Cultura +

‘Rá-Tim-Bum, o Castelo’ fica até fevereiro no Memorial

Ingressos para a terceira temporada começam a ser vendidos na terça, dia 26/9, em www.ratimbumocastelo.com.br e na bilheteria do Memorial (mais…)

‘BENZINHO’ é o grande vencedor do 18º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Em noite de homenagem a Zezé Motta, com participação de Ney Matogrosso, o longa foi premiado em seis categorias
Karine Teles e Stepan Nercessian foram os vencedores do Troféu Grande Otelo de Melhor Atriz e Melhor Ator

(mais…)

‘Viva! Irlanda’ abre comemorações do St. Patrick’s Day em São Paulo

No dia 10 de março, evento no Museu da Imigração aproximará o público da cultura irlandesa com música, dança, gastronomia e palestras (mais…)

‘VIVA! Irlanda’ inicia as comemorações do St. Patrick’s Day em São Paulo

A festa acontece das 10h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00), e os ingressos custam R$10 e R$5 (meia-entrada) (mais…)

“Capão Palace”: teatro na Fábrica de Cultura Capão Redondo!

Peça teatral discute especulação imobiliária no Capão Redondo.

(mais…)

“Cidades Invisíveis”, de Luiz Martins, em julho no Museu de Arte Sacra

O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS-SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, inaugura no dia 7/7, na Sala MAS – Metrô Tiradentes, “Cidades Invisíveis“, do artista plástico brasileiro Luiz Martins, sob curadoria de Ian Duarte Lucas. A mostra – formada por esculturas, fotografias e vídeos – elege o tempo presente, mesmo que instantâneo, como tema, e se desenvolve a partir do livro homônimo de Ítalo Calvino. Atento à passagem do tempo, em especial acerca de como o indivíduo se relaciona com seus entornos – privado e coletivo -, nesta produção o artista busca uma poética dentro da relação homem-cidade, considerando vestígios esquecidos pelas ruas.

A cidade é cenário para importantes manifestações humanas, que se desdobram em suas entranhas. “Em constante mutação, o homem se insere neste novelo de passagem: passagem do tempo, que tudo transforma, e cria novos significados na memória de quem habita a cidade. E essa poética se manifesta pelos objetos que o homem cria e utiliza em suas mais diversas atividades”, comenta o curador. Em “Cidades Invisíveis“, Luiz Martins utiliza a linguagem tridimensional para abordar o espaço e suas novas possibilidades territoriais, restaurando e ressignificando o cotidiano pela aplicação do conceito de “semióforo” em objetos e fragmentos, os quais perdem o status de “coisa” e passam a transmitir energia e força afetiva.

Ao se deparar com a exposição “Cidades Invisíveis“, espera-se que o espectador entenda a potencialidade de cada objeto, os quais representam, em suma, os reflexos do drama interior do homem em sociedade. Espera-se que sentimentos da individualidade contemporânea se tornem visíveis através deste processo mental. Nos dizeres do curador: O homem, enquanto um ser artista, é, antes de tudo, um ser sociável: se expressa na construção de diferentes diálogos com o seu tempo, a sociedade em que se insere e consigo mesmo. Materializar esta expressão na forma da obra de arte é a maneira mais sublime de contemplar a fugacidade destas relações. O esquecimento desfigura os vestígios que o homem produz, e cabe ao artista revelar a poética destes objetos, por meio de sua sensibilidade, ao perceber algo latente e revelador nas coisas mais simples do cotidiano, memórias de uma vida que o tempo implacavelmente apagou“.

 

Onde

“Experimente SP”: conheça o novo palco da Virada Cultural Paulista

Comemorando doze anos de Virada Cultural no interior paulista, a Secretaria da Cultura está inovando com um novo palco para apresentar novas experiências e novos artistas do cenário cultural paulista, o Experimente SP.

O objetivo do palco Experimente SP é difundir as artes e coletivos urbanos das mais variadas linguagens culturais, como coletivos artísticos, grupos de cultura tradicional, enfim, novas experiências culturais e sensoriais.

Muito mais do que shows, a ideia é que o público vivencie a diversidade da arte contemporânea, especialmente nas novas cidades do circuito.

“Gattaca” é o filme da edição de dezembro do #CineCiência no MIS

A edição de dezembro do #CineCiência do MIS exibe o filme Gattaca, experiência genética/Gattaca (Dir. Andrew Niccol, EUA, 1997, Ficção científica/Drama/Suspense, 106 min, 14 anos). Após a exibição, o filme será debatido pela especialista em Biologia Molecular da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Marimelia Porcionatto, com mediação do curador do projeto José Luiz Goldfarb, que discutem com o público aspectos éticos da manipulação genética. A sessão será no dia 16 de dezembro às 16h e a entrada é gratuita; para participar, basta retirar ingresso uma hora antes do início na recepção do museu.

Sinopse

Num futuro no qual os seres humanos são escolhidos geneticamente em laboratórios, as pessoas concebidas biologicamente são consideradas inválidas. Vincent Freeman (Ethan Hawke) nasceu do amor de seus pais sem preparos genéticos. Tem desde pequeno, o desejo de ser um astronauta, mas tem em seu código genético predisposições a doenças que não lhe permitem nada melhor em vida que o emprego de faxineiro. Consegue, porém, um lugar de destaque em uma corporação, escondendo sua identidade genética verdadeira. Tudo segue perfeitamente, com muito esforço, até que um assassinato em seu emprego põe sua máscara em risco, podendo expor seu passado.

Gattaca se passa num suposto tempo futuro não tão distante, mostra uma sociedade em que o Estado tem controle sobre a visão social da qualidade genética e em que tal manipulação genética criou novas espécies de castas, preconceitos e divisões sociais, aparentemente legitimadas pela ciência. Sendo a genética no filme tratada como uma ciência do poder, que entrou na sociedade como uma falsa profecia, por meio dos cientistas. Aos pais que desejam ter filhos é dada a oportunidade de escolher e manipular a interação entre seus gametas, para gerarem filhos com a combinação melhor de qualidade genética possível. Esse procedimento acaba criando uma distinção de quem está mais apto para fazer o que na sociedade e como resultado final, gera uma tarja a ser carregada pelo resto de suas vidas: Válido, no geral frutos dessa combinação genética planejada; ou Não-válido, humanos menos perfeitos, com mais propensões a doenças e deficiências, mesmo que mínimas. Aos Válidos são disponibilizados os melhores empregos e as grandes competições, enquanto para os Não-válidos é limitada a liberdade de escolha, por meios socioeconômicos, a exemplo, pelo seu currículo genético não se consegue um emprego melhor que faxineiro.

A história do filme envolve dois irmãos, “Vincent Anton” e “Anton” (Loren Dean), respectivamente concebidos de maneira natural e manipulado geneticamente. Ambos carregam o nome do pai, mas ao saber do resultado genético do primogênito, o pai inclui um primeiro nome diferente no filho não tão perfeito, resguardando seu nome para um segundo filho, supostamente o mais bem sucedido. O primeiro, Não-válido, mesmo tendo predisposição a várias doenças e uma previsão de sua morte para seus 30 anos, busca realizar seu sonho contra tudo e todos. Deseja viajar para as estrelas e com todo seu esforço e um pouco de corrupção do sistema, tenta superar os limites impostos ao seu destino, sendo obrigado a esconder de todos quem ele realmente é. Uma curiosidade pertinente é o significado do acrônimo Gattaca: trata-se da ordenação de uma série de bases nitrogenadas que compõem o DNA, no caso a Guanina Adenina Timina Timina Adenina Citosina Adenina.

 

onde fica?

“O Matrimônio Secreto” estreia no Theatro São Pedro

O Theatro São Pedro apresenta a primeira ópera da temporada 2018. O Matrimônio Secreto (1792), de Domenico Cimarosa (1749-1801), estreia no mês de maio. 

A ópera é uma preciosidade do classicismo, e conta a história de um velho pai, já meio surdo e turrão, que recebe uma ótima notícia: um nobre deseja se casar com sua filha mais velha. Até aí tudo bem. O problema é quando o nobre homem muda de ideia e decide se casar com a mais nova, que já é secretamente casada com um empregado. 

Toda essa confusão, cheia de ciúmes e reviravoltas, sobe ao palco do São Pedro nos dias 4, 6, 9, 11 e 13 de maio, com encenação de Caetano Vilela. Na direção musical e à frente da Orquestra do Theatro São Pedro estará a maestrina Valentina Peleggi. Cenografia de Duda Arruk, figurinos de Fause Haten e caracterização de Edu VonGomes.

No elenco, a soprano Caroline de Comi como Carolina, a soprano Joyce Martins como Elisetta, a mezzo Ana Lucia Benedetti como Fidalma, o tenor Jean William como Paolino, o barítono Michel de Souza como Conde Robinson e o baixo Pepes Do Valle como Geronimo.

Os ingressos custam de R$30 a R$80 e podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro ou no site da Ingresso Rápido.

Temporada 2018 do Theatro São Pedro

 

Criada de forma colaborativa, com participação dos músicos da Orquestra do Theatro São Pedro na definição de programas e convidados, a Temporada 2018 do Theatro São Pedro tem como objetivo aproximar público e artistas, transformando o São Pedro no #NossoTheatro.

Uma das novidades é a programação de ensaios abertos, realizados sempre nas vésperas de estreias de óperas e de concertos sinfônicos, às 11h, com entrada gratuita. Confira abaixo os destaques da programação lírica e sinfônica e se programe!

 

Óperas

Dias 4, 6, 9, 11 e 13 de maio
Valentina Peleggi, direção musical
Caetano Vilela, direção cênica
Elenco: Caroline De Comi,  Jean William, Joyce Lima, Ana Lucia Benedetti, Pepes do Valle e Michel de Souza

Dias 22, 24, 27 e 29 de junho, e 1º de julho
Luis Otavio Santos, direção musical
William Pereira, direção cênica
Elenco: Marília Vargas, Thayana Roverso, Carolina Faria, Caio Duran, Norbert Steidl e David Feldman

Dias 17, 19, 22, 24 e 26 de agosto
Ira Levin, direção musical
André Heller-Lopes, direção cênica
Elenco: Gabriella Pace, Cláudia Riccitelli, Savio Sperandio, Eric Herrero, Luisa Francesconi, Giovanni Tristacci, Daniel Umbelino, Ana Maria Ribeiro, Fernanda Nagashima e Vinicius Atique

Dias 10, 12**, 14, 16 e 18 de novembro
Cláudio Cruz, direção musical
Jorge Takla, direção cênica
Elenco: a ser anunciado

Concertos Sinfônicos

No Theatro São Pedro, os concertos sinfônicos e as récitas das óperas acontecem sempre nos mesmos horários:
Domingos, às 17h; demais dias, às 20h.

** Exceto a récita do dia 12/11, que ocorrerá às 14h.

Orquestra do Theatro São Pedro
Ligia Amadio, regente convidada
Ana Lúcia Benedetti, mezzo-soprano
Repertório:
Abertura Coriolano, de Ludwig van Beethoven
Rückert-Lieder, de Gustav Mahler
Sinfonia nº 3, Renana, de Robert Schumann

Orquestra do Theatro São Pedro
Roberto Tibiriçá, regente convidado
Eliane Coelho, soprano
Repertório:
Aberturas, árias e excertos de óperas de Giuseppe Verdi e Richard Wagner

Orquestra do Theatro São Pedro
Ricardo Bologna, regente convidado
Manuela Freua, soprano
Repertório:
Tríptico da Passagem, de Silvio Ferraz
Folk Songs (versão para orquestra e voz), de Luciano Berio
A Menina que Virou Chuva, de Valéria Bonafé
Variações Concertantes, de Alberto Ginastera

Orquestra do Theatro São Pedro
Ricardo Kanji, regente convidado
Antonio Meneses, violoncelo
Repertório:
Sinfonia em Ré Menor, de Wilhelm Friedemann Bach
Concerto para Violoncelo em Lá Menor, de Carl Philipp Emanuel Bach
Concerto para Violoncelo em Si Bemol Maior, de Carl Philipp Emanuel Bach
Concerto para Violoncelo em Lá Maior, de Carl Philipp Emanuel Bach

“Pink Floyd The Wall” no Cinematographo MIS!

Fãs de rock’n’roll não podem perder a próxima edição do Cinematographo do MIS. O longa Pink Floyd The Wall, inspirado no icônico álbum The Wall, ganha trilha sonora ao vivo com a banda Pink Floyd Dream no domingo, dia 3/6, às 15h. Os ingressos, de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), podem ser adquiridos na Recepção MIS ou pelo site da Ingresso Rápido a partir do dia 25/5.

O longa foi produzido no ano de 1982 pelo diretor britânico Alan Parker, baseado no álbum The Wall, da banda Pink Floyd – o roteiro foi escrito pelo vocalista e baixista da banda, Roger Waters. O filme possui poucos diálogos, sendo mais metafórico e movido pelas músicas de fundo e sequências de animação, dirigidas pelo cartunista político Gerald Scarfe. A história gira em torno das fantasias delirantes do superstar do rock Pink, um homem que enlouquece lentamente em um quarto de hotel em Los Angeles. O filme acompanha o cantor desde sua juventude, mostrando como ele se escondeu do mundo exterior.

Sinopse

Pink é um astro do rock que consome drogas para poder entrar em órbita e, assim, construir uma parede imaginária que o separe do público. Ele recorda sua relação de dependência materna, a morte de seu pai e os castigos de seus professores.

Visite

“Plural 24h” é a nova exposição do Museu da Diversidade Sexual

O Museu da Diversidade Sexual inaugura no dia 24 de janeiro uma nova exposição. Intitulada “Plural 24h”, a mostra coletiva traz obras de 12 artistas produzidas nas técnicas fotografia e desenho, abordando situações rotineiras vividas por pessoas da comunidade LGBTI+. A entrada é gratuita.

Os trabalhos exibidos em “Plural 24h” retratam as mais diversas ações e situações presentes nesse universo: a vida de trabalho – do formal às apresentações em casas noturnas –, a construção do próprio corpo e a relação com o corpo do outro, o preconceito e a reação em forma de empoderamento, entre outros.

“A exposição faz um registro de como a população LGBTI+ vive ou sobrevive suportando o peso do preconceito ao longo do dia, que é um substantivo singular, formado pelas horas, plural, que constroem o tempo, também singular. Que o tempo consiga mudar essa lógica de exclusão e que possamos um dia respeitar as diferenças de cada um, de cada uma.”
Franco Reinaudo
Diretor do Museu da Diversidade Sexual e curador da exposição

Carolina Carettin nos mostra o ambiente de trabalho de um homem trans: uma sala de aula. Iano Coimbra, em contraste, apresenta cenas de bastidores e apresentações de performers da noite LGBTI+ de Santa Clara, no centro da ilha de Cuba.

Fe Maidel, por meio de desenhos, relata o processo cronológico de construção de seu próprio corpo, ao passo que Melina Rezende nos convida à intimidade de um quarto de motel e Barbara Cunha explora a estética do fetiche.

Rosa Luz, com fotografias em preto e branco, trata da posição de marginalidade à qual as pessoas trans ainda são tratadas em nossa sociedade, enquanto Cleiton de Paula, também com fotos em P/B, exibe registros da Revolta da Lâmpada, movimento que surge com a ideia do “fervo como protesto”, uma reação à agressão, praticada com uma lâmpada, sofrida por um jovem na Avenida Paulista em 2010.

 

onde fica?

“Quadrinhos” é a nova megaexposição do MIS!

Desde 14 de novembro, diversos personagens podem ser encontrados no MIS. O museu inaugurou sua nova exposição, Quadrinhos. Realizada pelo MIS, a mostra – que traz uma ampla retrospectiva da 9ª arte – conta com curadoria de Ivan Freitas da Costa (sócio-fundador da CCXP/Comic Con Experience e da Chiaroscuro Studios) e projeto expográfico da Caselúdico.

Quadrinhos apresenta uma ampla retrospectiva do universo das HQs contada através de revistas, artes originais e itens raros dos diversos gêneros das histórias em quadrinhos – super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste, erótico e muitos outros – em ambientes temáticos e imersivos que ocupam os dois andares do Museu. A exposição também apresenta a influência das HQs na cultura pop e em outras mídias como cinema e TV. 

"A origem da arte sequencial remonta à primeira forma de comunicação do ser humano, que desenhava nas paredes das cavernas para registrar e ajudá-lo a entender o mundo à sua volta. Na exposição apresentamos um amplo panorama dos personagens, criadores e expressões dos quadrinhos no mundo todo de uma perspectiva brasileira, contada através de centenas de itens, a grande maioria deles jamais expostos no país."
Ivan Freitas da Costa
Curador

Para chegar aos mais de 600 itens que integram a exposição, a curadoria levou 18 meses em pesquisas em diversos acervos. Além do próprio curador, cederam peças para a exposição os colecionadores Ricardo Leite, Marcio Escoteiro e Franco de Rosa, o Planeta Gibi, a família de Glauco, Francisco Ucha, Acervo Álvaro de Moya (Centro Universitário Belas Artes de São Paulo), JAL e Gualberto (HQMIX) e diversos artistas como Angeli, Laerte e Ziraldo.

Entre os itens expostos o público poderá ver de perto raridades como a revista com a primeira aparição de Luluzinha, publicada na The Saturday Evening Post em 1935; a edição número 1 de “O Pato Donald” (1950); uma ilustração original de Tintim, de As Aventuras de Tintim, uma das histórias mais conhecidas do belga Hergé; uma arte original da personagem de quadrinhos eróticos Valentina desenhada pelo seu criador, o italiano Guido Crepax; exemplar da revista Giant-Size X-Men 1 (1975) e uma ilustração original de The Spirit, que traz o personagem mais conhecido de Will Eisner. Quadrinhos também conta com um desenho do personagem Garfield feito por Jim Davis exclusivamente para a exposição e um vídeo com o criador do gato mais famoso das tirinhas fazendo o desenho.

Entre os destaques nacionais está uma edição do jornal O Mosquito (1873) com capa de Angelo Agostini, desenhista ítalo-brasileiro que teve intensa atividade em favor da abolição da escravatura no Brasil. Agostini também colaborou com As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte, considerada a primeira história em quadrinhos brasileira e uma das mais antigas do mundo.  A curadoria também teve acesso a desenhos originais de Ziraldo e Glauco. Entre os itens expostos estão um desenho feito a mão feito por Ziraldo com personagens de A Turma do Pererê e um caderno de esboços de Glauco com artes originais para a revista Geraldão, edição número 1.

 

Ambientes temáticos e experiência imersiva

Como em todas suas megaexposições o MIS apresenta uma expografia imersiva que tem como objetivo aproximar o público do tema abordado. Em Quadrinhos, os fãs podem mergulhar neste universo das HQs em ambientes temáticos e lúdicos ao percorrer as 16 áreas da exposição: Origens, Caricaturas e charges, Tiras, Europa, Mangá, Erótico, Mauricio de Sousa, Angelo Agostini, Ziraldo, Brasil, Brasil nas últimas décadas, América Latina, América do Norte, Disney, DC e Marvel.

O projeto expográfico é assinado pela Caselúdico, parceira do MIS em mostras anteriores como O mundo de Tim Burton (2016) e Castelo Rá-Tim-Bum – A exposição (2014). Marcelo Jackow, diretor de criação da Caselúdico e fã de HQs, conta que o projeto de Quadrinhos foi o mais desafiador dentre os elaboradosem conjunto como MIS.  Nosso desafio foi transportar um universo tão vasto e infinitamente rico, cheio da graça, de traço e de gesto para uma imersão espacial que se relacionasse com sua história  em que cada ambiente fosse intimamente ligado com seu conteúdo de forma lúdica e apaixonada”, explica.

 

Programação paralela

Entre novembro e março o MIS realiza uma extensa programação paralela com atividades para adultos e crianças, incluindo cursos, oficinas, exibição de filmes e bate-papo com artistas. Nos primeiros meses estão confirmados o lançamento da HQ A revolução dos bichos (21.11); a Virada Nerd (24 e 25/11) que terá 32 horas de programação voltadas para a temática geek; o Cinematographo Especial  com o filme Sin City (25.11); o lançamento do quadrinho O Judoka (29.11); uma programação especial do Garfield, de Jim Davis, que este ano completou 40 anos (01.12) e o evento Além da Telinha – Especial Superman 80 anos (15.12).

A programação paralela também prevê diversos cursos livres. Já estão abertas as inscrições para sete cursos, incluindo dois durante o período de férias: Fantasia nos quadrinhos (26 de novembro), Concepção de personagens (16 a 30 de janeiro), Folclore e identidade nos quadrinhos nacionais (21 a 30 de janeiro), História em quadrinhos: gênero e representação (4 a 27 de fevereiro); A história do Século XX pela perspectiva dos Quadrinhos (19 a 28 de fevereiro); A sua história em quadrinhos (12 a 28 de março) e A história do Jornalismo em Quadrinhos e sua prática (de 11 de março a 03 de abril). Mais informações no site do MIS.

 

Visitas guiadas pelo Educativo

  • Visitas espontâneas: O Educativo MIS realiza visitas espontâneas às quartas-feiras (com exceção de feriados), sempre às 15h. As visitas atendem grupos de até 20 pessoas e têm duração máxima de uma hora (tolerância de 10 minutos para o início). As visitas para Quadrinhos começam no dia 21 de novembro de 2018.
  • Visitas agendadas: Grupos escolares, universitários e instituições sociais podem agendar a visita no site do MIS. As visitas mediadas têm duração de 90 minutos e atendem diversos perfis de grupos e faixa etárias. Para agendar acesse o site do MIS.  

 

Playlist no Spotify

Especialmente para a exposição o MIS convidou os quadrinistas Adriano Di Benedetto e RB Silva para criar umas playlist para a exposição com músicas que gostam de ouvir enquanto trabalham. Acesse o perfil do MIS e ouça. Para aproveitar ainda mais a experiência, o Spotify oferece wi-fi gratuito para os visitantes do MIS.

Onde fica?

“Respeito” é tema de peça infantil no Museu Catavento

Para marcar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, o Museu Catavento, em parceria com o Grupo de Teatro infantil CIÊNCIA DIVERTIDA, apresentará o espetáculo “Encontro de Sábios – Todos Merecem Respeito”.

A peça terá uma única apresentação, no sábado, dia 08 de dezembro, às 14h30. Toda a família poderá enxergar como é importante se colocar no lugar do outro e respeitar as diferenças e perceber que a união e o diálogo são caminhos para solução de conflitos.

“De maneira lúdica e muito divertida, temos como principal objetivo fazer nossos pequenos espectadores entenderem como o Bullying e a violência são perigosos.”
Júlio Martinez
Diretor da Ciência Divertida

No espetáculo, os protagonistas da aventura encontram um Comitê de Sábios, que analisa o que ocorre quando as crianças acreditam estarem apenas brincando, mas, na verdade, estão praticando Bullying e ferindo os sentimentos de seus amigos. 

O Comitê é composto por crianças da plateia, que participam de várias atividades para desenvolverem habilidades como empatia, negociação, diálogo e respeito às diferenças. Entre as atividades lúdicas, acontece um desfile que enfatiza de forma positiva as características de cada um e uma aula de negociação que explica a importância da união e do diálogo.

 

onde fica?

“Sábado Resistente” terá lançamento de livro sobre movimento dos Tupamaros

No dia 23/6, o Memorial da Resistência promove mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. No evento, será realizado o lançamento brasileiro do livro “A experiência Tupamara: pensando em futuras insurgências”, do uruguaio Jorge Zabalza.

Zabalza, dirigente histórico da MLN-T (Movimento de Liberação Nacional – Tupamaros), reconstrói em seu livro sua resistência e de seus companheiros durante a ditadura militar uruguaia. Zabalza, ou “El Tambero”, enfrentou onze anos de cárcere, nos quais conviveu diariamente com a tortura e isolamento.

O livro de Jorge Zabalza faz uma análise político-histórica do Uruguai, que remonta às lutas anticoloniais e chega às lutas anti-imperialistas de nossos dias, penetrando nas entranhas da opressão e dos massacres por parte das oligarquias contra os pobres e os explorados. Detalha também a repressão política desde as suas origens e, em especial, durante a ditadura militar dos anos 1970/80.

“Este livro, apesar de analisar contingências e posições político-ideológicas a partir de experiências e modelos aplicados naqueles tempos cinzentos, volta-se para o amanhã, para as novas gerações de combatentes – para a juventude progressista da América Latina em particular”, afirma o ex-preso político Geraldo Sardinha. “É preciso estar preparado para o futuro também com as armas fornecidas pelo passado.”

 

Programação

O evento começa às 14h com as boas-vindas da equipe do Memorial da Resistência. A mesa redonda, prevista para acontecer às 14h20, conta com a participação de Carlos Aznares, jornalista nascido no Chile e criado na Argentina, é analista de política internacional em vários meios da imprensa e blogs. Ex-militante do movimento dos Montoneros (Argentina), é atualmente palestrante e diretor do site “Resumen Latinoamericano y del Tercer Mundo”; Anibal Varela, Secretário Geral do Sindicato do Trabalhadores Municipais de Montevideo e Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Uruguai; Jandir Santin, professor de Filosofia e Teologia na cidade de Chapecó. Assessor de vários movimentos populares na formação de lideranças; Gilmar Mauro, integrante da direção nacional do Movimento Sem Terra (MST); Geraldo Jorge Sardinha, ex-preso político, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, do Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaros – Atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos; e Paulo Gomes, advogado, ex-preso político, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN) e atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos. Finalizando a programação, um debate, previsto para às 16h10.

 

Onde

“Sinta-se em casa” no Museu da Imigração!

O mês de dezembro começará com exposição nova no Museu da Imigração, que inaugurará a temporária “Sinta-se em casa” no dia 1º, às 11h00, abordando as múltiplas relações entre a experiência de migrar e a casa, como lugar e conceito. A mostra ficará em cartaz até outubro de 2019.

A curadoria foi estruturada nos eixos “Acolhida”, “Habitar” e “Morada”, discutindo aspectos históricos e contemporâneos da recepção aos migrantes no Brasil e o acesso à moradia, assim como a compreensão de casa como um lugar no qual as pessoas se elaboram e reelaboram, por meio dos objetos com que a compõe, e, também, a noção de sentir-se parte de um lugar, que se dá, por vezes, pelos laços humanos construídos.

 

Em “Acolhida”, o público poderá conhecer a história de casas que recebem e abrigam migrantes que chegam ao Brasil, como era feito na antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, além de compreender questões como a dificuldade de acesso à moradia, por conta das comprovações e rendas necessárias. Neste módulo, a curadoria abordará, também, como eram as construções e a manutenção das casas de colonos nas fazendas, por meio de imagens e depoimentos de migrantes que fazem parte dos arquivos de história oral da instituição.

Os visitantes encontrarão a reconstrução de uma sala em “Habitar”, que trará móveis e objetos pertencentes ao acervo da instituição. Máquina de costura, itens de decoração, telefone, rádio-vitrola e peças relacionadas a hábitos de algumas culturas serão encontrados nesse espaço, que representa a memória de migrantes e descendentes. No mesmo módulo, uma instalação com portas de armários representará o local onde se guardam as malas e bagagens, promovendo uma interatividade com o público.

Por fim, o eixo “Morada” proporcionará uma reflexão sobre como a casa acaba se tornando mais do que uma estrutura física e a relação do ser humano com os objetos. Na busca pela adaptação em uma nova realidade, existem outros pontos que podem auxiliar para que os migrantes se sintam abrigados, protegidos e seguros: pessoas, redes e espaços que os conectem. A curadoria se utilizará, nesse momento, de mural de foto, jornais antigos e novos, áudios de rádios comunitárias, imagens de manifestações coletivas, entre outros elementos, para apresentar essas conexões.

Onde fica?

“Sonho de uma noite de verão” é o filme do Jardim Paradiso de fevereiro

Para começar 2019 com o pé direito, a primeira sessão do Jardim Paradiso, realizada mensalmente na Casa das Rosas, exibirá o filme Sonho de uma noite de verão (1935). No dia 21 de fevereiro, das 19h às 21h, a comédia dirigida por William Dieterle e Max Reinhardt tomará conta do museu. A sessão é gratuita e não precisa de inscrições. Prepare a pipoca e aproveite! 

A adaptação da obra homônima de William Shakespeare, que é um clássico da primeira metade do século 20, traz uma paisagem preenchida por elfos e fadas para contar a história quatro amantes. Não se sabe com precisão quando a peça foi apresentada, mas a estimativa é que tenha sido entre 1594 e 1596. Com influência da mitologia greco-romana, a obra inglesa ainda é um dos marcos do teatro e da literatura mundiais.  

onde fica?

“Sonho de uma Noite de Verão” estreia em novembro no Theatro São Pedro

Estreia em 10 de novembro, a quarta e última montagem da temporada lírica 2018 do Theatro São Pedro. Desta vez a obra escolhida é a contemporânea Sonho de Uma Noite de Verão, composta por Benjamin Britten, o primeiro grande compositor inglês desde Henry Purcell, do século XVII e tido como um dos precursores na produção operística de seu país. Ao todo serão cinco récitas, a ópera fica em cartaz até o dia 18 e os ingressos custam de R$ 30 a R$ 80 (inteira).  

Com direção cênica de Jorge Takla, que tem assinadas diversas produções de ópera, teatro e musicais, figurinos de Fábio Namatame, iluminação de Caetano Vilela e cenografia de Nicolás Boni, a montagem tem direção musical de Cláudio Cruz, que comanda a Orquestra do Theatro São Pedro e um coro formado especialmente para a produção. Também integra o time Anselmo Zolla, que assina a coreografia.

Do elenco principal, destaque para a contralto Kismara Pessatti, uma das grandes representantes do país no cenário lírico internacional e que atualmente mora na Alemanha, aqui no papel de Oberon, o Rei das fadas e a soprano Rosana Lamosa como Tytania, a Rainha das fadas.

A mezzo Luciana Bueno (Hermia), a soprano Manuela Freua (Helena), o tenor Daniel Umbelino (Lysander) e o barítono Johnny França (Demetrius) formam o quarteto amoroso da ópera. O ator Rodrigo Lopéz interpreta o trapaceiro Puck e no papel do rústico Bottom, que se transforma em asno, o barítono Homero Velho.

A ópera em três atos é baseada na peça Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare. Com atmosfera de magia e humor, o libreto foi uma adaptação feita pelo tenor Peter Pears, amigo e parceiro de Britten em muitas de suas obras. Foi só estrear em junho de 1960, em Londres, para Sonho de Uma Noite de Verão consolidar-se no repertório operístico mundial e tornar-se uma das montagens mais interpretadas desde a segunda Guerra Mundial.

Fiel ao espírito original, a obra de Britten é considerada uma das mais bem-sucedidas adaptações operísticas de uma peça de Shakespeare. Para críticos, é possivelmente a mais sedutora e encantadora de todas as óperas de Britten.

Sonho de Uma Noite de Verão fica em cartaz de 10 a 18 de novembro e as récitas acontecem na quarta, sexta e sábado, às 20h, domingo, às 17h e segunda, em novo horário do Theatro São Pedro, excepcionalmente às 14h. Uma oportunidade de acesso a novos públicos, como estudantes da rede pública de ensino.

A HISTÓRIA

Em um bosque mágico de Atenas, no curto tempo de uma noite de verão, os limites entre sonho e realidade desaparecem. Nele, cruzam-se três mundos: o misterioso, o lírico dos amores e o “real” dos homens. O misterioso é representado pelas fadas, os reis Tytania e Oberon, e seu criado Puck. O universo lírico é retratado pelos amores contrariados de quatro jovens amantes da corte de Theseus: Lysander, Demetrius, Hermia e Helena, que fogem da cidade para o bosque. Já o mundo dos homens é constituído pelos artesãos e seu teatro amador ensaiado, onde os personagens preparam uma peça para celebrar o casamento de Theseus com Hippolyta.

Com raiva porque sua esposa, a rainha Tytania, briga pela posse de uma criança, Oberon, o rei do mundo das fadas, instrui o trapaceiro Puck a conceber um feitiço, causado por uma poção de uma erva mágica, que ao ser borrifada nas pálpebras de alguém que dorme, causa paixão doentia pela primeira criatura que vir ao acordar. Enquanto isso, no bosque mágico, um grupo de rústicos artesãos planeja montar uma peça para o casamento de Theseus.

Os enganos de Puck, personagem mitológico caracterizado por ser malicioso e travesso, provocam grande confusão entre os casais de apaixonados – Hermia e Helena, Lysander e Demetrius. Enquanto os artesãos ensaiam, Puck enfeitiça Bottom, o líder do grupo, transformando sua cabeça na de um burro. Enfeitiçada também pela mesma poção, a rainha Tytania se apaixona pelo homem da cabeça de burro, e instrui duas fieis fadas-servas a cortejá-lo.  

O rei do mundo das fadas Oberon, livra Tytania do feitiço e organiza toda a confusão dos casais feita pelo Puck. Ao despertarem, comemoram o fim do feitiço e celebram seu amor. Os artesãos, que estavam no meio da confusão, apresentam sua ridícula peça cômica Píramo e Tisbe na comemoração do casamento de Theseus, governante do reino do mundo dos homens.

A MONTAGEM DO THEATRO SÃO PEDRO

Composta por elementos poéticos, a montagem tem como proposta romper a teatralidade da obra dramatúrgica de Shakespeare, escrita em meados de 1590. Trata-se de uma peça cômica, mesmo que ainda contenha a seriedade da reflexão sobre a indefinição sobre o que é fantasia e o que é realidade. O elenco é formado por 31 profissionais, entre corpo principal de solistas e coro.

