secretaria da cultura do estado de são paulo

SISEM

Quinze museus paulistas recebem certificados de qualificação

Cadastro estadual definiu parâmetros técnicos e orienta instituições

(mais…)

Ribeirão Preto recebe oficina “Conservação de Fitas de Áudio”; inscrições estão abertas

Ação, resultado de parceria do MIS-SP e SISEM-SP, ocorre dia 26 de julho

(mais…)

Obras de Waldisa Rússio serão relançadas no 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM)

Títulos fora de circulação foram digitalizados e estarão disponíveis no site do SISEM-SP

(mais…)

Workshop sobre aplicações da Política Nacional de Educação Museal (PNEM); increva-se!

Ação é organizada pela Rede de Educadores de Museus de São Paulo (REM-SP) e Museu da Energia de São Paulo e conta com apoio do SISEM-SP

(mais…)

Projetos premiados no edital de Difusão de Acervos Museológicos do PROAC serão apresentados no 10EPM

Ação faz parte da programação do segundo dia do 10º Encontro Paulista de Museus

Em 19 de julho, segundo dia de programação do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), será realizada, às 16h00, a mesa de apresentação de projetos premiados no edital do PROAC de Difusão de Acervos Museológicos. O 10EPM ocorre de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Participam Leonice Parajara, diretora de arte-educação da Casa do Olhar Luiz Sacilotto, de Santo André; Renata Gava, diretora do Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, em Piracicaba; Rodrigo Santos, museólogo do Museu Arquidiocesano de Arte Sacra de Campinas; e a museóloga independente Susana Costa. A mediação será feita por Higor Advenssude, representante regional do SISEM-SP na região de Araçatuba.

Na entrevista a seguir, os participantes da mesa falam sobre a importância dos editais do PROAC para os museus e comentam sobre como a realização do EPM é relevante para o setor.

SISEM-SP: Qual é a importância de editais do PROAC para o setor museológico?

Leonice Parajara: Os PROAC voltados a museus (Preservação e Difusão de Acervos) são uma ferramenta de extrema importância para auxiliar na melhoria e na profissionalização das atividades das instituições, uma vez que a Cultura vem recebendo cada vez menos suporte financeiro e as instituições museológicas são as primeiras a sofrer este corte. Além de proporcionar o intercâmbio entre instituições e a excelência nas atividades prestadas aos visitantes.

Renata Gava e Rodrigo Santos: O PROAC-Museus representa uma importante ferramenta de incentivo ao financiamento e fomento para o desenvolvimento dos projetos dos museus, estimulando-os a se desenvolverem. Analisamos também a importância desses editais como um exercício interno de grande valia para os museus, na medida em que, ao incentivar a produção de projetos, os estimula também a estarem estruturados internamente. 

Susana Costa: Com a sistemática dificuldade de verbas e perante as necessidades que o setor enfrenta, da salvaguarda à comunicação, os editais possibilitam, com alguma criatividade, melhorias e promoção de museus e equipes. Possibilita a realização de alguns projetos muito válidos que sem essa verba jamais sairiam do papel, tendo em conta necessidades correntes estruturais e de falta de pessoal que atravessam.

SISEM-SP: Qual a importância de um encontro como o 10EPM para o setor museológico?

Leonice Parajara: O Encontro Paulista de Museus é um espaço em que podemos encontrar nossos pares, trocar experiências e conhecimentos adquiridos, bem como aprender cada vez mais por meio de ações realizadas por outras instituições museológicas no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior. Além de proporcionar o fortalecimento do setor museológico paulista e apresentar ao Brasil um evento que há dez anos acontece e que cada vez mais aproxima as instituições correlatas.

Renata Gava e Rodrigo Santos: O 10EPM representa um marco no setor mesológico nacional. O evento abriu caminho e se consolidou nesse cenário como um extraordinário palco para discussão de temas importantes da área museológica.

Susana Costa: É um encontro de ideias e práticas, de articulação de possibilidades e dificuldades, que traz para os profissionais de museus do Estado a reflexão de temáticas internacionais que fazem parte da agenda museológica. O encontro e sistema de comunicação democrático que adota nas redes sociais permite acesso e divulgação de discussões que acabam por se destacar e propagar ao nível nacional.

Encontro Paulista de Museus discutirá gestão de espaços e governança

O Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP) realizará de 18 a 20 de julho a décima edição do Encontro Paulista de Museus, a principal reunião das instituições museológicas de todo o Estado. O evento será realizado no Memorial da América Latina, na Barra Funda (zona oeste da Capital) e terá o tema “Gestão e Governança”.

