secretaria da cultura do estado de são paulo

Literatura

Férias: Bibliotecas das Fábricas de Cultura têm programação especial

Atividades gratuitas oferecem brincadeiras tradicionais, contação de histórias, oficina de rádio e até fotografia

(mais…)

Em julho, Museu do Futebol tem programação de férias voltada a outras formas de vivenciar o esporte

Equipe de educadores oferece atividades com diferentes maneiras de se relacionar com essa modalidade esportiva

(mais…)

Maratona Infantil do MIS entra em clima de suspense na edição de Julho

Evento integra a programação paralela da exposição Hitchcock – Bastidores do suspense, recém-inaugurada. Além das atividades dentro da temática, a Maratona traz música, fotografia, cinema e artes visuais para toda a família

(mais…)

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro promovem ações especiais para lançar a FLIMA 2018

O ‘esquenta’ realizado pelas instituições acontece dias 21 e 22 de julho, com três programações envolvendo literatura, poesia, música e teatro, com temas ligados à preservação ambiental

(mais…)

Biblioteca Parque Villa-Lobos é finalista de prêmio internacional

BVL é uma das cinco finalistas do Prêmio Biblioteca Pública do Ano 2018, promovido pela Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias

(mais…)

Férias: Museus-Casas Literários têm programação especial para bebês e crianças

Brincadeiras com os sentidos, aventuras fotográficas e descobertas poéticas são algumas das atividades gratuitas oferecidas para toda a família

(mais…)

Teatro: Durante as férias, Fábricas de Cultura têm diversos espetáculos gratuitos

Rapunzel, Pinóquio e muitos outros personagens prometem animar o dia da garotada e também dos adolescentes e adultos

As Fábricas de Cultura das zonas norte e sul prepararam uma programação especial para quem gosta de teatro! Durante todo o mês de julho, as unidades Jaçanã, Vila Nova Cachoeirinha e Jardim São Luís realizam seis espetáculos gratuitos para curtir com a família e amigos. Veja os principais destaques:

Quem nunca ouviu a história de Rapunzel? A Cia Burucutu apresenta no dia 26 de julho, quinta-feira, às 15h, na Vila Nova Cachoeirinha, a peça Rapunzel – uma história pra mais de metro, que reconta o clássico da literatura infantil com teatro de bonecos, música e técnicas circenses. Rapunzel vira Rosinha, o príncipe passa a ser Tiãozinho e a bruxa é Dona Esmeralda, uma feirante muito mal humorada.

O espetáculo infantil Pinóquio e a Gata Preta da Sorte conta as aventuras que o boneco de madeira vive com sua gatinha de estimação! Com humor, dança, canto e muita interação com o público, a peça fala sobre a importância do respeito aos animais. A sessão ocorre nos dias 6 e 12 de julho, sexta-feira às 15h e quinta-feira às 10h, no Jaçanã.

Dois brinquedos entediados com a ausência das crianças que foram viajar resolvem brincar sozinhos para passar o tempo. Após descobrirem a história e a cultura de lugares como Egito, China, França e México, descobrem que a imaginação pode derrubar fronteiras e que o conhecimento deve ser compartilhado. A contação de história Brincadeira de Brinquedo acontece no Jaçanã dia 21 de julho, sábado, às 10h e 15h.

 

Em um universo competitivo de incessante produção, é incabível sentir. Lethos e Aletheia, integrantes do Instituto, organização que doutrina e vigia seus integrantes, vivem em seus boxes individuais, trabalhando cada um em sua função e vivendo seus próprios dramas. Um esbarrão faz com que os personagens se percebam, e essa conexão é capaz de corromper suas rotinas, mostrando um revelador sistema. O drama Circuito Fechado é apresentado ao público do Jardim São Luis no dia 28 de julho, sábado, às 16h.

 

Acima de 16 anos

Três personagens em um quarto de bordel expõem suas vidas e relações, deixando à mostra diversos aspectos da condição humana. O espetáculo Navalha na carne, da Cia Soplinio, acontece dia 21 de julho, sábado às 16h no Jardim São Luis. A companhia foi criada na própria Fábrica de Cultura e trabalha com os textos do dramaturgo Plínio Marcos.

 

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará: cursos e atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

Em 2018, as unidades das zonas norte e sul (Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha) contam com o patrocínio da Via Varejo – Casas Bahia por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui com atividades de formação, saídas pedagógicas, programação cultural e projetos de tradução em Libras.

 

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

 

SERVIÇO: Teatro nas Fábricas de Cultura

 

Pinóquio e a Gata Preta da Sorte | 6 e 12/7. Sexta-feira, 15h às 16h30 e quinta-feira, 10h às 11h30

Local: Fábrica de Cultura Jaçanã

Ingressos gratuitos.

Recomendação etária: livre

Brincadeira de brinquedo | 21/7. Sábado, 10h e 15h.

Local: Fábrica de Cultura Jaçanã

Ingressos gratuitos.

Recomendação etária: livre.

 

Navalha na carne | 21/7. Sábado, 16h às 18h

Local: Fábrica de Cultura Jardim São Luis

Ingressos gratuitos.

Recomendação etária: 16 anos

 

Rapunzel – uma história pra mais de metro | 26/7. Quinta-feira, 15h às 17h

Local: Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Ingressos gratuitos.

Recomendação etária: livre

Circuito Fechado | 28/7. Sábado, 16h às 18h

Local: Fábrica de Cultura Jardim São Luis

Ingressos gratuitos.

Recomendação etária: livre

 

Fábrica de Cultura Jaçanã – Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 e Rua Albuquerque de Almeida, 360

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha – Rua Franklin do Amaral, 1575

www.fabricasdecultura.org.br | Acessibilidade no local.

Assessoria de Imprensa – POIESIS

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes – stgomes@sp.gov.br  – (11) 3339-8243

Bete Alina Skwara – betealina.culturasp@gmail.com – (11) 3339-8164

2º semestre: Fábricas de Cultura abrem inscrições para ateliês de diversas linguagens artísticas

Música, artes visuais, multimeios, criatividade e tecnologia, literatura, circo, dança e teatro fazem parte das aulas gratuitas, oferecidas para crianças e jovens. Faça sua inscrição!

Quer fazer aulas de circo, dança ou teatro? As Fábricas de Cultura das zonas Norte e Sul da cidade estão com inscrições abertas para ateliês de diversas linguagens artísticas, como música, artes visuais, multimeios, criatividade e tecnologia, literatura, circo, dança e teatro, para o segundo semestre. Todas as atividades das Fábricas – instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis – são gratuitas e são oferecidas para crianças e jovens até 21 anos. As inscrições devem ser feitas na recepção de cada unidade, e recomenda-se ligar antes para checar o número de vagas disponíveis. Confira os principais destaques:

A Fábrica de Cultura Capão Redondo oferece aulas de artes visuais, que propõem a vivência de técnicas artísticas para impressão de estampas em tecido, por meio do carimbo, estêncil, bordado, serigrafia, pintura e colagem. Os ateliês vão de 8 de agosto a 10 de outubro, às quartas-feiras, das 17h30 às 20h30. São oferecidas 15 vagas para maiores de 14 anos.

Ainda na zona Sul, a Fábrica de Cultura Jardim São Luis terá aulas de danças urbanas e de capoeira de Angola. As primeiras tratarão das variações da cultura hip hop, que foi importada; já as outras abordarão as origens da cultura brasileira com a capoeira, ao som de berimbaus, pandeiros e cantigas. Todas as aulas serão de 11 de agosto a 24 de novembro, aos sábados, das 14h às 17h. As danças urbanas são oferecidas para maiores de 14 anos e a capoeira para maiores de 12 anos.

A Fábrica de Cultura Brasilândia realiza ateliês de literatura e escrita criativa, de 7 de agosto a 29 de novembro, às terças e quintas-feiras, das 14h às 16h45. Por meio de jogos e brincadeiras, os aprendizes irão criar quadrinhos, contos, músicas ou histórias. São oferecidas 20 vagas para crianças de 8 a 12 anos.

Na Fábrica de Cultura Jaçanã, os aprendizes de 8 a 15 anos podem participar dos ateliês de iniciação de circo, de 7 de agosto a 27 de novembro, às terças e quintas-feiras, das 9h às 11h45. A proposta é promover a experimentação e o aprimoramento do controle motor e do desenvolvimento físico e psicossocial, por meio das técnicas circenses.

E, por fim, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, acontecerão as aulas de teatro para crianças de 8 a 12 anos, de 8 de agosto a 30 de novembro, das 9h às 11h45. A partir de jogos teatrais e infantis, será estimulado o desenvolvimento da imaginação, autonomia, cidadania e coletividade. A iniciação da criação teatral também promove reflexões sobre o mundo, o país, a comunidade, a família e até sobre si mesmo.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará: cursos e atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

Em 2018, as unidades das zonas norte e sul (Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha) contam com o patrocínio da Via Varejo – Casas Bahia por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui com atividades de formação, saídas pedagógicas, programação cultural e projetos de tradução em Libras.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Telefone: (11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoerinha

Rua Franklin do Amaral, 1575

Telefone: (11) 2233-9270

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508

Telefone: (11) 3859-2300

 

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360

Telefone: (11) 2249-8010

Funcionamento de todas as unidades: de terça a sexta-feira, das 9h às 20h, e finais de semana e feriados das 12h às 17h

Site: www.fabricasdecultura.org.br

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – Assessoria de Imprensa

Stephanie Gomes – stgomes@sp.gov.br  – (11) 3339-8243

Bete Alina Skwara – betealina.culturasp@gmail.com – (11) 3339-8164

Casa Guilherme de Almeida realiza programação especial no aniversário do poeta que completaria 128 anos

Programação conta com visita temática, lançamento de livro e exibição de curta sobre a Revolução Constitucionalista de 1932, além de leitura dramática e palestra sobre vida e obra do artista

 

Julho é um mês marcado pelo nascimento e morte do escritor e poeta Guilherme de Almeida. Para homenageá-lo, a Casa Guilherme de Almeida realiza nos dias 7, 10 e 12 julho o evento Guilherme de Almeida em Cena.  A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis – e conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

O Encontro Peripatético, que acontece dia 7 (sábado) às 9h15, é concebido a partir da ideia aristotélica de “ensinar passeando”. A visita temática tem como foco a Revolução Constitucionalista de 1932, inicia na Casa Guilherme de Almeida e finaliza no Museu da Caixa Cultural São Paulo, que possui diversas esculturas do período abordado.

 

1932: São Paulo em chamas, obra do jornalista Luiz Octávio de Lima, mostra a verdadeira face da Revolução Constitucionalista que ocorreu em São Paulo e se tornou a Guerra Civil mais lesiva do Brasil. Editado pela Editora Planeta, o livro é lançado em um bate-papo com o jornalista dia 10 (terça-feira) às 18h. No mesmo dia é exibido às 20h o curta SP32, de Cássio Martin, seguido de conversa com o diretor.

