Assessoria

 #Cineciência traz debate online ao vivo sobre o filme Blade Runner 2049

Pesquisadores Lucia Santaella e Fábio Fernandez, especialistas em semiótica, discutem as questões sobre futuro e inteligência artificial apresentadas pelo longa de Denis Villeneuve. Atividade acontece no dia 26 de julho, no canal do MIS no Youtube (mais…)

 Oficina Cultural Alfredo Volpi: atividades do Coletivo Bixa Pare sobre questões LGBT nas periferias

Programação é gratuita e reúne performance, intervenção artística e sarau

O Brasil é o país que mais mata LGBTs nas Américas. De acordo com o relatório da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais (ILGA), o país ocupa o primeiro lugar na quantidade de homicídios de LGBTs com 340 mortes por motivação homofóbica em 2016. Partindo dessa realidade hostil e violenta, a Oficina Cultural Alfredo Volpi, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, realiza, entre 28 e 30 de junho, a Ocupação: Coletivo Bixa Pare. O evento propõe, por meio de intervenções artísticas, discutir as desigualdades gerada pela homofobia, levando em consideração também questões de raça e classe.

A performance 2017 445 faz uma homenagem às 445 pessoas mortas  em decorrência da LGBTfobia em 2017 na quinta-feira (28), às 17h00. Na sexta-feira (29), também às 17h00, o Bixa Freak Show mostra que festa também pode ser sinônimo de luta. A festa é comandada pela drag queen Melissa Babalu e promete muita música, dança, coreografia e glitter.

Bixaria Literária é um sarau que dá visibilidade a trabalhos literários feitos por pessoas LGBTs, criando um espaço para que os participantes sintam-se à vontade para compartilhar seus trabalhos com o público presente. O sarau-resistência acontece sábado (30), às 19h00.

Criado em 2017, os integrantes do Coletivo Bixa Pare já trabalharam juntos em diversas produções desde 2012, desenvolvendo atividades que partem da pesquisa a respeito do corpo bicha na sociedade. “É muito grande a diferença de ser e existir LGBT na periferia e no centro, mas quando começamos a ter o retorno dos participantes da oficina que ministramos entre janeiro e março na Oficina Cultural Alfredo Volpi, tivemos a certeza que deveríamos propor cada vez mais ações. Como residimos na oficina desde quando começamos, sabemos a importância de sempre dialogar com frequentadores do espaço e moradores das quebradas mais próximas que sempre trocam e afirmam a importância de trabalhos como esses circularem nas periferias”, conta Diego Castro, do Coletivo.

SERVIÇO

Performance: 2017 445

28/6. Quinta-feira, 17h00 às 18h00.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: 14 anos.

Bixa freak show

29/6. Sexta-feira, 17h00 às 18h00.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição.

Recomendação etária: livre.

Sarau Bixaria Literária

30/6. Sábado, 19h00 às 21h00.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição.

Recomendação etária: livre.

SOBRE A OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

Criada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, desde 1986 a oficina de cultura trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas, como artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

SOBRE POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP

Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 10h às 18h.

Mais informações: (11) 2205-5180 | 2056-5028 | www.oficinasculturais.org.br

Acessibilidade no local.

 Osesp retorna ao Rio De Janeiro pela primeira vez em cinco anos

Sob regência de seu Diretor Musical, Thierry Fischer, a Orquestra faz apresentação única na Grande Sala da Cidade das Artes. No programa, obras de Rachmaninov, Piazzolla e uma estreia mundial de Paulo Costa Lima

Depois de um hiato de mais de cinco anos, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp, corpo estável da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, volta a se apresentar no Rio de Janeiro, no dia 12 de dezembro, às 17h. O concerto, que terá transmissão digital pela plataforma Cultura em Casa, acontece na Grande Sala do complexo cultural Cidade das Artes, localizado na Barra da Tijuca, e contará com a presença do Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. Os ingressos para este concerto têm valor único de R$ 70,00 e podem ser adquiridos desde o dia 3 de dezembro neste link.

Sob a batuta de seu Diretor Musical e Regente Titular, Thierry Fischer, a Osesp apresenta na Cidade Maravilhosa as nostálgicas Danças Sinfônicas, do russo Sergei Rachmaninov, escritas já no fim de sua vida, quando morava nos Estados Unidos; o emocionante Milongón Festivo, de Astor Piazzolla – compositor argentino cujo centenário é celebrado em 2021 e que ao longo do ano foi homenageado pela Osesp em diversas ocasiões –; e a abertura inédita Ojí – Chegança e Ímpeto, uma encomenda da Orquestra ao compositor baiano Paulo Costa Lima que ganha sua estreia mundial no programa da semana. Ojí é inspirada na cena da tempestade da Sinfonia Pastoral de Beethoven.

Após percorrer oito cidades no interior paulista, esta será a primeira apresentação da Osesp fora do Estado de São Paulo desde que a pandemia começou, em março de 2020. “Fazer música para o público carioca é sempre uma alegria. E voltar ao Rio de Janeiro após tantos anos, especialmente, depois de uma pandemia em que foi preciso nos recolhermos, tornará este momento ainda mais especial e celebratório”, afirma Marcelo Lopes, Diretor Executivo da Fundação Osesp. O concerto marca também o encerramento das atividades da Orquestra em 2021. Para 2022, mais turnês estão previstas, inclusive duas apresentações no lendário palco do Carnegie Hall, em Nova York.

PROGRAMA

OSESP NA CIDADE DAS ARTES

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
THIERRY FISCHER
REGENTE
Paulo Costa LIMA | Ojí – Chegança e Ímpeto [Encomenda Osesp | Estreia Mundial]
Sergei RACHMANINOV | Danças Sinfônicas, Op. 45
Astor PIAZZOLLA | Milongón Festivo


SERVIÇO

12 de dezembro, domingo, às 17h – transmissão digital no Cultura em Casa
Endereço: Cidade das Artes – Grande Sala | Av. das Américas, 5300 — Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ
Taxa de ocupação limite: 1.229 lugares
Classificação etária: livre
Ingressos: R$ 70,00
Bilheteria: neste link
(21) 3328-5300, de terça a domingo, das 13h às 19h. Em dias de espetáculo, das 13h até 30 minutos após o início do espetáculo.
Estacionamento: Gratuito

‘VIVA! Itália’ apresenta a gastronomia de 20 regiões do país

Integrando a 8ª Settimana della Cucina Regionale Italiana, evento no Museu da Imigração acontecerá no dia 20 de outubro, das 10h às 18h (bilheteria até às 17h)

(mais…)

‘VIVA! Leste Europeu’ celebra tradições de nove países no Museu da Imigração

Edição do projeto comemora os 90 anos da Vila Zelina com gastronomia, dança, música, artesanato, entre outras atrações

A cidade de São Paulo possui muitos bairros com concentração de imigrantes e descendentes, entre eles Liberdade, Bixiga, Bom Retiro, Santo Amaro e Mooca. Na Zona Leste paulistana, a Vila Zelina é a região que agrupou, desde o século XIX, povos do Leste Europeu, como búlgaros, croatas, eslovenos, estonianos, letões, húngaros, lituanos, poloneses, russos, tchecos e ucranianos. Para celebrar os 90 anos de fundação do bairro histórico, o Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – em parceria com a Associação de Moradores e Comerciantes do Bairro da Vila Zelina (Amoviza) vai promover, no dia 29 de outubro, o “VIVA! Leste Europeu”. A edição do projeto reunirá das 10h00 às 18h00, atrações de grupos folclóricos, gastronomia, exibição de filmes, artesanato e oficinas. Os ingressos custam R$10 e R$5 (meia-entrada). (mais…)

“A Brasilidade de Portinari” é tema de atividade on-line na programação virtual do Museu Casa de Portinari

O Museu Casa de Portinari, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, está com mais uma semana repleta de ações virtuais. Com os objetivos de disseminar e multiplicar a vida e a obra do grande artista brasileiro, a agenda apresenta atividades especiais.

Nesta terça-feira (7), o educador Vitor Molinari exibe, em vídeo, o estudo “A Brasilidade de Portinari” sobre a temática portinariana relacionada à história e à vida brasileira. Ele explica como a linguagem plástica utilizada demonstra o espírito inovador e experimentalista do pintor, um dos grandes representantes do modernismo brasileiro.

Tem oficina cultural na quinta-feira (9) com a educadora Letícia Toloi. Ela ensinará a fazer uma pipa e o passo a passo promete integrar toda a família, além de estimular e desenvolver os reflexos, o equilíbrio, a agilidade mental e a coordenação motora infantil.

No dia 11, sábado, a série “Museu Casa de Portinari – 50 anos em Documentos” abordará como a fotografia é imprescindível para a reconstituição do passado. Matheus Maia, assistente de acervo do equipamento, mostrará como a equipe de documentação organiza o patrimônio fotográfico digital da instituição.

Já a edição virtual do Domingo com Arte está agendada para 12 de julho. Os artistas e artesãos mostrarão a produção artesanal e artística de Brodowski com o objetivo de incentivar os outros profissionais regionais e aproximar o público, ainda mais, da arte e da cultura, permitindo contato com pinturas, músicas, performances artísticas.

Para acessar os conteúdos basta curtir as redes sociais do Museu Casa de Portinari (@museucasadeportinari) ou ficar ligado na página especial do Cultura em Casa: www.museucasadeportinari.org.br/culturaemcasa.

“Economia Criativa não é apenas uma denominação. Isso vai ganhar materialidade e concretude”

O Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo Sérgio Sá Leitão foi o primeiro entrevistado de 2019 do programa Metrópolis, da TV Cultura. Os assuntos abordados interessam a todos: economia, oportunidades de trabalho, geração de renda, cultura, empreendedorismo e novas ideias para São Paulo. Sérgio destacou a importância da economia criativa – uma das principais diretrizes de sua gestão à frente da Secretaria -, o potencial do estado na geração de emprego e renda e seus planos e expectativas para o setor cultural. O novo secretário garantiu que a economia criativa “não é apenas uma denominação. Isso vai ganhar materialidade e concretude”. A entrevista vai ao ar no domingo (20), às 19h30.

O tema permeou todos os outros assuntos abordados. “Um dos nossos objetivos é criar no estado de São Paulo um ambiente de negócios para que a economia criativa floresça ainda mais, considerando todos os seus segmentos, as cadeias de valor, enfim, todos os seus elos”, afirmou o Secretário.

A economia criativa vem crescendo no Brasil – com a liderança em São Paulo – à taxa anual de 8,1% nos últimos cinco anos, e a perspectiva é de continuidade no processo. “Isso significa que o setor está se expandindo e demandando cada vez mais artistas, técnicos, executivos, gestores etc. e, em consequência, se profissionalizando e se tornando mais competitivo”, diz o Secretário.

Por isso, ele afirma que um dos objetivos é contribuir para qualificar pessoas por meio de um amplo e ambicioso programa de capacitação: “queremos abrir oportunidades pela economia criativa, e estamos falando de um sistema bastante plural e diverso, em que tudo pode ser monetizado. Rentabilizar a criatividade e o talento dos indivíduos e transformar isso em produto e renda”. Para tal, a Secretaria pretende incentivar os empreendedores culturais com cursos de formação e capacitação e impulsionar o crédito e microcrédito.

Para o secretário, a ampliação do acesso aos bens e serviços culturais faz com que as pessoas consumam mais cultura. “A cultura transforma e melhora as pessoas”, reforçou, lembrando que “tudo está interligado: a economia criativa, o acesso a bens e serviços culturais e, ainda, a preservação de patrimônios, que são os bens materiais e imateriais”.

Anote: Programa Metrópolis, TV Cultura, domingo, dia 20 de janeiro, às 19h30.

“Estrelas Além do Tempo” ganha sessão e bate-papo no #CineCiência de agosto

Longa de 2017, que conta a história da corrida espacial – enquanto aborda a questão do racismo na ciência -, tem exibição no dia 4 de agosto, domingo. Entrada gratuita

(mais…)

“Futuro na Cultura” discute desafios da realidade virtual e aumentada nesta quinta, dia 26

No dia 26 de abril, quinta-feira, das 9h00 às 12h00, a Secretaria da Cultura do Estado promoverá o primeiro encontro do projeto “Futuro na Cultura”, para apresentar os desafios do desenvolvimento do ecossistema de X-Reality no Estado de São Paulo.

X-Reality são todas as experiências mediadas por tecnologia que combinam realidades digitais e biológicas, como a realidade virtual, a realidade aumentada ou mista.  Com essas ferramentas, os usuários geram outras formas de realidade, trazendo objetos digitais para o mundo físico e vice-versa, gerando novas possibilidades artísticas e culturais.

Dentre os participantes, estão membros do XRBR, hub de X-reality criado por profissionais e apoiado por empresas de forma voluntária, com o objetivo de unir esforços e impulsionar este emergente e desafiador mercado brasileiro. O encontro também contará com representante da Feira C2, de Montreal/Canadá, além das presenças de Patricia Penna, secretária-adjunta da Cultura do Estado, da Era Transmídia e de Sergio Cerrado, diretor da REC Brasil, Rede de Economia Criativa.

Durante o evento, será apresentado um resumo do estágio das produções e do mercado de X-reality no Brasil e as dificuldades do setor dentro do contexto da Economia Criativa estadual e nacional. Os participantes também abordarão a necessidade da construção de um hub brasileiro de X-Reality e um panorama do atual momento das políticas públicas para o setor, além das possibilidades de troca de experiências internacionais com o ecossistema criativo de X-reality nacional.

SERVIÇO

Encontro  “Futuro na Cultura” – X-Reality

Data: 26 de abril, quinta-feira

Horário: das 9h00 às 12h00

Local: Sede da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Rua Mauá, 51, Luz (auditório do 1º andar)

CONVIDADOS

– Hub XRBR, representado pelas empresas Arvore Immersive, Beenoculus, Cafundó, Cruel Byte, Dot Motion Studios, Esconderijo Criativo, Feel XR, Lab657, Imersys, Junglebee, SnowCrash, Virtual Hyper, VR Glass, VZLab, YDreams Global

– Mikael Changnon – Senior Manager – Business Development, C2 Montréal (videoconferência)

PRESENÇAS

– Patrícia Penna, secretária-adjunta da Cultura do Estado

– Era Transmídia, Rede de Profissionais de Economia Criativa e Transmídia

– Sergio Cerrada, diretor da REC Brasil, Rede de Economia Criativa

Empresas participantes do HUB XRBR:

https://junglebee.film/

https://arvore.io/

https://ydreamsglobal.com/site/ventures/

https://www.beenoculus.com/

https://www.imersys.com/

https://cafundoestudio.com.br/

https://cruelbyte.com/

https://www.dotmotionstudio.com/

https://www.feelxrstudio.com/inicio

https://www.instagram.com/explore/tags/lab657/

https://www.hypervrfestival.com/

“Mínimo,  múltiplo, comum” é a nova exposição da Pina Estação

Recorte cronológico da mostra abrange quase 70 anos de produção pictórica no país, colocando em pauta as definições de arte moderna, popular e contemporânea

Abertura: 19 de maio de 2018, sábado, às 11h00 | Em cartaz até 17 de setembro de 2018

A Pinacoteca de São Paulo e a Secretaria da Cultura do Estado apresentam a exposição coletiva Mínimo, múltiplo, comum a partir de 19 de maio, no segundo andar do edifício da Pina Estação. A mostra reúne mais de uma centena obras de seis artistas de gerações e círculos culturais diferentes: Amadeo Lorenzato (1900-1995), Chen Kong Fang (1931-2012), Eleonore Koch (1926), Marina Rheingantz (1983), Patricia Leite (1955) e Vânia Mignone (1967).

A exposição tem curadoria de José Augusto Ribeiro, Curador da Pinacoteca, e apresenta trabalhos caracterizados por figurações simples, planas e sintéticas, às vezes no limite da abstração. Essas imagens reproduzem, no geral, cenas de solidão – pelo isolamento de seres e objetos, ou pelos espaços vazios, sem presença humana. Realizados a partir de 1960, os trabalhos compreendem, juntos, quase sete décadas de produção pictórica no Brasil, desde a época em que ocorrem as primeiras mostras de Koch, Fang e Lorenzato, cujas produções foram confundidas com variações do “primitivismo”, até hoje, quando o circuito de arte contemporânea valoriza e acolhe sem mediações obras de artistas antes considerados “populares” e “ingênuos”.

“Muitas dessas obras continuam a ser tachadas de ‘ingênuas’, ou de ‘populares’, por conta de suas construções espaciais estiradas, paralelas ao plano bidimensional do suporte, sem uso da perspectiva; de suas figuras sumarizadas ao essencial da representação e muitas vezes assimétricas e das composições descentradas e com equilíbrios tensos. Estes aspectos descrevem qualidades fundamentais da pintura moderna, desde o final do século XIX, e estão presentes, de maneiras bastante diversas, em obras relevantes de artistas em atividade nos últimos 20 anos”, afirma José Augusto Ribeiro.

As obras que compõem a mostra pertencem a mais de 60 coleções públicas e particulares de São Paulo e Belo Horizonte. Dessas, sete estão sob a guarda da Pinacoteca: seis integram o acervo do museu (sendo quatro trabalhos de Lorenzato, uma série de pinturas sobre xilogravuras de Vânia Mignone e a inédita “Gruta”, de Patricia Leite, recém-incorporada à coleção, por meio de doação do Iguatemi São Paulo), além de uma pintura pertence à Coleção Nemirovsky, que desde 2006 está em empréstimo de longa duração para a instituição.

Os artistas que compõem Mínimo, múltiplo, comum estão representados aqui com cerca de 20 trabalhos cada, escolhidos com o objetivo de formar um panorama representativo e abrangente dessas trajetórias. Isso faz da exposição a primeira em uma instituição pública de São Paulo a apresentar um conjunto tão significativo de obras de Amadeo Lorenzato – um artista que, em vida, realizou exposições apenas em Belo Horizonte. Amadeo tinha entre seus admiradores o artista mineiro Amilcar de Castro e hoje está em alta no mercado artístico do Brasil. Na exposição, o público tem também a oportunidade de ver, pela primeira vez, grupos importantes de obras de Chen Kong Fang, produzidas a partir de 1994, e de Eleonore Koch, hoje com 92 anos de idade, produzidas a partir de 2009.

A mostra apresenta, ao mesmo tempo, trabalhos inéditos de artistas brasileiras em atividade e que têm chamado a atenção no circuito internacional, como Patricia Leite, que acabou de expor em Bruxelas, na Bélgica, e Marina Rheingantz, que está atualmente em cartaz com uma exposição individual em Nova York. Além disso, Mínimo, múltiplo, comum antecede a participação de Vânia Mignone na 33ª Bienal de São Paulo, que será inaugurada em setembro.

Mínimo, múltiplo, comum, permanece em cartaz até 17 de setembro de 2018, no segundo andar da Pina Estação – Largo General Osório, 66. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00 – e entrada gratuita.

“O Dia Seguinte” no Museu Catavento discute mudanças climáticas e a “Cidade do Futuro”

Exposição entra em cartaz no dia 14 de outubro; espaços lúdicos e sensoriais fazem parte da experiência de aprendizado na mostra, indicada para todas as idades

Começa no dia 14 de outubro a exposição gratuita “O Dia Seguinte”, que tem como foco a conscientização acerca da crise climática a partir dos centros urbanos. A mostra traz espaços lúdicos e sensoriais para o público experienciar os efeitos das mudanças climáticas e suas consequências nas cidades. Até 14 de novembro, a exposição – viabilizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura – ocupa o Museu Catavento, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do estado de São Paulo, administrada pela Catavento Cultural e Educacional.

“O Dia Seguinte” conta desde a história do aquecimento global, explicando como a Humanidade chegou até aqui, e apresenta soluções possíveis para a crise climática a partir das cidades.  Atualmente, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), os centros urbanos ocupam apenas 3% da superfície do planeta, mas consomem 70% de toda a energia gerada no mundo. “Acredito que precisamos repensar nosso estilo de vida como um todo, e o conhecimento é o primeiro passo das mudanças. Tendo informação, nós podemos escolher a cidade e o mundo que queremos viver. É esta reflexão que propomos ao longo da experiência na exposição”, afirma Felipe Lobo, diretor da produtora Na Boca Do Lobo, idealizador e realizador do evento.

Para falar da relação entre cidades e clima, O Dia Seguinte usa dois pontos de partida: a cidade do futuro que queremos e a que não queremos, e com isso mostra como os modelos de desenvolvimento urbano impactam positiva e negativamente o clima, trazendo temas como infraestrutura, paz e segurança, saúde, igualdade de gênero, justiça climática, direitos humanos, segurança alimentar e energia como fatores a se refletir.

A vivência da exposição passa por cinco módulos que unem informações em projeções, pisos de led, telas interativas, animações, jogos e experiências empíricas a fim de pensar em como as cidades impactam o clima e como elas são um elemento transformador para a construção de um mundo sustentável.

O passado do mundo é apresentado ao público na entrada da exposição, para que se entenda tanto o presente quanto potenciais futuros. Nesta etapa, um piso de LED mostra a dualidade entre os aspectos positivos e negativos das cidades, convidando os espectadores para o início da reflexão. No mesmo ambiente, também há uma grande escultura do globo terrestre feita por resíduos domésticos que chama a atenção para o impacto do consumo diário da sociedade.

Em [Des]ordem, o público é convidado a refletir como a desigualdade social nas cidades faz com que os impactos climáticos sejam sentidos em maior nível por populações economicamente vulneráveis. A ONU estima que em 2050 podemos ter 250 milhões de refugiados climáticos no mundo. Neste módulo, em uma sala escura, alvéolos de LED nas paredes e no teto projetam eventos climáticos extremos reais pelo mundo promovendo uma experiência imersiva, complementada com uma intensa experiência sensorial de chuvas, fumaças e ventos. Já em [Des]humanidades, a exposição apresenta ao público histórias reais de pessoas impactadas pelos eventos climáticos extremos, que deixam rastros de destruição por onde passam.

Com animações em 2D e 3D projetadas em paredes, no piso e em um globo terrestre, a exposição apresenta em [Trans]formação a história da Humanidade, desde a Pangeia, passando pelos dinossauros, História Antiga, até chegar na Revolução Industrial, momento em que acende o farol amarelo do planeta, com o surgimento das grandes cidades e suas tecnologias modernas.

 [R]evolução, o último módulo da exposição, traz mensagens de esperança apresentadas em torres de LED, que mostram uma cidade do futuro possível com espaços mais organizados, limpos e habitáveis, energias renováveis, transportes públicos eficientes, saneamento básico universal, alimentação saudável, microclima equilibrado e desenvolvimento tecnológicos.

Nesta etapa, “O Dia Seguinte” convida o público a mergulhar nas reflexões provocadas pelos módulos anteriores, trazendo painéis informativos com infografias interativos e jogos que falam sobre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) elencados pela ONU para que os visitantes se aprofundem mais no tema e visualizem os benefícios da adoção de modelos de desenvolvimento mais sustentáveis.

“Durante toda a exposição, nós buscamos trazer o passado, o presente e as possibilidades futuras para que o público possa refletir os caminhos que estamos tomando como sociedade”, conta Felipe Lobo. “Nós buscamos trazer também bons exemplos de cidades atuais para mostrar ao público a viabilidade de modelos sustentáveis de desenvolvimento”.

A exposição “O Dia Seguinte” segue o modelo de compensação de carbono em sua organização, tendo parceria com o Programa Amigo do Clima, reduzindo a emissão de gases do efeito estufa durante toda a Mostra. A exposição também tem seu conteúdo em audioguias e libras, gravados sequencialmente e disponibilizados em tablets.

Para mais informações, visite o site: https://www.odiaseguinteexpo.com.br/a-exposicao

 Serviço:
Exposição O Dia Seguinte
Museu Catavento
Endereço: Av. Mercúrio, s/n – Parque Dom Pedro II, São Paulo
Horário de funcionamento: De terça a domingo das 9h às 17h
Agendamento de visitas: De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h pelos telefones 11 3246 4067 /4140/ 4167.
Preço: Gratuito

Classificação indicativa: livre

 Sobre o Museu Catavento

O Museu Catavento foi inaugurado em março de 2009 e tem mais de 250 instalações divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade). Cada seção foi elaborada com uma expografia que contribui para criar atmosferas únicas e envolventes. Atrações como borboletário, sala de realidade virtual Dinos do Brasil, simuladores, aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escaladas, onde é possível ouvir relatos de personalidades da história, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo. Na área externa também é possível conferir equipamentos como a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

Informações para imprensa

Agência Lema
Leandro Matulja/ Letícia Zioni
Carolina Bressane (+55 11) 99234 4570
carolina@agencialema.com.br

Reinaldo Silva (+55 11) 99350-5881
reinaldo@agencialema.com.br

 

“Alfred Hitchcock, o mestre do suspense” é tema de curso audiovisual e mostra de filmes da Oficina Cultural Oswald de Andrade

Gratuitas, atividades resgatam os clássicos e as narrativas ricas em suspenses do cineasta inglês (mais…)

“Arquitetura da memória”: Casa das Rosas inaugura exposição sobre a sua história

O público conhecerá a história do prédio desde sua construção (realizada entre 1928 e 1935) até os dias atuais, em que preserva o acervo do poeta Haroldo de Campos

Você conhece a história de um dos únicos casarões preservados da avenida Paulista? Sabia que foi um presente de Ramos de Azevedo para a sua filha? Que o vitral ao longo da escada foi produzido pela famosa Casa Conrado (a mesma que realizou os vitrais da Catedral da Sé e do Mercado Municipal) e o corrimão da entrada principal foi torneado no Liceu de Artes e Ofícios?

Essas e outras histórias poderão ser descobertas na nova exposição de curta duração Casa das Rosas: Arquitetura da Memória, que abre no dia 18 de setembro. A mostra ocupará diversos ambientes do Museu, pertencente à Secretaria da Cultura do Estado, a fim de narrar a história do imóvel, sua preservação e utilização, bem como sua inserção no contexto da cidade de São Paulo.

No piso térreo, por meio de fotos e objetos antigos, o público conhecerá a Casa na época em que foi uma residência familiar, um panorama das mudanças ocorridas na Avenida Paulista desde sua inauguração e as diversas fases de utilização do imóvel – como residência, galeria pública de arte e Museu-Casa Literário. Ainda nesse pavimento, no hall de entrada, será instalado o Canto da Memória, onde o público será convidado a fazer selfies e retratos utilizando a #casadasrosas. No primeiro andar, os visitantes poderão ver documentos e publicações sobre algumas das atividades realizadas na Casa enquanto instituição pública.

“A vocação da Casa das Rosas, como museu, é permitir uma visão das transformações urbanas e culturais de São Paulo. A exposição ‘Arquitetura da memória’ é particularmente importante porque se vale do imóvel, um raro representante de outra época da vida na cidade, para mostrar modos de utilização de um patrimônio histórico que atendem aos interesses do público da metrópole”, diz Marcelo Tápia, diretor da Casa.

A Casa das Rosas integra a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu da Secretaria da Cultura do Estado, dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

 

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

“Arquitetura da memória”: exposição sobre a Casa das Rosas fica em cartaz no museu até março

Até 31 de março o público pode conhecer a história da casa desde sua construção

até os dias atuais, em que preserva o acervo do poeta Haroldo de Campos

Você conhece a história de um dos únicos casarões preservados da avenida Paulista? Sabia que foi um presente de Ramos de Azevedo para a sua filha? Que o vitral ao longo da escada foi produzido pela famosa Casa Conrado (a mesma que realizou os vitrais da Catedral da Sé e do Mercado Municipal) e o corrimão da entrada principal foi torneado no Liceu de Artes e Ofícios?

Essas e outras histórias podem ser descobertas na exposição Casa das Rosas: Arquitetura da Memória, que fica em cartaz até 31 de março. A mostra gratuita ocupa diversos ambientes do museu, a fim de narrar a história do imóvel, sua preservação e utilização, bem como sua inserção no contexto da cidade de São Paulo. A exposição está aberta à visitação de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h.

No piso térreo, por meio de fotos e objetos antigos, o público pode conhecer a Casa na época em que foi uma residência familiar, ter um panorama das mudanças ocorridas na Avenida Paulista desde sua inauguração e descobrir as diversas fases de utilização do imóvel – como residência, galeria pública de arte e Museu-Casa Literário. Ainda nesse pavimento, no hall de entrada, está instalado o Canto da Memória, onde o público é convidado a fazer selfies e retratos utilizando a #casadasrosas. No primeiro andar, os visitantes podem ver documentos e publicações sobre algumas das atividades realizadas na Casa enquanto instituição pública.

“A vocação da Casa das Rosas, como museu, é permitir uma visão das transformações urbanas e culturais de São Paulo. A exposição ‘Arquitetura da memória’ é particularmente importante porque se vale do imóvel, um raro representante de outra época da vida na cidade, para mostrar modos de utilização de um patrimônio histórico que atendem aos interesses do público da metrópole”, diz Marcelo Tápia, diretor da Casa.

A Casa das Rosas integra a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

Poiesis – Coordenação de Comunicação

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Assessoria de Imprensa

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Elisabete Alina Skwara | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues | (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.g

“Esmeraldas não é Cohab porque tem elevador” – Exposição fotográfica, na Oficina Cultural Alfredo Volpi, traznarrativas entre o comodismo e a desesperança por meio das expectativas diante do atual Brasil

Em cartaz a partir de 8 de fevereiro, a mostra apresenta as percepções dos moradores da Cohab das Esmeraldas, em Itaquera (mais…)

“Estação da Língua” chega a Taubaté no dia 5 de julho

Após atingir a marca de mais de 24 mil visitantes nas primeiras paradas (Tatuí, Santos e Rio Claro), a mostra itinerante “Estação da Língua Portuguesa”, que apresenta acervos do Museu da Língua Portuguesa (atualmente em reconstrução), segue viagem pelo estado de São Paulo e chegará em Taubaté no dia 5 de julho, onde ficará em cartaz até 5 de agosto no Museu Histórico, Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato (Avenida Monteiro Lobato, s/nº – Chácara do Visconde). A visitação é  gratuita, de terça a domingo, das 9h00 às 17h00.

“A itinerância desta exposição permite que um público ainda maior viva a experiência do Museu da Língua Portuguesa e conheça um pouco mais do idioma português, um patrimônio riquíssimo e em constante transformação”, declara o Secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello.

A itinerância traz na bagagem conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, instituição que apresenta a Língua Portuguesa como patrimônio imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para essa mostra.

O vídeo Sotaques, com texto “O paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

O Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Essa parte da viagem está atualizada com mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos, três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da Língua Portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas. Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele, o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura.

A realização é do Ministério da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto. O patrocínio máster é da Sabesp. Instituto CCR, Vivo, EDENRED Brasil e Ticket marca do Grupo, também patrocinam a iniciativa, todos por meio da Lei Rouanet. O apoio nesta quarta cidade da itinerância é da Prefeitura de Taubaté.

Exposição Itinerante “Estação da Língua Portuguesa”

Data: 5 de julho a 5 de agosto

Local: Museu Histórico, Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato – Avenida Monteiro Lobato, s/nº – Chácara do Visconde – Taubaté

Horário: terça a domingo, das 9h00 às 17h00

Entrada gratuita

Agendamentos: de terça a sexta, das 9h00 às 12h00, pelo telefone (12) 3625-5062 ou pelo e-mail: mlobato.agendamento@gmail.com

Mostra itinerante “Estação da Língua” (Foto: Divulgação)

“Jogadeira”: recém-lançado, novo hit do futebol feminino foi gravado no estúdio da Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Divulgada na véspera da abertura da Copa do Mundo de Futebol Feminino, a música é um hino feminista, criado para incentivar as mulheres que amam o futebol a acreditarem em si mesmas (mais…)

“Mundo digital” inspira programação do Museu do Café para 14ª edição da ação “Primavera dos Museus”

Atrações terão transmissão pela internet, sem custo

(mais…)

“Museus, sociedade e crise: do luto à luta”

A programação do mais importante evento do setor museal paulista está completa e com todos os convidados e convidadas confirmados. O Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, divulgou nesta sexta-feira (13), a programação do Encontro Paulista de Museus (EPM2020), que será realizado de 23 a 27 de novembro, em parceira com a organização social de cultura ACAM Portinari.

Em sua 11ª edição, pela primeira vez, o evento reunirá profissionais de museus, gestores públicos de cultura, pesquisadores, ativistas, estudantes e interessados para a troca de experiências e debates de forma virtual. A programação do EPM2020 traz atividades com base no tema “Museus, Sociedade e Crise: do luto à luta”.

Além de abordar questões relativas ao cenário em que os museus se depararam diante da pandemia e o impacto disso em suas operações, o EPM2020 contemplará também as premissas do trabalho que o SISEM-SP desenvolve desde agosto de 2019, ao realizar uma série de eventos presenciais e virtuais sobre sustentabilidade em museus nos eixos: econômico, social, cultural e ambiental.

Para se adequar ao novo formato virtual, a programação foi dividida em cinco dias, com a adoção de recursos inclusivos como legendagem e tradução na Língua de Sinais (Libras). Para isso, a equipe de produção contou com a assessoria do Museu da Inclusão para estruturar a acessibilidade do evento.

O EPM2020 será exibido pelo canal do SISEM-SP no Youtube, com transmissão direta em tempo real a partir do auditório do Museu do Futebol, com possibilidade de interação ao vivo. Quem deseja receber o certificado de participação precisa se inscrever gratuitamente até 22 de novembro, no link https://www.sisemsp.org.br/epm/inscricoes/.

“A programação do EPM2020 teve uma curadoria coletiva com participação de representantes do campo museal designados pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa. A ênfase recai sobre as questões do respeito à diversidade cultural e o combate às discriminações dos segmentos minorizados”, explica o diretor do SISEM-SP, Davidson Kaseker. Confira a programação e o perfil dos participantes no link https://www.sisemsp.org.br/epm/.

PROGRAMAÇÃO

1° Dia – 23 de novembro (Segunda-feira)
Centro de transmissão do evento: Auditório do Museu do Futebol

10h – 10h50 -Cerimônia de abertura
Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo
Raphael Callou, Diretor e Chefe da Representação da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação a Ciência e a Cultura (OEI) no Brasil
Medalha de Mérito Museológico Waldisa Rússio Camargo Guarnieri 2019
Homenageado Júlio Abe Wakahara
Apresentação: Angelica Fabbri (ACAM Portinari)

10h50 – 11h50 – Conferência
Ellen Oléria
Apresentação: Davidson Kaseker

15h – 16h35 Provocações: Museu para quê?
Eixos Econômico e Ambiental da Sustentabilidade
Ana Carla Fonseca (Garimpo de Soluções)
Jacques Marcovitch (Universidade de São Paulo)
Emanoel Araújo (Museu Afro Brasil)
Mediação: Jochen Volz (Pinacoteca de São Paulo)

.

2° Dia – 24 de novembro (Terça-feira)
Centro de transmissão do evento: Auditório do Museu do Futebol
Vozes

Museais Mosaico: Os museus são neutros?
Museus na Pandemia: Relatos & Reflexões

10h – 12h
Mesa de debate: Os meios e os fins conectados
Eixo Econômico da Sustentabilidade em Museus

Victor Magrans (Museu Nacional de Arte da Catalunha) tradução espanhol/português
Rosaria Ono (Museu Paulista da Universidade de São Paulo)
Patrícia Ellen da Silva (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo)
Mediação: Davidson Kaseker (GTC SISEM-SP)

15h – 16h30
O futuro dos museus começa do lado de dentro: apresentação dos resultados da pesquisa do ICOM Brasil com profissionais de museus

Renata Motta (ICOM BR) e Clara Azevedo (Tomara! Educação e Cultura)
Beth Ponte (Pesquisadora associada)
Fernanda Castro (Museu Histórico Nacional/ Ibram e REM Brasil)
Mediação: Luiz Mizukami (GTC SISEM-SP)

.

3° Dia – 25 de novembro (Quarta-feira)
Centro de transmissão do evento: Auditório do Museu do Futebol
Vozes
Museais Mosaico: O que você espera encontrar nos museus hoje?

Museus na Pandemia: Relatos & Reflexões
10h – 12h
Mesa de debate: Natureza e Humanidade
Eixo Ambiental da Sustentabilidade em Museus

Eunice Laroque (Museu de Arqueologia de Itaipu / Ibram / Mtur)
Arturo González (Museu do Deserto – saltillo, Coahuila, México) tradução espanhol (México)/português
Angelica Fabbri (ACAM Portinari)
Mediação: Ana Lourdes Costa (Instituto Brasileiro de Museus – Ibram)

15h – 16h35
Provocações: Museu para quem?
Eixos Social e Cultural da Sustentabilidade

Naine Terena (Oráculo Comunicação, educação e Cultura)
Janes Jorge (Universidade Federal de São Paulo)
Harry Adams (Museu da Inclusão – SEDPcD)
Mediação: Luiz Palma (GTC SISEM-SP)

4° Dia – 26 de novembro (Quinta-feira)
Centro de transmissão do evento: Auditório do Museu do Futebol
Vozes Museais Mosaico: Museu para quê?

Museus na Pandemia: Relatos & Reflexões
10h – 12h
Mesa de debate: Os caminhos da luta por equidade
Eixo Social da Sustentabilidade em Museus

Rede SP de Memória e Museologia Social

Zita Possamai (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)
Carolina Rocha Teixeira (Rede Museologia Kilombola)
Mediação: Gabriela Aidar (Pinacoteca de São Paulo)

15h – 16h30
Papel dos públicos no futuro dos museus: uma co-criação necessária. Apresentação dos resultados da pesquisa do ICOM Brasil com públicos de museus

Roberta Saraiva Coutinho (ICOM BR) e Júlia Picchioni (Tomara! Educação e Cultura)
Beth Ponte (Pesquisadora associada)
William Alfonso López Rosas (Universidade Nacional da Colômbia) tradução espanhol (Colômbia)/português
Mediação: Maria Cristina Oliveira Bruno (Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo)

5° Dia – 27 de novembro (Sexta-feira)
Centro de transmissão do evento: Auditório do Museu do Futebol
Vozes
Museais Mosaico: O museu que eu quero…

A importância do advocacy no cenário futuro dos museus (Vídeo gravado – Duração total: 30 min.)

ICOM BR – Renata Motta
ABRAOSC – Paulo Zuben
Advocacy Hub – Pedro Hartung

10h – 12h Mesa de debate: Identidade e protagonismo
Eixo Cultural da Sustentabilidade em Museus

Suzenalson Kanindé (Rede Indígena de Memória e Museologia Social / Ponto de Cultura: Museu Indígena Kanindé)
Biko Rodrigues (Conselho Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas)
Tony Boita (Revista Memórias LGBT) e Jean Baptista (Universidade Federal de Goiás)
Mediação: Suzy Santos (Projeto Cultural Pimenteiros e Pimenteiras do Vermelhão – Guarulhos/SP)

15h – 16h20
Conferência de encerramento
Bruno Brulon (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)

Apresentador: Davidson Panis Kaseker (GTC SISEM-SP)

16h20 – 17h35

SISEM-SP
Anúncio oficial dos novos conselheiros e representações regionais

Davidson Panis Kaseker (GTC SISEM-SP)
Luiz Fernando Mizukami (GTC SISEM-SP)
Rodrigo Touso (Representações Regionais do SISEM-SP)
Sylvia Furegatti, Nilo Mattos de Almeida e Maria de Lourdes Marszolek Bueno (Membros do COSISEM)
Davidson Panis Kaseker (GTC SISEM-SP)
Joselaine Mendes Tojo (Equipe ACAM Portinari de Apoio ao SISEM-SP)
Andréa de Araújo Nogueira (Representante da Comissão Consultiva do 11° Encontro Paulista de Museus)
Davidson Panis Kaseker (GTC SISEM-SP)

“Plural 24h”: exposição do Museu da Diversidade Sexual aborda aspectos cotidianos da vida das pessoas LGBTI+

Coletiva exibe trabalhos de 12 artistas, entre fotografias e desenhos

O Museu da Diversidade Sexual, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, administrado pela organização social de cultura APAA, inaugura no dia 24 de janeiro uma nova exposição. Intitulada “Plural 24h”, a mostra coletiva traz obras de 12 artistas produzidas nas técnicas fotografia e desenho, abordando situações rotineiras vividas por pessoas da comunidade LGBTI+. A entrada é gratuita.

Os trabalhos exibidos em “Plural 24h” retratam as mais diversas ações e situações presentes nesse universo: a vida de trabalho – do formal às apresentações em casas noturnas –, a construção do próprio corpo e a relação com o corpo do outro, o preconceito e a reação em forma de empoderamento, entre outros.

Carolina Carettin nos mostra o ambiente de trabalho de um homem trans: uma sala de aula. Iano Coimbra, em contraste, apresenta cenas de bastidores e apresentações de performers da noite LGBTI+ de Santa Clara, no centro da ilha de Cuba.

Fe Maidel, por meio de desenhos, relata o processo cronológico de construção de seu próprio corpo, ao passo que Melina Rezende nos convida à intimidade de um quarto de motel e Barbara Cunha explora a estética do fetiche.

Rosa Luz, com fotografias em preto e branco, trata da posição de marginalidade à qual as pessoas trans ainda são tratadas em nossa sociedade, enquanto Cleiton de Paula, também com fotos em P/B, exibe registros da Revolta da Lâmpada, movimento que surge com a ideia do “fervo como protesto”, uma reação à agressão, praticada com uma lâmpada, sofrida por um jovem na Avenida Paulista em 2010.

“A exposição faz um registro de como a população LGBTI+ vive ou sobrevive suportando o peso do preconceito ao longo do dia, que é um substantivo singular, formado pelas horas, plural, que constroem o tempo, também singular”, observa Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual e curador da exposição. “Que o tempo consiga mudar essa lógica de exclusão e que possamos um dia respeitar as diferenças de cada um, de cada uma”, finaliza.

MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL

“Plural 24h”

Abertura: 24 de janeiro, quinta-feira, às 17h

Em cartaz até 11 de maio

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h

Estação República do metrô, piso mezanino

Rua do Arouche, 24, República – São Paulo

Entrada gratuita

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – Assessoria de imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina Skwara | (11) 3339-8164 | easkwara@sp.gov.br

Monique Rodrigues | (11) 3339-8308 | morsantos@sp.gov.br

“Políticas públicas e a criminalização da pobreza” é tema de seminário na Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Núcleo de Proteção Jurídico Social e Apoio Psicológico de M´Boi Mirim leva discussão para a Zona Sul de São Paulo (mais…)

“Só Samba” é o novo concerto da Jazz Sinfônica no Memorial

O Memorial da América Latina será novamente palco para duas inéditas apresentações da Orquestra Jazz Sinfônica Brasil. Os concertos serão apresentados nos dias 23 e 24/3 no Auditório Simón Bolívar. Os ingressos tem preço promocional único de R$ 20 e podem ser adquiridos pelo site: www.ingressorapido.com.br.

A temática do repertório, sempre na tradicional linha de prestar homenagem aos grandes compositores, dessa vez contempla a interpretação de 12 dos mais consagrados sucessos da fina flor do samba nacional.

Sob a regência do maestro Fábio Prado, a Jazz preparou arranjos à altura das obras de autores que fizeram história na MPB dos últimos 60 anos. Na apresentação, serão apreciados sucessos de Adoniran Barbosa, Ary Barroso, Chico Buarque, Gilberto Gil, entre muitos outros.

Confira o programa completo para as duas noites de concerto:

Camisa Listrada – Assis Valente

Conselho de Mulher – Adoniran Barbosa

Corcovado – Tom Jobim

Deixa a Menina –  Chico Buarque

É Luxo Só – Ary Barroso e Luís Peixoto

Espinha de Bacalhau – Severino Filho

Incompatibilidade de Gênios – Aldir Blanc &João Bosco

Meio de Campo – Gilberto Gil

Preciso Me Encontrar – Candeia

Serenou – Délcio Carvalho

Vai Passar – Chico Buarque e Francis Hime

Vou Festejar – Dida e Jorge Aragão

Regência: Fábio Prado

Solista: Michel Moraes

“Sonhar o Mundo”: museus do estado participam de campanha em defesa dos direitos humanos

De 4 a 10 de dezembro, os Museus da Secretaria da Cultura do Estado realizam a terceira edição da campanha “Sonhar o Mundo”, em celebração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro). Com o tema “Solidariedade derrubando muros”, a iniciativa tem por objetivo unir os museus em torno de práticas em defesa dos direitos humanos, contra o preconceito e a favor da igualdade. Este ano, museus do interior e litoral também podem participar.

(crédito: Divulgação)

Para saber como inscrever sua instituição na ação, acesse o site do SISEM: www.sisemsp.org.br. Confira a programação completa do “Sonhar o Mundo” no site www.cultura.sp.gov.sp/sonharomundo.

