@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

EXPOSIÇÃO

Museu de Arte Sacra de São Paulo inaugura duas mostras de presépios

Publicado em 18 de novembro de 2018

O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS-SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, inaugura sua tradicional mostra de presépios, este ano composta por duas exposições simultâneas. “È Nato Gesù” entra em cartaz no espaço do MAS-SP e apresenta o trabalho do presepista italiano Ulderico Pinfildi por meio de um vídeo, de peças que compõem as cenas mais importantes dos presépios napolitanos, e da exibição de projeção 3D, em tamanho real, do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino. A segunda edição de “Os Artesãos e seus Presépios” será realizada em parceria com a SUTACO – Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades, e ocupa a Sala MAS-Metrô Tiradentes, contando com quatorze presépios criados por artesãos do Estado de São Paulo.

Em “È Nato Gesù”, o público visitante passa a conhecer o minucioso trabalho de Ulderico Pinfildi. Criado ao redor do ateliê de seu pai, ceramista, mestre em cerâmica esmaltada, aprendeu desde cedo o ofício da faiança e da cerâmica, o que lhe foi extremamente útil quando se viu apaixonado pela arte dos presépios. “Ao visitar os museus e, principalmente, o Museu de San Martino, nasceu essa admiração por essas figuras fascinantes. Os meus estudos se tornaram cada vez mais sérios e profundos: tive que estudar anatomia, primeiramente a do rosto, depois a do corpo inteiro, que me permitiu realizar figuras inteiras, nuas, que na nossa área chamam-se ‘academia’, e esculturas também de grandes dimensões”, comenta o artista.

Para a exposição, Ulderico Pinfildi apresenta um vídeo que trata das várias fases de realização de suas peças, contextualizando personagens e origens. Em seguida, o espectador é levado a um percurso que exibe as principais cenas do presépio napolitano – Annuncio Alla Madonna, Annuncio Al Pastori, Pastori In Cammino, Gruppo Delle Procidane, Gruppo Delle Calabresi, Gruppo Di Famiglia Con La Giumenta, Pastori Con Doni e Mestieri, Tarantella, More Nobili, Suonatori Orientali, Re Magi Di Cui Uno a Cavallo, Gloria Degli Angeli e La Natività -, em meio às figuras criadas pelo artista conforme técnicas operacionais dos artesãos do século XVIII. Tais figuras, ou “pastores”, são produzidas com diversos materiais: “a cabeça é feita de terracota, os olhos são de vidro e se aplicam com estuques, e finalmente, mãos e pés são geralmente de madeira. Para pintá-los usam-se pigmentos e cores que se referem a esses diferentes materiais. Antigamente utilizavam-se os óleos, ou outros tipos de pigmentos com cola. Atualmente utilizo os acrílicos (…)”, explica o artista.

Ulderico Pinfildi ainda destaca a importância do vestuário desses “pastores”, uma vez que o presépio napolitano é único no seu gênero e desenvolveu-se nos tempos dos Bourbons, no Reino das Duas Sicílias. “Por esse motivo, os trajes dos pastores são os trajes que eram realmente usados pelo povo do Reino. Eu realizo um trabalho de profunda pesquisa iconográfica para reproduzir aquele gênero de trajes, porque nas várias áreas de Nápoles e redondezas da cidade, eram usados trajes diferentes. Por exemplo, a ‘procidana’, isto é, o habitante de Prócida vestia um riquíssimo traje de origem grega; em Ischia, por outro lado, usava-se outro tipo de traje; em Santa Lucia, uma zona de Nápoles perto do mar, havia a ‘Luciana’, que usava outro tipo de traje; nas zonas internas, a mulher usava um tipo de vestido mais diferente ainda. Portanto, o presépio é rico dessas figuras diferentes”. Em suas figuras, os trajes são confeccionados por meio das mesmas técnicas utilizadas antigamente, feitos à mão e com uso de sedas.

Por fim, em “È Nato Gesù”, o visitante pode conferir a projeção 3D do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino, que tem como característica principal o movimento. Nos dizeres de Ileana Creazzo, curadora da Seção do Presépio do museu: “A sua criação está sempre in fieri (em andamento), pois é uma prerrogativa de quem organiza o presépio compor como preferir as cenas, mudar de lugar animais e objetos de acordo com a necessidade, vestir as estátuas (sejam elas humanas ou angelicais) e colocá-las nas posições mais variadas, iluminar ou colocar, mais sombra, tudo com o objetivo de condicionar as sensações de quem olha. Ao espectador cabe participar e se emocionar com esse jogo, mais mental do que manual, cujo objetivo é o de criar com as próprias mãos uma realidade inexistente”.