O último dia de atividades acontece dia 12 (quinta-feira) às 19h e inicia com a palestra Casa Guilherme de Almeida: a fabricação de um museu-casa. Ministrada pelo historiador e museólogo Guilherme Vieira, a palestra expõe os processos da transformação de residências em museus-casa, bem como a importância dessas instituições para a preservação da memória de grandes artistas. Encerrando a programação, às 20h o público acompanha a leitura dramática de A flor que foi um homem: Narciso, texto escrito por Guilherme de Almeida em 1925. Sob coordenação de Renata Cazarini e Helder Mariani, o trabalho foi desenvolvido com os participantes do Grupo de estudos da obra teatral do poeta.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO: Guilherme em cena

 

Encontro Peripatético: 1932 – Memória & cidade | 7/7. Sábado, 9h15 às 12h45

Recomendação etária: livre. 30 vagas.

Inscrições gratuitas: http://bit.ly/2IvQVcr

O transporte entre os museus será fornecido pelas instituições. 

 

Lançamento livro: 1932 – São Paulo em Chamas | 10/7. Terça-feira, 18h às 20h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

 

Cinema: SP32 | 10/7. Terça-feira, 20h às 21h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

 

Palestra: Casa Guilherme de Almeida: a fabricação de um museu-casa | 12/7. Quinta-feira, 19h às 20h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

 

Leitura dramática: A flor que foi um homem – Narciso | 12/7. Quinta-feira, 20h às 21h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

 

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Terça-feira a domingo, das 10h às 18h

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Poiesis – Assessoria de Imprensa

Carla Regina – Coordenação | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br

Marcela Reis | (11) 4096-9857 | marcelareis@poiesis.org.br

Victória Durães | (11) 4096-9810 | victoriaoliveira@poiesis.org.br

Férias: Casa Mário de Andrade oferece cursos e oficinas gratuitas

A programação inclui atividades de música, cultura popular, dança, literatura e fotografia

(mais…)

Casa das Rosas realiza cursos e oficinas especiais em julho

Destaque para oficina de Cartonera e palestra sobre Antiliteratura

(mais…)

Campeonatos de videogame e contações de histórias nas bibliotecas em julho!

Em julho, a Biblioteca de São Paulo e a Biblioteca do Parque Villa-Lobos, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizam várias atividades que remetem ao Campeonato Mundial de Futebol e trazem ainda encontro com escritor, contações de histórias e até brincadeiras baseadas no Dia do Rock.

No clima das disputas em campo na Rússia, vem aí o campeonato de videogame que promete premiação e muitos gols nas salas de videogames da BSP, no dia 5/7, e na da BVL, em 8/7. A atividade acontece das 10h às 17h e, para participar, é necessário fazer inscrição no balcão de atendimento da biblioteca (as vagas são limitadas). A programação temática vai além com os pontos de troca de figurinhas, jogos e brincadeiras durante todo o mês.

Para quem gosta de contação de histórias, a equipe da Biblioteca de São Paulo prepara apresentações todas as sextas-feiras, às 15h, e, aos sábados, a atividade fica por conta dos grupos convidados: Palhaço Adão e Palhaço Manjericão (dia 7, às 16h), Paula Dugaich (dia 14, às 16h), Mirela Estelles e Amarilis Reto (dia 21, às 16h), e Cia. Sá Totonha (dia 28, às 16h). Já na Biblioteca do Parque Villa-Lobos, a contação de histórias também acontece nas sextas-feiras, às 15h, e aos domingos, às 16h, com grupos convidados: Mirela Estelles e Amarilis Reto (dia 1/7), Paula Dugaich e Manu Rodrigues (8/7), Cia. Sá Totonha (15/7), palhaços Adão e Gastão (22/7) e Cia. do Liquidificador (29/7).

No dia 8/7 é a vez do Domingo no Parque, realizado em área próxima da biblioteca no Parque da Juventude e composto por um dia inteiro de atividades: Lê no Ninho (das 11h30 às 12h15) e mais contação com Lilian Marchetti, Murilo Luz e Flora Marchetti (das 12h15 às 16h). No dia 29/7, é a vez do Parque Villa-Lobos receber contações na área próxima da BVL com a cia. Teatro Nóis na Mala, das 11h às 16h.

Lourenço Mutarelli é o escritor convidado do Segundas Intenções no dia 28/7, das 11h às 13h, no auditório da BSP, com mediação do jornalista Manuel da Costa Pinto. A trajetória de Mutarelli passa pelos quadrinhos, webséries e livros – entre eles, “O cheiro do ralo” (que deu origem a filme homônimo), “O natimorto” (também adaptado para as telas), “Miguel e os demônios” e “O grito de Abdera”. No cinema, também aparece em produções como “Cheiro do ralo” (no qual faz uma ponta como segurança), “A que horas ela volta?” (na programação do Pontos MIS de julho), “É proibido fumar”, entre outros. Já na BVL, o Segundas Intenções, bate-papo mediado pelo jornalista Manuel da Costa Pinto, recebe, em julho, o escritor Ricardo Lísias. O encontro está marcado para o dia 21/7, das 11h às 13h, na Oca, e o escritor falará sobre sua trajetória, seu processo criativo e suas obras.

Aproveitando o Dia do Rock, comemorado em 13 de julho, ambas as bibliotecas prepararam atividades relacionadas. Na BSP, o Brincando e Aprendendo traz o jogo We Will Rock You no dia 11/7, às 15h, e Pintando o Sete com criação em estêncil em homenagem ao gênero musical, no dia 12/7, às 15h. Já na BVL, o Pintando o 7 trabalha diferentes temas: criação de painel demonstrando a presença feminina no rock (dia 4/7), confecção de adesivos com o logo das bandas (dia 11/7), criação de encarte de CD sobre as origens do rock (dia 18/7) e produção de um caderno para escrever letras de música (dia 25/7). Todas as atividades na BVL acontecem às 10h30.

Com relação ao Dia do Escritor, comemorado em 25/7, as bibliotecas desafiam os frequentadores em um jogo de memória temático no Brincando e Aprendendo. A atividade acontece na biblioteca do Parque da Juventude no mesmo dia, às 15h, e na unidade do Parque Villa-Lobos no dia 20/7. Além disso, a atividade Pintando o 7 da BSP propõe a produção de tirinhas baseadas em poemas de Mário Quintana no dia 26/7.

E, ainda em julho, o Clube de Leitura, que seleciona todos os meses um livro e escritor para serem temas de debate, chega no dia 19/7, das 15h às 17h, ao auditório da Biblioteca de São Paulo com debate sobre a obra de Laura Esquivel e um de seus livros: “Como água para chocolate”. A mesma programação traz para o debate na BVL a obra “Mar de papoulas”, de Amitav Ghosh. A atividade acontece no dia 27/7, das 15h às 17h, no auditório. Não é necessário realizar inscrição para participar das atividades.

Mais informações nos sites da Biblioteca de São Paulo e no da Biblioteca Parque Villa-Lobos.

 

Visite

“Sábado Resistente” terá lançamento de livro sobre movimento dos Tupamaros

No dia 23/6, o Memorial da Resistência promove mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. No evento, será realizado o lançamento brasileiro do livro “A experiência Tupamara: pensando em futuras insurgências”, do uruguaio Jorge Zabalza.

Zabalza, dirigente histórico da MLN-T (Movimento de Liberação Nacional – Tupamaros), reconstrói em seu livro sua resistência e de seus companheiros durante a ditadura militar uruguaia. Zabalza, ou “El Tambero”, enfrentou onze anos de cárcere, nos quais conviveu diariamente com a tortura e isolamento.

O livro de Jorge Zabalza faz uma análise político-histórica do Uruguai, que remonta às lutas anticoloniais e chega às lutas anti-imperialistas de nossos dias, penetrando nas entranhas da opressão e dos massacres por parte das oligarquias contra os pobres e os explorados. Detalha também a repressão política desde as suas origens e, em especial, durante a ditadura militar dos anos 1970/80.

“Este livro, apesar de analisar contingências e posições político-ideológicas a partir de experiências e modelos aplicados naqueles tempos cinzentos, volta-se para o amanhã, para as novas gerações de combatentes – para a juventude progressista da América Latina em particular”, afirma o ex-preso político Geraldo Sardinha. “É preciso estar preparado para o futuro também com as armas fornecidas pelo passado.”

 

Programação

O evento começa às 14h com as boas-vindas da equipe do Memorial da Resistência. A mesa redonda, prevista para acontecer às 14h20, conta com a participação de Carlos Aznares, jornalista nascido no Chile e criado na Argentina, é analista de política internacional em vários meios da imprensa e blogs. Ex-militante do movimento dos Montoneros (Argentina), é atualmente palestrante e diretor do site “Resumen Latinoamericano y del Tercer Mundo”; Anibal Varela, Secretário Geral do Sindicato do Trabalhadores Municipais de Montevideo e Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Uruguai; Jandir Santin, professor de Filosofia e Teologia na cidade de Chapecó. Assessor de vários movimentos populares na formação de lideranças; Gilmar Mauro, integrante da direção nacional do Movimento Sem Terra (MST); Geraldo Jorge Sardinha, ex-preso político, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, do Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaros – Atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos; e Paulo Gomes, advogado, ex-preso político, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN) e atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos. Finalizando a programação, um debate, previsto para às 16h10.

 

Onde

Mês do Futebol: confira a programação especial da #CulturaSP

Em junho, os museus, salas de concerto e bibliotecas da Secretaria da Cultura do Estado capricharam em atividades sobre dois temas: futebol e cultura russa. São jogos, exposições, oficinas e muito mais. Confira o que fazer quando o Brasil não estiver jogando a aproveite!

MUSEUS

 

O Museu do Futebol terá um mês repleto de atividades relacionadas ao campeonato. Já está em cartaz a exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”, que conta a história da primeira conquista da seleção brasileira no mundial. Durante todo o mês, o museu também exibirá 39 jogos do campeonato em um espaço decorado especialmente para a competição. No dia 23 de junho, às 10h00, inicia-se a 1ª Feira Foot, evento gratuito que vai reunir uma feira retrô de itens de futebol, venda de memorabília, bate-papo sobre memórias do esporte e troca de artigos colecionáveis. Para fechar o mês, o 3º Arraial do Charles Miller, com entrada gratuita, vai juntar festa junina e futebol na Praça Charles Miller nos dias 30 de junho e 1º de julho (sábado e domingo).

No Museu Afro Brasil, está em cartaz a exposição “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão”, que ressalta a competência, o talento e a resistência negra nos esportes e em outros campos, como a arquitetura e as artes. Entre os jogadores homenageados na mostra estão alguns dos principais responsáveis pelas três primeiras conquistas mundiais do Brasil, como Pelé, Djalma Santos, Garrincha e Jairzinho. No acervo de longa duração, há esculturas, fotografias, ilustrações, bolas e outros objetos que contam a história do futebol brasileiro. Já na área externa, um grande painel reúne fotografias e ilustrações de Pelé, Leônidas, Chocolate, Didi, Djalma Santos, Zizinho, Garrincha, Paulo César Caju, Barbosa e Baltazar, além de uma série de caricaturas feitas pelo cartunista baiano Miécio Caffé.

O Museu de Arte Sacra vai celebrar o mundial com atividades para todas as idades no dia 16 de junho, à partir das 15h00. O público terá a oportunidade de participar de uma brincadeira sobre a relação entre os santos padroeiros e o futebol, jogar uma partida de futebol de botão ou de mini pebolim entre Brasil e Croácia e aprender o significado das camisas destes times. Para participar é necessário realizar inscrição no site http://museuartesacra.org.br.