“Telê Santana – Meio Século de Futebol Arte” ganha exibição nas redes sociais do Museu do Futebol

Neste sábado (12/09) às 21h30 o programa Cinema na Rede apresenta filme sobre a história de Telê Santana, um apaixonado pela arte de jogar

(mais…)

“Uma Fina Camada”: Exposição sobre a atmosfera terreste chega ao Museu Catavento

Uma experiência imersiva que acontecerá entre os dias 29 de junho e 28 de julho em São Paulo, no Museu Catavento, e a partir de agosto circulará por cidades do interior paulista (mais…)

“Viagem Gastronômica” ensina receitas da trilogia “O tempo e o vento”

Participantes aprenderão a preparar abóbora com charque e bolo ninhos de pêssego

(mais…)

“VIVA! Sabores da África” leva gastronomia de três países ao Museu da Imigração

Edição do projeto apresenta comidas típicas do Marrocos, Congo e Moçambique e ainda oferece ao público uma oficina de culinária e atração musical (mais…)

“Vou daqui, vou prá lá, cada coisa em seu lugar” fica em cartaz até outubro no Museu Catavento

Projeto cultural aposta no teatro e na diversão como armas para combater o Aedes aegypti e prevenir dengue, zika e chikungunya

  (mais…)

#CineCiência de dezembro traz sessão de Nosferatu seguida por bate-papo

Longa de 1922 será exibido no dia 1º, domingo, às 16h. Após o filme, acontece bate-papo com a pesquisadora Laura Trachtenberg Hauser. Entrada gratuita (mais…)

#CineCiência de fevereiro traz sessão de Guerra de Fogo seguida por bate-papo

Longa de 1981 será exibido no dia 2, domingo, às 16h. Após o filme, acontece bate-papo com a pesquisadora Laura Trachtenberg Hauser. Entrada gratuita (mais…)

#CineCiência de janeiro traz sessão de O jogo da imitação seguida por bate-papo

Longa sobre o matemático Alan Turing será exibido no dia 12, domingo, às 16h. Após o filme, acontece bate-papo com José Luiz Goldfarb, curador do projeto. Entrada gratuita (mais…)

#CineCiência de novembro traz sessão de Branco Sai, Preto Fica seguida por bate-papo

Longa do diretor Adirley Queirós ganha exibição no dia 17 de novembro, domingo, às 16h. Após o filme, acontece bate-papo com o pesquisador Guilherme Lourenço. Entrada gratuita (mais…)

#CineCiência de outubro traz sessão de Ex_Machina: Instinto Artificial seguida por bate-papo

Longa do diretor Alex Garland ganha exibição no dia 5 de outubro, domingo, às 16h. Após o filme, acontece bate-papo com a pesquisadora Milena Szafir. Entrada gratuita (mais…)

#CineCiência de setembro traz sessão gratuita do filme Ela seguida por bate-papo

Longa de do diretor Spike Jonze, estrelado por Joaquin Phoenix, ganha exibição no dia 1º de setembro, domingo. Após o filme, acontece bate-papo com a pesquisadora Milena Szafir. Entrada gratuita

(mais…)

#Cineciência discute filme Interestelar em live na programação do #MISemCasa

Filme de Christopher Nolan, estrelado por Matthew McConaughey e Anne Hathaway, ganha debate ao vivo entre especialistas. Atividade acontece no dia 6 de setembro, às 17h, no canal do MIS no Youtube

(mais…)

#Cineciência discute filme Minority Report em live na programação do #MISemCasa

Filme de Steven Spielberg, estrelado por Tom Cruise, ganha debate ao vivo entre especialistas. Atividade acontece no dia 23 de agosto, às 17h, no canal do MIS no Youtube

(mais…)

#CineCiência do MIS debate o filme “A Chegada”

Amy Adams e Jeremy Renner interpretam especialistas em comunicação chamados a ajudar nos contatos com alienígenas que chegam à Terra em 12 naves. Ela é especialista em linguística e ele um matemático. Ambos precisam responder à pergunta “o que vocês querem?” …

cena do filme A Chegada: momento de tentativa de contato dos humanos com os alienígenas

A edição de maio do #CineCiência do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, exibe no dia 20 de maio, às 16h00, o filme A chegada/Arrival (Dir. Denis Villeneuve, EUA, 2016, Ficção científica/Drama/Suspense, 116 min), que aborda, entre outras questões, as possibilidades de comunicação com os seres extraterrestres explorando a linguística e a computação. Após a exibição, o filme será debatido por José Luis Goldfarb e a historiadora Laura Trachtenberg Hauser. Sessão gratuita e para participar basta retirar ingresso uma hora antes do início na recepção do museu.

Sinopse: Seres extraterrestres chegam em doze naves e pousam em doze pontos diferentes da Terra. Após as autoridades americanas perceberem que eles querem fazer contato, a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma renomada linguista que já ajudara o Estado anteriormente, em conjunto com o experiente físico Ian Donnelly (Jeremy Renner), são procurados por militares para interagirem com as criaturas, traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. Ambos são pressionados a descobrir o propósito dos extraterrestres o mais rápido possível, assim como outras onze equipes de países onde as naves pousaram. Porém, os interesses políticos, a corrida pela supremacia, o medo do desconhecido e as diferenças culturais entrarão no caminho da ciência e apenas Louise tem a chave para desvendar esse mistério.

O longa estrelado por Amy Adams, Jeremy Renner e Forest Whitaker, teve sua primeira exibição no Festival de Cinema de Veneza em 1º de setembro de 2016 e foi lançado nos Estados Unidos em 11 de novembro de 2016 pela Paramount Pictures. O filme foi aclamado pela crítica especializada, que elogiou a atuação de Adams, a direção de Villeneuve e a originalidade do roteiro. Teve oito indicações ao Oscar 2017, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Adaptado, mas venceu apenas na categoria de Melhor Edição de Som.

DEBATEDORA: Laura Trachtenberg Hauser. Graduada em história pela Universidade Panthéon-Sorbonne, possui um mestrado em Mediação cultural pela Universidade Sorbonne-Nouvelle. Seus principais estudos discorrem sobre os diversos conceitos ou discursos relativos ao que definimos como cultura e seu impacto social através das políticas e instituições culturais no Brasil e na França. Atuando em meio à organização e à coordenação de diversos projetos culturais, obteve experiências marcantes como, por exemplo, a assistência à coordenação do setor das Atividades Culturais do Mémorial de laShoah de Paris (2015), a coordenação local da Festa Literária de Paraty (2014) e a pesquisa para a apostila de formação para os mediadores da exposição Genesis de Sebastião Salgado (2013). Foi assessora política do consulado de Israel em São Paulo. Atualmente desenvolve a autoria e o conteúdo da publicação de Políticas Públicas para a Cultura para a Editora SENAC e trabalha em meio à coordenação de projetos culturais e audiovisuais, autora selecionada pelo Concurso de Crônicas Rubem Braga 2017 promovido pelo SESC.

SERVIÇO 

#CINECIÊNCIA | Maio

Data: 20 de maio de 2018

Horário: 16h00 às 19h00

LOCAL Auditório LABMIS (66 lugares)

INGRESSO gratuito (retirada de ingresso com uma hora de antecedência na Recepção MIS – sujeito à lotação da sala)

CLASSIFICAÇÃO 14 anos

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18,00. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado

#Cineciência do MIS discute o filme O dilema das redes no dia 4 de outubro

Sucesso da Netflix, documentário que traz alerta sobre a segurança no uso de redes sociais ganha debate ao vivo, no dia 4 de outubro, às 17h, no canal do MIS no Youtube

(mais…)

#Cineciência traz debate online ao vivo sobre o filme O homem que viu o infinito

#Cineciência traz debate online ao vivo sobre o filme O homem que viu o infinito

(mais…)

#CulturaEmCasa continua no Museu Índia Vanuíre

Dicas de leitura, oficinas criativas e muita cultura esperam pelos seguidores do Museu Índia Vanuíre – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari – nesta semana.

Hoje (16), as educadoras Gabriela Sanches e Uiara Potira ensinarão as crianças a produzirem um porta-retrato personalizado com tema junino e enfeites temáticos. Além de ser um objeto decorativo, elas poderão armazenar fotos e eternizar momentos de toda a família.

Outra atividade imperdível será a oficina de lanterna de papel, também em clima de festa junina.

Sexta-feira (19) será dia de conhecer os cineastas indígenas. Para homenagear o Dia do Cinema Brasileiro, o Museu apresentará o projeto realizado, em 2019, pela UNESCO: Festival de Cinema Indígena Online. Vindos de diversas etnias, eles se tornaram narradores de suas próprias histórias e trouxeram um olhar diferente para essa área.

Quem quiser aproveitar o sábado (20) com um bom livro, a equipe do espaço cultural indicará uma obra que aborda o Brasil como um dos países mais miscigenados do mundo. Resultado da contribuição de vários povos, essa diversidade formou a identidade nacional com indígenas, os primeiros colonizadores (os portugueses) e imigrantes (franceses, holandeses, italianos, japoneses, alemães, entre outros), e os negros vindos da África.

Os interessados em participar das atividades on-line do Museu Índia Vanuíre devem ficar ligados nas redes sociais (@museuindiavanuire). Todas as atividades do #CulturaEmCasa serão veiculadas, também, por uma página especial: https://www.museuindiavanuire.org.br/culturaemcasa.

#CulturaEmCasa exibe Mostra Xingu 60 anos

Evento marca os 60 anos do Território Indígena do Xingu. Na programação, estão obras inéditas do cineasta Takumã Kuikuro

O mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado às temáticas socioambientais e dos povos originários, a Mostra Ecofalante de Cinema, promove a partir de 1 de dezembro programação especial Xingu 60 Anos, com 31 filmes e debates disponibilizados de forma online e gratuita. Todos serão disponibilizados on demand até o dia 12. São longas, médias e curtas-metragens, reunindo produções pioneiras realizadas a partir do ano de 1932, títulos finalizados em 2021 e inéditos. A iniciativa é da ONG Ecofalante, com direção de Chico Guariba. Os filmes e debates podem ser acessados gratuitamente via site da Ong e plataforma #CulturaemCasa. (Confira programação abaixo). Criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa e gerida pela Amigos da Arte, a ferramenta já registrou mais de 7 milhões de visualizações.

O evento marca as 6 décadas de existência do Parque Indígena do Xingu (PIX), hoje conhecido como Território Indígena do Xingu (TIX). Foi criado em 1961 para garantir a sobrevivência, melhores condições de vida, a posse da terra à população indígena da região e para preservar sua cultura, seus hábitos e suas crenças.   À época a maior e mais importante reserva indígena brasileira, o parque foi uma iniciativa de sertanistas liderados pelos irmãos Villas-BôasCláudio, Orlando e Leonardo.

O aclamado longa Raoni (1978) abre a Mostra Ecofalante de Cinema. O filme é um dos primeiros documentários de longa-metragem a abordar os problemas relacionados à questão indígena no Brasil. Conquistou quatro premiações na edição de 1979 no Festival de Gramado, incluindo a de melhor filme. A obra acompanha a luta do cacique Raoni pela preservação do Parque Nacional do Xingu, ameaçado por grileiros, caçadores e madeireiras. O longa-metragem foi filmado clandestinamente no Parque Nacional do Xingu no princípio de 1975, durante a ditadura militar brasileira. A direção é assinada pelo cineasta e escritor belga Jean-Pierre Dutilleux e pelo fotógrafo e montador brasileiro Luiz Carlos Saldanha. Na mostra, o filme é exibido em cópia recentemente digitalizada em resolução 4K, que oferece a maior qualidade de imagem.

Destacam-se também obras assinadas por cineastas indígenas. Entre elas, as do diretor Takumã Kuikuro. O filme Kukuho – Canto Vivo Wauja (2021) focaliza um músico, contador de histórias e líder da comunidade Waujá do Xingu que tenta preservar e compartilhar a música tradicional do seu povo. Território Pequi (2021) mostra como o pequi se tornou símbolo de vasto patrimônio cultural e genético. Membro da aldeia indígena Kuikuro, atualmente vivendo na aldeia Ipatse, no Parque Indígena do Xingu, Takumã Kuikuro recebeu em 2017 o prêmio honorário Bolsista da Queen Mary University of London. Em 2019, foi o primeiro jurado indígena do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

“A Mostra Ecofalante de Cinema reúne o que há de melhor sobre as temáticas relacionadas aos povos originários, às questões climáticas e ao meio-ambiente. A exibição em formato online e gratuita, amplia a difusão destes conteúdos. E, principalmente, incentiva a reflexão e a conscientização sobre a riqueza da pluralidade cultural étnica e a força do cinema indígena”, destaca Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre a #CulturaEmCasa

Em 20 meses a plataforma já disponibilizou mais de 4 mil conteúdos. Já são 4 mil cidades do Brasil e 165 países atingidos. O objetivo da plataforma é democratizar o acesso da população a eventos culturais e artísticos de alta qualidade gerados ou não por instituições vinculadas à Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SEC). Entre elas, a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu da Imigração, o Museu da Casa Brasileira, o Museu do Futebol, a Biblioteca de São Paulo, a Biblioteca Parque Villa Lobos, a São Paulo Companhia de Dança e o Projeto Guri. A ferramenta apresenta também conteúdos dos Teatro Sérgio Cardoso, do Teatro Estadual de Araras e do Museu da Diversidade Sexual (MDS). Além de diversos programas de difusão cultural e de incentivo à economia criativa como a #Virada SP Online, reunindo nomes como Dudu Nobre, Sérgio Britto, Roberta Miranda, Marcelo Falcão, Alceu Valença, Chico César e artistas dos municípios paulistas. A plataforma também transmite

o maior programa de incentivo ao setor gastronômico – o #SP Gastronomia, convidando chefs como Lucas Corazza, Renato Carioni, e Fred Caffarena.

Em celebração aos 100 anos da Semana de Arte Moderna, a plataforma organiza e produz a série ‘Outras Vanguardas’, que fala com celebridades do mundo artístico e que, de alguma forma, ecoa o movimento modernista. Tetê Espíndola, Arrigo Barnabé, Pascoal da Conceição, Cida Moreira, Tulipa Ruiz, entre outros já participaram do programa.

Filmes da Mostra Ecofalante de Cinema

Raoni

Olhares Cruzados – Parque Indígena do Xingu 50 anos

Ao Redor do Brasil

O Destino das Mulheres Amazonas

Contato com Tribo Hostil

Incidente no Mato Grosso

Kuarup

Bubula, O Cara Vermelha

O Índio Cor de Rosa Contra a Fera Invisível: A Peleja de Noel Nutels

Xingu/Terra

Debate Parque Indígena do Xingu (PIX): Origens

Uaka

Imbé Gikegü – Cheiro de Pequi

Kiarãsâ Yõ Sâty – O Amendoim da Cutia

A História da Cutia e do Macaco

De Volta à Terra Boa

Para Onde Foram as Andorinhas

Kîsêdjê ro Sujareni – Os Kisêdjê contam a sua história

A Última Volta do Xingu

Topawa

Yarang Mamin

Wotko e Kokotxi, Uma História Tapayuna

O Corpo e os Espíritos

Kukuho – Canto Vivo Wauja

Território Pequi – com Carlos Fausto Kamikia Kisêdjê, Takumã Kuikuro e Mari Corrêa

Pïrínop: Meu Primeiro Contato

Itão Kue-gü – As Hiper Mulheres

Coração do Brasil

O Último Kuarup Branco

Xingu – A Terra Ameaçada

O Brasil Grande e os Índios Gigantes

O Segundo Encontro

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

 

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

#CulturaEmCasa: plataforma comemora mais de 3,4 milhões de acessos em 11 meses

Plataforma de streaming e vídeo por demanda completou 11 meses no dia 20 de março com visualizações em 3,3 mil cidades de 133  países

A plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa alcançou 3,4 milhões de visualizações desde que foi lançada, em 20 de abril do ano passado. Nesses 11 meses,  a plataforma gratuita, uma parceria da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da organização social Amigos da Arte, apresenta números consistentes. São 290 mil horas de visualização, 2,5 mil conteúdos acessados em 3,3 mil cidades de 133 países.

Para o secretário de Cultura Sérgio Sá Leitão, a #CulturaEmCasa, nascida em momento pandêmico, vai se estabelecer como alternativa permanente para a população. “Conseguimos garantir arte e cultura de altíssima qualidade para a população que precisou ficar em casa em função do isolamento social imposto pela pandemia”, afirmou. “Mas a plataforma já era uma ideia e vamos seguir com ela, oferecendo o melhor em termos de cultura para São Paulo e para o mundo”.

A #CulturaEmCasa desempenhou papel fundamental para a geração de emprego e renda para os profissionais da área, identificada como uma das mais atingidas pela restrição social da covid-19. Desde o lançamento, 11,3 mil trabalhadores – entre artistas, técnicos e produtores – estiveram envolvidos diretamente com a produção ou o conteúdo da plataforma.

Top 10

As dez maiores audiências da #CulturaEmCasa foram registradas durante as apresentações de Renato Teixeira (81 mil visualizações); Liniker e os Caramelos (27 mil); Lô Borges (71 mil); Letrux e Pitty (35 mil cada); Fafá de Belém (25 mil); Ângela Roo Rô (24 mil); Sérgio Reis (20 mil) e Tom Zé (18 mil).

A exposição Queerentena, realizada pelo Museu da Diversidade Sexual, teve número recorde de visitantes. Com 2,3 milhões de visualizações, ficou atrás apenas da Pinacoteca com 4 milhões de acessos.

#CulturaEmCasa

A plataforma #CulturaEmCasa reúne conteúdos inéditos das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, entre as quais OSESP; Jazz Sinfônica; Pinacoteca; Museu da Imagem e do Som; Museu do Futebol; São Paulo Companhia de Dança; Projeto Guri; Theatro São Pedro e Teatro Sérgio Cardoso; além das Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos e oficinas culturais.

#EmespEmCasa apresenta concerto da Orquestra Jovem do Estado

Grupo interpreta Adágio para Cordas, de Samuel Barber, e Série Brasileira: IV Batuque, de Alberto Nepomuceno

(mais…)

#EmespEmCasa promove encontros virtuais entre professores de diversas áreas da música

Programação de junho traz bate-papos entre os professores da instituição e orientações para estudantes de música

(mais…)

#EmespEmCasa promove encontros virtuais entre professores de diversas áreas da música

 Programação de junho traz bate-papos entre os professores da instituição e orientações para estudantes de música

(mais…)

#EmespEmCasa promove encontros virtuais entre profissionais da música erudita e popular

Plataforma #EmespEmCasa traz bate-papos entre os professores da instituição e orientações para estudantes de música. Programação conta com a participação de mestres da música como Karin Fernandes, Marília Vargas, Tiago Costa, Toninho Ferragutti, Luiz Guilherme Pozzi, Daniel D’ Alcântara, Alessandro Santoro, Thiago Abdalla, Edna de Oliveira e Luiz Guilherme Pozzi

(mais…)

#EmespEmCasa recebe convidados como Chico Pinheiro, Ricardo Herz, Rosa Passos, Léa Freire e Amilton Godoy

EMESP Tom Jobim promove uma série de atividades online como entrevistas, shows, concertos, bate-papos, aulas, com participação de grandes nomes da música brasileira, além de professores e alunos da instituição

(mais…)

#EmespEmCasa recebe convidados e promove encontros entre professores de diversas áreas da música

Programação traz bate-papos entre os professores da instituição e orientações para os estudantes, além de lives com Vanessa Moreno e Rafael Rocha

(mais…)

#EmespEmCasa recebe Romero Lubambo e promove encontros entre professores de diversas áreas da música

Programação traz bate-papos entre os professores da instituição e orientações para os estudantes, além de live com o músico Romero Lubambo

(mais…)

#EmespEmCasa reúne mestres da música brasileira como Nailor Proveta, Hamilton de Holanda, Paulo Álvares e Mônica Salmaso

EMESP Tom Jobim promove uma série de atividades online como entrevistas, shows, concertos, bate-papos, aulas, com participação de grandes nomes da música brasileira, além de professores e alunos da instituição

(mais…)

#GuriEmCasa oferece jogo da memória sonoro, curiosidades sobre os instrumentos musicais, orientações de estudo para crianças e adultos

Guri Capital e Grande São Paulo reúne atividades online para diferentes faixas etárias com o objetivo de ampliar o acesso e fortalecer o aprendizado da música e a inclusão social (mais…)

#GuriEmCasa oferece uma série de atividades como aulas de música, dicas culturais, curiosidades e orientações de estudo

Com o objetivo de ampliar o acesso e fortalecer o aprendizado da música e a inclusão social, o Guri Capital e Grande São Paulo oferece uma série de atividades gratuitas online para diferentes faixas etárias

(mais…)

#GuriEmCasa reúne aulas, jogos musicais, dicas de leitura, apresentações em uma mesma plataforma

Guri Capital e Grande São Paulo lança plataforma que reúne uma série de atividades online para ampliar o acesso e fortalecer o aprendizado da música e a inclusão social

(mais…)

#GuriEmCasa reúne curiosidades musicais, dicas culturais e de saúde, orientações de estudo em uma mesma plataforma

Guri Capital e Grande São Paulo reúne programação online para ampliar o acesso e fortalecer o aprendizado da música e a inclusão social

(mais…)

#GuriEmCasa reúne curiosidades musicais, dicas culturais, orientações de estudo para crianças e adultos

Guri Capital e Grande São Paulo reúne atividades online para diferentes faixas etárias com o objetivo de ampliar o acesso e fortalecer o aprendizado da música e a inclusão social

(mais…)

#MISemCasa celebra o Dia das Crianças com filme sobre o programa Mundo da Lua, da TV Cultura

Sucesso na década de 90, o programa infantil da TV Cultura, protagonizado pelo personagem Lucas Silva e Silva, é tema do filme Diário de bordo de uma viagem à infância. Com depoimentos de atores, diretores, produtores e fãs, o documentário será exibido no dia 12, segunda-feira. O #MISemCasa também traz outras atividades – gratuitas – de cinema e música nesta semana

(mais…)

#MISemCasa da próxima semana traz debates de cinema ao vivo e programação infantil

Programação digital do Museu traz mais uma edição do Ciclo de Cinema e Psicanálise, que discute o longa japonês Assunto de família. Já o público infantil pode se divertir e aprender com as oficinas Pontos MIS Criança, que convidam o público a realizar vídeos, fazer desenhos, colagens e inventar histórias a partir da linguagem cinematográfica 

(mais…)

#MISemCasa desta semana tem lives sobre cinema, fotografia e literatura

Programação digital do Museu traz conversas ao vivo, entre elas uma homenagem a José Mojica Marins, o Zé do Caixão, com exibição e debate do clássico À meia-noite levarei sua alma, um bate-papo com o fotógrafo Luciano Candisani, que retratou a cultura das haenyeo, mulheres da Ilha de Jeju, na Coreia do Sul, que tiram seu sustento do mar, além do lançamento de um novo programa de literatura, com um bate-papo ao vivo de um livro sobre São Paulo

(mais…)

#MISemCASA estreia programa de fotografia neste domingo

O programa Lendo imagens, que inicia neste domingo – 14 de junho – no canal do YouTube do Museu, traz leituras de obras do Acervo MIS feitas por artistas, fotógrafos ou curadores convidados

(mais…)

#MISemCasa faz homenagem ao cineasta Rogério Sganzerla com filme, bate-papo e entrevista

Durante a semana, o público confere sessão e bate-papo sobre uma das maiores obras de Sganzerla, “O bandido da luz vermelha”, além de entrevista exclusiva com o cineasta. O #MISemCasa também traz outras atividades – gratuitas – de cinema e música nesta semana

(mais…)

#MISemCasa lança programação infantil com tema “Monstros e Monstrices”

Novo “Pontos MIS Criança” traz, toda semana, vídeos com brincadeiras para toda a família, dentro do universo cinematográfico dos monstros. Primeira edição acontece no dia 15 de julho, com dois vídeos de oficinas gratuitas

(mais…)

#MISemCasa tem nova programação de fotografia

O programa Lendo imagens, que estreia no domingo 14 de junho, traz leituras de obras do Acervo MIS feita por artistas, fotógrafos ou curadores convidados. Outro destaque é a programação de cinema com o Pontos MIS – Bate-papo de cinema, que exibe o clássico Nanook, o esquimó, precursor do gênero documentário, e mais uma edição ao vivo do Ciclo de Cinema e psicanálise com o filme Negação

(mais…)

#MISemCasa tem programação de fim de ano online com muita música e cinema

Público poderá conferir vídeos inéditos no canal do Museu no Youtube. Já a visitação presencial da exposição John Lennon em Nova York por Bob Gruen retorna em 8 de janeiro de 2021 (mais…)

#MISemCasa traz cinema, música, artes visuais e literatura nesta semana

 

Público pode conferir, gratuitamente, diversas atrações no canal do museu no Youtube

O MIS, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, segue com sua programação virtual ativa por meio da campanha #MISemCasa. Nesta semana, o público pode conferir, no canal do Museu no Youtube: Notas Contemporâneas – Alaíde Costa; Videoartepapo – Solange Farkas; Pontos MIS – bate-papo de cinema com o documentário Futuro do pretérito: Tropicalismo now!; e mais uma edição ao vivo do MIS Ex-Libris. O #MISemCasa acontece em conjunto com o #Culturaemcasa, desenvolvido pela Secretaria de Cultura.

O MIS agradece aos parceiros da programação de 2021: Youse (patrocínio máster), Kapitalo Investimentos (patrocínio), Cielo (patrocínio), TozziniFreire Advogados (apoio institucional), Bain & Company (apoio institucional) e Itaú (patrono).

Programação #MISemCasa | YOUTUBE MIS | 11 a 17.01

 

13.01 | Quarta-feira | 20h | Notas Contemporâneas – Alaíde Costa

O programa Notas Contemporâneas registra depoimentos de significativos nomes do cenário musical brasileiro, erudito e popular, cuidando da manutenção da prática de história oral do MIS, um dos pilares de criação do museu. Durante o #MISemCASA, uma série de edições inéditas a partir desse material vem sendo apresentada, com organização e curadoria da historiadora Rosana Caramaschi, responsável pela entrevista, pesquisa e roteiros desde a primeira edição do programa em 2011. Alaíde Costa teve e tem grande importância na cena musical brasileira e, em abril de 2019, esteve no MIS e pôde relembrar e detalhar toda a sua trajetória no projeto Notas Contemporâneas.

Alaíde Costa (Rio de Janeiro, 1935) é cantora e compositora brasileira. Iniciou sua carreira profissional em 1955, como crooner do dancing Avenida, no Rio de Janeiro. Já em 1957, gravou um 78 rpm contendo: Tarde demais (Hélio Costa e Lenita Andrade) e, nesse ano, lançou mais um 78 rpm com as canções Conselhos (Hamilton Costa e Richard Franco) e Domingo de amor (Fernando César). Em 1958, foi descoberta por João Gilberto e entrou em contato com os compositores da bossa nova.   No ano de 1959, ao lado de nomes como Sylvia Telles, Ronaldo Bôscoli, Carlos Lyra e Roberto Menescal participa do 1o Festival de Samba Session, no Rio de Janeiro, que o livro Chega de Saudade: A História e as Histórias da Bossa Nova, descreve: “…o grande sucesso da noite foi Alaíde Costa. Ela empolgou a multidão com ‘Chora Tua Tristeza’, de Oscar Castro-Neves e Luvercy Fiorini, que, meses depois, se tornaria a primeira canção ‘da bossa nova’ a estourar fora dos limites do movimento”. Seu primeiro LP, “Gosto de você”, 1959, continha as faixas “Pela rua”, (Ribamar e Dolores Duran), “Minha saudade” (João Donato e João Gilberto), “Lobo bobo” (Carlos Lyra e Ronaldo Bôscoli), “Erros de gramática” (Marino Pinto e Carlos Lyra), “Estrada branca” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Porque?” (Sebastião de Souza e Jonas Garret) e a canção-título (Geraldo Serafim e Armando Nunes), entre outras. Sua carreira segue e nos anos seguintes lançou: LP Alaíde canta suavemente (1960), Alaíde, Jóia Moderna (1961), Afinal (1963), Alaíde Costa (1965), etc. Seus últimos trabalhos foram Porcelana (2016), Anos de Bossa Nova (2018) e O Anel – Alaíde Costa canta José Miguel Wisnik (2020).

Alaíde atuou também como atriz, recebendo em 2020 o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Gramado pelo filme Todos os Mortos, com direção Caetano Gotardo e Marco Dutra. Nos anos 60, participou do espetáculo teatral Os Monstros, de Denoy de Oliveira com direção de Ruth Escobar, ao lado do ator Raul Cortez.

14.01 | Quinta-Feira | 19h |  Videoartepapo – Solange Farkas

Quinzenalmente, o MIS apresenta um bate-papo ao vivo sobre videoarte, comandado pela videoartista Marcia Beatriz Granero, lançando luz sobre os diversos trabalhos que integram o Acervo do Museu e convidando artistas representativos.

Um dos principais festivais de artemídia do mundo é brasileiro. Ele é o Videobrasil e dispensa longas apresentações. Sua história se confunde com a história do audiovisual. Pioneiro, o festival, dirigido por Solange Farkas desde a primeira edição, foi sempre um cenário de projeção das linguagens emergentes na arte contemporânea. Sem medo de arriscar, colocou o vídeo no campo da discussão estética nos primórdios dos anos 1980. Nos 1990, já incluia CD-ROMs e, no início dos 2000, web arte.

16.01 | Sábado | 18h | Bate-papo de Cinema Pontos MIS | Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!

O programa, que traz uma sessão de cinema online seguida por bate-papo ao vivo, apresenta nesta edição, o filme Futuro do pretérito: Tropicalismo now! (dir. Ninho Moraes e Francisco Cesar Filho, 2012, Brasil, 76 min), em parceria com a Vitrine Filmes. O documentário estará disponível ao público entre os dias 14 e 16 e, no sábado, às 18h, acontece (no canal do MIS no Youtube) bate-papo com o diretor Ninho Moraes e convidados.

O documentário traz um mix de entrevistas, shows, intervenções artísticas e atores em pequenos esquetes, fazendo uma intersecção dos contextos social e artístico de 1968 com o atual. Um olhar do século 21 para um dos movimentos culturais mais importantes da história brasileira.

 

17.01 | Domingo | 17h | MIS Ex-Libris

Para abrir a série MIS Ex-Libris em 2021 – programa que debate literatura e novos suportes tecnológicos -, o museu traz o desenhista, músico e educador Yuri Garfunkel. Ele comenta sua nova obra, a HQ Viola encarnada, junto ao convidado Ivan Vilela, músico, professor da ECA-USP e responsável pela introdução do livro. A mediação é de José Luiz Goldfarb, curador do programa.

Durante o bate-papo ao vivo, todos os participantes que enviarem um e-mail para mis.exlibris2020@gmail.com receberão gratuitamente, via e-mail, outra importante obra de Yuri Garfunkel: X-Sampa.

Sobre o livro: A obra conduz o leitor para uma viagem sonora afinada com as características históricas e visuais da flora e da fauna dos estados brasileiros, fundamentais na formação da cultura caipira, numa jornada que percorre os sertões até chegar à cidade grande. Com sua obra, Garfunkel pretende apresentar uma visão do universo da música de viola diferente da proposta pelo mercado cultural atual.

 

Cursos

O MIS está com inscrições abertas para mais de 30 cursos online. São opções nas mais diversas áreas do conhecimento: cinema, HQ, fotografia, videoclipes, séries, história da arte e música. A lista completa e todos os detalhes podem ser conferidos no site do Museu: www.mis-sp.org.br/cursos

 

Exposições virtuais e Acervo Online MIS

Além da programação digital #MISemCASA, o Museu MIS apresenta cinco exposições virtuais realizadas em parceria com o Google Arts & Culture: Moventes (que traz imagens de situações de deslocamento em diferentes tipos de trabalho itinerante); A Coleção Guilherme Gaensly no acervo MIS: uma paisagem humana (que presenta imagens históricas sobre o cultivo do café no interior paulista); Cinema paulista nos anos 1970; Lambe-lambe: fotógrafos de rua em São Paulo nos anos 1970 e A mulher na Revolução de 32. Além das exposições virtuais, o público também pode conferir parte do Acervo MIS que está digitalizado e pode ser acessado neste link. No Acervo online, os visitantes encontram informações sobre os itens que compõem os acervos museológico e bibliográfico do MIS e, em alguns casos, terá amplo acesso ao conteúdo das coleções de fotografia, áudio e vídeo. Tendo como base um banco de dados desenvolvido especialmente para o acervo do Museu, o Acervo online apresenta-se ao público como um instrumento para a exploração dos milhares de itens que fazem parte do acervo MIS.

#MISemCasa traz homenagem a Chaplin e a mulheres no cinema, música e arte urbana

Celebrando os 80 anos do filme O grande ditador, o Pontos MIS – bate-papo de cinema traz sessão do clássico de Chaplin seguido por debate ao vivo no sábado, dia 9. Outros destaques são o bate-papo com o grupo afro-feminino Ilú Obá de Min e a Mostra cinema de acervo, que traz filmes nacionais diretamente dos arquivos do MIS – e que, no dia 10 de maio, Dia das Mães, homenageia mulheres cineastas

(mais…)

#TheatroSãoPedroEmCasa promove encontros com convidados como Cláudio Cruz, Fause Haten, Marina Considera e Ricardo Castro

Programação online traz bate-papos e reflexões sobre gestão cultural, ópera, além de espetáculos musicais com participação de importantes nomes do setor

(mais…)

#TheatroSãoPedroEmCasa reúne convidados como Livia Sabag, Ricardo Castro, Lina Mendes e Vinicius Atique

Programação online traz bate-papos e reflexões sobre gestão cultural, ópera, além de espetáculos musicais com participação de importantes nomes do setor

(mais…)

#TheatroSãoPedroEmCasa tem programação especial dedicada à ópera Kátia Kabanová

Na semana de 25 a 29 de maio, o Theatro São Pedro oferece uma série de atividades com convidados que participaram da montagem de Kátia Kabanová, do compositor tcheco Leoš Janáček. A ópera subiu ao palco do teatro em agosto de 2018 (mais…)

#VamosDeMúsica: Luthier Luciano Alves é a atração desta quarta-feira (17/6)

A live pode ser acompanhada no perfil da Sustenidos, no Facebook, às 15h

(mais…)

#ViagemLiterária: Bibliotecas do interior paulista recebem escritores de Literatura Fantástica

Programa Viagem Literária acontece entre os dias 9 de setembro e 2 de outubro, percorre 76 cidades e é destinado a todas as idades

(mais…)

#ViradaSP Online 2021 deste sábado (21) tem show inédito em homenagem a Raul Seixas e aos 50 anos do icônico disco Sociedade da Grã-Ordem Kavernista

Esta edição acontece em parceria com o município de Itapevi. Na agenda, também estão shows de Zélia Duncan e Ira!. Além de atrações artísticas da cidade, selecionada no programa de difusão cultural #JuntospelaCultura

Link com fotos: https://we.tl/t-bkbEpltr4f

A maratona de música, artes cênicas e cultura urbana, a #ViradaSP Online 2021, apresenta show inédito com último Kavernista, Edy Star, no próximo sábado (21), data da morte de Raul Seixas em 1989. Participante da criação do álbum Sociedade da Grã-Ordem Kavernista, juntamente com Raul Seixas, Miriam Batucada e Sérgio Sampaio, Star se reúne com Sebastião Reis, Felipe Cordeiro e Tatá Martinelli nesta homenagem ao antológico disco, gravado em 1971. Na agenda, também estão Zélia Duncan e Ira! com apresentações realizadas no Teatro Sérgio Cardoso, especialmente produzidas para a #ViradaSP Online 2021. Outro destaque desta edição é o quadro especial Rolando Prosa, capitaneado por Rolando Boldrin. Tudo comandado pelos apresentadores Ellen Oléria e Luiz Ramalho. (Confira programação abaixo).

Já consagrada no calendário cultural, a #ViradaSP Online 2021 será transmitida durante 12 horas seguidas, gratuitamente, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android. Ampliando ainda mais a difusão das atividades culturais dos municípios paulistas para todo o país. O evento é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Organização Social Amigos da Arte, e integra o programa de fomento e difusão cultural #JuntospelaCultura.

Justamente por ser uma ação que valoriza os aspectos culturais e curiosidades regionais, a Amigos da Arte produziu o Rolando Prosa – quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular do estado de São Paulo. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições da #ViradaSP Online 2021.

Esta edição da #ViradaSP Online 2021 ocorre em parceria com Itapevi. O município foi selecionado a partir de chamada pública do programa #JuntospelaCultura, realizada este ano. Serão transmitidas diversas atividades ligadas à cidade.  Diferentes linguagens artísticas compõem as atrações locais. Entre elas, estão: o show Um Canto Afro- Brasileiro a Sombra da Tamarineirauma homenagem e dedicado aos compositores e artistas que passaram a sombra da tamarineira e lembranças das famosas rodas de samba do Cacique de Ramos, e seu presidente, o pandeirista do Fundo do Quintal, Bira Presidente; o espetáculo da Cia. Curto-Circuito, Lembranças de Outono, no palco atores e bailarinos relatam o fim de uma vida, de um amor e de um garoto que sonhava em ser feliz; e para animar o público infantil, os palhaços Folha & Tim fazem a apresentação E agora Saci?, uma trama envolvendo personagens do folclore brasileiro. Além de valorizar os aspectos culturais de cada município, a #ViradaSP Online 2021 apresenta peculiaridades e pontos turísticos das cidades.

Itapevi se soma a outros 19 municípios de São Paulo que tiveram suas propostas culturais selecionadas e que integram a #ViradaSP Online 2021:  Bertioga, Botucatu, Franco da Rocha, Ilha Solteira, Itanhaém, Itapira, Mairiporã, Mirante do Paranapanema, Mogi das Cruzes, Ribeirão Preto, Santa Fé do Sul, São Bento do Sapucaí, São João da Boa Vista, São Luís do Paraitinga, Serrana, Sete Barras, Ubatuba. Este mês já o evento já foi realizado em parceria com São José dos Campos e Piracicaba. Todas as cidades foram condecoradas pelo governo estadual paulista com o título de capitais culturais de São Paulo pela qualidade no cenário artístico e o estímulo dado ao setor pelas prefeituras.

“A Virada SP é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.”

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, ressalta Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

“Itapevi como o celeiro de artistas que é, estava em quarentena nos últimos tempos sem nossos eventos e sem as aulas de artes que tiveram que parar devido à covid 19, a #Virada CulturalSP Online veio como um acalento para a nossa cidade nesse momento tão difícil, temos muito orgulho em ser Capital Cultural “, destaca o professo Lázaro Toledo, secretário adjunto de Cultura e Juventude de Itapevi.

Serviço #ViradaSP Online – Itapevi

Sábado (21)

12h – Lembranças de outono, com Cia. Curto-circuito

13h – E agora Saci?, com Cia Folha&Tim

13h30 – Laços, com Grupo Garra

14h – Joyce Cosmo

15h15 – Projeto soul diva, com Quelynah

16h – Zélia Duncan

17h20 – Simplesmente eu, com Sorriso Nogueira

18h – Livre, leve e tonto, com Marcelo Dias

18h50 – Rolando prosa, com Rolando Boldrin

19h10 – Fizart

20h – Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta: 50 anos de Sessão Das 10

21h – Ira!

22h20 – Samba de roda na Casa 26, com Samba na Casa 26

23h20 – Um canto afro-brasileiro a sombra da tamarineira, com Senhores do Samba

 

Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

#ViradaSP Online 2021 inicia neste sábado (7) com shows de Sidney Magal e Marina Lima e estreia de quadro especial com Rolando Boldrin

Na agenda também está a apresentação da violonista Maria Ó e atrações artísticas de São José dos Campos, selecionada no programa de difusão e fomento cultural, #JuntospelaCultura

Link com fotos: https://we.tl/t-CiLwmTWUm3 

Maratona de música, artes cênicas e cultura urbana, a #ViradaSP Online 2021, estreia com novidades para o público com 22 atrações especiais no próximo sábado (7), a partir das 12h.  Entre elas, shows de Sidney Magal, Marina Lima e da instrumentista Maria Ó. Outro destaque desta edição é o lançamento do quadro especial, capitaneado por Rolando Boldrin. Já consagrada no calendário cultural, a #ViradaSP Online 2021 será transmitida durante 12 horas seguidas, gratuitamente, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Storee Google Play para Iphone e Android. Ampliando ainda mais a difusão das atividades culturais dos municípios paulistas para todo o país.   

A #ViradaSP Online 2021 é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Organização Social Amigos da Arte, e integra o programa de fomento e difusão cultural #JuntospelaCultura. Entre outras atrações, a agenda tem shows de Sidney Magal, Marina Lima e da violonista Maria Ó, realizados no Teatro Sérgio Cardoso, especialmente produzidos para a #ViradaSP Online 2021. Além de muita animação com o palhaço Kersitto. Tudo comandado pelos apresentadores Ellen Oléria e Luiz Ramalho. Confira programação abaixo.

Justamente por ser um evento que valoriza os aspectos culturais e curiosidades regionais, a Amigos da Arte lança quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular do estado de São Paulo. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições da #ViradaSP Online 2021.

Esta edição da #ViradaSP Online 2021 acontece em parceria com São José dos Campos. O município foi selecionado a partir de chamada pública do programa #JuntospelaCultura, realizada este ano. Serão transmitidas 19 atividades ligadas à cidade.  Diferentes linguagens artísticas compõem as atrações locais. Entre elas, estão: a Cia. de Dança de São José dos Campos; o espetáculo Amélia, com a atriz Tamara Maria Cardoso; a palhaça Olívia; o grupo Dona da Rua, formado por Lívia Barros, Helô Ferreira e Juliana Cardoso, com o espetáculo Sambas para novos tempos com repertório de sambas originais que tratam do empoderamento da mulher no samba, das lutas antirracistas e feministas.  

Além de valorizar os aspectos culturais de cada município, a #ViradaSP Online 2021 apresenta peculiaridades e pontos turísticos das cidades. Também serão apresentadas entrevistas com personalidades que fazem parte da história da cidade, como por exemplo, a realizada com a folclorista, cientista social e uma das responsáveis pela criaçãodo Museu do Folclore de São José dos Campos, Ângela Savastano.  

São José dos Campos se soma a outros 19 municípios de São Paulo que tiveram suas propostas culturais selecionadas e que integrarão a #ViradaSP Online 2021:  Bertioga, Botucatu, Franco da Rocha, Ilha Solteira, Itanhaém, Itapevi, Itapira, Mairiporã, Mirante do Paranapanema, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santa Fé do Sul, São Bento do Sapucaí, São João da Boa Vista,  São Luís do Paraitinga, Serrana, Sete Barras e Ubatuba.  

 Todos condecorados pelo governo estadual paulista com o título de capitais culturais de São Paulo pela qualidade no cenário artístico e o estímulo dado ao setor pelas prefeituras. As próximas edições acontecem em parceria com os municípios de Piracicaba (14/8) e Itapevi (21/8). Já estão confirmados nomes como Criolo e Zélia Duncan, respectivamente.   

 “A Virada SP é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.” 

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte. 

Para o presidente da Fundação Cultural Cassino Ricardo, Tom Freitas, a #Virada SP Online é um momento de celebrar a arte. “Especialmente neste ano onde a arte tem papel importante para superar os desafios da pandemia, mesmo online a população poderá usufruir de uma programação de qualidade que valoriza a produção local juntamente com importantes nomes nacionais. Com a Virada, vem também a renovação do título de Capital Cultural, que nos reconhece, potencializa e coloca o município no circuito estadual dando a certeza que estamos no caminho certo”, afirma Freitas. 

Programação da #ViradaSP Online – São José dos Campos

Sábado (7) 

12h     Início da transmissão 

12h10 Nilton Blau 

12h40 João Assis 

13h10 Olívia 

14h Som de Brincante 

14h35 Memórias Perdidas – A Noite que se aproxima 

15h30 Amélia 

16h10 Samba para novos tempos 

17h Rolando Boldrin 

17h10 Maria Ó 

18h20 Marina Lima 

19h30 Cia. Jovem de Dança de São José dos Campos 

20h30 Matheus Estevão – Essa é pra tocar no rádio 

21h30 Mistura Brasileira – Todos os sons 

22h30 Sidney Magal 

0h Marcelo Naves convida The Simi Brothers 

 

Plataforma: 

www.culturaemcasa.com.br 

  

Redes Sociais: 

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/ 

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/ 

https://twitter.com/culturaemcasasp 

 

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado 

 (11) 3339-8116 / (11) 3339-8162   

(11) 98849-5303 (plantão)   

imprensaculturasp@sp.gov.br    

 

#ViradaSP Online em parceria com a cidade de Mauá, no #CulturaEmCasa  

Evento deste final de semana vai apresentar ao público a diversidade cultural da cidade de Mauá por meio de atrações locais, além de artistas nacionais, que se apresentam ao vivo no Teatro Sérgio Cardoso

A ViradaSP Online deste sábado, 20 de fevereiro, será realizada em parceria com a cidade de Mauá, selecionada a partir de chamada pública realizada por intermédio do programa #JuntosPelaCultura e será transmitido pela plataforma #CulturaEmCasa. O evento é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com gestão da Organização Social Amigos da Arte e consolidou-se no calendário cultural do estado de São Paulo, reunindo grandes nomes de diferentes linguagens artísticas divulgando a cultura local das cidades paulistas para todo Brasil.

