@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

Oficina Cultural Alfredo Volpi inaugura exposição feminista e promove oficina de bordado poético no mês da mulher

Publicado em 11 de março de 2019

Em Derivações para uma mártir, Bruna Alcântara utiliza técnicas como bordado e colagem com fotografias para falar de feminismo, maternidade e outras discussões sobre gênero

No mês da mulher, a Oficina Cultural Alfredo Volpi realiza duas atividades pensadas para discutir e refletir sobre questões de gênero: uma exposição e uma oficina de bordado poético. As atividades são gratuitas, mas para participar da oficina é necessário se inscrever pessoalmente na Oficina – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

A exposição Derivações para uma mártir, em cartaz até 30 de março, traz 48 trabalhos da artista visual Bruna Alcântara que focam em assuntos como maternidade, feminismo, assédio e abuso sexual etc. A artista utiliza técnicas de bordado em fotografias, além de colagens e vídeos para compartilhar com o público suas indagações e pontos de vista. Com curadoria de Michele Micheletto, a mostra é composta tanto por trabalhos inéditos, como a obra que propõe uma interação com o público, “Parem de Nos Matar”, quanto por obras já expostas em Portugal, Curitiba em São Paulo.

O bordado é um trabalho manual ligado historicamente às mulheres e, muitas vezes, visto como técnica artesanal e não artística. Pensando nessa ligação entre bordado e feminino, o Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras apresenta a oficina Mulheres rendeiras – vivências de bordado e poesia convida o público a criar estandartes poéticos a partir das histórias, memórias e referências das mulheres no Cangaço. A atividade acontece 23 de março, sábado às 14h.

O Núcleo também promove na quinta-feira, 21 de março às 19h, a atividade Girança com as mestras. No encontro é exibido o documentário de 15 anos do Grupo Batekerê, seguido de um bate-papo sobre arte, educação e estratégias de resistências com as mestras Angelina Camilo, Maria da Graça e Marlene Santana, mais conhecidas como Pretas Bás, gestoras do Espaço Adebanke, localizado em Artur Alvim e a Mestra Soraia Aparecida, fundadora da Cia Lelê de Oyá, sediada em Itaquera. A mediação será feita pela assistente social Daiane Ferreira, articuladora e mobilizadora social do Projeto Varre Vila e moradora da Comunidade Santa Inês.

Serviço: Mês da mulher na Oficina Cultural Alfredo Volpi

Derivações para uma mártir

Até 30/3. Terça a sexta-feira, 10h às 21h30; sábado, 10h às 18h

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição

Girança com as mestras

21/3. Quinta-feira, 19h às 21h30

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição

Mulheres rendeiras – vivências de bordado e poesia

23/3. Sábado, 14h às 17h

Inscrições gratuitas na recepção da unidade entre 5 e 22/3.

SOBRE A OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

Criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, desde 1986 a Oficina Cultural trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas como: artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo

Telefone: (11) 2205-5180 | 2056-5028

Funcionamento: de terça a sexta-feira das 10h às 22h, e aos sábados das 10h às 18h

www.oficinasculturais.org.br

Compartilhe!