@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

Orquestra Jovem do Estado encerra temporada com Antonio Meneses e anuncia uma novidade para a programação de 2019: venda de assinaturas

Publicado em 11 de dezembro de 2018

A temporada 2019, em que o grupo celebra 40 anos de trajetória, inicia-se em fevereiro com a participação do Quarteto Carlos Gomes, e vai até dezembro; com destaque para os maestros convidados Bruno Mantovani, Fabio Mechetti e Ira Levin, a Orquestra também grava seu quinto disco, dessa vez com repertório todo dedicado ao compositor Claudio Santoro

Reconhecida pela excelência no trabalho de formação de jovens músicos, a Orquestra Jovem do Estado do São Paulo, grupo ligado à EMESP Tom Jobim – instituição da Secretaria da Cultura do Estado gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – sob a batuta do seu regente titular, Cláudio Cruz, recebeu o consagrado violoncelista Antonio Meneses para encerrar o ano em grande estilo. O concerto ocorreu no dia 9 de dezembro (domingo), na Sala São Paulo, e marcou também a entrega do Prêmio Ernani de Almeida Machado, em sua sétima edição.

Voltado aos integrantes da Orquestra, a iniciativa já distribuiu mais de R$ 850 mil aos 30 melhores bolsistas contemplados nas edições anteriores – cinco musicistas a cada ano. Quase a metade dos jovens, aprovados nas principais universidades de música da Europa.

Após a cerimônia de entrega do prêmio, a Orquestra Jovem interpretou a Sinfonia nº 41, Júpiter, de Mozart, e o poema sinfônico Dom Quixote, de Richard Strauss, com solos de Meneses.

TEMPORADA 2019

No ano em que comemora 40 anos de sua fundação, a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo anuncia uma novidade: a venda de assinaturas para a temporada na Sala São Paulo, com preços acessíveis e opção de pacote ao valor de meia-entrada. “Com este incentivo, a ideia é atrair cada vez mais público às salas de concerto principalmente os jovens, para ouvir uma música feita com a energia contagiante e a qualidade de nossos alunos”, destaca Paulo Zuben, diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura.

A programação vai de fevereiro a dezembro, num total de nove concertos, e vai reunir nomes importantes da música clássica do Brasil e exterior, tanto como regentes quanto como solistas, dividindo o palco com os 90 bolsistas da Orquestra, que têm idades de até 25 anos.

O repertório compreende, predominantemente, a música da passagem do final do século 19 e seus desdobramentos no século 20, e visa proporcionar aos bolsistas vivências em diferentes escolas do fazer musical, passando principalmente pela música contemporânea.

Sob a regência de seu diretor musical e maestro titular Cláudio Cruz, a Orquestra recebe em fevereiro o renomado Quarteto Carlos Gomes, formado pelo próprio Cruz e Adonhiran Reis (violinos), Gabriel Marin (viola) e Alceu Reis (violoncelo), além do pianista Nahim Marun. No programa, obras de Edward Elgar, Benjamin Britten e Leos Janácek.

Em abril, é a vez de um repertório vanguardista sob a batuta do regente francês Bruno Mantovani, diretor do Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, e participação do pianista e professor da instituição francesa, Denis Pascal. O repertório reúne obras de Ravel, Debussy, Dutilleux e Varèse, e integra a parceria de intercâmbio que a Santa Marcelina Cultura mantém com o conservatório.

No mesmo período, 14 alunos do Conservatório de Paris também desembarcam em São Paulo para uma semana de atividades artístico-pedagógicas em conjunto com alunos e professores da EMESP Tom Jobim e do Guri, programas geridos pela organização social.

Nos meses seguintes, Cláudio Cruz retorna à batuta. No programa de maio a Orquestra Jovem toca Villa-Lobos, Strauss e Varèse, e, em junho, junto com o Coral Jovem do Estado, outro grupo artístico ligado à EMESP Tom Jobim que também celebra 40 anos em 2019, os bolsistas gravam um CD – o quinto consecutivo da OJE, de 2015 para cá.

O repertório todo dedicado a Claudio Santoro marca mais uma efeméride: os 100 anos de nascimento do compositor brasileiro, e inclui a primeira gravação de sua Missa a Cinco Vozes.

Abrindo o segundo semestre, em agosto, a Orquestra Jovem faz a première de uma obra encomendada especialmente ao compositor brasileiro Rodrigo Lima, reforçando o compromisso do grupo com a música contemporânea e, principalmente, valorizando o trabalho dos autores vivos. Obras de Debussy e Fauré completam o programa.

