DESTAQUES ESPECIAIS

‘Rá-Tim-Bum, o Castelo’ fica até fevereiro no Memorial

Ingressos para a terceira temporada começam a ser vendidos na terça, dia 26/9, em www.ratimbumocastelo.com.br e na bilheteria do Memorial (mais…)

“Economia Criativa não é apenas uma denominação. Isso vai ganhar materialidade e concretude”

O Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo Sérgio Sá Leitão foi o primeiro entrevistado de 2019 do programa Metrópolis, da TV Cultura. Os assuntos abordados interessam a todos: economia, oportunidades de trabalho, geração de renda, cultura, empreendedorismo e novas ideias para São Paulo. Sérgio destacou a importância da economia criativa – uma das principais diretrizes de sua gestão à frente da Secretaria -, o potencial do estado na geração de emprego e renda e seus planos e expectativas para o setor cultural. O novo secretário garantiu que a economia criativa “não é apenas uma denominação. Isso vai ganhar materialidade e concretude”. A entrevista vai ao ar no domingo (20), às 19h30.

O tema permeou todos os outros assuntos abordados. “Um dos nossos objetivos é criar no estado de São Paulo um ambiente de negócios para que a economia criativa floresça ainda mais, considerando todos os seus segmentos, as cadeias de valor, enfim, todos os seus elos”, afirmou o Secretário.

A economia criativa vem crescendo no Brasil – com a liderança em São Paulo – à taxa anual de 8,1% nos últimos cinco anos, e a perspectiva é de continuidade no processo. “Isso significa que o setor está se expandindo e demandando cada vez mais artistas, técnicos, executivos, gestores etc. e, em consequência, se profissionalizando e se tornando mais competitivo”, diz o Secretário.

Por isso, ele afirma que um dos objetivos é contribuir para qualificar pessoas por meio de um amplo e ambicioso programa de capacitação: “queremos abrir oportunidades pela economia criativa, e estamos falando de um sistema bastante plural e diverso, em que tudo pode ser monetizado. Rentabilizar a criatividade e o talento dos indivíduos e transformar isso em produto e renda”. Para tal, a Secretaria pretende incentivar os empreendedores culturais com cursos de formação e capacitação e impulsionar o crédito e microcrédito.

Para o secretário, a ampliação do acesso aos bens e serviços culturais faz com que as pessoas consumam mais cultura. “A cultura transforma e melhora as pessoas”, reforçou, lembrando que “tudo está interligado: a economia criativa, o acesso a bens e serviços culturais e, ainda, a preservação de patrimônios, que são os bens materiais e imateriais”.

Anote: Programa Metrópolis, TV Cultura, domingo, dia 20 de janeiro, às 19h30.

“O Matrimônio Secreto” estreia no Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro apresenta a primeira ópera da temporada 2018. O Matrimônio Secreto (1792), de Domenico Cimarosa (1749-1801), estreia no mês de maio. 

A ópera é uma preciosidade do classicismo, e conta a história de um velho pai, já meio surdo e turrão, que recebe uma ótima notícia: um nobre deseja se casar com sua filha mais velha. Até aí tudo bem. O problema é quando o nobre homem muda de ideia e decide se casar com a mais nova, que já é secretamente casada com um empregado. 

Toda essa confusão, cheia de ciúmes e reviravoltas, sobe ao palco do São Pedro nos dias 4, 6, 9, 11 e 13 de maio, com encenação de Caetano Vilela. Na direção musical e à frente da Orquestra do Theatro São Pedro estará a maestrina Valentina Peleggi. Cenografia de Duda Arruk, figurinos de Fause Haten e caracterização de Edu VonGomes.

No elenco, a soprano Caroline de Comi como Carolina, a soprano Joyce Martins como Elisetta, a mezzo Ana Lucia Benedetti como Fidalma, o tenor Jean William como Paolino, o barítono Michel de Souza como Conde Robinson e o baixo Pepes Do Valle como Geronimo.

Os ingressos custam de R$30 a R$80 e podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro ou no site da Ingresso Rápido.

Temporada 2018 do Theatro São Pedro

 

Criada de forma colaborativa, com participação dos músicos da Orquestra do Theatro São Pedro na definição de programas e convidados, a Temporada 2018 do Theatro São Pedro tem como objetivo aproximar público e artistas, transformando o São Pedro no #NossoTheatro.

Uma das novidades é a programação de ensaios abertos, realizados sempre nas vésperas de estreias de óperas e de concertos sinfônicos, às 11h, com entrada gratuita. Confira abaixo os destaques da programação lírica e sinfônica e se programe!

 

Óperas

Dias 4, 6, 9, 11 e 13 de maio
Valentina Peleggi, direção musical
Caetano Vilela, direção cênica
Elenco: Caroline De Comi,  Jean William, Joyce Lima, Ana Lucia Benedetti, Pepes do Valle e Michel de Souza

Dias 22, 24, 27 e 29 de junho, e 1º de julho
Luis Otavio Santos, direção musical
William Pereira, direção cênica
Elenco: Marília Vargas, Thayana Roverso, Carolina Faria, Caio Duran, Norbert Steidl e David Feldman

Dias 17, 19, 22, 24 e 26 de agosto
Ira Levin, direção musical
André Heller-Lopes, direção cênica
Elenco: Gabriella Pace, Cláudia Riccitelli, Savio Sperandio, Eric Herrero, Luisa Francesconi, Giovanni Tristacci, Daniel Umbelino, Ana Maria Ribeiro, Fernanda Nagashima e Vinicius Atique

Dias 10, 12**, 14, 16 e 18 de novembro
Cláudio Cruz, direção musical
Jorge Takla, direção cênica
Elenco: a ser anunciado

Concertos Sinfônicos

No Theatro São Pedro, os concertos sinfônicos e as récitas das óperas acontecem sempre nos mesmos horários:
Domingos, às 17h; demais dias, às 20h.

** Exceto a récita do dia 12/11, que ocorrerá às 14h.

Orquestra do Theatro São Pedro
Ligia Amadio, regente convidada
Ana Lúcia Benedetti, mezzo-soprano
Repertório:
Abertura Coriolano, de Ludwig van Beethoven
Rückert-Lieder, de Gustav Mahler
Sinfonia nº 3, Renana, de Robert Schumann

Orquestra do Theatro São Pedro
Roberto Tibiriçá, regente convidado
Eliane Coelho, soprano
Repertório:
Aberturas, árias e excertos de óperas de Giuseppe Verdi e Richard Wagner

Orquestra do Theatro São Pedro
Ricardo Bologna, regente convidado
Manuela Freua, soprano
Repertório:
Tríptico da Passagem, de Silvio Ferraz
Folk Songs (versão para orquestra e voz), de Luciano Berio
A Menina que Virou Chuva, de Valéria Bonafé
Variações Concertantes, de Alberto Ginastera

Orquestra do Theatro São Pedro
Ricardo Kanji, regente convidado
Antonio Meneses, violoncelo
Repertório:
Sinfonia em Ré Menor, de Wilhelm Friedemann Bach
Concerto para Violoncelo em Lá Menor, de Carl Philipp Emanuel Bach
Concerto para Violoncelo em Si Bemol Maior, de Carl Philipp Emanuel Bach
Concerto para Violoncelo em Lá Maior, de Carl Philipp Emanuel Bach

“Quadrinhos” é a nova megaexposição do MIS!

Desde 14 de novembro, diversos personagens podem ser encontrados no MIS. O museu inaugurou sua nova exposição, Quadrinhos. Realizada pelo MIS, a mostra – que traz uma ampla retrospectiva da 9ª arte – conta com curadoria de Ivan Freitas da Costa (sócio-fundador da CCXP/Comic Con Experience e da Chiaroscuro Studios) e projeto expográfico da Caselúdico.

Quadrinhos apresenta uma ampla retrospectiva do universo das HQs contada através de revistas, artes originais e itens raros dos diversos gêneros das histórias em quadrinhos – super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste, erótico e muitos outros – em ambientes temáticos e imersivos que ocupam os dois andares do Museu. A exposição também apresenta a influência das HQs na cultura pop e em outras mídias como cinema e TV. 

"A origem da arte sequencial remonta à primeira forma de comunicação do ser humano, que desenhava nas paredes das cavernas para registrar e ajudá-lo a entender o mundo à sua volta. Na exposição apresentamos um amplo panorama dos personagens, criadores e expressões dos quadrinhos no mundo todo de uma perspectiva brasileira, contada através de centenas de itens, a grande maioria deles jamais expostos no país."
Ivan Freitas da Costa
Curador

Para chegar aos mais de 600 itens que integram a exposição, a curadoria levou 18 meses em pesquisas em diversos acervos. Além do próprio curador, cederam peças para a exposição os colecionadores Ricardo Leite, Marcio Escoteiro e Franco de Rosa, o Planeta Gibi, a família de Glauco, Francisco Ucha, Acervo Álvaro de Moya (Centro Universitário Belas Artes de São Paulo), JAL e Gualberto (HQMIX) e diversos artistas como Angeli, Laerte e Ziraldo.

Entre os itens expostos o público poderá ver de perto raridades como a revista com a primeira aparição de Luluzinha, publicada na The Saturday Evening Post em 1935; a edição número 1 de “O Pato Donald” (1950); uma ilustração original de Tintim, de As Aventuras de Tintim, uma das histórias mais conhecidas do belga Hergé; uma arte original da personagem de quadrinhos eróticos Valentina desenhada pelo seu criador, o italiano Guido Crepax; exemplar da revista Giant-Size X-Men 1 (1975) e uma ilustração original de The Spirit, que traz o personagem mais conhecido de Will Eisner. Quadrinhos também conta com um desenho do personagem Garfield feito por Jim Davis exclusivamente para a exposição e um vídeo com o criador do gato mais famoso das tirinhas fazendo o desenho.

Entre os destaques nacionais está uma edição do jornal O Mosquito (1873) com capa de Angelo Agostini, desenhista ítalo-brasileiro que teve intensa atividade em favor da abolição da escravatura no Brasil. Agostini também colaborou com As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte, considerada a primeira história em quadrinhos brasileira e uma das mais antigas do mundo.  A curadoria também teve acesso a desenhos originais de Ziraldo e Glauco. Entre os itens expostos estão um desenho feito a mão feito por Ziraldo com personagens de A Turma do Pererê e um caderno de esboços de Glauco com artes originais para a revista Geraldão, edição número 1.

 

Ambientes temáticos e experiência imersiva

Como em todas suas megaexposições o MIS apresenta uma expografia imersiva que tem como objetivo aproximar o público do tema abordado. Em Quadrinhos, os fãs podem mergulhar neste universo das HQs em ambientes temáticos e lúdicos ao percorrer as 16 áreas da exposição: Origens, Caricaturas e charges, Tiras, Europa, Mangá, Erótico, Mauricio de Sousa, Angelo Agostini, Ziraldo, Brasil, Brasil nas últimas décadas, América Latina, América do Norte, Disney, DC e Marvel.

O projeto expográfico é assinado pela Caselúdico, parceira do MIS em mostras anteriores como O mundo de Tim Burton (2016) e Castelo Rá-Tim-Bum – A exposição (2014). Marcelo Jackow, diretor de criação da Caselúdico e fã de HQs, conta que o projeto de Quadrinhos foi o mais desafiador dentre os elaboradosem conjunto como MIS.  Nosso desafio foi transportar um universo tão vasto e infinitamente rico, cheio da graça, de traço e de gesto para uma imersão espacial que se relacionasse com sua história  em que cada ambiente fosse intimamente ligado com seu conteúdo de forma lúdica e apaixonada”, explica.

 

Programação paralela

Entre novembro e março o MIS realiza uma extensa programação paralela com atividades para adultos e crianças, incluindo cursos, oficinas, exibição de filmes e bate-papo com artistas. Nos primeiros meses estão confirmados o lançamento da HQ A revolução dos bichos (21.11); a Virada Nerd (24 e 25/11) que terá 32 horas de programação voltadas para a temática geek; o Cinematographo Especial  com o filme Sin City (25.11); o lançamento do quadrinho O Judoka (29.11); uma programação especial do Garfield, de Jim Davis, que este ano completou 40 anos (01.12) e o evento Além da Telinha – Especial Superman 80 anos (15.12).

A programação paralela também prevê diversos cursos livres. Já estão abertas as inscrições para sete cursos, incluindo dois durante o período de férias: Fantasia nos quadrinhos (26 de novembro), Concepção de personagens (16 a 30 de janeiro), Folclore e identidade nos quadrinhos nacionais (21 a 30 de janeiro), História em quadrinhos: gênero e representação (4 a 27 de fevereiro); A história do Século XX pela perspectiva dos Quadrinhos (19 a 28 de fevereiro); A sua história em quadrinhos (12 a 28 de março) e A história do Jornalismo em Quadrinhos e sua prática (de 11 de março a 03 de abril). Mais informações no site do MIS.

 

Visitas guiadas pelo Educativo

  • Visitas espontâneas: O Educativo MIS realiza visitas espontâneas às quartas-feiras (com exceção de feriados), sempre às 15h. As visitas atendem grupos de até 20 pessoas e têm duração máxima de uma hora (tolerância de 10 minutos para o início). As visitas para Quadrinhos começam no dia 21 de novembro de 2018.
  • Visitas agendadas: Grupos escolares, universitários e instituições sociais podem agendar a visita no site do MIS. As visitas mediadas têm duração de 90 minutos e atendem diversos perfis de grupos e faixa etárias. Para agendar acesse o site do MIS.  

 

Playlist no Spotify

Especialmente para a exposição o MIS convidou os quadrinistas Adriano Di Benedetto e RB Silva para criar umas playlist para a exposição com músicas que gostam de ouvir enquanto trabalham. Acesse o perfil do MIS e ouça. Para aproveitar ainda mais a experiência, o Spotify oferece wi-fi gratuito para os visitantes do MIS.

Onde fica?

“SP Cultura no Metrô” leva música, dança e teatro para diversas estações

A partir do dia 28/6, o projeto SP Cultura no Metrô levará programação especial para diversas linhas do Metrô da capital paulista. Além de espetáculos de teatro, música e dança, também serão realizadas apresentações de músicos profissionais ou amadores, que poderão se inscrever através de chamamento que estará disponível em breve no site da Secretaria da Cultura do Estado.

O lançamento da iniciativa acontece no dia 28/6, às 10h, na Estação da Sé da Linha 3-Vermelha, com apresentação da Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica. Participam da abertura o secretário da Cultura do Estado Romildo Campello, o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni e o presidente do Metrô, Paulo Menezes.

As atividades vão até dezembro de 2018 e serão divididas em duas frentes:

  • Músicos de Rua – apresentações de músicos profissionais ou amadores nas estações do Metrô.
  • Arte Cultura nas Estações – apresentações de teatro, música e dança em estações do Metrô. Na primeira semana, serão realizados 13 espetáculos – confira a agenda abaixo. Até dezembro, serão realizadas 75 intervenções culturais.

 

PROGRAMAÇÃO – 28 e 29 de junho

Linha 3 – Vermelha

 

Estação Sé

9h00 – Caco Mattos, “Dança Comigo” [dança]

10h00 – Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica [música]

Estação República

12h00 – Vanitta, cover da Anitta [música]

Estação Marechal Deodoro

12h00 – Quarteto de Cordas da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

12h00 – Jazz Sinfônica [música]

Estação Brás

17h00 – Nélio Henrique e Alan [sertanejo]

 

Linha 1 – Azul

 

Estação Luz

11h00 – São Paulo Companhia de Dança, “Pivô [dança]

Estação São Judas

17h00 – Trio Beijo de Moça [Forró]

 

Linha 2 – Verde

 

Estação Paraíso

15h00 – Suellen Luz, “Um Passeio Pela Música Brasileira” [pop]

Estação Ana Rosa

16h00 – Caminho Suave [reggae]

Linha 3 – Vermelha

 

Estação República

12h00 – Quarteto de Metais da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

15h00 – Banda Sinfônica da Fábrica de Cultura Sapopemba [música]

 

Linha 1 – Azul

 

Estação Luz

17h00 – Power Mix Crew [dança de rua]

“A parceria permitirá o acesso de milhões de pessoas a múltiplas intervenções culturais. A produção cultural do estado multiplicada e compartilhada ao vivo e em cores. Atrações de qualidade e gratuitas para a população.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado

“O Metrô é um sistema de transportes sempre aberto às manifestações culturais e artísticas. Já na década de 1970, obras de arte foram instaladas nas estações. Temos obras de renomados artistas, como Tomie Ohtake, Alex Flemming, Antonio Peticov, Claudio Tozzi e Francisco Brennand. Agora vamos abrir espaço para a música, dança e teatro, levando ainda mais opções para nossos usuários”, explica o secretário de Transportes Metropolitanos Clodoaldo Pelissioni.

O Metrô de São Paulo foi pioneiro em estimular os diferentes tipos de projetos na área cultural. A primeira é a escultura “Garatuja”, do artista Marcelo Nitsche, na estação Sé, desde 1978. Atualmente, o acervo do Metrô conta com 91 obras de arte dispostas em 37 estações do sistema. O programa Linha da Cultura, a partir de 1986, passou a disponibilizar gratuitamente espaços para manifestações artísticas das mais variadas formas – artes visuais, exposições fotográficas, performances, apresentações musicais e teatrais – nas estações.

O sistema metroviário paulista possui 89,7 quilômetros de extensão e 79 estações, transportando 4,5 milhões de usuários por dia. Pela quarta vez consecutiva, foi eleito como o melhor serviço de transporte da cidade de São Paulo em pesquisa realizada do Instituto Datafolha.

“Território Cultural Livre” debate negritude na SP Escola de Teatro

No dia 5/5, a partir das 10h, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco promove debates e apresentações artísticas com a participação de artistas e estudiosos negros, cujos trabalhos e militância abordam os espaços que ocupam na sociedade. Entre os convidados então a rapper Luana Hansen, o coreógrafo Ismael Ivo (diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo), a escritora Stephanie Ribeiro (colunista dos sites Blogueiras Negras e Huffpost Brasil e das revistas Capitolina e Marie Claire) e o diretor e ator Eugênio Lima, do Núcleo Bartolomeu de Depoimento.

O evento gratuito, chamado Território Cultural Livre, acontece na sede Brás da SP Escola de Teatro e é organizado pela própria escola em parceria com o Núcleo Negro, coletivo de aprendizes da Instituição. O tema desta edição está relacionado às discussões propostas em sala de aula, levantando questões sobre a negritude em diferentes esferas.

A Cia. Carne Agonizante também marca presença nesta edição do Território Cultural Livre, apresentando o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado nas obras política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado “o inimigo número um” da ditadura militar brasileira.

“Com os Territórios Culturais, a SP Escola de Teatro abre espaço para que artistas compartilhem suas reflexões e seus trabalhos com nossos estudantes e com a cidade. A ideia surge a partir do conceito de espaço solidário do geógrafo Milton Santos, que defendia que um espaço de formação só faz sentido quando se constitui como espaço solidário, de troca de conhecimentos.”
Joaquim Gama
Coordenador pedagógico da SP Escola de Teatro

Para compor esta edição de Território Cultural Livre, a SP Escola de Teatro contou com a participação dos aprendizes do coletivo Núcleo Negro, que articulou a vinda dos convidados da programação. “A principal ideia foi trazer estudiosos que tenham visibilidade nas áreas em que atuam. São pessoas que conseguem desenhar, a partir da sua própria trajetória, uma outra perspectiva possível sobre o que é ser negro hoje em dia”, explica a estudante Nina Oliveira, aprendiz do curso regular de Sonoplastia e integrante do Núcleo. “Temos na programação desde colegas do teatro e da música a uma economista e uma cientista política: todos atuando em espaços que foram alcançados com seus trabalhos e militância, enfrentando questões como racismo e machismo.”

 

PROGRAMAÇão

 

O evento tem início às 10h, com uma apresentação do grupo Odara Negrada, que já esteve na Escola anteriormente. O show do coletivo traz canções afro-brasileiras em português e iorubá, executadas ao som das batidas da alfaia e do batá. Às 11h00, a Cia. Carne Agonizante apresenta o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado na obra política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado o inimigo número um da ditadura militar brasileira.

O primeiro encontro do ciclo de conversas acontece ao meio-dia, com o tema “O Povo Negro é Cultura de Resistência”. Participam do debate: a rapper Luana Hansen, a psicóloga Priscila Santos (do Núcleo Negro de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da UFABC), o ator e DJ Eugênio Lima (do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e Frene 3 de Fevereiro), o diretor e dramaturgo Zé Fernando (do grupo Teatro dos Narradores e Cia. Os Crespos) e Ismael Ivo, coreógrafo e diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo.

Em seguida, às 13h40, o performer, músico, compositor e pesquisador da cultura afro diaspórica Will Oliveira apresenta a performance “Brasil Negreiro” no pátio da SP Escola de Teatro.

A primeira sessão da mostra Perspectivas do Audiovisual Negro acontece às 14h30 e contará com a participação da atriz Shirlena Marabilis e da roteirista Pricilla Costa (curta: “A Alma do Cinema Não Tem Cor”), do cineasta Renato Cândido (curta: “Jennifer”) e do roteirista e diretor Valter Rege (curta: “Preto no Branco”). Depois do bate-papo com os convidados, os curtas serão exibidos novamente.

O segundo encontro do ciclo de conversas deste Território Cultural tem como tema “Reconstruindo o Imaginário Social da Mulher Negra” e discute a reconstrução do pensamento sobre a mulher negra, que sai de um lugar de submissão no imaginário social para ser vista em espaços de construção de saberes. Participam do debate: a escritora e ativista Stephanie Ribeiro, Juliete Vitorino (membro da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio), Alessandra Almeida (pesquisadora em políticas públicas sobre gênero, raça e classe e membro da Marcha das Mulheres Negras de SP) e Rafaela Carvalho, economista e militante do Movimento de Mulheres Olga Benário.

As atividades do dia chegam ao fim com a apresentação musical Vozes Urbanas, às 15h50, que reúne jovens artistas apresentando seu projeto autoral.

“Hilma af Klint: Mundos Possíveis” na Pinacoteca

Com patrocínio de Banco Bradesco e Ultra, chega pela primeira vez na América Latina uma mostra individual da pintora sueca Hilma af Klint (1862-1944), cujo trabalho vem sendo reconhecido como pioneiro no campo da arte abstrata e que passou despercebido durante grande parte do século XX.

Hilma af Klint frequentou a Real Academia de Belas Artes, principal centro de educação artística da capital sueca, mas logo se distanciou do seu treino acadêmico para pintar mundos invisíveis, influenciada por movimentos espirituais como o Rosa-cruz, a Teosofia e, mais tarde, a Antroposofia. Ela integrou o As cinco”, grupo artístico composto por artistas mulheres que acreditavam ser conduzidas por espíritos elevados que desejavam se comunicar por meio de imagens e já experimentavam desde o final do século 19 a escrita e o desenho automático, antecipando as estratégias surrealistas em mais de 30 anos.

A exposição inclui 130 obras. Destaque para a série intitulada “As dez maiores”, realizada em 1907 e considerada hoje uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental, já que antecede as composições não figurativas de artistas contemporâneos a af Klint como Kandinsky, Mondrian e Malevich. Além deste conjunto, a exposição em São Paulo contará com algumas séries de obras que nunca foram apresentadas ao público.

 

A mostra da Pina tem curadoria de Jochen Volz, diretor geral da instituição, em colaboração com Daniel Birnbaum, diretor do Moderna Museet e da Hilma af Klint Foundation. “O trabalho de Hilma af Klint dialoga de certa forma com o sincretismo e a pluralidade de cosmovisões tão presente na cultura do Brasil. A serialidade encontrada em sua obra também aparece na arte brasileira, em especial no concretismo e neoconcretismo”, explica Volz.

O trabalho de af Klint foi exposto pela primeira vez em 1986 na mostra “The Spiritual in Art: Abstract Paintings 1890–1985”, realizada no Los Angeles County Museum of Art, mas apenas a grande retrospectiva organizada pelo Moderna Museet de Estocolmo em 2013 e, consequentemente, a sua itinerância pela Alemanha, Espanha, Dinamarca, Noruega e Estônia permitiu que o trabalho de af Klint fosse reconhecido internacionalmente. Há 10 anos suas obras participam de exposições realizadas na Europa e Estados Unidos.

Hilma af Klint: Mundos Possíveis” permanece em cartaz até 16 de julho de 2018, no primeiro andar da Pina Luz – Praça da Luz, 02. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00 – os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Crianças com menos de 10 anos e adultos com mais de 60 não pagam. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos os visitantes. A Pina Luz fica próxima à estação Luz da CPTM. 

“Na Cultura, nenhum corte será feito”

Governo assegura manutenção de programas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

(mais…)

“Viagem Gastronômica” de maio homenageia as mães

As mamães serão as grandes homenageadas da edição de maio do programa “Viagens Gastronômicas”, que será realizado no dia 26/5, das 15h30 às 17h, na Biblioteca de São Paulo! Dessa vez, a inspiração vem de Ana Terra, personagem do primeiro volume da consagrada trilogia “O tempo e o vento”, de Érico Veríssimo. A partir da trajetória da mulher que luta para conseguir o próprio sustento nas lavouras dos Pampas junto ao seu filho, e encontra coragem para seguir em frente, sem perder a esperança, o leitor se depara com ingredientes das colheitas que dão um sabor especial às refeições preparadas pelo povo gaúcho.

Os participantes aprenderão as receitas dos pratos abóbora com charque e bolo ninhos de pêssego, e, ao final, terão a oportunidade de degustar. A atividade será ministrada por Dolores Freixa, historiadora, guia de turismo cultural, professora de História da Gastronomia e escritora de livros sobre cultura gastronômica – é co-autora do livro Expedição Brasil Gastronômico, que ganhou o Prêmio Jabuti em 2014 – e Solange Aparecida Barbosa Botura, professora de Técnicas de Cozinha, Eventos Gastronômicos e Cozinha Brasileira.

“A ideia é estimular o público a pensar na vida dos personagens dos livros: como se alimentam, como é a gastronomia da cidade onde é ambientada a história, como são os costumes. É pensar na gastronomia também como cultura”, explica Dolores. “A atividade faz parte desse conceito de ‘biblioteca viva’, que vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos”, afirma Silvia Antibas, Coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. “A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

Receitas

Abóbora com Charque

Bolo Ninhos de Pêssego

Ingredientes

2 colheres (sopa) de óleo

1 cebola cortada em cubos pequenos

6 dentes de alho amassados

1 pimentão verde pequeno cortado em cubos

4 tomates sem pele, sem sementes picados em cubos pequenos

1 kg de carne seca cortada em cubos, dessalgada e cozida

1 kg de abóbora cabotiá cortada em cubos médios

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

2 colheres (sopa) de salsa picada   

Sal, se necessário

Pimenta do reino a gosto

 

Modo de Preparo

Numa panela, coloque o óleo e doure levemente a cebola e o alho. Junte o pimentão, os tomates, a pimenta do reino e a carne seca. Acerte o sal. Refogue e acrescente água quente aos poucos até que tudo esteja cozido e um molho se formar na panela. Coloque a abóbora e deixe cozinhar até ficar macia sem desmanchar.

Ingredientes

6 ovos

3 xícaras de chá de farinha de trigo

3 xícaras de chá de açúcar

12 colheres de sopa de água

1 colher de sopa de fermento em pó

1 lata de leite condensado

1 pacote de coco ralado em flocos

1 lata de pêssegos em calda

 

Modo de Preparo

Bater as claras em neve. Na batedeira colocar as gemas e bater com a água até dobrar o volume, acrescentar o açúcar e bater até ficar bem cremoso. Adicionar a farinha aos poucos batendo sempre até a massa formar bolhas que estouram. Acrescente o fermento só misturando. Acrescentar as claras à massa, mexendo lentamente até ficar tudo incorporado. Levar ao forno pré-aquecido em assadeira untada e polvilhada com farinha por aproximadamente 40 minutos ou até ao teste do palito. Desenformar e deixar esfriar. Recortar o bolo com um cortador de mais ou menos 5 cm de diâmetro. Umedecer com o leite condensado, passando também nas laterais. Passe os bolinhos no coco em flocos ralado e enfeite cada um com uma metade de pêssego em calda escorrido.

Como participar?

 

Os interessados não precisam fazer inscrição prévia. Basta comparecer no dia. As vagas serão preenchidas por ordem de chegada, portanto, não deixe para a última hora!

 

Visite

“VIVA! Sabores da África” leva gastronomia de três países ao Museu da Imigração

Edição do projeto apresenta comidas típicas do Marrocos, Congo e Moçambique e ainda oferece ao público uma oficina de culinária e atração musical (mais…)

10º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

O Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias – Seminário Biblioteca Viva – chega a sua 10ª edição com programação especial. Entre os palestrantes, estão o escritor André Vianco, que participa de bate-papo no dia 23, segunda-feira, e a cartunista Laerte Coutinho, que estará no Seminário no dia 25, quarta-feira. Realizado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas (SisEB), o Seminário é organizado pela SP Leituras, com apoio institucional do Goethe-Institut. (mais…)

12 de maio é dia de Intervenção Cultural Cigana

Com muita alegria, dança e música, acontece em Guarulhos, neste sábado, dia 12, das 11h00 às 18h00, o evento Intervenção Cultural Cigana, organizado pelo Acampamento Cigano de Guarulhos. A festa típica tem o objetivo de promover atividades da cultura cigana, divulgar a sua existência e a resistência cultural do povo cigano por séculos, além de comemora também duas datas muito importantes:  o Dia da Resistência Cigana (16/05) e Dia Nacional do Cigano (24/05).

Selecionado pelo edital ProAC para Culturas Populares Tradicionais em 2017, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, o projeto Intervenção Cultural Cigana conta com o apoio da ACGE – Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias, órgão da Secretaria de Cultura.

O evento acontece no próprio Acampamento Cigano de Guarulhos (rua dos Cardeais, s/nº – Vila Branca – Guarulhos/SP) e terá apresentações de grupos musicais, danças ciganas artísticas, oficinas culturais e exposições. Como ingresso, os organizadores solicitam a doação de produtos de higiene para bebês ou roupas para bebê menina. 

O Dia Nacional do Cigano foi instituído em 2006 por decreto presidencial em reconhecimento à contribuição da etnia cigana para a história e a identidade cultural brasileira. 24 de maio é, também, dedicado a Santa Sara Kali, padroeira dos povos ciganos.

O Dia da Resistência Cigana lembra 16 de maio de 1944, quando cerca de 6 mil ciganos se uniram para enfrentar soldados alemães e evitar que fossem executados no campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, durante a Segunda Guerra Mundial.

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 22 a 28 de julho

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins chega à sua última semana, com uma programação intensa, recheada de atrações imperdíveis. Ao longo de todo o mês de julho, serão mais de 130 concertosem sua maioria gratuitos, programados a partir de dois eixos temáticos: Clássico e Popular-Sinfônico.

Os grupos do Festival, formados pelos bolsistas dessa edição, estão entre as principais atrações da semana e consolidam o projeto educacional de ponta do Festival, que dá oportunidade aos estudantes de um aperfeiçoamento em alto nível, fazendo a ponte entre os cenários nacional e internacional da música de concerto.

Orquestra do Festival, regida pelo costarriquenho Giancarlo Guerrero, faz dois concertos, sendo um no Auditório Claudio Santoro e, na Sala São Paulo, o Concerto de Encerrramento Acadêmico, no dia 28 de julho, às 11h, ocasião em que serão premiados os bolsistas de destaque do 50º Festival. Já, os alunos da Classe de Regência do Festival compartilham a batuta à frente da Orquestra Sinfônica da USP em um concerto na Sala São Paulo.

Na programação sinfônica, outros destaques são o concerto da orquestra Johann Sebastian Rio, regida por Felipe Prazeres; da Osesp, regida por Wagner Polistchuk, em um concerto gratuito no Auditório Claudio Santoro, tocando a Quinta Sinfonia de Beethoven e outras peças, em celebração aos 20 Anos da Sala São Paulo.

Na Praça do Capivari, a programação terá o sambista Diogo Nogueira com a Sinfonieta da Jazz (o concerto se repete na Sala São Paulo), e diversas orquestras e bandas sinfônicas paulistas tocam repertórios ecléticos, da música clássica, passando pela música, o cinema, o jazz e a MPB.

Já a programação de câmara tem entre as principais atrações os recitais dos pianistas Jean-Louis Steuerman e Arnaldo Cohen na Sala São Paulo, dividindo o palco com instrumentistas convidados. A Camerata Antiqua de Curitiba, regida por Luís Otávio Santos, faz dois concertos interpretando obras de Händel (um no Auditório Claudio Santoro e outro na Sala São Paulo).

Os concertos de câmara de professores e alunos do Festival também continuam, tanto na Sala do Coro (Sala São Paulo), quanto no Espaço Cultural Dr. Além, em Campos do Jordão, e incluem homenagens a importantes artistas do cenário nacional e internacional: Ernst Mahle 90 Anos, Leo Brouwer 80 Anos e Olga Praguer Coelho. Na Igreja de Santa Terezinha, o Coro Sinfônico de Goiânia, sob a regência de Katarine Araújo, é a atração.

No Palácio Boa Vista, seguem os concertos gratuitos com recitais solo e variadas formações de câmara, na Capela do Palácio, além das big bands e apresentações de música popular no Palco Externo, e ainda os shows noturnos no Palco Interno do Palácio.

E na programação Toriba Musical, promovida pelo Hotel Toriba, o destaque são dois recitais do duo formado por Tiago Paganini (violino) e Roberto Capel (piano).

 

ORQUESTRA DO FESTIVAL

27/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

28/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Concerto de Encerramento Acadêmico. Gratuito.

Orquestra do Festival, comandada pelo costarriquenho Giancarlo Guerrero [diretor musical da Orquestra Sinfônica de Nashville; seis vezes ganhador do Grammy Awards], faz suas duas últimas apresentações no 50º Festival, incluindo o Concerto de Encerramento Acadêmico, com a premiação dos bolsistas de destaque dessa edição. O grupo toca Kabbalah, Op.96, de Marlos Nobre (compositor que tem seu aniversário de 80 anos celebrado em 2019); Daphnis et Chloé: Suíte nº 2, de Maurice Ravel; e as Bachianas Brasileiras nº 2, de Heitor Villa-Lobos.

 

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

Johann Sebastian Rio. Primeira orquestra brasileira a se lançar na Internet e nas redes sociais com concertos leves e interativos, tem um nome que homenageia tanto o compositor Johann Sebastian Bach quanto a São Sebastião e a cidade do Rio de Janeiro. Com Felipe Prazeres (regente) e os solistas Priscila Rato (violino) e Marcus Ribeiro (violoncelo), o grupo interpreta L’Olimpiade, RV 725: Abertura, de Antonio Vivaldi; o Concerto nº 2 para Violino em Mi maior, BWV 1042, de J.S. Bach; e duas peças de Pyotr Il’yich Tchaikovsky: Andante Cantabile e Serenata em Dó maior, Op.48.

 

26/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos e participação dos solistas Graciela Oddone (soprano), Cecilia Amancay Pastawski(mezzo soprano), Paulo Mestre (contratenor), Sidney Gomes (tenor) e Cláudio de Biaggi (barítono) interpretam duas obras de Georg Friedrich Händel: o Concerto Grosso em Lá maior, Op.6 nº 11 e Dixit Dominus, HWV 232.

 

27/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra do Festival com Giancarlo Guerrero (regente). (informações sobre o programa acima).

 

28/07 (dom), 16h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, com Wagner Polistchuk (regente), apresenta a Sinfonia nº 5 em dó menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven, e obras escolhidas pelo público: Bachianas Brasileiras nº 4: Prelúdio, de Heitor Villa-Lobos; O Quebra-Nozes, Op.71: Valsa das Flores, de Pyiotr Il’yitch Tchaikovsky; Sinfonia nº 5: Adagietto, de Gustav Mahler; e A Valquíria: Cavalgada das Valquírias, de Richard Wagner. Esse mesmo programa foi apresentado na celebração dos 20 Anos da Sala São Paulo, no dia último dia 9 de julho, aniversário da Sala.

 

SALA SÃO PAULO

23/07 (ter), 20h30. Ingressos: R$ 20.

Jean-Louis Steuerman (piano), em programa de música de câmara:

– Jean-Louis Steuerman (piano), Alessandro Borgomanero (violino), Renato Bandel (viola) e Rodrigo Andrade Silveira (violoncelo) interpretam o Quarteto nº 1 em sol menor, KV 478, de Wolfgang Amadeus Mozart.

– Jean-Louis Steuerman (piano), Elissa Cassini (violino), Peter Pas (viola) e Rodrigo Andrade Silveira (violoncelo) interpretam o Quarteto em Mi bemol maior, Op.47, de Robert Schumann.

 

25/07 (qui), 20h30. Ingressos: R$ 20.

Arnaldo Cohen (piano) em programa de música de câmara:

– Arnaldo Cohen (piano), Winston Ramalho (violino) e Viktor Uzur (violoncelo) interpretam o Trio nº 2 em Dó maior, Op.87, de Johannes Brahms;

– Arnaldo Cohen (piano), Elissa Cassini (violino) e Viktor Uzur (violoncelo) interpretam o Trio nº 1 em ré menor, Op.49, de Felix Mendelssohn-Bartholdy.