No Museu da Imagem e do Som – MIS, a família toda vai poder aproveitar a “Maratona Infantil”, no dia 24, das 10h00 às 17h00, com atividades que envolvem o mundo do futebol e as festas juninas. Em “Intervenção Futebolando”, às 10h30, 12h30 e 14h00, dois palhaços futebolísticos vão convidar o público a praticar atividades físicas utilizando jargões do esporte. Das 10h00 às 16h00, as crianças também poderão expressar a paixão pelo esporte nas oficinas temáticas “Flipbook Bola no Gol”, para criação de livretos animados com o tema futebol, e “Compactor de Pintura”, na qual serão feitas pinturas temáticas do campeonato.

No Museu Índia Vanuíre, em Tupã, os visitantes vão curtir oficinas culturais gratuitas em todos os sábados e domingos de junho, das 9h00 às 16h00. Especialmente neste mês, as oficinas terão como tema o país sede do mundial, com a proposta de confeccionar um chaveiro em formato de matrioska, representando a colônia russa, que tem importante contribuição na identidade de Tupã.

bibliotecaS

 

Na Biblioteca Parque Villa-Lobos, em todas as sextas-feiras de junho, das 16h30 às 18h00, a atividade “Chute de Letra” oferece jogos e brincadeiras com o tema futebol. Nas sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 2 de julho, das 14h00 às 17h00, o espaço será ponto de troca de figurinhas para colecionadores. Nas sextas-feiras, de 1º a 22 de junho, o “Brincando e Aprendendo” terá brincadeiras temáticas. E nos dias 23 e 25 de junho, das 10h00 às 17h00, o “Festival de Jogos Antigos” disponibiliza pebolim e futebol de botão para o público. Todas as atividades são gratuitas e não é necessário realizar inscrição.

A Biblioteca de São Paulo também realiza a atividade “Chute de Letra” em todas as quintas-feiras de junho, das 16h00 às 17h30. A troca de figurinhas será nas sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 29 de julho, das 14h00 às 17h00, e o “Festival de Jogos Antigos” nos dias 15 e 16 de junho, das 10h00 às 17h00. No dia 17, a “Hora do Conto” será às 12h30, com a apresentação do conto russo “Formosa Vassilissa”, sobre uma menina que perdeu a mãe e ganhou uma boneca para ajudá-la a lidar com sua madrasta e irmãs postiças. No dia 20, das 15h00 às 16h00, todos poderão jogar o “Futebol de Cego”, e no dia 21, no mesmo horário, visitantes serão convidados a confeccionar bandeiras de diversos países. Todas as atividades são gratuitas e não é necessário realizar inscrição.

Quem gosta de ler encontrará nas bibliotecas diversas obras de autores russos, como “Os Demônios”, de Fiódor Dostoiévski, e livros sobre a história do futebol, como “O planeta Neymar: um perfil”, de Paulo Vinícius Coelho e “O Brasil nas Copas”, de Marcos Sérgio Silva. O catálogo e a programação das bibliotecas pode ser conferido nos sites: https://bsp.org.br e https://bvl.org.br/.

sala são paulo

 

Durante o mês, a Temporada 2018 da OSESP apresentará na Sala São Paulo diversas obras de compositores russos, como Prokofiev, Shostakovich e Tchaikovsky. Haverá Concertos Sinfônicos Osesp nos dias 21 e 22, às 20h30, e no dia 23, às 16h30, sob regência de Neil Thomson e Fabio Martino no piano. O programa inclui “Romeu e Julieta, Op.17: Romeu só – Grande Festa na Casa dos Capuletos”, de Hector Berlioz, “Peça de Concerto para Piano em fá menor, Op.79”, de Carl Maria von Weber, “Fantasia Brasileira nº 4”, de Francisco Mignone e “Romeu e Julieta – Abertura-fantasia”, de Pyotr Il’yich Tchaikovsky.

E no dia 24, às 19h00, o Coro da Osesp se apresenta sob a regência de Valentina Peleggi, com “Crucifixus pro nobis, Op.38: Drop, drop, slow tears”, de Kenneth Leighton, “Concerto para Coro: Ó mestre de tudo o que vive”, de Alfred Schnittke, “Miserere Mei, Deus”, de Gregorio Allegri, “Miserere, Op.44: Miserere nobis” e “Totus Tuus, Op.60”, de Henryk Górecki e “Canção para Atena”, de John Tavener.

Os ingressos para os concertos estão à venda no site https://www.ingressorapido.com.br

Quem visitar a Sala São Paulo pode aproveitar para conferir os livros, CDs e DVDs de autores e artistas russos disponíveis na Loja Clássicos, localizada dentro do prédio da Sala. Entre os CDs, é possível encontrar a gravação da Osesp sob regência de Marin Alsop das Sinfonias de Serguei Prokofiev. Na seção de livros, encontram-se “Crime e castigo”, de Fiódor Dostoiévski e “Anna Karenina”, de Liev Tolstói. Nos DVDs, uma ampla seleção de filmes russos, como o clássico “Alexander Nevsky”, de Serguei Eisenstein, “Dersu Uzala”, de Akira Kurosawa, e “Arca Russa”, de Aleksándr Sokúrov.

fábricas de cultura

 

As Fábricas de Cultura Jaçanã e Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte, realizam diversas atividades gratuitas sobre futebol e cultura russa no mês de junho.

No dia 27, às 15h00, na unidade do Jaçanã, acontece o bate-papo “O mundial e você: protagonismo negro e marcos históricos”, em que os participantes terão oportunidade de conhecer a história de jogadores e jogadoras de futebol negros – Marta, Formiga, Cafu, Pelé, entre outros. Em seguida, será proposta uma oficina de estêncil para produzir cartazes com a história desses esportistas.

Na Fábrica Vila Nova Cachoeirinha, a instalação “Bandeiras dos países participantes do mundial de 2018” reúne as bandeiras dos 32 países que participam da disputa, de 5 a 30 de junho. A exposição “Diversidade Futebol Clube – No nosso time joga todo mundo” fica em cartaz na unidade de 8 a 30 de junho. A mostra traz fotografias de Roberto Setton, que registrou entre 2008 e 2012 o “Futebol das Drags”, evento de aniversário da boate Blue Space com um jogo de futebol entre drag queens e funcionários nas ruas da Barra Funda (SP). Encerrando a programação, entre 16 e 30 de junho, será exibida a “Homenagem a Mário Américo”, uma mostra de fotografias do ex-massagista da Seleção Brasileira, que acompanhou sete campeonatos mundiais, entre 1950 e 1974.

oficinas culturais

 

A Oficina Cultural Oswald de Andrade vai unir o teatro e o futebol em uma programação gratuita especial. Entre os dias 14 de junho e 19 de julho, às terças e quintas-feiras, às 18h30, o público poderá participar da oficina “Lendo o Jogo” e criar uma cena dramática, ficcional ou informativa, envolvendo teatro e futebol. As inscrições para as atividades devem ser realizadas no site: http://www.oficinasculturais.org.br/oswald-de-andrade.

são paulo companhia de dança

 

A São Paulo Companhia de Dança realiza performance em meio a uma exposição com bonecas de 2,60 de altura por 1,35 de largura, pintadas por artistas brasileiros como Albertina Prates, Simone Michielin, Elisa Vieira Queiroz, Maramgoni, Thuany Kolbach e Wagner da Silva. As apresentações serão nos dias 15, às 12h00, e no dia 16, às 16h00 e às 19h00.

O repertório será formado por Fada do Amor (1993), de Márcia Haydée e Pivô (2016), de Fabiano Lima. Fada do Amor, de Marcia Haydée, une a energia e a delicadeza do amor da fada pelo ser humano. Já Pivô, de Fabiano Lima, faz referência ao basquete, ao hip hop e à dança contemporânea, e traz para a cena o ambiente brasileiro, por meio de sonoridades conhecidas.

A exposição fica em cartaz no Átrio do Shopping Morumbi, na zona sul de São Paulo, no período de 15 de junho a 15 de julho, e reúne réplicas das chamadas Matrioshkas Gigantes, símbolos da Rússia que representam família, felicidade e boa sorte.

Debate sobre tecnologia e arbitragem no Museu do Futebol

O mundial de futebol de 2018 vai ser um marco para o uso de tecnologia no esporte. A edição disputada na Rússia será a primeira da história com uso do VAR (sigla em inglês para árbitro auxiliar de vídeo), aparato com 33 câmeras cujo propósito é tentar dirimir dúvidas sobre lances capitais do jogo. O advento do dispositivo é uma das premissas básicas do debate “Arbitragem: evolução, uso das tecnologias e o que esperar do campeonato mundial de futebol de 2018”, que o Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, vai realizar às 19h da próxima sexta-feira (8/6). O evento integra um ciclo de palestras sobre o mundial e tem entrada gratuita (a participação está condicionada à capacidade do auditório, que tem 174 lugares e quatro espaços para pessoas com deficiência).

O debate faz parte da programação de lançamento do livro “Grandes árbitros do futebol brasileiro – o desenvolvimento do futebol pelo olhar da arbitragem”, escrito por Daniel Destro. Além dele, a mesa será composta por Sálvio Spínola Fagundes Filho (ex-árbitro Fifa e atual comentarista dos canais “ESPN”), Ednilson Corona (ex-árbitro assistente Fifa – trabalhou na Copa do Mundo de 2006 – e atual chefe da comissão de arbitragem da Federação Paulista de Futebol), Regildênia de Moura (árbitra da CBF e da Fifa) e Zé Elias (ex-jogador e atual comentarista dos canais “ESPN”). A mediação será feita pelo jornalista Celso Unzelte.

Destro iniciou trajetória como árbitro em 2004, quando um amigo o convenceu a fazer curso da Federação Paulista de Futebol (FPF). Integrou o quadro da entidade estadual entre 2005 e 2016.

“Pela necessidade de manter meu trabalho principal [com tecnologia], uma carreira sólida e de crescimento, além de querer progredir como árbitro, fazia jornada dupla. Precisava treinar duro, viajar sempre, muitas vezes faltando em alguns dias de trabalho para apitar jogos pelo Estado de São Paulo.”
MESSAGE-ICON
Daniel Destro

Além da necessidade de organizar o calendário, a ideia de conciliar o trabalho como árbitro e a carreira em tecnologia acabou fazendo com que as duas coisas se misturassem na trajetória de Destro. Ele começou a desenvolver em 2007 um sistema de estatística para juízes e auxiliares e recentemente se tornou parceiro comercial de um aplicativo para relógios de árbitros.

Curiosamente, os projetos que misturam o futebol com tecnologia, com um olhar mais voltado para o futuro, também foram a porta de Destro para uma conexão com o passado. A partir do sistema de estatísticas, o ex-árbitro montou uma grande base de dados e começou a pensar em como criar algo que unisse os números e a paixão por história do futebol. Foi essa a gênese do livro.

“Aprendi sobre o passado do futebol e da arbitragem. Sempre quis achar um sentido filosófico na coisa, e daí surgiu a ideia de escrever. Não apenas falar do árbitro e das regras, mas mostrar como o futebol se desenvolveu por meio das regras e filosofia de jogo. É uma realização pessoal, mas mais do que isso eu quis homenagear, lembrar e eternizar nomes importantes da história do futebol”, completa o ex-árbitro.

 

Onde

Venha conhecer a Feira de Livros de Futebol!

