HomeAssessoria Releases#TheatroSãoPedroEmCasa tem programação especial dedicada à ópera Kátia Kabanová

#TheatroSãoPedroEmCasa tem programação especial dedicada à ópera Kátia Kabanová

Na semana de 25 a 29 de maio, o Theatro São Pedro oferece uma série de atividades com convidados que participaram da montagem de Kátia Kabanová, do compositor tcheco Leoš Janáček. A ópera subiu ao palco do teatro em agosto de 2018

Gabriella Pace, André Heller-Lopes, Eric Herrero e Renato Theobaldo são os convidados de #TheatroSãoPedroEmCasa, que tem programação especial dedicada à ópera Kátia Kabanová, do compositor tcheco Leoš Janáček. O Theatro São Pedro, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerido pela organização social Santa Marcelina Cultura, com o objetivo de ampliar o acesso e a oferta de conteúdos digitais lançou o #TheatroSãoPedroEmCasa. 

Iniciando a programação especial, a série #FalandoDeÓpera dessa semana traz na terça, dia 26, uma entrevista com Renato Theobaldo que assinou os cenários da montagem de Kátia Kabanová. A partir das 18h, o cenógrafo conversa ao vivo no Facebook com Ricardo Appezzato, gestor artístico da Santa Marcelina Cultura. 

Já a série de conferências, palestras e bate-papos #TalksTheatroSãoPedro, apresenta na quinta, dia 28, às 18h, uma conversa entre Paulo Zuben, diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura, e André Heller-Lopes, diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e responsável pela concepção e direção cênica de Kátia Kabanová

E na sexta, dia 29 de maio, às 17h, tem live com a soprano Gabriella Pace e o tenor Eric Herrero, que interpretaram Katěrina (Katia) Kanabová e Boris Grigorjevič, respectivamente. Em seguida, às 18h, vai ao ar a íntegra da montagem de Kátia Kabanová, que subiu ao palco do Theatro São Pedro em agosto de 2018. Considerada a obra-prima de Janácek, a ópera estreou na cidade de Brno, em 23 de novembro de 1921 e conta a história da jovem independente Kátia, oprimida pelas convenções hipócritas da classe média personificadas em sua sórdida sogra. Com libreto do próprio compositor, a ópera em três atos é baseada na peça teatral A Tempestade, do escritor e dramaturgo russo Aleksandr Ostrovsky, traduzida para o tcheco por Vincenc Červinka, e foi inspirada no grande amor do compositor, Kamila Stösslová, uma mulher casada e cerca de quarenta anos mais jovem.

 

A programação completa está disponível no site: http://theatrosaopedro.org.br/  

 

#TheatroSãoPedroEmCasa

 

PROGRAMAÇÃO 26 a 29 de Maio

TERÇA-FEIRA – 26 de Maio 

18h #FalandoDeÓpera
Ricardo Appezzato convida Renato Theobaldo (cenógrafo)
Facebook: https://www.facebook.com/TheatroSaoPedro

QUINTA-FEIRA – 28 de Maio 

18h #TalksTheatroSãoPedro
Paulo Zuben convida André Heller-Lopes (diretor cênico e diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro)
Facebook: https://www.facebook.com/TheatroSaoPedro

SEXTA-FEIRA – 29 de Maio  

17h# AOVivoEmÓpera – LIVE
Ricardo Appezzato convida Gabriella Pace (soprano) e Eric Herrero (tenor)
Facebook: https://www.facebook.com/TheatroSaoPedro

18h Lançamento #ÓperaEmCasa

KÁTIA KABANOVÁ (1921)

De Leoš Janáček (1854-1928)

Orquestra do Theatro São Pedro

Ira Levin | direção musical

André Heller-Lopes | concepção, direção cênica

Renato Theobaldo | cenografia

Fábio Retti | iluminação

Elenco

Gabriella Pace | Katěrina (Kátia) Kabanová | soprano

Eric Herrero | Boris Grigorjevič | tenor

Luisa Francesconi | Varvara | mezzo-soprano

Juremir Vieira | Tichon Ivanyč Kabanov | tenor

Claudia Riccitelli | Marfa Ignatěvna Kabanová (Kabanicha) | contralto

Giovanni Tristacci | Váňa Kudrjáš | tenor

Savio Sperandio | Savjol Prokofjevič Dikoj | baixo

Vinícius Atique | Kuligin | barítono

Tati Helene | Glaša | soprano

Fernanda Nagashima | Fekluša | mezzo-soprano

YouTube Theatro São Pedro: https://www.youtube.com/channel/UC01o5iu-oc2oxFPchS9eKVA

Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro completa 100 anos com uma das histórias mais ricas e surpreendentes da música nacional. Inaugurado em uma época de florescimento cultural, o teatro se insere tanto na tradição dos teatros de ópera criados na virada do século XIX para o XX quanto na proliferação de casas de espetáculo por bairros de São Paulo. Ele é o único remanescente dessa época em que a cultura estava espalhada pelas ruas da cidade, promovendo concertos, galas, vesperais, óperas e operetas. Nesses 100 anos, o Theatro São Pedro passou por diversas fases e reinvenções. Já foi cinema, teatro, e, sem corpos estáveis, recebia companhias itinerantes que montavam óperas e operetas. Entre idas e vindas, o teatro foi palco de resistência política e cultural, e recebeu grandes nomes da nossa música, como Eleazar de Carvalho, Isaac Karabtchevsky, Caio Pagano e Gilberto Tinetti, além de ter abrigado concertos da Osesp. Após passar por uma restauração, foi reaberto em 1998 com a montagem de La Cenerentola, de Gioachino Rossini. Gradativamente, a ópera passou a ocupar lugar de destaque na programação do São Pedro, e em 2010, com a criação da Orquestra do Theatro São Pedro, essa vocação foi reafirmada. Ao longo dos anos, suas temporadas líricas apostaram na diversidade, com títulos conhecidos do repertório tradicional, obras pouco executadas, além de óperas de compositores brasileiros, tornando o Theatro São Pedro uma referência na cena lírica do país. Agora, o Theatro São Pedro, instituição do Governo do Estado de São Paulo gerido pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social parceira da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo inicia uma nova fase, respeitando sua própria história e atento aos novos desafios da arte, da cultura e da sociedade. 

Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. Para acompanhar a programação artístico-pedagógica do Guri Capital e Grande São Paulo, da EMESP Tom Jobim e do Theatro São Pedro, baixe o aplicativo da Santa Marcelina Cultura. A plataforma está disponível para download gratuito nos sistemas operacionais Android, na Play Store, e iOS, na App Store. Para baixar o app, basta acessar a loja e digitar na busca “Santa Marcelina Cultura”.

Compartilhe!