@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

Oficina Cultural Alfredo Volpi promove grupo de estudos sobre corporeidades negras

Publicado em 15 de fevereiro de 2019

A programação reúne exibição de documentário sobre mulher e cangaço, vídeo sobre o trabalho realizado no ano anterior e encontros semanais que discutem dança e negritude

A Oficina Cultural Alfredo Volpi promove, desde 2018, encontros e atividades do Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras. O objetivo do projeto é promover discussões e reflexões sobre o corpo negro nas artes, principalmente na dança e performance, além de divulgar o trabalho de artistas afro-brasileiros. Nesse ano, o grupo inaugura seus trabalhos com pesquisas sobre mulheres no cangaço. Para participar, basta se inscrever pelo site da Oficina – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

O trabalho do grupo inicia 21 de fevereiro, quinta-feira às 19h com a exibição de Feminino Cangaço, documentário que tira a mulher do lugar de invisibilidade dentro do cangaço, mostrando mulheres que transgrediram os valores sociais de sua época. Após a exibição acontece um bate-papo com a jornalista Adriana Negreiros, cearense, jornalista e autora da obra Maria Bonita: sexo, violência e mulheres no cangaço, publicado pela Editora Objetiva.

O Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras segue para mais um ano de pesquisa, dessa vez sobre o tema Corpos Negros e Cangaço: Construção da Estética Social do Sertão. A investigação segue em busca dos corpos que não se dobraram aos valores coloniais, rastreando o corpo feminino que elaborou performances de resistência e rompeu com o padrão de poder imposto. Os encontros do grupo são semanais e acontecem às quintas-feiras, 19h.

Em março, tanto os integrantes do grupo de estudos quanto o público em geral pode apreciar o trabalho do Corporeidades Negras no Encruzidança, vídeo elaborado com os trabalhos de 2018. Com concepção de Kelly Santos, o vídeo mostra a pesquisa feita sobre a presença do corpo negro na dança, nos rituais e nas artes, a partir da análise do livro A Irmandade da Boa Morte e Culto de Babá Egum, Masculinidades, Feminilidades e Performances Negras, obra da escritora baiana Joanice Conceição.  Após a exibição, o público é convidado para um bate-papo com os integrantes do grupo de estudos.

Serviço: Grupo de Corporeidades Negras 2019

Abertura Do Núcleo: “Feminino Cangaço” + Roda De Conversa Com Adriana Negreiros

21/2. Quinta-feira, 19h às 22h

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição

Corporeidades  Negras

28/2 a 28/3. Quinta-feira, 19h às 21h30

Inscrições gratuitas até 20/2: https://bit.ly/2HWZYbn

Encruzidança

16, 20 e 21/3. Sábado, 16h; quarta-feira, 19h30; quinta-feira, 16h

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição | Duração: 60 min.

SOBRE A OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

Criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, desde 1986 a Oficina Cultural trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas como: artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo

Telefone: (11) 2205-5180 | 2056-5028

Funcionamento: de terça a sexta-feira das 10h às 22h, e aos sábados das 10h às 18h

www.oficinasculturais.org.br

Compartilhe!