destaques estão as transmissões do XV Prêmio África Brasil 2021, do filme Djon África e a exposição virtual de esculturas da República de Camarões

 A plataforma #CulturaEmCasa (www.culturaemcasa.com.br), primeira ferramenta de streaming de conteúdos culturais, totalmente gratuitos, terá programação especial nesta terça-feira, 25 de maio, quando é comemorado mundialmente o Dia da África. A ação é uma parceria entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, por intermédio da Organização Social Amigos da Arte, e a Secretaria de Relações Internacionais do Estado de São Paulo.

Berço de toda a humanidade, a África é tudo menos singular — é plural, rica e heterogênea. Continente com o maior número de países, etnias, povos e línguas, possui uma das maiores diversidades culturais do planeta. Para o Dia da África, #CulturaEmCasa selecionou conteúdos que evidenciam a vasta influência do continente na formação cultural do povo brasileiro.

Entre os destaques da agenda, está a transmissão do XV Prêmio África Brasil 2021, a partir das 19h. Promovido pelo Centro Cultural Africano, o evento internacional tem como objetivo reconhecer e divulgar projetos e ações que beneficiem diretamente comunidade afro-brasileira na área de: educação, artes e cultura, artista, esporte, meios de comunicação, terceiro setor, responsabilidade social, políticas públicas, poder público, relações exteriores, africanos no mundo e honra ao mérito.

Na programação também está o filme Djon África, coprodução Brasil-Portugal-Cabo Verde. Dirigido por Filipa Reis e João Miller Guerra, o longa conta trajetória de Miguel “Tibars” Moreira, mais conhecido como Djon África. O protagonista descobre que a genética pode ser cruel quando sua fisionomia — bem como alguns de seus fortes traços de personalidade — imediatamente o denúncia como filho de alguém que ele nunca conheceu. Esta descoberta intrigante o leva a tentar descobrir quem é este homem. Tudo o que Djon África sabe sobre seu pai, no entanto, é o que sua avó, com quem sempre viveu, lhe contou. No elenco principal, estão Bitori Nha Bibinha, Isabel Cardoso, Miguel Moreira.

O arte da República de Camarões será apresentada com a exposição virtual de sete esculturas deste universo artístico. Também foram reunidos demais conteúdos da plataforma, especialmente reeditados, para a data comemorativa. Entre eles, o podcast do Museu da Língua Portuguesa, Influência Africana na Língua Portuguesa; a live da cantora Titica; o #SP Gatronomia com Mãe Eleonora, uma das matriarcas na tradição culinária de matriz africana, ensinando a fazer acarajé; e o espetáculo Contos Negreiros do Brasil. Baseada no livro escrito por Marcelino Freire, prêmio Jabuti de 2006, a peça traz estatísticas raciais e atuais relacionadas aos contos do livro, vividos pelos atores Rodrigo França, Aline Borges, Marcelo Dias, Milton Filho e Valéria Monã.

Sobre o Dia da África

O Dia da África (anteriormente chamado Dia da Liberdade de África e Dia da Libertação de África) celebra a fundação da Organização da Unidade Africana (OUA), em 25 de maio de 1963, hoje conhecida como União Africana. A entidade foi criada em prol da libertação africana frente ao massacre e à exploração do colonialismo europeu. Em sua conferência inicial, estabeleceu-se uma carta de princípios a fim de melhorar o padrão de vida entre os estados-membros.

Comemorado mundialmente, o Dia da África existe não só para lembrarmos de suas carências e cicatrizes avassaladoras, mas também para evidenciarmos as diversas nacionalidades e identidades africanas, exaltarmos sua pluralidade, seus polos tecnológicos e sua riqueza artística e cultural.

“Preservar a memória é umas das formas de construir a história e a ligação entre o Brasil e o berço da humanidade, o continente africano. Isso pode ser sentido nas mais diversas manifestações culturais do povo brasileiro: religião, culinária, música, dança, arquitetura e costumes. Direta ou indiretamente, a África está presente no dia-a-dia e sempre teve grande influência na base cultural do país, que hoje conta com cerca de 54% de afrodescendentes”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios. Até o momento, a plataforma registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga.

A ferramenta reúne também conteúdos do Teatro Sérgio Cardoso, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o “Festival de Cinema Negro em Ação” e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto “Música Conecta” com o Espírito Santo Este mês também foi lançada parceria com o estado do Ceará, em que serão transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense como o “Cineteatro São Luiz”, “Porto Dragão Sessions” e “Zona de Criação”.

Sobre a Amigos da Arte

A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão dos teatros Sérgio Cardoso e de Araras e do Museu de Diversidade Sexual (MDS), trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos. Em seus mais de 15 anos, a entidade desenvolveu 58 mil ações que atingem mais de 25 milhões de pessoas.

Programação:

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Diversidade é foco da programação virtual de dezembro das Fábricas de Cultura

Entre as atividades, curtas-metragens dedicados à diversidade são disponibilizados nas redes sociais (mais…)

Em agosto, Secretaria da Cultura discutirá economia criativa e inovação

Nos dias 10 e 11 de agosto, a Secretaria da Cultura do Estado realiza no Memorial da América Latina o evento Futuro na Cultura. Nesses dois dias, a economia criativa e a inovação serão debatidas em oito painéis, com representantes do setor público, empresários e universidades, além de produtores culturais e formadores de opinião. O objetivo é reunir inteligências e movimentos dos setores criativos para desenvolver políticas públicas no Estado.

https://www.youtube.com/watch?v=LjXj8fxpwp4&t=14s

Governador Márcio França fala sobre projetos de Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo

O trabalho com economia criativa foi iniciado ainda pelo governador Márcio França quando, então vice-governador, esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Na ocasião, foram criadas as Etecris (Escolas de Técnicas de Economia Criativa), em que os alunos saem com MEI formalizadas e Plano de Negócio para que possam apresentar a investidores.

“O Estado pode e deve colaborar para desenvolver o potencial criativo existente nas cidades”, afirma a secretária-adjunta da Cultura Patrícia Penna, que está à frente desse tema na Secretaria. Patrícia Penna acrescenta ainda que a discussão é mais do que oportuna, em função da crise econômica pela qual passa o país.

Estudos internacionais recentes indicam a economia criativa como uma das áreas mais dinâmicas da economia global. O Banco Mundial estima que o setor já responde por cerca de 7% do PIB mundial, com tendência de crescimento. Um dos painéis do evento no Memorial, “Estratégias nacionais e internacionais de futuro”, terá como convidados consulados de diversos países, que devem mostrar as experiências estrangeiras.

Além dos painéis, o evento no Memorial terá ainda apresentações artísticas, intervenções com Realidade Virtual e Aumentada, mostra de startups da cultura e um hackathon (evento que reúne jovens desenvolvedores para ampliar o acesso à plataforma SP Estado da Cultura).

 

Regiões paulistas

https://youtu.be/500TB2k2lDk

Patricia Penna, secretária-adjunta da Cultura do Estado, fala sobre o evento Futuro na Cultura

As prefeituras paulistas, as associações comerciais dos municípios e os produtores culturais locais estão sendo convidados para unirem-se ao projeto e participarem do evento Futuro na Cultura. Para tanto, Patrícia Penna visitará visitará diversas regiões paulistas entre a segunda quinzena de junho e a primeira de julho, para apresentar o projeto e buscar a colaboração de todos na elaboração de políticas públicas para o setor. As viagens começam nesta sexta, dia 15, no município de Registro (região do Vale do Ribeira, com a participação de comunidades indígenas), às 10h30 horas. Veja abaixo um box com a agenda dos encontros.

Também será discutido no evento o Projeto de Lei 278/2017, que institui a Política de Incentivo à Economia Criativa no Estado de São Paulo.


FUTURO NA CULTURA | INSCRIÇÕES AQUI!

 

AGENDA DOS ENCONTROS COM OS MUNICÍPIOS

 

Os encontros ocorrerão nas cidades abaixo, que deverão agregar os municípios da sua região.

 

Junho

Dia 15/06: Registro (região do Vale do Ribeira, com a participação de comunidades indígenas), às 10h30.

Dia 19/06: Santos (regiões da Baixada Santista e Vale do Ribeira), às 10 horas.

Dia 21/06: Itapetininga (região de Itapetininga), às 10 horas, e  Ourinhos (região de Assis), às 16 horas.

Dia 26/06: Tupã (região de Marília), às 10 horas, e Presidente Prudente (região de Presidente Prudente), às 16 horas.

Dia 27/06: Araçatuba (região de Araçatuba), às 10h30.

Dia 28/06: São José dos Campos (região do Vale do Paraíba), às 10 horas, e Caraguatatuba (Litoral Norte), às 15 horas.

Dia 29/06: Campos dos Jordão (região da Mantiqueira), às 14 horas.

 

Julho

Dia 03/07: Campinas (região de Campinas), às 9 horas, e São José do Rio Preto (região de São José do Rio Preto), às 17 horas.

Dia 04/07: São Carlos (região de Araraquara), às 10 horas, e Rio Claro (região de Rio Claro), às 14 horas

Em fevereiro não tem só Carnaval!

Em fevereiro
não tem só Carnaval

confira as atrações do mês nas instituições da Secretaria da Cultura do Estado



&nbspatrações
para todos os gostos e idades, ao longo do mês de fevereiro

O Carnaval está chegando e as instituições da Secretaria da Cultura do Estado oferecem atrações ao longo do mês para todos os gostos e idades, na capital, no interior e no litoral.

PARA CURTIR
O CARNAVAL

Os foliões vão poder aproveitar blocos e bailes, oficinas de máscaras, lançadores de confetes e confecção de abadás.


Veja a programação

NÃO TEM SÓ
CARNAVAL

Quem quiser fugir da folia poderá visitar exposições, participar de oficinas e conferir peças teatrais.


Veja a programação

EMESP Tom Jobim abre inscrições para o Processo Seletivo 2021

As inscrições para os cursos gratuitos de formação e especialização musical da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim estão abertas até o dia 14 de janeiro

A Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura, abre inscrições para o processo seletivo 2021 para ingresso de estudantes nos cursos de formação e de especialização musical. Os cursos são todos gratuitos e os interessados podem se inscrever até 15h do dia 14 de janeiro.

Destinados a estudantes que buscam aprendizado focado na prática de canto e instrumentos variados, como violino, harpa, saxofone, trompete, flauta, guitarra, bateria, acordeão, entre outros. Os cursos de formação são divididos em três ciclos, tendo cada um os seguintes limites de idade: até 13 anos para o 1º ciclo; até 16 anos para o 2º ciclo; e até 21 anos para o 3º ciclo. Já os cursos de especialização correspondem ao 4º ciclo. Nesta modalidade são oferecidos cursos nas áreas de composição, regência coral, música antiga, academia de ópera e prática instrumental avançada (erudito e popular).

As duas modalidades são independentes, assim como seus ciclos, não sendo necessário que o aluno tenha feito os ciclos anteriores para poder se inscrever no desejado. Ao candidato, basta ter os conhecimentos necessários exigidos no edital para concorrer.

Também estão abertas as inscrições para ingresso de bolsistas nos grupos artísticos ligados à EMESP Tom Jobim, são eles: Banda Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Theatro São Pedro e Orquestra Jovem Tom Jobim.

 As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site da EMESP Tom Jobim. O candidato encontra também no site o edital com todas as informações necessárias para inscrição, cronogramas e conteúdos programáticos.

Para mais informações acesse: https://emesp.org.br/processo-seletivo-2021/

Cronograma:

Até 14/01/2021 (até 15h – horário de Brasília): Período de Inscrições para o Processo Seletivo 2021

20/01/2021 Publicação da lista de candidatas(os) inscritas(os) no Processo Seletivo 2021 para participação na prova da 1ª fase (análise do vídeo enviado no momento da inscrição)

28/01/2021 Divulgação da lista de candidatas(os) aprovadas(os) na 1ª fase do Processo Seletivo 2021, com a convocação para a 2ª fase, locais, datas e horários das provas;

01 a 20/02/2021 Realização das provas de 2ª fase do Processo Seletivo 2021;

24/02/2021 Divulgação da lista de candidatas(os) classificadas(os) na 2ª fase do Processo Seletivo 2021. As(os) candidatas(os) classificadas(os) como aprovadas(os) serão convocadas(os) para preenchimento imediato de vagas remanescentes e as(os) classificadas(os) como suplentes, integrarão uma lista de espera.

25 e 26/02/2021 Período de matrículas para os(as) candidatos(as) classificados(as) como aprovados(as) e convocados(as) para as vagas remanescentes disponíveis nos Cursos e Programas de 2021 da EMESP Tom Jobim.

01/03/2021 Início das aulas para as(os) alunas(os) convocadas(os) e matriculadas(os).

 

Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim

Referência no ensino brasileiro de música, a EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo do Estado de São Paulo gerida pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Atende gratuitamente 1.300 alunas e alunos em seus cursos e habilitações em música popular e erudita, da teoria à prática musical. Em 2019, a EMESP Tom Jobim comemorou 30 anos de atuação. A Escola tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP Tom Jobim vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP Tom Jobim oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A Escola mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para as alunas e os alunos da Escola.

EMESP Tom Jobim abre inscrições para processo seletivo 2018

Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim tem inscrições até 27 de novembro para os ciclos dos cursos de formação continuada e formação avançada; As primeiras provas ocorrem em 4 e 5 de dezembro (mais…)

EMESP Tom Jobim abre inscrições para Processo Seletivo 2020

As inscrições para os cursos gratuitos de formação e especialização musical da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim estarão abertas no período de 30 de outubro a 25 de novembro (mais…)

Encerramento da mostra de filmes TRANSdocumenta acontece no MIS

O Brasil lidera o ranking de países com mais registros de homicídios de pessoas trans; os assassinatos e suicídios (notificados) de pessoas LGBTI+s no país cresceram 30% entre 2016 e 2017, liderado pelo estado de São Paulo com 59 mortes; 191 travestis e transexuais foram mortas no último ano e a expectativa de vida de uma pessoa trans é de apenas 35 anos.

Para debater os desafios da população LGBTQ, o Governo do Estado de São Paulo e a Rede Brasil do Pacto Global (ONU) promovem a mostra TRANSdocumenta, que começou no dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT, e encerra na próxima segunda-feira, 9 de julho, no MIS – Museu da Imagem e do Som.

A mostra exibiu uma série de documentários e filmes de longa e curta metragem, nacionais e estrangeiros, com foco nas questões da transexualidade, também em penitenciárias e Fábricas de Cultura de São Paulo. Além da exibição dos filmes no encerramento, a mostra vai reunir atividades culturais, painel de debates e uma feira de expositores LGBTQ com participação de coletivos LGBTQ com apresentações musicais e artísticas.

Esta programação também faz parte da Campanha #SonharoMundo, organizada pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, que mobiliza os museus paulistas a se unirem pelos Direitos Humanos.

Programação

FOYER TÉRREO

>> 13h | Contação de histórias

>> 14h-16h | Oficina para crianças – Jogo da inclusão

>> 17h | Contação de histórias

AUDITÓRIO MIS

Os ingressos podem ser retirados 1h antes na Recepção MIS.

>> 14h | Exibição de TRANSIT HAVANA (dir. Daniel Abma, 2016, Holanda, 86′, 18 anos)

Sinopse: Em Havana, as transexuais Odette, Juani e Malú aguardam cirurgia genital – realizada por cirurgiões de primeira linha e organizada pela filha do presidente, Mariela Castro. Novas possibilidades enfrentam problemas antigos: as pessoas trans cubanas encontrarão felicidade apesar da intolerância, pobreza e prostituição?

>> 16h | Exibição de TRAN$RICO (dir. Ariel Nobre, 1993, 1’, livre), seguida de painel de debate

Sinopse: Parem de nos matar e comecem a nos contratar

Painel “Coletividades LGBTQIA e diversidade na cena cultural de São Paulo”, com Ariel Nobre, Erika Hilton, Rubi de la Fuente e Tiely Queen

>> 19h Exibição de IVANA IS WONDERING (dir. Yaggo Aquino, 2017, 7′, 16 anos)

Sinopse: Um videoclipe sobre o despertar da inércia e a descoberta do capital político da homossexualidade.

>> 19h10 | Exibição de ESTAMOS TODOS AQUI (dir. Chico Santos e Rafael Mellim, 2017, Brasil, 22′, 12 anos)

Sinopse: O curta de ficção abrange a questão da transexualidade, além de explorar a realidade dos moradores das favelas usando a personagem Rosa Luz como líder da Favela da Prainha, litoral sul de São Paulo. O papel de Rosa permite esclarecer os constantes desafios de discriminação sexual que tentam superar pessoas LGBTs de periferias do Brasil.

>> 19h30 | Pocket Show com Rosa Luz

AUDITÓRIO LABMIS

Os ingressos podem ser retirados 1h antes na Recepção MIS.

>> 15h | Exibição de [SSEX BBOX], com Barbara Hammer – Cinema Queer (dir. Pri Bertuci, 2018, 15′, 12 anos)

Sinopse: Uma conversa inspiradora com Barbara Hammer no filme experimental e na cultura queer. O [SSEX BBOX] é um projeto de justiça social que procura dar visibilidade às questões de gênero e sexualidade focado na temática / população LGBTQIA+.

>> 16h | Exibição de DO OUTRO LADO (Auf Der Anderen Seite, dir. Fatih Akin, 2007, Alemanha, 120′, 12 anos)

Sinopse: Inicialmente, Nejat (um personagem andrógino) não aprova o relacionamento de seu pai com a prostituta Yeter, o que muda quando ele descobre que o pai envia constantemente dinheiro para a Turquia no intuito de pagar os estudos da filha dela, Ayten. Nejat cresce apaixonado por Yeter, mas sua repentina morte faz com que ele se afaste de seu pai. Nejat decide ir a Istambul para procurar Ayten, descobrindo que ela se tornou uma ativista política e está na Alemanha.

>> 18h30 Exibição de IVANA IS WONDERING (dir. Yaggo Aquino, 2017, 7′, 16 anos)

Sinopse: Um videoclipe sobre o despertar da inércia e a descoberta do capital político da homossexualidade.

>> 18h40 Exibição de BICHA PRETA (dir. Thiago Rocha, 2017, 23′, 12 anos)

Sinopse: Bicha Preta aborda os aspectos socioculturais que auxiliam na marginalização da negritude, especificamente em relação ao indivíduo homossexual, e contribui relatando a diversidade de expressões e lutas dentro de um mesmo movimento, trazendo a público nova reflexões e deixando marcado na história vivências antes nunca documentadas.

TÉRREO

>> Exposição “Geni – Um ensaio fotográfico com corpos transitados”

Itinerância: Museu da Diversidade Sexual

Concepção: Daniella Vinci e Mariana Moraes

Orientação: Carlos Mendonça

Cabelo e maquiagem: Xisto Lopes

Figurino: Matheus Fraga Mello

Modelos: Anna Valentina, Bárbara Macedo, Cristal Lopez, Dolly Piercing, Dhully Fantine, Fabíola Martins, Gisella Lima, Hágata Lafa, Lara Volguer, Laura Faria, Raphaela Ramalho, Tiffany Rivol

ÁREA EXTERNA

>> 11h–19h | Feira de expositores LGBTQ+ com participação de coletivos LGBTQ+ de São Paulo

Onde

Espetáculo beneficiado pelo ProAC LAB 2020 faz apresentações

A partir desta sexta 3/9 até 12/9, o público pode conferir a produção Devaneio Sinfonia a Três – Piano, da Cia Tempo em Campinas, São Paulo, Jacareí, Rio Claro, Jundiaí e on-line 

Começa nesta sexta 3/9 a apresentação de Devaneio Sinfonia a Três – Piano, uma produção da Cia Tempo contemplada pelo ProAC LAB 2020, programa de fomento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. O primeiro espetáculo será às 16h, no Teatro Municipal José de Castro Mendes, em Campinas, e também é transmitido pelo YouTube 

Devaneio Sinfonia a Três – Piano retrata um homem que vive uma situação dramática por não conseguir falar o que pensa. O espetáculo é dirigido por Ronaldo Aguiar, que também integra o elenco ao lado de Cesar Rossi e Rodrigo Zanettini.  

No fim de semana, as exibições continuam: no sábado 4/9, a apresentação é na Fábrica de Cultura Brasilândia, em São Paulo, e no domingo 5/9, no Teatro Educa Mais, em Jacareí. Em 11/9, o público pode conferir a produção no Centro Cultural Roberto Palmari, em Rio Claro; e, em 12/9, a apresentação será na Fepasa Sala Jundiaí, em Jundiaí. 

A iniciativa da Cia Tempo também inclui a Oficina de Palhaçaria e Comicidade Física após cada espetáculo, às 17h, por Zoom. O facilitador Ronaldo Aguiar aborda técnicas corporais, entradas clássicas de palhaço, promove exercícios de percepção espacial, temporal e coordenação e trabalhos em duplas para ampliar o repertório de práticas acrobáticas. São 40 vagas por turma e, para participar, é necessário se inscrever pelo formulário on-line  

A Lei Federal Aldir Blanc, de agosto de 2020, destina recursos para que governos estaduais e municípios promovam a cultura. No Estado de São Paulo, esses fundos são investidos no programa de fomento cultural ProAC LAB. 

ProAC LAB 2021 

As inscrições para o ProAC LAB 2021, com investimento de R$ 19,6 milhões – o valor é residual do Proac LAB do ano passado –, estão abertas até 28/9. Nesta edição, 11 editais contemplam 400 projetos de pessoas físicas e jurídicas nas áreas de música, teatro, dança, circo, audiovisual, artes visuais e literatura.  

“Esse investimento integra o conjunto de programas de fomento de cultura do Governo do Estado de São Paulo, coordenados pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que tem o objetivo de injetar recursos no setor cultural e criativo para mitigar o impacto da pandemia do coronavírus e criar condições para a retomada de todas as atividades”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. 

De acordo com as regras dos editais de fomento cultural do Estado de São Paulo, proponentes pessoas físicas e jurídicas que receberam recursos do ProAC LAB 2020 não serão considerados pelo ProAC LAB 2021. “O ProAC Lab 2021 é um complemento do ProAC LAB 2020 para que possamos alcançar e beneficiar um número ainda maior de artistas, técnicos e produtores”, diz o secretário. 

 

Linhas do ProAC LAB 2021 

  1. Teatro/ Produtoras: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1. Teatro/ Grupos, companhias e corpos estáveis: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1. Dança/ Grupos, companhias e corpos estáveis: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1. Circo/ Grupos, Companhias e circos de lona: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1. Literatura/ Autores: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil  
  1. Artes visuais/ Artistas: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1. Música/ Orquestras, bandas, fanfarras, corais e grupos sinfônicos: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto: R$ 50 mil 
  1. Música/ Artistas: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1. Audiovisual/ Diretores: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil 
  1.  Audiovisual/ Produtoras: valor total R$ 1 milhão; valor por projeto R$ 50 mil  
  1.  Pontos de Cultura: valor total R$ 2 milhões; valor por projeto R$ 50 mil 

 

Prêmios do ProAC LAB 2021 

Além das 11 linhas, o ProAC LAB 2021 também investe em prêmios para valorizar e reconhecer históricos de realizações nas áreas de música (grupos e artistas), teatro (produção e grupos), dança (grupos), circo (grupos), audiovisual (produtoras e diretores), literatura (autores), artes visuais e pontos de cultura. 

Edital 41 – Prêmio por Histórico de Realização em Música Orquestras, Bandas, Fanfarras, Corais e Grupos Sinfônicos 

Parâmetros Específicos – Edital 41.LAB.2021 

Parâmetros Gerais – Edital 41.LAB.2021 

Anexos – Edital 41.LAB.2021 

  

Edital 42 – Prêmio por Histórico de Realização em Música – Artistas 

Parâmetros Específicos-Edital 42.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 42.LAB.2021 

Anexos-Edital 42.LAB.2021 

  

Edital 43 – Prêmio por Histórico de Realização em Teatro – Produção 

Parâmetros Específicos-Edital 43.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 43.LAB.2021 

Anexos-Edital 43.LAB.2021 

  

Edital 44 – Prêmio por Histórico de Realização em Teatro – Grupos, Companhias e Corpos Estáveis 

Parâmetros Específicos-Edital 44.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 

Anexos-Edital 44.LAB.2021 

  

Edital 45 – Prêmio por Histórico de Realização em Dança – Grupos, Companhias e Corpos Estáveis 

Parâmetros Específicos-Edital 45.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 45.LAB.2021 

Anexos-Edital 45.LAB.2021 

  

Edital 46 – Prêmio por Histórico de Realização em Circo – Grupos, Companhias e Circos de Lona 

Parâmetros Específicos-Edital 46.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital 46.LAB.2021 

Anexos-Edital 46.LAB.2021 

  

Edital 47 – Prêmio por Histórico de Realização em Audiovisual – Produtoras 

Parâmetros Específicos-Edital-47.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-47.LAB.2021 

Anexos-Edital-47.LAB.2021 

  

Edital 48 – Prêmio por Histórico de Realização em Audiovisual – Diretores 

Parâmetros Específicos-Edital-48.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-48.LAB.2021 

Anexos-Edital-48.LAB.2021 

  

Edital 49 – Prêmio por Histórico de Realização em Literatura – Autores 

Parâmetros Específicos-Edital-49.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-49.LAB.2021 

Anexos-Edital-49.LAB.2021 

  

Edital 50 – Prêmio por Histórico de Realização em Artes Visuais – Artistas 

Parâmetros Específicos-Edital-50.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-50.LAB.2021 

Anexos-Edital-50.LAB.2021 

  

Edital 51 – Prêmio por Histórico de Realização para Pontos de Cultura 

Parâmetros Específicos-Edital-51.LAB.2021 

Parâmetros Gerais-Edital-51.LAB.2021 

Anexos-Edital-51.LAB.2021 

 

Investimento recorde  

Os recursos para o ProAC Expresso Editais 2021, ProAC Expresso Direto, Proac LAB e Juntos pela Cultura 2021 fazem parte de um investimento recorde de R$ 200 milhões que beneficia cerca de 9.340 mil projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras. Este valor representa um aumento de 13% em comparação ao liberado no ano passado, de R$ 177,2 milhões. O objetivo do Governo de São Paulo é estimular a retomada das atividades culturais e criativas, fortemente impactadas pela crise gerada pela pandemia do coronavírus, e incentivar a geração de renda, emprego e desenvolvimento.  A Secretaria estima gerar 138 mil postos de trabalho e um impacto econômico de R$ 300 milhões.    

São três programas de fomento articulados e complementares com recursos próprios do Governo de São Paulo: ProAC Expresso Editais, ProAC Expresso Direto e Juntos pela Cultura + Difusão Cultural, totalizando um investimento recorde de R$ 182 milhões. Formulados a partir de consulta pública; reuniões setoriais com representantes de entidades e associações do setor; regras gerais, linhas, valores e parâmetros aprovados pelo Conselho Estadual de Cultura e Economia Criativa; e comissões de avaliação formadas também a partir de chamada pública, é o maior conjunto de programas de fomento à cultura em nível estadual no país e o maior investimento em produção cultural realizado por um estado brasileiro, que alcança todas as regiões e formas de expressão artística.   

 

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo 

Assessoria de Imprensa 
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162 

(11) 98849-5303 (plantão) 

imprensaculturasp@sp.gov.br  

Acompanhe a Cultura: Site | Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube 

 

 

 

Exposição da Estação Pinacoteca é premiado pela APCA

O Grande Prêmio da crítica ficou com a linda exposição Vlavianos na Estação Pinacoteca; (mais…)

Fábricas de Cultura batem recorde de público em 2017

Mais de 800 mil pessoas aproveitaram a programação de teatro, música e dança das dez unidades do programa (mais…)

Fábricas de Cultura começa 2021 com atividades para diversas idades

Imagem: Caique Silva 

Programação online da área Fábrica Aberta não exige inscrição do público interessado

Música, artes visuais, contação de história e brincadeiras. Em janeiro a agenda integrada das Fábricas de Cultura Brasilândia, Capão Redondo, Diadema, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis – traz atividades culturais online para diversas idades sem a necessidade de inscrição para participar. Toda a programação é gratuita.

No dia 16 de janeiro, no canal de YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCSRGwG1IwHMZAi9XV-rxa2w) das Fábricas de Cultura, será apresentado duas atividades ligadas à música. Entre 18h e 18h30, o lançamento da mixtape Get on up, idealizada pelo dançarino e produtor Elton Ramos (Diferencial Style), com mixagem e materização do Mano Réu (Timbres Produções). O trabalho tem como característica o princípio básico da cultura Hip Hop, a bateria e o sampler para mostrar como esses pilares transformaram nossa música no que ela é hoje.

O mini documentário “A arte física do vinil”, da produtora MTRC, será exibido às 19h. A breve produção audiovisual homenageia os discos de vinil, com a fala de colecionadores retratando as suas paixões por essa cultura, e destaca a experiência sonora, as capas icônicas e outros elementos que transformaram o disco em artefato histórico e afetivo.

Já o Projeto Resistência Artística, no dia 21 de janeiro, a partir das 19h, oferece um workshop sobre produção musical e comunicação que pode colaborar em ideias de produção, divulgação e distribuição de um trabalho, ou até mesmo conhecer possibilidades para administrar carreiras. Redes Sociais: Táticas de atuação por meio de Marketing estratégico; Produção Musical: Produção por meio de parcerias; Produza sua própria carreira: Entenda as ferramentas necessárias para que você possa se produzir serão as temáticas trabalhadas. Formação também será veiculada pelo YouTube.

Os orientadores serão: Kapitão.SP, no mercado publicitário há 10 anos, com passagens pelas agências P.A Publicidade, Havas, BETC e atualmente na VML, ele atendeu clientes de grande relevância do varejo e atualmente cuida de algumas contas do segmento de entretenimento. Head de Marketing na Margem Entretenimento;
DJ Preto EL tem participado dos principais festivais de música do mundo. Entre eles estão o Atlantic Music Expo em Praia, Cabo Verde e; WOMEX, Europa. É membro do coletivo Global Club Music Network; Black Rick que vive na cultura Hip Hop desde 1994, já esteve envolvido em projetos como Elite Negra, DJ Preto EL, entre outros. Paralelo à música, atuou no mercado de importação e exportação. Representa a Margem Entretenimento na área comercial.

O artista visual Griô.SP, da Brasilândia, zona norte de São Paulo, apresentará suas criações e desenhos  que retratam a realidade do seu bairro, influenciadas por referências nas artes, na música e na fé.  A exibição online será pelo IGTV das Fábricas (https://www.instagram.com/fabricasdeculturasn) no dia 22 de janeiro com início às 19h.

“Favela Funk Finlândia”, nome do documentário feito pela produtora Smart, será exibido no dia 24 de janeiro, às 17h, pelo YouTube. Os rappers finlandeses Gracias, Paleface, Joonas Saartamoand a.k.a Jonde e o produtor de beats, Flam, viajaram para o Rio de Janeiro em 2015 para fazer workshops de hip hop com jovens das comunidades e conhecer a vida urbana local. O intercâmbio considerava ainda a gravação de uma faixa com o lendário produtor, ativista da cultura de rua e organizador do encontro, Marcelo Yuka, e com o rapper brasileiro PC. O registro busca expressar que mesmo lugares tão distantes um do outro, podem ser aproximados e unidos pela música.

De forma divertida e pedagógica, em Jogos e Brincadeiras musicais – desafios sonzando será exercitada a possibilidade da percussão corporal com orientação da dupla Sonzando. A vivência online via página de Facebook (https://www.facebook.com/fabricasdecultura/), no dia 27, às 15h, busca aplicar uma brincadeira musical de forma simples com ritmos e melodias do próprio corpo.

Entre os dias 27 e 31 de janeiro, às 11h, o público poderá conferir pelo IGTV do instagram do programa a atividade Pensamentos do Tuingo. A série de cinco 5 vídeos mostra Nico Serrano, o palhaço Tuingo, investindo na criatividade audiovisual para criar pensamentos cotidianos e engraçados, fazendo a diversão de quem estará assistindo.

A música negra pode ser um mar de sensações. Para analisar esse contexto, o podcast com o coletivo Ouvidos Negros, produzido diretamente da zona sul de São Paulo, levará o público a sensações e possíveis descobertas da experiência de sentidos e memórias que a música afrodiaspórica nos traz.  Jazz, blues, samba ao hip hop, funk e soul estarão presentes na atividade do dia 29 de janeiro, das 18h às 19h, via SoundCloud (https://soundcloud.com/fabricasdecultura).

Fechando o mês, no dia 30 de janeiro, às 15h, a contação de histórias Lèlego na cidade das Cores, da Cia RABISKO, mergulha no mundo dos sonhos. Uma menina acorda sem a sua inseparável meia azul e consegue, com a ajuda do travesseiro mágico, lembrar que a perdeu na cidade das cores, a cidade que só existe no seu sonho. Agora, ela terá que sonhar novamente para pegar a meia de volta, além de enfrentar o Sr. Pesadelo.  Amor, carinho, troca e respeito são sentimentos que destacam a narrativa. A apresentação estará disponível na página de Facebook.

Para mais informações, acesse o site https://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i ou o hotsite https://poiesis.org.br/maiscultura/.

SERVIÇO

LANÇAMENTO DA MIXTAPE: GET ON UP
Música/ Hip-Hop
16/1 – sábado – 18h às 18h30
Faixa Etária: Livre
Plataforma: https://www.youtube.com/channel/UCSRGwG1IwHMZAi9XV-rxa2w

MINI DOC: A ARTE FÍSICA DO VINIL
Cinema
16/1 – sábado – 19h às 19h30
Faixa Etária: Livre
Plataforma: https://www.youtube.com/channel/UCSRGwG1IwHMZAi9XV-rxa2w

PROJETO RESISTÊNCIA ARTÍSTICA
Música
21/1 – quinta-feira – 19h às 19h30
Faixa Etária: A partir de 12 anos
Faixa Etária: Livre
Público-alvo: Pessoas que trabalham diretamente com a música, que já estão no mercado ou desejam entrar no mesmo.
Plataforma: https://www.youtube.com/channel/UCSRGwG1IwHMZAi9XV-rxa2w

GRIÔ.SP
Artes Visuais/ Cultura Urbana
22/1 – sexta-feira – 19h às 19h30
Faixa Etária: Livre
Plataforma: IGTV – https://www.instagram.com/fabricasdeculturasn

FUNK FINLÂNDIA
Cinema/ Literatura
24/1 – domingo – 17h
Faixa Etária: Livre
Plataforma: https://www.youtube.com/channel/UCSRGwG1IwHMZAi9XV-rxa2w

JOGOS E BRINCADEIRAS MUSICAIS – DESAFIOS SONZANDO
Música
27/1 – quarta-feira – 15h
Faixa Etária: Livre
Plataforma: https://www.facebook.com/fabricasdecultura/

PENSAMENTOS DO TUINGO
Circo
27, 28, 29, 30 e 31/1 – quarta, quinta, sexta-feira, sábado e domingo – 11h
Faixa Etária: Livre
Plataforma: IGTV – https://www.instagram.com/fabricasdeculturasn

PODCAST COM COLETIVO OUVIDOS NEGROS
Música/ Cultura Afro, Mídias Interativas, Multimeios
29/1 – sexta-feira – 18h às 19h
Faixa Etária: Livre
Plataforma: https://soundcloud.com/fabricasdecultura

CIA RABISKO APRESENTA: LÈLEGO NA CIDADE DAS CORES
Teatro
30/1 – sábado – 15h
Faixa Etária: Livre
Plataforma: https://www.facebook.com/fabricasdecultura/

——–

Fábrica de Cultura Brasilândia
Avenida General Penha Brasil, 2508  | Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Diadema
Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180

Fábrica de Cultura Jaçanã
Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís
Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso táctil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braile, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e áudio-books).

E-mail: contato@fabricasdecultura.org.br

Funcionamento das unidades da zona sul e norte de São Paulo: de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, apenas para turmas de aprendizes matriculados em parte dos ateliês e trilhas formativas que retornaram de forma presencial. Bibliotecas também funcionam em períodos reduzidos, de terça a sexta-feira, das ficam abertas das 10h às 16h, especificamente para devolução e renovação do empréstimo de livros, além do laboratório de pesquisa com computadores organizados na distância de 1,5m e disponíveis no período máximo de 45 minutos para cada pessoa interessada.

A unidade de Diadema continua fechada, seguindo com toda a programação de forma online.

Devido à pandemia da Covid-19, a programação cultural vem ocorrendo de forma on-line. Todas as atividades são gratuitas. Saiba mais em https://poiesis.org.br/maiscultura/ e www.fabricasdecultura.org.br

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2020 e 2021, o Programa Fábricas de Cultura – instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis – conta com o patrocínio do Instituto Center Norte por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui para a realização de atividades de formação e difusão cultural.

Fábricas de Cultura estão com matrículas abertas para ateliês de criação e trilhas de produção artística do 1º semestre

São várias as linguagens trabalhadas, de circo a multimeios

Foto: André Hoff

As Fábricas de Cultura Brasilândia, Capão Redondo, Diadema, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis – estão com vagas para as formações artísticas do 1º semestre do ano e para diversas idades. Todas as atividades são gratuitas.

Os Ateliês de criação e as Trilhas de produção mantêm as matrículas abertas até a primeira quinzena de março. Pessoas com interesse pelas formações artísticas devem se inscrever pelo hotsite https://poiesis.org.br/maiscultura/. O público com menos de 18 anos precisa apresentar autorização do (a) responsável.

Até o momento, as aulas do 1º semestre de 2021 dos Ateliês e das Trilhas continuam ocorrendo em ambiente virtual. As pessoas inscritas receberão informações sobre os canais por onde as formações serão aplicadas.

No caso de dúvidas específicas, o público pode entrar em contato pelo telefone de cada unidade, via e-mail contato@fabricasdecultura.org.br ou por mensagem nas redes sociais do programa: Facebook (https://www.facebook.com/fabricasdecultura) e Instagram (@fabricasdeculturasn).

Ateliês de criação e Trilhas de produção

Neste primeiro semestre, o programa Fábricas de Cultura – unidades Diadema, zona norte e sul de São Paulo – oferece uma pluralidade de linguagens, entre elas, circo, música, teatro, dança, literatura, artes visuais e multimeios. Confira alguns destaques.

Brasilândia:

Em Slam para educadores a proposta é para que educadores e professores conheçam o movimento do Slam, o qual tem a poesia e o ritmo como motores para a leitura, e possam aplicar nas próprias aulas algumas metodologias inspiradas nessa cultura que tem se expandido pelo país.

17/02 a 30/06

Quartas e sextas-feiras, das 18h às 20h45

15 vagas | preferencialmente para educadores e professores da rede pública de ensino

O universo da pesquisa, da captação e da produção de imagens para processo de projeções, internas e externas, de vídeo mapping será exercitado na trilha de Vídeo-arte.

20/02 a 03/07

Sábados, das 14h às 17h

20 vagas | a partir de 14 anos

Capão Redondo:

Em Artesanato Afro-brasileiro, aprendizes terão contato com as diversas técnicas de artesanato dos saberes negros. Os objetos serão confeccionados a partir de histórias e contos da cultura afro-brasileira, principalmente com referências à Capoeira.

17/02 a 02/07

Quarta e sexta-feira, 14h às 17h

30 vagas | a partir de 8 anos

Escrituras negras é uma trilha elaborada a partir das vivências e produções literárias da escritora Carmen Faustino, educadora e gestora sociocultural do Campo Limpo, bairro de São Paulo. As aulas também serão somadas aos estudos e trajetórias de outras escritoras negras. Os participantes poderão conhecer a literatura negra e vivenciar momentos de reflexão, sobre as narrativas e o universo imagético da literatura negra feminina, por meio do recurso da oralidade. A proposta é que a leitura e a escrita aconteçam de maneira livre para desmistificar o senso comum sobre a dificuldade em ler e escrever e, assim, fortalecer o pertencimento territorial e a identidade negra.

18/02 a 01/07

Quarta-feira, 18h às 21h

20 vagas | a partir de 16 anos

Diadema:

Arte Digital – Criação e Design busca exercitar criações, ilustrações, animações, edição de foto e vídeo como temas. O objetivo é introduzir a turma no universo da produção de arte digital voltada ao ambiente on-line.

18/02 a 25/03

Quinta-feira, 18h30 às 21h30

15 vagas | a partir de 14 anos

Produção literária e as possibilidades poéticas de uma obra serão trabalhadas na trilha Litera-Rua – Leitura, Escrita e Editoração da Obra. Os caminhos para a editoração de uma publicação literária serão demonstrados durante os encontros.

17/02 a 23/06

Quarta-feira, 19h às 21h

20 vagas | a partir de 14 anos

Jaçanã:

Locução de rádio (podcast, jingles, cerimoniais) é uma trilha voltada para quem busca alcançar os ouvintes, seja pela rádio ou via streaming por meio de podcasts ou web rádios. A turma conhecerá as possibilidades de utilização da própria voz para diferentes finalidades, desde a gravação de chamadas para eventos, voz off em peça de teatro, spot para comércio local, até a postura adequada e como fazer o roteiro de gravação.

11/03 a 27/05

Quintas-feiras, das 18h às 20h45

20 vagas | a partir de 14 anos

O Instagram vem se destacando no alcance digital para diferentes setores, como a moda, beleza e estética, turismo, gastronomia e decoração. Por isso, a trilha Marketing digital no Instagram é voltada para quem procura um treinamento atualizado, prático e que incorpore as ferramentas de marketing nesta rede.

11/03 a 27/05

Quinta-feira, 18h às 20h45

20 vagas | a partir de 14 anos

 

Jardim São Luís:

A proposta da trilha Produção e elaboração de Projetos Culturais é apresentar métodos para profissionais da produção cultural que desejam se especializar no planejamento estratégico para coletivos e artistas solos, a fim de concorrer em editais e na busca de captação de recursos. Neste curso, 50% das vagas serão reservadas para mulheres cis e trans, como forma de incentivá-las como proponentes dos projetos.

17/04 a 26/06

Sábados, das 14h às 16h

20 vagas | A partir de 16 anos

Construindo uma Docência Solidária para o Pensar e o (Re)Criar tem o objetivo de trabalhar a prática de educadores e professores a partir das vivências individuais e coletivas desses profissionais com seus alunos e alunas, partindo da compreensão de que a docência em seu sentido pleno não envolve apenas o ato de ensinar. O universo do brincar de diferentes culturas será adicionado nos encontros para a construção dos imaginários.

06/03 a 26/06

Sábado, 9h às 11h

20 vagas | Preferencialmente para professores e educadores da rede pública de ensino

Vila Nova Cachoeirinha:

Pelo Núcleo de formação circense – Projeto Folias – Princípios e Fundamentos, aprendizes terão a oportunidade de aprofundar o conhecimento no campo teórico e artístico por meio de atividades de introdução, aperfeiçoamento e manutenção das técnicas do circo. Serão apresentadas possibilidades por meio do tecido, trapézio, lira, corda lisa, acrobacias de solo, mini trampolim, cama elástica e tramp wall.

16/02 a 03/07

Terças e quintas-feiras, das 14h às 16h45; Sábados, das 9h às 11h45

30 vagas | 14 a 21 anos

Por meio da trilha Criação de Apps para Celular, aprendizes vão aprender técnicas de geração de soluções em app com design thinking, além de programar em Flutter usando o DartPad.dev que permite programação sem instalação de nenhum programa. No final os (as) participantes terão produzido apps básicos no DartPad, pensando como programadores de aplicativo.

27/03 a 29/06

Terça-feira, 19h às 21h

30 vagas | a partir de 14 anos

SERVIÇO

Ateliês de criação e Trilhas de produção

Fevereiro a julho

Programação e matrículas pelo hotsite https://poiesis.org.br/maiscultura ou https://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i.

Matrículas abertas até a primeira quinzena de março, a depender da disponibilidade de vagas.

As aulas virtuais ocorrem por diversas plataformas como o Zoom. As pessoas matriculadas serão informadas sobre os canais de acesso.

Para mais informações, entre em contato pelo telefone da unidade desejada ou pelo e-mail contato@fabricasdecultura.org.br.

 

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508  | Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240

 

Fábrica de Cultura Diadema

Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso táctil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braile, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e áudio-books).

E-mail: contato@fabricasdecultura.org.br | https://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i

Funcionamento das unidades da zona norte e sul de São Paulo, inclusive de Diadema: atualmente as seis unidades gerenciadas pela Poiesis continuam realizando suas atividades no ambiente on-line. Toda a programação gratuita, de fruição cultural e de formação artística, pode ser acessada pelo hotsite https://poiesis.org.br/maiscultura/.

*Sujeito às mudanças mediante orientações dos órgãos responsáveis.

Fábricas de Cultura oferecem cursos online de curta duração

Serão oferecidas aulas de criação de música para cinema e games e escrita criativa. Todas as atividades ocorrem nas unidades da zona leste da capital paulista 


As Fábricas de Cultura da zona leste, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, estão com inscrições abertas para diversos cursos de criação e produção artística e digital.

Com vagas limitadas, os cursos têm duração entre 16 e 20 horas, em formato online, e são voltados  para o aprofundamento artístico e apoio à produção coletiva, com  orientação de espaços e de materiais para a pesquisa e para o desenvolvimento do trabalho dos alunos.

Entre os cursos oferecidos estão: Criação de Música para Cinema e Games; Brinquedos Eletrônicos e Narrativa Cinematográfica, entre outros. Para participar é necessário realizar a inscrição clicando aqui. É  preciso verificar a unidade que oferece a atividade escolhida. Confira a grade completa em cada uma das Fábricas de Cultura abaixo:

Fábrica de Cultura Vila Curuçá

  • Criação de Música para Cinema e Games

Datas: a partir de 02/03 até 02/04-  terças e quintas-feiras;
Horários:  das 14h às 17h;
Faixa Etária: a partir de 15 anos;
Educador: Rafael Vicole;
Vagas disponíveis: 16;

Fábrica de Cultura Sapopemba

  • Escrita Criativa a partir do livro “Clarice e as Mulheres”

Dias: a partir de 09/04 até 24/04 – sextas e sábados;
Horários: das 14h às 17h;
Faixa Etária: a partir de 13 anos;
Educador: Jô Freitas;
Vagas disponíveis: 20;

Fábrica de Cultura Itaim Paulista

  • Uma Trilha de Luz Para Espaços Cênicos

Dias:  a partir de 31/03 até 23/04 –  quartas e sextas;
Horários: das 14h às 16h;
Faixa Etária: a partir de 16 anos;
Educador: Deison Saraiva;
Vagas disponíveis: 25;

Fábrica de Cultura Parque Belém

  • Brinquedos Eletrônicos

Dias: a partir de 26/03 até 30/04 – sextas-feiras;
Horários: das 16h às 19h;
Faixa Etária: a partir de 14 anos;
Educadora: Amanda Cristina Maciel Pellini;
Vagas disponíveis: 24;

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

  • Narrativa Cinematográfica. Contando histórias com imagens em movimento

Dias: a partir de 27/02 até 24/04 – sábados;
Horários: das 14h30 às 16h30;
Faixa Etária: A partir de 12 anos;
Educador: Eduardo Joly;
Vagas disponíveis: 10;

  • Projeto Cultural: Por onde começar?