O jogo inaugural do campeonato mundial de 2018 está agendado para 14 de junho, quando a Rússia enfrenta a Arábia Saudita. Mas os amantes do esporte não precisam esperar até essa data para entrar no clima. Para ajudar na contagem regressiva, o Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, em parceria com a Livraria Pontes, realiza a primeira edição da Feira de Livros de Futebol.

O evento gratuito será realizado no foyer do Museu do Futebol, nos dias 09 e 10/6, entre 10h e 17h. Haverá ponto de venda de títulos, e a comercialização será feita diretamente pela editora, que apresentará preços e condições especiais. A lista de obras tem novidades e relançamentos.

A Copa do Mundo será um dos temas abordados nos livros, mas o catálogo disponível no evento também conta com obras sobre clubes do Brasil e do exterior, biografias e outros tipos de literatura ligada ao universo futebolístico.

 

Visite

Inscrições abertas para a 11ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo abriu inscrições para a 11ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, um dos mais conceituados do gênero no país. O edital, publicado no Diário Oficial do Estado e disponível nos sites do Prêmio (www.premiosaopaulodeliteratura.org.br) e da Secretaria da Cultura, premiará romances em duas categorias: “Melhor Livro do Ano” e “Melhor Livro do Ano – Autor Estreante” – esta última dividida em duas modalidades “Autores com Mais de 40 Anos de idade” e “Autores com Menos de 40 Anos de idade”. Os candidatos podem se inscrever até dia 13 de julho de 2018. 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O EDITAL

Contribuindo para a formação de novos leitores e escritores, sendo um dos poucos no país a ter categoria específica para estreantes, o Prêmio São Paulo de Literatura também se destaca por reconhecer tanto os grandes nomes quanto os novos talentos da literatura, abrindo portas não só para escritores nacionais, mas também para concorrentes estrangeiros com obras escritas originalmente em língua portuguesa e primeira edição mundial no Brasil em 2017. Com foco em obras de ficção no gênero romance, o Prêmio São Paulo de Literatura é o maior do país em valor de premiação individual: R$ 200 mil para o Melhor Livro do Ano e R$ 100 mil para cada autor estreante nas modalidades +40 e -40.

Na categoria “Melhor Livro do Ano”, poderão se inscrever autores que já publicaram romances de ficção anteriormente. Já na categoria dos estreantes, os escritores podem ter obras publicadas em outros gêneros, desde que o livro inscrito seja o seu primeiro romance de ficção.

A categoria “Autor Estreante” contribuiu também na revelação de novos nomes da literatura, tais como Rafael Gallo (Rebentar), Débora Ferraz (Enquanto Deus Não Está Olhando), Paula Fábrio (Desnorteio), Micheliny Verunschk (Nossa Teresa – Vida e Morte de uma Santa Suicida), Jacques Fux (Antiterapias) e Marcos Peres (O Evangelho Segundo Hitler).

Edições anteriores

Em 2017, Outros Cantos (Editora Alfaguara), de Maria Valéria Rezende, foi eleito pelo júri do Prêmio São Paulo de Literatura o Melhor Livro do Ano. Já Franklin Carvalho, com Céus e Terra (Editora Record), foi contemplado na categoria Autor Estreante +40 e Maurício de Almeida recebeu prêmio na categoria Autor Estreante -40, com o romance A Instrução da Noite (Editora Rocco).

Foto: Joca Duarte / Secretaria da Cultura do Estado

Últimos dias do curso pré-vestibular de literatura da BVL!

Quem precisa de uma ajudinha em Literatura para as provas de vestibular não pode perder as últimas aulas do curso gratuito que a Biblioteca Parque Villa-Lobos vem promovendo desde o início de maio!

Os próximos debates vão acontecer entre 30/5 e 8/6, das 16h às 18h, e não precisam de inscrição prévia. O curso será ministrado por Edson Lopes, mestrando pela Universidade Federal de São Paulo, coordenador e professor do Cursinho Popular. O curso pretende apresentar e discutir cada uma das obras exigidas pela FUVEST 2019. A cada encontro discutiremos uma obra e tentaremos compreender alguns aspectos importantes para sua interpretação. Os bate-papos buscarão dar caminhos para a realização da prova, mas principalmente, incentivar a leitura integral dos livros e abrir caminho para o prazer da literatura”, ressalta Lopes.

“A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

"Estou estudando pela Internet e sinto falta de aulas presenciais. Hoje, até deixei de estudar online para estar aqui e gostei muito. Acho importante ter iniciativas assim, gratuitas e para todos."
MESSAGE-ICON
Milena Vieira de Miranda
Aluna do cursinho da BVL, que prestará vestibular para Biologia

Biblioteca-viva

 

A BVL é um ambiente inclusivo e acessível. Possui diversos aparelhos de tecnologia assistiva, como folheador de páginas, mesa ergonômica, leitora autônoma, reprodutor de áudio, régua braille, teclado e mouse adaptados, computadores com leitor de tela, mouse e teclado adaptados.

Outro diferencial está no atendimento. A BVL é uma biblioteca de e para pessoas, portanto todos os funcionários estão aptos a oferecer atendimento humanizado, individualizado, centrado nas características do público e próximo à comunidade.

O espaço conta ainda com salas de criatividade; sala de jogos eletrônicos; ludoteca; espaço para os visitantes lerem com tranquilidade; computadores com acesso à internet; deck, com vista para o parque.

Isto é uma biblioteca viva, um espaço público e dinâmico que, junto ao Governo do Estado de São Paulo, às Secretarias da Cultura e do Meio Ambiente e à organização social SP Leituras, trabalha a inclusão social por meio da leitura, promovendo e incentivando assim o prazer de ler para todos os cidadãos, de todas as faixas etárias.

“A diferença do modelo de biblioteca viva é que ela vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos. As pessoas podem se sentir como se estivessem em casa”, explica Silvia Antibas, coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Confira a programação:

 

09/05 Iracema, José de Alencar.

11/05 Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis.

16/05 O Cortiço, Aluísio Azevedo.

18/05 Vidas Secas, Graciliano Ramos.

23/05 Claro Enigma, Carlos Drummond de Andrade.

25/05 Mayombe, Pepetela.

30/05 Sagarana, João Guimarães Rosa.

06/06 Minha Vida de Menina, Helena Morley.

08/06 A cidade e as Serras, Eça de Queirós

Visite

“Viagem Gastronômica” de maio homenageia as mães

As mamães serão as grandes homenageadas da edição de maio do programa “Viagens Gastronômicas”, que será realizado no dia 26/5, das 15h30 às 17h, na Biblioteca de São Paulo! Dessa vez, a inspiração vem de Ana Terra, personagem do primeiro volume da consagrada trilogia “O tempo e o vento”, de Érico Veríssimo. A partir da trajetória da mulher que luta para conseguir o próprio sustento nas lavouras dos Pampas junto ao seu filho, e encontra coragem para seguir em frente, sem perder a esperança, o leitor se depara com ingredientes das colheitas que dão um sabor especial às refeições preparadas pelo povo gaúcho.

Os participantes aprenderão as receitas dos pratos abóbora com charque e bolo ninhos de pêssego, e, ao final, terão a oportunidade de degustar. A atividade será ministrada por Dolores Freixa, historiadora, guia de turismo cultural, professora de História da Gastronomia e escritora de livros sobre cultura gastronômica – é co-autora do livro Expedição Brasil Gastronômico, que ganhou o Prêmio Jabuti em 2014 – e Solange Aparecida Barbosa Botura, professora de Técnicas de Cozinha, Eventos Gastronômicos e Cozinha Brasileira.

“A ideia é estimular o público a pensar na vida dos personagens dos livros: como se alimentam, como é a gastronomia da cidade onde é ambientada a história, como são os costumes. É pensar na gastronomia também como cultura”, explica Dolores. “A atividade faz parte desse conceito de ‘biblioteca viva’, que vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos”, afirma Silvia Antibas, Coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. “A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

Receitas

Abóbora com Charque

Bolo Ninhos de Pêssego

Ingredientes

2 colheres (sopa) de óleo

1 cebola cortada em cubos pequenos

6 dentes de alho amassados

1 pimentão verde pequeno cortado em cubos

4 tomates sem pele, sem sementes picados em cubos pequenos

1 kg de carne seca cortada em cubos, dessalgada e cozida

1 kg de abóbora cabotiá cortada em cubos médios

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

2 colheres (sopa) de salsa picada   

Sal, se necessário

Pimenta do reino a gosto

 

Modo de Preparo

Numa panela, coloque o óleo e doure levemente a cebola e o alho. Junte o pimentão, os tomates, a pimenta do reino e a carne seca. Acerte o sal. Refogue e acrescente água quente aos poucos até que tudo esteja cozido e um molho se formar na panela. Coloque a abóbora e deixe cozinhar até ficar macia sem desmanchar.

Ingredientes

6 ovos

3 xícaras de chá de farinha de trigo

3 xícaras de chá de açúcar

12 colheres de sopa de água

1 colher de sopa de fermento em pó

1 lata de leite condensado

1 pacote de coco ralado em flocos

1 lata de pêssegos em calda

 

Modo de Preparo

Bater as claras em neve. Na batedeira colocar as gemas e bater com a água até dobrar o volume, acrescentar o açúcar e bater até ficar bem cremoso. Adicionar a farinha aos poucos batendo sempre até a massa formar bolhas que estouram. Acrescente o fermento só misturando. Acrescentar as claras à massa, mexendo lentamente até ficar tudo incorporado. Levar ao forno pré-aquecido em assadeira untada e polvilhada com farinha por aproximadamente 40 minutos ou até ao teste do palito. Desenformar e deixar esfriar. Recortar o bolo com um cortador de mais ou menos 5 cm de diâmetro. Umedecer com o leite condensado, passando também nas laterais. Passe os bolinhos no coco em flocos ralado e enfeite cada um com uma metade de pêssego em calda escorrido.

Como participar?

 

Os interessados não precisam fazer inscrição prévia. Basta comparecer no dia. As vagas serão preenchidas por ordem de chegada, portanto, não deixe para a última hora!

 

Visite

BVL tem curso pré-vestibular de literatura – veja como participar!

Quem nunca viu “Memórias póstumas de Brás Cubas” ou “Vidas secas” passarem pelas provas de vestibular? Para dar uma ajudinha aos que vão fazer prova neste ano, a Biblioteca Parque Villa-Lobos realizará encontros gratuitos para discutir algumas dessas obras!

Os debates vão acontecer entre 9/5 e 8/6, das 16h às 18h, e não precisam de inscrição prévia. O curso será ministrado por Edson Lopes, mestrando pela Universidade Federal de São Paulo, coordenador e professor do Cursinho Popular. O curso pretende apresentar e discutir cada uma das obras exigidas pela FUVEST 2019. A cada encontro discutiremos uma obra e tentaremos compreender alguns aspectos importantes para sua interpretação. Os bate-papos buscarão dar caminhos para a realização da prova, mas principalmente, incentivar a leitura integral dos livros e abrir caminho para o prazer da literatura”, ressalta Lopes.

“A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

"A literatura é um direito e devemos usufruí-lo. Em uma realidade em que os textos curtos e rápidos são preferência, a leitura de livros clássicos, e muitas vezes herméticos, não é tarefa fácil, sobretudo quando se tem o vestibular pela frente."
MESSAGE-ICON
Edson Lopes

Confira a programação:

 

09/05 Iracema, José de Alencar.

11/05 Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis.

16/05 O Cortiço, Aluísio Azevedo.

18/05 Vidas Secas, Graciliano Ramos.

