@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

Projeto Mistura leva chefs convidados por Checho Gonzales ao MIS

Publicado em 30 de novembro de 2017

Calendário vai até fevereiro de 2018 e conta com um rodízio dos cozinheiros. Clarice Reichstul, do Paca Polaca, é a primeira convidada e leva ao MIS uma de suas especialidades, o Zappie, tipo de sanduíche aberto popular na Polônia

A partir desta sexta-feira, 1º de dezembro, o público do MIS – instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo – conta com mais um atrativo além de sua programação habitual: o museu receberá diversos chefs de cozinha na área externa.  Intitulada Projeto Mistura, a iniciativa é realizada em parceria com Checho Gonzales, curador do evento, e tem início com Clarice Reichstul, do Paca Polaca, especializada em comida polonesa.

Aspas Checho

Além da Paca Polaca, os outros convidados são Erika & Galindo (Carburadores), Rodrigo Levino (Jesuíno Brilhante), Fernanda Valdivia (Deli Garage), Marcio & Jorge (Buzina Food Truck), Ivan Primo (Pastifício Primo), Padaria da Esquina (Dani França Pinto), Bel Coelho (Clandestino) e por fim, o curador do projeto Checho Gonzales, com a Comedoria Gonzales. Cada convidado comanda o Projeto Mistura por até duas semanas com um cardápio com suas especialidades.

Paca Polaca

A escritora e cineasta Clarice Reichstul é a responsável pela marca Paca Polaca, que serve comida polonesa sob encomenda. A base do menu  proposto por Clarice, primeira convidada do Projeto Mistura, são os Zappies, tipo de sanduíche aberto muito comum na Polônia, e que é chamado de pizza polonesa. O Zappie e é a comida de rua oficial do país do leste europeu. O cardápio é composto por:

– Zappie bigos: baguete com cozido de carne bovina, ameixa e especiarias, salada de repolho roxo e maçã e fatias de pepino (R$ 18,00)

– Zappie zappie: baguete com refogado de abobrinha e cogumelo e queijo meia cura gratinado (R$ 16,00)

– Zappie vegano: baguete com abóbora cabochá assada, abacate, beterraba assada, tomate cereja confit e cebola caramelizada (R$ 15,00)

– Folhado de cogumelo (R$ 6,00)

– Folhado de batata com cebola caramelizada (R$ 5,00)

– Folhado de costela (R$ 7,00)

– Salada de grãos e ervas R$ (6,00)

– Bolo do dia (fatia) R$ 5,00

– Brownie de chocolate branco e preto com calda de caramelo, creme azedo e flor de sal (R$ 8,00)

Sobre Checho Gonzales

Checho Gonzales baseou sua “comida de imigrante” nas refeições criadas pela própria mãe, que adaptava os pratos típicos bolivianos aos ingredientes que conseguia encontrar no Brasil, onde veio morar aos sete anos. A essa raiz boliviana ele somou as influências gastronômicas de outros países latino-americanos, como o Peru, Argentina e México. Foi próximo a alcançar 30 anos que realmente contemplou a possibilidade de transformar o interesse pela culinária em uma profissão. Pouco tempo depois, inaugurou sua primeira casa, o Brancaleone, que marcou época na Vila Madalena, em São Paulo. Relocando-se para o Rio de Janeiro, Checho liderou vários restaurantes, como o Zazá Bistrô, e recebeu, em 2001 e 2002, o prêmio de Chef Revelação pela Revista Gula e o Guia Danusia Barbara. A volta para São Paulo se deu somente em 2008. No ano seguinte, passou a atuar como consultor e idealizou eventos prestigiados como O Mercado, onde começou a história da Comedoria.

SERVIÇO


Projeto Mistura | Com Clarice Reichstul/Paca Polaca

DATA 1º a 14 de dezembro
HORÁRIO 12h00 às 21h00 de terça a sábado e das 11h00 às 19h00 domingos e feriados
LOCAL Área externa

Compartilhe!