HomeAssessoria ReleasesFábrica de Cultura Capão Redondo e Oficina Cultural Alfredo Volpi estão com exposições gratuitas e sobre as perspectivas das quebradas

Fábrica de Cultura Capão Redondo e Oficina Cultural Alfredo Volpi estão com exposições gratuitas e sobre as perspectivas das quebradas

Na zona sul, a exposição “Da Ponte pra Cá”está aberta até 24 de março. Já pela zona leste, o público pode aproveitar para conhecer a mostra fotográfica “Esmeraldas não é cohab porque tem elevador” até 28 de março

Em março, a Fábrica de Cultura Capão Redondo e a Oficina Cultural Alfredo Volpi, equipamentos da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciados pela Poiesis, estão com exposições gratuitas e formadas por trabalhos de artistas das periferias da capital paulista e região metropolitana. As obras abordam aspectos das quebradas dessa grande metrópole.

O artista independente Michael Aparecido da Silva, jovem morador de Embu das Artes, apresenta histórias da comunidade onde vive por meio da pintura em tela e em papel na exposição Da Ponte Pra Cá(com referência à música de mesmo nome do grupo Racionais MC’s).

Aberta na Fábrica de Cultura Capão Redondo até o dia 24 de março, das 10h às 18h, essa exposição reúne obras do Silva carregas por seu olhar atento e voltado ao próprio território, retratando a fragilidade e a beleza das vidas e dos sentimentos.“Em exposições que eu já fui, não via gente como eu e meus vizinhos, moradores das periferias. Por isso quero mostrar que da ponte pra cá existe muitas pessoas boas”, Silva destaca um dos motivos que o fez desenvolver essa abordagem e vem se descobrindo como artista plástico há pouco mais de um ano e seis meses.

Já a exposição “Esmeraldas não é Cohab porque tem elevador”, aberta na Oficina Cultural Alfredo Volpi até o dia 28/03, de terça a sexta, das 10h às 21h30, e aos sábados, das 10h às 18h, traz o questionamento sobre como a presença de um elevador no Conjunto Habitacional das Esmeraldas, em Itaquera, muda a  percepção de alguns moradores sobre esse modelo de moradia continuar periférico ou não.

O artista visual e fotógrafo Renan Teles nomeia a exposição com a afirmação que ouviu dos moradores do local ao longo da adolescência. “Não é Cohab” traz a intenção de distanciamento da realidade da periferia, apesar de geograficamente periférica, além de propor reflexões sobre a situação desses primeiros moradores e suas expectativas.

E quais seriam as perspectivas dos atuais moradores? Por meio das fotografias de jovens adultos que ainda moram com os pais, Teles, quem também se encaixa no perfil, propõe uma discussão sobre as expectativas da geração diante do cenário atual do país expressas por meio de narrativas que convivem entre o comodismo e a desesperança. O projeto parte do documental, tendo como base a captura de retratos formais, e parte em direção à poesia por meio da criação de cenas narrativas em conjunto com os fotografados.

Com formação em desenho industrial e fotografia, em 2014 Teles conseguiu apresentar uma exposição individual no Museu Murillo La Greca, participou de salões como o Arte Londrina, Arte Pará, SAC de Piracicaba, Prêmio EDP nas Artes, além de possuir trabalhos na Coleção Diário Contemporâneo de Fotografia.

A seguir, a agenda completa dessas exposições.

SOBRE A OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

Criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, desde 1986 a Oficina Cultural trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas como: artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2020, o Programa Fábricas de Cultura – instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis – conta com o patrocínio do Instituto Center Norte por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui para a realização de atividades de formação e difusão cultural.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Fábrica de Cultura Capão Redondo – Rua Bacia de São Francisco, s/n – Conjunto Habitacional Jardim São Bento – São Paulo/SP | (11) 5822-5240

Exposição Da Ponte Pra Cá –Trabalhos de Michael Aparecido da Silva
Pintura
Aberta até 24/3, das 10h às 18h de terça a sexta-feira; e das 12h às 17h aos sábados e domingos.
Faixa etária: livre

Funcionamento geral das unidades: de terça a sexta-feira, das 9h às 20h, e finais de semana e feriados das 12h às 17h. http://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i

Oficina Cultural Alfredo Volpi | Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo | (11) 2205-5180 | 2056-5028

Exposição Esmeraldas não é Cohab porque tem elevador – com trabalhos de Renan Teles
Artes Visuais
Curadoria: Nalu Rosa
Produção: Rogério Teles
Até 28/03, terça a sexta, das 10h às 21h30, e aos sábados, das 10h às 18h.
Faixa etária: livre
Funcionamento da unidade: de terça a sexta-feira das 10h às 22h, e aos sábados das 10h às 18h
www.oficinasculturais.org.br

Compartilhe!