A Secretaria

 Oficina Cultural Alfredo Volpi: atividades do Coletivo Bixa Pare sobre questões LGBT nas periferias

Programação é gratuita e reúne performance, intervenção artística e sarau

O Brasil é o país que mais mata LGBTs nas Américas. De acordo com o relatório da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais (ILGA), o país ocupa o primeiro lugar na quantidade de homicídios de LGBTs com 340 mortes por motivação homofóbica em 2016. Partindo dessa realidade hostil e violenta, a Oficina Cultural Alfredo Volpi, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, realiza, entre 28 e 30 de junho, a Ocupação: Coletivo Bixa Pare. O evento propõe, por meio de intervenções artísticas, discutir as desigualdades gerada pela homofobia, levando em consideração também questões de raça e classe.

A performance 2017 445 faz uma homenagem às 445 pessoas mortas  em decorrência da LGBTfobia em 2017 na quinta-feira (28), às 17h00. Na sexta-feira (29), também às 17h00, o Bixa Freak Show mostra que festa também pode ser sinônimo de luta. A festa é comandada pela drag queen Melissa Babalu e promete muita música, dança, coreografia e glitter.

Bixaria Literária é um sarau que dá visibilidade a trabalhos literários feitos por pessoas LGBTs, criando um espaço para que os participantes sintam-se à vontade para compartilhar seus trabalhos com o público presente. O sarau-resistência acontece sábado (30), às 19h00.

Criado em 2017, os integrantes do Coletivo Bixa Pare já trabalharam juntos em diversas produções desde 2012, desenvolvendo atividades que partem da pesquisa a respeito do corpo bicha na sociedade. “É muito grande a diferença de ser e existir LGBT na periferia e no centro, mas quando começamos a ter o retorno dos participantes da oficina que ministramos entre janeiro e março na Oficina Cultural Alfredo Volpi, tivemos a certeza que deveríamos propor cada vez mais ações. Como residimos na oficina desde quando começamos, sabemos a importância de sempre dialogar com frequentadores do espaço e moradores das quebradas mais próximas que sempre trocam e afirmam a importância de trabalhos como esses circularem nas periferias”, conta Diego Castro, do Coletivo.

SERVIÇO

Performance: 2017 445

28/6. Quinta-feira, 17h00 às 18h00.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: 14 anos.

Bixa freak show

29/6. Sexta-feira, 17h00 às 18h00.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição.

Recomendação etária: livre.

Sarau Bixaria Literária

30/6. Sábado, 19h00 às 21h00.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição.

Recomendação etária: livre.

SOBRE A OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

Criada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, desde 1986 a oficina de cultura trabalha com a formação de jovens profissionais em diversas áreas, como artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro.

SOBRE POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Rua Américo Salvador Novelli, 416 – Itaquera – São Paulo/SP

Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 10h às 18h.

Mais informações: (11) 2205-5180 | 2056-5028 | www.oficinasculturais.org.br

Acessibilidade no local.

“Mínimo,  múltiplo, comum” é a nova exposição da Pina Estação

Recorte cronológico da mostra abrange quase 70 anos de produção pictórica no país, colocando em pauta as definições de arte moderna, popular e contemporânea

Abertura: 19 de maio de 2018, sábado, às 11h00 | Em cartaz até 17 de setembro de 2018

A Pinacoteca de São Paulo e a Secretaria da Cultura do Estado apresentam a exposição coletiva Mínimo, múltiplo, comum a partir de 19 de maio, no segundo andar do edifício da Pina Estação. A mostra reúne mais de uma centena obras de seis artistas de gerações e círculos culturais diferentes: Amadeo Lorenzato (1900-1995), Chen Kong Fang (1931-2012), Eleonore Koch (1926), Marina Rheingantz (1983), Patricia Leite (1955) e Vânia Mignone (1967).

A exposição tem curadoria de José Augusto Ribeiro, Curador da Pinacoteca, e apresenta trabalhos caracterizados por figurações simples, planas e sintéticas, às vezes no limite da abstração. Essas imagens reproduzem, no geral, cenas de solidão – pelo isolamento de seres e objetos, ou pelos espaços vazios, sem presença humana. Realizados a partir de 1960, os trabalhos compreendem, juntos, quase sete décadas de produção pictórica no Brasil, desde a época em que ocorrem as primeiras mostras de Koch, Fang e Lorenzato, cujas produções foram confundidas com variações do “primitivismo”, até hoje, quando o circuito de arte contemporânea valoriza e acolhe sem mediações obras de artistas antes considerados “populares” e “ingênuos”.

“Muitas dessas obras continuam a ser tachadas de ‘ingênuas’, ou de ‘populares’, por conta de suas construções espaciais estiradas, paralelas ao plano bidimensional do suporte, sem uso da perspectiva; de suas figuras sumarizadas ao essencial da representação e muitas vezes assimétricas e das composições descentradas e com equilíbrios tensos. Estes aspectos descrevem qualidades fundamentais da pintura moderna, desde o final do século XIX, e estão presentes, de maneiras bastante diversas, em obras relevantes de artistas em atividade nos últimos 20 anos”, afirma José Augusto Ribeiro.

As obras que compõem a mostra pertencem a mais de 60 coleções públicas e particulares de São Paulo e Belo Horizonte. Dessas, sete estão sob a guarda da Pinacoteca: seis integram o acervo do museu (sendo quatro trabalhos de Lorenzato, uma série de pinturas sobre xilogravuras de Vânia Mignone e a inédita “Gruta”, de Patricia Leite, recém-incorporada à coleção, por meio de doação do Iguatemi São Paulo), além de uma pintura pertence à Coleção Nemirovsky, que desde 2006 está em empréstimo de longa duração para a instituição.

Os artistas que compõem Mínimo, múltiplo, comum estão representados aqui com cerca de 20 trabalhos cada, escolhidos com o objetivo de formar um panorama representativo e abrangente dessas trajetórias. Isso faz da exposição a primeira em uma instituição pública de São Paulo a apresentar um conjunto tão significativo de obras de Amadeo Lorenzato – um artista que, em vida, realizou exposições apenas em Belo Horizonte. Amadeo tinha entre seus admiradores o artista mineiro Amilcar de Castro e hoje está em alta no mercado artístico do Brasil. Na exposição, o público tem também a oportunidade de ver, pela primeira vez, grupos importantes de obras de Chen Kong Fang, produzidas a partir de 1994, e de Eleonore Koch, hoje com 92 anos de idade, produzidas a partir de 2009.

A mostra apresenta, ao mesmo tempo, trabalhos inéditos de artistas brasileiras em atividade e que têm chamado a atenção no circuito internacional, como Patricia Leite, que acabou de expor em Bruxelas, na Bélgica, e Marina Rheingantz, que está atualmente em cartaz com uma exposição individual em Nova York. Além disso, Mínimo, múltiplo, comum antecede a participação de Vânia Mignone na 33ª Bienal de São Paulo, que será inaugurada em setembro.

Mínimo, múltiplo, comum, permanece em cartaz até 17 de setembro de 2018, no segundo andar da Pina Estação – Largo General Osório, 66. A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00 – e entrada gratuita.

“Estação da Língua” chega a Taubaté no dia 5 de julho

Após atingir a marca de mais de 24 mil visitantes nas primeiras paradas (Tatuí, Santos e Rio Claro), a mostra itinerante “Estação da Língua Portuguesa”, que apresenta acervos do Museu da Língua Portuguesa (atualmente em reconstrução), segue viagem pelo estado de São Paulo e chegará em Taubaté no dia 5 de julho, onde ficará em cartaz até 5 de agosto no Museu Histórico, Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato (Avenida Monteiro Lobato, s/nº – Chácara do Visconde). A visitação é  gratuita, de terça a domingo, das 9h00 às 17h00.

“A itinerância desta exposição permite que um público ainda maior viva a experiência do Museu da Língua Portuguesa e conheça um pouco mais do idioma português, um patrimônio riquíssimo e em constante transformação”, declara o Secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello.

A itinerância traz na bagagem conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, instituição que apresenta a Língua Portuguesa como patrimônio imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para essa mostra.

O vídeo Sotaques, com texto “O paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

O Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Essa parte da viagem está atualizada com mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos, três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da Língua Portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas. Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele, o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura.

A realização é do Ministério da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto. O patrocínio máster é da Sabesp. Instituto CCR, Vivo, EDENRED Brasil e Ticket marca do Grupo, também patrocinam a iniciativa, todos por meio da Lei Rouanet. O apoio nesta quarta cidade da itinerância é da Prefeitura de Taubaté.

Exposição Itinerante “Estação da Língua Portuguesa”

Data: 5 de julho a 5 de agosto

Local: Museu Histórico, Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato – Avenida Monteiro Lobato, s/nº – Chácara do Visconde – Taubaté

Horário: terça a domingo, das 9h00 às 17h00

Entrada gratuita

Agendamentos: de terça a sexta, das 9h00 às 12h00, pelo telefone (12) 3625-5062 ou pelo e-mail: mlobato.agendamento@gmail.com

Mostra itinerante “Estação da Língua” (Foto: Divulgação)

#CineCiência do MIS debate o filme “A Chegada”

Amy Adams e Jeremy Renner interpretam especialistas em comunicação chamados a ajudar nos contatos com alienígenas que chegam à Terra em 12 naves. Ela é especialista em linguística e ele um matemático. Ambos precisam responder à pergunta “o que vocês querem?” …

cena do filme A Chegada: momento de tentativa de contato dos humanos com os alienígenas

A edição de maio do #CineCiência do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, exibe no dia 20 de maio, às 16h00, o filme A chegada/Arrival (Dir. Denis Villeneuve, EUA, 2016, Ficção científica/Drama/Suspense, 116 min), que aborda, entre outras questões, as possibilidades de comunicação com os seres extraterrestres explorando a linguística e a computação. Após a exibição, o filme será debatido por José Luis Goldfarb e a historiadora Laura Trachtenberg Hauser. Sessão gratuita e para participar basta retirar ingresso uma hora antes do início na recepção do museu.

Sinopse: Seres extraterrestres chegam em doze naves e pousam em doze pontos diferentes da Terra. Após as autoridades americanas perceberem que eles querem fazer contato, a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma renomada linguista que já ajudara o Estado anteriormente, em conjunto com o experiente físico Ian Donnelly (Jeremy Renner), são procurados por militares para interagirem com as criaturas, traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. Ambos são pressionados a descobrir o propósito dos extraterrestres o mais rápido possível, assim como outras onze equipes de países onde as naves pousaram. Porém, os interesses políticos, a corrida pela supremacia, o medo do desconhecido e as diferenças culturais entrarão no caminho da ciência e apenas Louise tem a chave para desvendar esse mistério.

O longa estrelado por Amy Adams, Jeremy Renner e Forest Whitaker, teve sua primeira exibição no Festival de Cinema de Veneza em 1º de setembro de 2016 e foi lançado nos Estados Unidos em 11 de novembro de 2016 pela Paramount Pictures. O filme foi aclamado pela crítica especializada, que elogiou a atuação de Adams, a direção de Villeneuve e a originalidade do roteiro. Teve oito indicações ao Oscar 2017, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Adaptado, mas venceu apenas na categoria de Melhor Edição de Som.

DEBATEDORA: Laura Trachtenberg Hauser. Graduada em história pela Universidade Panthéon-Sorbonne, possui um mestrado em Mediação cultural pela Universidade Sorbonne-Nouvelle. Seus principais estudos discorrem sobre os diversos conceitos ou discursos relativos ao que definimos como cultura e seu impacto social através das políticas e instituições culturais no Brasil e na França. Atuando em meio à organização e à coordenação de diversos projetos culturais, obteve experiências marcantes como, por exemplo, a assistência à coordenação do setor das Atividades Culturais do Mémorial de laShoah de Paris (2015), a coordenação local da Festa Literária de Paraty (2014) e a pesquisa para a apostila de formação para os mediadores da exposição Genesis de Sebastião Salgado (2013). Foi assessora política do consulado de Israel em São Paulo. Atualmente desenvolve a autoria e o conteúdo da publicação de Políticas Públicas para a Cultura para a Editora SENAC e trabalha em meio à coordenação de projetos culturais e audiovisuais, autora selecionada pelo Concurso de Crônicas Rubem Braga 2017 promovido pelo SESC.

SERVIÇO 

#CINECIÊNCIA | Maio

Data: 20 de maio de 2018

Horário: 16h00 às 19h00

LOCAL Auditório LABMIS (66 lugares)

INGRESSO gratuito (retirada de ingresso com uma hora de antecedência na Recepção MIS – sujeito à lotação da sala)

CLASSIFICAÇÃO 14 anos

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18,00. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado

100 anos de Dora Ferreira da Silva: Casa das Rosas homenageia escritora com programação especial

O evento gratuito contará com palestras, apresentações musicais, roda de conversa, lançamento de livros e performances poéticas

No centenário de nascimento da poeta e tradutora Dora Ferreira da Silva, a Casa das Rosas presta sua homenagem à grande escritora paulista no dia 8 de julho, domingo, das 10h00 às 17h00. O evento Dora – 100 anos terá uma extensa programação artístico-cultural, incluindo palestras, roda de conversa, apresentações musicais, lançamento de livros e performances poéticas. Todas as atividades são livres, gratuitas e abertas ao público do museu, que integra da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Dora se dedicou a vida toda à poesia e ao ensaio, além de traduzir a obra de autores como Carl Gustav Jung, fundador da psicologia analítica. Seu primeiro livro de poesias foi Andanças, publicado em 1970, e sua primeira obra prestigiada foi Poemas da estrangeira, que ganhou o Prêmio Jabuti em 1995. Em permanente contato com jovens interessados em mitologia, psicologia e poesia, Dora fundou o Centro de Estudos Cavalo Azul, em 2003, do qual participaram os poetas Cláudio Willer e Rodrigo Petrônio.

Confira a programação completa do evento Dora – 100 anos:

10h00: Palestra – Dora Ferreira da Silva e a consciência da época na poesia brasileira
Com Enivalda Nunes Freitas e Souza, professora titular da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

11h00: Palestra – Na convergência extasiada: a correspondência entre Carlos Drummond de Andrade e Dora Ferreira da Silva
Com Lyza Brasil, pesquisadora do Instituto Moreira Sales (IMS)

13h00: Lançamento de livros – 2ª edição de Uma via de ver as coisas, de Dora Ferreira da Silva, e O olho do girassol, de Inês Ferreira da Silva Bianchi

14h00: Roda de conversa – Riqueza de perspectivas e o legado de Dora para a cultura brasileira
Com Rodrigo Petrônio, professor titular da Faculdade de Comunicação da FAAP

15h30: Recital de violão com Felipe Bianchi

16h00: Performances e leituras poéticas

17h00: Recital de música renascentista e barroca
Com Bernardo de Toledo Piza (flauta), Gabriel Bianchi (cravo) e Maria Inês Pinheiro de Toledo Piza (ukelele)

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO
Dora – 100 anos

Domingo, 8/7 – das 10h00 às 17h00

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

10EPM abre inscrições para fornecedores exporem produtos e serviços para museus

Evento acontece de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo

O 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM) abre inscrições para que fornecedores de produtos e serviços para instituições museológicas participem do evento com mesas expositivas. O encontro, realizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado e ACAM Portinari, acontece de 18 a 20 de julho no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Em razão do espaço restrito, a participação é limitada a 14 fornecedores. O critério para a seleção será a ordem de solicitação de reserva. A previsão é que o 10EPM receba 900 pessoas, entre representantes de museus paulistas, de outros Estados e de fora do país.

O expositor deverá manter representantes nas mesas durante todo período de realização do encontro. Cada expositor terá direito a uma mesa de 1,80m x 0,45m com três cadeiras, além de prisma de identificação, com nome da empresa ou instituição impresso na fonte Arial, em preto. A participação é garantida após assinatura de contrato de locação de espaço.

Será permitido distribuir material de divulgação e brindes relacionados apenas à instituição responsável pela locação. Não serão oferecidos depósito para estocagem de materiais e vagas de estacionamento.

As reservas devem ser feitas pelo e-mail: finan2@acamportinari.org, com cópias para sisem@sp.gov.br. e maria@comunicarp.com.br.

O Encontro Paulista de Museus

Principal reunião da museologia de São Paulo e considerado um dos principais do setor em todo país, o Encontro Paulista de Museus completa 10 anos em 2018. O 10EPM também marca o retorno ao Memorial da América Latina, palco tradicional do encontro.

10º EPM reúne instituições museológicas paulistas em julho – confira a programação

O principal evento que reúne as instituições museológicas do estado de São Paulo, realizado pelo SISEM-SP em parceria com a ACAM Portinari, retorna ao Memorial da América Latina entre os dias 18 e 20 de julho com três dias de programação e muitas novidades. A programação completa do Encontro Paulista de Museus está disponível no site www.sisemsp.org.br/epm/programacao. Confira os destaques:

Encontro Paulista de Museus – Divulgação

Na manhã do primeiro dia de evento,  será entregue a medalha Waldisa Rússio Camargo Guarnieri, que homenageia uma das principais personalidades da Museologia Brasileira, no pensamento crítico e teórico do setor. Quem receberá a condecoração será o professor Ulpiano Bezerra de Meneses – especialista em História Antiga e Social, Letras Clássicas e Arqueologia, organizador (1963-8) e diretor (1968-78) do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP e diretor do Museu Paulista/USP (1989-1994).

No mesmo dia, ocorre a conferência internacional de Luigi Di Coratto, diretor da Fondazione Brescia Musei, e em seguida o painel “Desafios éticos contemporâneos para museus” com a doutora Débora Duprat, procuradora federal dos Direitos do Cidadão, e Christian Dunker, professor do Instituto de Psicologia da USP e um dos criadores do Laboratório de Teoria Social, Filosofia e Psicanálise da USP. Também neste dia, o encontro das regionais do SISEM-SP discutirá a eleição das novas representações de cada região.

A programação do segundo dia contempla uma sessão ao vivo sobre “Democratização de processos museológicos: participação das comunidades e públicos” e cinco mesas de debates consecutivas com temas variados. A programação do dia será finalizada com a Reunião da Rede de Educadores de Museus de São Paulo (REM-SP) que contará com o lançamento do e-book “Rede de Redes – Diálogos e Perspectivas das Redes de Educadores de Museus no Brasil”, da REM-SP em conjunto com o SISEM-SP e ACAM Portinari, bem como o lançamento da versão digital da publicação “Como gerir um museu”, em parceria com a Pinacoteca de São Paulo, o ICOM e a Unesco.

O último dia do EPM começa com sessão ao vivo sobre “Ações de fomento à participação”. Na sequência, será apresentado o “Balanço e as Perspectivas” do SISEM-SP e em seguida anunciado o resultado das eleições para o Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM) e também os nomes dos novos representantes regionais eleitos. O destaque desta manhã fica por conta da entrega dos certificados às instituições cadastradas no Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP). No período da tarde, acontece a programação integrada com Oficinas no Centro de Pesquisa e Formação (CPF) do Sesc-SP sobre “Museus em transformação – participações e autonarrativas” e “Processos participativos na elaboração de Planos Museológicos: potências e desafios”. Paralelamente, no Auditório Simón Bolívar, será realizado o seminário “O Legado de Waldisa Rússio: liderança, formação, ética profissional e pesquisa em museologia”.

Para conhecer a programação completa, acesse www.sisemsp.org.br/epm/programacao. As inscrições podem ser feitas pelo site www.sisemsp.org.br.  

10º Encontro Paulista de Museus (10EPM)

Data: 18 a 20 de julho

Local: Memorial da América Latina – Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – São Paulo/SP

Programação:  www.sisemsp.org.br/epm/programacao

Informações: (11) 3339-8208 / www.sisemsp.org.br

16ª Semana de Museus: Casas literárias de São Paulo promovem debate sobre acervo, poesia e música

Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade realizam diversas atividades que dialogam com o tema museu e tecnologia

A Rede de Museus-Casas Literários, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, participa da 16ª Semana Nacional de Museus. A iniciativa, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), acontece entre 14 e 20 de maio, em celebração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio). O tema da edição é “Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”. Embora o destaque seja as conexões digitais, ressalta-se também o papel essencial das relações interpessoais nos museus.

Em uma visita temática na Casa Guilherme de Almeida, os participantes pesquisam, durante a atividade, a história e outras obras dos artistas que compõem o acervo da Casa, expandindo o alcance das discussões e reflexões da visita. Hiper-museu-casa: mais além de nosso acervo acontece quinta-feira, 17 de maio, às 15h00.

A oficina Poesia para se ouvir, propõe uma reflexão sobre os recursos tecnológicos disponibilizados pelos smartphones e como estes podem contribuir para a criação literária e novas narrativas poéticas. A atividade ocorre na Casa das Rosas quinta-feira, 17 de maio, às 14h00.

Oficina integrada Memorial da Inclusão e Rede de Museus-Casas Literários reúne os núcleos educativos desses espaços para refletir sobre a relação entre poesia e cidade a partir das transformações urbanas e literárias com recursos de acessibilidade para diversas formas de percepção de poemas: escritas, tácteis, sonoras. A atividade acontece no Memorial da Inclusão dia 16 de maio, quarta-feira às 14h00.

Voltado para profissionais da educação, o curso Diálogos instigantes: o museu online e offline em espaços educativos apresenta os recursos presentes no site da Casa Guilherme de Almeida – visita virtual e materiais de apoio ao professor, mostrando as possibilidades educativas desses recursos. O encontro acontece sábado, 19 de maio, às 15h0, na Casa Guilherme de Almeida.

Quer descobrir a relação dos poetas Mário de Andrade, Guilherme de Almeida e Haroldo de Campos com a música? Participe da visita temática Conexão pela música, que acontece na Casa Mário de Andrade sábado, 19 de maio às 14h00.

Serviço: 16ª Semana Nacional de Museus

Oficina integrada Memorial da Inclusão e Rede de Museus-Casas Literários

16/5. Quarta-feira, 14h às 16h30.

Atividade sem necessidade de inscrição prévia.

Local: Memorial da Inclusão – Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 564, Barra Funda

Poesia para se ouvir

17/5. Quinta-feira, 14h às 15h30.

Inscrições: educativo@casadasrosas.org.br

Local: Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37, Paulista

Hiper-museu-casa: mais além de nosso acervo

17/5. Quinta-feira, 15h às 16h30.

Inscrições: https://bit.ly/2JNGiDE

Local: Casa Guilherme de Almeida – Rua Macapá, 187, Sumaré

Conexão pela música

19/5. Sábado, 14h às 15h30.

Inscrições: https://bit.ly/2H7DSyh

Local: Casa Mário de Andrade – Rua Lopes Chaves, 546, Barra Funda

Diálogos Instigantes: o museu on-line e off-line em espaços educativos

19/5. Sábado, 15h às 17h.

Inscrições: https://bit.ly/2JOZAZq

Local: Casa Guilherme de Almeida – Rua Macapá, 187, Sumaré

Mais informações: museusliterarios.org.br

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

16ª Semana de Museus: programação especial no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

Com atividades especiais e parcerias com instituições culturais de Campos do Jordão e região, Museu e Auditório celebram o Dia Internacional de Museus; com entrada gratuita no dia 18/05, os visitantes poderão contribuir com ingresso solidário: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus

“Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos” é o tema da 16ª Semana Nacional de Museus, promovida pelo Ibram. O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de  São Paulo, geridas pela ACAM Portinari, irão explorar o assunto com diversas programações presenciais e na internet, além de consolidar parcerias com instituições locais.

De 15 a 20 de maio, os visitantes serão estimulados a partilhar suas impressões sobre o passeio e quais são suas obras favoritas. Para isso, cada um deles receberá um barbante e, em um mapa colaborativo, ele irá marcar suas opiniões, que serão compartilhadas com todos durante o período. Os grupos escolares agendados de 15 a 18 de maio também participam dessa atividade. No dia 18 de maio, Dia Internacional dos Museus, a entrada é gratuita, porém o visitante poderá contribuir com ingresso solidário, doando uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho. Os participantes receberão um exemplar do Passaporte dos Museus.

No sábado (19), às 15h00, o público poderá conferir o lindo espetáculo de dança dos alunos do Olharte, com coreografia de Eliane Humberg. O projeto social tem como espaço de ensaio e aulas o Auditório Claudio Santoro e atende, gratuitamente, a população interessada de Campos do Jordão. Essa será a primeira apresentação da turma formada em 2018.

Focado em potencializar a comunicação das instituições culturais da cidade e do entorno, o Museu e Auditório articularam duas importantes iniciativas. Nas redes sociais está acontecendo a ação “Telefone sem Fio”, uma corrente virtual de apoio e divulgação mútua. A atividade é inspirada na brincadeira de infância de mesmo nome e permite a interação entre os participantes, impulsionando a campanha “Um Museu Leva ao Outro”, de 2016. Os interessados podem interagir na página das instituições no Facebook, Twitter e Instagram e, de lá, acessar os diferentes links e fazer uma viagem virtual pelos museus da Região do Vale do Paraíba.

Já no domingo (20), ocorre o lançamento do projeto Roteiro Cultural, com o Museu da Xilogravura, em Campos do Jordão. A intenção é ampliar o público partindo da ideia de que os visitantes se interessariam pela outra instituição. Para estimular o fluxo entre os locais, serão desenvolvidas propostas interativas, como jogos e brincadeiras, com um mesmo tema. A partir da programação e do contato com os educadores, será despertado o interesse do participante pelo outro museu, promovendo uma ponte entre os espaços. O passeio pode começar em qualquer um dos locais e, ao final do percurso, o visitante recebe um certificado de participação.

“É Dia de Museu”

De olho em novos públicos, Secretaria da Cultura do Estado lança campanha que contempla uma série de estratégias no ambiente digital e programação especial nos 19 museus da rede ao longo do ano. A primeira ação homenageia o Dia Internacional dos Museus e terá “ingresso solidário”: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus. Os itens arrecadados serão destinados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O público também pode compartilhar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro estão localizados à avenida Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880. O telefone para informações é (12) 3662-6000. O horário de funcionamento é das 9h00 às 18h00. A entrada é de R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia – estudante e idoso) e gratuita aos domingos e no Dia Internacional dos Museus (18 de maio). Conheça nossa política de gratuidade no www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso.

SERVIÇO 

16ª Semana de Museus

Telefone sem Fio

Período: 01 a 31/05/2018

Informações: (12) 3662-6000

Ligue os Pontos – Meu Museu, Minhas Conexões!

Período: 15 a 20/05/2018

Horário: das 9h00 às 18h00

Semana Escola vem ao Museu

Período: 15 a 18/05/2018

Horário: das 9h30 às 11h00 e das 14h30 às 16h00

Apresentação de Dança – Projeto Olharte

Data: 19/05/2018

Horário: às 15h00

Abertura do Projeto “Roteiro Cultural – Campos do Jordão”

Data: 20/05/2018

Horário: das 9h00 às 18h00

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Informações: (12) 3662-6000

Entrada: inteira R$10,00 e meia R$5,00 (estudante e idoso) – gratuita aos domingos (conheça nossa política de gratuidade no www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso)

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de agasalhos e cobertores, que serão destinados a instituições de caridade do município

16ª Semana Nacional de Museus: atividades especiais no Museu Casa de Portinari

Programação começa dia 16 de maio (quarta-feira) e terá rodas de conversa, palestras e encontros para público geral, interno e parceiros da instituição; visitantes poderão contribuir com ingresso solidário: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus

Em maio, os museus brasileiros terão programação especial a convite do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), durante a 16ª Semana Nacional de Museu. O Museu Casa de Portinari, em Brodowski (SP), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, oferece a partir do dia 16 (quarta-feira) rodas de conversa, palestras e encontros sobre o tema “Museus Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”.

No dia 16 de maio, às 19h00, a museóloga e diretora da ACAM Portinari, Angelica Fabbri, abordará o assunto “Inovações Tecnológicas na Comunicação Museal” e os recursos utilizados pelo museu em sua nova expografia, mostrando que é necessário se adaptar cada vez mais ao cenário, aos públicos e às tecnologias no intuito de se comunicar de forma mais ampla com a sociedade contemporânea.

Na quinta-feira (17), a instituição realiza uma palestra sobre mídias sociais para seu público interno, reforçando que os meios de comunicação estão cada vez mais fáceis e acessíveis, conectando as pessoas. Hoje, levar informação para pessoas em lugares remotos é bem mais simples e com as mídias online esse alcance é possível.

No Dia Internacional de Museus, 18 de maio (sexta-feira), às 19h00, haverá um encontro sobre hiperconexão com a comunidade local. O Museu se relaciona com a sociedade em todos os seus segmentos e usa de todos os meios de comunicação para isso, fortalecendo os laços entre os munícipes e a instituição. Para celebrar e pensar em modelos de hiperconexões mais dinâmicos e contemporâneos, o museu convida seus parceiros reunidos ao longo de seus 48 anos de existência para uma roda de conversa, mediada por Clubes de Serviços, Associações de Bairros, Instituições Educacionais e Sociais entre outros.

“É Dia de Museu”

De olho em novos públicos, Secretaria da Cultura do Estado lança campanha que contempla uma série de estratégias no ambiente digital e programação especial nos 19 museus da rede ao longo do ano. A primeira ação homenageia o Dia Internacional dos Museus e terá “ingresso solidário”: quem doar uma peça de roupa para a Campanha do Agasalho irá receber um exemplar do Passaporte dos Museus. Os itens arrecadados serão destinados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. O público também pode compartilhar suas visitas e doações nas redes sociais com a hashtag #museusolidario.

O Museu Casa de Portinari está localizado à Praça Cândido Portinari, nº 298, em Brodowski/SP. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 9h00 às 18h00. A entrada é gratuita, porém os interessados podem contribuir por meio do ingresso voluntário. Informações pelo (16) 3664-4284.

SERVIÇO

16ª Semana de Museus

De 14 a 20/05/2018

Roda de Conversa

Data: 16/05/2018 (quarta-feira)

Horário: 19h00

Palestra Sobre “Mídias Online”

Data: 17/05/2018 (quinta-feira)

Público-alvo: restrito a colaboradores da instituição

Encontro Sobre “Hiperconexão com a Comunidade Local”

Data: 18/05/2018 (sexta-feira)

Horário: 19h00

Local: Museu Casa de Portinari (Praça Cândido Portinari, nº 298 – Centro – Brodowski/SP)

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: gratuita

16a. Semana de Museus: Workshop sobre tecnologias e instituições culturais no Museu do Futebol

Evento gratuito com pesquisador Aquiles Brayner, ex-curador digital na British Library e consultor em gestão da informação, faz parte da programação da 16ª Semana de Museus

A 16ª Semana de Museus, evento do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), será o mote de uma programação especial no Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. E a principal atividade dessa agenda será a realização de um workshop com Aquiles Brayner, ex-curador digital na British Library e pesquisador da Biblioteca Nacional.

No dia 16 de maio, quarta-feira, às 10h00, Brayner estará no auditório do Museu do Futebol para falar sobre possibilidades de atuação com acervos digitais, com ênfase em curadoria digital e uso de crowdsurcing em instituições culturais.

Às 14h00, a programação seguirá com Camila Aderaldo, coordenadora do Centro de Referência do Futebol Brasileiro do Museu do Futebol. Ela falará sobre potencialidades e desafios da formação de um acervo digital.

“A ideia desse evento é compartilhar experiências de modo a somar às discussões que vêm sendo feitas em torno dos acervos digitais e das tecnologias disponíveis para amplificar as potencialidades de seu uso e tratamento”, afirma Camila Aderaldo.

As duas palestras serão realizadas no auditório do Museu do Futebol, que comporta 174 pessoas e tem mais quatro espaços para cadeirantes. A participação é gratuita, mas está condicionada à disponibilidade de lugares.

O workshop ainda prosseguirá no dia 17 de maio, quinta-feira, quando Aquiles Brayner e Camila Aderaldo conduzirão um estudo de caso e farão uma análise crítica sobre os recursos digitais do Museu do Futebol. Nessa segunda etapa, a participação é limitada a 30 pessoas.

Criada pelo Ibram para celebrar o Dia Internacional de Museus (18 de maio), a Semana de Museus de 2018 compreende o período entre os dias 14 e 20 de maio. Além do workshop, a programação do Museu do Futebol para a data inclui a transmissão ao vivo de uma visita mediada ao equipamento, feita por educadores, às 10h00, no dia 14 de maio, segunda-feira. O material será exibido em tempo real no canal oficial da instituição no YouTube.

O Museu do Futebol também oferecerá gratuidade a todos os visitantes no dia 18 de maio, data em que é celebrado o Dia Internacional de Museus.

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Workshop “Tecnologias digitais e instituições culturais: novas práticas e possibilidades” – Especial 16ª Semana de Museus

Com o pesquisador Aquiles Brayner, consultor em gestão da informação e especialista em curadoria digital

Quando: 16 de maio de 2018, quarta-feira, entre 10h00 e 16h00, e 17 de maio de 2018, quinta-feira, entre 9h30 e 13h00

Quanto: Entrada gratuita, sem necessidade de inscrição prévia (participação sujeita à disponibilidade de lugares)

A quem se destina: Profissionais de museus e instituições culturais, além de interessados no assunto

Programação

Dia 16/05

Curadoria digital e iniciativas de crowndsourcing

Com Aquiles Brayner, consultor em gestão da informação e especialista em curadoria digital

Horário: Das 10h00 às 12h00

Formação do acervo digital do Museu do Futebol: potencialidades e desafios

Com Camila Aderaldo – coordenadora do Centro de Referência do Futebol Brasileiro do Museu do Futebol

Horário: Das 14h00 às 16h00

Local: Auditório do Museu do Futebol

174 lugares e 04 cadeirantes

Dia 17/05

Estudo de caso: análise crítica dos recursos digitais do Museu do Futebol

Visita técnica à exposição e áreas técnicas do Museu

Com Aquiles Brayner e Camila Aderaldo

Horário: Das 9h30 às 13h00

Local: Museu do Futebol

30 vagas

 

Sobre Aquiles Brayner

Graduado em psicologia pela Universidade Federal do Ceará, Aquiles Brayner é mestre em línguas e culturas da América Latina pela Rijksuniversiteit Leiden (Holanda) e em biblioteconomia e ciência da informação pela City University of London (Inglaterra). Além disso, é doutor em literatura brasileira pela Kings College – University of London (Inglaterra). Atua na Calímaco, empresa de consultoria em gestão da informação da qual é proprietário, e como bolsista do programa Pesquisador em Residência da Fundação Biblioteca Nacional.

Sobre a 16ª Semana de Museus

Promovida pelo Ibram para celebrar o Dia Internacional de Museus (18 de maio), a Semana de Museus abarcará 1.130 equipamentos culturais pelo Brasil em 2018, ano em que o mote será “Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”. A proposta, segundo os realizadores, é discutir a interação dos museus brasileiros com seu entorno, especialmente em grandes centros urbanos.

No Museu do Futebol, a programação especial para a data incluirá o workshop (16 e 17 de maio), a transmissão ao vivo de uma visita mediada ao museu (14 de maio) e entrada gratuita para todo o público (18 de maio).

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O passeio está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

MUSEU DO FUTEBOL

Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento:

Terça a domingo, 09h00 às 18h00

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu, consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais.

23ª Festa do Imigrante reúne gastronomia de 38 países

Promovido pelo Museu da Imigração, nos dias 9, 10 e 16 de junho, o evento apresenta a culinária de
diversas comunidades de imigrantes e descendentes

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da
Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e
acontecerá nos dias 9, 10 e 16 de junho, reunindo tradições e heranças de 50 nacionalidades. Em 2017,
cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música e o
artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes.

Nesse ano, os visitantes encontrarão 49 expositores de alimentação, que trarão pratos e receitas típicas de
diversas regiões do mundo. Para quem aprecia e valoriza a culinária internacional, o shawarma de carne
do Líbano, o rösti com bacon (batata cozida e ralada, passada na manteiga, com bacon crocante e molho
de cebola escura) da Alemanha, o summer pudding (pudim de frutas vermelhas) da Inglaterra e o
kolokithopita (folhado de abóbora com canela, uva passa e nozes) da Grécia são alguns dos destaques dos
cardápios oferecidos pelas comunidades.

A novidade dessa edição é o Empório, um espaço idealizado especialmente para oferecer produtos
artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos,
cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo
– e potes de homus, coalhada e babaganuche da Síria.

Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de
oficinas de culinária, que fazem parte do projeto “Sabor Paulista”, ministradas por cozinheiros de
comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o
spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta
mil hojas (Chile).

A programação conta, ainda, com 29 expositores de artesanato e 46 grupos de dança e música. Entre os
três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no jardim do
Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da Lituânia, a
pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops de dança
apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de Moçambique,
as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de
histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida
Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são
apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do
evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas,
amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – São Paulo | SP – CEP: 03164-300 – Tel.: (11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br
A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site:
www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias do
evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A Festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a
bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

Acessibilidade

No dia 9/06 (sábado), a 23ª Festa do Imigrante contará com oficinas de artesanato, de culinária e
workshops de dança com tradução em libras. Já no dia 10/06 (domingo), o evento disponibilizará recurso
de audiodescrição para as apresentações artísticas, das 13h00 às 18h00. Nos três dias de festa, estará
disponível o folder do evento transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de
pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo
e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de
funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos
para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados,
com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site
www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

23ª Festa do Imigrante
Datas: 9, 10 e 16 de junho de 2018
Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)
Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo
Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

23ª Festa do Imigrante: evento conta com atividades especiais para a criançada

Nos dias 9, 10 e 16 de junho, os pequenos poderão aprender sobre migração com contações de histórias e
se divertir em diversas atrações

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da
Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e
acontecerá nos dias 9, 10 e 16 de junho, reunindo tradições e heranças de 50 nacionalidades e
promovendo atividades direcionadas ao público infantil.

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de
histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida
Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são
apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do
evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas,
amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

Proporcionando uma experiência única para toda a família, o passeio de Maria-fumaça partirá, nos três
dias de festa, da plataforma localizada dentro do MI. A atração percorrerá o trilho histórico utilizado por
milhares de imigrantes, de hora em hora ou conforme a lotação dos vagões. O ingresso custa R$ 20
(maiores de 60 anos e estudantes pagam R$ 15).

O público encontrará, ainda na estação, o espaço “Retratos de Época”, onde poderá se caracterizar com
roupas e acessórios à moda antiga, participar de uma sessão de fotos divertida com as crianças, parentes e
amigos e garantir uma lembrança especial da visita ao Museu da Imigração. Além das imagens, o local
comercializa molduras diferenciadas para tornar a recordação e a viagem no tempo ainda mais realistas.

Programação

Em 2017, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música
e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes. Nesse ano, o público encontrará 49
expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras
programações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos
Imigrantes do Brás, no fim do século 19 e início do 20.

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no
jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da
Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops
de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de
Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos
artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos,

Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – São Paulo | SP – CEP: 03164-300 – Tel.: (11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br
cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo
– e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.
Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de
oficinas de culinária, que fazem parte do projeto “Sabor Paulista”, ministradas por cozinheiros de
comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o
spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta
mil hojas (Chile).

A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site:
www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias do
evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A Festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a
bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

Acessibilidade

No dia 9/06 (sábado), a 23ª Festa do Imigrante contará com oficinas de artesanato, de culinária e
workshops de dança com tradução em libras. Já no dia 10/06 (domingo), o evento disponibilizará recurso
de audiodescrição para as apresentações artísticas, das 13h00 às 18h00. Nos três dias de festa, estará
disponível o folder do evento transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de
pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo
e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de
funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos
para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados,
com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site
www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

23ª Festa do Imigrante
Datas: 9, 10 e 16 de junho de 2018
Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)
Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo
Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

23ª Festa do Imigrante: mais de 50 nacionalidades reunidas no Museu da Imigração

ATENÇÃO: a festa do Imigrante tem novas datas: 9, 10 e 16 de junho! Para a programação completa e atualizada, acesse: http://museudaimigracao.org.br/agenda/23a-festa-do-imigrante/ 

Nos dias 3, 9 e 10 de junho, evento apresenta gastronomia, dança, música e artesanato de diversas comunidades de imigrantes e descendentes

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e acontecerá nos dias 3, 9 e 10 de junho, reunindo tradições e heranças de mais de 50 nacionalidades. Em 2017, cerca de 20 mil pessoas participaram do evento e vivenciaram a gastronomia, a dança, a música e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes.

Nesse ano, o público encontrará 49 expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras programações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes do Brás, no fim do século XIX e início do século XX.

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos, cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo – e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.

Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de oficinas ministradas por cozinheiros de comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta mil hojas (Chile).

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas, amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site: www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/. Os ingressos podem ser adquiridos nos dias de evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

Acessibilidade

A 23ª Festa do Imigrante disponibilizará recurso de audiodescrição para as apresentações artísticas que ocorrerão no dia 3/06 (domingo), das 13h00 às 18h00. Já no dia 9/06 (sábado), o evento contará com oficinas de artesanato, de culinária e workshops de dança com tradução em libras. Nos três dias de festa, estará disponível o folder do evento transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao atendimento de pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar em contato pelo e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO 

23ª Festa do Imigrante

Datas: 3, 9 e 10 de junho de 2018

Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)

Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo

Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

30 anos de Bloomsday: Casa Guilherme e Casa das Rosas homenageiam James Joyce com programação especial

Programação gratuita inspira-se em tradicional “velório festivo” e conta com música, dança, exibição de filmes, leituras de trechos e oficina de tradução

O romance Ulysses, marco da literatura ocidental contemporânea escrito pelo irlandês James Joyce, narra os acontecimentos vividos pelo personagem Leopold Bloom durante 16 horas do dia 16 de junho de 1904. Não se sabe ao certo quando as homenagens ao protagonista começaram, mas há décadas, o dia 16 de junho passou a ser internacionalmente conhecido como Bloomsday.  Em 2018, as comemorações na cidade de São Paulo completam 30 anos e nos dias 15 e 16 de junho, sexta-feira e sábado, a Casa Guilherme de Almeida e a Casa das Rosas, instituições da Secretaria da Cultura do Estado, organizam uma programação especial para homenagear o célebre escritor irlandês.

Abrindo as celebrações, na sexta-feira, das 19h00 às 21h00, Maria Teresa Quirino comandará a palestra Desvendando o Ulysses, de James Joyce, que será realizada na Casa Guilherme. A proposta é traçar um panorama da obra do irlandês, e também a história da recepção do livro e da compreensão crítica de suas características. A palestrante é mestra em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês, e doutora em Letras. É também professora de português e de inglês, e tradutora e estudiosa da obra de James Joyce.

Já no sábado, das 15h00 às 16h15, será a palestra Indeterminação de sentidos no Ulysses de James Joyce, cuja convidada é Amara Moira. A ideia é discutir a utilização de efeitos sonoros – particularmente das onomatopeias – na obra do irlandês. O tema da atividade, que será na Casa Guilherme, é o mesmo da tese de doutorado de Amara, que é professora e escritora.

Logo depois, às 16h30, será o debate via internet Ulisses, um estudo, mediado por Marcelo Tápia, diretor dos Museus-Casas Literários e atual organizador do Bloomsday em São Paulo. O bate-papo contará com a presença do professor e crítico Aguinaldo Médici Severino, que é também estudioso da obra de Joyce, e do escritor Abdon Franklin de Meiroz Grilo, que é autor do livro Ulisses, um estudo, que foi recém-publicado.

O evento festivo O Cidadão em Ulysses fechará as comemorações no sábado, das 19h00 às 21h30, na Casa das Rosas. O tema deste ano é o capítulo 12 de Ulysses – que conta o episódio do Ciclope, da Odisseia de Homero –, que é quando surge o nacionalista Cidadão, um dos personagens mais marcantes do romance. Além de música e dança tradicionais da Irlanda, também haverá leituras de trechos da obra de Joyce em diversos idiomas. E, por fim, o velório de Finnegan, baseado no romance Finnegans wake, do escritor, também será lembrado por conter semelhanças e ligações com o conto Quincas Berro D‘Água, do brasileiro Jorge Amado.

A Casa Guilherme de Almeida e a Casa das Rosas são integrantes da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis. A Casa Guilherme de Almeida tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

Saiba mais sobre o Bloomsday:

A comemoração do Bloomsday começou em 1924, quando amigos ofereceram uma festa ao escritor que havia se lançado em um empreendimento ambicioso: Finnegans Wake, uma série de pequenas narrativas transcorridas na mente adormecida do protagonista. Em 1954, a festa passou a ser regular em Dublin, com fãs se reunindo para e celebrar a data, e logo se estendeu a outras cidades do mundo, como Londres e Nova York. O evento foi criado em São Paulo em 1988, por Haroldo de Campos, que participou de sua organização até seu falecimento, em 2003. O Bloomsday paulistano inspirou diversas celebrações no Brasil, como as de Florianópolis (SC), Santa Maria (RS), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e Porto Alegre (RS), entre outras.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Bloomsday

Sexta e sábado, dias 15 e 16/6

 – Desvendando o Ulysses, de James Joyce

Sexta-feira – das 19h00 às 21h00

Casa Guilherme de Almeida

– Indeterminação de sentidos no Ulysses de James Joyce

Sábado – das 15h00 às 16h15

Casa Guilherme de Almeida

Ulisses, um estudo

Sábado – a partir das 16h30

Transmissão pela internet

– O Cidadão em Ulysses

Sábado – das 19h00 às 21h00

Casa das Rosas

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)

Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h00 às 22h00, e aos domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

32º Prêmio Design MCB divulga vencedor e destaques do Concurso do Cartaz 2018

O resultado completo pode ser conferido no site www.mcb.org.br

Cartaz vencedor – Autor: Celso Hartkopf Lopes Filho – Recife (PE)

O Concurso do Cartaz para a 32ª edição do Prêmio Design MCB, realizado pelo Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebeu neste ano 424 inscrições, com participantes de 15 estados, e teve como vencedor a peça do designer Celso Hartkopf Lopes Filho, de Recife (PE), que demonstra uma forte identidade cultural, representada em composição cromática, por meio da gestualidade e do e uso de objetos de caráter popular.

O cartaz que será a inspiração de toda a identidade visual da edição de 2018 foi escolhido pela comissão julgadora coordenada pelo fotógrafo e designer Gal Oppido e composta por Flávia Nalon e Chico Homem de Melo, com vasta experiência em projetos gráficos, e pelos artistas urbanos Luís Bueno e Gabriel Ribeiro. Para a seleção, o júri considerou a criatividade e a expressão do cartaz enquanto artifício de divulgação, não somente enquanto peça.

Para Gal, o cartaz vencedor demonstra, por meio da computação gráfica, uma cena cotidiana do Brasil, onde gesto e objeto são revelados. “Na imagem é possível ver as cores primárias dentro de uma construção pop pós-impressionista gerada a partir da repetição de módulos cromáticos, que resultam uma peça com alto rendimento visual”, comenta o coordenador da comissão.

Além do vencedor, que receberá como prêmio o valor bruto de R$ 3 mil e terá um contrato de mais R$ 3 mil para a criação de outras peças gráficas da edição, o júri selecionou mais 10 cartazes de destaque e outros 90 trabalhos que farão parte da mostra do Concurso do Cartaz, a ser aberta no dia 10 de novembro, junto com a exposição do 32º Prêmio Design MCB.

Mostra Concurso do Cartaz com votação popular
Com abertura em 10 de novembro, junto pela primeira vez com a exposição de produtos e trabalhos escritos do Prêmio Design MCB, a Mostra do Concurso do Cartaz exibirá o vencedor, os dez destaques e mais 90 trabalhos selecionados pelo júri. Os visitantes poderão escolher sua peça favorita em uma votação popular, feita presencialmente na exposição, implantada desde a 30ª edição, em 2016, que visa estimular a participação do público no debate sobre a produção atual em design gráfico e a revalorização do cartaz enquanto peça gráfica central em campanhas de divulgação.

Sobre o Prêmio Design MCB

O Prêmio Design MCB é realizado desde 1986 pelo Museu da Casa Brasileira. A premiação – a mais tradicional do segmento no país – revela talentos e consagra profissionais e empresas. O Prêmio é dividido em dois momentos principais: o Concurso do Cartaz e, em seguida, a premiação dos produtos e trabalhos escritos. Entre junho e agosto, o MCB recebe criações (protótipos ou em produção) nas categorias: Construção, Transporte, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis, Utensílios e Trabalhos Escritos. Os trabalhos são analisados por duas comissões julgadoras independentes, uma para as categorias de produto e outra para trabalhos teóricos. Por fim, são escolhidos os premiados, divididos entre 1º, 2º e 3º lugares e menções honrosas, além dos selecionados que também compõem a exposição. Como resultado do Prêmio Design MCB, o Museu realiza uma mostra com os vencedores e selecionados de cada categoria da edição, que fica em cartaz por cerca de dois meses.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada

Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

4ª Maratona Cultural: Oficina Cultural Juan Serrano tem programação especial para férias escolares

Artes visuais, cultura digital, circo, música, cinema e literatura são algumas das linguagens presentes nas atividades indicadas para todas as idades

A Oficina Cultural Maestro Juan Serrano, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis, tem programação especial durante a 4ª Maratona Cultural, que acontece entre 4 e 25 de julho. São dezenas de atividade gratuitas que prometem divertir e estimular o dia a dia da garotada.

(Foto: Divulgação)

Entre os principais destaques estão a Prática Circense, que vai promover vivências de práticas como malabares e perna de pau, de 12 a 25 de julho; Andando na linha com Slackline, que trabalhará o equilíbrio e a coordenação motora, de 4 a 25 de julho; e Jogos da Cultura Popular, que acontece de 4 a 25 de julho e ampliará o conhecimento da cultura tradicional, com a possibilidade de reviver diversas brincadeiras individuais e/ou coletivas.

Para participar, basta comparecer à Oficina Cultural Maestro Juan Serrano e se divertir. Veja abaixo a programação completa:

Ateliê Aberto de Pintura | 4 a 25/7. Terças-feiras, 13h00 às 15h00; quartas-feiras, 10h00 às 12h00

Atividade prática em que pincéis e tintas exploram a paisagem e a vida cotidiana.

Contos, Cantigas e Poesias | 5 a 20/7. Quintas-feiras, 14h00 às 16h00; sextas-feiras, 10h00 às 12h00

Espaço para ouvir contação de histórias e cantigas tradicionais, além de criar narrativas simples, poéticas e dramatizadas.

Espaço de Criação Artística | 16 e 23/7. Segundas-feiras, 10h00 às 12h00

Fazendo uso de lápis coloridos, papel, cola e tesoura, os participantes desenvolvem de maneira criativa, personagens de seu curioso universo lúdico.

Laboratório de Internet | 4 a 25/7. Terças-feiras, 15h00 às 17h00; quartas-feiras, 10h00 às 12h00; sextas-feiras, 10h00 às 12h00 e 13h00 às 15h00

Os encontros oferecem orientação básica àqueles que não estão familiarizados com a navegação e formas de busca de informações na internet.

Circuito Livre de Filmes | 4 a 25/7. Segundas-feiras, 13h00 às 15h00 e 15h00 às 17h00; terças-feiras, 10h00 às 12h00; quartas-feiras, 13h00 às 15h00 e 15h00 às 17h00

Sessões de filmes de diversos gêneros e temáticas, para todas as idades.

Jogos da Cultura Popular | 4 a 25/7. Segundas-feiras, 10h00 às 12h00 e 15h00 às 17h00; quartas-feiras, 15h00 às 17h00; sextas-feiras, 10h00 às 12h00

Na atividade, o público participa de brincadeiras como amarelinha, cinco marias, pula corda, corre cotia, bolinha de gude, adoleta e outros passatempos que vão colocar as novas gerações em contato com brincadeiras da cultura tradicional.

Microfone aberto: A Arte do Menestrel | 5 a 19/7. Quintas-feiras, 15h00  às 17h00

Para músicos, cantores e poetas, os menestréis do presente, esta atividade coloca à disposição microfones e amplificadores para os interessados em soltar a voz, declamar ou recitar seus versos e prosas.

Orientação Musical | 10 a 24/7. Terças-feiras, 15h00 às 17h00

Tendo instrumentos de percussão, sopro e corda à disposição, os participantes participarão de vivências conduzidas pelo método de aprendizagem musical desenvolvido por Edwin Gordon, um dos mais importantes estudiosos na área.

Prática Circense | 12 a 25/7. Segundas-feiras, 13h00 às 15h00; quartas-feiras, 10h00 às 12h00

Vivência livre, divertida e desafiadora de práticas circenses, como malabares e perna de pau.

Andando na Linha com Slackline | 4 a 25/7. Terças-feiras, 10h00 às 12h00; quartas-feiras, 13h00 às 15h00; sextas-feiras, 15h00 às 17h00

Aos entusiastas do circo, estará à disposição o slackline, fita de nylon flexível inspirada na famosa corda bamba em que os artistas circenses se equilibram em diversas manobras.

Cinema ao Ar Livre | 5 a 19/7. Quintas-feiras, 18h30 às 20h30

Durante a Maratona Cultural, a parte externa da Oficina Cultural Juan Serrano será transformada em uma grande sala de cinema ao ar livre.

SOBRE A OFICINA CULTURAL MAESTRO JUAN SERRANO

Criada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo desde 1986, as Oficinas Culturais trabalham com a formação de jovens profissionais em diversas áreas, como artes plásticas, dança, fotografia, moda, performance, processos gráficos e teatro. A instituição tem como objetivo a formação cultural do cidadão por meio de oficinas e workshops gratuitos na região de Pirituba.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

4ª Maratona Cultural

4 a 25/7. Segunda a sexta-feira, diversos horários.

Atividades gratuitas sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: livre.

Oficina Cultural Maestro Juan Serrano

Rua Joaquim Pimentel, 200 – Cohab Taipas – São Paulo

Telefone: (11) 3994-3362 | 3971-3640

Funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 13h

oficinasculturais.org.br | juanserrano@oficinasculturais.org.br

50 anos depois, “1968 operário” é lembrado em Sábado Resistente

Evento será no dia 12 de maio, às 14h00, com entrada gratuita e a presença de Ênio Seabra, João Batista Candido, Luis Cardoso, Luiz Antonio Duarte e Luci Praun

Memorial da Resistência (foto: Patricia Carvalho)

No dia 12 de maio, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promoverá mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O encontro que faz parte dos eventos programados na cidade de Osasco denominados “Osasco 1968+50” será às 14h00, e irá tratar sobre os acontecimentos que marcaram o ano de 1968 para a classe operária, especialmente as primeiras greves nas cidades de Contagem (MG) e de Osasco (SP).

Com o golpe militar de 1964 no Brasil, principalmente a partir da nomeação de interventores militares nos sindicatos das principais categorias de trabalhadores, ocorreu a desarticulação do movimento sindical operário. As greves operárias de 1968 no país, tendo como símbolo as greves nestas duas cidades representaram o esforço de reorganização da classe trabalhadora.

Dentro dessa onda de greves, o dia 1º de maio de 1968 – Dia dos Trabalhadores – também ficou na história e será lembrando por alguns de seus atores. Na oportunidade, membros da classe operária de toda região metropolitana de São Paulo se reuniram na Praça da Sé para a transformação do ato oficial, organizado pelo sindicalismo de conciliação, com a presença de autoridades, em uma manifestação pública de protesto e repudio a ditadura por parte dos trabalhadores e estudantes.

PROGRAMAÇÃO

14h00 – Boas-vindas –Memorial da Resistência de São Paulo
14h10 – Coordenação – Oswaldo de Oliveira Santos
(Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h20 – Mesa Redonda 

Participantes:

Ênio Seabra Eletricista, começou a trabalhar em 1953 na Companhia Siderúrgica Mannesmann. Em 1967 foi eleito na chapa Verde (de oposição) para o Sindicato dos Metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem (MG), onde chegou a ser presidente e como tal foi um dos líderes da primeira greve operária em abril de 1968 na cidade. Participou, com um depoimento importante, do livro “Greves no Brasil (de 1968 aos dias atuais) editado pelo DIEESE em 2015.

João Batista Candido – Operário metalúrgico e coordenador regional da JOC (Juventude Operária Comunista) desde sua juventude, começou a trabalhar aos 28 anos na fábrica da Cobrasma de Osasco. Foi o presidente da Comissão de Fábrica do Brasil quando ela foi reconhecida em 1966, tendo participado também da fundação da sub sede da Frente Nacional do Trabalho naquela cidade. Em 1967, com a eleição da Chapa Verde presidida pelo José Ibrahim, João Candido é eleito Secretário Geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e nesta condição participa ativamente da Greve de 1968 que ocorreu no mês de julho naquela

Luis Cardoso – também conhecido como Luisão, era ajustador mecânico e trabalhava no controle de qualidade na Braseixos no ano de 1968. Participou da greve de Osasco e teve importante atuação na manifestação que transcorreu na Praça da Sé no dia 1º de Maio.

Luiz Antonio Duarte – Professor, era militante da Ação Popular (AP) sendo integrante da coordenação seccional na região do ABC paulista. Participou da manifestação de maio na praça da Sé.

Luci Praun – Socióloga, com mestrado e doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É atualmente docente do Centro Universitário Fundação Santo André e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Mundo do Trabalho e suas Metamorfoses (GEMT), Unicamp/CNPq. Coautora do livro “Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil I” (Ed. Boitempo), organizado por Ricardo Antunes, e do livro “Sindicatos Metalúrgicos no Brasil Contemporâneo” (Ed. Fino Traço), organizado por Davisson C. Souza e Patrícia Tropia. Autora do livro “Reestruturação Produtiva, Saúde e Degradação do Trabalho”


16h10 – Debate

 

SERVIÇO

 

Memorial da Resistência de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar

Telefone: (011) 3335-4990/ faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br

Aberto de quarta a segunda (fechado às terças)

Entrada Gratuita

6ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI) é dedicado a reflexões sobre território e identidade

Realizado no Vale do Ribeira, região com o maior número de comunidades remanescentes de quilombos do estado de São Paulo, a programação reúne grandes nomes como Djamila Ribeiro, Conceição Evaristo, Elisa Lucinda, Ellen Oléria e muito mais

Entre os dias 24 e 26 de maio será realizado na cidade de Iguape, região sul do estado de São Paulo, a 6ª edição do Festival Literário de Iguape (FLI). Desta vez, a programação é dedicada a discussões sobre conceitos de território e identidade. O festival é uma realização das Oficinas Culturais, Programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, e em parceria com a Prefeitura Municipal de Iguape.

Durante três dias, o FLI conta com show, sarau e conversas com a presença de artistas como Conceição Evaristo, Djamila Ribeiro, Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Larissa Luz, Sandra de Sá e Daniel Munduruku, que discutem sobre identidade, ancestralidade e pluralidade de narrativas. Os eventos são gratuitos e serão na Praça da Basílica e Biblioteca Pública Municipal, além da programação preparada para as escolas municipais, bem como oficinas e workshops em sete municípios do Vale.

Além disso, o público encontra no Ponto do Livro um espaço de troca de livros infantis, adultos e gibis. Uma oportunidade de renovar as bibliotecas pessoais sem custo!

O que é lugar de fala e qual a importância de buscar outros olhares que rompam com a história única? Para falar sobre o assunto, Djamila Ribeiro participa do bate-papo sobre seu livro O que é lugar de fala? (2017), que será na quinta-feira (24) às 20h00. Sexta-feira (25) às 21h30, Conceição Evaristo fala sobre sua trajetória como escritora, refletindo sobre o papel da mulher negra na literatura brasileira. As conversas terão mediação da escritora Bianca Santana, autora do livro Quando me descobri negra.

Para trazer um panorama da literatura do Vale do Ribeira, explorando a poesia, meios de publicação e a relação com outras expressões e linguagens artísticas, Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda participam da conversa Literatura do Vale que será sexta-feira (25) às 20h00 com mediação de Lisângela Kati do Nascimento.

Em Território e identidade, o público reflete, a partir de perspectivas quilombolas, indígenas, caiçaras, caboclas e negras, sobre ancestralidade, relações sociais e valorização das culturas tradicionais. A conversa ocorre no sábado (26), às 14h00. Encerrando as conversas do Festival, Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro participam do Vozes de desconstrução e falam sobre a desconstrução de narrativas colonizadas, subversão de pensamentos e construção de representações plurais na literatura. O bate-papo será às 21h00 do sábado.

Música e teatro

Na quinta-feira (24), às 14h00, o grupo Morabeza Nação apresenta o espetáculo 3Áfricas – As rainhas do tempo, que transforma a história dos Três Reis Magos – Melchior (rei da Pérsia), Gaspar (rei da Índia) e Baltazar (rei da Arábia) – em uma narrativa sobre três rainhas, cada uma de um país africano: Cabo Verde, Moçambique e Senegal. O trabalho une teatro e música com tambores e instrumentos de cordas que compõem a trilha sonora ao vivo. A partir das 22h00, Roberta Estrela D’Alva, slammer e apresentadora do programa “Manos e Minas”, comanda o FLISARAU, encontro poético com microfone aberto para todos que quiserem ler e recitar textos, autorais ou não.

Uma das principais escritoras da literatura brasileira é homenageada no espetáculo Canto de vida e obra: Conceição Evaristo, que transforma a história da escritora em uma narrativa literária e musical. O trabalho é apresentado ao público na sexta-feira (25), às 22h30.

Sons do Guarani reúne mais de 60 indígenas para um espetáculo de celebração da cultura guarani. O show será às 11h00 e abre as atividades de sábado (26). Às 17h00, o Quilombo do Morro Seco, que recebeu do Ministério da Cultura em 2017 o Prêmio Culturas Populares – Edição Leandro Gomes de Barros, apresenta o tradicional Fandango.

A cantora Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria para show no sábado (26), às 22h30. No repertório, canções de seu último trabalho Território Conquistado (2016), indicado como Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa no Grammy Latino 2016. Para encerrar o FLI 2018, às 23h40 a Comunidade Jongo Tiduca convida a todos para uma grande roda de jongo, dança de roda brasileira praticada ao som de tambores.

Todos os espetáculos serão na Tenda da Praça da Basílica, no centro histórico da cidade. Veja abaixo a programação completa do FLI 2018:

24/5 | Quinta-feira
14h00 | Espetáculo: 3Áfricas – As Rainhas do tempo
18h00 | Ponto do Livro
20h00 | Bate-papo: O que é lugar de fala? com Djamila Ribeiro
22h00 | FLISARAU com Roberta Estrela D’Alva
22h00 | Sessão de Autógrafo com Djamila Ribeiro (O que é lugar de fala?)

25/5 | Sexta-feira
18h00 | Ponto do Livro
18h00 | Sessão de Autógrafo com Conceição Evaristo
20h00 | Bate-papo: Literatura do Vale com Filoh Poeta, Julio Cesar da Costa, Marcos Mendes e Osvaldo Matsuda
21h30 | Bate-papo: Escrevivência com Conceição Evaristo
22h30 | Espetáculo: Canto de vida e obra – Conceição Evaristo

26/5 | Sábado
11h00 | Ponto do Livro
11h00 | Espetáculo: Sons do Guarani com as aldeias Pindo Ty, Takuari Ty e Itapoã
14h00 | Bate-papo: Território e identidade com Antonio Diegues, Benedito da Silva, Claudionor Henrique Pedroso, Daniel Clayton Pedro Rodrigues, Daniel Munduruku, Hermes Modesto Pereira, Maíra Silva, Rodrigo Marinho, Tatiana Cardoso e Timóteo Verá Tupã Popyguá
17h00 | Espetáculo: Fandango do Morro Seco
17h00 | Sessão de Autógrafo com Timóteo Verá Tupã Popyguá (Yvyrupa – A terra uma só) e Lisângela Kati do Nascimento (O lugar do lugar no ensino da geografia)
20h00 | Sessão de Autógrafo com Fátima Cristina Pires (Ariú), Lydia da Silva Gonçalves (A flor que encanta) e Isabel Campos (Árvore para passarinhos).
21h00 | Bate-papo: Vozes de desconstrução com Elisa Lucinda, Luiz Silva (Cuti) e Vagner Amaro
22h30 | Show: Larissa Luz convida Sandra de Sá e Ellen Oléria
23h40 | Show: Roda de Jongo com Jongo Tiduca

A LÍNGUA PORTUGUESA EM NÓS

Exposição do Museu da Língua Portuguesa retrata a história e a diversidade do idioma em Cabo Verde, Angola e Moçambique

Abertura em Cabo Verde será nesta quinta, 10 de maio, na sede do Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP

Primeiro museu no mundo totalmente dedicado a um idioma, o Museu da Língua Portuguesa foi inaugurado na Estação da Luz, prédio-símbolo de São Paulo, em 2006. Em quase dez anos de funcionamento recebeu aproximadamente 4 milhões de visitantes.

O Museu da Língua Portuguesa, atualmente em reconstrução em São Paulo, vai agora percorrer Cabo Verde, Angola e Moçambique, propondo diálogos e trocas com os falantes da língua portuguesa no arquipélago cabo-verdiano e no continente africano. A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” será realizada nas cidades de Praia (Cabo Verde), em maio, Luanda (Angola) em junho, e Maputo (Moçambique), em agosto.

O conteúdo foi organizado a partir de quatro eixos temáticos: Nós da Língua Portuguesa no Mundo, História da Língua Portuguesa no Brasil, Poesia e Prosa e Diálogos. Com consultoria de conteúdo do compositor, escritor e professor de Literatura José Miguel Wisknik, a exposição propõe um percurso pela história da língua portuguesa, o contato com outras línguas, seus destinos na formação cultural brasileira, sua presença nos ritmos e nas melodias, nas expressões culinárias e na literatura. O visitante será convidado a participar da programação cultural organizada exclusivamente para cada país, deixar seu testemunho falado e, assim, ser também parte da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa.

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós” é uma iniciativa do Itamaraty, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, a Fundação Roberto Marinho, o Museu da Língua Portuguesa e o Instituto Internacional da Língua Portuguesa, com coordenação da Expomus.

“A itinerância do Museu da Língua Portuguesa é um compromisso da presidência pro tempore brasileira na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). É uma oportunidade de perceber e celebrar as diferenças e as semelhanças entre as diversas variantes que engrandecem nossa língua comum. Para o Itamaraty, a iniciativa reveste-se de especial importância pela ênfase que dá ao papel internacional da língua portuguesa, um eixo central de nossa política externa. Também nos orgulha contribuir para o enriquecimento do acervo de prestigiado museu do Brasil, que vai a Angola, Cabo Verde e Moçambique como um museu do português brasileiro, mas traz na volta todo um novo conteúdo do português africano para o Brasil”, afirma Aloysio Nunes, Ministro das Relações Exteriores do Brasil.

O Brasil ocupa a presidência pro tempore da CPLP-Comunidade de Países de Língua Portuguesa até julho deste ano, quando passará a posição para Cabo Verde, durante a Cúpula de Chefes de Estado da CPLP que ocorrerá no país. Atualmente cerca de 270 milhões de pessoas falam português nos cinco continentes.

Percursos da exposição “A Língua Portuguesa em Nós”

Ao entrar na exposição, o visitante será conduzido por um passeio com curiosidades sobre os países que compõem a CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), vai descobrir as origens da Língua Portuguesa e como os idiomas vivem em constante movimento, nascem, se cruzam e se transformam.

A influência da Língua Portuguesa na diversidade da cultura brasileira será também celebrada em duas experiências audiovisuais. A Praça da Língua reproduz a experiência-símbolo do Museu da Língua Portuguesa: uma instalação audiovisual e imersiva com pérolas da criação artística em língua portuguesa, que formam um mosaico de músicas, poesias, trechos literários e depoimentos. A área Música e Culinária, por sua vez, aborda a relação entre língua, identidades e culturas.

A exposição contempla também um espaço de convivência, com uma diversa programação cultural organizada em parceria com curadores locais exclusivamente para cada país.  Nesse espaço, o projeto Falares vai coletar depoimentos e histórias locais que farão parte do acervo do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, que está em reconstrução e tem previsão de reinauguração em 2019.

“A língua portuguesa é um patrimônio global e em constante transformação. A iniciativa de levar uma exposição do Museu da Língua para outros países reforça a importância dessa instituição, que permanece viva e promovendo atividades de qualidade mesmo durante a reconstrução de sua sede em São Paulo”, afirma Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo, Grupo Itaú e Sabesp e apoio do Governo Federal, por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu. Mais informações sobre histórico e reconstrução em http://museudalinguaportuguesa.org.br/

ROTEIRO

Praia/Cabo Verde

De 10 de maio a 19 de junho de 2018 – visitas guiadas, até 2 vezes por semana, de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h. Agendamentos pelo email ccb.praia@itamaraty.gov.br

De 19 de junho a 27 de julho de 2018 – aberto ao público, sem necessidade de agendamento.

Local: Sede do Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP

Avenida Andrade Corvo, nº 8
Platô, Cidade da Praia, Cabo Verde
Tel.: +238 261 95 04

Luanda/Angola

A partir de 12 de junho de 2018

Centro Cultural Brasil-Angola

Rua Cerveira Pereira, 19

Baixa de Luanda, Coqueiros. Luanda, Angola

Tel.: +244 931732214

Maputo/Moçambique

De 15 agosto a 25 de setembro de 2018.

Local: Centro Cultural Brasil Moçambique –  CCBM

Av. 25 de Setembro, 1728

Maputo, Moçambique

Tel.: +258 21 306 840

Acessibilidade Comunicacional

Alunos da EMESP Tom Jobim apresentam recital de piano no MuBE

Apresentação gratuita será no próximo domingo e mostrará o talento dos alunos da Escola que é referência internacional na formação musical

Quinze alunos da classe de piano da EMESP Tom Jobim – Escola de Música da Secretaria da Cultura do Estado – participarão no próximo domingo, dia 24 de junho, às 16h00, da série “Recitais de Piano” do Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBE). Os jovens pianistas se apresentam no auditório do museu (Rua Alemanha, 221 – Jd. Europa), em programação gratuita e aberta ao público.

Participam do recital crianças e adolescentes, com idades entre 8 e 23 anos: Gabriel Matte, Emilly Alberto, Tiago Bovo, Lucca Verdi, Helen Rocha, Caio Vital, Jonathan Marim, Mariana Amato, Sara Bello, Fernando Gomes, Daniel Pereira, Gabriel Beck, Huiyi Feng, Eric Bueno e Ingrid Uemura. O repertório da apresentação será focado em compositores clássicos, com peças de diferentes níveis de complexidade, abrangendo Bach, Villa-Lobos, Tchaikovsky, Haydn, Schubert, Debussy, entre outros.

Luiz Guilherme Pozzi, professor da EMESP e diretor da série ‘Recitais de Piano’ do MuBE, frisa o quanto essa experiência deve ser valorizada por músicos que estão iniciando sua trajetória. “É muito importante para os alunos que passam pela EMESP saírem de dentro da escola e se apresentarem para o público, principalmente em um palco onde grandes pianistas já se apresentaram. Isso oferece aos alunos uma prévia da atmosfera da vida  profissional”, afirma Pozzi.

A Emesp Tom Jobim oferece formação musical tanto nas áreas da música erudita e popular. Os recitais, além de proporcionar experiência e vivência musical – pilares do projeto artístico-pedagógico da Escola – oferecem ao público a oportunidade de conhecer os novos talentos da música brasileira, muitos deles vencedores de concursos internacionais.