 

26/07 (sex), 20h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica da USP, regida pelos alunos da Classe de Regência do Festival, apresenta as obras Don Giovanni, KV 527: Abertura, de Wolfgang Amadeus Mozart; Abertura Coriolano, Op.62, de Ludwig van Beethoven; As Bodas de Fígaro, KV 492: Abertura, de Mozart; Abertura A Gruta de Fingal, Op.26, de Felix Mendelssohn-Bartholdy; e a Sinfonia nº 1 em Dó maior, Op.21, de Beethoven.

 

27/07 (sáb), 16h30. Ingressos: R$ 20.

Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos e participação dos solistas Graciela Oddone (soprano), Cecilia Amancay Pastawski (mezzo soprano), Paulo Mestre (contratenor), Sidney Gomes (tenor) e Cláudio de Biaggi (barítono) interpretam duas obras de Georg Friedrich Händel: o Concerto Grosso em Lá maior, Op.6 nº 11 e Dixit Dominus, HWV 232.

 

28/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Concerto de Encerramento Acadêmico. Gratuito.

Orquestra do Festival com Giancarlo Guerrero (regente). (informações sobre o programa acima).

 

28/07 (dom), 18h. Ingressos: R$ 80.

Jazz Sinfonieta e Diogo Nogueira, sob regência de Nelson Ayres. A Sinfonieta da Jazz Sinfônica encerra sua participação no 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão recebendo Diogo Nogueira, um dos maiores nomes do samba da atualidade. O repertório inclui Conversa de Botequim, de Vadico e Noel Rosa; Filosofia, de Noel Rosa e André Filho; Aquele Abraço, de Gilberto Gil; As Rosas não Falam, de Cartola; Alvorada, de Cartola e H.B. de Carvalho; Chão de Esmeraldas, de Chico Buarque e H.B. de Carvalho [todas com arranjo de Paulo Aragão]; Samba do Avião, de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes; Você é Linda, de Caetano Veloso; Choro Bandido, de Edu Lobo e Chico Barque [todas com arranjo de Nelson Ayres]; e Cabô, Meu Pai, de Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila e Aldir Blanc [arranjo de Tiago Costa].

 

PRAÇA DO CAPIVARI

27/07 (sáb), 11h. Gratuito.

Banda Sinfônica de Taubaté, com Rogério de Souza (regente) e Alexey Kurdjian (regente assistente) interpreta Prelude and Presto, de David R. Holsinger; Othello, a Symphonic Portrait for Concert Band, de Alfred Reed; Cavalaria Ligeira, de Franz von Suppé [arranjo de Luis G. Ñarro];The Avengers’ Theme, de Alan Silvestri [arranjo de Michael Brown]; Dança de Vagharchabadi, de Vardapet Komitas [arranjo de Alexey Kurkdjian]; Mas que nada, de Jorge Ben [arranjo de Michael Brown]; e Vassourinhas, de Mathias da Rocha e Joanna Batista [arranjo de Nenéu Liberalquino].

 

27/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Banda Sinfônica do Exército, com Tenente Gilson Souza (regente), apresenta a obras A Concert Prelude e Year of the Dragon: Finale, de Philip Sparke; O Pássaro de Fogo: Excertos, de Igor Stravinsky [arranjo de Randi Earles sobre a versão de 1919]; Variações Fantasia sobre um Tema de Nicolò Paganini, de James Barnes; A Lista de Schindler, de John Williams; Velhos Camaradas (dobrado), de Carl Teike; Cielo andaluz (pasodoble), de Pascual Marquina Narro; e Paconchita – Abertura latina, de Oscar Navarro.

 

27/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfonieta, sob regência de Nelson Ayres, recebe Diogo Nogueira, um dos maiores nomes do samba da atualidade. O repertório inclui Conversa de Botequim, de Vadico e Noel Rosa; Filosofia, de Noel Rosa e André Filho; Aquele Abraço, de Gilberto Gil; As Rosas não Falam, de Cartola; Alvorada, de Cartola e H.B. de Carvalho; Chão de Esmeraldas, de Chico Buarque e H.B. de Carvalho [todas com arranjo de Paulo Aragão]; Samba do Avião, de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes; Você é Linda, de Caetano Veloso; Choro Bandido, de Edu Lobo e Chico Barque [todas com arranjo de Nelson Ayres]; e Cabô, Meu Pai, de Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila e Aldir Blanc [arranjo de Tiago Costa].

 

28/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com Edson Beltrami (regente) e João Carlos Martins (regente e piano), interpreta a Cantata nº 147: Jesus bleibet meine Freude, de J.S. Bach; Peer Gynt: Suíte nº 1, Op.46, de Edvard Grieg; a Valsa nº 2, de Dmitri Shostakovich; Danças Eslavas nº 8, Op.46: nº 8 em sol menor, de Antonín Dvórak; a Suíte Orquestral nº 3 em Ré maior, BWV 1068: Ária, de J.S. Bach; o Concerto nº 5 para Cravo em fá menor, BWV 1056, de J.S. Bach; Yesterday / Love of my life, de The Beatles / Queen [arranjo de Edson Beltrami]; Cinema Paradiso, de Ennio Morricone; e Carnaval de Rua, de Hudson Nogueira.

 

28/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica de Piracicaba, sob a regência de Jamil Maluf, apresenta o programa A Orquestra no Cinema, tocando uma seleção de composições emblemáticas que fizeram parte das trilhas sonoras de  clássicos cinematográficos: No belo Danúbio azul, Op.314, de Hohann Strauss Jr [2001 – Uma Odisséia no Espaço de Stanley Kubrick]; Sinfonia nº 5: Adagietto, de Gustav Mahler [Morte em Veneza de Lucchino Visconti]; La Gazza Ladra: Abertura, de Gioacchino Rossini [Laranja Mecânica de Stanley Kubrick]; e Guerra nas Estrelas: Suíte sinfônica, de John Williams [Guerra nas Estrelas de George Lucas].

 

28/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Soundscape Big Band. Criada em 1999 por músicos influenciados por grandes mestres do jazz, a Soundscape traz a estrutura clássica de uma traditional big band: cinco saxofones, quatro trombones, quatro trompetes, baixo acústico, bateria, piano e guitarra. Nesse programa, o grupo apresenta Foose in Bla, de Ohad Talmor; Maria 3 Filhos, de Milton Nascimento [arranjo de Fernando Corrêa]; Fall, de Wayne Shorter [arranjo de Fernando Corrêa]; Tempestade, de Chico Pinheiro e Chico César [arranjo de Tiago Costa]; Coisa nº 2, de Moacir Santos [arranjo de Tiago Costa]; Corrêa Toa, de Fernando Corrêa; e Plaza Real, de Wayne Shorter [arranjo de Paulo Malheiros].

 

PALÁCIO BOA VISTA

27/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Salada Mista Big Band, com Ogair Júnior (regente) apresenta a Valsa sentimental, de Tom Jobim [arranjo de Robertinho Carvalho]; Samba de Orfeu, de Luiz Bonfá [arranjo de Rubinho Antunes]; Raabe, de Jorge Ervolini; A Procura, de Robertinho Carvalho; Sweet Dulcinea Blues, de Kenny Wheeler [arranjo de Robertinho Carvalho]; Velas içadas, de Ivan Lins [arranjo de Jorge Ervolini]; Daquilo que eu sei, de Ivan Lins [arranjo de Robertinho Carvalho]; e Linha de Passe, de João Bosco [arranjo de Nailor Proveta].

 

27/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

O Sorriso da Manu, com Toninho Ferraguti (acordeon), Beto Angerosa (percussão), Paulo Braga (piano), Alexandre Ribeiro (clarinete), Ricardo Takahashi (violino), Liliana Chiriac (violino), Adriana Schincariol Vercelino (viola), Raïff Dantas Barreto (violoncelo) e Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo).

Explorando a sonoridade de uma pequena orquestra, aliada às possibilidades sonoras do acordeom, Toninho Ferragutti apresenta as composições de seu álbum O Sorriso da Manu. O programa inclui, de sua autoria, as peças Sanfonema, Forro classudo, Paçoquinha, Circuleta, Chôro da madrugada, O Sorriso da Manu, Nem Sol, nem Lua, Balanguinha, Trilha feita a mão, Na Sombra da Asa Branca, Trilha feita a lápis, Flamenta e Nova; de Luperce Miranda, Quando me lembro; e de Hermeto Pascoal, Sion.

 

27/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Do Barroco às Barrancas do Rio é o título do recital de Bruno Sanches, que toca viola brasileira. O programa inclui composições próprias e de outros autores: Catira do Vale, de Bruno Sanches; A jangada voltou só, de Dorival Caymmi; Canários, de Gaspar Sanz; O trem tá feio, de Tavinho Moura e Murilo Antunes; Capricho perfumado, de Bruno Sanches; Prelúdio da Suíte nº 1 para Violoncelo, de Johann Sebastian Bach; ¡Ha, che valle!, de Agustin Barrios; Poema: Dia de Chuva, de Luiz Antônio Sanches; Boi soberano, de Carreirinho e Izaltino Gonçalves; Senhorinha, de Guinga e Paulo César Pinheiro; Elementais, de Bruno Sanches; A Força do Boi, de Ivan Vilela; Poema: O Voo do Andarilho, de Zaca de Oliveira; Amantikir, de Bruno Sanches.

 

27/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso).

Daniel D’Alcântra (trompete/flugelhorn), Felipe Silveira (piano), Thiago Alves (contrabaixo) e Paulinho Vicente (bateria) apresentam um programa de música instrumental, jazz e MPB.

 

28/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Cancioneiro de Paris

O Capela Ultramarina, formado por Regiane Martinez (soprano), Patrícia Nacle (contralto), Iara Ungarelli (viola da gamba), Marília Macedo (flauta doce), Guilherme de Camargo (viola de mão de quatro ordens) e Fábio Vianna Peres (tenor, viola de mão de cinco ordens), apresenta uma seleção de peças anônimas do século XVI. Com pesquisa, arranjo, edição, concepção e direção musical de Fábio Vianna Peres, o grupo reúne em seus concertos cantores e instrumentistas com ampla experiência no campo da interpretação histórica da música do passado.

 

28/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Coro Infantojuvenil da Fundação Lia Maria Aguiar, com Luana Barros (regente), interpreta Oye, de Jim Papoulis; Roda Viva, de Chico Buarque; Stand by me, de Ben E. King; Tres morillas me enamoran (Anônimo); O rei mandou me chamá, de M. Camargo Guarnieri; Missa Festiva: Kyrie, de John Leavitt; Jubilate Deo, de Jay Althouse; De Magia, de Dança e Pés, de Milton Nascimento; Jardim da Fantasia, de Paulinho Pedra Azul; Samba do Arnesto, de Adoniran Barbosa; e Pase el agoa (Anônimo).

 

ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

22/07 (seg), 18h30. Gratuito.

O grupo Trombonismo, formado por Carlos Freitas, Eduardo Machado, Fernando Chipoletti e Wagner Polistchuk, interpreta a Suite Elizabethana (Anônimo); o Quarteto para Trombones, de Fernando Moraes; Doctor Decker’s Daydreams, de Christian Lindberg; a Suite Parisiense, de John Glenesk Mortimer; Bohemian Rhapsody, de Freddie Mercury/ Queen [arranjo de Alan Fernie]; e Marcelinho no Frevo, de Ivanildo Maciel.

 

23/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Gabriella Pace (soprano) e Ricardo Ballestero (piano) interpretam Sechs Lieder, Op.13, de Clara Schumann; Fünf Lieder, Op.49, de Joahannes Brahms; e Frauenliebe und Leben, Op.42, de Robert Schumann.

 

24/07 (qua), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Tainá Trigo (flauta), Andreza Batistella (viola) e Raphael Aragão (harpa) interpretam a Sonata para Flauta, Viola e Harpa, de Debussy;

– Lucas Martins (flauta), Marcelo Vilarta (oboé), Gustavo Ananias (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Juan Quinteros Estrada (trompa) interpretam Três Peças breves, de Ibert;

Maria Júlia Segura (violino), Hanan Santos (violino), Rômulo Moreira (viola), Tácio Vieira (violoncelo), Júlio Zabaleta (flauta), Danilo Oliveira (clarinete) e Alice Emery (harpa) interpretam Introdução e Allegro, de Ravel.

 

25/07 (qui), 18h30. Gratuito.

Escualo Ensemble, formado por Amanda Martins (violino), Cláudio Torezan (contrabaixo), Rubén Zúñiga (vibrafone) e Daniel Grajew (piano e acordeão), interpreta um repertório de tangos tradicionais e modernos: Soledad, de Astor Piazzolla; Mi Viejo Reloj, de Osvaldo Fresedo; Zum, de Astor Piazzolla; Negracha, de Osvaldo Pugliese; Milonga en Re, de Astor Piazzolla; Escualo, de Astor Piazzolla; Cabulero, de Leopoldo Federico; Fuga y Misterio, de Astor Piazzolla; Odeon, de Ernesto Nazareth; Tango Buto, de Daniel Grajew; e A Fuego Lento, de Horacio Salgán.

 

26/07 (sex), 18h30. Gratuito.

Homenagem a Olga Praguer Coelho

A soprano Camila Titinger e o violonista Fabio Zanon homenageiam a soprano e violonista Olga Praguer Coelho (1909-2008), que começou sua carreira musical nos anos 1920 e ascendeu internacionalmente a partir de 1935, chegando a ganhar o status de embaixadora da cultura brasileira na Europa, e cantar na Casa Branca (EUA). O duo interpreta obras de Alessandro Scarlatti, Giovanni Bellini, Manuel de Falla, Nikolay Rimsky-Korsakov, Heitor Villa-Lobos e do folclore brasileiro e internacional, em arranjos para voz e violão de Villa-Lobos, Andrés Segovia e Olga Praguer Coelho.

 

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

22/07 (seg), 19h. Gratuito.

Leo Brouwer 80 Anos.

O programa celebra o aniversário do compositor e violonista cubano, autor de uma importante e prolífica obra, não só violonística, mas dedicada a outros instrumentos. O repertório inclui peças para várias formações de autoria de Brower, tocada por vários grupos de instrumentistas:

Adailson Araujo, Eduardo Gutterres, Huayma Tulian e Julieta Comotti (violões) interpretam a Toccata;

– Tayná Trigo (flauta), Vanessa Gatica Valenzuela (viola) e Camilla Silva (violão) tocam Per suonare a tre;

– Gabriel Moraes (percussão) toca Variantes;

– Cristóbal Alarcón (flauta), Julián Lerma (viola) e Nícolas Porto Silva (violão) interpretam Paisajes, retratos y mujeres;

– Marina Caputo (violino), Lauro Lira (violoncelo) e Paulo Álvares (piano) tocam Manuscrito antiguo encontrado en una botella;

– Classe de Violão do Festival, formada por Adailson Araujo, Camilla Silva, Eduardo Gutterres, Guilherme Moreno, Huayma Tulian, Jhony de Souza, Julieta Comotti, Laíne Mororó, Lucas da Silva Rocha, Lucas Vieira, Nícolas Porto Silva e Nora Spielman interpretam Paisaje Cubano con Rumba.

 

23/07 (ter), 19h. Gratuito.

Ernst Mahle 90 Anos

O programa homenageia o compositor, maestro e professor Ernst Mahle, nascido na Alemanha e radicado no Brasil, fundador da Escola de Música de Piracicaba. Mahle é autor de arranjos e composições para todos os instrumentos, em formações solo, de música de câmara e sinfônica, além de canto e coro. Produziu cerca de duas mil obras, das quais cerca de quinhentas são composições originais, incluindo três óperas. No repertório, todas as peças são de Ernst Mahle, interpretadas por vários grupos de instrumentistas:

Leandro Isaac (piano) e Lucas Gonçalves (piano) tocam a Toccata;

Lucas Gonçalves (piano) interpreta a Sonatina para Piano;

Marcos Alex, Wellington Carlos e André Martins (trombones), e Luana Maele (trombone baixo) tocam a Suíte para Quarteto de Trombones;

Luciana Campanhã Pozatto (flauta), Paulo Roberto (oboé), Eduardo Lima (clarinete), Sandra Ribeiro (fagote) e Guilherme Merique (trompa) interpretam o Quinteto de Sopros;

Thiago Sandoval (clarinete), Alex Sanchez (fagote), Henrique Santos (trompa), Carlos Espinal (violino), João Sena (viola), Laura Catalina Mendoza (violoncelo) e Renata Rodrigues Andrade (contrabaixo) tocam o Septeto;

Matheus Coelho (regente), Andrezza Reis (soprano), Cristóbal Alarcón (flauta), Luís Umbelino (clarinete), Marcela Cerna Alcántara (violino), Letícia Camargo (viola), María Bellorin (violoncelo), Vincent Delia (contrabaixo), Ingrid Uemura (piano) e Pietro Gutiérrez Arnoldi (percussão) interpretam O amor é um som (sobre citação de Júlio Dinis).

 

24/07 (qua), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Svetlana Tereshkova e Tatiana Vinogradova (violinos), Olga Vassilevich (viola) e Marialbi Trisolio (violoncelo) interpretam Morriña – Quarteto de Cordas, de Eduardo Frigatti, e Cinco Peças para Quarteto de Cordas, de Igor Maia.

– Renato Raul (marimba) e Rafael Dalchau (vibrafone) tocam o Estudo II – A Falsa Rhumba, de E. Álvares;

– Diego Montes (marimba), Andrés Reyes Gutiérrez (percussão), Pietro Gutiérrez Arnoldi (percussão) e Ariel Gonzalez (percussão) interpretam Marimba Spiritual, de Minoru Miki;

– Tayná Trigo (flauta), Guilherme Peres (violino), Yixon Marin (viola), Eliziel Lourenço (violoncelo) e Raphael Aragão (harpa) tocam a Serenata para Flauta, Trio de Cordas e Harpa, Op.30: Allegro, de Roussel;

– Lucas Martins (flauta), Marcelo Vilarta (oboé), Gustavo Ananias (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Juan Quinteros Estrada (trompa) interpretam Três Peças breves, de Ibert;

Alice Emery (harpa), Júlio Zabaleta (flauta), Danilo Oliveira (clarinete), Maria Júlia Segura (violino), Hanan Santos (violino), Rômulo Moreira (viola) e Tácio Vieira (violoncelo) tocam Introdução e Allegro, de Ravel.

 

25/07 (qui), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Marcelo Barboza (flauta) e Débora Halász (piano).

Programa a ser anunciado

 

26/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Lincoln Sena (flauta), Paulo Roberto (oboé), Eduardo Lima (clarinete), Vivian Meira (fagote), Isaque Elias (trompa) e Mateus Restani (piano) interpretam o Sexteto para Piano e Sopros em Si bemol maior, Op. 6: Allegro moderato, de Thuille.

– Thiago Sandoval (clarinete), Gustavo Prates (violino), Gustavo Lennertz (violino), Guilherme Santana (violino) e Nathalia Sudário (violoncelo) interpretam o Quinteto com Clarinete em si menor, Op. 115: Excertos, de Brahms.

– Sol Ochoa (violino), Meriline Rivero Meza (violino), Andreza Batistella (viola), Lucas Garcia Muramoto (violoncelo), Claudia Macchicado Torres (contrabaixo), Erick Venditte (trompete) e Pedro Heylmann (piano) interpretam o Septeto em Mi bemol maior, Op. 6, de Saint-Saëns.

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA 

26/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coro Sinfônico de Goiânia, sob a regência de Katarine Araújo, com Fábio Leite (piano), Joicy Carvalho (soprano), Patrícia Mello (soprano), Natália Afonso (contralto), Félix Bauer (tenor), Caio Abreu (barítono), Anne Clárenci (soprano), Angela Samara (soprano) e Vitor Monte (baixo), interpreta as obras Agnus Dei, de Samuel Barber; Sete Canções, de Francis Poulenc; Only in sleep, de Eriks Esenvalds [texto de Sara Teasdale]; Salut printemps, de Claude Debussy; Choros nº 3 – Pica-Pau, de Heitor Villa-Lobos; Três Cânticos breves, de Ronaldo Miranda [texto de Fernando Pessoa]; Suíte nordestina, de Ronaldo Miranda; e Frevo fugato, de Edmundo Villani-Côrtes.

 

TORIBA MUSICAL

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

27/07 (sáb)

– 16h30, Área Externa do Museu Felícia Leirner [Toriba Musical ao Pôr do Sol].

– 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Tiago Paganini (violino) e Roberto Capel (piano) interpretam o Praeludium und Allegro, de Fritz Kreisler; a Sonata nº 3 em Mi maior, BWV 1016, de Johann Sebastian Bach; a Sonata n° 21 em mi menor, KV 304, de Wolfgang Amadeus Mozart; Après un Rêve, de Gabriel Fauré; Nocturne, de Lili Boulanger; Liebesleid, de Fritz Kreisler; Salut d’Amour Op.12, de Edward Elgar; e As Quatro Estações: Primavera, de Antonio Vivaldi.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

 

 

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

 

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

http://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

 

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 201 bolsistas. Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

 

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas.

 

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

 

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins

Data: de 29 de junho a 28 de julho 

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

 

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão  têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

 

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

 

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

 

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA 

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

 

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

 

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

 

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

 

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: a distribuição de ingressos será feita pela internet, a partir das 10h da manhã da segunda-feira que antecede o concerto, e também presencialmente, a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento da Sala São Paulo, limitado a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

 

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

 

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS: 

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

Abertura do Festival de Inverno lota espaços em Campos do Jordão

Primeiro fim de semana do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão teve Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo apresentando o hino nacional e estreia do eixo popular-sinfônico com Jazz Sinfônica ao lado de Mônica Salmaso e Carlinhos Brown

(mais…)

Alckmin entrega Fábrica de Cultura de Diadema

Governador Geraldo Alckmin, junto ao Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, estiveram em Diadema na manhã do dia 27/3 para realizar a entrega da obra da Fábrica de Cultura de Diadema, primeira unidade do programa fora da capital paulista. Com mais de 6 mil metros quadrados de área construída, a Fábrica de Cultura Diadema terá o mesmo formato das 10 unidades da capital, com cursos de diversas linguagens artísticas, oficinas, biblioteca, workshops, entre outras atividades. O equipamento cultural deverá operar plenamente a partir de agosto deste ano – tempo necessário para os trâmites do chamamento público que irá selecionar a Organização Social de Cultura responsável pela administração equipamento. O Governo do Estado de São Paulo investiu R$ 16,9 milhões na obra executada pela empresa ECG Engenharia Construções e Geotecnia Ltda.

“É a primeira Fábrica de Cultura fora de São Paulo. Um prédio com dois pavimentos, biblioteca, teatro, sala de música, circo, arte, produção e dança, além de refeitório, camarins e vestiários. Assinamos com o secretário José Luiz Penna e com o Romildo Campello, secretário-adjunto, que já vão providenciar o chamamento para escolhermos a Organização Social que vai equipar, gerir e colocar a unidade em funcionamento."
Geraldo Alckmin
Governador do Estado de São Paulo

Para o secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, a Fábrica de Cultura Diadema vai trazer alegria e ocupação para a população e os produtores culturais do município. 

No mês de julho, a população terá uma “degustação”, uma prévia das atividades oferecidas pela Fábrica de Cultura: crianças e jovens poderão participar de oficinas de dança, teatro, circo, literatura, multimeios, entre outras linguagens e, a partir dessas experiências, escolher os cursos no quais queiram se matricular.

“A Fábrica de Cultura chega num momento muito importante para a vida cultural local e, certamente isso vai se expandir por toda a região."
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Como funcionará a Fábrica de Cultura Diadema?

As atividades das Fábricas de Cultura serão divididas da seguinte forma:

Cursos de curta e longa duração nas modalidades de teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios. Todos os materiais necessários para os cursos são fornecidos gratuitamente pelas Fábricas. Durante as férias de janeiro e julho, é oferecida uma programação especial de cursos e oficinas

As bibliotecas das Fábricas de Cultura oferecem acesso gratuito a livros, periódicos, filmes, jogos, computadores com acesso à internet e equipamentos de acessibilidade visual e motora. Também são oferecidas atividades de incentivo à leitura como contações de histórias, encontros com escritores, oficinas e exibição de filmes. Não é preciso ser aluno das Fábricas para frequentar as bibliotecas

Aproveite as atrações da Secretaria da Cultura do Estado durante o feriado prolongado

Museus, bibliotecas, Oficinas Culturais e a Sala São Paulo oferecem atividades para todas as idades. (mais…)

Auditório Simón Bolívar reabre com Jazz Sinfônica

Nova sala prioriza segurança, mobilidade, conforto e acessibilidade; (mais…)

Biblioteca de São Paulo é finalista de prêmio internacional!

Que boa notícia! A Biblioteca de São Paulo é finalista do The London Book Fair International Excellence Awards 2018, na categoria Melhor Biblioteca do Ano. Na mesma categoria, concorrem bibliotecas de Oslo (Noruega), Aarhus (Dinamarca) e Riga (Letônia). O resultado será anunciado no dia 10/4, em Londres, durante a London Book Fair, uma das mais importantes feiras de livros do mundo, ao lado da de Frankfurt e Guadalajara.

O prêmio celebra as melhores iniciativas internacionais na área do livro em 17 categorias: audiolivro, livraria, inovação editorial, iniciativa educacional, festival literário, publicação acadêmica, publicação infantil, tradução literária, inovação digital, entre outras. Para cada uma delas, há um júri composto por especialistas na área.

“Além do trabalho de excelência que realiza, a Biblioteca de São Paulo acolhe o cidadão, seja ele um leitor assíduo, seja alguém que nunca pisou nesse tipo de ambiente e pode ter despertada a prática da leitura. A biblioteca é importantíssima para ambos. Essa indicação é um grande estímulo para todos nós e mostra que estamos trilhando o caminho certo.”
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo
“Nossa missão, como biblioteca contemporânea, é de servir como uma praça cultural destinada ao encontro das pessoas e comunidades, à discussão e à criação de conteúdos. Essa indicação é o reconhecimento internacional do trabalho feito ao longo desses anos para oferecer à população uma biblioteca cidadã.”
Pierre André Ruprecht
Diretor Executivo da Organização Social SP Leituras

O material de candidatura da BSP destacou os diferenciais do projeto e das atividades diárias, que transformaram a área onde anteriormente existia a Casa de Detenção do Carandiru em uma praça cultural, local de acolhimento e descobertas. Criada a partir do conceito de biblioteca viva, a BSP visa a valorização das pessoas e de seus saberes, além da troca de experiências.

"A diferença do modelo de biblioteca viva é que ela vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos. As pessoas podem se sentir como se estivessem em casa."
Silvia Antibas
Coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
"O que eu mais gosto daqui é que ela não é só um espaço de leitura. Até curso de culinária já fiz aqui!"
Gisele Turteltaub
Visitante

Visite a BSP!

A Biblioteca de São Paulo fica no Parque da Juventude (Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana), ao lado da Estação Carandiru do Metrô. O horário de funcionamento é de terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30.

Biblioteca Parque Villa-Lobos comemora 4 anos com programação especial!

A Biblioteca Parque Villa-Lobos comemora 4 anos com festa para todos! A celebração acontecerá no dia 15/12, sábado, das 9h30 às 17h, com atividades gratuitas para públicos de todas as faixas etárias. Das 9h às 17h, os palhaços Jacinto & Sandoval promovem intervenções lúdicas pelo espaço da biblioteca. Das 10h às 12h30, a intervenção é poética: a artista plástica Renata Moura constrói, com os frequentadores da BVL, uma árvore de livros, a partir de frases dos visitantes. Das 11h30 às 13h30, a oficina minichef com Andy Giacometti, indicada para crianças até 10 anos, reúne gastronomia e aprendizados. Na programação de comemoração ainda há homenagem aos sócios (às 15h40) e apresentação do espetáculo Reprise, com a Cia. La Mínima, às 16h.

A BVL também participa da Virada Inclusiva com a Hora do Conto, no dia 2, domingo, às 16h, com a Cia. Fantoccini interpretando (inclusive em Libras) Lila e o segredo da chuva, de David Conway. Quem gostaria de conhecer mais e até aprender caligrafia conta com oficina em dezembro, na BVL, com Carlos Gustavo Araújo do Carmo, residente do coworking da biblioteca, em projeto com o Acessa Campus. A atividade acontece no dia 6, quinta-feira, das 10 às 13h. No mesmo dia, também como parte da Virada, haverá Equoterapia em espaço específico no Butantã, para pessoas com deficiência. Saiba os detalhes no descritivo da programação, a seguir.

Quem curte fotografia encontrará na biblioteca mostra sobre a arquitetura modernista de Kaunas, a partir de imagens. Apresentada pelo Consulado Geral da Lituânia em São Paulo, e em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo e a BVL, a exposição será aberta no dia 8, sábado, e reúne fotografias da arquitetura do início do século XX de Kaunas – segunda maior cidade da Lituânia. 

 

Programação

 

Intervenções lúdicas e divertidas durante todo o dia. Não é necessário fazer inscrição. Das 9 às 17 horas. 

Intervenção poética em homenagem à biblioteca. Para compor essa árvore, cada pessoa pode colaborar com uma frase. Deixe registrada a sua mensagem! Com Renata Moura. Não é necessário fazer inscrição. Das 10 às 12h30. 

Você sabe qual a origem da festa de aniversário? Nesta oficina lúdica e gastronômica o chef Andy Giacometti responde à pergunta e conta outras curiosidades sobre a comemoração. A criançada pode ainda participar preparando canapés e docinhos. Com o chef Andy Giacometti. Indicado para crianças até 10 anos. Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada. Das 11h30 às 13h30.

A BVL presta homenagem os sócios que mais prestigiam a biblioteca. Não é necessário fazer inscrição. Às 15h40.

Ao chegar no lugar onde deve se apresentar, um palhaço descobre que outro palhaço também havia sido contratado, pela mesma pessoa, para se exibir. No mesmo local e no mesmo horário. Depois de inúmeras tentativas de provar um ao outro quem tem prioridade no picadeiro, os dois decidem realizar o trabalho juntos e percebem, durante o show, que seus talentos se multiplicam. Retirar senhas com 1 hora de antecedência na porta do auditório. Com a Cia. La Mínima. Às 16h. 

Onde fica?

BVL tem curso pré-vestibular de literatura – veja como participar!

Quem nunca viu “Memórias póstumas de Brás Cubas” ou “Vidas secas” passarem pelas provas de vestibular? Para dar uma ajudinha aos que vão fazer prova neste ano, a Biblioteca Parque Villa-Lobos realizará encontros gratuitos para discutir algumas dessas obras!

Os debates vão acontecer entre 9/5 e 8/6, das 16h às 18h, e não precisam de inscrição prévia. O curso será ministrado por Edson Lopes, mestrando pela Universidade Federal de São Paulo, coordenador e professor do Cursinho Popular. O curso pretende apresentar e discutir cada uma das obras exigidas pela FUVEST 2019. A cada encontro discutiremos uma obra e tentaremos compreender alguns aspectos importantes para sua interpretação. Os bate-papos buscarão dar caminhos para a realização da prova, mas principalmente, incentivar a leitura integral dos livros e abrir caminho para o prazer da literatura”, ressalta Lopes.

“A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

"A literatura é um direito e devemos usufruí-lo. Em uma realidade em que os textos curtos e rápidos são preferência, a leitura de livros clássicos, e muitas vezes herméticos, não é tarefa fácil, sobretudo quando se tem o vestibular pela frente."
Edson Lopes

Confira a programação:

 

09/05 Iracema, José de Alencar.

11/05 Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis.

16/05 O Cortiço, Aluísio Azevedo.

18/05 Vidas Secas, Graciliano Ramos.

23/05 Claro Enigma, Carlos Drummond de Andrade.

25/05 Mayombe, Pepetela.

30/05 Sagarana, João Guimarães Rosa.

06/06 Minha Vida de Menina, Helena Morley.

08/06 A cidade e as Serras, Eça de Queirós

Visite

Campanha Sonhar o Mundo leva programação com tema “Cultura como Direito” aos museus

Ação voltada aos Direitos Humanos acontece entre os dias 9 e 15 de dezembro, com exposições, debates, palestras e atividades sobre respeito à diversidade cultural e combate ao preconceito, à discriminação e à violência

(mais…)

Casa das Rosas realiza curso gratuito para escritores iniciantes

A proposta do Clipe 2018, cujas inscrições vão até 16 de fevereiro, é oferecer ferramentas de livre criação literária para escritores sem experiência (mais…)

Casa das Rosas: poesia no Sarau das Mulheres

Evento é gratuito e reúne poetas de diferentes regiões do país

Na história da literatura brasileira, a poesia criada por mulheres foi constantemente diminuída e boicotada, sendo, por isso, menos conhecida. Para dar visibilidade às poetas contemporâneas, a Casa das Rosas promove dia 26 de maio, sábado, às 19h00, o Sarau das Mulheres. O museu integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

O evento reúne algumas das poetas que integram a pesquisa do organizador do sarau, Rubens Jardim, que divulga há mais de seis anos a poesia escrita por mulheres. Ádyla Maciel, Beth Brait Alvim, Betty Vidigal, Carolina Montone, Claire Feliz Regina, Clara Baccarin, Esther Alcântara, Lenita Estrela de Sá, Luiza Silva Oliveira, Márcia Maranhão de Conti, Rita Alves, Rosana Banharoli, Silvia Maria Ribeiro, Adriana Veraldi, Paula Valéria Andrade e Valéria Tarelho, poetas de diferentes gerações, compartilham com o público seus trabalhos.

A poeta Lenita Estrela de Sá vem de sua terra natal, Maranhão, especialmente para participar do evento, assim como Márcia Maranhão de Conti sai de Goiânia para mostrar seus poemas ao público da Casa das Rosas. Aos 80 anos Claire Feliz Regina começou a escrever seus poemas e, depois de três livros publicados e muita experiência em apresentações nos saraus da cidade de São Paulo, participa do Sarau de Mulheres compartilhando seus poemas eróticos.

Casa das Rosas (foto: Divulgação)

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, na década de 1950. Localizado na emblemática Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outros. O museu funciona num dos raros casarões remanescentes da época inicial da Paulista, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo. Ao associar um patrimônio histórico e arquitetônico da cidade ao legado de um dos principais representantes de nossos movimentos de vanguarda, a Casa das Rosas representa as transformações tanto urbanas e sociais como artísticas e culturais de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização não governamental que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO: Sarau das mulheres

26/5. Sábado, das 19h00 às 21h00

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: livre

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – próximo à estação Brigadeiro do metrô.

Funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 22h. Domingos e feriados, das 10h às 18h.

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados).

Telefone: (11) 3285-6986 | (11) 3288-9447 | www.casadasrosas.org.br

Concerto celebrou 20 anos da Sala São Paulo e homenageou Mário Covas

Evento reproduziu o dia histórico em que o ex-governador, em seu aniversário de 69 anos, convidou trabalhadores da obra na Estação Júlio Prestes e seus familiares para testemunhar o primeiro show na Sala

(mais…)

Concertos gratuitos abrem a pré-temporada 2019 da Osesp

SEMANA CAMARGO GUARNIERI | 14 A 16 MARÇO, 19H30, SALA SÃO PAULO

(mais…)

Concurso de Composição Musical do Projeto Guri está chegando!

Atenção, gurizada! Entre os dias 16/4 e 11/5, alunos e alunas do Projeto Guri matriculados em polos do interior e do litoral poderão se inscrever no 3º Concurso de Composição Musical!

“O objetivo do Concurso é estimular a criação individual e coletiva dos Guris. A ideia é potencializar a ousadia e o exercício criativo.”
Deborah Lobo
Assessora de Projetos Especiais do Guri

Como participar?

Cada candidato ou grupo precisam entregar uma composição autoral e inédita, de qualquer estilo musical, com até 3 minutos de duração. A inscrição pode ser feita em duas categorias:

  • Infantil, para crianças de 6 a 11 anos
  • Infantojuvenil, para jovens de 12 a 21 anos

“No caso da faixa etária mista, a categoria será definida por dois critérios: se a composição for coletiva, será definida pela faixa etária predominante no grupo (acima de 50% dos integrantes). Se a composição for de um dos alunos, executada coletivamente, determinará a categoria a idade do compositor”, explica a gestora.

A música a ser inscrita deve ser registrada em áudio ou vídeo, com boa qualidade sonora, e disponibilizada por meio de um link no formulário de inscrição, seja do Youtube, Soundcloud, Vimeo ou outros sites similares de divulgação de música. Cada aluno pode participar com apenas uma composição. O material será avaliado por um Comitê de Avaliação e Seleção multidisciplinar, composto por profissionais da Amigos do Guri, que seguirão os seguintes critérios:

  • Materiais Sonoros:Exploração e manipulação com riqueza dos elementos sonoros;
  • Forma:Conexão entre as partes: desenvolvimento da forma da música;
  • Fluência:Domínio do discurso com desprendimento e propriedade;
  • Originalidade:Inovação dentro do estilo musical proposto.

 Entende-se por composição a combinação de silêncios e sons em diferentes dinâmicas e timbres dentro de um espaço de tempo, seja instrumental ou com letra.

E a premiação?

Ambas as faixas etárias serão premiadas:

1º lugar: gravação da composição em estúdio profissional, com finalização e masterização, qualificado para difusão eletrônica. 