A ViradaSP Online deste final de semana acontece das 12h à 0h e apresenta algumas atrações ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso como o show do cantor e compositor Carlos Dafé com participação da cantora Quelynah, um dos principais nomes do R&B brasileiro, o show da banda Filosofia Reggae, do cantor argentino Kevin Johansen com a apresentação do seu álbum Algo Ritmos, o show de Posse Mente, um dos nomes mais importantes do rap nacional e o show do grupo Cordel Do Fogo Encantado com a apresentação do disco Viagem Ao Coração Do Sol.

Outras duas atrações também ao vivo, porém de forma remota, são o espetáculo Frida Kahlo interpretado pela artista Christiane Tricerri e o show do J*Z Sound System Roots Phavella, um sistema de som especializado na música reggae sob forte inspiração dos sistemas de som Jamaicanos e Ingleses. As demais atrações que compõe o evento de sábado são locais e foram gravadas na cidade de Mauá como o espetáculo de dança “Algo Sobre o Caos, Corpos e Conexões”, a narrativa “O Bicho que Ajudou o Homem” com a Cia Cordelística, o espetáculo “Vidas Secas, uma cantata nordestina”, o show da corporação musical “Lyra de Mauá”, o show dualista “Musica Brasileira Autoral” de Carlinhos Brasil, um concurso de batalha de rimas intitulado Batalha Das Pistas além do show da banda “Livro dos Dias” em um Tributo à icônica banda nacional, Legião Urbana.

A cidade de Mauá é localizada na região sudeste da Região Metropolitana de São Paulo, no ABC paulista, em região de Mata Atlântica, e possui política de desenvolvimento sustentável além de diversas áreas de proteção permanente. Para representar toda a riqueza cultural da cidade, a #ViradaSPOnline contempla em sua programação o teatro, diversos estilos musicais, além de algumas entrevistas com importantes personagens para exemplificar de forma clara a diversidade cultural do município. Dentre elas, o público poderá conferir a entrevista com Mônica Alves da escola de Dança Mônica Ballet, com o professor e coreógrafo Vinicius Araújo, com a atriz Marcia Oliveira, dentre outros.

Serviço:

Virada SP Online Mauá

 

12h: Espetáculo de Dança “Algo sobre o caos, corpos e conexões”

12h30: O Bicho que Ajudou o Homem, com a Cia Cordelística

13h: Frida Kahlo, com Christiane Tricerri 

14h: Vidas Secas, uma cantata nordestina

14h30: Carlos Dafé participação Quelynah

16h20: Filosofia Reggae

17h30: Lyra de Mauá volta às Raízes.

17h30: J*Z Sound System Roots Phavella

18h: Kevin Johansen

19h10: Carlinhos Brasil! Show Dualista M.B.A!

20h: Batalha Das Pistas (concurso de Batalhas de Rimas)

21h: Posse Mente Zulu

22h10: Cordel Do Fogo Encantado

23h20: Banda Livro dos Dias – Tributo à Legião Urbana

 

Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

#ViradaSPOnline Batatais: Sérgio Reis, O Teatro Mágico e apresentações regionais

Artistas de Batatais também estão na agenda desta edição do evento que ocorre no sábado, 9 de janeiro, com transmissão pela plataforma #CulturaemCasa

O cantor e compositor sertanejo, Sérgio Reis, é uma das atrações que estão na agenda da #ViradaSPOnline, iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte. O evento consolidou-se no calendário cultural do estado de São Paulo, reunindo grandes nomes de diferentes linguagens artísticas e divulgando a cultura local das cidades paulistas para todo Brasil.  A próxima edição acontece no sábado, dia 9 janeiro a partir das 12h. O evento será transmitido ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso pela plataforma #CulturaEmCasa.

Apresentação de Sérgio Reis acontece dia 9 de janeiro, às 16h30

Destaca-se também a apresentação do grupo musical “O Teatro Mágico”; dos músicos Du Caiçara e Caio Bendasoli que será transmitido ao vivo diretamente do Teatro Sérgio Cardoso, às 22h30.

(Confira a programação abaixo).

A #ViradaSP Online deste sábado ocorre em parceria com o município de Batatais, considerada Capital Cultural do Estado de São Paulo. A cidade foi selecionada a partir de chamada pública realizada por intermédio do programa #JuntospelaCultura.  Diversos artistas e grupos locais também estão na programação, como o show do “Que Bloco é Esse” com muito reggae e samba; da banda de po rock, as peças O Rato no Muro,  que faz alusão ao momento político brasileiro na década de 60; da contação de história Do Fundo do Baú: A História de José Olimpio, com o grupo Teatral Athos de Rua; a apresentação A Hora da História, com o artista plástico e músico, Luiz Trentin; e a apresentação da cantora e DJ paraibana Luana Flores.

Programação:

ViradaSP Online Batatais

Dia 9 de janeiro

12h: Hora da História, com Luiz Fernando Trentin – Gravado/ Atração local

13h: Raiz Samba 6 – Gravado/ Atração local

13h: The Soul Power                      

14h: O Rato no Muro, com Núcleo de Teatro Evoé- Gravado/Atração local

15h: Que Bloco é Esse – Gravado/ Atração local

16h: Sérgio Reis – Ao Vivo TSC   

17h30: Do Fundo do Baú: A História de José Olimpio, com Grupo Teatral Athos de Rua- Gravado/Atração local

18h: Sarau: carta a um bebê que nasce, com Aline Bei + Marina Melo + Natasha Félix – Ao Vivo TSC           

19h30: Mostra de curtas “Meu Primeiro Filme” – José Adalto Cardoso/ Gravado/ Atração local

20h30: Caio Bendasoli- Gravado/Atração local

21h30: Du Caiçara – Gravado/Atração local

22h30: Teatro Mágico – Ao Vivo TSC       

00h: Luana Flores – Ao Vivo Remoto

#ViradaSPOnline Guaratinguetá: Leci Brandão, Grupo Sampagode no palco do Teatro Sérgio Cardoso

Evento acontece neste final de semana em parceria com a cidade de Guaratinguetá e a transmissão das atrações será pela plataforma #CulturaEmCasa

A segunda edição do ano de 2021 da #ViradaSPOnline, iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte, acontece no sábado, dia 16 janeiro a partir das 12h em parceria com a cidade de Guaratinguetá. O evento será transmitido ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso pela plataforma #CulturaEmCasa com apresentação da cantora Leci Brandão e do Grupo Sampagode que sobem juntos ao palco para mais um show, às 19h30. Ainda ao vivo no Teatro Sérgio Cardoso apresentam-se o cantor Sapopemba com seu álbum Gbó e a cantora norte-riograndense, Potyguara Bardo.

A cidade de Guaratinguetá foi selecionada a partir de chamada pública realizada por intermédio do programa #JuntospelaCultura e desta vez, como objetivo do programa, o público poderá conhecer um pouco mais da cultura e peculiaridades da cidade selecionada. Dentre as particularidades estão a proximidade com a cidade de Aparecida, antigo distrito de Guaratinguetá emancipada em 1928 e o fato de Guaratinguetá ser a cidade de Frei Galvão, santo brasileiro canonizado em 2007.

Todos os principais aspectos culturais da Cidade serão apresentados por meio de atrações com artistas e grupos locais como o Jongo do Tamandaré filmado dentro da comunidade do Bairro do Tamandaré e mostra a tradição dos pontos até a sua evolução, apresentação e entrevistas com o grupo Seresteiros de Guaratinguetá, entrevista com a representante dos artistas de Guaratinguetá, Tereza Maia e com o Mestre de Capoeira, Calango, além da captação de imagens da casa Frei Galvão.

Programação:

ViradaSP Online Guaratinguetá

Dia 16 de janeiro

               

Virada SP Online Guaratinguetá

12h: Início da transmissão

12h30: B.E.C.O (B.boys em Construção Original), com Grupo Zumb.boys

13h30: Dança em duo – corpos no mundo

14h30: Breve Panorama da Literatura Vale-paraibana, com Tiago Feijó, Wilson Gorj e Robson Hasmann.

15h30: Associação Cultural Moçambique e Congada Vermelho e Branco de São Benedito.

16h: Gbọ́ – Sapopemba

17h30: Jongo da Tamandaré – a tradição dos pontos e sua evolução

18h30: Aí penduro meu vestido – amores de Frida Khalo

19h30: Sampagode covida Leci Brandão

21h: Samuca e a Selva

22h30: Celloop tour 2021 – Christian Grossefinger

23h30: Potyguara Bardo

#ViradaSPOnline: Primeira live de Rolando Boldrin em Araçatuba

Transmissão será pela plataforma #CulturaEmCasa. Roberta Campos, Guilherme Held e o trio Baías fazem shows

diretamente do Teatro Sérgio Cardoso

Aos 84 anos e 62 de carreira, Rolando Boldrin faz sua primeira live, tocando e contando “causos” improvisados. E será durante a #ViradaSPonline, iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e com gestão da Organização Social Amigos da Arte. O evento acontece neste sábado, 12 de dezembro, a partir das 12h. Além de Boldrin, a #ViradaSPOnline terá shows ao vivo de grandes nomes. Entre eles, a cantora Roberta Campos, lançando neste show seu EP Só Conheço o Mar, com cinco músicas autorais e inéditas e o trio As Baías (As Bahias e a Cozinha Mineira).  Toda a programação será transmitida ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso pela plataforma #CulturaEmCasa e também gerida pela Organização Social Amigos da Arte. (Confira a programação abaixo).

Segundo Boldrin, sua live terá um tom intimista com grandes clássicos da viola. “Esta será uma experiência única. Estou muito animado em realizar pela primeira este show online ao vivo, diretamente da minha casa para o público da #ViradaSPOnline. O setlist está recheado de clássicos como Faca de Ponta; Amor de Violeiro; Mulher de Boticário; Eu, a Viola e Deus; e Vide-Vida Marvada, tema de abertura do programa Sr. Brasil”, finaliza.

A #ViradaSPOnline, já consolidada no calendário cultural do estado de São Paulo, reúne grandes nomes das diferentes linguagens artísticas, divulgando também as características culturais das cidades paulistas para todo Brasil. Diretamente do palco do Teatro Sérgio Cardoso acontecem as apresentações do trio As Baías (As Bahias e a Cozinha Mineira); da cantora Roberta Campos, autora da composição Minha Felicidade, tema da novela Sol Nascente; do rapper Fabio Brazza com Daniel Tatit; do guitarrista araçatubense Guilherme Held no show Corpo Nós com as participações especiais de Lanny Gordin, Tulipa Ruiz, Iara Rennó e Gustavo Ruzi; da T.F Style de Dança com o espetáculo ELO, vencedor do prêmio APCA de melhor estreia em 2019.

Esta edição ocorre em parceria com o município de Araçatuba, considerada Capital Cultural do Estado de São Paulo. A cidade foi selecionada a partir de chamada pública realizada por intermédio do programa #JuntospelaCultura.  Diversos artistas e grupos locais também estão na programação, como a apresentação cênica-musical, O Brasil no Cordel; a banda RockNatu, o grupo Companhia Obscenos com a performance Submergir; os espetáculos Corpo na Cidade e Roda Pião, este realizado pela Cia. Vêm Vindo Histórias; e a cantoria brasileira da Banda de Aruê.

Além de Araçatuba, foram selecionados os seguintes municípios por intermédio do #JuntospelaCultura2020 para a realização da #ViradaSPOnline: Marília, Santa Bárbara D´Oeste, Batatais, Bauru, Caraguatatuba, Guaratinguetá, Indaiatuba, Itapetininga, Mauá, Peruíbe, Presidente Prudente, Rio Grande da Serra, São José do Rio Preto, Sertãozinho e Votuporanga.

Com a impossibilidade de realizar o evento presencialmente, a Secretaria reformulou a proposta para fazer a Virada SP no formato virtual, de modo a manter o evento em 2020. Este ano, a primeira foi realizada em parceria com a cidade de Salto. E a segunda com municípios do Vale do Futuro – Iporanga Registro, Apiaí e Eldorado. Além dos artistas locais, os eventos reuniram várias atrações como Elza Soares, Paulo Miklos, Amilton Godoy, Ellen Oléria, Pato Fu, Pitty e Garotos Podres. Também foram realizadas as #ViradasSPOnline em parceria com as cidades de Rio Grande da Serra, Marília, Santa Bárbara D´Oeste com participação de artistas como Letrux, as bandas Mato Seco, Pedra Branca, Supla, Benito de Paula, Ana Cañas e Karol Conka, respectivamente.

“O formato digital, via plataforma #CulturaEmCasa, permite difundir amplamente e de forma gratuita a produção cultural das mais variadas linguagens de todas as regiões de São Paulo para o restante do Brasil e para outros países. Além de apresentar as características turísticas de cada cidade, selecionada no programa #JuntospelaCultura.  E este é o objetivo tanto da #ViradaSPOnline como da plataforma”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre a plataforma #CulturaEmCasa

A plataforma #CulturaEmCasa foi lançada no dia 20 de abril pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Seu objetivo é ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuito. Nos seis primeiros meses, registrou cerca de 2,2 milhões de visualizações e 1,7 mil conteúdos disponibilizados.  A plataforma reúne também conteúdos inéditos das instituições da Secretaria, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu do Futebol, o Museu da Diversidade Sexual, a São Paulo Companhia de Dança e o Projeto Guri. O conteúdo também é gerado por instituições parceiras e por artistas e produtores culturais independentes, que são remunerados pelo licenciamento. Trata-se, portanto, de um instrumento de geração de renda e oportunidades para o setor cultural e criativo de São Paulo. Na plataforma também é possível acessar a programação especial, transmitida em novembro, mês da Consciência Negra. Entre as principais atrações estão o I Festival Cinema Negro em Ação, o lançamento do Museu Itamar Assumpção (MU.ITA), com show de Anelis Assumpção.

Realizado também pela plataforma, o Festival #CulturaEmCasa apresenta lives de artistas representativos da diversidade cultural de São Paulo, como Renato Teixeira, José Celso Martinez Corrêa, Supla, Sérgio Mamberti, Tom Zé, André Abujamra, Cássio Scapin, Erasmo Carlos, o pianista Marcelo Bratke, Paula Lima e Alaíde Costa, Digão (Raimundos), João Suplicy, Lucy Alves e Rodrigo Penna, Dom Salvador e Bavini. É transmitido de sexta a domingo, às 21h30.

A plataforma segue apresentando as lives do Intensivão #CulturaEmCasa (que atualmente ocorre de segunda a quinta-feira às 17h). O Intensivão é uma série de aulas e palestras com temas diversos relacionados à arte e à criatividade. Já participaram nomes como Marcelo Tas, Débora Tabacof, Estéfi Machado, Ivam Cabral, Rita Von Hunty e Dona Jacira, Paulo Jackson (do Museu Catavento), Renata Lipia, William Coelho e Rogério Zaghi (Osesp), Moreira de Acopiara, Donny Correia, entre outros.

Ainda no formato live, a plataforma #CulturaEmCasa também lançou no dia 29 de junho, o programa #DiálogosNecessários, que reúne pensadores e profissionais de diversas áreas para reflexões plurais com abordagens diversificadas e antagônicas. Os encontros são moderados pelo ensaísta e professor de Literatura João Cezar de Castro Rocha e pelo jornalista Martim Vasques da Cunha. O #Diálogos Necessários é veiculado às segundas e quartas-feiras, às 17h. E de setembro a outubro, a plataforma exibiu o #SPGastronomia com lives de renomados Chefs, como André Boccato, Morena Leite e Mohamad Hindi.

 

Programação:

#ViradaSPOnline Araçatuba

12h      O Brasil no Cordel

13h      Submergir, com Companhia Obscenos

14h      Corpo na Cidade

15h      ELO, com T.F Style de Dança

16h      Roda Pião, Cia. Vêm Vindo Histórias

17h      Fabio Brazza com Daniel Tatit

18h20  Banda de Aruê – Cantoria Brasileira

19h      Roberta Campos

20h30  Rolando Boldrin

21h30  As Baías (As Bahias e a Cozinha Mineira)

23h      Banda RockNatu

00h      Guilherme Held: Corpo Nós, participações especiais: Lanny Gordin, Tulipa Ruiz, Iara Rennó e Gustavo Ruiz

+Cultura: Programa Oficinas Culturais segue programação on-line e amplia seu público no período de isolamento

 Em apenas três meses foram realizadas 60 atividades virtuais, 1.975 pessoas participaram das ações on-line

(mais…)

100 anos de Dora Ferreira da Silva: Casa das Rosas homenageia escritora com programação especial

O evento gratuito contará com palestras, apresentações musicais, roda de conversa, lançamento de livros e performances poéticas

No centenário de nascimento da poeta e tradutora Dora Ferreira da Silva, a Casa das Rosas presta sua homenagem à grande escritora paulista no dia 8 de julho, domingo, das 10h00 às 17h00. O evento Dora – 100 anos terá uma extensa programação artístico-cultural, incluindo palestras, roda de conversa, apresentações musicais, lançamento de livros e performances poéticas. Todas as atividades são livres, gratuitas e abertas ao público do museu, que integra da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Dora se dedicou a vida toda à poesia e ao ensaio, além de traduzir a obra de autores como Carl Gustav Jung, fundador da psicologia analítica. Seu primeiro livro de poesias foi Andanças, publicado em 1970, e sua primeira obra prestigiada foi Poemas da estrangeira, que ganhou o Prêmio Jabuti em 1995. Em permanente contato com jovens interessados em mitologia, psicologia e poesia, Dora fundou o Centro de Estudos Cavalo Azul, em 2003, do qual participaram os poetas Cláudio Willer e Rodrigo Petrônio.

Confira a programação completa do evento Dora – 100 anos:

10h00: Palestra – Dora Ferreira da Silva e a consciência da época na poesia brasileira
Com Enivalda Nunes Freitas e Souza, professora titular da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

11h00: Palestra – Na convergência extasiada: a correspondência entre Carlos Drummond de Andrade e Dora Ferreira da Silva
Com Lyza Brasil, pesquisadora do Instituto Moreira Sales (IMS)

13h00: Lançamento de livros – 2ª edição de Uma via de ver as coisas, de Dora Ferreira da Silva, e O olho do girassol, de Inês Ferreira da Silva Bianchi

14h00: Roda de conversa – Riqueza de perspectivas e o legado de Dora para a cultura brasileira
Com Rodrigo Petrônio, professor titular da Faculdade de Comunicação da FAAP

15h30: Recital de violão com Felipe Bianchi

16h00: Performances e leituras poéticas

17h00: Recital de música renascentista e barroca
Com Bernardo de Toledo Piza (flauta), Gabriel Bianchi (cravo) e Maria Inês Pinheiro de Toledo Piza (ukelele)

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO
Dora – 100 anos

Domingo, 8/7 – das 10h00 às 17h00

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

100% Favela: Fábricas de Cultura da zona sul apóiam tradicional festa no Capão Redondo

A edição conta com artistas como Rincon Sapiência, Mano Brown, Amanda Negra Sim, Lorena e muito mais

100% Favela é uma festa tradicionalmente realizada na Comunidade da Godoi (Capão Redondo) desde 2000. Nesse ano, o evento acontece nos dias 7 e 8 de setembro, sexta-feira das 9h às 17h e sábado, das 15h às 23h. As Fábricas de Cultura Capão Redondo e Jardim São Luís, da Secretaria da Cultura do Estado, auxiliam no evento como apoio técnico de produção, oferecendo equipamentos técnicos sonoros.

Organizado pelo Instituto Periferia Ativa e o grupo A Cúpula Negredo, o evento conta com diversas atrações ligadas ao Hip-Hop. O festival de sucesso da região é conhecido por shows com grandes nomes do rap, e esse ano estão confirmadas apresentações de Haikasss, Rincon Sapiência, Sampa Crew, Sergio Vaz, Mano Brown, Amanda Negra Sim e Lorena.

As Fábricas de Cultura são espaços da Secretaria da Cultura do Estado, de acesso gratuito, que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará: cursos e atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

 

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

SERVIÇO: 100% Favela

7 e 8/9. Sexta-feira, 9h às 17h; sábado, 15h às 23h.

Recomendação: livre.

Evento gratuito.

Local: Rua Adoasto de Godoy, 4 (continuação da Av. Sabin) – próximo ao metrô Capão Redondo

www.fabricasdecultura.org.br | Acessibilidade no local.

Assessoria de Imprensa – POIESIS

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Bete Alina Skwara | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

10ª Edição do Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

Programação trará palestrantes de diferentes países em sua programação.
(mais…)

10EPM abre inscrições para fornecedores exporem produtos e serviços para museus

Evento acontece de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo

O 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM) abre inscrições para que fornecedores de produtos e serviços para instituições museológicas participem do evento com mesas expositivas. O encontro, realizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado e ACAM Portinari, acontece de 18 a 20 de julho no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Em razão do espaço restrito, a participação é limitada a 14 fornecedores. O critério para a seleção será a ordem de solicitação de reserva. A previsão é que o 10EPM receba 900 pessoas, entre representantes de museus paulistas, de outros Estados e de fora do país.

O expositor deverá manter representantes nas mesas durante todo período de realização do encontro. Cada expositor terá direito a uma mesa de 1,80m x 0,45m com três cadeiras, além de prisma de identificação, com nome da empresa ou instituição impresso na fonte Arial, em preto. A participação é garantida após assinatura de contrato de locação de espaço.

Será permitido distribuir material de divulgação e brindes relacionados apenas à instituição responsável pela locação. Não serão oferecidos depósito para estocagem de materiais e vagas de estacionamento.

As reservas devem ser feitas pelo e-mail: finan2@acamportinari.org, com cópias para sisem@sp.gov.br. e maria@comunicarp.com.br.

O Encontro Paulista de Museus

Principal reunião da museologia de São Paulo e considerado um dos principais do setor em todo país, o Encontro Paulista de Museus completa 10 anos em 2018. O 10EPM também marca o retorno ao Memorial da América Latina, palco tradicional do encontro.

10EPM abre inscrições para fornecedores exporem produtos e serviços para museus

Evento acontece de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo

O 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM) abre inscrições para que fornecedores de produtos e serviços para instituições museológicas participem do evento com mesas expositivas. O encontro, realizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado e ACAM Portinari, acontece de 18 a 20 de julho no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Em razão do espaço restrito, a participação é limitada a 14 fornecedores. O critério para a seleção será a ordem de solicitação de reserva. A previsão é que o 10EPM receba 900 pessoas, entre representantes de museus paulistas, de outros Estados e de fora do país.

O expositor deverá manter representantes nas mesas durante todo período de realização do encontro. Cada expositor terá direito a uma mesa de 1,80m x 0,45m com três cadeiras, além de prisma de identificação, com nome da empresa ou instituição impresso na fonte Arial, em preto. A participação é garantida após assinatura de contrato de locação de espaço.

Será permitido distribuir material de divulgação e brindes relacionados apenas à instituição responsável pela locação. Não serão oferecidos depósito para estocagem de materiais e vagas de estacionamento.

As reservas devem ser feitas pelo e-mail: finan2@acamportinari.org, com cópias para maria@comunicarp.com.br e sisem@sp.gov.br.

 

O Encontro Paulista de Museus

 

Principal reunião da museologia de São Paulo e considerado um dos principais do setor em todo país, o Encontro Paulista de Museus completa 10 anos em 2018. O 10EPM também marca o retorno ao Memorial da América Latina, palco tradicional do encontro.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Gisele Turteltaub (11) 3339-8162 | gisele@sp.gov.br
Damaris Rota (11) 3339-8308| drota@sp.gov.br
Gabriela Carvalho (11) 3339-8070 | gabrielacarvalho@sp.gov.br
Stephanie Gomes (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br
Marina Teles (11) 3339-8164 | mteles@sp.gov.br

10EPM sedia encontro da Rede de Educadores de Museus de São Paulo (REM-SP)

Reunião acontece dia 19 de julho, das 18h às 20h, no Memorial da América Latina

(mais…)

10EPM sedia encontro da Rede de Educadores de Museus de São Paulo (REM-SP)

Reunião acontece dia 19 de julho, das 18h às 20h, no Memorial da América Latina

(mais…)

10EPM sedia reunião da Rede SIMUS

Ação integra atividades do primeiro dia do Encontro Paulista de Museus

(mais…)

10EPM: com a palavra, o público!

Troca de ideias e práticas, reencontros, novas amizades, fortalecimento de parcerias e aquisição de novos conhecimentos. Essas foram algumas das avaliações colhidas de participantes do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), iniciativa do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) e ACAM Portinari que reuniu representantes de instituições museológicas de todo o País de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Além de celebrar os dez anos ininterruptos do evento, a edição de 2018 também marcou o retorno do EPM à sua tradicional “casa”. Desde 2013, as atividades do Auditório Simón Bolívar haviam sido interrompidas devido às obras de restauro do Memorial.

O 10EPM marcou ainda a entrega, pela primeira vez, da Medalha de Mérito Museológico “Waldisa Rússio Camargo Guarnieri”. O homenageado foi o professor Ulpiano Bezerra de Meneses, aplaudido de pé e emocionando a todos.

Confira abaixo as impressões de alguns dos participantes durante o Encontro:

 

José Adilson dos Santos, secretário de Cultura e Turismo de Sertãozinho:

É o primeiro ano que venho. Quero parabenizar a organização do evento. Está tudo muito bem organizado, as atividades bem distribuídas, com temas propícios aos municípios presentes. Em Sertãozinho, há o Museu da Cidade e o Museu da Cana – e temos agora muito a fazer diante do que foi apreendido aqui no Encontro. Daqui estamos levando grandes ideias.

 

Lilian Vogel, gerente de Folclore e Cultura Popular da Prefeitura de Atibaia:

É um encontro muito bem organizado, muito bem pensado e sempre com as novas tendências da área museológica em pauta. Agora, por exemplo, estamos discutindo muito o museu de território, o museu colaborativo, museus de comunidades. Esses museus são exemplos de atitudes e de vontades que vão além dos muros do espaço físico. São momentos muito bons de reflexão.

 

Valnice Paiva, pedagoga e mestre em Educação e Contemporaneidade, de Salvador (BA):

É a primeira vez que participo do evento. Eu estudo brinquedos e brincadeiras tradicionais para crianças e tenho interesse de fazer um museu sobre brinquedos, jogos e brincadeiras tradicionais. Faço meu doutorado para a criação desse espaço. Por isso, aqui foi o lugar em que me encontrei, estou achando perfeitas a programação e a organização do EPM. Me vi chorando em algumas exposições e também com a fala de alguns participantes, pois aqui no Encontro achei o que estava procurando. Tudo isso, para mim, está sendo muito especial, pois me faz ver que a possibilidade de criação do nosso museu não é tão complexa quanto se pensa.

 

Rafael Barbi, representante do SISEM-SP na representação regional de Sorocaba:

Participo do EPM desde 2013, período em que fui gestor do Museu da Cidade de Salto. O Encontro é um dos pioneiros em discutir o que é o setor museológico de fato. Além disso, todos os anos a organização tenta transformar essa discussão, trazendo cada vez mais casos, não só da capital, mas também do interior. Nos três últimos anos, o EPM trouxe uma discussão muito importante: de que os museus, na verdade, são espaços sociais de resistência, quebrando um pouco aquela perspectiva de que eles são templos, como se fossem intocáveis. A comunidade tem de discutir o que está acontecendo lá dentro.

Vera Cardin, socióloga, especialista em museologia, doutora em antropologia, de São Paulo:

Vim a todas as edições do evento, pois fui responsável por acervos e trabalhei durante anos na Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo. Um encontro como esse é fundamental para o mundo dos museus e do patrimônio. Se não houver conversa, troca, o profissional está sempre muito sozinho. Conhecer os outros fazeres é fundamental. Para conseguir chegar a dez edições seguidas, é importante o envolvimento das pessoas. Quem trabalha com política pública sabe que, se não tiver a presença de pessoas envolvidas e interessadas, ela não perdura, porque a mudança de administração é inerente, faz parte do nosso sistema político. Especificamente sobre o 10EPM, estou gostando muito. É muito comum ficarmos restritos ao nosso universo. Quando você ouve outras pessoas falando sobre o que é museu, aquilo te reinventa, você se estimula e faz a crítica: não estou sozinho, o que eu faço tem sentido, o museu está dentro de um contexto maior.

 

Sérgio Rodrigues Gonzalez, gestor do Museu da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil, de Santo André:

Desde que me formei como técnico em Museologia, há cinco anos, eu participo do EPM. Gosto muito dos debates em torno da gestão e governança dos museus, como mantê-los vivos. Em nosso museu, por exemplo, os veteranos de guerra antes eram em grande quantidade; mas foram morrendo e, hoje, o museu passa por dificuldades por falta de recursos financeiros. Isso porque a criação e manutenção do museu vinham da mensalidade de uma centena de veteranos. Hoje, nós temos apenas dois. Para suprir isso, estamos tentando fazer uma Associação dos Amigos do Museu. O Encontro ajuda a pensar nessas soluções.

10EPM: Entrevista com o procurador da República, Sérgio Suiama

Polêmica em torno do fechamento da exposição “Queer Museum”

foi debatida pelo representante do Ministério Público Federal

Participante da mesa “Desafios éticos contemporâneos para museus”, parte da programação do primeiro dia de atividades do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), o procurador da República, Sérgio Suiama, foi um dos autores da Nota Técnica referente à liberdade artística em face do direito de crianças e adolescentes – publicada por ocasião da polêmica referente ao “Queer Museum”.

Na entrevista a seguir, ele aponta, em resumo, quais são os desafios éticos enfrentados hoje pelos museus e quais ainda estão por vir.

Ocorrido de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, o 10EPM foi uma realização do Sistema Estadual de Museu (SISEM-SP) e ACAM Portinari.

 

SISEM-SP: Quais são os desafios éticos contemporâneos para museus?

 

Sérgio Suiama: Creio que são muitos. Em minha intervenção, busquei analisar o fechamento precoce da exposição “Queer Museum: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, um caso em que o Ministério Público Federal atuou buscando defender a liberdade de expressão artística sacrificada pela atuação de grupos contrários à exibição.

SISEM-SP: Quais debates éticos ainda precisam ser feitos nos museus? Que papel os museus podem exercer socialmente para essa discussão?

 

Sérgio Suiama: Os artistas e museus que trabalham com temáticas potencialmente incômodas estão expostos a formas difusas de violência social, agravadas, nos tempos atuais, pela crescente incapacidade de diálogo e de reflexão crítica. Neste cenário, há um risco grande de censura e autocensura a produções culturais. Há um clima de medo e insegurança, que somente pode ser vencido com informação adequada e coragem para enfrentar a atual onda reacionária, fundada na exploração política de pautas morais e na difusão do pânico social.

10º Encontro Paulista debate os principais desafios éticos dos museus na atualidade

Painel reúne professor da USP, Christian Dunker, e procurador da República, Sérgio Suiama

(mais…)

10º EPM reúne instituições museológicas paulistas em julho – confira a programação

O principal evento que reúne as instituições museológicas do estado de São Paulo, realizado pelo SISEM-SP em parceria com a ACAM Portinari, retorna ao Memorial da América Latina entre os dias 18 e 20 de julho com três dias de programação e muitas novidades. A programação completa do Encontro Paulista de Museus está disponível no site www.sisemsp.org.br/epm/programacao. Confira os destaques:

Encontro Paulista de Museus – Divulgação

Na manhã do primeiro dia de evento,  será entregue a medalha Waldisa Rússio Camargo Guarnieri, que homenageia uma das principais personalidades da Museologia Brasileira, no pensamento crítico e teórico do setor. Quem receberá a condecoração será o professor Ulpiano Bezerra de Meneses – especialista em História Antiga e Social, Letras Clássicas e Arqueologia, organizador (1963-8) e diretor (1968-78) do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP e diretor do Museu Paulista/USP (1989-1994).

No mesmo dia, ocorre a conferência internacional de Luigi Di Coratto, diretor da Fondazione Brescia Musei, e em seguida o painel “Desafios éticos contemporâneos para museus” com a doutora Débora Duprat, procuradora federal dos Direitos do Cidadão, e Christian Dunker, professor do Instituto de Psicologia da USP e um dos criadores do Laboratório de Teoria Social, Filosofia e Psicanálise da USP. Também neste dia, o encontro das regionais do SISEM-SP discutirá a eleição das novas representações de cada região.

A programação do segundo dia contempla uma sessão ao vivo sobre “Democratização de processos museológicos: participação das comunidades e públicos” e cinco mesas de debates consecutivas com temas variados. A programação do dia será finalizada com a Reunião da Rede de Educadores de Museus de São Paulo (REM-SP) que contará com o lançamento do e-book “Rede de Redes – Diálogos e Perspectivas das Redes de Educadores de Museus no Brasil”, da REM-SP em conjunto com o SISEM-SP e ACAM Portinari, bem como o lançamento da versão digital da publicação “Como gerir um museu”, em parceria com a Pinacoteca de São Paulo, o ICOM e a Unesco.

O último dia do EPM começa com sessão ao vivo sobre “Ações de fomento à participação”. Na sequência, será apresentado o “Balanço e as Perspectivas” do SISEM-SP e em seguida anunciado o resultado das eleições para o Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM) e também os nomes dos novos representantes regionais eleitos. O destaque desta manhã fica por conta da entrega dos certificados às instituições cadastradas no Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP). No período da tarde, acontece a programação integrada com Oficinas no Centro de Pesquisa e Formação (CPF) do Sesc-SP sobre “Museus em transformação – participações e autonarrativas” e “Processos participativos na elaboração de Planos Museológicos: potências e desafios”. Paralelamente, no Auditório Simón Bolívar, será realizado o seminário “O Legado de Waldisa Rússio: liderança, formação, ética profissional e pesquisa em museologia”.

Para conhecer a programação completa, acesse www.sisemsp.org.br/epm/programacao. As inscrições podem ser feitas pelo site www.sisemsp.org.br.  

10º Encontro Paulista de Museus (10EPM)

Data: 18 a 20 de julho

Local: Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – São Paulo/SP

Programação:  www.sisemsp.org.br/epm/programacao

Informações: (11) 3339-8208 / www.sisemsp.org.br

12 Paradas LGBTI+ são contempladas no edital +Orgulho do Governo do Estado de São Paulo

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, a organização social de cultura APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte e o Museu da Diversidade Sexual divulgam resultado do chamamento público +Orgulho, programa que tem como objetivo apoiar ações de visibilidade e valorização da cultura LGBTI+ pelo interior e litoral do estado de São Paulo, conhecidas como Paradas do Orgulho.

Em sua primeira edição, em 2017, o programa apoiou 10 Paradas do Orgulho LGBT, atingindo 42 mil pessoas. As paradas contempladas receberam grande atenção da mídia, como jornais, rádios e emissoras de TV, principalmente locais, que fizeram a divulgação e a cobertura do evento.

Em razão do sucesso do programa, em 2018 o Governo do Estado de São Paulo resolveu aumentar o número de projetos apoiados, de 10 para 12. O destaque desta edição foi o aumento de inscritos no programa e o desenvolvimento de novos projetos de Paradas em diversos municípios, como Iguape, Votorantim e Olímpia, que tiveram um impacto muito positivo para a população LGBTI+ local e do município.

Para esta edição, uma comissão composta por membros da sociedade civil e órgãos públicos se reuniu no dia 02 de maio de 2019 e selecionou 12 projetos, levando em consideração a diversidade, o impacto para a promoção dos direitos humanos e a localização geográfica para garantir a representatividade das diferentes regiões do estado.

Confira quais foram os projetos selecionados no chamamento + Orgulho de apoios às Paradas do Interior e Litoral do Estado de São Paulo e suas respectivas datas:

Bauru – 25 de agosto

Campinas – 30 de junho

Catanduva – 17 de novembro

Iguape – 08 de setembro

Lins – 30 de junho

Marília – 29 de setembro

Mogi das Cruzes – 28 de julho

Santos – 29 de setembro

São Joaquim da Barra – 14 de julho

São João da Boa Vista – 21 de julho

Sertãozinho – 15 de setembro

Votorantim – 04 de agosto

Projetos suplentes

Casa Branca

Limeira

Mogi Guaçu

Peruíbe

Serrana

Vinhedo

12ª edição do Seminário Internacional Biblioteca Viva discute desafios do setor com participação de especialistas da Alemanha e Colômbia

Cornelia Vonhof, da Stuttgart Media University, na Alemanha; Juan Pablo Angarita Bernal, especialista em cultura digital da Secretaria de Cultura, Lazer e Esportes de Bogotá; Ailton Krenak, líder indígena e ambientalista; e a poeta pernambucana Cida Pedrosa estão entre os convidados do encontro virtual 

12ª edição do Seminário Internacional Biblioteca Viva – Bibliotecas para todos nós, para hoje e para o futuro será realizada de 2 a 6 de agosto, de forma on-line. Os encontros irão debater o impacto da pandemia nas bibliotecas e as novas possibilidades e experiências. O evento, realizado pelo Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, é gratuito e tem inscrições (para cada uma das atividades) disponíveis no site do Seminário Internacional Biblioteca Viva.

Estarão em pauta a formação de acervos inclusivos e diversos, a relação de acolhimento das bibliotecas com suas comunidades, a participação ativa da sociedade civil na construção de políticas públicas culturais, e as experiências bem-sucedidas de clubes de leitura no formato virtual e presencial.

Cornelia Vonhof, da Stuttgart Media University, na Alemanha, abordará os desafios, tendências e atuação social das bibliotecas no cenário pós-pandêmico em palestra que será mediada pelo diretor executivo da SP Leituras, Pierre André Ruprecht. Já Ailton Krenak, líder indígena e ambientalista, e a poeta pernambucana Cida Pedrosa trarão seus pontos de vista, em uma mesa-redonda, mediada por Bianca Santana, sobre leituras, literaturas e bibliotecas. Destaque, ainda, para a conversa sobre curadoria e formação de acervos inclusivos e diversos, com Cida Fernandez, do Centro de Cultura Luiz Freire; Hosana de Moraes Santos, da SP Leituras; e Maria das Graças Castro, da UFG / FEBAB, com mediação da vice-presidente da FEBAB, Adriana Ferrari. Também consta entre as atividades, o debate sobre letramentos informacional, literário e digital, que tem, entre seus convidados, o colombiano Juan Pablo Angarita Bernal, especialista em cultura digital da Secretaria de Cultura, Lazer e Esportes de Bogotá.

Mesas-redondas multidisciplinares, conversas com diferentes recortes dentro deste universo temático, apresentação de painéis com experiências bem-sucedidas e inspiradoras de bibliotecas brasileiras e palestras também integram a programação.

Serviço

12º Seminário Internacional Biblioteca Viva – Bibliotecas para todos nós, para hoje e para o futuro

Data: 2 a 6 de agosto de 2021

Inscreva-se no site do SisEB

Acompanhe a programação no site do seminário

O evento virtual terá programação com transmissão ao vivo no canal do SisEB no YouTube

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Assessoria de Imprensa (11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Acompanhe a Cultura: Site | Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube

12ª Mostra da Cooperifa vai passar pela Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Uh, Cooperifa! Uh, Cooperifa! A periferia de São Paulo vai oferecer muita cultura em outubro (mais…)

13º Viagem Literária: ‘Os poemas estão no mundo a espera de serem lidos, ouvidos e amados’, diz Bruna Berber

Poeta, tradutora e mestranda em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas, Bruna Berber está entre os convidados do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, a autora e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro da escritora ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Bruna é autora dos livros “A fila sem fim dos demônios descontentes”, “Balés, Rapapés & Apupos”, “Rua da Padaria”, “Ladainha”, e o infantil “Zebrosinha”. Seus poemas foram publicados em antologias na Argentina, Espanha, Estados Unidos, México e Portugal.

Participa também de eventos literários no Brasil e exterior, entre eles a Festa Literária Internacional de Paraty e a Göteborg Book (Suécia). Aliado à literatura, realiza trabalhos em artes visuais. Em  2016, fez sua primeira exposição individual, “Brinquedos Espalhados”. https://brunabeber.com.br/

A seguir, ela antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia é o espaço da voz, do pensamento e do sonho no mundo há alguns séculos; ao longo das eras e a despeito de todas as invenções, sempre se escreveu, se falou e se transmitiu poesia, seja por meio do poema escrito ou da oralidade. Ou seja, sempre se leu e se ouviu poesia. O João Cabral de Melo Neto diz num poema de 1938 que “(…) a poesia circula livremente entre os bloqueios (…) e às vezes eu acho que a poesia é a única coisa que nos resta, mas pensando bem talvez ela seja uma das coisas que nos resta e que sempre nos restará, porque a poesia é uma maneira de se estabelecer relações com o mundo, uma relação profunda, vasta e duradoura.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Os poemas estão no mundo a espera de serem lidos, ouvidos e amados. Eles não têm pressa alguma, pois a sorte é de quem com eles se encontrar. De cabeça, eu cito “A morte do leiteiro”, do Drummond, e tantos outros do livro “Rosa do Povo”. Acho que Drummond é a porta principal. E já que falei dele acima, o poema “Guerra”, de João Cabral de Melo Neto. Um poema sem título, do primeiro livro de Hilda Hilst, que começa assim “Olhamos eternamente para as estrelas como mendigos que eternamente olham para as mãos (…). Todo poema do Manoel de Barros também é uma porta principal para a poesia, é até difícil citar um só, gosto muito do livro “Gramática Expositiva do Chão”.

Além de Bruna Berber, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Bruna Berber:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

23/11 –  Pereira Barreto – Biblioteca Castro Alves

24/11 – Ilha Solteira – Biblioteca Assis Chateaubriand

25/11 –  Santa Fé do Sul – Biblioteca Francisco Santana Carneiro Filho

26/11 – Fernandópolis – Biblioteca Profa. Cleusa Maria Papani de Queiroz

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

13º Viagem Literária: ‘Quem escreve ou lê uma poesia sente o mundo e não apenas faz parte dele’, diz Patrícia Meira

Poeta, escritora, romancista, compositora e oficineira, Patrícia Meira está entre os convidados do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, a autora e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro da escritora ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Nascida e criada em Itajuípe (BA), Patrícia tem quatro livros publicados: “Por amar outra mulher”, “Resisto”, “É amor que você quer? Então Toma!”, “Manual da Imoralidade” e o romance “Emaranhado”, convidado para lançamento em Nova York, em 2019.

Uma das poetas mais respeitadas no slam brasileiro, vencedora da Copa da Argentina de Poesia, vice-campeã Paulista do Slam SP e finalista do Slam BR. Seu trabalho foi inserido no material didático das escolas municipais de São Paulo. Para segui-la, no Instagram, basta acessar @poetapatriciameira.

A seguir, Eliane antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia, desde a antiguidade, é uma peça fundamental utilizada por pensadores reconhecidos mundialmente. E, não diferente do nosso tempo, por trabalhadores e principalmente por artista para criticar, advertir e conscientizar determinados grupos sociais. O papel da poesia é nos unir enquanto povo e nos fazer sentir o mundo de maneira pura e genuína. Quem escreve ou lê uma poesia sente o mundo e não apenas faz parte dele.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Na verdade, não existe um poema em que se deve usar como base, pois a poesia contemporânea nada mais é que uma junção de sentimentos que fervilham em nossas cabeças. Existem lutas com as quais você se identifica, existem dores que você quer expurgar, existem sentimentos que precisam ser resinificados. E resinificar não é romantizar, é sentir de outro jeito, é dividir e trazer mudança a partir do que foi escrito, se não para o outro que seja minimamente para si. Apesar de não existir um poema que nos fará ingressar na literatura contemporânea, existem escritores que trarão novas visões sobre diversos assuntos, então a minha recomendação é que se leiam escritores vivos e de preferência escritores independentes.

Além de Patrícia Meira, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Berber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Patrícia Meira:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

23/11 – Ubarana – Biblioteca Emiliana Vilerá

24/11 – Avanhandava – Biblioteca Gilberta Neide dos Reis Corbucci

25/11 – Promissão – Biblioteca Siná Hoeppner

26/11 – Lins – Biblioteca Nicolau Zarvos

27/11 – Cafelândia – Biblioteca de Cafelândia

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

13º Viagem Literária: “A poesia é a minhoca na pescaria de novos leitores”, diz Jonas Samaúma

Poeta, escritor, cordelista e contador de histórias, Jonas Samaúma (fotos nos links abaixo) está entre os convidados a participar do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, o autor e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro completo dele no serviço ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Samaúma tem cinco livros publicados, três infantis e dois independentes, sendo um deles finalista do prêmio Jabuti na categoria de melhor livro infantil digital. Autor de dois cordéis, integra o coletivo Poetas Ambulantes e o Sarau do Binho.

