oficinas culturais

Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe mostras de dança e teatro

Quem gosta de teatro e dança não pode perder os espetáculos gratuitos que serão sediados na Oficina Cultural Oswald de Andrade, nos meses de novembro e dezembro. A 5ª Mostra Experimental de Dança, realizada pelo Núcleo Luz, apresentará 16 trabalhos dos aprendizes, nos dias 30 de novembro, às 20h, e 1º de dezembro, às 18h. Já a Mostra de Teatro e Dança do Programa de Qualificação em Artes, que será entre 5 e 8 de dezembro, oferecerá 12 atividades para o público, entre elas oficinas e apresentações. Para assistir aos espetáculos basta retirar os ingressos com uma hora de antecedência e para participar das oficinas é só se inscrever conforme ordem de chegada.

A 5ª Mostra Experimental de Dança é fruto de investigações compositivas dos 20 aprendizes do Ciclo II – programa de formação em dança do Núcleo Luz –, que agora iniciam o protagonismo de suas trajetórias artísticas. Os 16 trabalhos, entre eles solos, duos e quartetos, têm diferentes temas; tratam de memórias, manifestos e inquietações dos jovens dançarinos, originando uma mostra de dança eclética, que contém múltiplos olhares, poéticas e sentidos.

Já a Mostra de Teatro e Dança do Programa de Qualificação em Artes tem como proposta apresentar um pouco da cena do interior de São Paulo, a partir das criações de grupos e artistas orientados pelo Programa de Qualificação em Artes. Os espetáculos tratam de abuso físico e psicológico, desigualdades, padrões sociais, crenças religiosas e até a percepção da realidade. As oficinas são focadas nos processos de criação, linguagem corporal, improvisação e reflexões artísticas. Os curadores Ismael Ivo e Sérgio Ferrara compuseram uma programação com diversidade de temas e linguagens, que foram produzidas ao longo dos processos de orientação artística deste ano, resultando numa Mostra potente e vibrante.

Entre os destaques da programação da Mostra de Teatro e Dança, estão a peça Esta propriedade está condenada, do Grupo Evoé de Teatro, de Juquiá; e o espetáculo Ostra, do Núcleo Experimental de Dança Teatro, de São José dos Campos. A peça, que será no dia 5 às 20h, trata da Grande Depressão de 1929: a quebra da Bolsa de Valores em Nova York arruinou a vida de famílias inteiras, que foram tomadas pelo abandono, abusos e exploração. Mas a jovem Willie, uma sobrevivente em meio ao caos, tem o coração cheio de sonhos. Já o espetáculo de dança, que será no dia 8 às 18h, é um diálogo entre poesia e teatro. Essa fusão artística causa um estranhamento e uma aproximação, como no mundo contemporâneo de identidades mescladas, mestiças e híbridas. A apresentação trata do corpo, do poético, da criação e das palavras.

onde fica?

Oficina Cultural Alfredo Volpi realiza atividade de artes visuais para criar exposição coletiva com trabalhos dos participantes

Para quem observa a paisagem da cidade pelas linhas azul e vermelha do metrô, é fácil notar as diferenças sociais e nuances arquitetônicas das regiões norte e leste de São Paulo. Em um vai e vem frenético, cerca de 6 milhões de pessoas movimentam uma das principais capitais do país. E foi a partir desta reflexão que a artista Karlla Girotto desenvolveu o projeto G>E na ZL.

 

Voltado para estudantes e interessados em artes visuais, design e moda, os participantes terão a oportunidade de expor seu trabalho na Oficina Cultural Alfredo Volpi, da Secretaria da Cultura do Estado. A atividade é realizada em parceria com o grupo G>E: Grupo maior que eu, que propõe uma troca entre integrantes do coletivo alocado no Bom Retiro com os participantes da oficina, que incentiva, a partir de uma dinâmica aberta, a criação individual de cada participante para o desenvolvimento de uma mostra coletiva. A atividade acontece entre 4 de agosto e 29 de setembro, sábado às 14h, e as inscrições gratuitas podem ser feitas no site.

 

Trabalhando a partir da ideia de que conceitos nunca são pré-programados e estão em constante mudança, os encontros exploram o “pensar-fazendo”, com o objetivo de repensar teoria e prática de modo que elas se complementem. Durante a atividade, textos de autores como Suely Rolnik, Paul B. Preciado e Silvia Federici são estudados e usados na criação das obras individuais e coletivas.

 

“Comecei a refletir no impacto da linha vermelha como ligação entre algumas regiões da cidade que são muito diferentes, e estas diferenças dizem muitos sobre classe, raça, acesso etc”, conta Karlla Girotto, artista visual e coordenadora da atividade. “O encontro entre integrantes do coletivo e participantes da oficina é uma circulação de fluxos, trabalhos e desejos”.

 

SERVIÇO: G>E na ZL – Pegando a linha vermelha do metrô

4/8 a 29/9. Sábados, 14h às 17h.

Inscrições gratuitas no site: http://bit.ly/2uD42EP

Recomendação etária: maiores de 16 anos.

 

SOBRE A OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

Criada pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, desde 1986 a oficina de cultura trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas, como artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

 

SOBRE POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP

Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 10h às 18h.

Mais informações: (11) 2205-5180 | 2056-5028 | www.oficinasculturais.org.br

Acessibilidade no local.

 

Assessoria de Imprensa – POIESIS

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes – stgomes@sp.gov.br – (11) 3339-8243

Bete Alina Skwara – betealina.culturasp@gmail.com – (11) 3339-8164

Infantil: Oficina Cultural Juan Serrano oferece aulas de teatro inspiradas nas obras de Monteiro Lobato

Há 70 anos, um grande escritor e também tradutor brasileiro de obras infantis partia, deixando para trás seu legado: Monteiro Lobato, muito conhecido por seu livro O Picapau Amarelo (1939), até hoje é um dos maiores nomes da literatura infantil. Por isso, a Oficina Cultural Juan Serrano, da Secretaria da Cultura do Estado, convida crianças maiores de 7 anos para a oficina de teatro infantil A Magia de Monteiro Lobato, que vai de 8 de agosto a 3 de outubro, às quartas-feiras, das 8h30 às 10h30. São oferecidas 12 vagas para as aulas gratuitas. As inscrições, que vão até o dia 1º de agosto, devem ser feitas na recepção da unidade.

 

A proposta da atividade, ministrada pela atriz Clau Siqueira, é, a partir de pesquisas sobre as obras do autor, incentivar os pequenos a desenvolverem cenas inspiradas nesses trabalhos. É só levar a curiosidade e a disposição para aprender e brincar. Clau integra a Dona Mirna Cia de Arte e o Grupo Passione Corale. Além de diretora, ela possui experiência em diversas linguagens teatrais, como Expressionismo, Teatro Documentário e Performativo.