A sofisticação musical da partitura de Britten terá direção do maestro Cláudio Cruz, que no ano passado esteve à frente de duas elogiadas produções do São Pedro: Don Giovanni, de Mozart e La Belle Hélène, de Jacques Offenbach. Ele estará à frente da Orquestra do Theatro São Pedro e de um coro selecionado por audição, formado por jovens de diferentes instituições que integram alguns dos melhores grupos de São Paulo.  

Na criação de Nicolás Boni, uma floresta invade todos os espaços de cena e uma escadaria de um palácio que não leva a lugar algum. Sob um céu noturno, onde as nuvens remetem à ideia de sonho, a vegetação verde da floresta invade torna-se o ambiente perfeito para o habitat dos personagens místicos da montagem.

Fábio Namatame mescla a dualidade da relação entre a fantasia e a realidade. O figurinista buscou nos desenhos antigos sobre sonhos referência para as cerca de 70 peças que vestem todo o elenco. Imagens feitas por Jung e Freud, e outras do começo do século XX, antes mesmo do surgimento da psicanálise, serviram de ponto de partida.

A coreografia dirigida por Anselmo Zolla é baseada nas sensações, de como o irreal pode ser real. Vai na contramão de outras montagens, onde se busca o lúdico pelo espaço concreto da realidade. A relação de inversão que a obra propõe ao público está presente nesta produção.

Onde fica?

“SP Cultura no Metrô” leva música, dança e teatro para diversas estações

A partir do dia 28/6, o projeto SP Cultura no Metrô levará programação especial para diversas linhas do Metrô da capital paulista. Além de espetáculos de teatro, música e dança, também serão realizadas apresentações de músicos profissionais ou amadores, que poderão se inscrever através de chamamento que estará disponível em breve no site da Secretaria da Cultura do Estado.

O lançamento da iniciativa acontece no dia 28/6, às 10h, na Estação da Sé da Linha 3-Vermelha, com apresentação da Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica. Participam da abertura o secretário da Cultura do Estado Romildo Campello, o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni e o presidente do Metrô, Paulo Menezes.

As atividades vão até dezembro de 2018 e serão divididas em duas frentes:

  • Músicos de Rua – apresentações de músicos profissionais ou amadores nas estações do Metrô.
  • Arte Cultura nas Estações – apresentações de teatro, música e dança em estações do Metrô. Na primeira semana, serão realizados 13 espetáculos – confira a agenda abaixo. Até dezembro, serão realizadas 75 intervenções culturais.

 

PROGRAMAÇÃO – 28 e 29 de junho

Linha 3 – Vermelha

 

Estação Sé

9h00 – Caco Mattos, “Dança Comigo” [dança]

10h00 – Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica [música]

Estação República

12h00 – Vanitta, cover da Anitta [música]

Estação Marechal Deodoro

12h00 – Quarteto de Cordas da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

12h00 – Jazz Sinfônica [música]

Estação Brás

17h00 – Nélio Henrique e Alan [sertanejo]

 

Linha 1 – Azul

 

Estação Luz

11h00 – São Paulo Companhia de Dança, “Pivô [dança]

Estação São Judas

17h00 – Trio Beijo de Moça [Forró]

 

Linha 2 – Verde

 

Estação Paraíso

15h00 – Suellen Luz, “Um Passeio Pela Música Brasileira” [pop]

Estação Ana Rosa

16h00 – Caminho Suave [reggae]

Linha 3 – Vermelha

 

Estação República

12h00 – Quarteto de Metais da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

15h00 – Banda Sinfônica da Fábrica de Cultura Sapopemba [música]

 

Linha 1 – Azul

 

Estação Luz

17h00 – Power Mix Crew [dança de rua]

“A parceria permitirá o acesso de milhões de pessoas a múltiplas intervenções culturais. A produção cultural do estado multiplicada e compartilhada ao vivo e em cores. Atrações de qualidade e gratuitas para a população.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado

“O Metrô é um sistema de transportes sempre aberto às manifestações culturais e artísticas. Já na década de 1970, obras de arte foram instaladas nas estações. Temos obras de renomados artistas, como Tomie Ohtake, Alex Flemming, Antonio Peticov, Claudio Tozzi e Francisco Brennand. Agora vamos abrir espaço para a música, dança e teatro, levando ainda mais opções para nossos usuários”, explica o secretário de Transportes Metropolitanos Clodoaldo Pelissioni.

O Metrô de São Paulo foi pioneiro em estimular os diferentes tipos de projetos na área cultural. A primeira é a escultura “Garatuja”, do artista Marcelo Nitsche, na estação Sé, desde 1978. Atualmente, o acervo do Metrô conta com 91 obras de arte dispostas em 37 estações do sistema. O programa Linha da Cultura, a partir de 1986, passou a disponibilizar gratuitamente espaços para manifestações artísticas das mais variadas formas – artes visuais, exposições fotográficas, performances, apresentações musicais e teatrais – nas estações.

O sistema metroviário paulista possui 89,7 quilômetros de extensão e 79 estações, transportando 4,5 milhões de usuários por dia. Pela quarta vez consecutiva, foi eleito como o melhor serviço de transporte da cidade de São Paulo em pesquisa realizada do Instituto Datafolha.

“Território Cultural Livre” debate negritude na SP Escola de Teatro

No dia 5/5, a partir das 10h, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco promove debates e apresentações artísticas com a participação de artistas e estudiosos negros, cujos trabalhos e militância abordam os espaços que ocupam na sociedade. Entre os convidados então a rapper Luana Hansen, o coreógrafo Ismael Ivo (diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo), a escritora Stephanie Ribeiro (colunista dos sites Blogueiras Negras e Huffpost Brasil e das revistas Capitolina e Marie Claire) e o diretor e ator Eugênio Lima, do Núcleo Bartolomeu de Depoimento.

O evento gratuito, chamado Território Cultural Livre, acontece na sede Brás da SP Escola de Teatro e é organizado pela própria escola em parceria com o Núcleo Negro, coletivo de aprendizes da Instituição. O tema desta edição está relacionado às discussões propostas em sala de aula, levantando questões sobre a negritude em diferentes esferas.

A Cia. Carne Agonizante também marca presença nesta edição do Território Cultural Livre, apresentando o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado nas obras política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado “o inimigo número um” da ditadura militar brasileira.

“Com os Territórios Culturais, a SP Escola de Teatro abre espaço para que artistas compartilhem suas reflexões e seus trabalhos com nossos estudantes e com a cidade. A ideia surge a partir do conceito de espaço solidário do geógrafo Milton Santos, que defendia que um espaço de formação só faz sentido quando se constitui como espaço solidário, de troca de conhecimentos.”
Joaquim Gama
Coordenador pedagógico da SP Escola de Teatro

Para compor esta edição de Território Cultural Livre, a SP Escola de Teatro contou com a participação dos aprendizes do coletivo Núcleo Negro, que articulou a vinda dos convidados da programação. “A principal ideia foi trazer estudiosos que tenham visibilidade nas áreas em que atuam. São pessoas que conseguem desenhar, a partir da sua própria trajetória, uma outra perspectiva possível sobre o que é ser negro hoje em dia”, explica a estudante Nina Oliveira, aprendiz do curso regular de Sonoplastia e integrante do Núcleo. “Temos na programação desde colegas do teatro e da música a uma economista e uma cientista política: todos atuando em espaços que foram alcançados com seus trabalhos e militância, enfrentando questões como racismo e machismo.”

 

PROGRAMAÇão

 

O evento tem início às 10h, com uma apresentação do grupo Odara Negrada, que já esteve na Escola anteriormente. O show do coletivo traz canções afro-brasileiras em português e iorubá, executadas ao som das batidas da alfaia e do batá. Às 11h00, a Cia. Carne Agonizante apresenta o espetáculo “Não Tive Tempo para Ter Medo”, inspirado na obra política e poética de Carlos Marighella (1911-1969), guerrilheiro e escritor que chegou a ser considerado o inimigo número um da ditadura militar brasileira.

O primeiro encontro do ciclo de conversas acontece ao meio-dia, com o tema “O Povo Negro é Cultura de Resistência”. Participam do debate: a rapper Luana Hansen, a psicóloga Priscila Santos (do Núcleo Negro de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da UFABC), o ator e DJ Eugênio Lima (do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e Frene 3 de Fevereiro), o diretor e dramaturgo Zé Fernando (do grupo Teatro dos Narradores e Cia. Os Crespos) e Ismael Ivo, coreógrafo e diretor artístico do Balé da Cidade de São Paulo.

Em seguida, às 13h40, o performer, músico, compositor e pesquisador da cultura afro diaspórica Will Oliveira apresenta a performance “Brasil Negreiro” no pátio da SP Escola de Teatro.

A primeira sessão da mostra Perspectivas do Audiovisual Negro acontece às 14h30 e contará com a participação da atriz Shirlena Marabilis e da roteirista Pricilla Costa (curta: “A Alma do Cinema Não Tem Cor”), do cineasta Renato Cândido (curta: “Jennifer”) e do roteirista e diretor Valter Rege (curta: “Preto no Branco”). Depois do bate-papo com os convidados, os curtas serão exibidos novamente.

O segundo encontro do ciclo de conversas deste Território Cultural tem como tema “Reconstruindo o Imaginário Social da Mulher Negra” e discute a reconstrução do pensamento sobre a mulher negra, que sai de um lugar de submissão no imaginário social para ser vista em espaços de construção de saberes. Participam do debate: a escritora e ativista Stephanie Ribeiro, Juliete Vitorino (membro da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio), Alessandra Almeida (pesquisadora em políticas públicas sobre gênero, raça e classe e membro da Marcha das Mulheres Negras de SP) e Rafaela Carvalho, economista e militante do Movimento de Mulheres Olga Benário.

As atividades do dia chegam ao fim com a apresentação musical Vozes Urbanas, às 15h50, que reúne jovens artistas apresentando seu projeto autoral.

“The Square” tem exibição gratuita no MIS

Exibição é gratuita e será seguida de debate!

(mais…)

“Hilma af Klint: Mundos Possíveis” na Pinacoteca

Com patrocínio de Banco Bradesco e Ultra, chega pela primeira vez na América Latina uma mostra individual da pintora sueca Hilma af Klint (1862-1944), cujo trabalho vem sendo reconhecido como pioneiro no campo da arte abstrata e que passou despercebido durante grande parte do século XX.

Hilma af Klint frequentou a Real Academia de Belas Artes, principal centro de educação artística da capital sueca, mas logo se distanciou do seu treino acadêmico para pintar mundos invisíveis, influenciada por movimentos espirituais como o Rosa-cruz, a Teosofia e, mais tarde, a Antroposofia. Ela integrou o As cinco”, grupo artístico composto por artistas mulheres que acreditavam ser conduzidas por espíritos elevados que desejavam se comunicar por meio de imagens e já experimentavam desde o final do século 19 a escrita e o desenho automático, antecipando as estratégias surrealistas em mais de 30 anos.

A exposição inclui 130 obras. Destaque para a série intitulada “As dez maiores”, realizada em 1907 e considerada hoje uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental, já que antecede as composições não figurativas de artistas contemporâneos a af Klint como Kandinsky, Mondrian e Malevich. Além deste conjunto, a exposição em São Paulo contará com algumas séries de obras que nunca foram apresentadas ao público.

 

A mostra da Pina tem curadoria de Jochen Volz, diretor geral da instituição, em colaboração com Daniel Birnbaum, diretor do Moderna Museet e da Hilma af Klint Foundation. “O trabalho de Hilma af Klint dialoga de certa forma com o sincretismo e a pluralidade de cosmovisões tão presente na cultura do Brasil. A serialidade encontrada em sua obra também aparece na arte brasileira, em especial no concretismo e neoconcretismo”, explica Volz.

O trabalho de af Klint foi exposto pela primeira vez em 1986 na mostra “The Spiritual in Art: Abstract Paintings 1890–1985”, realizada no Los Angeles County Museum of Art, mas apenas a grande retrospectiva organizada pelo Moderna Museet de Estocolmo em 2013 e, consequentemente, a sua itinerância pela Alemanha, Espanha, Dinamarca, Noruega e Estônia permitiu que o trabalho de af Klint fosse reconhecido internacionalmente. Há 10 anos suas obras participam de exposições realizadas na Europa e Estados Unidos.

Hilma af Klint: Mundos Possíveis” permanece em cartaz até 16 de julho de 2018, no primeiro andar da Pina Luz – Praça da Luz, 02. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00 – os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Crianças com menos de 10 anos e adultos com mais de 60 não pagam. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos os visitantes. A Pina Luz fica próxima à estação Luz da CPTM. 

“Isso É Coisa de Preto” – nova exposição no Museu Afro Brasil

Nos 130 anos da abolição da escravidão (1888), o Museu Afro Brasil ressalta a competência, o talento e a resistência negra nos campos da arquitetura, artes plásticas, escultura, ourivesaria, literatura, música, dança, teatro, idioma e costumes, através da nova exposição, “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão”, com curadoria de Emanoel Araujo. A mostra destaca a produção dos séculos XIX e XX, por meio de pinturas, fotografias, litografias, esculturas e desenhos que evidenciam e valorizam a fundamental contribuição africana e afro-brasileira na construção do país.

“'Isso é Coisa de Preto' é um jargão, um termo preconceituoso e racista nacional, muito usado para descriminar a condição de ser afro-brasileiro. Ressignificar tal terminologia, com o objetivo de ressaltar que ‘coisa de preto’ é ter excelência nas artes, ciências, esportes, medicina e em outros campos relevantes da sociedade, é um dos objetivos da exposição.”
Emanoel Araujo

Mulheres e homens negros que marcaram época na recente história brasileira em suas respectivas áreas, tais como o médico Juliano Moreira, o poeta Luiz Gama, o escritor Manuel Querino, a cantora Elza Soares, o editor Francisco Paula Brito, os músicos Dorival Caymmi, João do Vale, Cartola, Milton Nascimento, Luiz Melodia, Jamelão, Pixinguinha, Paulinho da Viola e Itamar Assumpção, a bailarina Mercedes Baptista, o abolicionista José do Patrocínio, a atriz Ruth de Souza, o jogador Pelé, Madame Satã, entre outros, estão entre as personalidades negras representadas na mostra.

Nomes como o dos irmãos Arthur Timótheo e João Timótheo, Heitor dos Prazeres, Solano Trindade, Yedamaria, Mestre Valentim, Nelson Sargento, Eustáquio Neves, Walter Firmo, Rubem Valentim, Estevão Silva, José Teóphilo de Jesus, Benedito José Tobias, Mureen Basiliat, Rafael Pinto Bandeira, Washington Silveira, Otávio Araujo, Waldomiro de Deus, Antonio Firmino Monteiro, Pierre Verger, Carybé, João Alves, Maria Lídia Magliani, Caetano Dias, Belmiro de Almeida, Mestre Benon e João da Baiana são alguns dos artistas com trabalhos na expostos na mostra.

“Se por um lado a data marca os 130 anos da extinção do trabalho escravo no Brasil, por outro ainda somamos 400 anos de preconceitos, racismo e indiferença das elites oligárquicas desse país com relação aos negros e negras. São 400 anos de ausência de políticas públicas capazes, ao menos, de sanar esses absurdos que não só envolvem a questão de cor e de raça, mas também a pobreza que atinge as comunidades onde a maioria negra é constantemente objeto do maltrato, do isolamento e da violência noticiada todos os dias pela imprensa, como se normal fosse o mal que atinge em pleno século XXI essa camada da população excluída da educação, da saúde, da moradia e dos direitos e privilégios das outras classes sociais”, afirma o curador sobre os 130 anos da abolição da escravatura no Brasil.

O grupo Os Escolhidos, criado em 2014, no Brasil, e formado por imigrantes e refugiados da República Democrática do Congo, se apresentará durante abertura da exposição “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão”, que acontece no sábado, dia 12/5, às 11h. Na ocasião, o grupo entoará diferentes gêneros musicais como rumba congolesa, acapela, zouk, world music, além de estilos próprios da região do Congo cantados em diferentes idiomas como lingala, kikongo e swahili.

“Kaunas 1919-1939: Capital Inspirada pelo Movimento Moderno” é a nova mostra da BVL

A arquitetura de Kaunas, segunda maior cidade da Lituânia, no início do século XX é tema da nova exposição em cartaz na Biblioteca Parque Villa-Lobos, “Kaunas 1919-1939: Capital Inspirada pelo Movimento Moderno”, com curadoria de Gintaras Balčytis, arquiteto e diretor do Festival de Arquitetura de Kaunas. Em cartaz a partir do dia 8 de dezembro, às 11h, a mostra é uma parceria entre a Secretaria da Cultura do Estado, a Secretaria do Meio Ambiente e o Consulado Geral da Lituânia em São Paulo.

Nos meandros da história do início do século XX, Kaunas inesperadamente ocupou um lugar importante no mapa da Europa e aproveitou a oportunidade para tornar-se um centro europeu e uma cidade de arquitetura modernista do período entre guerras. Sua arquitetura lhe deu um novo rosto, que faz com que o lugar, até hoje, conserve uma aura inextinguível que não se deixou vencer nem pelo modo de vida unificado do sistema soviético, nem pela sua arquitetura sem rosto. De uma cidade isolada de província, transformou-se no centro do país.

Provavelmente o melhor que poderia ter acontecido a Kaunas no que se refere à arquitetura aconteceu no início do século XX. Nessa época surgiram personagens que serviram de exemplo a toda uma geração de arquitetos lituanos, e a atual escola de arquitetura lituana formou-se baseada nessa arquitetura. O estilo de vida da sociedade se reflete na arquitetura, e a arquitetura também afeta o pensamento das pessoas. 

Kaunas conseguiu acumular um tesouro arquitetônico moderno num território compacto, que pode competir com a arquitetura moderna do século XX da Cidade Branca de Tel Aviv, de Budapeste, de Weimar ou de outras grandes cidades europeias. Fotografias que expõem essa riqueza arquitetônica estarão expostas na Biblioteca Parque Villa-Lobos até 20 de janeiro de 2019, com entrada gratuita.

 

onde fica?

“Na Cultura, nenhum corte será feito”

Governo assegura manutenção de programas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

(mais…)

“Oscar do Circo” tem apoio da #CulturaSP!

Em maio, o Brasil recebe duas produções inéditas importantes para o mundo circense: o “1st Cirque International Festival of Brazil Contest”, considerado o “Oscar do Circo” e que já acontece em diversas cidades cosmopolitas de países como França, Ucrânia, Itália, China, e o espetáculo “Reverie”, com uma série de apresentações circenses. As atrações acontecerão no Anhembi, na capital paulista, e contam com organização da La Force Productions e da Spacial Cultural Entretenimento. Os eventos tem o apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

O “1st Cirque International Festival of Brazil Contest”, que será realizado de 2 a 6 de maio, é uma importante oportunidade para que talentos nacionais participem pela primeira vez de uma das competições mais importantes no segmento e tenham a chance interagir e trocar experiências com artistas de diversos lugares do mundo, além de especialistas circenses.

Serão 70 artistas de países como China, Ucrânia, Rússia, Argentina, Suécia, Canadá, USA, Etiópia, Moldova, entre outros, e de diversos estados brasileiros. O júri também terá participação de referências no mundo circense, como Eugene Chaplin,  filho de Charlie Chaplin, atual presidente do Festival Internacional de Cinema de Comédia de Vevey e diretor do documentário “Charlie Chaplin: A Family Tribute”, entre outros espetáculos.

O festival foi criado em 1974 pelo Príncipe Rainier III com o nome de Monte-Carlo International Circus Festival, e tornou-se o maior e mais importante do segmento no mundo. Em 2006, a Princesa Stéphanie de Mônaco assumiu a presidência do Festival e proporcionou ainda maior projeção. O “1st Cirque International Festival of Brazil Contest” seguirá os moldes da produção de Monte-Carlo, com o apoio da organização internacional do festival.

“Reverie”, que em português significa “Devaneio”, estreia no dia 11 de maio e seguirá com apresentações até 12 de agosto, com dezenas de atrações exclusivas que prometem levar o público a uma viagem em um universo utópico cheio de emoções surpreendentes. Nele, um simples homem, através de um sonho, passa a viver em um turbulento mundo governado por um estranho feiticeiro, enfrentando obstáculos e dificuldades para provar seu amor a uma bela princesa. Para que esse sonho se torne realidade, precisará acreditar nesse novo mundo, readquirindo sua verdadeira identidade de força e poder, libertando todos os seres dominados pelo “Reverie”, trazendo liberdade e esperança para conquistar o seu grande amor.

A produção artística de ambos os eventos estará a cargo de Mathieu Laplante, canadense fundador da Showtime Solution, que treinou e competiu como ginasta nacionalmente e internacionalmente. Na direção técnica estará Vincent Schonbrodt, que atuou no início da sua carreira como artista no show “O” do Cirque du Soleil, em Las Vegas. No Brasil, criou sua própria empresa de montagem técnica no Rio de Janeiro, e destacou-se pela elaboração artística da Olímpiada Rio 2016.

Mais detalhes dos eventos estão disponíveis nos sites www.cirquefestivalcontest.com.br e www.showreverie.com.

 

“Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol”: esporte e diversão para toda a família

Dezembro começa com um evento de esporte, cultura e entretenimento para toda a família, na área externa do Museu do Futebol. É o “Se joga na Praça – Decathlon e Museu do Futebol: esporte e diversão para toda a família”.

De 6 a 9/12, de quinta a domingo, das 10h às 17h (exceto dia 8/12 que será das 9h às 15h), uma programação esportiva/recreativa irá estimular a prática da atividades físicas e a descoberta de novas modalidades, ressaltando a arte do convívio proporcionado pelo esporte. 

Divididas em quatro circuitos (Recreativo; Poliesportivo; Bem-estar e Ptinação/Skate), as atividades incluem aulas de futebol e rugby, aulas de Yoga, alongamento, além de atividades para as crianças, de equilíbrio, subir cordas e ‘teia de aranha’. Completa o dia de muita diversão a visita ao Museu do Futebol (ingressos: R$ 12 inteira I R$ 6 meia-entrada).

 

programação

“A ludicidade, o brincar junto, a convivência intergeracional e a atividade em equipe proporcionam - além do estímulo à prática esportiva e à vida saudável - o desenvolvimento da cidadania, do respeito e da integração. A parceria com a empresa Decathlon proporciona quatro dias de atividades abertas, gratuitas, para toda a família."
Eric Klug
Diretor executivo do Museu do Futebol

CIRCUITO RECREATIVO

Pular corda
Pular muro por cima
Pular muro pelo meio
Passar pelo muro por baixo
Teia de aranha (trama de corda fixa c/ grama sintética) para as crianças atravessarem o obstáculo
Gangorra de madeira

CIRCUITO POLIESPORTIVO

Futebol
Aulas de falta
Aulas de pênalti
Aulas de dribles

Rugby
Aulas de defesa
Aulas de Ataque
Aulas de Arremesso

CIRCUITO BEM-ESTAR

Aulas Yoga
Aulas de Alongamento
Aulas de Dança

CIRCUITO PATINAÇÃO/SKATE

Pista com mini cones no vão central

 

onde fica?

“Só Samba” é o novo concerto da Jazz Sinfônica no Memorial

O Memorial da América Latina será novamente palco para duas inéditas apresentações da Orquestra Jazz Sinfônica Brasil. Os concertos serão apresentados nos dias 23 e 24/3 no Auditório Simón Bolívar. Os ingressos tem preço promocional único de R$ 20 e podem ser adquiridos pelo site: www.ingressorapido.com.br.

A temática do repertório, sempre na tradicional linha de prestar homenagem aos grandes compositores, dessa vez contempla a interpretação de 12 dos mais consagrados sucessos da fina flor do samba nacional.  

Sob a regência do maestro Fábio Prado, a Jazz preparou arranjos à altura das obras de autores que fizeram história na MPB dos últimos 60 anos. Na apresentação, serão apreciados sucessos de Adoniran Barbosa, Ary Barroso, Chico Buarque, Gilberto Gil, entre muitos outros. 

Confira o programa completo para as duas noites de concerto:

 

Camisa Listrada – Assis Valente

Conselho de Mulher – Adoniran Barbosa

Corcovado – Tom Jobim

Deixa a Menina –  Chico Buarque

É Luxo Só – Ary Barroso e Luís Peixoto

Espinha de Bacalhau – Severino Filho

Incompatibilidade de Gênios – Aldir Blanc &João Bosco

Meio de Campo – Gilberto Gil

Preciso Me Encontrar – Candeia

Serenou – Délcio Carvalho

Vai Passar – Chico Buarque e Francis Hime

Vou Festejar – Dida e Jorge Aragão

Regência: Fábio Prado

Solista: Michel Moraes

“SP Cultura na Rua” leva música para o Jardim São Luís!

Projeto leva artistas de rua para as periferias da capital

(mais…)

“Viagem Gastronômica” de maio homenageia as mães

As mamães serão as grandes homenageadas da edição de maio do programa “Viagens Gastronômicas”, que será realizado no dia 26/5, das 15h30 às 17h, na Biblioteca de São Paulo! Dessa vez, a inspiração vem de Ana Terra, personagem do primeiro volume da consagrada trilogia “O tempo e o vento”, de Érico Veríssimo. A partir da trajetória da mulher que luta para conseguir o próprio sustento nas lavouras dos Pampas junto ao seu filho, e encontra coragem para seguir em frente, sem perder a esperança, o leitor se depara com ingredientes das colheitas que dão um sabor especial às refeições preparadas pelo povo gaúcho.

Os participantes aprenderão as receitas dos pratos abóbora com charque e bolo ninhos de pêssego, e, ao final, terão a oportunidade de degustar. A atividade será ministrada por Dolores Freixa, historiadora, guia de turismo cultural, professora de História da Gastronomia e escritora de livros sobre cultura gastronômica – é co-autora do livro Expedição Brasil Gastronômico, que ganhou o Prêmio Jabuti em 2014 – e Solange Aparecida Barbosa Botura, professora de Técnicas de Cozinha, Eventos Gastronômicos e Cozinha Brasileira.

“A ideia é estimular o público a pensar na vida dos personagens dos livros: como se alimentam, como é a gastronomia da cidade onde é ambientada a história, como são os costumes. É pensar na gastronomia também como cultura”, explica Dolores. “A atividade faz parte desse conceito de ‘biblioteca viva’, que vai além do empréstimo de livros. Ela se torna um espaço de cidadania, serviços, programação para todos os públicos”, afirma Silvia Antibas, Coordenadora da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. “A literatura traz uma herança cultural para compartilhar. E a biblioteca é o espaço onde a discussão sobre o tema deve acontecer. Afinal, a biblioteca é muito mais do que um lugar de livros”, complementa Pierre André Ruprecht, diretor executivo da SP Leituras, organização social que faz a gestão da Biblioteca.

Receitas

Abóbora com Charque

Bolo Ninhos de Pêssego

Ingredientes

2 colheres (sopa) de óleo

1 cebola cortada em cubos pequenos

6 dentes de alho amassados

1 pimentão verde pequeno cortado em cubos

4 tomates sem pele, sem sementes picados em cubos pequenos

1 kg de carne seca cortada em cubos, dessalgada e cozida

1 kg de abóbora cabotiá cortada em cubos médios

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

2 colheres (sopa) de salsa picada   

Sal, se necessário

Pimenta do reino a gosto

 

Modo de Preparo

Numa panela, coloque o óleo e doure levemente a cebola e o alho. Junte o pimentão, os tomates, a pimenta do reino e a carne seca. Acerte o sal. Refogue e acrescente água quente aos poucos até que tudo esteja cozido e um molho se formar na panela. Coloque a abóbora e deixe cozinhar até ficar macia sem desmanchar.

Ingredientes

6 ovos

3 xícaras de chá de farinha de trigo

3 xícaras de chá de açúcar

12 colheres de sopa de água

1 colher de sopa de fermento em pó

1 lata de leite condensado

1 pacote de coco ralado em flocos

1 lata de pêssegos em calda

 

Modo de Preparo

Bater as claras em neve. Na batedeira colocar as gemas e bater com a água até dobrar o volume, acrescentar o açúcar e bater até ficar bem cremoso. Adicionar a farinha aos poucos batendo sempre até a massa formar bolhas que estouram. Acrescente o fermento só misturando. Acrescentar as claras à massa, mexendo lentamente até ficar tudo incorporado. Levar ao forno pré-aquecido em assadeira untada e polvilhada com farinha por aproximadamente 40 minutos ou até ao teste do palito. Desenformar e deixar esfriar. Recortar o bolo com um cortador de mais ou menos 5 cm de diâmetro. Umedecer com o leite condensado, passando também nas laterais. Passe os bolinhos no coco em flocos ralado e enfeite cada um com uma metade de pêssego em calda escorrido.

Como participar?

 

Os interessados não precisam fazer inscrição prévia. Basta comparecer no dia. As vagas serão preenchidas por ordem de chegada, portanto, não deixe para a última hora!

 

Visite

“VIVA! Sabores da África” leva gastronomia de três países ao Museu da Imigração

Edição do projeto apresenta comidas típicas do Marrocos, Congo e Moçambique e ainda oferece ao público uma oficina de culinária e atração musical (mais…)

#Cineciência de fevereiro: A Rede Social

Após a sessão no dia 25, domingo, acontece um debate com o público. Entrada Gratuita! (mais…)

#CineCiência do MIS debate o filme “A Chegada”

Amy Adams e Jeremy Renner interpretam especialistas em comunicação chamados a ajudar nos contatos com alienígenas que chegam à Terra em 12 naves. Ela é especialista em linguística e ele um matemático. Ambos precisam responder à pergunta “o que vocês querem?” …

cena do filme A Chegada: momento de tentativa de contato dos humanos com os alienígenas

A edição de maio do #CineCiência do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, exibe no dia 20 de maio, às 16h00, o filme A chegada/Arrival (Dir. Denis Villeneuve, EUA, 2016, Ficção científica/Drama/Suspense, 116 min), que aborda, entre outras questões, as possibilidades de comunicação com os seres extraterrestres explorando a linguística e a computação. Após a exibição, o filme será debatido por José Luis Goldfarb e a historiadora Laura Trachtenberg Hauser. Sessão gratuita e para participar basta retirar ingresso uma hora antes do início na recepção do museu.

Sinopse: Seres extraterrestres chegam em doze naves e pousam em doze pontos diferentes da Terra. Após as autoridades americanas perceberem que eles querem fazer contato, a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma renomada linguista que já ajudara o Estado anteriormente, em conjunto com o experiente físico Ian Donnelly (Jeremy Renner), são procurados por militares para interagirem com as criaturas, traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. Ambos são pressionados a descobrir o propósito dos extraterrestres o mais rápido possível, assim como outras onze equipes de países onde as naves pousaram. Porém, os interesses políticos, a corrida pela supremacia, o medo do desconhecido e as diferenças culturais entrarão no caminho da ciência e apenas Louise tem a chave para desvendar esse mistério.

O longa estrelado por Amy Adams, Jeremy Renner e Forest Whitaker, teve sua primeira exibição no Festival de Cinema de Veneza em 1º de setembro de 2016 e foi lançado nos Estados Unidos em 11 de novembro de 2016 pela Paramount Pictures. O filme foi aclamado pela crítica especializada, que elogiou a atuação de Adams, a direção de Villeneuve e a originalidade do roteiro. Teve oito indicações ao Oscar 2017, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Adaptado, mas venceu apenas na categoria de Melhor Edição de Som.

DEBATEDORA: Laura Trachtenberg Hauser. Graduada em história pela Universidade Panthéon-Sorbonne, possui um mestrado em Mediação cultural pela Universidade Sorbonne-Nouvelle. Seus principais estudos discorrem sobre os diversos conceitos ou discursos relativos ao que definimos como cultura e seu impacto social através das políticas e instituições culturais no Brasil e na França. Atuando em meio à organização e à coordenação de diversos projetos culturais, obteve experiências marcantes como, por exemplo, a assistência à coordenação do setor das Atividades Culturais do Mémorial de laShoah de Paris (2015), a coordenação local da Festa Literária de Paraty (2014) e a pesquisa para a apostila de formação para os mediadores da exposição Genesis de Sebastião Salgado (2013). Foi assessora política do consulado de Israel em São Paulo. Atualmente desenvolve a autoria e o conteúdo da publicação de Políticas Públicas para a Cultura para a Editora SENAC e trabalha em meio à coordenação de projetos culturais e audiovisuais, autora selecionada pelo Concurso de Crônicas Rubem Braga 2017 promovido pelo SESC.

SERVIÇO 

#CINECIÊNCIA | Maio

Data: 20 de maio de 2018

Horário: 16h00 às 19h00

LOCAL Auditório LABMIS (66 lugares)

INGRESSO gratuito (retirada de ingresso com uma hora de antecedência na Recepção MIS – sujeito à lotação da sala)

CLASSIFICAÇÃO 14 anos

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18,00. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado

#CulturaSP concorre em diversas categorias no Prêmio Concerto 2018 – VOTE!

A Revista Concerto divulga os finalistas do Prêmio CONCERTO 2018, que chega este ano à sua sétima edição. São cinco categorias – Prêmio Lauro Machado Coelho de Ópera; Música Orquestral; Música de Câmara/Recital/Coral; Jovem Talento; CD/DVD/Livro –, além do Grande Prêmio 2018.