2º lugar: workshop voltado à carreira artística com duração de até 6 horas e crédito de R$ 70 para cada compositor utilizar na loja virtual do Guri.

3º lugar: workshop voltado à carreira artística com duração de até 6 horas.

Mais sobre o Projeto Guri

Criado em 1995 pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é um programa de formação cultural e inclusão social que disponibiliza cursos gratuitos de iniciação musical a crianças e adolescentes de 6 a 18 anos de todo o Estado que possuam frequência regular na escola. As aulas, de teoria musical, coral e instrumentos de cordas, madeiras, sopro e percussão, acontecem no contraturno escolar. Os materiais didáticos e instrumentos musicais, oferecidos gratuitamente, garantem uma melhor instrução e preparação dos alunos, que periodicamente, também participam de apresentações públicas e festivais de música.

“O guri me proporciona crescimento pessoal e musical, e o que eu mais gosto – no projeto – é de participar das apresentações musicais, interagir com os alunos… gosto também dos encontros de bandas, entre outras coisas. No momento minha maior motivação é participar do GR, que nos dá essa experiência de tocar com uma orquestra. Futuramente, meus planos é fazer aula na Emesp e entrar para uma faculdade de música”afirma Vinícius Ioti Rossi, de 17 anos, ex-aluno de trombone do Polo Vinhedo e atual integrante do Grupo de Referência de Jundiaí.

“Os repertórios dos grupos infantis e juvenis são desenvolvidos especificamente para cada grupo, respeitando-se sempre o nível técnico dos alunos e alunas que passaram na seleção para a temporada. Além de obras e arranjos do repertório tradicional e contemporâneo, são encomendadas peças e arranjos inéditos para todas as formações vocais e instrumentais."
Giuliana Frozoni
Gestora Pedagógica dos polos do Projeto Guri na capital
"A prática coletiva de música, da forma que acontece no Projeto Guri, ajuda a potencializar diversas outras características positivas do aluno. Há relatos dos pais dos alunos e dos professores, dizendo que a concentração e atitude na escola também melhoram após a frequência ao Guri. Também, percebemos um impacto nas relações familiares: os pais sentem imenso orgulho das apresentações dos filhos, o que ajuda a fortalecer os vínculos.”
Marisa Gianetti
Assessora de planejamento do Projeto Guri

Condephaat realiza audiência pública para discutir tombamento do Polígono da Saúde

Objetivo da audiência é colher contribuições a respeito do “Polígono da Saúde”, em Pinheiros

(mais…)

Condephaat realiza audiência pública sobre proposta de tombamento do Bairro de Santa Ifigênia

O objetivo é ouvir os vários segmentos da sociedade e interessados em geral

No dia 16 de abril, segunda-feira, a partir das 9h00, o Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo) promove audiência pública para apresentar a proposta de tombamento do Bairro de Santa Ifigênia e sua regulamentação.

Esta audiência pública objetiva promover um adequado tratamento dos diversos interesses envolvidos na área de proteção do Bairro de Santa Ifigênia, de modo a ouvir vários segmentos da sociedade e interessados em geral e, assim, aprimorar e dar transparência aos atos do Condephaat.

A proposta de tombamento do bairro recai sobre o perímetro formado pela intersecção dos eixos das vias Avenida Duque de Caxias, Rua Mauá, Largo General Osório, Rua Mauá, Rua Brigadeiro Tobias, Viaduto Santa Ifigênia, Rua Brigadeiro Tobias, Rua Capitão Salomão, Largo Paissandu, Avenida Rio Branco e Avenida Duque de Caxias. Dentro deste perímetro estão listados 88 imóveis.

AUDIÊNCIA PÚBLICA 

DATA: 16 de abril de 2018

HORÁRIO: 9h30 às 13h00

LOCAL: Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Rua Mauá, nº 51, Luz – São Paulo

 

INFORMAÇÕES DE INTERESSE

Site do Condephaat

Regulamento com agenda

Alguns documentos destacados dos autos do processo UPPH 24507/1986:

Sínteses de decisões do Egrégio Colegiado – Sessões Ordinárias: 24 de março de 1986 – Ata nº 708, 28 de setembro de 2008 – Ata nº 1501 e 29 de junho de 2009 – Ata nº 1532;

Notificação Diário Oficial do Estado de São Paulo – D.O.E., em 27/03/86, Poder Executivo, Seção I, págs. 36 e 37;

Notificação Diário Oficial do Estado de São Paulo – D.O.E., em 09/02/10, Poder Executivo, Seção I, pág. 65;

Proposta de Regulamentação do Tombamento do Bairro Santa Ifigênia – texto de apoio para Audiência Pública 16/04/18.

Confira a programação das Férias na Cultura!

#FériasNaCultura

Confira as nossas programações de férias para você curtir o mês de janeiro

VAMOS CURTIR AS FÉRIAS?

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo preparou essa programação de atrações que vão acontecer durante os meses de dezembro e janeiro.

Tem opções para todas as faixas etárias, com atenção especial para a programação de férias, que pode ser aproveitada por toda a família. Confira abaixo!

Atrações para todas as idades

PARA AS
CRIANÇAS

Conheça nossa programação especial para crianças de todas as faixas etárias. Contações de histórias, jogos, oficinas, filmes, espetáculos e brincadeiras estão entre as atividades – a maioria delas gratuita.

TODOS OS
PÚBLICOS

Conheça nossa programação especial para jovens e adultos. Oficinas, filmes, espetáculos e peças de teatro estão entre as atividades – a maioria delas gratuita.

Confira o que abre e fecha no feriado do Dia da Proclamação da República

Espaços como Museu Catavento, Museu do Futebol, Museu da Imagem e do Som (MIS-SP), Pinacoteca de São Paulo e as Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos estarão abertos ao público no dia 15 de novembro, quarta-feira

 

MUSEUS DA CAPITAL

Pinacoteca

15 de novembro – funcionamento normal, com entrada gratuita

Destaques: visita educativa na exposição “No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos” (10h30 e 15h00) e atividade “JogaJunto” (11h00 às 15h00)
Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP
(11) 3324-1000
Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)
Estacionamento gratuito no local
R$ 6,00 | Grátis aos sábados
www.pinacoteca.org.br

Estação Pinacoteca

15 de novembro – funcionamento normal, com entrada gratuita

Largo General Osório, 66 – Luz – São Paulo/SP
Metrô Luz (500m) – CPTM Julio Prestes (240m)
(11) 3335-4990
Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até as 18h)
Estacionamento no local
R$ 6,00 | Grátis aos sábados – o ingresso dá direito a uma visita à Pinacoteca
www.pinacoteca.org.br

 

Museu da Casa Brasileira

15 de novembro – funcionamento normal, com entrada gratuita

Destaques: aproveite a visita e confira as exposições “Remanescentes da Mata Atlântica & Acervo MCB”, “31º Prêmio Design MCB”, “A Casa e a Cidade” e “Sabe-se – Não se sabe o suficiente”.
Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano – São Paulo-SP
CPTM Cidade Jardim (850m)
(11) 3032-3727
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00
Estacionamento pago no local
R$ 10,00 | Grátis aos sábados, domingos e feriados
Acessibilidade no local
www.mcb.org.br

 

Museu Afro Brasil

15 de novembro – funcionamento normal, com entrada gratuita

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP
(11) 3320-8900
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)
Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)
R$ 6,00 | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local
www.museuafrobrasil.org.br

 

Museu de Arte Sacra

15 de novembro – funcionamento normal, com entrada gratuita

Av. Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo – SP
(11) 3326-3336
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00
Estacionamento gratuito entrada pela Rua Jorge Miranda, 43
R$ 6,00 | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local
www.museuartesacra.org.br

 

Museu da Diversidade Sexual

15 de novembro – funcionamento normal, com entrada gratuita

Rua do Arouche, 24 – Estação República do Metrô – Piso Mezanino, loja 518
(11) 3339-8078
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00
Entrada gratuita
Acessibilidade no local
www.mds.org.br

 

Museu da Imagem e do Som (MIS-SP)

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: exposição “Silêncio” e exposição “Renato Russo” + karaokê com músicas da Legião Urbana (área externa)
Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP
(11) 2117-4777
Funcionamento: terça a sexta, (fechado às segundas) das 12h00 às 21h00 | sábados, domingos e feriados, das 11h00 às 20h00
Estacionamento pago no local
Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos
Acessibilidade no local
www.mis-sp.org.br

Museu do Futebol

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: visita educativa ao Estádio Pacaembu (às 11h00 e às 14h00), do jogo “Artilheiro Adaptado” (das 11h00 às 12h30) e da atividade “História das Taças das Copas” (das 14h00 às 15h30)
Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu, São Paulo- SP
(11) 3664-3848
Funcionamento: terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)|
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)
R$ 10,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)
www.museudofutebol.org.br

 

Casa das Rosas

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: inauguração da exposição “Concrescer”
Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP
Estação Brigadeiro do Metrô (850m)
(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447
Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00
Estacionamento pago no local
Entrada gratuita
Acessibilidade no local
www.casadasrosas.org.br

 

Casa Guilherme de Almeida

15 de novembro – funcionamento normal

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo
Telefone: (11) 3673-1883 / 3672-1391
De terça a domingo, das 10h às 18h.
www.casaguilhermedealmeida.org.br

 

Museu da Imigração

15 de novembro – funcionamento normal

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)
(11) 2692-1866
Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00
R$ 10,00 | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local
www.museudaimigracao.org.br

 

Catavento Cultural e Educacional

15 de novembro – funcionamento normal

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP
(11) 3315-0051
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)
Estacionamento pago no local
R$ 6,00 | Grátis aos Sábados
Acessibilidade no local
www.cataventocultural.org.br

 

Memorial da Resistência de São Paulo

15 de novembro – funcionamento normal

Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar, São Paulo – SP
(11) 3335-4990
Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças), das 10h00 às 18h00
Estacionamento pago no local
Entrada Gratuita
Acessibilidade no local
www.memorialdaresistenciasp.org.br

 

MUSEUS DO INTERIOR

Museu do Café – Santos

15 de novembro – funcionamento normal

Rua XV de novembro, 95 – Centro – Santos-SP
(13) 3213-1750
Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 | domingo das 10h00 às 17h00
R$ 10,00| Grátis aos sábados
Acessibilidade no local
www.museudocafe.com.br

 

Museu Felicia Leirner e Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão

15 de novembro – funcionamento normal

Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP
(12) 3662-6000
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00
Estacionamento gratuito no local
Cidadãos jordanenses não pagam mediante apresentação de comprovante de residência
Entrada: inteira R$10,00 e meia R$5,00 (estudante e idoso) – gratuita aos domingos
Acessibilidade no local
www.museufelicialeirner.org.br

 

Museu H. P. Índia Vanuíre – Tupã

15 de novembro – funcionamento normal

Rua Coroados, 521, Centro – Tupã/SP
(14) 3491-2333
Funcionamento: de terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00
Entrada gratuita
Acessibilidade no local
www.museuindiavanuire.org.br

 

Museu Casa de Portinari – Brodowski

15 de novembro – funcionamento normal

Praça Candido Portinari, 298 – Brodowski/SP
(16) 3664-4284
Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00
Entrada: ingresso voluntário
Acessibilidade no local
www.museucasadeportinari.org.br

 

BIBLIOTECAS

Biblioteca de São Paulo

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: “Ponto MIS” apresenta o curta “5 minutos” e o longa “Os 12 trabalhos” (10h00) e “Hora do Conto” apresenta “Clarice Lispector para meninas e meninos” (16h00)
Av. Cruzeiro do Sul, 2.630
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul
(11) 2089-0800
Funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30
Entrada gratuita
Acessibilidade no local
www.bsp.org.br

Biblioteca Parque Villa-Lobos

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: exposição “Marcas Registradas” (09h30 às 18h30), “Ponto MIS” apresenta a animação “Piratas Pirados (14h00) e “Hora do Conto” apresenta “A velhinha que dava nome às coisas” (16h00)
Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros
(11) 3024-2500
Funcionamento: de terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.
Acessibilidade no local
Entrada gratuita
www.bvl.org.br

 

FÁBRICAS DE CULTURA

Fábrica de Cultura Brasilândia

15 de novembro – biblioteca aberta

Avenida General Penha Brasil, 2508 (Entrada 1) / Avenida Inajar de Souza, 7001(Entrada 2)
(11) 3859-2300
Funcionamento: terça a sexta, das 9h00 às 20h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Fábrica de Cultura Capão Redondo

15 de novembro – biblioteca aberta

Rua Bacia de São Francisco, S/N (Entrada 1) / Rua Algard, 82 (Entrada 2)
(11) 5822-5240
Funcionamento: terça a sexta, das 9h00 às 20h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Fábrica de Cultura Jaçanã

15 de novembro – biblioteca aberta

Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138
(11) 2249-8010
Funcionamento: terça a sexta, das 9h00 às 17h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

15 de novembro – biblioteca aberta

Rua Antônio Ramos Rosa, 651
(11) 5510-5530
Funcionamento: terça a sexta, das 9h00 às 20h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

15 de novembro – biblioteca aberta

Rua Franklin do Amaral, 1575
(11) 2233-9270
Funcionamento: terça a sexta, das 9h00 às 20h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

 

Fábrica de Cultura Parque Belém

15 de novembro – funcionamento normal

Destaque: jogo de memória “Grammy Musical” (10h00)
Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)
(11) 2618-3447
Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 17h00

Fábrica de Cultura de Vila Curuçá

15 de novembro – funcionamento normal

Destaque: jogo “Consciência Negra nas Ruas” (15h00)
Rua Pedra Dourada, 65
(11) 2016-3316
Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (Noturno: conforme grade de atividades de cada unidade)

Fábrica de Cultura de Itaim Paulista

15 de novembro – funcionamento normal

Destaque: intervenção na biblioteca com obras de Jean-Michel Basquiat (15h00)
Rua Estudantes da China, 500
(11) 2025-1991
Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (Noturno: conforme grade de atividades de cada unidade)

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

15 de novembro – funcionamento normal

Destaque: jogo infantil chinês “Pula Muralha” (11h00)
Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281
(11) 2556-3624
Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (Noturno: conforme grade de atividades de cada unidade)

Fábrica de Cultura de Sapopemba

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: contação de história “O Tambor Mágico da Rã” (10h00) e leitura pública “Nem Preto nem Branco Muito Pelo Contrário” (15h00)
Rua Augustin Luberti, 300
(11) 2012-5803
Funcionamento: De terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (Noturno: conforme grade de atividades de cada unidade)

www.fabricasdecultura.sp.gov.br

OFICINAS CULTURAIS

 

Oficina Cultural Oswald de Andrade

15 de novembro – funcionamento das 16h00 às 22h00

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro
(11) 3222-2662 ou 3221-4704 | oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br
Funcionamento: Segunda a Sexta-feira das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00.
Acessibilidade no local

 

Oficina Cultural Casa Mário de Andrade

15 de novembro – fechado

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda
(11) 3666-5803 ou 3826-4085 | casamariodeandrade@oficinasculturais.org.br
Funcionamento: Terça-feira a Sábado das 10h00 às 18h00.

 

Oficina Cultural Alfredo Volpi

15 de novembro – fechado

Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera
(11) 2205-5180 ou 2056-5028 | alfredovolpi@oficinasculturais.org.br
Funcionamento: Terça a Quinta-Feira das 13h00 às 22h00 | Sexta-feira e Sábado das 10h00 às 18h00

Oficina Cultural Juan Serrano

15 de novembro – fechado

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo
(11) 3994-3362 ou 3971-3640 | juanserrano@oficinasculturais.org.br
Segunda a Sexta-feira das 8h00 às 19h00 e Sábado das 13h00 às 18h00

http://oficinasculturais.org.br/

 

TEATROS

Teatro Sérgio Cardoso

15 de novembro – funcionamento normal

Destaques: espetáculo Ana – A vida e a arte da grande bailarina brasileira (16h00 e 20h00)
Endereço: Rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista
(11) 3288-0136 – www.teatrosergiocardoso.org.br

Theatro São Pedro

15 de novembro – fechado

Rua Dr. Albuquerque Lins, 207, São Paulo
Metrô Marechal Deodoro
(11) 3661-6600 – www.theatrosaopedro.org.br

Teatro Estadual de Araras

15 de novembro – funcionamento normal

Destaque: apresentação musical “Cantores”, por Aniela Rovani com Orquestra de Cordeirópolis (20h00)
Avenida Dona Renata, 401 – Araras – SP
(19) 3543-2450 – www.teatroestadualdeararas.org.br

 

ORQUESTRA

 

OSESP

15 de novembro – Orquestra Filarmônica Jovem de Israel (21h00 – ingressos a partir de R$ 40,00)

Sala São Paulo – Praça Júlio Prestes, 16
Bilheteria: (11) 3223-3966
Ingresso Rápido: (11) 4003-1212 – www.ingressorapido.com.br
(Sala São Paulo: 1340 lugares | Sala do Coro: 150 lugares)
Recomendação etária: 7 anos
www.osesp.art.br

Para conhecer a programação cultural de todo o estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura – www.estadodacultura.sp.gov.br

 

Conheça o SEC, novo app da Cultura SP!

Aplicativo gratuito informa sobre a programação cultural em todo o Estado

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo já dispõe de um aplicativo que possibilita o acesso a programações e instituições culturais. O anúncio foi feito no dia 21/11 pelo secretário da Cultura do Estado Romildo Campello, durante o Congresso Brasileiro de Tecnologia da Informação e Meio Ambiente (CBTIMAM), realizado pela Associação Paulista de Municípios (APM-SP). O aplicativo, batizado como SEC – Sistema Estadual da Cultura já pode ser baixado gratuitamente na plataforma Google Play e, em breve, na App Store.

A iniciativa tem o objetivo de aproximar ainda mais o público dos eventos realizados em todo o território paulista (capital, interior e litoral), além de instituições culturais.

O usuário terá acesso a festivais, concertos, exposições, peças de teatro, shows musicais, apresentações circenses, dança, contação de histórias e oficinas culturais, entre outros eventos, além de informações sobre teatros, museus, bibliotecas, salas de espetáculos e patrimônios históricos. Como uma das funcionalidades do aplicativo, ele poderá ter acesso direto a eventos de seu interesse. O usuário também descobrirá como chegar aos lugares, acessará fotos e preços das atividades.

“A ideia é que o aplicativo funcione em rede e que a população possa ter as informações com geolocalização, não apenas sobre eventos da Secretaria, mas também sobre ações de produtores independentes, desde que cadastradas na plataforma Estado da Cultura, criada pela Secretaria.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Conheça os novos projetos culturais e a campanha ambiental do GovernoSP!

As secretarias de Estado da Cultura e do Meio Ambiente lançam, no dia 4/7, quarta-feira, às 10h, no auditório da Biblioteca de São Paulo, os projetos SP Cultura no Parque e SP Circo no Parque, e a campanha #SOMOSPRIMATAS.

Cultura – No evento serão assinadas as resoluções criando  dois programas culturais que terão inscrições abertas nas próximas semanas.  O objetivo das ações culturais é valorizar a apresentação cultural, artística e circense em espaços públicos, aproximando artistas e usuários dos parques urbanos, além de estimular a difusão das manifestações culturais. A SMA cederá os parques urbanos sob sua administração e a Cultura ficará responsável por credenciar artistas interessados em se apresentar nesses espaços. Estarão abertas inscrições para: circo, teatro, dança, música, manifestações folclóricas e da cultura popular, música, dança, literatura e poesia, lutas de exibição, inclusive capoeira, artes visuais e produção de artesanato.

Meio Ambiente – Para sensibilizar e educar a população quanto às dificuldades enfrentadas pelos primatas (a violência em razão da febre amarela é um exemplo) e propor ações para sua proteção e conservação será lançada a campanha #SOMOSPRIMATAS.  O foco da campanha são 10 espécies paulistas seriamente ameaçadas: Muriqui-do-sul, Bugio-ruivo, Mico-leão-preto, Mico-leão-da-cara-preta, Macaco-prego, Bugio-preto, Sauá ou Guigó, Sagui-da-serra-escuro, Sagui-de-tufos-pretos, Sagui-de-tufos-brancos. Na ocasião haverá também o lançamento do Guia de Observação de Primatas de São Paulo, que traz uma relação das Unidades de Conservação onde esses macacos podem ser avistados, e da 2ª edição do Passaporte Trilhas de São Paulo, com informações atualizadas sobre as trilhas nos parques do estado.

Apresentação musical – A artista Aidée Cristina e a BaseRegional fará uma apresentação no espaço. Nascida em São Paulo e vinda de família Pernambucana, Aidée Cristina, sempre esteve junto aos ritmos brasileiros como percussionista, compositora e integrante da banda Samba de Rainha. Em 2016 reuniu todas as suas influências musicais também abrangendo o baião, o carimbó, o maracatu, o xaxado, para dar corpo ao projeto intitulado AidéeCristina e aBaseRegional,  desta vez, apresentando-se como intérprete e cantora.

No repertório deste projeto, um passeio sobre o cancioneiro nacional visitando canções de ponta a ponta do país, ora cantando baiões de Luiz Gonzaga, forrós de Dominguinhos, ora trazendo canções do recôncavo baiano, de Jackson do Pandeiro, contemporâneos como Marisa Monte, Roberta Sá, Zeca Baleiro, Elba Ramalho, Carlinhos Brown e duas pinceladas de músicas autorais cheias de balanço, sempre com arranjos focados no ritmo esfuziante do Brasileiro Regional. Uma apresentação para se alegrar e dançar.

 

Onde

Conselho do Condephaat é empossado em cerimônia na Secretaria

Governo remodelou colegiado a fim de torná-lo paritário e mais ágil e representativo

(mais…)

Cultura que fala com todos!

Encerramos 2017 e iniciamos 2018 com uma certeza: a cultura deve falar com todos. No último ano, a Secretaria da Cultura do Estado trabalhou intensamente na busca desse objetivo, conseguindo retomar projetos antigos e lançar novas iniciativas que presentearam o público paulista com muita arte, alegria e conteúdo, além de beneficiar artistas e produtores culturais.

 

O resultado dessa política fica claro nos números: somente os museus da capital geridos por esta Secretaria, por exemplo, receberam mais de 2 milhões de visitantes em 2017. Isso é consequência de ações formuladas especificamente para estimular o público a visitar esses espaços, oferecendo exposições e atividades de alta qualidade e promovendo a gratuidade dos ingressos aos sábados.

 

A Virada Cultural Paulista, em sua 11ª edição, se fortaleceu como o maior evento do interior e litoral de São Paulo, com 552 atrações em 22 cidades do Estado. O Circuito Cultural Paulista chegou à marca das 104 cidades contempladas, com 859 espetáculos para aproximadamente 141 mil pessoas, e o Viagem Literária atendeu 90 cidades e possibilitou o encontro de escritores jovens e veteranos com mais de 40 mil crianças e adolescentes.

 

No que tange à aproximação com os demais municípios, destaco a realização de quatro edições do Encontro com Dirigentes, que reúne representantes da área cultural de todo o estado para discutir e conhecer as necessidades de cada região, além de estabelecer parcerias com aqueles que acreditam no poder da cultura para a transformação da sociedade. Somente na edição estadual, realizada em São Paulo no mês de julho, recebemos mais de 700 representantes de 240 cidades.

 

O Revelando São Paulo, maior evento de cultura tradicional paulista, retornou à capital este ano e reuniu 160 grupos de todo o estado e cerca de 100 mil visitantes. O “Bandas e Fanfarras Paulistas” e o “Cultura Livre SP Edição Clown”, que levaram música e palhaços para a Avenida Paulista, também são bons exemplos de resgate de diversas manifestações culturais na cidade. Ao mesmo tempo, com eventos como o “Hackultura”, trouxemos os temas tecnologia e inovação para debates e palestras abertos ao público dentro da Secretaria da Cultura, gerando oportunidade de acompanhar as tendências e favorecer ainda mais o desenvolvimento cultural aliado à tecnologia.

 

É com alegria que destaco também que as Fábricas de Cultura bateram recorde de público em 2017, com 837.156 pessoas participando dos eventos promovidos pelas instituições, como espetáculos de teatro, dança e shows musicais. O número foi 28,4% maior do que o de 2016.

 

O projeto SP Cultura na Rua, que desde agosto leva músicos de rua para as periferias da capital, já passou pelos bairros Cidade Tiradentes, Vila Nova Cachoeirinha, Jardim São Luís, Brasilândia e Belém, vem cumprindo o papel de descentralizar as manifestações culturais de rua, que antes se concentravam quase exclusivamente na Avenida Paulista. Devido ao sucesso das primeiras edições, em 2018 o projeto incluirá a realização de um grande festival de música de rua.

 

Não posso deixar de falar sobre o Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, que investe na formação cidadã de crianças e adolescentes por meio da música e em 2017 atendeu cerca de 17 mil alunos na Grande São Paulo e 50 mil em todo o estado. Destaco também a inauguração da nova sede da SP Escola de Teatro, no Brás, que abriu novas oportunidades para aprendizes participarem de cursos de formação na área teatral, e a importância dos Prêmios Governador do Estado para a Cultura e São Paulo de Literatura, que reconheceram, mais uma vez, a qualidade da produção cultural brasileira. Não podemos esquecer do Conservatório de Tatuí, a maior escola gratuita de ensino musical da América Latina, que garante a formação de alto nível para instrumentistas populares e eruditos.

 

Esta Secretaria também estimula a economia criativa do estado – um direcionamento importante, especialmente em tempos de aguda crise econômica nacional. Nesse contexto, destacam-se os editais do ProAC (Programa de Ação Cultural), que, além de viabilizarem uma miríade de projetos culturais, são exemplos de ações que descentralizam a concessão de recursos. Em 2017, foram lançados 43 editais, distribuídos em 12 segmentos artísticos/culturais, com 416 prêmios – cerca de 11% a mais em relação a 2016. Desses editais, 50% são voltados para o interior do estado, litoral e Grande São Paulo.

 

Para falar com todos, é necessário que as portas estejam abertas a todos. Pensando nisso, abrimos as portas da Secretaria e inauguramos o “Estação Cultura”, espaço dentro da sede da Pasta que, desde outubro, recebe programação cultural gratuita e aberta ao público.

 

Continuaremos guiando todas as ações desta Secretaria com foco em atingir diferentes públicos e todas as linguagens artísticas, para que a cultura seja, cada dia mais, uma força de transformação da nossa sociedade. Por isso, garantimos: a cultura vai continuar falando com todos em 2018.

 

 

José Luiz Penna  – Secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

Dia da Saudade: relembre atrações da #CulturaSP que marcaram época!

No dia 30 de janeiro, é comemorado o Dia da Saudade. Palavra da língua portuguesa que já foi considerada intraduzível, a saudade expressa o sentimento de sentir falta de alguém ou algo, aliada com o desejo de tornar a ver e ou possuir algo que agora faz parte do passado.

Fonte de inspiração para de diversos escritores e artistas, esse sentimento de nostalgia fica mais forte a cada início de ano. Reveja as atrações dos programas e instituições da Secretaria da Cultura do Estado que são lembradas com carinho pelo público.

 

DANÇA

São Paulo Companhia de Dança – Foto: João Caldas

São Paulo Companhia de Dança

A primeira turnê europeia da São Paulo Companhia de Dança aconteceu em 2011, quando a companhia se apresentou no Teatro Festspielhaus Baden-Baden, na Alemanha. A companhia levou ao país as coreografias Polígono Revisitado (2009), de Alessio Silvestrin; Os Duplos (2010), de Maurício de Oliveira; Sechs Tänze (1986), de Jirí Kylián e Serenade (1935), de George Balanchine. Ao todo, a SPCD, que comemora 10 anos de existência em 2018, já realizou quinze turnês internacionais, com espetáculos em países como França, Bélgica, Israel, Suíça, Canadá e Estados Unidos.

 

MÚSICA

Jazz Sinfônica

A Orquestra Jazz Sinfônica realizou, em 2014, um concerto especial para os amantes da sétima arte, com trilhas compostas por John Williams para o cinema na Sala São Paulo. No programa, o público  prestigiou interpretações dos temas de “Jurassic Park”, “A Lista de Schindler”, “Indiana Jones”, “Guerra nas Estrelas” e “O Extraterrestre – E.T.” e “Super-Homem”. O concerto foi gratuito e regido pelo maestro italiano Francesco La Vecchia, evocando a memória afetiva do público e matando as saudades de filmes inesquecíveis, que deixaram uma marca na cultura mundial.

 

OSESP

Em novembro de 2017, um programa inédito reuniu a Osesp e a São Paulo Companhia de Dança em um espetáculo inesquecível: músicos e bailarinos apresentaram o II ato do balé O Lago dos Cisnes – o balé mais famoso de todos os tempos. Os espaços do palco e do coro da Sala São Paulo foram adaptados para que músicos e bailarinos formassem um conjunto único, com coreografia de Mario Galizzi e regência do maestro Roberto Tibiriçá. Foram quatro apresentações, mais um ensaio aberto ao público, e os ingressos rapidamente se esgotaram.

 

“Dom Quixote” – Foto: Heloisa Bortz

Theatro São Pedro

“Dom Quixote” foi um marco na história do Theatro São Pedro e abriu a temporada de óperas do local em 2016. Baseada no libreto de Henri Caïn, com regência de Luiz Fernando Malheiro, a ópera trouxe ao palco a história de um fidalgo castelhano que, ao mergulhar profundamente nos romances de cavalaria, passou a viver no universo das personagens retratadas nos livros. A peça também homenageou os 400 anos de falecimento de Miguel de Cervantes, escritor espanhol que criou uma das mais conhecidas personagens da literatura mundial. “Dom Quixote” foi premiada pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) como melhor espetáculo de ópera de 2016.

 

MUSEUS

Museu Afro Brasil

“Africa Africans”, de 2015, levou 60 mil pessoas ao Museu Afro Brasil para conferir a maior mostra de arte contemporânea africana já realizada no país, com cerca de 100 obras, de mais de 20 artistas, em diversos suportes e linguagens. A exposição teve como foco a criação de artistas africanos, nascidos e residentes no continente ou fora dele, assim como artistas de origem africana que, mesmo tendo nascido fora da África, dialogam com a pluralidade de experiências estéticas e sociais presente nas diversas regiões do continente. Uma das etapas da mostra foi parte do calendário da 39ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW), onde o museu teve a honra de receber a mostra Africa Africans Moda, com trabalhos de cinco estilistas africanos.

 

Museu do Café

Documentos, vestuários de época, instrumentos de trabalho, fotos raras e um trecho do diário de Ryu Mizuno, considerado o pai da imigração japonesa, fizeram parte do acervo da exposição temporária “O Café e a Imigração Japonesa no Brasil”, inaugurada em 2007 no Museu do Café. Iniciando as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, a mostra aproximou o público da história dos 781 imigrantes, que viajaram 52 dias no navio Kasato Maru até chegarem ao Porto de Santos, seguirem para a Casa da Imigração em São Paulo e, posteriormente, para as fazendas de café no interior paulista. A cerimônia de inauguração contou com a presença de Ruizaburo e Shinichi Mizuno, filhos de Ryu Mizuno, que, em 1906, esteve no Brasil para visitar centros agrícolas e observar as condições da lavoura, tendo em vista o estabelecimento da corrente migratória.

 

Casa Mário de Andrade

A Casa Mário de Andrade foi reaberta em 2015, após passar por um processo de conservação, com melhorias nas partes interna e externa da casa. A reinauguração foi marcada pela exposição permanente “Morada do coração perdido”, que conta com um acervo de objetos pessoais do escritor que dá nome ao espaço. Os visitantes podem conferir no local cartas inéditas e curiosidades como o óculos de Mário, a pasta de couro, o suporte de mata-borrão e a espátula – ambos de casca de tartaruga e que ficavam em sua escrivaninha.

 

“Todos Podem Ser Frida” – Foto: Camila Fontenele

Museu da Diversidade Sexual

Primeiro espaço museológico dedicado à causa da diversidade sexual do hemisfério sul e terceiro do mundo – atrás apenas de Berlim, na Alemanha, e de São Francisco, nos Estados Unidos – o Museu da Diversidade Sexual sempre deu atenção especial à interatividade em suas instalações. Um exemplo disso foi a exposição “Todos Podem ser Frida”, inaugurada em novembro de 2014, que abordava as conexões existentes entre arte, identidade de gênero e comportamento social com o auxílio de intervenções fotográficas, que permitiam que o público se vestisse de Frida e, depois, tivesse o retrato incluso na exposição. O sucesso da exposição foi reproduzido em municípios como Botucatu, Porto Ferreira, Salto, Araras e Sorocaba, por meio do programa de itinerâncias do Museu, e chegou até a Itália, na cidade de Caserta, para uma temporada na Unusual Art Gallery.

 

Museu do Futebol

Em 2014, a exposição “Brasil 20 Copas” teve como princípio contar a história das 20 Copas do Mundo da FIFA como o público gostaria que elas tivessem terminado: com o Brasil campeão de todas. Logo no começo da exposição, o visitante já se deparava com duas perguntas-chave: por que ganhamos e por que perdemos? O visitante percorreu 20 traves e encontrou as respostas – uma história não-oficial e muito bem humorada – para o nosso desempenho em todos os campeonatos. Durante o ano da copa, o público do Museu bateu recordes e alcançou mais de 420 mil visitantes.

 

MIS-SP

O MIS-SP sempre chamou a atenção por suas exposições interativas e que dialogam com marcos da cultura pop nacional e internacional. Um exemplo foi “Castelo Rá-Tim-Bum – A Exposição”, que levou um público de 410 mil pessoas, de todas as idades, a relembrar o amado programa infantil, que completou 20 anos em 2014. A mostra foi dividida em duas partes. Em uma delas, os visitantes puderam conferir peças do acervo, muitas delas recuperadas e restauradas pelo museu, como objetos de cena, fotografias, figurinos dos personagens e trechos do programa. Na segunda, os visitantes podiam literalmente entrar no Castelo, que foi recriado em mais de dez ambientes.

 

Museu da Imigração – Foto: Divulgação

Museu da Imigração

De saudade o Museu da Imigração entende. Ele foi instalado onde era localizada a Hospedaria dos Imigrantes, que recebeu 2,5 milhões de pessoas, de mais de 70 nacionalidades, entre 1887 a 1978. As diferentes histórias desses migrantes e a mudança de vida de cada um seguem presentes no local, onde o visitante pode conhecer a trajetória de seus antepassados. Por meio da exposição de longa duração “Migrar: Experiências, Memórias e Identidades”, o público de várias partes do Brasil e do mundo pode compreender como o processo migratório é um fenômeno permanente na história da humanidade.

 

Museu da Língua Portuguesa

Mostrar a língua portuguesa como o grande elo da identidade cultural do povo brasileiro. Esse é o maior objetivo do Museu da Língua Portuguesa. Inaugurado em 2006, o espaço, localizado na Estação da Luz, levou aos visitantes diversas exposições memoráveis. A mostra “Clarice Lispector – A Hora da Estrela”, de 2007, convidou o público a conhecer a fundo a vida e obra da escritora, fugindo do lugar comum e apostando na interatividade. Uma das salas do museu foi transformada em um grande gaveteiro, com mais de 2.000 gavetas, na qual os visitantes podiam explorar os segredos de Clarice por meio de cartas, manuscritos e cadernos de notas. Outra exposição que fez sucesso no Museu foi “Cazuza – Mostra Sua Cara”, que apresentou ao público os sentimentos e paixões da trajetória do cantor e recebeu quase 200 mil visitantes.

No final de 2015, o Museu da Língua Portuguesa sofreu um incêndio de grandes proporções e agora passa por reconstrução. Em dezembro de 2017, foram concluídas as obras nas fachadas e esquadrias do Museu, com reativação do relógio da torre da Estação da Luz. A reabertura do espaço está prevista para 2019.

 

Pinacoteca

A Pinacoteca do Estado de São Paulo, em mais de um século de funcionamento, tem muita história para contar. Recorde de público, com mais de 400 mil visitantes, a exposição do australiano Ron Mueck (2015) formou filas no museu e deixou saudade. A mostra levou ao espaço nove obras hiper-realistas, que reproduziam seres humanos em cenas do cotidiano com detalhes impressionantes, em esculturas feitas de resina, fibra de vidro, silicone e acrílico. A Pinacoteca também possui obras em seu acervo permanente que remetem ao tema saudade, tais como “Longe do Lar” (Benedito Calixto, 1884), “Canção Sentimental” (Berthe Worms, 1904) e “Criação da Vovó” (Oscar Pereira da Silva, 1895).

 

FORMAÇÃO

Fábrica de Cultura Vila Curuçá – Foto: Divulgação

Fábricas de Cultura

A história das Fábricas de Cultura começou em 2011, com a inauguração da primeira das dez unidades na Vila Curuçá. A abertura da unidade contou com muita festa e forte presença de crianças e jovens da região, que se inscreveram para cursos no local antes mesmo da Fábrica abrir e garantiram sucesso de público: mais de 80 mil atendimentos já no primeiro ano. Desde então, foram inauguradas mais nove unidades nas zonas leste, norte e sul da capital: Cidade Tiradentes, Parque Belém, Itaim Paulista, Sapopemba, Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Jardim São Luis e Capão Redondo. As Fábricas oferecem cursos e oficinas gratuitos para crianças e jovens nas linguagens de dança, música, teatro, multimeios, artes visuais, circo, xadrez, literatura e artes visuais, além de espetáculos e shows abertos à comunidade.