SERVIÇO

Recital de Piano dos alunos da EMESP Tom Jobim

Data: 24/06

Horário: 16h00 (duração: 1h)

Local: Auditório MuBE

Ingresso gratuito

Endereço: MuBE – Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia

Avenida Europa, 221 São Paulo – SP

Informações: https://www.facebook.com/recitaisdepianomube

Alunos do Projeto Guri fazem apresentações em homenagem ao Dia das Mães

Mais de mil alunos participarão das apresentações gratuitas e abertas ao público


Alunos do Projeto Guri. Foto: Daniella Souza

Para celebrar o Dia das Mães, os alunos e alunas do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – farão 28 apresentações pelo interior e litoral de São Paulo, entre os dias 9 e 16 de maio.

Os shows gratuitos e abertos ao público contarão com mais de mil alunos de diversos naipes, com repertório nacional e internacional de estilos variados. Confira abaixo a programação:

Araçatuba

Polo Santópolis do Aguapeí
Quando: dia 9 de maio
Horário: às 19h30
Local: Centro de eventos MC Café
Endereço: R. Clarinda Rosa Neto, 637, Santópolis do Aguapeí/SP

Polo Lavínia
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h30

Local: Sede Social “Wagner Vidal Leme”

Endereço: Rua Maria Amália de Faria Gonfiantini, 104, Lavínia/SP

Polo Bilac
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Centro Cultural e Educacional Prof. João Chaim Rezek Filho

Endereço: Rua Sete de Setembro, 645, Bilac/SP

Polo Castilho
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h00

Local: Anfiteatro Municipal de Castilho

Endereço: Av. Adnaldo Rodrigues de Medeiros, 72, Castilho/SP

Polo Pereira Barreto
Quando: dia 14 de maio

Horário: às 19h30

Local: Casa da Cultura “Maestro Aristeu Custódio Moreira

Endereço: Rua Dermival Franceschi, 2.301, Pereira Barreto/SP

Polo General Salgado
Quando: dia 16 de maio

Horário: às 19h00

Local: Plenário da Câmara Municipal de General Salgado

Endereço: Av. João García, 941, General Salgado/SP

Itapeva

Polo Sarutaiá
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 14h

Local: Departamento Municipal de Assistência Social

Endereço: Rua Catarina Milani Maluly, s/nº, Sarutaiá/SP

Jundiaí

Polo Santo Antônio do Jardim
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 19h00

Local: Núcleo da Melhor Idade

Endereço: Av. da Saudade, 123, Santo Antônio do Jardim/SP

Polo Estiva Gerbi
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Centro Cultural Alberto de Souza

Endereço: Rua Ângelo Zanco, s/nº, Estiva Gerbi/SP

Polo Elias Fausto
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h00

Local: Feira AgroArte

Endereço: Rua Cel. Domingos Ferreira, 318, Elias Fausto/SP
Entrada gratuita. Evento aberto ao público

Marília

Polo Quatá
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Sociedade Amigos da Cidade Saci

Endereço: Av. Dr. Rodolpho Sebastião Giorgi, 1.060, Quatá/SP
Ribeirão Preto

Polo Terra Roxa
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 14h30

Local: Anfiteatro Mohamed Abbes Sobrinho

Endereço: Rua Marechal Floriano, 130, Terra Roxa/SP

Polo Dumont
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 16h

Local: Praça Josefina Negri

Endereço: Praça Josefina Negri, 21, Dumont/SP

Polo Viradouro
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 16h00

Local: NIMEF José Rodrigues Bento

Endereço: Praça Francisco Braga, 74, Viradouro/SP

Polo Barrinha
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 9h00

Local: CRAS Sinval Teodoro da Silva

Endereço: Rua Dom Pedro II, 565, Escola Darvy Mascaro, Barrinha/SP

Polo Cajuru
Quando: dia 12 de maio

Horário: às 9h00

Local: Casa das Artes e Cultura

Endereço: Rua Sampaio Moreira, 420, Centro, Cajuru/SP

São Carlos

Polo São José do Rio Pardo
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 9h00 e às 15h00

Local: DGG COC São José do Rio Pardo

Endereço: Av. Antonio Pereira Dias, s/nº, São José do Rio Pardo/SP
São José do Rio Preto

Polo Ibirá
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h30

Local: Ginásio de Esportes de Ibirá

Endereço: R. São Vicente de Paula, 813, Ibirá/SP

Polo Icem
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 10h00

Local: Grupo Renascendo para a Vida – 3ºIdade/CCI

Endereço: Mercedes Souza Braga, 754, Icem/SP

Polo Orindiúva
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 19h00

Local: Ginásio de Esporte Wilson de Oliveira

Endereço: Avenida Vereador Osvaldo Kushida, s/nº, Orindiúva/SP

São José dos Campos

Polo Campos do Jordão
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 15h00

Local: Espaço Cultural Dr. Além

Endereço: Av. Dr. Januário Miraglia, 1.582, Campos do Jordão/SP

Polo Areias
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 16h00

Local: EMEF Professor Antônio Pinto de Carvalho Neto

Endereço: Av. Siqueira Campos, 605, Areias/SP

Polo Roseira
Quando: dia 11 de maio

Horário: às 9h30

Local: Salão Paroquial da Igreja Matriz

Endereço: Rua Dom Epaminondas, 100, Roseiras/SP

Litoral

Polo Peruíbe
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 10h00 e às 14h00

Local: Paço Municipal de Peruíbe

Endereço: Rua Nilo Soares Ferreira, 50, Peruíbe/SP
Sorocaba

Polo Mairinque
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 19h00

Local: CEMEC – Centro Educacional e Cultural de Mairinque

Endereço: Praça D. José Gáspar, 9, Mairinque/SP

Polo Cerquilho
Quando: dia 9 de maio

Horário: às 18h00

Local: Coocerqui

Endereço: Av. Brasil, 469, Cerquilho/SP

Polo Itapetininga
Quando: dia 10 de maio

Horário: às 18h30

Local: Centro Cultura e Histórico Brasílio Ayres de Aguirre

Endereço: Largo dos Amores, s/nº, Itapetininga/SP

Parceiros locais: Prefeitura Municipal de Santópolis do Aguapeí, Lavínia, Bilac, Castilho, Pereira Barreto, General Salgado, Sarutaiá, Santo Antônio do Jardim, Estiva Gerbi, Elias Fausto, Quatá, Terra Roxa, Dumont, Viradouro, Barrinha, Cajuru, São José do Rio Pardo, Ibirá, Icem, Orindiuva, Campos do Jordão, Areias, Roseira, Peruíbe, Mairinque, Cerquilho e Itapetininga.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

 

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Alunos do Projeto Guri participam do LorenVale 2018

Festa é uma das mais tradicionais do Vale do Paraíba

Alunos do Grupo de Referência de Lorena. Foto: Cláudio Ribeiro

Integrantes do Projeto Guri de Lorena, a Orquestra do Polo e o Grupo de Referência de Lorena – Coro se apresentarão em mais uma edição do LorenVale, no dia 10 de maio, às 19h00, na Praça Baronesa de Santa Eulália.

Os alunos do Polo Lorena do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – farão um show no primeiro dia do evento com temas de filmes e séries como Piratas do Caribe, A Bela e a Fera, Missão Impossível e Game Of Thrones. Na sequência, o Grupo de Referência de Lorena – Coro apresentará as músicas Na Minha Terra, África, Don’t Stop Believing, Vambora, entre outras canções.

O LorenVale é realizado pela Prefeitura Municipal de Lorena por meio da Secretaria de Cultura e Turismo e tem como objetivo valorizar a cultura regional, mantendo viva as tradições da festa. Além da apresentação dos alunos do Projeto Guri, o evento terá feira de artesanato com artistas e artesãos de Lorena e região do Vale do Paraíba, além de uma praça de alimentação com comidas típicas.

Grupo de Referência de Lorena – Coro

É composto por sopranos, contraltos, tenores e baixos. No repertório, há canções que vão da renascença até os dias atuais, entre peças populares e eruditas. Em 2013, o grupo protagonizou o espetáculo Lendas Amazônicas, com músicas de Waldemar Henrique, no Teatro São Pedro (SP) e na Sala São Paulo (SP) – esse último na série Aprendiz de Maestro. O Coro já foi conduzido por Pablo Trindade (2012), André Guimarães (2013), Patrícia Costa (2014) e Katherine Zeserson (2015).

SERVIÇO

LorenVale

Quando: 10 de maio

Horário: às 19h00

Local: Praça Baronesa Santa Eulália

Endereço: Praça Baronesa Santa Eulália – Centro, Lorena/SP
Entrada: gratuita.
Evento aberto ao público.

Parceiro local: Prefeitura Municipal de Lorena

O Grupo de Referência de Lorena – Coro tem o patrocínio das empresas Catho, VALGROUP, Supermercados Tauste e Caterpillar.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos. Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

Atividades pedagógicas do 49º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Ao longo de todo o mês de julho, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão – já há quase 50 anos –, recebe jovens instrumentistas brasileiros e estrangeiros, entre 14 e 30 de idade, para uma imersão no universo da música de concerto. Os estudantes assistem aulas e participam de masterclasses e ensaios, além de se apresentarem em concertos sinfônicos e de câmara, tanto nos palcos de Campos do Jordão, quanto na Sala São Paulo.

Nessa edição, das 198 bolsas de estudo oferecidas, 127 são integrais e 71 parciais, conforme a classificação dos estudantes. Os alunos com bolsa integral contam com hospedagem, transporte e alimentação totalmente subsidiados pelo evento.

Além dos brasileiros, participam alunos da Argentina, Chile, Peru, Venezuela, Reino Unido, Polônia, República Tcheca, Alemanha, Colômbia, Equador, Honduras e México. Dos estados brasileiros, os paulistas são a maioria, seguidos por bolsistas do Rio de Janeiro, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Pará, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Alagoas, Amazonas, Distrito Federal e Pernambuco.

Mais uma vez, como no 48ª Festival, nesse ano, os candidatos com melhor classificação também terão a oportunidade de tocar lado a lado dos instrumentistas da Osesp, regidos por Marin Alsop. Os jovens músicos subirão ao palco do Auditório Claudio Santoro, no segundo fim de semana do Festival, para interpretarem duas obras de fôlego: a Sinfonia nº 2 – Dos Orixás: Suíte, de Almeida Prado (org. Carlos Eduardo Moreno), e a Sinfonia Alpina, de Richard Strauss. Assim, eles terão a oportunidade de vivenciar a experiência ímpar de preparar um programa de Temporada de uma grande orquestra profissional.

ATIVIDADES PEDAGÓGICAS

O núcleo pedagógico do Festival, concentrado na Sala São Paulo desde 2015, permite aos bolsistas usufruir de toda a estrutura da sede da Osesp para a realização de aulas, masterclasses e ensaios. As atividades estão distribuídas ao longo de quatro semanas:

02 a 08 de julho:

– Regência Orquestral: ministrado por Marin Alsop, esse módulo é destinado a seis bolsistas de regência selecionados (repertório: Sinfonia Alpina, de Richard Strauss).

08 a 15 de julho:

– Orquestra do Festival: regência de Sian Edwards.

– Camerata do Festival: coordenação de Sian Edwards e direção dos alunos da classe de regência.

15 a 22 de julho:

– Grupo de Música Antiga do Festival: o núcleo é dirigido por Luís Otávio Santos (EMESP).

– Camerata do Festival: direção de Lavard Skou Larsen.

22 a 29 de julho:

– Orquestra do Festival: regência de Pedro Neves.

ORQUESTRA DO FESTIVAL

Orquestra do Festival, formada por até 120 bolsistas, é o grande destaque do evento, apresentando dois programas diferentes, com dois concertos cada, um na cidade de São Paulo e outro em Campos do Jordão, e será regida por Sian Edwards e Pedro Neves, além de ter como solista convidado o pianista Arnaldo Cohen.

O primeiro programa acontece nos dias 13/07 (sex, 20h30, Sala São Paulo) e 14/07 (sáb, 14/07, 20h30, Auditório Claudio Santoro) e será comandado pela britânica Sian Edwards (chefe do curso de regência da Royal Academy de Londres, que esteve no Festival em 2015), tendo como solista convidado o pianista Arnaldo Cohen, que comemora seu aniversário de 70 anos, tocando o Concerto para Piano Nº 3 em dó menor, Op. 37, de Beethoven. No repertório, ainda, as obras Passacaglia para o Novo Milênio, de Edino Krieger, e Variações Enigma, Op. 36, de Edward Elgar.

O segundo será nos dias 28/07 (sáb, 20h30, Auditório Claudio Santoro) e 29/07 (dom, 11h, Sala São Paulo), sob a batuta do português Pedro Neves (regente titular da Orquestra Clássica de Espinho e maestro convidado da Orquestra Gulbenkian; esteve à frente da Osesp em 2017), apresentando um repertório audacioso e desafiador para os bolsistas, que inclui o Concerto para Orquestra, de Witold Lutoslawski, e os Choros Nº 6, de Heitor Villa-Lobos.

No domingo, 29/07, na Sala São Paulo, será realizada a cerimônia de encerramento acadêmico do Festival, com a premiação dos melhores bolsistas dessa edição.

CAMERATA DO FESTIVAL

Formada por até 50 bolsistas parciais, a Camerata do Festival se apresenta em dois programas. O primeiro, com supervisão de Sian Edwards, acontece no dia 14/07 (sáb, 16h30, Praça do Capivari), tendo à frente os bolsistas de regência. No repertório, Fidelio: Abertura, Op.72c, de Beethoven; Manfred, Op.115: Abertura, de Schumann; Nas Estepes da Ásia Central, de Borodin; e Concerto para Fagote em Si bemol maior, KV 191, de Mozart, com participação da fagotista Sandra Ribeiro como solista (Menção Honrosa no 48º Festival).

O segundo, com dois concertos, tem regência de Lavard Skou Larsen (professor de violino na Academia de Música Mozarteum, Salzburg; regente do Deutsche Kammerakademie Neuss am Rhein e do Georgisches Kammerorchester Ingolstad), e participação de quatro dos mais renomados instrumentistas de sopro da atualidade – Washington Barella (oboé), Mark van de Wiel (clarinete), Katy Wooley (trompa) e Afonso Venturieri (fagote) –, todos professores dessa edição do Festival. As apresentações acontecem nos dias 21/07 (sáb, 20h30, Auditório Claudio Santoro) e 22/07 (dom, 11h, Sala São Paulo), incluindo no repertório duas obras de Mozart – La Clemenza di Tito, KV 621: Abertura e Sinfonia Concertante em Mi bemol maior, KV 297b –, e uma de Haydn – Sinfonia nº 102 em Si bemol maior.

GRUPO DE MÚSICA ANTIGA DO FESTIVAL

Criado no Festival de 2016, o Grupo de Música Antiga do Festival continua nessa edição sob a direção de Luís Otávio Santos (violinista, diretor artístico do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora; fundador e coordenador do Núcleo de Música Antiga da EMESP).

O grupo faz dois concertos, um no dia 21/07 (sáb, 16h30, Sala São Paulo) e outra no dia 22/07 (dom, 16h30, Auditório Claudio Santoro), com a participação do Coro Acadêmico da Osesp (regência: Marcos Thadeu), interpretando as obras Miserere em dó menor, ZWV 57, de Jan Dismas Zelenka, e Magnificat em Ré maior, BWV 243, de J.S. Bach.

MÚSICA DE CÂMARA

Os grupos de câmara formados por professores e alunos também ganham uma semana inteira no Festival, apresentando um repertório instigante que inclui, entre outras, obras inéditas de compositores brasileiros. Várias dessas formações poderão ser assistidas gratuitamente na Sala do Coro (Sala São Paulo), sempre às 19h.

PROFESSORES EM DESTAQUE

Arnaldo Cohen (Brasil): o consagrado pianista comemora seus 70 anos ministrando aulas para os bolsistas de piano, além de ser o solista do primeiro programa da Orquestra do Festival e tocar no concerto especial Cohen & Convidados, na Sala São Paulo. Desde 2004 reside nos EUA, com uma cátedra vitalícia na Escola de Música da Universidade de Indiana, sendo tambem o diretor artístico da série Portland Piano International. http://www.arnaldocohen.com/pt/cohenHome.php

Marin Alsop (EUA): a diretora musical e regente titular da Osesp ministrará o curso de Regência Orquestral, na primeira semana do Festival. Marin também rege a Osesp em dois programas, em Campos do Jordão: na abertura do evento e em um concerto com participação dos bolsistas melhor classificados do Festival, que tocam ao lado dos músicos da Osesp.

Sian Edwards (Inglaterra): chefe do curso de regência da Royal Academy de Londres, já esteve à frente da Orquestra do 46º Festival (2015), voltando agora para reger o primeiro programa da Orquestra do Festival, além de coordenar o primeiro programa da Camerata do Festival. http://www.grovesartists.com/artist/sian-edwards/

Pedro Neves (Portugal): é regente titular da Orquestra Clássica de Espinho e maestro convidado da Orquestra Gulbenkian. Ele, que esteve à frente da Osesp em 2017, participa pela primeira vez do Festival de Campos do Jordão comandando o segundo programa da Orquestra do Festival. http://nevespedro.pt/

Lavard Skou Larsen (Brasil): é professor de violino na Academia de Música Mozarteum, em Salzburg, e regente dos grupos de câmara Deutsche Kammerakademie Neuss am Rhein e Georgisches Kammerorchester Ingolstad. Será o diretor do segundo programa da Camerata do Festival. http://www.lavardskoularsen.com/site/index.php?getlang=en

Eyal Ein-Habar (Israel): flautista da Filarmônica de Israel, é também professor na Buchmann-Mehta School of Music. Será solista em dois concertos da Osusp. http://www.eyaleinhabar.com/biography/

Cristian Budu (Brasil): o jovem e premiado pianista é um dos mais destacados de sua geração, participando dessa edição do Festival como professor e tocando em um concerto de câmara. https://www.cristianbudu.com/bio

​​Luiz Fílip (Brasil): integrante da Filarmônica de Berlim desde 2012, o violinista também toca com o Ensemble Berlin e o Philharmonic String Quartet, grupos de câmara da orquestra alemã. Além de dar aulas no Festival, ele também será o solista de um programa da Filarmônica de Goiás. https://www.berliner-philharmoniker.de/en/orchestra/musician/luiz-felipe-coelho/

Santiago Sabino de Carvalho (Brasil): radicado na Inglaterra, o violoncelista integrou por mais de 40 anos a Orquestra Filarmônica de Londres. Estreou como professor no Festival em 2017, e volta agora para ministrar aulas, além de tocar no concerto especial Cohen & Amigos.

Washington Barella (Brasil): professor de oboé na Universität der Kunst Berlin, Alemanha e primeiro oboísta-solista da SWR Sinfonieorchester Baden-Baden und Freiburg. https://www.udk-berlin.de/en/people/detail/person/show/washington-barella/

Katy Woolley (Inglaterra): trompista principal da Philharmonia Orchestra , a jovem musicista é também professora na Royal Academy de Londres.https://www.ram.ac.uk/about-us/staff/katy-woolley

Mark van de Wiel (Inglaterra): primeiro clarinete da Philarmonia Orchestra e da London Sinfonieta, além de professor na Royal Academy de Londres.

https://www.philharmonia.co.uk/orchestra/players/14399/mark_van_de_wiel

Graham Mitchel (Escócia): é professor de contrabaixo da Royal Academy de Londres, membro da Philharmonia Orchestra, e toca regularmente com a Filarmônica de Berlim e a Chamber Orchestra of Europe. https://www.ram.ac.uk/about-us/staff/graham-mitchell

Afonso Venturieri (Brasil): primeiro fagotista da Orquestra da Suisse Romande, desde 1987, é também professor na Haute École de Musique de Genebra. http://afonsoventurieri.com/?lang=en

Ignacio Rodes (Espanha): um dos mais destacados e premiados violonistas clássicos da atualidade, é professor no Conservatório Superior de Música de Alicante e diretor acadêmico no Mestrado em Interpretação de Violão Clássico, na Universidade de Alicante. http://www.ignaciorodes.com/index.html

Veja a lista completa de artistas e professores:

http://www.festivalcamposdojordao.org.br/artistas/

PRÊMIOS E BOLSAS

Prêmio Eleazar de Carvalho, oferecido pela Secretaria Estadual de Cultura, por intermédio da Fundação Osesp, contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

 REALIZAÇÃO

O 49º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é uma realização da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a Fundação Osesp, a Prefeitura de Campos do Jordão e a iniciativa privada, contando com o patrocínio da Rede; copatrocínio da Sabesp e Comgás; apoio da Localiza e Fritz Dobert; e promoção da Folha de S.Paulo. A direção executiva é de Marcelo Lopes; a direção artística é de Arthur Nestrovski; a coordenação artístico-pedagógica é de Fábio Zanon; e a consultoria artística é de Marin Alsop.

“O Festival de Campos de Jordão, em sua 49ª edição, se consolida como o maior festival de música clássica da América Latina. Mais do que isso, oferece também a possibilidade de intercâmbio de conhecimento entre os alunos de vários estados e países, bem como a oportunidade de aprendizado com os maiores nomes da música erudita contemporânea”. Romildo Campello, Secretário de Cultura do Estado.

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais na cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identificam como Amigos do Festival e mostram engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.

MAIS INFORMAÇÕES E CONTEÚDOS:

http://www.festivalcamposdojordao.org.br/

Audições e Workshop completam agenda cultural do Conservatório de Tatuí

Apresentações reúnem alunos dos cursos de Performance Histórica, Violão Clássico e Oboé

Alunos dos cursos de Performance Histórica, Violão Clássico e Oboé do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – farão três audições na Capital da Música nos próximos dias. A programação traz ainda um workshop, todos com entrada gratuita.

A primeira audição será nesta quarta, dia 13, às 18h00, no Auditório da Unidade 2, com alunos dos cursos de Performance Histórica. Esta área pesquisa músicas que eram tocadas nos eventos sociais da nobreza europeia dos séculos 16 a 18. Além de resgatar as melodias, resgata também os instrumentos utilizados na época, como teorba, viola da gamba, cravo e violoncelo barroco, entre outros.

Na quinta-feira, dia 14, às 18h00, também na Unidade 2, tem audição com alunos de Violão Clássico. No repertório, várias músicas de compositores brasileiros, com destaque para Dilermando Reis, Jair de Paula, Heitor Villa-Lobos e Pixinguinha.

Na sexta-feira, dia 15, às 15h00, no Salão Villa-Lobos, o professor Marcos Pedroso fará o workshop “Reflexões sobre a técnica do saxofone”. E às 19h00, tem audição dos alunos de Saxofone da escola. O programa promete ser bem variado, com músicas folclóricas, tango e obras do repertório clássico. O evento terá ainda a participação de um Grupo de Choro no encerramento.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
Audição da Classe de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí
Débora Ribeiro, coordenação

Data: 13 de junho, quarta-feira
Horário: 18h00
Local: Auditório da Unidade 2
Rua São Bento, 808, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Audição da Classe de Violão Clássico do Conservatório de Tatuí
Adriano Paes, coordenação

Data: 14 de junho, quinta-feira
Horário: 18h00
Local: Auditório da Unidade 2
Rua São Bento, 808, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Workshop “Reflexões sobre a técnica do saxofone”
Marcos Pedroso, professor convidado
Otávio Blóes, coordenação

Data: 15 de junho, sexta-feira
Horário: 15h00
Local: Salão Villa-Lobos
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Audição da Classe de Saxofone do Conservatório de Tatuí
Otávio Blóes, coordenação

Data: 15 de junho, sexta-feira
Horário: 15h00
Local: Salão Villa-Lobos
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Auditório Claudio Santoro recebe Samba de Roda Nega Duda no dia 19 de novembro

Os ingressos estão à venda na bilheteria da instituição por R$20,00 (inteira), R$15,00 (jordanense) e R$10,00 (meia-entrada)

A magia e animação do tradicional Samba de Roda do Recôncavo Baiano sobem ao palco do Auditório Claudio Santoro no dia 19 de novembro, segunda-feira, às 19h00, com a apresentação do grupo Samba de Roda Nega Duda. No mês em que é celebrada a Consciência Negra, o Museu Felicia Leirner e Auditório Claudio Santoro – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari – oferecem um espetáculo que exalta a fusão entre a cultura africana e o mais tradicional estilo musical do nosso país. Os ingressos estão à venda na bilheteria da instituição por R$20,00 (inteira), R$15,00 (jordanense) e R$10,00 (meia-entrada).

O samba de roda é um estilo musical afro-brasileiro, tocado por um conjunto composto por pandeiro, atabaque, berimbau, viola e chocalho, acompanhado principalmente por canto e palmas, trazendo referências do culto aos orixás e caboclos, à capoeira e à comida de azeite. A cultura portuguesa também está presente na manifestação cultural por meio da viola, do pandeiro e da língua utilizada nas canções.

Já o Samba de Roda do Recôncavo Baiano foi registrado como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 2004, e proclamado Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2005. O grupo comandado pela Nega Duda irá ao Museu mostrar um pouco da cultura africana que corre na veia e nas tradições dos brasileiros.

O grupo é composto por João Emiliano, Gledson Lima, Edson Luna, Elisabeth Belisário, Anderson Rodrigues. Giselda Perê, Roberta Viana, Lilian Souza e Luciana Braga. À frente está a Nega Duda, baiana de São Francisco do Condo, que encantou o Brasil e outras partes do mundo com suas apresentações e, atualmente, mora em São Paulo. Assim como o próprio Samba de Roda, seu aprendizado deu-se dentro de um terreiro de candomblé (de tradição Angola), e também pelas palmas de sua avó, Dona Buzu. Após fazer mostras de Samba de Roda na região e além do estado da Bahia, foi convidada para o festival Prietemps dês Comédiens, na França e depois, para o Festival de Garanhuns, por Mestre Salustiano.

Já vivendo em São Paulo, nos encontros com os amigos, suas cantorias revelaram as peculiaridades das cantigas, da dança e das histórias que Nega contava. Shows e oficinas foram realizados e o Samba de Roda Nega Duda tornou-se importante locus artístico de um substrato rico da cultura brasileira. O grupo também é comprometido com a cultura baiana do Samba de Roda e com sua luta pela continuidade desse patrimônio histórico e artístico da nossa cultura. É reconhecido pela Associação de Sambadores e Sambadoras do Estado da Bahia.

O endereço do Museu e Auditório é Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 – Campos do Jordão. Os visitantes poderão contribuir com a doação de livros (em bom estado de conservação) que serão destinados a apoiar ações da Secretaria Municipal de Cultura.

SERVIÇO:

Mês da Consciência Negra – Samba de Roda Nega Duda

Data: 19/11/2018 (segunda-feira)

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880 – Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 19h00

Informações: (12) 3662-6000

Ingressos: inteira R$20,00, jordanense R$15,00 e meia R$10,00 (os ingressos serão vendidos no dia do espetáculo, na bilheteria das instituições)

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de livros que serão destinados a apoiar ações da Secretaria Municipal de Cultura. Os livros devem estar em bom estado de conservação

Banda Sinfônica Infantojuvenil Guri é atração do MCB neste domingo

Conhecidos pela versatilidade musical, repertório vai da música popular à clássica – entrada gratuita 

Banda Sinfônica Infantojuvenil Guri (Foto: Andreia Machado/Santa Marcelina Cultura)

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerido pela Organização Social A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, apresenta a Banda Sinfônica Infantojuvenil Guri, no dia 1º de julho, domingo, às 11h. O concerto gratuito conta com repertório que vai da música popular de Toquinho à composição clássica de Bizet.

O grupo faz parte da estrutura artístico-pedagógica do Projeto Guri, considerado o maior programa sociocultural brasileiro. Conhecidos pela versatilidade musical, a Banda Sinfônica prepara estudantes entre 10 e 14 anos para uma formação inicial em instrumentos como clarinete, saxofone, flauta, trombone e trompete, além dos instrumentos de percussão.

O concerto terá a regência do maestro convidado Marcos Sadao Shirakawa, bacharel em trombone pelo Departamento de Música da ECA-USP.  Sadao tem ampla trajetória de estudos no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo e no Conservatório Musical Brooklin Paulista. Além disso, foi regente titular da Banda Sinfônica de Cubatão, regente assistente da Orquestra Sinfônica da USP, regente assistente da Orquestra Sinfônica de Santo André e professor de trombone e música de câmara na EMESP Tom Jobim.

Sobre os Grupos Infantis e Juvenis do Projeto Guri

Os Grupos Infantis e Juvenis refletem não apenas o ensino de música oferecido pelo programa, como também deixam evidente o trabalho social presente em cada um dos 46 polos distribuídos pela capital e Grande São Paulo.

São atualmente nove grupos formado por estudantes, além de um coral de familiares. No total, os conjuntos reúnem 390 alunos do Projeto Guri, gerido pela Organização Social Santa Marcelina na capital, que são selecionados por meio de audições e realizam encontros semanais. Nos ensaios, além de trabalhar repertório e aprender com artistas de destaque nacional e internacional, os alunos do Projeto Guri têm contato com diferentes realidades e linguagens, o que contribui para uma formação mais ampla, para além da música. Durante o ano, cada um dos Grupos faz seis apresentações – algumas delas especiais, como concertos conjuntos, intercâmbios com alunos da EMESP e convidados internacionais.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é um programa que desenvolve o ensino musical e a inclusão sociocultural para 13 mil crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos, em 46 polos da capital e em cidades da Região Metropolitana de São Paulo. Sob gestão da Organização Social Santa Marcelina Cultura, o programa proporciona uma educação musical de qualidade aliada a uma intervenção social transformadora. O objetivo é oferecer aos alunos e familiares, na maioria moradores de regiões de alta vulnerabilidade social.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. É responsável pela gestão do Projeto Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural.

Sobre o projeto Música no MCB

Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que acontecem em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Música no MCB – 19ª temporada

JULHO01/07 – Banda Infanto Juvenil do Guri

08/07 – Noneto de Casa

22/07 – Christianne Neves e Vozes – Retalhos do Brasil

29/07 – OABAND, Big Band da OAB-SP – Regência Maestro Antunes

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Entrada gratuita

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br

www.mcb.org.br 

Banda Tuyo se apresenta no Projeto Estéreo MIS de junho

Paranaenses se apresentam no dia 29 de junho, sexta-feira, no MIS; os ingressos podem ser adquiridos a partir do dia 22.06, às 12h00, no site da Ingresso Rápido e na recepção do Museu

Na sexta-feira, 29 de junho, o MIS – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – recebe show com o trio paranaense Tuyo. A apresentação acontece dentro do projeto mensal do Museu dedicado à música independente, o Estéreo MIS.

Tuyo é um trio de folk futurista que cria uma fusão entre o orgânico e o sintético num labirinto de voz, violão e beat. Com um som flutuante, letras existenciais e elementos lo-fi, o trio de compositores paranaenses mescla o violão denso de Jean Machado com o trabalho vocal audacioso das irmãs Lio e Lay Soares. Sem medo de sair da superfície, Lio, Lay e Jean dialogam ora com a poesia da América Latina, ora com a ferocidade irônica que a vida exige.

Em 2017, a Tuyo lançou o clipe do single “Amadurece e Apodrece” e seu EP de estreia, “Pra Doer”. Com quatro faixas, o álbum apresenta um trabalho consistente e carregado de identidade, trazendo a fluidez entre o antigo e o recente.

O show acontece no dia 29 de junho, às 21h30, no Auditório MIS (172 lugares). Os ingressos podem ser adquiridos a partir da sexta-feira, 22.06, às 12h00, no site da Ingresso Rápido e na recepção do MIS.

SERVIÇO

ESTÉREO MIS | Junho| Tuyo

DATA 29.06 (sexta-feira)

HORÁRIO 21h30

LOCAL  Auditório MIS (172 lugares)

INGRESSO R$14 (inteira) R$7 (meia) na Recepção MIS (terça a sábado das 12h00 às 21h30; domingos e feriados das 11h00 às 19h00) e pelo site www.ingressorapido.com.br

CLASSIFICAÇÃO Livre

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo| (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

Estacionamento conveniado: R$ 18. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Bate-papo sobre a exposição “As Donas da Bola” acontece na Casa da Cultura, em Ribeirão Preto

Mostra revela visão de 11 fotógrafas sobre mulheres que jogam futebol em várias regiões do País

A Casa da Cultura Juscelino Kubitschek, em Ribeirão Preto, recebe nesta quinta-feira (8), às 19h00, uma roda de conversa com as fotógrafas participantes da exposição “As Donas da Bola”, que fica em cartaz no mesmo local até 21 de junho. A realização é da ACAM Portinari e do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado. A entrada é gratuita.

A mostra é resultado da iniciativa de 11 fotógrafas, pioneiras no fotojornalismo brasileiro, que percorreram o País em busca de mulheres que jogam bola. Ela foi apresentada pela primeira vez no Centro Cultural São Paulo, em 2014, como um dos eventos paralelos do campeonato mundial de futebol – já foi exposta no Museu do Futebol e agora roda o Estado, já passando por cidades como São Pedro, Piracicaba, Paulínia e Santa Bárbara do Oeste.

“Será uma conversa informal com o público presente. É o olhar de nós, fotógrafas, sobre a mulher no futebol – território até muito pouco tempo, e hoje em dia ainda para muitos, exclusivamente masculino”, explica Márcia Zoet, coordenadora e uma das profissionais participantes da mostra.

Além dela, “As Donas da Bola” traz trabalhos de Ana Araújo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto. A expectativa é que todas estejam presentes no bate-papo.

Cada uma delas retratou a prática de diversas esportistas: freiras que jogam futebol; futlama no Amapá; futebol em comunidades de São Paulo e Rio de Janeiro; campeonato indígena no Mato Grosso do Sul; jovens que jogam bola na praia de Ipanema; entre outros temas.

“A exposição é resultado do trabalho de pioneiras do fotojornalismo brasileiro, que ao longo de suas jornadas profissionais enfrentaram uma série de preconceitos ao retratar o futebol. É o olhar feminino sobre um universo que hoje também, cada vez mais, vem sendo ocupado pelas mulheres”, observa o diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

SERVIÇO

Roda de conversa sobre exposição “As Donas da Bola”

Onde: Casa da Cultura Juscelino Kubitschek

Endereço: Praça Alto do São Bento, s/nº – Ribeirão Preto/SP

Quando: 8 de junho, às 19h00

Gratuito

Bate-papo sobre a exposição “As Donas da Bola” acontece na Casa da Cultura, em Ribeirão Preto

Mostra revela visão de 11 fotógrafas sobre mulheres que jogam futebol em várias regiões do País

A Casa da Cultura Juscelino Kubitschek, em Ribeirão Preto, recebe na quinta-feira (8), às 19h00, uma roda de conversa com as fotógrafas participantes da exposição “As Donas da Bola”, que fica em cartaz no mesmo local até 21 de junho. A realização é da ACAM Portinari e do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado. A entrada é gratuita.

A mostra é resultado da iniciativa de 11 fotógrafas, pioneiras no fotojornalismo brasileiro, que percorreram o País em busca de mulheres que jogam bola. Ela foi apresentada pela primeira vez no Centro Cultural São Paulo, em 2014, como um dos eventos paralelos do campeonato mundial de futebol – já foi exposta no Museu do Futebol e agora roda o Estado, já passando por cidades como São Pedro, Piracicaba, Paulínia e Santa Bárbara do Oeste.

“Será uma conversa informal com o público presente. É o olhar de nós, fotógrafas, sobre a mulher no futebol – território até muito pouco tempo, e hoje em dia ainda para muitos, exclusivamente masculino”, explica Márcia Zoet, coordenadora e uma das profissionais participantes da mostra.

Além dela, “As Donas da Bola” traz trabalhos de Ana Araújo, Ana Carolina Fernandes, Bel Pedrosa, Eliária Andrade, Evelyn Ruman, Luciana Whitaker, Luludi Melo, Marlene Bergamo, Mônica Zarattini e Nair Benedicto. A expectativa é que todas estejam presentes no bate-papo.

Cada uma delas retratou a prática de diversas esportistas: freiras que jogam futebol; futlama no Amapá; futebol em comunidades de São Paulo e Rio de Janeiro; campeonato indígena no Mato Grosso do Sul; jovens que jogam bola na praia de Ipanema; entre outros temas.

“A exposição é resultado do trabalho de pioneiras do fotojornalismo brasileiro, que ao longo de suas jornadas profissionais enfrentaram uma série de preconceitos ao retratar o futebol. É o olhar feminino sobre um universo que hoje também, cada vez mais, vem sendo ocupado pelas mulheres”, observa o diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

SERVIÇO

Roda de conversa sobre exposição “As Donas da Bola”

Onde: Casa da Cultura Juscelino Kubitschek

Endereço: Praça Alto do São Bento, s/nº – Ribeirão Preto/SP

Quando: 8 de junho, às 19h00

Gratuito

Biblioteca de São Paulo oferece curso de trufas para quem quer empreender

Duas oficinas de empreendedorismo também serão realizadas: uma sobre formalização de empresas e outra sobre gestão financeira; inscrições devem ser realizadas no site da biblioteca

Atrás de uma oportunidade para aprender a empreender? A Biblioteca de São Paulo, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, realiza nos dias 29 e 30 de maio o curso “Festival de Trufas”. Além das aulas com a chef confeiteira Danielle Trolezi, completam a grade outras duas oficinas: “Começar bem: formalização” e “Fluxo de caixa”, realizadas pelo Sebrae.

Durante a aula, serão ensinadas quatro receitas de trufas: a tradicional, a de limão taiti com gengibre, a de cheesecake de frutas vermelhas e também a de paçoca. A chef também mostrará três formas diferentes de apresentação: a tradicional, parecida com um bombom, a trufa no palito e a trufa no cone. Todo o processo de temperagem do chocolate será apresentado durante a oficina e quem participar, receberá material impresso com as receitas feitas em aula e outros conteúdos extras para treinar em casa, além de uma planilha para calcular corretamente o preço das trufas e obter lucro com a venda dos doces. O curso será nos dias 29 e 30 de maio (terça e quarta-feira), das 13h00 às 17h00.

Nos mesmos dias serão realizadas as oficinas “Começar bem: formalização”, sobre o passo a passo para formalizar uma empresa, bem como os direitos e obrigações do negócio formalizado. “Fluxo de caixa”  irá tratar dos fundamentos da gestão financeira da empresa. As oficinas ocorrem, das 10h00 às 12h00.

Os cursos são gratuitos e a inscrição poderá ser feita a partir do dia 8 de maio no site da biblioteca, www.bsp.org.br/inscricao.

SERVIÇO

Local: Biblioteca de São Paulo – Parque da Juventude

Endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana.

Telefone: (11) 2089-0800

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Aberta de terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30.

Biblioteca de São Paulo promove programação com futebol e cultura russa em junho

A Biblioteca de São Paulo, equipamento cultural da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, preparou uma série de atividades especiais para o mês em que se inicia o Mundial de Futebol. O futebol foi incluído na programação com o Segundas Intenções, que, não por acaso, traz o jornalista esportivo José Trajano em junho. O encontro, mediado por Manuel da Costa Pinto, está marcado para o dia 9 (sábado), das 11h00 às 13h00 e é oportunidade para quem quer conversar sobre o esporte e conhecer a trajetória de Trajano.

Também entre os destaques do mês está a Oficina de Fotografia Digital Básica, que apresenta técnicas a partir de aulas expositivas e exercícios práticos. Com o fotógrafo Eduardo Marchesan, os encontros acontecem nos dias 12, 13 e 14, das 14h00 às 18h00 e é indicado para pessoas acima de 15 anos.

Já o Clube de Leitura, programação permanente realizada mensalmente por aqui, traz, em junho, o livro “Nossos Ossos” para o centro do debate, promovido pela equipe BSP. A obra de Marcelino Freire será discutida – bem como a carreira do escritor – no dia 21 (quinta-feira), das 15h00 às 17h00 e não há necessidade de fazer inscrição para participar.

Mais informações sobre a BSP no site: http://bsp.org.br

FUTEBOL

Ponto de troca de figurinhas – Traga suas figurinhas repetidas e encontre outros colecionadores. Não é necessário realizar inscrição.
Sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 29 de julho, das 14h00 às 17h00.

Chute de Letra – Atividades artísticas, jogos e brincadeiras em que o futebol é o tema central. Com equipe BSP. Não é necessário realizar inscrição.

Todas as quintas-feiras de junho e julho, das 16h00 às 17h30.

Festival de jogos antigos – Viva a nostalgia com uma seleção de jogos, como o pebolim, futebol de botão e outros. Mesmo quem não é bom de bola pode jogar!  Não é necessário realizar inscrição.

Sexta-feira e sábado, dias 15 e 16, das 10h00 às 17h00.

INFANTIL

HORA DO CONTO

Contação de histórias da literatura infantojuvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário realizar inscrição.

Sextas-feiras, às 15h00

1º – A árvore que adivinhava, de Ricardo Azevedo.

8 – O Grúfalo, de Julia Donaldson.

15 – O amigo rico, o amigo pobre e a moça bonita, de Ricardo Azevedo.

22 – O conto dos três irmãos, de J. K. Rowling.

29 – A árvore generosa, de Shel Silvertein.

Com equipe BSP.

Sábados e domingos, às 16h00

*(No dia 17, devido ao jogo, a contação será às 12h30).

2 – Uma história atrapalhada, de Gianni Rodari.

Com a Trupe Pitirilo.

3 – A princesa sabichona, de Babette Cole.

Com a Cia. Arte Negus.

9 – O príncipe rouxinol, de Deborah Martins Roussenq.

Narração de histórias em Libras com interpretação para o português.

Com o Grupo Mãos de Fada.

10 – A mulata de Córdoba, adaptação de Neide T. Maia Gonzalez.

Com o grupo Histórias em Movimento.

16 – Mas que festa, de Ana Maria Machado.

Com O Jardim da Estrelinha.

*17 – Formosa Vassilissa, conto russo.

Com Abigail Conta Mais de Mil.

23 – Coisa de menina, de Pri Ferrari.

Com Paula Dugaich.

24 – A carta de Ronaldinho, de Mia Couto.

Com o Núcleo Educatho.

30 – João esperto leva o presente certo, de Candace Fleming. Com interpretação em Libras.

Com o Grupo Êba.

BRINCANDO E APRENDENDO

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

Quartas-feiras, das 15h00 às 16h00.

*(No dia 27, devido ao jogo, a atividade começa às 10h00).

6 – Jogo das Cinco Marias.

13 – Brincadeira: tiro ao alvo com bolinha de gude.

20 – Futebol de cego.

*27 – Brincadeira: Julie Peper.

Com equipe BSP. A partir de 7 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

PINTANDO O 7

Atividade para pintar, desenhar, colar e criar, inspirada em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

Quintas-feiras, das 15h00 às 16h00.

7 – Confecção de borboletas inspiradas no livro A bela borboleta, de Ziraldo.

14 – Criação de modelos de roupas a partir do livro Diferente como Chanel, de Clô Orozco.

21 – Copa do Mundo: confecção de bandeira dos países participantes.

28 – Atividade artística com temas juninos.

Com equipe BSP. A partir de 6 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

LÊ NO NINHO

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Sábados, das 11h00 às 11h45.

Domingos, dias 3 e 17, das 11h30 às 12h15.

Com equipe BSP.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

JOVEM

LUAU BSP

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia e atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Quintas-feiras, das 12h30 às 13h30.

Com equipe BSP.

Não é necessário realizar inscrição.

OFICINA DE FOTOGRAFIA DIGITAL BÁSICA

Introdução ao mundo da fotografia digital. A atividade vai apresentar conceitos e técnicas fotográficas a partir de aulas expositivas e exercícios práticos, abordando a linguagem fotográfica e as técnicas básicas de tratamento.

Dias 12, 13 e 14, das 14h00 às 18h00.

Com o fotógrafo Eduardo Marchesan.

Indicado para pessoas acima de 15 anos. Carga horária: 12 horas.

Inscrição: a partir de 29 de maio, pelo link www.bsp.org.br/inscricao

ADULTO

CLUBE DE LEITURA

Todos os meses, a BSP seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Quinta-feira, dia 21, das 15h00 às 17h00.

Nossos ossos, de Marcelino Freire.

Com equipe BSP.

Não é necessário realizar inscrição.

SEGUNDAS INTENÇÕES

Bate-papo com o jornalista esportivo José Trajano.

Mediação: Manuel da Costa Pinto.

Sábado, dia 9, das 11h00 às 13h00.

Não é necessário realizar inscrição.

Declaração de atividades complementares para estudantes universitários.

SARAU NA BSP

Literatura, canto e poesia.

Com o Grupo de Poetas Cantores e Declamadores Independentes de São Paulo.

Domingo, dia 24, das 14h30 às 16h30.

Coordenação de Terezinha Rocha.

Não é necessário realizar inscrição.

TODOS OS PÚBLICOS

JOGOS SENSORIAIS

Experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Terças-feiras, das 15h00 às 16h00.

Com equipe BSP. A partir de 11 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

LEITURA AO PÉ DO OUVIDO

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

Sextas-feiras, das 16h30 às 17h00.

1º – Veneno remédio – O futebol e o Brasil, de José Miguel Wisnik.

8 – Aquecimento Segundas Intenções: textos de José Trajano.

15 – Poesia completa de Ricardo Reis, de Fernando Pessoa.

22 – O tempo entre costuras, de María Dueñas.

29 – A eternidade e o desejo, de Inês Pedrosa.

Com equipe BSP.

Não é necessário realizar inscrição.

JOGOS PARA TODOS!

Oficina de xadrez.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Sábados, das 11h00 às 13h00.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

DOMINGO NO PARQUE

Domingos, dias 10 e 24, no Parque da Juventude.

11h30 às 12h15 – Sessões do programa Lê no Ninho, com equipe BSP.

12h15 às 16h00 – Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias.

10 – Com a Cia. do Mar.

24 – Com o Grupo Girasonhos.

Não é necessário inscrição.

Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da biblioteca.

Atenção: nos dias 3 e 17, o programa Lê no Ninho será realizado dentro da BSP.

SALA DE VIDEOGAMES

A BSP oferece aos seus frequentadores mais uma opção de diversão: uma sala equipada com os melhores jogos de videogame do momento.

De terça a sexta, das 9h30 às 18h00.

Sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 18h00.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

PONTOS MIS

Em parceria com o Museu da Imagem e do Som (MIS), o programa promove a exibição de filmes e a formação de plateias. Não é necessário realizar inscrição. Vagas preenchidas por ordem de chegada.

SESSÃO ADULTO, quartas-feiras, às 10h00.

Bróder (dir. Jeferson De, Brasil, 2010, 93 min., drama, 14 anos). Elenco: Caio Blat, Jonathan Haagensen, Silvio Guindane. Focada na amizade, a história traça 24 horas do reencontro de três amigos que dividiram a infância no Capão: Jaiminho, jogador de futebol em ascensão no exterior; Pibe, sacrificado corretor de imóveis; e Macu, jovem protagonista que se mantém no bairro, flertando com a criminalidade.

SESSÃO INFANTIL, sextas-feiras, às 15h30.

Garoto cósmico (dir. Alê Abreu, Brasil, 2007, 76 min., animação, livre).
Elenco: Aleph Naldi, Bianca Rayen, Mateus Duarte, Raul Cortez. Cósmico, Luna e Maninho vivem em um mundo futurista, onde as vidas são inteiramente programadas. Uma noite, eles se perdem no espaço enquanto buscam obter mais pontos para ganhar um bônus na escola. Eles então descobrem um universo infinito, esquecido num pequeno circo, e vivem novas experiências.

SERVIÇO

Local: Biblioteca de São Paulo – Parque da Juventude

Endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana.

Telefone: (11) 2089-0800

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Aberta de terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30.

Site: http://bsp.org.br
Facebook:
https://www.facebook.com/BSPbiblioteca
Twitter:
https://twitter.com/BSPbiblioteca
You Tube:
https://www.youtube.com/user/SPbiblioteca

Biblioteca Parque Villa-Lobos abre espaço de coworking

Localizada na zona Oeste da capital paulista, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), equipamento cultural da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, está abrindo uma sala de trabalho compartilhada, tendência contemporânea marcada pelo trabalho em network e troca de conhecimento. A iniciativa faz parte do Acessa Campus Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, e tem inscrições abertas para microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas e pessoas com projetos em desenvolvimento. O prazo encerra-se em 17 de maio.

São 20 vagas para ocupar a sala – especialmente desenvolvida para estimular o fluxo de saberes – por 10 meses, tendo acesso a wi-fi e, como um dos principais diferenciais, a possibilidade de trocar experiências entre os selecionados, todos desenvolvendo temas correlatos. Os projetos devem atender as seguintes áreas:  edição de conteúdo, cultura, empreendedorismo social e meio ambiente. Em contrapartida, as startups devem oferecer horas de palestra, treinamento ou consultoria para a comunidade atendida na biblioteca. Oportunidade de contar com ambiente diferenciado para experimentação de seus próprios projetos.

A BVL dispõe de bicicletário, cafeteria, estacionamento (pago) próximo, elevadores e está em uma das áreas mais valorizadas da capital paulista, cercada de ciclovias e atendida por transporte público variado.  Vale ressaltar que a biblioteca já é utilizada como espaço de compartilhamento de experiências, de trabalho e estudo por profissionais autônomos, de maneira informal. O coworking na BVL configura-se como ambiente agradável e estimulante, cercado e com vista para o verde do Parque Villa-Lobos.

A BVL destaca-se como centro de convergência de empreendedores, prestando mais um serviço de qualidade para a comunidade paulistana e, em especial, para a zona Oeste da capital paulista.

Os espaços de coworking públicos fazem parte do Acessa Campus, extensão do programa de inclusão digital AcessaSP executado pela Prodesp (Empresa de Tecnologia do Estado), agora em parceria com a BVL e a Biblioteca do Memorial da América Latina (que também recebe seu novo espaço de coworking). As turmas começam em 5 de junho.

Link do edital completo: https://goo.gl/fkX9ra

Link para as Inscrições: http://www.acessasp.sp.gov.br/acessacampus/cultura/

Biblioteca Parque Villa-Lobos – Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros, São Paulo (SP) Tel.: 11-3024-2500 – www.bvl.org.br

Biblioteca Parque Villa-Lobos realiza atividades sobre futebol, gastronomia e sustentabilidade em junho

A Biblioteca Parque Villa-Lobos, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, entra no clima do Mundial de Futebol da Rússia no mês de junho. Atividades relacionadas com o futebol fazem parte da programação, como troca de figurinhas e festival de jogos antigos (futebol de botão e pebolim, entre outros). Para começar, a biblioteca recebe o escritor e músico José Miguel Wisnik, autor do livro “Veneno Remédio: O Futebol e o Brasil” (Companhia das Letras, 2008), no Segundas Intenções. O encontro, mediado pelo jornalista Manuel da Costa Pinto, está marcado para 2 de junho (sábado), das 11h00 às 13h00, na Oca.

Com o Dia dos Namorados batendo à porta, a BVL também garante espaço para os apaixonados com a Oficina Viagem Gastronômica, que, em junho, tem como tema a obra “As Pontes de Madison”, de Robert James Walter. A atividade, comandada por Dolores Freixa e Solange Botura, acontece em 30 (sábado), das 15h30 às 17h00.

Entre os destaques do mês consta também a participação da BVL no 2º Fórum Internacional pelos Direitos da Mãe Terra, que visa promover a sustentabilidade. No dia 3 de junho (domingo), das 9h30 às 18h00, serão apresentadas experiências internacionais na aplicação dos Direitos da Natureza.

Já para quem está de olho em uma vaga na universidade, a BVL encerra, em junho, o Curso Pré-Vestibular de Literatura, com encontros que debatem as obras exigidas pela FUVEST 2019. Com Edson Lopes, mestrando pela Universidade Federal de São Paulo, coordenador e professor de cursinho Popular, os últimos encontros acontecem nos dias 6 (quarta-feira) e 8 (sexta-feira), das 16h00 às 18h00.

Mais informações da BVL no site: http://bvl.org.br

FUTEBOL

Chute de Letra – Atividades artísticas, jogos e brincadeiras em que o futebol é o tema central. Todas as sextas-feiras de junho e julho, das 16h30 às 18h00.  Com equipe BVL. Não é necessário realizar inscrição.

Ponto de troca de figurinhas da Copa – Espaço aberto para troca de figurinhas repetidas. Sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 29 de julho, das 14h00 às 17h00. Não é necessário realizar inscrição.

Festival de jogos antigos – Seleção de jogos como pebolim, futebol de botão, entre outros. Sábado e domingo, dias 23 e 24, das 10h00 às 17h00. Não é necessário realizar inscrição.

INFANTIL

Hora do Conto

Contação de histórias da literatura infantojuvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário realizar inscrição.

Sextas-feiras, às 15h00

1º de junho – O passarinho vermelho, de Milton Camargo

8 de junho – O megaplano do lobo, de Melanie Williamson

15 de junho – O presente da vovó loba, de Didier Dufresne

22 de junho – O pote vazio, de Demi

29 de junho – O caso dos ovos, de Tatiana Belinky

Com equipe BVL

Sábados e domingos, às 16h00

2 de junho – Dia de mudança, de Anna Carolina Longano – Com a Cia. Ruído Rosa

3 de junho – No reino do fundo do mar, recontado por Gcina Mhlophe. Com interpretação em Libras – Com o Grupo Êba

9 de junho – O demônio no jarro, de Neil Philip – Com o Núcleo Educatho

10 de junho – O boi leição, de Luís da Câmara Cascudo – Com Paula Dugaich

16 de junho – Para onde vamos, de Jairo Buitrago – Com a Cia. Arte Negus

17 de junho – Avestruz de muletas, de Geni Pires de Camargo Prado*

*(No dia 17, devido ao jogo da Copa, a contação será às 12h30)

Com o Grupo Mão na Luva

23 de junho – A tartaruga e a fruta amarela, de Ricardo Azevedo. Narração de histórias em Libras com interpretação para o português – Com o Grupo Mãos de Fada

24 de junho – Os guizos radiantes de Garrincha, de Nelson Rodrigues – Com a Trupe Pitirilo

30 de junho – Dona raposa e os peixes, tradução de Mustafa Yazbek – Com o grupo Histórias em Movimento

Pintando o 7

Atividades para pintar, desenhar, colar e criar, inspiradas em temas literários, ecológicos e culturais

Quartas-feiras, das 10h30 às 11h30

6 de junho – Confecção de comedouros para pássaros

13 de junho – Produção de bandeiras dos times participantes da Copa do Mundo

20 de junho – Confecção de dedoches de personagens da literatura e do cinema nacional

27 de junho – Pintura e colagem: mapa em homenagem ao Dia Internacional do Orgulho Gay

Com equipe BVL. A partir de 7 anos. Vagas preenchidas por ordem de chegada

Brincando e Aprendendo

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas

Sextas-feiras, das 15h30 às 16h30

1º de junho – Copa do Mundo: montagem de mural para acompanhar os jogos do campeonato

8 de junho – Atividade com Lego

15 de junho – Caça à bandeira dos países participantes da Copa do Mundo

22 de junho – Jogo War, com os países participantes da Copa do Mundo

29 de junho – Ping-pong

Com equipe BVL. A partir de 7 anos. Vagas preenchidas por ordem de chegada.

Lê no Ninho

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas

Sábados e domingos, das 10h30 às 11h15

Com equipe BVL. Vagas preenchidas por ordem de chegada

JOVEM

Curso pré-vestibular de Literatura

Encontros para entender, discutir e aprofundar o conteúdo de obras literárias que caem no vestibular da Fuvest 2019.

Quarta e sexta-feira, dias 6 e 8, das 16h00 às 18h00

6 de junho – Minha vida de menina, de Helena Morley

8 de junho – A cidade e as serras, de Eça de Queirós

Com Edson Lopes. A partir de 14 anos. Não é necessário inscrição

Lual BVL

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Quintas-feiras, das 16h00 às 17h00

Com equipe BVL. Não é necessário realizar inscrição

Compartilhando Saber

Compartilhando Saberes: Yoga

Projeto que une conhecimentos de yoga e textos da literatura para promover o autoconhecimento e o bem-estar

Quintas-feiras, das 16h30 às 17h30

Com Fabiana Weykamp. Vagas preenchidas por ordem de chegada

ADULTO

Clube de Leitura

Todos os meses, a BVL seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Sexta-feira, dia 29, das 15h00 às 17h00

A elegância do ouriço, de Muriel Barbery

Com equipe BVL. Não é necessário realizar inscrição

Segundas Intenções

Bate-papo com José Miguel Wisnik

Mediação: Manuel da Costa Pinto

Sábado, dia 2, das 11h00 às 13h00

Não é necessário realizar inscrição. Declaração de atividades complementares para estudantes universitários

Sarau na BVL

Este mês, a BVL recebe o Sarau Composição Urbana. O grupo, que realiza seus encontros todo terceiro sábado do mês na comunidade São Remo, na zona oeste da cidade, apresenta o poder do hip hop através da poesia

Sábado, dia 9, das 13h00 às 17h00

Não é necessário realizar inscrição

Oficina Viagem Gastronômica

Nesta edição, a oficina comemora o Dia dos Namorados com a obra As pontes de Madison, do escritor norte-americano Robert James Walter. O livro narra o amor de um casal maduro e como esta paixão irá transformar o destino de suas vidas. Sempre se baseando na história, a oficina ensina a preparar os pratos arroz dos namorados e maçã do desejo

Sábado, dia 30, das 15h30 às 17h00

Com Dolores Freixa e Solange Botura

Indicado para pessoas a partir de 16 anos

Vagas preenchidas por ordem de chegada

DE OLHO NA INSCRIÇÃO!

Tecnologia dia-a-dia: Curso de informática básico +60

Inscrições abertas para o curso que permite aos participantes de mais de 60 anos o primeiro contato com o computador, introduzindo-os ao mundo digital de forma simples e didática

Terças e quintas-feiras, de 3 de julho a 28 de agosto, das 10h00 às 12h00

Quartas e sextas-feiras, de 4 de julho a 29 de agosto, das 10h00 às 12h00

Carga horária: 34 horas

Indicado para pessoas acima de 60 anos. Inscrições: a partir de 5 de junho, por telefone ou no balcão de atendimento da biblioteca. De terça a sexta-feira, das 10h00 às 18h00

Fórum Multidisciplinar pela Mãe Terra

A BVL recebe parte da programação do 2º Fórum Internacional pelos Direitos da Mãe Terra, cujo foco é promover a sustentabilidade através de espaços de discussão e formação, exposição de práticas sustentáveis, música e arte consciente. Na biblioteca serão apresentadas experiências internacionais na aplicação dos Direitos da Natureza.

Domingo, dia 3, das 9h30 às 18h00

Com Mapas – Caminhos para a paz.

Mais informações no site www.direitosdamaeterra.org.br

TODOS OS PÚBLICOS

Jogos sensoriais

Experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Terças-feiras, das 16h30 às 17h30.

Com equipe BVL. A partir de 11 anos

Vagas preenchidas por ordem de chegada

Leitura ao pé do ouvido

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos

Quartas-feiras, das 16h30 às 17h00

*(No dia 27, devido ao jogo da Copa, a atividade começa às 11h30)

6 de junho – Textos de José Trajano

13 de junho – Sonetos, de Luís de Camões (em homenagem ao Dia da Língua Portuguesa)

20 de junho – Comboio, saudades, caracóis, de Fernando Pessoa (em homenagem ao aniversário do poeta)

*27 – Pagu, de Lia Zatz

Com equipe BVL. Não é necessário realizar inscrição

JOGOS PARA TODOS! 

Oficina de xadrez

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Sábados, das 15h00 às 17h00

Vagas preenchidas por ordem de chegada

DOMINGO NO PARQUE

Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias no Parque Villa-Lobos.

Domingo, dia 3, das 11h00 às 16h00

Com a Cia. Malas Portam

Não é necessário realizar inscrição. Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da Biblioteca.

PONTOS MIS

Em parceria com o Museu da Imagem e do Som (MIS), o programa promove a exibição de filmes e a formação de plateias

Não é necessário realizar inscrição. Vagas preenchidas por ordem de chegada

Quartas-feiras, às 14h00

(No dia 27, devido ao jogo da Copa, a sessão será às 11 horas)

A cidade das crianças

(dir. Nicolas Bary, França/Luxemburgo, 2008, 95 min., aventura/ fantasia, livre).  Elenco: Raphael Katz, Adèle Exarchopoulos, Léo Legrand. Na vila de Timpelbach, as crianças afrontam os adultos e todas as formas de autoridade. Impotentes, os adultos decidem abandonar a vila, deixando-os crer que todos partiram numa viagem. Quando as crianças se dão conta de que estão sós, tomam conta de tudo, fazendo suas próprias leis. E é aí que a confusão começa.

SERVIÇO

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Parque Villa-Lobos

Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2.001 – Alto de Pinheiros.

CEP 05461-010

Av. Queiroz Filho, 1.205 – Alto de Pinheiros.

CEP 05319-000

Telefone: 3024-2500

www.bvl.org.br
De terça a domingo, das 9h30 às 18h30

Todas as atividades são gratuitas

Big Band Jovem faz concerto gratuito para celebrar o Dia dos Namorados

Grupo do Conservatório de Tatuí prepara um repertório especial, com temas românticos, para embalar os casais na noite do dia 12 de junho

A Big Band Jovem do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – fará um concerto especial nesta terça-feira, 12 de junho, para embalar a noite dos casais apaixonados no Dia dos Namorados. A apresentação será às 20h00, no Teatro Procópio Ferreira, com entrada gratuita.

De acordo com o coordenador do grupo, professor e guitarrista Joseval Paes, o repertório terá, entre outras músicas, temas românticos como “Eu sei que vou te amar”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes; “Minha namorada”, de Carlos Lira e Vinicius de Moraes; e “Corcovado”, de Tom Jobim.  “Também teremos a participação de atores do Setor de Artes Cênicas do Conservatório, que farão algumas surpresas durante a apresentação”, antecipa o professor.

A Big Band Jovem é formada por alunos dos cursos de instrumento do Setor de MPB/Jazz da escola. Foi criada em 2010 para dar aos estudantes de nível avançado a oportunidade de exercitar a prática de tocar em conjunto, executando arranjos e músicas com alta qualidade técnica e musical – nesse caso, no repertório da música popular.

O grupo é coordenado por Joseval Paes, que iniciou seus estudos musicais com o violão aos 10 anos de idade, por influência do pai, José Paes (Pernambuco). Com o pai, frequentava o “ponto dos músicos”, tradicional encontro de artistas na Praça da Sé de São Paulo, assim como o famoso ponto da Rua Ipiranga com a Avenida São João. Logo começou a “dar canjas” na vida noturna e a tocar em pequenas bandas, onde adquiriu um vasto repertório. Em 1982, teve contato com o que se tornaria sua grande paixão: o jazz norte-americano. A partir daí, iniciou a busca pelos grandes mestres do estilo. Além de coordenar a Big Band Jovem, é professor de guitarra e contrabaixo elétrico de MPB/Jazz e guitarrista do Jazz Combo da mesma instituição.

O concerto integra a programação da 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018 do Conservatório de Tatuí, que segue até 30 de junho com concertos de todos os demais grupos pedagógicos da escola. Confira a programação completa em www.conservatoriodetatui.org.br/programacao.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
Big Band Jovem do Conservatório de Tatuí
Concerto “Dia dos Namorados”
Nicolas Selves, Amanda Mara e Luciana Canizella, cantores convidados
Tamires Carvalho e Jessé Jackson, atores convidados
Joseval Paes, coordenação
Data: 12 de junho, terça-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Bora Barão sobe ao palco do MCB com repertório variado que homenageia artistas e gêneros brasileiros

Choros, sambas e composições próprias fazem parte da apresentação que acontece no dia 20 de maio, domingo, às 11h. Entrada gratuita

Foto: Divulgação Bora Barão

Para homenagear diferentes artistas e bandas consagradas, o Bora Barão sobe ao palco do Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, para uma apresentação no dia 20 de maio, domingo, às 11h, com entrada gratuita.

O grupo de música instrumental brasileira foi criado em 2011 e o seu repertório diversificado e dançante conta com choros, sambas e ritmos regionais em composições próprias com influência latino-americana.

O primeiro álbum do Bora Barão foi lançado em 2014 e, em sua trajetória, participou do projeto Choro das Estações e de turnês na Argentina, pelo 3º Festival Festejos de Carnaval e também pelo 7º Festival Sonamos Latino América.

Sobre o projeto Música no MCB
Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que acontecem em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Música no MCB – 19ª temporada

MAIO 

20/05 – Bora Barão

27/05 – Ensemble Brasileiro

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Entrada gratuita

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Camerata Cantareira apresenta peças de Corelli, Bach e Villa-Lobos na Pinacoteca de São Paulo

Concerto faz parte do projeto Música na Pina que se desenrola até novembro de 2018

Sob a direção de Marcelo Jaffé, acontece neste domingo, dia 24 de junho de 2018, o terceiro concerto da Camerata Cantareira, no Auditório Alfredo Mesquita da Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. A apresentação faz parte do projeto Música na Pina e está marcada para 16h00. A orquestra de cordas apresentará o Concerto Grosso, op. 6 n.1 de Corelli, o Concerto de Brandembrugo n. 3 de Bach e encerra o programa com as Bachianas Brasileiras n. 9 de Villa-Lobos.

Sobre a Camerata Cantareira

A orquestra de cordas da Faculdade Cantareira se consagra como um dos grupos de câmara acadêmicos mais qualificados em técnica e expressividade artística no cenário musical paulistano. O projeto da Camerata envolve a execução do repertório consagrado da música de concerto, a divulgação da música brasileira e obras especialmente escritas para o grupo, estimulando a composição contemporânea para esta formação. Desde março de 2015, realiza concertos no Auditório Alfredo Mesquita da Pinacoteca Luz.  www.cantareira.br

Data: 24 de junho de 2018, domingo

Horário: às 16h00

Local: Pinacoteca – Auditório Alfredo Mesquita – térreo

Entrada: R$ 6,00 (inteira) / R$ 3,00 (meia). Crianças até 10 anos e pessoas maiores de 60 anos não pagam. O ingresso da Pinacoteca dá direto a assistir ao concerto gratuitamente. Entrada sujeita a lotação do espaço.

Próximas apresentações: 26/08, 23/09, 28/10 e 25/11 – aos domingos

SERVIÇO

Pinacoteca de São Paulo, Praça da Luz, 02

(11) 3324-1000

www.pinacoteca.org.br 

Cantor e compositor Peninha é o convidado de maio do Notas Contemporâneas do MIS

Entre suas composições mais famosas, estão: ‘Alma gêmea’, gravada por Fábio Jr e ‘Sozinho’ gravada por Peninha, Sandra de Sá, Tim Maia, Caetano Veloso, Alejandro Sanz, Nelly Furtado, dentre outros artistas. Evento acontece no dia 23, quarta-feira, às 20h00. Entrada gratuita

A edição de maio do programa Notas Contemporâneas do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, traz o cantor e compositor Peninha. O artista participa de um bate-papo sobre sua carreira, mediado por Cleber Papa, curador do projeto, enquanto a Banda MIS interpreta seus sucessos no palco. O público presente também poderá interagir e enviar perguntas a Peninha durante o evento.

O Notas Contemporâneas acontece no dia 23 de maio, às 20h, no Auditório MIS (172 lugares). O ingresso, gratuito, deve ser retirado com 1h de antecedência na bilheteria do Museu.

Sobre o artista

Aroldo Alves Sobrinho, mais conhecido como Peninha, nascido em São Paulo (capital) de pais cearenses, é cantor e compositor. Peninha gravou o primeiro compacto em 1972 pela antiga RCA, mas seu primeiro grande sucesso foi Sonhos (1977), incluído na trilha da telenovela Sem lenço, sem documento e com milhares de cópias vendidas.

Músicas compostas por ele já foram gravadas por cantores como Fábio Júnior, Daniel, Alexandre Pires, Roberta Miranda, Paulinho Moska, Caetano Veloso, Tim Maia, Alejandro Sanz, Nelly Furtado, entre outros. A canção Sonhos, um grande sucesso, além de ter sido interpretada por Caetano Veloso, Paulinho Moska, Elymar Santos, entre outros, foi regravada também em outros idiomas, como, por exemplo, em italiano, pela cantora Mina. Através de Peninha, Caetano conseguiu outro sucesso com Sozinho, que ao se tornar tema da novela Suave veneno (Tv Globo) Caetano Veloso teve vendagem superior a um milhão e quatrocentas mil cópias. A música já tinha sido gravada antes por Sandra Sá e Tim Maia, e Caetano registrou-a no disco Prenda minha ganhando Disco de Diamante.

Peninha foi ganhador de três Prêmios Sharp de Música como Melhor Disco (1991), Melhor Música Alma gêmea, gravada por Fabio Junior em 1995, e novamente Melhor Música Sozinho, gravado por Sandra Sá em 1997.

Sobre o Programa Notas Contemporâneas

O projeto mensal, com curadoria de Cleber Papa, registra depoimentos de compositores e intérpretes icônicos da música popular brasileira. O programa se divide em duas etapas: a primeira é composta de um longo depoimento realizado em estúdio com a pesquisadora Rosana Caramaschi, que passa a integrar o acervo do MIS; a segunda é ao vivo no palco do auditório do museu com mediação do jornalista Cadão Volpato ou de Cleber Papa, acompanhado da Banda MIS que faz releituras inéditas e exclusivas dos maiores sucessos do homenageado. A entrada é livre e os fãs dos artistas muito bem-vindos, o público pode participar fazendo perguntas que serão selecionadas pelo museu e, assim, integram o roteiro da noite.

SERVIÇO

Notas Contemporâneas | Peninha

Data 23.05, quarta-feira

Horário 20h00

Local  Auditório MIS (172 lugares)

Ingresso Gratuito (sujeito à lotação da sala – retirada de ingressos com uma hora de antecedência na Recepção MIS)

Captação de recursos e sustentabilidade são assuntos de mesa de debates no 10EPM

Encontro reúne diretores do Museu da Pessoa e do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (MUQUIFU)

“Fazendo juntos: captação de recursos e sustentabilidade”. Esse é o nome da primeira mesa de debates do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), marcada para o dia 19 de julho, às 9h00, no segundo dia do evento. Realizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado, e ACAM Portinari, o 10EPM acontece de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Com mediação da produtora cultural Roseli Biage, a mesa reúne o curador do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (MUQUIFU), de Belo Horizonte (MG), Padre Mauro Luiz da Silva; e a diretora-presidente do Museu da Pessoa, de São Paulo, Karen Worcman.

Na entrevista abaixo, ambos resumem o que será apresentado na mesa, como as instituições que comandam captam recursos e trabalham a sustentabilidade e qual a importância de eventos como o 10EPM. Confira.

SISEM-SP: O que será apresentado na mesa “Fazendo juntos: captação de recursos e sustentabilidade”?

Karen Worcman: Apresentarei o que é o Museu da Pessoa, suas atividades museológicas e sua proposta-conceito. Em seguida, explicarei as estratégias de sustentabilidade da instituição e seus resultados ao longo dos anos.

