secretaria da cultura do estado de são paulo

Conservatório de Tatuí recebe Orquestra Jovem do Estado de São Paulo

Publicado em 14 de dezembro de 2017

Grupo com 80 músicos fará um concerto gratuito neste sábado, dia 16, com participação solo do premiado clarinetista Bruno Ghirardi

O Conservatório de Tatuí recebe neste sábado, dia 16, a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, ligada à EMESP Tom Jobim – ambas da Secretaria da Cultura do Estado. Formado por aproximadamente 80 instrumentistas, o grupo fará um concerto às 16h00 no Teatro Procópio Ferreira, sob regência do maestro Cláudio Cruz. A entrada será gratuita.

A orquestra iniciará a apresentação com o “Concerto para Clarinete”, do compositor dinamarquês Carl Nielsen. A peça contará com participação solo do clarinetista Bruno Ghirardi, ex-aluno do Conservatório de Tatuí e vencedor de importantes concursos em 2017.

Bruno ingressou no Conservatório de Tatuí em 2009 e teve aulas com os professores Ely Jacob Hessel e Max Ferreira. Durante sua formação, atuou com bolsista na Banda Sinfônica e Orquestra Sinfônica da instituição. Mais tarde, em 2016, tornou-se spalla da Banda Sinfônica Jovem do Estado. Recentemente, recebeu uma bolsa para participar da Mattheiser Sommer-Akademie em Bad Sobernheim, na Alemanha, onde teve aulas com o professor Ralph Manno.  

Neste ano, venceu o Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, foi finalista do concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Flumimense e vencedor do Programa Nascente 2017, da Universidade de São Paulo na categoria intérprete de música erudita.

Atualmente Bruno é clarinetista da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e integra também o quinteto de clarinetes “Viajando pelo Brasil”, que acaba de se apresentar em Cuba e tem recebido convites para tocar em diversos festivais internacionais. É aluno da professora Paula Pires na EMESP Tom Jobim e cursa o terceiro ano de bacharelado em Música pela Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), sob orientação do professor Luís Afonso Montanha.

O concerto seguirá com outras duas obras consagradas da música clássica: o tema de abertura da ópera “Dom Giovanni”, do austríaco Wolfgang Amadeus Mozart e a obra “Petrushka”, do compositor e pianista russo Ígor Stravinsky, um balé burlesco escrito por volta de 1910, com uma história semelhante à do conhecido boneco Pinóquio.

Orquestra Jovem do Estado de São Paulo – Referência tanto por seu bem-sucedido plano pedagógico quanto por sua cuidadosa curadoria artística, a Orquestra Jovem do Estado é sinônimo de excelência musical no Brasil. Desde sua reformulação, em 2012, a Orquestra passou a ter Claudio Cruz como regente titular e diretor musical, o que ocasionou um expressivo salto de qualidade. Hoje, a Orquestra apresenta uma marcante identidade sonora, e sua forte coesão interna permite a construção de repertórios cada vez mais desafiadores técnica e estilisticamente.

Esse sucesso é fruto da abrangência de suas atividades pedagógicas, que formam e inspiram os jovens instrumentistas. Na Emesp Tom Jobim, os bolsistas têm aulas com foco na temporada do grupo, que vão desde a prática instrumental até o estudo de história da música. Intensivos, os ensaios seguem o modelo de festival, com preparação de naipes, imersão no repertório e profunda interação com solistas e regentes convidados.

Outro fator determinante na evolução do grupo foi a criação, também em 2012, do Prêmio Ernani de Almeida Machado, em parceria com o escritório Machado Mayer Advogados. Voltada a bolsistas da Orquestra, a premiação contempla um grande vencedor e quatro finalistas, e todo dinheiro recebido pelos jovens deve ser investido em seu aperfeiçoamento musical, como a compra de instrumentos ou financiamento de cursos em academias estrangeiras.

Ciente da importância da vivência internacional para a formação dos jovens músicos, a Orquestra realiza regularmente turnês no exterior. Com atuações elogiadas pelo público e crítica internacional, o grupo já se apresentou em importantes salas de concerto, como o Lincoln Center, em Nova York, o Kennedy Center, em Washington e a Konzerthaus, em Berlim – além de ter participado como orquestra residente do Festival Berlioz, na cidade natal do compositor francês, La Côte-Saint-André, interpretando a “Sinfonia Fantástica”.

Cláudio Cruz – Iniciou-se na música com seu pai, o luthier João Cruz. Recebeu orientações de Erich Lenninger, Maria Vischnia e George Olivier Toni. Foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Artes, Prêmio Carlos Gomes, Prêmio Bravo e Grammy Awards. Atuou como spalla da Osesp (1990 a 2012), foi diretor musical da Orquestra de Câmara Villa-Lobos, regente titular das Sinfônicas de Ribeirão Preto e Campinas, onde dirigiu e regeu as óperas Lo Schiavo e Don Giovanni (Campinas) e Rigoletto e La Bohème (Ribeirão Preto).

Regeu a Orquestra de Câmara de Osaka, New Japan Philharmonic, Hyogo Academy Orchestra, Hiroshima Symphony (Japão) Orquestra de Câmara de Toulouse, Orquestra Sinfônica de Avignon, Northern Sinfonia (Inglaterra), a Sinfonia Varsovia, Svogtland Philharmonie (Alemanha), Jerusalem Symphony Orchestra. É regente titular e diretor musical da Orquestra Jovem do Estado, diretor artístico da Oficina de Música de Curitiba e primeiro violino do Quarteto de Cordas Carlos Gomes.

SERVIÇO


Orquestra Jovem do Estado de São Paulo


Escola de Música de São Paulo – Emesp Tom Jobim


Bruno Ghirardi, clarinete

Cláudio Cruz, regência
Dia: 16 de dezembro, sábado
Horário: 16h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Tatuí
Entrada franca

Compartilhe!