 

Projeto Guri

Maior programa sociocultural do país, o Projeto Guri comemorou 21 anos em 2016 com uma parceria com Zeca Baleiro. O artista compôs a música “Amor e Ijexá” especialmente para a ocasião, e contou com o Grupo de Referência de Bauru – Banda de Música e o coro de Piracicaba em sua gravação. Zeca Baleiro também cantou com os guris e participou do videoclipe, que teve a codireção de cinco alunos da instituição. As crianças, que têm entre 11 e 13 anos, elaboraram a história, roteirizaram, atuaram, dirigiram e supervisionaram a edição, além de finalizar o clipe. O resultado pode ser conferido pelo link: http://bit.ly/amoreijexá.

 

FESTIVAIS

Encontro Paulista de Hip Hop

O primeiro Encontro Paulista de Hip Hop aconteceu em 2007 e já começou em grande estilo, com uma homenagem ao rapper Sabotage e um show de Negra Li. Nos anos seguintes, o evento continuou a ser realizado anualmente, no Memorial da América Latina, sempre como parte das atividades ligadas ao Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro. Além de apresentações musicais, o Encontro se destaca por oferecer bate-papos, oficinas de breaking, exposições de cultura low rider, espaço para grafiteiros e batalhas de MCs, abordando a pluralidade do movimento Hip Hop.  Na edição de 2015, que teve como tema “As Ruas em Rede”, o evento alcançou um público de 15 mil pessoas, com show de Emicida.

 

Revelando São Paulo – Foto: Joca Duarte

Revelando São Paulo

Entre comidas típicas, artesanato de diversas regiões e apresentações de grupos tradicionais, o Revelando São Paulo é feito de boas histórias. Realizado desde 1997, cidades como Atibaia, São José dos Campos, Iguape e São Paulo já receberam o festival, que celebra a cultura tradicional paulista de todos os cantos do estado e mantém vivos costumes que são passados de geração em geração. Em 2017, o evento voltou à capital, ao Parque do Trote, após dois anos sem ser realizado em São Paulo. A edição contou com cem ambientes/estandes de artesanato, 160 grupos de cultura popular tradicional, doze Ranchos Tropeiros e participação de representantes de 170 cidades, reunindo um público de 120 mil pessoas.

 

Dia das Mães: programação especial nas instituições da Secretaria

Especial Almodóvar no MIS-SP, concerto gratuito na Sala São Paulo e atividades para mães com seus bebês estão entre os destaques da programação dos dias 12 e 13 de maio

 Bebelê/Biblioteca Villa Lobos – Ação Blogueiras – 2016 (foto: Divulgação)

Que tal levar a sua mãe para uma apresentação gratuita na Sala São Paulo ou ainda produzir um presente para ela no Museu do Futebol? Cinema, mostras e apresentações musicais fazem parte da programação especial para o Dia das Mães que as instituições da Secretaria da Cultura do Estado preparam para o público. Confira.

Museus

O MIS-SP preparou uma curadoria especial no domingo das mães. O museu trará ao público uma mostra gratuita com três filmes que retratam mães fortes e emblemáticas através do olhar de Pedro Almodóvar, especialista em criar figuras maternas envolventes e complexas Serão exibidos Volver”, às 15h00; “Julieta”, às 17h30; e “Tudo sobre minha mãe”, às 19h30. As sessões são gratuitas, sendo necessário retirar o ingresso uma hora antes das sessões, na recepção do museu.

No dia 12 de maio, às 11h00, o Museu Afro Brasil inaugura a exposição “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão” que retrata mulheres e homens negros que marcaram época na história brasileira, como o médico Juliano Moreira, o poeta Luiz Gama, o escritor Manuel Querino, a cantora Elza Soares, entre outros. Os visitantes poderão ainda conferir outras cinco mostras que estão em exposição. Mais detalhes em www.museuafrobrasil.org.br.

Além de conferir as exposições, “Hilma af Klint: Mundos possíveis”, “Emmanuel Nassar: 81-18”, “Arte colonial na coleção da Fundação Nemirovsky”, “José Antonio da Silva” e “Chão Comum”, de Ana Dias Batista, no domingo, 13 de maio, a Pinacoteca realiza o espetáculo “Pinacanção”, que reúne música, teatro e artes visuais. Na narrativa, dois personagens se encontram na Pinacoteca e, em meio a canções, descobrem juntos tons, texturas e escalas do mundo da pintura. A atividade é gratuita, com início às 15h00 e, para participar, basta retirar os ingressos a partir das 14h30 na entrada do auditório. No mesmo dia, das 11h00 às 15h00 o “Pinafamília” leva pessoas de todas as idades para uma viagem pelo acervo do museu. Mais informações no site www.pinacoteca.org.br.

Nos dias 12 e 13 de maio, das 14h00 às 15h30, o Museu do Futebol promove a oficina de “Marca Páginas”, onde os participantes poderão produzir um presente em homenagem aquela pessoa especial. A atividade é gratuita.

Com entrada gratuita aos sábados e domingos,o Museu da Casa Brasileira apresenta no dia 13, às 11h00, Carlinhos Antunes e a Orquestra Mundana Refugi, com músicas do Brasil, Palestina, Irã, Guiné e Congo no repertório. Os visitantes podem aproveitar a visita ao museu para conhecer a exposição “Design Aerodinâmico – Metáfora do Futuro”, com mais de 250 objetos do estilo streamline – também conhecido como streamform ou streamlining. Mais informações sobre a programação no site www.mcb.org.br.

 Bebelê/Biblioteca Villa Lobos – Ação Blogueiras – 2016 (foto: Divulgação)

Bibliotecas

Nas Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, as atividades de contação de histórias “Lê no Ninho”, no sábado, dia 12 de maio, às 11h00 e “Hora do Conto”, domingo, dia 13 de maio, às 16h00 são oportunidades de aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças.

Além dessas atividades, no dia 12 de maio às 11h00, na Biblioteca Parque Villa-Lobos, as mães que gostam de literatura poderão acompanhar bate-papo com o escritor Jacques Fux no projeto “Segundas Intenções” na Biblioteca Parque Villa-Lobos, autor do livro “Nobel”, que acaba de ser lançado pela Editora José Olympio.

OSESP

Sob regência de Marin Alsop e com participação do suíço Emmanuel Pahud, considerado um dos melhores flautistas do mundo, a Osesp se apresenta nos dias 10 e 11 de maio, às 20h30, e 12 de maio, às 16h30, na Sala São Paulo. O repertório traz peças de Wolfgang Amadeus Mozart, Robert Fobbes, Leonard Bernstein e Nikolai Rimsky-Korsakov. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.ingressorapido.com.br. No sábado, 12, às 14h30, o flautista realiza um recital, às 14h45 com ingressos à R$57,00 (inteira) e no domingo, Dia das Mães, Pahud se une ao Quarteto da Osesp para mais uma apresentação, às 19h00.

No domingo pela manhã, a Sala São Paulo recebe, às 11h00, a Orquestra Juvenil de Heliópolis para sua série de concertos matinais. Sob regência de Edilson Ventureli, eles apresentam um repertório com composições de Antônio Carlos Gomes e Robert Schumann. A apresentação é gratuita e os ingressos ficam disponíveis para retirada na bilheteria do 1º subsolo a partir de segunda-feira, 7 de maio, limitados a quatro por pessoa. Confira a programação da Sala São Paulo em www.salasaopaulo.art.br.

SERVIÇO

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800

Funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Entrada gratuita

Acessibilidade no local

www.bsp.org.br

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros

(11) 3024-2500

Funcionamento: de terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Acessibilidade no local

Entrada gratuita

www.bvl.org.br

Museu da Imagem e do Som – MIS-SP

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

Funcionamento: terça a sexta, (fechado às segundas) das 11h00 às 20h00 | sábados, das 10h00 às 21h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 19h00

Estacionamento pago no local

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Acessibilidade no local

www.mis-sp.org.br

 Museu do Futebol

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu,  São Paulo- SP

(11) 3664-3848

Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 18h00 (Bilheteria até às 17h00)

R$ 12,00 | Grátis às terças-feiras

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

www.museudofutebol.org.br

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

www.museuafrobrasil.org.br

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000

Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

Estacionamento gratuito no local

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

www.pinacoteca.org.br

Dia do Índio na #CulturaSP: confira a programação!

O Dia do Índio, celebrado em 19/4, não é só um momento de celebração, mas também um importante convite à reflexão, buscando a difusão de informações reais sobre o modo de vida atual desses povos. A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo promove algumas iniciativa que valorizam a cultura indígena. 

Museu Índia Vanuíre

 

Localizado em Tupã, interior de São Paulo, o Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre possui acervo, com cerca de 38 mil peças, relacionado à história da região onde está localizado e com foco na cultura indígena, possuindo uma das mais importantes coleções etnográficas do país que representam diferentes comunidades indígenas brasileiras.

Entre os dias 24 e 28/4 realiza a 46ª Semana do Índio, um encontro da comunidade de Tupã e região com os Kaingang, Krenak, Guarani e Terena, que habitam o oeste de São Paulo. A programação proporcionará um contato entre indígenas e a comunidade local em oficinas culturais e bate-papos, além de sediar o maior festival de dança e música indígena do Estado de São Paulo

Mais informações aqui.

 

Ciclo de Estudos em Tupã

 

Indigenistas, pesquisadores e lideranças das etnias Kaingang, Krenak, Terena e Guarani Nhandewa transformam a cidade de Tupã em espaço de reflexão sobre a trajetória de resistência de povos indígenas no Ciclo de Estudos sobre Cultura Tradicional e Contemporaneidade. A programação é gratuita e acontece dia 21/4, a partir das 10h. Haverá mesas de debate e um show do Kunumí MC, rapper guarani da Aldeia Krukutu que gravou recentemente com Criolo, conhecido nacionalmente no cenário do rap brasileiro.

Mais informações aqui.

 

Cultura indígena nas Fábricas de Cultura

 

As Fábricas de Cultura Capão Redondo, Jardim São Luis e Vila Nova Cachoeirinha realizam atividades gratuitas para crianças e adolescentes no dia 19/4, às 15h.

tribo Tekoa Itakupe oferece uma tarde com o público que tem como programação o coral Guarani, apresentação da dança Xondaro e um bate-papo sobre os costumes da tribo e como eles vivem atualmente. A atividade acontece na Fábrica Vila Nova Cachoeirinha.

Em Pintura indígena, os participantes realizam pinturas baseadas nos grafismos indígenas, após um bate-papo sobre costumes, crenças, arte e cultura de diversos povos indígenas do Brasil. Um mural será montado com todos os desenhos feitos na atividade. O encontro acontece na Fábrica Capão Redondo.

Reunindo histórias disponíveis no acervo, a Contação de histórias: Dia do Índio, que acontece na Fábrica Jardim São Luís, dá aos participantes a oportunidade de conhecer a história dos indígenas no Brasil. Dentre os livros utilizados no encontro estão Coisas de Onça, Daniel Munduruku.

Mais informações aqui.

“A gente não quer ser tratado por esse apelido horroroso que colocaram na gente, e sim pelos nossos nomes. Eu ser Munduruku é diferente de ser índio. Índio é uma invenção, folclore puro, mas ser Munduruku é ter toda uma série de saberes que me dá identidade.”
Daniel Munduruku
Escritor, em entrevista para o jornal "A Tarde"

Casa Mário de Andrade

 

Mário de Andrade foi um grande pesquisador de diversas culturas brasileiras, dentre elas a indígena. Para lembrar este importante trabalho, nos meses de maio e junho, a Casa Mário de Andrade preparou três atividades especiais sobre a cultura indígena.

O espetáculo Além da Outra Margem do Rio será apresentado nos dias 4 de maio e 15 de junho, das 20h às 21h30. O público será convidado a viajar pelas lendas de Matinta Pereira, Boiúna, Cobra Grande e Uirapuru, que fazem parte do universo indígena paraense.

Já no dia 18 de maio, das 15h às 17h, na atividade Os Fios da Memória na Tradição Indígena, os participantes mergulharão no romance Macunaíma, de Mário de Andrade, para aprofundar o conhecimento das lendas indígenas.

Para fechar as celebrações, o filme A’uté A’uwê Uptabi: ser criança A’uwê (2018) será exibido no museu, no dia 13 de junho, das 19h às 21h. Depois haverá uma palestra com Cristina Flória, diretora do filme, onde o público terá a oportunidade de conhecer as brincadeiras, o dia a dia e o universo das crianças da aldeia Xavante Pimentel Barbosa, da região do Cerrado, em Mato Grosso. 

Mais informações aqui.

Em 2019, Paço das Artes terá nova sede!

O Paço das Artes, importante instituição de fomento, difusão e produção de arte contemporânea brasileira, com quase cinco décadas de existência, recebeu, por parte da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, proposta para ocupar um espaço na região central da cidade de São Paulo, depois de ter permanecido em caráter provisório no MIS – Museu da Imagem e do Som por mais de dois anos. 

O espaço, pensado e sugerido pela Secretaria, se torna a sede definitiva do Paço das Artes e está localizado na Avenida Higienópolis, no Casarão Nhonhô Magalhães. Apesar de pertencer ao shopping Higienópolis, a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo tem o direito de utilizar 20% do imóvel. 

A transição do Paço das Artes para um novo espaço representa uma oportunidade imperdível para a instituição conquistar seu lugar definitivo com ótima localização e visibilidade. Significa, também, não somente permitir que o Paço das Artes dê continuidade ao trabalho que vem desenvolvendo nos últimos anos, como expandir suas atividades com novos projetos, potencializando a área de atuação da instituição, como, por exemplo, fortalecer o âmbito da formação criando cursos em diálogo com o perfil institucional no novo contexto de ocupação.

Na próxima quinta-feira, às 9 horas, o secretário Romildo Campello assinará o Termo de Cessão de área do Casarão Nhonhô para o Paço das Artes. O Casarão passa a ser a sede definitiva do Museu.

Em dezembro a Música de Câmara vai ocupar o Theatro São Pedro

Nos dias 13, 14 e 15 de dezembro o Ocupa Theatro São Pedro traz programação diversificada de música de câmara; as apresentações serão realizadas pelos músicos da Orquestra do Theatro São Pedro, com entrada franca

(mais…)

Em dezembro, Pontos de Cultura anuncia projetos selecionados

No dia 28 de dezembro, o secretário Romildo Campello anunciará, em cerimônia de homologação, os projetos culturais classificados para a premiação dos “Pontos de Cultura”, programa que atende à Política Nacional Cultura Viva, do Ministério da Cultura, e oferece incentivo financeiro e kits de audiovisual e música a grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural.

Serão anunciadas as iniciativas vencedoras de teatro, música, capoeira, audiovisual, literatura, artesanato, dança e diversas manifestações culturais de todo o estado. Do total, 144 (100 entidades culturais sem fins lucrativos de constituição jurídica e 44 coletivos culturais sem constituição jurídica) receberão a premiação no valor de R$ 60 mil reais e cerca de 200 receberão a premiação em forma de Kit Cultura de Audiovisual ou Kit Cultura Musical. 

Após hiato de cinco anos, o programa foi retomado pelo secretário Romildo Campello em 2018.

“Em parceria com o Ministério da Cultura, conseguimos trazer de volta os Pontos de Cultura, iniciativa essencial para impulsionar a cultura e reconhecer o trabalho dos artistas do estado de São Paulo. A grande diversidade da cultura brasileira e o trabalho de artistas de todas as áreas só têm a ganhar com a expansão e consolidação do programa.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

A política tem como objetivo assegurar e ampliar o protagonismo da diversidade cultural do Estado de São Paulo e busca garantir o acesso aos meios de fruição e difusão cultural, para potencializar energias sociais e culturais e dar vazão à dinâmica própria das comunidades, entrelaçando-as e desenvolvendo uma cultura cooperativa e transformadora.

No dia 28 de dezembro, às 10h, no salão nobre da Secretaria da Cultura do Estado (Rua Mauá, 51 – Luz),  o secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello, anunciará, em cerimônia de homologação,  os coletivos e as entidades vencedoras dos Pontos de Cultura.

 

Sobre os Kits Culturais

Os Kits Culturais são uma das formas de premiar as iniciativas culturais. São eles:

Kit Audiovisual – Contém câmera Digital Full HD, um cartão de Memória Micro SD 32GB, uma tela de Projeção 150″, um projetor LCD 3000 ansi lumens, um blu-Ray Player, um mixer profissional, duas caixas de Som ativas, um notebook com processador de 2 núcleos, dois microfones Lapela 2x, e um microfone Direcional.

Kit Musical – Contém uma caixa tenor de alta tensão, uma caixa tenor, um bombo Marching Band 16″, um bombo Marching Band 18″, um bombo Marching Band 20″, um bombo Marching Band 22″, um bombo Marching Band 24″ e um par de pratos 14″.

Em julho, economia criativa reunirá municípios na Secretaria da Cultura

Municípios da região metropolitana de São Paulo e também das regiões de Sorocaba, Itapeva, Bauru e Jundiaí participam do encontro sobre economia criativa e inovação que será realizado no próximo dia 5 de julho, às 14h, no Salão Nobre da Secretaria de Estado da Cultura. O evento é aberto ao público e a entrada é gratuita.

Na reunião, a secretária-adjunta da Cultura Patrícia Penna falará sobre os temas e convidará os prefeitos e secretários municipais para o evento Futuro na Cultura, que ocorrerá nos dias 10 e 11 de agosto, no Memorial da América Latina (INSCRIÇÕES AQUI).

O secretário da Cultura do Estado Romildo Campello participará do encontro no dia 5 de julho. Também está prevista a presença do governador Márcio França.

O trabalho com economia criativa foi iniciado por França quando, então vice-governador, esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Na ocasião, foram criadas as Etecris (Escolas de Técnicas de Economia Criativa), em que os alunos saem com MEI formalizadas e Plano de Negócio para que possam apresentar a investidores.

Encontro “Tradução dos Clássicos no Brasil” na Casa Guilherme de Almeida

Evento abordará práticas de tradução e imitação de poéticas tradicionais 

Dias 4 e 5 de maio, das 9h00 às 19h30, acontece a quarta edição do Encontro “Tradução dos Clássicos no Brasil”, organizado pela Casa Guilherme de Almeida – integrante da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis. O tema deste ano é Tradução & Emulação, que propõe a exploração do assunto tanto no plano da reflexão teórica, como no da prática da tradução e da emulação de poéticas tradicionais.

Têm crescido, atualmente, as propostas de tradução que buscam imitar a versificação e a dicção clássicas, bem como suas possibilidades de performance. Também se torna cada vez mais evidente a prática da apropriação, em obras contemporâneas, de gêneros e estéticas canônicas. A partir dessa reflexão, surgiu a ideia de abordar o tema nesta edição, que será coordenada por Marcelo Tápia, diretor dos Museus-Casas Literários. As inscrições podem ser feitas no site do museu.

A Casa Guilherme de Almeida tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Encontro “Tradução dos Clássicos no Brasil”

Sexta-feira e sábado, 4 e 5/5 – das 9h00 às 19h30

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Encontro Paulista de Hip Hop com programação gratuita

Shows de Kamau, Flora Matos e Rincon Sapiência, batalhas de MCs e bate-papos integrarão encontro.
(mais…)

Encontro sobre Economia Criativa reuniu governador e prefeitos

O governador Márcio França participou hoje, na Secretaria da Cultura do Estado, de um encontro com prefeitos sobre economia criativa e inovação, juntamente com o secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello, e a secretária-adjunta da Cultura, Patrícia Penna. Estiveram presentes prefeitos de municípios da região metropolitana de São Paulo e também das regiões de Sorocaba, Itapeva, Bauru e Jundiaí. O governador também encontrou prefeitos de 21 municípios contemplados pelo programa ProAC Municípios, da Secretaria da Cultura.

“A cultura e a economia criativa têm a força de enraizar conceitos e ainda gera renda e atividade econômica”, afirmou o governador Márcio França. “A cultura tem a sua dimensão artística e a dimensão da criatividade como forma de gerar riqueza a partir do nosso patrimônio cultural e das nossas tradições”, disse o secretário Romildo Campello.

A secretária-adjunta da Cultura Patrícia Penna falou sobre o evento que organiza, Futuro na Cultura, nos dias 10 e 11 de agosto, no Memorial da América Latina, e convidou as prefeituras presentes. “A economia criativa trabalha com novos paradigmas e com a transversalidade, unindo áreas como cultura, educação, trabalho e turismo”, exemplificou.

 

ProAC Municípios

Na ocasião, ocorreu a assinatura de convênios com 21 municípios contemplados pelo programa ProAC Municípios, da Secretaria da Cultura do Estado.

Para Benedito Rocha,  do município de Pardinho, a iniciativa “vai ser de grande valia para os municípios pequenos, com projetos que podem tirar a juventude das ruas. É assim que a gente inicia um Brasil maior”. Para Henrique Magalhães Teixeira, vice-prefeito e prefeito interino de Campinas,  o ProAC Municípios “é uma iniciativa louvável do Governo do Estado”.

O prefeito do município de Caieras, Gersinho Romero, classificou o modelo do ProAC Municípios como “espetacular”.  Segundo ele, “é uma forma de fortalecer a tradição de cada cidade e de cada região poder identificar os seus artistas”.

Estação Cultura abre as portas no Complexo Júlio Prestes

Sede da Secretaria da Cultura do Estado passa a receber programação cultural gratuita e aberta ao público; (mais…)

Estação Cultura recebe exposição sobre arte negra de Elifas Andreato

O Estação Cultura inaugurou no dia 20/3 a exposição “Elifas Andreato – A Arte Negra na Cultura Brasileira”. A mostra traz doze obras do artista e reforça a importância do Dia Internacional Contra a Discriminação Racial (21/3). Ela fica em cartaz até o dia 29/3 e tem entrada gratuita.

A exposição, com curadoria do próprio artista e de seu filho, Bento Andreato, traz obras que representam o papel do negro na sociedade por meio da arte e da cultura. Além de “Menino e Bandeira”, uma de suas ilustrações mais icônicas, o público poderá conferir a visão de Andreato ao retratar personalidades como Adoniran Barbosa, Clementina de Jesus, Cartola, Martinho da Vila e Paulinho da Viola.

Com mais de 50 anos de carreira, Elifas Andreato se destacou como criador de capas de discos para os mais importantes nomes da MPB, produzindo em torno de 400 trabalhos ao longo de sua trajetória. Também participou da equipe de criação de inúmeras revistas, fascículos e coleções, além de elaborar programas televisivos dedicados ao resgate da memória do Brasil. Em 2011, pelo conjunto da obra, recebeu o Prêmio Especial Vladimir Herzog, concedido a pessoas que se destacam na defesa de valores éticos e democráticos e na luta pelos direitos humanos.

 

 

Estação Cultura tem recorde de público durante o aniversário de São Paulo

O Estação Cultura, novo espaço expositivo da Secretaria da Cultura do Estado, teve recorde de público nesta quinta-feira, 25, durante as comemorações do aniversário de São Paulo. Com programação especial a partir das 09h00, cerca de duas mil pessoas passaram pelo local e visitaram a exposição “Retratos da Cidadania”, do Ministério Público de São Paulo, que conta com 17 obras de arte inspiradas em casos emblemáticos.

Os visitantes receberam exemplares do Passaporte dos Museus e puderam conhecer mais sobre os programas e ações desenvolvidas pela pasta. As 800 unidades disponíveis se esgotaram às 15h30. O Passaporte garante entrada gratuita em qualquer museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, basta apresentá-lo na bilheteria.

Na área externa, em frente à Praça Júlio Prestes, o público pode conferir apresentações da pianista internacional Juliana D’Agostini e o produtor musical Ruriá Duprat, com o espetáculo The Cross; os artistas Stalker e Loop B, além de um vídeo mapping produzido pelo VJ Spetto, Responsável pelas projeções visuais durante as cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas do Brasil.

Estação da Língua Portuguesa chega à Santos

Com a marca de mais de 5 mil visitantes em Tatuí, a exposição itinerante Estação da Língua Portuguesa, que leva na bagagem acervos do museu (atualmente em reconstrução), segue viagem por São Paulo e faz sua segunda parada em Santos, onde ficará em cartaz de 6 de abril a 6 de maio, no Museu do Café (Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico). 

A realização é do Ministério da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto. O patrocínio é da CCR, Instituto CCR, Vivo, Sabesp, EDENRED Brasil e Ticket marca do Grupo, todos por meio da Lei Rouanet. O apoio na segunda cidade da itinerância é da Prefeitura de Santos.

“Quem visitar a Estação da Língua Portuguesa viverá um pouco da rica experiência do Museu da Língua Portuguesa, que apresenta um dos nossos maiores patrimônios: o idioma português”, afirma o Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna.

  “O Totem, com painéis que apresentam uma prévia do conteúdo, o segmento O que nos une e o espaço Mundo Lusófono foram especialmente pensados e produzidos para a itinerância. E a mostra também traz a acessibilidade em seu conteúdo. O Mapa do Mundo conta com informações sobre os países que falam português, em braile; os Vídeos Culinária e Dança têm tradução em Libras; e a Linha do Tempo e os Falares Paulistas podem ser traduzidos em Libras com o auxílio de tablets” explica o arquiteto e sócio da Arquiprom, Fernando Arouca.

A exposição gratuita e ampliada ficará em cartaz de terça a sábado, das 9h às 18h, e aos domingos, das 10h às 18h. Depois de passar por Tatuí e Santos, a Estação da Língua Portuguesa viaja para Rio Claro, Taubaté, São Carlos e Bauru, cidades do estado de São Paulo que também receberão a mostra até dezembro de 2018.

Estação da Língua Portuguesa recebe mais de 70 mil visitantes!

A exposição  “Estação da Língua Portuguesa” encerrou sua itinerância pelo Estado no sábado, 1º de dezembro, em Presidente Prudente, com um registro total de público de mais de 70 mil pessoas.

A mostra retomou viagem por São Paulo em fevereiro, quando desembarcou em Tatuí. Em seguida foi a vez de Santos, Rio Claro, Taubaté, São Carlos, Bauru e Presidente Prudente receberem parte do acervo do museu (atualmente em reconstrução).

Estação da Língua Portuguesa foi projetada para ser desmontada e novamente aberta ao público em outro município em até sete dias, por isso nos últimos nove meses toda a estrutura foi transportada de uma cidade a outra de caminhões. A realização é do Ministério da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto. O patrocínio master é da Sabesp. CCR, Instituto CCR, Vivo, EDENRED Brasil e Ticket, marca do Grupo, também patrocinam a iniciativa, todos por meio da Lei Rouanet. O apoio nas cidades de cada itinerância foi da Prefeitura local. 

Em 2018, a itinerância trouxe na bagagem conteúdos novos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, que apresenta a língua como patrimônio imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público. “Com o auxílio da interatividade, tecnologia e acessibilidade conseguimos contar a história do nosso idioma de uma forma ainda mais inusitada”, explica o arquiteto e sócio da Arquiprom, Fernando Arouca. 

 

“O idioma português é um dos nossos maiores patrimônios e o Museu da Língua Portuguesa, com sua itinerância, cumpre sua vocação de divulgá-lo e ajudar a preservá-lo.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado

 

Museu em reconstrução

 

Em dez anos de funcionamento, o Museu da Língua Portuguesa recebeu cerca de quatro milhões de visitantes (319 mil destes em ações educativas). Primeiro do mundo totalmente dedicado a um idioma, trouxe ao país um novo conceito museográfico, que alia tecnologia e educação. Com uma narrativa audiovisual e ambientes imersivos, permitiu aos visitantes descobrir novos aspectos do idioma, elemento fundador da cultura do país.

O Museu foi atingido por um incêndio em dezembro de 2015 e atualmente está em reconstrução. A obra está dividida em três etapas: o restauro das fachadas (concluída) e da reconstrução da cobertura do edifício (concluída), o restauro dos pátios e torreões, a obra do interior do prédio. Por último, terá início a instalação da museografia. A previsão de reabertura é 2019.

O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo, Grupo Itaú e Sabesp e apoio do Governo Federal, por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu.

Estéreo MIS apresenta show da banda Trupe Chá de Boldo em abril

Banda paulista se apresenta no dia 27 de abril, sexta-feira. Os ingressos podem ser adquiridos a partir do dia 15.04, às 12h00, no site da Ingresso Rápido e na recepção do Museu

Capa do CD Presente (2015)

Na sexta-feira, 27 de abril, o MIS – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – realiza show da banda paulista Trupe Chá de Boldo. A apresentação acontece dentro do projeto mensal do Museu dedicado à música independente, o Estéreo MIS.

Formada em 2006, em São Paulo, a Trupe Chá de Boldo surgiu como uma banda festiva, de som eclético e carnavalesco. Com um trabalho coletivo e de permanente experimentação, o grupo sempre apresentou uma sonoridade híbrida, que foge a classificações fáceis, resultado de processos em que cada integrante contribui com múltiplas referências. Com o último álbum, “verso” (2017), o grupo segue em turnê pelo país.

Trupe Chá de Boldo é formada por: Ciça Góes, Felipe Botelho, Filipe Nader, Gustavo Cabelo, Gustavo Galo, Guto Nogueira, Julia Valiengo, Leila Pereira, Marcos Ferraz, Pedro Gongom, Rafael Werblowsky, Cuca Ferreira, Remi Chatain e Tomás Bastos.

O show acontece no dia 27 de abril, às 21h30, no Auditório MIS (172 lugares). Os ingressos podem ser adquiridos a partir da sexta-feira, 15.04, às 12h00, no site da Ingresso Rápido e na recepção do MIS.

SERVIÇO

Estéreo MIS | Abril | Trupe Chá de Boldo

Data 27 (sexta-feira)

Horário 21h30

Local  Auditório MIS (172 lugares)

Ingresso R$14 (inteira) R$7 (meia) na Recepção MIS (terça a sábado das 10h00 às 21h30; domingos e feriados das 9h00 às 20h30) e pelo site www.ingressorapido.com.br

Classificação Livre

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

Estacionamento conveniado: R$ 18. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Estéreo MIS com Mombojó em dezembro!

Na sexta-feira, 14 de dezembro, o MIS recebe show da banda recifense Mombojó. A apresentação ocorre dentro do projeto mensal do Museu dedicado à música independente, o Estéreo MIS.

Veteranos da música independente brasileira, o grupo, que está na estrada há 17 anos, mostra que se reinventar é preciso. Dessa vez, acabam de lançar o projeto MMBJ12, que conta com a parceria do Lenine no o single ‘Nunca vai embora’. A letra, composta por Felipe S. e Diego Matos, fala sobre a saudade de um amor, que a pessoa tenta, mas que não consegue esquecer.

Formada no começo dos anos 2000 em Recife, o Mombojó teve a oportunidade de conhecer diversos lados do mercado da música ao longo de seus 17 anos de carreira. O grupo conta com cinco álbuns. Envolvidos atualmente com a vontade e a necessidade de fazer um novo trabalho, o grupo se descobre em uma situação bem diferente da que gestou seus trabalhos anteriores. Atualmente espalhada por três estados, Pernambuco, São Paulo e Bahia, a família Mombojó também não para de crescer, com uma prole à beira de ultrapassar o número de discos e integrantes. Atualmente, a banda é formada por: Felipe S – guitarra e voz; Chiquinho Moreira – teclado e vocoder; Marcelo Machado – guitarra e voz; Vicente Machado – bateria e voz; Missionário José – baixo e voz.

A apresentação será às 21h no Auditório MIS. Os ingressos, de R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia), podem adquiridos a partir do dia 4.12, às 12h, no site da Ingresso Rápido e na recepção do Museu.

 

onde fica?

Fábrica de Cultura Brasilândia recebe Nanette Blitz Konig, sobrevivente do holocausto

Como sobreviver a um campo de concentração? Estaria essa sobrevivência condicionada ao acaso do destino? Essas são algumas das perguntas que o livro “Eu sobrevivi ao holocausto”, da holandesa Nanette Blitz Konig, busca responder. A escritora participa de um bate-papo sobre a obra na Fábrica de Cultura Brasilândia no dia 4 de dezembro, terça-feira às 15h.

 

Editada pela Universo dos Livros, a obra conta a história de um período em que Nanette e milhões de judeus foram entregues à própria sorte com a mínima chance de sobrevivência. Colega de classe de Anne Frank no colégio, Nanette teve a juventude roubada e perdeu a crença na inocência humana quando esteve diante da morte diversas vezes – situações em que fora colocada em virtude da brutalidade incompreensível dos nazistas. Hoje, aos 89 anos, Nanette vive no Brasil e expõe suas lembranças mais traumáticas aos leitores. Com um depoimento ao mesmo tempo sensível e brutal, ela questiona a capacidade de compaixão do ser humano, alertando o mundo sobre a necessidade urgente da tolerância entre os homens.

 

 

Veja abaixo uma anetrevista com Nanette:

 

onde fica?

Feira Sabor Nacional no MCB destaca o trabalho social na gastronomia

Pequenos produtores, expositores e oficinas são algumas das atrações do evento que acontece nos dias 30 e 31 março, sábado e domingo, com entrada gratuita

(mais…)

Festa do Imigrante acontece em junho no Museu da Imigração!

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da Imigração, chega a sua 23ª edição e acontecerá nos dias 9, 10 e 16/6, reunindo tradições e heranças de mais de 50 nacionalidades. Em 2017, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes.

Nesse ano, o público encontrará 49 expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras programações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes do Brás, no fim do século XIX e início do século XX.

“Ao conversar com outras pessoas, expositores ou público, vemos que todo mundo tem uma história de família e de vida pra contar”, comenta Marcia de Souza, representante da gastronomia italiana na Festa. Bart Vanderwalld, imigrante belga, complementa: “Quando jovem, viajei bastante para a Ásia, África e Europa. Aqui tenho a oportunidade de entrar em contato com as culturas das quais sinto falta.”

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos, cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo – e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.

“Nós trazemos um pouco da nossa casa, do que aprendemos com os nossos avós. Estamos muito felizes por poder compartilhar”, declara Giovanna Topic, expositora.

Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de oficinas ministradas por cozinheiros de comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta mil hojas (Chile).

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas, amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

“É sempre bom poder visitar a Festa e o Museu, e ver o que nossos antepassados viveram na antiga Hospedaria”, comenta Vanessa Surita, que passou pela edição anterior da Festa. “Muito legal ver toda essa diversidade cultural por aqui. Nem vimos a hora passar, de tão divertido que foi!”, finaliza Manolo Amado, que também esteve no evento em 2017.

Acessibilidade

 

No dia 9/06 (sábado), a 23ª Festa do Imigrante contará com oficinas de artesanato, de culinária e workshops de dança com tradução em libras. Já no dia 10/06 (domingo), o evento disponibilizará recurso de audiodescrição para as apresentações artísticas, das 13h às 18h. Nos três dias de festa, estará disponível o folder com a programação transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

Informações

 

A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site: www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias de evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A festa ocorre das 10h às 18h, sendo que a bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h.

 

Visite

Festival de Inverno de Campos do Jordão – 29 de junho a 5 de julho

 

(mais…)

Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão estreia sua 49ª edição!

Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão chega a sua 49ª edição em 2018. De 30 de junho a 29 de julho, o maior evento de música clássica da América Latina oferece uma extensa programação de concertos para todos os gostos e plateias. Grandes obras do repertório sinfônico e camerístico, recitais solo e música coral estão entre as atrações – que já é um clássico das férias de inverno em São Paulo.

A abertura oficial será no próximo dia 30, às 20h30, no Auditório Claudio Santoro, com um concerto da Osesp sob a regência de sua diretora musical e regente titular Marin Alsop. Já no dia 07/07 (Auditório Claudio Santoro), a Osesp, regida mais uma vez por Marin Alsop, se apresenta com a participação dos bolsistas mais bem classificados dessa edição.

São cerca de 90 apresentações – a maioria gratuita –, que acontecem tanto nos palcos de Campos do Jordão (Auditório Claudio Santoro, Praça do Capivari, Capela do Palácio e Igreja de Santa Terezinha), quanto da capital paulista (Sala São Paulo e Sala do Coro), reunindo prestigiados artistas nacionais e internacionais, entre solistas convidados, grupos de câmara em diversas formações, e orquestras de São Paulo e de outros estados.  A programação completa está aqui.

Parte fundamental do Festival é seu núcleo pedagógico, que mais uma vez, está concentrado na Sala São Paulo: são 198 bolsistas de todo o Brasil e de diversas partes do mundo que, além de participarem de aulas e ensaios com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, se apresentam durante todo o mês de julho integrando os três principais grupos do evento – a Orquestra do Festival, a Camerata do Festival e o Grupo de Música Antiga do Festival – e ainda em concertos de câmara gratuitos ao lado de seus professores.

“O repertório da Orquestra do Festival é exigente, ambicioso, não costuma fazer parte da vida de orquestras jovens”, diz o violonista Fábio Zanon, coordenador artístico do festival, que, gerido pela Fundação Osesp, tem direção de Arthur Nestrovski, Marcelo Lopes e consultoria de Marin Alsop.

No final do mês, a Osesp faz mais dois concertos especiais: dias 26/07 (qui, 20h30, Sala São Paulo) e 27/07 (sex, 20h30, Auditório Claudio Santoro), sob a batuta do britânico Alexander Shelley (regente associado da Royal Philharmonic Orchestra de Londres), com os violinistas Emmanuele Baldini e Davi Graton como solistas.