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo concorre nas seguintes categorias:

  • MÚSICA ORQUESTRAL, com “Saccades”, de Philippe Manoury, interpretada por Emmanuel Pahud (flauta) e Thierry Fischer (regente), da OSESP
  • PRÊMIO LAURO MACHADO COELHO DE ÓPERA, com “Kátia Kabanová”, de Janácek (Ira Levin/André Heller-Lopes) e “Sonho de uma noite de verão”, de Britten (Claudio Cruz/Jorge Takla), ambos do Theatro São Pedro
  • GRANDE PRÊMIO, com Integral das sinfonias de Heitor Villa-Lobos, performada pela OSESP sob regência de Isaac Karabtchevsky

Todos os finalistas foram definidos após discussões e votações de um júri formado por especialistas da área musical. A banca contou com os jornalistas e críticos musicais Camila Frésca, Irineu Franco Perpetuo, João Luiz Sampaio, João Marcos Coelho, Nelson Rubens Kunze e Sidney Molina.

O Prêmio Concerto de Ópera foi nomeado Lauro Machado Coelho, uma homenagem ao jornalista e crítico falecido no início do ano. Machado Coelho publicou pela Editora Perspectiva a extraordinária coleção História da ópera, em diversos volumes, além de vários livros sobre música e poesia. Como jornalista, Lauro desenvolveu importante trabalho no Jornal da Tarde, na Revista Época, na Revista Bravo e na rádio Cultura FM. Durante muitos anos foi crítico musical do jornal O Estado de S.Paulo. De 1996 até seu afastamento em 2010, Lauro Machado Coelho foi articulista da Revista Concerto.

Para o Prêmio Concerto 2018, os leitores poderão escolher seus candidatos favoritos votando na enquete no Site Concerto, que fica no ar até o dia 17 de dezembro. Os vencedores, tanto do voto da crítica quanto do voto do público, serão conhecidos na edição de janeiro/fevereiro de 2019 da Revista Concerto.

#CulturaSP lança edital de premiação dos Pontos de Cultura

O programa Pontos de Cultura, que oferece incentivo financeiro e kits de audiovisual e música a grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural, está de volta. O edital de premiação do programa foi lançado em cerimônia na sede da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo nesta quinta-feira, 29, com presença do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin e o Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna.

A reativação do Pontos de Cultura, após um hiato de cinco anos, premiará 544 iniciativas culturais – 94 a mais do que na última edição. Do total, 144 iniciativas receberão a premiação no valor de R$ 60 mil reais e 400 receberão a premiação em forma de Kit Cultura de Audiovisual ou Kit Cultura Musical. O programa contará com 35 Agentes Mobilizadores, sete fóruns regionais e a TEIA – Encontro Estadual de Pontos de Cultura.

"Não são as palavras que movem o mundo, são as ações. Sem a dedicação das nossas equipes, muitas horas de trabalho e empenho, nada disso teria sido possível. Estou muito satisfeito em poder reconhecer o trabalho cultural feito por milhares de pessoas e entidades, de todo o país, com forte inserção comunitária, mas que muitas vezes não são devidamente reconhecidas pelo mercado cultural."
Sérgio Sá Leitão
Ministro da Cultura
“Os Pontos de Cultura voltam com o desafio de dinamizar e impulsionar o trabalho de agentes culturais não só no estado de São Paulo, mas em todo o Brasil. A grande diversidade da cultura brasileira e o trabalho de artistas de todas as áreas só tem a ganhar com a expansão e consolidação do programa.”
Geraldo Alckmin
Governador do Estado de São Paulo

As premiações atendem as ações estruturantes da Política Nacional Cultura Viva, que tem como objetivo assegurar e ampliar o protagonismo da diversidade cultural do Estado de São Paulo. A política também busca garantir o acesso aos meios de fruição e difusão cultural, para potencializar energias sociais e culturais e dar vazão à dinâmica própria das comunidades, entrelaçando-as e desenvolvendo uma cultura cooperativa e transformadora.

O Edital de chamamento será lançado em breve no site da Secretaria de Estado da Cultura e no site do Ministério da Cultura.

“A iniciativa de retomar os Pontos de Cultura é um reflexo do trabalho da Secretaria em expandir iniciativas culturais para cada vez mais municípios, fortalecendo a ideia de que a cultura deve falar com todos e contribuir para transformar comunidades.”
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo
“Que tenhamos nos Pontos de Cultura um diálogo com todos. Que seja uma forma de levarmos igualdade, desenvolvimento e cultura.”
Romildo Campello
Secretário-Adjunto da Cultura do Estado de São Paulo

#CulturaSP promove encontro com dirigentes municipais

Joca Duarte / Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

 

A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo promove no dia 5/4, quinta-feira, em sua sede (Rua Mauá, 51 – Luz – São Paulo/SP), o encontro com dirigentes municipais “Tira-Dúvidas”. O objetivo é apresentar as ações e programas desenvolvidos pela pasta em todo o estado, promover o diálogo entre os municípios e o Governo do Estado e discutir novos caminhos e parcerias. As atividades ocorrem das 8h30 às 13h00.

Interessados devem se inscrever pelo e-mail parlacultura@sp.gov.br até o dia 26 de março, segunda-feira. Serão aceitas até três inscrições por prefeitura. Os participantes receberão certificado online.

Estarão presentes o secretário da Cultura do Estado José Luiz Penna, o secretário-adjunto Romildo Campello e os coordenadores das unidades da Secretaria da Cultura do Estado, que falarão a respeito dos trabalhos desenvolvidos em suas respectivas áreas. Na oportunidade, os convidados poderão tirar dúvidas, dar sugestões e discutir temas comuns.

#DiaDeMuseu – Confira a programação!

Quem já tem o hábito de visitar museus vai gostar da novidade. E quem tem vontade de incluir esse passeio na rotina vai ganhar mais um motivo a partir do dia 18/5, Dia Internacional dos Museus. Na próxima sexta-feira, será lançada a ação “É Dia de Museu”, campanha para apresentar ao público a diversidade da programação dos museus paulistas, que vai muito além das visitas expositivas.

Na ocasião do lançamento haverá programação especial na rede dos museus da Secretaria da Cultura do Estado, naqueles que integram o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), além de ação em parceria com o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. A entrada em todos os museus participantes será gratuita e os visitantes serão convidados a contribuir com o “ingresso solidário”, que consiste na doação de uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho. Em troca, vão receber um exemplar do Passaporte dos Museus, que garante uma entrada gratuita em cada um dos museus da Secretaria (mais informações abaixo). Uma tiragem de 10 mil exemplares exclusiva para a ação será distribuída por ordem de chegada.

ATUALIZAÇÃO (19/5): Restam poucos exemplares do Passaporte dos Museus, que serão distrubuídos neste sábado, 19/5, em alguns museus. São eles: Casa Guilherme de Almeida, Casa Mário de Andrade, Casa das Rosas, Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil, Museu Catavento, Museu da Arte Sacra, Museu da Casa Brasileira, Museu da Imagem e do Som – MIS-SP, Museu da Imigração, Museu do Futebol, Pinacoteca Luz, Estação Pinacoteca/Memorial da Resistência

Para a Professora Lúcia França, presidente do Fundo Social de Solidariedade do Estado, a parceria dialoga com temática presente em diversas programações educativas dos museus: o fortalecimento da cidadania. “Museus podem ser instrumentos de transformação social e são fundamentais para conscientização de temas como empatia, acolhimento, entendimento da própria identidade e cultura de paz”, explica a Professora, que convida o público a mostrar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

“Os museus da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo possuem acervos e atividades que permitem aprendizado e diversão, muitos com entrada livre ou ingressos com valores acessíveis - sem contar a gratuidade que ocorre na maior parte da rede aos sábados. Com essa campanha, queremos facilitar ainda mais o acesso do público à programação de atividades e ampliar o acesso à cultura. Museus não são somente locais de preservação de memória, mas também de criação de memórias pessoais, intransferíveis e inesquecíveis.”
Romildo Campello
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Site permanente e novas experiências

 

A programação dos museus na data poderá se conferida em página permanente desenvolvida especialmente para a ação – http://cultura.sp.gov.br/diademuseu. Posteriormente, o site será atualizado tanto com as atividades que já fazem parte do calendário dos museus quanto com as informações das próximas edições da campanha “É Dia de Museu”.

As mídias sociais dos museus e da própria Secretaria da Cultura também informarão os seguidores sobre a programação temática, em postagens com a mesma identidade visual e com a hashtag #diademuseu.  Em datas específicas, o público poderá conferir programação temática ou mesmo sugestões de passeios que combinem com o dia selecionado. “Queremos inspirar novas experiências em momentos especiais. Um casal pode optar por celebrar o Dia dos Namorados com um passeio em um museu com restaurante, por exemplo. O objetivo da campanha é inspirar e cativar as pessoas a buscarem novas experiências a partir da programação e dos serviços oferecidos pelos museus”, explica Regina Ponte, coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura.

Nas datas com programações temáticas, os usuários serão convidados a postar suas fotos nas mídias sociais com a hashtag #diademuseu. As fotos irão fazer parte de uma galeria de imagens no próprio site da campanha: “os registros das experiências dos visitantes criam um espaço de compartilhamento dessas memórias no ambiente virtual”, finaliza a coordenadora.

 

Vá de 99

 

Os usuários do app 99 poderão, na sexta-feira, dia 18/5, das 9h às 18h, obter desconto em duas corridas da categoria Pop (carro particular) com destino a qualquer um dos museus participantes da ação em São Paulo. O cupom 99DIADEMUSEU dará 30% de desconto (limitado a R$10,00 por corrida) e é válido para pagamento com cartão de crédito cadastrado ou PayPal. Para usá-lo, basta inserir o código na seção “Cupom de Desconto” do aplicativo.

 

Museus participantes

Na capital

Casa Guilherme de Almeida, Casa Mário de Andrade, Casa das Rosas, Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil, Museu Catavento, Museu da Arte Sacra, Museu da Casa Brasileira, Museu da Diversidade Sexual, Museu da Imagem e do Som – MIS-SP, Museu da Imigração, Museu da Língua Portuguesa (ações extramuros e no ambiente digital), Museu do Futebol, Paço das Artes (no MIS-SP e na Oficina Cultural Oswald de Andrade), Pinacoteca Luz e Estação

 

No interior e litoral

Museu do Café – Santos, Museu Felícia Leirner – Campos do Jordão, Museu Índia Vanuíre – Tupã e Museu Casa de Portinari – Brodowski

 

Museus que fazem parte do SISEM-SP

Acesse www.sisemsp.org.br

#FériasnaCultura – CRIANÇAS

#FériasNaCultura

PARA AS CRIANÇAS

Oficinas de robótica, apresentação de filmes, brincadeiras e espetáculos fazem parte das atividades



Nos meses de dezembro e janeiro, as instituições da Secretaria da Cultura do Estado terão programação especial para crianças de todas as faixas etárias. Contações de histórias, jogos, oficinas, filmes, espetáculos e brincadeiras estão entre as atividades – a maioria delas gratuita.

Vale lembrar que os museus da Secretaria da Cultura do Estado têm entrada gratuita aos sábados (exceto o MIS-SP, que oferece entrada livre às terças-feiras).

BIBLIOTECAS

Biblioteca Parque Villa Lobos

As férias chegaram e a Biblioteca Parque Villa-Lobos preparou uma segunda edição especial com oficinas ligadas à cultura maker, onde a proposta é estimular o faça-você-mesmo. Todo fim de semana uma atividade diferente com foco na inovação, colaboração e criatividade. De forma lúdica e divertida as oficinas apresentam o mundo da robótica, arte e tecnologias digitais. Venha construir, modificar e dar movimento a diversos objetos, brinquedos e criações. Estamos esperando vocês. Afinal, Biblioteca também é lugar de pôr a mão na massa!

Horários de Funcionamento

Terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros

(11) 3024-2500
www.bvl.org.br

PROGRAMAÇÃO

Sábado, 6 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Talvez você já tenha brincado com Lego em casa ou na escola, mas você sabia que Lego é muito mais que um brinquedo? É possível, por exemplo, dar movimento às montagens e também aprender muito com os bloquinhos. Que tal construir, programar e testar seu próprio carrinho para participar de uma corrida? Indicado para crianças a partir de 7 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Fabrício Laurenti.

Sábado, 13 de janeiro, das 14h00 às 15h30.

Já imaginou inventar um jogo no computador e publicá-lo para todo mundo poder jogar? Vamos criar um PacMan, um labirinto com bolinhas para comer, inimigos para escapar, vidas para ganhar e tempo para terminar, através de linguagem visual de lógica em blocos, gratuita, com versão em português, desenvolvida pelo MIT. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Moisés Zylbersztajn.

Sábado, 20 de janeiro, das 14h00 às 15h45.

Criação de pequenos engenhos como um robô-desenhista, com material eletrônico, sucatas e ferramentas básicas. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Moisés e Gisele Zylbersztajn.

Sábado, 27 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Venha criar uma escultura móvel explorando elementos mecânicos simples, circuitos elétricos e artes! Cada participante tem a liberdade para desenvolver seu projeto com um tema de sua escolha. Indicado para crianças a partir de 7 anos acompanhadas de pais ou responsáveis.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Glauco Paiva, Tinker Lab.

Domingo, 28 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Crie sua própria história em quadrinhos em uma tira de papel que será distribuída por meio de uma geringonça batizada de Cuspideira. A Cuspideira é uma máquina lúdica e absurda que distribui tiras de quadrinhos brancas para quem quiser explorar seu potencial narrativo e gráfico no mundo do HQ. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Victor Gáspari Canela, KOSMO.

Contação de histórias da literatura infantojuvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário inscrição.

Sextas-feiras, às 15h00.
  • 05/01 – Os três lobinhos e o porco mau, de Eugene Trivizas.
    Com equipe BVL.
  • 12/01 – O mais malandro, de Mario Ramos.
    Com equipe BVL.
  • 19/01 – Paula de São Paulo, de Mariângela Bueno e Sonia Dreyfuss.
    Com equipe BVL.
  • 26/01 – A onça e o bicho homem, de Ricardo Azevedo.
    Com equipe BVL.
➢     Sábados, domingos e feriados, às 16h00.
  • 06/01 – A margarida friorenta, de Fernanda Lopes de Almeida.
    Com O Jardim da Estrelinha.
  • 07/01 – Shirin e Farhad do livro Shahnameh, de Abolqasem Ferdowsi.
    Com Emilie Andrade.
  • 13/01– A jornada do pequeno senhor tartaruga, de Inge Bergh.
    Com a Cia Passarinho Contou.
  • 14/01 – Siga a seta, de Isabel Minhós Martins.
    Com a Cia. Conto em Cantos.
  • 20/01 – A Princesa do sono sem fim, de Luiz da Câmara Cascudo.
    Com o Núcleo Mala e Cuia.
  • 21/01 – O baú das histórias, de Gail E. Haley. Narração de histórias em Libras com interpretação para o português.
    Com o Grupo Mãos de Fada.
  • 25/01 – A cidade que mudou de nome, Conceil Corrêa da Silva.
    Com Damas & Cia.
  • 27/01 – Dona Baratinha, de Ana Maria Machado.
    Com Histórias em Movimento.
  • 28/01 – Meu Filhote Dragão, de M.P. Robertson.
    Com Paula Dugaich.
Sábados e domingos, das 10h30 às 11h15.

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Pais e responsáveis podem, ao fim emprestar os kits utilizados, com dois livrinhos e um fantoche, e reproduzir a experiência em casa.

Com equipe BVL.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Quartas-feiras, das 10h30 às 11h30.

Atividades para pintar, desenhar, colar e criar, inspiradas em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

  • 03/01 – Pintura em aquarela inspirada nas obras de Rubens Matuck.
  • 10/01 – Confeccione animais com biscuit.
  • 17/01 – Reprodução de vitrais, utilizando cartolina e papel celofane.
  • 24/01 – Confecção de quebra-cabeças, com tema Monumentos da cidade de São Paulo.
  • 31/01 – Criação de HQ.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Sextas-feiras, das 15h30 às 16h30 horas.

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

  • 05/01 – Cabo de guerra.
  • 12/01 – Jogo: Tokaido.
  • 19/01 – Jogo: Eu conto.
  • 26/01 – Batata quente.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Biblioteca de São Paulo

As férias chegaram e a Biblioteca de São Paulo preparou uma segunda edição especial com oficinas ligadas a cultura maker, onde a proposta é estimular o faça-você-mesmo. Todo fim de semana uma atividade diferente com foco na inovação, colaboração e criatividade. De forma lúdica e divertida as oficinas apresentam o mundo da robótica, arte e tecnologias digitais. Venha construir, modificar e dar movimento a diversos objetos, brinquedos e criações. Estamos esperando vocês. Afinal, Biblioteca também é lugar de pôr a mão na massa!

Horários de Funcionamento

Terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800
www.bsp.org.br

PROGRAMAÇÃO

Sábado, 6 de janeiro, das 14h00 às 15h30.

Já imaginou inventar um jogo no computador e publicá-lo para todo mundo poder jogar? Vamos criar um PacMan, um labirinto com bolinhas para comer, inimigos para escapar, vidas para ganhar e tempo para terminar, através de linguagem visual de lógica em blocos, gratuita, com versão em português, desenvolvida pelo MIT. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Moisés Zylbersztajn.

Sábado, 13 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Talvez você já tenha brincado com Lego em casa ou na escola, mas você sabia que Lego é muito mais que um brinquedo? É possível, por exemplo, dar movimento às montagens e também aprender muito com os bloquinhos. Que tal construir, programar e testar seu próprio carrinho para participar de uma corrida? Indicado para crianças a partir de 7 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Fabrício Laurenti.

Sábado, 20 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Venha criar uma escultura móvel explorando elementos mecânicos simples, circuitos elétricos e artes! Cada participante tem a liberdade para desenvolver seu projeto com um tema de sua escolha. Indicado para crianças a partir de 7 anos acompanhadas de pais ou responsáveis.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Glauco Paiva, Tinker Lab.

Domingo, 27 de janeiro, das 14h00 às 16h00.

Crie sua própria história em quadrinhos em uma tira de papel que será distribuída por meio de uma geringonça batizada de Cuspideira. A Cuspideira é uma máquina lúdica e absurda que distribui tiras de quadrinhos brancas para quem quiser explorar seu potencial narrativo e gráfico no mundo do HQ. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Victor Gáspari Canela, KOSMO.

Contação de histórias da literatura infantojuvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário inscrição.

➢     Sextas-feiras, às 15h00.
  • 05/01 – Cinderela em cordel, de Cacá Lopes.
    Com equipe BSP.
  • 12/01 – Branca de neve e as sete versões, de José Roberto Torero.
    Com equipe BSP.
  • 19/01 – A Bela e a fera, de Madame de Villeneuve e Madame de Beaumont.
    Com equipe BSP.
  • 26/01 – O corcunda caolho, de Fábio Ulhoa Coelho.
    Com equipe BSP.
➢     Sábados, domingos e feriados, às 16h00.
  • 06/01 – Couro de piolho, de Luiz da Câmara Cascudo.
    Com o Núcleo Mala e Cuia.
  • 07/01 – Um mágico atrapalhado, de Daniela Chindler.
    Com o Grupo Tricotando Palavras.
  • 13/01– Os compadres corcundas, de Luís da Câmara Cascudo. Narração de histórias em Libras com interpretação para o português.
    Com o Grupo Mãos de Fada.
  • 14/01 – O contador de histórias, de Saki.
    Com Histórias em Movimento.
  • 20/01 – Problemas Boborildos, de Eva Furnari.
    Com a Cia. Conto em Cantos.
  • 21/01 – O caminho da felicidade, Ilan Brenman.
    Com a Cia. Passarinho Contou.
  • 25/01 – Um pequeno tratado de brinquedos para meninos quietos da cidade, de Selma Maria.
    Com Mirela Estelles.
  • 27/01 – Kanyeru e Kamé, da tradição oral indígena.
    Com Poesia no Espaço.
  • 28/01 – O macaco e a boneca de cera, de Sônia Junqueira.
    Com a Cia. do Tok Tok.
Sábados das 11h00 às 11h45 e das 15h00 às 15h45.
Domingos, 14 e 28, 11h30 às 12h15.

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Pais e responsáveis podem, ao fim, emprestar os kits utilizados, com dois livrinhos e um fantoche, e reproduzir a experiência em casa.

Com equipe BSP.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Quartas-feiras, das 15h00 às 16h00.

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

  • 03/01 – Jogo: Imitatrix.
  • 10/01 – Brincadeira: taco.
  • 17/01 – Bolinha de sabão.
  • 24/01 – Mix Gincanas: corrida de saco, cama de gato e pula corda.
  • 31/01 – Brincando de alerta com personagens de histórias em quadrinhos.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Quartas-feiras, das 15h00 às 16h00.

Atividades para pintar, desenhar, colar e criar, inspiradas em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

 
  • 04/01 – Pintura em aquarela inspirada nas obras de Rubens Matuck.
  • 11/01 – Confecção de objetos poderosos de super-heróis, a partir de utensílios comuns.
  • 18/01 – Pintura em tela, a partir de fotos da cidade de São Paulo.
  • 25/01 – Não haverá atividade.

Com equipe BVL. A partir de 6 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

MUSEUS

CAPITAL

Pinacoteca

A Pinacoteca promoverá, em todos os dias de dezembro e janeiro, das 10h00 às 17h00, o espaço “Educateca”, com jogos para pessoas de todas as idades que podem ser retirados gratuitamente na recepção do museu.

Em todos os sábados de janeiro, das 11h00 às 15h00, acontece também o “JogaJunto”.

Horários de Funcionamento

Quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000
www.pinacoteca.org.br

 

Museu do Futebol

O Museu do Futebol promoverá, de 26 de dezembro a 28 de janeiro, das 10h00 às 17h00, o “Férias no Museu”, espaço instalado no avesso das arquibancadas do Estádio do Pacaembu destinado a brincadeiras, oficinas e atividades variadas, com mesas de pebolim, futebol de botão e ping-pong e recreadores que oferecerão dinâmicas para toda a família.
O acesso ao espaço é gratuito.

Horários de Funcionamento

Terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)|
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)

R$ 10,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

Local e contato

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu, São Paulo- SP

(11) 3664-3848
www.museudofutebol.org.br​

 

Museu Afro Brasil

De 16 a 26 de janeiro, acontece no Museu Afro Brasil a ação “Férias no Museu: Brincadeiras do Congo”, com o educador congolês Wasawulua Daniel apresentando histórias e brincadeiras originárias da República Democrática do Congo e ensinando danças e canções em lingala e outras línguas da região.
Para se inscrever, basta chegar com 15 minutos de antecedência.

No dia 27 de janeiro, às 11h00, o público poderá assistir à contação de histórias africanas ou afro-brasileiras “Aos Pés do Baobá”, e em seguida participar de um bate-papo conduzido por integrantes do Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil.
A atividade é gratuita e livre. As inscrições devem ser feitas pelo site http://www.museuafrobrasil.org.br

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados
Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900
www.museuafrobrasil.org.br

Museu Catavento

Além da reabertura da exposição “Biomas do Brasil” - que passou por adequação para acessibilidade - no dia 15 de dezembro – e da inauguração da exposição “O Mundo das Abelhas” – no dia 22 de dezembro, o Museu Catavento terá muitas atividades para as crianças no mês de janeiro.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

R$ 6,00 | Grátis aos Sábados
Estacionamento pago no local

Local e contato

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051
www.cataventocultural.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

➢ Dias 6 e 7 e de 9 a 14 de Janeiro

Nos dias 6 e 7 e de 9 a 14, o público poderá encarar o desafio do “Escape Room Catavento”.

Entre os dias 6 e 28 de janeiro

Domingo, 27 de janeiro, das 14h00 às 16h00.
Crie sua própria história em quadrinhos em uma tira de papel que será distribuída por meio de uma geringonça batizada de Cuspideira. A Cuspideira é uma máquina lúdica e absurda que distribui tiras de quadrinhos brancas para quem quiser explorar seu potencial narrativo e gráfico no mundo do HQ. Indicado para crianças a partir de 8 anos.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Victor Gáspari Canela, KOSMO.

, das 10h30 às 16h30.

Entre os dias 6 e 28, das 10h30 às 16h30, de hora em hora o espaço promove a “Oficina de Bolhas de Sabão Gigantes”

Dias 5, 6 e 7 de janeiro, às 13h00 e às 16h00.

Nos dias 5,6 e 7, as famílias poderão participar do “Espetáculo de Mágicas” no auditório do museu.

De 6 a 28 de janeiro, entre 11h00 e 16h00

O espaço oferece a “Oficina de Terrário”, em que os visitantes poderão construir seus próprios terrários.

De 6 a 28 de janeiro, das 09h30 às 15h30

No mesmo período, das 09h30 às 15h30, acontece a atividade “Se liga no LEGO – Carrinho com Bexiga”, na qual as crianças poderão entender as três Leis de Newton e construir carrinhos que são propulsionados por uma bexiga.

De 6 a 28 de janeiro, das 09h30 às 15:30

Das 9h30 às 15h30, estará disponível a “Sala Maker”, onde os participantes construirão coletivamente uma máquina Rube Goldberg, experimento científico que busca executar uma tarefa simples da forma mais complexa possível, geralmente utilizando uma reação em cadeia. 

Entre 9 e 26 de janeiro, de terças a sextas-feiras

Os visitantes poderão participar dos “Jogos Portinari”, oficina que colocará o público em contato com as obras do pintor Cândido Portinari de forma lúdica, por meio de um jogo de adivinhação. 

De 9 a 28 de janeiro, ao longo do dia

Apresentações de mágicas “close-up”, realizadas próximas ao público. 

De 16 a 28 de janeiro, das 10h30 às 15h00

Jovens cientistas mostrarão o que é a química com demonstrações de experimentos no espetáculo “Química em Show”.

Dia 25, das 9h30 às 15h30, de hora em hora

A “Oficina de Fotografia Artesanal” acontece com a equipe de fotógrafos do Projeto Cidade Invertida.

É necessário retirar senha para participar das atividades.

Museu da Imigração

As férias escolares estão chegando e o Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – preparou uma programação especial durante o mês de janeiro. Com um espaço lúdico repleto de brinquedos educativos, bonecos, fantoches, espaço de leitura e diversas atividades, a programação tem entrada gratuita e acontece entre os dias 3 e 28 de janeiro.

Para participar da programação educativa, é necessário fazer inscrição pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

R$ 10,00 | Grátis aos sábados
Acessibilidade no local

Local e contato

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP
Metrô Bresser-Mooca (900m)

(11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

De 3 a 28 de janeiro, das 11h00 às 17h00

Durante o período de férias, a criançada poderá visitar um espaço de diversão e aprendizado dentro do Museu da Imigração. Além das atividades e jogos educativos que são relacionados com questões abordadas pelo MI, o “Mundo de Brincar” conta com piscina de bolinhas, cama elástica, fantoches, livros infantis, entre outros. O espaço funciona de 3 a 28 de janeiro, de quarta a domingo, das 11h00 às 17h00. Para participar, não é necessário fazer inscrição prévia.

Todas as quartas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h30

Complementando a programação do mês de janeiro, o público poderá participar de três atividades educativas. A primeira delas, que ocorrerá semanalmente às quartas-feiras, é a oficina de criação de personagens, com contação de histórias em formato de cordel. A ação tem classificação livre e acontece das 15h00 às 16h30.

14 de janeiro, das 15h00 às 16h00

Para crianças de até 3 anos, está programada a atividade “Pintura para bebês”, que acontece no dia 14 (domingo), das 15h00 às 16h00, no jardim do Museu. A proposta é que bebês e suas famílias possam participar de uma brincadeira que tem como objetivo a produção de uma grande pintura ao ar livre.

28 de janeiro, das 15h30 às 16h30

Para encerrar a programação, no dia 28 (domingo) acontece o “Bora empinar pipa?”, em que os participantes aprendem mais sobre expressões usadas em diferentes regiões do Brasil para se referir a essa brincadeira. No fim da atividade, o público é convidado a empinar pipa no jardim do Museu. O encontro acontece das 15h00 às 16h30 e é voltado para crianças a partir de 8 anos.

Casa das Rosas

A Casa das Rosas terá, em todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00, a visita temática “De mapa na mão e tempo na cabeça”, em que as crianças e seus acompanhantes percorrerão o espaço com um olhar atento ao passado e ao presente, buscando pistas e vestígios da utilização do imóvel do museu.

Confira a programação abaixo e saiba mais sobre as outras atividades.
Para participar da contação de histórias não é necessário realizar inscrição.
Para as outras atividades, a inscrição pode ser feita presencialmente ou pelo email educativo@casadasrosas.org.br.

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Entrada gratuita
Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local

 

Local e contato

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP
Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447
www.casadasrosas.org.br

 

PROGRAMAÇÃO

Todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00

A Casa das Rosas terá, em todas as sextas-feiras de janeiro, das 15h00 às 16h00, a visita temática “De mapa na mão e tempo na cabeça”, em que as crianças e seus acompanhantes percorrerão o espaço com um olhar atento ao passado e ao presente, buscando pistas e vestígios da utilização do imóvel do museu.

14 de janeiro, às 15h00

No dia 14 de janeiro, às 15h00, acontece a “Tarde do Brincar”, atividade para crianças de até três anos de idade explorarem formas, cores, texturas e sons.

14 e 28 de janeiro, às 15h00

Nos dias 14 e 28 de janeiro, às 15h00, os pequenos poderão assistir à contação das histórias “As Clês Contam Pagu” e “A Ascensão de Zeus”.

dia 28 de janeiro, às 15h00

Oficina “Bordando a Casa”, em que as crianças de seis até dez anos criarão um trabalho a partir de visita educativa com foco nos elementos florais e no jardim do museu.

Casa Guilherme de Almeida

A Casa Guilherme de Almeida promove, no dia 16 de janeiro, às 14h30, a atividade “Brinquedos que Giram”, inspirada no poema “Bailado Russo”, de Guilherme de Almeida, que incentivará as crianças e adultos a criarem brinquedos giratórios.

No dia 20 de janeiro, às 14h30, em “Retratos para a Petizada”, as crianças participarão de uma observação de retratos de artistas modernistas e de um diálogo que estimulará a percepção corporal, e, após a visita, será oferecida uma oficina em que cada participante produzirá um autorretrato em tamanho real.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, das 10h às 18h.

 

Local e contato

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943
Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

(11) 3673-1883 / 3672-1391
www.casaguilhermedealmeida.org.br

 

INTERIOR

Museu do Café
(Santos)

No Museu do Café, em Santos, de 3 a 28 de janeiro, as crianças poderão se divertir com a piscina de bolinhas, o pula-pula, as fantasias e os jogos educativos do “Espaço Café com Leite”, além de aprender sobre o dia a dia de uma fazenda de forma lúdica com o “Cafezalzinho”.
Não deixe de conferir abaixo as outras programações do mês!

Horários de Funcionamento

Terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 | Domingo das 10h00 às 17h00

R$ 10,00| Grátis aos sábados
Acessibilidade no local

Local e contato

Rua XV de novembro, 95 – Centro – Santos-SP

(13) 3213-1750
www.museudocafe.com.br

PROGRAMAÇÃO

Dias 6 e 13 de janeiro, às 15h00

Crianças de cinco a dez anos poderão participar da oficina “Minibarista”

Dia 7 de janeiro, às 10h30 e 15h30

No dia 7, às 15h30, o público poderá assistir ao teatro de fantoches e participar do “Atelier Calixto”, às 10h30.

Dia 21 de janeiro

Crianças a partir de cinco anos poderão participar do “Musicando com Café”.

Museu Casa de Portinari
(Brodowski)

Brincadeiras, oficinas artísticas e de brinquedos e um ateliê a céu aberto são algumas das atrações gratuitas em Brodowski A partir do dia 2 de janeiro de 2018 (terça-feira), o Museu Casa de Portinari, em Brodowski (SP), – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari –, realiza mais uma edição do projeto Férias no Museu onde os visitantes poderão participar de brincadeiras que fizeram parte da infância e obras de um dos maiores artistas nacional, Candido Portinari.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Entrada: ingresso voluntário
Acessibilidade no local

Local e contato

Praça Candido Portinari, 298 – Brodowski/SP

(16) 3664-4284
www.museucasadeportinari.org.br

PROGRAMAÇÃO

De 02 a 31 de Janeiro de 2018 (terça-feira a domingo, das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00)

Muita diversão, criatividade e lazer estão garantidos na programação que oferecerá ainda atividades relacionadas ao fazer artístico, como modelagem de massinha, pintura em diferentes suportes e técnicas e oficinas para criação de brinquedos  com materiais simples e reaproveitáveis. Ao longo do dia também serão exploradas as tradicionais brincadeiras de rua, conhecidas pelas gerações mais antigas. Entre elas estão corda, bola de meia,  pião, bugalha, diabolô, bilboquê, bola de gude, quebra-cabeças, amarelinha, futebol de botão, bola de sabão, peteca, jogo da memória, dança das cadeiras, morto-vivo e a queimada.

Entrada: gratuita

De 02 a 31 de Janeiro de 2018 (terça-feira a domingo, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h00)

Pra quem deseja vivenciar a experiência de um ateliê a céu aberto, o artista visual Manoel Pombinho estimulará o talento do público em uma oficina de pintura. Serão feitas obras com a técnica de carimbo e outras a partir de uma engenhoca criada pelo oficineiro, usando uma antiga vitrola. Com o recurso, os participantes poderão mesclar as cores e produzir trabalhos únicos.