Outro convidado especial da temporada é o maestro Fabio Mechetti, titular e diretor artístico da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Pela primeira vez à frente da Orquestra Jovem, ele comanda o grupo no concerto de setembro que terá obras de Barber, Mozart e Shostakovich.

Em outubro é a vez do maestro norte-americano Ira Levin, mundialmente aclamado pela sua versatilidade musical, que recentemente dirigiu duas montagens operísticas do Theatro São Pedro: Kátia Kabanová, de Leos Janácek (2018) e o programa duplo Pulcinella/Arlecchino (2017). No repertório, Gustav Mahler, Alban Berg e Richard Strauss.

No programa de novembro, duas peças voltadas para o público infantil, Guia dos Jovens para a Orquestra, de Benjamin Britten, e Aprendiz de Feiticeiro, de Paul Dukas. E para encerrar a temporada, o grupo de 90 bolsistas interpreta a Sétima Sinfonia de Mahler, em dezembro. Na oportunidade, também será feito o anúncio dos vencedores da oitava edição do Prêmio Ernani de Almeida Machado. Ambos, com Cláudio Cruz na batuta.

Os concertos na Sala São Paulo ocorrem aos sábados e domingos, sempre às 21h e 16h respectivamente. O programa de assinaturas garante o ingresso para todas as apresentações e a venda começa ser feita no dia 10 de dezembro de 2018. O pacote custa R$ 256,50 (inteira) e R$ 125,25 (meia-entrada), fixo para todos os setores.

Programe-se: Orquestra Jovem na Sala São Paulo

24 de fevereiro

Domingo,16h

Cláudio Cruz, regência

Quarteto Carlos Gomes, grupo convidado

Cláudio Cruz, Adonihran Reis (violinos), Gabriel Marin (viola) e Alceu Reis (violoncelo)

Nahim Marun, piano

EDWARD ELGAR (1857-1934)

Introdução e Allegro para Quarteto e Cordas

Quarteto Carlos Gomes e Nahim Marun

BENJAMIN BRITTEN (1913-1976)

Jovem Apolo

Quarteto Carlos Gomes

Quarteto Carlos Gomes e Nahim Marun

BENJAMIN BRITTEN (1913-1976)

Uma Abertura Americana

LEOŠ JANÁČEK (1854-1928)

Sinfonieta

6 de abril

Sábado, 21h

Bruno Mantovani (França), regente convidado

Denis Pascal (França), piano

EDGARD VARÈSE (1883-1965)

Amériques

MAURICE RAVEL (1875-1937)

Concerto para Piano para a Mão Esquerda

Denis Pascal

CLAUDE DEBUSSY (1862-1918)

Prélude à l’Après-Midi d’un Faune

HENRI DUTILLEUX (1916-2013)

Métaboles

5 de maio

Domingo, 16h

Cláudio Cruz, regente

Ovanir Buosi, clarinete

RICHARD STRAUSS (1864-1949)

Metamorfose

Serenata para Sopros

AARON COPLAND (1900-1990)

Concerto para Clarinete

Ovanir Buosi

HEITOR VILLA-LOBOS (1887-1959)

Bachianas Brasileiras nº 8

8 de junho

Sábado, 21h

40 anos de Orquestra Jovem do Estado e Coral Jovem do Estado

Centenário Cláudio Santoro (1919-1989)

Gravação do CD

Coral Jovem do Estado

Cláudio Cruz, regente

CLÁUDIO SANTORO (1919-1989)

Interações Assintóticas

Missa a Seis Vozes

Coral Jovem do Estado

Sinfonia nº 9

11 de agosto

Domingo, 16h

Cláudio Cruz, regente

solista a definir

RODRIGO LIMA (1976-)

Encomenda – Estreia Mundial

GABRIEL FAURÉ (1845-1924)

Suíte Pelléas et Mélisande

CLAUDE DEBUSSY (1862-1918)

Jogos

15 de setembro

Domingo, 16h

Fabio Mechetti, regente convidado

WOLFGANG AMADEUS MOZART (1756-1791)

Sinfonia nº 36, Linz

SAMUEL BARBER (1919-1981)

Meditação e Dança da Vingança do balé Medeia

DMITRI SHOSTAKOVICH (1906-1975)

Sinfonia nº 1

13 de outubro

Domingo, 16h

Ira Levin, regente convidado

Denise de Freitas, mezzo-soprano

GUSTAV MAHLER (1860-1911)

Canções de um Viajante

Denise de Freitas

ALBAN BERG (1885-1935)

Três Fragmentos da ópera Wozzeck

Denise de Freitas

RICHARD STRAUSS (1864-1949)