 

SOBRE A OFICINA CULTURAL MAESTRO JUAN SERRANO

A Oficina Cultural Juan Serrano realiza atividades voltadas para a formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e abrangem diversas áreas como tecnologia, artes plásticas, teatro, literatura, música, fotografia, dança e circo, entre outros. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social Poiesis.

 

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

SERVIÇO:

A Magia de Monteiro Lobato

Quartas-feiras, de 8/8 a 3/10 – das 8h30 às 10h30

Faixa etária: a partir dos 7 anos

Vagas:12

 

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo

Telefone: (11) 3994-3362 | 3971-3640

Funcionamento: de segunda a sexta-feira das 8h às 18h, e aos sábados das 8h às 13h

www.oficinasculturais.org.br

 

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

 

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

 

 

Programa de Qualificação em Artes realiza roteiro cultural em São Paulo com jovens diretores do interior do estado

A proposta do projeto é promover vivências que ampliem o repertório e as experiências desses artistas; a participação é gratuita

(mais…)

Marcenaria para mulheres: Oficina Cultural Juan Serrano oferece curso gratuito

Além das participantes aprenderem noções básicas de marcenaria, as aulas estimulam a autonomia e a independência

 

Que tal aprender sobre marcenaria gratuitamente, num curso só para mulheres? A Oficina Cultural Juan Serrano convida para as aulas de Formação Básica em Marcenaria para Mulheres todas as interessadas em aprender a manipular ferramentas e ter noções de design de interiores e decoração O curso será às quartas-feiras, de 8 de agosto a 19 de setembro, das 9h às 11h30. As inscrições devem ser feitas na recepção da unidade, mediante a entrega de carta de interesse, até o dia 30 de julho. São oferecidas dez vagas para maiores de 16 anos.

 

A proposta da oficina, coordenada pelo designer Luís Guimarães, é fortalecer a independência das mulheres por meio das noções básicas de marcenaria, e também estimular o empoderamento de cada uma. As participantes conquistarão habilidade e técnica a partir da montagem de um móvel, que precisará de ferramentas como: furadeira, martelo, parafusadeira e serra tico-tico. Será uma ótima oportunidade, também, para quem busca uma nova profissão. Guimarães participa da elaboração de projetos e produção em empresas de engenharia, arquitetura e setor moveleiro, e também é proprietário do Estúdio LG, que cria e produz móveis e objetos lúdicos e artísticos, optando por trabalhar com materiais reciclados.

 

SOBRE A OFICINA CULTURAL JUAN SERRANO

A Oficina Cultural Juan Serrano realiza atividades voltadas à formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e abrangem diversas áreas, como tecnologia, artes plásticas, teatro, literatura, música, fotografia, dança e circo, entre outras. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social Poiesis.

 

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

SERVIÇO

Formação básica em marcenaria para mulheres.

Quartas-feiras, de 8/8 a 19/9 – das 9h às 11h30

Faixa etária: a partir de 16 anos

Inscrições: até 30/7

Vagas: 10

 

Oficina Cultural Juan Serrano

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo

Telefone: (11) 3994-3362 | 3971-3640

Funcionamento: de segunda a sexta-feira das 8h às 18h, e aos sábados das 8h às 13h

www.oficinasculturais.org.br

 

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

 

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

 

 

Oficinas Culturais promove a Jornada da Gestão Cultural em Jacareí e São José dos Campos

Série de bate-papo que aprofunda discussões sobre o mercado cultural é voltada para gestores, produtores e artistas

(mais…)

Oficina Cultural Oswald de Andrade estreia seis espetáculos gratuitos

Entre os destaques está a peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, que propõe reflexões sobre opressão e intolerância sofridas por travestis e grupos marginalizados

 

Que tal curtir vários espetáculos com a família e os amigos? Nos meses de agosto e setembro, a Oficina Cultural Oswald de Andrade estreia seis peças de teatro que tratam de temas diversos: marginalização social, religiosidade, o homem contemporâneo, humor e horror, democracia e capitalismo e romance. Os ingressos são gratuitos, e devem ser retirados uma hora antes de cada espetáculo.

 

E se Jesus vivesse nos tempos de hoje e fosse travesti? A peça O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu é uma mistura de monólogo e contação de histórias, em um ritual que traz Jesus ao tempo presente, na pele de uma travesti. Narrativas bíblicas conhecidas são recontadas em uma perspectiva contemporânea, propondo uma reflexão sobre a opressão e intolerância sofridas por transgêneros e grupos marginalizados. O espetáculo provoca reflexão ao expor esses problemas sociais, e também emite uma mensagem de amor, perdão e aceitação. As apresentações, indicadas para maiores de 18 anos, acontecem nos dias 16 e 17 de agosto, às 20h, e no dia 18, às 18h.

 

Escandinavos é uma peça repleta de subjetividades, que discute os paralelos entre a arte e a vida. Encenado de 2 a 11 de agosto, o espetáculo narra o esforço de uma atriz que tenta superar o fim de um denso relacionamento amoroso por meio da criação ficcional. Ela inventa uma nova história que se confunde com a sua: o fim de um romance entre um diretor sueco e uma atriz norueguesa. O texto não apenas revela aos poucos a confusa narrativa da protagonista, mas também adentra o domínio metalinguístico ao esmiuçar o processo cênico do espetáculo. Escandinavos é comandado pelas idas e vindas da mente da personagem, que cria ambientes e figuras apropriando-se das únicas três cadeiras que compõem a cenografia. A peça, que é indicada para maiores de 14 anos, será às 20h às quintas e sextas-feiras, e às 18h aos sábados.

 

O Coletivo Concreto apresenta, de 17 a 25 de agosto, a peça Fio de Terra, que mistura teatro, música e performance. Vozes ecoam ao longe e, aos poucos, se enredam em cantos; elas se materializam em diferentes camadas de histórias e jornadas que atravessam os séculos. Sem texto, e por meio de um encontro vivo entre atores, espaço e público, o espetáculo se coloca diante de perguntas sobre o homem contemporâneo e suas origens. O sagrado e o profano são questões abordadas, deixando transparecer um presente e um passado que se espelham. Indicada para maiores de 16 anos, a peça se inicia às 20h às sextas-feiras, e às 18h aos sábados.

 

Já no dia 21 de agosto, terça-feira, às 20h, o Teatro Kaus Cia. Experimental apresenta a Leitura dramática: Contra o processo, indicada para maiores de 18 anos. O espetáculo mistura humor e horror e morte e comédia, ridicularizando – como um espelho que distorce a realidade – e traçando uma crítica ao progresso humano. A peça reúne cenas surrealistas, e faz parte da Trilogia da Indignação, que inclui também as peças Contra o Amor e Contra a Democracia, que também será encenada na Oficina.

 

SOBRE A OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE

A Oficina Cultural Oswald de Andrade realiza atividades na formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e no formato de oficinas, workshops, núcleos de estudos, seminários, residências artísticas, intercâmbios, apresentações cênicas, exposições, entre outros. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social POIESIS.

