DESTAQUES GERAIS (MENORES)

“Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol”: esporte e diversão para toda a família

Dezembro começa com um evento de esporte, cultura e entretenimento para toda a família, na área externa do Museu do Futebol. É o “Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol: esporte e diversão para toda a família”.

De 6 a 9/12, de quinta a domingo, das 10h às 17h (exceto dia 8/12 que será das 9h às 15h), uma programação esportiva/recreativa irá estimular a prática da atividades físicas e a descoberta de novas modalidades, ressaltando a arte do convívio proporcionado pelo esporte. 

Divididas em quatro circuitos (Recreativo; Poliesportivo; Bem-estar e Ptinação/Skate), as atividades incluem aulas de futebol e rugby, aulas de Yoga, alongamento, além de atividades para as crianças, de equilíbrio, subir cordas e ‘teia de aranha’. Completa o dia de muita diversão a visita ao Museu do Futebol (ingressos: R$ 12 inteira I R$ 6 meia-entrada).

 

programação

“A ludicidade, o brincar junto, a convivência intergeracional e a atividade em equipe proporcionam - além do estímulo à prática esportiva e à vida saudável - o desenvolvimento da cidadania, do respeito e da integração. A parceria com a empresa Decathlon proporciona quatro dias de atividades abertas, gratuitas, para toda a família."
Eric Klug
Diretor executivo do Museu do Futebol

CIRCUITO RECREATIVO

Pular corda
Pular muro por cima
Pular muro pelo meio
Passar pelo muro por baixo
Teia de aranha (trama de corda fixa c/ grama sintética) para as crianças atravessarem o obstáculo
Gangorra de madeira

CIRCUITO POLIESPORTIVO

Futebol
Aulas de falta
Aulas de pênalti
Aulas de dribles

Rugby
Aulas de defesa
Aulas de Ataque
Aulas de Arremesso

CIRCUITO BEM-ESTAR

Aulas Yoga
Aulas de Alongamento
Aulas de Dança

CIRCUITO PATINAÇÃO/SKATE

Pista com mini cones no vão central

 

onde fica?

“SP Cultura na Rua” leva música para o Jardim São Luís!

Projeto leva artistas de rua para as periferias da capital

(mais…)

#CulturaSP concorre em diversas categorias no Prêmio Concerto 2018 – VOTE!

A Revista Concerto divulga os finalistas do Prêmio CONCERTO 2018, que chega este ano à sua sétima edição. São cinco categorias – Prêmio Lauro Machado Coelho de Ópera; Música Orquestral; Música de Câmara/Recital/Coral; Jovem Talento; CD/DVD/Livro –, além do Grande Prêmio 2018.

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo concorre nas seguintes categorias:

  • MÚSICA ORQUESTRAL, com “Saccades”, de Philippe Manoury, interpretada por Emmanuel Pahud (flauta) e Thierry Fischer (regente), da OSESP
  • PRÊMIO LAURO MACHADO COELHO DE ÓPERA, com “Kátia Kabanová”, de Janácek (Ira Levin/André Heller-Lopes) e “Sonho de uma noite de verão”, de Britten (Claudio Cruz/Jorge Takla), ambos do Theatro São Pedro
  • GRANDE PRÊMIO, com Integral das sinfonias de Heitor Villa-Lobos, performada pela OSESP sob regência de Isaac Karabtchevsky

Todos os finalistas foram definidos após discussões e votações de um júri formado por especialistas da área musical. A banca contou com os jornalistas e críticos musicais Camila Frésca, Irineu Franco Perpetuo, João Luiz Sampaio, João Marcos Coelho, Nelson Rubens Kunze e Sidney Molina.

O Prêmio Concerto de Ópera foi nomeado Lauro Machado Coelho, uma homenagem ao jornalista e crítico falecido no início do ano. Machado Coelho publicou pela Editora Perspectiva a extraordinária coleção História da ópera, em diversos volumes, além de vários livros sobre música e poesia. Como jornalista, Lauro desenvolveu importante trabalho no Jornal da Tarde, na Revista Época, na Revista Bravo e na rádio Cultura FM. Durante muitos anos foi crítico musical do jornal O Estado de S.Paulo. De 1996 até seu afastamento em 2010, Lauro Machado Coelho foi articulista da Revista Concerto.

Para o Prêmio Concerto 2018, os leitores poderão escolher seus candidatos favoritos votando na enquete no Site Concerto, que fica no ar até o dia 17 de dezembro. Os vencedores, tanto do voto da crítica quanto do voto do público, serão conhecidos na edição de janeiro/fevereiro de 2019 da Revista Concerto.

#ProACExpresso prorroga prazo para inscrição em editais

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa prorrogou as inscrições para projetos nas linhas de teatro, dança, infanto-juvenil, festivais, circo, artes visuais e música. As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas através do site www.proac.sp.gov.br. Confira os editais com novos prazos:

Prazo prorrogado para 30/07, até às 17h:

Teatro
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de teatro
– Circulação de espetáculos de teatro

Dança
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de dança
– Circulação de espetáculos de dança

Infanto-Juvenil
– Produção e temporada de espetáculos inéditos para o público infanto-juvenil
– Circulação de espetáculos para o público infanto-juvenil

 

Prazo prorrogado para 31/07, até às 17h:

Festivais
– Festivais, mostras, feiras, mercados de cultura e artes e festas populares

Circo
– Aquisição e manutenção de lonas de circo
– Produção e circulação de espetáculos circenses

Artes Visuais
– Produção de exposições inéditas de artes visuais

Música
– Produção e circulação de espetáculos inéditos de música
– Gravação de álbuns musicais inéditos e realização de shows de lançamento

#ViagemLiterária: Bibliotecas do interior paulista recebem escritores de Literatura Fantástica

Programa Viagem Literária acontece entre os dias 9 de setembro e 2 de outubro, percorre 76 cidades e é destinado a todas as idades

(mais…)

100 dias de Cultura e Economia Criativa

Secretaria de Cultura e Economia Criativa completa 100 dias de gestão com ações de fomento e foco em formação

(mais…)

10ª Edição do Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

Programação trará palestrantes de diferentes países em sua programação.
(mais…)

3º Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro recebem programação voltada ao fomento e formação de profissionais da dança (mais…)

A “cara” do Revelando: participantes revelam tradições e histórias no festival

Dona Lúcia, de Cruzeiro: “Não tem como mudar a história, porque a história não muda”

(mais…)

Ações educativas do Detran para crianças no Museu Catavento

Neste Maio Amarelo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) promove no Museu Catavento atividades de educação para o trânsito voltados ao público infantil, dentro do Programa Clube do Bem-te-vi. E mais: essas ações serão regulares no museu.

Desenvolvido com a Polícia Militar, o Clube do Bem-te-vi tem como objetivo compartilhar, por meio de palestras em escolas, vídeos e brincadeiras, os princípios básicos de segurança e cidadania no trânsito.

As ações do Maio Amarelo — mês dedicado internacionalmente às questões de educação e de segurança no trânsito — serão entre os dias 22 e 30 de maio, de terça a sexta-feira. As atividades lúdicas ocorrerão para turmas agendadas em períodos matutinos (10h50 e 11h30) e vespertinos (15h15 e 15h55), nos dias 22, 23, 24, 25, 29 e 30 de maio.

A parceria com o Museu Catavento se inicia no Maio Amarelo, mas será estendida para os próximos meses. A agenda será divulgada em breve.

“Nossa intenção é envolver mais turmas até o final do ano para participar das atividades. Nelas, as crianças aprendem brincando os conceitos de respeito e cidadania, tão fundamentais para a construção de um trânsito mais humano.”
Maxwell Vieira
Diretor-presidente do Detran.SP

As crianças que participarem das atividades poderão tirar fotos no cenário com os personagens do Clube do Bem-te-vi e receberão um kit com uma cartilha ilustrada, uma carteira de habilitação e um talão de multas mirins para que multipliquem os conhecimentos adquiridos e sensibilizem as pessoas de seu convívio social para uma consciência cidadã em relação ao trânsito. 

 

Visite

Alunos do Projeto Guri participam do LorenVale 2018

Festa é uma das mais tradicionais do Vale do Paraíba

Alunos do Grupo de Referência de Lorena. Foto: Cláudio Ribeiro

Integrantes do Projeto Guri de Lorena, a Orquestra do Polo e o Grupo de Referência de Lorena – Coro se apresentarão em mais uma edição do LorenVale, no dia 10 de maio, às 19h00, na Praça Baronesa de Santa Eulália.

Os alunos do Polo Lorena do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – farão um show no primeiro dia do evento com temas de filmes e séries como Piratas do Caribe, A Bela e a Fera, Missão Impossível e Game Of Thrones. Na sequência, o Grupo de Referência de Lorena – Coro apresentará as músicas Na Minha Terra, África, Don’t Stop Believing, Vambora, entre outras canções.

O LorenVale é realizado pela Prefeitura Municipal de Lorena por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e tem como objetivo valorizar a cultura regional, mantendo viva as tradições da festa. Além da apresentação dos alunos do Projeto Guri, o evento terá feira de artesanato com artistas e artesãos de Lorena e região do Vale do Paraíba, além de uma praça de alimentação com comidas típicas.

Grupo de Referência de Lorena – Coro

É composto por sopranos, contraltos, tenores e baixos. No repertório, há canções que vão da renascença até os dias atuais, entre peças populares e eruditas. Em 2013, o grupo protagonizou o espetáculo Lendas Amazônicas, com músicas de Waldemar Henrique, no Teatro São Pedro (SP) e na Sala São Paulo (SP) – esse último na série Aprendiz de Maestro. O Coro já foi conduzido por Pablo Trindade (2012), André Guimarães (2013), Patrícia Costa (2014) e Katherine Zeserson (2015).

SERVIÇO

LorenVale

Quando: 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Praça Baronesa Santa Eulália

Endereço: Praça Baronesa Santa Eulália – Centro, Lorena/SP
Entrada: gratuita.
Evento aberto ao público.

Parceiro local: Prefeitura Municipal de Lorena

O Grupo de Referência de Lorena – Coro tem o patrocínio das empresas Catho, VALGROUP, Supermercados Tauste e Caterpillar.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Aniversário de Portinari é celebrado com programação especial em Brodowski

Museu Casa de Portinari realiza dois espetáculos musicais em homenagem aos 114 anos do artista, morto em 1962 (mais…)

Aprimoramento dos editais do programa de ação cultural para 2018

O Coordenador da UFC convida a dar suas sugestões para aprimoramento dos editais do Programa de Ação Cultural (mais…)

As férias mais divertidas da região são as do Museu Casa Portinari!

Brincadeiras, oficinas artísticas e de brinquedos e um ateliê a céu aberto são algumas das atrações em Brodowski

(mais…)

Biblioteca Parque Villa-Lobos comemora 3 anos!

Espetáculo do grupo Parlapatões, bate-papo com Xico Sá, abertura de exposição e muito mais (mais…)

Biblioteca Parque Villa-Lobos é finalista em premiação internacional

A Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerido pela Organização Social SP Leituras, é uma das cinco finalistas do Prêmio Biblioteca Pública do Ano 2018 / Systematic Public Library of the Year Award, promovido pela IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias), a mais importante entidade internacional da área.

Este ano, a instituição, que congrega as bibliotecas de todo o mundo, recebeu 35 inscrições de 19 países. A biblioteca vencedora será conhecida durante encontro internacional da entidade em Kuala Lumpur, em 28 de agosto. Junto com a BVL, aparecem como finalistas bibliotecas da Holanda, da Noruega, de Singapura e dos Estados Unidos.

Entre os critérios de premiação, constam a interação do equipamento com o entorno e a programação de serviços e atividades.

Segundo Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, a nomeação representa mais uma notável oportunidade para discutir o direito da população à leitura e a bibliotecas públicas de qualidade: “Esta indicação, no mesmo ano em que a Biblioteca de São Paulo figurou entre as quatro finalistas do Prêmio Internacional da Feira do Livro de Londres, é extremamente significativa. Novamente, fomos colocados na companhia de bibliotecas extraordinárias de todo o mundo e esperamos que esta visibilidade nos ajude a defender e melhorar a proposta contida nestes equipamentos.”

A BVL está instalada na porção oeste do Parque Villa-Lobos, área onde antes funcionava um depósito de lixo a céu aberto. Do esforço de revitalização e transformação do local nasceu a biblioteca, que hoje atende não só visitantes da região mas, em função do fácil acesso (inclusive por ciclovias e trem), também pessoas de outras áreas da cidade.

Hoje a BVL está configurada como um ambiente público, dinâmico, que traz em seu DNA a ideia de “biblioteca viva”, propondo-se ainda a ser um “terceiro lugar”, onde há liberdade e escolha para compartilhar saberes e lazer.

Ocupando área de 4 mil metros quadrados dentro do parque, a BVL possui arquitetura arrojada, moderna, favorável à integração com a área verde externa e está dividida em três pavimentos (térreo e dois pisos). Na área central, uma grande oca é o ponto de encontro dos frequentadores e palco de variadas ações culturais.

Também possui diversidade de atividades e serviços voltados para a aproximação das pessoas e das famílias com o mundo da cultura. Conta ainda com acervo atualizado permanentemente e ambiente inclusivo. Salas de criatividade, ludoteca, jogos eletrônicos, computadores e programação com mais de 800 eventos anuais compõem o espaço, escolhido pelos visitantes como extensão de seu momento de lazer.

A IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias) é a instituição que congrega e representa os interesses de bibliotecas e serviços de informação e seus usuários. Parceira da Unesco e considerada a voz global das bibliotecas, a IFLA foi fundada em 1927, em Edimburgo, na Escócia, e atualmente soma mais de 1.400 membros de mais de 140 países no mundo todo.

 

Para saber mais sobre a IFLA: https://www.ifla.org/

Para saber mais sobre a premiação e o evento: https://www.ifla.org/node/59304

Para conhecer melhor os critérios da premiação: https://www.ifla.org/node/29023

 

Visite

Bienal Afro-Brasileira do Livro

Seminário Preparatório na Unesp tem inscrições abertas (mais…)

Brincadeiras clássicas nas Férias do Museu do Futebol

O Museu do Futebol entra em ritmo de férias e oferece àqueles que ficam ou visitam a cidade neste verão mais uma edição do programa “Férias no Museu”, realizado de 18 de dezembro a 27 de janeiro, de terça a domingo, das 10h às 17h, com entrada gratuita. As atividades desta edição do programa Férias no Museu foram inspiradas na exposição temporária “Clássico é Clássico e Vice-Versa”, em exibição até 03/02, e que conta com patrocínio do Grupo Globo e apoio da TV Globo e do SportTV, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Com o tema brincadeiras clássicas, as atividades ocorrem na área externa do Museu com a presença de monitores. Pebolim, futebol de botão, pula corda, jogo da velha, bambolê, futebol de dedo, ping-pong e amarelinha são algumas das brincadeiras que a criançada poderá curtir e os adultos reviverem a infância.

O acesso ao espaço “Férias no Museu” é gratuito e para visitar o Museu do Futebol é necessário adquirir o ingresso na bilheteria. Às terças o Museu tem entrada gratuita para todos os visitantes. 

Atenção: Nos dias 24, 25, 31 de dezembro e 1º de janeiro o Museu estará fechado.

Aos finais de semana, as tradicionais atividades conduzidas pela equipe de educadores do Museu continuarão sendo realizadas: visitas mediadas, oficinas e jogos, Espaço Dente de Leite para que todos aproveitem ainda mais o passeio. Todas elas estão no site www.museudofutebol.org.br

Se vier de carro, drible os flanelinhas. Estacione na Praça Charles Miller com Zona Azul Digital, a R$ 5 por três horas.

 

onde fica?

Casa Mário de Andrade realiza oficinas gratuitas nas férias

Que tal começar 2019 aprendendo algo novo? Talvez aprender a cantar ou dançar? Ou, quem sabe, técnicas para começar a escrever? A Casa Mário de Andrade preparou diversas oficinas para quem gosta de música, dança e literatura. As aulas são livres, gratuitas e acontecem a partir do dia 8 de janeiro. As inscrições para as atividades podem ser feitas pelo site do museu.

Na oficina Danças Brasileiras, Val Ribeiro auxilia os participantes a experimentarem diversas danças brasileiras, como rodas de jongo, congada e caboclinho. O objetivo é incentivar a expressão corporal a partir de coreografias de ritmos nacionais. As aulas acontecem entre 8 e 11 de janeiro, de terça a sexta-feira, 15h.

Quer aprender técnicas de escrita? Durante a oficina Criação Literária, a poeta Geruza Zelnys desenvolve atividades práticas de redação e escrita criativa. Os encontros serão realizados de 29 de janeiro a 1 de fevereiro, de terça a sexta-feira, às 15h.

Já na oficina de Canto e Técnica Vocal, realizada entre os dias 15 e 18 de janeiro, de terça a sexta-feira, às 13h, a cantora Alice Juguero orientará os participantes no desenvolvimento do canto, identificando suas características próprias e ampliando seu repertório musical em diversos estilos, da MPB à música norte-americana.

 

onde fica?

Centro Cultural de Tatuí recebe a Estação da Língua!

27.02_MCW_GOVSP-CULT_INSTA_LINGUA

A exposição itinerante Estação da Língua Portuguesa, que leva na bagagem acervos do Museu da Língua Portuguesa (atualmente em reconstrução), retoma sua viagem pelo interior de São Paulo e fez sua primeira parada em Tatuí, onde fica até 24/3, no Centro Cultural de Tatuí (Praça Martinho Guedes, 12).

A itinerância traz conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, que apresenta a língua portuguesa como patrimônios imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para a mostra Estação da Língua Portuguesa. 

O vídeo “Sotaques”, com texto “O Paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Como novidade apresentada nessa viagem, ela está atualizada trazendo mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da língua portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas.

Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura. 

“A presença da Estação da Língua aqui vem somar a todas essas ações desenvolvidas pela Cultura de Tatuí”, declarou Davidson Kaseker, diretor do SISEM – Sistema Estadual de Museus.

José Salim, presidente da CCR/SPVias, falou sobre a importância da itinerância: “É uma honra, um orgulho muito grande. Estamos falando de um museu que já foi visitado por 4 milhões de pessoas em São Paulo, e que já foi escolhido o melhor museu do Brasil. A população vai se beneficiar muito com isso”.

Erik Klug, diretor da ID-Brasil, organização responsável pelo Museu, fala um pouco sobre a exposição: “Essas experiências dentro do Museu da Língua, com vídeos, fotos, imagens, recursos táteis, o público vai poder ter aqui, em Tatuí”.

Maria José Vieira de Carvalho, prefeita de Tatuí, finaliza: “Quero agradecer publicamente esta oportunidade, onde o nosso município abre a Temporada 2018 no interior paulista”.

Condephaat celebra 50 anos com concurso para seleção de nova marca!

Em 2018, o Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo completa os 50 anos da Lei 10.247 de 22/10/1968.

Para comemorar a data, entre outras ações, o órgão lançou um concurso para seleção do logotipo do CONDEPHAAT e do emblema comemorativo dos seus 50 anos. O projeto vencedor ganhará R$ 5 mil (cinco mil reais).

Podem participar pessoas residentes no estado sem exigência de formação ou experiência. As inscrições estão abertas até o dia 20/08/2018 às 17h00.

Conheça o Curso de DJ das Fábricas de Cultura!

A Fábrica de Cultura de Sapopemba disponibiliza gratuitamente uma oficina que promete sacudir a galera: O Curso de DJ com o educador Jefferson Mendes, mais conhecido como DJ Smockey, é para jovens, crianças e adultos – incluindo pais e avós!

“O curso tem 4 meses de duração, e neste período os alunos vão do primeiro contato com o equipamento à discotecagem”, explica Smockey, que fez parte de um dos grupos de hip hop do país, o Doctor MC’s. “Trabalho na Fábrica de Cultura há 4 anos e muitas turmas já se formaram neste lugar”. Com ênfase na história dos DJ’s no Brasil e no mundo, o curso também fala sobre ritmos, percepção musical, mixagem, especificações dos equipamentos, além de estudos sobre os diferentes estilos musicais, como eletrônica, rap, MPB, rock, R&B, samba rock, soul, entre outros gêneros.

"Fico contente pois desde que eu me tornei educador eu sempre tento passar para os meus alunos tudo o que deu certo para mim."
Jefferson Mendes | DJ Smockey
DJ Profissional e Educador das Fábricas de Cultura

Um DJ é um profissional que vai além de levar agitação e euforia, mas também cria diferentes composições, mixa músicas, seleciona e produz sua playlist de forma que consiga contagiar o público ouvinte, seja em pistas de dança, bailes, clubes, boates e/ou  danceterias. “Eu sou DJ desde o final da década de 70, comecei a tocar quando era bem jovem. Sempre conto minha trajetória para os alunos como forma de ensiná-los e incentivá-los a seguir seus sonhos. Hoje o DJ é muito valorizado, tanto publicamente como legalmente, e isso é muito importante para eles”, afirmou Jefferson.