23/05 Claro Enigma, Carlos Drummond de Andrade.

25/05 Mayombe, Pepetela.

30/05 Sagarana, João Guimarães Rosa.

06/06 Minha Vida de Menina, Helena Morley.

08/06 A cidade e as Serras, Eça de Queirós

Visite

Iguape recebe 6ª edição do Festival Literário

A 6ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI) acontece entre os dias 24 e 26 de maio na cidade de Iguape, região sul do Estado de São Paulo. O festival, que é realizado pelas Oficinas Culturais, Programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis e em parceria com a Prefeitura Municipal de Iguape, tem uma programação dedicada a discussões sobre conceitos de territórios e identidade.

O FLI conta com show, sarau e conversas com a presença de artistas como Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro, Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Larissa Luz, Sandra de Sá e Daniel Munduruku, que discutem sobre identidade, ancestralidade e pluralidade de narrativas. Os eventos são gratuitos e serão na Praça da Basílica e Biblioteca Pública Municipal, além da programação preparada para as escolas municipais, bem como oficinas e workshops em sete municípios do Vale.

Segundo Fernando Fado, coordenador de Programação das Oficinas Culturais, ao longo das últimas cinco edições, o Festival tem se consolidado na cidade de Iguape e passado por um processo de capilarização pelo Vale do Ribeira. “É a manutenção e abertura constante de diálogos com escritores, educadores, gestores, artistas e moradores da região. O trabalho se dá na busca pelo estreitamento das relações com a população, e o reflexo disso está na concepção dessa sexta edição do evento”, comenta.

Além disso, a riqueza do Vale do Ribeira, compreendida, dentre outros fatores, por seus patrimônios históricos, seus povos tradicionais, suas culturas populares, sua preciosidade ambiental, além do fato de possuir o maior número de comunidades remanescentes de quilombos do Estado de São Paulo, diz muito sobre Identidade, decorrente da história deste território secular.

“A abordagem dessa temática é consequência do percurso do Festival, criado em 2013, e que, aos poucos, foi se conectando com a geografia local. Quando falamos do reflexo na concepção dessa sexta edição, falamos de um filho que se reconhece em sua casa, na artesania do cotidiano caiçara, quilombola, indígena, caboclo, ribeirinha etc”, reforça Fado.

Durante os três dias de Festival, o público encontra no Ponto do Livro um espaço de troca de livros infantis, adultos e gibis. O que é lugar de fala e qual a importância de buscar outros olhares que rompam com a história única? Para falar sobre o assunto, Djamila Ribeiro participa do bate-papo sobre seu livro O que é lugar de fala? (2017), que acontece na quinta-feira (24) às 20h00. Sexta-feira (25) às 21h30, Conceição Evaristo fala sobre sua trajetória como escritora, refletindo sobre o papel da mulher negra na literatura brasileira. As conversas têm mediação da escritora Bianca Santana, autora do livro Quando me descobri negra.

Para trazer um panorama da literatura do Vale do Ribeira, explorando a poesia, meios de publicação e a relação com outras expressões e linguagens artísticas, Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda participam da conversa Literatura do Vale sexta-feira (25) às 20h00 com mediação de Lisângela Kati do Nascimento.

Em Território e identidade, o público reflete, a partir de perspectivas quilombolas, indígenas, caiçaras, caboclas e negras, sobre ancestralidade, relações sociais e valorização das culturas tradicionais. A conversa ocorre no sábado (26) às 14h00. Encerrando as conversas do Festival, Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro participam do Vozes de desconstrução e falam sobre a desconstrução de narrativas colonizadas, subversão de pensamentos e construção de representações plurais na literatura. O bate-papo acontece às 21h00 do sábado.

“A partir da ideia de pertencimento e no aprofundamento da conexão com o Vale do Ribeira, sendo este, por si só, fonte de conteúdo do Festival, esta edição representa um importante momento de construção efetiva de pontes: da população com o FLI e do FLI com a população.”
MESSAGE-ICON
Thiago Saraiva
Superintendente das Oficinas Culturais

Música e teatro

Na quinta-feira (24) às 14h00, o grupo Morabeza Nação apresenta o espetáculo 3Áfricas – As rainhas do tempo, que transforma a história dos Três Reis Magos – Melchior (rei da Pérsia), Gaspar (rei da Índia) e Baltazar (rei da Arábia) – em uma narrativa sobre três rainhas, cada uma de um país africano: Cabo Verde, Moçambique e Senegal. O trabalho une teatro e música com tambores e instrumentos de cordas que compõem a trilha sonora ao vivo. A partir das 22h00, Roberta Estrela D’Alva, slammer e apresentadora do programa “Manos e Minas”, comanda o FLISARAU, encontro poético com microfone aberto para todos que quiserem ler e recitar textos, autorais ou não.

Uma das principais escritoras da literatura brasileira é homenageada no espetáculo Canto de vida e obra: Conceição Evaristo, que transforma a história da escritora em uma narrativa literária e musical. O trabalho é apresentado ao público na sexta-feira (25) às 22h30.

Sons do Guarani reúne mais de 60 indígenas para um espetáculo de celebração da cultura guarani. O show rola às 11h00 e abre as atividades de sábado (26). Às 17h00, o Quilombo do Morro Seco, que recebeu do Ministério da Cultura em 2017 o Prêmio Culturas Populares – Edição Leandro Gomes de Barros, apresenta o tradicional Fandango.

A cantora Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria para show no sábado (26) às 22h30. No repertório, canções de seu último trabalho Território Conquistado (2016), indicado como Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa no Grammy Latino 2016. Para encerrar o FLI 2018, às 23h40 a Comunidade Jongo Tiduca convida a todos para uma grande roda de jongo, dança de roda brasileira praticada ao som de tambores.

Programação 

14h00 | Espetáculo: 3Áfricas – As Rainhas do tempo

18h00 | Ponto do Livro

20h00 | Bate-papo: O que é lugar de fala? com Djamila Ribeiro

22h00 | FLISARAU com Roberta Estrela D’Alva

22h00 | Sessão de Autógrafo com Djamila Ribeiro (O que é lugar de fala?)

18h00 | Ponto do Livro

18h00 | Sessão de Autógrafo com Conceição Evaristo

20h00 | Bate-papo: Literatura do Vale com Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda

21h30 | Bate-papo: Escrevivência com Conceição Evaristo

22h30 | Espetáculo: Canto de vida e obra – Conceição Evaristo

11h00 | Ponto do Livro

11h00 | Espetáculo: Sons do Guarani com as aldeias Pindo Ty, Takuari Ty e Itapoã

14h00 | Bate-papo: Território e identidade com Antonio Diegues, Benedito da Silva, Claudionor Henrique Pedroso, Daniel Clayton Pedro Rodrigues, Daniel Munduruku, Hermes Modesto Pereira, Maíra Silva, Rodrigo Marinho, Tatiana Cardoso e Timóteo Verá Tupã Popyguá

17h00 | Espetáculo: Fandango do Morro Seco

17h00 | Sessão de Autógrafo com Timóteo Verá Tupã Popyguá (Yvyrupa – A terra uma só) e Lisângela Kati do Nascimento (O lugar do lugar no ensino da geografia)

20h00 | Sessão de Autógrafo com Fátima Cristina Pires (Ariú), Lydia da Silva Gonçalves (A flor que encanta) e Isabel Campos (Árvore para passarinhos).

21h00 | Bate-papo: Vozes de desconstrução com Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro

22h30 | Show: Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria

23h40 | Show: Roda de Jongo com Jongo Tiduca

Participe 

Expresso Poesia de maio traz Mel Duarte e Marcelo Tápia

Um dos museus com localização mais privilegiada de São Paulo, além de ser um dos mais belos edifícios da capital, a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos traz excelente programação em maio. O principal destaque é o encontro de dois grandes artistas no stand-up literário: a slammer Mel Duarte e o poeta e ensaísta Marcelo Tápia. 

Quinzenalmente, a sessão Expresso Poesia, um stand-up literário, aproxima novos poetas do cotidiano das pessoas que circulam no jardim do museu. E os poetas contemporâneos da vez vão nos sábados 12 e 26, às 14h30, além de recitar poemas próprios e de outros inspiradores, interagir com o público, em ambiente intimista.

Os participantes têm a chance de estar perto de Mel Duarte, slammer, poeta e produtora cultural, integrante do coletivo Poetas Ambulantes e coorganizadora do Slam das Minas SP, esta última uma batalha de poesia na qual participam apenas poetas mulheres. A escritora tem dois livros publicados de forma independente: Fragmentos Dispersos (2013) e Negra Nua Crua (2016).

Já Marcelo Tápia é o diretor da Rede de Museus-Casas Literários. O poeta e ensaísta é autor de cinco livros de poemas,  reunidos em Refusões – poesia 2017-1982 (Perspectiva). Tápia também é professor do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da FFLCH-USP.

A programação do mês seguinte do Expresso Poesia já está definida. Trará Carina Castro (9 de junho) e Pedro Tostes (23 de junho).

 

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, na década de 1950. Localizado na emblemática Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outros.

O museu funciona num dos raros casarões remanescentes da época inicial da Paulista, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo. Ao associar um patrimônio histórico e arquitetônico da cidade ao legado de um dos principais representantes de nossos movimentos de vanguarda, a Casa das Rosas representa as transformações tanto urbanas e sociais como artísticas e culturais de São Paulo.

 

Visite

Museus-Casas Literários oferecem programação especial para as crianças!

A criançada já tem programação garantida nos meses de maio e junho na Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis. Contações de histórias, jogo da memória, fotografias da Avenida Paulista, criação de livros e impressão de textos e imagens fazem parte das atividades infantis gratuitas oferecidas na Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade.

Dentre as atividades, no dia 6 de maio, domingo, das 15h00 às 16h30, toda a família é convidada para a atividade Recriar o Jardim. A proposta é que as crianças percorram o jardim da Casa das Rosas e conheçam a Avenida Paulista por meio de fotografias da época em que a região ainda possuía características residenciais. Logo depois, elas participarão de uma atividade prática para compartilhar entre si as percepções de cada um sobre o jardim do museu. São oferecidas 15 vagas para crianças a partir dos 5 anos. As inscrições podem ser feitas por e-mail ou diretamente na recepção da Casa. 

A criançada poderá aprender técnicas de impressão de textos e imagens na oficina Imprime na Hora!, no dia 9 de junho, sábado, das 14h00 às 15h30, na Casa Mário de Andrade. A ideia é que os pequenos brinquem e descubram instrumentos das gerações anteriores, como a máquina de escrever e o mimeógrafo. São oferecidas 10 vagas, e as inscrições podem ser feitas na recepção do museu.

Já na atividade Meu Livrinho de Carimbos, que acontece no dia 24 de junho, domingo, às 15h00, na Casa Guilherme de Almeida, as crianças e seus familiares conhecerão alguns princípios da imagem impressa por meio da criação de carimbos. A proposta da brincadeira é cada um confeccionar seu próprio livrinho com as ilustrações que desejar. São oferecidas 12 vagas para crianças a partir dos 6 anos. As inscrições podem ser feitas pelo site ou presencialmente na recepção do museu.