Padre Mauro Silva: O título da minha apresentação será “Habemus MUQUIFU”. Farei um breve relato abordando a história da criação do museu e uma análise da formação das suas coleções, ou seja: um brevíssimo resumo da minha dissertação de mestrado em Ciências Sociais, defendida em fevereiro deste ano: “HABEMUS MUQUIFU: análise da criação e das coleções do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos”. Ao analisar a história do MUQUIFU, em particular, darei destaque às questões administrativas e burocráticas no que se refere à sustentabilidade do museu, tais como: identificação de um espaço físico para abrigar o museu (primeira sede no Beco Santa Inês, Barragem Santa Lúcia); o conflito com a Turma dos Ratos e a transferência para a sede atual (Vila Estrela); manutenção destes espaços físicos; contratação de funcionários e trabalho voluntário.

SISEM-SP: Como se dá a captação de recursos no museu?

Karen Worcman: A captação é realizada por meio de projetos (incentivados e de recursos diretos) nas áreas de projetos culturais temáticos; projetos educativos (com escolas públicas e territórios em todo o País) e projetos de memória e desenvolvimento institucional.

Padre Mauro Silva: Inicialmente, o MUQUIFU teve o apoio da paróquia local, do Aglomerado Santa Lúcia: Paróquia Nossa Senhora do Morro, por meio das Obras Sociais Nossa Senhora do Morro. Com a minha transferência de paróquia, esse apoio se extinguiu e, então, buscamos outras formas para nos manter, entre elas cito: recurso fixo de uma construtora; loja do MUQUIFU; doações espontâneas; bazar; jantar; e a campanha de arrecadação recorrente no site www.padrim.com

SISEM-SP: De que forma a sustentabilidade é trabalhada?

Padre Mauro Silva: Mesmo antes da minha transferência de paróquia, que ocorreu em dezembro de 2016, já nos perguntávamos: o que fazer para que o MUQUIFU se torne um empreendimento culturalmente sustentável? A parceria com a Paróquia Nossa Senhora do Morro é fundamental, mas até quando podemos contar com ela? Quem são os atores que deverão levar adiante este projeto? Estamos cientes de que um empreendimento, para ser sustentável, deve ser: socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente aceitável. Sendo assim, o MUQUIFU é “socialmente justo?”, é “economicamente viável?”, é “ambientalmente aceitável?”. Respostas: sim, não e sim. Nos deparamos com a situação da sustentabilidade financeira do museu e isso nos mobilizou.

SISEM-SP: Qual a importância de um encontro como o 10EPM para o setor museológico no país?

Karen Worcman: Um encontro como este é de fundamental importância, na medida em que promove a relação entre museus e a o aprofundamento de reflexões relativas aos desafios da área de museus como um todo.

Padre Mauro Silva: Os encontros estaduais e regionais de museus são sempre de grande importância para todo País, obviamente. Porém, dada a magnitude que, a cada ano, o EPM foi incorporando, e ao grande número de participantes, bem como o alto nível dos palestrantes, este encontro passou a ser uma oportunidade de revisão de paradigmas, no qual pensamentos novos podem surgir, visões equivocadas podem desaparecer, contribuindo muito para o setor museológico em todo o País.

Captação de recursos e sustentabilidade são assuntos de mesa de debates no 10EPM

Encontro reúne diretores do Museu da Pessoa e do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (MUQUIFU)

“Fazendo juntos: captação de recursos e sustentabilidade”. Esse é o nome da primeira mesa de debates do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), marcada para o dia 19 de julho, às 9h00, no segundo dia do evento. Realizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado, e ACAM Portinari, o 10EPM acontece de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Com mediação da produtora cultural Roseli Biage, a mesa reúne o curador do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos (MUQUIFU), de Belo Horizonte (MG), Padre Mauro Luiz da Silva; e a diretora-presidente do Museu da Pessoa, de São Paulo, Karen Worcman.

Na entrevista abaixo, ambos resumem o que será apresentado na mesa, como as instituições que comandam captam recursos e trabalham a sustentabilidade e qual a importância de eventos como o 10EPM. Confira.

SISEM-SP: O que será apresentado na mesa “Fazendo juntos: captação de recursos e sustentabilidade”?

Karen Worcman: Apresentarei o que é o Museu da Pessoa, suas atividades museológicas e sua proposta-conceito. Em seguida, explicarei as estratégias de sustentabilidade da instituição e seus resultados ao longo dos anos.

Padre Mauro Silva: O título da minha apresentação será “Habemus MUQUIFU”. Farei um breve relato abordando a história da criação do museu e uma análise da formação das suas coleções, ou seja: um brevíssimo resumo da minha dissertação de mestrado em Ciências Sociais, defendida em fevereiro deste ano: “HABEMUS MUQUIFU: análise da criação e das coleções do Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos”. Ao analisar a história do MUQUIFU, em particular, darei destaque às questões administrativas e burocráticas no que se refere à sustentabilidade do museu, tais como: identificação de um espaço físico para abrigar o museu (primeira sede no Beco Santa Inês, Barragem Santa Lúcia); o conflito com a Turma dos Ratos e a transferência para a sede atual (Vila Estrela); manutenção destes espaços físicos; contratação de funcionários e trabalho voluntário.

SISEM-SP: Como se dá a captação de recursos no museu?

Karen Worcman: A captação é realizada por meio de projetos (incentivados e de recursos diretos) nas áreas de projetos culturais temáticos; projetos educativos (com escolas públicas e territórios em todo o País) e projetos de memória e desenvolvimento institucional.

Padre Mauro Silva: Inicialmente, o MUQUIFU teve o apoio da paróquia local, do Aglomerado Santa Lúcia: Paróquia Nossa Senhora do Morro, por meio das Obras Sociais Nossa Senhora do Morro. Com a minha transferência de paróquia, esse apoio se extinguiu e, então, buscamos outras formas para nos manter, entre elas cito: recurso fixo de uma construtora; loja do MUQUIFU; doações espontâneas; bazar; jantar; e a campanha de arrecadação recorrente no site www.padrim.com

SISEM-SP: De que forma a sustentabilidade é trabalhada?

Padre Mauro Silva: Mesmo antes da minha transferência de paróquia, que ocorreu em dezembro de 2016, já nos perguntávamos: o que fazer para que o MUQUIFU se torne um empreendimento culturalmente sustentável? A parceria com a Paróquia Nossa Senhora do Morro é fundamental, mas até quando podemos contar com ela? Quem são os atores que deverão levar adiante este projeto? Estamos cientes de que um empreendimento, para ser sustentável, deve ser: socialmente justo, economicamente viável e ambientalmente aceitável. Sendo assim, o MUQUIFU é “socialmente justo?”, é “economicamente viável?”, é “ambientalmente aceitável?”. Respostas: sim, não e sim. Nos deparamos com a situação da sustentabilidade financeira do museu e isso nos mobilizou.

SISEM-SP: Qual a importância de um encontro como o 10EPM para o setor museológico no país?

Karen Worcman: Um encontro como este é de fundamental importância, na medida em que promove a relação entre museus e a o aprofundamento de reflexões relativas aos desafios da área de museus como um todo.

Padre Mauro Silva: Os encontros estaduais e regionais de museus são sempre de grande importância para todo País, obviamente. Porém, dada a magnitude que, a cada ano, o EPM foi incorporando, e ao grande número de participantes, bem como o alto nível dos palestrantes, este encontro passou a ser uma oportunidade de revisão de paradigmas, no qual pensamentos novos podem surgir, visões equivocadas podem desaparecer, contribuindo muito para o setor museológico em todo o País.

Casa das Rosas realiza cursos e oficinas especiais em julho

Destaque para oficina de Cartonera e palestra sobre Antiliteratura

No mês de julho, a Casa das Rosas preparou uma programação gratuita com diversos cursos e oficinas. Literatura, fotografia e edição de livros artesanais são alguns dos temas das atividades, que começam no dia 3. As inscrições podem ser feitas no site do museu, que integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Criado em 2003 na Argentina, o movimento cartonero publica livros de qualidade literária a baixo custo, já que estes são produzidos artesanalmente com papelão reutilizado de caixas descartáveis e customizados coletivamente por artistas plásticos. Na oficina Cartonera, Marco Pezão e Alai Garcia Diniz ensinam os participantes a criarem a capa de seus livros, costurarem o miolo à capa e produzirem a partir desse conceito. O encontro ocorre 21 de julho e 15 de setembro, sábado, às 15h00.

Na oficina Deslocamentos: poesia e multiplicidade, os participantes têm como sala de aula as ruas de São Paulo, buscando a poesia na cidade. Os encontros com Reynaldo Damazio e Tarso de Melo acontecem de 3 a 14 de julho, terças-feiras, às 19h00 e sábados, às 10h30.

Na palestra Antiliteratura e política em Augusto de Campos, Adam Joseph Shelhorse, especialista da Temple University, fala sobre a influência da política na poesia concreta. O encontro acontece 31 de julho, terça-feira, às 19h00 e é baseada no livro Antiliteratura: A política e os limites da representação no Brasil e na Argentina modernos, escrito pelo palestrante.

Qual o conceito de escrita original? Na contramão do conceito romântico de originalidade, a oficina Escrita não-original mostra como o processo de criação literária é atravessado pela prática de apropriação de gêneros e estéticas, bem como de incorporação de referências e citações, nem sempre explícitas. A atividade acontece em julho (4 e 11), agosto (14 e 21) e setembro (11 e 18), quartas-feiras, às 19h00.

Para dialogar sobre narrativas de imagens fotográficas, o Núcleo de Ação Educativa do Museu propõe para 18 de julho, quarta-feira, às 15h00, o encontro Re-criação de Imagem Fotográfica, atividade com conversa e práticas para ressignificação de fotografias de cômodos da Casa das Rosas, explorando outros discursos visuais.

O bate-papo Crônicas futebolísticas reúne Marcelo Mendez, Marina Galeano e Vladir Lemos para discutir o gênero literário não apenas como uma das possibilidades para o jornalismo esportivo, mas como manifestações literárias inovadores e de longo alcance. A atividade acontece 13 de julho, sexta-feira, às 19h00.

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, na década de 1950. Localizado na emblemática Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outros.

O museu funciona num dos raros casarões remanescentes da época inicial da Paulista, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo. Ao associar um patrimônio histórico e arquitetônico da cidade ao legado de um dos principais representantes de nossos movimentos de vanguarda, a Casa das Rosas representa as transformações tanto urbanas e sociais como artísticas e culturais de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização não governamental que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Deslocamentos: poesia e multiplicidade | 3 a 14/7.

Terça-feira, 19h00 às 21h00; sábado, 10h30 às 12h30

Inscrições gratuitas: https://bit.ly/2KaPguM

Escrita não-original | 4 e 11/7; 15 e 22/8; 11 e 18/9.

Quarta-feira, 19h00 às 21h00

Inscrições gratuitas: https://bit.ly/2I9H4ck

Crônicas futebolísticas | 13/7.

Sexta-feira, 19h00 às 21h00

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Criação de imagem fotográfica | 18/7.

Quarta-feira, 15h00 às 17h00

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Oficina Cartonera | 21/7 e 15/7.

Sábado, 15h00 às 17h00

Inscrições gratuitas: https://bit.ly/2M64qBK

Antiliteratura e política em Augusto de Campos | 31/7.

Terça-feira, 19h00 às 21h00

Inscrições gratuitas: https://bit.ly/2trUA5I

 

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – próximo à estação Brigadeiro do metrô.

Funcionamento: de terça a sábado, das 10h00 às 22h00. Domingos e feriados, das 10h00 às 18h00.

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados).

Telefone: (11) 3285-6986 | (11) 3288-9447 | www.casadasrosas.org.br

Casa das Rosas terá curso gratuito de Contação de Histórias

Objetivo é trabalhar a potencialidade das narrativas de literatura oral como uma ferramenta de aproximação, comunicação e expressão

A partir de 15 de maio, estarão abertas as inscrições para um curso gratuito de contação de histórias realizado pela Arte Despertar, em parceria com a Casa das Rosas, que integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis. O curso, começa no dia 3 de junho, às 13h30, tem como objetivo trabalhar a potencialidade das narrativas de literatura oral como uma ferramenta de aproximação, comunicação e expressão.

Comandadas por uma dupla de experientes narradores de história, o curso apresentará fundamentos, técnicas e benefícios de se trabalhar a narrativa oral, assim como a relevância da contação de histórias para o autoconhecimento e o desenvolvimento de competências e habilidades.

O conteúdo programático abordará os vários tipos de histórias – como lendas, mitos, fábulas, história de origem, contos de fadas, entre outros; a relação com a música; abordagens para se contar uma história; técnicas de interpretação, oralidade e improvisação; e o papel do narrador de história ao longo da história universal.

O curso está dividido em seis aulas que misturam teoria e prática, com 4 horas de duração. O projeto é realizado no âmbito do Programa de Ação Cultural (ProAc-SP) da Secretaria da Cultura do Governo de São Paulo, com patrocínio da Track & Field, UBV e União.

Casa das Rosas (Foto: Divulgação)

SERVIÇO

Carga horária: 24h, divididas em seis aulas teóricas e práticas de 4h cada
Datas: 03/06, 10/06, 17/06, 24/06, 01/07 e 08/07.

Horário: 13h30 às 17h30

Inscrições a partir de 15/05: http://casadasrosas.org.br/agenda/1460-contao-de-histrias-


Sobre a Arte Despertar

A Arte Despertar é uma organização social sem fins lucrativos, fundada em 1997, que atua nas áreas de Saúde e Educação com o objetivo de despertar o que há de melhor no ser humano.

Utilizando a arte como instrumento de comunicação e expressão, a cultura no resgate de identidade e histórias de vida, e a educação como elemento fundante, a organização busca propiciar experiências que criem conexões e vínculos significativos entre as pessoas.

Com ações voltadas para o desenvolvimento humano com foco em competências socioemocionais, a instituição entende que é preciso olhar o indivíduo de forma integral para que ele consiga desenvolver uma consciência de si, do outro e do ambiente.

Essas ações acontecem por meio de projetos sociais e prestação de serviços em instituições de saúde, e espaços educativos e culturais da cidade de São Paulo. Em 20 anos, mais de 550 mil pessoas foram impactadas.

Mais informações: www.artedespertar.org.br

Sobre a Casa das Rosas

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)  – Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447

Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h    Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

Casa das Rosas: poesia no Sarau das Mulheres

Evento é gratuito e reúne poetas de diferentes regiões do país

Na história da literatura brasileira, a poesia criada por mulheres foi constantemente diminuída e boicotada, sendo, por isso, menos conhecida. Para dar visibilidade às poetas contemporâneas, a Casa das Rosas promove dia 26 de maio, sábado, às 19h00, o Sarau das Mulheres. O museu integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

O evento reúne algumas das poetas que integram a pesquisa do organizador do sarau, Rubens Jardim, que divulga há mais de seis anos a poesia escrita por mulheres. Ádyla Maciel, Beth Brait Alvim, Betty Vidigal, Carolina Montone, Claire Feliz Regina, Clara Baccarin, Esther Alcântara, Lenita Estrela de Sá, Luiza Silva Oliveira, Márcia Maranhão de Conti, Rita Alves, Rosana Banharoli, Silvia Maria Ribeiro, Adriana Veraldi, Paula Valéria Andrade e Valéria Tarelho, poetas de diferentes gerações, compartilham com o público seus trabalhos.

A poeta Lenita Estrela de Sá vem de sua terra natal, Maranhão, especialmente para participar do evento, assim como Márcia Maranhão de Conti sai de Goiânia para mostrar seus poemas ao público da Casa das Rosas. Aos 80 anos Claire Feliz Regina começou a escrever seus poemas e, depois de três livros publicados e muita experiência em apresentações nos saraus da cidade de São Paulo, participa do Sarau de Mulheres compartilhando seus poemas eróticos.

Casa das Rosas (foto: Divulgação)

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, na década de 1950. Localizado na emblemática Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outros. O museu funciona num dos raros casarões remanescentes da época inicial da Paulista, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo. Ao associar um patrimônio histórico e arquitetônico da cidade ao legado de um dos principais representantes de nossos movimentos de vanguarda, a Casa das Rosas representa as transformações tanto urbanas e sociais como artísticas e culturais de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização não governamental que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO: Sarau das mulheres

26/5. Sábado, das 19h00 às 21h00

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: livre

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – próximo à estação Brigadeiro do metrô.

Funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 22h. Domingos e feriados, das 10h às 18h.

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados).

Telefone: (11) 3285-6986 | (11) 3288-9447 | www.casadasrosas.org.br

Casa Guilherme de Almeida expõe gravuras de ‘Uniões’ – primeira tradução brasileira do livro de Robert Musil

Mostra reúne gravuras que estarão ilustrando a primeira tradução brasileira do livro do escritor austríaco

A Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria da Cultura gerenciada pela Poiesis, inaugura, no dia 28 de maio, a exposição Robert Musil em letra e imagem, em ocasião do lançamento da primeira tradução brasileira de Uniões (1911) do escritor austríaco, pela editora Perspectiva. Com curadoria de Kathrin Rosenfield – co-tradutora do livro – a mostra reúne 17 gravuras criadas por Maria Tomaselli, Marcos Sanches e Raúl Cassou que ilustram a edição brasileira da obra.

Durante o evento de inauguração da exposição e lançamento da versão brasileira do livro, Kathrin Rosenfield fará um bate-papo com o público, sobre afinidades entre a obra de Musil e Clarice Lispector – tanto na linguagem quanto na sensibilidade poética. “Ele explora o erotismo feminino não com os preconceitos masculinos, mas a partir reflexões que ele aprendeu nas conversas com Martha Marcovaldi, sua amante e esposa. Musil encontrou um tom e um ritmo que o leitor que ignorasse o nome do autor poderia pensar que está no intimismo feminino de Clarice Lispector, e para nós, tradutores, foi uma grata surpresa”, conta Kathrin.

“Uniões apresenta narrativas baseadas em processos sensoriais, a ação, o enredo e o sentido têm que ser adivinhados a partir dessa experiência visual. A exposição faz o vínculo entre a sensorialidade da imagem com o processo da leitura, tenho absoluta certeza que as sugestões das gravuras dão vislumbres interessantes que tornarão a leitura dessas intrigantes histórias mais interessantes ainda”, explica a curadora.

A Casa Guilherme de Almeida conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

SOBRE OS ARTISTAS

Marcos Sesterhein  Sanches é formado no Atelier Livre da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e dedica-se à pintura, gravura e desenhos.

 Maria Tomaselli Cirne Lima nasceu em Innsbruck, Áustria. Formou-se em Filosofia no Brasil e desde então trabalha com pintura, gravura, desenho e escultura, tendo estudado com Iberê Camargo, Anna Letycia Quadros, Francisco Stockinger, entre outros.

Raul Cassou estudou engenharia e arquitetura, mas trabalhou com publicidade e vitrais. Autodidata, tem dedicado sua vida às mais diversas pesquisas, de modo especial ao desenho, escultura e gravuras.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Robert Musil em letra e imagem: lançamento livro + exposição

Abertura: 28/5. Segunda-feira, 19h às 21h.

Inscrição para evento de abertura: https://bit.ly/2HLid37

Visitação: 29/5 a 31/7. Terça-feira a domingo, das 10h às 18h.

Recomendação etária: livre.

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Terça-feira a domingo, das 10h às 18h

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa Guilherme de Almeida oferece visitas especiais sobre a sua história e acervo

O Núcleo de Ação Educativa do museu organizou visitas noturnas e temáticas para o público conhecer melhor a vizinhança e as obras de arte e de literatura da Casa

Você conhece a Casa Guilherme de Almeida? Se você ainda não foi ou se já é frequentador, tem a chance de participar das visitas temáticas e noturnas organizadas pelo museu. Durante os meses de novembro e dezembro, o Núcleo de Ação Educativa da Casa Guilherme de Almeida – integrante da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – promoverá uma série de atividades para o público conhecer melhor a história do museu e sua programação. As atividades são livres e gratuitas; para participar basta se inscrever pelo site.

Com foco em pinturas, desenhos e gravuras do museu, a proposta da visita noturna Artes da Casa: matérias e temas do visível é gerar uma conversa sobre aspectos técnicos dessas linguagens, as relações entre forma e conteúdo das imagens e os processos físicos de construção de um trabalho de arte. A atividade, que dispõe de 6 vagas, será no dia 22 de novembro, das 19h às 20h.

Como a Casa se relaciona com o seu entorno e vice-versa? A visita temática de dezembro #sonharomundo Museus: forma de usar será uma caminhada entre a estação Sumaré do metrô e a Casa Guilherme de Almeida. A ideia é que os participantes criem novas possibilidades de apropriação e uso do espaço público. O passeio será no dia 8, das 14h às 16h. São oferecidas 15 vagas.

Já a visita noturna de dezembro será no dia 13, das 19h às 20h, e levará o público para uma viagem com destino ao passado. Escrita Feminina, que é relacionada à exposição Mulheres na biblioteca, focalizará as obras de autoras presentes no acervo bibliográfico da Casa Guilherme de Almeida, destacando seus contextos históricos. São disponibilizadas 6 vagas para essa visita especial.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO:

Artes da Casa: matérias e temas do visível

Quinta-feira, 22/11 – das 19h às 20h

Vagas: 6

#sonharomundo Museus: forma de usar

Sábado, 8/12 – das 14h às 16h

Vagas: 15

Escrita Feminina

Quinta-feira, 13/12 – das 19h às 20h

Vagas: 6

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa Guilherme de Almeida realiza programação especial na data do aniversário do poeta

Entre as atividades estão visita temática, lançamento de livro e exibição de curta sobre a Revolução Constitucionalista de 1932, além de leitura dramática e palestra sobre a vida e a obra do artista

Julho é um mês marcado pelo nascimento e morte do escritor e poeta Guilherme de Almeida. Para homenageá-lo, a Casa Guilherme de Almeida realiza, nos dias 7, 10 e 12 julho, o evento Guilherme de Almeida em Cena.  A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis – e conta com patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

O Encontro Peripatético, que acontece dia 7 (sábado), às 9h15, é concebido a partir da ideia aristotélica de “ensinar passeando”. A visita temática tem como foco a Revolução Constitucionalista de 1932, e inicia na Casa Guilherme de Almeida e finaliza no Museu da Caixa Cultural São Paulo, que possui diversas esculturas do período abordado.

1932: São Paulo em chamas, obra do jornalista Luiz Octávio de Lima, mostra a verdadeira face da Revolução Constitucionalista que ocorreu em São Paulo e se tornou a Guerra Civil mais lesiva do Brasil. Editado pela Editora Planeta, o livro é lançado em um bate-papo com o autor no dia 10 (terça-feira) às 18h00. No mesmo dia é exibido, às 20h00, o curta SP32, de Cássio Martin, seguido de conversa com o diretor.

O último dia de atividades acontece dia 12 (quinta-feira), às 19h00, e inicia com a palestra Casa Guilherme de Almeida: a fabricação de um museu-casa. Ministrada pelo historiador e museólogo Guilherme Vieira, a palestra expõe os processos da transformação de residências em museus-casa, bem como a importância dessas instituições para a preservação da memória de grandes artistas. Encerrando a programação, às 20h00, o público acompanha a leitura dramática de A flor que foi um homem: Narciso, texto escrito por Guilherme de Almeida em 1925. Sob coordenação de Renata Cazarini e Helder Mariani, o trabalho foi desenvolvido com os participantes do Grupo de Estudos da obra teatral do poeta.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Guilherme em cena

Encontro Peripatético: 1932 – Memória & cidade | 7/7. Sábado, 9h15 às 12h45

Recomendação etária: livre. 30 vagas.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição

O transporte entre os museus será fornecido pelas instituições. 

Lançamento livro: 1932 – São Paulo em Chamas | 10/7. Terça-feira, 18h00 às 20h00

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Cinema: SP32 | 10/7. Terça-feira, 20h00 às 21h00

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Palestra: Casa Guilherme de Almeida: a fabricação de um museu-casa | 12/7. Quinta-feira, 19h00 às 20h00

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Leitura dramática: A flor que foi um homem – Narciso | 12/7. Quinta-feira, 20h00 às 21h00

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

 

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Terça-feira a domingo, das 10h às 18h

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

www.casaguilhermedealmeida.org.br 

Casa Guilherme de Almeida realiza programação especial no aniversário do poeta que completaria 128 anos

Programação conta com visita temática, lançamento de livro e exibição de curta sobre a Revolução Constitucionalista de 1932, além de leitura dramática e palestra sobre vida e obra do artista

Julho é um mês marcado pelo nascimento e morte do escritor e poeta Guilherme de Almeida. Para homenageá-lo, a Casa Guilherme de Almeida realiza nos dias 7, 10 e 12 julho o evento Guilherme de Almeida em Cena.  A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis – e conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

O Encontro Peripatético, que acontece dia 7 (sábado) às 9h15, é concebido a partir da ideia aristotélica de “ensinar passeando”. A visita temática tem como foco a Revolução Constitucionalista de 1932, inicia na Casa Guilherme de Almeida e finaliza no Museu da Caixa Cultural São Paulo, que possui diversas esculturas do período abordado.

1932: São Paulo em chamas, obra do jornalista Luiz Octávio de Lima, mostra a verdadeira face da Revolução Constitucionalista que ocorreu em São Paulo e se tornou a Guerra Civil mais lesiva do Brasil. Editado pela Editora Planeta, o livro é lançado em um bate-papo com o jornalista dia 10 (terça-feira) às 18h. No mesmo dia é exibido às 20h o curta SP32, de Cássio Martin, seguido de conversa com o diretor.

O último dia de atividades acontece dia 12 (quinta-feira) às 19h e inicia com a palestra Casa Guilherme de Almeida: a fabricação de um museu-casa. Ministrada pelo historiador e museólogo Guilherme Vieira, a palestra expõe os processos da transformação de residências em museus-casa, bem como a importância dessas instituições para a preservação da memória de grandes artistas. Encerrando a programação, às 20h o público acompanha a leitura dramática de A flor que foi um homem: Narciso, texto escrito por Guilherme de Almeida em 1925. Sob coordenação de Renata Cazarini e Helder Mariani, o trabalho foi desenvolvido com os participantes do Grupo de estudos da obra teatral do poeta.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Guilherme em cena

Encontro Peripatético: 1932 – Memória & cidade | 7/7. Sábado, 9h15 às 12h45

Recomendação etária: livre. 30 vagas.

Inscrições gratuitas: http://bit.ly/2IvQVcr

O transporte entre os museus será fornecido pelas instituições. 

Lançamento livro: 1932 – São Paulo em Chamas | 10/7. Terça-feira, 18h às 20h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Cinema: SP32 | 10/7. Terça-feira, 20h às 21h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Palestra: Casa Guilherme de Almeida: a fabricação de um museu-casa | 12/7. Quinta-feira, 19h às 20h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Leitura dramática: A flor que foi um homem – Narciso | 12/7. Quinta-feira, 20h às 21h

Recomendação etária: livre.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

 

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Terça-feira a domingo, das 10h às 18h

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa Guilherme de Almeida terá oficina de carimbos para crianças

A ideia da atividade é proporcionar uma tarde de aprendizado e integração entre as crianças e seus familiares. Faça sua inscrição e participe!

Que tal curtir o domingo em família? No dia 24 de junho, às 15h00, começa a oficina Meu Livrinho de Carimbos, na Casa Guilherme de Almeida. A proposta é oferecer uma tarde de lazer para a criançada e sua família, que irão aprender sobre ilustração e impressão manual. A atividade é gratuita e destinada a crianças maiores de 6 anos. As inscrições podem ser feitas pelo site do museu, que integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Durante a oficina, os pequenos irão criar os carimbos de forma artesanal. Cada um escolhe as imagens geométricas e as figuras simples que deseja para montar o material, e depois é hora da carimbagem, que vai ilustrar as páginas do conto. Por fim, o livrinho será confeccionado pelas crianças e suas famílias. Basta levar a imaginação e participar!

A Casa Guilherme de Almeida tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Meu Livrinho de Carimbos

Domingo, 24/6 – a partir das 15h00

Inscrições: www.casaguilhermedealmeida.org.br

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Cidade Tiradentes recebe shows de música e dança do “SP Cultura na Rua” em junho

Iniciativa leva artistas de rua para as periferias da capital; apresentações gratuitas serão no coreto da Avenida dos Metalúrgicos

Quem passa pela Avenida Paulista aos domingos já se acostumou com as inúmeras apresentações musicais no percurso da via. No entanto, em bairros mais afastados do centro, atividades culturais nas ruas, apesar de regulamentadas, não acontecem com tanta frequência. Com o objetivo de mudar este cenário, a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo criou o projeto “SP Cultura na Rua”, que leva shows gratuitos para as periferias de São Paulo.

A iniciativa já passou pelos bairros Cidade Tiradentes, Vila Nova Cachoeirinha, Capão Redondo, Jardim São Luís, Brasilândia, Belém e Jaçanã, e retorna para Cidade Tiradentes no próximo sábado, 30 de junho, no coreto da Av. dos Metalúrgicos, das 13h00 às 17h00, com os cantores Juci Nascimento, Rachell Luz e Karin Martins e o grupo de dança Mickey Dancers.

MÚSICA

Juci Nascimento já atuou em Big Bands cantando os mais variados estilos musicais. Desde 2010, se apresenta em cruzeiros marítimos pela costa brasileira e Europa. Atualmente, também é vocalista na Seleção Brasileira de Rock’n Roll – projeto que reúne grandes nomes do Rock nacional e internacional – e desenvolve seu trabalho solo em voz e violão em bares e hotéis de São Paulo, com repertório que inclui pop rock nacional e internacional e MPB.

Rachell Luz, cantora e compositora paulistana, foi vocalista da banda de forró “Forrueiros”. Morou nos Estados Unidos por quase cinco anos, onde formou-se como cantora e compositora e gravou seu primeiro disco autoral “Kel”, em 2016, com a participação de Seu Jorge. Suas músicas mesclam influências brasileiras com o pop norte-americano. Rachell já dividiu o palco e projetos com Marcos Valle, Guinga e Seu Jorge e atua com grande influência de ídolos como Milton Nascimento, Marisa Monte, Gilberto Gil, Tim Maia, Lenine, Fagner, Elba Ramalho e Elis Regina.

Karin Martins despertou para a música aos três anos de idade, quando dedilhou as cordas do violão de seu avô e tirou as primeiras melodias. Começou a estudar música ainda criança e, mais tarde, conquistou a Argentina, onde foi convidada para tocar músicas brasileiras em diversas casas. Karin, que divide seu tempo entre a carreira musical e a preparação vocal de cantores e atores, mistura as raízes da MPB com Samba Jazz e Groove. Seu primeiro álbum, “Quem é você?”, foi lançado em 2016.

DANÇA

O grupo de dança Mickey Dancers apresenta coreografias diversas, especialmente zumba e ritmos, nas Fábricas de Cultura da Zona Leste. O grupo existe há cinco anos e é formado por dez integrantes

SERVIÇO

SP Cultura na Rua na Cidade Tiradentes
Data: 30 de junho, sábado
Horário: 13h00 às 17h00
Local: Av. dos Metalúrgicos, s/n

Cine Kids do MIS traz sessão gratuita de Peter Pan

Novo programa mensal do museu traz sessões de cinema gratuitas para crianças e estreia no dia 7 de julho, sábado, às 11h

O MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, lança, nos mês das férias, seu mais novo programa mensal: o CINE KIDS, que exibirá filmes infantis marcantes na história. A temporada inicial contempla os mais famosos clássicos da animação, estreando com Peter Pan (dir.  Hamilton Luske, Clyde Geronimi, Animação, Colorido, EUA, 1953, 80’) em julho.

Na história, Peter Pan, o garoto que se recusa a crescer, espreita a casa dos Darling, pois Wendy, a filha mais velha, crê que ele exista. Ela já convenceu disso seus irmãos, João e Miguel, pois Peter Pan perdeu sua sombra. Ao recuperar a sombra, Peter Pan ensina Wendy, João e Miguel o que devem fazer para voar: pensar em algo bom e usar um um pó mágico, que uma pequena fada, Sininho, joga sobre eles. Peter leva as três crianças para um passeio na Terra do Nunca, um ilha encantada que é o lar de Peter, Sininho, os Garotos Perdidos e um maquiavélico pirata, o Capitão Gancho, que jurou se vingar do jovem.

A sessão acontece no dia 7 de julho, sábado, às 11h – entrada gratuita. O Cine Kids – Temporada Clássicos traz, em agosto, Dumbo – no dia 4, sábado; e, em setembro, acontece exibição de Alladin, no dia 8, também sábado.

SERVIÇO

CINE KIDS – Peter Pan

Data: 07.07, sábado

Horário: 11h

Local: Auditório MIS (172 lugares)

Ingresso: Gratuito – os ingressos serão distribuídos com 1h de antecedência na recepção.

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Cinema e Literatura: Casa Guilherme de Almeida oferece palestras e cursos gratuitos em junho

Crítica cinematográfica, adaptações para enredos de escolas de samba, filme Noir e obra de Guimarães Rosa fazem parte da programação do mês de junho

Quem gosta de cinema e literatura já pode se preparar, porque a Casa Guilherme de Almeida organizou várias atividades sobre os temas. Os cursos e palestras são gratuitos e acontecem entre 6 e 30 de junho. Toda programação precisa de inscrições, que podem ser feitas pelo site do museu, que integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Abrindo a programação, no dia 6, quarta-feira, começa o curso Crítica Cinematográfica, cuja proposta é expandir o entendimento sobre o que é visto na tela. O ministrante Daniel Fontana irá abordar as etapas da realização de um filme e seus aspectos comerciais e artísticos. Os participantes conhecerão ferramentas narrativas, para incentivar a reflexão de cada um sobre a linguagem cinematográfica – tanto para amparar quem deseja escrever sobre cinema, quanto para refinar o olhar dos cinéfilos. As aulas acontecerão às quartas-feiras, de 6 a 27, das 19h00 às 21h00. Daniel Fontana é designer, crítico de cinema e de HQ, e sócio-fundador e editor do site Formiga Elétrica.

Já no dia 8, sexta-feira, das 19h00 às 21h00, será a palestra Literatura na Avenida: adaptações para enredos de escolas de samba. Silvia Cobelo vai abordar alguns clássicos do romantismo brasileiro para enredos e alegorias de escolas de samba, dentre eles as obras Iracema e O guarani. A literatura do século passado também fará parte do repertório, com os romances Casa-grande e senzala e Macunaíma, além de obras de Jorge Amado. Silvia é tradutora literária, roteirista e pesquisadora sênior em três grupos de pesquisa do CNPq ligados à tradução literária.

A Sessão Versátil do mês de junho vai tratar da Introdução ao filme Noir, no dia 23, sábado, das 10h00 às 18h00, com intervalo para almoço. O curso intensivo pretende mostrar que a essência desse cinema transcende os temas clichês que tratam de violência da criminalidade urbana, traições, trapaças e a vileza de detetives corruptos. O filme Império do crime (1955), de Joseph H. Lewis, será exibido e, logo depois, haverá um debate com Fernando Brito e Raphael Cubakowics. Fernando é crítico de cinema e curador da Versátil Home Video, e Raphael também é crítico e atua como editor da produtora.

Fechando a programação, no dia 30, sábado, das 16h00 às 18h00, será realizada a palestra Guimarães Rosa: o processo de transcodificação no discurso literário, ministrada por Augusto Cesar Vassilopoulos. O autor mineiro revolucionou as formas possíveis de transformação da narrativa literária em televisual, por meio de um método em que as particularidades das paisagens, dos costumes, das vivências, das crendices e do vocabulário regional se materializassem em seu discurso. Guimarães observou atentamente o “espaço-vivo” do sertão mineiro e decidiu transcrevê-lo para os seus contos e romances. Augusto, professor universitário e do ensino médio, é doutor em Literatura, mestre em Linguística e Literatura, além de especialista em Estética e História.

A Casa Guilherme de Almeida tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal, por meio de seu Programa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Inaugurado em 1979, o museu Casa Guilherme de Almeida funciona na residência onde viveu o poeta e tradutor paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte de artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. A Casa – primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país – oferece uma intensa programação de atividades relacionadas às diversas áreas de atuação de Guilherme de Almeida, que incluem o cinema, o jornalismo e o teatro. A Casa Guilherme de Almeida integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Crítica Cinematográfica

Quartas-feiras, 6, 13, 20 e 27/6 – das 19h00 às 21h00

Literatura na Avenida: adaptações para enredos de escolas de samba

Sexta-feira, 8/6 – das 19h00 às 21h00

Sessão Versátil: Introdução ao filme Noir

Sábado, 23/6 – das 10h00 às 18h00 (com intervalo para almoço)

Guimarães Rosa: o processo de transcodificação no discurso literário

Sábado, 30/6 – das 16h00 às 18h00

Casa Guilherme de Almeida

Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943

Museu: Rua Macapá, 187 – Perdizes – São Paulo

Telefone: (11) 3673-1883 | 3672-1391

Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Cinematographo de junho: Pink Floyd The Wall com trilha sonora ao vivo

Banda Pink Floyd Dream sonoriza ao vivo o filme no dia 3 de junho, domingo, às 15h00. Os ingressos (R$ 12 inteira e R$ 6 meia) podem ser adquiridos na bilheteria do MIS e no site da Ingresso Rápido a partir de 25 de maio

Cena do filme Pink Floyd The Wall (Crédito: Divulgação)

Fãs de rock’n’roll não podem perder a próxima edição do Cinematographo do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. O longa Pink Floyd The Wall, inspirado no icônico álbum The Wall, ganha trilha sonora ao vivo com a banda Pink Floyd Dream no domingo, dia 3 de junho, às 15h00.

O longa foi produzido no ano de 1982 pelo diretor britânico Alan Parker, baseado no álbum The Wall, da banda Pink Floyd – o roteiro foi escrito pelo vocalista e baixista da banda, Roger Waters. O filme possui poucos diálogos, sendo mais metafórico e movido pelas músicas de fundo e sequências de animação, dirigidas pelo cartunista político Gerald Scarfe. A história gira em torno das fantasias delirantes do superstar do rock Pink, um homem que enlouquece lentamente em um quarto de hotel em Los Angeles. O filme acompanha o cantor desde sua juventude, mostrando como ele se escondeu do mundo exterior.

Sobre a banda

Pink Floyd Dream foi criada em 2010 e é composta por Marcos Meneghel (voz e contrabaixo), Alexandre Chamy (voz, guitarra e violão), Lilian Ximenes (voz), Renato Moog (teclado, sample e sequence), Fabio Bizarria (sax e flauta), Carina Assencio (voz), Cassiano MusicMan (bateria e percussão), Victor Melo (voz, guitarra e violão) e Regina Migliore (voz).

O Cinematographo será no dia 3 de junho, domingo, às 15h00. Os ingressos, de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), podem ser adquiridos na Recepção MIS ou pelo site da Ingresso Rápido a partir do dia 25 de maio.

CINEMATOGRAPHO | Pink Floyd The Wall

DATA: 03/06/2018
HORÁRIO: 15h00
LOCAL: Auditório MIS (172 lugares)
INGRESSO:  R$ 12 (inteira), R$6 (meia). À venda na Recepção MIS e no site www.ingressorapido.com.br
CLASSIFICAÇÃO: 18 anos – LEGENDADO

Duração: 100 minutos

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento [Conveniado]: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Com música, dança e teatro, Secretaria da Cultura do Estado e Metrô lançam projeto SP Cultura no Metrô  

Iniciativa levará apresentações artísticas para estações do Metrô, além do projeto “Músicos de Rua”

Quem passar por algumas das estações do Metrô da capital paulista a partir de 28 de junho, quinta-feira, vai se surpreender com uma programação cultural especial. O projeto SP Cultura no Metrô vai levar atividades para nove estações das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô e agitar o cotidiano da cidade mais populosa do Brasil. O lançamento da iniciativa vai ser às 10h00, na Estação da Sé da Linha 3-Vermelha, com apresentação da Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica. Participam da abertura o secretário da Cultura do Estado Romildo Campello, o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni e o presidente do Metrô, Paulo Menezes.

As atividades vão até dezembro de 2018 e serão divididas em duas frentes:

Arte Cultura nas Estações – apresentações de teatro, música e dança em estações do Metrô. Na primeira semana, serão realizados 13 espetáculos – confira a agenda abaixo. Até dezembro, serão realizadas 75 intervenções culturais.

PROGRAMAÇÃO – 28 e 29 de junho

28 de junho, quinta-feira

Linha 3 – Vermelha

Estação Sé

9h00 – Caco Mattos, “Dança Comigo” [dança]

10h00 – Big Band da Orquestra Jazz Sinfônica [música]

Estação República

12h00 – Vanitta, cover da Anitta [música]

Estação Marechal Deodoro

12h00 – Quarteto de Cordas da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

12h00 – Jazz Sinfônica [música]

Estação Brás

17h00 – Nélio Henrique e Alan [sertanejo]

Linha 1 – Azul

Estação Luz

11h00 – São Paulo Companhia de Dança, “Pivô [dança]

Estação São Judas

17h00 – Trio Beijo de Moça [Forró]

Linha 2 – Verde

Estação Paraíso

15h00 – Suellen Luz, “Um Passeio Pela Música Brasileira” [pop]

Estação Ana Rosa

16h00 – Caminho Suave [reggae]

29 de junho, sexta-feira

Linha 3 – Vermelha

Estação República

12h00 – Quarteto de Metais da Academia da OSESP [música]

Estação Tatuapé

15h00 – Banda Sinfônica da Fábrica de Cultura Sapopemba [música]

Linha 1 – Azul

Estação Luz

17h00 – Power Mix Crew [dança de rua]

Músicos de Rua – apresentações de músicos profissionais ou amadores nas estações do Metrô. Os interessados deverão se inscrever em chamamento disponível no site da Secretaria da Cultura – www.cultura.sp.gov.br.

“A parceria permitirá o acesso de milhões de pessoas a múltiplas intervenções culturais. A produção cultural do estado multiplicada e compartilhada ao vivo e em cores. Atrações de qualidade e gratuitas para a população”, comemora Romildo Campello, Secretário da Cultura do Estado de São Paulo.

“O Metrô é um sistema de transportes sempre aberto às manifestações culturais e artísticas. Já na década de 1970, obras de arte foram instaladas nas estações. Temos obras de renomados artistas, como Tomie Ohtake, Alex Flemming, Antonio Peticov, Claudio Tozzi e Francisco Brennand. Agora vamos abrir espaço para a música, dança e teatro, levando ainda mais opções para nossos usuários”, explica o secretário de Transportes Metropolitanos Clodoaldo Pelissioni.

O Metrô de São Paulo foi pioneiro em estimular os diferentes tipos de projetos na área cultural. A primeira é a escultura “Garatuja”, do artista Marcelo Nitsche, na estação Sé, desde 1978. Atualmente, o acervo do Metrô conta com 91 obras de arte dispostas em 37 estações do sistema. O programa Linha da Cultura, a partir de 1986, passou a disponibilizar gratuitamente espaços para manifestações artísticas das mais variadas formas – artes visuais, exposições fotográficas, performances, apresentações musicais e teatrais – nas estações.

O sistema metroviário paulista possui 89,7 quilômetros de extensão e 79 estações, transportando 4,5 milhões de usuários por dia. Pela quarta vez consecutiva, foi eleito como o melhor serviço de transporte da cidade de São Paulo em pesquisa realizada do Instituto Datafolha.

Comédia grega sobre greve de sexo, “Lisístrata” estreia na SP Escola de Teatro

Adaptação do texto de Aristófanes pela Cia. do Voo cumpre temporada a partir de 29 de junho;

ingressos custam até R$ 30,00

A greve de sexo que deu fim a uma guerra: entre 29 de junho e 16 de julho, a sede Roosevelt da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebe “Lisístrata – O Voo das Andorinhas”, versão atualizada da Cia. do Voo para a clássica comédia grega. Com sessões as sextas e segundas, às 21h00; sábados, às 20h00; e domingos, às 19h00; o espetáculo tem ingressos a R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada).

Fotos: bit.ly/FotosLisistrata. Crédito: Ítalo Iago

Escrita pelo dramaturgo grego Aristófanes há mais de dois mil anos, a peça se mostra ainda atual e relevante ao discutir as expectativas sociais impostas à mulher. A trama narra a história de mulheres de várias cidades da Grécia que, cansadas de perder seus maridos e filhos a uma guerra que já dura mais de 20 anos, criam um protesto inusitado para dar fim ao conflito. Lideradas pela ateniense Lisístrata, elas organizam uma greve de sexo, maneira que encontraram para se fazer ouvidas pelos homens da época.

Além da discussão sobre a subjugação e objetificação do gênero feminino, a montagem da Cia. do Voo traz também um recorte de raça: a protagonista do espetáculo é interpretada por uma mulher negra, a atriz Jamile Godoy – ela, o diretor Tom Rezende e o dramaturgo Marcelo Oriani estudaram na SP Escola de Teatro. “Na época em que o texto foi escrito, mulheres não podiam sequer frequentar o teatro. Agora, temos uma protagonista negra e empoderada que dá força a outras personagens”, conta o diretor.

“Lisístrata – O Voo das Andorinhas” estreou em março deste ano no Teatro Sérgio Cardoso e já recebeu mais de 15 prêmios em mostras e festivais, como os de melhor atriz, maquiagem e sonoplastia no 12º Festival Nacional de Teatro Cacilda Becker.

SP Escola de Teatro

A SP Escola de Teatro, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerida pela Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap), é um dos principais centros de formação em Artes Cênicas do Brasil. A instituição oferece cursos profissionalizantes e de curta duração, todos gratuitos, em oito áreas das artes do palco. O modelo de ensino aplicado na Escola, referência no País e também replicado na Suíça e na Finlândia, já foi reconhecido com importantes condecorações, como o Prêmio Shell de Inovação, em 2017.

Ficha técnica

Texto: Aristófanes | Adaptação e Direção: Tom Rezende | Pesquisa dramatúrgica: Laura Diniz | Dramaturgismo: Marcelo Oriani | Elenco: Camila Fernandes, Fernanda Oliveira, Gustavo Martins, Jamile Godoy, Rafael Lopes, Raquel Domingues, Rodolfo Bellarosa e Thiago Ubaldo | Figurino e adereço: Rosangela Ribeiro | Assistente de figurino e adereço: Aline Olegário | Confecção de figurino: Noeme Costa e Vera Luz | Maquiagem e Ilustração: Yasmin Pisciotta | Visagismo: Roberto Marinelli | Cenários e objetos cênicos: Cia. do Voo | Iluminação: Pati Morim Lobato | Operação de Luz: Tom Rezende | Edição de Vídeo: Jamile Godoy | Direção musical e percussão cênica: Izabel Lima | Canção original: Fernanda Oliveira | Direção de movimento: Simone Maeda | Design gráfico: Alessandro Bernard | Produção e Comunicação: Maria Loverra | Mídias sociais: Gustavo Martins

SERVIÇO

“Lisístrata – O Voo das Andorinhas”

Onde: SP Escola de Teatro, sede Roosevelt (Praça Franklin Roosevelt, 210, Consolação)

Quando: sex, sáb. e seg, às 21h00; dom, às 19h00. De 29/6 a 16/7.

Quanto: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada); R$ 10(aprendizes da SP Escola de Teatro) – à venda na bilheteria do teatro uma hora antes da apresentação.

Duração: 80 minutos

Quantidade de lugares: 60 lugares

Classificação: 14 anos

Conceito “Juntos” norteia debates do 10º Encontro Paulista de Museus

Diálogo, inclusão e participação permeiam tema, programação e desdobramentos do evento

Juntos. Essa curta, mas significativa palavra foi escolhida pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado, para servir de inspiração ao 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM). O evento, principal acontecimento anual da museologia paulista e um dos principais do setor no país, acontece de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Dessa maneira, a temática, programação e também os futuros desdobramentos do Encontro têm como norteadora a palavra “juntos”. Ela permeia, por exemplo, os assuntos dos 20 Painéis Digitais selecionados – “Democratização de processos museológicos” e “Ações de fomento à participação”; e o próprio tema central do 10EPM, focado em “Gestão e Governança”.

Como estabelecer a inclusão e o diálogo como processos inerentes à gestão de um museu? Se desejamos incluir um novo público frequentador de museus, estamos dispostos a conversar com ele – aceitando e, porventura, integrando as diferenças? Serão permitidas que novas vozes integrem o jeito de se pensar e fazer cada museu? Essas e outras perguntas certamente serão levantadas e amplamente discutidas no 10EPM.

“Saibamos compreender que um museu não deve se fechar em seus processos e, com isso, esperar que o público flua naturalmente – para assim ser visto como espaço de importância na sociedade. Um museu só será importante quando se tornar frequente na vida do público que ele deseja para si”, argumenta o responsável pela coordenação da programação do 10EPM, Luiz Mizukami.

O próprio Encontro não existiria sem que houvesse a união de uma série de agentes, tanto os pertencentes ao SISEM-SP nas representações regionais em todo Estado, quanto às parcerias nacionais e internacionais tecidas em cada edição.

“Um evento cujo nome carrega a palavra Encontro só pode ser pensado, realizado e prestigiado tendo-se em mente a junção de muitas forças. Desde sua primeira edição, o EPM sempre teve como objetivo promover o encontro, a troca e a disseminação de novas práticas e ideias. Juntos é o conceito que define e caracteriza o EPM”, explica o diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

A programação, detalhes de edições anteriores, informações sobre hospedagem, transporte e alimentação, bem como as inscrições para o 10EPM estão disponíveis no link: https://www.sisemsp.org.br/epm

SERVIÇO

10º Encontro Paulista de Museus (10EPM)

Onde: Memorial da América Latina

Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – São Paulo/SP

Quando: 18 a 20 de julho

Inscrições: www.sisemsp.org.br/epm

Informações: (11) 3339-8208 / www.sisemsp.org.br

Concertos gratuitos agitam Conservatório de Tatuí

Onze grupos pedagógicos vão se apresentar até o dia 30 de junho na 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018

A 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018 do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – continua até o próximo sábado, dia 30, com vários concertos gratuitos. Onze grupos pedagógicos mantidos pela escola devem se apresentar nos próximos dias, com um repertório bem variado para agradar a todos os públicos.

Na quarta-feira, dia 27, às 20h00, o Coro Infantil, coordenado pela professora Miriam Cândido, sobe ao palco do Teatro Procópio Ferreira com uma seleção de músicas brasileiras. Entre elas, “Jardim da fantasia”, de Paulinho Pedra Azul; “Ciranda em cânone”, de Gabriel Levy; “Rouxinol”, de Milton Nascimento; “Som da pessoa”, de Gilberto Gil; “Mulher rendeira”, de Edino Krieger; “Xote das meninas”, de Luiz Gonzaga; “Minha canção” e “História de uma gata”, de Os Saltimbancos; “Chove chuva”, de Jorge Benjor; “Adonirando”, de Adoniran Barbosa; e “Cirandeiro”, do folclore brasileiro.

Na quinta-feira, dia 28, a Mostra terá três concertos. O primeiro será às 18h00 no Teatro Procópio Ferreira, com o Grupo de Saxofones. De acordo com o professor responsável, Marcos Pedroso, o programa terá “Suite Estância”, de Alberto Ginastera; “Four early spirituals american”, de Willian Schmidt; “Escualo”, de Astos Piazzolla; “Prelude for eight”, de Richard Shores; e “Trois ragtimes”, de Scott Joplin.

Em seguida, às 19h00, o Grupo de Performance Histórica Jovem apresenta-se no Auditório da Unidade 2. Sob coordenação da professora Débora Ribeiro e usando réplicas de instrumentos musicais dos períodos Barroco e Renascentista, o grupo vai interpretar músicas do repertório europeu dos séculos 16 a 18.

Logo depois, às 20h00, no Teatro Procópio Ferreira, será a vez do Conjunto de Metais, coordenado pelo professor Edmilson Baia. O programa terá a Abertura de “O Guarany”, de Carlos Gomes; “Ceremonial fanfare”, de Johan de Meij; “Harry Potter e o Cálice de Fogo”, de Patrick Doyle; e “Soul Bossa Nova”, de Quincy Jones.

Na sexta-feira, dia 29, às 18h00, o Ensemble de Performance Histórica tocará no Auditório da Unidade 2. De acordo com o professor responsável, João Guilherme Figueiredo, os alunos vão interpretar “Suíte nº 1”, de Matthew Locke; “Suíte em trio nº 3”, de Jaques Hottetterre; e “Divertimento em Dó maior para Cordas”, de Joseph Haydn.

Às 20h00, o Grupo de Percussão Jovem apresenta-se no Teatro Procópio Ferreira, com várias músicas tocadas exclusivamente por instrumentos de percussão. O repertório terá “Impressionato”, de Judy Mathis; “Arhus Etude nº 3”, de Bent Lylloff; “Bacchanale”, de Alan Hovhaness; “Afoxé”, de Luiz Roberto Sampaio; “Rondo”, de Wolfgang Amadeus Mozart, e muito mais. A coordenação é do professor Agnaldo Silva.

Sábado, dia 30, às 11h00, o Teatro Procópio Ferreira receberá a Banda Sinfônica Jovem, coordenada pelo professor José Antonio Pereira. E às 20h00, também no teatro, três Cameratas Juvenis e a Camerata Jovem de Violões encerram a 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018, com a professora Márcia Braga.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018
Max Ferreira, coordenação
Entrada franca

Coro Infantil do Conservatório de Tatuí
Miriam Cândido, professora responsável
Data: 27 de junho, quarta-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP

Grupo de Saxofones do Conservatório de Tatuí
Marcos Pedroso, professor responsável
Data: 28 de junho, quinta-feira
Horário: 18h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP

Grupo de Performance Histórica Jovem do Conservatório de Tatuí
Débora Ribeiro, professora responsável
Data: 28 de junho, quinta-feira
Horário: 19h00
Local: Auditório da Unidade II
Rua São Bento, 808, Centro, Tatuí/SP

Conjunto de Metais do Conservatório de Tatuí
Edmilson Baia, professor responsável
Data: 28 de junho, quinta-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP

Ensemble de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí
João Guilherme, coordenação
Data: 29 de junho, sexta-feira
Horário: 18h00
Local: Auditório da Unidade II
Rua São Bento, 808, Centro, Tatuí/SP

Grupo de Percussão Jovem do Conservatório de Tatuí
Agnaldo Silva, professor responsável
Data: 29 de junho, sexta-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP

Banda Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí
José Antonio Pereira, professor responsável
Data: 30 de junho, sábado
Horário: 11h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP

Cameratas Juvenis e Jovem de Violões do Conservatório de Tatuí
Márcia Braga, coordenação
Data: 30 de junho, sábado
Horário: 18h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP

Concurso oferece estadia de uma noite no Museu do Futebol

Booking.com lança concurso e torna possível passar uma noite em quarto exclusivo no Museu do Futebol, situado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.  Público poderá visitar acomodação com ambientação inspirada na Rússia e participar de concurso que dará ao vencedor “Uma Noite no Museu do Futebol”, com direito a jantar especial acompanhado do jogador Juliano Belletti

A Booking.com, líder mundial em conectar os viajantes com opções incríveis de lugares para ficar, tornará possível passar uma noite em um dos locais mais emblemáticos do futebol brasileiro. O Museu do Futebol, localizado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, irá receber uma acomodação inspirada na Rússia e os fãs brasileiros desse esporte tão amado poderão visitar o espaço de 31 de maio a 3 de junho.

Ao entrar neste quarto todo decorado com ícones e cores da cultura russa, os visitantes também poderão visitar o país em uma ação interativa com óculos de realidade virtual. No passeio, o turista verá marcos e monumentos como a Praça Vermelha, em Moscou.

“Essa iniciativa inédita, com uma acomodação cheia de conforto e personalidade dentro do Museu do Futebol, é mais uma ação que mostra a incrível diversidade das ofertas da Booking.com. No espaço criado por nós no Museu do Futebol, os visitantes poderão ter uma ideia de como é ter uma experiência inesquecível de viagem aliada ao futebol”, afirma Nelson Benavides, Gerente Regional da Booking.com no Brasil.

“Estamos animados com essa novidade. É uma oportunidade de proporcionar ao público uma experiência inusitada no Museu, além de enfatizar que a paixão pelo futebol atravessa fronteiras e estimula o intercâmbio entre culturas”, acrescenta Eric Klug, Diretor Executivo do Museu do Futebol.

Concurso cultural – Uma pessoa terá a oportunidade de passar “Uma Noite no Museu do Futebol”, dentro da acomodação montada pela Booking.com, e desfrutar, com um acompanhante, de uma típica noite russa, com jantar temático criado pela chef Dayse Paparoto, vencedora da primeira edição do Masterchef Profissionais. Para concorrer, é preciso acessar o site www.booking.com/win/museudofutebol e contar, em até 150 palavras, sobre sua paixão por viagens e futebol e por que você merece passar uma noite no Museu do Futebol com a Booking.com. O concurso está sendo realizado em todo o território brasileiro e as inscrições devem ser feitas até às 23h59 (horário de Brasília) do dia 22 de maio.

O autor da frase mais criativa e mais um acompanhante vão ganhar uma estadia de uma noite, no sábado 2 de junho, na acomodação criada pela Booking.com, além de um tour VIP exclusivo pelo Museu do Futebol, que será guiado pelo jogador campeão Juliano Belletti, astro da bola com passagens por equipes no Brasil e no exterior. Belletti também acompanhará os ganhadores no jantar russo que será oferecido como parte da premiação. No dia seguinte, antes de deixar a acomodação, o vencedor e acompanhante terão um café da manhã especial.

Sobre o Museu do Futebol

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura.

Já recebeu mais de 3 milhões de pessoas desde sua inauguração, em 2008, sendo um dos museus mais visitados do Brasil. Em 2017, foi indicado pela quarta vez consecutiva, por visitantes do mundo todo através do site Trip Advisor, como um dos melhores museus da América do Sul.

Durante a visita à exposição, vídeos, fotografias, áudios, objetos e muita interatividade aguçam a sensibilidade, memória e imaginação de todos. É um passeio sensorial repleto de história, emoção e diversão, acessível a todos os públicos.

Concursos Públicos

Conheça os curadores e o  júri inicial, anunciados no início de julho de 2018

São dez os integrantes do Júri Inicial, que escolherá os candidatos finalistas:

André Luiz Ponce Leones

Nascido em Goiânia em 1980,  é autor dos romances “Abaixo do Paraíso” (Rocco, 2016), “Terra de casas vazias” (Rocco, 2013) e “Hoje está um dia morto” (Record, 2006 – vencedor do Prêmio SESC de Literatura), entre outros. É colaborador do jornal “O Estado de São Paulo”.

Camilla Fernanda Dias Domingues

Assistente Social de formação, leitora assídua, mediadora de leitura e influenciadora digital. Residente na cidade de Santo André/SP desde o nascimento.

Denilson Soares Cordeiro

Professor de Filosofia na Unifesp. Graduado e doutor em Filosofia, ambos pela FFLCH-USP, com pós-doutorado pela Universidad de Buenos Aires.

Juliana Gomes

Formada em Marketing e especialista em negócios editoriais. Trabalhou em empresas como Livrarias Curitiba, Livraria da Vila e Cosac Naify. Criadora e uma das coordenadoras do Projeto Leia Mulheres no Brasil.

Maria da Aparecida Saldanha

Graduada em Ciências Sociais, atua como vendedora na Livraria da Vila desde 1990. Trabalha com livros desde 1983 e atuou como jurada do Prêmio São Paulo em edições anteriores.

Mariana Ianelli Aquino

Mestre em Literatura e Crítica Literária, é autora de livros de poesia e de crônicas. Recebeu o prêmio Fundação Bunge de Literatura na categoria Juventude, foi quatro vezes finalista do Jabuti. Escreve para a revista digital de crônicas Rubem e no blog da editora Olho de Vidro.

Rafael Eduardo Gallo

Graduado em Música e mestre em Meios e Processos Audiovisuais. É autor de “Rebentar”, romance vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2016, e de “Réveillon e outros dias”, livro de contos vencedor do Prêmio Sesc de Literatura 2011/2012.  

Ricardo de Medeiros Ramos Filho

Mestre e doutorando em Letras , é professor de literatura, roteirista de cinema, coach literário, cronista e atua como produtor cultural. Foi jurado de vários concursos literários e curador do 1º Prêmio Nelly Novaes Coelho UBE de Literatura Infantil.

Tiago Pedro Ferro Espilotro

Editor e escritor, é um dos fundadores da editora de e-books e-galáxia e da revista de ensaios Peixe Elétrico. Colaborador das revistas Piauí, Cult e Suplemento Pernambuco. Mestre e doutorando em história social pela USP.

Wilson Alves-Bezerra

Doutor em literatura comparada e mestre em literatura hispanoamericana, é professor do Departamento de Letras da UFSCar e foi coordenador de cultura dessa universidade de 2013 a 2016. Poeta, ensaísta, crítico e tradutor literário, é resenhista de O Estado de S. Paulo, O Globo, A União e El Universal (México).

Crédito: Divulgação

E os curadores são cinco:

Antonio Alcir Bernárdez Pecora

Professor titular de Teoria Literária da Universidade Estadual de Campinas e membro da Academia Ambrosiana de Milão, junto à Seção Borromaica. Organizador de obras como A Arte de Morrer, Escritos Históricos e Políticos do Padre Vieira, Sermões I e Sermões II, Índice das Coisas Mais Notáveis, editou as obras completas de Hilda Hilst, Roberto Piva e Plínio Marcos.

Isabel Aparecida dos Santos Mayer

Educadora social, é mestranda em Lazer e Turismo. Empreendedora social da Ashoka, coordena o Programa de Direitos Humanos do Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC), integra os grupos gestores da Rede LiteraSampa e do programa de formação de adolescentes e jovens mediadores e gestores da Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura.

Jorge Saraiva Neto

É diretor presidente e diretor de relações com investidores da Editora Saraiva desde abril de 2013. Atua diretamente no comando das ações institucionais e dos negócios da companhia. É líder do Comitê Executivo, sendo responsável pela gestão da superintendência da empresa.

Maria Fernanda Rodrigues

Pós-graduada em Semiótica e Psicanálise pela PUC , é jornalista, repórter de literatura e mercado editorial do Caderno 2, do jornal O Estado de S.Paulo, além de colunista da coluna Babel, publicada aos sábados no jornal, Sócia fundadora da startup Book4you, foi editora e assessora de imprensa.

Rogério Pereira

É jornalista, editor e escritor. Fundador do jornal Rascunho, em Curitiba, desde 2011 é diretor da Biblioteca Pública do Paraná, onde coordena o Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura, o Sistema de Bibliotecas Públicas Municipais do Paraná e o Núcleo de Edições da Secretaria da

Consciência Negra: programação especial no Museu do Futebol

Haverá o debate “Futebol e Discriminação Racial”, capoeira com a Projete Liberdade e show do grupo Afro Bumbo; os eventos são gratuitos 

Como espaço de cultura e entretenimento concebido pelo princípio da diversidade e inclusão social, o Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, não poderia ficar de fora das homenagens ao Dia da Consciência Negra (20/11). O auditório Armado Nogueira abrigará um fórum de debates sobre “futebol e discriminação racial”, no dia 17/11, das 10h às 13h, com entrada gratuita.

A atividade começa com duas apresentações. O historiador Marcel Tonini, da USP, traçará um breve retrospecto das tensões envolvendo o tema do racismo no futebol nacional. Em seguida, o pesquisador Marcelo Carvalho apresentará os dados colhidos pelo “Observatório da Discriminação Racial no Futebol”, coletivo do qual é presidente.

O objetivo do evento é suscitar o relato de experiências vividas pela plateia que envolvam a questão do preconceito racial e também a participação da plateia na discussão de medidas para enfrentar o problema, cada vez mais explícito nas ruas e redes sociais. Discutir, assim, o quanto as marcas identitárias criadas ao longo do século XX ocultaram processos de discriminação racial e de gênero no Brasil.

No mesmo sábado (17/11), haverá a roda de capoeira com professores e alunos da escola PROJETE LIBERDADE, que utiliza modalidade para promover o desenvolvimento integral através de educação e esporte desde sua fundação em 1978, em parceria com escolas e universidades como a USP e eventos realizados inclusive fora do Brasil.

Na terça-feira (20/11), o grupo Afro Bumbo apresenta no vão central do Museu do Futebol seus arranjos com ritmos de ijexá, maculelê, côco, côco de roda, samba de reggae, samba de roda e escola de samba. O show “A Voz dos Tambores” cria uma dramaturgia musical que apresenta a libertação dos escravos, a transformação dos povos e a valorização dos ritmos afro brasileiros, incluindo apresentação didática, que mostra a origem de cada instrumento por meio de uma interação com o público.

No mesmo dia, o museu terá outras atividades gratuitas. Na Sala das Copas, um jogo da memória contará com a participação de personalidades negras que foram significativas no cenário esportivo, cultural e social no Brasil e exterior. Em “Qual é a história?”, na Sala Origens, os visitantes poderão brincar num jogo de cartas que trazem pequenos trechos de contos africanos. As cartas serão embaralhadas e os visitantes usarão a imaginação para criar histórias usando a nova sequência dos contos.

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

17/11 – Sábado

Fórum de debate: Futebol e Discriminação Racial

Horário: das 10h às 13h

Local: Auditório Armando Nogueira (Museu do Futebol)

Capacidade do auditório: 178 lugares

Entrada: gratuita

Roda de Capoeira com a Projete Liberdade

Horário: a partir das 13h

Local: Vão Central do Museu do Futebol

Evento: gratuito

20/11 – Terça-feira

Show “A voz dos tambores”

Horário: das 12h às 13h

Local: Vão Central

Evento: gratuito

Jogo da Memória – Consciência Negra

Horário: entre 11h e 12h30

Local: Sala Copas do Mundo

Entrada: gratuita

Joguinho “Qual é a História?”

Horário: entre 14h e 15h30

Local: Sala Origens

Entrada: gratuita

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h às 18h (bilheteria até as 17h)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu normalmente não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais. Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

Conservatório de Tatuí promove Mostra de Canto Coral

Evento reúne apresentações de diversos corais mantidos pela instituição, com apresentações gratuitas até 21 de junho

Começa nesta sexta-feira, dia 15, a 1ª Mostra de Canto Coral 2018 do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado. O evento reúne apresentações de vários corais mantidos pela instituição, com diferentes formações e repertórios. A Mostra segue até o dia 21 de junho no Auditório da Unidade 2 da escola, em vários horários e com entrada gratuita.

A programação começa nesta sexta-feira, às 09h00, com o Coral Infantil coordenado pela professora Karin Vercellino e o Coral Adulto coordenado pela professora Cibele Sabioni. Outros grupos se apresentam às 11h00, às 14h00 e às 16h00.

A Mostra continua entre os dias 18 e 21 de junho, nos mesmos horários, com grupos formados por alunos de cursos infantis, infantojuvenis e adultos. Nos dias 19, terça-feira, e 21, quinta-feira, também haverá apresentações às 18h30, com Corais Adultos coordenados pela professora Sueli Poppi. Participam ainda grupos supervisionados pelos professores Edmo Guimarães e Ester Freire.

O curso de Canto Coral integra a grade curricular de todos os cursos de instrumento, canto e regência oferecidos pelo Conservatório de Tatuí, e tem coordenação da professora Cristine Bello Guse.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
1ª Mostra de Canto Coral 2018 do Conservatório de Tatuí
Cristine Bello Guse, coordenação

Data: 15 e 18 a 21 de junho
Horário: 09h00, 11h00, 14h00, 16h00 e 18h30
Local: Auditório da Unidade 2
Rua São Bento, 808, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Conservatório de Tatuí realiza 10º Prêmio Incentivo à Música de Câmara

Apresentações classificatórias começam nesta segunda-feira, dia 25, em vários horários, todas com entrada gratuita

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – realiza nesta semana o 10º Prêmio Incentivo à Música de Câmara. O concurso é voltado a todos os estudantes de instrumento e canto da escola, com o objetivo de estimular a formação de grupos musicais. O evento deve reunir cerca de 150 conjuntos, com apresentações gratuitas a partir desta segunda-feira, dia 25, em vários horários. A disputa final será no próximo domingo, dia 01 de julho.

O concurso é dividido em três categorias – Nível Básico, Intermediário e Avançado, de acordo com o tempo de curso dos participantes. Podem participar desde duos formados por estudantes de um mesmo instrumento, quartetos de cordas e grupo de percussão, até grupos mistos com formações inovadoras, que fujam completamente do tradicional.

De acordo com a coordenadora da Área de Música de Câmara, professora Míriam Braga, além de incentivar prática camerística, o Prêmio promove intercâmbio cultural entre os estudantes, estimula a performance de palco, revela talentos e propicia inclusive a formação de grupos com potencial para se apresentar profissionalmente. Os alunos são orientados por professores e devem, além de formar o grupo, escolher o repertório, criar um nome para a formação e preparar material de divulgação do grupo.

Nesta edição, as apresentações classificatórias serão realizadas de 25 a 29 de junho, com audições às 9h00, 11h00, 14h00 e 16h00. Uma banda examinadora avalia o desempenho e atribui nota às formações. Os conjuntos que obtiverem melhor pontuação passam para a etapa semifinal, que será realizada no próximo sábado, dia 30 de junho. As apresentações finais serão no domingo, dia 01 de julho, todas no Salão Villa-Lobos, abertas ao público e com entrada gratuita.

Grupo convidado – O 10º Prêmio Incentivo à Música de Câmara terá participação especial do Quarteto de Saxofones SaxBrasil. Formado por professores e músicos profissionais, o grupo fará uma masterclass na terça-feira, dia 26, às 11h00. A atividade pedagógica vai abordar a rotina de um grupo de câmara, com dicas sobre a escolha de repertório, dinâmica de ensaio, exercícios em grupo e desenvolvimento profissional.

No mesmo dia, às 19h00, o quarteto fará um recital, com obras como “Grand Quatuor Concertant”, de Jean-Baptiste Singelée; “Prélude et Rondo Français”, de Pierre Vellones; “Adágio”, de Samuel Barber; “Petit Quatuor”, de Jean Françaix; e “Andante et Scherzo”, de Eugène Bozza.

Formado em 2009, o Quarteto de Saxofones SaxBrasil é formado pelos músicos Rafael Migliani (saxofone soprano), Maikel Morelli (saxofone alto), Jonathas Cordeiro (saxofone tenor) e Giancarlo Medeiros (saxofone barítono). Tem como objetivo difundir o saxofone clássico e a música brasileira. Conquistou o primeiro lugar na 28ª edição do “Concurso Latino Americano Rosa Mística” na categoria “Música de Câmara” e desde então, tem atuado como solista frente a importantes grupos do Estado de São Paulo.

Participou de importantes encontros de saxofonistas no Brasil e também no exterior, sendo eles: “1º Encuentro Internacional de Cuartetos de Saxofones de Montevideo – Uruguay”, “1º Festival de Saxofone Clássico em São Paulo”, “5º Encontro Internacional de Saxofonistas do Conservatório de Tatuí”, “1º Encuentro Internacional de Saxofonistas” em La Pampa – Argentina e “XII Encuentro Universitário Internacional de Saxofón – México”.