O 49º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é uma realização da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a Fundação Osesp, a Prefeitura de Campos do Jordão e um mix de empresas da iniciativa privada. A direção executiva é de Marcelo Lopes; a direção artística é de Arthur Nestrovski; a coordenação artístico-pedagógica é de Fábio Zanon; e a consultoria artística é de Marin Alsop.

"O Festival de Campos de Jordão, em sua 49ª edição, se consolida como o maior festival de música clássica da América Latina. Mais do que isso, oferece também a possibilidade de intercâmbio de conhecimento entre os alunos de vários estados e países, bem como a oportunidade de aprendizado com os maiores nomes da música erudita contemporânea."
Romildo Campello
Secretário de Cultura do Estado

Onde

Gestores culturais lamentam a perda do jornalista Ricardo Boechat

O Museu da Imagem e do Som – MIS recebeu, ontem e hoje, em seu auditório, familiares, amigos, colegas de profissão e admiradores do jornalista Ricardo Boechat, que morreu em um acidente de helicóptero na tarde do dia 11 de fevereiro, em São Paulo. Com flores, faixas, fotos, jornais e placas de táxi – uma homenagem de seu público fiel, os taxistas – e em meio a muita comoção, os presentes prestaram condolências.

Por volta das 9h da manhã, o Prefeito de São Paulo Bruno Covas esteve na cerimônia e disse que fará uma homenagem a Boechat em um local público na cidade. “Boechat era uma grande referência não apenas ao jornalismo, mas para todos nós. Sempre que ele falava, todo mundo parava para prestar atenção. Vamos buscar um espaço para homenageá-lo na cidade de São Paulo, para mostrar o exemplo que ele era para as futuras gerações”, declarou.

O colega de trabalho e amigo José Simão também esteve no local e, muito emocionado, consolou a família e falou à imprensa: “Hoje acordei e falei: Cadê o Boechat para fazer o programa? A gente tinha uma relação que era muito mais que profissional, era amor, alegria. Perdi meu amigo, vou sentir uma falta horrível dele, brutal”.

Serginho Groisman também esteve no velório pela manhã e exaltou o amigo: “Ele tinha opinião. Opinião com argumento, o que é um diferencial no jornalismo de hoje. É um homem que deixa uma lição, não só para os jornalistas”.

Diretores das instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa também lamentaram a morte e exaltaram sua importância como profissional.

Jacques Kann – Diretor de Gestão e Finanças do MIS
“O falecimento de Ricardo Boechat representa uma perda imensa para o jornalismo e para a sociedade brasileira. Jornalista corajoso, Boechat sempre emprestou sua voz ao povo e à busca pela verdade, colocando-se sempre ao lado do interesse público. O Museu da Imagem e do Som solidariza-se com sua família e seus amigos.”

Paulo Vicelli, Diretor de Relações Institucionais da Pinacoteca
“Perdemos ontem uma das vozes mais relevantes e sensíveis do jornalismo nacional. O senso crítico e a fala clara de Ricardo Boechat farão falta”.

Priscila Arantes, Diretora Artística e Curadora do Paço das Artes
“Ricardo Boechat, raro profissional estimulador do senso crítico e defensor do interesse público, fará muita falta ao jornalismo brasileiro. Lamentamos sua morte e nos solidarizamos com sua família,  amigos e colegas”.

Ary Araújo Júnior, Diretor Executivo do Conservatório de Tatuí
“Boechat escolheu nosso país para viver e construiu sua carreira defendendo os interesses do Brasil. Perdemos um forte jornalista e importante formador de opinião. Nossos sinceros pêsames à família, amigos e parceiros de trabalho”.

Ivam Cabral, Diretor Executivo da SP Escola de Teatro
“A morte de Ricardo Boechat nos marca profundamente. Primeiro, pela inesperada e trágica partida. E segundo, pela ausência que fica no jornalismo do Brasil. Mais do que nunca, alguém comprometido com a criticidade e a imparcialidade das informações, com discurso que alcançou milhões de pessoas de forma contundente e sagaz, fará falta para a nossa história”.

Miriam Lerner, Diretora Geral do Museu da Casa Brasileira
“O Museu da Casa Brasileira lamenta, com profundo pesar, o falecimento do jornalista Ricardo Boechat, ocorrido nesta segunda-feira, 11 de fevereiro, em São Paulo. Boechat deixa uma lacuna no jornalismo brasileiro, uma voz potente na defesa da democracia e da liberdade de imprensa. O MCB solidariza-se com familiares e companheiros de trabalho na BandNews, no Jornal da Band (TV Band) e na BandNews FM”.

Alberto Lima, Diretor Executivo do Catavento
“A presença do Boechat já era parte da rotina de nossas manhãs. Sua falta já está sendo muito sentida”.

Sergio Freitas, Presidente do Conselho Administrativo da Catavento Cultural e Educacional
“Nas boas e também, infelizmente, nas bem difíceis horas que temos vivido, Boechat era preciso, severo, valente e alegre, sem mancha em sua independência”.

Angelica Fabbri, diretora-executiva da ACAM Portinari, que administra o Museu Casa de Portinari, Museu Índia Vanuíre e Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro
“Ricardo Boechat ajudou a formar as bases da imprensa brasileira moderna, um entusiasta do conhecimento, da democracia e da compreensão e, por isso, a cultura também perde com a sua ausência. Que sejamos capazes de multiplicar o seu legado e seus ensinamentos para construir novos agentes – sejam eles escritores, pintores, cantores, compositores, entre outros – claros, nobres e íntegros para o setor e o país.”

Eric Klug, Diretor Executivo do IDBrasil, Organização Social gestora do Museu do Futebol e do Museu da Língua Portuguesa
“É sempre triste quando alguém se vai tão bruscamente e no ápice de sua vida profissional. Mais ainda quando é um um profissional tão necessário nos dias de hoje, quando a precisão, verdade e correção na mídia são tão raras. Com Boechat, perdemos um jornalista exemplar”.

Governador João Doria e Secretário Sérgio Sá Leitão entregam prêmios a bolsistas do Festival de Inverno

Thiago Sandoval de Souza, de 19 anos, recebeu o Prêmio Eleazar de Carvalho; bolsistas que se destacaram na 50ª edição do evento foram premiados com bolsas de estudo em escolas internacionais e na Academia de Música da Osesp, além de vagas para o Festival de 2020 

(mais…)

Governo anuncia criação de primeiro espaço imersivo da América Latina

MIS Imersão será gerido pelo Museu da Imagem e do Som; inauguração está prevista para este ano com exposição de Leonardo da Vinci

(mais…)

Governo capta valor total do projeto do Novo Museu do Ipiranga

Em coletiva realizada nesta sexta (17), o Governador João Doria e o Secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão homenagearam as empresas patrocinadoras e anunciaram a empresa gerenciadora das obras

(mais…)

Governo de São Paulo fecha acordo nos EUA para exposições holográficas no MIS Experience em 2020

São Paulo também propôs parceria com Netflix para produção de conteúdo audiovisual

(mais…)

Governo de São Paulo investe R$ 17,3 milhões em equipamentos culturais na cidade de Botucatu

Governador Alckmin entregou prédios da Pinacoteca de Botucatu e Espaço Cultural Dr. Gabriel Mourão, obras realizadas por meio de convênios com o município
 Antigo Fórum foi restaurado para receber Pinacoteca de Botucatu (foto: Gabriela Carvalho)
 

Na tarde de sábado (31), o Governador Geraldo Alckmin, ao lado do secretário-adjunto da Cultura do Estado, Romildo Campello, visitou a cidade de Botucatu e entregou duas obras realizadas em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado: o prédio do antigo fórum da cidade, que passou por reforma e adequação para a instalação da Pinacoteca de Botucatu, e o Espaço Cultural Dr. Gabriel Mourão, que foi ampliado e recebeu quatro novos módulos.

A reforma e a adaptação do antigo Fórum de Botucatu, um dos edifícios que compõe o centro histórico da cidade, permitirá que o espaço receba a primeira Pinacoteca no interior do estado. O valor do convênio para as obras da futura Pinacoteca de Botucatu é de R$ 17.154.193,19, sendo R$ 840 mil provenientes da Prefeitura Municipal. Duas empresas assinam a obra: Construtora 2N Engenharia Ltda. (responsável pelas obras da área interna do prédio) e Construtora Reobote Projetos e Empreendimentos Ltda – EPP (responsável pelas obras da área externa do prédio).

Com sete salas e dois halls dedicados às exposições em dois pavimentos, além de auditório, reserva técnica e biblioteca, a estrutura da futura Pinacoteca de Botucatu, que será gerida pela municipalidade, conta também com plataformas de acessibilidade, elevador e outros ambientes fundamentais para o funcionamento pleno do museu. As reformas e adequações abrangeram uma área de 3.421,92 m².

O secretário-adjunto da Cultura do Estado, Romildo Campello, participou da cerimônia e destacou a importância da Pinacoteca de Botucatu. “A cultura, na perspectiva que temos trabalhado, com orientação do Governador Geraldo Alckmin e do secretário José Luiz Penna, é o caminho para formação e geração de empregos, renda e melhoria na qualidade de vida de todos. Essa obra representa fisicamente a ideia de trazer para Botucatu e região o acervo que nós temos no estado de São Paulo”, declarou.

 Secretário-adjunto da Cultura do Estado, Romildo Campello, durante a cerimônia (foto: Gabriela Carvalho)
 

Já o Espaço Cultural Dr. Gabriel Mourão passou por adequação das edificações já existentes, contemplando impermeabilização, restauro de pisos, instalação elétrica e pintura. Também foram construídos quatro novos módulos, sendo um deles com dois pavimentos para instalação do Museu Histórico e da Biblioteca Municipal. O valor do convênio é de R$ 2.190.412,41, sendo R$ 1.056.000,00 repasse do Governo do Estado por meio da Secretaria da Cultura e R$ 1.134.412,41 em contrapartida da Prefeitura de Botucatu. A obra foi executada pela construtora Darga Pavimentação e Terraplanagem Ltda.

Parceria para exposições através do SISEM-SP 

Entre as possibilidades de parceria com a Pinacoteca de Botucatu está o recebimento de exposições itinerantes através do Sistema Estadual de Museus – SISEM-SP. “A programação do espaço poderá ser fortalecida com exposições desenvolvidas pelos museus geridos pela Secretaria da Cultura do Estado através das Organizações Sociais de Cultura, o que fortalecerá a nova instituição cultural de Botucatu. Além de exposições, o Sistema Estadual de Museus proporciona apoio técnico e formação de especialistas para possibilitar o aperfeiçoamento contínuo das atividades museológicas”, afirma Regina Ponte, coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura do Estado.

Governo de SP anuncia maior programa gastronômico do Brasil

SP Gastronomia reúne ações de secretarias estaduais, restaurantes, bares e chefs renomados; serão mais de 200 atividades em outubro

(mais…)

Governo de SP anuncia nova gestão da TV Cultura

José Roberto Maluf é eleito para presidir a Fundação Padre Anchieta; José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, irá presidir o Conselho de Gestão

(mais…)

Governo de SP inaugura MIS Experience com conceito inovador de exposições

Único do gênero na América Latina, museu proporciona experiências imersivas e interativas; exposição sobre Leonardo da Vinci começa dia 2/11

(mais…)

Governo, Secretaria e USP anunciam parcerias privadas de R$ 36 milhões para o Museu do Ipiranga

“É vencer ou vencer, a confiança de que vamos conseguir é total”, afirma o Secretário Sérgio Sá Leitão; Novas áreas e modernização do museu foram apresentadas em evento de captação no Palácio dos Bandeirantes (mais…)

Inscrições abertas para curso de formação em dança do Núcleo Luz

Tem experiência em dança e quer aprofundar seus conhecimentos? O Núcleo Luz está com inscrições abertas para o Ciclo II, destinado a jovens de 17 a 24 anos. A participação é gratuita e o projeto oferece bolsa-auxílio de R$ 700,00 e auxílio-transporte mensais, além de alimentação diária. O edital de abertura e o formulário de inscrição estão disponíveis no site do projeto.

Transformar a vida dos jovens por meio da dança e da arte é um dos principais objetivos do Núcleo Luz. Criado em 2007, o projeto faz parte do Programa Fábrica de Cultura, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis. Destinado a jovens de famílias de baixa de renda, o Núcleo Luz promove iniciação e aperfeiçoamento na linguagem da dança, além de oferecer atividades complementares que ampliam o repertório e a formação dos aprendizes que participam do projeto.

Além do conhecimento básico das técnicas de balé clássico e/ou dança contemporânea, o candidato deve morar em São Paulo, ter renda familiar mensal de até um salário mínimo por pessoa e disponibilidade para aulas de segunda a sábado, das 8h às 16h, na Sede do Núcleo Luz, no Bom Retiro. Os candidatos inscritos serão avaliados com base nos requisitos e aqueles que estiverem de acordo serão convocados para o processo seletivo. Esta etapa é presencial e os jovens farão alguns testes práticos em grupo nos dias 3 e 4 de dezembro. A divulgação da lista de aprovados será dia 11 de dezembro e o início das aulas dia 5 de fevereiro de 2019.

Confira o cronograma completo do processo seletivo para o CICLO II:

– 19/10 a 5/11/2018 (até às 12h): 1ª Etapa – Inscrição online

– 3 e 4/12/2018: 2ª Etapa – Testes Práticos Presenciais

– 6, 7, 10 e 11/12/2018: 3ª Etapa – Vivência Presencial

– 11/12/2018: Divulgação da lista de aprovados e lista de espera

– 5/02/2019: Início das aulas

Inscrições abertas para cursos relacionados aos quadrinhos no MIS

O MIS está com inscrições abertas para diversos cursos relacionados ao universo dos quadrinhos. Os cursos integram a programação paralela da mais nova exposição do MIS, Quadrinhos, em cartaz no museu até 31 de março de 2019. 

Entre as opções estão Criação de personagens, Folclore e identidade nos quadrinhos, História em quadrinhos: gênero e representação, A história do século XX pela perspectiva, A sua história em quadrinhos e Literatura, HQ e a complexidade humana: diálogos possíveis. Os cursos são de curta duração e o investimento a partir de R$ 80,00. As inscrições para estes e outros cursos podem ser feitas diretamente no site do MIS.

Confira abaixo mais informações:

Criação de personagens

Data: 16 a 30 de janeiro de 2019

Horário: Segundas e quartas, das 18h às 21h | 5 encontros

Local: sala de interface (20 vagas)

Valor: R$ 150,00

Sinopse: Este curso visa capacitar os alunos a desenvolver personagens, com base em personagens emblemáticos de obras de linguagens diversas. Para isso, várias personagens e seus contextos culturais e de significação dentro da obra à qual pertencem serão examinados, construindo a perspectiva dos mesmos como modelos de inspiração. Parâmetros claros de apropriação e de reconstrução criativa serão fornecidos e os alunos serão estimulados a produzir conteúdos autorais.

Folclore e identidade nos quadrinhos nacionais

Data: 21 a 30 de janeiro de 2019

Horário: segundas e quartas, das 19h30 às 22h | 4 encontros

Local: Auditório LABMIS (64 vagas)

Valor: R$ 100,00

Sinopse: Quadrinhos sempre foram uma forma de expressão efervescente e poderosa do pensamento de um povo ou de uma época. No Brasil, não é diferente: há mais de um século, dividimos nossas histórias, crenças e vontades em quadrinhos para todas as idades, nas mais diversas mídias. Em quatro encontros, a professora Cláudia Fusco explora a natureza do folclore e da identidade nacional embutida nas HQs que fizeram história no nosso país e representaram, de forma inteligente, sarcástica e bem-humorada, o que é, afinal de contas, ser brasileiro.

Literatura, HQ e a complexidade humana: diálogos possíveis

Data: 22 a 31 de janeiro de 2019

Horário: Terças a quintas, das 19h às 22h | 4 encontros

Local: Auditório LABMIS (64 vagas)

Valor: R$ 80,00

Sinopse: A partir da discussão de obras artísticas no formato de História em Quadrinhos (HQ) e de suas adaptações para o cinema, o curso tem como objetivo estimular reflexões, sobre a complexidade da realidade humana, bem como expor aspectos literários do HQ. Nesse contexto, serão abordadas duas obras: Meu amigo Dahmer, de Derf Backdevf, e O corvo, de James O’Barr. As obras trazem personagens com perfis psicológicos marcantes, narrando o humano de maneira ímpar. Cada uma, com sua motivação, segue uma trajetória no limiar da sanidade e loucura que, em certa medida, todos nós já experienciamos. 

Histórias em quadrinhos: gênero e representação

Data: 4 a 27 de fevereiro 2019

Horário: Segundas e quartas, das 19h às 22h | 08 encontros

Local: Auditório LABMIS (64 vagas)

Valor: R$180,00

Sinopse: O objetivo desse curso é discutir a representação de gênero nas histórias em quadrinhos, o impacto da representatividade nesse mercado, e como as HQs podem ser uma ferramenta potente no debate sobre igualdade e equidade de gênero. Convidadas: Helô D’Ângelo, Lila Cruz e Daniela Cantuaria (Ugra Press). Professora: Gabriela Borges. 

A história do século XX pela perspectiva dos quadrinhos

Data: 19 a 28 de fevereiro de 2019

Horário: terças e quintas, das 19h às 22h (04 encontros)

Local: Auditório LABMIS (64 vagas)

Valor: R$100,00

Sinopse: Por meio de seis obras centrais apontando os principais fatos do século XX, divididas em 04 encontros, o professor Eduardo Molina introduz os alunos ao mundo das histórias em quadrinhos e seus principais conceitos, o imperialismo e o neocolonialismo europeu no século XIX, resultando nas causas da I Guerra Mundial, as duas grandes guerras, a guerra fria e a política americana na segunda metade do século e o atentado do 11 de setembro, que define a nova forma de se ver o mundo no início do século XXI.

A sua história em quadrinhos

Data: 12 a 28 de março de 2019 

Horário: Terças e quintas, das 19h às 22h (06 encontros)

Local: sala de interface (15 vagas)

Valor: R$180,00

Sinopse: O curso trata dos aspectos estruturais e definidores das histórias em quadrinhos, apresentando técnicas fundamentais para o desenvolvimento de uma narrativa gráfica. Os alunos serão motivados a explorar diversas possiblidades de criação para suas HQs, a fim de encontrar e amadurecer seu próprio processo criativo. Isso os levará ao debate de ideias, promovendo uma troca de informações que será mediada pelo professor, que também apresentará minúcias de seu processo de criação para estabelecer um referencial ao aluno.

 

onde fica?

Inscrições abertas para expositores participarem do Revelando São Paulo 2017

Revelando São Paulo lançam as inscrições para os expositores interessados em participar da edição 2017 (mais…)

Inscrições abertas para o Programa de Fomento ao Cinema Paulista

Até 3 de dezembro, estão abertas as inscrições para o edital do Programa de Fomento ao Cinema Paulista. O concurso irá selecionar produções divididas em dois módulos: no primeiro serão contemplados seis filmes longas-metragens de ficção e animação, com prêmio de R$ 750 mil cada; e no segundo, quatro projetos de documentários serão contemplados com o valor de R$ 375 mil cada. O edital estará disponível no site www.proac.sp.gov.br.

O programa utilizará recursos das empresas estatais do Estado de São Paulo, via Lei do Audiovisual. Caberá à Secretaria da Cultura do Estado a organização do processo seletivo para escolha dos projetos que receberão o patrocínio.

 

 

“A aplicação de recursos do Estado é fundamental para o desenvolvimento da produção cinematográfica paulista, setor que, além de contribuir para a cultura, gera empregos e movimenta a economia de São Paulo e do Brasil. Muitos projetos apoiados em anos anteriores ganharam projeção e reconhecimento internacional, como o longa “Que Horas Ela Volta”, que representou o país no Festival de Sundance, nos Estados Unidos.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado

Sobre o Programa de Fomento ao Cinema Paulista

Criado em 2003, o Programa de Fomento ao Cinema Paulista regula a concessão de patrocínios das estatais paulistas a projetos de audiovisual e outras linguagens por meio da Lei do Audiovisual e da Lei Rouanet. Os projetos são selecionados anualmente por meio de edital lançado pela Secretaria da Cultura do Estado. O Programa de Fomento ao Cinema Paulista apoiou filmes como a animação O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, indicado à categoria “Melhor Animação” no Oscar 2016; Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert, filme premiado no Festival de Sundance, que representou o Brasil na categoria “Melhor Filme Estrangeiro” no Oscar 2016; Como Nossos Pais, que ganhou seis prêmios no Festival de Gramado, entre eles o de “Melhor Filme”; o documentário Homem Comum, de Carlos Nader, vencedor do Festival É Tudo Verdade, em 2015; Meu amigo hindu, de Hector Babenco; Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Beto Brant e Renato Ciasca; e Xingu, de Cao Hamburger.

Inscrições abertas para processo de seleção das comissões julgadoras do ProAC

Entidades, movimentos e fóruns artístico-culturais podem fazer seu cadastro e indicar profissionais até as 23:59 horas do dia 03/02/2018. (mais…)

Jazz Sinfônica abre a Semana Europeia no Memorial da América Latina

Crédito: Joca Duarte

A semana de eventos que marca a data de criação da União Europeia (UE), em maio de 1950, será aberta em São Paulo no dia 14 de abril um concerto especial da Orquestra Jazz Sinfônica Brasil sob regência do maestro João Mauricio Galindo no palco do Auditório Simón Bolívar.

O programa da Semana Europeia reúne clássicos do século passado assinados por compositores de Portugal, França, Itália, Alemanha e Áustria, mesclados com arranjos de sambas, choros e frevos de destacados músicos da MPB.

História A Semana Europeia é celebrada desde 2005 para lembrar o aniversário, em 9 de maio,  da histórica Declaração Schuman. Naquele dia, em 1950, o então ministro de Negócios Estrangeiros da França propôs uma nova forma de cooperação política entre os países do velho continente como forma de evitar uma nova guerra. A declaração é considerada o embrião do que viria a ser a União Europeia. A programação de eventos, em várias cidades do país, é coordenada pela Delegação da União Europeia e EUNIC – Associação dos Institutos Culturais Oficiais e das Embaixadas dos Países da União Europeia.

 

Programa

Carlos Paredes, Arr. Rodrigo Morte

Mario Laginha, Arr: Rodrigo Morte

Richard Galliano, Arr: Cintia Zanco

Nita Rora, Arr: Cintia Zanco

Kurt Weil, Arr. Alexandre Mihanovich

 Joe Zawinul, Arr. Phil Wilson

Dominguinhos, Gilberto Gil /Sivuca e Glória Gardelha, Arr: Fábio Prado

Luiz Bandeira, Arr: Spok

Pixinguinha, Arr: Proveta

Composição e Arranjo: Cyro Pereira

Jazz Sinfônica Brasil no Memorial: agora é Rock!

Alguns dos maiores nomes das últimas gerações do rock brasileiro e internacional estão no programa que a Jazz Sinfônica Brasil apresenta na quinta-feira, dia 29/3, no Memorial da América Latina.

No renovado e confortável Auditório Simón Bolívar, com sua elogiável acústica, a Jazz, sob a regência de Fábio Prado, privilegia sucessos que vão de Beatles a Raul Seixas e Renato Russo com o toque contemporâneo de arranjos e adaptações dos seus músicos.

O ingresso para assistir a mais essa apresentação está disponível ao preço único promocional de R$ 20. Vendas antecipadas pelo site:  www.ingressorapido.com.br.

 

 

Confira o programa:

Temas de Beatles

Arr: Luis Arruda Paes

Mick Jagger, Keith Richards

Arr: Nelson Ayres

(Panis Et Circencis / Ando Meio Desligado / Balada do Louco)

Gilberto Gil, Caetano Veloso / Sérgio Dias Batista, Rita Lee, Arnaldo Dias Batista

Arr: Alexandre Dalioa

Adapt: Fábio Prado

 

Rita Lee

Arr: Alexandre Daloia

Adapt: Fábio Prado

Raul Seixas e Paulo Coelho

Arr: Alexandre Daloia

Adapt: Fábio Prado

 

Belchior, José Luiz Penna

Arr: Cintia Zanco

 

Dado Villa-Lobos, Renato Russo, Marcelo Bonfá, Renato Rocha

Arr: Alexandre Daloia

Adapt: Fábio Prado

João Bosco participa do programa Notas Contemporâneas do MIS em novembro

Compositor e cantor, responsável por sucessos como Papel Machê, Dois pra lá, dois pra cá, realiza bate-papo musical. (mais…)

Jornada do Patrimônio SP acontece em outubro – confira a programação

Oficinas, rodas de conversa e passeios ciclísticos estão entre as atrações

(mais…)

MECAMis promove talks e painéis sobre temas contemporâneos

Festival gratuito faz parte da nova série da plataforma cultural do MECA que propõe a simbiose entre música e arte (mais…)

Mercado EnoCriativo reúne pequenas vinícolas e jovens empreendedores criativos no MCB

Em sua primeira edição, feira traz design, moda, arte, gastronomia e degustação de vinhos e espumantes

(mais…)

Mês do Futebol: confira a programação especial da #CulturaSP

Em junho, os museus, salas de concerto e bibliotecas da Secretaria da Cultura do Estado capricharam em atividades sobre dois temas: futebol e cultura russa. São jogos, exposições, oficinas e muito mais. Confira o que fazer quando o Brasil não estiver jogando a aproveite!

MUSEUS

 

O Museu do Futebol terá um mês repleto de atividades relacionadas ao campeonato. Já está em cartaz a exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”, que conta a história da primeira conquista da seleção brasileira no mundial. Durante todo o mês, o museu também exibirá 39 jogos do campeonato em um espaço decorado especialmente para a competição. No dia 23 de junho, às 10h00, inicia-se a 1ª Feira Foot, evento gratuito que vai reunir uma feira retrô de itens de futebol, venda de memorabília, bate-papo sobre memórias do esporte e troca de artigos colecionáveis. Para fechar o mês, o 3º Arraial do Charles Miller, com entrada gratuita, vai juntar festa junina e futebol na Praça Charles Miller nos dias 30 de junho e 1º de julho (sábado e domingo).

No Museu Afro Brasil, está em cartaz a exposição “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão”, que ressalta a competência, o talento e a resistência negra nos esportes e em outros campos, como a arquitetura e as artes. Entre os jogadores homenageados na mostra estão alguns dos principais responsáveis pelas três primeiras conquistas mundiais do Brasil, como Pelé, Djalma Santos, Garrincha e Jairzinho. No acervo de longa duração, há esculturas, fotografias, ilustrações, bolas e outros objetos que contam a história do futebol brasileiro. Já na área externa, um grande painel reúne fotografias e ilustrações de Pelé, Leônidas, Chocolate, Didi, Djalma Santos, Zizinho, Garrincha, Paulo César Caju, Barbosa e Baltazar, além de uma série de caricaturas feitas pelo cartunista baiano Miécio Caffé.

O Museu de Arte Sacra vai celebrar o mundial com atividades para todas as idades no dia 16 de junho, à partir das 15h00. O público terá a oportunidade de participar de uma brincadeira sobre a relação entre os santos padroeiros e o futebol, jogar uma partida de futebol de botão ou de mini pebolim entre Brasil e Croácia e aprender o significado das camisas destes times. Para participar é necessário realizar inscrição no site http://museuartesacra.org.br.

No Museu da Imagem e do Som – MIS, a família toda vai poder aproveitar a “Maratona Infantil”, no dia 24, das 10h00 às 17h00, com atividades que envolvem o mundo do futebol e as festas juninas. Em “Intervenção Futebolando”, às 10h30, 12h30 e 14h00, dois palhaços futebolísticos vão convidar o público a praticar atividades físicas utilizando jargões do esporte. Das 10h00 às 16h00, as crianças também poderão expressar a paixão pelo esporte nas oficinas temáticas “Flipbook Bola no Gol”, para criação de livretos animados com o tema futebol, e “Compactor de Pintura”, na qual serão feitas pinturas temáticas do campeonato.

No Museu Índia Vanuíre, em Tupã, os visitantes vão curtir oficinas culturais gratuitas em todos os sábados e domingos de junho, das 9h00 às 16h00. Especialmente neste mês, as oficinas terão como tema o país sede do mundial, com a proposta de confeccionar um chaveiro em formato de matrioska, representando a colônia russa, que tem importante contribuição na identidade de Tupã.

bibliotecaS

 

Na Biblioteca Parque Villa-Lobos, em todas as sextas-feiras de junho, das 16h30 às 18h00, a atividade “Chute de Letra” oferece jogos e brincadeiras com o tema futebol. Nas sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 2 de julho, das 14h00 às 17h00, o espaço será ponto de troca de figurinhas para colecionadores. Nas sextas-feiras, de 1º a 22 de junho, o “Brincando e Aprendendo” terá brincadeiras temáticas. E nos dias 23 e 25 de junho, das 10h00 às 17h00, o “Festival de Jogos Antigos” disponibiliza pebolim e futebol de botão para o público. Todas as atividades são gratuitas e não é necessário realizar inscrição.

A Biblioteca de São Paulo também realiza a atividade “Chute de Letra” em todas as quintas-feiras de junho, das 16h00 às 17h30. A troca de figurinhas será nas sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 29 de julho, das 14h00 às 17h00, e o “Festival de Jogos Antigos” nos dias 15 e 16 de junho, das 10h00 às 17h00. No dia 17, a “Hora do Conto” será às 12h30, com a apresentação do conto russo “Formosa Vassilissa”, sobre uma menina que perdeu a mãe e ganhou uma boneca para ajudá-la a lidar com sua madrasta e irmãs postiças. No dia 20, das 15h00 às 16h00, todos poderão jogar o “Futebol de Cego”, e no dia 21, no mesmo horário, visitantes serão convidados a confeccionar bandeiras de diversos países. Todas as atividades são gratuitas e não é necessário realizar inscrição.

Quem gosta de ler encontrará nas bibliotecas diversas obras de autores russos, como “Os Demônios”, de Fiódor Dostoiévski, e livros sobre a história do futebol, como “O planeta Neymar: um perfil”, de Paulo Vinícius Coelho e “O Brasil nas Copas”, de Marcos Sérgio Silva. O catálogo e a programação das bibliotecas pode ser conferido nos sites: https://bsp.org.br e https://bvl.org.br/.

sala são paulo

 

Durante o mês, a Temporada 2018 da OSESP apresentará na Sala São Paulo diversas obras de compositores russos, como Prokofiev, Shostakovich e Tchaikovsky. Haverá Concertos Sinfônicos Osesp nos dias 21 e 22, às 20h30, e no dia 23, às 16h30, sob regência de Neil Thomson e Fabio Martino no piano. O programa inclui “Romeu e Julieta, Op.17: Romeu só – Grande Festa na Casa dos Capuletos”, de Hector Berlioz, “Peça de Concerto para Piano em fá menor, Op.79”, de Carl Maria von Weber, “Fantasia Brasileira nº 4”, de Francisco Mignone e “Romeu e Julieta – Abertura-fantasia”, de Pyotr Il’yich Tchaikovsky.

E no dia 24, às 19h00, o Coro da Osesp se apresenta sob a regência de Valentina Peleggi, com “Crucifixus pro nobis, Op.38: Drop, drop, slow tears”, de Kenneth Leighton, “Concerto para Coro: Ó mestre de tudo o que vive”, de Alfred Schnittke, “Miserere Mei, Deus”, de Gregorio Allegri, “Miserere, Op.44: Miserere nobis” e “Totus Tuus, Op.60”, de Henryk Górecki e “Canção para Atena”, de John Tavener.

Os ingressos para os concertos estão à venda no site https://www.ingressorapido.com.br

Quem visitar a Sala São Paulo pode aproveitar para conferir os livros, CDs e DVDs de autores e artistas russos disponíveis na Loja Clássicos, localizada dentro do prédio da Sala. Entre os CDs, é possível encontrar a gravação da Osesp sob regência de Marin Alsop das Sinfonias de Serguei Prokofiev. Na seção de livros, encontram-se “Crime e castigo”, de Fiódor Dostoiévski e “Anna Karenina”, de Liev Tolstói. Nos DVDs, uma ampla seleção de filmes russos, como o clássico “Alexander Nevsky”, de Serguei Eisenstein, “Dersu Uzala”, de Akira Kurosawa, e “Arca Russa”, de Aleksándr Sokúrov.

fábricas de cultura

 

As Fábricas de Cultura Jaçanã e Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte, realizam diversas atividades gratuitas sobre futebol e cultura russa no mês de junho.

No dia 27, às 15h00, na unidade do Jaçanã, acontece o bate-papo “O mundial e você: protagonismo negro e marcos históricos”, em que os participantes terão oportunidade de conhecer a história de jogadores e jogadoras de futebol negros – Marta, Formiga, Cafu, Pelé, entre outros. Em seguida, será proposta uma oficina de estêncil para produzir cartazes com a história desses esportistas.

Na Fábrica Vila Nova Cachoeirinha, a instalação “Bandeiras dos países participantes do mundial de 2018” reúne as bandeiras dos 32 países que participam da disputa, de 5 a 30 de junho. A exposição “Diversidade Futebol Clube – No nosso time joga todo mundo” fica em cartaz na unidade de 8 a 30 de junho. A mostra traz fotografias de Roberto Setton, que registrou entre 2008 e 2012 o “Futebol das Drags”, evento de aniversário da boate Blue Space com um jogo de futebol entre drag queens e funcionários nas ruas da Barra Funda (SP). Encerrando a programação, entre 16 e 30 de junho, será exibida a “Homenagem a Mário Américo”, uma mostra de fotografias do ex-massagista da Seleção Brasileira, que acompanhou sete campeonatos mundiais, entre 1950 e 1974.

oficinas culturais

 

A Oficina Cultural Oswald de Andrade vai unir o teatro e o futebol em uma programação gratuita especial. Entre os dias 14 de junho e 19 de julho, às terças e quintas-feiras, às 18h30, o público poderá participar da oficina “Lendo o Jogo” e criar uma cena dramática, ficcional ou informativa, envolvendo teatro e futebol. As inscrições para as atividades devem ser realizadas no site: http://www.oficinasculturais.org.br/oswald-de-andrade.

são paulo companhia de dança

 

A São Paulo Companhia de Dança realiza performance em meio a uma exposição com bonecas de 2,60 de altura por 1,35 de largura, pintadas por artistas brasileiros como Albertina Prates, Simone Michielin, Elisa Vieira Queiroz, Maramgoni, Thuany Kolbach e Wagner da Silva. As apresentações serão nos dias 15, às 12h00, e no dia 16, às 16h00 e às 19h00.

O repertório será formado por Fada do Amor (1993), de Márcia Haydée e Pivô (2016), de Fabiano Lima. Fada do Amor, de Marcia Haydée, une a energia e a delicadeza do amor da fada pelo ser humano. Já Pivô, de Fabiano Lima, faz referência ao basquete, ao hip hop e à dança contemporânea, e traz para a cena o ambiente brasileiro, por meio de sonoridades conhecidas.

A exposição fica em cartaz no Átrio do Shopping Morumbi, na zona sul de São Paulo, no período de 15 de junho a 15 de julho, e reúne réplicas das chamadas Matrioshkas Gigantes, símbolos da Rússia que representam família, felicidade e boa sorte.

MIS prorroga inscrições para o Núcleo Experimental de Cinema – Suspense

Terceira edição do projeto busca interessados na produção coletiva e finalização de um curta-metragem, que será posteriormente exibido dentro da programação do Museu. Os participantes realizarão encontros com profissionais de destaque no ramo cinematográfico – como Walter Carvalho, Beto Brant e Tadeu Jungle. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas no site do MIS até 11 de fevereiro (mais…)

MIS realiza mostra em homenagem aos 80 anos de Coppola

Com entrada gratuita, a mostra acontece entre os dias 2 e 6 de abril e traz sessões de grandes clássicos do diretor, como a trilogia de O Poderoso Chefão e Apocalypse Now (mais…)

Museu Afro Brasil faz contraponto à era digital na mostra “Olhares Revelados”

O Museu Afro Brasil promove no próximo dia 8 de dezembro, às 12h, a abertura da exposição coletiva “Olhares Revelados”. Como sugere o nome da mostra, “Olhares Revelados” pretende desnudar aos olhos do espectador a arte da constante busca pelo sentido da imagem no fazer fotográfico. Algo que, segundo o curador da exposição, Silvio Pinhatti, se perdeu no século 21.

“Nos últimos anos, temos experimentado a cada instante um imenso crescimento da produção de imagens por multidões de celular em punho e redes sociais como o Instagram e o Facebook. Como é possível, num cenário como esse, valorizar a produção fotográfica e ressignificar o ofício do fotógrafo? Se hoje um senso comum afirma que ‘qualquer um’ pode produzir imagens – que vão se perder nas redes sociais num movimento praticamente sem autoria – como cristalizar a arte fotográfica com o cuidado, a atenção e o labor que ela merece? Como estender uma linha do tempo que faça jus a artistas tão fundamentais, que nos ensinaram que a fotografia é uma arte narrativa, memorável, imprescindível? Se tem se tornado tão banal a produção de imagens prolixas, é possível observar nelas uma frouxidão de sentido que sem dúvida não faz parte da fotografia como surgiu e se encorpou ao longo do século XX. Desse modo, é preciso que estejamos atentos aos artistas-fotógrafos que continuam zelando por essa arte.”
Silvio Pinhatti

“Olhares Revelados” reúne 87 fotografias de sete fotógrafos brasileiros: Andrea Fiamenghi, Eidi Feldon, Gil Rennó, Lucila de Avila Castilho, Paulo Behar, Pedro Sampaio e Tuca Reinés. Para além do ofício que une os sete profissionais, os artistas selecionados possuem em comum o afeto e a celebração do fazer fotográfico tal qual o mesmo se popularizou no século 20, buscando por meio da fotografia a beleza, a comunicação e a impressão de sentido à imagem.