 

Confira a programação

Histórias Peruanas

Domingo, 6/5 – das 15h00 às 16h00

Faixa etária: Livre

 

Recriar o Jardim

Domingo, 6/5 – das 15h00 às 16h30

Faixa etária: a partir dos 5 anos

 

Caravana Cigana

Domingo, 10/6 – das 15h00 às 16h

Faixa etária: Livre

 

Espaço de Brincar

Domingo, 24/6 – das 15h00 às 16h30

Faixa etária: a partir dos 6 anos

Local: Casa das Rosas

Meu Livrinho de Carimbos

Domingo, 24/6 – às 15h00

Faixa etária: a partir dos 6 anos

Imprime na Hora!

Sábado, 9/6 – das 14h00 às 15h30

Faixa etária: Livre

13/04 é Dia dos Jovens: conheça iniciativas da #CulturaSP para esse público!

Okinosmov / Núcleo Luz - Foto: Gasbox Studio

Para celebrar o Dia do Jovem (13/4), reunimos aqui algumas atividades realizadas por espaços da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que são voltadas para esse público!

MÚSICA

Conservatório de Tatuí

Oferece cursos nas áreas de música, luteria e artes cênicas, de formação continuada com duração média de seis anos. A escola está localizada no município de Tatuí, a 131 quilômetros da capital paulista, e recebe estudantes de todas as regiões brasileiras e também de fora do país.

Mais informações: http://www.conservatoriodetatui.org.br

Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP)

Localizada no centro da capital paulista, oferece cursos de iniciação musical e prática de instrumentos desde 1989. Seu primeiro reitor e presidentefoi o maestro Antonio Carlos Jobim. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: http://www.emesp.org.br

Projeto Guri

Programa de formação cultural que oferece cursos de teoria musical, coral, instrumentos de cordas, madeiras, sopro e percussão para jovens até 18 anos. Possui vários polos, distribuídos na capital, no litoral e no interior do Estado.

Mais informações: http://gurisantamarcelina.org.br/ (para polos da capital e região metropolitana) e http://www.projetoguri.org.br/ (para polos do interior e litoral)

Conservatório de Tatuí - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

DANÇA

Núcleo Luz

O projeto oferece a jovens de baixa renda a oportunidade de vivenciarem a linguagem da dança de maneira mais aprofundada. A participação é gratuita mediante inscrição e processo seletivo.

Mais informações: http://fabricasdecultura.org.br/nucleo-luz/

São Paulo Companhia de Dança

Criada em 2008, a Cia faz espetáculos no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior. De tempos em tempos, a SPCD promove workshops, palestras, oficinas e audições.

Mais informações: http://www.spcd.com.br/

São Paulo Cia. de Dança - Conservatório de Tatuí - Foto: João Caldas/Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

TEATRO

SP Escola de Teatro

Oferece cursos gratuitos de formação em teatro abrangendo as mais diversas áreas das artes cênicas, dentre elas Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. Além disso, a Escola mantém o Programa Kairós, que distribui bolsas de estudos e estágios para parte dos aprendizes, além de intercâmbios culturais.

Mais informações: www.spescoladeteatro.org.br

SP Escola de Teatro - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

LITERATURA

Bibliotecas de São Paulo e do Parque Villa-Lobos

As bibliotecas-modelo do Governo do Estado de São Paulo – uma, localizada no Parque da Juventude, e a outra, no Parque Villa-Lobos – oferecem diversas atividades voltadas para o público jovem, além do seu acervo de livros e jogos. Entre elas, oficinas de escrita criativa, de fotografia e de literatura. Há também o Luau, atividade regular que apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura e poesia, e oferece um espaço para apresentações musicais. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: https://bsp.org.br/ e https://bvl.org.br/

Biblioteca do Parque Villa-Lobos - Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

FORMAÇÃO E DIFUSÃO CULTURAL

Fábricas de Cultura

Programa de difusão e formação cultural que oferece cursos gratuitos e atividades de difusão cultural para toda a comunidade. O programa conta com 10 unidades espalhadas pelas zonas norte, sul e leste, e suas atividades contemplam diversas linguagens, como teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios.

Mais informações: http://fabricasdecultura.org.br/

Oficinas Culturais

As quatro unidades do programa realizam atividades gratuitas de formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas, como artes visuais, circo, dança, fotografia, literatura, música, teatro, entre outras.

Mais informações: http://www.oficinasculturais.org.br/

Conheça os programas da #CulturaSP voltados para a literatura!

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Celebramos no mês de abril datas importantes para a literatura: no dia 2/4 comemora-se o Dia Internacional do Livro Infantil; no dia 23/4, o Dia Mundial do Livro; e, entre essas datas, o aniversário de Monteiro Lobato, famoso escritor de ensaios infantis, é marcado pelo Dia Nacional do Livro Infantil.

Pensando nisso, listamos aqui algumas das iniciativas da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que estimulam o hábito da leitura e a criação literária.

Estímulo à Leitura

A Biblioteca de São Paulo e a Biblioteca do Parque Villa-Lobos trabalham com o conceito de "biblioteca-viva" - um espaço voltado à literatura mas que vai além do empréstimo de livros, promovendo a convivência entre o público e o cotidiano dos equipamentos. Ambas são projetos modelo do Governo do Estado e contam com acervo diversificado e acessível para contribuir para que todos tenham acesso à leitura e à cultura. Em suas programações há palestras, contação de histórias, cursos, oficinas, discussões sobre temas literários, intervenções teatrais, apresentações musicais, além de cursos e oficinas gratuitos.

Além do acervo "físico", a Secretaria da Cultura do Estado também dispõe do programa Viagem Literária, que conecta contadores de histórias e autores consagrados a municípios do interior de São Paulo. Na sua 10ª edição, em 2017, o Viagem Literária percorreu 90 cidades e teve 340 atividades.

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Estimulo à Criação Literária

Através de editais públicos, o Programa de Ação Cultural - ProAC apoia financeiramente projetos para estimular produção e circulação de obras em cidades do interior e litoral do Estado. Anualmente, os projetos inscritos são avaliados por uma comissão composta por especialistas do segmento escolhido.

Cursos e Oficinas

Com o intuito de promover o estudo e a propagação da poesia e da literatura, a Casa das Rosas, a Casa Mário de Andrade e a Casa Guilherme de Almeida realizam gratuitamente oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais.

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Premiações

Desde 2008, o Prêmio São Paulo de Literatura reconhece as melhores produções literárias do ano. Voltado para o gênero Romance, seu intuito é valorizar a criação literária em língua portuguesa e estimular novos autores. Possui apenas 3 categorias: "Melhor Livro do Ano: -40", destinada a escritores novatos com livros já publicados; "Melhor Livro do Ano: +40", que contempla escritores mais experientes; e "Melhor Livro do Ano", onde concorrem as melhores obras do período, segundo júri especializado.

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Casa Guilherme de Almeida recebe doação de livro raro com dedicatória de Oswald de Andrade

A Casa Guilherme de Almeida recebeu a doação do livro “Oeuvres de Alphonse Daudet”, edição de 1885. O exemplar torna-se único pela dedicatória do modernista Oswald de Andrade ao poeta e tradutor Guilherme de Almeida, que ganhou o livro de Oswald em 1917, como presente de aniversário.

O livro foi doado por Rodrigo Massi, assessor de Relações Internacionais da prefeitura de São Paulo, que o adquiriu em um sebo no centro de São Paulo. “Pela importância simbólica do livro, decidi que doaria para a Casa Guilherme de Almeida, onde deverá ser conservado e pesquisado por estudiosos“, afirma Massi.

Guilherme de Almeida ganhou o livro de presente de Oswald quando completou 27 anos e apresenta dedicatória, “muito íntima e bem-humorada”, como classifica Massi. O livro de Alphonse Daudet, poeta francês, contém três obras: as novelas “Les femmes d’artistes” e “Robert Helmont” e a série de textos “Études & paysages”.

O secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, esteve presente à Casa Guilherme de Almeida. “Um país sem memória e um povo que não reverencia seus artistas é uma tragédia, por isso a importância desta doação e desta cerimônia”, ressaltou. Penna também lembrou que a Secretaria da Cultura do Estado tem uma comissão que já começou a pensar em eventos que comemorem o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.

O diretor da Casa Guilherme de Almeida, Marcelo Tápia, comemorou a doação: “Este livro se perdeu da coleção de Guilherme de Almeida e, com essa doação, ele agora retorna à biblioteca de seu dono original”. Tápia conta que, em 1917, Almeida e Oswald estavam muito próximos – inclusive, no ano anterior, tinham escrito juntos duas peças teatrais, em francês, “Mon coeur balance” e “Leur ame”. A proximidade de ambos está presente na dedicatória do livro de Alphonse Daudet, como no trecho em que Oswald cita “Miss Cyclone”, normalista com quem o modernista teve um relacionamento amoroso. Tápia ainda destaca anotações que constam do exemplar, feitas por Guilherme de Almeida.

Mês da Mulher – confira a programação!

ENTREVISTAS

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Daniela Alfonsi

“Machismo a gente enfrenta em qualquer área e eu acredito que o esporte é só mais uma delas”

Daniela é Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol

Foto: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Elizabeth
Del Grande

“Se um homem mata um leão por dia, a gente tem que matar três"

Elizabeth é percussionista da OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Foto: Joca Duarte

Florangel Marquez

“Uma aula particular forma uma pessoa; uma escola de música forma um indivíduo que pensa em função de todos”

Florangel é integrante da Associação de Pais e Amigos da EMESP - Escola de Música do Estado de São Paulo

inesss

Inês
Bogéa

“Me instiga a encontrar novas possibilidades de criar espaços para a dança, seja nos palcos, nas palavras ou nas imagens".

Inês é Diretora Executiva e Artística da São Paulo Companhia de Dança

Foto: Reprodução

Renata
Perón

“Gostaria de comemorar o Dia Internacional da Mulher ao lado de outras mulheres. Hoje, não sinto que posso fazer isso”

Renata é recepcionista na SP Escola de Teatro e também é presidente da ONG CAIS - Centro de Apoio de Travestis e Trans

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Valentina
Peleggi

“Na Itália não existe feminino para a palavra maestro. Ainda é percebido como um papel masculino”

Valentina é regente em residência da OSESP

02.03_MCW_GOVSP-CULT_FB_DESAFIO


DESAFIO
LITERÁRIO 2018

Livros de Escritoras

Queremos que você conheça mais livros escritos por mulheres e, para isso, criamos esse #DesafioLiterário!

Cada círculo contém uma categoria na qual o título precisa estar contido. Convide as pessoas que você conhece para participar e veja quantos pontos cada um vai conseguir marcar.

PROGRAMAÇÃO

museu_da_imigracao

Museu da Imigração

Visitas educativas especiais

Sábados e domingos de março às 11h00

Durante todos os finais de semana do mês de março, às 11h, as visitas guiadas pelos educadores do Museu da Imigração abordarão a presença das mulheres na história da migração para o estado de São Paulo.

Para participar dessas atividades é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

Poesia no Concreto

11 de março

O Núcleo Educativo realiza, no dia 11/3, a atividade “Poesia no Concreto”. Nela, o público poderá questionar como as mulheres migrantes são representadas pelas mídias e quais notícias gostariam de ler sobre elas.

Para participar dessas atividades é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

Acessibilidade no local

www.museudaimigracao.org.br

Local

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)

(11) 2692-1866

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
Casa das Rosas_Foto Débora Nazari

Casa das Rosas

Ciranda das Mulheres

Terças de março e abril às 14h00

A Casa das Rosas realiza, até 24/04, a oficina “Ciranda das Mulheres”, sempre às terças-feiras, às 14h.