Foi responsável pela elaboração, produção e execução dos projetos “Música para Todos”, “Viagem musical pelas Américas” e “Conhecendo Villa-Lobos a bordo do seu trenzinho”, que levaram música instrumental para mais de 6.500 crianças de periferia, com o patrocínio da Secretaria da Cultura de Sorocaba através da Lei de Incentivo à Cultura municipal.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
10º Prêmio Incentivo à Música de Câmara do Conservatório de Tatuí
Míriam Braga, coordenação
Data: 25 de junho a 01 de julho
Horário: 09h00, 11h00, 14h00 e 16h00
Local: Salão Villa-Lobos
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Conservatório de Tatuí realiza 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018

Evento reúne concertos de 22 grupos pedagógicos mantidos pela instituição e segue durante todo o mês de junho, com entrada gratuita

A partir desta quarta-feira, dia 6, o Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado realiza a 2ª Mostra de Prática de Conjunto. A programação, que segue até o fim de junho, traz a apresentação de 22 grupos pedagógicos mantidos pela escola. Todos os concertos têm entrada gratuita.

Quem abre a Mostra é a Jazz Combo Jovem, com um repertório só de Música Popular Brasileira (MPB). O programa traz canções de Hermeto Pascoal, Tom Jobim, Milton Nascimento, Paulo Braga e Gilberto Gil, com arranjos de Paulo Malheiros, coordenador do grupo. O concerto será no Teatro Procópio Ferreira, às 20h00.

No domingo, dia 10, às 11h00, as Orquestras de Cordas Infantil, Infantojuvenil e Juvenil farão o concerto especial “Música que Aquece”, em apoio à Campanha do Agasalho 2018 do Fundo Social da Solidariedade de São Paulo, promovida pelo Instituto CCR, CCR SPVias e apoio do Conservatório de Tatuí. Os ingressos serão trocados por agasalhos, mantas ou cobertores.

A Mostra terá ainda Bandas Sinfônicas Infantojuvenil e Jovem, Big Band Jovem, Camerata de Cordas Jovem, Cameratas Juvenis e Jovem de Violões, Conjunto de Metais, Coro Infantil, Coro de Câmara, Coro Sinfônico Jovem, Ensemble de Performance Histórica, Grupo de Percussão Jovem, Grupo de Saxofones, Orquestra de Violoncelos e Orquestra Sinfônica Jovem. Confira a programação completa em www.conservatoriodetui.org.br.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018
Max Ferreira, coordenação
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Jazz Combo Jovem do Conservatório de Tatuí
Paulo Malheiros, coordenação
Data: 6 de junho, quarta-feira
Horário: 20h00

Orquestras de Cordas Infantil, Infantojuvenil e Juvenil do Conservatório de Tatuí
Concerto “Música que aquece”
Celina Charlier, coordenação

Data: 10 de junho, domingo
Horário: 11h00

Conservatório de Tatuí realiza 4º Sarau Cultural nesta quinta

O evento reúne dezenas de apresentações das mais diversas habilidades artísticas, das 15h00 às 21h00 no Setor de Artes Cênicas

A Cia. de Teatro e o Setor de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – realizam nesta quinta-feira, dia 28, o 4º Sarau Cultural. O evento, que já se tornou tradição na escola, é uma oportunidade para que alunos e atores profissionais do setor mostrem outras habilidades artísticas que dominam, como dança, música e artes plásticas, por exemplo. A programação terá dezenas de apresentações, das 15h00 às 21h00, no Setor de Artes Cênicas. A entrada é gratuita.

De acordo com os organizadores do evento, Rogério Vianna e Fernanda Mendes, a atividade promove uma grande integração dos saberes culturais. “Também permite que familiares de alunos e o público em geral possam conhecer um pouco do que é produzido no Setor de Artes Cênicas. Assim, o aluno e ator podem mostrar o talento e a criatividade que têm para desenvolver o ofício das artes de palco”, reforçam.

A programação traz mais de 40 apresentações com temas e performances variados, que reúnem os trabalhos realizados nas Oficinas de Direção e Maquiagem, Curso de Cenografia e atividades pedagógicas dos Cursos de Teatro Juvenil e Adulto do Conservatório de Tatuí. Entre os títulos que serão encenados, estão: “Que remédio?”, “Deu a louca em Romeu e Julieta”, “Geni e o Zepelim”, “Mix dance”, “Pais e filhos”, “Coração de porco”, “Papo sem nexo”, “Cenas patéticas”, “Recortes esquecidos sobre o amor jogados ao acaso”, “Sapateado – remix”, “O fervo também é luta”, “Lembranças” e muito mais.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
4º Sarau Cultural do Conservatório de Tatuí
Robério Vianna e Fernanda Mendes, coordenação
Data: 28 de junho, quinta-feira
Horário: 15h00 às 21h00
Local: Setor de Artes Cênicas
Rua Quinze de Novembro, 63/65, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Conservatório de Tatuí realiza audição de violão clássico

Alunos do curso de Performance se apresentam nesta quarta-feira, dia 20, no Auditório da Unidade 2, com entrada gratuita

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – realiza nesta quarta-feira, dia 20, uma Audição de Violão Clássico. O evento terá participação de quatro alunos de nível avançado do curso de instrumento da escola. A apresentação será às 18h00, no Auditório da Unidade 2, com entrada gratuita.

O violonista Alexandre Antonio Artung Junior abrirá a audição com o tema do filme “A Lista de Schindler”, escrito por John Williams, seguido de “Estudo Opus 100, nº 11”, de Mauro Giuliani, e “Serenata”, de Franz Schubert.

O violonista Nei Antonio Bittar de Carvalho interpretará “Andante BWV 1003”, de Johann Sebastian Bach; “Ya llega el invierno”, de Federico Moreno Torroba e “Garrotin”, de Joaquin Turina. Em seguida, Camila Manente Tomas apresentará “Fantasia”, de Sylvius Leopold Weiss; “Estudo Opus 38, nº 12”, de Napoléon Coste e “Prelúdio nº 3”, de Heitor Villa-Lobos.

Para encerrar a audição, o violonista Jefferson Gonçalves Munhoz tocará “Sarabande”, de Johann Sebastian Bach; “Noturno Opus 9, nº 2”, de Frédéric Chopin e “Coração que sente (valsa)”, de Ernesto Nazareth. O professor responsável é Edson Lopes, coordenação de Adriano Paes.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
Audição da Classe de Performance em Violão Clássico
Edson Lopes, professor responsável
Adriano Paes, coordenação

Data: 20 de junho, quarta-feira
Horário: 18h00
Local: Auditório da Unidade 2
Rua São Bento, 808, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Conservatório de Tatuí recebe cornetista belga nesta quinta

Harmen Vanhoorne fará um Recital de Cornet no dia 14, às 20h00, no Teatro Procópio Ferreira

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – recebe nesta quinta-feira, dia 14, o cornetista belga Harmen Vanhoorne. O músico apresenta um recital às 20h00, no Teatro Procópio Ferreira, além de participar de outras atividades da escola nos próximos dias.

Vanhoorne iniciou sua carreira musical em 1993 na Escola de Música de Izegem (Bélgica), onde estudou com Georges Coppé. Aos 14 anos, entrou no “Kunsthumaniora” para músicos talentosos em Leuven (Bélgica). Mais tarde, estudou trompete e cornet no renomado Lemmensinstitute, com Leo Wouters e Léon Petré, onde obteve um bacharelato com “Alta Distinção”, bem como um Mestrado com “Maior Distinção”.

Como músico profissional cornetista, Vanhoorne é solista da Royal Wind Band dos Belgian Guides, uma orquestra militar amplamente conhecida. Em 2006, tornou-se cornet principal da Brass Band Buizingen. Sua lista de conquistas inclui, entre outros prêmios, o prestigiado British Open Solo Competition (Manchester, Reino Unido) em 2010 e o Ern Keller Memorial Trophy (Sydney, Austrália) em 2010, concedendo-lhe o título de Solista Internacional do Ano.

O músico voltou recentemente de uma turnê na Nova Zelândia, onde mais uma vez ganhou o prêmio Solista no National Brass Band Championship. Estreou algumas peças especialmente escritas para ele, tendo em vista suas habilidades técnico-instrumentais. A maioria dessas obras está em seu álbum “Fortune’s Fool”.

Além do recital desta quinta-feira, Harmen Vanhoorne fará Master Class de Cornet e Trompete no próximo sábado, dia 16, às 10h00, na Sala 10 do Setor de MPB/Jazz da instituição. Participará também como solista de um concerto com a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí no dia 23 de junho, sábado.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
Recital de Cornet
Harmen Vanhoorne, cornetista convidado

Data: 14 de junho, quinta-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Ingressos: R$ 12 (meia-entrada R$ 6)

Conservatório de Tatuí: Banda Sinfônica Infantojuvenil, Camerata de Cordas Jovem e Orquestra de Violoncelos

Grupos pedagógicos mantidos pela escola participam da 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018, que segue até o fim do mês com vários concertos gratuitos

Três grupos pedagógicos mantidos pelo Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – farão concertos gratuitos neste fim de semana na Capital da Música: Banda Sinfônica Infantojuvenil, Camerata de Cordas Jovem e Orquestra de Violoncelos. É a 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018, que segue até o dia 30 de junho com várias apresentações.

A Banda Sinfônica Infantojuvenil sobe ao palco do Teatro Procópio Ferreira neste sábado, às 11h00, coordenada pelo professor Marco Almeida Junior. O repertório traz “Big Sky Overture”, de Philip Sparke; “O morning star! How fair and bright” e “O how cheating”, de Johann Sebastian Bach, “Danse antiqua”, de Chris Sharp; “Ornamento”, de Timothy Travis; e “Convergence”, de Larry Clark.

No mesmo dia, às 17h00, a Camerata de Cordas Jovens do Conservatório, coordenada pelo professor Tulio Pires, apresentará “Saint Paul Suite”, de Gustav Holst; “Simple Symphony”, de Benjamin Britten; “Hoe Down”, de Aaron Copland; “Chaconne”, de Tomaso Antonio Vitali; e “Oblivion”, de Astor Piazzolla. As duas últimas peças terão solo do violinista Cármelo de los Santos. Brasileiro, o músico viu sua carreira decolar aos 16 anos, quando venceu o Prêmio Eldorado, em São Paulo. Desde então, atuou como solista convidado em mais de 40 orquestras nacionais e estrangeiras. É formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com mestrado pela Manhattan School of Music e doutorado pela Universidade da Geórgia (EUA). Com vários CDs e DVDs gravados, é professor da Universidade do Novo México, em Albuquerque, onde vive atualmente com a família.

No domingo, dia 24, às 11h00, a Orquestra de Violoncelos do Conservatório de Tatuí apresenta-se no Salão Villa-Lobos, coordenada pelo professor Tiago Almeida. O grupo vai interpretar canções folclóricas britânicas, obras clássicas de Joseph Haydn, Samuel Barber e Max Bruch, além das canções brasileiras “Gente humilde”, de Chico Buarque, e “Luiza”, de Tom Jobim.

A 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018 continua até o fim de junho, com apresentação do Coro Infantil (dia 27), Grupo de Saxofones (dia 28), Grupo de Performance Histórica Jovem (dia 28), Conjunto de Metais (dia 28), Ensemble de Performance Histórica (dia 29), Grupo de Percussão Jovem (dia 29); Banda Sinfônica Jovem (dia 30) e Cameratas Juvenis e Jovem de Violões (dia 30). Saiba mais em www.conservatoriodetatui.org.br.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018
Max Ferreira, coordenação

Banda Sinfônica Infantojuvenil do Conservatório de Tatuí
Marco Almeida Júnior, professor responsável

Data: 23 de junho, sábado
Horário: 11h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Camerata de Cordas Jovem do Conservatório de Tatuí
Cármelo de los Santos, violinista convidado
Tulio Pires, professor responsável

Data: 23 de junho, sábado
Horário: 17h00
Local: Salão Villa-Lobos
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Orquestra de Violoncelos do Conservatório de Tatuí
Tiago Almeida, professor responsável

Data: 24 de junho, domingo
Horário: 11h00
Local: Salão Villa-Lobos
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Contatos

Unidade de Formação Cultural (UFC)

Fone: (11) 3339-8168
Emailufc@cultura.sp.gov.br
Rua Mauá, 51 – 2° andar – Luz – São Paulo-SP

Responsável pelos programas Tom Jobim Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), Conservatório de TatuíProjeto Guri, Fábricas de Cultura, Oficinas Culturais, SP Escola de Teatro, entre outros.


Unidade de Fomento e Economia Criativa (UF)

Gerencia o Programa de Ação Cultural (ProAC), Prêmio Estímulo ao Curta-Metragem, Programa de Fomento ao Cinema Paulista, entre outras iniciativas.

Fone: (11) 3339-8172
Rua Mauá, 51 – 2° andar – Luz – São Paulo-SP

PROAC EDITAIS

Rua Mauá, 51 – Sala 205, 2º andar – Luz
São Paulo – SP | CEP: 01028-900

Atendimento:
1) Por e-mail: comunicacaoproaceditais@sp.gov.br
2) Presencialmente: de segunda a sexta, das 13h às 17h.
3) Por telefone: de segunda a sexta, das 13h às 17h –  (11) 3339-8141 / 8275 / 8226.

Assinatura de contrato: de segunda a sexta, das 10h às 12h e das 14h às 16h.

PROAC ICMS

ENTREGA DE DOCUMENTOS
Núcleo de Protocolo e Expedição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa
Rua Mauá, 51 – Luz, São Paulo-SP | CEP: 01028-900
De segunda a sexta, das 10h às 12h e das 13h às 17h.

Telefones:(11) 3339-8280 | (11) 3339-8227 | (11) 3339-8228

Atendimento geral: de segunda a sexta, das 13h às 17h.

EMAILS
Atendimento: proacicms@sp.gov.br
Comissão de Análise de Projetos: proacicms_cap@sp.gov.br
Financeiro: financeiroproac@sp.gov.br
Prestação de Contas: pcproac@sp.gov.br

Mais informações em www.proac.sp.gov.br


Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH)

Fone: 11 3339-8044
Rua Mauá, 51 – 3º andar – Luz – São Paulo-SP

Presta serviços administrativos de apoio, necessários à atuação do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado – CONDEPHAAT.

Informações em www.condephaat.sp.gov.br


Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM)

Fone: (11) 3339-8135
E-mail: museus@sp.gov.br
Rua Mauá, 51 – 2° andar – Luz – São Paulo-SP

Gerencia todo a rede de museus da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.


Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura (UDBL)

Fone: (11) 3339-8006 e 3339-8156
Rua Mauá, 51 – 2° andar – Luz – São Paulo – SP

Responsável pelas áreas de difusão e bibliotecas, que incluem programas como Virada Cultural, corpos artísticos, Circuito Cultural Paulista, Viagem Literária, Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, entre outros.


Unidade de Monitoramento (UM)

Fone: (11) 3339-8129
Email: monitoramento.cultura@sp.gov.br
Rua Mauá, 51 – 3° andar – Luz – São Paulo – SP

A Unidade de Monitoramento tem por objetivo de elaborar diretrizes e procedimentos para acompanhamento, monitoramento e avaliação das parcerias firmadas entre o Estado de São Paulo e as Organizações Sociais de Cultura.


Assessoria de Imprensa

Email: imprensaculturasp@sp.gov.br

Fone: 11 3339-8243
Rua Mauá, 51 – 1º andar – Luz – São Paulo-SP

A área de Assessoria de Imprensa auxilia a Secretaria de Cultura e Economia Criativa em seu relacionamento com os profissionais que trabalham para veículos de comunicação como jornais, revistas, TV, rádios, internet, entre outros. Tem o objetivo principal de divulgar ações e políticas culturais da Secretaria em forma de material escrito (press-releases) e contatos diretos com jornalistas.


Assessoria de Comunicação

Fone: 11 3339-8064
E-mailcomcultura@sp.gov.br
Rua Mauá, 51 – 1º andar – Luz – São Paulo-SP

O Departamento de Comunicação desenvolve ações e estratégias para reforçar a imagem da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo junto aos seus diversos públicos (cidadãos, colaboradores, formadores de opinião, classe política ou empresarial, comunidades etc.).


Copa do Mundo e Festa Junina invadem a edição de Junho da Maratona Infantil do MIS

Toda a família poderá aproveitar a programação especial da Maratona Copa Junina, que inclui oficinas, contação de histórias e shows; a Maratona Infantil acontece no dia 24 de junho, domingo, com entrada gratuita

Em Junho, o MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, traz para a programação da Maratona Infantil duas grandes paixões nacionais: futebol e festa junina! Durante todo o dia 24, domingo, crianças e famílias poderão aproveitar atividades com o melhor dos dois mundos no especial Copa Junina. Completam a programação muitas oficinas, contação de histórias e shows.

Em dois horários, a Intervenção Futebolando, com Cia do Núcleo, traz dois palhaços futebolísticos que interagem com o público utilizando os jargões típicos do esporte, enquanto promovem a prática de atividades físicas. Já os pequenos artistas poderão expressar sua paixão pelo esporte em duas oficinas temáticas: Flipbook Bola no Gol, em que os participantes irão criar seus próprios livretos animados – “flipbooks” – com o tema futebol; e Compactor de Pintura, em que as crianças irão criar pinturas temáticas sobre o mundial de futebol.

+ Esporte

Além disso, o Espaço Kids Competition será uma área de lazer e brincadeiras, disponível das 10h00 às 16h00, para incentivar a prática de atividades ao ar livre. Localizado na área externa do Museu, será recheado de atividades e brincadeiras de rua que vão agradar pais e filhos, como amarelinha, pula corda, mãe da rua e muitas outras.

Festa Junina

No mês de Junho, não poderiam faltar atividades que celebram a Festa de São João na programação da Maratona Infantil. O espetáculo Vamos Xaxar, com Cia da Chinela,  apresenta um show que convida o público a participar de brincadeiras tradicionais das Festas de São João. No Arraiá do Sertão, a Cia Cambaio conta de maneira lúdica as diversas passagens históricas que deram origem às festas juninas no Brasil – principalmente na região Nordeste, onde ela se enraizou, tornando-se forte em sua cultura. Ao final, os artistas convidam o público para dançar uma tradicional quadrilha, tão popular em nossa cultura.

Momento Bebê

A programação também abre espaço para bebês e suas famílias. A oficina Descobrindo o Mundo oferece atividades multissensoriais e vivências que visam a interação da criança ainda na primeira infância com o espaço em questão, suas especificidades, a família e o mundo que a cerca, utilizando a arte como eixo condutor.

Confira, a seguir, a programação completa da Maratona Infantil de Junho:

10h00 às 16h00 | Ponto para doação de brinquedos e alimentos | Área externa

10h00 às 16h00 | Espaço Kids Competition | Área externa

10h00 às 16h00 | Oficina com Matiz Filmes | Área externa

10h00 às 16h00 | Oficina Pritt de Colagem | Área externa

10h00 às 16h00 | Oficina Play-Doh de Massinha de modelar | Área externa

10h00 às 16h00 | Oficina Compactor de Pintura | Área externa

10h00 às 13h00 | Oficina para bebês – Descobrindo o Mundo | Área externa | 0 a 4 anos

10h00 | Oficina de Games HappyCode | Sala de interfaces | 12 vagas

10h30 | Intervenção Futebolando | Área Externa

11h00 | Oficina de carimbos | Foyer Auditório MIS | 20 vagas

11h00 | Arraiá do Sertão com Cia Cambaio | Auditório LABMIS | 64 vagas

11h15 | Oficina de Games HappyCode  Sala de interfaces | 12 vagas

11h30 | Intervenção “A Fotógrafa que capturava o invisível” | Tenda área externa

12h00 | Oficina de carimbos | Foyer Auditório MIS | 20 vagas

12h15 | Oficina de Games HappyCode | Sala de interfaces | 12 vagas

12h30 | Intervenção Futebolando | Área Externa

13h00 às 16h00 | Contação de histórias com Arte Despertar | Foyer Auditório MIS | 20 vagas

13h00 | Arraiá do Sertão com Cia Cambaio | Auditório LABMIS | 64 vagas

13h30 | Intervenção “A Fotógrafa que capturava o invisível” | tenda área externa

14h00 | Vamos Xaxar com Cia da Chinela | Auditório MIS | 172 vagas

14h00 | Oficina de Games HappyCode | Sala de interfaces | 12 vagas

14h00 | Oficina de carimbos | Foyer Auditório MIS | 20 vagas

14h00 | Intervenção Futebolando | Área Externa

15h00 | Arraiá do Sertão com Cia Cambaio | Auditório LABMIS | 64 vagas

15h00 | Oficina de carimbos | Foyer Auditório MIS | 20 vagas

15h15 | Oficina de Games HappyCode | Sala de interfaces | 12 vagas

15h30 | Intervenção Futebolando | Área Externa

16h00 | Vamos Xaxar com Cia da Chinela | Auditório MIS | 172 pessoas

SERVIÇO

Maratona INFANTIL | COPA JUNINA

DATA 24.06, domingo

HORÁRIO 10h00 às 17h00

LOCAL Área externa do MIS, Auditório LABMIS (66 lugares), Auditório MIS (172 lugares), foyer MIS,  sala de interfaces e educativo

INGRESSO Gratuito (algumas atividades exigem retirada de ingressos com uma hora de antecedência na bilheteria)

CLASSIFICAÇÃO livre

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

Valet: R$ 18. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Coral Jovem do Estado abre temporada 2018 no Auditório Masp e Sala São Paulo

Coral Jovem do Estado em concerto na Sala São Paulo, em dezembro de 2017. Foto: Heloisa Bortz. Sob a batuta do regente titular Tiago Pinheiro de Souza, grupo interpreta compositores que vão do clássico ao popular, nos dias 2 e 3 de junho.

No primeiro final de semana de junho, o Coral Jovem do Estado, grupo ligado à EMESP Tom Jobim – Escola do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – abre a sua temporada de concertos. Com apresentações nos dias 2 e 3, no Auditório Masp e na Sala São Paulo respectivamente, o conjunto volta aos palcos apresentando o programa Coração de Pássaro, que vai do barroco de Monteverdi ao tropicalismo de Gilberto Gil. No sábado, o espetáculo começa às 16h e os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Já no domingo, o concerto é às 11h e a entrada é gratuita.

Sob regência de Tiago Pinheiro de Souza e preparação vocal de Marília Vargas, o grupo apresenta um repertório bem diversificado, refletindo a proposta artístico-pedagógica do conjunto, que trabalha não apenas a voz dos alunos, mas também performance e interpretação vocal, como a sensibilidade musical e também a expressão corporal.

O programa abrange diversos compositores clássicos e contemporâneos, caminhando entre a música antiga de Henry Purcell e Claudio Monteverdi, o romantismo de Brahms e a estética moderna de Eric Whitacre. O grupo de bolsistas da EMESP Tom Jobim terá a companhia de músicos convidados: Bruno Migotto (contrabaixo), Juliana Ripke (piano) e Wagner Vasconcellos (bateria), grandes representantes da cena jazzística instrumental brasileira.

A temporada continua em outubro com o programa Cantata Nova, que traz composições de Jean Garfunkel, Marlui Miranda e Ruriá Duprat. Em novembro, tem um especial de repertório barroco homenageando o compositor inglês Henry Purcell e na companhia da Orquestra Barroca EMESP, sob regência do maestro convidado Luis Otavio Santos, considerado um dos principais especialistas em música antiga do país.

Ainda em novembro, o grupo apresenta um programa intitulado Fugitivos, que terá os solistas Juliana Ripke (piano), Ana Carina Sebastião (contrabaixo) e Charles Tixier (bateria), mais o vocal de Maurício Pereira, Negro Leo e Luiza Lian.

Encerrando a temporada, em dezembro o Coral Jovem do Estado interpreta um programa especial de Natal com obras de Assis Valente, Benjamin Britten, Mateo Flecha, entre outros compositores. Os concertos serão regidos pelo seu titular Tiago Pinheiro de Souza e terá preparação vocal de Marília Vargas.

Reestruturado em 2015 com a chegada do regente titular Tiago Pinheiro de Souza e da preparadora vocal Marília Vargas, o Coral Jovem do Estado estabeleceu um importante tripé artístico. Além do fundamental repertório lírico, o grupo passou a explorar a música antiga e a popular – incluindo a criação de um núcleo de música popular dentro do coral.

Essa diversidade – combinada à oportunidade de transitar do canto barroco ao popular, ao lado de renomados solistas, arranjadores e grupos – proporciona aos jovens cantores uma formação de maior abrangência técnica e intelectual, transformando-os em artistas capazes de explorar seus corpos e vozes de forma mais criativa e precisa.

REPERTÓRIO

CLEMÉNT JANEQUIN

Les Chants Des Oyseaux

HENRY PURCELL

Thou Tuns’t This World

CLAUDIO MONTEVERDI

Zefiro Torna

A um Giro Sol

JOHANNES BRAHMS

O Schöne Nacht

ERIC WITACRE

Leonardo Dreams Of His Flying Machine

ERNST WIDMER

Rumo Sol Espiral

GILBERTO MENDES

Asmathour

ANTÔNIO RIBEIRO/ HILDA HILST

Via Espessa

JULIANA RIPKE

Coração de pássaro

JEAN GARFUNKEL / BETH AMIN

Curruíra (arr. Xavier Bartaburú)

NELSON AYRES

Mantiqueira (arr. Vicente Ribeiro)

ROBERTO MENDES/CAPINAM

Yayá Massemba

MAURÍCIO PEREIRA

Mergulhar Na Surpresa

GILBERTO GIL

Parabolicamará

SERVIÇO 

MASP

Data: 2 de junho, sábado

Horário: 16h

Local: Masp Auditório

Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista

Telefone: (11) 3251-5644

Capacidade: 374 lugares

Ingressos: R$30 inteira | R$15 meia

Duração: 60 minutos (aproximadamente)

Acessibilidade: Sim

SALA SÃO PAULO

Data: 3 de junho, domingo

Horário: 11h

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16 – Campos Elíseos

Telefone: (11) 3367-9500

Capacidade: 1.484 lugares

Ingressos: Entrada Franca

Duração: 60 minutos (aproximadamente)

Acessibilidade: Sim

Tiago Pinheiro de Souza, regente

Graduado clarinetista, especializou-se em canto na Berklee College of Music. Dirigiu o grupo Beijo do Coralusp que, nas décadas de 80 e 90, investiu na pesquisa de interação cênica-musical em seus espetáculos e realizou parcerias com artistas como Marlui Miranda e Gilberto Gil, além de registros fonográficos e turnês nacionais e internacionais. Foi solista em diversas obras sinfônicas, entre as quais: Carmina Burana de C. Orff e Paixão segundo São João de J.S.Bach. Integrou o coro da OSESP entre 2000 e 2001. Foi regente titular do Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo. É regente titular do Coral Jovem do Estado desde fevereiro de 2015, quando iniciou uma reformulação artística no grupo.

Juliana Ripke, piano

Juliana Ripke é mestranda em musicologia pela ECA-USP, bacharel em piano pela Faculdade Cantareira e tecnóloga em piano popular pela FASCS. Estudou piano erudito na Escola Municipal de Música de São Paulo e participou de recitais em homenagem compositores brasileiros como Osvaldo Lacerda e Camargo Guarnieri. É professora, arranjadora e pianista correpetidora do Instituto Baccarelli; é pianista do Coral Jovem do Estado; ministra aulas de piano, harmonia e arranjo, e atua no cenário da música instrumental brasileira e jazz. Tem apresentado sua pesquisa sobre tópicos afro-brasileiros em congressos nacionais e internacionais.

Bruno Migotto, contrabaixo

Bruno é professor de harmonia, pratica de bandas e contrabaixo no Conservatório Souza Lima desde 2007. É constantemente convidado a participar dos festivais mais importantes do país, tais como Festival de Música de Londrina, Painel Instrumental do Conservatório de Tatuí, Festival de Inverno de Domingos Martins-ES, Oficina de Música de Curitiba, Festival de Música de Ourinhos e Graded School Jazz Festival são alguns desses. Contrabaixista acústico, elétrico, compositor e arranjador, Migotto é natural de Campinas, interior de São Paulo. Tocou com diversos nomes da música nacional e internacional, como Nelson Sargento, Wilson das Neves, Nenê, Arismar do Espirito Santo, Jovino Santos Neto, Gilson Peranzetta, Raul de Souza, Trio Corrente, Filó Machado, Naylor Proveta, Ed Neumeister e Claudio Roditi.

Wagner Vasconcellos, bateria

Bacharel em Bateria em 2007 pela universidade de música UniFiamFaam, também estudou, durante dois anos, no Conservatório Dramático e Musical Carlos de Campos, em Tatuí. Wagner é uma referência em estudos rítmicos e um dos professores de bateria mais completos do país. Além de estar no grupo de Jazz Organ Hammond Grooves trio desde sua formação, já dividiu palcos e projetos com os grandes músicos Michel Leme, Leo Gandelman, John Pizarelli, e Ronnie Cuber.

Marília Vargas, preparação vocal

Uma das mais ativas sopranos brasileiras de sua geração, formou-se na Schola Cantorum Basiliensis (Suíça) e obteve o Konzert Diplom na classe de Christoph Prégardien, no Conservatório de Zurique (Suíça). Tem sido professora convidada de importantes festivais de música e universidades do Brasil e do mundo. Seus dois álbuns solo Todo amor desta terra e Tempo breve que passaste: Modinhas Brasileiras estão esgotados. Marília Vargas é também professora de Canto Barroco da EMESP Tom Jobim, preparadora vocal do Coral Jovem do Estado e professora da Oficina de Música Barroca da Escola Municipal de Música de São Paulo.

Coral Jovem do Estado

Formado atualmente por 44 bolsistas e ligado à Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim), o Coral Jovem do Estado foi criado em 1979 durante o 10° Festival de Inverno de Campos do Jordão.  Ao longo de sua história, esteve sob a regência de Bruno Wyzuj, Jonas Christensen, Diogo Pacheco, Victor Gabriel, Marcos Leite, Daltson Takeuti, Juan Serrano, Martha Herr, José Ferraz de Toledo e Naomi Munakata, sempre ao lado das mais importantes orquestras sinfônicas e conjuntos instrumentais do Estado. Tem como finalidade principal contribuir na educação e desenvolvimento de seus integrantes, aprimorando seu nível técnico e artístico para que se tornem os futuros profissionais da área. O Coral é um dos grupos de difusão e formação musical da EMESP Tom Jobim, escola do Governo de São Paulo administrada pela Santa Marcelina Cultura.

Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim

Com mais de 20 anos de atuação, a Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim) tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes.

A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A EMESP mantém seis grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado, Orquestra Jovem Tom Jobim, Orquestra Jovem do Theatro São Pedro e Academia de Ópera do Theatro São Pedro, que oferecem bolsas para os alunos da Escola. A EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Estado da Cultura.

Bank of America Merrill Lynch

O Bank of America é uma das principais instituições financeiras do mundo e tem como propósito promover a melhoria da vida econômica e financeira das pessoas e dos países em que está presente por meio do poder das conexões. Para isso, adota uma estratégia de crescimento responsável, com foco nas necessidades dos clientes, em um criterioso controle de riscos, visando à sustentabilidade em longo prazo.

Bank of America Merrill Lynch é a marca para os negócios de banco comercial, investimentos e corretora, sendo um dos líderes globais também nesses segmentos. Na América Latina, possui escritórios em seis países, entre eles o Brasil, e atua no aconselhamento financeiro de empresas e investidores institucionais.

As ações de responsabilidade corporativa do Bank of America Merrill Lynch têm foco em educação financeira, empreendedorismo de impacto, projetos de desenvolvimento econômico, arte e cultura, uma vez que esses temas apresentam grande potencial de transformação e de geração de benefícios para os cidadãos e para toda a sociedade.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Coros e Camerata Juvenil de Violões do Conservatório de Tatuí realizam concerto nesta quarta-feira

Grupos se apresentam no Teatro Procópio Ferreira, às 20h00, com entrada gratuita

A 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018 do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – apresenta nesta quarta-feira, dia 20, três grupos pedagógicos da escola: Coro de Câmara, Coro Jovem e Camerata Juvenil de Violões. O concerto será às 20h00, no Teatro Procópio Ferreira, com entrada gratuita.

Os Coros Jovem e de Câmera iniciam o programa com o tema “Fragmentos do tempo”. De acordo com a professora responsável pelos grupos, Cibele Sabioni, o repertório traz obras originais e arranjos com textos em inglês que falam sobre sentimentos, entre elas: “The way you look tonight”, de Dorothy Fields e Jerone Kern; “You are the new day”, de John David; “Fewer words”, de Ricky Ian Gordon; “Sure on this shining night”, de Morten Lauridsen; “A gaelic blessing”, de John Rutter; e “How can I keep from singing?”, de “Quaker Hymn.

Na segunda parte do concerto, a Camerata Juvenil de Violões, coordenada pela professora Márcia Braga, interpretará “Miniaturas Brasileiras”, de Edmundo Villani-Côrtes; “8ª Valsa da Esquina”, de Francisco Mignone; e “Doce de coco”, de Jacob do Bandolim.

A 2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018 do Conservatório de Tatuí é coordenada pelo professor Max Ferreira e segue até o dia 30 de junho, com concertos gratuitos de vários grupos mantidos pela escola, entre eles:  Banda Sinfônica Infantojuvenil  e Camerata de Cordas Jovem (dia 23), Orquestra de Violoncelos (dia 24), Coro Infantil (dia 27), Grupo de Saxofones, Grupo de Performance Histórica Jovem e Conjunto de Metais (dia 28), Ensemble de Performance Histórica e Grupo de Percussão Jovem (dia 29), Banda Sinfônica Jovem e Cameratas Juveni s e Jovem de Violões (dia 30). Confira a programação completa em www.conservatoriodetatui.org.br.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
2ª Mostra de Prática de Conjunto 2018 do Conservatório de Tatuí
Coro Jovem, Coro de Câmara e Camerata Juvenil de Violões
Cibele Sabione e Márcia Braga, professoras responsáveis
Max Ferreira, coordenação

Data: 20 de junho, quarta-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Entrada franca

Curso de Pintura do Museu Casa de Portinari estimula talentos em Brodowski (SP)

Atividade promovida semestralmente pela instituição desperta interesses de jovens para as artes visuais

Todos os anos, o Museu Casa  de Portinari – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari – realiza duas edições do Curso de Pintura voltado para o público infanto-juvenil.  A primeira turma de 2018, composta por 20 alunos do 5º ao 9º ano, pré-selecionados pelas escolas de Brodowski, conclui sua participação em 28 de junho.

As aulas são ministradas pelo artista plástico Rafael Mandú e acontecem desde março, às quintas-feiras, das 9h00 às 10h30 e das 14h00 às 15h30. O intuito da ação é incentivar o fazer artístico e descobrir novos talentos a partir do domínio e do desenvolvimento de técnicas de pintura, das proporções, das cores e do exercício da criatividade. Além de incentivar a formação artística, a instituição cultural aprofunda seu relacionamento com a comunidade e forma público para suas atividades.

De acordo com o artista responsável, cada integrante demonstra seus interesses e suas habilidades de forma individual. “Por meio da atividade, a criança pode se expressar, expor seus sentimentos e ideias, aprender novas técnicas de desenho e pintura e ampliar sua relação com o mundo ao seu redor. Temos dois exemplos: uma das alunas possui uma característica mais voltada para o design de moda, criando personagens com roupas estilizadas. Já em outra turma, um participante se destaca com um bom domínio das técnicas de desenho realista. A intenção é de que eles continuem se desenvolvendo e estudando, pois ambos possuem um grande potencial para a arte”, explica Mandú.

SERVIÇO

Curso de Pintura

Período: até 28/06/2018

Local: Galpão do Merched (Rua Floriano Peixoto, nº 371 – Centro – Brodowski/SP)

Horário: Quintas-feiras, das 9h00 às 10h30 e das 14h00 às 15h30

Público-alvo: Alunos pré-selecionados (5º a 9º anos)

Informações: (16) 3664-4284

Entrada: Gratuita

Curso de Trufas na Biblioteca de São Paulo é oportunidade para quem quer empreender

Duas oficinas de empreendedorismo também serão realizadas: uma sobre formalização de empresas e outra sobre gestão financeira; inscrições devem ser realizadas no site da biblioteca

Atrás de uma oportunidade para aprender a empreender? A Biblioteca de São Paulo, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, realiza nos dias 29 e 30 de maio o curso “Festival de Trufas”. Além das aulas com a chef confeiteira Danielle Trolezi, completam a grade outras duas oficinas: “Começar bem: formalização” e “Fluxo de caixa”, realizadas pelo Sebrae.

Durante a aula, serão ensinadas quatro receitas de trufas: a tradicional, a de limão taiti com gengibre, a de cheesecake de frutas vermelhas e também a de paçoca. A chef também mostrará três formas diferentes de apresentação: a tradicional, parecida com um bombom, a trufa no palito e a trufa no cone. Todo o processo de temperagem do chocolate será apresentado durante a oficina e quem participar, receberá material impresso com as receitas feitas em aula e outros conteúdos extras para treinar em casa, além de uma planilha para calcular corretamente o preço das trufas e obter lucro com a venda dos doces. O curso será nos dias 29 e 30 de maio (terça e quarta-feira), das 13h00 às 17h00.

Nos mesmos dias serão realizadas as oficinas “Começar bem: formalização”, sobre o passo a passo para formalizar uma empresa, bem como os direitos e obrigações do negócio formalizado. “Fluxo de caixa”  irá tratar dos fundamentos da gestão financeira da empresa. As oficinas ocorrem, das 10h00 às 12h00.

Os cursos são gratuitos e a inscrição poderá ser feita a partir do dia 8 de maio no site da biblioteca, www.bsp.org.br/inscricao.

SERVIÇO

Local: Biblioteca de São Paulo – Parque da Juventude

Endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana.

Telefone: (11) 2089-0800

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Aberta de terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Dia das Mães: programação especial nas instituições da Secretaria

Especial Almodóvar no MIS-SP, concerto gratuito na Sala São Paulo e atividades para mães com seus bebês estão entre os destaques da programação dos dias 12 e 13 de maio

 Bebelê/Biblioteca Villa Lobos – Ação Blogueiras – 2016 (foto: Divulgação)

Que tal levar a sua mãe para uma apresentação gratuita na Sala São Paulo ou ainda produzir um presente para ela no Museu do Futebol? Cinema, mostras e apresentações musicais fazem parte da programação especial para o Dia das Mães que as instituições da Secretaria da Cultura do Estado preparam para o público. Confira.

Museus

O MIS-SP preparou uma curadoria especial no domingo das mães. O museu trará ao público uma mostra gratuita com três filmes que retratam mães fortes e emblemáticas através do olhar de Pedro Almodóvar, especialista em criar figuras maternas envolventes e complexas Serão exibidos Volver”, às 15h00; “Julieta”, às 17h30; e “Tudo sobre minha mãe”, às 19h30. As sessões são gratuitas, sendo necessário retirar o ingresso uma hora antes das sessões, na recepção do museu.

No dia 12 de maio, às 11h00, o Museu Afro Brasil inaugura a exposição “Isso É Coisa de Preto – 130 Anos da Abolição da Escravidão” que retrata mulheres e homens negros que marcaram época na história brasileira, como o médico Juliano Moreira, o poeta Luiz Gama, o escritor Manuel Querino, a cantora Elza Soares, entre outros. Os visitantes poderão ainda conferir outras cinco mostras que estão em exposição. Mais detalhes em www.museuafrobrasil.org.br.

Além de conferir as exposições, “Hilma af Klint: Mundos possíveis”, “Emmanuel Nassar: 81-18”, “Arte colonial na coleção da Fundação Nemirovsky”, “José Antonio da Silva” e “Chão Comum”, de Ana Dias Batista, no domingo, 13 de maio, a Pinacoteca realiza o espetáculo “Pinacanção”, que reúne música, teatro e artes visuais. Na narrativa, dois personagens se encontram na Pinacoteca e, em meio a canções, descobrem juntos tons, texturas e escalas do mundo da pintura. A atividade é gratuita, com início às 15h00 e, para participar, basta retirar os ingressos a partir das 14h30 na entrada do auditório. No mesmo dia, das 11h00 às 15h00 o “Pinafamília” leva pessoas de todas as idades para uma viagem pelo acervo do museu. Mais informações no site www.pinacoteca.org.br.

Nos dias 12 e 13 de maio, das 14h00 às 15h30, o Museu do Futebol promove a oficina de “Marca Páginas”, onde os participantes poderão produzir um presente em homenagem aquela pessoa especial. A atividade é gratuita.

Com entrada gratuita aos sábados e domingos,o Museu da Casa Brasileira apresenta no dia 13, às 11h00, Carlinhos Antunes e a Orquestra Mundana Refugi, com músicas do Brasil, Palestina, Irã, Guiné e Congo no repertório. Os visitantes podem aproveitar a visita ao museu para conhecer a exposição “Design Aerodinâmico – Metáfora do Futuro”, com mais de 250 objetos do estilo streamline – também conhecido como streamform ou streamlining. Mais informações sobre a programação no site www.mcb.org.br.

 Bebelê/Biblioteca Villa Lobos – Ação Blogueiras – 2016 (foto: Divulgação)

Bibliotecas

Nas Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos, as atividades de contação de histórias “Lê no Ninho”, no sábado, dia 12 de maio, às 11h00 e “Hora do Conto”, domingo, dia 13 de maio, às 16h00 são oportunidades de aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças.

Além dessas atividades, no dia 12 de maio às 11h00, na Biblioteca Parque Villa-Lobos, as mães que gostam de literatura poderão acompanhar bate-papo com o escritor Jacques Fux no projeto “Segundas Intenções” na Biblioteca Parque Villa-Lobos, autor do livro “Nobel”, que acaba de ser lançado pela Editora José Olympio.

OSESP

Sob regência de Marin Alsop e com participação do suíço Emmanuel Pahud, considerado um dos melhores flautistas do mundo, a Osesp se apresenta nos dias 10 e 11 de maio, às 20h30, e 12 de maio, às 16h30, na Sala São Paulo. O repertório traz peças de Wolfgang Amadeus Mozart, Robert Fobbes, Leonard Bernstein e Nikolai Rimsky-Korsakov. Os ingressos podem ser adquiridos no site www.ingressorapido.com.br. No sábado, 12, às 14h30, o flautista realiza um recital, às 14h45 com ingressos à R$57,00 (inteira) e no domingo, Dia das Mães, Pahud se une ao Quarteto da Osesp para mais uma apresentação, às 19h00.

No domingo pela manhã, a Sala São Paulo recebe, às 11h00, a Orquestra Juvenil de Heliópolis para sua série de concertos matinais. Sob regência de Edilson Ventureli, eles apresentam um repertório com composições de Antônio Carlos Gomes e Robert Schumann. A apresentação é gratuita e os ingressos ficam disponíveis para retirada na bilheteria do 1º subsolo a partir de segunda-feira, 7 de maio, limitados a quatro por pessoa. Confira a programação da Sala São Paulo em www.salasaopaulo.art.br.

SERVIÇO

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800

Funcionamento: de terça-feira a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30

Entrada gratuita

Acessibilidade no local

www.bsp.org.br

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Av. Queiroz Filho, 1205, Alto de Pinheiros

(11) 3024-2500

Funcionamento: de terça a domingo e feriados, 9h30 às 18h30.

Acessibilidade no local

Entrada gratuita

www.bvl.org.br

Museu da Imagem e do Som – MIS-SP

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

Funcionamento: terça a sexta, (fechado às segundas) das 11h00 às 20h00 | sábados, das 10h00 às 21h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 19h00

Estacionamento pago no local

Entrada gratuita às terças-feiras. Aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo – consulte os valores dos ingressos das exposições e eventos

Acessibilidade no local

www.mis-sp.org.br

 Museu do Futebol

Praça Charles Miller, S/N – Pacaembu,  São Paulo- SP

(11) 3664-3848

Funcionamento: terça a domingo, das 9h00 às 18h00 (Bilheteria até às 17h00)

R$ 12,00 | Grátis às terças-feiras

Estacionamento na Praça Charles Miller (Zona Azul)

www.museudofutebol.org.br

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

www.museuafrobrasil.org.br

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 02 – Luz, São Paulo – SP

(11) 3324-1000

Funcionamento: quarta a segunda (fechado às terças) das 10h00 às 17h30 (com permanência até às 18h00)

Estacionamento gratuito no local

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

www.pinacoteca.org.br

Dia Nacional de Luxemburgo é celebrado com concerto da Jazz Sinfônica

No dia em que se celebra a nação luxemburguesa, 23 de junho, a orquestra Jazz Sinfônica apresenta o espetáculo “Concerto Luxemburgo”, no Auditório Simón Bolívar, do Memorial da América Latina.

O repertório terá composições de grandes nomes da música brasileira, como Milton Nascimento e Tom Jobim. A expectativa ficará por conta do encerramento do espetáculo com a música “Your Smile”, do trompetista e compositor de Luxemburgo Gast Waltzing.

Waltzing criou várias bandas de jazz, incluindo o Largo e a Orquestra Nacional de Jazz de Luxemburgo, e compôs músicas para filmes e programas de televisão, além de óperas que combinam música clássica com jazz e rock.

“Concerto Luxemburgo” contará com a presença do Embaixador de Luxemburgo no Brasil, Carlo Krieger, e do Cônsul Geral de Luxemburgo em São Paulo, Jan Eichbaum. A regência do espetáculo é do maestro João Maurício Galindo.

Sobre Luxemburgo

Localizado estrategicamente no coração da Europa, Luxembrugo é membro fundador da União Europeia, o maior centro financeiro da Europa e o segundo maior do mundo. A característica mais marcante da sociedade luxemburguesa é a sua multiculturalidade.

As relações diplomáticas entre Brasil e Luxemburgo foram estabelecidas em 1911. A parceria com Luxemburgo é significativa para o Brasil – tanto por seu papel de relevo na articulação de posições no âmbito da União Europeia, como pela presença de importante comunidade lusófona (cerca de 16% da população luxemburguesa é de origem portuguesa).

Programa:

Jazz Sinfônica – Concerto Luxemburgo (*sujeito a alterações)

– Hino Nacional Brasileiro

Música: Francisco Manuel da Silva

Letra: Joaquim Osório Duque Estrada

– Hino Nacional de Luxemburgo

Jean-Antoine Zinnen, Michel Lentz

– Hino da União Europeia

Ludwig Van Beethoven

– Milagre dos peixes

Milton Nascimento

Arr: César Camargo Mariano | Orquestração: Nelson Ayres

– Jobimniana – fantasia sobre temas de Tom Jobim

Arr: Cyro Pereira

– Surfboard

Tom Jobim

Arr: Cyro Pereira

– Chovendo na Roseira

Tom Jobim

Arr: Fernando Correa

– Lamento Sertanejo e Feira de Mangaio

Gilberto Gil, Dominguinhos / Sivuca, Glória Gadelha

Arr: Fábio Prado

– Aquarela de Sambas

Arr: Cyro Pereira

– Your Smile

Gast Waltzing, Maggie Parke

Arr: David Laborier

SERVIÇO

Concerto Luxemburgo

Local: Auditório Simón Bolívar

Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 / Metrô Barra Funda

Data: 23/6 (sábado)

Horário: 21 horas

Duração do espetáculo: aproximadamente 60 minutos

Ingressos: www.ingressorapido.com.br (haverá bilheteria no dia e local da apresentação, das 18 às 21 horas)

Estacionamento: 15 (preço único: R$ 25; mais próximo do auditório) ou 8 (mais distante; R$ 10 a 1ª hora e a cada hora, R$ 10)

Classificação: livre

Diretor do Museu da Diversidade ministra curso para guias de turismo e interessados em Campos do Jordão

Franco Reinaudo estará nas instituições de Campos do Jordão em 19 de junho (terça-feira) para falar sobre respeito à diversidade sexual; inscrições gratuitas pelo email contato@museufelicialeirner.org.br

 O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari, promovem curso para guias de turismo e interessados, em parceria com o Museu da Diversidade. A atividade gratuita acontece dia 19 de junho (terça-feira), às 15h00. Os interessados devem se inscrever pelo email contato@museufelicialeirner.org.br.

Considerando que a informação é fundamental para superar a discriminação e exercitar o respeito à diversidade humana, a ação “Sensibilizando para a Diversidade”, ministrada por Franco Reinaudo, do Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual – Museu da Diversidade, apresentará as minorias sexuais, os  conceitos sobre diversidade sexual e sexualidade, como orientação sexual, identidade de gênero, papel de gênero, entre outros; de forma a esclarecer mitos e verdades sobre lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais; e a demonstrar como comportamentos simples de respeito acolhem as pessoas tal como são, contribuindo para uma sociedade mais justa e inclusiva.

O encontro terá duração de três horas e disponibilizará certificado online de participação.

O palestrante

Franco Reinaudo é formado em Gestão de Empresa Turística pelo “Istituto delle Scienze Turistiche”, em Florença (Itália), com especialização em Marketing e Comunicação. Foi presidente e fundador da Abrat GLS (Associação Brasileira de Turismo GLS) e da AEG do Brasil (Associação dos Empresários GLS do Brasil), além de membro do Bureau de Negócios GLS. Instrutor, consultor e palestrante em políticas para a inclusão da diversidade sexual no setor público e privado. Foi responsável pelo Marketing e Desenvolvimento Turístico da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo de 1999/2000. É autor do Guia GLS do Brasil, lançado pelas Edições GLS (atualmente esgotado) e autor do livro “O Mercado GLS”, lançado pela editora Matrix em 2008. De 2009 a 2012 esteve à frente da Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual da Secretaria de Participação e Parceria da Prefeitura de São Paulo, órgão responsável pela articulação de políticas públicas e sociais para a população LGBT. Atualmente dirige o Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual – Museu da Diversidade da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

SERVIÇO

Palestra Sensibilizando para a Diversidade

Data: 19/06/2018 (terça-feira)

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 15h00

Entrada: gratuita

Informações: (12) 3662-6000

Em Araraquara, curso sobre gestão orçamentária e financeira do SisEB

O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo – SisEB – leva a Araraquara, no dia 18 de julho, das 9h00 às 16h00, na Biblioteca Pública Municipal Mário de Andrade (Rua Carlos Gomes, 1.729), o curso gratuito “Gestão orçamentária e financeira: legislação, classificações, sistema e processo”, com Valdemir Pires, professor de Finanças Públicas e de Administração Financeira e Orçamentária Pública do curso de Administração Pública da Unesp-Araraquara.

Voltado a profissionais de bibliotecas, salas de leituras e programas de incentivo à leitura, o objetivo do curso é introduzir ao conhecimento prático do orçamento público como instrumento viabilizador das políticas públicas, de modo a facilitar a interação das áreas-fins, como Cultura, Educação e Saúde, com a área financeira. Mais informações e inscrições no site http://siseb.sp.gov.br.

Curso “Gestão orçamentária e financeira: legislação, classificações, sistema e processo” – Araraquara

Data: 18 de julho

Local: Biblioteca Pública Municipal Mário de Andrade – Rua Carlos Gomes, 1.729 – Centro

Horário: 09h00 às 16h00

Vagas limitadas – inscrições gratuitas

Informações: (11) 3155-5444 – http://siseb.sp.gov.br

Em Campos do Jordão, Projeto Diálogos Impertinentes discute o tema ‘Mães, Pais e Filhos’

Terceiro ato da ação convida o público a refletir sobre o machismo e o lugar social reservado à maternidade nos dias atuais; a participação é gratuita

 Domingo, 13 de maio, o Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo geridas pela ACAM Portinari – convidam todos para participar do terceiro encontro do “Diálogos Impertinentes”. Esta edição, realizada no Dia das Mães, se propõe a discutir a relação entre mães, pais e filhos e o lugar social reservado à maternidade na sociedade atual. O bate-papo começa às 10h30 e terá entrada gratuita.

O facilitador desta edição será  Ricardo Arroio, que representará o lugar social de quem não tem filhos. Taís Masi, como mãe e facilitadora de processos ligados à maternidade, será a co-facilitadora. Eles irão estimular os convidados e o público presente  – sejam eles mães, pais ou não – a debaterem o tema de forma  saudável, inspirados em conhecimentos como “Comunicação Não Violenta”, “Liderança do Coração”, “Processos Divergentes, Emergentes e Convergentes”, entre outros.

O assunto é muito importante no cenário brasileiro. De acordo com pesquisar do IBGE, mais da metade das mulheres que são mães trabalham e ganham, em média, menos que os homens. Outra situação é de que 38,7% dos lares brasileiros (57,3 milhões de lares) são chefiados por mães solteiras. Neste sentido, serão apresentadas importantes indagações, entre elas, qual é o papel dos homens na perpetuação – ou na transformação – dessas e de outras realidades das mães no país? Quais as diferenças sociais entre ser mãe, pai ou  mãe solteira?

O Diálogos Impertinentes acontece ao longo do primeiro semestre de 2018, sempre com a proposta de  refletir sobre pontos sensíveis da cultura brasileira e mundial atual, e questionando o processo de naturalização de dinâmicas negativas. O projeto foi elaborado  pelo jornalista Gustavo Prudente para tratar questões polêmicas e inquietantes com a ajuda de pessoas ligadas aos movimentos sociais sobre o tema, elucidando possíveis pontos de ruídos. Nas edições anteriores foram abordados o “Privilégio Branco” e “Privilégio Heterossexual”.

O foco de Prudente é contribuir para o desenvolvimento de líderes e culturas sustentáveis, além de fomentar redes globais de lideranças de diversos setores da sociedade, que tomam decisões  e impactam positivamente a todos. Para isso, faz pesquisas, escreve, é Coach de Lideranças e Consultor Organizacional pela Sustenta Mundo – Culturas & Relações Sustentáveis, da qual é sócio-fundador.

O endereço do Museu e Auditório é Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 – Campos do Jordão. No domingo a entrada é gratuita. Nos outros dias o valor do ingresso é R$10,00, a meia R$5,00 (estudante e idoso). Conheça a política de gratuidade em www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso.

SERVIÇO

Diálogos Impertinentes – “Mães, Pais e Filhos”

Data: 13/05/2018 (domingo)

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 10h30

Informações: (12) 3662-6000

Entrada: gratuita

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de brinquedos, que serão destinados a instituições de caridade do município

Em julho, Biblioteca de São Paulo promove campeonato de videogame e várias atividades para todos os públicos

A Biblioteca de São Paulo (BSP), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerida pela SP Leituras, realiza, em julho, várias atividades que remetem ao Campeonato Mundial de Futebol e traz ainda encontro com escritor, contação de histórias e até brincadeiras baseadas no Dia do Rock. No clima das disputas em campo na Rússia, vem aí o campeonato de videogame que, no dia 5 de julho, das 10h00 às 17h00, promete premiação e muitos gols na sala de videogames da BSP. Para participar, é necessário fazer inscrição no balcão de atendimento da biblioteca (as vagas são limitadas). A programação temática vai além com os pontos de troca de figurinhas, jogos e brincadeiras durante todo o mês.

Para quem gosta de contação de histórias, a equipe da BSP prepara apresentações todas as sextas-feiras, às 15h00, e, aos sábados, a atividade fica por conta dos grupos convidados: Palhaço Adão e Palhaço Manjericão (dia 7, às 16h00), Paula Dugaich (dia 14, às 16h00), Mirela Estelles e Amarilis Reto (dia 21, às 16h00), e Cia. Sá Totonha (dia 28, às 16h00). No dia 8 de julho é a vez do Domingo no Parque, realizado em área próxima da biblioteca no Parque da Juventude e composto por um dia inteiro de atividades: Lê no Ninho (das 11h30 às 12h15) e mais contação com Lilian Marchetti, Murilo Luz e Flora Marchetti (das 12h15 às 16h00).

Aproveitando o Dia do Rock, comemorado em 13 de julho, a BSP preparou atividades relacionadas, como o Brincando e Aprendendo com o jogo We Will Rock You no dia 11, às 15h00, e Pintando o Sete com criação em estêncil em homenagem ao gênero musical, no dia 12, às 15h00. Com relação ao Dia do Escritor, comemorado em 25 de julho, a biblioteca desafia os frequentadores em um jogo de memória temático no Brincando e Aprendendo, às 15h00, e a atividade Pintando o 7 propõe a produção de tirinhas baseadas em poemas de Mário Quintana no dia 26.

Lourenço Mutarelli é o escritor convidado do Segundas Intenções no dia 28 de julho, das 11h00 às 13h00, no auditório, com mediação do jornalista Manuel da Costa Pinto. A trajetória de Mutarelli passa pelos quadrinhos, webséries e livros – entre eles, “O cheiro do ralo” (que deu origem a filme homônimo), “O natimorto” (também adaptado para as telas), “Miguel e os demônios” e “O grito de Abdera”. No cinema, também aparece em produções como “Cheiro do ralo” (no qual faz uma ponta como segurança), “A que horas ela volta?” (na programação do Pontos MIS de julho), “É proibido fumar”, entre outros. E, ainda em julho, o Clube de Leitura chega no dia 19, das 15h00 às 17h00, com debate sobre a obra de Laura Esquivel e um de seus livros: “Como água para chocolate”.

Mais informações da BSP no site: http://bsp.org.br

CAMPEONATO MUNDIAL DE FUTEBOL

Ponto de troca de figurinhas – Ponto de encontro dos colecionadores de figurinhas da Copa. Sextas, sábados e domingos, até 29 de julho, das 14h00 às 17h00. Não é necessário fazer inscrição.

Chute de letra – atividades artísticas, jogos e brincadeiras em que o futebol é o tema central. Toda quinta-feira das 16h00 às 17h30. Com equipe BSP. Não é necessário fazer inscrição.

Campeonato de videogame – Mundial de Futebol 2018 – Quinta-feira, 5, das 10h00 às 17h00. A bola e a emoção vão rolar na BSP com este campeonato; o vencedor ganha um prêmio. Vagas limitadas. Inscrições prévias no balcão de atendimento da biblioteca.

INFANTIL

HORA DO CONTO

Contação de histórias da literatura infanto-juvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário fazer inscrição.

  • Sextas-feiras, às 15h00.

6 – Rapunzel, de Márcia Honora.

13 – Drácula, adaptado por Anna Claudia Ramos.

20 – A pequena sereia, de Hans Christian Andersen.

27 – O menino mais feio do mundo: aconteceu no São João, de Regina Chamlian.

Com equipe BSP.

  • Sábados, às 16h00.

7 – A princesa e a ervilha, de Hans Christian Andersen.

Com Palhaço Adão e Palhaço Manjericão

14 – Clarice Lispector para meninas e meninos, de Nadia Fink.

Com Paula Dugaich

21 – Cobra Norato, de Luís da Câmara Cascudo. Com interpretação em Libras.

Com Mirela Estelles e Amarilis Reto.

28 – Godofredo – o craque caprino, de Flávio Dana.

Com a Cia. Sá Totonha.

LÊ NO NINHO

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre seis meses e quatro anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Pais e responsáveis podem, ao fim, emprestar os kits utilizados, com dois livrinhos e um fantoche, e reproduzir a experiência em casa.

  • Sábados das 11h00 às 11h45.
  • Domingos, das 11h30 às 12h15 (no dia 8, a atividade acontecerá no Parque da Juventude, no programa Domingo no Parque).

Com equipe BSP.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

BRINCANDO E APRENDENDO

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

  • Quartas-feiras, das 15h00 às 16h00.

4 – Queimada.
11 – Jogo: We Will Rock You.

18 – Brincando de bolinha de sabão.

25 – Jogo da memória com escritores. Em homenagem ao Dia do Escritor.

Com equipe BSP. A partir de sete anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

PINTANDO O 7

Atividade para pintar, desenhar, colar e criar, inspirada em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

  • Quintas-feiras, das 15h00 às 16h00.

5 – Confeccione cofres de porquinho com material reciclável.

12 – Faça estêncil em tela, em homenagem ao Dia do Rock.

19 – Confeccione bonecos com material reciclável.

26 – Faça tirinhas, baseadas em poemas de Mário Quintana. Em homenagem ao aniversário do escritor.

Com equipe BSP. A partir de seis anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

TODOS OS PÚBLICOS

SALA DE VIDEOGAMES

A BSP oferece aos seus frequentadores mais uma opção de diversão: uma sala equipada com videogame e vários jogos eletrônicos.

  • De terça a sexta, das 9h30 às 18h00.
  • Sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 18h00.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

DOMINGO NO PARQUE

  • Domingo, 8, no Parque da Juventude.

11h30 às 12h15 – Sessões do programa Lê no ninho, com equipe BSP.

12h15 às 16h00 – Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias com Lilian Marchetti, Murilo Luz e Flora Marchetti.

Não é necessário fazer inscrição.

Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da biblioteca.

Atenção: nos dias 1º, 15, 22 e 29, o programa Lê no Ninho será realizado dentro da BSP.

JOGOS PARA TODOS!

Oficina de xadrez.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

  • Sábados, das 11h00 às 13h00.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

JOGOS SENSORIAIS

Divertida experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

  • Terças-feiras, das 15h00 às 16h00.

Com equipe BSP. A partir de 11 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

PONTOS MIS

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o programa promove o contato com obras do cinema através de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo, democratizando assim o contato com produções audiovisuais e viabilizando a formação de plateias.

Não é necessário fazer inscrição. As vagas serão preenchidas por ordem de chegada.

  • SESSÃO ADULTO, quartas-feiras, às 10h00.

Que horas ela volta?
Dir. Anna Mulyaert. Brasil, 2015, 1h52. Elenco: Regina Casé, Helena Albergaria, Michel Joelsas. Idioma: português. Gênero: drama. Classificação: 12 anos.
A pernambucana Val (Regina Casé) se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

  • SESSÃO INFANTIL, sextas-feiras, às 15h30.

A cidade das crianças

Dir. Nicolas Bary, França/Luxemburgo, 2008, 95 min. Gênero: aventura, fantasia. Classificação: livre. Elenco: Raphael Katz, Adèle Exarchopoulos, Léo Legrand.
Na vila de Timpelbach, as crianças afrontam os adultos e todas as formas de autoridade. Impotentes, os adultos decidem abandonar a vila, deixando-os a imaginar que todos partiram numa viagem. Quando as crianças se dão conta de que não existe um só adulto na vila, eles tomam conta de tudo, fazendo suas próprias leis. Mas existe algo com o que eles não contavam…

LEITURA AO PÉ DO OUVIDO

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

  • Sextas-feiras, das 16h30 às 17h00.

6 – Quinze dias, de Vitor Martins.

13 – A maçã envenenada, de Michel Laub.

20 – Textos de Ricardo Lísias.

27 – “Aquecimento” Segundas Intenções: O cheiro do ralo, de Lourenço Mutarelli.

Com equipe BSP.

Não é fazer necessário inscrição.

JOVEM

LUAU BSP

O programa apresenta temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

  • Quintas-feiras, das 12h30 às 13h30.

Com equipe BSP.

Não é necessário fazer inscrição.

ADULTO

CLUBE DE LEITURA

Todos os meses a BSP seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

  • Quinta-feira, 19, das 15h00 às 17h00.

Como água para chocolate, de Laura Esquivel.

Com equipe BSP.

Não é necessário fazer inscrição.

SEGUNDAS INTENÇÕES

Bate-papo com Lourenço Mutarelli.

Mediação: Manuel da Costa Pinto.

  • Sábado, 28, das 11h00 às 13h00.

Não é necessário fazer inscrição.

Declaração de atividades complementares para estudantes universitários.

SARAU NA BSP

Literatura, canto e poesia.

Com o Grupo de Poetas Cantores e Declamadores Independentes de São Paulo.

  • Domingo, 22, das 14h30 às 16h30.

Coordenação de Terezinha Rocha.

Não é necessário fazer inscrição.

SERVIÇO

Local: Biblioteca de São Paulo – Parque da Juventude

Endereço: Avenida Cruzeiro do Sul, 2.630, Santana.

Telefone: (11) 2089-0800

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

Aberta de terça a domingo e feriados, das 9h30 às 18h30.

 

Site: http://bsp.org.br
Facebook:
https://www.facebook.com/BSPbiblioteca
Twitter:
https://twitter.com/BSPbiblioteca
You Tube:
https://www.youtube.com/user/SPbiblioteca

Em julho, Biblioteca Parque Villa-Lobos realiza campeonato de videogame e várias atividades para todos os públicos

Aproveitando o clima do campeonato mundial de futebol, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerida pela SP Leituras, promove, em julho, campeonato de videogame e uma série de atividades relacionadas ao esporte que é paixão dos brasileiros. A contação de histórias fica por conta da equipe BVL nas sextas-feiras, às 15h00, e aos domingos, às 16h00, com grupos convidados: Mirela Estelles e Amarilis Reto (dia 1º de julho), Paula Dugaich e Manu Rodrigues (8), Cia. Sá Totonha (15), palhaços Adão e Gastão (22) e Cia. do Liquidificador (29). No dia 29, o Domingo no Parque traz contações na área próxima da biblioteca com a cia. Teatro Nóis na Mala, das 11h00 às 16h00.

O Segundas Intenções, bate-papo mediado pelo jornalista Manuel da Costa Pinto, recebe, em julho, o escritor Ricardo Lísias. O encontro está marcado para o dia 21, das 11h00 às 13h00, na Oca, e o escritor falará sobre sua trajetória, seu processo criativo e suas obras. Já o Clube de Leitura, que seleciona todos os meses um livro e escritor para serem temas de debate, aborda, em julho, a obra “Mar de papoulas”, de Amitav Ghosh. A atividade, comandada pela equipe BVL, será no dia 27, das 15h00 às 17h00, no auditório. Não é necessário realizar inscrição para participar das atividades.

Aproveitando o Dia do Rock, comemorado em 13 de julho, a BVL preparou uma série de atividades, como o Pintando o 7: criação de painel demonstrando a presença feminina no rock (dia 4), confecção de adesivos com o logo das bandas (dia 11), criação de encarte de CD sobre as origens do rock (dia 18) e produção de um caderno para escrever letras de música (dia 25). Todas as atividades acontecem às 10h30.

Em homenagem ao Dia do Escritor, comemorado no dia 25 de julho, a  atividade na BVL no dia 20 será um jogo de memória com escritores como personagens das cartas, no Brincando e Aprendendo. Vale lembrar que oficinas de smartphones e informática para o público +60 estão com inscrições abertas e são uma oportunidade de aprender ou aprofundar os conhecimentos sobre os equipamentos e as mídias sociais. Para saber mais e realizar a inscrição, procure o balcão de atendimento da biblioteca.

Mais informações sobre a BVL, acesse https://bvl.org.br/

COPA DO MUNDO

Ponto de troca de figurinhas da Copa – Ponto de encontro dos colecionadores de figurinhas. Sextas, sábados e domingos, de 1º de junho a 29 de julho, das 14h00 às 17h00. Não é necessário fazer inscrição.

Chute de letra – Atividades artísticas, jogos e brincadeiras baseados em futebol. Toda sexta-feira das 16h30 às 18h00. Com equipe BVL. Não é necessário fazer inscrição.

Campeonato de videogame – Campeonato mundial de futebol 2018 – 8 de julho, das 10h00 às 17h00. Indicado para pessoas com até 17 anos. Inscrições no balcão de atendimento da biblioteca. Vagas limitadas.

INFANTIL

HORA DO CONTO

Contação de histórias da literatura infanto-juvenil, para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças. Não é necessário fazer inscrição.

Sextas-feiras, às 15h00.

6 – O nabo gigante, de Aleksei Tolstói.

13 – O passe e o gol, de Juca Kfouri (atividade Mundial de Futebol)

20 – A princesa chifruda, de Ricardo Azevedo.

27 – O grúfalo, de Julia Donaldson.

Com equipe BVL.

Domingos, às 16h00

1º – Chora-lua, chora-lua, organizado por Lenice Gomes. Com interpretação em Libras.

Com Mirela Estelles e Amarilis Reto.

8 – A destemida, de Kevin Crossley-Holland. Em referência ao Dia do Rock.

Com Paula Dugaich e Manu Rodrigues.

15 – A bola e o goleiro, de Jorge Amado.

Com a Cia. Sá Totonha.

22 – Iuburoirê wasu’u o homem que tinha furúnculo, de Josias Tomosuzarebe Xavante.

Com os Palhaços Adão e Gastão.

29 – O escravo e o leão, recontado por Paulo Coelho.

Com a Cia. do Liquidificador.

LÊ NO NINHO

Atividade de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas. Pais e responsáveis podem, ao final da atividade, emprestar os kits utilizados, com dois livrinhos e um fantoche, e reproduzir a experiência em casa.

Sábados e domingos, das 10h30 às 11h15.

Com equipe BVL.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

PINTANDO O 7

Atividades para pintar, desenhar, colar e criar, inspiradas em temas literários, ecológicos e culturais, desenvolvendo assim as capacidades artísticas e criativas das crianças.

Quartas-feiras, das 10h30 às 11h30.

Durante todo o mês, as atividades terão como referência o Dia do Rock.

4 – A presença feminina no rock: criação de um painel expositivo.

11 – Confecção de adesivos artesanais com logo de bandas.

18 – Origens do rock: a contribuição do negro na criação do estilo musical: confecção de encarte de CD com cantores negros.

25 – Conheça bandas de rock que homenagearam escritores e produza um caderno artesanal para escrever suas próprias letras de músicas.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

BRINCANDO E APRENDENDO

Programa que reúne intervenções, jogos teatrais, atividades rítmicas e brincadeiras educativas.

Sextas-feiras, das 15h30 às 16h30.

6 – Correio elegante poético.

13 – Que som é esse? Ouvindo diversos estilos musicais, reconheça o rock. Em referência ao Dia do Rock.

20 – Jogo da memória de escritores. Em homenagem ao Dia do Escritor.

27 – Confecção de Boca do Palhaço para brincar de arremessar bolas.

Com equipe BVL. A partir de 7 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

TODOS OS PÚBLICOS

DOMINGO NO PARQUE

Espaço de leitura para toda a família com sessões de contação de histórias no Parque Villa-Lobos.

Domingo, 29, das 11h00 às 16h00.

Cia de Teatro Nóis na Mala.

Não é necessário fazer inscrição.

Em caso de chuva, a atividade será realizada dentro da biblioteca.

JOGOS DE VIDEOGAME

A BVL oferece aos seus frequentadores uma sala equipada com videogame e vários títulos de jogos eletrônicos.

De terça a domingo, das 9h30 às 18h30.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

JOGOS SENSORIAIS

Divertida experiência lúdica que estimula as habilidades sensoriais e a memória, com jogos e brincadeiras para pessoas com e sem deficiência.

Terças-feiras, das 16h30 às 17h30.

Com equipe BVL. A partir de 11 anos.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

JOGOS PARA TODOS!  Oficina de xadrez.

Os participantes aprendem as regras, os movimentos das peças e algumas táticas do xadrez, além de disputar partidas. Pessoas com deficiência visual dispõem de tabuleiros adaptados.

