Cultura +

  Confira os finalistas do Prêmio Governo do Estado de São Paulo para as Artes de 2022

Evento irá homenagear os profissionais do setor cultural que se destacaram ao longo de 2021 por suas realizações. Vencedores da principal premiação cultural de SP serão conhecidos no dia 14/12, no Teatro Sérgio Cardoso. Uma realização de cada categoria receberá R$ 30 mil 

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, vai homenagear, em cerimônia no Teatro Sérgio Cardoso, no dia 14 de dezembro, representantes do setor cultural que se destacaram ao longo de 2021 por suas realizações. Trata-se do tradicional Prêmio Governo do Estado de São Paulo para as Artes 2022, criado em 1950. A realização vencedora de cada uma das 15 categorias receberá o prêmio de  R$ 30 mil.

Nesta edição, foram indicados cinco finalistas para cada uma das 15 categorias. Os ganhadores receberão, além do prêmio em dinheiro, um troféu. Entre as categorias estão:

Museus, equipamentos e centros culturais; Patrimônio cultural material e imaterial; Grupos, companhias e corpos estáveis; Cultura popular e tradicional; Cultura urbana; Empreendedorismo cultural e criativo; Inovação e tecnologia em arte e cultura; Estudos e pesquisas em cultura e economia criativa; Mostras, festivais, mercados e eventos culturais; Produção cultural independente; Inclusão, diversidade e acesso à cultura; Formação e capacitação; Livro, leitura e bibliotecas; Comunicação cultural; Iniciativas culturais para crianças e adolescentes.

O processo de escolha dos premiados é dividido em 3 etapas. Primeiro, um júri formado por 10 pessoas indicadas pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, propõe – cada membro – cinco realizações de grande relevância para a cultura e a economia criativa de São Paulo em 2021 e os respectivos responsáveis por cada uma dessas realizações nas categorias descritas.  Na segunda etapa, o secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, e o presidente do Conselho Estadual de Cultura e Economia Criativa, Fernanda Feitosa, selecionam, a partir das indicações feitas pelo júri na etapa anterior, quais serão as cinco realizações finalistas em cada categoria e seus respectivos responsáveis.  Por fim, o governador Rodrigo Garcia, definirá os premiados em cada uma das categorias descritas, sendo uma realização ganhadora para cada categoria.

Haverá, ainda, homenagens ao produtor cultural Sérgio Ajzenberg, a Emanoel Araújo, ex-diretor do Museu Afro-Brasil, e ao jornalista Jorge da Cunha Lima, que faleceram em 2022, além do arquiteto Ruy Ohtake, no fim de 2021.   

Confira a lista completa dos cinco finalistas em cada uma das categorias:

1.Iniciativas Culturais para Crianças e Adolescentes

  • Lina Brochman, pela realização da plataforma digital “Bora Aí”
  • Ítalo Carvalho, pelo conjunto de atividades da Camerata Jovem Beethoven
  • Kiko Mistrorigo e Célia Catunda, pelo conjunto de atividades da produtora TV Pinguim
  • Paulo Tatit e Sandra Peres, pelo conjunto de atividades do projeto e grupo Palavra Cantada
  • Dennis Oliveira, Alessandra Costa, Gildemar Oliveira e Emmanuelle Baldini, pela revitalização do Conservatório de Tatuí

2.Comunicação Cultural

  • Paula Alzugaray, pela realização da revista “Select”
  • Pedro Borges, pelo conjunto de atividades da agência Alma Preta
  • Danielle Nigromonte, pelo conjunto de atividades da plataforma #CulturaEmCasa 
  • Pierre Mantovani, pelo conjunto de atividades da Omelete Company
  • Bruno Venga, pelo conjunto de atividades da plataforma OLA Podcasts

3.Livro, Leitura e Bibliotecas

  • Alê Santos, pelo lançamento do livro “O Último Ancestral”
  • Pierre Ruprecht, pela realização da

plataforma BibliON / Biblioteca Digital Gratuita de São Paulo

  • Marcelino Freire, pela realização do projeto Balada Literária
  • Manuel Costa Pinto, pela realização do programa “Entrelinhas” (TV Cultura)
  • Daniel Munduruku, pelo trabalho do Instituto Uka / Casa dos Saberes Ancestrais

    4.Formação e Capacitação em Cultura

  • Olga Rabinovich, pela realização do Projeto Paradiso
  • Edillson Ventureli e Isaac Karabtchevski, pelo conjunto de atividades do Instituto Baccarelli e da Orquestra Sinfônica de Heliópolis
  • Inês Bogea e Renato Musa, pela implantação da SP Escola de Dança
  • Paulo Zuben e Irmã Rosane Ghedin, pelo conjunto de atividades da Escola de Música Tom Jobim 
  • Fernando Schuler, pelo projeto Fronteiras do Pensamento
  1. Inclusão, Diversidade e Acesso à Cultura
  • Carla Mauch, pelo projeto “Livros Acessíveis” e demais atividades da ONG Mais Diferenças
  • Igor Cayres, pela criação da Orquestra Parassinfônica de São Paulo (Opesp)
  • Flávio Gomes, Jaime Lauriano e Lília Schwarcz, pela realização do projeto “Enciclopédia Negra”
  • Clóvis Carvalho e Sérgio Freitas, pelo conjunto de ações de acessibilidade das bibliotecas das Fábricas de Cultura 4.0
  • Wolf Kos, pelo conjunto de atividades do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural
  1. Museus, Equipamentos e Centros Culturais
  • José Olympio Pereira, Antônio Lessa e Jacopo Crivelli Visconti, pela realização da 34a edição da Bienal de São Paulo e sua itinerância
  • João Doria Jr., pela viabilização e apoio à realização do projeto de restauro e ampliação do Museu do Ipiranga e do Jardim Francês
  • Maria Bonomi, Helena Peres Oliveira e Jorge Damião, pela realização da obra “Réquiem para os tombados pela COVID-19 na América Latina”
  • Felipe Arruda e Sergio Daniel Simon, pela criação e funcionamento do Museu Judaico de São Paulo
  • Paula Ferreira, Ricardo Piquet, Carla Zulu, Celso Athayde e Preto Zezé, pela criação e funcionamento do Museu das Favelas de São Paulo
  1. Patrimônio Cultural Material e Imaterial
  • Anelis Assunpção, pela criação e funcionamento do Museu Itamar Assumpção
  • Andréia Vigo, pela coordenação dos programas Modernismo Hoje (Centenário dos 100 Anos da Semana de Arte Moderna de 1922) e Brasil 200 (Bicentenário da Independência do Brasil), incluindo a criação da Agenda Tarsila e da Agenda Bonifácio
  • Marika Gidali, pelos 50 anos do Ballet Stagium
  • Felipe Augusto, pela revitalização do centro histórico de São Sebastião
  • Carlos Faggin, pelo trabalho à frente do Condephaat
  1. Cultura Popular e Tradicional
  • Ana Lúcia Bilard Sicherle, pela realização do Festival de Marchinhas de São Luiz do Paraitinga
  • Vilma Eid, pelo conjunto de atividades da Galeria Estação
  • Osni Ribeiro, pelo realização do projeto SP Caipira
  • Cristine Takua, Carlos Papa, Sônia Barbosa de Souza e demais integrantes do Conselho Aty Mirim, pela criação e gestão do Museu das Culturas Indígenas de São Paulo
  • Sidnei Carriuolo, pelo conjunto de atividades da Liga das Escolas de Samba de São Paulo

9.Cultura Urbana

  • Edgar Andreatta (Degr) e Wanderson Sereni (Pecks), pelo conjunto de atividades do Coletivo ASL / Arte Sem Limite
  • Levis Novaes, pelo conjunto de atividades do Coletivo MOOC / Movimento Observador Criativo
  • Ella Vieira, pelo conjunto de atividades do Maloca Centro Cultural
  • Débora Garcia, pelo conjunto de atividades do Sarau das Pretas
  • Felipe Flip e Paulo Cruz, pela realização do podcast “Noir”
  1. Grupos, Companhias e Corpos Estáveis
  • Alberto Andreetta, pelo conjunto de atividades da Companhia Pia Fraus
  • Andrea Caruso e Cassi Abranches, pelo trabalho à frente do Balé da Cidade de São Paulo
  • Eduardo Tolentino de Araújo, pelo conjunto de atividades do Grupo TAPA
  • Inês Bogea, pelo conjunto de atividades da SP Companhia de Dança
  • Cláudio Cruz e Paulo Zuben, pelo conjunto de atividades da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

11.Empreendedorismo Cultural e Criativo

  • Ana Carolina Martins, pelo conjunto de atividades do A Visionária LAB
  • Rubens Amatto, pelo conjunto de atividades da Casa de Francisca
  • Facundo Guerra, pelo conjunto de atividades do Grupo Vegas
  • Alex Tso, pelo conjunto de atividades da Diáspora Galeria
  • Arthur e Victor Lazarte, pelo conjunto de atividades do Wildlife Studios

12.Inovação e Tecnologia em Arte e Cultura

  • Bruno Moreschi, pela pesquisa sobre inteligência artificial e história da arte (Instituto de Estudos Avançados da USP)
  • Ana Carolina Ralston, pela realização da exposição “Arte & Tecnologia” (SP Arte)
  • Marcello Dantas, pelo conjunto de atividades da Magnetoscopio
  • Maurício Brandão e demais integrantes, pelo conjunto de atividades do Coletivo Bijari
  • André, Carlos e Antônio Pitta, pelo conjunto de atividades do Diáspora.Black

13.Estudos e Pesquisas em Cultura e Economia Criativa

  • Tamara Albuquerque Bravo de Souza, pela realização do artigo “Economia criativa / Um ensaio entre o desenvolvimentismo e os impactos da pandemia”
  • Jader Rosa, pelo conjunto de estudos e pesquisas do Itaú Cultural
  • João Leiva, pelo conjunto de estudos e pesquisas da J. Leiva Cultura e Esporte
  • Juarez Xavier, pelo conjunto de atividades do NEO / Grupo de Pesquisa sobre Economia Criativa da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da UNESP (Bauru)
  • Luiz Gustavo Barbosa, pelo “Estudo de Impacto Econômico do Revelando SP” (FGV Projetos)

14.Mostras, Festivais, Mercados e Eventos Culturais

  • Zita Carvalhosa, pela realização do Festival Internacional de Curtas de São Paulo
  • Gabriel Junqueira de Andrade, pela realização do Festival Coala
  • Dulce Neves, pela realização da Feira Internacional do Livro de Ribeirão Preto
  • Fernando Cunha e Priscila Netto Foresti, pela realização do Festival de Folclore de Olímpia 
  • Edinho Araújo e Jorge Vermelho, pela realização do Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto

15.Produção Cultural Independente

  • Cláudio Fontana, Elias Andreato e Odilon Wagner, pela realização do espetáculo “A Última Sessão de Freud” (Itaú Cultural)
  • João Carlos Martins, pelos 60 anos de seu primeiro concerto no Carnegie Hall
  • Sérgio Vaz, pelo conjunto de atividades da Cooperifa
  • Aniela Jordan, Gustavo Gasparini e Rodrigo França, pela realização do espetáculo “Vozes Negras – A Força do Canto Feminino” (Teatro Sérgio Cardoso)
  • Charles Moeller, Claudio Botelho, Cláudio Cruz, Mariana Barros e Paulo Zuben, pela realização do espetáculo “West Side Story” (Theatro São Pedro)

 “Chaves: A Exposição” estreia no MIS Experience celebrando 40 anos da série no Brasil

Inédita e imersiva, mostra reúne parte do acervo original, como figurino usado pelo ator e roteiros, além dos principais cenários de Chaves e Chapolin Colorado

Em homenagem aos 40 anos de estreia, no Brasil, de um dos seriados de TV mais queridos de toda a América Latina, a capital paulista recebe, a partir de hoje (05), Chaves: A Exposição. A maior mostra sobre Chaves já realizada no mundo acontece no MIS Experience – instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo – e celebra as quatro décadas de exibição do icônico programa de TV no Brasil, com a reconstrução de mais de vinte cenários emblemáticos que fizeram parte da vida de milhões de espectadores.
Além de transportar os visitantes para dentro das séries “Chaves” e do herói “Chapolin Colorado”, a exposição – inédita no mundo – reúne um acervo exclusivo de figurinos, itens e roteiros originais trazidos do México exclusivamente para a mostra em São Paulo. A vida e obra de seu criador, o escritor Roberto Gómez Bolaños, conhecido como Chespirito, também está presente. Já os cenários foram detalhadamente recriados para oferecer uma experiência única. O público poderá “entrar em cena” na tradicional Vila do Chaves, na casa do Seu Madruga, no segundo pátio da Vila e conhecer, até mesmo, alguns locais do seriado que estavam somente no imaginário do próprio personagem, como a “Sala da Bruxa do 71”, entre outros cenários famosos da série.
Ônibus gratuitos
Boa notícia para os visitantes da exposição! Todos os dias em que a exposição estiver aberta, será disponibilizado um ônibus gratuito saindo da plataforma 5 do terminal turístico da Barra Funda a cada 1 hora — sempre meia hora antes do início de cada sessão. O ônibus também leva o público de volta para o terminal da Barra Funda. Confira, abaixo, os horários de funcionamento:

  • Saindo da Barra Funda: 09h30 às 19h30 (a cada uma hora). Sábados, domingos e feriados, também às 20h30.
  • Saindo do MIS Experience: 10h às 21h (a cada uma hora). Sábados, domingos e feriados, também às 22h.

Os ingressos para Chaves: A Exposição já estão à venda.  Às terças-feiras, a entrada é gratuita – o ingresso deve ser retirado, exclusivamente, na bilheteria física do MIS Experience, no dia da visita (sujeito à lotação).

Sobre o MIS Experience

Construído em um galpão de 2 mil metros quadrados e 10 metros de pé direito, o MIS Experience é o mais novo espaço do Museu da Imagem e do Som (MIS) – instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo – que traz para a cidade de São Paulo um novo conceito de exposições culturais. O MIS Experience foi inaugurado em 2 de novembro de 2019, com o objetivo de proporcionar a realização de exposições imersivas que se utilizem de novas tecnologias, levando o público a interagir de maneira diferente com artistas e suas obras de arte. A abertura do espaço aconteceu com a exposição Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio, experiência que possibilitou ao visitante conhecer a vida e o legado de Da Vinci. A exposição foi um sucesso de público: recebeu cerca de 500 mil visitantes, teve mais de 85 mil visitações gratuitas e, a cada 15 minutos, uma escola foi atendida pela equipe do Educativo. Nos anos seguintes, o MIS Experience recebeu as megaexposições imersivas Portinari para todos (2022) e Michelangelo: o mestre da Capela Sistina (2023).
SERVIÇO | Chaves: A Exposição
Data: a partir de 05/01/2024
Local: MIS Experience – Rua Cenno Sbrighi, 250, Água Branca – São Paulo, SP
Ingressos: gratuito às terças; quartas às sextas: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia); sábados, domingos e feriados: R$60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia). Vendas no site e na bilheteria do MIS Experience
Horários: Terças a sextas, domingos e feriados: das 10h às 20h (permanência até 21h). Sábados: das 10h às 21h (permanência até 22h)
Classificação indicativa: livre

 Mundo do Circo SP prepara programação especial e gratuita para o aniversário da cidade de São Paulo

Localizado no Parque da Juventude, o Mundo do Circo SP – iniciativa da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, com gestão da Associação Paulista Amigos da Arte – recebe uma programação especial gratuita para o aniversário da cidade de São Paulo. No dia 25 de janeiro, quinta-feira, às 17 horas, o espetáculo Quem Está Falando?, da Cia Abracadabra, apresenta ao público um show com mágica, puppets, encanto e muita diversão.
Com um espetáculo cheio de variedades circenses, a Cia. Naniko’s Circus apresenta no dia 27 de janeiro, às 17 horas, o espetáculo A Obra, que se desenrola em um canteiro de obras e utiliza objetos como carretéis, serrotes, sacos de areia e carrinhos de mão.
No dia 28 de janeiro, domingo, às 17 horas, o Circo Moscou apresenta um espetáculo com artistas nacionais e internacionais, malabaristas, trapezistas, acrobatas e bailarinas, entre outros performers.
Programação completa
Quem Está Falando?

Espetáculo que proporciona a pais e filhos uma experiência extraordinária, unindo magia, puppets e ventriloquia. Os efeitos de mágica autorais, de nível internacional, juntamente com puppets cativantes, garantem surpresas e encantamento. A interação com o público promete diversão, leveza e descontração.

Serviço: 
Quem Está Falando? | Cia Abracadabra
Data: 25 de janeiro, quinta-feira,  às 17h
Classificação etária: Livre
Entrada gratuita
Duração: 50 min
________________________________________

A Obra – Cia. Naniko’s Circus

Espetáculo de variedades circenses que se desenrola em um canteiro de obras, onde três artistas transformam situações cotidianas da construção civil em números de acrobacias de solo e aéreas, equilíbrio, mímica, música, mágica e palhaçaria. Objetos como carretéis, serrotes, sacos de areia, carrinho de mão e escada são utilizados de maneira inusitada em cenas de comédia, romance e destreza.

Elenco: Hernani Albuquerque, Luiza Bernat e Luka Ianchity /Direção: Marcelo Lujan(ARG)/ Cenografia: Hernani Albuquerque/ Figurino e adereços: Rosângela Maria/ Fotografia: André Fontes/ Sonoplastia: Cristiano Oliveira/ Produção: Felipe Junqueira

Serviço: 
A Obra – Cia. Naniko’s Circus
Data: 27 de janeiro, sábado,  às 17h
Classificação etária: Livre
Entrada gratuita
_______________________________

Circo Moscou

O Circo Moscou possui sua matriz na Rússia, sendo a maior companhia circense na Europa. A unidade sul-americana foi criada em 1870 e, desde então, viaja por todo o continente. Artistas nacionais e internacionais, malabaristas, trapezistas, acrobatas, bailarinas, palhaços e o incrível globo da morte proporcionam um espetáculo de tirar o fôlego.

Serviço: 
Circo Moscou 
Data: 28 de janeiro, domingo,  às 17h
Classificação etária: Livre
Entrada gratuita

Local: Av. Cruzeiro do Sul, 2630 – Carandiru, São Paulo
Os ingressos serão distribuídos 1 hora, antes de cada espetáculo. Cada pessoa poderá retirar no máximo 5 ingressos por espetáculo, mais informações  no site 

 Osesp retorna ao Rio De Janeiro pela primeira vez em cinco anos

Sob regência de seu Diretor Musical, Thierry Fischer, a Orquestra faz apresentação única na Grande Sala da Cidade das Artes. No programa, obras de Rachmaninov, Piazzolla e uma estreia mundial de Paulo Costa Lima

Depois de um hiato de mais de cinco anos, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp, corpo estável da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, volta a se apresentar no Rio de Janeiro, no dia 12 de dezembro, às 17h. O concerto, que terá transmissão digital pela plataforma Cultura em Casa, acontece na Grande Sala do complexo cultural Cidade das Artes, localizado na Barra da Tijuca, e contará com a presença do Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. Os ingressos para este concerto têm valor único de R$ 70,00 e podem ser adquiridos desde o dia 3 de dezembro neste link.

Sob a batuta de seu Diretor Musical e Regente Titular, Thierry Fischer, a Osesp apresenta na Cidade Maravilhosa as nostálgicas Danças Sinfônicas, do russo Sergei Rachmaninov, escritas já no fim de sua vida, quando morava nos Estados Unidos; o emocionante Milongón Festivo, de Astor Piazzolla – compositor argentino cujo centenário é celebrado em 2021 e que ao longo do ano foi homenageado pela Osesp em diversas ocasiões –; e a abertura inédita Ojí – Chegança e Ímpeto, uma encomenda da Orquestra ao compositor baiano Paulo Costa Lima que ganha sua estreia mundial no programa da semana. Ojí é inspirada na cena da tempestade da Sinfonia Pastoral de Beethoven.

Após percorrer oito cidades no interior paulista, esta será a primeira apresentação da Osesp fora do Estado de São Paulo desde que a pandemia começou, em março de 2020. “Fazer música para o público carioca é sempre uma alegria. E voltar ao Rio de Janeiro após tantos anos, especialmente, depois de uma pandemia em que foi preciso nos recolhermos, tornará este momento ainda mais especial e celebratório”, afirma Marcelo Lopes, Diretor Executivo da Fundação Osesp. O concerto marca também o encerramento das atividades da Orquestra em 2021. Para 2022, mais turnês estão previstas, inclusive duas apresentações no lendário palco do Carnegie Hall, em Nova York.

PROGRAMA

OSESP NA CIDADE DAS ARTES

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO
THIERRY FISCHER
REGENTE
Paulo Costa LIMA | Ojí – Chegança e Ímpeto [Encomenda Osesp | Estreia Mundial]
Sergei RACHMANINOV | Danças Sinfônicas, Op. 45
Astor PIAZZOLLA | Milongón Festivo


SERVIÇO

12 de dezembro, domingo, às 17h – transmissão digital no Cultura em Casa
Endereço: Cidade das Artes – Grande Sala | Av. das Américas, 5300 — Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ
Taxa de ocupação limite: 1.229 lugares
Classificação etária: livre
Ingressos: R$ 70,00
Bilheteria: neste link
(21) 3328-5300, de terça a domingo, das 13h às 19h. Em dias de espetáculo, das 13h até 30 minutos após o início do espetáculo.
Estacionamento: Gratuito

 Programação para o Dia das Crianças  

Exposição, música, teatro, circo, oficinas e contação de histórias para toda família são algumas das atividades neste mês 

 A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo apresenta uma programação diversificada para toda a família com muita diversão e aprendizado no mês das crianças. Com atividades presenciais e virtuais, as ações seguem todos os protocolos de saúde e higiene de combate à pandemia do coronavírus.  Entre as atividades estão oficinas de minibaristas, de cerâmica, intervenção circense, contação de histórias com acessibilidade em libras, entre outras.  

 Confira a programação completa: 

Museu da Imigração
No Museu da Imigração será realizado no dia 9/10, das 10h às 15h oficina de cerâmica. A proposta da oficina, que será ministrada pela ceramista Hideko Honna e por voluntários da CCBRAs, é ensinar as crianças como criar pássaros por meio da arte da cerâmica. Na atividade serão ensinadas as técnicas Ocagem e Pinch Pot.

As vagas são limitadas. Inscrição aqui:  https://bit.ly/InscricaoOficinaCeramica.  Mais informações pelo site: http://museudaimigracao.org.br/ 

 

Museu do Café
O Museu do Café, localizado em Santos, apresenta oficina de minibarista no dia 12, às 14h. A atividade, ideal para crianças de 5 a 12 anos,  permite que os pequenos possam criar desenhos decorativos conhecidos como ”latte art” com suas próprias bebidas. Já a oficina de circo,  às 15h30, também do dia 12, oferece uma experiência com as artes circenses, técnicas de acrobacia e de malabarismo. Indicado para crianças e jovens de 3 a 17 anos. 

As inscrições são limitadas e devem ser feitas pelo e-mail inscricao@museudocafe.org.br. Mais informações no site: http://www.museudocafe.org.br/  

Museu Catavento
No dia 12,  o Museu Catavento promove oficina de tintas naturais, explorando a criatividade através da extração de pigmentos, aglutinação e oxidação de tintas naturais. As oficinas acontecem às 10h, 11h, 12h, 13h, 14h e 15h. No mesmo dia, haverá oficina de bonecas abayoami e a Palhaça Olga, que fará um tour divertido pelo espaço das 10h às 16h.
Mais informações no site www.museucatavento.org.br

Museu da Casa Brasileira
A oficina “O que há dentro da casa que você gostaria de colocar do lado de fora?” acontece no dia 16, das 10h às 12h, e permite que as crianças se tornem urbanistas, planejando espaços compartilhados segundo seus desejos e perspectivas. Oficina online via ZOOM, com inscrições pelo site do MCB. 

Mais informações: https://mcb.org.br/pt/ 

 Pinacoteca de São Paulo
O Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca de São Paulo promove uma atividade online e acessível em libras no dia 10. A partir de duas obras do acervo, acontece uma contação de história e atividades brincantes.   

Mais informações: youtube/pinacotecadesãopaulo

Museu de Arte Sacra de São Paulo
Na plataforma Google Meet, da FamiliArte Caça-Formas, o MAS apresenta um tour pelo museu em busca de instrumentos musicais escondidos nas obras, nos dias 9 e 23, das 15h às 16h.  Mais informações: http://museuartesacra.org.br/ 

Biblioteca de São Paulo
A BSP apresenta a  ‘Hora do Conto’, no dia 9 das 16h às 16h45, com a história “A árvore generosa”, de Shel Silverstein, com interpretação em libras, apresentado pela  Cia. Três Lunas. No dia 10,  o espetáculo ‘Sumaúma, mãe das árvores’, de Lynne Cherr também das 16h às 16h45. A atividade “Lê no ninho”, indicada para bebês,  acontece no dia 9, às 11h, uma  homenagem ao dia das crianças.  O espaço também contará com  oficina de criação e construção de bonecos de meias, no dia 12 às 16h45 e apresentação da peça “Menino Coragem, às 16h45. A peça conta a história de um menino (Boneco Zaki) e sua irmã (Janaína), que se perdem de sua família e vivem uma aventura inusitada, com situações estranhas, perigosas e também divertidas. Confira essas e outras atividades no site: https://bsp.org.br/
 

 Biblioteca Parque Villa-Lobos
A Biblioteca Parque Villa-Lobos programou a ‘Oficina de Criação e Construção de Bonecos de Luvasno’ para o  dia 12, das 14h às 14h15. Também no dia 12, o Espetáculo ‘Chapeuzim Vermelho e o Lobo Marrom’, das 16h às 17h. O projeto ‘A Hora do Conto’, apresenta ‘Os curumins e as estrelas’, de José Arrabal, com a Cia Bisclof, no dia 9, das 16h às 16h45, e, no dia 10,  a apresentação de ‘Vasalisa, a sabida’, de Clarissa Pinkola Estés, com a Cia Hespéride. A atividade “Lê no ninho” para bebês, na qual os familiares participam juntos com o objetivo de estimular o vínculo afetivo e a leitura, acontece no dia 10, às 11h. 


Casa das Rosas
A Casa das Rosas realiza uma feira literária no dia 12, das 11h às 17h, intitulada ‘Ler também é brincar: Feira de Literatura infantil’. A ação acontece no jardim do Museu e será dedicada aos livros infantis para estimular o hábito de ler e ouvir histórias na primeira e a segunda infância. A capacidade é limitada a 15 pessoas por vez.  

O espaço também irá apresentar Dança-teatro on-line, às 15h, com a peça “Senhor Tati”, criação audiovisual da Cia. Artesãos do Corpo, inspirada no personagem do ator e cineasta francês Jacques Tati. A apresentação explora o personagem monsieur Hulot, que reflete livremente sobre as coisas simples da vida. 

Mais informações http://www.casadasrosas.org.br/agenda 

  

  Museus-Casas Literários
Os Museus-Casas Literários Casa das Rosas e  Casa Mário de Andrade promovem uma oficina presencial de criação de Abayomi, bonecas negras que representam a resistência do povo africano. A ação acontece no dia 12, às 14h, no orquidário da Casa das Rosas. As crianças devem estar acompanhadas de um responsável. Capacidade limitada de até 10 pessoas, por vez. Inscrições pelo e-mail educativo@casadasrosas.org.braté o dia do
evento.

Museu do Futebol
O Museu do Futebol programou para o dia 12, das 10h às 17h, o Panini Day, o evento acontece na Praça Charles Miler e promete aproximar colecionadores e fortalecer a comunidade. Além disso, diversas atividades como chute a gol, bate bafo, troca de figurinhas e jogo de cards, divertem quem passar pela Museu do Futebol. 
Mais informações pelo site: https://museudofutebol.org.br/?gclid=EAIaIQobChMIkrKxtfi48wIVFZezCh324AX0EAAYASAAEgKKtfD_BwE

Plataforma #CulturaEmCasa
A #CulturaEmCasa, plataforma de streaming e vídeo por demanda da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, preparou uma programação muito especial com peças da premiada ‘Artesanal Cia. de Teatro’, que apresenta histórias sobre a relação entre pais e filhos e  temas existenciais, abordando as fases da vida, da infância à velhice. De quinta a domingo, às 15h e às 19h. 
Segue em cartaz os espetáculos “Fábulas de La Fontaine”,  “Bichos do Brasil”, “Carnaval dos Bichos”, “O Menino que Virou História” e “Geração Alpha”. 
Mais informações em   https://culturaemcasa.com.br/hotpage/mes-das-criancas-2021/  

 Fábrica de Cultura Cachoeirinha 
A oficina ‘A arte de brincar com a fotografia’ mostra a importância dos registros fotográficos na infância para compartilhar com as gerações futuras no dia 9 às 17h.  No dia 12, a Fábrica apresenta o  espetáculo circense ‘As Trapalhadas de Néio e Feno’, às 17h. Pelo Facebook acontece o Caçando Versos, com a  poetisa Fabiana Alves, que traz brincadeiras, canções e muitas histórias. 

Mais informações : https://poiesis.org.br/maiscultura 

 
Fábrica de Cultura Brasilândia
A Fábrica de Cultura Brasilândia apresenta através da plataforma do Facebook o espetáculo ‘O Poderoso Chinelinho’ com Patrícia Gonçalves, no dia 13 às 16h, abordando temas como autoestima e coragem. 
Plataforma: Facebook
Mais informações : https://poiesis.org.br/maiscultura

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
A oficina ‘Arte de brincar com a fotografia’ mostra a importância dos registros fotográficos na infância. A ação acontece dia 9 às 17h.   No dia 12 às 17h, tem apresentação do  espetáculo circense ‘As Trapalhadas de Néio e Feno’. Pelo Facebook, a poetisa Fabiana Alves traz brincadeiras, canções e muitas histórias em ‘Caçando Versos’. 
Mais informações : https://poiesis.org.br/maiscultura 

  

Fábrica de Cultura Brasilândia
Pelo Facebook a Fábrica de Cultura Brasilândia apresenta o espetáculo ‘O Poderoso Chinelinho’ com Patrícia Gonçalves, no dia 13 às 16h, abordando temas como autoestima e coragem. 
Plataforma: Facebook
Mais informações : https://poiesis.org.br/maiscultura 

Fábrica de Cultura Sapopemba
A Fábrica de Sapopemba programou duas sessões de cinema para a diversão da criançada. Dia 12,  às 10h30, tem ‘Vingadores: Ultimato’ e, às 14h, fica disponível o filme: ‘Wfy Ralph Quebrando a Internet’.
Mais informações: https://www.fabricadecultura.org.br/sapopemba
 

 

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado
www.cultura.sp.gov.br
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162
(11) 98849-5303 (plantão) 

 

”VOLTO AO JARDIM” celebra arte de seis mulheres brasileiras no Museu de Arte Sacra de São Paulo

O Museu de Arte Sacra de São Paulo (MAS.SP), instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, inaugura a exposição coletiva VOLTO AO JARDIM, com trabalhos de Carla Fonseca, Julia Bac, Lidia Lisbôa, Nathalie Nery, Paula Scavazzini, Yasmin Guimarães, artistas brasileiras emergentes, que exploram a conexão com a natureza e a beleza dos jardins, proporcionando reflexões sobre tempos incertos e os encantos naturais da vida.. Sob curadoria de Simon Watson, a abertura ocorre no dia 5 de agosto – sábado, às 11hs.

A mostra, como o mesmo título da música de Cartola ‘As Rosas não Falam’, reconhecida amplamente na versão gravada por Beth Carvalho, inclui estrofe que conduz o conceito da exposição: 

Volto ao jardim, 

Com a certeza que devo chorar, 

Pois bem sei que não queres voltar, 

Para mim, 

Queixo-me às rosas, 

Que bobagem as rosas não falam, 

Simplesmente as rosas exalam…”

“As obras das artistas podem ser compreendidas como mensagens de envolvimento com o mundo natural, de belos jardins e esperança em tempos incertos. E, como na letra da música, esta é uma exibição com sensações doces e amargas. Expostas no inverno, as obras estão  diretamente ligadas aos ciclos da vida, aos encerramentos e recomeços: uma metáfora do nascimento e da renovação, bem como um gesto de abraço ao equilíbrio da natureza”, diz o curador.

A exposição ocupa dois espaços distintos nas instalações do MAS.SP: uma das salas de exposições temporárias da instituição e os jardins internos. Todos os trabalhos estão sendo criados pelas artistas on-site (no local), no MAS.SP e, desta forma, dialogam com esse exemplar do Patrimônio Histórico Brasileiro. A instituição se encontra instalada em uma área pertencente ao Mosteiro da Luz, da Ordem da Imaculada Conceição – Congregação das Irmãs Concepcionistas, circundado por jardins e um sítio conventual. Esse prédio é um exemplar raro de arquitetura histórica colonial do Brasil.

“VOLTO AO JARDIM” é uma jornada de contemplação que abraça os ciclos da vida, simbolizando o nascimento e a renovação. A exposição celebra o talento e a criatividade de seis artistas mulheres brasileiras emergentes, cujas obras revelam uma profunda conexão com a natureza e a harmonia do mundo natural.

“O Museu de Arte Sacra é constantemente reavivado por seus visitantes e por artistas contemporâneos que fazem trabalhos on-site, que dialogam com a tranquilidade do local, ao mesmo tempo em que trazem uma nova perspectiva sobre nossos tempos”. Simon Watson.

Artistas

Carla Fonseca (Viçosa, MG)

Vive e trabalha em São Paulo. Suas obras participaram de inúmeras exposições coletivas, como em Brasília, no Museu Nacional (2022), onde criou sua primeira instalação imersiva combinando mural de parede e pinturas em tela. Em julho, a artista entrou no programa de residências artísticas da Simon Watson Arts em Lisboa que, em sua conclusão, promoveu sua primeira mostra individual da artista em uma galeria comercial, Edison Gallery, no distrito de Saldanha, em Lisboa, Portugal.

Julia Bac (São Paulo, SP)

Vive e trabalha em São Paulo. Poetisa e produtora cultural, é bacharel em História (PUC/SP, 2004), em Artes Visuais (Centro Universitário Belas Artes/SP, 2009), e mestre em Arte e Patrimônio (Maastricht University, Holanda, 2011). Na área literária, se formou no núcleo de ficção do Curso de Formação de Escritores do Instituto Vera Cruz (São Paulo, 2018) e no Curso Livre de Preparação do Escritor/ Poesia da Casa das Rosas (São Paulo, 2017). Publica seus poemas em seu blog (papelpele.com) e em zines que faz de maneira independente.

Lidia Lisbôa (Guaíra, PR)

Vive e trabalha em São Paulo. Artista multidisciplinar que se destaca pelas performances e esculturas suaves. Estudou gravura em metal no Museu Lasar Segall, escultura e cerâmica contemporânea no Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE) e no Liceu de Artes e Ofícios. Em 2020, expôs no Centro Cultural São Paulo e, em 2021, na 12ª Bienal do Mercosul; participou das coletivas Enciclopédia Negra na Pinacoteca de São Paulo (SP); Carolina Maria de Jesus: um Brasil para brasileiros no Instituto Moreira Salles (SP);  A Substância da Terra: O Sertão, com curadoria de Simon Watson, no Museu Nacional da República; Galeria Central, São Paulo; e Slag Gallery, Nova York. Mais recentemente realizou exposições individuais na Galeria Millan (2022) e no SESC Pompeia (2023).

Nathalie Nery (Rio de janeiro, RJ)

Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Bacharel em Psicologia, com pós-graduação em Clínica, a artista inspira-se indiretamente na psicanálise e nas questões ligadas à linguagem vegetal em seu trabalho como artista. Usando objetos do cotidiano como metáfora, acumula-os e os serializa, gerando corpos não compactos que nos causam estranheza e familiaridade ao mesmo tempo. Suas obras, nos últimos anos, se voltaram para a observação e interferência. A artista vem desenvolvendo obras com folhas de árvores que são raras e trabalhadas esculturalmente.

Paula Scavazzini (São José dos Campos, SP)

Vive e trabalha em São Paulo. Bacharel em Artes Plásticas pela FAAP- Fundação Armando Álvares Penteado (2014). Sua pesquisa com a pintura passa por retratos, pinturas-objetos e instalações nos quais os personagens e objetos são marcados pela gestualidade e cores vibrantes; quase como uma reminiscência do início de sua formação como arquiteta. Participou de inúmeras exposições como Galeria Bergamin & Gomide, SP (2020); Museu de Arte Brasileira – MAB/FAAP, SP (2021); Instituto Artium, SP (2021); Cité internationale des Arts, Paris, França (2022); “Estranhamente Familiar” na Galeria Projeto Vênus, SP (2022); e “Dentro de ti” na Quadra Galeria, São Paulo (2022). A artista é representada pela Galeria Casa Albuquerque, Brasília.

Yasmin Guimarães (São Paulo, SP)

Vive e trabalha em São Paulo. As pinturas da artista partem da representação de paisagens, imagens e elementos do mundo, que se desmancham e se fragmentam através de diferentes suportes, em pinceladas curtas, manchas de tinta rala ou empastados de cor. Uma possível representação da ação dos ventos sobre a paisagem, ou sobre as coisas que estão no mundo. Realizou as exposições individuais, “Minutos antes de acordar” (2020), na Galeria Simões de Assis, Curitiba, PR; “Eyes e Yes” (2018) e “Reticências” (2016), na Galeria Superfície, em São Paulo, SP, além de diversas exposições coletivas.

Curadoria

Simon Watson (Canadá) – Nascido no Canadá e criado entre a Inglaterra e os Estados Unidos, Simon Watson é um curador independente e educador artístico que atualmente divide seu tempo entre Nova York e São Paulo. Atua há trinta e cinco anos na cena cultural em três continentes diferentes, concebeu e foi curador de mais de 300 exposições de arte para galerias e museus, além de atuar como consultor para colecionadores de arte, entre clientes institucionais e privados. Sua área de atuação dentro da curadoria de arte é na identificação de artistas visuais com grande potencial, muitos dos quais já são reconhecidos internacionalmente dentro da categoria blue-chip e são representados por algumas das galerias mais famosas e respeitadas do mundo. 

Projeto Luz Contemporânea

Luz Contemporânea é um programa de exposições de arte contemporânea que se desdobra em eventos e ações culturais diversas, públicas e privadas. Desenvolvido pelo curador Simon Watson, o projeto, atualmente, encontra-se baseado no Museu de Arte Sacra de São Paulo. Nesse espaço, apresenta exposições temáticas de artistas convidados, de modo a estabelecer diálogos conceituais e materiais com obras do acervo histórico da instituição. Embora fortemente focada no cenário artístico brasileiro atual, está comprometida com uma variedade de práticas, cultivando parcerias com artistas performáticos e organizações que produzem eventos de arte.

SERVIÇO

Museu de Arte Sacra
Exposição “Volto ao Jardim”
Abertura: 05 de agosto – sábado – das 11h às 14h
Artistas: Carla Fonseca, Julia Bac, Lidia Lisbôa, Nathalie Nery, Paula Scavazzini, Yasmin Guimarães
Curadoria de Simon Watson
05 de agosto a 01 de outubro de 2023
De terça-feira a domingo, das 09 às 17h (entrada permitida até às 16h30)
Grátis para crianças até 7 anos e para pessoas acima de 60 anos
Grátis aos sábados
R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia)
Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)
Mais informações 

‘Morar paulistano’ ganha mostra no Museu da Casa Brasileira

Fotógrafo

(mais…)

‘Rá-Tim-Bum, o Castelo’ fica até fevereiro no Memorial

Ingressos para a terceira temporada começam a ser vendidos na terça, dia 26/9, em www.ratimbumocastelo.com.br e na bilheteria do Memorial (mais…)

‘BENZINHO’ é o grande vencedor do 18º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Em noite de homenagem a Zezé Motta, com participação de Ney Matogrosso, o longa foi premiado em seis categorias
Karine Teles e Stepan Nercessian foram os vencedores do Troféu Grande Otelo de Melhor Atriz e Melhor Ator

(mais…)

‘Série Arte no Outono’, do Governo do Estado, continua neste sábado com show de Maria Rita, em Campos do Jordão (SP)

Com preços populares, sendo R$ 80 a inteira e R$ 40 a meia entrada, o projeto leva grandes nomes da Música Popular Brasileira ao palco do Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão (SP)  

  

Está aberta venda de ingressos para os espetáculos de maio da “Série Arte no Outono – Campos: cores e cantos”, com grandes nomes da MPB, no Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão (SP), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. Sempre aos sábados, às 19h, as próximas apresentações são de Maria Rita (30/4), Zeca Baleiro (7/5), Sandra de Sá (14/5) e Alceu Valença (21/5). Shows têm ingressos a preços populares: R$ 80 a inteira e R$ 40 a meia entrada.  

  

“A Série Arte no Outono é uma iniciativa de difusão da música brasileira de qualidade, em especial da MPB. Estamos estimulando o turismo associado à cultura, com geração de emprego e renda em Campos do Jordão e na Serra da Mantiqueira”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “Este ciclo no Outono vem para ficar, como foi o de Verão e, no segundo semestre, vamos lançar o ciclo de Primavera, com foco no teatro e na dança, para que tenhamos uma oferta cultural de qualidade e diversificada.”  

   

Localizado em um complexo de Mata Atlântica preservada, de paisagem exuberante, o Auditório Claudio Santoro é considerado um dos espaços de cultura e entretenimento mais importantes do Brasil e da América Latina. Com capacidade total de 814 lugares e 6 áreas para cadeirantes, o Auditório recebe apresentações como do tradicional “Festival de Inverno de Campos de Jordão”. No mesmo complexo, também funciona o Museu Felícia Leirner, também do Governo de São Paulo.   

   

Mais recentemente, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o “Festival de Verão de Campos do Jordão”, que teve sua primeira edição em 2022, com apresentações de música instrumental popular e clássica contemporânea, e foco na inclusão e diversidade. Seguindo esse conceito, a “Série Arte no Outono”, contempla mais uma estação do ano e, passo a passo, a programação do Auditório Claudio Santoro vai sendo ampliada com atrações e políticas culturais qualificadas e inclusivas, ao longo de todo o calendário.  

 

Programação de junho 

Além dos shows de maio, a programação da “Série Arte no Outono – Campos: cores e cantos”, ainda terá espetáculos com Zélia Duncan & Paulinho Moska (3/6), Renato Teixeira (4/6), Chico Cesar & Geraldo Azevedo (11/6), Lenine (18/6) e Gal Costa (25/6). 

  

SERVIÇO: 

“Série Arte no Outono – Campos: cores e cantos” 

Programação completa 

23/4, sábado, às 19h 

Paulinho da Viola & Família 

  

30/4 (sábado), às 19h 

Maria Rita 

  

7/5, sábado, 19h 

Zeca Baleiro 

  

14/5, sábado, às 19h 

Sandra de Sá 

  

21/5, sábado, às 19h 

Alceu Valença  

  

3/6, sexta-feira, às 19h 

Zélia Duncan & Paulinho Moska 

  

4/6, sábado, às 19h 

Renato Teixeira & Yassir Chediak 

  

11/6, sábado, às 19h 

Chico Cesar & Geraldo Azevedo 

  

18/6, sábado, às 19h 

Lenine & Bruno Giorgi 

  

25/6, sábado, às 19h 

Gal Costa 

  

Endereço: Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1880 – Alto Boa Vista, Campos do Jordão (SP) 

Vendas de ingressos: R$ 80 inteira e R$ 40 meia entrada, acessando o link https://site.bileto.sympla.com.br/artenooutono/  

Informações: (12) 3662.6000 ou pelo contato@museufelicialeirner.org.br 

Site: www.museufelicialeirner.org.br 

Redes Sociais: linklist.bio/museueauditorio  

*O Auditório Claudio Santoro segue todos os protocolos sanitários de prevenção ao Covid-19. É obrigatória a apresentação do Comprovante de Vacinação para garantir acesso aos eventos. 

 

‘Viva! Irlanda’ abre comemorações do St. Patrick’s Day em São Paulo

No dia 10 de março, evento no Museu da Imigração aproximará o público da cultura irlandesa com música, dança, gastronomia e palestras (mais…)

‘VIVA! Irlanda’ inicia as comemorações do St. Patrick’s Day em São Paulo

A festa acontece das 10h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00), e os ingressos custam R$10 e R$5 (meia-entrada) (mais…)

“Capão Palace”: teatro na Fábrica de Cultura Capão Redondo!

Peça teatral discute especulação imobiliária no Capão Redondo.

(mais…)

“Cidades Invisíveis”, de Luiz Martins, em julho no Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS-SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, inaugura no dia 7/7, na Sala MAS – Metrô Tiradentes, “Cidades Invisíveis“, do artista plástico brasileiro Luiz Martins, sob curadoria de Ian Duarte Lucas. A mostra – formada por esculturas, fotografias e vídeos – elege o tempo presente, mesmo que instantâneo, como tema, e se desenvolve a partir do livro homônimo de Ítalo Calvino. Atento à passagem do tempo, em especial acerca de como o indivíduo se relaciona com seus entornos – privado e coletivo -, nesta produção o artista busca uma poética dentro da relação homem-cidade, considerando vestígios esquecidos pelas ruas.

A cidade é cenário para importantes manifestações humanas, que se desdobram em suas entranhas. “Em constante mutação, o homem se insere neste novelo de passagem: passagem do tempo, que tudo transforma, e cria novos significados na memória de quem habita a cidade. E essa poética se manifesta pelos objetos que o homem cria e utiliza em suas mais diversas atividades”, comenta o curador. Em “Cidades Invisíveis“, Luiz Martins utiliza a linguagem tridimensional para abordar o espaço e suas novas possibilidades territoriais, restaurando e ressignificando o cotidiano pela aplicação do conceito de “semióforo” em objetos e fragmentos, os quais perdem o status de “coisa” e passam a transmitir energia e força afetiva.

Ao se deparar com a exposição “Cidades Invisíveis“, espera-se que o espectador entenda a potencialidade de cada objeto, os quais representam, em suma, os reflexos do drama interior do homem em sociedade. Espera-se que sentimentos da individualidade contemporânea se tornem visíveis através deste processo mental. Nos dizeres do curador: “O homem, enquanto um ser artista, é, antes de tudo, um ser sociável: se expressa na construção de diferentes diálogos com o seu tempo, a sociedade em que se insere e consigo mesmo. Materializar esta expressão na forma da obra de arte é a maneira mais sublime de contemplar a fugacidade destas relações. O esquecimento desfigura os vestígios que o homem produz, e cabe ao artista revelar a poética destes objetos, por meio de sua sensibilidade, ao perceber algo latente e revelador nas coisas mais simples do cotidiano, memórias de uma vida que o tempo implacavelmente apagou“.

Onde

“Experimente SP”: conheça o novo palco da Virada Cultural Paulista

Comemorando doze anos de Virada Cultural no interior paulista, a Secretaria da Cultura está inovando com um novo palco para apresentar novas experiências e novos artistas do cenário cultural paulista, o Experimente SP.

O objetivo do palco Experimente SP é difundir as artes e coletivos urbanos das mais variadas linguagens culturais, como coletivos artísticos, grupos de cultura tradicional, enfim, novas experiências culturais e sensoriais.

Muito mais do que shows, a ideia é que o público vivencie a diversidade da arte contemporânea, especialmente nas novas cidades do circuito.


Confira a programação completa do Experimente SP aqui!

“Gattaca” é o filme da edição de dezembro do #CineCiência no MIS

A edição de dezembro do #CineCiência do MIS exibe o filme Gattaca, experiência genética/Gattaca (Dir. Andrew Niccol, EUA, 1997, Ficção científica/Drama/Suspense, 106 min, 14 anos). Após a exibição, o filme será debatido pela especialista em Biologia Molecular da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Marimelia Porcionatto, com mediação do curador do projeto José Luiz Goldfarb, que discutem com o público aspectos éticos da manipulação genética. A sessão será no dia 16 de dezembro às 16h e a entrada é gratuita; para participar, basta retirar ingresso uma hora antes do início na recepção do museu.

https://www.youtube.com/watch?v=Dl0tYLbrhhs

Sinopse

Num futuro no qual os seres humanos são escolhidos geneticamente em laboratórios, as pessoas concebidas biologicamente são consideradas inválidas. Vincent Freeman (Ethan Hawke) nasceu do amor de seus pais sem preparos genéticos. Tem desde pequeno, o desejo de ser um astronauta, mas tem em seu código genético predisposições a doenças que não lhe permitem nada melhor em vida que o emprego de faxineiro. Consegue, porém, um lugar de destaque em uma corporação, escondendo sua identidade genética verdadeira. Tudo segue perfeitamente, com muito esforço, até que um assassinato em seu emprego põe sua máscara em risco, podendo expor seu passado.

Gattaca se passa num suposto tempo futuro não tão distante, mostra uma sociedade em que o Estado tem controle sobre a visão social da qualidade genética e em que tal manipulação genética criou novas espécies de castas, preconceitos e divisões sociais, aparentemente legitimadas pela ciência. Sendo a genética no filme tratada como uma ciência do poder, que entrou na sociedade como uma falsa profecia, por meio dos cientistas. Aos pais que desejam ter filhos é dada a oportunidade de escolher e manipular a interação entre seus gametas, para gerarem filhos com a combinação melhor de qualidade genética possível. Esse procedimento acaba criando uma distinção de quem está mais apto para fazer o que na sociedade e como resultado final, gera uma tarja a ser carregada pelo resto de suas vidas: Válido, no geral frutos dessa combinação genética planejada; ou Não-válido, humanos menos perfeitos, com mais propensões a doenças e deficiências, mesmo que mínimas. Aos Válidos são disponibilizados os melhores empregos e as grandes competições, enquanto para os Não-válidos é limitada a liberdade de escolha, por meios socioeconômicos, a exemplo, pelo seu currículo genético não se consegue um emprego melhor que faxineiro.

A história do filme envolve dois irmãos, “Vincent Anton” e “Anton” (Loren Dean), respectivamente concebidos de maneira natural e manipulado geneticamente. Ambos carregam o nome do pai, mas ao saber do resultado genético do primogênito, o pai inclui um primeiro nome diferente no filho não tão perfeito, resguardando seu nome para um segundo filho, supostamente o mais bem sucedido. O primeiro, Não-válido, mesmo tendo predisposição a várias doenças e uma previsão de sua morte para seus 30 anos, busca realizar seu sonho contra tudo e todos. Deseja viajar para as estrelas e com todo seu esforço e um pouco de corrupção do sistema, tenta superar os limites impostos ao seu destino, sendo obrigado a esconder de todos quem ele realmente é. Uma curiosidade pertinente é o significado do acrônimo Gattaca: trata-se da ordenação de uma série de bases nitrogenadas que compõem o DNA, no caso a Guanina Adenina Timina Timina Adenina Citosina Adenina.

onde fica?

“O Dia Seguinte” no Museu Catavento discute mudanças climáticas e a “Cidade do Futuro”

Exposição entra em cartaz no dia 14 de outubro; espaços lúdicos e sensoriais fazem parte da experiência de aprendizado na mostra, indicada para todas as idades

Começa no dia 14 de outubro a exposição gratuita “O Dia Seguinte”, que tem como foco a conscientização acerca da crise climática a partir dos centros urbanos. A mostra traz espaços lúdicos e sensoriais para o público experienciar os efeitos das mudanças climáticas e suas consequências nas cidades. Até 14 de novembro, a exposição – viabilizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura – ocupa o Museu Catavento, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do estado de São Paulo, administrada pela Catavento Cultural e Educacional.

“O Dia Seguinte” conta desde a história do aquecimento global, explicando como a Humanidade chegou até aqui, e apresenta soluções possíveis para a crise climática a partir das cidades.  Atualmente, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), os centros urbanos ocupam apenas 3% da superfície do planeta, mas consomem 70% de toda a energia gerada no mundo. “Acredito que precisamos repensar nosso estilo de vida como um todo, e o conhecimento é o primeiro passo das mudanças. Tendo informação, nós podemos escolher a cidade e o mundo que queremos viver. É esta reflexão que propomos ao longo da experiência na exposição”, afirma Felipe Lobo, diretor da produtora Na Boca Do Lobo, idealizador e realizador do evento.

Para falar da relação entre cidades e clima, O Dia Seguinte usa dois pontos de partida: a cidade do futuro que queremos e a que não queremos, e com isso mostra como os modelos de desenvolvimento urbano impactam positiva e negativamente o clima, trazendo temas como infraestrutura, paz e segurança, saúde, igualdade de gênero, justiça climática, direitos humanos, segurança alimentar e energia como fatores a se refletir.

A vivência da exposição passa por cinco módulos que unem informações em projeções, pisos de led, telas interativas, animações, jogos e experiências empíricas a fim de pensar em como as cidades impactam o clima e como elas são um elemento transformador para a construção de um mundo sustentável.

O passado do mundo é apresentado ao público na entrada da exposição, para que se entenda tanto o presente quanto potenciais futuros. Nesta etapa, um piso de LED mostra a dualidade entre os aspectos positivos e negativos das cidades, convidando os espectadores para o início da reflexão. No mesmo ambiente, também há uma grande escultura do globo terrestre feita por resíduos domésticos que chama a atenção para o impacto do consumo diário da sociedade.

Em [Des]ordem, o público é convidado a refletir como a desigualdade social nas cidades faz com que os impactos climáticos sejam sentidos em maior nível por populações economicamente vulneráveis. A ONU estima que em 2050 podemos ter 250 milhões de refugiados climáticos no mundo. Neste módulo, em uma sala escura, alvéolos de LED nas paredes e no teto projetam eventos climáticos extremos reais pelo mundo promovendo uma experiência imersiva, complementada com uma intensa experiência sensorial de chuvas, fumaças e ventos. Já em [Des]humanidades, a exposição apresenta ao público histórias reais de pessoas impactadas pelos eventos climáticos extremos, que deixam rastros de destruição por onde passam.

Com animações em 2D e 3D projetadas em paredes, no piso e em um globo terrestre, a exposição apresenta em [Trans]formação a história da Humanidade, desde a Pangeia, passando pelos dinossauros, História Antiga, até chegar na Revolução Industrial, momento em que acende o farol amarelo do planeta, com o surgimento das grandes cidades e suas tecnologias modernas.

 [R]evolução, o último módulo da exposição, traz mensagens de esperança apresentadas em torres de LED, que mostram uma cidade do futuro possível com espaços mais organizados, limpos e habitáveis, energias renováveis, transportes públicos eficientes, saneamento básico universal, alimentação saudável, microclima equilibrado e desenvolvimento tecnológicos.

Nesta etapa, “O Dia Seguinte” convida o público a mergulhar nas reflexões provocadas pelos módulos anteriores, trazendo painéis informativos com infografias interativos e jogos que falam sobre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) elencados pela ONU para que os visitantes se aprofundem mais no tema e visualizem os benefícios da adoção de modelos de desenvolvimento mais sustentáveis.

“Durante toda a exposição, nós buscamos trazer o passado, o presente e as possibilidades futuras para que o público possa refletir os caminhos que estamos tomando como sociedade”, conta Felipe Lobo. “Nós buscamos trazer também bons exemplos de cidades atuais para mostrar ao público a viabilidade de modelos sustentáveis de desenvolvimento”.

A exposição “O Dia Seguinte” segue o modelo de compensação de carbono em sua organização, tendo parceria com o Programa Amigo do Clima, reduzindo a emissão de gases do efeito estufa durante toda a Mostra. A exposição também tem seu conteúdo em audioguias e libras, gravados sequencialmente e disponibilizados em tablets.

Para mais informações, visite o site: https://www.odiaseguinteexpo.com.br/a-exposicao

 Serviço:
Exposição O Dia Seguinte
Museu Catavento
Endereço: Av. Mercúrio, s/n – Parque Dom Pedro II, São Paulo
Horário de funcionamento: De terça a domingo das 9h às 17h
Agendamento de visitas: De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h pelos telefones 11 3246 4067 /4140/ 4167.
Preço: Gratuito

Classificação indicativa: livre

 Sobre o Museu Catavento

O Museu Catavento foi inaugurado em março de 2009 e tem mais de 250 instalações divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade). Cada seção foi elaborada com uma expografia que contribui para criar atmosferas únicas e envolventes. Atrações como borboletário, sala de realidade virtual Dinos do Brasil, simuladores, aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escaladas, onde é possível ouvir relatos de personalidades da história, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo. Na área externa também é possível conferir equipamentos como a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

Informações para imprensa

Agência Lema
Leandro Matulja/ Letícia Zioni
Carolina Bressane (+55 11) 99234 4570
carolina@agencialema.com.br

Reinaldo Silva (+55 11) 99350-5881
reinaldo@agencialema.com.br

 

“O Matrimônio Secreto” estreia no Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro apresenta a primeira ópera da temporada 2018. O Matrimônio Secreto (1792), de Domenico Cimarosa (1749-1801), estreia no mês de maio.

A ópera é uma preciosidade do classicismo, e conta a história de um velho pai, já meio surdo e turrão, que recebe uma ótima notícia: um nobre deseja se casar com sua filha mais velha. Até aí tudo bem. O problema é quando o nobre homem muda de ideia e decide se casar com a mais nova, que já é secretamente casada com um empregado.

Toda essa confusão, cheia de ciúmes e reviravoltas, sobe ao palco do São Pedro nos dias 4, 6, 9, 11 e 13 de maio, com encenação de Caetano Vilela. Na direção musical e à frente da Orquestra do Theatro São Pedro estará a maestrina Valentina Peleggi. Cenografia de Duda Arruk, figurinos de Fause Haten e caracterização de Edu VonGomes.

No elenco, a soprano Caroline de Comi como Carolina, a soprano Joyce Martins como Elisetta, a mezzo Ana Lucia Benedetti como Fidalma, o tenor Jean William como Paolino, o barítono Michel de Souza como Conde Robinson e o baixo Pepes Do Valle como Geronimo.

Os ingressos custam de R$30 a R$80 e podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro ou no site da Ingresso Rápido.

"O Matrimônio Secreto" - Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
“O Matrimônio Secreto” – Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
"O Matrimônio Secreto" - Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
“O Matrimônio Secreto” – Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
"O Matrimônio Secreto" - Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
“O Matrimônio Secreto” – Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
"O Matrimônio Secreto" - Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
“O Matrimônio Secreto” – Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
"O Matrimônio Secreto" - Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
“O Matrimônio Secreto” – Fotos: Heloísa Bortz/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Temporada 2018 do Theatro São Pedro

Criada de forma colaborativa, com participação dos músicos da Orquestra do Theatro São Pedro na definição de programas e convidados, a Temporada 2018 do Theatro São Pedro tem como objetivo aproximar público e artistas, transformando o São Pedro no #NossoTheatro.

Uma das novidades é a programação de ensaios abertos, realizados sempre nas vésperas de estreias de óperas e de concertos sinfônicos, às 11h, com entrada gratuita. Confira abaixo os destaques da programação lírica e sinfônica e se programe!

Óperas

O Matrimônio Secreto, Domenico Cimarosa

Dias 4, 6, 9, 11 e 13 de maio
Valentina Peleggi, direção musical
Caetano Vilela, direção cênica
Elenco: Caroline De Comi,  Jean William, Joyce Lima, Ana Lucia Benedetti, Pepes do Valle e Michel de Souza

Alcina, Georg Friedrich Händel

Dias 22, 24, 27 e 29 de junho, e 1º de julho
Luis Otavio Santos, direção musical
William Pereira, direção cênica
Elenco: Marília Vargas, Thayana Roverso, Carolina Faria, Caio Duran, Norbert Steidl e David Feldman

Kátia Kabanová, Leos Janácek

Dias 17, 19, 22, 24 e 26 de agosto
Ira Levin, direção musical
André Heller-Lopes, direção cênica
Elenco: Gabriella Pace, Cláudia Riccitelli, Savio Sperandio, Eric Herrero, Luisa Francesconi, Giovanni Tristacci, Daniel Umbelino, Ana Maria Ribeiro, Fernanda Nagashima e Vinicius Atique

Sonho de uma Noite de Verão, Benjamin Britten

Dias 10, 12**, 14, 16 e 18 de novembro
Cláudio Cruz, direção musical
Jorge Takla, direção cênica
Elenco: a ser anunciado

Concertos Sinfônicos

No Theatro São Pedro, os concertos sinfônicos e as récitas das óperas acontecem sempre nos mesmos horários:
Domingos, às 17h; demais dias, às 20h.

** Exceto a récita do dia 12/11, que ocorrerá às 14h.

Dias 13 e 14 de julho

Orquestra do Theatro São Pedro
Ligia Amadio, regente convidada
Ana Lúcia Benedetti, mezzo-soprano
Repertório:
Abertura Coriolano, de Ludwig van Beethoven
Rückert-Lieder, de Gustav Mahler
Sinfonia nº 3, Renana, de Robert Schumann

Dias 15 e 16 de setembro

Orquestra do Theatro São Pedro
Roberto Tibiriçá, regente convidado
Eliane Coelho, soprano
Repertório:
Aberturas, árias e excertos de óperas de Giuseppe Verdi e Richard Wagner

Dias 13 e 14 de outubro

Orquestra do Theatro São Pedro
Ricardo Bologna, regente convidado
Manuela Freua, soprano
Repertório:
Tríptico da Passagem, de Silvio Ferraz
Folk Songs (versão para orquestra e voz), de Luciano Berio
A Menina que Virou Chuva, de Valéria Bonafé
Variações Concertantes, de Alberto Ginastera

Dias 15 e 16 de dezembro

Orquestra do Theatro São Pedro
Ricardo Kanji, regente convidado
Antonio Meneses, violoncelo
Repertório:
Sinfonia em Ré Menor, de Wilhelm Friedemann Bach
Concerto para Violoncelo em Lá Menor, de Carl Philipp Emanuel Bach
Concerto para Violoncelo em Si Bemol Maior, de Carl Philipp Emanuel Bach
Concerto para Violoncelo em Lá Maior, de Carl Philipp Emanuel Bach

“Pink Floyd The Wall” no Cinematographo MIS!

Fãs de rock’n’roll não podem perder a próxima edição do Cinematographo do MIS. O longa Pink Floyd The Wall, inspirado no icônico álbum The Wall, ganha trilha sonora ao vivo com a banda Pink Floyd Dream no domingo, dia 3/6, às 15h. Os ingressos, de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), podem ser adquiridos na Recepção MIS ou pelo site da Ingresso Rápido a partir do dia 25/5.

O longa foi produzido no ano de 1982 pelo diretor britânico Alan Parker, baseado no álbum The Wall, da banda Pink Floyd – o roteiro foi escrito pelo vocalista e baixista da banda, Roger Waters. O filme possui poucos diálogos, sendo mais metafórico e movido pelas músicas de fundo e sequências de animação, dirigidas pelo cartunista político Gerald Scarfe. A história gira em torno das fantasias delirantes do superstar do rock Pink, um homem que enlouquece lentamente em um quarto de hotel em Los Angeles. O filme acompanha o cantor desde sua juventude, mostrando como ele se escondeu do mundo exterior.

Sinopse

Pink é um astro do rock que consome drogas para poder entrar em órbita e, assim, construir uma parede imaginária que o separe do público. Ele recorda sua relação de dependência materna, a morte de seu pai e os castigos de seus professores.

Visite

“Plural 24h” é a nova exposição do Museu da Diversidade Sexual

O Museu da Diversidade Sexual inaugura no dia 24 de janeiro uma nova exposição. Intitulada “Plural 24h”, a mostra coletiva traz obras de 12 artistas produzidas nas técnicas fotografia e desenho, abordando situações rotineiras vividas por pessoas da comunidade LGBTI+. A entrada é gratuita.

Os trabalhos exibidos em “Plural 24h” retratam as mais diversas ações e situações presentes nesse universo: a vida de trabalho – do formal às apresentações em casas noturnas –, a construção do próprio corpo e a relação com o corpo do outro, o preconceito e a reação em forma de empoderamento, entre outros.

Rosa Luz. Mulher trans eliminada ou O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo
Ma finearts 001 001
ED ok_alexia_zuñiga_01

“A exposição faz um registro de como a população LGBTI+ vive ou sobrevive suportando o peso do preconceito ao longo do dia, que é um substantivo singular, formado pelas horas, plural, que constroem o tempo, também singular. Que o tempo consiga mudar essa lógica de exclusão e que possamos um dia respeitar as diferenças de cada um, de cada uma.”

Franco Reinaudo
Diretor do Museu da Diversidade Sexual e curador da exposição

Carolina Carettin nos mostra o ambiente de trabalho de um homem trans: uma sala de aula. Iano Coimbra, em contraste, apresenta cenas de bastidores e apresentações de performers da noite LGBTI+ de Santa Clara, no centro da ilha de Cuba.

Fe Maidel, por meio de desenhos, relata o processo cronológico de construção de seu próprio corpo, ao passo que Melina Rezende nos convida à intimidade de um quarto de motel e Barbara Cunha explora a estética do fetiche.

Rosa Luz, com fotografias em preto e branco, trata da posição de marginalidade à qual as pessoas trans ainda são tratadas em nossa sociedade, enquanto Cleiton de Paula, também com fotos em P/B, exibe registros da Revolta da Lâmpada, movimento que surge com a ideia do “fervo como protesto”, uma reação à agressão, praticada com uma lâmpada, sofrida por um jovem na Avenida Paulista em 2010.

onde fica?

“Quadrinhos” é a nova megaexposição do MIS!

Desde 14 de novembro, diversos personagens podem ser encontrados no MIS. O museu inaugurou sua nova exposição, Quadrinhos. Realizada pelo MIS, a mostra – que traz uma ampla retrospectiva da 9ª arte – conta com curadoria de Ivan Freitas da Costa (sócio-fundador da CCXP/Comic Con Experience e da Chiaroscuro Studios) e projeto expográfico da Caselúdico.

Quadrinhos apresenta uma ampla retrospectiva do universo das HQs contada através de revistas, artes originais e itens raros dos diversos gêneros das histórias em quadrinhos – super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste, erótico e muitos outros – em ambientes temáticos e imersivos que ocupam os dois andares do Museu. A exposição também apresenta a influência das HQs na cultura pop e em outras mídias como cinema e TV.

“A origem da arte sequencial remonta à primeira forma de comunicação do ser humano, que desenhava nas paredes das cavernas para registrar e ajudá-lo a entender o mundo à sua volta. Na exposição apresentamos um amplo panorama dos personagens, criadores e expressões dos quadrinhos no mundo todo de uma perspectiva brasileira, contada através de centenas de itens, a grande maioria deles jamais expostos no país.”

Ivan Freitas da Costa
Curador

"Quadrinhos" - Foto: Letícia Godoy
“Quadrinhos” – Foto: Letícia Godoy
"Quadrinhos" - Foto: Letícia Godoy
“Quadrinhos” – Foto: Letícia Godoy
"Quadrinhos" - Foto: Letícia Godoy
“Quadrinhos” – Foto: Letícia Godoy
"Quadrinhos" - Foto: Letícia Godoy
“Quadrinhos” – Foto: Letícia Godoy
"Quadrinhos" - Foto: Letícia Godoy
“Quadrinhos” – Foto: Letícia Godoy

Para chegar aos mais de 600 itens que integram a exposição, a curadoria levou 18 meses em pesquisas em diversos acervos. Além do próprio curador, cederam peças para a exposição os colecionadores Ricardo Leite, Marcio Escoteiro e Franco de Rosa, o Planeta Gibi, a família de Glauco, Francisco Ucha, Acervo Álvaro de Moya (Centro Universitário Belas Artes de São Paulo), JAL e Gualberto (HQMIX) e diversos artistas como Angeli, Laerte e Ziraldo.

Entre os itens expostos o público poderá ver de perto raridades como a revista com a primeira aparição de Luluzinha, publicada na The Saturday Evening Post em 1935; a edição número 1 de “O Pato Donald” (1950); uma ilustração original de Tintim, de As Aventuras de Tintim, uma das histórias mais conhecidas do belga Hergé; uma arte original da personagem de quadrinhos eróticos Valentina desenhada pelo seu criador, o italiano Guido Crepax; exemplar da revista Giant-Size X-Men 1 (1975) e uma ilustração original de The Spirit, que traz o personagem mais conhecido de Will Eisner. Quadrinhos também conta com um desenho do personagem Garfield feito por Jim Davis exclusivamente para a exposição e um vídeo com o criador do gato mais famoso das tirinhas fazendo o desenho.

Entre os destaques nacionais está uma edição do jornal O Mosquito (1873) com capa de Angelo Agostini, desenhista ítalo-brasileiro que teve intensa atividade em favor da abolição da escravatura no Brasil. Agostini também colaborou com As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte, considerada a primeira história em quadrinhos brasileira e uma das mais antigas do mundo.  A curadoria também teve acesso a desenhos originais de Ziraldo e Glauco. Entre os itens expostos estão um desenho feito a mão feito por Ziraldo com personagens de A Turma do Pererê e um caderno de esboços de Glauco com artes originais para a revista Geraldão, edição número 1.

Ambientes temáticos e experiência imersiva

Como em todas suas megaexposições o MIS apresenta uma expografia imersiva que tem como objetivo aproximar o público do tema abordado. Em Quadrinhos, os fãs podem mergulhar neste universo das HQs em ambientes temáticos e lúdicos ao percorrer as 16 áreas da exposição: Origens, Caricaturas e charges, Tiras, Europa, Mangá, Erótico, Mauricio de Sousa, Angelo Agostini, Ziraldo, Brasil, Brasil nas últimas décadas, América Latina, América do Norte, Disney, DC e Marvel.

O projeto expográfico é assinado pela Caselúdico, parceira do MIS em mostras anteriores como O mundo de Tim Burton (2016) e Castelo Rá-Tim-Bum – A exposição (2014). Marcelo Jackow, diretor de criação da Caselúdico e fã de HQs, conta que o projeto de Quadrinhos foi o mais desafiador dentre os elaboradosem conjunto como MIS.  Nosso desafio foi transportar um universo tão vasto e infinitamente rico, cheio da graça, de traço e de gesto para uma imersão espacial que se relacionasse com sua história  em que cada ambiente fosse intimamente ligado com seu conteúdo de forma lúdica e apaixonada”, explica.

Programação paralela

Entre novembro e março o MIS realiza uma extensa programação paralela com atividades para adultos e crianças, incluindo cursos, oficinas, exibição de filmes e bate-papo com artistas. Nos primeiros meses estão confirmados o lançamento da HQ A revolução dos bichos (21.11); a Virada Nerd (24 e 25/11) que terá 32 horas de programação voltadas para a temática geek; o Cinematographo Especial  com o filme Sin City (25.11); o lançamento do quadrinho O Judoka (29.11); uma programação especial do Garfield, de Jim Davis, que este ano completou 40 anos (01.12) e o evento Além da Telinha – Especial Superman 80 anos (15.12).

A programação paralela também prevê diversos cursos livres. Já estão abertas as inscrições para sete cursos, incluindo dois durante o período de férias: Fantasia nos quadrinhos (26 de novembro), Concepção de personagens (16 a 30 de janeiro), Folclore e identidade nos quadrinhos nacionais (21 a 30 de janeiro), História em quadrinhos: gênero e representação (4 a 27 de fevereiro); A história do Século XX pela perspectiva dos Quadrinhos (19 a 28 de fevereiro); A sua história em quadrinhos (12 a 28 de março) e A história do Jornalismo em Quadrinhos e sua prática (de 11 de março a 03 de abril). Mais informações no site do MIS.

Visitas guiadas pelo Educativo

  • Visitas espontâneas: O Educativo MIS realiza visitas espontâneas às quartas-feiras (com exceção de feriados), sempre às 15h. As visitas atendem grupos de até 20 pessoas e têm duração máxima de uma hora (tolerância de 10 minutos para o início). As visitas para Quadrinhos começam no dia 21 de novembro de 2018.
  • Visitas agendadas: Grupos escolares, universitários e instituições sociais podem agendar a visita no site do MIS. As visitas mediadas têm duração de 90 minutos e atendem diversos perfis de grupos e faixa etárias. Para agendar acesse o site do MIS.

Playlist no Spotify

Especialmente para a exposição o MIS convidou os quadrinistas Adriano Di Benedetto e RB Silva para criar umas playlist para a exposição com músicas que gostam de ouvir enquanto trabalham. Acesse o perfil do MIS e ouça. Para aproveitar ainda mais a experiência, o Spotify oferece wi-fi gratuito para os visitantes do MIS.

Onde fica?

“Respeito” é tema de peça infantil no Museu Catavento

Para marcar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, o Museu Catavento, em parceria com o Grupo de Teatro infantil CIÊNCIA DIVERTIDA, apresentará o espetáculo “Encontro de Sábios – Todos Merecem Respeito”.

A peça terá uma única apresentação, no sábado, dia 08 de dezembro, às 14h30. Toda a família poderá enxergar como é importante se colocar no lugar do outro e respeitar as diferenças e perceber que a união e o diálogo são caminhos para solução de conflitos.

“De maneira lúdica e muito divertida, temos como principal objetivo fazer nossos pequenos espectadores entenderem como o Bullying e a violência são perigosos.”

Júlio Martinez
Diretor da Ciência Divertida

No espetáculo, os protagonistas da aventura encontram um Comitê de Sábios, que analisa o que ocorre quando as crianças acreditam estarem apenas brincando, mas, na verdade, estão praticando Bullying e ferindo os sentimentos de seus amigos.

O Comitê é composto por crianças da plateia, que participam de várias atividades para desenvolverem habilidades como empatia, negociação, diálogo e respeito às diferenças. Entre as atividades lúdicas, acontece um desfile que enfatiza de forma positiva as características de cada um e uma aula de negociação que explica a importância da união e do diálogo.

onde fica?

“Sábado Resistente” terá lançamento de livro sobre movimento dos Tupamaros

No dia 23/6, o Memorial da Resistência promove mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. No evento, será realizado o lançamento brasileiro do livro “A experiência Tupamara: pensando em futuras insurgências”, do uruguaio Jorge Zabalza.

Zabalza, dirigente histórico da MLN-T (Movimento de Liberação Nacional – Tupamaros), reconstrói em seu livro sua resistência e de seus companheiros durante a ditadura militar uruguaia. Zabalza, ou “El Tambero”, enfrentou onze anos de cárcere, nos quais conviveu diariamente com a tortura e isolamento.

O livro de Jorge Zabalza faz uma análise político-histórica do Uruguai, que remonta às lutas anticoloniais e chega às lutas anti-imperialistas de nossos dias, penetrando nas entranhas da opressão e dos massacres por parte das oligarquias contra os pobres e os explorados. Detalha também a repressão política desde as suas origens e, em especial, durante a ditadura militar dos anos 1970/80.

“Este livro, apesar de analisar contingências e posições político-ideológicas a partir de experiências e modelos aplicados naqueles tempos cinzentos, volta-se para o amanhã, para as novas gerações de combatentes – para a juventude progressista da América Latina em particular”, afirma o ex-preso político Geraldo Sardinha. “É preciso estar preparado para o futuro também com as armas fornecidas pelo passado.”