 

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

SERVIÇO:

Escandinavos

2 a 11/8 – quintas e sextas-feiras às 20h, e sábados às 18h

Faixa etária: a partir de 14 anos

 

Matheus, 10

Terças e quartas-feiras – de 14/8 a 12/9

Faixa etária: a partir de 16 anos

 

Fio de Terra

17 a 25/8 – sextas-feiras às 20h, e sábados às 18h

Faixa etária: a partir de 16 anos

 

O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu

16, 17 e 18/8 – quinta e sexta-feira às 20h, e sábado às 18h

Faixa etária: a partir de 18 anos

 

Leitura dramática: Contra o Processo

Terça-feira, 21/8 – às 20h

Faixa etária: a partir de 18 anos

 

Leitura dramática: Contra a Democracia

Terça-feira, 4/9 – às 20h

Faixa etária: a partir de 14 anos

 

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3221-4704

Funcionamento: Segunda a sexta das 9h às 22h e aos sábados das 10h às 18h.

oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

www.oficinasculturais.org.br

 

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

 

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

 

 

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano realiza oficina sobre montagem teatral

Os participantes criarão coletivamente um texto original que ficará em cartaz no espaço

 

Interessados em produções teatrais têm a chance de desenvolver um texto que poderá ser utilizado na montagem de um espetáculo.  A Oficina Cultural Maestro Juan Serrano – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – realiza, entre julho e outubro, a atividade “Descobrindo o processo da montagem teatral”: os encontros acontecem de 31 de julho a 9 de outubro, às terças-feiras, 14h00, com inscrições gratuitas na recepção da instituição.

 

Nos encontros, os participantes passam por um processo criativo cênico a partir da leitura de textos clássicos, jogos de improvisação, criação de cenas e personagens, e todos os processos que envolvem a criação de uma dramaturgia. Orientados por André Auke, o grupo desenvolverá um texto original que, posteriormente, ficará em cartaz na Oficina Cultural como conclusão da atividade.

 

André Auke é membro do Grupo 3 de Copas e possui experiência em teatro, arte-educação, cinema e vídeo. Produziu e dirigiu o espetáculo “Dr. Corujis: quem disse que o que não se vê não é?” e trabalhou na produção de “Gesamt”, projeto de Lars Von Trier que congrega cineastas amadores de todas as partes do mundo.

 

SOBRE A OFICINA CULTURAL MAESTRO JUAN SERRANO

A Oficina Cultural Maestro Juan Serrano realiza atividades voltadas para a formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e abrangem diversas áreas como tecnologia, artes plásticas, teatro, literatura, música, fotografia, dança e circo, entre outros. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social POIESIS.

 

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

SERVIÇO: Descobrindo o processo da montagem teatral

31/7 a 9/10. Terças-feiras, 14h às 16h

Inscrições gratuitas na recepção da instituição

Recomendação etária: adolescentes maiores de 13 anos e adultos

 

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo

Telefone: (11) 3994-3362 | 3971-3640

Funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 13h

oficinasculturais.org.br | juanserrano@oficinasculturais.org.br

 

Assessoria de Imprensa – Poiesis

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

 

Secretaria da Cultura do Estado – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina Skwara (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano sedia o GGJ Next, evento criado pela maior desenvolvedora de jogos independentes do mundo

Na atividade gratuita os participantes desenvolvem coletivamente personagens, cenários, ações e todas as etapas presentes na criação de um jogo

(mais…)

Programa de Qualificação em Artes realiza Encontros de Dança no interior de São Paulo

Atividades gratuitas acontecem nas cidades de Garça e Bauru com oficinas formativas e apresentação de espetáculos

(mais…)

Oficina Cultural Juan Serrano realiza oficina de Bunraku, tradicional teatro de bonecos japoneses

A atividade celebra os 110 anos da imigração japonesa no Brasil

(mais…)

Descaracterizar-se: Café na Oficina Cultural Alfredo Volpi discute construção social e de gênero

A artista convida os interessados para participarem de uma troca de roupas no dia 22 de agosto. A proposta é refletir sobre o significado da autoimagem e das vestimentas

(mais…)

Comunicação e novas mídias: Oficina Cultural Juan Serrano oferece cursos gratuitos para jovens

Realidade virtual e criação e gerenciamento de canal no Youtube são os temas das oficinas que vão de julho a setembro

(mais…)

Oficina Cultural Oswald de Andrade realiza semana de atividades com Théâtre du Soleil

Desenvolvida para artistas e interessados em teatro, a programação do evento é gratuita e conta com oficinas, exibições de filmes e debates

(mais…)

Oficina Cultural Alfredo Volpi promove espetáculos teatrais que unem arte e ativismo

A programação é gratuita e os trabalhos abordam temas como intolerância religiosa e consumismo

  (mais…)

Programe-se: Oficina Cultural Alfredo Volpi oferece curso gratuito sobre danças urbanas

Além do movimento corporal, a ideia é refletir sobre as danças afro-brasileiras na atualidade, a partir dos movimentos históricos de resistência da população negra

(mais…)

Limeira oferece mais de 300 vagas em oficinas culturais

Entre 20/6 e 31/7, a Secretaria de Cultura de Limeira está com inscrições abertas para atividades do programa Oficinas Culturais, realizado em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado por meio de convênio com a prefeitura municipal. No segundo semestre, serão oferecidas 345 vagas para atividades de diversas linguagens artísticas, voltadas para crianças, jovens e adultos. As atividades começam no mês de agosto e podem se inscrever tanto os moradores de Limeira quanto de cidades vizinhas.

Os interessados devem se inscrever pessoalmente nos locais das atividades (ver agenda completa abaixo). Menores de idade devem ir acompanhados pelos pais ou responsáveis. Entre as oficinas oferecidas estão aulas de balé para crianças, samba rock, canto, teatro, dança, cinema, artesanato, fotografia, iluminação cênica, artesanato e maquiagem infantil. São atividades que estão de acordo com a demanda da população limeirense, de acordo com a orientação passada pela Secretaria da Cultura do Estado quando foi feita a reestruturação administrativa do programa Oficinas Culturais, em 2017. As oficinas também levam em consideração a formação e a capacitação para o mercado de trabalho no setor cultural.

Confira a programação do segundo semestre. Para mais detalhes sobre as oficinas, acesse o site da prefeitura de Limeira: www.limeira.sp.gov.br.