Dias: a partir de 26/02 – quartas e sextas;
Horários: das 19h30 às 21h30;
Faixa Etária: a partir de 16 anos;
Educadora: Alessandra Souza;
Vagas disponíveis: 16;

  • Teatro, Prosa e Samba no Feminino

Dias: a partir de 27/02 até 24/04 –sábados;
Horários:  das 09h30 às 11h30;
Faixa Etária: a partir de 16 anos;
Educadora: Cátia Pires;
Vagas disponíveis: 08;

Fábricas de Cultura realizam intensa programação de férias

Se depender das Fábricas de Cultura durante as férias a criançada não vai ficar parada. As unidades das zonas norte e sul da cidade terão oficina de dança do passinho, gincanas, workshop de danças urbanas e atividades sobre astrologia e zodíaco, além de atividades esportivas como campeonato de futebol, campeonato de videogame e oficina de futebol freestyle. Algumas brincadeiras precisam de inscrições prévias, que podem ser feitas na recepção ou na biblioteca de cada unidade.

O Campeonato de videogames na brasa acontecerá na própria Fábrica de Cultura Brasilândia, entre os dias 10 e 12, das 11h às 16h. O torneio tem quatro modalidades: futebol em dupla ou individual; e corrida em dupla ou individual. São disponibilizadas 20 vagas para cada categoria e as inscrições podem ser feitas a partir do dia 5. Os três melhores colocados em cada modalidade levam um troféu para casa. Basta se inscrever na recepção da unidade e jogar.

Nos dias 12, 13 e 20, das 15h às 18h, acontecerá o primeiro Campeonato de futebol de várzea de times infantis e juvenis da Brasilândia. Os times que participarão desta edição são Grêmio do Vista Alegre, Paraná e Tio San. No último dia será a entrega do troféu ao grupo campeão. A iniciativa é uma parceria da Fábrica de Cultura Brasilândia com o CEU PAZ, onde ocorrerá a maioria dos jogos.

Você sabe o que é astronomia? Sabe como funciona o sistema solar? A equipe de Planetários de São Paulo irá até a Fábrica de Cultura Brasilândia, no dia 23, para compartilhar com o público as últimas descobertas astrológicas e alguns dos trabalhos desenvolvidos no espaço sideral. Astronomia e histórias do universo será das 15h às 17h; basta chegar e aprender! No mesmo horário, acontecerá a atividade História dos zodíacos e o que é astrologia?, que será um bate-papo sobre signos e mapa astral. Durante muito tempo, povos de diversos lugares do mundo guiaram suas decisões com base nas posições estrelares e planetárias. Nessa roda de conversa, Marcelo Sowello, realizador da World Dragon Day SP 2018, e a astróloga Thaís Rebechi contarão como são feitas as previsões e o que a astrologia diz sobre o ano de 2019.

Outra atividade que a criançada não pode perder é Férias é futebol na Fábrica, que será nos dias 15 e 17, das 15h às 17h, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha. O campeonato de pelada é destinado para os maiores de 12 anos; para participar é só se inscrever. O time campeão vai levar para casa até troféu.

Quem gosta de dançar não pode perder a Zumba na Fábrica, que será às quartas-feiras, de 16 a 30, das 19h30 às 20h30. Além de ser um exercício festivo com mistura de ritmos de salsa, merengue, samba e axé, a zumba também traz benefícios a saúde de quem pratica, como a prevenção de doenças cardíacas. A atividade, que é aberta ao público, será na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Você sabe o que é futebol freestyle? É uma variante do futebol tradicional, em que um jogador realiza manobras com a bola, equilibrando-a em várias partes do corpo e fazendo sequências de movimentos. A proposta da oficina de futebol freestyle, que será no dia 16, é unir controle e criatividade, por meio de lições básicas. A atividade, que é livre, será na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, das 15h às 17h.

Ainda na zona norte da cidade, as crianças e os jovens poderão participar de uma atividade superdivertida com bambolês e bolas. A proposta da Gincana de pátio da escola é resgatar algumas brincadeiras de rua e da própria sala de aula para uma competição saudável e criativa. A atividade será no dia 22, às 15h, na Fábrica de Cultura Jaçanã. São oferecidas 25 vagas para maiores de 12 anos. Basta se inscrever na biblioteca e participar.

Nos dias 12 e 25, as Fábricas da zona sul comandarão a celebração do aniversário de São Paulo numa roda de samba e num encontro de dança. 

No sábado (12), das 17h às 20h, o grupo Samba na 2 tocará os grandes clássicos do ritmo em homenagem à metrópole, numa divertida roda de samba na rua. A Fábrica de Cultura Capão Redondo se fará presente ali, na esquina da Rua União dos Movimentos com a Rua Unidos Venceremos, para festejar com toda comunidade mais um ano de existência e de conquistas. O Samba dos 465 anos de São Paulo é livre e aberto ao público.

No dia 27, das 12h às 19h, o público poderá aprender algumas práticas das danças urbanas no workshop de dança Inter-ação com o grupo Interflow. Além disso, a iniciativa busca arrecadar roupas de frio para moradores de rua e instituições carentes.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís terá uma oficina de dança do passinho, aos domingos, de 13 a 27 – sempre das 14h às 17h. Toda comunidade está convidada para potencializar o movimento de dança da periferia com Edi Santos, integrante do grupo I’am Free Stylle, que ministrará as aulas. O passinho começou nas periferias do Rio de Janeiro no início dos anos 2000 e, hoje, já é um fenômeno até pelo mundo.

Já na sexta-feira (25), das 14h às 20h, a Fábrica de Cultura Jardim São Luís receberá o encontro anual de dança na zona sul da cidade. A proposta do evento Da ponte pra cá, nós dança – cujo nome é uma homenagem à música Da ponte pra cá, do grupo de rap Racionais MC’s – é reunir os grupos das periferias da zona sul de São Paulo para trocar experiências e vivências. Vai ter workshops e rodas de conversa, além de batalhas de dança de diferentes vertentes do hip hop.

 

Clique aqui e veja mais informações

no portal das Fábricas de Cultura!

Fase emergencial: programação online para curtir com a família

Instituições culturais do Governo têm programação virtual para toda família assistir de casa neste momento de isolamento social

Espaços e atividades culturais do Governo do Estado, como museus, bibliotecas, centros culturais, cinemas, casas de show e teatros, que estão desde o último sábado (6/3) fechados ao público, devem permanecer realizando apenas programação virtual, em princípio, até 30 de março. Para conhecer todo o roteiro cultural do Estado, acesse o site https://www.cultura.sp.gov.br/ ou a plataforma #CulturaEmCasa: www.culturaemcasa.com.br.

Confira algumas atividades online para aproveitar em casa:

Virada SP Online de Sertãozinho

Neste sábado, 13 de março, a plataforma #CulturaEmCasa transmite a 9ª #ViradaSPOnline de 2021. O evento, realizado em parceria com a cidade de Sertãozinho, vai apresentar ao público a diversidade cultural da cidade por meio de diversas atrações que poderão ser conferidas a partir das 12h até à 0h. Ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso serão realizados os shows do músico Erik Escobar, da cantora Mariana Aydar, da cantora e compositora Céu e da compositora Alzira E. O evento consolidou-se no calendário cultural do estado de São Paulo, reunindo grandes nomes de diferentes linguagens artísticas e divulgando a cultura local das cidades paulistas para todo Brasil.

São Paulo Companhia de Dança (SPCD)

O balé da SPCD traz no dia 19/3, às 18h, o espetáculo gravado em 2020  “Obra à la Carte – Gala Clássica”,  com versões criadas especialmente para a SPCD de trechos de balés como Grand Pas de Quatre, La Esmeralda, Giselle, Paquita e A Bela Adormecida, além de uma nova obra intitulada Bagatelle. Acesse: https://www.youtube.com/user/AudiovisualSPCD.

Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos

Para a criançada aproveitar o momento em família, a tradicional contação de histórias para incentivar a leitura e o desenvolvimento criativo, “Lê no Ninho”, das bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos é uma das opções. A atividade está na quarta temporada, com vídeos focados no livro infantil, trazendo luz aos autores com ilustrações e informações para toda família. Acontece aos domingos 14, 21 e 28 de março, às 11h, pelo Facebook das duas Bibliotecas BSP e BVL.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

No dia 22/3, das 19h às 20h, haverá o bate-papo “Segundas Intenções”, com Edney Silvestre, escritor, jornalista e dramaturgo ganhador do prêmio Jabuti e São Paulo de Literatura, ambos em 2019, pelo romance “Se eu fechar os olhos agora”. O encontro virtual será pelo Facebook da Biblioteca Parque Villa-Lobos e terá mediação de Manuel da Costa Pinto, que também é jornalista, escritor e crítico literário.

Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo 

Para quem quer estar mais atualizado com o universo livreiro o SISEB está com inscrições abertas para cursos online e gratuitos neste mês. São eles: Curso A Arte da Fala – sobre silêncios, escutas, dizeres, nos dias 16 e 18/3, das 15h às 17h30; Webinar Marketing em mídias sociais para bibliotecas – um olhar sobre o digital, no dia 25/3, das 15h às 17h, ministrado por Mayara Cabral; Bibliotecas digitais: acervos, plataformas e direitos autorais, no dia 30/3, das 15h às 17h. As vagas são limitadas e, para mais informações, acesse o site: www.siseb.sp.gov.br/agenda/ .

 

Casa Mário de Andrade

Exposição “Morada do Coração Perdido”, na Casa Mário de Andrade, revela a residência do autor e  pode ser conferida no site do espaço: https://casamariodeandrade.org.br/morada-coracao-perdido/#nicho2

Casa Guilherme de Almeida

O acervo do museu Casa Guilherme de Almeida também está disponível por tour virtual : https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/museu/visita-virtual.php  e faz parte do Google Art Project https://artsandculture.google.com/partner/casa-guilherme-de-almeida.  Dessa forma, possibilita uma visita virtual em todos os ambientes do museu

Catavento

No Catavento a dica são as exposições “Memória Catavento” https://artsandculture.google.com/exhibit/mem%C3%B3ria-catavento/GgISGO7C2FJ-KQ.       , que resgata a história do museu em seus quase 12 anos de existência, e “Paisagens do Universo”, que traz informações sobre os planetas https://artsandculture.google.com/exhibit/paisagens-do-universo/JwJyIUhr_ywLKA

Memorial da Resistência de São Paulo

A exposição de longa duração do Memorial da Resistência é composta pelo que restou do espaço carcerário do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo – Deops/SP, uma das polícias políticas mais truculentas do país. Em formato de vídeo, a visita educativa à exposição apresenta o histórico do edifício e realiza um passeio pelo espaço que é hoje musealizado, formado por 4 celas, o corredor principal e o corredor do banho de sol. Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=1nAKa3PMwWs&t=234s

 Museu da Imagem e do Som (MIS-SP)

Em parceria com o Google Arts & Culture, o MIS possui 5 exposições exclusivas do acervo (fotografias que constam da coleção do nosso Acervo) gratuitas.

Acesse:  https://www.mis-sp.org.br/exposicoes/list/virtual

MIS Experience

A versão digital da exposição Leonardo Da Vinci – 500 Anos de um Gênio, do MIS Experience, está com ingressos gratuitos até 28 de março.   Uma das seções de maior sucesso da exposição, “Segredos de Mona Lisa”, apresenta uma análise científica da pintura mais famosa do mundo realizada no Museu do Louvre por Pascal Cotte, renomado engenheiro, pesquisador e fotógrafo de obras de arte.  Acesse: www.exposicaodavinci500anos.com.br

 Museu Afro Brasil

O espaço possui 11 exposições virtuais sobre o acervo, que abarca diversos aspectos dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, a escravidão, entre outros temas ao registrar a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira. Acesse: https://artsandculture.google.com/partner/museu-afro-brasil

Museu da Casa Brasileira

A mostra “Uma reflexão sobre o habitat na pandemia” apresenta trabalhos de grandes artistas. Todas as obras foram criadas em audiovisual e também representaram o Brasil na semana de design holandês – DDW, em outubro de 2020 (única mostra brasileira do evento). Acesse: https://www.youtube.com/playlistlist=PLxzxgereCuri6c2AqnDANwZFtzhCSUlQn. Público pode conferir também ‘Casas do Brasil: Conexões Paulistanas’, em uma visita virtual sob o olhar do fotógrafo Marcos Freire em 94 subdistritos paulistanos e ainda apresenta curiosidades sobre a realização. Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=hU95JSIuhrM&t=100s

Museu da Diversidade Sexual

Já o Museu da Diversidade Sexual traz a primeira parte da exposição “Queerentena”, que  reúne trabalhos que apresentam questionamentos e inquietudes sobre olhar e pensar sobre si no atual período de reclusão. Estar em trânsito da margem, espaço de privação e resistência, para o centro possibilita uma maneira peculiar LGBTQI+ de compreender e sobreviver à realidade. Acesse: https://artsandculture.google.com/story/ogVBSUtYsMbBOw?hl=pt-br. Aproveita e confira também  “O Orgulho Ocupa a Rua”: https://artsandculture.google.com/story/3AXRpaSRRD5uUw?hl=pt-br

 Museu de Arte Sacra

A mostra “Imagens de Roca e de Vestir” com 37 obras do acervo do MAS/SP bem como da Arquidiocese de Sorocaba, Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, Catedral Metropolitana de São Paulo, Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte e da coleção Jack Luna, é uma excelente programação para quem gosta de arte sacra e moda. Acesse:  https://youtu.be/QeAsVwBVezg

Museu do Futebol

No Museu do Futebol “Mulheres, desobediência e resiliência” que aborda o decreto-lei de 14 de abril, que proibiu as mulheres brasileiras de jogarem certas modalidades que eram consideradas “incompatíveis” com o corpo feminino – o futebol entre elas – completa 80 anos. Disponível no Google Arts & Culture, conta as histórias de resistência daquelas mulheres que deram um jeito de seguir jogando bola. Acesse: https://artsandculture.google.com/exhibit/mulheres-desobedi%C3%AAncia-e-resili%C3%AAncia/6wLC5AmNJU9-Jw

Pinacoteca de São Paulo

Quem deseja conhecer um pouco mais da coleção e acervo da Pina, esse é o momento de fazer o tour virtual. Acesse:  https://www.portal.iteleport.com.br/tour3d/pinacoteca-de-sp-acervo-permanente/ . Para quem ainda não conferiu a mostra dos artistas OSGEMEOS ou quer conferir uma visita guiada em vídeo direcionada para educadores apresentando a exposição “OSGEMEOS: Segredo”, confira: https://www.youtube.com/watch?v=_fRTGMnZ3xk

Museu Casa de Portinari (Brodowski/SP)

Já que não dá para conhecer ou rever o Museu do mestre Portinari, em Brodowski, que tal dar aquela espiada na exposição virtual “Pôr do Sol de Brodowski”, que traz à cena o céu da cidade, que acompanhou Portinari em toda a sua existência, sob o olhar do fotógrafo Leandro Lé: https://www.museucasadeportinari.org.br/exposicao-pordosol-de-brodowski/

Museu do Café (Santos/SP)

Aos amantes do café, a dica é mostra “Design Espresso”, realizada em parceria com o Museo della Macchina per Caffè (MUMAC), sediado em Milão, a exposição virtual retrata as transformações técnicas e estéticas pelas quais esses utensílios passaram desde sua origem, até a década de 1970. Acesse: https://artsandculture.google.com/exhibit/design-espresso/hgLiplh4OeKBJg. A outra opção é a “Café Árabe, um símbolo de generosidade”, com  falas de imigrantes, curiosidades sobre os hábitos de consumo nessa região – e as suas similaridades em relação aos costumes brasileiros, confira: https://artsandculture.google.com/exhibit/caf%C3%A9-%C3%A1rabe-um-s%C3%ADmbolo-de-generosidade/swLytbyhVrheKw

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro (Campos do Jordão/SP)

A exposição “Olhares de (re)existência” parte do processo criativo que levou os participantes a investigarem as emoções e os sentimentos vivenciados criando novo significado no encontro com o coletivo. Confira o olhar do fotógrafo Jonathan Bulho nesta mostra: https://www.museufelicialeirner.org.br/exposicao-olhares-de-re-existencia/. Outra dica  é “Céus de Felícia”, do fotógrafo Rafael Manfrini Rega com paisagens naturais do Museu e seu entorno: https://www.museufelicialeirner.org.br/exposicao/ceus-de-felicia/  ou ainda um tour virtual pelo Museu: https://www.museufelicialeirner.org.br/visita-virtual/

Museu Índia Vanuíre (Tupã/SP)

O Museu Índia Vanuíre traz a mostra “Ancestralidade, cultura e tradições em tempos de pandemia”, que convida o público a conhecer os modos de viver, saber e cuidar dos povos indígenas Kaingang, Krenak, Terena e Guaraní Nhandewa, habitantes das Terras Indígenas Vanuíre, Icatu e Araribá, todas localizadas no Oeste paulista, bem como as expressões de suas culturas na contemporaneidade. Acesse: https://museuindiavanuire.org.br/ancestralidade-cultura-e-tradicoes-em-tempos-de-pandemia/ . Para conhecer um pouco da cultura indígena a dica é a mostra “A dança como representação das culturas indígenas”, realizada em parceria com Kaingang e Krenak da Terra Indígena Vanuire: https://museuindiavanuire.org.br/a-danca-como-representacao-da-cultura-kaingang-na-terra-indigena-vanuire/  e um tour pelo espaço museológico: https://museuindiavanuire.org.br/visite-o-museu/visita-virtual/

Festa do Divino e suas celebrações regionais invadem o palco do Revelando

Fanfarras, violas caipira e caiçara, sapateado e cortejos. Manifestações artísticas folclóricas de todo o estado se apresentarão durante o Revelando São Paulo 2017, maior e mais importante festival de cultura tradicional paulista.

(mais…)

Festival Canta SP: inscrições prorrogadas até 20 de novembro

Devido à alta procura, inscrições podem ser feitas até o dia 20 de novembro

Vencedor será premiado com a gravação de um videoclipe profissional

Comissão julgadora é formada por João Marcello Bôscoli, Sérgio Britto, Paula Lima e Felipe Machado (mais…)

Fevereiro não tem só Carnaval: tem teatro, oficinas, exposições e concertos também!

PARA FUGIR DO CARNAVAL

(mais…)

Governo abre inscrições para concessão do Casarão Franco de Mello

Imóvel localizado na Avenida Paulista, da década de 1905, deverá abrigar o novo Museu da Gastronomia do Estado de São Paulo. Os pedidos de autorização e inscrições dos projetos devem ser realizados até 2/8

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa e a Secretaria de Projetos, Orçamento e Gestão do Estado de São Paulo lançaram na última sexta-feira, 16 de julho, um chamamento público para a realização de estudos para a concessão pela iniciativa privada do Palacete Joaquim Franco de Mello, mais conhecido como Casarão Franco de Mello, que inclui modernização, restauro e manutenção. O objetivo é revitalizar o palacete, visando sua ocupação de acordo com as diretrizes previstas no Edital de Chamamento Público e prevendo a realização do Museu da Gastronomia do Estado de São Paulo. Interessados podem se inscrever até 2/8 e acessar no site Plataforma Digital de Parcerias os regulamentos, conforme publicação no Diário Oficial do Estado de São Paulo de sexta-feira.

 

Casarão Franco de Mello

Localizado na Avenida Paulista, número 1919, na região central da cidade de São Paulo, o Casarão foi construído em 1905 e é obra do construtor português Antônio Fernandes Pinto. Com uma fachada de arquitetura eclética, com influências francesas do período de Luís XV, a área do terreno é de 2.000,00m². Há a possibilidade de se edificar um novo anexo com até 3.130,00m², perfazendo um total de área construída de 4.000,00m². O imóvel é tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP).

Governo de São Paulo determina fechamento de espaços culturais e estuda medidas de estímulo e recuperação do setor

Instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa terão funcionamento suspenso a partir de terça-feira (17); recomendação é que o mesmo seja aplicado em instituições privadas; Governo estadual criou grupo de trabalho para discussão de medidas de incentivo e redução de danos ao setor

(mais…)

Governo de SP firma acordo para novo espaço imersivo e interativo na Avenida Paulista

Implantação ficará a cargo da CNI, por meio do Sesi nacional, em terreno do Governo do Estado

(mais…)

Governo de SP inaugura MIS Experience com exposição sobre Da Vinci

Museu da Imagem e do Som ganha novo espaço voltado para experiências imersivas e interativas e homenageia gênio do Renascimento

(mais…)

Governo do Estado de São Paulo garante R$ 100 milhões para ProAC ICMS em 2018

Resolução da Secretaria da Fazenda, formalizando a liberação, foi publicada hoje (6/4) no Diário Oficial do Estado

O ProAC ICMS – uma das vertentes do programa de incentivo à cultura do Governo do Estado de São Paulo – terá R$ 100 milhões assegurados em 2018 para o apoio a projetos culturais paulistas. A Resolução da Secretaria da Fazenda, formalizando a liberação, foi publicada hoje, 6 de abril, no Diário Oficial do Estado. O valor é o mesmo dos dois anos anteriores – uma boa notícia, diante da queda da arrecadação de impostos provocada pela crise econômica nacional.

Esta vertente do programa funciona por meio de patrocínios incentivados: os artistas e produtores apresentam projetos para a Secretaria da Cultura e passam pela avaliação da Comissão de Análise de Projetos (CAP), que é autônoma. Caso sejam aprovados, recebem autorização para captar patrocínio junto a empresas que recolhem ICMS no território paulista. Além de poder associar suas marcas aos projetos culturais, as empresas patrocinadoras recebem de volta o valor investido na forma de descontos no ICMS devido.

Desde que foi criado, em 2006, o ProAC ICMS já acumula mais de R$ 1,28 bilhão repassados a projetos culturais paulistas. Só no ano passado, o ProAC ICMS teve 1.446 projetos aprovados para captação de recursos; ao longo de sua história, já são mais de 8.600.

Governo do Estado decreta isenção de imposto para obras da SP-Arte

Decisão tem como objetivo estimular o mercado de obras de arte e a geração de renda e emprego

(mais…)

Grátis em Campos do Jordão: colorido e premiado, Cia. Noz de Teatro apresenta o espetáculo POP

Criação da Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação leva estética do Pop art ao universo infantil

A Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação realiza apresentação gratuita do espetáculo POP em Campos do Jordão no domingo, 15 de abril, às 11h00, no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo geridas pela ACAM Portinari. A peça é destinada ao público de todas as idades. Após a apresentação, às 14h00, o grupo oferece um workshop voltado, preferencialmente, a estudantes de artes.

O espetáculo faz referência a obras-chave do movimento artístico conhecido por Pop art – como Latas de Sopa Campbell (1962), de Andy Warhol –, que surgiu na Inglaterra e nos Estados Unidos na segunda metade da década de 1950, e se apropria dos seus elementos estéticos.

A crítica à cultura de massas, outro traço fundamental do Pop art, está presente no espetáculo na forma de uma narrativa sobre uma dona de casa bombardeada pelas mensagens publicitárias que surgem na tela de sua televisão – mas de forma leve e acessível a todas as idades, por meio da dança, animação de objetos e manipulação de bonecos.

Foto: Espetáculo POP 2018

Anie Welter, diretora do espetáculo, conta que os signos estéticos da Pop art se aproximaram harmoniosamente da pesquisa do grupo, na qual objetos desempenham um papel importante. Cenário, adereços e até parte do figurino compartilham da mesma matéria-prima: o papelão.

“Observamos que muitas crianças, ao ganhar um brinquedo, acabam brincando por alguns segundos com ele e muitas horas com a embalagem. Diante disso, e com muito papelão reciclado, confeccionamos o cenário com vinte e quatro cubos de papelão pintados em todos os seis lados, que se transformam nos mais diferentes cenários, desde um caminhão até uma cozinha”, explica.
12495175_10201349970149294_4278123004029579147_n
Anie Welter
Diretora

Foto: Espetáculo POP 2018

Além de muitas formas e cores, o espetáculo é repleto de músicas que dão ritmo e garantem a animação do público de todas as idades do início ao fim. A trilha da peça, composta por Dr Morris, foi vencedora do prêmio FEMSA de 2012 (atual Prêmio São Paulo de Teatro Infantil e Jovem) na categoria Melhor Música Originalmente Composta.

POP estreou em 2011 e integra o repertório da Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação desde então.  Contemplado pelo ProAC Circulação, além de Campos do Jordão, o espetáculo já passou por Caraguatatuba e Jundiaí, e será apresentado em mais três cidades do estado de São Paulo: Atibaia, Praia Grande e Itatiba.

Ficha técnica
Criação: Anie Welter, Rafael Petri, Renata Andrade, Paulo Henrique Alves, Sheyla Coelho e Cida Sena
Direção Geral: Anie Welter
Trilha Sonora: Dr Morris
Produção Musical: Yvo Ursini
Cenários, figurinos, adereços e bonecos: Renata Andrade e Anie Welter
Iluminação: Rafael Petri
Elenco: Lais Trovarelli,  Jota Rafaelli,  Luciana Venancio e Rafael Bolacha
Fotos: Felipe Lwe e Fellipe Oliveira
Produção: Luciana Venancio

Workshop de formas animadas: o corpo do artista manipulador

Objetivo:

Introduzir os participantes, de forma lúdica, ao universo da manipulação de bonecos e objetos. Vivência de jogos corporais, de voz, manipulação e dramaturgia.
A oficina será focada na criação de cenas por meio de técnicas de improvisação e na relação corporal do intérprete com objetos e bonecos, de modo a transformar e ressignificar os materiais do cotidiano e suas possibilidades cênicas. No dia 15/04, às 14h00. Com entrada gratuita necessária apenas inscrição pelo formulário disponível em: https://bit.ly/pop-camposdojordao.

Heitor Werneck promove cortejo contra o preconceito na sede da Secretaria

Ação será no dia 30 de novembro, no Complexo Júlio Prestes; objetivo é chamar atenção para o preconceito e a intolerância

(mais…)

Hora do Conto tem programas especiais nas bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos em dezembro

Tradicional programa de contação de histórias para incentivar a leitura e o desenvolvimento criativo, a Hora do Conto tem uma participação especial na programação de dezembro das bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos. Com a participação da Cia. Mapinguary e da CIA – Companhia de Investigação do Ademir, serão realizadas quatro atividades online ao longo do mês.

A BSP e a BVL são equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, geridas pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo terceiro ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.

A Cia. Mapinguary, que atua desde o ano 2000, pilota o Hora do Conto Interativa nas duas bibliotecas. No sábado, dia 5, na BSP, o grupo conta a história “Nanana bo Sele Sele”, conto tradicional da cultura africana. No sábado, dia 12, na BVL, os contadores narram a famosa “Festa no céu”. As inscrições estão abertas. Detalhes abaixo, no serviço.

Fundada em 2000 por Carlos Godoy, a Cia. Mapinguary tem como objetivo compartilhar o universo das histórias, lendas, contos populares e literatura infantil. Em são Paulo, atua desde 2012 nos projetos Hora do Conto e Domingo no Parque na BSP e BVL.

A CIA – Companhia de Investigação do Ademir fica responsável pelo Hora do Conto em Libras, que acontece também nas duas bibliotecas. No dia 19, na BSP, a companhia traz em Libras e em português “O Bicho Manjaléu”, conto da tradição oral brasileira. Uma semana depois, no dia 26, na BVL, é a vez de os contadores narrarem “A Princesa de Jericoacoara”, conto popular do Nordeste. Detalhes sobre as inscrições no serviço abaixo.

A CIA – Centro de Investigação do Ademir desenvolve e investiga as pesquisas que o artista Ademir Apparício pratica como o Teatro Físico, Palhaçaria, Mímica, Produção Cultural, Contação de Histórias e Culturas Populares.

Os programas Hora do Conto em Libras fazem parte do Festival sem Barreiras 2020, de 7 a 13 de dezembro, promovido pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. Saiba mais em: https://www.festivalsembarreiras.prefeitura.sp.gov.br.

As vagas são limitadas:

BSP – Hora do Conto Interativa – Nanana bo Sele Sele, conto tradicional oral africano. Com Cia. Mapinguary. Sábado, 5 de dezembro, das 16h às 16h45. Inscrições abertas: www.bsp.org.br/inscricao.

BVL – Hora do Conto Interativa – Festa no Céu, conto da tradição oral. Com Cia. Mapinguary. 12 de dezembro, das 16h às 16h45. Inscrições abertas: www.bvl.org.br/inscricao.

BSP – Hora do Conto em Libras – O Bicho Manjaléu, conto da tradição oral brasileira. Com CIA – Companhia de Investigação do Ademir. Sábado, 19 de dezembro, das 16h às 16h45. Inscrições abertas: www.bsp.org.br/inscricao.

BVL – Hora do Conto em Libras – A Princesa de Jericoacoara, conto popular da região nordeste do Brasil. Com CIA – Centro de Investigação do Ademir. Sábado, 26 de dezembro, das 16h às 16h45. Inscrições a partir de 7 de dezembro: www.bvl.org.br/inscricao.

HORIZONTES – CERVEJA & SOM

Completa a programação do Horizontes – Cerveja & Som uma palestra sobre o mercado cervejeiro, grafite ao vivo com as artistas Simone SiSS, Katia Lombardo, Mariana Jorge e Ju Violeta e gastronomia (mais…)

Imóvel em São Bernardo do Campo abrigará primeira Fábrica de Cultura modelo 4.0

Área transferida ao Estado terá unidade com novos equipamentos e espaços voltados à inovação e ao desenvolvimento de tecnologias

(mais…)

Inscrições abertas para o SP Gastronomia

Estão abertas as inscrições para participação no SP Gastronomia, programa que vai reunir, de 1º a 31 de outubro, mais de 200 atividades relacionadas ao setor em todas as regiões do Estado, com o intuito de instaurar o Mês da Gastronomia no calendário de São Paulo e estimular, além do segmento, a economia criativa e o turismo.

Eventos gastronômicos podem aderir ao calendário através do e-mail spgastronomia@sp.gov.br, seguindo o regulamento abaixo.

Para bares e restaurantes, a adesão é automática. Basta preencher o formulário no site spgastronomia.sp.gov.br destacando um prato promocional.

Download do regulamento e termo de compromisso:

Comunicado – SP Gastronomia

Termo de Compromisso

Inscrições para processo seletivo para integrar comissões do ProAC abrem dia 24/12

No dia 24/12 estarão abertas as inscrições para entidades, movimentos e fóruns  e assemelhados artístico-culturais que desejam participar do processo de seleção das comissões julgadoras dos 47 Editais do ProAC nos segmentos: Teatro, Artes Cênicas, Dança, Circo, Festivais, Artes visuais,  Museus, Arquivos, Musica, Cultura e Cidadania, Literatura, Multidisciplinar e Audiovisual.  Até o dia 06/02/2019, as instituições sediadas no estado de São Paulo e com atuação em mais de uma região do estado podem participar da seleção. Inscrições para entidades, movimentos,fóruns e assemelhados devem ser feitas exclusivamente pelo email: comproac@sp.gov.br de acordo com o preenchimento do anexo 1 e anexo 2 abaixo disponibilizado e conforme a orientação da Resolução SC 123 de 19/12/2018. Após a efetivação do cadastro, será possível indicar até três profissionais para o segmento/Edital que possua atuação. Entidades que representem legalmente seus integrantes em contratos da Secretaria da Cultura do Estado, como as cooperativas, não devem indicar membros de sua diretoria executiva.

No Anexo 1 deve constar uma breve descrição das atividades, a região de atuação, telefone e e-mail de contato da Entidade, do Movimento, do Fórum ou Assemelhados, e:

No Anexo 2 as indicações de até 03 profissionais para o segmento/Edital, com comprovada experiência no segmento/edital para o qual for indicado;

As indicações não garantem a inclusão automática nas comissões. A seleção final das comissões julgadoras, que contam com cinco membros cada, será feita pelo Secretário da Cultura do Estado. O membro que for selecionado para fazer parte da comissão de seleção de projetos não poderá ser proponente do edital 2019 que selecionado para ser jurado, conforme determinado na Resolução 123 de 19 de dezembro de 2018.

Acesse aqui a Resolução 123


Anexo 1


Anexo 2

Inscrições 2019

Retificação

Inscrições para programas de fomento à cultura do Governo do Estado de São Paulo terminam em julho

ProAC Expresso Direto e ProAC Expresso Editais somam R$ 160 milhões no total de R$ 200 milhões, investimento recorde 13% superior ao ano passado  

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que o período de inscrições de projetos nos programas de fomento ProAC Expresso Direto e ProAC Expresso Editais termina neste mês de julho.  Os dois representam R$ 100 milhões (Direto) e R$ 60 milhões no total de R$ 200 milhões disponibilizados neste ano pelo Governo. Este valor recorde irá contemplar 9.340 mil projetos de artistas, produtores culturais e prefeituras. Os interessados podem acessar o site do ProAC para conhecer os regulamentos e fazer a inscrição.  

Nesta quinta-feira, 1° de julho, às 17h, ocorreu a última edição do Balcão tira-dúvidas Proac no YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Nessa ocasião, a equipe técnica da Unidade de Fomento à Cultura respondeu em tempo real os questionamentos dos internautas. Durante o mês de junho, o Balcão tira-dúvidas foi realizado às terças e quintas, às 17h. Osatendimentos foram gravados e podem ser consultados na playlist Proac 2021.   

Investimento recorde 

Com o investimento de R$ 200 milhões nos programas de fomento ProAC Expresso Editais 2021, ProAC Expresso Direto, Proac LAB e Juntos pela Cultura 2021, o Governo registra um aumento  de 13% em comparação ao liberado no ano passado, de R$ 177,2 milhões.  

Um desses programas é #JuntosPelaCultura que encerrou as inscrições em maio com recorde de participação. Houve um aumento de 124% das propostas inscritas por municípios e artistas: foram 2.612 este ano, contra 1.165 em 2020. O valor destinado também aumentou. Foram RS 10,6 milhões em 2021, um número 45% maior do que o investido em 2020, quando foram disponibilizados R$ 7,3 milhões. O #JuntosPelaCultura foi criado em 2019 com o objetivo de unir estado, prefeituras e segmentos artísticos a fim de fomentar a difusão cultural. Uma das ações promovidas pelo programa é a #ViradaSP Online, que conta com um investimento de R$ 4 milhões para realizar uma maratona com apresentações artísticas de linguagens diversas. 

O aporte nessas frentes de fomento cultural está sendo feito para estimular a retomada das atividades culturais e criativas, fortemente impactadas pela crise gerada pela pandemia do coronavírus, e incentivar a geração de renda, emprego e desenvolvimento.  A Secretaria estima gerar 138 mil postos de trabalho e um impacto econômico de R$ 300 milhões.  

“Esses investimentos resultam do compromisso que o governador João Doria tem com a cultura, que encaramos como um front de desenvolvimento, de geração de renda e emprego, de alegria, de felicidade. O Governo de São Paulo reafirma esse comprometimento com a economia criativa e a valorização da arte e da cultura”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão.  

 

ProAC Expresso Direto 

O ProAC Expresso Direto, que neste ano substitui o ProAC Expresso ICMS, de incentivo fiscal à cultura, mantém o mesmo valor de investimento de R$ 100 milhões, e o mesmo perfil do anterior, com parâmetros e ritos semelhantes, mas com o recurso chegando mais rapidamente ao proponente. São quatro linhas: Projetos Aprovados no ProAC ICMS com Recursos Captados em 2020 e 2019; Projetos Sem Captação no ProAC ICMS; Prêmio para Profissionais do Setor Cultural e Criativo e Prêmio para Espaços Culturais e Criativos. Em 2022, o ProAC ICMS voltará, por decisão do governador João Doria.  

 

ProAC Expresso Editais 

O ProAC Expresso Editais registra este ano o valor recorde de R$ 60 milhões, sendo R$ 49,84 milhões para projetos que serão selecionados em 2021, R$ 7,1 milhões para as segundas parcelas dos projetos selecionados em 2020 e R$ 2,1 milhões para o pagamento dos 175 profissionais que formarão as comissões de seleção e demais custos administrativos. 

São 36 linhas, entre elas três novas: uma voltada para projetos relacionados ao Centenário da Semana de 22, outra para propostas relativas ao Bicentenário da Independência do Brasil e, por fim, uma para primeiras obras de artistas iniciantes. Outro destaque vai para os editais que contemplam ações locais em favelas e periferias, grupos coletivos, espaços culturais, organizações sociais e corpos estáveis de comunidades. 

 

Impactos da pandemia 

Segundo pesquisa do Itaú Cultural, a economia criativa perdeu 458 mil postos de trabalho formais e informais entre o quarto trimestre de 2019 e o quarto de 2020, devido aos impactos da pandemia da Covid-19. De outubro a dezembro de 2019, havia 7.137.912 indivíduos trabalhando no segmento. Nos mesmos três últimos meses do ano seguinte, o número caiu para 6.679.994, uma retração de 6,4%. De acordo com a FGV, em 15 meses de paralisação, a perda é equivalente a 1,7% do PIB estadual.  

 

Veja as datas de encerramento dos períodos de inscrição de cada edital

  • 5 de julho 

ProAC N° 01/2021 

ProAC Nº 02/2021 

ProAC Nº 03/2021 

ProAC Nº 04/2021 

ProAC Nº 05/2021 

ProAC Nº 38/2021 

 

  • 6 de julho 

ProAC Nº 07/2021 

ProAC Nº 08/2021 

ProAC Nº 09/2021 

ProAC Nº 10/2021 

ProAC Nº 11/2021 

ProAC Nº 37/2021  

  • 7 de julho 

ProAC Nº 06/2021

ProAC Nº 12/2021 

ProAC Nº 13/2021 

ProAC Nº 14/2021 

ProAC Nº 15/2021 

ProAC Nº 16/2021 

ProAC Nº 17/2021 

ProAC Nº 18/2021 

 

  • 8 de julho 

ProAC Nº 19/2021 

ProAC Nº 20/2021 

ProAC Nº 21/2021 

ProAC Nº 22/2021 

ProAC Nº 23/2021 

ProAC Nº 24/2021 

ProAC Nº 25/2021 

ProAC Nº 26/2021 

 

  • 12 de julho 

ProAC Nº 28/2021 

ProAC Nº 29/2021 

ProAC Nº 30/2021 

ProAC Nº 31/2021 

ProAC Nº 32/2021 

ProAC Nº 33/2021

 

  • 13 de julho 

ProAC Nº 36/2021; 

ProAC Nº 35/2021; 

ProAC Nº 34/2021 

 

  • 14 de julho 

ProAC Nº 27/2021 

ProAC Nº 39/2021 

ProAC Nº 40/2021 

 

ProAC Expresso Editais 2021 

 – Total de R$ 60 milhões 

– 36 linhas 

– R$ 7,1 milhões para segundas parcelas de 2020 

– R$ 49,84 milhões para novas linhas 

– R$ 2,1 milhões para pagamento de comissões e custos administrativos 

– Início das inscrições: 18/05 (bloco 1) e 25/05 (bloco 2) 

 

Linhas 

1 – Teatro / Produção (presenciais e/ou online)

R$ 3,45 milhões 

R$ 75 mil ou R$ 150 mil por projeto 

 2 – Teatro / Circulação

R$ 1,05 milhão 

R$ 75 mil por projeto 

3 – Teatro / #CulturaEmCasa (filmagem e licenciamento sem exclusividade de espetáculos para exibição online)

 R$ 1 milhão 

R$ 25 mil ou R$ 50 mil por projeto 

4 – Dança / Produção (presenciais e/ou online)

R$ 1,5 milhão 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 

5 – Dança / Circulação

R$ 525 mil 

R$ 75 mil por projeto 

 

6 – Dança / #CulturaEmCasa (filmagem e licenciamento sem exclusividade de espetáculo com exibição online) 

R$ 475 mil 

R$ 25 mil ou R$ 50 mil por projeto 

7 – Público Infanto-Juvenil / Produção (presenciais e/ou online)

R$ 1,5 milhão 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

8 – Público Infanto-Juvenil / Circulação

R$ 525 mil 

R$ 75 mil por projeto 

 

9 – Público Infanto-Juvenil /#CulturaEmCasa (filmagem e licenciamento sem exclusividade de espetáculos com exibição online)

R$ 475 mil 

R$ 25 mil ou R$ 50 mil por projeto 

 

10.1 – Circo / Produção / Grupos (presenciais e/ou online)   

R$ 1 milhã 

R$ 50 mil por projeto 

10.2 – Circo / Produção / Artistas Individuais ou Duplas (presenciais e/ou online) 

R$ 500 mil  

R$ 25 mil por projeto 

11 – Circo / Produção e Manutenção / Lona

 R$ 750 mil 

R$ 75 mil por projeto 

12 – Circo / #CulturaEmCasa (filmagem e licenciamento sem exclusividade de espetáculos para exibição online)

 R$ 250 mil 

R$ 25 mil ou R$ 50 mil por projeto 

13 – Artes Visuais / Produção (presenciais e/ou online)   

R$ 1,5 milhão 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

14 – Artes Visuais / Circulação

R$ 525 mil 

R$ 75 mil por projeto 

15 – Artes Visuais / #CulturaEmCasa (produção e licenciamento sem exclusividade de exposições virtuais) 

R$ 475 mil 

R$ 25 mil ou R$ 50 mil por projeto 

16 – Música / Gravação

R$ 3,45 milhões 

R$ 100 mil ou R$ 150 mil por projeto 

17 – Música / Circulação 

R$ 1,05 milhão 

R$ 75 mil por projeto 

18 – Música / #CulturaEmCasa (filmagem e licenciamento sem exclusividade de espetáculos para exibição online)

R$ 1 milhão 

R$ 25 mil ou R$ 50 mil por projeto 

19.1 – Literatura / Ficção

R$ 750 mil 

R$ 50 mil por projeto 

 19.2 – Literatura / Não-ficção

R$ 500 mil 

R$ 50 mil por projeto 

 

19.3 – Literatura / Poesia

R$ 250 mil 

R$ 50 mil por projeto 

 

19.4 – Literatura / Teatro

R$ 250 mil 

R$ 50 mil por projeto 

 20 – Literatura / Histórias em Quadrinhos

R$ 750 mil  

R$ 50 mil por projeto 

 

21.1 – Incentivo à Leitura

R$ 500 mil 

R$ 50 mil por projeto 

 

21.2 – Estudos e Pesquisas Culturais 

R$ 250 mil 

R$ 50 mil por projeto 

 

22.1 – Audiovisual / Complemento para Produção de Longas e Séries / Ficção e Animação

R$ 2 milhões 

R$ 400 mil por projeto 

 

22.2 – Audiovisual / Complemento para Produção de Longas e Séries / Documentário

R$ 1 milhão 

R$ 200 mil por projeto 

 

23.1 – Audiovisual / Complemento para Finalização de Longas e Séries / Ficção e Animação

R$ 2 milhões 

R$ 200 mil por projeto 

 23.2 – Audiovisual / Complemento para Finalização de Longas e Séries / Documentário

R$ 1 milhão 

R$ 100 mil por projeto 

 

24.1 – Audiovisual / Desenvolvimento de Longas e Séries / Ficção e Animação

R$ 2 milhões 

R$ 200 mil por projeto 

 

24.2 – Audiovisual / Desenvolvimento de Longas e Séries / Documentário

R$ 1 milhão 

R$ 100 mil por projeto 

25 – Audiovisual / Produção de Curtas 

R$ 1,25 milhã 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 

26 – Audiovisual / Produção de Games e AR/VR

R$ 1,25 milhão  

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 27.1 – Audiovisual / #CulturaEmCasa (licenciamento sem exclusividade de longas para exibição online)

R$ 850 mil 

R$ 25 mil por projeto 

27.2 – Audiovisual / #CulturaEmCasa (licenciamento sem exclusividade de curtas para exibição online)

R$ 150 mil 

R$ 3 mil por projeto 

 

28 – Museus e Acervos / Reforma, Ampliação e Modernização

R$ 2 milhões 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 

29 – Cidadania / Cultura Popular, Caiçara, Indígena e Quilombola

R$ 1,75 milhão 

R$ 50 mil por projeto 

 

30 – Cidadania / Cultura LGBTQIA+

R$ 1,75 milhão 

R$ 50 mil por projeto 

 

31 – Cidadania / Cultura Negra, Urbana e Hip Hop

R$ 1,75 milhão 

R$ 50 mil por projeto 

 

32 – Ações Locais / Interior / Pontal do Parapanema, Vale do Ribeira e Baixada Santista 

R$ 2 milhões 

R$ 25 mil por projeto 

 33.1 – Ações Locais / Favelas e Periferias / Produção, Difusão,  Capacitação e Eventos (presenciais e/ou online) 

R$ 1 milhão 

R$ 25 mil por projeto 

 33.2 – Ações Locais / Favelas e Periferias / Manutenção de Corpos Artísticos Estáveis

 R$ 2 milhões 

R$ 100 mil por projeto 

 34 – Mostras, Festivais, Mercados e Eventos Culturais e Criativos

(presenciais e/ou online) 

R$ 5,25 milhões 

R$ 75 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 

35.1 – Projetos Culturais / 100 Anos da Semana de Arte Moderna de 1922

 R$ 1,5 milhão 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 

35.2 – Projetos Culturais / 200 Anos da Independência do Brasil

R$ 1,5 milhão 

R$ 50 mil ou R$ 100 mil por projeto 

 

36 – Primeiras Obras / Artistas Iniciantes 

R$ 1,5 milhão 

R$ 50 mil por projeto 

 

ProAC Expresso Direto 2021 

– Total de R$ 100 milhões 

– R$ 66 milhões para novos projetos 

– R$ 17 milhões para profissionais do setor cultural e criativo 

– R$ 14 milhões para espaços culturais e criativos 

– R$ 3 milhões para pagamento de comissões e custos administrativos 

– Início das inscrições: 18/05 (Linhas 1 e 2) e 25/05 (Linhas 3 e 4) 

 

Linhas 

Linha 1 – Projetos Aprovados no ProAC ICMS com Recursos Captados em 2020 e 2019

Valor Total: R$ 33 milhões 

Tetos: R$ 500 mil / R$ 250 mil / R$ 125 mil 

Linha 2 – Projetos Sem Captação no ProAC ICMS 

Valor Total: R$ 33 milhões 

Tetos: R$ 500 mil / R$ 250 mil / R$ 125 mil 

 

Linha 3 – Prêmio para Profissionais do Setor Cultural e Criativo 

Valor Total: R$ 17 milhões 

Valor por prêmio: R$ 5 mil 

 

Linha 4 – Prêmio para Espaços Culturais e Criativos 

Valor Total: R$ 14 milhões 

Valor por prêmio: R$ 150 mil ou R$ 50 mil 

Jazz Sinfônica apresenta-se no Memorial da América Latina com o especial “Animais em Concerto”

Evento é iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo em homenagem ao aniversário de 10 anos da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais.

A Orquestra Jazz Sinfônica de SP realizará no dia 1º de dezembro, às 20h30, o espetáculo musical “Animais em Concerto”, no Memorial da América Latina – auditório Simon Bolívar, em São Paulo. O evento é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria da Cultura do Estado, com o apoio do Instituto Eu Causo. Acontece em comemoração aos 10 anos da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais, a primeira agência de notícias do setor no mundo.

A Jazz Sinfônica fará uma apresentação preparada especialmente para a data, interpretando temas de filmes famosos protagonizados por animais que emocionaram plateias em todo o mundo. O público terá a oportunidade de relembrar temas de filmes como O Rei Leão, Free Willy, Babe, Beethoven, Marley e Eu, Hachiko: Sempre ao Seu Lado, entre outros. O maestro Fábio Prado será o regente dos arranjos produzidos pelos musicistas Rodrigo Morte, Douglas Fonseca, Ruriá Duprat, Tiago Costa, Yuri Prado e Nelson Ayres.

“A cultura é uma ferramenta poderosa e única em sua capacidade de sensibilizar, mudar comportamentos e ampliar visões de mundo”, afirma o Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello. “E é essa sensibilização para a mudança de visão que perseguimos ao apoiar ações relacionadas à causa animal, como foi o Seminário Internacional ‘Presente e Futuro do Direito dos Animais’, realizado com muito sucesso em agosto pela ANDA e a Secretaria de Cultura e, agora, este espetáculo especial da Jazz Sinfônica, somente com temas de filmes com animais”.