 “A Fábrica de Cultura tem uma grande importância, pois está oferecendo um curso muito bom, gratuito, difícil de achar”, afirma o aluno Guilherme Faria, de 16 anos. Guilherme Reis, de 17 anos, complementa: “A história do professor é demais! Eu sempre quis trabalhar como DJ, isso ia ser muito difícil se a Fábrica de Cultura não estivesse disponibilizando esse curso”.

A presença feminina faz grande diferença nas aulas. “É bem difícil encontrar uma mulher DJ. Os meninos ficam chocados com a nossa presença. Passei a ter vontade de aprender essa profissão através dos vídeos de DJ’s famosas”, afirma Beatriz dos Santos, de 17 anos, que está em seu segundo semestre de curso.

Em visita ao curso para uma oficina especial, o DJ Ronaldinho da Rádio Energia 97FM elogiou a estrutura e a iniciativa: “Achei o projeto sensacional e vou indicar pra um monte de gente. É uma iniciativa de vida, onde você dá uma direção para as pessoas. Isso é importante para estimular o gosto das pessoas e sugerir como uma profissão a seguir”.

"Isso é uma homenagem a nós, DJ’s!"
Isso é uma homenagem a nós, DJ’s
Rádio Energia 97FM

Conheça a Fábrica de Cultura de Sapopemba!

 

A unidade funciona de terça a domingo, e fica na Rua Augustin Luberti, 300 (esquina com a rua André Thevet).

Convênio com Estado possibilita reforma do Centro de Convivência Cultural de Campinas

*Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Campinas

A reforma do Centro de Convivência Cultural de Campinas, uma obra muito aguardada pela população, agora é definitiva. O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, assinaram o documento que oficializa o convênio para o repasse de R$ 40 milhões destinados à revitalização do complexo.

Momento da assinatura  do convênio, no Palácio dos Bandeirantes – Foto: Joca Duarte

A cerimônia (foto acima), realizada na tarde desta quarta-feira, 4 de abril, no Palácio dos Bandeirantes, contou com a presença dos secretários municipais de Campinas Ney Carrasco (Cultura), Pedro Leone (Infraestrutura), Thiago Milani (Gestão e Controle); do regente titular da Sinfônica de Campinas, Victor Hugo Toro, entre outras autoridades.

Após a liberação dos recursos, a próxima etapa será a elaboração do edital de licitação.  O imóvel passará por completa recuperação e instalação de novos equipamentos. A obra terá início ainda neste ano e estará pronta em dois anos.

“Acabamos de assinar o convênio que vai revitalizar o Centro de Convivência, um dos maiores convênios que foi assinado pela Casa Civil, cerca de R$ 40 milhões. O Centro de Convivência é uma memória da nossa cidade, terra de Carlos Gomes”, destacou o prefeito Jonas Donizette, agradecendo o empenho do governador Geraldo Alckmin “por tudo que tem feito por Campinas e pelo Brasil”.

O governador Alckmin reiterou a “alegria” de participar da iniciativa. “É uma boa parceria. São R$ 40 milhões que vão fazer o restauro, a recuperação desse centro cultural importantíssimo. Parabéns a Campinas, cidade que é um orgulho de São Paulo e do Brasil, e um grande  polo de inovação de pesquisa, de ensino e também da cultura”.

Para o secretário de Cultura Ney Carrasco, o convênio representa um “grande passo para a finalização do processo de reforma do Centro de Convivência, que será totalmente configurado. Continuará  a ideia original do arquiteto Fábio Penteado, mas vai se sofisticar muito com equipamentos de última geração. Estamos devolvendo um equipamento amado pela cidade”.

O Centro de Convivência, inaugurado em 9 de setembro de 1976, é um dos maiores patrimônios arquitetônicos da cidade. Sua importância para a vida cultural consolidou-se ao longo de mais de 40 anos de vida tornando-o um dos mais significativos equipamentos culturais de toda a Região Metropolitana. Desde sua inauguração, nunca passou por reforma completa e estrutural, apenas obras pontuais de reparo.

A interdição ocorreu em 14 de dezembro de 2011. Reabriu parcialmente entre janeiro e fevereiro de 2012 para a Campanha de Popularização do Teatro.  Em dezembro de 2014, a Orquestra Sinfônica de Campinas apresentou um concerto no Teatro de Arena após a finalização de testes de resistência que comprovaram a segurança da estrutura.

Centro de Convivência Cultural de Campinas – foto: Prefeitura Municipal de Campinas

Restauração

O projeto de restauro, elaborado pela empresa Falcão Bauer como parte de um Termo de Acordo de Compromisso com a Prefeitura de Campinas, preserva a ideia original do arquiteto Fábio Penteado (o projeto foi premiado com a Grande Medalha de Ouro da I Quadrienal de Teatro de Praga, em 1967, na então Tchecoslováquia, em um concurso de projetos de teatro).

O complexo tem quatro galerias, seis salas (entre teatro, de ensaio, técnica, administrativo etc), cinco camarins individuais e três coletivos, todos com banheiro, saguão e o teatro de arena.

A área total é de cerca de seis mil metros quadrados, sendo quatro mil da área externa (Teatro de Arena) e dois mil da interna (salas e galerias).

Em relação ao teatro propriamente dito, a reforma prevê a valorização da estrutura cênica e a acústica para manter a altíssima qualidade, com padrões de  referência internacional, como a Sala São Paulo.

Localizado imediatamente à frente do palco, em nível abaixo, e considerado essencial para a encenação de espetáculo dramático musical, o fosso de orquestra será reativado representando um ponto importante do projeto, permitindo a realização plena de espetáculos dramático-musicais, tais como óperas, musicais e balés. A orquestra contará com espaço administrativo e um salão de ensaio com a mesma acústica do palco.

Entre as intervenções previstas estão, ainda, novo sistema de drenagem, recuperação da estrutura, impermeabilização para evitar novas infiltrações, reforma dos banheiros com modernização e adaptação para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, novos sistemas luminotécnico, cênico e acústico com equipamentos modernos e tecnológicos de alta qualidade; acessibilidade com rampas, corrimões, piso táteis, elevadores; substituição das redes elétrica e hidráulica, remodelação da sala de teatro, troca de poltronas e modernização do sistema de ar condicionado.

Ícone

O icônico espaço atravessou décadas como um dos mais significativos palcos do país, celebrando a arte e a cultura de maneira plena. A Orquestra Sinfônica de Campinas, que se tornaria marco da cena musical brasileira e internacional, realizou o concerto de inauguração do Teatro Interno, que recebeu o nome do importante mímico campineiro Luís Otávio Burnier.

No Teatro de Arena, outro importante palco do complexo, a abertura se deu com a tragédia grega “Hipólito”, de Eurípides, protagonizada pelo grupo Rotunda.

Desde então, a Feira de Artes, Artesanato, Antiguidades, Quitutes e Esotéricos de Campinas, popularmente chamada de Feira Hippie, se tornou forte atrativo cultural e de economia criativa para os campineiros e visitantes.

Palco de artistas que marcaram e projetaram a cidade, o Centro de Convivência recebeu o maestro e compositor Tom Jobim em inesquecível show realizado em 1990. O espaço traz, ainda, na memória, preciosidades que até hoje são temas nas rodas de conversa, como as apresentações de Hermeto Pascoal, Sivuca, Elza Soares, Angela Maria, Regina Duarte, grupo Bons Tempos, Claudia Raia, Milton Nascimento, Jards Macalé, Free Jazz Festival, Heineken Concert’s, Belchior, João Bosco, Sá e Guarabira, 14 Bis, Francis Hime e Olívia Hime, Quinteto Violado; a estreia nacional de “Macbeth”, com Antonio Fagundes, Vera Fischer e Paulo Goulart, além dos concertos da Sinfônica de Campinas que sempre transitaram entre o erudito e o popular.

Curso de contação de histórias acontece na Casa das Rosas

A atividade é gratuita e ministrada pelo grupo Arte Despertar (mais…)

Desenvolvimento é o tema de nova exposição multimídia no Museu Catavento

A evolução na construção, mobilidade, agricultura, energia e mineração é ilustrada com ferramentas digitais interativas em “INTEGRA: a cultura de um povo, o desenvolvimento de um país” (mais…)

Design aerodinâmico na nova expo do MCB!

A exposição “Design aerodinâmico – Metáfora do futuro” chegou ao Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, apresentando mais de 250 objetos significativos do estilo streamline, também conhecido como streamform ou streamlining. Os objetos pertencem às coleções de Giacomo Favretto, Renato Oliva, Gilberto Moscovich e da família Bosworth, e foram selecionados pelas curadoras Adélia Borges e Patrícia Fonseca.

Entre os mais de 50 designers com obras na exposição estão Raymond Loewy, Norman Bel Geddes, Walter DorwinTeague, Henry Dreyfuss, Isamu Noguchi, Gio Ponti, Buckminster Fuller e John Vassos. Em meio as empresas representadas teremos Black & Decker, Eastman Kodak, Electrolux, Gaggia, General Electric, Gillette, Osterizer, Philips, Polaroid, RCA Victor, Sears, Steam-O-Matic e Westinghouse. Dentre os objetos selecionados, alguns fazem parte também dos acervos de importantes museus tais como o Cooper Hewitt Design Museum (Nova York), Centre George Pompidou (Paris), Montréal Museum of Fine Arts e Victoria & Albert Museum (Londres).

“Trata-se de uma rara oportunidade para o público brasileiro conhecer ao vivo peças que estão nos compêndios de história do design”, comenta Adélia Borges, uma das curadoras. “O streamline se firmou como um dos estilos mais populares do século 20 e também marca a implantação da profissão do designer industrial nos Estados Unidos”, complementa a também curadora da exposição, Patrícia Fonseca.

Os objetos expostos englobam vários segmentos, de meios de transporte a utensílios domésticos, incluindo artefatos de uso pessoal, ferramentas de trabalho, equipamentos audiovisuais, brinquedos e folhetos, entre muitas outras tipologias. A exposição ocupará cinco salas do Museu da Casa Brasileira, divididas por temas. Uma delas trará o impacto do estilo no Brasil, com produtos da Arno, Consul e Real, entre outras empresas, além de incluir trabalhos do californiano Charles Bosworth, que se estabeleceu em São Paulo em 1947 para implantar a sede do escritório de Raymond Loewy e viveu aqui até falecer, em 1999.

 

Contexto histórico

Streamline surgiu nos Estados Unidos como uma resposta à crise econômica de 1929. Em 1933, em função da regulamentação dos preços dos bens de consumo, os industriais incorporaram designers nas linhas de produção das fábricas e isso fez com que os produtos tivessem um novo diferencial no mercado de consumo.  Pesquisas feitas desde o final do século 19, abrangendo a aplicação de princípios aerodinâmicos em veículos como os trens e aeronaves, passaram a se estender praticamente a todos os segmentos de produtos. Independente do uso a que se destinavam, os objetos ganharam formas arredondadas que remetem a velocidade e modernidade, representando a promessa de um mundo melhor, um futuro promissor em contraposição à devastadora crise, da qual o país começava a se recuperar.

 

Visite o MCB

Dia da Voz: conheça iniciativas da #CulturaSP relacionadas ao canto!

A voz é um importante recurso de comunicação. Mas além dessa finalidade, o som produzido pelas cordas vocais também é amplamente utilizado por artistas tanto no canto quanto no teatro. 

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo possui programas, projetos e atividades gratuitos cujo objetivo é fazer a preparação vocal para desenvolver essa habilidade nas pessoas. 

"O acompanhamento vocal com bons profissionais é muito importante para qualquer pessoa que faça um uso mais constante da sua voz. As cordas vocais são delicadas e o abuso vocal pode causar danos mais difíceis de tratar. Por isso a importância de alguns pontos básicos e simples, mas que nos trazem grandes benefícios."
Marilia Vargas
Professora de canto barroco na EMESP

Marilia Vargas é professora na Escola de Música do Estado de São Paulo nas modalidades lírico e barroco – este último, um dos únicos no Brasil. “Nosso trabalho foca no repertório do século XVII e primeira metade do século XVIII, período da história da música em que nasceu a ópera e os primeiros estudos de técnica vocal. Além do estudo técnico, trabalhamos muito na estética e conhecimento teórico, imprescindíveis para a boa interpretação desta música, que cada vez mais ganha espaço nos maiores teatros do mundo”, comenta. São alunos dela os componentes do Coral Jovem do Estado que, além dos ensaios, têm aulas de técnica vocal individualmente e em grupo. Acompanhar os colegas é importante para perceber as diferenças que a técnica vai trazendo, comentando, discutindo e entendendo.

Na OSESP, a avaliação vocal é feita no momento das audições. “Na seleção dos cantores para o Coro busca-se beleza de timbre, capacidade de cantar em toda a extensão do naipe e a capacidade de execução das dinâmicas exigidas na música. Tratando-se de um coro de alta performance o conhecimento musical deve ser checado com muito rigor”, explica Marcos Thadeu, Maestro dos Coros Juvenil e Acadêmico da Orquestra.

Além de um bom acompanhamento técnico, a correta preparação para cantar é essencial. “Me preparo da mesma forma que um atleta. Comer corretamente, muito exercício físico, trabalhos corporais com intuito de ampliar a auto consciência, muitas horas de técnica e estudo profundo das peças a serem cantadas. Isso feito, o palco deve ser a extensão desse trabalho diário e não um momento especial e exclusivo para a performance”, afirma Natalia Aurea, soprano do Coro da OSESP.

Desde 2015, o Projeto Guri também comemora o Dia Mundial da Voz para a promoção dos cuidados com as cordas vocais no dia a dia. Para isso, os polos organizam atividades com profissionais da voz (fonoaudiólogo, radialista, cantor ou educador), que falam sobre o tema. “Em minhas visitas de monitoramento, observava os alunos nos intervalos entre as aulas cantando muito forte, cantando com postura corporal inadequada, fazendo competição sonora e infelizmente não dando importância ao que lhes era dito pelos educadores”, explica Etiene Consolaro, Supervisora Educacional, sobre o período anterior ao Dia Mundial da Voz. “Foi uma maneira que encontramos de estimular, valorizar, divulgar e manter alunos do curso de Canto Coral da Regional Araçatuba. Hoje, vejo melhoras significativas”, complementa.

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais de Arte (1998, p.79), “a maioria dos jovens brasileiros não toca um instrumento musical, mas gostaria de fazê-lo, diz que não tem voz, mas gostaria muito de saber cantar direito”. Pensando nisso, o Conservatório de Tatuí realizará o curso “Introdução ao canto coral nas Escolas”. As inscrições ficam abertas entre os dias 16 e 20/4 (mais informações aqui). O objetivo é orientar e preparar professores, pais e voluntários que desejam montar um coral infantil em unidades de ensino. Serão abordados temas como: o que é um coro; qual a formação adequada; que repertório utilizar com os alunos; como organizar e conduzir os ensaios; como preparar e coordenar uma apresentação.

Quem canta, seus males espanta! Para além do estudo e da profissão, o canto representa um estilo de vida para muitas pessoas. “O canto é algo que me leva além, me completa e me aproxima da felicidade”, afirma Rafael Oliveira, tenor do Coro Acadêmico da OSESP.

"O canto é a possibilidade constante de desenvolver a alma, o ser, o espírito, a mente. É o instrumento cujo invólucro sagrado é o corpo, e o som é sempre mediado pelo coração."
Natalia Aurea
Soprano do Coro da OSESP

DICAS

É necessário reaprender a respirar bem, de forma mais baixa, expandindo o abdômen, para total aproveitamento do ar. "Digo reaprender, pois quando somos crianças pequenas, respiramos exatamente assim e vamos perdendo isso com o surgimento do stress e pouca consciência corporal", explica Marilia Vargas.

É preciso entender os sinais de stress vocal dados pelo corpo. "Pode ser uma tosse ou mesmo um grito, para perceber o “apoio” que involuntariamente já sabemos fazer. E a partir daí, precisamos treinar esta consciência e capacitar-nos para o bom uso do corpo durante o exercício da voz", comenta.

É essencial descobrir as boas ressonâncias e harmônicos da nossa voz, para exaltar suas qualidades e volume. "Tudo isso, um bom profissional da voz poderá ajudar a encontrar. Seja para quem usa a voz cantando a música popular ou a erudita, ou para quem usa a voz falada. Temos também que nos lembrar que o corpo todo é nosso instrumento, e por isso cuidados de bem estar e consciência corporal, também nos ajudam diretamente no trato vocal", finaliza a professora da EMESP.

Saiba mais

EMESP – Escola de Música de São Paulo

Largo General Osório, 147, Santa Ifigênia, São Paulo – SP | Tel: +55 11 3585-9888

www.emesp.org.br

 

Fundação OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, Santa Ifigênia, São Paulo – SP | Tel: +55 11 3367 9500

www.osesp.art.br

 

Conservatório de Tatuí

Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí – SP | Tel: +55 15 3205 8444

www.conservatoriodetatui.org.br

 

Projeto Guri

Polos da capital e região metropolitana – clique aqui

Polos do interior e litoral – clique aqui

 

 

Dia do Índio: Fábricas de Cultura realizam atividades de valorização da cultura indígena

Apresentação e conversa com a tribo Tekoa Itakupe, contação de história e bate-papo sobre obra do escritor Daniel Munduruku integram programação gratuita

No dia 19 de abril é celebrado o Dia do Índio. Para refletir sobre a cultura dos primeiros habitantes do Brasil, as Fábricas de Cultura Capão Redondo, Jardim São Luis e Vila Nova Cachoeirinha, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis, realizam atividades gratuitas para crianças e adolescentes.

Programação

A tribo Tekoa Itakupe oferece uma tarde com o público que tem como programação o coral Guarani, apresentação da dança Xondaro e um bate-papo sobre os costumes da tribo e como eles vivem atualmente. Tekoa Itakupe, que significa “atrás da pedra”, é uma das aldeias da Terra Indígena Jaraguá. Com 76 hectares, a aldeia possui sua Opy (Casa de Reza), cozinha comunitária, resquícios históricos, horta comunitária, lago e nascentes do Ribeirão Manguinho. A atividade acontece na Fábrica Vila Nova Cachoeirinha no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00.

Em Pintura indígena, os participantes realizam pinturas baseadas nos grafismos indígenas, após um bate-papo sobre costumes, crenças, arte e cultura de diversos povos indígenas do Brasil. Um mural será montado com todos os desenhos feitos na atividade. O encontro acontece no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00, na Fábrica Capão Redondo.

Reunindo histórias disponíveis no acervo, a Contação de histórias: Dia do Índio, que acontece na Fábrica Jardim São Luís no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00, dá aos participantes a oportunidade de conhecer a história dos indígenas no Brasil. Dentre os livros utilizados no encontro estão Coisas de Onça, Daniel Munduruku; A queda do céu, Davi Kopenawa e Bruce Albert; Os índios Potiguara: memória, asilo e poder, José Manuel Simões, entre outros.

 

 

No projeto A história do autor, a biblioteca da Fábrica Vila Nova Cachoeirinha apresenta a trajetória de diversos autores, bem como suas obras, contando um pouco de sua trajetória. Na edição de abril, que acontece dia 6, sexta-feira, às 15h00, os participantes conhecem o trabalho do escritor paraense Daniel Munduruku. Formado em Filosofia, com licenciatura em História e Psicologia, seu livro Meu avô Apolinário foi escolhido pela Unesco para receber Menção honrosa no Prêmio Literatura para crianças e Jovens na questão da tolerância.

O escritor pertence a um dos 307 povos indígenas do país, o povo Munduruku, mas não gosta do termo índio, tampouco se considera indígena.

“A gente não quer ser tratado por esse apelido horroroso que colocaram na gente, e sim pelos nossos nomes. Eu ser Munduruku é diferente de ser índio. Índio é uma invenção, folclore puro, mas ser Munduruku é ter toda uma série de saberes que me dá identidade”

Daniel Munduruku  explica em entrevista para o jornal A Tarde, realizada em 2014.

Dia Mundial do Livro nas Fábricas de Cultura

O Dia Mundial do Livro é comemorado em 23 de abril desde 1995. Originalmente a data surgiu na Catalunha, região da Espanha, mas só com a morte do escritor inglês William Shakespeare a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) oficializou a comemoração. As Fábricas de Cultura das zonas norte e sul, organizaram uma série de atividades gratuitas para celebrar a data.