SOBRE OS ARTISTAS

 

Andrea Fiamenghi 

Nascida em São Paulo, Andrea Fiamenghi vive em Salvador, na Bahia, desde os quatro anos idade. Sua paixão pela fotografia a fez encontrar-se com a obra de Pierre Verger, grande fotógrafo e antropólogo francês, residente em Salvador. Do encontro com a obra e sob a influência do mestre, começa a retratar o povo nas ruas de Salvador e a desenvolver pesquisas. Na mostra “Olhares Revelados”, Andrea apresenta imagens da Cerimônia Águas de Oxalá e as festas do calendário religioso do Terreiro Iiê Axé Opô Aganju,

 

Eidi Feldon 

Designer e fotógrafa, Eidi Feldon fez orientação de fotografia com Claudia Andujar nos anos 1970, e desde então sempre esteve de máquina em punho. Em “Olhares Revelados”, Feldon mostra registros da série “Thesaurus – O Lugar da Observância”, que reúne fotos que nos falam de um vestígio de tempo passado, mas também de um conjunto de circunstâncias do presente, que antevê os aspectos disruptivos de uma civilização que atravessa o seu momento mais pungente de deterioração ecológica.

 

Gil Rennó

Há quinze anos vivendo na Serra da Mantiqueira, Gil Rennó vem fotografando a fauna e a flora locais, sua gente, seu comércio e seus hábitos. Na exposição “Olhares Revelados” o artista apresenta fotografias de duas manifestações da cultura popular local cruciais para a população da Serra da Mantiqueira. São elas as comemorações da Festa de Treze de Maio no bairro do Quilombo em São Bento do Sapucaí, e a Via Sacra no município de Gonçalves (MG), em que a população faz uma peregrinação em volta da pedra do Cruzeiro. 

 

Lucila de Avila Castilho

Nascida em São Paulo, em 1957, a artista é especialista em fotografia de viagem. Segundo o fotógrafo André Douek: “Na fotografia de Lucila identificamos os elementos, as estações e as criaturas. Estamos diante das cenas da gênesis”. Na exposição “Olhares Revelados”, Lucila apresenta imagens da Escócia, Chile, Itália e Islândia. 

 

Paulo Behar

Com diversas fotos publicadas pela National Geographic e BBC Brasil, Paulo Behar procura registrar as belezas da natureza e vida selvagem, com um olhar que busque impactar e emocionar o espectador. Na mostra “Olhares Revelados”, o artista mostra fotografias da natureza selvagem encontradas em lugares como Chile, Cananéia (SP), Cubatão (SP), Pantanal do Rio Negro (MS), Poconé (MT), Barão de Melgaço (MT), Jardim (MS), Miranda (MS), Porto Jofre (MT)

 

Pedro Sampaio

Paulistano de 27 anos, acostumado à vida da metrópole e com formação multidisciplinar, Pedro Sampaio fotografa a resistência cultural dos que vivem à margem da globalização nos centros urbanos. Em suas viagens para Cuba, Irã, Líbano, países desacreditados pela imagem dos noticiários ou comunidades brasileiras isoladas da grande mídia, a fotografia lhe permitiu registrar aquilo que testemunhava

 

Tuca Reinés

O premiado fotógrafo Tuca Reinés exibe retratos feitos na aldeia de Jerusalém, província de Laikipia, centro do Quênia, África. Com cerca de 300 habitantes, a aldeia congrega três das principais etnias do norte do país: Samburu, Turkana e Borana. 

 

onde fica?

Museu Catavento inaugura “Mundo das Abelhas”

Espaço interativo e sensorial integra o Complexo de Polinizadores do museu e convida o visitante a descobrir curiosidades sobre o mundo das abelhas (mais…)

Museu Catavento oferece atrações especiais nas férias de janeiro

Durante todo o mês de janeiro, o Museu Catavento oferecerá uma programação especial com diversão e informação para todas as idades. Além do acervo fixo, o espaço receberá o espetáculo “Química em Show”, exposição de Aquapaisagismo, atividades da “Brinquedos Estrela”, Oficina de Terrário, Oficina de Bonecas Abayomi, “Espaço BIC Educa”, apresentações de mágica, oficina de Youtubers e “Venturion Realidade Virtual 4D”. Confira:

 

Espetáculo QUÍMICA EM SHOW

Jovens cientistas – monitores e educadores do museu – mostrarão o que é a química no dia-a-dia com um divertido espetáculo. O público será convidado a assistir demonstrações dos diversos experimentos com fenômenos interessantes e atrativos, que vão desde misturar líquidos até segurar fogo com as próprias mãos sem se queimar. Os líquidos mudam de cor, os sólidos passam por variações e os gases são liberados. Além disso, será possível presenciar diferentes tipos de energia como a luz, o som e o calor e experiências como Luminol, Bomba de Hidrogênio com oxigênio, entre outros, que vão unir educação e diversão.

De 8 a 20 de janeiro, 11h30, 13h30 e 15h.

 

Exposição temporária AQUAPAISAGISMO

Com o tema a “A Arte oculta em um hobby”, a exposição revela a arte existente no aquarismo, onde são desenvolvidos ecossistemas e ambientações para recriar o habitat natural dos peixes. A esta técnica de montagem de aquários com paisagens, plantas naturais e grande influência da cultura japonesa é dada o nome de Aquapaisagismo. A exposição contará com a montagem de vários aquários e serão apresentadas as técnicas e a relação multidisciplinar com biologia, química, física e ecologia.

De 02 a 31 de janeiro – várias sessões ao longo do dia.

 

Espaço BRINQUEDOS ESTRELA

Nestas férias, a empresa ESTRELA – fabricante de brinquedos – oferecerá aos visitantes do museu, brincadeiras com brinquedos gigantes. Expostos no claustro, os brinquedos estarão à disposição dos visitantes que queiram conhecer ou rever os brinquedos que fizeram “a cabeça” das crianças de outrora.

De 02 a 13 de janeiro – várias sessões ao longo do dia.

 

Oficina Construção de TERRÁRIO

A oficina demonstrará como construir um ecossistema em escala reduzida, dentro de um ambiente lacrado. Ao término da oficina, cada participante levará o próprio terrário construído. 

Livre para todas as idades, crianças acompanhadas pelos responsáveis.

De 15 a 31 de janeiro – vários horários ao longo do dia.

Retirar senhas na bilheteria.

 

Oficina de bonecas ABAYOMI

Bonecas Abayomi são pequenas bonecas negras, feitas de pano e sem costura alguma, apenas com nós ou tranças. A boneca foi criada para as crianças, jovens, adultos na época da escravidão, confeccionadas com pedaços de saias, único pano encontrado nos navios negreiros, para acalmar e trazer alegria para todos. Legados da cultura africana, essas bonecas são consideradas como amuletos até hoje.

De 02 a 27 de janeiro (de terça a sexta).

Vários horários ao longo do dia.

Retirar senhas na bilheteria.

 

Espaço BIC Educa

Com apoio da empresa BIC, em uma sala de aula cenográfica, os participantes poderão participar de oficinas de “lettering”, workshop de “slime”, aulas de desenho e ilustração, e aula de esculturas com canetas. 

Durante todo o mês – vários horários ao longo do dia.

 

Apresentações CLOSE UP – mágicas

As intervenções de mágicas envolvem aspectos da ciência, tais como química, física, ilusões de ótica, entre outros.  Com interação direta com o público, várias mini apresentações acontecerão no Museu Catavento, tanto nas áreas internas como externas.

De 4 a 26 de janeiro – várias apresentações ao longo do dia.

 

Oficina de Youtubers

Na Oficina de Youtubers os visitantes vão aprender a fazer vídeos incríveis usando iPads. Ao dar oportunidade para o desenvolvimento de habilidades em diferentes mídias de criação, abrimos caminho para uma geração de inovadores, artistas e criadores mostrando que todos, independente de idade, geografia, ou classe social são capazes de criar. O vídeo tem esse poder, de usar várias formas de arte e técnicas para evocar a emoção e nos informar, influenciar e inspirar.

De 11 a 27 de Janeiro – oficinas às 10h30 e 15h30. 

Retirar senhas na bilheteria.

 

Venturion – Realidade Virtual 4D

Na experiência de Realidade Virtual 4d, desenvolvida pela Startup Tapps VR, o visitante participará de uma aventura imersiva em uma combinação da realidade virtual, efeitos especiais e táteis do mundo real. A aventura transporta os jogadores a um templo antigo repleto de enigmas e mistérios. O usuário interage com objetos reais que têm o mesmo formato que os presentes no mundo virtual, e deve prestar atenção em tudo à sua volta para desvendar o segredo do templo.

De 15 de janeiro a 03 de fevereiro – apresentações às 11h, 12h, 14h, 15h, 16h.

Retirar senhas na bilheteria.

 

Espaço Drone (composto por duas atividades “Experiência Drone” e “DronePontos”)

 

Experiência Drone

A atividade demonstrará alguns conceitos básicos de física e engenharia aplicados à operação de um Drone, oferecendo ao visitante uma experiência de pilotagem.

De 15 a 27 de janeiro – oficinas às 11h, 13h, 15h, 16h.

Retirar senhas na bilheteria. Recomendado para maiores de 10 Anos.

 

DronePontos

Com o objetivo de promover o interesse pela cultura tecnológica, faremos demonstrações de voo de Drones na área externa do Museu Catavento. Em pontos estratégicos espalhados pelo Museu, teremos os “DRONEPONTOS” onde ocorrerão decolagens, aterrissagens e manobras demonstrando o potencial dessa tecnologia inovadora.

De 18 a 27 de janeiro – exibições às 10h30, 11h30, 14h30, 15h30 (somente sextas, sábados e domigos).

 

 

onde fica?

Museu Catavento recebe evento de integração social para refugiados e imigrantes

Organização Migraflix leva refugiados para ministrar oficinas no dia 11 de novembro (mais…)

Museu da Casa Brasileira realiza festival de arte e gastronomia

No dia 07 de abril, sábado, das 10h00 às 20h00, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizará em parceria com a Comgás a primeira edição do festival Comgás Transforma. Com entrada gratuita, famílias poderão participar de atividades com as crianças, palestras, oficinas e ainda assistir a shows e documentários.

O dia começará dedicado aos pequenos, com oficinas infantis de escultura de balão, pintura artística facial e de desenho. A programação seguirá com feira de gastronomia, ao longo de todo o dia, oficinas de chefs renomados e apresentações de música com grupos Pequena Orquestra Interativa, Lov.Trio, DJ Dre Guazzelli, Bixiga70 e Hermeto Pascoal.

 

Foto: Banda Bixiga 70 – Divulgação

A proposta do evento é compartilhar experiências e valorizar quem transforma a realidade por meio da arte e da comida. Haverá uma exposição com vídeos de 15 personagens que têm em comum o olhar sobre a gastronomia como instrumento de transformação. Os vídeos têm a direção de Luiz Antônio Pilar, diretor de documentários premiados como “Remoção” e novelas como o remake de “Sinhá Moça”, vencedora do Emmy.

Foto: Erick Jacquin – Divulgação Band

Quatro chefs renomados convidados ministrarão palestras e realizarão oficinas de gastronomia, fazendo releituras dos pratos dos personagens de cada vídeo. É o caso de Rodrigo Oliveira, que está à frente do restaurante Mocotó e sua “cozinha nordestina sertaneja de pai para filho desde 1973”. Quem também marcará presença é Erick Jacquin, chef que está no Brasil desde 1994. Durante quatro anos, Jacquin comandou o Le Coq Hardy e depois assumiu a cozinha do Café Antiqüe, especializado em gastronomia francesa. Com 10 anos de Brasil, inaugurou a La Brasserie Erick Jacquin. Atualmente é um dos jurados do programa Master Chef Brasil.

Foto: Cenário da Novela “Meu Pedacinho de chão” – Divulgação Rede Globo

O projeto de cenografia do evento é assinado pelo mineiro Keller Veiga, cenógrafo da TV Globo desde 1980 e responsável por trabalhos premiados de novelas como “Meu Pedacinho de Chão”, “Velho Chico” e “Deus Salve o Rei” (atual novela das 19h00), entre outros.

O projeto é realizado pelo Ministério da Cultura e Governo Federal, Ordem e Progresso, e pelo Museu da Casa Brasileira, via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Comgás, e produzido pela Marolo Produções.

Programação

 Início das atividades para crianças e feirinha de gastronomia;

Pequena Orquestra Interativa

A POIN, Pequena Orquestra Interativa, é um trabalho paralelo dos integrantes da Cia. Cabelo de Maria, septeto formado por músicos que tocam violão, flauta, sousafone, acordeom, violino e percussão. O espetáculo tem como principal característica a interatividade com o público, que é incluído de diferentes formas em todos os números musicais instrumentais apresentados, por meio de ações que exploram ritmo, afinação, coordenação motora e memória. O som é uma mistura de música dos bálcãs, klesmer, valsas malucas e música cigana.

 Aula-show Fernando Perin

Aula-show com Pedro Siqueira

DJ Dre Guazzelli

Dre Guazzelli tem mais de 25 turnês internacionais no currículo e começou a tocar aos 18 anos e em 2005 criou a INNER multi.art: festival que reúne mais de 100 artistas e cerca de 4 mil pessoas em um ambiente que mistura arte, cultura e música. Do sucesso dessa festa, em 2011 abriu a INNER entreprises, plataforma de eventos que conecta pessoas, artistas e marcas. O projeto conta com festas como a Sábado Dre Tarde, na qual ele toca em um determinado lugar por 7 horas até o pôr do sol, além do Réveillon AWE em Caraíva, Chocolate, Groovelicious, Grill e LEEDS. Sua empresa ainda se dedica à arte com a INNER Gallery e iniciativas voltadas para a yoga e a meditação, yoga escapes, high prana e rooftop yoga.

Bixiga70

Formada em 2010, a big band de São Paulo lança seu terceiro álbum, que como nos dois anteriores responde apenas por “Bixiga 70”. Não-título, senso de continuidade, para enfatizar que não se trata de uma criação a cada ponto, mas uma linha constante de criação e evolução – conceitual, artística, musical, espiritual, pessoal, dos dez músicos que formam a banda. Dez músicos em suas identidades pessoais, dentro de um coletivo que engloba jazz, funk e música afrobrasileira, a partir de uma gama de fortes influências que passa por dub e reggae, cumbia e carimbó, ethio-jazz e samba-jazz.

Aula-show Erick Jacquin

Pocket show Trilha Transforma

Aula-show Rodrigo Oliveira

Lov.Trio

Três violinistas dedicadas a misturar música erudita e pop. O LOv.Trio, formado por Thais Moraes, Fernanda Garcia e Jéssica Karoline, faz releituras particulares para sucessos de Coldplay, Michael Jackson, Calvin Harris, Bruno Mars, Calvin Harris, Ed Sheeran e uma versão rock and roll para um clássico de Vivaldi. O trio se prepara para a gravação do seu primeiro CD, que será disponibilizado nas principais plataformas do Brasil.

Show Hermeto Pascoal

Conhecido como “o bruxo” ou “o mago”, o alagoano Hermeto Pascoal é considerado por boa parte dos músicos como um dos maiores gênios em atividade na música mundial. Em 2018, completa 82 anos e continua a dançar e saltar no palco como um menino. Poli-instrumentista, é famoso por sua capacidade de extrair música boa de qualquer coisa, desde chaleiras e brinquedos de plástico até a fala das pessoas. Junte-se aí teclado, piano, flauta-baixo, escaleta, sanfona 8 baixos, berrante e uma infinidade de instrumentos que toca ao lado de seu lendário grupo, formação que mantém desde os anos 1970. Ao longo de sua carreira, já lançou mais de 35 discos e participou de incontáveis gravações.

Museu da Imigração oferece programação infantil nas férias

De 3 a 31, o espaço “Mundo de Brincar”, visitas temáticas e contação de histórias animam o período

(mais…)

Museu da Imigração recebe segunda edição da feira “Comida de Herança”

Nos dias 16 e 17 de março, evento apresentará a pluralidade gastronômica de São Paulo e do Brasil

(mais…)

Museu do Café inaugura exposição sobre modos de preparo da bebida

A partir do dia 30 de novembro, visitantes poderão conhecer diversas maneiras de fazer café (mais…)

Museu do Futebol entra em ritmo de férias!

Programa Férias no Museu será de 26 de dezembro a 27 de janeiro com atrações gratuitas para toda a família (mais…)

Museu do Futebol realiza evento de capacitação para Guias de Turismo

Evento gratuito no dia 27 de fevereiro capacitará profissionais da área a realizar visitas ao Museu, localizado no Estádio do Pacaembu (mais…)

Museu do Futebol sedia o Festival de Cinema de Futebol

Em dezembro, Encontro de Colecionadores de Camisas de Futebol também faz parte da programação cultural gratuita (mais…)

Museu do Futebol tem programação especial para bebês e crianças

Espaço Dente de Leite, apresentação artística da Cia Rebrincando e Oficina de Sons e Instrumentos animam o final de semana de 17 e 18 de fevereiro

(mais…)

Museus do Governo de São Paulo anunciam programação da ação “Sonhar o Mundo”

De 4 a 10 de dezembro, instituições promovem debates, oficinas, palestras e apresentações sobre o tema “Solidariedade Derrubando Muros” (mais…)

Música no MCB traz os “Cronistas da cidade” de Dani Mattos & Toque de Bambas

As canções de Adoniran Barbosa e Paulo Vanzolini fazem parte do repertório do show “Cronistas da Cidade” de Dani Mattos & Toque de Bambas. A apresentação será no Museu da Casa Brasileira, no dia 11 de novembro, domingo, às 11h, com entrada gratuita.

O grupo Dani Mattos & Toque de Bambas é formado por Tito Longo (direção musical e cavaquinho), Marcelo Monserat (violão), Koka Pereira (percussão) e Marcos Brito (voz e baixo) e também conta com participações especiais de Iuri Salvagnini e Edu Batata. A concepção artística e musical é realizada por Dani Mattos. Na apresentação no MCB, o conjunto levará para o palco a poesia de Paulo Vanzolini em músicas como “José” e “Praça Clovis” e criações de Adoniran Barbosa, como “Samba no Bixiga” e “Apaga o fogo, Mané”.

O grupo já se apresentou com o show ‘Cronistas da Cidade’ no Circuito Cultural Paulista, no qual também foi um dos contemplados pelo ProArt para Oficinas dos CÉUS. Em 2016, se apresentaram no Teatro MuBE Nova Cultural e na Virada Cultural, dentro do programa “Memória Viva”, e no aniversário da cidade de São Paulo em 2017, na Casa Mario de Andrade, dentro do projeto Memórias da Barra Funda. Neste ano, realizaram o espetáculo na Casa Museu Ema Klabin, no CEU Jaguaré e no centro de estudos A Casa Tombada.

Visite

No Dia da Independência do Brasil, SP inicia restauro do Museu do Ipiranga

As obras de restauro e ampliação serão feitas para que o espaço seja reaberto em 2022, ano do bicentenário da Independência

(mais…)

No Museu do Café, Natal é celebrado com música e workshop gastronômico

Programação gratuita para toda a família acontece nos dias 9 e 14 de dezembro (mais…)

Nova exposição conta a trajetória feminina no esporte no Museu do Futebol

Patrocinada pelo Itaú Unibanco, mostra temporária abre para o público em 28 de maio, às vésperas do Mundial de Futebol Feminino

(mais…)

Novo Theatro São Pedro: 365 Dias de Arte em 2020

Com temporada maior e mais acessível, Theatro São Pedro terá programação mais ativa e diversa, com portas abertas o ano todo. Na área musical, ao longo de 2020 serão apresentadas produções inéditas de West Side Story, de Bernstein, Porgy & Bess, de Gershwin, Ariadne em Naxos, de Strauss, e Capuletos e Montéquios, de Bellini; além da série sinfônica que comemora os 10 anos da Orquestra do Theatro São Pedro, e da programação de música de câmara dedicada aos 250 anos de nascimento de Beethoven. Editais de chamamento público vão abrir as portas para artistas, produtores e instituições culturais de diferentes áreas no programa de Ocupação Artística do Theatro São Pedro

(mais…)

Núcleo Luz abre inscrições para projeto de dança

Tem experiência em alguma vivência corporal e quer começar a dançar? O Núcleo Luz está com inscrições abertas para o Ciclo I, destinado a jovens de 14 a 19 anos. A participação é gratuita e o projeto oferece bolsa-auxílio de R$ 100,00 e auxílio-transporte mensais, além de alimentação diária. O edital de abertura e o formulário de inscrição estão AQUI

Além de ter alguma vivência na prática corporal – seja na área da dança, capoeira, esporte, teatro, circo entre outros –, o candidato deve morar em São Paulo, ter renda familiar mensal de até um salário mínimo por pessoa e disponibilidade para aulas de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h, na Sede do Núcleo Luz, no Bom Retiro. Os candidatos inscritos serão avaliados com base nos requisitos e aqueles que estiverem de acordo serão convocados para o processo seletivo. Esta etapa é presencial e os jovens farão alguns testes práticos em grupo entre os dias 29 de janeiro e 1º de fevereiro. A divulgação da lista de aprovados será dia 8 de fevereiro e o início das aulas dia 11 de março. 

SOBRE O NÚCLEO LUZ

Transformar a vida dos jovens por meio da dança e da arte é um dos principais objetivos do Núcleo Luz. Criado em 2007, o projeto faz parte do Programa Fábricas de Cultura, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis. Destinado a jovens de famílias de baixa de renda, o Núcleo Luz promove iniciação e aperfeiçoamento na linguagem da dança, além de oferecer atividades complementares que ampliam o repertório e a formação dos aprendizes que participam do projeto. 

Palhaços divertiram o público da Avenida Paulista no último domingo

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo realizou neste domingo (17), na Avenida Paulista, o Cultura Livre SP – Edição Clown. Durante toda a manhã o público  teve a oportunidade de conferir diversos números circenses, malabarismos, interagir com palhaços de diferentes idades e até mesmo se fantasiar com pinturas faciais.

 

 

O Cultura Livre SP reuniu oito mini palcos espalhados pela avenida, na altura da Rua Pamplona, com atrações gratuitas e participação dos grupos como Alegre e Clown Maravilha, as trupes Pipoca Doce e Mega, integrantes do Circo Stankowich, além da velha guarda de palhaços.

Para Chumbrega do Circo Stankowich, palhaço há 54 anos, o evento foi uma grande oportunidade de aproximar o público do personagem. “Principalmente as crianças, que muitas vezes se assustam com a figura do palhaço. É um ótimo lugar para permitir que elas tenham contato direto com a nossa imagem”, afirmou.

 

 

Foi uma oportunidade também para os palhaços novatos. Costelinha é palhaça há 17 anos e aprovou a interação com a velha guarda. “Nunca tinha visto esse encontro dos novos com a velha guarda. Foi muito divertido, nem vimos a hora passar”, declarou.

 

Fotos: Joca Duarte

Paulistas comemoram o Aniversário de São Paulo nos museus da cidade

Secretário Sérgio Sá Leitão prestigiou a programação; público conta como aproveitou a data (mais…)

Penúltimo fim de semana de #FestivaldeInverno tem homenagens, trilhas sonoras e a voz de Lenine

Secretário Sérgio Sá Leitão entrega Ordem do Ipiranga – grau comendador – a Arnaldo Cohen; Projeto Guri faz repertório de filmes e séries; Orquestra Jazz Sinfônica e Lenine lotam a Praça do Capivari; confira os destaques

(mais…)

Pinacoteca de São Paulo apresenta retrospectiva de Emmanuel Nassar

Mostra exibe mais de 100 obras produzidas pelo artista em quatro décadas

Desde 14 de abril, a Pinacoteca Estação recebe a retrospectiva do artista paraense Emmanuel Nassar (Capanema, PA, 1949). Com patrocínio de Credit Suisse, Emmanuel Nassar: 81-18 abre o calendário de exposições do prédio, que é da Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado.

 

Gran Circo Goiano (foto: Divulgação)

Com sua produção, Nassar provoca reflexões sobre o “erudito” e o “popular”. Suas pinturas e objetos estão marcados por interações aparentemente banais: das logomarcas pintadas em fachadas de rua à geometria rigorosa que remete ao concretismo brasileiro; da pintura popular do circo e do parque de diversões que circula o país à ironia da arte-pop americana. Além disso, o uso de símbolos como a bandeira nacional, a logomarca da Coca-Cola e a referência à Hollywood estão também presentes sem hierarquias, mas apresentadas com um senso de humor irônico.

“O trabalho de Emmanuel Nassar é muito potente. Fez com que a crítica do sudeste repensasse a noção idealizada que existia do pintor dito ingênuo”, explica o curador Pedro Nery.

A mostra apresenta quatro décadas de produção, reunindo trabalhos conectados por temas que são recorrentes ao longo desse período. Serão abordadas questões sobre identidade, a pop-arte ou a iconografia circense. Serão mais de cem trabalhos, entre eles Receptor, de 1981, o mais antigo presente na retrospectiva e que marca uma guinada em sua produção artística. Também Fachada, obra do acervo da Pinacoteca que representa em escala real o pórtico de um circo de rua e que foi feita para servir de entrada para a sala do artista na Bienal de 1989.

Vale lembrar que esta individual dá continuidade ao programa de exposições que pretende realizar uma revisão da carreira de artistas que iniciaram suas trajetórias na década de 1980 e construíram um percurso destacado no contexto da arte contemporânea brasileira.

O que há de mais perene no conjunto da obra de Nassar é, possivelmente, a ambiguidade de dois mundos brasileiros, um informal das ruas e da experiência mundana em contraste com a formalidade geométrica e utópica”, completa Nery.

A Pinacoteca prepara um catálogo que reunirá dois textos inéditos escritos pelos autores Pedro Nery e Thierry Dufrêne, historiador da arte. O livro trará ainda reproduções das obras expostas.

EN: 81-18” permanece em cartaz até 02 de julho de 2018, no quarto andar da Pina Estação – Largo General Osório, 66. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00 – e entrada gratuita. A Pina Estação fica próxima à estação Luz da CPTM.

Prata da casa é reconhecida pelo Programa Prelúdio!

15 alunos da EMESP – Escola de Música do Estado de São Paulo Tom Jobim e do Conservatório de Tatuí estão entre os 48 selecionados pelo Programa Prelúdio da TV Cultura, voltado a jovens instrumentistas de até 25 anos e cantores de até 28 anos (veja aqui). Este é o único programa da televisão brasileira no formato show de calouros de música clássica. O prêmio final é uma bolsa de estudos de três anos na Academia Franz Liszt, em Budapeste, na Hungria, oferecida pela Embaixada da Hungria.

São eles:

Daniel Ribeiro Rodrigues – aluno da EMESP Tom Jobim em Livre Prática de Orquestra Jovem; toca violino. É músico da Orquestra Jovem de São Paulo e da Orquestra Experimental de Repertório. Frequentou o Projeto Guri – Polo Perus.

Erick Venditte – aluno da EMESP Tom Jobim no 3o. Ciclo de Formação e Livre Prática de Orquestra Jovem; toca trompete. Atua na Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e venceu o II Concurso Latino-Americano de Trompete – Eric Aubier, categoria juvenil.

Gustavo Ananias – aluno da EMESP Tom Jobim em Livre Prática de Orquestra Jovem e Banda Jovem; toca clarinete. Integrante da Orquestra Filarmônica Jovem de Piracicaba e vencedor do 14º Prêmio Nabor Pires Camargo.

Gustavo Surian – aluno da EMESP Tom Jobim no 4o. Ciclo de Especialização, Prática Instrumental Avançada e Livre Prática de Orquestra Jovem; toca bateria. Integrante do Grupo de Percussão do Instituto de Artes da UNESP e premiado como Jovem Solista da Orquestra Sinfônica Jovem da Fundação das Artes de SCS

Ingrid Uemura – aluna da EMESP Tom Jobim no 2º. ciclo do Curso de Formação; toca piano. 2º. Lugar/3º. turno no 1º Concurso Nacional de Piano da Escola de Música Villa-Lobos e 3º lugar/4º. turno no 26º Concurso Nacional Souza Lima.

Jean Medeiros – aluno da EMESP Tom Jobim em Livre Prática de Orquestra Jovem; toca flauta transversal.  É ex-aluno do Conservatório de Tatuí.

Lucas Martins – aluno da EMESP Tom Jobim em Livre Prática de Orquestra Jovem e Banda Jovem; toca flauta transversal. É primeira flauta na Orquestra Jovem do Theatro São Pedro.

Lucca Pires – aluno da EMESP Tom Jobim no 2º. Ciclo de Formação da EMESP; toca piano erudito. Menção Honrosa/4º.turno no Concurso Nacional Souza Lima e 2º. Lugar no 36º. Concurso Latino-Americano de Piano Rosa Mística.

Ludmilla Thompson – aluna da EMESP Tom Jobim no 4º. Ciclo do Curso de Especialização da EMESP em música antiga; canta música barroca. É soprano no Coral Jovem do Estado de São Paulo.

Marcelo Vilarta – aluno da EMESP Tom Jobim no 3º. Ciclo do Curso de Formação;  toca oboé. Integra a Orquestra Experimental de Repertório (OER).

Phillips Thor – Ex-aluno da EMESP Tom Jobim; toca eufônio. Iniciou seus estudos no Programa Guri/Polo CEU Curuçá, onde também integrou a Banda Infanto-Juvenil. Toca na Banda Sinfônica Jovem do Estado.

Ramon Diego – Ex-aluno do curso de trompete do Conservatório de Tatuí, onde atuou como solista na Orquestra Sinfônica e Orquestra Sinfônica Jovem. É um dos seis integrantes do Grupo BR Brass.

Rodrigo Cleto –  aluno da EMESP Tom Jobim em Livre Prática de Orquestra Jovem – Banda Jovem; toca marimba. É músico da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo.

Vitor Constantino – aluno da EMESP Tom Jobim no Curso de Formação 3º. Ciclo; toca flauta transversal.

Yuri Grohmann – Ex-aluno da EMESP Tom Jobim; toca trompete. Integra o Quinteto de Metais da Orquestra de Sopros Paulista (OSP) e é trompetista na Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos.

Tanto a EMESP Tom Jobim quanto o Conservatório de Tatuí são voltados à formação erudita e popular. Com mais de 20 anos de atuação, a EMESP Tom Jobim está localizada na capital do estado, no bairro da Luz.  Já o Conservatório de Tatuí está a 130 km da capital paulista e tem mais de 60 anos de existência.  

Prédio da Secretaria abriga novo espaço cultural no Centro de São Paulo

Com a exposição fotográfica “Patrimônio Documentado”, aberta no dia 17 de outubro, a Secretaria da Cultura do Estado inaugurou o novo espaço Estação Cultura, na sua sede, no bairro da Luz. Com a iniciativa – que possibilita o acesso do público pela entrada principal do prédio –, a intenção do secretário José Luiz Penna é aproximar ainda mais a instituição do público.

A exposição possui quatro módulos (“Patrimônio da metrópole paulistana”, “Litoral e Vale do Paraíba”, “A caminho do Oeste” e “Patrimônio escolar: uma saga republicana”), com fotos de Iatã Cannabrava. “Patrimônio Documentado” foi desenvolvida pelo Museu da Casa Brasileira em parceria com os museus Afro Brasil, Pinacoteca e Catavento.

“A entrada principal da Secretaria estava fechada. Ao criarmos esse espaço cultural, abrirmos as portas e integramos o prédio à programação cultural da cidade, com uma programação gratuita no Centro, no bairro da Luz”, afirma Penna.

Antes da abertura da exposição, a Secretaria promoveu a palestra “Patrimônio cultural: o que é preciso saber para preservar”, ministrada pela Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico; e uma apresentação de roda de samba rural paulista com a comunidade do Samba de Bumbo, do município de Pirapora do Bom Jesus. O samba rural paulista é o primeiro registro de patrimônio imaterial reconhecido pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat).

SERVIÇO:

O que: Exposição fotográfica “Patrimônio Documentado”
Onde: Rua Mauá, 51, bairro da Luz (sede da Secretaria da Cultura do Estado)
Quando: Visitação da exposição: de 2ª à 6ª, das 10h às 17h
Quanto: Entrada franca

 

Prédio da Secretaria abriga novo espaço cultural no Centro de São Paulo

Com a exposição fotográfica “Patrimônio Documentado”, aberta no dia 17 de outubro, a Secretaria da Cultura do Estado inaugurou o novo espaço Estação Cultura, na sua sede, no bairro da Luz. Com a iniciativa – que possibilita o acesso do público pela entrada principal do prédio –, a intenção do secretário José Luiz Penna é aproximar ainda mais a instituição do público.

A exposição possui quatro módulos (“Patrimônio da metrópole paulistana”, “Litoral e Vale do Paraíba”, “A caminho do Oeste” e “Patrimônio escolar: uma saga republicana”), com fotos de Iatã Cannabrava.  “Patrimônio Documentado” foi desenvolvida pelo Museu da Casa Brasileira em parceria com os museus Afro Brasil, Pinacoteca e Catavento.

“A entrada principal da Secretaria estava fechada. Ao criarmos esse espaço cultural, abrirmos as portas e integramos o prédio à programação cultural da cidade, com uma programação gratuita no Centro, no bairro da Luz”, afirma Penna.

Antes da abertura da exposição, a Secretaria promoveu a palestra “Patrimônio cultural: o que é preciso saber para preservar”, ministrada pela Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico; e uma apresentação de roda de samba rural paulista com a comunidade do Samba de Bumbo, do município de Pirapora do Bom Jesus. O samba rural paulista é o primeiro registro de patrimônio imaterial reconhecido pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat).

Fotos: Joca Duarte

SERVIÇO:

O que: Exposição fotográfica “Patrimônio Documentado”
Onde: Rua Mauá, 51, bairro da Luz (sede da Secretaria da Cultura do Estado)
Quando: Visitação da exposição: de 2ª à 6ª, das 10h às 17h
Quanto: Entrada franca

 

Prêmio São Paulo de Literatura anuncia vencedores nessa segunda-feira

Cerimônia acontece na Biblioteca Parque Villa-Lobos

(mais…)

Programação de férias: museus e bibliotecas oferecem atrações para as crianças

Oficinas de robótica, apresentação de filmes, brincadeiras e espetáculos fazem parte das atividades. (mais…)

Programação do Mês das Bruxas aterroriza as Fábricas de Cultura

Entre ‘Semana macabra’, ‘Baile do terror’, ‘Sarau do medo’ e ‘Oficinas de contos de terror’, as Fábricas de Cultura da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Organização Social Poiesis, prometem deixar todo mundo morrendo de medo durante o mês das bruxas. Um dos destaques da programção especial  acontece no dia 28 de outubro, sábado: o 4° Baile de Terror, das 19h às 21h, na Fábrica de Cultura Capão Redondo. O tema da festa será “pesadelo”, então prepare-se para levar muitos sustos! O baile é aberto para todos que queiram dançar e colocar o seu personagem interior para fora.

Outro evento horripilante será o Sarauloween, no dia 27 de outubro, sexta-feira, na Fábrica de Cultura Brasilândia. Das 14h às 17h, a equipe da biblioteca contará histórias de terror, acompanhadas de música e monstros. O microfone estará aberto, então qualquer um pode participar como quiser.

 

E a programação não para por aí. A Fábrica de Cultura Jaçanã apresenta a Semana Macabra, com campeonato de Monstrofobia – jogo de cartas com monstros e assombrações; Sarau do Medo – encontro com histórias de terror e lendas; Contação de história com lenda e folclore brasileiro e Oficina de Microcontos de Terror.

 

Confira a programação completa:

 

Fábrica de Cultura do Capão Redondo

4° Baile de Terror – Pesadelo

Sábado, 28 de outubro, das 19h às 21h

 

Fábrica de Cultura Jaçanã

SEMANA MACABRA

Leitura “O Livro da Confusão do Brasil”

com Willians Matos e equipe da biblioteca  | 18/10 – 10h às 12h
A partir da leitura do livro de Ilan Brenman, O Livro da Confusão Brasil, as crianças serão desafiadas a adivinhar o resultado da fusão das mais estranhas criaturas folclóricas, em uma divertida brincadeira. Durante a leitura, as crianças irão conhecer criaturas pouco difundidas no bestiário paulistano, como o Mapinguari, a Pisadeira, o Quibungo, entre outros.

 

Oficina de Microcontos de Terror

Com Willians Matos e equipe da biblioteca | 19/10 – 15h às 17h
A partir de uma exposição sobre o que caracteriza, em termos de narrativa, um conto e um microconto, e sobre as modalidades narrativas atuais de compartilhamento de histórias de terror, como fics, creepypastas e fakenews, será proposta uma oficina que irão compor pequenos zines individuais.

