secretaria da cultura do estado de são paulo

Indivdual de Cesare Pergola no Museu de Arte Sacra

Publicado em 12 de março de 2018

O Museu de Arte Sacra de São Paulo exibe Deposizioni – Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio, do artista multidisciplinar italiano radicado no Brasil Cesare Pergola. A individual exibe oito obras – em técnicas de modelação digital tridimensional, desenho a tinta sobre papel e vídeo instalação espacial – e propõe uma reflexão sobre os clássicos italianos do Renascimento e do Barroco, através de uma grafia contemporânea: a linguagem wireframe da computação digital.

Ao reconstruir obras bidimensionais em modelos digitais tridimensionais, o resultado que Cesare Pergola obtém é como uma arqueologia do desenho da peça original. Nesta nova mostra temporária do MAS, o artista reinterpreta o espaço da obra e sua composição, desde a perspectiva que existe no quadro. Para isso, foram escolhidas duas telas clássicas sobre uma cena comum: Cristo morto, deposto da cruz – história bem conhecida no mundo cristão ocidental. A primeira “tela-referência” é de Jacopo Pontormo, pintura a óleo sobre madeira, datada de 1526-1528, preservada na igreja de Santa Felicita em Florença. A segunda é de Michelangelo Merisi (Caravaggio), pintado em óleo sobre tela, feito entre 1602-1604 e mantido na Pinacoteca do Vaticano.


“O primeiro é um grande desenhista, temos vários estudos preparatórios da pintura. O segundo é conhecido por desenhar pouco, quase como se ele criasse o trabalho diretamente na tela. Caravaggio usa uma composição realista de seis caracteres, apoiando-se naquele grande paralelepípedo de pedra. O Pontormo, em vez disso, compõe uma cena maneirista e completamente irreal, são onze caracteres pendurados no espaço, quase sem gravidade”
MESSAGE-ICON
Cesare Pergola
Artista

A expografia de Deposizioni – Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio apresenta três momentos distintos. No primeiro, os visitantes encontram réplicas das obras de Caravaggio e de Pontormo, em tamanho original. “No segundo momento, as duas obras são transformadas em modelos digitais tridimensionais gerados por um programa de computador que os reproduz através de uma rede de pontos. As superfícies criadas desta forma, graças a outros programas, podem receber sombreados, cores e texturas digitais e ser transformados em modelos plásticos convencionais com o uso de uma impressora 3D”, explica Luciano Migliaccio, curador da exposição.  Por fim, são expostos os desenhos feitos por Cesare Pergola, em tinta preta sobre papel, sempre em escada 1:1. “São cinco anos que trabalho sobre essa pesquisa da reconstrução digital da realidade. Os objetos da pesquisa podem mudar, mas a linguagem permanece idêntica”, comenta o artista.

Movido por um forte interesse pelas grandes obras clássicas e suas narrativas, o artista relaciona sua criação com o panorama da arte contemporânea através de uma linguagem original advinda da pesquisa constante, pelo uso de ferramentas modernas – como o computador e a videoinstalação -, além da restituição do trabalho final em seus desenhos à mão livre. Nas palavras do diretor executivo do MAS/SP, José Carlos Marçal de Barros: “Graças a essa tecnologia e ao talento de Cesare Pergola, é possível a contemplação dessas obras-primas que, como poucas, tornam real e, mais do que nunca, presente o sacrifício daquele que veio ao mundo para nos salvar”.

A exposição “Deposizioni – Arqueologia do desenho, de Pontormo a Catavaggio” fica em cartaz no Museu de Arte Sacra de 25/3 a 06/5/2018.

Compartilhe!