Exposição paralela

Antes do início do evento, no foyer, haverá a exposição do ensaio de fotos “Sem casa mas não sem amor”, do fotógrafo Alexandre Suplicy. As imagens retratam a relação de cumplicidade existente entre moradores de rua e seus cachorros. “A minha ideia é mostrar que essas pessoas, mesmo não tendo quase nada, compartilham o que tem com seus companheiros peludos. Não só comida, mas cuidado e amor também. É incrível como o homem e o cão, mesmo na miséria, constroem uma relação verdadeira” conta o fotógrafo.

A ANDA

A Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA) é uma organização não governamental, fundada em 2008 pela jornalista Silvana Andrade, que revolucionou a forma como os animais são tratados tanto pela imprensa tradicional como por todas as instituições da sociedade. Nesses 10 anos, a agência publicou mais de 90 mil matérias e reportagens exclusivas e trouxe à luz histórias emblemáticas como o caso da serial killer de animais Dalva Lina, o desaparecimento do cão Pinpoo pela companhia aérea Gol e o assassinato da yorkshire Lana.

A Orquestra

A Jazz Sinfônica de São Paulo foi criada em 1989 e é um dos corpos artísticos estáveis mantidos pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura. Com formação singular, a orquestra une os moldes eruditos da música a uma big band de jazz, tendo como proposta dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira e universal. Com cerca de 90 integrantes no momento, se apresentou pela primeira vez no Memorial da América Latina, em São Paulo, em 1990, e, logo depois, no Festival de Inverno de Campos do Jordão, tendo Tom Jobim como convidado e sob a batuta do maestro Cyro Pereira, fundador da orquestra. O atual regente e diretor artístico é o maestro João Maurício Galindo, e o maestro Fábio Prado é o regente adjunto.

SERVIÇO

Jazz Sinfônica em “Animais em Concerto”: 10 anos da ANDA

Onde: Memorial da América Latina, auditório Simon Bolívar

Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, SP.

Quando: Sábado, 1º de dezembro de 2018

Horário: 20h30

Ingressos: inteira (R$20,00), meia (R$10,00), pelo Ingresso Rápido (compre aqui)

(Imagem: detalhe de foto da exposição “Sem casa mas não sem amor”, do fotógrafo Alexandre Suplicy)

Jornada do Patrimônio Cultural SP acontece em outubro no Estado

Em reunião de alinhamento com municípios, Pasta apresentou a edição de 2019; evento tem como objetivo aproximar o público de patrimônios

(mais…)

Lançamento do Selo Especial “John Lennon em NY”

O MIS em parceria com os Correios lança com exclusividade no dia 25 de janeiro o selo comemorativo especial “John Lennon em Nova York por Bob Gruen”. A peça, em desenvolvimento desde meados de 2020, celebra conjuntamente o aniversário de 50 anos do MIS, 80 anos de nascimento de John Lennon e 40 anos de seu legado incontornável para a cultura mundial do séc. XX.

O selo parte de uma imagem gentilmente cedida pelo fotógrafo Bob Gruen que faz parte da exposição “John Lennon em Nova York por Bob Gruen” em cartaz no MIS. A tiragem é única e conta com 400.000 unidades a serem distribuídas por todas as capitais brasileiras nas próximas semanas. A folha comemorativa de selos estará à venda na lojinha do MIS e agências dos Correios de todo o Brasil.

Literatura periférica, patrimônio afro-paulistano e historiografia do cinema integram os cursos da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo

Formações on-line estão com as inscrições abertas pelos sites dos museus

A Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade – integrantes da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciada pela Poiesis – abrem as inscrições para os cursos on-line de fevereiro e março nos respectivos sites das instituições. Confira alguns destaques.

O museu Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura oferece dois cursos na área da literatura. Em Escrever o corpo, editar a paisagem cada participante pode se valer da experiência de longo período de isolamento social, que deve se estender por 2021, e do repertório de poemas e obras visuais que serão apresentados durante as aulas, como “motores” para imaginar a paisagem com a qual se identifica. A ideia é trabalhar com textos como extensão dos corpos, ou seja, um corpo que se projeta na paisagem e que pode ser a própria paisagem de referência, e desenvolver textos a partir dessa experiência.

Os encontros estão marcados para os dias 2, 9, 16 e 23 de fevereiro, terças-feiras, das 19h às 21h, pelo Google Meet. A inscrição segue aberta neste link: https://bit.ly/2LImiZ4. Reynaldo Damazio, editor, crítico, autor e coordenador do Centro de Apoio ao Escritor da Casa das Rosas, e Julia Bac, poeta e mestre em Arte e Patrimônio pela Universidade de Maastricht (Holanda) estão à frente das aulas.

Em março, Eleilson Leite, coordenador de cultura da ONG Ação Educativa, graduado em História e mestre em Estudos Culturais, ambas formações pela Universidade de São Paulo (USP), ministra as aulas do curso A Literatura produzida no contexto dos saraus e slams na periferia de São Paulo, nos dias 2, 9, 16 e 23 de março, das 19h às 21h. Também pelo Google Meet, o curso está com a inscrição aberta neste link: https://bit.ly/2XROM5e.

O curso aborda o movimento literário surgido no século XXI, tendo o Hip Hop como elo fundador nos anos 1990. Uma escrita que expressa uma dobra na literatura contemporânea, quando as pessoas de comunidades periféricas passam de personagens a autoras das narrativas. Entre os temas estão: o periférico como elemento da cultura popular urbana; literatura marginal x literatura periférica; os saraus e suas coletâneas; o surgimento dos slams e das editoras das periferias; o fomento público e a relação com o mercado editorial. Em cada encontro, são analisadas obras de autores e autoras representativos(as) do movimento.

A cultura afro-paulistana e uma série de artigos de Mário de Andrade para a mídia impressa são focos dos cursos da Casa Mário de Andrade.

Participantes do grupo de estudos Patrimônio Afro-Paulistano têm a oportunidade de conhecer a importância das principais manifestações culturais realizadas por afrodescendentes e seus representantes que permeiam os bairros da Liberdade, Bixiga, Brás e Barra Funda, na cidade de São Paulo. As aulas ocorrem pelo Google Meet nos dias 3, 10 e 24 de fevereiro, quartas-feiras, das 19h às 21h. A inscrição está aberta por aqui: https://bit.ly/2KpgjaQ.

Cada encontro se volta para uma abordagem: dos batuques ancestrais à urbanização da cultura afro-paulistana; territórios negros e a formação do patrimônio cultural na cidade de São Paulo; os quilombos urbanos de resistência afro-paulistana. A coordenação é de Tadeu Kaçula, sambista, pesquisador, sociólogo pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), mestrando em Mudança Social e Participação Política pela USP, articulador nacional da Nova Frente Negra Brasileira (NFNB) e fundador do Instituto Cultural Samba Autêntico. Em 2019, lançou o livro Casa Verde – Uma pequena África paulistana.

Mário de Andrade e jornalismo: mestres do passado 100 anos é uma atividade que pretende oferecer um panorama da série de artigos “Mestre do passado”, escritos por Mário de Andrade para o Jornal do Comércio em 1921, no qual o escritor organiza críticas ao movimento literário parnasianismo, às vésperas da Semana de Arte Moderna de 1922. Pedro Fragelli, mestre e doutor em Literatura Brasileira pela USP e pós-doutorando pela Universidade Paris III – Sorbonne Nouvelle, ministra as aulas nos dias 4, 11, 18 e 25 de fevereiro, quintas-feiras, das 19h às 21h. A inscrição está aberta: https://bit.ly/3sy2iJc.

A Casa Guilherme de Almeida traz cursos com foco na sétima arte. Em Memórias de um fã: a história do cinema segundo Guilherme de Almeida, Donny Correia, mestre e doutor em Estética e História da Arte pela USP, escritor e crítico audiovisual, apresenta a evolução do cinema desde a lanterna mágica até o “Star System” de Hollywood por meio da série de crônicas intitulada “Memórias de um fã”, de autoria de Guilherme de Almeida. A formação, via Zoom, está agendada para os dias 3, 10, 17 e 24 de fevereiro, quarta-feira, das 19h às 21h. As inscrições podem ser feitas por aqui: https://bit.ly/3qvGoo3.

No auge da carreira como crítico de cinema para o jornal O Estado de S. Paulo, Guilherme de Almeida escreveu a série “Memórias de um fã”, em que o poeta trouxe suas lembranças de cinéfilo desde a infância, em Campinas, até os anos 1930, também contando a própria história evolutiva do filme, até a chegada do som. O objetivo é destacar a contribuição do patrono do museu para a historiografia do cinema na época em que o assunto ainda não figurava como tema prioritário da crítica especializada, além de marcar os cinco anos do lançamento de Cinematographos de Guilherme de Almeida: Antologia da crítica cinematográfica, livro organizado por Donny Correia e Marcelo Tápia para a Editora Unesp.

Correia também ministra as aulas de O que Chaplin não falou, disponíveis entre 15 de fevereiro e 15 de março pela plataforma Hotmart. A inscrição segue aberta: https://bit.ly/2XQGjyX. Este curso mostra um panorama da carreira de Charles Chaplin, com destaque para as soluções que utilizou para compensar a resistência ao uso da voz. Seu apuro narrativo essencialmente visual apresentou um salto qualitativo poucas vezes observado em artistas que precisaram se reinventar. Este e outros aspectos contextualizados com a chegada do cinema sonoro, em 1927, fazem parte dos encontros.

A estética é uma disciplina que reflete sobre as manifestações de sentido avaliadas como manifestações artísticas. Nessa linha, o curso Introdução à estética do cinema consiste em estudar os filmes como mensagens artísticas, além de apresentar os conceitos teóricos “gerais” sobre a estética cinematográfica a cinéfilos que desejam aprimorar o próprio exercício de análise e interpretação de filmes.

As aulas acessíveis pela Hotmart, também no período de 15/02 a 15/03, são ministradas por Lívia Nonato, mestre em Letras pela Universidade Estadual de Londrina – UEL, doutoranda em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e coordenadora de programação cultural da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo. Pessoas interessadas devem se inscrever por aqui: https://bit.ly/39IvX9Z.

SERVIÇO

CURSOS:

 

CASA DAS ROSAS – ESPAÇO HAROLDO DE CAMPOS DE POESIA E LITERATURA

 

ESCREVER O CORPO, EDITAR A PAISAGEM

Com Reynaldo Damazio e Julia Bac

Terças-feiras, 2, 9, 16 e 23 de fevereiro, das 19h às 21h

Inscrição: até 2/02 – https://bit.ly/2LImiZ4

Plataforma: Google Meet | 200 vagas | Faixa etária: livre

Emissão de certificado digital aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência

A LITERATURA PRODUZIDA NO CONTEXTO DOS SARAUS E SLAMS NA PERIFERIA DE SÃO PAULO

Com Antonio Eleilson Leite

Terças-feiras, 2, 9, 16 e 23 de março, das 19h às 21h

Inscrição: até 2/03 –  https://bit.ly/2XROM5e

Plataforma: Google Meet | 200 vagas | Faixa etária: livre

Emissão de certificado digital aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência

—-
Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447 | E-mail: contato@casadasrosas.org.br

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://casadasrosas.org.br/agendamento-e-normas-de-visitacao/

O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casadasrosas.org.br/ e https://poiesis.org.br/maiscultura/

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

Acessibilidade: rampa de acesso, elevador e videoguia em libras.

Programação gratuita

CASA MÁRIO DE ANDRADE

PATRIMÔNIO AFRO-PAULISTANO

Com Tadeu Kaçula

Quartas-feiras, 3, 10 e 24 de fevereiro, das 19h às 21h
Plataforma: Google meet | 250 vagas | Faixa etária: livre

Inscrição: até 3/02 – https://bit.ly/2KpgjaQ

Emissão de certificado aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência na atividade.

 

MÁRIO DE ANDRADE E JORNALISMO: MESTRES DO PASSADO 100 ANOS

Com Pedro Fragelli

Quintas-feiras, 4, 11, 18 e 25 de fevereiro, das 19h às 21h

Plataforma: Google meet | 250 vagas | Faixa etária: livre
Inscrição: até 4/02 – https://bit.ly/3sy2iJc

Emissão de certificado aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência na atividade.

——
Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085 | E-mail: casamariodeandrade@casamariodeandrade.org.br; educativo@casamariodeandrade.org.br

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://www.casamariodeandrade.org.br/planeje-sua-visita

O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casamariodeandrade.org.br e https://poiesis.org.br/maiscultura/

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo

Acessibilidade: rampa de acesso ao andar térreo e fraldário móvel.
Programação gratuita


CASA GUILHERME DE ALMEIDA

 

MEMÓRIAS DE UM FÃ: A HISTÓRIA DO CINEMA SEGUNDO GUILHERME DE ALMEIDA

Com Donny Correia

Quartas-feiras, dias 3, 10, 17 e 24 de fevereiro das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Faixa etária: a partir de 16 anos

Inscrição: até 1º de fevereiro – https://bit.ly/3qvGoo3

Emissão de certificado aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência na atividade.

O QUE CHAPLIN NÃO FALOU

Com Donny Correia

Período de disponibilização das aulas: de 15 de fevereiro a 15 de março

Plataforma: Hotmart | vagas ilimitadas | Faixa etária: a partir de 16 anos

Inscrição: até 15/02 – https://bit.ly/2XQGjyX – R$ 70,00 como uma taxa única de matrícula.

Emissão de certificado aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência na atividade.

INTRODUÇÃO À ESTÉTICA DO CINEMA

Com Lívia Nonato

Período de disponibilização das aulas: de 15 de fevereiro a 15 de março

Plataforma: Hotmart | vagas ilimitadas | Faixa etária: a partir de 16 anos

Inscrição: até 15/02 –  https://bit.ly/39IvX9Z – R$ 50,00 como uma taxa única de matrícula.

Emissão de certificado aos participantes que atingirem o mínimo de 75% de frequência na atividade.

—-

Tel.: 11 3673-1883 | 3803-8525 | 3672-1391 | 3868-4128 | E-mail: contato@casaguilhermedealmeida.org.br, educativo@casaguilhermedealmeida.org.br
Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/agendamento-e-normas-de-visitacao/
O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/ e https://poiesis.org.br/maiscultura/

  1. Macapá, 187 – Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo | Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Sumaré, São Paulo/SP
    Acessibilidade: rampa de acesso, elevador, piso podotátil e banheiro adaptado; videoguia em Libras e réplicas táteis.
    Programação gratuita

Livro sobre patrimônio será lançado no Memorial da Resistência

Evento será no dia 22 de novembro, às 10h00; obra conta com artigo de especialista do SISEM-SP (mais…)

Luiz Caldas, o pai do Axé, se apresenta live neste sábado (5/6) na plataforma #CulturaEmCasa

Programação de fim de semana também tem show da banda Luísa e os Alquimistas e apresentação da peça Uma Canção de Amor, da Cia. Os Satyros

A plataforma #CulturaEmCasa, a primeira plataforma de streaming de conteúdo cultural das mais diferentes linguagens artísticas, totalmente gratuita, traz neste fim de semana lives de Luiz Caldas; da banda Luísa e os Alquimistas e da peça Uma Canção de Amor, com a Cia. Os Satyros. A programação integra o Festival #CulturaEmCasa, veiculado pela plataforma. Criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte, a plataforma já registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. (Confira programação deste fim de semana abaixo).

A irreverente banda Luísa e os Alquimistas se apresenta na 6ª feira (4/6), às 21h30. O grupo faz parte do intenso cenário musical de Natal (RN) e desde 2015 vem circulando por várias cidades e festivais do Brasil. No sábado (5/6), no mesmo horário, é a vez de Luiz Caldas.  O músico, que já compôs mais de mil canções, traz na sua  história a criação do movimento Axé Music. Luiz Caldas passeia por todos os estilos musicais e toca quase todos os instrumentos com maestria. Em 2020 Luiz Caldas completou 50  anos de carreira e, então, o que se tem é o perfil de um artista virtuoso, que não apenas vem escrevendo uma trajetória artística sem precedentes, como tem deixado um legado inigualável para a música brasileira.

E, no domingo (6/6), também às 21h30, será transmitida a peça Uma Canção de Amor, da Companhia de Teatro Os Satyros, criada especialmente para os meios digitais. O espetáculo é uma nova montagem, totalmente reformulada, da peça homônima apresentada pela cia em 2018. A direção é de Gustavo Ferreira e Rodolfo García Vázquez e a dramaturgia de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. No elenco estão Henrique Mello e Roberto Francisco, que também assinam o dramaturgismo do espetáculo.

“A plataforma #CulturaEmCasa tem como objetivo ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade e contribuindo para estimular a difusão cultural para todo país, disponibilizando conteúdos da mais diferentes linguagens artísticas”, afirma Danielle Nigromonte.

 

Sobre #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios. Até o momento, a plataforma registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga.

A ferramenta reúne também conteúdos do Teatro Sérgio Cardoso, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o “Festival de Cinema Negro em Ação” e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto “Música Conecta” com o Espírito Santo Este mês também foi lançada parceria com o estado do Ceará, em que serão transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense como o “Cineteatro São Luiz”, “Porto Dragão Sessions” e “Zona de Criação”.

Sobre a Amigos da Arte

A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão dos teatros Sérgio Cardoso e de Araras e do Museu de Diversidade Sexual (MDS), trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos. Em seus mais de 15 anos, a entidade desenvolveu 58 mil ações que atingem mais de 25 milhões de pessoas.

Programação:

4/06 (sexta-feira)

21h30 Festival #CC Luísa e os Alquimistas

5/06 (sábado)

21h30 Festival #CC Luiz Caldas

6/6 (domingo)

21h30 Festival #CC peça “Uma Canção de Amor”, Cia. Os Satyros, com Henrique Mello e Roberto Francisco

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

 

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Manifestações culturais dos povos originários são tema da programação on-line das Fábricas de Cultura

Pelas redes sociais, as atividades incluem contação de histórias indígenas, exibição de documentário e vídeos educativos

As Fábricas de Cultura, equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciados pela Poiesis, disponibilizam em abril atividades que promovem a reflexão dos povos originários no mês em que o Dia do Índio é celebrado. A programação acontece pelo Facebook e YouTube das Fábricas de Cultura.

O livro Pequenas Guerreiras do autor indígena Yaguarê Yamã será tratado neste vídeo disponibilizado no YouTube das Fábricas de Cultura no dia 14 de abril às 11h. Será abordada a história das guerreiras Amazonas do livro de Yamã, celebrando os povos originários com um ótimo livro infantil.

Na atividade Márcia Kambeba e a narrativa das artes autorais indígenas, Márcia apresentará uma junção de artes que carrega e utiliza para cumprir a missão de levar saberes e dialogar com todos. Em formato de vídeo, apresentará a música intitulada Cuara Açú (grande caminho), poesias “índio eu não sou”, “pintura sagrada”, “árvore da vida” e “Amazônia”. Exibirá também um foto varal, com fotografias feitas nas vivências de povos nas aldeias, entre elas, a aldeia Tururucari Uka, do povo Kambeba no AM, mostrando a relação dos povos com a natureza e o bem viver. Por fim, conversará sobre a importância do direito autoral para a salvaguarda do patrimônio material e imaterial dos povos originários. O vídeo estará disponível no Facebook no dia 15 de abril às 17h.

Em seu livro Crônicas de São Paulo: um olhar indígena, o escritor Daniel Munduruku, revela a origem de diversos nomes de bairros paulistanos. A atividade será realizada de forma on-line, por meio de vídeo disponível no Youtube no dia 16 de abril às 11h.

A líder indígena, artista, poeta e feminista, Tamikuã Txihi, apresentará um lago dentro da comunidade Tekoa Itakupe, Terra Indígena Jaraguá, habitada pelo povo Guarani Mbyana, região noroeste da cidade de São Paulo e convida o público a refletir sobre a importância da água, não só para os povos indígenas, mas para a humanidade. A atividade será realizada pelo Facebook no dia 17 de abril às 16h.

O documentário A triade de Gaia e Cummaji, o sabor tempera o costume mostra toda a sabedoria dos povos indígenas na comunidade de São Marcos (Roraima), de como a população extrai suas fontes de energias da terra.Dirigido por Irmânio Sarmiento, o documentário é estrelado pelo arqueiro Macuxi Denivaldo Trajano Raposo, e conta com músicas de Riocardo Nogueira e Victoria Soto Mast. O filme estará disponível no dia 18 de abril às 17h pelo YouTube.

A contação da história Apuka vai mostrar como a imaginação pode nos levar a lugares incríveis e distantes, mesmo sem sair de casa. Apuka é uma menina indígena Tembé- Tenerehar (grupo indígena residente nas terras às margens dos rios Gurupi e Guamá), muito brincalhona e que tem como brincadeira favorita imaginar sobre o desconhecido, sobre como outras crianças vivem. A história será contada por meio de vídeo disponibilizado no Youtube a partir de 19 de abril às 15h.

SERVIÇO


Fábrica de Cultura Jaçanã

PEQUENAS GUERREIRAS –YAGUARÊ YAMÃ
14/04 – quarta-feira – 11h às 12h
Faixa Etária: maiores de 10 anos
Youtube das Fábricas de Cultura

MEDIAÇÃO DE LEITURA: “ CRÔNICAS DE SÃO PAULO: UM OLHAR INDÍGENA” DE DANIEL MUNDURUKU – COM EQUIPE BIBLIOTECA
Cultura Geral
16/04 – sexta-feira – 11h às 12h
Faixa Etária: Atividade Livre
Youtube das Fábricas de Cultura

Fábrica de Cultura Brasilândia

CONTAÇÃO DE HISTÓRIA – APUKA – COM EQUIPE DE BIBLIOTECA
Cultura Geral
Coordenação: Biblioteca Fábricas.
19/04 – segunda-feira – 15h às 16h
Faixa Etária: Atividade Livre
Youtube das Fábricas de Cultura

Fábrica de Cultura Capão Redondo

MÁRCIA KAMBEBA E A NARRATIVA DAS ARTES AUTORAIS INDÍGENAS
Cultura Tradicional
Contação de histórias, Cultura Indígena, Fotografia, História/Filosofia, Literatura, Música, Performance
15/04 – quinta-feira – 17h
Faixa Etária: Atividade Livre
Facebook das Fábricas de Cultura

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

A ÁGUA – COM TAMIKUÃ TXIHI
Cultura Tradicional
Cultura Indígena
17/04 – sábado – 16h
Faixa Etária: Atividade Livre
Facebook das Fábricas de Cultura

A TRIADE DE GAIA E CUMMAJI, O SABOR TEMPERA O COSTUME | DIREÇÃO: IRMÂNIO SARMIENTO
Cinema
Cultura Indígena
18/04 – domingo – 17h
Faixa Etária: a partir de 12 anos
Participação: Aberta ao Público
YouTube das Fábricas de Cultura

Mauricio de Sousa lança obras de Monteiro Lobato em quadrinhos na Biblioteca Parque Villa-Lobos

No ano em que a obra de Monteiro Lobato entra em domínio público, Maurício de Sousa e a Turma da Mônica lançam Narizinho Arrebitado e O Sítio do Picapau Amarelo pela Girassol Brasil Edições. Para celebrar a iniciativa, Mauricio de Sousa e Regina Zilberman vão estar na Biblioteca Parque Villa-Lobos, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, no dia 4 de maio (sábado), às 15h, para um bate-papo com leitores.

O evento é gratuito e aberto ao público. Serão distribuídas 185 senhas no dia, por ordem de chegada. Assim, é importante chegar cedo e se planejar para garantir um lugar.

O encontro conta ainda com o apoio e patrocínio da Fundação Dorina Nowill, que vai levar crianças com deficiência visual para participar. Maurício vai desenhar alguns personagens, que serão impressos em um equipamento de relevo tátil, especialmente para elas.

Nas duas obras, aventuras sem fim dominam as páginas, com os personagens de Monteiro Lobato sendo interpretados pela Turma da Mônica.

Sobre Maurício de Sousa – Nasceu em 1935 e iniciou sua carreira como ilustrador em Mogi das Cruzes, uma cidade do interior de São Paulo – Brasil. Aos 19 anos, mudou-se para a capital e, durante cinco anos, trabalhou no Jornal Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo), escrevendo reportagens policiais. Em 1959, criou seu primeiro personagem, o cãozinho Bidu. A partir daí vieram, Cebolinha, Cascão, Mônica, e tantos outros. Em 1970, lançou a revista Mônica. Depois de passar pela Editora Abril e Editora Globo, assinou contrato com a multinacional italiana Panini. Cerca de 150 empresas nacionais e internacionais são licenciadas para produzir mais de três mil itens, com os personagens de Mauricio de Sousa; suas criações chegam a cerca de 30 países.

Sobre Regina Zilberman – Licenciada em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorada em Romanística pela Universidade de Heidelberg, na Alemanha. Seus estágios de pós-doutorado foram realizados na University College (Inglaterra) e na Brown University (Estados Unidos). É professora adjunta do Instituto de Letras, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e pesquisadora 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Autora de diversas obras, entre elas Como e por que ler a literatura infantil brasileira (2014) e Literatura infantil brasileira: uma nova outra história (2017), é uma das maiores especialistas brasileiras em Monteiro Lobato.

Sobre a Girassol Brasil e Mauricio de Sousa – Fundada no ano 2000, a Girassol Brasil nasceu com o objetivo de levar a crianças e jovens leitores livros com altíssima qualidade editorial e gráfica, que pudessem despertar o interesse pela leitura, além de também proporcionar momentos de diversão. Hoje, a editora tornou-se referência no mercado editorial. Com mais de três mil obras publicadas ao longo de sua história, a Girassol Brasil publica obras educativas e interativas, como contos de fadas, fábulas, literatura infantil e de estudo e pesquisa. Os livros também são conhecidos pelo primoroso acabamento: pop-ups, com abas, som e cheiro, que encantam crianças e jovens. Com muita responsabilidade e dedicação, a editora busca constantemente se renovar e ter sempre em seu catálogo obras com as mais modernas tecnologias do mundo gráfico a favor do estímulo à leitura. São mais de 120 títulos ao longo de 11 anos de parceria entre a Girassol e a Mauricio de Sousa Produções.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros – São Paulo/SP.

Tel.: (11) 3024-2500.

Funcionamento: terça a domingo (fechada às segundas), das 9h30 às 18h30.

Atividades gratuitas.

https://bvl.org.br/

Bate-papo com Mauricio de Sousa e Regina Zilberman sobre a obra de Monteiro Lotado na Biblioteca Parque Villa-Lobos

Evento: dia 04/05 (sábado), às 15h.

Gratuito.

Lotação máxima de 185 pessoas no local. Serão distribuídas 185 senhas no dia do evento, por ordem de chegada.

Somente poderá participar quem estiver com senha. A senha não dá direito a foto e/ou autógrafo dos palestrantes.

Memorial abre a exposição “Latinas” em homenagem às mulheres

Antes que o mês dedicado às mulheres acabe, elas ganham mais uma homenagem: estreia nesta quinta, 29/3, na Galeria Marta Traba, a exposição de fotografias “Latinas”. A mostra, concebida e organizada pelo Diretor de Atividades Culturais do Memorial, Fernando Calvozo, integra a programação do aniversário de 29 anos do Memorial da América Latina.

Em um mesmo espaço, a iniciativa resgata e reúne alguns dos mais expressivos trabalhos de profissionais da fotografia do Brasil, da América Latina e de outros países, que participaram de exposições no Memorial desde sua inauguração em 18 de março de 1989.

Além de registros fotográficos que eternizaram grandes momentos no palco do Auditório Simón Bolívar, a mostra também destaca trabalhos de diversas exposições que retratam os costumes, a paisagem, as festas, a religiosidade e as manifestações artísticas dos povos latino-americanos.

Segundo Fernando Calvozo, foi revisitando a riqueza desse conjunto de obras que surgiu a ideia de montar a exposição: “Observando a representatividade feminina desse acervo, recortamos o contexto em que essas mulheres (que aqui chamamos de Latinas) estavam inseridas em toda sua força e plenitude”.

O formato da mostra é inédito, composto por renomados fotógrafos e/ou apaixonados pelo tema latino-americano. Estão reunidos nomes como: Sacha Dean Biyan/Canadá, Antônio Briceño/Venezuela, Jean Claude Vicky/Suiça, Lúcia Chiriboga/Equador, Sebastian Thomas Plubins/Chile, Lena Mucha/Espanha, Jaqueline Lacasa/Uruguai, David Gomez Monsalve/Colômbia, Emmanuel Salgueiro/Brasil, Vera Jursys/Brasil, Adriana Beretta/Brasil e Thiago Carvalho/Brasil.

Foto: Tlacolula, Mexico (2012) – “Latinas” – Emanuel Salgueiro

Memorial da América Latina recebe musical “Menino Gigante”

Apresentação gratuita será no Auditório Simón Bolívar e terá participação de 250 crianças e jovens (mais…)

MIS celebra 51 anos com programação especial e desconto em todos os cursos durante a semana

No sábado, 29 de maio, aniversário do Museu, acontece bate-papo com Bárbara Paz sobre o documentário Babenco – Alguém precisa ouvir o coração e dizer: parou.

O filme também será debatido no Ciclo de Cinema e Psicanálise desta semana, dentro da programação especial Babenco no MIS.

Em comemoração aos seus 51 anos, no dia 29 de maio de 2021, o Museu da Imagem e do Som – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – apresenta uma programção especial. O Pontos MIS – Bate-Papo de Cinema traz exibição e conversa sobre Babenco – Alguém precisa ouvir o coração e dizer: parou (dir. Bárbara Paz, Brasil, 2019, 75 min, 16 anos). O filme, que venceu o prêmio de melhor documentário do Festival de Veneza, será debatido pela própria diretora e viúva de Babenco, Bárbara Paz, às 18h, no canal do Museu no YouTube. A programação encerra o especial Babenco no MIS, que relembrou a carreira de Hector Babenco no ano em que o diretor completaria 75 anos, ao longo do mês de maio no #MISemCasa.

Ainda esta semana, o Ciclo de Cinema e Psicanálise, que debate filmes à luz da psicanálise, também traz conversa sobre o documentário Babenco – Alguém precisa ouvir o coração e dizer: parou. A conversa acontece na terça-feira, 25, e é conduzida por Luciana Saddi, com participação da psicanalista Silvana Lea e o crítico de cinema Inácio Araújo.

Cursos – desconto especial

Na semana de comemorações de aniversário do Museu, todos os cursos online estão com 10% de desconto. Para garantir a oferta, os interessados devem, no período de 24 a 30 de maio, utilizar o cupom MIS51 na hora de efetivar a compra do curso. A lista completa e todos os detalhes podem ser conferidos no site do Museu: www.mis-sp.org.br/cursos

O MIS agradece aos patrocinadores, apoiadores institucionais e operacionais e patronos: Youse, Kapitalo Investimentos, Cielo, TozziniFreire Advogados, Bain & Company e Telhanorte.

Programação #MISemCasa | YOUTUBE MIS | 24 a 30.05

25.05 | Terça-feira | 20h – ao vivo | Ciclo de Cinema e Psicanálise – Especial Babenco no MIS

A cada quinze dias, o Ciclo de Cinema e Psicanálise (programa realizado pelo MIS, em parceria com a Folha de S.Paulo e a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo – SBPSP) traz debate virtual sobre um filme mediado por Luciana Saddi, coordenadora de Cinema e Psicanálise da Diretoria de Cultura da SBPSP. Em seguida, o público pode participar com perguntas no chat da transmissão ao vivo, integrando novas perspectivas sobre a obra discutida.

A segunda edição de maio integra o Babenco no MIS, especial que homenageia o cineasta que faria 75 anos em 2021, e recebe a psicanalista Silvana Rea e o crítico de cinema Inácio Araújo para falar sobre a premiada produção brasileira Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: parou (dir. Bárbara Paz, Brasil, 2019, 75 min, 16 anos). O filme venceu o prêmio da crítica independente e o prêmio de melhor documentário do Festival de Veneza, além de ter representado o Brasil no Oscar 2021.

26.05 | Quarta-feira | 20h | Notas Contemporâneas – Arrigo Barnabé

O programa Notas Contemporâneas registra depoimentos de significativos nomes do cenário musical brasileiro, erudito e popular, cuidando da manutenção da prática de história oral do MIS, um dos pilares de criação do museu. Durante o #MISemCASA, uma série de edições inéditas a partir desse material vem sendo apresentada, com organização e curadoria da historiadora Rosana Caramaschi, responsável pela entrevista, pesquisa e roteiros desde o primeiro programa, em 2011. O músico Arrigo Barnabé participou do programa em março de 2013 e agora ganha esta edição especial de seu depoimento entremeado por canções suas como “Diversões eletrônicas” e “Infortúnio”, tocadas pela Banda MIS.

Arrigo Barnabé (Londrina, PR, 14 de setembro de 1951) é compositor, instrumentista e cantor. É considerado o mais importante compositor do movimento cultural brasileiro ocorrido em São Paulo entre 1979 e 1985, a Vanguarda Paulista. Seu primeiro LP lançado em 1980, “Clara Crocodilo”, foi um grande sucesso e desperta interesse até os dias de hoje. Sua composição transita entre o erudito e o popular. Compôs quartetos de cordas, obras para a Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo e trilhas sonoras de filmes brasileiros.

29.05 | Domingo | 18h – ao vivo | Pontos MIS – Bate-papo de Cinema | Babenco no MIS

O Bate-papo de Cinema Pontos MIS realiza, aos sábados, exibições de filmes seguidos de debates ao vivo no YouTube do Museu, buscando trazer membros da equipe dos filmes, pesquisadores da área, críticos de cinema, jornalistas e agentes cinceclubistas para discutir sobre a obra e apresentar curiosidades da produção. E, para comemorar o aniversário de 51 anos do MIS, o público confere o documentário biográfico Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou (dir. Bárbara Paz, Brasil, documentário, 2019, 75 min). Para assistir gratuitamente à obra, os interessados devem preencher formulário neste link, entre as 21h do dia 28, sexta-feira, e até as 21h do sábado, 29.

“Eu já vivi minha morte, agora só falta fazer um filme sobre ela” – disse o cineasta Hector Babenco a Bárbara Paz, ao perceber que não lhe restava muito tempo de vida. Ela aceitou a missão e realizou o último desejo do companheiro: ser protagonista de sua própria morte. Nesta imersão amorosa na vida do cineasta, ele se desnuda, consciente, em situações íntimas e dolorosas. Revela medos e ansiedades, mas também memórias, reflexões e fabulações, num confronto entre vigor intelectual e fragilidade física que marcou sua vida. Do primeiro câncer, aos 38, até a morte, aos 70 anos, Babenco fez do cinema remédio e alimento para continuar vivendo.

No sábado, às 18h, no canal do MIS no YouTube, acontece bate-papo ao vivo a própria Bárbara Paz (atriz, diretora e produtora), com mediação de Giuliana Monteiro (roteirista, diretora e mestre pela NYU, Tisch School of the Arts) e Vanise Carneiro (atriz, diretora, educadora e preparadora de elenco).

VISITAÇÃO PRESENCIAL – NOVA FOTOGRAFIA 2020 e Im.Fusion

O MIS oferece aos visitantes duas atrações em sua sede, na Avenida Europa: a exposição Nova Fotografia 2020 e a instalação Im.Fusion. Ambas as atividades estão abertas de terça a domingo, das 11h às 17h. Criado em 2011, o Nova Fotografia é um projeto anual do Museu da Imagem e do Som que busca criar um espaço permanente para exposição de fotografias de artistas promissores, que se distinguem pela qualidade e inovação do seu trabalho. A cada ano, seis séries de imagens são escolhidas por meio de convocatória e expostas no Museu. Esta edição do projeto exibe os selecionados no ano de 2020, com os trabalhos: Castelos e Ruínas, de Lucas Sirino; Nunca Enganaremos, de Paula Pedrosa; Offline, de Ana Rovati; Origami, de Ana Clara Muner; Sombra de Vitória, de Daniela Torrente e Tarikh al-Brasil, de Marcelo Schellini. As exposições contam com o acompanhamento curatorial do artista e autor de diversos livros André Penteado; de Mônica Maia, fotógrafa e sócia diretora da DOC Galeria; e do pesquisador, professor e crítico de fotografia Ronaldo Entler. A entrada é gratuita e não é necessário realizar agendamento prévio.

Já a instalação Im.Fusion é uma experiência lúdica, que visa despertar uma reflexão sobre a inexorável relação entre o Homem e o ambiente, do micro ao macro, e repensar os caminhos que queremos seguir. A atração acontece em uma sala (com limitação de público) aonde, durante 12 minutos, os visitantes ficam imersos em formas coloridas, interagindo por meio de sensores com projeções plenas de efeitos especiais – gráficos e sonoros. “As câmeras e os sensores instalados nestes três cenários captam a movimentação das pessoas que passam a interferir randomicamente nas exibições. É como uma metáfora da interação do Homem com a natureza”, explica Felipe Reif, um dos idealizadores da experiência, criada em colaboração com mais dez pessoas entre Brasil, Chile e Estados Unidos. A entrada para a Im.Fusion é de R$ 10 (grátis às terças-feiras) e os ingressos podem ser adquiridos no site: https://im-fusion.byinti.com

Exposições virtuais e Acervo Online MIS

Além da programação digital #MISemCASA, o Museu MIS apresenta cinco exposições virtuais realizadas em parceria com o Google Arts & Culture: Moventes (que traz imagens de situações de deslocamento em diferentes tipos de trabalho itinerante); A Coleção Guilherme Gaensly no acervo MIS: uma paisagem humana (que presenta imagens históricas sobre o cultivo do café no interior paulista); Cinema paulista nos anos 1970; Lambe-lambe: fotógrafos de rua em São Paulo nos anos 1970 e A mulher na Revolução de 32. Além das exposições virtuais, o público também pode conferir parte do Acervo MIS que está digitalizado e pode ser acessado neste link. No Acervo online, os visitantes encontram informações sobre os itens que compõem os acervos museológico e bibliográfico do MIS e, em alguns casos, terá amplo acesso ao conteúdo das coleções de fotografia, áudio e vídeo. Tendo como base um banco de dados desenvolvido especialmente para o acervo do Museu, o Acervo online apresenta-se ao público como um instrumento para a exploração dos milhares de itens que fazem parte do acervo MIS.

S e r v i ç o

NOVA FOTOGRAFIA 2020 
DATA de 01/05 a 01/08
HORÁRIO terça a domingo, das 11 às 17h
INGRESSO Gratuito – sem reserva de ingressos

Classificação indicativa Livre

IM.FUSION
DATA de 09.05 a 20.06
HORÁRIO terça a domingo, das 11 às 17h (última entrada às 16h30)
INGRESSO R$10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia-entrada). Gratuito às terças e para crianças até 5 anos

Classificação indicativa Livre

#MISEMCASA

SITE www.mis-sp.org.br

Redes

museudaimagemedosom
@mis_sp
@mis_sp
/missaopaulo

MIS oferece cursos online para as férias de janeiro

Dentre as novidades, está o curso Lennon e a América, ministrado por Ricardo Alexandre – curador da megaexposição John Lennon em Nova York por Bob Gruen, em cartaz no MIS. Atividades são online e possibilitam a participação de interessados de todo o Brasil (mais…)

MIS tem nova programação de cinema!

Foto de “Ed Mort” longa de Alain Fresnot – Acervo MIS

O MIS inicou uma nova programação, o Cinema Paulista Já!. Idealizado por Isa Castro, Diretora Cultural do Museu, o programa busca mostrar como o cinema paulista se renovou a partir de uma geração de cineastas independentes que fizeram seus primeiros longas-metragens de ficção nos anos 1980.

O programa traz, a cada edição, um personagem desta geração e uma retrospectiva de seus filmes. O primeiro convidado é Alain Fresnot, diretor de filmes como Lua cheia, Ed Mort, Desmundo e Família vende tudo. Para que esses filmes possam ser exibidos, a pesquisa não se resume ao acervo do Museu da Imagem e do Som, mas se estende a acervos universitários e de espaços como a Cinemateca Brasileira. A segunda edição do Cinema Paulista Já! Será em junho e tem como convidado André Klotzel.

Entre os filmes dessa geração que se destacam estão Asa Branca – um sonho brasileiro (1981), de Djalma Limongi Batista; A marvada carne (1985), de André Klotzel; Anjos da noite (1987), de Wilson Barros; A dama do Cine Shanghai (1987), de Guilherme de Almeida Prado; Cidade oculta (1986), de Chico Botelho; Jogo Duro (1986), de Ugo Giorgetti; Romance (1988), de Sérgio Bianchi e Feliz ano velho (1988), de Roberto Gervitz.

Histórico
No início dos anos 1980, com a luta da Associação Paulista de Cineastas (Apaci) por maior representação entre os financiados pela Embrafilme e com o declínio do sistema da Boca do Lixo, o cinema paulista se renovou, a partir de uma geração de cineastas independentes que fizeram seus primeiros longas-metragens de ficção no decorrer da década, além de ter produzido diversos curtas-metragens. Sem caráter ou pretensão de movimento, o cinema desta geração é diversificado e aponta para diferentes vertentes e propostas estéticas. Em comum os participantes tinham a Escola de Comunicações e Artes da USP, a Vila Madalena (que se tornou polo das produtoras, como a Gira Filmes, Barca Filmes, Tatu Filmes e Superfilmes), passagens esporádicas pela Boca do Lixo, alguns curtas e um longa-metragem de estreia feito com muito esforço. Mas, essencialmente, o que os aproximava eram dois fatores: o local, São Paulo, e o período, os anos 1980.
“O que nos diferencia de outras gerações era o espírito colaborativo: todos se conheciam, assim trocávamos experiências, emprestávamos equipamentos e atuávamos em diversas funções e em projetos de todos os amigos.”
MESSAGE-ICON
Isa Castro
Diretora Cultural do MIS

Cinema Paulista Já! convida Alain Fresnot

Nesta primeira fase do projeto será realizada uma mostra de filmes com uma seleção de obras de Alain Fresnot, diretor de curtas como Nitrato e Amor que fica, e dos longas Lua cheia, Ed Mort, Desmundo e Família vende tudo. O Museu também apresenta uma exposição composta por fotos, cartazes e roteiros de filmes que traçam a carreira cinematográfica de Alain Fresnot, além de uma retrospectiva de suas obras de artes plásticas produzidas nos últimos dez anos. A programação ainda conta com um show do cineasta na abertura.

Exposição Alain Fresnot

A exposição traz materiais de divulgação de filmes dirigidos pelo cineasta, incluindo cartazes, folhetos, lambe-lambe, além de outros itens como fotos, roteiros, storyboard, maquete e tira de jornal. Já em seus trabalhos de artes plásticas, Alain Fresnot busca exercitar o componente lúdico que a prática artística traz consigo. A exposição faz um recorte da produção que o artista realizou nos últimos dez anos e apresenta a diversidade de técnicas e materiais que utiliza na criação das esculturas, tais como bronze, metal, aço, couro, plástico e madeira.

Programação

“É uma honra abrir o projeto Cinema Paulista Já!, no MIS. Em um cenário de crescimento vertiginoso da exibição dos filmes via streaming, que vem acompanhado da necessidade de regulamentação de cota no VOD, é cada vez mais necessário não apenas o esforço pela digitalização dos filmes em película, mas também o resgate da produção guardada nos acervos e a abertura de espaço para sua exibição, sob pena de perdermos nossas coisas, nossas histórias e nossa língua.”
MESSAGE-ICON
Alain Fresnot
Diretor
28|3
29|3
30|3
31|3
1|4
28|3

18h00 | Abertura

20h00 – 21h00 | Show Disco de freio, samba de breque

Disco de freio, samba de breque é o nome do projeto musical, realizado em parceria com o músico e compositor Elio Camalle, que Alain Fresnot apresenta na abertura do evento. “O álbum é o resultado de minha parceria com o musico e compositor Elio Camalle. Adoro samba, sou letrista e poeta bissexto. Conheci o Elio ao fazer o casting para o filme Família vende tudo.”, conta Fresnot. Participam do show Rodolfo Gomes da Silva (cavaquinho), Alfredo Hacl Castro (percussão) e Douglas Alonso (percussão). No repertório, estão Cineasta brasileiro, Conselho, Sim, Ensina e Samba de breque, entre outras canções.

29|3

18h30 – 19h50 | Bate-papo sobre direção cinematográfica com Alain Fresnot mediado pelo cineasta Pedro Urizzi.

20h00 | Filmes

Capoeira (Dir. Alain Fresnot, Brasil, 1975, 10 min, 35 mm)

Sinopse: Cerimônia de batismo na capoeira na Barra Funda, o canto e a dança da luta nos anos 70.

Lua cheia (Dir. Alain Fresnot, Brasil, 1988, 85 min, 35 mm) Elenco: Lima Duarte, Otávio Augusto, Lúcia Alves, Antonio Abujamra

Sinopse: Guimarães (Lima Duarte) é um grande empresário duro e inflexível. No entanto, seu comportamento é totalmente modificado quando bebe. Uma das vítimas mais frequentes de sua dupla personalidade é seu chofer particular, Wellington (Otávio Augusto). Um casamento de conveniência é armado para unir Lia (Lúcia Alves), filha de Guimarães, a Montês (Roney Facchini), filho de uma família decadente, mas de prestígio.

30|3

20h 00

Ed Mort (Dir. Alain Fresnot, Brasil, 1996, 100 min, 35 mm) Elenco: Paulo Betti, Claudia Abreu, Ary Fontoura, Otavio Augusto

Sinopse: Em São Paulo, Ed Mort (Paulo Betti) é um detetive de nona categoria, que mora em um cubículo, está sempre sem dinheiro e no café da manhã come pastel e garapa (fiados, obviamente). Um dia, Ed é procurado por Dayse (Roseane Lima), uma sensual e misteriosa mulher que quer ajuda para encontrar o marido, que é um mestre em disfarce. Mas é o marido de Dayse que encontra Ed para revelar-lhe que descobriu na Delbono, uma indústria de salsichas onde trabalha, um maquiavélico plano. Ed se defronta com Nogueira (Ary Fontoura), o presidente da fábrica, e ainda precisa evitar o delegado Mariano (Otávio Augusto), um corrupto que sempre está perseguindo Ed.

31|3

20h00 | Filmes

Amor que fica (Dir. Alain Fresnot, 1986, 11 min, 35 mm)

Sinopse: Dois casais diferentes se relacionam num bar da moda. Uma troca de casais movida a fantasia e modernidade.

Desmundo (Dir. Alain Fresnot, Brasil, 2002, 100 min, DVD) Elenco: Caco Ciocler, Simone Spoladore, Osmar Prado

Sinopse: Em 1570, chega ao Brasil um grupo de órfãs enviadas pela rainha de Portugal para desposar os primeiros colonizadores. Entre elas vem Oribela, uma jovem sensível e religiosa. Contra sua vontade, ela se casa com Francisco de Albuquerque, que a leva para seu engenho de açúcar. Apesar de rude, Francisco trata Oribela respeitosamente: quer que ela seja a senhora da casa, mãe de seus filhos brancos. Contudo, na fazenda moram a mãe e uma jovem irmã de Francisco, num estranho e incestuoso núcleo familiar. Certo dia, aproveitando a passagem de Ximeno, um comerciante vendedor de escravos, Oribela foge. Ela quer pegar um navio e voltar para Portugal, mas o marido a captura. Furioso, ele a acorrenta num galpão. Sozinha e ferida, a jovem passa os dias chorando. A índia que lhe leva comida é quem, pouco a pouco, ajuda-a em sua recuperação.