 

2º Campeonato de Monstrofobia

Com Willians Matos e equipe da biblioteca | 17/10 – 15h às 17h
Monstrofobia é um jogo de cartas desenvolvido pela biblioteca com monstros e assombrações presentes no folclore nacional, baseado nos livros “Dicionário do Folclore Brasileiro”, e “Geografia dos Mitos Brasileiros”, ambos de Luís da Câmara Cascudo. O jogo, além de ampliar o repertório de monstros nacionais dos jogadores, também desenvolve algumas habilidades matemáticas simples, relacionadas à adição e subtração.

 

2º Sarau do Medo

Com Willians Matos e equipe da biblioteca | 18/10 – 15h às 17h
O Sarau do Medo é um grande encontro onde todos podem contar suas histórias de terror, lendas que já ouviu, acontecimentos sinistros que presenciou, contos que escreveu, dar sustos, enfim, é uma grande ode ao medo! As falas serão entrecortadas por apresentações musicais – sambas baseados nos cordéis de Moreira de Acopiara, no livro ‘Medo? Eu, hem?’.

 

Sarau das Bruxas

28/10 – 17h às 19h
Noite cheia de mistérios, contos, músicas e poesias de arrepiar! O evento contará também com a contribuição especial do cantor mirim Yago Iha, participante do programa “The Voice Kids”.

 

Fábrica de Cultura Brasilândia

Sarauloween
27/10 – 14h às 17h
Histórias de terror, contos horripilantes, monstros à solta e muita música. Venha participar desta edição especial do Sarau em homenagem ao Halloween.

 

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Festa Remonta o Baile – Halloween

28/10 – 16h às 20h
Celebre, dance, cante, divirta-se, encontre e conheça pessoas na festa a fantasia “Remonta o baile”. Todo mês com um tema diferente, o evento realizado por ex-aprendizes, traz em outubro, a temática Dia das Bruxas.

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508

 

Fábrica de Cultura Jaçanã

Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

 

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Programação especial na #CulturaSP sobre a Consciência Negra

Museu Afro Brasil tem entrada gratuita até 20/11 e programação com música, literatura e contação de histórias (mais…)

Projeto Guri abre inscrições para polos da Capital e Grande São Paulo

Até 24 de julho, crianças e adolescentes de 6 a 18 anos podem se matricular em 46 polos do programa localizadas na capital e região metropolitana; não é necessário ter conhecimento prévio de música, e basta estar matriculado em uma escola regular

(mais…)

Projeto Guri está integralmente assegurado

Governo anuncia descontingenciamento de R$ 20,7 milhões para priorizar o programa

(mais…)

Projeto Guri na capital e Grande S. Paulo abre inscrições para 2019

Até 31 de janeiro, crianças e adolescentes podem ser matriculados; aulas começam dia 4 de fevereiro

(mais…)

Projeto Guri oferece 6 mil vagas no interior e litoral de São Paulo

Inscrições para cursos gratuitos de música serão realizadas de 05 a 23 de agosto (mais…)

Projeto Guri oferece mais de 5 mil vagas para cursos de música no interior e litoral paulista

Inscrições abertas entre os dias 28 de janeiro e 22 de fevereiro


          Alunos do Polo Regional Presidente Prudente | Créditos: Gustavo Morita

Maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Projeto Guri está com novo período de matrículas aberto. São 5.127 vagas disponíveis no interior e litoral de São Paulo para crianças e adolescentes na faixa etária entre 6 e 18 anos. As inscrições serão realizadas entre os dias 28 de janeiro e 22 de fevereiro.

O programa, que atende mais de 49 mil alunos por ano, possui centros de educação musical nas regiões de Araçatuba, Itapeva, Jundiaí, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São Carlos, São José dos Campos, São José do Rio Preto, Sorocaba e litoral paulista.

Interessados devem comparecer no polo em que desejam estudar, acompanhados pelos responsáveis, portando os seguintes documentos: certidão de nascimento ou RG (original e cópia); comprovante de matrícula escolar e/ou declaração de frequência escolar referente ao primeiro semestre de 2019; RG do responsável (original e cópia) e comprovante de endereço para consulta.

Para fazer parte do Projeto Guri não é necessário ter conhecimento prévio de música, nem possuir instrumento ou realizar testes seletivos. O início das aulas ocorre de acordo com a data de matrícula de cada aluno.

Para mais informações, acesse www.projetoguri.org.br/matriculas.

Confira a lista completa dos polos com vagas abertas nas regionais do Projeto Guri:

Regional Araçatuba

São 390 vagas disponíveis nos polos: Alto Alegre, Andradina, Avanhandava, Birigui, Castilho, Clementina, General Salgado, Guaraçaí, Ilha Solteira, Jales, Luiziânia, Regional Araçatuba, Sud Mennucci e Valparaíso.

Regional Itapeva

São 326 vagas disponíveis nos polos: Barra do Chapéu, Bom Sucesso de Itararé, Capão Bonito, Itaberá, Piraju, Regional Itapeva, Ribeirão Grande, Riversul, Sarutaiá, Taquarituba e Taquarivaí.

Regional Jundiaí

São 642 vagas disponíveis nos polos: Aguaí, Aguas de Lindoia – Prefeitura, Atibaia, Bragança Paulista, Cabreuva, Campinas – AEDHA, Polo Elias Fausto, Espírito Santo do Pinhal, Estiva Gerbi, Indaiatuba, Iracemápolis, Monte Mor, Pedreira, Piracicaba, Rafard – Prefeitura, Regional Jundiaí, Santa Barbara D’Oeste, Santo Antônio de Posse, Santo Antônio do Jardim e Sumaré.

Regional Marília

São 392 vagas disponíveis nos polos: Arco Íris, Assis, Bauru, Echaporã, Ibirarema, Ourinhos, Palmital, Parapuã, Promissão, Quatá, Ribeirão do Sul, Sabino, Salto Grande, Tupã e Vera Cruz.

Regional Presidente Prudente

São 897 vagas disponíveis nos polos: Adamantina, Álvares Machado, Caiabu, Dracena, Emilianópolis, João Ramalho, Lar Francisco Franco – Rancharia, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Nantes, Narandiba, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Pirapozinho, Presidente Bernardes, Presidente Venceslau, Regente Feijó, Regional Presidente Prudente, Rosana, Sandovalina, Santo Expedito, Taciba, Teodoro Sampaio/Pontal do Paranapanema e Tupi Paulista.

Regional Ribeirão Preto      

São 523 vagas disponíveis nos polos: Acif Franca, Altinópólis, Batatais, Cajuru, Cândido Rodrigues, Dumont, Guará, Igarapava, IORM – Guaíra, IORM – Ipuã, Jaborandi, Jaboticabal, Miguelópolis, Monte Azul Paulista, Regional Ribeirão Preto, São Joaquim da Barra, São Simão, Sertãozinho, Taquaritinga e Viradouro.

Regional São Carlos

São 693 vagas disponíveis nos polos: Araraquara, Boa Esperança do Sul, Caconde, Cordeirópolis, Dois Córregos, Ibitinga, Nova Europa, Pederneiras, Porto Ferreira, Regional Jaú, São Carlos, Rincão, Rio Claro, Santa Gertrudes, Santa Maria da Serra, São José do Rio Pardo, Tambaú, Tapiratiba e Vargem Grande do Sul.

Regional São José do Rio Preto

São 650 vagas disponíveis nos polos: Altair, Bálsamo, Barretos, Cosmorama, Fernandópolis, Ibirá, Ipiguá, José Bonifácio, Mirassol, Nova Granada, Novo Horizonte, Onda Verde, Palestina, Palmares Paulista, Paulo de Faria, Regional São José do Rio Preto, Riolândia, Santa Adélia, Severínia, Tanabi, Ubarana, Urupês e Votuporanga.

Regional São José dos Campos

São 492 vagas disponíveis nos polos: Aparecida, Caçapava, Cachoeira Paulista, Campos do Jordão, Distrito de Moreira César, FUNDACC – Caraguatatuba, Guaratinguetá, Ilhabela, Lagoinha, Paraibuna, Regional São José dos Campos, Roseira, São José dos Campos e Ubatuba – Prefeitura.

Regional São Paulo

São 354 vagas disponíveis nos polos: Itanhaém, Itariri, Miracatu, Mongaguá, Pedro de Toledo, Peruíbe, Regional Santos, Registro, Santos – Zona Noroeste e São Vicente.

Regional Sorocaba

São 1060 vagas disponíveis nos polos: Araçoiaba da Serra, Avaré, Botucatu, Capela do Alto, Conchas, Guareí, Ibiúna, Itapetininga, Itatinga, Itu, Mairinque, Piedade, Pilar do Sul, Porto Feliz, Regional Sorocaba, Salto, São Manuel, São Miguel Arcanjo, São Roque e Tietê.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro. 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria de Cultura que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral. 

Sobre a Amigos do Guri

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Amigos do Guri administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Projeto Guri oferece novos cursos de música para crianças e adolescentes

O Projeto Guri, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, se prepara para receber matriculas em mais de 30 novas turmas de cursos gratuitos de música para crianças e adolescentes de 6 a 18 anos. De 18 a 29/6, o público poderá se inscrever em mais de 9 mil vagas para cursos gratuitos em mais de 280 polos de ensino no interior e litoral do Estado.

Há cursos de educação musical nas modalidades de: canto coral, iniciação musical, lutheria, instrumentos de cordas dedilhadas e friccionadas, sopros, teclados e percussão. Além das aulas, os estudantes participam de apresentações e outras atividades socioeducativas e culturais. Não é preciso conhecimento prévio para se matricular, apenas se interessar por música.

Hoje, o Projeto Guri atende cerca de 35 mil estudantes em 336 polos situados em 279 municípios do Estado. Entre eles, há 58 polos em unidades da Fundação Casa, nos quais os internos podem se inscrever até os 21 anos. Os cursos oferecidos em cada unidade podem ser encontrados no site: www.projetoguri.org.br

“A educação musical tem objetivo não somente de promover a aquisição de habilidades e conhecimentos necessários à formação de músicos profissionais, mas de contribuir para o desenvolvimento integral do ser humano, em sua dimensão física, psicológica e social.”
Claudia Freixedas
Diretora educacional do Projeto Guri

“É importante que os alunos adquiram consciência e percebam o processo de construção dos conhecimentos adquiridos, de sua atuação em sala de aula, em relação aos seus colegas e em relação a sua própria vida, desenvolvendo a autonomia, o respeito e a cidadania”, enfatiza a diretora.

Não se tratam apenas de aulas de formação. O Guri promove também concursos, como o de composição musical, que teve inscrições abertas recentemente. Deborah Lobo, assessora de projetos especiais do Guri e responsável pela gestão da atividade, contou que a iniciativa quer, acima de tudo, instigar a elaboração e a autonomia dos alunos. “O objetivo é estimular a criação individual e coletiva dos Guris. A ideia é potencializar a ousadia e o exercício criativo”, ela explica.

Periodicamente, os alunos também participam de apresentações públicas e festivais de música. No Guri, as aulas acontecem no contra turno escolar. O único requisito para a inscrição é a comprovação de frequência regular na escola.

“Os repertórios dos grupos infantis e juvenis são desenvolvidos especificamente para cada grupo, respeitando-se sempre o nível técnico dos alunos e alunas que passaram na seleção para a temporada. Além de obras e arranjos do repertório tradicional e contemporâneo, são encomendadas peças e arranjos inéditos para todas as formações vocais e instrumentais. É uma maneira de fomentar a produção musical para os públicos infantil e juvenil, dando oportunidade para os alunos realizarem estreias de obras e trabalharem em parceria com os compositores e arranjadores.”
Giuliana Frozoni
Gestora pedagógica dos polos do Projeto Guri na capital

O ex-aluno de trombone, Vinícius Ioti Rossi, de 17 anos, é integrante do Grupo de Referência de Jundiaí e contou um pouco de sua experiência junto ao projeto. “O Guri me proporciona crescimento pessoal e musical, e o que eu mais gosto é de participar das apresentações musicais, interagir com os alunos. Gosto também dos encontros de bandas, entre outras coisas. No momento minha maior motivação é participar do GR, que nos dá essa experiência de tocar com uma orquestra. Futuramente, meus planos são fazer aula na Emesp e entrar para uma faculdade de música”.

 

Prorrogadas as inscrições do ProAC ICMS

As inscrições para o ProAC ICMS foram prorrogadas até o dia 30 de Novembro.

Foi estendido até 30 de novembro o prazo para cadastro de projetos interessados na captação de recursos via ProAC ICMS, uma das vertentes do programa de fomento à cultura do Governo do Estado de São Paulo. “Isso permitirá que os produtores culturais possam planejar melhor a captação de recursos para a realização dos projetos”, afirma Aldo Valentim, coordenador da Unidade de Fomento e Economia Criativa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Criado em 2006, o ProAC ICMS funciona por meio de patrocínios subsidiados pelo Estado: as empresas que concordam em patrocinar projetos aprovados recebem de volta o valor investido, na forma de isenção do ICMS devido.

As propostas devem ser inscritas no sistema de cadastramento disponível no site www.proac.sp.gov.br. Após inclusão no sistema, a Secretaria da Cultura do Estado realiza a análise de documentos e o projeto é avaliado pela Comissão de Análise de Projetos (CAP). Caso seja aprovado, o proponente é autorizado a captar recursos durante dois anos fiscais e executar o projeto, devendo, posteriormente, apresentar a prestação de contas.

Este ano, o Estado destinou R$ 100 milhões ao programa. Em 2017, 1431 propostas de linguagens como cinema, teatro, dança, circo, literatura e artes plásticas já foram aprovadas.

Acesse o link para solicitar o cadastramento: http://www.proac.sp.gov.br/proac_icms/sistema-de- cadastramento/

Revelando SP 2019 gerou impacto econômico de R$ 94,9 milhões em cinco dias

Estudo da FGV aponta que cada Real investido no evento devolveu R$ 26,8 para a economia; iniciativa criou 1.324 postos de trabalho

(mais…)

Rosana Paulino ganha retrospectiva na Pinacoteca

A Pinacoteca de São Paulo apresenta, a partir de 8 de dezembro, a exposição Rosana Paulino: A Costura da Memória, que ocupa três salas do 1º andar da Pina Luz. Com curadoria de Valéria Piccoli e Pedro Nery, curadores do museu, trata-se da maior exposição individual da artista em uma grande instituição no país. Reconhecida pelo enfrentamento de questões sociais que despontam da posição da mulher negra na sociedade contemporânea, a artista apresenta mais de 140 obras produzidas ao longo de vinte e cinco anos. A mostra encerra o ano dedicado às artistas mulheres na Pinacoteca.

Ao revolver o início de sua história pessoal, Rosana Paulino observa que o problema da representação dos negros traduz-se na sua quase ausência nos mais variados aspectos da vida dos brasileiros e na história, sobretudo na história das artes visuais. A artista surge no cenário artístico nos anos 1990 e se distingue, desde o início de sua prática, como voz única de sua própria geração, ao abordar de forma afiada temas socais, étnicos e de gênero. Questões perturbadoras no contexto da sociedade brasileira.

A produção de Paulino tem abordado situações decorrentes do racismo e dos estigmas deixados pela escravidão que circundam a condição da mulher negra na sociedade brasileira, bem como os diversos tipos de violência sofridos por esta população. A artista se vale de técnicas diversas – instalações, gravuras, desenhos, esculturas, etc – e as coloca a serviço do questionamento da visão colonialista da história que subsidia a (falsa) noção de democracia racial brasileira. Esses fundamentos embasaram o conhecimento científico e biológico dos povos e da natureza dos trópicos, contaminaram as narrativas religiosas até atingir o foro doméstico, servindo como eixo para a legitimação da supressão identitária dos africanos e africanas no Brasil.

A exposição Rosana Paulino: A Costura da Memória reúne obras produzidas entre 1993 e 2018, como Bastidores (1997) e Parede da memória (1994-2015), decisivas do início de sua carreira. Estas remontam à sua narrativa pessoal e se apresentam como ponto de partida do percurso expositivo. Situadas na sala principal, a primeira traz, como no título, uma série de suportes para bordar com figuras de mulheres de sua família impressas em tecido cujos olhos, bocas e gargantas estão costurados, indicando o emudecimento imposto às mulheres negras, muitas vezes fruto da violência doméstica.

Parede da memória, que pertence à coleção da Pinacoteca, é composta de 1500 “patuás“ – pequenas peças usadas como amuletos de proteção por religiões de matriz africana – que traz onze retratos de família que se multiplicam, uma forma natural da artista investigar a própria identidade a partir de seus ancestrais. Antigas fotos de família são então transformadas em uma poética e poderosa denúncia sobre a invisibilidade dos negros e negras, que não são percebidos como indivíduos mas como um grupo de anônimos. 

Na sala seguinte, estarão expostos vários conjuntos de desenhos, “um aspecto pouco abordado na obra de Rosana Paulino, mais conhecida pelas instalações e obras em gravura”, comenta a curadora Valéria Piccoli. Nesses desenhos, a artista revela sua fascinação pela ciência e, em especial, pela ideia da vida em eterna transformação. Os ciclos da vida de um inseto se aproximam nessas obras das mutações no corpo feminino, por exemplo. As séries de desenhos serão expostas junto da instalação Tecelãs (2003), composta de cerca de 100 peças em faiança, terracota, algodão e linha, que leva para o espaço tridimensional o tema da transformação da vida explorado nos desenhos.

A iconografia da natureza brasileira do século XIX – incluindo ilustrações científicas de plantas, animais e pessoas – também tem servido como fonte material para Paulino. Ao retrabalhar essas imagens, que circularam principalmente em livros de autoria de viajantes europeus, a artista investiga como a ciência, mas também a religião e as noções de progresso serviram como justificativa para a colonização, a escravidão e o racismo. Este interesse pode ser visto nas colagens feitas com impressões, gravuras e monotipias, A Geometria à brasileira chega ao paraíso tropical (2018) e Paraiso tropical (2017), que se encontram na terceira e última sala da exposição. 

Junto a elas está a instalação Assentamento (2013), composta de figuras em tamanho real de uma escravizada retratada por Ausgust Sthal para a expedição Thayer, comandada pelo cientista Louis Agassiz. Essas imagens monumentais impressas em tecido, material predominante na prática mais recente de Paulino, são acompanhadas de vídeos e fardos de mãos. Os tecidos, suturados de forma grosseira, denunciam o trauma da escravidão e a necessidade de “refazimento”, como estratégia de sobrevivência, destes homens e mulheres que aqui aportaram. O título da obra, que encerra a exposição, traz um duplo sentido: é tanto a fundação de uma cultura, de uma identidade , quanto a energia mágica que mantém o terreiro, segundo as religiões de raiz africana. “É onde se encontra a força da casa, seu ´axé´, finaliza a artista.

"A figura que deveria ser uma representação da degeneração racial a que o país estava submetido, segundo as teorias racistas da época, passa a ser a figura de fundação de um país, da cultura brasileira. Essa inversão me interessa."
Rosana Paulino

 

SOBRE ROSANA PAULINO

Nascida em São Paulo, em 1967, é Doutora em Artes Visuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – Eca/USP, é Especialista em Gravura pelo London Print Studio, de Londres e Bacharel em Gravura pela Eca/USP. Foi bolsista do programa da Fundação Ford nos anos de 2006 a 2008 e Capes, de 2008 a 2011. Em 2014 foi agraciada com a bolsa para residência no Bellagio Center, da Fundação Rockefeller, em Bellagio, Itália e em 2017 foi vencedora do dos Prêmio Bravo e ABCA – Associação Brasileira dos Críticos de Arte, na modalidade Arte contemporânea.    Possui obras em importantes museus tais como MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo; UNM – University of New Mexico Art Museum, New Mexico, USA e Museu Afro-Brasil – São Paulo. Tem participado ativamente de diversas exposições, tanto no Brasil como no exterior, das quais se destacam a individual Atlântico Vermelho, no Padrão dos Descobrimentos em Lisboa, Portugal (2017) Mulheres Negras – Obscure Beauté du Brésil. Espace Cultural Fort Grifoon à Besançon, França (2014); e participações nas exposições coletivas: South-South: Let me Begin Again. Goodman Gallery, Cidade do Cabo, África do Sul (2017); Territórios: Artistas Afrodescendentes no Acervo da Pinacoteca, Pinacoteca de São Paulo, SP (2015); Incorporations. Europália 2011, La Centrale Eletrique, Bruxelas, Bélgica; Roots and more: the journey of the spirits. Afrika Museum, Holanda (2009); IV Bienal do Mercosul, Rio Grande do Sul, RS; Côte à Côte – Art Contemporain du Brasil – Capcmusée d´Art Contemporain – Bordeaux, França.

 

onde fica?

Saiba quem são os vencedores do Prêmio Governador do Estado para a Cultura 2018!

Aconteceu na noite do dia 26/3 a cerimônia do Prêmio Governador do Estado para a Cultura 2018! Os finalistas concorreram em nove categorias: arte para crianças, artes visuais, cinema, circo, dança, música, teatro, territórios culturais e instituições culturais. 

Os vencedores escolhidos pelo júri especializado receberam, no total, R$ 580 mil em prêmios, o que faz da premiação uma das maiores do país no segmento cultural. Além da premiação em dinheiro, no valor individual de R$ 60 mil, os vencedores escolhidos tanto pelo júri quanto pelo voto popular receberam um troféu exclusivo confeccionado pela artista Edith Derdyk.

A votação popular foi realizada no site www.premiogovernador.sp.gov.br e contou com mais de 95,5 mil votos, 25% a mais que na edição anterior, que contabilizou 71,3 mil.

Quer saber quem foram os grandes vencedores da noite? Acompanhe a matéria:

Destaque Cultural

A categoria homenageou o gestor cultural Eduardo Saron. Mestre em Administração e gestor cultural há 16 anos, Saron é diretor superintendente do Instituto Itaú Cultural e diretor da Associação Nacional de Entidades Culturais Não Lucrativas (ANEC). É também conselheiro do Museu de Arte de São Paulo (MASP), da São Paulo Companhia de Dança e membro do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura, além de vice-presidente executivo da Fundação Bienal de São Paulo. O prêmio foi um reconhecimento à sua trajetória profissional e por sua contribuição para a democratização do acesso, incentivo, difusão e valorização da arte e da cultura. O troféu foi entregue pelo secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, que celebrou a escolha e destacou a importância do evento. “Estamos em um dia de festa, mas também de resistência. A cultura é fundamental para enfrentar, com uma onda de alegria e criatividade, a situação atual do país”, declarou Penna.

"A gente vem pontuando por muitos anos uma coisa que é importante e fundamental: a democratização do acesso à arte e cultura do Brasil."
Eduardo Saron
Gestor do Instituto Itaú Cultural

Arte para Crianças

Lizette Negreiros

Escolhida pelo júri. É responsável pela programação de teatro do Centro Cultural São Paulo, onde desenvolve projetos para o teatro infantojuvenil, recebe e coordena temporadas de grupos e artistas há mais de trinta anos. Foi presidente da Associação Paulista de Teatro para a infância e juventude – APTIJ, jurada de vários festivais de teatro e do Prêmio Femsa. No cinema, participou, entre outros, dos filmes “Eles não usam black-tie”, “Vera” e “A Hora da Estrela”.

Trupe Banana's

Escolhida por votação popular. O grupo foi fundado em 2010 na cidade de Atibaia, interior de São Paulo. Com foco no público infantil, o grupo busca levar diversão e reflexão não só para as crianças, mas também aos adultos que as acompanham. Os espetáculos da Trupe são interativos e dinâmicos, quebrando a barreira entre palco para levar cultura e risadas para todo o país e todas as classes sociais.

"Arte para crianças é o que a gente carrega, que transforma e que queremos que elas vivenciem."
Lizette Negreiros
Destaque na categoria "Arte para Crianças"

Artes Visuais

Tomoshige Kusuno

Escolhido pelo júri e pelo voto popular. Desenhista, pintor, artista visual, professor e gravador, foi parte do Núcleo de Arte de Vanguarda, em Tóquio, Japão, na década de 1950. Imigrou para o Brasil em 1960, onde trabalhou como orientador de atividades artísticas na Comunidade Yuba, além de participar ativamente de exposições que deram ao movimento artístico nacional e internacional condições de se desenvolverem. Já realizou 36 exposições individuais em diversos países e participou de diversas coletivas e salões.

Cinema

Cinemateca

Escolhida pelo júri. Criada em 1946, possui o maior acervo audiovisual da América do Sul e é responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira, além de documentação não fílmica da área, do acesso e da difusão deste acervo. Abriga 240 mil rolos de filme – cerca de 42 mil títulos – de obras de ficção, documentários, cinejornais, filmes publicitários e registros familiares produzidos desde 1913. O acervo não fílmico começou a ser constituído também em 1946 e reúne mais de um milhão de documentos.

Mostra Ecofalante de

Cinema Ambiental

Escolhida pelo voto popular. A Mostra é conhecida por fomentar discussões sobre os assuntos mais urgentes da atualidade, e promove exibições gratuitas em salas de cinema, espaços públicos, além de instituições culturais e de ensino. Desde sua primeira edição, em 2012, a Mostra Ecofalante e as atividades educativas da ONG já atingiram diretamente mais de 190 mil pessoas. Foram exibidos 424 filmes, de todos os continentes, em 26 cidades paulistas.

"Essa é maior mostra gratuita de cinema de São Paulo que, há 7 anos, promove o debate com a sociedade. No ano passado conquistamos um público de 77 mil pessoas."
Chico Guariba - representante da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
Destaque na categoria "Cinema"

Circo

Grupo La Mínima

Escolhido pelo júri. A companhia de circo e teatro foi fundada por Domingos Montagner e Fernando Sampaio em 1997. O circo e a arte do palhaço de picadeiro conduzem o trabalho do grupo com um repertório de 14 espetáculos, sendo o último “Pagliacci”, de 2017, em comemoração aos seus 20 anos de história. Ao longo de sua trajetória já passou pelos mais renomados festivais nacionais e internacionais, como Festival Paulista de Circo, Festival de Curitiba, Festival Mundial de Circo de Demain, Teatralia e Festclown, e recebeu alguns dos mais importantes prêmios da categoria.

Circo Escola de Diadema

Escolhido pelo voto popular. Fundado em 2008 por um grupo de artistas circenses, técnicos e arte educadores, atualmente é o carro chefe da Associação Cultural e Educacional Circense Tápias Voadores. O resultado do trabalho pode ser visto no atendimento a 1800 pessoas nas faixas etárias de três a 80 anos, garantindo a perpetuação da arte circense nas suas diversas modalidades, por meio das suas nuances e estética. O Circo Escola de Diadema é uma referência desde as suas estruturas, qualificação técnica e parcerias com o poder público, colaboradores e sociedade civil.

"O La Mínima tem o pé fincado na tradição - Stankovich e Circo dos Sonhos que estão aqui presentes - temos o maior respeito por todos. Estar aqui hoje só aumenta a nossa dívida com o Circo."
Fernando Sampaio - representante do Grupo La Mínima
Destaque na categoria "Circo"

Dança

Companhia de Danças de Diadema

Escolhido pelo júri. Criada em 1995 por Ivonice Satie, realiza espetáculos, oficinas, mostras e projetos de dança por todo o país. Desenvolve um programa que proporciona o acesso à linguagem da dança e das artes em geral, valorizando a inclusão cultural, incentivando a produção artística e fomentando o interesse de novas plateias, sempre com o apoio da Prefeitura do Município de Diadema e outros colaboradores. Os profissionais da Companhia, além de bailarinos, são também artistas orientadores, ministrando oficinas de danças de diversos estilos para os integrantes da comunidade local.

Cia. Discípulos do Ritmo

Escolhido pelo voto popular. A companhia de danças urbanas foi criada em 1999 pelo diretor por Frank Ejara e é o primeiro grupo brasileiro a trabalhar danças urbanas nas artes cênicas de forma híbrida e profissional. A intenção da companhia desde o princípio não foram os festivais competitivos e as batalhas de dança, mas a defesa das danças urbanas em prol das artes cênicas. A Cia. Discípulos do Ritmo tem em seu repertório espetáculos como “Tá Limpo”, “Fresta”, "Urbanóides 2.0", “O Som do Movimento”, “Caixa Preta” e “Lemniscata”.

"Essa trajetória não seria traçada sem a equipe que acompanha a Companhia, criada por Ivonice Satie, saudosa bailarina que teve uma ideia a frente do seu tempo."
Ana Bottosso - representante do Companhia de Danças de Diadema
Destaque na categoria "Dança"

Instituição Cultural

Instituto Alfa de Cultura

Única categoria eleita somente por voto popular. A instituição privada e sem fins lucrativos, que administra o Teatro Alfa, tem 20 anos de existência. O teatro foi pioneiro na oferta de espetáculos culturais diversificados e de alta qualidade. Além de produzir e receber espetáculos de dança, teatro infantil, música e teatro musical, o instituto desenvolve amplo trabalho com as escolas e ONGs do entorno. As crianças e jovens são convidados a assistir e participar de programas que visam aproximá-los das artes cênicas, tanto do ponto de vista técnico quanto artístico.

"Recebemos, ao longo desses anos, 3,5 milhões de pessoas em mais de 7,5 mil espetáculos. O prêmio é um incentivo para que continuemos desenvolvendo um trabalho de grande importância social para todos."
Fernando Guimarães - representante do Instituto Alfa de Cultura
Destaque na categoria "Instituição Cultural"

Música

Jonnata Doll &

Os Garotos Solventes

Escolhido pelo júri. Surgida em 2009 em Fortaleza e residindo em São Paulo, a banda traz uma música baseada na subcultura punk e na biografia dos excluídos, mostrando rock em estado bruto. Seja nos palcos pelo Brasil – ou mesmo no teatro ou nas telas de cinema – a performance do quinteto é intensa e visceral, de quem desnuda a alma. Jonnata Doll andrógino, canta, dança, cai, arrasta-se no palco. Suas letras são ecos de literatura beat e de filmes de terror, amores perdidos, misturados a uma biografia de excessos.

Thereza Alves

Escolhido pelo voto popular. Cresceu no bairro da Vila Rezende em Piracicaba e aprendeu a cantar junto da mãe, ouvindo os programas de rádio da Mayrink Veiga, Tupi e da Rádio Nacional. Com 15 anos, iniciou sua carreira artística na Rádio Difusora de Piracicaba, cantando em programas de calouro. Cantou na Rádio e TV Record de São Paulo, nos programas de Geraldo Blota e Iani Junior. Gravou o LP “Roda de Violeiros” em 1961 e um 78 rotações pela gravadora RCA Camden como prêmio musical da Rádio Bandeirantes. Apresentou-se ao lado de grandes nomes da música popular no Brasil e no exterior.

"Quero dedicar esse prêmio à galera que dorme no chão, às mulheres, ao movimento negro, ao movimento LGBT e a todo o rock 'n' roll de São Paulo, que ainda tem muito a dizer sobre as diferenças."
Jonnata - representante da banda Jonnata Doll & Os Garotos Solventes
Destaque na categoria "Música"

Teatro

Lenise Pinheiro

Fotógrafa paulistana especializada em teatro, vem retratando, desde 1983, o que há de mais expressivo nos palcos brasileiros. Já trabalhou para José Celso Martinez Corrêa, Antunes Filho, Daniela Thomas, Antônio Araújo, Fauzi Arap, Enrique Díaz, Mário Bortolotto, Deborah Colker, Marco Antonio Rodrigues, José Possi Neto, Miguel Falabella, Marco Antonio Braz, Gabriel Villela, Marcelo Drummond, Gerald Thomas e muitos outros. Em suas exposições, manteve o foco no teatro, participando ao todo de 38 mostras, sendo oito coletivas e 30 individuais.

Grupo Caixa Preta de Teatro

Fundado por Fernando Barbosa e Fabiano Muniz há 24 anos, o grupo produz atividades que potencializam e desenvolvem a educação e a cultura na Região do Vale do Ribeira, promovendo ações independentes de caráter sociocultural. O grupo já produziu cerca de 25 espetáculos e se apresentou por diversos estados do Brasil, tendo sido convidado em novembro de 2017 a produzir e dirigir o espetáculo “Romeu Ma Julieta – Uma Tragédia Crioula”, na cidade de Mindelo, Cabo Verde, para a abertura do 23º Mindelact – Festival Internacional de Teatro do Mindelo.

"Dei início aos meus trabalhos aqui, no Teatro Sérgio Cardoso. Receber um prêmio dessa magnitude faz com que nossos ânimos se renovem!"
Lenise Pinheiro
Destaque na categoria "Teatro"

Territórios Culturais

Coletivo Cultural Cenário Urbano

O grupo atua há 17 anos, realizando grandes e pequenos eventos, além de manifestações culturais como Consciência Negra e Aniversário do Bairro. Desde 2014 vem focando na reeducação ambiental, tendo a cultura como valorização do espaço. A grande mídia, prefeituras e até uma empresa de lixo urbano deram apoio, tendo visto no projeto um grande potencial de reunir famílias para falar de arte, de consciência ambiental e de como o lixo pode nos prejudicar. Os eventos realizados pelo Coletivo Cultural Cenário Urbano contam sempre com a participação de todos os presentes.

Hangar 110

Foi inaugurado em outubro de 1998, com o intuito de abrir espaço para o cenário artístico underground. Além de shows de música alternativa, o espaço sediou palestras, exposições de fotos e feiras de gravadoras independentes, entre outros eventos. O Hangar tornou-se uma referência do rock nacional e internacional – passaram por seu palco nomes como Ratos de Porão, Inocentes, Cólera, Titãs, Raimundos, CPM 22, NX Zero, Dead Fish, Marky Ramone, CJ Ramone e Ritchie Ramone, Shelter, Toy Dolls e New York Dolls. Foram mais de 9000 shows em 19 anos de atividades.

"Através do diálogo, o Cenário Urbano conseguiu fazer com que um ponto de lixo virasse espaço para a cultura, para a poesia, para o hip hop, para o graffitti, para a arte de rua."
Coletivo Cultural Cenário Urbano
Destaque na categoria "Territórios Culturais"

São Paulo Cia de Dança realiza apresentações gratuitas nas Fábricas de Cultura

A São Paulo Companhia de Dança, corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, realiza sete apresentações gratuitas no mês de abril e começo de maio nas Fábricas de Cultura das zonas norte e sul, gerenciadas pela Poiesis, e da zona leste, administradas pela Catavento Cultural e Educacional.

O programa conta com duas obras criadas especialmente para a São Paulo: o primeiro ato de Schumann ou Os Amores do Poeta (2018) – criado em parceria com a Santa Marcelina Cultura, gestora do Theatro São Pedro. Trata-se de um neoclássico que traz um recorte de canções do compositor alemão Robert Schumann, com coreografia de Cassi Abranches e Milton Coatti.  Suíte Bernstein (2018), de Erika Novachi e Edson Guiu, inspirada nas principais obras de Leonard Bernstein para a Broadway e, completa o repertório a remontagem de Fada do Amor (1993), um duo de Márcia Haydée.

As apresentações começam nas Fábricas de Cultura do Jardim São Luís (03/04) e Brasilândia (10/04), ambas às 15h. Na sequência, será a vez das unidades do Itaim Paulista (05/04), Parque Belém (12/04), Sapopemba (18/04), Cidade Tiradentes (25/04) e Vila Curuçá (03/05), todas às 14h30.

Os interessados em assistir aos espetáculos da São Paulo Companhia de Dança devem retirar os ingressos com uma hora de antecedência ao início do espetáculo na respectiva unidade do Programa Fábricas de Cultura.

Para mais informações, acesse: spcd.com.br

 

 

Serviço

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Data: 03 de abril – quarta-feira

Horário: às 15h

Local: R. Antônio Ramos Rosa, 651 – Jardim São Luís

Telefone: (11) 5510-5530

Entrada gratuita

 

Fábrica de Cultura Itaim Paulista

Data: 05 de abril – sexta-feira

Horário: às 14h30

Local: R. Estudantes da China, 500 – Itaim Paulista

Telefone: (11) 2025 -1991

Entrada gratuita

 

Fábrica de Cultura Brasilândia

Data: 10 de abril – quarta-feira

Horário: às 15h

Local: Av. Gen. Penha Brasil, 2508 – Vila Nova Cachoeirinha

Telefone: (11) 3859-2300

Entrada gratuita

 

Fábrica de Cultura  Parque Belém

Data: 12 de abril – sexta-feira

Horário: às 14h30

Local: Av. Celso Garcia, 2231 – Belenzinho

Telefone: (11) 2618 – 3447

Entrada gratuita

 

Fábrica de Cultura  Sapopemba

Data: 18 de abril – quinta-feira

Horário: às 14h30

Local: R. Augustin Luberti, 300 – Fazenda da Junta

Telefone: (11) 2012 – 5803

Entrada gratuita

 

Fábrica de Cultura  Cidade Tiradentes

Data: 25 de abril – quinta-feira

Horário: às 14h30

Local: R. Henriqueta Noguez Brieba, 281 – Conj. Habitacional Fazenda do Carmo

Telefone: (11) 2556 – 3624

Entrada gratuita

 

Fábrica de Cultura  Vila Curuçá

Data: 03 de maio – sexta-feira

Horário: às 14h30

Local: R. Pedra Dourada, 65 – Jardim Robru

Telefone: (11) 2016 – 3316

Entrada gratuita

 

Obras que serão apresentadas:

Schumann ou Os Amores do Poeta (2018) – 1º Ato

 

Concepção, dramaturgia, direção teatral e espaço cênico: William Pereira

Direção musical: Ricardo Ballestero

Coreógrafos: Cassi Abranches e Milton Coatti

Direção artístico-pedagógica da Santa Marcelina Cultura: Paulo Zuben

Direção artística da São Paulo Companhia de Dança: Inês Bogéa

Iluminação: Caetano Vilela

Figurinos: Acervo SPCD

 

Trata-se da primeira parte do espetáculo Schumann ou Os Amores do Poeta, que traz um recorte de canções do compositor alemão Robert Schumann, escritas em 1840. Este primeiro ato – um Neoclássico – contempla o ciclo completo de Os Amores do Poeta Op.48. Os textos destas 16 canções vêm do Lyrisches Intermezzo, ou o “Intermezzo lírico”, do poeta Heinrich Heine, escritos entre 1822 e 1823 e publicados como parte da obra Das Buch der Lieder.