Sarau das Pretas

17 de março às 19h00

Mulheres negras atuantes no cenário cultural periférico de São Paulo se reúnem no dia 17/3, sábado, às 19h, para o Sarau das Pretas.

Slam das Minas

15 de abril às 14h30

No dia 15/4, domingo, às 14h30, acontece o Slam das Minas (SP). Completando seu terceiro ano na Casa das Rosas, o Slam propõe uma batalha de poesia entre escritoras e slammers, visando garantir uma vaga feminina para a competição em nível nacional, o Slam BR.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.casadasrosas.org.br

Local

Casa das Rosas

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP
Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

pinacotex

Pinacoteca

Exposição "Hilma af Klint"

À partir de 03 de março

A Pinacoteca abre sua primeira exposição do calendário de 2018 com “Hilma af Klint: Mundos Possíveis”, uma mostra individual da pintora sueca Hilma af Klint, que inclui 130 obras, com destaque para a série intitulada “As dez maiores”. Realizada em 1907, é considerada hoje uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental.

#SmashtheGlass

07 de março

A Pinacoteca recebem atividades do evento #SmashtheGlass. Essa ação propõe a dar visibilidade ao assédio sexual sofrido por mulheres a partir da realidade brasileira. A roda de conversa na Pina acontece no dia 7 de março, as inscrições são limitadas e gratuitas e devem ser feitas no link: https://goo.gl/147GjD.

Os ingressos para a Pinacoteca custam R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia).

Materna em Canto

10 de março às 11h00

Sábado, dia 10/3, o museu recebe o "Materna em canto" a partir das 11h na Pina Luz (átrio – 2º andar). Fundado por Isadora Canto, esse é o primeiro e mais antigo grupo vocal composto por mães que cantam juntas transformando histórias da maternidade e celebração das dores e delícias de ser mulher em apresentação musical.

Informações

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

www.pinacoteca.org.br

Local

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000

mis_sp

MIS - Museu da Imagem
e do Som

Mostra Viola Davis

De 06 a 08 de março, às 18h00 e às 20h30

O MIS realiza uma mostra gratuita de filmes da premiada atriz norte-americana Viola Davis. Serão duas sessões por dia, sempre às 18h00 e 20h30.

O evento é gratuito, mas é necessário retirar ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência na recepção.

Brincando com a Tempestade

10 de março às 19h00

No dia 10 de março, a performance "Brincando com a Tempestade", da paulista Andreza Aguida, que será apresentada no Auditório MIS, às 19h00, com entrada gratuita, vai ilustrar como uma tempestade pode ser convidativa para a afirmação do poder feminino.

Informações

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 21h00 | domingos e feriados, das 9h00 às 19h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.mis-sp.org.br

Local

Museu da Imagem e do Som – MIS-SP

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
fachada_pacaembu

Museu do Futebol

Visibilidade para o Futebol Feminino

01 de março a 29 de abril
Terça a sábado, das 10h às 22h
Domingos e feriados, das 10h às 18h

“Composta por 11 painéis e três vídeos com roteiro de Marcelo Duarte e narração de Claudete Troiano, a mostra foi feita especialmente para viajar para outras localidades e colaborar, assim, para tornar mais conhecida a participação feminina no futebol”, afirma Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol.

A conquistas DELAS

07 de março às 19h30

Com o objetivo de inspirar mulheres que atuam ou desejam atuar como atletas, o Museu do Futebol realiza um debate sobre a luta das mulheres nos esportes. Aline Pellegrino, Magic Paula e Fofão participam do debate intitulado "As Conquistas Delas: a história oculta das mulheres no esporte", com mediação das Dibradoras.

O evento acontece no auditório do Museu, dia 7/3, quarta-feira, às 19h30, com entrada gratuita.

Informações

R$ 12,00 | Grátis às terças-feiras

Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 18h00 (Bilheteria até às 17h00)

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

www.museudofutebol.org.br

Local

Museu do Futebol

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu,  São Paulo- SP

(11) 3664-3848

sixty-photos-1187522

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

#SmashTheGlass

08 de março das 10h00 às 12h00

A unidade Cidade Tiradentes recebe parte da programação do #SmashTheGlass, evento realizado pelos Governos de São Paulo e do Canadá que discute o assédio sexual nos espaços públicos. A partir das 10h acontece uma roda de conversa com participação de Evelyne Coulombe, representante do consulado canadense; Lunna Rabetti, da Frente Nacional das Mulheres no Hip Hop; Renata Perón, presidente da Associação Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Sexuais (CAIS). Para moderar o evento, foi convidada Heloísa Alves, da secretaria de Desenvolvimento Social do estado paulista e ex-coordenadora estadual de Políticas para Diversidade Sexual.

Informações

Participação livre e gratuita

Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

www.fabricadecultura.org.br

Local

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 – São Paulo/SP

(11) 2556-3624

Museu Índia Vanuíre - Foto Alisson de Oliveira Formenti (2)

Museu Índia Vanuíre

Atividades especiais no Dia da Mulher

08 de março às 09h00

No Dia da Mulher, o Museu Índia Vanuíre realiza uma palestra destinada aos alunos de Tupã e público espontâneo, para discutir temas relacionados à importância da valorização e do respeito às mulheres. A palestra será conduzida por uma mulher ligada à defesa aos direitos das mulheres.

08 de março às 14h00

O Dia da Mulher mostra à sociedade como o gênero feminino deve ser tratado todos os dias. Neste momento, o Museu índia Vanuíre realiza um sarau com o objetivo de enaltecer e valorizar as mulheres por meio de músicas e poesias.

Informações

Ingresso voluntário

Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

Acessibilidade no local

www.museuindiavanuire.org.br

Local

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 – São Paulo, SP

(11) 2556-3624

Casa de Portinari_ Crédito André Luís Rezende (1)

Museu Casa de Portinari

08 de março das 09h00 às 18h00

Em comemoração a essa data, o Museu Casa de Portinari homenageia as mulheres com a apresentação de vídeo com retratos de mulheres pintadas por Portinari.

Informações

Entrada: ingresso voluntário

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00
Acessibilidade no local

www.museucasadeportinari.org.br

Local

Museu Casa de Portinari – Brodowski

Praça Candido Portinari, 298 – Brodowski/SP

(16) 3664-4284

OCOswalddeAndrade_fotoMarciaAlves640x480

Oficina Cultural
Oswald de Andrade

Teatro - “Quarto 19”

09 de março às 20h00
10 de março às 18h00

“Quarto 19”, peça inspirada no conto homônimo da escritora britânica Doris Lessing, fala sobre a liberdade das mulheres na sociedade patriarcal.

Palestra A Escrita da Dança com Inês Bogéa

17 de março às 10h30

Antes do bate-papo, haverá a exibição do DVD A Escrita da Dança, produzido pela Companhia, que aborda a história da dança cênica ocidental em suas principais vertentes – clássica, moderna e contemporânea, procurando mostrar as diferentes maneiras pelas quais o corpo se organiza no espaço e as inter-relações entre esses estilos cênicos. O material faz parte de uma série produzida pela São Paulo que conta com documentário, textos e sugestões de exercícios que dialogam com os Cadernos de Arte da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e procura estimular o conhecimento do universo da dança de maneira a apreciá-lo, refletindo e percebendo-o de forma criativa. Neste dia, os participantes também poderão assistir trechos dos ensaios na SPCD, além de receberem o DVD Escrita da Dança e certificado de participação, que será enviado por e-mail.

Teatro - "V.U.L.V.A."”

28 de março às 20h00

O espetáculo V.U.L.V.A investiga o lugar simbólico que a Vulva ocupa em nossa sociedade e se perguntar: Qual é o significado da negação de algo concreto e biológico como a Vulva? Que conhecimentos podemos obter dela? Por que os nomes usados para denominá-la geralmente são infantis e quase sempre colocados no diminutivo? Por que sempre esse movimento de diminuição?

Teatro - “6 gritos para o infinito”

28 a 30 de março às 20h00
31 de março às 18h00

“6 gritos para o infinito” é uma coreografia composta por seis histórias, contadas por seis mulheres, e tem como objetivo extrapolar os discursos e experiências de repressão ao experimentar um corpo cheio de potência, de resistência e de criação, expressando a busca da mulher pelo prazer e por seus sonhos.

Teatro - “Latinas”

30 e 31 de março às 17h00

O espetáculo “Latinas” apresenta personagens múltiplas que questionam o modelo do papel social da mulher latino-americana em São Paulo.

Informações

Entrada gratuita – é necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00

www.oficinasculturais.org.br

Local

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo – SP

(11) 3222-2662 | 3221-4704 
3221-5558 | 3222-9574 | 3222-4683

oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

download

Sala São Paulo

OSESP

08 e 10 de março

A Temporada Osesp 2018 – Natureza dos Sons abre oficialmente de 8 a 10/3, com a Osesp regida por sua diretora musical e regente titular Marin Alsop, apresentando a Sinfonia nº 7 de Mahler, a primeira peça que Marin regeu com a Orquestra, ainda como convidada, em 2011.

Informações

Sala São Paulo: 1340 lugares
Sala do Coro: 150 lugares

Recomendação etária: 7 anos

www.osesp.art.br

Local

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) – Sala São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, São Paulo – SP

Bilheteria: (11) 3223-3966
Ingresso Rápido: (11) 4003-1212

ww.ingressorapido.com.br

"Dom Quixote" - Foto: Heloisa Bortz

Theatro São Pedro

Pedro e o Lobo

10 e 11 de março às 11h00

Uma história infantil contada por meio da música. Serão duas apresentações com entrada gratuita: sábado (10) e domingo (11), ambas às 11h00. A regência é da maestrina convidada Katarine Araújo, que comanda um grupo de músicos da Orquestra do Theatro São Pedro. E o ator e palhaço Wellington Nogueira, fundador do Doutores da Alegria, será o narrador dessa história. No dia 10, o evento é realizado em parceria com a Artematriz, e faz parte da Ciclovia Musical SP 2018.

Local

Theatro São Pedro

Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda – São Paulo-SP (prox. ao Metrô e Praça Marechal Deodoro)

(11) 3661-6600 | 3667-0499 (bilheteria)

M_RESISTENCIA

Memorial da Resistência

Sábado Resistente

10 de março às 14h00

O Memorial da Resistência realiza um encontro entre militantes feministas de diferentes gerações para debater as mudanças nas lutas das mulheres ao longo dos anos, tanto nas demandas quanto nas formas de ação, além das melhores estratégias para a conquista de direitos das mulheres.

Na ocasião, será exibido o documentário de curta-metragem “Nossa voz resiste!”, que traz a história de três mulheres brasileiras: uma comunicadora que denuncia a violência policial em sua comunidade, uma jornalista independente e uma militante que luta pela liberdade de expressão.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de quarta a segunda (fechados às terças-feiras), das 10h00 às 17h30, com permanência até as 18h00.

www.memorialdaresistenciasp.org.br

Local

Memorial da Resistência

Largo General Osório, 66 – Santa Ifigênia, São Paulo – SP

(11) 3335-4990

biblioteca-sp2

Biblioteca de São Paulo

Bate-papo Literário

10 de março das 14h00 às 17h00

Baseada na antologia intitulada Fantásticas, os autores Walter Tierno, Giulia Moon, Bruno Melo, Dany Fernandez, Josy Santos entre outros, .conversam sobre o protagonismo feminino na literatura e no cinema.