Sábados, das 15h00 às 17h00

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

LEITURA AO PÉ DO OUVIDO

Frequentadores da biblioteca são convidados a ouvir a leitura de trechos de livros, podendo conhecer assim novos autores, títulos e assuntos.

Quartas-feiras, das 16h30 às 17h00

4 – O processo, de Franz Kafka.

11 – AC/DC rock´n´roll ao máximo: A história definitiva da maior banda de rock do mundo, de Murray Engleheart  e Arnaud Durieux. Em homenagem ao Dia do Rock.

18 – “Aquecimento” Segundas Intenções: A vista particular, de Ricardo Lísias.

25 – O cheiro do ralo, de Lourenço Mutarelli.

Com equipe BVL.

Não é necessário fazer inscrição.

PONTOS MIS

Desenvolvido pelo Museu da Imagem e do Som – MIS, o projeto promove o contato com obras do cinema por meio de parcerias com instituições públicas do Estado de São Paulo.

Não é necessário fazer inscrição.

Quartas-feiras, às 14h00.

Garoto cósmico

Dir. Alê Abreu, Brasil, 2007, 1h16. Elenco: Aleph Naldi, Bianca Rayen, Mateus Duarte, Raul Cortez. Gênero: animação e aventura. Classificação: livre.

Cósmico, Luna e Maninho vivem em um mundo futurista, onde as vidas são inteiramente programadas. Uma noite eles se perdem no espaço, enquanto buscam obter mais pontos para ganhar um bônus na escola. Eles então descobrem um universo infinito, esquecido num pequeno circo, onde vivem novas experiências.

JOVEM

LUAU BVL

O programa apresenta aos jovens temas relacionados à música, literatura, poesia, atualidade e espaço para apresentações artísticas. A partir de 13 anos.

Quintas-feiras, das 16h00 às 17h00.

Com equipe BVL.

Não é necessário fazer inscrição.

COMPARTILHANDO SABERES: Yoga

Em ambiente aconchegante e inspirador você poderá desfrutar desta prática milenar, que promove o bem-estar e a melhora da qualidade de vida. As aulas de Hatha Yoga serão direcionadas com posturas e técnicas simples, que podem ser praticadas por qualquer pessoa, e contemplam o trabalho dinâmico do corpo (alongamento – fortalecimento muscular – equilíbrio), a concentração na respiração e o relaxamento.

Recomenda-se que os praticantes ingiram apenas alimentos leves antes da aula e usem roupas confortáveis.

Quinta-feira, *5, das 16h30 às 17h50.

Com Fabiana Weykamp.

Vagas preenchidas por ordem de chegada.

*A atividade voltará no dia 23 de agosto.

ADULTO

SEGUNDAS INTENÇÕES

Bate-papo com Ricardo Lísias.

Mediação: Manuel da Costa Pinto.

Sábado, 21, das 11h00 às 13h00.

Não é necessário fazer inscrição.

Declaração de atividades complementares para estudantes universitários.

CLUBE DE LEITURA

Todos os meses a BVL seleciona um livro e propõe a discussão de detalhes da história com os leitores da obra, incentivando assim o encontro de pessoas, o debate literário e o hábito da leitura.

Sexta-feira, 27, das 15h00 às 17h00.

Mar de papoulas, de Amitav Ghosh.

Com equipe BVL.

Não é necessário fazer inscrição.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Parque Villa-Lobos

Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2.001 – Alto de Pinheiros.

CEP 05461-010

Av. Queiroz Filho, 1.205 – Alto de Pinheiros.

CEP 05319-000

Telefone: 3024-2500

www.bvl.org.br
De terça a domingo, das 9h30 às 18h30

Todas as atividades são gratuitas

Em julho, Museu da Imigração promove “Mundo de Brincar” para a criançada

Programação gratuita conta com brinquedos, espaço para leitura e atividades educativas

O mês mais aguardado pelas crianças está chegando e os pais começam a procurar atividades para o entretenimento nas férias. Com o objetivo de oferecer uma programação gratuita e tornar esse período ainda mais animado, o Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – promoverá o “Mundo de Brincar”, entre os dias 4 e 29 de julho, de quarta a domingo, com brinquedos educativos, espaço de leitura e ações educativas, entre outras atrações.

Em um ambiente lúdico, planejado especialmente para diversão e aprendizado, os pequenos, de até 10 anos, poderão brincar com jogos de tabuleiro, piscina de bolinhas, bonecos, cama elástica, fantoches, quebra-cabeças, livros infantis e desenhos para colorir. O espaço funcionará de quarta a domingo, das 11h00 às 17h00, e, para participar, não é necessário realizar inscrição previamente.

Complementando as ações, em todas as quartas-feiras de julho o Núcleo Educativo realizaráa atividade “Minha hospedaria”, das 15h00 às 16h00. Voltada à garotada a partir de 4 anos, a ação convida os participantes a construírem a sua própria hospedaria usando blocos de madeira. Com isso, é possível refletir sobre a Hospedaria de Imigrantes do Brás e o acolhimento de pessoas, tanto na época do seu funcionamento quanto nos dias atuais.

No dia 21 (sábado), as crianças, a partir de 8 anos e suas famílias, poderão conhecer e se aventurar no ponto cruz com a oficina de bordado “Ponto a ponto”, das 15h00 às 17h00. Já no domingo (22), os educadores acompanharão os pequenos na atividade MUSEU A HORTA, que visa cuidar desse espaço coletivo, aproximar os visitantes da rotina da instituição e, também, colher ervas para as refeições. O mutirão tem faixa etária livre e acontecerá das 15h00 às 17h00. Para participar da programação educativa, é necessário se inscrever pelo e-mail inscricao@museudaimigracao.org.br.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

Espaço “Mundo de Brincar” (até 10 anos)

Data: 4 a 29 de julho (de quarta a domingo)

Hora: 11h00 às 17h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Minha Hospedaria (a partir de 4 anos)

Data: 4, 11, 18 e 25 de julho

Hora: 15h00 às 16h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Ponto a Ponto (a partir de 8 anos)

Data: 21 de julho

Hora: 15h00 às 17h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Mutirão na Horta

Data: 22 de julho

Hora: 15h00 às 17h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Em Limeira, curso sobre gestão orçamentária e financeira do SisEB

O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo – SisEB – leva a Limeira, no dia 19 de julho, das 9h00 às 16h00, na Biblioteca Pública Municipal Prof. João de Sousa Ferraz (Rua Dr. José Botelho Veloso, s/nº – Vila São João) o curso gratuito “Gestão orçamentária e financeira: legislação, classificações, sistema e processo”, com Valdemir Pires, professor de Finanças Públicas e de Administração Financeira e Orçamentária Pública do curso de Administração Pública da Unesp-Araraquara.

Voltado a profissionais de bibliotecas, salas de leituras e programas de incentivo à leitura, o objetivo do curso é introduzir o conhecimento prático do orçamento público como instrumento viabilizador das políticas públicas, de modo a facilitar a interação das áreas-fins, como Cultura, Educação e Saúde, com a área financeira. Mais informações e inscrições no site http://siseb.sp.gov.br.

Curso “Gestão orçamentária e financeira: legislação, classificações, sistema e processo”

Data: 19 de julho

Local: Biblioteca Pública Municipal Prof. João de Sousa Ferraz (Rua Dr. José Botelho Veloso s/nº – Vila São João)

Horário: 09h00 às 16h00

Vagas limitadas: inscrições gratuitas até o preenchimento total

Informações: (11) 3155-5444 – http://siseb.sp.gov.br

Em parceria com Secretaria da Cultura do Estado, Limeira oferece 345 vagas em oficinas culturais

Entre 20 de junho e 31 de julho, a Secretaria de Cultura de Limeira está com inscrições abertas para atividades do programa Oficinas Culturais, realizado em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado por meio de convênio com a prefeitura municipal. No segundo semestre, serão oferecidas 345 vagas para atividades de diversas linguagens artísticas, voltadas para crianças, jovens e adultos. As atividades começam no mês de agosto e podem se inscrever tanto os moradores de Limeira quanto de cidades vizinhas.

Os interessados devem se inscrever pessoalmente nos locais das atividades (ver agenda completa abaixo). Menores de idade devem ir acompanhados pelos pais ou responsáveis. Entre as oficinas oferecidas estão aulas de balé para crianças, samba rock, canto, teatro, dança, cinema, artesanato, fotografia, iluminação cênica, artesanato e maquiagem infantil. São atividades que estão de acordo com a demanda da população limeirense, de acordo com a orientação passada pela Secretaria da Cultura do Estado quando foi feita a reestruturação administrativa do programa Oficinas Culturais, em 2017. As oficinas também levam em consideração a formação e a capacitação para o mercado de trabalho no setor cultural.

Confira a programação do segundo semestre a seguir. Para mais detalhes sobre as oficinas, acesse o site da prefeitura de Limeira: www.limeira.sp.gov.br.

PROGRAMAÇÃO

Oficinas culturais realizadas na EMCEA –  Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mário Tintori”

Endereço: Rua da Boa Morte, 471 – Centro

Inscrições: Segunda a sexta – 10h00 às 19h00 / Sábados – 9h00 às 11h00

Informações: (19) 3441-5493

Teatro

Oficina: Vivência teatral para adolescentes (15 vagas)

Coordenação: Angélica Colombo

Período: 4/8 a 1/12 – sábados – 14h00 às 16h00

(exceto 18/8, 8 e 15/9 – 13/10 – 3 e 17/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados em artes cênicas, com idade entre 12 e 16 anos

Através de técnicas, jogos, dinâmicas e laboratórios de vivência, esta atividade possibilitará que participantes desenvolvam seu lado comunicativo/artístico, colaborando com a consciência corporal, vocal e cognitiva, com foco na voz individual para a criação de cenas em grupo.

Balé (Baby Class)

Oficina: O Balé e seus encantos (20 vagas)

Coordenação: Fabiana Claudino

Período: 17/8 a 30/11 – sexta-feira – 15h00 às 17h00

(exceto 7/9, 12/10, 2 e 16/11 – não haverá aulas)

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

Através de aulas lúdicas e de brincadeiras que valorizem os conceitos necessários do Balé, as crianças entrarão em contato com alguns movimentos do Balé clássico, onde serão abordados passos característicos em cima da técnica.

Oficina: O Despertar – Baby Class Lúdico (20 vagas)

Coordenação: Liége Vicente

Período: 27/8 a 12/11 – segunda-feira – 9h00 às 11h00

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

De forma lúdica e utilizando a psicomotricidade, a oficina irá introduzir as crianças na arte da dança (Balé), promovendo a exploração da criatividade e a expressão através do movimento. A metodologia enfatiza o desenvolvimento das habilidades motoras e da coordenação, atenção e musicalização.

Cinema

Oficina de Roteiro para Cinema (20 vagas)

Coordenação: Nic Nilson

Período: 23/8 a 8/11 – quintas-feiras – 18h30 às 20h30

Público-alvo:  Interessados na área, a partir de 14 anos

Introdução às diferentes ferramentas e elementos que constituem a dramaturgia e a narrativa, dando aos participantes a qualificação para desenvolverem seus próprios roteiros e estruturarem suas histórias.

Maquiagem infantil

Oficina: Pintura Facial Artística Infantil (20 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 26/9 a 24/10 – quartas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-alvo: Interessados em aprender técnicas para maquiagem em crianças, para participações em eventos gerais, a partir dos 13 anos

Unindo a criatividade para o lazer e para a economia criativa, o aprendizado desta atividade poderá se tornar fonte de renda para pessoas interessadas em trabalhar em eventos infantis ou adultos, por meio da produção de máscaras pintadas no rosto ou desenhos pintados no corpo.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Fotografia

Oficina de iniciação à fotografia (20 vagas)

Coordenação: Kauê Braga

Período: 16 a 27/10 – terça a sexta – 18h30 às 20h30 e sábados – 14h00 às 16h00

Público-alvo:  Iniciante na área, a partir de 16 anos

Atividade pretende incentivar os participantes a desenvolverem o olhar fotográfico, além de sensibilidade para espaços cotidianos da cidade de Limeira. Serão introduzidos conhecimentos e técnicas relacionadas a arte da fotografia, como conceitos de iluminação, composição, edição, entre outros.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Oficinas culturais realizadas no Teatro Vitória

Endereço: Praça Toledo Barros s/n – Centro

Obs: As inscrições para essa atividade serão feitas na EMCEA – Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mário Tintori”

Inscrições: Segunda a sexta – 10h00 às 19h00 / Sábados – 9h00 às 11h00

Informações: (19) 3441-5493

Iluminação Cênica

Oficina: Luz, cena e ação (15 vagas)

Coordenação: Ricardo Turco Cenzi

Período: 25/9 a 30/10 – terças-feiras – 14h00 às 16h30

Público-alvo: Interessados em atuar em operações de iluminação em atividades de espaços fechados, bem como em eventos externos, a partir de 16 anos

O participante irá aprender noções básicas de iluminação cênica para palcos e terá contato com uma breve história da iluminação e com os equipamentos de luz presentes no Teatro, além do palco e os diferentes tipos de refletores de iluminação.

Oficinas culturais realizadas na Casa da Cultura 1| Parque Nossa Senhora das Dores

Endereço: Rua Renato Moretti, 222 – Parque Nossa Senhora das Dores

Inscrições: Segunda e Quarta –  10h00 às 12h00 e das 13h00 às 19h00 / Terça, Quinta e Sexta – 8h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00

Informações: (19) 3453-9009

Artesanato

Oficina: Flautas, apitos e outros sons (15 vagas)

Coordenação: Marcos Lima

Período: 17/8 a 30/11 – sexta-feira – 17h00 às 19h00

(exceto 7/9, 12/10, 2 e 16/11 – não haverá aulas)

Público-alvo:  Interessados, com 35 anos ou mais

Esta oficina busca reavivar a prática artesanal na confecção de flautas, apitos e outros instrumentos que emitam sons através do sopro, utilizando-se de materiais reaproveitados, baixo custo e de fácil manuseio.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Balé (Baby Class)

Oficina: O Despertar – Baby Class Lúdico (20 vagas)

Coordenação: Liége Vicente

Período: 27/8 a 12/11 – segunda-feira – 15h00 às 17h00

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

De forma lúdica e utilizando a psicomotricidade, introduzir as crianças na arte da dança (balé), promovendo a exploração da criatividade e a expressão através do movimento. A metodologia enfatiza o desenvolvimento das habilidades motoras e da coordenação, atenção e musicalização.

Canto Coral

Oficina: Todos podem cantar (20 vagas)

Coordenação: Kauê Braga

Período: 22/10 a 3/12 – segundas-feiras – 18h30 às 20h30 (exceto 19/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados, a partir de 15 anos

Através de aquecimentos, vocalizes, testes de percepção, técnicas vocais, contribuir para que os participantes descubram em si sua sensibilidade para o canto e trabalhem, de maneira didática, sua afinação e assim fiquem mais seguros para soltar a voz.

Oficinas culturais realizadas na Casa da Cultura 2 | Vista Alegre

Endereço: Rua Alberto Pelegrino, 37 – Vista Alegre

Inscrições: Segunda a Sexta-feira – 9h00 às 12h00 e das 13h00 às 16h00

Informações: (19) 3442-8470

Teatro

Oficina: Teatralização a partir das crônicas de Luis Fernando Veríssimo (15 vagas)

Coordenação: Rodrigo Pelizari

Período: 4/8 a 24/11 – sábados – 9h00 às 11h00

(exceto 8, 15/9 – 13/10 – 3, 17/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados em artes cênicas, com idade entre 12 e 16 anos

Objetivo da oficina é desenvolver estudos e técnicas teatrais, através de jogos cênicos e de improvisação aplicados em textos de Luis Fernando Veríssimo, além de análise de texto, jogos dramáticos e prática teatral.

Artesanato

Oficina: Customização em madeiras (15 vagas)

Coordenação: Helen Féola

Período: 23/8 a 8/11 – quintas-feiras – 16h30 às 18h30

Público-alvo:  Interessados, com 35 anos ou mais

Atividade irá trabalhar a cultura e a tradição do artesanato, desenvolvendo com os participantes sua criatividade. Por meio de diferentes técnicas de pintura e customização em madeira, participantes irão obter um produto personalizado de possível comercialização, gerando uma nova alternativa de trabalho e fonte de renda.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Maquiagem Infantil

Oficina: Pintura Facial Artística Infantil (20 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 25/09 a 23/10 – terças-feiras – 16h30 às 18h30

Público-alvo: Interessados em aprender técnicas para maquiagem em crianças, para participações em eventos gerais, a partir dos 13 anos

Unindo a criatividade para o lazer e para a economia criativa, o aprendizado desta atividade poderá se tornar fonte de renda para pessoas interessadas em trabalhar em eventos infantis ou adultos, por meio da produção de máscaras pintadas no rosto ou desenhos pintados no corpo.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Oficinas culturais realizadas no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU) / Parque Residencial Abílio Pedro-Geada

Endereço: Avenida Prefeito Ari Levi Pereira, S/N

Parque Residencial Abílio Pedro / Geada
Inscrições: Segunda a sexta – 8h00 às 17h00

Informações: (19) 3441-5493

Artesanato

Oficina: Patchapliquê com Pintura (15 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 28/8 a 13/11 – terças-feiras – 19h30 às 21h30

Público-alvo:  Interessados, com 35 anos ou mais

Atividade destinada a pessoas interessadas em artesanato e customização de peças. Durante as aulas, os participantes aprenderão a interligar bordados com pintura e aplicar seu trabalho em diversos materiais, como guardanapos, bolsas, camisetas e outros.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Dança/Samba Rock

Oficina Samba Rock – Primeiros passos (20 vagas)

Coordenação: Zeca Johnes

Período: 25/9 a 13/11 – terças-feiras – 19h30 às 21h30

Público-alvo:  Interessados, a partir de 15 anos

Oficina de Iniciação em Samba Rock voltada às bases essenciais da dança, como giros, condução, posicionamento e musicalidade, bem como a prática em duplas das técnicas estudadas.

Oficinas culturais realizadas no Centro Infantil “Professora Aldelena Baraldi Fonseca Santos” | Jardim Lagoa Nova

Endereço: Avenida Doutor Antônio de Luna, 1451, Jardim Lagoa Nova

Inscrições: Atividade destinada para crianças dessa instituição

Informações: Tel.: (19) 3441-6057

Balé (Baby Class)

Oficina: Crescendo com o Balé (20 vagas)

Coordenação: Aline Savazzi

Período: 20/8 a 12/11 – segundas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-alvo:  Atividade destinada para crianças dessa instituição, com idade entre 4 e 6 anos

Por meio do ensino do Balé Clássico, a atividade propõe, por intermédio de jogos, brincadeiras e atividades técnicas, novas descobertas e vivências que possam contribuir para o pleno desenvolvimento da criança.

Oficinas culturais realizadas na EMEIEF “Professora Raquel Aparecida Gonçalves Franceschi” | Bairro Residencial Rubi

Endereço: Rua Sebastião Teixeira, 200, Bairro Residencial Rubi

Inscrições: 18/6 a 31/7 – segunda a sexta-feira – 10h00 às 17h00

(Exceto 19, 20, 23 e 24/7)

Informações: (19) 99793-4944

Artesanato

Oficina: Arte na lata – Jóias Ecológicas (15 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovezi

Período: 29/8 a 14/11 – quartas-feiras – 18h00 às 20h00

Público-alvo:  Interessados na área de arte e customização de peças, com 35 anos ou mais

Utilizar latas de alumínio na produção de peças de bijuteria, decoração de ambientes e de festas comemorativas. Os participantes poderão utilizar o aprendizado e aplicar em diversos lugares, como colares, guirlandas, em caixas de MDF, telas entre outros.

*** Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

Balé (Baby Class)

Oficina de Baby Class(20 VAGAS)

Coordenação: Matheus Lourenço

Período: 29/8 a 14/11 – quartas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-Alvo:  Atividade destinada para crianças dessa instituição com idade entre 4 e 6 anos

Proporcionar uma iniciação ao Balé Clássico, através de atividades lúdicas, sempre trazendo exercícios que beneficiem a autoestima, a elasticidade, a postura, o equilíbrio, a respiração e a disciplina, além de melhorar a coordenação motora.

Oficinas culturais realizadas na Comunidade São Francisco de Assis | Bairro Rural Dos Frades

Endereço: Rodovia Limeira / Arthur Nogueira, km 11, Bairro Rural dos Frades

Inscrições: Dias: 23/6 a 14/7 – sábados – 15h00 às 17h00

Local: Salão da Comunidade

Informações: (19) 3441-5493

Canto Coral

Oficina: Todos Podem Cantar (20 vagas)

Coordenação: Kauê  Braga

Período: 30/10 a 11/12 – terças-feiras – 19h00 às 21h00

(exceto 20/11 – não haverá aula)

Público-alvo:  Interessados, a partir de 15 anos

Através de aquecimentos, vocalizes, testes de percepção, técnicas vocais, oficina irá contribuir para que os participantes descubram em si a sensibilidade para o canto e trabalhem, de maneira didática, a afinação.

EMESP Tom Jobim está com inscrições abertas para Processo Seletivo 2019

Instituição oferece ensino gratuito e de excelência em dezenas de instrumentos e canto, seja em música popular ou erudita, e especialização em Composição, Música Antiga, Prática Instrumental Avançada e Regência Coral; Inscrições devem ser feitas até 26 de novembro e primeiras provas ocorrem em 3 e 4 de dezembro

A Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura, está com inscrições abertas para o processo seletivo 2019. Todos os cursos são gratuitos e os interessados têm até 26 de novembro para se candidatar.

São duas modalidades de cursos regulares: Formação e Especialização. A primeira é dividida em três ciclos destinados aos estudantes que buscam aprendizado com foco na prática de instrumento musical ou canto. São vagas para instrumentos variados para as áreas de popular e erudito, do violino ao acordeão, por exemplo. Já o curso de Especialização é para aqueles que completaram sua formação e querem se aprimorar em disciplinas específicas nas áreas de Composição, Regência, Música Antiga, Academia de Ópera, Prática Instrumental Avançada (erudito e popular) e Canto (erudito e popular).

As modalidades são independentes e não é necessário que o candidato tenha passado pelos ciclos anteriores. Aos interessados, basta ter os conhecimentos necessários exigidos para ingresso no curso desejado.

As inscrições podem ser feitas no site da EMESP Tom Jobim. Acesse a página e confira todas as informações do edital: cursos, datas das provas e conteúdos programáticos. O candidato pode se inscrever em um único curso e a prova da primeira fase acontece nos dias 3 e 4 de dezembro, enquanto que a segunda será na semana seguinte, de 10 a 13. A lista dos aprovados será publicada em 17 de janeiro de 2019 e as matrículas devem ser feitas entre os dias 28 a 31 do mesmo mês.

A Secretaria Acadêmica da EMESP Tom Jobim manterá um plantão de atendimento ao público para questões relativas ao Processo Seletivo até 23 de novembro. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Outro canal para mais informações é o telefone (11) 3221-0750 ou (11) 3585-9889 nos mesmos dias e horários, exceto aos finais de semana e feriados.

Cursos disponíveis

Formação: dividido em três ciclos, cada um para uma faixa etária, focam no ensino de um instrumento musical ou canto, além de oferecer disciplinas de apoio para o aproveitamento completo do aprendizado de música. O 1º ciclo destina-se para candidatos com até 13 anos, com aulas nos períodos matutino ou vespertino. Já o 2º é voltado a jovens de até 16 anos de idade e as aulas são no período da tarde e o 3º ciclo, a alunos de até 21 anos de idade e oferece aulas nos períodos matutino, vespertino ou noturno.

Especialização: os candidatos podem escolher entre Composição, Música Antiga, Prática Instrumental Avançada e Regência Coral. Com uma grade de 6 horas semanais, os cursos têm durações que variam de dois a quatro anos. Interessados em ingressar na Academia de Ópera do Theatro São Pedro, outro equipamento cultural gerido pela Santa Marcelina Cultura, que tenham até 30 anos de idade também podem se candidatar para o curso de 12 horas-aula semanais. Há opções nos três períodos, matutino, vespertino e noturno, e os cursos envolvem disciplinas práticas, seja individual ou coletivo, e disciplinas teóricas.

Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim

Com mais de 20 anos de atuação, a Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP Tom Jobim) tem como objetivo a formação dos futuros profissionais da música erudita e popular. Com um corpo docente altamente qualificado, a EMESP vem construindo um projeto pedagógico inovador, com foco no ensino de instrumento, no convívio dos alunos com grandes mestres e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), além de disciplinas teóricas de apoio. Em constante diálogo com as principais instituições de formação musical do Brasil e do mundo, a EMESP oferece a cada ano centenas de shows, concertos, workshops e master classes. A EMESP Tom Jobim mantém um eixo de difusão artística complementar às atividades de formação com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus alunos e criar uma ponte entre o aprendizado e a profissionalização, além de fomentar a formação de público e a difusão da música em todas as modalidades. A EMESP mantém seis grupos artísticos: Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado, Orquestra Jovem do Estado, Orquestra Jovem Tom Jobim, Orquestra Jovem do Theatro São Pedro e Academia de Ópera do Theatro São Pedro, que oferecem bolsas para os alunos da Escola. A EMESP Tom Jobim é uma escola do Governo de São Paulo gerida em parceria com a Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Estado da Cultura.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Escritor Ruy Castro faz palestra gratuita no Museu do Futebol

Evento que acontece às 19h00 da próxima terça-feira (26/06) abordará histórias que o autor coleciona sobre a Copa do Mundo de 1958, tema de exposição temporária que está em cartaz até o dia 09 de setembro

Em cartaz até o dia 09 de setembro no Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a exposição temporária “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” apresenta em diferentes formatos o impacto que o Mundial daquele ano produziu no país em âmbitos como cultura, sociedade e economia. Na próxima terça-feira (26), um evento gratuito apresentará uma perspectiva mais pessoal sobre o título conquistado pela geração que apresentou Pelé e Garrincha. Trata-se de uma palestra com o escritor Ruy Castro, atualmente colunista do jornal “Folha de S.Paulo”.

Ruy Castro é autor do livro “Estrela Solitária – um brasileiro chamado Garrincha” (Companhia das Letras, 1995), biografia de um dos maiores nomes do Brasil na conquista de 1958. O Mundial vencido pela seleção na Suécia, aliás, é tema recorrente na produção do escritor e jornalista, que foi um dos consultores do Museu do Futebol para a exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”.

Nascido em 1948, em Caratinga (MG), Ruy Castro graduou-se em ciências sociais na extinta FNFi (Faculdade Nacional de Filosofia). Começou a trabalhar como repórter em 1967, no carioca “Correio da Manhã”, e passou por redações de veículos como “O Pasquim”, “Jornal do Brasil”, “Veja”, “Playboy” e “Manchete”. Além da biografia de Garrincha, escreveu livros sobre Nelson Rodrigues (“O anjo pornográfico”, Companhia das Letras, 1992) e Carmen Miranda (“Carmen – uma biografia”, Companhia das Letras, 2005).

A palestra faz parte da programação cultural vinculada à mostra temporária “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”, que apresenta ao público uma chance de ver o Mundial que o país só ouviu pelo rádio. O evento com Ruy Castro terá início às 19h, no auditório do Museu do Futebol (174 lugares + quatro lugares para pessoas com deficiência). Não é necessário fazer inscrição prévia, mas a participação está condicionada à capacidade do espaço.

A exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” tem patrocínio do Banco Itaú, por meio da Lei Rouanet, e apoio da Epson. O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da

Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

“Minha história na Copa de 1958 – uma palestra com o escritor Ruy Castro”

Data: 26 de junho de 2018 (terça-feira)

Horário: 19h00

Local: Auditório do Museu do Futebol (174 lugares, mais quatro espaços para pessoas com deficiência)

Entrada gratuita (participação sujeita à capacidade do espaço)

Exposição Temporária – A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Visitação: 05 de junho a 09 de setembro de 2018

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O percurso está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais. Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

Especial: Pascoal da Conceição e Eduardo Silva estão nas últimas edições do Expresso Poesia na Casa das Rosas

Os artistas interpretam respectivamente Mário e Oswald de Andrade, interagindo com o público nas últimas edições do ano do stand-up literário

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos, integrante da Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, realiza duas edições especiais do Expresso Poesia, com a participação de Pascoal da Conceição e Eduardo Silva. Na atividade, que oferece ao público circulante do museu um contato com poetas e seus trabalhos, os artistas representam Mário e Oswald de Andrade, mostrando ao público os trabalhos desses importantes escritores modernistas.

No dia 24 de novembro, sábado às 14h30, Pascoal da Conceição interpreta Mário de Andrade, apresentando alguns trabalhos do escritor para o público. O objetivo é colocar os participantes em contato “direto” com a figura do poeta. Já no dia 1 de dezembro, sábado também às 14h30, Eduardo Silva personifica Oswald de Andrade no casarão da Paulista para recitar alguns de seus poemas.

As atividades integram o projeto “Devorando Oswald”, que acontece até dezembro na Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, em parceria com a Oficina Cultural Oswald de Andrade, e reúne shows, recitais, filmes, palestras, cursos e muito mais. A proposta é colocar em evidência a obra crítica-literária de Oswald, criando diálogos com a música, o cinema, o teatro e outras linguagens.

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, na década de 1950. Localizado na emblemática Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outros.

O museu funciona num dos raros casarões remanescentes da época inicial da Paulista, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo. Ao associar um patrimônio histórico e arquitetônico da cidade ao legado de um dos principais representantes de nossos movimentos de vanguarda, a Casa das Rosas representa as transformações tanto urbanas e sociais como artísticas e culturais de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO:

Expresso Poesia

24/11 e 1/12. Sábados, 14h30 às 15h.

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Recomendação etária: livre.

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – próximo à estação Brigadeiro do metrô

Telefone: (11) 3285-6986 / (11) 3288-9447

Funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 22h. Domingos e feriados, das 10h às 18h

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)

www.casadasrosas.org.br

Estação Cultura tem exposição inspirada em poema de Drummond

Artista plástico Luiz Palma expõe 13 telas; abertura será nesta quarta, dia 21

 

Ensaio astro 2 – A maquina do Mundo, Luiz Palma

O espaço Estação Cultura, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, abre nova exposição nesta quarta-feira, dia 21: “Mundo maior”, do artista plástico Luiz Palma. Treze telas compõem a mostra, que tem como inspiração o poema “A máquina do mundo”, de Carlos Drummond de Andrade. A abertura será às 18:30h.

“Mundo maior” é um retorno de Luiz Palma ao poema de Drummond, que já inspirara outra exposição do artista, em 2014, chamada justamente “A máquina do mundo”. Palma explica o motivo dessa retomada do tema: “Seus versos são convocatórios, e posso imaginar o eterno retorno ao ato daquele ser exangue que ao final do poema afasta-se da Máquina repelida. De minha parte, exponho maravilhado um terceiro nexo com o mundo drummondiano e a máquina. A cada vez com novas revelações, pois assim são as experiências estéticas”.

Das 13 telas da exposição, duas foram cedidas por colecionadores. Palma busca o impressionismo por meio  de técnicas como óleo e pedra sobre tela. O público presente à abertura também conhecerá o poema de Drummond lido pela atriz Silvia Poggett, às 20h.

SERVIÇO

Exposição “Mundo maior”, do artista plástico Luiz Palma

Abertura: 21 de novembro/2018, às 18 horas

Local: ESTAÇÃO CULTURA: Rua Mauá, 51, bairro da Luz. Ao lado da Sala São Paulo. Estacionamento pago no local.

Visitação pública: 22 de novembro a 7 de dezembro/2018, de segunda à sexta-feira, das 10 às 17h.

Exposição do Museu da Diversidade Sexual chega a Olímpia e Araraquara

Em julho, a exposição do Museu da Diversidade Sexual “Homofobia Fora de Moda” estará em cartaz na região. De 18 a 20 de julho, a Casa de Cultura de Olímpia (Rua São João, 942) recebe a mostra, e de 1º a 29 de julho, ela estará em Araraquara, na Casa da Cultura de Araraquara (Rua São Bento, 909).

A mostra teve origem em um concurso idealizado pela Casa de Criadores, com o objetivo de estabelecer uma cooperação entre o poder público e a indústria da moda, com a intenção de promover a cidadania da população LGBT e enfrentar a discriminação sofrida por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. O tema inicial, “Homofobia Fora de Moda” deu nome ao projeto. Em seguida, “Laços Afetivos” e “Cartão Vermelho Para a Homofobia” serviram de inspiração para que pessoas do Brasil inteiro criassem ilustrações que, posteriormente, seriam estampadas em camisetas.

Exposição Homofobia Fora de Moda (Foto: Murillo Chibana) 

Exposição“Homofobia Fora de Moda” – Olímpia

Data: 18 a 20 de julho

Local:  Casa de Cultura de Olímpia – Rua São João, 942

Horário: segunda a sexta-feira, das 8h00 às 17h00

Evento gratuito

– Araraquara 

Data: 1º a 29 de julho

Local: Casa da Cultura de Araraquara – Rua São Bento, 909

Horário: segunda a sexta das 09h15 às 20h45 e sábados das 09h15 às 12h45

Evento gratuito

Exposições do Museu da Diversidade Sexual chegam a Araras e Piracicaba

Em julho, duas exposições do Museu da Diversidade Sexual estarão em cartaz na região.

Piracicaba está com a exposição “Todos Podem ser Frida”, de Camila Fontenele de Miranda, em cartaz até o dia 21 de julho, no Museu Prudente de Moraes (R. Santo Antônio, 641). A mexicana Frida Kahlo, uma das principais pintoras do século XX, foi a artista escolhida para compor o projeto realizado pela fotógrafa. O trabalho ganha forma por meio de ensaios fotográficos e da desintegração da imagem dessa personagem, que marcou o mundo com sua arte, suas cores, seus traços e sua própria história.

Já em Araras, no Teatro Estadual de Araras (Av. Dona Renata, 401), a exposição “Diversidade Futebol Clube – No nosso time joga todo mundo” conta com curadoria de Diógenes Moura e apresenta imagens do fotógrafo Roberto Setton, que registrou – entre 2008 e 2012 – o “Futebol das Drags”, evento que comemora o aniversário da boate Blue Space, com um jogo de futebol na rua entre transformistas e funcionários, no bairro da Barra Funda, em São Paulo (SP).  A mostra ficará em cartaz de 12 a 31 de julho.

Exposição Todos Podem ser Frida (Foto: Divulgação) 

Exposição “Todos Podem ser Frida” 

Data: 1º a 21 de julho

Local: Museu Prudente de Moraes – R. Santo Antônio, 641 – Piracicaba (SP)

Horário: terça a sexta das 09h00 às 17h00 e sábados das 10h00 às 14h00  

Exposição “Diversidade Futebol Clube – No nosso time joga todo mundo”

Data: 12 a 31 de julho

Local: Teatro Estadual de Araras – Av. Dona Renata, 401 – Araras (SP)

Horário: das 9h00 às 12h00 e das 13h00 às 19h00 – todos os dias da semana

Exposição Diversidade Futebol Clube (Foto: Divulgação)

Fábrica de Cultura da Brasilândia celebra seu quarto aniversário com programação especial

Comemoração reúne shows, espetáculos de dança, sessões de cinema, apresentações circenses e muito mais

Há quatro anos a Fábrica de Cultura Brasilândia, a mais nova das unidades da zona norte, iniciava seus trabalhos na região. Para celebrar a data, a instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, realiza no dia 23 de junho, sábado, a partir das 9h00, diversas atividades especialmente pensadas para o público.

A programação reúne shows com a banda Calango Brabo e Sinfônica infanto-juvenil do Guri, oficina de zumba, espetáculos de dança cigana e afro-brasileiras,  apresentação do espetáculo circense “Cabaré Palha Assada”, sessões de cinema da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental e apresentação com o Mágico Rodrigo.

No “Cabaré palha assada”, os Filhos da Trupe contam histórias com muita música e se envolvem em diversas trapalhadas em um espetáculo para toda a família. A apresentação, que acontece às 11h30, une acrobacias, mágicos e muita palhaçada.

Em Dança: forma, técnica e diásporas africanas, o grupo Identidade e Movimento conta a história da escravização na época da colonização europeia. O espetáculo, apresentado às 13h30, mescla técnicas de dança contemporânea, africana, capoeira e hip-hop.

Misturando ritmos regionais nordestino com rock, a banda Calango Brabo apresenta às 14h30 o rock do sertão, que traz no repertório a predominância do baião, maracatu, maculelê, coco e

forró, sobrepostos pelas guitarras e bateria presentes no rock, pop e reggae.

Veja programação completa da comemoração:

11h30 – 13h00 | Circo: Cabaré Palha Assada

13h00 – 13h40 | Mágico Rodrigo

13h00 – 14h30 | Dança Cigana

13h30 – 15h00 | Dança: forma, técnica e diásporas africanas

14h30 – 16h00 | Música: Calango Brabo

16h00 – 17h00 | Zumba especial

15h00 – 16h00 | Música: Sinfônica infanto-juvenil do Guri

A Fábrica de Cultura Brasilândia tem em 2018 o patrocínio da Via Varejo – Casas Bahia por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui com atividades de formação, saídas pedagógicas, programação cultural e projetos de tradução em Libras.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará: cursos e atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

Em 2018, as unidades das zonas norte e sul (Brasilândia, Capão Redondo, Jaçanã, Jardim São Luís e Vila Nova Cachoeirinha) contam com o patrocínio da Via Varejo – Casas Bahia por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui com atividades de formação, saídas pedagógicas, programação cultural e projetos de tradução em Libras.

SOBRE A POIESIS

A instituição, que tem por objetivo o desenvolvimento sociocultural e educacional, com ênfase na preservação e difusão da língua portuguesa, desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para o complemento da formação de estudantes e público em geral. A POIESIS trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Aniversário da Fábrica de Cultura Brasilândia

23/6. Sábado, 9h00 às 19h00

Recomendação etária: livre

Atividades gratuitas sem necessidade de inscrição prévia.

Fábrica de Cultura Brasilândia:  Av. General Penha Brasil, 2508

www.fabricasdecultura.org.br | Acessibilidade no local.

Fábrica de Cultura de Diadema abre as portas ao público

Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Cultura e Poiesis abrem a programação da Fábrica de Cultura Diadema. Abertura será no dia 23 de novembro, a partir das 9h, com programação especialmente pensada para a cidade

A Fábrica de Cultura Diadema, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, abrirá suas portas para o público no dia 23 de novembro, às 9h, com uma programação especial para toda a família. Criadas com o objetivo de estimular o desenvolvimento de jovens e crianças, por meio da valorização e ampliação de universos culturais, Fábricas de Cultura é um dos principais programas do Governo do Estado de São Paulo, que anualmente oferece à população centenas de atividades gratuitas como circo, música, teatro, fotografia, vídeo e muito mais. A cidade de Diadema recebe a 11ª unidade do projeto e a expectativa é que se integre na vida cultural da cidade, em parceria total com a Secretaria de Cultura, atendendo cerca de 100 mil pessoas por ano.

Para a abertura, as crianças poderão aproveitar e se divertirem com as barracas de algodão doce, pipoca e cachorro-quente, além do pula-pula, piscina de bolinhas e até pintura facial. Quem gosta de música vai poder curtir uma Vivência em música experimental com a instalação da Kasa Ruyce, que trabalha com instrumentos musicais alternativos. A atividades acontecem das 9h às 11h.

Logo depois, às 11h, o grupo Mac Fly Mob, formado por jovens de Diadema, participará da Crew Breaking, apresentação de hip hop. Os participantes têm experiências em campeonatos e vivências com grandes nomes do breaking. Chame a família e os amigos e curta o show!

À tarde, 14h, serão realizadas performances circenses com o grupo Tapias Voadores que buscam resgatar a magia tradicional do circo. Às 18h, será a vez do Cortejo do Bloco da Moça, que sairá da Praça Ubatuba em direção à Fábrica. Amarelo, azul e laranja, as cores do grupo, tomarão conta das ruas de Diadema, celebrando a cultura popular e o carnaval.

E fechando o dia com chave de ouro, às 20h o público é convidado para o Sarau Cinematográfico, que terá exibição de filmes e apresentação de poemas. A proposta é propagar a produção cultural da zona sul por meio de imagens, rimas e ritmos.

A partir do dia 23/11, a Fábrica estará aberta ao público de terça a domingo das 9h às 17h sempre com atividades gratuitas. E em janeiro, o público já poderá curtir a programação de férias e fazer as inscrições para os ateliês e trilhas que acontecerão no contra turno escolar.

Confira a programação completa de abertura:

9h às 11h: Vivência em música experimental com a Kasa Ruyce

9h às 14h: Discotecagem com DJ ProX | Instalação Lotação Kombi Azul

9h30: Cortejo do Bloco da Moça

10h: Fala de representantes do Governo Estadual e da Poiesis

10h às 13h: Live Painting com Nene Surreal e Mel Zabunov

11h: Apresentação Crew de Breaking

14h: Mini Circo- Performance e oficinas circenses | Apresentação com o Grupo Tapias Voadores

17h: Roda de Capoeira

18h: Cortejo Bloco da Moça

18h: Projeção de Imagens com VJ Davi Santos

20h: Cine Mascate – Sarau Cinematográfico

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam, principalmente para jovens, diversas atividades para formação artísticas nas mais diversas linguagens. Um programa que promove o desenvolvimento integral dos indivíduos por meio da valorização e ampliação de universos culturais, de situações de convivência e experiências artísticas.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Fábrica de Cultura Diadema

Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, nº 135 – Centro – Diadema/SP

www.fabricasdecultura.org.br

Fábricas de Cultura agitam programação cultural da Expo CIEE 2018

Unidades da Zona Leste farão diversas apresentações artísticas no palco e também em estande próprio na 21ª Edição da Feira do Estudante Expo CIEE

As Fábricas de Cultura da Zona Leste, projeto da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, participarão pelo 3º ano consecutivo da Expo CIEE, iniciativa do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), que acontecerá nos dias 25, 26 e 27 de maio de 2018, das 9h00 às 19h00, na Bienal do Parque Ibirapuera. Com entrada gratuita, o evento é a maior mostra de inclusão, capacitação e informação profissional do País.

As Fábricas de Cultura, localizadas nos bairros de Sapopemba, Itaim Paulista, Cidade Tiradentes, Vila Curuçá e Parque Belém, participarão do evento com atrações musicais e de dança na programação de palco, estande e exposições. Um dos destaques é a realização do concurso “O Corte de Cabelo Mais Chave de São Paulo”, com batalha de barbeiros. A programação completa pode ser conferida no site e redes sociais do CIEE www.ciee.org.br .

A consolidação da parceria entre as Fábricas de Cultura e o CIEE tem o objetivo de dar visibilidade para as ações do Programa, além de proporcionar aos jovens atendidos nas unidades a oportunidade de se informar e participar dos processos seletivos do CIEE.

SERVIÇO

Fábricas de Cultura da zona leste na Expo CIEE 2018

Gratuito – indicado para qualquer idade

Data: 25, 26 e 27 de maio de 2018.

Horário: das 9h00 às 19h00

Local: Pavilhão da Bienal do Parque do Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n

Programação

Sexta-feira, 25/05 – Atrações de palco

13h00 às 13h30: Nélio Henrique (Sertanejo – Voz e Violão)

13h30 às 14h00: Michael Jackson (Cover)

15h30 às 16h00: Grupo BTS Cover (KPOP)

17h30 às 18h00: Banda Fhilin 4 (Acústico)

18h00 às 19h00: Grupo Anita Cover (Dança)

– O Corte Mais Chave de São Paulo

14h00 – Batalha dos Barbeiros: Rebeca Barber – Parque dos Bancários / Derick Cirilco – Técnico da Empresa Floractive / Lu Borges – Cidade Tiradentes

Sábado, 26/05 – Atrações de estande

10h00 às 18h00: Personagens DC Comics

– Atrações de palco

13h00 às 13h30: Suellen Luz (Voz e Violão)

15h30 às 16h00: Demi Lovato (Cover)

17h30 às 18h00: Família Justa Causa (RAP)

18h00 às 19h00: Justin Bieber (Cover)

– O Corte Mais Chave de São Paulo

10h00 às 16h00: Corte de Cabelo Chavoso para o público presente na Feira com o renomado cabeleireiro Iran Jardim

Domingo, 27/05:

13h00 às 13h30: Companhia X (Grupo de Danças Urbanas)

15h30 às 16h00: Carol Santilia (MPB e Samba)

13h30 às 14h00: Legião (Hip Hop)

17h30 às 18h00: Joelma (Cover)

18h00 às 19h00: Douglitz Soul (MPB, Samba e Sertanejo)

– O Corte Mais Chave de São Paulo

14h00 – Batalha dos Barbeiros – Thiago Black – Sapopemba/ Lula Barber / Gleidson – Rio Grande da Serra/ Vinicius Rodrigues – Guaianases

15h00 – Batalha dos Barbeiros – Du Barbers – Itaim Paulista/ Jorge Wallace – Sapopemba

Fábricas de Cultura da Zona Leste abrem vagas para cursos gratuitos no 2º semestre de 2018

As Fábricas de Cultura da Zona Leste – unidades do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – abrirão vagas para cursos gratuitos no 2º semestre de 2018.

As matrículas iniciarão no dia 3 de julho e serão destinadas a crianças e jovens de 8 a 21 anos nas atividades diurnas e para adultos nas atividades noturnas. As vagas são para as modalidades de artes visuais, dança, multimeios, música, teatro, circo e xadrez.

Os cursos são gratuitos e oferecem todos os materiais necessários. As aulas iniciarão no dia 31 de julho.

Para efetuar a matrícula, é necessário comparecer à unidade desejada com documento de identificação com foto e comprovante de residência. Alunos menores de 14 anos precisam estar acompanhados de um responsável.

As Fábricas também oferecerão cursos de férias a partir do dia 5 de julho. É necessário realizar inscrição prévia para participar das modalidades. Todas as atividades são gratuitas e livres para o público em geral.

SERVIÇO

Fábricas de Cultura abrem vagas para cursos gratuitos no 2º semestre de 2018

Novas inscrições: a partir de 3 de julho

Endereços das unidades:

Fábrica de Cultura Vila Curuçá

Endereço: Rua Pedra Dourada, nº 65 – Jardim Robrú

Tel: (11) 2016-3316

Fábrica de Cultura Sapopemba

Endereço: Rua Augustin Luberti, nº 300 (Fazenda da Juta – Próximo ao Batalhão da PM)

Tel: (11) 2012-5803

Fábrica de Cultura Itaim Paulista

Endereço: Av. Estudantes da China, nº 500

Tel: (11) 2025-1991

Fábrica de Cultura Parque Belém

Endereço: Av. Celso Garcia nº 2. 231 (Belém)

Tel: (11) 2618-3447

Fábrica de Cultura Cidade Tiradentes

Endereço: Rua Henriqueta Noguez Brieba, nº 281

Tel: (11) 2556-3624

Maiores informações: http://www.fabricadecultura.org.br

Sobre as Fábricas de Cultura

As Fábricas de Cultura da Zona Leste, unidades do programa Fábricas de Cultura da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – administradas pela Organização Social Catavento Cultural e Educacional, são espaços de formação e difusão artística e cultural.

As atividades são exercidas em prédios próprios, com 7.000 m² em média de área construída, contendo salas de aula, biblioteca, estúdio de gravação e teatro.

As Fábricas são abertas à população e foram criadas para atender gratuitamente crianças e jovens, de 8 a 21 anos, e adultos. Teatro, dança, música, circo, multimeios e artes plásticas são oferecidos para a comunidade com a orientação de especialistas, além de uma biblioteca repleta de atividades, estúdio de gravação e teatro com capacidade para 300 lugares, onde são realizadas apresentações dos aprendizes e de grupos locais já formados.

Fábricas de Cultura da zona leste promovem programação especial nas férias de julho

Cursos e oficinas de artes, música, dança, teatro e muito mais serão oferecidos nas cinco unidades das Fábricas de Cultura da região

As Fábricas de Cultura, unidades do programa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, oferecem, no mês de julho, programação gratuita para as férias. As atividades serão divididas entre oficinas e cursos destinados a crianças e jovens de 8 a 21 anos nas atividades diurnas e para adultos nas atividades noturnas. A programação acontece nas unidades Itaim Paulista, Sapopemba, Cidade Tiradentes, Vila Curuçá e Parque Belém.

Nas oficinas de férias, crianças e jovens podem participar de atividades diárias sem a necessidade de realizar inscrição prévia. Basta verificar o que a Fábrica está oferecendo no dia, entre as linguagens de circo, artes plásticas, teatro, música, multimeios, teatro e xadrez.

Serão ofertados também três cursos de férias por Fábrica, com cerca de 60 vagas, com duração de dois a quatro dias cada. Estes cursos objetivam oferecer um conteúdo mais específico e aprofundado e, para participar, é necessário comparecer à unidade desejada com documento de identificação com foto e comprovante de residência. Alunos menores de 14 anos precisam estar acompanhados de um responsável.

Todos os materiais necessários para as atividades são oferecidos gratuitamente pelas Fábricas. Para saber mais, acesse o site www.fabricadecultura.com.br ou a página do Facebook /fabricasdeculturazl.

SERVIÇO

Atividades de férias das Fábricas de Cultura (zona leste)

Horários dos cursos

Manhã – Das 9h00 às 12h00 – de terça-feira a sábado

Tarde – Das 14h00 às 17h00 – de terça-feira a sábado

Noite – Das 18h00 às 21h00 – às terças e quartas

Sábado – Das 9h00 às 17h00

Itaim Paulista

Endereço: Rua Estudantes da China, 500

Telefone: (11) 2025-1991

Cursos:

Papelão arte – Autorretrato

Dias 03, 05, 10 e 12/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 10 anos

Karatê estilo Shotokan

Dias 04, 06, 11 e 13/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 08 anos

“Território do Brincar” – Brincadeiras do Itaim Paulista

Dias 17 e 19/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 08 anos

Sapopemba

Endereço: Rua Augustin Luberti, 300

Telefone: (11) 2012-5803

Cursos:

Violão – A importância da mão direita e esquerda

Dias 17, 24 e 31/07 – das 18h00 às 21h00 – acima de 16 anos

Circo – Na Corda Bamba

Dias 18,20 e 25/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 08 anos

Apreciação musical e percepções: rítmica e melódica

Dias 18,20 e 25/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 10 anos

Cidade Tiradentes

Endereço: Rua Henriqueta Noguez Brieba, 281

Telefone: (11) 2556-3624

Cursos:

Balé – Giros e piruetas

Dias 11 e 13/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 12 anos

Violão/A Música Pop dos Anos 80

Dias 17 e 19/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 08 anos

Papelão arte – Autorretrato

Dias 18, 20, 25 e 27/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 12 anos

Vila Curuçá

Endereço: Rua Pedra Dourada, 65

Telefone: (11) 2016-3316

Cursos:

Dança “BREAKING” Fundamentos, métodos de criação e consciência corporal

Dias 05,10 e 12/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 14 anos

DANÇA DE SALÃO – “A dança a partir de músicas com influência afro brasileira”

Dias 10,17 e 24/07 – das 18h00 às 21h00 – acima de 17 anos

Exercícios Criativos – Fragmentos Afetivos

Dias 13, 18 e 20/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 08 anos

Parque Belém (apenas manhã e tarde, sábados das 10h às 17h)

Endereço: Av. Celso Garcia, nº 2.231 (Complexo do Parque Belém)

Telefone: (11) 2618-3447

Cursos:

Curso de percepção rítmica e melódica

Dias 03, 05, 10 e 12/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 12 anos

Mercado Musical

Dias 04, 06, 11 e 13/07 – das 14h00 às 17h00 – acima de 16 anos

Para conhecer a programação cultural de todo o estado, acesse o site da Secretaria da Cultura do Estado www.cultura.sp.gov.br

Fábricas de Cultura oferecem aulas de afrobeat e dança afro para todas as idades

As atividades são gratuitas e buscam trabalhar com a autoestima, o autoconhecimento e o amor próprio. Faça sua inscrição!

As Fábricas de Cultura das zonas Norte e Sul da cidade convidam crianças, jovens e adultos para as aulas de Afrobeat e dança afro, que acontecem gratuitamente ao longo do mês de junho. Vanessa Soares, atriz, dançarina e arte educadora, irá ministrar as atividades, que integram seu projeto Dança com P., cuja a proposta é trabalhar o corpo por meio da dança dos orixás. São oferecidas 30 vagas por aula, que devem ser preenchidas por maiores de 12 anos.

Os passos de Iemanjá e de Osun guiam a dança de Vanessa, que é voltada para mulheres, com leituras de trechos de livros e citação de palavras que representam a autoestima, o autoconhecimento e o amor próprio. O afrobeat é um ritmo musical criado na década de 1970 pelo músico e ativista nigeriano Fela Kuti (1958 – 1997), que tem influência do jazz e do funksoul.

As Fábricas de Cultura são instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis.

Confira a programação das aulas de Afrobeat e dança afro

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha: 8/6, sexta-feira – das 15h00 às 17h00

Fábrica de Cultura Brasilândia: 13/6, quarta-feira – das 15h00 às 17h00

Fábrica de Cultura Jardim São Luís: 14/6, quinta-feira – das 15h00 às 17h00

Fábrica de Cultura Jaçanã: 26/6, terça-feira – das 15h00 às 17h00

Fábrica de Cultura Capão Redondo: 28/6, quinta-feira – das 15h00 às 17h00

AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoerinha

Rua Franklin do Amaral, 1575 – Telefone: (11) 2233-9270

Fábrica de Cultura Jardim São Luís

Rua Antônio Ramos Rosa, 651 – Telefone: (11) 5510-5530

Fábrica de Cultura Brasilândia

Avenida General Penha Brasil, 2508 – Telefone: (11) 3859-2300

Fábrica de Cultura Jaçanã

Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138

Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360  – Telefone: (11) 2249-8010

Funcionamento de todas as unidades: de terça a sexta-feira, das 9h00 às 20h00, e finais de semana e feriados das 12h00 às 17h00

Site: www.fabricasdecultura.org.br

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Feira Sabor Nacional celebra a chegada do verão no MCB

Pequenos produtores, expositores e oficinas são as atrações do evento nos dias 24 e 25 de novembro, sábado e domingo; entrada gratuita

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado gerida pela Sociedade Civil por meio de A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, e o Grupo FSN realizam em parceria a nona edição da Feira Sabor Nacional. O evento será nos dias 24 e 25 de novembro, sábado, das 10h às 20h, e domingo, das 10h às 19h, com entrada gratuita, e reunirá produtos sazonais produzidos por pequenos produtores de alimentos, bebidas e acessórios culinários.

Nesta edição, a Feira Sabor Nacional saúda a chegada do verão e do final do ano, destacando produtos elaborados com leveza, refrescância e voltados para a alimentação saudável. Além dos expositores, o evento conta com uma praça de alimentação e opções de gastronomia baiana, iguarias acreanas, dentre outras.

“Para novembro, a curadoria buscou ainda mais inovação e originalidade. Vamos trazer o colorido na estação mais quente do ano em produtos como biscoitos especiais, guloseimas adocicadas e molhos de mostardas e hortelã refrescantes”, comenta Elson Reys, sócio do Grupo FSN.

A fim de contextualizar a vocação para a arquitetura e o design, o Museu da Casa Brasileira contribui para temas como economia criativa e sustentabilidade. “Nesse sentido, promovemos iniciativas como a Feira Sabor Nacional que geram oportunidade de acesso e incentivam o contato direto entre os pequenos produtores e o consumidor final”, afirma a diretora geral do MCB, Miriam Lerner.

Oficinas para adultos e crianças completam a programação do evento:

OFICINAS

Sábado, 24 de novembro

– Das 12h00 às 14h00: Como ter uma horta de temperos orgânicos em casa – Silvia Jeha, Sabor de Fazenda

Na atividade os participantes aprenderão os segredos sobre o plantio e os benefícios dos temperos orgânicos. (20 vagas)

*as inscrições serão realizadas com os organizadores do evento no dia da atividade. 

Domingo, 25 de novembro

– Das 14h00 às 16h00: Da mandioca à tapioca – Oquecabeaqui?

Oficina de feitura da tapioca, desde a mandioca até a mesa. Os participantes irão explorar a tapioca como suporte para criações artísticas, utilizando pigmentos naturais, estêncil e outras ferramentas para deixar suas marcas no alimento.

Público alvo: crianças de 3 a 10 anos. (20 vagas)

*as inscrições serão realizadas com os organizadores do evento no dia da atividade. 

Expositores:

Abra a Boca e Feche os Olhos, Aguzzo; A. Mar; Atelier de Terrine; Baiani Chocolates; Brutus Pimentas; Café Amorim; Café Campo Místico; Art & Richies; Casa do Bolo de Rolo; Casa Mantiva; Canoleria Brasil; Capril do Bosque; Castanharia; Cerâmica Fátima Moreira; Chef In Boss; Chimichurri Norba; Chrtistophe & Zeide; Delicari; Deliciss; Desenrolha; É Brownie; Elaine Doces; Empório Poitara; Fazenda Atalaia, Feito a Pão; Fruta Fina, Flor Gourmet; Funghi Caruso; Going Nuts; Gostoso e Fácil; Gin Arapuru; Goldy Alimentos; Jais Hand Made; Kika Ps; La Bottega di Nino; La Conserveria; Lowe; Maximo Boschi; MBee Mel; Montezuma Queijos; Obaatian, Objekti; O Chá Lá; Oficina Vovôio; Oliq Azeites; Origens Grechi; Pampa Alfajores; Pardinho Artesanal; Poppin’corn; Quitandarte; Quituteria Artesanal; Riccio Cucina; Rima; Rusti Cookies; Sacola Tropical; Santa Paula Queijaria; Sabor de Fazenda; Santo Cutelo; Tartuferia San Paolo; Taste Me, Tiê Cachaças; U!Dress;  Vestra Panem; Xavante Carne de Lata.

Restaurantes/Food Bikes:

Açucareiro da Nana; Caminhoneta; Casa Tucupi; Cervejaria Avós; Consulado Mineiro; Desenrolha; Dona Celina; Dourado de Amendoim e Cia; Fôrno; Guará Vermelho; Hospedaria; Jardim de Napoli; Los Compadres Cervejaria; Mercearia do Francês; Merengueria Santa Clara; Mocotó Aqui; Negroni Ricetta 45; Tabuleiro das Meninas; Verdô Sucos; Zalaz.

Sobre o Grupo FSN

O Grupo FSN foi criado em julho de 2015 com a proposta de descobrir pequenos produtores da área gastronômica, divulgar seus trabalhos e receitas e aproximá-los do consumidor final, fomentando um consumo constante e consciente. O trabalho é desenvolvido a partir da experiência profissional de seus fundadores, os empresários Claudia de Castro Mello, Elson Reys, José Roberto Giffoni e Reginaldo Okazaki de Freitas.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Feira Sabor Nacional

Dias 24 e 25 de novembro de 2018

Sábado, das 10h00 às 20h00

Domingo, das 10h00 às 19h

Entrada Gratuita

Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2705 – Tel.: (11) 3032-372

VISITAÇÃO DO MUSEU
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Feminismo: mulheres criam quadrinhas de samba de bumbo para falar de protagonismo feminino

Projeto Faz a roda grande mulher realizado nos Centros de Cidadania da Mulher propõe empoderamento através da cultura popular; próxima atividade será na Capela do Socorro.

Lugar de mulher é no samba e onde quiser, com autonomia para fazer o que desejar. Para difundir o samba de bumbo e encorajar todas as mulheres que são silenciadas pela sociedade patriarcal, nos dias 22 e 23 de junho, das 14h às 17h, no CCM Capela do Socorro acontecem as atividades do “Faz a roda grande mulher”, projeto contemplado pelo edital ProAC de promoção e proteção das culturas negras.

O projeto cultural ressignificou a ocupação dos Centros de Cidadania da Mulher e trouxe a reflexão sobre o papel da mulher, através do samba de bumbo e a história das mulheres negras, que são fundamentais para a sobrevivência da manifestação cultural.

No dia 22 (sexta) no CCM Capela do Socorro, a atividade será exclusiva para mulheres de todas as idades. Haverá exibição do curta-documentário “Esse Bumbo é Meu”, bate-papo sobre a mulher na manifestação cultural e a apropriação dos instrumentos, tradicionalmente de posse masculina. Na sequência, o grupo Samba de Bumbo de Dandara realizará uma oficina de quadrinhas, a partir da reflexão sobre a mulher e técnicas do teatro do oprimido. O resultado final serão quadrinhas produzidas pelas participantes.

Já no dia 23 (sábado), o evento será aberto ao público, repetindo a projeção do filme, roda de conversa e apresentação do grupo Samba de Bumbo de Dandara, cantando versos tradicionais da manifestação popular e as quadrinhas criadas na oficina.

O Faz a roda grande mulher já passou por três Centros de Cidadania da Mulher. Na atividade realizada em Itaquera, as participantes trocaram experiências acerca da desigualdade de gênero no ambiente doméstico e criaram a quadrinha: “Eu sei que posso / Ser livre sim / Seguir meu sonho / Ser forte assim”. Grace, 36 anos, participante da oficina revelou que esse foi um dia que vai ficar marcado na lembrança. “A mulher negra precisa mostrar o que ela faz e ser valorizada”, afirmou.

Para Jana da Silva, que participou da oficina no CCM Parelheiros, foi uma experiência muito importante para as mulheres. “Aqui em Parelheiros, a função da mulher é cuidar da casa e dos filhos, elas não têm o direito de sair, mas agora elas estão começando a se empoderar e essa atividade é uma oportunidade para conscientizar as mulheres como protagonistas de suas vidas”, relatou.

Grupo Samba de Bumbo de Dandara

O grupo Samba de Bumbo de Dandara surgiu no Carnaval de 2016, com o objetivo de empoderar as mulheres a partir dos instrumentos musicais do samba de bumbo. Tradicionalmente, na manifestação popular, os homens tocam e as mulheres dançam, nas apresentações do grupo Dandara, os papeis são invertidos e as mulheres tocam, questionando assim a divisão de gênero no samba rural paulista. São integrantes do grupo: a atriz, bailarina e arquiteta Irla Costa, a atriz e estudante Lucia Steves e a técnica em enfermagem Luciana Fernandes, também integrante e descendente direta do grupo “Treze de Maio”, fundado por negros recém libertos em 13 de maio de 1888.

Documentário “Esse Bumbo é meu” (2016)

O filme registra o samba de bumbo, expressão musical tradicional da região metropolitana, interior paulista e herança do tempo da escravidão. O documentário apresenta a luta das mulheres do samba para manterem viva a cultura de seus ancestrais, enfrentando preconceitos e conflitos com a política local. Soluções se apresentam, mas afinal, de quem é esse bumbo? Direção: Ruy Reis, Paula Simões, Dagmar Serpa, Marina Chekmysheva e Daniel Mirolli Elenco: Carmelino Euzebio de Jesus, Eni Soares de Sousa, Irla Costa, Lucia Steves, Luciana Oliveira de Jesus Fernandes, Luisa Camargo de Jesus.

Sobre CCMs

Os Centros de Cidadania da Mulher são espaços de qualificação e formação em cidadania, nos quais mulheres de diferentes idades, raças e crenças podem se organizar e defender seus direitos sociais, econômicos e culturais, além de propor e participar de ações e projetos que estimulam a implementação de políticas de igualdade com o objetivo de potencializar, por meio do controle social, os serviços públicos existentes para atender às suas necessidades e de sua comunidade.

SERVIÇO

CCM Capela do Socorro

Data: 22 (sexta) e 23 (sábado) de junho

Horário: 14h às 17h

Local: Rua Prof. Oscar Barreto Filho, 350 – Grajaú

Contato: 3917-7890 / 3917-5955

Gratuito

Próximas datas

7 e 14 de julho, das 14h as 17h
CCM Santo Amaro
Praça Salim Farrah Maluf s/n

Férias no Museu Catavento tem programação para todas as idades

Espetáculos teatrais, apresentações de mágica, oficinas, jogos, experiências com realidade aumentada, exposições e muito mais!

Durante todo o mês de julho, o Museu Catavento – museu de ciências da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – oferece programação especial com diversão e informação para toda a família. E como já é tradição do museu, além do acervo fixo com mais de 250 instalações, várias atividades especiais e novidades serão apresentadas: espaço de realidade aumentada, espetáculos “Viver com Saúde” e “Esse Mosquito Vai Dançar”, exposições “Cápsulas do Saber” e “Macrocélula”, apresentações de mágica, Jogos Portinari, oficinas “Perfumista por um dia” e “Mini-terrário” e Arena Drone. Confira os detalhes:

Espaço de REALIDADE AUMENTADA

Os visitantes terão a oportunidade de interagir e aprender sobre a plataforma de Realidade Aumentada (AR). Cada vez mais popular, AR é uma plataforma que permite misturar o mundo virtual com o mundo real, por meio de dispositivos móveis como iPhone ou iPad, com aplicativos que apresentam conteúdos das quatro grandes áreas da nossa expografia (Universo, Vida, Engenho e Sociedade).

Com o uso da câmera do dispositivo, elementos de um ambiente real são combinados com elementos virtuais para ampliar uma experiência.

Imagine examinar os menores ossos do corpo humano? Ou ainda, explorar os diferentes planetas do sistema solar e aprender sobre eles? Os aplicativos selecionados para o espaço, além de muito divertidos e interativos, são uma ótima ferramenta de aprendizagem, pois proporcionam uma vivência nas diferentes áreas do conhecimento. Ciência e tecnologia na palma da mão.

A partir de 7 de julho                                                             

Faixa etária: a partir de 7 anos

Horário: das 10h00 às 17h00

Local: Claustro

ARENA DRONE

Cada vez mais comuns e populares, os Drones despertam o interesse de crianças, jovens e adultos em todo o mundo. Preparamos uma arena no Museu Catavento onde não só os visitantes poderão pilotar drones, mas também aprender sobre essa tecnologia que tem o céu como limite.

De 14 a 29 de julho

Faixa etária: a partir de 7 anos

Local: Área externa/tenda

Retirar senhas na bilheteria

ESPETÁCULOS

“Viver com saúde”

Desenvolvido pela Fundación Mapfre e apresentado pelo Ciência Divertida, o espetáculo Viver com Saúde apresenta importante tema às crianças de forma lúdica e interativa, convidando o público a preparar o café da manhã com alimentos saudáveis. No espetáculo, os participantes conhecem os nutrientes indispensáveis para o funcionamento do corpo, os grupos de alimentos e a importância da prática de exercícios físicos.

Dias 4, 5, 8, 9, 12, 13 de julho (duas sessões diárias às 13h30 e 15h30)

Dias 6, 7 e 14 julho (uma sessão diária às 14h00)

Local: Auditório

“Esse mosquito vai dançar”

Com muita música, risada e animação, os palhaços Kito e Tinha passam importantes lições sobre os cuidados que devemos ter com o lugar em que vivemos para combater o mosquito Aedes Aegypti e as doenças que ele pode transmitir. Com apoio da Reckitt Benckiser – detentora da marca do inseticida SBP.

A partir de 19 de julho (de quinta a domingo)

Horário: 13h30 e 15h00

Local: Auditório

EXPOSIÇÕES

“Cápsulas do Saber”

Nesta instalação serão tratados temas importantes sobre o meio ambiente dentro de quatro cápsulas: Poluição urbana, Desmatamento, Fenômenos meteorológicos e Derretimento das calotas polares. As quatro cápsulas, juntas, formam um túnel que aborda, em linguagem simples e interativa, assuntos importantes para a realidade do nosso planeta e discussões sobre Meio Ambiente e o nosso futuro.

Dias 12, 13, 14, 17, 18, 19, 20, 21 e 22 de julho

Horário: ao longo do dia

Local: área externa

Macrocélula

Em parceria com a Universidade de Alfenas e a Sociedade Brasileira de Biologia Celular, o Museu Catavento recebe a exposição Macrocélula. Células são estruturas microscópicas, porém, de julho a setembro, o visitante do museu entrará em uma célula com 20m², em uma experiência imersiva, e conhecerá as organelas que compõem nosso corpo. As estruturas da Macrocélula são grandes, mas confeccionadas com materiais leves e em cores fluorescentes, suspensas com fio de nylon que ficam visíveis, representando os microtúbulos celulares, e iluminadas por lâmpadas de luz negra, para que suas cores vibrem aos olhos dos visitantes.

De 03 de julho a 02 de setembro – ao longo do dia

Local: Seção Vida

APRESENTAÇÕES DE MÁGICAS “CLOSE-UP

Interações de mágicas com o público visitante do Museu Catavento. As mágicas “close-up” são realizadas muito próximas ao público que acompanha cada movimento.

Horário: ao longo do dia

Local: Dependências do museu

JOGOS PORTINARI

Este jogo de adivinhação proporciona ao visitante um contato lúdico com as pinturas de Cândido Portinari, instigando uma leitura minuciosa de suas obras. A proposta do jogo é estimular a criatividade e a integração entre os jogadores, que são divididos em grupos.

De 3 a 27 de julho (de terça a sexta)

Horário: ao longo do dia

Local: Piso Superior – Jogos do Poder

OFICINAS

Perfumista por 1 dia

Imagine poder viajar por um universo de fragrâncias! Nesta oficina de aromas, a essência da perfumaria será experimentada de modo envolvente e educativo. O visitante será convidado a identificar diversos cheiros inusitados e curiosos e serão perfumistas por um dia, criando o seu próprio perfume.

Dias 28 e 29 de julho (sábado e domingo)

Horário: 11h00 e 15h00

Local: Claustro

Oficina de Mini Terrário

Há cerca de 150 anos, o médico inglês Nathaniel Ward resolveu colocar algumas pupas de borboletas junto a um pouco de terra, dentro de uma caixa de vidro fechada para observar a metamorfose desses insetos. Mas, para sua surpresa, o que ele observou foi o desenvolvimento de esporos e sementes, dando origem a plantas que sobreviveram naquele local, mesmo sem qualquer cuidado de sua parte. A partir deste incidente, a manutenção de espécies em recipientes fechados popularizou-se e, atualmente, esse sistema natural em escala reduzida é chamado de terrário.   Nesta oficina, cada visitante construirá seu próprio terrário, colocando em prática a abordagem e discussão da monitoria antecedente à construção.

De 3 a 26 de julho

Horários: 10h00, 11h00, 12h00, 14h00, 15h00, 16h00

Local: Claustro

SERVIÇO

Museu Catavento

Onde: Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP.

Telefone: (11) 3315-0051

Quando: terça a domingo, das 9h00 às 17h00 (bilheteria fecha às 16h00).

Quanto: R$ 10 e meia-entrada para estudantes, idosos e portadores de deficiência. Entrada gratuita às terças-feiras.

Idade mínima para visitação: recomendado para crianças a partir de 7 anos.

Como chegar: www.cataventocultural.org.br/mapas.asp

Acesso por transporte público: estação de metrô Pedro II e terminal de ônibus do Parque Dom Pedro II.

Estacionamento: R$ 15 até 4 horas (para visitantes do museu). Adicional por hora: R$ 5,00 (capacidade para 200 carros). Ônibus e vans: R$30,00. Adicional por hora: R$ 10,00.