1|4

20h00| Filmes

Pé de pato (Dir. Alain Fresnot, 1994, 10 min, 35 mm)

Sinopse: Apelido popular dado aos “justiceiros”, assassinos a serviço dos comerciantes que fazem chacinas pela periferia de São Paulo, ontem e hoje.

Família vende tudo (Dir. Alain Fresnot, 2011,90 min, DVD). Elenco: Lima Duarte, Vera Holtz, Caco Ciocler, Marisol Ribeiro, Luana Piovani

Sinopse: Uma família com dificuldades financeiras – após a apreensão de suas muambas vindas do Paraguai – tem uma brilhante ideia: fazer com que a filha Lindinha engravide do famoso cantor Ivan Carlos para, assim, garantir uma pensão que tire todos do sufoco. Eles planejam o dia em que a garota deve sair com o astro para engravidar e passam a acompanhar sua agenda de shows. Mas só não contavam com um detalhe: a ciumenta Jennifer, mulher de Ivan.

Morre Paulo Mendes da Rocha, um dos maiores nomes da arquitetura mundial.

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa lamenta profundamente a morte do arquiteto e urbanista Paulo Mendes da Rocha, aos 92 anos, neste domingo 23/5. Um dos maiores nomes da arquitetura no Brasil, o professor da Faculdade de Arquitetura E Urbanismo da Universidade de São Paulo foi, e continua sendo, referência mundial.

Mendes da Rocha foi responsável pelos projetos de reforma da Pinacoteca, do Governo de São Paulo, e, em 2006, ao lado do filho, Pedro Mendes da Rocha, pelo projeto original da adaptação da Estação da Luz para receber o Museu da Língua Portuguesa, outra instituição do Estado. Partiu deles a ideia de uma grande galeria do espaço cultural que acompanhasse a extensão da plataforma de trens e que, no térreo, museu, estação e cidade fossem integrados.

Em 2006 o arquiteto ganhou o prêmio Pritzker – o mais importante da arquitetura mundial, considerado o Nobel da arquitetura – concedido apenas à Oscar Niemeyer, em 1998. Entre suas conquistas também estão o Leão de Ouro da Bienal de Veneza e o Prêmio Imperial do Japão, ambos em 2016. Em 2017 foi agraciado com a Medalha de Ouro Real do Royal Institute of British Architects (RIBA), em reconhecimento ao conjunto de sua obra.

Com projetos marcados pela mixagem entre construção e natureza, Paulo Mendes da Rocha elevou a arquitetura a novos patamares de virtuosismo técnico.

Mulheres são o destaque da programação de março

Em março, atividades artísticas, palestras, oficinas e rodas de conversa focam o feminino e seus desafios na sociedade contemporânea

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa preparou uma extensa programação com foco na mulher para o mês de março. São oficinas, palestras, exposições e um roteiro que aborda as conquistas, os principais desafios no mercado de trabalho, o machismo, maternidade, representatividade, entre outros temas relacionados ao assunto.

Em função das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, boa parte da programação este ano foi pensada no formato digital. O Museu da Diversidade Sexual, por exemplo,  traz sarau literário, aula de yoga, e até uma oficina de bordado.   Tudo pelo site da instituição, que, no ano passado, teve 2.368.928 acessos virtuais, atrás apenas da Pinacoteca, com mais de 4 milhões.

Para quem prefere aproveitar a programação das bibliotecas, o destaque fica por conta da Oficina de criação de podcast de Domenica Mendes, que vai passar dicas e truques para estruturar um projeto, gravar e editar seu próprio programa. Domenica é organizadora  do projeto #OPodcastÉDelas. A oficina é gratuita, online e indicada para pessoas acima de 15 anos. As inscrições estão abertas pelo link bsp.org.br/inscricao e as vagas são limitadas.

De Pagu, a Musa do Movimento Modernista às Conexões Urbanas e Femininas da DJ Donna, as Fábricas de Cultura levantam a bandeira das mulheres com 13 ações dedicadas ao  público feminino. Em cada evento, uma mulher é convidada para debater uma questão diferente, como o machismo na cena artística, as composições femininas e  o afroempreendedorismo.

Na Casa das Rosas, no coração da avenida Paulista, o destaque fica por conta da poesia por meio de saraus a serem realizados nos últimos três sábados de março,  sempre das 19h às 21h.

Para quem gosta ou quer experimentar um Clube de Leitura, a Casa Mário de Andrade não decepciona e traz para a roda o movimento de mulheres cordelistas e seus esforços para combater a desigualdade de gênero por meio de obras e ações. Para participar, basta entrar no site da instituição no dia 27 de março, às 16h30.

O Memorial da América Latina também retoma seu tradicional Clube de Leitura, desta vez com o tema ‘Mulheres contam’, que vai trazer a participação das próprias escritoras latino-americanas para a discussão dos seus livros. As inscrições devem ser feitas por formulário online, no link https://bit.ly/3b88gbN

“Liderança e gênero na arquitetura – conquistas e desafios” será o tema da conversa virtual  do Museu da Casa Brasileira, com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube da instituição.

A mulher indígena estará presente na programação virtual do Museu Índia Vanuíre, em Tupã, de 5 a 13 de março. O visitante digital vai poder conferir a rotina da mulher na cultura da Aldeia Tereguá e o filme ‘Mulheres Indígenas: Vozes por Direitos e Justiça’ , no dia 28.

Na segunda-feira que contempla o Dia Internacional da Mulher, dá ainda para assistir uma live no Museu do Café, com o tema “Mulheres na história do café e da imigração”, participar do curso da Casa Guilherme de Almeida As trajetórias do ‘eu’ feminino e ainda bater um papo com a poeta Marília Garcia na Biblioteca de São Paulo ou com a obstetra Melania Amorim pela plataforma de streaming #CulturaEmCasa. Toda programação é livre e gratuita e os interessados devem acessar as redes sociais das instituições.

Programação

Biblioteca de São Paulo

Programação: SEGUNDAS INTENÇÕES. Bate-papo com a poeta e tradutora Marília Garcia.
Data:  8 de março.
Horário: das 19h às 20h.
Atividade oferecida em formato online, ao vivo.
Não é necessário inscrição.
Transmissão na página do Facebook da Biblioteca de São Paulo.
Informações no site: bsp.org.br/

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Programação: VOZES DE LONGE, DITAS DE PERTO – Intervenção poética em homenagem ao Dia das Mulheres com a poeta e slammer Luz Ribeiro, que fará uma leitura intimista convidando quem estiver na biblioteca a conhecer outras narrativas femininas.

Data: 7 de março.
Horário: das 10h às 11h e das 12h às 13h.
Atividade oferecida na modalidade presencial.
Não é necessário inscrição.
Informações no site: bvl.org.br

Casa das Rosas

SARAU
DIÁLOGOS SINCRÔNICOS
Maria Carolina de Jesus
Sábado, 13 de março, das 19h às 21h

Maria Firmina dos Santos
Sábado, 27 de março, das 19h às 21h
Google Meet

SARAU
SLAM DAS MINAS – POCKET POESIA
Sábado, 20 de março, das 19h às 21h
Página da Casa das Rosas no Facebook

Lançamento
E SE AMPUTASSEM A POESIA?
De Diana Junkes
Sexta-feira, 12 de março, das 19h às 21h

Redes sociais:
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC2wxiRZ00V3yxbbLoR2cLWw
Instagram: https://www.instagram.com/casadasrosas/
Facebook: https://www.facebook.com/casadasrosas

CASA GUILHERME DE ALMEIDA

CURSO
Trajetórias do ‘eu’ feminino na literatura e no cinema
Segundas-feiras, 8, 15, 22 e 29 de março
Horário: das 19h às 21h
Inscrições pelo site.
As aulas serão transmitidas online, através da plataforma Zoom.

Museu, Memória e o Público 60+ – Entrevista com Neuza Guerreiro de Carvalho
Com Núcleo de Ação Educativa
Sexta-feira, 12 de março de 2021 | 16h30
Plataforma: Youtube / Facebook

Redes sociais:
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCpkUtBXN2B-A4Oxjc7imltQ
Instagram: https://www.instagram.com/casaguilhermedealmeida/
Facebook: https://www.facebook.com/museucasaguilhermedealmeida

CASA MÁRIO DE ANDRADE
Clube de Leitura Casa Mário de Andrade
Com Lucineide Vieira e Graciele Castro
27 de março, das 16h30 às 18h

Redes sociais:
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCgqQTnA7b1NjPOQ_eAoggzg
Instagram: https://www.instagram.com/museucasamariodeandrade/
Facebook: https://www.facebook.com/CasaMariodeAndrade

#CulturaEmCasa

Bate-papo – Mulheres, parto e tudo que temos direito!, com Daniela Rosa, Melania Amorim e Raquel Marques. Mediação: Anna Gallafrio
Data: 8/3 às 18h

Ligiana Costa apresenta EVA, com as participações de Mel Lisboa, Glamour Garcia, Anais Sylla e Winnit
Data: 8/3 às 20h

Bate-papo com Day Rodrigues + Documentário ‘Mulheres Negras’
Data: 9/3 às 18h

Programação pela plataforma #CulturaEmCasa – www.culturaemcasa.com.br

FÁBRICAS DE CULTURA

CONEXÕES URBANAS FEMININAS COM DJ DONNA
9/3 – terça-feira – 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

ENTRE TRIÂNGULOS E ZABUMBA AS MULHERES
13/3 – sábado – 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

GASOLINA E FÓSFORO – MEU CORPO EM CHAMAS
16/3 – terça-feira – 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: a partir de 12 anos
Plataforma: IGTV

O PODER DO FEMINISMO NA MÚSICA – DOMÊNICA DAVID
18/3 – quinta-feira – 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Facebook

POTÊNCIAS – POESIAS DE AYANA E JÉSSICA CAMPOS
19/3 – sexta-feira – 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

RELEITURAS FORA DE SÉRIE COM DRI LIMA
20/3 – sábado – 17h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

CANTO DAS ÀGUAS D’OXUM COM ZEFERINA
20/3 – sábado – 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

NOVEMBRO – COM LUZ RIBEIRO
20/3 – sábado – 19h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Facebook

PAGU, A MUSA DOS MOVIMENTOS MODERNISTAS
20/3 – sábado – 20h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

PROJETO BCA: BATOM, CABELO, ATITUDE E DANÇA
21/3 – domingo – 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

EMPREENDEDORISMO CULTURAL, ECONOMIA CRIATIVA E AFROEMPREENDEDORISMO
23/3 – terça-feira – 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: IGTV

ENTRE PANDEIROS E CANTOS, VOCÊ MULHER, PODE TUDO!
24/3 – quarta-feira – 18h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: a partir de 50 anos
Plataforma: Facebook

LUANA BAYÔ CANTA SAMBA DAS MOÇAS: COMPOSIÇÕES FEMININAS
27/3 – sábado – 17h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

Redes sociais:
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCSRGwG1IwHMZAi9XV-rxa2w
Instagram: https://www.instagram.com/fabricasdeculturasn/
Facebook: https://www.facebook.com/fabricasdecultura
Soundcloud: https://soundcloud.com/fabricasdecultura

 

Biblioteca das Fábricas de Cultura

E eu, não sou uma mulher?
10/3 – 15h às 16h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

Tomando a voz: Mulheres negras na literatura
15/3 – segunda-feira – 11h às 12h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

O que é RPG? E a representatividade feminina no mundo dos jogos
17/3 – 15h às 16h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: Youtube

Podcast Pode Tudo! Pode tudo?  Maria Malu Matos e Convidadas
22/3 –  15h às 16h
Participação: aberta ao público
Faixa etária: livre
Plataforma: SoundCloud

Memorial da América Latina
Clube de Leitura ‘Mulheres Contam’
Data: 13 de março
Inscrições pelo link: https://bit.ly/3b88gbN

Memorial da Resistência
Exposição: Orgulho e Resistências – LGBT na Ditadura
Mostra faz um recorte sobre as relações entre autoritarismo e diversidade sexual e de gênero
Classificação indicativa: 12 anos
Data: De quarta a segunda-feira
Horário: 10h às 18h
Site:
Gratuito, precisa reservar pelo site

Museu Afro Brasil
Cine-MAB: Maurino dança, documentário curta-metragem da realizadora Veronica Manevy sobre o desenhista, pintor e escultor mineiro. O filme, que será exibido na exposição “Expressões da Alma e do Imaginário Brasileiro”, ficará disponível no canal oficial do Museu  youtube durante uma semana.
Data: De 5 a 12 de março

Inauguração da instalação Púlpito público (2020), da artista Maré de Matos, na área externa do Museu
Data: 6 de março

Encontro “Mulheres, arte e a cidade”, o tema visa discutir as diferentes formas e experiências de ser mulher e artista na cidade de São Paulo
Data: 24 de março, às 17h

Aos pés do Baobá, contação de histórias: encontro com contadoras de histórias, para discutir a questão do feminino nos diversos mitos africanos e para contá-los.
Data: 27 de março

Museu Casa de Portinari (Brodowski)
Programação: Mural em celebração ao Dia Internacional da Mulher
Data: 06 e 07/03
Programação: Homenagem às Mulheres Artistas
Data: 08/03
Programação: #TBT – Mural em celebração ao Dia Internacional da Mulher
Data: 11/03
Programação: Domingo com Arte Virtual
Data: 14/03
Mais informações pelo site: https://www.museucasadeportinari.org.br/

 

Museu Catavento
Biografando no museu
Data(s): 14/03 e 28/3 – 17h. Divulgação: Redes sociais do museu.

Exposição virtual
Exposição “Eufrasia Teixeira Leita – Uma mulher à frente do seu tempo” – Google Arts & Culture
Data(s): 26/03 no Google Arts & Culture. Divulgação: Redes sociais do museu.

Museu da Arte Sacra
Aberto de terça a domingo
Programação:
– Arte Sacra Através dos Séculos (Longa-duração)
– Imagens de Roca e de Vestir
– Qual é a Sua Cruz? (Sala MAS Metrô Tiradentes)
Horário: das 9h às 17h (com acesso até as 16h30)
Ingressos: https://tiny.cc/ingressosmas
Mais informações pelo site: www.museuartesacra.org.br

Museu da Casa Brasileira
Roda de conversa virtual | Liderança e gênero na arquitetura: conquistas e desafios
Dia 09 de março, terça-feira
Horário: a partir das 17h
Transmissão ao vivo pelo YouTube MCB: https://www.youtube.com/channel/UCkelfiskkftaAh1QIls5HZg
Gratuito

Museu da Diversidade Sexual
Dias 06, 13, 20 e 27 de março, sábados, 10h
Mona, se cuida, se ama!
Maratona de aulas abertas no Instagram com Vanessa Joda, idealizadora da página @Yogaparatodos.

Dia 11 de março, quinta-feira, 19h
Mediação Cultural e Feminismos Plurais .

Dia 12 de março, sexta-feira, 16h
Oficina de bordado com Jessica de Sá

Dia 20 de março, sábado, 14h
9ª edição do Sarau LGBT do Museu da Cidade realizada em parceria com o MDS com o tema #Ao vivo e a cores.

Museu da Imagem e do Som (MIS)
Data: 08 de março
Horário: 11h
Gratuito (programação on-line)
Canal do MIS no YouTube: https://www.youtube.com/playlist?list=PL3fWzoSbDCCDAFF0DYotL4fUS444IZJeh

Playlist  no canal do MIS no YouTube reúne vídeos que percorrem a trajetória artística e celebram 8 mulheres artistas: a cantora Elza Soares, a atriz e fotógrafa Jessica Lange, a cineasta Tizuka Yamasaki, a atriz e produtora Claudia Raia, a artista e pajé Huni Kuin Same Putumi, a cantora e compositora Zélia Duncan, a atriz Léa Garcia e a artista conceitual e pioneira da videoarte Ana Bella Geiger.

Para completar a programação, o MIS selecionou uma leitura poética de textos da escritora Hilda Hilst feita por Bete Coelho, Cida Moreira e Glamour Garcia.

 

Museu da Imigração
Oficinas de Tai Chi Chuan
Datas: 06 e 13 de março
Horário: 11h às 13h
Local: Jardim do Museu da Imigração
Inscrições pelo site

Contação de História “O pó do crescimento”
Data: 06 de março
Horário: 15h
Local: Museu da Imigração
Plataforma Live: Instagram

Exibição documentário “Adelante – A Luta das Venezuelanas Refugiadas no Brasil”
Data: 10 a 31 de março
Horário: quarta a domingo, das 11h às 17h
Local: Museu da Imigração

Live Série “A situação das mobilidades humanas na pandemia”
Data: 11 de março
Horário: 17h
Plataforma: Instagram

Museu do Café (Santos)
Programação: Live “Mulheres na história do café e da imigração”
Data: 8 de março
Horário: 18h
Plataforma: Youtube (https://www.youtube.com/museudaimigracao)
Mais informações pelo site: www.museudocafe.org.br e museudaimigracao.org.br

Museu do Futebol
Data:  8 de março
Histórias de mulheres no futebol
Programação pelas redes sociais da instituição
Site: www.museudofutebol.org.br/

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão
Programação: #5MulheresArtistas
Data: de 08 e 12/03
Horário: 18h
Programação: Oficina Temática: Autorretrato – Frida Kahlo
Data: 11/03/2021
Horário: 15h
Mais informações pelo site: www.museufelicialeirner.org.br

Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre – Tupã
OFICINAS CULTURAIS

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Live: Mulheres do GAU
Cultura Geral
Coordenação: Natali Santos.
Data e horário: 26/3 – sexta-feira – 11h às 12h
Faixa Etária: Atividade Livre
Participação: Aberta ao Público
Expectativa de Público: 20
Plataforma de exibição: instagram @oficinasculturais
Sem a necessidade de inscrição prévia.

Show | Pele em flor: Um convite para adubar as raízes
Música, Cultura Tradicional, Literatura
Coordenação: Heloisa Vieira.
Data e horário: 27/3 – sábado – 15h
Participação: Aberta ao Público
Plataforma de exibição: Youtube Oficinas Culturais

Sem a necessidade de inscrição prévia.

Local: Atividade não presencial e coordenada à distância.

Redes sociais:
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCx4ySlsHp1HfVZcwbvulpAQ
Instagram: https://www.instagram.com/oficinasculturais/
Facebook: https://www.facebook.com/OficinasCulturais/

Paço das Artes
Não tem programação específica para o mês da mulher
Exposição Táticas de Desaparecimento (curadoria Nathalia Lavigne)
09/03/2021
Das 12h às 18h
Mais informações: www.pacodasartes.org.br

Pinacoteca de São Paulo – Pina Luz e Pina Estação
Não tem programação específica para o mês da mulher
Dias de funcionamento: Segunda, quarta, quinta e sexta, das 10h às 18h
Horário: 10h às 18h
Valor da entrada: R$ 25 para OSGEMEOS segredos.
Gratuito para: Pinacoteca: Acervo, Véxoa: nós sabemos na Pina Luz e gratuito para Fayga Ostrower: Imaginação Tangível, na Pina Estação.

São Paulo Companhia de Dança (SPCD)
Programação: O cotidiano das bailarinas na SPCD
Data:  8 de março
Horário: das 8h às 20h O que é: Take over no qual a rotina diária da Companhia é mostrada pelo olhar das diferentes artistas que integram o elenco da São Paulo Companhia de Dança
Local: Stories do Instagram e Facebook

Museu Catavento e Museu de Zoologia da USP realizam atividades para o mês Darwin

Os visitantes poderão conferir atividades em homenagem a um dos mais importantes cientistas dos últimos séculos (mais…)

Museu Catavento inaugura exposição interativa sobre reciclagem

Desenvolvida para oferecer um novo olhar sobre a reciclagem e despertar o público para a preservação ambiental, exposição é uma ótima pedida para as famílias que visitam o museu   

(mais…)

Museu Catavento participa da São Paulo Tech Week

Nos dias 11 e 12 de Novembro, o Museu Catavento, participa da SPTW, que acontece em toda a cidade (mais…)

Museu da Casa Brasileira apresenta música instrumental e ritmos brasileiros em março

As apresentações acontecem nos dias 10, 17 e 24 de março, domingos, às 11h00, no terraço do Museu (mais…)

Museu da Casa Brasileira retoma Prêmio Design

Em 2021, o MCB adota mudanças para manter sua premiação viva

No dia 20 de maio (quinta-feira) – às 17h – Miriam Lerner, diretora geral do MCB, e Meire Assami, gerente do Prêmio Design do Museu da Casa Brasileira – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – irão se reunir ao vivo pelo YouTube da instituição com Gerson Lessa e Teresa Riccetti, coordenadores da comissão julgadora nas modalidades de produtos e trabalhos escritos, respectivamente, para um ‘bate-papo’ sobre o 34º Prêmio Design MCB.

A premiação – realizada desde 1986 – teve sua 34ª edição interrompida após o Concurso do Cartaz devido à pandemia de Covid-19 e, em 2021, retoma suas atividades com as inscrições para o concurso de produtos e trabalhos escritos.

O encontro terá como objetivo apresentar o calendário do evento e explicar as principais mudanças na realização, incluindo informações sobre: novo formato (online), novo regulamento para inscrições, categorias para concorrência, avaliação do júri, divulgação dos premiados nos meios digitais e muito mais.

A retomada do Prêmio Design MCB se estabelece como um ato de resistência para manter a premiação viva, uma vez que esta vem enfrentando um cenário atípico e desafiador desde o início da crise mundial de saúde surgida no início de 2020.

Além da roda de conversa, o Museu da Casa Brasileira também realizará uma mentoria com os interessados em inscreverem seus projetos para concorrerem nesta edição.

Confira a programação abaixo e conheça o cartaz do 34º Prêmio Design MCB de autoria de Leonardo Sá Rocha (vencedor do Concurso do Cartaz em 2020).

SERVIÇO:

Roda de conversa virtual | 34º Prêmio Design MCB: com Miriam Lerner (diretora geral do MCB), Gerson Lessa (coordenador da comissão julgadora de Produtos do 34º Prêmio Design MCB), Teresa Ricetti (coordenadora da comissão julgadora de Trabalhos Escritos do 34º Prêmio Design MCB).

Mediação: Meire Assami (gerente do Prêmio Design MCB)

Dia 20 de maio, quinta-feira.

Horário: às 17h00

Transmissão: ao vivo pelo YouTube MCB

Gratuito

Encontro Virtual Prêmio Design MCB | Orientações sobre a 34ª edição (2021), com a equipe do MCB

Dia 10 de junho, quinta-feira.

Horário: às 16h00, via Zoom – mediante inscrição

Vagas: 90

Gratuito

Clique aqui e saiba mais

Vencedor do Concurso do Cartaz (2020). Autor:  Leonardo Sá Rocha Sarabanda.

Clique aqui e saiba mais.

34º PRÊMIO DESIGN MCB

Inscrições: 20 de maio a 4 de agosto de 2021

Valor da inscrição: R$ 98,00 (desconto de 50% para estudantes e 25% aos associados ao programa Amigos do MCB)

Categorias: Mobiliário, Iluminação, Utensílios, Têxteis, Construção, Transportes, Eletroeletrônicos e Trabalhos escritos.

Coordenador da comissão julgadora de Produtos: Gerson Lessa

Coordenadora da comissão julgadora de Trabalhos Escritos: Teresa Riccetti

Clique aqui e saiba mais

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país realizada desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SITE: mcb.org.br/

Museu da Casa Brasileira | Av. Faria Lima, 2705 | Tel.: (11) 3032-3727

Acompanhe o Museu da Casa Brasileira também pelas redes sociais.

Instagram | Facebook | Twitter | Youtube | Linkedin

Informações para imprensa – Museu da Casa Brasileira

Jaqueline Caires – (11) 3026-3910 | comunicacao@mcb.org.br

Rachel Brito – (11) 3026-3900 | auxcomunicacao@mcb.org.br

Giovanna Borghi – (11) 3026-3900 | auxcomunicacaojr@mcb.org.br

Museu da Diversidade Sexual inaugura nova exposição “Solidão”

Mostra abre no dia 10 de outubro e conta com trabalhos de 17 artistas

(mais…)

Museu de Arte Sacra abre a exposição Gesù è nato a Napoli

Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em conformidade com todos os protocolos definidos pelas áreas competentes, abre a exposição Gesù è nato a Napoli, sob curadoria de Marcelo Sampaio Ramos, em celebração às festas natalinas. O momento presente impede que tenhamos comemorações festivas; “a forma que encontramos para atingir o objetivo foi essa exposição, versando sobre a lenda, tão acalentada pelos Napolitanos, de que Jesus nasceu em sua cidade”, explica o diretor do MAS/SP, José Carlos Marçal de Barros.

Ao chegar às dependências do MAS/SP, o visitante é transportado para o Velho Continente, mais precisamente Itália e recebido por uma mesa de festa guardada por anjos heráldicos para recepcioná-los. “Os anjos, inspirados nas obras de Valerie Clarebout, criados por Vagner Rodrigues, são os grandes anfitriões do caminho. Eles estão presentes, pontuando o percurso revestido de transparências e sobreposições em verde, que remetem a delicadeza de Ianelli”, explica o curador.

Os 11 anjos, tramados em alumínio pelas hábeis mãos de Vagner Rodrigues, inserem a contemporaneidade ao ambiente histórico e assumem a função de guardar e indicar o caminho a ser percorrido até a cena mais representativa: um exemplar do Presépio Napolitano elaborado pelo arquiteto Omar Moreschi. O trajeto é pontuado por verdes diáfanos que aproximam o cenário internacional aos nossos tons e verdades brasileiras. “Os verdes, continuam verdes, mas mais tropicais e frescos trazendo a sensação de renascimento ou primavera; os vermelhos não incluem azevinhos, mas a tonalidade das pimentas que inserem nossa picância e insolência. O caminho que leva à cena principal convida o público a participar de nossa celebração”, diz Marcelo Sampaio Ramos.

Ao chegar à sala, as boas-vindas vem na forma de uma ária da ópera ‘La Cantata dei Pastore’ que versa sobre a lenda de um menino pastor que sonhou com o nascimento de Jesus em Nápoles. O ambiente envolto por várias camadas delicadas e leves de voil verde, com pontos de luz, levam ao presépio napolitano de 129 peças de Omar Moreschi. “O presépio no mundo assume muitas formas de expressão, mas a forma napolitana, que teve início no século XVIII, na minha opinião, continua a ser a maior invenção que transformou a representação presepista, tornando-se única no seu gênero.(…) A unicidade do presépio napolitano não se baseia somente na técnica de realização, mas principalmente na sua ambientação De fato, para os napolitanos, Jesus nasce em Nápoles, em terra Campana, entre os povos do reino. Nasce nas ruas de Nápoles, que de repente se torna o grande cenário do evento”, explica o escultor e artista presepista napolitano Ulderico Pinfildi.

A celebração do Natal é a única certeza que nos acompanhou durante o ano 2020, tão diferente e, por vezes, doloroso. Que a esperança que abraça os corações nesse período sirva como balsamo para embalar os espíritos para as batalhas e conquistas que ainda estão por vir. Um brinde aos aprendizados do ano que termina e força para os novos desafios e conquistas.

Exposição: “Gesù è nato a Napoli”
Curadoria: Marcelo Sampaio Ramos
Abertura: 28 de novembro de 2020, sábado, das 11 às 14hs
Período: de 29 de novembro de 2020 à 06 de janeiro de 2021
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo || MAS/SP
Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)
Tel.: 11 3326-5393 – educativo para visitas monitoradas
Horários: De terça-feira a domingo, das 09 às 17h (entrada permitida até as 16h30)
Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação

INGRESSOS DEVEM SER ADQUIRIDOS ATRAVÉS DO SITE DO MUSEU

Midias Digitais
Site: www.museuartesacra.org.br
Instagram: https://www.instagram.com/museuartesacra/
Facebook: https://www.facebook.com/MuseuArteSacra
Twitter: https://twitter.com/MuseuArteSacra
YouTube: https://www.youtube.com/MuseuArteSacra
Google Arts & Culture: https://bit.ly/2C1d7gX

Imprensa:
Assessoria de Imprensa – Museu de Arte Sacra de São Paulo
Silvia Balady – (11) 99117.7324
silvia@balady.com.br || imprensa@museuartesacra.org.br
Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado
Simone Blanes – 94003-1711 || Davi Franzon – 93411-6428 || Cíntia Ruiz – 98080-9800
imprensaculturasp@sp.gov.br

Marcelo Sampaio Ramos – Paulistano, Designer de Interiores e mobiliário contemporâneo desde 1985, com formação no Colégio IADÊ e na Universidade Mackenzie. Criou conceitos e executou projetos dos mais diversos e distintos no segmento de design em quantidade exponencial. Desde 2011 começou também a dedicar tempo e criatividade à pesquisas e criação de trabalhos autorias em artes plástica e têxtil, tendo participado de algumas exposições coletivas a assinado curadorias de mostras de arte contemporânea.

Museu de Arte Sacra de São Paulo – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, é uma das mais importantes do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 29 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de pilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 10 mil itens no acervo. Possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus, entre tantos, anônimos ou não. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO – MAS/SP
Presidente do Conselho de Administração – José Roberto Marcellino dos Santos
Diretor Executivo – José Carlos Marçal de Barros
Diretor de Planejamento e Gestão – Luiz Henrique Marcon Neves
Museóloga – Beatriz Cruz

Museu do Futebol oferece experiência sensorial inédita no Pacaembu

No mês em que o estádio completa 78 anos, visitantes do museu poderão explorar o túnel do antigo vestiário

No mês em que o Pacaembu completa 78 anos de fundação, o Museu do Futebol, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, apresenta a seus visitantes um ambiente que estava escondido nas estruturas do estádio. Trata-se de um túnel que parte da primeira sala do museu, onde funcionava um dos vestiários originais, e vai até o gramado. O local ficará aberto a visitação entre os dias 6 e 29 de abril.

Crédito: Museu do Futebol

No percurso, um som ambiente reproduz o que jogadores vivenciam antes de partidas – os áudios contêm momentos como preleção, concentração e reação da torcida à entrada em campo.

A sala que dá acesso ao túnel fica no piso térreo, espaço que foi adaptado para a instalação do Museu do Futebol. Desde a inauguração, em 2008, o túnel de acesso ao gramado nunca havia sido aberto ao público.

“O museu valorizou a arquitetura e engenharia de construção do estádio, que é um patrimônio da cidade. Abrir o túnel é um complemento à proposta original, um modo de unir, sensorialmente, a história do edifício e a emoção do futebol”, comenta Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol.

Nos fins de semana, durante o período em que o túnel ficar aberto, as visitas guiadas promovidas pelos educadores no Museu do Futebol incluirão também passagens por esse ambiente. Além disso, haverá tours especiais nos dias 28 e 29 de abril, às 11h00 e às 14h00, quando o historiador Sérgio Paz vai se caracterizar como Charles Miller e acompanhar o público em uma viagem especial pelo túnel e pela história.

No dia 27 de abril, o condutor da visita será Roberto Sambi Colotto, arquiteto e guia de turismo com experiência em tours sobre história e arquitetura de São Paulo. A passagem dele pelo túnel será focada na estrutura arquitetônica do próprio estádio.

Visitação ao túnel de acesso ao gramado do Pacaembu

De 06 a 29 de abril de 2018

De terça a domingo, das 9h às 18h

A visitação é gratuita mediante pagamento do ingresso do Museu do Futebol

* Em dias de chuva forte, o acesso poderá ser interrompido por motivos de segurança

 Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O passeio está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

MUSEU DO FUTEBOL

Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 09h00 às 18h00

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras. * Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu, consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Museu Felícia Leirner tem programação especial nas férias

Durante as férias de verão, o Museu Felícia Leirner , em Campos do Jordão, oferece uma programação especial nas redes sociais. Todos os eventos são gratuitos. Confira as atrações e os horários abaixo:

Baú de Folias Apresenta Folia de Reis Luz de Belém: 9/01 (sábado)
O Baú de Folias, de São Bento do Sapucaí (SP), apresentará um cortejo por alguns lugares públicos como praças parques e espaços culturais, demonstrando e apresentando um pouco da Folia de Reis, suas funções, objetivos, como é essa manifestação e o que acontece em cada uma das visitas. A Folia de Reis Luz de Belém foi organizada pelo artista e moradores do município, Fábio Miguel, em 2015. Desde então, de 24 de dezembro a 6 de janeiro, a folia caminha pelas ruas da cidade entoando louvores ao Menino Deus, visitando casas e presépios, com música, danças e cantorias. A Folia de Reis, ou Reisado, é uma manifestação religiosa popular comemorada no dia de Santos Reis, 6 de janeiro, e representa a passagem dos Reis Magos Baltazar, Belchior e Gaspar, em visita ao Menino Jesus.
Onde assistir: Instagram; Facebook; Twitter
Horário: 15h

(mais…)

Museu Índia Vanuíre promove semana com oficinas de brinquedos

Agenda tem também o documentário: “Mulheres Indígenas: Vozes por Direitos e Justiça”, na sexta-feira (25)

O Museu Índia Vanuíre, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, preparou atividades para a criançada produzir em casa. A instituição possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental, com os objetivos de promover reflexões e discussões sobre o tema. Pensando nisso, a equipe educativa realiza oficinas de baixo custo com materiais recicláveis, visando à valorização e a conscientização ambiental.

Em homenagem ao Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, hoje (22), a educadora Valquíria ensinará a confeccionar um dispensar de água, mais conhecido como bebedouro, com materiais recicláveis, encontrados facilmente em casa. Já na próxima quarta-feira (24), a educadora Tina ensinará a produzir uma câmera filmadora.

A semana também conta com a mostra de um documentário. Na sexta-feira (25), a edição do “Cultura e Questões Indígenas em Foco” exibirá “Mulheres Indígenas: Vozes por Direitos e Justiça”, lançado pela ONU Brasil, em março de 2018. O vídeo aborda diálogos entre mulheres indígenas e as Nações Unidas em torno da articulação pelos direitos humanos e em defesa dos povos e territórios.

E, para finalizar a semana, no domingo (28), o educador Fernando ensinará a confeccionar um brinquedo de jogo de basquete. Toda família poderá se divertir e competir marcando os pontos de cada um.

Vale lembrar que o museu está fechado devido à regressão de todos os municípios do Estado de São Paulo para a fase emergencial do Plano São Paulo. A recomendação é a restrição total de atividades. Não há previsão de reabertura.

Como forma de continuar a disseminar a cultura, as ações educativas da instituição e também o tour virtual permanecem de forma on-line pelas redes sociais e site (@museuindiavanuire e www.museuindiavanuire.org.br/culturaemcasa)

Museu também é para se divertir: sete atividades para ir além do passado

Quem diz que museu vive apenas de passado deve ser porque não conhece São Paulo. É bem verdade que muitos dos museus paulistas são responsáveis por preservar a história, mas nas instituições da Secretaria da Cultura do Estado o visitante não olha apenas para trás. Em sua variedade, é possível realizar atividades com esporte, música, dança, teatro, fotografia, literatura, gastronomia e com a arte contemplar o presente e imaginar o futuro.

Confira as atividades que acontecem nos museus de São Paulo e a programação das próximas semanas:

Participar de palestras e bate-papos sobre temas variados

Palestras e discussões enriquecem o aprendizado em qualquer esfera, inclusive no esporte número um dos brasileiros. O Museu do Futebol irá promover, a partir do dia 26 de abril, um ciclo de palestras chamado “A História das Copas do Mundo”. A abertura do evento terá a apresentação inaugural do francês Clement Astruc, da Sorbonne Nouvelle Paris 3, que tem como pesquisa de doutorado a participação da seleção brasileira no Mundial de 1970.

No Museu da Imigração, na roda de conversa “Modo de fazer: o intangível das coisas”, o patrimônio intangível e suas materialidades são debatidos. No próximo sábado, 28 de abril, a sessão educativa discutirá as relações entre arte e cultura popular, com foco nos saberes e expressões indígenas, levantando os desafios e perspectivas em relação ao mercado.

No dia 26 de abril, às 14h, o Museu do Café, promove o “Pesquisando Documentos de Família”, que promove uma conversa sobre como pesquisar da melhor maneira a documentação da antiga Hospedaria de Imigrantes. O intuito é ajudar famílias a encontrarem informações sobre parentes no acervo digital do Museu da Imigração, parceiro nesta iniciativa. O encontro tem inscrições gratuitas.

Para oferecer aos participantes um diálogo sobre as iluminuras medievais, o Museu de Arte Sacra recebe, no dia 9 de maio o Padre Rodrigues Pires Vilela da Silva. O debate gira em torno do tema “Uma Antropologia Teológica a Partir das Iluminuras”. Trata-se de mais uma sessão do Café Teológico, que acontecerá às 17h e se estende até às 19h.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Participar de contações de histórias

Senta que lá vem história… Diversos museus oferecem narrações de histórias para todas as idades. O Museu Afro Brasil oferece, todos os meses, a contação “Aos pés do Baobá”, que apresenta narrativas africanas ou afro-brasileiras ao público. No dia 28 de abril tem sessão às 11h.

Em 5 de maio, a história do Bairro da Luz, em São Paulo, é contada no Museu de Arte Sacra. Os doutores e mestres em História falam sobre o passado e o presente de um dos bairros mais queridos pelos paulistanos, que fala muito sobre o próprio quadro social da capital paulista.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Participar de eventos de gastronomia

A fome e a vontade de aprender andam juntas em vários dos museus de São Paulo. É o caso do Museu da Casa Brasileira, que abre as portas de seu belíssimo espaço público para piquenique dos visitantes. A organização, porém, lembra que a atividade deve ser organizada como um encontro informal, não podendo ser caracterizado como evento privado. Leve suas frutas, bolos, salgados e refrescos e aproveite para fazer aquele lanchinho após contemplar as mostras e atividades do MCB. Respeitando as regras, a atividade fica ainda mais segura.

Para quem não dispensa um bom café, é possível degustar o fino da bebida. O Museu do Café oferece degustação de café gourmet todo sábado e domingo em quatro horários: 10h30, 12h, 15h e 17h. Os participantes têm a oportunidade de degustar três tipos de café, utilizando o tradicional método coado, muito comum nos lares dos brasileiros, e aprender um pouco mais sobre as características e peculiaridades de cada grão.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Cantar e dançar

Museus também são espaço para soltar a voz e cair na dança. A edição de abril do programa “Notas Contemporâneas” do MIS traz o compositor, produtor musical e cantor paulistano Carlinhos Vergueiro. O artista participa de um bate-papo sobre sua carreira, mediado pelo jornalista Cadão Volpato, enquanto a Banda MIS interpreta seus grandes sucessos no palco. O show acontece dia 25 de abril, às 20h, no Auditório MIS, para 172 pessoas.

Dois dias depois, “SPIO: Improvisadores em Orquestra” entram em ação com sua sonoridade instrumentos e formação fora do comum. Esta orquestra paulistana faz com que cada uma de suas apresentações se mostre única, então cada oportunidade tem de ser aproveitada, como no próximo dia 27, às 19h, na Casa das Rosas.

No “Música no MCB”, no Museu da Casa Brasileira, é a vez do Speakin’ Jazz Big Band demonstrar todo seu talento nesta série de apresentações, que está em sua 19ª temporada. A big band formada em 2011 por músicos com experiência em orquestras e em grupos instrumentais populares leva o seu conhecimento para compor um repertório misto do swing clássico até o jazz refinado. É dia 29 de abril, às 11h.

Ensemble Brasileiro | Divulgação

Aprender na prática em oficinas e cursos

O que não faltam na programação dos museus de São Paulo são oficinas e cursos interessantes. Na Casa Guilherme de Almeida, o cineasta e crítico de cinema Alfredo Sternheim dá o curso “O Humor no Cinema Norte-Americano” nos dias 2, 9, 16 e 23 de maio, das 19h às 21h. O curso contará a história de Hollywood por meio do gênero comédia, das primeiras criações no cinema mudo de Mack Sennett, Chaplin, Buster Keaton Keaton e Harold Lloyd às comédias sofisticadas dos anos 1930 aos 1950.

Para os amantes do futebol, o Museu do Futebol realiza, no dia 28 de abril, uma visita educativa ao Estádio Pacaembu, seguida de acompanhamento dos educadores no museu. Durante a programação, os participantes conhecerão a importância do estádio, patrimônio histórico e arquitetônico da cidade de São Paulo, e sua relação com a história do futebol e do país. Até 40 pessoas.

“As Palavras e as Casas” é uma oficina promovida pelo Museu da Casa Brasileira. Nela, os participantes dão os seus relatos afetivos e a partir disso a equipe de artistas-educadores do próprio MCB elaborarão transcrições poéticas com máquinas de escrever. No dia 25 de abril tem mais uma seção, das 10h30 às 12h.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Assistir a filmes de graça

O Museu de Arte Sacra, por meio do programa “Cine Debate”, exibe filmes e promove discussões a respeito do conteúdo exibido entre os participantes. No dia 19 de maio, o museu apresenta o filme “Alexandria”, com debate mediado pelo Prof. Sidnei Ferreira Vares.  Não é preciso fazer inscrição, e as 50 vagas são por ordem de chegada.

A Casa Guilherme de Almeida tem um espaço para transmissão de filmes ao público: a Sala Cinematographos. No dia 28 de abril, a Sessão Versátil traz “O cinema de Robert Bresson”, com Fernando Brito e Raphael Cubakowics, das 10h às 18h. As vagas são limitadas para 50 pessoas. Importante cineasta e crítico francês, Bresson desenvolveu uma linguagem própria que influenciou a geração da Nouvelle vague e testou os limites sobretudo da direção de atores em cena. Após uma introdução à sua obra, será exibido o filme Um condenado à morte escapou (1956).

Mensalmente, o Museu da Imagem e do Som abre espaço para novos talentos do cinema com o programa Cine MIS. A programação é disponibilizada no site https://www.mis-sp.org.br/. Já a Casa das Rosas também promove, constantemente, sessões de cinema ao ar livre, no jardim do museu. A programação é gratuita e não precisa retirar ingressos.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Participar de programações para bebês, crianças e adultos

Muitos museus proporcionam atividades, brincadeiras e jogos para as mais variadas idades. O Museu Catavento oferece possibilidades de interação e programação interativa. O projeto “Na Pista Certa”, por exemplo, crianças podem ter uma experiência lúdica de vivência no trânsito, conscientizando sobre responsabilidade e segurança. Já o “Dinos do Brasil” mostra um tour virtual de 30 minutos que leva os visitantes a uma aventura pela pré-história até a Era dos Dinossauros, usando óculos de realidade virtual.

Crianças e adultos podem se divertir no estúdio Retratos de Época do Museu da Imigração, fazendo uma verdadeira fotografia à moda antiga. Eles podem vestir trajes de época e tirar uma foto no ambiente do museu, obtendo uma foto tratada no estilo antigo.

Todo segundo domingo do mês, o Pinafamília, da Pinacoteca, propõe diversão, aprendizagem e cultura para pais e filhos. A Ilha de Atividades e Visitas para Família acontecem nos próximos dias 13 de maio, 10 de junho, 8 de julho, 12 de agosto, 9 de setembro, 14 de outubro, 11 de novembro e 9 de dezembro. Sempre às 15h, no auditório térreo, com distribuição de senhas com meia hora de antecedência com limite de 140 lugares.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Museus Casa de Portinari e Índia Vanuíre fecham as portas a partir de segunda-feira

Cidades onde estão esses espaços culturais entraram na Fase Vermelha do Plano São Paulo. Instituições localizadas nas regiões com fases Laranja e Amarela podem ficar abertas, desde que sigam os protocolos  

Os espaços culturais do Governo do Estado de São Paulo Museu Índia Vanuíre (Tupã) e Casa de Portinari (Brodowski) irão fechar as portas a partir de segunda-feira para cumprir as determinações do Centro de Contingência da COVID-19. Eles estão localizados nas regiões que regrediram à Fase Vermelha do Plano São Paulo. Nesta fase, espaços e atividades culturais, como museus, bibliotecas, centros culturais, cinemas, casas de show e teatros permanecem fechados.

Campinas, Grande São Paulo (incluindo a capital paulista), Registro e Sorocaba regrediram para a fase laranja, que já abrangia as regiões de Franca, São José do Rio Preto, São João da Boa Vista e Taubaté.  Nesta fase, a capacidade máxima permitida de ocupação nos espaços culturais é de até 40%, com oito horas de funcionamento diários. O controle de acesso, agendamento de horário e marcação de assentos são obrigatórios, assim como o uso de máscaras e a disponibilização de álcool em gel.

“As instituições culturais do Governo do Estado de São Paulo seguem expressamente todos os protocolos exigidos pelas instituições competentes para continuar oferecendo suas atrações presenciais ao público com total segurança, bem como estimular a dimensão econômica da cultura”, afirma Sérgio Sá Leitão, titular da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

As regiões de Araçatuba, Baixada Santista e Piracicaba estão na fase amarela do Plano, que podem permitir 40% de ocupação nos espaços artísticos e culturais com expediente de até doze horas diárias. O atendimento presencial deve ser encerrado até as 22h em todos os setores. Eventos que geram aglomeração, como festas, baladas e shows, seguem proibidos.

De acordo com a Secretaria, os espaços culturais continuarão seguindo os protocolos preconizados pela Organização Mundial da Saúde e Centro de Contingência, como distanciamento, proibição de atividades com público em pé e adoção dos protocolos específicos para cada área cultural e higienização do ambiente.

O resumo com as informações sobre a reclassificação do Plano São Paulo e os indicadores epidemiológicos e de capacidade hospitalar de cada região estão disponíveis no link

https://issuu.com/governosp/docs/apresenta__o_plano_sp.pptx

Museus do Governo do Estado promovem ação “Sonhar o Mundo” e incentivam a solidariedade

Com o tema Solidariedade derrubando muros, iniciativa contará com atividades sobre direitos humanos 
(mais…)

Museus do Governo localizados em Tupã e Campos do Jordão interrompem suas atividades; atrações  culturais são alteradas em todo Estado

Espaços poderão funcionar até às 20h durante a semana e fecharão suas portas nos fins de semana de 30/1 e 31/1 e 6/2 e 7/2. Medidas valem a partir de 25/01

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que todas as atividades culturais serão interrompidas nos fins de semana de 30/1 e 31/1 e 6/2 e 7/2, datas em que está decretada a Fase Vermelha no Estado. A interrupção total continuará valendo para todos os dias da semana a partir das 20h, o que obrigará a cena artística a antecipar o horário de sua programação presencial. Parte das regiões, incluindo a capital, foi reclassificada para a Fase Laranja, o que permite o funcionamento dos espaços. Mas os museus que estão nas regiões colocadas na Fase Vermelha terão de fechar suas portas. São eles: Museu Índia Vanuíre (Tupã) e Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro (Campos do Jordão), localizados respectivamente nas regiões de Marília e Taubaté. As medidas começam a valer nesta segunda-feira 25/01. Mesmo sendo feriado na capital paulista, será considerado dia útil na cidade, portanto as atrações funcionarão normalmente. A programação on-line de todas as instituições está mantida.

“As instituições culturais do Governo do Estado de São Paulo seguem expressamente todos os protocolos exigidos pelas instituições competentes para, assim, continuar oferecendo suas atrações presenciais ao público durante a semana, com total segurança, bem como estimular a dimensão econômica da cultura, oferecendo atividades on-line.”, afirma Sérgio Sá Leitão, secretário estadual de Cultura e Economia Criativa.

Protocolos de segurança

Os espaços culturais continuarão seguindo rígidos protocolos de segurança e saúde, preconizados pela Organização Mundial da Saúde e pelo Centro de Contingência. Entre as ações estão o distanciamento de pessoas, a proibição de atividades com público em pé, a adoção dos protocolos específicos para cada área cultural e a higienização de ambiente, bem como o horário exigido para restrição de atividades, às 20h, durante a semana e o encerramento de público presencial no sábado, domingo e feriados. As medidas vão vigorar até o dia 7 de fevereiro.