Oficinas culturais realizadas na EMCEA 

Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mário Tintori”

Endereço: Rua da Boa Morte, 471 – Centro

Inscrições: Segunda a sexta – 10h00 às 19h00 / Sábados – 9h00 às 11h00

Informações: (19) 3441-5493

 

Teatro

Oficina: Vivência teatral para adolescentes (15 vagas)

Coordenação: Angélica Colombo

Período: 4/8 a 1/12 – sábados – 14h00 às 16h00

(exceto 18/8, 8 e 15/9 – 13/10 – 3 e 17/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados em artes cênicas, com idade entre 12 e 16 anos

Através de técnicas, jogos, dinâmicas e laboratórios de vivência, esta atividade possibilitará que participantes desenvolvam seu lado comunicativo/artístico, colaborando com a consciência corporal, vocal e cognitiva, com foco na voz individual para a criação de cenas em grupo.

 

Balé (Baby Class)

Oficina: O Balé e seus encantos (20 vagas)

Coordenação: Fabiana Claudino

Período: 17/8 a 30/11 – sexta-feira – 15h00 às 17h00

(exceto 7/9, 12/10, 2 e 16/11 – não haverá aulas)       

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

Através de aulas lúdicas e de brincadeiras que valorizem os conceitos necessários do Balé, as crianças entrarão em contato com alguns movimentos do Balé clássico, onde serão abordados passos característicos em cima da técnica.

        

Oficina: O Despertar – Baby Class Lúdico (20 vagas)

Coordenação: Liége Vicente

Período: 27/8 a 12/11 – segunda-feira – 9h00 às 11h00

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

De forma lúdica e utilizando a psicomotricidade, a oficina irá introduzir as crianças na arte da dança (Balé), promovendo a exploração da criatividade e a expressão através do movimento. A metodologia enfatiza o desenvolvimento das habilidades motoras e da coordenação, atenção e musicalização.

 

Cinema

Oficina de Roteiro para Cinema (20 vagas)

Coordenação: Nic Nilson

Período: 23/8 a 8/11 – quintas-feiras – 18h30 às 20h30

Público-alvo:  Interessados na área, a partir de 14 anos

Introdução às diferentes ferramentas e elementos que constituem a dramaturgia e a narrativa, dando aos participantes a qualificação para desenvolverem seus próprios roteiros e estruturarem suas histórias.

 

Maquiagem infantil

Oficina: Pintura Facial Artística Infantil (20 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 26/9 a 24/10 – quartas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-alvo: Interessados em aprender técnicas para maquiagem em crianças, para participações em eventos gerais, a partir dos 13 anos

Unindo a criatividade para o lazer e para a economia criativa, o aprendizado desta atividade poderá se tornar fonte de renda para pessoas interessadas em trabalhar em eventos infantis ou adultos, por meio da produção de máscaras pintadas no rosto ou desenhos pintados no corpo.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

 

Fotografia

Oficina de iniciação à fotografia (20 vagas)

Coordenação: Kauê Braga

Período: 16 a 27/10 – terça a sexta – 18h30 às 20h30 e sábados – 14h00 às 16h00

Público-alvo:  Iniciante na área, a partir de 16 anos

Atividade pretende incentivar os participantes a desenvolverem o olhar fotográfico, além de sensibilidade para espaços cotidianos da cidade de Limeira. Serão introduzidos conhecimentos e técnicas relacionadas a arte da fotografia, como conceitos de iluminação, composição, edição, entre outros.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Oficinas culturais realizadas no Teatro Vitória

Endereço: Praça Toledo Barros s/n – Centro

Obs: As inscrições para essa atividade serão feitas na EMCEA – Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mário Tintori”

Inscrições: Segunda a sexta – 10h00 às 19h00 / Sábados – 9h00 às 11h00

Informações: (19) 3441-5493

 

Iluminação Cênica

Oficina: Luz, cena e ação (15 vagas)

Coordenação: Ricardo Turco Cenzi

Período: 25/9 a 30/10 – terças-feiras – 14h00 às 16h30

Público-alvo: Interessados em atuar em operações de iluminação em atividades de espaços fechados, bem como em eventos externos, a partir de 16 anos

O participante irá aprender noções básicas de iluminação cênica para palcos e terá contato com uma breve história da iluminação e com os equipamentos de luz presentes no Teatro, além do palco e os diferentes tipos de refletores de iluminação.

Oficinas culturais realizadas na Casa da Cultura 1

Parque Nossa Senhora das Dores

Endereço: Rua Renato Moretti, 222 – Parque Nossa Senhora das Dores

Inscrições: Segunda e Quarta –  10h00 às 12h00 e das 13h00 às 19h00 / Terça, Quinta e Sexta – 8h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00

Informações: (19) 3453-9009

 

Artesanato

Oficina: Flautas, apitos e outros sons (15 vagas)

Coordenação: Marcos Lima

Período: 17/8 a 30/11 – sexta-feira – 17h00 às 19h00

(exceto 7/9, 12/10, 2 e 16/11 – não haverá aulas)

Público-alvo:  Interessados, com 35 anos ou mais

Esta oficina busca reavivar a prática artesanal na confecção de flautas, apitos e outros instrumentos que emitam sons através do sopro, utilizando-se de materiais reaproveitados, baixo custo e de fácil manuseio.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

 

Balé (Baby Class)

Oficina: O Despertar – Baby Class Lúdico (20 vagas)

Coordenação: Liége Vicente

Período: 27/8 a 12/11 – segunda-feira – 15h00 às 17h00

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

De forma lúdica e utilizando a psicomotricidade, introduzir as crianças na arte da dança (balé), promovendo a exploração da criatividade e a expressão através do movimento. A metodologia enfatiza o desenvolvimento das habilidades motoras e da coordenação, atenção e musicalização.

 

Canto Coral

Oficina: Todos podem cantar (20 vagas)

Coordenação: Kauê Braga

Período: 22/10 a 3/12 – segundas-feiras – 18h30 às 20h30 (exceto 19/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados, a partir de 15 anos

Através de aquecimentos, vocalizes, testes de percepção, técnicas vocais, contribuir para que os participantes descubram em si sua sensibilidade para o canto e trabalhem, de maneira didática, sua afinação e assim fiquem mais seguros para soltar a voz.

Oficinas culturais realizadas na Casa da Cultura2

Vista Alegre

Endereço: Rua Alberto Pelegrino, 37 – Vista Alegre

Inscrições: Segunda a Sexta-feira – 9h00 às 12h00 e das 13h00 às 16h00

Informações: (19) 3442-8470

 

Teatro

Oficina: Teatralização a partir das crônicas de Luis Fernando Veríssimo (15 vagas)

Coordenação: Rodrigo Pelizari

Período: 4/8 a 24/11 – sábados – 9h00 às 11h00

(exceto 8, 15/9 – 13/10 – 3, 17/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados em artes cênicas, com idade entre 12 e 16 anos

Objetivo da oficina é desenvolver estudos e técnicas teatrais, através de jogos cênicos e de improvisação aplicados em textos de Luis Fernando Veríssimo, além de análise de texto, jogos dramáticos e prática teatral.