 

Fada do Amor (1993)

 

Coreógrafa: Marcia Haydée
Música: La Nymphe de Diane, No 16 B, de Léo Delibes (1836-1891), solo de violino executado por Jean Baptiste Marie e Roger André

Iluminação: Nicolas Marchi

Figurino: Evandro Machado

 

O duo traduz a energia e o amor da fada pelo ser humano marcado por sua entrega e delicadeza. O pas de deux integra Dr. Coppélius, O Mago de Marcia Haydée, uma releitura de Coppélia. A magia desta obra nos leva a perceber a leveza da bailarina que cruza a cena nos braços do bailarino.

Suíte Bernstein (2018)

Coreógrafos: Erika Novachi e Edson Guiu
Música: Leonard Bernstein

Iluminação: Wagner Freire

Figurino: Balletto por Luciana Mantegazza

 

Inspirados nas principais obras de Leonard Bernstein para a Broadway, os coreógrafos Edson Guiu e Erika Novachi, criam coreografias que refletem as inquietudes do compositor, pianista e maestro, por meio de uma jornada pelos musicais West Side StoryFancy FreeOn the Town. Suíte Bernstein faz parte da obra Bernstein 100, que apresenta um pouco do que o compositor representou, da importância da sua obra erudita à defesa da transição entre os gêneros eruditos e populares e a sua atuação como maestro das principais orquestras do mundo.

 

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA

Direção Artística | Inês Bogéa

Criada em janeiro de 2008, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é um corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela Associação Pró-Dança e dirigida por Inês Bogéa, doutora em Artes, bailarina, documentarista e escritora. A São Paulo é uma Companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos XIX, XX e XXI de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas, especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada. Desde sua criação, já foi assistida por um público superior a 660 mil pessoas em 17 diferentes países, passando por mais 136 cidades, em mais de 860 apresentações. Desde sua criação, a Companhia já acumulou 22 prêmios, nacionais e internacionais. Além da Difusão e Circulação de Espetáculos, a SPCD tem mais duas vertentes de ação: os Programas Educativos e de Formação de Plateia e Registro e Memória da Dança.


INÊS BOGÉA – Direção Artística | Inês Bogéa
é doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora de diversos livros infantis e organizadora de vários livros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Cultura do Estado (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança.

 

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam, principalmente para jovens, diversas atividades para formação artísticas nas mais diversas linguagens. Um programa que promove o desenvolvimento integral dos indivíduos por meio da valorização e ampliação de universos culturais, de situações de convivência e experiências artísticas.

São Paulo Cia. de Dança e OSESP juntas no Lago dos Cisnes

Um programa inédito reúne a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) e a Osesp – ambas da Secretaria da Cultura do Estado – para apresentação do II ato do balé O Lago dos Cisnes – o balé mais famoso de todos os tempos. Nos dias 10, 11 e 12 de novembro, os espaços do palco e do coro da Sala São Paulo serão adaptados para que músicos e bailarinos formem um conjunto único dando nova vida a esta obra. A coreografia é de Mario Galizzi e a regência do maestro Roberto Tibiriçá.

O Lago dos Cisnes é uma história romântica que narra a história da princesa Odette, enfeitiçada pelo bruxo Rothbart. Aprisionada no corpo de um cisne durante o dia, volta a ser princesa durante a noite.

A apresentação inclui partes de três outras obras de Tchaikovsky: abertura Romeu e Julieta (abertura da Orquestra), o Grand Pas de Deux de O Quebra-Nozes (Balé e Orquestra) e a Valsa das Flores, também de O Quebra-Nozes (Orquestra).

SERVIÇO

 

II Ato de O Lago dos Cisnes com São Paulo Companhia de Dança e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

A apresentação inclui partes de três outras obras de Tchaikovsky: abertura Romeu e Julieta (abertura da Orquestra), o Grand Pas de Deux de O Quebra-Nozes (Balé e Orquestra) e a Valsa das Flores, de O Quebra-Nozes (Orquestra).

 

Datas: 10, 11 e 12 de novembro

Horários: sexta-feira, às 21h, Sábado, às 16h30 e domingo, às 19h.

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16 – Campos Elíseos, São Paulo/SP

Ingressos: R$ 50| R$ 25 (meia-entrada)

Mais informações: (11) 2122-4070 – www.ingressorapido.com.br

Duração: 75 minutos

Classificação indicativa: 12 anos

Capacidade: 1294 lugares

Acessibilidade: Sim

São Paulo Companhia de Dança retorna ao Theatro São Pedro com “Schumann”

Espetáculo reúne música e dança, com um programa dedicado às canções de diferentes ciclos do compositor alemão Robert Schumann

(mais…)

Secretaria anuncia impacto econômico de R$ 131 milhões do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Pesquisa da FGV aponta que cada Real investido no evento devolveu R$ 16,7 para a economia e gerou mais de 1.800 postos de trabalho; Festival foi totalmente realizado com investimento privado

(mais…)

Secretaria da Cultura do Estado destina R$ 3 milhões para editais municipais

ProAC Municípios selecionará projetos de cidades interessadas em abrir seus próprios concursos para promoção da cultura local

Foto: Joca Duarte

 

O Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, anunciou hoje (05) o lançamento do ProAC Municípios, a mais nova iniciativa da pasta voltada ao fomento e difusão da cultura no estado de São Paulo.

Na nova modalidade, os municípios contemplados receberão repasses que variam de R$ 100 mil a R$ 300 mil, de acordo com o tamanho da cidade, para realizar seus próprios projetos culturais. Os projetos deverão, obrigatoriamente, estar previstos na legislação municipal, ter a forma de concursos/editais, oferecer contrapartidas mínimas e selecionar iniciativas de artistas ou agentes culturais locais que receberão premiações de até R$ 25 mil.

“O ProAC Municípios vem para reforçar nosso compromisso com a descentralização da cultura, através da capilarização dos investimentos por todas as regiões administrativas do estado”, afirma José Luiz Penna.

As prefeituras interessadas poderão inscrever seus projetos através do site http://www.proac.sp.gov.br, no período de 20 de abril a 20 de maio. O edital será disponibilizado em breve tanto no site do ProAC quanto no da Secretaria da Cultura – http://www.cultura.sp.gov.br.

Secretaria da Cultura esclarece que não haverá cortes na EMESP

A Secretaria da Cultura de Estado esclarece que são infundados os boatos de corte na escola. Sem autoria – anônimos – os boatos têm causado apreensão em alunos e pais da EMESP.

São boatos sem qualquer embasamento, e com o único propósito de causar desgaste desnecessário. Não há razão para preocupação, tampouco nenhum tipo de apreensão. A EMESP seguirá normalmente com suas atividades, alunos e professores.

Secretaria da Cultura lança editais nas áreas de teatro, dança, música, artes cênicas e festivais

144 projetos serão selecionados em 14 concursos, com prêmios entre R$ 25 mil e R$ 160 mil cada; inscrições devem ser feitas pelo site www.proac.sp.gov.br

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo abre inscrições para os primeiros editais do Programa de Ação Cultural (ProAC) de 2018. Serão contemplados 144 projetos de Pessoas Físicas e Jurídicas, em 14 concursos nas áreas de música, teatro, dança, artes cênicas e festivais. Os prêmios variam entre R$ 25 mil e R$ 160 mil cada. Além disso, no mínimo 50% dos selecionados serão de proponentes da Grande São Paulo, interior e litoral.  As inscrições começam nos dias 27, 28 ou 29 de março, de acordo com cada edital, e devem ser feitas pelo site www.proac.sp.gov.br. Os editais completos estão disponíveis no mesmo endereço.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Entre as novidades do calendário 2018, ndário 2018, destacam-se os editais de apoio a Festivais de Música para Novos Talentos, Gravação de Álbum Inédito com Apresentação de Espetáculos de Música Alternativa ou Eletrônica e Fomento e Difusão de Bandas Marciais e Fanfarras, destinados a Pessoas Físicas, que serão lançados já neste primeiro bloco. Além destes, outros cinco concursos nas áreas de música, dança e teatro também oferecem oportunidades para Pessoas Físicas.

Teatro

O edital de apoio à Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Teatro é destinado a Pessoas Jurídicas e premiará 20 projetos em dois módulos: o módulo 1 selecionará 14 projetos com prêmios de R$ 85 mil cada, enquanto o módulo 2 premiará seis projetos no valor de R$ 160 mil cada. Já o concurso voltado para Circulação de Espetáculo de Teatro, premiará 14 projetos de Pessoas Jurídicas, com prêmios de R$ 105 mil cada. Por fim, o concurso Jovens Artistas para Produção de Primeiras Obras de Espetáculo e Temporada de Teatro, destinado a Pessoas Físicas, selecionará 10 proponentes com idade entre 18 e 29 anos. Cada um receberá R$ 35 mil para a execução do projeto.

Dança

Na área da dança, serão 24 projetos selecionados. Destinados a Pessoas Jurídicas, os editais de apoio à Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Dança e  Circulação de Espetáculo de Dança irão contemplar oito projetos cada, com prêmios de 105 mil para cada um dos selecionados. Proponentes que sejam Pessoas Físicas poderão enviar seus projetos para o concurso de Jovens Artistas para Produção de Primeiras Obras de Espetáculos e Temporada de Dança. Os oito selecionados receberão R$ 35 mil cada.

Artes Cênicas

Voltados para Pessoas Jurídicas, os concursos de apoio à Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Artes Cênicas para o Público Infantil e/ou Juvenil e Circulação de Espetáculo de Artes Cênicas para o Público Infantil e/ou Juvenil irão contemplar 12 proponentes cada, com prêmios de R$ 85 mil.

Festivais

O edital de apoio a Festivais de Música para Novos Talentos visa a consolidação de artistas e/ou grupos musicais, que tenham no máximo cinco anos de carreira, nunca tenham lançado álbum físico (CD, LP, DVD) e que não possuam vínculos contratuais vigentes com gravadoras, selos ou agências que administram carreiras. Serão selecionados quatro projetos de Pessoas Físicas, que receberão R$ 150 mil cada para a realização dos festivais.

Música

Os editais da área de música serão todos voltados para Pessoas Físicas. O concurso de apoio à Gravação de Álbum Inédito com Apresentação de Espetáculos de Música Alternativa ou Eletrônica, selecionará 12 projetos com prêmios de R$ 25 mil cada. Para este edital, podem participar artistas e/ou grupos que não possuam vínculos contratuais vigentes ou já tenham lançado álbum físico (CD, LP, DVD) com gravadoras, selos ou agências que administram carreiras. Os gêneros preferencialmente apoiados serão rock (incluindo indie, pop rock, heavy metal e punk rock), reggae, blues e música eletrônica (incluindo techno, house e dance music).

Fomento e Difusão de Bandas Marciais e Fanfarras irá premiar 10 projetos com R$ 40 mil cada. O concurso permite intercâmbio com outras bandas e fanfarras por meio de campeonatos ou eventos, além da atualização, preservação e manutenção dos instrumentos musicais, uniformes e demais aparatos utilizados.

Haverá outros três editais voltados à música: Gravação de Álbum Inédito e Apresentação de Espetáculos de Música Popular, que irá premiar 12 projetos com R$ 80 mil cada; Gravação de Álbum Inédito e Apresentação de Espetáculos de Música Popular Instrumental, que selecionará 10 projetos, com prêmios de R$ 80 mil cada; e, por fim, o edital de apoio à Gravação de Álbum Inédito e Apresentação de Espetáculos de Música Erudita, que premiará quatro proponentes com R$ 80 mil cada.

Confira o detalhamento e o período de inscrição de cada edital:

TEATRO

Produção de espetáculo inédito e temporada de teatro

Pessoa Jurídica

20 projetos, sendo 14 com prêmios de R$ 85 mil (módulo 1) e 06 com prêmios de R$ 160 mil (módulo 2)

Inscrições: de 27 de março a 10 de maio

Circulação de espetáculo de teatro

Pessoa Jurídica

14 projetos com prêmios de R$ 105 mil cada.

Inscrições: de 27 de março a 10 de maio

Jovens artistas para produção de primeiras obras de espetáculo e temporada de teatro

Pessoa Física

10 projetos com prêmios de R$ 35 mil cada.

Destinado a jovens artistas com idade entre 18 e 29 anos.

Inscrições: de 27 de março a 10 de maio

DANÇA

Produção de espetáculo inédito e temporada de dança

Pessoa Jurídica

08 projetos com prêmios de R$ 105 mil cada.

Inscrições: de 28 de março a 11 de maio

Circulação de espetáculo de dança

Pessoa Jurídica

08 projetos com prêmios de R$ 105 mil cada.

Inscrições: de 28 de março a 11 de maio

Jovens artistas para produção de primeiras obras de espetáculo e temporada de dança

Pessoa Física

08 projetos com prêmios de R$ 35 mil cada.

Inscrições: de 28 de março a 11 de maio

ARTES CÊNICAS

Produção de espetáculo inédito e temporada de artes cênicas para o público infantil e/ou juvenil

Pessoa Jurídica

12 projetos com prêmios de R$ 85 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 15 de maio

Circulação de espetáculo de artes cênicas para o público infantil e/ou juvenil

Pessoa Jurídica

12 projetos com prêmios de R$ 85 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 15 de maio

FESTIVAIS

Festivais de música para novos talentos

Pessoa Física

04 projetos com prêmios de R$ 150 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 14 de maio

MÚSICA

Gravação de álbum inédito com apresentação de espetáculos de música alternativa ou eletrônica no Estado de São Paulo

Pessoa Física

12 projetos com prêmios de R$ 25 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 14 de maio

Apoio a projetos de fomento e difusão de bandas marciais e fanfarras

Pessoa Física

10 projetos com prêmios de R$ 40 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 14 de maio

Gravação de álbum inédito e apresentação de espetáculos de música popular

Pessoa Física

12 projetos com prêmios de R$ 80 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 15 de maio

Gravação de álbum inédito e apresentação de espetáculos de música popular instrumental

Pessoa Física

10 projetos com prêmios de R$ 80 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 15 de maio

Gravação de álbum inédito e apresentação de espetáculos de música erudita

Pessoa Física

04 projetos com prêmios de R$ 80 mil cada.

Inscrições: de 29 de março a 14 de maio

Sobre o ProAC Editais

Desde a sua criação, em 2006, o Programa de Ação Cultural (ProAC) já contemplou mais de 5.400 projetos, em 394 editais, nos mais diversos segmentos, como teatro, dança, artes cênicas, música, circo, festivais, artes visuais, museus e arquivos, cultura e cidadania, literatura, audiovisual e projetos multidisciplinares. O objetivo do ProAC Editais é fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos.

Para conhecer a programação cultural de todo o estado, acesse o site da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo: www.cultura.sp.gov.br. Acompanhe também nas mídias sociais:

Facebook: /culturasp

Twitter: @culturasp

Instagram: /culturasp  

Secretaria lança 12 editais do #ProACExpresso

O primeiro bloco de concursos inclui linhas nas áreas de teatro, dança, eventos e festivais, público infanto-juvenil, circo, artes visuais e música, totalizando R$ 20,7 milhões (mais…)

Secretaria quer usar rede de representantes de favelas para aproximar Cultura e periferia

“O setor cultural precisa daquilo que está sendo criado em lugares que ninguém está vendo. Vamos quebrar as barreiras e levar as oportunidades criadas pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa para as periferias”, garante o Secretário Sérgio Sá Leitão

(mais…)

Secretário da Cultura do Estado ministra aula aberta sobre política cultural

No dia 13 de dezembro, quarta-feira, José Luiz Penna, secretário da Cultura do Estado, irá realizar uma aula aberta no Senac Lapa Scipião (Rua Scipião 67 – Lapa) sobre os desafios da política cultural em São Paulo. Será discutido o contexto atual da área cultural para artistas, gestores e empreendedores culturais, estabelecendo diálogos e reflexões sobre as práticas específicas do setor. Será das 19h30 às 21h30, com entrada gratuita, e inscrições podem ser feitas pelo link https://goo.gl/dUL4qo.

A aula discutirá o impacto e alcance dos projetos desenvolvidos pela Secretaria da Cultura do Estado, como o ProAC, as Fábricas de Cultura, o Projeto Guri e a Virada Cultural Paulista. Também será abordado o sistema de gestão dos programas, feito por meio de Organizações Sociais da Cultura, que empregam mais de 2 mil profissionais.

Serviço:

Palestra “Desafios da Política Cultural em São Paulo”, com José Luiz Penna
Local:
Senac Lapa Scipião
Endereço: Rua Scipião 67 – Lapa – São Paulo – SP

Data e Horário: 13 de dezembro, quarta-feira, das 19h30 às 21h30

Inscrições pelo link: https://goo.gl/dUL4qo

Informações: lapascipiao@sp.senac.br / (11) 3475-2200
Participação gratuita

Secretário fala sobre políticas para games e anuncia editais

Secretaria de Cultura e Economia Criativa destinará R$ 9,6 milhões a projetos de audiovisual por meio do ProAC Expresso; concursos para projetos de museus, espaços culturais, leitura e escrita e cultura popular, tradicional e diversidade também abrem inscrições na segunda-feira (1)

(mais…)

Secretário Sérgio Sá Leitão entrega grau de Comendador da Ordem do Ipiranga a Arnaldo Cohen

Governo do Estado concede mais alta honraria ao artista, por sua contribuição à cultura

(mais…)

Secretário Sérgio Sá Leitão fala sobre novos projetos e perspectivas da cultura para 2020

“Há expectativa de novos investimentos em São Paulo, de ampliação da atuação de empresas globais no Estado, com geração de mais renda, mais emprego e mais oportunidades”, afirma o Secretário.

(mais…)

Secretário visita obra da futura Fábrica de Cultura São Bernardo do Campo

Prédio que abrigava Museu do Trabalho será transformado em um centro de capacitação para a Economia Criativa (mais…)

Sérgio Sá Leitão apresenta diretrizes de sua gestão para os colaboradores da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Ações de formação e capacitação para produtores culturais, a partir do conceito de economia criativa, estão entre as metas do secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. Ele expôs as diretrizes e estratégias para sua gestão na última segunda-feira, 7 de janeiro, em encontro com os colaboradores da Secretaria.

Sérgio também ressalta que a Cultura, como forte gerador de renda e desenvolvimento, está acima de setores tradicionais da economia: “A indústria automotiva, que deverá receber R$ 7,2 bilhões em incentivos fiscais, cria 200 mil empregos formais; já as atividades culturais e criativas receberão em torno de R$ 1,5 bilhão, para um impacto cinco vezes maior no mercado de trabalho: um milhão de empregos formais diretos criados”. Em São Paulo, o setor criativo é responsável por 330 mil empregos e responde por 3,9% do PIB estadual. Em relação ao PIB criativo brasileiro (2,64%), São Paulo responde por 47%.

 Outra meta importante da gestão de Sérgio será realizar parcerias com empresas do setor privado com interesse direto na Cultura para o aperfeiçoamento do fomento direto e indireto, com inovação e tecnologia, tendo como um de seus resultados a desburocratização. “A burocracia é um dos fatores que mais contribuem para a desigualdade; se o produtor cultural tem condições de contratar uma assessoria, ele concorre e participa do edital; se não tiver, suas chances diminuem muito”, considera.

 A elevação do acesso a bens e serviços culturais é um claro objetivo de Sérgio. “Seremos relevantes à medida que o que fazemos seja importante para o maior número de pessoas”, afirma. Ele não nega suas metas ambiciosas: “Nós, em São Paulo, vamos dar o exemplo e mostrar para a sociedade brasileira o quão positiva pode ser uma política cultural consistente”.

Sexta edição da MITsp celebra a excelência do Teatro paulista e mundial

Está aberta em São Paulo a 6ª edição da Mostra Internacional de Teatro – MITsp. Com a presença de autoridades, artistas nacionais e internacionais e gestores culturais, o evento deu início ontem (14), no auditório do Ibirapuera, a uma série de ações que vão ocupar diversos espaços da cidade com espetáculos, discussões, oficinas e seminários sobre o cenário teatral até o dia 24 de março.

Desde 2014, a MITsp reúne artistas nacionais e internacionais para discutir temas contemporâneos e apresentar produções teatrais guiadas pela experimentação de linguagens e postura crítica. Neste ano, serão quatro eixos: Mostra de Espetáculos, Ações Pedagógicas, Olhares Críticos e MITbr – Plataforma Brasil.

O Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado Sérgio Sá Leitão participou da abertura da Mostra e, em seu discurso, destacou o potencial do teatro em São Paulo e o atual principal desafio do setor cultural. “É muito especial termos aqui um grande evento como a MITsp, não apenas para celebrarmos, mas para vivermos a excelência criativa do teatro e da arte paulista, brasileira e mundial. São Paulo tem, hoje, um desafio: o de mostrar ao Brasil a importância da política pública da cultura, da arte e da economia criativa para o desenvolvimento da sociedade, dos indivíduos e do país”.

Além do Secretário, participaram da abertura o Secretário Municipal de Cultura Alê Youssef, o Diretor do Itaú Cultural Eduardo Saron, o Diretor Artístico da MITsp Antonio Araujo, o Diretor Regional do Sesc São Paulo Danilo Santos de Miranda e o idealizador da mostra Guilherme Marques. “A cultura dos livros, da consciência do corpo, dos instrumentos musicais, da empatia e do convívio com a arte é a melhor forma de empoderamento”, disse Saron.

O primeiro dia de evento contou também com apresentação da montagem A Repetição. História(s) do Teatro, dirigida pelo suíço Milo Rau. O espetáculo teve grande repercussão no 72° Festival de Avignon, na França, e foi considerada uma das melhores montagens de 2018 pelo New York Times. A peça será reapresentada nos dias 15 e 16, às 21h. A MITsp segue com programação de discussões, espetáculos, oficinas e seminários até o dia 24 de março, em diversos locais pela cidade. Confira o calendário de ações em https://mitsp.org.

SP Cultura na Rua leva música e dança à Cidade Tiradentes

Quem passa pela Avenida Paulista aos domingos já se acostumou com as inúmeras apresentações musicais no percurso da via. No entanto, em bairros mais afastados do centro, atividades culturais nas ruas, apesar de regulamentadas, não acontecem com tanta frequência. Com o objetivo de mudar este cenário, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo criou o projeto SP Cultura na Rua, que leva shows gratuitos para as periferias de São Paulo.

A iniciativa já passou pelos bairros Cidade Tiradentes, Vila Nova Cachoeirinha, Capão Redondo, Jardim São Luís, Brasilândia, Belém e Jaçanã, e retorna para Cidade Tiradentes no próximo sábado, 14 de abril, no coreto da Av. dos Metalúrgicos, das 13h às 17h, com a banda Pássaro Vadio e o músico Rafa Godoi. Essa edição contará também com apresentações de dança dos grupos LP Dance, Cia X, The Crazy e Geral Dança.

 

Conheça os Artistas

MÚSICA ———————>

 

A banda Pássaro Vadio, formada pelos músicos Ramiro, Jojô e Dani Neves, apresenta um repertório que vai de ritmos folclóricos da música brasileira ao dream-pop e folk psicodélico, com composições próprias que misturam sonoridades de diferentes tempos e lugares e fazem referência a Caetano Veloso, Devendra Banhart, Fela Kuti, Tame Impala e Tom Jobim.

O músico, cantor e compositor Rafa Godoi apresenta músicas autorais da sua banda Triskell na voz e no violão. O artista já se apresentou no Reino Unido, Itália, Escócia e Irlanda.

DANÇA ———————>

 

O grupo de dança LP Dance, do município de Poá, existe há mais de dez anos e já realizou diversas apresentações nas Fábricas de Cultura.

A Cia X e o The Crazy, grupos de street dance e danças urbanas, também se apresentam nas Fábricas de Cultura da Zona Leste.

O Geral Dança, grupo conhecido por seus vídeos online, faz sucesso na internet ensinando coreografias de músicas famosas.

Taça das Favelas chega a São Paulo com cerimônia de abertura no Museu do Futebol

Competição de futebol de campo entre favelas reuniu jovens, lideranças comunitárias, autoridades, ex-jogadores e artistas (mais…)

Temporada OSESP 2018: em abril, recitais dedicados ao piano brasileiro

PROGRAMAÇÃO 26 A 28/ABRIL

Em três dias seguidos, convidados da Temporada 2018 da Osesp apresentam

repertório totalmente nacional

Em abril, a Osesp promove uma série de recitais dedicada ao piano brasileiro, com três dias seguidos de apresentações totalmente voltadas ao cenário nacional. Dos dias 26 a 28, o Duo Gisbranco e os pianistas Cristóvão Bastos, Leandro Braga e André Mehmari sobem ao palco da Sala São Paulo para apresentar obras autorais e de renomados compositores do nosso país.

Duo Gisbranco (foto Divulgação)

No primeiro dia de apresentação, o Duo Gisbranco vai do erudito ao popular, apresentando obras de Heitor Villa-Lobos e Egberto Gismonti. A dupla é formada por Claudia Castelo Branco e Bianca Gismonti (filha de Egberto) e já possui 13 anos de carreira, que incluem três CDs e dois DVD lançados e um histórico de shows pelo Brasil e pela Europa.

Já no dia 27, os pianistas Cristóvão Bastos e Leandro Braga, ambos também compositores e arranjadores, se juntam para apresentar choros, sambas e maxixes, três gêneros genuinamente brasileiros. Além de composições autorais, o repertório conta com obras de Chiquinha Gonzaga e Ernesto Nazareth, precursores da execução destes gêneros, e também Pixinguinha, Radamés Gnattali e Altamiro Carrilho, que inovaram na forma de compor e interpretar.

 

André Mehmari (foto: Débora Amorim)

Para finalizar, no dia 28, o pianista e compositor André Mehmari apresenta obras de Nazareth e Tia Amélia, além de composições próprias. Mehmari  venceu o primeiro Prêmio Visa de MPB e já foi indicado ao Grammy, além de ter sido premiado na área erudita, na Nascente-USP, no Concurso Camargo Guarnieri e no Prêmio Carlos Gomes. Suas composições e arranjos já foram tocados pela Osesp e, como instrumentista, já atuou ao lado de Milton Nascimento, Toninho Horta, entre outros.

Informações sobre os concertos

Duo Cigisbranco: 26/abr, às 20h30.

Cristóvão Bastos e Leandro Braga: 27/abr, às 20h30.

André Mehmari: 28/abr, às 16h30.

Ingressos: de R$ 50,00 a R$ 122,00

Mais informações

 

Os concertos da Osesp são uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura, e contam com o patrocínio do Itaú Personnalité, Banco Votorantim, BBMapfre, Facebook, Ultra, Via Varejo, Mattos Filho e Deloitte.

 

SALA SÃO PAULO | SERVIÇO

Praça Júlio Prestes, 16

Bilheteria: (11) 3223-3966 (Sala São Paulo: 1484 lugares)

Recomendação etária: 7 anos

Ingresso Rápido: (11) 4003-1212; www.ingressorapido.com.br 

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Estacionamento: R$ 28,00 (noturno e sábado à tarde) e R$ 16,00 (sábado e domingo de manhã) | 611 vagas, sendo 20 para portadores de necessidades especiais e 33 para idosos.

Últimos dias: Artistas podem se inscrever para participar dos programas até 31 de janeiro

Interessados em participar da Virada Cultural Paulista, Circuito Cultural Paulista, Teatro Sérgio Cardoso e demais programas geridos pela APAA podem se cadastrar pelo site  www.omelhordaculturasp.com (mais…)

Uma Porta Aberta para o Centro de São Paulo

Este artigo foi originalmente publicado no jornal Folha de S. Paulo

 

Quando iniciei minha gestão à frente da Secretaria da Cultura do Estado, a convite do governador Geraldo Alckmin, constatei a importância simbólica e estratégica do prédio que abriga a pasta. O Complexo Júlio Prestes inclui a Secretaria e a Sala São Paulo, um dos dez melhores espaços de concerto do mundo e sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a Osesp. Além da beleza do prédio, sua importância é histórica: concluído em 1938, abrigou a antiga Estrada de Ferro Sorocabana, que teve importância fundamental para a economia paulista.

São essas qualidades, aliadas ao fato de estar localizado em uma parte fundamental do Centro da capital paulista, que me levam a considerar o prédio como estratégico, buscando um sentido humanista para a palavra. Ter no bairro da Luz a sede da Secretaria da Cultura do Estado, uma instituição com a função nobre de fomentar ações e políticas públicas no setor para todos os paulistas, nos faz enxergar nesta região algo além do local degradado, inseguro e relacionado ao consumo do crack. Nego-me a ver o bairro da Luz somente desta perspectiva. Este é um problema real das instâncias da saúde e da segurança pública, porém não podemos reduzir o bairro a esta imagem.

O espaço Estação Cultura nasceu em outubro de 2017 a partir deste pensamento e de uma constatação: a porta principal da Secretaria, no número 51 da rua Mauá, estava fechada havia anos, servindo absurdamente como um depósito de caixas de arquivo, e o público tinha acesso ao prédio somente por uma entrada lateral. O passo seguinte foi uma conseqüência: a entrada da Secretaria foi reativada e renasceu transformada em um espaço cultural com as portas abertas para o bairro da Luz.

Espaço múltiplo, o Estação Cultura já ofereceu exposições de fotografia e artes plásticas; um concerto ao ar livre de piano; uma intervenção de graffiti com a participação de pessoas que realizam tratamento para dependência química na instituição Recomeço; além de um hackaton – uma maratona de programação digital em que jovens desenvolveram soluções tecnológicas em prol da cultura paulista. Hoje, quem passa em frente à Secretaria de Estado da Cultura vê suas portas abertas e, ao entrar, se depara com alguma programação cultural gratuita e de qualidade. Era o que todos queríamos quando o Estação Cultura foi planejado e isso está sendo concretizado. Suas portas estão abertas para os moradores e trabalhadores da região.

O bairro da Luz enfrenta um gravíssimo problema social, é verdade. Mas não podemos ter medo. Ao contrário, devemos buscar possibilidades de atuar nessa realidade para torná-la melhor, pensando sempre nas pessoas. Oferecer cultura em um prédio belo e, sobretudo, público, tratando seus visitantes com respeito e dignidade, é um poderoso caminho. Acreditamos nisso.

José Luiz Penna – Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Veja como foi a oficina sobre o 6º Prêmio Culturas Populares

Com o objetivo de sanar dúvidas e detalhar o edital, na manhã desta sexta-feira, 11 de maio, foi realizada na sede da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo a oficina sobre o “6º Prêmio Culturas Populares”, lançado no último mês e que é a maior premiação da cultura popular brasileira.

foto: Joca Duarte

Com a sala lotada, o evento contou com a presença de Renata Machado, secretária substituta da Cidadania e Diversidade Cultural do MinC: Este prêmio vai reconhecer o trabalho, o esforço, a resistência, a persistência e a paixão que as pessoas que trabalham com cultura popular no Brasil têm por estas manifestações” comentou Renata, lembrando o esforço do MinC para que o edital faça grande sucesso”.

Foram anunciadas três novidades:

  • Regionalização de inscrições
  • Adição da categoria “cultura popular moderna” à já existente, que é a “tradicional”
  • Prêmio bruto R$ 20 mil para cada um dos 500 selecionados

Antes da abertura da oficina, o Secretario da Cultura de Estado, Romildo Campello comentou: Dando continuidade ao pensamento do secretário José Luiz Penna, que é ‘a cultura precisa falar com todos’, estamos abrindo as portas da secretaria a todas as diferentes formas de manifestação cultural. Não dá para falar de cultura se não reconhecermos todas as formas de expressão no mesmo patamar, como, por exemplo, considerar uma orquestra tão importante quanto uma cultura popular”.  

Romildo ainda citou a recente recriação do conselho estadual de cultura e  destacou que o “6º Prêmio Culturas Populares” reconhece o jeito de ser brasileiro: “Um jeito próprio, peculiar, que mostra que não somos um povo simples, convivemos com a mesma língua, mas temos uma variedade cultural muito grande e é aí que está a nossa riqueza”.

As inscrições para o “6º Prêmio Culturas Populares” vão até 13 de junho. Acesse o edital aqui 

Virada Cultural Paulista: confira as cidades participantes!

A Virada Cultural Paulista 2018 começa no próximo fim de semana, dias 3 e 4 de novembro! Até 9 de dezembro, durante seis finais de semana consecutivos, 34 municípios de São Paulo serão palco da Virada Cultural Paulista, o maior evento cultural do estado, com uma programação variada, de qualidade e totalmente gratuita.

Começando por Ilha Solteira, no sábado e domingo 3 e 4 de novembro, a programação da Virada Cultural Paulista segue nos demais finais de semana, contando não só com mais 12 cidades como também com uma novidade: os palcos Experimente SP, idealizados especialmente para apresentações inovadoras de dança, video mapping, artes integradas, DJs, coletivos artísticos, grupos de cultura tradicional e novas estrelas desses municípios.

Integram o circuito desta edição as seguintes cidades: Andradina, Assis, Bauru, Birigui, Botucatu, Cananéia, Casa Branca, Cerquilho, Dracena, Franca, Garça, Guarulhos, Ibitinga, Iguape, Ilha Solteira, Indaiatuba, Itapetininga, Joanópolis, Limeira, Marília, Mogi das Cruzes, Olímpia, Pedreira, Registro, Santa Bárbara D’Oeste, Santos, São Caetano do Sul, São Carlos, São Sebastião, São Vicente, Sertãozinho, Sorocaba, Taubaté e Votuporanga.

Além de música, a expressão artística mais tradicional do evento, a Virada terá também apresentações de coletivos artísticos, grupos de cultura tradicional e novas estrelas, novas bandas e ritmos, artes plásticas, dança, vídeo Mapping, circo, artes integradas e DJs.

 

Palco Experimente SP

Comemorando doze anos de Virada Cultural no interior paulista, a Secretaria da Cultura está inovando com um novo palco para apresentar novas experiências e novos artistas do cenário cultural paulista, o Experimente SP.

O objetivo do palco Experimente SP é difundir as artes e coletivos urbanos das mais variadas linguagens culturais, como coletivos artísticos, grupos de cultura tradicional, enfim, novas experiências culturais e sensoriais. 

Muito mais do que shows, a ideia é que o público vivencie a diversidade da arte contemporânea, especialmente nas novas cidades do circuito.

 

Realizadores

A Virada Cultural Paulista é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, que investe na programação artística principal. Os municípios são correalizadores, ficando responsáveis pela montagem da infraestrutura de palco, som, segurança e limpeza, além de reforço à programação artística. O evento é produzido pela APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte, organização social de cultura parceira da Secretaria.

 

Histórico

Criada em 2007 pelo Governo do Estado de São Paulo, a Virada Cultural Paulista tornou-se o mais relevante evento cultural do interior e litoral paulistas, com a proposta de promover um grande festival gratuito e simultâneo em várias cidades do estado. Desde o princípio, a Virada tem buscado proporcionar ao público o acesso às melhores produções artísticas do País, nas mais variadas linguagens e experiências. Até 2017, ao longo de doze anos, mais de 11 milhões de espectadores estiveram presentes em mais de 7 mil espetáculos.

Toda a programação da Virada é gratuita e é confirmada em etapas, tanto as datas de realização como as atrações programadas. Acompanhe os sites www.cultura.sp.gov.br e www.omelhordaculturasp.com

 

VIRADA CULTURAL PAULISTA 2018

 

03 e 04/11

Ilha Solteira

 

10 e 11/11

Indaiatuba – Itapetininga – Franca – Mogi das Cruzes – Votuporanga – Taubaté

 

17 e 18/11

Assis – Limeira – Marília – Santos – São Carlos   

 

24 e 25/11

Bauru – Botucatu – Joanópolis – Pedreira – Registro – Santa Bárbara d´Oeste – São Caetano do Sul – Sorocaba

 

01 e 02/12

Andradina – Dracena – Ibitinga  – Iguape – São Sebastião – São Vicente – Sertãozinho

 

08 e 09/12

Birigui  – Cananéia – Casa Branca – Cerquilho – Garça – Guarulhos – Olímpia

Virada SP leva 24 horas de música, cinema e teatro a São José dos Campos

Shows de Paulinho da Viola e Nação Zumbi no Parque da Cidade, stand-up comedy com Rafael Cortez no Teatro Municipal e mostra de documentários musicais no Cine Santana integram a programação

(mais…)