@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

secretaria da cultura

Conheça a Nota Fiscal Paulista para a Cultura!

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo anunciou o lançamento da Nota Fiscal da Cultura. A partir de novembro, entidades paulistas de cultura sem fins lucrativos, cadastradas na Secretaria da Cultura e no sistema da Nota Fiscal Paulista poderão ser favorecidas pelos créditos e sorteios de prêmios doprograma.

Para concorrer ao benefício, a entidade precisa realizar o cadastro na Secretaria da Cultura do Estado e comprovar que realiza atividades culturais. Todas as linguagens culturais – dança, teatro, música, artes plásticas, circo, entre outras – são aceitas.

“A iniciativa tem como objetivo fortalecer o setor cultural e possibilitar uma nova fonte de receita para entidades culturais, sem onerar o Estado”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado

Para realizar o cadastro, é necessário entregar na Secretaria da Cultura do Estado (Rua Mauá, 51 – São Paulo) ou enviar pelos Correios (destinado ao Protocolo) os seguintes documentos: 

– Pedido Inicial;

– Estatuto social registrado no cartório de títulos e documentos e sua última alteração;

– Ata da última eleição da diretoria e suas alterações, devidamente registradas;

– Inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – CNPJ;

– Certidão negativa de débitos da dívida ativa estadual; – Certidão conjunta negativa de débitos relativos aos tributos federais;

– Certidão de regularidade do FGTS;

– Balanços patrimoniais e demonstrativos de resultado dos 3 (três) últimos exercícios com relação discriminada de despesa da entidade ou, se for o caso, de período inferior, na hipótese de a constituição da entidade interessada não atingir tal período;

– Cédula de identidade e do comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas do Ministério da Fazenda do representante da entidade e procuradores;

– Demonstrativos comprobatórios de atividades culturais desenvolvidas pela instituição nos últimos 3 anos;

– Declaração de que a entidade não está enquadrada no artigo 19, inciso IV da Lei Federal nº 12.846/2013.

 

ARQUIVOS IMPORTANTES:

 

 
 

Em julho, economia criativa reunirá municípios na Secretaria da Cultura

Municípios da região metropolitana de São Paulo e também das regiões de Sorocaba, Itapeva, Bauru e Jundiaí participam do encontro sobre economia criativa e inovação que será realizado no próximo dia 5 de julho, às 14h, no Salão Nobre da Secretaria de Estado da Cultura. O evento é aberto ao público e a entrada é gratuita.

Na reunião, a secretária-adjunta da Cultura Patrícia Penna falará sobre os temas e convidará os prefeitos e secretários municipais para o evento Futuro na Cultura, que ocorrerá nos dias 10 e 11 de agosto, no Memorial da América Latina (INSCRIÇÕES AQUI).

O secretário da Cultura do Estado Romildo Campello participará do encontro no dia 5 de julho. Também está prevista a presença do governador Márcio França.

O trabalho com economia criativa foi iniciado por França quando, então vice-governador, esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Na ocasião, foram criadas as Etecris (Escolas de Técnicas de Economia Criativa), em que os alunos saem com MEI formalizadas e Plano de Negócio para que possam apresentar a investidores.

Em agosto, Secretaria da Cultura discutirá economia criativa e inovação

Nos dias 10 e 11 de agosto, a Secretaria da Cultura do Estado realiza no Memorial da América Latina o evento Futuro na Cultura. Nesses dois dias, a economia criativa e a inovação serão debatidas em oito painéis, com representantes do setor público, empresários e universidades, além de produtores culturais e formadores de opinião. O objetivo é reunir inteligências e movimentos dos setores criativos para desenvolver políticas públicas no Estado.

Governador Márcio França fala sobre projetos de Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo

O trabalho com economia criativa foi iniciado ainda pelo governador Márcio França quando, então vice-governador, esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Na ocasião, foram criadas as Etecris (Escolas de Técnicas de Economia Criativa), em que os alunos saem com MEI formalizadas e Plano de Negócio para que possam apresentar a investidores.

“O Estado pode e deve colaborar para desenvolver o potencial criativo existente nas cidades”, afirma a secretária-adjunta da Cultura Patrícia Penna, que está à frente desse tema na Secretaria. Patrícia Penna acrescenta ainda que a discussão é mais do que oportuna, em função da crise econômica pela qual passa o país.