Vários videopoemas de Samaúma foram veiculados no Canal Curta! É criador do Portarot e Contarot de Histórias e, desde os 8 anos, ministra oficinas de criação poética em todo país, em bibliotecas, festivais literários e escolas.

A seguir, ele antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia é a minhoca na pescaria de novos leitores. Estamos em um tempo acelerado, corrido, completamente mergulhado em mídias sociais, e nesse tempo voador, seja um poema gritado por um poeta num ônibus, pichado em uma parede onde os trabalhadores visualizam a caminho do trabalho, ou postado nas redes sociais, atinge pessoas que não chegam nos romances e contos… De repente fisgados pela beleza lírica de um único verso a poesia capta as pessoas pras outras formas de literatura. Também é importante ressaltar a cena dos saraus e dos slams contemporâneos, da qual eu faço parte, nessa cena inédita na nossa literatura, as pessoas periféricas, negras, se tornam não apenas leitores, mas também autores de textos novos, criativos, potentes e antenados nesse novo tempo. Portanto, a poesia hoje tem esse diferencial de aproximar muitas pessoas historicamente excluídas não só do ler, mas do fazer literário, e assim ela cumpre um papel terapêutico individualmente e transformador coletivamente.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Como poeta, acredito fielmente que a poesia é uma medicina, como diria Mario Quintana em “Quem faz um poema salva um afogado”. Para descobrir qual poeta é essencial pra você é necessário saber qual o seu afogamento, qual ar precisa entrar. O escritor mais essencial na minha vida é o Manoel de Barros. Se você ama natureza, a desconstrução do pensamento, os jogos de palavra, mergulhe no Manoel. Agora, se o seu coração está doendo, está partido de amor, Florbela Espanca e Vinícius de Moraes são a pedida certa. Se você quer entender mais de poesia negra do passado e do presente: Carolina Maria de Jesus, Solano Trindade, Miró da Muribeca e Luz Ribeiro suprirão suas expectativas. Se você ama poesia narrativa e gosta de histórias e quer entender mais a condição do nordestino, vá correndo ler Patativa do Assaré! Sua linguagem é mais pop? Alice Ruiz e Paulo Leminski são flechas certeiras. A única poesia essencial é a que toca seu coração. Se você ama poesia de verdade, digo sem pestanejar que Fernando Pessoa é o maior poeta que já pisou nesse planeta, com destaque ao poema “Tabacaria”. Mas, cuidado, sua literatura vicia mais que o cigarro.

Além de Jonas Samaúma, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão, e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Jonas Samaúma:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h

16/11 – Rosana – Biblioteca de Primavera

17/11 – Anhumas – Biblioteca de Anhumas

18/11 – Parapuã – Biblioteca Bruno Giovannetti

19/11 – Rancharia – Biblioteca Castro Alves

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

13º Viagem Literária: “É importante termos a poesia, com visibilidade, diz Lubi Prates

Poeta, tradutora, editora, curadora de literatura e doutoranda em Psicologia do Desenvolvimento Humano (USP), Lubi Prates está entre os  convidados a participar do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, a autora e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro completo no serviço, ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Prates é autora dos livros “Coração na Boca”, “Triz” e “Um Corpo Negro” (bolsa de criação e publicação de poesia pelo Programa de Ação Cultural). Esta última obra está em processo de publicação na Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Espanha e França, além de ter sido finalista do 61º Prêmio Jabuti e do 4º Prêmio Rio de Literatura.

A autora publicou em plaquetes, antologias e revistas nacionais e internacionais. Sócia-fundadora da nosotros, editorial, edita a revista literária Parênteses e dedica-se a ações que combatem a invisibilidade de mulheres e negros.

A seguir, ela antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

Eu gosto muito de pensar que poemas são como uma “janela”: nos dá acesso à paisagem que está além das paredes, mas sem nos transportar pra lá. Aquilo de “fazer muito com pouco”. Pela poesia ser um gênero, geralmente, mais curto e os poemas poderem ser lidos de forma independente, sem uma sequência pré-estabelecida, creio que nos gere essa sensação de ser uma necessidade a ser suprida imediatamente. Assim como os outros gêneros literários, é importante termos a poesia, com visibilidade.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

“Da calma e do silêncio”, de Conceição Evaristo.

Além de Lubi Prates, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão, e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Lubi Prates:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h

16/11 – Junqueirópolis – Biblioteca Prof. Jarbas de Barros Cézar

17/11 – Adamantina – Biblioteca Cônego João Baptista de Aquino

18/11 – Herculândia – Biblioteca Francisco Rodrigues Simões

19/11 – Marília – Biblioteca João Mesquita Valença

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

13º Viagem Literária: Para Eliane Marques, poesia é “ato originário da linguagem, que não se esgota e nem se fecha

Poeta, ensaísta, coordenadora da Escola de Poesia e editora da revista Ovo da Ema, Eliane Marques está entre os convidados do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, a autora e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro da escritora ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Eliane publicou “Relicário” e “E se alguém o pano” (Prêmio Açorianos de Literatura 2016). Com outras autoras lançou “Arado de Palavras e Blasfêmeas: mulheres de palavra”. Traduziu “O Trágico em Psicanálise”.

Atualmente, ela trabalha na tradução do livro “Pregón de Marimorena”, da poeta uruguaia Virginia B. de Salas (Figura de Linguagem) e finaliza o seu poemário “O poço das Marianas” (Escola de Poesia).

A seguir, Eliane antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia é mais e menos que forma ou gênero literário. É ato originário de linguagem, que não se esgota nem se fecha, que quanto mais se mostra, mais se esconde e margeia. Nesse ponto, inconfundível com a língua, embora com essa se relacione num campo de permanente tensão e conflito.

Num momento em que se esperam da ciência ou da religião respostas a todas as questões que nos rodeiam, em que estamos enclausurados em explicações científicas ou à espera delas, tanto que nem podemos respirar; num momento em que tudo está marcado por uma língua de determinação que transforma a “qualquer coisa” em assunto, mais a poesia se torna importante, não como aquilo que está, mas como aquilo que falta.

E o que falta? Um espaço que não seja outro âmbito também de judicação, de inquisição, de julgamento; mas sim de abertura para dizer o que não pode ser dito ou vivido nesses outros campos onde qualquer palavra é refém de um determinante.
A poesia importa para preservar o assombro diante da falta de explicação de que alguma coisa seja ou não seja, especialmente agora que estamos num labirinto onde as janelas são apenas as da linguagem autorreferida do Windows.

Segundo a psicanálise, somos mortais porque falamos, porque a linguagem nos constitui. Pois bem, a linguagem poética é aquela possível de outra linguagem estranha ao terreno duro da constituição como único, como idêntico a si mesmo; portanto, de modo diverso das ciências, que nos trancam num suposto real, a linguagem poética enseja a invenção de outro real, avesso ao campo do verdadeiro e do falso. Fazendo esse movimento de nos jogar contra os limites da língua, ela renova e permite respirarem as gentes, as ciências e os outros campos da arte.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Se partimos do pressuposto de que o poema é estranho à linguagem da adjudicação, o primeiro passo para responder à questão exige que se considere esse pressuposto. Portanto, não há poemários ou poemas que devemos ler antes de outros, porque, se assim afirmarmos, abandonaremos o campo do poema e entraremos no campo da lei, do direito, do que “deve ser”. A única lei a ser respeitada é a do rechaço ao poema único, ao poeta único, à escola única, ao continente, país, gênero ou cor únicos.

Além de Eliane Marques, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Berber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Eliane Marques:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

23/11 – Barão de Antonina – Biblioteca Profa. Sueli Wippich de Campos

24/11 – Fartura – Biblioteca Prof. Roberto Moreira

25/11 – Pardinho – Biblioteca de Pardinho

26/11 – Tatuí – Biblioteca Brigadeiro Jordão

27/11 – Itapetininga – Biblioteca Dr. Júlio Prestes de Albuquerque

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

13º Viagem Literária: Para Pedro Marques, a poesia é “uma das estrelas da cultura contemporânea”

Poeta, compositor, crítico e professor de literatura brasileira da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (Unifesp), Pedro Marques está entre os  convidados a participar do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, o autor e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro do escritor no serviço, ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Marques é também pós-doutor em Culturas e Identidades Brasileiras, mestre e doutor em Teoria e História Literária, bacharel e licenciado em Letras. Editor das revistas de poesia “Salamandra” (2001), “Camaleoa” (2002) e “Lagartixa” (2003) e dos sites Poesia à Mão e Crítica&Companhia. Autor dos livros de poesia “Olhos nos Olhos”, “Clusters” e “Cena Absurdo”, entre outras publicações. https://poesiaamao.com.br/que-quem/

A seguir, ele antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

Do ponto de vista do mercado editorial, a poesia não pesa muito na balança, não é o seguimento que alavanca vendas ou campanhas publicitárias. Mas para além do livro de poemas como produto comercial, a poesia pulsa por todos os cantos. A poesia fala pela boca de qualquer um que cantarole uma canção popular, do rap ao samba. Em torno da poesia os jovens se reúnem para versar suas magoas em slams. Poetas, aos montes, oferecem seus livretos e cordéis, impressos às vezes artesanais, pelas praças e pelos pontos de ônibus do país. Assim, mesmo que hoje não haja nenhum poeta brasileiro com status de celebridade, algo como um Felipe Neto dos versos, a poesia como coletividade está vivíssima. A poesia em si, como arte da palavra ritmada na escrita e na oralidade, que perpassa idades, camadas sociais e diversificadas mídias é, sem dúvida, uma das estrelas da cultura contemporânea. E isso talvez seja um fenômeno da nossa época. Não temos grandes caciques poetas, como em outros períodos, mas temos milhares de tribos poéticas para reconhecer e respeitar.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Em culturas marcadas pela oralidade, como a nossa, começamos ouvindo poemas. Seja porque os pais podem cantar e ler para as crianças. Seja porque, ainda antes de alfabetizados, escutamos canções e adivinhas recheadas de poesia. Seja, ainda, porque ouvimos mil aventuras ritmadas, brotando, inclusive, de bocas que nos beijam. Assim, reencontrar escrito todo esse legado, em princípio oral, costuma ser uma ótima (re)iniciação poética. Por exemplo, ler o texto de um cordel que já conhecemos o enredo de ouvir falar. Um encarte de um disco com canções que sabemos de cor. Depois, podemos partir para obras que desconhecemos, mas que estão próximas desse universo afetivo, tais como “Ou isto ou Aquilo”, de Cecília Meireles, ou “Cavalgando o arco-íris”, de Pedro Bandeira. Uma vez bem regadas essas sementes poéticas, em casa, na comunidade ou na escola, os novos leitores não terão medo de nenhuma cara feia poética. Poderão conversar com Vinícius de Moraes, Maria Lucia Alvim, Ricardo Aleixo, Mel Duarte e quem mais chegar. Toda poesia será um convite para o leitor bem cultivado!

Além de Pedro Marques, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Pedro Marques:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

16/11 – Mococa – Biblioteca Dr. Almeida Magalhães

17/11 – Santa Rita do Passa Quatro – Biblioteca Dr. Evandro Mesquita

18/11 – Santa Cruz das Palmeiras – Biblioteca Monteiro Lobato

19/11 – Espírito Santo do Pinhal – Biblioteca Thiago Henrique Tonon Salvi

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

13º Viagem Literária: Programa de fomento à leitura chega à terceira e última semana

O 13º Viagem Literária chega à terceira e última semana do módulo “Poesia: Oficinas e bate-papos com escritores”. Entre os dia 23 e 27 de novembro, quatro autores percorrerão 18 cidades do interior do Estado de São Paulo, ministrando aulas expositivas e conversando com o público sobre o ofício dos poetas. São eles: Bruna Beber, Eliane Marques, Patrícia Meira e Rodrigo Ciríaco.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Desde que o programa começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Ao todo, o módulo “Poesia: Oficinas e bate-papo com escritores” percorrerá 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista. O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, seguirá o mesmo circuito.

A programação completa, com os artistas e grupos que fazem parte de cada etapa, pode ser conferida no site oficial do 13º Viagem Literária: www.viagemliteraria.org.br.

Confira o roteiro dos escritores, que percorrerão, cada um deles, cidades próximas no período de uma semana:

Módulo 1: “Poesia: Oficinas e bate-papos com escritores”

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h

– Bruna Berber

23/11 –  Pereira Barreto – Biblioteca Castro Alves

24/11 – Ilha Solteira – Biblioteca Assis Chateaubriand

25/11 –  Santa Fé do Sul – Biblioteca Francisco Santana Carneiro Filho

26/11 – Fernandópolis – Biblioteca Profa. Cleusa Maria Papani de Queiroz

– Eliane Marques

23/11 – Barão de Antonina – Biblioteca Profa. Sueli Wippich de Campos

24/11 – Fartura – Biblioteca Prof. Roberto Moreira

25/11 – Pardinho – Biblioteca de Pardinho

26/11 – Tatuí – Biblioteca Brigadeiro Jordão

27/11 – Itapetininga – Biblioteca Dr. Júlio Prestes de Albuquerque

– Patrícia Meira

23/11 – Ubarana – Biblioteca Emiliana Vilerá

24/11 – Avanhandava – Biblioteca Gilberta Neide dos Reis Corbucci

25/11 – Promissão – Biblioteca Siná Hoeppner

26/11 – Lins – Biblioteca Nicolau Zarvos

27/11 – Cafelândia – Biblioteca de Cafelândia

– Rodrigo Ciríaco

23/11 – Cananéia – Biblioteca Eduardo Boechat Ramos

24/11 – Ilha Comprida – Biblioteca Romeu Cabeça

25/11 – Itanhaém – Biblioteca Poeta Paulo Bomfim

26/11 – Cubatão – Biblioteca Prof. João Rangel Simões

13º Viagem Literária: Wilberth Salgueiro sugere lista com mais de 30 de poetas e poemas fundamentais

Pesquisador e professor de literatura brasileira da Universidade Federal do Espírito Santo, Wilberth Salgueiro está entre os  convidados a participar do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, o autor e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro do escritor no serviço, ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Salgueiro é autor dos livros de poema “Digitais”, “Personecontos” e “O jogo”, “Micha & outros sonetos”, do infantojuvenil “O que é que tinha no sótão” e estudos literários “A primazia do poema”, “Poesia brasileira: violência e testemunho, humor e resistência”, “Prosa sobre prosa: Machado de Assis”, “Guimarães Rosa, Reinaldo Santos Neves e outras ficções”, “Lira à brasileira: erótica, poética, política”, “Forças & formas: aspectos da poesia brasileira contemporânea (dos anos 70 aos 90)”. É colunista do jornal Rascunho.

A seguir, ele antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia sobrevive e resiste a todos os tempos, porque ela se faz, explicitamente, na forma de poema, mas se espalha, se infiltra, se insinua em todos os gêneros literários e, ademais, em todas as formas de arte, seja numa letra de canção, num gesto teatral, numa pincelada, num ângulo de câmera etc.

Em termos específicos, se a poesia – como mercadoria comercial – não é um gênero que “vende” muito, no entanto, sua história e abrangência dão a ela um lugar de destaque. Os poetas são figuras emblemáticas do lugar e do tempo em que vivem. Como disse um poeta-crítico, os poetas são as antenas da raça; e outro parodiou, são as antenas da praça. Ou seja, a poesia capta um clima de época (raça) e milita pela transformação das coisas (praça).

Ainda mais pontualmente, a poesia tem sua importância por ser uma expressão artística que, lidando hegemonicamente com a palavra (pois há poemas apenas visuais, sonoros etc.), articula sentimento e pensamento, maneira e matéria, intuição e razão, de modo que forma e conteúdo se indissociam.

Embora ainda poetas e leitores tenham uma concepção muito romantizada e idealizada do que venha a ser poesia, o fato é que a poesia preserva sua importância porque ela é um lugar em que prevalece a surpresa: nem o poeta sabe bem a forma que sua ideia tomará no papel, nem tampouco o leitor sabe o que virá ao virar a página.

A poesia parece a expressão literária mais “democrática”: qualquer pessoa pode se aventurar a elaborar seus versos, e mesmo divulgá-los nas redes sociais. Assim, desde Homero, a poesia vai se metamorfoseando e se firmando como um poderoso meio e veículo para que as pessoas se envolvam com a forma artística, ampliando e depurando seus modos de sensibilidade e reflexão.

Por fim, a poesia dá prazer, surpreende, faz pensar, alegra e entristece, abala convicções. A poesia dá uma dimensão nova à vida de quem a toca.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Não há resposta certa ou única para tal questão. Os poemas variam em complexidade formal, de assuntos, de técnicas, ao longo de séculos.

De todo modo, sugiro abaixo uma lista, entre clássicos e esquecidos, com apenas um poema de alguns poetas brasileiros. Gostando, o leitor pode e deve ler mais e mais poemas e livros daquele poeta.

1. Manuel Bandeira: “Libertinagem”
2. Carlos Drummond de Andrade: “A máquina do mundo”
3. João Cabral de Melo Neto: “Tecendo a manhã”
4. Cecília Meireles: “Gargalhada”
5. Augusto de Campos: “Luxo”
6. Gregório de Matos: “Pequei, Senhor, mas não porque hei pecado”
7. Paulo Leminski: “M, de memória”
8. Ana Cristina Cesar: “Primeira lição”
9. Ferreira Gullar: “Estrela”
10. Olavo Bilac: “Ora (direis) ouvir estrelas!”
11. Adélia Prado: “Com licença poética”
12. Cruz e Sousa: “Caveira”
13. Álvares de Azevedo: “É ela! É ela! É ela! É ela!”
14. Gilka Machado: “Ser mulher”
15. Castro Alves: “O adeus de Teresa”
16. Gonçalves Dias: “Canção do exílio”
17. Glauco Mattoso: “Do decoro parlamentar”
18. Mário de Andrade: “Meditação sobre o Tietê”
19. Leila Míccolis: “(H)Ojeriza”
20. Murilo Mendes: “Canção do exílio”
21. Vinicius de Moraes: “Soneto de intimidade”
22. Ricardo Aleixo: “Rondó da ronda noturna”
23. Elisa Lucinda: “Aviso da lua que menstrua”
24. Paulo Henriques Britto: “Horácio no Baixo”
25. Machado de Assis: “Suave mari magno”
26. Hilda Hilst: “A rainha careca”
27. Haroldo de Campos: “Servidão de passagem”
28. Waldo Motta: “Religião”
29. Oswald de Andrade: “Pronominais”
30. Jorge de Lima: “Essa negra Fulô”
31. Alphonsus de Guimaraens: “Ismália”
32. Augusto dos Anjos: “Versos íntimos”
33. Cacaso: “Jogos florais”
34. Cláudia Roquette-Pinto: “Sítio”

Além de Wilberth Salgueiro, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Allan da Rosa, Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Wilberth Salgueiro:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

16/11 – Indaiatuba – Biblioteca Rui Barbosa

17/11 – Itu – Biblioteca Prof. Cid Rocha

18/11 – Alumínio – Biblioteca Antônio Pereira Ignácio

26/11 – Itapevi – Biblioteca Monteiro Lobato

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: viagemliteraria.org.br

14ª Primavera dos Museus: “Mundo digital” pautará lives do Museu da Imigração

No canal da instituição no YouTube, transmissões envolverão ações educativas com colaboradores e apresentação de grupo colombiano

(mais…)

16ª Semana de Museus: Casas literárias de São Paulo promovem debate sobre acervo, poesia e música

Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade realizam diversas atividades que dialogam com o tema museu e tecnologia

A Rede de Museus-Casas Literários, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, participa da 16ª Semana Nacional de Museus. A iniciativa, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece entre 14 e 20 de maio, em celebração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio). O tema da edição é “Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”. Embora o destaque seja as conexões digitais, ressalta-se também o papel essencial das relações interpessoais nos museus.

Em uma visita temática na Casa Guilherme de Almeida, os participantes pesquisam, durante a atividade, a história e outras obras dos artistas que compõem o acervo da Casa, expandindo o alcance das discussões e reflexões da visita. Hiper-museu-casa: mais além de nosso acervo acontece quinta-feira, 17 de maio, às 15h00.

A oficina Poesia para se ouvir, propõe uma reflexão sobre os recursos tecnológicos disponibilizados pelos smartphones e como estes podem contribuir para a criação literária e novas narrativas poéticas. A atividade ocorre na Casa das Rosas quinta-feira, 17 de maio, às 14h00.

Oficina integrada Memorial da Inclusão e Rede de Museus-Casas Literários reúne os núcleos educativos desses espaços para refletir sobre a relação entre poesia e cidade a partir das transformações urbanas e literárias com recursos de acessibilidade para diversas formas de percepção de poemas: escritas, tácteis, sonoras. A atividade acontece no Memorial da Inclusão dia 16 de maio, quarta-feira às 14h00.

Voltado para profissionais da educação, o curso Diálogos instigantes: o museu online e offline em espaços educativos apresenta os recursos presentes no site da Casa Guilherme de Almeida – visita virtual e materiais de apoio ao professor, mostrando as possibilidades educativas desses recursos. O encontro acontece sábado, 19 de maio, às 15h0, na Casa Guilherme de Almeida.

Quer descobrir a relação dos poetas Mário de Andrade, Guilherme de Almeida e Haroldo de Campos com a música? Participe da visita temática Conexão pela música, que acontece na Casa Mário de Andrade sábado, 19 de maio às 14h00.

Serviço: 16ª Semana Nacional de Museus

Oficina integrada Memorial da Inclusão e Rede de Museus-Casas Literários

16/5. Quarta-feira, 14h às 16h30.

Atividade sem necessidade de inscrição prévia.

Local: Memorial da Inclusão – Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564, Barra Funda

Poesia para se ouvir

17/5. Quinta-feira, 14h às 15h30.

Inscrições: educativo@casadasrosas.org.br

Local: Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37, Paulista

Hiper-museu-casa: mais além de nosso acervo

17/5. Quinta-feira, 15h às 16h30.

Inscrições: https://bit.ly/2JNGiDE

Local: Casa Guilherme de Almeida – Rua Macapá, 187, Sumaré

Conexão pela música

19/5. Sábado, 14h às 15h30.

Inscrições: https://bit.ly/2H7DSyh

Local: Casa Mário de Andrade – Rua Lopes Chaves, 546, Barra Funda

Diálogos Instigantes: o museu on-line e off-line em espaços educativos

19/5. Sábado, 15h às 17h.

Inscrições: https://bit.ly/2JOZAZq

Local: Casa Guilherme de Almeida – Rua Macapá, 187, Sumaré

Mais informações: museusliterarios.org.br

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

16ª Semana de Museus: programação especial no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

Com atividades especiais e parcerias com instituições culturais de Campos do Jordão e região, Museu e Auditório celebram o Dia Internacional de Museus; com entrada gratuita no dia 18/05, os visitantes poderão contribuir com ingresso solidário: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus

“Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos” é o tema da 16ª Semana Nacional de Museus, promovida pelo Ibram. O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de  São Paulo, geridas pela ACAM Portinari, irão explorar o assunto com diversas programações presenciais e na internet, além de consolidar parcerias com instituições locais.

De 15 a 20 de maio, os visitantes serão estimulados a partilhar suas impressões sobre o passeio e quais são suas obras favoritas. Para isso, cada um deles receberá um barbante e, em um mapa colaborativo, ele irá marcar suas opiniões, que serão compartilhadas com todos durante o período. Os grupos escolares agendados de 15 a 18 de maio também participam dessa atividade. No dia 18 de maio, Dia Internacional dos Museus, a entrada é gratuita, porém o visitante poderá contribuir com ingresso solidário, doando uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho. Os participantes receberão um exemplar do Passaporte dos Museus.

No sábado (19), às 15h00, o público poderá conferir o lindo espetáculo de dança dos alunos do Olharte, com coreografia de Eliane Humberg. O projeto social tem como espaço de ensaio e aulas o Auditório Claudio Santoro e atende, gratuitamente, a população interessada de Campos do Jordão. Essa será a primeira apresentação da turma formada em 2018.

Focado em potencializar a comunicação das instituições culturais da cidade e do entorno, o Museu e Auditório articularam duas importantes iniciativas. Nas redes sociais está acontecendo a ação “Telefone sem Fio”, uma corrente virtual de apoio e divulgação mútua. A atividade é inspirada na brincadeira de infância de mesmo nome e permite a interação entre os participantes, impulsionando a campanha “Um Museu Leva ao Outro”, de 2016. Os interessados podem interagir na página das instituições no Facebook, Twitter e Instagram e, de lá, acessar os diferentes links e fazer uma viagem virtual pelos museus da Região do Vale do Paraíba.

Já no domingo (20), ocorre o lançamento do projeto Roteiro Cultural, com o Museu da Xilogravura, em Campos do Jordão. A intenção é ampliar o público partindo da ideia de que os visitantes se interessariam pela outra instituição. Para estimular o fluxo entre os locais, serão desenvolvidas propostas interativas, como jogos e brincadeiras, com um mesmo tema. A partir da programação e do contato com os educadores, será despertado o interesse do participante pelo outro museu, promovendo uma ponte entre os espaços. O passeio pode começar em qualquer um dos locais e, ao final do percurso, o visitante recebe um certificado de participação.

“É Dia de Museu”

De olho em novos públicos, Secretaria da Cultura do Estado lança campanha que contempla uma série de estratégias no ambiente digital e programação especial nos 19 museus da rede ao longo do ano. A primeira ação homenageia o Dia Internacional dos Museus e terá “ingresso solidário”: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus. Os itens arrecadados serão destinados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O público também pode compartilhar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro estão localizados à avenida Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880. O telefone para informações é (12) 3662-6000. O horário de funcionamento é das 9h00 às 18h00. A entrada é de R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia – estudante e idoso) e gratuita aos domingos e no Dia Internacional dos Museus (18 de maio). Conheça nossa política de gratuidade no www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso.

SERVIÇO 

16ª Semana de Museus

Telefone sem Fio

Período: 01 a 31/05/2018

Informações: (12) 3662-6000

Ligue os Pontos – Meu Museu, Minhas Conexões!

Período: 15 a 20/05/2018

Horário: das 9h00 às 18h00

Semana Escola vem ao Museu

Período: 15 a 18/05/2018

Horário: das 9h30 às 11h00 e das 14h30 às 16h00

Apresentação de Dança – Projeto Olharte

Data: 19/05/2018

Horário: às 15h00

Abertura do Projeto “Roteiro Cultural – Campos do Jordão”

Data: 20/05/2018

Horário: das 9h00 às 18h00

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Informações: (12) 3662-6000

Entrada: inteira R$10,00 e meia R$5,00 (estudante e idoso) – gratuita aos domingos (conheça nossa política de gratuidade no www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso)

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de agasalhos e cobertores, que serão destinados a instituições de caridade do município

16ª Semana Nacional de Museus: atividades especiais no Museu Casa de Portinari

Programação começa dia 16 de maio (quarta-feira) e terá rodas de conversa, palestras e encontros para público geral, interno e parceiros da instituição; visitantes poderão contribuir com ingresso solidário: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus

Em maio, os museus brasileiros terão programação especial a convite do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), durante a 16ª Semana Nacional de Museu. O Museu Casa de Portinari, em Brodowski (SP), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, oferece a partir do dia 16 (quarta-feira) rodas de conversa, palestras e encontros sobre o tema “Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”.

No dia 16 de maio, às 19h00, a museóloga e diretora da ACAM Portinari, Angelica Fabbri, abordará o assunto “Inovações Tecnológicas na Comunicação Museal” e os recursos utilizados pelo museu em sua nova expografia, mostrando que é necessário se adaptar cada vez mais ao cenário, aos públicos e às tecnologias no intuito de se comunicar de forma mais ampla com a sociedade contemporânea.

Na quinta-feira (17), a instituição realiza uma palestra sobre mídias sociais para seu público interno, reforçando que os meios de comunicação estão cada vez mais fáceis e acessíveis, conectando as pessoas. Hoje, levar informação para pessoas em lugares remotos é bem mais simples e com as mídias online esse alcance é possível.

No Dia Internacional de Museus, 18 de maio (sexta-feira), às 19h00, haverá um encontro sobre hiperconexão com a comunidade local. O Museu se relaciona com a sociedade em todos os seus segmentos e usa de todos os meios de comunicação para isso, fortalecendo os laços entre os munícipes e a instituição. Para celebrar e pensar em modelos de hiperconexões mais dinâmicos e contemporâneos, o museu convida seus parceiros reunidos ao longo de seus 48 anos de existência para uma roda de conversa, mediada por Clubes de Serviços, Associações de Bairros, Instituições Educacionais e Sociais entre outros.

“É Dia de Museu”

De olho em novos públicos, Secretaria da Cultura do Estado lança campanha que contempla uma série de estratégias no ambiente digital e programação especial nos 19 museus da rede ao longo do ano. A primeira ação homenageia o Dia Internacional dos Museus e terá “ingresso solidário”: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus. Os itens arrecadados serão destinados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O público também pode compartilhar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

O Museu Casa de Portinari está localizado à Praça Cândido Portinari, nº 298, em Brodowski/SP. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 9h00 às 18h00. A entrada é gratuita, porém os interessados podem contribuir por meio do ingresso voluntário. Informações pelo (16) 3664-4284.

SERVIÇO

16ª Semana de Museus

De 14 a 20/05/2018

Roda de Conversa

Data: 16/05/2018 (quarta-feira)

Horário: 19h00

Palestra Sobre “Mídias Online”

Data: 17/05/2018 (quinta-feira)

Público-alvo: restrito a colaboradores da instituição

Encontro Sobre “Hiperconexão com a Comunidade Local”

Data: 18/05/2018 (sexta-feira)

Horário: 19h00

Local: Museu Casa de Portinari (Praça Cândido Portinari, nº 298 – Centro – Brodowski/SP)

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

16ª Semana Nacional de Museus: atividades especiais no Museu Índia Vanuíre

Programação começa dia 15 de maio (terça-feira) e tem como tema a hiperconectividade entre as instituições e seus públicos; visitantes poderão contribuir com ingresso solidário: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus

Neste ano, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lança a discussão sobre a interação dos museus com o seu entorno. Para celebrar a 16ª Semana Nacional de Museus, o Museu Índia Vanuíre, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, desenvolverá, de 15 a 18 de maio, o projeto “O Museu e a Inclusão Digital”, que têm como meta a abordagem e a inclusão de novos públicos no meio digital.

No período haverá um ciclo de palestras que visa aproximar diferentes tipos de visitantes, desde pessoas que têm acesso as mídias digitais, até os que não possuem. As ações serão ministradas por profissionais que apresentarão suas experiências. Com isso, pretende-se fazer com que a população tenha maior acesso aos meios de inclusão digital e que se envolva com as publicações e as redes sociais da instituição.

A atividade terá início com um workshop sobre mídias sociais para a terceira idade, no dia 15 de maio (terça-feira), às 14h00. Na quarta-feira (16), a instituição oferece uma palestra sobre marketing digital com o empreendedor Lucas Hatano. O objetivo é mostrar como funciona o assunto em multinacionais e como essas ações podem ser adaptadas e incorporadas em diferentes realidades.

Às quintas-feiras, em frente ao Museu Índia Vanuíre, haverá uma feira livre. No dia 17, a partir das 19h00, a instituição irá realizar uma visita mediada especial voltada aos feirantes e as pessoas que trabalham próximas ao local, mas ainda não são públicos da instituição. Além da monitoria, haverá uma oficina de comida indígena, na sequência.

Para fechar a 16ª Semana de Museus, na sexta (18), às 14h00, Dia Internacional dos Museus, o Museu convida Fábio Oliveira para abordar a vida e a inclusão de deficientes visuais no mundo virtual. Oliveira é cego e falará sobre sua experiência em rádio web.

“É Dia de Museu”

De olho em novos públicos, Secretaria da Cultura do Estado lança campanha que contempla uma série de estratégias no ambiente digital e programação especial nos 19 museus da rede ao longo do ano. A primeira ação homenageia o Dia Internacional dos Museus e terá “ingresso solidário”: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus. Os itens arrecadados serão destinados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O público também pode compartilhar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

A participação em todas as atividades é gratuita. O Museu fica localizado à Rua Coroados, nº 521, Centro – Tupã (SP). Outras informações podem ser obtidas pelo (14) 3491-2333.

SERVIÇO

16ª Semana de Museus – “Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”

Período: de 15 a 18/05/2018

Workshop Sobre Mídias Sociais

Data: 15/05/2018

Horário: das 14h00 às 16h00

Palestra Sobre Marketing Digital

Data: 16/05/2018

Horário: das 15h30 às 17h00

Visita Mediada

Data: 17/05/2018

Horário: das 19h00 às 20h00

Oficina de Comida Indígena

Data: 17/05/2018

Horário: das 20h00 às 21h00

Palestra Inclusiva

Data: 18/05/2018

Horário: das 15h30 às 17h00

Local: Museu H.P. Índia Vanuíre (Rua Coroados, nº 521, Centro – Tupã/SP

Informações: (14) 3491-2333

Público-alvo: deficientes visuais

Entrada: gratuita

16a. Semana de Museus: Workshop sobre tecnologias e instituições culturais no Museu do Futebol

Evento gratuito com pesquisador Aquiles Brayner, ex-curador digital na British Library e consultor em gestão da informação, faz parte da programação da 16ª Semana de Museus

A 16ª Semana de Museus, evento do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), será o mote de uma programação especial no Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. E a principal atividade dessa agenda será a realização de um workshop com Aquiles Brayner, ex-curador digital na British Library e pesquisador da Biblioteca Nacional.

No dia 16 de maio, quarta-feira, às 10h00, Brayner estará no auditório do Museu do Futebol para falar sobre possibilidades de atuação com acervos digitais, com ênfase em curadoria digital e uso de crowdsurcing em instituições culturais.

Às 14h00, a programação seguirá com Camila Aderaldo, coordenadora do Centro de Referência do Futebol Brasileiro do Museu do Futebol. Ela falará sobre potencialidades e desafios da formação de um acervo digital.

“A ideia desse evento é compartilhar experiências de modo a somar às discussões que vêm sendo feitas em torno dos acervos digitais e das tecnologias disponíveis para amplificar as potencialidades de seu uso e tratamento”, afirma Camila Aderaldo.

As duas palestras serão realizadas no auditório do Museu do Futebol, que comporta 174 pessoas e tem mais quatro espaços para cadeirantes. A participação é gratuita, mas está condicionada à disponibilidade de lugares.

O workshop ainda prosseguirá no dia 17 de maio, quinta-feira, quando Aquiles Brayner e Camila Aderaldo conduzirão um estudo de caso e farão uma análise crítica sobre os recursos digitais do Museu do Futebol. Nessa segunda etapa, a participação é limitada a 30 pessoas.

Criada pelo Ibram para celebrar o Dia Internacional de Museus (18 de maio), a Semana de Museus de 2018 compreende o período entre os dias 14 e 20 de maio. Além do workshop, a programação do Museu do Futebol para a data inclui a transmissão ao vivo de uma visita mediada ao equipamento, feita por educadores, às 10h00, no dia 14 de maio, segunda-feira. O material será exibido em tempo real no canal oficial da instituição no YouTube.

O Museu do Futebol também oferecerá gratuidade a todos os visitantes no dia 18 de maio, data em que é celebrado o Dia Internacional de Museus.

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Workshop “Tecnologias digitais e instituições culturais: novas práticas e possibilidades” – Especial 16ª Semana de Museus

Com o pesquisador Aquiles Brayner, consultor em gestão da informação e especialista em curadoria digital

Quando: 16 de maio de 2018, quarta-feira, entre 10h00 e 16h00, e 17 de maio de 2018, quinta-feira, entre 9h30 e 13h00

Quanto: Entrada gratuita, sem necessidade de inscrição prévia (participação sujeita à disponibilidade de lugares)

A quem se destina: Profissionais de museus e instituições culturais, além de interessados no assunto

Programação

Dia 16/05

Curadoria digital e iniciativas de crowndsourcing

Com Aquiles Brayner, consultor em gestão da informação e especialista em curadoria digital

Horário: Das 10h00 às 12h00

Formação do acervo digital do Museu do Futebol: potencialidades e desafios

Com Camila Aderaldo – coordenadora do Centro de Referência do Futebol Brasileiro do Museu do Futebol

Horário: Das 14h00 às 16h00

Local: Auditório do Museu do Futebol

174 lugares e 04 cadeirantes

Dia 17/05

Estudo de caso: análise crítica dos recursos digitais do Museu do Futebol

Visita técnica à exposição e áreas técnicas do Museu

Com Aquiles Brayner e Camila Aderaldo

Horário: Das 9h30 às 13h00

Local: Museu do Futebol

30 vagas

 

Sobre Aquiles Brayner

Graduado em psicologia pela Universidade Federal do Ceará, Aquiles Brayner é mestre em línguas e culturas da América Latina pela Rijksuniversiteit Leiden (Holanda) e em biblioteconomia e ciência da informação pela City University of London (Inglaterra). Além disso, é doutor em literatura brasileira pela Kings College – University of London (Inglaterra). Atua na Calímaco, empresa de consultoria em gestão da informação da qual é proprietário, e como bolsista do programa Pesquisador em Residência da Fundação Biblioteca Nacional.

Sobre a 16ª Semana de Museus

Promovida pelo Ibram para celebrar o Dia Internacional de Museus (18 de maio), a Semana de Museus abarcará 1.130 equipamentos culturais pelo Brasil em 2018, ano em que o mote será “Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”. A proposta, segundo os realizadores, é discutir a interação dos museus brasileiros com seu entorno, especialmente em grandes centros urbanos.

No Museu do Futebol, a programação especial para a data incluirá o workshop (16 e 17 de maio), a transmissão ao vivo de uma visita mediada ao museu (14 de maio) e entrada gratuita para todo o público (18 de maio).

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O passeio está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

MUSEU DO FUTEBOL

Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento:

Terça a domingo, 09h00 às 18h00

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu, consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais.

18ª Semana de Museus é atração nas redes sociais do Museu Casa de Portinari

Entre 18 e 24 de maio, o Museu Casa de Portinari, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, promove atividades especiais durante a 18ª Semana de Museus. Coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), neste ano a campanha une as instituições museológicas para ações virtuais com o tema “Museus para a Igualdade: diversidade e inclusão”.

Em Brodowski, o início da agenda celebra o Dia Internacional dos Museus (18 de maio) com destaque para a parceria entre o Museu Casa de Portinari, a Funap (Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel – órgão vinculado à Secretaria da Administração Penitenciária) – e a direção da unidade que levam cultura e arte para dentro do presídio. De casa, os internautas podem conferir o projeto “Arte que liberta”.

Na terça-feira (19) tem live, às 12h, com a educadora Fernanda Bergamos. Ela fará uma visita mediada pelo equipamento cultural e os convidados especiais são jovens e crianças do Projeto Amanhecer de Brodowski que assistirão de casa o passeio, bem como os demais interessados.

Em 20 e 21 de maio, tem mais vídeo para homenagear dois importantes parceiros: dos clubes de serviços de Brodowski que são grandes parceiros do Museu para o desenvolvimento de ações que integram a comunidade à cultura; e ao Projeto Sentidos que valoriza o potencial do público deficiente, além de trabalhar com diferentes atividades culturais para ele.

Já para descobrir mais sobre o projeto Travessias é só ficar ligado nas redes sociais do equipamento na sexta-feira (22). Nesse trabalho, o objetivo principal é estimular e fortalecer os vínculos comunitários, familiares e, também, as referências culturais de crianças e jovens em vulnerabilidade social.  Para que tenham orgulho das suas raízes, algumas das atividades são realizadas com músicas tradicionais, oficinas, brincadeiras antigas e contação de história.

No sábado (23), o público poderá conhecer o que os artesãos e pintores estão fazendo durante o período de isolamento social. Quem vai contar sua rotina e suas produções é a artista Andreia Mariano. Ainda, será exibida uma apresentação sobre o “Oficinas Andantes”, que leva arte, cultura e lazer aos bairros de Brodowski. A ação extramuros do Museu dá a oportunidade para que a comunidade participe de oficinas de pintura, dobradura e artesanato, de brincadeiras populares e músicas. Contemplando a missão da instituição, que busca a ampliação e consolidação de seu papel por meio do desenvolvimento de ações de inclusão social, a atividade visa aproximar as pessoas do legado de Candido Portinari.

“Os equipamentos culturais estão se reinventando para se tornarem plataformas nas quais os visitantes possam co-criar, compartilhar e interagir. As atividades on-line são um bom exemplo dessa mudança e estamos com uma programação intensa para todos aproveitarem esse período com muita cultura e conhecimento”, diz Cristiane Patrici, gerente do Museu Casa de Portinari.

Para participar da programação, basta acompanhar as redes sociais do Museu Casa de Portinari: @museucasadeportinari. Ou conferir a agenda pelo site www.museucasadeportinari.com.br.

 

Serviço:

Museu Casa de Portinari

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Informações: (16) 3664-4284

2 de novembro: aproveite as atrações da SEC durante o feriado prolongado

Museus, bibliotecas, Oficinas Culturais e a Sala São Paulo oferecem atividades para todas as idades (mais…)

2 e 3 de junho: 11ª feira “Las Plantas” na Pinacoteca

Mais de 70 expositores estarão neste final de semana  (2 e 3 de junho) na Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, na feira Las Plantas, que reúne os amantes do universo vegetal – de produtores de espécies, designers de objetos e vestuários a ilustradores e cozinheiros. Organizada pelo biólogo e produtor de eventos socioambientais catarinense Carlos Valle, residente em São Paulo desde 2016, a feira estreou em abril de 2017 com 21 expositores e chega agora a sua décima primeira com mais de 70. “A ideia do evento surgiu, inicialmente, como um meio de reunir interessados por paisagismo de interiores e formas de ocupar pequenos espaços e hoje acabou se tornando uma importante oportunidade para reunir produtores e amantes da natureza”, conta Valle. “Vale dizer que 70% dos expositores, que possui de 30 a 50 anos, é composto por mulheres. Algumas começaram o negócio como forma de agregar mais qualidade de vida”, complementa.

Participam do evento projetos emergentes como o “Véia das Plantas” ao lado de nomes mais consolidados como o M3P Itinerante e a Unevie Saboaria. O evento é voltado tanto para os que querem levar algo ligado à natureza pra casa – seja um vasinho, uma ilustração botânica ou uma compota artesanal – como para quem busca curtir uma tarde agradável para almoçar, encontrar amigos e ouvir música, essa última comandada pelo coletivo da animada festa Calefação Tropicaos.

Durante o evento, a Pinacoteca e a Pina Estação estarão funcionando normalmente e o visitante poderá conferir a prestigiada exposição Hilma af Klint: Mundos Possíveis, que segue em cartaz até dia 16 de julho e apresenta, pela primeira vez na América Latina, um conjunto de 130 obras da pintora sueca Hilma af Klint (1862-1944). A mostra já recebeu mais de 1.110 mil visitantes. E, na Pina Estação, o público poderá conferir a coletiva Mínimo, múltiplo, comum que reúne mais de uma centena de obras de seis artistas de gerações e círculos culturais diferentes: Amadeo Lorenzato (1900-1995), Chen Kong Fang (1931-2012), Eleonore Koch (1926), Marina Rheingantz (1983), Patricia Leite (1955) e Vânia Mignone (1967).

Serviço: Las Plantas

Dias:  02 e 03 de junho, sábado e domingo, das 10h00 às 18h00
Local: estacionamento da Pinacoteca – Praça da Luz, 2, São Paulo
Entrada na feira: gratuita
Ingressos para o museu: R$ 6,00 (entrada); R$ 3,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha). Menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento.
Aos sábados, a entrada da Pina é gratuita para todos. A Pina Estação é gratuita todos os dias.
O museu estará funcionando normalmente durante o período, porém o estacionamento estará fechado.

20º GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO SERÁ NO DIA 28 DE NOVEMBRO, COM HOMENAGEM A RUY GUERRA

O evento, que este ano tem como tema ‘preservação e memória do audiovisual’, será realizado de forma remota com transmissão ao vivo pela TV Cultura

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro chega à 20ª edição e terá como tema a preservação e a
memória do audiovisual. Com transmissão ao vivo pela TV Cultura no dia 28 de novembro, a partir das 20h, a cerimônia vai celebrar não apenas a Cinemateca Brasileira, que pegou fogo mas resistiu e vai renascer, como também a produção audiovisual nas duas últimas décadas. O grande homenageado da noite é Ruy Guerra, poeta, compositor, mas antes de tudo e principalmente cineasta moçambicano radicado no Brasil, que completou 90 anos em 2021.

Por causa da pandemia, o evento – que é realizado anualmente pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais – será remoto pelo segundo ano consecutivo, com apresentação das jornalistas Adriana Couto e Renata Boldrini, direto dos estúdios da TV Cultura, em São Paulo. A abertura dos envelopes com os vencedores será ao vivo, auditada pela PwC (a mesma empresa que faz a apuração do Oscar), e o Troféu Grande Otelo será entregue diretamente na casa de cada um deles, depois da premiação.

