HomeAssessoria ReleasesGabriele Leite se prepara para mestrado na Manhattan School of Music

Gabriele Leite se prepara para mestrado na Manhattan School of Music

Do Guri para o Mundo

A música sempre foi a paixão de Gabriele Leite que, desde pequena, sentava com os pais para ouvir música e assistir a concertos e shows. Após muito estudo e uma coleção de prêmios, a violonista foi aprovada para o mestrado em violão na Manhattan School of Music, em Nova York, e recebeu uma bolsa integral da Cultura Artística. Seu sonho é levar a música a lugares inóspitos onde as pessoas não têm pouco acesso a arte e mostrar o importante papel que ela representa. 

Gabriele ingressou no Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo –, no Polo Cerquilho, aos 7 anos de idade, e fez aulas de violão por seis anos. “Iniciei minha musicalização no Projeto Guri. Este período foi fundamental para o meu crescimento musical, desenvolvendo diversas habilidades, onde pude melhorar muito a percepção e concentração, além de entender os benefícios que a música pode trazer para nós”, explica Gabriele, que também estudou no Conservatório de Tatuí e, em 2019, formou-se em música com habilitação em violão clássico no Instituto de Arte da UNESP. 

Durante a carreira, a violinista participou de diversos festivais nacionais e internacionais como Festival Internacional de Campos do Jordão, XIX Festival de Música de Ourinhos, e participação em masterclass com David Russell, Fábio Zanon, Paulo Martelli, Sharon Isbin, Aniello Desiderio, Berta Rojas, Tilman Hoppstock e  Franz Halasz, entre outros. Além de conquistar prêmios importantes, como, o de melhor participação brasileira no Concurso e Festival Internacional de Koblenz, na Alemanha (2019); 1º lugar no I concurso Nacional Assovio Vertentes (2018); 1º lugar no XXXI Concurso Nacional de Violão Musicalis (2018); e em 1º lugar no XXIX Concurso Nacional de violão Souza Lima (2018).

Sobre a transformação por meio da música, a artista diz que o mais importante é “poder leva-la às pessoas, e que sem dúvidas é um mundo que acolhe muitas pessoas, independente de quaisquer aspectos que envolva julgamentos, afinal, a arte tem um papel diferente na sociedade que é o de criação de conteúdo e compartilhamento”.

Atualmente, Gabriele se prepara para o mestrado em violão na renomada escola de música de Nova York, Manhattan School. E, os planos para o futuro não param. “Primeiro quero terminar o mestrado e até emendar um doutorado, mas depois de toda essa formação acadêmica quero levar a música a lugares inóspitos onde as pessoas não têm acesso, ou então, não entendam o papel fundamental dessa prestigiosa ferramenta que é a arte”, finaliza. 

Do Guri para o Mundo
A série Do Guri para o Mundo foi criada para retratar o caminho trilhando pelos Guris: quem são, onde estão e o que mudou na vida deles. São histórias inspiradoras que celebram os 25 anos do Projeto Guri e prestam homenagem aos mais de 810 mil ex-alunos beneficiados pelo programa e, consequentemente, pelo poder de transformação da música. A cada semana, a série destaca um personagem nas redes sociais do Projeto Guri e na Sustenidos – organização que administra o programa.  
http://www.projetoguri.org.br/noticias/do-guri-para-o-mundo/

Patrocinadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; banco BV; Novelis; Arteris; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander; VALGROUP; Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval, Pirelli.

Patrocinadores Sustenidos: CTG Brasil; Visa; SulAmérica e Microsoft.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos: Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização gestora do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa de ensino musical no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/

Compartilhe!