secretaria da cultura do estado de são paulo

Cultura que fala com todos!

Publicado em 8 de janeiro de 2018

Encerramos 2017 e iniciamos 2018 com uma certeza: a cultura deve falar com todos. No último ano, a Secretaria da Cultura do Estado trabalhou intensamente na busca desse objetivo, conseguindo retomar projetos antigos e lançar novas iniciativas que presentearam o público paulista com muita arte, alegria e conteúdo, além de beneficiar artistas e produtores culturais.

O resultado dessa política fica claro nos números: somente os museus da capital geridos por esta Secretaria, por exemplo, receberam mais de 2 milhões de visitantes em 2017. Isso é consequência de ações formuladas especificamente para estimular o público a visitar esses espaços, oferecendo exposições e atividades de alta qualidade e promovendo a gratuidade dos ingressos aos sábados.

A Virada Cultural Paulista, em sua 11ª edição, se fortaleceu como o maior evento do interior e litoral de São Paulo, com 552 atrações em 22 cidades do Estado. O Circuito Cultural Paulista chegou à marca das 104 cidades contempladas, com 859 espetáculos para aproximadamente 141 mil pessoas, e o Viagem Literária atendeu 90 cidades e possibilitou o encontro de escritores jovens e veteranos com mais de 40 mil crianças e adolescentes.

No que tange à aproximação com os demais municípios, destaco a realização de quatro edições do Encontro com Dirigentes, que reúne representantes da área cultural de todo o estado para discutir e conhecer as necessidades de cada região, além de estabelecer parcerias com aqueles que acreditam no poder da cultura para a transformação da sociedade. Somente na edição estadual, realizada em São Paulo no mês de julho, recebemos mais de 700 representantes de 240 cidades.

O Revelando São Paulo, maior evento de cultura tradicional paulista, retornou à capital este ano e reuniu 160 grupos de todo o estado e cerca de 100 mil visitantes. O “Bandas e Fanfarras Paulistas” e o “Cultura Livre SP Edição Clown”, que levaram música e palhaços para a Avenida Paulista, também são bons exemplos de resgate de diversas manifestações culturais na cidade. Ao mesmo tempo, com eventos como o “Hackultura”, trouxemos os temas tecnologia e inovação para debates e palestras abertos ao público dentro da Secretaria da Cultura, gerando oportunidade de acompanhar as tendências e favorecer ainda mais o desenvolvimento cultural aliado à tecnologia.

É com alegria que destaco também que as Fábricas de Cultura bateram recorde de público em 2017, com 837.156 pessoas participando dos eventos promovidos pelas instituições, como espetáculos de teatro, dança e shows musicais. O número foi 28,4% maior do que o de 2016.

O projeto SP Cultura na Rua, que desde agosto leva músicos de rua para as periferias da capital, já passou pelos bairros Cidade Tiradentes, Vila Nova Cachoeirinha, Jardim São Luís, Brasilândia e Belém, vem cumprindo o papel de descentralizar as manifestações culturais de rua, que antes se concentravam quase exclusivamente na Avenida Paulista. Devido ao sucesso das primeiras edições, em 2018 o projeto incluirá a realização de um grande festival de música de rua.

Não posso deixar de falar sobre o Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, que investe na formação cidadã de crianças e adolescentes por meio da música e em 2017 atendeu cerca de 17 mil alunos na Grande São Paulo e 50 mil em todo o estado. Destaco também a inauguração da nova sede da SP Escola de Teatro, no Brás, que abriu novas oportunidades para aprendizes participarem de cursos de formação na área teatral, e a importância dos Prêmios Governador do Estado para a Cultura e São Paulo de Literatura, que reconheceram, mais uma vez, a qualidade da produção cultural brasileira. Não podemos esquecer do Conservatório de Tatuí, a maior escola gratuita de ensino musical da América Latina, que garante a formação de alto nível para instrumentistas populares e eruditos.

Esta Secretaria também estimula a economia criativa do estado – um direcionamento importante, especialmente em tempos de aguda crise econômica nacional. Nesse contexto, destacam-se os editais do ProAC (Programa de Ação Cultural), que, além de viabilizarem uma miríade de projetos culturais, são exemplos de ações que descentralizam a concessão de recursos. Em 2017, foram lançados 43 editais, distribuídos em 12 segmentos artísticos/culturais, com 416 prêmios – cerca de 11% a mais em relação a 2016. Desses editais, 50% são voltados para o interior do estado, litoral e Grande São Paulo.

Para falar com todos, é necessário que as portas estejam abertas a todos. Pensando nisso, abrimos as portas da Secretaria e inauguramos o “Estação Cultura”, espaço dentro da sede da Pasta que, desde outubro, recebe programação cultural gratuita e aberta ao público.

Continuaremos guiando todas as ações desta Secretaria com foco em atingir diferentes públicos e todas as linguagens artísticas, para que a cultura seja, cada dia mais, uma força de transformação da nossa sociedade. Por isso, garantimos: a cultura vai continuar falando com todos em 2018.

José Luiz Penna  – Secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

Compartilhe!