Entrada: gratuita

Museu Índia Vanuíre
(Tupã)

Diversão, criatividade, educação e lazer estão garantidos na programação de janeiro de 2018 do Museu Índia Vanuíre. O Projeto Férias no Museu será realizado entre os dias 09 a 26 de janeiro e oferece oficinas artísticas, de criação de brinquedos, de cultura indígena e afro, além de passeios culturais. As atividades são concentradas no período da manhã, das 9h00 às 11h00, porém, os visitantes que tiverem interesse em participar no período da tarde poderão solicitar aos educadores.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00

Entrada: gratuita

Local e contato

Rua Coroados, nº 521, Centro – Tupã/SP

(14) 3491-2333

PROGRAMAÇÃO

De 09 a 26 de Janeiro de 2018 (das 9h00 às 11h00)

O Projeto Férias no Museu será realizado entre os dias 09 a 26 e oferece oficinas artísticas, de criação de brinquedos, de cultura indígena e afro, além de passeios culturais.

As atividades são concentradas no período da manhã, das 9h00 às 11h00, porém, os visitantes que tiverem interesse em participar no período da tarde poderão solicitar aos educadores. Todas as ações serão relacionadas à riqueza cultural do Brasil.

Datas: de 09/01 a 13/01/2018 e de 16/01 a 19/01/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Os visitantes poderão aproveitar as oficinas de adorno indígena, confecção de brincos de pompom, produção de pipas e rabiolas, e um passeio cultural ao distrito de Varpa.

Data: 10/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 11/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 12/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

 

Data: 13/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 17/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 18/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 19/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 23/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Data: 25/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00
Dia: 26/1/2018
Horário: das 9h00 às 11h00

Museu Felícia Leiner
(Campos do Jordão)

O Museu Felícia Leiner, em Campos do Jordão, terá apresentação de lendas, cordéis e histórias sobre os patronos. Também serão promovidos jogos cooperativos, oficinas de artes e colagem.

A participação é gratuita.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 9h00 às 18h00

Entrada: inteira R$10,00 e meia R$5,00 (estudante e idoso) – gratuita aos domingos.
Cidadãos jordanenses não pagam mediante apresentação de comprovante de residência.

Estacionamento gratuito no local
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Campos do Jordão/SP

(12) 3662-6000
www.museufelicialeirner.org.br

PROGRAMAÇÃO

Dias 4, 7, 8, 11, 18 e 25 de janeiro
Dias 5, 12, 14, 19, 21, 22, 26, 28 e 29 de janeiro

A música e a dança terão programação de apresentações, oficinas, vivências e interação entre as pessoas

Todas as terças-feiras
Dias 6, 13, e 15, 20 e 27 de janeiro
Dia 28 de janeiro

FÁBRICAS DE
CULTURA

Vila Curuçá, Sapopemba, Itaim Paulista, Parque Belém e Cidade Tiradentes

As Fábricas de Cultura da zona leste oferecem cursos de férias e oficinas gratuitas e abertas ao público. São atividades nas linguagens dança, música, teatro, multimeios, artes visuais, circo e xadrez.

Para participar, não é necessário realizar inscrição.
Mais informações no site www.fabricasdecultura.sp.gov.br

Horários de Funcionamento

De terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (Noturno: conforme grade de atividades de cada unidade)

Local e contato


Fábrica de Cultura Parque Belém

Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)
(11) 2618-3447

Fábrica de Cultura de Vila Curuçá

Rua Pedra Dourada, 65
(11) 2016-3316

Fábrica de Cultura de Itaim Paulista

Rua Estudantes da China, 500
(11) 2025-1991

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281
(11) 2556-3624

Fábrica de Cultura de Sapopemba

Rua Augustin Luberti, 300
(11) 2012-5803

http://www.fabricadecultura.org.br

Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha

Oficinas, brincadeiras e atividades gratuitas de cinema, literatura, artes visuais, música, dança, Hip-Hop, teatro e cultura geral para crianças de todas as faixas etárias.

Para algumas atividades é necessário realizar inscrição.
Mais informações no site www.fabricasdecultura.sp.gov.br

Horários de Funcionamento


Brasilândia | Capão Redondo | 
Jardim São Luís | Vila Nova Cachoeirinha

Terça a sexta, das 9h00 às 20h00. Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.

Jaçanã

Terça a sexta, das 9h00 às 17h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Local e contato


Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 (Entrada 1) / Avenida Inajar de Souza, 7001(Entrada 2)
(11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, S/N (Entrada 1) / Rua Algard, 82 (Entrada 2)
(11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Jaçanã

Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138
(11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651
(11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575
(11) 2233-9270

www.fabricasdecultura.sp.gov.br

#FériasNaCultura – TODOS OS PÚBLICOS

#FériasNaCultura

TODOS OS PÚBLICOS

Apresentação de filmes, oficinas, brincadeiras e espetáculos fazem parte das atividades


Nos meses de dezembro e janeiro, as instituições da Secretaria da Cultura do Estado terão programação especial para os meses de férias. Contações de histórias, jogos, oficinas, filmes, espetáculos e brincadeiras estão entre as atividades – a maioria delas gratuita.

Vale lembrar que os museus da Secretaria da Cultura do Estado têm entrada gratuita aos sábados (exceto o MIS-SP, que oferece entrada livre às terças-feiras).

BIBLIOTECAS

Biblioteca Parque Villa Lobos

A Biblioteca recebe a mostra com reproduções fac-símile do caderno de viagem que o artista Rubens Matuck fez durante suas idas ao Parque Villa-Lobos entre 2015 e 2017. Além disso, aprenda a confeccionar o seu próprio caderno de viagem com técnicas simples e rápidas de encadernação. Munido de seu caderno, passeie pelo parque observando a diversidade de espécies encontradas pelo caminho.

Horários de Funcionamento

Terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros

(11) 3024-2500
www.bvl.org.br

PROGRAMAÇÃO

De 16 de dezembro de 2017 a 18 de março de 2018.

A Biblioteca recebe a mostra com reproduções fac-símile do caderno de viagem que o artista Rubens Matuck fez durante suas idas ao Parque Villa-Lobos entre 2015 e 2017. A mostra propõe um caminhar por dentro das experiências que o artista teve durante suas investigações pelo parque. Curadoria de Beatriz Matuck. Não é necessário inscrição.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Rubens Matuck.

Dia 13 de janeiro, sábado, das 14h00 às 16h00.

Confeccione o seu próprio caderno de viagem com técnicas simples e rápidas de encadernação. Munido de seu caderno, passeie pelo parque observando a diversidade de espécies encontradas pelo caminho. Atividade em paralelo à exposição. A partir de 5 anos.

Não é necessário inscrição.
Com Rubens Matuck.

Domingo, 28 de janeiro, das 11h00 às 16h00.

Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias no Parque Villa-Lobos.

Com a Cia Mapinguary.
Não é necessário inscrição.
Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da Biblioteca.

De terça a domingo, das 9h30 às 18h30.

A BVL oferece aos seus frequentadores mais uma opção de diversão, uma sala equipada com videogame, com os jogos mais legais do momento.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Terças-feiras, das 16h30 às 17h30.

Divertida experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Sábados, das 15h00 às 17h00.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Carlos Oliveira.

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

Quartas-feiras, das 16h30 às 17h00.
  • 03/01 – Papo de anjo: Uma radiografia paulistana, de José Angelo Potiens
    Com equipe BVL.
  • 10/01 – Adoniran: Se o senhor não tá lembrado, de Flávio Moura e André Nigri
    Com equipe BVL.
  • 17/01 – Mario de Andrade: Melhores Poemas, organizado por Gilda de Mello e Souza
    Com equipe BVL.
  • 24/01 – 1001 Ruas de São Paulo: Guia sobre a história dos homenageados nas placas da cidade, de Silvia Costa Rosa
    Com equipe BVL.
  • 31/01 – Ronda da meia noite: Vícios, misérias e esplendores da cidade de São Paulo, de Sylvio Floreal.
    Com equipe BVL.
Quartas-feiras, às 14h00.

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o projeto promove o contato com obras do cinema por meio de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo.

A fuga das galinhas

Dir. Peter Lord, Nick Park, Estados Unidos, 2000, 84 min.
Elenco: Mel Gibson, Julia Sawalha, Phil Daniels
Gênero: animação. Classificação: Livre

No galinheiro de uma fazenda inglesa dos anos 1950, galinhas cumprem sua função e vivem pacatamente sonhando com uma vida melhor. Uma delas, Ginger, sonha com a liberdade e planeja sair voando dali junto com suas companheiras.

Não é necessário inscrição.

Quintas-feiras, das 16h00 às 17h00 (no dia 25 não haverá atividade).

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

Quintas-feiras, 18 e 25 das 16h30 às 17h30.

Em ambiente aconchegante e inspirador você poderá desfrutar desta prática milenar, que promove o bem-estar e a melhora da qualidade de vida. As aulas de Hatha Yoga serão direcionadas com posturas e técnicas simples, que podem ser praticadas por qualquer pessoa, e contemplam o trabalho dinâmico do corpo (alongamento – fortalecimento muscular – equilíbrio), a concentração na respiração e o relaxamento.
Recomenda-se que os praticantes ingiram apenas alimentos leves antes da aula e usem roupas confortáveis.

Com Fabiana Weykamp.

Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Sexta-feira, 26, das 15h00 às 17h00.

Todos os meses a BVL seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Desconstruindo Una, por Una.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

Biblioteca de São Paulo

Nos dias 7 e 21 de Janeiro, será realizado o Domingo no Parque, espaço de leitura para toda a família no Parque da Juventude. Além disso, oficinas, jogos e filmes fazem parte da programação de férias.

Horários de Funcionamento

Terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Entrada gratuita
Acessibilidade no local

Local e contato

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630
Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800
www.bsp.org.br

PROGRAMAÇÃO

Espaço de leitura para toda a família no Parque da Juventude.

Domingos, 7 e 21 no Parque da Juventude.
  • 11h30 às 12h15 – Sessões do programa Lê no Ninho, com equipe BSP.
  • 12h15 às 16h00 – Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias.
    • 07/01 – Com a Cia Mapinguary.
    • 21/01 – Com a Cia Duo Encantado.

Não é necessário inscrição.
Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da Biblioteca.

Atenção: nos dias 14 e 28 o programa Lê no ninho será realizado dentro da BSP.
Sábados, das 11h00 às 13h00.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Carlos Oliveira.

Terças-feiras, das 15h00 às 16h00.

Divertida experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Com equipe BSP.
A partir de 11 anos.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o programa promove o contato com obras do cinema através de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo, democratizando assim o contato com produções audiovisuais e viabilizando a formação de plateias.

Sessão Adulto, quartas-feiras, às 10h00.

The Masp Movie

Dir. Hamilton Zini Jr., Salvador Messina e Sylvio Pinheiro, Brasil, 1986, 9 min.
Classificação: Livre
O dia em que o MASP, enfurecido com um grupo de turistas, cria vida e sai para um catastrófico passeio pela cidade.

O jeca e a freira

Dir. Amácio Mazzaropi,Brasil, 1968, 102 min.
Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Maurício do Valle, Elizabeth Hartman, Nello Pinheiro, Paulette Bonelli, Carlos Garcia, Izaura Bruno, Claudio R. Mechi, Denise Barreto, Ewerton de Castro.
Gênero: comédia.
Classificação: livre.

Em uma fazenda no interior do Brasil, no século XIX, um senhor de terras se responsabiliza pela educação da filha de um dos seus colonos e acaba criando a menina como se fosse a própria filha. Anos mais tarde, quando a jovem regressa do colégio em companhia de uma freira, o fazendeiro faz de tudo para que ela não reconheça seus verdadeiros pais. Bonita e educada, a moça também atrai a atenção dos rapazes da vizinhança. Agora cabe à freira intervir e ordenar essa confusão. Comédia escrita, dirigida e protagonizada por Amácio Mazzaropi, O Jeca e a Freira foi o seu quinto filme.

Sessão Infantil, sextas-feiras, às 15h30.

O Fantástico Sr. Raposo

Dir. Wes Anderson, Estados Unidos, 2009, 87 min.
Elenco: George Clooney, Meryl Streep, Bill Murray
Gênero: animação. Classificação: livre

Após 12 anos de felicidade bucólica, o Sr. Raposo descumpre a promessa que fez à esposa e invade as fazendas dos vizinhos Boggis, Bunce e Bean. Ceder aos seus instintos animais coloca em perigo não somente o seu casamento, mas também a vida de sua família e seus amigos. Quando os fazendeiros montam uma armadilha para o Sr. Raposo, ele tem que confiar na sua astúcia natural para vencer o oponente.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Sextas-feiras, das 16h30 às 17h00.

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

  • 05/01 – Crônicas para ler na escola, de Carlos Heitor Cony.
    Com equipe BSP.
  • 12/01 – Não verás país nenhum, de Ignácio de Loyola Brandão.
    Com equipe BSP.
  • 19/01 – Se eu fosse um livro, de José Jorge Letria.
    Com equipe BSP.
  • 26/01 – Brás, Bexiga e Barra Funda: notícias de São Paulo, de Antônio de Alcântara Machado.
    Com equipe BSP.

Não é necessário inscrição.

Quintas-feiras, das 12h30 às 13h30 (no dia 25 não haverá atividade).

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Com equipe BSP.
É necessário retirar senhas com 30 minutos de antecedência.

Terça-feira, 30, das 15h00 às 16h00.

A autora Julia Pedreira fará uma leitura de alguns poemas de seu novo livro, “Factuais” seguido de um debate sobre a obra e seus desdobramentos. Indicado a todos os interessados em literatura e artes em geral.

Não é necessário inscrição.

Domingo, 21, das 14h30 às 16h30.

Literatura, canto e poesia.

Com o Grupo de Poetas Cantores e Declamadores Independentes de São Paulo.

Coordenação de Terezinha Rocha.
Não é necessário inscrição.

Quinta-feira, 18, das 15h00 às 17h00.

Todos os meses a BSP seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar.

Com equipe BSP.
Não é necessário inscrição.

Terças-feiras, de 23 de janeiro a 20 de março das 14h30 às 17h30.

Carga horária: 24 horas.

A ideia é trabalhar a potencialidade das narrativas de literatura oral como uma ferramenta de aproximação, comunicação e expressão.  O conteúdo programático abordará os vários tipos de histórias – como lendas, mitos, fábulas, história de origem, contos de fadas, entre outros -, a relação com a música, técnicas como interpretação, oralidade e improvisação, e o papel do contador de história ao longo da história universal.

Indicado para pessoas a partir de 16 anos (cursando o ensino médio).
Realização: Associação Arte Despertar em parceria com a Biblioteca de São Paulo.
Inscrições por e-mail (agenda@bsp.org.br) ou no balcão de atendimento da biblioteca (de terça a sexta-feira, das 9h30 às 17h30).

MUSEUS

CAPITAL

Casa Mário de Andrade

A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. Aberta à visitação, o Museu abriga uma exposição permanente com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. Realiza, também, uma intensa programação de atividades culturais e educativas.

Horários de Funcionamento

Terça-feira a sábado, das 10h00 às 18h00

Local e contato

Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo – SP

(11) 3666-5803 | 3826-4085
www.oficinasculturais.org.br/

PROGRAMAÇÃO

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 9, 10, 11 e 12 de janeiro – das 15h00 às 17h00

Por Danielle Rocha

Nesta oficina, direcionada aos amantes da dança, o público terá a oportunidade de vivenciar a expressão corporal por meio de coreografias e músicas étnicas, com destaque para as danças brasileiras.

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 16, 17, 18 e 19 de janeiro – das 13h0 às 16h00

Por Marcelo Rampazzo

A oficina, destinada ao público interessado em atividades relacionadas às artes plásticas, pretende estimular a produção de ilustração para jogos e criação de personagens para videogames. Nos encontros, os participantes poderão criar seus próprios trabalhos com a orientação do ilustrador Marcelo Rampazzo.

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 30 e 31 de janeiro e 1 e 2 de fevereiro – das 15h00 às 17h0

Por Paula Autran

Durante a oficina serão desenvolvidas atividades práticas de redação e leitura crítica, intercaladas com a apresentação e a análise de clássicos da literatura. Os participantes poderão desenvolver suas próprias narrativas, orientados pela coordenadora da atividade.

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 6, 7, 8 e 9 de fevereiro – das 13h00 às 15h00

Por Alice Juguero

A oficina de canto pretende estimular os participantes no desenvolvimento artístico aplicado à arte vocal de acordo com o perfil de cada aluno, identificando suas características próprias e ampliando seu repertório musical em vários estilos.

16/1 a 27/3. Terças-feiras, das 14h00 às 18h00.

O Centro de Referência Mário de Andrade nasce com o objetivo de preservar, pesquisar e difundir a obra do escritor símbolo do modernismo

 Poeta, escritor, cronista, músico, pesquisador e figura ativa nas áreas de gestão e política cultural, Mário de Andrade é um dos principais agentes do modernismo brasileiro, tendo colaborado, também, com o estudo e a valorização das tradições culturais brasileiras. Para promover o conhecimento das contribuições do artista para a história da cultura e da arte no Brasil, a Casa Mário de Andrade, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, inicia em janeiro, as atividades do Centro de Pesquisa e Referência Mário de Andrade.

O objetivo do Centro de pesquisa é estudar e difundir a obra do poeta modernista, explorando temas que foram objeto de seu interesse e de seu trabalho, como a literatura, a música, as artes plásticas, a crítica (inclusive de cinema) e a gestão e a política cultural, além de promover produções teatrais baseadas em adaptações dramáticas da obra do escritor.

A primeira atividade do centro é a criação do grupo de estudos Mário e a música, que será entre 16 de janeiro e 27 de março. Durante os dez encontros, os participantes se dedicam ao conhecimento da atuação de Mário na área da música a partir da leitura e a discussão dos livros Ensaio sobre a música brasileira e Pequena história da música. A atividade inclui visitas a locais que tiveram relevância na vida e na obra do escritor: o Theatro Municipal, palco da Semana de Arte Moderna de 1922, o Conservatório Dramático Musical de São Paulo, local em que o musicólogo lecionou, e a Discoteca Pública Municipal Oneyda Alvarenga, fundada por ele na década de 1930.

Veja abaixo o cronograma da atividade, orientada por Haran Rodrigues:

  • 16/1 | Apresentação do projeto
  • 23/1 | Discussão de trechos selecionados do Ensaio sobre a Música Brasileira
  • 30/1 | Saída: Theatro Municipal e Conservatório Dramático Musical de São Paulo
  • 6/2   | Discussão de trechos selecionados da Pequena História da Música
  • 20/2 | Discussão de trechos selecionados do Ensaio sobre a Música Brasileira
  • 27/2 | Saída: Discoteca Pública Municipal Oneyda Alvarenga
  • 6/3   | Discussão de trechos selecionados da Pequena História da Música
  • 13/3 | Discussão de trechos selecionados do Ensaio sobre a Música Brasileira
  • 20/3 | Escolha de temas para preparação de artigos ou estudos relacionados à pesquisa
  • 27/3 | Orientação para encaminhamento dos trabalhos e definição de data de entrega


Recomendação etária: livre.
40 vagas.

Inscrições gratuitas no site: www.casamariodeandrade.org.br

Sábados, das 15h00 às 17h00.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Não é necessário inscrição.
Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.
Com Carlos Oliveira.

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

Quartas-feiras, das 16h30 às 17h00.
  • 03/01 – Papo de anjo: Uma radiografia paulistana, de José Angelo Potiens
    Com equipe BVL.
  • 10/01 – Adoniran: Se o senhor não tá lembrado, de Flávio Moura e André Nigri
    Com equipe BVL.
  • 17/01 – Mario de Andrade: Melhores Poemas, organizado por Gilda de Mello e Souza
    Com equipe BVL.
  • 24/01 – 1001 Ruas de São Paulo: Guia sobre a história dos homenageados nas placas da cidade, de Silvia Costa Rosa
    Com equipe BVL.
  • 31/01 – Ronda da meia noite: Vícios, misérias e esplendores da cidade de São Paulo, de Sylvio Floreal.
    Com equipe BVL.
Quartas-feiras, às 14h00.

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o projeto promove o contato com obras do cinema por meio de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo.

A fuga das galinhas

Dir. Peter Lord, Nick Park, Estados Unidos, 2000, 84 min.
Elenco: Mel Gibson, Julia Sawalha, Phil Daniels
Gênero: animação. Classificação: Livre

No galinheiro de uma fazenda inglesa dos anos 1950, galinhas cumprem sua função e vivem pacatamente sonhando com uma vida melhor. Uma delas, Ginger, sonha com a liberdade e planeja sair voando dali junto com suas companheiras.

Não é necessário inscrição.

Quintas-feiras, das 16h00 às 17h00 (no dia 25 não haverá atividade).

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

Quintas-feiras, 18 e 25 das 16h30 às 17h30.

Em ambiente aconchegante e inspirador você poderá desfrutar desta prática milenar, que promove o bem-estar e a melhora da qualidade de vida. As aulas de Hatha Yoga serão direcionadas com posturas e técnicas simples, que podem ser praticadas por qualquer pessoa, e contemplam o trabalho dinâmico do corpo (alongamento – fortalecimento muscular – equilíbrio), a concentração na respiração e o relaxamento.
Recomenda-se que os praticantes ingiram apenas alimentos leves antes da aula e usem roupas confortáveis.

Com Fabiana Weykamp.

Vagas limitadas, preenchidas por ordem de chegada.

Sexta-feira, 26, das 15h00 às 17h00.

Todos os meses a BVL seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Desconstruindo Una, por Una.

Com equipe BVL.
Não é necessário inscrição.

Museu do Futebol

O Museu do Futebol promoverá, de 26 de dezembro a 28 de janeiro, das 10h00 às 17h00, o “Férias no Museu”, espaço instalado no avesso das arquibancadas do Estádio do Pacaembu destinado a brincadeiras, oficinas e atividades variadas, com mesas de pebolim, futebol de botão e ping-pong e recreadores que oferecerão dinâmicas para toda a família.
O acesso ao espaço é gratuito.

Horários de Funcionamento

Terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00 (Bilheteria até às 16h00)|
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 18h00 (bilheteria até às 17h00)*

* O Museu não abre às segundas-feiras e nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, 01 de janeiro e quarta-feira de cinzas.

R$ 10,00 | Meia-entrada: R$ 5,00 | Grátis aos sábados

Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais.

Local e contato

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu, São Paulo- SP

(11) 3664-3848
www.museudofutebol.org.br​

 

OFICINAS
CULTURAIS

Oficina Cultural Oswald de Andrade

A Oficina Cultural Oswald de Andrade oferece diversos espetáculos gratuitos em sua programação. Em janeiro, o espaço recebe a peça Sonhos para Vestir, dirigida por Vera Holtz. Além desse espetáculo, outros dois entram em cartaz no primeiro mês do ano. Bendito seja seu maldito nome, do Grupo Palco Meu; e SOS quase tudo , um espetáculo clownesco que conta a história de uma bruxa que recebe cartas, telefonemas e mensagens com os mais diversos pedidos de ajuda.

Todas as peças são gratuitas e possuem 30 lugares por sessão.
É necessário retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Horários de Funcionamento

Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00.

Local e contato

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3221-4704
www.oficinasculturais.org.br
oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

PROGRAMAÇÃO

18/1 a 20/1. Quinta e sexta-feira às 20h00, sábado às 18h00 | 55 min.

Recomendação etária: 18 anos

As cartas trocadas entre Sara Antunes e seu pai desde a infância até a morte dele, há cinco anos, serviram de inspiração para a montagem “Sonhos para Vestir”, escrita e estrelada pela atriz. Com cenário assinado por Analu Prestes e direção de Vera Holtz, a peça provoca uma reflexão lúdica e poética sobre sonhos, como alcançá-los e traduzi-los em palavras.

Ficha técnica
Texto e Interpretação: Sara Antunes
Direção: Vera Holtz

22/1 a 28/3, segunda a quarta-feira às 20h00 (sem sessão nos dias 12, 13 e 14/2) | 90 min.

Recomendação etária: maiores de 16 anos

A luta pela sobrevivência, onde quem faz a lei é quem fala mais alto. Personagens sem escrúpulos, imorais, amorais e marginalizados, dotados de um egoísmo quase latente no que diz respeito a dinheiro. Todos precisam se manter em pé, vivos na expectativa de um amanhã melhor. Dilma vive em queda de braço com Bereco, disputam tudo e vão até as últimas consequências sempre na tentativa de provar quem fala mais alto e manda mais na casa invadida. Os demais fingem aceitar as condições, dissimulam seus sentimentos, e se sobrepõem as ordens cada uma à sua maneira.

Ficha técnica
Roteiro e Direção: Jean Drandrah
Elenco: Ana Roberta Bornia, Analice Pierre, André Rey, Barbara Berta, Diogenes Gonçalves, Gabriel Mello, Gustavo Rosa, Jean Coué, Lu Monteiro, Nando Cunha, Marcus Lunardi, Milene Haddad, Monyke Procópio e Carla Varjão.

26 e 27/1, sexta-feira e sábado às 18h00 | 90 min.

Recomendação etária: maiores de 16 anos

Uma bruxa-palhaça-sensitiva recebe cartas, telefonemas e mensagens com os mais diversos pedidos de ajuda. Através de pequenos rituais ela vai solucionando os problemas. Os trabalhos são personalizados, criados especialmente para cada pessoa e como pessoas são bem parecidas, o que funciona especialmente para alguém, pode funcionar para outros também. O espetáculo é resultante do projeto Payasas sagradas escénicas contemplado pelo IBERESCENA – Ajuda a co-produção de espetáculos ibero-americanos de artes cênicas.

Ficha técnica
Criação e Dramaturgia: Priscila Jácomo e Ricardo Puccetti
Atuação e Texto: Priscila Jácomo
Direção: Ricardo Puccetti – LUME Teatro

#MuseumSelfieDay nos museus da #CulturaSP!

Confira algumas dicas para não fazer feio na hora de fazer suas selfies nos espaços da Secretaria da Cultura

(mais…)

#MuseumWeek 2018! Veja como participar.

Os museus do Governo do Estado de São Paulo participam, de 23 a 29 de abril, da #MuseumWeek 2018, ação promovida pelo Twitter para instituições culturais de todo o mundo.

Por desempenhar um papel vital no desenvolvimento da sociedade, cultura, arte, ciência e educação ajudam a construir laços sem fronteiras entre as pessoas. Com base nisso, em 2018, os temas da semana estão relacionados à tolerância, cidadania e convivência. Para cada dia da semana, haverá uma hashtag diferente, representando um tema específico.

Coordenadora de mídias digitais da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Patricia Carvalho ressalta a participação na #MuseumWeek há alguns anos. “É uma ótima oportunidade para iniciar uma conversa com instituições de todo o mundo e conversar com nossos fãs e visitantes também. Além disso, nos ajuda a manter nossos perfis em mídias sociais atualizados e com espírito novo, moderno e global. Estamos felizes por fazer parte disso mais um ano”.

A riqueza e a amplitude de ações e atividades realizadas por um museu ganharam projeções maiores nos últimos anos com as mídias sociais. A #MuseumWeek é prova disso, e abriu novas possibilidade de comunicação para a construção de relacionamentos entre as instituições e o público.

Um dos participantes da #MuseumWeek 2018, o Memorial da Resistência de São Paulo aposta na força digital para mostrar que um museu pode ser muito divertido na internet. “Quando usamos a hashtag do #MuseumWeek, estimulamos discussões fundamentais sobre a função dos museus no mundo contemporâneo”, explica Marília Bonas, coordenadora do Memorial. “A perspectiva crítica das instituições sobre si mesmas – como a invisibilidade de alguns procedimentos e lacunas nas coleções, além da baixa valorização das áreas técnicas e os desafios cotidianos, acabam alcançando diversos públicos e fortalecendo toda a cadeia do museu”, comenta.

Daniela Alfonsi, coordenadora do Museu do Futebol em São Paulo, fala sobre a participação na #MuseumWeek. “É uma ótima oportunidade para mostrar o Museu do Futebol de forma criativa, além de participar de um evento de cultural que acontece em todo o mundo. A comunicação em um museu não poderia ficar longe das novas tecnologias e linguagens. Temos que participar dessa experiência para entender e propor novas maneiras de conversar com o público”, destaca Daniela. 

“Participar da #MuseumWeek é uma forma de espalhar notícias sobre as nossas atividades para todos os tipos de público, e também de saber mais sobre o que está rolando no mundo das artes. O Paço das Artes quer estar em constante diálogo com seguidores e visitantes”, complementa Priscila Arantes, diretora técnica e curadora do Paço das Artes.

Confira a lista dos temas diários:

– Segunda-feira (dia 23) – #womenMW – Dia dedicado às mulheres famosas nos campos da história, arte, cultura e ciência, bem como todas aquelas anônimas cujas vidas estruturam nossas sociedades.

– Terça-feira (dia 24) – #cityMW – Dia para um olhar especial sobre as nossas cidades, destacando o quanto a instituição compõe o cenário social e é parte integrante da cidade onde está instalada.

– Quarta-feira (dia 25) – #heritageMW – Dia para celebrar a herança cultural e social, desde o prédio em que a instituição está instalada até o seu acervo e o desejo de proteger e manter viva essa herança.

– Quinta-feira (dia 26) – #professionsMW – Dia para as instituições destacarem as habilidades que as mantêm vivas, ou seja, os profissionais que nela atuam.

– Sexta-feira (dia 27) – #kidsMW – Dia para mostrar como cada instituição se dirige às crianças e ainda celebra visões da infância na arte e na cultura.

– Sábado (dia 28) – #natureMW – Dia dedicado a mostrarmos a influência da naturezanas instituições.

– Domingo (dia 29) – #differenceMW – Dia dedicado a mostrar como as instituições representam a diferença na arte, ciência, história e vida social.

#ProACExpresso prorroga prazo para inscrição em editais

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa prorrogou as inscrições para projetos nas linhas de teatro, dança, infanto-juvenil, festivais, circo, artes visuais e música. As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas através do site www.proac.sp.gov.br. Confira os editais com novos prazos:

Prazo prorrogado para 30/07, até às 17h:

Teatro
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de teatro
– Circulação de espetáculos de teatro

Dança
– Produção e temporada de espetáculos inéditos de dança
– Circulação de espetáculos de dança

Infanto-Juvenil
– Produção e temporada de espetáculos inéditos para o público infanto-juvenil
– Circulação de espetáculos para o público infanto-juvenil

 

Prazo prorrogado para 31/07, até às 17h:

Festivais
– Festivais, mostras, feiras, mercados de cultura e artes e festas populares

Circo
– Aquisição e manutenção de lonas de circo
– Produção e circulação de espetáculos circenses

Artes Visuais
– Produção de exposições inéditas de artes visuais

Música
– Produção e circulação de espetáculos inéditos de música
– Gravação de álbuns musicais inéditos e realização de shows de lançamento

#SmashTheGlass debate o assédio sexual – Participe!

“Mulher é vítima de assédio em metrô de São Paulo”.

“Mulher sofre assédio sexual dentro de ônibus na Avenida Paulista”.

“Transporte público é local onde mulheres mais sofrem assédio”.

“Mulher é espancada pelo marido dentro de casa”.

 

Em 2017, situações alarmantes como essas chamaram a atenção da mídia e do público. Para debater o tema, um dos mais polêmicos da atualidade, o Governo do Canadá no Brasil e a Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI) do governo do estado de São Paulo promovem a segunda edição do #SmashTheGlass.

O evento será realizado em 7/3, na Pinacoteca, das 14h às 18h. Interessados  devem fazer inscrição pelo link  https://goo.gl/Dm1A2T. O evento é livre e gratuito, mas as vagas são limitadas.

Este ano, o #SmashTheGlass vai discutir a violência e o assédio em espaços públicos e a necessidade de melhorar o atendimento de mulheres vítimas de todo tipo de assédio, assim como estabelecer medidas mais eficazes para combater o abuso sexual. Em dois painéis o público será convidado a refletir sobre as “Violências diárias” e os “Avanços e desafios na luta contra a violência”.

Do primeiro painel participam Kelly Campos, presidente do Comitê da Diversidade da OAB de Suzano e colaboradora do Ativismo de Sofá; Cristiane Pereira, coordenadora do Centro de Referência e Apoio à Vítima (CRAVI), Marisa Sanematsu, diretora de conteúdo da Agência Patrícia Galvão e Maíra Zapater, Doutora em Direitos Humanos pela USP especialista em Direito Penal e Processual Penal. O painel terá ainda como moderadora a jornalista Sarah DiLorenzo da Associated Press. Compõem a segunda mesa,Tatiana Perrone, do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) como moderadora e as palestrantes  Samira Bueno, diretora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública; Evelyne Coulombe, cônsul-geral do Canadá no Rio de Janeiro; Paula Sant´Anna Machado de Souza, coordenadora auxiliar do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública (NUDEM).

Compõem o segundo painel, Tatiana Perrone, do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) como moderadora e as palestrantes  Samira Bueno, presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública; Evelyne Coulombe, cônsul-geral do Canadá no Rio de Janeiro; Paula Sant´Anna Machado de Souza, coordenadora do Núcleo de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública (NUDEM).

O objetivo é dar visibilidade ao assunto a partir da realidade brasileira.  “O assédio  é muito banalizado e muitas mulheres ainda têm dificuldade de identificar o ato”, diz Ana Paula Fava, chefe da AEAI .  “Os desafios da mulher ainda são muitos e a intenção é sempre colocar algum aspecto dessa realidade em pauta. O estado de São Paulo investe em treinamento policial e conta com uma rede atual de 133 delegacias especializadas em crimes contra a mulher, mas avançar e discutir é  necessário”, concluiu.