A programação terá início no dia 12 de abril, quinta-feira, às 15h00, com a Oficina de Reparos na Fábrica de Cultura Jardim São Luís. A proposta é conscientizar, de maneira lúdica, os participantes a conhecerem de forma teórica e prática as condições, os cuidados e os reparos com os materiais disponíveis nas bibliotecas. A atividade é livre e serão oferecidas 20 vagas.

 

Fábio Lisboa conta a história de seu livro O mistério amarelo da noite, na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, também no dia 12 de abril às 15h00. A obra narra a aventura de um menino que está voltando sozinho para casa e, de repente, a iluminação desaparece. Correria e perseguição o levam até o Beco Escuro, onde o autor instigará seus ouvintes a usarem a imaginação e vencerem seus medos. Serão oferecidas 50 vagas para crianças de 6 a 11 anos. Essa contação de história acontecerá em todas as Fábricas em datas diversas.

 

Na Fábrica de Cultura Brasilândia, a equipe da biblioteca realizará a intervenção Dia do Livro, utilizando a literatura como ferramenta. No dia 18 de abril, quarta-feira, a partir das 13h, histórias serão contadas e poemas serão declamados por quem quiser participar. A atividade será livre e serão oferecidas 20 vagas.

Ainda na zona norte, a Fábrica de Cultura Jaçanã convida as crianças de 8 a 10 anos para construírem seus próprios diários no dia 19 de abril, quinta-feira, às 15h00. Na oficina Construa este Diário, a equipe da biblioteca apresentará para a criançada uma série de “Diários” do acervo – como Diário de um Banana, Diário de uma Garota Nada Popular e Diário de um Zumbi do Minecraft –, para que eles montem seus diários pessoais, com histórias livres e criativas.

 

E fechando as comemorações, a Fábrica de Cultura Capão Redondo realizará a atividade Escrita Viva, no dia 26 de abril, quinta-feira, às 15h00. O jogo consiste em usar vários espaços da Fábrica para brincar, utilizando a leitura e a escrita como recursos; a ideia é construir o mundo em palavras e as palavras em mundo. A atividade será livre e serão oferecidas 15 vagas.

Domingo é dia de PinaFamília na Pinacoteca!

No segundo domingo de novembro, da 11 de novembro, a partir das 11h, a Pinacoteca de São Paulo promove mais uma edição do PinaFamília.

No PinaFamília as pessoas são conduzidas a uma viagem divertida pelo acervo da Pinacoteca. O objetivo principal do projeto é o desenvolvimento de processos educativos direcionados aos grupos familiares, estimulando a convivência deste público no museu. Em 2018, os temas norteadores são os elementos da imagem – escala, textura e tom – encontrados nas obras do acervo da Pinacoteca, especificamente nas exposições Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo, Galeria José e Paulina Nemirovsky – Arte Moderna” e Vanguarda brasileira dos anos 1960.

Durante o evento os visitantes têm acesso à Ilha de atividades, com jogos e propostas lúdicas, além de receber um guia de visita, material impresso para estimular a visita autônoma das famílias às exposições do acervo do museu. Quem quiser, pode ainda levar para casa o jogo PinaFamília, desenvolvido pelo NAE, que visa estimular a interação entre diversas faixas etárias, desenvolver a percepção, observação e argumentação lógica. Nele, os participantes associam textos e imagens, a partir das obras expostas, além de criar suas próprias imagens.

Outra atração é o espetáculo PinaCanção – uma história cantada entre pinturas, criado por Hélio Ziskind, diretor musical do programa Cocoricó, exibido na TV Cultura. Na narrativa, dois personagens se encontram na Pinacoteca e, em meio às canções, descobrem juntos tons, texturas e escalas do mundo da pintura. A apresentação, que reúne música, teatro e artes visuais, tem 40 minutos e ocorre às 15h00, no pátio da Pina Luz.

Visite

Economia criativa: cultura que transforma vidas

João Doria
Governador do Estado de São Paulo

A gestão inovadora que começamos a implantar no governo de São Paulo reconhece e valoriza uma das maiores forças econômicas do novo século: o poder da economia criativa.

Em números, estamos falando de um conjunto de atividades que envolve 100 mil empresas e instituições paulistas, gera 330 mil empregos diretos e representa 4% do PIB (Produto Interno Bruto) do estado. Metade dessa força econômica está no interior e no litoral, a outra metade, na capital, distribuindo equilibradamente o desenvolvimento da economia criativa em São Paulo.

Estudo de uma grande consultoria prevê taxas anuais de crescimento superiores a 5% nos próximos quatro anos — em alguns setores específicos, como games e “e-sports”, essa taxa pode ser três vezes mais elevada, quase 15% ao ano até 2022.

Por definição, a economia criativa está presente em dois grandes núcleos de atividades baseadas na criatividade e na imaginação. O mais conhecido é o cultural e artístico, no qual se inserem o cinema, a literatura, a música, as artes visuais e o teatro. E outro, igualmente transformador, integrado por design, moda, arquitetura, publicidade, games e gastronomia, entre outros, em que a criatividade gera produtos, serviços e agrega valor.

Para estimular essas áreas e seus profissionais, contribuindo para gerar emprego, renda e desenvolvimento, transformamos a Secretaria de Cultura do Estado em Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Estamos agora lançando dois programas: o Forma SP e o Programa de Ação Cultural, o ProAC Expresso.

O Forma SP, um programa de formação e capacitação, vai abrir as portas da economia criativa para dezenas de milhares de jovens num estado em que a recessão dos anos do PT deixou metade dos jovens sem ocupação fixa.

O ProAC Expresso terá mais recursos e menos burocracia. Vamos facilitar o acesso ao incentivo fiscal via ICMS e ampliar o fomento direto, abrangendo o conjunto do estado.

Dessa forma, vamos dinamizar esse setor e dar condições para que haja mais crescimento e uma maior oferta de serviços, que são fundamentais neste momento.

Ao mesmo tempo, vamos elevar o rigor no acompanhamento e cobrar grau de excelência no resultado. Não haverá projetos fantasmas ou superfaturados nem privilégios para projetos alinhados com ideologias.

Queremos valorizar a vocação de São Paulo para as atividades culturais e criativas. Elas estão no DNA de todas as regiões do estado. E são fundamentais para impulsionar o turismo, a tecnologia e as telecomunicações, entre outros setores.

Aos artistas e trabalhadores da economia criativa devemos o fato de a cidade de São Paulo ser o maior centro gastronômico do Brasil e o sexto maior do mundo, o maior polo de moda do continente, e ter os maiores museus e os melhores espetáculos. São ativos que atraem, a cada ano, mais de 15 milhões de turistas, nacionais e estrangeiros.

A força transformadora da economia criativa foi o que transformou um investimento de apenas R$ 3,5 milhões, a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), num evento que gera mais de 1.300 empregos diretos e indiretos e arrecada, em impostos, 40% a mais que o investimento, além de gerar um impacto econômico de quase R$ 50 milhões.

A economia criativa tem muitos outros benefícios, além de gerar empregos, renda e arrecadação. Ela qualifica as pessoas, melhora a imagem e a autoestima. E, além de tudo, gera encanto e felicidade — um conjunto de elementos fundamentais para sermos uma sociedade melhor e mais justa. Aqui, a política cultural não é gasto, é investimento. Com alto potencial de retorno econômico e institucional.

(Artigo publicado no jornal Folha de São Paulo em 18 de março de 2019)

Em dezembro, Garfield invade o MIS

No sábado, dia 1º de dezembro, o MIS preparou uma programação especial para toda a família: o Dia do Garfield, em comemoração aos 40 anos do icônico gato criado por Jim Davis. A atividade acontece dentro da programação paralela da megaexposição Quadrinhos, que traz um panorama da história das HQs no Brasil e no mundo.

O Dia do Garfield tem início às 15h, com bate-papo com dois quadrinistas, Carlos Ruas e Fábio Coala, e também Alexandre Boide, tradutor das cinco coletâneas mais recentes de Garfield lançadas pela coleção L&PM Pocket. A conversa será mediada por Yule Liberati, educadora do MIS. Após o bate-papo, haverá sorteio de exemplares dos livros do personagem editados pela L&PM Pocket.

Já às 16h, o público poderá ver (ou rever) Garfield – O Filme, longa de 2004 dirigido por Peter Hewitt. Na trama, Garfield é um gato preguiçoso que adora lasanha e tem a vida que sempre quis: come, dorme e vê televisão sempre que quer. Até que seu dono, Jon Arbuckle (Breckin Meyer), decide adotar um cachorro, Odie. Contrariado com o novo hóspede, que agora divide com ele a atenção de seu dono, Garfield inicia uma disputa particular com Odie. Porém, quando Odie é sequestrado, Garfield sente remorsos e parte para salvar o cachorro.

Para completar o passeio, o personagem estará durante a tarde no MIS para tirar fotos com os visitantes.

A entrada é gratuita – basta retirar o ingresso, que vale para as duas atividades, com 1h de antecedência na recepção.

Os visitantes podem aproveitar para conferir, na exposição Quadrinhos (entrada: R$ 14 inteira e R$ 7 meia) desenhos e tirinhas originais de Garfield, na seção América do Norte.

 

onde fica?

Espaço Café com Leite: brincadeiras e descobertas em janeiro no Museu do Café

Atividades para a criançada, de 3 a 28, animam as férias e promovem aprendizados (mais…)

Espetáculo DANÇORÁCULO é a atração de dezembro do projeto Dança no MIS

Performance propõe uma viagem ‘poético-musical-dançante’ por meio de expressões artísticas da antiguidade (mais…)

Espetáculo narra a história da escritora Conceição Evaristo na Oficina Cultural Alfredo Volpi

O trabalho tem trilha sonora ao vivo, unindo literatura e música (mais…)

Estação Cultura abre as portas no Complexo Júlio Prestes

Sede da Secretaria da Cultura do Estado passa a receber programação cultural gratuita e aberta ao público; (mais…)

Estação Cultura recebe a exposição “Memória Paulistana”

O Estação Cultura, espaço expositivo da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo localizado na sede do órgão (Rua Mauá, 51 – Luz), inaugura no dia 3 de abril, terça-feira, às 19h30 horas, a exposição “Memória Paulistana”. A mostra traz 40 telas da artista plástica Cristiane Carbone e fica em cartaz até o dia 4 de maio. A entrada gratuita.

As pinturas, em óleo sobre tela, pretendem preservar a memória e a história da maior metrópole do país. “Sempre fui apaixonada pela arquitetura paulistana”, diz Cristiane. Apesar de sua primeira obra ter sido o Museu do Ipiranga, pintado em 1996, a Estação da Luz é, segundo a artista, um dos ícones do seu trabalho. 

“A estação foi o monumento que mais me inspirou, porque quando criança, admirava sua beleza e arquitetura. Pintei ela pela primeira vez em 2001. Sinto grande necessidade de valorizar nosso patrimônio. Conhecer e reconhecer nossa história é encontrar a própria identidade.”
Cristiane Carbone
Artista

Carbone desenvolve obras sobre o tema há quinze anos. Em 2004, apresentou exposição na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, em comemoração aos 450 anos da cidade de São Paulo. No início deste ano suas telas ficaram expostas no de Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, durante o Carnaval.

Durante o período da exposição, alunos de escolas estaduais da região farão visitas guiadas e participarão de roda de conversa com a artista, onde poderão ter contato com a história da cidade por meio das obras.

Estação Cultura recebe a mostra “Memória Paulistana”

O Estação Cultura, espaço expositivo da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo localizado na sede do órgão (Rua Mauá, 51 – Luz), inaugura no dia 3 de abril, terça-feira, às 19h30 horas, a exposição “Memória Paulistana”. A mostra traz 40 telas da artista plástica Cristiane Carbone e fica em cartaz até o dia 4 de maio. A entrada gratuita.

As pinturas, em óleo sobre tela, pretendem preservar a memória e a história da maior metrópole do país. “Sempre fui apaixonada pela arquitetura paulistana”, diz Cristiane. Apesar de sua primeira obra ter sido o Museu do Ipiranga, pintado em 1996, a Estação da Luz é, segundo a artista, um dos ícones do seu trabalho. 

“A estação foi o monumento que mais me inspirou, porque quando criança, admirava sua beleza e arquitetura. Pintei ela pela primeira vez em 2001. Sinto grande necessidade de valorizar nosso patrimônio. Conhecer e reconhecer nossa história é encontrar a própria identidade.”
Cristiane Carbone
Artista

Carbone desenvolve obras sobre o tema há quinze anos. Em 2004, apresentou exposição na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, em comemoração aos 450 anos da cidade de São Paulo. No início deste ano suas telas ficaram expostas no de Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, durante o Carnaval.

Durante o período da exposição, alunos de escolas estaduais da região farão visitas guiadas e participarão de roda de conversa com a artista, onde poderão ter contato com a história da cidade por meio das obras.

Estação da Língua Portuguesa desembarca em Rio Claro

A “Estação da Língua Portuguesa”, itinerância do Museu da Língua Portuguesa, segue estrada pelo interior de São Paulo. Após atingir a marca de mais de 10 mil visitantes em Tatuí e Santos, a exposição que leva parte do acervo do Museu chega na Filarmônica Rio Clarense (Rua 5, 914 – Centro), em Rio Claro, no dia 18/5!

“A itinerância desta exposição permite que um público ainda maior viva a experiência do Museu da Língua Portuguesa e conheça um pouco mais do idioma português, um patrimônio riquíssimo e em constante transformação.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Totem, com painéis que apresentam uma prévia do conteúdo da mostra, o segmento O que nos une e o espaço Mundo Lusófono foram especialmente pensados e produzidos para essa itinerância. A mostra também conta com acessibilidade: o Mapa do Mundo possui informações sobre os países que falam português em Braille; os Vídeos Culinária e Dança têm tradução em Libras; e a Linha do Tempo e os Falares Paulistas podem ser traduzidos em Libras com o auxílio de tablets.

“É por meio da interatividade e tecnologia, som e imagem, que a exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa transmite a infinidade e riqueza da língua”, declara o arquiteto e sócio da Arquiprom, Fernando Arouca. “Temos aqui um mapa de países que falam a língua portuguesa em braille, para pessoas com deficiência visual, e também um painel em LIBRAS para quem tem limitações auditivas”, explica Marina Sartori de Toledo, coordenadora da Estação da Língua Portuguesa. Erik Klug, diretor da ID-Brasil, organização responsável pelo Museu, complementa: “Essas experiências dentro do Museu da Língua Portuguesa, com vídeos, fotos, imagens, recursos táteis, o público vai poder ter aqui, na mostra itinerante”.

A exposição gratuita ficará em cartaz até 23 de maio, às segundas, quartas, sextas e sábados, das 8h00 às 17h00; e às terças e quintas-feiras, com horário estendido, das 8h00 às 21h00. Depois de passar por Rio Claro, a mostra “Estação da Língua Portuguesa” desembarcará no Sítio do Pica Pau Amarelo, em Taubaté. São Carlos, Bauru e Presidente Prudente também estão no roteiro de viagem de 2018.

Conheça a exposição

 

A itinerância traz na bagagem conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, instituição que apresenta a Língua Portuguesa como patrimônio imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para a mostra Estação da Língua Portuguesa.

O vídeo Sotaques, com texto “O paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Essa parte da viagem está atualizada com mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos, três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da Língua Portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas.

Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele, o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura.

Toda a estrutura da exposição é transportada de uma cidade a outra em caminhões, pois a Estação da Língua Portuguesa foi projetada de maneira que possa ser desmontada e novamente aberta ao público em outro município em até sete dias.

Visite!

Estéreo MIS de janeiro traz show da banda Selvagens à Procura de Lei

Grupo de rock de Fortaleza abre a programação de 2018 do projeto de música independente Estéreo MIS

(mais…)

Exposição do Museu da Língua Portuguesa desembarca na África!

Atualmente em reconstrução, o Museu da Língua Portuguesa vai percorrer Cabo Verde, Angola e Moçambique, propondo diálogos e trocas com os falantes da língua portuguesa no arquipélago cabo-verdiano e no continente africano. A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” será realizada nas cidades de Praia (Cabo Verde), em maio, Luanda (Angola) em junho, e Maputo (Moçambique), em agosto.

O conteúdo foi organizado a partir de quatro eixos temáticos: Nós da Língua Portuguesa no Mundo, História da Língua Portuguesa no Brasil, Poesia e Prosa e Diálogos. Com consultoria de conteúdo do compositor, escritor e professor de Literatura José Miguel Wisknik, a exposição propõe um percurso pela história da língua portuguesa, o contato com outras línguas, seus destinos na formação cultural brasileira, sua presença nos ritmos e nas melodias, nas expressões culinárias e na literatura. O visitante será convidado a participar da programação cultural organizada exclusivamente para cada país, deixar seu testemunho falado e, assim, ser também parte da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa. 

“A itinerância do Museu da Língua Portuguesa é um compromisso da presidência pro tempore brasileira na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). É uma oportunidade de perceber e celebrar as diferenças e as semelhanças entre as diversas variantes que engrandecem nossa língua comum. Para o Itamaraty, a iniciativa reveste-se de especial importância pela ênfase que dá ao papel internacional da língua portuguesa, um eixo central de nossa política externa. Também nos orgulha contribuir para o enriquecimento do acervo de prestigiado museu do Brasil, que vai a Angola, Cabo Verde e Moçambique como um museu do português brasileiro, mas traz na volta todo um novo conteúdo do português africano para o Brasil”, afirma Aloysio Nunes, Ministro das Relações Exteriores do Brasil.

Percursos da exposição “A Língua Portuguesa em Nós”

 

Ao entrar na exposição, o visitante será conduzido por um passeio com curiosidades sobre os países que compõem a CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), vai descobrir as origens da Língua Portuguesa e como os idiomas vivem em constante movimento, nascem, se cruzam e se transformam.

A influência da Língua Portuguesa na diversidade da cultura brasileira será também celebrada em duas experiências audiovisuais. A Praça da Língua reproduz a experiência-símbolo do Museu da Língua Portuguesa: uma instalação audiovisual e imersiva com pérolas da criação artística em língua portuguesa, que formam um mosaico de músicas, poesias, trechos literários e depoimentos. A área Música e Culinária, por sua vez, aborda a relação entre língua, identidades e culturas. 

A exposição contempla também um espaço de convivência, com uma diversa programação cultural organizada em parceria com curadores locais exclusivamente para cada país.  Nesse espaço, o projeto Falares vai coletar depoimentos e histórias locais que farão parte do acervo do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, que está em reconstrução e tem previsão de reinauguração em 2019.

“A língua portuguesa é um patrimônio global e em constante transformação. A iniciativa de levar uma exposição do Museu da Língua para outros países reforça a importância dessa instituição, que permanece viva e promovendo atividades de qualidade mesmo durante a reconstrução de sua sede em São Paulo”, afirma Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” é uma iniciativa do Itamaraty, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho, o Museu da Língua Portuguesa e o Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com coordenação da Expomus.

Exposição interativa “5R’s da Moda” chega ao Museu Catavento

Através da exposição o público do museu poderá entender a relação de suas roupas com os impactos sociais e ambientais no planeta, além de descobrir tipos de tecidos e alternativas de consumo (mais…)

Exposição resgata a tradição de cartões natalinos na Casa Guilherme de Almeida

Na mostra estão expostos 25 cartões, entre eles, um do pintor Alberto Guignard (mais…)

Fábrica de Cultura Parque Belém recebe apresentação musical do mexicano Juan Sant

Poeta e membro da comunidade indígena dos Totonacas promove a música como meio de recuperação ao vícío de drogas (mais…)

Fábrica de Cultura Sapopemba realiza ação social para jovens da região em parceria com CIEE

Iniciativa irá oferecer também palestras e dicas sobre como se sair bem em entrevistas de emprego  (mais…)

Férias no Museu do Futebol têm brincadeiras clássicas e atividades especiais

O Museu do Futebol continua até 27 de janeiro com sua programação especial do “Férias no Museu” (de terça a domingo, das 10h às 17h, com entrada gratuita), com brincadeiras e atividades clássicas como amarelinha, dama, futebol de botão, jogo da velha, bambolê, dentre outras.

Algumas das brincadeiras têm horários definidos e acompanhamento de monitores, como Arco e Flecha, Oficina de Pipa, Circuito Treino de Futebol, Futebol de Duplas, Futebol com bexigas, Futebol de Sopro e Futebol Vendado.