Estudos internacionais recentes indicam a economia criativa como uma das áreas mais dinâmicas da economia global. O Banco Mundial estima que o setor já responde por cerca de 7% do PIB mundial, com tendência de crescimento. Um dos painéis do evento no Memorial, “Estratégias nacionais e internacionais de futuro”, terá como convidados consulados de diversos países, que devem mostrar as experiências estrangeiras.

Além dos painéis, o evento no Memorial terá ainda apresentações artísticas, intervenções com Realidade Virtual e Aumentada, mostra de startups da cultura e um hackathon (evento que reúne jovens desenvolvedores para ampliar o acesso à plataforma SP Estado da Cultura).

 

Regiões paulistas

Patricia Penna, secretária-adjunta da Cultura do Estado, fala sobre o evento Futuro na Cultura

As prefeituras paulistas, as associações comerciais dos municípios e os produtores culturais locais estão sendo convidados para unirem-se ao projeto e participarem do evento Futuro na Cultura. Para tanto, Patrícia Penna visitará visitará diversas regiões paulistas entre a segunda quinzena de junho e a primeira de julho, para apresentar o projeto e buscar a colaboração de todos na elaboração de políticas públicas para o setor. As viagens começam nesta sexta, dia 15, no município de Registro (região do Vale do Ribeira, com a participação de comunidades indígenas), às 10h30 horas. Veja abaixo um box com a agenda dos encontros.

Também será discutido no evento o Projeto de Lei 278/2017, que institui a Política de Incentivo à Economia Criativa no Estado de São Paulo.

 

AGENDA DOS ENCONTROS COM OS MUNICÍPIOS

 

Os encontros ocorrerão nas cidades abaixo, que deverão agregar os municípios da sua região.

 

Junho

Dia 15/06: Registro (região do Vale do Ribeira, com a participação de comunidades indígenas), às 10h30.

Dia 19/06: Santos (regiões da Baixada Santista e Vale do Ribeira), às 10 horas.

Dia 21/06: Itapetininga (região de Itapetininga), às 10 horas, e  Ourinhos (região de Assis), às 16 horas.

Dia 26/06: Tupã (região de Marília), às 10 horas, e Presidente Prudente (região de Presidente Prudente), às 16 horas.

Dia 27/06: Araçatuba (região de Araçatuba), às 10h30.

Dia 28/06: São José dos Campos (região do Vale do Paraíba), às 10 horas, e Caraguatatuba (Litoral Norte), às 15 horas.

Dia 29/06: Campos dos Jordão (região da Mantiqueira), às 14 horas.

 

Julho

Dia 03/07: Campinas (região de Campinas), às 9 horas, e São José do Rio Preto (região de São José do Rio Preto), às 17 horas.

Dia 04/07: São Carlos (região de Araraquara), às 10 horas, e Rio Claro (região de Rio Claro), às 14 horas

Inscrições abertas para a 11ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo abriu inscrições para a 11ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, um dos mais conceituados do gênero no país. O edital, publicado no Diário Oficial do Estado e disponível nos sites do Prêmio (www.premiosaopaulodeliteratura.org.br) e da Secretaria da Cultura, premiará romances em duas categorias: “Melhor Livro do Ano” e “Melhor Livro do Ano – Autor Estreante” – esta última dividida em duas modalidades “Autores com Mais de 40 Anos de idade” e “Autores com Menos de 40 Anos de idade”. Os candidatos podem se inscrever até dia 13 de julho de 2018. 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O EDITAL

Contribuindo para a formação de novos leitores e escritores, sendo um dos poucos no país a ter categoria específica para estreantes, o Prêmio São Paulo de Literatura também se destaca por reconhecer tanto os grandes nomes quanto os novos talentos da literatura, abrindo portas não só para escritores nacionais, mas também para concorrentes estrangeiros com obras escritas originalmente em língua portuguesa e primeira edição mundial no Brasil em 2017. Com foco em obras de ficção no gênero romance, o Prêmio São Paulo de Literatura é o maior do país em valor de premiação individual: R$ 200 mil para o Melhor Livro do Ano e R$ 100 mil para cada autor estreante nas modalidades +40 e -40.