Infraestrutura: acesso para pessoas com deficiência locomotora.

Sobre o museu

O Museu Catavento foi inaugurado em março de 2009 e tem mais de 250 instalações divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade). Cada seção foi elaborada com iluminação e sons diferentes, que contribuem para criar atmosferas únicas e envolventes. Atrações como borboletário, sala de realidade virtual Dinos do Brasil, aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escaladas, onde é possível ouvir histórias de personalidades da história, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo. Na área externa também é possível conferir equipamentos como a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

Férias tem programação especial no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

De 1 a 31 de julho, espaço em Campos do Jordão promove o projeto Férias no Museu com visitas educativas e noturnas, músicas, brincadeiras, teatro e literatura

O inverno na Serra da Mantiqueira promete ser agitado, se depender do Museu Felícia Leirner e do Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão (SP). De 1 a 31 de julho, as instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari, promovem mais uma edição do projeto Férias no Museu.

“A programação contará com atividades culturais e educativas. As ações foram planejadas para toda a família com os objetivos de proporcionar diversão e novos conhecimentos”, comenta Marina Falsetti, gerente do Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro.

Durante todo o mês, de terça a sexta-feira, às 10h00 e às 15h00 e aos sábados e domingos, às 11h00 e às 15h00, haverá Visita Educativa, que mostra os equipamentos culturais, incluindo uma atividade poética com a apresentação de textos de cordéis criados pelos educadores. Outro destaque será a Visita Educativa Noturna, nos dias 06, 14, 20, 28 e 30 de julho, às 18h00. Um passeio multissensorial pelo Museu com foco nos sons e luzes que habitam o local.

O período contará também com o Roteiro Cultural – Campos do Jordão, criado em parceria com o Museu Casa da Xilogravura. A iniciativa terá jogos e enigmas que interligarão as instituições, incentivando o público a conhecer os dois importantes espaços culturais da cidade.

Às terças-feiras (3, 10, 17, 24 e 31 de julho), os visitantes poderão aprender mais sobre o trabalho de Felícia Leirner. Às 11h00, um jogo de percurso em tamanho real irá revelar aspectos de sua vida e obra. Às 16h00, a oficina Moldando Expressões apresentará obras e técnicas utilizadas pela artista, além de auxiliar o visitante a confeccionar sua própria escultura.

Nos dias 4, 11, 18 e 25 de julho (quartas-feiras), o tema é a Música. Às 11h00, o Maestro Claudio Santoro será apresentado aos visitantes por meio de um jogo de percurso em tamanho real e, às 16h00, a oficina Descobrindo uma Orquestra abordará os elementos fundamentais para a composição de uma orquestra, além dos sons dos instrumentos que a compõem.

As quintas-feiras de julho (05, 12, 19 e 26) serão destinadas a temática do Meio Ambiente. Às 11h00, o jogo Brincando com o Meio Ambiente explicará sobre a fauna e a flora presentes no Museu e Auditório e, às 16h00, o público partirá de uma perspectiva multissensorial para explorar sons, texturas e imagens da natureza local na atividade Natureza Sensorial.

Já nos dias 6, 13, 20 e 27 de julho (sextas-feiras), jogos de mesa tradicionais com as temáticas do Museu e Auditório serão disponibilizados às 11h00.  Nos sábados (7, 14, 21 e 28), o público participará de uma serie de oficinas, apresentações e atividades relacionadas aos três principais temas de atuação do Museu e Auditório: Artes Visuais, Música e Meio Ambiente. As atividades serão sempre às 10h00 e às 14h00.

Em 1, 8, 22 e 29 de julho (domingos), o Grupo Ziriguidum exibirá sempre às 10h00 espetáculos teatrais e contações de história com temáticas populares, cantigas de roda e muita interação com os participantes. O Domingo Musical: Meninas Cantoras de Campos do Jordão será no dia 15 de julho, às 10h00. O coral formado por jovens cantoras da cidade é regido pela maestrina Mere Oliveira e possui um repertório variado e muito bem preparado tecnicamente.

Novidades ficarão por conta de uma programação especial com curadoria da Festa Literária Internacional da Mantiqueira (FLIMA), que vai lançar oficialmente o evento. O Museu e Auditório farão parte da programação da Feira que reunirá autores brasileiros de grande prestígio, nomes conhecidos de um público mais amplo, novos talentos e convidados internacionais em setembro, principalmente em Santo Antônio do Pinhal, a 20 minutos de Campos do Jordão. Para mostrar o que está por vir, as Férias no Museu terá no terceiro final de semana de julho o “Esquenta FLIMA”, que incluirá duas oficinas de Criação de Livros, com o editor e designer Vanderley Mendonça, no dia 21, às 10h00 e às 14h00.

A quarta edição do Projeto Pôr do Sol também compõe a programação de Férias no Museu com atrações culturais e artísticas. As ações serão as sextas e aos sábados de julho, no mirante do Museu, a partir das 16h30 até o último raio de sol. A primeira já acontece sábado (31 de junho).

Confira a programação completa:

Visita Educativa

Período: De 01 a 31 de julho

O visitante poderá acompanhar o percurso do Museu e Auditório com os educadores que apresentarão o espaço e contarão textos de cordéis sobre Felícia Leirner, Claudio Santoro e as majestosas araucárias.

Horário: De terça a sexta-feira: às 10h00 e às 15h00. Aos Sábados e Domingos: às 11h00 e às 15h00

Visita noturna

Datas: 06, 14, 20, 28, 30 de julho

Partindo de uma experiência pouco comum, neste dia, os educadores do Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro realizarão uma visita multissensorial noturna, com foco nos sons e nas luzes que habitam o Museu e que até então não foram explorados. Será uma oportunidade de vivenciar um novo olhar sobre as obras de Felícia Leirner, em harmonia com o ambiente noturno.

Horário: Às 18h00

Entrada: gratuita

Roteiro Cultural – Campos do Jordão

Período: De 1 a 31 de julho

Você e sua família estão convidados para participarem do “Roteiro Cultural – Campos do Jordão”. Em parceria com o Museu Casa da Xilogravura, a ação consiste em jogos, enigmas e brincadeiras que interligam as instituições e incentivam o público a conhecer esses dois importantes espaços culturais do município. Depois de se divertir muito, a família ainda ganha um certificado de participação! Imperdível! Pergunte a um de nossos educadores como participar!

Horário: De terça a domingo, das 9h00 às 18h00

Causos Juninos com o Grupo Ziriguidum

Data: 01 de julho

As modas de viola nos convidam a ouvir um “causo” junino de uma moça em busca do Amor! O Grupo Ziriguidum valoriza nossa tradição oral celebrando a festa junina e a sabedoria popular! Traga toda a família!

Horário: às 10h00

Entrada: gratuita

Desvendando Felícia

Datas: 03, 10, 17, 24 e 31 de julho

Às terças-feiras de julho serão muito divertidas com o jogo de percurso em tamanho real com perguntas, enigmas e desafios sobre a vida e obra da artista Felícia Leirner. A atividade poderá ser realizada por toda a família!

Horário: Às 11h00

Moldando Expressões

Datas: 03, 10, 17, 24 e 31 de julho

Inspirados pelo acervo da escultora Felícia Leirner, os visitantes serão conduzidos a conhecerem as obras e as técnicas por ela utilizadas e, em seguida, serão convidados a criarem suas próprias esculturas com diferentes materiais, expressando seus sentimentos e emoções.

Horário: Às 16h00

Desvendando Claudio Santoro

Datas: 04, 11, 18 e 25 de julho

Traga a família para se divertir com o jogo de percurso em tamanho real com perguntas, enigmas e desafios sobre a vida e obra do maestro Claudio Santoro! A atividade acontece todas as quartas-feiras de julho!

Horário: Às 11h00

Descobrindo uma Orquestra

Datas: 04, 11, 18 e 25 de julho

Você sabe o que é uma orquestra? Consegue reconhecer os sons dos instrumentos que estão sendo tocados? Sabe o que compõe uma orquestra? Na ação, o público irá descobrir quais elementos são fundamentais para a composição de uma orquestra e irá conhecer os sons dos mais variados instrumentos do estilo musical.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: Às 16h00

Brincando com o Meio Ambiente

Datas: 05, 12, 19 e 26 de julho

Os educadores do Museu esperam você e sua família para participarem do jogo de percurso em tamanho real com perguntas, enigmas e desafios sobre a fauna e flora pertencentes ao Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro. Não perca! A atividade acontece todas as quintas-feiras de julho, no Museu Felícia Leirner.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 11h00

Natureza Sensorial

Datas: 05, 12, 19 e 26 de julho

Todas as quintas-feiras de julho o público poderá conhecer nosso meio ambiente a partir de uma perspectiva multissensorial. Uma caminhada pelo jardim do Museu Felícia Leirner com estímulos sonoros, táteis e visuais levará o visitante a se surpreender e se sensibilizar com a natureza local.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: Às 16h00

Jogos de Mesa

Datas: 06, 13, 20 e 27 de julho

Todas as sextas-feiras de julho serão disponibilizados jogos de mesa como: damas, jogo da memória, quebra-cabeça, caça palavras, labirinto e desenhos para colorir ligados ao meio ambiente, à música e as artes visuais. A ação é voltada a toda família. Venha aproveitar!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: Às 11h00

Criar, pintar e plantar com o Grupo Manifesta

Data: 07 de julho

No encontro, adultos e crianças poderão manter contato direto com os elementos água e terra por meio do desenvolvimento da criatividade e coordenação motora produzindo desenhos, pinturas, decorações de vasos e plantio de sementes de flores. Traga a sua família e plante a semente do cuidado com o Meio Ambiente!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: Às 10h00 e às 14h00

Cantos e Contos para Brincar com o Grupo Ziriguidum

Data: 08 de julho

Brincando com a História da Coca, um conto da Cultura Popular, o Grupo Ziriguidum convida o público a participar da cena, criando um momento de prazer e diversão num alegre encontro com as músicas brasileiras. Para além da encenação da história, o grupo propõe integração, onde todos podem participar, dançar, cantar e contar histórias coletivamente.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 10h00

Entrada: gratuita

Teatro de Brinquedos com o Grupo Teatro do Imprevisto & Cia. Pataquada

Data: 14 de julho

Venha se divertir com um espetáculo composto por histórias de assombração, fábulas, encantamentos e contos populares. A encenação se passa com uma trupe formada por três atores contadores de histórias que chegam em cortejo trazendo em sua mala um miniteatro no qual conta-se quatro narrativas baseadas em contos populares, são elas: Pedro Malasartes e a Sopa de Pedra, A menina enterrada viva, Mãe D’água e O Macaco e a Velha. Diversão garantida para toda a família!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 10h00

Oficina de Ritmo e Percussão com Daniel Moray

Data: 14 de julho

Durante a vivência conduzida pelo músico Daniel Moray, o participante poderá ampliar a percepção rítmico-musical, conhecer diferentes ritmos do Brasil e do mundo, aprender e praticar alguns deles em instrumentos percussivos, e experimentar momentos de coesão e cumplicidade em grupo por meioda música realizada em círculo.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: 14h00

Domingo Musical: Meninas Cantoras de Campos do Jordão

Data: 15 de julho

No dia, o visitante terá a oportunidade de apreciar a apresentação especial das Meninas Cantoras de Campos do Jordão, coral regido pela maestrina Mére Oliveira. O evento acontece em parceria com a Associação dos Amigos de Campos do Jordão e é voltado a toda a família Imperdível!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: 10h00

Entrada: gratuita

Esquenta FLIMA: Oficina de Criação de Livros

Data: 21 de julho

Imperdível para quem escreve, desenha ou é apaixonado por publicações impressas. Em duas horas, o editor e designer Vanderley Mendonça transmitirá noções básicas de design editorial (criação da capa, paginação, diagramação, escolha de papel, impressão e acabamento de forma artesanal) e ensinará a diagramar, a montar, a imprimir e a encadernar um livro. Cada participante sairá com o seu próprio livreto, fanzine ou plaquete. Quem quiser pode levar textos e/ou desenhos (em preto e branco) em arquivo digital. A idade mínima recomendada é de 14 anos. Menores de 14 anos podem participar, desde que acompanhados por um adulto responsável.

Este ano Museu e Auditório realizam uma parceria com a primeira Festa Literária da Mantiqueira (FLIMA), que acontecerá no segundo semestre do ano na região. Neste final de semana as atividades darão um gostinho do que está por vir! Fique atento!

Horário: às 10h00 e às 14h00

Esquenta FLIMA: Eu não quero um mundo imundo com o Grupo Ziriguidum

Data: 22 de julho

Inspirada na obra “Gnomos de Gnu” de Umberto Eco, essa narrativa foca problemas atuais de poluição, saúde e sustentabilidade que tanto afligem o ser humano. Dessa forma buscamos despertar junto ao público uma conscientização ecológica e a curiosidade de investigar novas obras literárias que ampliem nossa capacidade de reflexão. Apresentação recomendada para todas as idades.

Este ano Museu e Auditório realizam uma parceria com a primeira Festa Literária da Mantiqueira (FLIMA), que ocorrerá no segundo semestre do ano na região. Neste final de semana as nossas atividades darão um gostinho do que está por vir. Fique atento!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 10h00

Oficina de Biocosméticos com Ivy Chiarelli

Data: 28 de julho

Que tal aprender a fazer seus próprios cosméticos com a educadora ambiental Ivy Chiarelli? A ideia do “faça você mesmo” é utilizar matérias-prima simples, naturais, que custam pouco e são fáceis de encontrar. Além de preservar o meio ambiente como um todo, ainda existe o cuidado com a saúde, porque é possível saber o que tem no “potinho”. No final da oficina os participantes levarão para casa cosméticos naturais produzidos por eles.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 10h00 e às 14h00

Cantos e Contos para Sonhar com o Grupo Ziriguidum

Data: 29 de julho

Em um delicado jogo de materiais e adereços simples, acessíveis à criança, as atuadoras apresentam um chaveiro encantado que abre as portas das histórias que serão narradas, permeadas por belas cantigas tradicionais da infância e músicas de autoria do próprio grupo.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 10h00

Entrada: gratuita

PROJETO PÔR DO SOL

Hindus Project

Data: 30/6

Já pensou em assistir ao pôr do sol e apreciar uma experiência que provoque equilíbrio, bem-estar e uma reflexão sobre uma existência mais sustentável e harmoniosa? Então aproveite!. Neste ano, o projeto Pôr do Sol começa em junho, acompanhando o início da temporada. A música do Hindus Project conduzirá o espectador a uma jornada para dentro de si, em busca da luz, do silêncio e de conexões ancestrais.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: 16h30

Dj Matt Sander

Datas: 06, 13, 20 e 27 de julho

O Projeto Pôr do Sol receberá as sextas-feiras de julho a discotecagem do DJ Matt Sande, com mixagens que contemplarão o cair do Sol e tornarão a experiência de acompanhar o fenômeno ainda mais emocionante.

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 16h30

Duo Sarabudja

Data: 07 de julho

A partir do dialeto criolo, releituras de ritmos populares, de composições próprias, Cabo-Verde e Brasil, se unem para fazer música. Com a Força das histórias dos dois povos, o duo formado por Helio Ramalho (Cabo Verde) e Ricardo Mingardi (Brasil) mistura, Violão, Voz e Tambores a batidas eletrônicas para formar um repertório único e original. Não deixe de conhecer essa mistura única e tão especial!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 16h30

FRAK TAO – Uno em Si, Dentro do Todo

Data: 14 de julho

O recital idealizado pelo artista Daniel Moray propõe uma jornada de reflexão sobre os caminhos do ser por meio da música e da poesia. Composições instrumentais e canções autorais de contemplação da vida e da natureza tocadas com o suporte de um pedal de loop (que permite sobreposição de sons e timbres) e com diferentes instrumentos étnicos (que proporcionam paisagens sonoras únicas) são permeadas por pequenos textos e poesias que inspiram a ampliação da percepção sobre a existência e suas relações. Venha ver o pôr do sol mais lindo da Mantiqueira e se deliciar com essa proposta!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: 16h30

Esquenta FLIMA: Nuvens Ornamentais: Improvisos Poético-Musicais

Data: 21 de julho

Versos e sons que se fundem e se confundem criando paisagens sonoras ao vivo. Uma performance que combina poesia, música e incorpora o acaso para criar uma experiência única. Mais do que um sarau, o espetáculo é uma sensível celebração da arte do improviso. Com suas ora densas e ora lúdicas camadas poético-musicais, Nuvens Ornamentais é um convite para apreciar o mais bonito pôr do sol de Campos do Jordão com olhos e ouvidos bem abertos.

Este ano Museu e Auditório realizam uma parceria com a primeira Festa Literária da Mantiqueira (FLIMA), que ocorrerá no segundo semestre do ano na região. Neste final de semana as nossas atividades darão um gostinho do que está por vir! Fique atento!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 16h30

Grupo Pedra Branca – Trio

Data: 28 de julho

Uma experiência muito especial espera o público no Projeto Pôr do Sol em 28 de julho. O grupo Pedra Branca (São Paulo) toca instrumentos étnicos e timbres eletrônicos para criar música contemporânea brasileira. O conceito surge com a busca da worldmusic na própria cultura brasileira miscigenada, bem como nas suas ligações com as músicas do mundo, mostrando suas raízes nacionais através da execução de ritmos brasileiros com instrumentos de outras nações. Na formação alternativa de trio, o grupo vai presentear o público com passagens sonoras únicas e muito especiais. Realmente imperdíveis!

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: às 16h30

SERVIÇO

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

Avenida Dr. Luís Arrobas Martins, nº 1.880

Campos do Jordão – SP

Telefone: (12) 3662-6000

contato@museufelicialeirner.org.br
www.museufelicialeirner.org.br

Seja nosso parceiro: www.museufelicialeirner.org.br/apoie

Entrada: inteira R$10,00 e meia R$5,00 (estudante e idoso)

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de agasalhos e cobertores, que serão destinados a instituições de caridade do município

POLÍTICA DE GRATUIDADE: público em geral aos domingos; Moradores de Campos do Jordão, mediante apresentação de documento comprobatório; Crianças até os 10 anos de idade; Pessoas com deficiência e o respectivo acompanhante; Estudantes do ensino fundamental e médio, e professores da rede pública e privada de ensino; Associados do ICOM; Profissionais de museus e guias de turismo; Motorista de táxi, ônibus e van, conduzindo os visitantes; Funcionários das Organizações Sociais gestoras de museus e programas culturais do Estado de São Paulo ou da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo; Policiais militares, civis, técnico-científicos e seus familiares; Portadores do “Passaporte dos Museus” (válido para 1 visita) que utilizarem o mesmo até sua data de vencimento; Associados ao programa de parceiros. Para todas as gratuidades é necessário documento comprobatório (como RG, comprovante de residência, carteirinha, holerite, carteira funcional, atestado de matrícula etc.)

Férias: Casa Mário de Andrade oferece cursos e oficinas gratuitas  

A programação inclui atividades de música, cultura popular, dança, literatura e fotografia

Já tem programação para o mês de julho? A Casa Mário de Andrade preparou diversos cursos e oficinas para quem gosta de música, cultura popular, dança, literatura e fotografia. As aulas são livres, gratuitas e acontecem a partir do dia 5 de julho. As inscrições para as atividades podem ser feitas pelo site do museu, que integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

Abrindo a programação, na quinta-feira, dia 5, começa o curso sobre a dança Cavalo Marinho pernambucano, ministrado pelo Grupo Boi da Garoa, que há oito anos estuda essa variante do Bumba-Meu-Boi nordestino – classificado por Mário de Andrade como uma dança dramática. Os encontros são abertos ao público e acontecem às quintas-feiras, entre 5 de julho e 27 de setembro, das 19h00 às 21h00. Os participantes poderão vivenciar os elementos da brincadeira, que inclui música, poesia, dança e teatro.

Ainda no território da cultura popular, será oferecido o curso Ritmos Brasileiros – A prática e a teoria das músicas recolhidas na Missão de Pesquisas Folclóricas, que acontecerá às quartas-feiras, entre 25 de julho e 26 de setembro, das 14h00 às 18h00. A proposta das aulas é revisitar os ritmos musicais recolhidos pela Missão que percorreu o Norte e Nordeste a cargo do escritor Mário de Andrade, que na época dirigia a Departamento de Cultura do município de São Paulo. Os participantes serão estimulados a realizar práticas musicais e pesquisas a partir do acervo resultante da expedição, que aconteceu em 1938. O curso será ministrado por Haran Rodrigues, bacharel em música, com pesquisa em música brasileira.

Além do interesse pela escrita e pela cultura popular, Mário de Andrade também se aventurou na fotografia. E para resgatar seu apreço especial pela revelação de filmes, o museu oferece a oficina Fotografia, entre 24 e 27 de julho, das 15h00 às 18h00. Durante as aulas, ministradas pelo fotógrafo Claudinei Nakasone, o público analisará algumas imagens feitas pelo escritor e irá desenvolver certas técnicas relacionadas a elas. A atividade está associada à exposição Mário Fotógrafo, em cartaz no porão do museu.

Confira a programação completa de cursos e oficinas do mês de julho na Casa Mário de Andrade:

Grupo Boi da Garoa
Quintas-feiras, entre 5 de julho a 27 de setembro – das 19h00 às 21h00

Danças brasileiras
Terça a sexta-feira, de 10 a 13 de julho – das 15h00 às 18h00

Canto e técnica vocal
Terça a sexta-feira, de 17 a 20 de julho – das 13h00 às 16h00

Escrita de cartas pessoais
Sexta-feira, 20 de julho – das 14h00 às 15h30

Fotografia
Terça a sexta-feira, de 24 a 27 de julho – das 15h00 às 18h00

Ritmos Brasileiros – A prática e a teoria das músicas recolhidas na Missão de Pesquisas Folclóricas
Quartas-feiras, entre 25 de julho e 26 de setembro – das 14h00 às 18h00

SOBRE A CASA MÁRIO DE ANDRADE

A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. O museu abriga uma exposição permanente, que é aberta a visitação, com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. O museu também realiza uma intensa programação de atividades culturais e educativas. A Casa integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Casa Mário de Andrade
Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo
Telefone: (11) 3666-5803 | 3826-4085
Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h00 às 18h00
www.casamariodeandrade.org.br

Festival “Conecta Capão” leva literatura independente para a Fábrica de Cultura

Debates, sarau e slam evidenciam a importância da produção literária feita por mulheres, negros, periféricos e LGBTs

Nos dias 19 e 20 de junho, das 19h às 21h, a Fábrica de Cultura Capão Redondo – instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – será palco de debates, sarau, slam, feira de livros e exposição de autores e editoras pequenas. A proposta das atividades é dar visibilidade à literatura independente, evidenciando a produção periférica e LGBT. Com programação livre e gratuita, o Festival Conecta Capão: Literatura às Margens é realizado em parceria com a Conecta – produtora cultural e editora.

Na terça-feira (19), o Sarau Manas e Monas abre o Festival, com a participação de Camila Trindade, uma das idealizadoras do Coletivo Manas e Monas, que promove a atividade.  Seu canto busca narrar a importância e a beleza da mulher negra, gorda, feminista, LGBT. O microfone estará aberto, basta chegar e participar! Logo depois, o bate-papo Literatura X Tecnologia vai discutir como os avanços tecnológicos e o uso das redes sociais interferem no hábito da leitura, e como autores contemporâneos usam essas ferramentas para divulgar seus trabalhos. Com mediação de Elizandra Souza, o debate contará com a presença da poeta Ryane Leão e da slammer Mariana Felix.

Já na quarta-feira (20), toda comunidade é convidada para o Slam do 13, batalha de poesia da zona sul da cidade. Leve seus versos, rimas, músicas e artes para a Fábrica – e participe da competição! Um júri de cinco pessoas escolherá aquele que teve o melhor texto e a melhor performance, e o vencedor ganhará livros, CDs e camisetas. O bate papo Literatura LGBT fecha a programação, com a participação do Coletivo Transarau, que vai relatar o processo da publicação de sua antologia e apresentar a poeta Patrícia Meira. Junho é o mês da visibilidade LGBT, então a proposta é fomentar e discutir sobre a participação desses artistas na cena literária.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Festival Conecta Capão: Literatura às Margens

Terça e quarta-feira, dias 19 e 20/6 – das 19h00 às 21h00

19/6:

– Sarau Manas e Monas

– Bate-papo Literatura X Tecnologia

20/6:

– Slam do 13

– Bate-papo Literatura LGBT

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n

Telefone: (11) 5822-5240

Funcionamento: de terça a sexta-feira, das 9h00 às 20h00, e finais de semana e feriados das 12h00 às 17h00

www.fabricasdecultura.org.br

Festival “Conecta Capão” leva literatura independente para a Fábrica de Cultura

Debates, sarau e slam evidenciam a importância da produção literária feita por mulheres, negros, periféricos e LGBTs

Nos dias 19 e 20 de junho, das 19h às 21h, a Fábrica de Cultura Capão Redondo – instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis – será palco de debates, sarau, slam, feira de livros e exposição de autores e editoras pequenas. A proposta das atividades é dar visibilidade à literatura independente, evidenciando a produção periférica e LGBT. Com programação livre e gratuita, o Festival Conecta Capão: Literatura às Margens é realizado em parceria com a Conecta – produtora cultural e editora.

Na terça-feira (19), o Sarau Manas e Monas abre o Festival, com a participação de Camila Trindade, uma das idealizadoras do Coletivo Manas e Monas, que promove a atividade.  Seu canto busca narrar a importância e a beleza da mulher negra, gorda, feminista, LGBT. O microfone estará aberto, basta chegar e participar! Logo depois, o bate-papo Literatura X Tecnologia vai discutir como os avanços tecnológicos e o uso das redes sociais interferem no hábito da leitura, e como autores contemporâneos usam essas ferramentas para divulgar seus trabalhos. Com mediação de Elizandra Souza, o debate contará com a presença da poeta Ryane Leão e da slammer Mariana Felix.

Já na quarta-feira (20), toda comunidade é convidada para o Slam do 13, batalha de poesia da zona sul da cidade. Leve seus versos, rimas, músicas e artes para a Fábrica – e participe da competição! Um júri de cinco pessoas escolherá aquele que teve o melhor texto e a melhor performance, e o vencedor ganhará livros, CDs e camisetas. O bate papo Literatura LGBT fecha a programação, com a participação do Coletivo Transarau, que vai relatar o processo da publicação de sua antologia e apresentar a poeta Patrícia Meira. Junho é o mês da visibilidade LGBT, então a proposta é fomentar e discutir sobre a participação desses artistas na cena literária.

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Em cada unidade você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Festival Conecta Capão: Literatura às Margens

Terça e quarta-feira, dias 19 e 20/6 – das 19h00 às 21h00

19/6:

– Sarau Manas e Monas

– Bate-papo Literatura X Tecnologia

20/6:

– Slam do 13

– Bate-papo Literatura LGBT

Fábrica de Cultura Capão Redondo

Rua Bacia de São Francisco, s/n

Telefone: (11) 5822-5240

Funcionamento: de terça a sexta-feira, das 9h00 às 20h00, e finais de semana e feriados das 12h00 às 17h00

www.fabricasdecultura.org.br

Foco é a produção literária de 2017

O Prêmio São Paulo de Literatura é realizado anualmente e cada edição tem como foco a produção literária do ano anterior:

  • Podem concorrer romances escritos originalmente em língua portuguesa e cuja primeira edição mundial tenha sido lançada no Brasil, obrigatoriamente em modelo impresso.
  • Concorrem à categoria Melhor Livro do Ano os autores que já tenham publicado romances anteriormente.
  • A categoria Melhor Livro do Ano – Autor Estreante é destinada a escritores novatos no gênero romance, mesmo que já tenham publicado livros de contos, poesia, reportagens etc.
  • Um júri inicial composto por 10 especialistas do meio literário faz a seleção de 10 finalistas em cada categoria.
  • Ao júri final, com cinco integrantes, cabe a escolha de um vencedor para cada categoria.
  • O vencedor de cada categoria recebe o valor de R$ 200 mil.
  • Os autores finalistas ministram palestras gratuitas organizadas pelo Prêmio.

Fotógrafo Sandro Miller fala sobre sua exposição em homenagem a mestres da fotografia. No MIS-SP

Mostra “Malkovich, Malkovich, Malkovich”, que traz o ator John Malkovich em releituras de 61 imagens icônicas, fica em cartaz no MIS-SP até o dia 17 de junho

No dia 26 de maio, o fotógrafo norte-americano Sandro Miller realiza uma palestra sobre sua exposição, Malkovich, Malkovich, Malkovich: homenagem aos mestres da fotografia, em cartaz no MIS-SP, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. O bate-papo acontece às 15h00 no Auditório MIS-SP e tem entrada gratuita, os interessados devem retirar o ingresso com uma hora de antecedência.

Aos dezesseis anos, ao conhecer o trabalho de Irving Penn, Sandro Miller sabia que queria se tornar fotógrafo. Autodidata, Sandro se apoiava em livros publicados por muitos dos grandes artistas aclamados na história da fotografia. Por meio dessas fotos, ele aprendeu a arte da composição, da iluminação e do retrato. Mais de trinta anos depois, com clientes que vão de Forbes, GQ e Esquire até American Express, Coca-Cola e BMW, Sandro conquistou seu lugar como um dos maiores fotógrafos de publicidade do mundo.

Seu sucesso no mundo comercial lhe permite dar continuidade a seus projetos pessoais, que incluíram trabalhar em Cuba, fotografar músicos de blues nos Estados Unidos, vários grupos de dança e projetos de longa duração com John Malkovich, velho amigo e colaborador. Sandro conheceu Malkovich no final dos anos 1990, em um trabalho para o Steppenwolf Theatre. Mais de dezesseis anos depois, Sandro e John ainda colaboram, o que pode ser visto em seu último projeto, Malkovich, Malkovich, Malkovich: Homenagem aos mestres da fotografia.

Em 2013, Sandro decidiu realizar um projeto para homenagear os homens e mulheres cujas fotografias ajudaram a moldar sua carreira. Depois de selecionar 35 imagens para emular, Sandro entrou em contato com Malkovich, que imediatamente concordou em participar. Sobre Malkovich, Sandro declara: “John é a pessoa mais brilhante e prolífica que conheço. Sua genialidade é incomparável. Posso sugerir um estado de espírito ou uma ideia, e dentro de instantes ele literalmente se transforma no personagem bem diante dos meus olhos. Ele tem muita confiança no meu trabalho e em nosso processo… sou abençoado por tê-lo como amigo e colaborador”.

Malkovich, Malkovich, Malkovich: Homenagem aos mestres da fotografia homenageia fotografias que tiveram influência sobre Sandro. Entre as obras, estão a fotografia de Truman Capote em um canto, de Irving Penn; as fotografias de Marilyn Monroe feitas por Bert Stern; a imagem de uma mãe migrante, de Dorothea Lange; o autorretrato de Robert Mapplethorpe com uma arma; a imagem icônica de John Lennon e Yoko Ono, de Annie Leibovitz; a foto clássica de um menino com uma granada, de Diane Arbus; e o apicultor de Richard Avedon, entre muitas outras.

John Malkovich é considerado um dos maiores atores norte-americanos do século XXI. Em Malkovich, Malkovich, Malkovich: Homenagem aos mestres da fotografia, ele comprova sua propensão camaleônica, transformando-se em Albert Einstein, Che Guevara, John Lennon e Andy Warhol. Tirando proveito de sua vasta habilidade e do incrível olho fotográfico de Sandro, a exposição reverencia a história fotográfica através da genialidade de um fotógrafo e sua musa.

A exposição, que conta com curadoria de Anne Morin, já passou por diversos países como EUA, Rússia, China, Espanha, Hungria e Noruega. São Paulo é a primeira cidade da América Latina a recebê-la.

A palestra de Sandro Miller integra a programação de aniversário do MIS-SP, que acontece nos dias 26 e 27 de maio, além de diversas atrações a comemoração terá entrada gratuita para o Maio Fotografia no MIS-SP.

Sobre Sandro Miller

Sandro Miller nasceu em 1958 em Illinois (EUA). Seu trabalho editorial foi apresentado em diversas publicações como Communication Arts, ESPN Magazine, Eyemazing, Forbes, GQ, Graphis, Newsweek, New York Magazine, The New Yorker, Esquireiro Russo e Time. No Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions em 2011, Sandro recebeu o prêmio Saatchi & Saatchi Best New Director Award (Melhor Novo Diretor) pelo seu curta Butterflies com John Malkovich. Em 2015, Sandro foi homenageado com o Prêmio Internacional do Fotógrafo do Ano pela Fundação Lucie pela série Malkovich, Malkovich, Malkovich: homenagem aos mestres da fotografia.

PALESTRA COM SANDRO MILLER
Data
26 de maio (sábado)
Horário
15h00
Local Auditório MIS-SP (172 lugares)
Ingresso
Gratuito – retirada de senha com uma hora de antecedência na Recepção MIS
Duração 60 minutos

MAIO FOTOGRAFIA NO MIS-SP 2018
Data
Até 17 de junho de 2018
Horário terças a sábados, das 12h00 às 21h00; domingos e feriados, das 11h00 às 20h00
Local Espaço Redondo, Espaço Expositivo 1º andar, Espaço Expositivo 2º andar, Nicho e Foyer do Auditório MIS-SP
Ingresso
R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia) –Terças-feiras entrada gratuita

Museu da Imagem e do Som – MIS-SP
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18,00
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Grupo de Choro volta ao palco do Conservatório de Tatuí nesta terça-feira, 26

Apresentação de música brasileira será no Teatro Procópio Ferreira, às 20h00

O Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – volta do palco do Teatro Procópio Ferreira nesta terça-feira, dia 26, com muita música brasileira. O concerto será às 20h00 e os ingressos já podem ser adquiridos na bilheteria do teatro.

O repertório terá clássicos como “Gingando”, de Horondino Silva e Canhoto; “Inclemência”, de César Guerra-Peixe; “Com mais de mil”, de Canhoto da Paraíba; “Um choro pro Waldir”, de Cristovão  Bastos e Paulinho da Viola; “Quem é bom já nasce feito”, de Altamiro Carrilho; “Vibrações”, de Jacob do Bandolim; “Um chorinho no Circo Voador”, de Severino Araujo; “Músicos e Poetas”, de Sivuca; “Quebra quebra, minha gente”, de Henrique Alves de Mesquita.

O Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí foi fundado em 1993 e é um dos grandes incentivadores do gênero no Brasil. Com notável capacidade de improvisação, muita versatilidade e vasto repertório, já se apresentou em diferentes cidades paulistas. A escola foi a primeira mantida por um governo estadual no Brasil a incluir no currículo o “choro” como curso regular. Essa iniciativa busca resgatar o gênero, bem como as tradições e os melhores compositores do nosso país.

O grupo é coordenado pelo violonista Alexandre Bauab, formado em violão erudito no Conservatório de Tatuí, onde atualmente ministra aulas de violão 7 cordas, prática de choro e coordena a Área de Choro. Acompanhou vários nomes da MPB, como Moraes Moreira, Edu Lobo, Nivaldo Ornelas, Jair Rodrigues, Fátima Guedes, Leila Pinheiros e outros.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
Grupo de Choro do Conservatório de Tatuí
Alexandre Bauab Jr, coordenador

Data: 26 de junho, terça-feira
Horário: 20h00
Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Ingressos: R$ 12 (meia-entrada R$ 6)

Grupo de Referência de Piracicaba conquista medalha de prata no Festival Cantoritiba

Guris se destacaram na categoria Popular Performático ou Cênico Avançado

O Grupo de Referência de Piracicaba – Coro do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – participou pela primeira vez do Festival Internacional de Corais de Curitiba, o Cantoritiba, que foi realizado nesse fim de semana, no Pequeno Auditório do Teatro Positivo, em Curitiba (PR). Na ocasião, os 30 Guris de Piracicaba, regidos pela maestrina Vanessa Rodrigues Zambão, com acompanhamento do pianista e educador Vinicius Polezer Leite, conquistaram medalha de prata na categoria Popular Performático e Cênico Avançado.

O conjunto é um dos 13 grupos musicais formados por crianças, adolescentes e jovens, em estágio avançado de aprendizagem do Projeto Guri. “Participar do evento foi de extrema importância e ficamos felizes com a conquista. Essa premiação demonstra o reconhecimento do trabalho desenvolvido em parceria com nossos educadores e Guris”, descreve o Coordenador do Polo de Piracicaba do Projeto Guri, Pablo Carajol Delvage.

No evento, que reuniu grupos de canto coral profissionais e amadores, do Brasil e dos demais países da América Latina, os Guris apresentaram um roteiro que incluiu as canções Roda Viva, de Chico Buarque; Alegria, Alegria, de Caetano Veloso; e Canta Canta, Minha Gente, de Martinho da Vila. “Foi um desafio pessoal e coletivo que proporcionou uma troca de experiência aos nossos Guris”, afirma a maestrina Vanessa Rodrigues Zambão.

Abaixo, confira duas das canções interpretadas pelo Grupo de Referência de Piracicaba:

Roda Viva, de Chico Buarque:

https://www.youtube.com/watch?v=poCnesnLbmE&feature=youtu.be

Canta Canta, Minha Gente, de Martinho da Vila:

https://www.youtube.com/watch?v=78BlCsVDJ1k&feature=youtu.be

Grupo de Referência de Piracicaba – Coro
Com vozes juvenis masculinas e femininas, o grupo vem se aprimorando na formação e desenvolvimento de repertório diversificado, a partir de propostas de coro cênico, que inclui elementos de dança e teatro. Dentre os trabalhos realizados destaca-se a gravação em estúdio e videoclipe da música “Amor e Ijexá”, com Zeca Baleiro, em 2016; o Concerto “Sol, lá, Cidade”, com a Orquestra Sinfônica de Piracicaba – OSP, em 2017; a construção do musical “Duetos, Canções e Momentos”, em 2017; e a participação no workshop de improvisação vocal com a cantora norte americana Audrey Shakir, também em 2017. O grupo dedica-se também ao projeto de cultura local “Sons da Terra” apresentado no auditório do Masp, em junho de 2018, durante a abertura do Seminário Internacional For All, organizado pela Amigos do Guri em parceria Jeunesses Musicales Internacional (JMI).

Patrocinador do Grupo de Referência de Piracicaba – Coro: Catho
Parceiro local: Prefeitura Municipal de Piracicaba

Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria de Cultura que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 710 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao

Grupos Infantis e Juvenis do Guri abrem temporada de concertos

Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil e Banda Sinfônica Juvenil do Guri são os primeiros dos dez grupos artísticos do Guri a se apresentarem em 2018, com concertos na Unibes Cultural no sábado e no Masp Auditório no domingo; até dezembro serão 60 concertos com convidados especiais, incluindo músicos internacionais, na capital e região metropolitana de São Paulo

A Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil abre a temporada dos Grupos Infantis e Juvenis do Guri no sábado, dia 26 de maio, às 11h00, na Unibes Cultural. Quem rege o grupo é o maestro convidado Ricardo Appezzato, coordenador artístico da Santa Marcelina Cultura. O repertório traz Estepes da Ásia Central, de Alexander Borodin, e obras de dois grandes mestres brasileiros: Suíte Vila Rica, de Camargo Guarnieri, e Concerto nº 1 para Marimba e Cordas, de Ney Rosauro, músico conhecido por utilizar melodias tradicionais do Brasil em suas composições. Nesta última, Appezzato, que também é percussionista, irá se dividir entre a batuta e a marimba. O programa é reapresentado no dia seguinte, domingo, dia 27 de maio, às 16h00, dessa vez no Masp Auditório.

Também no Masp Auditório é onde a Banda Sinfônica Juvenil do Guri se apresenta no domingo, 27 maio, às 11h00. Sob regência de Marcelo Silvério, coordenador pedagógico do Guri, a Banda sobe ao palco para interpretar obras dos compositores americanos John Williams e Alfred Reed, do argentino Astor Piazzolla, que reinventou o tango incorporando elementos do jazz e da música clássica, além de peças de Alexandre Fracalanza e Andrew Boysen Jr.

Até dezembro serão 60 apresentações com diferentes repertórios e convidados, entre maestros e solistas, incluindo músicos internacionais, nas principais salas de concerto e espaços culturais da capital e região metropolitana de São Paulo, como o Masp Auditório, Museu da Casa Brasileira, Museu de Arte Moderna (MAM-SP), Pinacoteca do Estado, Theatro São Pedro, Unibes Cultural e unidades do CEU (Centro de Educação Unificado).

A Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil do Guri volta a se apresentar em julho, no Theatro São Pedro, sob o comando do maestro venezuelano Diego Guzmán, do projeto El Sistema, que regeu o grupo há dois anos. O programa apresenta um diálogo entre Brasil e Rússia, com peças de Nikolai Rimsky-Korsakov e Camargo Guarnieri. Em dezembro, encerrando a temporada, o grupo recebe a regente Ana Beatriz Zaghi, professora da EMESP Tom Jobim, para um repertório que reúne peças de Benjamin Britten, Béla Bartók, Ennio Morricone e Arturo Márquez.

Já a Banda Sinfônica Juvenil do Guri retorna aos palcos no dia 2 de junho, no CEU Perus, às 15h00, novamente com Marcelo Silvério como regente convidado. Mais tarde, em setembro, a Banda toca sob regência de Ricardo Appezzato e um programa diversificado, que traz obras de Marcos Mesquita, Emmanuel Séjourné, Frigyes Hidas e Jan Bosveld. Também encerrando a temporada em dezembro, o conjunto toca sob a batuta do maestro holandês Jacob de Haan, que traz uma proposta de música europeia para o programa.

O Guri da capital e Grande São Paulo – programa de educação musical e inclusão sociocultural da Secretaria da Cultura do Estado, gerido pela organização social Santa Marcelina Cultura – atende 13 mil jovens de 6 a 18 anos. Os Grupos Infantis e Juvenis são parte fundamental da estrutura artístico-pedagógica do Guri. Suas apresentações refletem não apenas o ensino de música oferecido pelo programa, como também deixam evidente o trabalho social presente em cada um dos 46 polos distribuídos pela capital e região metropolitana de São Paulo. Mais informações na internet: www.gurisantamarcelina.org.br.

A temporada 2018 da Santa Marcelina Cultura terá o patrocínio de parceiros que acreditam no poder transformador da música para a formação dos jovens brasileiros, como o Bank of America Merrill Lynch, o Grupo Verzani & Sandrini, a Chiesi Farmacêutica, o escritório de advocacia Machado Meyer e o Bank New York Mellon, todos por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.

SERVIÇO

ORQUESTRA SINFÔNICA INFANTO-JUVENIL

Data: 26 de maio, sábado

Horário: 11h00

Local: Unibes Cultural

Endereço: Rua Oscar Freire, 2500 – Sumaré

Telefone: (11) 3065-4333

Entrada gratuita

Duração: 90 minutos (aproximadamente)

Classificação indicativa: Livre

Acessibilidade: Sim

Programa

ALEXANDER BORODIN (1833-1887)

Estepes da Ásia Central [9 min]

NEY ROSAURO (1952)

Concerto nº 1 para Marimba e Cordas [18 min]

CAMARGO GUARNIERI (1907-1993)

Suíte Vila Rica [20 min]

BANDA SINFÔNICA JUVENIL DO GURI

Data: 27 de maio, domingo

Horário: 11h00

Local: Masp Auditório

Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista

Telefone: (11) 3149-5959

Entrada gratuita

Duração: 90 minutos (aproximadamente)

Capacidade: 376 lugares

Classificação indicativa: Livre

Acessibilidade: Sim

Programa

ANDREW BOYSEN JR.
Snowflakes Dancing [5’20 min]

ALEXANDRE FRACALANZA (1970)
Rapsodia Sefaradi [10’52 min]

ASTOR PIAZZOLLA (1921-1992)
Adios Nonino (Arr. Carli) [7’06 min]

JOHN WILLIAMS (1932)

Viktor´s Tale de O Terminal [4’40 min]

ALFRED REED (1921-2005)
Suíte 2- Primeiro Movimento [2’35 min] Suíte 3- Segundo Movimento [4’04 min] Suíte 1- Terceiro Movimento [5’04 min] Suíte 5- Quarto Movimento [2’38 min]

 ORQUESTRA SINFÔNICA INFANTO-JUVENIL

Data: 27 de maio, domingo

Horário: 16h00

Local: Masp Auditório

Endereço: Av. Paulista, 1578 – Bela Vista

Telefone: (11) 3149-5959

Entrada gratuita

Duração: 90 minutos (aproximadamente)

Capacidade: 376 lugares

Classificação indicativa: Livre

Acessibilidade: Sim

Programa:

ALEXANDER BORODIN (1833-1887)

Estepes da Ásia Central [9 min]

NEY ROSAURO (1952)

Concerto nº 1 para Marimba e Cordas [18 min]

CAMARGO GUARNIERI (1907-1993)

Suíte Vila Rica [20 min]

Ricardo Appezzato, regente convidado

Mestre pela Universidade Federal de Minas Gerais, é bacharel em percussão pela Unesp. Integrou o grupo Piap, vencedor do prêmio APCA (2003) e atua como músico convidado em grupos sinfônicos, entre os quais a Osesp, Orquestra Sinfônica Brasileira e Sinfônica Municipal de São Paulo. Vencedor de prêmios como jovem solista de grupos sinfônicos do Estado de São Paulo, integra o Durum, foi coordenador artístico-pedagógico do Programa Guri e atualmente é coordenador artístico da Santa Marcelina Cultura.

Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil do Guri

Na Orquestra Sinfônica Infanto-Juvenil do Guri, os alunos, com idades entre 11 e 18 anos, têm acesso a um vasto e complexo universo de formas de fazer música. Seu desenvolvimento artístico-pedagógico abarca um amplo espectro musical, que vai desde o consagrado repertório sinfônico europeu e americano, a incursões por peças operísticas, populares e contemporâneas. O aprofundamento dessa experiência conta também com professores, regentes e instrumentistas convidados, cuidadosamente selecionados para proporcionar aos estudantes uma interação rica e proveitosa que lhes dê ferramentas para trilhar seu próprio caminho musical, tanto no palco – solo ou em conjunto – quanto na sala de aula.

Banda Sinfônica Juvenil

A banda é uma das formações mais populares e versáteis do universo da música. No Guri, o grupo mantém viva uma rica tradição que remete aos emigrantes italianos, espanhóis e portugueses, que trouxeram ao Brasil a cultura tipicamente europeia de “banda municipal”, muito ligada à vida social e coletiva das cidades. Sua instrumentação segue a mesma de outras bandas ao redor do mundo, com naipes de sopros e percussão.

Com idades entre 15 e 18 anos, os alunos e alunas que compõem a Banda Sinfônica Juvenil do Guri estão entre os mais avançados do programa nas áreas de percussão, madeiras – flauta, clarinete e saxofone – e metais – eufônio, trompa, tuba, trombone e trompete. O nível de desenvolvimento musical permite que explorem linguagens musicais mais complexas, abarcando além do repertório tradicional e popular, peças contemporâneas de maior dificuldade técnica.

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Hércules Gomes presta homenagem aos 170 anos de Chiquinha Gonzaga no Música no MCB

O pianista e compositor lança o disco “No tempo da Chiquinha” no dia 17 de junho, domingo, às 11h00 – entrada gratuita

(Hércules Gomes – Foto: Laura Del Rey)

Para homenagear os 170 anos de história de Chiquinha Gonzaga (1847-1935), o pianista e compositor Hércules Gomes lança o disco “No tempo da Chiquinha” no Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, no dia 17 de junho, domingo, às 11h00, com entrada gratuita.

Neste projeto, para executar as composições de Chiquinha com arranjos modernos, mas sem perder a real essência do choro, Hércules Gomes conta com as participações do flautista Rodrigo Y Castro, da cantora Vanessa Moreno e do pianista convidado Daniel Grajew.

Atualmente, Hércules é considerado um dos maiores pianistas brasileiros pela sua técnica e também pela sua trajetória. Iniciou os estudos como autodidata aos 13 anos, frequentou a Escola de Música do Espírito Santo (antiga EMES) e se formou bacharel em Música Popular na UNICAMP. Em 2013, lançou seu primeiro trabalho solo, intitulado “Pianismo”. Além disso, apresentou-se em festivais de música no Brasil e no exterior.

Há seis anos, no dia 17 de outubro, aniversário de Chiquinha, comemora-se o “Dia da Música Popular Brasileira”. A compositora é considerada um símbolo: além de ter lutado em diversas causas sociais da época, foi a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil.

Sobre o projeto Música no MCB

Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que acontecem em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Música no MCB – 19ª temporada

JUNHO

17/06 – Hércules Gomes

24/06 – Xaxado Novo

Entrada gratuita

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Inscrições para candidatos a membro do Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus estão abertas

Duas vagas estão disponíveis; eleições serão nos dias 18 e 19 de julho, durante o 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM)

Estão abertas as inscrições para interessados em se candidatar a membro do Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus (COSISEM-SP) para o biênio 2018-2020. Duas vagas estão disponíveis, ambas para profissionais pertencentes a instituições museológicas. O prazo se encerra em 21 de junho.

A eleição será nos dias 18 e 19 de julho, durante o 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), no Memorial da América Latina, em São Paulo. Somente os inscritos presentes no evento poderão votar – de maneira secreta, em dois candidatos. A apuração ocorre às 15h00 do dia 19, com divulgação dos eleitos no dia seguinte, às 10h00, no painel “SISEM-SP: Balanços e Perspectivas”.

Para participar do pleito, os candidatos devem apresentar uma carta de intenção explicando porque desejam integrar o COSISEM-SP. Além disso, é preciso um currículo resumido, carta de anuência do dirigente máximo da instituição à qual o interessado está vinculado, comprovante deste vínculo e foto (indicando crédito do fotógrafo) para divulgação. Importante: o candidato deve oficializar sua candidatura no momento de sua inscrição no 10EPM, feita no site do SISEM-SP (www.sisemsp.org.br).

Será instalada uma Seção Eleitoral no Memorial da América Latina para acompanhar o pleito. Haverá ainda uma Comissão Eleitoral especialmente designada para acompanhar os trâmites da votação. Ela é formada por um representante da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura do Estado (UPPM); um representante do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) SISEM-SP; e um representante do COSISEM-SP.

“Todo processo de votação e apuração prezará pela democracia, transparência e idoneidade. O Conselho de Orientação do SISEM-SP é fundamental aos nossos trabalhos, pois nos auxilia na tomada de decisões, na elaboração da programação do Encontro Paulista de Museus, na análise dos processos de adesão das instituições museológicas ao Cadastro Estadual de Museus, entre outras funções. Temos certeza que os novos membros terão comprometimento e competência para continuar tal serviço”, observa o diretor do GTC do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

O processo eleitoral obedece a Resolução SC-95, de 11/11/2011, disponível na íntegra no endereço eletrônico do SISEM-SP.

Instituições da Secretaria da Cultura do Estado terão programação especial na 14ª Virada Cultural

Atividades nos museus abordarão ciência, poesia, imigração e artes marciais; Biblioteca de São Paulo promove encontro de contadores de histórias e narração infantil em libras

Nos dias 19 e 20 de maio, instituições da Secretaria da Cultura do Estado participam da 14ª edição da Virada Cultural na capital paulista, com atrações em diversos pontos da cidade. Os museus terão diversos espetáculos e apresentações de música, dança, artes marciais e poesia.

Confira a programação das instituições da Secretaria de Cultura do Estado:

O Museu Catavento promove, nos dias 19 e 20 de maio, às 15h00, o espetáculo “O Show da Química”, com a equipe de cientistas malucos do grupo “Ciência Divertida”, apresentando experimentos científicos com resultados inesperados. As crianças poderão participar do show e entender o que são polímeros, quais são os estados da matéria, como funcionam as reações químicas e como o vento se comporta. No sábado, a entrada no museu é gratuita.

No domingo, 20 de maio, das 15h00 às 15h30,o Museu da Imigração fará uma prévia da 23ª Festa do Imigrante, que será em junho. O grupo chinês Associação Taboão da Serra de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau fará apresentação com seus tradicionais dragões e leões mitológicos.

Na Casa das Rosas, durante a Virada Cultural acontece a 14ª edição da Virada da Poesia, que neste ano será dedicado ao tema Migração, abordando as influências dos movimentos migratórios modernos na vida cultural de São Paulo.  No dia 19, sábado, a programação começa às 18h00 com o sarau “Migração & Loucura”, em que será traçado um paralelo entre  os dois temas. A seguir, às 20h00, o grupo boliviano de rap Santa Mala, conhecido por suas linhas melódicas hipnóticas e um rap muito representativo, cantará repertório combativo que fala de machismo no hip hop, direitos humanos e imigração. Quem encerra o dia é o grupo Embatucadores, com apresentação às 22h00 que imprime ritmos e melodias a sucatas usadas como instrumentos e que acompanham sapateado e jogo teatral.

Ainda na Casa das Rosas, às 10h00 do domingo, dia 20, Márcia Dib e Willian Bordokan contam a história de Laila, brasileira com quatro avós árabes, oriundos de lugares diversos (deserto, cidade grande, campo e região ribeirinha). Às 12h00, Joana Reais e Leo Costa mostrarão em linguagem musical o universo multifacetado de Fernando Pessoa, um dos maiores poetas do séc. XX, em “Pessoa de Mim”. Às 14h00, se apresenta o Grupo Apolo de Danças Gregas e, finalizando, às 16h00, o Grupo Folklorico Alma Guarani leva a cultura paraguaia ao museu por meio da dança, música e poesia. A entrada no museu é gratuita todos os dias.

No sábado, 19 de maio, às 16h00, na Casa Guilherme de Almeida o recital de música, poesia e prosa “Imigração e refúgio: desconstrução e construção” mostra os sentimentos de um imigrante ou refugiado, sua convivência com a nova cultura, o fato de deixar seu país e suas raízes culturais e, ainda, como nosso país os recebe e acolhe. A entrada é gratuita.

No domingo, 20 de maio, no Museu Afro Brasil, haverá uma apresentação especial a inusitada: às 15h00, o Consulado Geral da República da Coreia em São Paulo e o Capoeira Show farão uma apresentação que mistura a capoeira e o taekgyeon, tradicional arte marcial coreana, em uma homenagem à rica bagagem cultural dos coreanos que chamam São Paulo de lar. Para participar, é necessário realizar inscrição pelo email eventos@kccbrazil.com.br

Biblioteca de São Paulo (BSP)

No domingo, dia 20 de maio, várias atividades da Biblioteca de São Paulo (BSP) estão voltadas ao público infantil: das 11h30 às 12h15, acontece a atividade Lê no Ninho,  de estímulo e iniciação à leitura para crianças entre 6 meses e 4 anos, realizada com livros lúdicos, tablet, contação de histórias e músicas;  às 16h00, dentro da programação Hora do Conto, o Grupo Êba contará a história “Maria Vai com as Outras”, de Sylvia Orthof, contribuindo assim para aguçar o hábito da leitura e a imaginação das crianças, numa história narrada em libras com interpretação para o português. Das 13h00 às 16h00 haverá também o Encontro de Contadores de Histórias com a Cia. de Teatro Garatuja na montagem “Tabuleiro de Reinações”, em um encontro interativo onde os atores-contadores convidam o público a mergulhar em histórias fantásticas com narrativas com toque de magia: às 13h00, apresentam “Uma Fonte de Sorte”; às 14h00, “Coração Peludo”; e, às 15h00, “O Toco Gargalhante e a Coelha”. Todas as atividades são gratuitas.

SERVIÇOS

Museu Catavento

Palácio das Indústrias – Praça Cívica Ulisses
Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP

(11) 3315-0051

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às
segundas), das 9h00 às 17h00 (Bilheteria fecha às 16h00)

Estacionamento pago no local

Acessibilidade no local

R$ 10,00 | Grátis aos Sábados

www.cataventocultural.org.br

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 São Paulo-SP

Metrô Bresser-Mooca (900m)

(11) 2692-1866

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h00 às 17h00 e domingos das 10h00 às 17h00

R$ 10,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

www.museudaimigracao.org.br

Casa das Rosas

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP

Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às
segundas) das 10h00 às 22h00 | domingos e feriados, das 10h00 às 18h00

Estacionamento pago no local

Acessibilidade no local

Entrada gratuita

www.casadasrosas.org.br

Casa Guilherme de Almeida

Rua Macapá, 187 – Pacaembu – São Paulo-SP

Metrô Sumaré (900m)

(11) 3673-188/ (11) 3672-1391

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às
segundas) das 10h00 às 18h00

Entrada gratuita

Acessibilidade no local

www.casaguilhermedealmeida.org.br

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Pavilhão
Manoel da Nóbrega – Parque do Ibirapuera, portão 10 – São Paulo-SP

(11) 3320-8900

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às
segundas), das 10h00 às 17h00 (permanência até às 18h00)

Estacionamento pelo portão 3 (Zona Azul)

R$ 6,00 | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

www.museuafrobrasil.org.br

Biblioteca de São Paulo

Av. Cruzeiro do Sul, 2.630

Estação Carandiru do Metrô – Linha Azul

(11) 2089-0800

Funcionamento: de terça-feira a domingo e
feriados, das 9h30 às 18h30

Acessibilidade no local

Entrada gratuita

www.bsp.org.br

Integrante da Jazz Sinfônica apresenta primeiro trabalho instrumental

Na próxima terça, dia 15/05, o Memorial da América Latina dá sequência à programação da temporada 2018 do Música na Biblioteca.

Iniciado em 2016, o projeto que, desde o começo conta com a curadoria da maestrina Mônica Giardini, já recebeu diversos artistas de destaque no universo da música de câmara paulista, como por exemplo: Martin Lazarov, Ricardo Zohyo, Emiliano Martins e Manuel Falleiros, integrantes do grupo Balkán New Ensemble, Ana Amélia Wingeter, Régis Gomide Costa, Valgério Gianotto e Adilson Filho, integrantes do Quarteto Ipê Amarelo, além do Duo Marta Ozzetti e Makiko Yoneda.

As apresentações acontecem na Biblioteca Latino-Americana do Memorial sempre às terças feiras, às 19h30, com ingressos a preços simbólicos de quatro e dois reais, que devem ser retirados na própria biblioteca, uma hora antes do início do espetáculo.

Para o dia 15 de maio, o saxofonista Chico Macedo, integrante da Orquestra Jazz Sinfônica e idealizador do 4TETO, vem a público com o seu primeiro trabalho instrumental, apresentando composições inéditas e arranjos diferenciados de clássicos da música brasileira e do jazz.

Para atingir o grau de perfeição sonora e o requinte pretendidos, o seu mentor buscou a adesão de talentosos intérpretes com os quais tem apurada afinidade musical, como o pianista Sydney Ferraz, o contrabaixista Marinho Andreotti e baterista Nelton Essi. Além de composições dos próprios integrantes, o repertório do grupo inclui criações de Maurício Einhorn, Durval Ferreira, Lee Morgan, João Donato, Pixinguinha, Caetano Veloso e Carlos Lyra.

Para melhor conhecer a sonoridade do quarteto:

www.youtube.com/watch?v=BrTd7kuQlog

No facebook: /chicomacedo4teto

Site: www.chicomacedo.com

Programação completa da temporada:

22/05 – Regina Benedetti e Grupo

29/05 – Duo Blaser Zaidler

Serviço:

Projeto Música na Biblioteca:  4TETO

Data: 15/05/2018 (terça feira)

Horário: 19h30

Local: Biblioteca do Memorial da América Latina/Metrô Barra Funda

Endereço: Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664

Entrada pelos portões 2 e 5

Ingresso: R$ 4,00 e R$ 2,00 (meia entrada). As vendas são realizadas no dia da apresentação, na Biblioteca Latino-Americana, uma hora antes do show.

Jazz Combo apresenta concerto “Compositores” nesta sexta

O repertório traz músicas autorais de professores e monitores do Conservatório de Tatuí

“Compositores” é o tema do concerto que será apresentado nesta sexta-feira, dia 15, pelo grupo Jazz Combo do Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria da Cultura do Estado. O repertório traz uma seleção de músicas autorais, com arranjos escritos por professores e monitores da escola. O show será realizado no Teatro Procópio Ferreira, às 20h00, e os ingressos já podem ser adquiridos na bilheteria.

Segundo os integrantes do grupo, a ideia é levar para o público uma pequena amostra do trabalho que é desenvolvido pelos profissionais dentro e fora da escola. Assim, o programa terá “Rebuscando”, de Diego Garbin; “Ócio”, de Everton Barba; “Praiana 1”, de Léo Ferrarini; “Mil pedidos”, de Hudson Nogueira; “Peixe vivo”, arranjo de Everton Barba; “Seu Lopes”, de Andrea dos Guimaraes; “Para Sophia”, de Junior Chiaparini.

Nascida com o sobrenome “Combo” (do inglês combination ou combinação em português), o grupo Jazz Combo tem uma formação não convencional e a missão de pesquisar repertório, estudar, resgatar, praticar e divulgar a música instrumental. Criada em 1992, une alunos e professores dos cursos de MPB/Jazz do Conservatório de Tatuí. Além do resgate histórico da música brasileira, desenvolve composições e arranjos inéditos. O grupo já realizou dezenas de apresentações pelo Estado de São Paulo e em alguns festivais. Muitas dessas apresentações ocorreram ao lado de convidados famosos, como Monica Salmaso, Proveta, Teco Cardoso, Paulo Freire, Vinícius Dorin, Nenê, além dos trompetistas americanos Ed Sarath e Daniel Barry.

Apoio cultural – O Conservatório de Tatuí tem apoio cultural de CCR SPVias e Coop.

SERVIÇO
Jazz Combo do Conservatório de Tatuí
Concerto “Compositores”

Data: 15 de junho, sexta-feira
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí/SP
Ingressos: R$ 12 (meia-entrada R$ 6)

Jazz Sinfônica apresenta-se no Memorial da América Latina com o especial “Animais em Concerto”

Evento é iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo em homenagem ao aniversário de 10 anos da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais.

A Orquestra Jazz Sinfônica de SP realizará no dia 1º de dezembro, às 20h30, o espetáculo musical “Animais em Concerto”, no Memorial da América Latina – auditório Simon Bolívar, em São Paulo. O evento é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria da Cultura do Estado, com o apoio do Instituto Eu Causo. Acontece em comemoração aos 10 anos da ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais, a primeira agência de notícias do setor no mundo.

A Jazz Sinfônica fará uma apresentação preparada especialmente para a data, interpretando temas de filmes famosos protagonizados por animais que emocionaram plateias em todo o mundo. O público terá a oportunidade de relembrar temas de filmes como O Rei Leão, Free Willy, Babe, Beethoven, Marley e Eu, Hachiko: Sempre ao Seu Lado, entre outros. O maestro Fábio Prado será o regente dos arranjos produzidos pelos musicistas Rodrigo Morte, Douglas Fonseca, Ruriá Duprat, Tiago Costa, Yuri Prado e Nelson Ayres.

“A cultura é uma ferramenta poderosa e única em sua capacidade de sensibilizar, mudar comportamentos e ampliar visões de mundo”, afirma o Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Romildo Campello. “E é essa sensibilização para a mudança de visão que perseguimos ao apoiar ações relacionadas à causa animal, como foi o Seminário Internacional ‘Presente e Futuro do Direito dos Animais’, realizado com muito sucesso em agosto pela ANDA e a Secretaria de Cultura e, agora, este espetáculo especial da Jazz Sinfônica, somente com temas de filmes com animais”.

Exposição paralela

Antes do início do evento, no foyer, haverá a exposição do ensaio de fotos “Sem casa mas não sem amor”, do fotógrafo Alexandre Suplicy. As imagens retratam a relação de cumplicidade existente entre moradores de rua e seus cachorros. “A minha ideia é mostrar que essas pessoas, mesmo não tendo quase nada, compartilham o que tem com seus companheiros peludos. Não só comida, mas cuidado e amor também. É incrível como o homem e o cão, mesmo na miséria, constroem uma relação verdadeira” conta o fotógrafo.

A ANDA

A Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA) é uma organização não governamental, fundada em 2008 pela jornalista Silvana Andrade, que revolucionou a forma como os animais são tratados tanto pela imprensa tradicional como por todas as instituições da sociedade. Nesses 10 anos, a agência publicou mais de 90 mil matérias e reportagens exclusivas e trouxe à luz histórias emblemáticas como o caso da serial killer de animais Dalva Lina, o desaparecimento do cão Pinpoo pela companhia aérea Gol e o assassinato da yorkshire Lana.

A Orquestra

A Jazz Sinfônica de São Paulo foi criada em 1989 e é um dos corpos artísticos estáveis mantidos pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura. Com formação singular, a orquestra une os moldes eruditos da música a uma big band de jazz, tendo como proposta dar um tratamento sinfônico à música popular brasileira e universal. Com cerca de 90 integrantes no momento, se apresentou pela primeira vez no Memorial da América Latina, em São Paulo, em 1990, e, logo depois, no Festival de Inverno de Campos do Jordão, tendo Tom Jobim como convidado e sob a batuta do maestro Cyro Pereira, fundador da orquestra. O atual regente e diretor artístico é o maestro João Maurício Galindo, e o maestro Fábio Prado é o regente adjunto.

SERVIÇO

Jazz Sinfônica em “Animais em Concerto”: 10 anos da ANDA

Onde: Memorial da América Latina, auditório Simon Bolívar

Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, SP.

Quando: Sábado, 1º de dezembro de 2018

Horário: 20h30

Ingressos: inteira (R$20,00), meia (R$10,00), pelo Ingresso Rápido (compre aqui)

(Imagem: detalhe de foto da exposição “Sem casa mas não sem amor”, do fotógrafo Alexandre Suplicy)

Jazz Sinfônica homenageia maestro Roberto Sion

No repertório, músicas brasileiras no sax do consagrado músico

Multi-instrumentista, compositor, maestro, arranjador, Roberto Sion é o homenageado da Orquestra Sinfônica Jazz Brasil no concerto do dia 20 de maio, ao meio-dia, no Auditório Simón Bolívar no Memorial da América Latina. Os ingressos, a R$ 20,00 e R$ 10,00, estão à venda no www.ingressorapido.com.br.

Maestro titular da Orquestra Jovem Tom Jobim, Sion tem 60 anos de palco e um dos currículos mais respeitados da música instrumental brasileira, com 14 álbuns gravados e incontáveis apresentações no exterior, a mais recente em Israel, ao lado de Leila Pinheiro, Nelson Ayres e da Filarmônica de Jerusalém.

Muito antes disso, em 1978, Sion, revezando sax e flauta, participou do antológico show que Vinicius de Morais, Tom Jobim, Toquinho e Miucha fizeram em Milão, durante turnê dos brasileiros pela Europa. No concerto do dia 20 em sua homenagem, o maestro assina todos os arranjos do programa e acompanhará a Jazz Sinfônica com seu saxofone.

Programa

– Blues da chegada: Roberto Sion

– Sabiá: Tom Jobim, Chico Buarque

– Bachianas N.4 – Prelúdio: Heitor Villa Lobos

– Um a Zero: Pixinguinha

– Trocando em miúdos: Francis Hime e Chico Buarque

– História de pescadores: Dorival Caymmi

– Chico & Adelermo: Roberto Sion

– Flor da manhã: Adilson Godoy

– Suíte para um Jazzman (à Vitor Assis): Roberto Sion

Regência: Fábio Prado

SERVIÇO

Jazz Sinfônica homenageia maestro Roberto Sion

Data: 20/05

Horário: 12 horas

Local: Auditório Simón Bolívar

Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade/Metrô Barra Funda

(Acesso: Portões 8, 9 e 13)

Ingressos: R$ 20 e R$ 10

Vendas: www.ingressorapido.com.br

LatinJazz Campos do Jordão é atração no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

Jazz e música latina se encontram nas apresentações dos quartetos Adriano Grineberg e Claudia Rivera no dia 1º de junho; ingressos já estão à venda online e nos pontos de venda

Turistas e moradores de Campos do Jordão (SP) serão contagiados pelo ritmo e pela sonoridade de duas vertentes musicais que fazem parte da cultura tradicional do continente americano: o jazz e a música latina. O LatinJazz Campos do Jordão acontece no dia 1º de junho (sexta-feira), a partir das 20h00, no Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari.

A proposta do espetáculo é promover um diálogo entre o soul, funk, new jazz, jazz afrolatino, samba-jazz, bossa nova e o afrobeat em uma experiência marcante. Uma das atrações da noite é Adriano Grineberg Quarteto, com o show do álbum “Blues for África”, inspirado nas raízes africanas do blues, ritmo cantado em seis línguas, de nove países. Acompanham o pianista e cantor neste projeto o guitarrista Fabá Jimenez, o baixista Rodrigo Jofré  e o baterista Marco da Costa.

De acordo com Grineberg, considerado um verdadeiro showman, a apresentação terá total interação do público, transcendendo o blues e o reverenciando como uma expressão universal, numa viagem que vai além de um gênero musical, localidade ou época específica. “Vamos levar ao palco do LatinJazz um pouco da história do jazz e do blues por meio de suas conexões e interseções com influências da África e suas extensões no Brasil e América Latina, num clima de celebração e grande interação com a plateia”, explica.

A pianista, flautista e compositora cubana Claudia Rivera sobe ao palco no mesmo dia acompanhada por Sintia Piccin (saxofone), Everton Barba (bateria) e Felipe Gianei (baixo) em um show autoral, com músicas cantadas de forma a explorar novas possibilidades. Além da flauta e do piano, a voz será instrumento.

“No LatinJazz Campos do Jordão vou tocar canções autorais, uma mistura de jazz com ritmos tradicionais cubanos, como o son e a guajira, com influências da música brasileira e muito improviso cheio de claves e swing latino. O público poderá ter um encontro com o jazz em uma perspectiva mais rítmica e por momentos dançantes. Uma mistura de temperos que caracterizam a América Latina”, enfatiza  Rivera.

Ingressos disponíveis a R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia) e R$30, (para jordanenses não contemplados na meia-entrada, munidos de comprovante de residência e com o limite de três ingressos por pessoa) nos pontos de venda físicos: bilheteria do Museu e Auditório, no Convention & Visitors Bureau (Estação Grande Hotel, Av. Frei Orestes Girardi, 3610, de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 18h00) e na Papelaria Oya (Av. Frei Orestes Girardi, 1289, de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 21h30, e domingo, das 8h00 às 19h30).

Vendas online no www.sympla.com.br/latinjazzcamposdojordao por R$42,00 (inteira) e R$21,00 (meia).

O Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro estão localizados na avenida Dr. Luis Arrobas Martins, 1.880. O telefone para informações é (12) 3662-6000. O horário de funcionamento para visitação é de terça-feira a domingo, das 9h00 às 18h00. A entrada é de R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia – estudante e idoso) e gratuita aos domingos. Conheça nossa política de gratuidade no www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso.

