@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

DANÇA

São Paulo Companhia de Dança apresenta “A quadratura do círculo” no Espaço Cultural Porto Seguro

Publicado em 23 de janeiro de 2019

No dia 25 de janeiro, a São Paulo Companhia de Dança, instituição do Governo do Estado de São Paulo e corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, dá início a “A quadratura do círculo”, uma série de apresentações performáticas, no Espaço Cultural Porto Seguro. A ação ocorre em meio à exposição “Meteorológica,” da dupla Detanico Lain, com curadoria de Rodrigo Villela, inaugurada no último dia 19.

A parceria entre as duas instituições se firma em torno de “Quadrado branco”, instalação em vídeo desenvolvida pela dupla e inspirada em três poesias de Kitasono Katuê, importante poeta das vanguardas japonesas do século XX. Adaptada para o espaço, onde ganha um ambiente imersivo, a obra é apresentada como um poema em movimento.

Com concepção coreográfica de Ricardo Gali e direção artística de Inês Bogéa, o ciclo performático que se soma à obra relaciona a poesia de Kitasono, marcada pela extrema síntese e por referências a diferentes tradições artísticas – tanto do Ocidente quanto do Oriente – e às potencialidades do corpo em movimento. O poeta japonês foi influenciado, entre outros, por vanguardas artísticas como o Dadaísmo e o Surrealismo, além de dialogar, na estrutura de seus poemas, com o que se tornaria o Construtivismo. Não por acaso, a dupla Detanico Lain teve contato pela primeira vez com a obra de Kitasono por meio de uma publicação dos irmãos Haroldo e Augusto de Campos, dois dos principais representantes do movimento concretista no Brasil.

O ciclo de apresentações começará no feriado do dia 25 e, posteriormente, sempre às quartas e sábados, seguirá até o dia 27 de fevereiro. Concebida como um trabalho mutável, bailarinos e coreógrafo continuarão trabalhando e propondo novas abordagens a cada apresentação. Gratuitas, as entradas serão disponibilizadas no site do Espaço Cultural Porto Seguro, sempre com dois dias de antecedência à sua realização.

Ao longo do processo, as performances e ensaios serão filmados e darão origem a um documentário que, por sua vez, integrará também a mostra.

Sobre a exposição

Tomar o mundo a partir dos próprios códigos de percepção e compreensão. Apropriar-se dos códigos e linguagens que nos cercam e deslocá-los, até mesmo subvertê-los, atribuindo a eles novas camadas de significados. Essas são algumas das características do trabalho da dupla Angela Detanico e Rafael Lain, artistas que adotam a linguagem como tema e objeto de sua obra.

Com curadoria de Rodrigo Villela, “Meteorológica” apresenta ao público paulistano um conjunto de 14 trabalhos, a maioria instalações inéditas, criadas a partir das mais variadas linguagens artísticas. Vídeos, textos, animações, objetos, esculturas e instalações se combinam, levando o visitante a refletir não apenas sobre temas diversos, mas sobre o processo de reflexão e constituição do conhecimento.

Primeira individual do casal em uma instituição em São Paulo, a exposição segue cartaz no Espaço Cultural Porto Seguro até 7 de abril.

Direção artística: Inês Bogéa – São Paulo Companhia de Dança
Concepção coreográfica: Ricardo Gali
Intérpretes criadores: Paula Alves e Matheus Queiroz
Curadoria: Rodrigo Villela
Em colaboração com Angela Detanico e Rafael Lain

Figurinos: UMA – Raquel Davidowicz

Serviço

Meteorológica, mostra de Angela Detonico e Rafael Lain
Local: Espaço Cultural Porto Seguro
Endereço:
Alameda Barão de Piracicaba, 610 – Campos Elíseos – São Paulo
Período expositivo: de 19 de janeiro até 7 de abril

Visitação: de terça a sábado, das 10h às 19h; domingos e feriados, das 10h às 17h
Entrada gratuita

Performances de dança

Início das apresentações: no feriado, 25 de janeiro: às 16h e 16h45
Sessões regulares*: quartas, às 19h e 19h45; sábados, às 16h e 16h45
Lotação: 30 lugares por sessão
Ingressos: gratuitos, pelo link: http://www.espacoculturalportoseguro.com.br/programacao/em-cartaz/2019/a-quadratura-do-circulo.html (disponibilizados com 2 dias de antecedência)