Vida de Herói

10 de novembro

Domingo, 16h

Prêmio Jovens Solistas

Cláudio Cruz, regente

BENJAMIN BRITTEN (1913-1976)

Guia dos Jovens para a Orquestra

PAUL DUKAS (1865-1935)

Aprendiz de Feiticeiro

8 de dezembro

Domingo, 16h

8º Prêmio Ernani de Almeida Machado

Cláudio Cruz, regente

GUSTAV MAHLER (1860-1911)

Sinfonia nº 7

Serviço:

Vendas de Assinatura: de 10 de dezembro de 2018 a 9 de fevereiro de 2019

Assinatura

Individual (inteira): R$ 256,50

Individual (meia):   R$ 128,25

* valores fixos para todos os setores da Sala São Paulo: Plateia Central, Plateia Elevada Mezanino, Coro, Balcão Superior e Camarote Superior.

Formas de Pagamento: boleto bancário ou cartão de crédito; parcelamento em até 9 vezes.

Atendimento Assinaturas:

Orquestra Jovem do Estado | Santa Marcelina Cultura

suporte@byinti.com

Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

Referência tanto por seu bem-sucedido plano pedagógico quanto por sua cuidadosa curadoria artística, a Orquestra Jovem do Estado é sinônimo de excelência musical no Brasil. Desde sua reformulação, em 2012, a Orquestra passou a ter uma exigente programação artística aliada a um novo plano pedagógico elaborado pela Santa Marcelina Cultura, o que ocasionou um expressivo salto de qualidade do grupo. A Santa Marcelina Cultura convidou Claudio Cruz em 2012 para assumir a direção musical e a regência principal da Orquestra, que hoje apresenta uma marcante identidade sonora, com uma forte coesão interna que permite a construção de repertórios cada vez mais desafiadores técnica e estilisticamente. Esse resultado é fruto também da abrangência das atividades pedagógicas propostas, que formam e inspiram os jovens instrumentistas. Ciente da importância da vivência internacional para a formação dos jovens músicos, a Orquestra realiza regularmente turnês no exterior. Com atuações elogiadas pelo público e crítica internacional, o grupo já se apresentou em importantes salas de concerto, como o Lincoln Center, em Nova York, o Kennedy Center, em Washington e a Konzerthaus, em Berlim – além de ter participado como orquestra residente do Festival Berlioz, na cidade natal do compositor francês, La Côte-Saint-André, interpretando a “Sinfonia Fantástica”.

Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim

Com mais de 20 anos de atuação, a Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim) tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A EMESP mantém seis grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado, Orquestra Jovem Tom Jobim, Orquestra Jovem do Theatro São Pedro e Academia de Ópera do Theatro São Pedro, que oferecem bolsas para os alunos da Escola. A EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Estado da Cultura.

Bank of America Merrill Lynch

O Bank of America é uma das principais instituições financeiras do mundo e tem como propósito promover a melhoria da vida econômica e financeira das pessoas e dos países em que está presente por meio do poder das conexões. Para isso, adota uma estratégia de crescimento responsável, com foco nas necessidades dos clientes, em um criterioso controle de riscos, visando à sustentabilidade em longo prazo. Bank of America Merrill Lynch é a marca para os negócios de banco comercial, investimentos e corretora, sendo um dos líderes globais também nesses segmentos. Na América Latina, possui escritórios em seis países, entre eles o Brasil, e atua no aconselhamento financeiro de empresas e investidores institucionais. As ações de responsabilidade corporativa do Bank of America Merrill Lynch têm foco em educação financeira, empreendedorismo de impacto, projetos de desenvolvimento econômico, arte e cultura, uma vez que esses temas apresentam grande potencial de transformação e de geração de benefícios para os cidadãos e para toda a sociedade.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Informações para a imprensa:

Assessoria da Santa Marcelina Cultura | EMESP Tom Jobim

Conteúdo Comunicação

Tel: 5056-9800 / 9837

Luciano Pereira – (11) 94223-8236 luciano.pereira@conteudonet.com

Roberta Montanari – (11) 99967-3292 roberta.montanari@conteudonet.com

Guilherme Albuquerque – (12) 98218-6419 guilherme.albuquerque@conteudonet.com

Assessoria de imprensa – Secretaria da Cultura do Estado

Stephanie Gomes – (11) 3339-8243 – stgomes@sp.gov.br

Elisabete Alina – (11) 3339-8164 – betealina.culturasp@gmail.com

Monique Rodrigues – (11) 3339-8308 – monique.culturasp@gmail.com

imprensaculturasp@gmail.com

Compartilhe!