No sábado dia 12/1, às 13h30, acontece a “Oficina de pebolim de mesa”, que utilizando materiais simples como papelão, cola, palitos e pregadores de roupas irá construir com os participantes seus próprios brinquedos. A oficina é gratuita e é necessário retirar senha com 30 minutos de antecedência. 

No domingo dia 13/1, às 11h30 e às 13h30, a intervenção artística “Nas abas do meu cordel” aproxima o publico da cultura brasileira. Os artistas da Cia da Matilde se misturam com seus instrumentos musicais, chamando a atenção por meio de cantigas, histórias rimadas, trava línguas e adivinhas, contando a história do cordel, de Patativa do Assaré, João Peron e outros.

Nos finais de semana, de 19 a 27 de janeiro, dois esportes de neve que gera muito interesse e curiosidade chegam ao Brasil em versões de verão: o Curling e o Bobsled. 

O Curling é um esporte tradicional dos Jogos de Inverno realizado em uma pista de gelo, em que uma série de pedras são jogadas com o objetivo de ficar mais próxima do alvo, marcado do outro lado da pista. O street curling é uma forma adaptada de se jogar este esporte em países tropicais, cujo objetivo principal é oferecer aos visitantes uma vivência e que entendam a dinâmica do esporte.

A pista montada não é de gelo, e sim de um plástico resistente. As pedras possuem uma espécie de rodinha, que facilita o deslocamento. O Street curling é um esporte inclusivo podendo ser jogado independente de limite de idade, sexo ou condicionamento físico.

O Bobsled é um trenó de gelo para quatro pessoas que desliza sobre um tobogã. No Museu do Futebol, o esporte será vivenciado virtualmente, por meio da tecnologia de óculos de realidade virtual, que proporcionará aos visitantes a imersão neste esporte dos Jogos de Inverno.

As atividades desta edição do programa Férias no Museu foram inspiradas na exposição temporária “Clássico é Clássico e Vice-Versa”, em exibição até 03/02, e que conta com patrocínio do Grupo Globo e apoio da TV Globo e do SportTV, por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Com o tema brincadeiras clássicas, as atividades ocorrem na área externa do Museu com a presença de monitores. Pebolim, futebol de botão, pula corda, jogo da velha, bambolê, futebol de dedo, ping-pong e amarelinha são algumas das brincadeiras que a criançada poderá curtir e os adultos reviverem a infância.

O acesso ao espaço “Férias no Museu” é gratuito e para visitar o Museu do Futebol é necessário adquirir o ingresso na bilheteria. Às terças, o Museu tem entrada gratuita para todos os visitantes. 

Aos finais de semana, as tradicionais atividades conduzidas pela equipe de educadores do Museu continuarão sendo realizadas: visitas mediadas, oficinas, jogos e Espaço Dente de Leite para que todos aproveitem ainda mais o passeio. Todas elas estão no site www.museudofutebol.org.br 

Se vier de carro, drible os flanelinhas. Estacione na Praça Charles Miller com Zona Azul Digital, a R$ 5 por três horas.

 

onde fica?

Ficção científica e mercado de trabalho são temas de cursos na Casa Guilherme de Almeida

Quem gosta de ficção científica não pode perder o curso gratuito que a Casa Guilherme de Almeida organizou no mês de fevereiro. Ficção científica nos anos 1960: da literatura ao cinema será realizado entre os dias 11 e 15, das 19h às 21h, e no dia 16, das 14h às 18h.

A proposta das aulas é incentivar a reflexão sobre as adaptações de importantes obras da literatura sci-fi para as telas nos anos 1960. O curso busca identificar as escolhas estéticas adotadas nas transposições desses trabalhos e também analisar o contexto sócio-histórico-cultural da época das obras. No último dia, o filme Mortos que matam (1964), de Ubaldo Ragona e Sidney Salkow, será exibido para permear a discussão. Fernando Brito e Raphael Cubakowics, ambos críticos de cinema e curadores na Versátil Home Vídeo, comandarão os debates. 

Além deste, o Museu-Casa preparou também um curso especialmente para quem atua ou deseja atuar no campo cinematográfico no Brasil. Cinema e mercado de trabalho vai de 29 de janeiro a 1º de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 16h.

As aulas serão ministradas pelo jornalista Franthiesco Ballerini e introduzirão os participantes às principais áreas de atuação no mercado de trabalho cinematográfico no país. A partir de uma visão geral do cenário audiovisual brasileiro, o aluno aprenderá a distinguir cada área de atuação, suas características principais e seus requisitos específicos. Ballerini tem quase 20 anos de experiência no mercado, com foco nos segmentos de comunicação e artes. 

Com o crescimento e popularização de grandes plataformas de streaming, as séries ganham um espaço cada vez maior na vida dos amantes da sétima arte e do audiovisual como um todo. Pensando nesse crescimento de mercado, a Casa Guilherme de Almeida realiza também o curso Escrevendo roteiros para séries. Nele, o roteirista Henrique Melhado apresenta conceitos e ferramentas básicas para escrever um roteiro audiovisual de ficção. Os encontros serão de 14 a 18 de janeiro, de segunda a sexta-feira, às 19h.

Durante uma semana, os participantes entram em contato com temas como desenvolvimento de personagens, conflito dramático, tema, estrutura de roteiro, a função de um roteirista e a formatação de um roteiro. Para explicar os conceitos, Melhado utiliza exemplos de séries, animações e filmes atuais.

Todos os cursos são gratuitos; para participar basta se inscrever pelo site do museu.

 

onde fica?

Imagine Brazil prorroga inscrições e oferece mais um prêmio

Vencedor da competição brasileira ganhará prêmio de R$ 2.000,00 (mais…)

Indivdual de Cesare Pergola no Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São Paulo exibe Deposizioni – Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio, do artista multidisciplinar italiano radicado no Brasil Cesare Pergola. A individual exibe oito obras – em técnicas de modelação digital tridimensional, desenho a tinta sobre papel e vídeo instalação espacial – e propõe uma reflexão sobre os clássicos italianos do Renascimento e do Barroco, através de uma grafia contemporânea: a linguagem wireframe da computação digital.

Ao reconstruir obras bidimensionais em modelos digitais tridimensionais, o resultado que Cesare Pergola obtém é como uma arqueologia do desenho da peça original. Nesta nova mostra temporária do MAS, o artista reinterpreta o espaço da obra e sua composição, desde a perspectiva que existe no quadro. Para isso, foram escolhidas duas telas clássicas sobre uma cena comum: Cristo morto, deposto da cruz – história bem conhecida no mundo cristão ocidental. A primeira “tela-referência” é de Jacopo Pontormo, pintura a óleo sobre madeira, datada de 1526-1528, preservada na igreja de Santa Felicita em Florença. A segunda é de Michelangelo Merisi (Caravaggio), pintado em óleo sobre tela, feito entre 1602-1604 e mantido na Pinacoteca do Vaticano.


“O primeiro é um grande desenhista, temos vários estudos preparatórios da pintura. O segundo é conhecido por desenhar pouco, quase como se ele criasse o trabalho diretamente na tela. Caravaggio usa uma composição realista de seis caracteres, apoiando-se naquele grande paralelepípedo de pedra. O Pontormo, em vez disso, compõe uma cena maneirista e completamente irreal, são onze caracteres pendurados no espaço, quase sem gravidade”
MESSAGE-ICON
Cesare Pergola
Artista

A expografia de Deposizioni – Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio apresenta três momentos distintos. No primeiro, os visitantes encontram réplicas das obras de Caravaggio e de Pontormo, em tamanho original. “No segundo momento, as duas obras são transformadas em modelos digitais tridimensionais gerados por um programa de computador que os reproduz através de uma rede de pontos. As superfícies criadas desta forma, graças a outros programas, podem receber sombreados, cores e texturas digitais e ser transformados em modelos plásticos convencionais com o uso de uma impressora 3D”, explica Luciano Migliaccio, curador da exposição.  Por fim, são expostos os desenhos feitos por Cesare Pergola, em tinta preta sobre papel, sempre em escada 1:1. “São cinco anos que trabalho sobre essa pesquisa da reconstrução digital da realidade. Os objetos da pesquisa podem mudar, mas a linguagem permanece idêntica”, comenta o artista.

Movido por um forte interesse pelas grandes obras clássicas e suas narrativas, o artista relaciona sua criação com o panorama da arte contemporânea através de uma linguagem original advinda da pesquisa constante, pelo uso de ferramentas modernas – como o computador e a videoinstalação -, além da restituição do trabalho final em seus desenhos à mão livre. Nas palavras do diretor executivo do MAS/SP, José Carlos Marçal de Barros: “Graças a essa tecnologia e ao talento de Cesare Pergola, é possível a contemplação dessas obras-primas que, como poucas, tornam real e, mais do que nunca, presente o sacrifício daquele que veio ao mundo para nos salvar”.

A exposição “Deposizioni – Arqueologia do desenho, de Pontormo a Catavaggio” fica em cartaz no Museu de Arte Sacra de 25/3 a 06/5/2018.

Inscrições abertas para cursos regulares nas Fábricas de Cultura

A programação gratuita reúne cursos de cenografia, criação teatral, escrita criativa, direção musical e muito mais (mais…)

Inscrições abertas para Painéis Digitais do Encontro Paulista de Museus

Estão abertas, de 5/3 a 20/4, aos museus de todo Estado, as inscrições para a participação nos Painéis Digitais do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM) – principal evento das instituições museológicas paulistas, organizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP). O evento acontece de 18 a 20/7, no Memorial da América Latina.

Os Painéis Digitais são apresentações em formato digital a serem exibidas em televisores espalhados pelo local do evento. Dois temas foram abertos para o recebimento de inscrições:

  1. “Democratização de processos museológicos” – com ações desenvolvidas pelos museus que contaram com a participação do público e da comunidade em seus processos institucionais (orçamento participativo, gestão colaborativa, curadoria compartilhada, identificação e/ou ressignificação do acervo, definição da programação etc).
  2. “Ações de fomento à participação” – aquelas que possibilitaram a apropriação do público e da comunidade do espaço do museu, como, por exemplo, com a realização de parcerias com escolas ou associações de bairro para a realização de evento em conjunto; mutirão com vizinhos para a realização de uma benfeitoria na vizinhança; implementação de uma horta comunitária; campanha de arrecadação de insumos etc.
“Os Painéis Digitais, além de complementarem as apresentações e temas dos Encontros Paulistas de Museus, constituem o espaço ideal para que os museus paulistas mostrem a um grande público os seus trabalhos. O objetivo é que as ideias apresentadas sirvam de inspiração para outras instituições, criando-se, assim, uma rede compartilhada de soluções”.
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP

COMO PARTICIPAR?

Para participar dos Painéis Digitais do 10EPM, os museus devem encaminhar a apresentação por meio da ficha de inscrição disponível no link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScd4iW9Czusiet7DmCNCfXyUHL6-sX2KN3SBZhogH7n3rTq_Q/viewform

Os selecionados serão divulgados em 27/04. Além disso, entre as apresentações selecionadas, até quatro de cada tema podem ser escolhidas para uma apresentação ao vivo no segundo e terceiro dias do encontro.

Detalhes para a elaboração dos Painéis Digitais estão disponiveis no link: https://www.sisemsp.org.br/epm/paineis-tematicos/. Após o 10EPM, todos serão disponibilizados no site do SISEM-SP (www.sisemsp.org.br). Dúvidas e informações pelo telefone (11) 3339-8111 e pelo e-mail sisem@sp.gov.br.

Instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa recebem doações para a Campanha do Agasalho

Pontos de coleta estão em todas as regiões da cidade, além do interior e litoral

(mais…)

IV Semana de Música de Câmara do Conservatório de Tatuí traz grupos convidados

Evento realizado entre os dias 11 e 15 de dezembro apresenta recitais especiais;

(mais…)

Jurassic Park ganha trilha sonora ao vivo no Cinematographo de janeiro do MIS

O evento acontece no dia 7/1, domingo, e os ingressos começam a ser vendidos no dia 22 de dezembro (mais…)

Legado arquitetônico de Neco Stickel ganha exposição no MCB

Mostra apresenta do aspecto processual dos desenhos a obras icônicas retratadas à mão – abertura 25/11 (mais…)

Maria Valéria Rezende vence Prêmio São Paulo de Literatura com romance Outros Cantos

O Prêmio São Paulo de Literatura anunciou os melhores romancistas de 2016 (mais…)

Mário de Andrade – 124 anos!

Casa Mário de Andrade comemora aniversário do seu patrono com apresentações de teatro, música e dança (mais…)

Memorial da Resistência abre exposição sobre as ditaduras na América Latina

“Hiatus” aponta para os dias de hoje, numa memória continuamente atualizada pelo esquecimento.

(mais…)

Mercado Manual chega à sétima edição no MCB com produtos sustentáveis

O evento conta com expositores de artesanato e gastronomia, shows e oficinas, nos dias 2 e 3 de dezembro
(mais…)

Mês da Mulher – confira a programação!

ENTREVISTAS

Daniela Alfonsi

“Machismo a gente enfrenta em qualquer área e eu acredito que o esporte é só mais uma delas”

Daniela é Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol

Elizabeth
Del Grande

“Se um homem mata um leão por dia, a gente tem que matar três"

Elizabeth é percussionista da OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

Foto: Joca Duarte

Florangel Marquez

“Uma aula particular forma uma pessoa; uma escola de música forma um indivíduo que pensa em função de todos”

Florangel é integrante da Associação de Pais e Amigos da EMESP - Escola de Música do Estado de São Paulo

Inês
Bogéa

“Me instiga a encontrar novas possibilidades de criar espaços para a dança, seja nos palcos, nas palavras ou nas imagens".

Inês é Diretora Executiva e Artística da São Paulo Companhia de Dança

Renata
Perón

“Gostaria de comemorar o Dia Internacional da Mulher ao lado de outras mulheres. Hoje, não sinto que posso fazer isso”

Renata é recepcionista na SP Escola de Teatro e também é presidente da ONG CAIS - Centro de Apoio de Travestis e Trans

Valentina
Peleggi

“Na Itália não existe feminino para a palavra maestro. Ainda é percebido como um papel masculino”

Valentina é regente em residência da OSESP


DESAFIO
LITERÁRIO 2018

Livros de Escritoras

Queremos que você conheça mais livros escritos por mulheres e, para isso, criamos esse #DesafioLiterário!

Cada círculo contém uma categoria na qual o título precisa estar contido. Convide as pessoas que você conhece para participar e veja quantos pontos cada um vai conseguir marcar.

PROGRAMAÇÃO

Museu da Imigração

Visitas educativas especiais

Sábados e domingos de março às 11h00

Durante todos os finais de semana do mês de março, às 11h, as visitas guiadas pelos educadores do Museu da Imigração abordarão a presença das mulheres na história da migração para o estado de São Paulo.

Para participar dessas atividades é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

Poesia no Concreto

11 de março

O Núcleo Educativo realiza, no dia 11/3, a atividade “Poesia no Concreto”. Nela, o público poderá questionar como as mulheres migrantes são representadas pelas mídias e quais notícias gostariam de ler sobre elas.

Para participar dessas atividades é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

Acessibilidade no local

www.museudaimigracao.org.br

Local

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)

(11) 2692-1866

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)

Casa das Rosas

Ciranda das Mulheres

Terças de março e abril às 14h00

A Casa das Rosas realiza, até 24/04, a oficina “Ciranda das Mulheres”, sempre às terças-feiras, às 14h.

Sarau das Pretas

17 de março às 19h00

Mulheres negras atuantes no cenário cultural periférico de São Paulo se reúnem no dia 17/3, sábado, às 19h, para o Sarau das Pretas.

Slam das Minas

15 de abril às 14h30

No dia 15/4, domingo, às 14h30, acontece o Slam das Minas (SP). Completando seu terceiro ano na Casa das Rosas, o Slam propõe uma batalha de poesia entre escritoras e slammers, visando garantir uma vaga feminina para a competição em nível nacional, o Slam BR.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.casadasrosas.org.br

Local

Casa das Rosas

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP
Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

Pinacoteca

Exposição "Hilma af Klint"

À partir de 03 de março

A Pinacoteca abre sua primeira exposição do calendário de 2018 com “Hilma af Klint: Mundos Possíveis”, uma mostra individual da pintora sueca Hilma af Klint, que inclui 130 obras, com destaque para a série intitulada “As dez maiores”. Realizada em 1907, é considerada hoje uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental.

#SmashtheGlass

07 de março

A Pinacoteca recebem atividades do evento #SmashtheGlass. Essa ação propõe a dar visibilidade ao assédio sexual sofrido por mulheres a partir da realidade brasileira. A roda de conversa na Pina acontece no dia 7 de março, as inscrições são limitadas e gratuitas e devem ser feitas no link: https://goo.gl/147GjD.

Os ingressos para a Pinacoteca custam R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia).

Materna em Canto

10 de março às 11h00

Sábado, dia 10/3, o museu recebe o "Materna em canto" a partir das 11h na Pina Luz (átrio – 2º andar). Fundado por Isadora Canto, esse é o primeiro e mais antigo grupo vocal composto por mães que cantam juntas transformando histórias da maternidade e celebração das dores e delícias de ser mulher em apresentação musical.

Informações

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

www.pinacoteca.org.br

Local

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000

MIS - Museu da Imagem
e do Som

Mostra Viola Davis

De 06 a 08 de março, às 18h00 e às 20h30

O MIS realiza uma mostra gratuita de filmes da premiada atriz norte-americana Viola Davis. Serão duas sessões por dia, sempre às 18h00 e 20h30.

O evento é gratuito, mas é necessário retirar ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência na recepção.

Brincando com a Tempestade

10 de março às 19h00

No dia 10 de março, a performance "Brincando com a Tempestade", da paulista Andreza Aguida, que será apresentada no Auditório MIS, às 19h00, com entrada gratuita, vai ilustrar como uma tempestade pode ser convidativa para a afirmação do poder feminino.

Informações

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 21h00 | domingos e feriados, das 9h00 às 19h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.mis-sp.org.br

Local

Museu da Imagem e do Som – MIS-SP

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)

Museu do Futebol

Visibilidade para o Futebol Feminino

01 de março a 29 de abril
Terça a sábado, das 10h às 22h
Domingos e feriados, das 10h às 18h

“Composta por 11 painéis e três vídeos com roteiro de Marcelo Duarte e narração de Claudete Troiano, a mostra foi feita especialmente para viajar para outras localidades e colaborar, assim, para tornar mais conhecida a participação feminina no futebol”, afirma Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol.

A conquistas DELAS

07 de março às 19h30

Com o objetivo de inspirar mulheres que atuam ou desejam atuar como atletas, o Museu do Futebol realiza um debate sobre a luta das mulheres nos esportes. Aline Pellegrino, Magic Paula e Fofão participam do debate intitulado "As Conquistas Delas: a história oculta das mulheres no esporte", com mediação das Dibradoras.

O evento acontece no auditório do Museu, dia 7/3, quarta-feira, às 19h30, com entrada gratuita.

Informações

R$ 12,00 | Grátis às terças-feiras

Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 18h00 (Bilheteria até às 17h00)

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

www.museudofutebol.org.br

Local

Museu do Futebol

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu,  São Paulo- SP

(11) 3664-3848

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

#SmashTheGlass

08 de março das 10h00 às 12h00

A unidade Cidade Tiradentes recebe parte da programação do #SmashTheGlass, evento realizado pelos Governos de São Paulo e do Canadá que discute o assédio sexual nos espaços públicos. A partir das 10h acontece uma roda de conversa com participação de Evelyne Coulombe, representante do consulado canadense; Lunna Rabetti, da Frente Nacional das Mulheres no Hip Hop; Renata Perón, presidente da Associação Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Sexuais (CAIS). Para moderar o evento, foi convidada Heloísa Alves, da secretaria de Desenvolvimento Social do estado paulista e ex-coordenadora estadual de Políticas para Diversidade Sexual.

Informações

Participação livre e gratuita

Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

www.fabricadecultura.org.br

Local

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 – São Paulo/SP

(11) 2556-3624

Museu Índia Vanuíre

Atividades especiais no Dia da Mulher

08 de março às 09h00

No Dia da Mulher, o Museu Índia Vanuíre realiza uma palestra destinada aos alunos de Tupã e público espontâneo, para discutir temas relacionados à importância da valorização e do respeito às mulheres. A palestra será conduzida por uma mulher ligada à defesa aos direitos das mulheres.

08 de março às 14h00

O Dia da Mulher mostra à sociedade como o gênero feminino deve ser tratado todos os dias. Neste momento, o Museu índia Vanuíre realiza um sarau com o objetivo de enaltecer e valorizar as mulheres por meio de músicas e poesias.