Ao todo serão anunciados 32 prêmios, em quatro grandes categorias: longa-metragem, curtametragem e séries brasileiras, escolhidos pelo amplo júri formado por profissionais associados à Academia Brasileira de Cinema. Além disso, todos os 15 longas-metragens indicados nas categorias drama, comédia ou documentário também concorrem ao disputado prêmio de Melhor Filme pelo Júri Popular.

A votação está aberta a partir de hoje, 8 de novembro, no site da Academia
– https://gp2021.academiabrasileiradecinema.com.br/ – e vai até o dia 26 de novembro.
Num ano dedicado à memória, um Prêmio Especial de Preservação será concedido ao movimento que, liderado por profissionais de cinema, salvou a Cinemateca Brasileira do abandono: o S.O.S. Cinemateca – APACI.

Com roteiro do jornalista Hugo Sukman e direção de Lucas Rochetti, a transmissão do Grande
Prêmio do Cinema Brasileiro será costurada com imagens de produções que marcaram a história do audiovisual e por apresentações musicais do pianista André Mehmari e da cantora Monica Salmaso. Fazem parte do repertório canções como “Odeon”, de Ernesto Nazareth; “Reza”, de Ruy Guerra e Edu Lobo; “Perseguição”, de Sérgio Ricardo; e “Passaredo”, de Francis Hime e Chico Buarque.

A festa terá ainda a presença, virtual, de nomes como Viviane Ferreira, diretora presidente da SP Cine, diretora, roteirista, produtora; Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo; Jorge Peregrino, presidente da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais; e José Roberto Maluf, presidente da TV Cultura.

O 20º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é realizado pelo Ministério do Turismo e pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. Este ano, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro conta com o patrocínio da SABESP, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da PwC Brasil, que acompanha e faz a apuração da votação. O prêmio tem correalização da SPCine, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Conheça os : FINALISTAS GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2021

Vinheta filmes finalistas 

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

imprensaculturasp@sp.gov.br

23ª Festa do Imigrante reúne gastronomia de 38 países

Promovido pelo Museu da Imigração, nos dias 9, 10 e 16 de junho, o evento apresenta a culinária de
diversas comunidades de imigrantes e descendentes

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da
Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e
acontecerá nos dias 9, 10 e 16 de junho, reunindo tradições e heranças de 50 nacionalidades. Em 2017,
cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música e o
artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes.

Nesse ano, os visitantes encontrarão 49 expositores de alimentação, que trarão pratos e receitas típicas de
diversas regiões do mundo. Para quem aprecia e valoriza a culinária internacional, o shawarma de carne
do Líbano, o rösti com bacon (batata cozida e ralada, passada na manteiga, com bacon crocante e molho
de cebola escura) da Alemanha, o summer pudding (pudim de frutas vermelhas) da Inglaterra e o
kolokithopita (folhado de abóbora com canela, uva passa e nozes) da Grécia são alguns dos destaques dos
cardápios oferecidos pelas comunidades.

A novidade dessa edição é o Empório, um espaço idealizado especialmente para oferecer produtos
artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos,
cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo
– e potes de homus, coalhada e babaganuche da Síria.

Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de
oficinas de culinária, que fazem parte do projeto “Sabor Paulista”, ministradas por cozinheiros de
comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o
spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta
mil hojas (Chile).

A programação conta, ainda, com 29 expositores de artesanato e 46 grupos de dança e música. Entre os
três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no jardim do
Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da Lituânia, a
pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops de dança
apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de Moçambique,
as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de
histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida
Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são
apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do
evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas,
amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – São Paulo | SP – CEP: 03164-300 – Tel.: (11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br
A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site:
www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias do
evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A Festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a
bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

Acessibilidade

No dia 9/06 (sábado), a 23ª Festa do Imigrante contará com oficinas de artesanato, de culinária e
workshops de dança com tradução em libras. Já no dia 10/06 (domingo), o evento disponibilizará recurso
de audiodescrição para as apresentações artísticas, das 13h00 às 18h00. Nos três dias de festa, estará
disponível o folder do evento transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de
pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo
e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de
funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos
para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados,
com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site
www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

23ª Festa do Imigrante
Datas: 9, 10 e 16 de junho de 2018
Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)
Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo
Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

23ª Festa do Imigrante: evento conta com atividades especiais para a criançada

Nos dias 9, 10 e 16 de junho, os pequenos poderão aprender sobre migração com contações de histórias e
se divertir em diversas atrações

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da
Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e
acontecerá nos dias 9, 10 e 16 de junho, reunindo tradições e heranças de 50 nacionalidades e
promovendo atividades direcionadas ao público infantil.

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de
histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida
Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são
apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do
evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas,
amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

Proporcionando uma experiência única para toda a família, o passeio de Maria-fumaça partirá, nos três
dias de festa, da plataforma localizada dentro do MI. A atração percorrerá o trilho histórico utilizado por
milhares de imigrantes, de hora em hora ou conforme a lotação dos vagões. O ingresso custa R$ 20
(maiores de 60 anos e estudantes pagam R$ 15).

O público encontrará, ainda na estação, o espaço “Retratos de Época”, onde poderá se caracterizar com
roupas e acessórios à moda antiga, participar de uma sessão de fotos divertida com as crianças, parentes e
amigos e garantir uma lembrança especial da visita ao Museu da Imigração. Além das imagens, o local
comercializa molduras diferenciadas para tornar a recordação e a viagem no tempo ainda mais realistas.

Programação

Em 2017, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música
e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes. Nesse ano, o público encontrará 49
expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras
programações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos
Imigrantes do Brás, no fim do século 19 e início do 20.

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no
jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da
Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops
de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de
Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos
artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos,

Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – São Paulo | SP – CEP: 03164-300 – Tel.: (11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br
cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo
– e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.
Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de
oficinas de culinária, que fazem parte do projeto “Sabor Paulista”, ministradas por cozinheiros de
comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o
spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta
mil hojas (Chile).

A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site:
www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias do
evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A Festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a
bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

Acessibilidade

No dia 9/06 (sábado), a 23ª Festa do Imigrante contará com oficinas de artesanato, de culinária e
workshops de dança com tradução em libras. Já no dia 10/06 (domingo), o evento disponibilizará recurso
de audiodescrição para as apresentações artísticas, das 13h00 às 18h00. Nos três dias de festa, estará
disponível o folder do evento transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de
pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo
e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de
funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos
para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados,
com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site
www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

23ª Festa do Imigrante
Datas: 9, 10 e 16 de junho de 2018
Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)
Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo
Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

23ª Festa do Imigrante: mais de 50 nacionalidades reunidas no Museu da Imigração

ATENÇÃO: a festa do Imigrante tem novas datas: 9, 10 e 16 de junho! Para a programação completa e atualizada, acesse: https://museudaimigracao.org.br/agenda/23a-festa-do-imigrante/ 

Nos dias 3, 9 e 10 de junho, evento apresenta gastronomia, dança, música e artesanato de diversas comunidades de imigrantes e descendentes

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e acontecerá nos dias 3, 9 e 10 de junho, reunindo tradições e heranças de mais de 50 nacionalidades. Em 2017, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes.

Nesse ano, o público encontrará 49 expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras programações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes do Brás, no fim do século XIX e início do século XX.

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos, cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo – e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.

Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de oficinas ministradas por cozinheiros de comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta mil hojas (Chile).

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas, amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site: www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias de evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

Acessibilidade

A 23ª Festa do Imigrante disponibilizará recurso de audiodescrição para as apresentações artísticas que ocorrerão no dia 3/06 (domingo), das 13h00 às 18h00. Já no dia 9/06 (sábado), o evento contará com oficinas de artesanato, de culinária e workshops de dança com tradução em libras. Nos três dias de festa, estará disponível o folder do evento transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO 

23ª Festa do Imigrante

Datas: 3, 9 e 10 de junho de 2018

Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)

Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo

Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

24ª Festa do Imigrante apresenta tradições de mais de 45 nacionalidades

Celebração cultural acontecerá nos dias 2, 8 e 9 de junho com gastronomia, apresentações artísticas, artesanato e oficinas

(mais…)

26 de julho é o Dia dos Avós e os Museus da Secretaria da Cultura do Estado oferecem atividades especiais para vovôs, vovós e netos!

A campanha “É Dia de Museu com os Avós” estimula os netos e avós a comemorarem a data de um jeito diferente, com programação especial nos museus 
(mais…)

2ª COPA PAULISTA FERAS DO PES NO MUSEU DO FUTEBOL

Os campeões brasileiros Alan Leal, Juninho Aguiar e Thiago Avaré participam do torneio (mais…)

2ª Editatona promove inclusão de dados sobre futebol feminino na Wikipedia

Maratona digital com voluntários acontece no dia 24/8, das 10h às 16h. Objetivo é incluir dados sobre atletas brasileiras na Wikipedia, a mais importante enciclopédia colaborativa da internet

(mais…)

2º semestre: Fábricas de Cultura abrem inscrições para ateliês de diversas linguagens artísticas

Música, artes visuais, multimeios, criatividade e tecnologia, literatura, circo, dança e teatro fazem parte das aulas gratuitas, oferecidas para crianças e jovens. Faça sua inscrição!

Quer fazer aulas de circo, dança ou teatro? As Fábricas de Cultura das zonas Norte e Sul da cidade estão com inscrições abertas para ateliês de diversas linguagens artísticas, como música, artes visuais, multimeios, criatividade e tecnologia, literatura, circo, dança e teatro, para o segundo semestre. Todas as atividades das Fábricas – instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis – são gratuitas e são oferecidas para crianças e jovens até 21 anos. As inscrições devem ser feitas na recepção de cada unidade, e recomenda-se ligar antes para checar o número de vagas disponíveis. Confira os principais destaques:

A Fábrica de Cultura Capão Redondo oferece aulas de artes visuais, que propõem a vivência de técnicas artísticas para impressão de estampas em tecido, por meio do carimbo, estêncil, bordado, serigrafia, pintura e colagem. Os ateliês vão de 8 de agosto a 10 de outubro, às quartas-feiras, das 17h30 às 20h30. São oferecidas 15 vagas para maiores de 14 anos.

Ainda na zona Sul, a Fábrica de Cultura Jardim São Luis terá aulas de danças urbanas e de capoeira de Angola. As primeiras tratarão das variações da cultura hip hop, que foi importada; já as outras abordarão as origens da cultura brasileira com a capoeira, ao som de berimbaus, pandeiros e cantigas. Todas as aulas serão de 11 de agosto a 24 de novembro, aos sábados, das 14h às 17h. As danças urbanas são oferecidas para maiores de 14 anos e a capoeira para maiores de 12 anos.

A Fábrica de Cultura Brasilândia realiza ateliês de literatura e escrita criativa, de 7 de agosto a 29 de novembro, às terças e quintas-feiras, das 14h às 16h45. Por meio de jogos e brincadeiras, os aprendizes irão criar quadrinhos, contos, músicas ou histórias. São oferecidas 20 vagas para crianças de 8 a 12 anos.

Na Fábrica de Cultura Jaçanã, os aprendizes de 8 a 15 anos podem participar dos ateliês de iniciação de circo, de 7 de agosto a 27 de novembro, às terças e quintas-feiras, das 9h às 11h45. A proposta é promover a experimentação e o aprimoramento do controle motor e do desenvolvimento físico e psicossocial, por meio das técnicas circenses.

E, por fim, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, acontecerão as aulas de teatro para crianças de 8 a 12 anos, de 8 de agosto a 30 de novembro, das 9h às 11h45. A partir de jogos teatrais e infantis, será estimulado o desenvolvimento da imaginação, autonomia, cidadania e coletividade. A iniciação da criação teatral também promove reflexões sobre o mundo, o país, a comunidade, a família e até sobre si mesmo.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará: cursos e atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

Em 2018, as unidades das zonas norte e sul (Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha) contam com o patrocínio da Via Varejo – Casas Bahia por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui com atividades de formação, saídas pedagógicas, programação cultural e projetos de tradução em Libras.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Telefone: (11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoerinha

Rua Franklin do Amaral, 1575

Telefone: (11) 2233-9270

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508

Telefone: (11) 3859-2300

 

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360

Telefone: (11) 2249-8010

Funcionamento de todas as unidades: de terça a sexta-feira, das 9h às 20h, e finais de semana e feriados das 12h às 17h

Site: www.fabricasdecultura.org.br

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes – stgomes@sp.gov.br  – (11) 3339-8243

Bete Alina Skwara – betealina.culturasp@gmail.com – (11) 3339-8164

30 anos de Bloomsday: Casa Guilherme e Casa das Rosas homenageiam James Joyce com programação especial

Programação gratuita inspira-se em tradicional “velório festivo” e conta com música, dança, exibição de filmes, leituras de trechos e oficina de tradução

O romance Ulysses, marco da literatura ocidental contemporânea escrito pelo irlandês James Joyce, narra os acontecimentos vividos pelo personagem Leopold Bloom durante 16 horas do dia 16 de junho de 1904. Não se sabe ao certo quando as homenagens ao protagonista começaram, mas há décadas, o dia 16 de junho passou a ser internacionalmente conhecido como Bloomsday.  Em 2018, as comemorações na cidade de São Paulo completam 30 anos e nos dias 15 e 16 de junho, sexta-feira e sábado, a Casa Guilherme de Almeida e a Casa das Rosas, instituições da Secretaria da Cultura do Estado, organizam uma programação especial para homenagear o célebre escritor irlandês.

Abrindo as celebrações, na sexta-feira, das 19h00 às 21h00, Maria Teresa Quirino comandará a palestra Desvendando o Ulysses, de James Joyce, que será realizada na Casa Guilherme. A proposta é traçar um panorama da obra do irlandês, e também a história da recepção do livro e da compreensão crítica de suas características. A palestrante é mestra em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês, e doutora em Letras. É também professora de português e de inglês, e tradutora e estudiosa da obra de James Joyce.

Já no sábado, das 15h00 às 16h15, será a palestra Indeterminação de sentidos no Ulysses de James Joyce, cuja convidada é Amara Moira. A ideia é discutir a utilização de efeitos sonoros – particularmente das onomatopeias – na obra do irlandês. O tema da atividade, que será na Casa Guilherme, é o mesmo da tese de doutorado de Amara, que é professora e escritora.

Logo depois, às 16h30, será o debate via internet Ulisses, um estudo, mediado por Marcelo Tápia, diretor dos Museus-Casas Literários e atual organizador do Bloomsday em São Paulo. O bate-papo contará com a presença do professor e crítico Aguinaldo Médici Severino, que é também estudioso da obra de Joyce, e do escritor Abdon Franklin de Meiroz Grilo, que é autor do livro Ulisses, um estudo, que foi recém-publicado.

O evento festivo O Cidadão em Ulysses fechará as comemorações no sábado, das 19h00 às 21h30, na Casa das Rosas. O tema deste ano é o capítulo 12 de Ulysses – que conta o episódio do Ciclope, da Odisseia de Homero –, que é quando surge o nacionalista Cidadão, um dos personagens mais marcantes do romance. Além de música e dança tradicionais da Irlanda, também haverá leituras de trechos da obra de Joyce em diversos idiomas. E, por fim, o velório de Finnegan, baseado no romance Finnegans wake, do escritor, também será lembrado por conter semelhanças e ligações com o conto Quincas Berro D‘Água, do brasileiro Jorge Amado.

A Casa Guilherme de Almeida e a Casa das Rosas são integrantes da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis. A Casa Guilherme de Almeida tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

Saiba mais sobre o Bloomsday:

A comemoração do Bloomsday começou em 1924, quando amigos ofereceram uma festa ao escritor que havia se lançado em um empreendimento ambicioso: Finnegans Wake, uma série de pequenas narrativas transcorridas na mente adormecida do protagonista. Em 1954, a festa passou a ser regular em Dublin, com fãs se reunindo para e celebrar a data, e logo se estendeu a outras cidades do mundo, como Londres e Nova York. O evento foi criado em São Paulo em 1988, por Haroldo de Campos, que participou de sua organização até seu falecimento, em 2003. O Bloomsday paulistano inspirou diversas celebrações no Brasil, como as de Florianópolis (SC), Santa Maria (RS), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS), entre outras.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Bloomsday

Sexta e sábado, dias 15 e 16/6

 – Desvendando o Ulysses, de James Joyce

Sexta-feira – das 19h00 às 21h00

Casa Guilherme de Almeida

– Indeterminação de sentidos no Ulysses de James Joyce

Sábado – das 15h00 às 16h15

Casa Guilherme de Almeida

Ulisses, um estudo

Sábado – a partir das 16h30

Transmissão pela internet

– O Cidadão em Ulysses

Sábado – das 19h00 às 21h00

Casa das Rosas

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h00 às 22h00, e aos domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

32º Prêmio Design MCB divulga vencedor e destaques do Concurso do Cartaz 2018

O resultado completo pode ser conferido no site www.mcb.org.br

Cartaz vencedor – Autor: Celso Hartkopf Lopes Filho – Recife (PE)

O Concurso do Cartaz para a 32ª edição do Prêmio Design MCB, realizado pelo Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebeu neste ano 424 inscrições, com participantes de 15 estados, e teve como vencedor a peça do designer Celso Hartkopf Lopes Filho, de Recife (PE), que demonstra uma forte identidade cultural, representada em composição cromática, por meio da gestualidade e do e uso de objetos de caráter popular.

O cartaz que será a inspiração de toda a identidade visual da edição de 2018 foi escolhido pela comissão julgadora coordenada pelo fotógrafo e designer Gal Oppido e composta por Flávia Nalon e Chico Homem de Melo, com vasta experiência em projetos gráficos, e pelos artistas urbanos Luís Bueno e Gabriel Ribeiro. Para a seleção, o júri considerou a criatividade e a expressão do cartaz enquanto artifício de divulgação, não somente enquanto peça.

Para Gal, o cartaz vencedor demonstra, por meio da computação gráfica, uma cena cotidiana do Brasil, onde gesto e objeto são revelados. “Na imagem é possível ver as cores primárias dentro de uma construção pop pós-impressionista gerada a partir da repetição de módulos cromáticos, que resultam uma peça com alto rendimento visual”, comenta o coordenador da comissão.

Além do vencedor, que receberá como prêmio o valor bruto de R$ 3 mil e terá um contrato de mais R$ 3 mil para a criação de outras peças gráficas da edição, o júri selecionou mais 10 cartazes de destaque e outros 90 trabalhos que farão parte da mostra do Concurso do Cartaz, a ser aberta no dia 10 de novembro, junto com a exposição do 32º Prêmio Design MCB.

Mostra Concurso do Cartaz com votação popular
Com abertura em 10 de novembro, junto pela primeira vez com a exposição de produtos e trabalhos escritos do Prêmio Design MCB, a Mostra do Concurso do Cartaz exibirá o vencedor, os dez destaques e mais 90 trabalhos selecionados pelo júri. Os visitantes poderão escolher sua peça favorita em uma votação popular, feita presencialmente na exposição, implantada desde a 30ª edição, em 2016, que visa estimular a participação do público no debate sobre a produção atual em design gráfico e a revalorização do cartaz enquanto peça gráfica central em campanhas de divulgação.

Sobre o Prêmio Design MCB

O Prêmio Design MCB é realizado desde 1986 pelo Museu da Casa Brasileira. A premiação – a mais tradicional do segmento no país – revela talentos e consagra profissionais e empresas. O Prêmio é dividido em dois momentos principais: o Concurso do Cartaz e, em seguida, a premiação dos produtos e trabalhos escritos. Entre junho e agosto, o MCB recebe criações (protótipos ou em produção) nas categorias: Construção, Transporte, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis, Utensílios e Trabalhos Escritos. Os trabalhos são analisados por duas comissões julgadoras independentes, uma para as categorias de produto e outra para trabalhos teóricos. Por fim, são escolhidos os premiados, divididos entre 1º, 2º e 3º lugares e menções honrosas, além dos selecionados que também compõem a exposição. Como resultado do Prêmio Design MCB, o Museu realiza uma mostra com os vencedores e selecionados de cada categoria da edição, que fica em cartaz por cerca de dois meses.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada

Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

3º Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança

Com mestres de renome nacional e internacional, programação será entre 30 de outubro e 5 de novembro e é voltada ao fomento e formação de profissionais da dança

De 30 de outubro a 5 de novembro, o Museu Felícia Leirner e o Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo geridas pela ACAM Portinari, recebem a São Paulo Companhia de Dança – gerida pela Associação Pró-Dança sob direção de Inês Bogéa – para o 3° Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança.

O evento é realizado via ProAC com patrocínio de O Boticário Na Dança, Escala 7 Editora Gráfica e Vedacit, parceria do Instituto CPFL e apoio da Capezio, e é destinado a bailarinos pré-profissionais e profissionais, além de alunos de jornalismo e fotografia. O objetivo é, além da capacitação técnica para dança, a formação e o envolvimento do público durante as aulas e os espetáculos. (mais…)

40 anos sem John Lennon: #MISemCasa homenageia o astro do rock com programação especial

Na terça-feira, dia 8, acontece a live especial 40 anos sem John Lennon – os últimos discos, apresentada por Ricardo Alexandre, curador da megaexposição John Lennon em Nova York por Bob Gruen. O #MISemCasa ainda traz, na semana, diversas atrações nos canais do museu no Youtube (mais…)

43ª Semana de Portinari começa dia 11 de agosto

Pintura Mural e Exposição Coletiva de Artes Plásticas dão início à programação gratuita, promovida pelo Museu Casa de Portinari

 

Brodowski (SP) mais uma vez vai se transformar em uma galeria a céu aberto a partir das 9h00 de sábado (11/08), com o início da Pintura Mural, durante a 43ª Semana de Portinari, realizada pelo Museu Casa de Portinari – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari -, em parceria com a Prefeitura. Neste ano, artistas plásticos de vários locais do Brasil e do mundo, irão expor seus trabalhos nos muros da Associação de Moradores do Jardim dos Tucanos e das escolas Professor Carmo Eurípedes Barreto, Professor Marcus Orlando Arantes Carvalho e Professora Elza Leite da Costa.

A Pintura Mural é realizada há mais de 30 anos e, a cada edição, pontos diferentes da cidade recebem o projeto que amplia a possibilidade de contato dos moradores com a arte e reforça a missão do Museu em estimular a formação de público para cultura. No mesmo dia, será aberta a Exposição Coletiva de Artes Plásticas, no Salão Paroquial, com pinturas, instalações e esculturas, que fica em cartaz até 22 agosto, data em que o município completa 105 anos.

Ainda na programação da Semana de Portinari, os interessados podem participar de atividades culturais na esplanada da instituição, como o Domingo com Arte, das 10h00 às 16h00, a apresentação de balé do Studio Gisella Camilo, às 20h00, ambos no dia 12/08, o espetáculo “FIM?”, do grupo Esparrama, no dia 15/08, agenda do Circuito Sescoop/SP de Cultura, promovido pela Coonai (Cooperativa Nacional Agro Industrial), às 10h00 e às 16h00, e as Oficinas Andantes na quarta-feira (22/08), a partir das 10h00.

Festa Italiana

Para os amantes da cultura italiana, danças, músicas e comidas tradicionais dos principais imigrantes da região terão espaço na 14ª Piazza Della Nonna, que tem início no dia 16 de agosto (quinta-feira). A festa é um momento de celebração entre a comunidade local, com homenagens às famílias imigrantes que ajudaram a construir o município. As barracas de comidas, bebidas e brinquedos são comandadas pelas associações de serviço da cidade.

Serviço:

43ª Semana de Portinari
Período:
de 11 a 22/08/2018

 

Exposição Coletiva de Artes Plásticas

Período: de 11 a 22/08/2018

Local: Salão Paroquial (Rua General Carneiro, 71 – Centro – Brodowski/SP)
Horário:
das 9h00 às 21h00

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

Pintura Mural
Data:
11/08/2018

Local: Associação de Moradores Jardim dos Tucanos; EMEI Prof. Carmo Eurípedes Barreto; EMEI Prof. Marcus Orlando Arantes Carvalho; EMEF Profª. Elza Leite da Costa

Horários: das 9h00 às 18h00

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

Domingo com Arte – Edição Especial

Data: 12/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Horário: das 10h00 às 16h00

Informações: (16) 3664-4284 – Núcleo do Serviço Educativo

Entrada: gratuita

 

Apresentação de Ballet – Studio de Dança Gisella Camilo

Data: 12/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Horário: às 20h00

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

Circuito Sescoop/SP de Cultura

Data: 15/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Horário: às 10h00 e às 14h00

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

14ª Piazza Della Nonna

Período: de 16 a 19/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/nº – Centro – Brodowski/SP

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

Cerimônia de Entrega de Prêmios

Data: 19/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Horário: às 10h00

Informações: (16) 3664-4284

Horário: gratuita

Duo de Acordeons – Meire Genaro e Gilda Montans

Data: 20/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Horário: às 20h00

Informações: (16) 3664-4284

Horário: gratuita

Oficinas Andantes – Edição Especial

Data: 22/08/2018

Local: Praça Candido Portinari, s/n° – Centro – Brodowski/SP

Horário: das 10h00 às 16h00

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

44ª Semana de Portinari começa em 10 de agosto

Evento apresentará diversas exposições artísticas e ações culturais, além da Piazza Della Nonna; agenda é gratuita e aberta ao público

(mais…)

45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo no Museu da Imigração

Nos dias 22 e 23 de outubro, amantes da sétima arte poderão conferir produções sobre deslocamento forçado e violação de direitos humanos

O Museu da Imigração – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), reforçando a parceria já existente, recebem quatro filmes, como parte da 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, nos dias 22 e 23 de outubro, às 19h.

A programação a céu aberto, diretamente do jardim do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás – no qual o MI está localizado –, terá como foco produções envolvendo a realidade das pessoas que vivenciam o deslocamento forçado e os impactos das violações de direitos humanos em suas vidas. Os materiais serão transmitidos em uma tela de 15 metros com projeção 4k.

O evento contará com duas sessões diárias e os ingressos serão vendidos, dois dias antes de cada, somente no Ticket360, conforme indicado no site do Museu. Os protocolos de segurança contra a COVID-19 serão seguidos, de maneira que será obrigatório o uso de máscara e haverá a exigência do comprovante de vacinação (duas doses) ou RT PCR (72h de antecedência) ou Antígeno (48h).

Para quem ainda não se vacinou com as duas doses, em parceria com a Red8, será oferecido gratuitamente o teste Antígeno, sempre às 18h de cada dia. Como a quantidade é limitada, os interessados devem agendar previamente, até quarta-feira (20), pelo WhatsApp da empresa.

No intervalo das exibições, os visitantes poderão aproveitar as delícias preparadas por refugiados empreendedores, que vivem em São Paulo, em uma praça de alimentação também montada ao ar livre.

Programação Completa

Dia 22 (sexta-feira), às 19h | 7 Prisioneiros

Brasil – 2021 | 90 min | Ficção

O jovem Mateus, de 18 anos de idade, sai do interior em busca de uma oportunidade de trabalho em um ferro-velho de São Paulo comandado por Luca. Chegando lá, acaba se tornando vítima de um sistema de trabalho análogo à escravidão. Mateus é obrigado a decidir se continua trabalhando para o homem que o escraviza ou se coloca a si mesmo e a família em risco.

Dia 22 (sexta-feira), às 21h | Capitães de Zaatari

Egito – 2021 | 73 min | Documentário

Mahmoud e Fawzi vivem no campo de refugiados Zaatari, na Jordânia. Embora não tenham ideia do que o futuro lhes reserva, eles se concentram em sua principal paixão: o futebol. Apesar da situação adversa em que vivem, os dois treinam diariamente, acreditando que o esporte profissional pode ser o passaporte para a liberdade. Quando uma renomada academia esportiva chega ao local para selecionar jogadores para um torneio internacional em Doha, o talento de Mahmoud e Fawzi é imediatamente reconhecido. No entanto, os rapazes seguirão caminhos diferentes.

Dia 23 (sábado), às 19h | Pegando a Estrada

Irã – 2021 | 93 min | Ficção

Uma família caótica e afetuosa viaja por uma paisagem acidentada, mas para onde? No banco de trás, o pai parece estar com uma perna quebrada, mas ela está realmente quebrada? A mãe tenta rir ao mesmo tempo em que não consegue conter as lágrimas. O filho mais novo fica agitado no karaokê coreografado que fazem no carro. Todos eles estão preocupados com o cachorro doente e irritando uns aos outros. Apenas o misterioso irmão mais velho permanece quieto.

Dia 23 (sábado), às 21h | Medo

Bulgária – 2020 | 100 min | Ficção

Svetla é uma viúva que, recentemente, perdeu o emprego como professora. A vila onde mora fica próxima à fronteira da Bulgária com a Turquia e, frequentemente, refugiados aparecem por ali. Um dia, enquanto caçava em uma floresta, Svetla se depara com um migrante africano, fato que suscita uma transformação dramática em sua vida. A mulher, então, é forçada a se rebelar contra as pessoas da comunidade, enquanto elas incitam o refugiado negro a deixar a aldeia imediatamente.

Serviço

45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo
Datas: 22 e 23 de outubro
Horário: 19h
Local: Museu da Imigração

Museu da Imigração
Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP
Tel.: (11) 2692-1866
Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 18h, e domingo, das 10h às 18h (fechamento da bilheteria às 17h).
R$10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição

www.museudaimigracao.org.br

Informações Imprensa
Museu da Imigração
Assessoria de Comunicação
Joanna Flora j.flora@museudaimigracao.org.br | (13) 98112-8691
Thâmara Malfatti | thamara@museudaimigracao.org.br
Caroline Nóbrega | comunicacao@museudaimigracao.org.br

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo
Assessoria de Imprensa
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162
(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

47ª Semana do Índio de Tupã no Museu Índia Vanuíre

Programação especial abrange oficinas e apresentações com indígenas locais; participação é gratuita

(mais…)

4ª Maratona Cultural: Oficina Cultural Juan Serrano tem programação especial para férias escolares

Artes visuais, cultura digital, circo, música, cinema e literatura são algumas das linguagens presentes nas atividades indicadas para todas as idades

A Oficina Cultural Maestro Juan Serrano, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, tem programação especial durante a 4ª Maratona Cultural, que acontece entre 4 e 25 de julho. São dezenas de atividade gratuitas que prometem divertir e estimular o dia a dia da garotada.

(Foto: Divulgação)

Entre os principais destaques estão a Prática Circense, que vai promover vivências de práticas como malabares e perna de pau, de 12 a 25 de julho; Andando na linha com Slackline, que trabalhará o equilíbrio e a coordenação motora, de 4 a 25 de julho; e Jogos da Cultura Popular, que acontece de 4 a 25 de julho e ampliará o conhecimento da cultura tradicional, com a possibilidade de reviver diversas brincadeiras individuais e/ou coletivas.

Para participar, basta comparecer à Oficina Cultural Maestro Juan Serrano e se divertir. Veja abaixo a programação completa:

Ateliê Aberto de Pintura | 4 a 25/7. Terças-feiras, 13h00 às 15h00; quartas-feiras, 10h00 às 12h00

Atividade prática em que pincéis e tintas exploram a paisagem e a vida cotidiana.

Contos, Cantigas e Poesias | 5 a 20/7. Quintas-feiras, 14h00 às 16h00; sextas-feiras, 10h00 às 12h00

Espaço para ouvir contação de histórias e cantigas tradicionais, além de criar narrativas simples, poéticas e dramatizadas.

Espaço de Criação Artística | 16 e 23/7. Segundas-feiras, 10h00 às 12h00

Fazendo uso de lápis coloridos, papel, cola e tesoura, os participantes desenvolvem de maneira criativa, personagens de seu curioso universo lúdico.

Laboratório de Internet | 4 a 25/7. Terças-feiras, 15h00 às 17h00; quartas-feiras, 10h00 às 12h00; sextas-feiras, 10h00 às 12h00 e 13h00 às 15h00

Os encontros oferecem orientação básica àqueles que não estão familiarizados com a navegação e formas de busca de informações na internet.

Circuito Livre de Filmes | 4 a 25/7. Segundas-feiras, 13h00 às 15h00 e 15h00 às 17h00; terças-feiras, 10h00 às 12h00; quartas-feiras, 13h00 às 15h00 e 15h00 às 17h00

Sessões de filmes de diversos gêneros e temáticas, para todas as idades.

Jogos da Cultura Popular | 4 a 25/7. Segundas-feiras, 10h00 às 12h00 e 15h00 às 17h00; quartas-feiras, 15h00 às 17h00; sextas-feiras, 10h00 às 12h00

Na atividade, o público participa de brincadeiras como amarelinha, cinco marias, pula corda, corre cotia, bolinha de gude, adoleta e outros passatempos que vão colocar as novas gerações em contato com brincadeiras da cultura tradicional.

Microfone aberto: A Arte do Menestrel | 5 a 19/7. Quintas-feiras, 15h00  às 17h00

Para músicos, cantores e poetas, os menestréis do presente, esta atividade coloca à disposição microfones e amplificadores para os interessados em soltar a voz, declamar ou recitar seus versos e prosas.

Orientação Musical | 10 a 24/7. Terças-feiras, 15h00 às 17h00

Tendo instrumentos de percussão, sopro e corda à disposição, os participantes participarão de vivências conduzidas pelo método de aprendizagem musical desenvolvido por Edwin Gordon, um dos mais importantes estudiosos na área.

Prática Circense | 12 a 25/7. Segundas-feiras, 13h00 às 15h00; quartas-feiras, 10h00 às 12h00

Vivência livre, divertida e desafiadora de práticas circenses, como malabares e perna de pau.

Andando na Linha com Slackline | 4 a 25/7. Terças-feiras, 10h00 às 12h00; quartas-feiras, 13h00 às 15h00; sextas-feiras, 15h00 às 17h00

Aos entusiastas do circo, estará à disposição o slackline, fita de nylon flexível inspirada na famosa corda bamba em que os artistas circenses se equilibram em diversas manobras.

Cinema ao Ar Livre | 5 a 19/7. Quintas-feiras, 18h30 às 20h30

Durante a Maratona Cultural, a parte externa da Oficina Cultural Juan Serrano será transformada em uma grande sala de cinema ao ar livre.

SOBRE A OFICINA CULTURAL MAESTRO JUAN SERRANO

Criada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo desde 1986, as Oficinas Culturais trabalham com a formação de jovens profissionais em diversas áreas, como artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro. A instituição tem como objetivo a formação cultural do cidadão por meio de oficinas e workshops gratuitos na região de Pirituba.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

4ª Maratona Cultural

4 a 25/7. Segunda a sexta-feira, diversos horários.

Atividades gratuitas sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: livre.

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo

Telefone: (11) 3994-3362 | 3971-3640

Funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 13h

oficinasculturais.org.br | juanserrano@oficinasculturais.org.br

4ª Mostra de Dança do Programa de Qualificação em Artes reúne diversas companhias para apresentações em Indaiatuba

Durante três dias, nove grupos apresentam os trabalhos desenvolvidos durante aproximadamente seis meses de orientação artística profissional

 

De 27 a 29 de setembro, a cidade de Indaiatuba (SP) recebe a 4ª Mostra de Dança do Qualificação em Artes. Nos três dias de apresentação, o público pode prestigiar os trabalhos desenvolvidos durante a orientação artística do Qualificação em Artes, que integra as atividades do programa Oficinas Culturais, da Secretaria da Cultura do Estado, gerenciadas pela Poiesis. No evento, que acontece em diversos pontos da cidade, as companhias de dança têm a oportunidade de trocar experiências e formar uma rede de dança no Estado de São Paulo. Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados uma hora antes de cada espetáculo no local da apresentação.

A abertura da quarta edição da Mostra acontece quinta-feira (27) às 20h, e conta com a apresentação de Fulô – tal e qual, espetáculo do Lagartera Coletivo, grupo de dança de Indaiatuba. O trabalho fala do intenso e visceral universo feminino, criando uma experiência que mistura ritmos flamencos, ritmos afro-brasileiros e música eletrônica.

Além da abertura, a Mostra oferece ao público duas mesas redondas sobre o Programa de Qualificação em Artes, seis espetáculos em locais fechados, uma aula de improvisação e duas intervenções em locais abertos e públicos da cidade! A artista Mariana Muniz – nascida em Pernambuco, mas residente em São Paulo – realiza um aula de improvisação para os grupos participantes do Programa. Nesta edição, o público pode prestigiar os trabalhos dos seguintes grupos: Coletivo Lagartera (Indaiatuba), Cia Faces Ocultas (Salto), Shekinah Company (Santana do Parnaíba), Núcleo Experimental de Dança e Teatro (São José dos Campos), Funk-E (Campinas), Grupo Kê (Campinas), Cia Rit’s (Tatuí), Cia Rayssa Francesconi (Várzea Paulista) e Grupo em Movimento (Birigui).

Ismael Ivo, curador artístico da dança, vê o corpo como catalisador social e político, e sua maneira de pensar arte e movimento estão alinhadas com as propostas do Programa de Qualificação em Artes. Um dos grandes diferenciais do programa é promover a prática artística a partir da perspectiva do contexto do grupo, valorizando e fomentando a formação de público e a vida cultural das comunidades. “A arte nos dá a capacidade de resistir às dificuldades, fazendo do corpo um documento do nosso tempo. A dança investiga possibilidades de resistência, navegando entre a percepção de fatos e a experiência, fazendo do corpo um corpo-político capaz de propor transformações”, diz o curador.

Veja abaixo a programação completa da 4ª Mostra de Dança:

27/9 | Quinta-feira

 

20h | Abertura: Fulô – tal e qual

Local: Centro Cultural Hermenegildo Pinto – “Piano”

Com Lagartera Coletivo (Indaiatuba)

O espetáculo trata do intenso e visceral universo feminino: cria-se uma verdadeira experiência corporal e musical, misturando a ancestralidade africana, coco de roda, os ritmos flamencos e uma pitada de música eletrônica.

Direção: Lee Honda | Orientação: Fernando Machado | Duração: 35 min.

 

28/9 | Sexta-feira

9h, 11h e 18h | Um grito impresso no muro

Locais: 9h – Bairro Tombadouro | 11h – Caminho Mato à Dentro | 18h – Rodoviária

Com Cia Viela (Registro)

O espetáculo trata das relações do homem com o seu entorno, como um espaço narrativo da própria cidade e suas múltiplas possibilidades de relação com ela.

Direção: Emerson Trankas | Orientação: Lívia Seixas | Duração: 30 min.

14h – 17h | Roda de conversa sobre a experiência da orientação artística

Local: Teatro CIAEI

Mesa 1 – Diretores/coreógrafos dos grupos orientados nesta edição

Mesa 2 – Artistas-orientadores da edição 2018

20h | Knika

Local: Teatro CIAEI

Com Funk-E (Campinas)

Para discutir a imposição de padrões da sociedade em diversos corpos em um cotidiano agressivo, cada traz ao palco suas marcas, na ponta da lança.

Direção: Gi Sartori e Wagner Quéppe | Orientação: Thiago Negraxa | Duração: 40 min.

20h45 | Ostra

Local: Teatro CIAEI

Com Núcleo Experimental de Dança e Teatro (São José dos Campos)

O espetáculo é um diálogo entre as linguagens da dança, teatro e poesia. Esta fusão artística causa um estranhamento e aproximação, como no mundo contemporâneo de identidades mescladas, mestiças e híbridas.

Direção: Marie Bueno | Orientação: Ana Clara Amaral | Duração: 35 min.

 

29/9 | Sábado

10h | Laços Urbanos

Local: Praça D. Pedro II

Com Cia em Movimento (Birigui)

No diálogo entre dança e intervenção, Laços Urbanos oferece uma experiência única aos passantes, convidados a participar de um baile cheio de ações e reações com encontros e desencontros.

Direção: Alexandre Oliveira e Francielly Nascimento | Orientação: Cristiane Santos | Duração: 30 min.

16h | Di Faces

Local: Asilo Municipal (apresentação fechada para os moradores)

Com Grupo Harmonia (Limeira)

Espetáculo livremente inspirado na vida do pintor brasileiro Di Cavalcanti (1897-1976) e na sua obra Mulheres Facetadas (1968), que retrata os contrastes de uma identidade brasileira expressa no uso de cores e traços fortes. A dança é criada dessas contradições e contrastes, permeada pelas faces dessas mulheres.

Direção: Gláucia Bilatto | Orientação: Paula Salles | Duração: 30 min.

20h | À deriva

Local: Teatro CIAEI

Com Cia Rit’s (Tatuí)

Quais são as barreiras (in)visíveis que nos tornam estrangeiros? O espetáculo é sobre a urgência de corpos em busca de sobrevivência.

Direção: Anelissa Fructuoso | Orientação: Lívia Seixas | Duração: 40 min.

 

21h| Quando sou eu?

Local: Teatro CIAEI

Com Cia Rayssa Francesconi (Várzea Paulista)

Eu busco os teus gestos, você se espelha nos meus. Andamos de formas diferentes por caminhos semelhantes. Almejamos objetivos distintos e, no entanto, nos expressamos sempre com os mesmos gestos. Quando sou eu, e quando sou você? O indivíduo é fruto da sociedade, tudo ao seu redor o influencia. Sempre haverá a sutileza de um gesto, capaz de conectar o humano a sua humanidade.

Direção: Rayssa Francesconi | Orientação: Samuel Kavalerski | Duração: 20 min.

 

21h30 | Nupcial

Local: Teatro CIAEI

Com Faces Ocultas Cia de Dança (Salto)

A angústia do instante antes do passo definitivo na realização de um sonho – que é, também, o primeiro passo de uma nova caminhada. No que pensar naquele instante? Que angústia, que receios se escondem debaixo do véu que ornamenta aquela face? Que desejos, que prazeres?

Coreografia e direção: Arilton Assunção | Orientação: Alex Soares | Duração: 30 min.

 

SOBRE O PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO EM ARTES

O Programa de Qualificação em Artes tem como ação principal a orientação artística a grupos, companhias ou coletivos de teatro e de dança no interior, litoral e região metropolitana de São Paulo, exceto capital. A orientação artística visa à valorização desses grupos, fomentando a formação de público e a vida cultural das comunidades que não dispõem de escolas ou cursos na área artística, fortalecendo assim a produção cultural local. Este Programa é resultado da experiência do Projeto Ademar Guerra, projeto de orientação artística a grupos de teatro, criado em 1997, referência de política pública de formação artística.

 

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO: 4ª Mostra de dança do Programa de Qualificação em Artes

De 27 a 29/9. Quinta-feira às 20h; sexta-feira às 14h e 20h; sábado às 10h e 20h.

Ingressos gratuitos. Retirada com 1h de antecedência no local da apresentação

Endereços

Teatro CIAEI | Av. Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, 3665 – Jd. Regina

Centro Cultural Hermenegildo Pinto – “Piano” | Av. Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, 5924 – Jardim Morada do Sol

Praça Dom Pedro II | Praça Dom Pedro II – Centro

 

Assessoria de Imprensa – POIESIS

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria de Estado da Cultura – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

50 anos depois, “1968 operário” é lembrado em Sábado Resistente

Evento será no dia 12 de maio, às 14h00, com entrada gratuita e a presença de Ênio Seabra, João Batista Candido, Luis Cardoso, Luiz Antonio Duarte e Luci Praun

Memorial da Resistência (foto: Patricia Carvalho)

No dia 12 de maio, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promoverá mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O encontro que faz parte dos eventos programados na cidade de Osasco denominados “Osasco 1968+50” será às 14h00, e irá tratar sobre os acontecimentos que marcaram o ano de 1968 para a classe operária, especialmente as primeiras greves nas cidades de Contagem (MG) e de Osasco (SP).

Com o golpe militar de 1964 no Brasil, principalmente a partir da nomeação de interventores militares nos sindicatos das principais categorias de trabalhadores, ocorreu a desarticulação do movimento sindical operário. As greves operárias de 1968 no país, tendo como símbolo as greves nestas duas cidades representaram o esforço de reorganização da classe trabalhadora.

Dentro dessa onda de greves, o dia 1º de maio de 1968 – Dia dos Trabalhadores – também ficou na história e será lembrando por alguns de seus atores. Na oportunidade, membros da classe operária de toda região metropolitana de São Paulo se reuniram na Praça da Sé para a transformação do ato oficial, organizado pelo sindicalismo de conciliação, com a presença de autoridades, em uma manifestação pública de protesto e repudio a ditadura por parte dos trabalhadores e estudantes.

PROGRAMAÇÃO

14h00 – Boas-vindas –Memorial da Resistência de São Paulo
14h10 – Coordenação – Oswaldo de Oliveira Santos
(Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h20 – Mesa Redonda 

Participantes:

Ênio Seabra Eletricista, começou a trabalhar em 1953 na Companhia Siderúrgica Mannesmann. Em 1967 foi eleito na chapa Verde (de oposição) para o Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem (MG), onde chegou a ser presidente e como tal foi um dos líderes da primeira greve operária em abril de 1968 na cidade. Participou, com um depoimento importante, do livro “Greves no Brasil (de 1968 aos dias atuais) editado pelo DIEESE em 2015.