Para o Cônsul-Geral do Canadá em São Paulo, Stéphane Larue,  “é uma honra fazer parte dessa conversa tão importante para os avanços nos direitos das mulheres. Um dos principais compromissos do Canadá é combater a violência de gênero e ampliar a discussão sobre as causas, efeitos e maneiras de combater o abuso sexual. Quanto mais debatermos temas relevantes como este, mais poderemos direcionar nossos esforços conjuntos para melhorar a condição das mulheres na sociedade e conscientizar os homens da importância de combater a violência e o machismo cotidiano. Todos sofremos quando as mulheres sofrem violência.”

 

 #SmashTheGlass – 1ª edição

A primeira edição do  #SmashTheGlass, organizado pelo Governo do Canadá no Brasil e a Assessoria Internacional do governo paulista,  aconteceu  em 8 de março do ano passado, também na Pinacoteca, e reuniu cerca de 200 pessoas. Com a participação das vlogueiras Jout Jout e Ana Paula Xongani (Xongani Moda Afro), Nana Lima da ONG  Think Olga, Raquel Elita Preto (Preto Advogados), as canadenses Sylvie Faria (diretora da Mercuri Urval) e Alison Grant (ministra-conselheira da Embaixada do Canadá) e a então secretária-adjunta de Desenvolvimento Social do estado paulista Marina Bragante, foram discutidos os desafios e conquistas da mulher no mercado de trabalho e empreendedorismo.

Por definição, Smash The Glass traduz um conceito de que as mulheres enfrentam uma barreira invisível, mas intransponível, para alcançarem os postos de comando em estruturas corporativas. Significa que, por mais capacitadas e qualificadas que estejam para uma determinada função (em sua maioria a de maior responsabilidade e maior salário), acabam sempre ocupando cargos inferiores aos dos conquistados pelos homens.

“O Mundo que Queremos”

O “SMASHTHEGLASS” é o primeiro evento da agenda anual “O Mundo que Queremos”, organizada pela AEAI este ano em comemoração a Declaração Universal de Direitos Humanos que completa 70 anos em 10 de dezembro deste ano.  O documento foi assinado em 1948 por unanimidade durante a Assembleia Geral da ONU em Paris.
“O Mundo que Queremos” dá sequência a uma série de eventos da AEAI que contempla os direitos humanos para ampliar a discussão dos temas. Organizados em parceria com consulados e embaixadas, este ano serão 7 eventos, a maioria realizada em museus do estado paulista.
Nos últimos dois anos, a Assessoria Internacional viabilizou o Feirão do Emprego para Refugiados e Imigrantes, o #SMASHTHEGLASS e o POW3R em defesa dos direitos da mulher, o festival de cultura LGBT Diversa Fest, o Beya Kaya que promoveu o debate e a cultura das questões indígenas, entre outros.

 

Programação

A programação de “O Mundo que Queremos” tem apoio da Secretaria estadual da Cultura e foi organizada para contemplar os principais artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Sempre com entrada gratuita, cada ação vai envolver integrantes da sociedade civil, representantes do governo e empresas, comunidade acadêmica e lideranças estrangeiras para o debate de pautas globais e urgentes como o assédio sexual, as cotas raciais, a homofobia, a causa de refugiados e imigrantes, entre outras que tratam os artigos da declaração estabelecidos como direitos fundamentais e ainda violados pelo mundo afora.
Os encontros de “O Mundo que Queremos” serão realizados sempre próximas a datas comemorativas como 8 de março (Dia Internacional da Mulher),  13 de maio (Abolição da Escravatura no Brasil),  28 de junho (Dia Internacional do Orgulho LGBT), 9 de agosto (Dia Internacional dos Povos Indígenas),  21 de setembro (Dia Internacional da Paz), 10 de outubro (Dia Internacional da Menina).

No dia 10 de dezembro, o último evento vai reunir todos os parceiros e demais convidados para uma grande festa reflexiva em celebração as 7 décadas da assinatura do documento.
Interessados em participar desta agenda anual – consulados, câmaras de comércio, fundações, organizações não governamentais e demais entidades – devem entrar em contato pelo e-mail aeai@sp.gov.br.

#SPGastronomia: museus, bibliotecas e Fábricas de Cultura têm programação relacionada ao tema em outubro

Oficinas que unem literatura e culinária, jogos sobre alimentação, oficinas de empreendedorismo no setor e exibições de filmes que abordam a gastronomia integram o calendário

(mais…)

#ViagemLiterária: Bibliotecas do interior paulista recebem escritores de Literatura Fantástica

Programa Viagem Literária acontece entre os dias 9 de setembro e 2 de outubro, percorre 76 cidades e é destinado a todas as idades

(mais…)

10 anos de Encontro Paulista de Museus: veja trajetória e perspectivas

O tempo voa até mesmo para aqueles que são responsáveis por conservá-lo. O Encontro Paulista de Museus completa uma década em 2018, de 18 a 20 de julho, na capital, e muita coisa evoluiu de lá para cá, principalmente a paixão dos museólogos pela atividade.

São muitos agentes ligados ao setor que vislumbraram, com a criação do evento, uma oportunidade de fortalecer e qualificar ainda mais as instituições museológicas paulistas. A iniciativa é do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

 

IDENTIDADE

Nos primeiros quatro anos, cada edição do EPM foi concebida de maneira independente, sem, por exemplo, uma continuidade visual, o que acabou em 2013, quando o evento ganhou sua própria identidade. O objetivo, que depois se mostrou bem-sucedido, era dar ao evento uma marca única e duradoura, que permanecesse ao longo das próximas edições. A responsável por dar uma “cara” ao evento, foi a designer Paula Astiz.

"A cada edição desses primeiros encontros, foi usada uma identidade/linguagem diferente. Ao chegar à 5ª edição, a equipe do SISEM-SP sentiu a necessidade de consolidar melhor o evento. Então, surgiu a ideia de desenvolver uma logomarca mais sólida. Aliada à necessidade de consolidar o EPM, veio o anseio de reformular a marca do próprio SISEM-SP, em sintonia com a identidade do encontro."
Paula Astiz
Designer

A mudança do logo se deu no 5EPM e manteve-se desde então. A única variação ocorreu no 8EPM, com o 8 grafado em uma fonte diferente. Segundo a designer, tudo estava previsto nos planos. “O 8EPM coincidiu com a comemoração dos 30 anos do SISEM-SP, por isso um selo especial de 30 anos. A ideia subliminar é mostrar que esse sistema, ao longo das três décadas, abarca diversas vozes, diversos museus e diversos profissionais ligados ao mundo museológico.”

 

HISTÓRIA

No ano da primeira edição do EPM, o SISEM-SP e a própria cena dos museus no Brasil passavam por um período de reestruturação. O sistema buscava, então, intensificar a participação dos museus espalhados por todo território do Estado em sua dinâmica de trabalho.

“A criação de um evento periódico no calendário dos museus do Estado, dedicado às trocas e encontros, fazia sentido para que se fomentasse também os laços entre os profissionais e gestores de museus”, justifica o responsável pela coordenação da programação do 10EPM, Luiz Mizukami. Assim, o evento alinhava-se a outras iniciativas articuladoras, como a reestruturação do Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM-SP), a criação das Representações Regionais e a elaboração do Diagnóstico dos Museus do Estado de São Paulo.

 

PARCERIAS

As parcerias com instituições nacionais e internacionais também contribuíram para o sucesso do EPM nesta década. Tal caminho, além de ampliar a variação do alcance temático do evento, auxiliou na promoção do EPM além das fronteiras das instâncias governamentais e a validação do mesmo em círculos museológicos mais amplos. Trouxe prestígio ao evento paulista.

E nem poderia ser diferente. Participaram nomes de calibre como o Centro Cultural de Espanha (CCE-SP), presente nos três primeiros EPMs; o British Council Brasil, participante da 5ª à 8ª edição; e os consulados da Alemanha e França, durante o 9EPM. Pontualmente, também houve apoio da Fundação Bienal de São Paulo, MAM-SP, Museu Afro Brasil, Escola de Música de São Paulo Tom Jobim, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Sala São Paulo e Sesc-SP.

 

EXPANSÃO

Como todo grande encontro de especialistas, o EPM foi ganhando robustez ao longo dos anos com a integração de outros eventos dentro de sua programação. É o caso dos encontros de prefeitos e secretários municipais de Cultura; eleições de representantes regionais e COSISEM-SP; visitas técnicas a museus da capital; mesas expositivas com fornecedores do setor museológico; e a instauração dos Painéis Digitais – apresentações em formato digital exibidas em televisores espalhados pelo local do evento com projetos desenvolvidos pelos museus paulistas relacionados à temática de cada edição. São itens que geraram ainda mais corpo e abrangência ao evento.

“O SISEM-SP é o primeiro sistema de museus criado no Brasil, antes mesmo do Sistema Nacional de Museus, descontinuado no governo Collor. Além de ter sido o primeiro, é também o único com atuação contínua desde sua criação”, realça Mizukami.

 

CADASTRO ESTADUAL

Além de ter sido histórica pelos 30 anos de SISEM-SP, a oitava edição do EPM, em 2016, marcou o início do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), um dos maiores feitos da história do sistema. A ferramenta estabelece padrões normativos e sistematiza as informações sobre os museus paulistas, a fim de identificar as condições estruturais dos mesmos e auxiliá-los em busca de qualificação. Esse cadastro é tão importante que os eixos que sustentam seus parâmetros serviram como base para definir os temas apresentados no 9º, 10º — e também futuros EPMs.

“O Encontro Paulista de Museu passa, assim, a se inserir numa lógica de reforço à qualificação dos museus em torno dos parâmetros do CEM-SP.”
Davidson Kaseker
Diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP

DE VOLTA PARA CASA

Em 2018, O EPM, além de comemorar os 10 anos de atividades, celebra o retorno do evento à sua tradicional casa, agora completamente restaurada: o Memorial da América Latina, que havia sediado todas as edições do encontro até o incêndio, em 2013.

 

FUTURO

“Hoje, além de ser o maior evento do setor museológico paulista, em número de inscritos, o EPM tem a mesma capacidade de público do Fórum Nacional de Museus – que acontece a cada dois anos. Para o futuro, além do fortalecimento dos laços entre profissionais e interessados em museus, seguiremos com os debates tendo o CEM-SP como base e também na estruturação de propostas para uma política cultural específica para o setor museal”, promete Kaseker.

100 dias de Cultura e Economia Criativa

Secretaria de Cultura e Economia Criativa completa 100 dias de gestão com ações de fomento e foco em formação

(mais…)

10º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

O Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias – Seminário Biblioteca Viva – chega a sua 10ª edição com programação especial. Entre os palestrantes, estão o escritor André Vianco, que participa de bate-papo no dia 23, segunda-feira, e a cartunista Laerte Coutinho, que estará no Seminário no dia 25, quarta-feira. Realizado pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, por meio do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas (SisEB), o Seminário é organizado pela SP Leituras, com apoio institucional do Goethe-Institut. (mais…)

12 de maio é dia de Intervenção Cultural Cigana

Com muita alegria, dança e música, acontece em Guarulhos, neste sábado, dia 12, das 11h00 às 18h00, o evento Intervenção Cultural Cigana, organizado pelo Acampamento Cigano de Guarulhos. A festa típica tem o objetivo de promover atividades da cultura cigana, divulgar a sua existência e a resistência cultural do povo cigano por séculos, além de comemora também duas datas muito importantes:  o Dia da Resistência Cigana (16/05) e Dia Nacional do Cigano (24/05).

Selecionado pelo edital ProAC para Culturas Populares Tradicionais em 2017, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, o projeto Intervenção Cultural Cigana conta com o apoio da ACGE – Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias, órgão da Secretaria de Cultura.

O evento acontece no próprio Acampamento Cigano de Guarulhos (rua dos Cardeais, s/nº – Vila Branca – Guarulhos/SP) e terá apresentações de grupos musicais, danças ciganas artísticas, oficinas culturais e exposições. Como ingresso, os organizadores solicitam a doação de produtos de higiene para bebês ou roupas para bebê menina. 

O Dia Nacional do Cigano foi instituído em 2006 por decreto presidencial em reconhecimento à contribuição da etnia cigana para a história e a identidade cultural brasileira. 24 de maio é, também, dedicado a Santa Sara Kali, padroeira dos povos ciganos.

O Dia da Resistência Cigana lembra 16 de maio de 1944, quando cerca de 6 mil ciganos se uniram para enfrentar soldados alemães e evitar que fossem executados no campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, durante a Segunda Guerra Mundial.

13/04 é Dia dos Jovens: conheça iniciativas da #CulturaSP para esse público!

Para celebrar o Dia do Jovem (13/4), reunimos aqui algumas atividades realizadas por espaços da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo que são voltadas para esse público!

MÚSICA

Conservatório de Tatuí

Oferece cursos nas áreas de música, luteria e artes cênicas, de formação continuada com duração média de seis anos. A escola está localizada no município de Tatuí, a 131 quilômetros da capital paulista, e recebe estudantes de todas as regiões brasileiras e também de fora do país.

Mais informações: http://www.conservatoriodetatui.org.br

Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP)

Localizada no centro da capital paulista, oferece cursos de iniciação musical e prática de instrumentos desde 1989. Seu primeiro reitor e presidentefoi o maestro Antonio Carlos Jobim. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: http://www.emesp.org.br

Projeto Guri

Programa de formação cultural que oferece cursos de teoria musical, coral, instrumentos de cordas, madeiras, sopro e percussão para jovens até 18 anos. Possui vários polos, distribuídos na capital, no litoral e no interior do Estado.

Mais informações: http://gurisantamarcelina.org.br/ (para polos da capital e região metropolitana) e http://www.projetoguri.org.br/ (para polos do interior e litoral)

DANÇA

Núcleo Luz

O projeto oferece a jovens de baixa renda a oportunidade de vivenciarem a linguagem da dança de maneira mais aprofundada. A participação é gratuita mediante inscrição e processo seletivo.

Mais informações: http://fabricasdecultura.org.br/nucleo-luz/

São Paulo Companhia de Dança

Criada em 2008, a Cia faz espetáculos no Estado de São Paulo, no Brasil e no exterior. De tempos em tempos, a SPCD promove workshops, palestras, oficinas e audições.

Mais informações: http://www.spcd.com.br/

TEATRO

SP Escola de Teatro

Oferece cursos gratuitos de formação em teatro abrangendo as mais diversas áreas das artes cênicas, dentre elas Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. Além disso, a Escola mantém o Programa Kairós, que distribui bolsas de estudos e estágios para parte dos aprendizes, além de intercâmbios culturais.

Mais informações: www.spescoladeteatro.org.br

LITERATURA

Bibliotecas de São Paulo e do Parque Villa-Lobos

As bibliotecas-modelo do Governo do Estado de São Paulo – uma, localizada no Parque da Juventude, e a outra, no Parque Villa-Lobos – oferecem diversas atividades voltadas para o público jovem, além do seu acervo de livros e jogos. Entre elas, oficinas de escrita criativa, de fotografia e de literatura. Há também o Luau, atividade regular que apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura e poesia, e oferece um espaço para apresentações musicais. Todas as atividades são gratuitas.

Mais informações: https://bsp.org.br/ e https://bvl.org.br/

FORMAÇÃO E DIFUSÃO CULTURAL

Fábricas de Cultura

Programa de difusão e formação cultural que oferece cursos gratuitos e atividades de difusão cultural para toda a comunidade. O programa conta com 10 unidades espalhadas pelas zonas norte, sul e leste, e suas atividades contemplam diversas linguagens, como teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios.

Mais informações: http://fabricasdecultura.org.br/

Oficinas Culturais

As quatro unidades do programa realizam atividades gratuitas de formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas, como artes visuais, circo, dança, fotografia, literatura, música, teatro, entre outras.

Mais informações: http://www.oficinasculturais.org.br/

32º Prêmio Design MCB abre inscrições para o Concurso do Cartaz

O Prêmio Design MCB, realizado pelo Museu da Casa Brasileira inicia os preparativos de sua 32ª edição com o Concurso do Cartaz. O objetivo da premiação, realizada anualmente, é promover a reflexão sobre o design brasileiro e incentivar o uso do cartaz como meio de expressão cultural.

Os interessados poderão se inscrever de 05 de março a 10 de abril e entregar até 14 de abril os trabalhos impressos e o termo de doação no MCB. O resultado do concurso será divulgado no dia 07 de maio. A participação é aberta a todas as pessoas físicas interessadas: brasileiros ou estrangeiros residentes no país há mais de dois anos, profissionais ou estudantes. A taxa de inscrição é de R$ 50,00 e estudantes terão 50% de desconto.

Este ano, o Concurso do Cartaz do Prêmio Design apresenta novidades para os participantes. Em sua 32ª edição foram adicionados dois pontos aos critérios de avaliação: facilidade de produção e de distribuição e, também, a não exigência do envio do cartaz em prancha rígida. Além disso, a fim de contribuir para a impressão dos cartazes dos participantes, o MCB disponibilizará, ao participante que assim o desejar, uma relação de gráficas parceiras, que ofertarão descontos especiais e facilidades de entrega. Por exemplo, quem mora em outro estado ou cidade, distante de São Paulo, poderá enviar o arquivo para impressão a uma dessas gráficas parceiras e essas se encarregarão da entrega das peças diretamente ao Museu.

A Mostra do Concurso do Cartaz e a promoção da votação popular visam estimular a participação do público no debate sobre a produção atual em design gráfico e a revalorização do cartaz enquanto peça gráfica central em campanhas de divulgação. Com isso, o Prêmio Design MCB reforça seu caráter de apoio à construção da identidade do design nacional, ampliando sua interação com o público e aproximando os visitantes dos temas vocacionais da instituição

3º Ateliê Internacional São Paulo Companhia de Dança

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro recebem programação voltada ao fomento e formação de profissionais da dança (mais…)

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 13 a 19 de julho

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão chega à sua terceira semana, oferecendo, ao longo de todo o evento, cerca de 130 concertos, em sua maioria gratuitos. Reconhecido como o maior festival de música clássica da América Latina, o Festival celebra sua quinquagésima edição, apresentando uma programação diversificada, a partir de dois eixos temáticos: Clássico e Popular-Sinfônico.

A música de câmara é o destaque dessa semana, a começar pelos grupos do Festival, formados pelos bolsistas, sob a regência de maestros de renome internacional. A Camerata do Festival faz dois programas, um comandado por Neil Thomson e outro por Lavard Skou-Larsen, este último tendo como solista o consagrado pianista Arnaldo Cohen. Já o Grupo de Música Antiga do Festival também faz dois programas, sendo um regido por Luís Otávio Santos, com obras do período barroco, e outro por Ricardo Kanji, com participação do Coro Acadêmico da Osesp e de solistas convidados, apresentando a Missa de Santa Cecília, de José Maurício Nunes Garcia. Os grupos se apresentam no Auditório Claudio Santoro e na Sala São Paulo.

Os programas camerísticos com professores e alunos do Festival também são destaque, com concertos gratuitos diários ao longo da semana, tanto no Espaço Cultural Dr. Além, em Campos do Jordão, como na Sala do Coro (Sala São Paulo), na capital paulista. Apresentam-se também diversos grupos de câmara formados por músicos da Osesp, como o Quinteto Zephyros, o Sexteto São Paulo e o Camaleon Bassoons.

Na Sala São Paulo, vale a pena assistir a Classe de Metais, Sopros e Percussão, regido por Wagner Polistchuk, com participação do pianista Paulo Álvares, apresentando um programa de música contemporânea, com peças de John Cage, Marlos Nobre (que comemora 80 anos em 2019), e com a estreia brasileira de Couleurs de la Cité Céleste, de Olivier Messiaen, composição de alta complexidade, inspirada em cinco passagens do livro do Apocalipse.

No Palácio Boa Vista, no fim de semana, continua a programação de concertos gratuitos na Capela do Palácio e no palco externo. Na Capela, as atrações são o Duo Abdalla, formado pela jovem flautista, Júlia Abdalla, de apenas 11 anos de idade, e seu pai Thiago Abdalla, no violão; e a Camerata do GreCo, com o programa Antonio Gardano 450 Anos, em homenagem a um dos principais editores de música do século XVI. No palco externo, as atrações são as big bands tocando jazz e música popular, e ainda uma apresentação de chorinho com As Choronas. Já no sábado à noite, no palco interno, o destaque é o Quinteto Solist, com Nailor Proveta (sax alto e clarinete), Walmir Gil (trompete), Thiago Alves Jr. (contrabaixo), Edu Ribeiro (bateria) e Carlos Roberto (piano), tocando composições próprias.

A Jazz Sinfônica continua recebendo renomados artistas da nossa MPB, em concertos ao ar livre, na Praça do Capivari. O destaque dessa semana é o compositor, violonista e cantor Toquinho, que apresenta grandes sucessos de sua carreira. A orquestra faz ainda um concerto especial apresentando um panorama dos diversos ritmos brasileiros.

E na programação Toriba Musical, promovida pelo Hotel Toriba, o destaque é para apresentações de canto lírico, música romântica e standards norte-americanos.

 

CAMERATA DO FESTIVAL

14/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Gratuito.

Camerata do Festival, regida por Neil Thomson, diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Goiás, em seu primeiro concerto nessa edição do Festival, recebe como solista o violoncelista brasileiro, radicado na Alemanha, Matias de Oliveira Pinto. O programa inclui a Abertura de A Flauta Mágica, KV 620, de Wolfgang Amadeus Mozart; o Concerto nº 1 para Violoncelo em Dó maior, de Joseph Haydn; e a Sinfonia nº 3 em Ré maior, D 200, de Franz Schubert.

 

19/07 (sex), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50

20/07 (sáb), 16h30, Sala São Paulo. Igressos: R$ 20

A Camerata do Festival, regida pelo maestro e violinista brasileiro, radicado na Áustria, Lavard Skou-Larsen [regente da Deutsche Kammerakademie Neuss am Rhein, da Georgisches Kammerorchester Ingolstad, e professor do Mozarteum Salzburg], recebe o pianista brasileiro Arnaldo Cohen, radicado nos Estados Unidos, como solista convidado. O programa traz duas peças de Wolfgang Amadeus Mozart – O Rapto do Serralho, KV 384: Abertura e o Concerto nº 17 para Piano em Sol maior, KV 4 –, além da Sinfonia nº 5 em dó menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven.

 

GRUPO DE MÚSICA ANTIGA DO FESTIVAL

13/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

O Grupo de Música Antiga do Festival, sob a regência do violinista Luís Otávio Santos, diretor artístico do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP, apresenta um programa robusto de música barroca: o Concerto de Brandenburgo nº 1 em Fá maior, BWV 1046, de Johann Sebastian Bach; a Sinfonia em Dó maior, Wq.182:3, de Carl Philipp Emanuel Bach; e a Suíte em ré menor, TWV 55:d3, de Georg Philipp Telemann.

 

13/07 (sáb), 16h30, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

14/07 (dom), 16h30, Auditório Cláudio Santoro. Gratuito.

O Grupo de Música Antiga do Festival, comandado por Ricardo Kanji, flautista e regente especializado em música antiga, e tendo as participações do Coro Acadêmico da Osesp e dos solistas convidados Marília Vargas (soprano), Bruno Costa (contratenor), Jabez Lima (tenor) e Isaque Oliveira (barítono), apresenta a Missa de Santa Cecília, do Padre José Maurício Nunes Garcia, obra-prima sacra do período colonial brasileiro.

 

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

 

13/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Grupo de Música Antiga do Festival, com Luís Otávio Santos (regente). (informações sobre o programa acima)

 

14/07 (dom), 16h30. Gratuito.

Grupo de Música Antiga do Festival, com Ricardo Kanji (regente), Coro Acadêmico da Osesp, Marília Vargas (soprano), Bruno Costa (contratenor), Jabez Lima (tenor) e Isaque Oliveira (barítono). (informações sobre o programa acima)

 

19/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50

Camerata do Festival, com Lavard Skou-Larsen (regente) e  Arnaldo Cohen (piano). (informações sobre o programa acima)

 

SALA SÃO PAULO

 

13/07 (sáb), 16h30. Ingressos: R$ 20.

Grupo de Música Antiga do Festival, com Ricardo Kanji (regente), Coro Acadêmico da Osesp, Marília Vargas (soprano), Bruno Costa (contratenor), Jabez Lima (tenor) e Isaque Oliveira (barítono). (informações sobre o programa acima)

 

14/07 (dom), 11h. Gratuito.

Camerata do Festival com Neil Thomson (regente) e Matias Oliveira Pinto (violoncelo). (informações sobre o programa acima)

 

19/07 (sex), 20h30. Gratuito.

Classe de Metais, Sopros e Percussão, com Wagner Polistchuk (regente) e Paulo Álvares (piano). O repertório de música contemporânea inclui a Terceira Construção, de John Cage; Rhythmetron, de Marlos Nobre, compositor brasileiro que comemora seus 80 anos em 2019; e Couleurs de la Cité Céleste, de Olivier Messiaen, em estreia brasileira, peça de de alta complexidade inspirada em cinco passagens do livro do Apocalipse.

 

20/07 (sáb), 16h30. Igressos: R$ 20

Camerata do Festival, com Lavard Skou-Larsen (regente) e Arnaldo Cohen (piano). (informações sobre o programa acima)

 

PRAÇA DO CAPIVARI

 

13/07 (sáb), 11h. Gratuito

– Coro Infantil da Osesp, com Teruo Yoshida (regente) e Ariã Ai Yamanaka (piano). Programa: Pot-Pourri ‘Cantigas de Roda Brasileiras’ (Anônimo) [arranjo de Edmundo Villani-Côrtes]; O Alfabeto, de Wolfgang Amadeus Mozart; Que alegre passeio no verão, de Friedrich-Wilhelm Möller [arranjo de Hideo Kobayashi e tradução de Humberto E.Kawai]; e La Cucaracha (canção mexicana).

– Coro Juvenil da Osesp, com Marcos Thadeu (regente), Roberto Sion (piano e arranjos), Itamar Collaço (contrabaixo), João Gabriel (violão), Valentina Facury (percussão), Lucas Moutinho (monitor/regente*) e Eduardo Pires (monitor/regente**). No programa, obras de compositores brasileiros: Isto é bom*, de Xisto Bahia; Róseas Flores d’Alvorada (modinha imperial)**; Folhas Secas, de Nelson Cavaquinho; O Gago, de Noel Rosa; Prenda minha (canção do folclore gaúcho brasileiro); O Xote das Meninas, de Luiz Gonzaga; Canções Praieiras, de Dorival Caymmi; Ah, se eu pudesse, de Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli; Morro Velho, de Milton Nascimento; Beatriz, de Chico Buarque e Edu Lobo; e Pela luz dos olhos teus, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

 

13/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, com Daniel Guedes (regente) e Mario Ulloa (violão) interpretam Guilherme Tell: Abertura, de Gioacchino Rossini; Concerto de Aranjuez, de Joqauín Rodrigo; e Rapsódia Romena em Lá maior, Op.11 nº 1, de Georges Enescu.

 

13/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica com Toquinho, sob a regência de Luís Gustavo Petri, apresenta conhecidas canções de autoria do violonista, cantor e compositor Toquinho e de suas parcerias com grandes compositores da MPB: Tarde em Itapuã, de Toquinho e Vinícius de Moraes [arranjo de Amilson Godoy]; Samba de Orly, de Toquinho [arranjo de Edson Alves]; Eu sei que vou te amar / E por falar em saudades, de Tom Jobim e Toquinho [arranjo de Amilson Godoy]; Regra Três, de Vinícius de Moraes e Toquinho [arranjo de Andre Mehmari]; O Caderno, de Toquinho [arranjo de Ruriá Duprat]; Aquarela, de Toquinho [arranjo de Amilson Godoy]; À minha Namorada, de Vinícius de Moraes e Carlos Lyra [arranjo de Fábio Prado]; e Herdeiros do Futuro, de Toquinho [arranjo de Abel Rocha].

 

14/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica com Fábio Prado (regente) apresenta o programa Ritmos Brasileiros, executando as peças Mucura (carimbó) [canção folclórica em arranjo de Fábio Prado]; Asa Branca, de Luiz Gonzaga (baião) [arranjo de Cyro Pereira]; Disparada, de Geraldo Vandré e Théo de Barros (sertanejo) [arranjo de Rodrigo Morte]; Merceditas, de Ramon Sixto Rios (chamamé) [arranjo de Fábio Prado]; O Xote das Meninas, de Luiz Gonzaga e Zé Dantas (xote) [arranjo de Rodrigo Morte]; Festa (maracatu), de Luiz Gonzaga [arranjo de Rodrigo Morte]; Brasileirinho, de Waldir Azevedo (choro) [arranjo de Rodrigo Morte]; As Pastorinhas, de João de Barro e Noel Rosa (marcha-rancho) [arranjo de Rodrigo Morte]; Vai passar, de Chico Buarque e Francis Hime (samba) [arranjo de Rodrigo Morte]; Chiquita Bacana, de Alberto Ribeiro e João de Barro (marcha) [arranjo de Rodrigo Morte]; e Vassourinhas, de Mathias da Rocha e Joana Baptista (frevo) [arranjo de Spok]

 

14/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Projeto Guri, com Gesiel Vilarubia (regente) interpreta as peças Finlândia, Op.26, de Jean Sibelius; Sinfonia nº 8 em si menor, D 759 – Inacabada: 1º Movimento, de Franz Schubert; e Masquerade: Suíte, de Aram Khachaturian

 

14/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Orquestra Experimental de Repertório, com Jamil Maluf (regente) interpreta as Bachianas Brasileiras nº 7, de Heitor Villa-Lobos; e duas peças de Johann Sebastian Bach: a Passacaglia e Fuga em dó menor, BWV 582 [orquestração de Ottorino Respighi] e Tocata e Fuga em ré menor, BWV 565 [orquestração de Leopold Stokowski].

 

PALÁCIO BOA VISTA

 

13/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

20/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Jazz Sinfônica sob a regência de Fábio Prado apresenta as composições Olé, de Nelson Ayres; April in Paris, de Vernon Duke [arranjo de Dave Barduhn]; Basie straight ahead, de Sammy Nestico; It happens only everytime, de Thad Jones; Palpite Infeliz, de Noel Rosa [arranjo de Fernando Correa]; Quebrando o Coco, de Rodrigo Morte [adaptação de Junior Galante]; Choro de Gafieira, de Pixinguinha [arranjo de Edson Alves]; A Sereia voou, de Mozart Terra [adaptação de Fábio Prado]; La Fiesta, de Chick Corea [arranjo de Tony Klatka]; Estrepolia Elétrica, de Moraes Moreira [arranjo de Luiz Arruda Paes]; e Souvenir, de Benny Carter [arranjo de Erick Richards].

 

13/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

As Choronas, grupo formado por Maicira Trevisan (flauta), Ana Cláudia César (cavaquinho), Paola Picherzky (violão de 7 cordas) e Miriam Caoua (percussão) interpretam clássicos do Choro e do Samba, além de composições próprias: Tico Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu; Atlântico, de Ernesto Nazareth; Só vendo que beleza, Henricão e Rubens Campos; Choro de Domingo, de Maicira Trevisan; O Dono da Bola, de Armando Neves; Samba do Arnesto, de Adoniran Barbosa e Alocin; Sorridente, de Ruy Weber; Choronas em Sampa, de Ana Cláudia César; Vê se gostas, de Waldir de Azevedo; Pinheirada, de Armando Neves; e Trem das Onze, de Adoniran Barbosa.

 

13/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Camerata do GreCo, formada por Solange Ferreira (mezzo soprano), Cesar Villavicencio (flauta doce), Paula Callegari (flauta doce) e Fábio Cury (dulciana), apresenta o programa Antonio Gardano 450 Anos, celebrando o nascimento de um dos principais responsáveis pelas maiores edições de música do século XVI. No repertório: Missae variis concentibus ornatae, cum cantico Beatae Mariae, de Orlando di Lasso; Il Primo Libro di Madrigali, de Jacques Arcadelt; Canzone Villanesche, de Adrian Willaert; Canzoni Francese a 2, de Antonio Gardano; Capricci in Musica a tre Voci, de Vincenzo Ruffo; Musica Nova, de Adrian Willaert; e Motetos a quatro Vozes, de Cipriano de Rore.

 

13/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso)

Quinteto Solist, com Nailor Proveta (sax alto e clarinete), Walmir Gil (trompete), Thiago Alves Jr. (contrabaixo), Edu Ribeiro (bateria) e Carlos Roberto (piano), interpreta composições próprias. No programa, Vovô Manuel, de Nailor Proveta; Samba pro MB, de Walmir Gil; Remembering Pastels, de Thiago Alves Jr.; Samba Jazz, de Carlos Roberto; Cebola no Frevo, de Edu Ribeiro; Aos Gordos, de Thiago Alves Jr.; Afro Partido, de Walmir Gil; Prelúdio Afro, de Carlos Roberto; Nivea, de Edu Ribeiro; e A Procura, de Nailor Proveta.