Clube da Leitura

29 de março às 15h00

O Clube da Leitura deste mês debate o livro "Os Contos da Aia", de Margaret Atwood, um romance distópico situado num futuro próximo, no qual uma sociedade fundamentalista cristã subjuga e explora mulheres, tirando delas seu individualismo e independência.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Acessibilidade no local

www.bsp.org.br

Local

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, São Paulo – SP
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Telefone: (11) 2089-0800 | (11) 3335-4990

Casa Guilherme de Almeida

Casa Guilherme de Almeida

A mulher no cinema

10 de março às 15h00
17 e 18 de março das 14h00 às 18h00

A Casa Guilherme de Almeida realiza em março duas atividades que falam sobre o papel da mulher no cinema: no dia 10/3, às 15h, acontece a palestra “Mulheres na Tela”; já nos dias 17 e 18/3, das 14h às 18h, a Casa realiza o curso “Olhar e resistência: A presença da mulher no cinema brasileiro”.

As atividade são gratuitas, mas é necessário inscrição nesse link.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h.

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Local

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

(11) 3673-1883 / 3672-1391

Imagem Externa - Museu Afro Brasil_– Fotos Nelson Kon

Museu Afro Brasil

10,17 e 31 de março às 14h00

O Museu Afro Brasil realiza uma mediação com foco na presença das mulheres negras em seu acervo.

Neste percurso, os visitantes serão direcionados a perceber a importância e a contribuição histórica e estética de mulheres artistas, escritoras, líderes religiosas, entre outras personagens fundamentais da história brasileira.

Informações

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)
Acessibilidade no local

www.museuafrobrasil.org.br

Local

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
MCB_Jardim_Chema_Llanos_22

Museu da Casa Brasileira

Música no MCB

13 e 18 de março às 11h00

O Museu da Casa Brasileira recebe a Orquestra Pinheiros com o show “Sophisticated Ladies”. A apresentação será no dia 11/3, às 11h00, com entrada gratuita. No dia 18/3, é a vez a Jazzmin’s Big Band, formada por 17 mulheres de diversas gerações com repertório voltado à música popular sem fronteiras.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos sábados, domingos e feriados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.mcb.org.br

Local

Museu da Casa Brasileira

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano – São Paulo-SP
CPTM Cidade Jardim (850m)

(11) 3032-3727

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
Museu Felícia Leirner - Paulo Vilela (1)

Museu Felícia Leirner

“A história da mulher contada através da moda e das décadas”

17 e 24 de março às 10h30
18 e 25 de março às 15h30

O Museu Felícia Leirner apresenta a história da mulher, a evolução da moda, da cultura e das conquistas femininas ao longo das décadas. Imagens, curiosidades, diálogos e sensibilizações serão utilizados para que todos possam mergulhar nesse universo e conhecer um pouco mais sobre a nossa própria história!

Informações

R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia estudante e idoso) – gratuita aos domingos

Cidadãos jordanenses não pagam mediante apresentação de comprovante de residência

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

www.museufelicialeirner.org.br

Local

Museu Felícia Leirner

Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP

(12) 3662-6000

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)
Museu_Catavento_03_15

Museu Catavento

Exposição "Marie Curie"

18 de março

O Museu Catavento recebe a exposição “Marie Curie 1867-1934”, que traz os feitos da cientista que foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel e única a ser condecorada duas vezes - Nobel de Física, em 1903 e de Química, em 1911.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos Sábados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.cataventocultural.org.br

Local

Catavento Cultural e Educacional

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051

premio-sao-paulo-de-literat

Biblioteca Parque Villa-Lobos

“Encontro Literário”

10 de março, das 14h00 às 17h00

Dia 10 de março, sábado, das 14h00 às 17h00, a BSP realiza o “Encontro Literário” que irá debater o protagonismo feminino na literatura e no cinema.

Para participar é necessário retirar senhas com 30 minutos de antecedência.

Clube da Leitura

23 de março às 15h00

O Clube da Leitura deste mês debate o livro "Mrs. Dalloway", um dos romances mais famosos de Virginia Woolf, que fala sobre os conflitos internos de Clarissa Dalloway, uma socialite ficcional que vive na Inglaterra pós-Primeira Guerra Mundial.

Sarau na BVL

24 de março das 12h00 às 17h00

A BVL recebe o Sarau do MISC – Manancial de Interligação de Projetos Sociais e Culturais. Desde setembro de 2012, quando nasceu o projeto, já se apresentaram mais de mil grupos e artistas periféricos em vários pontos e comunidade de São Paulo. Esta edição presta homenagem ao Dia Internacional da Mulher e terá a participação do músico Thera Blue, da Cia. Ballet Dança & Ritmo, entre outros convidados.

Slam das Minas

31 de março das 14h30 às 16h00

"Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e ao Dia da Poesia, a BVL recebe o Slam das Minas – SP, uma batalha de poetas destinada ao gênero feminino. O evento inicia com o microfone aberto e em seguida as poetas se enfrentam em três rodadas eliminatórias. Regras: somente textos autorais de até três minutos, sem objeto cênico, figurino e acompanhamento musical. O júri é escolhido na hora."

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Acessibilidade no local

www.bvl.org.br

Local

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros, São Paulo – SP

(11) 3024-2500

Casa das Rosas realiza programação sobre ficção científica e cultura pop

Curso e mesa de conversa compõem a programação (mais…)

Casa das Rosas apresenta ao público produções dos poetas participantes da 3ª Cooperativa da Invenção

Dia 16 de dezembro, sábado, às 15h00, os amantes de literatura contemporânea e interessados em conhecer a produção de novos poetas já têm programa garantido na Casa das Rosas (mais…)

Bienal Afro-Brasileira do Livro

Seminário Preparatório na Unesp tem inscrições abertas (mais…)

Espetáculo narra a história da escritora Conceição Evaristo na Oficina Cultural Alfredo Volpi

O trabalho tem trilha sonora ao vivo, unindo literatura e música (mais…)

SOS Literatura

Casa das Rosas realiza encontro para ajudar escritores independentes

(mais…)

Prêmio São Paulo de Literatura anuncia vencedores nessa segunda-feira

Cerimônia acontece na Biblioteca Parque Villa-Lobos

(mais…)

Casa Guilherme de Almeida realiza oficina de crônicas gratuita

Na atividade, participantes exploram gênero literário que Guilherme de Almeida utilizava para expressar seu afeto pela cidade de São Paulo

(mais…)

Pedra fingida: “Protagonista invisível do Centro de São Paulo” será lançado no MCB

Livro sobre revestimento que imitava pedra aborda aspectos históricos e técnicos; lançamento será no dia 04 de novembro, às 14h00, com entrada grátis

A arquiteta Fernanda Craveiro Cunha defendeu em outubro de 2016, no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), uma dissertação de mestrado que se tornou livro e será lançado no dia 4 de novembro, sábado, das 14h00 às 18h00, no Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, com entrada franca.

O livro ‘Pedra fingida: Protagonista invisível do Centro de São Paulo’ começou a ser produzido em 2012, quando a autora trabalhou na atualização do Inventário de Bens Protegidos do Centro de São Paulo. Durante o desenvolvimento da atividade, Fernanda ficou impressionada com a quantidade de ícones arquitetônicos que ostentavam nas fachadas, especialmente um revestimento que imitava pedra, popularmente conhecido entre os arquitetos por ‘massa raspada’.

“A pesquisa, que deveria ser estritamente técnica, acabou se desdobrando em uma peça importante desse imenso quebra cabeças do processo de transformação a que o centro de São Paulo passou na primeira metade do século XX, imprimindo ao texto, primeiro da minha dissertação, um caráter fortemente histórico”, comenta a arquiteta.

A publicação de ‘Pedra fingida’ marca também o lançamento da Coleção Memórias Urbanas, uma parceria entre a imobiliária Refúgios Urbanos e a editora independente GAPS, que trará uma série de livros sobre a história da capital paulista, por meio de bastidores e peculiaridades normalmente esquecidos.

(mais…)

7ª edição Festival Literário de Votuporanga

Evento será de 21 a 29 de outubro e já é reconhecido no Estado de São Paulo pela qualidade da programação com grandes nomes da literatura

Com 93 mil habitantes, Votuporanga é palco de um dos maiores eventos literários do Brasil. De 21 e 29 de outubro, a cidade sedia a sétima edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga com programação inteiramente gratuita de shows, bate-papos com escritores, contação de histórias, espetáculos teatrais, palestras, exposição e venda de livros, entre outras atividades. A realização do evento é da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio da organização social de cultura APAA, em parceria com a Prefeitura de Votuporanga.

O evento tem alcance regional e grande foco no incentivo à leitura junto ao público infanto-juvenil, entre 6 e 14 anos. Na edição de 2016, cerca de 80 mil pessoas passaram pelos ambientes do FLIV. Ao longo de nove dias de realização, foram oferecidas cerca de 160 atrações em 125 horas gratuitas de promoção à cultura.

Em seis edições, o festival registrou cerca de 300 mil visitantes de 40 municípios do interior paulista. Já passaram pelo FLIV renomados escritores, como Alice Ruiz, Ricardo Aleixo, Ignácio de Loyola Brandão (Patrono em 2012), Maurício Kubrusly, Marcia Tiburi, Ferréz, Mário Prata, Paulo Lins (Patrono em 2014) e Lourenço Mutarelli. (mais…)

10º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

O Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias – Seminário Biblioteca Viva – chega a sua 10ª edição com programação especial. Entre os palestrantes, estão o escritor André Vianco, que participa de bate-papo no dia 23, segunda-feira, e a cartunista Laerte Coutinho, que estará no Seminário no dia 25, quarta-feira. Realizado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas (SisEB), o Seminário é organizado pela SP Leituras, com apoio institucional do Goethe-Institut. (mais…)

Casa das Rosas homenageia publicação que foi símbolo de resistência e de difusão da literatura

Atividade é gratuita e terá a participação de Roniwalter Jatobá, Luiz Ruffato e Júlio Mendonça

O ano de 1975 foi marcado pela ditadura e repressão que resultou na morte do jornalista Vladimir Herzog. Enquanto o governo do general Geisel reprimia os anseios de retorno à democracia, surgia um dos mais importantes veículos literários do país. A Revista Escrita alcançou sucesso imediato na promoção de concursos no campo da literatura, colaborando para a revelação de talentos e a formação de novos escritores por todo o país.

Para falar sobre a importância desta publicação e os aspectos que a tornaram única, no dia 28/10 às 19h00, a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos, integrante da Rede de Museus-Casa Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, promove um encontro com os escritores Roniwalter Jatobá, Luiz Ruffato e Júlio Mendonça. (mais…)

Biblioteca Parque Villa-Lobos realiza curso pré-vestibular de Literatura

Encontros vão discutir Iracema, O Cortiço, Memórias Póstumas de Brás Cubas e outras obras literárias exigidas nos vestibulares de universidades públicas e privadas

A Biblioteca Parque Villa-Lobos, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizará, nas quartas e sexta-feiras até 11 de novembro, das 14h30 às 16h30, o Curso Pré-Vestibular de Literatura, atividade que vai apresentar e discutir obras literárias exigidas nos vestibulares do Estado de São Paulo com estudantes. (mais…)