João Batista Candido – Operário metalúrgico e coordenador regional da JOC (Juventude Operária Comunista) desde sua juventude, começou a trabalhar aos 28 anos na fábrica da Cobrasma de Osasco. Foi o presidente da Comissão de Fábrica do Brasil quando ela foi reconhecida em 1966, tendo participado também da fundação da sub sede da Frente Nacional do Trabalho naquela cidade. Em 1967, com a eleição da Chapa Verde presidida pelo José Ibrahim, João Candido é eleito Secretário Geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e nesta condição participa ativamente da Greve de 1968 que ocorreu no mês de julho naquela

Luis Cardoso – também conhecido como Luisão, era ajustador mecânico e trabalhava no controle de qualidade na Braseixos no ano de 1968. Participou da greve de Osasco e teve importante atuação na manifestação que transcorreu na Praça da Sé no dia 1º de Maio.

Luiz Antonio Duarte – Professor, era militante da Ação Popular (AP) sendo integrante da coordenação seccional na região do ABC paulista. Participou da manifestação de maio na praça da Sé.

Luci Praun – Socióloga, com mestrado e doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É atualmente docente do Centro Universitário Fundação Santo André e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Mundo do Trabalho e suas Metamorfoses (GEMT), Unicamp/CNPq. Coautora do livro “Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil I” (Ed. Boitempo), organizado por Ricardo Antunes, e do livro “Sindicatos Metalúrgicos no Brasil Contemporâneo” (Ed. Fino Traço), organizado por Davisson C. Souza e Patrícia Tropia. Autora do livro “Reestruturação Produtiva, Saúde e Degradação do Trabalho”


16h10 – Debate

 

SERVIÇO

 

Memorial da Resistência de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar

Telefone: (011) 3335-4990/ faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br

Aberto de quarta a segunda (fechado às terças)

Entrada Gratuita

57ª Semana da Música do Conservatório de Tatuí

Grupos pedagógico-artísticos da escola apresentam-se de 18 a 25 de novembro (mais…)

5ª edição da feira ‘Comida Herança’ acontecerá no Museu da Imigração

Com cerca de 70 expositores, o evento será realizado nos dias 26 e 27 de outubro no jardim da instituição (mais…)

5ª edição da Mostra Excêntrica, em outubro na Oficina Cultural Alfredo Volpi

Grande destaque de um dos principais eventos LGBT+ da zona leste de São Paulo será o show do cantor Rico Dalasam

(mais…)

5º MIA: Araçatuba (SP) recebe o maior Festival de Música Instrumental do interior paulista

Evento que celebra a música instrumental brasileira terá shows, encontros e muita troca de experiências

(mais…)

6ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI) é dedicado a reflexões sobre território e identidade

Realizado no Vale do Ribeira, região com o maior número de comunidades remanescentes de quilombos do estado de São Paulo, a programação reúne grandes nomes como Djamila Ribeiro, Conceição Evaristo, Elisa Lucinda, Ellen Oléria e muito mais

Entre os dias 24 e 26 de maio será realizado na cidade de Iguape, região sul do estado de São Paulo, a 6ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI). Desta vez, a programação é dedicada a discussões sobre conceitos de território e identidade. O festival é uma realização das Oficinas Culturais, Programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, e em parceria com a Prefeitura Municipal de Iguape.

Durante três dias, o FLI conta com show, sarau e conversas com a presença de artistas como Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro, Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Larissa Luz, Sandra de Sá e Daniel Munduruku, que discutem sobre identidade, ancestralidade e pluralidade de narrativas. Os eventos são gratuitos e serão na Praça da Basílica e Biblioteca Pública Municipal, além da programação preparada para as escolas municipais, bem como oficinas e workshops em sete municípios do Vale.

Além disso, o público encontra no Ponto do Livro um espaço de troca de livros infantis, adultos e gibis. Uma oportunidade de renovar as bibliotecas pessoais sem custo!

O que é lugar de fala e qual a importância de buscar outros olhares que rompam com a história única? Para falar sobre o assunto, Djamila Ribeiro participa do bate-papo sobre seu livro O que é lugar de fala? (2017), que será na quinta-feira (24) às 20h00. Sexta-feira (25) às 21h30, Conceição Evaristo fala sobre sua trajetória como escritora, refletindo sobre o papel da mulher negra na literatura brasileira. As conversas terão mediação da escritora Bianca Santana, autora do livro Quando me descobri negra.

Para trazer um panorama da literatura do Vale do Ribeira, explorando a poesia, meios de publicação e a relação com outras expressões e linguagens artísticas, Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda participam da conversa Literatura do Vale que será sexta-feira (25) às 20h00 com mediação de Lisângela Kati do Nascimento.

Em Território e identidade, o público reflete, a partir de perspectivas quilombolas, indígenas, caiçaras, caboclas e negras, sobre ancestralidade, relações sociais e valorização das culturas tradicionais. A conversa ocorre no sábado (26), às 14h00. Encerrando as conversas do Festival, Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro participam do Vozes de desconstrução e falam sobre a desconstrução de narrativas colonizadas, subversão de pensamentos e construção de representações plurais na literatura. O bate-papo será às 21h00 do sábado.

Música e teatro

Na quinta-feira (24), às 14h00, o grupo Morabeza Nação apresenta o espetáculo 3Áfricas – As rainhas do tempo, que transforma a história dos Três Reis Magos – Melchior (rei da Pérsia), Gaspar (rei da Índia) e Baltazar (rei da Arábia) – em uma narrativa sobre três rainhas, cada uma de um país africano: Cabo Verde, Moçambique e Senegal. O trabalho une teatro e música com tambores e instrumentos de cordas que compõem a trilha sonora ao vivo. A partir das 22h00, Roberta Estrela D’Alva, slammer e apresentadora do programa “Manos e Minas”, comanda o FLISARAU, encontro poético com microfone aberto para todos que quiserem ler e recitar textos, autorais ou não.

Uma das principais escritoras da literatura brasileira é homenageada no espetáculo Canto de vida e obra: Conceição Evaristo, que transforma a história da escritora em uma narrativa literária e musical. O trabalho é apresentado ao público na sexta-feira (25), às 22h30.

Sons do Guarani reúne mais de 60 indígenas para um espetáculo de celebração da cultura guarani. O show será às 11h00 e abre as atividades de sábado (26). Às 17h00, o Quilombo do Morro Seco, que recebeu do Ministério da Cultura em 2017 o Prêmio Culturas Populares – Edição Leandro Gomes de Barros, apresenta o tradicional Fandango.

A cantora Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria para show no sábado (26), às 22h30. No repertório, canções de seu último trabalho Território Conquistado (2016), indicado como Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa no Grammy Latino 2016. Para encerrar o FLI 2018, às 23h40 a Comunidade Jongo Tiduca convida a todos para uma grande roda de jongo, dança de roda brasileira praticada ao som de tambores.

Todos os espetáculos serão na Tenda da Praça da Basílica, no centro histórico da cidade. Veja abaixo a programação completa do FLI 2018:

24/5 | Quinta-feira
14h00 | Espetáculo: 3Áfricas – As Rainhas do tempo
18h00 | Ponto do Livro
20h00 | Bate-papo: O que é lugar de fala? com Djamila Ribeiro
22h00 | FLISARAU com Roberta Estrela D’Alva
22h00 | Sessão de Autógrafo com Djamila Ribeiro (O que é lugar de fala?)

25/5 | Sexta-feira
18h00 | Ponto do Livro
18h00 | Sessão de Autógrafo com Conceição Evaristo
20h00 | Bate-papo: Literatura do Vale com Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda
21h30 | Bate-papo: Escrevivência com Conceição Evaristo
22h30 | Espetáculo: Canto de vida e obra – Conceição Evaristo

26/5 | Sábado
11h00 | Ponto do Livro
11h00 | Espetáculo: Sons do Guarani com as aldeias Pindo Ty, Takuari Ty e Itapoã
14h00 | Bate-papo: Território e identidade com Antonio Diegues, Benedito da Silva, Claudionor Henrique Pedroso, Daniel Clayton Pedro Rodrigues, Daniel Munduruku, Hermes Modesto Pereira, Maíra Silva, Rodrigo Marinho, Tatiana Cardoso e Timóteo Verá Tupã Popyguá
17h00 | Espetáculo: Fandango do Morro Seco
17h00 | Sessão de Autógrafo com Timóteo Verá Tupã Popyguá (Yvyrupa – A terra uma só) e Lisângela Kati do Nascimento (O lugar do lugar no ensino da geografia)
20h00 | Sessão de Autógrafo com Fátima Cristina Pires (Ariú), Lydia da Silva Gonçalves (A flor que encanta) e Isabel Campos (Árvore para passarinhos).
21h00 | Bate-papo: Vozes de desconstrução com Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro
22h30 | Show: Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria
23h40 | Show: Roda de Jongo com Jongo Tiduca

7ª edição Festival Literário de Votuporanga

Evento será de 21 a 29 de outubro e já é reconhecido no Estado de São Paulo pela qualidade da programação com grandes nomes da literatura

Com 93 mil habitantes, Votuporanga é palco de um dos maiores eventos literários do Brasil. De 21 e 29 de outubro, a cidade sedia a sétima edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga com programação inteiramente gratuita de shows, bate-papos com escritores, contação de histórias, espetáculos teatrais, palestras, exposição e venda de livros, entre outras atividades. A realização do evento é da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio da organização social de cultura APAA, em parceria com a Prefeitura de Votuporanga.

O evento tem alcance regional e grande foco no incentivo à leitura junto ao público infanto-juvenil, entre 6 e 14 anos. Na edição de 2016, cerca de 80 mil pessoas passaram pelos ambientes do FLIV. Ao longo de nove dias de realização, foram oferecidas cerca de 160 atrações em 125 horas gratuitas de promoção à cultura.

Em seis edições, o festival registrou cerca de 300 mil visitantes de 40 municípios do interior paulista. Já passaram pelo FLIV renomados escritores, como Alice Ruiz, Ricardo Aleixo, Ignácio de Loyola Brandão (Patrono em 2012), Maurício Kubrusly, Marcia Tiburi, Ferréz, Mário Prata, Paulo Lins (Patrono em 2014) e Lourenço Mutarelli. (mais…)

7º Festival Literário de Iguape vai abordar o tema “Futuro, Lugar e Memória”

Realizado no Vale do Ribeira, o evento oferece uma programação gratuita, que reúne grandes nomes como Conceição Evaristo, Ana Maria Gonçalves, Luedji Luna, Zezé Motta, Mel Duarte, Nação Zumbi e muito mais. A cocuradoria é de Bianca Santana

(mais…)

8 de março: São Paulo tem programação especial para celebrar as lutas femininas

Afrobeatcom orquestra de mulheres negras na Fábrica de Cultura Capão Redondo, lançamento do 1º trabalho solo de Mariana Per na Casa das Rosas, e Bloco Desculpa Qualquer Coisa na Oficina Cultural Alfredo Volpi são alguns dos destaques (mais…)

8º Encontro Internacional de Contadores de Histórias

Se você é um contador de histórias ou alguém que adora ouvi-las, a Oficina Cultural Oswald de Andrade tem uma programação especial para você: o Encontro Internacional Boca do Céu de Contadores de Histórias, que está em sua 8ª edição. É um evento bienal que promove espaço de reflexão, criação e ação cultural, focalizando a arte da palavra que, ao longo da história, foi, e ainda é, explorada na forma de narrativas orais. As atividades, que são livres e abertas ao público, vão de 22 a 26 de maio, sempre das 9h00 às 18h30. Essa edição traz seis artistas internacionais, mais de 40 convidados brasileiros e cerca de 100 atividades distribuídas em mais de seis espaços culturais da cidade.

O objetivo do encontro – é o maior evento de contadores de histórias do Brasil – é oferecer diferentes abordagens da arte da narração, que possam servir de base para ações educativas, culturais, sociais e estéticas, focando na importância que as narrativas orais ainda têm nos dias de hoje. A arte narrativa ocupa um espaço nas culturas humanas, assim como as artes visuais, o teatro, a música e a dança. Por isso, a formação artística e estética nessa área é possível da mesma forma que em outras artes.

A maior parte da programação do Encontro é destinada aos contadores de histórias, mas também há atividades para quem apenas se interessa pela área. “Contar histórias é uma arte que existe desde o começo dos tempos, que viaja pelas épocas e lugares da humanidade”, afirma Regina Machado, curadora e idealizadora do Encontro.

Além da Oficina Oswald de Andrade, entre os dias 22 e 25 de maio, o Encontro Internacional Boca do Céu de Contadores de Histórias também terá ações complementares nas Fábricas de Cultura das regiões Norte e Sul, ambas instituições da Secretaria da Cultura do Estado gerenciada pela Poiesis. A programação completa do encontro pode ser acessada pelo site: bocadoceu.com.br

SOBRE A OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE

A Oficina Cultural Oswald de Andrade realiza atividades na formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e no formato de oficinas, workshops, núcleos de estudos, seminários, residências artísticas, intercâmbios, apresentações cênicas, exposições, entre outros. Em seus 30 anos de existência, passaram pela Oficina grandes nomes como Quentin Taratino, Klauss Vianna, Nuno Ramos, além de importantes companhias nacionais e internacionais como Théâtre du Soleil, The Workcenter of Jerzy Grotowski, e Thomas Richards e Teatro da Vertigem. Em 2015, a Oficina foi indicada ao Prêmio Shell na categoria Inovação “pela ampliação e renovação no acolhimento de projetos de artes cênicas, com a plena ocupação de seu espaço por grupos e companhias de teatro, com uma ousada agenda cultural que potencializa a revitalização do bairro do Bom Retiro”. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social Poiesis – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Encontro Internacional Boca do Céu de Contadores de Histórias

De terça a sexta-feira, 22 a 26/5 – das 9h00 às 18h30

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3221-4704

Funcionamento: de segunda a sexta-feira das 9h00 às 22h, e aos sábados das 10h00 às 18h00

www.oficinasculturais.org.br

90 anos de Macunaíma: Rede de Museus-Casas Literários celebram a data com programação especial

Debates, palestras, troca de livros, sarau, show e espetáculo fazem parte das atividades gratuitas, que também ocorrem na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Há 90 anos, um marco da literatura brasileira era lançado: Macunaíma é a publicação mais significativa de Mário de Andrade e é considerada uma das obras literárias mais importantes de todos os tempos. Para celebrar e homenagear o aniversário do livro que narra as histórias do herói sem nenhum caráter, os Museus-Casas Literários – Casa Mário de Andrade, Casa Guilherme de Almeida e Casa das Rosas – e a Oficina Cultural Oswald de Andrade, instituições da Secretaria da Cultura do Estado gerenciados pela Poiesis, organizaram o evento 90 anos de Macunaíma. De 14 a 17 de setembro, os museus e a Oficina oferecem uma programação especial e gratuita para quem quiser conhecer e se aprofundar nessa obra-prima.

A abertura dos debates será na sexta-feira (14), das 19h às 21h, na Casa Mário de Andrade. A presença cultural indígena hoje no Brasil contará com a presença de Deborah Goldemberg, curadora do evento; Paulo Santilli, sociólogo e antropólogo; Avelino, líder Taurepang; e Cristino Wapixana, escritor indígena. Basta chegar e participar do bate-papo!

Já a Casa Guilherme de Almeida preparou uma discussão sobre Macunaíma em tradução, no sábado (15), das 10h às 13h30. Terão duas palestras acerca do tema: a primeira com Nádia Farage, socióloga e antorpóloga, e Paulo Victor Albertoni Lisboa, antropólogo, sobre retórica Wapichana, tradução e literatura indígena, explorando a influências da língua Karib em Macunaíma. E a segunda com os linguistas Maria Silva Cintra Martins e João Paulo Ribeiro, sobre tradução da obra de Mário de Andrade para outras línguas indígenas. Os comentários serão feitos por Roseane Cadete, que é Wapichana.

Logo depois, das 15h às 20h, a Casa das Rosas oferece uma série de atividades especiais: feira de livros indígenas; sarau de mitologia Makunáima, com apresentações de Avelino Taurepang, Roseane Cadete e Jaider Esbell; e Macunaíma pocket-show, por Iara Rennó.

O domingo (16) começa na Casa Mário de Andrade com a mesa de debate Por que Macunaíma é preto?, às 15h, com Marcelo Ariel, poeta, e André Bueno, historiador e professor. Logo após, às 18h, será a vez da exibição do filme Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro de Andrade. E, às 20h, os atores do espetáculo comandam a roda de conversa O que os índios acharam de Macunaíma?, com mediação de Deborah Goldemberg.

Fechando a programação, na segunda-feira (17), das 12h às 16h, haverá o Recital Indígena na Oficina Cultural Oswald de Andrade; seguido da apresentação musical de Avelino Taurepang, Roseane Cadete, Jaider Esbell e Deborah Goldemberg.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO:

90 anos de Macunaíma

Sexta-feira, sábado e domingo, de 14 a 16/9.

 

Casa Mário de Andrade

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo

Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 18h

www.casamariodeandrade.org.br

Casa Guilherme de Almeida

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Perdizes

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

A “cara” do Revelando: participantes revelam tradições e histórias no festival

Dona Lúcia, de Cruzeiro: “Não tem como mudar a história, porque a história não muda”

(mais…)

A Associação Amigos do Projeto Guri é a Melhor ONG de Cultura de 2018 e uma das 100 Melhores ONGs do Brasil

A Associação Amigos do Projeto Guri conquistou dois títulos: entrou na lista das 100 Melhores ONGs de 2018 e ganhou o selo de Melhor ONG de Cultura de 2018. Os prêmios foram concedidos pelo Guia 100 Melhores ONGs, durante cerimônia realizada no Museu de Arte Moderna, em São Paulo, na noite do dia 1º de novembro. Trata-se do maior reconhecimento do Terceiro Setor no Brasil.

A Amigos do Guri, organização responsável pela administração de mais de 330 polos de ensino do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – no interior, litoral e Fundação CASA. Ao todo, mais de 40 mil crianças e jovens, de 6 a 18 anos, são atendidos por ano nos polos. Nos Grupos de Referência e na Fundação CASA participam estudantes de até 21 anos.

O prêmio Melhores ONGs foi criado para valorizar as organizações filantrópicas que se destacam pelo trabalho em prol da sociedade com boas práticas de gestão e transparência. No critério de seleção são avaliados os processos administrativos, contábeis, financeiros e de comunicação para selecionar as 100 melhores entre as mais de 800 mil instituições em atuação no País.

A segunda edição do Guia recebeu 1.700 inscrições, 28% a mais do que no ano passado. Com esse trabalho, o Instituto Doar e a Rede Filantropia estimulam a melhoria contínua da gestão das entidades e criam espaços de visibilidade para ONGs encontrarem mais doadores.

Sons que Transformam Vidas foi o título escolhido para definir o Projeto Guri no Guia. “Receber o prêmio de Melhor ONG de Cultura e entrar para a lista das 100 Melhores ONGs demonstra o reconhecimento sobre a importância da prática musical coletiva no desenvolvimento de gerações em formação. É uma honra e reflete o trabalho dos nossos colaboradores e guris”, disse Alessandra Costa, diretora executiva da Associação Amigos do Projeto Guri.



Lista completa das 100 Melhores ONGs: https://melhores.org.br/

Mais informações sobre a criação do prêmio:

https://www.institutodoar.org/o-processo-de-criacao-do-premio-melhores-ongs/

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Sobre o Projeto Guri Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre o Instituto Doar

O Instituto Doar tem como missão ampliar a cultura de doação no Brasil. Em 5 anos de existência, criou o Selo Doar, que certifica organizações em gestão e transparência, trouxe para Brasil o Dia de Doar, uma iniciativa que já está em mais de 20 países e agora lança a segunda edição do Guia Melhores ONGs, cujo objetivo é além de reconhecer ONGs exemplares, oferecer às pessoas um leque de opções de doação por todo o Brasil e das mais diversas causas.

Informações para imprensa:

Máquina Cohn & Wolfe: 11 3147-7900

Stefane Braga | Patricia Oliveira –  projetoguri@maquinacohnwolfe.com

(11) 3147-7449| (11) 3147-7490

Secretaria da Cultura do Estado Assessoria de imprensa Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br Elisabete Alina Skwara – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

A cantora Majur, expoente do movimento Afrofuturismo, está na #ViradaSP Online deste sábado, em homenagem ao Mês da Consciência Negra

Show de Amelinha e a grande final do Concurso de Viola Caipira #RevelandoSP também estão na agenda. Além de atrações artísticas do município de Mirante de Paranapanema, selecionado no programa de difusão cultural #JuntospelaCultura

Vinte e uma atrações estão na #ViradaSP Online deste sábado, 27 de novembro, a partir do meio-dia. Os destaques são os shows, gravados no palco do Teatro Sérgio Cardoso, das cantoras Majur, Amelinha e de Liv Moraes, que recebe Anastácia (Rainha do Forró) e Juliana Lima como convidadas. Diferentes estilos musicais, teatro, dança, performances, curiosidades locais e turísticas de Mirante do Paranapanema fazem parte da programação. A #ViradaSP Online 2021, é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com gestão e produção da Amigos da Arte.  A transmissão ocorre, gratuitamente, durante 12 horas ininterruptas, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android.

Majur apresenta as canções do disco Ojunifé, seu primeiro álbum de inéditas. Segundo a cantora, as composições são AfroPop com toques alternativos, claves de matrizes africana e indígena, em harmonia com o beat no pop, soul e R&B. O show de Majur faz parte da agenda especial, composta por mais de 80 atrações, da plataforma #CulturaEmCasa (www.culturaemcasa.com.br) durante o Mês da Consciência Negra.

A cantora Liv Moraes, filha do instrumentista, cantor e compositor Dominguinhos, apresenta um show em homenagem às mulheres forrozeiras, profissionais e artistas que desenvolve suas carreiras, engajam grupos e se tornam referência para a cena.

E uma das maiores intérpretes da música popular brasileira, Amelinha, comemora os seus mais de 40 anos de carreira, apresentando composições clássicas de Fagner, Djavan e Moraes Moreira, entre outros. Nesta edição da #ViradaSP Online, também ocorre a final do Concurso de Viola Caipira #RevelandoSP, quando serão conhecidos os três melhores violeiros (as) do estado de São Paulo.

A cidade Mirante do Paranapanema participa com diversas atrações culturais. Entre elas, a Orquestra de Viola Caipira de Mirante do Paranapanema; o  Dia de Circo, com Circo Milly; e o espetáculo Os matudo do pontal, com o Grupo de Teatro Kunkunká.

A Amigos da Arte também produziu o Rolando Prosa – quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular da cidade. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições do evento.

“A #ViradaSP Online é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.”

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, ressalta Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

“Para Mirante do Paranapanema a #ViradaSP Online veio para ampliar o acesso à cultura. Com a expectativa do fim da pandemia, esse investimento cultural dará apoio aos artistas. Mirante possui talentos que necessitam estar entre grandes nomes nacionais”, afirma o prefeito Átila Ramiro Menezes Dourado.  Segundo Maria Lúcia de A. Góes, vice-prefeita da cidade, a #ViradaSPOnline é importante marco na nova etapa cultural do município.

 

Serviço:  #ViradaSP Online – Mirante do Paranapanema

 

12h     Início da transmissão

12h10 Orquestra de Viola Caipira de Mirante do Paranapanema

13h     Dia de Circo, com Circo Milly

14h     Concurso de Viola Caipira Revelando SP 2021

17h35 Os matudo do pontal, com Grupo de Teatro Kunkunká

18h     Rolando Prosa, com Rolando Boldrin

18h30 Liv Moraes + Anástacia + Juliana Lima

19h40 Amelinha

21h25 Grupo de Dança Artevidance, Arte Vida e Dança

22h10 Adriano Silva

23h     Majur


Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

imprensaculturasp@sp.gov.br

Assessoria de Imprensa da Amigos da Arte

Pridea Comunicação
analucia@ateliercom.com

A criação de imagens é tema de duas oficinas online na Biblioteca de São Paulo

Na programação de novembro da Biblioteca de São Paulo (BSP), as oficinas intituladas Do Papel ao Pixel: como se tornar um artista digital e Narração de Histórias e a Imagem Narrativa são dicas de atividades gratuitas e online para quem quer exercitar a criatividade. A BSP é equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerida pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo segundo ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.

Com Roberto Weigand, a Oficina Do Papel ao Pixel: como se tornar um artista digital acontece nesta terça-feira, 3 de novembro, das 14h às 17h. O premiado ilustrador e capista vai apresentar elementos das rotinas de criação e do uso dos principais softwares de desenho e fotografia, que possibilitam novos recursos criativos e significativos ganhos de produtividade. Estudantes, profissionais e artistas que desejam migrar ou se aperfeiçoar no mundo da arte e da ilustração digital formam o público-alvo da atividade.

A Oficina Narração de Histórias e a Imagem Narrativa está marcada para 24 de novembro, às 15h, e será comandada por Stela Barbieri e Fernando Vilela. Aqui, os participantes serão introduzidos na arte da narrativa oral com a apresentação de uma história e, a partir de uma cena, criarão uma ilustração, utilizando desenho e colagem. Stela Barbieri é artista plástica, autora de livros infantis, contadora de histórias e consultora nas áreas de educação e artes. Foi curadora educacional da Bienal de Artes de São Paulo (2009-14). Fernando Vilela é escritor, ilustrador, designer, educador e curador, com mais de 90 livros ilustrados publicados. Para participar das oficinas é necessário fazer inscrição em: www.bsp.org.br/inscricao (vagas limitadas).

Com a necessidade de estimular o distanciamento social e outras medidas de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o #Culturaemcasa, que amplia a oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos. Importante lembrar que a BSP continua com atividades da programação cultural presenciais suspensas. Para conferir a programação completa, acesse: www.bsp.org.br.

Oficina Online Do Papel ao Pixel: como se tornar um artista digital

Com Roberto Weigand

Terça-feira, 3 de novembro, das 14h às 17h

Carga horária: 3 horas

Inscrições abertas em www.bsp.org.br/inscricao (vagas limitadas)

Indicado para maiores de 16 anos

Oficina Online Narração de Histórias e a Imagem Narrativa

Com Stela Barbieri e Fernando Vilela

Terça-feira, 24 de novembro, das 15h às 17h

Carga horária: 2 horas

Inscrições abertas em www.bsp.org.br/inscricao (vagas limitadas)

Indicado para maiores de 16 anos

A história de Alex Firmino, amputado e jogador de futebol

 

Atleta do time de futebol de amputados do São Paulo, Alex está na atual temporada do projeto Deficiente Residente, do Museu do Futebol  (mais…)

A LÍNGUA PORTUGUESA EM NÓS

Exposição do Museu da Língua Portuguesa retrata a história e a diversidade do idioma em Cabo Verde, Angola e Moçambique

Abertura em Cabo Verde será nesta quinta, 10 de maio, na sede do Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP

Primeiro museu no mundo totalmente dedicado a um idioma, o Museu da Língua Portuguesa foi inaugurado na Estação da Luz, prédio-símbolo de São Paulo, em 2006. Em quase dez anos de funcionamento recebeu aproximadamente 4 milhões de visitantes.

O Museu da Língua Portuguesa, atualmente em reconstrução em São Paulo, vai agora percorrer Cabo Verde, Angola e Moçambique, propondo diálogos e trocas com os falantes da língua portuguesa no arquipélago cabo-verdiano e no continente africano. A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” será realizada nas cidades de Praia (Cabo Verde), em maio, Luanda (Angola) em junho, e Maputo (Moçambique), em agosto.

O conteúdo foi organizado a partir de quatro eixos temáticos: Nós da Língua Portuguesa no Mundo, História da Língua Portuguesa no Brasil, Poesia e Prosa e Diálogos. Com consultoria de conteúdo do compositor, escritor e professor de Literatura José Miguel Wisknik, a exposição propõe um percurso pela história da língua portuguesa, o contato com outras línguas, seus destinos na formação cultural brasileira, sua presença nos ritmos e nas melodias, nas expressões culinárias e na literatura. O visitante será convidado a participar da programação cultural organizada exclusivamente para cada país, deixar seu testemunho falado e, assim, ser também parte da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa.

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” é uma iniciativa do Itamaraty, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho, o Museu da Língua Portuguesa e o Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com coordenação da Expomus.

“A itinerância do Museu da Língua Portuguesa é um compromisso da presidência pro tempore brasileira na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). É uma oportunidade de perceber e celebrar as diferenças e as semelhanças entre as diversas variantes que engrandecem nossa língua comum. Para o Itamaraty, a iniciativa reveste-se de especial importância pela ênfase que dá ao papel internacional da língua portuguesa, um eixo central de nossa política externa. Também nos orgulha contribuir para o enriquecimento do acervo de prestigiado museu do Brasil, que vai a Angola, Cabo Verde e Moçambique como um museu do português brasileiro, mas traz na volta todo um novo conteúdo do português africano para o Brasil”, afirma Aloysio Nunes, Ministro das Relações Exteriores do Brasil.

O Brasil ocupa a presidência pro tempore da CPLP-Comunidade de Países de Língua Portuguesa até julho deste ano, quando passará a posição para Cabo Verde, durante a Cúpula de Chefes de Estado da CPLP que ocorrerá no país. Atualmente cerca de 270 milhões de pessoas falam português nos cinco continentes.

Percursos da exposição “A Língua Portuguesa em Nós”

Ao entrar na exposição, o visitante será conduzido por um passeio com curiosidades sobre os países que compõem a CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), vai descobrir as origens da Língua Portuguesa e como os idiomas vivem em constante movimento, nascem, se cruzam e se transformam.

A influência da Língua Portuguesa na diversidade da cultura brasileira será também celebrada em duas experiências audiovisuais. A Praça da Língua reproduz a experiência-símbolo do Museu da Língua Portuguesa: uma instalação audiovisual e imersiva com pérolas da criação artística em língua portuguesa, que formam um mosaico de músicas, poesias, trechos literários e depoimentos. A área Música e Culinária, por sua vez, aborda a relação entre língua, identidades e culturas.

A exposição contempla também um espaço de convivência, com uma diversa programação cultural organizada em parceria com curadores locais exclusivamente para cada país.  Nesse espaço, o projeto Falares vai coletar depoimentos e histórias locais que farão parte do acervo do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, que está em reconstrução e tem previsão de reinauguração em 2019.

“A língua portuguesa é um patrimônio global e em constante transformação. A iniciativa de levar uma exposição do Museu da Língua para outros países reforça a importância dessa instituição, que permanece viva e promovendo atividades de qualidade mesmo durante a reconstrução de sua sede em São Paulo”, afirma Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo, Grupo Itaú e Sabesp e apoio do Governo Federal, por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu. Mais informações sobre histórico e reconstrução em https://museudalinguaportuguesa.org.br/

ROTEIRO

Praia/Cabo Verde

De 10 de maio a 19 de junho de 2018 – visitas guiadas, até 2 vezes por semana, de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h. Agendamentos pelo email ccb.praia@itamaraty.gov.br

De 19 de junho a 27 de julho de 2018 – aberto ao público, sem necessidade de agendamento.

Local: Sede do Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP

Avenida Andrade Corvo, nº 8
Platô, Cidade da Praia, Cabo Verde
Tel.: +238 261 95 04

Luanda/Angola

A partir de 12 de junho de 2018

Centro Cultural Brasil-Angola

Rua Cerveira Pereira, 19

Baixa de Luanda, Coqueiros. Luanda, Angola

Tel.: +244 931732214

Maputo/Moçambique

De 15 agosto a 25 de setembro de 2018.

Local: Centro Cultural Brasil Moçambique –  CCBM

Av. 25 de Setembro, 1728

Maputo, Moçambique

Tel.: +258 21 306 840

A musicalidade colorida de Alceu Valença está na #ViradaSP Online

Além da apresentação do cantor Jota.pê. Na agenda, também estão artistas de São Luíz do Paraitinga, um dos 20 municípios selecionados no programa de difusão cultural #JuntospelaCultura

 Vinte e duas atrações estão na agenda da #ViradaSP Online deste sábado, 6 de novembro, a partir do meio-dia. O destaque é o show de Alceu Valença em apresentação única para o evento. Diferentes estilos musicais, teatro, dança, performances, curiosidades locais e turísticas de São Luiz de Paraitinga fazem parte da programação. A #ViradaSP Online 2021, é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com gestão e produção da Amigos da Arte.  A transmissão ocorre, gratuitamente, durante 12 horas ininterruptas, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android.

Alceu Valença apresenta o melhor de seu repertório em versões de voz e violão. O espetáculo, gravado no Teatro Sérgio Cardoso, é inspirado na série de álbuns acústicos lançados pelo cantor ao longo de 2021.  No palco, o artista confere novos timbres a sucessos como Belle de Jour, Anunciação, Tropicana, Táxi Lunar e Coração Bobo. Recria joias diversas de seu repertório – Marim dos Caetés, Ladeiras e Papagaio do Futuro. No repertório também estão músicas inéditas de sua autoria: Era Verão, Saudade, Sem Pensar no Amanhã.  Assim como nos álbuns, o show traça o que Alceu chama de “roteiro cinematográfico”, onde o artista trafega pelo solo sempre fértil de suas criações. Como não há vírus capaz de deter a poesia, as canções se entrelaçam numa viagem conceitual e geográfica através da música e da identidade de Alceu Valença.

O cantor Jota.pê também faz show especial com suas canções, influenciadas em vertentes que vão de Jorge Ben a Caetano Veloso, passando pelo manguebeat de Chico Science. No set list, estão composições como Preta Rainha, Uns Cafuné a Domicílio e Conte Comigo. Também gravado no Teatro Sérgio Cardoso, os shows Tudo comandado pelo apresentadores Ellen Oléria e Luiz Ramalho.

Na programação também estão intervenções artísticas do município de São Luiz do Paraitinga.  Serão transmitidos conteúdos de destaque do cenário cultural da região como: Mestre Lumumba e banda com a apresentação Canções Congadeiras; o show do cantor Camilo Frade; da banda Sianinhas, composta por mulheres que celebram músicas carnavalescas; do grupo Céu de Lamparina, com canções do tradicional Festival de Música Junina; as marchinhas de São Luiz do Paraitinga do 36º Festival de Marchinhas, e a big band  Grande Banda do Sertão.

A Amigos da Arte também produziu o Rolando Prosa – quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular da cidade. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições do evento.

“A Virada SP é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.”

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, ressalta Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

“São Luiz do Paraitinga é uma estância turística que tem na cultura material e imaterial seus maiores atrativos. Participar #ViradaSP Online é uma excelente oportunidade de dar maior visibilidade à produção cultural local, mostrar alguns locais bem especiais da cidade, o patrimônio arquitetônico, as belezas naturais e o carisma do povo luizense”, afirma a diretora de Turismo e Cultura de São Luiz do Paraitinga, Luciana Machado.

 

Serviço:  #ViradaSP Online – São Luiz do Paraitinga

12h       Início da transmissão

12h10  Paranga

13h30 Céu de Lamparina

14h30 Grande Banda do Sertão

15h     Jota.Pê

16h20 Mestre Lumumba e Banda

17h20 Alceu Valença

18h40 36º Festival de Marchinhas

19h10 Camilo Frade

20h     Erik Escobar

21h10 Rolando Prosa, com Rolando Boldrin

21h20 Estrambelhados

22h20 Sopro Caipira

23h30 Sianinhas

 

Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Assessoria de Imprensa da Amigos da Arte

Pridea Comunicação

Ana Lucia Venerando – (11) 99299-7667

analucia@ateliercom.com

A percussionista Ana Paola Machicado Torres é a grande vencedora do 9º Prêmio Ernani de Almeida Machado

Ana Paola Machicado Torres, 23 anos, nascida em Cochabamba, na Bolívia, é a grande vencedora da nona edição do Prêmio Ernani de Almeida Machado, concedido anualmente pela Santa Marcelina Cultura e Machado Meyer Advogados. Integrante da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo desde 2017, a percussionista recebeu uma bolsa de R$ 100 mil para aperfeiçoar os estudos no exterior.

O anúncio foi feito neste domingo, dia 6 de dezembro, antes do concerto na Sala São Paulo que encerrou a temporada do grupo ligado à EMESP Tom Jobim – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – e que contou com a regência de Cláudio Cruz.

A edição de 2020 do Prêmio Ernani de Almeida Machado teve uma novidade: a criação da categoria Maria Vischnia, voltada exclusivamente para as jovens instrumentistas da Orquestra Jovem do Estado. A vencedora da categoria foi a flautista Graziella Araújo de Souza, 23 anos, que recebeu um prêmio no valor de R$ 32 mil.

Além das duas musicistas, outros quatro bolsistas integrantes da Orquestra foram contemplados com R$ 22 mil cada, são eles: Guilherme Peres Silva Oliveira, 20 anos (violino), Saulo Roberto da Silva Martins, 20 anos (contrabaixo), Lucas Martins, 26 anos (flauta), e Carlos Vogt, 24 anos (piano).

Ana Paola Machicado Torrres estuda no Instituto de Artes UNESP com o professor Carlos Stasi e Eduardo Gianesella e é percussionista do Grupo PIAP da UNESP. “Quero continuar me aperfeiçoando com a técnica alemã para tímpanos e percussão que sempre foi uma referência para mim”, conta a percussionista.

HOMENAGEM

O nome da nova categoria do Prêmio Ernani de Almeida Machado é em homenagem a Maria Vischnia que foi a primeira professora de violino do Departamento de Música da USP, primeira coordenadora da Universidade Livre de Música (atual EMESP Tom Jobim) e ainda atuou como primeiro violino do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo e como spalla da Orquestra Jazz Sinfônica.

O Prêmio Ernani de Almeida Machado é uma iniciativa da Santa Marcelina Cultura e do Machado Meyer Advogados. Desde 2012, quarenta bolsistas da Orquestra Jovem do Estado já foram premiados. São vários os exemplos de bolsistas que conseguiram ingressar nos melhores centros de formação musical do mundo.

Os vencedores foram aprovados em conservatórios como o Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, Conservatório de Amsterdã, o Mozarteum de Salzburgo, na Áustria, Conservatório de Colônia, na Alemanha, entre outros. O vencedor da primeira edição, por exemplo, foi o primeiro percussionista brasileiro aceito para o mestrado no Conservatório de Paris e já concluiu sua especialização.

O Prêmio Ernani de Almeida Machado se constituiu em um importante estímulo para os bolsistas poderem aspirar novos horizontes em suas carreiras e, ao mesmo tempo, abre portas para o desenvolvimento musical.

Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

Referência tanto por seu bem-sucedido plano pedagógico quanto por sua cuidadosa curadoria artística, a Orquestra Jovem do Estado é sinônimo de excelência musical no Brasil. Desde sua reformulação, em 2012, a Orquestra passou a ter uma exigente programação artística aliada a um novo plano pedagógico elaborado pela Santa Marcelina Cultura, o que ocasionou um expressivo salto de qualidade do grupo. A Santa Marcelina Cultura convidou Cláudio Cruz em 2012 para assumir a direção musical e a regência principal da Orquestra, que hoje apresenta uma marcante identidade sonora, com uma forte coesão interna que permite a construção de repertórios cada vez mais desafiadores técnica e estilisticamente. Esse resultado é fruto também da abrangência das atividades pedagógicas propostas, que formam e inspiram os jovens instrumentistas. Ciente da importância da vivência internacional para a formação dos

jovens músicos, a Orquestra realiza regularmente turnês no exterior. Com atuações elogiadas pelo público e crítica internacional, o grupo já se apresentou em importantes salas de concerto, como o Lincoln Center, em Nova York, o Kennedy Center, em Washington e a Konzerthaus, em Berlim – além de ter participado como orquestra residente do Festival Berlioz, na cidade natal do compositor francês, La Côte-Saint-André, interpretando a Sinfonia Fantástica.

Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim

Referência no ensino brasileiro de música, a EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo do Estado de São Paulo gerida pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Atende gratuitamente 1.300 alunas e alunos em seus cursos e habilitações em música popular e erudita, da teoria à prática musical. Em 2019, a EMESP Tom Jobim comemorou 30 anos de atuação. A Escola tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP Tom Jobim vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP Tom Jobim oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A Escola mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para as alunas e os alunos da Escola.

Machado Meyer Advogados

Fundado em 1972, o Machado Meyer Advogados é um dos mais respeitados escritórios de advocacia do Brasil. Oferece assistência legal a clientes nacionais e internacionais, incluindo grandes corporações dos mais variados setores de atividade, instituições financeiras e entidades governamentais. O escritório está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Nova York. www.machadomeyer.com.br Acesse o portal Inteligência Jurídica, a visão do Machado Meyer sobre os assuntos que impactam os negócios. Percepções, análises e informações de nossos advogados sobre os temas jurídicos do momento.

Bank of America

O Bank of America é uma das principais instituições financeiras do mundo e tem como propósito promover a melhoria da vida econômica e financeira das pessoas e dos países em que está presente por meio do poder das conexões. Para isso, adota uma estratégia de crescimento responsável, com foco nas necessidades dos clientes, em um criterioso controle de riscos, visando à sustentabilidade em longo prazo. Bank of America é a marca para os negócios de banco comercial, investimentos e corretora, sendo um dos líderes globais também nesses segmentos. Na América Latina, possui escritórios em seis países, entre eles o Brasil, e atua no aconselhamento financeiro de empresas e investidores institucionais. As ações de responsabilidade corporativa do Bank of America têm foco em educação financeira, empreendedorismo de impacto, projetos de desenvolvimento econômico, arte e cultura, uma vez que esses temas apresentam grande potencial de transformação e de geração de benefícios para os cidadãos e para toda a sociedade.

Grupo Verzani & Sandrini

Fundado em 1967, o Grupo Verzani & Sandrini tornou-se referência nacional na prestação de serviços. Composto atualmente pelas empresas VS Serviços, VS Segurança, VS Tech, VS Parking, Veman e JR Higienização, a organização opera em todo o Brasil e conta atualmente com 37 mil colaboradores. O Grupo VS dedica-se a desenvolver soluções completas, baseadas em altos padrões de qualidade e ampla tecnologia. Com uma estrutura sólida baseada em responsabilidade social, capacitação profissional e excelência no atendimento, a companhia mantém uma trajetória de sucesso e garante a satisfação de clientes e colaboradores.

Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na App Store. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

A prática da yoga está na programação da Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos

Os cuidados com o bem-estar têm lugar entre as atividades presenciais e gratuitas da programação da Biblioteca de São Paulo (BSP) e Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), com a prática da yoga. A BSP e a BVL são equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, geridos pela Organização Social SP Leituras – eleita pelo terceiro ano consecutivo uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.

Na BSP, Amanda Velloso comanda as aulas, aos sábados, das 10h às 11h, e os próximos encontros estão marcados para os dias 12 e 19 de dezembro. Já na BVL, o professor Ari Alves lídera a prática destas técnicas milenares em 15 de dezembro, terça-feira, no mesmo horário. As vagas são limitadas, preenchidas por ordem de chegada. E recomenda-se que os praticantes ingiram apenas alimentos leves antes da aula e usem roupas confortáveis. Importante acrescentar que, em respeito aos protocolos de saúde, é necessário que os participantes tragam o seu próprio tapete ou toalha.

Com a necessidade de estimular o distanciamento social e outras medidas de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o #Culturaemcasa, que amplia a oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos. Importante acrescentar que BSP e BVL estão retomando as atividades presenciais de programação cultural gradualmente, com capacidade de atendimento reduzida e respeitando os protocolos de saúde. Para saber mais sobre a programação da BVL e BSP, acesse, respectivamente, os sites www.bvl.org.br e www.bsp.org.br, além de nossas redes sociais.

Compartilhando Saberes: Yoga.

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana, São Paulo (SP).

Dias 12 e 19 de dezembro (sábados), das 10h às 11h.

Com Amanda Velloso.

Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Atividade presencial e gratuita.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1.205, Alto de Pinheiros, São Paulo (SP).

Dia 15 de dezembro (terça-feira), das 10h às 11h.

Com Ari Alves.

Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Atividade presencial e gratuita.

A Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo oferece programação gratuita que contempla tecnologia e novas mídias

Os museus Casa Guilherme de Almeida, Casa das Rosas e Casa Mário de Andrade organizam palestra, debate e curso que discutem novos suportes para difusão cultural (mais…)

A retomada das bibliotecas pós-pandemia é tema de webinar realizado pelo Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo

Como será a retomada das bibliotecas pós-pandemia? Esta é uma das questões no centro do webinar, marcado para o dia 15  de maio, pelo SisEB (Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo), coordenado pela Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura (UDBL), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, e que tem a Organização Social SP Leituras (pelo segundo ano consecutivo eleita entre as 100 Melhores ONGs do Brasil) como parceira em sua operação. A atividade é gratuita e tem inscrições abertas no link https://siseb.sp.gov.br/agenda/ (vagas limitadas).

O Webinar Planejando a retomada: estratégias e medidas de preparação de bibliotecas pós-pandemia contará com Adriana Ferrari, Sueli Motta e Valéria Valls, com mediação de Pierre André Ruprecht. A ideia é discutir quais cenários, experiências e práticas estão sendo construídos pelas bibliotecas para a retomada de serviços, ações e programação cultural. Afinal, quais podem ser os protocolos e estratégias adotados, tendo como base a heterogeneidade de públicos e propósitos da biblioteca contemporânea?