Programação

O evento começa às 14h com as boas-vindas da equipe do Memorial da Resistência. A mesa redonda, prevista para acontecer às 14h20, conta com a participação de Carlos Aznares, jornalista nascido no Chile e criado na Argentina, é analista de política internacional em vários meios da imprensa e blogs. Ex-militante do movimento dos Montoneros (Argentina), é atualmente palestrante e diretor do site “Resumen Latinoamericano y del Tercer Mundo”; Anibal Varela, Secretário Geral do Sindicato do Trabalhadores Municipais de Montevideo e Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Uruguai; Jandir Santin, professor de Filosofia e Teologia na cidade de Chapecó. Assessor de vários movimentos populares na formação de lideranças; Gilmar Mauro, integrante da direção nacional do Movimento Sem Terra (MST); Geraldo Jorge Sardinha, ex-preso político, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, do Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaros – Atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos; e Paulo Gomes, advogado, ex-preso político, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN) e atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos. Finalizando a programação, um debate, previsto para às 16h10.

Onde

“Sinta-se em casa” no Museu da Imigração!

O mês de dezembro começará com exposição nova no Museu da Imigração, que inaugurará a temporária “Sinta-se em casa” no dia 1º, às 11h00, abordando as múltiplas relações entre a experiência de migrar e a casa, como lugar e conceito. A mostra ficará em cartaz até outubro de 2019.

A curadoria foi estruturada nos eixos “Acolhida”, “Habitar” e “Morada”, discutindo aspectos históricos e contemporâneos da recepção aos migrantes no Brasil e o acesso à moradia, assim como a compreensão de casa como um lugar no qual as pessoas se elaboram e reelaboram, por meio dos objetos com que a compõe, e, também, a noção de sentir-se parte de um lugar, que se dá, por vezes, pelos laços humanos construídos.

Foto: Acervo Museu da Imigração / APESP

Em “Acolhida”, o público poderá conhecer a história de casas que recebem e abrigam migrantes que chegam ao Brasil, como era feito na antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, além de compreender questões como a dificuldade de acesso à moradia, por conta das comprovações e rendas necessárias. Neste módulo, a curadoria abordará, também, como eram as construções e a manutenção das casas de colonos nas fazendas, por meio de imagens e depoimentos de migrantes que fazem parte dos arquivos de história oral da instituição.

Os visitantes encontrarão a reconstrução de uma sala em “Habitar”, que trará móveis e objetos pertencentes ao acervo da instituição. Máquina de costura, itens de decoração, telefone, rádio-vitrola e peças relacionadas a hábitos de algumas culturas serão encontrados nesse espaço, que representa a memória de migrantes e descendentes. No mesmo módulo, uma instalação com portas de armários representará o local onde se guardam as malas e bagagens, promovendo uma interatividade com o público.

Por fim, o eixo “Morada” proporcionará uma reflexão sobre como a casa acaba se tornando mais do que uma estrutura física e a relação do ser humano com os objetos. Na busca pela adaptação em uma nova realidade, existem outros pontos que podem auxiliar para que os migrantes se sintam abrigados, protegidos e seguros: pessoas, redes e espaços que os conectem. A curadoria se utilizará, nesse momento, de mural de foto, jornais antigos e novos, áudios de rádios comunitárias, imagens de manifestações coletivas, entre outros elementos, para apresentar essas conexões.

Onde fica?

“Sonho de uma noite de verão” é o filme do Jardim Paradiso de fevereiro

Para começar 2019 com o pé direito, a primeira sessão do Jardim Paradiso, realizada mensalmente na Casa das Rosas, exibirá o filme Sonho de uma noite de verão (1935). No dia 21 de fevereiro, das 19h às 21h, a comédia dirigida por William Dieterle e Max Reinhardt tomará conta do museu. A sessão é gratuita e não precisa de inscrições. Prepare a pipoca e aproveite!

via GIPHY

A adaptação da obra homônima de William Shakespeare, que é um clássico da primeira metade do século 20, traz uma paisagem preenchida por elfos e fadas para contar a história quatro amantes. Não se sabe com precisão quando a peça foi apresentada, mas a estimativa é que tenha sido entre 1594 e 1596. Com influência da mitologia greco-romana, a obra inglesa ainda é um dos marcos do teatro e da literatura mundiais.

onde fica?

“Sonho de uma Noite de Verão” estreia em novembro no Theatro São Pedro

Estreia em 10 de novembro, a quarta e última montagem da temporada lírica 2018 do Theatro São Pedro. Desta vez a obra escolhida é a contemporânea Sonho de Uma Noite de Verão, composta por Benjamin Britten, o primeiro grande compositor inglês desde Henry Purcell, do século XVII e tido como um dos precursores na produção operística de seu país. Ao todo serão cinco récitas, a ópera fica em cartaz até o dia 18 e os ingressos custam de R$ 30 a R$ 80 (inteira).

Com direção cênica de Jorge Takla, que tem assinadas diversas produções de ópera, teatro e musicais, figurinos de Fábio Namatame, iluminação de Caetano Vilela e cenografia de Nicolás Boni, a montagem tem direção musical de Cláudio Cruz, que comanda a Orquestra do Theatro São Pedro e um coro formado especialmente para a produção. Também integra o time Anselmo Zolla, que assina a coreografia.

Do elenco principal, destaque para a contralto Kismara Pessatti, uma das grandes representantes do país no cenário lírico internacional e que atualmente mora na Alemanha, aqui no papel de Oberon, o Rei das fadas e a soprano Rosana Lamosa como Tytania, a Rainha das fadas.

A mezzo Luciana Bueno (Hermia), a soprano Manuela Freua (Helena), o tenor Daniel Umbelino (Lysander) e o barítono Johnny França (Demetrius) formam o quarteto amoroso da ópera. O ator Rodrigo Lopéz interpreta o trapaceiro Puck e no papel do rústico Bottom, que se transforma em asno, o barítono Homero Velho.

A ópera em três atos é baseada na peça Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare. Com atmosfera de magia e humor, o libreto foi uma adaptação feita pelo tenor Peter Pears, amigo e parceiro de Britten em muitas de suas obras. Foi só estrear em junho de 1960, em Londres, para Sonho de Uma Noite de Verão consolidar-se no repertório operístico mundial e tornar-se uma das montagens mais interpretadas desde a segunda Guerra Mundial.

Fiel ao espírito original, a obra de Britten é considerada uma das mais bem-sucedidas adaptações operísticas de uma peça de Shakespeare. Para críticos, é possivelmente a mais sedutora e encantadora de todas as óperas de Britten.

Sonho de Uma Noite de Verão fica em cartaz de 10 a 18 de novembro e as récitas acontecem na quarta, sexta e sábado, às 20h, domingo, às 17h e segunda, em novo horário do Theatro São Pedro, excepcionalmente às 14h. Uma oportunidade de acesso a novos públicos, como estudantes da rede pública de ensino.

A HISTÓRIA

Em um bosque mágico de Atenas, no curto tempo de uma noite de verão, os limites entre sonho e realidade desaparecem. Nele, cruzam-se três mundos: o misterioso, o lírico dos amores e o “real” dos homens. O misterioso é representado pelas fadas, os reis Tytania e Oberon, e seu criado Puck. O universo lírico é retratado pelos amores contrariados de quatro jovens amantes da corte de Theseus: Lysander, Demetrius, Hermia e Helena, que fogem da cidade para o bosque. Já o mundo dos homens é constituído pelos artesãos e seu teatro amador ensaiado, onde os personagens preparam uma peça para celebrar o casamento de Theseus com Hippolyta.

Com raiva porque sua esposa, a rainha Tytania, briga pela posse de uma criança, Oberon, o rei do mundo das fadas, instrui o trapaceiro Puck a conceber um feitiço, causado por uma poção de uma erva mágica, que ao ser borrifada nas pálpebras de alguém que dorme, causa paixão doentia pela primeira criatura que vir ao acordar. Enquanto isso, no bosque mágico, um grupo de rústicos artesãos planeja montar uma peça para o casamento de Theseus.

Os enganos de Puck, personagem mitológico caracterizado por ser malicioso e travesso, provocam grande confusão entre os casais de apaixonados – Hermia e Helena, Lysander e Demetrius. Enquanto os artesãos ensaiam, Puck enfeitiça Bottom, o líder do grupo, transformando sua cabeça na de um burro. Enfeitiçada também pela mesma poção, a rainha Tytania se apaixona pelo homem da cabeça de burro, e instrui duas fieis fadas-servas a cortejá-lo.

O rei do mundo das fadas Oberon, livra Tytania do feitiço e organiza toda a confusão dos casais feita pelo Puck. Ao despertarem, comemoram o fim do feitiço e celebram seu amor. Os artesãos, que estavam no meio da confusão, apresentam sua ridícula peça cômica Píramo e Tisbe na comemoração do casamento de Theseus, governante do reino do mundo dos homens.

A MONTAGEM DO THEATRO SÃO PEDRO

Composta por elementos poéticos, a montagem tem como proposta romper a teatralidade da obra dramatúrgica de Shakespeare, escrita em meados de 1590. Trata-se de uma peça cômica, mesmo que ainda contenha a seriedade da reflexão sobre a indefinição sobre o que é fantasia e o que é realidade. O elenco é formado por 31 profissionais, entre corpo principal de solistas e coro.

A sofisticação musical da partitura de Britten terá direção do maestro Cláudio Cruz, que no ano passado esteve à frente de duas elogiadas produções do São Pedro: Don Giovanni, de Mozart e La Belle Hélène, de Jacques Offenbach. Ele estará à frente da Orquestra do Theatro São Pedro e de um coro selecionado por audição, formado por jovens de diferentes instituições que integram alguns dos melhores grupos de São Paulo.

Na criação de Nicolás Boni, uma floresta invade todos os espaços de cena e uma escadaria de um palácio que não leva a lugar algum. Sob um céu noturno, onde as nuvens remetem à ideia de sonho, a vegetação verde da floresta invade torna-se o ambiente perfeito para o habitat dos personagens místicos da montagem.

Fábio Namatame mescla a dualidade da relação entre a fantasia e a realidade. O figurinista buscou nos desenhos antigos sobre sonhos referência para as cerca de 70 peças que vestem todo o elenco. Imagens feitas por Jung e Freud, e outras do começo do século XX, antes mesmo do surgimento da psicanálise, serviram de ponto de partida.

A coreografia dirigida por Anselmo Zolla é baseada nas sensações, de como o irreal pode ser real. Vai na contramão de outras montagens, onde se busca o lúdico pelo espaço concreto da realidade. A relação de inversão que a obra propõe ao público está presente nesta produção.

Onde fica?

“SP Cultura no Metrô” leva música, dança e teatro para diversas estações

A partir do dia 28/6, o projeto SP Cultura no Metrô levará programação especial para diversas linhas do Metrô da capital paulista. Além de espetáculos de teatro, música e dança, também serão realizadas apresentações de músicos profissionais ou amadores, que poderão se inscrever através de chamamento que estará disponível em breve no site da Secretaria da Cultura do Estado.

O lançamento da iniciativa acontece no dia 28/6, às 10h, na Estação da Sé da Linha 3-Vermelha, com apresentação da Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica. Participam da abertura o secretário da Cultura do Estado Romildo Campello, o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni e o presidente do Metrô, Paulo Menezes.

As atividades vão até dezembro de 2018 e serão divididas em duas frentes:

  • Músicos de Rua – apresentações de músicos profissionais ou amadores nas estações do Metrô.
  • Arte Cultura nas Estações – apresentações de teatro, música e dança em estações do Metrô. Na primeira semana, serão realizados 13 espetáculos – confira a agenda abaixo. Até dezembro, serão realizadas 75 intervenções culturais.

PROGRAMAÇÃO – 28 e 29 de junho

28|6 – quinta
29|6 – sexta
28|6 – quinta

Linha 3 – Vermelha

Estação Sé

9h00 – Caco Mattos, “Dança Comigo” [dança]

10h00 – Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica [música]

Estação República

12h00 – Vanitta, cover da Anitta [música]

Estação Marechal Deodoro

12h00 – Quarteto de Cordas da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

12h00 – Jazz Sinfônica [música]

Estação Brás

17h00 – Nélio Henrique e Alan [sertanejo]

Linha 1 – Azul

Estação Luz

11h00 – São Paulo Companhia de Dança, “Pivô [dança]

Estação São Judas

17h00 – Trio Beijo de Moça [Forró]

Linha 2 – Verde

Estação Paraíso

15h00 – Suellen Luz, “Um Passeio Pela Música Brasileira” [pop]

Estação Ana Rosa

16h00 – Caminho Suave [reggae]

29|6 – sexta

Linha 3 – Vermelha

Estação República

12h00 – Quarteto de Metais da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

15h00 – Banda Sinfônica da Fábrica de Cultura Sapopemba [música]

Linha 1 – Azul

Estação Luz

17h00 – Power Mix Crew [dança de rua]

“A parceria permitirá o acesso de milhões de pessoas a múltiplas intervenções culturais. A produção cultural do estado multiplicada e compartilhada ao vivo e em cores. Atrações de qualidade e gratuitas para a população.”
MESSAGE-ICON
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado

“O Metrô é um sistema de transportes sempre aberto às manifestações culturais e artísticas. Já na década de 1970, obras de arte foram instaladas nas estações. Temos obras de renomados artistas, como Tomie Ohtake, Alex Flemming, Antonio Peticov, Claudio Tozzi e Francisco Brennand. Agora vamos abrir espaço para a música, dança e teatro, levando ainda mais opções para nossos usuários”, explica o secretário de Transportes Metropolitanos Clodoaldo Pelissioni.

O Metrô de São Paulo foi pioneiro em estimular os diferentes tipos de projetos na área cultural. A primeira é a escultura “Garatuja”, do artista Marcelo Nitsche, na estação Sé, desde 1978. Atualmente, o acervo do Metrô conta com 91 obras de arte dispostas em 37 estações do sistema. O programa Linha da Cultura, a partir de 1986, passou a disponibilizar gratuitamente espaços para manifestações artísticas das mais variadas formas – artes visuais, exposições fotográficas, performances, apresentações musicais e teatrais – nas estações.

O sistema metroviário paulista possui 89,7 quilômetros de extensão e 79 estações, transportando 4,5 milhões de usuários por dia. Pela quarta vez consecutiva, foi eleito como o melhor serviço de transporte da cidade de São Paulo em pesquisa realizada do Instituto Datafolha.

“Território Cultural Livre” debate negritude na SP Escola de Teatro

No dia 5/5, a partir das 10h, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco promove debates e apresentações artísticas com a participação de artistas e estudiosos negros, cujos trabalhos e militância abordam os espaços que ocupam na sociedade. Entre os convidados então a rapper Luana Hansen, o coreógrafo Ismael Ivo (diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo), a escritora Stephanie Ribeiro (colunista dos sites Blogueiras Negras e Huffpost Brasil e das revistas Capitolina e Marie Claire) e o diretor e ator Eugênio Lima, do Núcleo Bartolomeu de Depoimento.

O evento gratuito, chamado Território Cultural Livre, acontece na sede Brás da SP Escola de Teatro e é organizado pela própria escola em parceria com o Núcleo Negro, coletivo de aprendizes da Instituição. O tema desta edição está relacionado às discussões propostas em sala de aula, levantando questões sobre a negritude em diferentes esferas.

A Cia. Carne Agonizante também marca presença nesta edição do Território Cultural Livre, apresentando o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado nas obras política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado “o inimigo número um” da ditadura militar brasileira.

“Com os Territórios Culturais, a SP Escola de Teatro abre espaço para que artistas compartilhem suas reflexões e seus trabalhos com nossos estudantes e com a cidade. A ideia surge a partir do conceito de espaço solidário do geógrafo Milton Santos, que defendia que um espaço de formação só faz sentido quando se constitui como espaço solidário, de troca de conhecimentos.”
MESSAGE-ICON
Joaquim Gama
Coordenador pedagógico da SP Escola de Teatro

Para compor esta edição de Território Cultural Livre, a SP Escola de Teatro contou com a participação dos aprendizes do coletivo Núcleo Negro, que articulou a vinda dos convidados da programação. “A principal ideia foi trazer estudiosos que tenham visibilidade nas áreas em que atuam. São pessoas que conseguem desenhar, a partir da sua própria trajetória, uma outra perspectiva possível sobre o que é ser negro hoje em dia”, explica a estudante Nina Oliveira, aprendiz do curso regular de Sonoplastia e integrante do Núcleo. “Temos na programação desde colegas do teatro e da música a uma economista e uma cientista política: todos atuando em espaços que foram alcançados com seus trabalhos e militância, enfrentando questões como racismo e machismo.”

PROGRAMAÇão

O evento tem início às 10h, com uma apresentação do grupo Odara Negrada, que já esteve na Escola anteriormente. O show do coletivo traz canções afro-brasileiras em português e iorubá, executadas ao som das batidas da alfaia e do batá. Às 11h00, a Cia. Carne Agonizante apresenta o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado na obra política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado o inimigo número um da ditadura militar brasileira.

O primeiro encontro do ciclo de conversas acontece ao meio-dia, com o tema “O Povo Negro é Cultura de Resistência”. Participam do debate: a rapper Luana Hansen, a psicóloga Priscila Santos (do Núcleo Negro de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da UFABC), o ator e DJ Eugênio Lima (do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e Frene 3 de Fevereiro), o diretor e dramaturgo Zé Fernando (do grupo Teatro dos Narradores e Cia. Os Crespos) e Ismael Ivo, coreógrafo e diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo.

Em seguida, às 13h40, o performer, músico, compositor e pesquisador da cultura afro diaspórica Will Oliveira apresenta a performance “Brasil Negreiro” no pátio da SP Escola de Teatro.

A primeira sessão da mostra Perspectivas do Audiovisual Negro acontece às 14h30 e contará com a participação da atriz Shirlena Marabilis e da roteirista Pricilla Costa (curta: “A Alma do Cinema Não Tem Cor”), do cineasta Renato Cândido (curta: “Jennifer”) e do roteirista e diretor Valter Rege (curta: “Preto no Branco”). Depois do bate-papo com os convidados, os curtas serão exibidos novamente.

O segundo encontro do ciclo de conversas deste Território Cultural tem como tema “Reconstruindo o Imaginário Social da Mulher Negra” e discute a reconstrução do pensamento sobre a mulher negra, que sai de um lugar de submissão no imaginário social para ser vista em espaços de construção de saberes. Participam do debate: a escritora e ativista Stephanie Ribeiro, Juliete Vitorino (membro da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio), Alessandra Almeida (pesquisadora em políticas públicas sobre gênero, raça e classe e membro da Marcha das Mulheres Negras de SP) e Rafaela Carvalho, economista e militante do Movimento de Mulheres Olga Benário.

As atividades do dia chegam ao fim com a apresentação musical Vozes Urbanas, às 15h50, que reúne jovens artistas apresentando seu projeto autoral.

“The Square” tem exibição gratuita no MIS

Exibição é gratuita e será seguida de debate! (mais…)

“Beatles para Crianças” nas Fábricas de Cultura

Em eventos previamente agendados, com escolas e instituições das regiões, o BPC leva “o primeiro show de rock” aos palcos das Fábricas de Cultura

As Fábricas de Cultura Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém, Cidade Tiradentes e São Bernardo do Campo, instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, têm programação de maio com banda cover dos Beatles. A banda “Beatles para Crianças”, fará apresentações nas unidades do Itaim Paulista (20/05 – 10h), Vila Curuçá (20/05 – 14h) e São Bernardo do Campo (27/05 – 17h).

O espetáculo reúne os sucessos do quarteto de Liverpool, com arranjos originais, entre eles I Want To Hold Your hand, All My Loving e Yellow Submarine, mesclando histórias contadas e cantadas. Durante a apresentação, a banda também mostra para a criançada diferentes instrumentos musicais, como ukulele, washboard, keytar, kazoo e muitos outros.

Todos os shows têm público previamente agendado, formado por escolas e instituições das regiões onde estão localizadas as Fábricas de Cultura.

Sobre a banda ‘Beatles para Crianças’

A banda foi criada em 2014 pelos educadores Fabio Freire e Gabriel Manetti que, de uma maneira lúdica e muito bem pensada, têm proporcionado às famílias um momento único de diversão deixando bem claras as bases do projeto: a musicalização, a iniciação ao rock, a língua inglesa e a inquestionável referência do universo dos Beatles e suas canções. O grupo domina completamente o repertório dos Beatles e apresenta cada canção com sabor de novidade, com uma pegada atual e sem medo de incluir alguns instrumentos lúdicos e divertidos, como ukulele, bandolim, washboard, e kazoo nas apresentações. Além das apresentações pelo país, o grupo também acumula dois discos lançados: o CD, Beatles Para Crianças, de 2016; e o segundo álbum, Beatles Para Crianças 2 – A Bagunça Continua, de 2018. A banda Beatles Para Crianças é formada por Fabio Freire na guitarra e voz, Gabriel Manetti na voz, Eduardo Puperi na guitarra e teclado, Marcos Klis no contrabaixo e Humberto Zigler na bateria.

“Chaves: A Exposição” bate marca de 100 mil ingressos vendidos em janeiro e tem datas disponíveis para fevereiro

Pela primeira vez no Brasil, a mostra imersiva, em cartaz no MIS Experience, apresenta itens do acervo original e retrata cenários de Chaves e Chapolin Colorado
Lançada no dia 05 de janeiro, “Chaves: A Exposição” atingiu a marca de 100 mil ingressos vendidos apenas no primeiro mês de exibição no MIS Experience – instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo. A maior mostra sobre Chaves no mundo recebeu, em média, 4 mil pessoas por dia, e o grande sucesso acabou resultando na prorrogação da exposição até 30 de março.
Com a reconstrução de 26 cenários, que fizeram parte da vida de milhões de espectadores, a expectativa de público já era grande antes do lançamento, mas a procura do público paulista em janeiro foi tão grande que a prorrogação foi inevitável, como conta André Sturm, diretor-geral do MIS Experience. “Para nós, é motivo de muito orgulho anunciar que atingimos essa marca de vendas apenas no primeiro mês de exposição. Acredito que os números refletem, além da popularidade dessa série tão amada no Brasil, a confiança que o público tem no padrão de qualidade das nossas exposições.”
Além de transportar os visitantes para dentro das séries “Chaves” e do herói “Chapolin Colorado”, a exposição – inédita no mundo – reúne um acervo exclusivo de figurinos, itens e roteiros originais trazidos do México exclusivamente para a mostra em São Paulo. A vida e obra de seu criador, o escritor Roberto Gómez Bolaños, conhecido como Chespirito, também está presente. Já os cenários foram detalhadamente recriados para oferecer uma experiência única. O público poderá “entrar em cena” na tradicional Vila do Chaves, na casa do Seu Madruga, no segundo pátio da Vila e conhecer, até mesmo, alguns locais do seriado que estavam somente no imaginário do próprio personagem, como a “Sala da Bruxa do 71”, entre outros cenários famosos da série.
Carnaval

Para os fãs de Chaves e para quem for passar o carnaval na capital paulista, o MIS Experience estará de portas abertas nos próximos dias, inclusive na segunda-feira.   Os ingressos para o carnaval e para todo o mês de fevereiro já estão disponíveis no site e na bilheteria do MIS Experience.
Confira a programação de Carnaval

Sábado 10 de fevereiro, das 10h às 21h.

Domingo a quarta-feira 11/12/13 e 14 de fevereiro, das 10h às 20h.

Ingressos: gratuito às terças; quartas às sextas: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia); sábados, domingos e feriados: R$60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia).
Ônibus gratuitos

Boa notícia para os visitantes da exposição! Todos os dias em que a exposição estiver aberta, será disponibilizado um ônibus gratuito saindo da plataforma 5 do terminal turístico da Barra Funda a cada 1 hora — sempre meia hora antes do início de cada sessão. O ônibus também leva o público de volta para o terminal da Barra Funda. Confira, abaixo, os horários de funcionamento:

·       Saindo da Barra Funda: 09h30 às 19h30 (a cada uma hora). Sábados, domingos e feriados, também às 20h30.

·       Saindo do MIS Experience: 10h às 21h (a cada uma hora). Sábados, domingos e feriados, também às 22h.

Os ingressos para “Chaves: A Exposição” estão à venda no site www܂expochaves܂com܂br.  Às terças-feiras, a entrada é gratuita – o ingresso deve ser retirado, exclusivamente, na bilheteria física do MIS Experience, no dia da visita (sujeito à lotação).

Sobre o MIS Experience

Construído em um galpão de 2 mil metros quadrados e 10 metros de pé direito, o MIS Experience é o mais novo espaço do Museu da Imagem e do Som (MIS) – instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo – que traz para a cidade de São Paulo um novo conceito de exposições culturais. O MIS Experience foi inaugurado em 2 de novembro de 2019, com o objetivo de proporcionar a realização de exposições imersivas que se utilizem de novas tecnologias, levando o público a interagir de maneira diferente com artistas e suas obras de arte. A abertura do espaço aconteceu com a exposição Leonardo da Vinci – 500 anos de um gênio, experiência que possibilitou ao visitante conhecer a vida e o legado de Da Vinci. A exposição foi um sucesso de público: recebeu cerca de 500 mil visitantes, teve mais de 85 mil visitações gratuitas e, a cada 15 minutos, uma escola foi atendida pela equipe do Educativo. Nos anos seguintes, o MIS Experience recebeu as megaexposições imersivas Portinari para todos (2022) e Michelangelo: o mestre da Capela Sistina (2023).
SERVIÇO | Chaves: A Exposição
Data: até 30/03/2024
Local: MIS Experience – Rua Cenno Sbrighi, 250, Água Branca – São Paulo, SP
Ingressos: gratuito às terças; quartas às sextas: R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia); sábados, domingos e feriados: R$60,00 (inteira) e R$30,00 (meia). Vendas no site www܂expochaves܂com܂br e na bilheteria do MIS Experience
Horários: 
Terças a sextas, domingos e feriados: das 10h às 20h (permanência até 21h)
Sábados: das 10h às 21h (permanência até 22h)
Classificação indicativa: livre

“Chaves: A Exposição” é estendida até 30 de março no MIS Experience

Celebrando 40 anos da série no Brasil, exposição inédita e imersiva possui 26 espaços e mais de 2 mil objetos

Os fãs do Chaves podem comemorar! A Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo anuncia que a visitação na maior mostra sobre Chaves já realizada no mundo, que acontece no MIS Experience, foi prorrogada até o dia 30 de março.

A exposição conta com mais de vinte cenários emblemáticos de um dos seriados de TV mais queridos, que fez parte da vida de milhões de espectadores. É a maior mostra sobre Chaves já realizada no mundo e conta com um acervo exclusivo de figurinos, itens e roteiros originais trazidos do México exclusivamente para a mostra em São Paulo.

A visitação acontece de terças a sextas, domingos e feriados: das 10h às 20h (permanência até 21h) e aos sábados: das 10h às 21h (permanência até 22h).

Ônibus gratuito

Todos os dias em que a exposição estiver aberta, será disponibilizado um ônibus gratuito saindo da plataforma 5 do terminal turístico da Barra Funda a cada 1 hora — sempre meia hora antes do início de cada sessão. O ônibus também leva o público de volta para o terminal da Barra Funda.

Os horários de funcionamento são os seguintes:

  • Saindo da Barra Funda: 09h30 às 19h30 (a cada uma hora). Sábados, domingos e feriados, também às 20h30.
  • Saindo do MIS Experience: 10h às 21h (a cada uma hora). Sábados, domingos e feriados, também às 22h.

Serviço
Chaves: A Exposição
Data: até 30 de março de 2024
Local: MIS Experience – Rua Cenno Sbrighi, 250, Água Branca – São Paulo, SP
Ingressos: gratuito às terças; quartas às sextas: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia); sábados, domingos e feriados: R$60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia). Vendas no site www.expochaves.com.br e na bilheteria do MIS Experience
Horários: Terças a sextas, domingos e feriados: das 10h às 20h (permanência até 21h). Sábados: das 10h às 21h (permanência até 22h)
Classificação indicativa: livre

“DE ESPERANÇA EM ESPERANÇA” uma homenagem a Dom Paulo Evaristo Arns

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS / SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Basílica Menor de Sant`Ana, inaugura, no dia 25/1, na Sala MAS/Metrô Estação Tiradentes, a exposição “De ESPERANÇA em Esperança”, composta por 40 fotografias que registram a trajetória eclesiástica e pastoral de Dom Paulo Evaristo Arns, sob curadoria do Prof. Dr. Pe. José Roberto Abreu de Mattos e Prof. Dr. Pe. José Ulisses Leva.

Com imagens registradas por Luciney Martins, Douglas Mansur e dos acervos do Arquivo da Arquidiocese de São Paulo e do Banco de Imagens do Colégio Santo Américo, a exposição visa retratar momentos representativos na vida de Dom Paulo Evaristo Arns, desde sua nomeação como Bispo Auxiliar de São Paulo, em 1966 a seu período de cardinalato em São Paulo. O Cardeal dos Pobres, mas também o Cardeal da ESPERANÇA,, exerceu seu ministério episcopal com grande dedicação, deixando inúmeros ensinamentos. Nos 28 anos à frente da Arquidiocese, criou 43 paróquias, construiu 1.200 centros comunitários e incentivou e apoiou o surgimento de mais de 2.000 Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) na capital paulista, tendo sua biografia relatada em uma dezena de livros.

Nascido em Forquilhas (SC), Dom Paulo Evaristo Arns é o quinto de uma família de 13 irmãos, filho de um casal de descentes alemães, imigrantes da região do Rio Mosela. Em setembro de 1921 decidiu seguir o caminho da vida religiosa tornando-se frade franciscano. Faleceu em dezembro de 2016, aos 95 anos, reconhecido, nacional e internacionalmente, como teólogo, escritor, estudioso de patrística, defensor da pessoa humana e pastor dedicado a Igreja.

Em 1983, criou a Pastoral da Criança com a irmã Zilda Arns. Em entrevistas, costumava dizer que: “para que transformações aconteçam, é importante cada um se interessar pela política e agir, no sentido de defender os direitos daqueles que mais precisam”. Em 2012, se tornou o mais antigo de todos os membros do Colégio Cardinalício. Como cardeal eleitor, participou de dois conclaves, os de agosto e outubro de 1978, que escolheram os papas João Paulo I e João Paulo II, a quem recepcionou em São Paulo em 1980. Muito pode ser dito sobre este franciscano que amou os pobres, organizou a Igreja nas periferias paulistanas, teve zelo pela liturgia e incentivou o protagonismo do leigo. Intelectual, pessoa de fácil comunicação e promotor de pastorais e obras sociais, recebeu inúmeros prêmios e homenagens no Brasil e no exterior. Entre eles, o Prêmio Nansen do Alto Comissariado da ONU (Organização das Nações Unidas) para Refugiados (Acnur), o Prêmio Niwano da Paz (Japão) e o Prêmio Internacional Letelier-Moffitt de Direitos Humanos (EUA), além de 38 títulos de cidadania.

“A exposição, ‘De Esperança em Esperança’ – Itinerário eclesiológico no Pastoreio de Dom Paulo Evaristo Arns, desejou contemplar, através de registros fotográficos, uma história edificadora de entrega e serviço ao Reino de Deus, que completamente envolvido com o ‘Reino dos homens’, deixou sua marca na defesa e liberdade dos direitos humanos. Um homem de um carisma e humanidade admiráveis”.

Pe. José Roberto Abreu de Mattos e Pe. José Ulisses Leva.

Exposição: “De ESPERANÇA em ESPERANÇA” | Dom Paulo Evaristo Arns

Curadoria: Prof. Dr. Pe. José Roberto Abreu de Mattos e Prof. Dr. Pe. José Ulisses Leva.

Abertura: 25 de janeiro – terça-feira – das 11h às 14h

Período: de 26 de janeiro a 20 de março de 2022.

Local: Sala MAS/Metrô – Estação Tiradentes

Endereço MAS/SP: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – informações adicionais

Horários: De terça-feira a domingo, das 11 às 17h (entrada permitida até as 16h30)

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação

OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA E APRESENTAÇÃO DE COMPROVANTE DE VACINAÇÃO

INGRESSOS PODEM SER ADQUIRIDOS ATRAVÉS DO SITE DO MUSEU – link para ingressos

“É Sacro, É Moderno – Arte Sacra dos Modernistas”: a nova exposição do Museu de Arte Sacra

Museu de Arte Sacra de São PauloMAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, abre a exposição, “É Sacro, É Moderno – Arte Sacra dos Modernistas”, sob curadoria de Beatriz Cruz e Di Bonetti que, com cuidadosa seleção e pesquisa forma um conjunto de trabalhos de artistas do segmento, presentes ou não na Semana de Arte Moderna. O fio condutor do recorte apresentado é a dominância do tema ‘sacro’, ou relativo ao ‘sagrado’, presente em todos os trabalhos.

Aldo Bonadei, Alfredo Ceschiatti, Alfredo Volpi, Anita Malfatti, Antônio Gomide, Cândido Portinari, Clóvis Graciano, Di Cavalvanti, Djanira, George Przyrembel, Heitor Villa Lobos, Gino Bruno, Mario de Andrade, Paulo Rossi Osir, Samsom Flexor, Sylvio Alves, Thomaz Ianelli, Victor Brecheret, possuem obras em “É Sacro, É Moderno – Arte Sacra dos Modernistas”. Embora nem todos tenham participado da “Semana de 22”, conviveram entre si, foram amigos, trocaram experiências e influenciaram uns aos outros. Anita Malfatti, “Mãe do Modernismo Brasileiro”, foi a precursora. Foi o gatilho que impulsionou a renovação estética, após angariar base de conhecimentos através de estudos na Europa e Estados Unidos. Uma das primeiras pintoras que arriscou pintar a seu modo, com ousadia para brincar com as cores e formas. É justo afirmar que a grande maioria dos artistas e intelectuais de São Paulo na década de 20, se conheciam e se frequentavam. Anita Malfatti esteve bem perto de Tarsila do Amaral, pois as famílias eram amigas. Em Paris, Anita tinha seu ateliê próximo ao de Brecheret e tiveram convívio durante os 5 anos que lá residiu. Anita foi, também, grande incentivadora de Di Cavalcanti, chegou a dar-lhe aulas, quando ele veio do Rio de Janeiro para morar em São Paulo. Volpi, Bonadei, Gomide, Portinari, Gino Bruno e Sylvio Alves, de uma forma e de outra, se conheciam, conviviam ou tinham amizade.

Na exposição, tem-se a oportunidade, talvez primeira, de um contato dirigido a um conjunto de obras da produção modernista de Arte Sacra, seja na pintura, escultura, música ou literatura. A arquitetura também foi incluída pois, após 100 anos, tem-se acesso às plantas e esboços da “Taperinha”, concebida em estilo neocolonial e apresentada por Przyrembel na Semana de 22. Ao seu lado os esboços do projeto de uma de suas obras mais conhecidas em São Paulo, a Basílica Nossa Senhora do Carmo. ‘Enraizadas consciente ou inconscientemente, as temáticas sacras seguiram abordadas pelos artistas modernistas, que a partir de uma nova estética produzida, muitas vezes vista como profana, trouxeram novos olhares para o sagrado”, enfatiza a curadoria.

“O propósito em reunir obras destes artistas modernos, de cunho sacro, certifica de maneira palpável, a religiosidade impregnada em cada um deles através da influência familiar, e, dos grandes mestres”, explica Beatriz Cruz.

“ESTE É O ESTILO QUE DE NÓS ESPERAM OS PASSADISTAS, PARA ENFORCAR-NOS, UM A UM, NOS FINOS BARAÇOS DOS ASSOBIOS DE SUAS VAIAS. PARA ELES NÓS SOMOS UM BANCO DE BOLCHEVISTAS DA ESTÉTICA, CORRENDO A 80 H.P. RUMO DA PARANÓIA.SOMOS O ESCÂNDALO COM DUAS PERNAS, O CABOTISMO ORGANIZADO EM ESCOLA.JULGAM-NOS UNS CANGACEIROS DA PROSA, DO VERSO, DA ESCULTURA, DA PINTURA, DA COREOGRAFIA, DA MÚSICA, AMOTINADOS NA JAGUNÇADA DO CANUDOS LITERÁRIO DA PAULICÉIA DESVAIRADA.”

Menotti Del Picchia, 17 de fevereiro de 1922

Exposição: “Modernismo: Arte Sacra e Religiosidade

Artista: Aldo Bonadei, Alfredo Ceschiatti, Alfredo Volpi, Anita Malfatti, Antônio Gomide, Cândido Portinari, Clóvis Graciano, Di Cavalvanti, Djanira, George Przyrembel, Heitor Villa Lobos, Gino Bruno, Mario de Andrade, Paulo Rossi Osir, Samsom Flexor, Sylvio Alves, Thomaz Ianelli, Victor Brecheret.

Curadoria: Beatriz Cruz e Di Bonetti

Abertura: 09 de abril – sábado – das 11h às 14h

Período: de 09 de abril a 10 de junho de 2022

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo || MAS/SP

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Estacionamento gratuito/alternativa de acesso: Rua Jorge Miranda, 43 (sujeito à lotação)

Tel.: 11 3326-5393 – informações adicionais

Horários: De terça-feira a domingo, das 09 às 17h (entrada permitida até as 16h30)

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação

OBRIGATÓRIO USO DE MÁSCARA E APRESENTAÇÃO DE COMPROVANTE DE VACINAÇÃO

INGRESSOS PODEM SER ADQUIRIDOS ATRAVÉS DO SITE DO MUSEU – link para ingressos

Número de obras: aproximadamente 40

Técnicas: pinturas, desenhos, esculturas, fotografias

Dimensões: variadas

“Esse Extraordinário Mário de Andrade” a nova exposição do Museu Afro

Com entrada gratuita de 25 a 27/2, mostra aborda período em que Mário de Andrade esteve à frente do Departamento de Cultura de SP

O Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, inaugura no dia 25 de fevereiro a exposição “Esse Extraordinário Mário de Andrade”, uma homenagem ao aniversário de morte do artista e em comemoração ao centenário da Semana de Arte Moderna.

A mostra, que tem entrada gratuita de 25 a 27 de fevereiro, conta com curadoria do diretor-geral, Emanoel Araujo, e equipe do Museu, e traz diferentes aspectos da atuação de Mário de Andrade, poeta, cronista, romancista e pesquisador, além de crítico de arte e de literatura, musicólogo e fotógrafo. Um dos destaques da exposição é a Missão de Pesquisas Folclóricas idealizada  pelo modernista e suas diversas viagens para investigar as manifestações culturais presentes em diferentes regiões do Brasil.

“A exposição é uma imersão na visão mais profunda de Mário sobre a arte brasileira, apresentando as composições musicais do poeta, sua produção literária, a Missão Folclórica, suas pesquisas sobre a escultura brasileira, sobre Aleijadinho e Padre Jesuíno de Monte Carmelo”, diz Emanoel Araújo. “Traz ainda obras dos artistas Brecheret, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, as aquarelas de Cícero Dias, as ilustrações de Carybé para Macunaíma e os paineis sobre o mesmo tema da azulejaria Osirate, com execução de Mario Zanini”.

Na mesma data, o museu abre mais três exposições, “Os Artistas da Academia”, “Os Artistas Modernistas” e “A Volta do Baile da SPAM de Lasar Segall”. A primeira destaca um grupo de artistas acadêmicos brasileiros,  chamados de “passadistas” pelos artistas modernistas. Já a A segunda mostra faz a conexão entre a trajetória de Mário de Andrade e os artistas modernistas brasileiros, integrando a programação comemorativa do Centenário da Semana de 1922.  “A Volta do Baile da SPAM de Lasar Segall” propõe um revival, no qual serão apresentadas obras de autoria de Segall em uma cenografia que remete à produzida pelo artista para os bailes da Sociedade Pró-Arte Moderna, no início da década de 1930. A exposição terá contribuições de dois artistas contemporâneos da arte de rua, com a criação de totens de 4 metros cada um, numa proposta de revisita à obra de Segall, além de uma projeção de grandes dimensões no espaço.

O público que comparecer ao Museu Afro Brasil de 25 a 27 de fevereiro também poderá conferir, gratuitamente, a exposição temporária “Arqueologia Amorosa de São Paulo”, inaugurada no aniversário de São Paulo. A mostra retrata os muitos aspectos artísticos, sociais, culturais e perspectivas diversas dessa grande metrópole por meio de fotos, manuscritos, objetos, fotografias e design de renomados artistas, como Lina Bo Bardi, Paulo Mendes da Rocha, Flávio de Carvalho, Geraldo de Barros, Zanini Caldas, dentre outros. Também  está em cartaz a exposição “Padre Jesuíno do Monte Carmelo aos Olhos de Mário de Andrade”, que traz ao Museu Afro Brasil grandes pinturas provenientes das igrejas das cidades de Itu e São Paulo, onde o padre artista exerceu seus ofícios de pintor, músico e compositor. Esta é a maior retrospectiva feita sobre as obras do padre Jesuíno do Monte Carmelo e conta com 27 obras de grandes dimensões de Jesuíno, muitas delas mostradas pela primeira vez.

Serviço:

“Esse Extraordinário Mário de Andrade”, “Os Artistas da Academia”, “Os Artistas Modernistas” e “A Volta do Baile da SPAM”

Abertura: 25 de fevereiro, às 12h

Visitação: de 25/2 a 30/6 de 2022

Entrada gratuita de 25 a 27/2

Horário: das 10h às 17h (permanência até as 18h)

Local: Museu Afro Brasil

Endereço: Parque Ibirapuera, Portão 10 (Estacionamento pelo Portão 3)

Ingressos: R$ 15 (meia-entrada R$ 7,50) / Entrada gratuita às quartas-feiras

“Hilma af Klint: Mundos Possíveis” na Pinacoteca

Foto: Hilma Klint

Com patrocínio de Banco Bradesco e Ultra, chega pela primeira vez na América Latina uma mostra individual da pintora sueca Hilma af Klint (1862-1944), cujo trabalho vem sendo reconhecido como pioneiro no campo da arte abstrata e que passou despercebido durante grande parte do século XX.

Hilma af Klint frequentou a Real Academia de Belas Artes, principal centro de educação artística da capital sueca, mas logo se distanciou do seu treino acadêmico para pintar mundos invisíveis, influenciada por movimentos espirituais como o Rosa-cruz, a Teosofia e, mais tarde, a Antroposofia. Ela integrou o As cinco”, grupo artístico composto por artistas mulheres que acreditavam ser conduzidas por espíritos elevados que desejavam se comunicar por meio de imagens e já experimentavam desde o final do século 19 a escrita e o desenho automático, antecipando as estratégias surrealistas em mais de 30 anos.

A exposição inclui 130 obras. Destaque para a série intitulada “As dez maiores”, realizada em 1907 e considerada hoje uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental, já que antecede as composições não figurativas de artistas contemporâneos a af Klint como Kandinsky, Mondrian e Malevich. Além deste conjunto, a exposição em São Paulo contará com algumas séries de obras que nunca foram apresentadas ao público.

A mostra da Pina tem curadoria de Jochen Volz, diretor geral da instituição, em colaboração com Daniel Birnbaum, diretor do Moderna Museet e da Hilma af Klint Foundation. “O trabalho de Hilma af Klint dialoga de certa forma com o sincretismo e a pluralidade de cosmovisões tão presente na cultura do Brasil. A serialidade encontrada em sua obra também aparece na arte brasileira, em especial no concretismo e neoconcretismo”, explica Volz.

O trabalho de af Klint foi exposto pela primeira vez em 1986 na mostra “The Spiritual in Art: Abstract Paintings 1890–1985”, realizada no Los Angeles County Museum of Art, mas apenas a grande retrospectiva organizada pelo Moderna Museet de Estocolmo em 2013 e, consequentemente, a sua itinerância pela Alemanha, Espanha, Dinamarca, Noruega e Estônia permitiu que o trabalho de af Klint fosse reconhecido internacionalmente. Há 10 anos suas obras participam de exposições realizadas na Europa e Estados Unidos.

Hilma af Klint: Mundos Possíveis” permanece em cartaz até 16 de julho de 2018, no primeiro andar da Pina Luz – Praça da Luz, 02. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00 – os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Crianças com menos de 10 anos e adultos com mais de 60 não pagam. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos os visitantes. A Pina Luz fica próxima à estação Luz da CPTM.

“Isso É Coisa de Preto” – nova exposição no Museu Afro Brasil

Nos 130 anos da abolição da escravidão (1888), o Museu Afro Brasil ressalta a competência, o talento e a resistência negra nos campos da arquitetura, artes plásticas, escultura, ourivesaria, literatura, música, dança, teatro, idioma e costumes, através da nova exposição, “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão”, com curadoria de Emanoel Araujo. A mostra destaca a produção dos séculos XIX e XX, por meio de pinturas, fotografias, litografias, esculturas e desenhos que evidenciam e valorizam a fundamental contribuição africana e afro-brasileira na construção do país.

“’Isso é Coisa de Preto’ é um jargão, um termo preconceituoso e racista nacional, muito usado para descriminar a condição de ser afro-brasileiro. Ressignificar tal terminologia, com o objetivo de ressaltar que ‘coisa de preto’ é ter excelência nas artes, ciências, esportes, medicina e em outros campos relevantes da sociedade, é um dos objetivos da exposição.”
MESSAGE-ICON
Emanoel Araujo

Mulheres e homens negros que marcaram época na recente história brasileira em suas respectivas áreas, tais como o médico Juliano Moreira, o poeta Luiz Gama, o escritor Manuel Querino, a cantora Elza Soares, o editor Francisco Paula Brito, os músicos Dorival Caymmi, João do Vale, Cartola, Milton Nascimento, Luiz Melodia, Jamelão, Pixinguinha, Paulinho da Viola e Itamar Assumpção, a bailarina Mercedes Baptista, o abolicionista José do Patrocínio, a atriz Ruth de Souza, o jogador Pelé, Madame Satã, entre outros, estão entre as personalidades negras representadas na mostra.

Nomes como o dos irmãos Arthur Timótheo e João Timótheo, Heitor dos Prazeres, Solano Trindade, Yedamaria, Mestre Valentim, Nelson Sargento, Eustáquio Neves, Walter Firmo, Rubem Valentim, Estevão Silva, José Teóphilo de Jesus, Benedito José Tobias, Mureen Basiliat, Rafael Pinto Bandeira, Washington Silveira, Otávio Araujo, Waldomiro de Deus, Antonio Firmino Monteiro, Pierre Verger, Carybé, João Alves, Maria Lídia Magliani, Caetano Dias, Belmiro de Almeida, Mestre Benon e João da Baiana são alguns dos artistas com trabalhos na expostos na mostra.

“Se por um lado a data marca os 130 anos da extinção do trabalho escravo no Brasil, por outro ainda somamos 400 anos de preconceitos, racismo e indiferença das elites oligárquicas desse país com relação aos negros e negras. São 400 anos de ausência de políticas públicas capazes, ao menos, de sanar esses absurdos que não só envolvem a questão de cor e de raça, mas também a pobreza que atinge as comunidades onde a maioria negra é constantemente objeto do maltrato, do isolamento e da violência noticiada todos os dias pela imprensa, como se normal fosse o mal que atinge em pleno século XXI essa camada da população excluída da educação, da saúde, da moradia e dos direitos e privilégios das outras classes sociais”, afirma o curador sobre os 130 anos da abolição da escravatura no Brasil.

O grupo Os Escolhidos, criado em 2014, no Brasil, e formado por imigrantes e refugiados da República Democrática do Congo, se apresentará durante abertura da exposição “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão”, que acontece no sábado, dia 12/5, às 11h. Na ocasião, o grupo entoará diferentes gêneros musicais como rumba congolesa, acapela, zouk, world music, além de estilos próprios da região do Congo cantados em diferentes idiomas como lingala, kikongo e swahili.

“Kaunas 1919-1939: Capital Inspirada pelo Movimento Moderno” é a nova mostra da BVL

A arquitetura de Kaunas, segunda maior cidade da Lituânia, no início do século XX é tema da nova exposição em cartaz na Biblioteca Parque Villa-Lobos, “Kaunas 1919-1939: Capital Inspirada pelo Movimento Moderno”, com curadoria de Gintaras Balčytis, arquiteto e diretor do Festival de Arquitetura de Kaunas. Em cartaz a partir do dia 8 de dezembro, às 11h, a mostra é uma parceria entre a Secretaria da Cultura do Estado, a Secretaria do Meio Ambiente e o Consulado Geral da Lituânia em São Paulo.

Nos meandros da história do início do século XX, Kaunas inesperadamente ocupou um lugar importante no mapa da Europa e aproveitou a oportunidade para tornar-se um centro europeu e uma cidade de arquitetura modernista do período entre guerras. Sua arquitetura lhe deu um novo rosto, que faz com que o lugar, até hoje, conserve uma aura inextinguível que não se deixou vencer nem pelo modo de vida unificado do sistema soviético, nem pela sua arquitetura sem rosto. De uma cidade isolada de província, transformou-se no centro do país.

Provavelmente o melhor que poderia ter acontecido a Kaunas no que se refere à arquitetura aconteceu no início do século XX. Nessa época surgiram personagens que serviram de exemplo a toda uma geração de arquitetos lituanos, e a atual escola de arquitetura lituana formou-se baseada nessa arquitetura. O estilo de vida da sociedade se reflete na arquitetura, e a arquitetura também afeta o pensamento das pessoas.

Foto: Gintaras Česonis

Kaunas conseguiu acumular um tesouro arquitetônico moderno num território compacto, que pode competir com a arquitetura moderna do século XX da Cidade Branca de Tel Aviv, de Budapeste, de Weimar ou de outras grandes cidades europeias. Fotografias que expõem essa riqueza arquitetônica estarão expostas na Biblioteca Parque Villa-Lobos até 20 de janeiro de 2019, com entrada gratuita.

onde fica?

“Na Cultura, nenhum corte será feito”

Governo assegura manutenção de programas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

(mais…)

“Oscar do Circo” tem apoio da #CulturaSP!

Em maio, o Brasil recebe duas produções inéditas importantes para o mundo circense: o “1st Cirque International Festival of Brazil Contest”, considerado o “Oscar do Circo” e que já acontece em diversas cidades cosmopolitas de países como França, Ucrânia, Itália, China, e o espetáculo “Reverie”, com uma série de apresentações circenses. As atrações acontecerão no Anhembi, na capital paulista, e contam com organização da La Force Productions e da Spacial Cultural Entretenimento. Os eventos tem o apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

O “1st Cirque International Festival of Brazil Contest”, que será realizado de 2 a 6 de maio, é uma importante oportunidade para que talentos nacionais participem pela primeira vez de uma das competições mais importantes no segmento e tenham a chance interagir e trocar experiências com artistas de diversos lugares do mundo, além de especialistas circenses.

Serão 70 artistas de países como China, Ucrânia, Rússia, Argentina, Suécia, Canadá, USA, Etiópia, Moldova, entre outros, e de diversos estados brasileiros. O júri também terá participação de referências no mundo circense, como Eugene Chaplin,  filho de Charlie Chaplin, atual presidente do Festival Internacional de Cinema de Comédia de Vevey e diretor do documentário “Charlie Chaplin: A Family Tribute”, entre outros espetáculos.

O festival foi criado em 1974 pelo Príncipe Rainier III com o nome de Monte-Carlo International Circus Festival, e tornou-se o maior e mais importante do segmento no mundo. Em 2006, a Princesa Stéphanie de Mônaco assumiu a presidência do Festival e proporcionou ainda maior projeção. O “1st Cirque International Festival of Brazil Contest” seguirá os moldes da produção de Monte-Carlo, com o apoio da organização internacional do festival.

“Reverie”, que em português significa “Devaneio”, estreia no dia 11 de maio e seguirá com apresentações até 12 de agosto, com dezenas de atrações exclusivas que prometem levar o público a uma viagem em um universo utópico cheio de emoções surpreendentes. Nele, um simples homem, através de um sonho, passa a viver em um turbulento mundo governado por um estranho feiticeiro, enfrentando obstáculos e dificuldades para provar seu amor a uma bela princesa. Para que esse sonho se torne realidade, precisará acreditar nesse novo mundo, readquirindo sua verdadeira identidade de força e poder, libertando todos os seres dominados pelo “Reverie”, trazendo liberdade e esperança para conquistar o seu grande amor.

A produção artística de ambos os eventos estará a cargo de Mathieu Laplante, canadense fundador da Showtime Solution, que treinou e competiu como ginasta nacionalmente e internacionalmente. Na direção técnica estará Vincent Schonbrodt, que atuou no início da sua carreira como artista no show “O” do Cirque du Soleil, em Las Vegas. No Brasil, criou sua própria empresa de montagem técnica no Rio de Janeiro, e destacou-se pela elaboração artística da Olímpiada Rio 2016.

Mais detalhes dos eventos estão disponíveis nos sites www.cirquefestivalcontest.com.br e www.showreverie.com.

“Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol”: esporte e diversão para toda a família

Dezembro começa com um evento de esporte, cultura e entretenimento para toda a família, na área externa do Museu do Futebol. É o “Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol: esporte e diversão para toda a família”.

De 6 a 9/12, de quinta a domingo, das 10h às 17h (exceto dia 8/12 que será das 9h às 15h), uma programação esportiva/recreativa irá estimular a prática da atividades físicas e a descoberta de novas modalidades, ressaltando a arte do convívio proporcionado pelo esporte.

Divididas em quatro circuitos (Recreativo; Poliesportivo; Bem-estar e Ptinação/Skate), as atividades incluem aulas de futebol e rugby, aulas de Yoga, alongamento, além de atividades para as crianças, de equilíbrio, subir cordas e ‘teia de aranha’. Completa o dia de muita diversão a visita ao Museu do Futebol (ingressos: R$ 12 inteira I R$ 6 meia-entrada).

programação

“A ludicidade, o brincar junto, a convivência intergeracional e a atividade em equipe proporcionam – além do estímulo à prática esportiva e à vida saudável – o desenvolvimento da cidadania, do respeito e da integração. A parceria com a empresa Decathlon proporciona quatro dias de atividades abertas, gratuitas, para toda a família.”

Eric Klug
Diretor executivo do Museu do Futebol

CIRCUITO RECREATIVO

Pular corda
Pular muro por cima
Pular muro pelo meio
Passar pelo muro por baixo
Teia de aranha (trama de corda fixa c/ grama sintética) para as crianças atravessarem o obstáculo
Gangorra de madeira

CIRCUITO POLIESPORTIVO

Futebol
Aulas de falta
Aulas de pênalti
Aulas de dribles

Rugby
Aulas de defesa
Aulas de Ataque
Aulas de Arremesso

CIRCUITO BEM-ESTAR

Aulas Yoga
Aulas de Alongamento
Aulas de Dança

CIRCUITO PATINAÇÃO/SKATE

Pista com mini cones no vão central

onde fica?

“Série Arte no Outono”, do Governo do Estado, tem Maria Rita no Auditório Claudio Santoro, neste sábado (30)

Depois da estreia com show de Paulinho da Viola & Família é a vez da cantora Maria Rita subir ao palco; Ao todo, são dez espetáculos com artistas consagrados da Música Popular Brasileira no Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão (SP) 

 

A “Série Arte no Outono – Campos: cores e cantos”, com grandes nomes da Música Popular Brasileira, no Auditório Claudio Santoro, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, em Campos do Jordão (SP) segue com a cantora Maria Rita, neste sábado (30), às 19h. Ao todo serão dez espetáculos com ingressos a preços populares (R$ 80 inteira e R$ 40 meia).

 

A Série Arte no Outono é um festival com grandes artistas representativos e icônicos da MPB, que tem como objetivo valorizar e reconhecer as suas obras e as suas trajetórias, bem como as suas contribuições para a música brasileira. Também está previsto para 2022 o lançamento da série Arte na Primavera, que acolherá espetáculos teatrais e de dança, já presentes no circuito cultural, com espetáculos que demonstrem a potência desses segmentos artísticos em nosso país. Ganha o público e ganham os artistas e profissionais do setor cultural. 

 

“A Série Arte no Outono é uma iniciativa de difusão da música brasileira de qualidade, em especial da MPB. Estamos estimulando o turismo associado à cultura, com geração de emprego e renda em Campos do Jordão e na Serra da Mantiqueira”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “Este ciclo no Outono vem para ficar, como foi o de Verão e, no segundo semestre, vamos lançar o ciclo de Primavera, com foco no teatro e na dança, para que tenhamos uma oferta cultural de qualidade e diversificada.” 

 

Localizado em um complexo de Mata Atlântica preservada, de paisagem exuberante, o Auditório Claudio Santoro é considerado um dos espaços de cultura e entretenimento mais importantes do Brasil e da América Latina. Com capacidade total de 814 lugares e 6 áreas para cadeirantes, o Auditório recebe apresentações como do tradicional “Festival de Inverno de Campos de Jordão”. No mesmo complexo, também funciona o Museu Felícia Leirner, também do Governo de São Paulo.  

 

Mais recentemente, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa criou o “Festival de Verão de Campos do Jordão”, que teve sua primeira edição em 2022, com apresentações de música instrumental popular e clássica contemporânea, e foco na inclusão e diversidade. Seguindo esse conceito, a “Série Arte no Outono”, contempla mais uma estação do ano e, passo a passo, a programação do Auditório Claudio Santoro vai sendo ampliada com atrações e políticas culturais qualificadas e inclusivas, ao longo de todo o calendário. 

 

Mestre do samba 

O primeiro espetáculo da Série, com Paulinho da Viola & Família, terá um formato inédito. Pela primeira vez o mestre do samba estará ao lado dos filhos, João e Beatriz Rabello, para cantar grandes sucessos como “Dança da solidão”, “Coração leviano”, “Pecado capital” e “Foi um rio que passou em minha vida”, além de composições mais atuais como “Sempre se pode sonhar”, título do álbum mais recente do artista que venceu Grammy Latino de 2021.  

 

Programação completa 

    

30/4 (sábado), às 19h 

Maria Rita 

  

7/5, sábado, 19h 

Zeca Baleiro 

  

14/5, sábado, às 19h 

Sandra de Sá 

  

21/5, sábado, às 19h 

Alceu Valença 

  

3/6, sexta-feira, às 19h 

Zélia Duncan & Paulinho Moska 

  

4/6, sábado, às 19h 

Renato Teixeira & Yassir Chediak 

  

11/6, sábado, às 19h 

Chico Cesar & Geraldo Azevedo 

  

18/6, sábado, às 19h 

Lenine & Bruno Giorgi 

  

25/6, sábado, às 19h 

Gal Costa 

 

Endereço: Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1880 – Alto Boa Vista, Campos do Jordão (SP) 

Vendas de ingressos: R$ 80 inteira e R$ 40 meia entrada, acessando o link https://site.bileto.sympla.com.br/artenooutono/  

Informações: (12) 3662.6000 ou pelo contato@museufelicialeirner.org.br 

Site: www.museufelicialeirner.org.br 

Redes Sociais: linklist.bio/museueauditorio 

*O Auditório Claudio Santoro segue todos os protocolos sanitários de prevenção ao Covid-19. É obrigatória a apresentação do Comprovante de Vacinação para garantir acesso aos eventos. 

“Só Samba” é o novo concerto da Jazz Sinfônica no Memorial

O Memorial da América Latina será novamente palco para duas inéditas apresentações da Orquestra Jazz Sinfônica Brasil. Os concertos serão apresentados nos dias 23 e 24/3 no Auditório Simón Bolívar. Os ingressos tem preço promocional único de R$ 20 e podem ser adquiridos pelo site: www.ingressorapido.com.br.

A temática do repertório, sempre na tradicional linha de prestar homenagem aos grandes compositores, dessa vez contempla a interpretação de 12 dos mais consagrados sucessos da fina flor do samba nacional.

Sob a regência do maestro Fábio Prado, a Jazz preparou arranjos à altura das obras de autores que fizeram história na MPB dos últimos 60 anos. Na apresentação, serão apreciados sucessos de Adoniran Barbosa, Ary Barroso, Chico Buarque, Gilberto Gil, entre muitos outros.

Confira o programa completo para as duas noites de concerto:

Camisa Listrada – Assis Valente

Conselho de Mulher – Adoniran Barbosa

Corcovado – Tom Jobim

Deixa a Menina –  Chico Buarque

É Luxo Só – Ary Barroso e Luís Peixoto

Espinha de Bacalhau – Severino Filho

Incompatibilidade de Gênios – Aldir Blanc &João Bosco

Meio de Campo – Gilberto Gil

Preciso Me Encontrar – Candeia

Serenou – Délcio Carvalho

Vai Passar – Chico Buarque e Francis Hime

Vou Festejar – Dida e Jorge Aragão

Regência: Fábio Prado

Solista: Michel Moraes

“SP Cultura na Rua” leva música para o Jardim São Luís!

Projeto leva artistas de rua para as periferias da capital

(mais…)

“Terror no cinema”, do MIS, tem ingressos à venda até o final de dezembro

Os valores seguem a R$ 30 a inteira e R$ 15 a meia entrada

O público que não teve a oportunidade de conferir a exposição “Terror no cinema”, em cartaz no MIS, pode comemorar! Já estão abertas novas datas para visitação, com ingressos disponíveis para compra até o dia 30 de dezembro. O valor da entrada continua R$ 30 (R$ 15 a meia), e a compra pode ser feita tanto na bilheteria física do MIS como pela plataforma INTI — link de vendas no perfil do Museu.

Normalmente fechado às segundas-feiras, o MIS (instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo) anuncia, ainda, abertura excepcionalmente na segunda dia 20, por conta do feriado.

Sobre a exposição

Dividida em setores temáticos, dedicados a subgêneros do terror (vampiros, zumbis, slashers, sobrenatural e muito mais), a exposição transporta os visitantes à atmosfera dos longas com estímulos sonoros, visuais e olfativos, de forma lúdica e informativa. Um percurso envolvente, impressionante e imersivo levará o público ao universo de clássicos do cinema, como “O Gabinete do Dr. Caligari” (1920), “Nosferatu” (1922), “Drácula” (1931), “A Noiva de Frankenstein” (1935),Psicose” (1960), “O Exorcista” (1973), “Tubarão” (1975), “Alien, o oitavo passageiro” (1979), “O Iluminado” (1980), “Sexta Feira 13” (1980), “O Silêncio dos Inocentes” (1991), “A Bruxa de Blair” (1999), e inúmeros outros. 

A exposição “Terror no cinema” conta com diversos itens de acervos parceiros do MIS, como a Biblioteca Margaret Herrick, responsável pela preservação da coleção da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, criadora do Oscar. A seleção inclui pôsteres, documentos, fotografias, materiais promocionais de filmes, além de figurinos e adereços usados em cena. Objetos exclusivos, cedidos por estúdios parceiros – como a máscara utilizada na franquia “Pânico”, da Paramount Pictures – também farão parte do que o público visitante encontrará na exposição.

Outros destaques incluem figurinos e a navalha de “Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet” (2007), o vestido da Samara de “O Chamado 3” (2017) e documentos de produção com anotações de William Friedkin, diretor de “O Exorcista” (1973).

Serviço | “Terror no cinema”

Local: Museu da Imagem e do Som (MIS)

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo 

Abertura: 31 de outubro de 2023 

Classificação indicativa: 16 anos

Horários: terças a sextas, das 10h às 19h; sábados, das 10h às 20h; domingos e feriados, das 10h às 18h (permanência até 1h após o último horário).

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia), disponíveis na bilheteria física do MIS ou pela plataforma INTI. Entrada gratuita às terças-feiras (retirada apenas na bilheteria física).

“Viagem Gastronômica” de maio homenageia as mães

As mamães serão as grandes homenageadas da edição de maio do programa “Viagens Gastronômicas”, que será realizado no dia 26/5, das 15h30 às 17h, na Biblioteca de São Paulo! Dessa vez, a inspiração vem de Ana Terra, personagem do primeiro volume da consagrada trilogia “O tempo e o vento”, de Érico Veríssimo. A partir da trajetória da mulher que luta para conseguir o próprio sustento nas lavouras dos Pampas junto ao seu filho, e encontra coragem para seguir em frente, sem perder a esperança, o leitor se depara com ingredientes das colheitas que dão um sabor especial às refeições preparadas pelo povo gaúcho.

Os participantes aprenderão as receitas dos pratos abóbora com charque e bolo ninhos de pêssego, e, ao final, terão a oportunidade de degustar. A atividade será ministrada por Dolores Freixa, historiadora, guia de turismo cultural, professora de História da Gastronomia e escritora de livros sobre cultura gastronômica – é co-autora do livro Expedição Brasil Gastronômico, que ganhou o Prêmio Jabuti em 2014 – e Solange Aparecida Barbosa Botura, professora de Técnicas de Cozinha, Eventos Gastronômicos e Cozinha Brasileira.

“A ideia é estimular o público a pensar na vida dos personagens dos livros: como se alimentam, como é a gastronomia da cidade onde é ambientada a história, como são os costumes. É pensar na gastronomia também como cultura”, explica Dolores. “A atividade faz parte desse conceito de ‘biblioteca viva’, que vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos”, afirma Silvia Antibas, Coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. “A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

Receitas

Abóbora com Charque

Bolo Ninhos de Pêssego

Ingredientes

2 colheres (sopa) de óleo

1 cebola cortada em cubos pequenos

6 dentes de alho amassados

1 pimentão verde pequeno cortado em cubos

4 tomates sem pele, sem sementes picados em cubos pequenos

1 kg de carne seca cortada em cubos, dessalgada e cozida

1 kg de abóbora cabotiá cortada em cubos médios

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

2 colheres (sopa) de salsa picada

Sal, se necessário

Pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo

Numa panela, coloque o óleo e doure levemente a cebola e o alho. Junte o pimentão, os tomates, a pimenta do reino e a carne seca. Acerte o sal. Refogue e acrescente água quente aos poucos até que tudo esteja cozido e um molho se formar na panela. Coloque a abóbora e deixe cozinhar até ficar macia sem desmanchar.

Ingredientes

6 ovos

3 xícaras de chá de farinha de trigo

3 xícaras de chá de açúcar

12 colheres de sopa de água

1 colher de sopa de fermento em pó

1 lata de leite condensado

1 pacote de coco ralado em flocos

1 lata de pêssegos em calda

Modo de Preparo

Bater as claras em neve. Na batedeira colocar as gemas e bater com a água até dobrar o volume, acrescentar o açúcar e bater até ficar bem cremoso. Adicionar a farinha aos poucos batendo sempre até a massa formar bolhas que estouram. Acrescente o fermento só misturando. Acrescentar as claras à massa, mexendo lentamente até ficar tudo incorporado. Levar ao forno pré-aquecido em assadeira untada e polvilhada com farinha por aproximadamente 40 minutos ou até ao teste do palito. Desenformar e deixar esfriar. Recortar o bolo com um cortador de mais ou menos 5 cm de diâmetro. Umedecer com o leite condensado, passando também nas laterais. Passe os bolinhos no coco em flocos ralado e enfeite cada um com uma metade de pêssego em calda escorrido.

Como participar?

Os interessados não precisam fazer inscrição prévia. Basta comparecer no dia. As vagas serão preenchidas por ordem de chegada, portanto, não deixe para a última hora!

Visite

“VIVA! Sabores da África” leva gastronomia de três países ao Museu da Imigração

Edição do projeto apresenta comidas típicas do Marrocos, Congo e Moçambique e ainda oferece ao público uma oficina de culinária e atração musical (mais…)

#Cineciência de fevereiro: A Rede Social

Após a sessão no dia 25, domingo, acontece um debate com o público. Entrada Gratuita! (mais…)

#CineCiência do MIS debate o filme “A Chegada”

Amy Adams e Jeremy Renner interpretam especialistas em comunicação chamados a ajudar nos contatos com alienígenas que chegam à Terra em 12 naves. Ela é especialista em linguística e ele um matemático. Ambos precisam responder à pergunta “o que vocês querem?” …

cena do filme A Chegada: momento de tentativa de contato dos humanos com os alienígenas

A edição de maio do #CineCiência do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, exibe no dia 20 de maio, às 16h00, o filme A chegada/Arrival (Dir. Denis Villeneuve, EUA, 2016, Ficção científica/Drama/Suspense, 116 min), que aborda, entre outras questões, as possibilidades de comunicação com os seres extraterrestres explorando a linguística e a computação. Após a exibição, o filme será debatido por José Luis Goldfarb e a historiadora Laura Trachtenberg Hauser. Sessão gratuita e para participar basta retirar ingresso uma hora antes do início na recepção do museu.

Sinopse: Seres extraterrestres chegam em doze naves e pousam em doze pontos diferentes da Terra. Após as autoridades americanas perceberem que eles querem fazer contato, a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma renomada linguista que já ajudara o Estado anteriormente, em conjunto com o experiente físico Ian Donnelly (Jeremy Renner), são procurados por militares para interagirem com as criaturas, traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. Ambos são pressionados a descobrir o propósito dos extraterrestres o mais rápido possível, assim como outras onze equipes de países onde as naves pousaram. Porém, os interesses políticos, a corrida pela supremacia, o medo do desconhecido e as diferenças culturais entrarão no caminho da ciência e apenas Louise tem a chave para desvendar esse mistério.

O longa estrelado por Amy Adams, Jeremy Renner e Forest Whitaker, teve sua primeira exibição no Festival de Cinema de Veneza em 1º de setembro de 2016 e foi lançado nos Estados Unidos em 11 de novembro de 2016 pela Paramount Pictures. O filme foi aclamado pela crítica especializada, que elogiou a atuação de Adams, a direção de Villeneuve e a originalidade do roteiro. Teve oito indicações ao Oscar 2017, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Adaptado, mas venceu apenas na categoria de Melhor Edição de Som.

DEBATEDORA: Laura Trachtenberg Hauser. Graduada em história pela Universidade Panthéon-Sorbonne, possui um mestrado em Mediação cultural pela Universidade Sorbonne-Nouvelle. Seus principais estudos discorrem sobre os diversos conceitos ou discursos relativos ao que definimos como cultura e seu impacto social através das políticas e instituições culturais no Brasil e na França. Atuando em meio à organização e à coordenação de diversos projetos culturais, obteve experiências marcantes como, por exemplo, a assistência à coordenação do setor das Atividades Culturais do Mémorial de laShoah de Paris (2015), a coordenação local da Festa Literária de Paraty (2014) e a pesquisa para a apostila de formação para os mediadores da exposição Genesis de Sebastião Salgado (2013). Foi assessora política do consulado de Israel em São Paulo. Atualmente desenvolve a autoria e o conteúdo da publicação de Políticas Públicas para a Cultura para a Editora SENAC e trabalha em meio à coordenação de projetos culturais e audiovisuais, autora selecionada pelo Concurso de Crônicas Rubem Braga 2017 promovido pelo SESC.

SERVIÇO 

#CINECIÊNCIA | Maio

Data: 20 de maio de 2018

Horário: 16h00 às 19h00

LOCAL Auditório LABMIS (66 lugares)

INGRESSO gratuito (retirada de ingresso com uma hora de antecedência na Recepção MIS – sujeito à lotação da sala)

CLASSIFICAÇÃO 14 anos

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18,00. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado

#Cultura para o fim de semana: programação de 24 e 25 de outubro

Com a retomada das atividades presenciais de museus, teatros e centros de formação,  preparamos uma lista com as principais exposições que você pode conferir nesse fim de semana!  

Corre e vem conferir!   

 
Vale lembrar ainda que todas as instituições já reabertas estão cumprindo normas sanitárias. Os locais recebem no máximo 60% da capacidade de público e atendem com horários especiais. Além disso, eles devem seguir outras exigências previstas no protocolo de retomada das atividades da fase verde do Plano São Paulo, elaborado pelo Centro de Contingência da Covid-19 e recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


PROGRAMAÇÃO

Destaques do fim de semana

Casa das Rosas 
Exposições: Arteletra em Trânsito e Estrutura Explodida: vidobra de Haroldo de Campos
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
www.casadasrosas.org.br

Casa Guilherme de Almeida
Exposição: 100 anos de Sóror Dolorosa 
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
www.casaguilhermedealmeida.org.br 

Casa Mário de Andrade
Exposição: Mário & Alphonsus revisitados 
Horário de funcionamento: das 12h às 16h
https://www.casamariodeandrade.org.br/home

Museu do Futebol
Exposição: Pelé 80 – o Rei do Futebol
Horário de funcionamento: das 13h às 19h
https://museudofutebol.org.br/ 

Pinacoteca de São Paulo – Pina Luz
Exposição: OSGEMEOS: Segredos
Horário de funcionamento: das 14h às 20h 
www.pinacoteca.org.br

Memorial da Resistência de São Paulo
Exposição: Orgulho e Resistências: LGBTs na ditadura
Horário de funcionamento: das 12h às 18h 
www.memorialdaresistenciasp.org.br  

Museu da Casa Brasileira
Exposições: Casas do Brasil: Conexões Paulistanas e Urbanismo Ecológico 2020
Horário de funcionamento: 
 das 11h às 15h 
www.mcb.org.br

MIS – Museu da Imagem e do Som
Exposição: John Lennon em Nova York por Bob Gruen
Horário de Funcionamento: das 12h às 18h
www.mis-sp.org.br 

Museu da Arte Sacra de São Paulo
Exposições: “Nós da Etiópia – Recortes de uma viagem” – Fotografias Daniel Taveira 
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
www.museuartesacra.org.br 

Paço das Artes
Exposição: Limiares, de Regina Silveira
Horário de funcionamento: das 12h às 18h
www.pacodasartes.org.br 

Museu Afro Brasil
Exposições: Heranças de um Brasil Profundo e 150 anos do poema Navio Negreiro, do poeta Castro Alves
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
www.museuafrobrasil.org.br 

Museu Catavento
Exposições: Astronomia, Terra, Vida e Engenho
Horário de funcionamento: das 10h às 16h 
www.cataventocultural.org.br 

Museu da Imigração
Exposição: Migrar: experiências, memórias e identidades
Horário de funcionamento: das 11h às 17h
www.museudaimigracao.org.br  

Museu do Café (Santos/ SP)
Atividade: Visita guiada
Horários Funcionamento: das 11h às 17h 
www.museudocafe.org.br 

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro (Campos do Jordão/ SP)
Exposição: Acervo de Felícia Leirner 
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
www.museufelicialeirner.org.br 

Museu Casa de Portinari (Brodowski/ SP)

Atividade: Visita guiada pela história e trajetória do renomado artista brasileiro Candido Portinari
Horário de funcionamento: das 10h às 16h
www.museucasadeportinari.org.br 

 Museu Índia Vanuíre  (Tupã/ SP)
Exposição: Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak
Horário de funcionamento: das 10h às 16h.  
www.museuindiavanuire.org.br 

 

#CulturaEmCasa completa cinco meses com mais de 1,6 milhão de visualizações

Plataforma de streaming com conteúdo cultural de alta qualidade criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa já foi acessado por 129 países
(mais…)

#CulturaEmCasa completa dois meses com mais de 850 mil visualizações

Plataforma de streaming com conteúdo cultural de alta qualidade criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa já foi acessada em 107 países 

Neste sábado (20), a plataforma #CulturaEmCasa, criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigos da Arte, completa dois meses no ar. Com mais de 600 conteúdos, entre espetáculos, palestras, aulas, podcasts, shows e concertos, o projeto alcançou 850 mil visualizações. Foram 101.887 horas de conteúdo consumido pelo público de 107 países e 2.175 cidades, sendo São Paulo o município com maior número de acessos. A principal faixa etária atingida está entre 25 e 34 anos.

Cerca de 60% das visualizações ocorreram durante as transmissões ao vivo do Festival #CulturaEmCasa, série de lives diárias com apresentações de artistas, e do Intensivão #CulturaEmCasa, aulas sobre cultura e economia criativa com profissionais do setor. Mais de 70% dos acessos à plataforma se deram por meio de dispositivos mobile.