 

Artesanato

Oficina: Customização em madeiras (15 vagas)

Coordenação: Helen Féola

Período: 23/8 a 8/11 – quintas-feiras – 16h30 às 18h30

Público-alvo:  Interessados, com 35 anos ou mais

Atividade irá trabalhar a cultura e a tradição do artesanato, desenvolvendo com os participantes sua criatividade. Por meio de diferentes técnicas de pintura e customização em madeira, participantes irão obter um produto personalizado de possível comercialização, gerando uma nova alternativa de trabalho e fonte de renda.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

 

Maquiagem Infantil

Oficina: Pintura Facial Artística Infantil (20 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 25/09 a 23/10 – terças-feiras – 16h30 às 18h30

Público-alvo: Interessados em aprender técnicas para maquiagem em crianças, para participações em eventos gerais, a partir dos 13 anos

Unindo a criatividade para o lazer e para a economia criativa, o aprendizado desta atividade poderá se tornar fonte de renda para pessoas interessadas em trabalhar em eventos infantis ou adultos, por meio da produção de máscaras pintadas no rosto ou desenhos pintados no corpo.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Oficinas culturais realizadas no Centro de Artes e Esportes Unificado

Parque Residencial Abílio Pedro-Geada

Endereço: Avenida Prefeito Ari Levi Pereira, S/N

Parque Residencial Abílio Pedro / Geada
Inscrições: Segunda a sexta – 8h00 às 17h00

Informações: (19) 3441-5493

 

Artesanato

Oficina: Patchapliquê com Pintura (15 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 28/8 a 13/11 – terças-feiras – 19h30 às 21h30

Público-alvo:  Interessados, com 35 anos ou mais

Atividade destinada a pessoas interessadas em artesanato e customização de peças. Durante as aulas, os participantes aprenderão a interligar bordados com pintura e aplicar seu trabalho em diversos materiais, como guardanapos, bolsas, camisetas e outros.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

 

Dança/Samba Rock

Oficina Samba Rock – Primeiros passos (20 vagas)

Coordenação: Zeca Johnes

Período: 25/9 a 13/11 – terças-feiras – 19h30 às 21h30

Público-alvo:  Interessados, a partir de 15 anos

Oficina de Iniciação em Samba Rock voltada às bases essenciais da dança, como giros, condução, posicionamento e musicalidade, bem como a prática em duplas das técnicas estudadas.

Oficinas culturais realizadas no Centro Infantil “Professora Aldelena Baraldi Fonseca Santos” | Jardim Lagoa Nova

Endereço: Avenida Doutor Antônio de Luna, 1451, Jardim Lagoa Nova

Inscrições: Atividade destinada para crianças dessa instituição

Informações: (19) 3441-6057

 

Balé (Baby Class)

Oficina: Crescendo com o Balé (20 vagas)

Coordenação: Aline Savazzi

Período: 20/8 a 12/11 – segundas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-alvo:  Atividade destinada para crianças dessa instituição, com idade entre 4 e 6 anos

Por meio do ensino do Balé Clássico, a atividade propõe, por intermédio de jogos, brincadeiras e atividades técnicas, novas descobertas e vivências que possam contribuir para o pleno desenvolvimento da criança.

Oficinas culturais realizadas na EMEIEF “Professora Raquel Aparecida Gonçalves Franceschi” | Bairro Residencial Rubi

Endereço: Rua Sebastião Teixeira, 200, Bairro Residencial Rubi

Inscrições: 18/6 a 31/7 – segunda a sexta-feira – 10h00 às 17h00

(Exceto 19, 20, 23 e 24/7)

Informações: (19) 99793-4944

 

Artesanato

Oficina: Arte na lata – Jóias Ecológicas (15 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovezi

Período: 29/8 a 14/11 – quartas-feiras – 18h00 às 20h00

Público-alvo:  Interessados na área de arte e customização de peças, com 35 anos ou mais

Utilizar latas de alumínio na produção de peças de bijuteria, decoração de ambientes e de festas comemorativas. Os participantes poderão utilizar o aprendizado e aplicar em diversos lugares, como colares, guirlandas, em caixas de MDF, telas entre outros.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

 

Balé (Baby Class)

Oficina de Baby Class(20 VAGAS)

Coordenação: Matheus Lourenço

Período: 29/8 a 14/11 – quartas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-Alvo:  Atividade destinada para crianças dessa instituição com idade entre 4 e 6 anos

Proporcionar uma iniciação ao Balé Clássico, através de atividades lúdicas, sempre trazendo exercícios que beneficiem a autoestima, a elasticidade, a postura, o equilíbrio, a respiração e a disciplina, além de melhorar a coordenação motora.

Oficinas culturais realizadas na Comunidade São Francisco de Assis

Bairro Rural Dos Frades

Endereço: Rodovia Limeira / Arthur Nogueira, km 11, Bairro Rural dos Frades

Inscrições: Dias: 23/6 a 14/7 – sábados – 15h00 às 17h00

Local: Salão da Comunidade

Informações: (19) 3441-5493

 

Canto Coral

Oficina: Todos Podem Cantar (20 vagas)

Coordenação: Kauê  Braga

Período: 30/10 a 11/12 – terças-feiras – 19h00 às 21h00

(exceto 20/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados, a partir de 15 anos

Através de aquecimentos, vocalizes, testes de percepção, técnicas vocais, oficina irá contribuir para que os participantes descubram em si a sensibilidade para o canto e trabalhem, de maneira didática, a afinação.

Jogos do Brasil: confira o horário de funcionamento dos nossos espaços

17|6 – DOMINGO – BRASIL x SUÍÇA – 15h

 

MUSEUS

Museu do Futebol – horário normal (9h às 18h)

Museu Afro Brasil, Museu da Imigração, Museu do Café (Santos) e Museu da Diversidade Sexual – 10h às 13h

Museu Catavento – 9h às 13h

Pinacoteca de São Paulo, Estação Pinacoteca, Memorial da Resistência, Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida, Casa Mário de Andrade, Museu da Casa Brasileira, MIS-SP e Paço das Artes – 10h às 14h

Museu de Arte Sacra – 9h às 12h

Museu Felícia Leirner (Campos do Jordão), Museu Índia Vanuíre (Tupã) e Museu Casa de Portinari (Brodowski) – 9h às 14h

 

BIBLIOTECAS

Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos – 9h30 às 13h30

 

TEATROS E SALAS DE CONCERTO

Sala São Paulo – 9h às 13h; bilheteria das 9h às 12h; haverá Concerto Matinal normalmente; não haverá Visita Monitorada

Theatro São Pedro – não estará aberto ao público

Teatro Sérgio Cardoso – funcionamento normal; bilheteria para o Espetáculo do dia – das 14h até o início do espetáculo

 

FORMAÇÃO

Fábricas de Cultura da Zona Leste (Sapopemba, Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Vila Curuçá e Parque Belém) – fechadas