Confira o público-alvo da iniciativa: profissionais das áreas de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Educação, Leitura, Literatura e correlatas. Condições especiais de atendimento, como tradução em Libras, devem ser informadas na inscrição. O link de acesso à plataforma online será enviado um dia antes da atividade.

Saiba mais sobre os palestrantes e o mediador:

Adriana Ferrari é bibliotecária, especialista em Sistemas de Informação e em Gestão da Qualidade. Foi diretora técnica da Biblioteca Florestan Fernandes e do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP. Como assessora na Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, idealizou e coordenou o projeto da Biblioteca de São Paulo e da Biblioteca Parque Villa-Lobos. Atualmente é chefe técnica da Biblioteca Florestan Fernandes e presidente da Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (Febab) e membro do Comitê de Bibliotecas Públicas da International Federation of Library Associations (IFLA).

Sueli Motta é bibliotecária, com curso de extensão em Qualidade de Vida no Trabalho, e especialista em Gestão Empresarial. Atuou em biblioteca escolar e foi responsável pela implantação de bibliotecas técnicas em conglomerados nacional e multinacional. Atualmente está na gestão pública como superintendente de biblioteca da SP Leituras, gerenciando dois equipamentos estaduais indicados a prêmios nacionais e internacionais: a Biblioteca de São Paulo e a Biblioteca Parque Villa-Lobos, que recebem mensalmente mais de 40 mil visitantes.

Valéria Valls é doutora e mestre em Ciências da Comunicação e graduada em Biblioteconomia e Documentação, com extensão universitária em Docência. Diretora da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FaBCI/FESPSP), coordenadora acadêmica e docente do curso de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação e docente de pós-graduação do Núcleo de Ciência da Informação na FaBCI/FESPSP. É membro do Conselho de Administração da SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura e consultora associada em projetos ligados à gestão da qualidade, informação e conhecimento, além de atuar como palestrante nesses temas.

Pierre André Ruprecht é administrador. Foi professor de Metodologia da Pesquisa na área de Comunicação. Coordenou a área de multimeios e formação na Fundação do Desenvolvimento Administrativo e ministrou cursos na área. Foi coordenador geral da assessoria da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e gerente de planejamento e dirigente em empresas, entre elas a Editora Brasiliense e, mais recentemente, gerente de projetos na área cultural. É tradutor e, desde 2011, diretor executivo da SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura.

A iniciativa vai de encontro ao conceito #CulturaemCasa, da Secretaria, que visa estimular o distanciamento social por meio da ampliação do acesso e da oferta de conteúdos virtuais dos equipamentos.

Saiba mais em:

www.siseb.org.br

Webinar Planejando a retomada: estratégias e medidas de preparação de bibliotecas pós-pandemia

Com Adriana Ferrari, Sueli Motta e Valéria Valls. Mediação de Pierre André Ruprecht.

Dia 15 de maio, das 15h às 16h30.

Pré-inscrições gratuitas em https://siseb.sp.gov.br/agenda/.

A Sustenidos Organização Social de Cultural apoia as ações solidarias em benefício do ser humano

#RedeSustenidosSolidária

(mais…)

Abertas as inscrições para o Programa Haroldo de Campos de Incentivo à Pesquisa e à Tradução da obra do autor

Serão aceitos projetos já iniciados e que tenham vínculo a cronograma acadêmico ou a prazo de publicação editorial. Inscrições até 15 de dezembro (mais…)

Abertura da “XVI Semana Eleazar de Carvalho” com a Banda Sinfônica de Cubatão

Sob regência do Maestro Rodrigo Vitta, a apresentação acontece no dia 29 de outubro, às 11h, com entrada gratuita

O Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, será palco para a abertura da “XVI Semana Eleazar de Carvalho” com um concerto especial da Banda Sinfônica de Cubatão no dia 29 de outubro, às 11h, com entrada franca.

Sob regência do Maestro Rodrigo Vitta, a apresentação contará com os convidados especiais Maestro Roberto Farias, Maestro Sergei Eleazar de Carvalho e Quarteto Novas Tendências. O concerto terá um repertório com consagradas obras, como “Olympica: Festival Overture for Band”, “Jan Van der Roost e Ride” e “Samuel Razo”.

A “XVI Semana Eleazar de Carvalho”, que começará no MCB, vai até o dia 06 de novembro e promoverá outras apresentações, como o Recital de Premiação dos Vencedores do Concurso Jovens Solistas da Osesp e a Masterclass de Piano com Paul Rutman, ambos na Sala São Paulo. (mais…)

Abigail conta mais de mil fará contação de histórias para crianças no Museu do Futebol

Evento é a principal atração da edição de agosto do Espaço Dente de Leite, focado em crianças de até três anos e seus cuidadores

Uma contação de histórias feita por Abigail conta mais de mil, personagem da atriz Gabriella Lois, será a grande atração dia 18 de agosto, no Espaço Dente de Leite, do Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. O evento começa às 10h30.

Realizado no terceiro sábado de cada mês, o Espaço Dente de Leite é um ambiente educativo voltado à convivência lúdica e ao brincar. Além de bebês de até três anos, a atração é indicada a famílias e cuidadores.

Abigail conta mais de mil é um projeto com múltiplas histórias, e algumas delas têm o futebol como mote. Gabriella Lois já apresentou versões sobre o amor de Rivellino por pássaros, a infância de Garrincha, um jogo de futebol assombrado por fantasmas e o amor de uma menina pelo esporte, por exemplo.

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo. O museu conta ainda com o apoio do Banco Itaú, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Abigail conta mais de mil no Espaço Dente de Leite

Data: 18 de agosto de 2018 (sábado)

Horário: 10h30

Local: Sala Jogo de Corpo

 

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h às 18h (bilheteria até as 17h)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu normalmente não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O percurso está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais. Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

MAIS INFORMAÇÕES À IMPRENSA

Museu do Futebol – Comunicação

Mônica Saraiva

11 3664-3848 Ramal 77 |monica.saraiva@museudofutebol.org.br

Gabriele Martinez

11 3664-3848 Ramal 82 |gabriele.martinez@idbr.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes 11 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br
Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

Academia de Ópera e Orquestra Jovem do Theatro São Pedro apresentam A Estrela, de Emmanuel Chabrier

Grupos estreiam a primeira montagem lírica de 2019 com direção musical de André dos Santos e direção cênica de Walter Neiva; récitas acontecem nos dias 26 e 27 de outubro (mais…)

Academia de Ópera e Orquestra Jovem do Theatro São Pedro apresentam As Alegres Comadres de Windsor em formato pocket

Obra do alemão Carl Otto Nicolai terá direção cênica de Mauro Wrona e Norma Gabriel, e regência do maestro convidado Gabriel Rhein-Schirato; serão duas récitas, nos dias 1 e 2 de dezembro, com ingressos a preços acessíveis

No primeiro fim de semana dezembro, a Academia de Ópera e a Orquestra Jovem do Theatro São Pedro – instituição da Secretaria da Cultura do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – apresentam As Alegres Comadres de Windsor, em formato pocket ópera. Uma obra do compositor e maestro alemão Carl Otto Nicolai adaptada da comédia de William Shakespeare.

Sob direção cênica de Mauro Wrona e Norma Gabriel, e regência do maestro Gabriel Rhein-Schirato – um dos nomes da nova geração de maestros brasileiros – os grupos artísticos de formação em canto lírico e interpretação do repertório operístico respectivamente, sobem ao palco do Theatro São Pedro nos dias 1 e 2 de dezembro. No sábado, o espetáculo é às 20h e no domingo, mais cedo, às 17h. Os ingressos custam de R$ 15 a R$ 40 (inteiras).

Com libreto de Salomon Hermann Mosenthal, a ópera estreou em março de 1849. A trama se passa durante o reinado de Henrique IV (1553-1610) e gira em torno de um cavaleiro decadente chamado Sir John Falstaff que tenta levar vantagem sobre duas mulheres casadas, tentando seduzi-las para depois aplicar um golpe. Porém, as duas amigas, Sra. Fluth e Sra. Reich, colocam Falstaff em diversas situações embaraçosas e, muitas vezes, ridículas.

Para Mauro Wrona, a obra dialoga diretamente com alguns ideais feministas e sua força está nas três mulheres que a protagonizam. “O mais incrível de Shakespeare é que ele sempre vai ser muito atual. Mesmo sendo uma história escrita no começo do século XVII, fica muito claro o intuito de salientar o juízo do empoderamento da mulher diante da sociedade dominada pela figura do homem galanteador”, afirma. E com a música de Nicolai, isso fica mais evidente.

A Academia de Ópera do Theatro São Pedro tem o compromisso de contribuir para a formação de novos cantores líricos brasileiros, atualmente conta com 16 bolsistas e sua proposta pedagógica contempla uma grade contínua de atividades, como aulas, workshops e montagens de pocket ópera, com o objetivo de preparar os alunos para o mundo profissional. Dessa forma, a Academia promove oportunidades práticas de desenvolvimento artístico aos jovens cantores por meio de espetáculos encenados com orquestra e formações de câmara.

A Orquestra Jovem do Theatro São Pedro faz parte do núcleo de Grupos Artísticos de Bolsistas da EMESP Tom Jobim, integrando ainda mais o plano artístico e pedagógico da escola, uma das marcas da gestão da Santa Marcelina Cultura.

Ficha Técnica:

Gabriel Rhein-Schirato, regência

Mauro Wrona e Norma Gabriel, direção cênica

Alexsander Ribeiro de Lara e Wesley Rocha, pianistas preparadores

Anderson Bueno, visagismo

Elenco

Frau Fluth | Lais Assunção/Daiane Scales

Frau Reich | Nathalia Serrano/ Fernanda Nagashima

Anna Reich | Elisa Braga/Luiza Aguiar

Sir John Falstaff | Anderson Barbosa

Herr Reich | Gustavo Lassen

Fenton | Rodrigo Kenji

Junker Spärlich | Eduardo Gutierrez

Dr. Cajus | Nelmon Henrique

Herr Fluth | Charles Miyazaki

Programa:

CARL OTTO NICOLAI

As Alegres Comadres de Windsor (1849)

Serviço:

Datas: 1 e 2 de dezembro

Horários: sábado, às 20h, e domingo, às 17h

Local: Theatro São Pedro

Endereço: Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP

Ingressos: R$ 15 a R$ 40 (inteiras)

Plateia: R$ 40 inteira | R$ 20 meia

1º Balcão: R$ 25 inteira | R$ 12,50 meia

2º Balcão: R$ 15 inteira | R$ 7,50 meia

Mais informações: (11) 3661-6600 – ingressorapido.com.br

Duração: 95 minutos com intervalo de 20 minutos

Classificação indicativa: livre

Capacidade: 636 lugares

Acessibilidade: Sim

Vendas pela internet: ingressorapido.com.br

Ponto de Venda sem Taxa de Conveniência

Endereço: Rua Barra Funda, 171, Barra Funda (esquina com a Rua Albuquerque Lins, próximo ao Metrô Marechal Deodoro) – São Paulo/SP

Telefone: (11) 3661-6600

Horário de atendimento ao público:

Quarta a sexta-feira: das 12h00 às 17h00.

Sábado: das 10 às 14 horas.

Domingo, segunda-feira, terça-feira e feriados: somente quando houver apresentação.

Em dias de apresentações, a bilheteria será aberta 2 horas antes do início da apresentação.

Descontos: estudantes, pessoas acima dos 60 anos e professores da rede pública estadual, devidamente identificados, têm desconto de 50%.

Gabriel Rhein-Schirato, regência

Atualmente é coordenador do Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo na Escola Municipal de Música de São Paulo. Estreou regendo a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo em uma das récitas comemorativas dos 45 anos de fundação do Ballet da Cidade, em setembro de 2013. Em setembro de 2016 fez sua estreia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro à frente da Orquestra Sinfônica da UFRJ, em concerto com os cantores da Academia de Ópera Bidu Sayão. Entre 2011 e 2014, foi Maestro-Assistente da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais no Palácio das Artes – Belo Horizonte.

Iniciando seus estudos e sua carreira musical como pianista, concluiu sua graduação em piano e regência no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo sob orientação de Gilberto Tinetti, Aylton Escobar, Benito Maresca e Marco Antônio da Silva Ramos. Ao final do curso, foi congratulado com a “Láurea por Excelência Acadêmica”, concedida pelo reitor aos melhores alunos da universidade dentre todos os cursos. Prosseguiu por quatro anos seus estudos de especialização (Weiterbildungstudium) e pós-graduação (Künstlerische Ausbildung Zusatstudium) nas cidades de Stuttgart e Bremen (Alemanha), sob orientação de Patrick o’Byrne, tendo concluído seus exames finais com notas máximas.

Mauro Wrona, direção cênica

Coordenador do Ópera Estudio da Emesp, desde 2004, em 2017 assumiu a coordenação da Academia de Ópera do Theatro São Pedro. Atuou durante trinta anos como cantor lírico (tenor) no Brasil e na Europa, onde permaneceu durante vinte anos. De volta ao Brasil em 1997, iniciou intensa atividade na direção cênica de óperas, destacando-se nas produções das séries Ópera do Meio-Dia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (2000-01) e no Theatro São Pedro, de São Paulo (2004-07). Foi diretor cênico residente da Cia. Brasileira de Ópera, dirigida pelo M. John Neschling (2010). Laureado em regência pela Faculdade Santa Marcelina, regeu a série Ópera Café no Centro de Cultura Judaica (2008-2010). Desde 2011 dirige o Festival de Ópera do Theatro da Paz, de Belém do Pará.

Norma Gabriel, direção cênica

Atualmente é professora da EMESP Tom Jobim (Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim), na Academia de Ópera do Theatro São Pedro sob coordenação de Mauro Wrona. Norma Gabriel Brito é Pós-Graduada pela Escola de Teatro Célia Helena em Direção Teatral. Participou do CPT (Centro de Pesquisas Teatrais) no espetáculo Drácula e Outros Vampiros sob direção de Antunes Filho, na montagem de Sonho de Uma Noite de Verão (Willian Shakespeare) e na remontagem de Ubu (Alfred Jarry) com direção de Cacá Rosset. Realizou o espetáculo Os Lusíadas, de direção de Iacov Hilel e o espetáculo Sábado, Domingo e Segunda (Nicete Bruno Produções Artísticas) com a direção de Marcelo Marchioro.

Tem formação em dança clássica com as professoras Cecília Kerche e Greice Kerche na Escola Irmãs Kerche, formação de dança moderna no Ballet Stagium e dança contemporânea com João Andreazzi. Estudou canto lírico com a professora Efigênia Côrtes e participou do espetáculo As Troianas-Vozes da Guerra, com direção de Zé Henrique de Paula com indicação de 2 Prêmios Shell 2009 para melhor direção cênica e musical para Fernanda Maia. Premiada pela APCA em 2012, como melhor atriz na categoria Teatro Infantil pelo Grupo As Meninas do Conto com o espetáculo Bruxas, Bruxas…e Mais Bruxas, se formou em 2013 no curso de Canto-Lírico pela Faculdade FIAM-FAAM.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Informações à imprensa:

Assessoria da Santa Marcelina Cultura | Theatro São Pedro

Conteúdo Comunicação

Tel: 5056-9800 | 9826

Luciano Pereira – (11) 94223-8236 luciano.pereira@conteudonet.com

Roberta Montanari – (11) 99967-3292 roberta.montanari@conteudonet.com

Guilherme Albuquerque – (12) 98218-6419 guilherme.albuquerque@conteudonet.com

Assessoria de imprensa | Secretaria da Cultura do Estado

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 – monique.culturasp@gmail.com

imprensaculturasp@gmail.com

Academia de Ópera e Orquestra Jovem do Theatro São Pedro apresentam Clássicos na Ópera

Sob o comando da regente Natália Larangeira e direção cênica de Walter Neiva, grupos sobem ao palco do Theatro São Pedro nos dias 29 e 30 de setembro para interpretar grandes titulos de Mozart, Beethoven e Willibald Gluck

(mais…)

Academia de Ópera e Orquestra Jovem do Theatro São Pedro apresentam concerto online

A programação do #TheatroSãoPedroEmCasa,  plataforma que reúne a programação online do Theatro São Pedro, instituição do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura, apresenta no domingo, dia 23, às 18h, um concerto inédito da Academia e da Orquestra Jovem do Theatro São Pedro, que será transmitido pelo canal de YouTube (https://www.youtube.com/channel/UC01o5iu-oc2oxFPchS9eKVA).  

Os grupos, que contaram com a regência virtual de Gabriel Rhein-Schirato, abrem o concerto com três peças de importantes óperas de Mozart: Don Giovanni, Cosi Fan Tutte e A Flauta Mágica. A seguir, os bolsistas apresentam Gran Concertato 14 voci, da ópera Viaggio a Reims, do compositor italiano Gioachino Rossini. Para encerrar a apresentação online, Let our garden grow, da ópera Candide, do compositor norte-americano Leonard Bernstein. 

A programação completa está disponível no site: https://theatrosaopedro.org.br/  

 

#TheatroSãoPedroEmCasa

 

ACADEMIA DE ÓPERA E ORQUESTRA JOVEM DO THEATRO SÃO PEDRO

Gabriel Rhein-Schirato, regência

WOLFGANG AMADEUS MOZART
Don Giovanni – La ci darem la mano
Cosi Fan Tutte – Alla bella Despinetta
A Flauta Mágica – Hm! Hm! Hm! Papagneo 

GIOACHINO ROSSINI
Viaggio a Reims – Gran Concertato 14 voci 

LEONARD BERNSTEIN
Candide – Let our garden grow 

YouTube Theatro São Pedro: https://www.youtube.com/channel/UC01o5iu-oc2oxFPchS9eKVA

Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro completa 100 anos com uma das histórias mais ricas e surpreendentes da música nacional. Inaugurado em uma época de florescimento cultural, o teatro se insere tanto na tradição dos teatros de ópera criados na virada do século XIX para o XX quanto na proliferação de casas de espetáculo por bairros de São Paulo. Ele é o único remanescente dessa época em que a cultura estava espalhada pelas ruas da cidade, promovendo concertos, galas, vesperais, óperas e operetas. Nesses 100 anos, o Theatro São Pedro passou por diversas fases e reinvenções. Já foi cinema, teatro, e, sem corpos estáveis, recebia companhias itinerantes que montavam óperas e operetas. Entre idas e vindas, o teatro foi palco de resistência política e cultural, e recebeu grandes nomes da nossa música, como Eleazar de Carvalho, Isaac Karabtchevsky, Caio Pagano e Gilberto Tinetti, além de ter abrigado concertos da Osesp. Após passar por uma restauração, foi reaberto em 1998 com a montagem de La Cenerentola, de Gioachino Rossini. Gradativamente, a ópera passou a ocupar lugar de destaque na programação do São Pedro, e em 2010, com a criação da Orquestra do Theatro São Pedro, essa vocação foi reafirmada. Ao longo dos anos, suas temporadas líricas apostaram na diversidade, com títulos conhecidos do repertório tradicional, obras pouco executadas, além de óperas de compositores brasileiros, tornando o Theatro São Pedro uma referência na cena lírica do país. Agora, o Theatro São Pedro, instituição do Governo do Estado de São Paulo gerido pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo inicia uma nova fase, respeitando sua própria história e atento aos novos desafios da arte, da cultura e da sociedade. 

Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na App Store. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

Ação “Sonhar o Mundo” mobiliza museus paulistas em defesa dos Direitos Humanos

A Secretaria da Cultura do Estado, por meio do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), convida todas as instituições museológicas paulistas a participarem da edição 2018 da campanha “Sonhar o Mundo”. A ação, realizada pelo quarto ano consecutivo, ocorre de 10 a 16 de dezembro – semana que contempla o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12). As inscrições de propostas de programação já estão abertas.

A campanha tem por objetivo promover e realizar ações em defesa dos direitos humanos, contra o preconceito e a favor da igualdade. Além disso, este ano, a iniciativa celebra os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Instituições interessadas em participar da campanha devem acessar o Manual de Orientação (link para o manual), que possui informações sobre como inscrever a programação de seu museu e realizar a divulgação padronizada da ação nas redes sociais. As inscrições devem ser feitas até 5 de dezembro.

“Sonhar o Mundo” conta com participação de todos os 19 museus da Secretaria da Cultura do Estado, bem como de instituições do interior e litoral com interesse e práticas voltados à luta pelos Direitos Humanos.

“A campanha ‘Sonhar o Mundo’ é um marco dentro do campo de atuação do SISEM-SP. Ao lado do Encontro Paulista de Museus, trata-se de nossa ação mais abrangente, capaz de mobilizar instituições diversas, situadas em todo Estado. Esse engajamento dos museus em prol dos Direitos Humanos é fundamental para os dias atuais”, observa o diretor do Grupo Técnico de Orientação do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

Acompanhe ainda postagens nas redes sociais com a hashtag #SonharoMundo para conferir mais detalhes da ação.

“Sonhar o Mundo”

Tendo como mote o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12), a campanha “Sonhar o Mundo” parte do pressuposto de que os museus paulistas devem atuar como instrumentos de transformação social.

Realizada pelo quarto ano consecutivo pelo SISEM-SP, a ação busca estimular os museus paulistas a desenvolverem práticas ligadas aos Direitos Humanos – criando-se, assim, uma grande rede de mobilização.

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de imprensa

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina Skwara – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

Ação “Sonhar o Mundo” reúne museus do Estado em defesa dos direitos humanos

Inscreva-se, tenha acesso a todo material de comunicação e participe dos debates e práticas em torno do tema

Museus de todo Estado estão convidados a participar da terceira edição da campanha “Sonhar o Mundo”, que ocorre de 4 a 10 de dezembro, em celebração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12). Com o tema “Solidariedade derrubando muros”, a iniciativa tem por objetivo unir os museus em torno de práticas em defesa dos direitos humanos, contra o preconceito e a favor da igualdade. A realização é da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP).

Para este ano, além dos museus da Secretaria, que desde a primeira edição envolvem-se com a campanha, instituições do interior e litoral também estão convidadas a participar. A intenção é mobilizar o maior número possível de museus para que a ação “Sonhar o Mundo” torne-se, cada vez mais, um marco na luta em favor dos direitos humanos no país. “A solidariedade tem papel fundamental para criar um senso de coletividade e acolher a diversidade entre os seres humanos como algo a ser celebrado”, observa o secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna.

As instituições interessadas em saber mais sobre a ação e terem acesso a todo material de comunicação da “Sonhar o Mundo” podem fazer isso clicando AQUI

Para saber como inscrever a programação de sua instituição na ação “Sonhar o Mundo” clique AQUI .

Além disso, acompanhe o site da Secretaria da Cultura (www.cultura.sp.gov.br) e as postagens nas redes sociais pelas hashtags #SonharoMundo e #MundoSolidario para conferir mais detalhes da ação.

Acervo é destaque da programação virtual do Museu Casa de Portinari

O Museu Casa de Portinari, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, realiza mais atividades culturais on-line para públicos de todas as idades nos próximos dias. Oficinas, live e o acervo da instituição são os destaques da agenda.

O vídeo do Acervo em Segundos mostrará, nos dias 27 e 31, curiosidades internas do mobiliário da casa, como a máquina de costura da família Portinari, e a pintura mural descoberta durante o restauro do Museu, em 2014.

Na próxima terça-feira (1°/9), tem a live especial: Narrativas de uma Vida: um Tempo, um Pintor, um Lugar. Cristiane Patrici, gerente da instituição, e os educadores Vitor e Fernanda apresentarão um recorte conceitual da expografia de longa duração do Museu Casa de Portinari e o projeto Caminhos de Portinari que conecta outros espaços e paisagens de Brodowski como território da memória do artista e da comunidade.

Na programação ainda estão inclusos vídeos do projeto Falaram de Portinari, com depoimentos de Jorge Amado, mais uma sugestão sustentável da campanha Mude para Salvar o Mundo e a galeria Para Portinari que homenageia o artista brasileiro por meio de poesias, músicas, desenhos e pinturas produzidos por admiradores de sua vida e obra.

Todas as atividades serão postadas nas redes sociais do Museu Casa de Portinari: Facebook, Instagram e Twitter (@museucasadeportinari) e, também, no site especial www.museucasadeportinari.org.br/culturaemcasa.

Acessibilidade é tema de debate e oficina de fotografia no MIS

Apresentações artísticas e exposição completam a programação. Atividades tem entrada gratuita e integram o ‘Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência’ (mais…)

Ações em celebração à Consciência Negra em Campos do Jordão

Atividades remetem às tradições africanas e afro-brasileiras e serão realizadas nos dias 14, 19 e 20 de novembro

(mais…)

Advogados músicos realizam apresentação descontraída no MCB

Sob regência do Maestro Antunes, a OABAND – Big Band da OAB-SP, formada por advogados músicos, se apresentará no Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, gerido pela Sociedade Civil através da A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, no dia 29 de julho, domingo, às 11h, com entrada gratuita.

Com um repertório que inclui músicas do ABBA, Jorge Ben Jor e Tim Maia, a OABAND se contrapõe ao perfil da advocacia. A frente do grupo desde 2009 está a regência de José Antunes da Silva Filho, graduado em Composição e Regência e músico pela Corporação Musical Imaculada Conceição. Antunes também atua como regente do Coral na OAB-CAASP (Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo).

Formado em 2007, a OABAND foi criada para realizar apresentações dentro da própria OAB. Mas, com o aumento da sua popularidade, a big band alcançou outros segmentos e hoje se apresenta em festivais, como o Revelando São Paulo, encontro de bandas realizado anualmente em Iguape (SP).

Sobre o projeto Música no MCB
Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que serão realizadas em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

 

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO:

Música no MCB – 19ª temporada

 

JULHO

29/07 – OABAND, Big Band da OAB-SP – Regência Maestro Antunes

 

 

 

AGOSTO

12/08 – Danilo Gonzaga Moura

19/08 – Brazú Quintê

26/08 – Mawaca

 

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Entrada gratuita

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Informações para a imprensa – Museu da Casa Brasileira

Suzana Gnipper – (11) 3026-3910 | comunicacao@mcb.org.br

Jaqueline Caires – (11) 3026-3900 | analistacomunicacao@mcb.org.br

Diane Nascimento – (11) 3026-3900 | estcomunicacao@mcb.org.br

Informações para a imprensa – Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina – (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

África em destaque: Fábrica de Cultura Brasilândia promove shows gratuitos com cantores africanos

As duas apresentações reúnem artistas de Serra Leoa, Gana e Angola

(mais…)

Agenda de cursos de curta duração para diferentes áreas profissionais

Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade oferecem cursos de curta duração para diferentes áreas profissionais

Meios digitais de ensino para professores, acessibilidade em projetos culturais e a representação trans no cinema latino-americano estão entre os destaques

A Casa Guilherme de Almeida e a Casa Mário de Andrade – integrantes da Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciada pela Poiesis – mantêm a grade de cursos livres no mês de março. As aulas ocorrem em plataformas virtuais, como o Google Meet e Zoom, além de serem totalmente gratuitas. Para se inscrever, é necessário acessar os links de cadastros pelos sites das instituições.

A Casa Mário de Andrade promove cursos para docentes, profissionais da área de gestão e produção cultural que desejam oferecer acessibilidade aos seus públicos, além de uma palestra sobre o avanço das rádios digitais.

Jamile Borges, coordenadora adjunta do Programa de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos – PÓSAFRO/UFBA e pesquisadora em antropologia do mundo contemporâneo (África) e museus (como projetos na área de museus digitais), coordena o curso Educação digital no mundo pós-pandemia direcionado principalmente para professores. Participantes podem conhecer o debate contemporâneo relacionado às formas de inclusão e o ensino por meios digitais durante as aulas nos dias 10, 17, 24 e 31 de março, das 19h às 21h. Pós-verdade, racismo como um dos sistemas da chamada pandemocracia, frameworks e currículos insurgentes fazem parte do cronograma de atividades. A inscrição está aberta aqui: https://cutt.ly/jlqvOMy.

Acessibilidade em Projetos Culturais é um curso que ocorre nos dias 4, 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h, e realizado por Claudio Rubino, coordenador do programa de Acessibilidade do Instituto Tomie Ohtake e pós-graduado em Educação Inclusiva com ênfase em deficiência física pela UNIFESP.  Rubino apresenta um panorama das principais ações norteadoras que habilitam projetos culturais dentro da acessibilidade, em sintonia com o direito, o acesso universal à memória e ao patrimônio cultural. Terminologias, gestão democrática, comunicação digital acessível e representatividade compõem o cronograma. Para fazer a inscrição, acesse: https://cutt.ly/llqvMA2.

Já a palestra O Rádio na era digital, apresentada por Marcelo Abud, mestre em Comunicação, professor nas áreas de criação e produção em áudio da FAAP e integrante do corpo crítico de rádio da APCA, está marcada para o dia 13 de março, a partir das 16h30. A atividade é voltada para pessoas interessadas em rádio, jornalismo e difusão musical, e pretende debater os impactos das novas tecnologias na radiodifusão, além dos movimentos de rádios comunitárias que se concentram na democratização do acesso à informação por meio de rádios digitais. Cadastre-se aqui: https://cutt.ly/plqbrYf.

Literatura e Cinema são algumas das linguagens trabalhadas pelos cursos da Casa Guilherme de Almeida. Eliane Fittipaldi, doutora em Letras pela USP e tradutora de mais de trinta livros para várias editoras, coordena Trajetórias do “Eu” feminino na literatura e no cinema: Cléo das 5 às 7 de Agnès Varda e Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres de Clarice Lispector. As aulas ocorrem nos dias 8, 15, 22 e 29 de março, das 19h às 21h.

O estudo fica em torno do discurso que indica duas importantes personagens femininas em narrativas produzidas pela cineasta Agnès Varda e pela escritora Clarice Lispector nos anos 1960, quando a voz das mulheres abriu caminhos nos meios artísticos e intelectuais do mundo ocidental para conquistar maior autonomia de escolhas. A inscrição está disponível aqui: https://cutt.ly/ZlqDDl4.

Introdução ao filme documentário: leitura e caminhos interpretativos tem a coordenação de Luciana Biffi, doutoranda na Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), no programa ‘Educação, Arte e História da Cultura’, e mestre pela pós-graduação de História da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Os encontros em 5, 12, 19 e 26 de março, a partir das 19h, buscam apresentar noções básicas para uma leitura de documentário, entendendo-o como um estilo específico das produções audiovisuais, que comporta questões, problemáticas e recursos característicos. Para participar, é necessário fazer a inscrição previamente: https://cutt.ly/jlqbvK3.

A partir da análise de filmes, o curso Representação trans no cinema propõe observar a construção histórica da representação trans no cinema latino-americano até as novas narrativas emergentes. Considerando o contexto histórico e o lugar de fala dos autores, Rosa Caldeira, um corpo trans, sugere um debate sobre imaginários nos dias 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h. Caldeira é diretor de fotografia, cineasta trans e militante, desenvolvendo ideias para atuar com a cultura LGBT e a periferia. Seu curta-metragem, Perifericu, recebeu prêmios como o de Melhor Curta no Festival de Tiradentes de 2020, além de ser co-idealizador do Festival Cuir, festival de cinema e artes na periferia da zona sul de São Paulo que está previsto para este ano. Para fazer parte da turma, inscreva-se: https://cutt.ly/rlqbRCm.

SERVIÇO

Casa Mário de Andrade

 

CURSO: EDUCAÇÃO DIGITAL NO MUNDO PÓS-PANDEMIA

Com Jamile Borges
Quartas-feiras, 10, 17, 24 e 31 de março, das 19h às 21h
Plataforma: Google Meet | 200 vagas | Grátis
Público-alvo: professores
Inscrição aberta até 10/03 – https://cutt.ly/jlqvOMy

CURSO: ACESSIBILIDADE EM PROJETOS CULTURAIS

Com Claudio Rubino e convidados

Quintas-feiras, 4, 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h

Plataforma: Google Meet | 250 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 4/03 – https://cutt.ly/llqvMA2

PALESTRA: O RÁDIO NA ERA DIGITAL

Com Marcelo Abud
Sábado, 13 de março, das 16h30 às 18h

Plataforma: Google Meet | 250 vagas | Grátis

Cadastro aberto até 13/03 – https://cutt.ly/plqbrYf

——
Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085 | E-mail: casamariodeandrade@casamariodeandrade.org.br; educativo@casamariodeandrade.org.br

Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://www.casamariodeandrade.org.br/planeje-sua-visita

O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casamariodeandrade.org.br e https://poiesis.org.br/maiscultura/

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo

Acessibilidade: rampa de acesso ao andar térreo e fraldário móvel.
Programação gratuita

Casa Guilherme de Almeida

TRAJETÓRIAS DO “EU” FEMININO NA LITERATURA E NO CINEMA: CLÉO DAS 5 ÀS 7 DE AGNÈS VARDA E UMA APRENDIZAGEM OU O LIVRO DOS PRAZERES DE CLARICE LISPECTOR

Com Eliane Fittipaldi

Segundas-feiras, 8, 15, 22 e 29 de março das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 5/03 – https://cutt.ly/ZlqDDl4

INTRODUÇÃO AO FILME DOCUMENTÁRIO: LEITURA E CAMINHOS INTERPRETATIVOS

Com Luciana Biffi

Sextas-feiras, 5, 12, 19 e 26 de março, das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 3/03 – https://cutt.ly/jlqbvK3

 

REPRESENTAÇÃO TRANS NO CINEMA

Com Rosa Caldeira

Quintas-feiras, 11, 18 e 25 de março, das 19h às 21h

Plataforma: Zoom | 300 vagas | Grátis

Inscrição aberta até 9/03 – https://cutt.ly/rlqbRCm

—-

Tel.: 11 3673-1883 | 3803-8525 | 3672-1391 | 3868-4128 | E-mail: contato@casaguilhermedealmeida.org.br, educativo@casaguilhermedealmeida.org.br
Agende sua visita para as exposições e confira as medidas de segurança para se proteger da Covid-19 pelo site: https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/agendamento-e-normas-de-visitacao/
O restante das atividades continua virtual e com programação acessível pelos sites https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/ e https://poiesis.org.br/maiscultura/

  1. Macapá, 187 – Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo | Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Sumaré, São Paulo/SP
    Acessibilidade: rampa de acesso, elevador, piso podotátil e banheiro adaptado; videoguia em Libras e réplicas táteis.
    Programação gratuita

Agenda do Programa Viagem Literária para o mês de outubro

Confira a programação e os locais de apresentação do módulo Contação de Histórias: Contos Populares no site e abaixo: https://siseb.sp.gov.br/viagem-literaria/modulo/contacao-de-historias-contos-populares

 Semana de 4 a 8/10

Ademir Apparício Júnior

4.10.2021 | Rosana • 9h e 14h
5.10.2021 | Anhumas • 9h e 14h
6.10.2021 | Parapuã • 9h e 14h
7.10.2021 | Rancharia • 9h e 14h

Cia. Mapinguary

4.10.2021 | Tabapuã • 9h e 14h
5.10.2021 | Catanduva • 9h e 14h
6.10.2021 | Borborema • 9h e 14h
7.10.2021 | Youtube SisEB (virtual) • 9h e 14h

 

Kika Farias

4.10.2021 | Limeira • 9h e 14h
5.10.2021 | Itatiba • 9h e 14h
6.10.2021 | Várzea Paulista • 9h e 14h
7.10.2021 | São Paulo • 10h e 15h

Sandra Guzmán

4.10.2021 | Ilhabela • 9h e 14h
5.10.2021 | Jacareí • 9h e 14h
6.10.2021 | Biritiba-Mirim • 9h e 14h
7.10.2021 | Mogi das Cruzes • 9h e 14h

Os Tapetes Contadores de Histórias

5.10.2021 | São Bernardo do Campo • 9h e 14h
6.10.2021 | Diadema • 9h e 14h
7.10.2021 | Santana de Parnaíba • 9h e 14h
8.10.2021 | Itapevi • 9h e 14h

Semana 18 a 22/10

Arô Ribeiro

18.10.2021 | Descalvado • 9h e 14h
19.10.2021 | Santa Cruz das Palmeiras • 9h e 14h
20.10.2021 | Mococa • 9h e 14h
21.10.2021 | Espírito Santo do Pinhal • 9h e 14h

Camila Genaro
18.10.2021 |
 Cananéia • 9h e 14h
19.10.2021 | Ilha Comprida • 9h e 14h
20.10.2021 | Itanhaém • 9h e 14h
21.10.2021 | Cubatão • 9h e 14h

Cia. Sá Totonha

18.10.2021 | Junqueirópolis • 9h e 14h
19.10.2021 | Adamantina • 9h e 14h
20.10.2021 | Herculândia • 9h e 14h
21.10.2021 | Marília • 9h e 14h

Heidi Monezzi

18.10.2021 | Ribeirão Corrente • 9h e 14h
19.10.2021 | Colina • 9h e 14h
20.10.2021 | Sertãozinho • 9h e 14h
21.10.2021 | Santa Rosa de Viterbo • 9h e 14h

Ih, Contei!

18.10.2021 | Ubarana • 9h e 14h
19.10.2021 | Avanhandava • 9h e 14h
20.10.2021 | Promissão • 9h e 14h
21.10.2021 | Lins • 9h e 14h
22.10.2021 | Garça • 9h e 14h

Mandingueiras da Pracinha

18.10.2021 | Barão de Antonina • 9h e 14h
19.10.2021 | Fartura • 9h e 14h
20.10.2021 | Pardinho • 9h e 14h
21.10.2021 | Tatuí • 9h e 14h
22.10.2021 | Itapetininga • 9h e 14h

Semana 25 a 29/10

Cia. Bisclof

25.10.2021 | Pereira Barreto • 9h e 14h
26.10.2021 | Ilha Solteira • 9h e 14h
27.10.2021 | Santa Fé do Sul • 9h e 14h
28.10.2021 | Fernandópolis • 9h e 14h

Irene Tanabe
25.10.2021 | Ibaté • 9h e 14h
26.10.2021 | Macatuba • 9h e 14h
27.10.2021 | Jaú • 9h e 14h
28.10.2021 | Lençóis Paulista • 9h e 14h

Vinícius Mazzon

25.10.2021 | Votuporanga • 9h e 14h
26.10.2021 | Buritama • 9h e 14h
27.10.2021 | Birigui • 9h e 14h
28.10.2021 | Penápolis • 9h e 14h

Alicce Oliveira

25.10.2021 | Monte Mor • 9h e 14h
26.10.2021 | Itu • 9h e 14h
27.10.2021 | Alumínio • 9h e 14h
29.10.2021 | São Paulo • 10h e 15h

Agenda dos Museus no Fim de Ano

Para quem deseja fechar o ano com programação cultural diversificada, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo divulga o funcionamento dos espaços culturais, com atrações para todos os gostos e estilos na capital, no interior e no litoral.

Na capital paulista, o público poderá conferir as exposições temporárias do Museu de Arte Sacra de São Paulo, “Gesù è Nato a Napoli” no espaço e “Presépios no Metrô”, dentro do Metrô Tiradentes. Ambas encerram em 6 de janeiro de 2021. O museu estará aberto de 26 a 27 de dezembro, das 9h às 17h e de 2 a 3 de janeiro, das 9h às 17h. Fechado de 22 a 25 de dezembro; 29 a 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021. Confira no site os horários de visitações das mostras: https://museuartesacra.org.br/.

A Pinacoteca de São Paulo inaugura pela primeira vez, uma exposição dedicada à produção indígena contemporânea, com curadoria da pesquisadora indígena Naine Terena. Véxoa: Nós sabemos conta com trabalhos de 23 artistas/coletivos de diferentes regiões do país, apresentando pinturas, esculturas, objetos, vídeos, fotografias, instalações, além de uma série de ativações realizadas por diversos grupos indígenas. A exposição segue até 22 de março de 2021. O espaço estará fechado de 24, 25 e 31 de dezembro de 2020 e no dia 1º de janeiro de 2021. Nos demais dias, as serão visitas mediante agendamento prévio no site da instituição. O museu funciona de quarta a segunda, das 10h às 18h. Mais informações no site: https://pinacoteca.org.br/

Na Estação Pinacoteca está em cartaz a mostra “Joan Jonas: Cinco Décadas”, primeira exposição individual na América do Sul da pioneira da videoarte e da performance, Joan Jonas, até 08 de fevereiro de 2021. O espaço estará fechado de 24, 25 e 31 de dezembro de 2020 e no dia 1º de janeiro de 2021. Nos demais dias, visitas serão mediante agendamento prévio no site da instituição. Funciona de quarta a segunda, das 10h às 18h. Mais informações no site: https://pinacoteca.org.br/

Segue em cartaz a exposição “Orgulho e Resistências: LGBT na ditadura”, do Memorial da Resistência de São Paulo, na Luz. Realizada em parceria com o Museu da Diversidade Sexual, sob a curadoria de Renan Quinalha, a exposição faz um recorte sobre as relações entre autoritarismo e diversidade sexual e de gênero. O Memorial fica aberto nos dias 22 e 29 de dezembro, e fecha de 23 a 25 de dezembro e de 30 de dezembro a 1º de janeiro. A visitação é gratuita, mas é necessário reservar a data e horário pelo site do Memorial: https://www.memorialdaresistenciasp.org.br/memorial/.

No Museu da Imigração, a dica é a exposição temporária “Nonni di São Paulo”, que reúne 50 depoimentos de migrantes italianos realizadas por Oliviero Pluviano, jornalista italiano radicado no Brasil, e que trazem histórias de vida dos imigrantes no Brasil, formando um painel da integração entre o país europeu e São Paulo. O museu estará fechado nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021. Nos demais dias, funcionará normalmente de quarta a domingo, das 11h às 17h. Mais informações no site: https://museudaimigracao.org.br/.

O Museu do Futebol, no Pacaembu, exibe a mostra “Pelé 80 – O Rei do Futebol” Mostra lúdica, busca transpor a imagem do Rei do futebol a uma visualidade universal e contemporânea. O espaço estará fechado nos dias 24, 25, 31 de dezembro e 1° de janeiro de 2021.  Mais informações no site: https://museudofutebol.org.br/.

No Museu da Imagem e do Som (MIS), o público pode conferir o #CINECIÊNCIA, com o filme “Frankenstein” (1931) no dia 27/12, às 17h, com debate entre especialistas sobre filmes clássicos direto da plataforma do espaço. A instituição estará fechada de 21 de dezembro a 7 de janeiro de 2021. Mais informações no site: https://www.mis-sp.org.br/.

A família toda também pode aproveitar as atrações virtuais do Museu Catavento, que fará uma retrospectiva Catavento na Web, com curiosidades, gafes e muita ciência, no dia 29/12, às 16h. O espaço estará fechado nos dias 14, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021. Mais informações no site: https://museucatavento.org.br/.

O Museu da Casa Brasileira tem a mostra “Remanescentes da Mata Atlântica & Acervo MCB”, que apresenta painéis fotográficos e textuais correlacionando as várias tipologias de madeiras do acervo do MCB às diversas espécies nativas existentes na mata atlântica. O espaço funciona de terça a domingo, das 10h às 18h. Já nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021 estará fechado. Mais informações no site do MCB: https://mcb.org.br/pt/.

As Blibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, estarão fechadas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de Janeiro. Entre as atividades, está a “Hora do Conto em Libras”, realizada online pela Biblioteca Parque Villa-Lobos no sábado, 26/12, das 16h às 16h45. Conta a história de Safira e Afonso, que se amam, mas vivem em reinos diferentes e inimigos; e para ficar juntos, recorrem à magia de uma poderosa feiticeira. Para participar acesse www.bvl.org.br/inscricao. Mais informações da Biblioteca de São Paulo no site: https://bsp.org.br/.

Na Casa das Rosas, localizada na Avenida Paulista, além de admirar o jardim em um passeio pela região, é possível conferir o espaço tombado pelo Condephaat.  O Museu estará fechado nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021. Mais informações no site: https://www.casadasrosas.org.br/.

A Casa Guilherme de Almeida, que abriga o acervo composto por objetos que pertenceram ao poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro, estará fechada nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021. Mais informações no site: https://www.casaguilhermedealmeida.org.br/.

A Casa Mário de Andrade, antiga residência do escritor, na rua Lopes Chaves, traz um panorama abrangente de sua grande e múltipla contribuição para a arte e a cultura brasileiras. Estará fechada nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro de 2021. https://www.casamariodeandrade.org.br/.

O Memorial da América Latina, bem como a Biblioteca e demais espaços estarão fechados de 24 a 31 de dezembro e nos dias 1 a 3 de janeiro de 2021. O espaço estará aberto de 18, 29 e 30 de dezembro das 11h às 15h. Mais informações no site: https://memorial.org.br/.