“Neste ano, alcançamos a marca de dez edições ininterruptas do EPM. Conseguimos nos firmar como um dos principais eventos da museologia nacional, atraindo atenção de especialistas de fora do Estado e mesmo do País”, afirmou o diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

Um dos destaques da programação deste ano é a honraria a ser concedida ao professor Ulpiano Toledo Bezerra de Meneses, o primeiro a receber a recém-criada medalha “Waldisa Rússio Camargo Guarnieri” – que homenageia um dos principais nomes da história da museologia brasileira.

O evento contará ainda com conferência internacional do diretor da Fondazione Brescia Musei, Luigi Di Coratto; o painel “Desafios éticos contemporâneos para museus”, com a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Débora Duprat; e Painéis Digitais com os temas “Democratização de processos museológicos” e “Ações de fomento à participação”.

“É preciso compreender que um museu não deve se fechar em seus processos e, com isso, esperar que o público flua naturalmente – para assim ser visto como espaço de importância na sociedade. Um museu só será importante quando se tornar frequente na vida do público que ele deseja para si”, argumenta o responsável pela programação, Luiz Mizukami, destacando a importância de um trabalho coletivo na gestão dos espaços museológicos. O conceito “juntos” foi escolhido para nortear o encontro.

“Um evento cujo nome carrega a palavra Encontro só pode ser pensado, realizado e prestigiado tendo-se em mente a junção de muitas forças. Desde sua primeira edição, o EPM sempre teve como objetivo promover o encontro, a troca e a disseminação de novas práticas e ideias. Juntos é o conceito que define e caracteriza o EPM”, completa Davidson Kaseker.

São convidados para o evento gestores de museus de todo o Estado. Os debates também poderão ser acompanhados pela internet. Fornecedores de produtos e serviços para museus montarão estandes no evento para apresentar seu trabalho.

“Neste ano vamos discutir temas fundamentais para que, juntos, possamos crescer e fortalecer ainda mais o nosso sistema, a integração entre todos os nossos museus e o fortalecimento dessa parceria contínua entre o Estado e os municípios para a melhor gestão dos espaços”, conclui o secretário estadual de Cultura, Romildo Campello.

10 anos de Encontro Paulista de Museus: veja trajetória e perspectivas

O tempo voa até mesmo para aqueles que são responsáveis por conservá-lo. O Encontro Paulista de Museus completa uma década em 2018, de 18 a 20 de julho, na capital, e muita coisa evoluiu de lá para cá, principalmente a paixão dos museólogos pela atividade.

São muitos agentes ligados ao setor que vislumbraram, com a criação do evento, uma oportunidade de fortalecer e qualificar ainda mais as instituições museológicas paulistas. A iniciativa é do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

 

IDENTIDADE

Nos primeiros quatro anos, cada edição do EPM foi concebida de maneira independente, sem, por exemplo, uma continuidade visual, o que acabou em 2013, quando o evento ganhou sua própria identidade. O objetivo, que depois se mostrou bem-sucedido, era dar ao evento uma marca única e duradoura, que permanecesse ao longo das próximas edições. A responsável por dar uma “cara” ao evento, foi a designer Paula Astiz.

"A cada edição desses primeiros encontros, foi usada uma identidade/linguagem diferente. Ao chegar à 5ª edição, a equipe do SISEM-SP sentiu a necessidade de consolidar melhor o evento. Então, surgiu a ideia de desenvolver uma logomarca mais sólida. Aliada à necessidade de consolidar o EPM, veio o anseio de reformular a marca do próprio SISEM-SP, em sintonia com a identidade do encontro."
MESSAGE-ICON
Paula Astiz
Designer

A mudança do logo se deu no 5EPM e manteve-se desde então. A única variação ocorreu no 8EPM, com o 8 grafado em uma fonte diferente. Segundo a designer, tudo estava previsto nos planos. “O 8EPM coincidiu com a comemoração dos 30 anos do SISEM-SP, por isso um selo especial de 30 anos. A ideia subliminar é mostrar que esse sistema, ao longo das três décadas, abarca diversas vozes, diversos museus e diversos profissionais ligados ao mundo museológico.”

 

HISTÓRIA

No ano da primeira edição do EPM, o SISEM-SP e a própria cena dos museus no Brasil passavam por um período de reestruturação. O sistema buscava, então, intensificar a participação dos museus espalhados por todo território do Estado em sua dinâmica de trabalho.