Desde seu lançamento, já realizaram lives na plataforma artistas como Zeca Baleiro, Tom Zé, Fafá de Belém, Débora Falabella, Elias Andreato, Eva Wilma, André Abujamra e Vanessa Jackson.

“O desempenho da plataforma #CulturaEmCasa superou a nossa expectativa, alcançando um público ainda maior do que o esperado. Trata-se de uma iniciativa vitoriosa de ampliação do acesso da população a conteúdos culturais de qualidade”, afirma o secretário estadual de Cultura, Sérgio Sá Leitão.

“Nosso objetivo é que o conteúdo cultural disponibilizado na plataforma seja amplo e diverso. É difusão cultural para todos e acesso 100% gratuito”, diz Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte, Organização Social que gere a plataforma. “Disponibilizamos conteúdos que não estão presentes em outras plataformas”, completa.

Com o sucesso de audiência, as transmissões ao vivo do Festival #CulturaEmCasa e do Intensivão #CulturaEmCasa continuam. As lives musicais e artísticas acontecerão diariamente, às 21h30; as aulas serão sempre nas segundas, quartas e sextas-feiras, às 17h. Novos conteúdos culturais criados pelas instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa também serão adicionados à plataforma nos próximos dias.

“Seguiremos expandindo e diversificando a oferta de conteúdos por demanda, assim como os eventos, as parcerias e as transmissões ao vivo. É uma iniciativa que veio para ficar. Tem um importante papel a cumprir, mesmo quando a pandemia passar”, diz o secretário.

#CulturaEmCasa

A plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa foi lançada no dia 20 de março. Com acesso por meio do site culturaemcasa.com.br, os conteúdos podem ser assistidos gratuitamente por televisão, computador, tablets e celulares. A plataforma reúne conteúdos inéditos das instituições da Secretaria, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu do Futebol, a São Paulo Companhia de Dança, o Projeto Guri, o Theatro São Pedro e o Teatro Sérgio Cardoso.

Site:

www.culturaemcasa.com.br

Redes:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instagram.com/culturaemcasasp/

#CulturaEmCasa exibe Mostra Xingu 60 anos

Evento marca os 60 anos do Território Indígena do Xingu. Na programação, estão obras inéditas do cineasta Takumã Kuikuro

O mais importante evento audiovisual sul-americano dedicado às temáticas socioambientais e dos povos originários, a Mostra Ecofalante de Cinema, promove a partir de 1 de dezembro programação especial Xingu 60 Anos, com 31 filmes e debates disponibilizados de forma online e gratuita. Todos serão disponibilizados on demand até o dia 12. São longas, médias e curtas-metragens, reunindo produções pioneiras realizadas a partir do ano de 1932, títulos finalizados em 2021 e inéditos. A iniciativa é da ONG Ecofalante, com direção de Chico Guariba. Os filmes e debates podem ser acessados gratuitamente via site da Ong e plataforma #CulturaemCasa. (Confira programação abaixo). Criada em abril do ano passado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa e gerida pela Amigos da Arte, a ferramenta já registrou mais de 7 milhões de visualizações.

O evento marca as 6 décadas de existência do Parque Indígena do Xingu (PIX), hoje conhecido como Território Indígena do Xingu (TIX). Foi criado em 1961 para garantir a sobrevivência, melhores condições de vida, a posse da terra à população indígena da região e para preservar sua cultura, seus hábitos e suas crenças.   À época a maior e mais importante reserva indígena brasileira, o parque foi uma iniciativa de sertanistas liderados pelos irmãos Villas-BôasCláudio, Orlando e Leonardo.

O aclamado longa Raoni (1978) abre a Mostra Ecofalante de Cinema. O filme é um dos primeiros documentários de longa-metragem a abordar os problemas relacionados à questão indígena no Brasil. Conquistou quatro premiações na edição de 1979 no Festival de Gramado, incluindo a de melhor filme. A obra acompanha a luta do cacique Raoni pela preservação do Parque Nacional do Xingu, ameaçado por grileiros, caçadores e madeireiras. O longa-metragem foi filmado clandestinamente no Parque Nacional do Xingu no princípio de 1975, durante a ditadura militar brasileira. A direção é assinada pelo cineasta e escritor belga Jean-Pierre Dutilleux e pelo fotógrafo e montador brasileiro Luiz Carlos Saldanha. Na mostra, o filme é exibido em cópia recentemente digitalizada em resolução 4K, que oferece a maior qualidade de imagem.

Destacam-se também obras assinadas por cineastas indígenas. Entre elas, as do diretor Takumã Kuikuro. O filme Kukuho – Canto Vivo Wauja (2021) focaliza um músico, contador de histórias e líder da comunidade Waujá do Xingu que tenta preservar e compartilhar a música tradicional do seu povo. Território Pequi (2021) mostra como o pequi se tornou símbolo de vasto patrimônio cultural e genético. Membro da aldeia indígena Kuikuro, atualmente vivendo na aldeia Ipatse, no Parque Indígena do Xingu, Takumã Kuikuro recebeu em 2017 o prêmio honorário Bolsista da Queen Mary University of London. Em 2019, foi o primeiro jurado indígena do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.

“A Mostra Ecofalante de Cinema reúne o que há de melhor sobre as temáticas relacionadas aos povos originários, às questões climáticas e ao meio-ambiente. A exibição em formato online e gratuita, amplia a difusão destes conteúdos. E, principalmente, incentiva a reflexão e a conscientização sobre a riqueza da pluralidade cultural étnica e a força do cinema indígena”, destaca Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

Sobre a #CulturaEmCasa

Em 20 meses a plataforma já disponibilizou mais de 4 mil conteúdos. Já são 4 mil cidades do Brasil e 165 países atingidos. O objetivo da plataforma é democratizar o acesso da população a eventos culturais e artísticos de alta qualidade gerados ou não por instituições vinculadas à Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SEC). Entre elas, a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu da Imigração, o Museu da Casa Brasileira, o Museu do Futebol, a Biblioteca de São Paulo, a Biblioteca Parque Villa Lobos, a São Paulo Companhia de Dança e o Projeto Guri. A ferramenta apresenta também conteúdos dos Teatro Sérgio Cardoso, do Teatro Estadual de Araras e do Museu da Diversidade Sexual (MDS). Além de diversos programas de difusão cultural e de incentivo à economia criativa como a #Virada SP Online, reunindo nomes como Dudu Nobre, Sérgio Britto, Roberta Miranda, Marcelo Falcão, Alceu Valença, Chico César e artistas dos municípios paulistas. A plataforma também transmite o maior programa de incentivo ao setor gastronômico – o #SP Gastronomia, convidando chefs como Lucas Corazza, Renato Carioni, e Fred Caffarena.

Em celebração aos 100 anos da Semana de Arte Moderna, a plataforma organiza e produz a série ‘Outras Vanguardas’, que fala com celebridades do mundo artístico e que, de alguma forma, ecoa o movimento modernista. Tetê Espíndola, Arrigo Barnabé, Pascoal da Conceição, Cida Moreira, Tulipa Ruiz, entre outros já participaram do programa.

Filmes da Mostra Ecofalante de Cinema

Raoni

Olhares Cruzados – Parque Indígena do Xingu 50 anos

Ao Redor do Brasil

O Destino das Mulheres Amazonas

Contato com Tribo Hostil

Incidente no Mato Grosso

Kuarup

Bubula, O Cara Vermelha

O Índio Cor de Rosa Contra a Fera Invisível: A Peleja de Noel Nutels

Xingu/Terra

Debate Parque Indígena do Xingu (PIX): Origens

Uaka

Imbé Gikegü – Cheiro de Pequi

Kiarãsâ Yõ Sâty – O Amendoim da Cutia

A História da Cutia e do Macaco

De Volta à Terra Boa

Para Onde Foram as Andorinhas

Kîsêdjê ro Sujareni – Os Kisêdjê contam a sua história

A Última Volta do Xingu

Topawa

Yarang Mamin

Wotko e Kokotxi, Uma História Tapayuna

O Corpo e os Espíritos

Kukuho – Canto Vivo Wauja

Território Pequi – com Carlos Fausto Kamikia Kisêdjê, Takumã Kuikuro e Mari Corrêa

Pïrínop: Meu Primeiro Contato

Itão Kue-gü – As Hiper Mulheres

Coração do Brasil

O Último Kuarup Branco

Xingu – A Terra Ameaçada

O Brasil Grande e os Índios Gigantes

O Segundo Encontro

Plataforma #CulturaEmCasa

www.culturaemcasa.com.br

 

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

#CulturaSP concorre em diversas categorias no Prêmio Concerto 2018 – VOTE!

A Revista Concerto divulga os finalistas do Prêmio CONCERTO 2018, que chega este ano à sua sétima edição. São cinco categorias – Prêmio Lauro Machado Coelho de Ópera; Música Orquestral; Música de Câmara/Recital/Coral; Jovem Talento; CD/DVD/Livro –, além do Grande Prêmio 2018.

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo concorre nas seguintes categorias:

  • MÚSICA ORQUESTRAL, com “Saccades”, de Philippe Manoury, interpretada por Emmanuel Pahud (flauta) e Thierry Fischer (regente), da OSESP
  • PRÊMIO LAURO MACHADO COELHO DE ÓPERA, com “Kátia Kabanová”, de Janácek (Ira Levin/André Heller-Lopes) e “Sonho de uma noite de verão”, de Britten (Claudio Cruz/Jorge Takla), ambos do Theatro São Pedro
  • GRANDE PRÊMIO, com Integral das sinfonias de Heitor Villa-Lobos, performada pela OSESP sob regência de Isaac Karabtchevsky

Todos os finalistas foram definidos após discussões e votações de um júri formado por especialistas da área musical. A banca contou com os jornalistas e críticos musicais Camila Frésca, Irineu Franco Perpetuo, João Luiz Sampaio, João Marcos Coelho, Nelson Rubens Kunze e Sidney Molina.

O Prêmio Concerto de Ópera foi nomeado Lauro Machado Coelho, uma homenagem ao jornalista e crítico falecido no início do ano. Machado Coelho publicou pela Editora Perspectiva a extraordinária coleção História da ópera, em diversos volumes, além de vários livros sobre música e poesia. Como jornalista, Lauro desenvolveu importante trabalho no Jornal da Tarde, na Revista Época, na Revista Bravo e na rádio Cultura FM. Durante muitos anos foi crítico musical do jornal O Estado de S.Paulo. De 1996 até seu afastamento em 2010, Lauro Machado Coelho foi articulista da Revista Concerto.

Para o Prêmio Concerto 2018, os leitores poderão escolher seus candidatos favoritos votando na enquete no Site Concerto, que fica no ar até o dia 17 de dezembro. Os vencedores, tanto do voto da crítica quanto do voto do público, serão conhecidos na edição de janeiro/fevereiro de 2019 da Revista Concerto.


PARTICIPE! Clique aqui e vote em todas as categorias

#CulturaSP lança edital de premiação dos Pontos de Cultura

O programa Pontos de Cultura, que oferece incentivo financeiro e kits de audiovisual e música a grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural, está de volta. O edital de premiação do programa foi lançado em cerimônia na sede da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo nesta quinta-feira, 29, com presença do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin e o Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna.

A reativação do Pontos de Cultura, após um hiato de cinco anos, premiará 544 iniciativas culturais – 94 a mais do que na última edição. Do total, 144 iniciativas receberão a premiação no valor de R$ 60 mil reais e 400 receberão a premiação em forma de Kit Cultura de Audiovisual ou Kit Cultura Musical. O programa contará com 35 Agentes Mobilizadores, sete fóruns regionais e a TEIA – Encontro Estadual de Pontos de Cultura.

“Não são as palavras que movem o mundo, são as ações. Sem a dedicação das nossas equipes, muitas horas de trabalho e empenho, nada disso teria sido possível. Estou muito satisfeito em poder reconhecer o trabalho cultural feito por milhares de pessoas e entidades, de todo o país, com forte inserção comunitária, mas que muitas vezes não são devidamente reconhecidas pelo mercado cultural.”
MESSAGE-ICON
Sérgio Sá Leitão
Ministro da Cultura
“Os Pontos de Cultura voltam com o desafio de dinamizar e impulsionar o trabalho de agentes culturais não só no estado de São Paulo, mas em todo o Brasil. A grande diversidade da cultura brasileira e o trabalho de artistas de todas as áreas só tem a ganhar com a expansão e consolidação do programa.”
MESSAGE-ICON
Geraldo Alckmin
Governador do Estado de São Paulo

Premiação dos Pontos de Cultura - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Premiação dos Pontos de Cultura – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

As premiações atendem as ações estruturantes da Política Nacional Cultura Viva, que tem como objetivo assegurar e ampliar o protagonismo da diversidade cultural do Estado de São Paulo. A política também busca garantir o acesso aos meios de fruição e difusão cultural, para potencializar energias sociais e culturais e dar vazão à dinâmica própria das comunidades, entrelaçando-as e desenvolvendo uma cultura cooperativa e transformadora.

O Edital de chamamento será lançado em breve no site da Secretaria de Estado da Cultura e no site do Ministério da Cultura.

“A iniciativa de retomar os Pontos de Cultura é um reflexo do trabalho da Secretaria em expandir iniciativas culturais para cada vez mais municípios, fortalecendo a ideia de que a cultura deve falar com todos e contribuir para transformar comunidades.”
MESSAGE-ICON
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo
“Que tenhamos nos Pontos de Cultura um diálogo com todos. Que seja uma forma de levarmos igualdade, desenvolvimento e cultura.”
MESSAGE-ICON
Romildo Campello
Secretário-Adjunto da Cultura do Estado de São Paulo

#CulturaSP promove encontro com dirigentes municipais

Joca Duarte / Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo promove no dia 5/4, quinta-feira, em sua sede (Rua Mauá, 51 – Luz – São Paulo/SP), o encontro com dirigentes municipais “Tira-Dúvidas”. O objetivo é apresentar as ações e programas desenvolvidos pela pasta em todo o estado, promover o diálogo entre os municípios e o Governo do Estado e discutir novos caminhos e parcerias. As atividades ocorrem das 8h30 às 13h00.

Interessados devem se inscrever pelo e-mail parlacultura@sp.gov.br até o dia 26 de março, segunda-feira. Serão aceitas até três inscrições por prefeitura. Os participantes receberão certificado online.

Estarão presentes o secretário da Cultura do Estado José Luiz Penna, o secretário-adjunto Romildo Campello e os coordenadores das unidades da Secretaria da Cultura do Estado, que falarão a respeito dos trabalhos desenvolvidos em suas respectivas áreas. Na oportunidade, os convidados poderão tirar dúvidas, dar sugestões e discutir temas comuns.

#DiaDeMuseu – Confira a programação!

Quem já tem o hábito de visitar museus vai gostar da novidade. E quem tem vontade de incluir esse passeio na rotina vai ganhar mais um motivo a partir do dia 18/5, Dia Internacional dos Museus. Na próxima sexta-feira, será lançada a ação “É Dia de Museu”, campanha para apresentar ao público a diversidade da programação dos museus paulistas, que vai muito além das visitas expositivas.

Na ocasião do lançamento haverá programação especial na rede dos museus da Secretaria da Cultura do Estado, naqueles que integram o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), além de ação em parceria com o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. A entrada em todos os museus participantes será gratuita e os visitantes serão convidados a contribuir com o “ingresso solidário”, que consiste na doação de uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho. Em troca, vão receber um exemplar do Passaporte dos Museus, que garante uma entrada gratuita em cada um dos museus da Secretaria (mais informações abaixo). Uma tiragem de 10 mil exemplares exclusiva para a ação será distribuída por ordem de chegada.

ATUALIZAÇÃO (19/5): Restam poucos exemplares do Passaporte dos Museus, que serão distrubuídos neste sábado, 19/5, em alguns museus. São eles: Casa Guilherme de Almeida, Casa Mário de Andrade, Casa das Rosas, Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil, Museu Catavento, Museu da Arte Sacra, Museu da Casa Brasileira, Museu da Imagem e do Som – MIS-SP, Museu da Imigração, Museu do Futebol, Pinacoteca Luz, Estação Pinacoteca/Memorial da Resistência

Para a Professora Lúcia França, presidente do Fundo Social de Solidariedade do Estado, a parceria dialoga com temática presente em diversas programações educativas dos museus: o fortalecimento da cidadania. “Museus podem ser instrumentos de transformação social e são fundamentais para conscientização de temas como empatia, acolhimento, entendimento da própria identidade e cultura de paz”, explica a Professora, que convida o público a mostrar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

“Os museus da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo possuem acervos e atividades que permitem aprendizado e diversão, muitos com entrada livre ou ingressos com valores acessíveis – sem contar a gratuidade que ocorre na maior parte da rede aos sábados. Com essa campanha, queremos facilitar ainda mais o acesso do público à programação de atividades e ampliar o acesso à cultura. Museus não são somente locais de preservação de memória, mas também de criação de memórias pessoais, intransferíveis e inesquecíveis.”
MESSAGE-ICON
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Site permanente e novas experiências

A programação dos museus na data poderá se conferida em página permanente desenvolvida especialmente para a ação – https://cultura.sp.gov.br/diademuseu. Posteriormente, o site será atualizado tanto com as atividades que já fazem parte do calendário dos museus quanto com as informações das próximas edições da campanha “É Dia de Museu”.

As mídias sociais dos museus e da própria Secretaria da Cultura também informarão os seguidores sobre a programação temática, em postagens com a mesma identidade visual e com a hashtag #diademuseu.  Em datas específicas, o público poderá conferir programação temática ou mesmo sugestões de passeios que combinem com o dia selecionado. “Queremos inspirar novas experiências em momentos especiais. Um casal pode optar por celebrar o Dia dos Namorados com um passeio em um museu com restaurante, por exemplo. O objetivo da campanha é inspirar e cativar as pessoas a buscarem novas experiências a partir da programação e dos serviços oferecidos pelos museus”, explica Regina Ponte, coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura.

Nas datas com programações temáticas, os usuários serão convidados a postar suas fotos nas mídias sociais com a hashtag #diademuseu. As fotos irão fazer parte de uma galeria de imagens no próprio site da campanha: “os registros das experiências dos visitantes criam um espaço de compartilhamento dessas memórias no ambiente virtual”, finaliza a coordenadora.

Vá de 99

Os usuários do app 99 poderão, na sexta-feira, dia 18/5, das 9h às 18h, obter desconto em duas corridas da categoria Pop (carro particular) com destino a qualquer um dos museus participantes da ação em São Paulo. O cupom 99DIADEMUSEU dará 30% de desconto (limitado a R$10,00 por corrida) e é válido para pagamento com cartão de crédito cadastrado ou PayPal. Para usá-lo, basta inserir o código na seção “Cupom de Desconto” do aplicativo.

Museus participantes

Museu Casa Mário de Andrade
Museu Casa Mário de Andrade
Casa das Rosas
Casa das Rosas
Memorial da Resistência
Memorial da Resistência
Museu Afro Brasil
Museu Afro Brasil
Museu Catavento
Museu Catavento
Museu de Arte Sacra
Museu de Arte Sacra
Museu da Casa Brasileira
Museu da Casa Brasileira
Museu da Diversidade Sexual
Museu da Diversidade Sexual
MIS
MIS
Museu da Imigração
Museu da Imigração
Museu do Futebol
Museu do Futebol
Pinacoteca
Pinacoteca
Museu do Café
Museu do Café
Museu Felícia Leirner
Museu Felícia Leirner
Museu Índia Vanuíre
Museu Índia Vanuíre
Museu Casa de Portinari
Museu Casa de Portinari
Museu Casa Guilherme de Almeida
Museu Casa Guilherme de Almeida

Na capital

Casa Guilherme de Almeida, Casa Mário de Andrade, Casa das Rosas, Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil, Museu Catavento, Museu da Arte Sacra, Museu da Casa Brasileira, Museu da Diversidade Sexual, Museu da Imagem e do Som – MIS-SP, Museu da Imigração, Museu da Língua Portuguesa (ações extramuros e no ambiente digital), Museu do Futebol, Paço das Artes (no MIS-SP e na Oficina Cultural Oswald de Andrade), Pinacoteca Luz e Estação

No interior e litoral

Museu do Café – Santos, Museu Felícia Leirner – Campos do Jordão, Museu Índia Vanuíre – Tupã e Museu Casa de Portinari – Brodowski

Museus que fazem parte do SISEM-SP

Acesse www.sisemsp.org.br

#FériasnaCultura – CRIANÇAS

#FériasNaCultura

PARA AS CRIANÇAS

Oficinas de robótica, apresentação de filmes, brincadeiras e espetáculos fazem parte das atividades

Nos meses de dezembro e janeiro, as instituições da Secretaria da Cultura do Estado terão programação especial para crianças de todas as faixas etárias. Contações de histórias, jogos, oficinas, filmes, espetáculos e brincadeiras estão entre as atividades – a maioria delas gratuita.

Vale lembrar que os museus da Secretaria da Cultura do Estado têm entrada gratuita aos sábados (exceto o MIS-SP, que oferece entrada livre às terças-feiras).

BIBLIOTECAS

premio-sao-paulo-de-literat

Biblioteca Parque Villa Lobos

As férias chegaram e a Biblioteca Parque Villa-Lobos preparou uma segunda edição especial com oficinas ligadas à cultura maker, onde a proposta é estimular o faça-você-mesmo. Todo fim de semana uma atividade diferente com foco na inovação, colaboração e criatividade. De forma lúdica e divertida as oficinas apresentam o mundo da robótica, arte e tecnologias digitais. Venha construir, modificar e dar movimento a diversos objetos, brinquedos e criações. Estamos esperando vocês. Afinal, Biblioteca também é lugar de pôr a mão na massa!

Horários de Funcionamento

Terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros

(11) 3024-2500
www.bvl.org.br

PROGRAMAÇÃO

Robótica: Construa e Programe!

Sábado, 6 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Talvez você já tenha brincado com Lego em casa ou na escola, mas você sabia que Lego é muito mais que um brinquedo? É possível, por exemplo, dar movimento às montagens e também aprender muito com os bloquinhos. Que tal construir, programar e testar seu próprio carrinho para participar de uma corrida? Indicado para crianças a partir de 7 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Fabrício Laurenti.

Posso criar um Videogame!

Sábado, 13 de janeiro, das 14h00 às 15h30.

Já imaginou inventar um jogo no computador e publicá-lo para todo mundo poder jogar? Vamos criar um PacMan, um labirinto com bolinhas para comer, inimigos para escapar, vidas para ganhar e tempo para terminar, através de linguagem visual de lógica em blocos, gratuita, com versão em português, desenvolvida pelo MIT. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Moisés Zylbersztajn.

Criação de Engenhocas

Sábado, 20 de janeiro, das 14h00 às 15h45.

Criação de pequenos engenhos como um robô-desenhista, com material eletrônico, sucatas e ferramentas básicas. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Moisés e Gisele Zylbersztajn.

Autômatos Motorizados

Sábado, 27 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Venha criar uma escultura móvel explorando elementos mecânicos simples, circuitos elétricos e artes! Cada participante tem a liberdade para desenvolver seu projeto com um tema de sua escolha. Indicado para crianças a partir de 7 anos acompanhadas de pais ou responsáveis.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Glauco Paiva, Tinker Lab.

Cuspindo Histórias em Quadrinhos

Domingo, 28 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Crie sua própria história em quadrinhos em uma tira de papel que será distribuída por meio de uma geringonça batizada de Cuspideira. A Cuspideira é uma máquina lúdica e absurda que distribui tiras de quadrinhos brancas para quem quiser explorar seu potencial narrativo e gráfico no mundo do HQ. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Victor Gáspari Canela, KOSMO.

Hora do Conto

Contação de histórias da literatura infantojuvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário inscrição.

Sextas-feiras, às 15h00.
  • 05/01 – Os três lobinhos e o porco mau, de Eugene Trivizas.
    Com equipe BVL.
  • 12/01 – O mais malandro, de Mario Ramos.
    Com equipe BVL.
  • 19/01 – Paula de São Paulo, de Mariângela Bueno e Sonia Dreyfuss.
    Com equipe BVL.
  • 26/01 – A onça e o bicho homem, de Ricardo Azevedo.
    Com equipe BVL.
➢     Sábados, domingos e feriados, às 16h00.
  • 06/01 – A margarida friorenta, de Fernanda Lopes de Almeida.
    Com O Jardim da Estrelinha.
  • 07/01 – Shirin e Farhad do livro Shahnameh, de Abolqasem Ferdowsi.
    Com Emilie Andrade.
  • 13/01– A jornada do pequeno senhor tartaruga, de Inge Bergh.
    Com a Cia Passarinho Contou.
  • 14/01 – Siga a seta, de Isabel Minhós Martins.
    Com a Cia. Conto em Cantos.
  • 20/01 – A Princesa do sono sem fim, de Luiz da Câmara Cascudo.
    Com o Núcleo Mala e Cuia.
  • 21/01 – O baú das histórias, de Gail E. Haley. Narração de histórias em Libras com interpretação para o português.
    Com o Grupo Mãos de Fada.
  • 25/01 – A cidade que mudou de nome, Conceil Corrêa da Silva.
    Com Damas & Cia.
  • 27/01 – Dona Baratinha, de Ana Maria Machado.
    Com Histórias em Movimento.
  • 28/01 – Meu Filhote Dragão, de M.P. Robertson.
    Com Paula Dugaich.

Lê no Ninho

Sábados e domingos, das 10h30 às 11h15.

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Pais e responsáveis podem, ao fim emprestar os kits utilizados, com dois livrinhos e um fantoche, e reproduzir a experiência em casa.

Com equipe BVL.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Pintando o 7

Quartas-feiras, das 10h30 às 11h30.

Atividades para pintar, desenhar, colar e criar, inspiradas em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

  • 03/01 – Pintura em aquarela inspirada nas obras de Rubens Matuck.
  • 10/01 – Confeccione animais com biscuit.
  • 17/01 – Reprodução de vitrais, utilizando cartolina e papel celofane.
  • 24/01 – Confecção de quebra-cabeças, com tema Monumentos da cidade de São Paulo.
  • 31/01 – Criação de HQ.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Brincando e Aprendendo

Sextas-feiras, das 15h30 às 16h30 horas.

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

  • 05/01 – Cabo de guerra.
  • 12/01 – Jogo: Tokaido.
  • 19/01 – Jogo: Eu conto.
  • 26/01 – Batata quente.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

bsp-header1

Biblioteca de São Paulo

As férias chegaram e a Biblioteca de São Paulo preparou uma segunda edição especial com oficinas ligadas a cultura maker, onde a proposta é estimular o faça-você-mesmo. Todo fim de semana uma atividade diferente com foco na inovação, colaboração e criatividade. De forma lúdica e divertida as oficinas apresentam o mundo da robótica, arte e tecnologias digitais. Venha construir, modificar e dar movimento a diversos objetos, brinquedos e criações. Estamos esperando vocês. Afinal, Biblioteca também é lugar de pôr a mão na massa!

Horários de Funcionamento

Terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800
www.bsp.org.br

PROGRAMAÇÃO

Posso criar um Videogame!

Sábado, 6 de janeiro, das 14h00 às 15h30.

Já imaginou inventar um jogo no computador e publicá-lo para todo mundo poder jogar? Vamos criar um PacMan, um labirinto com bolinhas para comer, inimigos para escapar, vidas para ganhar e tempo para terminar, através de linguagem visual de lógica em blocos, gratuita, com versão em português, desenvolvida pelo MIT. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Moisés Zylbersztajn.

Robótica: Construa e Programe!

Sábado, 13 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Talvez você já tenha brincado com Lego em casa ou na escola, mas você sabia que Lego é muito mais que um brinquedo? É possível, por exemplo, dar movimento às montagens e também aprender muito com os bloquinhos. Que tal construir, programar e testar seu próprio carrinho para participar de uma corrida? Indicado para crianças a partir de 7 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Fabrício Laurenti.

Autômatos Motorizados

Sábado, 20 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Venha criar uma escultura móvel explorando elementos mecânicos simples, circuitos elétricos e artes! Cada participante tem a liberdade para desenvolver seu projeto com um tema de sua escolha. Indicado para crianças a partir de 7 anos acompanhadas de pais ou responsáveis.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Glauco Paiva, Tinker Lab.

Cuspindo Histórias em Quadrinhos

Domingo, 27 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Crie sua própria história em quadrinhos em uma tira de papel que será distribuída por meio de uma geringonça batizada de Cuspideira. A Cuspideira é uma máquina lúdica e absurda que distribui tiras de quadrinhos brancas para quem quiser explorar seu potencial narrativo e gráfico no mundo do HQ. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Victor Gáspari Canela, KOSMO.

Hora do Conto

Contação de histórias da literatura infantojuvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário inscrição.

➢     Sextas-feiras, às 15h00.
  • 05/01 – Cinderela em cordel, de Cacá Lopes.
    Com equipe BSP.
  • 12/01 – Branca de neve e as sete versões, de José Roberto Torero.
    Com equipe BSP.
  • 19/01 – A Bela e a fera, de Madame de Villeneuve e Madame de Beaumont.
    Com equipe BSP.
  • 26/01 – O corcunda caolho, de Fábio Ulhoa Coelho.
    Com equipe BSP.
➢     Sábados, domingos e feriados, às 16h00.
  • 06/01 – Couro de piolho, de Luiz da Câmara Cascudo.
    Com o Núcleo Mala e Cuia.
  • 07/01 – Um mágico atrapalhado, de Daniela Chindler.
    Com o Grupo Tricotando Palavras.
  • 13/01– Os compadres corcundas, de Luís da Câmara Cascudo. Narração de histórias em Libras com interpretação para o português.
    Com o Grupo Mãos de Fada.
  • 14/01 – O contador de histórias, de Saki.
    Com Histórias em Movimento.
  • 20/01 – Problemas Boborildos, de Eva Furnari.
    Com a Cia. Conto em Cantos.
  • 21/01 – O caminho da felicidade, Ilan Brenman.
    Com a Cia. Passarinho Contou.
  • 25/01 – Um pequeno tratado de brinquedos para meninos quietos da cidade, de Selma Maria.
    Com Mirela Estelles.
  • 27/01 – Kanyeru e Kamé, da tradição oral indígena.
    Com Poesia no Espaço.
  • 28/01 – O macaco e a boneca de cera, de Sônia Junqueira.
    Com a Cia. do Tok Tok.

Lê no Ninho

Sábados das 11h00 às 11h45 e das 15h00 às 15h45.
Domingos, 14 e 28, 11h30 às 12h15.

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Pais e responsáveis podem, ao fim, emprestar os kits utilizados, com dois livrinhos e um fantoche, e reproduzir a experiência em casa.

Com equipe BSP.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Brincando e Aprendendo

Quartas-feiras, das 15h00 às 16h00.

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

  • 03/01 – Jogo: Imitatrix.
  • 10/01 – Brincadeira: taco.
  • 17/01 – Bolinha de sabão.
  • 24/01 – Mix Gincanas: corrida de saco, cama de gato e pula corda.
  • 31/01 – Brincando de alerta com personagens de histórias em quadrinhos.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Pintando o 7

Quartas-feiras, das 15h00 às 16h00.

Atividades para pintar, desenhar, colar e criar, inspiradas em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

  • 04/01 – Pintura em aquarela inspirada nas obras de Rubens Matuck.
  • 11/01 – Confecção de objetos poderosos de super-heróis, a partir de utensílios comuns.
  • 18/01 – Pintura em tela, a partir de fotos da cidade de São Paulo.
  • 25/01 – Não haverá atividade.

Com equipe BVL. A partir de 6 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

MUSEUS

CAPITAL

pinacotex

Pinacoteca

A Pinacoteca promoverá, em todos os dias de dezembro e janeiro, das 10h00 às 17h00, o espaço “Educateca”, com jogos para pessoas de todas as idades que podem ser retirados gratuitamente na recepção do museu.

Em todos os sábados de janeiro, das 11h00 às 15h00, acontece também o “JogaJunto”.

Horários de Funcionamento

Quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000
www.pinacoteca.org.br

 

fachada_pacaembu

Museu do Futebol

O Museu do Futebol promoverá, de 26 de dezembro a 28 de janeiro, das 10h00 às 17h00, o “Férias no Museu”, espaço instalado no avesso das arquibancadas do Estádio do Pacaembu destinado a brincadeiras, oficinas e atividades variadas, com mesas de pebolim, futebol de botão e ping-pong e recreadores que oferecerão dinâmicas para toda a família.
O acesso ao espaço é gratuito.

Horários de Funcionamento

Terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)|
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)

R$ 10,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

Local e contato

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu, São Paulo- SP

(11) 3664-3848
www.museudofutebol.org.br​

 

Foto Lateral - Museu Afro Brasil

Museu Afro Brasil

De 16 a 26 de janeiro, acontece no Museu Afro Brasil a ação “Férias no Museu: Brincadeiras do Congo”, com o educador congolês Wasawulua Daniel apresentando histórias e brincadeiras originárias da República Democrática do Congo e ensinando danças e canções em lingala e outras línguas da região.
Para se inscrever, basta chegar com 15 minutos de antecedência.

No dia 27 de janeiro, às 11h00, o público poderá assistir à contação de histórias africanas ou afro-brasileiras “Aos Pés do Baobá”, e em seguida participar de um bate-papo conduzido por integrantes do Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil.
A atividade é gratuita e livre. As inscrições devem ser feitas pelo site https://www.museuafrobrasil.org.br

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900
www.museuafrobrasil.org.br

Museu_Catavento_03_15

Museu Catavento

Além da reabertura da exposição “Biomas do Brasil” – que passou por adequação para acessibilidade – no dia 15 de dezembro – e da inauguração da exposição “O Mundo das Abelhas” – no dia 22 de dezembro, o Museu Catavento terá muitas atividades para as crianças no mês de janeiro.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

R$ 6,00 | Grátis aos Sábados
Estacionamento pago no local

Local e contato

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051
www.cataventocultural.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

Escape Room Catavento

➢ Dias 6 e 7 e de 9 a 14 de Janeiro

Nos dias 6 e 7 e de 9 a 14, o público poderá encarar o desafio do “Escape Room Catavento”.

Oficina de Bolhas de Sabão Gigantes

Entre os dias 6 e 28 de janeiro

Domingo, 27 de janeiro, das 14h00 às 16h00.
Crie sua própria história em quadrinhos em uma tira de papel que será distribuída por meio de uma geringonça batizada de Cuspideira. A Cuspideira é uma máquina lúdica e absurda que distribui tiras de quadrinhos brancas para quem quiser explorar seu potencial narrativo e gráfico no mundo do HQ. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Victor Gáspari Canela, KOSMO.

, das 10h30 às 16h30.

Entre os dias 6 e 28, das 10h30 às 16h30, de hora em hora o espaço promove a “Oficina de Bolhas de Sabão Gigantes”

Espetáculo de Mágicas

Dias 5, 6 e 7 de janeiro, às 13h00 e às 16h00.

Nos dias 5,6 e 7, as famílias poderão participar do “Espetáculo de Mágicas” no auditório do museu.

Oficina de Terrário

De 6 a 28 de janeiro, entre 11h00 e 16h00

O espaço oferece a “Oficina de Terrário”, em que os visitantes poderão construir seus próprios terrários.

Se liga no LEGO – Carrinho com Bexiga

De 6 a 28 de janeiro, das 09h30 às 15h30

No mesmo período, das 09h30 às 15h30, acontece a atividade “Se liga no LEGO – Carrinho com Bexiga”, na qual as crianças poderão entender as três Leis de Newton e construir carrinhos que são propulsionados por uma bexiga.

Sala Maker

De 6 a 28 de janeiro, das 09h30 às 15:30

Das 9h30 às 15h30, estará disponível a “Sala Maker”, onde os participantes construirão coletivamente uma máquina Rube Goldberg, experimento científico que busca executar uma tarefa simples da forma mais complexa possível, geralmente utilizando uma reação em cadeia.

Jogos Portinari

Entre 9 e 26 de janeiro, de terças a sextas-feiras

Os visitantes poderão participar dos “Jogos Portinari”, oficina que colocará o público em contato com as obras do pintor Cândido Portinari de forma lúdica, por meio de um jogo de adivinhação.

Apresentações de mágicas

De 9 a 28 de janeiro, ao longo do dia

Apresentações de mágicas “close-up”, realizadas próximas ao público.

Química em Show

De 16 a 28 de janeiro, das 10h30 às 15h00

Jovens cientistas mostrarão o que é a química com demonstrações de experimentos no espetáculo “Química em Show”.

Oficina de Fotografia Artesanal

Dia 25, das 9h30 às 15h30, de hora em hora

A “Oficina de Fotografia Artesanal” acontece com a equipe de fotógrafos do Projeto Cidade Invertida.

É necessário retirar senha para participar das atividades.

museu_da_imigracao

Museu da Imigração

As férias escolares estão chegando e o Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – preparou uma programação especial durante o mês de janeiro. Com um espaço lúdico repleto de brinquedos educativos, bonecos, fantoches, espaço de leitura e diversas atividades, a programação tem entrada gratuita e acontece entre os dias 3 e 28 de janeiro.

Para participar da programação educativa, é necessário fazer inscrição pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

R$ 10,00 | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local

Local e contato

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)

(11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

Espaço Mundo de Brincar

De 3 a 28 de janeiro, das 11h00 às 17h00

Durante o período de férias, a criançada poderá visitar um espaço de diversão e aprendizado dentro do Museu da Imigração. Além das atividades e jogos educativos que são relacionados com questões abordadas pelo MI, o “Mundo de Brincar” conta com piscina de bolinhas, cama elástica, fantoches, livros infantis, entre outros. O espaço funciona de 3 a 28 de janeiro, de quarta a domingo, das 11h00 às 17h00. Para participar, não é necessário fazer inscrição prévia.

Cordel de Aventuras + Oficina de criação de personagens

Todas as quartas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h30

Complementando a programação do mês de janeiro, o público poderá participar de três atividades educativas. A primeira delas, que ocorrerá semanalmente às quartas-feiras, é a oficina de criação de personagens, com contação de histórias em formato de cordel. A ação tem classificação livre e acontece das 15h00 às 16h30.

Pintura para bebês

14 de janeiro, das 15h00 às 16h00

Para crianças de até 3 anos, está programada a atividade “Pintura para bebês”, que acontece no dia 14 (domingo), das 15h00 às 16h00, no jardim do Museu. A proposta é que bebês e suas famílias possam participar de uma brincadeira que tem como objetivo a produção de uma grande pintura ao ar livre.

Bora empinar pipa?

28 de janeiro, das 15h30 às 16h30

Para encerrar a programação, no dia 28 (domingo) acontece o “Bora empinar pipa?”, em que os participantes aprendem mais sobre expressões usadas em diferentes regiões do Brasil para se referir a essa brincadeira. No fim da atividade, o público é convidado a empinar pipa no jardim do Museu. O encontro acontece das 15h00 às 16h30 e é voltado para crianças a partir de 8 anos.

Casa das Rosas_Foto Débora Nazari

Casa das Rosas

A Casa das Rosas terá, em todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00, a visita temática “De mapa na mão e tempo na cabeça”, em que as crianças e seus acompanhantes percorrerão o espaço com um olhar atento ao passado e ao presente, buscando pistas e vestígios da utilização do imóvel do museu.

Confira a programação abaixo e saiba mais sobre as outras atividades.
Para participar da contação de histórias não é necessário realizar inscrição.
Para as outras atividades, a inscrição pode ser feita presencialmente ou pelo email educativo@casadasrosas.org.br.

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Entrada gratuita
Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP
Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447
www.casadasrosas.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

De mapa na mão e tempo na cabeça

Todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00

A Casa das Rosas terá, em todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00, a visita temática “De mapa na mão e tempo na cabeça”, em que as crianças e seus acompanhantes percorrerão o espaço com um olhar atento ao passado e ao presente, buscando pistas e vestígios da utilização do imóvel do museu.

Tarde do Brincar

14 de janeiro, às 15h00

No dia 14 de janeiro, às 15h00, acontece a “Tarde do Brincar”, atividade para crianças de até três anos de idade explorarem formas, cores, texturas e sons.

Contação de histórias

14 e 28 de janeiro, às 15h00

Nos dias 14 e 28 de janeiro, às 15h00, os pequenos poderão assistir à contação das histórias “As Clês Contam Pagu” e “A Ascensão de Zeus”.

Bordando a Casa

dia 28 de janeiro, às 15h00

Oficina “Bordando a Casa”, em que as crianças de seis até dez anos criarão um trabalho a partir de visita educativa com foco nos elementos florais e no jardim do museu.

Casa Guilherme de Almeida

Casa Guilherme de Almeida

A Casa Guilherme de Almeida promove, no dia 16 de janeiro, às 14h30, a atividade “Brinquedos que Giram”, inspirada no poema “Bailado Russo”, de Guilherme de Almeida, que incentivará as crianças e adultos a criarem brinquedos giratórios.

No dia 20 de janeiro, às 14h30, em “Retratos para a Petizada”, as crianças participarão de uma observação de retratos de artistas modernistas e de um diálogo que estimulará a percepção corporal, e, após a visita, será oferecida uma oficina em que cada participante produzirá um autorretrato em tamanho real.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, das 10h às 18h.

Local e contato

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

(11) 3673-1883 / 3672-1391
www.casaguilhermedealmeida.org.br

 

INTERIOR

museu-do-cafe2

Museu do Café
(Santos)

No Museu do Café, em Santos, de 3 a 28 de janeiro, as crianças poderão se divertir com a piscina de bolinhas, o pula-pula, as fantasias e os jogos educativos do “Espaço Café com Leite”, além de aprender sobre o dia a dia de uma fazenda de forma lúdica com o “Cafezalzinho”.

Não deixe de conferir abaixo as outras programações do mês!

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 | Domingo das 10h00 às 17h00

R$ 10,00| Grátis aos sábados
Acessibilidade no local

Local e contato

Rua XV de novembro, 95 – Centro – Santos-SP

(13) 3213-1750
www.museudocafe.com.br

PROGRAMAÇÃO

Oficina Minibarista

Dias 6 e 13 de janeiro, às 15h00

Crianças de cinco a dez anos poderão participar da oficina “Minibarista”

Teatro de fantoches e Atelier Calixto

Dia 7 de janeiro, às 10h30 e 15h30

No dia 7, às 15h30, o público poderá assistir ao teatro de fantoches e participar do “Atelier Calixto”, às 10h30.

Musicando com Café

Dia 21 de janeiro

Crianças a partir de cinco anos poderão participar do “Musicando com Café”.

fachada

Museu Casa de Portinari
(Brodowski)

Brincadeiras, oficinas artísticas e de brinquedos e um ateliê a céu aberto são algumas das atrações gratuitas em Brodowski A partir do dia 2 de janeiro de 2018 (terça-feira), o Museu Casa de Portinari, em Brodowski (SP), – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari –, realiza mais uma edição do projeto Férias no Museu onde os visitantes poderão participar de brincadeiras que fizeram parte da infância e obras de um dos maiores artistas nacional, Candido Portinari.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Entrada: ingresso voluntário
Acessibilidade no local

Local e contato

Praça Candido Portinari, 298 – Brodowski/SP

(16) 3664-4284
www.museucasadeportinari.org.br

PROGRAMAÇÃO

Férias no Museu

De 02 a 31 de Janeiro de 2018 (terça-feira a domingo, das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00)

Muita diversão, criatividade e lazer estão garantidos na programação que oferecerá ainda atividades relacionadas ao fazer artístico, como modelagem de massinha, pintura em diferentes suportes e técnicas e oficinas para criação de brinquedos  com materiais simples e reaproveitáveis. Ao longo do dia também serão exploradas as tradicionais brincadeiras de rua, conhecidas pelas gerações mais antigas. Entre elas estão corda, bola de meia,  pião, bugalha, diabolô, bilboquê, bola de gude, quebra-cabeças, amarelinha, futebol de botão, bola de sabão, peteca, jogo da memória, dança das cadeiras, morto-vivo e a queimada.

Entrada: gratuita

Oficina de Pintura

De 02 a 31 de Janeiro de 2018 (terça-feira a domingo, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h00)

Pra quem deseja vivenciar a experiência de um ateliê a céu aberto, o artista visual Manoel Pombinho estimulará o talento do público em uma oficina de pintura. Serão feitas obras com a técnica de carimbo e outras a partir de uma engenhoca criada pelo oficineiro, usando uma antiga vitrola. Com o recurso, os participantes poderão mesclar as cores e produzir trabalhos únicos.

Entrada: gratuita

Museu Índia Vanuíre - Foto Alisson de Oliveira Formenti (2)

Museu Índia Vanuíre
(Tupã)

Diversão, criatividade, educação e lazer estão garantidos na programação de janeiro de 2018 do Museu Índia Vanuíre. O Projeto Férias no Museu será realizado entre os dias 09 a 26 de janeiro e oferece oficinas artísticas, de criação de brinquedos, de cultura indígena e afro, além de passeios culturais.
As atividades são concentradas no período da manhã, das 9h00 às 11h00, porém, os visitantes que tiverem interesse em participar no período da tarde poderão solicitar aos educadores.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

Entrada: gratuita

Local e contato

Rua Coroados, nº 521, Centro – Tupã/SP

(14) 3491-2333

PROGRAMAÇÃO

Férias no Museu

De 09 a 26 de Janeiro de 2018 (das 9h00 às 11h00)

O Projeto Férias no Museu será realizado entre os dias 09 a 26 e oferece oficinas artísticas, de criação de brinquedos, de cultura indígena e afro, além de passeios culturais.

As atividades são concentradas no período da manhã, das 9h00 às 11h00, porém, os visitantes que tiverem interesse em participar no período da tarde poderão solicitar aos educadores. Todas as ações serão relacionadas à riqueza cultural do Brasil.

Oficina de Adorno Indígena

Datas: de 09/01 a 13/01/2018 e de 16/01 a 19/01/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Os visitantes poderão aproveitar as oficinas de adorno indígena, confecção de brincos de pompom, produção de pipas e rabiolas, e um passeio cultural ao distrito de Varpa.

Confecção de Brincos de Pompom

Data: 10/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Confecção de Pipas

Data: 11/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Passeio Cultural a Varpa

Data: 12/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Confecção de Rabiola

Data: 13/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Oficina de Dança Afro

Data: 17/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Oficina de Tranças Afro Artísticas e Dreads

Data: 18/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Passeio Cultural – Conhecendo a Terra Indígena Vanuíre

Data: 19/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Oficina de Grafite

Data: 23/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Oficina: Confecção de Adornos Afro-brasileiros e Amarração de Turbantes

Data: 24/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Contação de Histórias e Confecção de Fantoches

Data: 25/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Passeio Cultural Fazenda Planeta Verde

Dia: 26/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
5854914340_5c49fd6122

Museu Felícia Leiner
(Campos do Jordão)

O Museu Felícia Leiner, em Campos do Jordão, terá apresentação de lendas, cordéis e histórias sobre os patronos. Também serão promovidos jogos cooperativos, oficinas de artes e colagem.

A participação é gratuita.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Entrada: inteira R$10,00 e meia R$5,00 (estudante e idoso) – gratuita aos domingos.
Cidadãos jordanenses não pagam mediante apresentação de comprovante de residência.

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP

(12) 3662-6000
www.museufelicialeirner.org.br

PROGRAMAÇÃO

Apresentação de lendas, cordéis e histórias sobre os patronos

Dias 2, 8, 15, 22 e 29 de janeiro

A natureza e sua preservação

Dias 4, 7, 8, 11, 18 e 25 de janeiro

Música e dança

Dias 5, 12, 14, 19, 21, 22, 26, 28 e 29 de janeiro

A música e a dança terão programação de apresentações, oficinas, vivências e interação entre as pessoas

Jogos cooperativos

Todas as terças-feiras

Oficinas de artes e colagem

Dias 6, 13, e 15, 20 e 27 de janeiro

Atividades circenses

Dia 28 de janeiro

FÁBRICAS DE
CULTURA

modelo

Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém e Cidade Tiradentes

As Fábricas de Cultura da zona leste oferecem cursos de férias e oficinas gratuitas e abertas ao público. São atividades nas linguagens dança, música, teatro, multimeios, artes visuais, circo e xadrez.

Para participar, não é necessário realizar inscrição.
Mais informações no site www.fabricasdecultura.sp.gov.br

Horários de Funcionamento

De terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (Noturno: conforme grade de atividades de cada unidade)

Local e contato


Fábrica de Cultura Parque Belém

Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)
(11) 2618-3447

Fábrica de Cultura de Vila Curuçá

Rua Pedra Dourada, 65
(11) 2016-3316

Fábrica de Cultura de Itaim Paulista

Rua Estudantes da China, 500
(11) 2025-1991

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281
(11) 2556-3624

Fábrica de Cultura de Sapopemba

Rua Augustin Luberti, 300
(11) 2012-5803

https://www.fabricadecultura.org.br

04-10-2017-FABRICAS DE CULTURA-CAPÃO REDONDO-ZONA SUL SP-9

Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha

Oficinas, brincadeiras e atividades gratuitas de cinema, literatura, artes visuais, música, dança, Hip-Hop, teatro e cultura geral para crianças de todas as faixas etárias.

Para algumas atividades é necessário realizar inscrição.
Mais informações no site www.fabricasdecultura.sp.gov.br

Horários de Funcionamento


Brasilândia | Capão Redondo | 
Jardim São Luís | Vila Nova Cachoeirinha

Terça a sexta, das 9h00 às 20h00. Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.

Jaçanã

Terça a sexta, das 9h00 às 17h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Local e contato


Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 (Entrada 1) / Avenida Inajar de Souza, 7001(Entrada 2)
(11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, S/N (Entrada 1) / Rua Algard, 82 (Entrada 2)
(11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Jaçanã

Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138
(11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651
(11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575
(11) 2233-9270

www.fabricasdecultura.sp.gov.br

#FériasNaCultura – TODOS OS PÚBLICOS

#FériasNaCultura

TODOS OS PÚBLICOS

Apresentação de filmes, oficinas, brincadeiras e espetáculos fazem parte das atividades

Nos meses de dezembro e janeiro, as instituições da Secretaria da Cultura do Estado terão programação especial para os meses de férias. Contações de histórias, jogos, oficinas, filmes, espetáculos e brincadeiras estão entre as atividades – a maioria delas gratuita.

Vale lembrar que os museus da Secretaria da Cultura do Estado têm entrada gratuita aos sábados (exceto o MIS-SP, que oferece entrada livre às terças-feiras).

BIBLIOTECAS

premio-sao-paulo-de-literat

Biblioteca Parque Villa Lobos

A Biblioteca recebe a mostra com reproduções fac-símile do caderno de viagem que o artista Rubens Matuck fez durante suas idas ao Parque Villa-Lobos entre 2015 e 2017. Além disso, aprenda a confeccionar o seu próprio caderno de viagem com técnicas simples e rápidas de encadernação. Munido de seu caderno, passeie pelo parque observando a diversidade de espécies encontradas pelo caminho.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros

(11) 3024-2500
www.bvl.org.br

PROGRAMAÇÃO

Exposição-Caderno: Villa-Lobos 2015-2017, Rubens Matuck

De 16 de dezembro de 2017 a 18 de março de 2018.

A Biblioteca recebe a mostra com reproduções fac-símile do caderno de viagem que o artista Rubens Matuck fez durante suas idas ao Parque Villa-Lobos entre 2015 e 2017. A mostra propõe um caminhar por dentro das experiências que o artista teve durante suas investigações pelo parque. Curadoria de Beatriz Matuck. Não é necessário inscrição.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Rubens Matuck.

Construindo um Caderno de Viagem

Dia 13 de janeiro, sábado, das 14h00 às 16h00.

Confeccione o seu próprio caderno de viagem com técnicas simples e rápidas de encadernação. Munido de seu caderno, passeie pelo parque observando a diversidade de espécies encontradas pelo caminho. Atividade em paralelo à exposição. A partir de 5 anos.

Não é necessário inscrição.
Com Rubens Matuck.

Domingo no Parque

Domingo, 28 de janeiro, das 11h00 às 16h00.

Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias no Parque Villa-Lobos.

Com a Cia Mapinguary.
Não é necessário inscrição.
Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da Biblioteca.

Jogos de Videogame

De terça a domingo, das 9h30 às 18h30.

A BVL oferece aos seus frequentadores mais uma opção de diversão, uma sala equipada com videogame, com os jogos mais legais do momento.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Jogos Sensoriais

Terças-feiras, das 16h30 às 17h30.

Divertida experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Jogos para Todos! Oficina de Xadrez

Sábados, das 15h00 às 17h00.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Carlos Oliveira.

Leitura ao Pé do Ouvido

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

Quartas-feiras, das 16h30 às 17h00.
  • 03/01 – Papo de anjo: Uma radiografia paulistana, de José Angelo Potiens
    Com equipe BVL.
  • 10/01 – Adoniran: Se o senhor não tá lembrado, de Flávio Moura e André Nigri
    Com equipe BVL.
  • 17/01 – Mario de Andrade: Melhores Poemas, organizado por Gilda de Mello e Souza
    Com equipe BVL.
  • 24/01 – 1001 Ruas de São Paulo: Guia sobre a história dos homenageados nas placas da cidade, de Silvia Costa Rosa
    Com equipe BVL.
  • 31/01 – Ronda da meia noite: Vícios, misérias e esplendores da cidade de São Paulo, de Sylvio Floreal.
    Com equipe BVL.

Pontos MIS

Quartas-feiras, às 14h00.

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o projeto promove o contato com obras do cinema por meio de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo.

A fuga das galinhas

Dir. Peter Lord, Nick Park, Estados Unidos, 2000, 84 min.
Elenco: Mel Gibson, Julia Sawalha, Phil Daniels
Gênero: animação. Classificação: Livre

No galinheiro de uma fazenda inglesa dos anos 1950, galinhas cumprem sua função e vivem pacatamente sonhando com uma vida melhor. Uma delas, Ginger, sonha com a liberdade e planeja sair voando dali junto com suas companheiras.

Não é necessário inscrição.

Luau BVL

Quintas-feiras, das 16h00 às 17h00 (no dia 25 não haverá atividade).

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

Compartilhando Saberes: Yoga

Quintas-feiras, 18 e 25 das 16h30 às 17h30.

Em ambiente aconchegante e inspirador você poderá desfrutar desta prática milenar, que promove o bem-estar e a melhora da qualidade de vida. As aulas de Hatha Yoga serão direcionadas com posturas e técnicas simples, que podem ser praticadas por qualquer pessoa, e contemplam o trabalho dinâmico do corpo (alongamento – fortalecimento muscular – equilíbrio), a concentração na respiração e o relaxamento.
Recomenda-se que os praticantes ingiram apenas alimentos leves antes da aula e usem roupas confortáveis.

Com Fabiana Weykamp.

Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Clube de Leitura

Sexta-feira, 26, das 15h00 às 17h00.

Todos os meses a BVL seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Desconstruindo Una, por Una.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

bsp-header1

Biblioteca de São Paulo

Nos dias 7 e 21 de Janeiro, será realizado o Domingo no Parque, espaço de leitura para toda a família no Parque da Juventude. Além disso, oficinas, jogos e filmes fazem parte da programação de férias.

Horários de Funcionamento

Terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800
www.bsp.org.br

PROGRAMAÇÃO

Domingo no Parque

Espaço de leitura para toda a família no Parque da Juventude.

Domingos, 7 e 21 no Parque da Juventude.
  • 11h30 às 12h15 – Sessões do programa Lê no Ninho, com equipe BSP.
  • 12h15 às 16h00 – Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias.
    • 07/01 – Com a Cia Mapinguary.
    • 21/01 – Com a Cia Duo Encantado.

Não é necessário inscrição.
Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da Biblioteca.

Atenção: nos dias 14 e 28 o programa Lê no ninho será realizado dentro da BSP.

Jogos para Todos! Oficina de Xadrez

Sábados, das 11h00 às 13h00.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Carlos Oliveira.

Jogos Sensoriais

Terças-feiras, das 15h00 às 16h00.

Divertida experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Com equipe BSP.
A partir de 11 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Pontos MIS

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o programa promove o contato com obras do cinema através de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo, democratizando assim o contato com produções audiovisuais e viabilizando a formação de plateias.

Sessão Adulto, quartas-feiras, às 10h00.

The Masp Movie

Dir. Hamilton Zini Jr., Salvador Messina e Sylvio Pinheiro, Brasil, 1986, 9 min.
Classificação: Livre
O dia em que o MASP, enfurecido com um grupo de turistas, cria vida e sai para um catastrófico passeio pela cidade.

O jeca e a freira

Dir. Amácio Mazzaropi,Brasil, 1968, 102 min.
Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Maurício do Valle, Elizabeth Hartman, Nello Pinheiro, Paulette Bonelli, Carlos Garcia, Izaura Bruno, Claudio R. Mechi, Denise Barreto, Ewerton de Castro.
Gênero: comédia.
Classificação: livre.

Em uma fazenda no interior do Brasil, no século XIX, um senhor de terras se responsabiliza pela educação da filha de um dos seus colonos e acaba criando a menina como se fosse a própria filha. Anos mais tarde, quando a jovem regressa do colégio em companhia de uma freira, o fazendeiro faz de tudo para que ela não reconheça seus verdadeiros pais. Bonita e educada, a moça também atrai a atenção dos rapazes da vizinhança. Agora cabe à freira intervir e ordenar essa confusão. Comédia escrita, dirigida e protagonizada por Amácio Mazzaropi, O Jeca e a Freira foi o seu quinto filme.

Sessão Infantil, sextas-feiras, às 15h30.

O Fantástico Sr. Raposo

Dir. Wes Anderson, Estados Unidos, 2009, 87 min.
Elenco: George Clooney, Meryl Streep, Bill Murray
Gênero: animação. Classificação: livre

Após 12 anos de felicidade bucólica, o Sr. Raposo descumpre a promessa que fez à esposa e invade as fazendas dos vizinhos Boggis, Bunce e Bean. Ceder aos seus instintos animais coloca em perigo não somente o seu casamento, mas também a vida de sua família e seus amigos. Quando os fazendeiros montam uma armadilha para o Sr. Raposo, ele tem que confiar na sua astúcia natural para vencer o oponente.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Leitura ao Pé do Ouvido

Sextas-feiras, das 16h30 às 17h00.

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

  • 05/01 – Crônicas para ler na escola, de Carlos Heitor Cony.
    Com equipe BSP.
  • 12/01 – Não verás país nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão.
    Com equipe BSP.
  • 19/01 – Se eu fosse um livro, de José Jorge Letria.
    Com equipe BSP.
  • 26/01 – Brás, Bexiga e Barra Funda: notícias de São Paulo, de Antônio de Alcântara Machado.
    Com equipe BSP.

Não é necessário inscrição.

Luau BSP

Quintas-feiras, das 12h30 às 13h30 (no dia 25 não haverá atividade).

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Com equipe BSP.
É necessário retirar senhas com 30 minutos de antecedência.

Leitura Dramática Factuais (ProAC)

Terça-feira, 30, das 15h00 às 16h00.

A autora Julia Pedreira fará uma leitura de alguns poemas de seu novo livro, “Factuais” seguido de um debate sobre a obra e seus desdobramentos. Indicado a todos os interessados em literatura e artes em geral.

Não é necessário inscrição.

Sarau na BSP

Domingo, 21, das 14h30 às 16h30.

Literatura, canto e poesia.

Com o Grupo de Poetas Cantores e Declamadores Independentes de São Paulo.

Coordenação de Terezinha Rocha.
Não é necessário inscrição.

Clube de Leitura

Quinta-feira, 18, das 15h00 às 17h00.

Todos os meses a BSP seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar.

Com equipe BSP.
Não é necessário inscrição.

Curso de Contação de Histórias

Terças-feiras, de 23 de janeiro a 20 de março das 14h30 às 17h30.

Carga horária: 24 horas.

A ideia é trabalhar a potencialidade das narrativas de literatura oral como uma ferramenta de aproximação, comunicação e expressão.  O conteúdo programático abordará os vários tipos de histórias – como lendas, mitos, fábulas, história de origem, contos de fadas, entre outros -, a relação com a música, técnicas como interpretação, oralidade e improvisação, e o papel do contador de história ao longo da história universal.

Indicado para pessoas a partir de 16 anos (cursando o ensino médio).
Realização: Associação Arte Despertar em parceria com a Biblioteca de São Paulo.
Inscrições por e-mail (agenda@bsp.org.br) ou no balcão de atendimento da biblioteca (de terça a sexta-feira, das 9h30 às 17h30).

MUSEUS

CAPITAL

Casa-de-Mário-de-Andrade

Casa Mário de Andrade

A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. Aberta à visitação, o Museu abriga uma exposição permanente com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. Realiza, também, uma intensa programação de atividades culturais e educativas.

Horários de Funcionamento

Terça-feira a sábado, das 10h00 às 18h00

Local e contato

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo – SP

(11) 3666-5803 | 3826-4085
www.oficinasculturais.org.br/

PROGRAMAÇÃO

Oficina de dança

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 9, 10, 11 e 12 de janeiro – das 15h00 às 17h00

Por Danielle Rocha

Nesta oficina, direcionada aos amantes da dança, o público terá a oportunidade de vivenciar a expressão corporal por meio de coreografias e músicas étnicas, com destaque para as danças brasileiras.

Oficina de ilustração para jogos e games

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 16, 17, 18 e 19 de janeiro – das 13h0 às 16h00

Por Marcelo Rampazzo

A oficina, destinada ao público interessado em atividades relacionadas às artes plásticas, pretende estimular a produção de ilustração para jogos e criação de personagens para videogames. Nos encontros, os participantes poderão criar seus próprios trabalhos com a orientação do ilustrador Marcelo Rampazzo.

Oficina de criação literária

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 30 e 31 de janeiro e 1 e 2 de fevereiro – das 15h00 às 17h0

Por Paula Autran

Durante a oficina serão desenvolvidas atividades práticas de redação e leitura crítica, intercaladas com a apresentação e a análise de clássicos da literatura. Os participantes poderão desenvolver suas próprias narrativas, orientados pela coordenadora da atividade.

Oficina de canto e técnica vocal

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 6, 7, 8 e 9 de fevereiro – das 13h00 às 15h00

Por Alice Juguero

A oficina de canto pretende estimular os participantes no desenvolvimento artístico aplicado à arte vocal de acordo com o perfil de cada aluno, identificando suas características próprias e ampliando seu repertório musical em vários estilos.

Casa Mário de Andrade inaugura Centro de Pesquisa e Referência

16/1 a 27/3. Terças-feiras, das 14h00 às 18h00.

O Centro de Referência Mário de Andrade nasce com o objetivo de preservar, pesquisar e difundir a obra do escritor símbolo do modernismo

 Poeta, escritor, cronista, músico, pesquisador e figura ativa nas áreas de gestão e política cultural, Mário de Andrade é um dos principais agentes do modernismo brasileiro, tendo colaborado, também, com o estudo e a valorização das tradições culturais brasileiras. Para promover o conhecimento das contribuições do artista para a história da cultura e da arte no Brasil, a Casa Mário de Andrade, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, inicia em janeiro, as atividades do Centro de Pesquisa e Referência Mário de Andrade.

O objetivo do Centro de pesquisa é estudar e difundir a obra do poeta modernista, explorando temas que foram objeto de seu interesse e de seu trabalho, como a literatura, a música, as artes plásticas, a crítica (inclusive de cinema) e a gestão e a política cultural, além de promover produções teatrais baseadas em adaptações dramáticas da obra do escritor.

A primeira atividade do centro é a criação do grupo de estudos Mário e a música, que será entre 16 de janeiro e 27 de março. Durante os dez encontros, os participantes se dedicam ao conhecimento da atuação de Mário na área da música a partir da leitura e a discussão dos livros Ensaio sobre a música brasileira e Pequena história da música. A atividade inclui visitas a locais que tiveram relevância na vida e na obra do escritor: o Theatro Municipal, palco da Semana de Arte Moderna de 1922, o Conservatório Dramático Musical de São Paulo, local em que o musicólogo lecionou, e a Discoteca Pública Municipal Oneyda Alvarenga, fundada por ele na década de 1930.

Veja abaixo o cronograma da atividade, orientada por Haran Rodrigues:

  • 16/1 | Apresentação do projeto
  • 23/1 | Discussão de trechos selecionados do Ensaio sobre a Música Brasileira
  • 30/1 | Saída: Theatro Municipal e Conservatório Dramático Musical de São Paulo
  • 6/2   | Discussão de trechos selecionados da Pequena História da Música
  • 20/2 | Discussão de trechos selecionados do Ensaio sobre a Música Brasileira
  • 27/2 | Saída: Discoteca Pública Municipal Oneyda Alvarenga
  • 6/3   | Discussão de trechos selecionados da Pequena História da Música
  • 13/3 | Discussão de trechos selecionados do Ensaio sobre a Música Brasileira
  • 20/3 | Escolha de temas para preparação de artigos ou estudos relacionados à pesquisa
  • 27/3 | Orientação para encaminhamento dos trabalhos e definição de data de entrega

Recomendação etária: livre.
40 vagas.

Inscrições gratuitas no site: www.casamariodeandrade.org.br

Jogos para Todos! Oficina de Xadrez

Sábados, das 15h00 às 17h00.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Carlos Oliveira.

Leitura ao Pé do Ouvido

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

Quartas-feiras, das 16h30 às 17h00.
  • 03/01 – Papo de anjo: Uma radiografia paulistana, de José Angelo Potiens
    Com equipe BVL.
  • 10/01 – Adoniran: Se o senhor não tá lembrado, de Flávio Moura e André Nigri
    Com equipe BVL.
  • 17/01 – Mario de Andrade: Melhores Poemas, organizado por Gilda de Mello e Souza
    Com equipe BVL.
  • 24/01 – 1001 Ruas de São Paulo: Guia sobre a história dos homenageados nas placas da cidade, de Silvia Costa Rosa
    Com equipe BVL.
  • 31/01 – Ronda da meia noite: Vícios, misérias e esplendores da cidade de São Paulo, de Sylvio Floreal.
    Com equipe BVL.

Pontos MIS

Quartas-feiras, às 14h00.

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o projeto promove o contato com obras do cinema por meio de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo.

A fuga das galinhas

Dir. Peter Lord, Nick Park, Estados Unidos, 2000, 84 min.
Elenco: Mel Gibson, Julia Sawalha, Phil Daniels
Gênero: animação. Classificação: Livre

No galinheiro de uma fazenda inglesa dos anos 1950, galinhas cumprem sua função e vivem pacatamente sonhando com uma vida melhor. Uma delas, Ginger, sonha com a liberdade e planeja sair voando dali junto com suas companheiras.

Não é necessário inscrição.

Luau BVL

Quintas-feiras, das 16h00 às 17h00 (no dia 25 não haverá atividade).

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

Compartilhando Saberes: Yoga

Quintas-feiras, 18 e 25 das 16h30 às 17h30.

Em ambiente aconchegante e inspirador você poderá desfrutar desta prática milenar, que promove o bem-estar e a melhora da qualidade de vida. As aulas de Hatha Yoga serão direcionadas com posturas e técnicas simples, que podem ser praticadas por qualquer pessoa, e contemplam o trabalho dinâmico do corpo (alongamento – fortalecimento muscular – equilíbrio), a concentração na respiração e o relaxamento.
Recomenda-se que os praticantes ingiram apenas alimentos leves antes da aula e usem roupas confortáveis.

Com Fabiana Weykamp.

Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Clube de Leitura

Sexta-feira, 26, das 15h00 às 17h00.

Todos os meses a BVL seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Desconstruindo Una, por Una.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

fachada_pacaembu

Museu do Futebol

O Museu do Futebol promoverá, de 26 de dezembro a 28 de janeiro, das 10h00 às 17h00, o “Férias no Museu”, espaço instalado no avesso das arquibancadas do Estádio do Pacaembu destinado a brincadeiras, oficinas e atividades variadas, com mesas de pebolim, futebol de botão e ping-pong e recreadores que oferecerão dinâmicas para toda a família.
O acesso ao espaço é gratuito.

Horários de Funcionamento

Terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)|
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)*

* O Museu não abre às segundas-feiras e nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, 01 de janeiro e quarta-feira de cinzas.

R$ 10,00 | Meia-entrada: R$ 5,00 | Grátis aos sábados

Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais.

Local e contato

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu, São Paulo- SP

(11) 3664-3848
www.museudofutebol.org.br​

 

OFICINAS

CULTURAIS

OCOswalddeAndrade_fotoMarciaAlves640x480

Oficina Cultural Oswald de Andrade

A Oficina Cultural Oswald de Andrade oferece diversos espetáculos gratuitos em sua programação. Em janeiro, o espaço recebe a peça Sonhos para Vestir, dirigida por Vera Holtz. Além desse espetáculo, outros dois entram em cartaz no primeiro mês do ano. Bendito seja seu maldito nome, do Grupo Palco Meu; e SOS quase tudo , um espetáculo clownesco que conta a história de uma bruxa que recebe cartas, telefonemas e mensagens com os mais diversos pedidos de ajuda.

Todas as peças são gratuitas e possuem 30 lugares por sessão.
É necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Horários de Funcionamento

Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00.

Local e contato

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3221-4704
www.oficinasculturais.org.br
oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

PROGRAMAÇÃO

Sonhos para vestir

18/1 a 20/1. Quinta e sexta-feira às 20h00, sábado às 18h00 | 55 min.

Recomendação etária: 18 anos

As cartas trocadas entre Sara Antunes e seu pai desde a infância até a morte dele, há cinco anos, serviram de inspiração para a montagem “Sonhos para Vestir”, escrita e estrelada pela atriz. Com cenário assinado por Analu Prestes e direção de Vera Holtz, a peça provoca uma reflexão lúdica e poética sobre sonhos, como alcançá-los e traduzi-los em palavras.

Ficha técnica
Texto e Interpretação: Sara Antunes
Direção: Vera Holtz

Bendito seja seu maldito nome

22/1 a 28/3, segunda a quarta-feira às 20h00 (sem sessão nos dias 12, 13 e 14/2) | 90 min.

Recomendação etária: maiores de 16 anos

A luta pela sobrevivência, onde quem faz a lei é quem fala mais alto. Personagens sem escrúpulos, imorais, amorais e marginalizados, dotados de um egoísmo quase latente no que diz respeito a dinheiro. Todos precisam se manter em pé, vivos na expectativa de um amanhã melhor. Dilma vive em queda de braço com Bereco, disputam tudo e vão até as últimas consequências sempre na tentativa de provar quem fala mais alto e manda mais na casa invadida. Os demais fingem aceitar as condições, dissimulam seus sentimentos, e se sobrepõem as ordens cada uma à sua maneira.

Ficha técnica
Roteiro e Direção: Jean Drandrah
Elenco: Ana Roberta Bornia, Analice Pierre, André Rey, Barbara Berta, Diogenes Gonçalves, Gabriel Mello, Gustavo Rosa, Jean Coué, Lu Monteiro, Nando Cunha, Marcus Lunardi, Milene Haddad, Monyke Procópio e Carla Varjão.

SOS quase tudo

26 e 27/1, sexta-feira e sábado às 18h00 | 90 min.

Recomendação etária: maiores de 16 anos

Uma bruxa-palhaça-sensitiva recebe cartas, telefonemas e mensagens com os mais diversos pedidos de ajuda. Através de pequenos rituais ela vai solucionando os problemas. Os trabalhos são personalizados, criados especialmente para cada pessoa e como pessoas são bem parecidas, o que funciona especialmente para alguém, pode funcionar para outros também. O espetáculo é resultante do projeto Payasas sagradas escénicas contemplado pelo IBERESCENA – Ajuda a co-produção de espetáculos ibero-americanos de artes cênicas.

Ficha técnica
Criação e Dramaturgia: Priscila Jácomo e Ricardo Puccetti
Atuação e Texto: Priscila Jácomo
Direção: Ricardo Puccetti – LUME Teatro

#JuntosPelaCultura2022 inscrições abertas

Programa de fomento dirigido ao interior do Estado terá investimento de R$ 44 milhões, linhas novas e o apoio a atividades em formato presencial

O #JuntosPelaCultura, programa de fomento do Governo de São Paulo dirigido ao interior, terá R$ 44 milhões em 2022, valor quatro vezes maior do que em 2021. O lançamento foi feito nesta segunda-feira 28 pelo secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, durante o 64º Congresso Estadual de Municípios, em Campos do Jordão. A edição deste ano irá contemplar mais de 1 mil projetos atingir 250 Prefeituras e apoiar mais de 1,5 mil ações culturais, produzindo um impacto econômico de R$ 71 milhões no setor cultural. O programa, realizado em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Regional e com gestão e produção da Organização Social Amigos da Arte, inclui iniciativas como a Virada SP, o Circuito SP, o Tradição SP e o Revelando SP.

Neste ano, o #Juntospelacultura terá 16 chamadas públicas, sendo 9 para Prefeituras, 6 para artistas e uma para organizações da sociedade civil e coletivos culturais. Haverá, ainda, 4 linhas inéditas e o retorno do apoio a atividades em formato presencial. Boa parte das chamadas públicas são para prefeituras do interior e do litoral. Há também um conjunto de ações relacionadas à plataforma de streaming #CulturaEmCasa, com transmissão gratuita para o público.

“O Juntos pela Cultura visa, essencialmente, fortalecer a parceria entre o Governo e as prefeituras, estimular a produção cultural do interior e incentivar a economia criativa do Estado”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão.

Os secretários de Cultura de Jundiaí, Marcelo Peroni, e Ribeirão Preto, Isabela Pessoti, e a diretora geral da Amigos da Arte, Danielle Nigromonte, participaram do lançamento. “Mais uma vez a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo aposta no setor com uma política cultural que vai muito além de financiar projetos”, afirma Danielle Nigromonte. “O #JuntosPelaCultura tem um valor intrínseco de gerar oportunidades para o desenvolvimento de parcerias entre governo, municípios, organizações e artistas.”

Os interessados – prefeituras do estado de São Paulo e artistas – poderão se inscrever em um dos dois blocos de cadastro do programa. O primeiro fica aberto de 28 de março a 23 de abril. Organizações e coletivos devem se inscrever no primeiro bloco. De 20 de abril a 14 de maio será realizada a segunda parte das inscrições, sempre pelo site www.juntospelacultura.org.br

Mais sobre o #JuntosPelaCultura

O programa visa fomentar a produção, ampliar o acesso à arte e à cultura e, de forma simplificada, articular Estado, prefeituras e segmentos artísticos para a realização de ações culturais, eventos e atividades da economia criativa. Por meio de chamadas públicas, o #JuntosPelaCultura viabiliza parcerias para a execução dos principais programas de difusão cultural paulistas, com gestão da Amigos da Arte.

Desde 2019, o programa lançou 25 chamadas públicas para municípios, artistas e organizações e recebeu mais de 4 mil propostas. As seleções foram realizadas por júris especializados e comissões com maioria da sociedade civil, resultando em 1.977 projetos selecionados, sendo 1.256 de prefeituras e 721 de artistas, produtores culturais e organizações.

Chamadas com inscrições de 28 de março a 23 de abril

 

PARA MUNICÍPIOS

Chamadas públicas para prefeituras municipais do Estado de São Paulo

 

Virada SP

22 municípios serão selecionados para a realização de maratona cultural, com a participação de artistas locais e diversas outras atrações.

Valor total investido: R$ 15,7 milhões

Dúvidas: viradasp22@amigosdaarte.org.br

Tradição SP

100 municípios receberão apoio para realizar eventos tradicionais do calendário local.

Valor total investido: R$ 1,9 milhão

Dúvidas: tradicaosp22@amigosdaarte.org.br

Revelando SP

As tradições culturais dos municípios serão celebradas em uma nova edição deste grande festival, com a participação de 280 artesãos, culinaristas e manifestações populares paulistas.

