secretaria da cultura do estado de são paulo

MemorialdaResistência

Livro sobre movimento dos Tupamaros é lançado no Memorial da Resistência

Próxima edição do “Sábado Resistente” acontece no dia 23 de junho, às 14h00, com entrada gratuita e a presença de Carlos Aznares, Aníbal Varela, Jandir Santin, Gilmar Mauro, Paulo Gomes e Geraldo Sardinha

No dia 23 de junho, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promove mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. No evento, será realizado o lançamento brasileiro do livro “A experiência Tupamara: pensando em futuras insurgências”, do uruguaio Jorge Zabalza.

Zabalza, dirigente histórico da MLN-T (Movimento de Liberação Nacional – Tupamaros), reconstrói em seu livro sua resistência e de seus companheiros durante a ditadura militar uruguaia. Zabalza, ou “El Tambero”, enfrentou onze anos de cárcere, nos quais conviveu diariamente com a tortura e isolamento.

O livro de Jorge Zabalza faz uma análise político-histórica do Uruguai, que remonta às lutas anticoloniais e chega às lutas anti-imperialistas de nossos dias, penetrando nas entranhas da opressão e dos massacres por parte das oligarquias contra os pobres e os explorados. Detalha também a repressão política desde as suas origens e, em especial, durante a ditadura militar dos anos 1970/80.

“Este livro, apesar de analisar contingências e posições político-ideológicas a partir de experiências e modelos aplicados naqueles tempos cinzentos, volta-se para o amanhã, para as novas gerações de combatentes – para a juventude progressista da América Latina em particular”, afirma o ex-preso político Geraldo Sardinha. “É preciso estar preparado para o futuro também com as armas fornecidas pelo passado.”

PROGRAMAÇÃO

14h00 – Boas-vindas – Memorial da Resistência de São Paulo
14h10 – Coordenação – Maurice Politi (
Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h20 – Mesa Redonda 

Participantes:

Carlos Aznares – Jornalista nascido no Chile e criado na Argentina, é analista de política internacional em vários meios da imprensa e blogs. Ex-militante do movimento dos Montoneros (Argentina), é atualmente palestrante e diretor do site “Resumen Latinoamericano y del Tercer Mundo”.

Anibal Varela – Secretário Geral do Sindicato do Trabalhadores Municipais de Montevideo e Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Uruguai.

Jandir Santin – Professor de Filosofia e Teologia na cidade de Chapecó. Assessor de vários movimentos populares na formação de lideranças.

Gilmar Mauro – Integrante da direção nacional do Movimento Sem Terra (MST).

Geraldo Jorge Sardinha – Ex-preso político, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, do Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaros – Atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos.

Paulo Gomes – Advogado, ex-preso político, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN) e atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos.

16h10 – Debate

SERVIÇO

Memorial da Resistência de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar

Telefone: (011) 3335-4990/ faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br

Aberto de quarta a segunda (fechado às terças)

Entrada Gratuita

Nos 50 anos da morte de Martin Luther King, resistência negra é debatida no Memorial da Resistência

No dia 14 de abril, às 14h00, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizará mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O evento lembrará a trajetória e luta de Martin Luther King Jr., assassinado há 50 anos.

O pastor protestante Martin Luther King Jr. ficou conhecido como uma das principais vozes do movimento pelos direitos civis da população negra nos Estados Unidos. Com um discurso pacifista, organizou diversos protestos e greves, incluindo a famosa marcha de 1963 em Washington, onde proferiu o discurso “I have a dream”. Por seu trabalho de combate ao racismo de forma não-violenta, recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1964. Quatro anos depois, em 4 de abril, foi assassinado.

Esta edição do Sábado Resistente irá lembrar a figura do ativista e traçar um paralelo entre seu discurso e a luta da militância negra nos dias atuais, de modo a compreender seu legado e pensar nas estratégias para os desafios que persistem, principalmente no Brasil.

 

 

 

Programação

 Marília Bonas (Memorial da Resistência de São Paulo)

Oswaldo Santos Jr. (Núcleo de Preservação da Memória Política)

Mesa Redonda com os pesquisadores:

Anderson França é empreendedor social, maker, escritor e facilitador. Fundou o Centro de Inovação Popular do Rio de Janeiro, além de ser CEO da Dharma ACC e fundador da Universidade da Correria. Suas iniciativas tem como foco o subúrbio do Rio de Janeiro, desenvolvendo projetos culturais e de vetor econômico nos territórios populares. É TEDxster e realizador do TEDxMaré.

 

Caróu Oliveira: Graduada em história pela Universidade de São Paulo com ênfase em história contemporânea, cofundadora do projeto História da Disputa: Disputa da História; Pesquisadora de História negra e movimentos sociais.

 

Fagner Pereira dos Santos: Teólogo pela Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo, Pastor na Comunidade de Jesus em São Bernardo do Campo e pesquisador na área de Direitos Humanos e Movimentos Sociais.

 

 

Maria Clara Sampaio: é graduada, mestre e doutora em História pela USP, com parte da pesquisa feita na Yale University (nos EUA). Atualmente é professora na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, onde ensina, orienta, pesquisa e milita em prol de causas relacionadas aos conflitos de terras, de reconhecimento de terras indígenas e quilombolas e em organizações estudantis pela igualdade de tratamento e oportunidades para mulheres e estudantes pertencentes à comunidade LGBT.

Como fechamento desta edição haverá umdebate sobre o tema