SERVIÇO

LatinJazz Campos do Jordão

Data: 01/06/2018 (sexta-feira)

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880, Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: a partir das 20h00

Informações: (12) 3662-6000

Venda online: www.sympla.com.br/latinjazzcamposdojordao

Venda física (a partir de 02/05): no Museu e Auditório, no Convention & Visitors Bureau (Estação Grande Hotel, Av. Frei Orestes Girardi, 3610), de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 18h00; na Papelaria Oya (Av. Frei Orestes Girardi, 1289), de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 21h30, e domingo, das 8h00 às 19h30

Ingressos: inteira R$40,00; meia R$20,00 (40% das cadeiras, para jovens de baixa renda, estudantes, pessoas com deficiência e idosos, de acordo com o Decreto Nº 8.537 de 05/10/2015); jordanense R$30,00 (apenas ingressos físicos, com comprovante de residência e observando o limite de três ingressos por pessoa)

Laura Lima instala oficina de alfaiataria no Octógono da Pinacoteca

Obra dialoga com a história do museu, que um dia foi sede do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, e com a tradição de costura do bairro do Bom Retiro

  

Alfaiates trabalhando, à esquerda, e pendurando peça finalizada durante a apresentação da obra no Bonnefanten Museum de Maastrich, Holanda

 Abertura: 7 de julho de 2018, sábado, às 11h00

Em cartaz: até 8 de outubro de 2018

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta, de 7 de julho a 8 de outubro de 2018, a exposição Laura Lima: Alfaiataria, que ocupa o Octógono, no primeiro andar da Pina Luz. Laura Lima (1971, Governador Valadares) cria um diálogo inovador com a prática do museu ao apresentar uma oficina de alfaiataria em funcionamento, com profissionais, tecidos, aviamentos e todo o maquinário de uma confecção.

Nela, uma equipe de alfaiates e costureiras trabalhará todos os dias ao longo da exposição. Eles irão produzir uma coleção de trajes confeccionados sobre molduras vazias, criando retratos que interpretam, a partir de seus próprios saberes e experiências, as ideias e desenhos da artista. O espaço será ativado pela presença desses profissionais e de suas atividades – modelar, cortar, alinhavar, costurar, passar, finalizar e, ao longo do período expositivo, o público testemunhará o surgimento dessas peças que ficarão armazenadas numa reserva técnica suspensa no octógono, construída especialmente para o projeto. Espera-se que em torno de 30 obras sejam produzidas até o final da mostra.

Ao instalar um espaço de trabalho com pessoas reais no centro da Pinacoteca, Laura Lima retira a ênfase dada aos objetos artísticos no espaço do museu para focar-se em acontecimentos. Segundo a curadora Fernanda Pitta “Lima recusa-se a chamar seus trabalhos de performances. Para a artista, não se trata de sublinhar os sujeitos ou a subjetividade de suas ações, mas entender os participantes (que ela chama de viventes) também como matéria da obra de arte, ocupando o espaço do mesmo modo que os objetos, o mobiliário e a própria arquitetura”.

Em Alfaiataria, ao recorrer a um fazer tradicional, especializado e altamente elaborado como o dos alfaiates e costureiras, Lima também propõe um paralelismo com o fazer artístico e uma reflexão sobre o tempo e o valor do trabalho. A obra dialoga com o espaço e a história da Pinacoteca, já que instala uma oficina num edifício que teve originalmente essa função, pois foi criado para ser a sede do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Também permite uma relação com o próprio ambiente urbano do museu, o bairro do Bom Retiro, com sua tradição de oficinas de costura, lojas de tecidos e confecções, e de seus profissionais de comunidades variadas como a judaica, a coreana e boliviana.

A produção de Lima se debruça sobre a complexidade dos comportamentos individuais e coletivos. Desde o início de sua trajetória, em 1990, a mineira utiliza seres vivos (humanos ou animais) como parte de sua obra. Em suas ações ou esculturas, o objeto artístico é frequentemente ativado por longos períodos ininterruptos. Suas referências vão desde a história da arte à ficção científica, com a utilização de técnicas que variam de intrincados desenhos e colagens, à colaboração com artistas e artesãos que ativam suas obras.

Alfaiataria foi exposta pela primeira vez no Bonnefanten Museum de Maastricht, Holanda, de 2014 a 2015, como parte da individual da artista no museu durante a qual foi agraciada com o prestigiado prêmio Bonnefanten Award for Contemporary Art 2014.

PROJETO OCTÓGONO

Criado em 2003, o projeto Octógono Arte Contemporânea ocupa um espaço importante do museu apresentando produções de arte contemporânea comissionadas pelo museu. Ao longo desses 15 anos, o projeto apresentou cerca de 40 sites-specifics de artistas brasileiros e estrangeiros, entre eles Ana Maria Tavares, Artur Lescher, Carla Zaccagnini, Carlito Carvalhosa, Joana Vasconcelos, João Loureiro, José Spaniol, Laura Vinci, Regina Silveira, Rubens Mano, entre outros.

SOBRE A ARTISTA

Laura Lima nasceu em Governador Valadares, MG (1971) e vive e trabalha no Rio de Janeiro, RJ. Em 2014 recebeu o prêmio “Bonnefanten”. Exposições recentes incluem: A room and a half, CCA Center for Contemporary Art Ujazdowski Castle, Varsóvia, Polônia (2017); H, Fundação Prada (Cisterna), Milão, Itália (2017); A GENTIL CARIOCA JAQUELINE MARTINS, Galeria Jaqueline Martins, São Paulo (2017); Lugares do Delírio (2017 e 2018), no MAR, Rio de Janeiro e no Sesc Pompéia, em São Paulo; Illusion and Revelation (2016-2017), Bonnefanten Museum, Holanda. Lima tem participações nas Bienais de São Paulo de 1998 e de 2006 e é sócia-fundadora, ao lado de Marcio Botner e Ernesto Neto, da galeria A Gentil Carioca, no Rio de Janeiro.

SERVIÇO

Laura Lima: Alfaiataria

Abertura: 7 de julho de 2018, sábado, às 11h00

Visitação: de 7 de julho a 8 de outubro de 2018

De quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00

Pinacoteca: Praça da Luz 2, São Paulo, SP

Ingressos: R$ 6,00 (entrada); R$ 3,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha)

Menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento.

Aos sábados, a entrada da Pina é gratuita para todos.

A Pina Estação é gratuita todos os dias.

Amigo da Pina tem acesso ilimitado além de desconto na loja e no café. Também pode participar de visitas guiadas e outros eventos com a equipe da Pinacoteca. Para saber mais sobre o programa, acesse: http://pinacoteca.org.br/apoie/amigos-da-pina/

Limeira oferece 345 vagas em oficinas culturais gratuitas no segundo semestre

Entre 20 de junho e 31 de julho, a Secretaria de Cultura de Limeira está com inscrições abertas para oficinas e cursos voltados a crianças, jovens e adultos no segundo semestre. As atividades são realizadas pela prefeitura municipal  em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado, por meio de convênio. São 345 vagas em 19 atividades de diversas linguagens artísticas – veja abaixo quais são. As atividades estão abertas tanto a moradores de Limeira quanto de cidades vizinhas.

Essas oficinas levam em consideração a formação e a capacitação para o mercado de trabalho no setor cultural e estão de acordo com a demanda da população limeirense, com base na orientação passada pela Secretaria da Cultura do Estado quando foi feita a reestruturação administrativa do programa Oficinas Culturais, em 2017.  Os interessados devem se inscrever pessoalmente nos locais das atividades; menores de idade devem estar acompanhados pelos pais ou responsáveis.

OFICINAS CULTURAIS

LOCAL:  EMCEA –  Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mário Tintori”

Endereço: Rua da Boa Morte, 471 – Centro

Inscrições: Segunda a sexta – 10h00 às 19h00 / Sábados – 9h00 às 11h00

Informações: (19) 3441-5493

TEATRO: Vivência teatral para adolescentes (15 vagas)

Coordenação: Angélica Colombo

Período: 4/8 a 1/12 – sábados – 14h00 às 16h00

(exceto 18/8, 8 e 15/9 – 13/10 – 3 e 17/11 – não haverá aula)

Público-alvo: Interessados em artes cênicas, com idade entre 12 e 16 anos

Usando técnicas, jogos, dinâmicas e laboratórios de vivência, esta atividade possibilitará que participantes desenvolvam seu lado comunicativo/artístico, colaborando com a consciência corporal, vocal e cognitiva, com foco na voz individual para a criação de cenas em grupo.

BALÉ

Baby Class: O balé e seus encantos (20 vagas)

Coordenação: Fabiana Claudino

Período: 17/8 a 30/11 – sexta-feira – 15h00 às 17h00

(exceto 7/9, 12/10, 2 e 16/11 – não haverá aulas)

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

Com aulas lúdicas e de brincadeiras que valorizem os conceitos necessários do balé, as crianças entrarão em contato com alguns movimentos do balé clássico, onde serão abordados passos característicos com base na técnica.

Baby class lúdico (20 vagas):

Coordenação: Liége Vicente

Período: 27/8 a 12/11 – segunda-feira – 9h00 às 11h00

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

De forma lúdica e utilizando a psicomotricidade, a oficina introduzirá as crianças na arte da dança (balé), promovendo a exploração da criatividade e a expressão através do movimento. A metodologia enfatiza o desenvolvimento das habilidades motoras e da coordenação, atenção e musicalização.

CINEMA: Roteiro para cinema (20 vagas)

Coordenação: Nic Nilson

Período: 23/8 a 8/11 – quintas-feiras – 18h30 às 20h30

Público-alvo: Interessados na área, a partir de 14 anos

Introdução às diferentes ferramentas e elementos que constituem a dramaturgia e a narrativa, dando aos participantes a qualificação para desenvolverem seus próprios roteiros e estruturarem suas histórias.

MAQUIAGEM INFANTIL: Pintura facial artística infantil (20 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 26/9 a 24/10 – quartas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-alvo: Interessados em aprender técnicas para maquiagem em crianças, para participações em eventos gerais, a partir dos 13 anos

Unindo a criatividade para o lazer e para a economia criativa, o aprendizado desta atividade poderá se tornar fonte de renda para pessoas interessadas em trabalhar em eventos infantis ou adultos, por meio da produção de máscaras pintadas no rosto ou desenhos pintados no corpo.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

FOTOGRAFIA: Iniciação à fotografia (20 vagas)

Coordenação: Kauê Braga

Período: 16 a 27/10 – terça a sexta – 18h30 às 20h30 e sábados – 14h00 às 16h00

Público-alvo: Iniciante na área, a partir de 16 anos

A atividade pretende incentivar os participantes a desenvolverem o olhar fotográfico, além de sensibilidade para espaços cotidianos da cidade de Limeira. Serão introduzidos conhecimentos e técnicas relacionadas à arte da fotografia, como conceitos de iluminação, composição, edição, entre outros.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

LOCAL: Teatro Vitória

Endereço: Praça Toledo Barros s/n – Centro

Obs: As inscrições para essa atividade serão feitas na EMCEA – Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mário Tintori”

Inscrições: Segunda a sexta – 10h00 às 19h00 / Sábados – 9h00 às 11h00

Informações: (19) 3441-5493

ILUMINAÇÃO CÊNICA: Luz, cena e ação (15 vagas)

Coordenação: Ricardo Turco Cenzi

Período: 25/9 a 30/10 – terças-feiras – 14h00 às 16h30

Público-alvo: Interessados em atuar em operações de iluminação em atividades de espaços fechados, bem como em eventos externos, a partir de 16 anos

O participante aprenderá noções básicas de iluminação cênica para palcos e terá contato com uma breve história da iluminação e com os equipamentos de luz presentes no teatro, além do palco e os diferentes tipos de refletores de iluminação.

Teatro Vitória, Limeira (Foto: Secretaria de Cultura de Limeira)

LOCAL: Casa da Cultura 1 – Parque Nossa Senhora das Dores

Endereço: Rua Renato Moretti, 222 – Parque Nossa Senhora das Dores

Inscrições: Segunda e Quarta –  10h00 às 12h00 e das 13h00 às 19h00 / Terça, Quinta e Sexta – 8h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00

Informações: (19) 3453-9009

ARTESANATO: Flautas, apitos e outros sons (15 vagas)

Coordenação: Marcos Lima

Período: 17/8 a 30/11 – sexta-feira – 17h00 às 19h00

(exceto 7/9, 12/10, 2 e 16/11 – não haverá aulas)

Público-alvo: Interessados, com 35 anos ou mais

Esta oficina busca reavivar a prática artesanal na confecção de flautas, apitos e outros instrumentos que emitam sons através do sopro, utilizando-se de materiais reaproveitados, baixo custo e de fácil manuseio.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

BALÉ: O despertar – baby class lúdico (20 vagas)

Coordenação: Liége Vicente

Período: 27/8 a 12/11 – segunda-feira – 15h00 às 17h00

Público-alvo: Crianças de 4 a 6 anos

De forma lúdica e utilizando a psicomotricidade, o curso pretende introduzir as crianças na arte da dança (balé), promovendo a exploração da criatividade e a expressão pelo movimento. A metodologia enfatiza o desenvolvimento das habilidades motoras e da coordenação, atenção e musicalização.

CANTO CORAL: Todos podem cantar (20 vagas)

Coordenação: Kauê Braga

Período: 22/10 a 3/12 – segundas-feiras – 18h30 às 20h30 (exceto 19/11 – não haverá aula)

Público-alvo: Interessados, a partir de 15 anos

Com aquecimentos, vocalizes, testes de percepção, técnicas vocais, o objetivo é contribuir para que os participantes descubram em si sua sensibilidade para o canto e trabalhem, de maneira didática, sua afinação, ficando, assim, mais seguros para soltar a voz.

LOCAL: Casa da Cultura 2  – Vista Alegre

Endereço: Rua Alberto Pelegrino, 37 – Vista Alegre

Inscrições: Segunda a Sexta-feira – 9h00 às 12h00 e 13h00 às 16h00

Informações: (19) 3442-8470

TEATRO: Teatralização a partir das crônicas de Luis Fernando Veríssimo (15 vagas)

Coordenação: Rodrigo Pelizari

Período: 4/8 a 24/11 – sábados – 9h00 às 11h00

(exceto 8, 15/9 – 13/10 – 3, 17/11 – não haverá aula)

Público-alvo: Interessados em artes cênicas, com idade entre 12 e 16 anos

O objetivo da oficina é desenvolver estudos e técnicas teatrais, através de jogos cênicos e de improvisação aplicados em textos de Luis Fernando Veríssimo, além de análise de texto, jogos dramáticos e prática teatral.

ARTESANATO: Customização em madeiras (15 vagas)

Coordenação: Helen Féola

Período: 23/8 a 8/11 – quintas-feiras – 16h30 às 18h30

Público-alvo: Interessados, com 35 anos ou mais

A atividade trabalhará a cultura e a tradição do artesanato, desenvolvendo com os participantes sua criatividade. Por meio de diferentes técnicas de pintura e customização em madeira, os participantes obterão um produto personalizado de possível comercialização, gerando uma nova alternativa de trabalho e fonte de renda.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

MAQUIAGEM INFANTIL: Pintura Facial Artística Infantil (20 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 25/09 a 23/10 – terças-feiras – 16h30 às 18h30

Público-alvo: Interessados em aprender técnicas para maquiagem em crianças, para participações em eventos gerais, a partir dos 13 anos

Unindo a criatividade para o lazer e a economia criativa, o aprendizado desta atividade poderá se tornar fonte de renda para pessoas interessadas em trabalhar em eventos infantis ou adultos, por meio da produção de máscaras pintadas no rosto ou desenhos pintados no corpo.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

LOCAL: Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU) – Parque Residencial Abílio Pedro-Geada

Endereço: Avenida Prefeito Ari Levi Pereira, S/N

Parque Residencial Abílio Pedro / Geada
Inscrições: Segunda a sexta – 8h00 às 17h00

Informações: (19) 3441-5493

ARTESANATO: Patchapliquê com Pintura (15 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovesi

Período: 28/8 a 13/11 – terças-feiras – 19h30 às 21h30

Público-alvo: Interessados, com 35 anos ou mais

Atividade destinada a pessoas interessadas em artesanato e customização de peças. Durante as aulas, os participantes aprenderão a interligar bordados com pintura e aplicar seu trabalho em diversos materiais, como guardanapos, bolsas, camisetas e outros.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

DANÇA: Samba Rock – Primeiros passos (20 vagas)

Coordenação: Zeca Johnes

Período: 25/9 a 13/11 – terças-feiras – 19h30 às 21h30

Público-alvo: Interessados, a partir de 15 anos

Oficina de Iniciação em samba rock voltada às bases essenciais da dança, como giros, condução, posicionamento e musicalidade, bem como a prática em duplas das técnicas estudadas.

LOCAL: Centro Infantil “Professora Aldelena Baraldi Fonseca Santos” – Jardim Lagoa Nova

Endereço: Avenida Doutor Antônio de Luna, 1451, Jardim Lagoa Nova

Inscrições: Atividade destinada para crianças dessa instituição

Informações: Tel.: (19) 3441-6057

BALÉ: Baby Class – Crescendo com o balé (20 vagas)

Coordenação: Aline Savazzi

Período: 20/8 a 12/11 – segundas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-alvo: Atividade destinada a crianças dessa instituição, com idade entre 4 e 6 anos

Por meio do ensino do balé clássico, a atividade propõe, por intermédio de jogos, brincadeiras e atividades técnicas, novas descobertas e vivências que possam contribuir para o pleno desenvolvimento da criança.

LOCAL: EMEIEF “Professora Raquel Aparecida Gonçalves Franceschi” –  Bairro Residencial Rubi

Endereço: Rua Sebastião Teixeira, 200, Bairro Residencial Rubi

Inscrições: 18/6 a 31/7 – segunda a sexta-feira – 10h00 às 17h00

(Exceto 19, 20, 23 e 24/7)

Informações: (19) 99793-4944

ARTESANATO: Arte na lata – Jóias Ecológicas (15 vagas)

Coordenação: Elisabete Padovezi

Período: 29/8 a 14/11 – quartas-feiras – 18h00 às 20h00

Público-alvo: Interessados na área de arte e customização de peças, com 35 anos ou mais

O curso ensinará a utilizar latas de alumínio na produção de peças de bijuteria, decoração de ambientes e de festas comemorativas. Os participantes poderão aplicar o aprendizado em colares, guirlandas, caixas de MDF, telas entre outros.

Esta atividade necessita de materiais de uso individual que serão solicitados no ato da inscrição.

BALÉ: Baby Class (20 vagas)

Coordenação: Matheus Lourenço

Período: 29/8 a 14/11 – quartas-feiras – 14h00 às 16h00

Público-Alvo: Atividade destinada a crianças dessa instituição com idade entre 4 e 6 anos

O objetivo é proporcionar uma iniciação ao balé clássico por meio de atividades lúdicas, sempre trazendo exercícios que beneficiem a autoestima, a elasticidade, a postura, o equilíbrio, a respiração e a disciplina, além de melhorar a coordenação motora.

LOCAL: Comunidade São Francisco de Assis – Bairro Rural dos Frades

Endereço: Rodovia Limeira / Arthur Nogueira, km 11, Bairro Rural dos Frades

Inscrições: Dias: 23/6 a 14/7 – sábados – 15h00 às 17h00

Local: Salão da Comunidade

Informações: (19) 3441-5493

CANTO CORAL: Todos Podem Cantar (20 vagas)

Coordenação: Kauê  Braga

Período: 30/10 a 11/12 – terças-feiras – 19h00 às 21h00

(exceto 20/11 – não haverá aula)

Público-alvo: Interessados, a partir de 15 anos

Por meio de aquecimentos, vocalizes, testes de percepção e técnicas vocais, a oficina irá contribuir para que os participantes descubram a sua sensibilidade para o canto e trabalhem, de maneira didática, a afinação.

Para mais detalhes sobre essas oficinas, acesse o site da prefeitura de Limeira: www.limeira.sp.gov.br.

Oficinas Culturais de Limeira – primeiro semestre (foto: Tatiana Alves)

Livro sobre movimento dos Tupamaros é lançado no Memorial da Resistência

Próxima edição do “Sábado Resistente” acontece no dia 23 de junho, às 14h00, com entrada gratuita e a presença de Carlos Aznares, Aníbal Varela, Jandir Santin, Gilmar Mauro, Paulo Gomes e Geraldo Sardinha

No dia 23 de junho, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promove mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. No evento, será realizado o lançamento brasileiro do livro “A experiência Tupamara: pensando em futuras insurgências”, do uruguaio Jorge Zabalza.

Zabalza, dirigente histórico da MLN-T (Movimento de Liberação Nacional – Tupamaros), reconstrói em seu livro sua resistência e de seus companheiros durante a ditadura militar uruguaia. Zabalza, ou “El Tambero”, enfrentou onze anos de cárcere, nos quais conviveu diariamente com a tortura e isolamento.

O livro de Jorge Zabalza faz uma análise político-histórica do Uruguai, que remonta às lutas anticoloniais e chega às lutas anti-imperialistas de nossos dias, penetrando nas entranhas da opressão e dos massacres por parte das oligarquias contra os pobres e os explorados. Detalha também a repressão política desde as suas origens e, em especial, durante a ditadura militar dos anos 1970/80.

“Este livro, apesar de analisar contingências e posições político-ideológicas a partir de experiências e modelos aplicados naqueles tempos cinzentos, volta-se para o amanhã, para as novas gerações de combatentes – para a juventude progressista da América Latina em particular”, afirma o ex-preso político Geraldo Sardinha. “É preciso estar preparado para o futuro também com as armas fornecidas pelo passado.”

PROGRAMAÇÃO

14h00 – Boas-vindas – Memorial da Resistência de São Paulo
14h10 – Coordenação – Maurice Politi (
Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h20 – Mesa Redonda 

Participantes:

Carlos Aznares – Jornalista nascido no Chile e criado na Argentina, é analista de política internacional em vários meios da imprensa e blogs. Ex-militante do movimento dos Montoneros (Argentina), é atualmente palestrante e diretor do site “Resumen Latinoamericano y del Tercer Mundo”.

Anibal Varela – Secretário Geral do Sindicato do Trabalhadores Municipais de Montevideo e Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Uruguai.

Jandir Santin – Professor de Filosofia e Teologia na cidade de Chapecó. Assessor de vários movimentos populares na formação de lideranças.

Gilmar Mauro – Integrante da direção nacional do Movimento Sem Terra (MST).

Geraldo Jorge Sardinha – Ex-preso político, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário – PCBR, do Movimiento de Liberación Nacional-Tupamaros – Atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos.

Paulo Gomes – Advogado, ex-preso político, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN) e atualmente na coordenação da Liga Latino Americana dos Irredentos.

16h10 – Debate

SERVIÇO

Memorial da Resistência de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar

Telefone: (011) 3335-4990/ faleconosco@memorialdaresistenciasp.org.br

Aberto de quarta a segunda (fechado às terças)

Entrada Gratuita

Maio Amarelo: ações educativas do Detran.SP para crianças no Museu Catavento

Programa Clube do Bem-te-vi traz atividades lúdicas e divertidas sobre comportamento seguro no trânsito para crianças da capital

Neste Maio Amarelo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) promove no Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência da Secretaria da Cultura do Estado –, atividades de educação para o trânsito voltados ao público infantil, dentro do Programa Clube do Bem-te-vi. E mais: essas ações serão regulares no museu.

Desenvolvido com a Polícia Militar, o Clube do Bem-te-vi tem como objetivo compartilhar, por meio de palestras em escolas, vídeos e brincadeiras, os princípios básicos de segurança e cidadania no trânsito.

As ações do Maio Amarelo — mês dedicado internacionalmente às questões de educação e de segurança no trânsito — serão entre os dias 22 e 30 de maio, de terça a sexta-feira. As atividades lúdicas ocorrerão para turmas agendadas em períodos matutinos (10h50 e 11h30) e vespertinos (15h15 e 15h55), nos dias 22, 23, 24, 25, 29 e 30 de maio.

A parceria com o Museu Catavento se inicia no Maio Amarelo, mas será estendida para os próximos meses. A agenda será divulgada em breve.

“Nossa intenção é envolver mais turmas até o final do ano para participar das atividades. Nelas, as crianças aprendem brincando os conceitos de respeito e cidadania, tão fundamentais para a construção de um trânsito mais humano”, afirma Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran.SP.

As crianças que participarem das atividades poderão tirar fotos no cenário com os personagens do Clube do Bem-te-vi e receberão um kit com uma cartilha ilustrada, uma carteira de habilitação e um talão de multas mirins para que multipliquem os conhecimentos adquiridos e sensibilizem as pessoas de seu convívio social para uma consciência cidadã em relação ao trânsito.

Clube do Bem-te-vi – Criado em 1990, o Clube do Bem-te-vi é coordenado e desenvolvido pela Diretoria de Educação para o Trânsito e Fiscalização do Detran.SP, em conjunto com a Polícia Militar do Estado de São Paulo. Já são 1,5 milhão de alunos atendidos em 4.242 instituições públicas e particulares de ensino de 302 municípios do Estado de São Paulo.

SERVIÇO

Evento: Programa Clube do Bem-te-vi no Museu Catavento

Quando: Dias 22, 23, 24, 25, 29 e 30 de maio

Onde: Museu Catavento – Avenida Mercúrio, s/nº, Parque D. Pedro II, Brás. Telefone: (11) 3315-0051

Horário de funcionamento: de terça a domingo das 9h00 às 17h00. Para participar das palestras, o agendamento deverá ser feito pelo link http://www.cataventocultural.org.br/vis_grupos

SOBRE O DETRAN.SP

O Detran.SP é uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Planejamento e Gestão. Para obter mais informações sobre o papel do Detran.SP, clique neste link: http://scup.it/aanx

INFORMAÇÕES AO CIDADÃO

Portal – www.detran.sp.gov.br

Disque Detran.SP – Capital e municípios com DDD 11: 3322–3333. Demais localidades: 0300–101–3333. Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e aos sábados, das 7h às 13h.

Fale com o Detran.SP e Ouvidoria (críticas, elogios e sugestões) – Acesso pelo portal, na área de “Atendimento”.

MASP recebe shows gratuitos organizados pelo Projeto Guri

Nos dias 25 e 26 de junho, o Projeto Guri e a organização não governamental Jeunesses Musicales International (JMI) promovem shows gratuitos e abertos ao público no MASP – Museu de Arte de São Paulo.

No dia 25, às 20h30, o baixista e produtor internacional Janek Gwizdala, o pianista Salomão Soares e o baterista Edu Ribeiro farão um concerto no auditório do MASP. Os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria.

Já no dia 26, às 18h00, integrantes do Festival Ethno Brazil farão um show no vão livre do museu. O espetáculo resultará da imersão cultural vivenciada por músicos de dez nacionalidades, em Bragança Paulista/SP.

As apresentações integram o seminário For All: Juventude e conexões musicais, realizado entre os dias 25 e 27 de junho, com a missão de discutir a música como instrumento de transformação e integração social. O evento, que inclui oito painéis com renomados especialistas nacionais e internacionais, será realizado no Auditório do Masp.

Serviço: Concerto
Quando: dia 25 de junho

Horário: às 20h30

Local: Auditório do MASP

Endereço: Av. Paulista, 1578
Entrada: Gratuita
Ingresso: Retirar com uma hora de antecedência na bilheteria do MASP
Classificação: Livre

Serviço: Show Ethno Brazil
Quando: dia 26 de junho

Horário: às 18h00

Local: vão livre do MASP

Endereço: Av. Paulista, 1578

Patrocinadores e apoiadores da Amigos do Guri: Instituto CCR por meio da CCR AutoBAn e CCR SPVias; CTG Brasil; VISA; VALGROUP; Supermercados Tauste; AES Tietê; Microsoft; WestRock; Novelis; Usina Colorado; Banco Votorantim; Capuani do Brasil; Caterpillar; Grupo Maringá; Pinheiro Neto; EMS; Sky; Magazine Luiza; Mercedes-Benz; ASTA; Catho; CODESP; Raízen; Arteris; Supermercados Rondon; Castelo Alimentos; Hasbro.

Patrocinadores do Ethno Brazil: Eaton, WestRock, Expresso Jundiaí, Grupo Maringá, Supermercados Rondon, Glovis, Supermercados Tauste, Sasazaki e Selene.

Sobre a Amigos do Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: www.projetoguri.org.br/faca-sua-doacao.

MCB abre exposição ‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’

A mostra reúne profissionais que revivem a experiência do pensamento revolucionário de Le Corbusier para além da arquitetura

 Abertura: 16 de junho, sábado, às 14h00 – Entrada gratuita

Visitação até 12 de agosto

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, inaugura no dia 16 de junho, sábado, às 14h00, a exposição ‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’.

Com curadoria de Pierre Colnet e Hadrien Lelong, da Cremme – Editora de Mobiliário, via Instituto Cremme, associação que tem como compromisso atuar nas esferas social, educacional e artística por meio da promoção de atividades de fomento à cultura, a mostra permeia o pensamento de Le Corbusier para além do perímetro da arquitetura.

A nova exposição apresenta uma reflexão sobre o modernismo no Brasil e sobre o trabalho do arquiteto franco-suíço. O intuito dos artistas, designers e arquitetos brasileiros convidados para participar da mostra é manter vivo o pensamento moderno e revolucionário de Le Corbusier.

Uma conversa entre o premiado arquiteto paulista Paulo Mendes da Rocha e Catherine Otondo inspira as ilustrações de Alexandre Benoit. Noções como simetria, perspectiva, movimento e composição são abordadas pelas obras dos artistas Carla Chaim, Lucas Simão e Ivan Padovani. Estarão expostas peças da Oficina de Marcenaria elaboradas em parceria com o Instituto Leo, que propôs a releitura do modernismo por meio da concepção de móveis inspirados nas obras de Le Corbusier. Os Irmãos Campana completam o corpo de designers, ocupando o jardim do Museu com a instalação Taquara.

“Nos trabalhos expostos, temos um desafio às várias disciplinas que se entrecruzam nos campos do design e da arquitetura, permeados pela experimentação técnico-artística. Uma oportunidade para observar a diluição de suas fronteiras, cada vez mais tênues, na contramão do mundo das especializações”, comenta Giancarlo Latorraca, diretor técnico do MCB.

Os curadores também convidaram um time de escritórios brasileiros formado por Aleph Zero, AR Arquitetura, Bloco Arquitetos, FGMF, Gabriel Ranieri, Pedro Ribeiro, Estudio Guto Requena, Metro Arquitetos Associados, MNMA Studio, VR ONE, Nitsche Arquitetos, Play Arquitetura, Terra e Tuma e Triptyque Arquitetura a refletir como hoje repercute o processo modernista no território nacional e dentro do próprio ambiente de trabalho. Citações do artigo do filósofo francês Mickaël Labbé, feito especialmente para a mostra, sustentam o trabalho dos arquitetos na exposição.

Le Corbusier

Charles Edouard Jeanneret-Gris, conhecido mundialmente por Le Corbusier, foi um arquiteto franco-suíço que se tornou uma das figuras mais importantes da arquitetura no século XX. Desenvolveu ampla atividade acadêmica e teórica, além de publicar diversos artigos sobre seus estudos arquitetônicos. Foi grande influenciador na formação da geração modernista de arquitetos brasileiros, principalmente, por prestar, em 1936, consultoria no projeto do Palácio Gustavo Capanema. Le Corbusier faleceu em 1965 e foi enterrado no túmulo que projetou para si mesmo.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

Sobre Cremme

A Cremme, editora de móveis franco-brasileira, conta com uma proposta de criar atmosferas. Cosmopolita, traz a simplicidade pelo olhar dos franceses Hadrien Lelong e Pierre Colnet, que coordenam uma rede de designers espalhados mundo afora, enquanto produzem, com exclusividade, todas as peças aqui no Brasil. Além da linha de mobiliário própria, a Cremme atua na criação e no desenvolvimento de peças exclusivas, feitas sob encomenda para projetos corporativos. A associação sem fins lucrativos possui como missão atuar nas esferas social, educacional e artística por meio da promoção de atividades de fomento à cultura.

SERVIÇO

Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo

Abertura: 16 de junho, sábado

Horário: às 14h00

Entrada gratuita

Visitação: até 12 de agosto

Museu da Casa Brasileira: Av. Faria Lima, 2705 – Tel.: (11) 3032-3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada

Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br

www.mcb.org.br

MCB apresenta “Casas do Brasil – Habitação ribeirinha na Amazônia” no Museu da Cidade, na Praia Grande

A partir do dia 26 de junho, os visitantes podem conferir a arquitetura das habitações ribeirinhas da região de Nhamundá, no Amazonas

Foto: divulgação

Abertura: 26 de junho, terça-feira, às 16h00

Visitação: até 2 de setembro de 2018

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Cultura, gerida pela Organização Social A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, leva até o Museu da Cidade, na Praia Grande, um recorte da exposição “Casas do Brasil – Habitação ribeirinha na Amazônia” a partir do dia 26 de junho, terça-feira, às 16h00.

O projeto Casas do Brasil propõe a formação de um inventário sobre a diversidade do morar no país. O recorte da mostra original apresentado no Museu da Cidade revela aspectos da arquitetura das habitações ribeirinhas na região de Nhamundá, município localizado a 570 km de Manaus (AM).

Com curadoria da geógrafa Sandra Lencioni e socióloga Maria Ruth Amaral de Sampaio e por meio das fotografias de Eduardo Girão serão apresentadas palafitas e casas flutuantes adotadas na região que representam as soluções do morar encontradas em função do contexto apresentado pelas condições do meio ambiente local. Na Praia Grande, serão exibidas mesas de luz com cerca de 100 fotos em pequeno formato que ressaltam a diversidade do registro realizado pelo fotógrafo.

“A habitação ribeirinha, das várzeas dos rios alagáveis, harmoniza-se com as oscilações do nível da água, com tipos predominantes de casas: as palafitas e as casas flutuantes, ambas de madeira retirada da floresta”, explica Sandra Lencioni. “Os habitantes originais dessa região, tanto quanto os que aí chegaram ao longo do tempo, tiveram não só que se integrar ao ritmo das águas, mas também adaptar-se aos diversos contextos econômicos e políticos. Seu modo de vida não é um resíduo da história, não é passado, é expressão de várias temporalidades, que remete a tempos longínquos, a heranças indígenas, coloniais e migratórias”, finaliza a geógrafa.

Sobre Eduardo Girão

Fotógrafo desde 1985, Eduardo Girão graduou-se em Administração de Empresas pela FAAP, em São Paulo, e estudou no International Center of Photography e na Parsons School of Design, ambos em Nova York (EUA). Trabalhou com o fotógrafo americano Jonathan Becker e com o publicitário francês Jean-Paul Goude, em NY para revistas como Town & Country, Vanity Fair e Vogue. No Brasil, colabora com revistas de decoração, arquitetura, comportamento e gastronomia, como Casa Vogue, Vogue, Casa Claudia, Arquitetura e Construção, Kaza, Audi, Natura, Casa e Jardim, Gula e Viver Bem, entre outras.

Sobre Maria Ruth Amaral de Sampaio

É socióloga, professora titular do AUH – Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto e das Áreas de Concentração Habitat e de Fundamentos e História da Arquitetura do Programa de Pós-Graduação da FAU-USP. Diretora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), entre dezembro de 1998 e dezembro de 2002. Atualmente, participa do Laboratório de Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo – LABFAU, do AUH, de grupo de pesquisa sobre “Os espaços e a construção da cidade”. Faz parte também do programa da UNESCO “Profissionais da Cidade”, que tem por objetivo principal incentivar as relações da universidade com a sociedade. É autora de vários livros entre os quais: Casas Proletárias em São Paulo junto com o arquiteto Carlos Lemos; Habitação e Cidade, Promoção Privada da Habitação Econômica e Arquitetura Moderna – 1930-1964.

Sobre Sandra Lencioni

Professora titular do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP), defendeu tese de livre-docência em 1997, tendo desenvolvido seu pós-doutorado em 1992, na Universidade de Paris I (Pantheon-Sorbonne). Possui Bacharelado e Licenciatura em Geografia pela Universidade de São Paulo, (1975). O mestrado e o doutorado são em Geografia (Geografia Humana), sendo o primeiro título de 1985 e, o segundo, de 1991, ambos obtidos na USP. Autora de inúmeros trabalhos científicos e também do livro Região e Geografia, uma referência na geografia brasileira, se dedica aos temas: teoria da região, metrópole, indústria e São Paulo. É membro do corpo editorial de inúmeras revistas científicas, nacionais e internacionais.

Sobre Casas do Brasil

Realizado desde 2006, o projeto Casas do Brasil procura mapear as diversas tipologias de moradias brasileiras com o objetivo de formar um inventário sobre a diversidade do morar no país. Já foram temas do projeto em exposições no Museu da Casa Brasileira “Barraca Cigana” (2012) e “Casa Xinguana” (2011), entre outros. Cada mostra no MCB corresponde a uma publicação, sendo “Habitação ribeirinha na Amazônia” o quinto volume da série.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Casas do Brasil – Habitação ribeirinha na Amazônia

Abertura: 26 de junho, terça-feira, às 16h00

Gratuito

Visitação: até 2 de setembro, domingo.
Local: Museu da Cidade – Palácio das Artes
 Av. Pres. Costa e Silva, 1600 – Boqueirão, Praia Grande

De terça a domingo, das 10h às 18h

MCB apresenta Orquestra Mundana Refugi, neste domingo, dia 13

Formado por músicos refugiados de diversos países e comandado por Carlinhos Antunes,

o grupo se apresenta no dia 13 de maio, às 11h00

Foto: Alexandre Nunis

No dia 13 de maio, domingo, às 11h00, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebe em seu palco Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana Refugi para uma apresentação especial no Dia das Mães.

O grupo, que conta com músicos refugiados de diversos países, inclui em seu repertório composições próprias e temas tradicionais da Palestina, do Irã, da Guiné, do Congo e do Brasil, além de cantos árabes e persas. Seus integrantes utilizam instrumentos como kanun, acordeom, piano, violino, cítara chinesa, bouzouki, entre outros.

A Orquestra Mundana Refugi surge da formação original da Orquestra Mundana, que reunia músicos profissionais de diferentes localidades que residiam ou estavam em São Paulo. Após 15 anos, o Refugi se constituiu por meio de oficinas musicais oferecidas pelo Sesc São Paulo para imigrantes e refugiados, projeto idealizado pelo próprio diretor musical Carlinhos Antunes e pela assistente social Cleo Regina Miranda. O objetivo era acolher e integrar aqueles que escolheram morar em São Paulo, seja por vontade própria ou não.

O grupo ganhou destaque devido a sua relevância social e, no início deste ano, a Agência Nacional da ONU para Refugiados (ACNUR) realizou uma matéria internacional a respeito de seu cotidiano em ensaios e apresentações. A orquestra também já se apresentou no Sesc Pompeia e na Casa de Francisca e, em janeiro de 2019, participará do primeiro festival internacional, na Bahia.

Sobre o projeto Música no MCB
Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que acontecem em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Música no MCB – 19ª temporada

MAIO

13/05 – Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana Refugi

20/05 – Bora Barão com Pedro Assad

27/05 – Ensemble Brasileiro

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Entrada gratuita

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Memorial da América Latina: Regina Benedetti é a atração do projeto Música na Biblioteca

A cantora, compositora, percussionista e bailarina Regina Benedetti é a próxima atração do projeto Música na Biblioteca, dia 22, terça-feira, no Memorial da América Latina, ao lado do Metrô Barra Funda. Os ingressos (R$ 4 e R$ 2) estarão disponíveis uma hora antes na bilheteria da Biblioteca – entrada pelos portões 2 e 5 da Praça Cívica.

Paulistana, projetada para a carreira na região de São José do Rio Preto, Regina apresenta no auditório da Biblioteca o repertório do seu CD autoral O Canto da Sereia, indicado ao Grammy Latino em 2012. A artista é também compositora cujas criações transitam por ritmos tipicamente brasileiros, como samba, ijexá, xote, baião e maracatu. No Brasil, já dividiu o palco com grandes nomes do universo musical, como João Bosco e o Maestro Aderbal Duarte.

Acompanhada por Leandro Lui (bateria)  Ricardo Zoyo (contrabaixo), Fábio Leandro (piano) e Vinicius Barros (percussão), Regina transita por ritmos brasileiros, especialmente pelo samba, tanto na concepção musical como na dança, buscando uma nova linguagem cênica com raízes nas tradições afrodescendentes.

Além das próprias criações, inclui canções de renomados compositores, como Dorival Caymmi, Zequinha de Abreu, Paulinho da Viola, Ary Barroso, Lamartine Babo, Assis Valente e Paulo César Pinheiro.

Programa:

– O Canto da Sereia/ Regina Benedetti

– De Sol a Sol/ Regina Benedetti

– Iara/ Regina Benedetti

– Maracatu Sampa/ Regina Benedetti

– Zumbizeira/ Regina Benedetti

– O Velho Chamou/ Regina Benedetti

– Terra Pequena/ Regina Benedetti

– Menininha do Gantois/ Regina Benedetti

– Samba de Criolo/ Regina Benedetti

– Tum-tum Jeguerê/ Regina Benedetti

– Besouro/ Regina Benedetti

– Cargueiro Negro/ Regina Benedetti

– Portela na avenida/ Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro

– Tristeza pé no chão/ Armando Fernandes/ Clara Nunes

O Projeto

Em sua quarta temporada, o projeto tem curadoria da maestrina Mônica Giardini e recebeu grupos e artistas de destaque do universo paulista da música de câmara e da MPB.

SERVIÇO

Projeto Música na Biblioteca

Espetáculo: O Canto da Sereia/Regina Benedetti

Dia 22/05/2018 (terça feira) às 19:30

Auditório da Biblioteca do Memorial da América Latina

Portões 2 e 5/Ao lado do Metrô Barra Funda

Ingresso: R$ 4,00 e R$ 2,00

Realização: Fundação Memorial da América Latina – SP

Curadoria: Mônica Giardini

Produção: PG Music

__________________________________________________________

Memorial recebe doações para a Campanha do Agasalho 2018

O Memorial da América Latina é um dos postos de coleta da Campanha do Agasalho 2018, coordenada pelo Fussesp – Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Com o slogan “É tempo de doar”, a expectativa, segundo a presidente do Fussesp, Lúcia França, é superar os números de 2017, quando foram arrecadadas mais de oito milhões de peças.

A campanha deste ano tem como destaque a parceria com um dos principais cartunistas brasileiros Mauricio de Sousa e toda a sua Turma da Mônica, que participará de ações pontuais nos postos de coleta. A professora Lúcia França espera que essa novidade também funcione como importante diferencial na campanha. “São personagens que estão no consciente coletivo das pessoas e, por isso, incentivarão a doação também entre o público infantil”.

Na última edição, o material arrecadado foi distribuído para 258 municípios e 281 entidades sociais que solicitaram a doação. A campanha, em 2018, vai até setembro.

As peças arrecadadas são destinadas para as cidades do Estado e as entidades sociais da capital cadastradas, além de hospitais e albergues, que se encarregam de distribuí-las para o público em situação de vulnerabilidade social.

No Memorial, o posto de arrecadação fica no prédio da Administração, com acesso pelo portão 8 e atende todos os dias, das 9 às 18 horas.

Outras informações sobre a Campanha do Agasalho 2018 podem ser obtidas pelo telefone (11) 2588-5781.

Memorial recebe doações para a Campanha do Agasalho 2018

Memorial da América Latina é um dos postos de coleta da Campanha do Agasalho 2018, coordenada pelo Fussesp – Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Com o slogan “É tempo de doar”, a expectativa, segundo a presidente do Fussesp, Lúcia França, é superar os números de 2017, quando foram arrecadadas mais de oito milhões de peças.

A campanha deste ano tem como destaque a parceria com um dos principais cartunistas brasileiros Mauricio de Sousa e toda a sua Turma da Mônica, que participará de ações pontuais nos postos de coleta. A professora Lúcia França espera que essa novidade também funcione como importante diferencial na campanha. “São personagens que estão no consciente coletivo das pessoas e, por isso, incentivarão a doação também entre o público infantil”.

Na última edição, o material arrecadado foi distribuído para 258 municípios e 281 entidades sociais que solicitaram a doação. A campanha, em 2018, vai até setembro.

As peças arrecadadas são destinadas para as cidades do Estado e as entidades sociais da capital cadastradas, além de hospitais e albergues, que se encarregam de distribuí-las para o público em situação de vulnerabilidade social.

No Memorial, o posto de arrecadação fica no prédio da Administração, com acesso pelo portão 8 e atende todos os dias, das 9 às 18 horas.

Outras informações sobre a Campanha do Agasalho 2018 podem ser obtidas pelo telefone (11) 2588-5781.

MIS abre exposição “Nova Fotografia: Hiperurânio”, de André Bonon

Série compõe uma narrativa visual inspirada na Teoria das Ideias de Platão. A exposição, que integra o programa Nova Fotografia no MIS 2018, tem abertura no dia 21 de junho, quinta-feira, às 19h00, com entrada gratuita

Em junho, o MIS – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – inaugura a terceira mostra do programa Nova Fotografia 2018: Hiperurânio, do paulista André Bonon. A mostra, que tem inspiração no livro Fedro, de Platão, abre no dia 21 de junho, às 19h00, com entrada gratuita.

O fotógrafo define a série como uma narrativa visual contemporânea, em que não há uma leitura única e cujo sentido depende justamente da interação entre as imagens e o público. “As fotografias, de forma lúdica, tecem um diálogo sobre as possibilidades e questionamentos para um sentido da existência, para uma história da vida, tendo como pano de fundo a Teoria das Ideias de Platão”, afirma Bonon. “A Teoria busca a apreensão intelectual da essência eterna e imutável das coisas. Conhecer é chegar a essa essência, ao que é universal”.

As imagens, por fim, convidam o público a mergulhar em questionamentos sobre a própria realidade. “Platão coloca todas as “Ideias” em um mundo distinto do qual vivemos, um mundo metafísico, o mundo Hiperurânio, lugar acima do céu. O mundo físico é acessível pelos sentidos; já o Hiperurânio só é acessado pelo intelecto”, completa o artista.

Sobre André Bonon

Interessado nos processos de comunicação, nos universos pessoais e suas relações, o paulista André Bonon graduou-se em Ciências da Comunicação em 2000 e pós graduou-se em 2005, atuando nas áreas de design e comunicação.  Estudou Psicologia na Itália de 2006 a 2010, e, desde então, procura dedicar-se ao estudo e prática da fotografia como um espaço de questionamentos, abordando inquietações e temas relacionados às relações humanas, incômodos e ambiguidades do cotidiano.

Sobre o Nova Fotografia

Criado em 2011, o Nova Fotografia é um projeto anual do Museu da Imagem e do Som que busca criar um espaço permanente para exposição de fotografias de artistas promissores que se distinguem pela qualidade e inovação do seu trabalho. A cada ano, seis séries de imagens são escolhidas por meio de convocatória e expostas no Museu.

SERVIÇO

Nova Fotografia: Hiperurânio, de André Bonon

Abertura: 21.06, às 19h00 (entrada gratuita)

Data 22 de junho a 5 de agosto de 2018
Horário terças a sábados, das 12h00 às 21h00; domingos e feriados, das 11h00 às 20h00
Local Nicho
Ingresso Gratuito

MIS comemora o mês do rock com evento dedicado a Freddie Mercury no dia 1º de julho

Fãs do Queen contam com um dia inteiro de atividades em homenagem à banda e seu icônico líder; a entrada é gratuita

O MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebe, em julho, a  6ª edição do Freddie Mercury Fãs Eternamente – (FM-FE). O evento, que acontece em  comemoração ao Mês do Rock, traz debates e curiosidades sobre uma das maiores bandas de rock de todos os tempos, o Queen.

Freddie Mercury (Foto: Divulgação)

Freddie Mercury Fãs Eternamente – FMFE nasceu com a finalidade de unir ainda mais os fãs de diferentes épocas do Queen. Comandado pela jornalista Evelin Scandal, o evento tem um formato intimista, com troca de informações, histórias, música, sorteios e brincadeiras.

Nesta edição, que acontece no dia 1º de Julho, no Auditório MIS (172 lugares), o FM-FE vai contar com apresentações de fãs-colaboradores, que trarão as curiosidades mais incríveis sobre o quarteto inglês. Entre músicos, jornalistas e colecionadores, os debates serão comandados por verdadeiros apaixonados pelo Queen.

Programação
11h00 – Abertura;
11h15: Bate-papo com Rogério Utrila – sobre curiosidades dos álbuns, clipes e perfomances;
13h30 – Willian Nilsen – Falando sobre performace teatral do Freddie Mercury no palco em Bohemian Rhapsody;

14h30 – Antonio Henrique Seligman – Formatos exóticos de itens da carreira do cantor;

15h30 – Rafael Casado – Performances e erros nos shows ao vivo;
16h30 – Márcio Sanches – apresentação musical;

17h30  Banshe – pocket show voz e violão;

18h00 – Sorteios e encerramento.

Informações sobre os convidados

William Nilsen, 58 anos. Foi o fundador e presidente do primeiro Fan Club do Queen no Brasil, de 1977 a 1984. Fã desde 1974, viu a banda ao vivo em sua formação original nos quatro shows realizados no Brasil. Conheceu pessoalmente os membros da Banda em 1981 em São Paulo. Em 1991, visitou o fan club oficial em Londres quatro meses antes da morte de Freddie. Até hoje tem um blog: Primeiro Fan Club do Queen no Brasil.

Antônio Henrique Seligman, colecionador. Em seu acervo particular, arquiva cerca de 5.000 itens relacionados ao Queen, acumulados durante os últimos 40 anos. Também é consultor eventual em pesquisas da Queen Productions (UK) durante a fase de desenvolvimento de certos produtos, e colabora ocasionalmente em eventos como a megaexposição ‘Let’s Rock’, realizada na Oca (Parque Ibirapuera, SP) em 2012. Website: queenland.usa.cc

Marcio Sanches. Guitarrista paulistano, compositor e professor. Formado na Universidade São Judas Tadeu. Desenvolveu um método prático de ensino musical chamado CRIATIVIDADE APLICADA. Competência técnica e sensibilidade musical fizeram de Marcio Sanches um guitarrista com estilo próprio, capaz de atrair uma legião de alunos-fãs a suas aulas, aos seus workshops e, naturalmente, aos seus shows. Criou seu próprio nicho, a partir da combinação de técnicas e um timbre único.

Rafael Casado. Músico, compositor, youtuber, jornalista e grande fã do Queen. Estudou piano e canto na infância e adolescência, mas se rendeu à bateria. Aprimorou seu estilo de tocar influenciado pelo rock dos anos 70. Nas bandas em que tocou, explorou a diversidade dos ritmos brasileiros. Gravou CDs e DVDs, operou em diversas mostras e festivais, abriu shows de artistas como Chitãozinho e Xororó, Elba Ramalho e Jota Quest. Seus últimos trabalhos na música são voltados ao Queen. Fundou e tocou nas bandas The Royal Queen e Rock It Band. Desenvolveu o projeto “A história do Queen contada na bateria” e atuou em eventos sobre a banda inglesa. Hoje participa como músico de apoio no “Queen Tribute Brazil”, administra o fã clube “Queen Online Brasil” e apresenta um canal no youtube em que fala sobre música ao lado de um urso de pelúcia, o Fred.

Banshee Ghelmandi. Natural de São Paulo, tem como principais influências Freddie Mercury, Richie Sambora, Roberto Carlos e Ronnie James Dio. A sua grande ligação com o Queen – tanto como fã quanto como intérprete – rende a Banshee convites para eventos e participações especiais em shows de outros músicos/bandas. Entre os eventos que Banshee já participou estão Queen’s Day, Freddie for a Day e Freddie Mercury Fãs Eternamente. Dentro destes eventos – e fora deles -, Banshee já dividiu o palco com uma extensa lista de artistas, entre eles Marcio Sanches, Classical Queen, Queen Cover, Queen Tribute Brasil, HL Arguments, Helio Lima and the Critical Soul Band e Rafael Casado.

SERVIÇO

Mês do Rock – Especial Freddie Mercury

DATA 01.07, domingo

HORÁRIO 11h00 às 18h00

LOCAL  Auditório MIS (172 lugares)

INGRESSO:  gratuito (retirada com 1h de antecedência na recepção)
CLASSIFICAÇÃO:  livre

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

MIS exibe o documentário “Chega de fiu fiu”

Longa dirigido por Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão integra campanha homônima criada em 2014 pela organização Think Olga e traz ao centro do debate questões como o assédio e o direito das mulheres ao espaço público

No próximo sábado, 23 de junho, o MIS – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, exibe o documentário Chega de fiu fiu. A sessão única – que será seguida de um bate-papo com as diretoras – tem início às 18h00 e acontece no Auditório LABMIS. A entrada é gratuita, para participar é necessário retirar ingresso com uma hora de antecedência da recepção no Museu.

Dirigido por Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão, o longa-metragem trata da participação das mulheres nos espaços públicos, marcada por uma série de violências, em especial o assédio sexual, e examina como campanhas e outras dinâmicas criadas por ativistas e movimentos feministas no período de 2014 a 2017 têm modificado relações de poder entre homens e mulheres nas ruas e na internet.

As cidades foram feitas para as mulheres? A pergunta é motor fundamental do longa-metragem Chega de fiufiu. Produzido em parceria com a Brodagem Filmes, o documentário foi lançado em maio deste ano e integra campanha homônima criada em 2014 pela organização Think Olga, trazendo ao centro do debate questões como o assédio e o direito das mulheres ao espaço público.

Chega de fiufiu explicita como a participação das mulheres no espaço urbano é marcada por insegurança. “Entraves como a falta de iluminação, lugares ermos, a dificuldade de mobilidade, longas distâncias na locomoção de casa ao trabalho, ausência de creches e péssimo atendimento em serviços de saúde e segurança seguem como catracas visíveis e invisíveis do acesso das mulheres às cidades. Tais entraves revelam o quanto as cidades foram construídas sem a perspectiva de gênero e agravam ainda mais as violências sofridas pelas mulheres, como o assédio”, diz Amanda Kamanchek, diretora do documentário. “O filme é um retrato dessa violência de gênero em um contexto ainda pouquíssimo explorado: o espaço público. A pergunta que nos fizemos ao longo de todo o filme é ‘qual é o lugar das mulheres nas cidades?”.

Chega de fiu fiu traça uma narrativa composta de três momentos: a utilização de óculos com uma microcâmera escondida, usado por mulheres em seu dia a dia; a vida de três personagens de diferentes cidades (Brasília, São Paulo e Salvador) e o diálogo com especialistas sobre assédio, identidades, sexualidade, participação e mobilização social e masculinidades.

“Não só a entrevista com personagens, mas a dinâmica de cada uma delas com suas cidades foi nos ajudando a construir o argumento real do filme. Ao longo do projeto, criamos alguns artifícios de filmagem como o óculos-espião, o que nos permitiu explorar de maneira muito forte o modo como o corpo é percebido no espaço público. Dessa forma, as personagens puderam também se utilizar de um instrumento de denúncia. E, em adição, o próprio corpo delas se tornou uma ferramenta dessa narrativa. Em suma, convidamos essas mulheres a colaborar com o documentário de fato e isso nos trouxe ainda mais verdade e emoção”, diz Fernanda Frazão, também diretora do filme.

De acordo com pesquisa da ActionAid de 2016, 86% das brasileiras já sofreram violência sexual ou assédio em espaços públicos. Delas, 77% ouviram assobios, 57% ouviram comentários de cunho sexual, 39% xingamentos, 50% foram seguidas, 44% tiveram seus corpos tocados, 37% tiveram homens que se exibiram para elas e 8% foram estupradas.

Muitos anos se passaram desde que as mulheres começaram a circular nos espaços públicos, mas o respeito nesse território ainda lhes é negado. Pesquisa do Ipea de 2014, “Tolerância social à violência contra as mulheres”, mostrou que 26% dos brasileiros concordam com a afirmação “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas” e estudo do Fórum de Segurança Pública  de 2016 mostra ainda que uma em cada três pessoas acreditam que “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”. Uma violência baseada na ideia de que quando uma mulher se comporta de determinada maneira, ela deve ser punida.

Tais pesquisas revelam o pensamento atual de muitas pessoas que ainda consideram inaceitáveis certas condutas e escolhas das mulheres, como “ficar bêbada”, “sair de casa sem o marido” e “usar roupas justas e decotadas”.

“Há alguns anos, assédio era uma palavra não dita, um assunto discutido em algumas bolhas feministas. Houve a necessidade de ampliar essa conversa e, com o tempo, ela foi evoluindo e amadurecendo. Não poderíamos estagnar nessa ideia do assédio como algo micro, a cantada de rua. É necessário olhar que papel ele desempenha dentro da cultura do estupro e como alimenta a roda hostil do machismo”, diz Juliana de Faria, fundadora da ONG Think Olga. “Mais que isso, o filme mostra como somos excluídas sistematicamente do debate sobre a cidade. As personagens do filme têm isso em comum: nenhuma se sente à vontade pra circular no espaço público. Nenhuma delas se sente segura ou pertencente à cidade. Para além da denúncia, vejo o documentário como um projeto educacional. A ideia é transformá-lo em ferramenta junto às universidades e escolas para que possamos pensar em conjunto uma mudança”conclui.

Sobre as diretoras

Amanda Kamanchek, brasileira, 31 anos, jornalista e documentarista, trabalha com projetos sociais destinados à prevenção da violência contra mulheres e meninas, educação de gênero nas escolas, assédio sexual e direito à cidade. Foi coordenadora de campanhas da área de enfrentamento à violência da ONU Mulheres Brasil – Agência das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres. É diretora do documentário Chega de Fiu Fiu, sobre o assédio contra as mulheres em espaços públicos em parceria com a organização feminista Think Olga. Desenvolveu junto ao Departamento de Ciência da Política de Direitos Autorais da Paz, Democracia e Tolerância da USP a plataforma Cartografia de Direitos Humanos. Foi coordenadora de Comunicação do Instituto Pólis, desenvolvendo conteúdos e projetos relacionados aos temas direito à cidade, habitação, segurança pública, democracia e sustentabilidade. É formada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e em Documentário pela AIC (Academia Internacional de Cinema). Eleita uma das 21 mulheres brasileiras que estão fazendo do país um lugar melhor, pelo Brasil Post / Huffington Post, 2014 e como uma das 100 mulheres inspiradoras do mundo em 2014, pelo Think Olga, organização feminista que combate o assédio contra as mulheres.

Fernanda Frazão, brasileira, 32 anos, é fotógrafa e documentarista, formada em Comunicação Audiovisual pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) e pela Universidad da Coruña (UDC), Espanha. Trabalha na intersecção de várias mídias como plataformas criativas para contar histórias, com foco em gênero e direitos humanos. Dirigiu seu primeiro longa-metragem “Chega de Fiu Fiu” (2018) sobre o assédio sexual contra mulheres em espaços públicos no Brasil, em parceria com a organização feminista Think Olga.  Em 2011, realizou o curta-metragem “Amai-vos uns aos loucos”, sobre os estereótipos da esquizofrenia e sua relação com a sociedade de consumo. Trabalha como freelancer de desenvolvimento, direção e criação em conteúdo multimídia na O2 Filmes, onde também atua como diretora criativa em novos formatos, conteúdo interativo e digital. Vive e trabalha em São Paulo, Brasil.

Ficha-técnica

Chega de fiu fiu (Dir. Amanda  Kamanchek e Fernanda Frazão, 2018, Brasil, Documentário, 113 min)

Direção : Amanda Kamanchek e Fernanda Frazão

Produção Executiva : Juliana Lemes e Lucas Kakuda

Direção de Fotografia : Lucas Kakuda

Direção de Produção e Ass. de Direção : Camila Biau

Montagem: Cibele Appes

Com: Rosa Luz, Raquel Carvalho e Teresa Chaves

Convidadas especialistas: Djamila Ribeiro, Juliana de Faria, Luana Hansen, Margareth Rago, Nilceia Freire

SERVIÇO

EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO “CHEGA DE FIU FIU” + bate-papo com as diretoras
DATA 23.06, sábado

HORÁRIO 18h00

LOCAL  Auditório LABMIS (66 lugares)

INGRESSO Gratuito (sujeito à lotação da sala – retirada de ingressos com uma hora de antecedência na Recepção MIS)

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

MIS inicia venda de ingressos para Hitchcock – Bastidores do suspense em 29 de junho

O MIS, instituição da Secretaria da Cultura inaugura sua nova megaexposição, Hitchcock – Bastidores do suspense, no dia 13 de julho, sexta-feira. A abertura da mostra contará com uma virada durante a madrugada: o público poderá visitar a exposição desde as 10h00 de sexta-feira (13.07) até as 21h00 de sábado (14.07).

Os ingressos antecipados para os primeiros dias de visitação (13, 14, 18, 19, 20 e 21 de julho) podem ser adquiridos, a partir das 12h00 do dia 29.06, no site e aplicativo da Ingresso Rápido. Com curadoria de André Sturm, cineasta e ex-diretor do MIS, a exposição tem patrocínio da Multiplus, do Itaú, da Getnet e da Raízen e apoio de TozziniFreire Advogados.

Alfred Hitchcock (Foto: Studio Publicity Still)

Sobre a exposição

Através da longa filmografia de Hitchcock, o público pode conhecer os diversos aspectos e elementos que tornaram suas obras audiovisuais grandes sucessos e de inquestionável vanguardismo técnico e artístico. Hitchcock se ocupava de todas as etapas e processos de seus filmes, desde o argumento inicial ou pré-roteiro até a finalização e edição dos filmes, passando pela direção de arte, direção de fotografia e até indicação de como seria o design do pôster e seu plano de divulgação. Este domínio pleno e controle de todas as etapas da feitura de seus filmes estão presentes na mostra, que apresenta ao público um cineasta completo e preocupado com cada detalhe de suas produções. O projeto expográfico e arquitetônico da mostra, desenvolvido em parceria com o Atelier Marko Brajovic, explora com literalidade o “perfil Hitchcock”, com muito suspense e surpresas tanto para os visitantes que conhecem mais a fundo sua obra quanto para aqueles que não são íntimos de seu modo de produção.

Além da exposição, o MIS prevê uma intensa programação paralela que segue por todo o período que a exposição fica em cartaz, incluindo mostras de cinema, lançamento de livro, palestras e edições especiais da programação regular do museu – como o Cinematographo e a Maratona Infantil. Além disso, o MIS preparou um curso especial para os fãs do mestre do suspense, que já está com inscrições abertas:

Curso: O Cinema de Alfred Hitchcock

Ministrado por Carlos Primati (jornalista, crítico, tradutor e pesquisador) e Marcelo Lyra (jornalista, professor e crítico de cinema), o curso aborda em doze aulas, de maneira analítica e expositiva todos os aspectos da obra do diretor conhecido como ‘o mestre do suspense’. Desde a fase inglesa, ainda no cinema mudo, passado pela transição para o cinema falado, a colorização dos filmes, a indústria hollywoodiana e até mesmo a participação na produção da série de TV, serão temas abordados que delineiam a compreensão da importância de sua obra para a história do cinema mundial. O curso acontece de 16 de julho a 27 de agosto, das 19h00 às 22h00. Inscrições abertas, mais informações e inscrições, clique aqui.

SERVIÇO

Hitchcock – Bastidores do suspense | Venda antecipada

Ingressos online para os dias 13, 14, 18, 19, 20 e 21.07

Valor R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Vendas a partir das 12h00 do dia 29.06 (sexta-feira) no site www.ingressorapido.com.br

Hitchcock – Bastidores do suspense
Data
13 de julho a 21 de outubro
Horário Terças a sextas, das 10h00 às 21h00; sábados, das 10h00 às 22h00; domingos e feriados, das 11h00 às 20h00
Local Espaço Redondo, Espaço Expositivo 1º andar e Espaço Expositivo 2º andar

Ingresso Bilheteria R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia). Domingos: ingressos apenas na bilheteria. Terças-feiras: entrada gratuita. Menores de 5 anos não pagam

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

MIS recebe mostra de cinema indiano

Seleção de filmes organizada pelo Centro Cultural Indiano de São Paulo será exibida nos dias 26 e 28 de junho

 Nos dias 26 e 28 de junho, o MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebe a mostra “Cinema Comercial Indiano Contemporâneo”. Organizada pelo Centro Cultural Indiano de São Paulo e com curadoria da especialista em cinema indiano, Juily Manghirmalani, a mostra traz uma amostragem de grandes bilheterias do cinema híndi atual. A seleção, que apresenta seis obras de diferentes gêneros e temáticas, tem como objetivo aproximar o público brasileiro da Índia.

As sessões acontecem no Auditório MIS (172 lugares) e têm entrada gratuita. Para participar é necessário retirar o ingresso com 1 hora de antecedência, de cada filme, na recepção do Museu.  Confira abaixo a programação:

26/06 – Terça-feira

15h00
Hawaa Hawaai
(Dir. Amole Gupte, 2014, 120 min, Drama/Família, Classificação livre)
Sinopse: O pequeno Arjun sonha em se tornar campeão de skate, no entanto sua realidade humilde o impossibilita de seguir esse caminho. Após a morte de seu pai, Arjun muda-se para Mumbai em busca de realizar esse grande sonho.

17h30
Tanu Weds Manu (Dir. Aanand L. Rai, 2011, 119 min, Comédia romântica, 12 anos)
Sinopse: Manoj “Manu” Sharma é um médico indiano que vive em Londres. Ele vai para a Índia em busca de uma noiva para se casar.  Seus pais já selecionaram algumas garotas para ele conhecer e o levam para Kanpur para conhecer Tanuja “Tanu” Trivedi, que não tem intenção alguma de se casar com ele.

20h00
3 idiotas/3 idiots
(Dir. Rajkumar Hirani, 2009, 171 min, Comédia, 12 anos)
Na faculdade, Farhan e Raju formam um grande vínculo com Rancho devido a sua visão positiva e renovadora da vida. Anos mais tarde, uma aposta lhes dá a chance de procurar por seu amigo há muito tempo perdido.

28/06 – Quinta-feira

15h00
O.M.G (Dir. Umesh Shukla, 2012, 130 min, Comédia, Livre)

Kanji Mehta é um ateu que administra uma loja de antiguidades. Para ele, deuses e religião nada mais são do que uma proposta de negócio.  Um belo dia, um leve terremoto sacode a cidade de Mumbai, porém o tremor parece não ter gerado nenhum grande dano, somente a destruição da loja de Kanji.  O seguro não cobre o desastre natural, então Kanji abre um processo contra Deus para que o reembolse.

17h30
Queen (Dir. Vikas Bahl, 2013, 146 min, Comédia Romântica, 12 anos)
Rani é uma jovem de 24 anos que está prestes a se casar. No dia anterior ao casamento, o noivo cancela a festa, deixando Rani e sua família desolados. A moça decide então ir a sua lua de mel sozinha por Londres, onde faz novos amigos e muda sua forma de enxergar o mundo.

20h00
Kahaani (Dir. Vikas Bahl, 2013, 146 min, Drama/Policial, 16 anos)
Um ataque de gás venenoso em um compartimento do Metrô de Kolkata mata os passageiros a bordo. Dois anos depois, Vidya Bagchi, engenheira de software e grávida, chega a Londres em Kolkata durante as festividades de Durga Puja em busca de seu marido desaparecido, Arnab Bagchi.

SERVIÇO

Mostra Cinema Comercial Indiano Contemporâneo
DATA 26 e 28 de junho

HORÁRIO 15h00, 17h30 e 20h00

LOCAL  Auditório MIS (172 lugares)

INGRESSO Gratuito (sujeito à lotação da sala – retirada de ingressos com uma hora de antecedência de cada sessão na Recepção MIS)

Museu da Imagem e do Som – MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 18
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

MIS-SP realiza Maratona Infantil Especial de Fotografia em maio

Aproveitando a exposição Maio Fotografia no MIS-SP, em cartaz até junho, toda a família poderá participar de atividades que envolvem o mundo da fotografia. Outro destaque é a oficina para bebês, sucesso na última edição. A Maratona Infantil acontece no dia 27 de maio, domingo, com entrada gratuita

A edição de maio da Maratona Infantil do MIS-SP – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – é especial para os fãs de fotografia. Em paralelo à exposição Maio Fotografia no MIS-SP, em cartaz até junho, toda a família poderá se divertir e aprender com atividades que celebram o mundo da fotografia. Além disso, a Maratona traz o show “Fera Neném”, uma sessão de cinema com o filme “UP! Nas Alturas”, ponto para doação de brinquedos e alimentos e até um espaço para atividades físicas e brincadeiras. O evento tem entrada gratuita e acontece no dia 27, domingo, das 10h00 às 16h00, em diversos espaços do Museu.

Click

Uma série de oficinas despertará o fascínio pelo mundo da fotografia nos pequenos – e também nos adultos: “Oficina meu porta retratos; Oficina Educativo – Composição dentro do fotograma”; e “Oficina de retrato e disfarce”. Ainda no tema, a contação “Fotografia do Macaco” traz a história de Reginaldo, que está se preparando para ir à escola e precisa levar uma foto. Sua mãe leva-o para tirar essa foto e resolve maquiá-lo para aparecer mais bonito no retrato, mas ele não gosta do resultado e se envolve aventuras divertidas.

Ação!

O “Espaço Kids Competition” será uma área de lazer e brincadeiras, disponível das 10h00 às 16h00, para incentivar a prática de atividades ao ar livre. Localizado na área externa do Museu, será recheado de atividades e brincadeiras de rua que vão agradar pais e filhos, como amarelinha, pula corda, mãe da rua e muitas outras.

Momento Bebê

Sucesso na última edição, a oficina “Despertando um mundo de fantasias através da arte” acontece às 11h00 e é voltada a bebês de seis meses a dois anos. A proposta tem a intenção de aproximar a criança dos familiares, estimulando o cuidado compartilhado e a experimentação de atividades voltadas para a faixa etária. Os monitores preparam brincadeiras sustentáveis ao ar livre, utilizando materiais usados (o descartado é renovado e utilizado novamente) e naturais (como as mais variadas tintas caseiras, com frutas, farinhas, chás e corantes naturais).