*Não haverá sessão no sábado, 26 de janeiro

A São Paulo Companhia de Dança (SPCD) foi criada em janeiro de 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo. É um corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, gerido pela Associação Pró-Dança e dirigido por Inês Bogéa. A São Paulo é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos 19, 20 e 21 de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas, especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada. Desde sua criação, já foi assistida por um público superior a 660 mil pessoas em 17 diferentes países, passando por mais 136 cidades, em mais de 860 apresentações. Desde sua criação, a Companhia já acumulou 21 prêmios, nacionais e internacionais. Além da Difusão e Circulação de Espetáculos, a SPCD tem mais duas vertentes de ação: os Programas Educativos e de Formação de Plateia e Registro e Memória da Dança.

Inês Bogéa (Direção artística – SPCD) é doutora em Artes pela Unicamp. É bailarina, documentarista e escritora. Professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Entre 2001 e 2007, foi crítica de dança da Folha de S.Paulo. É autora de diversos livros infantis e organizadora de vários livros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura, da Secretaria da Cultura do Estado (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança.

Ricardo Gali é diretor da companhia de dança e artes performativas Perversos Polimorfos. Formado pela EAD – Escola de Arte Dramática-ECA-USP, estudou inicialmente no Centro de Pesquisa Teatral, coordenado por Antunes Filho para aos poucos se voltar para a dança. Cursou audiovisual na FMU/SP e estudou fotografia com Carlos Moreira e Regina Martins – linguagens sempre em diálogo com suas criações. Sob sua direção, a Perversos Polimorfos, em 10 anos, conquistou importante espaço na cena contemporânea de pesquisa em dança e artes performativas, com mais de dez trabalhos, incluindo apresentações e parcerias internacionais, principalmente com a Alemanha.

Angela Detanico e Rafael Lain trabalham juntos desde 1996. Semiologista e designer gráfico, nascidos respectivamente em 1974 e 1973, em Caxias do Sul (RS), moram e atuam em Paris. Seus trabalhos, em grande parte conceituais, mesclam gráficos, textos, sons e vídeos, quase sempre imbuídos de referências científicas, matemáticas e literárias. Em 2002, a dupla participou de uma residência artística na capital francesa, no Palais de Tokyo e, em 2004, venceu o Nam June Paik, um dos mais prestigiados prêmios internacionais. No mesmo ano, Angela e Rafael participaram da Bienal de São Paulo, feito que se repetiu nas duas edições seguintes, em 2006 e 2008. Nesse meio tempo, em 2007, representaram o Brasil na 52ª Bienal de Arte de Veneza.

No Brasil, o casal já participou de uma série de exposições coletivas, a exemplo de Ready Made in Brasil (2017), no Centro Cultural Fiesp, em São Paulo; e Manifesto Gráfico (2017), no próprio Espaço Cultural Porto Seguro. Entre as individuais, uma série delas na Galeria Vermelho, que os representa; e Alfabeto Infinito (2013), realizada na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre.

Acessibilidade
O edifício é acessível para pessoas com mobilidade reduzida. A exposição oferece atendimento especial na visitação com mediadores bilíngues em inglês, espanhol e libras mediante agendamento prévio.

Estacionamento

Alameda Barão de Piracicaba, 634 (sede Porto Seguro). De segunda a sexta-feira, gratuito pelo período de até 1h30 (1ª, 2ª e 3ª hora adicionais R$ 10,00 a hora. A partir da 4ª hora adicional, R$ 5,00 a hora). A partir das 17h30 e aos sábados, domingos e feriados – R$ 20,00 (preço único).

Serviço de vans:

O Complexo Cultural Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até o Espaço Cultural Porto Seguro. Na Estação da Luz, o ponto de encontro das vans é na saída da Rua José Paulino / Praça da Luz / Pinacoteca, em frente ao Parque Jardim da Luz. Há instrutores no local para orientar o embarque. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (11) 3226-7361.

Horário de funcionamento do serviço de vans:

Terça a sábado das 9h à 0h. Domingo das 9h às 22h.

Gemma Restaurante:

Aberto todos os dias: segunda, das 12h às 15h; terça, das 10h às 17h; quarta a sexta, das 10h às 21h; sábado, das 11h às 18h; domingo, das 11h às 16h.

Compartilhe!