@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

São Paulo Companhia de Dança se apresenta na Fundação Casa como parte do programa Meu Amigo Bailarino 2018

Publicado em 11 de dezembro de 2018

Trechos das obras Mamihlapinatapai, de Jomar Mesquita, e Pivô, de Fabiano Lima serão apresentadas para cerca de 50 internos da unidade em Franco da Rocha

O Projeto Guri e a São Paulo Companhia de Dança (com direção de Inês Bogéa), ambos da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizam em parceria, atividade em uma das unidades da Fundação Casa em São Paulo, localizada em Franco da Rocha no dia 06 de dezembro, das 13h30 as 15h. A ação faz parte do Projeto Meu Amigo Bailarino.

Preocupada em transformar a realidade e ampliar o acesso à arte por meio da dança e da cultura da inclusão em instituições como casas de repouso, instituições de assistência a deficientes, hospitais, abrigos, entre outras instituições beneficentes, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), criou este projeto, que teve início no mês de janeiro de 2017 com o patrocínio da Balletto.

A ação, que leva trechos de coreografias da Companhia a instituições assistenciais, teve seu início em 26 de janeiro de 2017, na Casa da Criança Betinho, na zona leste da capital paulista. Desde então, foram realizadas mais 26 visitas.

FICHAS TÉCNICAS

MAMIHLAPINATAPAI (2012)

Coreografia: Jomar Mesquita com colaboração de Rodrigo de Castro Músicas: Marina de La Riva, composição de Silvio Rodrígues (Te Amaré Y Después); Rodrigo Leão (No Se Nada); e Cris Scabello (Tema final); Cartola e Grupo Planetangos (As Rosas não Falam). Figurinos: Cláudia Schapira Iluminação: Joyce Drummond

Duração do trecho apresentado: 5 minutos

Mamihlapinatapai trata do olhar compartilhado por duas pessoas, cada uma desejando que a outra tome uma iniciativa para que algo aconteça, porém, nenhuma delas age. Este é significado de Mamihlapinatapai, palavra indígena originária da língua yaghan, de uma tribo da Terra do Fogo. O coreógrafo Jomar Mesquita utiliza elementos desconstruídos da dança de salão para criar a peça.

PIVÔ (2016)

Coreografia: Fabiano Lima Música: Quem sabe? (1859) cantada por Adriana de Almeida e executada ao piano por Olinda Allessandrini e Bailado dos Índios da ópera O Guarani (1870), de Carlos Gomes (1836-1896), executada pela Orquestra do Teatro Municipal de São Paulo, sob regência de Armando Bellardi. Figurino: Cássio Brasil Iluminação: Guilherme Paterno Duração do trecho apresentado: 10 minutos

A obra se vale de referências do basquete, do hip-hop e da dança contemporânea. Com músicas de Carlos Gomes, a coreografia traz para a cena o ambiente brasileiro com sonoridades conhecidas. “É uma coreografia de troca e percepção para entendermos como essa dança passa de um corpo para o outro. Gosto de trabalhar com elementos cênicos, dá identidade aos meus trabalhos”, diz Fabiano. A obra foi premiada com o terceiro lugar na escolha do júri como Melhor Espetáculo de Dança de 2016 em enquete promovida pelo Guia da Folha.

SOBRE A SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA

Direção artística | Inês Bogéa

Criada em janeiro de 2008, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) – gerida pela Associação Pró-Dança – é dirigida por Inês Bogéa. A SPCD é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos 19, 20 e 21 de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada, acumulando 17 prêmios no Brasil e no exterior. Desde sua criação já foi assistida por um público superior a 620 mil pessoas, passando por 67 cidades do Estado de São Paulo, 17 cidades do Brasil e 51 cidades do exterior em 16 países em mais de 800 apresentações.

Os Programas Educativos e de Formação de Plateia para a Dança, outra vertente de ação da SPCD, vem no movimento da Companhia a cada cidade por onde ela passa e encontra pessoas que apreciam e praticam a arte da dança. Nas Palestras de Dança temos a oportunidade de diálogo sobre os bastidores dessa arte, nas Oficinas de Dança, um encontro para vivenciar o cotidiano dos bailarinos da SPCD, nos Espetáculos Gratuitos Para Estudantes e Terceira Idade a proposta é de ver, ouvir e perceber o mundo da dança, e por meio do Dança em Rede, uma enciclopédia de dança online e colaborativa disponível no site da Companhia, mapeamos a dança de cada cidade por onde a SPCD passa. A Companhia também promove espaços onde interessados na arte da dança possam compartilhar experiências. Assim criou o Seminário Internacional de Dança, que visa abordar a prática da dança em diferentes perspectivas e o Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança, evento que proporciona um ambiente de arte, permitindo um estudo teórico-prático de técnicas de dança. Além destes, os programas educativos também compreendem: Projeto Meu Amigo Bailarino; Aulas Abertas; Intercâmbio com Projetos Sociais e Performances em museus e espaços públicos.

A dança tem muitas histórias, e para revelar um pouco delas a Companhia criou a série de documentários Figuras da Dança, que traz a história desta arte contada por quem a viveu. Os episódios podem vistos nos canais Arte 1, Canal Curta!, TV Cultura e Univesp TV, e no canal da SPCD no Youtube. Até 2017 foram produzidos 34 documentários. A SPCD também publicou seis livros de ensaios, além de documentários para professores e outros que registram os bastidores da sua ação. A área de memória também conta com a realização de exposições e produção de teasers e documentários sobre a trajetória da SPCD.

Inês Bogéa é Diretora da São Paulo Companhia de Dança. Doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora dos  vários livros infantis. Organizadora dos livros Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo; Passado-Futuro – Textos e fotos sobre a São Paulo Companhia de dança, entre outros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança, entre eles Renée Gumiel, A Vida na Pele (2005), Maria Duschenes – o espaço do movimento (2006), e da série Figuras da Dança da SPCD.

Para entrevistas ou mais informações:

São Paulo Companhia de Dança

Morgana Lima – Coordenadora de Educativo e Comunicação | (11) 3224-1389  |morgana.lima@spcd.com.br

Alana Gardin – Assistente de Comunicação | (11) 3224-1380 R. 345 | alana.gardin@spcd.com.br

Letícia Siqueira – Auxiliar de Comunicação | (11) 3224-1380 R. 364 | leticia.siqueira@spcd.com.br

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Bete Alina | (11) 3339-8164 | betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 | monique.culturasp@gmail.com

Compartilhe!