Valor total investido: R$ 6 milhões

Dúvidas: revelandosp22@amigosdaarte.org.br

Retomada SP

Até 20 municípios receberão apoio à realização de festivais de artes cênicas, música, literatura, audiovisual, economia criativa e cultura popular e tradicional.

Valor total investido: R$4,15 milhões

Dúvidas: retomadasp22@amigosdaarte.org.br

PARA ARTISTAS

Chamadas públicas para violeiros do Estado de São Paulo

 

Concurso Viola SP

16 violeiros serão premiados e poderão ter suas performances acompanhadas pelo público durante o Festival Revelando SP.

Valor total investido: R$ 250 mil

Dúvidas: concurso.violasp22@amigosdaarte.org.br

PARA ORGANIZAÇÕES E COLETIVOS

Chamada pública para organizações e coletivos do Estado de São Paulo

 

+ Orgulho SP

Seleção de 30 projetos de visibilidade para a população LGBTQIA+, de paradas do orgulho, festivais culturais, semanas da diversidade sexual, entre outras atividades culturais.

Valor total investido: R$ 1,1 milhão

Dúvidas: mais.orgulhosp22@amigosdaarte.org.br

 

Chamadas com inscrições de 20 de abril a 14 de maio

 

PARA MUNICÍPIOS

Chamadas públicas para prefeituras municipais do Estado de São Paulo

 

Circuito SP

120 municípios serão selecionados para execução de apresentações artísticas em seus equipamentos culturais.

Valor total investido: R$ 6,7 milhões

Dúvidas: circuitosp22@amigosdaarte.org.br

Programa de Capacitação Revelando SP

Artesãos e culinaristas de até 60 municípios serão selecionados para participar de palestras e mentorias para o fortalecimento da economia criativa local.

Valor total de investimento: R$ 250 mil

Dúvidas: capacita.revelandosp22@amigosdaarte.org.br

Programa + Gestão SP – Capacitação em Economia Criativa para Municípios

100 gestores de  50 municípios serão selecionados para participação em atividades de formação e troca de experiências, visando fortalecer a economia criativa paulista.

Valor total de investimento: R$ 1 milhão

Dúvidas: mais.gestaosp22@amigosdaarte.org.br

Arte Urbana SP

100 municípios serão selecionados e receberão apoio para realização de murais de arte urbana, executados por artistas, grupos e coletivos de relevância no cenário cultural local e regional.

Valor total investido: R$ 2,95 milhões

Dúvidas: arteurbanasp22@amigosdaarte.org.br

Cria SP

Até 10 municípios receberão apoio à elaboração de estudos com diretrizes locais de atuação em Economia Criativa visando subsidiar dossiês de candidatura junto à Unesco para participação na Rede de Cidades Criativas.

Valor total investido no Cria SP: R$ 1,15 milhão

Dúvidas: criasp22@amigosdaarte.org.br

PARA ARTISTAS

Chamadas públicas para artistas do Estado de São Paulo

 

Concurso de Batalhas de Rima SP

As 32 batalhas de freestyle mais relevantes do estado serão premiadas e terão seus rimadores em competição final contemplando diversas vertentes da cultura urbana de São Paulo.

Valor total investido: R$ 300 mil

Dúvidas: concurso.batalhasp22@amigosdaarte.org.br

Concurso Slam SP

Os 16 poetas de slam mais relevantes do estado serão premiados e participarão de competição final contemplando diversas vertentes da cultura urbana de São Paulo.

Valor total: R$ 225 mil

Dúvidas: concurso.slamsp22@amigosdaarte.org.br

Concurso Break SP

Os 32 bboys e bgirls mais relevantes do estado serão premiados e participarão de competição final contemplando diversas vertentes da cultura urbana de São Paulo.

Valor total investido: R$ 225 mil

Dúvidas:  concurso.breaksp22@amigosdaarte.org.br

Concurso de Piano Guiomar Novaes

22 pianistas do Estado de São Paulo serão selecionados e premiados na 45ª Semana Guiomar Novaes.

Valor total investido: R$ 500 mil

Dúvidas: concurso.pianosp22@amigosdaarte.org.br

Festival Circo SP

Seleção de 100 números circenses para participação no festival que celebra esta arte milenar.

Valor total investido: R$ 1,6 milhão

Dúvidas: festivalcircosp22@amigosdaarte.org.br

CRONOGRAMA

Inscrições:

1º bloco de chamadas – 28 de março a 23 de abril

2º bloco de chamadas – 20 de abril a 14 de maio

Resultados: até 22 de julho.

Saiba mais:

www.juntospelacultura.org.br

+55 (11) 3882-8080 (whatsapp)

#MuseumSelfieDay nos museus da #CulturaSP!

Confira algumas dicas para não fazer feio na hora de fazer suas selfies nos espaços da Secretaria da Cultura

(mais…)

#MuseumSelfieDay: Campanha da Secretaria de Cultura e Economia Criativa dá ingressos a quem publicar fotos nos museus

Ação convida público a postar selfie em museu no Instagram para ganhar par de ingressos para outra instituição do Estado

(mais…)

#MuseumWeek 2018! Veja como participar.

Os museus do Governo do Estado de São Paulo participam, de 23 a 29 de abril, da #MuseumWeek 2018, ação promovida pelo Twitter para instituições culturais de todo o mundo.

Por desempenhar um papel vital no desenvolvimento da sociedade, cultura, arte, ciência e educação ajudam a construir laços sem fronteiras entre as pessoas. Com base nisso, em 2018, os temas da semana estão relacionados à tolerância, cidadania e convivência. Para cada dia da semana, haverá uma hashtag diferente, representando um tema específico.

Coordenadora de mídias digitais da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Patricia Carvalho ressalta a participação na #MuseumWeek há alguns anos. “É uma ótima oportunidade para iniciar uma conversa com instituições de todo o mundo e conversar com nossos fãs e visitantes também. Além disso, nos ajuda a manter nossos perfis em mídias sociais atualizados e com espírito novo, moderno e global. Estamos felizes por fazer parte disso mais um ano”.

A riqueza e a amplitude de ações e atividades realizadas por um museu ganharam projeções maiores nos últimos anos com as mídias sociais. A #MuseumWeek é prova disso, e abriu novas possibilidade de comunicação para a construção de relacionamentos entre as instituições e o público.

Um dos participantes da #MuseumWeek 2018, o Memorial da Resistência de São Paulo aposta na força digital para mostrar que um museu pode ser muito divertido na internet. “Quando usamos a hashtag do #MuseumWeek, estimulamos discussões fundamentais sobre a função dos museus no mundo contemporâneo”, explica Marília Bonas, coordenadora do Memorial. “A perspectiva crítica das instituições sobre si mesmas – como a invisibilidade de alguns procedimentos e lacunas nas coleções, além da baixa valorização das áreas técnicas e os desafios cotidianos, acabam alcançando diversos públicos e fortalecendo toda a cadeia do museu”, comenta.

Daniela Alfonsi, coordenadora do Museu do Futebol em São Paulo, fala sobre a participação na #MuseumWeek. “É uma ótima oportunidade para mostrar o Museu do Futebol de forma criativa, além de participar de um evento de cultural que acontece em todo o mundo. A comunicação em um museu não poderia ficar longe das novas tecnologias e linguagens. Temos que participar dessa experiência para entender e propor novas maneiras de conversar com o público”, destaca Daniela.

“Participar da #MuseumWeek é uma forma de espalhar notícias sobre as nossas atividades para todos os tipos de público, e também de saber mais sobre o que está rolando no mundo das artes. O Paço das Artes quer estar em constante diálogo com seguidores e visitantes”, complementa Priscila Arantes, diretora técnica e curadora do Paço das Artes.

Confira a lista dos temas diários:

– Segunda-feira (dia 23) – #womenMW – Dia dedicado às mulheres famosas nos campos da história, arte, cultura e ciência, bem como todas aquelas anônimas cujas vidas estruturam nossas sociedades.

– Terça-feira (dia 24) – #cityMW – Dia para um olhar especial sobre as nossas cidades, destacando o quanto a instituição compõe o cenário social e é parte integrante da cidade onde está instalada.

– Quarta-feira (dia 25) – #heritageMW – Dia para celebrar a herança cultural e social, desde o prédio em que a instituição está instalada até o seu acervo e o desejo de proteger e manter viva essa herança.

– Quinta-feira (dia 26) – #professionsMW – Dia para as instituições destacarem as habilidades que as mantêm vivas, ou seja, os profissionais que nela atuam.

– Sexta-feira (dia 27) – #kidsMW – Dia para mostrar como cada instituição se dirige às crianças e ainda celebra visões da infância na arte e na cultura.

– Sábado (dia 28) – #natureMW – Dia dedicado a mostrarmos a influência da naturezanas instituições.

– Domingo (dia 29) – #differenceMW – Dia dedicado a mostrar como as instituições representam a diferença na arte, ciência, história e vida social.

#Podcast traz o melhor da Osesp em 2020

A temporada 2020 da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, que neste ano celebrou os 250 anos Beethoven, foi o tema do #podcastgovernodesp, que contou com a participação do Secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, e do diretor-executivo da Fundação Osesp, Marcelo Lopes. O ano também ficou marcado pela chegada do novo regente da orquestra, o suíço Thierry Fischer.

A Osesp seguiu com suas atividades mesmo durante o período de isolamento social em decorrência da pandemia da Covid-19. Os músicos realizaram apresentações de suas casas e, após a liberação do retorno à Sala São Paulo, retomaram os concertos. Olhando para 2021, Sérgio Sá Leitão e Marcelo Lopes falaram sobre a  51ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão, que irá ocorrer de 19 de junho a 15 de agosto de 2021.

Clique no #Podcastgovernodesp para ouvir o programa na íntegra.

Leia mais:

Festival De Campos Do Jordão Terá Edição Histórica Em 2021

#ProACExpresso prorroga prazo para inscrição em editais

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa prorrogou as inscrições para projetos nas linhas de teatro, dança, infanto-juvenil, festivais, circo, artes visuais e música. As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas através do site www.proac.sp.gov.br. Confira os editais com novos prazos:

Prazo prorrogado para 30/07, até às 17h:

Teatro
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de teatro
– Circulação de espetáculos de teatro

Dança
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de dança
– Circulação de espetáculos de dança

Infanto-Juvenil
– Produção e temporada de espetáculos inéditos para o público infanto-juvenil
– Circulação de espetáculos para o público infanto-juvenil

Prazo prorrogado para 31/07, até às 17h:

Festivais
– Festivais, mostras, feiras, mercados de cultura e artes e festas populares

Circo
– Aquisição e manutenção de lonas de circo
– Produção e circulação de espetáculos circenses

Artes Visuais
– Produção de exposições inéditas de artes visuais

Música
– Produção e circulação de espetáculos inéditos de música
– Gravação de álbuns musicais inéditos e realização de shows de lançamento

#SmashTheGlass debate o assédio sexual – Participe!

“Mulher é vítima de assédio em metrô de São Paulo”.

“Mulher sofre assédio sexual dentro de ônibus na Avenida Paulista”.

“Transporte público é local onde mulheres mais sofrem assédio”.

“Mulher é espancada pelo marido dentro de casa”.

Em 2017, situações alarmantes como essas chamaram a atenção da mídia e do público. Para debater o tema, um dos mais polêmicos da atualidade, o Governo do Canadá no Brasil e a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI) do governo do estado de São Paulo promovem a segunda edição do #SmashTheGlass.

O evento será realizado em 7/3, na Pinacoteca, das 14h às 18h. Interessados  devem fazer inscrição pelo link  https://goo.gl/Dm1A2T. O evento é livre e gratuito, mas as vagas são limitadas.

Este ano, o #SmashTheGlass vai discutir a violência e o assédio em espaços públicos e a necessidade de melhorar o atendimento de mulheres vítimas de todo tipo de assédio, assim como estabelecer medidas mais eficazes para combater o abuso sexual. Em dois painéis o público será convidado a refletir sobre as “Violências diárias” e os “Avanços e desafios na luta contra a violência”.

Do primeiro painel participam Kelly Campos, presidente do Comitê da Diversidade da OAB de Suzano e colaboradora do Ativismo de Sofá; Cristiane Pereira, coordenadora do Centro de Referência e Apoio à Vítima (CRAVI), Marisa Sanematsu, diretora de conteúdo da Agência Patrícia Galvão e Maíra Zapater, Doutora em Direitos Humanos pela USP especialista em Direito Penal e Processual Penal. O painel terá ainda como moderadora a jornalista Sarah DiLorenzo da Associated Press. Compõem a segunda mesa,Tatiana Perrone, do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) como moderadora e as palestrantes  Samira Bueno, diretora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública; Evelyne Coulombe, cônsul-geral do Canadá no Rio de Janeiro; Paula Sant´Anna Machado de Souza, coordenadora auxiliar do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública (NUDEM).

Compõem o segundo painel, Tatiana Perrone, do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) como moderadora e as palestrantes  Samira Bueno, presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública; Evelyne Coulombe, cônsul-geral do Canadá no Rio de Janeiro; Paula Sant´Anna Machado de Souza, coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública (NUDEM).

O objetivo é dar visibilidade ao assunto a partir da realidade brasileira.  “O assédio  é muito banalizado e muitas mulheres ainda têm dificuldade de identificar o ato”, diz Ana Paula Fava, chefe da AEAI .  “Os desafios da mulher ainda são muitos e a intenção é sempre colocar algum aspecto dessa realidade em pauta. O estado de São Paulo investe em treinamento policial e conta com uma rede atual de 133 delegacias especializadas em crimes contra a mulher, mas avançar e discutir é  necessário”, concluiu.

Para o Cônsul-Geral do Canadá em São Paulo, Stéphane Larue,  “é uma honra fazer parte dessa conversa tão importante para os avanços nos direitos das mulheres. Um dos principais compromissos do Canadá é combater a violência de gênero e ampliar a discussão sobre as causas, efeitos e maneiras de combater o abuso sexual. Quanto mais debatermos temas relevantes como este, mais poderemos direcionar nossos esforços conjuntos para melhorar a condição das mulheres na sociedade e conscientizar os homens da importância de combater a violência e o machismo cotidiano. Todos sofremos quando as mulheres sofrem violência.”

 #SmashTheGlass – 1ª edição

A primeira edição do  #SmashTheGlass, organizado pelo Governo do Canadá no Brasil e a Assessoria Internacional do governo paulista,  aconteceu  em 8 de março do ano passado, também na Pinacoteca, e reuniu cerca de 200 pessoas. Com a participação das vlogueiras Jout Jout e Ana Paula Xongani (Xongani Moda Afro), Nana Lima da ONG  Think Olga, Raquel Elita Preto (Preto Advogados), as canadenses Sylvie Faria (diretora da Mercuri Urval) e Alison Grant (ministra-conselheira da Embaixada do Canadá) e a então secretária-adjunta de Desenvolvimento Social do estado paulista Marina Bragante, foram discutidos os desafios e conquistas da mulher no mercado de trabalho e empreendedorismo.

Por definição, Smash The Glass traduz um conceito de que as mulheres enfrentam uma barreira invisível, mas intransponível, para alcançarem os postos de comando em estruturas corporativas. Significa que, por mais capacitadas e qualificadas que estejam para uma determinada função (em sua maioria a de maior responsabilidade e maior salário), acabam sempre ocupando cargos inferiores aos dos conquistados pelos homens.

“O Mundo que Queremos”

O “SMASHTHEGLASS” é o primeiro evento da agenda anual “O Mundo que Queremos”, organizada pela AEAI este ano em comemoração a Declaração Universal de Direitos Humanos que completa 70 anos em 10 de dezembro deste ano.  O documento foi assinado em 1948 por unanimidade durante a Assembleia Geral da ONU em Paris.
“O Mundo que Queremos” dá sequência a uma série de eventos da AEAI que contempla os direitos humanos para ampliar a discussão dos temas. Organizados em parceria com consulados e embaixadas, este ano serão 7 eventos, a maioria realizada em museus do estado paulista.
Nos últimos dois anos, a Assessoria Internacional viabilizou o Feirão do Emprego para Refugiados e Imigrantes, o #SMASHTHEGLASS e o POW3R em defesa dos direitos da mulher, o festival de cultura LGBT Diversa Fest, o Beya Kaya que promoveu o debate e a cultura das questões indígenas, entre outros.

Programação

A programação de “O Mundo que Queremos” tem apoio da Secretaria estadual da Cultura e foi organizada para contemplar os principais artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Sempre com entrada gratuita, cada ação vai envolver integrantes da sociedade civil, representantes do governo e empresas, comunidade acadêmica e lideranças estrangeiras para o debate de pautas globais e urgentes como o assédio sexual, as cotas raciais, a homofobia, a causa de refugiados e imigrantes, entre outras que tratam os artigos da declaração estabelecidos como direitos fundamentais e ainda violados pelo mundo afora.
Os encontros de “O Mundo que Queremos” serão realizados sempre próximas a datas comemorativas como 8 de março (Dia Internacional da Mulher),  13 de maio (Abolição da Escravatura no Brasil),  28 de junho (Dia Internacional do Orgulho LGBT), 9 de agosto (Dia Internacional dos Povos Indígenas),  21 de setembro (Dia Internacional da Paz), 10 de outubro (Dia Internacional da Menina).

No dia 10 de dezembro, o último evento vai reunir todos os parceiros e demais convidados para uma grande festa reflexiva em celebração as 7 décadas da assinatura do documento.
Interessados em participar desta agenda anual – consulados, câmaras de comércio, fundações, organizações não governamentais e demais entidades – devem entrar em contato pelo e-mail aeai@sp.gov.br.

#SPGastronomia: museus, bibliotecas e Fábricas de Cultura têm programação relacionada ao tema em outubro

Oficinas que unem literatura e culinária, jogos sobre alimentação, oficinas de empreendedorismo no setor e exibições de filmes que abordam a gastronomia integram o calendário

(mais…)

#ViagemLiterária: Bibliotecas do interior paulista recebem escritores de Literatura Fantástica

Programa Viagem Literária acontece entre os dias 9 de setembro e 2 de outubro, percorre 76 cidades e é destinado a todas as idades

(mais…)

#ViradaSP chega a Caraguatatuba neste sábado

Artistas de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo,  estão na programação da edição deste sábado, 19/12, a partir das 12h. Transmissão ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso

(mais…)

#ViradaSP Online 2021 inicia neste sábado (7) com shows de Sidney Magal e Marina Lima e estreia de quadro especial com Rolando Boldrin

Na agenda também está a apresentação da violonista Maria Ó e atrações artísticas de São José dos Campos, selecionada no programa de difusão e fomento cultural, #JuntospelaCultura

Link com fotos: https://we.tl/t-CiLwmTWUm3 

Maratona de música, artes cênicas e cultura urbana, a #ViradaSP Online 2021, estreia com novidades para o público com 22 atrações especiais no próximo sábado (7), a partir das 12h.  Entre elas, shows de Sidney Magal, Marina Lima e da instrumentista Maria Ó. Outro destaque desta edição é o lançamento do quadro especial, capitaneado por Rolando Boldrin. Já consagrada no calendário cultural, a #ViradaSP Online 2021 será transmitida durante 12 horas seguidas, gratuitamente, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Storee Google Play para Iphone e Android. Ampliando ainda mais a difusão das atividades culturais dos municípios paulistas para todo o país.   

A #ViradaSP Online 2021 é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Organização Social Amigos da Arte, e integra o programa de fomento e difusão cultural #JuntospelaCultura. Entre outras atrações, a agenda tem shows de Sidney Magal, Marina Lima e da violonista Maria Ó, realizados no Teatro Sérgio Cardoso, especialmente produzidos para a #ViradaSP Online 2021. Além de muita animação com o palhaço Kersitto. Tudo comandado pelos apresentadores Ellen Oléria e Luiz Ramalho. Confira programação abaixo.

Justamente por ser um evento que valoriza os aspectos culturais e curiosidades regionais, a Amigos da Arte lança quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular do estado de São Paulo. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições da #ViradaSP Online 2021.

Esta edição da #ViradaSP Online 2021 acontece em parceria com São José dos Campos. O município foi selecionado a partir de chamada pública do programa #JuntospelaCultura, realizada este ano. Serão transmitidas 19 atividades ligadas à cidade.  Diferentes linguagens artísticas compõem as atrações locais. Entre elas, estão: a Cia. de Dança de São José dos Campos; o espetáculo Amélia, com a atriz Tamara Maria Cardoso; a palhaça Olívia; o grupo Dona da Rua, formado por Lívia Barros, Helô Ferreira e Juliana Cardoso, com o espetáculo Sambas para novos tempos com repertório de sambas originais que tratam do empoderamento da mulher no samba, das lutas antirracistas e feministas.  

Além de valorizar os aspectos culturais de cada município, a #ViradaSP Online 2021 apresenta peculiaridades e pontos turísticos das cidades. Também serão apresentadas entrevistas com personalidades que fazem parte da história da cidade, como por exemplo, a realizada com a folclorista, cientista social e uma das responsáveis pela criaçãodo Museu do Folclore de São José dos Campos, Ângela Savastano.  

São José dos Campos se soma a outros 19 municípios de São Paulo que tiveram suas propostas culturais selecionadas e que integrarão a #ViradaSP Online 2021:  Bertioga, Botucatu, Franco da Rocha, Ilha Solteira, Itanhaém, Itapevi, Itapira, Mairiporã, Mirante do Paranapanema, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santa Fé do Sul, São Bento do Sapucaí, São João da Boa Vista,  São Luís do Paraitinga, Serrana, Sete Barras e Ubatuba.  

 Todos condecorados pelo governo estadual paulista com o título de capitais culturais de São Paulo pela qualidade no cenário artístico e o estímulo dado ao setor pelas prefeituras. As próximas edições acontecem em parceria com os municípios de Piracicaba (14/8) e Itapevi (21/8). Já estão confirmados nomes como Criolo e Zélia Duncan, respectivamente.   

 “A Virada SP é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.” 

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, afirma Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte. 

Para o presidente da Fundação Cultural Cassino Ricardo, Tom Freitas, a #Virada SP Online é um momento de celebrar a arte. “Especialmente neste ano onde a arte tem papel importante para superar os desafios da pandemia, mesmo online a população poderá usufruir de uma programação de qualidade que valoriza a produção local juntamente com importantes nomes nacionais. Com a Virada, vem também a renovação do título de Capital Cultural, que nos reconhece, potencializa e coloca o município no circuito estadual dando a certeza que estamos no caminho certo”, afirma Freitas. 

Programação da #ViradaSP Online – São José dos Campos

Sábado (7) 

12h     Início da transmissão 

12h10 Nilton Blau 

12h40 João Assis 

13h10 Olívia 

14h Som de Brincante 

14h35 Memórias Perdidas – A Noite que se aproxima 

15h30 Amélia 

16h10 Samba para novos tempos 

17h Rolando Boldrin 

17h10 Maria Ó 

18h20 Marina Lima 

19h30 Cia. Jovem de Dança de São José dos Campos 

20h30 Matheus Estevão – Essa é pra tocar no rádio 

21h30 Mistura Brasileira – Todos os sons 

22h30 Sidney Magal 

0h Marcelo Naves convida The Simi Brothers 

 

#ViradaSP Online tem show de Zélia Duncan

Esta edição acontece em parceria com o município de Itapevi. Na agenda, também estão shows de Zélia Duncan e Ira!. Além de atrações artísticas da cidade, selecionada no programa de difusão cultural #JuntospelaCultura

A maratona de música, artes cênicas e cultura urbana, a #ViradaSP Online 2021, apresenta show inédito com último Kavernista, Edy Star, no próximo sábado (21), data da morte de Raul Seixas em 1989. Participante da criação do álbum Sociedade da Grã-Ordem Kavernista, juntamente com Raul Seixas, Miriam Batucada e Sérgio Sampaio, Star se reúne com Sebastião Reis, Felipe Cordeiro e Tatá Martinelli nesta homenagem ao antológico disco, gravado em 1971. Na agenda, também estão Zélia Duncan e Ira! com apresentações realizadas no Teatro Sérgio Cardoso, especialmente produzidas para a #ViradaSP Online 2021. Outro destaque desta edição é o quadro especial Rolando Prosa, capitaneado por Rolando Boldrin. Tudo comandado pelos apresentadores Ellen Oléria e Luiz Ramalho. (Confira programação abaixo).

Já consagrada no calendário cultural, a #ViradaSP Online 2021 será transmitida durante 12 horas seguidas, gratuitamente, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android. Ampliando ainda mais a difusão das atividades culturais dos municípios paulistas para todo o país. O evento é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em parceria com a Organização Social Amigos da Arte, e integra o programa de fomento e difusão cultural #JuntospelaCultura.

Justamente por ser uma ação que valoriza os aspectos culturais e curiosidades regionais, a Amigos da Arte produziu o Rolando Prosa – quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular do estado de São Paulo. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições da #ViradaSP Online 2021.

Esta edição da #ViradaSP Online 2021 ocorre em parceria com Itapevi. O município foi selecionado a partir de chamada pública do programa #JuntospelaCultura, realizada este ano. Serão transmitidas diversas atividades ligadas à cidade.  Diferentes linguagens artísticas compõem as atrações locais. Entre elas, estão: o show Um Canto Afro- Brasileiro a Sombra da Tamarineira – uma homenagem e dedicado aos compositores e artistas que passaram a sombra da tamarineira e lembranças das famosas rodas de samba do Cacique de Ramos, e seu presidente, o pandeirista do Fundo do Quintal, Bira Presidente; o espetáculo da Cia. Curto-Circuito, Lembranças de Outono, no palco atores e bailarinos relatam o fim de uma vida, de um amor e de um garoto que sonhava em ser feliz; e para animar o público infantil, os palhaços Folha & Tim fazem a apresentação E agora Saci?, uma trama envolvendo personagens do folclore brasileiro. Além de valorizar os aspectos culturais de cada município, a #ViradaSP Online 2021 apresenta peculiaridades e pontos turísticos das cidades.

Itapevi se soma a outros 19 municípios de São Paulo que tiveram suas propostas culturais selecionadas e que integram a #ViradaSP Online 2021:  Bertioga, Botucatu, Franco da Rocha, Ilha Solteira, Itanhaém, Itapira, Mairiporã, Mirante do Paranapanema, Mogi das Cruzes, Ribeirão Preto, Santa Fé do Sul, São Bento do Sapucaí, São João da Boa Vista, São Luís do Paraitinga, Serrana, Sete Barras, Ubatuba. Este mês já o evento já foi realizado em parceria com São José dos Campos e Piracicaba. Todas as cidades foram condecoradas pelo governo estadual paulista com o título de capitais culturais de São Paulo pela qualidade no cenário artístico e o estímulo dado ao setor pelas prefeituras.

“A Virada SP é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.”

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, ressalta Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

“Itapevi como o celeiro de artistas que é, estava em quarentena nos últimos tempos sem nossos eventos e sem as aulas de artes que tiveram que parar devido à covid 19, a #Virada CulturalSP Online veio como um acalento para a nossa cidade nesse momento tão difícil, temos muito orgulho em ser Capital Cultural “, destaca o professo Lázaro Toledo, secretário adjunto de Cultura e Juventude de Itapevi.

Serviço #ViradaSP Online – Itapevi

Sábado (21)

12h – Lembranças de outono, com Cia. Curto-circuito

13h – E agora Saci?, com Cia Folha&Tim

13h30 – Laços, com Grupo Garra

14h – Joyce Cosmo

15h15 – Projeto soul diva, com Quelynah

16h – Zélia Duncan

17h20 – Simplesmente eu, com Sorriso Nogueira

18h – Livre, leve e tonto, com Marcelo Dias

18h50 – Rolando prosa, com Rolando Boldrin

19h10 – Fizart

20h – Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta: 50 anos de Sessão Das 10

21h – Ira!

22h20 – Samba de roda na Casa 26, com Samba na Casa 26

23h20 – Um canto afro-brasileiro a sombra da tamarineira, com Senhores do Samba

 

Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

#ViradaSP: Com Baby do Brasil e Mundo Bita, Ilha Solteira recebe 24 horas de programação cultural gratuita em março

Evento leva música e apresentações para crianças e adultos ao município; confira a programação

(mais…)

#ViraSPOnline tem Ana Cañas, Karol Conka e Concurso de Violeiros

A #ViradaSPonline deste sábado, 5 de dezembro, começa às 16h. O público poderá assistir às apresentações  de grandes nomes como Ana Cañas e Karol Conka. E, em uma ação inédita, será realizada a grande final do Concurso de Viola Caipira Revelando SP. A ViradaSP é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e tem a Organização Social Amigos da Arte à frente da organização.  Toda a programação será transmitida ao vivo do Teatro Sérgio Cardoso pela plataforma #CulturaEmCasa.

O Concurso de Viola Caipira , realizado por meio #JuntospelaCultura2020, programa de fomento da Secretaria de Cultural, chega ao final após selecionar  50 violeiros de todo o estado, cada um recebeu  R$ 2,5 mil como premiação. Na sequência, todos participaram de uma eleição popular online, que deu R$ 5 mil ao primeiro colocado. Agora, os 10 mais votados estarão no palco do Teatro Sérgio Cardoso para a escolha do melhor violeiro, que será feita por especialistas em música. O júri é formado por Felipe Trotta, Mariangela Zan, Mirian Cristina de Souza Cunha, Paulo Freire e Zeca Collares. O primeiro colocado levará R$ 15  mil, o segundo, R$ 1o mil, e o terceiro, R$ 5 mil.

Esta edição da #ViradaSPOnline será em parceria com o município de Santa Bárbára D’Oeste, escolhida como a Capital Cultural do Estado de São Paulo. A cidade foi selecionada a partir de uma chamada pública do #JuntospelaCultura. Diversos artistas locais também estão na programação: as bandas Banda SKA7, Banda SP 304, a Orquestra Barbarense de Violas e a companhia MB Circo.

Além de Santa Bárbara D´Oeste, foram selecionados os seguintes municípios pelo #JuntospelaCultura2020: Marília, Araçatuba, Batatais, Bauru, Caraguatatuba, Guaratinguetá, Indaiatuba, Itapetininga, Mauá, Peruíbe, Presidente Prudente, Rio Grande da Serra, São José do Rio Preto, Sertãozinho e Votuporanga.

Sobre a plataforma #CulturaEmCasa

A plataforma #CulturaEmCasa foi lançada no dia 20 de abril. Seu objetivo é ampliar o acesso da população a conteúdos culturais de qualidade, 100% gratuito. Nos seis primeiros meses, registrou cerca de 2,2 milhões de visualizações e 1,7 mil conteúdos disponibilizados.  A plataforma reúne também conteúdos inéditos das instituições da Secretaria, dentre as quais  OSESP,  Jazz Sinfônica,  Pinacoteca,  Museu da Imagem e do Som,  Museu do Futebol,  Museu da Diversidade Sexual,  São Paulo Companhia de Dança e o Projeto Guri.

Programação:

  • 16h:
    Início transmissão
  • 16h:
    MB Circo
  • 16h30:
    Banda da ciclovia
  • 17h:
    Ana Cañas canta Belchior
  • 18h30:
    Assim Q Se Faz
  • 19h:
    Grande final do Concurso de Viola Caipira Revelando SP – #JuntosPelaCultura 2020
  • 20h30:
    Orquestra Barbarense de Violas – Canta a Natureza
  • 21h10:
    Premiação do Concurso de Viola Caipira Revelando SP – #JuntosPelaCultura 2020
  • 21h30:
    Banda SKA7
  • 22h:
    Karol Conka
  • 23h:
    Banda GTC – Gettin´the Crime
  • 23h30:
    Banda SP 304
  • 00h:
    Hotelo
  • 1h:
    Eletro Rock

Serviço:

Onde assistir: www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

#CulturaEmCasa completa quatro meses com 1,5 milhão de visualizações 

Plataforma desenvolvida pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa gerou mais de mil conteúdos desde março; Telefone móvel é o principal meio de acesso à programação

A plataforma de streaming #CulturaEmCasa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, gerida pela Organização Social Amigos da Arte , completou quatro meses de funcionamento em agosto. No período, mais de mil conteúdos, entre espetáculos, palestras, aulas, podcasts, shows e concertos, foram gerados e visualizados por 1,5 milhão de pessoas. Embora São Paulo tenha tido o maior número dos acessos, outras 2.371 cidades, em 101 países, consumiram 153.263 horas do conteúdo totalmente gratuito.

“O resultado é impressionante e garantiualém de uma programação de altíssima qualidade,  emprego e renda para o setor cultural, um dos mais prejudicados pela pandemia do novo coronavírus. Saímos de um milhão de visualizações para 1,5 milhão em apenas um mês“, disse o Secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão.

Um dos destaques  é o #FestivalCulturaEmcasa, que registra o maior número de acessos desde o início da plataforma. A programação já trouxe apresentações ao vivo de Renato Teixeira, Liniker, Zeca Baleiro, Lô Borges, Tom Zé, Ed Motta e Sérgio Reis.  O Intensivão#CulturaEmCasa também é um dos mais procurados pelo público da ferramenta. A iniciativa oferece lives diárias com apresentações de artistas e aulas sobre cultura e economia criativa com profissionais do setor. Nessa lista de preferidos ainda estão o Diálogos Necessários #CulturaEmCasa e #SPGastronomia.

A facilidade de acompanhar as atrações também é uma das marcas do #CulturaEmCasa. Nesses quatro meses de funcionamento, mais de 70% dos acessos à plataforma foram  por meio de dispositivos móveis.  

Programação 

O conteúdo do #CulturaEmCasa é produzido pelas instituições culturais vinculadas à Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por organizações parceiras,  artistas e produtores culturais independentes, que são remunerados pelo licenciamento. Trata-se, portanto, de um instrumento de geração de renda e oportunidades para o setor cultural e criativo de São Paulo.  

Desde 6 de julho, a plataforma apresenta o #SPGastronomia Em Casa, transferido em 2020 para o formato online. De segunda a quinta-feira, sempre às 19h30, chefs, nutricionistas e especialistas oferecem aulas, receitas, histórias, curiosidades e debates sobre diversos temas relacionados à gastronomia.  

O #CulturaEmCasa transmite, todas as segundas e quartas-feiras, às 17h, o programa Diálogos Necessários, que reúne pensadores e profissionais de diversas áreas para reflexões sobre  ciência, filosofia, criatividade e literatura. Os encontros são moderados pelo ensaísta e professor de literatura João Cezar de Castro Rocha e pelo escritor Martim Vasques da Cunha.  

A plataforma reúne ainda conteúdos inéditos das instituições da Secretaria. Nessa lista estão a  OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu do Futebol, o Museu da Diversidade Sexual, a São Paulo Companhia de Dança, o Projeto Guri e a SP Companhia de Dança. “É uma iniciativa que veio para ficar. Tem um importante papel a cumprir, mesmo quando a pandemia passar”, diz o secretário. 

#CulturaEmCasa 

A plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa foi lançada no dia 20 de março. Com acesso por meio do site culturaemcasa.com.br, o visitante tem acesso ao conteúdo que pode ser visualizado,  gratuitamente por televisão, computador, tablets e celulares.  

Acompanhe as novidades nas redes: 

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/ 

https://www.instagram.com/culturaemcasasp/ 

 

  

Nota de esclarecimento sobre o ProAC ICMS

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que o ProAC ICMS terá seu prazo de vigência em 2020 estendido de 31/10 para 31/12, conforme decreto a ser publicado em breve. No que diz respeito a 2021 e aos anos seguintes, a manutenção deste mecanismo de incentivo fiscal para projetos culturais depende de decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária, a ser tomada em dezembro. Esta decisão se refere ao conjunto dos estados. O ProAC ICMS não integra o projeto de lei 529/2020,  aprovado no dia  13 de outubro  pela Assembleia Legislativa de São Paulo.

10 anos de Encontro Paulista de Museus: veja trajetória e perspectivas

O tempo voa até mesmo para aqueles que são responsáveis por conservá-lo. O Encontro Paulista de Museus completa uma década em 2018, de 18 a 20 de julho, na capital, e muita coisa evoluiu de lá para cá, principalmente a paixão dos museólogos pela atividade.

São muitos agentes ligados ao setor que vislumbraram, com a criação do evento, uma oportunidade de fortalecer e qualificar ainda mais as instituições museológicas paulistas. A iniciativa é do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

IDENTIDADE

Nos primeiros quatro anos, cada edição do EPM foi concebida de maneira independente, sem, por exemplo, uma continuidade visual, o que acabou em 2013, quando o evento ganhou sua própria identidade. O objetivo, que depois se mostrou bem-sucedido, era dar ao evento uma marca única e duradoura, que permanecesse ao longo das próximas edições. A responsável por dar uma “cara” ao evento, foi a designer Paula Astiz.

“A cada edição desses primeiros encontros, foi usada uma identidade/linguagem diferente. Ao chegar à 5ª edição, a equipe do SISEM-SP sentiu a necessidade de consolidar melhor o evento. Então, surgiu a ideia de desenvolver uma logomarca mais sólida. Aliada à necessidade de consolidar o EPM, veio o anseio de reformular a marca do próprio SISEM-SP, em sintonia com a identidade do encontro.”
MESSAGE-ICON
Paula Astiz
Designer

A mudança do logo se deu no 5EPM e manteve-se desde então. A única variação ocorreu no 8EPM, com o 8 grafado em uma fonte diferente. Segundo a designer, tudo estava previsto nos planos. “O 8EPM coincidiu com a comemoração dos 30 anos do SISEM-SP, por isso um selo especial de 30 anos. A ideia subliminar é mostrar que esse sistema, ao longo das três décadas, abarca diversas vozes, diversos museus e diversos profissionais ligados ao mundo museológico.”

HISTÓRIA

No ano da primeira edição do EPM, o SISEM-SP e a própria cena dos museus no Brasil passavam por um período de reestruturação. O sistema buscava, então, intensificar a participação dos museus espalhados por todo território do Estado em sua dinâmica de trabalho.

“A criação de um evento periódico no calendário dos museus do Estado, dedicado às trocas e encontros, fazia sentido para que se fomentasse também os laços entre os profissionais e gestores de museus”, justifica o responsável pela coordenação da programação do 10EPM, Luiz Mizukami. Assim, o evento alinhava-se a outras iniciativas articuladoras, como a reestruturação do Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM-SP), a criação das Representações Regionais e a elaboração do Diagnóstico dos Museus do Estado de São Paulo.

PARCERIAS

As parcerias com instituições nacionais e internacionais também contribuíram para o sucesso do EPM nesta década. Tal caminho, além de ampliar a variação do alcance temático do evento, auxiliou na promoção do EPM além das fronteiras das instâncias governamentais e a validação do mesmo em círculos museológicos mais amplos. Trouxe prestígio ao evento paulista.

E nem poderia ser diferente. Participaram nomes de calibre como o Centro Cultural de Espanha (CCE-SP), presente nos três primeiros EPMs; o British Council Brasil, participante da 5ª à 8ª edição; e os consulados da Alemanha e França, durante o 9EPM. Pontualmente, também houve apoio da Fundação Bienal de São Paulo, MAM-SP, Museu Afro Brasil, Escola de Música de São Paulo Tom Jobim, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Sala São Paulo e Sesc-SP.

EXPANSÃO

Como todo grande encontro de especialistas, o EPM foi ganhando robustez ao longo dos anos com a integração de outros eventos dentro de sua programação. É o caso dos encontros de prefeitos e secretários municipais de Cultura; eleições de representantes regionais e COSISEM-SP; visitas técnicas a museus da capital; mesas expositivas com fornecedores do setor museológico; e a instauração dos Painéis Digitais – apresentações em formato digital exibidas em televisores espalhados pelo local do evento com projetos desenvolvidos pelos museus paulistas relacionados à temática de cada edição. São itens que geraram ainda mais corpo e abrangência ao evento.

“O SISEM-SP é o primeiro sistema de museus criado no Brasil, antes mesmo do Sistema Nacional de Museus, descontinuado no governo Collor. Além de ter sido o primeiro, é também o único com atuação contínua desde sua criação”, realça Mizukami.

CADASTRO ESTADUAL

Além de ter sido histórica pelos 30 anos de SISEM-SP, a oitava edição do EPM, em 2016, marcou o início do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), um dos maiores feitos da história do sistema. A ferramenta estabelece padrões normativos e sistematiza as informações sobre os museus paulistas, a fim de identificar as condições estruturais dos mesmos e auxiliá-los em busca de qualificação. Esse cadastro é tão importante que os eixos que sustentam seus parâmetros serviram como base para definir os temas apresentados no 9º, 10º — e também futuros EPMs.

“O Encontro Paulista de Museu passa, assim, a se inserir numa lógica de reforço à qualificação dos museus em torno dos parâmetros do CEM-SP.”
MESSAGE-ICON
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP

DE VOLTA PARA CASA

Em 2018, O EPM, além de comemorar os 10 anos de atividades, celebra o retorno do evento à sua tradicional casa, agora completamente restaurada: o Memorial da América Latina, que havia sediado todas as edições do encontro até o incêndio, em 2013.

FUTURO

“Hoje, além de ser o maior evento do setor museológico paulista, em número de inscritos, o EPM tem a mesma capacidade de público do Fórum Nacional de Museus – que acontece a cada dois anos. Para o futuro, além do fortalecimento dos laços entre profissionais e interessados em museus, seguiremos com os debates tendo o CEM-SP como base e também na estruturação de propostas para uma política cultural específica para o setor museal”, promete Kaseker.

100 dias de Cultura e Economia Criativa

Secretaria de Cultura e Economia Criativa completa 100 dias de gestão com ações de fomento e foco em formação

(mais…)

10º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

O Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias – Seminário Biblioteca Viva – chega a sua 10ª edição com programação especial. Entre os palestrantes, estão o escritor André Vianco, que participa de bate-papo no dia 23, segunda-feira, e a cartunista Laerte Coutinho, que estará no Seminário no dia 25, quarta-feira. Realizado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas (SisEB), o Seminário é organizado pela SP Leituras, com apoio institucional do Goethe-Institut. (mais…)

11º Prêmio Ernani de Almeida Machado anuncia ganhadores

Cerimônia precede concerto da Orquestra Jovem do Estado, grupo da EMESP Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, que será realizado dia 4 de dezembro, domingo, na Sala São Paulo e terá transmissão pelo YouTube; Desde 2020, prêmio contempla ainda a categoria Maria Vischnia, voltada exclusivamente para as jovens instrumentistas

 

A  Sala São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, recebe no dia 4 de dezembro, domingo, os vencedores da 11ª edição do Prêmio Ernani de Almeida Machado. A iniciativa é voltada exclusivamente aos bolsistas da orquestra e que este ano vai destinar um total de R$ 220 mil aos seis melhores músicos. O objetivo é viabilizar o aperfeiçoamento dos estudos no exterior ou mesmo a compra de novos instrumentos. A cerimônia de entrega do prêmio ocorre antes do concerto da Orquestra Jovem do Estado, grupo da EMESP Tom Jobim, corpo artístico do Governo do Estado de São Paulo, às 16h.

Sob a regência do diretor musical e maestro Cláudio Cruz, a Orquestra Jovem do Estado, grupo da EMESP Tom Jobim recebe os cantores Thayana Roverso (soprano), Juliana Taino (mezzo-soprano) e Vinicius Atique (barítono) para se juntar às mais de 250 vozes que integram cinco coros: Coral Jovem do Estado, Coro Adulto e Coro Juvenil da EMESP Tom Jobim e Coral Juvenil e Coral de Familiares do Projeto Guri na Capital e Grande São Paulo. O concerto especial de Natal contempla composições como Joy To The World, de Handel, Hark! The Herald Angels Sing, de Mendelssohn, White Christmas, de Berlin, e hits como Jingle Bells e Noite Feliz. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15 (meia).

A premiação e o concerto serão também transmitidos gratuitamente pelo canal de YouTube da EMESP Tom Jobim (https://www.youtube.com/user/TJEMESP).

 

11º Prêmio Ernani de Almeida Machado 

O Prêmio Ernani de Almeida Machado é uma iniciativa da Santa Marcelina Cultura e do Machado Meyer Advogados que contempla uma bolsa de R$ 100 mil para o aperfeiçoamento dos estudos no exterior e outras quatro no valor de R$ 22 mil cada, visando aprimoramento ou a aquisição de instrumentos.

Desde 2020, o prêmio contempla ainda a categoria Maria Vischnia, voltada exclusivamente para as jovens instrumentistas da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, pensando na equidade de gênero na música. No valor de R$ 32 mil, a premiação é destinada para a bolsista de maior destaque. A iniciativa é uma ação afirmativa que visa contribuir para a promoção da equidade de gênero e para o desenvolvimento musical das alunas.

O concurso contempla duas fases. Na primeira fase da seleção, os candidatos são avaliados por meio de um vídeo. Na fase final, participam de uma audição presencial e são avaliados por uma banca.

Desde 2012, 52 bolsistas da Orquestra Jovem do Estado já foram premiados.  São vários os exemplos de bolsistas que conseguiram ingressar nos melhores centros de formação musical do mundo.  A premiação se constituiu em um importante estímulo para os bolsistas poderem aspirar novos horizontes em suas carreiras e, ao mesmo tempo, abre portas para o desenvolvimento musical.

Os vencedores foram aprovados em conservatórios como o Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, Conservatório de Amsterdã, o Mozarteum de Salzburgo, na Áustria, Conservatório de Colônia, na Alemanha, entre outros. O vencedor da primeira edição, Rubens Celso Lopes Filho foi, por exemplo, o primeiro percussionista brasileiro aceito para o mestrado no Conservatório de Paris e já concluiu sua especialização. Já a percussionista Andressa Daniella, a grande vencedora da edição de 2021, foi aprovada para estudar na Universidade de Frankfurt de Música e Artes Cênicas, na Alemanha. 

 

PRÊMIO ERNANI DE ALMEIDA MACHADO (2012 – 2021) 

10 edições realizadas

52 bolsistas contemplados 

Vencedores das edições anteriores 

2021

Andressa Daniella, percussão -> Universidade de Frankfurt de Música e Artes Cênicas (Alemanha); Bianca Souza, violoncelo (categoria Maria Vischnia); Lucas Espirito Santo, clarinete; Washington Couto, viola; Rafael Esparrel, clarinete; Rafael Sanches, violino

2020

Ana Paola Machicado Torres (percussão) -> Hoschule für Musik (Detmold, Alemanha); Graziella Araújo de Souza, flauta (categoria Maria Vischnia); Guilherme Peres (violino); Saulo Roberto (contrabaixo); Lucas Martins Pedro (flauta); Carlos Vogt (piano)

2019

Erick Venditte dos Santos (trompete) -> Hochschule Der Künste Bern (Berna/Suíça); Thiago Sandoval (clarinete); Guilherme Marques Caldas (viola); Guilherme Peres (violino); Lucas Martins Pedro (flauta)

2018

Bruno da Silva Ghirardi (clarinete) -> Conservatório de Colônia (Alemanha); Diego Adinolfi (violino); Jean Arthur Medeiros da Silva (flauta); Marina Caputo (violino);Saulo Roberto (contrabaixo)

2017

Marcus Vinicius de Oliveira Figueiredo da Silva (contrabaixo) -> Royal Northern College of Music (Manchester); Guilherme Santana (viola); Alexandre Pinatto (violino); Jonatas Oliveira Carmo (clarinete); Jamile Costa Destro (violino).

2016

Gustavo Nunes Juventino (clarinete) -> Academia Nacional Superior de Orquestra (Lisboa); Filipe Dos Santos Esteves (clarinete); Jean Arthur Medeiros da Silva (flauta); Lucas de Oliveira Espindola (trompete); Luis Abelardo Chávez Quispe (fagote).

2015

Filipe dos Santos Esteves (clarinete) -> Conservatório Della Svizzera Italiana (Lugano, Suíça); Ariane Rovesse (clarinete); Jean Arthur Medeiros da Silva (flauta); Johann Cardoso (trompa); Renan Gonçalves (violino).

2014

Guilherme Afonso de Moraes Silva (violoncelo) -> Mozarteum de Salzburg (Áustria); Filipe dos Santos Esteves (clarinete); Johann Cardoso Marianno Pereira (trompa); Matheus de Souza Carmo Posso (violoncelo); Sandra Daniela Mora Valenzuela (percussão)

2013

Lucas Bernardo da Silva (violino) -> Conservatório de Amsterdã (Holanda); Layla Köhler Baratto (oboé);  Ariane Rovesse de Alencar Freitas (clarinete); Matheus Silva Mello (violoncelo); Rafael do Nascimento Figueiredo

2012

Rubens Celso Lopes Filho (percussão) – Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris (França); Lucas Bernardo (violino); Gabriel Takano (contrabaixo); André Ramos (fagote); Filipe dos Santos Esteves (clarinete).

Serviço:

Data: 04 de dezembro, domingo, 16h

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16, Campos Elíseos, São Paulo/SP

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

E-mail: orquestrajovemdoestado.byinti.com

CONCERTO 

ORQUESTRA JOVEM DO ESTADO

CORAL JOVEM DO ESTADO

CORO ADULTO DA EMESP

CORO JUVENIL DA EMESP

CORAL JUVENIL DO GURI

CORAL DE FAMILIARES DO GURI

 

Cláudio Cruz, regente

Thayana Roverso, soprano

Juliana Taino, mezzo-soprano

Vinicius Atique, barítono

 

PROGRAMA

BOGDAN DRAGAN

Abertura Natalina

FREDERICK OAKELEY / JOHN FRANCIS WADE / REBA McENTIRE

Adeste Fideles [arr: Bogdan Dragan]

MARIAH CAREY / WALTER AFANASIEFF

All I Want For Christmas Is You [arr: Bogdan Dragan]

WILLIAM JAMES KIRKPATRICK

Away In A Manger [arr: Bogdan Dragan]

ASSIS VALENTE

Boas Festas [arr: Bogan Dragan]

FRANÇOIS-AUGUSTE GEVAERT

Canção Alegre De Natal [arr: Bodgan Dragan]

TRADICIONAL FRANCESA

Gloria In Excelsis Deo [arr: Bodgan Dragan]

TRADICIONAL INGLESA

God Rest You Merry, Gentlemen [arr: Bogdan Dragan]

FELIX MENDELSSOHN / CHARLES WESLEY

Hark! The Herald Angels Sing [arr: Bogdan Dragan]

TRADICIONAL

Jingle Bells [arr: Bogdan Dragan]

GEORGE FRIDERIC HANDEL/LOWELL MASON

Joy To The World [arr: Bogdan Dragan]

FRANZ GRUBER

Noite Feliz [arr: Bogdan Dragan]

ADOPLPHE ADAM

O Holy Night! [arr: Bogdan Dragan]

TRADICIONAL INGLESA

The First Noel [arr: Bogdan Dragan]

IRVING BERLIN

White Christmas [arr: Bogdan Dragan]

12 de maio é dia de Intervenção Cultural Cigana

Com muita alegria, dança e música, acontece em Guarulhos, neste sábado, dia 12, das 11h00 às 18h00, o evento Intervenção Cultural Cigana, organizado pelo Acampamento Cigano de Guarulhos. A festa típica tem o objetivo de promover atividades da cultura cigana, divulgar a sua existência e a resistência cultural do povo cigano por séculos, além de comemora também duas datas muito importantes:  o Dia da Resistência Cigana (16/05) e Dia Nacional do Cigano (24/05).

Selecionado pelo edital ProAC para Culturas Populares Tradicionais em 2017, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, o projeto Intervenção Cultural Cigana conta com o apoio da ACGE – Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias, órgão da Secretaria de Cultura.

O evento acontece no próprio Acampamento Cigano de Guarulhos (rua dos Cardeais, s/nº – Vila Branca – Guarulhos/SP) e terá apresentações de grupos musicais, danças ciganas artísticas, oficinas culturais e exposições. Como ingresso, os organizadores solicitam a doação de produtos de higiene para bebês ou roupas para bebê menina. 

O Dia Nacional do Cigano foi instituído em 2006 por decreto presidencial em reconhecimento à contribuição da etnia cigana para a história e a identidade cultural brasileira. 24 de maio é, também, dedicado a Santa Sara Kali, padroeira dos povos ciganos.

O Dia da Resistência Cigana lembra 16 de maio de 1944, quando cerca de 6 mil ciganos se uniram para enfrentar soldados alemães e evitar que fossem executados no campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, durante a Segunda Guerra Mundial.

13/04 é Dia dos Jovens: conheça iniciativas da #CulturaSP para esse público!

Okinosmov / Núcleo Luz – Foto: Gasbox Studio

Para celebrar o Dia do Jovem (13/4), reunimos aqui algumas atividades realizadas por espaços da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que são voltadas para esse público!

MÚSICA

Conservatório de Tatuí

Oferece cursos nas áreas de música, luteria e artes cênicas, de formação continuada com duração média de seis anos. A escola está localizada no município de Tatuí, a 131 quilômetros da capital paulista, e recebe estudantes de todas as regiões brasileiras e também de fora do país.

Mais informações: https://www.conservatoriodetatui.org.br

Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP)

Localizada no centro da capital paulista, oferece cursos de iniciação musical e prática de instrumentos desde 1989. Seu primeiro reitor e presidentefoi o maestro Antonio Carlos Jobim. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: https://www.emesp.org.br

Projeto Guri

Programa de formação cultural que oferece cursos de teoria musical, coral, instrumentos de cordas, madeiras, sopro e percussão para jovens até 18 anos. Possui vários polos, distribuídos na capital, no litoral e no interior do Estado.

Mais informações: https://gurisantamarcelina.org.br/ (para polos da capital e região metropolitana) e https://www.projetoguri.org.br/ (para polos do interior e litoral)

Conservatório de Tatuí – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

DANÇA

Núcleo Luz

O projeto oferece a jovens de baixa renda a oportunidade de vivenciarem a linguagem da dança de maneira mais aprofundada. A participação é gratuita mediante inscrição e processo seletivo.

Mais informações: https://fabricasdecultura.org.br/nucleo-luz/

São Paulo Companhia de Dança

Criada em 2008, a Cia faz espetáculos no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior. De tempos em tempos, a SPCD promove workshops, palestras, oficinas e audições.

Mais informações: https://www.spcd.com.br/

São Paulo Cia. de Dança – Conservatório de Tatuí – Foto: João Caldas/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

TEATRO

SP Escola de Teatro

Oferece cursos gratuitos de formação em teatro abrangendo as mais diversas áreas das artes cênicas, dentre elas Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. Além disso, a Escola mantém o Programa Kairós, que distribui bolsas de estudos e estágios para parte dos aprendizes, além de intercâmbios culturais.

Mais informações: www.spescoladeteatro.org.br

SP Escola de Teatro – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

LITERATURA

Bibliotecas de São Paulo e do Parque Villa-Lobos

As bibliotecas-modelo do Governo do Estado de São Paulo – uma, localizada no Parque da Juventude, e a outra, no Parque Villa-Lobos – oferecem diversas atividades voltadas para o público jovem, além do seu acervo de livros e jogos. Entre elas, oficinas de escrita criativa, de fotografia e de literatura. Há também o Luau, atividade regular que apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura e poesia, e oferece um espaço para apresentações musicais. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: https://bsp.org.br/ e https://bvl.org.br/

Biblioteca do Parque Villa-Lobos – Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

FORMAÇÃO E DIFUSÃO CULTURAL

Fábricas de Cultura

Programa de difusão e formação cultural que oferece cursos gratuitos e atividades de difusão cultural para toda a comunidade. O programa conta com 10 unidades espalhadas pelas zonas norte, sul e leste, e suas atividades contemplam diversas linguagens, como teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios.

Mais informações: https://fabricasdecultura.org.br/

Oficinas Culturais

As quatro unidades do programa realizam atividades gratuitas de formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas, como artes visuais, circo, dança, fotografia, literatura, música, teatro, entre outras.

Mais informações: https://www.oficinasculturais.org.br/

14ª edição do Seminário Internacional Biblioteca Viva

O evento, que acontece no formato on-line entre 26 e 30 de junho de 2023, traz como tema o “Manifesto da Biblioteca Pública IFLA-UNESCO: por que, como e para quem?”. As inscrições são gratuitas e já estão abertas

A Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo (SisEB) e a SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura promovem, de 26 a 30 de junho, o 14º Seminário Internacional Biblioteca Viva.

O Seminário é um dos mais importantes eventos da área em toda a América Latina e uma das principais iniciativas do Governo do Estado de São Paulo para inspirar, fortalecer e transformar as mais de 500 bibliotecas públicas existentes no território paulista em centros de referência cultural abertos a toda comunidade.

A programação do evento conta com a presença de palestrantes do Brasil, África do Sul, Holanda, Portugal e Ucrânia e é orientada pelo “Manifesto da Biblioteca Pública IFLA-UNESCO 2022”, com o objetivo de proporcionar reflexões sobre os desafios da atualidade, fomentar a troca de experiências com quem produz literatura e permitir a apresentação de ideias criativas e inovadoras para fortalecer as bibliotecas brasileiras. Esse documento é uma declaração de crença nas bibliotecas públicas contemporâneas, destacando a força desses espaços na promoção da cultura e dos conhecimentos, eixos fundamentais para o exercício dos direitos humanos e de um papel ativo de cidadãs e cidadãos na vida social. 

O texto também destaca o importante papel das bibliotecas públicas enquanto ferramenta de acesso ao conhecimento e como campo para a aprendizagem ao longo da vida, além de ser instrumento para o desenvolvimento cultural de indivíduos e grupos. “Em todas as nações, mas especialmente nos países em desenvolvimento, as bibliotecas ajudam a garantir que os direitos à educação e à participação na sociedade do conhecimento e da vida cultural da comunidade estejam acessíveis ao maior número possível de pessoas.”

Para a secretária da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Marília Marton, trazer para o debate aqueles que fazem e se dedicam integralmente para as bibliotecas acontecerem é fundamental, afinal só quem está no dia a dia desses espaços pode contribuir com experiências práticas, compartilhar os desafios enfrentados e sugerir novas soluções. “Esses profissionais possuem conhecimento valioso sobre necessidades e demandas das comunidades atendidas, sendo essenciais para identificar estratégias eficazes de engajamento dos públicos e aprimoramento dos serviços oferecidos.”

“A biblioteca contemporânea precisa se tornar um centro ativo, realizando uma variedade de atrações e programas que vão além do empréstimo de livros e que busquem atender as necessidades e os interesses das comunidades”, explica o diretor executivo da SP Leituras, Pierre André Ruprecht. Segundo ele, a participação de especialistas, profissionais e públicos nesse evento é essencial para essa transformação. 

Além de palestras e mesas-redondas, o Seminário abre espaço para as bibliotecas e profissionais de todo país exporem seus trabalhos nas modalidades de painéis e pôsteres digitais. Ao todo, são 12 projetos escolhidos que contemplam nove municípios de seis Estados brasileiros, que abordam temas como mediação de leitura, acessibilidade e inclusão, terceira idade, jovens leitores, programas de extensão, ações de sustentabilidade, consumo consciente, entre outros.

O evento acontece de forma on-line, a participação é gratuita e todas as atividades terão tradução simultânea em português e Libras.

 

Para se inscrever e ver a programação completa, acesse: Link para inscrição e Link para programação completa

Serviço:
14º Seminário Internacional Biblioteca Viva

On-line de 26 a 30 de junho
Link para inscrição e Link para programação completa

Acompanhe o SisEB: Site | Facebook | Instagram | YouTube

16º Prêmio São Paulo de Literatura bate recorde de inscrições

Mais de 400 propostas foram inscritas de diversas regiões do Brasil e outros países. Cada ganhador receberá R$200 mil nas categorias Melhor Romance, e Melhor Romance de Estreia

A Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo publicou no Diário Oficial do Estado de São Paulo a lista completa de habilitados e inabilitados na 16ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, o maior do país em premiação individual para o gênero. Serão contemplados um autor pela categoria “Melhor Romance do Ano de 2022” e outro como “Melhor Romance de Estreia do Ano de 2022”. Cada ganhador receberá um prêmio de R$ 200 mil.

Neste ano, a premiação bateu recorde na primeira etapa das inscrições com 453 propostas de diversas regiões do Brasil e outros países, tais como: Alemanha, Angola, Argentina, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Israel, Itália, Portugal, Rússia e Suíça.

Os inabilitados têm até cinco dias úteis para recorrer e admitir-se-á o saneamento de falhas, desde que os elementos faltantes sejam enviados ao e-mail premiosaopaulodeliteratura@sp.gov.br, no prazo máximo de três dias úteis a contar a partir da data de publicação no Diário Oficial.

A lista completa pode ser conferida no Diário Oficial do Estado de São Paulo dessa segunda-feira (24).

DOE-SP Propostas de inscrição PSLP 2023

Maior premiação do gênero 

Criado em 2008, o Prêmio São Paulo de Literatura tem como objetivo estimular a produção literária de qualidade, valorizar o setor e favorecer a formação de leitores e escritores, reconhecendo grandes nomes e também novos talentos.

1º Festival de Verão de Campos do Jordão: evento terá 26 concertos gratuitos e 22 apresentações online

Evento acontece de 22 de janeiro a 13 de fevereiro, com apresentações no Auditório Claudio Santoro, Palácio Boa Vista e Parque Capivari; São mais de 50 apresentações e todos os 22 concertos no Auditório Claudio Santoro serão transmitidos ao vivo no YouTube do Festival e na plataforma #CulturaEmCasa

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que nesta sexta-feira (7) começa a venda de ingressos do 1º Festival de Verão Campos do Jordão. Público pode adquirir pelo site https://festivalcamposdojordao.byinti.com/#/ticket/.   O evento terá duração de três semanas, de 22/01 a 13/2, e 54 apresentações musicais divididas em dois eixos, Música Popular e Música Erudita. A proposta é ampliar ainda mais o alcance do festival, considerado o maior e mais importante da América Latina, e explorar novas linguagens e formatos musicais. O evento marca também a inauguração do auditório do Parque Capivari, com capacidade para 700 pessoas e 110 músicos, palco com 250m², além de backstage de 50m² e um camarim com 35m².  O novo espaço irá abrigar a abertura e o encerramento do evento. As atrações continuam no Palácio Boa Vista e no Auditório Claudio Santoro.

O festival terá 26 concertos gratuitos e 22 apresentações on line, exibidos no YouTube do evento e também na plataforma #CulturaEmCasa. “Nos sentimos honrados em proporcionar ao público de São Paulo e do Brasil, o 1ª Festival de Verão de Campos do Jordão”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo Sérgio Sá Leitão. “Uma atração deste porte e peso vai movimentar o turismo da cidade, com geração de renda e emprego.”

O eixo de Música Popular tem curadoria da cantora paulistana Mônica Salmaso, reconhecida como uma das grandes intérpretes da MPB. Nomes como Paula Lima (que abre o evento ao lado da SP Big Band, dia 22/01), João Bosco, Sujeito a Guincho, Mestrinho, Guinga, João Camarero, Cristóvão Bastos, Thiago Amud, Dori Caymmi e André Mehmari (com participação da própria Mônica Salmaso) estão entre as apresentações programadas para o Auditório Claudio Santoro e o Parque Capivari. “Decidi propor um formato diferente, de formação de repertório mais do que de aulas de instrumentos” diz Mônica Salmaso. “Serão formados dois grupos, uma Big Band e um Ensemble, que trabalharão arranjos de compositores diferentes.”

A cantora, compositora e instrumentista carioca Clarice Assad, radicada em Chicago (EUA) e um dos grandes expoentes da música de concerto, é a responsável pelo eixo de Música Contemporânea do Festival. Entre as atrações escaladas por ela estão a cantora indiana Varijashree Venugopal; o norte-americano Derek Bermel (compositor convidado desta edição) com o Trio Arquè; os conjuntos Percorso Ensemble, Desvio, Martelo e São Paulo Chamber Soloists; o violonista Fabio Zanon e Arrigo Barnabé, que apresenta um show comemorativo de seus 70 anos de idade. “Nosso objetivo este ano é promover uma conversa entre diversas áreas da música instrumental, popular e clássica contemporânea, com foco em inclusão e diversidade, e mostrar como o nosso campo das artes é vibrante e rico”, afirma Clarice Assad.

A SP Big Band e o Percorso Ensemble serão os grupos residentes desta 1ª edição do Festival, com atuação distribuída entre concertos, aulas e masterclasses.

Depois do sucesso das transmissões ao vivo inauguradas no 51º Festival de Inverno, em julho de 2021, a edição de Verão seguirá com os concertos exibidos no YouTube do evento e também na plataforma #CulturaEmCasa. Serão ao todo 22 apresentações on line, que poderão ser acompanhadas gratuitamente pelos canais digitais.

A SP Big Band e o Percorso Ensemble serão os grupos residentes desta 1ª edição do Festival, com atuação distribuída entre concertos, aulas e masterclasses.

PROGRAMAÇÃO PEDAGÓGICA

No Módulo Pedagógico, o 1º Festival de Verão receberá ao todo 70 alunos de 16 a 30 anos, divididos em três modalidades: Instrumento, Canto Popular e Composição. Também serão oferecidas seis masterclasses na cidade de Campos do Jordão, onde os bolsistas irão se hospedar e estudar. As aulas para os estudantes selecionados serão divididas entre os cursos de Big Band, Ensemble Popular e Ensemble Contemporâneo. O músico e professor Daniel D’Alcantara é o responsável pela Coordenação Pedagógica de Música Popular Instrumental e Ricardo Bologna,  timpanista Solista da Osesp e regente, fica a cargo da Coordenação Pedagógica de Música Erudita Contemporânea.

Dentre os professores desta edição, destacam-se, no eixo Contemporâneo integrantes da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp, como Peter Pas (viola), Pedro Gadelha (contrabaixo), Rubén Zúñiga (percussão) e Liuba Klevtsova (harpa); o violonista Fabio Zanon; e o pianista Horácio Gouveia, entre outros. No eixo dedicado às Big Bands e ao Ensemble Popular, nomes como Nelson Ayres (regência), Nailor Proveta (clarinete/saxofone), Tatiana Parra (canto), Paulo Malheiros (trombone), Toninho Carrasqueira (flauta) e Vanessa Moreno (canto).

SOBRE O FESTIVAL DE VERÃO E INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival de Verão e Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina uma programação de música de concerto e um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

REALIZAÇÃO

O 1º Festival de Verão de Campos do Jordão é um programa do Governo do Estado de São Paulo, realizado por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski e coordenação artístico-pedagógica de Daniel D’Alcantara (Música Popular Instrumental) e Ricardo Bologna (Música Erudita Contemporânea). Esta edição conta com o patrocínio da Baden Baden, Instituto Cultural Vale e Sabesp, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais da cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Estes estabelecimentos recebem um selo que os identifica como Amigos do Festival e mostra engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

| SERVIÇO |

1º FESTIVAL DE VERÃO DE CAMPOS DO JORDÃO

Data: 22 de janeiro a 13 de fevereiro

Locais:

  • AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO – Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista, Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3662-2334. 814 lugares. Gratuito (de segunda a quarta); entre R$ 50,00 e R$ 100,00 (de quinta a domingo).
    Venda de ingressos no dia de cada apresentação, 3h antes do início. Retirada de ingressos gratuitos em festivalcamposdojordao.org.br/ingressos/ a partir de 10 dias antes de cada apresentação ou no dia do evento, na bilheteria do Auditório — consultar horário de funcionamento no site. Limitada a 4 ingressos por pessoa e à capacidade do local.
  • PARQUE CAPIVARI – R. Eng. Diogo José de Carvalho, 1.291, Capivari, Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3663-6463. 700 lugares. Gratuito.

Retirada de ingressos em www.festivalcamposdojordao.org.br/ingressos/ a partir de 10 dias antes de cada apresentação ou no dia do evento, na bilheteria da Praça Capivari — consultar horário de funcionamento no site. Limitada a 4 ingressos por pessoa e à capacidade do local.

  • PALÁCIO BOA VISTA – R. Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista, Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3662.1122. 300 R$ 100,00.
    Venda de ingressos no dia de cada apresentação, 3h antes do início.

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS

http://www.festivalcamposdojordao.art.br

https://www.youtube.com/user/fcamposjordao

https://www.instagram.com/festivalcamposdojordao

https://www.facebook.com/festivalcamposdojordao

https://twitter.com/festivalcampos

20º GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO SERÁ NO DIA 28 DE NOVEMBRO, COM HOMENAGEM A RUY GUERRA

O evento, que este ano tem como tema ‘preservação e memória do audiovisual’, será realizado de forma remota com transmissão ao vivo pela TV Cultura

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro chega à 20ª edição e terá como tema a preservação e a
memória do audiovisual. Com transmissão ao vivo pela TV Cultura no dia 28 de novembro, a partir das 20h, a cerimônia vai celebrar não apenas a Cinemateca Brasileira, que pegou fogo mas resistiu e vai renascer, como também a produção audiovisual nas duas últimas décadas. O grande homenageado da noite é Ruy Guerra, poeta, compositor, mas antes de tudo e principalmente cineasta moçambicano radicado no Brasil, que completou 90 anos em 2021.

Por causa da pandemia, o evento – que é realizado anualmente pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais – será remoto pelo segundo ano consecutivo, com apresentação das jornalistas Adriana Couto e Renata Boldrini, direto dos estúdios da TV Cultura, em São Paulo. A abertura dos envelopes com os vencedores será ao vivo, auditada pela PwC (a mesma empresa que faz a apuração do Oscar), e o Troféu Grande Otelo será entregue diretamente na casa de cada um deles, depois da premiação.

Ao todo serão anunciados 32 prêmios, em quatro grandes categorias: longa-metragem, curtametragem e séries brasileiras, escolhidos pelo amplo júri formado por profissionais associados à Academia Brasileira de Cinema. Além disso, todos os 15 longas-metragens indicados nas categorias drama, comédia ou documentário também concorrem ao disputado prêmio de Melhor Filme pelo Júri Popular.

A votação está aberta a partir de hoje, 8 de novembro, no site da Academia
– https://gp2021.academiabrasileiradecinema.com.br/ – e vai até o dia 26 de novembro.
Num ano dedicado à memória, um Prêmio Especial de Preservação será concedido ao movimento que, liderado por profissionais de cinema, salvou a Cinemateca Brasileira do abandono: o S.O.S. Cinemateca – APACI.

Com roteiro do jornalista Hugo Sukman e direção de Lucas Rochetti, a transmissão do Grande
Prêmio do Cinema Brasileiro será costurada com imagens de produções que marcaram a história do audiovisual e por apresentações musicais do pianista André Mehmari e da cantora Monica Salmaso. Fazem parte do repertório canções como “Odeon”, de Ernesto Nazareth; “Reza”, de Ruy Guerra e Edu Lobo; “Perseguição”, de Sérgio Ricardo; e “Passaredo”, de Francis Hime e Chico Buarque.

A festa terá ainda a presença, virtual, de nomes como Viviane Ferreira, diretora presidente da SP Cine, diretora, roteirista, produtora; Sérgio Sá Leitão, Secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo; Jorge Peregrino, presidente da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais; e José Roberto Maluf, presidente da TV Cultura.

O 20º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é realizado pelo Ministério do Turismo e pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais. Este ano, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro conta com o patrocínio da SABESP, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da PwC Brasil, que acompanha e faz a apuração da votação. O prêmio tem correalização da SPCine, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Conheça os : FINALISTAS GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2021

Vinheta filmes finalistas 

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

imprensaculturasp@sp.gov.br

21ª edição da Semana Nacional de Museus tem programação especial e gratuita

Em 2023, a 21ª edição da Semana Nacional de Museus traz o tema “Museus, sustentabilidade e bem-estar” e programação das instituições culturais do Governo do Estado de São Paulo contam com rodas de conversa, oficinas e palestras gratuitas

A Semana Nacional de Museus é uma temporada cultural coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), que acontece todo ano em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, comemorado no dia 18 de maio. Instituições geridas pela Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo organizaram uma ampla programação, gratuita, para diversos públicos e idades, contemplando a programação da 21ª edição “Museus, sustentabilidade e bem-estar”. O objetivo é mostrar como os museus podem contribuir para o bem-estar das pessoas de muitas maneiras, incluindo a promoção da saúde mental, a educação e a sensibilização ambiental. 

Para compor a programação, o Museu das Culturas Indígenas, localizado na região da Água Branca, realiza encontros com o objetivo de dialogar sobre as diversas abordagens e contribuições que as memórias e museologias indígenas trazem para a promoção do bem-estar e da sustentabilidade planetária, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU): Saúde e Bem-Estar Global, Ação Climática e Vida na Terra. No dia 18 de maio, haverá duas rodas de conversa que buscam mostrar como os saberes dos povos originários estão intimamente associados à biodiversidade e a um variado patrimônio cultural, entre às 10h e às 17h. 

Contribuindo com a celebração, no dia 17 de maio, das 19h às 21h, a Casa Mário de Andrade, localizada na região da Barra Funda, realizará a atividade “Ações sustentáveis e o futuro dos Museus: museus para que(m)?”, com Marcelo Cardoso de Paiva, doutor em História da Arquitetura e Urbanismo pela FAU – USP. O palestrante pontuará os novos desafios das instituições de memória e sua relação com ações sustentáveis. Os interessados devem se inscrever aqui

O Museu das Favelas, localizado na região dos Campos Elíseos, participa com a oficina online Comunicação em Museus: como a produção de conteúdo pode contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), ministrada por Priscilla Fenics e Vanderson Santos, coordenadora e analista de comunicação do Museu, no dia 18 de maio, das 15h30 às 18h00, que propõe reflexões sobre a produção de conteúdo promovida por museus nas redes sociais enquanto ferramenta potente para contribuir com a consciência coletiva. 

No litoral, o Museu do Café, localizado em Santos, participará da 21ª Semana Nacional de Museus com um conjunto de atividades que propõe experiências relacionadas ao grão. A técnica artística do craquelê, utilizando o café como matéria-prima, será o foco de oficinas ministradas pela artista brasileira Ana Paula Torres. Nos dias 18 (quinta-feira) e 20 (sábado), as atividades serão voltadas aos adultos, acontecendo, respectivamente, às 15h e às 10h. Já no dia 20, às 13h30, as crianças terão a oportunidade de produzir as obras coloridas e em relevo. As vagas serão limitadas e os interessados devem entrar em contato pelo e-mail inscricao@museudocafe.org.br.

Ainda no dia 20, no Museu do Café, a artista realizará uma performance de pintura ao vivo, a partir das 15h, no Salão do Pregão. Na ocasião, o público poderá presenciar o processo de finalização de uma das obras que fará parte da exposição temporária Cores da Minha Terra, com inauguração confirmada para o dia 27, sábado, às 11h.

SERVIÇO 

CAPITAL

Museu das Culturas Indígenas

Os museus indígenas e as perspectivas do protagonismo dos povos originários na promoção da sustentabilidade planetária
Como parte da programação da 21ª Semana Nacional de Museus do Ibram, a mesa contará com a mediação de Davidson Kaseker e participação de Mário Chagas, Cris Takuá, Angélica Fabbri e Susenalson Kanindé (participação remota).
Formato: Presencial
Data: 18/05
Horário: das 10h às 12h
Inscrição aqui
Mais informações em: https://museudasculturasindigenas.org.br/ 

Museu das Culturas Indígenas
Museologia indígena, formas de existência e modos de pensar e agir
Formato: Presencial
Data: 18/05
Horário: das 15h às 17h
Inscrição aqui  
Mais informações em: https://museudasculturasindigenas.org.br/ 

Casa Mário de Andrade
Palestra “Ações sustentáveis e o futuro dos Museus: Museus para que(m)?”