Os estabelecimentos localizados em regiões na Fase Laranja podem funcionar por até oito horas diárias, com atendimento presencial limitado a 40% da capacidade e encerramento às 20h.

Na Brasilândia, peça discute racismo, violência e trabalho na metrópole

Em curtíssima temporada, a Fábrica de Cultura da Brasilândia apresenta a peça “Cidade de pedras, corpo em ruínas”, dentro da programação do Projeto Espetáculo. A peça estreou no último dia 23 e terá apresentações até domingo (mais…)

Na Cidade Tiradentes, choque entre infância e vida adulta é tema de peça

Vários atores interpretam o protagonista, que se questiona sobre suas escolhas (mais…)

Na Semana da Língua Portuguesa, Museu terá programação online e visita à exposição temporária de reabertura

Entre os dias 3 e 7 de maio, o Museu da Língua Portuguesa realiza uma série de atividades, incluindo lives, exibição de vídeos e visitação especial pré-reabertura

O Dia Internacional da Língua Portuguesa, em 5 de maio, será celebrado com uma programação especial do Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, ao longo de toda a semana. Serão cinco dias de atividades gratuitas, de 3 a 7 de maio, incluindo lives e exibição de vídeos. A programação inclui a visita presencial especial à exposição temporária Língua Solta, para um público total de 160 pessoas (10 por vez), com acesso exclusivamente mediante emissão antecipada de ingressos pela internet, em dois lotes: o primeiro liberado na sexta-feira (30/4) e a outra na segunda-feira (3/5), ao meio-dia (https://bileto.sympla.com.br/event/67708).

Entre as atrações da programação online estão uma aula do músico e ensaísta José Miguel Wisnik, uma performance do músico Tom Zé, um encontro virtual ao vivo com os escritores Mia Couto (Moçambique), José Eduardo Agualusa (Angola) e Inês Pedrosa (Portugal), e uma mesa também ao vivo sobre o funk e a literatura, com participação de produtores de conteúdo dos perfis Funkeiros Cults, Se Poema Fosse Funk e Favela Business no Instagram e do coletivo PerifaCon.

Há, ainda, a participação dos escritores Geovani Martins e Amara Moira, além da pesquisadora e curadora de Literatura Indígena Julie Dorrico, que conversam com Marcelino Freire sobre os falares do Brasil. Já Linn da Quebrada, Dino D´Santiago e Sara Correia se juntam ao compositor e ativista cultural Vinícius Terra em um bate-papo sobre a música e o videoclipe Meu Bairro, Minha Língua, que terá pré-lançamento durante a programação.

Ao longo da programação, a antropóloga e brincante brasileira Vivian Catenacci convida a contadora de histórias caboverdiana Dulce Siqueira e a cantora e educadora moçambicana Lenna Bahule entram em pílulas em vídeo com repertório de brincadeiras tradicionais, cantadas e ritmadas em língua portuguesa nestes três países.

No encerramento, a cantora Maria Bethânia, faz a leitura em vídeo do poema “Os Argonaustas”, de Fernando Pessoa, famoso pelos versos “Navegar é preciso / Viver não é preciso”. Confira abaixo a programação completa.

Nas lives, haverá tradução simultânea em Libras, a Língua Brasileira de Sinais. Todos os vídeos exibidos terão legenda.

 

 

VISITA PRESENCIAL

Na Semana da Língua Portuguesa será aberta a visitação especial à exposição temporária de reabertura do Museu, Língua Solta, com curadoria de Fabiana Moraes e Moacir dos Anjos. Nos dias 4 a 7 de maio, um total de 160 pessoas poderá conferir a mostra em primeira mão, mediante emissão antecipada de ingresso pela internet. As visitas, com até 10 pessoas por horário, acontecerão às 9h30, 10h30, 14h30 e 15h30.

Os ingressos serão liberados em dois lotes, o primeiro na sexta-feira (30/4) ao meio-dia, e o segundo lote na segunda-feira (3/5) também ao meio-dia, por este link:

Língua Solta será a primeira exposição temporária do Museu da Língua Portuguesa, com previsão de reabertura no próximo semestre. A exposição é composta por um conjunto de artefatos que ancoram seus significados no uso das palavras, como objetos da arte popular e da arte contemporânea, apresentados de maneira embaralhada, levando o público a pensar nessa divisão e em outros entendimentos possíveis para o mundo. A mostra tem classificação indicativa de 12 anos.

Esta é a quinta edição da programação comemorativa pelo Dia Internacional da Língua Portuguesa. Desde o ano passado, com as medidas de isolamento social, a programação cultural migrou para o ambiente virtual, que proporcionou também uma conexão mais ampla com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A programação em comemoração ao Dia Internacional da Língua Portuguesa do Museu de 2021 tem como patrocinadores  EDP, Globo e Itaú Unibanco e como apoiadores Sabesp, Instituto EDP, Fundação Calouste Gulbenkian, Comissão Temática de Programação e Difusão da Língua Portuguesa dos Observadores Consultivos da CPLP e Governo Federal, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

Sobre o Museu da Língua Portuguesa – O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. A reconstrução do Museu tem como patrocinador máster a EDP, como patrocinadores Globo, Itaú Unibanco e Sabesp e apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e do Governo Federal, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O IDBrasil Cultura, Educação e Esporte é a organização social responsável pela gestão do Museu.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

 

VISITA ESPECIAL À EXPOSIÇÃO LÍNGUA SOLTA

De 4 a 7 de maio (terça a sexta-feira)

9h30, 10h30, 14h30 e 15h30
Lotação: 10 pessoas por vez
Classificação indicativa: 12 anos

Acesso exclusivamente mediante emissão antecipada de ingresso pela internet, com dia e hora marcados. Não será permitido acesso em dia e horário diferente do agendado.

Para emissão dos ingressos: https://bileto.sympla.com.br/event/67708

1º Lote: Disponível na sexta-feira, 30/4, ao meio-dia

2º Lote: Disponível na segunda-feira, 3/5, ao meio dia

 


SEGUNDA-FEIRA, 3/5

19h – Abertura – AO VIVO

Com Nuno Rebelo de Souza (EDP), Paulo Jorge Nascimento (Cônsul-geral Portugal, José Pedro Chantre D`Oliveira (Embaixador da República de Cabo Verde no Brasil), Larissa Graça (FRM) e Francisco Ribeiro Telles (secretário executivo CPLP). Mediação: Renata Motta.

19h30 – Meu Bairro, Minha Língua

Pré-lançamento do vídeoclipe da música “Meu Bairro, Minha Língua”, que propõe em seus versos a redescoberta de nossas raízes, heranças culturais e relações históricas, por intermédio de vozes potentes desses artistas de países que falam a língua portuguesa, como Portugal, Brasil e Cabo Verde. Na sequência, o compositor Vinícius Terra conversa sobre o tema com Dino D´Santiago, Linn da Quebrada e Sara Correia.

 

 

TERÇA-FEIRA, 4/5  

19h O Museu da Língua Portuguesa hoje – AO VIVO

Os curadores Isa Grinspum e Hugo Barreto apresentam e conversam sobre a exposição de longa duração do Museu da Língua Portuguesa – o que mudou e o que permaneceu após a reconstrução. Mediação: Marília Bonas.

19h30 – Praça da Língua

O compositor e pesquisador José Miguel Wisnik apresenta uma aula sobre algumas referências literárias e musicais presentes no espaço Praça da Língua – uma espécie de planetário do idioma, uma das salas preferidas do público no Museu da Língua Portuguesa.

 

QUARTA-FEIRA, 5/5, DIA DA LÍNGUA PORTUGUESA
Ao longo de todo o dia, a data será comemorada com programação online nas redes do Museu da Língua Portuguesa, tendo como anfitrião o ator e MC Eugenio Lima.


11h – Nós da língua portuguesa do mundo 

Debate entre escritores de diferentes países de língua portuguesa sobre esse idioma que continua se reinventando, em sua imensa diversidade.

Convidados: Mia Couto (Mocambique), José Eduardo Agualusa (Angola) e Inês Pedrosa (Portugal). Mediação: Roberto Pinho.

Pílula – Eu de cá e tu de lá:  Exibição de vídeo de brincadeiras com palavras do Brasil, Cabo Verde e Moçambique.

13h – Bailão das Letras: o funk e a literatura – AO VIVO

Criadores de conteúdo no Instagram desafiam os preconceitos contra o funk e mostram sua relação com a literatura no dia a dia. Com Funkeiros Cults (Dayrel Teixeira), Se Poema Fosse Funk (Murilo Lense) e Jeferson Delgado (Favelabusiness) com mediação de Andreza Delgado (PerifaCon).

Pílula – Eu de cá e tu de lá
Exibição de vídeo com brincadeiras com palavras do Brasil, Cabo Verde e Moçambique.

15h – As línguas do Brasil – AO VIVO

Neste encontro virtual, os escritores Geovani Martins e Amara Moira, junto com a pesquisadora e curadora de Literatura Indígena Julie Dorrico, falam sobre as variedades, influências e resistências expressas nos falares brasileiros. Mediação: Marcelino Freire.

Pílula – Eu de cá e tu de lá

Exibição de vídeo de Brincadeiras com palavras do Brasil, Cabo Verde e Moçambique.

17h – Língua Solta – AO VIVO
Os curadores Moacir dos Anjos e Fabiana Moraes apresentam a exposição temporária Língua Solta, criada para a reabertura do Museu da Língua Portuguesa.

17h10 – Performance de Tom Zé – Língua Solta

O compositor Tom Zé realiza uma performance criada com exclusividade a partir do seu olhar sobre a exposição Língua Solta.

 

18h – Maria Bethânia lê “Os Argonautas”

Encerramento institucional, com Marília Bonas, diretora técnica do Museu da Língua Portuguesa. Na sequência, para encerrar a programação, em vídeo gravado com exclusividade para o Museu da Língua Portuguesa, a cantora Maria Bethânia lê o poema de Fernando Pessoa marcado pelos versos “Navegar é preciso / Viver não é preciso”.

Nova Fábrica de Cultura: Secretaria e Prefeitura de São Bernardo do Campo anunciam início das obras

Prédio que abrigava Museu do Trabalho será transformado em centro de cultura e capacitação; abertura está prevista para o primeiro trimestre de 2020

(mais…)

Novo curso de História da Arte da Pinacoteca terá intérprete de LIBRAS!

A aula inaugural gratuita e aberta ao público

(mais…)

Novo edital: Cultura abre concurso do ProAC na área de Hip Hop

Novo edital se soma aos 31 já publicados até o momento; prêmio de R$ 40 mil é voltado para Pessoas Físicas; inscrições devem ser feitas pelo site www.proac.sp.gov.br

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo abre inscrição para mais um edital do Programa de Ação Cultural (ProAC) de 2018. Serão contemplados 14 projetos de Pessoas Físicas na área de Projetos de Hip Hop com prêmio de R$ 40 mil cada um. Além disso, no mínimo 50% dos selecionados serão proponentes da Grande São Paulo, interior e litoral.   As inscrições começam no dia 02 de maio e vão até o dia 15 de junho, e devem ser feitas pelo site www.proac.sp.gov.br. O edital completo está disponível no mesmo endereço.

O edital Projetos de Hip Hop selecionará 14 projetos com prêmios de R$ 40 mil para cada um. O concurso irá contemplar uma ou mais vertentes do Hip Hop: Graffiti; Breaking (Locking, Popping, Hip Hop Dance e Krump); DJ e MC. (Rap, Freestyler e Beat Box).

Para Márcio Santos, Assessor Especial de Projetos para Hip Hop da Secretaria da Cultura do Estado, os artistas manifestam críticas às questões raciais e sociais como a miséria, a exclusão social e a qualidade de vida nas periferias por meio desta cultura. “O Hip Hop já nasce transformando a vida das pessoas e o contexto cultural onde vivem, mudando também a realidade social de muitos jovens. Este edital de Hip Hop é um reforço às políticas públicas para esta cultura, com o objetivo de incentivar essas ações e demonstrar o reconhecimento e a importância do Hip Hop no contexto social”, completa Márcio.

Confira o detalhamento e o período de inscrição do edital:

Projetos de Hip Hop

Pessoa Física

14 projetos com prêmios de R$ 40 mil cada.

Inscrições: de 02 de maio a 15 de junho

Sobre o ProAC Editais

Desde a sua criação, em 2006, o Programa de Ação Cultural (ProAC) já contemplou mais de 5.400 projetos, em 394 editais, nos mais diversos segmentos, como teatro, dança, artes cênicas, música, circo, festivais, artes visuais, museus e arquivos, cultura e cidadania, literatura, audiovisual e projetos multidisciplinares. O objetivo do ProAC Editais é fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos.

Para conhecer a programação cultural de todo o estado, acesse o site da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo: www.cultura.sp.gov.br. Acompanhe também nas mídias sociais:

Facebook: /culturasp                                    Twitter: @culturasp                                             Instagram: /culturasp

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano oferece oficinas que resgatam conhecimentos tradicionais

A programação reúne cursos de criação artística em cimento queimado, introdução à fotogravura e criação de bonecos de vara

(mais…)

Orquestra Sinfônica do Estado de SP reúne músicos em vídeo com apresentação de obra de Villa-Lobos

Músicos interpretam “O Trenzinho do Caipira” de suas casas em montagem produzida pela Orquestra disponibilizado no YouTube

(mais…)

Orquestra Tom Jobim abre a temporada com clássicos de Egberto Gismonti, Gilberto Gil, Edu Lobo e Chico Buarque

Sob a regência de Nelson Ayres e Tiago Costa, grupo da Escola de Música do Estado de São Paulo apresenta programa com repertório que inclui Beatriz, Eu vim da Bahia, além de importantes títulos da música instrumental como Palhaço, de Egberto Gismonti e Quase caindo, do Ricardo Herz

A Orquestra Jovem Tom Jobim, grupo ligado à EMESP Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, abre a temporada 2021 com um programa eclético que traz clássicos da música popular brasileira como Beatriz, de Edu Lobo e Chico Buarque, Eu vim da Bahia, de Gilberto Gil e Valsa de Euridice, de Vinícius de Moraes, além de importantes títulos da música instrumental, como Palhaço, de Egberto Gismonti e Quase caindo, de Ricardo Herz.

Sob regência de Nelson Ayres e Tiago Costa, as apresentações acontecem nos dias 18 de junho, sexta, às 20h, e 20 de junho, domingo, às 11h, no Theatro São Pedro. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15 (meia).

No repertório, músicas dos compositores Moacir Santos, Senô, Gilberto Gil, Ricardo Herz, Vinícius de Moares, Egberto Gismonti, Edu Lobo e Chico Buarque.

Transmissão ao vivo

Para quem mora fora de São Paulo, ou prefere assistir de casa, a apresentação do domingo dia 20, às 11h, será também transmitida ao vivo, gratuitamente, pelo canal no YouTube da EMESP Tom Jobim (www.youtube.com/tjemesp).

Bilheteria

Não haverá venda na bilheteria do Theatro São Pedro. Os ingressos para todos os espetáculos devem ser adquiridos exclusivamente pelo site https://theatrosaopedro.byinti.com/

SERVIÇO:

ORQUESTRA JOVEM TOM JOBIM 

Nelson Ayres e Tiago Costa, regência

Solistas da Tom Jobim

 

PROGRAMA

SENÔ 
Duda no Frevo [arr. Tiago Costa]

MOACIR SANTOS  
Coisa 10 [arr. Tiago Costa]

RICARDO HERZ
Quase Caindo [arr Tiago Costa]

GILBERTO GIL
Eu vim da Bahia [arr. Tiago Costa]

EGBERTO GISMONTI  
Palhaço [arr. Nelson Ayres]

EDU LOBO / CHICO BUARQUE
Beatriz [arr. Nelson Ayres]

VINÍCIUS DE MORAES
Valsa de Euridice [arr. Nelson Ayres]

Datas e horários: 18 de junho, sexta-feira, às 20h

20 de junho, domingo, às 11h

Local: Theatro São Pedro

Endereço: Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia)

Osesp apresenta Temporada 2022 em homenagem à Semana de Arte Moderna

Com 122 obras do repertório brasileiro e universal, programação reúne ciclos dedicados a compositores como Villa-Lobos, Strauss e Sibelius; Live de lançamento acontece nesta quarta-feira, às 19h, pelo canal da Osesp no YouTube

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp apresenta nesta quarta-feira (6) a Temporada 2022. Uma grande celebração dos 100 anos da Semana de Arte Moderna batizada de  Vasto Mundo musical tem seu título inspirado nos versos finais do Poema de Sete Faces, lançado por Carlos Drummond de Andrade em 1930, e contempla obras que vão do Barroco ao contemporâneo, com especial ênfase no Modernismo.

“Defender a música, promover a cultura, manter o espírito aberto e acolhedor, conversar com o mundo e ouvir nossas próprias demandas: é o que nos ensina o modernista Mário de Andrade, que, além de poeta e romancista, foi uma figura inaugural da musicologia brasileira e primeiro grande gestor público da cultura na cidade de São Paulo. À luz do seu exemplo, aqui estamos, renovando compromissos da Fundação Osesp: responsabilidade, transparência, boas práticas, excelência, inovação e a defesa dos valores democráticos. São vastos os desafios. Mais vasto nosso coração”, afirma Arthur Nestrovski, Diretor Artístico da Fundação Osesp, em seu texto de apresentação da Temporada. Para o Diretor Executivo da Fundação, Marcelo Lopes, “a melhor parte do nosso trabalho é conceber o inesperado e alargar os limites do possível. Vasto Mundo é mais do que o nome para uma temporada. É uma reafirmação dos nossos ideais humanistas e do desejo da Osesp de abraçar novamente seu público”.

Serão 31 programas de assinatura e 109 concertos programados para 2022 (sinfônicos, do Coro da Osesp, do Quarteto Osesp e recitais). No principal ciclo musical do ano, Clássicos Modernistas, ouviremos nada menos que 122 obras do período, para as mais diversas formações, oferecendo ao público um amplo espectro da produção dessa época – o recorte começa na estreia em 1894 do Prélude à l’Après-Midi d’un Faune, de Debussy, tido como marco inaugural da modernidade na música, até 1954, ano de fundação da Osesp e também da criação de duas obras-primas: o Concerto Para Orquestra, do polonês Witold Lutoslawski, e a Cantata Criolla, do venezuelano Antonio Estévez – sem falar no Quarteto de Cordas nº 15 de Heitor Villa-Lobos, figura fundamental da Semana de Arte Moderna (assim como Tarsila do Amaral, cuja tela São Paulo, de 1924, ilustra a capa do Livro da Temporada).

Dentro desse grande acervo, ganham destaque três outros ciclos: Viva Villa!, com cerca de duas dezenas de peças de Villa-Lobos; Strauss Essencial, que inclui cinco obras de Richard Strauss, entre elas, as essenciais Uma Vida de Herói e a Sinfonia Alpina, regidas pelo Diretor Musical e Regente Titular da Osesp, Thierry Fischer; e, como Escolha do Maestro: Sibelius, a primeira parte de uma integral de Sinfonias do finlandês Jean Sibelius, além de seu Concerto Para Violino, com a solista convidada Esther Yoo, na abertura em março de 2022, e as Humoresques, com Carolin Widmann, em agosto.

“Fazer um ciclo Sibelius é uma grande porta aberta para o futuro. A qualidade da Orquestra e a beleza da Sala São Paulo, combinadas, irão desenvolver as melhores capacidades da Osesp, além de criar laços entre os músicos e entre a Orquestra e o público. Estou absolutamente convencido de que haverá um ‘antes’ e um ‘depois’ do ciclo Sibelius no desenvolvimento artístico da Osesp”, revela o maestro Thierry Fischer, responsável pela escolha do compositor finlandês.

Serão mais de 50 artistas convidados se apresentando entre brasileiros (de Antonio Meneses a Paulo Szot) e estrangeiros (de Kirill Gerstein a Heinz Holliger). Será realizado também, e pela primeira vez, um ciclo dedicado a um único instrumento, Violino em Foco, que trará 10 grandes violinistas ao palco, além dos 12 violinistas da Osesp, que apresentarão as Seis Sonatas de Eugène Ysaÿe, um monumento do Modernismo para o violino, em diálogo com obras de Bach, Paganini e outros autores.

Honrando a tradição modernista, a Temporada 2022 celebra também a Música do Nosso Tempo – desde sempre uma marca da Osesp. Com estreia latino-americana de três concertos para piano (de Jimmy López, Thomas Adès e Dieter Amman), além de um concerto para trompete de Roberto Sierra (coencomenda da Osesp). A Sala São Paulo também irá receber Jimmy López, Jörg Widmann, Heinz Holliger e Arrigo Barnabé como Compositores Visitantes; Além da primeira audição latino-americana de uma peça da norte-americana Jessie Montogomery e outra do português Luís Tinoco; e a estreia de quatro obras encomendadas especialmente para a Temporada: um Quinteto com Piano, de Arrigo Barnabé; uma peça para 6 violinos, de Luiz Amato; uma obra coral, de Valéria Bonafé; e uma composição para orquestra, de Marcos Balter, no concerto de encerramento, prefaciando a Nona Sinfonia de Beethoven, regida por Thierry Fischer com Orquestra, Coros e um quarteto de solistas. Haverá  ainda a primeira audição de uma obra para coro escrita por Rodolfo Coelho de Souza, comemorando seus 70 anos, no mesmo programa em que estará a já celebrada Missa Nóia de Arrigo Barnabé, com o Coro da Osesp regido por William Coelho, seu Maestro Preparador.

A Regente de Honra, Marin Alsop, retorna à Sala para um programa especial centrado em Villa-Lobos e em suas inspirações na natureza do Brasil. Para marcar os 150 anos do britânico Vaughan Williams, o público ouvirá sua obra mais famosa, The Lark Ascending, em três versões: na original para violino e orquestra, para quarteto de cordas e para violino e coro.

Já para a série de discos A Música do Brasil (selo Naxos, com apoio do Itamaraty), a Osesp registrará três obras do modernista Francisco Mignone: o Concerto Para Violino (com Emmanuele Baldini) e os Concertinos para Clarinete (com Ovanir Buosi) e Fagote (com Alexandre Silvério – o Músico Homenageado de 2022), regida por Giancarlo Guerrero. Para a mesma série, na pré-temporada, também será gravada obras de Almeida Prado, com a Orquestra regida por Neil Thomson.

Live de lançamento da Temporada 2022

Nesta quarta-feira (6/out), às 19h, o Diretor Artístico da Fundação Osesp, Arthur Nestrovski, e o Diretor Executivo da Fundação, Marcelo Lopes, estarão juntos no palco da Sala São Paulo para uma live de lançamento da Temporada Osesp 2022, quando apresentarão os ciclos e convidados que compõem a programação do próximo ano. Nessa noite teremos também dois breves momentos musicais, com o Quinteto de Cordas da Academia de Música da Osesp e com o Quarteto Osesp. A live será transmitida ao vivo no canal da Osesp no YouTube.

 

Link para fotos selecionadas da Temporada Osesp 2022 | Vasto Mundo: Clássicos Modernistas:
https://www.dropbox.com/sh/om76cb8lx86173x/AABCUoPmCx4btYv1BW78xgDUa?dl=0


Link para consultar a Temporada :

http://www.osesp.art.br/paginadinamica.aspx?pagina=TemporadaOsesp2022

 

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 | (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Osesp celebra a Festa da República Italiana no palco da Sala São Paulo

Orquestra, com Emmanuele Baldini na regência e no violino, recebe a mezzo soprano Luisa Francesconi e o tenor Giovanni Tristacci em um programa que é uma ponte entre o Brasil a Itália

A música clássica não seria a mesma sem a Itália – de Monteverdi a Berio, passando por Vivaldi, Verdi e Puccini, as obras desses compositores são reverenciadas ao redor do mundo. O estado de São Paulo também não seria o mesmo sem a enorme influência dos incontáveis italianos que aqui desembarcaram entre o final do século XIX e o início do século XX — hoje, acredita-se que 13 milhões de descendentes estejam entre nós (talvez você que nos lê agora seja um deles). A Osesp, corpo estável do Governo de São Paulo, convida toda a comunidade para celebrar os 75 anos da Festa da República Italiana em um concerto na Sala São Paulo. O evento será transmitido ao vivo no YouTube, em 1º de junho, às 20h e contará com a presença do Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, e do Cônsul Geral da Itália em São Paulo, Filippo La Rosa.

A Festa della Repubblica, feriado nacional na Itália (2 de junho), comemora o dia em que o povo foi convocado a votar para decidir a forma de governo que o país teria após o fim da II Guerra Mundial e da queda do Fascismo — a escolha, como o próprio nome diz, foi pelo republicanismo. Para celebrar a data, a nossa Orquestra, com Emmanuele Baldini como regente e solista, recebe a mezzo soprano Luisa Frescesconi e o tenor Giovanni Tristacci em um programa com peças dos italianos Vivaldi, Verdi, Mascagni e Puccini e do brasileiro Carlos Gomes, que adotou o país homenageado como sua segunda pátria. Emmanuele é de Trieste, cidade próxima ao mar Adriático; Luisa tem dupla cidadania – sua família é de uma comuna chamada Cordignano, próxima a Veneza; Giovanni é descente de imigrantes italianos que vieram para o Rio Grande do Sul em 1875.

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp

Criada em 1954, é uma das mais importantes orquestras da América Latina. Desde 2020, tem o suíço Thierry Fischer como Diretor Musical e Regente Titular, tendo sido precedido, de 2012 a 2019, por Marin Alsop, que agora é Regente de Honra. Em 2016, a Osesp esteve nos principais festivais da Europa e, em 2019, realizou turnê pela China. No mesmo ano, estreou projeto em parceria com o Carnegie Hall, com a Nona Sinfonia de Beethoven cantada ineditamente em português. Em 2018, a gravação das Sinfonias de Villa-Lobos, regidas por Isaac Karabtchevsky, recebeu o Grande Prêmio da Revista Concerto e o Prêmio da Música Brasileira.

Emmanuele Baldini

Spalla da Osesp desde 2005 e Primeiro Violino do Quarteto Osesp desde 2008, o italiano de Trieste formou-se no Conservatório de Genebra, aperfeiçoando-se em Berlim e Salzburgo. Mais recentemente, sua dedicação à regência o levou a se aprimorar com Isaac Karabtchevsky e Frank Shipway. Como regente, destacam-se concertos no Teatro Colón, de Buenos Aires, no Teatro del Sodre, de Montevidéu, da própria Osesp e apresentações com as principais orquestras da América Latina. De 2017 a 2020 foi Diretor Musical da Orquestra de Câmara de Valdivia, no Chile, e é Diretor Artístico da Orquestra de Câmara Sphaera Mundi, de Porto Alegre.

Luisa Francesconi

A mezzo soprano nasceu em Brasília e estudou canto lírico em Milão com Rita Patané. Colaborou com teatros como os de Palermo, Torino, Lisboa, México, Buenos Aires, Montevidéu e os principais brasileiros. Atua tanto no repertório de ópera, quanto no repertório de concerto, e já se apresentou junto à Osesp em diversas ocasiões.

Giovanni Tristacci

O tenor gaúcho estudou no Brasil e na Europa com nomes como Eduardo Alvares, Isabel Maresca e José van Dam, e em escolas como a Chapelle Musicale Reine Elizabeth, na Bélgica. É presença constante nas temporadas dos Teatros de Ópera brasileiros, como os theatros Municipais do Rio de Janeiro e São Paulo, e o Palácio das Artes, em Belo Horizonte.

A Osesp e a Sala São Paulo são equipamentos do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, gerenciadas pela Fundação Osesp, Organização Social da Cultura.

Este projeto conta patrocínio máster da AB Concessões, patrocínio da Enel, apoio da Bauducco e apoio institucional do Consultado Geral da Itália em São Paulo. Realização: Fundação Osesp, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e Secretaria Especial da Cultura — Ministério do Turismo — Governo Federal.

| PROGRAMA |

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO – OSESP

EMMANUELE BALDINI regente e violino

LUISA FRANCESCONI mezzo soprano

GIOVANNI TRISTACCI tenor

FRANCISCO MANUEL DA SILVA | Hino Nacional Brasileiro

MICHELE NOVARO | Hino da Itália

ANTONIO VIVALDI | As Quatro Estações, Op. 8: Verão

GIUSEPPE VERDI | La Forza del Destino: Abertura

GIUSEPPE VERDI | Don Carlo: “Nel giardino del bello”

PIETRO MASCAGNI | Cavalleria Rusticana: Intermezzo

GIACOMO PUCCINI | La Bohème: ‘Che gelida manina’

ANTONIO CARLOS GOMES | Il Guarany: “Sento una forza indomita”

ANTONIO CARLOS GOMES | Lo Schiavo: Alvorada

SERVIÇO

Festa da República Italiana com a Osesp, na Sala São Paulo

1º de junho, terça-feira, às 20h

Endereço: Sala São Paulo | Praça Júlio Prestes, 16

Taxa de ocupação limite: 440 lugares

Recomendação etária: 7 anos

Ingressos: R$ 50,00* (valor inteiro)

Bilheteria (INTI): https://osesp.byinti.com/

(11) 3777-9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 600 vagas; 20 para portadores de necessidades especiais; 33 para idosos.

* Estudantes, pessoas acima dos 60 anos, jovens pertencentes a famílias de baixa renda com idade entre 15 e 29 anos, pessoas com deficiências com até um acompanhante e servidores da Educação das redes estadual e municipal têm desconto de 50%, mediante comprovação em todas as atividades.

OSESP TEMPORADA 2020 | THIERRY FISCHER REGE CONCERTOS DE 10 A 12/DEZ

Ludwig van Beethoven, tema da Temporada 2020 pelos seus 250 anos de nascimento, é o destaque dos concertos de 10 a 12 de dezembro na programação da Osesp.

Thierry Fischer, Diretor Musical e Regente Titular da Osesp, comanda a Orquestra em quatro apresentações, sendo um Concerto Digital no dia 10/12 (quinta), às 20h15, apresentando a Quarta e a Oitava Sinfonias do compositor alemão.

Também na quinta-feira será anunciada a Temporada 2021 da Osesp.

 A Quarta e a Oitava Sinfonias são as que possuem características mais próximas do estilo Clássico, quando comparadas às demais do gênio de Bonn.

Sinfonia n° 4 foi escrita em 1806 e estreada em 1807, em Viena, sob regência do próprio Beethoven. Chama a atenção sua introdução densa e misteriosa, que difere do restante da obra. Schumann a chamava de “uma esbelta donzela grega entre os gigantes nórdicos”.

Já a Sinfonia n° 8 foi concluída em 1812, mas só estreou em 1814, também regida por Beethoven. É a mais curta das peças sinfônicas do compositor e possui um caráter vivaz e bem-humorado.

Até o final da Temporada 2020, o Diretor Artístico Arthur Nestrovski comentará em breves vídeos o programa de cada semana nos canais digitais da Osesp: Youtube (youtube.com/videososesp), Facebook (facebook.com/osesp/) e Instagram (instagram.com/osesp_/).

Para garantir a segurança do público, a Fundação Osesp estruturou um cuidadoso Protocolo de Segurança Sanitária baseado nas recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Secretaria de Saúde e Governo do Estado de São Paulo. O Protocolo conta com a consultoria e o processo de certificação Safeguard do Bureau Veritas (https://bit.ly/veritas-osesp), empresa que é referência mundial, com mais de 190 anos de atividades e reconhecidos serviços de avaliação de conformidade e certificação utilizados por grandes organizações nacionais e internacionais.

O Concerto Digital Osesp conta com o patrocínio do Itaú Personnalité e apoio do Sesc São Paulo e do canal Arte 1. Realização: Fundação Osesp, Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

programa

10/12 (QUINTA), 20H15 [Concerto Digital Osesp]

11/12 (SEXTA), 20H30

12/12 (SÁBADO), 15h15 e 17h30

 

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
THIERRY FISCHER REGENTE
Ludwig van BEETHOVEN

Sinfonia nº 4 em Si Bemol Maior, Op. 60

Sinfonia nº 8 em Fá Maior, Op. 93

SALA SÃO PAULO | SERVIÇO

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16
Taxa de ocupação limite: 480 lugares
Recomendação etária: 7 anos
Ingressos: R$ 150,00

Bilheteria (INTI): https://osesp.byinti.com/

(11) 3777-9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 600 vagas; 20 para portadores de necessidades especiais; 33 para idosos.

Estudantes, pessoas acima dos 60 anos, jovens pertencentes a famílias de baixa renda com idade entre 15 e 29 anos, pessoas com deficiências com até um acompanhante e servidores da Educação das redes estadual e municipal têm desconto de 50%, mediante comprovação em todas as atividades.

Mais informações:

https://www.osesp.art.br/paginadinamica.aspx?pagina=RetomadaAtividadesOsespComPublico

 

Pinacoteca conquista novo complexo arquitetônico

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, oficializou na manhã de quarta-feira, 13 de junho de 2018, a conquista do complexo arquitetônico onde funcionará a Pinacoteca Contemporânea, terceiro edifício da instituição voltado para exposições de obras das últimas décadas, oficinas, programação cultural e promoção de atividades que integrem o entorno do museu com o novo edifício.

Da esquerda para a direita: José Olympio Pereira, Presidente do Conselho de Administração da APAC; Patrícia Penna, secretária-adjunta da Cultura do Estado; Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado; Jochen Volz, Diretor Geral da Pinacoteca e Regina Ponte, coordenadora da unidade de Museus da Secretaria da Cultura do Estado (Foto: Joca Duarte)

O evento, que contou com a presença do Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello, do Presidente do Conselho de Administração da Associação Pinacoteca Arte e Cultura – APAC (Organização Social responsável pela Pinacoteca – Luz e Estação e Memorial da Resistência) e do Diretor Geral da Pinacoteca Jochen Volz, marca a transferência do edifício que sediou, até 2014, o Grupo Escolar Prudente de Moraes (atualmente em novas instalações no mesmo bairro), na Rua Ribeiro de Lima para a Pinacoteca de São Paulo.

“A Pinacoteca Contemporânea irá aprimorar a experiência do público com a produção artística das últimas décadas. Esperamos que esse novo edifício traga visitantes de todo o estado para São Paulo, realize atividades que estimulem a visitação dos mais diversos públicos e represente o início de uma nova fase ainda mais bem-sucedida para a Pinacoteca”, afirma Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

O novo espaço está localizado a 50 metros do edifício da Pinacoteca Luz, em um terreno contíguo ao Parque da Luz e agora será formalmente cedido pelo Governo do Estado de São Paulo ao museu. O complexo possui ao todo 6908 metros quadrados, com 3190 metros de área construída, e foi originalmente projetado pelo Escritório Ramos de Azevedo, que também assina os outros dois edifícios da Pinacoteca. Após incêndio ocorrido em 1930, foi substituído, em 1950, por um edifício projetado por Hélio Duarte, importante arquiteto modernista. Com o termo de uso em mãos será feito, no segundo semestre de 2018, um convite a arquitetos aptos a realizar o projeto e a adequação do edifício. Em 2019, será executado um plano de captação de recursos para as obras.

“Este é um importante momento da história da Pinacoteca, uma nova oportunidade para promover a experiência do público com a arte, estimular a criatividade e a construção de conhecimento”, comenta Jochen Volz, diretor geral da Pinacoteca. “Com isso, será possível expandir a coleção e aprofundar sua programação pública, sobretudo enfatizando sua relação com os moradores e entorno dos bairros da Luz e do Bom Retiro”, completa Volz.

Sobre a Pinacoteca Luz

A Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade. Fundada em 1905 pelo Governo do Estado de São Paulo é o museu de arte mais antigo da cidade e está instalado no antigo edifício do Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo, e que depois passou por uma ampla reforma com projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha no final da década de 1990.

O acervo original da Pinacoteca foi formado com a transferência de 20 obras do Museu Paulista da Universidade de São Paulo de importantes artistas da cidade, como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino, Antônio Parreiras e Oscar Pereira da Silva. Com o passar dos anos, formou um significativo acervo, com quase 10 mil obras.

 Sobre a Pinacoteca Estação

Em 2004, a Pinacoteca incorporou o edifício do Largo General Osório que, originalmente, abrigava armazéns e escritórios da Estrada de Ferro Sorocabana. O edifício, totalmente reformado pelo arquiteto Haron Cohen, passou a chamar-se Estação Pinacoteca, hoje Pina Estação, para receber parte do programa de exposições temporárias. No térreo está instalado o Memorial da Resistência de São Paulo, criado na parte do edifício que sediou o Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo (Deops/SP), entre os anos 1940 e 1983. A instituição se dedica a preservar as memórias da resistência e repressão política do Brasil republicano. Estão no primeiro andar o Centro de Documentação e Memória e a Biblioteca Walter Wey, que apresenta um significativo acervo de artes visuais, com destaque para arte brasileira.

Pinacoteca de São Paulo divulga tour virtual da exposição OSGEMEOS: Segredos

Plataforma permite o acesso de milhares de visitantes à exposição. Todos podem navegar pelos mais de 1000 itens do rico imaginário d’OSGEMEOS.

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, divulga a aguardada experiência virtual em 360º da mega exposição OSGEMEOS: Segredos. O tour gratuito e disponível no site do museu, www.pinacoteca.org.br/tourvirtualosgemeos/, em 19 de abril, garante a todos no Brasil e exterior a possibilidade de navegar pelos mais de 1000 itens do rico imaginário dos irmãos Gustavo e Otávio Pandolfo e os 10 espaços dedicados à mostra (7 salas expositivas, octógono, hall e pátio).

O tour online também representa a possibilidade de acesso a uma das exposições mais concorridas do país. Além da visita virtual, o site do museu também traz uma entrevista exclusiva com o curador da mostra e diretor-geral da Pinacoteca, Jochen Volz, que comenta sobre os êxitos e desafios do processo de montagem.

Outros materiais complementares já estavam disponíveis para o público antes deste lançamento, como a visita guiada conduzida pelos próprios artistas para o público escolar, alunos e professores. Lançada em 21 de janeiro, já foi vista por mais de 32 mil pessoas nos canais da Pinacoteca. Veja aqui.

OSGEMEOS: Segredos

Liderando a retomada das atividades culturais em São Paulo após sete meses de fechamento, a mostra foi inaugurada em 15 de outubro de 2020 e desde então é um sucesso de público e crítica. Operando com restrições de atendimento e adotando todos os protocolos de higiene e segurança devido à pandemia, mais de 90 mil pessoas já visitaram presencialmente OSGEMEOS: Segredos até março deste ano, quando o museu foi fechado para atender as determinações do Plano São Paulo para combate da Covid-19.

A mostra tem patrocínio de Bradesco (cota apresenta), Samsung e Grupo Boticário (cota master), IRB Brasil RE (cota platinum), Iguatemi São Paulo e GOL Linhas Aéreas (cota ouro), escritório Mattos Filho, Allergan, Cielo e Comgás (cota prata) e Havaianas (cota bronze).

Este tour foi realizado com o apoio da Bloomberg, empresa líder em tecnologia financeira global, através de seu programa de filantropia corporativa, sem uso de leis de incentivo.

Serviço:

Tour Virtual OSGEMEOS: Segredos e Entrevista com Jochen Volz
Site da Pinacoteca de São Paulo:

Plataforma “#CulturaEmCasa ” divulga doações para o Fundo Social de São Paulo

Valor arrecadado é destinado ao programa Alimento Solidário, com doações de cestas básicas

(mais…)

Plataforma #CulturaEmCasa transmite ao vivo, neste domingo (30/05), o Oscar do Cinema Fantástico da América Latina

Sete filmes brasileiros participam da disputa da premiação

Com transmissão mundial no dia 30 de maio, a partir das 21h no Brasil, acontece a grande premiação do Cinema Fantástico, o FANTLATAM, promovido pela Aliança Latino Americana de Festivais de Cinema Fantástico. Serão consagradas as melhores obras do cinema de gênero da América Latina. O Brasil disputa com oito países, entre eles: Chile, Colômbia, México, Panamá, Peru, Uruguai, Venezuela e Argentina. O evento será transmitido ao vivo pela plataforma #CulturaEmcasa (www.culturaemcasa.com.br), criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte.

Vinte e nove filmes concorrem ao troféu em 2021, sendo 14 longas-metragens e 15 curtas-metragens.   Disputam filmes vencedores de vinte e dois festivais que compõem a Aliança Latino Americana de Festivais de Cinema Fantástico. O melhor longa-metragem e curta-metragem das américas receberão o troféu FANTLATAM. Além da premiação para o melhor roteiro, direção, ator e atriz.

O Brasil concorre como melhor filme com três longas-metragens: “Morto Não Fala”, de Dennison Ramalho; “O Cemitérios das Almas Perdidas”, Rodrigo Aragão; “Cabrito”, de Luciano de Azevedo. Além de quatro curtas: “Para Minha Gata Mieze”, de Wesley Gondim; “5 Estrelas”, de Fernando Sanches, “Noite Macabra“, de Felipe Lesbick  e “Who’s That Man Inside My House”, de Lucas Reis. O Brasil também tem chance de levar o melhor roteiro com Rodrigo Aragão, no longa “O Cemitério das Almas Perdidas”. E mostrando a boa safra de atores brasileiros, disputam o título de melhor ator: Daniel Oliveira (Morto não Fala), Renato Chocair (O Cemitério das Almas Perdidas) e  Samir Hauji (Cabrito).

“A plataforma #CulturaEmCasa tem como objetivo ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade. A transmissão do prêmio FANTLATAM contribui para esta difusão, valorizando tanto as produções cinematográficas e artistas do Brasil como dos demais países da América Latina”, conclui Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Fortalecendo a produção Latino Americana

Uma brasileira preside a FANTLATAM desde julho do ano passado. Monica Trigo, diretora do Festival Cinefantasy, um dos mais importantes do país no gênero, foi eleita por unanimidade para ocupar a presidência da Aliança. Uma gestão que vem unindo a sétima arte na América Latina e destacando a importância do Cinema Fantástico.

De acordo com Monica Trigo é fundamental fortalecer a produção audiovisual na América Latina diminuindo fronteiras e construindo pontes.  “Neste momento tão difícil, a unidade e o partilhamento nunca foi tão importante. Somos latino-americanos, temos lutas em comum e o que nos move é o diálogo e as pontes que estamos construindo, o cinema é uma arte coletiva”, destaca.

Jurados

Participam do júri três profissionais do audiovisual com vasta experiência internacional. O brasileiro Filippo Pitanga, professor, jornalista, advogado , crítico de cinema pela Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro e Fedération Internationale de la Presse Cinématographique, curador e júri de inúmeros festivais internacionais;   a mexicana Sandra Becerril, autora de dezenas de roteiros produzidos, entre filmes e seriados, com premiações ao redor do mundo e  o cineasta e diretor argentino Hernan Moyano, que, entre outros,  realizou seminários com Francis Ford Coppolla,  e dirigiu o documentário “Pequeña Babilonia” premiado no Cóndor de Plata (2017).

 

Sobre o #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios. Até o momento, a plataforma registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga.

A ferramenta reúne também conteúdos do Teatro Sérgio Cardoso, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o “Festival de Cinema Negro em Ação” e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto “Música Conecta” com o Espírito Santo Este mês também foi lançada parceria com o estado do Ceará, em que serão transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense como o “Cineteatro São Luiz”, “Porto Dragão Sessions” e “Zona de Criação”.

 

Sobre a FANTLATAM:

A FANTLATAM – Aliança Latino Americana de Festivais de Cinema Fantástico é composta pelos mais importantes e consolidados Festivais de Cinema Fantástico  das Américas do Sul, Central e do Norte.

Desde sua fundação, em setembro de 2019, a FANTLATAM  une festivais de cinema fantástico, diminuindo as fronteiras, compartilhando experiências, promovendo o cinema fantástico, numa grande teia de difusão do audiovisual das Américas.

 

Serviço:

Prêmio  FANTLATAM

Data: domingo 30 de maio, às 21h no Brasil

Transmissão: www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Instagram: @fantlatam

Facebookhttps://www.facebook.com/fantlatam

Site: https://www.fantlatam.com/

Grande Prêmio FANTLATAM – Confira os indicados: 

MELHOR FILME DE LONGA-METRAGEM

AL MORIR LA MATINÉE de Maximiliano Contenti

ANOMALIA de Sergio Vargas

CABRITO de Luciano de Azevedo

CARROÑA de Luciana Garraza y Eric Fleitas

DIABLO ROJO de Sol Moreno

INFECCIÓN de Flavio Pedota

LA LISTA DE LA MUERTE de Miguel Torena

LA PARTE OSCURA de Max Coronel

LA ZONA ELEGIDA de Conti Ariel

LENI de Federico Gianotti

LUZ de Juan Diego Escobar Alzate

MORTO NÃO FALA de Dennison Ramalho

O CEMITÉRIO DAS ALMAS PERDIDAS de Rodrigo Aragão

RENDEZ-VOUS de Pablo Olmos Arrayales

 

MELHOR FILME DE CURTA-METRAGEM

5 ESTRELAS de Fernando Sanches

BENDITOS DEMONIOS de Sergio Beltrán

BLANES ESQUINA MULLER de Nicolás Botana

BOCETOS INOCENTES de Juan González Henao

LA SOLAPA de Laura Sánchez Acosta

LA VISITANTE de Llao Navarra

LOOP de Juan Francisco Perez Villalba

MONSTRUO de J. Martín Vega

NOITE MACABRA de Felipe Iesbick

PARA MINHA GATA MIEZE de Wesley Gondim

SELECCIÓN de Diego G. Medina

SUNDAE de Haslam Ortega

THE GAME de Rogger Vergara Adrianzén

TÓXICO de Fabián Archondo

WHO’S THAT MAN INSIDE MY HOUSE de Lucas dos Reis

 

MELHOR ATRIZ

Ailin Zannovich – LENI

Andrea Esquivel – LUZ

Genna Chanelle Hayes – INFECCIÓN

Helena Puig – RENDEZ-VOUS

Luciana Grasso – AL MORIR LA MATINÉE

Nayla Churruarin – CARROÑA

Sharon Guzman – LUZ

Yuri Vargas – LUZ

MELHOR ATOR

Carlos Carrasco – DIABLO ROJO

Conrado Osorio – LUZ

Daniel Oliveira – MORTO NÃO FALA

Juan Pablo Barragan – ANOMALIA

Renato Chocair – O CEMITÉRIO DAS ALMAS PERDIDAS

Rubén Guevara – INFECCIÓN

Samir Hauji – CABRITO

MELHOR ROTEIRO

Federico Gianotti – LENI

Juan Diego Escobar Alzate – LUZ

Pablo Olmos Arrayales – RENDEZ-VOUZ

Rodrigo Aragão – O CEMITÉRIO DAS ALMAS PERDIDAS

Sergio Vargas Paz y Jorge Rollano – ANOMALIA

MELHOR DIREÇÃO

Federico Gianotti – LENI

Flavio Pedota – INFECCIÓN

Juan Diego Escobar Alzate – LUZ

Pablo Olmos Arrayales – RENDEZ-VOUS

Sergio Vargas Paz – ANOMALIA

Sol Charlotte e J. Oskura Najéra – DIABLO ROJO

Plataforma Dados Culturais SP está no ar

Ferramenta, que permite a colaboração do público e dos agentes culturais, já possui 4.883 espaços cadastrados, sendo 737 da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo


Já está no ar a plataforma colaborativa Dados Culturais SP. Desenvolvida a partir do Mapas Culturais, a ferramenta ‘SP Estado da Cultura’ passou por melhorias e está disponível no novo endereço: mapas.dadosculturais.sp.gov.br.