Informações

Ingresso voluntário

Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

Acessibilidade no local

www.museuindiavanuire.org.br

Local

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281 – São Paulo, SP

(11) 2556-3624

Museu Casa de Portinari

08 de março das 09h00 às 18h00

Em comemoração a essa data, o Museu Casa de Portinari homenageia as mulheres com a apresentação de vídeo com retratos de mulheres pintadas por Portinari.

Informações

Entrada: ingresso voluntário

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00
Acessibilidade no local

www.museucasadeportinari.org.br

Local

Museu Casa de Portinari – Brodowski

Praça Candido Portinari, 298 – Brodowski/SP

(16) 3664-4284

Oficina Cultural
Oswald de Andrade

Teatro - “Quarto 19”

09 de março às 20h00
10 de março às 18h00

“Quarto 19”, peça inspirada no conto homônimo da escritora britânica Doris Lessing, fala sobre a liberdade das mulheres na sociedade patriarcal.

Palestra A Escrita da Dança com Inês Bogéa

17 de março às 10h30

Antes do bate-papo, haverá a exibição do DVD A Escrita da Dança, produzido pela Companhia, que aborda a história da dança cênica ocidental em suas principais vertentes – clássica, moderna e contemporânea, procurando mostrar as diferentes maneiras pelas quais o corpo se organiza no espaço e as inter-relações entre esses estilos cênicos. O material faz parte de uma série produzida pela São Paulo que conta com documentário, textos e sugestões de exercícios que dialogam com os Cadernos de Arte da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo e procura estimular o conhecimento do universo da dança de maneira a apreciá-lo, refletindo e percebendo-o de forma criativa. Neste dia, os participantes também poderão assistir trechos dos ensaios na SPCD, além de receberem o DVD Escrita da Dança e certificado de participação, que será enviado por e-mail.

Teatro - "V.U.L.V.A."”

28 de março às 20h00

O espetáculo V.U.L.V.A investiga o lugar simbólico que a Vulva ocupa em nossa sociedade e se perguntar: Qual é o significado da negação de algo concreto e biológico como a Vulva? Que conhecimentos podemos obter dela? Por que os nomes usados para denominá-la geralmente são infantis e quase sempre colocados no diminutivo? Por que sempre esse movimento de diminuição?

Teatro - “6 gritos para o infinito”

28 a 30 de março às 20h00
31 de março às 18h00

“6 gritos para o infinito” é uma coreografia composta por seis histórias, contadas por seis mulheres, e tem como objetivo extrapolar os discursos e experiências de repressão ao experimentar um corpo cheio de potência, de resistência e de criação, expressando a busca da mulher pelo prazer e por seus sonhos.

Teatro - “Latinas”

30 e 31 de março às 17h00

O espetáculo “Latinas” apresenta personagens múltiplas que questionam o modelo do papel social da mulher latino-americana em São Paulo.

Informações

Entrada gratuita – é necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00

www.oficinasculturais.org.br

Local

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo – SP

(11) 3222-2662 | 3221-4704 
3221-5558 | 3222-9574 | 3222-4683

oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

Sala São Paulo

OSESP

08 e 10 de março

A Temporada Osesp 2018 – Natureza dos Sons abre oficialmente de 8 a 10/3, com a Osesp regida por sua diretora musical e regente titular Marin Alsop, apresentando a Sinfonia nº 7 de Mahler, a primeira peça que Marin regeu com a Orquestra, ainda como convidada, em 2011.

Informações

Sala São Paulo: 1340 lugares
Sala do Coro: 150 lugares

Recomendação etária: 7 anos

www.osesp.art.br

Local

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) – Sala São Paulo

Praça Júlio Prestes, 16, São Paulo – SP

Bilheteria: (11) 3223-3966
Ingresso Rápido: (11) 4003-1212

ww.ingressorapido.com.br

Theatro São Pedro

Pedro e o Lobo

10 e 11 de março às 11h00

Uma história infantil contada por meio da música. Serão duas apresentações com entrada gratuita: sábado (10) e domingo (11), ambas às 11h00. A regência é da maestrina convidada Katarine Araújo, que comanda um grupo de músicos da Orquestra do Theatro São Pedro. E o ator e palhaço Wellington Nogueira, fundador do Doutores da Alegria, será o narrador dessa história. No dia 10, o evento é realizado em parceria com a Artematriz, e faz parte da Ciclovia Musical SP 2018.

Local

Theatro São Pedro

Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda – São Paulo-SP (prox. ao Metrô e Praça Marechal Deodoro)

(11) 3661-6600 | 3667-0499 (bilheteria)

Memorial da Resistência

Sábado Resistente

10 de março às 14h00

O Memorial da Resistência realiza um encontro entre militantes feministas de diferentes gerações para debater as mudanças nas lutas das mulheres ao longo dos anos, tanto nas demandas quanto nas formas de ação, além das melhores estratégias para a conquista de direitos das mulheres.

Na ocasião, será exibido o documentário de curta-metragem “Nossa voz resiste!”, que traz a história de três mulheres brasileiras: uma comunicadora que denuncia a violência policial em sua comunidade, uma jornalista independente e uma militante que luta pela liberdade de expressão.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de quarta a segunda (fechados às terças-feiras), das 10h00 às 17h30, com permanência até as 18h00.

www.memorialdaresistenciasp.org.br

Local

Memorial da Resistência

Largo General Osório, 66 – Santa Ifigênia, São Paulo – SP

(11) 3335-4990

Biblioteca de São Paulo

Bate-papo Literário

10 de março das 14h00 às 17h00

Baseada na antologia intitulada Fantásticas, os autores Walter Tierno, Giulia Moon, Bruno Melo, Dany Fernandez, Josy Santos entre outros, .conversam sobre o protagonismo feminino na literatura e no cinema.

Clube da Leitura

29 de março às 15h00

O Clube da Leitura deste mês debate o livro "Os Contos da Aia", de Margaret Atwood, um romance distópico situado num futuro próximo, no qual uma sociedade fundamentalista cristã subjuga e explora mulheres, tirando delas seu individualismo e independência.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Acessibilidade no local

www.bsp.org.br

Local

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, São Paulo – SP
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Telefone: (11) 2089-0800 | (11) 3335-4990

Casa Guilherme de Almeida

A mulher no cinema

10 de março às 15h00
17 e 18 de março das 14h00 às 18h00

A Casa Guilherme de Almeida realiza em março duas atividades que falam sobre o papel da mulher no cinema: no dia 10/3, às 15h, acontece a palestra “Mulheres na Tela”; já nos dias 17 e 18/3, das 14h às 18h, a Casa realiza o curso “Olhar e resistência: A presença da mulher no cinema brasileiro”.

As atividade são gratuitas, mas é necessário inscrição nesse link.

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h.

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Local

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

(11) 3673-1883 / 3672-1391

Museu Afro Brasil

10,17 e 31 de março às 14h00

O Museu Afro Brasil realiza uma mediação com foco na presença das mulheres negras em seu acervo.

Neste percurso, os visitantes serão direcionados a perceber a importância e a contribuição histórica e estética de mulheres artistas, escritoras, líderes religiosas, entre outras personagens fundamentais da história brasileira.

Informações

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)
Acessibilidade no local

www.museuafrobrasil.org.br

Local

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)

Museu da Casa Brasileira

Música no MCB

13 e 18 de março às 11h00

O Museu da Casa Brasileira recebe a Orquestra Pinheiros com o show “Sophisticated Ladies”. A apresentação será no dia 11/3, às 11h00, com entrada gratuita. No dia 18/3, é a vez a Jazzmin’s Big Band, formada por 17 mulheres de diversas gerações com repertório voltado à música popular sem fronteiras.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos sábados, domingos e feriados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.mcb.org.br

Local

Museu da Casa Brasileira

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano – São Paulo-SP
CPTM Cidade Jardim (850m)

(11) 3032-3727

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)

Museu Felícia Leirner

“A história da mulher contada através da moda e das décadas”

17 e 24 de março às 10h30
18 e 25 de março às 15h30

O Museu Felícia Leirner apresenta a história da mulher, a evolução da moda, da cultura e das conquistas femininas ao longo das décadas. Imagens, curiosidades, diálogos e sensibilizações serão utilizados para que todos possam mergulhar nesse universo e conhecer um pouco mais sobre a nossa própria história!

Informações

R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia estudante e idoso) – gratuita aos domingos

Cidadãos jordanenses não pagam mediante apresentação de comprovante de residência

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

www.museufelicialeirner.org.br

Local

Museu Felícia Leirner

Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP

(12) 3662-6000

Gratuidade para mulheres no dia 8 de março (quinta-feira)

Museu Catavento

Exposição "Marie Curie"

18 de março

O Museu Catavento recebe a exposição “Marie Curie 1867-1934”, que traz os feitos da cientista que foi a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel e única a ser condecorada duas vezes - Nobel de Física, em 1903 e de Química, em 1911.

Informações

R$ 10,00 | Grátis aos Sábados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

www.cataventocultural.org.br

Local

Catavento Cultural e Educacional

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051

Biblioteca Parque Villa-Lobos

“Encontro Literário”

10 de março, das 14h00 às 17h00

Dia 10 de março, sábado, das 14h00 às 17h00, a BSP realiza o “Encontro Literário” que irá debater o protagonismo feminino na literatura e no cinema.

Para participar é necessário retirar senhas com 30 minutos de antecedência.

Clube da Leitura

23 de março às 15h00

O Clube da Leitura deste mês debate o livro "Mrs. Dalloway", um dos romances mais famosos de Virginia Woolf, que fala sobre os conflitos internos de Clarissa Dalloway, uma socialite ficcional que vive na Inglaterra pós-Primeira Guerra Mundial.

Sarau na BVL

24 de março das 12h00 às 17h00

A BVL recebe o Sarau do MISC – Manancial de Interligação de Projetos Sociais e Culturais. Desde setembro de 2012, quando nasceu o projeto, já se apresentaram mais de mil grupos e artistas periféricos em vários pontos e comunidade de São Paulo. Esta edição presta homenagem ao Dia Internacional da Mulher e terá a participação do músico Thera Blue, da Cia. Ballet Dança & Ritmo, entre outros convidados.

Slam das Minas

31 de março das 14h30 às 16h00

"Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e ao Dia da Poesia, a BVL recebe o Slam das Minas – SP, uma batalha de poetas destinada ao gênero feminino. O evento inicia com o microfone aberto e em seguida as poetas se enfrentam em três rodadas eliminatórias. Regras: somente textos autorais de até três minutos, sem objeto cênico, figurino e acompanhamento musical. O júri é escolhido na hora."

Informações

Entrada gratuita

Funcionamento: de terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Acessibilidade no local

www.bvl.org.br

Local

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros, São Paulo – SP

(11) 3024-2500

Migrantes venezuelanos são tema de exposição no Museu da Imigração

Inauguração faz parte do Programa de Seminário do Observatório das Migrações em São Paulo, que contará, ainda, com mesa redonda e lançamentos de livros

(mais…)

MIS dedica dia especial aos animais de estimação com programação gratuita

No próximo domingo, 12 de novembro, os amantes dos bichinhos têm lugar certo para passear (mais…)

MIS realiza a edição 2017 da Feira DES.GRÁFICA

O MIS, realiza anualmente a FEIRA DES.GRÁFICA, com curadoria gerl de Rafael Coutinho  (mais…)

MIS realiza mostra de filmes em homenagem a David Bowie

Sessões acontecerão no sábado, 13 de janeiro, com entrada gratuita

(mais…)

MIS realiza oficina exclusiva e gratuita de bordados inspirados em HQs

Participantes aprenderão a produzir desde os moldes até os bordados de seus personagens favoritos. A oficina, realizada pelo Educativo MIS, acontece no dia 23 de março, sábado

(mais…)

MIS realiza Semana do Terror com programação especial de cinema!

De 8 a 13 de outubro, Museu tem atrações para fãs de cinema do gênero, entre elas, Maratona Stephen King

(mais…)

MIS recebe evento especial sobre o filme “Venom”

Em parceria com a Sony Pictures Home Entertainment e com o Clube dos Vigias, o MIS promove um evento especial para comemorar o lançamento do filme Venom (2018, EUA, dir Ruben Fleischer) em Steelbook, Blu-ray e DVD. 

Pensado como uma programação voltada para as férias escolares, o evento será composto por duas exibições de Venom, em versão dublada e legendada, intercaladas por gincanas e sorteios para crianças e adolescentes. A atividade integra a programação paralela da megaexposição Quadrinhos, em cartaz no Museu até o dia 31.3. 

A atividade acontece no dia 15 de janeiro, terça-feira, a partir das 13h. A entrada é gratuita – basta retirar ingresso com 1h de antecedência na recepção do Museu. Confira a programação:

13h – Abertura sessão diurna + concurso de cosplay mirim

14h – Exibição Venom (versão dublada)

16h – Quiz e sorteios

17h – Abertura sessão noturna + Quiz e sorteios

18h – Exibição Venom (legendado)

As gincanas serão comandadas pelo fã-clube Clube dos Vigias, e incluem jogos de perguntas e respostas e concursos de cosplay. Todas as brincadeiras serão com a temática de Venom e terão premiações especiais.

 

onde fica?

MIS seleciona cinéfilos para produção coletiva de filme!

Núcleo Experimental de Cinema do MIS busca interessados na produção coletiva de um curta

(mais…)

MIS traz espetáculo multimídia Cineópera Contemporânea HawwwaH em novembro

A apresentação, que une teatro, cinema e música, tem como pano de fundo o uso da internet (mais…)

Mostra “Tarja Preta” fica até maio no Museu da Diversidade Sexual

Inaugurada em 24 de janeiro,  a exposição “Tarja Preta” é um resumo dos trabalhos da fotógrafa Vania Toledo, com fotos clicadas entre os anos 70 a 90 e também registros produzidos especialmente para a exposição, de ícones da cultura e da diversidade.

A entrada é gratuita e está no Museu da Diversidade Sexual, da Secretaria da Cultura do Estado, administrado pela organização social de cultura APAA. 

“Tarja Preta”, que conta com a curadoria de Diógenes Moura, apresenta um registro de nossa efervescência cultural – da noite LGBT, do teatro, da música, das artes em geral. Os trabalhos exibidos no museu mostram como os questionamentos comportamentais – de sexo e expressão de gênero – têm forte presença na cultura e como essa chama se mantém viva.

Entre os trabalhos selecionados para a exposição, estão retratos de grandes ícones da cultura produzidos por Vania Toledo em vários momentos de sua carreira, como os da escritora Cassandra Rios, o cantor Ney Matogrosso e o estilista Clodovil. Também foram produzidos retratos especialmente para a mostra, com personalidades que atuam em diversas linguagens na área da cultura, como Laerte, Leo Moreira, Luana Hansen, João Silvério Trevisan, As Bahias e a Cozinha Mineira, Karina Dias e Jean Claude Bernadet.

“Meu vício é gente. Gente atuante, libertária, gente que produz e faz arte, que gosta de viver como eu. Por isso ou por aquilo, sempre fotografei pessoas assim, com esse perfil”, conta Vania. “Sou contra tudo o que é muito correto, muito confortável. Minha zona de conforto é a interrogação, é procura eterna pelo novo”

Vania Toledo

“A exposição ‘Tarja Preta’ enaltece a liberdade e infinidade de possibilidades de expressões artísticas, se opondo à caretice. A tarja preta, que tanto pode ser medicamento para controlar o que se diz loucura quanto um mecanismo de censura imagética, é a barreira a ser superada, escancarando o que está por trás, que no fim das contas nada mais é do que humano”, reflete Luis Sobral, diretor da APAA.

Mostra de cinema sobre transexualidade tem participação da #CulturaSP

A partir de 28 de junho, o Museu da Diversidade Sexual, a Casa das Rosas e o Museu da Imagem e do Som – MIS, participam juntos do TRANSdocumenta, uma mostra que discutirá assuntos ligados à transexualidade. Serão documentários, debates, exposições fotográficas, entre outras atividades. O evento é parte da agenda de direitos humanos “O Mundo que Queremos”, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI), em parceria com a ONU, e da campanha “Sonhar o Mundo”, realizada pelos museus da Secretaria da Cultura do Estado.

A abertura será nesta quinta-feira no Red Bull Station. Durante o evento, além de da exposição fotográfica “Com Muito Orgulho” – já em cartaz no Museu da Diversidade -, o público terá a oportunidade de acompanhar o lançamento do projeto “Memórias da Diversidade”, apresentado por Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual. A iniciativa traz depoimentos de pessoas LGBTIs com mais de 65 anos de idade. “Desde sua primeira edição, com poucas pessoas, até se transformar na maior manifestação da população LGBT, a Parada [do Orgulho LGBT de São Paulo] mostrou que é o espaço genuíno de reinvindicação, visibilidade e celebração do orgulho. E é com muito orgulho que o Museu da Diversidade Sexual homenageia todas as pessoas que de alguma forma contribuem, organizam e participam das Paradas pelo mundo”, comenta Reinaudo.

Também participa da cerimônia, Ana Paula Fava, assessora especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo, que irá discursar sobre o tema.

Os interessados em participar da abertura devem se inscrever aqui. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas.

O objetivo da mostra é promover o diálogo e o debate abordando os desafios enfrentados pela população LGBTI+. Para isso, a programação inclui também rodas de conversas com diretores dos documentários que serão exibidos ao longo da semana, pocket shows e a feira “Ocupa Diversa”, com peças de empreendedores LGBTI+.

Entre os documentários, estão curtas e longa-metragens nacionais e internacionais – entre elas, uma produção holandesa, com direção de Daniel Abma, “Transit Havana” se passa em Cuba e conta a história de três transexuais que aguardam na fila de espera para realizar a cirurgia genital, realizada por cirurgiões europeus e organizada por Mariela Castro, filha do presidente. A Cônsul Geral Adjunta do Reino dos Países Baixos em São Paulo, Nanna Stolze, comentou sobre a importância da iniciativa e do poder de conscientização da população, por meio da arte. “Sempre procuramos formas de cooperação com Brasil na área de direitos LGBTI, que é um ponto importante na política interna e externa do governo dos Países Baixos, relata.