Com Marcelo Cardoso de Paiva

Data: Quarta-feira, 17 de maio
Horário: das 19h às 21h

Formato: Online, por meio da plataforma Zoom 

Inscrições aqui – Prazo: 17/05
Vagas: 300
Mais informações: https://www.casamariodeandrade.org.br/ 

Museu das Favelas
Comunicação em Museus: como a produção de conteúdo pode contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)” 

Oficina ministrada por Priscilla Fenics e Vanderson Santos

Data: 18/05

Horário: 15h30 às 18h

Formato: Online, por meio da plataforma Meet
Inscrições aqui
Mais informações: https://www.museudasfavelas.org.br/ 


Museu da Língua Portuguesa

Falas do Corpo
O projeto visa garantir uma vida mais saudável e promover o bem-estar para todos as pessoas, ampliando o sentido do Museu no território em que está inserido. Será oferecido aula de letramento digital e como utilizar diversos recursos do WhatsApp. 

Data: 18 de maio (quinta-feira)
Horário: das 14h às 16h
Formato: presencial
Mais informações em: https://www.museudalinguaportuguesa.org.br/ 

Memorial da Resistência de São Paulo

Cine Resistência: Tempo de Guavira

A fim de refletir sobre a resistência indígena em defesa do direito e preservação da terra, o Cine Resistência exibe Tempo de Guavira (2021), filme sobre a luta dos Guarani e Kaiowá em favor do meio ambiente, dos direitos humanos e contra a ameaça do agronegócio em áreas tradicionais no sul do Mato Grosso do Sul, região onde vivem mais de 55 mil indígenas, boa parte deles em terras ainda não demarcadas e ameaçadas por ações de despejo e violência. A exibição, gratuita e aberta ao público interessado, contará com a presença do diretor e roteirista Pedro Biava.

Formato: Presencial

Data: 19 de maio

Horário: 15h

Não é necessária inscrição
Mais informações em: http://memorialdaresistenciasp.org.br/ 

LITORAL 

Museu do Café
Oficina Experimental: Técnica Craquelê com Café
A artista Ana Paula Torres abordará técnicas do craquelê com café, convidando os participantes a realizar uma viagem interior, emocional e intuitiva, dando origem à obras individuais.

Datas e horários: 18 de maio, às 15h, e 20 de maio, às 10h
Formato: Presencial 

Inscrição: inscricao@museudocafe.org.br

Vagas limitadas
Mais informações em: https://www.museudocafe.org.br/ 

Museu do Café
Oficina Experimental: Técnica Craquelê com Café – Infantil
As crianças produzirão obras coloridas e em relevo, utilizando as técnicas do craquelê com café.

Data: 20 de maio

Horário: 13h30
Formato: Presencial

Inscrição: inscricao@museudocafe.org.br

Vagas limitadas
Mais informações em: https://www.museudocafe.org.br/ 

Museu do Café
Performance de pintura ao vivo (com a artista Ana Paula Torres)
A artista Ana Paula Torres apresentará ao vivo para os visitantes no Salão do Pregão, a finalização de uma das obras que irá compor a exposição do MC:  “Cores da Minha Terra”.

Data: 20 de maio

Horário: 15h
Formato: Presencial
Mais informações em: https://www.museudocafe.org.br/ 

Museu do Café
Oficina Resíduos Orgânicos, Luxo ou Lixo?
A oficina visa discutir sobre os impactos das ações individuais e coletivas ligadas ao consumo consciente e o desenvolvimento sustentável. A partir dessas noções será disponibilizada matéria-prima para confecção de composteiras domiciliares, sistema de reciclagem ligado aos resíduos orgânicos.

Data: 21 de maio

Horário: 15h
Formato: Presencial

Inscrições aqui

Vagas limitadas

Mais informações em: https://www.museudocafe.org.br/ 

26ª Festa do Imigrante do Museu da Imigração termina neste domingo (19); conheça a cultura, a gastronomia, a música, e o artesanato de mais de 40 países representados no evento

O evento será realizado, presencialmente, nos dias 17, 18 e 19 de dezembro, das 10h às 18h. Lote de ingressos é limitado

Celebrando as culturas e as heranças de 43 países e regiões, o Museu da Imigração (MI) – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – promoverá a 26ª Festa do Imigrante nos dias 17, 18 e 19 de dezembro, das 10h às 18h (bilheteria até as 17h). Depois do cronograma on-line oferecido em 2020, a programação acontecerá presencialmente, marcando o retorno dos eventos culturais de grande porte na capital. Os ingressos já podem ser adquiridos pelo site, e o lote é limitado.

Com novidades na cenografia e nos espaços dedicados às atrações, o evento contará com a participação de mais de 50 expositores de alimentação, 25 de artesanato e 38 grupos artísticos no palco montado no jardim. As performances em frente à fachada do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás serão transmitidas ao vivo no canal do MI no YouTube e também na plataforma #CulturaEmCasa. Entre as apresentações, o público poderá prestigiar diferentes tradições, como da Bolívia, de Cabo Verde, da Escócia, da Itália, do Líbano, do Marrocos, da Polônia e do Togo.

As receitas típicas de várias localidades serão preparadas em 40 tendas de alimentação, nas quais os visitantes poderão se deliciar com pratos da Áustria, do Congo, do Egito, da Lituânia, do México, da Noruega, da Turquia e mais. E quem não perder a oportunidade de conferir o artesanato encontrará itens exclusivos da Bulgária, da Costa do Marfim, da Grécia, de Moçambique, entre outros.

Proporcionando momentos de aprendizado e diversão, as oficinas também farão parte da Festa. Por meio dessas atividades, as comunidades participantes irão ensinar o modo de preparo e as versões de algumas receitas, como bringel baba ganoush (Índia), charuto de folha de uva (Síria), bolo Saboia (Ilha da Madeira), patacones (Venezuela), ceviche (Peru) e kaklieta com molho de cogumelos (Rússia). Além disso, as ações mostrarão como fazer a pintura em vidro (Senegal), um suporte para plantas com nós de macramê (países árabes) e um marcador de livro de gueixa (Japão). Já as aulas de dança terão como foco os passos tradicionais da Armênia, da Coreia do Sul, da Hungria, da Ilha da Madeira, da Palestina, do Paraguai e da Rússia.

A feira “Comida de Herança”, com curadoria de Fawsia Borralho, integrará a programação, aproximando o público de pequenos produtores e destacando a gastronomia autoral, com narrativa, feita à mão de geração em geração. O espaço terá a presença de mais de 20 expositores de especialidades variadas, incluindo antepasto, azeite, chocolate, cerveja, mel, pães, queijo, temperos e vinhos. Os quitutes poderão ser experimentados na hora e/ou levados para casa.

Para a criançada, a mediadora do espaço “Semear Leitores”, Gabrielli Chagas, realizará seis contações de histórias temáticas, acompanhando o calendário disponível no site. As exposições de longa duração “Migrar: experiências, memórias e identidades” e temporárias “1300° Das cinzas, uma árvore”, “Rostos invisíveis da imigração no Brasil” e “Mulheres em movimento” poderão ser visitadas, respeitando a lotação máxima de cada ambiente.

De acordo com as orientações oficiais, o evento seguirá os protocolos sanitários e, para entrar, será necessário apresentar o comprovante de vacinação com as duas doses ou a dose única contra a Covid-19, o que poderá ser feito de forma digital (por meio do ConecteSUS, Poupatempo Digital ou e-saúdeSP). Já aqueles que tiverem tomado apenas uma dose deverão apresentar o teste PCR (com, no máximo, 48 horas) ou o teste antígeno (com, no máximo, 24 horas).

Serviço

26ª Festa do Imigrante

Data: 17, 18 e 19 de dezembro

Horário: das 10h às 18h (bilheteria até as 17h)

Entrada: R$ 10 (meia-entrada: R$ 5)

Local: Museu da Imigração

Ingressos | Programação

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP

Tel.: (11) 2692-1866

Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 18h, e domingo, das 10h às 18h (fechamento da bilheteria às 17h).

R$ 10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos

Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição – Não possui estacionamento

www.museudaimigracao.org.br

2º Festival de Verão de Campos do Jordão inicia programação na cidade serrana neste fim de semana

Conhecido por sua tradicional edição de Inverno, evento acontece pela segunda vez no Verão, entre 30/jan e 18/fev, com programação 100% gratuita acontecendo no Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, e na Sala São Paulo, instituições da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo;

Calendário com mais de 30 apresentações contempla música popular e música clássica; primeiro fim de semana tem apresentações do Heloísa Fernandes Quarteto, de Vanessa Moreno com a São Paulo Big Band e dos noruegueses do NOR-BRA LOVE 3:3;

Núcleo Pedagógico acontece na Sala São Paulo, de 29/jan a 18/fev, com bolsas de estudo para 20 grupos divididos entre música popular e música clássica de câmara – que se apresentam tanto na cidade serrana quanto na capital paulista.

Em 2023, entre 30 de janeiro e 18 de fevereiro, o 2º Festival de Verão de Campos do Jordão oferece mais de 30 apresentações musicais divididas em dois eixos, música popular e música clássica, além de contar com um Núcleo Pedagógico em formato original, neste ano dedicado a grupos musicais já existentes ou constituídos, exclusivamente, para essa finalidade (distribuídos entre música popular instrumental e/ou vocal e música clássica de câmara instrumental e/ou vocal). É reconhecido como o maior evento de música clássica da América Latina e ganhou um novo formato em 2022, passando a acontecer também no verão, além de manter a tradicional edição de inverno, todo mês de julho.

O Salão Nobre da Sala São Paulo recebe os primeiros quatro concertos desta edição, de 30/jan a 02/fev, e outras três performances de 13 a 15/fev. Todas as demais apresentações acontecem no Auditório Claudio Santoro, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o palco mais tradicional do Festival de Campos do Jordão, entre 04 e 18/fev. As performances são gratuitas e sem necessidade de retirada prévia de ingressos, limitadas às capacidades do Salão Nobre (150 lugares) e do Auditório (814 lugares). Já as atividades pedagógicas ocorrem inteiramente na Sala São Paulo, de 29/jan a 18/fev. 

Com o Festival de Verão, o Governo do Estado de São Paulo busca ampliar este já tradicional evento – no que diz respeito à época de sua realização, potencializando a capacidade turística do Vale do Paraíba, e ao seu aspecto conceitual, abraçando linguagens e formatos musicais explorados com menor frequência durante o Festival de Inverno (que em 2023 chegará à sua 53ª edição).

“A segunda edição do Festival de Verão será inovadora. Num formato mais compacto, o festival deste ano privilegiará a prática de grupos e colocará em evidência a nova geração de músicos populares e clássicos que, através de seus trabalhos autônomos, terão protagonismo na definição dos espetáculos, juntamente com grupos tradicionais como Osesp, Brasil Jazz Sinfônica e nomes relevantes da música brasileira”, afirma o diretor executivo da Fundação Osesp, Marcelo Lopes.

PROGRAMAÇÃO EM CAMPOS DO JORDÃO

Destacam-se na programação do Auditório Claudio Santoro apresentações do Heloísa Fernandes Quarteto, que abre o evento com música brasileira instrumental (04/fev); da São Paulo Big Band com os cantores Vanessa Moreno (04/fev), Ana Cañas (12/fev) e Wilson Simoninha (18/fev); da Brasil Jazz Sinfônica ao lado da cantora e compositora Maria Gadú (11/fev); dos jazzistas noruegueses do NOR-BRA LOVE 3:3 (05/fev); do conjunto de música clássica Percorso Ensemble acompanhado da cantora Eliane Coelho (18/fev); da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo – Ojesp tocando trilhas de filmes emblemáticos (18/fev); e do programa Floresta Villa-Lobos, que a Osesp apresentou em 2022 na Sala São Paulo e no Carnegie Hall, em Nova York, e que encerra esta edição do Festival (18/fev). Todos os concertos são gratuitos.

PROGRAMAÇÃO PEDAGÓGICA

O Módulo Pedagógico do 2º Festival de Verão de Campos do Jordão, de 29/jan a 18/fev, é devotado a atividades de grupos musicais já existentes ou constituídos exclusivamente para essa finalidade, de música popular instrumental e/ou vocal e música clássica de câmara instrumental e/ou vocal. O eixo Música Popular tem coordenação artístico-pedagógica do trompetista e professor Daniel D’Alcantara, enquanto o Trombone Solista da Osesp e regente Wagner Polistchuk é o responsável pelo eixo Música Clássica.

Os 20 grupos de bolsistas selecionados nesta edição estão separados em dois: 10 deles dedicados à Música Popular (de trios a sextetos), e 10 à Música Clássica de Câmara (trios, quartetos e quintetos). As atividades pedagógicas acontecerão inteiramente na Sala São Paulo, enquanto as performances desses grupos ficarão divididas entre Campos do Jordão (Auditório Claudio Santoro) e São Paulo (Salão Nobre – Sala São Paulo).

“Além do trabalho de mentoria com os alunos, haverá cinco vivências com temas abrangentes como o desenvolvimento da neurociência para a música, a comunicação não-violenta, a carreira de um músico e seus desafios, a consciência corporal de um músico e a construção, produção e fomento de um projeto artístico, entre outros. São assuntos que atravessam a vida de um músico e irão complementar a formação artística e alguns aspectos que envolvem a construção de uma carreira”, explica Rogério Zaghi, diretor pedagógico desta edição do Festival. “Tudo isso será abordado nas vivências que os 87 bolsistas, ou 20 grupos, terão todas as tardes na primeira semana. Na segunda semana eles gravarão na própria Sala São Paulo um vídeo clipe com alta qualidade de imagem e som, com orientação da nossa equipe; e, aos finais de semana, irão para Campos do Jordão fazer as apresentações com sua própria identidade”, finaliza.

REALIZAÇÃO

O 2º Festival de Verão de Campos do Jordão é um programa do Governo do Estado de São Paulo, realizado por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e pela Fundação Osesp. Tem direção geral de Marcelo Lopes, direção pedagógica de Rogério Zaghi e coordenação artístico-pedagógica de Daniel D’Alcantara (Música Popular) e de Wagner Polistchuk (Música Clássica). A produção executiva fica a cargo de Alessandra Cimino. 

PROGRAMAÇÃO 1ª SEMANA – 30/JAN A 05/FEV 

SALA SÃO PAULO – SALÃO NOBRE 

30 JAN (SEG) 19H00

TRIO AROEIRA

QUARTETO ZACUR

31 JAN (TER) 19H00

CIA.SAX

QUARTETO FORA DE CONTEXTO

TRIO CORDI

01 FEV (QUA) 19H00

QUINTETO AREPAJÉ

QUINTETO MANGARÁ

QUINTETO ACAUÃ

02 FEV (QUI) 19H00

QUINTETO JANGADA

QUINTETO SOL A PINO

SEXTETO AURUM

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

04 FEV (SÁB) 15H00

HELOÍSA FERNANDES QUARTETO

04 FEV (SÁB) 16H00 ÀS 19H00

QUINTETO ACAUÃ

CLEYTON MENEZES GRUPO

CIA.SAX

04 FEV (SÁB) 21H00

SÃO PAULO BIG BAND & VANESSA MORENO

05 FEV (DOM) 11H00 ÀS 15H00

AMÉLIA GABRIELA

TRIO CORDI

QUINTETO AREPAJÉ

QUINTETO DE SOPROS GUANABARA

05 FEV (DOM) 17H00

NOR-BRA LOVE 3:3

Serviço:

2º FESTIVAL DE VERÃO DE CAMPOS DO JORDÃO

Data: 30 de janeiro a 18 de fevereiro  – Módulo Pedagógico: 29/jan a 18/fev

Ingressos:

Entrada gratuita e sem necessidade de retirada prévia de ingressos, limitada às capacidades do Auditório Claudio Santoro (814 lugares) e da Sala São Paulo – Salão Nobre (150 lugares).

Locais: AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 62-2334. Horário de funcionamento: somente em dias de concerto, 3h antes do início do evento.

SALA SÃO PAULO – SALÃO NOBRE

Praça Júlio Prestes, 16, 1º andar, Campos Elíseos – São Paulo, SP. Tel. (11) 37-9500.

2º Festival de Verão de Campos do Jordão traz 34 concertos gratuitos que vão do clássico ao popular

00Conhecido por sua tradicional edição de Inverno, evento acontece pela segunda vez no Verão, entre os dias 30/jan e 18/fev, com programação 100% gratuita e distribuída entre o Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, e a Sala São Paulo;

Calendário com 34 apresentações está dividido em dois núcleos – Música Popular e Música Clássica; destacam-se performances de Maria Gadú com Brasil Jazz Sinfônica, Ana Cañas com São Paulo Big Band e Osesp com programa ‘Floresta Villa-Lobos’;

Núcleo Pedagógico acontece na Sala São Paulo, entre os dias 29/jan e 18/fev, e oferece bolsas de estudo para 20 grupos divididos entre música popular e música clássica de câmara – com apresentações na cidade da Serra da Mantiqueira e na capital.

Reconhecido como o maior evento de música clássica da América Latina, o Festival de Campos do Jordão, do Governo do Estado de São Paulo, ganhou um novo formato em 2022, passando a acontecer também no Verão – além de manter sua tradicional edição de Inverno, todo mês de julho.

Em 2023, entre 30 de janeiro e 18 de fevereiro, o 2º Festival de Verão de Campos do Jordão oferecerá 34 apresentações musicais divididas em dois eixos (Música Popular e Música Clássica), além de contar com um Núcleo Pedagógico em formato original, neste ano dedicado a grupos musicais já existentes ou constituídos exclusivamente para essa finalidade (distribuídos entre música popular instrumental e/ou vocal e música clássica de câmara instrumental e/ou vocal).

Os primeiros cinco concertos desta edição acontecerão na Sala do Coro, localizada no 2º andar da Sala São Paulo, e todos os demais serão no Auditório Claudio Santoro, o palco mais tradicional do Festival de Campos do Jordão, dentro do Museu Felícia Leirner – as três instituições da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Todas as performances serão gratuitas e sem a necessidade de retirada prévia de ingressos, limitadas às capacidades da Sala do Coro (150 lugares) e do Auditório (814 lugares). Já as atividades pedagógicas serão realizadas inteiramente na Sala São Paulo, entre os dias 29/jan e 18/fev.

Com o Festival de Verão, o Governo do Estado de São Paulo busca ampliar este já tradicional evento – no que diz respeito à época de sua realização, potencializando a capacidade turística do Vale do Paraíba, e ao seu aspecto conceitual, abraçando linguagens e formatos musicais explorados com menor frequência durante o Festival de Inverno (que, em 2023, chegará à sua 53ª edição).

“A segunda edição do Festival de Verão será inovadora. Num formato mais compacto, o festival deste ano privilegiará a prática de grupos e colocará em evidência a nova geração de músicos populares e clássicos que, através de seus trabalhos autônomos, terão protagonismo na definição dos espetáculos, juntamente com grupos tradicionais como Osesp, Brasil Jazz Sinfônica e nomes relevantes da música brasileira”, afirma o diretor executivo da Fundação Osesp, Marcelo Lopes.

PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA

Na programação musical do 2º Festival de Verão, destacam-se apresentações do Heloísa Fernandes Quarteto, que abre o evento com música brasileira instrumental (04/fev); da São Paulo Big Band com os cantores Vanessa Moreno (04/fev), Ana Cañas (12/fev) e Wilson Simoninha (18/fev); da Brasil Jazz Sinfônica ao lado da cantora e compositora Maria Gadú (11/fev); dos jazzistas noruegueses do Paal Nilssen-Love Sextet (05/fev); do conjunto de música clássica Percorso Ensemble, acompanhado da cantora Eliane Coelho (18/fev); da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo – Ojesp tocando trilhas de filmes emblemáticos (18/fev); além do programa Floresta Villa-Lobos, que a Osesp apresentou em 2022 na Sala São Paulo e no Carnegie Hall, em Nova York, e que encerra esta edição do Festival (18/fev). Todos os concertos são gratuitos e acontecem no Auditório Claudio Santoro.

PROGRAMAÇÃO PEDAGÓGICA

No Módulo Pedagógico, que será realizado de 29/jan a 18/fev, o 2º Festival de Verão de Campos do Jordão será devotado a atividades de grupos musicais já existentes ou constituídos exclusivamente para essa finalidade, e dedicados à música popular instrumental e/ou vocal e à música clássica de câmara instrumental e/ou vocal. O eixo Música Popular tem coordenação artístico-pedagógica do trompetista e professor Daniel D’Alcantara, enquanto o Trombone Solista da Osesp e regente Wagner Polistchuk é o responsável pelo eixo Música Clássica.

Os 20 grupos de bolsistas selecionados nesta edição do Festival estarão divididos em dois: dez deles dedicados à Música Popular (de trios a sextetos), e dez à Música Clássica de Câmara (trios, quartetos e quintetos). As atividades pedagógicas acontecerão inteiramente na Sala São Paulo, enquanto as performances desses grupos ficarão divididas entre Campos do Jordão (Auditório Claudio Santoro) e São Paulo (Sala do Coro – Sala São Paulo).

“Além do trabalho de mentoria com os alunos, haverá cinco vivências com temas abrangentes como o desenvolvimento da neurociência para a música, a comunicação não-violenta, a carreira de um músico e seus desafios, a consciência corporal de um músico e a construção, produção e fomento de um projeto artístico, entre outros. São assuntos que atravessam a vida de um músico e irão complementar a formação artística e alguns aspectos que envolvem a construção de uma carreira”, explica Rogério Zaghi, diretor pedagógico desta edição do Festival. “Tudo isso será abordado nas vivências que os 87 bolsistas, ou 20 grupos, terão todas as tardes na primeira semana. Na segunda semana eles gravarão na própria Sala São Paulo um vídeo clipe com alta qualidade de imagem e som, com orientação da nossa equipe; e, aos finais de semana, irão para Campos do Jordão fazer as apresentações com sua própria identidade”, finaliza.

SOBRE O FESTIVAL DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival de Campos do Jordão combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado. Ao longo de suas 52 edições, o evento, tradicionalmente realizado no Inverno, se consolidou como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, uma programação cultural de qualidade, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão (SP) como todo o seu entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

REALIZAÇÃO

O 2º Festival de Verão de Campos do Jordão é um programa do Governo do Estado de São Paulo, realizado por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e pela Fundação Osesp. Tem direção geral de Marcelo Lopes, direção pedagógica de Rogério Zaghi e coordenação artístico-pedagógica de Daniel D’Alcantara (Música Popular) e de Wagner Polistchuk (Música Clássica). A produção executiva fica a cargo de Alessandra Cimino.

Esta edição conta com apoio da Prefeitura Municipal de Campos do Jordão, Acam Portinari e Museu Felícia Leirner. Realização: Fundação Osesp e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

 

| PROGRAMAÇÃO – 2º FESTIVAL DE VERÃO DE CAMPOS DO JORDÃO |

| SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO |

30 JAN (SEG) 19H00

GRUPOS DO FESTIVAL

31 JAN (TER) 19H00

GRUPOS DO FESTIVAL

01 FEV (QUA) 19H00

GRUPOS DO FESTIVAL

02 FEV (QUI) 19H00

GRUPOS DO FESTIVAL

03 FEV (SEX) 19H00

GRUPOS DO FESTIVAL

 

| AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO |

04 FEV (SÁB) 15H00

HELOÍSA FERNANDES QUARTETO

04 FEV (SÁB) 16H00

GRUPOS DO FESTIVAL

04 FEV (SÁB) 17H00

GRUPOS DO FESTIVAL

04 FEV (SÁB) 18H00

GRUPOS DO FESTIVAL

04 FEV (SÁB) 21H00

SÃO PAULO BIG BAND & VANESSA MORENO

05 FEV (DOM) 11H00

GRUPOS DO FESTIVAL

05 FEV (DOM) 12H00

GRUPOS DO FESTIVAL

05 FEV (DOM) 13H00

GRUPOS DO FESTIVAL

05 FEV (DOM) 14H00

GRUPOS DO FESTIVAL

05 FEV (DOM) 17H00

PAAL NILSSEN-LOVE SEXTET

11 FEV (SÁB) 15H00

GRUPOS DO FESTIVAL

11 FEV (SÁB) 16H00

GRUPOS DO FESTIVAL

11 FEV (SÁB) 17H00

GRUPOS DO FESTIVAL

11 FEV (SÁB) 18H00

GRUPOS DO FESTIVAL

11 FEV (SÁB) 21H00

BRASIL JAZZ SINFÔNICA & MARIA GADÚ

12 FEV (DOM) 11H00

GRUPOS DO FESTIVAL

12 FEV (DOM) 12H00

GRUPOS DO FESTIVAL

12 FEV (DOM) 13H00

GRUPOS DO FESTIVAL

12 FEV (DOM) 14H00

GRUPOS DO FESTIVAL

12 FEV (DOM) 17H00

SÃO PAULO BIG BAND & ANA CAÑAS

17 FEV (SEX) 17H00

GRUPOS DO FESTIVAL

17 FEV (SEX) 18H00

GRUPOS DO FESTIVAL

17 FEV (SEX) 19H00

GRUPOS DO FESTIVAL

17 FEV (SEX) 20H00

GRUPOS DO FESTIVAL

17 FEV (SEX) 21H00

GRUPOS DO FESTIVAL

18 FEV (SÁB) 11H00

PERCORSO ENSEMBLE & ELIANE COELHO

18 FEV (SÁB) 15H00

SÃO PAULO BIG BAND & WILSON SIMONINHA

18 FEV (SÁB) 18H00

OJESP

Trilhas de Filmes

18 FEV (SÁB) 21H00

OSESP

Floresta Villa-Lobos

| SERVIÇO |

2º FESTIVAL DE VERÃO DE CAMPOS DO JORDÃO

Data: 30 de janeiro a 18 de fevereiro [Módulo Pedagógico: 29/jan a 18/fev]

Ingressos:

Entrada gratuita e sem a necessidade de retirada de ingressos, limitada às capacidades do Auditório Claudio Santoro (814 lugares) e da Sala São Paulo – Sala do Coro (150 lugares).
Locais:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO
Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3662-2334. Horário de funcionamento: somente em dias de concerto, 3h antes do início do evento.
SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO
Praça Júlio Prestes, 16, 2º andar, Campos Elíseos – São Paulo, SP. Tel. (11) 3367-9500.

32º Prêmio Design MCB abre inscrições para o Concurso do Cartaz

O Prêmio Design MCB, realizado pelo Museu da Casa Brasileira inicia os preparativos de sua 32ª edição com o Concurso do Cartaz. O objetivo da premiação, realizada anualmente, é promover a reflexão sobre o design brasileiro e incentivar o uso do cartaz como meio de expressão cultural.

Os interessados poderão se inscrever de 05 de março a 10 de abril e entregar até 14 de abril os trabalhos impressos e o termo de doação no MCB. O resultado do concurso será divulgado no dia 07 de maio. A participação é aberta a todas as pessoas físicas interessadas: brasileiros ou estrangeiros residentes no país há mais de dois anos, profissionais ou estudantes. A taxa de inscrição é de R$ 50,00 e estudantes terão 50% de desconto.

Este ano, o Concurso do Cartaz do Prêmio Design apresenta novidades para os participantes. Em sua 32ª edição foram adicionados dois pontos aos critérios de avaliação: facilidade de produção e de distribuição e, também, a não exigência do envio do cartaz em prancha rígida. Além disso, a fim de contribuir para a impressão dos cartazes dos participantes, o MCB disponibilizará, ao participante que assim o desejar, uma relação de gráficas parceiras, que ofertarão descontos especiais e facilidades de entrega. Por exemplo, quem mora em outro estado ou cidade, distante de São Paulo, poderá enviar o arquivo para impressão a uma dessas gráficas parceiras e essas se encarregarão da entrega das peças diretamente ao Museu.

A Mostra do Concurso do Cartaz e a promoção da votação popular visam estimular a participação do público no debate sobre a produção atual em design gráfico e a revalorização do cartaz enquanto peça gráfica central em campanhas de divulgação. Com isso, o Prêmio Design MCB reforça seu caráter de apoio à construção da identidade do design nacional, ampliando sua interação com o público e aproximando os visitantes dos temas vocacionais da instituição

3ª edição dos Encontros Históricos com estrelas da MPB

Paulinho da Viola, Fafá de Belém, Daniela Mercury, Maria Gadú e Gal Costa estão entre os convidados destes novos Encontros, que acontecem entre 2 de abril e 17 de dezembro; ingressos já podem ser adquiridos

Em 2022, a Sala São Paulo, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, traz para seu palco mais uma temporada dos Encontros Históricos. Depois de receber grandes nomes da música popular brasileira acompanhados pela Brasil Jazz Sinfônica, corpo estável do Governo do Estado, entre 2020 e 2021, a nova edição dará as boas-vindas a Paulinho da Viola & Família, Fafá de Belém & Otto, Daniela Mercury & Maria Gadú, Teresa Cristina & Dudu Nobre, Arnaldo Antunes & Lenine e Gal Costa & Silva, entre outras estrelas da MPB.

No primeiro ano dos Encontros Históricos na Sala São Paulo, foram realizados encontro entre artistas como Erasmo Carlos & Roberta Sá, Ivan Lins & MP4 e João Donato & Marcos Valle. Na segunda edição, subiram ao palco nomes como Gilberto Gil, Alcione, Martinho da Vila, Elba Ramalho e Carlinhos Brown realizando performances inesquecíveis, sempre com o acompanhamento da Brasil Jazz Sinfônica, orquestra parceira do projeto.
O primeiro concerto desta nova temporada está marcado para o dia 2/abr, quando o cantor e compositor carioca Paulinho da Viola estará junto com os filhos Beatriz Rabello e João Rabello. As apresentações acontecem sempre aos sábados, às 22h, e os ingressos já podem ser adquiridos neste link.

“Os Encontros Históricos, que agora chegam à terceira temporada, vão além de um encontro entre dois artistas. Eles são também o encontro de dois artistas com a orquestra, e extraem da Brasil Jazz Sinfônica o que ela tem de melhor para oferecer, que é a excelência na produção de música popular orquestral. A constância com que presenciamos encontros inusitados ou improváveis neste projeto torna tudo ainda mais instigante, e isso nos dá a chance de mostrar a veia criativa da orquestra”, afirma Ruriá Duprat, Diretor Musical da Brasil Jazz Sinfônica.

Confira o calendário completo da terceira temporada dos Encontros Históricos na Sala São Paulo.

PROGRAMAÇÃO
02 ABR (SÁB), 22H00
PAULINHO DA VIOLA & FAMÍLIA
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

28 MAI (SÁB), 22H00
YAMANDU COSTA, ARMANDINHO MACÊDO & RENATO BORGHETTI
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

25 JUN (SÁB), 22H00
TERESA CRISTINA & DUDU NOBRE
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

20 AGO (SÁB), 22H00
FAFÁ DE BELÉM & OTTO
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

03 SET (SÁB), 22H00
DANIELA MERCURY & MARIA GADÚ
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

15 OUT (SÁB), 22H00
ARNALDO ANTUNES & LENINE
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

26 NOV (SÁB), 22H00
MARIENE DE CASTRO & LUEDJI LUNA
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

17 DEZ (SÁB), 22H00
GAL COSTA & SILVA
BRASIL JAZZ SINFÔNICA

SERVIÇO

ENCONTROS HISTÓRICOS NA SALA SÃO PAULO
Data: Entre 2 de abril e 17 de dezembro
Endereço: Sala São Paulo | Praça Júlio Prestes, 16
Taxa de ocupação limite: 1.498 lugares
Recomendação etária: 7 anos
Ingressos: de R$ 50,00 a R$ 220,00 (valores inteiros*)
Bilheteria (INTI): Neste link
(11) 3777-9721, de segunda a sexta, das 12h às 18h.
Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.
Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 600 vagas; 20 para portadores de necessidades especiais; 33 para idosos.
* Estudantes, pessoas acima dos 60 anos, jovens pertencentes a famílias de baixa renda com idade de 15 a 29 anos, pessoas com deficiências e um acompanhante e servidores da educação (servidores do quadro de apoio — funcionários da secretaria e operacionais — e especialistas da Educação — coordenadores pedagógicos, diretores e supervisores — da rede pública, estadual e municipal) têm desconto de 50% nos ingressos para os concertos da Osesp na Sala São Paulo, mediante comprovação.

3º Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro recebem programação voltada ao fomento e formação de profissionais da dança (mais…)

45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo no Museu da Imigração

Nos dias 22 e 23 de outubro, amantes da sétima arte poderão conferir produções sobre deslocamento forçado e violação de direitos humanos

O Museu da Imigração – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), reforçando a parceria já existente, recebem quatro filmes, como parte da 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, nos dias 22 e 23 de outubro, às 19h.

A programação a céu aberto, diretamente do jardim do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás – no qual o MI está localizado –, terá como foco produções envolvendo a realidade das pessoas que vivenciam o deslocamento forçado e os impactos das violações de direitos humanos em suas vidas. Os materiais serão transmitidos em uma tela de 15 metros com projeção 4k.

O evento contará com duas sessões diárias e os ingressos serão vendidos, dois dias antes de cada, somente no Ticket360, conforme indicado no site do Museu. Os protocolos de segurança contra a COVID-19 serão seguidos, de maneira que será obrigatório o uso de máscara e haverá a exigência do comprovante de vacinação (duas doses) ou RT PCR (72h de antecedência) ou Antígeno (48h).

Para quem ainda não se vacinou com as duas doses, em parceria com a Red8, será oferecido gratuitamente o teste Antígeno, sempre às 18h de cada dia. Como a quantidade é limitada, os interessados devem agendar previamente, até quarta-feira (20), pelo WhatsApp da empresa.

No intervalo das exibições, os visitantes poderão aproveitar as delícias preparadas por refugiados empreendedores, que vivem em São Paulo, em uma praça de alimentação também montada ao ar livre.

Programação Completa

Dia 22 (sexta-feira), às 19h | 7 Prisioneiros

Brasil – 2021 | 90 min | Ficção

O jovem Mateus, de 18 anos de idade, sai do interior em busca de uma oportunidade de trabalho em um ferro-velho de São Paulo comandado por Luca. Chegando lá, acaba se tornando vítima de um sistema de trabalho análogo à escravidão. Mateus é obrigado a decidir se continua trabalhando para o homem que o escraviza ou se coloca a si mesmo e a família em risco.

Dia 22 (sexta-feira), às 21h | Capitães de Zaatari

Egito – 2021 | 73 min | Documentário

Mahmoud e Fawzi vivem no campo de refugiados Zaatari, na Jordânia. Embora não tenham ideia do que o futuro lhes reserva, eles se concentram em sua principal paixão: o futebol. Apesar da situação adversa em que vivem, os dois treinam diariamente, acreditando que o esporte profissional pode ser o passaporte para a liberdade. Quando uma renomada academia esportiva chega ao local para selecionar jogadores para um torneio internacional em Doha, o talento de Mahmoud e Fawzi é imediatamente reconhecido. No entanto, os rapazes seguirão caminhos diferentes.

Dia 23 (sábado), às 19h | Pegando a Estrada

Irã – 2021 | 93 min | Ficção

Uma família caótica e afetuosa viaja por uma paisagem acidentada, mas para onde? No banco de trás, o pai parece estar com uma perna quebrada, mas ela está realmente quebrada? A mãe tenta rir ao mesmo tempo em que não consegue conter as lágrimas. O filho mais novo fica agitado no karaokê coreografado que fazem no carro. Todos eles estão preocupados com o cachorro doente e irritando uns aos outros. Apenas o misterioso irmão mais velho permanece quieto.

Dia 23 (sábado), às 21h | Medo

Bulgária – 2020 | 100 min | Ficção

Svetla é uma viúva que, recentemente, perdeu o emprego como professora. A vila onde mora fica próxima à fronteira da Bulgária com a Turquia e, frequentemente, refugiados aparecem por ali. Um dia, enquanto caçava em uma floresta, Svetla se depara com um migrante africano, fato que suscita uma transformação dramática em sua vida. A mulher, então, é forçada a se rebelar contra as pessoas da comunidade, enquanto elas incitam o refugiado negro a deixar a aldeia imediatamente.

Serviço

45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo
Datas: 22 e 23 de outubro
Horário: 19h
Local: Museu da Imigração

Museu da Imigração
Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP
Tel.: (11) 2692-1866
Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 18h, e domingo, das 10h às 18h (fechamento da bilheteria às 17h).
R$10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição

www.museudaimigracao.org.br

Informações Imprensa
Museu da Imigração
Assessoria de Comunicação
Joanna Flora j.flora@museudaimigracao.org.br | (13) 98112-8691
Thâmara Malfatti | thamara@museudaimigracao.org.br
Caroline Nóbrega | comunicacao@museudaimigracao.org.br

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo
Assessoria de Imprensa
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162
(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

4ª Conferência Estadual de Cultura

A Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo informa que a etapa virtual da 4a Conferência Estadual de Cultura realizada nesta sexta-feira, 08/12, foi suspensa para possibilitar a análise das demandas apresentadas pelos participantes durante a etapa online. Já estão sendo realizadas as tratativas para solucionar os pontos apresentados e breve será enviado comunicado atualizando sobre a conclusão desta etapa, para que possamos realizar a votação, elegendo as propostas e delegados que representarão o Governo do Estado de São Paulo na Conferência Nacional, em 2024, em Brasília, seguindo os requisitos previstos no regimentos.

4ª Conferência Estadual de Cultura

A etapa estadual da 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo, realizar-se-á entre os dias 15 a 18 de dezembro de 2023, sob a coordenação da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, por meio da Comissão Organizadora Estadual, instituída em Resolução SCEIC n.º 59/2023, de 18 de agosto de 2023.

A seguir é possível conferir toda a documentação e orientações sobre a realização da 4ª Conferência Estadual de Cultura.

Portarias do Ministério da Cultura:

PORTARIA MINC Nº 45, DE 14 DE JULHO DE 2023

LINK

PORTARIA MINC Nº 63, DE 14 DE SETEMBRO DE 2023

LINK

Resolução e Portaria publicada pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas:

PORTARIA N° 16, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2023

Dispõe sobre o cadastramento para participação na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

Resolução SCEIC nº 077 de 11 de dezembro de 2023

Dispõe sobre a convocação dos Delegados eleitos para participação na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

MINUTA DE PORTARIA SCEIC N° 17, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2023

Altera a Portaria nº 15 de 07 de dezembro de 2023, que dispõe sobre o regimento interno da etapa estadual da 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

Propostas, na íntegra, enviadas pelos municípios após as Conferências Municipais e Intermunicipais, de acordo com cada eixo:

Eixo 1 – Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura:

LINK

Eixo 2 – Democratização do acesso à cultura e Participação Social:

LINK

Eixo 3 – Identidade, Patrimônio e Memória:

LINK

Eixo 4 – Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural:

LINK

Eixo 5 – Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade:

LINK

Eixo 6 – Direito às Artes e Linguagens Digitais:

LINK

Relatório de propostas

Após curadoria das propostas enviadas pelos municípios (Conferências Municipais e Intermunicipais), foi feito agrupamento das de mesmo teor, totalizando 2.458 propostas.

LINK

Relatório de Propostas consolidadas de acordo com cada eixo
Eixo 1 – Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura: LINK

Eixo 2 – Democratização do acesso à cultura e Participação Social: LINK

Eixo 3 – Identidade, Patrimônio e Memória: LINK

Eixo 4 – Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural: LINK

Eixo 5 – Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade: LINK

Eixo 6 – Direito às Artes e Linguagens Digitais: LINK

Lista dos municípios e quantidade de delegados eleitos nas Conferências Municipais e Intermunicipais:

LINK

Para facilitar o acesso na 4º Conferência Estadual de Cultura confirma o passo a passo de como acessar a reunião on-line:

LINK

4ª Conferência Estadual de Cultura

A etapa estadual da 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo, realizar-se-á entre os dias 15 a 18 de dezembro de 2023, sob a coordenação da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, por meio da Comissão Organizadora Estadual, instituída em Resolução SCEIC n.º 59/2023, de 18 de agosto de 2023.

A seguir é possível conferir toda a documentação e orientações sobre a realização da 4ª Conferência Estadual de Cultura.

Portarias do Ministério da Cultura:

PORTARIA MINC Nº 45, DE 14 DE JULHO DE 2023

LINK

PORTARIA MINC Nº 63, DE 14 DE SETEMBRO DE 2023

LINK

Resolução e Portaria publicada pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas:

PORTARIA N° 16, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2023

Dispõe sobre o cadastramento para participação na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

Resolução SCEIC nº 077 de 11 de dezembro de 2023

Dispõe sobre a convocação dos Delegados eleitos para participação na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

MINUTA DE PORTARIA SCEIC N° 17, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2023

Altera a Portaria nº 15 de 07 de dezembro de 2023, que dispõe sobre o regimento interno da etapa estadual da 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

Propostas, na íntegra, enviadas pelos municípios após as Conferências Municipais e Intermunicipais, de acordo com cada eixo:

Eixo 1 – Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura:

LINK

Eixo 2 – Democratização do acesso à cultura e Participação Social:

LINK

Eixo 3 – Identidade, Patrimônio e Memória:

LINK

Eixo 4 – Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural:

LINK

Eixo 5 – Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade:

LINK

Eixo 6 – Direito às Artes e Linguagens Digitais:

LINK

Relatório de propostas

Após curadoria das propostas enviadas pelos municípios (Conferências Municipais e Intermunicipais), foi feito agrupamento das de mesmo teor, totalizando 2.458 propostas.

LINK

Relatório de Propostas consolidadas de acordo com cada eixo
Eixo 1 – Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura: LINK

Eixo 2 – Democratização do acesso à cultura e Participação Social: LINK

Eixo 3 – Identidade, Patrimônio e Memória: LINK

Eixo 4 – Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural: LINK

Eixo 5 – Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade: LINK

Eixo 6 – Direito às Artes e Linguagens Digitais: LINK

Lista dos municípios e quantidade de delegados eleitos nas Conferências Municipais e Intermunicipais:

LINK

Para facilitar o acesso na 4º Conferência Estadual de Cultura confirma o passo a passo de como acessar a reunião on-line:

LINK

ATAS DOS ENCONTROS SETORIAIS REALIZADOS ENTRE 23 DE OUTUBRO E 13 DE NOVEMBRO DE 2023

Atas dos encontros setoriais realizados entre 23 de outubro e 13 de novembro de 2023, conforme previsto na portaria Minc nº 45 de 14 de julho de 2023 e na resolução SCEIC nº 67/2023 de 11 de outubro 2023.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A CONTINUAÇÃO DA 4ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE CULTURA

A 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo, coordenada pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, terá sua continuação nos dias 17 e 18 de janeiro das 9h às 18h.

Nos dois dias, a Conferência acontecerá de forma híbrida, tanto on-line quanto presencial, no Teatro Sérgio Cardoso (R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo – SP)

Os delegados e suplentes devem realizar inscrição e confirmar a participação até o dia 11 de janeiro pelo site: https://sis.automacaodeeventos.com.br/2024/cec/sis/inscricao/index.asp?s=conferencia-estadual-de-cultura

Em caso de dúvidas, entrar em contato pelo e-mail: conferenciasp@sp.gov.br.

4ª Conferência Estadual de Cultura

A etapa estadual da 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo, realizar-se-á entre os dias 15 a 18 de dezembro de 2023, sob a coordenação da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, por meio da Comissão Organizadora Estadual, instituída em Resolução SCEIC n.º 59/2023, de 18 de agosto de 2023.

A seguir é possível conferir toda a documentação e orientações sobre a realização da 4ª Conferência Estadual de Cultura.

Portarias do Ministério da Cultura:

PORTARIA MINC Nº 45, DE 14 DE JULHO DE 2023

LINK

PORTARIA MINC Nº 63, DE 14 DE SETEMBRO DE 2023

LINK

Resolução e Portaria publicada pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas:

PORTARIA N° 16, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2023

Dispõe sobre o cadastramento para participação na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

Resolução SCEIC nº 077 de 11 de dezembro de 2023

Dispõe sobre a convocação dos Delegados eleitos para participação na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

MINUTA DE PORTARIA SCEIC N° 17, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2023

Altera a Portaria nº 15 de 07 de dezembro de 2023, que dispõe sobre o regimento interno da etapa estadual da 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo.

LINK

Propostas, na íntegra, enviadas pelos municípios após as Conferências Municipais e Intermunicipais, de acordo com cada eixo:

Eixo 1 – Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura:

LINK

Eixo 2 – Democratização do acesso à cultura e Participação Social:

LINK

Eixo 3 – Identidade, Patrimônio e Memória:

LINK

Eixo 4 – Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural:

LINK

Eixo 5 – Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade:

LINK

Eixo 6 – Direito às Artes e Linguagens Digitais:

LINK

Relatório de propostas

Após curadoria das propostas enviadas pelos municípios (Conferências Municipais e Intermunicipais), foi feito agrupamento das de mesmo teor, totalizando 2.458 propostas.

LINK

Relatório de Propostas consolidadas de acordo com cada eixo
Eixo 1 – Institucionalização, Marcos Legais e Sistema Nacional de Cultura: LINK

Eixo 2 – Democratização do acesso à cultura e Participação Social: LINK

Eixo 3 – Identidade, Patrimônio e Memória: LINK

Eixo 4 – Diversidade Cultural e Transversalidades de Gênero, Raça e Acessibilidade na Política Cultural: LINK

Eixo 5 – Economia Criativa, Trabalho, Renda e Sustentabilidade: LINK

Eixo 6 – Direito às Artes e Linguagens Digitais: LINK

Lista dos municípios e quantidade de delegados eleitos nas Conferências Municipais e Intermunicipais:

LINK

Para facilitar o acesso na 4º Conferência Estadual de Cultura confirma o passo a passo de como acessar a reunião on-line:

LINK

ATAS DOS ENCONTROS SETORIAIS REALIZADOS ENTRE 23 DE OUTUBRO E 13 DE NOVEMBRO DE 2023

Atas dos encontros setoriais realizados entre 23 de outubro e 13 de novembro de 2023, conforme previsto na portaria Minc nº 45 de 14 de julho de 2023 e na resolução SCEIC nº 67/2023 de 11 de outubro 2023.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A CONTINUAÇÃO DA 4ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE CULTURA

A 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo, coordenada pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, terá sua continuação nos dias 17 e 18 de janeiro das 9h às 18h.

Nos dois dias, a Conferência acontecerá de forma híbrida, tanto on-line quanto presencial, no Teatro Sérgio Cardoso (R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo – SP)

Os delegados e suplentes devem realizar inscrição e confirmar a participação até o dia 11 de janeiro pelo site: https://sis.automacaodeeventos.com.br/2024/cec/sis/inscricao/index.asp?s=conferencia-estadual-de-cultura

Em caso de dúvidas, entrar em contato pelo e-mail: conferenciasp@sp.gov.br.

4ª edição do Prêmio Solano Trindade seleciona 3 peças inéditas de jovens dramaturgos negros

Estão abertas até 22 de outubro de 2023, as inscrições para a 4ª edição do Prêmio Solano Trindade, promovido pela SP Escola de Teatro, instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, e gerida pela Associação dos Artistas Amigos da Praça (ADAAP).

O prêmio vai selecionar três projetos dramatúrgicos de pesquisa em artes cênicas, realizados por artistas afrodescendentes que possuam vínculo docente e/ou discente em escolas e/ou universidades de artes cênicas.

Poderão participar do Prêmio Solano Trindade brasileiros ou estrangeiros com residência regular no Brasil, maiores de 18 anos e autodeclarados afrodescendentes. Cada proponente poderá inscrever um único trabalho original, inédito, no idioma português, não editado sob qualquer meio e não encenado profissionalmente.

O edital completo, com as instruções para a inscrição, pode ser lido aqui.

A Comissão de Seleção será composta por três pessoas, sendo dois profissionais com notória experiência na área teatral e com conhecimento em estudos e debates sobre negritude, contratados para esta finalidade, e um representante da ADAAP, que será nomeado pelo Diretor Executivo e responderá pela coordenação dos trabalhos.

O resultado será divulgado em 22 de novembro, no site da SP Escola de Teatro.

Os três selecionados terão suas dramaturgias publicadas em livro, pelo Selo Lucias, projeto editorial da SP Escola de Teatro e da ADAAP.

O Prêmio é uma homenagem ao poeta, dramaturgo e diretor pernambucano Solano Trindade (1908-1974). Arte-ativista das causas negras, Trindade foi o criador do Teatro Popular Brasileiro (TPB), grupo formado por operários, domésticas e estudantes e que tinha como inspiração algumas das principais manifestações culturais do país. Atuou também na dança, criando em meados dos anos 50 um grupo referencial: o Brasiliana, reconhecido no Brasil e em temporadas no exterior.

Dúvidas devem ser enviadas para: premiosolanotrindade@spescoladeteatro.org.br

Outras edições do prêmio

Em novembro de 2023, o Selo Lucias lança seu novo livro, com as três dramaturgias premiadas no edital de 2022, que consagrou “Cantata descontínua das águas pluviais”, de Daiany Nayara, de Porangatu, GO; “Diário Negro”, de Alexandre José de Faria (Apollo Faria), de São Paulo, SP; e “Tá Falantando Iemanjá!”, de Luciana Varello Coelho (Lu Varello), de Rio de Janeiro, RJ. O livro conta com prefácio de Marília Marton, secretária da cultura, economia e indústria criativas do estado de São Paulo.

Já os outros dois livros, publicados em 2021 e 2022, estão disponíveis para download gratuito na página do Selo Lucias.

Da primeira edição resultou a publicação das três dramaturgias: “Guerras Urbanas’, de Camila de Oliveira Farias, do Rio de Janeiro, “Como Criar para um Corpo Negro sem Órgãos?”, de Lucas Moura, de São Paulo, e “Medeia Homem”, de Robinson Oliveira, do Rio Grande do Sul. Leia o livro.

Da segunda edição resultou a publicação das três dramaturgias: “Atropelo”, de Amanda Carneiro (São Paulo/SP), “Limiar ou Primeiro Impulso que Algo Aconteça”, de Amanda Pessoa (Dourados/MS) e “Piscinas: um Estudo Sobre Águas”, de Mariana Ozório (Belo Horizonte/MG). Leia o livro.

Sobre a SP Escola de Teatro e a ADAAP

Inaugurada em 2010, a SP Escola de Teatro é uma instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, gerida pela Associação dos Artistas Amigos da Praça (ADAAP).

A ADAAP é uma Organização Social e exemplo do modelo de gestão de Políticas Públicas que vem sendo implantado pelo governo do Estado desde 2004, com base na Lei Complementar n° 846/98 e no Decreto Estadual nº 43.493/98. Através da publicização, ou gestão pública não estatal, serviços e atividades públicas são geridos por meio de parcerias entre o Estado e o terceiro setor.

A ideia de organização da SP Escola de Teatro tomou forma em reuniões de profissionais vinculados a grupos e espaços culturais da região central de São Paulo, principalmente da Praça Franklin Roosevelt – espaço revitalizado nos anos 2000, e que hoje funciona como uma espécie de epicentro da produção artística paulistana.
Os grupos que ali se fixaram contextualizaram a geografia da região. Desde a revitalização da praça, esses coletivos ocupam salas alternativas e firmam parcerias com alguns moradores e comerciantes dos arredores, contribuindo, decisivamente, para transformar as relações interpessoais num local até então tensionado pela violência urbana.

A Roosevelt é, atualmente, um símbolo da cena de arte da capital paulista. No seu entorno estão teatros, bares e restaurantes em sintonia com a cena cultural local. Alguns dos artistas que participam desse espírito agregador são os que assumiram o compromisso de criar e dirigir a SP Escola de Teatro.

A Escola propõe novos desafios para o ensino das Artes Cênicas no Brasil. Com um modelo pedagógico ousado, o espaço toma como prismas da formação as sensibilidades e as potencialidades artísticas, humanas, críticas e cidadãs. O projeto de criação da Escola foi desenvolvido de 2005 a 2009 e se orienta a partir de três pilares: curso técnico, cursos de extensão e o Programa Kairós (atual Programa Oportunidades). Três eixos que alicerçam o funcionamento sistêmico dos setores da 

Instituição, contemplando diferentes ações artístico-pedagógicas. O aumento da produção teatral e a consequente demanda de mão de obra foram alguns dos impulsos que levaram ao surgimento da Escola, atenta à necessidade de iniciativas que democratizem o acesso da população à formação artística.

Motivada por seu objetivo simples e direto – “artistas que formam artistas”, define o slogan – a Escola articula propostas como, no plano social, a interface com estudantes contemplados com bolsas-auxílio, atitude que democratiza o acesso ao universo teatral para diferentes camadas da população; e, no sistema pedagógico, a exploração conjunta do terreno do conhecimento por docentes e estudantes.

Ao ser aberta, em 2010, a SP Escola de Teatro teve como sua primeira unidade um prédio histórico no bairro do Brás, centro expandido da cidade. Erguido em 1913 e tombado como patrimônio histórico, o edifício já abrigou a Escola Normal do Brás, onde estudaram nomes como a escritora Pagu e a apresentadora Hebe Camargo.

Durante 2014 e 2015, a unidade passou por uma restauração e reabriu em fevereiro de 2017. No período em que esteve em reforma, as atividades da Escola foram realocadas a uma unidade provisória na rua Marquês de Itu, no Centro. Com a reabertura do prédio do Brás, a Escola passou a contar no local com as atividades pedagógicas e administrativas, os ateliês de Cenografia e Figurino e de Técnicas de Palco, a estrutura circense, a biblioteca, o acervo Antônio Abujamra e um auditório de 157 lugares.

A segunda unidade da SP Escola de Teatro foi aberta em 2012, na Roosevelt. Em um dos principais pontos turísticos da capital paulista, a Praça Roosevelt, reconhecida pela cena  teatral, o prédio recebe atividades pedagógicas e residências artísticas. Ele também possui quatro salas multiuso para apresentações da própria instituição e de grupos convidados, um estúdio de som e espaço para outros eventos culturais.

Sobre o Selo Lucias

O selo Lucias é uma iniciativa da Associação dos Artistas Amigos da Praça (ADAAP). Tem como programa editorial a publicação de livros no campo das artes (teatro, dança, cinema e literatura), da pedagogia, das ciências sociais e da psicanálise. Homenageia, na raiz de seu nome, a professora, jornalista e gestora cultural Lucia Camargo (1944-2020), que foi coordenadora da Escola, e o expande ao plural, pela vocação da ADAAP pela coletividade e pelo múltiplo. O grupo que compõe a coordenação editorial do selo é composto por Ivam Cabral (diretor executivo), Beth Lopes, Elen Londero e Marcio Aquiles.

Entre as publicações do Selo Lucias, estão os livros “Memórias do Cine Bijou” (Marcio Aquiles), “Athos Abramos – O Crítico Reencontrado” (Alcione Abramo e Jefferson Del Rios – Org.) e “A Digna 10 Anos”. 

4º Conferência Estadual de Cultura de São Paulo será em dezembro

O tema “Democracia e Participação Cultural” estará no centro das discussões a serem realizadas na 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo

A 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo, coordenada pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, será realizada nos dias 8 e 18 de dezembro e terá como tema central “Democracia e Direito à Cultura”, dispondo a garantir a presença do debate cultural e da representatividade dos segmentos artísticos.

Os principais objetivos dessa iniciativa são promover o debate sobre as políticas culturais com ampla participação popular, propor diretrizes para o Plano Estadual de Cultura e também definir diretrizes prioritárias e necessárias à garantia do direito à cultura.

Organizada pela Comissão Organizadora Estadual, será composta por 10 membros convocados pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, sendo 5 representantes da Secretaria e 5 representantes da sociedade civil e/ou membros de instituições convidadas. 

ETAPAS DA CONFERÊNCIA

A 4ª Conferência Estadual de Cultura de São Paulo será realizada em seis etapas, sendo elas Conferências Municipais ou Intermunicipais, Conferências Regionais ou Territoriais, Conferência Estadual, Conferências Livres, Conferências Temáticas e Encontros Setoriais. 

As Conferências Municipais ou Intermunicipais são de responsabilidade dos Municípios, devendo ser realizadas até o dia 30 de outubro. Já as Etapas Municipais e/ou Intermunicipais deverão gerar relatórios ao término de suas conferências, que devem ser apresentados como subsídios à Conferência Estadual de Cultura. O modelo de relatório pode ser conferido aqui e deve ser respondido até o dia 10 de novembro. 

Os Encontros Setoriais buscam garantir a presença do debate setorial e da representatividade dos segmentos artísticos e culturais, a fim de garantir a eleição de delegados, de forma legítima pelos próprios setores, para os Encontros Setoriais na Etapa Nacional.

A etapa Estadual, de caráter deliberativo e propositivo, reunirá os delegados natos e os eleitos nas Conferências Municipais ou Intermunicipais. Os relatórios deste regimento deverão ser entregues, juntamente aos documentos solicitados na página destinada a esse tema, até o dia 10 de novembro de 2023, através do site da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo.

A Etapa Estadual, nos dias 08 e 18 de dezembro, será o primeiro dia de forma remota e o segundo dia de forma presencial. O primeiro dia se destinará à divisão dos 6 grupos que compõem cada um dos eixos e a elaboração das propostas a serem apresentadas no segundo dia. O segundo dia se destinará à apresentação das discussões efetuadas no primeiro dia e a eleição dos delegados que irão participar da Etapa Nacional da 4ª CNC.

5 curiosidades sobre a religião Umbanda

Em comemoração ao Dia Nacional da Umbanda, a equipe do Museu Afro Brasil preparou 4 curiosidades sobre essa religião brasileira, que tem em seus fundamentos influência do Candomblé, Catolicismo e Espiritismo. A religião surgiu em 15 de novembro de 1908, quando o médium Zélio Fernadino de Moraes incorporou pela primeira vez o “Caboclo Sete Encruzilhadas”, numa sessão espírita da Federação Espírita, em Niterói.

Afinal, o que é Macumba?
No Brasil, a palavra “macumba” designa de forma popular e equivocada toda oferenda aos orixás. O termo correto para isto, no Candomblé, seria o “ebó” ou “padê”. Já na Umbanda seria “despacho”. Ainda pode se referir a uma religião específica de matriz africana.

E onde ela surgiu?
A Umbanda é uma religião brasileira, que sintetiza vários elementos das religiões africanas e cristãs, porém sem ser definida por eles. Formada no início do século XX no sudeste do Brasil, a partir da síntese com movimentos religiosos como o Candomblé, o Catolicismo e o Espiritismo.

E o que mais?
Recebe o nome de Umbanda um dos diversos cultos religiosos sincréticos surgidos no Brasil entre os séculos XVI e XX, fruto do contato dos diferentes povos que contribuíram para a formação cultural e religiosa da população.

Quem são os guias espirituais?
A umbanda adota figuras indígenas que são chamadas de caboclos. E outros tantos, conhecidos como erês, pretos-velhos, baianos, boiadeiros e pombas-gira. Os principais conceitos são como os da doutrina espírita, como a reencarnação.

Aproveitando o tema, você pode conferir um pouco mais sobre a cultura e a história na exposição organizada pelo Núcleo de Religiosidade Afro-Brasileira, do Museu Afro Brasil, confira algumas imagens.

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 13 a 19 de julho

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão chega à sua terceira semana, oferecendo, ao longo de todo o evento, cerca de 130 concertos, em sua maioria gratuitos. Reconhecido como o maior festival de música clássica da América Latina, o Festival celebra sua quinquagésima edição, apresentando uma programação diversificada, a partir de dois eixos temáticos: Clássico e Popular-Sinfônico.

A música de câmara é o destaque dessa semana, a começar pelos grupos do Festival, formados pelos bolsistas, sob a regência de maestros de renome internacional. A Camerata do Festival faz dois programas, um comandado por Neil Thomson e outro por Lavard Skou-Larsen, este último tendo como solista o consagrado pianista Arnaldo Cohen. Já o Grupo de Música Antiga do Festival também faz dois programas, sendo um regido por Luís Otávio Santos, com obras do período barroco, e outro por Ricardo Kanji, com participação do Coro Acadêmico da Osesp e de solistas convidados, apresentando a Missa de Santa Cecília, de José Maurício Nunes Garcia. Os grupos se apresentam no Auditório Claudio Santoro e na Sala São Paulo.

Os programas camerísticos com professores e alunos do Festival também são destaque, com concertos gratuitos diários ao longo da semana, tanto no Espaço Cultural Dr. Além, em Campos do Jordão, como na Sala do Coro (Sala São Paulo), na capital paulista. Apresentam-se também diversos grupos de câmara formados por músicos da Osesp, como o Quinteto Zephyros, o Sexteto São Paulo e o Camaleon Bassoons.

Na Sala São Paulo, vale a pena assistir a Classe de Metais, Sopros e Percussão, regido por Wagner Polistchuk, com participação do pianista Paulo Álvares, apresentando um programa de música contemporânea, com peças de John Cage, Marlos Nobre (que comemora 80 anos em 2019), e com a estreia brasileira de Couleurs de la Cité Céleste, de Olivier Messiaen, composição de alta complexidade, inspirada em cinco passagens do livro do Apocalipse.

No Palácio Boa Vista, no fim de semana, continua a programação de concertos gratuitos na Capela do Palácio e no palco externo. Na Capela, as atrações são o Duo Abdalla, formado pela jovem flautista, Júlia Abdalla, de apenas 11 anos de idade, e seu pai Thiago Abdalla, no violão; e a Camerata do GreCo, com o programa Antonio Gardano 450 Anos, em homenagem a um dos principais editores de música do século XVI. No palco externo, as atrações são as big bands tocando jazz e música popular, e ainda uma apresentação de chorinho com As Choronas. Já no sábado à noite, no palco interno, o destaque é o Quinteto Solist, com Nailor Proveta (sax alto e clarinete), Walmir Gil (trompete), Thiago Alves Jr. (contrabaixo), Edu Ribeiro (bateria) e Carlos Roberto (piano), tocando composições próprias.

A Jazz Sinfônica continua recebendo renomados artistas da nossa MPB, em concertos ao ar livre, na Praça do Capivari. O destaque dessa semana é o compositor, violonista e cantor Toquinho, que apresenta grandes sucessos de sua carreira. A orquestra faz ainda um concerto especial apresentando um panorama dos diversos ritmos brasileiros.

E na programação Toriba Musical, promovida pelo Hotel Toriba, o destaque é para apresentações de canto lírico, música romântica e standards norte-americanos.

CAMERATA DO FESTIVAL

14/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Gratuito.

Camerata do Festival, regida por Neil Thomson, diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Goiás, em seu primeiro concerto nessa edição do Festival, recebe como solista o violoncelista brasileiro, radicado na Alemanha, Matias de Oliveira Pinto. O programa inclui a Abertura de A Flauta Mágica, KV 620, de Wolfgang Amadeus Mozart; o Concerto nº 1 para Violoncelo em Dó maior, de Joseph Haydn; e a Sinfonia nº 3 em Ré maior, D 200, de Franz Schubert.

19/07 (sex), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50

20/07 (sáb), 16h30, Sala São Paulo. Igressos: R$ 20

A Camerata do Festival, regida pelo maestro e violinista brasileiro, radicado na Áustria, Lavard Skou-Larsen [regente da Deutsche Kammerakademie Neuss am Rhein, da Georgisches Kammerorchester Ingolstad, e professor do Mozarteum Salzburg], recebe o pianista brasileiro Arnaldo Cohen, radicado nos Estados Unidos, como solista convidado. O programa traz duas peças de Wolfgang Amadeus Mozart – O Rapto do Serralho, KV 384: Abertura e o Concerto nº 17 para Piano em Sol maior, KV 4 –, além da Sinfonia nº 5 em dó menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven.

GRUPO DE MÚSICA ANTIGA DO FESTIVAL

13/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

O Grupo de Música Antiga do Festival, sob a regência do violinista Luís Otávio Santos, diretor artístico do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP, apresenta um programa robusto de música barroca: o Concerto de Brandenburgo nº 1 em Fá maior, BWV 1046, de Johann Sebastian Bach; a Sinfonia em Dó maior, Wq.182:3, de Carl Philipp Emanuel Bach; e a Suíte em ré menor, TWV 55:d3, de Georg Philipp Telemann.

13/07 (sáb), 16h30, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

14/07 (dom), 16h30, Auditório Cláudio Santoro. Gratuito.

O Grupo de Música Antiga do Festival, comandado por Ricardo Kanji, flautista e regente especializado em música antiga, e tendo as participações do Coro Acadêmico da Osesp e dos solistas convidados Marília Vargas (soprano), Bruno Costa (contratenor), Jabez Lima (tenor) e Isaque Oliveira (barítono), apresenta a Missa de Santa Cecília, do Padre José Maurício Nunes Garcia, obra-prima sacra do período colonial brasileiro.

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

13/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Grupo de Música Antiga do Festival, com Luís Otávio Santos (regente). (informações sobre o programa acima)

 

14/07 (dom), 16h30. Gratuito.

Grupo de Música Antiga do Festival, com Ricardo Kanji (regente), Coro Acadêmico da Osesp, Marília Vargas (soprano), Bruno Costa (contratenor), Jabez Lima (tenor) e Isaque Oliveira (barítono). (informações sobre o programa acima)

 

19/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50

Camerata do Festival, com Lavard Skou-Larsen (regente) e  Arnaldo Cohen (piano). (informações sobre o programa acima)

 

SALA SÃO PAULO

13/07 (sáb), 16h30. Ingressos: R$ 20.

Grupo de Música Antiga do Festival, com Ricardo Kanji (regente), Coro Acadêmico da Osesp, Marília Vargas (soprano), Bruno Costa (contratenor), Jabez Lima (tenor) e Isaque Oliveira (barítono). (informações sobre o programa acima)

 

14/07 (dom), 11h. Gratuito.

Camerata do Festival com Neil Thomson (regente) e Matias Oliveira Pinto (violoncelo). (informações sobre o programa acima)

19/07 (sex), 20h30. Gratuito.

Classe de Metais, Sopros e Percussão, com Wagner Polistchuk (regente) e Paulo Álvares (piano). O repertório de música contemporânea inclui a Terceira Construção, de John Cage; Rhythmetron, de Marlos Nobre, compositor brasileiro que comemora seus 80 anos em 2019; e Couleurs de la Cité Céleste, de Olivier Messiaen, em estreia brasileira, peça de de alta complexidade inspirada em cinco passagens do livro do Apocalipse.

 

20/07 (sáb), 16h30. Igressos: R$ 20

Camerata do Festival, com Lavard Skou-Larsen (regente) e Arnaldo Cohen (piano). (informações sobre o programa acima)

 

PRAÇA DO CAPIVARI

13/07 (sáb), 11h. Gratuito

– Coro Infantil da Osesp, com Teruo Yoshida (regente) e Ariã Ai Yamanaka (piano). Programa: Pot-Pourri ‘Cantigas de Roda Brasileiras’ (Anônimo) [arranjo de Edmundo Villani-Côrtes]; O Alfabeto, de Wolfgang Amadeus Mozart; Que alegre passeio no verão, de Friedrich-Wilhelm Möller [arranjo de Hideo Kobayashi e tradução de Humberto E.Kawai]; e La Cucaracha (canção mexicana).

– Coro Juvenil da Osesp, com Marcos Thadeu (regente), Roberto Sion (piano e arranjos), Itamar Collaço (contrabaixo), João Gabriel (violão), Valentina Facury (percussão), Lucas Moutinho (monitor/regente*) e Eduardo Pires (monitor/regente**). No programa, obras de compositores brasileiros: Isto é bom*, de Xisto Bahia; Róseas Flores d’Alvorada (modinha imperial)**; Folhas Secas, de Nelson Cavaquinho; O Gago, de Noel Rosa; Prenda minha (canção do folclore gaúcho brasileiro); O Xote das Meninas, de Luiz Gonzaga; Canções Praieiras, de Dorival Caymmi; Ah, se eu pudesse, de Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli; Morro Velho, de Milton Nascimento; Beatriz, de Chico Buarque e Edu Lobo; e Pela luz dos olhos teus, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

13/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, com Daniel Guedes (regente) e Mario Ulloa (violão) interpretam Guilherme Tell: Abertura, de Gioacchino Rossini; Concerto de Aranjuez, de Joqauín Rodrigo; e Rapsódia Romena em Lá maior, Op.11 nº 1, de Georges Enescu.

 

13/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica com Toquinho, sob a regência de Luís Gustavo Petri, apresenta conhecidas canções de autoria do violonista, cantor e compositor Toquinho e de suas parcerias com grandes compositores da MPB: Tarde em Itapuã, de Toquinho e Vinícius de Moraes [arranjo de Amilson Godoy]; Samba de Orly, de Toquinho [arranjo de Edson Alves]; Eu sei que vou te amar / E por falar em saudades, de Tom Jobim e Toquinho [arranjo de Amilson Godoy]; Regra Três, de Vinícius de Moraes e Toquinho [arranjo de Andre Mehmari]; O Caderno, de Toquinho [arranjo de Ruriá Duprat]; Aquarela, de Toquinho [arranjo de Amilson Godoy]; À minha Namorada, de Vinícius de Moraes e Carlos Lyra [arranjo de Fábio Prado]; e Herdeiros do Futuro, de Toquinho [arranjo de Abel Rocha].

14/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica com Fábio Prado (regente) apresenta o programa Ritmos Brasileiros, executando as peças Mucura (carimbó) [canção folclórica em arranjo de Fábio Prado]; Asa Branca, de Luiz Gonzaga (baião) [arranjo de Cyro Pereira]; Disparada, de Geraldo Vandré e Théo de Barros (sertanejo) [arranjo de Rodrigo Morte]; Merceditas, de Ramon Sixto Rios (chamamé) [arranjo de Fábio Prado]; O Xote das Meninas, de Luiz Gonzaga e Zé Dantas (xote) [arranjo de Rodrigo Morte]; Festa (maracatu), de Luiz Gonzaga [arranjo de Rodrigo Morte]; Brasileirinho, de Waldir Azevedo (choro) [arranjo de Rodrigo Morte]; As Pastorinhas, de João de Barro e Noel Rosa (marcha-rancho) [arranjo de Rodrigo Morte]; Vai passar, de Chico Buarque e Francis Hime (samba) [arranjo de Rodrigo Morte]; Chiquita Bacana, de Alberto Ribeiro e João de Barro (marcha) [arranjo de Rodrigo Morte]; e Vassourinhas, de Mathias da Rocha e Joana Baptista (frevo) [arranjo de Spok]

14/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Projeto Guri, com Gesiel Vilarubia (regente) interpreta as peças Finlândia, Op.26, de Jean Sibelius; Sinfonia nº 8 em si menor, D 759 – Inacabada: 1º Movimento, de Franz Schubert; e Masquerade: Suíte, de Aram Khachaturian

14/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Orquestra Experimental de Repertório, com Jamil Maluf (regente) interpreta as Bachianas Brasileiras nº 7, de Heitor Villa-Lobos; e duas peças de Johann Sebastian Bach: a Passacaglia e Fuga em dó menor, BWV 582 [orquestração de Ottorino Respighi] e Tocata e Fuga em ré menor, BWV 565 [orquestração de Leopold Stokowski].

PALÁCIO BOA VISTA

13/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

20/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Jazz Sinfônica sob a regência de Fábio Prado apresenta as composições Olé, de Nelson Ayres; April in Paris, de Vernon Duke [arranjo de Dave Barduhn]; Basie straight ahead, de Sammy Nestico; It happens only everytime, de Thad Jones; Palpite Infeliz, de Noel Rosa [arranjo de Fernando Correa]; Quebrando o Coco, de Rodrigo Morte [adaptação de Junior Galante]; Choro de Gafieira, de Pixinguinha [arranjo de Edson Alves]; A Sereia voou, de Mozart Terra [adaptação de Fábio Prado]; La Fiesta, de Chick Corea [arranjo de Tony Klatka]; Estrepolia Elétrica, de Moraes Moreira [arranjo de Luiz Arruda Paes]; e Souvenir, de Benny Carter [arranjo de Erick Richards].

13/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

As Choronas, grupo formado por Maicira Trevisan (flauta), Ana Cláudia César (cavaquinho), Paola Picherzky (violão de 7 cordas) e Miriam Caoua (percussão) interpretam clássicos do Choro e do Samba, além de composições próprias: Tico Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu; Atlântico, de Ernesto Nazareth; Só vendo que beleza, Henricão e Rubens Campos; Choro de Domingo, de Maicira Trevisan; O Dono da Bola, de Armando Neves; Samba do Arnesto, de Adoniran Barbosa e Alocin; Sorridente, de Ruy Weber; Choronas em Sampa, de Ana Cláudia César; Vê se gostas, de Waldir de Azevedo; Pinheirada, de Armando Neves; e Trem das Onze, de Adoniran Barbosa.

13/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Camerata do GreCo, formada por Solange Ferreira (mezzo soprano), Cesar Villavicencio (flauta doce), Paula Callegari (flauta doce) e Fábio Cury (dulciana), apresenta o programa Antonio Gardano 450 Anos, celebrando o nascimento de um dos principais responsáveis pelas maiores edições de música do século XVI. No repertório: Missae variis concentibus ornatae, cum cantico Beatae Mariae, de Orlando di Lasso; Il Primo Libro di Madrigali, de Jacques Arcadelt; Canzone Villanesche, de Adrian Willaert; Canzoni Francese a 2, de Antonio Gardano; Capricci in Musica a tre Voci, de Vincenzo Ruffo; Musica Nova, de Adrian Willaert; e Motetos a quatro Vozes, de Cipriano de Rore.

13/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso)

Quinteto Solist, com Nailor Proveta (sax alto e clarinete), Walmir Gil (trompete), Thiago Alves Jr. (contrabaixo), Edu Ribeiro (bateria) e Carlos Roberto (piano), interpreta composições próprias. No programa, Vovô Manuel, de Nailor Proveta; Samba pro MB, de Walmir Gil; Remembering Pastels, de Thiago Alves Jr.; Samba Jazz, de Carlos Roberto; Cebola no Frevo, de Edu Ribeiro; Aos Gordos, de Thiago Alves Jr.; Afro Partido, de Walmir Gil; Prelúdio Afro, de Carlos Roberto; Nivea, de Edu Ribeiro; e A Procura, de Nailor Proveta.

14/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Duo Abdalla, formado pela jovem flautista, Júlia Abdalla, de apenas 11 anos de idade, e seu pai Thiago Abdalla, no violão, tem como proposta desenvolver um repertório que vai da música antiga à contemporânea, incluindo tanto a música popular como a erudita. Nesse programa, o grupo apresenta o Concerto em Fá maior: Siciliano, de Giuseppe Sammartini; Les Goûts-réunis, Concerto nº 8: I. Air, de François Couperin; Roundeau, de Elisabeth Jacquet de la Guerre; Sonata em Sol Menor, op.1 nº 2, HWV 360, de Georg Friedrich Händel; Historia del Tango: Café 1930, de Astor Piazzolla; Improvisações sobre Melodias tradicionais; e Cinco Miniaturas Brasileiras, de Edmundo Villani-Côrtes.

14/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Orquestra Jovem Tom Jobim, sob a regência de Josué dos Santos, apresenta, Us e Tiptoe, de Thad Jones; Waltz for Debby, de Bill Evans [arranjo de Don Sebesky]; Hay Burner, de Sammy Nestico; Hang gliding, de Maria Schneider; April Child, de Moacir Santos [arranjo de Vittor Santos]; Disparada, de Geraldo Vandré e Theo de Barros [arranjo de Branco]; Passo de Anjo, de Spok e João Lira [arranjo de Spok]; e Dindi, de Tom Jobim [arranjo de Nelson Faria].

