@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

São Paulo Companhia de Dança retorna a Santos com apresentação inédita

Publicado em 8 de dezembro de 2017

Melhor Único Dia, criação de Henrique Rodovalho para a SPCD, faz sua estreia no Sesc Santos em janeiro

A São Paulo Companhia de Dança (SPCD), companhia da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, volta a Santos, no litoral paulista, para duas apresentações nos dias 20 e 21 de janeiro, às 20h00 e às 17h30 respectivamente, no Sesc Santos (rua Conselheiro Ribas, 136 – Aparecida). O espetáculo é composto pela  estreia de “Melhor Único Dia (2018), de Henrique Rodovalho, e “O Lago dos Cisnes – II Ato” (2017), de Mário Galizzi. Os ingressos custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia-entrada) e R$ 6 (credencial plena).

Segunda obra de Rodovalho a integrar o repertório da Companhia, “Melhor Único Dia” experimenta movimentos expandidos e continuados a partir da relação dos bailarinos, que permanecem o tempo todo em cena. “As referências sobre esta característica vieram de grandes grupos de animais em movimento e como eles se desenvolvem e se relacionam”, explica o coreógrafo. Em 2011, Rodovalho criou “Inquieto” para a SPCD.

“O Lago dos Cisnes – II Ato” (2017), de Mario Galizzi, completa o programa da noite. O segundo ato do icônico balé mostra o encontro do príncipe Siegfried e da princesa Odete, na floresta. Da meia noite ao amanhecer, ela é a princesa da noite, uma criatura mágica e delicada, que o príncipe deseja amar e proteger. Durante o dia, a rainha dos cisnes: frágil, amedrontada e, ao mesmo tempo, corajosa e protetora do seu grupo. Essa obra marca a história da arte e encanta todas as gerações pelo seu tema e pela ligação entre a dança e a música.

SAIBA MAIS SOBRE AS OBRAS ABAIXO:

ESTREIA Melhor Único Dia (2018)
Coreografia e iluminação: Henrique Rodovalho
Música: Criação original de Pupilo com voz de Céu
Figurino: Cássio Brasil

Rodovalho comenta que neste trabalho experimenta movimentos expandidos e continuados a partir da relação dos bailarinos que permanecem todo o tempo em cena. “As referências sobre esta característica vieram de grandes grupos de animais em movimento e como se desenvolvem e se relacionam”, diz o coreógrafo. A obra trata sobre ‘o que tem de acontecer’, neste breve espaço de tempo de existência deste grande grupo, relacionado principalmente a algum tipo de prazer. Por isso, o nome Melhor Único Dia. “Para tentar traduzir, de alguma forma, a curta existência que se expressa através do movimento em grupo”, completa Rodovalho.

Henrique Rodovalho é diretor artístico e coreógrafo residente da Quasar Cia. de Dança, uma das mais importantes do Brasil. Sua linha de pesquisa é baseada na complexidade existencial do corpo e da alma. Ganhou diversos prêmios nacionais e internacionais como o Prêmio Mambambe e XXI Prêmio de Composição Coreográfica no México.

O Lago dos CisnesII Ato de (2017)
Coreografia: Mario Galizzi, a partir do original de 1895 de Lev Ivanov (1834-1901)
Figurino: Tânia Agra
Perucas: Emi Perucas
Adereços: Robson Rui
Iluminação: Wagner Freire
Estreia pela SPCD: 9 de novembro de 2017, Sala São Paulo, São Paulo, Brasil


O segundo ato do icônico balé mostra o encontro do príncipe Siegfried e da princesa Odete, na floresta. Da meia noite ao amanhecer, ela é a princesa da noite, uma criatura mágica e delicada, que o príncipe deseja amar e proteger. Durante o dia, a rainha dos cisnes: frágil, amedrontada e, ao mesmo tempo, corajosa e protetora do seu grupo. Essa obra marca a história da arte e encanta todas as gerações pelo seu tema e pela ligação entre a dança e a música. O feiticeiro Rothbart é um nobre e um pássaro. O príncipe que sai para caçar com seus amigos tem a elegância da nobreza. A obra obteve grande sucesso, com ingressos esgotados em apenas um final de semana, durante sua apresentação na Sala São Paulo. Evidenciados pela luz de Wagner Freire, que traz para a cena a atmosfera da noite do encontro entre Odete e Siegfried, os figurinos elaborados por Tânia Agra mostram a magia desta obra, que tem na roupa feminina os icônicos tutus, que marcam a história da dança como o figurino essencial da bailarina.

Mario Galizzi é um dos mais importantes remontadores de obras clássicas da atualidade. Criou para a SPCD as coreografias La Sylphide (2014), Grand Pas de Deux de O Cisne Negro (2014) e Le Spectre de La Rose (2014). É diretor artístico da Compañia Nacional de Danza, do México. Foi diretor do Ballet del Teatro Argentino de La Plata.

SERVIÇO

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA | SESC SANTOS

ESTREIA MELHOR ÚNICO DIA, de Henrique Rodovalho, e O LAGO DOS CISNES – II ATO, de MARIO GALIZZI

Dia 20 de janeiro | sábado, às 20h00

Dia 21 de janeiro | domingo, 17h30

Local: Sesc Santos

Endereço: rua Conselheiro Ribas, 136 – Aparecida

Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia-entrada) e R$ 6 (credencial plena)

Duração do espetáculo: 50 min

Indicação Classificativa: Livre

Compartilhe!