Confira a programação completa da mostra TRANSdocumenta:

28 de junho, quinta-feira, 19h00 às 22h00

Praça da Bandeira, 137, Centro, São Paulo

(11) 3107-5065

www.redbullstation.com.br

 

Abertura oficial da Mostra TRANSdocumenta

 

  • Exposição de fotografias Com Muito Orgulho, do Museu da Diversidade Sexual
  • Exibição do documentário “Estamos Todos Aqui” e conversa com os diretores

O curta de ficção abrange a questão da transexualidade, além de explorar a realidade dos moradores das favelas usando a personagem Rosa Luz como líder da Favela da Prainha, litoral sul de São Paulo. O papel de Rosa permite esclarecer os constantes desafios de discriminação sexual que tentam superar pessoas LGBTs de periferias do Brasil. Duração: 22 min | Direção: Chico Santos e Rafael Mellim (Brasil) | Classificação: 12 anos

  • Lançamento do projeto Memórias da Diversidade

Coquetel com pocket show

Estação República do Metrô – piso Mezanino

Rua do Arouche, 24, República – São Paulo

(11) 3882-8080

www.mds.org.br

 

29 de junho, sexta-feira

16h00 – Exibição do documentário “Last chance” (Última Chance)

Este documentário conta a história de cinco pessoas que buscam por asilo e fogem de seus países de origem para escapar da violência LGBTfóbica. Eles enfrentam obstáculos para chegarem até o Canadá, temem deportação e aguardam ansiosamente uma decisão que irá mudar suas vidas para sempre. Duração: 84 min | Direção: Paul-Émile d’Entremont (Canadá) | Classificação: 14 anos

18h00 – Exibição do documentário “Quarto Camarim”

O documentário apresenta a busca da diretora por a sua tia transexual depois de 6 anos sem contato. Desenvolvendo a temática da comunidade LGBT no papel da tia, o roteiro lida as ideias sociais e políticas que envolvem a controvérsia e os preconceitos da transexualidade com uma abordagem artística e familiar. Duração: 101 min | Direção:  Fabrício Ramos e Camele Queiroz (Brasil) | Classificação: 12 anos

 

30 de junho, sábado

16h00 – Exibição do documentário “Meu Nome é Jacque”

O documentário apresenta a história de uma mulher transexual lidando com a AIDS há mais de 20 anos. Reflete as questões da transfobia e da exclusão social contra as quais a protagonista luta. A diretora tentou expor a realidade da comunidade LGBT esforçando-se para quebrar os paradigmas usando o exemplo pessoal da ativista Jacque. Duração: 72 min | Direção: Angela Zoé (Brasil) | Classificação: 12 anos

18h00 – Exibição do documentário “Auf der anderen Seite” (Do outro lado)

Inicialmente, Nejat (um personagem andrógino) não aprova o relacionamento de seu pai com a prostituta Yeter, o que muda quando ele descobre que o pai envia constantemente dinheiro para a Turquia no intuito de pagar os estudos da filha dela, Ayten. Nejat cresce apaixonado por Yeter, mas sua repentina morte faz com que ele se afaste de seu pai. Nejat decide ir a Istambul para procurar Ayten, descobrindo que ela se tornou uma ativista política e está na Alemanha. Duração: 120 min | Direção: Fatih Akin (Alemanha) | Classificação: 12 anos

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP

Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

www.casadasrosas.org.br

 

01 de julho, domingo

13h00 – Exibição do documentário “Meu Corpo é Político” e conversa com a diretora Alice Riff

Vivenciado o dia a dia ao lado de diversos ativistas LGBTs moradores das periferias de São Paulo, o documentário faz um panorama do contexto social em que os personagens estão inseridos. Além disso, levanta questões sobre a população trans no Brasil e suas disputas políticas. Duração: 72 min | Direção: Alice Riff (Brasil) | Classificação: 12 anos

16h00 – Exibição do documentário “Transit Havana

Em Havana, as transexuais Odette, Juani e Malú aguardam cirurgia genital – realizada por cirurgiões de primeira linha e organizada pela filha do presidente, Mariela Castro. Novas possibilidades enfrentam problemas antigos: as pessoas trans cubanas encontrarão felicidade apesar da intolerância, pobreza e prostituição? Duração: 86 min | Direção: Daniel Abma (Holanda) | Classificação: 18 anos

 

05 de julho, quinta-feira

20h00 – Exibição ao ar livre do documentário “My prairie home” (Meu Lar nas Pradarias)

Neste documentário-musical feito por Chelsea McMullan, a pessoa não-binária de gênero fluído cantora indie Rae Spoon nos leva em uma viagem lúdica, meditativa e melancólica, às vezes. Com imagens majestosas das expansões infinitas das pradarias canadenses, o filme apresenta Spoon cantando sobre seu amadurecimento de gênero e musical. Entrevistas, performances e sequências musicais revelam processo de inspiração de Spoon de construir uma vida própria, como uma pessoa trans e como músico. Duração: 77 min | Direção:  Chelsea McMullan (Canadá)

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

www.mis-sp.org.br

 

09 de julho, segunda-feira

Auditório

Exposição de fotografias COM MUITO ORGULHO, mostra do Museu da Diversidade Sexual

14h00 – Exibição do documentário “Transit Havana”

16h00 – Exibição do documentário “Estamos Todos Aqui”

17h00 – Exibição do documentário “Auf der anderen Seite” (Do outro lado)

18h30 – Exibição do documentário “Bicha Preta”

Bicha Preta aborda os aspectos socioculturais que auxiliam na marginalização da negritude, especificamente em relação ao indivíduo homossexual e contribui relatando a diversidade de expressões e lutas dentro de um mesmo movimento, trazendo a público nova reflexões e deixando marcado na história, vivências antes nunca documentadas. Duração: 23 min | Direção: Thiago Rocha | Classificação: 12 anos

 

Área externa

12h00 às 18h00 – Feira de expositores LGBTI+ e pocket shows

Onde

Muita música e dança em Cidade Tiradentes nesse sábado!

Que tal um sábado cheio de música e dança? No próximo sábado, dia 19/5, o projeto “SP Cultura na Rua” leva apresentações gratuitas para o coreto da Av. dos Metalúrgicos, em Cidade Tiradentes! A partir das 15h, o público poderá conferir o som do músico Marcelo Gross, da banda Picanha de Chernobill, da dupla sertaneja Evelyn & Isabela e assistir o grupo de dança Just Dance Team.

 

Conheça os artistas!

Marcelo Gross, ex-guitarrista da banda Cachorro Grande, vai apresentar o show de lançamento de seu novo álbum duplo “Chumbo & Pluma”, que mistura o acústico e o rock’n’roll e inclui músicas de seu primeiro disco solo “Use o Assento para Flutuar”.

A dupla sertaneja Evelyn & Isabela está na estrada há dois anos apresentando músicas que expressam sentimentos. Já se apresentaram na Fábrica de Cultura Vila Curuçá e em diversos bares da cidade.

Picanha de Chernobill, consagrada banda de urban rock’n’roll com influência de blues, folk e música brasileira, formada pelos músicos gaúchos Matheus Mendes, Chico Rigo e Leonardo Ratão, foi premiada como melhor banda independente no Sul pela marca Polar e já realizou mais de 600 shows, incluindo turnê pela Europa em 2017 (França, Bélgica e Alemanha).

Just Dance Team é um grupo formado por dez professores de dança da região do Itaim Paulista que apresentam coreografias de diversos ritmos. Desde 2016, o grupo vem realizando apresentações nas Fábricas de Cultura da Zona Leste da cidade.

Museu Afro Brasil oferece programação em homenagem ao mês da Consciência Negra

No mês de novembro, o Núcleo de Educação realizará ações articuladas à programação cultural do MAB (mais…)

Museu Casa de Portinari participa da ação Sonhar o Mundo

Atividades serão de 6 a 9 de dezembro com entrada gratuita
(mais…)

Museu Catavento participa da 4ª edição da Corrida e Passeio Circuito Rios e Ruas Caixa

No dia 17 de dezembro, o Museu Catavento, participará da 3ª etapa da 4ª edição da Corrida e Passeio Circuito Rios e Ruas Caixa.
(mais…)

Museu da Casa Brasileira leva diversidade de seu acervo para a SP-Arte

De 11 a 15 de abril, o Museu da Casa Brasileira, participa da 14ª edição da SP-Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo -, mais importante evento do setor na América Latina, com a participação de galerias expoentes no mercado das artes provenientes de 16 países. O Museu estará presente no segmento da feira dedicado especificamente ao design, no terceiro andar do pavilhão, onde estarão 33 expositores, entre lojas especializadas, antiquários e designers independentes.

Durante os cinco dias do evento, o MCB apresentará em seu estande oito peças representativas da diversidade tipológica e temporal de seu acervo, que contempla mobiliário e utensílios contemporâneos, modernos e históricos. A seleção expressa o esforço de requalificação da coleção que vem sendo feito nos últimos anos, por meio da implementação de uma Política de Gestão de Acervo embasada, na qual a instituição estimula doações da sociedade civil; algumas das peças recebidas estarão expostas no espaço. Futuras doações ao Museu poderão ser realizadas a partir do projeto “Amigos do MCB”, em processo de implantação neste ano.

Em parceria com a Dpot, haverá ainda uma sala de estar onde o MCB acolherá os visitantes da feira, composta por cinco peças selecionadas em diversas edições do Prêmio Design que continuam em produção e comercialização, além de cinco trabalhos escritos e três exemplares de diferentes categorias e colocações, representando a 31ª edição da premiação, realizada em 2017.

Catálogos do MCB estarão disponíveis para retirada com valor sugerido para doação. A Editora Olhares estará presente vendendo o livro “Prêmio Design Museu da Casa Brasileira – Trinta Edições”, editado em parceria com o museu, além de títulos que foram finalistas ou premiados no Prêmio Design, ou lançados no MCB.

Museu da Imigração tem programação especial de férias

Atividades são gratuitas e voltadas para famílias e crianças de diferentes faixas etárias (mais…)

Museu da Língua Portuguesa seleciona artistas e educadores para programação cultural

Edital vai definir atrações e atividades do Dia Internacional da Língua Portuguesa, que se realiza em maio. Inscrições podem ser feitas até 10 de abril

(mais…)

Museu de Arte Sacra de São Paulo destaca a arte plumária indígena em sua primeira mostra de 2018

“Urubu Ka’apor” exibe adornos e objetos litúrgicos e cerimoniais de várias etnias brasileiras.

(mais…)

Museu de Arte Sacra inaugura “Os Artesãos e seus Presépios”

Como parte da tradicional exposição anual de presépios do MAS-SP, trabalhos de 14 artesões são exibidos no MAS  (mais…)

Museu de Arte Sacra inaugura duas novas exposições!

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS-SP inaugura sua tradicional mostra de presépios, este ano composta por duas exposições simultâneas. “È Nato Gesù” entra em cartaz no espaço do MAS-SP e apresenta o trabalho do presepista italiano Ulderico Pinfildi por meio de um vídeo, de peças que compõem as cenas mais importantes dos presépios napolitanos, e da exibição de projeção 3D, em tamanho real, do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino. 

Em “È Nato Gesù”, o público visitante passa a conhecer o minucioso trabalho de Ulderico Pinfildi. Criado ao redor do ateliê de seu pai, ceramista, mestre em cerâmica esmaltada, aprendeu desde cedo o ofício da faiança e da cerâmica, o que lhe foi extremamente útil quando se viu apaixonado pela arte dos presépios.

Para a exposição, Ulderico Pinfildi apresenta um vídeo que trata das várias fases de realização de suas peças, contextualizando personagens e origens. Em seguida, o espectador é levado a um percurso que exibe as principais cenas do presépio napolitano – Annuncio Alla Madonna, Annuncio Al Pastori, Pastori In Cammino, Gruppo Delle Procidane, Gruppo Delle Calabresi, Gruppo Di Famiglia Con La Giumenta, Pastori Con Doni e Mestieri, Tarantella, More Nobili, Suonatori Orientali, Re Magi Di Cui Uno a Cavallo, Gloria Degli Angeli e La Natività -, em meio às figuras criadas pelo artista conforme técnicas operacionais dos artesãos do século XVIII. Tais figuras, ou “pastores”, são produzidas com diversos materiais: “a cabeça é feita de terracota, os olhos são de vidro e se aplicam com estuques, e finalmente, mãos e pés são geralmente de madeira. Para pintá-los usam-se pigmentos e cores que se referem a esses diferentes materiais. Antigamente utilizavam-se os óleos, ou outros tipos de pigmentos com cola. Atualmente utilizo os acrílicos (…)”, explica o artista. 

“Ao visitar os museus e, principalmente, o Museu de San Martino, nasceu essa admiração por essas figuras fascinantes. Os meus estudos se tornaram cada vez mais sérios e profundos: tive que estudar anatomia, primeiramente a do rosto, depois a do corpo inteiro, que me permitiu realizar figuras inteiras, nuas, que na nossa área chamam-se ‘academia’, e esculturas também de grandes dimensões.”
Ulderico Pinfildi

Ulderico Pinfildi ainda destaca a importância do vestuário desses “pastores”, uma vez que o presépio napolitano é único no seu gênero e desenvolveu-se nos tempos dos Bourbons, no Reino das Duas Sicílias. “Por esse motivo, os trajes dos pastores são os trajes que eram realmente usados pelo povo do Reino. Eu realizo um trabalho de profunda pesquisa iconográfica para reproduzir aquele gênero de trajes, porque nas várias áreas de Nápoles e redondezas da cidade, eram usados trajes diferentes. Por exemplo, a ‘procidana’, isto é, o habitante de Prócida vestia um riquíssimo traje de origem grega; em Ischia, por outro lado, usava-se outro tipo de traje; em Santa Lucia, uma zona de Nápoles perto do mar, havia a ‘Luciana’, que usava outro tipo de traje; nas zonas internas, a mulher usava um tipo de vestido mais diferente ainda. Portanto, o presépio é rico dessas figuras diferentes”. Em suas figuras, os trajes são confeccionados por meio das mesmas técnicas utilizadas antigamente, feitos à mão e com uso de sedas. 

Por fim, em “È Nato Gesù”, o visitante pode conferir a projeção 3D do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino, que tem como característica principal o movimento.

“A sua criação está sempre in fieri (em andamento), pois é uma prerrogativa de quem organiza o presépio compor como preferir as cenas, mudar de lugar animais e objetos de acordo com a necessidade, vestir as estátuas (sejam elas humanas ou angelicais) e colocá-las nas posições mais variadas, iluminar ou colocar, mais sombra, tudo com o objetivo de condicionar as sensações de quem olha. Ao espectador cabe participar e se emocionar com esse jogo, mais mental do que manual, cujo objetivo é o de criar com as próprias mãos uma realidade inexistente.”
Ileana Creazzo
Curadora da Seção do Presépio do MAS-SP

Já a mostra “Os Artesãos e seus Presépios II” apresenta, na Sala MAS-Metrô Tiradentes, o trabalho de 15 artistas paulistas selecionados por meio de edital da SUTACO – Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades. Nesta mostra, o visitante pode contemplar peças em técnicas de modelagem, pintura, esmaltação e queima, marcenaria, escultura em madeira, com reutilização de resíduos têxteis, trançado e tingimento em palha de milho, reciclagem de papel e torção em metal. Nos dizeres de Marlene Augusta dos Santos, subsecretária substituta da SUTACO: “Essa exposição tem como objetivo mostrar como os artesãos paulistas homenageiam a chegada do Menino Jesus com figuras tradicionais e também de forma inovadora, difundindo a cultura popular”.

Onde fica?

Museu do Café promove exposição sobre café e folclore caipira em Garça

De 1º a 30 de novembro, a mostra ficará em cartaz na Galeria Municipal Edith Nogueira (mais…)

Museu do Futebol promove Encontro de Colecionadores de Figurinhas

A Copa do Mundo de 2018 está chegando e com ela um momento igualmente aguardado por muitos torcedores: o lançamento do álbum de figurinhas oficial do evento! E foi pensando nesse público que o Museu do Futebol, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, realizará, nos dias 31 de março e 1º de abril, seu primeiro Encontro de Colecionadores de Figurinhas.

 

Foto: Álbum de figurinhas / Divulgação

O evento será realizado na área externa do museu, na fachada do Estádio do Pacaembu, entre 10h00 e 17h00, e terá entrada gratuita. A comercialização de itens no local é proibida, já que o objetivo do encontro é promover a troca de itens e a aproximação de pessoas que compartilham dessa paixão.

 

“Nas Copas passadas, abrimos nosso espaço para a troca de figurinhas ligadas ao Mundial. O evento agora será mais amplo, unindo coleções de todos os tempos”

Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol. 

 

Grupos que já se encontram no Estádio do Pacaembu foram convidados a integrarem o evento. Além das trocas, um totem digital trará reproduções de álbuns de figurinhas históricos presentes no acervo do Museu do Futebol, oriundos da coleção de Moacir Peres, maior colecionador de álbuns do país. O evento pretende, portanto, reavivar a paixão pelas figurinhas, presente no Brasil desde os anos 1930.

 

Curiosidades sobre álbuns de figurinhas no Brasil

  • O primeiro álbum sobre Copa do Mundo lançado no Brasil foi em 1950, editado na coleção “Balas Futebol”.
  • Antes desse período, a fábrica lançava figurinhas avulsas com rostos de jogadores nas “Balas Sportman”, cujo primeiro exemplar saiu em 1921.
  • A primeira figurinha que se tem notícia no Brasil data de 1919, com o rosto de Amílcar Barbuy, um dos primeiros craques da história do Corinthians, publicado pela “Grechi Comp.”, fábrica de doces.
  • Pelé aparece em figurinha pela primeira vez em 1957, em álbum das “Balas Futebol”
  • O primeiro álbum oficial de Copa do Mundo, lançado pela Panini, foi em 1970. Desde então, a empresa italiana tem a exclusividade dos álbuns do evento.
  • Já o primeiro álbum oficial da Copa do Mundo de futebol feminino ocorreu somente em 2011.
  • As figurinhas autocolantes foram lançadas em 1971, no álbum da Panini sobre o campeonato italiano.
  • Por dia, são impressas 25 milhões de pacotinhos de figurinhas pela Panini.

Museus da Secretaria da Cultura do Estado participam do Festival “Que Bom Retiro”

 Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca do Estado e Memorial da Resistência participam do festival com programação gratuita

Entre os dias 18 e 21 de outubro, o Museu da Língua Portuguesa, a Pinacoteca de São Paulo, e o Memorial da Resistência, instituições da Secretaria da Cultura do Estado, irão promover atividades dentro da programação do “Que Bom Retiro – 2º Festival de Rua do Bom Retiro”. Com mais de 40 atividades gratuitas em vários locais do bairro, o festival reúne diversas atrações voltadas às crianças, seminário sobre educação e migração, visitas a museus, roteiros pelas ruas, oficinas, apresentações artísticas, cinema a céu aberto e rodas de conversa sobre a região.

(mais…)

Músico francês Jacques Figueras realiza workshop no Polo Regional São José dos Campos

Como ensinar jovens músicos a profissionalizar suas carreiras? Esse é o objetivo do workshop. (mais…)

Nos 50 anos da morte de Martin Luther King, resistência negra é debatida no Memorial da Resistência

No dia 14 de abril, às 14h00, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizará mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O evento lembrará a trajetória e luta de Martin Luther King Jr., assassinado há 50 anos.

O pastor protestante Martin Luther King Jr. ficou conhecido como uma das principais vozes do movimento pelos direitos civis da população negra nos Estados Unidos. Com um discurso pacifista, organizou diversos protestos e greves, incluindo a famosa marcha de 1963 em Washington, onde proferiu o discurso “I have a dream”. Por seu trabalho de combate ao racismo de forma não-violenta, recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1964. Quatro anos depois, em 4 de abril, foi assassinado.

Esta edição do Sábado Resistente irá lembrar a figura do ativista e traçar um paralelo entre seu discurso e a luta da militância negra nos dias atuais, de modo a compreender seu legado e pensar nas estratégias para os desafios que persistem, principalmente no Brasil.

 

 

 

Programação

 Marília Bonas (Memorial da Resistência de São Paulo)

Oswaldo Santos Jr. (Núcleo de Preservação da Memória Política)

Mesa Redonda com os pesquisadores:

Anderson França é empreendedor social, maker, escritor e facilitador. Fundou o Centro de Inovação Popular do Rio de Janeiro, além de ser CEO da Dharma ACC e fundador da Universidade da Correria. Suas iniciativas tem como foco o subúrbio do Rio de Janeiro, desenvolvendo projetos culturais e de vetor econômico nos territórios populares. É TEDxster e realizador do TEDxMaré.

 

Caróu Oliveira: Graduada em história pela Universidade de São Paulo com ênfase em história contemporânea, cofundadora do projeto História da Disputa: Disputa da História; Pesquisadora de História negra e movimentos sociais.

 

Fagner Pereira dos Santos: Teólogo pela Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo, Pastor na Comunidade de Jesus em São Bernardo do Campo e pesquisador na área de Direitos Humanos e Movimentos Sociais.

 

 

Maria Clara Sampaio: é graduada, mestre e doutora em História pela USP, com parte da pesquisa feita na Yale University (nos EUA). Atualmente é professora na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, onde ensina, orienta, pesquisa e milita em prol de causas relacionadas aos conflitos de terras, de reconhecimento de terras indígenas e quilombolas e em organizações estudantis pela igualdade de tratamento e oportunidades para mulheres e estudantes pertencentes à comunidade LGBT.

Como fechamento desta edição haverá umdebate sobre o tema

Nota – Teatro Sérgio Cardoso

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa lamenta a queda de parte da fachada do Teatro Sérgio Cardoso e informa que ainda está em vigor a garantia da reforma realizada em 2014. A empresa responsável foi notificada. Providências imediatas para apuração de responsabilidades, avaliação de riscos e realização de reparos e contenções foram tomadas. Como medida preventiva, o teatro foi temporariamente fechado, por recomendação da Defesa Civil de São Paulo. A obra emergencial será iniciada assim que possível. Felizmente não há feridos.

Nota de esclarecimento – Pontos de Cultura

A Comissão de Seleção do Edital Pontos de Cultura, número 49/2018, se reuniu na última sexta-feira (28/6) e decidiu, por unanimidade, referendar o relatório da força-tarefa criada nesta gestão pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo com o objetivo de apurar irregularidades no processo. Com isso, e em acordo com o Ministério da Cidadania, será possível dar continuidade ao Edital, nos seguintes termos:

• As 117 entidades consideradas regulares não precisarão reapresentar documentos.

• Às entidades consideradas irregulares será aberto prazo para exercício do direito ao contraditório e à ampla defesa, de acordo com a Lei 10.177/98 e o Edital nº 49/2018, com notificação individual e comunicado oficial a ser publicado no Diário Oficial do Estado.

• O pagamento dos membros da Comissão de Seleção será realizado em até sete dias úteis.