Fábricas de Cultura das Zonas Norte e Sul (Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Jardim São Luis e Capão Redondo) – 9h às 12h

Oficina Cultural Oswald de Andrade – fechada

Oficina Juan Serrano – aberta para o público em horário normal. Durante os jogos, o público poderá assistir na Oficina

Conservatório de Tatuí – escola sem expediente; teatro aberto das 8h às 13h

Polos do Projeto Guri (capital, interior e litoral) – não há expediente

EMESP Tom Jobim – não há expediente

SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt aberta das 18h às 23h | Sede Brás fechada

22|6 – SEXTA – BRASIL x COSTA RICA – 9h

 

MUSEUS

Museu do Futebol – horário normal (9h às 18h)

Pinacoteca de São Paulo, Estação Pinacoteca, Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil, Museu da Imigração, Museu do Café (Santos) e Museu da Diversidade Sexual – 13 às 18h

Museu Catavento – 13h às 17h

Casa Guilherme de Almeida, Casa Mário de Andrade e Museu da Casa Brasileira – 12h às 18h

Museu de Arte Sacra – 14 às 17h

Casa das Rosas – 12h às 22h

MIS-SP e Paço das Artes – 13h às 21h

Museu Felícia Leirner (Campos do Jordão)e Museu Casa de Portinari (Brodowski) – 12h às 18h

Museu Índia Vanuíre (Tupã) – 12h às 17h

 

BIBLIOTECAS

Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos – 12h30 às 18h30

 

TEATROS E SALAS DE CONCERTO

Sala São Paulo – a partir das 13h; bilheteria a partir das 13h; haverá concerto normalmente; não haverá Visita Monitorada

Theatro São Pedro – funcionamento normal – haverá récita às 20h – bilheteria aberta 2h antes do espetáculo

Teatro Sérgio Cardoso – funcionamento normal; bilheteria para o Espetáculo do dia – das 14h até o início do espetáculo

 

FORMAÇÃO

Fábricas de Cultura da Zona Leste (Sapopemba, Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Vila Curuçá e Parque Belém) – 13h às 17h

Fábricas de Cultura das Zonas Norte e Sul (Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Jardim São Luis e Capão Redondo) – 12h às 20h

Oficina Cultural Oswald de Andrade – 13 às 22h

Oficina Juan Serrano – aberta para o público em horário normal. Durante os jogos, o público poderá assistir na Oficina

Conservatório de Tatuí – escola e teatro abertos das 13h às 22h

Polos do Projeto Guri (capital, interior e litoral) – a partir das 13h

EMESP Tom Jobim – 13h às 21h

SP Escola de Teatro – Sedes Roosevelt e Brás abertas das 13h às 23h

27|6 – QUARTA – BRASIL x SÉRVIA – 15h

 

MUSEUS

Museu do Futebol – horário normal (9h às 18h)

Museu Afro Brasil e Museu da Diversidade Sexual – 10h às 13h

Museu da Imigração, Museu Catavento e Museu do Café (Santos) – 9h às 13h

Pinacoteca de São Paulo, Estação Pinacoteca, Memorial da Resistência, Museu da Casa Brasileira, Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade – 10h às 14h

Museu de Arte Sacra – 9h às 12h

MIS-SP e Paço das Artes – 12h às 13h

Museu Felícia Leirner (Campos do Jordão), Museu Casa de Portinari (Brodowski) e Museu Índia Vanuíre (Tupã) – 9h às 14h

 

BIBLIOTECAS

Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos – 9h30 às 13h30

 

TEATROS E SALAS DE CONCERTO

Sala São Paulo – 9h às 13h, e das 18h30 ao final do concerto; bilheteria das 10h às 13h, e das 18h às 21h; haverá concerto normalmente; não haverá Visita Monitorada

Theatro São Pedro – funcionamento normal – haverá récita às 20h – bilheteria aberta 2h antes do espetáculo

Teatro Sérgio Cardoso – funcionamento normal; bilheteria para o Espetáculo do dia – das 14h até o início do espetáculo

 

FORMAÇÃO

Fábricas de Cultura da Zona Leste (Sapopemba, Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Vila Curuçá e Parque Belém) – 9h às 13h

Fábricas de Cultura das Zonas Norte e Sul (Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Jardim São Luis e Capão Redondo) – 9h às 12h

Oficina Cultural Oswald de Andrade – 9 às 13h

Oficina Juan Serrano – aberta para o público em horário normal. Durante os jogos, o público poderá assistir na Oficina

Conservatório de Tatuí – escola e teatro abertos das 8h às 13h, e das 18h às 22h

Polos do Projeto Guri (capital) – até às 12h

Polos do Projeto Guri (interior e litoral) – até às 13h

EMESP Tom Jobim – 8h30 às 12h

SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt aberta das 8h30 às 12h30, e das 18h às 23h | Sede Brás aberta das 8h30 às 12h30

Iguape recebe 6ª edição do Festival Literário

A 6ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI) acontece entre os dias 24 e 26 de maio na cidade de Iguape, região sul do Estado de São Paulo. O festival, que é realizado pelas Oficinas Culturais, Programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis e em parceria com a Prefeitura Municipal de Iguape, tem uma programação dedicada a discussões sobre conceitos de territórios e identidade.

O FLI conta com show, sarau e conversas com a presença de artistas como Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro, Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Larissa Luz, Sandra de Sá e Daniel Munduruku, que discutem sobre identidade, ancestralidade e pluralidade de narrativas. Os eventos são gratuitos e serão na Praça da Basílica e Biblioteca Pública Municipal, além da programação preparada para as escolas municipais, bem como oficinas e workshops em sete municípios do Vale.

Segundo Fernando Fado, coordenador de Programação das Oficinas Culturais, ao longo das últimas cinco edições, o Festival tem se consolidado na cidade de Iguape e passado por um processo de capilarização pelo Vale do Ribeira. “É a manutenção e abertura constante de diálogos com escritores, educadores, gestores, artistas e moradores da região. O trabalho se dá na busca pelo estreitamento das relações com a população, e o reflexo disso está na concepção dessa sexta edição do evento”, comenta.

Além disso, a riqueza do Vale do Ribeira, compreendida, dentre outros fatores, por seus patrimônios históricos, seus povos tradicionais, suas culturas populares, sua preciosidade ambiental, além do fato de possuir o maior número de comunidades remanescentes de quilombos do Estado de São Paulo, diz muito sobre Identidade, decorrente da história deste território secular.

“A abordagem dessa temática é consequência do percurso do Festival, criado em 2013, e que, aos poucos, foi se conectando com a geografia local. Quando falamos do reflexo na concepção dessa sexta edição, falamos de um filho que se reconhece em sua casa, na artesania do cotidiano caiçara, quilombola, indígena, caboclo, ribeirinha etc”, reforça Fado.