Nova funcionalidades e adaptações seguem em desenvolvimento para que este canal da Secretaria de Cultura e Economia Criativa se torne totalmente colaborativo e facilite o mapeamento e a exposição de iniciativas culturais em todo o Estado.

Por meio da plataforma, o público em geral pode ter acesso às informações sobre eventos, espaços, programas e demais atividades organizadas por agentes culturais. A iniciativa, realizada em um ambiente open source, oferece a possibilidade de ampla pesquisa e a atualização contínua de projetos em diferentes segmentos da cultura e da economia criativa. Para saber mais, clique aqui e navegue pela cultura paulista.

A ferramenta virtual já possui 4.883 espaços culturais cadastrados, sendo 737 da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.  Também é possível conferir a agenda de eventos cadastrados, incluindo apresentação, datas e horários. É só utilizar a busca da plataforma e obter todos os detalhes.

Plataforma para empréstimo de livros tem 32 mil acessos

Bibliotecas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado têm mais de 4 mil sócios na plataforma de e-books e realizou cerca de 5 mil empréstimos desde o lançamentoem 15/12/2020 

As Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, celebram na sexta-feira (9/4) o Dia Nacional da Biblioteca com 32.326 acessos à plataforma de difusão da leitura BSP Digital. Lançada em 15 de dezembro de 2020, a plataforma online tem mais de mil  livros de diversos gêneros, que pode ser acessados gratuitamente, além de 4.319 sócios, e realizou 4.922 empréstimos de obras como: “O Alienista”, de Machado de Assis; “Filosofia explica as grandes questões da humanidade”, de Clóvis de Barros Filho; “O menino que não queria tomar banho”, de Simone Magno; “Conversas que tive comigo”, de Nelson Mandela; “Estação Carandiru”, de Dráuzio Varella; “Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift 

Biblioteca digital  

Quem quiser se tornar sócio das bibliotecas pode se cadastrar diretamente nos sites de cada uma das unidades – bsp.org.br/cadastro-online/ebvl.org.br/cadastro-online/. Para isso, basta ter em mãos o número do documento de identidade, endereço, e-mail e telefone. Será necessário apenas escolher uma senha para acesso aos serviços digitais. 

Os sócios também podem fazer empréstimos e reserva de livros físicos, de até duas obras por 15 dias, além de   sugestões de compras para o acervo. A modalidade dá acesso, também, à  Tocalivros,que oferece centenas de audiolivros. 

A BSP e a BVL são equipamentos geridos pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo terceiro ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.   

 

Premiações da Cultura de São Paulo 2019: Conheça os vencedores e homenageados

Em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, Governador João Doria e Secretário Sérgio Sá Leitão anunciaram os 15 vencedores do Prêmio Estado de São Paulo para as Artes e entregaram medalhas e troféus a personalidades da cultura

(mais…)

Prêmio Design MCB inaugura sua 31º exposição em novo formato

As peças ganhadoras ficarão expostas a partir de 11 de novembro, sábado, das 10h às 18h (mais…)

Prêmio São Paulo de Literatura 2019 anuncia finalistas

20 obras foram selecionadas entre 175 concorrentes; vencedores serão anunciados em dezembro

(mais…)

ProAC Expresso LAB: Prorrogação de Prazo e Orientações Iniciais

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo prorrogou o prazo de execução dos projetos contemplados no ProAC Expresso LAB para até 30 de abril. Para auxiliar na formatação, envio das propostas e prestação de contas, os proponentes devem seguir as seguintes orientações:

  • Todo material de divulgação deve conter os logos do Governo do Estado de São Paulo e do Governo Federal, seguindo o manual de uso de marcas. A comunicação visual deve ser encaminhada para aprovação com prazo de até 5 dias para retorno;
  • O manual de uso de marcas e o formulário específico para solicitação de aprovação da comunicação visual serão encaminhados por e-mail. Eles também estarão disponíveis na página oficial da secretaria: cultura.sp.gov.br;
  • Adaptações e ajustes necessários precisam ser comunicados por meio de um formulário próprio para atualizações, que deve ser encaminhado por e-mail. O modelo estará disponível na página oficial da secretaria;
  • Todos os contemplados têm de encaminhar link da programação dos projetos, que será divulgada na agenda cultural da LAB. Ela deve ser enviada com até 5 dias de antecedência da data de realização. Um formulário específico para envio será repassado por e-mail e ficará disponível na página oficial da Secretaria;
  • Com relação ao relatório de execução, é preciso anotar todas as despesas realizadas e demonstrar o uso do recurso obtido conforme o apresentado no projeto contemplado; 
  • Para realizar a demonstração financeira, o proponente pode ter que apresentar o extrato bancário único da conta corrente gerada pela Secretaria no Banco do Brasil. O documento apresentará as movimentações de pagamentos justificadas;
  • É recomendado ao gestor cultural efetuar pagamentos por meio de modelos que permitam a identificação do destinatário. São eles: boletos bancários, pagamentos com cartão de débito e transferências eletrônicas entre contas (DOCs, TEDs e PIX);
  • O formulário para envio do relatório de execução será encaminhado por e-mail e estará na página oficial da Secretaria a partir de 01/03/2021.

 

 Canais de informação

Foram criados dois canais para esclarecimento de dúvidas sobre a execução dos projetos do ProAC LAB.

  • Número para informações gerais: 11-99342 8877 ( Whatsapp Business). Atendimento em horário comercial;

Profissionais debatem futuro na cultura neste fim de semana – Participe!

Evento apresenta palestras, debates e intervenções artísticas sobre tendências e tecnologias para a cultura nos próximos anos (mais…)

Programa de fomento do Governo de São Paulo tem recorde de inscrições

As propostas inscritas no #JuntosPelaCultura por municípios e artistas aumentaram 124% neste ano: foram 2.612, contra 1.165 em 2020

O Programa #JuntosPelaCultura, uma parceria da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, bateu recorde de inscrições. Houve um aumento de 124% das propostas inscritas por municípios e artistas: foram 2.612 este ano, contra 1.165 em 2020. O programa criado em 2019 une estado, prefeituras e segmentos artísticos e tem como objetivo o fomento e a difusão cultural. A gestão e produção é feita pela Organização Social Amigos da Arte.

O balanço das propostas recebidas em 2021 registrou 1.573 inscrições de prefeituras; 961 de artistas e 78 de organizações — estas em seu ano de estreia. Em 2020, foram 478 propostas de prefeituras e 687 de artistas.

A novidade do Programa #JuntosPelaCultura 2021 foi a ampliação de 8 para 12 chamadas públicas (7 para municípios, 4 para artistas e 1 para organizações). O valor destinado também aumentou. Foram RS 10,6 milhões neste ano, um número 45% maior que o investido no ano passado, quando foram disponibilizados R$ 7,3 milhões. “Tivemos um número recorde de inscrições, mais que o dobro de 2020, que é realmente muito um número muito significativo”, diz o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado, Sérgio Sá Leitão. “Esses investimentos resultam do compromisso que o governador João Doria tem com a cultura, que encaramos como um front de desenvolvimento, de geração de renda e emprego, de alegria e de felicidade”, finaliza Sá Leitão

“As ações reunidas pelo JuntosPelaCultura estão cumprindo sua missão de consolidar uma relação de parceria sólida entre estado e municípios participantes”, afirma Danielle Nigromonte, diretora geral da Organização Social Amigos da Arte. Mas, principalmente, a de possibilitar maior difusão dos profissionais da arte e da cultura em todas as regiões do estado com mais eficiência e visão municipalista de gestão.”

 

Chamadas públicas para municípios

Sete chamadas públicas são destinadas aos municípios, três a mais que a edição 2020 do programa. Entre as novidades está a #ArteUrbanaSP, cujo objetivo é apoiar a realização de murais de arte urbana e a composição de galerias a céu aberto executadas por artistas e grupos coletivos de relevância no cenário cultural e regional. Cada município selecionado integrará o catálogo e roteiro de galerias de arte públicas de São Paulo. Também para os municípios foi criado o #MaisGestão SP, uma capacitação em políticas públicas para a economia criativa voltada a gestores públicos municipais.

O #JuntospelaCultura também contempla inscrições para o #RevelandoSP Online (evento de economia criativa, reunindo artesanato, culinária e manifestações da cultura tradicional); o #TradiçãoSP Online (apoio a festivais, feiras e festas que difundem as tradições e história de cada região); o #CircuitoSP Online (promoção da difusão cultural descentralizada, por meio da realização de espetáculos em diversas linguagens artísticas) e a Capacitação #RevelandoSP (seleção de municípios para participação de gestores municipais, artesãos e culinaristas a fim de qualificar e colaborar para o desenvolvimento da atividade econômica e da sustentabilidade destes profissionais).

 

Chamadas públicas para artistas e organizações

Este ano são cinco linhas com estimativa de beneficiar mais de 6.700 artistas e técnicos do setor. O Concurso de Piano Guiomar Novaes, por exemplo, é destinado à premiação de pianistas do estado de São Paulo em duas categorias: erudito e popular. As performances selecionadas integrarão a 44ª Semana Guiomar Novaes, a ser realizada em setembro.

Os artistas circenses também fazem parte do programa #JuntosPelaCultura 2021. Serão selecionadas 200 propostas deste segmento para participar do Festival de Circo Online de São Paulo. Há também o Concurso de Viola Caipira #RevelandoSP, com premiação de 50 violeiros, e o Concurso de Batalha de Rimas de São Paulo, que escolherá as 32 batalhas de freestyle mais relevantes do estado. Por fim, o #MaisOrgulhoSP apoia projetos culturais de visibilidade para a população LGBTQIA+ em formato online realizados por organizações atuantes na área.

O Juntos também contará com ações complementares do programa Empreenda Rápido, uma parceria entre o Governo do Estado de São Paulo e o Sebrae-SP com o objetivo de oferecer oportunidades adicionais de qualificação, informações de acesso a crédito e a novos mercados aos empreendedores inscritos nas chamadas públicas. As ações serão divulgadas após o resultado dos selecionados.

Resumo do #JuntosPelaCultura 2021

Número de linhas: 12 Chamadas Públicas, sendo 07 para municípios, 04 para artistas e 01 para organizações

Valor total investido nos Programas integrantes do Juntos Pela Cultura 2021: R$ 10.610.000,00

 

Confira as 12 chamadas públicas do #JuntosPelaCultura 2021

Municípios:

#ArteUrbanaSP

Valor destinado: R$ 300 mil

chamada pública para prefeituras / 10 grafites / 10 municípios / região metropolitana (exceto capital) / interior e litoral

 

#ViradaSP Online

Valor destinado: R$ 4 milhões

chamada pública para prefeituras / região metropolitana interior e litoral / 20 municípios (exceto capital e municípios que já participaram da #ViradaSP Online em 2020 e 2021).

#RevelandoSP Online

Valor destinado: R$ 1,4 milhão

chamada pública para prefeituras / região metropolitana (exceto capital) / interior e litoral / 325 ações da cultura tradicional – artesãos / culinaristas / manifestações tradicionais

 

Capacitação #RevelandoSP

Valor destinado: R$ 150 mil

chamada pública para prefeituras / região metropolitana (exceto capital) / interior e litoral / até 60 municípios / 60 artesãos e culinaristas / até 60 gestores

#TradiçãoSP Online

Valor destinado: R$ 1,05 milhão

chamada pública para prefeituras / região metropolitana (exceto capital) / interior e litoral / 40 municípios e 40 eventos

 

#CircuitoSP Online

Valor destinado: R$ 1 milhão

chamada pública para prefeituras / região metropolitana (exceto capital) / interior e litoral / 40 municípios e 80 atrações, sendo direcionadas até 2 atrações da programação para cada cidade.

#Mais Gestão SP

Valor destinado: R$ 130 mil

chamada pública para prefeituras / região metropolitana (exceto capital) / interior e litoral / 40 municípios e 40 gestores

Artistas e Organizações:

Concurso de Piano Guiomar Novaes

Valor destinado: R$ 250 mil

chamada pública para seleção de 20 pianistas: 10 pianistas na categoria erudito e 10 na categoria popular

Festival de Circo Online de São Paulo

Valor destinado: R$ 1,2 milhão

circenses online: 20 espetáculos de circo itinerante, 30 espetáculos de grupos e companhias de repertório e 150 números circenses

Concurso de Viola Caipira #RevelandoSP

Valor destinado: R$ 300 mil

chamada pública para 50 violeiros

Concurso de Batalha de Rimas de São Paulo

Valor destinado: R$ 330 mil

chamada pública para artistas / 32 rimadores / 32 batalhas

 

#MaisOrgulhoSP

Valor destinado: R$ 500 mil

Inscrições encerradas em 31 de maio

chamada pública para seleção de organizações que atuem na promoção de cultura e direitos LGBTQIA+/ 25 contemplados

Programa de Qualificação em Artes das Oficinas Culturais é indicado ao Prêmio APCA

Núcleo de Formação Artística em Dança do programa concorre na categoria Ações de Formação

 

O Programa de Qualificação em Artes, núcleo de formação em Dança, das Oficinas Culturais, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis, foi indicado ao Prêmio APCA, da Associação Paulista de Críticos de Arte, concorrendo na categoria Ações de Formação. A lista com os resultados foi divulgada na noite de segunda-feira, 18 de janeiro, pela associação.

Em 2020, devido a pandemia do novo coronavírus, o projeto aconteceu de forma on-line. No dia 5 de dezembro de 2020, os trabalhos das companhias e grupos de dança que participaram do programa foram exibidos na Mostra de Dança 2020, com transmissão pelo Facebook e YouTube das Oficinas Culturais.

Além do Núcleo de Formação Artística em Dança, o Programa de Qualificação em Artes também possui um núcleo de teatro, ambos formados por profissionais especializados. Cada núcleo é responsável por selecionar grupos e artistas-orientadores, propor metodologias e ações formativas aos grupos em processo de orientação e acompanhar sua implementação ao longo de cada edição.

A iniciativa, voltada ao interior, ao litoral e à região metropolitana de São Paulo, tem como objetivo a ampliação de repertório, criação, experimentação e aperfeiçoamento artístico visando potencializar a produção cênica por meio de oficinas, mostras e encontros com especialistas.

O Programa contribui com a descentralização de polos culturais no Estado de São Paulo e movimenta o circuito cultural dos municípios dos grupos orientados ao qualificar artistas locais e promover a circulação de espetáculos.

SOBRE O PROGRAMA OFICINAS CULTURAIS

Como uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo desde 1986, e gerenciado pela POIESIS – Organização Social de Cultura, o Programa Oficinas Culturais promove formação e vivência à população no campo da cultura.

O programa dialoga com o interior por meio de dois festivais (FLI – Festival Literário de Iguape e MIA – Festival de Música Instrumental), Jornadas de Gestão Cultural, Ciclos de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade, Programa Qualificação em Artes (qualificação artística de 60 grupos, entre teatro e dança), o Programa de Formação no Interior e ações dedicadas à pesquisa e à experimentação nas diversas linguagens artísticas, a partir da relação direta com 360 municípios, em mais de 600 atividades de formação.

Além disso, na cidade de São Paulo, o programa realiza atividades de formação e difusão em três espaços:  Oficina Cultural Oswald de Andrade (Bom Retiro), Oficina Cultural Alfredo Volpi (Itaquera) e Oficina Cultural Maestro Juan Serrano (Taipas).

Programa Mais Orgulho 2018 anuncia projetos selecionados

Os 12 selecionados do Programa para 2018 terão o apoio das prefeituras locais para celebrar o seu orgulho

O Programa Mais Orgulho 2018 – iniciativa da Secretaria da Cultura do Estado, por meio da Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias (ACGE) e parceria com a Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA) – anuncia os 12 contemplados desta segunda edição, escolhidos dentre os 30 inscritos no II Chamamento Público do Programa + ORGULHO. Os selecionados são associações, coletivos e grupos que organizam manifestações que envolvem atividades culturais e ações de visibilidade para a população LGBT, conhecidas como Paradas do Orgulho, no interior e litoral do estado.

Os 12 vencedores poderão realizar seus eventos ao longo de 2018 com o apoio das prefeituras locais, contando, assim, com um carro de som ou caminhão palco adaptado com aparelhos de sonorização para apresentações artísticas e um DJ ou atração cultural.

O Programa Mais Orgulho  é uma iniciativa da Secretaria da Cultura do Estado, por meio da Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias (ACGE), e parceria com a Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA). Aberto a participantes de todas as cidades do estado, exceto a capital, as especificações constaram do Edital Especial de Chamamento APAA 002/2018 e as inscrições puderam ser realizadas no período de 21 de fevereiro a 21 de março de 2018, no site https://www.omelhordaculturasp.com.

Em 2017, o programa contemplou 10  municípios, atingindo mais de 40 mil pessoas e garantindo, assim, a promoção dos direitos humanos, uma cultura de paz e a inclusão da população LGBT.

Foto: Parada LGBT Campinas 2017 /crédito Franco Reinaudo

Paradas Contempladas em 2018
Campinas:
ASSOCIAÇÃO DA PARADA E APOIO LGBTT DE CAMPINAS
Catanduva: 11ª SEMANA DA DIVERSIDADE DE CATANDUVA E REGIÃO
Iguape: PRIMEIRA PARADA LGBT DO VALE DO  RIBEIRA
Itu: PARADA LGBTIQ
Mogi das Cruzes: Parada do Orgulho Gay
Olímpia – SP: Semana da Diversidade de Olímpia  e  Marcha da Diversidade
Santos: I PARADA DO ORGULHO LGBT DE SANTOS – 2018
São João da Boa Vista: 10° Edição da Parada do Orgulho LGBT
São Joaquim da Barra: Semana da Diversidade e Cidadania LGBT Serrana – ONG FLOWERS
Sertãozinho: Semana Cultural LGBT de Sertãozinho
Votorantim: Parada do Orgulho LGBT+ de Votorantim

Suplentes

Marília: Parada da Diversidade LGBT   Ribeirão Preto: 14° Parada do Orgulho LGBT de Ribeirão Preto
Araraquara: 9°Parada do Orgulho LGBT   Diadema: IX Grito da Diversidade LGBT

Mais detalhes em https://omelhordaculturasp.com/editais-e-convocatorias/chamamento-orgulho-lgbt/

Programas da Secretaria da Cultura do Estado recebem inscrições de artistas para apresentações em 2018

Interessados em participar da Virada Cultural Paulista, Circuito Cultural Paulista, Teatro Sérgio Cardoso e demais programas geridos pela APAA podem se cadastrar até 31 de janeiro de 2018 (mais…)

Projeto Guri abre temporada de matrícula e oferece mais de 10 mil vagas para os polos de ensino do interior e litoral

Inscrição de interesse é online e os cursos são gratuitos

A inscrição de interesse para novos alunos e alunas do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – será realizada de 7 a 21 de junho de 2021, de maneira online, para os polos de ensino do interior e litoral de São Paulo. Para participar, não é preciso ter conhecimento prévio de música, nem possuir instrumentos ou realizar testes seletivos. São 10.362 vagas para 30 cursos gratuitos de música, oferecidos no contraturno escolar, para crianças, adolescentes e jovens de 6 a 18 anos incompletos.

Para fazer a inscrição, o responsável deve acessar o  link no site do Projeto Guri e preencher o formulário a partir de qualquer plataforma (celular, tablet, computador, etc).  As matrículas são realizadas por ordem de cadastro, a partir das 8h, no dia 7 de junho!
Link: http://wae.projetoguri.org.br:8080/waeweb/servlet/hnwvcndrwdg?1,2021,2,1

Informações solicitadas no formulário

_ Dados do aluno ou da aluna: nome completo, data de nascimento, número do RG ou certidão de nascimento, cor da pele, sexo, e-mail, telefone e endereço;

_ Dados do responsável: nome completo, grau de parentesco e e-mail;

_ Escolha do polo de ensino, por município;

_ Escolha do curso, conforme as opções de dias e horários disponíveis no polo;

_ Segunda opção de curso (para quem escolheu um instrumento ou iniciação musical há também a opção do curso de coral);

_ Indicar se o candidato ou candidata possui síndrome ou transtorno, e se está em medida socioeducativa ou medida protetiva;

_ Renda familiar e quantidade de pessoas que moram na residência;

_ Após preenchimento, clicar em ‘enviar’ para que seja gerado o número de protocolo referente ao processo.

Matrícula

O preenchimento e envio do formulário de inscrição não garante a matrícula. Essa dependerá da quantidade de vagas disponíveis no curso escolhido e a ordem de inscrição.

Caso haja a vaga, o candidato receberá da coordenação do polo, posteriormente, um e-mail de boas-vindas com o número de matrícula e senha de acesso ao Portal do Aluno. No Portal, o Guri deverá anexar os documentos solicitados e preencher o questionário social.

Caso não haja vaga no momento, o cadastro entrará, automaticamente, na lista de espera. Lembrando que as matrículas são realizadas por ordem de inscrição. Os formulários continuarão valendo para o período e vagas remanescentes que estará em vigor entre os dias 2 e 20 de agosto de 2021.

Os endereços dos polos estão no site www.projetoguri.org.br

Aulas no Projeto Guri
As aulas terão início a partir do dia 9 de agosto e, independentemente do retorno presencial, alunos e alunas terão acesso às aulas e atividades por meio da plataforma de ensino a distância.

Em razão dos impactos da pandemia da COVID-19, que afetam fortemente o setor cultural e o orçamento do Estado, as aulas no Projeto Guri seguirão de modo remoto. O retorno presencial, quando houver, deverá ocorrer de maneira progressiva, atendendo à deliberação do Governo do Estado de São Paulo  e a autorização prévia de cada uma das cidades. As famílias receberão as informações necessárias com antecedência, cientes de que todas as medidas de segurança estão sendo tomadas, visando a saúde e o bem-estar dos Guris, familiares, empregados, empregadas e comunidade.

Regional Araçatuba
São 418 vagas disponíveis nos polos:
Alto Alegre, Andradina, Araçatuba, Avanhandava, Bento de Abreu, Bilac, Birigui, Brejo Alegre, Castilho, General Salgado, Guaraçaí, Guzolândia, Ilha Solteira, Jales, Lavínia, Luiziânia, Murutinga do Sul, Pereira Barreto, Piacatu, Rubiácea, Santa Fé do Sul, Sud Mennucci, Valparaíso.

Regional Itapeva
São 513 vagas disponíveis nos polos:
Barra do Chapéu, Bom Sucesso de Itararé, Buri, Capão Bonito, Fartura, Guapiara, Itaberá, Itaí, Itapeva, Itaporanga, Itararé, Nova Campina, Piraju, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Riversul, Sarutaiá, Taquarituba e Taquarivaí.

Regional Jundiaí
São 1.308 disponíveis nos polos:
Águas de Lindóia, Atibaia, Bragança Paulista, Cabreúva, Campinas, Elias Fausto, Espírito Santo do Pinhal, Estiva Gerbi, Indaiatuba, Iracemápolis, Jundiaí, Monte Mor, Nova Odessa, Pedreira, Piracaia, Piracicaba, Rafard, Santa Bárbara D’Oeste, Santo Antônio de Posse, Santo Antônio do Jardim, Serra Negra, Sumaré e Vinhedo.

Regional Marília
São 924 vagas disponíveis nos polos:
Arco-íris, Assis, Bastos, Bauru, Campos Novos Paulista, Cândido Mota, Echaporã, Herculândia, Ibirarema, Legião Mirim de Piratininga, Lins, Marília, Ocauçu, Oriente, Ourinhos, Palmital, Parapuã, Promissão, Quatá, Ribeirão do Sul, Rinópolis, Sabino, Salto Grande, Santa Cruz do Rio Pardo, Tupã e Vera Cruz.

Regional Presidente Prudente
São 1.418 vagas disponíveis nos polos:
Adamantina, Álvares Machado, Anhumas, Caiabu, Dracena, Emilianópolis, Estrela do Norte, Indiana, Inúbia Paulista, Irapuru, João Ramalho, Junqueirópolis, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Nantes, Narandiba, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Piquerobi, Pirapozinho, Presidente Bernardes, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rosana, Rancharia, Regente Feijó, Sagres, Sandovalina, Santo Expedito, Taciba, Tarabai, Teodoro Sampaio e Tupi Paulista.

Regional Ribeirão Preto
São 1.312 vagas disponíveis nos polos:
ACIF – Franca, Altinópolis, Barrinha, Batatais, Bebedouro, Cajuru, Cândido Rodrigues, Cravinhos, Dumont, Guará, IORM – Guaíra, Igarapava, IORM – Ipuã, Itirapuã, Ituverava, Jaborandi, Jaboticabal, Miguelópolis, Monte Alto, Monte Azul Paulista, Morro Agudo, IORM – Orlândia, Ribeirão Preto, Santa Rosa de Viterbo, São Joaquim da Barra, São Simão, Serrana, Sertãozinho, Taquaritinga, Terra Roxa e Viradouro.

Regional São Carlos
São 1.361 vagas disponíveis nos polos:
Araraquara, Bariri, Barra Bonita, Boa Esperança do Sul, Caconde, Cordeirópolis, Dois Córregos, Ibitinga, Igaraçu do Tietê, Itápolis, Lençóis Paulista, Macatuba, Mineiros do Tietê, Nova Europa, Pederneiras, Pirassununga, Porto Ferreira, Jaú, Rincão, Rio Claro, Santa Cruz das Palmeiras, São Carlos, Santa Gertrudes, Santa Maria da Serra, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama, Tambaú, Tapiratiba e Vargem Grande do Sul.

Regional São José do Rio Preto
São 347 vagas disponíveis nos polos:
Parceiro local: Altair, Bálsamo, Barretos, Cosmorama, Fernandópolis, Ibirá, Ipiguá, Mirassol, José Bonifácio, Nipoã, Nova Granada, Novo Horizonte, Onda Verde, Ouroeste, Palestina, Palmares Paulista, Paulo de Faria, Riolândia, São José do Rio Preto, Santa Adélia, Severínia, Tanabi, Ubarana, Urupês e Votuporanga.

Regional São José dos Campos
São 845 vagas disponíveis nos polos:
Aparecida, Areias, Caçapava, Cachoeira Paulista, Campos Do Jordão, Pindamonhangaba, Guaratinguetá, Ilhabela, Lagoinha, Lorena, Natividade Da Serra, Piquete, São José dos Campos, Roseira, São Luiz do Paraitinga, Silveiras, Taubaté e Ubatuba.

Regional São Paulo/Região do litoral
São 645 vagas disponíveis nos polos:
Ilha Comprida, Itanhaém, Itariri, Miracatu, Mongaguá, Pedro de Toledo, Peruíbe, Regional Santos, Registro, Santos, São Vicente e Sete Barras.

Regional Sorocaba
São 1.281 vagas disponíveis nos polos:
Araçoiaba da Serra, Avaré, Botucatu, Capela do Alto, Cerquilho, Conchas, Guareí, Ibiúna, Itapetininga, Itatinga, Itu, Mairinque, Pilar do Sul, Piedade, Porto Feliz, Salto, São Manuel, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sorocaba, Tietê e Votorantim.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; WestRock; Bayer; Novelis; Arteris; CSN; EMS; Grupo Maringá; NovAmérica Agrícola; Capuani do Brasil; Pinheiro Neto; VALGROUP; Raízen; BTP; Caterpillar; Cipatex; Faber-Castell; Supermercados Rondon; CNH Capital; Instituto 3M; Louis Vuitton; Mercedes-Benz; Petrom – Petroquímica Mogi das Cruzes; Castelo Alimentos; Enel; Pirelli.

Patrocinador Musicou – Sustenidos: CTG Brasil; Grupo Maringá; SulAmérica.
Patrocinador Som na Estrada – Sustenidos: Supermercados Tauste; Sky; Glovis; Supermercados Rondon.
Patrocinador Imagine Brazil e Ethno Brazil – Sustenidos:
Sky e Supermercados Tauste.
Patrocinadores Institucionais da Sustenidos
: Microsoft e VISA.


Sobre o Projeto Guri:
mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos no curso de luteria, nos Grupos de Referência e nos polos da Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 850 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos: Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização responsável pelo Projeto Guri (nos polos de ensino do interior, litoral e Fundação CASA), Conservatório de Tatuí e Complexo Theatro Municipal. Além dos projetos especiais Som na Estrada, Musicou e MOVE, e dos festivais Ethno Brazil e Imagine Brazil. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm suporte fiscal da Lei Federal de Incentivo à Cultura e do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/

Projeto Guri inicia processo de rematrículas para o primeiro semestre de 2021

O Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – convida alunos e alunas para a rematrícula. O procedimento, para estudantes dos polos de ensino localizados no interior e litoral, será realizado de modo online de 1º a 18 de dezembro. É rápido, seguro e gratuito.

A link para rematrícula será enviado para as famílias pelas coordenações dos respectivos polos, por meio dos grupos de whatsApp.

As aulas serão retomadas a partir do dia 1º de fevereiro e, independentemente do retorno presencial, alunos e alunas terão acesso às aulas e atividades de modo remoto.

A princípio, o retorno presencial deverá ocorrer de maneira progressiva, atendendo à deliberação do Governo do Estado de São Paulo, e as famílias receberão todas as informações necessárias sobre os procedimentos de volta às aulas com segurança. Entre as ações, forneceremos máscaras laváveis, álcool gel e outros materiais de higienização de instrumentos musicais. Os tamanhos das turmas também serão reconfigurados para garantir a distância mínima entre pessoas recomendada pelos órgãos de saúde.

O Programa atende mais de 50 mil alunos por ano e possui centros de educação musical nas regiões de Araçatuba, Jundiaí, Itapeva, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São Carlos, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Sorocaba e no litoral paulista.

Para novos alunos e alunas, as matrículas serão realizadas a partir de 25 de janeiro. Aguarde!

Sobre a Sustenidos

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização gestora do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa de ensino musical no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: https://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/.

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos

CTG Brasil; Visa; CCR AutoBAn; Instituto CCR; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; banco BV; Novelis; Arteris; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander; VALGROUP; Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; Enel; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval, Pirelli.

Patrocinador Sustenidos

CTG Brasil; Visa; SulAmérica e Microsoft.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Projetos de Capoeira receberão apoio do ProAC

A Secretaria da Cultura do Estado anunciou a decisão de apoiar, difundir, fomentar, preservar e valorizar a cultura da Capoeira em todo o estado. De acordo com a resolução, não só devido à característica de patrimônio cultural imaterial, mas também pela transversalidade na música, dança e acrobacia, projetos que envolvam a Capoeira poderão agora ser contemplados por meio do programa ProAC – Programa de Ação Cultural, nas modalidades Editais e ICMS.

“A Capoeira ou Capoeiragem é uma expressão cultural brasileira que mistura arte marcial, esporte, cultura popular e música, distinguindo-se da maioria das outras artes marciais pelos seus instrumentos musicais típicos e canções patrimonializadas.”

Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

A Capoeira foi registrada em 2008 como bem cultural nacional pelo Ministério da Cultura por meio do IPHAN e, em 2014, devido à sua expressão cultural, recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Para o ProAC Editais, os projetos poderão ser inscritos nos segmentos de Dança, Culturas Negras ou Culturas Populares e Tradicionais. E no ProAC ICMS, nos segmentos de Cultura Popular ou Projetos Especiais.

Sobre o ProAC

Desde a sua criação, em 2006, o Programa de Ação Cultural (ProAC) já contemplou mais de 5.400 projetos, em 394 editais, nos mais diversos segmentos, como teatro, dança, artes cênicas, música, circo, festivais, artes visuais, museus e arquivos, cultura e cidadania, literatura, audiovisual e projetos multidisciplinares. O objetivo do ProAC Editais é fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos. No ProAC ICMS, o Governo do Estado de São Paulo abre mão de arrecadar parte do ICMS para que empresas apliquem o valor correspondente em projetos culturais, inclusive restauro de patrimônios históricos. Para mais informações, acesse www.proac.sp.gov.br.

Quem são seus favoritos? Votação para o Prêmio Governador do Estado para a Cultura está aberta!

A espera chegou ao fim: foram anunciados os finalistas ao Prêmio Governador do Estado para a Cultura de 2018! 👏

Desde 1950, a premiação oferece reconhecimento a artistas que se destacam em diversas áreas culturais, como artes visuais, cinema, música, entre outros.

No ano passado, a grande artista plástica Renina Katz, um dos ícones da gravura no Brasil, foi homenageada como “Destaque Cultural” por sua trajetória e contribuição para a cultura brasileira ao longo de sua carreira. Na ocasião, Pedro Farkas, afilhado de Renina que representou-a na premiação, recebeu das mãos do Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, José Luiz Penna, o troféu.

“É uma grande satisfação voltar ao Theatro São Pedro, lugar do meu primeiro emprego, para entregar um prêmio do qual tenho muito orgulho. Em nome do Governador Geraldo Alckmin, reafirmo o compromisso de levar a cada dia mais longe a arte e a cultura do Estado de São Paulo” 

Foto: José Luiz Penna, Pedro Farkas e Regina Duarte

QUEM SÃO OS FINALISTAS?

Confira abaixo quem são os indicados de cada categoria:

ARTE PARA CRIANÇAS

As Meninas do Conto, Boneco Gira Boneco, Frida e Eu, Lizette Negreiros e Trupe Banana’s

ARTES VISUAIS

Alexandre da Cunha, Leda Catunda, Mauro Neri, Valdir Cruz e Tomoshige Kusuno

CINEMA

Cinemateca Brasileira, Cristina Amaral, Festival de Cinema Latino-Americano, Laís Bodanzky e Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

CIRCO

Circo Escola de Diadema, Circo no Beco, Circo Stankowich, Grupo La Mínima e Circo dos Sonhos

DANÇA

Key Zetta e Cia., Jorge Garcia Companhia de Dança, Companhia de Danças de Diadema – “EU por detrás de MIM”, Cia. Discípulos do Ritmo e Mariana Muniz – “Fados e Outros Afins”

MÚSICA

Casa da Francisca, Jonnata Doll & Os Garotos Solventes, Mano Brown, Semana Internacional de Música de São Paulo e Thereza Alves

TEATRO

Aníbal Marques – Pelé, Grupo Caixa Preta de Teatro, Lenise Pinheiro, Núcleo de Dramaturgia do SESI-SP e Renato Borghi

TERRITÓRIOS CULTURAIS

Coletivo Cultural Cenário Urbano, Hangar 110, Museu da Pessoa, Museu Espaço do Boneco e Teatro do Incêndio

INSTITUIÇÕES CULTURAIS

Doutores da Alegria, Instituto Alfa de Cultura – Teatro Alfa, Instituto Moreira Salles – IMS, Matilha Cultural e Teatro de Contêiner – Cia. Mungunzá de Teatro

COMO VOTAR?

Para votar em seus favoritos, basta acessar o site do Prêmio Governador do Estado de São Paulo, clicar em “VOTAÇÃO”, selecionar o projeto e, em seguida, em “VOTAR”.

Renato Russo é tema de exposição no MIS

Acervo de Renato Russo, a mostra traz objetos pessoais como fotos, manuscritos, desenhos e cartas de fãs (mais…)

Resoluções de Ano Novo: um 2018 com mais cultura!

A chegada de um novo ano é o momento ideal para estabelecer metas em diversas áreas da vida. Já pensou no que fazer para ter um 2018 com mais cultura? (mais…)

Reta final | Inscrições para o Prêmio São Paulo de Literatura terminam em 8 de outubro

Autores dos melhores romances de ficção receberão prêmio de R$ 200 mil. Obras podem ser inscritas até dia 8 de outubro 

(mais…)

Retrospectiva de Ernesto Neto na Pinacoteca percorre quase quarenta anos de sua produção

Mostra do artista carioca, que inaugura ano dedicado à relação entre arte e sociedade no museu, reúne 60 trabalhos  produzidos a partir da interseção entre arte, espiritualidade e ancestralidade

(mais…)

Reunião do Condephaat em tempo real

Seguindo as determinações do Protocolo de saúde previsto no Plano São Paulo, o Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) realiza suas reuniões por teleconferência. Para permitir o acesso de todos às decisões do órgão, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo disponibiliza as discussões da pauta desta segunda-feira, 30.

Interessados em acompanhar as sessões do órgão responsável pelo patrimônio histórico paulista devem encaminhar um e-mail para o seguinte endereço: conselhocondephaat@sp.gov.br. Devido às restrições da plataforma de transmissão, o acesso pode ser limitado. Dessa forma, a direção do Condephaat indica uma consulta prévia à pauta do dia. Ela pode ser feita no endereço:

Confira os temas que serão abordados:

Acompanhe a reunião em tempo real

Romildo Campello é o novo secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Nesta sexta-feira, 13 de abril, foi publicada no Diário Oficial do Estado a nomeação de Romildo Campello como novo secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

Nascido em Pernambuco, Campello tem formação e especialização na área de tecnologia e inovação. Com ampla experiência na gestão pública, foi secretário do Verde e Meio Ambiente e também Ouvidor Geral de Mogi das Cruzes, oportunidade em que ganhou o Prêmio Mário Covas por inovação em Gestão Municipal. Foi presidente estadual da Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma) e secretário-adjunto do Verde e Meio Ambiente da cidade de São Paulo. Também chefiou o gabinete da pasta estadual de turismo, foi secretário de Turismo do Estado de São Paulo e secretário-adjunto da Cultura do Estado de São Paulo, desde quando José Luiz Penna assumiu a Pasta, em abril de 2017.

foto: Joca Duarte

“Darei continuidade às políticas iniciadas pelo secretário José Luiz Penna, com o lema ‘A Cultura precisa falar com todos’ e incentivar o diálogo a integração entre as diferentes formas de expressão cultural. Junto ao governador Márcio França, fortaleceremos programas já consagrados da Secretaria e trabalharemos a importância da inovação e descentralização da cultura, com ações de incentivo à economia criativa e o ProAC Municípios”, afirma o secretário.

Romildo Campello atua nas áreas de economia criativa, meio ambiente, turismo e cultura, abordando os temas como elementos transversais e essenciais para o desenvolvimento sustentável. Em suas redes sociais, aborda assuntos ligados à gestão pública, turismo, cultura e meio ambiente, com gravações semanais de vídeos sobre a agenda cultural do Estado, as possibilidades de integração entre cultura e turismo e sobre como uma cidade pode se tornar um Município de Interesse Turístico ou uma Estância Turística.

Samsung Rock Exhibition Rita Lee estreia no MIS

Que flagra! Que flagra! Que flagra!

Rita Lee tem acervo exposto em mostra cheia de surpresas no MIS, em São Paulo

 Uma explosão de cores, de música e de alegria. Assim pode ser descrita a exposição Samsung Rock Exhibition Rita Lee realizada pela Dançar Marketing em parceria com o Ministério do Turismo por meio da Secretaria Especial da Cultura, com patrocínio máster da Samsung, patrocínio da XP e Porto Seguro e apoio UNINASSAU. A mostra sobre a maior roqueira do planeta, abre na quinta-feira (23) no MIS (Museu de Imagem e do Som), Instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

“Sou dessas acumuladoras que não jogam fora nem papel de embrulho e barbante. Vou adorar abrir meu baú e dividir as histórias que as traquitanas contam com quem for visitar. Tenho recebido ajuda de uma turma da pesada: o grand maestro da cenografia é do meu querido Chico Spinosa, meu figurinista e carnavalesco da Vai-Vai; a direção é do meu multitalentoso Guilherme Samora e a curadoria é do meu filho João”, conta Rita.

“É muito emocionante. Tem uma parte dessa história que vivi com ela e tem outra que não estava aqui ainda. Então, ver essas roupas, esses momentos tomarem vida, é muito emocionante. São personagens, também, de meus sonhos e imaginação. E é a história de vida da minha mãe. E isso mexe diretamente com minha emoção”, avalia João Lee, o curador.

E essa mistura deu à exposição um jeito muito próprio, como conta Guilherme Samora, o diretor artístico. “Acredito que as pessoas vão se surpreender. Existe tanto acervo da Rita que o que enfrentamos nessa exposição foi justamente a edição do que ficaria de fora. Artigos preciosos e raridades não faltam. Por isso, ela foge do estilo de exposições com muitas reproduções ou essencialmente virtuais. Durante a montagem, fiquei arrepiado em diversos momentos, só de sentir o valor de cada peça, de cada sala. Tudo lá tem um motivo. E uma das grandes preciosidades é justamente ter o Chico Spinosa, que trabalhou com a Rita pela primeira vez em 1982, nessa viagem com a gente.”

Spinosa é um artista. Ao visitar a exposição, nada ali é fruto de um padrão, de uma forma ou de escala industrial. Tudo foi pensado, feito e readaptado para uma realidade colorida, seguindo o roteiro da direção: uma roqueira cheia de cor que chega à Terra em um disco voador. Detalhes, como uma aura de Aparecida ou das estrelas feitas à mão, assim como a recriação do palco giratório da tour 1982/1983 (ou O Circo, como ficou conhecida), tudo é feito para a mostra. Artesanal, no melhor sentido da palavra. A equipe colocou o trabalho em cada letra pintada na parede, em cada figurino que precisou ser restaurado ou em cada peruca: todas, com cores e cortes estudados.

Spinosa fala da emoção desse momento: “Encontrar com Rita Lee foi primordial para minha carreira. Alguns anos atrás, nos encontramos para fazer o especial ‘O Circo’, da TV Globo. Eu, paulista, chegando na Globo vindo da TV Tupi, fui fazer o figurino desse especial e foi um marco. Foi como tomar um lisérgico. Rita mudou totalmente a minha maneira de ver. Eu conheci o pop, eu fiquei encantado com a energia, com o colorido e com a estética que essa mulher tem. Nos encontramos outras vezes, em outros trabalhos: no manto de Nossa Senhora Aparecida para o Hollywood Rock de 1995, na Marca da Zorra, nas cabeças de Santa Rita de Sampa, na Erva Venenosa… hoje, com esse convite para a cenografia e o restauro dos figurinos para a exposição, tenho certeza de que Rita sempre foi o melhor do pop e o melhor de mim. Revendo toda a sua obra, me coloco de quatro a essa poetisa. A quem respeito muito. Nesse encontro, aos meus 70 anos, ela me dá energia e me faz mais criativo”.

Um dos destaques?  As manequins, com estudos de Spinosa e Samora, e feitas uma a uma por Clívia Cohen, em posições de Rita, com o rosto da artista em todas elas, com uma precisão surreal e excelente interpretação artística.

A divisão das salas é temática e, em tantos casos, afetiva. E Rita tem suas preferências: “Todas as peças contam uma história diferente e engraçada. Mas o vestido de noiva que Leila Diniz usou e a bota prateada da Biba eu dou valor.  E ambos são produtos de roubo”, diverte-se Rita, ao lembrar que nunca devolveu o vestido depois de usar numa apresentação dos Mutantes e da famosa história das botas, com as quais saiu andando da butique Biba, de Londres, em 1973. Ela não só foi perdoada pela estilista Barbara Hulanicki, a criadora das botas, como ganhou dela os figurinos da tour Babilônia (1978) que também estão expostos. Assim como o piano de mais de 100 anos que era da mãe de Rita, Chesa, que foi o instrumento com o qual ela teve seu primeiro contato com a música.

O encontro e o amor de Rita e Roberto de Carvalho; a repressão da ditadura (Rita é a compositora mais proibida, segundo dados da época) e a prisão; a família; a causa animal e obras de arte da Rita têm destaque. Assim como estruturas criadas especialmente para a mostra, como o palco giratório, a manequim que levita, o Peter Pan que sobrevoa a entrada…

O estúdio é um caso à parte: terá uma experiência de áudio imersivo que utiliza a tecnologia Dolby Atmos, com projeto desenvolvido pela ANZ Immersive Audio, trazendo uma experiência sonora imersiva para a sala da exposição baseada em um estúdio. Ultrapassando a reprodução de som da maneira convencional, o áudio imersivo proporciona uma escuta similar à vida real, com sons acima, abaixo, aos lados, na diagonal, em toda sua volta. A ANZ espacializou músicas da rainha do rock em 3D, e preparou uma instalação na qual as caixas de som, de altíssima qualidade, foram perfeitamente posicionadas para o público escutar algumas de suas obras como nunca: vindas de todas as direções. “É uma tecnologia que permite que a gente consiga ouvir vários detalhes da música que antigamente a gente não conseguiria. Vai dar claridade aos elementos e muito mais profundidade. E vai ser superinteressante: ao invés de a música te pegar só na direita e esquerda, ela te pega em 360°”, explica João.

Um detalhe especial – e que vai levar a exposição a outro nível – é a visita guiada pela própria Rita. Através de QRCodes, os visitantes poderão ouvi-la contando sobre alas, peças, histórias… “Achamos que ia ficar simpático ter minha voz narrando as histórias das peças, me sinto mais íntima do visitante. Não seria exagero dizer que esta exposição vai ser a mais bacana até agora, porque foi pensada para dar alegria às pessoas no meio de tantas tristezas”.

Guilherme Samora chama atenção para um fato: “Rita é especial. Grande estrela desse universo. Uma mulher cheia de luz e de camadas. Ela representa a liberdade, o colorido, o amor. E é justamente isso que queremos passar na exposição. Portanto, destaco aqui a liberdade criativa que a Dançar Marketing nos concedeu. É essencial ter essa liberdade e esse apoio num projeto que envolva Rita”.

Para Pedro Bianco, presidente da Dançar Marketing, o projeto é especial. “Sem dúvida alguma é uma das exposições mais significativas e marcantes na história da música brasileira. É imperdível! ‘Agora só falta você’”, afirma.

“Na Samsung, entendemos que a conexão com os consumidores vai além dos produtos: ela é baseada em experiências únicas, como proporciona o Samsung Rock Exhibition. Temos o compromisso em fornecer serviços e estabelecer relações que inspirem as pessoas a fazerem o impossível. Estamos muito contentes em marcamos presença em mais uma edição como patrocinador máster. Rita Lee é sinônimo de sucesso e temos certeza que a exposição será inesquecível para o público”, afirma Débora Yang, gerente de marketing de Brand Experience e Eventos da Samsung Brasil.

Serviço | Samsung Rock Exhibition Rita Lee

Data: a partir de 23 de setembro de 2021

Local: MIS – Museu da Imagem e do Som – Avenida Europa, 158, Jardim Europa – São Paulo/SP

Horário: de terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: a partir de R$ 25,00, nas plataformas da Ingresso Rápido e INTI

Classificação indicativa: Livre

São Paulo Companhia de Dança conquista prêmio na França

SPCD é a primeira companhia brasileira a ganhar o Grand Prix de la Critique (mais…)

São Paulo Companhia de Dança Temporada de Assinaturas 2018

Em 28 de janeiro de 2018, a São Paulo Companhia de Dança, mantida pelo Governo do Estado de São Paulo, sob direção artística de Inês Bogéa, completa dez anos! Tempo de muitas parcerias e encontros; do descortinar de novos mundos; de descobertas do movimento e da identidade dessa Companhia feita do amor e da entrega de muitas pessoas.

Para comemorar os seus dez anos, a SPCD prepara uma nova temporada que reunirá obras de grandes nomes da dança internacional: Jirí Kylián, Nacho Duato, Marco Goecke e Mario Galizzi, além de obras de artistas brasileiros: Henrique Rodovalho, Thiago Bordin, Lucas Lima, Clébio Oliveira e Guivalde de Almeida. A aquisição de novas assinaturas para 2018 estará disponível a partir de 04 de dezembro de 2017 no site da SPCD (www.spcd.com.br).

Mantendo a sua tradição, a Companhia irá do clássico ao contemporâneo – de O Lago dos Cisnes a Melhor Único Dia. Serão quatro diferentes programas, três em junho e um em novembro: na primeira semana, um mergulho na linguagem de Marco Goecke com três obras: Peekaboo (2013), O Pássaro de Fogo (2010) e Supernova (2009). Goecke é considerado um dos maiores nomes da dança contemporânea atual por sua linguagem particular do movimento, que traz para a cena imagens instigantes.