A reunião da Comissão ocorreu por decisão conjunta do Ministério da Cidadania e desta Secretaria, considerando o Inquérito Civil aberto pelo Ministério Público Estadual para apurar irregularidades no Edital e o teor do relatório da força-tarefa, que revisou os contemplados no concurso e identificou que, das 406 entidades homologadas no dia 27/12/2018, somente 117 possuem registro da documentação completa. Entre as demais, 253 não atenderam a todas as exigências na fase de documentação complementar, 11 na fase de habilitação e 21 em ambas as fases, além de 4 terem sido consideradas inabilitadas por não poderem se inscrever, segundo as normas do Edital.

A Secretaria abriu um processo interno para identificar os responsáveis pelas irregularidades constatadas. Esta gestão reafirma seu apoio à investigação conduzida pelo Ministério Público e seu compromisso com a transparência e ética. Também reforça seu apreço pelo programa Cultura Viva.

Nota de esclarecimento – Pontos de Cultura

Sobre o Edital Pontos de Cultura, número 49/2018, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa informa que, após a revisão do resultado homologado em 27/12/2018 pela equipe da Força-Tarefa constituída para este fim e a validação de seu relatório final pela Comissão de Seleção, foram publicadas no último sábado (20/07), no Diário Oficial do Estado, as providências necessárias para que as etapas seguintes possam acontecer, conforme abaixo:

1) As entidades e coletivos com irregularidades na fase de habilitação terão 15 dias, a partir de 22/07/2019, para apresentação de defesa.

2) As entidades e coletivos com irregularidades na fase de documentação complementar terão cinco dias, a partir de 22/07/2019, para a entrega da documentação faltante.

3) Os 406 coletivos e entidades homologados no processo serão informados e notificados individualmente acerca dos detalhes de sua situação através dos contatos informados na ficha de inscrição do Edital.

4) Em caso de dúvidas, os interessados devem entrar em contato por meio do email do programa (editalpontosdecultura@sp.gov.br).

Nota de esclarecimento – Pontos de Cultura

Sobre o Edital de Pontos de Cultura, número 49/2018, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo informa que:

1)  Após publicação da listagem de entidades com irregularidades na fase Documentação Complementar e na fase Habilitação, e esgotados os prazos de recurso, a equipe da Secretaria realizou análise e publicou no Diário Oficial do Estado, em 17/08/2019, a lista das entidades e coletivos que continuavam com pendências quanto à documentação complementar ou que encontravam-se em situação de inadimplência. Tais entidades tiveram cinco dias corridos para regularização.

2) Em 14/09/2019, foi publicado em Diário Oficial o resultado do procedimento de invalidação dos atos administrativos da fase de Habilitação, com prazo de 15 dias para apresentação de recurso, contados a partir de 16/09/2019.

3) As próximas etapas do processo seguem o cronograma abaixo:

Ação Período Data encerramento
Prazo facultado para apresentação de defesa – FASE HABILITAÇÃO  

15 dias corridos

*Contados a partir de 16/09/2019

30/09/2019
INÍCIO da fase de avaliação das defesas apresentadas  

15 dias úteis

*Contados a partir de 30/09/2019

19/10/2019
PUBLICAÇÃO do RESULTADO FINAL no Diário Oficial do Estado 22/10/2019 22/10/2019
 

INÍCIO da fase dos pagamentos

30 dias 23/10/2019-23/11/2019

 

Obra sustentável: madeira certificada chega ao Museu da Língua Portuguesa para reconstrução da cobertura

No total, serão 67 m3 – o correspondente a 89.150kg – de madeira certificada proveniente da Amazônia (mais…)

Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe mostras de dança e teatro

Quem gosta de teatro e dança não pode perder os espetáculos gratuitos que serão sediados na Oficina Cultural Oswald de Andrade, nos meses de novembro e dezembro. A 5ª Mostra Experimental de Dança, realizada pelo Núcleo Luz, apresentará 16 trabalhos dos aprendizes, nos dias 30 de novembro, às 20h, e 1º de dezembro, às 18h. Já a Mostra de Teatro e Dança do Programa de Qualificação em Artes, que será entre 5 e 8 de dezembro, oferecerá 12 atividades para o público, entre elas oficinas e apresentações. Para assistir aos espetáculos basta retirar os ingressos com uma hora de antecedência e para participar das oficinas é só se inscrever conforme ordem de chegada.

A 5ª Mostra Experimental de Dança é fruto de investigações compositivas dos 20 aprendizes do Ciclo II – programa de formação em dança do Núcleo Luz –, que agora iniciam o protagonismo de suas trajetórias artísticas. Os 16 trabalhos, entre eles solos, duos e quartetos, têm diferentes temas; tratam de memórias, manifestos e inquietações dos jovens dançarinos, originando uma mostra de dança eclética, que contém múltiplos olhares, poéticas e sentidos.

Já a Mostra de Teatro e Dança do Programa de Qualificação em Artes tem como proposta apresentar um pouco da cena do interior de São Paulo, a partir das criações de grupos e artistas orientados pelo Programa de Qualificação em Artes. Os espetáculos tratam de abuso físico e psicológico, desigualdades, padrões sociais, crenças religiosas e até a percepção da realidade. As oficinas são focadas nos processos de criação, linguagem corporal, improvisação e reflexões artísticas. Os curadores Ismael Ivo e Sérgio Ferrara compuseram uma programação com diversidade de temas e linguagens, que foram produzidas ao longo dos processos de orientação artística deste ano, resultando numa Mostra potente e vibrante.

Entre os destaques da programação da Mostra de Teatro e Dança, estão a peça Esta propriedade está condenada, do Grupo Evoé de Teatro, de Juquiá; e o espetáculo Ostra, do Núcleo Experimental de Dança Teatro, de São José dos Campos. A peça, que será no dia 5 às 20h, trata da Grande Depressão de 1929: a quebra da Bolsa de Valores em Nova York arruinou a vida de famílias inteiras, que foram tomadas pelo abandono, abusos e exploração. Mas a jovem Willie, uma sobrevivente em meio ao caos, tem o coração cheio de sonhos. Já o espetáculo de dança, que será no dia 8 às 18h, é um diálogo entre poesia e teatro. Essa fusão artística causa um estranhamento e uma aproximação, como no mundo contemporâneo de identidades mescladas, mestiças e híbridas. A apresentação trata do corpo, do poético, da criação e das palavras.

onde fica?

Ópera de Mozart La Clemenza di Tito é a primeira montagem do Theatro São Pedro em 2019

Com direção musical do maestro alemão Felix Krieger e concepção, encenação e iluminação de Caetano Vilela, ópera estreia dia 26 de abril; Ingressos custam até R$ 80 e começam a ser vendidos em 27 de março

(mais…)

Orquestra Jovem do Estado recebe o pianista Ricardo Castro em dois concertos

Orquestra toca sob a regência de Cláudio Cruz e solos de Ricardo Castro, em São Paulo e Ribeirão Preto. (mais…)

Palestra com Ugo Giorgetti discute atuação para o cinema

O renomado cineasta será recebido na Casa das Rosas para um debate sobre a linguagem cinematográfica (mais…)

Participe do Encontro Tira-Dúvidas do ProAC Editais

No dia 7 de maio (segunda-feira), a partir das 14h00, a Secretaria da Cultura do Estado realiza Encontro Tira-Dúvidas voltado para novos proponentes interessados em esclarecer dúvidas sobre a elaboração de projetos do ProAC na modalidade Editais.

O Tira-Dúvidas terá como foco os novos editais lançados e serão apresentadas dicas para quem fará a inscrição de seus projetos pela primeira vez. O encontro será no auditório da sede da Secretaria (Rua Mauá, 51, 1º andar – Luz – São Paulo-SP).

As inscrições devem ser feitas pelo formulário disponível no site do ProAC http://www.proac.sp.gov.br/. O número de inscrições é limitado.

ProAC Editais

O ProAC está com inscrições abertas para 31 editais nas áreas de Economia Criativa, Saraus Culturais, LGBT, Teatro, Dança, Música, Artes Cênicas, Festivais, Artes Visuais, Circo, Museus e Culturas Populares, Tradicionais, Indígenas e Negras. Os prêmios variam entre R$ 15 mil e R$ 180 mil. Todos estão disponíveis no site do ProAC.

SERVIÇO – Tira-Dúvidas ProAC Editais

Data: 7 de maio, segunda-feira

Horário: 14h00

Local: Auditório da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Endereço: Rua Mauá, 51, 1º andar – Luz – São Paulo-SP (próximo das Estações da Luz e Júlio Prestes)

Pinacoteca de São Paulo lança novos produtos para o Natal

Loja está de cara nova com itens inspirados em obras do seu acervo – opções para presentear neste Natal 

(mais…)

Pinacoteca exibe ao público quatro novas aquisições de seu acervo de arte contemporânea

Obras dos brasileiros Marcius Galan, Regina Parra, Débora Bolsoni e Matheus Rocha Pitta poderão ser vistas em diálogo com a exposição de longa duração do acervo do museu (mais…)

PINATRILHOS: Jogo interativo transforma a cidade em um grande tabuleiro

Pinacoteca em parceria com o Metrô, a CPTM e a ViaQuatro, lançam jogo sobre seus acervos artísticos (mais…)

POW3R – Mulheres na tecnologia, nos negócios e na política

Esses e outros desafios enfrentados pela mulher no mercado de trabalho ganham um evento inédito (mais…)

Prêmio Mario Covas destaca iniciativas de gestão pública em benefício dos cidadãos

24 trabalhos finalistas participam da 12ª cerimônia de entrega do Prêmio, que acontece no Theatro Municipal  (mais…)

Procedimento para solicitação de Certificado de Reconhecimento de Instituição Cultural – CRIC

Instituições que queiram receber o Certificado de Reconhecimento de Instituição Cultural – CRIC devem apresentar requerimento no setor de protocolos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Rua Mauá, 51 – Luz), atendendo à seguinte documentação:

A solicitação será analisada pela Consultoria Jurídica da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Após aprovação, a Assessoria Técnica realizará a emissão do certificado.

O CRIC tem validade de 01 (um) ano e a sua renovação deverá ser requerida 03 (três) meses antes do término do período de sua validade.

Programa Museu Subterrâneo oferece visitas orientadas ao acervo de obras de arte das estações do Metrô de São Paulo

Museu Subterrâneo – Levando cultura, transportando emoções é um programa que integra o projeto SP Cultura no Metrô e, desta vez, leva o usuário a conhecer as obras de arte espalhadas pelas estações do Metrô, nos finais de semana.

(mais…)

Projeto Guri abre mais de 9 mil vagas gratuitas no interior e litoral no Estado

Inscrições abertas entre os dias 4 e 15 de dezembro

(mais…)

Projeto Guri da capital e Grande São Paulo abre inscrições para cursos de música

Os cursos são gratuitos e estão espalhados nos 46 polos de ensino da capital e região metropolitana (mais…)

Projeto Guri recebe jovens músicos noruegueses para criação musical

Ao todo, 80 alunos do Projeto participarão de workshops na região de São Carlos em ação patrocinada pelo governo da Noruega

O Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – receberá a norueguesa Ellen-Martine, participante da primeira edição do Move (Musicians and Organizers Volunteer Exchage), programa de intercâmbio para músicos. Pela segunda vez no Brasil, a violoncelista (acompanhada por uma banda) conduzirá workshops junto aos 80 alunos dos polos Lençóis Paulista, Pirassununga e Dois Córregos, nos dias 27, 28 e 29 de março, das 10h00 às 17h00, respectivamente. A partir das 16h30, os eventos serão abertos ao público.

 

Foto: Ellen-Martine

 

Além de Ellen, os encontros contarão com um baterista e uma trompetista, além do saxofonista Kristoffer Lippestad, que reside há quase 10 meses em São Carlos e também é integrante do Move.  A visita é financiada pelo governo da Noruega para desenvolver um plano de criação musical e adaptação de arranjos junto a um projeto social em outro país. Os próprios jovens músicos optaram pelo Projeto Guri.

Voltado para turmas avançadas, o workshop será dividido em 4 partes:

  • Quebrando o gelo 

Haverá um exercício de perguntas e respostas, no qual trabalharão ritmos e a própria música norueguesa;

  • Compor / organizar 

A partir de uma música, os alunos serão livres para criar arranjos em grupo, com ritmos brasileiros e percussão corporal;

  • Tocando em conjunto

 Serão ensinadas músicas adequadas para cada idade e habilidade de cada grupo, com o suporte dos músicos noruegueses;

  • Desempenho

Os noruegueses e os alunos finalizarão com uma apresentação musical, resultado de tudo o que foi trabalhado durante o workshop.

Projeto Guri valoriza igualdade de gênero!

O Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8/3, levanta discussões sobre igualdade de gênero. E o Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – realizou levantamento interno para analisar a representatividade feminina na música. Ao todo, 50,1% das crianças e jovens que fazem aula no projeto são meninas. As alunas são incentivadas a escolher todo o tipo de instrumento, sem distinção alguma. Assim, constata-se que os cursos de coral, cordas friccionadas, cordas dedilhadas, madeiras e teclas apresentam maior presença feminina entre os alunos matriculados em 2016, com mais de 60% de predominância de meninas.

Além disso, 60% dos cargos de liderança e 42% dos educadores do projeto são mulheres. Exemplo disso é a Lívia Gastardel, de 30 anos, educadora de saxofone do Polo Regional Jundiaí há 5 anos. Com 18 anos, ela entrou no Conservatório de Tatuí, mas fazia as aulas apenas por hobby.

“Me encantei com aquela escola e com o mundo maravilhoso da música. Quando percebi já estava tão ligada ao instrumento que não me imaginava fazendo outra coisa a não ser musicista. Não foi fácil, mas sei que não seria tão feliz como sou se fizesse outra coisa. A música se tornou minha vida. Devido a ela, tenho uma profissão, conheci há 7 anos meu marido na Banda Sinfônica de Hortolândia, e agora teremos um filho".
Lívia Gastardel
Educadora de saxofone do Projeto Guri - Polo Regional Jundiaí

A jovem passou por algumas dificuldades como a instabilidade financeira. “Meu pai sempre foi muito rígido e preocupado com o meu futuro, meus trabalhos não tinham estabilidade nenhuma. Até que com 25 anos, eu me tornei educadora do Projeto Guri, que emprega com regime CLT e pude me estabelecer melhor financeiramente”, contou.

Ao iniciar os estudos, Livia era uma das duas únicas mulheres presentes na turma de música. “Havia desconfiança da nossa capacidade. Por isso, sempre me dediquei muito para mostrar que podia ser mulher e ser uma excelente instrumentista”, concluiu.

Projeto Guri: no EmCena em Aguaí

Projeto Guri: alunos trocam experiências musicais no EmCena: em Aguaí no dia 18, no Cine Dona Esmeralda (mais…)

Que tal passar uma noite em quarto exclusivo no Museu do Futebol?

Copa do Mundo chegando, e as celebrações já começam a acontecer! O Museu do Futebol, em parceria com a Booking.Com, irá receber uma acomodação inspirada na Rússia, e os fãs brasileiros desse esporte tão amado poderão visitar o espaço de 31/5 a 3/6. Ao entrar neste quarto todo decorado com ícones e cores da cultura russa, os visitantes também poderão visitar o país em uma ação interativa com óculos de realidade virtual. No passeio, o turista verá marcos e monumentos como a Praça Vermelha, em Moscou.

“Estamos animados com essa novidade. É uma oportunidade de proporcionar ao público uma experiência inusitada no Museu, além de enfatizar que a paixão pelo futebol atravessa fronteiras e estimula o intercâmbio entre culturas.”
Eric Klug
Diretor Executivo do Museu do Futebol
“Essa iniciativa inédita é mais uma ação que mostra a incrível diversidade das ofertas da Booking.com. No espaço criado por nós no Museu, os visitantes poderão ter uma ideia de como é ter uma experiência inesquecível de viagem aliada ao futebol.”
Nelson Benavides
Gerente Regional da Booking.com no Brasil

Como participar

 

Uma pessoa terá a oportunidade de passar “Uma Noite no Museu do Futebol”, dentro da acomodação montada pela Booking.com, e desfrutar, com um acompanhante, de uma típica noite russa, com jantar temático criado pela chef Dayse Paparoto, vencedora da primeira edição do Masterchef Profissionais. Para concorrer, é preciso acessar o site www.booking.com/win/museudofutebol e contar, em até 150 palavras, sobre sua paixão por viagens e futebol e por que você merece passar uma noite no Museu do Futebol com a Booking.com. O concurso está sendo realizado em todo o território brasileiro e as inscrições devem ser feitas até às 23h59 (horário de Brasília) do dia 22 de maio.

O autor da frase mais criativa e mais um acompanhante vão ganhar uma estadia de uma noite, no sábado 2 de junho, na acomodação criada pela Booking.com, além de um tour VIP exclusivo pelo Museu do Futebol, que será guiado pelo jogador campeão Juliano Belletti, astro da bola com passagens por equipes no Brasil e no exterior. Belletti também acompanhará os ganhadores no jantar russo que será oferecido como parte da premiação. No dia seguinte, antes de deixar a acomodação, o vencedor e acompanhante terão um café da manhã especial.

Visite

Retrospectiva do escultor Artur Lescher na Pinacoteca desafia as noções de gravidade

Mostra do artista paulista percorre 30 anos de sua produção e reúne cerca de 120 trabalhos concebidos a partir do diálogo entre arquitetura, pesquisa de materiais e memória da cidade

(mais…)

Secretaria abre inscrições para o Prêmio São Paulo de Literatura

Autores dos melhores romances de ficção de 2018 receberão prêmio de R$ 200 mil; obras podem ser inscritas até 15 de agosto

(mais…)

Secretaria promove desfile de fanfarras e bandas na Avenida Paulista

Ação inédita na Paulista visou resgatar a tradição e a importância desses grupos para a cultura (mais…)

Secretaria quer rever edital para eleição do Conselho Estadual de Política Cultural

Em virtude da necessidade de revisão, alinhamento, desburocratização e ampliação e fortalecimento do diálogo – ações cuidadosamente avaliadas como fundamentais para a continuidade e êxito do Conselho Estadual de Política Cultural do Estado de São Paulo – a Secretaria de Cultura e Economia Criativa informa que o edital de convocação para eleição de membros para a composição do mesmo está temporariamente suspenso.

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa considera que é imprescindível a reavaliação do programa, com foco em ampliar a participação da sociedade civil e do setor cultural e criativo na formulação de diretrizes e no acompanhamento das políticas, programas e ações do órgão, e primordial realizar revisão do modelo de governança do Conselho, com o objetivo de elevar sua eficiência e estabelecer processos mais simples e menos onerosos, de modo a gerar melhor compreensão dos processos e elevar o grau de representatividade da sociedade.

 

Secretário Penna lança o Filma São Paulo

Iniciativa engloba série de ações para fomentar a produção audiovisual paulista (mais…)

Secretário recebe representantes da Frente Estadual de Cultura para diálogo sobre demandas do setor

No dia 6 de fevereiro, o secretário Sérgio Sá Leitão reuniu-se com representantes da Frente Estadual de Cultura para uma conversa sobre as principais demandas da área cultural. Pedro Neto, do Fórum para Culturas Populares e Tradicionais, Thiago Vasconcelos, da Cooperativa Paulista de Teatro, Inti Queiroz, da Frente Única da Cultura SP, Cassiane Tomilheiro, do Fórum Litoral, Interior e Grande São Paulo, Valdinei Silva, do Fórum de Cultura do Litoral Norte e Osmar Araújo, da Rede Pontos de Cultura, apresentaram as atividades que desempenham e suas principais solicitações.

Entre as pautas, foram discutidas a atuação da Secretaria no interior e no litoral, o Conselho Estadual de Cultura, os programas de fomento e as possibilidades de contribuição da Frente com a gestão.

“Mais do que nunca, todos nós que valorizamos e entendemos o papel da cultura no desenvolvimento do estado e do País precisamos trabalhar juntos, olhando na mesma direção. Temos um desafio em comum, que é mostrar que a cultura de São Paulo tem potencial para mostrar para toda a sociedade o quanto é importante o que fazemos”, disse o secretário.

“Queremos construir com essa gestão um mecanismo para contribuir e nos colocarmos à disposição da cultura do estado de São Paulo”, afirmou Pedro Neto.

O secretário colocou-se à disposição da Frente para a discussão de propostas e ideias. Reforçou ainda, a importância do equilíbrio entre as políticas culturais. “A melhor política cultural é a que mantém equilíbrio entre fomento direto e indireto e entre o investimento nas instituições e a formação cultural”, completa.