“A criação de um evento periódico no calendário dos museus do Estado, dedicado às trocas e encontros, fazia sentido para que se fomentasse também os laços entre os profissionais e gestores de museus”, justifica o responsável pela coordenação da programação do 10EPM, Luiz Mizukami. Assim, o evento alinhava-se a outras iniciativas articuladoras, como a reestruturação do Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM-SP), a criação das Representações Regionais e a elaboração do Diagnóstico dos Museus do Estado de São Paulo.

 

PARCERIAS

As parcerias com instituições nacionais e internacionais também contribuíram para o sucesso do EPM nesta década. Tal caminho, além de ampliar a variação do alcance temático do evento, auxiliou na promoção do EPM além das fronteiras das instâncias governamentais e a validação do mesmo em círculos museológicos mais amplos. Trouxe prestígio ao evento paulista.

E nem poderia ser diferente. Participaram nomes de calibre como o Centro Cultural de Espanha (CCE-SP), presente nos três primeiros EPMs; o British Council Brasil, participante da 5ª à 8ª edição; e os consulados da Alemanha e França, durante o 9EPM. Pontualmente, também houve apoio da Fundação Bienal de São Paulo, MAM-SP, Museu Afro Brasil, Escola de Música de São Paulo Tom Jobim, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Sala São Paulo e Sesc-SP.

 

EXPANSÃO

Como todo grande encontro de especialistas, o EPM foi ganhando robustez ao longo dos anos com a integração de outros eventos dentro de sua programação. É o caso dos encontros de prefeitos e secretários municipais de Cultura; eleições de representantes regionais e COSISEM-SP; visitas técnicas a museus da capital; mesas expositivas com fornecedores do setor museológico; e a instauração dos Painéis Digitais – apresentações em formato digital exibidas em televisores espalhados pelo local do evento com projetos desenvolvidos pelos museus paulistas relacionados à temática de cada edição. São itens que geraram ainda mais corpo e abrangência ao evento.

“O SISEM-SP é o primeiro sistema de museus criado no Brasil, antes mesmo do Sistema Nacional de Museus, descontinuado no governo Collor. Além de ter sido o primeiro, é também o único com atuação contínua desde sua criação”, realça Mizukami.

 

CADASTRO ESTADUAL

Além de ter sido histórica pelos 30 anos de SISEM-SP, a oitava edição do EPM, em 2016, marcou o início do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), um dos maiores feitos da história do sistema. A ferramenta estabelece padrões normativos e sistematiza as informações sobre os museus paulistas, a fim de identificar as condições estruturais dos mesmos e auxiliá-los em busca de qualificação. Esse cadastro é tão importante que os eixos que sustentam seus parâmetros serviram como base para definir os temas apresentados no 9º, 10º — e também futuros EPMs.

“O Encontro Paulista de Museu passa, assim, a se inserir numa lógica de reforço à qualificação dos museus em torno dos parâmetros do CEM-SP.”
MESSAGE-ICON
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP

DE VOLTA PARA CASA

Em 2018, O EPM, além de comemorar os 10 anos de atividades, celebra o retorno do evento à sua tradicional casa, agora completamente restaurada: o Memorial da América Latina, que havia sediado todas as edições do encontro até o incêndio, em 2013.

 

FUTURO

“Hoje, além de ser o maior evento do setor museológico paulista, em número de inscritos, o EPM tem a mesma capacidade de público do Fórum Nacional de Museus – que acontece a cada dois anos. Para o futuro, além do fortalecimento dos laços entre profissionais e interessados em museus, seguiremos com os debates tendo o CEM-SP como base e também na estruturação de propostas para uma política cultural específica para o setor museal”, promete Kaseker.

Conselho debate Cadastro Estadual de Museus

A Secretaria de Cultura do Estado sediou a segunda reunião ordinária do Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus (COSISEM-SP) deste ano. O Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP) foi o principal assunto do encontro, aberto ao público.

Foram apreciados e deliberados diversos processos de adesão ao cadastro, além da revisão de outros já considerados indeferidos – para que se conclua, de fato, quais deles permanecerão nesta condição e quais serão reclassificados segundo a categoria “Instituição em processo de estruturação museológica”, criada na primeira reunião do COSISEM-SP no ano, em fevereiro.

O encontro também serviu para apresentação de novos recursos disponibilizados aos conselheiros para análise dos processos na plataforma digital do CEM-SP. É por meio dela que as instituições museológicas preenchem o Instrumento de Qualificação Cadastral (IQC) – passo inicial em todo processo de adesão.