 

14/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Duo Abdalla, formado pela jovem flautista, Júlia Abdalla, de apenas 11 anos de idade, e seu pai Thiago Abdalla, no violão, tem como proposta desenvolver um repertório que vai da música antiga à contemporânea, incluindo tanto a música popular como a erudita. Nesse programa, o grupo apresenta o Concerto em Fá maior: Siciliano, de Giuseppe Sammartini; Les Goûts-réunis, Concerto nº 8: I. Air, de François Couperin; Roundeau, de Elisabeth Jacquet de la Guerre; Sonata em Sol Menor, op.1 nº 2, HWV 360, de Georg Friedrich Händel; Historia del Tango: Café 1930, de Astor Piazzolla; Improvisações sobre Melodias tradicionais; e Cinco Miniaturas Brasileiras, de Edmundo Villani-Côrtes.

 

14/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Orquestra Jovem Tom Jobim, sob a regência de Josué dos Santos, apresenta, Us e Tiptoe, de Thad Jones; Waltz for Debby, de Bill Evans [arranjo de Don Sebesky]; Hay Burner, de Sammy Nestico; Hang gliding, de Maria Schneider; April Child, de Moacir Santos [arranjo de Vittor Santos]; Disparada, de Geraldo Vandré e Theo de Barros [arranjo de Branco]; Passo de Anjo, de Spok e João Lira [arranjo de Spok]; e Dindi, de Tom Jobim [arranjo de Nelson Faria].

 

 ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

 

15/07 (seg), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Programa a ser anunciado

 

16/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Trio Paranaense, com Luiz Guilherme Pozzi (piano), Winston Ramalho (violino) e Adriane Savytzky (violoncelo) apresenta a Sonata para Violino e Piano em Mi bemol maior, Op.18, de Richard Strauss; a Sonata para Violoncelo e Piano em sol menor, Op.19: Andante, de Sergei Rachmaninov; e o Trio com Piano nº 3 em dó menor, Op.101, de Johannes Brahms.

 

17/07 (quar), 18h30. Gratuito.

Sexteto São Paulo, formado pelos músicos da Osesp Claudia Nascimento (flauta), Ricardo Barbosa (oboé), Ovanir Buosi (clarinete), Luiz Garcia (trompa), Alexandre Silvério (fagote) e Olga Kopylova (piano), o grupo interpreta o Quinteto para Piano e Sopros em Mi bemol maior, KV 452, de Wolfgang Amadeus Mozart; Pequena Oferenda Musical, de Nino Rota; e Sexteto para Piano e Sopros, de Francis Poulenc.

 

18/07 (qui), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Cármelo de los Santos (violino), Renato Bandel (viola), Celia Craig (oboé), Robert Plane (clarinete) e Sebastián Espinosa Nuñez (contrabaixo) interpretam o Quinteto em sol menor, Op. 39, de Prokofiev.

– Alunos da Classe de Regência, com Maria Júlia Segura (violino), Gabriel Mira (violino), Guilherme Perez (violino), Nádia Fonseca (violino), Peter Pas (viola), Anderson Vargas (viola), Lauro Lira (violoncelo), Raphael Leal (violoncelo), Gustavo Molina (contrabaixo), Claudia Nascimento (flauta), Thiago Sandoval (clarinete), Sandra Ribeiro (fagote) e Ariã Ai Yamanaka (piano), interpretam Appalachian Spring: Suíte, de Copland.

 

 19/09 (sex), 18h30. Gratuito.

Camaleon Bassoons, formado pelos fagotistas da Osesp Alexandre Silvério, Francisco Formiga, José Arion Liñarez, Mariana Bergenstein e Romeu Rabelo, apresenta as peças La Traviata: Prelúdio do Ato I, de Giuseppe Verdi [arranjo de A.Burford]; Sonatina para Quarteto de Fagotes, de Andrew List; Wonderful Town: Overture, de Leonard Bernstein [arranjo de Romeu Rabelo]; Seleção de George Gershwin [arranjo de Romeu Rabelo]; In a sentimental Mood, de Duke Ellington [arranjo de Alexandre Silvério]; Chorinho para ele, de Hermeto Paschoal [arranjo de Alexandre Silvério]; Four Brothers, de Woody Hemann [arranjo de Alexandre Silvério]; e Take Five, de Paul Desmond [arranjo de Alexandre Silvério].

 

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

 

15/07 (seg), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas.

Recital de Tuba por Filipe Queirós. Wagner Polistchuk (regente*), Wilson Dias (regente**), Olga Kopylova (piano), Ezequias Pereira (eufônio), Fábio Martins Borges (tuba), Fernando Chipoletti (trombone), Guilherme Brito (eufônio), Luana Maele (trombone baixo), Marcos Alex (trombone), Nicolas Herbert (eufônio), Renan Fortes (eufônio), Thiago Aguilar (tuba) e Wellington Carlos (trombone). No programa, Dances de J. Stevens; Winks and Jinks*, de J. Self; Soloetyd, de Blazhevich; Fantasia Sul América, de Santoro; e The Liberation of Sysiphus**, de J. Stevens.

 

16/07 (ter), 19h. Gratuito.

Quinteto Zephyros, formado por Claudia Nascimento (flauta), Arcádio Minczuk (oboé), Ovanir Buosi (clarinete), Luiz Garcia (trompa) e Fábio Cury (fagote), interpreta o Quinteto de Sopros em Fá maior, Op.68 nº 2, de Franz Danzi; o Quinteto para Sopros, de Brenno Blauth; e o Quinteto de Sopros, Op.43, de Carl Nielsen.

 

17/07 (qua), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas.

Cristóbal Alarcón (flauta), Júlio Zabaleta (flauta), Lincoln Sena (flauta), Lucas Martins (flauta), Luciana Campanhã Pozato (flauta) e Tayná Trigo (flauta).

Programa a ser anunciado.

 

18/07 (qui), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Programa a ser anunciado

 

19/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Alessandro Borgomanero (violino) interpreta a Fantasia Sul América, de Santoro;

– Luciana Campanhã Pozatto (flauta), Giovanni Martins (oboé), Natalia Castro (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Isaque Elias (trompa) interpretam Pour mes petits Amis, Op. 14: Pastorale, de Pierné;

– Cristóbal Alarcón (flauta), Tayná Trigo (flauta), Cristiano de Souza (trompete), Camila Zanetti (violino), Guilherme Peres (violino), Yohanna Alves (viola), André Freire (violoncelo) e Vicent Delia (contrabaixo) interpretam Suite dans le Style ancien, Op.24, de D’Indy.

– Alessandro Borgomanero (violino), Thiago da Costa (violino), Renan Oliveira (violino), Ana Uribe Law (violino), Renato Bandel (viola), Julián Lerma (viola), Juan Rogers (violoncelo) e Pierre-Antoine Despatures (contrabaixo) interpretam Octeto de Cordas em Si bemol maior, de Bruch.

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

 

19/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coral Paulistano, sob a regência de Naomi Munakata, interpreta os Quatro Motetos sobre Temas Gregorianos, Op.10, de Maurice Duruflé; as Quatro Pequenas Orações de São Francisco de Assis, de Francis Poulenc; Abendlied, Op.69 nº 3, de Josef Rheinberger; Ave Maria, de Claudio Santoro; Salmo 43: “Richte mich, Gott”, Op.78 nº 2, de Felix Mendelssohn-Bartholdy; Canto de Paz (sobre texto de Carlos Augusto León), de Modesta Bor; Momento, de Alberto Ribeiro; Os Sinos, de Carlos Alberto Pinto Fonseca; e Mantiqueira, de Nelson Ayres [arranjo de Vicente Ribeiro].

 

TORIBA MUSICAL

 

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

13/07 (sáb)

16h30: Área Externa do Museu Felícia Leirner [Toriba Musical ao Pôr do Sol]

19h: Sala da Lareira do Hotel Toriba

Love Songs, Romantic Duets, com os cantores Guiomar Milan (soprano), Marco Bernardo (baixo cantante) e o pianista Antonio Luiz Barker. No programa, As time goes by, de Herman Hupfeld; Let’s call the whole thing off, de George e Ira Gershwin; Tenderly, de Jack Lawrence e Walter Gross; How insensitive, de Tom Jobim e Vicícius de Moraes (versão de Gene Lees); Tu sais je vais t’aimer, de Vinícius de Moraes (versão de Henri Salvador); Embraceable you, de George e Ira Gershwin (versão de Carlos Rennó); Change partners, de Irving Berlin; Ev’ry time we say goodbye, de Cole Porter; I’ve got a crush on you, de George e Ira Gershwin; My funny Valentine, de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II; Love me tender, de Elvis Presley; e Unforgettable, de Irving Gordon.

 

17/07 (qua), 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Adriana Bernardes (soprano), Antonio Luiz Barker (piano) e participação especial de Benjamin Bernardes (violino). No programa, La Traviata: Sempre Libera, de Verdi; Rigoletto: Caro Nome, de Verdi; La Bohème: Quando m’en vo, de Puccini; Tosca: Vissi d’aarte, de Puccini; Carmen: Habanera, de Bizet; Gianni Schicchi: O mio babbino caro, de Puccini; Villanelle, de Eva Dell Acqua; Partita para Violino nº 3 em Mi maior, BWV 1006: Prelúdio, de J.S. Bach; A Viúva Alegre: Lippen schweigen, de Lehár; Acalanto da Rosa, de Santoro; Quem sabe?!, de Carlos Gomes; Concerto para uma voz, de Saint-Preux; Moto Perpetuo, Op. 11, de Paganini; e Ave Maria, de J.S. Bach/ Gounod.

 

19/07 (sex), 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Mere Oliveira (mezzo soprano) e Antonio Luiz Barker (piano) interpretam Summertime, de Gershwin e Heyward; Carmen: Habanera, de Bizet, Meilhac e Halévy; Melodia Sentimental, de Villa-Lobos e Vasconcelos; Canção de Amor, de Villa-Lobos e Vasconcelos; Après un Rêve, de Fauré (texto anônimo); Les Chemins de l’Amour, de Poulenc e Anouilh; Non t’amo più!, de Tosti e Errico; A Vuchella, de Tosti e D’Annunzio; e The Sacred Tree, de Scott Joplin.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

 

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

 

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

http://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

 

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 201 bolsistas. Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

 

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas.

 

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

 

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Data: de 29 de junho a 28 de julho 

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

 

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão  têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

 

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

 

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

 

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

 

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA 

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

 

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

 

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

 

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

 

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: retirada de ingressos a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

 

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 22 a 28 de julho

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins chega à sua última semana, com uma programação intensa, recheada de atrações imperdíveis. Ao longo de todo o mês de julho, serão mais de 130 concertosem sua maioria gratuitos, programados a partir de dois eixos temáticos: Clássico e Popular-Sinfônico.

Os grupos do Festival, formados pelos bolsistas dessa edição, estão entre as principais atrações da semana e consolidam o projeto educacional de ponta do Festival, que dá oportunidade aos estudantes de um aperfeiçoamento em alto nível, fazendo a ponte entre os cenários nacional e internacional da música de concerto.

Orquestra do Festival, regida pelo costarriquenho Giancarlo Guerrero, faz dois concertos, sendo um no Auditório Claudio Santoro e, na Sala São Paulo, o Concerto de Encerrramento Acadêmico, no dia 28 de julho, às 11h, ocasião em que serão premiados os bolsistas de destaque do 50º Festival. Já, os alunos da Classe de Regência do Festival compartilham a batuta à frente da Orquestra Sinfônica da USP em um concerto na Sala São Paulo.

Na programação sinfônica, outros destaques são o concerto da orquestra Johann Sebastian Rio, regida por Felipe Prazeres; da Osesp, regida por Wagner Polistchuk, em um concerto gratuito no Auditório Claudio Santoro, tocando a Quinta Sinfonia de Beethoven e outras peças, em celebração aos 20 Anos da Sala São Paulo.

Na Praça do Capivari, a programação terá o sambista Diogo Nogueira com a Sinfonieta da Jazz (o concerto se repete na Sala São Paulo), e diversas orquestras e bandas sinfônicas paulistas tocam repertórios ecléticos, da música clássica, passando pela música, o cinema, o jazz e a MPB.

Já a programação de câmara tem entre as principais atrações os recitais dos pianistas Jean-Louis Steuerman e Arnaldo Cohen na Sala São Paulo, dividindo o palco com instrumentistas convidados. A Camerata Antiqua de Curitiba, regida por Luís Otávio Santos, faz dois concertos interpretando obras de Händel (um no Auditório Claudio Santoro e outro na Sala São Paulo).

Os concertos de câmara de professores e alunos do Festival também continuam, tanto na Sala do Coro (Sala São Paulo), quanto no Espaço Cultural Dr. Além, em Campos do Jordão, e incluem homenagens a importantes artistas do cenário nacional e internacional: Ernst Mahle 90 Anos, Leo Brouwer 80 Anos e Olga Praguer Coelho. Na Igreja de Santa Terezinha, o Coro Sinfônico de Goiânia, sob a regência de Katarine Araújo, é a atração.

No Palácio Boa Vista, seguem os concertos gratuitos com recitais solo e variadas formações de câmara, na Capela do Palácio, além das big bands e apresentações de música popular no Palco Externo, e ainda os shows noturnos no Palco Interno do Palácio.

E na programação Toriba Musical, promovida pelo Hotel Toriba, o destaque são dois recitais do duo formado por Tiago Paganini (violino) e Roberto Capel (piano).

 

ORQUESTRA DO FESTIVAL

27/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

28/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Concerto de Encerramento Acadêmico. Gratuito.

Orquestra do Festival, comandada pelo costarriquenho Giancarlo Guerrero [diretor musical da Orquestra Sinfônica de Nashville; seis vezes ganhador do Grammy Awards], faz suas duas últimas apresentações no 50º Festival, incluindo o Concerto de Encerramento Acadêmico, com a premiação dos bolsistas de destaque dessa edição. O grupo toca Kabbalah, Op.96, de Marlos Nobre (compositor que tem seu aniversário de 80 anos celebrado em 2019); Daphnis et Chloé: Suíte nº 2, de Maurice Ravel; e as Bachianas Brasileiras nº 2, de Heitor Villa-Lobos.

 

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

Johann Sebastian Rio. Primeira orquestra brasileira a se lançar na Internet e nas redes sociais com concertos leves e interativos, tem um nome que homenageia tanto o compositor Johann Sebastian Bach quanto a São Sebastião e a cidade do Rio de Janeiro. Com Felipe Prazeres (regente) e os solistas Priscila Rato (violino) e Marcus Ribeiro (violoncelo), o grupo interpreta L’Olimpiade, RV 725: Abertura, de Antonio Vivaldi; o Concerto nº 2 para Violino em Mi maior, BWV 1042, de J.S. Bach; e duas peças de Pyotr Il’yich Tchaikovsky: Andante Cantabile e Serenata em Dó maior, Op.48.

 

26/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos e participação dos solistas Graciela Oddone (soprano), Cecilia Amancay Pastawski(mezzo soprano), Paulo Mestre (contratenor), Sidney Gomes (tenor) e Cláudio de Biaggi (barítono) interpretam duas obras de Georg Friedrich Händel: o Concerto Grosso em Lá maior, Op.6 nº 11 e Dixit Dominus, HWV 232.

 

27/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra do Festival com Giancarlo Guerrero (regente). (informações sobre o programa acima).

 

28/07 (dom), 16h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, com Wagner Polistchuk (regente), apresenta a Sinfonia nº 5 em dó menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven, e obras escolhidas pelo público: Bachianas Brasileiras nº 4: Prelúdio, de Heitor Villa-Lobos; O Quebra-Nozes, Op.71: Valsa das Flores, de Pyiotr Il’yitch Tchaikovsky; Sinfonia nº 5: Adagietto, de Gustav Mahler; e A Valquíria: Cavalgada das Valquírias, de Richard Wagner. Esse mesmo programa foi apresentado na celebração dos 20 Anos da Sala São Paulo, no dia último dia 9 de julho, aniversário da Sala.

 

SALA SÃO PAULO

23/07 (ter), 20h30. Ingressos: R$ 20.

Jean-Louis Steuerman (piano), em programa de música de câmara:

– Jean-Louis Steuerman (piano), Alessandro Borgomanero (violino), Renato Bandel (viola) e Rodrigo Andrade Silveira (violoncelo) interpretam o Quarteto nº 1 em sol menor, KV 478, de Wolfgang Amadeus Mozart.

– Jean-Louis Steuerman (piano), Elissa Cassini (violino), Peter Pas (viola) e Rodrigo Andrade Silveira (violoncelo) interpretam o Quarteto em Mi bemol maior, Op.47, de Robert Schumann.

 

25/07 (qui), 20h30. Ingressos: R$ 20.

Arnaldo Cohen (piano) em programa de música de câmara:

– Arnaldo Cohen (piano), Winston Ramalho (violino) e Viktor Uzur (violoncelo) interpretam o Trio nº 2 em Dó maior, Op.87, de Johannes Brahms;

– Arnaldo Cohen (piano), Elissa Cassini (violino) e Viktor Uzur (violoncelo) interpretam o Trio nº 1 em ré menor, Op.49, de Felix Mendelssohn-Bartholdy.

 

26/07 (sex), 20h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica da USP, regida pelos alunos da Classe de Regência do Festival, apresenta as obras Don Giovanni, KV 527: Abertura, de Wolfgang Amadeus Mozart; Abertura Coriolano, Op.62, de Ludwig van Beethoven; As Bodas de Fígaro, KV 492: Abertura, de Mozart; Abertura A Gruta de Fingal, Op.26, de Felix Mendelssohn-Bartholdy; e a Sinfonia nº 1 em Dó maior, Op.21, de Beethoven.

 

27/07 (sáb), 16h30. Ingressos: R$ 20.

Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência de Luís Otávio Santos e participação dos solistas Graciela Oddone (soprano), Cecilia Amancay Pastawski (mezzo soprano), Paulo Mestre (contratenor), Sidney Gomes (tenor) e Cláudio de Biaggi (barítono) interpretam duas obras de Georg Friedrich Händel: o Concerto Grosso em Lá maior, Op.6 nº 11 e Dixit Dominus, HWV 232.

 

28/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Concerto de Encerramento Acadêmico. Gratuito.

Orquestra do Festival com Giancarlo Guerrero (regente). (informações sobre o programa acima).

 

28/07 (dom), 18h. Ingressos: R$ 80.

Jazz Sinfonieta e Diogo Nogueira, sob regência de Nelson Ayres. A Sinfonieta da Jazz Sinfônica encerra sua participação no 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão recebendo Diogo Nogueira, um dos maiores nomes do samba da atualidade. O repertório inclui Conversa de Botequim, de Vadico e Noel Rosa; Filosofia, de Noel Rosa e André Filho; Aquele Abraço, de Gilberto Gil; As Rosas não Falam, de Cartola; Alvorada, de Cartola e H.B. de Carvalho; Chão de Esmeraldas, de Chico Buarque e H.B. de Carvalho [todas com arranjo de Paulo Aragão]; Samba do Avião, de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes; Você é Linda, de Caetano Veloso; Choro Bandido, de Edu Lobo e Chico Barque [todas com arranjo de Nelson Ayres]; e Cabô, Meu Pai, de Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila e Aldir Blanc [arranjo de Tiago Costa].

 

PRAÇA DO CAPIVARI

27/07 (sáb), 11h. Gratuito.

Banda Sinfônica de Taubaté, com Rogério de Souza (regente) e Alexey Kurdjian (regente assistente) interpreta Prelude and Presto, de David R. Holsinger; Othello, a Symphonic Portrait for Concert Band, de Alfred Reed; Cavalaria Ligeira, de Franz von Suppé [arranjo de Luis G. Ñarro];The Avengers’ Theme, de Alan Silvestri [arranjo de Michael Brown]; Dança de Vagharchabadi, de Vardapet Komitas [arranjo de Alexey Kurkdjian]; Mas que nada, de Jorge Ben [arranjo de Michael Brown]; e Vassourinhas, de Mathias da Rocha e Joanna Batista [arranjo de Nenéu Liberalquino].

 

27/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Banda Sinfônica do Exército, com Tenente Gilson Souza (regente), apresenta a obras A Concert Prelude e Year of the Dragon: Finale, de Philip Sparke; O Pássaro de Fogo: Excertos, de Igor Stravinsky [arranjo de Randi Earles sobre a versão de 1919]; Variações Fantasia sobre um Tema de Nicolò Paganini, de James Barnes; A Lista de Schindler, de John Williams; Velhos Camaradas (dobrado), de Carl Teike; Cielo andaluz (pasodoble), de Pascual Marquina Narro; e Paconchita – Abertura latina, de Oscar Navarro.

 

27/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfonieta, sob regência de Nelson Ayres, recebe Diogo Nogueira, um dos maiores nomes do samba da atualidade. O repertório inclui Conversa de Botequim, de Vadico e Noel Rosa; Filosofia, de Noel Rosa e André Filho; Aquele Abraço, de Gilberto Gil; As Rosas não Falam, de Cartola; Alvorada, de Cartola e H.B. de Carvalho; Chão de Esmeraldas, de Chico Buarque e H.B. de Carvalho [todas com arranjo de Paulo Aragão]; Samba do Avião, de Tom Jobim, Chico Buarque e Vinícius de Moraes; Você é Linda, de Caetano Veloso; Choro Bandido, de Edu Lobo e Chico Barque [todas com arranjo de Nelson Ayres]; e Cabô, Meu Pai, de Moacyr Luz, Luiz Carlos da Vila e Aldir Blanc [arranjo de Tiago Costa].

 

28/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com Edson Beltrami (regente) e João Carlos Martins (regente e piano), interpreta a Cantata nº 147: Jesus bleibet meine Freude, de J.S. Bach; Peer Gynt: Suíte nº 1, Op.46, de Edvard Grieg; a Valsa nº 2, de Dmitri Shostakovich; Danças Eslavas nº 8, Op.46: nº 8 em sol menor, de Antonín Dvórak; a Suíte Orquestral nº 3 em Ré maior, BWV 1068: Ária, de J.S. Bach; o Concerto nº 5 para Cravo em fá menor, BWV 1056, de J.S. Bach; Yesterday / Love of my life, de The Beatles / Queen [arranjo de Edson Beltrami]; Cinema Paradiso, de Ennio Morricone; e Carnaval de Rua, de Hudson Nogueira.

 

28/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica de Piracicaba, sob a regência de Jamil Maluf, apresenta o programa A Orquestra no Cinema, tocando uma seleção de composições emblemáticas que fizeram parte das trilhas sonoras de  clássicos cinematográficos: No belo Danúbio azul, Op.314, de Hohann Strauss Jr [2001 – Uma Odisséia no Espaço de Stanley Kubrick]; Sinfonia nº 5: Adagietto, de Gustav Mahler [Morte em Veneza de Lucchino Visconti]; La Gazza Ladra: Abertura, de Gioacchino Rossini [Laranja Mecânica de Stanley Kubrick]; e Guerra nas Estrelas: Suíte sinfônica, de John Williams [Guerra nas Estrelas de George Lucas].

 

28/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Soundscape Big Band. Criada em 1999 por músicos influenciados por grandes mestres do jazz, a Soundscape traz a estrutura clássica de uma traditional big band: cinco saxofones, quatro trombones, quatro trompetes, baixo acústico, bateria, piano e guitarra. Nesse programa, o grupo apresenta Foose in Bla, de Ohad Talmor; Maria 3 Filhos, de Milton Nascimento [arranjo de Fernando Corrêa]; Fall, de Wayne Shorter [arranjo de Fernando Corrêa]; Tempestade, de Chico Pinheiro e Chico César [arranjo de Tiago Costa]; Coisa nº 2, de Moacir Santos [arranjo de Tiago Costa]; Corrêa Toa, de Fernando Corrêa; e Plaza Real, de Wayne Shorter [arranjo de Paulo Malheiros].

 

PALÁCIO BOA VISTA

27/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Salada Mista Big Band, com Ogair Júnior (regente) apresenta a Valsa sentimental, de Tom Jobim [arranjo de Robertinho Carvalho]; Samba de Orfeu, de Luiz Bonfá [arranjo de Rubinho Antunes]; Raabe, de Jorge Ervolini; A Procura, de Robertinho Carvalho; Sweet Dulcinea Blues, de Kenny Wheeler [arranjo de Robertinho Carvalho]; Velas içadas, de Ivan Lins [arranjo de Jorge Ervolini]; Daquilo que eu sei, de Ivan Lins [arranjo de Robertinho Carvalho]; e Linha de Passe, de João Bosco [arranjo de Nailor Proveta].

 

27/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

O Sorriso da Manu, com Toninho Ferraguti (acordeon), Beto Angerosa (percussão), Paulo Braga (piano), Alexandre Ribeiro (clarinete), Ricardo Takahashi (violino), Liliana Chiriac (violino), Adriana Schincariol Vercelino (viola), Raïff Dantas Barreto (violoncelo) e Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo).

Explorando a sonoridade de uma pequena orquestra, aliada às possibilidades sonoras do acordeom, Toninho Ferragutti apresenta as composições de seu álbum O Sorriso da Manu. O programa inclui, de sua autoria, as peças Sanfonema, Forro classudo, Paçoquinha, Circuleta, Chôro da madrugada, O Sorriso da Manu, Nem Sol, nem Lua, Balanguinha, Trilha feita a mão, Na Sombra da Asa Branca, Trilha feita a lápis, Flamenta e Nova; de Luperce Miranda, Quando me lembro; e de Hermeto Pascoal, Sion.

 

27/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Do Barroco às Barrancas do Rio é o título do recital de Bruno Sanches, que toca viola brasileira. O programa inclui composições próprias e de outros autores: Catira do Vale, de Bruno Sanches; A jangada voltou só, de Dorival Caymmi; Canários, de Gaspar Sanz; O trem tá feio, de Tavinho Moura e Murilo Antunes; Capricho perfumado, de Bruno Sanches; Prelúdio da Suíte nº 1 para Violoncelo, de Johann Sebastian Bach; ¡Ha, che valle!, de Agustin Barrios; Poema: Dia de Chuva, de Luiz Antônio Sanches; Boi soberano, de Carreirinho e Izaltino Gonçalves; Senhorinha, de Guinga e Paulo César Pinheiro; Elementais, de Bruno Sanches; A Força do Boi, de Ivan Vilela; Poema: O Voo do Andarilho, de Zaca de Oliveira; Amantikir, de Bruno Sanches.

 

27/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso).

Daniel D’Alcântra (trompete/flugelhorn), Felipe Silveira (piano), Thiago Alves (contrabaixo) e Paulinho Vicente (bateria) apresentam um programa de música instrumental, jazz e MPB.

 

28/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Cancioneiro de Paris

O Capela Ultramarina, formado por Regiane Martinez (soprano), Patrícia Nacle (contralto), Iara Ungarelli (viola da gamba), Marília Macedo (flauta doce), Guilherme de Camargo (viola de mão de quatro ordens) e Fábio Vianna Peres (tenor, viola de mão de cinco ordens), apresenta uma seleção de peças anônimas do século XVI. Com pesquisa, arranjo, edição, concepção e direção musical de Fábio Vianna Peres, o grupo reúne em seus concertos cantores e instrumentistas com ampla experiência no campo da interpretação histórica da música do passado.

 

28/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Coro Infantojuvenil da Fundação Lia Maria Aguiar, com Luana Barros (regente), interpreta Oye, de Jim Papoulis; Roda Viva, de Chico Buarque; Stand by me, de Ben E. King; Tres morillas me enamoran (Anônimo); O rei mandou me chamá, de M. Camargo Guarnieri; Missa Festiva: Kyrie, de John Leavitt; Jubilate Deo, de Jay Althouse; De Magia, de Dança e Pés, de Milton Nascimento; Jardim da Fantasia, de Paulinho Pedra Azul; Samba do Arnesto, de Adoniran Barbosa; e Pase el agoa (Anônimo).

 

ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

22/07 (seg), 18h30. Gratuito.

O grupo Trombonismo, formado por Carlos Freitas, Eduardo Machado, Fernando Chipoletti e Wagner Polistchuk, interpreta a Suite Elizabethana (Anônimo); o Quarteto para Trombones, de Fernando Moraes; Doctor Decker’s Daydreams, de Christian Lindberg; a Suite Parisiense, de John Glenesk Mortimer; Bohemian Rhapsody, de Freddie Mercury/ Queen [arranjo de Alan Fernie]; e Marcelinho no Frevo, de Ivanildo Maciel.

 

23/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Gabriella Pace (soprano) e Ricardo Ballestero (piano) interpretam Sechs Lieder, Op.13, de Clara Schumann; Fünf Lieder, Op.49, de Joahannes Brahms; e Frauenliebe und Leben, Op.42, de Robert Schumann.

 

24/07 (qua), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Tainá Trigo (flauta), Andreza Batistella (viola) e Raphael Aragão (harpa) interpretam a Sonata para Flauta, Viola e Harpa, de Debussy;

– Lucas Martins (flauta), Marcelo Vilarta (oboé), Gustavo Ananias (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Juan Quinteros Estrada (trompa) interpretam Três Peças breves, de Ibert;

Maria Júlia Segura (violino), Hanan Santos (violino), Rômulo Moreira (viola), Tácio Vieira (violoncelo), Júlio Zabaleta (flauta), Danilo Oliveira (clarinete) e Alice Emery (harpa) interpretam Introdução e Allegro, de Ravel.

 

25/07 (qui), 18h30. Gratuito.

Escualo Ensemble, formado por Amanda Martins (violino), Cláudio Torezan (contrabaixo), Rubén Zúñiga (vibrafone) e Daniel Grajew (piano e acordeão), interpreta um repertório de tangos tradicionais e modernos: Soledad, de Astor Piazzolla; Mi Viejo Reloj, de Osvaldo Fresedo; Zum, de Astor Piazzolla; Negracha, de Osvaldo Pugliese; Milonga en Re, de Astor Piazzolla; Escualo, de Astor Piazzolla; Cabulero, de Leopoldo Federico; Fuga y Misterio, de Astor Piazzolla; Odeon, de Ernesto Nazareth; Tango Buto, de Daniel Grajew; e A Fuego Lento, de Horacio Salgán.

 

26/07 (sex), 18h30. Gratuito.

Homenagem a Olga Praguer Coelho

A soprano Camila Titinger e o violonista Fabio Zanon homenageiam a soprano e violonista Olga Praguer Coelho (1909-2008), que começou sua carreira musical nos anos 1920 e ascendeu internacionalmente a partir de 1935, chegando a ganhar o status de embaixadora da cultura brasileira na Europa, e cantar na Casa Branca (EUA). O duo interpreta obras de Alessandro Scarlatti, Giovanni Bellini, Manuel de Falla, Nikolay Rimsky-Korsakov, Heitor Villa-Lobos e do folclore brasileiro e internacional, em arranjos para voz e violão de Villa-Lobos, Andrés Segovia e Olga Praguer Coelho.

 

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

22/07 (seg), 19h. Gratuito.

Leo Brouwer 80 Anos.

O programa celebra o aniversário do compositor e violonista cubano, autor de uma importante e prolífica obra, não só violonística, mas dedicada a outros instrumentos. O repertório inclui peças para várias formações de autoria de Brower, tocada por vários grupos de instrumentistas:

Adailson Araujo, Eduardo Gutterres, Huayma Tulian e Julieta Comotti (violões) interpretam a Toccata;

– Tayná Trigo (flauta), Vanessa Gatica Valenzuela (viola) e Camilla Silva (violão) tocam Per suonare a tre;

– Gabriel Moraes (percussão) toca Variantes;

– Cristóbal Alarcón (flauta), Julián Lerma (viola) e Nícolas Porto Silva (violão) interpretam Paisajes, retratos y mujeres;

– Marina Caputo (violino), Lauro Lira (violoncelo) e Paulo Álvares (piano) tocam Manuscrito antiguo encontrado en una botella;

– Classe de Violão do Festival, formada por Adailson Araujo, Camilla Silva, Eduardo Gutterres, Guilherme Moreno, Huayma Tulian, Jhony de Souza, Julieta Comotti, Laíne Mororó, Lucas da Silva Rocha, Lucas Vieira, Nícolas Porto Silva e Nora Spielman interpretam Paisaje Cubano con Rumba.

 

23/07 (ter), 19h. Gratuito.

Ernst Mahle 90 Anos

O programa homenageia o compositor, maestro e professor Ernst Mahle, nascido na Alemanha e radicado no Brasil, fundador da Escola de Música de Piracicaba. Mahle é autor de arranjos e composições para todos os instrumentos, em formações solo, de música de câmara e sinfônica, além de canto e coro. Produziu cerca de duas mil obras, das quais cerca de quinhentas são composições originais, incluindo três óperas. No repertório, todas as peças são de Ernst Mahle, interpretadas por vários grupos de instrumentistas:

Leandro Isaac (piano) e Lucas Gonçalves (piano) tocam a Toccata;

Lucas Gonçalves (piano) interpreta a Sonatina para Piano;

Marcos Alex, Wellington Carlos e André Martins (trombones), e Luana Maele (trombone baixo) tocam a Suíte para Quarteto de Trombones;

Luciana Campanhã Pozatto (flauta), Paulo Roberto (oboé), Eduardo Lima (clarinete), Sandra Ribeiro (fagote) e Guilherme Merique (trompa) interpretam o Quinteto de Sopros;

Thiago Sandoval (clarinete), Alex Sanchez (fagote), Henrique Santos (trompa), Carlos Espinal (violino), João Sena (viola), Laura Catalina Mendoza (violoncelo) e Renata Rodrigues Andrade (contrabaixo) tocam o Septeto;

Matheus Coelho (regente), Andrezza Reis (soprano), Cristóbal Alarcón (flauta), Luís Umbelino (clarinete), Marcela Cerna Alcántara (violino), Letícia Camargo (viola), María Bellorin (violoncelo), Vincent Delia (contrabaixo), Ingrid Uemura (piano) e Pietro Gutiérrez Arnoldi (percussão) interpretam O amor é um som (sobre citação de Júlio Dinis).

