@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

“Economia Criativa não é apenas uma denominação. Isso vai ganhar materialidade e concretude”

Publicado em 18 de janeiro de 2019

O Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo Sérgio Sá Leitão foi o primeiro entrevistado de 2019 do programa Metrópolis, da TV Cultura. Os assuntos abordados interessam a todos: economia, oportunidades de trabalho, geração de renda, cultura, empreendedorismo e novas ideias para São Paulo. Sérgio destacou a importância da economia criativa – uma das principais diretrizes de sua gestão à frente da Secretaria -, o potencial do estado na geração de emprego e renda e seus planos e expectativas para o setor cultural. O novo secretário garantiu que a economia criativa “não é apenas uma denominação. Isso vai ganhar materialidade e concretude”. A entrevista vai ao ar no domingo (20), às 19h30.

O tema permeou todos os outros assuntos abordados. “Um dos nossos objetivos é criar no estado de São Paulo um ambiente de negócios para que a economia criativa floresça ainda mais, considerando todos os seus segmentos, as cadeias de valor, enfim, todos os seus elos”, afirmou o Secretário.

A economia criativa vem crescendo no Brasil – com a liderança em São Paulo – à taxa anual de 8,1% nos últimos cinco anos, e a perspectiva é de continuidade no processo. “Isso significa que o setor está se expandindo e demandando cada vez mais artistas, técnicos, executivos, gestores etc. e, em consequência, se profissionalizando e se tornando mais competitivo”, diz o Secretário.

Por isso, ele afirma que um dos objetivos é contribuir para qualificar pessoas por meio de um amplo e ambicioso programa de capacitação: “queremos abrir oportunidades pela economia criativa, e estamos falando de um sistema bastante plural e diverso, em que tudo pode ser monetizado. Rentabilizar a criatividade e o talento dos indivíduos e transformar isso em produto e renda”. Para tal, a Secretaria pretende incentivar os empreendedores culturais com cursos de formação e capacitação e impulsionar o crédito e microcrédito.

Para o secretário, a ampliação do acesso aos bens e serviços culturais faz com que as pessoas consumam mais cultura. “A cultura transforma e melhora as pessoas”, reforçou, lembrando que “tudo está interligado: a economia criativa, o acesso a bens e serviços culturais e, ainda, a preservação de patrimônios, que são os bens materiais e imateriais”.

Anote: Programa Metrópolis, TV Cultura, domingo, dia 20 de janeiro, às 19h30.

Compartilhe!