Na categoria “Melhor Livro do Ano”, poderão se inscrever autores que já publicaram romances de ficção anteriormente. Já na categoria dos estreantes, os escritores podem ter obras publicadas em outros gêneros, desde que o livro inscrito seja o seu primeiro romance de ficção.

A categoria “Autor Estreante” contribuiu também na revelação de novos nomes da literatura, tais como Rafael Gallo (Rebentar), Débora Ferraz (Enquanto Deus Não Está Olhando), Paula Fábrio (Desnorteio), Micheliny Verunschk (Nossa Teresa – Vida e Morte de uma Santa Suicida), Jacques Fux (Antiterapias) e Marcos Peres (O Evangelho Segundo Hitler).

Edições anteriores

Em 2017, Outros Cantos (Editora Alfaguara), de Maria Valéria Rezende, foi eleito pelo júri do Prêmio São Paulo de Literatura o Melhor Livro do Ano. Já Franklin Carvalho, com Céus e Terra (Editora Record), foi contemplado na categoria Autor Estreante +40 e Maurício de Almeida recebeu prêmio na categoria Autor Estreante -40, com o romance A Instrução da Noite (Editora Rocco).

Foto: Joca Duarte / Secretaria da Cultura do Estado

Dia do Turismo: Conheça alguns destinos cheios de cultura!

Hoje é celebrado o Dia Nacional do Turismo! A data é uma homenagem ao dia 8 de maio de 1916, quando o Estado do Paraná oficializou um pedido para que as terras próximas às Cataratas do Iguaçu fossem desapropriadas para criação de uma zona turística.

São Paulo é repleto de destinos turísticos para todos os gostos, e muitos deles contam com espaços da Secretaria da Cultura do Estado. Está pensando em viajar nos próximos dias? Então confira as dicas:

Santos

Santos é a maior cidade do litoral de São Paulo, com 7km de praias. O jardim da orla santista é o maior desse tipo em extensão do mundo, de acordo com o Livro dos Recordes. Além da flora, Santos também possui diversos pontos turísticos super conhecidos, entre eles, o Museu do Café!

Inaugurado em 1922, o espaço funcionava como Bolsa Oficial do Café, onde eram negociadas riquezas do mercado cafeeiro para o país. O Museu promove exposições e atividades sobre a história do produto ao longo dos anos, além de abrigar lindas obras do artista Benedito Calixto.

O Museu do Café fica no Centro Histórico de Santos e é parada obrigatória para quem quer conhecer a essência da cidade! Fica na Rua XV de Novembro e funciona de terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 10h às 17h.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Brodowski

Brodowski é uma das cidades que surgiram com a expansão da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro no século XIX. Seu nome é uma homenagem ao engenheiro polonês Alexandre Brodowski, responsável pelo encaminhamento do pedido e pela construção da estação que deu início ao município.

Apesar disso, Brodowski é conhecida como “Terra de Portinari” por ser o local de nascimento do famoso pintor Cândido Portinari. A casa do artista é um dos maiores pontos turísticos da cidade. Preserva em seu interior diversas obras, incluindo murais nas parede e em uma capela nos jardins da residência, além de toda a história de Cândido. 

Vai passar por Brodowski? Não deixe de visitar a Casa de Portinari! O Museu fica na Praça que também leva o nome do pintor, e funciona de terça a domingo, das 9h às 18h, inclusive em feriados. O ingresso é voluntário, ou seja, pague o quanto – e se – puder.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Campos do Jordão

Com o inverno e o friozinho se aproximando, Campos do Jordão se torna destino certo de muitas famílias! A subida da Serra da Mantiqueira e as baixas temperaturas características do município tem suas vantagens: além da gastronomia, as paisagens são de tirar o fôlego. E o céu de Campos do Jordão? Eternizado por muitos fotógrafos e apaixonados em cartões postais, é show garantido!

Entre os encantos da cidade, uma das quinze consideradas estâncias climáticas pelo Governo do Estado, está o Museu Felícia Leirner! Mesclando natureza e arte, o espaço abriga um conjunto de 85 obras de Felícia Leirner, de bronze, cimento branco e granito, está distribuído ao ar livre. Esse conjunto revela a paixão da artista pela natureza e pelo local, que foi considerado um dos mais importantes do gênero no mundo pela Revista Sculpture, do International Sculpture Center, de Washington D.C. (EUA), em 1987.