 

24/07 (qua), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Svetlana Tereshkova e Tatiana Vinogradova (violinos), Olga Vassilevich (viola) e Marialbi Trisolio (violoncelo) interpretam Morriña – Quarteto de Cordas, de Eduardo Frigatti, e Cinco Peças para Quarteto de Cordas, de Igor Maia.

– Renato Raul (marimba) e Rafael Dalchau (vibrafone) tocam o Estudo II – A Falsa Rhumba, de E. Álvares;

– Diego Montes (marimba), Andrés Reyes Gutiérrez (percussão), Pietro Gutiérrez Arnoldi (percussão) e Ariel Gonzalez (percussão) interpretam Marimba Spiritual, de Minoru Miki;

– Tayná Trigo (flauta), Guilherme Peres (violino), Yixon Marin (viola), Eliziel Lourenço (violoncelo) e Raphael Aragão (harpa) tocam a Serenata para Flauta, Trio de Cordas e Harpa, Op.30: Allegro, de Roussel;

– Lucas Martins (flauta), Marcelo Vilarta (oboé), Gustavo Ananias (clarinete), Gustavo Prisco (fagote) e Juan Quinteros Estrada (trompa) interpretam Três Peças breves, de Ibert;

Alice Emery (harpa), Júlio Zabaleta (flauta), Danilo Oliveira (clarinete), Maria Júlia Segura (violino), Hanan Santos (violino), Rômulo Moreira (viola) e Tácio Vieira (violoncelo) tocam Introdução e Allegro, de Ravel.

 

25/07 (qui), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

Marcelo Barboza (flauta) e Débora Halász (piano).

Programa a ser anunciado

 

26/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

– Lincoln Sena (flauta), Paulo Roberto (oboé), Eduardo Lima (clarinete), Vivian Meira (fagote), Isaque Elias (trompa) e Mateus Restani (piano) interpretam o Sexteto para Piano e Sopros em Si bemol maior, Op. 6: Allegro moderato, de Thuille.

– Thiago Sandoval (clarinete), Gustavo Prates (violino), Gustavo Lennertz (violino), Guilherme Santana (violino) e Nathalia Sudário (violoncelo) interpretam o Quinteto com Clarinete em si menor, Op. 115: Excertos, de Brahms.

– Sol Ochoa (violino), Meriline Rivero Meza (violino), Andreza Batistella (viola), Lucas Garcia Muramoto (violoncelo), Claudia Macchicado Torres (contrabaixo), Erick Venditte (trompete) e Pedro Heylmann (piano) interpretam o Septeto em Mi bemol maior, Op. 6, de Saint-Saëns.

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA 

26/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coro Sinfônico de Goiânia, sob a regência de Katarine Araújo, com Fábio Leite (piano), Joicy Carvalho (soprano), Patrícia Mello (soprano), Natália Afonso (contralto), Félix Bauer (tenor), Caio Abreu (barítono), Anne Clárenci (soprano), Angela Samara (soprano) e Vitor Monte (baixo), interpreta as obras Agnus Dei, de Samuel Barber; Sete Canções, de Francis Poulenc; Only in sleep, de Eriks Esenvalds [texto de Sara Teasdale]; Salut printemps, de Claude Debussy; Choros nº 3 – Pica-Pau, de Heitor Villa-Lobos; Três Cânticos breves, de Ronaldo Miranda [texto de Fernando Pessoa]; Suíte nordestina, de Ronaldo Miranda; e Frevo fugato, de Edmundo Villani-Côrtes.

 

TORIBA MUSICAL

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

27/07 (sáb)

– 16h30, Área Externa do Museu Felícia Leirner [Toriba Musical ao Pôr do Sol].

– 19h, Sala da Lareira do Hotel Toriba.

Tiago Paganini (violino) e Roberto Capel (piano) interpretam o Praeludium und Allegro, de Fritz Kreisler; a Sonata nº 3 em Mi maior, BWV 1016, de Johann Sebastian Bach; a Sonata n° 21 em mi menor, KV 304, de Wolfgang Amadeus Mozart; Après un Rêve, de Gabriel Fauré; Nocturne, de Lili Boulanger; Liebesleid, de Fritz Kreisler; Salut d’Amour Op.12, de Edward Elgar; e As Quatro Estações: Primavera, de Antonio Vivaldi.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

 

 

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

 

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

http://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

 

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 201 bolsistas. Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

 

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas.

 

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

 

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins

Data: de 29 de junho a 28 de julho 

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

 

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão  têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

 

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

 

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

 

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA 

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

 

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

 

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

 

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

 

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: a distribuição de ingressos será feita pela internet, a partir das 10h da manhã da segunda-feira que antecede o concerto, e também presencialmente, a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento da Sala São Paulo, limitado a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

 

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

 

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS: 

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão – 6 a 12 de julho

O 50º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, maior festival de música clássica da América Latina, segue em sua segunda semana com programação recheada de atrações. Ao longo de todo o evento, serão cerca de 130 concertos, em maioria gratuitos, seguindo dois eixos: Clássico e Popular-Sinfônico.

Estreiam nessa semana os três grupos formados pelos bolsistas do Festival: a Orquestra do Festival, regida por Alexander Liebreich; a Camerata do Festival, regida por Neil Thomson; e o Grupo de Música Antiga do Festival, regido por Luís Otávio Santos. Executando repertórios desafiadores, os concertos trazem a participação de regentes e solistas de renome internacional à frente dos jovens instrumentistas de alto nível técnico e musical.

O pianista Nelson Freire, que celebra 70 anos de carreira em 2019, faz dois recitais: um na Sala São Paulo, em comemoração aos 20 Anos da Sala (08/07), e outro no Auditório Claudio Santoro (11/07). No dia 09/07, aniversário de 20 Anos da Sala São Paulo, acontecem dois concertos gratuitos da Osesp, na Sala São Paulo, às 11h e às 16h30, sob o comando de seu novo regente titular, o suíço Thierry Fischer (que toma posse em 2020), apresentando a Quinta Sinfonia de Beethoven, obra escolhida pelo público em votação pela internet.

Entre as atrações sinfônicas, destaque para a Filarmônica de Goiás, regida por Neil Thomson, com dois concertos gratuitos (Praça do Capivari e Sala São Paulo); a Orquestra Sinfônica de Campinas, com Victor Hugo Toro (regente) e Viktor Uzur (violoncelo); e a Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, com Luís Gustavo Petri (regente) e o violinista Emmanuele Baldini (spalla da Osesp).

A Jazz Sinfônica segue recebendo, no fim de semana, grandes artistas da MPB, em concertos ao ar livre na Praça do Capivari. O primeiro traz a cantora Fafá de Belém interpretando seus maiores sucessos (06/07), e o segundo, o saxofonista e maestro Spok, em um programa que repassa a trajetória do Frevo (07/07).

No Palácio Boa Vista, além dos tradicionais concertos de câmara na Capela do Palácio, com destaque para o Quarteto Atlas e o Quarteto Carlos Gomes, também tem música no palco ao ar livre, com a Big Band Jazz Sinfônica, a Big Band da EMESP Tom Jobim e a Camerata Fukuda. E, no sábado à noite, no palco interno do Palácio, a atração é o saxofonista e clarinetista Nailor Proveta.

O Coro da Osesp, sob a regência de Valentina Peleggi, apresenta concerto na Igreja de Santa Terezinha. Na programação de câmara, destaque para os concertos gratuitos, que continuam diariamente no Espaço Cultural Dr. Além, e começam na Sala do Coro (Sala São Paulo). Entre as atrações estão o Quarteto Osesp, os Alunos da Academia de Música da Osesp com violista dinamarquês Asbjørn Nørgaard, e os recitais dos Professores e Bolsistas do Festival.

Estreiam também no Festival as apresentações do Toriba Musical, programação paralela organizada pelo Hotel Toriba que traz ao público música de câmara, brasileira e jazz, com concertos ao ar livre no Museu Felícia Leirner e na Sala da Lareira do Hotel Toriba. Nesse fim de semana, os destaques são o pianista Claudio Goldman, o grupo vocal As Meninas Cantoras de Campos do Jordão e a pianista Eudóxia de Barros.

A TV Cultura transmitirá ao vivo uma série de concertos do 50º Festival. Confira a programação no link: https://fpa.com.br/comunicados/252_tv-cultura-transmite-o-50-festival-de-inverno-de-campos-do-jordao.html

ORQUESTRA DO FESTIVAL

06/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

07/07 (dom), 18h, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

 

A Orquestra do Festival faz sua estreia nessa edição comandada pelo alemão Alexander Liebreich, regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Rádio de Praga e da Orquestra Sinfônica da Rádio Nacional Polonesa. Serão dois concertos, um no Auditório Claudio Santoro (06/07, 20h30) e um na Sala São Paulo (07/07, 18h), este último em comemoração aos 20 anos da Sala São Paulo. No programa, Impressões de uma Usina de Aço, de Claudio Santoro, compositor brasileiro que tem seu centenário de nascimento celebrado em 2019, e a Sinfonia nº 1 em dó menor, Op.68, de Johannes Brahms.

CAMERATA DO FESTIVAL

12/07 (sex), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

14/07 (dom), 11h, Sala São Paulo. Gratuito.

Camerata do Festival, regida por Neil Thomson, diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Goiás, em seu primeiro concerto nessa edição do Festival, recebe como solista o violoncelista brasileiro, radicado na Alemanha, Matias de Oliveira Pinto. O programa inclui a Abertura de A Flauta Mágica, KV 620, de Wolfgang Amadeus Mozart; o Concerto nº 1 para Violoncelo em Dó maior, de Joseph Haydn; e a Sinfonia nº 3 em Ré maior, D 200, de Franz Schubert.

GRUPO DE MÚSICA ANTIGA DO FESTIVAL

12/07 (sex), 20h30, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

13/07 (sáb), 20h30, Auditório Claudio Santoro. Ingressos: R$ 50.

Grupo de Música Antiga do Festival, sob a regência do violinista Luís Otávio Santos, diretor artístico do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP, faz sua estreia apresentando um programa de música barroca: o Concerto de Brandenburgo nº 1 em Fá maior, BWV 1046, de Johann Sebastian Bach; a Sinfonia em Dó maior, Wq.182:3, de Carl Philipp Emanuel Bach; e a Suíte em ré menor, TWV 55:d3, de Georg Philipp Telemann.

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO

06/07 (sáb), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra do Festival, sob a regência de Alexander Liebreich. (informações sobre o programa acima)

07/07 (dom), 16h30. Ingressos: R$ 50.

Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, sob a regência de Victor Hugo Toro, tendo o violoncelista sérvio Viktor Uzur como solista, interpreta O Aprendiz de Feiticeiro, de Paul Dukas, Variações sobre um Tema Rococó, Op.33, de Pyotr Il’yich Tchaikovsky, e Pinheiros de Roma, de Ottorino Respighi. 

11/07 (qui), 20h30. Ingressos: R$ 100.

Nelson Freire, pianista brasileiro com aclamada carreira internacional, faz um recital com obras emblemáticas do período romântico. Do compositor alemão Robert Schumann, Arabesque em Dó maior, Op.18 e Fantasia em Dó maior, Op.17; e do polonês Frédéric Chopin, Improviso nº 2 em Fá sustenido maior, Op.36; Mazurka nº 13 em lá menor, Op.17 nº 4; Mazurka nº 25 em si menor, Op.33 nº 4; Noturno nº 18 em Mi maior, Op.62 nº 2; Polonaise nº 1 em dó sustenido menor, Op.26 nº 1; e Barcarola em Fá sustenido maior, Op.60. 

12/07 (sex), 20h30. Ingressos: R$ 50.

Camerata do Festival com Neil Thomson (regente) e Matias Oliveira Pinto (violoncelo). (informações sobre o programa acima) 

SALA SÃO PAULO

07/07 (dom), 11h. Gratuito.

Filarmônica de Goiás, sob o comando de seu diretor artístico e regente titular Neil Thomson, recebe como solista o clarinetista britânico Michael Collins. O programa traz a Abertura Carnaval, Op.92, de Antonin Dvorák, o Concerto nº 1 para Clarinete em fá menor, Op.73, de Carl Maria von Weber, e, de Claudio Santoro, compositor que tem seu centenário de nascimento celebrado esse ano, a Sinfonia nº 10 – Amazonas.

 

07/07 (dom), 18h. Ingressos: R$ 20.

Orquestra do Festival, sob a regência de Alexander Liebreich. (informações sobre o programa acima)

 

08/07 (seg), 20h30. Ingressos: de R$ 75 a R$ 300.

20 Anos da Sala São Paulo.

Recital do pianista Nelson Freire.

Com obras emblemáticas do período romântico, o pianista interpreta, de Schumann, Arabesque em Dó maior, Op.18 e Fantasia em Dó maior, Op.17; e de Chopin, Improviso nº 2 em Fá sustenido maior, Op.36; Mazurka em Lá Menor, Op.17 nº 4; Mazurka nº 25 em si menor, Op.33 nº 4; Noturno nº 18 em Mi maior, Op.62 nº 2; Polonaise em Dó Sustenido Menor, Op.26 nº 1; e Barcarola em Fá sustenido maior, Op.60.

 

09/07 (ter), 11h e 16h30. Gratuito.

20 Anos da Sala São Paulo

Osesp sob a regência de Thierry Fischer apresenta a Sinfonia n° 5 em Dó Menor, Op.67, de Ludwig van Beethoven.

 

12/07 (sex), 20h30, Sala São Paulo. Ingressos: R$ 20.

Grupo de Música Antiga do Festival sob a regência de Luís Otávio Santos. (informações sobre o programa acima)

06/07 (sáb), 11h. Gratuito.

Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, com Eliel Ferreira (regente) e o violinista Thierry de Lucas Neves (ex bolsista, premiado no 44º Festival de Campos do Jordão). No programa: Romeu e Julieta – Abertura-fantasia, de Pyotr Il’yich Tchaikovsky; Taís: Meditação, de Jules Massenet; Árias ciganas, Op.2, de Pablo de Saraste; Huapango, de José Pablo Moncayo; e Danzon nº 2, de Arturo Marquez.

 

06/07 (sáb), 13h45. Gratuito.

Orquestra Filarmônica de Goiás, com Neil Thomson (regente). Programa: Abertura Carnaval, Op.92, de Antonin Dvorak; O último Sono da Virgem, de Jules Massenet; Il Guarany: Abertura, de Antônio Carlos Gomes; Bachianas Brasileiras nº 4: Prelúdio, de Heitor Villa-Lobos; e Suíte Sinfônica nº 2 – Pernambucana, de César Guerra-Peixe.

 

06/07 (sáb), 16h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica recebe a cantora Fafá de Belém, sob a regência de João Maurício Galindo, para interpretar a Fantasia sobre Temas de Adoniran Barbosa (Saudosa Maloca – Tiro ao Álvaro – Trem das Onze)  [arranjo de Tiago Costa]; Samba em Prelúdio, de Baden Powell [arranjo de Rodrigo Morte]; Pot-pourri com Temas de Noel Rosa (Palpite Infeliz – Conversa de Botequim – Pra que Mentir – Com que Roupa) [arranjo de Tiago Costa]; Foi assim, de Ruy Barata e Paulo André Barata [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Coração do Agreste, de Moacyr Luz e Aldir Blanc [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Sob Medida, de Chico Buarque [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Nuvem de Lágrimas, de Paulinho Rezende e Paulo Debétio [arranjo de Alexandre Ostrovski]; Vermelho, de Francisco Ferreira da Silva e Daniela Perez [arranjo de Rodrigo Morte]; É o amor, de Zezé de Camargo / Trenzinho do Caipira, de Villa-Lobos [arranjo de Rodrigo Morte]; e Abandonada, de  Michael Sullivan [arranjo de Rodrigo Morte].

 

07/07 (dom), 11h30. Gratuito.

Jazz Sinfônica com Fábio Prado (regente), Spok (saxofone e voz) e Adelson da Silva (bateria) apresentam a trajetória do Frevo, com as obras: Clarinada (fanfarra)*; Passo de Anjo**, de Spok e João Lira; Quem Sabe, de Antonio Carlos Gomes; Frevo em Goiânia, de Maestro Duda; Os domingos no poço*, de Candido Lira; Dia de frevo, de Maestro Duda; No Coreto, de Maestro Duda; Capenga*, de Eugênio Fabrício; Odeon*, de Ernesto Nazareth; Desculpe-me, Nazareth*, de Fernando e Reinaldo Oliveira; Canhão 75*, de Nino Galvão; Folião Ausente***, de Sivuca; Relembrando o Norte*, de Severino Araújo; Mexe com tudo*, de Levino Ferreira; Cabelo de fogo*, de Maestro Nunes; Cocada****, de Lorival Oliveira; Último Regresso**, de Getúlio Cavalcanti; Último Dia***, de Levino Ferreira; Sabe lá o que é isso**, de João Santiago; Vassourinhas**, de Mathias da Rocha e Joana Baptista. (* arranjo de Maestro Duda; ** arranjo de Spok; *** arranjo de Spok e Nilson Lopes; **** arranjo de Nilson Lopes)

 

07/07 (dom), 13h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica Jovem de Guarulhos, sob a regência de Emiliano Patarra, com a violinista Marina Caputo (ex-bolsista, premiada no 49º  Festival de Campos do Jordão). No programa, Cavalleria Rusticana: Intermezzo, de Pietro Mascagni; Dança Húngara nº 1, de Johannes Brahms; Concerto nº 3 para Violino em si menor, Op.61, de Camille Saint-Saens; Peer Gynt: Suite nº 1, Op.46: Amanhecer, de Edvard Grieg; Guerra nas Estrelas: 1º Movimento, de John Williams; Estância, Op.8a: Malambo, de Alberto Ginastera; e Aquarela do Brasil, de Ary Barroso.

 

07/07 (dom), 15h30. Gratuito.

Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, com Luís Gustavo Petri (regente), tendo como solista o violinista Emmanuele Baldini (spalla da Osesp), interpretam as obras Don Giovanni, KV 527: Abertura, de Wolfgang Amadeus Mozart; Concerto nº 1 para Violino em sol menor, Op.26, de Max Bruch; e Sinfonia nº 8 em Fá maior, Op.93, de Ludwig van Beethoven.

 

PALÁCIO BOA VISTA

 

06/07 (sáb), 11h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Jazz Sinfônica, com Fábio Prado (regente).O grupo toca um repertório de música brasileira: Coisa 10, de Moacir Santos (arr: Vaughn F. Wiester); Choro de gafieira, de Pixinguinha (arr: Edson Alves); Quebrando o coco, de Rodrigo Morte (arr: Júnior Galante); Folha morta, de Ary Barroso (arr: Henrique Band); Ponta de areia, de Milton Nascimento e Fernando Brant (arr: Rafael Picolotto de Lima); Palco, de Gilberto Gil (arr: Marcelo Ghelfi); Sítio do Pica-Pau Amarelo, de Gilberto Gil (arr: Fernando Corrêa); Palpite infeliz, de Noel Rosa (arr: Fernando Corrêa); Estrepolia elétrica, de Moraes Moreira (arr: Luiz Arruda Paes); A sereia voou, de Mozart Terra (adapt: Fábio Prado); e Olé!, de Nelson Ayres.

 

06/07 (sáb), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Big Band da Emesp Tom Jobim, com Tiago Costa (regente). No programa, um repertório variado, com música brasileira, latina e jazz: Waltzing, de Victor Assis (arr: Tiago Costa); Meio de Campo, de Gilberto Gil (arr: Nelson Ayres); Roditiana, de Vitor Assis Brasil (arr: Tiago Costa); Choro dançando, de Maria Schneider; Só Xote, de Nelson Ayres; Mambo influenciado, de Chucho Valdez (arr: Hilario Duran); Guempa, de Bebo Valdes; Hay Burner, de Sammy Nestico; e Moten Swing, de Bennie Moten.

 

06/07 (sáb), 17h, Capela do Palácio. Gratuito.

Quarteto Atlas, formado por quatro dos principais músicos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Ricardo Amado (violino), Carlos Mendes (violino), José Taboada (viola) e Pablo de Sá (violoncelo), interpreta obras de compositores brasileiros da nova geração: o Quarteto de Cordas nº 1 – O Jardim das Delícias, de Alexandre Faria; a Fantasia Rock – para Quarteto de Cordas, de Ricardo Cândido; e a Fantasia Tango, de Alexandre Caldi.

 

06/07 (sáb), 21h, Noite no Palácio. Palco Interno do Palácio do Governo.

Ingressos: R$ 50 (coquetel incluso)

Nailor Azevedo, Proveta. Música instrumental: jazz e MPB.

 

07/07 (dom), 11h, Capela do Palácio. Gratuito.

Quarteto Carlos Gomes, formado por Cláudio Cruz (violino), Adonhiran Reis (violino), Gabriel Marin (viola) e Alceu Reis (violoncelo), apresenta obras de três compositores latino-americanos: de Meneleu Campos o Quarteto em Ré maior e o Quarteto em Sol maior; de Guinga, Casa de Villa, Capital e Henriquieto; e de Astor Piazzolla, Tres Minutos con la Realidad, Milonga del Ángel, Muerte del Ángel e Adiós, Nonino.

 

07/07 (dom), 15h, Palco Externo do Palácio do Governo. Gratuito.

Camerata Fukuda apresenta a Sinfonia Simples, Op.4, de Benjamim Britten; e As Quatro Estações Portenhas (arr: Leonid Desyatnikov), de Astor Piazzolla.

 

ESPAÇO CULTURAL DR. ALÉM

 

08/07 (seg), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

(Programa a ser anunciado)

 

09/07 (ter), 18h30. Gratuito.

Alunos da Academia da Osesp, com participação do violista dinamarquês Asbjørn Nørgaard, interpretam as peças The Unanswered Question, de Charles Ives; Chaconne, de Henry Purcell; Quinteto de Sopros, Op.43, de Carl Nielsen; Trauermusik, de Paul Hindemith; Herr Gott, dich loben alle wir, BWV 130, de J.S. Bach; 11 Prelúdios Corais, Op.122: Herzlich tut mich verlangen (2ª versão), de Johannes Brahms e Ferruccio Busoni; Der Doppelgänger, de Franz Schubert; Cinco Peças para Piano, Op.3, de Carl Nielsen; Simple Symphony, Op.4: Sentimental Sarabande, de Benjamin Britten; e Três Corais, de Carl Nielsen.

 

10/07 (qua), 18h30. Gratuito.

Quarteto Osesp interpreta Cangaceiros e Fanáticos, de Caio Facó; e Quarteto nº 14 em ré menor, D 810 – A Morte e a Donzela, de Franz Schubert.

 

11/07 (quin), 18h30. Gratuito.

O fagotista da Osesp Francisco Formiga e Bolsistas do Festival interpretam o Octeto de Sopros em Mi bemol maior, Op.103, de Ludwig van Beethoven; e Così fan tutte, KV 588: Excertos, de Wolfgang Amadeus Mozart  (transcrição de Ulf-Guido Schaefer).

 

12/07 (sex), 18h30. Gratuito.

Professores e Bolsistas

 

SALA DO CORO (SALA SÃO PAULO)

 

11/07 (quin), 19h. Gratuito

Alunos da Academia da Osesp, com participação do violista dinamarquês Asbjørn Nørgaard. No repertório, The Unanswered Question, de Charles Ives; Chaconne, de Henry Purcell; Quinteto de Sopros, Op.43, de Carl Nielsen; Trauermusik, de Paul Hindemith; Herr Gott, dich loben alle wir, BWV 130, de J.S. Bach; 11 Prelúdios Corais, Op.122: Herzlich tut mich verlangen (2ª versão), de Johannes Brahms e Ferruccio Busoni; Der Doppelgänger, de Franz Schubert; Cinco Peças para Piano, Op.3, de Carl Nielsen; Simple Symphony, Op.4: Sentimental Sarabande, de Benjamin Britten; e Três Corais, de Carl Nielsen.

 

12/07 (sex), 19h. Gratuito.

Professores e Bolsistas

 

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

 

12/07 (sex), 17h. Gratuito.

Coro da Osesp, sob a regência de Valentina Peleggi. No programa: Madrigali dal Libro 4, de Claudio Monteverdi; O Magnum Mysterium, de Morten Lauridsen; Bogoroditse Djevo, de Sergei Rachmaninov; Sonata (arr: Villa-Lobos), de Ludwig van Beethoven; e Bachianas Brasileiras nº 9, de Heitor Villa-Lobos (arranjo para coro).

 

TORIBA MUSICAL

 

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

 

06/07 (sáb)

– 16h30: Toriba Musical ao Pôr do Sol – Museu Felícia Leirner, Área Externa.

– 19h00: Hotel Toriba, Sala da Lareira.

Claudio Goldman (piano e voz). Amor e humor através dos tempos: canções de todos os tempos, em

interpretações originais e divertidas versões. No repertório: Insensatez, de Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes; Melodia sentimental, de Heitor Villa-Lobos; O cozinheiro de Salvador (versão para “Largo al factotum”, ária de O barbeiro de Sevilha, de Rossini); Pô, Elise! (versão para “Für Elise”, de Beethoven); Elas são rápidas (versão para “La donna è mobile”, ária de Rigoletto, de Verdi); Mozart no Tom (versão para o 1º movimento da “Sinfonia nº 40”, de Mozart).

 

07/07 (dom), 19h, Hotel Toriba, Sala da Lareira.

Meninas Cantoras de Campos do Jordão, sob a direção musical e regência de Mere Oliveira, com Fábio Fagundes (piano). No programa: Ecco La Primavera, de Francesco Landini; Barcarolle, da ópera Os contos de Hoffmann, de Jacques Offenbach (versão Eustórgio Wanderley); Gesù Bambino, de Pietro A. Yon e Frederick H. Martens; Olelê, molibá makasi (Folclore do Congo); Siyahamba (Folclore da África do Sul); Nanguiriche (Folclore de Angola); Somagwaza (Folclore da África do Sul); Ode à alegria, da Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven (letra de Friedrich Schiller; versão de Mere Oliveira); e Ó abre alas, de Chiquinha Gonzaga.

08/07 (seg), 19h, Hotel Toriba, Sala da Lareira.

Recital da pianista Eudóxia de Barros. No programa, Gymnopédie nº, de E. Satie; Saudades das selvas brasileiras nº 2, de H. Villa-Lobos; “Toccata” da suíte Le tombeau de Couperin, de M. Ravel; Toccata op. 145, de Golinelli; Sonata op. 35, de F. Chopin; La Campanella, de F. Liszt; Valsa nº 1, de F. Cupertino; Estudo nº 2, de A. Ribeiro; Estudo nº 10, de M. Camargo Guarnieri; Brasiliana nº10, de O. Lacerda; Coração que sente, de E. Nazareth; e Grande Tarantella, de L. M. Gottschalk.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão Dr. Luís Arrobas Martins foi inspirado no Festival de Tanglewood, nos EUA, e combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado.

Na sua 50ª edição, consolidou-se como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, a uma programação cultural de qualidade – em grande parte gratuita –, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão, mas todo o entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

Baixe o livro comemorativo do 50º Festival:

http://www.salasaopaulo.art.br/upload/2019-livretos/2019-fcj-50edicao-livro.pdf

NÚCLEO PEDAGÓGICO DO FESTIVAL

Concentrado na Sala São Paulo, o núcleo pedagógico recebe 199 bolsistas (193 já aprovados e até seis alunos de regência, que ainda passarão por uma prova final). Os jovens estudantes participarão de aulas e ensaios diários com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, além de integrar os diversos grupos do Festival, apresentando-se na programação musical do evento ao longo de todo o mês de julho. 

Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

REALIZAÇÃO

O 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão é um programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realizado pela Fundação Osesp. Tem direção executiva de Marcelo Lopes, direção artística de Arthur Nestrovski, coordenação artístico-pedagógica de Fábio Zanon; e conta com o patrocínio master da Sabesp, Pirelli, Grupo 3corações e Stella Artois; apoio Rede, Cacau Show, Localiza e Fritz Dobbert; e promoção da Folha de S.Paulo, Bandnews TV, Rádio e TV Cultura e 29 Horas. 

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

SERVIÇO

50º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Data: de 29 de junho a 28 de julho

Ingressos: início das vendas online em 14 de junho. Nos pontos de vendas em Campos do Jordão, a partir de 21 de junho.

Concertos em Campos do Jordão – festivalcamposdojordao.byinti.com

Concertos em São Paulo – festivalsaopaulo.byinti.com

Os concertos na Praça do Capivari, na Igreja de Santa Terezinha, na  Palácio do Governo (Palco Externo e Capela), no Espaço Cultural Dr. Além (Campos do Jordão) e na Sala do Coro (Sala São Paulo) são gratuitos.

Os concertos pagos em Campos do Jordão têm ingressos à venda pela internet ou nas bilheterias do Auditório e da Praça do Capivari, com valores que variam de $ 50 a R$ 100 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Os concertos pagos na Sala São Paulo têm ingressos à venda pela internet e ou nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo, com valores que variam de R$ 20 a R$ 80 (sujeita à taxa de conveniência dependendo do local de aquisição).

Benefício de meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos, jovens (15 a 29 anos)pertencentes a famílias de baixa renda, pessoas com deficiência, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

Confira abaixo como adquirir ingressos de acordo com o local da apresentação:

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO 

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.2334

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

Quando gratuitos: Retirada de ingressos a partir de duas horas antes da apresentação, na bilheteria do Auditório, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (814 lugares).

ESPAÇO CULTURAL DR ALÉM

Avenida Dr. Januário Miraglia, 1.582. Abernéssia – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (186 lugares).

IGREJA DE SANTA TEREZINHA

Rua Tadeu Rangel Pestana, 662, Abernéssia – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1740

Gratuito. Entrada livre, limitada à capacidade do local (200 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – CAPELA  

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Distribuição de ingressos no local a partir de uma hora antes da apresentação, limitada à capacidade do local (120 lugares).

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO EXTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Gratuito. Entrada livre.

PALÁCIO DO GOVERNO – PALCO INTERNO

Rua Adhemar de Barros, 3.001, Vila Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP, T 12 3662.1122

Vendas: Bilheterias do Auditório Claudio Santoro – apenas em dias de concerto, a partir de duas horas e meia antes do início da apresentação e Praça do Capivari – diariamente das 10h às 18h, e pela internet.

PRAÇA DO CAPIVARI

Praça São Benedito – Vila Capivari – Campos do Jordão – SP

Gratuito. Ao ar livre.

MUSEU FELÍCIA LEIRNER – ÁREA EXTERNA

Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão – SP

Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/

HOTEL TORIBA – SALA DA LAREIRA

Avenida Ernesto Diederichsen, 2962 – Campos do Jordão – SP
Programação organizada pelo Hotel Toriba. Informações sobre ingressos: https://www.toriba.com.br/ 

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS

Praça Júlio Prestes, 16, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Vendas online, nos totens localizados no piso térreo da Sala São Paulo e Bilheteria no dia da apresentação, desde duas horas e meia antes do início do concerto.

Concertos gratuitos: retirada de ingressos a partir de duas horas e meia antes da apresentação, na bilheteria do estacionamento, limitada a dois ingressos por pessoa e à capacidade do local (1484 lugares).

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO

Praça Júlio Prestes, 16 – 2º andar, Campos Eliseos – São Paulo – SP, T 11 3367.9500

Gratuito. Retirada de ingressos a partir de uma hora antes da apresentação e limitada à capacidade do local (150 lugares).

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS: 

http://www.festivaldeinverno.sp.gov.br/

 

7º Festival Literário de Iguape vai abordar o tema “Futuro, Lugar e Memória”

Realizado no Vale do Ribeira, o evento oferece uma programação gratuita, que reúne grandes nomes como Conceição Evaristo, Ana Maria Gonçalves, Luedji Luna, Zezé Motta, Mel Duarte, Nação Zumbi e muito mais. A cocuradoria é de Bianca Santana

(mais…)

A “cara” do Revelando: participantes revelam tradições e histórias no festival

Dona Lúcia, de Cruzeiro: “Não tem como mudar a história, porque a história não muda”

(mais…)

Abertura do Festival de Inverno lota espaços em Campos do Jordão

Primeiro fim de semana do 50º Festival de Inverno de Campos do Jordão teve Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo apresentando o hino nacional e estreia do eixo popular-sinfônico com Jazz Sinfônica ao lado de Mônica Salmaso e Carlinhos Brown

(mais…)

Aborto Elétrico Tributo faz show gratuito no MIS

Foto: Baterista e baixista do Capital Inicial, Fê e Flavio Lemos (à direita de Renato Russo na foto) /Reprodução

No próximo domingo, 18/2, a exposição Renato Russo – que homenageia um dos artistas mais icônicos da música brasileira – chega ao fim. Para fechar com chave de ouro uma das mostras mais elogiadas do museu, o MIS realiza o show da banda Aborto Elétrico Tributo.

No início dos anos 80, o Brasil caminhava para uma abertura política após anos de ditadura militar, e a capital, Brasília, absorvia com intensidade os ares da mudança cultural que se aproximava com o clima de maior liberdade. Esse contexto foi um terreno fértil para que jovens, influenciados pelo descontentamento do movimento punk e pela cena do rock inglês, dessem vida em Brasília a diversas bandas que iriam influenciar o restante do país.