Seminário Internacional Biblioteca Viva discute influência da tecnologia na literatura

Com convidados da Lituânia e Alemanha, evento vai abordar booktubers, podcasts, gamificação e videogames nas bibliotecas; inscrições estão abertas e são gratuitas

(mais…)

SOS Literatura

Casa das Rosas realiza encontro para ajudar escritores independentes

(mais…)

SP Cultura na Rua – Programa Metrópolis

O SP Cultura na Rua ganhou destaque no Programa Metrópolis da TV Cultura (mais…)

SP Escola de Teatro recebe programação do Satyrianas no feriado

Evento será de 2 a 5 de novembro; neste ano, programação ocupa teatros da Roosevelt e do Centro de São Paulo (mais…)

Temporada 2018 da OSESP terá assinaturas mais baratas

Iniciativas para a difusão da música erudita, como os Concertos Gratuitos também estão na programação (mais…)

Temporada 2018 da SP Cia de Dança estreia no Sérgio Cardoso!

Depois de uma bem-sucedida turnê em países como Alemanha, Áustria, França e Luxemburgo, a São Paulo Companhia de Dança volta ao Brasil para temporada no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo, com início em 21/6. A temporada trará obras de seu repertório e três estreias: Petrichor (2018), de Thiago Bordin, Instante (2017), de Lucas Lima, e Melhor Único Dia (2018), de Henrique Rodovalho. 

Peekaboo (2013), Pas de Deux de Pássaro de Fogo (2010), Supernova (2009), de Marco Goecke, 14’20” (2002), de Jirí Kylián, Gnawa (2005), de Nacho Duato, Suíte de Raymonda  (2017), de Guivalde de Almeida, a partir do original de 1898 de Marius Petipa (1818-1910) e Primavera Fria (2017), de Clébio Oliveira, completam o repertório.

Tema da Temporada 2018

O tempo passa? Não passa no abismo do coração.
O tempo nos aproxima cada vez mais,
Não há tempo consumido nem tempo a economizar.
São mitos de calendário tanto o ontem como o agora,
e o teu aniversário é um nascer toda hora.
Carlos Drummond de Andrade

Em 28 de janeiro de 2018, a São Paulo Companhia de Dança completou 10 anos! Tempo de muitas parcerias e encontros; do descortinar de novos mundos; de descobertas do movimento e da identidade dessa Companhia feita do amor e da entrega de muitas pessoas. Vida longa para a São Paulo Companhia da Dança, a Companhia do Governo do Estado de São Paulo, a Companhia de todos nós!

Programas

 

Nos dias 21, 22, 23 e 24 de junho, o programa é um mergulho na linguagem de Marco Goecke com três obras: Peekaboo (2013), Pas de Deux de Pássaro de Fogo (2010) e Supernova (2009). Goecke é considerado um dos maiores nomes da dança contemporânea atual por sua linguagem particular do movimento, que traz para a cena imagens instigantes. Já foi coreógrafo residente no Nederlands Dans Theater e, desde 2005, tem atuado no Ballet de Stuttgart, mas sua trajetória muda de direção a partir de 2019, quando o renomado coreógrafo, com cerca de 60 obras já exibidas ao redor do mundo, torna-se o novo Diretor de Balé do State Opera Hannover.

Nos dias 28, 29, 30 de junho e 1º de julho, teremos duas criações de coreógrafos brasileiros da nova geração, que fizeram parte de suas carreira no exterior: Petrichor (2018), de Thiago Bordin (solista do Hamburg Ballet e do Nederlands Dans Theater), e Instante (2017), de Lucas Lima (solista e coreógrafo do Balé Nacional da Noruega em Oslo), além de duas obras canônicas do repertório internacional: 14’20” (2002), de Jirí Kylián, e Gnawa, (2005), de Nacho Duato.

Na última semana da temporada, dias 5, 6, 7 e 8 de julho, estrearemos Melhor Único Dia (2018), de Henrique Rodovalho, consagrado diretor da Quasar Companhia de Dança, de Goiânia, e veremos dois sucessos da temporada de 2017: Suíte de Raymonda, de Guivalde de Almeida e Primavera Fria, de Clébio Oliveira.

Os ingressos custam R$ 50 (plateia central), R$ 25 (meia-entrada plateia central), R$ 40 (plateia lateral), R$ 20 (meia-entrada plateia lateral), R$ 30 (Balcão), R$ 15 (meia-entrada balcão), e ficam disponíveis no site www.ingressorapido.com.br, pelo telefone 11 4003-1212 ou na bilheteria do Teatro Sérgio Cardoso, de quarta-feira a domingo, das 14h às 19h – telefone 11 3288-0136.

Durante toda a temporada da SPCD, Inês Bogéa comanda o Por Dentro do Espetáculo. Neste encontro, a diretora da Companhia, acompanhada por dois bailarinos, conta detalhes e curiosidades sobre os bastidores do programa que o público assistirá na sequência. A conversa acontece no terceiro andar (balcão) do Teatro Sérgio Cardoso, 45 minutos antes do início das apresentações. A entrada é gratuita.

Educativo

 

Além das apresentações noturnas, a SPCD apresenta Espetáculos Gratuitos para Estudantes e Terceira Idade nos dias 22 e 29 de junho, às 15h00, também no Teatro Sérgio Cardoso. Na ação, o público estabelece um contato geral com o universo da dança: assiste à coreografia e a trechos de obras do repertório da Companhia e recebe material didático com ilustrações assinadas por cartunistas brasileiros. Durante a atividade, Inês Bogéa sobe ao palco para mediar brincadeiras com os alunos, trazendo a dança para uma linguagem lúdica e divertida. As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas. Para informações sobre o Espetáculo Gratuito para Estudantes e Terceira Idade escreva para o e-mail educativo@spcd.com.br

Acessibilidade

 

Desde 2013, a São Paulo Companhia de Dança utiliza o recurso de audiodescrição – modo que transmite ao público cego e surdo, por meio de fones de ouvido, informações sobre cenário, figurino e, principalmente, os movimentos dos bailarinos – em suas apresentações por espaços públicos no interior e na capital de São Paulo. E desde 2014, com o objetivo de viabilizar a implantação de mais recursos de acessibilidade comunicacional, a SPCD ampliou o programa por meio da tecnologia avançada do aplicativo gratuito Whatscine, que transmite para smartphones e tablets os recursos de audiodescrição, interpretação em LIBRAS e subtitulação, permitindo a pessoas com deficiência entrar em contato com a experiência da dança. A SPCD possui fones de ouvido e tablets para as pessoas que não têm o aplicativo em seus celulares.

Conheça as obras

ESTREIA | PETRICHOR (2018)

Coreografia e iluminação: Thiago Bordin
Música: Jóhann Jóhannsson e Wim Mertens
Figurinos: Fábio Namatame
Estreia mundial pela SPCD: 2018, Teatro Estadual de Araras, Araras, São Paulo

Primeira criação de Bordin para uma companhia brasileira, Petrichor – nome que remete ao cheiro da terra molhada pela chuva – teve como ponto de partida a música de Jóhann Jóhannsson e Wim Mertens, que, segundo Bordin, permite um vislumbre da criação coreográfica. “Quando ouço Mertens, começo a imaginar a luz, o figurino, os passos”. As características dos bailarinos brasileiros foram outra fonte de inspiração para o criador. “A obra se desenvolveu em diálogo com o elenco. Cada um trouxe uma cor, um caráter forte, marcante, bem diferente do que eu imaginava. E isso acabou por se tornar a parte mais gratificante desta coreografia”.

ESTREIA | INSTANTE (2017)
Coreografia: Lucas Lima

Figurino: Fábio Namatame
Música: On the Nature of Daylight, de Max Richter
Iluminação: Nicolas Marchi
Estreia mundial pela SPCD: 2017, Sesc Jundiaí, São Paulo

Instante é uma criação de Lucas Lima para o Ateliê de Coreógrafos Brasileiros, e tem como ponto de partida a música de Max Richter, que ganhou novas dinâmicas no movimento dos bailarinos da SPCD. Segundo o coreógrafo, a obra trata de “um instante para se encontrar, e outro para se perder. Um instante para decidir, para seguir, para voltar, para se arrepender”. É uma coreografia que introduz novos impulsos e dinâmicas nos movimentos do balé, dialogando com a contemporaneidade.

ESTREIA | MELHOR ÚNICO DIA (2018)
Coreografia e iluminação: Henrique Rodovalho
Música: Criação original de Pupillo com voz de Céu
Figurino: Cássio Brasil

Estreia mundial pela SPCD: 2018, Sesc Santos, Santos, São Paulo

Rodovalho comenta que neste trabalho experimenta movimentos expandidos e continuados a partir da relação dos bailarinos que permanecem todo o tempo em cena. “As referências sobre esta característica vieram de grandes grupos de animais em movimento e como se desenvolvem e se relacionam”, diz o coreógrafo. A obra trata sobre ‘o que tem de acontecer’, neste breve espaço de tempo de existência deste grande grupo, relacionado principalmente a algum tipo de prazer. Por isso, o nome Melhor Único Dia. “Para tentar traduzir, de alguma forma, a curta existência que se expressa através do movimento em grupo”, completa Rodovalho.

PEEKABOO (2013)

Coreografia e figurino: Marco Goecke
Música: Simple Symphony, Benjamin Britten (1913-1976), H.Y.V.Ä e Sininen javalkoinen, com o coral Mieskuoro Huutajat
Execução de figurinos: Thomas Lampertz
Desenho de Luz: Udo Haberland
Dramaturgia e organização: Nadja Kadel
Coprodução: Movimentos Festival Wolfsburg
Estreia pela SPCD: 2013, Wolfsburg, Alemanha

Em Peekaboo, o coreógrafo alemão Marco Goecke lida com ato de esconder e revelar de forma instigante. O título se refere a um jogo infantil conhecido pelas crianças: a pessoa espia (peek em inglês), esconde o rosto e, de repente, reaparece e diz: ‘achou’ ou ‘boo’. Na obra, a sinfonia de Britten combinada com o som do coro finlandês Huutajat revela contrastes: ao mesmo tempo em que fala de fantasia, traz à tona os medos e a solidão de cada bailarino. O elenco se alterna em solos, duos, trios e conjuntos, a movimentação é rápida e precisa e os intérpretes aparecem e desaparecem misteriosamente da cena. “Tudo é uma questão para se perder e encontrar”, fala o coreógrafo.

PAS DE DEUX DE PÁSSARO DE FOGO (2010)

Coreografia, palco e figurino: Marco Goecke
Remontagem para a SPCD: Giovanni Di Palma
Música: Igor Stravinsky (1882-1971), The Firebird (Berceuse e final)

Desenho de Luz: Udo Haberland | Implantação para SPCD: Wagner Freire

Dramaturgia: Nadja Kadel
Figurino: Marco Goecke e Michaela Springer | Execução para SPCD: Judite Lima

Estreia pela SPCD: 2017, Teatro Sérgio Cardoso, São Paulo

“Marco Goecke criou este pas de deux para a música de Stravinsky – composta para o balé de Michel Fokine (1880-1942), The Firebird, estreado em 1910 – na ocasião dos 100 anos da obra, durante o Holland Dance Festival (2010). Goecke remodela o que na época estava totalmente de acordo com o caráter dos contos de fada russos originais – a luta de Ivan Tsarevich contra o mágico Koschei para libertar Tsarevna e seus companheiros do cativeiro – desembocando em um encontro entre duas criaturas tímidas. Utiliza dois trechos da música de Stravinsky: o acalanto, no qual o mítico pássaro faz todos adormecerem com sua mágica e o trecho final da obra. Seu dueto pode ser interpretado, inclusive, como um encontro entre o pássaro de fogo e o príncipe, duas criaturas de diferentes naturezas: um pássaro que dança e um humano que voa”, fala Nadja Kadel, produtora de Goecke.

SUPERNOVA (2009)

Coreografia e figurino: Marco Goecke
Músicas: Pierre Louis Garcia-Leccia (Ohimé – faixa Aka), Antony & The Johnsons (Another Word – faixa Shake That Devil)
Remontagem: Giovanni Di Palma
Execução de figurino: Madalena Machado (Arte & Cia)
Iluminação original: Udo Haberland
Dramaturgia: Nadja Kadel
Execução de objetos cênicos: Fábio Brando (FCR Produções Artísticas)
Estreia pela SPCD: 2011, Teatro Alfa, São Paulo

Inspirado pelo fenômeno astronômico das supernovas – estrelas que explodem e brilham no espaço, Marco Goecke criou Supernova, uma coreografia de contrastes na qual morte e vida, escuro e claro, estão ligadas pela energia de cada corpo. Os bailarinos aparecem e desaparecem do palco misteriosamente e a movimentação é marcada por sequências muito rápidas, precisas e controladas, que fazem os corpos vibrarem. Para Goecke, cada movimento pode acontecer somente uma vez. “Você pode fazê-lo cada vez mais rápido, então dificilmente ele vai existir no final”. A São Paulo Companhia de Dança foi a primeira companhia no Brasil a dançar uma obra de Marco Goecke.

14’20’’ (2007)

Coreografia e produção: Jirí Kylián (trecho da obra 27’52’’)
Remontagem para a SPCD: Nina Botkay
Música: Dirk Haubrich (inspirada em dois temas da Sinfonia nº 10 de Gustav Mahler)

Figurino: Joke Visser | Execução de figurinos para SPCD: Judite Lima

Iluminação: Kees Tjebbes e Loes Schakenboos

Estreia pela SPCD: 2017, Teatro Sérgio Cardoso, São Paulo

14’20”é um extrato de seu balé 27’52’’, no qual o título da coreografia tem referência ao tempo de duração da obra. Com música especialmente composta por Dirk Haubrich, o dueto extremamente físico exige uma entrega total dos intérpretes. “O tempo é o tema base dessa obra. As vozes dos bailarinos originais, que escolheram seus próprios textos para gravar, são executadas para frente e ao revés, assim como os passos da coreografia, causando a sensação de voltar no tempo”, conta Nina Botkay.

GNAWA (2005)
Coreografia: Nacho Duato
Remontagem: Hilde Koch e Tony Fabre (1964-2013)
Música: Hassan Hakmoun, Adam Rudolph, Juan Alberto Arteche, Javier Paxariño, Rabih Abou-Khalil, Velez, Kusur e Sarkissian
Organização e produção original: Carlos Iturrioz Mediart Producciones SL (Spain)
Figurino: Luis Devota e Modesto Lomba
Iluminação: Nicolás Fischtel
Estreia pela SPCD: 2009, Teatro Sérgio Cardoso, São Paulo

Gnawa é uma peça que utiliza os quatro elementos fundamentais – água, terra, fogo e ar – para tratar da relação do ser humano com o universo. A obra apresenta o reiterado interesse de Nacho Duato pela gravidade e pelo uso do solo na constituição de sua dança. Os gnawas são uma confraria mística adepta do islamismo, descendentes de ex-escravos e comerciantes do Sul e do centro da África, que se instalaram ao longo dos séculos no Norte daquele continente.

SUÍTE DE RAYMONDA (2017)

Coreografia: Guivalde de Almeida, a partir do original de 1898 de Marius Petipa (1818-1910)
Música: Raymonda, de Alexandre Glazunov (1865-1936)

Iluminação: Wagner Freire

Figurino: Tânia Agra

Design Gráfico da Projeção: Cyro Menna Barreto

Essa obra integra o terceiro ato do balé e mostra um diverssement da dança clássica em que vemos a beleza dos desenhos dos corpos na cena e a potência do balé. Guivalde de Almeida assina esta remontagem, ampliando o espaço de criação para o artista da dança do Brasil.

PRIMAVERA FRIA (2017)

Coreografia, palco e figurino: Clébio Oliveira
Música original: Matresanch

Iluminação: Mirella Brandi

Estreia mundial pela SPCD: 2017, Teatro Sérgio Cardoso, São Paulo

A perda do objeto amoroso é um tema que há séculos inquieta e inspira poetas, pensadores e artistas. Mas, longe de constituir uma experiência metafísica, essa perda é vivenciada no corpo por meio de um intrincado encadeamento bioquímico sofrido e produzido pelo cérebro humano. Percepção, cognição e resposta. Estudiosos da psique, e seus dispositivos neurológicos também se renderam a este tema, trazendo para o campo da ciência o que já florescia na filosofia e na arte. Primavera Fria examina a anatomia de uma ruptura inesperada. É uma jornada do corpo pela perda do objeto amoroso enquanto experiência psíquica e neurológica. A obra propõe um mapeamento afetivo-sensorial do corpo em nosso cérebro.

ONDE

Theatro São Pedro apresenta a opereta La Belle Hélène

Montagem reúne elenco jovem, entre solistas, coralistas e bailarinos e estreia no próximo dia 29 de novembro (mais…)

Últimos dias para conferir mostra “Design aerodinâmico” no MCB!

A exposição ‘Design aerodinâmico – Metáfora do futuro’, que já recebeu mais de 22 mil visitantes, fica em cartaz no Museu da Casa Brasileira até 03/6, com mais de 250 objetos significativos do estilo streamline. As peças pertencem às coleções de Giacomo Favretto, Renato Oliva, Gilberto Moscoviche e da família Bosworth, e foram selecionadas pelas curadoras Adélia Borges e Patrícia Fonseca.

“Trata-se de uma rara oportunidade para o público brasileiro conhecer ao vivo peças que estão nos compêndios de história do design”, comenta Adélia Borges, uma das curadoras. “O streamline se firmou como um dos estilos mais populares do século 20 e também marca a implantação da profissão do designer industrial nos Estados Unidos”, complementa a também curadora da exposição, Patrícia Fonseca. 

Até o final de maio, estão previstas uma série de palestras com a curadora Patrícia Fonseca e o colecionador Giacomo Favretto. Dia 16, serão comentados os trabalhos dos quatro profissionais que podem ser considerados os primeiros designers profissionais e se tornaram expoentes do estilo: Raymond Loewy, Henry Dreyfuss, Walter Dorwin Teague e Norman Bel Geddes; dia 23, o debate será em torno das feiras de Chicago e de Nova York – onde foi instalada a Futurama, imensa maquete de uma cidade do futuro; e no dia 29, o assunto central trará a influência do streamline no design gráfico.

 

Visite

Últimos dias para inscrição nos espaços de coworking!

As inscrições para utilização da sala de trabalho compartilhada na Biblioteca Parque Villa-Lobos estão chegando ao fim! Microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas e pessoas com projetos em desenvolvimento têm somente até o dia 24/5 para se inscrever. Entre os requisitos no ato da inscrição estão a descrição da estratégia de desenvolvimento do trabalho que será executado durante os dez meses de duração do coworking público, o perfil do negócio e o número de integrantes da equipe vinculada ao projeto. 

São 20 vagas para ocupar a sala – especialmente desenvolvida para estimular o fluxo de saberes – por 10 meses, tendo acesso a wi-fi e, como um dos principais diferenciais, a possibilidade de trocar experiências entre os selecionados, todos desenvolvendo temas correlatos. Os projetos devem atender as seguintes áreas:  edição de conteúdo, cultura, empreendedorismo social e meio ambiente. Em contrapartida, as startups devem oferecer horas de palestra, treinamento ou consultoria para a comunidade atendida na biblioteca. Oportunidade de contar com ambiente diferenciado para experimentação de seus próprios projetos.

A BVL dispõe de bicicletário, cafeteria, estacionamento (pago) próximo, elevadores e está em uma das áreas mais valorizadas da capital paulista, cercada de ciclovias e atendida por transporte público variado.  Vale ressaltar que a biblioteca já é utilizada como espaço de compartilhamento de experiências, de trabalho e estudo por profissionais autônomos, de maneira informal. O coworking na BVL configura-se como ambiente agradável e estimulante, cercado e com vista para o verde do Parque Villa-Lobos.

Já no coworking do Memorial da América Latina, além do amplo e confortável espaço de trabalho, os participantes terão toda a infraestrutura tecnológica do Acessa SP e o acervo da Biblioteca Latino-Americana com mais de 4 mil títulos de  obras impressas e audiovisuais. As vagas para o trabalho coletivo na Biblioteca do Memorial são destinadas às áreas de design, entretenimento e demais atividades culturais.

Os espaços de coworking públicos fazem parte do Acessa Campus, extensão do programa de inclusão digital AcessaSP executado pela Prodesp (Empresa de Tecnologia do Estado), agora em parceria com a BVL e o Memorial (que também recebe seu novo espaço de coworking). As turmas começam em 5/6. 

 

Link do edital completo: https://goo.gl/fkX9ra

Link para as Inscrições: http://www.acessasp.sp.gov.br/acessacampus/cultura/

Viagem Literária leva contadores de histórias para jornada em bibliotecas do interior

Programa acontece entre os dias 6 e 31 de maio, percorre 76 cidades e é destinado a todas as idades

(mais…)