Até chegar à deliberação do COSISEM-SP, cada cadastramento passa por quatro etapas: 1) preenchimento do IQC por parte da instituição museológica; 2) análise destes dados por parte do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP; 3) visita técnica de aferição feita pelo GTC SISEM-SP; 4) emissão de parecer técnico do GTC SISEM-SP sobre o atendimento aos critérios de elegibilidade.

Cada processo cadastral gera ainda um relatório técnico, um relatório situacional e um checklist – capazes de oferecer um panorama amplo da instituição e que podem ser usados pelos museus para sua qualificação.

“É de suma importância que todos os integrantes do COSISEM-SP possam usufruir das ferramentas disponibilizadas pelo sistema de cadastramento, o que facilita e qualifica o processo de deliberação. Dessa maneira, estaremos prontos para apreciar com rapidez e embasamento o processo de adesão das instituições ao CEM-SP”, argumenta o diretor GTC SISEM-SP, Davidson Kaseker.

Conheça a Comissão Consultiva para a realização do 10EPM

De 18 a 20 de julho, o Memorial da América Latina receberá especialistas de todo o Estado para participar da 10ª edição do Encontro Paulista de Museus (10EPM). O maior encontro de museus paulistas, no entanto, começa a ser pensado e preparado muito antes – tarefa a cargo da Comissão Consultiva do EPM, composta por representantes da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e de instituições parceiras de ampla referência na área museológica. Instituída desde a 7ª edição do EPM, a comissão é responsável por refletir sobre a programação e parcerias possíveis para a realização do evento.

“A Comissão Consultiva opina sobre o tema a ser tratado no EPM, indica nomes de palestrantes, discute o formato, sugere atividades e pondera a respeito da programação final.”
MESSAGE-ICON
Luiz Mizukami
Coordenador da programação do 10EPM

Assim que o orçamento para cada edição do EPM é definido, o grupo reúne-se presencialmente pelo menos três vezes, intercaladas com discussões via internet, por e-mail. Para o 10EPM, a primeira reunião da Comissão Consultiva foi realizada ainda no segundo semestre de 2017. Com isso, já no começo deste ano, toda programação havia sido concebida – permitindo, dessa maneira, o início do envio dos convites aos profissionais indicados.

Mizukami frisa que a comissão permite um diálogo profícuo e amplo sobre os rumos do evento, ampliando, assim, a reflexão sobre o tema a ser tratado. “A Comissão Consultiva permite a vinda de contribuições externas à Secretaria da Cultura do Estado e amplia a validação de um evento que se configura como ação da política pública para os museus.”

 

Mais sobre o Encontro Paulista de Museus:

Com o tema Gestão e Governança, um dos pilares do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), o EPM conta com presença anual de mais de mil participantes, convidados nacionais e internacionais de reconhecida importância no setor. A iniciativa é do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado e em parceria com a organização social de cultura ACAM Portinari.

Em seu 10º ano, o encontro consolida-se como espaço de qualificação àqueles que trabalham, pesquisam e vivenciam o dia a dia dos museus. “O EPM configura-se como um verdadeiro disseminador de ideias e propostas e é hoje uma referência na área de museus que se estende além das fronteiras do Estado”, comenta Davidson Kaseker, diretor do Sistema Estadual de Museus de São Paulo.

Rede SP de Memória e Museologia realiza encontro

Reconhecimento de iniciativas desenvolvidas em todo Estado e rearticulação da própria rede. Esses são os objetivos do Encontro da Rede SP de Memória e Museologia Social, que acontece no dia 7 de abril, das 13h30 às 16h30, no Museu Republicano “Convenção de Itu”, em Itu. O Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) da Secretaria da Cultura do Estado é apoiador da iniciativa.

Estão convidados a participar da reunião comunidades, grupos, coletivos, profissionais, instituições e quaisquer iniciativas de base comunitária que atuam no campo da memória, patrimônio cultural e museologia.

O encontro debaterá o intercâmbio de experiências, com o fortalecimento de iniciativas já em andamento e apoio entre as partes; acesso a políticas públicas estaduais de apoio; como aumentar ainda mais a difusão do que é Museologia Social; e como promover a articulação com outras redes.

Ao longo do ano, outro objetivo do grupo é percorrer o Estado para divulgar e mapear projetos, compartilhar experiências e fortalecer as iniciativas que já estão em andamento.

