@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

Periferia

Domingo é dia de SP Cultura na Rua em Cidade Tiradentes

Quem passa pela Avenida Paulista aos domingos já se acostumou com as inúmeras apresentações musicais no percurso da via. No entanto, em bairros mais afastados do centro, atividades culturais nas ruas, apesar de regulamentadas, não acontecem com tanta frequência. Com o objetivo de mudar este cenário, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo criou o projeto “SP Cultura na Rua”, que leva shows gratuitos para as periferias de São Paulo.

A iniciativa já passou pelos bairros Cidade Tiradentes, Vila Nova Cachoeirinha, Capão Redondo, Jardim São Luís, Brasilândia, Belém e Jaçanã, e retorna para Cidade Tiradentes no próximo domingo, 2 de dezembro, na Praça Maria da Graça dos Reis, das 13h00 às 17h00, com os cantores Cinnamon Tapes e Ikke Flesch e as bandas 4.0 Hey e Red Label Society.

Cinnamon Tapes é o nome artístico da cantora, compositora e instrumentista brasileira Susan Souza, que apresenta “Nabia”, disco de estreia em parceria com o norte-americano Steve Shelley. O álbum, gravado em Hoboken, nos Estados Unidos, reúne canções sobre aprendizados, desafios e valorização do feminino.

Ikke Flesch, recém-chegado de turnê na Inglaterra e Escócia, volta a São Paulo para shows solo em formato voz e violão. Seu repertório inclui músicas autorais com o melhor do rock britânico e hits clássicos do rock’n roll.

O grupo 4.0 Hey, composto por Adriano Black Music e Piri Passinho, tem como principais estilos musicais o hip hop, o funk, o pop e o R&B. O nome “4.0” foi escolhido em referência aos quatro gêneros principais de suas músicas. 

Red Label Society, banda cover de Black Label Society, obteve sucesso rapidamente com fãs e casas de show, devido a sua fidelidade tanto na imagem quanto nas músicas da banda norte-americana. O grupo lota os espaços pelos quais passa levando sua produção e qualidade sonora, e é considerado o melhor cover da banda internacional atualmente.

Projeto Percursos traz artistas para rodas de conversa nas Fábricas de Cultura

Com intuito de dialogar com os grupos de cessão de espaço e com os aprendizes, as Fábricas de Cultura das zonas norte e sul realizam o Projeto Percursos, que traz Linn da Quebrada, Jup do Bairro e Zoioomc para um bate-papo sobre arte, cultura e as possibilidades de se profissionalizar na área. Os encontros serão nos dias 1, 4, 5, 6, 8 e 9 de dezembro nas unidades Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha.

A artista multimídia Linn da Quebrada transita nas linguagens artísticas sem precisar se prender em alguma. Encontrou na música uma poderosa arma na luta pela quebra de paradigmas sexuais, de gênero e corpo, e lançou seu primeiro álbum, Pajubá, em outubro de 2017, com o apoio de fãs em uma campanha de financiamento coletivo. As rodas de conversa com a artista acontecem em três dias: sábado (1), às 17h, no Jardim São Luís; terça-feira (4), às 15h, na Vila Nova Cachoeirinha e domingo (9), às 17h no Jaçanã.

Jup do Bairro encontrou na performance a possibilidade de externar seus sentimentos e criatividade. Já atuou como educadora, palestrante, styling, atriz e produtora de eventos. Atualmente participa dos shows e turnês ao lado de Linn da Quebrada. A artista participa do Projeto Percurso na quarta e quinta-feira (5 e 6) às 19h no Capão Redondo.

Com letras que passeiam pelo cotidiano e o imaginário, e músicas somadas a energia em palco, ZoiooMC foi indicado pelo rapper americano Snoop Dog em seu programa “Underground Heat”, sendo o único clipe brasileiro a entrar no top 10 de seu programa. O bate-papo com o artista será no sábado (8) às 15h, na Brasilândia.

Foto: Linn da Quebrada

O Projeto Percursos visa uma construção coletiva de equipes de funcionários do Programa Fábricas bem como de grupos, núcleos e artistas com ações de ensaio nos espaços de todas as unidades de Fábricas de Cultura. A proposta nasce de estudos e aprofundamentos nas linguagens artístico-culturais, formação em produção cultural, formatação de projetos, comunicação e divulgação, mercado cultural, legislação, ética e demais áreas.

Fábrica de Cultura do Jaçanã exibe documentário “Nós, Carolinas”

O filme, produzido pelo coletivo “Nós, Mulheres da Periferia”, narra as histórias de quatro moradoras das periferias de São Paulo (mais…)