O Museu Felícia Leirner fica na Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1880, e funciona de terça a domingo, das 9h às 18h. Visite!

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Tupã

De origem indígena, o nome Tupã –  do Tupi-Guarani, Deus – faz uma homenagem aos nativos locais, os índios, que ainda hoje, habitam reservas na cidade. A cidade, fundada em 1929, atualmente é considerada estância turística. Seu crescimento se deve ao avanço da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, que durante muitos anos levou a produção de café para outras partes do Brasil.

Para preservar e propagar a cultura indígena, tão forte na região, foi criado o Museu Índia Vanuíre. Seu nome é uma homenagem à Índia, considerada uma heroína pelo povo Kaingang, que ainda abriga a região. De acordo com a lenda, Vanuíre subia em um jequitibá de dez metros de altura, onde permanecia do nascer do dia ao cair da tarde entoando cânticos de paz.

Além das exposições permanentes e temporárias, o Museu Índia Vanuíre promove atividades de conscientização para aproximar o público das tradições indígenas de diversas tribos que ainda habitam o interior paulista. O espaço fica na Rua Coroados, 521, no centro da cidade, e funciona de terça a domingo, das 9h às 17h, inclusive em feriados. Assim como o Museu Casa de Portinari, também trabalha com o sistema de ingresso voluntário.

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Araras

Fundada pelo Barão de Araras e seu irmão, Barão de Itatiba, na década de 1860, fazia parte da Fazenda São Joaquim (no Município de Limeira) – propriedade que pertence até hoje a seus descendentes. Seu nome foi escolhido em referência ao nome do rio que corta a cidade, e também devido ao grande número dessa ave que havia na região. Assim como aconteceu com tantos outros municípios paulistas, Arara se expandiu por causa do cultivo do café e pela grande chegada de imigrantes italianos.

Para promover a cultura na cidade, o Governo do Estado possui o Teatro Estadual de Araras. Ao longo do ano, o espaço realiza programação diversificada, recebendo diversos espetáculos de dança, música, circo e muito mais. Inaugurado em 1991, o teatro foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e leva o nome do maestro italiano Francisco Paulo Russo, que escolheu Araras para residir e lá inaugurou cursos, dirigiu corporações musicais, e muito mais.

O Teatro Estadual de Araras fica na Av. Dona Renata, 401, e a programação pode ser acessada aqui. Vai passar pela cidade? Adquira seu ingresso na bilheteria e aproveite o espetáculo!

Mistura de Brasil e Coreia do Sul é destaque em São Paulo

Um dos dias mais esperados pelos paulistas, a Virada Cultural de São Paulo está se aproximando. Entre os dias 19 e 20 de maio, a maior metrópole do país tem 24 horas de programação recheada de música, exposições, gastronomia, entre outras manifestações artísticas, como por exemplo as artes marciais.

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, em parceria com o Centro Cultural Coreano no Brasil e o Capoeira Show, trarão uma apresentação especial para a cidade. A  brasileiríssima capoeira subirá ao palco acompanhada do taekgyeon, tradicional arte marcial coreana, em duas apresentações conjuntas na capital paulista. Os eventos ocorrem no dia 19, às 19h30, na Rua Dom José de Barros, 235, e no dia 20, às 15h00, no Museu Afro Brasil. A programação deve atrair não só brasileiros, mas também os muitos coreanos que vivem na capital paulista, como reforça o secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello. “As apresentações conjuntas servem como homenagem à rica bagagem cultural dos cerca de 50 mil coreanos que chamam São Paulo de lar.”

Muito mais do que modalidades de luta, a capoeira e o taekgyeon traduzem relevantes expressões culturais de seus respectivos povos, tanto que ambas são reconhecidas como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

As semelhanças, porém, não param por aí. Uma das principais características do taekgyeon é a fluidez de seus movimentos, aproximando-o de uma dança, algo que também se faz presente na capoeira, que tem na musicalidade um de seus elementos centrais.

 

Visite