Em seguida teremos duas criações de coreógrafos brasileiros da nova geração, que fizeram grande parte da sua carreira no exterior: Thiago Bordin (solista do Hamburg Ballet e do Nederlands Dans Theater) e Lucas Lima (solista e coreógrafo do Balé Nacional da Noruega em Oslo), além de duas obras canônicas do repertório internacional: 14’20” (2002), de Jirí Kylián, e Gnawa, (2005), de Nacho Duato. Na terceira semana teremos a estreia de Melhor Único Dia de Henrique Rodovalho, o consagrado diretor da Quasar Companhia de Dança, de Goiânia, e veremos dois sucessos da temporada de 2017: Suíte de Raymonda, de Guivalde de Almeida e Primavera Fria, de Clébio Oliveira.

Em novembro a Companhia leva ao palco do Teatro Sérgio Cardoso, o balé clássico mais aclamado de todos os tempos e que atravessa gerações com enorme sucesso: O Lago dos Cisnes, na versão de Mario Galizzi. A SPCD apresentou em novembro, na Sala São Paulo, o II Ato da obra, que teve os ingressos esgotados em um único final de semana. “A coreografia completa criada por Galizzi para a SPCD será clássica-contemporânea, ou seja, manterá a essência da obra, atualizando a produção e os tempos”, explica Inês Bogéa.

BENEFÍCIOS DO ASSINANTE SPCD Além de garantir lugar na plateia em todos os espetáculos, o assinante escolhe antecipadamente seu lugar preferido e pode mantê-lo durante toda a temporada, além de poder acompanhar com exclusividade um ensaio na sede da Companhia e retirar no dia do espetáculo um programa de sala com fotos, textos e materiais de mediação da Companhia. As novas assinaturas poderão ser adquiridas pelo site www.spcd.com.br  de 4 de dezembro de 2017 a 4 de abril de 2018, e são escolhidas de acordo com o dia da semana de preferência do assinante: quintas-feiras, sextas-feiras, sábados e domingos.

Preços: Plateia central: R$ 170 | Plateia lateral: R$ 135 e Balcão: R$ 100.

ACESSIBILIDADE Desde 2013 a São Paulo Companhia de Dança utiliza o recurso de audiodescrição – modo que transmite ao público cego e surdo, por meio de fones de ouvido, informações sobre cenário, figurino e, principalmente, os movimentos dos bailarinos – em suas apresentações por espaços públicos do interior e da capital de São Paulo. E desde 2014, com o objetivo de viabilizar a implantação de mais recursos de acessibilidade comunicacional, a SPCD ampliou o programa por meio da tecnologia avançada do aplicativo gratuito Whatscine, que transmite para smartphones e tablets os recursos de audiodescrição, interpretação em LIBRAS e subtitulação, permitindo às pessoas com deficiência entrar em contato com a experiência da dança. A SPCD possui fones de ouvido e tablets para as pessoas que não tem o aplicativo em seus celulares.

Saiba mais sobre os programas e as obras abaixo:

De 21 a 24 de junho de 2018 – Noite Marco Goecke

 

Pas de Deux do Pássaro de Fogo (2010)

Coreografia, palco e figurino: Marco Goecke

Música: The Firebird (Berceuse e Final), de Igor Stravinsky (1882-1971)

Desenho de luz: Udo Haberland | Adaptação para a SPCD: Wagner Freire
Dramaturgia: Nadja Kadel

Remontagem: Giovanni Di Palma
Execução de figurino: Judite de Lima

Estreia mundial: 2010
Estreia pela SPCD: 2017, Teatro Sérgio Cardoso, São Paulo

Marco Goecke criou este pas de deux para a música de Stravinsky – composta para o balé de Michel Fokine, The Firebird, estreado em 1910 – na ocasião dos 100 anos da obra, durante o Holland Dance Festival de 2010. Goecke utiliza dois trechos da música de Stravinsky: o acalanto, no qual o mítico Pássaro com sua mágica leva todos a caírem no sono, e o trecho final da obra, que marca o despertar das pessoas. O dueto pode ser interpretado como um encontro entre o pássaro de fogo e o príncipe em busca de liberdade e novas possibilidades de vida.

Peekaboo (2013)
Coreografia e figurino:
Marco Goecke
Música: Simple Symphony, de Benjamin Britten (1913-1976), H.Y.V.Ä e Sininen javalkoinen, com o coral Mieskuoro Huutajat
Desenho de Luz: Udo Haberland
Dramaturgia e organização:
Nadja Kadel
Execução de figurino:
Thomas Lampertz
Coprodução: Movimentos Festival Wolfsburg
Estreia mundial pela SPCD: 2013
Em Peekaboo, o coreógrafo alemão Marco Goecke lida com o ato de esconder e revelar de forma instigante. O título se refere a um jogo infantil conhecido pelas crianças: a pessoa espia (peek, em inglês), esconde o rosto e, de repente, reaparece e diz ‘achou’ ou ‘boo’. Na obra, a sinfonia de Britten combinada com o som do coro finlandês Huutajat, revela contrastes: ao mesmo tempo em que fala de fantasia, traz à tona os medos e a solidão de cada bailarino. O elenco se alterna em solos, duos, trios e conjuntos, a movimentação é rápida e precisa, e os intérpretes aparecem e desaparecem misteriosamente da cena. “Tudo é uma questão para se perder e se encontrar”, diz o coreógrafo.

Supernova (2009)
Coreografia e figurino:
Marco Goecke
Músicas: Pierre Louis Garcia-Leccia (Ohimé – faixa Aka), Antony & The Johnsons (Another Word – faixa Shake That Devil)
Remontagem: Giovanni Di Palma
Desenho de luz: Udo Haberland
Dramaturgia: Nadja Kadel
Execução de figurino:
Madalena Machado (Arte & Cia)
Execução de objetos cênicos: Fábio Brando (FCR Produções Artísticas)
Estreia mundial: 2009
Estreia pela SPCD: 2011, São Paulo
Inspirado pelo fenômeno astronômico das supernovas, estrelas que explodem e brilham no espaço, Marco Goecke criou Supernova, uma coreografia de contrastes na qual morte e vida, claro e escuro, estão ligadas pela energia de cada corpo. Os bailarinos aparecem e desaparecem do palco misteriosamente e a movimentação é marcada por sequências muito rápidas, precisas e controladas que fazem os corpos vibrarem. Para Goecke, cada movimento só pode acontecer uma única vez. “Você pode fazê-lo cada vez mais rápido, então dificilmente ele vai existir no final”, diz o coreógrafo.

 

De 28 de junho a 1 de julho de 2018

 

14´20’’ (2002)

Coreografia e produção: Jirí Kylián (trecho da obra 27´52)

Música: Dirk Haubrich (nova composição baseada em dois temas de Gustav Mahler [1860-1911])

Iluminação: Kees Tjebbes

Figurinos: Joke Visser

Execução de figurino: Judite de Lima
Assistente de coreografia: Nina Botkay

Supervisão de iluminação e cenário: Loes Schakenbos

Estreia mundial: 2002

Estreia pela SPCD: 2017, São Paulo

*Recomendado para maiores de 12 anos

14’20’’ é um extrato da obra 27’52’’ – cujo título refere-se à duração deste espetáculo. Ao som da música eletrônica de Dirk Haubrich, entremeada por uma voz feminina em alemão e outra masculina em francês, vemos um duo que traz para a cena questões sobre o tempo, o amor, a vida e a morte.

Estreia | Criação Thiago Bordin (2018)

Nesta obra, Bordin investiga a composição coreográfica e musical, explorando associações entre estas artes. Entre tradição e vanguarda, entre o clássico e o contemporâneo, ele criará uma dança que fala da sua experiência na Alemanha como bailarino e coreógrafo e da sua identidade brasileira no movimento e na vida.

Thiago Bordin é coreógrafo e professor freelancer na Europa e no Brasil. De 2001 a 2013 participou do Balé de Hamburgo sob a direção de John Neumeier, onde se tornou primeiro bailarino em 2005. De 2014 a 2017 fez parte do Nederlands Dans Theater na Holanda. Ganhador de vários prêmios, entre eles Deutsch Tanzpreis “Zukunft” e Benois de la Danse, Bolshoi Theater.

 

 

Estreia | Instante (2017)

Coreografia e figurino: Lucas Lima
Música: On the Nature of Daylight, de Max Richter
Estreia mundial: 2017, Jundiaí
O ponto de partida desta obra foi a música de Max Richter, que ganhou novas dinâmicas no movimento dos bailarinos Morgana Cappellari e Nielson Souza. Segundo o coreógrafo, a obra trata de “um instante para se encontrar, e outro para se perder. Um instante para decidir, para seguir, para voltar, para se arrepender”. É uma coreografia neo-clássica que se vale dos movimentos do balé clássico com novos impulsos e dinâmicas que dialogam com a contemporaneidade.

Lucas Lima é solista do Ballet Nacional da Noruega (Norwegian National Ballet) e nesses últimos anos iniciou sua carreira de coreógrafo, criando obras para grandes companhias do mundo como a Royal Ballet School, o Balé Nacional da Noruega e o Balé da Cidade.

 

Gnawa (2005)
Coreografia: Nacho Duato
Remontagem: Hilde Koch e Tony Fabre (1964-2013)
Música: Hassan Hakmoun, Adam Rudolph, Juan Alberto Arteche, Javier Paxariño, Rabih Abou-Khalil, Velez, Kusur e Sarkissian
Organização e produção original: Carlos Iturrioz Mediart Producciones SL (Spain)
Figurino: Luis Devota e Modesto Lomba
Iluminação: Nicolás Fischtel
Estreia mundial: 2005
Estreia pela SPCD: 2009, São Paulo

Gnawa é uma peça que utiliza os quatro elementos fundamentais – água, terra, fogo e ar – para tratar da relação do ser humano com o universo. A obra apresenta o reiterado interesse de Nacho Duato pela gravidade e pelo uso do solo na constituição de sua dança. Os gnawas são uma confraria mística adepta do islamismo, descendentes de ex-escravos e comerciantes do Sul e do centro da África, que se instalaram ao longo dos séculos no Norte daquele continente.

 

____________________________________________________________

De 5 a 8 julho de 2018

 

Estreia | Suíte Raymonda (2017)

Coreografia: Guivalde de Almeida, a partir do original de 1898 de Marius Petipa (1818-1910)
Música:
Raymonda, de Alexander Glazunov (1865-1936), executada pela Orquestra Filarmônica de Nice, sob regência de Klaus Weise, e Orquestra Sinfônica de Moscou, sob regência de Alexander Anisimov

Figurino: Tânia Agra
Maquiagem: Guto Sargo
Iluminação: Wagner Freire
Design gráfico da projeção: Cyro Menna Barreto
Estreia pela SPCD: 2017, São Paulo

A obra, para o Ateliê de Coreógrafos Brasileiros 2017, parte do terceiro ato da versão original. Em cena, assistimos ao casamento de Raymonda com João de Brienne. “É uma dança virtuosa, pontuada por muitas variações, que une a dança clássica acadêmica com a dança a caráter”, fala o coreógrafo.

Primavera Fria (2017)

Coreografia, palco e figurino: Clébio Oliveira

Música original: Matresanch
Iluminação: Mirella Brandi
Estreia mundial pela SPCD: 2017, São Paulo

Segundo Clébio Oliveira, Primavera Fria examina a anatomia de uma ruptura inesperada. “A perda do objeto amoroso é um tema que há séculos inquieta e inspira pensadores, poetas e artistas. Mas longe de constituir uma experiência metafísica, essa perda é vivenciada no corpo por meio de um intrincado encadeamento bioquímico sofrido e produzido pelo cérebro humano. Buscamos antever e planejar, bem como compreender o mundo à nossa volta, as pessoas e, principalmente, a nós mesmos, a partir de racionalizações. No campo afetivo, buscamos a felicidade e ansiamos por relações amorosas sólidas ainda que inexoravelmente forjadas pela fantasia. Nossa busca por controle cai por terra quando somos atravessados pela paixão ou pela dor de sua ruptura”, fala o coreógrafo.

 

Estreia | Melhor Único Dia (2017)

Coreografia e iluminação: Henrique Rodovalho

Música: criação original de Pupilo com voz de Céu
Figurino: Cássio Brasil

Rodovalho comenta que neste trabalho experimenta movimentos expandidos e continuados a partir da relação dos bailarinos que permanecem todo o tempo em cena. “As referências sobre esta característica vieram de grandes grupos de animais em movimento e como se desenvolvem e se relacionam”, diz o coreógrafo. A obra trata sobre ‘o que tem de acontecer’, neste breve espaço de tempo de existência deste grande grupo, relacionado principalmente a algum tipo de prazer. Por isso, o nome Melhor Único Dia. “Para tentar traduzir, de alguma forma, a curta existência que se expressa através do movimento em grupo”, completa Rodovalho.

De 22 a 25 novembro de 2018

 

Estreia | O Lago dos Cisnes (2018)

Coreografia: Mario Galizzi, a partir do original de Lev Ivanov (1834-1901) e Marius Petipa (1818-1910).
Música: Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893)

Figurino: Tânia Agra
Cenário: Marco Lima
Iluminação: Wagner Freire
Estreia mundial: 1895
Estreia pela SPCD: 2018, São Paulo

Desde sua estreia, em 1895, o balé O Lago dos Cisnes vem atravessando gerações com enorme sucesso. Esta montagem será clássica-contemporânea, ou seja, manterá a essência da obra atualizando a produção e os tempos. O Lago é um balé romântico que narra a história da princesa Odette. Enfeitiçada pelo bruxo Rothbart, é aprisionada no corpo de um cisne durante o dia e volta a ser humana durante a noite. Para se libertar do feitiço, ela precisa que um príncipe lhe jure amor eterno. Da meia noite ao amanhecer, ela é uma criatura mágica e delicada, que o príncipe deseja amar e proteger. Durante o dia, a rainha dos cisnes: frágil, amedrontada e, ao mesmo tempo, corajosa e protetora do seu grupo.

______________________________________________________________________

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA

direção artística |  Inês Bogéa

A São Paulo Companhia de Dança (SPCD) foi criada em janeiro de 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo. Seu repertório contempla remontagens de obras clássicas e modernas, além de peças inéditas, criadas especificamente para o seu corpo de bailarinos. A Companhia, dirigida por Inês Bogéa, já percorreu 62 cidades do Estado de São Paulo, 17 cidades do Brasil, e 37 cidades do exterior em 16 países, em mais de 700 espetáculos vistos por um público de mais de 600.000 pessoas, com grande sucesso de crítica e público. A SPCD atua em três vertentes: difusão da dança, atividades educativas e de formação de plateia em dança, e registro e memória da dança. “Seu carisma e originalidade são incríveis”, diz Dietholf Zerweck (Alemanha).

Inês Bogéa é diretora artística da São Paulo Companhia de Dança, doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora de diversos livros infantis e organizadora de várias obras literárias. Na área de arte–educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007-2008). É autora de mais de 40 documentários sobre dança.

SERVIÇO:

TEMPORADA DE ASSINATURAS 2018 DA SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA

Período: de 4 de dezembro de 2017 a 4 de abril de 2018

Plateia central: R$ 170

Plateia lateral: R$ 135

Balcão: R$ 100

Para assinar acesse o site www.spcd.com.br

Pagamento: Somente pelo cartão de crédito, em até seis parcelas.

São Paulo Tech Week no Museu Catavento

Entre 23 e 29 de novembro, o museu oferece oficinas e atividades especiais para crianças e adolescentes dentro da São Paulo Tech Week, maior semana de inovação e tecnologia da América Latina
(mais…)

Secretaria da Cultura abre inscrições para mais nove editais do ProAC

A Secretaria da Cultura do Estado abre inscrições para mais nove editais do Programa de Ação Cultural (ProAC) de 2018. Serão contemplados 53 projetos de Pessoas Físicas nas áreas de Aprimoramento Artístico, Artes Integradas, Publicações Culturais e dois inéditos – Internacionalização de produções e Artistas de Pequenos Municípios –, e 34 de Pessoas Jurídicas nas áreas de Território das Artes, Publicações Culturais e Audiovisual. Os prêmios variam entre R$ 20 mil e R$ 500 mil cada. Além disso, no mínimo 50% dos selecionados serão de proponentes da Grande São Paulo, interior e litoral.  As inscrições devem ser feitas pelo site www.proac.sp.gov.br. Os editais completos estão disponíveis no mesmo endereço.

Aprimoramento Artístico: O edital de apoio ao Aprimoramento Técnico-Artístico premiará 10 projetos com R$ 20 mil cada. O concurso é voltado para a formação, especialização e/ou aperfeiçoamento técnico-artístico do artista ou grupo, por meio de intercâmbio com profissionais e/ou outras práticas pertinentes ao aperfeiçoamento de seu objeto de trabalho.

Internacionalização: Para o concurso inédito de apoio a Ações de Internacionalização das Produções Artísticas serão selecionados projetos que têm como objetivo promover a difusão e o intercâmbio cultural nas diversas áreas e linguagens artístico-culturais, a disseminação dos saberes populares e tradicionais e a capacitação técnica de agentes culturais. O resultado esperado é a difusão, a capacitação, a formação e a multiplicação cultural em todo o Estado de São Paulo, por meio das experiências de intercâmbio internacional. O edital premiará 15 projetos com prêmios de R$ 38 mil cada.

Pequenos Municípios: Também inédito, o edital para Projetos Culturais para Artistas Residentes em Pequenos Municípios vai apoiar 16 projetos com R$ 20 mil. Podem ser inscritos projetos de produção artística e cultural que contemplem a produção de eventos culturais ou a confecção de shows, exposições de arte, apresentações e outras atividades de artistas ou grupos de artistas residentes em municípios com até 20 mil habitantes.

Territórios das Artes: O concurso Território das Artes contempla projetos que envolvam a realização de atividades – como oficinas, cursos, workshops, palestras, debates, apresentações, ensaios etc – dentro de um espaço independente e podem incluir a manutenção e/ou funcionamento desse espaço. Cada um dos 16 projetos selecionados receberá R$ 100 mil. 

Artes Integradas: Este edital vai contemplar 10 projetos de Artes Integradas com o prêmio de R$ 40 mil para cada. O título corresponde a iniciativas de caráter experimental cuja proposta inclui o diálogo entre diferentes linguagens, estéticas, proposições e/ou núcleos artísticos, promovendo e estimulando o desenvolvimento de processos de criação conjunta e contemplando diferentes formatos/meios de produção e espaços de realização no Estado de São Paulo.

Publicações Culturais: O edital de apoio a Publicação de Conteúdo Cultural vai selecionar quatro projetos de criação, desenvolvimento e/ou manutenção de publicação impressa e/ou digital de conteúdos relacionados a diferentes áreas culturais e linguagens artísticas, como cinema, literatura, teatro, dança, artes visuais, música, hip-hop, economia da cultura, economia criativa, linguagens artísticas e movimentos culturais em formato de pesquisas, críticas, ensaios, relatos, cartografias, mapeamentos, periódicos, revistas, fanzines, blogs, sites e análises que visem à divulgação ou à reflexão sobre determinado aspecto do campo da cultura. Dois projetos de Pessoa Jurídica vão receber R$ 50 mil cada e dois projetos de Pessoa Física receberam R$ 30 mil cada.

Audiovisual: Para o audiovisual, três editais estão com inscrições abertas. O concurso de apoio ao Desenvolvimento de Ações de Fomento ao Audiovisual vai contemplar com R$ 55 mil oito projetos de ações de manutenção e/ou criação de trabalhos continuados na área de audiovisual que podem envolver uma ou mais das seguintes iniciativas: aprimoramento, capacitação e formação de profissionais; formação de público; desenvolvimento de laboratórios de criação; organização de fóruns ou seminários; criação de produtos e projetos transmídia; programação de cineclubes; outros formatos de difusão de obras de audiovisual; entre outras ações.

O concurso de apoio a Projetos de Complementação de Recursos para a Produção de Longa-Metragem vai contemplar com R$ 500 mil quatro filmes que estiverem em produção. Para isso, os proponentes devem apresentar o orçamento de produção e os respectivos recursos já captados até o ato da inscrição. É necessário comprovar que a verba faltante para a produção não excede o valor do prêmio.

Por fim, o concurso de Finalização de Longa-Metragem vai selecionar quatro projetos para receberem o prêmio de R$ 250 mil cada para a conclusão de produção de obra cinematográfica brasileira com duração superior a 70 minutos.

Confira o detalhamento e o período de inscrição de cada edital:

APRIMORAMENTO ARTÍSTICO

Aprimoramento Técnico-Artístico

Pessoa Física

10 projetos com prêmios de R$ 20 mil cada

Inscrições: de 25 de junho a 08 de agosto

INTERNACIONALIZAÇÃO

Ações de Internacionalização das Produções Artísticas

Pessoa Física

15 projetos com prêmios de R$ 38 mil cada

Inscrições: 25 de junho a 08 de agosto

PEQUENOS MUNICÍPIOS

Projetos Culturais para Artistas Residentes em Pequenos Municípios

Pessoa Física

16 projetos com prêmios de R$ 20 mil cada

Inscrições: 26 de junho a 09 de agosto

ARTES INTEGRADAS

Artes Integradas

Pessoa Física

10 projetos com prêmios de R$ 40 mil  cada

Inscrições: 26 de junho a 09 de agosto

TERRITÓRIO DAS ARTES

Território das Artes

Pessoa Jurídica

16 projetos com prêmios de R$ 100 mil cada

Inscrições: 25 de junho a 08 de agosto

PUBLICAÇÕES CULTURAIS

Publicação de Conteúdo Cultural

Pessoa Física e Jurídica

2 projetos de Pessoa Física com prêmios de R$ 30 mil cada

2 projetos de Pessoa Jurídica com prêmios de R$ 50 mil cada

Inscrições: 26 de junho a 09 de agosto

AUDIOVISUAL

Desenvolvimento de Ações de Fomento ao Audiovisual

Pessoa Jurídica

8 projetos com prêmios de R$ 55 mil cada

Inscrições: 27 de junho a 10 de agosto

Complementação de Recursos para a Produção de Longa-Metragem

Pessoa Jurídica

4 projetos de Pessoa Jurídica com prêmios de R$ 500 mil cada

Inscrições: 27 de junho a 10 de agosto

Projetos de Finalização de Longa-Metragem

Pessoa Jurídica

4 projetos com prêmios de R$ 250 mil cada

Inscrições: 27 de junho a 10 de agosto

Sobre o ProAC Editais

Desde a sua criação, em 2006, o Programa de Ação Cultural (ProAC) já contemplou mais de 5.400 projetos, em 394 editais, nos mais diversos segmentos, como teatro, dança, artes cênicas, música, circo, festivais, artes visuais, museus e arquivos, cultura e cidadania, literatura, audiovisual e projetos multidisciplinares. O objetivo do ProAC Editais é fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos.

Secretaria da Cultura apoia Pixel Show

O secretário  Estado da Cultura, José Luiz Penna, participou da abertura do Pixel Show.

(mais…)

Secretaria da Cultura do Estado promove Encontro Regional de Cultura em Santos

Evento reunirá dirigentes de municípios da Baixada Santista, região metropolitana e interior para apresentar os programas culturais do governo paulista e discutir ações da área (mais…)

Secretaria da Cultura e FGV realizam estudo sobre impactos econômicos e sociais da produção cultural do estado

Projeto utilizará como base o Programa de Ação Cultural (ProAC) para mensurar a capacidade de geração de renda e de empregos no setor cultural;  resultado do estudo será apresentado nos segundo semestre deste ano

Nesta terça-feira, 12 de junho, o secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello, e os pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas, Roberto Meireles e Robson Gonçalves, apresentaram a metodologia que será aplicada em estudo inédito sobre os impactos econômicos e sociais do Programa de Ação Cultural (ProAC-SP) no estado de São Paulo. O objetivo do projeto é mensurar a capacidade de geração de renda e de empregos envolvendo eventos e atividades culturais no território paulista.

“Nosso objetivo é entender qual a influência do ProAC na economia da cultura e o quanto isso impacta na cadeia produtiva. É fundamental para defendermos que o investimento em cultura, retorna em impostos, empregos e desenvolvimento econômico”, afirmou o secretário da Cultura, Romildo Campello, na abertura do evento.

Romildo Campello, secretário da Cultura (foto: Joca Duarte)

Ao viabilizar atividades culturais, o ProAC faz girar uma cadeia produtiva que envolve outros setores como por exemplo alimentação, vestuário, transporte e energia. “É preciso colocar a relevância econômica da cultura em seu devido lugar“. Queremos mostrar o quanto a cultura gera de empregos, de PIB, de arrecadação e renda ”, afirma o coordenador técnico da pesquisa, Robson Gonçalves.

O estudo deve ser finalizado e apresentado no segundo semestre deste ano. Ao final, poderá servir de referência para outras pesquisas, inclusive em outros estados. “O que estamos fazendo é extremamente importante, com grande potencial de se estender a todo o país. É preciso que haja um mapeamento em nível nacional para orientar as políticas culturais no país”, declara Gonçalves.

João Daniel Tikhomiroff, presidente do Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (SIAESP), participou do evento e falou sobre o crescimento do setor na economia do país. “A indústria do audiovisual representa 0,58% do PIB brasileiro, número maior que de outros setores relevantes dentro do país”, afirma. Segundo ele, a necessidade de crescimento do entretenimento é importante para a identificação do povo brasileiro com a sua cultura e sua língua.

Cultura e Economia Criativa

A secretária-adjunta da Cultura do Estado, Patrícia Penna, encerrou o evento destacando a importância da economia criativa. Para ela é preciso ampliar a discussão e mensurar não só a questão econômica, mas também o lado social do setor. “O impacto social precisa ser levado em consideração para que o Estado e os demais envolvidos possam se aprofundar no assunto. É muito importante medir a transformação na vida das pessoas”, declarou.

Patrícia Penna, secretária-adjunta (foto: Joca Duarte)

Secretaria de Cultura apoia festival de difusão teatral

Contemplado pelo programa de fomento ProAC Expresso LAB, o 1º Festival Paulista de Jogos Teatrais traz apresentações para estimular a participação de artistas e a formação de plateias em todo o Brasil

De 19 a 25 de abril acontece o 1º Festival Paulista de Jogos Teatrais, projeto realizado pela Associação Cultural NPC2 e DONA NINA FILMES para, de forma virtual e gratuita, promover ações de difusão, formação de plateia e reflexão em teatro. Apoiado pelo Governo de São Paulo e pelo Governo Federal por meio do ProAC Expresso LAB, o festival quer também fomentar a participação de artistas, grupos e companhias de São Paulo e de todo o Brasil.

A programação traz grupos da cena teatral em sete dias de apresentações de poesia e manipulação de bonecos, entre outros espetáculos. As peças serão apresentadas pelo site www.festivaldejogosteatrais.com.br

Programação:

Dia 19/4

20h

Sonhatório – Cia Truks

22h

Opinião conta Dandaras – Cia de Opinião

Dia 20/4

20h

Pelas ordens do rei que pede socorro – O Buraco d’oráculo

22h

Chiquinha Gonzaga, a menina faceira – Cia das Cores

Dia 21/4

20h

Patética – Cia Estável

22h

O pequeno guardador de rebanhos – Azenha de Teatro

Dia 22/4

20h

O canto das ditas, fragmentos, afrografados de Cidade Tiradentes – Núcleo Teatral Filhos da Dita

22h

Três Variando – Trupes Irmãos Atadas

Dia 23/4

20h

Oi lá Inezita – Cia Cênica

22h

Oniri Ubuntu, tempo de sonho – Bondo Jaçana

Dia 24/4

20h

Desventuras de um quixote em terras de um país qualquer – Cia da Ditacuja

22h

O coração nas sombras – Cia Teatro da cidade

Dia 25/4

18h

Em análise – Magnólia

20h

Chernobyl – Cia Chernobyl

Secretaria de Cultura e Economia Criativa anuncia valor recorde de R$ 154,2 milhões para o ProAC Expresso

Mais investimento, menos burocracia

(mais…)

Secretaria de Cultura e Economia Criativa apoia série de documentários que debate a situação da mulher na sociedade

Contemplado pelo ProAC Expresso LAB, o projeto “Mulher em Cena” será a atração da plataforma #CulturaEmCasa no Dia Internacional da Mulher

 “Eu não me sinto livre, me sinto como um peixinho no aquário. Claro que é um aquário maior que o da minha vó, mas ainda é um aquário. Eu luto para que o aquário da minha filha seja ainda maior e o da minha neta não exista, mas isso é um trabalho de formiguinha”. Essas palavras são da pedagoga Silvia Duarte, 32 anos, uma das dezenas de mulheres de todas faixas etárias – dos 9 aos 95 anos de idade – que responderam à pergunta “Você, Mulher, se sente livre?”, terceiro episódio do documentário “Mulher em Cena”, projeto apoiado pelo Governo de São Paulo e Governo Federal por meio do ProAC Expresso LAB.

Com os dois primeiros episódios já disponíveis no canal da Cia Os Ronaldos no (https://www.youtube.com/channel/UCqsSuSt26IvlKfwS4Qr9H7A), mulheres são provocadas a responder questionamentos. No trabalho são respondidas perguntas como o que significa ser mulher ou se já deixou de fazer algo por ser do sexo feminino. Para finalizar o ciclo, o documentário apresenta na segunda-feira, dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher seu terceiro e último episódio na plataforma #CulturaEmCasa.

“O projeto surgiu de uma discussão por conta de um fato que ocorreu comigo. Sofri um abuso de um segurança em meu local de trabalho e, ao denunciar, fui questionada por estar com um vestido e ter sorrido para ele ao chegar. Comecei então a debater esses casos com meu grupo de teatro, formado em maior parte por mulheres. Ao mesmo tempo, conheci o trabalho literário da Margaret Atwood, autora dos livros ‘O Conto da Aia’ e ‘Testamentos’, que deram origem à premiada série de televisão ‘The Handmaid’s Tale’”, afirma a diretora e atriz Rafaela Campos, de 29 anos. “Em 2020 fizemos uma reunião online com mais de 80 mulheres e todas relataram casos de abuso, submissão e falta de liberdade em suas vidas. Assim nasceu o “Mulher em Cena” com relatos verídicos de mulheres reais”

Contemplada pelo ProAC Expresso LAB, Rafaela espera conseguir provocar reflexão nas pessoas, em especial, do sexo feminino. “Esperamos poder virar uma chavinha na cabeça delas, pois mesmo que no papel a mulher tenha muitos direitos, na prática isso ainda não acontece. Espero ser um grão de sal na mudança do mundo”, diz.

Balanço da Lei Aldir Blanc

Em 2020 foram concluídas as etapas necessárias para assegurar a destinação, por meio da Lei Aldir Blanc, de R$ 272,1 milhões ao setor cultural e criativo de São Paulo. Ao todo, o Governo do Estado recebeu R$ 281,8 milhões do Governo Federal, sendo R$ 264,1 milhões relativos à cota original do Estado e R$ 17,6 milhões provenientes da reversão de valores não utilizados por municípios. O índice de execução, portanto, foi de 100% do valor recebido inicialmente e de 96,9% do total recebido.

Secretaria de Cultura e Economia Criativa apoiará 25 municípios que sediarão Paradas de Orgulho LGBTI+

Eventos ocorrem entre os meses de abril e novembro; número de municípios apoiados é recorde; Investimento é de R$ 500 mil.

(mais…)

Secretaria de Cultura e Economia Criativa apresenta medidas de apoio econômico ao setor criativo

R$ 500 milhões em linhas de crédito e R$ 150 milhões em microcréditos com condições facilitadas e carência de até 90 dias; Programa de Fomento da Pasta tem prazo de execução estendido em 30 dias

(mais…)

Secretaria de Cultura e Economia Criativa lança 18 editais do #ProACExpresso

Segundo bloco de concursos inclui linhas nas áreas de audiovisual, museus, espaços culturais, leitura e escrita e cultura popular, tradicional e diversidade

(mais…)

Secretaria de Cultura e Economia Criativa se reúne com entidades culturais para debater ProAC Editais 2021  

Em 13 reuniões com a unidade de fomento e economia criativa, cerca de 500 representantes de segmentos como Literatura, Cidadania Cultural e Artes Visuais expuseram ideias e sugestões para a formulação do programa deste ano

Entre os dias 15 e 18 de março, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa se reuniu com cerca de 500 representantes de entidades do setor cultural e artístico de todas as regiões do Estado de São Paulo para receber sugestões e discutir diretrizes do ProAC Expresso Editais, que farão parte das minutas dos editais de 2021.

Em 13 encontros virtuais, atores, escritores, produtores, bailarinos, diretores, maestros, músicos e especialistas puderam expor suas ideias e contribuições para a coordenação da UFEC da Secretaria, em 20 horas de compartilhamento e troca de informações e experiências sobre o Programa de Ação Cultural do Governo nos seguintes temas: Artes Visuais; Museus; Literatura; Música; Teatro; Público Infanto-juvenil; Dança; Circo; Cidadania Cultural; Espaços Culturais; Audiovisual; Ações Culturais e Eventos.

“Os encontros foram consultivos e se estenderam a todas as áreas da cultura e economia criativa, estabelecendo diálogo com o setor e criando um ambiente de escuta e troca, a exemplo do que a Secretaria de Cultura e Economia Criativa faz com as consultas públicas”, diz Natália Cunha, coordenadora da Unidade de Fomento e Economia Criativa da Secretaria.

Indicação de especialistas

Além disso, uma consulta pública está aberta para a indicação de especialistas em cada segmento cultural para atuarem no ProAC Expresso Editais 2021. O prazo termina em 29/03. As designações podem ser feitas por entidades de todas as regiões do Estado de São Paulo a pessoas jurídicas sem fins lucrativos que realizem atividades ou representem segmentos da área cultural e artística. As inscrições serão recebidas por meio do link:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdGn__Pjkkdhm2lrQd_PsIWGaivseBFOU5T9qnI7XeVvAOLvQ/viewform?usp=sf_link

Cada entidade poderá indicar até dois especialistas por segmento conforme listagem a seguir:

1) Artes Visuais

  1. a) Produção
  2. b) Circulação
  3. c) Licenciamento

2) Museus

3) Literatura

  1. a) Ficção
  2. b) Não-Ficção
  3. c) Poesia
  4. d) Incentivo à Leitura
  5. e) Histórias em Quadrinhos

4) Música

  1. a) Produção
  2. b) Circulação
  3. c) Licenciamento

5) Teatro

  1. a) Produção
  2. b) Circulação
  3. c) Licenciamento

6) Público Infanto-Juvenil

  1. a) Produção
  2. b) Circulação
  3. c) Licenciamento

7) Dança

  1. a) Produção
  2. b) Circulação
  3. c) Licenciamento

8) Circo

  1. a) Produção
  2. b) Circulação
  3. c) Licenciamento

9) Cidadania Cultural

  1. a) Cultura Negra
  2. b) Hip Hop
  3. c) Cultura Popular, Caiçara, Indígena e Quilombola
  4. d) Cultura Urbana
  5. e) Cultura LGBTQI+

10) Espaços Culturais

11) Audiovisual

  1. a) Produção
  2. b) Desenvolvimento
  3. c) Finalização
  4. d) Distribuição
  5. e) Licenciamento
  6. f) Curtas
  7. g) Games
  8. h) AR /VR

12) Ações Culturais Locais no Interior ou em Comunidades

13) Eventos Culturais

14) Projetos Relacionados ao Centenário da Semana de Arte Moderna de 22

Secretaria de Cultura e Economia Criativa se reúne com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

O objetivo do encontro foi discutir parcerias da pasta com o terceiro setor. A edição deste ano foi online, com a participação de mais de 50 especialistas.

A Unidade de Monitoramento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e o corpo técnico do (TCE) se reuniram no dia 17/5 para discutir as parcerias da Secretaria com o terceiro setor. “Temos certeza de que todos saímos ganhando, pois agora os fiscais conhecem melhor a realidade da Cultura e os técnicos da pasta entendem o que está no foco das exigências atuais do órgão de controle”, disse Marianna Bomfim, coordenadora da Unidade de Monitoramento.

Desde sua criação, em 2013, a Unidade de Monitoramento busca o diálogo com os órgãos de controle. Por isso, anualmente, promove encontros com as diretorias do TCE. O objetivo é ampliar a credibilidade do modelo OS, auxiliar a fiscalização a compreender as peculiaridades da Cultura e permitir à Secretaria entender melhor as expectativas do TCE. Em 2020, por causa da pandemia, o encontro teve que ser online. “A partir dessa experiência, propusemos, neste ano, que a reunião fosse com todo o corpo técnico do TCE, permitindo que mais de 50 pessoas estivessem na sala virtual, entre técnicos da Secretaria e do TCE”, afirma Marianna Bomfim.

Secretaria de Cultura homenageia o poeta Haroldo de Campos

Produções de Pedro Almodóvar e referências de João Gilberto, que completaria 90 anos, também integram a agenda da Casa das Rosas, Casa Mário de Andrade e Casa Guilherme de Almeida

A programação de agosto dos Museus-Casas Literários de São Paulo, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, traz atividades gratuitas como oficinas, sarau e visita temática. Confira abaixo as atividades gratuitas que serão realizadas na Casa das Rosas, Casa Mário de Andrade e Casa Guilherme de Almeida.

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

As diferentes vertentes da literatura poderão ser exercitadas durante sarau, recital, oficina e cursos do museu Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura.

Às terças-feiras de agosto, 10, 17, 24 e 31, a partir das 19h, acontecerá a oficina A Palavra Fraturada – Expressão e silêncio no trauma, via Zoom. A mediação será feita por Isabela Sancho, escritora, psicanalista e ilustradora, e Reynaldo Damazio, editor, crítico literário, escritor e coordenador do CAE (Centro de Apoio ao Escritor) da Casa das Rosas. A formação apresenta diferentes formas pelas quais o trauma pode se expressar na literatura, com estudos da psicanálise como base. A cada encontro a turma participante passa por um breve exercício para experimentação formal. Inscrições estão abertas até o dia 10/08 neste link.

No YouTube e no Facebook, ocorrerá em 18/8, às 16h30, a oficina Haroldo de Campos: uma breve biografia. Como a Casa das Rosas também se dedica à obra do poeta Haroldo de Campos (1929-2003), a atividade traz o tema de 2021 da Rede de Museus-Casas Literários, “Imprevisto e reinvenção”, no mês do nascimento e morte do patrono da instituição.

Hora H: irmãos siamesmos, evento tradicional para celebrar a obra de Haroldo de Campos na ocasião de seu aniversário, está programado para as 19h de 19/8, dia em que o poeta e tradutor nasceu. Traduções pioneiras e marcantes de obras de Mallarmé, Pound e Maikóvski, revisões de autores brasileiros como Sousândrade e Oswald de Andrade são algumas das realizações conjuntas dos irmãos Haroldo e Augusto de Campos e que serão abordadas na atividade transmitida no canal de YouTube do museu. Daniel Minchoni, Dirceu Villa, Ivan de Campos, João Bandeira, Juliana Di Fiori Pondian, Lúcio Agra, Marília Garcia, Natália Agra, Noemi Jaffe, Raquel Campos e Walter Silveira são alguns nomes que participam com leituras. No encerramento, os músicos Cid Campos e Péricles Cavalcanti cantam canções que realizaram em parceria com Augusto e Haroldo. A apresentação do Hora H fica por conta de Ivan de Campos, poeta e professor titular de Química, Júlio Mendonça, poeta, doutor em Comunicação e Semiótica e coordenador do Centro de Referência Haroldo de Campos, na Casa das Rosas, e Marcelo Tápia, poeta, tradutor, ensaísta, professor e diretor da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo.

O curso Pontes entre o romantismo e o modernismo, com Ana Beatriz Demarchi Barel, professora e pesquisadora em áreas como Literatura Brasileira, Literatura Comparada, História Política e História da Arte, está programado para os dias 25, 26 e 27/8, quarta a sexta-feira, das 19h às 21h, pelo Zoom. A discussão é voltada aos textos curtos de Machado de Assis, José de Alencar e Alfredo Taunay, a fim de identificar continuidades e rupturas entre o romantismo e o modernismo brasileiro, além da apresentação de telas de pintores que dialogam com textos dos dois movimentos literários. Inscrições abertas até 25/8 neste link.

O recital Meu coração num cone de sorvete pra você, realizado por meio do Sinestesia – programa do Centro de Referência Haroldo de Campos da Casa das Rosas, voltado às interfaces e hibridizações entre poesia, música contemporânea, vídeo e performance – ocorre em em 26/8, quinta-feira, a partir das 19h, via Zoom. A partir de influências da poesia concreta, e. e. cummings, Florine Stettheimer (a quem o livro é dedicado), e de um humor peculiar, João Reynaldo cria poemas e desenhos feitos inteiramente na máquina de escrever sobre papel de pastel 10 x 15 cm. O evento consiste numa leitura multimídia dos poemas do livro que dá nome ao recital. Cadastro prévio está aberto até 26/8 neste link.

Diálogos Sincrônicos, série de saraus da Casa das Rosas que destaca a troca literária entre diferentes gerações, movimentos e grupos, traz em 28/8, sábado, às 19h, a obra de Torquato Neto (1944-1972), poeta, jornalista e letrista ligado à Tropicália, com letras que ganharam vozes como as de Elis Regina, Gilberto Gil e Jards Macalé. A curadoria é do poeta, tradutor e editor Fabiano Calixto. O sarau será apresentado pelo Zoom e as inscrições ficam abertas até 28/8 neste link.

No início de setembro, a pesquisadora Ana Beatriz Demarchi retorna com o curso Maxacalis, Guaranis, Tupis, Tupinambás: o Brasil indígena, dos românticos aos modernos de 1922, realizado entre 1º e 3/9, das 19h às 21h. A formação destaca como este tema ainda intriga, surpreende e atrai a produção cultural brasileira. As inscrições estão abertas até 1/9 neste link.

Casa Mário de Andrade

Palestras e visita temática integram a agenda do museu Casa Mário de Andrade, com música, literatura e culinária.

Marcelo Pretto, integrante do Barbatuques, do grupo Barca, cantor autodidata e pesquisador da música brasileira tradicional, apresenta a palestra João Gilberto: 90 anos de bossa-nova em 14/8, sábado, às 16h30, no Zoom, como uma homenagem ao João Gilberto que completaria 90 anos. Referências fundamentais do repertório do artista compõem atividade. Inscrição aberta até 14/8 por este formulário.

Já a palestra A culinária e a música na sala de Mário de Andrade mostra como os sentidos da culinária e da música são estímulos sensoriais importantes nas recepções que eram promovidas por Mário de Andrade, na sala da residência onde vivia e que fica no próprio museu. A atividade é veiculada pelo Zoom, a partir das 16h30, e faz parte da programação da Jornada do Patrimônio 2021. A inscrição está aberta até 21/8 neste formulário. A coordenação é de Viviane Aguiar, jornalista, mestre e doutoranda em História Social pela USP, e de Cacá Machado, historiador, compositor e professor doutor do departamento de Música do Instituto de Artes da Unicamp.

Durante a visita temática Folclore no Modernismo brasileiro, apresentada pelo Facebook e canal de YouTube do museu, Arthur Major, educador da Casa Mário de Andrade, formado em História pela FFLCH-USP, destaca como o folclore fortalece o objetivo do movimento modernista em ressaltar costumes e a cultura típicos do Brasil. Atividade ocorre em 26/8, quinta-feira, a partir das 161h30, e também é uma forma de celebrar o Dia do Folclore Nacional (22/8).

Casa Guilherme de Almeida

O museu Casa Guilherme de Almeida oferece cursos e oficinas com diferentes propostas e linguagens, entre eles, a literatura e o cinema, via Zoom.

No dia 18/8, quarta-feira, às 18h, é a vez de James Joyce via coletivo Finnegans (3), oficina em que o coletivo relata o processo de tradução colaborativa de Finnegans Wake, de James Joyce, sob organização de Dirce Waltrick do Amarante. No terceiro encontro, integrantes conversam a partir da criatividade como método de tradução, um suposto obstáculo para a tradução dos termos estrangeiros dos capítulos 9 e 10 de Finnegans Wake e as traduções italianas da obra de Joyce. A formação mantém inscrição aberta até 16/8 neste formulário.

A coordenação é de Aurora Bernardini, pesquisadora sênior e professora titular da Faculdade de Letras da USP, com prêmios como o Jabuti de tradução pela obra Il Dolore , de Giuseppe Ungaretti (2006);  Daiane de Almeida Oliveira, doutora em Estudos da Tradução pela PGET/UFSC e mestra em Estudos Linguísticos e Literários / Inglês (PPGI-UFSC); e Fedra Rodríguez, mestra e doutora em Estudos da Tradução pela UFSC e Universidad de Sevilla / Espanha, além de roteirista e crítica literária.

 Lufe Steffen, cineasta e pesquisador de temáticas LGBT no cinema, ministra os encontros do Curso Pedro Almodóvar e seus personagens cineastas, nos dias 20 e 27/8, sextas-feiras, das 19h às 21h. A inscrição segue aberta até 18/8 neste formulário. O cineasta espanhol Almodóvar é reconhecido também por fetiches, obsessões, maneirismos e características que são amplamente debatidos. Porém, um aspecto de sua obra ainda considerado pouco analisado é a recorrência em criar protagonistas masculinos que são cineastas. Essas criações foram vistas nos filmes A lei do desejo (1987), Má educação (2004) e Dor e glória (2019). No curso, serão analisados os diferentes momentos de cada filme, relacionando-os à trajetória do diretor.

Para acessar toda a programação dos três museus, acesse o hotsite +Cultura ou os sites das instituições: Casa das Rosas, Casa Mário de Andrade e Casa Guilherme de Almeida.

A rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, é formada pela Casa das Rosas, Casa Mário de Andrade e Casa Guilherme de Almeida. O gerenciamento dos espaços é feito pela organização social Poiesis.

