@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

emesp

Dia da Voz: conheça iniciativas da #CulturaSP relacionadas ao canto!

A voz é um importante recurso de comunicação. Mas além dessa finalidade, o som produzido pelas cordas vocais também é amplamente utilizado por artistas tanto no canto quanto no teatro. 

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo possui programas, projetos e atividades gratuitos cujo objetivo é fazer a preparação vocal para desenvolver essa habilidade nas pessoas. 

"O acompanhamento vocal com bons profissionais é muito importante para qualquer pessoa que faça um uso mais constante da sua voz. As cordas vocais são delicadas e o abuso vocal pode causar danos mais difíceis de tratar. Por isso a importância de alguns pontos básicos e simples, mas que nos trazem grandes benefícios."
MESSAGE-ICON
Marilia Vargas
Professora de canto barroco na EMESP

Marilia Vargas é professora na Escola de Música do Estado de São Paulo nas modalidades lírico e barroco – este último, um dos únicos no Brasil. “Nosso trabalho foca no repertório do século XVII e primeira metade do século XVIII, período da história da música em que nasceu a ópera e os primeiros estudos de técnica vocal. Além do estudo técnico, trabalhamos muito na estética e conhecimento teórico, imprescindíveis para a boa interpretação desta música, que cada vez mais ganha espaço nos maiores teatros do mundo”, comenta. São alunos dela os componentes do Coral Jovem do Estado que, além dos ensaios, têm aulas de técnica vocal individualmente e em grupo. Acompanhar os colegas é importante para perceber as diferenças que a técnica vai trazendo, comentando, discutindo e entendendo.

Na OSESP, a avaliação vocal é feita no momento das audições. “Na seleção dos cantores para o Coro busca-se beleza de timbre, capacidade de cantar em toda a extensão do naipe e a capacidade de execução das dinâmicas exigidas na música. Tratando-se de um coro de alta performance o conhecimento musical deve ser checado com muito rigor”, explica Marcos Thadeu, Maestro dos Coros Juvenil e Acadêmico da Orquestra.

Além de um bom acompanhamento técnico, a correta preparação para cantar é essencial. “Me preparo da mesma forma que um atleta. Comer corretamente, muito exercício físico, trabalhos corporais com intuito de ampliar a auto consciência, muitas horas de técnica e estudo profundo das peças a serem cantadas. Isso feito, o palco deve ser a extensão desse trabalho diário e não um momento especial e exclusivo para a performance”, afirma Natalia Aurea, soprano do Coro da OSESP.

Desde 2015, o Projeto Guri também comemora o Dia Mundial da Voz para a promoção dos cuidados com as cordas vocais no dia a dia. Para isso, os polos organizam atividades com profissionais da voz (fonoaudiólogo, radialista, cantor ou educador), que falam sobre o tema. “Em minhas visitas de monitoramento, observava os alunos nos intervalos entre as aulas cantando muito forte, cantando com postura corporal inadequada, fazendo competição sonora e infelizmente não dando importância ao que lhes era dito pelos educadores”, explica Etiene Consolaro, Supervisora Educacional, sobre o período anterior ao Dia Mundial da Voz. “Foi uma maneira que encontramos de estimular, valorizar, divulgar e manter alunos do curso de Canto Coral da Regional Araçatuba. Hoje, vejo melhoras significativas”, complementa.

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais de Arte (1998, p.79), “a maioria dos jovens brasileiros não toca um instrumento musical, mas gostaria de fazê-lo, diz que não tem voz, mas gostaria muito de saber cantar direito”. Pensando nisso, o Conservatório de Tatuí realizará o curso “Introdução ao canto coral nas Escolas”. As inscrições ficam abertas entre os dias 16 e 20/4 (mais informações aqui). O objetivo é orientar e preparar professores, pais e voluntários que desejam montar um coral infantil em unidades de ensino. Serão abordados temas como: o que é um coro; qual a formação adequada; que repertório utilizar com os alunos; como organizar e conduzir os ensaios; como preparar e coordenar uma apresentação.

Quem canta, seus males espanta! Para além do estudo e da profissão, o canto representa um estilo de vida para muitas pessoas. “O canto é algo que me leva além, me completa e me aproxima da felicidade”, afirma Rafael Oliveira, tenor do Coro Acadêmico da OSESP.

"O canto é a possibilidade constante de desenvolver a alma, o ser, o espírito, a mente. É o instrumento cujo invólucro sagrado é o corpo, e o som é sempre mediado pelo coração."
MESSAGE-ICON
Natalia Aurea
Soprano do Coro da OSESP

DICAS

É necessário reaprender a respirar bem, de forma mais baixa, expandindo o abdômen, para total aproveitamento do ar. "Digo reaprender, pois quando somos crianças pequenas, respiramos exatamente assim e vamos perdendo isso com o surgimento do stress e pouca consciência corporal", explica Marilia Vargas.

É preciso entender os sinais de stress vocal dados pelo corpo. "Pode ser uma tosse ou mesmo um grito, para perceber o “apoio” que involuntariamente já sabemos fazer. E a partir daí, precisamos treinar esta consciência e capacitar-nos para o bom uso do corpo durante o exercício da voz", comenta.

É essencial descobrir as boas ressonâncias e harmônicos da nossa voz, para exaltar suas qualidades e volume. "Tudo isso, um bom profissional da voz poderá ajudar a encontrar. Seja para quem usa a voz cantando a música popular ou a erudita, ou para quem usa a voz falada. Temos também que nos lembrar que o corpo todo é nosso instrumento, e por isso cuidados de bem estar e consciência corporal, também nos ajudam diretamente no trato vocal", finaliza a professora da EMESP.

Saiba mais

EMESP – Escola de Música de São Paulo

Largo General Osório, 147, Santa Ifigênia, São Paulo – SP | Tel: +55 11 3585-9888

www.emesp.org.br

 

Fundação OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, Santa Ifigênia, São Paulo – SP | Tel: +55 11 3367 9500

www.osesp.art.br

 

Conservatório de Tatuí

Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí – SP | Tel: +55 15 3205 8444

www.conservatoriodetatui.org.br

 

Projeto Guri

Polos da capital e região metropolitana – clique aqui

Polos do interior e litoral – clique aqui

 

 

Secretaria da Cultura esclarece que não haverá cortes na EMESP

A Secretaria da Cultura de Estado esclarece que são infundados os boatos de corte na escola. Sem autoria – anônimos – os boatos têm causado apreensão em alunos e pais da EMESP.

São boatos sem qualquer embasamento, e com o único propósito de causar desgaste desnecessário. Não há razão para preocupação, tampouco nenhum tipo de apreensão. A EMESP seguirá normalmente com suas atividades, alunos e professores.