As Oficinas Culturais Alfredo Volpi, Maestro Juan Serrano e Oswald de Andrade estarão fechadas de 19 de dezembro a 10 de janeiro de 2021. Informações detalhadas em https://oficinasculturais.org.br/. Bem como as Fábricas de Cultura da Zona Norte e Sul que retornam as atividades após 4 de janeiro de 2021 e as Fábricas de Cultura da Zona Leste e São Bernardo do Campo que fecham de 21 de dezembro a 1ª de janeiro de 2021. Mais informações em https://www.fabricasdecultura.sp.gov.br/.

Litoral

No Museu do Café, em Santos, litoral de São Paulo, o público poderá conferir a exposição temporária “Mundo em Rede: as telecomunicações e o café”. A inauguração aconteceu por meio de uma live no Instagram, no dia 16 de dezembro, às 17h, e a visitação presencial poderá ser realizada a partir do dia 17. O espaço estará fechado nos dias 24, 25 e 31/12 e 1º de janeiro de 2021. O Museu do Café abre de quarta a domingo, das 11h às 16h. Aos sábados, a entrada é gratuita.  Mais informações no site: https://www.museudocafe.org.br/.

 

Interior

O Museu Casa de Portinari, localizado em Brodowski, interior de São Paulo, funcionará nos dias 24 e 31/12 das 10h às 13h, sendo realizado no dia 30/12, às 19h30, a live “Sarau Musical Cantigas de Minha Terra 2020 – Edição On-line”, que traz como temática histórias, contos, causos, casos de amor e romance no universo rural e sertanejo, direto da plataforma de Youtube do espaço. O museu estará fechado nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Mais informações no site: https://www.museucasadeportinari.org.br/.

No Museu Índia Vanuíre, que fica em Tupã, o público poderá conferir o projeto “Vem que eu te conto um conto”, com transmissão on-line, que narra uma história sobre a temática natalina. A ação parte da premissa de que ouvir histórias possibilita aguçar a memória cultural e afetiva no dia 25/12, às 12h. O espaço funcionará nos dias 24 e 31 de dezembro das 19h às 13h. Fechado nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Mais informações no site: https://museuindiavanuire.org.br/.

O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro terão atrações para o período de festas, entre elas está a apresentação do violinista David Souza, no dia 24/12, para celebrar a véspera de Natal, com a canção natalina “Noite Feliz”, às 20h, em transmissão on-line. O espaço funciona nos dias 24 e 31 de dezembro, das 10h às 13h. Fechado nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Mais informações no site: https://www.museufelicialeirner.org.br/.

 

Agenda online do Museu da Imigração contará com lives, nova série no blog e oficinas

Primeira quinzena de outubro será marcada por atividades sobre migração, artesanato e brinquedos recicláveis

(mais…)

Agenda virtual de maio do Museu Índia Vanuíre já está no ar

As atividades on-line do Museu Índia Vanuíre, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, não param. A programação de maio já está definida e trará muita cultura e conhecimento para todos os públicos pelas redes sociais @museuindiavanuire.

Dentre os vídeos do mês estão um passeio pela exposição temporária autonarrativa: Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak; exibições do projeto A Voz da Memória que difunde e auxilia o desenvolvimento da tradição indígena do oeste de São Paulo e a história de Tupã; e oficinas de artesanatos como centopeia, cofre, porta-treco de brinquedos e, ainda, uma especial para o Dia das Mães que ensinará uma dobradura com materiais simples e que estimularão a criatividade das crianças.

Outra interação será entre 11 e 17 de maio com o #MuseumWeek, ação mundial promovida pelas instituições culturais nas mídias sociais com o tema: União – 7 dias, 7 temas, 7 hashtags (togetherness – 7 days, 7 themes, 7 hashtags). O Museu Índia Vanuíre participará com homenagem às referências indígenas locais, desafios para todos liberarem a criatividade ao produzir, por exemplo, um cocar.

Na sequência, entre 18 e 20 de maio, o equipamento integra, também, da Semana de Museus Virtual com apresentação dos seus recursos de acessibilidade; depoimentos de participantes dos projetos socioculturais Aguçando as Memórias e O Olhar é o Sentir pelas Mãos, que acontecem mensalmente na unidade; além de declarações dos povos indígenas locais sobre a importância do Museu para a cultura de seu povo.

Toda a programação integra a campanha #CulturaEmCasa do Governo do Estado. Mais informações sobre a agenda no site www.museuindiavanuire.org.br ou pelas redes sociais @museuindiavanuire.

Agenda virtual de setembro do Museu Índia Vanuíre já está no ar

A programação do Cultura em Casa realizada pelo Museu Índia Vanuíre, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, tem nova agenda em setembro com oficinas, projetos e dicas.

Nesta sexta-feira (4) tem nova edição do projeto Saberes e Fazeres Indígenas. Gabriel Damaceno, Krenak da Terra Indígena Vanuíre, contará um pouco sobre a cultura do seu povo para promover um diálogo entre o indígena convidado e o público virtual. Curiosidades, história, música e danças serão abordados no vídeo.

Para reunir a família no domingo (6) tem oficina educativa. O Família no Museu (Em Casa) ensinará a fazer um lindo vaso decorativo com material reciclável. Usando frascos de shampoos vazios, o público poderá usar a criatividade e confeccionar lindos objetos para casa ou ambiente de trabalho.

No feriado, 7 de setembro (segunda-feira), tem curiosidade do acervo do Museu. O público conhecerá o soroban, um instrumento para cálculo feito em madeira, com hastes em ferro e contas também em madeira. Conhecido como ábaco japonês, ele tem origem chinesa e foi levado ao Japão por volta do ano de 1600. Além disso, é utilizado por alunos cegos ou com baixa visão para promover a inclusão destes em aulas de matemática.

Outro projeto sociocultural que será apresentado na programação semanal é O Olhar é o Sentir pelas Mãos, uma ação realizada em parceria com o Programa Vida Iluminada – UNIMED, para promover a inclusão dos deficientes visuais na cultura para que eles se tornem frequentadores do Museu Índia Vanuíre.

Todas as atividades estarão disponíveis pelas redes sociais (Facebook e Instagram – @museuindiavanuire) e, também, na página especial da programação do #CulturaEmCasa: www.museuindiavanuire.org.br/culturaemcasa.

Agora: dirigentes municipais se reúnem na Secretaria da Cultura em “encontro tira-dúvidas”

Nesta manhã, 5 de abril, mais de 100 dirigentes de todo o estado de São Paulo estão no auditório da Secretaria da Cultura do Estado, na capital. Vieram para conhecer as ações e programas desenvolvidos pela pasta em todo o estado e discutir novos caminhos e parcerias com o Governo estadual na área da cultura.

Foto: Joca Duarte

Na abertura dos trabalhos, o  secretário da Cultura do Estado José Luiz Penna afirmou que “Fazer cultura no Brasil é estar na vanguarda política para a recuperação da nossa economia. As melhores pessoas tem que estar nos equipamentos de cultura porque elas vão fazer a mudança política”.

ProAC Municípios

Nesta manhã, Penna também anunciou o lançamento do ProAC Municípios, novo edital voltado aos municípios que receberá investimento e R$ 5 milhões da Secretaria da Cultura do Estado. Penna aproveitou para fazer um breve balanço sobre sua atuação na pasta, que acaba de completar um ano: “Tenho a sensação de ter cumprido a missão de chegar mais perto de todos, principalmente compreendendo o momento político que vivemos. Deixo plantado um time de primeira qualidade para tocar esse projeto de popularização da cultura”, concluiu o secretário da Cultura.

Acompanhe o site da Secretaria para mais informações sobre o ProAC Municípios.

Agosto na biblioteca: Fábricas de Cultura oferecem atividades infantis gratuitas

Oficina de percussão colombiana e contações de histórias sobre povos africanos e inventores brasileiros em todas as unidades das zonas Norte e Sul

As férias da criançada já acabaram, mas as bibliotecas das Fábricas de Cultura das zonas Norte e Sul da cidade prepararam atividades muito divertidas para o mês de agosto. Todas as unidades terão oficina de percussão e contação de histórias para as crianças. É tudo gratuito, basta se inscrever na biblioteca de cada Fábrica e aproveitar.

As Fábricas oferecerão uma oficina de percussão colombiana para as crianças acima dos 12 anos. Orito Cantora e Jenn del Tambó ensinarão ritmos populares colombianos – como cumbia, bullerengue e chalupa – em uma oficina prática, utilizando instrumentos percussivos e exercícios corporais. As artistas vivem em Barranquila, no norte da Colômbia, e são reconhecidas internacionalmente por sua pesquisa e trabalho na divulgação da música colombiana e formação de mulheres percussionistas. São oferecidas 20 vagas para a atividade.

Alguns povos da África chamam os contadores de histórias de “griot”. Eles têm uma função especial: narrar as tradições e os acontecimentos de um povo. O costume de sentar embaixo das árvores ou ao redor das fogueiras para ouvir histórias e cantos existe até hoje. Eu Griot  será uma contação de história performática, que, por meio de práticas afetivas e ancestrais, irá propor diálogos e interações com o público. A atividade, que terá tradução em Libras, é livre e tem 25 vagas.

Outra contação de história muito especial será Inventores brilhantes – brasileiros notáveis, oferecida para crianças maiores de 5 anos. Há muito tempo atrás, o “padre voador” fazia experiências com cinco pequenos balões, mas os três primeiros queimaram. Nas duas últimas tentativas, o invento subiu até o teto, flutuou bastante e desceu lentamente. E foi assim que um brasileiro inventou o balão de ar quente. Na contação, Bartolomeu de Gusmão narra sua própria história ao pequeno Alberto, um menino apaixonado por balões, que tem o sonho de se tornar inventor.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará: cursos e atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

Em 2018, as unidades das zonas Norte e Sul (Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha) contam com o patrocínio da Via Varejo – Casas Bahia por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui com atividades de formação, saídas pedagógicas, programação cultural e projetos de tradução em Libras.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO:

Oficina de percussão colombiana

Capão Redondo: terça-feira, 14/8 – 14h30 às 16h30

Jaçanã: quinta-feira, 16/8 – 14h30 às 16h30

Jardim São Luís: terça-feira, 21/8 – 14h30 às 16h30

Vila Nova Cachoeirinha: quinta-feira, 23/8 – 14h30 às 16h30

Brasilândia: sexta-feira, 24/8 – 14h30 às 16h30

 

Eu Griot

Vila Nova Cachoeirinha: terça-feira, 14/8 – 15h às 17h

Capão Redondo: quarta-feira, 15/8 – 10h às 12h

Brasilândia: quinta-feira, 16/8 – 15h às 17h

Jardim São Luís: sexta-feira, 17/8 – 15h às 17h

Jaçanã: terça-feira, 21/8 – 15h às 17h

 

Inventores brilhantes – brasileiros notáveis

Jardim São Luís: terça-feira, 14/8 – 15h às 17h

Brasilândia: quarta-feira, 15/8 – das 15h às 17h

Vila Nova Cachoeirinha: quinta-feira, 16/8 – 15h às 17h

Capão Redondo: sexta-feira, 17/8 – 15h às 17h

Jaçanã: quarta-feira, 22/8 – 15h às 17h

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n

Telefone: (11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoerinha

Rua Franklin do Amaral, 1575

Telefone: (11) 2233-9270

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508

Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360

Telefone: (11) 2249-8010

 

Funcionamento de todas as unidades: de terça a sexta-feira, das 9h às 20h, e finais de semana e feriados das 12h às 17h

Site: www.fabricasdecultura.org.br

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

Agosto virtual: Museu Casa de Portinari traz agenda repleta de ações nas redes sociais

Mais um mês as redes sociais unem o público ao Museu Casa de Portinari, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari. Para brindar esse novo período, o equipamento preparou diversas atividades educativas que promovem a cultura, o entretenimento e o conhecimento.

Nesta segunda-feira (3), tem episódio da série DOCuriosidades com muita informação sobre o setor de documentação do Museu. Números, funcionamento, arquivos e o acervo estão na pauta desta semana. Na mesma temática, no dia 6, a equipe de conservação contará, em segundos, curiosidades do local. Nesse vídeo será apresentado um objeto antigo, mas que todos os visitantes acham que é moderno.

O Museu Casa de Portinari ainda promoverá uma oficina de dobradura. Durante o período de isolamento, a brincadeira e a imaginação não podem parar e, por isso, os educadores se inspiraram no jardim do local para ensinar a produzir flores de papel.

No domingo (9) será a vez de conhecer as obras e os objetos dos artistas e artesãos brodowskianos. O Domingo com Arte Virtual mantém a tradição das edições, mas, agora, de forma on-line. O objetivo é promover os profissionais da cidade e, ao mesmo tempo, disseminar a cultura produzida por eles por meio do artesanato.

Todas as atividades estarão disponíveis pelas redes sociais (Facebook e Instagram – @museucasadeportinari) e, também, na página especial da programação do #CulturaEmCasa: www.museucasadeportinari.org.br/culturaemcasa

Alckmin entrega Fábrica de Cultura de Diadema

Governador Geraldo Alckmin, junto ao Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, estiveram em Diadema na manhã do dia 27/3 para realizar a entrega da obra da Fábrica de Cultura de Diadema, primeira unidade do programa fora da capital paulista. Com mais de 6 mil metros quadrados de área construída, a Fábrica de Cultura Diadema terá o mesmo formato das 10 unidades da capital, com cursos de diversas linguagens artísticas, oficinas, biblioteca, workshops, entre outras atividades. O equipamento cultural deverá operar plenamente a partir de agosto deste ano – tempo necessário para os trâmites do chamamento público que irá selecionar a Organização Social de Cultura responsável pela administração equipamento. O Governo do Estado de São Paulo investiu R$ 16,9 milhões na obra executada pela empresa ECG Engenharia Construções e Geotecnia Ltda.

“É a primeira Fábrica de Cultura fora de São Paulo. Um prédio com dois pavimentos, biblioteca, teatro, sala de música, circo, arte, produção e dança, além de refeitório, camarins e vestiários. Assinamos com o secretário José Luiz Penna e com o Romildo Campello, secretário-adjunto, que já vão providenciar o chamamento para escolhermos a Organização Social que vai equipar, gerir e colocar a unidade em funcionamento.”
MESSAGE-ICON
Geraldo Alckmin
Governador do Estado de São Paulo

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Para o secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, a Fábrica de Cultura Diadema vai trazer alegria e ocupação para a população e os produtores culturais do município. 

No mês de julho, a população terá uma “degustação”, uma prévia das atividades oferecidas pela Fábrica de Cultura: crianças e jovens poderão participar de oficinas de dança, teatro, circo, literatura, multimeios, entre outras linguagens e, a partir dessas experiências, escolher os cursos no quais queiram se matricular.

“A Fábrica de Cultura chega num momento muito importante para a vida cultural local e, certamente isso vai se expandir por toda a região.”
MESSAGE-ICON
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Como funcionará a Fábrica de Cultura Diadema?

As atividades das Fábricas de Cultura serão divididas da seguinte forma:

Cursos de Formação

Cursos de curta e longa duração nas modalidades de teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios. Todos os materiais necessários para os cursos são fornecidos gratuitamente pelas Fábricas. Durante as férias de janeiro e julho, é oferecida uma programação especial de cursos e oficinas

Bibliotecas

As bibliotecas das Fábricas de Cultura oferecem acesso gratuito a livros, periódicos, filmes, jogos, computadores com acesso à internet e equipamentos de acessibilidade visual e motora. Também são oferecidas atividades de incentivo à leitura como contações de histórias, encontros com escritores, oficinas e exibição de filmes. Não é preciso ser aluno das Fábricas para frequentar as bibliotecas

Alexandre Wollner é homenageado com mostra do Museu da Casa Brasileira

Um dos mais importantes designers gráficos da América Latina terá expostas peças originais, entrevistas e painéis com logos que se tornaram ícones no imaginário nacional – Abertura em 8 de junho, às 14h, com entrada gratuita (mais…)

Alice Caymmi abre a agenda de shows do Estéreo MIS 2020

Cantora e compositora apresenta show ELÉTRIKA no dia 24 de janeiro, sexta-feira. Os ingressos podem ser adquiridos a partir do dia 14.01 no site da Sympla e recepção do MIS (mais…)

Alice no país das maravilhas ganha exibição gratuita no Cine Kids de outubro

O MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, exibe, na edição de outubro do CINE KIDS, o clássico Alice no País das Maravilhas (Direção: Clyde Geronimi, Wilfred Jackson, Hamilton Luske, 1951, Fantasia/Aventura, 1h15m). A sessão acontece no dia 27, sábado, às 11h, com entrada gratuita.

Na história, depois de seguir um misterioso coelho, Alice embarca em uma aventura fantástica em um mundo mágico repleto de figuras inusitadas. Tentando se encontrar no País das Maravilhas, ela acaba conhecendo personagens extraordinários, e se envolve em grandes confusões.

O CINE KIDS, que estreou em julho de 2018, é o mais novo programa mensal do Museu. Nesta primeira temporada, que vai até dezembro, o projeto exibe a cada edição uma animação infantil clássica do cinema.

CINE KIDS – Temporada Clássicos | Alice no País das Maravilhas

DATA 27.10.2018 (sábado) HORÁRIO: 11h LOCAL:  Auditório MIS (172 lugares) INGRESSO:  Gratuito- retirada de ingresso com 1h de antecedência na recepção

CLASSIFICAÇÃO:  livre

DUBLADO

Museu da Imagem e do Som – MIS Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br Estacionamento conveniado: R$ 18 Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Informações para a imprensa – MIS: Clarissa Janini | clarissa.janini@mis-sp.org.br | (11) 2117 4777, r 312 Marina Castro Alves | marina.castroalves@mis-sp.org.br | (11) 2117 4777, r 363 Informações para a imprensa – Secretaria de Estado da Cultura: Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br Elisabete Alina – (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

Alisson Amador, violonista e percussionista, fala sobre improvisação e composição no dia 10 de julho

Live integra a campanha #VamosDeMúsica da Sustenidos Organização Social de Cultura

(mais…)

Alisson Thales apresenta a história do acordeon na próxima quarta (24), às 15h

Live integra a campanha #VamosDeMúsica e será transmitida das redes sociais da Sustenidos Organização Social de Cultura

(mais…)

Allan da Rosa vê na poesia um meio para manter abertos e expandir os horizontes da sensibilidade

Angoleiro (capoeirista), historiador, mestre e doutorando na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, Allan da Rosa (foto e peça promocional para redes sociais nos links abaixo) está entre os escritores convidados a participar do primeiro módulo do 13º Viagem Literária, “Poesia: Oficinas e Bate-papos com Escritores”. Entre 9 e 27 de novembro, o autor e outros 14 poetas percorrerão 61 bibliotecas de 60 cidades, incluindo a capital paulista, ministrando oficinas e em conversas com o público. Confira o roteiro completo dele no serviço ao fim do texto.

Promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB), o Viagem Literária é realizado pela Organização Social SP Leituras. O programa foi finalista do 62º Prêmio Jabuti, na categoria Fomento à Leitura, dentro do eixo Inovação.

Rosa foi um dos escritores que começou o movimento de Literatura Periférica de São Paulo. Ele esquisa e atua em ancestralidade, imaginário e cotidiano negro. Já palestrou, recitou, oficinou e debateu em rodas, feiras, universidades, bibliotecas e centros comunitários de muitos estados do Brasil e mais seis países.

Ele é autor de “Da Cabula” (Prêmio Nacional de Dramaturgia Negra, 2014), “Zagaia”, dos livros-CD “A Calimba e a Flauta” e “Mukondo Lírico” (Prêmio Funarte de Arte Negra, em 2014), além do ensaio “Pedagoginga, Autonomia e Mocambagem”, entre outras obras.

A seguir, ele antecipa, em duas perguntas, um pouco de sua visão sobre a poesia:

Qual a importância da poesia na literatura contemporânea?

A poesia pode manter abertos e expandir os horizontes da sensibilidade. Pode gerar, aguçar e lapidar novas dúvidas, que fertilizem a compreensão das pessoas e das relações entre as forças que compõem os nossos mundos. Em nossa época de berreiros de certezas (mesmo que revestidos por sussurros reticentes ou lambidas sutis de ódio), de bombardeio de exclamações e de discursos feitos sob medida para agradar clubes e bolhas, com seus fraseados medidos para a captura das atenções pelas emoções imediatas da gente, a Poesia mesclando sensibilidade e raciocínio pode vitaminar e acariciar o pensamento, oferecendo saborosa a teia entre imaginação, linguagem e vivência.

Quais são os poemas que a gente deve ler para se iniciar nessa forma literária?

Há muitas possibilidades. Como princípio do passo e da travessia, talvez orne bem o poema que se assume duvidoso enquanto oferece orientes, o poema que instiga o movimento e também, com elegância, desafia as certezas dos pés. O poema que encontre alguém dentro de seus próprios labirintos, mas que não deseje se encerrar nesta pessoa que o lê, nem impor que seus jeitos de escutar e tocar os mundos definam absolutamente o que existe nos caminhos a se descobrir. Talvez valha iniciar sugerindo que é com outras tantas pessoas e obras que se faz a estrada, mesmo que elas pareçam distantes nos tempos das memórias, dos desejos, dos sonhos e traumas, ou nas passagens e encontros pelas curvas das estradas.

Além de Allan da Rosa, fazem parte do primeiro módulo do 13º Viagem Literária os escritores Bruna Beber, Chacal, Daniel Minchoni, Dinha, Eliane Marques, Jonas Samaúma, Lubi Prates, Patrícia Meira, Pedro Marques, Renato Negrão, Rodrigo Ciríaco, Ronald Augusto, Ryane Leão, e Wilberth Salgueiro.

O segundo módulo, “Contação de Histórias: Contos Populares”, que acontece de 1º a 19 de março de 2021, percorrerá circuito semelhante.

Desde que o Viagem Literária começou, em 2008, foram percorridos 218 municípios paulistas, com 207 convidados, atingindo a um total de mais de 340 mil pessoas. Foram bate-papos, oficinas, rodas de contação de histórias e outros eventos que fizeram conhecimento circular no Estado de São Paulo.

Confira o roteiro de Allan da Rosa:

Oficinas às 14h30 | Bate-papos às 19h 

16/11 – Ribeirão Corrente – Biblioteca Benedita Maria Mendes Machado

17/11 – Colina – Biblioteca Ellis Vaz de Almeida

18/11 – Sertãozinho – Biblioteca Profa. Sônia Regina Mossin Garcia

19/11 – Santa Rosa do Viterbo – Biblioteca Profa. Licinia Nogueira Magalhães

A programação completa, com os artistas e grupos de artistas que fazem parte da etapa estão no site do programa: www.viagemliteraria.org.br.

Aluna de Canto MPB/Jazz do Conservatório de Tatuí apresenta recital nesta terça

Com o tema “Todas as Marias”, a formanda interpretará canções brasileiras que homenageiam a mulher (mais…)

Aluna do Conservatório de Tatuí faz Recital de Formatura em Canto MPB/Jazz

A formanda Flora Reyes apresenta repertório autoral neste domingo, dia 15, às 19 horas, com entrada gratuita (mais…)

Aluna do Projeto Guri é selecionada para apresentação com a Orquestra Sinfônica Brasileira

Estudante recebeu o convite após participar de masterclass com o conjunto sinfônico (mais…)

Aluna do Projeto Guri é selecionada para o The Voice Brasil Kids

Jovem entrou para o time Simone & Simaria após Audições às Cegas (mais…)

Aluno da EMESP Tom Jobim ganha concurso internacional e é convidado para tocar na Philharmonie de Paris

Jonathan Marim, 11 anos, aluno de piano do 1º Ciclo na EMESP Tom Jobim, com o professor Luiz Guilherme Pozzi, conquistou o primeiro lugar no concurso internacional de música Grand Prize Virtuoso. Como parte da premiação, foi convidado para fazer um recital na Philharmonie de Paris, na França, no dia 17 de abril.

Jonathan Marimingressou na EMESP Tom Jobim aos 9 anos. Apesar da pouca idade, já conseguiu conquistar as primeiras colocações em concursos de piano como o Concurso Latino-Americano de Piano de Curitiba e o tradicional Concurso de Piano Souza Lima, na capital paulista.

Grand Prize Virtuoso International Music Competition é um concurso internacional de música para instrumentos de cordas, piano, sopro e voz. A competição é aberta a todas as nacionalidades e alguns dos ganhadores foram convidados para se apresentar no Amphitheatre da Philharmonie de Paris, na França, em abril de 2020.

 

EMESP Tom Jobim

Referência no ensino brasileiro de música, a EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Atende gratuitamente 1.300 alunas e alunos em seus cursos e habilitações em música popular e erudita, da teoria à prática musical. Em 2019, a EMESP Tom Jobim comemorou 30 anos de atuação. A Escola tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP Tom Jobim vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP Tom Jobim oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A Escola mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para as alunas e os alunos da Escola.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na AppStore. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

Aluno do Conservatório de Tatuí apresenta Recital de Cravo e Piano

Evento marca a conclusão dos cursos e a formatura do estudante neste domingo, dia 15, às 17 horas, no Salão Villa-Lobos (mais…)

Alunos da EMESP Tom Jobim apresentam recital de piano no MuBE

Apresentação gratuita será no próximo domingo e mostrará o talento dos alunos da Escola que é referência internacional na formação musical

Quinze alunos da classe de piano da EMESP Tom Jobim – Escola de Música da Secretaria da Cultura do Estado – participarão no próximo domingo, dia 24 de junho, às 16h00, da série “Recitais de Piano” do Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE). Os jovens pianistas se apresentam no auditório do museu (Rua Alemanha, 221 – Jd. Europa), em programação gratuita e aberta ao público.

Participam do recital crianças e adolescentes, com idades entre 8 e 23 anos: Gabriel Matte, Emilly Alberto, Tiago Bovo, Lucca Verdi, Helen Rocha, Caio Vital, Jonathan Marim, Mariana Amato, Sara Bello, Fernando Gomes, Daniel Pereira, Gabriel Beck, Huiyi Feng, Eric Bueno e Ingrid Uemura. O repertório da apresentação será focado em compositores clássicos, com peças de diferentes níveis de complexidade, abrangendo Bach, Villa-Lobos, Tchaikovsky, Haydn, Schubert, Debussy, entre outros.

Luiz Guilherme Pozzi, professor da EMESP e diretor da série ‘Recitais de Piano’ do MuBE, frisa o quanto essa experiência deve ser valorizada por músicos que estão iniciando sua trajetória. “É muito importante para os alunos que passam pela EMESP saírem de dentro da escola e se apresentarem para o público, principalmente em um palco onde grandes pianistas já se apresentaram. Isso oferece aos alunos uma prévia da atmosfera da vida  profissional”, afirma Pozzi.

A Emesp Tom Jobim oferece formação musical tanto nas áreas da música erudita e popular. Os recitais, além de proporcionar experiência e vivência musical – pilares do projeto artístico-pedagógico da Escola – oferecem ao público a oportunidade de conhecer os novos talentos da música brasileira, muitos deles vencedores de concursos internacionais.

SERVIÇO

Recital de Piano dos alunos da EMESP Tom Jobim

Data: 24/06

Horário: 16h00 (duração: 1h)

Local: Auditório MuBE

Ingresso gratuito

Endereço: MuBE – Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia

Avenida Europa, 221 São Paulo – SP

Informações: https://www.facebook.com/recitaisdepianomube

Alunos do Conservatório de Tatuí apresentam-se em recitais de formatura e Mostra de Canto Coral

Todas as audições são abertas ao público e têm entrada gratuita (mais…)

Alunos do Conservatório de Tatuí fazem Recital de Oboé no CEU das Artes

 A audição será nesta quinta-feira, dia 05, às 15 horas, com entrada gratuita      (mais…)

Alunos do Projeto Guri celebram o aniversário da cidade onde estudam

São José do Rio Pardo, Barra Bonita, Estrela do Norte e Ibiúna estão na rota de municípios aniversariantes do mês de março (mais…)

Alunos do Projeto Guri de Andradina fazem clipe com canções do filme “O Rei Leão”

Guris do coral juvenil da cidade de Andradina no Horto Municipal (mais…)

Alunos do Projeto Guri de Indaiatuba tocarão no metrô São Judas

No dia 04 de outubro, a partir das 17h, os passageiros que circularem pela Estação São Judas, Linha 1-Azul do metrô de São Paulo, poderão conferir a apresentação musical dos alunos do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. A ação faz parte do projeto SP Cultura no Metrô, que busca recuperar, apropriar e ocupar novos espaços.

Os alunos do Polo Indaiatuba darão continuidade à série de apresentações do Projeto Guri no Metrô com estilos musicais variados, desde composições próprias até peças eruditas. O repertório será composto pelas músicas Maracatu, Tamborada, Bela Vista Social Club, Tambores do Nordeste e Pandeirá, além de uma criação coletiva dos Guris.

O projeto SP Cultura no Metrô levará mais de 300 atrações aos seus usuários até a primeira semana de dezembro. A próxima apresentação do Projeto Guri será no dia 19 de outubro, às 17h, na Estação Ana Rosa, Linha1-Azul e Linha2-Verde do metrô de São Paulo, com o grupo de madeiras do Polo Sorocaba.

 

 

Apresentação do Projeto Guri na Estação São Judas:

Quando: dia 04 de outubro

Horário: 17h

Local: Estação São Judas

Endereço: Av. Jabaquara, 2438, Saúde, São Paulo, SP
 

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre o Projeto Guri
Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria de Cultura que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Informações para imprensa:
Máquina Cohn & Wolfe: 11 3147-7900
Elen Andrade | Patricia Oliveira –  projetoguri@maquinacohnwolfe.com
(11) 3147-7449| (11) 3147-7490

 

Secretaria da Cultura do Estado
Assessoria de imprensa
Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br
Elisabete Alina Skwara – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com
Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

Alunos do Projeto Guri fazem apresentação inédita no II Seminário Nacional de Educação Musical do Fladem Brasil

Alunos do Projeto Guri do Grupo de Referência (GR) de Araçatuba – Camerata de Violões se apresentarão no II Seminário Nacional de Educação Musical do Fladem Brasil, dia 13 de setembro às 19h, no Teatro do SESC Glória, em Vitória/ES.

O programa preparado especialmente para o evento será composto pelas músicas Foi Boto, Sinhá!, A Lenda do Caboclo, El Condor Pasa, Aurora, Lundú, Branle de La Torche e Ballet. Serão apresentadas também composições inéditas dos alunos que exaltam culturas e regionalidades, são elas Aurora e Ensemble.

Entre uma música e outra, haverá intervenção dos alunos traçando um paralelo entre as lendas amazônicas e a cultura peruana, explicação sobre o processo criativo e suas inspirações, entre outras ações.

Durante o seminário, Alexandre Soares, supervisor educacional do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – apresentará o trabalho intitulado A Relação da Supervisão Educacional e Educadores Musicais no Projeto Guri: A Gestão Educacional a Favor do Desenvolvimento Humano. “Acredito que a supervisão educacional exerce um importante papel de incentivar e motivar indivíduos, proporcionando assim reflexões e ações instigadoras que permitem que sejam capazes de observar, aprender e se inspirar. É nessa moldura que o meu relato de experiência busca caracterizar a supervisão educacional no Projeto Guri, indo além do trabalho técnico-pedagógico”, disse Soares.

Serviço: II Seminário Nacional de Educação Musical do Fladem Brasil
Quando: dia 13 de setembro

Horário: às 19h

Local: Teatro do SESC Glória

Endereço: Av. Jerônimo Monteiro – Centro, Vitória – ES
Entrada: consultar no site https://www.fladembrasil.com.br/quero-me-associar

Evento aberto ao público

Grupo de Referência Araçatuba – Camerata de Violões:

Nascida em 2013, interpreta um repertório diversificado, explorando toda versatilidade e riqueza do violão. Destaque para as obras de Francisco Tárrega, Fernando Sor, Heitor Villa-Lobos, Paulinho Nogueira e Enrique Granados. Os integrantes apresentaram-se com a Camerata de Violões do Conservatório de Tatuí, ao lado do violonista Edson Lopes (2013), com o Duo Siqueira Lima (2014) e com Fabio Bartoloni (2015).

 

Patrocinador dos Grupos de Referência: Catho.

 

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

 

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria de Cultura que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Informações para imprensa:

Máquina Cohn & Wolfe: 11 3147-7900

Elen Andrade | Patricia Oliveira –  projetoguri@maquinacohnwolfe.com

(11) 3147-7449| (11) 3147-7490

Secretaria da Cultura do Estado

Assessoria de imprensa

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina Skwara – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

 

Alunos do Projeto Guri fazem apresentações em homenagem ao Dia das Mães

Mais de mil alunos participarão das apresentações gratuitas e abertas ao público


Alunos do Projeto Guri. Foto: Daniella Souza

Para celebrar o Dia das Mães, os alunos e alunas do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – farão 28 apresentações pelo interior e litoral de São Paulo, entre os dias 9 e 16 de maio.

Os shows gratuitos e abertos ao público contarão com mais de mil alunos de diversos naipes, com repertório nacional e internacional de estilos variados. Confira abaixo a programação:

Araçatuba

Polo Santópolis do Aguapeí
Quando: dia 9 de maio
Horário: às 19h30
Local: Centro de eventos MC Café
Endereço: R. Clarinda Rosa Neto, 637, Santópolis do Aguapeí/SP

Polo Lavínia
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h30

Local: Sede Social “Wagner Vidal Leme”

Endereço: Rua Maria Amália de Faria Gonfiantini, 104, Lavínia/SP

Polo Bilac
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Centro Cultural e Educacional Prof. João Chaim Rezek Filho

Endereço: Rua Sete de Setembro, 645, Bilac/SP

Polo Castilho
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h00

Local: Anfiteatro Municipal de Castilho

Endereço: Av. Adnaldo Rodrigues de Medeiros, 72, Castilho/SP

Polo Pereira Barreto
Quando: dia 14 de maio

Horário: às 19h30

Local: Casa da Cultura “Maestro Aristeu Custódio Moreira

Endereço: Rua Dermival Franceschi, 2.301, Pereira Barreto/SP

Polo General Salgado
Quando: dia 16 de maio

Horário: às 19h00

Local: Plenário da Câmara Municipal de General Salgado

Endereço: Av. João García, 941, General Salgado/SP

Itapeva

Polo Sarutaiá
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 14h

Local: Departamento Municipal de Assistência Social

Endereço: Rua Catarina Milani Maluly, s/nº, Sarutaiá/SP

Jundiaí

Polo Santo Antônio do Jardim
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 19h00

Local: Núcleo da Melhor Idade

Endereço: Av. da Saudade, 123, Santo Antônio do Jardim/SP

Polo Estiva Gerbi
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Centro Cultural Alberto de Souza

Endereço: Rua Ângelo Zanco, s/nº, Estiva Gerbi/SP

Polo Elias Fausto
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h00

Local: Feira AgroArte

Endereço: Rua Cel. Domingos Ferreira, 318, Elias Fausto/SP
Entrada gratuita. Evento aberto ao público

Marília

Polo Quatá
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Sociedade Amigos da Cidade Saci

Endereço: Av. Dr. Rodolpho Sebastião Giorgi, 1.060, Quatá/SP
Ribeirão Preto

Polo Terra Roxa
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 14h30

Local: Anfiteatro Mohamed Abbes Sobrinho

Endereço: Rua Marechal Floriano, 130, Terra Roxa/SP

Polo Dumont
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 16h

Local: Praça Josefina Negri

Endereço: Praça Josefina Negri, 21, Dumont/SP

Polo Viradouro
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 16h00

Local: NIMEF José Rodrigues Bento

Endereço: Praça Francisco Braga, 74, Viradouro/SP

Polo Barrinha
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 9h00

Local: CRAS Sinval Teodoro da Silva

Endereço: Rua Dom Pedro II, 565, Escola Darvy Mascaro, Barrinha/SP

Polo Cajuru
Quando: dia 12 de maio

Horário: às 9h00

Local: Casa das Artes e Cultura

Endereço: Rua Sampaio Moreira, 420, Centro, Cajuru/SP

São Carlos

Polo São José do Rio Pardo
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 9h00 e às 15h00

Local: DGG COC São José do Rio Pardo

Endereço: Av. Antonio Pereira Dias, s/nº, São José do Rio Pardo/SP
São José do Rio Preto

Polo Ibirá
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h30

Local: Ginásio de Esportes de Ibirá

Endereço: R. São Vicente de Paula, 813, Ibirá/SP

Polo Icem
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 10h00

Local: Grupo Renascendo para a Vida – 3ºIdade/CCI

Endereço: Mercedes Souza Braga, 754, Icem/SP

Polo Orindiúva
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h00

Local: Ginásio de Esporte Wilson de Oliveira

Endereço: Avenida Vereador Osvaldo Kushida, s/nº, Orindiúva/SP

São José dos Campos

Polo Campos do Jordão
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 15h00

Local: Espaço Cultural Dr. Além

Endereço: Av. Dr. Januário Miraglia, 1.582, Campos do Jordão/SP

Polo Areias
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 16h00

Local: EMEF Professor Antônio Pinto de Carvalho Neto

Endereço: Av. Siqueira Campos, 605, Areias/SP

Polo Roseira
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 9h30

Local: Salão Paroquial da Igreja Matriz

Endereço: Rua Dom Epaminondas, 100, Roseiras/SP

Litoral

Polo Peruíbe
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 10h00 e às 14h00

Local: Paço Municipal de Peruíbe

Endereço: Rua Nilo Soares Ferreira, 50, Peruíbe/SP
Sorocaba

Polo Mairinque
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 19h00

Local: CEMEC – Centro Educacional e Cultural de Mairinque

Endereço: Praça D. José Gáspar, 9, Mairinque/SP

Polo Cerquilho
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 18h00

Local: Coocerqui

Endereço: Av. Brasil, 469, Cerquilho/SP

Polo Itapetininga
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 18h30

Local: Centro Cultura e Histórico Brasílio Ayres de Aguirre

Endereço: Largo dos Amores, s/nº, Itapetininga/SP

Parceiros locais: Prefeitura Municipal de Santópolis do Aguapeí, Lavínia, Bilac, Castilho, Pereira Barreto, General Salgado, Sarutaiá, Santo Antônio do Jardim, Estiva Gerbi, Elias Fausto, Quatá, Terra Roxa, Dumont, Viradouro, Barrinha, Cajuru, São José do Rio Pardo, Ibirá, Icem, Orindiuva, Campos do Jordão, Areias, Roseira, Peruíbe, Mairinque, Cerquilho e Itapetininga.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Alunos do Projeto Guri na Fundação CASA participam de festival no Sesc Santo Amaro

Jovens alunos do Projeto Guri em cumprimento de medida socioeducativa se preparam para o maior evento musical da Fundação CASA: o Festival MusiCASA. A apresentação será realizada nos dias 4 e 5 de setembro, no Sesc Santo Amaro.  O festival reunirá mais de 100 adolescentes, alunos dos cursos de violão, percussão e canto coral. O repertório terá obras como Superação, Me Namora, Trem do Pantanal, Eu Sei Que Vou Te Amar, Anunciação, O Chorinho, Lamento e Certas Canções, entre outras.

O Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e é mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Os jovens integram os polos Fundação CASA Rio Negro, CASA Nogueira, CASA Tapajós, CASA Leopoldina, CASA Ipê, CASA Sorocaba 3, CASA Nova Vida, CASA Novo Tempo, CASA Nova Aroeira e CASA Osasco I.

 

Sobre o MusicaCASA

O MUSICASA é um festival de música entre jovens que estão em centros socioeducativos de todas as regiões do Estado de São Paulo. O evento é promovido pela Gerência de Arte e Cultura (GAC) da Fundação CASA e tem como objetivo estimular a criatividade na linguagem musical e promover a interação e troca de experiências entre adolescentes de diferentes centros socioeducativos.

Serviço: MusicaCASA
Quando: dias 4 e 5 de setembro

Local: Sesc Santo Amaro

Endereço: Rua Amador Bueno, 505 – Santo Amaro

Evento fechado para o público.

 

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

 

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria de Cultura que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Informações para imprensa:

Máquina Cohn & Wolfe: 11 3147-7900

Elen Andrade | Patricia Oliveira –  projetoguri@maquinacohnwolfe.com

(11) 3147-7449| (11) 3147-7490

Secretaria da Cultura do Estado:

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br
Elisabete Alina – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Fundação CASA

Ana Beatriz Grigoletto – (11) 2927.9155 – imprensa@fundacaocasa.sp.gov.br

 

Alunos do Projeto Guri participam do LorenVale 2018

Festa é uma das mais tradicionais do Vale do Paraíba

Alunos do Grupo de Referência de Lorena. Foto: Cláudio Ribeiro

Integrantes do Projeto Guri de Lorena, a Orquestra do Polo e o Grupo de Referência de Lorena – Coro se apresentarão em mais uma edição do LorenVale, no dia 10 de maio, às 19h00, na Praça Baronesa de Santa Eulália.

Os alunos do Polo Lorena do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – farão um show no primeiro dia do evento com temas de filmes e séries como Piratas do Caribe, A Bela e a Fera, Missão Impossível e Game Of Thrones. Na sequência, o Grupo de Referência de Lorena – Coro apresentará as músicas Na Minha Terra, África, Don’t Stop Believing, Vambora, entre outras canções.

O LorenVale é realizado pela Prefeitura Municipal de Lorena por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e tem como objetivo valorizar a cultura regional, mantendo viva as tradições da festa. Além da apresentação dos alunos do Projeto Guri, o evento terá feira de artesanato com artistas e artesãos de Lorena e região do Vale do Paraíba, além de uma praça de alimentação com comidas típicas.

Grupo de Referência de Lorena – Coro

É composto por sopranos, contraltos, tenores e baixos. No repertório, há canções que vão da renascença até os dias atuais, entre peças populares e eruditas. Em 2013, o grupo protagonizou o espetáculo Lendas Amazônicas, com músicas de Waldemar Henrique, no Teatro São Pedro (SP) e na Sala São Paulo (SP) – esse último na série Aprendiz de Maestro. O Coro já foi conduzido por Pablo Trindade (2012), André Guimarães (2013), Patrícia Costa (2014) e Katherine Zeserson (2015).

SERVIÇO

LorenVale

Quando: 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Praça Baronesa Santa Eulália

Endereço: Praça Baronesa Santa Eulália – Centro, Lorena/SP
Entrada: gratuita.
Evento aberto ao público.

Parceiro local: Prefeitura Municipal de Lorena

O Grupo de Referência de Lorena – Coro tem o patrocínio das empresas Catho, VALGROUP, Supermercados Tauste e Caterpillar.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Alunos do Projeto Guri realizam apresentações em celebração ao Dia da Independência do Brasil

Eventos serão realizados em 13 cidades do interior e litoral paulista (mais…)

Alunos do Projeto Guri realizam atividades em comemoração ao Mês da Mulher

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher (8 da Março), o Projeto Guri realizará atividades socioeducativas com os alunos e familiares a fim de falar sobre a importância da mulher na sociedade. As ações, que ocorrerão entre os dias 10 e 19 de março, serão gratuitas e abertas ao público em geral.

O Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro,mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

Abaixo, confira a programação:

Polo Paulo de Faria

Repertório: Dust in the Wind, de Kansas; Como Eu Quero, de Kid Abelha; eGhostbusters, de Ray Parker Jr.

Quando:09 de março

Horário: às 14h

Local:Casa de Cultura José Vasconcelos

Endereço: Rua Zenha Ribeiro, 1190, Centro – Paulo de Faria/SP

Polo São Sebastião da Grama

Repertório: Maria Maria, de Milton Nascimento;No Fubá e Boggie Blues, ambas de Liliana A Bollos;Ameno, de Era; Hallelujah, de Leonard Cohen;A Thousand Years, de Christina Perri; ePerfect, de Ed Sheeran.

Quando: 11 de março

Horário: às 19h30

Local: Clube Literário e Recreativo Gramense

Endereço: Rua Major Pacheco, 310, Centro – São Sebastião da Grama/SP

 

Polo Itapetininga

Atividade:Homenagem às mulheres da cidade e ao time feminino de futebol do município

Quando: 19 de março

Horário: às 19h

Local:Polo Itapetininga

Endereço: Rua Prudente de Moraes, 716, Centro – Itapetininga/SP

Polo Bastos

Repertório: Sampa, de Caetano Veloso; Maracatu, de Alceu Valença; Admirável Chip Novo, de Pitty; e De Janeiro a Janeiro, de RobertaCampos.

Quando: 26 de março

Horário: às 14h30

Local: CRAS

Endereço: Rua Pernambuco, 100, Jardim Santo Antônio – Bastos/SP

Todas as atividades são gratuitas

 

Projeto Guriwww.projetoguri.org.br


Parceiros locais:
Prefeitura Municipal de Paulo de Faria, São Sebastião da Grama, Bastos e Itapetininga.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; SulAmérica; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; Banco Votorantim; VALGROUP; Novelis; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander;  Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval

 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos
Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: https://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/.

Alunos do Projeto Guri receberão atividades on-line quinzenalmente

Sustenidos, gestora do Projeto, disponibilizará exercícios, inicialmente, até o dia 03 de julho

(mais…)