Serviço

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura 

Oficina: A Palavra Fraturada – Expressão e silêncio no trauma

Com Isabela Sancho e Reynaldo Damazio
Terças-feiras, 10, 17, 24 e 31/8, das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 200 vagas | Grátis

Inscrições abertas até 10/8: clique aqui

Serão emitidos certificados às pessoas inscritas que participarem de 75% das aulas

Haroldo de Campos: uma breve biografia

Com Núcleo de Ação Educativa

Quarta-feira, 18/8, às 16h30

Plataforma: YouTube e Facebook do museu | Grátis
Sem necessidade de inscrição

Evento especial – HORA H: irmãos siamesmos
Coordenação e apresentação de Ivan de Campos, Julio Mendonça e Marcelo Tápia
Quinta-feira, 19/8, às 19h
Plataforma: YouTube  | Grátis
Sem a necessidade de inscrição

Curso: Pontes entre o romantismo e o modernismo
Com Ana Beatriz Demarchi Barel

Quarta a sexta-feira, 25 a 27 de agosto, das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 250 vagas | Grátis

Inscrições prévias até 25/8 – clique aqui
Serão emitidos certificados às pessoas inscritas que participarem de 75% das aulas

Sinestesia: Leitura multimídia – Meu coração num cone de sorvete pra você
Quinta-feira, 26/8, 19h às 21h
Plataforma: Zoom | 200 vagas | Grátis
Inscrições até 26/08 – clique aqui

Sarau Diálogos Sincrônicos: Torquato Neto
Curadoria: Fabiano Calixto
Sábado, 28 de agosto, 19h às 21h
Plataforma: Zoom | 200 vagas | Grátis
Inscrições prévias até 28/08 – clique aqui

Curso: Maxacalis, Guaranis, tupis, Tupinambás: O Brasil indígena, dos românticos aos modernos de 1922
Com Ana Beatriz Demarchi Barel
Quarta a sexta-feira, 1, 2 e 3/9, das 19h às 21h
Plataforma: Zoom | 250 vagas | Grátis
Inscrições prévias até 1/9 – clique aqui
Serão emitidos certificados às pessoas inscritas que participarem de 75% das aulas

—-
Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447 | E-mail: contato@casadasrosas.org.br

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da covid-19 pelo site da Casa das Rosas

O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites Casa das Rosas e +Cultura

Endereço: Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

Acessibilidade: rampa de acesso, elevador e videoguia em Libras

Programação gratuita

 

Casa Mário de Andrade

Palestra – João Gilberto: 90 anos de bossa-nova
Com Marcelo Pretto
Sábado, 14/8, das 16h30 às 18h
Plataforma: Zoom | 250 vagas | Grátis
Inscrições abertas até 14/8 – clique aqui

Palestra: a culinária e a música na sala de Mário de Andrade
Com Cacá Machado e Viviane Aguiar
Sábado, 21/8, das 16h30 às 18h30
Plataforma: Zoom | 250 vagas | Grátis
Inscrições prévias até 21/08 – clique aqui

Visita temática: Folclore no Modernismo brasileiro
Com Arthur Major
Quinta-feira, 26/8, das 16h30 às 17h
Plataforma: Facebook e YouTube | Grátis
Sem a necessidade de inscrição

——
Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085 | E-mail: casamariodeandrade@casamariodeandrade.org.br; educativo@casamariodeandrade.org.br

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da covid-19 pelo site da Casa Mário de Andrade

O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites Casa Mário de Andrade e +Cultura

Endereço: Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo

Acessibilidade: rampa de acesso ao andar térreo e fraldário móvel.
Programação gratuita

 

Casa Guilherme de Almeida

Oficina: James Joyce via coletivo Finnegans (3)
Com Aurora Bernardini, Daiane Oliveira e Fedra Rodríguez
Quarta-feira, 18/8, das 18h às 20h
Plataforma: Zoom | 300 vagas |Grátis
Inscrições abertas até 16/08 – clique aqui

Curso: Pedro Almodóvar e seus personagens cineastas
Com Lufe Steffen
Sextas-feiras, 20 e 27/8 das 19h às 21h
Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis
Inscrições prévias até 18/8 – clique aqui

——

Tel.: 11 3673-1883 | 3803-8525 | 3672-1391 | 3868-4128 | E-mail: contato@casaguilhermedealmeida.org.br, educativo@casaguilhermedealmeida.org.br
Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da covid-19 pelo site Casa Guilherme de Almeida

O museu ainda oferece videoguia em Libras.
O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites Casa Guilherme de Almeida e +Cultura

Endereço: R. Macapá, 187 – Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo | Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Sumaré, São Paulo/SP
Acessibilidade: rampa de acesso, elevador, piso podotátil e banheiro adaptado; videoguia em Libras e réplicas táteis.
Programação gratuita

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A CASA MÁRIO DE ANDRADE

A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. O museu abriga uma exposição permanente, que é aberta à visitação, com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. O museu também realiza uma intensa programação de atividades culturais e educativas. A Casa integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurada em 1979, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país.

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Assessoria de Imprensa (11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Acompanhe a Cultura: Site | Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube

Secretário e Organizações Sociais realizam reunião para discutir diretrizes, desafios e projetos

Diretores de OSs apresentaram seus resultados, objetivos e expectativas para os próximos anos (mais…)

Secretário estadual da Cultura faz palestra para alunos do Senac SP

Na última quarta-feira, dia 13, o secretário estadual da Cultura José Luiz Penna esteve no Senac Lapa, como palestrante convidado para professores e alunos da pós-graduação da instituição. Penna falou sobre os desafios da política cultural em São Paulo, os benefícios da economia criativa e o diálogo que a Secretaria estabelece entre artistas, gestores e empreendedores culturais.

Penna citou o alcance dos projetos desenvolvidos pela Secretaria, como as Fábricas de Cultura (programa voltado para jovens e crianças em unidades implantadas em bairros da Capital com situações de vulnerabilidade); o Revelando São Paulo, recentemente realizado no Parque do Trote, voltado para a cultura regional paulista; o projeto Bandas e Fanfarras; Futuro na Cultura; ProAC e o Programa de Fomento ao Cinema Paulista, que passou a garantir ao setor a reserva de 3% do imposto devido da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

“Está difícil [a situação financeira do país], mas vamos fazer, temos de fazer. Se não fizermos, não se aponta para a sociedade que existe um caminho e a cultura tem um poder civilizador”, afirmou Penna.

Foto: Secretário de Estado da Cultura José Luiz Penna, alunos e professores do Senac.

Secretário José Luiz Penna recebe homenagem da Liga das Escolas de Samba de São Paulo

O secretário de Estado da Cultura, José Luiz Penna, foi homenageado, no sábado (02/12),  pela Liga das Escolas de Samba do Grupo 1 do carnaval de São Paulo. Ele recebeu Disco de Ouro do presidente da liga Paulo Sergio. A homenagem, pela primeira vez dada a um Secretário de Estado, foi  reconhecimento ao seu incansável apoio ao samba e as escolas paulistas. Durante o evento, foi lançado o CD do Carnaval 2018.

“No dia do Samba, receber uma homenagem dessas é demais. O passado da gente é samba. O futuro certamente será samba. E o samba será Patrimônio Imaterial de São Paulo. Viva o Samba!” –  José Luiz Penna, Secretário de Estado da Cultura

Foto: Joca Duarte

Secretários de Estado vão a Paraisópolis para encontro com lideranças locais

Representantes do governo nas áreas social, cultural, econômica, de saneamento e habitação propõem projetos de acordo com as demandas da comunidade

(mais…)

Segunda temporada do Intensivão #CulturaEmCasa começa na próxima 3ª feira (11/5)

Profissionais renomados do setor cultural e criativo compartilham conhecimento e expertise em lives sobre os diversos ofícios nos campos da cultura e da criatividade.

O Intensivão #CulturaEmCasa retoma sua programação a partir do próximo dia 11 de maio. Os conteúdos serão transmitidos às terças e quintas-feiras, partir das 17h, com programação eclética e com acesso totalmente gratuito pela plataforma #CulturaEmCasa (www.culturaemcasa.com.br). São palestras, oficinas e aulas abordando diferentes temas do setor cultural e criativo. Várias das lives também darão continuidade à programação especial do mês das Mães. Criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte, a plataforma já registrou 5,4 milhões de visualizações em 3 mil conteúdos disponibilizados, atingindo 3.300 mil cidades e 135 países. E envolvendo 13 mil profissionais do setor. (Confira programação das primeiras lives abaixo).

Também lançado em abril de 2020, o Intensivão #CulturaEmCasa transmitiu 119 lives e registrou mais de 100 mil visualizações. Entre os integrantes da programação do ano passado estão nomes como o do renomado artista plástico, Ernesto Neto; de Dona Jacira, mãe de Emicida e Fióti, com sua oficina de bonecas; de Rita Von Hunt e do ator Ivam Cabral.

A qualidade do time de participantes continua na temporada de 2021. A estreia, no dia 11, será com a cenógrafa Lívia Loureiro com o tema “Maternidade, trabalho e sonho”. A companhia teatral Os Crespos também está na agenda do Intensivão #CulturaEmCasa. Além de ser dada continuidade à participação de profissionais dos espaços culturais, ligados à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, como Orquestra Sinfônica de São Paulo (OSESP), do Conservatório Tatuí, do Museu do Futebol, entre outros.

“As 100 mil visualizações registradas revelam o interesse da sociedade em aprofundar conhecimentos relacionados ao setor cultural e criativo. E uma das metas da Amigos da Arte é o de oferecer acesso de conteúdos de qualidade e gratuito, colaborando para o empoderamento tanto de artistas e profissionais do setor como o do público em geral”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre #CulturaEmCasa

Lançada em 21 de abril de 2020, a plataforma tem a missão de ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuitos e difundir a intensa produção cultural do Estado de São Paulo, seus equipamentos e municípios.Este ano, em comemoração ao aniversário de um ano, o #CulturaEmCasa, transmitiu lives de artistas como Tom Zé, Angela Ro Ro, Oswaldo Montenegro e Camila Pitanga.

A ferramenta reúne também conteúdos do Teatro Sérgio Cardoso, do Museu da Diversidade Sexual e das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, a São Paulo Companhia de Dança, o Conservatório de Tatuí, o Projeto Guri, Fábricas de Cultura, TV Cultura, Poiesis, Bibliotecas, e os Museus da Imagem e do Som, do Futebol, Índia Vanuíre, Casa de Portinari Felícia Leirner/ Auditório Claudio Santoro.

A ideia de difundir o conteúdo produzido por São Paulo se expandiu e a plataforma #CulturaEmCasa firmou parcerias com outras Secretarias Estaduais de Cultura, dentro do projeto Ponte Aérea. Atualmente a plataforma detém e transmite conteúdos do Rio Grande do Sul, como por exemplo, o “Festival de Cinema Negro em Ação” e os concertos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre; o projeto “Música Conecta” com o Espírito Santo Este mês também foi lançada parceria com o estado do Ceará, em que serão transmitidos eventos artísticos de grande porte do cenário cearense como o “Cineteatro São Luiz”, “Porto Dragão Sessions” e “Zona de Criação”.

Sobre a Amigos da Arte

A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão dos teatros Sérgio Cardoso e de Araras e do Museu de Diversidade Sexual (MDS), trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos. Em seus mais de 15 anos, a entidade desenvolveu 58 mil ações que atingem mais de 25 milhões de pessoas.

Programação Intensivão #CulturaEmCasa

11/05 (terça-feira)

17h Maternidade, trabalho e sonho – Lívia Loureiro (Fundação das Artes – FIC)

13/05 (quinta-feira)

17h A Imprensa Negra Paulista ontem e hoje, e sua relação com 13 de Maio: Anseios, desejos e contradições de um povo – Nabor Jr. (Cia. Os Crespos)

18/05 (terça-feira)

17h Cuidando de quem cuida no pós-parto – Heloísa Lessa

20/05 (quinta-feira)

17h Dramaturgias e Poéticas do Espaço – Paula Venancio (Fábrica de Cultura Parque Belém e do Programa Fundação das Artes – FIC)

25/05 (terça-feira)

17h O Teatro e a construção de novos imaginários – Aysha Nascimento (Cia. Os Crepos)

27/05 (quinta-feira)

17h Como estimular as crianças através de filmes infantis o gosto pelo cinema – Carolina Alonso

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Seminário sobre 130 anos da abolição da escravidão. Inscreva-se!

Evento faz parte da agenda de direitos humanos “O Mundo que Queremos”; o evento é gratuito e interessados devem se inscrever. (mais…)

Sérgio Sá Leitão fala sobre a criatividade humana como ativo econômico em entrevista ao Metrópolis

Economia criativa em São Paulo gera 330 mil empregos e é responsável por 3,9% do PIB (mais…)

Sérgio Sá Leitão se reúne com líderes em Brasília para tratar de Economia Criativa e outras pautas

O secretário de Cultura e Economia Criativa de SP, Sérgio Sá Leitão, esteve hoje em Brasília para reunião com o Ministro da Cidadania, Osmar Terra, e com secretário especial da Cultura, Henrique Medeiros, para tratar de várias pautas de interesse da cultura paulista. Ótima receptividade!
Em seguida, ele se reuniu com o secretário de Cultura do DF, Adão Cândido, para falar também das perspectivas da área na geração de renda e emprego.

Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa de SP, com o Ministro da Cidadania, Osmar Terra, e secretário especial da Cultura, Henrique Medeiros

Sérgio Sá Leitão, secretário de Cultura e Economia Criativa de SP, com o secretário de Cultura do DF, Adão Cândido

Série “O gambito da rainha” ganha debate ao vivo no #Cineciência

Especialistas discutem o grande sucesso da Netflix sobre o mundo do xadrez no dia 13 de dezembro, ao vivo, no canal do MIS no Youtube (mais…)

Sexta-feira 13 com maratona de filmes de Hitchcock no MIS!

O Museu da Imagem e do Som – MIS SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realiza mais uma tradicional Maratona de Filmes de Terror durante a madrugada de Sexta-Feira 13. Esta edição, porém, é especial: acontece juntamente com a inauguração da nova megaexposição do Museu, Hitchcock – Bastidores do suspense, no próximo dia 13 de julho.

Para mergulhar no clima do diretor britânico, além da exibição de três de seus icônicos filmes durante a madrugada (Os Pássaros, Trama Macabra e O Homem que sabia demais), quem comprar ingresso para a Maratona de filmes poderá visitar a exposição entre as 22h de sexta (13) e 10h de sábado (14).

Os ingressos para a Sexta-Feira 13 – Maratona Hitchcock (R$ 30, que dão direito às três sessões mais entrada na exposição) começam a ser vendidos no dia 6 de julho, sexta-feira, a partir das 12h – no site da Ingresso Rápido e recepção do Museu.

PROGRAMAÇÃO

23h – Os Pássaros (1963)

Melanie Daniels (Tippi Hedren) é uma bela e rica socialite que sempre vai atrás do que quer. Um dia ela conhece o advogado Mitch Brenner (Rod Taylor) em um pet shop e fica interessada nele. Após o encontro ela decide procurá-lo em sua cidade. Ela dirige por uma hora até a pacata cidade de Bodega Bay, na Califórnia, onde Mitch costuma passar os finais de semana. Entretanto, Melaine só não sabia que iria vivenciar algo assustador: milhares de pássaros se instalaram na localidade e começam a atacar as pessoas.


1h – Trama macabra (1976)

O último filme de Alfred Hitchcock teve o roteiro baseado no livro The Rainbird Pattern, de Victor Canning. Na trama, a falsa médium Madame Blanche (Barbara Harris) e seu namorado, o taxista George Lumley (Bruce Dern), tentam arrancar algum dinheiro de Julia Rainbird (Cathleen Nesbitt) dizendo que conseguem se comunicar com seu sobrinho desaparecido. Enquanto isso, Arthur Adamson (William Devane) e sua parceira, Fran (Karen Black), enriquecem sequestrando magnatas. Brevemente os caminhos dos quatro trambiqueiros se cruzarão.

3h – O homem que sabia demais (1956)

O filme é uma refilmagem do filme homônimo de 1934, também dirigido por Hitchcock. Durante suas férias no Marrocos, Ben McKenna (James Stewart), um médico, e sua família se envolvem acidentalmente em uma trama internacional de assassinato, quando um moribundo fala ao ouvido de Ben algumas palavras. Para impedi-lo de denunciar a trama à polícia, os conspiradores resolvem então sequestrar seu filho.

Onde

Shopping Cidade São Paulo recebe atrações do Museu Catavento

As férias no Shopping Cidade São Paulo prometem muita diversão e aprendizado. Entre 10 e 30 de janeiro, o complexo de compras e lazer localizado na Avenida Paulista recebe a atração “O Catavento no Shopping – Museu de Ciências”.

Realizada na praça de eventos, piso térreo, a programação gratuita inclui experimentos de física, química, biologia e astronomia. O objetivo é aproximar o público do mundo científico, despertando a curiosidade e a interação com a ciência de uma forma leve, descontraída e didática.

Durante a mostra, o visitante poderá, por exemplo, arrepiar os cabelos literalmente ao participar de uma das sensações do Museu Catavento, o “Gerador de Van de Graaff”. No espaço será possível, também, gerar energia em uma bicicleta com simples pedaladas; descobrir porque a água e o óleo não se misturam; sentar-se num banco feito de pregos sem se machucar; conhecer um ecossistema mantido em um garrafão lacrado; e até circular por uma pista usando um óculos que simula o efeito visual da embriaguez, tendo o desafio de não derrubar os obstáculos.

onde fica?

SP Cia de Dança leva “O Lago dos Cisnes” ao Teatro Sérgio Cardoso

A São Paulo Companhia de Dança celebra sua primeira década com a estreia do balé mais aclamado de todos os tempos. A partir de 14 de novembro, o público poderá conferir no Teatro Sérgio Cardoso “O Lago dos Cisnes” de Mario Galizzi, um especialista em balés clássicos, que já coreografou outras obras para a SPCD. A temporada terá apresentações de quarta a domingo até o dia 02 dezembro, todas com recursos de acessibilidade.

A obra é dançada com grande sucesso pelas principais companhias do mundo, desde o final do século XIX, além de marcar presença no cinema, a exemplo do filme Cisne Negro, com Natalie Portman, que ganhou um Oscar pelo trabalho e também com uma versão em desenho, da boneca Barbie.

Foto: Fernanda Kirmay

“O sucesso não se deve somente à beleza da música, mas também à mensagem poética e ao conflito psicológico que caracteriza os heróis, cujo destino prende a atenção das mais diferentes plateias.”

Inês Bogéa
Diretora da São Paulo Companhia de Dança

O Lago dos Cisnes é um balé com música especialmente composta por Tchaikovsky que estreou em 1877 no Teatro Bolshoi, mas somente em 1895, com nova coreografia de Marius Petipa e Lev Ivanov, para o teatro Mariinsky, em São Petersburgo, se tornou um enorme sucesso.  E agora nasce o Lago dos Cisnes da São Paulo Companhia de Dança, feito sob medida para os artistas da casa.

A coreografia de Galizzi dialoga com a tradição e se renova nas relações dos personagens, no detalhe da pantomimas, nos desenhos das cenas, em sintonia fina com a música emblemática de Tchaikovsky e coloca todos os artistas em cena, além dos convidados especiais para esta temporada: Luiza Lopes, Ilara Lopes, Emmanuel Vazquez e Lucas Lima. Os três primeiros integraram a equipe artística da Companhia e Lucas criou uma obra para o Ateliê de Coreógrafos Brasileiros. Eles voltam para a comemoração dos 10 anos da Companhia! Também são convidados especiais, os jovens integrantes do programa Fábricas de Cultura da Organização Social Catavento Cultural e Educacional, que neste espetáculo interpretam os nobres da corte, soldados e trompeteiros, possibilitando a eles uma vivência da realidade do mundo profissional da dança.

Os cenários de Marco Lima apresentam três diferentes espaços: o jardim do palácio, no qual o príncipe e seus amigos comemoram seu aniversário, a floresta com o lago do qual surgem as criaturas mais belas – as princesas aprisionadas pelo mago Rothbart no corpo de cisnes e o salão de baile do castelo, no qual o Cisne Negro engana o príncipe, que não poderá mais salvar o Cisne Branco da magia de Rothbart.

Os figurinos de Fábio Namatame criam uma corte delicada, colorida e alegre na primeira cena, em contraponto com uma terceira cena mais sombria. Os tutus – roupa típica da bailarina, com tules ao redor do quadril – das segunda e quarta cenas, foram confeccionados por Tânia Agra, com suaves brilhos, que sobre o branco intenso iluminam o palco com os movimentos das bailarinas. A luz de Wagner Freire intensifica a dramaturgia da obra e cria climas distintos nos diferentes atos. Uma grande história do balé, para toda a família sonhar e se emocionar.

“O Príncipe Siegfried, autêntico protagonista da peça, as princesas Odette, Odile e o mago Von Rothbart são concebidos como símbolos claros da luta interna do homem em sua busca pelo amor sublimado e na sedução exercida pelo mundo denso e pulsante das paixões. O bem e o mal compõem a dualidade da natureza humana; e o drama coreográfico-poético-musical de O Lago dos Cisnes acontece dentro de nós mesmos”.

Mario Galizzi
Coreógrafo

Agenda e ingressos

Onde fica?

De 14 a 18 de novembro, de 21 a 25 de novembro e de 28 de novembro a 02 de dezembro

Quartas, Quintas e  Sábados 21h00 | Sextas 21h30 | Domingos 18h00

Indicação classificativa: Livre.


50 (plateia central), R$ 25 (meia-entrada plateia central), R$ 40 (plateia lateral), R$ 20 (meia-entrada plateia lateral), R$ 30 (Balcão), R$ 15 (meia-entrada balcão)

Acesse o site do Ingresso Rápido

SP Cultura no Metrô

SP CULTURA NO METRÔ:   música, dança, manifestações artísticas e visitas orientadas a obras de arte.   Tudo dentro das estações do Metrô. 


MÚSICOS DE RUA


MUSEU SUBTERRÂNEO

 

O programa SP Cultura no Metrô foi uma parceria da Secretaria da Cultura com o Metrô de São Paulo para levar cultura e arte aos usuários das estações. Aconteceu em 2018, entre a segunda quinzena de agosto e a segunda semana de dezembro, dividido entre os projetos Músicos de Rua e Museu Subterrâneo.   

Músicos de Rua

As inscrições para Músicos de Rua foram realizadas pelo link do programa, no site da Secretaria e puderam participar profissionais ou amadores que se apresentaram em estações das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô até a primeira semana de dezembro de 2018.

Museu Subterrâneo – Levando cultura, transportando emoções

Já o projeto Museu Subterrâneo ofereceu visitas orientadas ao acervo do Metrô composto por obras de renomados artistas plásticos espalhadas pelas estações. São esculturas, painéis, pinturas e instalações que se integram à arquitetura das estações e convidavam o usuário a uma visita, em seis roteiros a escolher, saindo das estações Ana Rosa, República e Sé, aos sábados e domingos.

“Essa parceria em 2018 permitiu o acesso de milhões de pessoas a múltiplas intervenções culturais. A produção cultural do estado multiplicada e compartilhada ao vivo e em cores. Atrações de qualidade e gratuitas para a população”, destacou Romildo Campello, Secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

“O Metrô é um sistema de transportes sempre aberto às manifestações culturais e artísticas. Já na década de 1970, obras de arte foram instaladas nas estações. Temos obras de renomados artistas, como Tomie Ohtake, Alex Flemming, Antonio Peticov, Claudio Tozzi e Francisco Brennand. Agora vamos abrir espaço para a música, dança e teatro, levando ainda mais opções para nossos usuários”, explicou o secretário de Transportes Metropolitanos Clodoaldo Pelissioni por ocasião do lançamento do programa.

O Metrô de São Paulo foi pioneiro em estimular os diferentes tipos de projetos na área cultural. Tudo começou com a escultura “Garatuja”, do artista Marcelo Nitsche, exposta na estação Sé, desde 1978. Atualmente, o acervo do Metrô conta com 91 obras de arte dispostas em 37 estações do sistema. Por outro lado, o programa Linha da Cultura, a partir de 1986, passou a disponibilizar, gratuitamente nas estações, espaços para manifestações artísticas das mais variadas formas – artes visuais, exposições fotográficas, performances, apresentações musicais e teatrais.

SP Escola de Teatro abre seleção para 64 vagas no curso técnico de teatro gratuito

Instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo oferece oito linhas de estudo; inscrições vão até 3 de abril, pela internet (mais…)

SP Escola de Teatro abre seleção para cursos profissionalizantes de 2020

Instituição oferece 57 vagas em oito áreas; inscrições vão até 1º de outubro, pela internet (mais…)

SP Escola de Teatro lança prêmio nacional para jovens dramaturgos negros

Concurso vai selecionar e publicar em livro textos de estudantes de Artes Cênicas do Brasil 

(mais…)

SPCD é destaque em Baden Baden, na Alemanha

Como parte de sua turnê de 10 anos, a São Paulo Companhia de Dança apresentou-se, pela segunda vez, na famosa sala de concertos  Festspielhaus, em Baden-Baden, na Alemanha. Com capacidade para 2.500 pessoas, a nossa SPCD dançou nos mesmos palcos onde se apresentam grandes produções de óperas e artistas internacionais. E foi elogiadíssima!

Com dedicação e temperamento inspirador, a São Paulo Companhia de Dança traz Dom Quixote para Baden-Baden. Assim, a publicação alemã Badisches Tagblatt começou sua análise a respeito da segunda apresentação da SPCD no país (veja artigo). Sabine Rahner, a autora do texto, comentou, ainda, que é muito significativo que uma companhia de dança fundada em São Paulo, há apenas dez anos, já esteja em sua segunda performance como convidada no Festspielhaus Baden-Baden. ”Este segundo convite se deve, talvez, a um nome que brilha muito no país do futebol: Marcia Haydée. A grande estrela brasileira…”  disse ela, destacando a coreógrafa da equipe.

Para a história de Dom Quixote  foi utilizado um cenário refinado, com ilustrações de Cândido Portinari e citações poéticas com violão bem brasileiro.

A coreografia acompanhou os acordes da Orquestra Filarmônica do Estado Alemão – um apoio importante, que tocou com precisão e abrilhantou esse momento, disse a autora do texto que, a respeito da nossa SPCD concluiu: tem uma expressão independente, grande devoção e temperamento de dança inspirador.

As imagens publicadas na página do Facebook da Festspielhaus Baden-Baden só confirmam o sucesso da São Paulo Companhia de Dança. Veja:

Reprodução de página do Facebook da Festspielhaus, Baden-Baden

TV Cultura entrevista novo secretário Sérgio Sá Leitão nesta quinta-feira, 03/01

“Teremos ações ambiciosas para a economia criativa em São Paulo”, promete o secretário Sérgio Sá Leitão; entrevista para a TV Cultura vai ao ar nesta quinta-feira, dia 03/01

Foto: Joca Duarte

Economia criativa e empreendedorismo foram temas tratados hoje, em entrevista, pelo secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo Sérgio Sá Leitão. O secretário falou sobre o potencial paulista para a geração de renda e trabalho por meio da cultura e os primeiros passos à frente da Secretaria.

“São Paulo representa, em termos de PIB, 47% da economia criativa brasileira. É um setor que vai crescer exponencialmente nos próximos anos e o Estado tem tudo para se posicionar na liderança desse processo”.

Sérgio Sá Leitão
Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

A entrevista vai ao ar hoje, dia 3, no Jornal da Cultura, a partir das 21h15. O secretário destacou também a importância do interior, do litoral e da região metropolitana, acrescentando que metade do PIB da economia criativa está nessas regiões e que sua atuação atingirá todo o Estado com programas e ações.

Sérgio adiantou alguns de seus primeiros projetos: “Estamos desenhando um programa de ações bastante ambiciosas, que incluem o programa de formação e capacitação de técnicos e profissionais, com meta de formar 30 mil pessoas por ano; programas de apoio aos empreendedores, como as aceleradoras, startups, ambientes de coworking; cursos de formação para gestores e empreendedores; e estudos de impacto econômico para mensurar o peso das atividades culturais no nosso mercado e o quanto contribuem para a geração de emprego e renda”.

“Teremos também uma parceria com a Secretaria de Transportes para um programa que será lançado em breve e que prevê apresentações artísticas nas estações de trens e metrô, de maneira que nos permita criar uma imensa vitrine para os jovens artistas e criadores, para que possam mostrar para o público aquilo que fazem”, adiantou Sérgio. “É uma iniciativa importantíssima para a população, pela ampliação do acesso a bens e serviços culturais, e para os artistas, para que aumentem suas possibilidades de sustentabilidade, de renda e alcance de público. Estes são apenas alguns exemplos, temos muito espaço para crescer e as perspectivas são muito animadoras.”

 

UPDATE 04/01/19: assista a entrevista abaixo.

https://Array

Últimos dias do curso pré-vestibular de literatura da BVL!

Quem precisa de uma ajudinha em Literatura para as provas de vestibular não pode perder as últimas aulas do curso gratuito que a Biblioteca Parque Villa-Lobos vem promovendo desde o início de maio!

Os próximos debates vão acontecer entre 30/5 e 8/6, das 16h às 18h, e não precisam de inscrição prévia. O curso será ministrado por Edson Lopes, mestrando pela Universidade Federal de São Paulo, coordenador e professor do Cursinho Popular. O curso pretende apresentar e discutir cada uma das obras exigidas pela FUVEST 2019. A cada encontro discutiremos uma obra e tentaremos compreender alguns aspectos importantes para sua interpretação. Os bate-papos buscarão dar caminhos para a realização da prova, mas principalmente, incentivar a leitura integral dos livros e abrir caminho para o prazer da literatura”, ressalta Lopes.

“A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

“Estou estudando pela Internet e sinto falta de aulas presenciais. Hoje, até deixei de estudar online para estar aqui e gostei muito. Acho importante ter iniciativas assim, gratuitas e para todos.”
MESSAGE-ICON
Milena Vieira de Miranda
Aluna do cursinho da BVL, que prestará vestibular para Biologia

Biblioteca-viva

A BVL é um ambiente inclusivo e acessível. Possui diversos aparelhos de tecnologia assistiva, como folheador de páginas, mesa ergonômica, leitora autônoma, reprodutor de áudio, régua braille, teclado e mouse adaptados, computadores com leitor de tela, mouse e teclado adaptados.

Outro diferencial está no atendimento. A BVL é uma biblioteca de e para pessoas, portanto todos os funcionários estão aptos a oferecer atendimento humanizado, individualizado, centrado nas características do público e próximo à comunidade.

O espaço conta ainda com salas de criatividade; sala de jogos eletrônicos; ludoteca; espaço para os visitantes lerem com tranquilidade; computadores com acesso à internet; deck, com vista para o parque.

Isto é uma biblioteca viva, um espaço público e dinâmico que, junto ao Governo do Estado de São Paulo, às Secretarias da Cultura e do Meio Ambiente e à organização social SP Leituras, trabalha a inclusão social por meio da leitura, promovendo e incentivando assim o prazer de ler para todos os cidadãos, de todas as faixas etárias.

“A diferença do modelo de biblioteca viva é que ela vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos. As pessoas podem se sentir como se estivessem em casa”, explica Silvia Antibas, coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Confira a programação:

09/05 Iracema, José de Alencar.

11/05 Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis.

16/05 O Cortiço, Aluísio Azevedo.

18/05 Vidas Secas, Graciliano Ramos.

23/05 Claro Enigma, Carlos Drummond de Andrade.

25/05 Mayombe, Pepetela.

30/05 Sagarana, João Guimarães Rosa.

06/06 Minha Vida de Menina, Helena Morley.

08/06 A cidade e as Serras, Eça de Queirós

Visite

Um estímulo aos editais municipais de cultura

Criado no início de abril pela Secretaria da Cultura do Estado, o ProAC Municípios é uma modalidade do Programa de Ação Cultural que selecionará cidades interessadas em abrir seus próprios concursos para promoção da cultura local. Desta forma, daremos continuidade a um dos objetivos principais da pasta: descentralizar as políticas culturais no estado, em consonância com a gestão do governador Márcio França.

A Secretaria está com credenciamento aberto para prefeituras interessadas em participar e os municípios contemplados receberão repasses que variam de R$ 100 mil a R$ 300 mil, de acordo com o tamanho da cidade. Os projetos deverão, obrigatoriamente, estar previstos na legislação municipal, ter a forma de concursos/editais, oferecer contrapartidas mínimas e selecionar iniciativas de artistas ou agentes culturais locais que receberão premiações de até R$ 25 mil.

Consideramos de extrema importância esta iniciativa que vem somar-se ao mínimo de 50% dos selecionados no ProAC serem proponentes da Grande São Paulo, interior e litoral. Apesar de sua pujança, acreditamos que a capital não deve, sozinha, determinar o que se faz na área cultural. Por sermos uma Secretaria estadual, é fundamental estimularmos a participação do interior para que a diversidade paulista realmente apareça, com sua cultura tão importante, rica, diversificada e que pode se tornar referência em outros municípios, inclusive na capital. Prova disso é o projeto Revelando São Paulo que, em sua última edição, em novembro do ano passado, contou com 170 municípios que vieram até a capital mostrar suas produções culturais.

As inscrições ao ProAC Municípios vão até dia 20 de maio e devem ser realizadas no site www.proac.sp.gov.br. Estamos otimistas que teremos um grande número de prefeituras participantes. Então, fica aqui esse convite a todos os gestores municipais, pois é a participação de cada cidade paulista que tornará importante essa modalidade do ProAC, possibilitando o fomento e a difusão da cultura por todo o estado de São Paulo a partir do trabalho dos artistas e agentes de cada localidade.

Por Romildo Campello, Secretário de Estado da Cultura de São Paulo

Um novo olhar sobre o mundo contemporâneo na Pinacoteca

Projeto foi elaborado por  3 anos e conta com cerca de mil obras, divididas por 19 salas do complexo localizado no bairro da Luz, no centro de São Paulo (mais…)

Vai ficar em SP? Veja as atrações da #CulturaSP para curtir o Carnaval na capital!

PARA CURTIR COM A GALERA

(mais…)

Vencedor do Prêmio Ernani de Almeida Machado 2017 é da Orquestra Jovem do Estado

Contrabaixista ganha bolsa de R$ 100 mil para estudos no exterior

(mais…)

Venha celebrar os 115 anos de Cândido Portinari!

Este ano é comemorado 115 anos do nascimento de um dos maiores expoentes brasileiros na artes plásticas, Candido Portinari. Em Brodowski, terra natal do artista, o Museu Casa de Portinari, celebra o momento com uma importante programação cultural que valoriza a produção artística local e difunde e democratiza a cultura para a população.

O estudo e a preservação das obras do artista no imóvel que outrora foi sua residência são pilares de atuação do Museu. Desta forma, a instituição recebe o artista, pesquisador e professor em artes plásticas e história Percival Tirapeli para abordar a arte sacra nas pinturas de Portinari. O encontro será dia 05 de dezembro (quarta-feira), às 19h00, na instituição cultural. O palestrante é mestre e doutor em Artes pela ECA/USP e professor titular em História da Arte Brasileira no Instituto de Artes da Unesp/São Paulo (Universidade Estadual Paulista).

Ainda no campo de conservação e pesquisa, no dia 12/12 (quarta-feira), às 19h00, a equipe do Museu, o restaurador/conservador Júlio Moraes e a pesquisadora do Instituto de Física da USP, Márcia Rizutto, se reúnem para uma conversa sobre o processo de restauro feito no passado, há quatro anos, mas também do futuro do acervo, que tem um acompanhamento minucioso e pesquisas frequentes que auxiliam no entendimento da criação artística de Portinari, desde a composição das tintas, até o modo de aplicação usado por ele, sempre buscando novas perspectivas para a coleção e para sua preservação.

Já entre as ações comemorativas está a apresentação do quinteto de cordas da Sinfônica de Ribeirão Preto no dia 09/12 (domingo), às 20h00, marcando o lançamento das atividades previstas para o mês, entre elas a mostra A Poesia de Portinari, as Intervenções Artísticas e a campanha “ACAM Portinari: 10 anos na Gestão da Cultura Paulista”.

A exposição A Poesia de Portinari fica em cartaz até março de 2019 e propõe a comemoração dos 115 anos de Candido Portinari mantendo vivas a sua memória e obra, estimulando as pessoas a conhecerem a sua poesia, levando-a para diferentes espaços públicos da cidade. Os materiais ficarão disponíveis para visitação ao ar livre na Praça Candido Portinari e Rua Floriano Peixoto até a Praça Martin Moreira, ambas no Centro, e na Praça da Rua Armando Santos, na Vila Nossa Senhora das Graças.

No dia 28/12 (sexta-feira), às 19h30, será realizado o tradicional Sarau Musical: Cantigas de Minha Terra que, neste ano, traz a temática “Festa do Interior”. A imagem do interior promissor, simples, pacato e cheio de vida, que comprovadamente inspirou as melhores obras de Candido Portinari, e que vem acompanhando desde o início do século passado a expansão do segmento musical sertanejo no Brasil.

As Intervenções Artísticas serão apresentadas a partir de 30/12 (domingo). O Museu convidou os artistas plásticos locais Antônio Ailton Rufato, Edson Manuel Ribeiro, Ézio Marcola, Laudimar Piovani, Luciana Balbino Albiere, Rafael Mandú e Rita de Cássia Luciano para realizarem intervenções e instalação artísticas em diversos espaços da cidade,valorizando e potencializando a dimensão social da arte. Os trabalhos serão no Terminal Rodoviário Primo Baggio, Praça de Alimentação Santo Beneti e Caps Centro de Atenção Psicossocial no centro de Brodowski, na Unidade Mista Hospitalar Dr. Faustino de Castro, no Jardim São Manuel, na Escola CMEITI Prof. Marcus Orlando Arantes Carvalho, na Vila Nossa Senhora das Graças, e Escola de Tempo Integral José da Silva Passos, no João Luiz de Vicente.

onde fica?

Viagem Literária tematiza a poesia e a contação de histórias

Em um ano atípico, marcado por um longo período de isolamento para o combate da Covid-19, o 13º Viagem Literária mantém a missão de levar uma programação cultural de qualidade para as bibliotecas do Estado de São Paulo. Esta edição  terá dois módulos: “Poesia: Oficinas e bate-papos com escritores”, que acontece de 9 a 27 de novembro de 2020, e “Contação de Histórias: Contos Populares”, de 1º a 19 de março de 2021.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa é finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

“É um ano difícil”, diz Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, “Mas é um ano para mostrar que a biblioteca pública está presente, voltada para os seus públicos, e está fazendo o possível para se manter conectada com eles.”

O primeiro módulo, “Poesia: Oficinas e bate-papos com escritores”, percorrerá 62 bibliotecas de 61 cidades, incluindo a capital paulista. A poesia, que está entre as formas literárias mais experimentadas por autores iniciantes e escritores consagrados, será objeto de debates com artistas que encontraram nos versos suas identidades.

Farão parte da primeira etapa os escritores: Allan da Rosa, Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão e Wilberth Salgueiro.

Desde que o programa começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, com um público de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram o conhecimento circular no Estado de São Paulo.

O segundo módulo,  “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece em março de 2021, também percorrerá 62 bibliotecas de 61 cidades, incluindo a capital paulista. A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa, será divulgada em breve.

Visite o site do 13º Viagem Literária para conferir datas, horários e endereços:

Confira o roteiro dos escritores:

Poesia: Oficinas e bate-papos com escritores

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h (exceção feita às bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos)

Chacal

10/11 – São Bernardo do Campo – Biblioteca Monteiro Lobato

11/11 – Diadema – Biblioteca Olíria de Campos Barros

12/11 – Cotia – Biblioteca Batista Cepelos

13/11 – São Paulo – Biblioteca de São Paulo (Oficina às 10h | Bate-papo às 15h)

Daniel Minchoni

09/11 – Tabapuã – Biblioteca Prof. Manoel Pereira do Vale

10/11 – Catanduva – Biblioteca Embaixador Macedo Soares

11/11 – Itajobi – Biblioteca Padre Osmar Ticianelli

12/11 – Borborema – Biblioteca Profa. Áurea Maria Lopes

Dinha

9/11 – Ilhabela – Biblioteca Prefeita Nilce Signorini

10/11 – Jacareí – Biblioteca Macedo Soares

11/11 – Biritiba-Mirim – Biblioteca Oswald de Andrade

12/11 – Mogi das Cruzes – Biblioteca Benedicto Sérvulo de Sant’Anna

Ronald Augusto

9/11 – Limeira – Biblioteca Prof. João de Sousa Ferraz

10/11 – Itatiba – Biblioteca Francisco da Silveira Leme

11/11 – Várzea Paulista – Biblioteca Profa. Zulmar Zuleika Turcatto Maraccini

12/11 – São Paulo – Biblioteca Parque Villa-Lobos (Oficina às 10h | Bate-papo às 15h)

Ryane Leão

9/11 – Votuporanga – Biblioteca Castro Alves

10/11 – Buritama – Biblioteca Prof. Oswaldo Januzzi

11/11 – Birigui – Biblioteca Dr. Nilo Peçanha

12/11 – Penápolis – Biblioteca Prof. Fausto Ribeiro de Barros

Allan da Rosa

16/11 – Ribeirão Corrente – Biblioteca Benedita Maria Mendes Machado

17/11 – Colina – Biblioteca Ellis Vaz de Almeida

18/11 – Sertãozinho – Biblioteca Profa. Sônia Regina Mossin Garcia

19/11 – Santa Rosa do Viterbo – Biblioteca Profa. Licinia Nogueira Magalhães

Jonas Samaúma

16/11 – Rosana – Biblioteca de Primavera

17/11 – Anhumas – Biblioteca de Anhumas

18/11 – Parapuã – Biblioteca Bruno Giovannetti

19/11 – Rancharia – Biblioteca Castro Alves

Lubi Prates

16/11 – Junqueirópolis – Biblioteca Prof. Jarbas de Barros Cézar

17/11 – Adamantina – Biblioteca Cônego João Baptista de Aquino

18/11 – Herculândia – Biblioteca Francisco Rodrigues Simões

19/11 – Marília – Biblioteca João Mesquita Valença

Pedro Marques

16/11 – Mococa – Biblioteca Dr. Almeida Magalhães

17/11 – Santa Rita do Passa Quatro – Biblioteca Dr. Evandro Mesquita

18/11 – Santa Cruz das Palmeiras – Biblioteca Monteiro Lobato

19/11 – Espírito Santo do Pinhal – Biblioteca Thiago Henrique Tonon Salvi

Renato Negrão

16/11 – Garça – Biblioteca Dr. Rafael Paes de Barros

17/11 – Lençóis Paulista – Biblioteca Orígenes Lessa

18/11 – Jaú – Biblioteca Rubens do Amaral

19/11 – Ibaté – Biblioteca Comendador Nello Morganti

Wilberth Salgueiro

16/11 – Indaiatuba – Biblioteca Rui Barbosa

17/11 – Itu – Biblioteca Prof. Cid Rocha

18/11 – Alumínio – Biblioteca Antônio Pereira Ignácio

26/11 – Itapevi – Biblioteca Monteiro Lobato

Bruna Berber

23/11 – Pereira Barreto – Biblioteca Castro Alves

24/11 – Ilha Solteira – Biblioteca Assis Chateaubriand

25/11 – Santa Fé do Sul – Biblioteca Francisco Santana Carneiro Filho

26/11 – Fernandópolis – Biblioteca Profa. Cleusa Maria Papani de Queiroz

Eliane Marques

23/11 – Barão de Antonina – Biblioteca Profa. Sueli Wippich de Campos

24/11 – Fartura – Biblioteca Prof. Roberto Moreira

25/11 – Pardinho – Biblioteca de Pardinho

26/11 – Tatuí – Biblioteca Brigadeiro Jordão

27/11 – Itapetininga – Biblioteca Dr. Júlio Prestes de Albuquerque

Patrícia Meira

23/11 – Ubarana – Biblioteca Emiliana Vilerá

24/11 – Avanhandava – Biblioteca Gilberta Neide dos Reis Corbucci

25/11 – Promissão – Biblioteca Siná Hoeppner

26/11 – Lins – Biblioteca Nicolau Zarvos

27/11 – Cafelândia – Biblioteca de Cafelândia

Rodrigo Ciríaco

23/11 – Cananéia – Biblioteca Eduardo Boechat Ramos

24/11 – Ilha Comprida – Biblioteca Romeu Cabeça

25/11 – Itanhaém – Biblioteca Poeta Paulo Bomfim

26/11 – Cubatão – Biblioteca Prof. João

Virada Cultural Paulista 2018 – alterações no calendário

NOTA OFICIAL

A Secretaria da Cultura do Estado informa que a edição 2018 da Virada Cultural Paulista será realizada no mês de novembro. A mudança de data se dá em razão da ampliação da Virada. Além de 22 cidades na última edição, serão incluídos outros municípios no oeste paulista, região de São José do Rio Preto e Araçatuba, litoral sul e norte e grande São Paulo. Deste modo, a gestão espera não apenas manter a excelência do programa, mas também ampliar sua capilaridade em todo o Estado. Também será possível, desse modo, uma revisão do modelo do programa junto aos municípios, que terão mais tempo para se organizarem.  Em breve serão definidos os fins de semana do evento e os municípios serão chamados para uma reunião com o secretário Romildo Campello.

Virada Nerd 2017 tem 32 horas de programação ininterrupta e gratuita no MIS

Entre os palestrantes confirmados estão Fábio Moon e Gabriel Bá, Sidney Gusman e Walter Simonson (mais…)

Visita ao Museu da Língua Portuguesa marca finalização do restauro das fachadas

Governador Geraldo Alckmin acompanha vistoria e reativação do relógio, que também foi restaurado

(mais…)

Visita do Governador: Fábrica de Cultura oferece leitor digital com inteligência artificial para pessoas com deficiência visual

Sapopemba foi uma das unidades que recebeu a câmera inteligente, acoplada a óculos e capaz de ler textos em vários idiomas, reconhecer cores e pessoas e identificar produtos pelo código de barras, entre outros recursos. Tudo sem necessidade de conexão à internet

 

O Governador do Estado de São Paulo, João Doria, acompanhado do Secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, visitou nesta terça-feira (2/3) a Fábrica de Cultura Sapopemba, na Zona Leste da capital, para conferir o leitor digital com inteligência artificial recém adquirido pelas Unidades de Formação da cidade. Os dispositivos eletrônicos, denominados  OrCam MyEy e voltados à acessibilidade de pessoas com deficiência visual, possuem tecnologia israelense e integram os serviços oferecidos nas Fábricas de Cultura Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo desde fevereiro deste ano.  O aparelho possui uma câmera acoplada para óculos e proporciona visão artificial e acesso à informação. Sem a necessidade de conexão pela internet, o dispositivo identifica cores e reconhece pessoas, bem como data e hora, sendo um importante aliado para frequentadores com baixa ou nenhuma visão durante à leitura nas Bibliotecas das Fábricas de Cultura.

“Nosso objetivo é oferecer aos alunos ainda mais acessibilidade, por meio das ações e atividades nas Fábricas de Cultura do Governo do Estado, investindo em equipamentos e infraestrutura de ponta. Estamos reforçando nosso compromisso com a inclusão social”, afirma o secretário Sérgio Sá Leitão.

As bibliotecas das unidades já contam com Linha Braile, Leitor Autônomo, Leitor de Livros Digitais, Ampliador de Caracteres, Teclado Ampliado, Mouse Adaptado, Folheador Eletrônico e Impressora Braile para atender pessoas com deficiência visual.

Tecnologia vestível

O Orcam MyEye consiste em uma câmera inteligente intuitiva que pesa apenas 22,5 g e mede 7,6 cm por 2,1 cm. Acoplada a uma armação, é capaz de detectar textos em português, inglês e espanhol, seja em livros, revistas, jornais, além de conteúdos no celular, tablets e computadores, embalagens, letreiros de lojas e placas indicativas, por exemplo. A velocidade do equipamento pode ser controlada, possibilitando a leitura de 100 a 250 palavras por minuto. Também permite escolher entre voz masculina e feminina e tem comandos para pausar, adiantar ou retroceder a leitura – tudo isso offline.

O aparelho consegue, ainda, identificar cores e tonalidades, reconhecer pessoas, gêneros e rostos, informar a data e hora com um simples gesto de girar o pulso e identificar produtos pelo código de barras. Após o reconhecimento, retransmite a informação discretamente no ouvido do usuário.

Acessibilidade nas Unidades

Atualmente, as Fábricas de Cultura da Zona Leste dispõem de acessibilidade em toda a sua infraestrutura predial, o que favorece o acesso, bem como oferece a inclusão de pessoas com deficiência. Para proporcionar a comodidade da utilização, as unidades contam com:

  • Rampas de acesso;
  • Piso Tátil de alerta: para indicação de obstáculos, como escadas, rampas e elevadores;
  • Elevador preferencial: o elevador fica localizado em espaço visível aos visitantes;
  • Banheiros adaptados: todos os andares das Fábricas de Cultura contam com banheiro PNE ao lado dos banheiros masculinos e femininos;
  • Trocadores: todos os banheiros (feminino e masculino) localizados no piso térreo possuem trocadores;
  • Cadeiras de rodas: devidamente identificadas, cada unidade possui uma cadeira de rodas na recepção para atender ao público que necessite do recurso.