 

 ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

15/07 (seg), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Programa a ser anunciado

16/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Trio Paranaense, com Luiz Guilherme Pozzi (piano), Winston Ramalho (violino) e Adriane Savytzky (violoncelo) apresenta a Sonata para Violino e Piano em Mi bemol maior, Op.18, de Richard Strauss; a Sonata para Violoncelo e Piano em sol menor, Op.19: Andante, de Sergei Rachmaninov; e o Trio com Piano nº 3 em dó menor, Op.101, de Johannes Brahms.

17/07 (quar), 18h30. Gratuito.

Sexteto São Paulo, formado pelos músicos da Osesp Claudia Nascimento (flauta), Ricardo Barbosa (oboé), Ovanir Buosi (clarinete), Luiz Garcia (trompa), Alexandre Silvério (fagote) e Olga Kopylova (piano), o grupo interpreta o Quinteto para Piano e Sopros em Mi bemol maior, KV 452, de Wolfgang Amadeus Mozart; Pequena Oferenda Musical, de Nino Rota; e Sexteto para Piano e Sopros, de Francis Poulenc.

18/07 (qui), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Cármelo de los Santos (violino), Renato Bandel (viola), Celia Craig (oboé), Robert Plane (clarinete) e Sebastián Espinosa Nuñez (contrabaixo) interpretam o Quinteto em sol menor, Op. 39, de Prokofiev.

– Alunos da Classe de Regência, com Maria Júlia Segura (violino), Gabriel Mira (violino), Guilherme Perez (violino), Nádia Fonseca (violino), Peter Pas (viola), Anderson Vargas (viola), Lauro Lira (violoncelo), Raphael Leal (violoncelo), Gustavo Molina (contrabaixo), Claudia Nascimento (flauta), Thiago Sandoval (clarinete), Sandra Ribeiro (fagote) e Ariã Ai Yamanaka (piano), interpretam Appalachian Spring: Suíte, de Copland.

 19/09 (sex), 18h30. Gratuito.

Camaleon Bassoons, formado pelos fagotistas da Osesp Alexandre Silvério, Francisco Formiga, José Arion Liñarez, Mariana Bergenstein e Romeu Rabelo, apresenta as peças La Traviata: Prelúdio do Ato I, de Giuseppe Verdi [arranjo de A.Burford]; Sonatina para Quarteto de Fagotes, de Andrew List; Wonderful Town: Overture, de Leonard Bernstein [arranjo de Romeu Rabelo]; Seleção de George Gershwin [arranjo de Romeu Rabelo]; In a sentimental Mood, de Duke Ellington [arranjo de Alexandre Silvério]; Chorinho para ele, de Hermeto Paschoal [arranjo de Alexandre Silvério]; Four Brothers, de Woody Hemann [arranjo de Alexandre Silvério]; e Take Five, de Paul Desmond [arranjo de Alexandre Silvério].

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

15/07 (seg), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas.

Recital de Tuba por Filipe Queirós. Wagner Polistchuk (regente*), Wilson Dias (regente**), Olga Kopylova (piano), Ezequias Pereira (eufônio), Fábio Martins Borges (tuba), Fernando Chipoletti (trombone), Guilherme Brito (eufônio), Luana Maele (trombone baixo), Marcos Alex (trombone), Nicolas Herbert (eufônio), Renan Fortes (eufônio), Thiago Aguilar (tuba) e Wellington Carlos (trombone). No programa, Dances de J. Stevens; Winks and Jinks*, de J. Self; Soloetyd, de Blazhevich; Fantasia Sul América, de Santoro; e The Liberation of Sysiphus**, de J. Stevens.

16/07 (ter), 19h. Gratuito.

Quinteto Zephyros, formado por Claudia Nascimento (flauta), Arcádio Minczuk (oboé), Ovanir Buosi (clarinete), Luiz Garcia (trompa) e Fábio Cury (fagote), interpreta o Quinteto de Sopros em Fá maior, Op.68 nº 2, de Franz Danzi; o Quinteto para Sopros, de Brenno Blauth; e o Quinteto de Sopros, Op.43, de Carl Nielsen.

17/07 (qua), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas.

Cristóbal Alarcón (flauta), Júlio Zabaleta (flauta), Lincoln Sena (flauta), Lucas Martins (flauta), Luciana Campanhã Pozato (flauta) e Tayná Trigo (flauta).

Programa a ser anunciado.

18/07 (qui), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Programa a ser anunciado

19/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Alessandro Borgomanero (violino) interpreta a Fantasia Sul América, de Santoro;

– Luciana Campanhã Pozatto (flauta), Giovanni Martins (oboé), Natalia Castro (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Isaque Elias (trompa) interpretam Pour mes petits Amis, Op. 14: Pastorale, de Pierné;

– Cristóbal Alarcón (flauta), Tayná Trigo (flauta), Cristiano de Souza (trompete), Camila Zanetti (violino), Guilherme Peres (violino), Yohanna Alves (viola), André Freire (violoncelo) e Vicent Delia (contrabaixo) interpretam Suite dans le Style ancien, Op.24, de D’Indy.

– Alessandro Borgomanero (violino), Thiago da Costa (violino), Renan Oliveira (violino), Ana Uribe Law (violino), Renato Bandel (viola), Julián Lerma (viola), Juan Rogers (violoncelo) e Pierre-Antoine Despatures (contrabaixo) interpretam Octeto de Cordas em Si bemol maior, de Bruch.

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

 

19/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coral Paulistano, sob a regência de Naomi Munakata, interpreta os Quatro Motetos sobre Temas Gregorianos, Op.10, de Maurice Duruflé; as Quatro Pequenas Orações de São Francisco de Assis, de Francis Poulenc; Abendlied, Op.69 nº 3, de Josef Rheinberger; Ave Maria, de Claudio Santoro; Salmo 43: “Richte mich, Gott”, Op.78 nº 2, de Felix Mendelssohn-Bartholdy; Canto de Paz (sobre texto de Carlos Augusto León), de Modesta Bor; Momento, de Alberto Ribeiro; Os Sinos, de Carlos Alberto Pinto Fonseca; e Mantiqueira, de Nelson Ayres [arranjo de Vicente Ribeiro].

TORIBA MUSICAL

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

13/07 (sáb)

16h30: Área Externa do Museu Felícia Leirner [Toriba Musical ao Pôr do Sol]

19h: Sala da Lareira do Hotel Toriba

Love Songs, Romantic Duets, com os cantores Guiomar Milan (soprano), Marco Bernardo (baixo cantante) e o pianista Antonio Luiz Barker. No programa, As time goes by, de Herman Hupfeld; Let’s call the whole thing off, de George e Ira Gershwin; Tenderly, de Jack Lawrence e Walter Gross; How insensitive, de Tom Jobim e Vicícius de Moraes (versão de Gene Lees); Tu sais je vais t’aimer, de Vinícius de Moraes (versão de Henri Salvador); Embraceable you, de George e Ira Gershwin (versão de Carlos Rennó); Change partners, de Irving Berlin; Ev’ry time we say goodbye, de Cole Porter; I’ve got a crush on you, de George e Ira Gershwin; My funny Valentine, de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II; Love me tender, de Elvis Presley; e Unforgettable, de Irving Gordon.

17/07 (qua), 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Adriana Bernardes (soprano), Antonio Luiz Barker (piano) e participação especial de Benjamin Bernardes (violino). No programa, La Traviata: Sempre Libera, de Verdi; Rigoletto: Caro Nome, de Verdi; La Bohème: Quando m’en vo, de Puccini; Tosca: Vissi d’aarte, de Puccini; Carmen: Habanera, de Bizet; Gianni Schicchi: O mio babbino caro, de Puccini; Villanelle, de Eva Dell Acqua; Partita para Violino nº 3 em Mi maior, BWV 1006: Prelúdio, de J.S. Bach; A Viúva Alegre: Lippen schweigen, de Lehár; Acalanto da Rosa, de Santoro; Quem sabe?!, de Carlos Gomes; Concerto para uma voz, de Saint-Preux; Moto Perpetuo, Op. 11, de Paganini; e Ave Maria, de J.S. Bach/ Gounod.

19/07 (sex), 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Mere Oliveira (mezzo soprano) e Antonio Luiz Barker (piano) interpretam Summertime, de Gershwin e Heyward; Carmen: Habanera, de Bizet, Meilhac e Halévy; Melodia Sentimental, de Villa-Lobos e Vasconcelos; Canção de Amor, de Villa-Lobos e Vasconcelos; Après un Rêve, de Fauré (texto anônimo); Les Chemins de l’Amour, de Poulenc e Anouilh; Non t’amo più!, de Tosti e Errico; A Vuchella, de Tosti e D’Annunzio; e The Sacred Tree, de Scott Joplin.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

https://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

https://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 201 bolsistas. Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas.

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Data: de 29 de junho a 28 de julho 

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão  têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

 

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA 

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: retirada de ingressos a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 22 a 28 de julho

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins chega à sua última semana, com uma programação intensa, recheada de atrações imperdíveis. Ao longo de todo o mês de julho, serão mais de 130 concertosem sua maioria gratuitos, programados a partir de dois eixos temáticos: Clássico e Popular-Sinfônico.

Os grupos do Festival, formados pelos bolsistas dessa edição, estão entre as principais atrações da semana e consolidam o projeto educacional de ponta do Festival, que dá oportunidade aos estudantes de um aperfeiçoamento em alto nível, fazendo a ponte entre os cenários nacional e internacional da música de concerto.

Orquestra do Festival, regida pelo costarriquenho Giancarlo Guerrero, faz dois concertos, sendo um no Auditório Claudio Santoro e, na Sala São Paulo, o Concerto de Encerrramento Acadêmico, no dia 28 de julho, às 11h, ocasião em que serão premiados os bolsistas de destaque do 50º Festival. Já, os alunos da Classe de Regência do Festival compartilham a batuta à frente da Orquestra Sinfônica da USP em um concerto na Sala São Paulo.

Na programação sinfônica, outros destaques são o concerto da orquestra Johann Sebastian Rio, regida por Felipe Prazeres; da Osesp, regida por Wagner Polistchuk, em um concerto gratuito no Auditório Claudio Santoro, tocando a Quinta Sinfonia de Beethoven e outras peças, em celebração aos 20 Anos da Sala São Paulo.

Na Praça do Capivari, a programação terá o sambista Diogo Nogueira com a Sinfonieta da Jazz (o concerto se repete na Sala São Paulo), e diversas orquestras e bandas sinfônicas paulistas tocam repertórios ecléticos, da música clássica, passando pela música, o cinema, o jazz e a MPB.

Já a programação de câmara tem entre as principais atrações os recitais dos pianistas Jean-Louis Steuerman e Arnaldo Cohen na Sala São Paulo, dividindo o palco com instrumentistas convidados. A Camerata Antiqua de Curitiba, regida por Luís Otávio Santos, faz dois concertos interpretando obras de Händel (um no Auditório Claudio Santoro e outro na Sala São Paulo).

Os concertos de câmara de professores e alunos do Festival também continuam, tanto na Sala do Coro (Sala São Paulo), quanto no Espaço Cultural Dr. Além, em Campos do Jordão, e incluem homenagens a importantes artistas do cenário nacional e internacional: Ernst Mahle 90 Anos, Leo Brouwer 80 Anos e Olga Praguer Coelho. Na Igreja de Santa Terezinha, o Coro Sinfônico de Goiânia, sob a regência de Katarine Araújo, é a atração.

No Palácio Boa Vista, seguem os concertos gratuitos com recitais solo e variadas formações de câmara, na Capela do Palácio, além das big bands e apresentações de música popular no Palco Externo, e ainda os shows noturnos no Palco Interno do Palácio.

E na programação Toriba Musical, promovida pelo Hotel Toriba, o destaque são dois recitais do duo formado por Tiago Paganini (violino) e Roberto Capel (piano).

ORQUESTRA DO FESTIVAL

27/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

28/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Concerto de Encerramento Acadêmico. Gratuito.

Orquestra do Festival, comandada pelo costarriquenho Giancarlo Guerrero [diretor musical da Orquestra Sinfônica de Nashville; seis vezes ganhador do Grammy Awards], faz suas duas últimas apresentações no 50º Festival, incluindo o Concerto de Encerramento Acadêmico, com a premiação dos bolsistas de destaque dessa edição. O grupo toca Kabbalah, Op.96, de Marlos Nobre (compositor que tem seu aniversário de 80 anos celebrado em 2019); Daphnis et Chloé: Suíte nº 2, de Maurice Ravel; e as Bachianas Brasileiras nº 2, de Heitor Villa-Lobos.

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

Johann Sebastian Rio. Primeira orquestra brasileira a se lançar na Internet e nas redes sociais com concertos leves e interativos, tem um nome que homenageia tanto o compositor Johann Sebastian Bach quanto a São Sebastião e a cidade do Rio de Janeiro. Com Felipe Prazeres (regente) e os solistas Priscila Rato (violino) e Marcus Ribeiro (violoncelo), o grupo interpreta L’Olimpiade, RV 725: Abertura, de Antonio Vivaldi; o Concerto nº 2 para Violino em Mi maior, BWV 1042, de J.S. Bach; e duas peças de Pyotr Il’yich Tchaikovsky: Andante Cantabile e Serenata em Dó maior, Op.48.

 

26/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos e participação dos solistas Graciela Oddone (soprano), Cecilia Amancay Pastawski(mezzo soprano), Paulo Mestre (contratenor), Sidney Gomes (tenor) e Cláudio de Biaggi (barítono) interpretam duas obras de Georg Friedrich Händel: o Concerto Grosso em Lá maior, Op.6 nº 11 e Dixit Dominus, HWV 232.

 

27/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra do Festival com Giancarlo Guerrero (regente). (informações sobre o programa acima).

28/07 (dom), 16h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, com Wagner Polistchuk (regente), apresenta a Sinfonia nº 5 em dó menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven, e obras escolhidas pelo público: Bachianas Brasileiras nº 4: Prelúdio, de Heitor Villa-Lobos; O Quebra-Nozes, Op.71: Valsa das Flores, de Pyiotr Il’yitch Tchaikovsky; Sinfonia nº 5: Adagietto, de Gustav Mahler; e A Valquíria: Cavalgada das Valquírias, de Richard Wagner. Esse mesmo programa foi apresentado na celebração dos 20 Anos da Sala São Paulo, no dia último dia 9 de julho, aniversário da Sala.

 

SALA SÃO PAULO

23/07 (ter), 20h30. Ingressos: R$ 20.

Jean-Louis Steuerman (piano), em programa de música de câmara:

– Jean-Louis Steuerman (piano), Alessandro Borgomanero (violino), Renato Bandel (viola) e Rodrigo Andrade Silveira (violoncelo) interpretam o Quarteto nº 1 em sol menor, KV 478, de Wolfgang Amadeus Mozart.

– Jean-Louis Steuerman (piano), Elissa Cassini (violino), Peter Pas (viola) e Rodrigo Andrade Silveira (violoncelo) interpretam o Quarteto em Mi bemol maior, Op.47, de Robert Schumann.

25/07 (qui), 20h30. Ingressos: R$ 20.

Arnaldo Cohen (piano) em programa de música de câmara:

– Arnaldo Cohen (piano), Winston Ramalho (violino) e Viktor Uzur (violoncelo) interpretam o Trio nº 2 em Dó maior, Op.87, de Johannes Brahms;

– Arnaldo Cohen (piano), Elissa Cassini (violino) e Viktor Uzur (violoncelo) interpretam o Trio nº 1 em ré menor, Op.49, de Felix Mendelssohn-Bartholdy.

 

26/07 (sex), 20h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica da USP, regida pelos alunos da Classe de Regência do Festival, apresenta as obras Don Giovanni, KV 527: Abertura, de Wolfgang Amadeus Mozart; Abertura Coriolano, Op.62, de Ludwig van Beethoven; As Bodas de Fígaro, KV 492: Abertura, de Mozart; Abertura A Gruta de Fingal, Op.26, de Felix Mendelssohn-Bartholdy; e a Sinfonia nº 1 em Dó maior, Op.21, de Beethoven.

 

27/07 (sáb), 16h30. Ingressos: R$ 20.

Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos e participação dos solistas Graciela Oddone (soprano), Cecilia Amancay Pastawski (mezzo soprano), Paulo Mestre (contratenor), Sidney Gomes (tenor) e Cláudio de Biaggi (barítono) interpretam duas obras de Georg Friedrich Händel: o Concerto Grosso em Lá maior, Op.6 nº 11 e Dixit Dominus, HWV 232.

 

28/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Concerto de Encerramento Acadêmico. Gratuito.

Orquestra do Festival com Giancarlo Guerrero (regente). (informações sobre o programa acima).

 

28/07 (dom), 18h. Ingressos: R$ 80.

Jazz Sinfonieta e Diogo Nogueira, sob regência de Nelson Ayres. A Sinfonieta da Jazz Sinfônica encerra sua participação no 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão recebendo Diogo Nogueira, um dos maiores nomes do samba da atualidade. O repertório inclui Conversa de Botequim, de Vadico e Noel Rosa; Filosofia, de Noel Rosa e André Filho; Aquele Abraço, de Gilberto Gil; As Rosas não Falam, de Cartola; Alvorada, de Cartola e H.B. de Carvalho; Chão de Esmeraldas, de Chico Buarque e H.B. de Carvalho [todas com arranjo de Paulo Aragão]; Samba do Avião, de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes; Você é Linda, de Caetano Veloso; Choro Bandido, de Edu Lobo e Chico Barque [todas com arranjo de Nelson Ayres]; e Cabô, Meu Pai, de Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila e Aldir Blanc [arranjo de Tiago Costa].

PRAÇA DO CAPIVARI

27/07 (sáb), 11h. Gratuito.

Banda Sinfônica de Taubaté, com Rogério de Souza (regente) e Alexey Kurdjian (regente assistente) interpreta Prelude and Presto, de David R. Holsinger; Othello, a Symphonic Portrait for Concert Band, de Alfred Reed; Cavalaria Ligeira, de Franz von Suppé [arranjo de Luis G. Ñarro];The Avengers’ Theme, de Alan Silvestri [arranjo de Michael Brown]; Dança de Vagharchabadi, de Vardapet Komitas [arranjo de Alexey Kurkdjian]; Mas que nada, de Jorge Ben [arranjo de Michael Brown]; e Vassourinhas, de Mathias da Rocha e Joanna Batista [arranjo de Nenéu Liberalquino].

27/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Banda Sinfônica do Exército, com Tenente Gilson Souza (regente), apresenta a obras A Concert Prelude e Year of the Dragon: Finale, de Philip Sparke; O Pássaro de Fogo: Excertos, de Igor Stravinsky [arranjo de Randi Earles sobre a versão de 1919]; Variações Fantasia sobre um Tema de Nicolò Paganini, de James Barnes; A Lista de Schindler, de John Williams; Velhos Camaradas (dobrado), de Carl Teike; Cielo andaluz (pasodoble), de Pascual Marquina Narro; e Paconchita – Abertura latina, de Oscar Navarro.

27/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfonieta, sob regência de Nelson Ayres, recebe Diogo Nogueira, um dos maiores nomes do samba da atualidade. O repertório inclui Conversa de Botequim, de Vadico e Noel Rosa; Filosofia, de Noel Rosa e André Filho; Aquele Abraço, de Gilberto Gil; As Rosas não Falam, de Cartola; Alvorada, de Cartola e H.B. de Carvalho; Chão de Esmeraldas, de Chico Buarque e H.B. de Carvalho [todas com arranjo de Paulo Aragão]; Samba do Avião, de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes; Você é Linda, de Caetano Veloso; Choro Bandido, de Edu Lobo e Chico Barque [todas com arranjo de Nelson Ayres]; e Cabô, Meu Pai, de Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila e Aldir Blanc [arranjo de Tiago Costa].

28/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com Edson Beltrami (regente) e João Carlos Martins (regente e piano), interpreta a Cantata nº 147: Jesus bleibet meine Freude, de J.S. Bach; Peer Gynt: Suíte nº 1, Op.46, de Edvard Grieg; a Valsa nº 2, de Dmitri Shostakovich; Danças Eslavas nº 8, Op.46: nº 8 em sol menor, de Antonín Dvórak; a Suíte Orquestral nº 3 em Ré maior, BWV 1068: Ária, de J.S. Bach; o Concerto nº 5 para Cravo em fá menor, BWV 1056, de J.S. Bach; Yesterday / Love of my life, de The Beatles / Queen [arranjo de Edson Beltrami]; Cinema Paradiso, de Ennio Morricone; e Carnaval de Rua, de Hudson Nogueira.

28/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica de Piracicaba, sob a regência de Jamil Maluf, apresenta o programa A Orquestra no Cinema, tocando uma seleção de composições emblemáticas que fizeram parte das trilhas sonoras de  clássicos cinematográficos: No belo Danúbio azul, Op.314, de Hohann Strauss Jr [2001 – Uma Odisséia no Espaço de Stanley Kubrick]; Sinfonia nº 5: Adagietto, de Gustav Mahler [Morte em Veneza de Lucchino Visconti]; La Gazza Ladra: Abertura, de Gioacchino Rossini [Laranja Mecânica de Stanley Kubrick]; e Guerra nas Estrelas: Suíte sinfônica, de John Williams [Guerra nas Estrelas de George Lucas].

28/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Soundscape Big Band. Criada em 1999 por músicos influenciados por grandes mestres do jazz, a Soundscape traz a estrutura clássica de uma traditional big band: cinco saxofones, quatro trombones, quatro trompetes, baixo acústico, bateria, piano e guitarra. Nesse programa, o grupo apresenta Foose in Bla, de Ohad Talmor; Maria 3 Filhos, de Milton Nascimento [arranjo de Fernando Corrêa]; Fall, de Wayne Shorter [arranjo de Fernando Corrêa]; Tempestade, de Chico Pinheiro e Chico César [arranjo de Tiago Costa]; Coisa nº 2, de Moacir Santos [arranjo de Tiago Costa]; Corrêa Toa, de Fernando Corrêa; e Plaza Real, de Wayne Shorter [arranjo de Paulo Malheiros].

 

PALÁCIO BOA VISTA

27/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Salada Mista Big Band, com Ogair Júnior (regente) apresenta a Valsa sentimental, de Tom Jobim [arranjo de Robertinho Carvalho]; Samba de Orfeu, de Luiz Bonfá [arranjo de Rubinho Antunes]; Raabe, de Jorge Ervolini; A Procura, de Robertinho Carvalho; Sweet Dulcinea Blues, de Kenny Wheeler [arranjo de Robertinho Carvalho]; Velas içadas, de Ivan Lins [arranjo de Jorge Ervolini]; Daquilo que eu sei, de Ivan Lins [arranjo de Robertinho Carvalho]; e Linha de Passe, de João Bosco [arranjo de Nailor Proveta].

27/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

O Sorriso da Manu, com Toninho Ferraguti (acordeon), Beto Angerosa (percussão), Paulo Braga (piano), Alexandre Ribeiro (clarinete), Ricardo Takahashi (violino), Liliana Chiriac (violino), Adriana Schincariol Vercelino (viola), Raïff Dantas Barreto (violoncelo) e Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo).

Explorando a sonoridade de uma pequena orquestra, aliada às possibilidades sonoras do acordeom, Toninho Ferragutti apresenta as composições de seu álbum O Sorriso da Manu. O programa inclui, de sua autoria, as peças Sanfonema, Forro classudo, Paçoquinha, Circuleta, Chôro da madrugada, O Sorriso da Manu, Nem Sol, nem Lua, Balanguinha, Trilha feita a mão, Na Sombra da Asa Branca, Trilha feita a lápis, Flamenta e Nova; de Luperce Miranda, Quando me lembro; e de Hermeto Pascoal, Sion.

27/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Do Barroco às Barrancas do Rio é o título do recital de Bruno Sanches, que toca viola brasileira. O programa inclui composições próprias e de outros autores: Catira do Vale, de Bruno Sanches; A jangada voltou só, de Dorival Caymmi; Canários, de Gaspar Sanz; O trem tá feio, de Tavinho Moura e Murilo Antunes; Capricho perfumado, de Bruno Sanches; Prelúdio da Suíte nº 1 para Violoncelo, de Johann Sebastian Bach; ¡Ha, che valle!, de Agustin Barrios; Poema: Dia de Chuva, de Luiz Antônio Sanches; Boi soberano, de Carreirinho e Izaltino Gonçalves; Senhorinha, de Guinga e Paulo César Pinheiro; Elementais, de Bruno Sanches; A Força do Boi, de Ivan Vilela; Poema: O Voo do Andarilho, de Zaca de Oliveira; Amantikir, de Bruno Sanches.

27/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso).

Daniel D’Alcântra (trompete/flugelhorn), Felipe Silveira (piano), Thiago Alves (contrabaixo) e Paulinho Vicente (bateria) apresentam um programa de música instrumental, jazz e MPB.

28/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Cancioneiro de Paris

O Capela Ultramarina, formado por Regiane Martinez (soprano), Patrícia Nacle (contralto), Iara Ungarelli (viola da gamba), Marília Macedo (flauta doce), Guilherme de Camargo (viola de mão de quatro ordens) e Fábio Vianna Peres (tenor, viola de mão de cinco ordens), apresenta uma seleção de peças anônimas do século XVI. Com pesquisa, arranjo, edição, concepção e direção musical de Fábio Vianna Peres, o grupo reúne em seus concertos cantores e instrumentistas com ampla experiência no campo da interpretação histórica da música do passado.

28/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Coro Infantojuvenil da Fundação Lia Maria Aguiar, com Luana Barros (regente), interpreta Oye, de Jim Papoulis; Roda Viva, de Chico Buarque; Stand by me, de Ben E. King; Tres morillas me enamoran (Anônimo); O rei mandou me chamá, de M. Camargo Guarnieri; Missa Festiva: Kyrie, de John Leavitt; Jubilate Deo, de Jay Althouse; De Magia, de Dança e Pés, de Milton Nascimento; Jardim da Fantasia, de Paulinho Pedra Azul; Samba do Arnesto, de Adoniran Barbosa; e Pase el agoa (Anônimo).

ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

22/07 (seg), 18h30. Gratuito.

O grupo Trombonismo, formado por Carlos Freitas, Eduardo Machado, Fernando Chipoletti e Wagner Polistchuk, interpreta a Suite Elizabethana (Anônimo); o Quarteto para Trombones, de Fernando Moraes; Doctor Decker’s Daydreams, de Christian Lindberg; a Suite Parisiense, de John Glenesk Mortimer; Bohemian Rhapsody, de Freddie Mercury/ Queen [arranjo de Alan Fernie]; e Marcelinho no Frevo, de Ivanildo Maciel.

23/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Gabriella Pace (soprano) e Ricardo Ballestero (piano) interpretam Sechs Lieder, Op.13, de Clara Schumann; Fünf Lieder, Op.49, de Joahannes Brahms; e Frauenliebe und Leben, Op.42, de Robert Schumann.

24/07 (qua), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Tainá Trigo (flauta), Andreza Batistella (viola) e Raphael Aragão (harpa) interpretam a Sonata para Flauta, Viola e Harpa, de Debussy;

– Lucas Martins (flauta), Marcelo Vilarta (oboé), Gustavo Ananias (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Juan Quinteros Estrada (trompa) interpretam Três Peças breves, de Ibert;

Maria Júlia Segura (violino), Hanan Santos (violino), Rômulo Moreira (viola), Tácio Vieira (violoncelo), Júlio Zabaleta (flauta), Danilo Oliveira (clarinete) e Alice Emery (harpa) interpretam Introdução e Allegro, de Ravel.

25/07 (qui), 18h30. Gratuito.

Escualo Ensemble, formado por Amanda Martins (violino), Cláudio Torezan (contrabaixo), Rubén Zúñiga (vibrafone) e Daniel Grajew (piano e acordeão), interpreta um repertório de tangos tradicionais e modernos: Soledad, de Astor Piazzolla; Mi Viejo Reloj, de Osvaldo Fresedo; Zum, de Astor Piazzolla; Negracha, de Osvaldo Pugliese; Milonga en Re, de Astor Piazzolla; Escualo, de Astor Piazzolla; Cabulero, de Leopoldo Federico; Fuga y Misterio, de Astor Piazzolla; Odeon, de Ernesto Nazareth; Tango Buto, de Daniel Grajew; e A Fuego Lento, de Horacio Salgán.

26/07 (sex), 18h30. Gratuito.

Homenagem a Olga Praguer Coelho

A soprano Camila Titinger e o violonista Fabio Zanon homenageiam a soprano e violonista Olga Praguer Coelho (1909-2008), que começou sua carreira musical nos anos 1920 e ascendeu internacionalmente a partir de 1935, chegando a ganhar o status de embaixadora da cultura brasileira na Europa, e cantar na Casa Branca (EUA). O duo interpreta obras de Alessandro Scarlatti, Giovanni Bellini, Manuel de Falla, Nikolay Rimsky-Korsakov, Heitor Villa-Lobos e do folclore brasileiro e internacional, em arranjos para voz e violão de Villa-Lobos, Andrés Segovia e Olga Praguer Coelho.

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

22/07 (seg), 19h. Gratuito.

Leo Brouwer 80 Anos.

O programa celebra o aniversário do compositor e violonista cubano, autor de uma importante e prolífica obra, não só violonística, mas dedicada a outros instrumentos. O repertório inclui peças para várias formações de autoria de Brower, tocada por vários grupos de instrumentistas:

Adailson Araujo, Eduardo Gutterres, Huayma Tulian e Julieta Comotti (violões) interpretam a Toccata;

– Tayná Trigo (flauta), Vanessa Gatica Valenzuela (viola) e Camilla Silva (violão) tocam Per suonare a tre;

– Gabriel Moraes (percussão) toca Variantes;

– Cristóbal Alarcón (flauta), Julián Lerma (viola) e Nícolas Porto Silva (violão) interpretam Paisajes, retratos y mujeres;

– Marina Caputo (violino), Lauro Lira (violoncelo) e Paulo Álvares (piano) tocam Manuscrito antiguo encontrado en una botella;

– Classe de Violão do Festival, formada por Adailson Araujo, Camilla Silva, Eduardo Gutterres, Guilherme Moreno, Huayma Tulian, Jhony de Souza, Julieta Comotti, Laíne Mororó, Lucas da Silva Rocha, Lucas Vieira, Nícolas Porto Silva e Nora Spielman interpretam Paisaje Cubano con Rumba.

23/07 (ter), 19h. Gratuito.

Ernst Mahle 90 Anos

O programa homenageia o compositor, maestro e professor Ernst Mahle, nascido na Alemanha e radicado no Brasil, fundador da Escola de Música de Piracicaba. Mahle é autor de arranjos e composições para todos os instrumentos, em formações solo, de música de câmara e sinfônica, além de canto e coro. Produziu cerca de duas mil obras, das quais cerca de quinhentas são composições originais, incluindo três óperas. No repertório, todas as peças são de Ernst Mahle, interpretadas por vários grupos de instrumentistas:

Leandro Isaac (piano) e Lucas Gonçalves (piano) tocam a Toccata;

Lucas Gonçalves (piano) interpreta a Sonatina para Piano;

Marcos Alex, Wellington Carlos e André Martins (trombones), e Luana Maele (trombone baixo) tocam a Suíte para Quarteto de Trombones;

Luciana Campanhã Pozatto (flauta), Paulo Roberto (oboé), Eduardo Lima (clarinete), Sandra Ribeiro (fagote) e Guilherme Merique (trompa) interpretam o Quinteto de Sopros;

Thiago Sandoval (clarinete), Alex Sanchez (fagote), Henrique Santos (trompa), Carlos Espinal (violino), João Sena (viola), Laura Catalina Mendoza (violoncelo) e Renata Rodrigues Andrade (contrabaixo) tocam o Septeto;

Matheus Coelho (regente), Andrezza Reis (soprano), Cristóbal Alarcón (flauta), Luís Umbelino (clarinete), Marcela Cerna Alcántara (violino), Letícia Camargo (viola), María Bellorin (violoncelo), Vincent Delia (contrabaixo), Ingrid Uemura (piano) e Pietro Gutiérrez Arnoldi (percussão) interpretam O amor é um som (sobre citação de Júlio Dinis).

24/07 (qua), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Svetlana Tereshkova e Tatiana Vinogradova (violinos), Olga Vassilevich (viola) e Marialbi Trisolio (violoncelo) interpretam Morriña – Quarteto de Cordas, de Eduardo Frigatti, e Cinco Peças para Quarteto de Cordas, de Igor Maia.

– Renato Raul (marimba) e Rafael Dalchau (vibrafone) tocam o Estudo II – A Falsa Rhumba, de E. Álvares;

– Diego Montes (marimba), Andrés Reyes Gutiérrez (percussão), Pietro Gutiérrez Arnoldi (percussão) e Ariel Gonzalez (percussão) interpretam Marimba Spiritual, de Minoru Miki;

– Tayná Trigo (flauta), Guilherme Peres (violino), Yixon Marin (viola), Eliziel Lourenço (violoncelo) e Raphael Aragão (harpa) tocam a Serenata para Flauta, Trio de Cordas e Harpa, Op.30: Allegro, de Roussel;

– Lucas Martins (flauta), Marcelo Vilarta (oboé), Gustavo Ananias (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Juan Quinteros Estrada (trompa) interpretam Três Peças breves, de Ibert;

Alice Emery (harpa), Júlio Zabaleta (flauta), Danilo Oliveira (clarinete), Maria Júlia Segura (violino), Hanan Santos (violino), Rômulo Moreira (viola) e Tácio Vieira (violoncelo) tocam Introdução e Allegro, de Ravel.

25/07 (qui), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Marcelo Barboza (flauta) e Débora Halász (piano).

Programa a ser anunciado

26/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Lincoln Sena (flauta), Paulo Roberto (oboé), Eduardo Lima (clarinete), Vivian Meira (fagote), Isaque Elias (trompa) e Mateus Restani (piano) interpretam o Sexteto para Piano e Sopros em Si bemol maior, Op. 6: Allegro moderato, de Thuille.

– Thiago Sandoval (clarinete), Gustavo Prates (violino), Gustavo Lennertz (violino), Guilherme Santana (violino) e Nathalia Sudário (violoncelo) interpretam o Quinteto com Clarinete em si menor, Op. 115: Excertos, de Brahms.

– Sol Ochoa (violino), Meriline Rivero Meza (violino), Andreza Batistella (viola), Lucas Garcia Muramoto (violoncelo), Claudia Macchicado Torres (contrabaixo), Erick Venditte (trompete) e Pedro Heylmann (piano) interpretam o Septeto em Mi bemol maior, Op. 6, de Saint-Saëns.

IGREJA DE SANTA TEREZINHA 

26/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coro Sinfônico de Goiânia, sob a regência de Katarine Araújo, com Fábio Leite (piano), Joicy Carvalho (soprano), Patrícia Mello (soprano), Natália Afonso (contralto), Félix Bauer (tenor), Caio Abreu (barítono), Anne Clárenci (soprano), Angela Samara (soprano) e Vitor Monte (baixo), interpreta as obras Agnus Dei, de Samuel Barber; Sete Canções, de Francis Poulenc; Only in sleep, de Eriks Esenvalds [texto de Sara Teasdale]; Salut printemps, de Claude Debussy; Choros nº 3 – Pica-Pau, de Heitor Villa-Lobos; Três Cânticos breves, de Ronaldo Miranda [texto de Fernando Pessoa]; Suíte nordestina, de Ronaldo Miranda; e Frevo fugato, de Edmundo Villani-Côrtes.

TORIBA MUSICAL

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

27/07 (sáb)

– 16h30, Área Externa do Museu Felícia Leirner [Toriba Musical ao Pôr do Sol].

– 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Tiago Paganini (violino) e Roberto Capel (piano) interpretam o Praeludium und Allegro, de Fritz Kreisler; a Sonata nº 3 em Mi maior, BWV 1016, de Johann Sebastian Bach; a Sonata n° 21 em mi menor, KV 304, de Wolfgang Amadeus Mozart; Après un Rêve, de Gabriel Fauré; Nocturne, de Lili Boulanger; Liebesleid, de Fritz Kreisler; Salut d’Amour Op.12, de Edward Elgar; e As Quatro Estações: Primavera, de Antonio Vivaldi.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

https://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

 

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

https://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 201 bolsistas. Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas.

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins

Data: de 29 de junho a 28 de julho 

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão  têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

 

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA 

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: a distribuição de ingressos será feita pela internet, a partir das 10h da manhã da segunda-feira que antecede o concerto, e também presencialmente, a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento da Sala São Paulo, limitado a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

 

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS: 

https://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 6 a 12 de julho

O 50º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, maior festival de música clássica da América Latina, segue em sua segunda semana com programação recheada de atrações. Ao longo de todo o evento, serão cerca de 130 concertos, em maioria gratuitos, seguindo dois eixos: Clássico e Popular-Sinfônico.

Estreiam nessa semana os três grupos formados pelos bolsistas do Festival: a Orquestra do Festival, regida por Alexander Liebreich; a Camerata do Festival, regida por Neil Thomson; e o Grupo de Música Antiga do Festival, regido por Luís Otávio Santos. Executando repertórios desafiadores, os concertos trazem a participação de regentes e solistas de renome internacional à frente dos jovens instrumentistas de alto nível técnico e musical.

O pianista Nelson Freire, que celebra 70 anos de carreira em 2019, faz dois recitais: um na Sala São Paulo, em comemoração aos 20 Anos da Sala (08/07), e outro no Auditório Claudio Santoro (11/07). No dia 09/07, aniversário de 20 Anos da Sala São Paulo, acontecem dois concertos gratuitos da Osesp, na Sala São Paulo, às 11h e às 16h30, sob o comando de seu novo regente titular, o suíço Thierry Fischer (que toma posse em 2020), apresentando a Quinta Sinfonia de Beethoven, obra escolhida pelo público em votação pela internet.

Entre as atrações sinfônicas, destaque para a Filarmônica de Goiás, regida por Neil Thomson, com dois concertos gratuitos (Praça do Capivari e Sala São Paulo); a Orquestra Sinfônica de Campinas, com Victor Hugo Toro (regente) e Viktor Uzur (violoncelo); e a Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, com Luís Gustavo Petri (regente) e o violinista Emmanuele Baldini (spalla da Osesp).

A Jazz Sinfônica segue recebendo, no fim de semana, grandes artistas da MPB, em concertos ao ar livre na Praça do Capivari. O primeiro traz a cantora Fafá de Belém interpretando seus maiores sucessos (06/07), e o segundo, o saxofonista e maestro Spok, em um programa que repassa a trajetória do Frevo (07/07).

No Palácio Boa Vista, além dos tradicionais concertos de câmara na Capela do Palácio, com destaque para o Quarteto Atlas e o Quarteto Carlos Gomes, também tem música no palco ao ar livre, com a Big Band Jazz Sinfônica, a Big Band da EMESP Tom Jobim e a Camerata Fukuda. E, no sábado à noite, no palco interno do Palácio, a atração é o saxofonista e clarinetista Nailor Proveta.

O Coro da Osesp, sob a regência de Valentina Peleggi, apresenta concerto na Igreja de Santa Terezinha. Na programação de câmara, destaque para os concertos gratuitos, que continuam diariamente no Espaço Cultural Dr. Além, e começam na Sala do Coro (Sala São Paulo). Entre as atrações estão o Quarteto Osesp, os Alunos da Academia de Música da Osesp com violista dinamarquês Asbjørn Nørgaard, e os recitais dos Professores e Bolsistas do Festival.

Estreiam também no Festival as apresentações do Toriba Musical, programação paralela organizada pelo Hotel Toriba que traz ao público música de câmara, brasileira e jazz, com concertos ao ar livre no Museu Felícia Leirner e na Sala da Lareira do Hotel Toriba. Nesse fim de semana, os destaques são o pianista Claudio Goldman, o grupo vocal As Meninas Cantoras de Campos do Jordão e a pianista Eudóxia de Barros.

A TV Cultura transmitirá ao vivo uma série de concertos do 50º Festival. Confira a programação no link: https://fpa.com.br/comunicados/252_tv-cultura-transmite-o-50-festival-de-inverno-de-campos-do-jordao.html

ORQUESTRA DO FESTIVAL

06/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

07/07 (dom), 18h, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

A Orquestra do Festival faz sua estreia nessa edição comandada pelo alemão Alexander Liebreich, regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Rádio de Praga e da Orquestra Sinfônica da Rádio Nacional Polonesa. Serão dois concertos, um no Auditório Claudio Santoro (06/07, 20h30) e um na Sala São Paulo (07/07, 18h), este último em comemoração aos 20 anos da Sala São Paulo. No programa, Impressões de uma Usina de Aço, de Claudio Santoro, compositor brasileiro que tem seu centenário de nascimento celebrado em 2019, e a Sinfonia nº 1 em dó menor, Op.68, de Johannes Brahms.

CAMERATA DO FESTIVAL

12/07 (sex), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

14/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Gratuito.

Camerata do Festival, regida por Neil Thomson, diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Goiás, em seu primeiro concerto nessa edição do Festival, recebe como solista o violoncelista brasileiro, radicado na Alemanha, Matias de Oliveira Pinto. O programa inclui a Abertura de A Flauta Mágica, KV 620, de Wolfgang Amadeus Mozart; o Concerto nº 1 para Violoncelo em Dó maior, de Joseph Haydn; e a Sinfonia nº 3 em Ré maior, D 200, de Franz Schubert.

GRUPO DE MÚSICA ANTIGA DO FESTIVAL

12/07 (sex), 20h30, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

13/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

Grupo de Música Antiga do Festival, sob a regência do violinista Luís Otávio Santos, diretor artístico do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP, faz sua estreia apresentando um programa de música barroca: o Concerto de Brandenburgo nº 1 em Fá maior, BWV 1046, de Johann Sebastian Bach; a Sinfonia em Dó maior, Wq.182:3, de Carl Philipp Emanuel Bach; e a Suíte em ré menor, TWV 55:d3, de Georg Philipp Telemann.

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

06/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra do Festival, sob a regência de Alexander Liebreich. (informações sobre o programa acima)

07/07 (dom), 16h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, sob a regência de Victor Hugo Toro, tendo o violoncelista sérvio Viktor Uzur como solista, interpreta O Aprendiz de Feiticeiro, de Paul Dukas, Variações sobre um Tema Rococó, Op.33, de Pyotr Il’yich Tchaikovsky, e Pinheiros de Roma, de Ottorino Respighi. 

11/07 (qui), 20h30. Ingressos: R$ 100.

Nelson Freire, pianista brasileiro com aclamada carreira internacional, faz um recital com obras emblemáticas do período romântico. Do compositor alemão Robert Schumann, Arabesque em Dó maior, Op.18 e Fantasia em Dó maior, Op.17; e do polonês Frédéric Chopin, Improviso nº 2 em Fá sustenido maior, Op.36; Mazurka nº 13 em lá menor, Op.17 nº 4; Mazurka nº 25 em si menor, Op.33 nº 4; Noturno nº 18 em Mi maior, Op.62 nº 2; Polonaise nº 1 em dó sustenido menor, Op.26 nº 1; e Barcarola em Fá sustenido maior, Op.60. 

12/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Camerata do Festival com Neil Thomson (regente) e Matias Oliveira Pinto (violoncelo). (informações sobre o programa acima) 

SALA SÃO PAULO

07/07 (dom), 11h. Gratuito.

Filarmônica de Goiás, sob o comando de seu diretor artístico e regente titular Neil Thomson, recebe como solista o clarinetista britânico Michael Collins. O programa traz a Abertura Carnaval, Op.92, de Antonin Dvorák, o Concerto nº 1 para Clarinete em fá menor, Op.73, de Carl Maria von Weber, e, de Claudio Santoro, compositor que tem seu centenário de nascimento celebrado esse ano, a Sinfonia nº 10 – Amazonas.

07/07 (dom), 18h. Ingressos: R$ 20.

Orquestra do Festival, sob a regência de Alexander Liebreich. (informações sobre o programa acima)

08/07 (seg), 20h30. Ingressos: de R$ 75 a R$ 300.

20 Anos da Sala São Paulo.

Recital do pianista Nelson Freire.

Com obras emblemáticas do período romântico, o pianista interpreta, de Schumann, Arabesque em Dó maior, Op.18 e Fantasia em Dó maior, Op.17; e de Chopin, Improviso nº 2 em Fá sustenido maior, Op.36; Mazurka em Lá Menor, Op.17 nº 4; Mazurka nº 25 em si menor, Op.33 nº 4; Noturno nº 18 em Mi maior, Op.62 nº 2; Polonaise em Dó Sustenido Menor, Op.26 nº 1; e Barcarola em Fá sustenido maior, Op.60.

 

09/07 (ter), 11h e 16h30. Gratuito.

20 Anos da Sala São Paulo

Osesp sob a regência de Thierry Fischer apresenta a Sinfonia n° 5 em Dó Menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven.

 

12/07 (sex), 20h30, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

Grupo de Música Antiga do Festival sob a regência de Luís Otávio Santos. (informações sobre o programa acima)

06/07 (sáb), 11h. Gratuito.

Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, com Eliel Ferreira (regente) e o violinista Thierry de Lucas Neves (ex bolsista, premiado no 44º Festival de Campos do Jordão). No programa: Romeu e Julieta – Abertura-fantasia, de Pyotr Il’yich Tchaikovsky; Taís: Meditação, de Jules Massenet; Árias ciganas, Op.2, de Pablo de Saraste; Huapango, de José Pablo Moncayo; e Danzon nº 2, de Arturo Marquez.

06/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Orquestra Filarmônica de Goiás, com Neil Thomson (regente). Programa: Abertura Carnaval, Op.92, de Antonin Dvorak; O último Sono da Virgem, de Jules Massenet; Il Guarany: Abertura, de Antônio Carlos Gomes; Bachianas Brasileiras nº 4: Prelúdio, de Heitor Villa-Lobos; e Suíte Sinfônica nº 2 – Pernambucana, de César Guerra-Peixe.

06/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica recebe a cantora Fafá de Belém, sob a regência de João Maurício Galindo, para interpretar a Fantasia sobre Temas de Adoniran Barbosa (Saudosa Maloca – Tiro ao Álvaro – Trem das Onze)  [arranjo de Tiago Costa]; Samba em Prelúdio, de Baden Powell [arranjo de Rodrigo Morte]; Pot-pourri com Temas de Noel Rosa (Palpite Infeliz – Conversa de Botequim – Pra que Mentir – Com que Roupa) [arranjo de Tiago Costa]; Foi assim, de Ruy Barata e Paulo André Barata [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Coração do Agreste, de Moacyr Luz e Aldir Blanc [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Sob Medida, de Chico Buarque [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Nuvem de Lágrimas, de Paulinho Rezende e Paulo Debétio [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Vermelho, de Francisco Ferreira da Silva e Daniela Perez [arranjo de Rodrigo Morte]; É o amor, de Zezé de Camargo / Trenzinho do Caipira, de Villa-Lobos [arranjo de Rodrigo Morte]; e Abandonada, de  Michael Sullivan [arranjo de Rodrigo Morte].

07/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica com Fábio Prado (regente), Spok (saxofone e voz) e Adelson da Silva (bateria) apresentam a trajetória do Frevo, com as obras: Clarinada (fanfarra)*; Passo de Anjo**, de Spok e João Lira; Quem Sabe, de Antonio Carlos Gomes; Frevo em Goiânia, de Maestro Duda; Os domingos no poço*, de Candido Lira; Dia de frevo, de Maestro Duda; No Coreto, de Maestro Duda; Capenga*, de Eugênio Fabrício; Odeon*, de Ernesto Nazareth; Desculpe-me, Nazareth*, de Fernando e Reinaldo Oliveira; Canhão 75*, de Nino Galvão; Folião Ausente***, de Sivuca; Relembrando o Norte*, de Severino Araújo; Mexe com tudo*, de Levino Ferreira; Cabelo de fogo*, de Maestro Nunes; Cocada****, de Lorival Oliveira; Último Regresso**, de Getúlio Cavalcanti; Último Dia***, de Levino Ferreira; Sabe lá o que é isso**, de João Santiago; Vassourinhas**, de Mathias da Rocha e Joana Baptista. (* arranjo de Maestro Duda; ** arranjo de Spok; *** arranjo de Spok e Nilson Lopes; **** arranjo de Nilson Lopes)

07/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica Jovem de Guarulhos, sob a regência de Emiliano Patarra, com a violinista Marina Caputo (ex-bolsista, premiada no 49º  Festival de Campos do Jordão). No programa, Cavalleria Rusticana: Intermezzo, de Pietro Mascagni; Dança Húngara nº 1, de Johannes Brahms; Concerto nº 3 para Violino em si menor, Op.61, de Camille Saint-Saens; Peer Gynt: Suite nº 1, Op.46: Amanhecer, de Edvard Grieg; Guerra nas Estrelas: 1º Movimento, de John Williams; Estância, Op.8a: Malambo, de Alberto Ginastera; e Aquarela do Brasil, de Ary Barroso.

07/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, com Luís Gustavo Petri (regente), tendo como solista o violinista Emmanuele Baldini (spalla da Osesp), interpretam as obras Don Giovanni, KV 527: Abertura, de Wolfgang Amadeus Mozart; Concerto nº 1 para Violino em sol menor, Op.26, de Max Bruch; e Sinfonia nº 8 em Fá maior, Op.93, de Ludwig van Beethoven.

PALÁCIO BOA VISTA

06/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Jazz Sinfônica, com Fábio Prado (regente).O grupo toca um repertório de música brasileira: Coisa 10, de Moacir Santos (arr: Vaughn F. Wiester); Choro de gafieira, de Pixinguinha (arr: Edson Alves); Quebrando o coco, de Rodrigo Morte (arr: Júnior Galante); Folha morta, de Ary Barroso (arr: Henrique Band); Ponta de areia, de Milton Nascimento e Fernando Brant (arr: Rafael Picolotto de Lima); Palco, de Gilberto Gil (arr: Marcelo Ghelfi); Sítio do Pica-Pau Amarelo, de Gilberto Gil (arr: Fernando Corrêa); Palpite infeliz, de Noel Rosa (arr: Fernando Corrêa); Estrepolia elétrica, de Moraes Moreira (arr: Luiz Arruda Paes); A sereia voou, de Mozart Terra (adapt: Fábio Prado); e Olé!, de Nelson Ayres.

 

06/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Emesp Tom Jobim, com Tiago Costa (regente). No programa, um repertório variado, com música brasileira, latina e jazz: Waltzing, de Victor Assis (arr: Tiago Costa); Meio de Campo, de Gilberto Gil (arr: Nelson Ayres); Roditiana, de Vitor Assis Brasil (arr: Tiago Costa); Choro dançando, de Maria Schneider; Só Xote, de Nelson Ayres; Mambo influenciado, de Chucho Valdez (arr: Hilario Duran); Guempa, de Bebo Valdes; Hay Burner, de Sammy Nestico; e Moten Swing, de Bennie Moten.

06/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Quarteto Atlas, formado por quatro dos principais músicos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Ricardo Amado (violino), Carlos Mendes (violino), José Taboada (viola) e Pablo de Sá (violoncelo), interpreta obras de compositores brasileiros da nova geração: o Quarteto de Cordas nº 1 – O Jardim das Delícias, de Alexandre Faria; a Fantasia Rock – para Quarteto de Cordas, de Ricardo Cândido; e a Fantasia Tango, de Alexandre Caldi.

06/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso)

Nailor Azevedo, Proveta. Música instrumental: jazz e MPB.

07/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Quarteto Carlos Gomes, formado por Cláudio Cruz (violino), Adonhiran Reis (violino), Gabriel Marin (viola) e Alceu Reis (violoncelo), apresenta obras de três compositores latino-americanos: de Meneleu Campos o Quarteto em Ré maior e o Quarteto em Sol maior; de Guinga, Casa de Villa, Capital e Henriquieto; e de Astor Piazzolla, Tres Minutos con la Realidad, Milonga del Ángel, Muerte del Ángel e Adiós, Nonino.

07/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Camerata Fukuda apresenta a Sinfonia Simples, Op.4, de Benjamim Britten; e As Quatro Estações Portenhas (arr: Leonid Desyatnikov), de Astor Piazzolla.

ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

08/07 (seg), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

(Programa a ser anunciado)

09/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Alunos da Academia da Osesp, com participação do violista dinamarquês Asbjørn Nørgaard, interpretam as peças The Unanswered Question, de Charles Ives; Chaconne, de Henry Purcell; Quinteto de Sopros, Op.43, de Carl Nielsen; Trauermusik, de Paul Hindemith; Herr Gott, dich loben alle wir, BWV 130, de J.S. Bach; 11 Prelúdios Corais, Op.122: Herzlich tut mich verlangen (2ª versão), de Johannes Brahms e Ferruccio Busoni; Der Doppelgänger, de Franz Schubert; Cinco Peças para Piano, Op.3, de Carl Nielsen; Simple Symphony, Op.4: Sentimental Sarabande, de Benjamin Britten; e Três Corais, de Carl Nielsen.

10/07 (qua), 18h30. Gratuito.

Quarteto Osesp interpreta Cangaceiros e Fanáticos, de Caio Facó; e Quarteto nº 14 em ré menor, D 810 – A Morte e a Donzela, de Franz Schubert.

11/07 (quin), 18h30. Gratuito.

O fagotista da Osesp Francisco Formiga e Bolsistas do Festival interpretam o Octeto de Sopros em Mi bemol maior, Op.103, de Ludwig van Beethoven; e Così fan tutte, KV 588: Excertos, de Wolfgang Amadeus Mozart  (transcrição de Ulf-Guido Schaefer).

 

12/07 (sex), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

11/07 (quin), 19h. Gratuito

Alunos da Academia da Osesp, com participação do violista dinamarquês Asbjørn Nørgaard. No repertório, The Unanswered Question, de Charles Ives; Chaconne, de Henry Purcell; Quinteto de Sopros, Op.43, de Carl Nielsen; Trauermusik, de Paul Hindemith; Herr Gott, dich loben alle wir, BWV 130, de J.S. Bach; 11 Prelúdios Corais, Op.122: Herzlich tut mich verlangen (2ª versão), de Johannes Brahms e Ferruccio Busoni; Der Doppelgänger, de Franz Schubert; Cinco Peças para Piano, Op.3, de Carl Nielsen; Simple Symphony, Op.4: Sentimental Sarabande, de Benjamin Britten; e Três Corais, de Carl Nielsen.

12/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

 

12/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coro da Osesp, sob a regência de Valentina Peleggi. No programa: Madrigali dal Libro 4, de Claudio Monteverdi; O Magnum Mysterium, de Morten Lauridsen; Bogoroditse Djevo, de Sergei Rachmaninov; Sonata (arr: Villa-Lobos), de Ludwig van Beethoven; e Bachianas Brasileiras nº 9, de Heitor Villa-Lobos (arranjo para coro).

TORIBA MUSICAL

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

06/07 (sáb)

– 16h30: Toriba Musical ao Pôr do Sol – Museu Felícia Leirner, Área Externa.

– 19h00: Hotel Toriba, Sala da Lareira.

Claudio Goldman (piano e voz). Amor e humor através dos tempos: canções de todos os tempos, em

interpretações originais e divertidas versões. No repertório: Insensatez, de Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes; Melodia sentimental, de Heitor Villa-Lobos; O cozinheiro de Salvador (versão para “Largo al factotum”, ária de O barbeiro de Sevilha, de Rossini); Pô, Elise! (versão para “Für Elise”, de Beethoven); Elas são rápidas (versão para “La donna è mobile”, ária de Rigoletto, de Verdi); Mozart no Tom (versão para o 1º movimento da “Sinfonia nº 40”, de Mozart).

07/07 (dom), 19h, Hotel Toriba, Sala da Lareira.

Meninas Cantoras de Campos do Jordão, sob a direção musical e regência de Mere Oliveira, com Fábio Fagundes (piano). No programa: Ecco La Primavera, de Francesco Landini; Barcarolle, da ópera Os contos de Hoffmann, de Jacques Offenbach (versão Eustórgio Wanderley); Gesù Bambino, de Pietro A. Yon e Frederick H. Martens; Olelê, molibá makasi (Folclore do Congo); Siyahamba (Folclore da África do Sul); Nanguiriche (Folclore de Angola); Somagwaza (Folclore da África do Sul); Ode à alegria, da Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven (letra de Friedrich Schiller; versão de Mere Oliveira); e Ó abre alas, de Chiquinha Gonzaga.

08/07 (seg), 19h, Hotel Toriba, Sala da Lareira.

Recital da pianista Eudóxia de Barros. No programa, Gymnopédie nº, de E. Satie; Saudades das selvas brasileiras nº 2, de H. Villa-Lobos; “Toccata” da suíte Le tombeau de Couperin, de M. Ravel; Toccata op. 145, de Golinelli; Sonata op. 35, de F. Chopin; La Campanella, de F. Liszt; Valsa nº 1, de F. Cupertino; Estudo nº 2, de A. Ribeiro; Estudo nº 10, de M. Camargo Guarnieri; Brasiliana nº10, de O. Lacerda; Coração que sente, de E. Nazareth; e Grande Tarantella, de L. M. Gottschalk.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

https://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

https://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 199 bolsistas (193 já aprovados e até seis alunos de regência, que ainda passarão por uma prova final). Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas. 

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Data: de 29 de junho a 28 de julho

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA  

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/ 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: retirada de ingressos a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS: 

https://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

 

52ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão inicia neste sábado (2)

Evento do Governo de São Paulo acontece de 02 a 31 de julho e terá mais de 80 concertos em sete palcos, divididos em quatro locais de Campos do Jordão e Sala São Paulo; com o tema “Modernos Eternos”, Festival apresenta programação focada no centenário da Semana de Arte Moderna de 1922; Módulo Pedagógico oferecerá 142 bolsas de estudo e mais de 1.000 horas-aula

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo abre neste sábado (2) a 52ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão, reconhecido como o maior e mais tradicional evento de música clássica da América Latina. A programação artística e pedagógica acontece até 31 de julho e estará dividida entre as cidades de Campos do Jordão e São Paulo. Serão ao todo 84 concertos, sendo 90% deles gratuitos.

O festival acontecerá em sete palcos, espalhados em quatro locais: o Auditório Claudio Santoro, no Parque Felicia Leirner, (apresentações de sexta a domingo); o recém-inaugurado Parque Capivari (sábados e domingos); o Palácio Boa Vista, com concertos na Capela de São Pedro e em um palco externo (sábados e domingos); e a histórica Igreja de Santa Teresinha, no centro da cidade (sextas-feiras). A Sala São Paulo, instituição do Governo de São Paulo, assim como o auditório e o museu, também terá uma agenda diária de apresentações, divididas entre a Sala de Concertos e a Sala do Coro, e ênfase em apresentações de artistas do festival.

“Para a edição deste ano, temos o foco de oferecer a melhor programação possível para o público, levando em consideração o impacto da pandemia em todo o setor cultural e, sobretudo, no funcionamento das orquestras”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão. “Por isso, o Governo do Estado de São Paulo tomou a decisão de realizar um grande investimento na viabilização dos concertos e do programa pedagógico, que está atrelado ao Festival”

Os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, completados em fevereiro último, permeiam toda a programação do Festival, que, neste ano acontece com o tema Modernos Eternos. A expressão é inspirada no início do poema Eterno, do livro Fazendeiro do Ar (1954), do poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade:

“E como ficou chato ser moderno
Agora serei eterno”

 

Um panorama do modernismo internacional, em especial das décadas de 1920 e 1930, poderá ser ouvido nos programas do Festival, com obras sinfônicas e camerísticas de compositores que chegaram à maturidade nesse período, como Igor Stravinsky, Béla Bartók, Manuel de Falla, Sergei Prokofiev, Silvestre Revueltas, Paul Hindemith, Bohuslav Martinů e, é claro, Heitor Villa-Lobos, o grande nome da música brasileira presente na Semana de 1922. Também serão lembrados o bicentenário do romântico belga César Franck e o centenário do vanguardista brasileiro Gilberto Mendes.

Destacam-se, na programação artística do Festival, na cidade de Campos do Jordão, os concertos da Osesp, corpo artístico do Governo de São Paulo, na abertura (com seu diretor musical e regente titular, Thierry Fischer, e o pianista canadense Jan Lisiecki, no dia 2/7) e no penúltimo dia do evento (com o maestro costa-riquenho Giancarlo Guerrero (30/7); da Orquestra Filarmônica de Goiás, sob a batuta de Neil Thomson (16/7); da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, com regência de Roberto Minczuk e participação do violonista Yamandu Costa ( 24/7); da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, com seu novo regente, Carlos Prazeres (30/7); da Orquestra do Festival, com o violoncelista alemão Leonard Elschenbroich (31/7); um concerto de música antiga, com a Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba (23/7); a participação de Orquestras Jovens brasileiras, como a Ojesp (3/7), a Experimental de Repertório, a do Theatro São Pedro e a de Mogi das Cruzes (todas em 9/7); e um recital do pianista Lucas Thomazinho com a violoncelista Marina Martins, que venceu o concurso Jovens Solistas de 2018 (22/7).

No módulo pedagógico, o Festival de Campos do Jordão receberá, ao todo, 142 alunos e 52 professores, que, juntos, vivenciarão mais de 1.000 horas-aula, ao longo de quase um mês de Festival. Estão programadas seis masterclasses, com professores de destaque no cenário musical internacional: o violoncelista Leonard Elschenbroich e o pianista Alexei Grynyuk. A Orquestra do Festival, formada por alunos e professores, se apresentará sob regência do brasileiro Marcelo Lehninger, do turco Çem Mansur e do inglês Neil Thomson. Haverá, ainda, a entrega do Prêmio Eleazar de Carvalho, cujo nome homenageia o maestro criador do Festival, que premiará o músico de maior destaque do evento.

“É até difícil calcular o impacto que um festival como o de Campos do Jordão pode ter na vida dos estudantes que participam como bolsistas. O perfil social desses alunos mudou muito ao longo de mais de 50 anos de evento, e hoje em dia é muito mais variado e gera alternativas profissionais para pessoas que de outra forma talvez não tivessem contato com esse universo”, explica o Coordenador Artístico-Pedagógico do Festival, Fábio Zanon. “Além disso, a maior parte dos professores neste ano virá da própria Osesp e de outras orquestras brasileiras, e para muitos estudantes essa é uma enorme oportunidade de vivência e aprendizado”, completa Zanon.

Prêmios e bolsas

O Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1,4 mil mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, com bolsas na Academia de Música da Osesp.

 

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Ao longo de suas 50 edições, o evento se consolidou como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, uma programação cultural de qualidade – neste ano totalmente gratuita –, que beneficia, não somente a cidade de Campos do Jordão, como todo o seu entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

 

REALIZAÇÃO

O 52º Festival de Verão e Inverno de Campos do Jordão é um programa do Governo do Estado de São Paulo, realizado por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado e pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski e coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon.

O Festival conta o patrocínio da cerveja Baden Baden, da Sabesp e do Instituto Cultural Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Promoção da Folha de São Paulo e da 29Horas. Realização: Fundação Osesp, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

 

 

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais da cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identifica como Amigos do Festival e mostra engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

SERVIÇO

52º Festival de Verão e Inverno de Campos do Jordão

Data: de 2 a 31 de julho de 2022

Locais (Campos do Jordão e São Paulo)

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO — Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista — Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3662-2334. 814 lugares. Ingressos: Entre R$ 50,00 e R$ 100,00. Horário de funcionamento: somente em dias de concerto, 3h antes do início do evento.

Início da venda de ingressos previsto para 23 de junho.

PARQUE CAPIVARI — R. Eng. Diogo José de Carvalho, 1291, Capivari — Campos do Jordão — SP. 700 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: diariamente, das 10h às 18h.

Retirada de ingressos a partir de 10 dias antes de cada apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

PALÁCIO BOA VISTA — PALCO EXTERNO

Av. Adhemar Pereira de Barros, 3001, Jardim Dirce — Campos do Jordão — SP. 300 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: somente em dias de concerto, 3h antes do início do evento.

Retirada de ingressos a partir de 10 dias antes de cada apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

PALÁCIO BOA VISTA — CAPELA

Av. Adhemar Pereira de Barros, 3001, Jardim Dirce — Campos do Jordão — SP. 120 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: somente em dias de concerto, 3h antes do início do evento.

Retirada de ingressos a partir de 10 dias antes de cada apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

IGREJA DE SANTA TERESINHA — Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia — Campos do Jordão — SP, Tel. (12) 3662-1740. 200 lugares. Gratuito.

Retirada de ingressos a partir de 10 dias antes de cada apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

SALA SÃO PAULO — SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Elíseos — São Paulo — SP. Tel. (11) 3367-9500. 1.484 lugares. Gratuito a R$ 50,00.

Início da venda de ingressos previsto para 23 de junho (concertos pagos) ou retirada de ingressos a partir de 10 dias antes de cada apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

SALA SÃO PAULO — SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Elíseos — São Paulo — SP. Tel. (11) 3367-9500. 150 lugares. Gratuito.

Retirada de ingressos a partir de 10 dias antes de cada apresentação, limitada a quatro ingressos por pessoa e à capacidade do local.

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS

Site oficial do Festival

YouTube oficial

Instagram oficial

Facebook oficial

Twitter oficial

7ª Mostra de Dança do Programa de Qualificação em Artes, em Santo Antônio do Pinhal

O público entrará em contato com várias narrativas a partir de gêneros como a dança contemporânea, street dance, jazz e sapateado; a Mostra, com mais de 10 grupos,  também se torna um atrativo aos turistas que buscam aproveitar o final de semana de 18 a 20/11, na cidade

A 7ª edição da Mostra de Dança do Programa de Qualificação em Artes (PQA), uma das áreas de Oficinas Culturais, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, acontecerá em 18, 19 e 20 de novembro,  na cidade de Santo Antônio do Pinhal (SP), localizada no Vale do Paraíba e a cerca de 170km da capital paulista. Mais de 10 companhias de dança do interior, litoral e Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) apresentam seus processos autorais.

Totalmente gratuita, a programação passará pelo Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza, onde os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência, e no palco da  Praça do Artesão. Além dos espetáculos, o público em geral, bailarinos e estudantes de dança poderão participar das práticas corporais nos espaços do Projeto Montanharte.

O público conhecerá as apresentações dos grupos de dança das cidades de Bauru, Campinas, Guarujá, Jacareí, Jundiaí, Ourinhos, Salto, Santo André, Taubaté e  Ubatuba. Uma novidade é que durante os três dias da 7ª edição da Mostra, os espectadores também poderão ver as versões mais dinâmicas de parte dos espetáculos no formato Pocket Dança.

Os espetáculos foram desenvolvidos com o apoio do ciclo de orientações do Programa de Qualificação em Artes – Dança de 2022, o qual colabora na autonomia dos coletivos do estado paulista, na diversidade das linguagens desenvolvidas por eles e conta com Alex Soares, curador convidado do PQA – Dança desde 2021. Soares também é videomaker e coreógrafo. No campo da dança, ele já integrou grupos como o Balé da Cidade de São Paulo (BCSP) e Balé Teatro Guaíra (Curitiba), colaborou em coreografias do Balé Teatro Castro Alves (Salvador), Corpo de Baile do Amazonas e Hubbard Street Dance (Chicago/EUA), entre outros.

Neste ano, a Mostra convida a Cia. Jovem de Dança de Jundiaí que apresenta Instagrimm, espetáculo que narra os contos dos irmãos Grimm em um cenário que simboliza o ambiente virtual dos stories.

Em 2022, o Programa de Qualificação em Artes – Dança tem a parceria da Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Pinhal.  Após as edições no formato virtual dos últimos dois anos, devido à pandemia de Covid-19, em 2022 a Mostra de Dança retorna no modo presencial e com uma agenda formada por espetáculos em diversos gêneros e abordagens, entre eles, cotidiano, universo feminino, dança contemporânea, dança urbana, sapateado, jazz e balé clássico. A seguir, a agenda completa.  Para mais detalhes, como a ficha técnica de cada espetáculo, acesse o site do Programa: clique aqui.

Agenda dos espetáculos de dança
Locais:
Santo Antônio do Pinhal (SP)
Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro
Praça do Artesão  – Endereço:  Avenida Min. Nelson Hungria, 170
Projeto Montanh’arte – Endereço: Avenida Ministro Nelson Hungria, 120
Grátis | Distribuição de ingressos no Auditório Municipal com uma hora de antecedência. Sem a necessidade de inscrição. Recomenda-se chegar com 30 minutos de antecedência nas apresentações abertas ao público.

18 DE NOVEMBRO, SEXTA-FEIRA
MOSTRA DE DANÇA
Local: Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro
16h

 


INSTAGRIMM
Cia. Jovem de Dança de Jundiaí
Os contos dos irmãos Grimm em stories
Classificação: Livre | Duração:40 minutos
Com o advento da internet nos últimos anos, as redes sociais ganharam uma proporção muito grande na vida das pessoas, inclusive das crianças. O espetáculo “Instagrimm” brinca com os contos dos irmãos Grimm e faz alusão à rede Instagram, durante uma coreografia lúdica e com humor voltada ao público infantil. Com o diálogo entre os contos clássicos e a tecnologia, revisita conhecidas histórias da infância, ao mesmo tempo em que propõe a reflexão de como seria nosso relacionamento com os personagens se pudéssemos segui-los nas redes sociais, apresentando diversos estilos de dança para os pequenos, como o hip-hop, sapateado, funk e balé clássico, com a proposta de estimular a dança dentro de cada um desde cedo.  

19h30
Abertura


20h
Zás Cia de Dança – Jacareí


Espetáculo: Mulher
Classificação: 14 anos | Duração: 30 minutos
Temas: Feminilidade, pré-conceitos, emoções, julgamentos, realidade, cotidianos.
Sempre atual, a Zás Cia de Dança leva ao palco o universo feminino e busca jogar luz na complexidade dessa realidade. O elenco jovem e dinâmico ressalta a forma como a sociedade olha, cobra e pré-julga, seja apontando caminhos ou querendo dizer o que é certo ou errado, pensar, falar ou vestir. São oito mulheres diferentes, oito corpas, diferentes histórias em cena, com músicas prioritariamente compostas por mulheres brasileiras e com uma linguagem cênica que traz brasilidade.

20h35

Balé da Cidade de Taubaté

Espetáculo: d. o. n. A.

Classificação: 14 anos |

Duração: 40 minutos

Gênero: dança contemporânea | Tema: Performance. Identidade e conflito de identidades| Cenas de nudez

Dona pode dizer muito e significar tanto: organizar e (re)estruturar-se como um universo de  sujeitos compostos de referências que de fato não são suas, corpos que performam identidades de um lugar natural para um lugar social. Dona se revela em que lugar se coloca um corpo, no seu espaço ou no espaço de outro dono. De quem ou o que permite ser dono. Construir e nomear aquilo que de essência não é nominável, se deleitar e despir-se de tantas, pois és agora a única habitante desse corpo, a própria dona.

 

21h25

Sigma Cia de Dança – Bauru

Espetáculo: Senda

Classificação: Livre | Duração: 45 minutos

Dentro de cada brasileiro desponta a sensação sui generis de pertencimento à nação, e por seu caráter inseparável aos indivíduos. Mas o que define a identidade, a essência brasileira? “Senda” revisita questões ancestrais ao mesmo tempo que traz à tona diversos questionamentos contemporâneos, afunilando ao microcosmo das histórias pessoais. A partir de cada escolha de nossa trajetória, muitas vezes imposta, buscamos a liberdade de compor e tecer nossas possibilidades. Entre realidades e utopias, existimos e resistimos às interseções desses fios, alargando esse caminho estreito.

 

ATIVIDADES FORMATIVAS:

14h às 17h

Local: Projeto Montanh’arte – Avenida Ministro Nelson Hungria, 120

Público: estudantes de dança, bailarinos e demais interessados

Práticas corporais do Oriente: respiração, conexão e criação

Com Eduardo Fukushima

Esta oficina pretende destacar as práticas orientais e suas experiências artísticas exploradas pelo reconhecido bailarino Eduardo Fukushima. Os objetivos são explorar a respiração, o relaxamento, a soltura das articulações e a vibração para conduzir um estado de concentração do corpo próprio e consequentes experimentações guiadas de improvisação.

Duração: 2 horas

Vivência do peso: exploração do tema como elemento fundamental da dança

Com Uxa Xavier

Aqui, pretende-se trabalhar sobre diferentes formas de experimentar e explorar o elemento peso na dança. Entre as reflexões levantadas estarão: Como vivemos e sentimos as transições do peso quando dançamos? Como organizamos nosso peso enquanto entrega, impulso e alavanca para o movimento dançado? Reconhecer no corpo em movimento esse elemento é base fundamental para o trabalho corporal do bailarino, auxiliando no trabalho em diversas modalidades técnicas de dança.

Duração: 2 horas

19 DE NOVEMBRO, SÁBADO

Local: Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro

12h

Grupo Experimental Sapateia –  Santo André

Espetáculo: RELANCE

Classificação:  Livre | Duração: 20 minutos

Gênero: Dança, Sapateado americano, Dança contemporânea | Tema: Memórias

Inspirado pela saudade e pelas transformações da pandemia, o espetáculo percorre particulares sentimentos gerados pelos encontros e reencontros da vida. Na vibração do som que ecoa dos pés e das formas que o corpo desenha em ato, memórias são revividas e emoções passageiras se fazem presentes. Um convite ao recordar daquilo que passou pelos olhares, de vislumbre, de RELANCE.

14h45

Blow Up Cia de dança – Salto

Espetáculo: A trilha

Classificação indicativa: Livre | Duração: 50 minutos

Com o objetivo de transportar o público para lembranças das próprias vidas, o elenco escolheu algumas cenas inspiradas nas fases mais marcantes das trilhas pessoais, utilizando música ao vivo e performance em alguns momentos. Inspirado na letra de “Tempo sem tempo” de José Miguel Wisnik, este espetáculo fala um pouco sobre o que trilhamos em nossas vidas, as escolhas que nossos pais fazem por nós, nossas próprias escolhas e as que fazemos por nossos filhos.

15h40

Saloly Cia. De Dança – Ubatuba

Espetáculo: Transcenda

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

Transcenda retrata um momento muito particular da vida de sua diretora, Saloly Furtado, a morte de sua mãe. “O chão se abriu com sua partida. Me inundou de um imenso vazio, mas através das nossas doces lembranças, transformo esta dor em movimento e sigo dançando, te sentindo viva em mim.”

16h20

Grupo: EMBO –  Escola Municipal de Bailado de Ourinhos

Espetáculo:  TIM TIM

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

Gênero: danças urbanas, contemporâneo | Tema: perda emocional, superação e alegria

Este espetáculo traz um paralelo com a trajetória  de um artista plural, criativo, polêmico, irônico e sobretudo talentoso, o Sebastião Rodrigues Maia/ Tim Maia, que uniu o soul ao baião, o funk, a bossa nova, o jazz ao rock, o disco, a MPB. A temática aborda pelo corpo, sua personalidade – ora agressiva, ora bem-humorada –  mas sem fazer juízo de valor, com foco sobretudo em suas fases e faces do caminho como artista, e no que suas experiências para além da fama se assemelham as vidas de muitos de nós, sua origem, trajetória, e as dificuldades constantes. Da simplicidade ao ápice de seu sucesso, ele nos deixou, mas sua obra fica, viva Tim Maia, um brinde ao intenso, TIM TIM.