Durante os três dias de Festival, o público encontra no Ponto do Livro um espaço de troca de livros infantis, adultos e gibis. O que é lugar de fala e qual a importância de buscar outros olhares que rompam com a história única? Para falar sobre o assunto, Djamila Ribeiro participa do bate-papo sobre seu livro O que é lugar de fala? (2017), que acontece na quinta-feira (24) às 20h00. Sexta-feira (25) às 21h30, Conceição Evaristo fala sobre sua trajetória como escritora, refletindo sobre o papel da mulher negra na literatura brasileira. As conversas têm mediação da escritora Bianca Santana, autora do livro Quando me descobri negra.

Para trazer um panorama da literatura do Vale do Ribeira, explorando a poesia, meios de publicação e a relação com outras expressões e linguagens artísticas, Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda participam da conversa Literatura do Vale sexta-feira (25) às 20h00 com mediação de Lisângela Kati do Nascimento.

Em Território e identidade, o público reflete, a partir de perspectivas quilombolas, indígenas, caiçaras, caboclas e negras, sobre ancestralidade, relações sociais e valorização das culturas tradicionais. A conversa ocorre no sábado (26) às 14h00. Encerrando as conversas do Festival, Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro participam do Vozes de desconstrução e falam sobre a desconstrução de narrativas colonizadas, subversão de pensamentos e construção de representações plurais na literatura. O bate-papo acontece às 21h00 do sábado.

“A partir da ideia de pertencimento e no aprofundamento da conexão com o Vale do Ribeira, sendo este, por si só, fonte de conteúdo do Festival, esta edição representa um importante momento de construção efetiva de pontes: da população com o FLI e do FLI com a população.”
Thiago Saraiva
Superintendente das Oficinas Culturais

Música e teatro

Na quinta-feira (24) às 14h00, o grupo Morabeza Nação apresenta o espetáculo 3Áfricas – As rainhas do tempo, que transforma a história dos Três Reis Magos – Melchior (rei da Pérsia), Gaspar (rei da Índia) e Baltazar (rei da Arábia) – em uma narrativa sobre três rainhas, cada uma de um país africano: Cabo Verde, Moçambique e Senegal. O trabalho une teatro e música com tambores e instrumentos de cordas que compõem a trilha sonora ao vivo. A partir das 22h00, Roberta Estrela D’Alva, slammer e apresentadora do programa “Manos e Minas”, comanda o FLISARAU, encontro poético com microfone aberto para todos que quiserem ler e recitar textos, autorais ou não.

Uma das principais escritoras da literatura brasileira é homenageada no espetáculo Canto de vida e obra: Conceição Evaristo, que transforma a história da escritora em uma narrativa literária e musical. O trabalho é apresentado ao público na sexta-feira (25) às 22h30.

Sons do Guarani reúne mais de 60 indígenas para um espetáculo de celebração da cultura guarani. O show rola às 11h00 e abre as atividades de sábado (26). Às 17h00, o Quilombo do Morro Seco, que recebeu do Ministério da Cultura em 2017 o Prêmio Culturas Populares – Edição Leandro Gomes de Barros, apresenta o tradicional Fandango.

A cantora Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria para show no sábado (26) às 22h30. No repertório, canções de seu último trabalho Território Conquistado (2016), indicado como Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa no Grammy Latino 2016. Para encerrar o FLI 2018, às 23h40 a Comunidade Jongo Tiduca convida a todos para uma grande roda de jongo, dança de roda brasileira praticada ao som de tambores.

Programação 

14h00 | Espetáculo: 3Áfricas – As Rainhas do tempo

18h00 | Ponto do Livro

20h00 | Bate-papo: O que é lugar de fala? com Djamila Ribeiro

22h00 | FLISARAU com Roberta Estrela D’Alva

22h00 | Sessão de Autógrafo com Djamila Ribeiro (O que é lugar de fala?)

18h00 | Ponto do Livro

18h00 | Sessão de Autógrafo com Conceição Evaristo

20h00 | Bate-papo: Literatura do Vale com Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda

21h30 | Bate-papo: Escrevivência com Conceição Evaristo

22h30 | Espetáculo: Canto de vida e obra – Conceição Evaristo

11h00 | Ponto do Livro

11h00 | Espetáculo: Sons do Guarani com as aldeias Pindo Ty, Takuari Ty e Itapoã

14h00 | Bate-papo: Território e identidade com Antonio Diegues, Benedito da Silva, Claudionor Henrique Pedroso, Daniel Clayton Pedro Rodrigues, Daniel Munduruku, Hermes Modesto Pereira, Maíra Silva, Rodrigo Marinho, Tatiana Cardoso e Timóteo Verá Tupã Popyguá

17h00 | Espetáculo: Fandango do Morro Seco

17h00 | Sessão de Autógrafo com Timóteo Verá Tupã Popyguá (Yvyrupa – A terra uma só) e Lisângela Kati do Nascimento (O lugar do lugar no ensino da geografia)

20h00 | Sessão de Autógrafo com Fátima Cristina Pires (Ariú), Lydia da Silva Gonçalves (A flor que encanta) e Isabel Campos (Árvore para passarinhos).

21h00 | Bate-papo: Vozes de desconstrução com Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro

22h30 | Show: Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria

23h40 | Show: Roda de Jongo com Jongo Tiduca

Participe 

Dia do Índio na #CulturaSP: confira a programação!

O Dia do Índio, celebrado em 19/4, não é só um momento de celebração, mas também um importante convite à reflexão, buscando a difusão de informações reais sobre o modo de vida atual desses povos. A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo promove algumas iniciativa que valorizam a cultura indígena. 

Museu Índia Vanuíre

 

Localizado em Tupã, interior de São Paulo, o Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre possui acervo, com cerca de 38 mil peças, relacionado à história da região onde está localizado e com foco na cultura indígena, possuindo uma das mais importantes coleções etnográficas do país que representam diferentes comunidades indígenas brasileiras.

Entre os dias 24 e 28/4 realiza a 46ª Semana do Índio, um encontro da comunidade de Tupã e região com os Kaingang, Krenak, Guarani e Terena, que habitam o oeste de São Paulo. A programação proporcionará um contato entre indígenas e a comunidade local em oficinas culturais e bate-papos, além de sediar o maior festival de dança e música indígena do Estado de São Paulo

Mais informações aqui.

 

Ciclo de Estudos em Tupã

 

Indigenistas, pesquisadores e lideranças das etnias Kaingang, Krenak, Terena e Guarani Nhandewa transformam a cidade de Tupã em espaço de reflexão sobre a trajetória de resistência de povos indígenas no Ciclo de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade. A programação é gratuita e acontece dia 21/4, a partir das 10h. Haverá mesas de debate e um show do Kunumí MC, rapper guarani da Aldeia Krukutu que gravou recentemente com Criolo, conhecido nacionalmente no cenário do rap brasileiro.

Mais informações aqui.