“O SISEM-SP apoia a Rede SP de Memória e Museologia Social por identificar no grupo uma força capaz de reunir processos museológicos e museus comunitários ainda não devidamente mapeados em território paulista. O encontro é mais um passo para o fortalecimento da rede e para a troca de experiências entre seus participantes."
MESSAGE-ICON
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP
“O encontro dá sequência e aprofunda uma série de atividades que já realizamos até o momento. Já promovemos, por exemplo, encontros de formação, oficinas de inventário participativo e mobilizações nacionais com outras redes estaduais e temáticas, como a participação na edição de 2015 do Encontro Paulista de Museus e em edições do Fórum Nacional de Museus.”
MESSAGE-ICON
Juliana Siqueira
Laboratório do Bem-Viver, plataforma experimental

de Museologia Social de Campinas

Rede SP de Memória e Museologia Social realiza encontro em Itu

Grupo reúne bases comunitárias atuantes no campo da memória e patrimônio cultural (mais…)

Gestão e Governança é tema do 10º Encontro Paulista de Museus

Gestão e Governança. Esse é o tema do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), evento do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) que ocorre de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina. O assunto dá sequência aos debates iniciados ano passado e pertence à série temática ligada ao Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP).

A partir das dificuldades apresentadas pelos museus que já aderiram ao cadastro, o tema Gestão e Governança foi decidido de forma colaborativa pela Comissão Consultiva do 10EPM, que reúne representantes do COREM-SP, ICOM, PPGMUS-USP, CPF-SESC, British Council, e ETEC Parque da Juventude do Centro Paula Souza – além do Grupo Técnico de Coordenação, do Conselho de Orientação e dos representantes regionais do SISEM-SP.

Toda programação do evento é pensada e decidida coletivamente entre os parceiros, de maneira que as várias linhas que convergem ao tema sejam debatidas.

O EPM do ano passado, cujo tema foi “Infraestrutura e Segurança”, deu início a uma série temática relacionada aos eixos do CEM-SP. Assim, “Gestão e Governança” dá continuidade a esse debate, que se estenderá nas próximas edições do encontro abordando os demais eixos do cadastro, como “Salvaguarda de Acervos” e “Comunicação e Serviços ao Público”.

"Nesta 10ª edição, celebramos não apenas uma marca histórica de continuidade de uma ação de política pública museal paulista, mas também as diversas parcerias que permitiram que chegássemos aqui. No mais profundo sentido de rede, o SISEM-SP e o EPM são tributários de parcerias e colaborações, exercitando na prática aquilo que desejamos para nossas instituições museológicas paulistas: o aprimoramento técnico a partir de um trabalho integrado e conjunto", comenta , responsável pela coordenação da programação."
MESSAGE-ICON
Luiz Mizukami
Coordenador da programação do Encontro Paulista de Museus

Inscrições abertas!

Estão abertas aos museus de todo Estado, até 20/4, as inscrições para a participação nos Painéis Digitais do 10º Encontro Paulista de Museus. Os Painéis Digitais são apresentações em formato digital a serem exibidas em televisores espalhados pelo local do evento. Dois temas foram abertos para o recebimento de inscrições:

  1. “Democratização de processos museológicos” – com ações desenvolvidas pelos museus que contaram com a participação do público e da comunidade em seus processos institucionais (orçamento participativo, gestão colaborativa, curadoria compartilhada, identificação e/ou ressignificação do acervo, definição da programação etc).
  2. “Ações de fomento à participação” – aquelas que possibilitaram a apropriação do público e da comunidade do espaço do museu, como, por exemplo, com a realização de parcerias com escolas ou associações de bairro para a realização de evento em conjunto; mutirão com vizinhos para a realização de uma benfeitoria na vizinhança; implementação de uma horta comunitária; campanha de arrecadação de insumos etc.
“Os Painéis Digitais, além de complementarem as apresentações e temas dos Encontros Paulistas de Museus, constituem o espaço ideal para que os museus paulistas mostrem a um grande público os seus trabalhos. O objetivo é que as ideias apresentadas sirvam de inspiração para outras instituições, criando-se, assim, uma rede compartilhada de soluções.”
MESSAGE-ICON
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP

COMO PARTICIPAR?

Para participar dos Painéis Digitais do 10EPM, os museus devem encaminhar a apresentação por meio da ficha de inscrição disponível no link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScd4iW9Czusiet7DmCNCfXyUHL6-sX2KN3SBZhogH7n3rTq_Q/viewform

Os selecionados serão divulgados em 27/04. Além disso, entre as apresentações selecionadas, até quatro de cada tema podem ser escolhidas para uma apresentação ao vivo no segundo e terceiro dias do encontro.