Sobre o “Presépio Cuciniello”

A história do “Presépio Cuciniello” – cujo nome provém de seu doador, o comediógrafo, arquiteto e colecionador napolitano Michele Cuciniello – remonta ao ano de 1877, quando foi agregado ao acervo do Museu Nacional de San Martino por seu fundador, Giuseppe Fiorelli. “Foram necessários, para montar a grandiosa estrutura, dois anos de trabalho do próprio colecionador e dos seus amigos e colaboradores, o arquiteto Niccolini, o cenógrafo Masi e o técnico Farina”, comenta Ileana Creazzo. Seu conjunto, em alto-relevo horizontal, é formado por três cenas fundamentais: à esquerda, o Anúncio aos pastores, no centro, a Natividade com a Procissão dos Orientais seguindo os Magos e, à direita, a cena da Taberna (curiosamente, a Procissão e a Taberna constituem a verdadeira prerrogativa do presépio napolitano, comparado às representações do Natal de outras localidades italianas). Sua estrutura base é feita de madeira e cortiça, sendo “habitada” por figuras humanas chamadas de “pastores”, com cabeça e membros de madeira e/ou terracota, núcleo elaborado com fio de ferro doce e estopa.

Os Artesãos e seus Presépios II apresenta, na Sala MAS-Metrô Tiradentes, o trabalho de 15 artistas paulistas selecionados por meio de edital da SUTACO – Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades. Nesta mostra, o visitante pode contemplar peças em técnicas de modelagem, pintura, esmaltação e queima, marcenaria, escultura em madeira, com reutilização de resíduos têxteis, trançado e tingimento em palha de milho, reciclagem de papel e torção em metal. Nos dizeres de Marlene Augusta dos Santos, subsecretária substituta da SUTACO: “Essa exposição tem como objetivo mostrar como os artesãos paulistas homenageiam a chegada do Menino Jesus com figuras tradicionais e também de forma inovadora, difundindo a cultura popular”.

SERVIÇO

Exposição: “È Nato Gesù

Artista: Ulderico Pinfildi

Abertura: 29 de novembro de 2018, quinta-feira, às 18h

Período: 30 de novembro de 2018 a 06 de janeiro de 2019

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo – www.museuartesacra.org.br

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – agendamento / educativo para visitas monitoradas

Horários: De terça-feira a domingo, das 9 às 17h | Presépio Napolitano: das 10 às 11h, e das 14h às 15h

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (Meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação.
Número de obras: aprox. 40

Técnicas: vídeo, esculturas e projeção 3D

Dimensões: Variadas

Exposição: “Os Artesãos seus Presépios II

Artistas: Alexandre Eufrásio dos Santos, Andrea Maria Gozzi, Deilon Gomes de Lima, Eduardo Rafael Figueiredo Ribeiro, Giovana Fortini, Luiz Carlos Bollini, Marcia Luiza Zani, Magali Lopes, Márcio Luiz Mazon, Marli Triñanes Lopes Dalle Molle, Olga Lukacsak, Vera Lucia Baldassarri Corvello Sola, Vagner Rodrigues e Wandecok Cavalcânti de Almeida

Abertura: 29 de novembro de 2018, quinta-feira, às 18h

Período: 30 de novembro de 2018 a 06 de janeiro de 2019

Local: Sala MAS – Metrô Tiradentes – www.museuartesacra.org.br

Estação Tiradentes do Metrô – São Paulo – SP

Tel.: (11) 3326-5393 – agendamento/educativo para visitas guiadas

Horários: Terça-feira a domingo, das 9 às 17h

Ingresso: Grátis aos usuários do Metrô

Número de obras: 33

Técnicas: Modelagem, pintura, esmaltação e queima, marcenaria, escultura em madeira, trançado e tingimento em palha de milho, reciclagem de papel e torção em metal

Dimensões: Variadas

O museu

O Museu de Arte Sacra de São Paulo é uma das mais importantes instituições do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 28 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de pilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 18 mil itens no acervo. O museu possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco de Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

Compartilhe!