 

Cultura indígena nas Fábricas de Cultura

 

As Fábricas de Cultura Capão Redondo, Jardim São Luis e Vila Nova Cachoeirinha realizam atividades gratuitas para crianças e adolescentes no dia 19/4, às 15h.

tribo Tekoa Itakupe oferece uma tarde com o público que tem como programação o coral Guarani, apresentação da dança Xondaro e um bate-papo sobre os costumes da tribo e como eles vivem atualmente. A atividade acontece na Fábrica Vila Nova Cachoeirinha.

Em Pintura indígena, os participantes realizam pinturas baseadas nos grafismos indígenas, após um bate-papo sobre costumes, crenças, arte e cultura de diversos povos indígenas do Brasil. Um mural será montado com todos os desenhos feitos na atividade. O encontro acontece na Fábrica Capão Redondo.

Reunindo histórias disponíveis no acervo, a Contação de histórias: Dia do Índio, que acontece na Fábrica Jardim São Luís, dá aos participantes a oportunidade de conhecer a história dos indígenas no Brasil. Dentre os livros utilizados no encontro estão Coisas de Onça, Daniel Munduruku.

Mais informações aqui.

“A gente não quer ser tratado por esse apelido horroroso que colocaram na gente, e sim pelos nossos nomes. Eu ser Munduruku é diferente de ser índio. Índio é uma invenção, folclore puro, mas ser Munduruku é ter toda uma série de saberes que me dá identidade.”
Daniel Munduruku
Escritor, em entrevista para o jornal "A Tarde"

Casa Mário de Andrade

 

Mário de Andrade foi um grande pesquisador de diversas culturas brasileiras, dentre elas a indígena. Para lembrar este importante trabalho, nos meses de maio e junho, a Casa Mário de Andrade preparou três atividades especiais sobre a cultura indígena.

O espetáculo Além da Outra Margem do Rio será apresentado nos dias 4 de maio e 15 de junho, das 20h às 21h30. O público será convidado a viajar pelas lendas de Matinta Pereira, Boiúna, Cobra Grande e Uirapuru, que fazem parte do universo indígena paraense.

Já no dia 18 de maio, das 15h às 17h, na atividade Os Fios da Memória na Tradição Indígena, os participantes mergulharão no romance Macunaíma, de Mário de Andrade, para aprofundar o conhecimento das lendas indígenas.

Para fechar as celebrações, o filme A’uté A’uwê Uptabi: ser criança A’uwê (2018) será exibido no museu, no dia 13 de junho, das 19h às 21h. Depois haverá uma palestra com Cristina Flória, diretora do filme, onde o público terá a oportunidade de conhecer as brincadeiras, o dia a dia e o universo das crianças da aldeia Xavante Pimentel Barbosa, da região do Cerrado, em Mato Grosso. 

Mais informações aqui.

Oficina Cultural Alfredo Volpi recebe performance “Insólito”

De maio a junho, quem for na Oficina Cultural Alfredo Volpi será mais do que um visitante, mas um modelo vivo para uma obra que será pintada em tempo real. Essa é a proposta da performance Insólito, do ator, educador e artista visual Fabio Lopes.

Na performance, o público é convidado a entrar em um espaço performático ficcional onde estão dispostos objetos que dialogam com a temática do dia – banheiro, festa na piscina, conversas na cozinha, festas de aniversário -, interagir com esses elementos e depois posar como modelo vivo para um retrato que será pintado na hora.

“Insólito é uma pesquisa de observação do cotidiano, e surgiu como um fazer artístico dos acasos, dos acidentes e das banalidades.”
Fabio Lopes
Artista visual

Fabio Lopes é artista visual, ator e educador. Pesquisa os desdobramentos do desenho como dispositivo relacional e disparador criativo. Integrou o núcleo educativo da 30ª Bienal de São Paulo, e de grandes exposições na rede Sesc SP. Foi facilitador artístico do Método Abramóvic durante a exposição Terra Comunal – Marina Abramóvic + MAI, no Sesc Pompeia. Atualmente atua como artista criador e diretor no Coletivo Bixa Pare.

A performance é gratuita, aberta ao público e acontece nos dias 2, 10, 19 e 24 de maio, e 8,16, 22 e 27 de junho. Paralelamente à ação performática, acontece uma exposição na Oficina Cultural com os retratos pintados durante os encontros.

Oficina Cultural Oswald de Andrade inaugura cinco exposições em abril

As mostras abordam diversos assuntos, com destaque para Badaróss, artista indígena da Cracolândia, e Eu, Josephine, exposição sobre a história das mulheres e seu reflexo na sociedade contemporânea

(mais…)

Oficina Cultural Alfredo Volpi aborda construção social e de gênero

A Oficina Cultural Alfredo Volpi recebe de abril a junho a intervenção artística Ocupação Descaracterizar-se. De autoria da artista Beatriz Cruz, a ideia é expor as impressões que captou usando, durante um ano, apenas roupas de outras pessoas.

“Estamos cada vez mais centrados na autoimagem e precisamos seguir determinados padrões para sermos aceitos na sociedade. Experimentar o processo de trocar de roupa, como se fosse uma identidade, é se ver sob outro aspecto e questionar gênero e construção social”, explica Beatriz Cruz.

A Ocupação vai ser dividida em quatro momentos, que serão experienciados sempre às terças e quartas-feiras. São eles: desmaterializar, destacar, desenhar e desmontar. A primeira parte do projeto vai de 10 a 18 de abril, quando será a montagem e disposição dos materiais de registro que Beatriz acumulou durante 365 dias. O segundo bloco, que vai de 24 de abril a 9 de maio, tem o intuito de conectar o público com esses materiais – textos, fotos, áudios, roupas –, para ajudar a artista na escolha dos itens que prevalecerão na última etapa do projeto. “Desenhar”, que vai de 15 a 30 de maio, será a fase que Beatriz irá avaliar tudo aquilo que foi selecionado pelos participantes e esboçar a exposição. No último período da Ocupação, de 12 a 27 de junho, a exposição finalmente será montada, com as impressões definitivas e materiais permanentes que o público e a artista escolheram.

A proposta da Ocupação surgiu a partir da experiência do projeto Descaracterizar-se para Desandar, que aconteceu em 2016. Beatriz vestiu as roupas de cada pessoa que participou da performance durante sete dias – não usando nada seu – até completarem 365 dias. Durante o projeto ela recolheu diariamente seus materiais, e também dos participantes, e registrou tudo o que conseguiu no perfil do instagram da performance. “Minha ideia inicial foi investigar a construção de gênero e entender o que significam as roupas e a aparência de cada um. É um trabalho que fala muito sobre construção e desconstrução da identidade e de alteridade. Quando você é uma mulher usando roupas masculinas, como as pessoas te olham? Percebi que ter que seguir uma performatividade que não é a sua é penoso demais”, conta a artista.