secretaria da cultura do estado de são paulo

Mês da consciência negra: Cortejo Preta Leste celebra a cultura afro-brasileira

Publicado em 26 de outubro de 2017

O evento gratuito reúne diversos grupos artísticos e de comunidades religiosas, além de apresentação do espetáculo Em lama Sou, criado coletivamente na Oficina

Para propor reflexões sobre a diversidade religiosa e difundir a cultura afro-brasileira, a Oficina Cultural Alfredo Volpi, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, promove a segunda edição do cortejo Preta Leste no dia 18 de novembro, sábado a partir das 16h00. A atividade é gratuita e livre para todos os públicos.

O evento que integra a programação do mês da consciência negra, conta com a participação de diversos grupos culturais ligados a comunidades religiosas da zona leste: Cia de Cultura Popular Lelê de Oyá, grupo de percussão e dança composto majoritariamente por mulheres; Coral Resgate, grupo de louvor da Comunidade Resgate para Vida – Cogic3, filial brasileira da Igreja Pentecostal Church of God in Christ (EUA) que tem Beyoncé como seguidora; Rei e Rainha Congo, da Comunidade do Rosário dos Homens Pretos da Penha de França; e Grupo Batakerê, grupo de dança que reúne elementos da cultura africana e indígena.

Além da participação de representantes de religiões distintas no cortejo pelas ruas do centro de Itaquera, acontece apresentação do espetáculo de dança Em Lama Sou. Criada a partir das oficinas de Toques e Danças dos Orixás, realizadas na Oficina Cultural Alfredo Volpi, a montagem é dirigida por Kelly Santos e Edson Luna. “O espetáculo apresenta todo o protagonismo que a Alfredo Volpi tem na região, um projeto de formação de artistas e, mais que isso, de pessoas social e culturalmente emancipadas”, conta Kelly Santos.

Para a organizadora, o cortejo Preta Leste traz à tona manifestações culturais que são renegadas socialmente. “Nós só respeitamos aquilo que conhecemos, e levar essa diversidade cultural e religiosa ao público é muito importante, pois quem não conhece passa a conhecer, e quem conhece se sente representado. Para além disso, o evento possibilita a criação de uma rede de apoio e de diálogo em Itaquera, a porta de entrada para o fundão da zona leste”, explica.

Cortejo Afro

O cortejo será liderado pela Cia Lelê de Oyá, encarregada da parte musical. Abaixo, o roteiro do cortejo:

Saída do Largo da Matriz.

– Segue pela Rua Flores do Piauí, descendo dois quarteirões.

– Ao chegar na Praça da Estação Itaquera o cortejo pausa para apresentação do espetáculo Em Lama Sou.

– Após a finalização do espetáculo o cortejo segue pela Rua Ignácio Alves de Mattos, subindo um quarteirão.

– Vira à direita na Rua Américo Salvador Novelli, seguindo até a Oficina Cultural Alfredo Volpi, onde finaliza o cortejo.

Veja a programação completa das apresentações:

16h00 | Apresentações Culturais no Largo da Matriz com os grupos Cia Lelê de Oyá e Rei e Rainha Congo da Comunidade do Rosário; Pronunciamento dos religiosos presentes: Ekedi Isabel Azevedo Ferreira e Padre Paulo Sérgio Bezerra.

17h30 | Saída do Cortejo em direção à Praça da Estação Itaquera.

18h | Chegada na Praça e início do espetáculo “Em Lama Sou”.

18h50 | Término do espetáculo e continuação do Cortejo até a Oficina.

19h | Chegada do Cortejo na Oficina Cultural Alfredo Volpi e início da apresentação do Grupo Batakerê

20h | Término da apresentação do Grupo Batakerê

Compartilhe!