Uma das primeiras e mais relevantes bandas desse período foi a Aborto Elétrico, fundada por Renato Russo, Fê Lemos e Flávio Lemos, que, mais tarde, daria origem às bandas Legião Urbana e Capital Inicial. Essa formação foi responsável pelas composições Música urbana, Fátima, Que país é esse, Geração Coca-Cola, Conexão amazônica, Tédio (com T um Bem Grande pra Você), Química e outras músicas que se tornaram hinos daquela geração. Hoje, passados mais de 30 anos do fim do grupo, a música do Aborto ainda é atual diante do cenário de caos que o Brasil atravessa. Com o propósito de reviver esse projeto, os músicos do Capital Inicial, Fê e Flávio Lemos, criaram o Aborto Elétrico Tributo (AET).

O AET é um show que desfila os hinos consagrados do rock de Brasília dos anos 80 tocados por alguns dos protagonistas desse período. “A ideia é levar ao público a mesma experiência de contestação e diversão que embalou os jovens daquela época”, comenta Fê Lemos, baterista do Capital Inicial. O Tributo conta, ainda, com o vocalista Franklin Santos e o guitarrista André de Matos, ambos da banda Fuzo (DF).

O Aborto Elétrico Tributo – que faz show inédito em São Paulo – promete uma apresentação histórica no MIS, às 16h30.

 

Show de abertura: Flying Chair

 

Foto: Divulgação

 

Antes do Aborto Elétrico Tributo subir ao palco, a banda Flying Chair se apresenta às 15h00. A Flying Chair surgiu há pouco mais de um ano e tem na sua formação o cantor e compositor Ciro Pessoa, um dos fundadores das bandas paulistas Titãs e Cabine C, que juntamente com Chico Marques nas guitarras e voz, Diego Basanelli no baixo, Cláudio Moko nas guitarras e Pedro Leo na bateria, seguem divulgando seu primeiro disco Flying Chair. Em março, a banda lança no formato digital um registro ao vivo do disco pela Onerpm, que conta ainda com duas regravações de autoria de Ciro – Sonífera Ilha de sua fase com os Titãs e Inundação de amor gravado pelo Ira! em 2000 para o Ao Vivo MTV, canção em co-autoria com Julio Barroso.

 

Acadêmicos do Tucuruvi homenageia Museus no Carnaval

Acadêmicos do Tucuruvi fez um desfile emocionante, de plena superação do incêndio recente que sofreu e que fez a escola perder quase todas as fantasias. O tema do samba-enredo foi “Uma noite no museu”. Três instituições da Secretaria de Estado da Cultura são citadas: Museu do Futebol, Museu da Língua Portuguesa e Museu da Imagem e do Som – MIS SP. Uma grande honra!

 

Foto: José Luiz Penna – Secretário da Cultura do Estado de São Paulo / Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

Você pode ouvir o samba-enredo no site da Acadêmicos do Tucuruvi e aqui está a letra:

“Uma noite no museu”

Sentindo acelerar o coração
A emoção me guia
Desbravando as civilizações
Somos todos guardiões de Alexandria
Faz renascer…
De belas artes a inspiração
A genialidade feita à mão
Da Grécia à modernidade
Lá… onde o passado eternizou
Só a ciência revelou
Na luz a explosão (boom)
Assim surgiu a vida… essência natural
É a vida… na pré-história encontrei
Nessa magia me encantei
Em nome do pai
Tempos sombrios, santa inquisição
Dá calafrio ver assombração
Na era da mitologia
É festa na aldeia à luz do luar
Na ginga tem ilusão no olhar
‘Madame de Cera’, a cópia fiel
No futebol, eterna paixão
O folclore é tradição
Sou eu… ‘imagem do som’ e beleza
Salve a língua portuguesa
Meu samba é Brasil
Uma noite no museu… você e eu
Fazendo história nesse carnaval
É show na galeria, meu Tucuruvi
Pode aplaudir.

Acervo das Tradições: memória cultural preservada e difundida

A documentação, a difusão e apropriação do acervo musical das comunidades de culturas populares e tradicionais é uma tarefa ainda mais desafiadora do que a produção de um evento ou material cultural. Com isso em mente, Henry Durante, biblioteconomista com mestrado em Políticas Públicas para as Culturas Populares pela ECA – USP e pesquisador de cultura popular tradicional, começou, há 20 anos, um projeto de mapeamento e gestão de acervos. Em 2016, o projeto foi selecionado para receber R$ 25 mil do Governo do Estado por meio do edital de apoio a projetos de publicação de conteúdo cultural do ProAC. O prêmio tornou possível o desenvolvimento do portal e de materiais físicos e digitais de preservação da memória cultural de comunidades brasileiras.

“Acervo das Tradições”, que recebeu o prêmio internacional da Fundação Cultural Latin Grammy em 2018 na modalidade Pesquisa e Preservação – o único projeto brasileiro que já ganhou essa premiação – tem como propósito registrar, catalogar e divulgar material sobre as tradições da cultura popular brasileira, especialmente as afro-brasileiras, caipiras e caiçaras, por meio de fotografias, vídeos, CDs e Livros-CD, catalogados e disponibilizados gratuitamente no site www.acervodastradicoes.com.br. Já foram produzidos 14 CDs – 13 deles, com apoio do ProAC Editais -, dois livros-CD e 2.000 fotografias, além de vídeos e áudios. O projeto também trabalha pela implantação de centros de memórias, geridos pelas comunidades locais.

“O projeto Acervo das Tradições se tornou um grande parceiro de várias comunidades, como uma forma de registro e conservação de sua cultura. Por permitir a auto-gestão, o projeto propicia o empoderamento dos grupos sobre sua memória cultural.”
Henry Durante

 

Samba Rural Paulista

Primeiro patrimônio cultural imaterial registrado pelo Condephaat, o samba rural paulista teve todas as suas comunidades mapeadas pelo projeto, e cada uma recebeu a implantação de centros de memória, entre eles, a Casa do Samba de Pirapora, em homenagem a Dona Maria Esther, referência da história do samba de São Paulo. “Foi um trabalho pioneiro de registro dessa manifestação cultural que é referência em São Paulo e que ajudou a definir o samba paulista”, completa Henry.

Para conferir o site do projeto “Acervo das Tradições”, acesse: www.acervodastradicoes.com.br

Texto: Stephanie Gomes
Fotos: Joca Duarte

Acessibilidade: Pinacoteca realiza contação de histórias em LIBRAS

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado, realiza no dia 30 de junho, sábado, a partir das 15h00, mais uma edição da Contação de História em Libras (Língua Brasileira de Sinais). A narrativa, conduzida pela educadora surda Sabrina Denise Ribeiro e pela intérprete de Libras Elisabeth Figueira, será construída a partir da obra O Tempo, 1925, de Henrique Bernardelli, presente na exposição Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo.

A atividade, que tem duração média de uma hora, é aberta a surdos e ouvintes, com o objetivo de promover uma aproximação entre ambos. A Contação de História em Libras integra uma série de ações inclusivas que têm como um de seus objetivos o acesso qualificado ao patrimônio artístico e cultural do museu para o público surdo visitante, proporcionando à comunidade surda um ambiente linguístico favorável à compreensão desse espaço.

Dentre as ações oferecidas, destaca-se a concepção de atividades para o mês do surdo (“Setembro Azul”) e a presença de intérprete de Libras em palestras e mesas redondas promovidas pelo museu bem como no curso Ensino da Arte na Educação Especial e Inclusiva, direcionado a profissionais que atuam com pessoas com deficiência. Também compreende a utilização de tecnologia assistiva, a exemplo do “Videoguia em Libras” e do “ICOM Libras”, este último disponível para computadores, tablets e celulares.

 

Onde

Ações educativas do Detran para crianças no Museu Catavento

Neste Maio Amarelo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) promove no Museu Catavento atividades de educação para o trânsito voltados ao público infantil, dentro do Programa Clube do Bem-te-vi. E mais: essas ações serão regulares no museu.

Desenvolvido com a Polícia Militar, o Clube do Bem-te-vi tem como objetivo compartilhar, por meio de palestras em escolas, vídeos e brincadeiras, os princípios básicos de segurança e cidadania no trânsito.

As ações do Maio Amarelo — mês dedicado internacionalmente às questões de educação e de segurança no trânsito — serão entre os dias 22 e 30 de maio, de terça a sexta-feira. As atividades lúdicas ocorrerão para turmas agendadas em períodos matutinos (10h50 e 11h30) e vespertinos (15h15 e 15h55), nos dias 22, 23, 24, 25, 29 e 30 de maio.

A parceria com o Museu Catavento se inicia no Maio Amarelo, mas será estendida para os próximos meses. A agenda será divulgada em breve.

“Nossa intenção é envolver mais turmas até o final do ano para participar das atividades. Nelas, as crianças aprendem brincando os conceitos de respeito e cidadania, tão fundamentais para a construção de um trânsito mais humano.”
Maxwell Vieira
Diretor-presidente do Detran.SP

As crianças que participarem das atividades poderão tirar fotos no cenário com os personagens do Clube do Bem-te-vi e receberão um kit com uma cartilha ilustrada, uma carteira de habilitação e um talão de multas mirins para que multipliquem os conhecimentos adquiridos e sensibilizem as pessoas de seu convívio social para uma consciência cidadã em relação ao trânsito. 

 

Visite

Adquira já seu ingresso para o Festival de Inverno de Campos do Jordão!

Está chegando mais uma edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão. De 30 de junho a 29/7, o maior festival de música clássica da América Latina oferece uma extensa programação de concertos para todos os gostos e plateias. Grandes obras do repertório sinfônico e camerístico, recitais solo e música coral estão entre as atrações imperdíveis desse evento, que já é um clássico das férias de inverno de São Paulo.

Os concertos gratuitos na Praça do Capivari (ao ar livre), na Igreja de Santa Terezinha (200 lugares), na Capela do Palácio do Governo (120 lugares) e na Sala do Coro (150 lugares) têm retirada de ingressos duas horas antes de cada concerto, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Os concertos pagos no Auditório Claudio Santoro (1050 lugares) têm valores que variam entre R$ 25 a R$ 100,00 e estarão à venda online a partir do dia 7/6 [CLIQUE AQUI], nas bilheterias do Auditório nos dias dos concertos, duas horas e meia antes do início, sujeitos à disponibilidade, e na Praça do Capivari, a partir de 25/06/18, diariamente das 10h às 18h. Para os concertos gratuitos no Auditório Claudio Santoro, a retirada de ingressos será duas horas antes das apresentações, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Os concertos pagos na São Paulo (1484 lugares) têm valores que variam de R$ 10 a R$ 20,00 e também estarão à venda online a partir do dia 7/6 [CLIQUE AQUI], e na bilheteria do estacionamento, no dia da apresentação, duas horas e meia antes do início. Para os concertos gratuitos na Sala São Paulo, a retirada de ingressos é na bilheteria do estacionamento, duas horas e meia antes de cada apresentação, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Há também a opção de compra através do número (11) 3777-9721 – de segunda a sexta, das 12h às 18h.

Benefício de meia-entrada para estudantes; idosos; jovens pertencentes a famílias de baixa renda; pessoas
com deficiência; professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública
estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

Alckmin entrega Fábrica de Cultura de Diadema

Governador Geraldo Alckmin, junto ao Secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, estiveram em Diadema na manhã do dia 27/3 para realizar a entrega da obra da Fábrica de Cultura de Diadema, primeira unidade do programa fora da capital paulista. Com mais de 6 mil metros quadrados de área construída, a Fábrica de Cultura Diadema terá o mesmo formato das 10 unidades da capital, com cursos de diversas linguagens artísticas, oficinas, biblioteca, workshops, entre outras atividades. O equipamento cultural deverá operar plenamente a partir de agosto deste ano – tempo necessário para os trâmites do chamamento público que irá selecionar a Organização Social de Cultura responsável pela administração equipamento. O Governo do Estado de São Paulo investiu R$ 16,9 milhões na obra executada pela empresa ECG Engenharia Construções e Geotecnia Ltda.

“É a primeira Fábrica de Cultura fora de São Paulo. Um prédio com dois pavimentos, biblioteca, teatro, sala de música, circo, arte, produção e dança, além de refeitório, camarins e vestiários. Assinamos com o secretário José Luiz Penna e com o Romildo Campello, secretário-adjunto, que já vão providenciar o chamamento para escolhermos a Organização Social que vai equipar, gerir e colocar a unidade em funcionamento."
Geraldo Alckmin
Governador do Estado de São Paulo

Para o secretário da Cultura do Estado, José Luiz Penna, a Fábrica de Cultura Diadema vai trazer alegria e ocupação para a população e os produtores culturais do município. 

No mês de julho, a população terá uma “degustação”, uma prévia das atividades oferecidas pela Fábrica de Cultura: crianças e jovens poderão participar de oficinas de dança, teatro, circo, literatura, multimeios, entre outras linguagens e, a partir dessas experiências, escolher os cursos no quais queiram se matricular.

“A Fábrica de Cultura chega num momento muito importante para a vida cultural local e, certamente isso vai se expandir por toda a região."
José Luiz Penna
Secretário da Cultura do Estado de São Paulo

Como funcionará a Fábrica de Cultura Diadema?

As atividades das Fábricas de Cultura serão divididas da seguinte forma:

Cursos de curta e longa duração nas modalidades de teatro, dança, música, circo, artes visuais, literatura e multimeios. Todos os materiais necessários para os cursos são fornecidos gratuitamente pelas Fábricas. Durante as férias de janeiro e julho, é oferecida uma programação especial de cursos e oficinas

As bibliotecas das Fábricas de Cultura oferecem acesso gratuito a livros, periódicos, filmes, jogos, computadores com acesso à internet e equipamentos de acessibilidade visual e motora. Também são oferecidas atividades de incentivo à leitura como contações de histórias, encontros com escritores, oficinas e exibição de filmes. Não é preciso ser aluno das Fábricas para frequentar as bibliotecas

Alunos da EMESP apresentam recital de piano no MuBE

Quinze alunos da classe de piano da EMESP Tom Jobim – Escola de Música da Secretaria da Cultura do Estado – participarão no próximo domingo, dia 24/6, às 16h, da série “Recitais de Piano” do Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE). Os jovens pianistas se apresentam no auditório do museu (Rua Alemanha, 221 – Jd. Europa), em programação gratuita e aberta ao público.

Participam do recital crianças e adolescentes, com idades entre 8 e 23 anos: Gabriel Matte, Emilly Alberto, Tiago Bovo, Lucca Verdi, Helen Rocha, Caio Vital, Jonathan Marim, Mariana Amato, Sara Bello, Fernando Gomes, Daniel Pereira, Gabriel Beck, Huiyi Feng, Eric Bueno e Ingrid Uemura. O repertório da apresentação será focado em compositores clássicos, com peças de diferentes níveis de complexidade, abrangendo Bach, Villa-Lobos, Tchaikovsky, Haydn, Schubert, Debussy, entre outros.

Luiz Guilherme Pozzi, professor da EMESP e diretor da série ‘Recitais de Piano’ do MuBE, frisa o quanto essa experiência deve ser valorizada por músicos que estão iniciando sua trajetória. “É muito importante para os alunos que passam pela EMESP saírem de dentro da escola e se apresentarem para o público, principalmente em um palco onde grandes pianistas já se apresentaram. Isso oferece aos alunos uma prévia da atmosfera da vida  profissional”, afirma Pozzi.

A Emesp Tom Jobim oferece formação musical tanto nas áreas da música erudita e popular. Os recitais, além de proporcionar experiência e vivência musical – pilares do projeto artístico-pedagógico da Escola – oferecem ao público a oportunidade de conhecer os novos talentos da música brasileira, muitos deles vencedores de concursos internacionais.

 

onde

Alunos da EMESP se apresentam no MASP

O grupo Orquestra de Cordas e Prática de Cordas do Ciclo I se apresenta no Masp Auditório, no dia 1º de outubro, domingo, às 11 horas. Participa da apresentação, o trompetista Erick Venditte Santos e do Quarteto de Saxofones. No repertório, W.A Mozart Divertimento em fá maior KV 138, G.F Tellemann Concerto Polonois em sol maior, Alessandro Marcello Concerto para Oboé (Adaptação para trompete piccolo) e Moacir Santos Excerto n°1.

Serviço

MASP Auditório: Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista – SP

Quando: 1 de outubro. Domingo, às 11h00

Ingressos: Gratuito – Retirada de senha duas horas antes na bilheteria do Museu.

Informações Gerais: Pensando no aprimoramento constante dos alunos, a Escola de Música do Estado de São Paulo – EMESP Tom Jobim criou, em 2012, os Grupos EMESP, que trabalham repertórios que abrangem tanto música erudita quanto popular, obras originais e arranjadas, de compositores brasileiros e estrangeiros. Em 2017, esses grupos artísticos da EMESP contemplarão diversas formações instrumentais, o que possibilitará aos alunos vivências musicais distintas. As atividades artísticas estimulam os alunos dos grupos a divulgar o que é aprendido dentro da sala de aula, em espaços públicos e equipamentos culturais da cidade.

Alunos do Projeto Guri celebram o aniversário da cidade onde estudam

São José do Rio Pardo, Barra Bonita, Estrela do Norte e Ibiúna estão na rota de municípios aniversariantes do mês de março (mais…)

Alunos do Projeto Guri de Piracicaba participam de Festival Internacional em Minas Gerais

 Evento reuniu corais de diferentes estilos e localidades do Brasil no dia 21 de setembro (mais…)

Alunos do Projeto Guri participam do musical “Os Addams Vem Aí”

Alunos e alunas de coral dos polos São Carlos e Araraquara do Projeto Guri participarão do musical “Os Addams Vem Aí”, que acontece no dia 5/4, às 19h30, no Teatro Municipal de São Carlos. Os estudantes do maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dividirão o palco com a Cia. Musicale. Logo na abertura, cantarão a música Pra Quem é Addams e, durante o espetáculo, apresentarão A Lua e Eu, Morte Ali na Esquina e Segue Atrás das Trevas.

 “A ideia é proporcionar aos Guris a vivência de palco, permitindo a interação entre artistas profissionais e aprendizes em um espetáculo completo onde todos cantam, dançam e atuam. Eles ajudarão os personagens principais a contar a história da Família Addams, que tem gosto muito peculiar por tudo o que é sombrio”, disse Aniela Rovani, diretora do musical e supervisora educacional do Projeto Guri.

 

Serviço: Os Addams Vem Aí

Quando: 05 de abril, quinta-feira

Horário: 19h30

Local: Teatro Municipal de São Carlos “Dr. Alderico Vieira Perdigão”

Endereço: R. Sete de Setembro, 1.735, Centro – São Carlos/SP

Entrada: R$ 10,00 (meia) / R$ 20,00 (inteira)

Pontos de vendas: Highstil (Shopping Iguatemi), Shoemix Calçados (R. Jesuíno de Arruda, 1.978) e no dia, na porta do Teatro.

Evento aberto ao público

Alunos do Projeto Guri são convidados para o Vozes de Natal 2017

Os alunos e as alunas se apresentarão no dia do aniversário de Votorantim ao lado de outros coros da cidade (mais…)

Alunos do Projeto Guri se apresentam no SBT do Bem em prol da AACD

Alunos e alunas do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – foram convidados para fazer uma apresentação no SBT do Bem, programa especial em prol da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), que acontecerá no dia 24 de novembro, às 11h, no Teatro Paulo Moura, em São José do Rio Preto.

O Guri apoia projetos que visem o bem-estar e atendimento a crianças e adolescentes, além de acreditar na importância do trabalho realizado pela AACD. No dia, cerca de 60 alunos e alunas de coral e percussão do Polo Ibirá e do Polo Regional São José do Rio Preto farão a abertura do evento ao vivo, com a apresentação das músicas Depende de Nós, Carinha de Anjo (tema da novela infantil) e Sobre o Tempo. Os alunos também participarão do segundo bloco do programa.

Com isso, o Projeto Guri contribui com a causa e leva alegria às crianças e jovens com necessidades especiais. Interessados em doar basta ligar para (17) 3201-1510.

Sobre a AACD

Em 1950, nascia a AACD, fundada pelo médico especialista em Ortopedia Dr. Renato da Costa Bomfim, que, inspirado na evolução tecnológica dos centros de reabilitação no exterior, criou uma estrutura semelhante no Brasil.

Hoje, a AACD está entre os melhores hospitais da área de Ortopedia e é referência em qualidade no tratamento de pessoas com deficiência física, além de ser um dos complexos hospitalares mais admirados do País, de acordo com pesquisas realizadas com profissionais da área de Medicina.

Para preservar o compromisso de qualidade e excelência, manifestado em cada atendimento na AACD, foram criados diversos canais de captação de recursos, entre eles o Teleton, que objetivam garantir à Instituição autonomia e proposta de sustentabilidade.

Além da reabilitação física, a AACD também desenvolve diversas outras atividades, como a inserção no esporte paraolímpico e o empenho em assegurar a plena integração social aos pacientes, promovendo melhorias por meio da superação diária e da orientação de uma equipe multidisciplinar especializada.

Para viabilizar todos esses projetos e continuar oferecendo excelência em nossos serviços, contamos com o apoio de parceiros e pessoas que acreditam em nossa causa.

Serviço: SBT do Bem
Quando: dia 24 de novembro

Horário: às 11h

Local: Teatro Paulo Moura

Endereço: Av. Duque de Caxias, 3900 Jardim dos Seixas, São José do Rio Preto – SP
Evento fechado.

Parceiro local: Prefeitura Municipal de Ibirá e São José do Rio Preto

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Amanhã é dia de Museum Selfie Day nos 19 museus da SEC

Ação será no dia 17 de janeiro (quarta-feira); visitantes poderão compartilhar suas experiências por meio de fotos com a hashtag #MuseumSelfie

(mais…)

Ana Muller se apresenta no Estéreo MIS de março

O show será dia 09 sexta-feira, às 21h30, no Auditório MIS (mais…)

Aniversário da Fábrica de Cultura da Brasilândia terá programação especial

Há quatro anos a Fábrica de Cultura Brasilândia, a mais nova das unidades da zona norte, iniciava seus trabalhos na região. Para celebrar a data, a instituição realiza no dia 23/6, sábado, a partir das 9h, diversas atividades especialmente pensadas para o público.

A programação reúne shows com a banda Calango Brabo e Sinfônica infanto-juvenil do Guri, oficina de zumba, espetáculos de dança cigana e afro-brasileiras,  apresentação do espetáculo circense “Cabaré Palha Assada”, sessões de cinema da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental e apresentação com o Mágico Rodrigo.

No “Cabaré palha assada”, os Filhos da Trupe contam histórias com muita música e se envolvem em diversas trapalhadas em um espetáculo para toda a família. A apresentação, que acontece às 11h30, une acrobacias, mágicos e muita palhaçada.

Em Dança: forma, técnica e diásporas africanas, o grupo Identidade e Movimento conta a história da escravização na época da colonização europeia. O espetáculo, apresentado às 13h30, mescla técnicas de dança contemporânea, africana, capoeira e hip-hop.

Misturando ritmos regionais nordestino com rock, a banda Calango Brabo apresenta às 14h30 o rock do sertão, que traz no repertório a predominância do baião, maracatu, maculelê, coco e forró, sobrepostos pelas guitarras e bateria presentes no rock, pop e reggae.

 

Onde

Aniversário de Portinari é celebrado com programação especial em Brodowski

Museu Casa de Portinari realiza dois espetáculos musicais em homenagem aos 114 anos do artista, morto em 1962 (mais…)

Aniversário de São Paulo

ANIVERSÁRIO
DE SÃO PAULO

Programação especial para o feriado

Bolo de aniversário no Teatro Sérgio Cardoso, brincadeiras no Museu do Futebol, bloco afro, food trucks e entrada gratuita na Pinacoteca, show de luzes e música na Estação Cultura e festivais de música de rua estão entre os destaques da programação!

FÁBRICAS DE CULTURA

Para descentralizar as atividades no aniversário de 464 anos da cidade de São Paulo, as Fábricas de Cultura realizam diversas atividades especiais e gratuitas.

Evento de rap, batalha de MC, bate-papo sobre literatura e game e oficina de mandala são alguns dos destaques desta programação.

PROGRAMAÇÃO

24/01 (quarta-feira)

Tendo a escrita urbana como foco, as atividades serão construídas com base em artes de rua (como grafite), intervenções poéticas e músicas do movimento hip-hop, numa reflexão profunda das formas de registros históricos que perpassam nossas vidas.

Fábrica de Cultura Capão Redondo – Rua Bacia de São Francisco, S/N

Horário: das 14h30 às 16h30
Inscrições gratuitas na recepção da Fábrica. 20 vagas

24/01 – (quarta-feira)

Bate-papo com os idealizadores do game A Nova Califórnia, adaptação da obra do escritor brasileiro Lima Barreto, o intuito é falar dos desafios de unir o universo literário aos jogos.

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha – Rua Conselheiro Moreira de Barros, 3997

Horário: das 15h às 17h
Inscrições gratuitas na recepção da Fábrica. 20 vagas

24/01 – (quarta-feira)

Com a ideia de dar formas à imaginação e elaborar diversos tipos de construções, os participantes poderão explorar as possibilidades de criações e brincadeiras com materiais reaproveitados.

Fábrica de Cultura Jaçanã – Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Horário: das 15h às 17h
Inscrições gratuitas na recepção da Fábrica. 25 vagas

25/01 – (quinta-feira)

Neste evento o público pode participar e explora suas habilidades em passos de danças do hip-hop.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Horário: das 14h às 18h

25/01 – (quinta-feira)

Com a apresentação dos rimadores do Jardim São Luís, a atividade é aberta a todos que quiserem compartilhar sua arte com o público.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Horário: das 19h às 22h

 27/01 – (sábado)

Apresentações de MCs, intervenções de grafite e danças urbanas compõem a programação desta quinta edição do evento.

Praça Jardim Vista Alegre, s/n

Horário: das 11h às 18h

27/01 – (sábado)

Com a direção de Maria Cristina Mazzuca, no espetáculo, os moradores da vila – Chaves, Chiquinha, Quico, Seu Madruga, Dona Clotilde etc. – se reúnem para uma grande apresentação de poesias.

Fábrica de Cultura Jardim São Luís – Rua Antônio Ramos Rosa, 651

Horário: das 15h às 17h

25/01 – (quinta-feira)

a atividade “São Paulo ontem e amanhã” convidará o público a conhecer a São Paulo de antigamente por fotos e imaginar como vai ser a cidade em 2117.

Fábrica de Cultura Vila CuruçáRua Pedra Dourada, 65

Horário: a partir das 10h30

25/01 – (quinta-feira)

A unidade de Cidade Tiradentes terá a “Atividade de Internet – Dia da Cidade de São Paulo”, em que serão divulgados variados serviços, eventos e principais atividades culturais da cidade que completa 464 anos. Como referência, será utilizado o livro “História de São Paulo através da Arte”, de Nereide Schilaro Santa Rosa.

Fábrica de Cultura Cidade TiradentesRua Henriqueta Noguez Brieba, 281

Horário: a partir das 11h

25/01 – (quinta-feira)

Já no Itaim Paulista acontece a “Oficina de Criação: Fazendo seu personagem”, em que os participantes serão convidados a criar personagens após conhecerem as obras e a história da dupla de grafiteiros Os Gêmeos.

Fábrica de Cultura Itaim Paulista – Rua Estudantes da China, 500

Horário: a partir das 11h

25/01 – (quinta-feira)

A Fábrica de Cultura Parque Belém apresenta fatos e curiosidades que marcaram a história da cidade com base no livro “São Paulo: corpo e alma”, de Alberto Ikeda.

Fábrica de Cultura Parque Belém – Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)

Horário: a partir das 15h

Horários de Funcionamento


Brasilândia | Capão Redondo | 
Jardim São Luís | Vila Nova Cachoeirinha

Terça a sexta, das 9h00 às 20h00. Sábados e domingos: variável de acordo com a programação.

Jaçanã | Cidade Tiradentes | Parque Belém | Itaim Paulista | Vila Curuçá

Terça a sexta, das 9h00 às 17h00; sábados e domingos: variável de acordo com a programação

Local e contato


Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 (Entrada 1) / Avenida Inajar de Souza, 7001(Entrada 2)
(11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, S/N (Entrada 1) / Rua Algard, 82 (Entrada 2)
(11) 5822-5240

Fábrica de Cultura Jaçanã

Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138
(11) 2249-8010

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651
(11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Rua Franklin do Amaral, 1575
(11) 2233-9270

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281
(11) 2556-3624

Fábrica de Cultura Parque Belém

Complexo do Parque Belém – Av. Celso Garcia, 2231 (Entrada 1) / Rua Nelson Cruz nº 140 (Entrada 2)
(11) 2618-3447

Fábrica de Cultura de Itaim Paulista

​Rua Estudantes da China, 500
(11) 2025-1991​

Fábrica de Cultura de Vila Curuçá

Rua Pedra Dourada, 65
(11) 2016-3316

www.fabricasdecultura.sp.gov.br

MUSEUS

Museu da Imagem
e do Som - MIS

Conexão Cultural São Paulo - Japão

25/01 – (quinta-feira)

Com o tema Japão, esta edição vai aprofundar a rica relação da cidade com a cultura do país, através de música, arte, cinema e comidas típicas. O evento contará com exposição de colagens, oficina de caligrafia japonesa, apresentação do O Trio Kagurazaka e a apresentação de mostra de cinema com três sessões de filmes produzidos no país, tais como o Jardim das Palavras, A Esposa de Villon e Um Conto sobre a Culinária Samurai – Uma Verdadeira História de Amor.

Horário: das 11h às 20h
Ingresso: Gratuito

Horários de Funcionamento

terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h00 às 21h00 | Domingos e feriados, das 9h00 às 19h00

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Acessibilidade no local
Estacionamento pago no local

Local e contato

Av. Europa, 158, Jd. Europa, São Paulo – SP

(11) 2117-4777
www.mis-sp.org.br

 

 

Memorial da
América Latina

O dia vai ser agitado no Memorial da América Latina, que vai comemorar os 464 anos da capital paulista com eventos para todos os gostos e idades.

Entre as opções estão: feira gastronômica, música, festa boliviana, escola de samba, bike tour e exposições de arte popular e contemporânea!

PROGRAMAÇÃO

24/01 – (quarta-feira)

O destaque da festa é a cerimônia da benção das alasitas, como são chamadas as miniaturas que simbolizam os desejos materiais das pessoas. Um dos marcos da festa é a tradição boliviana que todos os anos reúnem no Memorial as comunidades de imigrantes dos países andinos.

Horário: das 9h às 22h
Acesso: Portões 2, 5 e 6
Entrada gratuita e Classificação livre

25/01 – (quinta)   |   27/01 – (sábado)   |   28/01 – (domingo)

Neste evento o público poderá degustar uma grande variedade entre salgados e doces de um dos quitutes mais consumidos pelos paulistanos. Este ano o festival, sempre muito concorrido, vai ainda escolher o melhor pastel do Memorial.

Horário: das 10h às 21h
Acesso: Portões 4 e 15 (pago)
Entrada gratuita

 

25/01 – (quinta-feira)

O evento é marcado por 46 artistas brasileiros que irão expor trabalhos relacionados à paisagem urbana.

Horário: às 13h
Entrada gratuita e Classificação livre

Terça, Quarta, Quinta e Sexta-feira – 6, 7, 8 e 9 de fevereiro – das 13h00 às 15h00

Por Alice Juguero

A oficina de canto pretende estimular os participantes no desenvolvimento artístico aplicado à arte vocal de acordo com o perfil de cada aluno, identificando suas características próprias e ampliando seu repertório musical em vários estilos.

25/01 – (quinta-feira)

O evento contará com a presença da Escola de Samba Acadêmicos do Tucuruvi, que, ao ritmo de samba-enredo, vai fazer o público dançar e acompanhar o desfile que seguirá do auditório Simón Bolívar até a Praça Cívica: ali, as baianas da escola farão a tradicional Lavagem da Mão, cerimônia que se repete pelo sexto ano consecutivo no Memorial.

Horário: a partir das 14h em frente ao Auditório Simón Bolívar
Acesso pelos portões: 2, 5, 8, 9 e 12
Entrada gratuita

25/01 (quinta-feira)

Passeio dos ciclistas pelos pontos turísticos e históricos da cidade.

Horário: 19h
Vagas: 100
Valor: R$50 + a doação de um kit de material escolar

Faça sua inscrição aqui  |  Saiba mais

Horários de Funcionamento

Galeria Marta Traba, Salão de Atos Tiradentes e Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro : das 9h às 18h, de terça a domingo.

Biblioteca: de segunda a sexta, das 9h às 18h; aos sábados, das 9h às 15h

Estacionamento: Portões 4 e 15 (pagos) | Bicicletário: portão 9

Local e contato

Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664,
Barra Funda – Na Praça Cívica

(11) 3823.4600
www.memorial.org.br

Museu da Casa Brasileira

Orquestra Instituto GPA – Aniversário de São Paulo

25 de janeiro, quinta-feira

O Museu receberá a Orquestra Instituto GPA em seu palco para comemorar o aniversário da cidade de São Paulo, com um repertório variado, que faz um passeio pela música nacional e internacional. De Billy Blanco, que abre o espetáculo, passando por Green Day, e, para encerrar, o clássico ‘Trem das Onze’, de Adoniran Barbosa.

Horário: às 11h
Entrada gratuita

Horários de Funcionamento

Terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

R$ 10,00 | Grátis aos sábados, domingos e feriados

Estacionamento pago no local
Acessibilidade no local