19h30

Companhia de dança Vanessa França – Campinas

Espetáculo: Rasgo

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

Uma materialidade quase impossível de tocar, manipulando tudo aquilo que pesa sobre nossas cabeças, ombros, vidas. Cargas são divididas sem a certeza de aguentarmos e imediatamente aguentando. Quanto da nossa força é mascarada em nome da sutileza? Dançamos sob a vulnerabilidade. Uma luta motivada pelas vivências de todos os dias. Impulso vital que transforma, rasga e transborda, transcende, cria espaços, conecta e se perpetua. As múltiplas perspectivas de uma mesma mulher. Somos muitas, trazemos muitas, vivemos muitas. Presente, passado e futuro em convergência. Quantas cada uma de nós carrega entre nossas mãos?

Sabemos muito, mas dizemos apenas o essencial porque ainda não nos compreendem. Porém, há uma força que nos habita e nos faz resistir. Seguimos porque o que nos move é muito maior do que o que nos cala. E esse algo em nós também existe em você.

20h15

Grupo: Instituto Arte em Movimento Ana Zucchi – Guarujá

Espetáculo: Chiquinhassss

Classificação: livre | Duração:  40 minutos

Gênero: Dança híbrida que dialoga com ballet clássico, flamenco, jazz, dança moderna e teatro

Há 175 anos nascia essa mulher gerada de um casamento inter-racial, uma mulher negra que criou passos abrindo alas na música, no comportamento e também na política, criando a SBAT que garante os direitos autorais de compositores. Abrir alas é dar passagem para todes, um espírito coletivo feminino de viver acreditando com coragem em seus sonhos e na arte. Esse espetáculo passeia por fases da vida desta grande mulher, Chiquinha Gonzaga. A criança que investigava sons como primeira experiência musical, a mulher/artista que compunha suas dores e amores, que rompeu barreiras frequentando rodas de samba e criando parcerias com músicos populares e se apresentando em lugares “não recomendáveis” para as famílias. Dançar Chiquinha nos leva a alegria, a melancolia  e ao amor de criar.

21h

Jeff Street Dance – Taubaté

Espetáculo: REFÉM

Classificação: Livre | Duração: 40 minutos

REFÉM é um espetáculo de danças urbanas criado a partir das emoções individuais de seus intérpretes cuja cumplicidade move a necessidade de ser-sentir-existir no hoje. Acolher as sombras, os ruídos internos, a solidão, as fragilidades e as emoções incontroláveis. Reconhecer-se refém da rotina, das lógicas socialmente impostas, das estruturas de poder e do outro. Como libertar-se dos aprisionamentos criados na própria mente? Juntes/as/os no palco os bailarinos expurgam seus conflitos mais internos pela dança.

9h às 12h

Mesas – Atividade exclusiva para os grupos de dança do PQA

Mesas: A Experiência da Orientação no Programa de Qualificação em Artes – Dança

Mediação: Cássia Navas

Mesa 1: líderes de grupos orientados

Mesa 2: artistas orientador/as

 

20 DE NOVEMBRO, DOMINGO

Local: Auditório Municipal CEI Profª Silvana Silva e Souza – Endereço: Rua Coronel Sebastião Marcondes, 23, Centro

MOSTRA INTERNA – somente para os grupos do Programa de Qualificação em Artes – Dança

11h45

Grupo: Hip Hop Rescue –  Miracatu

Espetáculo: O Encontro

Classificação:  12 anos| Duração:  20 min.

Gênero: Street Dance

Desde de 2019 o coletivo Hip Hop Rescue desenvolve e fomenta a cultura Hip Hop no município de Miracatu, resgatando a identidade, as raízes, a história e a cultura da cidade junto ao recorte da Street Dance. Assim, surge o espetáculo “O encontro” que faz essa viagem pelos tempos, sons, corpos e espaços na busca pela consciência e a reafirmação do território.

 

PALCO ABERTO – POCKET DANÇA

Local: Praça do Artesão – Endereço: Avenida Min. Nelson Hungria, 170

18 DE NOVEMBRO, SEXTA-FEIRA

17h

Grupo: Instituto Arte em Movimento Ana Zucchi – Guarujá

Espetáculo: Chiquinhassss

Classificação: Livre | Duração:  20 minutos

19 DE NOVEMBRO, SÁBADO

13h30

Sigma Cia de Dança – Bauru

Espetáculo: Senda

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

20 DE NOVEMBRO, DOMINGO

9h45

Jeff Street Dance – Taubaté

Espetáculo: Refém

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

10h10

Saloly Cia de Dança – Ubatuba

Espetáculo: Transcenda

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

10h30

Blow Up Cia de Dança – Salto

Espetáculo: A Trilha

Classificação: Livre | 20 minutos

10h55

Companhia de dança Vanessa França – Campinas

Espetáculo: Rasgo

Classificação: Livre | Duração: 20 minutos

7º Festival Literário de Iguape vai abordar o tema “Futuro, Lugar e Memória”

Realizado no Vale do Ribeira, o evento oferece uma programação gratuita, que reúne grandes nomes como Conceição Evaristo, Ana Maria Gonçalves, Luedji Luna, Zezé Motta, Mel Duarte, Nação Zumbi e muito mais. A cocuradoria é de Bianca Santana

(mais…)

8 de março terá Corrida da Mulher e Orquestra Jazz Sinfônica no Parque Ibirapuera

Fafá de Belém, Elba Ramalho, AnaVitória, Bebé Salvego, Roberta Sá, Luiza Possi, Paula Lima, Leila Pinheiro e Claudia Leitte cantam ao lado da orquestra em evento promovido pelo Governo do Estado

(mais…)

9ª edição do Cosud discute ampliação e descentralização do acesso à cultura

Grupo de Trabalho da Cultura, liderado pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, abordou temas como otimização nos sistemas de fomento, construção de um ecossistema de gestão de dados e democratização do acesso à cultura

Na 9ª edição do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (COSUD), iniciada nesta quinta-feira (19), o Grupo de Trabalho da Cultura se reuniu na sede da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo para discutir a ampliação do acesso à cultura e a descentralização das atividades culturais.

A secretária da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, Marília Marton, conduziu a reunião junto com o secretário-executivo Marcelo Assis. Também estavam presentes a secretária da Cultura do Paraná, Luciana Casagrande, o secretário da Cultura do Espírito Santo, Fabricio Noronha, o subsecretário de Cultura de Minas Gerais, Igor Arci Gomes, a secretária de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, Danielle Barros e também a secretária da Cultura do Rio Grande do Sul, Beatriz Araujo.

Secretária Marília Marton. Crédito: Patrícia Cruz / Governo do Estado de SP

Na reunião, os secretários falaram sobre medidas para descentralizar a cultura, como o desenvolvimento de ações conjuntas entre os estados, a identificação de informações que os conectam e o mapeamento de novos segmentos para serem fomentados.

“Precisamos ter ações concretas e promover o diálogo e trocas de experiências para construirmos uma política comum a todos nós. A cultura é uma grande potência em todos os estados e podemos identificar ações que nos conectem e tragam resultados efetivos”, destacou a secretária da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, Marília Marton.

Durante apresentação do Sistema das Leis de Fomento do Estado de São Paulo, a Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas destacou a otimização dos sistemas de fomento, tendo em vista que um dos aspectos mais notáveis deste ano foi o aumento significativo nas inscrições em comparação com o exercício anterior, com um crescimento de 19,05%. Além disso, ao longo dos anos de 2020 a 2023, foram identificados grupos notáveis de proponentes.

Nesta sexta-feira (20), o Grupo de Trabalho da Cultura se reúne novamente, às 10h, para continuar as discussões referentes às políticas culturais de descentralização, incluindo também temáticas ligadas à qualificação e capacitação de profissionais e também ao engajamento social.

9ª Maratona Cultural, uma experiência artística da Oficina Cultural Maestro Juan Serrano, abre mil vagas

Evento promove acesso a várias linguagens artísticas para população da periferia da zona noroeste de São Paulo e uma das novidades é o espaço de coworking público e as atividades contemplam todas as idades 

Durante o mês de julho, ocorre a 9ª Maratona Cultural – Uma experiência artística, oferecida pela Oficina Cultural Maestro Juan Serrano. Essa ação contará com mil vagas disponíveis para todas as idades e oferecerá atividades gratuitas nas áreas de artes visuais, cultura digital, circo, música, cinema, literatura e muito mais. As atrações iniciam-se em 5 de julho e encerram-se em 26 de julho. A programação acontece de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, nas quintas-feiras, das 10h às 20h30.

A Oficina Cultural Maestro Juan Serrano, é integrante do Programa Oficinas Culturais, da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas e gerenciado pela Poiesis, é conhecida pela comunidade da região de Taipas como um espaço plural e que tem contribuído para o desenvolvimento do entorno.

Todos os meses, acontecem dezenas de atividades gratuitas e a Maratona Cultural é um dos destaques do ano. Em 2023, a novidade fica por conta da atividade Marcenaria Colaborativa: um coworking público, que desenvolverá uma estação de trabalho gratuita, onde martelo, parafusadeira, máquinas de corte e ferramentas de uso geral poderão ser compartilhadas. Os participantes terão a oportunidade de criar peças únicas, explorando habilidades e aprendendo novas técnicas em um ambiente colaborativo. 

Já os praticantes e curiosos sobre o Slackline poderão explorar os limites de equilíbrio e coordenação enquanto desfrutam de uma experiência divertida e desafiadora. Os interessados em arte e design terão acesso ao Aviamento artístico, onde poderão explorar diversos materiais e colocar em prática a customização e enfeitar tecidos ou peças de decoração, junto com a Serigrafia que permitirá  expressar a criatividade pela  estamparia e impressão de telas. 

As pessoas com pouca familiaridade com os sistemas de busca e pesquisa feitas pelo computador, poderão aproveitar o Laboratório de internet com orientações e direcionamentos sobre métodos eficazes, com acesso livre aos equipamentos e  tempo determinado para uso. 

Para quem busca uma série de brincadeiras, uma boa pedida é a atividade Jogos de cultura popular, opção divertida para testar o conhecimento de toda a família sobre tradições e manifestações culturais e globais por meio de jogos como ping-pong, peteca, pião e amarelinha. A prática circense oferecerá a chance de aprender acrobacias e técnicas circenses, estimulando a expressão corporal e a coordenação motora. 

Os entusiastas da jardinagem encontrarão na Horta Afetiva um espaço para cultivar e se conectar com a natureza, aprendendo sobre plantas, ervas e técnicas de cultivo sustentável. Por fim, a 9ª Maratona Cultural realiza, ainda, sessões de filmes de diversos gêneros e para todas as idades. A ação tem como objetivo aproximar o público local da sétima arte. O Circuito Livre de Filmes exibirá longas-metragens como Toy Story 4, Jumanji e Detona Ralph. Já o  Cinema ao ar livre com um telão inflável traz os filmes Gigantes de Aço, Frozen 2 e Malévola. Para participar, basta comparecer no local com 10 minutos de antecedência. 

Fique por dentro das datas e horários de cada atividade, todas pontuadas abaixo.

Serviço:

Maratona Cultural da Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Segunda a sexta, das 10h às 17h; às quintas o horário se estende até às 20h30.

Veja a agenda completa e o número de vagas de cada atividade: clique aqui

Programação gratuita

5 a 26 de julho

ANDANDO NA LINHA COM SLACKLINE
5 a 26/07 – Terças-feiras – 10h às 12h; Quartas-feiras – 13h às 15h; Sextas-feiras – 15h às 17h
Faixa etária: livre 

AVIAMENTO ARTÍSTICO
5 a 26/07 – Quartas-feiras – 10h às 12h; Quintas-feiras – 15h às 17h
Faixa etária: livre 

CIRCUITO LIVRE DE FILMES
Segundas-feiras – 13h às 15h; Terças-feiras – 10h às 12h; Quartas-feiras – 15h às 17h
Destaques:

5/07 – quarta-feira – 15h – Toy Story

Classificação indicativa: livre 

17/07 – segunda-feira – 13h – Jumanji

Classificação indicativa: 12 anos

25/07 – terça-feira – 10h – Detona Ralph

Classificação indicativa: livre

JOGOS DA CULTURA POPULAR
5 a 26/07 – segundas-feiras – 10h às 12h e 15h às 17h; quartas-feiras – 15h às 17h; sextas-feiras – 10h às 12h
Faixa etária: livre

LABORATÓRIO DE INTERNET
5 a 26/07 – terças-feiras – 15h às 17h; quartas-feiras- 10h às 12h; sextas-feiras – 13h às 15h
Faixa etária: livre

PRÁTICA CIRCENSE
5 a 26/07 segundas-feiras – 13h às 15h; quartas-feiras – 10h às 12h
Faixa etária: livre 

SERIGRAFIA LIVRE 

6 a 20/07 – quintas-feiras – 15h às 17h
Faixa etária: livre

CINEMA AO AR LIVRE COM TELÃO INFLÁVEL DE 6MT 

6 a 20/7 – quintas-feiras – 18h30 às 20h30

Destaques:

6/07 – quinta-feira – 18h30 – Gigantes de Aço

Classificação indicativa: 10 anos

13/07 – quinta-feira – 18h30 – Frozen 2

Classificação indicativa: livre

20/07 – quinta-feira – 18h30 – Malévola

Classificação indicativa: 10 anos

HORTA AFETIVA
6 a 24/07 – Segundas-feiras – 10h às 12h; Quintas-feiras – 14h às 16h
Faixa etária: livre

MARCENARIA COLABORATIVA: UM COWORKING PÚBLICO 

122/07 a 26/07 – quartas-feiras – 15h às 17h
Faixa etária: 16 anos

*Os equipamentos deverão ser utilizados sob supervisão.

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo (Próximo a pontos de ônibus)

Telefone: (11) 3971-3640 | Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. 

Para visitar a Oficina, agende antecipadamente pelo WhatsApp (11) 3971-3640.

No site Oficinas Culturais, o público encontra informações sobre as medidas sanitárias para combater a proliferação de Covid-19; 

Acessibilidade: rampa de acesso para cadeirantes e barras de segurança no sanitário

Programação gratuita. Para conferir a programação completa acesse o site do programa Oficinas Culturais.

A “cara” do Revelando: participantes revelam tradições e histórias no festival

Dona Lúcia, de Cruzeiro: “Não tem como mudar a história, porque a história não muda”

(mais…)

A cantora Majur, expoente do movimento Afrofuturismo, está na #ViradaSP Online deste sábado, em homenagem ao Mês da Consciência Negra

Show de Amelinha e a grande final do Concurso de Viola Caipira #RevelandoSP também estão na agenda. Além de atrações artísticas do município de Mirante de Paranapanema, selecionado no programa de difusão cultural #JuntospelaCultura

Vinte e uma atrações estão na #ViradaSP Online deste sábado, 27 de novembro, a partir do meio-dia. Os destaques são os shows, gravados no palco do Teatro Sérgio Cardoso, das cantoras Majur, Amelinha e de Liv Moraes, que recebe Anastácia (Rainha do Forró) e Juliana Lima como convidadas. Diferentes estilos musicais, teatro, dança, performances, curiosidades locais e turísticas de Mirante do Paranapanema fazem parte da programação. A #ViradaSP Online 2021, é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com gestão e produção da Amigos da Arte.  A transmissão ocorre, gratuitamente, durante 12 horas ininterruptas, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android.

Majur apresenta as canções do disco Ojunifé, seu primeiro álbum de inéditas. Segundo a cantora, as composições são AfroPop com toques alternativos, claves de matrizes africana e indígena, em harmonia com o beat no pop, soul e R&B. O show de Majur faz parte da agenda especial, composta por mais de 80 atrações, da plataforma #CulturaEmCasa (www.culturaemcasa.com.br) durante o Mês da Consciência Negra.

A cantora Liv Moraes, filha do instrumentista, cantor e compositor Dominguinhos, apresenta um show em homenagem às mulheres forrozeiras, profissionais e artistas que desenvolve suas carreiras, engajam grupos e se tornam referência para a cena.

E uma das maiores intérpretes da música popular brasileira, Amelinha, comemora os seus mais de 40 anos de carreira, apresentando composições clássicas de Fagner, Djavan e Moraes Moreira, entre outros. Nesta edição da #ViradaSP Online, também ocorre a final do Concurso de Viola Caipira #RevelandoSP, quando serão conhecidos os três melhores violeiros (as) do estado de São Paulo.

A cidade Mirante do Paranapanema participa com diversas atrações culturais. Entre elas, a Orquestra de Viola Caipira de Mirante do Paranapanema; o  Dia de Circo, com Circo Milly; e o espetáculo Os matudo do pontal, com o Grupo de Teatro Kunkunká.

A Amigos da Arte também produziu o Rolando Prosa – quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular da cidade. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições do evento.

“A #ViradaSP Online é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.”

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, ressalta Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

“Para Mirante do Paranapanema a #ViradaSP Online veio para ampliar o acesso à cultura. Com a expectativa do fim da pandemia, esse investimento cultural dará apoio aos artistas. Mirante possui talentos que necessitam estar entre grandes nomes nacionais”, afirma o prefeito Átila Ramiro Menezes Dourado.  Segundo Maria Lúcia de A. Góes, vice-prefeita da cidade, a #ViradaSPOnline é importante marco na nova etapa cultural do município.

 

Serviço:  #ViradaSP Online – Mirante do Paranapanema

 

12h     Início da transmissão

12h10 Orquestra de Viola Caipira de Mirante do Paranapanema

13h     Dia de Circo, com Circo Milly

14h     Concurso de Viola Caipira Revelando SP 2021

17h35 Os matudo do pontal, com Grupo de Teatro Kunkunká

18h     Rolando Prosa, com Rolando Boldrin

18h30 Liv Moraes + Anástacia + Juliana Lima

19h40 Amelinha

21h25 Grupo de Dança Artevidance, Arte Vida e Dança

22h10 Adriano Silva

23h     Majur


Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

imprensaculturasp@sp.gov.br

Assessoria de Imprensa da Amigos da Arte

Pridea Comunicação
analucia@ateliercom.com

A musicalidade colorida de Alceu Valença está na #ViradaSP Online

Além da apresentação do cantor Jota.pê. Na agenda, também estão artistas de São Luíz do Paraitinga, um dos 20 municípios selecionados no programa de difusão cultural #JuntospelaCultura

 Vinte e duas atrações estão na agenda da #ViradaSP Online deste sábado, 6 de novembro, a partir do meio-dia. O destaque é o show de Alceu Valença em apresentação única para o evento. Diferentes estilos musicais, teatro, dança, performances, curiosidades locais e turísticas de São Luiz de Paraitinga fazem parte da programação. A #ViradaSP Online 2021, é uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, com gestão e produção da Amigos da Arte.  A transmissão ocorre, gratuitamente, durante 12 horas ininterruptas, tanto pela plataforma #CulturaEmCasa como pelo seu aplicativo, disponível nas lojas Apple Store e Google Play para Iphone e Android.

Alceu Valença apresenta o melhor de seu repertório em versões de voz e violão. O espetáculo, gravado no Teatro Sérgio Cardoso, é inspirado na série de álbuns acústicos lançados pelo cantor ao longo de 2021.  No palco, o artista confere novos timbres a sucessos como Belle de Jour, Anunciação, Tropicana, Táxi Lunar e Coração Bobo. Recria joias diversas de seu repertório – Marim dos Caetés, Ladeiras e Papagaio do Futuro. No repertório também estão músicas inéditas de sua autoria: Era Verão, Saudade, Sem Pensar no Amanhã.  Assim como nos álbuns, o show traça o que Alceu chama de “roteiro cinematográfico”, onde o artista trafega pelo solo sempre fértil de suas criações. Como não há vírus capaz de deter a poesia, as canções se entrelaçam numa viagem conceitual e geográfica através da música e da identidade de Alceu Valença.

O cantor Jota.pê também faz show especial com suas canções, influenciadas em vertentes que vão de Jorge Ben a Caetano Veloso, passando pelo manguebeat de Chico Science. No set list, estão composições como Preta Rainha, Uns Cafuné a Domicílio e Conte Comigo. Também gravado no Teatro Sérgio Cardoso, os shows Tudo comandado pelo apresentadores Ellen Oléria e Luiz Ramalho.

Na programação também estão intervenções artísticas do município de São Luiz do Paraitinga.  Serão transmitidos conteúdos de destaque do cenário cultural da região como: Mestre Lumumba e banda com a apresentação Canções Congadeiras; o show do cantor Camilo Frade; da banda Sianinhas, composta por mulheres que celebram músicas carnavalescas; do grupo Céu de Lamparina, com canções do tradicional Festival de Música Junina; as marchinhas de São Luiz do Paraitinga do 36º Festival de Marchinhas, e a big band  Grande Banda do Sertão.

A Amigos da Arte também produziu o Rolando Prosa – quadro especial, estrelado pelo contador de histórias e cancioneiro Rolando Boldrin, recheado de conteúdos especiais envolvendo a cultura popular da cidade. Histórias, canções e causos permeiam o programa que integrará todas as edições do evento.

“A Virada SP é uma iniciativa de ampliação do acesso à cultura e de formação de público que valoriza a diversidade e a qualidade”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. “O objetivo é ressaltar o papel estratégico das expressões artísticas para a promoção do desenvolvimento humano e econômico de todas as regiões do Estado.”

“Importante destacar que a excelência cultural do evento é moldada e protagonizada por artistas locais e pelo fundamental incentivo promovido pelas gestões municipais. Com a transmissão online, totalmente gratuita, via plataforma de streaming e pelo aplicativo #CulturaEmCasa, amplia-se a difusão desta riqueza artística das cidades paulistas para o restante do país”, ressalta Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte.

“São Luiz do Paraitinga é uma estância turística que tem na cultura material e imaterial seus maiores atrativos. Participar #ViradaSP Online é uma excelente oportunidade de dar maior visibilidade à produção cultural local, mostrar alguns locais bem especiais da cidade, o patrimônio arquitetônico, as belezas naturais e o carisma do povo luizense”, afirma a diretora de Turismo e Cultura de São Luiz do Paraitinga, Luciana Machado.

 

Serviço:  #ViradaSP Online – São Luiz do Paraitinga

12h       Início da transmissão

12h10  Paranga

13h30 Céu de Lamparina

14h30 Grande Banda do Sertão

15h     Jota.Pê

16h20 Mestre Lumumba e Banda

17h20 Alceu Valença

18h40 36º Festival de Marchinhas

19h10 Camilo Frade

20h     Erik Escobar

21h10 Rolando Prosa, com Rolando Boldrin

21h20 Estrambelhados

22h20 Sopro Caipira

23h30 Sianinhas

 

Plataforma:

www.culturaemcasa.com.br

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/culturaemcasasp/

https://www.instragram.com/culturaemcasasp/

https://twitter.com/culturaemcasasp

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado

(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

(11) 98849-5303 (plantão)

imprensaculturasp@sp.gov.br

Assessoria de Imprensa da Amigos da Arte

Pridea Comunicação

Ana Lucia Venerando – (11) 99299-7667

analucia@ateliercom.com

A retomada da Cultura em São Paulo

Com retomada das atividades presenciais,  museus, teatros e centros de formação reabrem as portas na capital, no interior e no litoral;  Desde 9 de outubro, cerca de 17 mil pessoas já visitaram os espaços da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

(mais…)

A verdade sobre o ProAC ICMS

A verdade? O Governo do Estado de São Paulo anunciou publicamente a substituição do ProAC Expresso ICMS pelo ProAC Expresso Direto, um programa de fomento direto a projetos culturais com o mesmo valor (R$ 100 milhões em 2021) e regras mais simples, que serão definidas após consulta pública; e manteve o ProAC Expresso Editais e o Juntos Pela Cultura (mais R$ 80 milhões neste ano). Não há, portanto, perda para o setor cultural e criativo de São Paulo. A notícia falsa? “O estado extinguiu na surdina (…) o ProAC.”

Aberta consulta pública para resolução que regulamenta ProAC ICMS

Objetivo é unificar e estabelecer diretrizes que norteiam os proponentes em todas as fases do Programa de Ação Cultural ICMS

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, lança nesta sexta-feira, 18 de agosto, consulta pública sobre a resolução que regulamenta os dispositivos da Lei nº 12.268, de 20 de fevereiro de 2006, seus decretos e normativas. O formulário da consulta pública estará disponível até o dia 10 de setembro no site da Secretaria.

A consulta pública tem por objetivo unificar, estabelecer diretrizes que norteiam o cadastramento de proponentes, a apresentação de projetos, sua aprovação, bem como a prestação de contas dentro do Programa de Ação Cultural (ProAC ICMS).

O ProAC ICMS é a modalidade do programa de fomento paulista que funciona por meio de patrocínios incentivados e renúncia fiscal. Para ter acesso aos recursos disponíveis, os artistas, grupos ou produtores devem submeter seus projetos à análise de uma comissão especializada, que avalia requisitos como relevância artística e adequação da proposta orçamentária.

Com o projeto aprovado, o proponente pode solicitar patrocínio a empresas sediadas em São Paulo. Estas, por sua vez, recebem descontos no imposto devido, como forma de estímulo ao patrocínio. Qualquer empresa pode ser patrocinadora via ProAC ICMS, bastando ser contribuinte deste imposto e estar em dia com suas obrigações fiscais.

É importante àqueles que queriam compartilhar suas sugestões acessem a minuta da resolução para leitura integral neste link. O formulário para colaborar pode ser acessado no site da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas por aqui.

Abertura de equipamentos culturais

O Centro de Contingência da Covid-19 do Estado de São Paulo, que reúne 19 dos mais renomados especialistas no assunto, autorizou o início da retomada de diversas atividades culturais e criativas em São Paulo quatro semanas após a entrada de cada região e da Capital na Fase Amarela do Plano São Paulo. Apontou também os protocolos e medidas de prevenção que devem ser adotados. Esta é a posição que o Governo do Estado considera adequada e prudente, em sintonia com os exemplos internacionais. Os municípios tem autonomia para seguir essas recomendações ou adotar medidas mais restritivas, como fez a Prefeitura da Capital. Os equipamentos culturais do Governo do Estado estão prontos para reiniciar suas atividades, com a adoção dos protocolos necessários. As datas de reabertura serão comunicadas assim que as prefeituras das cidades em que se localizam emitirem suas autorizações.

Abertura do Festival de Inverno lota espaços em Campos do Jordão

Primeiro fim de semana do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão teve Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo apresentando o hino nacional e estreia do eixo popular-sinfônico com Jazz Sinfônica ao lado de Mônica Salmaso e Carlinhos Brown

(mais…)

Aborto Elétrico Tributo faz show gratuito no MIS

Foto: Baterista e baixista do Capital Inicial, Fê e Flavio Lemos (à direita de Renato Russo na foto) /Reprodução

No próximo domingo, 18/2, a exposição Renato Russo – que homenageia um dos artistas mais icônicos da música brasileira – chega ao fim. Para fechar com chave de ouro uma das mostras mais elogiadas do museu, o MIS realiza o show da banda Aborto Elétrico Tributo.

No início dos anos 80, o Brasil caminhava para uma abertura política após anos de ditadura militar, e a capital, Brasília, absorvia com intensidade os ares da mudança cultural que se aproximava com o clima de maior liberdade. Esse contexto foi um terreno fértil para que jovens, influenciados pelo descontentamento do movimento punk e pela cena do rock inglês, dessem vida em Brasília a diversas bandas que iriam influenciar o restante do país.

Uma das primeiras e mais relevantes bandas desse período foi a Aborto Elétrico, fundada por Renato Russo, Fê Lemos e Flávio Lemos, que, mais tarde, daria origem às bandas Legião Urbana e Capital Inicial. Essa formação foi responsável pelas composições Música urbana, Fátima, Que país é esse, Geração Coca-Cola, Conexão amazônica, Tédio (com T um Bem Grande pra Você), Química e outras músicas que se tornaram hinos daquela geração. Hoje, passados mais de 30 anos do fim do grupo, a música do Aborto ainda é atual diante do cenário de caos que o Brasil atravessa. Com o propósito de reviver esse projeto, os músicos do Capital Inicial, Fê e Flávio Lemos, criaram o Aborto Elétrico Tributo (AET).

O AET é um show que desfila os hinos consagrados do rock de Brasília dos anos 80 tocados por alguns dos protagonistas desse período. “A ideia é levar ao público a mesma experiência de contestação e diversão que embalou os jovens daquela época”, comenta Fê Lemos, baterista do Capital Inicial. O Tributo conta, ainda, com o vocalista Franklin Santos e o guitarrista André de Matos, ambos da banda Fuzo (DF).

O Aborto Elétrico Tributo – que faz show inédito em São Paulo – promete uma apresentação histórica no MIS, às 16h30.

Show de abertura: Flying Chair

Foto: Divulgação

Antes do Aborto Elétrico Tributo subir ao palco, a banda Flying Chair se apresenta às 15h00. A Flying Chair surgiu há pouco mais de um ano e tem na sua formação o cantor e compositor Ciro Pessoa, um dos fundadores das bandas paulistas Titãs e Cabine C, que juntamente com Chico Marques nas guitarras e voz, Diego Basanelli no baixo, Cláudio Moko nas guitarras e Pedro Leo na bateria, seguem divulgando seu primeiro disco Flying Chair. Em março, a banda lança no formato digital um registro ao vivo do disco pela Onerpm, que conta ainda com duas regravações de autoria de Ciro – Sonífera Ilha de sua fase com os Titãs e Inundação de amor gravado pelo Ira! em 2000 para o Ao Vivo MTV, canção em co-autoria com Julio Barroso.

Acadêmicos do Tucuruvi homenageia Museus no Carnaval

Acadêmicos do Tucuruvi fez um desfile emocionante, de plena superação do incêndio recente que sofreu e que fez a escola perder quase todas as fantasias. O tema do samba-enredo foi “Uma noite no museu”. Três instituições da Secretaria de Estado da Cultura são citadas: Museu do Futebol, Museu da Língua Portuguesa e Museu da Imagem e do Som – MIS SP. Uma grande honra!

Foto: José Luiz Penna – Secretário da Cultura do Estado de São Paulo / Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Você pode ouvir o samba-enredo no site da Acadêmicos do Tucuruvi e aqui está a letra:

“Uma noite no museu”

Sentindo acelerar o coração
A emoção me guia
Desbravando as civilizações
Somos todos guardiões de Alexandria
Faz renascer…
De belas artes a inspiração
A genialidade feita à mão
Da Grécia à modernidade
Lá… onde o passado eternizou
Só a ciência revelou
Na luz a explosão (boom)
Assim surgiu a vida… essência natural
É a vida… na pré-história encontrei
Nessa magia me encantei
Em nome do pai
Tempos sombrios, santa inquisição
Dá calafrio ver assombração
Na era da mitologia
É festa na aldeia à luz do luar
Na ginga tem ilusão no olhar
‘Madame de Cera’, a cópia fiel
No futebol, eterna paixão
O folclore é tradição
Sou eu… ‘imagem do som’ e beleza
Salve a língua portuguesa
Meu samba é Brasil
Uma noite no museu… você e eu
Fazendo história nesse carnaval
É show na galeria, meu Tucuruvi
Pode aplaudir.

Acervo das Tradições: memória cultural preservada e difundida

A documentação, a difusão e apropriação do acervo musical das comunidades de culturas populares e tradicionais é uma tarefa ainda mais desafiadora do que a produção de um evento ou material cultural. Com isso em mente, Henry Durante, biblioteconomista com mestrado em Políticas Públicas para as Culturas Populares pela ECA – USP e pesquisador de cultura popular tradicional, começou, há 20 anos, um projeto de mapeamento e gestão de acervos. Em 2016, o projeto foi selecionado para receber R$ 25 mil do Governo do Estado por meio do edital de apoio a projetos de publicação de conteúdo cultural do ProAC. O prêmio tornou possível o desenvolvimento do portal e de materiais físicos e digitais de preservação da memória cultural de comunidades brasileiras.

“Acervo das Tradições”, que recebeu o prêmio internacional da Fundação Cultural Latin Grammy em 2018 na modalidade Pesquisa e Preservação – o único projeto brasileiro que já ganhou essa premiação – tem como propósito registrar, catalogar e divulgar material sobre as tradições da cultura popular brasileira, especialmente as afro-brasileiras, caipiras e caiçaras, por meio de fotografias, vídeos, CDs e Livros-CD, catalogados e disponibilizados gratuitamente no site www.acervodastradicoes.com.br. Já foram produzidos 14 CDs – 13 deles, com apoio do ProAC Editais -, dois livros-CD e 2.000 fotografias, além de vídeos e áudios. O projeto também trabalha pela implantação de centros de memórias, geridos pelas comunidades locais.

Henry Durante – Foto: Joca Duarte

“O projeto Acervo das Tradições se tornou um grande parceiro de várias comunidades, como uma forma de registro e conservação de sua cultura. Por permitir a auto-gestão, o projeto propicia o empoderamento dos grupos sobre sua memória cultural.”

Henry Durante

 

Samba Rural Paulista

Primeiro patrimônio cultural imaterial registrado pelo Condephaat, o samba rural paulista teve todas as suas comunidades mapeadas pelo projeto, e cada uma recebeu a implantação de centros de memória, entre eles, a Casa do Samba de Pirapora, em homenagem a Dona Maria Esther, referência da história do samba de São Paulo. “Foi um trabalho pioneiro de registro dessa manifestação cultural que é referência em São Paulo e que ajudou a definir o samba paulista”, completa Henry.

Para conferir o site do projeto “Acervo das Tradições”, acesse: www.acervodastradicoes.com.br

Texto: Stephanie Gomes
Fotos: Joca Duarte

Acesse o relatório de execução da LAB


Prezado Gestor Cultural, todos os projetos contratados pelos Editais ProAC Expresso LAB devem preencher e encaminhar o Relatório de Execução a seguir: https://forms.gle/TMh2ACVFNzt9wjR18

Fiquem atentos às orientações de preenchimento e utilizem o modelo abaixo para confeccionar o Relatório Gerencial, que deve ser anexado em um dos campos do formulário:


Editais Eixo Licenciamento

Nos Editais 41 e 42 – Eixo de Licenciamento, o conteúdo final editado a ser entregue deve seguir o seguinte caminho:

  1. Apresentar as Logomarcas Oficiais (conforme régua de créditos do ProAC Expresso LAB, disponível no Manual de Identidade Visual);

  2. Conter a vinheta do #CulturaEmCasa, disponível clicando aqui

  3. Ter resolução 4K ou full HD Extensão MPEG 4 ou MOV Codec H.264 ou H.265;

  4. Ser salvo em Pen Drive ou HD; deve ser colada uma etiqueta com ID do projeto;

  5. Ser colocado em envelope e etiquetado com as seguintes informações externas: ID do Projeto, Nome do Projeto, Nome do Proponente;

Devido às condições impostas pela pandemia, o Pen Drive ou HD com o vídeo finalizado deve ser enviado por meio dos Correios, via SEDEX ou PAC AR, para o endereço da Secretaria de Cultura e Economia Criativa: rua Mauá, 51 – Luz, São Paulo – SP, CEP 01028-000. Setor de Protocolo.


Atendimento

Com relação à execução os projetos do ProAC LAB, informações e dúvidas:

Dúvidas gerais: (11) 99342 8877 (WhatsApp Business)
Horário de atendimento: horário comercial

Dúvidas específicas sobre projetos: duvidaseditaisproaclab@sp.gov.br.
Importante: o “assunto do e-mail” deve citar o número do Edital e o ID do projeto.

Exemplo: Assunto: Edital 60; ID: 0000

Atenção: é possível enviar mais de uma dúvida no mesmo e-mail quando se tratar do mesmo projeto. Em caso de projetos diferentes, encaminhar um e-mail para cada um.

Acessibilidade: Pinacoteca realiza contação de histórias em LIBRAS

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado, realiza no dia 30 de junho, sábado, a partir das 15h00, mais uma edição da Contação de História em Libras (Língua Brasileira de Sinais). A narrativa, conduzida pela educadora surda Sabrina Denise Ribeiro e pela intérprete de Libras Elisabeth Figueira, será construída a partir da obra O Tempo, 1925, de Henrique Bernardelli, presente na exposição Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo.

“O Tempo”, de Henrique Bernardelli

A atividade, que tem duração média de uma hora, é aberta a surdos e ouvintes, com o objetivo de promover uma aproximação entre ambos. A Contação de História em Libras integra uma série de ações inclusivas que têm como um de seus objetivos o acesso qualificado ao patrimônio artístico e cultural do museu para o público surdo visitante, proporcionando à comunidade surda um ambiente linguístico favorável à compreensão desse espaço.

Dentre as ações oferecidas, destaca-se a concepção de atividades para o mês do surdo (“Setembro Azul”) e a presença de intérprete de Libras em palestras e mesas redondas promovidas pelo museu bem como no curso Ensino da Arte na Educação Especial e Inclusiva, direcionado a profissionais que atuam com pessoas com deficiência. Também compreende a utilização de tecnologia assistiva, a exemplo do “Videoguia em Libras” e do “ICOM Libras”, este último disponível para computadores, tablets e celulares.

Onde

Ações educativas do Detran para crianças no Museu Catavento

Neste Maio Amarelo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) promove no Museu Catavento atividades de educação para o trânsito voltados ao público infantil, dentro do Programa Clube do Bem-te-vi. E mais: essas ações serão regulares no museu.

Desenvolvido com a Polícia Militar, o Clube do Bem-te-vi tem como objetivo compartilhar, por meio de palestras em escolas, vídeos e brincadeiras, os princípios básicos de segurança e cidadania no trânsito.

As ações do Maio Amarelo — mês dedicado internacionalmente às questões de educação e de segurança no trânsito — serão entre os dias 22 e 30 de maio, de terça a sexta-feira. As atividades lúdicas ocorrerão para turmas agendadas em períodos matutinos (10h50 e 11h30) e vespertinos (15h15 e 15h55), nos dias 22, 23, 24, 25, 29 e 30 de maio.

A parceria com o Museu Catavento se inicia no Maio Amarelo, mas será estendida para os próximos meses. A agenda será divulgada em breve.

“Nossa intenção é envolver mais turmas até o final do ano para participar das atividades. Nelas, as crianças aprendem brincando os conceitos de respeito e cidadania, tão fundamentais para a construção de um trânsito mais humano.”
MESSAGE-ICON
Maxwell Vieira
Diretor-presidente do Detran.SP

As crianças que participarem das atividades poderão tirar fotos no cenário com os personagens do Clube do Bem-te-vi e receberão um kit com uma cartilha ilustrada, uma carteira de habilitação e um talão de multas mirins para que multipliquem os conhecimentos adquiridos e sensibilizem as pessoas de seu convívio social para uma consciência cidadã em relação ao trânsito.

Visite

Acompanhe a reunião do Condephaat desta segunda-feira

Seguindo as determinações do Protocolo de saúde previsto no Plano São Paulo, o Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) realiza suas reuniões por teleconferência. Para permitir o acesso de todos às decisões do órgão, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo transmite, ao vivo, as discussões da pauta desta segunda-feira, 26.

Interessados em acompanhar as sessões do órgão responsável pelo patrimônio histórico paulista devem encaminhar um e-mail para o seguinte endereço: conselhocondephaat@sp.gov.br. Devido às restrições da plataforma de transmissão, o acesso pode ser limitado. Dessa forma, a direção do Condephaat indica uma consulta prévia à pauta do dia. Ela pode ser feita no endereço:

Confira os temas que serão abordados:

Adaptação da obra Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, estreia no Teatro Sérgio Cardoso

“O diabo na rua, no meio do redemunho” começará em 28 de abril, no Sérgio Cardoso, na Bela Vista

O Teatro Sérgio Cardoso, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, recebe o monólogo “O diabo na rua, no meio do redemunho”, peça adaptada da obra Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, idealizada pelo ator e pesquisador da obra de Rosa, Gilson de Barros, que também está em cena. A direção é de Amir Haddad. Os ingressos já estão disponíveis via Sympla.

 

Com estreia marcada para o dia 28/4, o espetáculo integra a Trilogia Grande Sertão: Veredas, estudos do ator e diretor sobre a obra de João Guimarães Rosa, considerado um dos maiores escritores brasileiros do século 20.

 

“Ler, estudar Guimarães Rosa é um prazer tão grande que me tomou inteiro. Vivo perdido e achado nesse Ser Tão. Temos um pacto de amor”, brinca Gilson de Barros, ator que fará a peça.

 

A trilogia é composta pelas peças Riobaldo, O diabo na rua, no meio do redemunho e O Julgamento de Zé Bebelo (com estreia prevista para 2024). Riobaldo, que este ano  ganhou o Prêmio Shell de 2023 em duas categorias (Melhor Dramaturgia e Melhor Ator), estreou em 2020 e, no ano passado, fez temporada no Teatro Sérgio Cardoso. 

 

O monólogo apresenta o famoso personagem Riobaldo, protagonista e narrador do clássico de Guimarães Rosa. Riobaldo, um ex-jagunço, hoje um velho fazendeiro, conversa com um interlocutor (o público) e, nesse encontro, cheio de filosofia, conta passagens de sua vida e reflete sobre a dialética do bem e do mal. 

 

Riobaldo, na juventude, por amor, e para conseguir coragem e força, fez o que julga ser um pacto com o demônio. Durante a narrativa, o personagem se vale de várias histórias populares para questionar: “o diabo existe?”. Ao final, conclui, sem certeza: “Nonada! O diabo não existe, arrenego! Existe é homem humano. Travessia!”. 

 

 

SOBRE AMIR HADDAD

Amir Haddad, em parceria com José Celso Martinez Corrêa e Renato Borghi, criou em 1958 o Teatro Oficina, ainda em atividade com o nome de Uzyna Uzona. Nesse grupo, Amir dirigiu Cândida, de George Bernard Shaw; atuou em A Ponte, de Carlos Queiroz Telles, e em Vento Forte para Papagaio Subir (1958), de José Celso Martinez Corrêa. Em 1959, dirigiu A Incubadeira e ganhou o prêmio de melhor direção.

 

Deixou o Oficina em 1960. Em 1965, mudou-se para o Rio de Janeiro para assumir a direção do Teatro da Universidade Católica do Rio. Fundou, em 1980, os grupos A Comunidade (vencedor do Prêmio Molière pelo espetáculo A Construção) e o grupo Tá na Rua. Paralelamente, Amir também realizou projetos como O Mercador de Veneza, de Shakespeare (com Maria Padilha e Pedro Paulo Rangel), e shows de Ney Matogrosso e Beto Guedes.

 

Ainda hoje, com o microfone na mão, Amir coordena sua trupe de atores pelas ruas e praças com o Grupo Tá Na Rua. Tem dirigido e/ou supervisionado peças com grandes nomes da cena, como Clarice Niskier, Andrea Beltrão, Pedro Cardoso, Maitê Proença, entre outros.

 

SOBRE GILSON DE BARROS

Gilson é operário do teatro, é ator, gestor, dramaturgo e apaixonado pelo que faz. Hoje, aos 62 do segundo tempo, pode dedicar todas as suas horas ao ofício, seja no palco ou fora dele. Precisou de uma pausa estratégica para conseguir criar suas três filhas que já são adultas, neste período, dividiu seu tempo teatral com a tecnologia.

Estudou na UNIRIO, Bacharelado em Artes Cênicas. Trabalhou com diretores expoentes, como Augusto Boal, Luiz Mendonça, Mário de Oliveira, Domingos Oliveira e o próprio Amir Haddad com o qual estabeleceu parceria artística na Trilogia Grande Sertão: Veredas.

 

Participou como ator de mais de 25 peças. Algumas: Bolo de Carne, de Pedro Emanuel e direção de Yuri Cruschevsk; Murro em Ponta de Faca, texto e direção de Augusto Boal; Ópera Turandot, com direção de Amir Haddad; Os Melhores Anos de Nossas Vidas, texto e direção de Domingos de Oliveira; Da Lapinha ao Pastoril, texto e direção de Luís Mendonça; A Tempestade, de Shakspeare, direção de Paulo Reis e O Boca do Inferno, texto de Adailton Medeiros e direção de Licurgo. Ganhou ainda o prêmio de Melhor Ator no Festival Inter-regional de Teatro do Rio – 1982 e prêmio de Melhor Ator do Festival de Teatro – SATED/RJ – 1980. Foi  indicado ao Prêmio Shell  2023, em duas categorias: Melhor Dramaturgia e Melhor Ator.

 

Ficha Técnica

Adaptação e atuação: Gilson de Barros

Direção: Amir Haddad

Direção de Arte a Cenário: José Dias

Figurinos: Ansa Luiza

Iluminação: Aurélio de Simoni

Programação visual: Guilherme Rocha

Fotos e vídeos: Marco Sobral

Técnicos: Mikey Vieira

 

Serviço:

O diabo na rua, no meio do redemunho
Local: Teatro Sérgio Cardoso – Sala Paschoal Carlos Magno – (Av. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista – SP).
Temporada: De 28 de abril a 28 de maio, sexta a domingo, às 19h

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada) | Sympla

Classificação indicativa: 16 anos

Capacidade: 149 lugares

Aditamento de prazo de execução ProAC Expresso LAB 2020

Prezado Gestor Cultural,

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo comunica que foi estendido por sessenta (60) dias o prazo de execução dos projetos dos Editais ProAC Expresso LAB 2020.

Novo prazo de execução 28/02/2022.

Envio do Relatório de Execução até 31/03/2022, pelo seguinte formulário: https://forms.gle/TMh2ACVFNzt9wjR18

Esclarecimentos sobre a execução dos projetos do ProAC LAB 2020 podem ser obtidos:

  • Para dúvidas gerais, o WhatsApp Business (11) 99342 8877 em horário comercial;
  • Para dúvidas específicas sobre seu projeto, e-mail duvidaseditaisproaclab@sp.gov.br .

Adquira já seu ingresso para o Festival de Inverno de Campos do Jordão!

Foto: Divulgação

Está chegando mais uma edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão. De 30 de junho a 29/7, o maior festival de música clássica da América Latina oferece uma extensa programação de concertos para todos os gostos e plateias. Grandes obras do repertório sinfônico e camerístico, recitais solo e música coral estão entre as atrações imperdíveis desse evento, que já é um clássico das férias de inverno de São Paulo.

Os concertos gratuitos na Praça do Capivari (ao ar livre), na Igreja de Santa Terezinha (200 lugares), na Capela do Palácio do Governo (120 lugares) e na Sala do Coro (150 lugares) têm retirada de ingressos duas horas antes de cada concerto, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Os concertos pagos no Auditório Claudio Santoro (1050 lugares) têm valores que variam entre R$ 25 a R$ 100,00 e estarão à venda online a partir do dia 7/6 [CLIQUE AQUI], nas bilheterias do Auditório nos dias dos concertos, duas horas e meia antes do início, sujeitos à disponibilidade, e na Praça do Capivari, a partir de 25/06/18, diariamente das 10h às 18h. Para os concertos gratuitos no Auditório Claudio Santoro, a retirada de ingressos será duas horas antes das apresentações, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Os concertos pagos na São Paulo (1484 lugares) têm valores que variam de R$ 10 a R$ 20,00 e também estarão à venda online a partir do dia 7/6 [CLIQUE AQUI], e na bilheteria do estacionamento, no dia da apresentação, duas horas e meia antes do início. Para os concertos gratuitos na Sala São Paulo, a retirada de ingressos é na bilheteria do estacionamento, duas horas e meia antes de cada apresentação, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Há também a opção de compra através do número (11) 3777-9721 – de segunda a sexta, das 12h às 18h.

Benefício de meia-entrada para estudantes; idosos; jovens pertencentes a famílias de baixa renda; pessoas
com deficiência; professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública
estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

Agenda Bonifácio tem extensa programação comemorativa sobre o Bicentenário da Independência

Agenda virtual irá concentrar todas as atividades relativas ao programa ‘Brasil 200/São Paulo Celebra o Bicentenário da Independência’, entre os destaques estão os 100 eventos preparados pelas cerca de 69 instituições do Estado como Mostra de Cinema, Concertos, Exposições e Espetáculos

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo lançou nesta quarta-feira (18), o programa ‘Brasil 200/São Paulo Celebra o Bicentenário da Independência’, do qual fazem parte a Agenda Bonifácio, plataforma online que irá concentrar as atividades culturais do poder público e da sociedade civil relacionadas ao tema, a programação cultural preparada pelas 69 instituições do Governo Estadual, com mais de 100 eventos e o Festival do Bicentenário, no Parque da Independência, que será realizado de 3/9 a 11/9, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, com apresentações artísticas variadas, incluindo o espetáculo de abertura, no dia 7/9.

O anúncio do lançamento foi feito pelo Governador Rodrigo Garcia e pelo secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado, Sérgio Sá Leitão, no Museu do Ipiranga.

Agenda Bonifácio

Para ancorar toda a programação relacionada ao Bicentenário da Independência, a Agenda Bonifácio, batizada em referência a José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos personagens mais importantes da Independência, é uma plataforma on-line que está sendo atualizada constantemente. Ao todo serão 100 atividades, sendo 13 já realizadas e 87 que ocorrerão até dezembro deste ano. Ela estará em site e perfis em redes sociais. Também haverá conteúdos exclusivos com linha do tempo, entrevistas, destaques do acervo do Novo Museu do Ipiranga, notícias e curiosidades. Mais detalhes no site: https://agendabonifacio.com.br/.

A ação também dará visibilidade aos 16 projetos apoiados via ProAC Editais de 2021, programa de fomento à cultura do Governo de São Paulo, relacionados ao tema do Bicentenário, sendo nove do interior e sete da capital, com um investimento total  de R$1,5 milhão.

Programação comemorativa

Confira algumas das programações das 69 instituições culturais do Governo de São Paulo que fazem parte do programa ‘Brasil 200/São Paulo Celebra o Bicentenário da Independência’:

Espetáculo de projeção mapeada ‘Brasil 200’, na fachada do Palácio dos Bandeirantes (de 04 a 08 de setembro). Com visita presencial e exibição na plataforma #CulturaEmCasa.

Mostra “200 Anos da Independência em 200 filmes”, com exibição de cem curtas e cem longas-metragens nacionais no Cine Petra Belas Arte (2 a 30 de junho) e na plataforma #CulturaEmCasa (15 a 30 de junho).

Concerto “Floresta Villa-Lobos”, com execução da Osesp e regência de Marin Alsop, apresentando obras de Villa-Lobos, Tom Jobim, Philip Glass, entre outros compositores, e projeções audiovisuais concebidas por Marcello Dantas. Apresentações na Sala São Paulo (1 a 3 de setembro – Transmissão ao vivo 02/09) e no Carnegie Hall, em Nova York (15 de outubro).

Espetáculo “Noite Villa-Lobos”, na Sala São Paulo, com execução da Osesp, regência de Roberto Tibiriçá e performances inéditas da São Paulo Companhia de Dança (15, 16, 17, 18 de setembro de 2022 – Transmissão ao vivo 16/09).

Exposição “São Paulo, 1822 – Bahia, 1823: datas da Independência”, no Museu Afro Brasil, sobre dois processos de independência do Brasil: a proclamada, em 1822, em São Paulo, e aquela que só conheceu seu desfecho em 1823, na Bahia (7 de setembro a 11 de dezembro).

Exposição “Te Deum Laudamus – A Primeira Missa do 1º Reinado”, no Museu de Arte Sacra, com reprodução da antiga Igreja da Sé e apresentação do hino solene de ação de graças, oferecido a Deus por ocasião da independência. A abertura da exposição será marcada pelo toque simultâneo dos sinos de todas as igrejas da cidade de São Paulo (8 de setembro a 15 de outubro).

Exposição de obra site-specific “Dalton Paula: Rota do Algodão”, desenvolvida para o Octógono da Pinacoteca, a partir da reflexão sobre a história brasileira e a diáspora africana (de 27 de agosto a 30 de janeiro de 2023).

Exposição Jonathas de Andrade, na Estação Pinacoteca, envolvendo diferentes suportes sobre práticas decoloniais e ética das representações (de 24 de setembro a 28 de fevereiro de 2023).

Exposição “Nhe’ē Porã” no Museu da Língua Portuguesa, sobre a diversidade das línguas indígenas faladas no Brasil, o processo colonial e a resistência destas culturas milenares (de 16 de setembro a 23 de abril de 2023).

Programa CentFest, em comemoração aos 100 Anos da Bolsa Oficial do Café, hoje sede do museu, e aos 200 Anos da Independência do Brasil – Residência artística e exposição “Santos 2022” (de 24 de março a 30 de agosto), baile “100 anos da Bolsa Oficial do Café” (1 de setembro) e feira criativa ”Mercado Coffee” (1 de outubro).

Agenda do Programa Viagem Literária para o mês de outubro

Confira a programação e os locais de apresentação do módulo Contação de Histórias: Contos Populares no site e abaixo: https://siseb.sp.gov.br/viagem-literaria/modulo/contacao-de-historias-contos-populares

 Semana de 4 a 8/10

Ademir Apparício Júnior

4.10.2021 | Rosana • 9h e 14h
5.10.2021 | Anhumas • 9h e 14h
6.10.2021 | Parapuã • 9h e 14h
7.10.2021 | Rancharia • 9h e 14h

Cia. Mapinguary

4.10.2021 | Tabapuã • 9h e 14h
5.10.2021 | Catanduva • 9h e 14h
6.10.2021 | Borborema • 9h e 14h
7.10.2021 | Youtube SisEB (virtual) • 9h e 14h

 

Kika Farias

4.10.2021 | Limeira • 9h e 14h
5.10.2021 | Itatiba • 9h e 14h
6.10.2021 | Várzea Paulista • 9h e 14h
7.10.2021 | São Paulo • 10h e 15h

Sandra Guzmán

4.10.2021 | Ilhabela • 9h e 14h
5.10.2021 | Jacareí • 9h e 14h
6.10.2021 | Biritiba-Mirim • 9h e 14h
7.10.2021 | Mogi das Cruzes • 9h e 14h

Os Tapetes Contadores de Histórias

5.10.2021 | São Bernardo do Campo • 9h e 14h
6.10.2021 | Diadema • 9h e 14h
7.10.2021 | Santana de Parnaíba • 9h e 14h
8.10.2021 | Itapevi • 9h e 14h

Semana 18 a 22/10

Arô Ribeiro

18.10.2021 | Descalvado • 9h e 14h
19.10.2021 | Santa Cruz das Palmeiras • 9h e 14h
20.10.2021 | Mococa • 9h e 14h
21.10.2021 | Espírito Santo do Pinhal • 9h e 14h

Camila Genaro
18.10.2021 |
 Cananéia • 9h e 14h
19.10.2021 | Ilha Comprida • 9h e 14h
20.10.2021 | Itanhaém • 9h e 14h
21.10.2021 | Cubatão • 9h e 14h

Cia. Sá Totonha

18.10.2021 | Junqueirópolis • 9h e 14h
19.10.2021 | Adamantina • 9h e 14h
20.10.2021 | Herculândia • 9h e 14h
21.10.2021 | Marília • 9h e 14h

Heidi Monezzi

18.10.2021 | Ribeirão Corrente • 9h e 14h
19.10.2021 | Colina • 9h e 14h
20.10.2021 | Sertãozinho • 9h e 14h
21.10.2021 | Santa Rosa de Viterbo • 9h e 14h

Ih, Contei!

18.10.2021 | Ubarana • 9h e 14h
19.10.2021 | Avanhandava • 9h e 14h
20.10.2021 | Promissão • 9h e 14h
21.10.2021 | Lins • 9h e 14h
22.10.2021 | Garça • 9h e 14h

Mandingueiras da Pracinha

18.10.2021 | Barão de Antonina • 9h e 14h
19.10.2021 | Fartura • 9h e 14h
20.10.2021 | Pardinho • 9h e 14h
21.10.2021 | Tatuí • 9h e 14h
22.10.2021 | Itapetininga • 9h e 14h

Semana 25 a 29/10

Cia. Bisclof

25.10.2021 | Pereira Barreto • 9h e 14h
26.10.2021 | Ilha Solteira • 9h e 14h
27.10.2021 | Santa Fé do Sul • 9h e 14h
28.10.2021 | Fernandópolis • 9h e 14h

Irene Tanabe
25.10.2021 | Ibaté • 9h e 14h
26.10.2021 | Macatuba • 9h e 14h
27.10.2021 | Jaú • 9h e 14h
28.10.2021 | Lençóis Paulista • 9h e 14h

Vinícius Mazzon

25.10.2021 | Votuporanga • 9h e 14h
26.10.2021 | Buritama • 9h e 14h
27.10.2021 | Birigui • 9h e 14h
28.10.2021 | Penápolis • 9h e 14h

Alicce Oliveira

25.10.2021 | Monte Mor • 9h e 14h
26.10.2021 | Itu • 9h e 14h
27.10.2021 | Alumínio • 9h e 14h
29.10.2021 | São Paulo • 10h e 15h

Alckmin entrega Fábrica de Cultura de Diadema

Governador Geraldo Alckmin, junto ao Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, estiveram em Diadema na manhã do dia 27/3 para realizar a entrega da obra da Fábrica de Cultura de Diadema, primeira unidade do programa fora da capital paulista. Com mais de 6 mil metros quadrados de área construída, a Fábrica de Cultura Diadema terá o mesmo formato das 10 unidades da capital, com cursos de diversas linguagens artísticas, oficinas, biblioteca, workshops, entre outras atividades. O equipamento cultural deverá operar plenamente a partir de agosto deste ano – tempo necessário para os trâmites do chamamento público que irá selecionar a Organização Social de Cultura responsável pela administração equipamento. O Governo do Estado de São Paulo investiu R$ 16,9 milhões na obra executada pela empresa ECG Engenharia Construções e Geotecnia Ltda.

“É a primeira Fábrica de Cultura fora de São Paulo. Um prédio com dois pavimentos, biblioteca, teatro, sala de música, circo, arte, produção e dança, além de refeitório, camarins e vestiários. Assinamos com o secretário José Luiz Penna e com o Romildo Campello, secretário-adjunto, que já vão providenciar o chamamento para escolhermos a Organização Social que vai equipar, gerir e colocar a unidade em funcionamento.”
MESSAGE-ICON
Geraldo Alckmin
Governador do Estado de São Paulo

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Para o secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, a Fábrica de Cultura Diadema vai trazer alegria e ocupação para a população e os produtores culturais do município. 

No mês de julho, a população terá uma “degustação”, uma prévia das atividades oferecidas pela Fábrica de Cultura: crianças e jovens poderão participar de oficinas de dança, teatro, circo, literatura, multimeios, entre outras linguagens e, a partir dessas experiências, escolher os cursos no quais queiram se matricular.

“A Fábrica de Cultura chega num momento muito importante para a vida cultural local e, certamente isso vai se expandir por toda a região.”
MESSAGE-ICON
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Como funcionará a Fábrica de Cultura Diadema?

As atividades das Fábricas de Cultura serão divididas da seguinte forma:

Cursos de Formação

Cursos de curta e longa duração nas modalidades de teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios. Todos os materiais necessários para os cursos são fornecidos gratuitamente pelas Fábricas. Durante as férias de janeiro e julho, é oferecida uma programação especial de cursos e oficinas

Bibliotecas

As bibliotecas das Fábricas de Cultura oferecem acesso gratuito a livros, periódicos, filmes, jogos, computadores com acesso à internet e equipamentos de acessibilidade visual e motora. Também são oferecidas atividades de incentivo à leitura como contações de histórias, encontros com escritores, oficinas e exibição de filmes. Não é preciso ser aluno das Fábricas para frequentar as bibliotecas

Aluno da EMESP Tom Jobim ganha concurso internacional e é convidado para tocar na Philharmonie de Paris

Jonathan Marim, 11 anos, aluno de piano do 1º Ciclo na EMESP Tom Jobim, com o professor Luiz Guilherme Pozzi, conquistou o primeiro lugar no concurso internacional de música Grand Prize Virtuoso. Como parte da premiação, foi convidado para fazer um recital na Philharmonie de Paris, na França, no dia 17 de abril.

Jonathan Marimingressou na EMESP Tom Jobim aos 9 anos. Apesar da pouca idade, já conseguiu conquistar as primeiras colocações em concursos de piano como o Concurso Latino-Americano de Piano de Curitiba e o tradicional Concurso de Piano Souza Lima, na capital paulista.

Grand Prize Virtuoso International Music Competition é um concurso internacional de música para instrumentos de cordas, piano, sopro e voz. A competição é aberta a todas as nacionalidades e alguns dos ganhadores foram convidados para se apresentar no Amphitheatre da Philharmonie de Paris, na França, em abril de 2020.

EMESP Tom Jobim

Referência no ensino brasileiro de música, a EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Atende gratuitamente 1.300 alunas e alunos em seus cursos e habilitações em música popular e erudita, da teoria à prática musical. Em 2019, a EMESP Tom Jobim comemorou 30 anos de atuação. A Escola tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP Tom Jobim vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP Tom Jobim oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A Escola mantém os grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim que oferecem bolsas para as alunas e os alunos da Escola.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na AppStore. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

Alunos da EMESP apresentam recital de piano no MuBE

Quinze alunos da classe de piano da EMESP Tom Jobim – Escola de Música da Secretaria da Cultura do Estado – participarão no próximo domingo, dia 24/6, às 16h, da série “Recitais de Piano” do Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE). Os jovens pianistas se apresentam no auditório do museu (Rua Alemanha, 221 – Jd. Europa), em programação gratuita e aberta ao público.

Participam do recital crianças e adolescentes, com idades entre 8 e 23 anos: Gabriel Matte, Emilly Alberto, Tiago Bovo, Lucca Verdi, Helen Rocha, Caio Vital, Jonathan Marim, Mariana Amato, Sara Bello, Fernando Gomes, Daniel Pereira, Gabriel Beck, Huiyi Feng, Eric Bueno e Ingrid Uemura. O repertório da apresentação será focado em compositores clássicos, com peças de diferentes níveis de complexidade, abrangendo Bach, Villa-Lobos, Tchaikovsky, Haydn, Schubert, Debussy, entre outros.

Luiz Guilherme Pozzi, professor da EMESP e diretor da série ‘Recitais de Piano’ do MuBE, frisa o quanto essa experiência deve ser valorizada por músicos que estão iniciando sua trajetória. “É muito importante para os alunos que passam pela EMESP saírem de dentro da escola e se apresentarem para o público, principalmente em um palco onde grandes pianistas já se apresentaram. Isso oferece aos alunos uma prévia da atmosfera da vida  profissional”, afirma Pozzi.

A Emesp Tom Jobim oferece formação musical tanto nas áreas da música erudita e popular. Os recitais, além de proporcionar experiência e vivência musical – pilares do projeto artístico-pedagógico da Escola – oferecem ao público a oportunidade de conhecer os novos talentos da música brasileira, muitos deles vencedores de concursos internacionais.

onde

Foto: Fabiana de Sousa

Alunos da EMESP se apresentam no MASP

O grupo Orquestra de Cordas e Prática de Cordas do Ciclo I se apresenta no Masp Auditório, no dia 1º de outubro, domingo, às 11 horas. Participa da apresentação, o trompetista Erick Venditte Santos e do Quarteto de Saxofones. No repertório, W.A Mozart Divertimento em fá maior KV 138, G.F Tellemann Concerto Polonois em sol maior, Alessandro Marcello Concerto para Oboé (Adaptação para trompete piccolo) e Moacir Santos Excerto n°1.

Serviço

MASP Auditório: Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista – SP

Quando: 1 de outubro. Domingo, às 11h00

Ingressos: Gratuito – Retirada de senha duas horas antes na bilheteria do Museu.

Informações Gerais: Pensando no aprimoramento constante dos alunos, a Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim criou, em 2012, os Grupos EMESP, que trabalham repertórios que abrangem tanto música erudita quanto popular, obras originais e arranjadas, de compositores brasileiros e estrangeiros. Em 2017, esses grupos artísticos da EMESP contemplarão diversas formações instrumentais, o que possibilitará aos alunos vivências musicais distintas. As atividades artísticas estimulam os alunos dos grupos a divulgar o que é aprendido dentro da sala de aula, em espaços públicos e equipamentos culturais da cidade.

Alunos do Projeto Guri celebram o aniversário da cidade onde estudam

São José do Rio Pardo, Barra Bonita, Estrela do Norte e Ibiúna estão na rota de municípios aniversariantes do mês de março (mais…)

Alunos do Projeto Guri de Piracicaba participam de Festival Internacional em Minas Gerais

 Evento reuniu corais de diferentes estilos e localidades do Brasil no dia 21 de setembro (mais…)

Alunos do Projeto Guri participam do musical “Os Addams Vem Aí”

Alunos e alunas de coral dos polos São Carlos e Araraquara do Projeto Guri participarão do musical “Os Addams Vem Aí”, que acontece no dia 5/4, às 19h30, no Teatro Municipal de São Carlos. Os estudantes do maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dividirão o palco com a Cia. Musicale. Logo na abertura, cantarão a música Pra Quem é Addams e, durante o espetáculo, apresentarão A Lua e Eu, Morte Ali na Esquina e Segue Atrás das Trevas.

“A ideia é proporcionar aos Guris a vivência de palco, permitindo a interação entre artistas profissionais e aprendizes em um espetáculo completo onde todos cantam, dançam e atuam. Eles ajudarão os personagens principais a contar a história da Família Addams, que tem gosto muito peculiar por tudo o que é sombrio”, disse Aniela Rovani, diretora do musical e supervisora educacional do Projeto Guri.

Serviço: Os Addams Vem Aí

Quando: 05 de abril, quinta-feira

Horário: 19h30

Local: Teatro Municipal de São Carlos “Dr. Alderico Vieira Perdigão”

Endereço: R. Sete de Setembro, 1.735, Centro – São Carlos/SP

Entrada: R$ 10,00 (meia) / R$ 20,00 (inteira)

Pontos de vendas: Highstil (Shopping Iguatemi), Shoemix Calçados (R. Jesuíno de Arruda, 1.978) e no dia, na porta do Teatro.

Evento aberto ao público

Alunos do Projeto Guri são convidados para o Vozes de Natal 2017

Os alunos e as alunas se apresentarão no dia do aniversário de Votorantim ao lado de outros coros da cidade (mais…)

Alunos do Projeto Guri se apresentam no SBT do Bem em prol da AACD

Alunos e alunas do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – foram convidados para fazer uma apresentação no SBT do Bem, programa especial em prol da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), que acontecerá no dia 24 de novembro, às 11h, no Teatro Paulo Moura, em São José do Rio Preto.

O Guri apoia projetos que visem o bem-estar e atendimento a crianças e adolescentes, além de acreditar na importância do trabalho realizado pela AACD. No dia, cerca de 60 alunos e alunas de coral e percussão do Polo Ibirá e do Polo Regional São José do Rio Preto farão a abertura do evento ao vivo, com a apresentação das músicas Depende de Nós, Carinha de Anjo (tema da novela infantil) e Sobre o Tempo. Os alunos também participarão do segundo bloco do programa.

Com isso, o Projeto Guri contribui com a causa e leva alegria às crianças e jovens com necessidades especiais. Interessados em doar basta ligar para (17) 3201-1510.

Sobre a AACD

Em 1950, nascia a AACD, fundada pelo médico especialista em Ortopedia Dr. Renato da Costa Bomfim, que, inspirado na evolução tecnológica dos centros de reabilitação no exterior, criou uma estrutura semelhante no Brasil.

Hoje, a AACD está entre os melhores hospitais da área de Ortopedia e é referência em qualidade no tratamento de pessoas com deficiência física, além de ser um dos complexos hospitalares mais admirados do País, de acordo com pesquisas realizadas com profissionais da área de Medicina.

Para preservar o compromisso de qualidade e excelência, manifestado em cada atendimento na AACD, foram criados diversos canais de captação de recursos, entre eles o Teleton, que objetivam garantir à Instituição autonomia e proposta de sustentabilidade.

Além da reabilitação física, a AACD também desenvolve diversas outras atividades, como a inserção no esporte paraolímpico e o empenho em assegurar a plena integração social aos pacientes, promovendo melhorias por meio da superação diária e da orientação de uma equipe multidisciplinar especializada.

Para viabilizar todos esses projetos e continuar oferecendo excelência em nossos serviços, contamos com o apoio de parceiros e pessoas que acreditam em nossa causa.

Serviço: SBT do Bem
Quando: dia 24 de novembro

Horário: às 11h

Local: Teatro Paulo Moura

Endereço: Av. Duque de Caxias, 3900 Jardim dos Seixas, São José do Rio Preto – SP
Evento fechado.

Parceiro local: Prefeitura Municipal de Ibirá e São José do Rio Preto

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Amanhã é dia de Museum Selfie Day nos 19 museus da SEC

Ação será no dia 17 de janeiro (quarta-feira); visitantes poderão compartilhar suas experiências por meio de fotos com a hashtag #MuseumSelfie

(mais…)

Ana Muller se apresenta no Estéreo MIS de março

O show será dia 09 sexta-feira, às 21h30, no Auditório MIS (mais…)

Aniversário da Fábrica de Cultura da Brasilândia terá programação especial

Há quatro anos a Fábrica de Cultura Brasilândia, a mais nova das unidades da zona norte, iniciava seus trabalhos na região. Para celebrar a data, a instituição realiza no dia 23/6, sábado, a partir das 9h, diversas atividades especialmente pensadas para o público.

A programação reúne shows com a banda Calango Brabo e Sinfônica infanto-juvenil do Guri, oficina de zumba, espetáculos de dança cigana e afro-brasileiras,  apresentação do espetáculo circense “Cabaré Palha Assada”, sessões de cinema da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental e apresentação com o Mágico Rodrigo.

No “Cabaré palha assada”, os Filhos da Trupe contam histórias com muita música e se envolvem em diversas trapalhadas em um espetáculo para toda a família. A apresentação, que acontece às 11h30, une acrobacias, mágicos e muita palhaçada.

Em Dança: forma, técnica e diásporas africanas, o grupo Identidade e Movimento conta a história da escravização na época da colonização europeia. O espetáculo, apresentado às 13h30, mescla técnicas de dança contemporânea, africana, capoeira e hip-hop.

Misturando ritmos regionais nordestino com rock, a banda Calango Brabo apresenta às 14h30 o rock do sertão, que traz no repertório a predominância do baião, maracatu, maculelê, coco e forró, sobrepostos pelas guitarras e bateria presentes no rock, pop e reggae.

Onde

Confira a programação
11h30 – 13h00 | Circo: Cabaré Palha Assada
13h00 – 13h40 | Mágico Rodrigo
13h00 – 14h30 | Dança Cigana
13h30 – 15h00 | Dança: forma, técnica e diásporas africanas
14h30 – 16h00 | Música: Calango Brabo
16h00 – 17h00 | Zumba especial
15h00 – 16h00 | Música: Sinfônica infanto-juvenil do Guri

Aniversário de Portinari é celebrado com programação especial em Brodowski

Museu Casa de Portinari realiza dois espetáculos musicais em homenagem aos 114 anos do artista, morto em 1962 (mais…)

Aniversário de São Paulo

ANIVERSÁRIO
DE SÃO PAULO

Programação especial para o feriado

Bolo de aniversário no Teatro Sérgio Cardoso, brincadeiras no Museu do Futebol, bloco afro, food trucks e entrada gratuita na Pinacoteca, show de luzes e música na Estação Cultura e festivais de música de rua estão entre os destaques da programação!

FÁBRICAS
DE CULTURA

Fábrica Brasilândia 03(Karina Monteiro)

Para descentralizar as atividades no aniversário de 464 anos da cidade de São Paulo, as Fábricas de Cultura realizam diversas atividades especiais e gratuitas.

Evento de rap, batalha de MC, bate-papo sobre literatura e game e oficina de mandala são alguns dos destaques desta programação.

PROGRAMAÇÃO

Escrita Urbana

24/01 (quarta-feira)

Tendo a escrita urbana como foco, as atividades serão construídas com base em artes de rua (como grafite), intervenções poéticas e músicas do movimento hip-hop, numa reflexão profunda das formas de registros históricos que perpassam nossas vidas.

Fábrica de Cultura Capão Redondo – Rua Bacia de São Francisco, S/N

Horário: das 14h30 às 16h30
Inscrições gratuitas na recepção da Fábrica. 20 vagas

Literatura para os games: A Nova Califórnia do autor Lima Barreto

24/01 – (quarta-feira)

Bate-papo com os idealizadores do game A Nova Califórnia, adaptação da obra do escritor brasileiro Lima Barreto, o intuito é falar dos desafios de unir o universo literário aos jogos.

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha – Rua Conselheiro Moreira de Barros, 3997

Horário: das 15h às 17h
Inscrições gratuitas na recepção da Fábrica. 20 vagas

Criando e brincando com sucatas

24/01 – (quarta-feira)

Com a ideia de dar formas à imaginação e elaborar diversos tipos de construções, os participantes poderão explorar as possibilidades de criações e brincadeiras com materiais reaproveitados.

Fábrica de Cultura Jaçanã – Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Horário: das 15h às 17h
Inscrições gratuitas na recepção da Fábrica. 25 vagas

Workshop de dança

25/01 – (quinta-feira)

Neste evento o público pode participar e explora suas habilidades em passos de danças do hip-hop.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Horário: das 14h às 18h

Batalha da Fábrica – Os melhores MC’s da quebrada

25/01 – (quinta-feira)

Com a apresentação dos rimadores do Jardim São Luís, a atividade é aberta a todos que quiserem compartilhar sua arte com o público.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Horário: das 19h às 22h

O rap fortalece – 5º edição

 27/01 – (sábado)

Apresentações de MCs, intervenções de grafite e danças urbanas compõem a programação desta quinta edição do evento.

Praça Jardim Vista Alegre, s/n

Horário: das 11h às 18h

Turma da vila – Homenagem ao Chaves

27/01 – (sábado)

Com a direção de Maria Cristina Mazzuca, no espetáculo, os moradores da vila – Chaves, Chiquinha, Quico, Seu Madruga, Dona Clotilde etc. – se reúnem para uma grande apresentação de poesias.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Horário: das 15h às 17h

São Paulo ontem e amanhã

25/01 – (quinta-feira)

a atividade “São Paulo ontem e amanhã” convidará o público a conhecer a São Paulo de antigamente por fotos e imaginar como vai ser a cidade em 2117.

Fábrica de Cultura Vila CuruçáRua Pedra Dourada, 65

Horário: a partir das 10h30

Atividade de Internet – Dia da Cidade de São Paulo

25/01 – (quinta-feira)

A unidade de Cidade Tiradentes terá a “Atividade de Internet – Dia da Cidade de São Paulo”, em que serão divulgados variados serviços, eventos e principais atividades culturais da cidade que completa 464 anos. Como referência, será utilizado o livro “História de São Paulo através da Arte”, de Nereide Schilaro Santa Rosa.

Fábrica de Cultura Cidade TiradentesRua Henriqueta Noguez Brieba, 281

Horário: a partir das 11h

Oficina de Criação: Fazendo seu personagem

25/01 – (quinta-feira)

Já no Itaim Paulista acontece a “Oficina de Criação: Fazendo seu personagem”, em que os participantes serão convidados a criar personagens após conhecerem as obras e a história da dupla de grafiteiros Os Gêmeos.

Fábrica de Cultura Itaim Paulista – Rua Estudantes da China, 500

Horário: a partir das 11h

“São Paulo: corpo e alma”, de Alberto Ikeda

25/01 – (quinta-feira)

A Fábrica de Cultura Parque Belém apresenta fatos e curiosidades que marcaram a história da cidade com base no livro “São Paulo: corpo e alma”, de Alberto Ikeda.