Detalhes para a elaboração dos Painéis Digitais estão disponiveis no link: https://www.sisemsp.org.br/epm/paineis-tematicos/. Após o 10EPM, todos serão disponibilizados no site do SISEM-SP (www.sisemsp.org.br). Dúvidas e informações pelo telefone (11) 3339-8111 e pelo e-mail sisem@sp.gov.br.

Piracicaba recebeu Encontro sobre o Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP)

No último dia 23 de fevereiro, o Museu Prudente de Moraes, em Piracicaba, sediou o Encontro Regional de Museus, do SISEM-SP. O diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP, Davidson Kaseker, esclareceu pontos sobre o Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), principal assunto da reunião. Participaram representantes de Americana, Amparo, Campinas, Itapira, Limeira, Paulínia, Piracicaba, São João da Boa Vista e São Pedro. Confira mais detalhes sobre os próximos encontros do SISEM-SP: www.sisemsp.org.br

Cadastro Estadual de Museus é foco de 1ª reunião do COSISEM-SP no ano

O Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus (COSISEM-SP) realiza, dia 8 de fevereiro, das 10h00 às 17h00, sua primeira reunião em 2018. O encontro, aberto ao público, ocorre na sede da Secretaria da Cultura do Estado.

 O foco da reunião é o Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), com treinamento aos conselheiros sobre o melhor uso da plataforma, bem como emissão de pareceres e deliberações a instituições que já preencheram o cadastro.

Aberto a unidades museológicas de todo Estado em junho do ano passado, o CEM-SP é a ferramenta criada pelo SISEM-SP para estabelecer critérios a fim de qualificar as instituições museológicas paulistas.

Além disso, é por meio dos dados do cadastro que serão estabelecidas políticas públicas para o setor, repasse de verbas via leis de incentivo, agendamento de exposições itinerantes, entre outros serviços e trâmites governamentais.

“A análise dos cadastros preenchidos, sua posterior tramitação e a deliberação dos processos são feitas on-line. Por isso, é de grande importância que todos os conselheiros estejam a par do funcionamento do sistema, para que as deliberações sejam precisas, rápidas e de acordo com os critérios estabelecidos ao se criar o CEM-SP”, observou a coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM) e presidente do COSISEM-SP, Regina Ponte.

Em 2018, o conselho irá se reunir a cada dois meses. Além de debates em torno da adesão das instituições museológicas ao CEM-SP, o COSISEM-SP também discute premissas e diretrizes da política cultural para o setor em todo Estado.

“As reuniões do COSISEM-SP serão mais constantes em 2018 para que acompanhemos com especial atenção todos os processos de adesão ao CEM-SP; assim, otimizamos as deliberações e auxiliamos da melhor forma possível o cadastramento das instituições”, explicou o diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

 

O COSISEM-SP

A constituição e a posse do Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus (COSISEM) são um marco no processo de consolidação institucional do SISEM-SP. Previsto desde a criação do sistema, em 1986, o Conselho só foi efetivamente instituído em 2012, sendo composto por sete membros: a coordenação da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM); a direção do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC SISEM-SP); a direção do Grupo de Preservação do Patrimônio Museológico da UPPM (GPPM/UPPM); uma representação do corpo docente do Curso Técnico em Museus instituído pelo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS); uma representação dos cursos de nível superior na área museológica de universidades paulistas; e duas representações de instituições museológicas eleitas bienalmente por voto direto durante a realização do Encontro Paulista de Museus.

SISEM-SP leva exposição “Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas” a São Caetano do Sul

Abertura ocorre dia 26 de outubro, às 20h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal

Depois de Itápolis, a mostra gratuita e itinerante “Origem dos Nomes dos Municípios Paulistas” segue viagem e chega a São Caetano do Sul. A abertura será no dia 26 de outubro, às 20h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal. A realização é do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), ACAM Portinari e Arquiprom, com parceria da IDBrasil e apoio da Prefeitura de São Caetano do Sul.

A exposição surgiu a partir do livro de mesmo nome escrito em 2004 pelo jornalista e artista plástico Enio Squeff, em coautoria com Helder Perri Ferreira. “Desvendar a origem dos topônimos não exprime os mistérios das cidades, mas indica a poética possível da sua existência, o que inclui sua história e geografia”, argumenta Squeff – responsável pelo levantamento do nome dos 645 municípios e também curador da mostra. (mais…)