Fábrica de Cultura Parque Belém – Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)

Horário: a partir das 15h

Horários de Funcionamento


Brasilândia | Capão Redondo | 
Jardim São Luís | Vila Nova Cachoeirinha

Terça a sexta, das 9h00 às 20h00. Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.

Jaçanã | Cidade Tiradentes | Parque Belém | Itaim Paulista | Vila Curuçá

Terça a sexta, das 9h00 às 17h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Local e contato


Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 (Entrada 1) / Avenida Inajar de Souza, 7001(Entrada 2)
(11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, S/N (Entrada 1) / Rua Algard, 82 (Entrada 2)
(11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Jaçanã

Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138
(11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651
(11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575
(11) 2233-9270

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281
(11) 2556-3624

Fábrica de Cultura Parque Belém

Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)
(11) 2618-3447

Fábrica de Cultura de Itaim Paulista

​Rua Estudantes da China, 500
(11) 2025-1991​

Fábrica de Cultura de Vila Curuçá

Rua Pedra Dourada, 65
(11) 2016-3316

www.fabricasdecultura.sp.gov.br

MUSEUS

mis_sp

Museu da Imagem
e do Som – MIS

Conexão Cultural São Paulo – Japão

25/01 – (quinta-feira)

Com o tema Japão, esta edição vai aprofundar a rica relação da cidade com a cultura do país, através de música, arte, cinema e comidas típicas. O evento contará com exposição de colagens, oficina de caligrafia japonesa, apresentação do O Trio Kagurazaka e a apresentação de mostra de cinema com três sessões de filmes produzidos no país, tais como o Jardim das Palavras, A Esposa de Villon e Um Conto sobre a Culinária Samurai – Uma Verdadeira História de Amor.

Horário: das 11h às 20h
Ingresso: Gratuito

Horários de Funcionamento

terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 21h00 | Domingos e feriados, das 9h00 às 19h00

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Acessibilidade no local
Estacionamento pago no local

Local e contato

Av. Europa, 158, Jd. Europa, São Paulo – SP

(11) 2117-4777
www.mis-sp.org.br

 

 

2017/12/15,SÃO PAULO,REINAUGURAÇÃO DO AUDITORIO SIMÓN BOLIVAR NO MEMORIAL DA AMERICA LATINA.COM A PRESENÇA DO GOVERNADOR GERALDO ALCKIM E SECRETARIO DA CULTURA JOSÉ LUIZ PENNA E ORQUESTRA JAZZ SINFONICA.FOTO:JOCADUARTE/PHOTOPRESS

Memorial da
América Latina

O dia vai ser agitado no Memorial da América Latina, que vai comemorar os 464 anos da capital paulista com eventos para todos os gostos e idades.

Entre as opções estão: feira gastronômica, música, festa boliviana, escola de samba, bike tour e exposições de arte popular e contemporânea!

PROGRAMAÇÃO

Festa de Alasitas – 2018

24/01 – (quarta-feira)

O destaque da festa é a cerimônia da benção das alasitas, como são chamadas as miniaturas que simbolizam os desejos materiais das pessoas. Um dos marcos da festa é a tradição boliviana que todos os anos reúnem no Memorial as comunidades de imigrantes dos países andinos.

Horário: das 9h às 22h
Acesso: Portões 2, 5 e 6
Entrada gratuita e Classificação livre

3º Festival do Pastel e Talentos no memorial

25/01 – (quinta)   |   27/01 – (sábado)   |   28/01 – (domingo)

Neste evento o público poderá degustar uma grande variedade entre salgados e doces de um dos quitutes mais consumidos pelos paulistanos. Este ano o festival, sempre muito concorrido, vai ainda escolher o melhor pastel do Memorial.

Horário: das 10h às 21h
Acesso: Portões 4 e 15 (pago)
Entrada gratuita

Mostra “Scapeland – Território de Trânsito Livre”

25/01 – (quinta-feira)

O evento é marcado por 46 artistas brasileiros que irão expor trabalhos relacionados à paisagem urbana.

Horário: às 13h
Entrada gratuita e Classificação livre

Oficina de canto e técnica vocal

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 6, 7, 8 e 9 de fevereiro – das 13h00 às 15h00

Por Alice Juguero

A oficina de canto pretende estimular os participantes no desenvolvimento artístico aplicado à arte vocal de acordo com o perfil de cada aluno, identificando suas características próprias e ampliando seu repertório musical em vários estilos.

Lavagem da Mão

25/01 – (quinta-feira)

O evento contará com a presença da Escola de Samba Acadêmicos do Tucuruvi, que, ao ritmo de samba-enredo, vai fazer o público dançar e acompanhar o desfile que seguirá do auditório Simón Bolívar até a Praça Cívica: ali, as baianas da escola farão a tradicional Lavagem da Mão, cerimônia que se repete pelo sexto ano consecutivo no Memorial.

Horário: a partir das 14h em frente ao Auditório Simón Bolívar
Acesso pelos portões: 2, 5, 8, 9 e 12
Entrada gratuita

São Paulo Bike Tour

25/01 (quinta-feira)

Passeio dos ciclistas pelos pontos turísticos e históricos da cidade.

Horário: 19h
Vagas: 100
Valor: R$50 + a doação de um kit de material escolar

Faça sua inscrição aqui  |  Saiba mais

Horários de Funcionamento

Galeria Marta Traba, Salão de Atos Tiradentes e Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro : das 9h às 18h, de terça a domingo.

Biblioteca: de segunda a sexta, das 9h às 18h; aos sábados, das 9h às 15h

Estacionamento: Portões 4 e 15 (pagos) | Bicicletário: portão 9

Local e contato

Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664,
Barra Funda – Na Praça Cívica

(11) 3823.4600
www.memorial.org.br

MCB_Fachada_Pnal_Chema_Llanos_01

Museu da Casa Brasileira

Orquestra Instituto GPA – Aniversário de São Paulo

25 de janeiro, quinta-feira

O Museu receberá a Orquestra Instituto GPA em seu palco para comemorar o aniversário da
cidade de São Paulo, com um repertório variado, que faz um passeio pela música nacional e internacional. De Billy Blanco, que abre o espetáculo, passando por Green Day, e, para encerrar, o clássico ‘Trem das Onze’, de Adoniran Barbosa.

Horário: às 11h
Entrada gratuita

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

R$ 10,00 | Grátis aos sábados, domingos e feriados

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano – São Paulo-SP | CPTM Cidade Jardim (850m)

Telefone: (11) 3032-3727
www.mcb.org.br

 

museuartesacra

Museu de Arte Sacra
de São Paulo

Urubu Ka“apor”

Abertura: 25/01 (quinta-feira) |
Período: 26/01 a 04/03

A mostra apresenta artefatos confeccionados por algumas etnias indígenas brasileiras, como adornos de cabeça – cocares, coroas, aros emplumados, coifas, dentre outros -, adornos de braços, além de objetos litúrgicos e cerimoniais.

Horário: Abertura às 11h00 – Terça-feira a domingo, das 9h00 às 17h00
Ingressos: Grátis aos usuários do Metrô

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Estacionamento gratuito
(entrada pela Rua Jorge Miranda, 43)

Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo – SP

Telefone: (11) 3326-3336
www.museuartesacra.org.br

 

museu_da_imigracao

Museu da Imigração

Pedalada Memórias em Movimento

25, 27 e 28/01 – (quinta-feira, sábado e domingo)

No dia 25/01 ocorrerá o jogo “Linha do Tempo”, no qual os visitantes são convidados a encontrar conexões entre fatos e objetos relacionados ao acervo do Museu da Imigração em uma grande linha do tempo composta por fotografias, terá também a apresentação dos músicos Rodrigo Procknov e Gerson Silva e visita educativa especial no sábado e no domingo (27 e 28/1), para debater e questionar as diferentes visões que cada habitante tem da cidade

Horário: a partir das 15h, e das 11 às 12h, no caso da visita educativa especial

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

R$ 10,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

Local e contato

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)

Telefone: (11) 2692-1866
https://museudaimigracao.org.br/

fachada_pacaembu

Museu do Futebol

Atividades variadas

25/01 – (quinta-feira)

O Museu do Futebol inicia a programação às 14h com o jogo de memória “Memoriball – Clubes Brasileiros”, seguido pela “Oficina de Pipas” e pelo “Jogo de Futebol Vendado”, em que cada criança terá que jogar com uma das pernas amarrada à perna de outra e, enquanto uma estará com os olhos vendados, a outra dará as direções para levá-la até o gol.

Horário: a partir das 14h

Horários de Funcionamento

Terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)

R$ 12,00 | Grátis aos sábados

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

Local e contato

Praça Charles Miller, S/N
Pacaembu,  São Paulo- SP

(11) 3664-3848
www.museudofutebol.org.br

 

Foto Lateral - Museu Afro Brasil

Museu Afro Brasil

Barroco Ardente e Sincrético – luso-afro-brasileiro | Design e Tecnologia no Tempo da Escravidão

25/01 – (quinta-feira)

No aniversário de São Paulo, o Museu Afro Brasil recebe seus visitantes com entrada gratuita. O público poderá aproveitar para conhecer as exposições “Barroco Ardente e Sincrético – luso-afro-brasileiro”, que homenageia o Jubileu de 300 anos de Nossa Senhora Aparecida, e “Design e Tecnologia no Tempo da Escravidão”, que reescreve a história da tecnologia no Brasil.

Horário: a partir das 10h

Horários de Funcionamento

Terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)

R$ 12,00 | Grátis aos sábados

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

Local e contato

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900
www.museuafrobrasil.org.br

Casa das Rosas_Foto Débora Nazari

Casa das Rosas

Recital para São Paulo

25/01 – (quinta-feira)

A Casa das Rosas apresenta o “Recital para São Paulo”, com poemas de Haroldo de Campos, Mários de Andrade, Oswald de Andrade e Guilherme de Almeida, além de canções de compositores paulistanos.

Horário: a partir das 10h

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Entrada gratuita

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP | Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447
www.casadasrosas.org.br

catavento

Museu Catavento

Oficina de Fotografia Artesanal

25/01 – (quinta-feira)

O Museu Catavento terá a “Oficina de Fotografia Artesanal”, em que a equipe de fotógrafos do Projeto Cidade Invertida apresenta uma oficina de câmara escura e também mostra como se dá o processo de revelação química das fotos, em um trailer especialmente adaptado. É necessário retirar senha para participar da atividade.

Horário: a partir das 9h30

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

R$ 6,00 | Grátis aos Sábados

Estacionamento pago no local

Local e contato

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051
www.cataventocultural.org.br

catavento

Museu da
Diversidade Sexual

Exposição “Tarja Preta”

25/01 – (quinta-feira)

O Museu da Diversidade Sexual inaugura a exposição “Tarja Preta”, com retratos de grandes ícones da cultura – como a escritora Cassandra Rios, o cantor Ney Matogrosso e o estilista Clodovil. Os trabalhos destacam os questionamentos comportamentais do universo LGBT e mostram como eles têm forte presença na cultura.

Horário: a partir das 10h

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

Entrada gratuita

Acessibilidade no local

Local e contato

Rua do Arouche, 24 – Estação República do Metrô – Piso Mezanino, loja 518

(11) 3339-8078
www.mds.org.br

FachadaPinacoteca_Isabella Matheus (3)

Pinacoteca de São Paulo

Ilú Obá De Min

25/01 – (quinta-feira)

A programação conta com apresentação do bloco afro Ilú Obá De Min, além de foodtrucks de comidas e bebidas. O público poderá conferir também a exposição “No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos”, que foi prorrogada e fica em cartaz até 29 de janeiro. É a maior mostra de Di Cavalcanti já realizada desde a morte do artista, em 1976.

Horário: às 15h

Horários de Funcionamento

Quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Praça da Luz, 02,  Luz, São Paulo

Telefone: (11) 3324-1000
www.pinacoteca.org.br

 

OFICINA
CULTURAL

Casa-de-Mário-de-Andrade

Casa Mário de Andrade

Grupo Musical Sambadas

25/01 – (quinta-feira)

A Casa Mário de Andrade recebe o grupo musical Sambadas, formado por sete mulheres, que interpretará canções autorais, de vanguarda e do samba paulista.

Horário: a partir das 16h

Horários de Funcionamento

Terça-feira a Sábado das 10h00 às 18h00.

Gratuito

Local e contato

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda

(11) 3666-5803 ou 3826-4085
casamariodeandrade@oficinasculturais.org.br
www.oficinasculturais.org.br

OCOswalddeAndrade_fotoMarciaAlves640x480

Oficina Cultural
Oswald de Andrade

As Palavras Gestuais de
Denise Stoklos – parte 1 e 2

24 e 25/01 – (quarta e quinta-feira) e 26 e 27/01 – (sexta-feira e sábado)

A programação completa terá peça de teatro, brincadeiras infantis, aula-espetáculo com a conceituada atriz Denise Stoklos e impressão de cartões postais. Nos dias 24 e 25/01 serão realizadas as duas partes da aula-espetáculo As Palavras Gestuais de Denise Stoklos, destinada a atores e atrizes formados ou com alguma experiência em teatro e a oficina Rua de Brincar para toda a família é convidada para um resgate das brincadeiras antigas de quintais e de rua, para que sejam mescladas com as de hoje. Já nos dias 26 e 27/01 haverá a peça de teatro S.O.S que será encenada para o público maior de 16 anos. Uma bruxa-palhaça- sensitiva recebe cartas, telefonemas e mensagens com os mais diversos pedidos de ajuda, e por meio de pequenos rituais ela vai solucionando os problemas.

Horário: das 19h30 às 20h30 e das 18h00 às 19h00

Horários de Funcionamento

Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00.

Local e contato

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3221-4704
www.oficinasculturais.org.br
oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

SP CULTURA NA RUA

São Paulo 19.09.2010 Governador Alberto Goldman durante visita ao XIV Festival da Cultura Paulista Tradicional_Revelando SP, realizado na rua Chico Pontes, no bairro de Vila Guilherme. FOTO JOSÉ LUIS DA CONCEICAO

SP Cultura na Rua na Cidade Tiradentes

25/01 – (quinta-feira)
Local: Av. dos Metalúrgicos, S/N (coreto)

O evento receberá os artistas Lucia Zorzi, Junior da Violla, Diggo Voz e Suellen Luz.

Horário: das 13h às 17h

SP Cultura na Rua no Capão Redondo

25/01 – (quinta-feira)
Local: Praça do Arariba – Rua Canabarro

O evento conta com a presença dos artistas Alef Carvalho e Aghata Saan e as bandas Soul Jazz Band e Vertical Jungle.

Horário: das 14h às 17h

ESTAÇÃO CULTURA

ESTAÇÃO CULTURA-3

Comemoração do Aniversário de São Paulo no Estação Cultura

25/01 – (quinta-feira)

O Complexo Cultural Júlio Prestes, que abriga a Secretaria da Cultura do Estado e a , Sala São Paulo, vai receber projeções visuais que vão brincar com a arquitetura do local, para contar a história da maior metrópole do País. A partir das 18h, começam as apresentações musicais de Stalker, Loop B. e “The Cross”, projeto da pianista internacional Juliana D’Agostini e do produtor musical ganhador do Grammy Latino e Americano, Ruriá Duprat. Além disso, haverá distribuição de Passaportes dos Museus.

Horário: das 17h às 21:30h

Horários de Funcionamento

Segunda a sexta das 9h00 às 17h00.

Estacionamento no local

Local e contato

Rua Mauá, 51, na região da Luz, ao lado da Sala São Paulo

Telefone: (11) 3339-8261

TEATRO

teatro-sergio-cardoso

Teatro Sérgio Cardoso

Aniversário De São Paulo No Bixiga

25/01 – (quinta-feira)
Local: Teatro Sérgio Cardoso e Rua Rui Barbosa

A celebração conta com apresentações musicais do rapper Rincon Sapiência, do grupo Demônios da Garoa e de Zéli Silva Quinteto, o evento conta também com o espetáculo infantil “Operetinha do Sapato Falador”, além de contar com um mercado de rua, com Mercado Mundo Mix, lojas vintage, brechó, novos estilistas, vinis, festival de comida de rua, Rádio MMM com o DJ Will Robson e de ser oferecido bolo aos presentes em comemoração ao aniversário de São Paulo.

Horário: à partir das 11h00
Atrações gratuitas

Aniversário de São Paulo no bixiga: Rincon Sapiência, Demônios Da Garoa, parabéns com bolo e muito mais

Programação conta ainda com espetáculos teatrais no Teatro Sérgio Cardoso e mercado de rua (mais…)

Aniversário de São Paulo tem abertura do Novo Paço das Artes e programação com dança, exposições, filmes e realidade virtual

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado inaugura sede definitiva do Paço das Artes em casarão histórico; Museu de Arte Sacra leva inteligência artificial ao metrô; São Paulo Companhia de Dança realiza ensaio aberto gratuito; MIS oferece entrada gratuita para a exposição “Musicais no Cinema”; Catavento tem atividade com realidade virtual; confira a programação completa

(mais…)

Aniversário do Capão Redondo e Festival Batuques Rochdale movimentam a agenda das Fábricas de Cultura

A programação de abril das Fábricas de Cultura ainda terá slam de poesia, espetáculos teatrais infantis e apresentações musicais, além de um bate-papo sobre literatura com Kiusam de Oliveira

O mês de abril nas Fábricas de Cultura das zonas Norte e Sul, Região Metropolitana (Osasco e Diadema), e de Iguape (Vale do Ribeira) será marcado por atividades que valorizam as vertentes da cultura popular e periférica brasileira. Apresentações musicais de ritmos variados, slam de poesia e festivais culturais são alguns dos destaques do programa da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

No dia 11, terça-feira, às 17h, estará disponível no canal do YouTube das Fábricas de Cultura o vídeo-espetáculo Engolindo Mágoas em Doses Homeopáticas do Coletivo Pedra Rubra. A obra narra a história de três mulheres em três tempos (1949, 1989 e 2109) traçando uma relação entre as violências que elas sofrem.

A criançada também poderá se divertir com o musical Poderosa Vitamina, que utiliza personagens coloridos e músicas diversas para falar sobre alimentação saudável. Serão duas apresentações no dia 14, sexta-feira, às 10h e às 14h30 na Fábrica de Cultura Jaçanã. E a música chega a todo vapor na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha com o show Sertanejo sem Mistura, que reunirá artistas deste segmento para difundir a cultura caipira. O evento acontece no dia 16, domingo, a partir das 13h.

Feito em homenagem ao Ajọ̀dún de 21 anos de Mãe Nádia de Ológunẹ̀dẹ, iyalorixá, cujo o orixá é patrono da Comunidade de Compreensão e Restauração Ilê Asé Logun Edé (CCRIALO), terreiro de tradição Nagô Ketu, situado na zona oeste de São Paulo, o documentário OLÓGUNẹ̀Dẹ: meu norte, minha sorte, será exibido no YouTube das Fábricas de Cultura. Com direção de Ísis Cunha, a produção audiovisual narra a importância do orixá (Logun Edé) e da iyalorixá, com sessão no  dia 18, terça-feira, às 19h.  

Pela Fábrica de Cultura Diadema, a artista Victoria Saavedra apresenta um show de ritmos afro-latinos com arranjos pensados para misturar os ritmos caribenhos e litorâneos, passando por cumbias, porros, bundes, salsa, afoxés, samba de roda, carimbó, merengue e candombe, no dia 19, quarta-feira, das 19h às 21h.

O dia 20, quinta-feira, será musical em diversas unidades. Às 14h30, o Estúdio da Fábrica de Cultura Capão Redondo recebe a preparadora vocal Marilhia Freire para a ação Corpo & Voz em Cena em celebração ao Dia Mundial da Voz (16/04) para uma oficina de preparação vocal e corporal. Quem estiver em casa poderá aproveitar o show Orgulho de ser Carolina com Carolina Okan, uma alusão a escritora Carolina Maria de Jesus, que será transmitido pelo Facebook das Fábricas de Cultura às 15h.

Durante a noite, há opções online e presenciais. Às 19h, estará disponível no YouTube das Fábricas de Cultura a conversa Expansão musical feminina do Vale do Ribeira com a musicista Tayna Trigo. Natural de Iguape, iniciou a carreira na Banda Municipal Maestro Aquilino Jarbas de Carvalho, ganhou uma bolsa na Itália em 2019 e hoje trabalha com apresentações pela Europa. Também às 19h, mas presencialmente na Fábrica de Cultura Jardim São Luís, acontece o Slam Coragem, onde poetas das quebradas declamam poesias de até três minutos, com cinco jurados para dar notas de zero a dez.

Na sexta-feira, 21, a Fábrica de Cultura Jaçanã recebe o espetáculo O Majestoso Plano de Alice, com a Cia Frigideira, a partir das 15h. A peça conta a história de uma rainha que decreta que todas as crianças do reino deveriam trabalhar. Alice, que está em uma grande missão, resolve sair pelo reino buscando quem poderia ajudá-la.

A convite do Núcleo de Moda das Fábricas de Cultura, a unidade Jardim São Luís recebe o Desfile Tempo, do Coletivo Estúdio ThgVest, com performance e música das 17h às 20h, no dia 22, sábado. A proposta criativa do evento é discutir o que é o tempo e quais são seus desdobramentos no futuro, presente e passado através da moda. O coletivo transita entre os bairros Jardim São Luís, Capão Redondo e Jardim Ângela para levar suas conexões de moda e criatividade. 

Na quarta-feira, 26, será a vez da literatura ocupar a Fábrica de Cultura Diadema com a atividade Livros e histórias abrem portas: vamos descobrir quais?, a partir das 14h. Neste encontro, a escritora Kiusam de Oliveira faz a leitura de alguns dos livros que escreveu: “Com qual penteado eu vou” (Editora Melhoramentos) e “Solfejos de Fayola” (Editora de Cultura). Em seguida, ela realiza uma roda de conversa sobre as obras.

Pela zona norte, às 14h30, acontece a oficina Zabumbê-a-bá, ministrada por Lipe Torre, na Fábrica de Cultura Jaçanã. A atividade conta com uma introdução à zabumba, desde suas origens, passando por instrumentos similares encontrados em diversas partes do mundo, até chegar ao Brasil, e a prática com a utilização de músicas tradicionais do nordeste.

A Fábrica de Cultura 4.0 de Osasco recebe a atividade Fulni-ô: a etnia resiste por sua oralidade, ministrada pelo Grupo Yamititkwa Sato, composto por indígenas Fulni-ô de Águas Belas (PE), grupo que conseguiu manter ativa a própria língua (o Ia-tê). No dia 27, quinta-feira, às 19h, acontece uma roda de conversa sobre as ciências de cantos e danças dos Fulni-ô, e no dia 28, sexta-feira, às 14h, o grupo traz a vivência de artesanato típico dos Fulni-ô com palha do coqueiro Ouricuri.

Já o dia 29, sábado, será movimentado em duas unidades com uma agenda diversa. A Fábrica de Cultura Capão Redondo celebra, a partir das 13h, os 111 anos do distrito Capão Redondo com o Festival Ground Culture, que reunirá eventos culturais periféricos como o Sarau Fala Memo, Slam Underground e Poesia e Batalha da DDR comemorando a efervescência cultural de todo o território.

Também às 13h, mas na Fábrica de Cultura 4.0 de Osasco, vai rolar o 1º Festival Batuques Rochdale com apresentações dos grupos Baque Mulher, primeiro grupo de maracatu de baque virado composto só por mulheres, e o Maracatu Ouro do Congo, grupo filho das Nações do Maracatu Porto Rico e Encanto do Pina, promovendo a cultura e origem do Maracatu com uma roda de conversa. A abertura do evento fica por conta dos toca-discos com o projeto Cultura na Calçada explorando os ritmos e garimpos da música nordestina e pernambucana.

Serviço: 

Programação gratuita

Fábrica de Cultura Brasilândia

Endereço: Avenida General Penha Brasil, 2508 | Telefone: (11) 3859-2300

Vídeo

ENGOLINDO MÁGOAS EM DOSES HOMEOPÁTICAS COM COLETIVO PEDRA RUBRA

11/4, terça-feira, às 17h | maiores de 14 anos | Online – Youtube

Cultura Tradicional

“OLÓGUNẹ̀Dẹ: MEU NORTE, MINHA SORTE” DE ÍSIS CUNHA

18/4, terça-feira, às 19h | Atividade livre | Online – Youtube

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Endereço: Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240

Música

CORPO & VOZ EM CENA COM MARILHA FREIRE | MÊS DA VOZ [ESTÚDIOS]

20/4, quinta-feira, às 14h30 | Atividade livre | Presencial na unidade

Música

FESTIVAL GROUND CULTURE | 111 ANOS DO CAPÃO REDONDO

29/4, sábado, das 13h às 19h | maiores de 14 anos | Presencial na unidade

Fábrica de Cultura Diadema

Endereço: Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135, Centro Diadema | Telefone: (11) 4061-3180

Música

SHOW VICTORIA SAAVEDRA

19/4, quarta-feira, das 19h às 21h | Atividade livre | Presencial na unidade

Literatura

LIVROS E HISTÓRIAS ABREM PORTAS: VAMOS DESCOBRIR QUAIS? COM KIUSAM OLIVEIRA

26/4, quarta-feira, às 14h | Atividade livre | Presencial na unidade

Fábrica de Cultura 4.0 de Iguape

Endereço: Praça Engenheiro Greenhalgh, 01, Centro Histórico – Iguape | Tel: (13) 3848-9300

Música

EXPANSÃO MUSICAL FEMININA DO VALE DO RIBEIRA COM TAYNA TRIGO

20/04, quinta-feira, às 19h | Livre | Online – Youtube

Fábrica de Cultura Jaçanã

Endereço: Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

Teatro

PODEROSA VITAMINA, UM MUSICAL INFANTIL

14/4, sexta-feira, das 10h e 14h30 | de 4 a 8 anos | Presencial na unidade

Teatro

ESPETÁCULO: O MAJESTOSO PLANO DE ALICE COM CIA FRIGIDEIRA

21/4, sexta-feira, 15h | maiores de 6 anos | Presencial na unidade

Música

WORKSHOP ZABUMBÊ-A-BÁ COM LIPE TORRE

26/04, quinta-feira, às 14h30 | maiores de 12 anos | Presencial na unidade

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Endereço: Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

Literatura

SLAM CORAGEM

20/04, quinta-feira, às 19h | Atividade livre | Presencial na unidade.

Núcleo de Moda

DESFILE TEMPO COM ESTÚDIO THGVEST

22/4, sábado, das 17h às 20h | maiores de 12 anos | Presencial na unidade

Fábrica de Cultura 4.0 de Osasco

Endereço: Rua Santa Rita, s/nº, Jardim Rochdale – Osasco | Tel: (11) 3689-7600

Cultura Tradicional

FULNI-Ô – A ETNIA QUE RESISTE POR SUA ORALIDADE

27 e 28/4, quinta e sexta-feira, às 14h e às 19h | Atividade livre | Presencial na unidade

Programação

27/04 às 19h | Roda de conversa: Vivência de Cantos e Danças, e roda de conversa com interação do público.

28/04 às 14h | Palha do Ouricuri: Vivência de artesanato típico dos Fulni-ô com palha do coqueiro Ouricuri.

Música

FESTIVAL BATUQUES ROCHDALE

29/4, sábado, às 13h | Atividade livre | Presencial na unidade

Programação

13h – Discotecagem Cultura na Calçada (Abertura)

15h – Bate-Papo Maracatu e origens

16h – Cortejo Baque Mulher

17h – Ouro do Congo

18h – Encerramento

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Endereço: Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Música

SHOW SERTANEJO SEM MISTURA

16/4, domingo, às 13h | Atividade livre | Presencial na unidade

Cultura Geral

SHOW ORGULHO DE SER CAROLINA COM CAROLINA OKAN

20/4, quinta-feira, às 15h | Atividade livre | Online – Facebook

————-

Funcionamento das unidades: De terça a sexta, das 9h às 19h.

Unidades Jardim São Luís, Vila Nova Cachoeirinha e Jaçanã: Finais de semana e feriados, das 12h às 17h.*

Unidades Brasilândia, Capão Redondo e Diadema: Aos sábados das 9h às 17h.*

Unidade Osasco: de terça a sexta das 9h às 18h.

Funcionamento das bibliotecas: De terça a sexta, das 9h às 19h. Aos finais de semana e feriados, das 11h às 17h, com exceção da unidade Capão Redondo, que aos sábados atende das 9h às 14h.

*Para conferir o horário exato de sua unidade, favor entrar em contato por telefone com a recepção.

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís, e Diadema, oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso tátil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braille, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e audiobooks).

Aniversário do Memorial da América Latina terá live com o cantor Nasi e seminário sobre patrimônio cultural

Eventos online integram as comemorações dos 33 anos da instituição e serão transmitidos ao vivo

O Memorial da América Latina, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, completa nesta sexta, 18, 33 anos de existência, reafirmando seu papel como espaço de reflexão, integração e difusão do saber e da arte latino-americana. Para celebrar a data, a instituição promove duas lives com transmissão ao vivo.

Na própria sexta, 18, a partir das 20h, o Instagram do Memorial transmite um bate-papo ao vivo com Nasi, vocalista da banda paulistana Ira!. Marcos Valadão Ridolfi, mais conhecido como Nasi, é cantor, compositor e produtor musical. Fundou a banda Ira!, em 1981, em parceria com Edgard Scandurra e Adilson Fajardo. Grupo lendário do rock nacional, tem músicas célebres, como “Envelheço na Cidade”, “Flores em Você” e “Eu Quero Sempre Mais”. Quem conduz a live é Fabrício Raveli, diretor do Departamento de Atividades Culturais do Memorial da América Latina.

No dia 10 de abril o vocalista do Ira! se apresenta com a banda no festival Rock Brasil 40 anos, que homenageia as grandes bandas nacionais da década de 80. O evento acontece entre os dias 27 de março e 21 de abril. Os ingressos estão à venda pelo site Ingresso Certo.

Já na próxima quinta, 24 de março, às 19h, o Memorial promove o seminário “Memorial 33 anos: patrimônio cultural e integração latino-americana”, com participação da professora Amanda Teixeira, que escreveu um artigo sobre a pintora paraense Antonieta Santos Feio e da professora Jacicarla Souza, autora do texto sobre o diplomata mexicano Alfonso Reyes, que contribuiu muito para o processo de integração cultural no começo do século XX. Ambos publicados  no último número da revista Nossa América, editada pelo Memorial, que celebrou os 100 anos da Semana de Arte Moderna e trouxe textos sobre os principais nomes do modernismo latino-americano. O evento será transmitido pelo canal do YouTube do Memorial da América Latina pelo endereço: www.youtube.com/MemorialdaAmericaLatinasp.

SERVIÇO:
Eventos em comemoração aos 33 anos do Memorial
Live com Nasi
Data: 18 de março, às 20h
Transmissão pelo Instagram: www.instagram.com/MemorialdaAmericaLatina

Seminário Memorial 33 anos: patrimônio cultural e integração latino-americana
Data: 24 de março, às 19h
Transmissão pelo YouTube: www.youtube.com/MemorialdaAmericaLatinasp
Link para inscrições: https://forms.gle/3G6dM3JibaWZrCXW9
Haverá emissão de certificado para inscritos.

Aniversário do MIS traz programação especial com clássico do cinema sonorizado ao vivo

Museu completa 52 anos de existência com exibição de “Deus e o Diabo na terra do sol”, filme de Glauber Rocha que terá trilha sonora exclusiva no local

No dia 29 de maio de 2022, o Museu da Imagem e do Som (MIS), instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, completa 52 anos de existência. E para celebrar a data, apresentará ao público uma edição especial do Cinematographo, programa do MIS inspirado na atmosfera das primeiras sessões de cinema que convida, a cada evento, uma banda ou músicos que realizam a sonorização ao vivo de filmes selecionados pela curadoria do museu.

Desta vez, será exibida uma sessão do filme Deus e o diabo na terra do sol, de 1964, um dos grandes clássicos do cinema brasileiro dirigido por Glauber Rocha. A produção ganha trilha sonora ao vivo sob o comando da Radio Diaspora e dos músicos Luiz Galvão e Leonardo Rocha.  O evento terá início às 15h, no Auditório MIS.

A Rádio Diaspora é formada por Wagner Ramos na bateria e eletrônicos e Rômulo Alexis no trompete, flautas, voz e efeitos. Luiz Eduardo Galvão é guitarrista, compositor, arranjador e improvisador. Já Leonardo Rocha iniciou sua trajetória musical em 2011 no projeto Fábricas de Cultura na região do Itaim Paulista, participando de diversas apresentações tocando percussão, além de mostras teatrais e intervenções no bairro.

O filme mostra traz a história de Manuel (Geraldo Del Rey), um vaqueiro que se revolta contra a exploração do coronel Moraes (Milton Roda) e assassina seu patrão em uma briga. Por esse motivo, ele passa a fugir de jagunços junto de sua esposa Rosa (Yoná Magalhães).

Os ingressos estão disponíveis na plataforma INTI e custam entre R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Mais informações podem ser obtidas por meio do site da instituição.

 

Serviço

Aniversário de 52 anos do MIS – CINEMATOGRAPHO ESPECIAL

Data: 29 de maio, às 15h

Local: Auditório MIS (172 lugares)

Ingressos: R$ 20 inteira, R$ 10 meia-entrada, disponíveis na plataforma INTI

Classificação indicativa: 14 anos

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo

Aniversário do Museu do Café, em março, será comemorado com instalação da artista Flávia Junqueira

Os visitantes encontrarão uma intervenção da artista paulistana no Salão do Pregão, onde poderão ver, de perto, o trabalho característico da fotógrafa e registrarem seus próprios cliques

Inaugurado em 12 de março de 1998, o Museu do Café (MC) – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – trabalha, desde então, para preservar e divulgar a importante história do grão que permeia, de forma tão significativa, a cultura brasileira. Este mês, o equipamento santista completa 24 anos e, com o intuito de celebrar, convidou a artista Flávia Junqueira para realizar uma intervenção no edifício. O público poderá visitar a instalação, composta de elementos comemorativos, nos dias 12 e 13, das 10h às 18h, gratuitamente.

A fotógrafa, que é doutora em Artes Visuais (Unicamp) e mestre em Poéticas Visuais (USP), criará uma instalação baseada nas suas obras icônicas, que têm como protagonista o balão de festa. Nessas composições, a artista promove cenários lúdicos em patrimônios históricos e pontos turísticos nacionais, para registrar cliques especiais. Ela já desempenhou esse trabalho em sua catalogação de teatros históricos do Brasil, além de espaços arquitetônicos relevantes, como na Sala São Paulo e no Parque Lage (Rio de Janeiro).

O projeto ganhará um aspecto diferente no Museu do Café, indo além do seu intuito original: um cenário para interação e sessão de fotos. A encenação, que será realizada no Salão do Pregão, fará parte da experiência de visitação durante o fim de semana. Portanto, o público terá a oportunidade de ver esse espaço emblemático do edifício com os complementos tão característicos das obras de Flávia. O objetivo é oferecer um momento imersivo, como entrar em uma de suas fotografias.

A instalação terá acesso livre e gratuito, assim como as demais áreas expositivas, bastando que as pessoas apresentem o comprovante de vacinação da covid-19 (digital ou físico) na entrada do Museu.

CentFest

A atividade integra, ainda, a agenda do CentFest, uma série de eventos idealizados para a celebração dos 100 anos do edifício da antiga Bolsa Oficial de Café. Com programações preparadas para todo o ano de 2022, o público pode esperar ações como: programa de residência artística, baile comemorativo e lançamento de livro sobre a história do café e as obras de conservação realizadas na fachada do patrimônio.

Museu do Café

Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico – Santos/SP

CEP: 11010-151

Telefone: (13) 3213-1750

Funcionamento: terça a domingo, das 9h às 18h (bilheteria encerra às 17h)

R$ 10,00 e meia-entrada para pessoas com mais de 60 anos, aposentados, estudantes, crianças e jovens entre 8 e 16 anos, professores da rede particular de ensino e jovens de baixa renda entre 15 e 29 anos

Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

museudocafe.org.br

Ano Novo Chinês no Memorial da América Latina

O espaço recebeu o Festival da Primavera no Auditório Simón Bolivar

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

A velha máxima brasileira de que o ano só começa após o Carnaval nunca fez tanto sentido. Especialmente para os chineses, que comemoraram a chegada do Ano Novo no dia 16/2!

O Memorial da América Latina não poderia ficar de fora dessa festa. O Festival Chinês da Primavera, como é conhecido o evento cultural em celebração do Chūnjié – Ano Novo Chinês – ganhou o palco do Auditório Simón Bolívar em apresentação única, que aconteceu no dia 22/2.

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

“Para conhecer um povo, observe seus poetas, seus artistas”, disse o secretário da cultura, José Luiz Penna.

Em comemoração à data, uma delegação artística de alta qualidade, composta por 43 artistas, apresentarão aos brasileiros e chineses residentes em São Paulo, o espetáculo “Si Hai Tong Chun – Primavera em Todo o Mundo – com apresentações de acrobacias, magia e outras performances fantásticas! Este festival viaja o mundo apresentando as diferentes culturas da China.

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Organizado pelo Consulado-Geral da China em São Paulo, o Festival da Primavera das Culturas da China acontece simultaneamente em vários países do mundo, promovendo a difusão e o intercâmbio cultural entre diversas nações. O evento contou com a presença da Cônsul-Geral da China, sra. Chen Peijie.

Em seu discurso, Penna deu uma boa notícia ao público:

“A Secretaria da Cultura do Estado está atenta aos movimentos circenses e trará, nesse ano, o 1º Festival Internacional do Circo, arte que os chineses dominam em grande maestria!” 

O evento tem previsão para acontecer no Anhembi, entre os dias 2 e 6/5/2018.

Ano Novo Chinês, festival geek e apresentação de circo estão entre os destaques da programação

A agenda de atrações da Secretaria da Cultura traz, também, um Concerto gratuito, na Sala São Paulo, e o Festival Literário Pretinhas
Quem mora ou estiver em São Paulo nos próximos dias, pode aproveitar uma agenda cultural diversificada, e com várias opções gratuitas sugeridas pela Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo. O Museu da Imigração terá programação especial para comemorar o Ano Novo Chinês. No sábado e domingo, o público poderá conferir uma série de atividades que revelam um pouco mais sobre a medicina, cultura, música e culinária chinesa, como aulas de Tai Chi Chuan, oficina de gastronomia com a Chef Jiang Pu e a famosa dança do dragão e do leão chinês, além de uma demonstração de luta de Kung Fu.
A programação conta, ainda, com o Diadema Geek Fest 2024, na Fábrica de Cultura Diadema, no sábado (17/02), com atrações musicais, exposições de arte, oficinas de desenhos e muito mais. Todas as atividades são gratuitas.
No domingo (18/02), a partir das 17h, o Mundo do Circo apresenta o espetáculo A Casa do Gelatina. Haverá participação especial do Dojo Samuru, de aikidô, com 10 alunos aikidocas que participam do espetáculo junto ao palhaço Gelatina.
Para os amantes da música clássica, a Sala São Paulo receberá, na quinta-feira (22/02), o Concerto gratuito – Finalistas do Concurso de Compositoras Latino-Americanas. Os ingressos poderão ser retirados no site da Osesp, na sexta-feira (16/02), a partir do meio-dia.
Outra alternativa é o Festival Literário Pretinhas, sexta e sábado (23 e 24/02), que acontecerá na Fábrica de Cultura da Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte da Capital. O objetivo é incentivar a leitura infantojuvenil e contribuir para que crianças negras se vejam representadas nas histórias que leem.
Confira a programação completa: 
1º Festival Literário Pretinhas – Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha 
Quando? 23 e 24 de fevereiro de 2024, das 11 às 18 horas

Onde? Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital,  R. Franklin do Amaral, 1.575

Saiba mais: Tem como objetivo incentivar a leitura e produção literária infantojuvenil, além de incentivar o pertencimento, orgulho de ser quem se é, autoestima,  empoderamento ligado à ancestralidade. O festival terá a dinâmica de uma feira literária com 20 expositoras negras. Além da Feira Literária, o público prestigiará: oficina de grafite inspirada no livro “Minha Mãe é Negra Sim”; oficina de dança inspirada no livro: “Betha, a bailarina pretinha”; oficina de musicalidade inspirada no livro: “A menina e o tambor”; Oficina de brincadeiras africanas inspiradas no livro: “As brincadeiras africanas de Weza”; oficina de tranças inspirada no livro: “Os mil cabelos de Ritinha”; etc.

Diadema Geek Fest 2024
Quando? 17/2, às 10h às 18h

Onde? Fábrica de Cultura Diadema

Saiba mais: Se você gosta de cultura geek, o Diadema Geek Fest 2024 é para você! O evento pretende proporcionar entretenimento para todos os gostos com atrações musicais, exposições de arte, workshops de desenhos e muito mais.

Museu da Imigração – Ano Novo Chinês
Quando? 17 e 18 de fevereiro, das 10h às 14h

Onde?  Museu da Imigração – Rua Visconde de Parnaíba, 1.316

Saiba mais: O público poderá desfrutar de uma série de atividades que revelam um pouco mais sobre a medicina, cultura, música e culinária chinesa como aulas de Tai Chi Chuan, atendimento de auriculoterapia, contação de histórias e pintura para crianças, roda de conversa sobre Chinatowns, oficina de gastronomia com a Chef Jiang Pu e a famosa dança do dragão e do leão chinês, além de uma demonstração de luta de Kung Fu.

  • R$16 inteira ou R$ 8 meia (aos sábados a entrada é gratuita). Mais informações Museu da Imigração

Concerto gratuito – Finalistas do Concurso de Compositoras Latino-Americanas
Quando? 22/2, às 19h30

Onde? Sala São Paulo, Praça Júlio Prestes, 16 – Campos Elíseos, São Paulo

Saiba mais: A compositora brasileira Denise Garcia e as argentinas Eva García-Fernandez e Stephanie Macchi são as três finalistas do Concurso Compositoras Latino-Americanas promovido pela Fundação Osesp e se apresentarão na Sala São Paulo. A regência será de Thierry Fischer, Diretor Musical e Regente Titular da Orquestra, e o programa será aberto com outra composição inédita: “Boitatá”, da brasileira Clarice Assad.

  • Os ingressos são gratuitos e poderão ser retirados no site na próxima sexta-feira, 16 de fevereiro, a partir do meio-dia. Mais informações neste link. Transmissão ao vivo no YouTube da Osesp – @videososesp.

A Casa do Gelatina no Mundo do Circo
Quando? 18 de fevereiro, às 17h

Onde? Mundo do Circo, Av. Cruzeiro do Sul, 2.630 – Carandiru, São Paulo – SP

Saiba mais: Espetáculo A Casa do Gelatina, recebendo uma participação especial do Dojo Samuru, de aikidô, com 10 alunos aikidocas que participam do espetáculo junto ao palhaço Gelatina.

Baile de Carnaval – Falas do Corpo
Quando? 22 de fevereiro (quinta-feira), às 14h

Onde? No Saguão B do Museu da Língua Portuguesa

Saiba mais: Para fechar a programação do Carnaval do Museu, o projeto Falas do Corpo, voltado principalmente para pessoas com mais de 60 anos, promove um Baile da Melhor Idade com muito samba, axé music e marchinhas.

Universidade do Livro e Casa Guilherme de Almeida lançam Programa Formativo para Tradutores Literários

Quando? De março a outubro. Encontro de abertura on-line em 19/3/24.

Onde? On-line, pelo Google Meet

Saiba mais: O objetivo é proporcionar aos participantes a experiência prática da tradução literária e aprofundar o entendimento dos discursos contemporâneos nos Estudos da Tradução. Destina-se a estudantes, pós-graduandos, tradutores, editores, revisores e interessados em tradução com afinidade pela linguagem literária e proficiência em inglês ou espanhol. 

  • Para mais informações e inscrições, confira aqui. R$2.450, o pagamento pode ser parcelado em até dez vezes. Mais informações estão disponíveis aqui.

Troca de Sementes e Memórias 
Quando? 24 de fevereiro, das 10h às 13h

Onde? Oficina Cultural Alfredo Volpi, Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera

Saiba mais: Terá a troca de sementes e memórias com a presença da convidada Dona Helena, integrante do Viveiro Escola Mulheres do GAU (Grupo de Agricultura Urbana), que apresentará alguns tipos de sementes e como podem ser preservadas. A turma participante terá contato com o  processo de produção de mudas, como evitar gastos com fertilizantes e agrotóxicos, mantendo o alimento orgânico e livre de toxinas, além de encontrar alternativas para a  geração de renda no território onde vivem.

  • Livre. Sem a necessidade de inscrição. Gratuito. Mais informações Alfredo Volpi

Projeto Guri –  cursos gratuitos de música

Quando? De 29 de janeiro até 22 de março

Onde? Na região da capital e Grande São Paulo 

Saiba mais: O Guri, programa de educação musical da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Governo do Estado de São Paulo, oferece 17.557 mil vagas distribuídas nos 44 polos localizados na Capital e Grande São Paulo. Os interessados devem entrar em contato diretamente com o polo de sua preferência. Para participar do programa, não é preciso ter conhecimento musical e nem possuir instrumento.  O Guri oferece cursos regulares de iniciação musical (de 6 a 9 anos) e curso sequencial (10 a 18 anos), este oferece a oportunidade de aprender a cantar ou a tocar um instrumento de forma fundamentada e consistente. Há aulas de violino, viola, violoncelo, contrabaixo acústico, flauta doce, flauta transversal, etc.

Lançamento de livro – “Azeytonas em Brasa”
Quando? Dia 24/02, das 16h às 18h.

Onde? Biblioteca de São Paulo, Av. Cruzeiro do Sul, 2.630

Saiba mais: Em 2023, os participantes da primeira edição do Ateliê de Criação Literária puderam desenvolver suas habilidades de escrita em prosa e verso junto a escritores que são referências na literatura contemporânea brasileira. Para coroar o fim desse ciclo, a Biblioteca de São Paulo promove o lançamento da antologia exclusiva “AZEYTONAS EM BRASA: autores para degustar {vivos}” que reúne, a partir da curadoria de Olyveira Daemon, os melhores textos produzidos pelos “atelienses”. A festa contará, também, com uma intervenção artística do grupo Contadores de Mentira, que acontecerá no auditório da biblioteca, e com um show de jazz do Trio da Tica, na tenda externa.

  • Gratuito, mais informações BSP

Bate-papo Mulheres na Ciência 
Quando? 23 e 29 de fevereiro, às 15h (23/02) e 11h (29/02)

Onde? Fábrica de Cultura Vila Curuçá

Saiba mais: Para celebrar o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência (11/2), a equipe de Bibliotech inspirada no livro: “101 mulheres incríveis que transformaram a ciência”, de Claire Philip e Isabel Muñoz, fará um bate-papo sobre as cientistas que revolucionaram o mundo da ciência.

Antirracismo em Museus é tema do Sonhar o Mundo 2023

Encontros fornecerão recursos para a prática antirracista em todas as esferas do processo museológico, como na gestão de equipe, conservação de acervos, pesquisa e comunicação com o público

Neste ano, o ciclo de formação do Sonhar o Mundo tem como proposta apresentar e discutir tópicos sobre o antirracismo em museus e será conduzida pela educadora, historiadora e museóloga Suzy Santos, com ampla atuação e pesquisa em políticas públicas para o patrimônio e museus de base comunitária. A assistente do projeto e também mediadora das atividades, Carolina Rocha, é historiadora e museóloga do Museu das Favelas.

A partir dos debates feitos no 12º Encontro Paulista de Museus e das terminologias da nova definição de museus do ICOM, as oficinas do Sonhar o Mundo pretendem ampliar o combate ao racismo institucional e contribuir com perspectivas para o fortalecimento da diversidade nas instituições. 

“Exige-se cada dia mais que os museus estejam de fato a serviço da sociedade e reflitam sua pluralidade, buscando atingir objetivos como serem acessíveis, inclusivos, de promoção das diversidades e debates propositivos sobre sustentabilidade, como preconiza a nova definição de museus. Deve-se assumir uma postura antirracista e realizar de forma permanente ações que reflitam um posicionamento institucional consciente e comprometido”, afirmam Suzy Santos e Carolina Rocha.

Programação

A grande novidade do ciclo 2023 é a programação híbrida, composta por seminários virtuais e encontros presenciais nos Polos macrorregionais do SISEM-SP, e dividida em três etapas: a primeira com três noites de seminários virtuais, realizados em julho e abertos ao público mediante inscrição prévia. 

A segunda com atividades presenciais em cada uma das instituições-sede dos 7 Polos Macrorregionais do SISEM-SP, que ocorrerão ao longo do segundo semestre de 2023, de forma presencial e com aproximadamente 20 participantes, dedicados aos profissionais de museus e instituições culturais, especialmente das áreas de gestão, curadoria, comunicação, acervo, pesquisa e educação. 

A terceira e última etapa do ciclo 2023 refere-se à compilação de instruções e informações obtidas durante as atividades presencial e virtual para a publicação de um documento de orientação sobre práticas antirracistas em museus.

 

Sonhar o Mundo

O Sonhar o Mundo é uma iniciativa da Secretaria de Cultura, Economia e Indústrias Criativas do Estado de São Paulo, por meio da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico e do Sistema Estadual de Museus, que busca articular e mobilizar discussões sobre a atuação dos museus em respeito e defesa dos Direitos Humanos. 

Por meio de oficinas formativas dedicadas aos profissionais de museus, o projeto pretende qualificar equipes para atender à diversidade de visitantes e aprofundamento em pautas da contemporaneidade. As ações visam reconhecer a contribuição dos museus para a formação de uma mentalidade coletiva, com solidariedade e respeito à diversidade cultural. Ao longo dos anos já foram contempladas as temáticas de deficiência e acessibilidade em museus, direitos das mulheres, solidariedade e cultura como direito. 

Confira a programação do Sonhar o Mundo:

Etapa 1 – Seminário virtual “PERFORMANCES MUSEOLÓGICAS PARA ALÉM DA ELOQUÊNCIA ANTIRRACISTA”

Datas: 17, 18 e 19 de julho de 2023

Horário: das 19h às 21h

Palestrantes: Casé Angatu Xukuru, Vanessa Marinho e Bruno Naomassa Hayashi, Solange Feliciano e Joseania Miranda Freitas

Local: plataforma Zoom – haverá interpretação de libras e legendas ao vivo*

Etapa 2 – Oficinas presenciais nos Polos SISEM-SP 

Duração da atividade formativa: das 13:30 às 17h

Datas e Locais:

25/07 –Polo 6 – Pinacoteca de São Bernardo do Campo – São Bernardo do Campo

04/08 – Polo 7 –  Museu do Folclore – São José dos Campos

10/08 – Polo 1 – Pinacoteca de São José do Rio Preto – São José do Rio Preto

23/08 – Polo 2 – Museu Histórico Regional Saburo Yamanaka – Bastos

24/08 – Polo 2 – Museu Histórico e Pedagógico de Garça – Garça

06/09 – Polo 3 – Museu da Imagem e do Som José da Silva Bueno – Ribeirão Preto

27/09 – Polo 4 – Museu Major José Levy Sobrinho – Limeira

10/10 – Polo 5 – Museu Histórico Paulo Setúbal – Tatuí

Aprenda a fotografar com o smartphone no workshop de Erick Amarante

O artista visual e fotógrafo Erick Amarante estará na Secretaria de Cultura na quarta-feira, 5 de dezembro, às 16h00, para a “Palestra + Workshop ENTREMUNDOS – SMART”.

Das 16h00 às 17h30, será a vez do WORKSHOP, onde o artista estimulará nos participantes o “fazer criativo” pela produção de imagens com smartphone. Ensinará técnicas de fotografar com o aparelho celular e dará dicas de como trabalhar imagens com apps e recursos da câmera, de acordo com o método de observação goetheanística, do filósofo alemão Johann Goethe, que é baseado na premissa do “observar fora para entender dentro”.

Após o workshop, das 18h00 às 19h00, Erick Amarante fará uma PALESTRA em que apresentará seus projetos artísticos, como ENTREMUNDOS – SMART, que dá nome a este evento, e outros projetos 100% feitos com smartphone, falará sobre economia criativa, o processo de criação artística, o poder do pensamento e a nossa responsabilidade perante a realidade à volta, sempre focando na sua referência de trabalho e pesquisa, que é o pensamento de Goethe.

Foto: Erick Amarante

+INFOS

onde fica?

Para assistir à palestra não é necessário inscrição. Entretanto, o workshop tem vagas limitadas e, por isso, a inscrições (gratuitas!) devem ser feitas até o dia 03/12 pelo e-mail: lbveltrone@sp.gov.br

Recado aos participantes do Workshop

Recomenda-se instalar previamente no smartphone um dos seguintes apps: Camera 360, Snapseed, PicsART ou Lightroom CC!

Aprendizes das Fábricas de Cultura realizam grafite para o museu Casa das Rosas

Painéis homenageiam Carolina Maria de Jesus, Luís Gama e remontam a história e a personagens como o Ramos de Azevedo e Haroldo de Campos. Evento também será transmitido ao vivo pelo Instagram do museu e das Fábricas de Cultura.

No dia 5 de dezembro, a partir das 10h, quem estiver passado pela Avenida Paulista e visitar o jardim da Casa das Rosas, poderá acompanhar cerca de 20 jovens aprendizes dos Ateliês de Artes Gráficas e Grafite e a Trilha de Arte Urbana das Fábricas de Cultura (Vila Nova Cachoeirinha e Diadema) finalizando dois grandes painéis de grafites que serão instalados em frente aos tapumes que circundam a Casa das Rosas, que está sendo restaurada.

A proposta da ação surgiu ainda em outubro de 2021, quando os mais de 22 jovens que formam as turmas dos ateliês das duas unidades realizaram uma visita imersiva ao museu para conhecer a história do espaço cultural, localizado em uma das avenidas mais famosas da cidade. O encontro no espaço resultou em reflexões sobre as possíveis conexões artísticas entre as periferias e o centro da cidade.

“A Fábrica de Cultura e a Casa das Rosas são espaços culturais potentes de sociabilização, coletividade e criatividade. Desenvolver ações nesse ambiente cultural fortalece   o desenvolvimento individual e coletivo dos aprendizes e de toda comunidade que frequenta, possibilitando assim o acesso e o direito a arte, cultura e educação, na periferia e no centro da cidade”, comenta o arte-educador Jardélio Santos, da Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, que está orientando as turmas do Ateliê de Artes Visuais e da Trilha de Artes Urbanas.

Já o arte-educador Pixote Mush, da Fábrica de Cultura Diadema, relembra que nenhum dos aprendizes acreditava que um museu na principal avenida da cidade pudesse ser ocupado dessa forma. O projeto, desenvolvido de forma coletiva, permitiu aos aprendizes a vivência em todas as etapas de uma produção artística profissional.

“Essa oportunidade nos trouxe a situação real de um trabalho de arte, diferente de quando saímos para pintar um muro no bairro com os amigos ou mesmo das atividades desenvolvidas no ateliê, que tem o foco maior no trabalho autoral de cada aprendiz, desenvolvendo estilo e poética de suas criações. Decidimos olhar a Casa das Rosas como um cliente e lhe entregar um trabalho a altura de sua importância”, conta Pixote Mush, arte-educador que está orientando os aprendizes do Ateliê de Grafite na Fábrica de Cultura Diadema.

Sobre o painel desenvolvido pelos jovens aprendizes da Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, o grupo optou por resgatar duas figuras importantes para a literatura brasileira: Carolina Maria de Jesus e de Luiz Gama. A proposta da obra era unir a ideia de um espaço voltado para a literatura e arte, como a Casa das Rosas, com personalidades ligadas as regiões em que as Fábricas de Cultura estão localizadas.

“Os personagens são representativos para nossa luta constante na periferia. Por isso o desejo de ocupar, de dar forma, de ser visto na Paulista. O centro também é da periferia e devemos poder ocupar todos os espaços da cidade”, diz o arte-educador Jardélio Santos.

Já a Fábrica de Cultura Diadema, a proposta foi trazer para a estética do grafite a história que os aprendizes descobriam ao visitar a Casa das Rosas. “Executamos um trabalho com estéticas autorais, mas com os elementos simbólicos que remontam a história e a personagens como o Ramos de Azevedo, Haroldo de Campos, além de elementos como os ladrilhos das paredes e as rosas dos jardins. Tudo no melhor estilo do grafite”, revela o arte-educador Pixote Mush.

Com os painéis grafitados, que juntos chegam a 10 metros, o museu se manterá vivo mesmo fechado para a visitação interna. A previsão é que esses trabalhos fiquem expostos por seis meses. Quem não puder ir até o espaço poderá acompanhar o processo de finalização que ocorrerá no jardim no museu pelo Instagram das Fábricas de Cultura e da Casa das Rosas.

O programa Fábricas de Cultura é da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. As unidades do programa localizadas nas regiões Norte (Brasilândia, Vila Nova Cachoerinha e Jaçanã), Sul (Capão Redondo e Jardim São Luís), além da unidade Diadema, são gerenciadas pela Poiesis.

SERVIÇO:

GRAFITE NO JARDIM

Com aprendizes das Fábricas de Cultura Diadema e Vila Nova Cachoeirinha

Domingo, 5 de dezembro, das 10h às 15h.

Ação presencial: Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô).

Essa atividade faz parte da programação da Paulista Poética 2021, evento que marca o aniversário da Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura.

Transmissão ao vivo pelo Instagram das Fábricas de Cultura e da Casa das Rosas.

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 | Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Diadema 

Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso tátil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braille, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e audiobooks).

E-mail: contato@fabricasdecultura.org.br

Devido à pandemia da Covid-19, a programação cultural vem ocorrendo de forma on-line. Todas as atividades são gratuitas. Saiba mais no hotsite +Cultura e no site das Fábricas de Cultura.

*Sujeito às mudanças mediante orientações dos órgãos responsáveis.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que promovem diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2020 e 2021, o Programa Fábricas de Cultura – instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis – conta com o patrocínio do Instituto Center Norte por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui para a realização de atividades de formação e difusão cultural.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Poiesis – Coordenação de Comunicação

Carla Regina | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Assessoria de Imprensa 

Mariana Lima | (11) 4096-9852 | marianalima@poiesis.org.br

Jariza Rugiano | (11) 4096-9810 | jarizarugiano@poiesis.org.br

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo
Assessoria de Imprensa
(11) 3339-8116 / (11) 3339-8162

imprensaculturasp@sp.gov.br

Acompanhe a Cultura: Site | Facebook | Instagram | Twitter | LinkedIn | YouTube

Apresentação da Jazz Sinfônica no Ibirapuera será exibida na TV Cultura no próximo domingo

No espetáculo sonoro e visual, o grupo revela suas raízes ao levar uma roupagem orquestral à música popular brasileira. (mais…)

Apresentações e debates dos povos Guarani Mbya, Guarani Nhandewa e Tupi-Guarani compõem o Ciclo de Cultura Tradicional, em Mongaguá

Expressões culturais das aldeias localizadas em Mongaguá (SP) estarão reunidas no último encontro presencial do CCT 2022 

O Ciclo de Cultura Tradicional (CCT), realizado por Oficinas Culturais – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis, celebra as manifestações culturais indígenas, em Mongaguá, no dia 26 de novembro, sábado, a partir das 16h. O encontro traz apresentações de dança, canto e trabalhos artesanais de aldeias indígenas dos povos Guarani Mbya, Guarani Nhandewa e Tupi-Guarani, localizadas na cidade do litoral sul. O público também poderá assistir a estreia do curta-metragem Nhandereko: canto de proteção, dirigido por Ataíde G Vilharve. 

A programação do Ciclo é gratuita e acessível em Libras. Por Mongaguá, o objetivo é ampliar as reflexões sobre os costumes e resistência dos Guarani nesta e em outras regiões do país. No encontro do dia 26, o projeto conta com a correalização da Prefeitura Municipal de Mongaguá, por meio da Diretoria Municipal de Cultura. 

Ao longo de nove edições, o CCT reúne os públicos com agentes culturais, lideranças, mestres e pesquisadores de diferentes regiões do estado paulista. Assim, colabora com a troca de saberes entre os participantes e na valorização das tradições culturais caipiras, indígenas, afro-brasileiras, caiçaras, migrantes e imigrantes. 

O encerramento do CCT 2022 será veiculado pelo canal de YouTube das Oficinas Culturais no dia 1º de dezembro, a partir das 19h, quando os documentários em curta-metragem – lançados ao longo dos encontros pelo interior e litoral paulista – serão transmitidos junto aos debates com os respectivos diretores. 

Atrações do Ciclo de Cultura Tradicional em Mongaguá:

26/11 – sábado

Local: Praça Fernando Arens – Av. Marina, s/n, Centro

Acessível em Libras

Programação

16h às 20h30

ARTESANATO

Aldeia Aguapeú, Aldeia Cerro Korá, Aldeia Itaoca Tupi e Aldeia Nhanderupo 

Moradores das aldeias Aguapeú, Cerro Korá, Itaoca Tupi e Nhanderupo expressam sua cultura ancestral indígena por meio de uma das bases da economia de suas comunidades: o artesanato.  Esculturas em madeira, cestas, além de adornos e joias feitas de conchas, sementes, penas, miçangas e fios estarão expostas. 

Sobre as aldeias participantes:

Aldeia Aguapeú está localizada em reserva ambiental da Mata Atlântica, em Mongaguá. A comunidade Guarani Mbya de Aguapeú, que concebeu o projeto “Jaguatareí Nhemboé: caminhando e aprendendo”, desenvolve trabalho de Turismo de Base Comunitária, promovendo atividades de visitação e divulgando a importância da terra para a cultura Guarani;

 

Aldeia Cerro Korá mantém as raízes Tupi-Guarani. No local, vivem cerca de 40 pessoas, entre adultos e crianças, preservando a ancestralidade, além de manifestações como as danças do Xondaro, Tangará e o canto Mborai marãe’y. A comunidade produz peças artesanais e a venda contribui para a divulgação da cultura e de seu modo de vida;

 

Aldeia Itaoca Tupi está situada em meio à diversidade da fauna e flora da Mata Atlântica, em Mongaguá. Pertencente à etnia Guarani Nhandewa, a comunidade composta por 25 famílias vende artesanatos tradicionais, plantas e palmitos. Em fase de fortalecimento cultural da sua ancestralidade, utiliza o canto para expressar a valorização de seu povo e agradecer à Nhanderu por toda a natureza, sua casa;

 

Aldeia Nhanderupo é composta por 22 moradores da etnia Guarani. A agricultura (banana e palmito) é a base da economia da comunidade, bem como a venda do artesanato. A cultura e o conhecimento ancestral é mantido por meio da língua guarani, prioritariamente falada entre seus membros. 

16h às 19h | Apresentações

CANTO, DANÇA E CULTURA ANCESTRAL
Aldeia Itaoca Tupi, Aldeia Aguapeú, Aldeia Nhanderupo e Aldeia Cerro Korá 

O grupo Txondario e Txondaria da Aldeia Itaoca Tupi apresenta seu canto em agradecimento a Nhanderu, à natureza e aos visitantes. Na sequência, a Aldeia Aguapeú traz suas músicas tradicionais e a dança do Xondaro. Por meio do Coral Guatapu, a Aldeia Nhanderupo apresenta seus cânticos e destaca a importância da manutenção da tradição e da língua. Para encerrar, a Aldeia Cerro Korá apresenta as danças do Xondaro, Tangará e o canto do grupo Mborai marãe’y. 

19h | Filme

NHANDEREKO: CANTO DE PROTEÇÃO

Direção: Ataíde G Vilharve | BRA | 2022 | Doc | 15 min

Ambientado em aldeias de origem Guarani Mbya (Aguapeú, Cerro Korá e Nhanderupo), localizadas em Mongaguá (SP), o filme retrata o modo de ser indígena em diálogo com a natureza, a importância do território para a sobrevivência da cultura originária e do canto para fortalecimento do nhandereko e sua proteção. Nos conhecimentos ancestrais dos Guarani Mbya, nhandereko significa bem viver, os costumes desse povo. Após a exibição, haverá bate-papo com Trudruá Dorrico e Ataíde G Vilharve (diretor).

Sobre os convidados:

Trudruá Dorrico pertence ao povo Macuxi. Doutora em Teoria da Literatura pela PUCRS, administradora do perfil @leiamulheresindigenas no Instagram e do canal no YouTube “Literatura Indígena Contemporânea”. Também atuou como curadora da I Mostra de Literatura Indígena no Museu do Índio (UFU). Ainda é poeta, escritora, palestrante e pesquisadora de literatura indígena, autora da obra “Eu sou macuxi e outras histórias” (Caos e Letras, 2019).

 

Ataíde G Vilharve é Vherá Mirim, nome nativo e sagrado para o povo Guarani Mbya. Idealizador e coordenador da Mídia Mbya, canal de comunicadores indígenas do Vale do Ribeira (SP), e pesquisador da PARI-c (Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à Covid-19). Graduando em Tecnologia da Gestão Pública pela UNINOVE, cursou Gestão de Segurança Pública e Privado pela Faculdade Orígenes Lessa. 

20h | Show

OZ GUARANI

Direto da Terra Indígena Jaraguá, do povo Guarani Mbya, o grupo de rap Oz Guarani, junto ao Coral Mbaraeté, chega a Mongaguá para interpretar canções de resistência e fortalecimento da luta indígena por seus direitos. Seus integrantes, xondaros e xondárias, apresentam rimas e melodias que enaltecem a cultura e a diversidade dos povos originários e expõem suas necessidades.

Oz Guarani foi fundado em 2014, por Karai Djeguaka Xondaro. O grupo interpreta canções de resistência e fortalecimento da luta indígena A partir das rimas, expõe as necessidades de seu povo, relata os problemas diários sofridos em sua comunidade e narra o conflito histórico pela demarcação de terras.

 

Agenda de encerramento do Ciclo de Cultura Tradicional 2022:

Virtual: documentários transmitidos pelo canal de YouTube do programa Oficinas Culturais – clique aqui

01/12 – quinta-feira

Acessível em Libras

Programação

19h | Filme

DO CONGO À CONGADA: DEVOÇÃO A SÃO BENEDITO

Direção: Daniel Aguiar | BRA | 2022 | Doc | 18 min

 

O encontro entre dois grupos de congada da cidade de Franca, interior de São Paulo: Congada Três Colinas e Congada Os Marinheiros de Franca. Norteado pela essência dessa manifestação, com depoimentos e imagens do festejo, o filme aborda a importância da tradição e da cultura popular nos tempos atuais.

 

Após a exibição, haverá bate-papo com Daniel Aguiar (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

19h30 | Filme

JONGUEIROS DO AMANHÃ

Direção: Pedro Japa | BRA | 2022 | Doc | 21 min 

Na comunidade do Tamandaré, o Jongo é uma das culturas que dá ritmo ao bairro e traz pessoas de diversas regiões e estados para acompanhar suas festividades. Porém, entre o som do tambu e a fogueira, surge a preocupação de como manter viva essa tradição diante de avanços tecnológicos e desafios geracionais. 

Após a exibição, haverá bate-papo com Pedro Japa (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior. 

20h | Filme

KARAOKÊ: SOLTE SUA VOZ

Direção: Elica Ito | BRA | 2022 | Doc | 15 min 

Vivendo em um país do outro lado do mundo, imigrantes japoneses adaptaram-se ao Brasil, mas preservaram tradições da terra natal. Na música, os festivais de karaokê constroem essa relação entre o passado e o presente, com artistas amadores entoando canções do Japão. 

Após a exibição, haverá bate-papo com Elica Ito (diretora) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

 

20h30 | Filme

SÃO PEDRO, PESCADOR

Direção: J. Valpereiro | BRA | 2022 | Doc | 15 min 

O filme retrata os pescadores do bairro de São Francisco e a comunidade católica de São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo. Seus cotidianos, contados da perspectiva de um observador, levam a reflexões acerca da construção da fé nas comunidades. 

Após a exibição, haverá bate-papo com J. Valpereiro (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior. 

21h | Filme

NHANDEREKO: CANTO DE PROTEÇÃO

Direção: Ataíde G Vilharve | BRA | 2022 | Doc | 15 min 

Ambientado em aldeias de origem Guarani Mbya (Aguapeú, Cerro Korá e Nhanderupo), localizadas no município de Mongaguá, Litoral Sul de São Paulo, o filme retrata o modo de ser indígena em diálogo com a natureza, a importância do território para a sobrevivência da cultura originária e do canto para fortalecimento do nhandereko e sua proteção.

Após a exibição, haverá bate-papo com Ataíde G Vilharve (diretor) e Antonio Filogenio de Paula Junior.

A programação do Ciclo também está disponível no site do programa Oficinas Culturais: agenda em Mongaguá e encerramento. 

Apresentações gratuitas de música e dança em Cidade Tiradentes

Quem passa pela Avenida Paulista aos domingos já se acostumou com as inúmeras apresentações musicais no percurso da via. No entanto, em bairros mais afastados do centro, atividades culturais nas ruas, apesar de regulamentadas, não acontecem com tanta frequência. Com o objetivo de mudar este cenário, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo criou o projeto “SP Cultura na Rua”, que leva shows gratuitos para as periferias de São Paulo.

A iniciativa já passou pelos bairros Cidade Tiradentes, Vila Nova Cachoeirinha, Capão Redondo, Jardim São Luís, Brasilândia, Belém e Jaçanã, e retorna para Cidade Tiradentes no próximo sábado, 30 de junho, no coreto da Av. dos Metalúrgicos, das 13h00 às 17h00, com os cantores Juci Nascimento, Rachell Luz e Karin Martins e o grupo de dança Mickey Dancers.

Conheça os artistas

Música

Juci Nascimento já atuou em Big Bands cantando os mais variados estilos musicais. Desde 2010, se apresenta em cruzeiros marítimos pela costa brasileira e Europa. Atualmente, também é vocalista na Seleção Brasileira de Rock’n Roll – projeto que reúne grandes nomes do Rock nacional e internacional – e desenvolve seu trabalho solo em voz e violão em bares e hotéis de São Paulo, com repertório que inclui pop rock nacional e internacional e MPB.

Rachell Luz, cantora e compositora paulistana, foi vocalista da banda de forró “Forrueiros”. Morou nos Estados Unidos por quase cinco anos, onde formou-se como cantora e compositora e gravou seu primeiro disco autoral “Kel”, em 2016, com a participação de Seu Jorge. Suas músicas mesclam influências brasileiras com o pop norte-americano. Rachell já dividiu o palco e projetos com Marcos Valle, Guinga e Seu Jorge e atua com grande influência de ídolos como Milton Nascimento, Marisa Monte, Gilberto Gil, Tim Maia, Lenine, Fagner, Elba Ramalho e Elis Regina.

Foto: Mike Bonfim

Karin Martins despertou para a música aos três anos de idade, quando dedilhou as cordas do violão de seu avô e tirou as primeiras melodias. Começou a estudar música ainda criança e, mais tarde, conquistou a Argentina, onde foi convidada para tocar músicas brasileiras em diversas casas. Karin, que divide seu tempo entre a carreira musical e a preparação vocal de cantores e atores, mistura as raízes da MPB com Samba Jazz e Groove. Seu primeiro álbum, “Quem é você?”, foi lançado em 2016.

Dança

O grupo de dança Mickey Dancers apresenta coreografias diversas, especialmente zumba e ritmos, nas Fábricas de Cultura da Zona Leste. O grupo existe há cinco anos e é formado por dez integrantes

Onde

Aprimoramento dos editais do programa de ação cultural para 2018

O Coordenador da UFC convida a dar suas sugestões para aprimoramento dos editais do Programa de Ação Cultural (mais…)

Aproveite as atrações da Secretaria da Cultura do Estado durante o feriado prolongado

Museus, bibliotecas, Oficinas Culturais e a Sala São Paulo oferecem atividades para todas as idades. (mais…)

Aproveite o feriado de Tiradentes na #CulturaSP!

O fim de semana do feriado de Tiradentes tem opções culturais para todos os gostos e idades: exposições, música, artesanato e muita diversão!

Selecione uma das opções abaixo para conhecer a programação:


MUSEUS


BIBLIOTECAS


FÁBRICAS DE CULTURA


OSESP

MUSEUS

Capital

O MIS inaugura, no sábado, 21/4, a mostra Maio Fotografia no MIS 2018. A abertura, a partir das 14h, tem entrada gratuita e traz também rodas de conversa com Walter Carvalho, Ronaldo Entler e Laura Del Rey. Confira detalhes no site https://www.mis-sp.org.br/.

Também no sábado, a Pinacoteca de São Paulo realizará a primeira edição da Contação de História em Libras (Língua Brasileira de Sinais) em 2018. A narrativa, liderada pela educadora surda Sabrina Denise Ribeiro e pela intérprete de Libras Elisabeth Figueira, será construída a partir da obra Praia de Biarritz (1913) de Paul Michel Dupuy, em exposição na mostra “Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo”. A atividade começa às 15h e é gratuita e aberta a surdos e ouvintes. Não é necessária inscrição prévia e o ponto de encontro será a sala 09 – segundo andar da Pina Luz.

O Museu da Casa Brasileira recebe o Mercado das Madalenas – uma feira de produtos autorais e exclusivos – especial de Dia das Mães. Sábado e domingo, 21 e 22/4, das 10h às 20h, mais de 100 expositores de diversos segmentos estarão expondo seus produtos. O público poderá conferir também as exposições de longa duração “Remanescentes da Mata Atlântica & Acervo MCB”  e “A Casa e a Cidade – Coleção Crespi Pradoe a nova mostra “Design Aerodinâmico”, com mais de 250 objetos de vários segmentos, como meios de transporte e utensílios domésticos.

No mês em que o Estádio do Pacaembu completa 78 anos, quem visitar o Museu do Futebol poderá explorar o túnel do antigo vestiário, caminho que os jogadores faziam para acessar o gramado, durante todo o dia. Nos dias 21 e 22, o Espaço Dente de Leite, ambiente educativo para bebês e crianças de até três anos e suas famílias, terá uma atração especial: o espetáculo teatral “Ciranda Cirandá”, da Cia Tricromática, com a história de um boi que sonhava voar, será apresentado às 14h no sábado e às 11h30 no domingo. No dia 21/4, das 14h às 15h30, a ação “Qual Goleiro Sou Eu?” convida os visitantes para um jogo de tabuleiro com cartas contendo informações sobre grandes goleiros brasileiros. Já no domingo, 22/4, a atividade “Gol de Letra”, das 14h às 15h30, desafiará o público a observar caricaturas e frases e descobrir quem é o autor de cada citação.

No Museu da Imigração, dia 21/4, às 15h, vai acontecer a “Mongaba no Museu” – “mongaba” em tupi-guarani, significa “reunião para falar”. Nesse jogo, os participantes poderão brincar de construir histórias a partir de palavras nessa língua. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br. Nos fins de semana de abril, as visitas educativas, realizadas sempre às 11h, terão o tema “Migrações indígenas”. Tomando como base a existência do Peabiru, uma série de caminhos indígenas utilizados desde muito antes da chegada dos europeus, a atividade propõe uma conversa sobre os fluxos migratórios a partir de mapas e vídeos presentes na exposição de longa duração.

No fim de semana do feriado serão realizados os últimos encontros da oficina “Desenhando o Catavento”, no Museu Catavento. Nela, os participantes vão aprender técnicas de observação e explorar o museu registrando tudo em um sketchbook, tipo de caderno utilizado pelos desenhistas de observação. As sessões ocorrem