Confira, a seguir, a programação completa da Maratona Infantil de Maio

10h00 às 16h00 | Ponto para doação de brinquedos e alimentos | Área externa | Livre

10h00 às 16h00 | Espaço Kids Competition | Área externa| Livre | 3+

11h00 às 14h00 | Oficina para bebês | Área externa | 20 vagas | 6 meses a 2 anos

10h00 | Oficina de Games Happy Code | Foyer auditório MIS | 12 vagas | 5+

11h00 | Oficina Educativo Composição dentro do fotograma | Sala de interfaces      | 20 vagas | 6+

11h00 | Oficina meu porta retratos | Tenda área externa | 25 vagas | 3+

11h00 | Oficina de retrato e Disfarce PUCA | Foyer de entrada | 20 vagas | 3+

11h15 | Oficina de Games Happy Code | Foyer auditório MIS | 12 vagas | 5+

12h00 | Contação FOTOGRAFIA DO MACACO Cia Lira dos Anjos | Auditório LABMIS | 64 vagas | livre

12h00 | Oficina meu porta retratos | Tenda área externa | 25 anos | 3+

12h00 | Oficina de retrato e Disfarce PUCA | Foyer de entrada | 20 vagas | 3+

12h15 | Oficina de Games Happy Code | Foyer auditório MIS | 12 vagas | 5+

13h00 | Filme – UP! Altas Aventuras | Auditório MIS – 172 pessoas | Livre

13h00 | Oficina Educativo – Composição dentro do fotograma | Sala de interfaces | 20 vagas | 6+

14h00 | Oficina Educativo – Composição dentro do fotograma | Sala de interfaces | 20 vagas | 6+

14h00 | Oficina de Games Happy Code | Foyer auditório MIS | 12 vagas | 5+

14h00 | Oficina meu porta retratos | Tenda área externa | 25 vagas | 3+

14h00 | Oficina de retrato e Disfarce PUCA | Foyer de entrada | 20 vagas | 3+

15h00 | Oficina Educativo – Composição dentro do fotograma | Sala de interfaces | 20 vagas | 6+

15h00 | Contação FOTOGRAFIA DO MACACO Cia Lira dos Anjos | Auditório LABMIS | 64 vagas | livre

15h00 | Oficina meu porta retratos | Tenda área externa | 25 vagas | 3+

15h15 | Oficina de Games Happy Code | Foyer auditório MIS | 12 vagas | 5+

16h00 | Show Fera Neném | Área Externa | Livre

SERVIÇO

MARATONA INFANTIL | MAIO

DATA: 27.05, domingo

HORÁRIO: 10h às 17h

LOCAL: Área externa do MIS, Auditório LABMIS (66 lugares), Auditório MIS (172 lugares), foyer MIS,  sala de interfaces e educativo

INGRESSO: Gratuito (algumas atividades exigem retirada de ingressos com uma hora de antecedência na bilheteria)

CLASSIFICAÇÃO: livre

Morumbi Town Shopping sedia mostra do Museu Catavento


A partir do dia 07 de julho, sábado, o Morumbi Town Shopping, um empreendimento Gazit Brasil, sediará a mostra gratuita “Catavento no Shopping”, do Museu Catavento – museu de ciências da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. A exposição ficará em cartaz até o dia 29 de julho.

As instalações da exposição reúnem experimentos de física, química, biologia e astronomia, visando sempre aproximar crianças, jovens e adultos do mundo científico, despertando a curiosidade e propiciando interação com a ciência de maneira divertida. Será possível, por exemplo, arrepiar os cabelos em uma das atrações preferidas do Catavento, o “Gerador de Van de Graaff”; gerar energia em uma bicicleta com simples pedaladas; descobrir porque a água e o óleo não se misturam; sentar-se num banco feito de pregos sem se machucar; conhecer um ecossistema mantido em um garrafão lacrado; e até circular por uma pista utilizando um óculos que simula o efeito visual da embriaguez tentando não derrubar os obstáculos.

A exposição será montada na praça de eventos do Shopping, no piso térreo. A participação é indicada para qualquer idade, crianças até 12 anos devem estar acompanhadas pelos pais. A atração é uma mostra do que pode ser visto em uma visita ao Museu Catavento, localizado no centro de São Paulo, próximo ao Mercadão.

SERVIÇO

Catavento no Shopping – Museu de Ciências

Gratuito – indicado para qualquer idade

Capacidade: 30 pessoas por vez

Data: 07/07 a 29/07/2018

Horário: Segunda a sexta, e domingos – das 12h00 às 20h00

Sábados e feriados – das 12h00 às 22h00

Local: Morumbi Town Shopping – Av Giovanni Gronchi, 5.930 – Vila Andrade, Zona Sul de São Paulo/SP.

 

Sobre o Museu Catavento: o Museu Catavento foi inaugurado em março de 2009 e tem mais de 250 instalações divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade). Cada seção foi elaborada com iluminação e sons diferentes, que contribuem para criar atmosferas únicas e envolventes. Atrações como borboletário, sala de realidade virtual Dinos do Brasil, simuladores, aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escaladas, onde é possível ouvir histórias de personalidades da história, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo. Na área externa também é possível conferir equipamentos como a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

Sobre o Morumbi Town Shopping: uma cidade de experiências. Com um conceito diferenciado, o Morumbi Town Shopping oferece um mundo de possibilidades que envolve toda a família, integrando inovação, entretenimento, diversão, conveniência, gastronomia e compras de forma única para todos os momentos.

O empreendimento possui marcas renomadas, de diversos segmentos e conta com grandes nomes, como as flagships da segunda unidade do hipermercado Zaffari – rede do Sul e uma das maiores do país, Panvel – importante rede de farmácias -, além da Tstore Tramontina – Tok&Stok com mais de 3.000m. Escola de Dança Anacã – com Teatro integrado, Urban Motion – Parque de Trampolins com mais de 300 m², Air Soft, MundoMaker, uma oficina de aprendizagem criativa que mescla tecnologias digitais com marcenaria e mão na massa, Bio Ritmo, com conceito inovador de seis academias em uma, Cinesystem – o Cinema mais moderno da América Latina que conta com tecnologia de ponta e o inovador sistema de autoatendimento e Paris 6, um dos restaurantes mais famosos do Brasil.

O Morumbi Town Shopping fica localizado na Av. Giovanni Gronchi, 5930 – Vila Andrade, Zona Sul de São Paulo/SP.

Mostra com esculturas de “Maria, mãe” entra em cartaz no Estação Cultura

Exposição de Bel Miller expõe imagens de Nossa Senhora Aparecida feitas em gesso e estará no espaço de 20 de junho a 20 de julho

O Estação Cultura, espaço expositivo aberto ao público localizado no Complexo Cultural Julio Prestes, recebe a partir de 20 de junho, a exposição “Maria, mãe”, composta por 20 esculturas de gesso com a imagem de Maria elaboradas pela artista Bel Miller. A mostra vai até 20 de julho e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 17h00, e a entrada é gratuita.

De acordo com a artista, “Maria, mãe” busca despertar emoções e referências no espectador por meio da imagem de Maria e sua presença como mãe. “Essa exposição foi um processo de produção artístico-criativo complicado, mas muito gratificante”. Todas as esculturas possuem o mesmo formato e tamanho (38x22cm). A artista utiliza técnicas como desenhos, pintura e colagem.

Bel Miller nasceu em Porto Alegre e se mudou para São Paulo em 1988, onde cursou Artes Plásticas e História da Arte, na Escola Panamericana de Artes. Encontrou sua linguagem artística em meio a tesouras e papéis e não parou mais de criar. Suas obras focam no universo feminino e as esculturas, telas e objetos apresentam histórias únicas. Bel participou de mostras nacionais e internacionais, em cidades como Miami, Nova York, Paris, Brasília e São Paulo.

Estação Cultura

Inaugurado em outubro de 2017, o Estação Cultura é um espaço expositivo dentro do Complexo Cultural Júlio Prestes, destinado a promoção de mostras, intervenções artísticas e eventos gratuitos sobre arte, cultura e patrimônio.

SERVIÇO

Exposição “Maria, mãe” 

Local: Estação Cultura -(Complexo Cultural Júlio Prestes)

Endereço: Rua Mauá, 51 – Luz – São Paulo/SP

Abertura: 20 de junho, das 19h00 às 22h00

Período da exposição: de 21 de junho a 20 de julho de 2018

Horário: de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 17h00

Telefone: (11) 3339-8261

Entrada gratuita

Mostra itinerante do Museu da Língua Portuguesa chega a Taubaté

Após o sucesso de público em Tatuí, Santos e Rio Claro, a exposição “Estação da Língua Portuguesa” faz sua quarta parada no Museu Monteiro Lobato, onde fica em cartaz de 5 de julho a 5 de agosto; a entrada é gratuita

Após atingir a marca de mais de 24 mil visitantes nas primeiras paradas (Tatuí, Santos e Rio Claro), a mostra itinerante “Estação da Língua Portuguesa”, que apresenta acervos do Museu da Língua Portuguesa (atualmente em reconstrução), segue viagem pelo estado e chega em Taubaté. A exposição ficará em cartaz de 5 de julho a 5 de agosto, no Museu Histórico, Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato (Avenida Monteiro Lobato, s/no – Chácara do Visconde).

“A itinerância desta exposição permite que um público ainda maior viva a experiência do Museu da Língua Portuguesa e conheça um pouco mais do idioma português, um patrimônio riquíssimo e em constante transformação”, declara o Secretário da Cultura do Estado, Romildo Campello. O Totem, com painéis que apresentam uma prévia do conteúdo da mostra, o segmento O que nos une e o espaço Mundo Lusófono foram especialmente pensados e produzidos para essa itinerância. A mostra também conta com acessibilidade: o Mapa do Mundo possui informações sobre os países que falam português em Braille; os Vídeos Culinária e Dança têm tradução em Libras; e a Linha do Tempo e os Falares Paulistas podem ser traduzidos em Libras com o auxílio de tablets.

“O visitante da mostra viaja na história e curiosidades da língua portuguesa com a companhia da tecnologia, interatividade, som e imagem”, explica o arquiteto e sócio da Arquiprom, Fernando Arouca.

A exposição gratuita, que será aberta para convidados no dia 4 de julho às 19h00, ficará em cartaz até 5 de agosto, de terça a domingo, das 9h00 às 17h00. Depois de passar por Taubaté, a mostra “Estação da Língua Portuguesa” desembarcará em Bauru. Presidente Prudente e São Carlos também estão no roteiro em 2018.

A realização é do Ministério da Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, e da Arquiprom, proponente e produtora do projeto. O patrocínio máster é da Sabesp. Instituto CCR, Vivo, EDENRED Brasil e Ticket marca do Grupo, também patrocinam a iniciativa, todos por meio da Lei Rouanet. O apoio na quarta cidade da itinerância é da Prefeitura de Taubaté.

A Estação da Língua Portuguesa

A itinerância traz na bagagem conteúdos inéditos, que conversam com a museologia contemporânea e com a rica expografia de sons e imagens do Museu da Língua Portuguesa, instituição que apresenta a Língua Portuguesa como patrimônio imaterial, viva e dinâmica, além de conteúdos já conhecidos pelo público.

Na área externa, a Torre Estação da Língua Portuguesa dá boas-vindas aos visitantes. Em As Origens, uma instalação cenográfica remete à ideia de estação ferroviária e de viagem de trem. Versos de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade e Arnaldo Antunes, iluminados com LED em um painel metálico, convidam o público a entrar na exposição.

A viagem do idioma começa com um vídeo animação que mostra a formação da língua portuguesa e as rotas marítimas dos portugueses, que levaram o idioma para outras terras. Animação, narração e trilha sonora foram criadas especialmente para a mostra Estação da Língua Portuguesa.

O vídeo Sotaques, com texto “O paraíso são os outros”, de Valter Hugo Mãe, realizado pela Porto Editora e Miguel Gonçalves Mendes, com diferentes sotaques da língua portuguesa no mundo, abre o módulo O que nos une – ala composta por um painel interativo giratório, que apresenta dados dos países que fazem parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

O Desembarque reproduz a Linha do Tempo do Museu da Língua Portuguesa com a construção do idioma no Brasil, desde a chegada dos portugueses e o primeiro contato com as línguas indígenas, até os dias de hoje. Essa parte da viagem está atualizada com mais uma década em que relembra o novo acordo ortográfico e destaca novas palavras e expressões que surgiram com a influência da internet e das redes sociais.

Na ala Os trilhos, três monitores touchscreen mostram palavras que vieram de outros povos e foram incorporadas ao português brasileiro. Espaço Lusófono, especialmente dedicado aos professores, é composto pelo vídeo “Raiz Lusa”, no qual especialistas falam sobre a construção da Língua Portuguesa.

O módulo Falares Paulista mostra em uma montagem lúdica um diálogo hipotético e poético entre pessoas com sotaques característicos de cinco cidades paulistas. Trechos de 12 poemas são projetados e os versos ganham vida em um trabalho gráfico desenvolvido especialmente para a mostra.

Vídeos que compõem o acervo da Grande Galeria do Museu da Língua Portuguesa são apresentados no módulo O Mundo da Língua. Nele, o visitante termina sua viagem assistindo aos vídeos “Culinária” e “Danças”, que mostram a relação entre língua e cultura.

Toda a estrutura da exposição é transportada de uma cidade a outra em caminhões, pois a Estação da Língua Portuguesa foi projetada de maneira que possa ser desmontada e novamente aberta ao público em outro município em até sete dias.

Museu em reconstrução – Em dez anos de funcionamento, o Museu da Língua Portuguesa recebeu cerca de quatro milhões de visitantes (319 mil destes em ações educativas). Primeiro do mundo totalmente dedicado a um idioma, trouxe ao país um novo conceito museográfico, que alia tecnologia e educação. Com uma narrativa audiovisual e ambientes imersivos, permitiu aos visitantes descobrir novos aspectos do idioma, elemento fundador da cultura do país.

O Museu foi atingido por um incêndio em dezembro de 2015 e atualmente está em reconstrução. A obra está dividida em três etapas: o restauro das fachadas (concluída) e da reconstrução da cobertura do edifício, o restauro dos pátios e torreões (iniciada em setembro de 2017, agora em andamento), a obra do interior do prédio. Por último, terá início a instalação da museografia. A previsão de reabertura é 2019.

O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, patrocinadores Grupo Globo, Grupo Itaú e Sabesp e apoio do Governo Federal, por meio da lei federal de incentivo à cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu.

Site: museudalinguaportuguesa.org.br

Redes Sociais: museudalinguaportuguesa

SERVIÇO

Estação da Língua Portuguesa em Taubaté

Data: de 5 julho a 5 de agosto

Horário: terça a domingo, das 9h00 às 17h00

Local: Museu Histórico, Folclórico e Pedagógico Monteiro Lobato

Avenida Monteiro Lobato, s/no – Chácara do Visconde – Taubaté | SP

Entrada gratuita

Agendamento (de terça a sexta, das 9h00 às 12h00)

Telefone: (12) 3625-5062

e-mail: mlobato.agendamento@gmail.com.

Mundial de futebol: atividades na Oficina Cultural Oswald de Andrade aproximam o esporte e o teatro

Dois dias antes do início do campeonato, as atividades mostram a presença do futebol em peças de autores como Nelson Rodrigues e Plínio Marcos

Crédito: Divulgação

É possível relacionar futebol e teatro? Com a chegada do mundial de futebol na Rússia, a Oficina Cultural Oswald de Andrade – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis – realiza o Bola em Cena, evento composto pela oficina Lendo o jogo e a palestra Bola em cena com Renata Pallotini e Graça Berman. As atividades serão no mês de junho e as inscrições são gratuitas.

Quais são as possibilidades de diálogo cênico e literário com o futebol, elemento fundamental da cultura brasileira? Descubra na conversa Bola em Cena, que será no dia 12 de junho, terça-feira, às 19h30, com Renata Pallottini e Graça Berman. A atividade mostra as semelhanças entre teatro e futebol, a presença do tema em peças teatrais de autores como Oduvaldo Vianna Filho, Nelson Rodrigues e Plínio Marcos, além de exibir as três montagens já realizadas pela Cia. Letras em Cena.

A partir de textos literários que tenham o futebol como tema, os participantes da oficina Lendo o jogo criam uma cena dramática, ficcional ou informativa, que envolva teatro e futebol. Mário de Andrade, Carlos Drummond de Andrade e Nelson Rodrigues são alguns dos escritores estudados nos encontros que serão ministrados por Graça Berman de 14 de junho a 19 de julho, terças e quintas-feiras, às 18h30.

SOBRE AS PARTICIPANTES

Graça Berman é atriz, dramaturga, professora e diretora. Estudou no Centro de Pesquisa Teatral, coordenado por Antunes Filho. Em dezembro de 2017 obteve o título de mestre na UNESP defendendo a dissertação Uma troca de passes entre teatro e futebol: reflexões sobre os dois espetáculos.

Renata Pallottini é escritora, dramaturga, roteirista e professora. Estudou Direito (USP-SP), Filosofia (PUC-SP) e Artes Cênicas (USP-SP).

SOBRE A OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE

A Oficina Cultural Oswald de Andrade realiza atividades na formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e no formato de oficinas, workshops, núcleos de estudos, seminários, residências artísticas, intercâmbios, apresentações cênicas, exposições, entre outros. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social POIESIS.

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Bola em cena

12/6. Terça-feira, 19h30 às 21h30

Inscrições gratuitas: https://bit.ly/2IkZtDG

Recomendação etária: 16 anos

Lendo o jogo

14/6 a 19/7. Terça e quinta-feira, 18h30 às 21h30

Inscrições gratuitas: https://bit.ly/2IS9lta

Recomendação etária: 16 anos.

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo

Telefone: (11) 3221-4704

Funcionamento: Segunda a sexta das 9h00 às 22h00 e aos sábados das 10h00 às 18h00.

oswalddeandrade@oficinasculturais.org.br

www.oficinasculturais.org.br 

Museu Afro Brasil celebra o Mês da Consciência Negra com nova exposição, música e teatro

Entre os destaques da programação está a mostra “Marcelo D´Salete – A história negra em quadrinhos”, com obras do premiado artista paulistano

Com uma programação que reúne abertura de exposição e apresentações gratuitas de espetáculos de música e teatro, o mês da consciência negra será celebrado em grande estilo pelo Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerida pela Associação Museu Afro Brasil – organização social de cultura.

No Dia da Consciência Negra (20), às 11h acontece a abertura da exposição Marcelo D´Salete – A história negra em quadrinhos. No mesmo dia, às 13h, o artista fala sobre sua carreira e produção artística no projeto Negras Palavras: Encontro Marcado, no auditório Ruth de Souza.

Quadrinista, ilustrador e professor, D´Salete, que recentemente conquistou a edição 2018 do prestigiado Eisner Awards, de melhor edição americana para uma publicação estrangeira – premiação obtida pela HQ Cumbe (2014) – livro que narra a resistência negra no Brasil colonial, apresenta em sua primeira exposição individual 40 pranchas originais dos desenhos produzidos para os livros Angola Janga (2017) e Cumbe.

Resultados de longa pesquisa – Angola Janga, por exemplo, consumiu 11 anos entre estudos e criação artística – ambas as publicações dialogam fortemente com a história de resistência à escravidão no Brasil pela ótica dos povos negros. “Os dramas dos quadrinhos de Marcelo d´Salete apresentam personagens e contextos resvalando ou mergulhando nas palhas da loucura, da doença, da paixão, da obsessão machista e das contradições dos envolvimentos afetivos e sexuais com brancos; gente bailando no passo de uma ética possível em ambiente escravista, tropicando nas tramas da revolta e se aprumando na coluna da vingança”, ressalta o escritor Allan da Rosa.

Marcelo D´Salete – A história negra em quadrinhos exibe ainda exemplares das edições estrangeiras de Cumbe, publicado em Portugal, Estados Unidos, França, Itália e Áustria. Também serão expostos os troféus Eisner Awards 2018, Prêmio Grampo 2018, HQMIX 2018 e o Jabuti 2018 (categoria História em Quadrinhos), estes três últimos conquistados pelo trabalho desenvolvido em Angola Janga.

Ainda no dia 20, às 12 horas, o Museu Afro Brasil promove a apresentação do coletivo Baque Atitude, grupo de Maracatu de Baque Virado, fundado em 2010, no Jardim Ibirapuera, extremo sul de São Paulo, e composto majoritariamente por jovens negros.

Primeiro coletivo a participar do Programa de Extensão e Rede do Museu Afro Brasil, o grupo apresentará ao público o resultado do período de dois meses de imersão que tiveram no acervo do museu, quando foram acompanhados por uma equipe de profissionais que aprofundou o conhecimento do grupo sobre questões relacionadas a área central de investigação: a cultura popular e suas manifestações.

  • 04/11 – MÚSICA / Rádio Diáspora e Bá Kimbuta

No domingo (04), às 16h, o Museu Afro Brasil apresenta o show do duo Rádio Diáspora e Bá Kimbuta. Formado pelos músicos Rômulo Alexis e Wagner Ramos, o Rádio Diáspora é um duo de música experimental que transita pelo fee jazz e que faz livre uso da improvisação com utilização de recursos eletrônicos e digitais. No show, eles dividem o palco com o veterano rapper Bá Kimbuta, em apresentação “contra a discriminação praticada ao povo negro”. A apresentação é gratuita.

  • 10/11 – TEATRO / Baquaqua – Dramático Extraordinário

No sábado (10), às 16h, a Cia. do Pássaro – Voo e Teatro apresenta no auditório Ruth de Souza, no Museu Afro Brasil, o espetáculo “Baquaqua – Dramático Extraordinário”, peça inspirada na história de Mahommah Gardo Baquaqua, autor da única autobiografia conhecida de um africano escravizado no Brasil e publicada há mais de 160 anos. A apresentação é gratuita.

  • 24/11 – MUSICAL / Canto de Carolina – Pastoras do Rosário

Encerrando a programação especial do Mês da Consciência Negra, o Museu Afro Brasil recebe no dia 24 de novembro, às 1130h, o espetáculo musical Canto de Carolina – Pastoras do Rosário. Composto somente por mulheres, em sua maioria sexagenárias, as Pastoras do Rosário, grupo formado na Igreja do Rosário dos Homens Pretos da Penha de França, trazem para cena o desejo antigo de cantar e existir na essência, sendo protagonistas das suas próprias histórias. Com direção de Renato Gama, o espetáculo, que musicalmente tem influência das congadas, moçambiques e sambas de roda, apresenta um repertório composto especialmente de releituras de Carolina Maria de Jesus. A atividade é gratuita.

  • 24/11 – CINEMA / Bate papo com o diretor Luiz Antônio Pliar e exibição do documentário “Candeia”

Ainda dentro da programação do Mês da Consciência Negra, o Museu Afro Brasil promove no próximo dia 24 de novembro, às 15h, um bate papo com diretor, ator e pesquisador carioca Luiz Antônio Pliar. No mesmo dia, às 16h, será exibido o documentário “Candeia” (2018), dirigido por Pilar. Com depoimentos de grandes nomes do samba como Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Paulinho da Viola e Arlindo Cruz, o documentário relata a vida do grande compositor de diversas músicas de sucesso e conhecido como um dos maiores sambistas brasileiros de todos os tempos. A atividade é gratuita.

  • 29/11 – CONFERÊNCIA INTERNACIONAL / Feminismo Negro e Interseccionalidade com Patricia Collins

O Museu Afro Brasil em parceria com o Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial da Defensoria Pública do Estado de São Paulo promovem no próximo dia 29 de novembro, às 15h, no auditório Ruth de Souza, no Museu Afro Brasil a Conferência Internacional “Feminismo negro e interseccionalidade”. A atividade discute os desafios para a luta das mulheres negras nos EUA e no Brasil contemporâneos”, com a participação das professoras Patrícia Hill Collins, do departamento de Sociologia da Universidade de Maryland (EUA), Ísis Aparecida Conceição (UNILAB/UFBA) e Eunice Prudente (USP). A atividade é gratuita.

SERVIÇO

• Programação Mês da Consciência Negra no Museu Afro Brasil

Dia 04 de Novembro de 2018 

– 16h00: Show Radio Diaspora e Bá Kimbuta

Atividade Gratuita

Dia 10 de Novembro de 2018 

– 16h00: Espetáculo Baquaqua – Dramático Extraordinário, com a Cia. do Pássaro – Voo e Teatro

Atividade Gratuita

Dia 20 de Novembro de 2018 

– 11h00: Abertura da exposição “Marcelo D´Salete – A história negra em quadrinhos”.

– 13h00: Projeto “Negras Palavras: Encontro Marcado”, conversa com o artista Marcelo D´Salete

– 12h00: Apresentação musical de maracatu com o grupo Baque Atitude

Atividade Gratuita

Dia 24 de Novembro de 2018 

– 11h30: Apresentação do musical Canto de Carolina – Pastoras do Rosário

– 15h: Bate papo com o diretor de cinema Luiz Antônio Pliar

– 16h: Exibição do documentário “Candeia” (2018)

Atividade Gratuita

Dia 29 de Novembro de 2018 

– 15h: Conferência Internacional “Feminismo negro e interseccionalidade”.

Atividade Gratuita

#consciencianegra #novembro #zumbidospalmares #exposicao #quadrinhos #hq #marcelodsalete #cumbe #angolajanga #baqueatitude #radiodiaspora #bakimbuta #rap #hiphop #freejazz #mab14anos #‎mab #‎museuafrobrasil #‎culturabrasileira #‎arte #‎culturasp #‎museu #‎saopaulo #‎sp #‎Ibirapuera #‎parqueibirapuera

Museu Afro Brasil recebe exposição “Sertão Expandido”, do artista Kboco

Conhecido por sua relação com o graffiti, artista goiano apresenta em SP obras tridimensionais que dialogam com assemblages e o acervo da instituição

O Museu Afro Brasil, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, em parceria com a Associação Museu Afro Brasil – organização social de cultura, inaugura no próximo dia 23 de junho, às 11h00, a exposição “Sertão Expandido”, do artista plástico goiano Kboco. Com curadoria de Maria Hirszman, a mostra reúne cerca de dez trabalhos inéditos entre pinturas, desenhos, assemblages e intervenções em site specific.

“Não se trata de uma mera filiação à instalação como forma expressiva, mas de uma intencionalidade clara de fusão entre as questões pictóricas, com a necessidade de se expandir para além do espaço bidimensional, incorporando elementos da paisagem e usando a arquitetura como estopim e suporte para ações transformadoras do espaço social”, afirma Hirszman.

“Sertão Expandido” encerra um hiato de cinco anos desde a última exposição do artista, e apresenta o resultado da transição que o levou de volta ao seu estado de origem, Goiás, onde nasceu em 1978, após morar em cidades como Porto Alegre, Olinda e São Paulo.

A decisão do artista em instalar seu estúdio no município de Cavalcante, no coração da Chapada dos Veadeiros, nas palavras do próprio Kboco, “carrega em si a busca pela arte enquanto produção de conhecimento e não apenas como produção mercadológica. O aprofundamento que essa mudança gera diz respeito ao sertão enquanto possibilidade de aperfeiçoamento e expansão da linguagem”.

Entre os destaques da mostra estão as assemblages – colagens feitas em pedaços de madeira encontradas nas andanças do artista. “Essas obras são feitas com madeiras que eu recolho ao acaso e que cruzam meu caminho numa espécie de arqueologia do cotidiano, então eu as ajeito no meu estúdio já com uma certa diagramação, mas a montagem final da obra acontece no próprio museu”.

“Sertão Expandido” é resultado do projeto de fomento à arte pelo Fundo de Cultura de Goiás, e contará com catálogo e vídeo do processo criativo do artista.

Emanoel Araujo, diretor-curador do Museu Afro Brasil, comenta: “Kboco é o barroco do grafismo. Tão barroco que às suas figuras e ao seu emaranhado de grafismos ele ainda acrescenta pequenas formas de folha de ouro, e tudo isso reluzindo de um requintado lavis e de uma requintada transparência. Por certo, Kboco se inspira nas volutas de grades de ferro ou na superposição de um laboratório de tubos de cristal imaginário”.

SERVIÇO
Exposição “Sertão Expandido”.
Abertura: 23 de junho de 2018, às 11h00
Período de exposição: até 26 de agosto de 2018

#‎mab #‎museuafrobrasil #‎culturabrasileira #‎arte #‎culturasp #‎museu #‎saopaulo #‎sp #‎Ibirapuera #‎parqueibirapuera #Mab13anos #artebrasileira #sertaoexpandido #kboco

Museu Afro Brasil
Av. Pedro Álvares Cabral, s/n
Parque Ibirapuera – Portão 10
São Paulo / SP – 04094 050
Fone: 55 11 3320-8900
www.museuafrobrasil.org.br
Entrada R$ 6,00 | Meia entrada R$ 3,00 | Gratuito aos sábados

Museu da Casa Brasileira abre inscrições para o 32º Prêmio Design no dia 20 de junho

Os interessados poderão se inscrever até 08 de agosto pelo site www.mcb.org.br

O Prêmio Design MCB, realizado pelo Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria de Cultura, gerido em parceria pelo Governo do Estado de São Paulo e a Sociedade Civil através da A CASA Museu do Objeto Brasileiro, abre as inscrições para a sua 32ª edição no dia 20 de junho. Os interessados em concorrer em uma das categorias – Construção, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis, Transportes, Utensílios e Trabalhos Escritos – podem se inscrever até o dia 08 de agosto pelo site do MCB.

A premiação, realizada desde 1986, tem como objetivo valorizar a atuação dos profissionais do design junto à indústria brasileira, incorporando uma ampla gama de ações no campo de atuação desse segmento, além de revelar diversos talentos por todo o país e consagrar profissionais e empresas.

Para avaliar os trabalhos, o Prêmio Design conta com duas comissões julgadoras. Na categoria de Produtos, este ano a coordenação será por Levi Girardi, designer formado pela FAAP-SP, CEO e sócio fundador do estúdio de design e inovação Questtonó, com sedes em São Paulo, Rio de Janeiro e Nova York. Além disso, a comissão conta com mais 16 jurados renomados que atuam no ramo acadêmico e no mercado.

A avaliação das categorias de produtos (Construção, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis, Transportes e Utensílios) será feita em duas fases. Na primeira, os concorrentes enviam pelo sistema de inscrição as imagens dos projetos, memorial descritivo e detalhamento técnico; aqueles selecionados pela comissão julgadora deverão entregar para a segunda fase um exemplar físico para avaliação.

Já na categoria de Trabalhos Escritos, cujo tema central deve estar ligado ao campo do design, pelo segundo ano consecutivo, a coordenadora será Cibele Haddad Taralli, graduada e com mestrado e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela FAU USP (1974, 1984 e 1993, respectivamente). Atualmente, é professora da USP nos cursos de graduação em Arquitetura e em Design e no curso de Pós-graduação em Design. A comissão conta com mais 30 jurados especialistas no assunto.

Os Trabalhos Escritos serão avaliados em uma fase. Após a leitura criteriosa de cada um deles, os jurados se reúnem para a discussão e avaliação final. A modalidade de Trabalhos Escritos Publicados avalia livros que já tenham sido publicados por editoras ou pela imprensa brasileira. Já na modalidade Trabalhos Escritos Não Publicados serão avaliados trabalhos de pós-graduação (monografias, dissertações, teses) não publicados por editoras.

Inscrições
O regulamento está disponível no site do MCB e as inscrições devem ser feitas a partir do dia 20 de junho, também pelo site. Cada participante pode concorrer em quantas categorias desejar, com diferentes trabalhos, e a autoria dos projetos pode ser individual ou em grupo de até 15 pessoas. A taxa de inscrição é R$ 87,00 com desconto de 50% para estudantes e de 20% para associados da ADP, ABD, ABEDESIGN, assinantes da Revista L+D e leitores da Revista abcDesign.

Resultado e premiação
O resultado do concurso será divulgado dia 23 de outubro. O primeiro lugar de cada categoria de Produtos e de Trabalhos Escritos Publicados será premiado com o valor bruto de R$ 6 mil e os vencedores nas modalidades de Protótipo e de Trabalhos Não Publicados receberão o valor bruto de R$ 2 mil.

Além dos vencedores, premiados e menções honrosas, também participarão da exposição do 32º Prêmio Design MCB outros trabalhos selecionados pelo júri, além do cartaz vencedor do Concurso do Cartaz, os destaques e os selecionados no concurso realizado em maio de 2018. A exposição tem abertura dia 10 de novembro de 2018, com visitação até 27 de janeiro de 2019, e contará também com um encontro especial com os jurados.

Concurso do Cartaz
O Concurso do Cartaz para a 32ª edição do Prêmio Design MCB recebeu neste ano 424 inscrições, com participantes de 15 estados, e teve como vencedora a peça do designer Celso Hartkopf Lopes Filho, de Recife (PE), que demonstra uma forte identidade cultural, representada em composição cromática, por meio da gestualidade e do uso de objetos de caráter popular.

O cartaz, que é a inspiração de toda a identidade visual da edição de 2018, foi escolhido pela comissão julgadora coordenada pelo fotógrafo e designer Gal Oppido e composta por Flávia Nalon e Chico Homem de Melo, que possuem vasta experiência em projetos gráficos, e pelos artistas urbanos Luís Bueno e Gabriel Ribeiro. Para a seleção, o júri considerou a criatividade e a expressão do cartaz enquanto artifício de divulgação, não somente enquanto peça.

Além disso, a mostra do Concurso do Cartaz acontecerá em novembro, junto com a exposição do 32ª Prêmio Design MCB, e contará com a participação do público em votação popular. Os visitantes da exposição receberão uma cédula para votar no cartaz favorito.

SERVIÇO

32º Prêmio Design MCB

Inscrições: 20 de junho a 08 de agosto pelo site www.mcb.org.br

Taxa de inscrição: R$ 87. Desconto de 50% para estudantes e 20% para parceiros.

Resultado: pelo site www.mcb.org.br

Realização: MCB

Apoio: Revista abcDesign, ABD, ABEDESIGN, ADP, Arco, Revista L+D, Paralela, Revista Projeto, Senac SP e Revista 29HORAS.

Sobre o Prêmio Design MCB

O Prêmio Design MCB é realizado desde 1986 pelo Museu da Casa Brasileira. A premiação revela talentos e consagra profissionais e empresas. O Prêmio é dividido em dois momentos principais: o Concurso do Cartaz e, em seguida, a premiação dos produtos e trabalhos escritos. Entre junho e agosto, o MCB recebe criações (protótipos ou em produção) nas categorias: Construção, Transporte, Eletroeletrônicos, Iluminação, Mobiliário, Têxteis, Utensílios e Trabalhos Escritos. Os inscritos são analisados por duas comissões julgadoras independentes, uma para as categorias de Produto e outra para Trabalhos Escritos. Por fim, são escolhidos os premiados, divididos entre 1º, 2º e 3º lugares e menções honrosas, além dos selecionados que também compõe a exposição. Como resultado do Prêmio Design MCB, o Museu realiza uma mostra com os vencedores e selecionados de cada categoria da edição, que fica em cartaz por cerca de dois meses.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações, contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

 VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada

Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Museu da Casa Brasileira apresenta ‘balanço do samba’ em homenagem ao Dia da Consciência Negra

A apresentação será no dia 18 de novembro, domingo, às 11h; entrada gratuita

Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado gerida pela Sociedade Civil por meio de A Casa Museu de Artes e Artefatos Brasileiros, apresenta o show “O balanço do samba”, do grupo Magno Bissoli Quarteto, em 18 de novembro, domingo, às 11h, com entrada gratuita. Na ocasião, o músico também lançará a terceira edição da partitura de seu método para bateria que tem o propósito de auxiliar e incentivar a prática deste gênero musical.

Serão executadas canções de renomados compositores como Paulinho da Viola, Ismael Silva, Heitor dos Prazeres, Cartola, Johnny Alf, Djavan, entre outros, e, dessa forma, será retratada – resumidamente – a história do samba. A apresentação será realizada por Fábio Leandro (piano), Gibson Freitas (contrabaixo), Marim Meira (trombone) e Magno Bissoli (bateria).

Com quatro décadas de carreira, Magno trabalha desde concertos solo a performances com orquestra sinfônica, o que resulta numa discografia com 20 títulos. Em 1981, formou seu primeiro quinteto na Dinamarca e até 2008 desenvolveu atividades com instituições ligadas ao Ministério da Cultura dinamarquês. Trabalhou com Bibi Ferreira e apresentou-se com Os Originais do Samba, Doris Monteiro, Wilson Simonal, Moacir Santos e o grupo norte americano Manhattan Transfer.

Em 2012, a Editora Unesp publicou seu livro “Samba e Identidade Nacional – das origens à era Vargas”, resultante de sua tese de doutorado em História. Além disso, é percussionista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo e realiza um trabalho autoral com seu quinteto e com Ensemble Bissamblazz.

Sobre o projeto Música no MCB

Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que acontecem em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

Sobre o MCB
O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO:

Música no MCB – 19ª temporada

NOVEMBRO

18/11 Magno Bissoli Quarteto

DEZEMBRO

09/12 Orquestra Pinheiros e Coral

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Entrada gratuita

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Museu da Casa Brasileira inaugura exposição Tipos Latinos – 8ª Bienal de Tipografia Latino-Americana

Abertura da mostra, que apresenta 73 trabalhos, acontece no dia 23 de junho, sábado, às 14h00, com palestra e impressão de cartazes

Abertura: 23 de junho, sábado, às 14h00 – entrada gratuita

Visitação até 26 de agosto

 No dia 23 de junho, sábado, às 14h00, o Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria de Cultura do Estado, gerida pela Organização Social A CASA museu do objeto brasileiro, inaugura a exposição Tipos Latinos – 8ª Bienal de Tipografia Latino-Americana, com entrada gratuita.

A abertura contará com as palestras “A Tipografia corporativa no projeto LATAM”, de Daniel Sabino (designer de tipos da Blackletra), e “Gerente Criativo/Interbrand”, de Gil Botari (gerente criativo da Interbrand). Os representantes do Comitê Tipos Latinos, Ricardo Esteves, coordenador técnico, e Andrea Kulpas, designer gráfico com especialização em tipografia, apresentarão um panorama dos inscritos desta edição. Haverá ainda uma homenagem ao designer Alexandre Wollner, que faria 90 anos em 2018. O público também poderá acompanhar a produção de cartazes com a técnica de impressão tipográfica – pressão de tipos metálicos móveis sobre papel – que serão distribuídos aos visitantes.

A iniciativa, que tem o Brasil como cofundador, surgiu em 2004 e acontece simultaneamente em 14 países da América Latina – Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, Guatemala, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. A cada dois anos, a Tipos Latinos recebe inscrições de trabalhos relacionados à tipografia e seleciona as novidades do mercado. A mostra itinerante percorre diversas cidades em cada um dos países participantes e apresenta ao público o que de mais importante está acontecendo no universo tipográfico latino-americano. No Brasil, estreou em Goiânia, no dia 16 de maio, e deve percorrer cidades como Brasília, Bauru e Manaus.

A Tipos Latinos trará para o MCB 73 trabalhos, dos quais 15 são de artistas brasileiros, selecionados entre os 444 inscritos ─ 116 projetos do Brasil, 83 do Chile e 81 da Argentina. O júri, composto por Ricardo Esteves (Brasil), Diego Aravena (Chile), Fernanda Cozzi (Argentina), Isaías Loaiza (México), Rubén Salinas (Bolívia) e Felipe Calderón (Colômbia), reuniu-se em Bogotá, na Colômbia, em março, para selecionar os vencedores, que integram a exposição.

Este ano, houve a inclusão da categoria Novos Talentos (Emergentes), em que concorreram estudantes e profissionais sem experiência prévia na publicação comercial de tipos; além de subdivisões em outras seis categorias: Texto, Título, Manuscritas, Superfamílias, Experimentais e Miscelâneas.

“Depois do processo de julgamento e da divulgação dos resultados, notamos que a participação brasileira manteve seu índice histórico, com um total de 15 trabalhos selecionados, 6 deles na categoria Novos Talentos, o que demonstra uma franca renovação da produção nacional”, comentou Ricardo Esteves, da comissão julgadora.

Segundo Tadeu Costa, organizador do evento em São Paulo, a intenção é aproximar o público do universo dos criadores de fontes e apresentar a diversidade e o grau de excelência da produção tipográfica latino-americana. “Queremos mostrar que é possível comprar tipografia inédita, o que beneficia todo mundo: o designer, que é incentivado a pesquisar e a criar; as instituições de ensino, que aprimoram técnicas; e o público final, que percebe que por um valor muito menor do que imagina consegue comprar uma fonte exclusiva e fugir de tipografias pirateadas”, completa Costa.

SERVIÇO

Tipos Latinos – 8ª Bienal de Tipografia Latino-Americana

Abertura da exposição e palestras: 23 de junho, sábado

Palestra Comitê Tipos Latinos – Ricardo Esteves e Andréa Kulpas

Homenagem Alexandre Wollner

Palestra A Tipografia corporativa no projeto LATAM – Daniel Sabino

Palestra Gerente Criativo/Interbrand – Gil Botari

Demonstração de impressão Oficina Tipográfica São Paulo
Vendas de livros das Editoras Ubu e Gustavo Gili

Horário: 14h00

Entrada gratuita

Oficina Da Caligrafia ao Lettering

Dia 7 de julho, sábado

Horário: 9h00 às 18h00

Ministrantes: Aline Kaori e Guilherme Menga

Agendamento: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br

Entrada gratuita (vagas limitadas)

Apresentação dos trabalhos e Oficina Xilogravura e Tipos

Dia 11 de agosto, sábado

Horário: das 13h00 às 18h00

Ministrantes: Fabricio López, Xiloceasa e os Jovens da Comunidade CEASA – Instituto Acaia

Entrada gratuita

Oficina na Calçada – Serendípias

Dia 17 de agosto, sexta

Horário: 10h00 às 12h00

Ministrante: QStampa

Entrada gratuita

Museu da Casa Brasileira: Av. Brig. Faria Lima, 2705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032-3727 – www.mcb.org.br

Apoio: Senac, Universidade Anhembi, Fedrigoni, Editora UBU, DooType, BlackLetra, Comavi Locação e Serviços, Plau, Harbor, TypeFolio, UEMG-Universidade Estadual de Minas Gerais, OTSP, QStampa, TipoCracia.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada

Gratuito aos finais de semana e feriados | Acessibilidade no local

Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Museu da Diversidade Sexual inaugura “Com Muito Orgulho”, exposição com fotos das paradas LGBT de vários países

Realizada de maneira colaborativa, a exposição mostra a força do movimento LGBT pelo mundo

O Museu da Diversidade Sexual, da Secretaria da Cultura do Estado, administrado pela organização social de cultura APAA, abre no dia 25 de maio, sexta-feira, a exposição “Com Muito Orgulho”, com fotos de paradas do orgulho LGBT realizadas em vários países. A mostra, com entrada gratuita, celebra os seis anos do museu e serve de aquecimento para a Parada do Orgulho LGBT, que acontece no dia 03 de junho.

Realizada em parceria com a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo e com apoio da Interpride, a exposição foi desenvolvida de maneira colaborativa e conta com imagens registradas em países como Uganda, Cuba, México, Estados Unidos, Holanda, China, Israel, Chile e França. A mostra conta com mais de 50 fotos impressas enviadas por amadores e profissionais, e mais de 500 que serão exibidas nos telões.

A Parada de São Paulo, cidade em que está localizado o Museu da Diversidade Sexual, tem uma parte reservada em “Com Muito Orgulho”, com fotografias históricas, uma linha do tempo e notícias de suas edições, desde a primeira, realizada em 1997.

“Desde sua primeira edição, com poucas pessoas, até se transformar na maior manifestação da população LGBT, a Parada [do Orgulho LGBT de São Paulo] mostrou que é o espaço genuíno de reinvindicação, visibilidade e celebração do orgulho. E é com muito orgulho que o Museu da Diversidade Sexual homenageia todas as pessoas que de alguma forma contribuem, organizam e participam das Paradas pelo mundo”, declara Franco Reinaudo, diretor do museu.

SERVIÇO

Exposição “Com Muito Orgulho” – Museu da Diversidade Sexual

Abertura: 25 de maio, sexta-feira, das 19h00 às 22h00

Em cartaz até 01 de setembro

Curadoria: Franco Reinaudo

Projeto expográfico: Flávio Pires

De terça a domingo, das 10h00 às 18h00

Estação República do Metrô – piso Mezanino

Rua do Arouche, 24, República – São Paulo

Entrada gratuita

(11) 3882-8080

Museu da Imigração celebra 110 anos da imigração japonesa no Brasil

Evento conta com exibição do filme “Gaijin – Ama-me como sou” ao ar livre e bate-papo com a diretora da produção, Tizuka Yamasaki

O Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – celebrará os 110 anos da imigração japonesa no Brasil com uma programação especial no dia 18 de junho, das 17h00 às 21h00. Nessa data histórica, em 1908, 781 imigrantes japoneses chegaram ao porto de Santos a bordo do navio Kasato Maru e se abrigaram na Hospedaria de Imigrantes do Brás (hoje sede do Museu) até serem conduzidos aos seus postos de trabalho. Iniciavam, assim, a contribuição japonesa para o desenvolvimento do país.

Em homenagem a esse dia tão representativo, o Museu da Imigração, localizado no complexo que recebeu cerca de 85 mil imigrantes japoneses, abrirá na segunda-feira (18), exclusivamente no horário do evento, para a exibição de “Gaijin – Ama-me como sou” (2005), dirigido por Tizuka Yamasaki, uma das cineastas mais importantes do Brasil. O longa-metragem apresenta a história das gerações de mulheres descendentes de Titoe, a imigrante japonesa que protagonizou “Gaijin – Os Caminhos da Liberdade” (1980), o primeiro da sequência. “Gaijin – Ama-me como sou” foi premiado como melhor filme, melhor direção, melhor atriz coadjuvante e melhor música no Festival de Gramado de 2005.

A programação começará com uma recepção aos participantes e visita às exposições da instituição, às 17h00. No jardim do MI, o público poderá prestigiar uma apresentação musical, às 18h00. A exibição ao ar livre da obra de Tizuka será no mesmo local e está marcada para as 19h00.

Ao término do filme, diretora, produtores e convidados realizarão uma conversa sobre a temática, às 21h00. Os interessados em participar dessa comemoração devem enviar e-mail para m.souto@museudaimigracao.org.br. As vagas são limitadas e gratuitas.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

Exibição do Filme “Gaijin – Ama-me como sou”

Data: 18 de junho (segunda-feira)

Hora: 17h00 às 21h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Inscrição: m.souto@museudaimigracao.org.br

Museu da Imigração comemora 25 anos com arte, música e ação digital

Programação conta com pintura ao vivo produzida por artista refugiado, apresentação instrumental e lançamento de exposição virtual

O Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – irá comemorar, em 25 de junho, uma data muito importante para a sua história: seus 25 anos de funcionamento. Nesse mesmo dia, em 1993, foi assinado o decreto nº 36.987, que marcou a criação do equipamento cultural com o objetivo de levantar os dados, recolher os objetos e os documentos relacionados à imigração ocorrida no Estado de São Paulo. Para celebrar essa trajetória tão representativa, o público poderá acompanhar a execução de uma pintura ao vivo, ao som de um quinteto instrumental, no dia 24, e, no dia 25, será lançada uma nova exposição virtual. A programação é gratuita.

No domingo (24), os visitantes acompanharão o desenvolvimento de uma obra do artista plástico refugiado Lavi Kasongo no jardim do Museu, das 14h00 às 18h00. A pintura será produzida ao vivo e os interessados poderão enviar lances para a aquisição da peça, que terá como foco a temática da imigração, traduzida nas experiências e memórias do artista. Kasongo é refugiado da República Democrática do Congo, estudou na faculdade de Belas Artes em Kinshasa, no seu país natal, e mora no Brasil desde 2015.

Compondo as ações comemorativas, a partir das 15h00, o público e a produção artística serão embalados por uma apresentação musical do quinteto instrumental Suíte Êxodo, que conta com saxofone, piano, guitarra, baixo e bateria. A banda retrata a história da imigração de um povo e o repertório passeia pelo baião, jazz tradicional e contemporâneo, ritmos africanos e, até mesmo, a música pop, demonstrando a diversidade resultante das misturas desses fluxos culturais.

Na data oficial do aniversário (25), acontecerá o lançamento da exposição virtual “O caminho das Coisas” no Google Cultural Institute. A mostra é resultado do projeto “Encontros com o Acervo” e busca redescobrir as histórias de alguns objetos da coleção do MI. O link para acessar essa plataforma será divulgado nas mídias sociais e no site da instituição.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

 SERVIÇO

Produção de pintura com Lavi Kasongo

Data: 24 de junho

Hora: 14h00 às 18h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Apresentação do Quinteto Instrumental Suíte Êxodo

Data: 24 de junho

Hora: 15h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Lançamento da Exposição Virtual “O caminho das coisas”

Data: 25 de junho

Museu da Imigração inaugura exposição temporária “Sinta-se em casa”

Em cartaz a partir de 1º de dezembro, a mostra propõe uma reflexão sobre a experiência de migrar e a moradia

O mês de dezembro começará com exposição nova no Museu da Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo –, que inaugurará a temporária “Sinta-se em casa” no dia 1º, às 11h00, abordando as múltiplas relações entre a experiência de migrar e a casa, como lugar e conceito. A mostra ficará em cartaz até outubro de 2019.

A curadoria foi estruturada nos eixos “Acolhida”, “Habitar” e “Morada”, discutindo aspectos históricos e contemporâneos da recepção aos migrantes no Brasil e o acesso à moradia, assim como a compreensão de casa como um lugar no qual as pessoas se elaboram e reelaboram, por meio dos objetos com que a compõe, e, também, a noção de sentir-se parte de um lugar, que se dá, por vezes, pelos laços humanos construídos.

Em “Acolhida”, o público poderá conhecer a história de casas que recebem e abrigam migrantes que chegam ao Brasil, como era feito na antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, além de compreender questões como a dificuldade de acesso à moradia, por conta das comprovações e rendas necessárias. Neste módulo, a curadoria abordará, também, como eram as construções e a manutenção das casas de colonos nas fazendas, por meio de imagens e depoimentos de migrantes que fazem parte dos arquivos de história oral da instituição.

Os visitantes encontrarão a reconstrução de uma sala em “Habitar”, que trará móveis e objetos pertencentes ao acervo da instituição. Máquina de costura, itens de decoração, telefone, rádio-vitrola e peças relacionadas a hábitos de algumas culturas serão encontrados nesse espaço, que representa a memória de migrantes e descendentes. No mesmo módulo, uma instalação com portas de armários representará o local onde se guardam as malas e bagagens, promovendo uma interatividade com o público.

Por fim, o eixo “Morada” proporcionará uma reflexão sobre como a casa acaba se tornando mais do que uma estrutura física e a relação do ser humano com os objetos. Na busca pela adaptação em uma nova realidade, existem outros pontos que podem auxiliar para que os migrantes se sintam abrigados, protegidos e seguros: pessoas, redes e espaços que os conectem. A curadoria se utilizará, nesse momento, de mural de foto, jornais antigos e novos, áudios de rádios comunitárias, imagens de manifestações coletivas, entre outros elementos, para apresentar essas conexões.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

Inauguração da Exposição Temporária “Sinta-se em casa”

Data: 1º de dezembro (sábado)

Hora: 11h00

Entrada: Gratuita

Local: Museu da Imigração

Museu da Imigração proporciona recursos de acessibilidade na 23ª Festa do Imigrante

Nos dias 9, 10 e 16 de junho, pessoas com deficiências auditiva e visual contarão com materiais e
atendimento especializados

Consolidada no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Festa do Imigrante, promovida pelo Museu da
Imigração – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo -, chega a sua 23ª edição e
acontecerá nos dias 9, 10 e 16 de junho, oferecendo recursos de acessibilidade para as pessoas com
deficiências auditiva e visual.

No dia 9/06 (sábado), a 23ª Festa do Imigrante contará com oficinas de artesanato, de culinária e
workshops de dança com tradução em libras. Já no dia 10/06 (domingo), o evento disponibilizará recurso
de audiodescrição para as apresentações artísticas, das 13h00 às 18h00.

Nos três dias de festa, estará disponível o folder com a programação transcrito em braille, assim como uma equipe dedicada ao
atendimento de pessoas com deficiências auditiva e visual. Para agendamento de grupos, é preciso entrar
em contato pelo e-mail: museudaimigracao@museudaimigracao.org.br.

Em 2017, cerca de 20 mil pessoas prestigiaram a 22ª edição e vivenciaram a gastronomia, a dança, a
música e o artesanato de comunidades de imigrantes e descendentes. Nesse ano, o público encontrará 49
expositores de alimentação, 29 de artesanato e 46 grupos de dança e música, além de diversas outras
atrações, que ocuparão todo o complexo histórico onde funcionava a antiga Hospedaria dos Imigrantes do
Brás, no fim do século 19 e início do 20.

Entre os três dias de festa, os visitantes poderão prestigiar apresentações artísticas no palco localizado no
jardim do Museu, além de participar de oficinas de artesanato, como a de pintura de ovos com técnica da
Lituânia, a pintura em vidro do Senegal, pompons peruanos para decoração, entre outros. Os workshops
de dança apresentarão diversos ritmos estrangeiros: entre eles, a polca do Paraguai, a marrabenta de
Moçambique, as tradições madeirenses e o Flamenco, tão característico da Espanha.

O destaque dessa edição é o Empório, um novo espaço idealizado especialmente para oferecer produtos
artesanais que poderão ser levados para casa. Nesse local, o público encontrará pães e doces italianos,
cervejas japonesas exclusivas, vinhos portugueses, itens da charcutaria espanhola – como morcilla e chorizo
– e potes de homus, coalhada e babaganuche, da Síria.

Valorizando ainda mais a diversidade gastronômica de São Paulo, os interessados poderão participar de
oficinas de culinária, que fazem parte do projeto “Sabor Paulista”, ministradas por cozinheiros de
comunidades imigrantes. Entre as receitas, o público aprenderá a preparar, citando alguns exemplos, o
spätzle com molho quatro queijos (Alemanha), o tandoori chicken (Índia), o missô lámen (Japão) e a torta
mil hojas (Chile).

No espaço “Faz e Conta”, a criançada irá se divertir e aprender sobre outras culturas com as contações de
histórias. Entre as narrativas, que abordarão temáticas ligadas à migração, estão os contos sobre Frida
Kahlo, mitologia japonesa e sobre um menino que faz uma viagem com seu amigo Inca. As histórias são

Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – São Paulo | SP – CEP: 03164-300 – Tel.: (11) 2692-1866
www.museudaimigracao.org.br apresentadas pelos grupos “As Clês”, “Agrupamento Teatral” e “Teatro por um Triz” nos três dias do
evento, sempre às 12h00 e às 15h00. Os pequenos poderão também brincar com piscina de bolinhas,
amarelinha, jogos educativos e desenhos para colorir.

A programação completa da 23ª Festa do Imigrante está disponível no site:
www.museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante/.  Os ingressos podem ser adquiridos nos dias do
evento e custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). A Festa ocorre das 10h00 às 18h00, sendo que a
bilheteria encerra o seu funcionamento às 17h00.

O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, na Mooca, em São Paulo. Seu horário de
funcionamento é de terça a sábado das 9h00 às 17h00, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Os ingressos
para visitação custam R$ 10, estudantes e pessoas acima de 60 anos pagam meia-entrada. Aos sábados,
com exceção ao dia da festa, a visitação é gratuita. Outras informações estão disponíveis no site
www.museudaimigracao.org.br.

SERVIÇO

23ª Festa do Imigrante
Datas: 9, 10 e 16 de junho de 2018
Hora: 10h00 às 17h00 (bilheteria)
Local: Rua Visconde Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo
Preço: R$ 10 (Meia-entrada: R$ 5)

Museu de Arte Sacra de São Paulo exibe projeto inédito de Luiz Martins

“Cidades Invisíveis” apresenta esculturas, fotografias e vídeos que abordam as relações do homem com a cidade, tomando como ponto de partida o tempo presente

O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS-SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, inaugura “Cidades Invisíveis“, do artista plástico brasileiro Luiz Martins, sob curadoria de Ian Duarte Lucas. A mostra – formada por esculturas, fotografias e vídeos – elege o tempo presente, mesmo que instantâneo, como tema, e se desenvolve a partir do livro homônimo de Ítalo Calvino. Atento à passagem do tempo, em especial acerca de como o indivíduo se relaciona com seus entornos – privado e coletivo -, nesta produção o artista busca uma poética dentro da relação homem-cidade, considerando vestígios esquecidos pelas ruas.

A cidade é cenário para importantes manifestações humanas, que se desdobram em suas entranhas. “Em constante mutação, o homem se insere neste novelo de passagem: passagem do tempo, que tudo transforma, e cria novos significados na memória de quem habita a cidade. E essa poética se manifesta pelos objetos que o homem cria e utiliza em suas mais diversas atividades“, comenta o curador. Em “Cidades Invisíveis“, Luiz Martins utiliza a linguagem tridimensional para abordar o espaço e suas novas possibilidades territoriais, restaurando e ressignificando o cotidiano pela aplicação do conceito de “semióforo” em objetos e fragmentos, os quais perdem o status de “coisa” e passam a transmitir energia e força afetiva.

Ao se deparar com a exposição “Cidades Invisíveis“, espera-se que o espectador entenda a potencialidade de cada objeto, os quais representam, em suma, os reflexos do drama interior do homem em sociedade. Espera-se que sentimentos da individualidade contemporânea se tornem visíveis através deste processo mental. Nos dizeres do curador: “O homem, enquanto um ser artista, é, antes de tudo, um ser sociável: se expressa na construção de diferentes diálogos com o seu tempo, a sociedade em que se insere e consigo mesmo. Materializar esta expressão na forma da obra de arte é a maneira mais sublime de contemplar a fugacidade destas relações. O esquecimento desfigura os vestígios que o homem produz, e cabe ao artista revelar a poética destes objetos, por meio de sua sensibilidade, ao perceber algo latente e revelador nas coisas mais simples do cotidiano, memórias de uma vida que o tempo implacavelmente apagou“.

SERVIÇO

Exposição: “Cidades Invisíveis

Artista: Luiz Martins

Curadoria: Ian Duarte Lucas

Abertura: 07 de julho de 2018, sábado, às 11h

Período: 08 de julho a 14 de agosto de 2018

Local: Sala MAS – Metrô Tiradentes – www.museuartesacra.org.br

Estação Tiradentes do Metrô – São Paulo – SP

Tel.: (11) 3326-5393 – agendamento/educativo para visitas guiadas

Horários: Terça-feira a domingo, das 9 às 17h

Técnicas: Escultura, fotografia e vídeo

Ingresso: Grátis aos usuários do Metrô

Museu de Arte Sacra de São Paulo inaugura duas mostras de presépios

  • A mostra “È Nato Gesù” apresenta o trabalho do artista italiano Ulderico Pinfildi e expõe uma projeção 3D, em tamanho real, do Presépio Cuciniello do Museu de San Martino
  •  “Os Artesãos e seus Presépios II” entra em cartaz na Sala MAS-Metrô Tiradentes, em parceria com a SUTACO, e exibe 33 presépios criados por 15 artesãos paulistas

O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS-SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, inaugura sua tradicional mostra de presépios, este ano composta por duas exposições simultâneas. “È Nato Gesù” entra em cartaz no espaço do MAS-SP e apresenta o trabalho do presepista italiano Ulderico Pinfildi por meio de um vídeo, de peças que compõem as cenas mais importantes dos presépios napolitanos, e da exibição de projeção 3D, em tamanho real, do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino. A segunda edição de “Os Artesãos e seus Presépios” será realizada em parceria com a SUTACO – Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades, e ocupa a Sala MAS-Metrô Tiradentes, contando com quatorze presépios criados por artesãos do Estado de São Paulo.

Em “È Nato Gesù”, o público visitante passa a conhecer o minucioso trabalho de Ulderico Pinfildi. Criado ao redor do ateliê de seu pai, ceramista, mestre em cerâmica esmaltada, aprendeu desde cedo o ofício da faiança e da cerâmica, o que lhe foi extremamente útil quando se viu apaixonado pela arte dos presépios. “Ao visitar os museus e, principalmente, o Museu de San Martino, nasceu essa admiração por essas figuras fascinantes. Os meus estudos se tornaram cada vez mais sérios e profundos: tive que estudar anatomia, primeiramente a do rosto, depois a do corpo inteiro, que me permitiu realizar figuras inteiras, nuas, que na nossa área chamam-se ‘academia’, e esculturas também de grandes dimensões”, comenta o artista.

Para a exposição, Ulderico Pinfildi apresenta um vídeo que trata das várias fases de realização de suas peças, contextualizando personagens e origens. Em seguida, o espectador é levado a um percurso que exibe as principais cenas do presépio napolitano – Annuncio Alla Madonna, Annuncio Al Pastori, Pastori In Cammino, Gruppo Delle Procidane, Gruppo Delle Calabresi, Gruppo Di Famiglia Con La Giumenta, Pastori Con Doni e Mestieri, Tarantella, More Nobili, Suonatori Orientali, Re Magi Di Cui Uno a Cavallo, Gloria Degli Angeli e La Natività -, em meio às figuras criadas pelo artista conforme técnicas operacionais dos artesãos do século XVIII. Tais figuras, ou “pastores”, são produzidas com diversos materiais: “a cabeça é feita de terracota, os olhos são de vidro e se aplicam com estuques, e finalmente, mãos e pés são geralmente de madeira. Para pintá-los usam-se pigmentos e cores que se referem a esses diferentes materiais. Antigamente utilizavam-se os óleos, ou outros tipos de pigmentos com cola. Atualmente utilizo os acrílicos (…)”, explica o artista.

Ulderico Pinfildi ainda destaca a importância do vestuário desses “pastores”, uma vez que o presépio napolitano é único no seu gênero e desenvolveu-se nos tempos dos Bourbons, no Reino das Duas Sicílias. “Por esse motivo, os trajes dos pastores são os trajes que eram realmente usados pelo povo do Reino. Eu realizo um trabalho de profunda pesquisa iconográfica para reproduzir aquele gênero de trajes, porque nas várias áreas de Nápoles e redondezas da cidade, eram usados trajes diferentes. Por exemplo, a ‘procidana’, isto é, o habitante de Prócida vestia um riquíssimo traje de origem grega; em Ischia, por outro lado, usava-se outro tipo de traje; em Santa Lucia, uma zona de Nápoles perto do mar, havia a ‘Luciana’, que usava outro tipo de traje; nas zonas internas, a mulher usava um tipo de vestido mais diferente ainda. Portanto, o presépio é rico dessas figuras diferentes”. Em suas figuras, os trajes são confeccionados por meio das mesmas técnicas utilizadas antigamente, feitos à mão e com uso de sedas.

Por fim, em “È Nato Gesù”, o visitante pode conferir a projeção 3D do Presepe Cuciniello del Museo di San Martino, que tem como característica principal o movimento. Nos dizeres de Ileana Creazzo, curadora da Seção do Presépio do museu: “A sua criação está sempre in fieri (em andamento), pois é uma prerrogativa de quem organiza o presépio compor como preferir as cenas, mudar de lugar animais e objetos de acordo com a necessidade, vestir as estátuas (sejam elas humanas ou angelicais) e colocá-las nas posições mais variadas, iluminar ou colocar, mais sombra, tudo com o objetivo de condicionar as sensações de quem olha. Ao espectador cabe participar e se emocionar com esse jogo, mais mental do que manual, cujo objetivo é o de criar com as próprias mãos uma realidade inexistente”.

Sobre o “Presépio Cuciniello”

A história do “Presépio Cuciniello” – cujo nome provém de seu doador, o comediógrafo, arquiteto e colecionador napolitano Michele Cuciniello – remonta ao ano de 1877, quando foi agregado ao acervo do Museu Nacional de San Martino por seu fundador, Giuseppe Fiorelli. “Foram necessários, para montar a grandiosa estrutura, dois anos de trabalho do próprio colecionador e dos seus amigos e colaboradores, o arquiteto Niccolini, o cenógrafo Masi e o técnico Farina”, comenta Ileana Creazzo. Seu conjunto, em alto-relevo horizontal, é formado por três cenas fundamentais: à esquerda, o Anúncio aos pastores, no centro, a Natividade com a Procissão dos Orientais seguindo os Magos e, à direita, a cena da Taberna (curiosamente, a Procissão e a Taberna constituem a verdadeira prerrogativa do presépio napolitano, comparado às representações do Natal de outras localidades italianas). Sua estrutura base é feita de madeira e cortiça, sendo “habitada” por figuras humanas chamadas de “pastores”, com cabeça e membros de madeira e/ou terracota, núcleo elaborado com fio de ferro doce e estopa.

Os Artesãos e seus Presépios II apresenta, na Sala MAS-Metrô Tiradentes, o trabalho de 15 artistas paulistas selecionados por meio de edital da SUTACO – Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades. Nesta mostra, o visitante pode contemplar peças em técnicas de modelagem, pintura, esmaltação e queima, marcenaria, escultura em madeira, com reutilização de resíduos têxteis, trançado e tingimento em palha de milho, reciclagem de papel e torção em metal. Nos dizeres de Marlene Augusta dos Santos, subsecretária substituta da SUTACO: “Essa exposição tem como objetivo mostrar como os artesãos paulistas homenageiam a chegada do Menino Jesus com figuras tradicionais e também de forma inovadora, difundindo a cultura popular”.

SERVIÇO

Exposição: “È Nato Gesù

Artista: Ulderico Pinfildi

Abertura: 29 de novembro de 2018, quinta-feira, às 18h

Período: 30 de novembro de 2018 a 06 de janeiro de 2019

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo – www.museuartesacra.org.br

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – agendamento / educativo para visitas monitoradas

Horários: De terça-feira a domingo, das 9 às 17h | Presépio Napolitano: das 10 às 11h, e das 14h às 15h

Ingresso: R$ 6,00 (Inteira) | R$ 3,00 (Meia entrada nacional para estudantes, professores da rede privada e I.D. Jovem – mediante comprovação) | Grátis aos sábados | Isenções: crianças de até 7 anos, adultos a partir de 60, professores da rede pública, pessoas com deficiência, membros do ICOM, policiais e militares – mediante comprovação.
Número de obras: aprox. 40

Técnicas: vídeo, esculturas e projeção 3D

Dimensões: Variadas

Exposição: “Os Artesãos seus Presépios II

Artistas: Alexandre Eufrásio dos Santos, Andrea Maria Gozzi, Deilon Gomes de Lima, Eduardo Rafael Figueiredo Ribeiro, Giovana Fortini, Luiz Carlos Bollini, Marcia Luiza Zani, Magali Lopes, Márcio Luiz Mazon, Marli Triñanes Lopes Dalle Molle, Olga Lukacsak, Vera Lucia Baldassarri Corvello Sola, Vagner Rodrigues e Wandecok Cavalcânti de Almeida

Abertura: 29 de novembro de 2018, quinta-feira, às 18h

Período: 30 de novembro de 2018 a 06 de janeiro de 2019

Local: Sala MAS – Metrô Tiradentes – www.museuartesacra.org.br

Estação Tiradentes do Metrô – São Paulo – SP

Tel.: (11) 3326-5393 – agendamento/educativo para visitas guiadas

Horários: Terça-feira a domingo, das 9 às 17h

Ingresso: Grátis aos usuários do Metrô

Número de obras: 33

Técnicas: Modelagem, pintura, esmaltação e queima, marcenaria, escultura em madeira, trançado e tingimento em palha de milho, reciclagem de papel e torção em metal

Dimensões: Variadas

O museu

O Museu de Arte Sacra de São Paulo é uma das mais importantes instituições do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 28 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de pilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 18 mil itens no acervo. O museu possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco de Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

Museu de Arte Sacra de São Paulo inaugura mostra de fotografia sobre o Círio de Nazaré

“Guarda o Círio de Nazaré”, projeto de Soraya Montanheiro, retrata os fiéis envolvidos na liturgia que aproxima a Imagem Original da Nossa Senhora de Nazaré, entronada na Basílica de Belém (PA), à Imagem Peregrina, que sai em visitas a outros municípios e estados

 O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS-SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, exibe “Guarda o Círio de Nazaré“, da fotógrafa brasileira Soraya Montanheiro, sob curadoria de Juan Esteves. A mostra apresenta 45 fotografias realizadas a partir de 2013, as quais retratam fiéis envolvidos na liturgia que aproxima a Imagem Original da Nossa Senhora de Nazaré – única de origem amazônica e venerada na basílica do Santuário, em Belém (PA) – à Imagem Peregrina, confeccionada no final dos anos 1960 pelo escultor italiano Giacomo Vincenzo Mussner. Na ocasião da abertura da exposição, também será lançado livro de título homônimo, contendo o trabalho completo desenvolvido pela fotógrafa.

A atração de Soraya Montanheiro pelo ritual do Círio de Nazaré vai além de sua fé católica e de uma curiosidade por novas histórias.  Desde sua primeira participação no evento, em Belém, ficou fascinada pela ação da Guarda do Círio, evidenciada na organização dos cortejos. “A Guarda da Nossa Senhora de Nazaré é composta por 2.000 homens voluntários, que acompanham a Imagem e trabalham por dias consecutivos durante os festejos do Círio de Nazaré, e pelas cidades em que a Imagem é levada. O objetivo do meu trabalho é o registro e pesquisa da atividade desses homens da Guarda de Nazaré“, comenta a fotógrafa. A partir de então, a autora seguiu a Imagem Peregrina por cidades como Rio de Janeiro e Niterói, pela região do Baixo Amazonas – como Terra Santa, Porto Trombetas, Juriti Velho, Óbidos, Santarém e Oriximiná. Por Viana, no Maranhão; Muaná, na Ilha de Marajó; e São José do Rio Preto, em São Paulo. Um caminho sustentado não apenas por sua crença mais pessoal, mas por uma complexa articulação profissional, resultando em uma intimidade com a temática, obtida sistematicamente nestes percursos que representam uma amplitude documental inédita.

O trabalho de Soraya Montanheiro é baseado na cobertura dos eventos anuais do Círio de Nazaré, em Belém, e nos deslocamentos da Imagem Peregrina – acontecimentos que evidenciam rituais e peculiaridades características. Ao abordarem uma grande diversidade de expressão religiosa, as imagens concretizam um trabalho de representação documental de uma fé elevada. Nas palavras do curador Juan Esteves: “Estas fotografias, que contornam a inefabilidade, nos trazem a certeza na percepção de que a manifestação perene dos devotos, expressa no culto a Nossa Senhora de Nazaré, nos conduz ao pensamento mais complexo e duradouro da fé cristã no Ocidente“.

Mais informações sobre o Círio de Nazaré e a Guarda do Círio

O Círio de Nazaré, em devoção a Nossa Senhora de Nazaré, é a maior manifestação religiosa Católica do Brasil e um dos maiores eventos religiosos do mundo. Reúne cerca de dois milhões de pessoas em todos os cultos e procissões. Em Portugal, é celebrado no dia 8 de setembro, na vila da Nazaré; e é celebrado, desde o final do século XVIII, na cidade de Belém do Pará, anualmente, no segundo domingo de outubro. Outras regiões, devido a migração de paraenses, acabaram criando as procissões para estarem mais próximos de Belém, mesmo que pelo ato de Fé. O Termo “Círio” tem origem na palavra latina “Cereus”, que significa “vela grande”. Desde 2013, é Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Criada em 1974, a Guarda de Nossa Senhora de Nazaré é formada por homens que são voluntários católicos (as mulheres somente atuam na chamada Guarda de Apoio) com a missão de evangelizar, cuidar da Basílica e cuidar da Berlinda de Nossa Senhora de Nazaré e ajudar na organização das procissões. Além disso, a Guarda tem a tarefa de supervisionar a Praça Santuário durante a festividade Nazarena e em outras solenidades ocorridas durante o ano, zelando pela disciplina, segurança e respeito em relação à utilização do espaço, especialmente do Altar-Santuário, procurando sempre estar integrada com a sociedade ao realizar diferentes campanhas sociais com as comunidades.

SERVIÇO

Exposição: “Guarda o Círio de Nazaré

Artista: Soraya Montanheiro

Curadoria: Juan Esteves

Abertura: 28 de junho de 2018, quinta-feira, às 16h00

Período: 29 de junho a 29 de julho de 2018

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo – www.museuartesacra.org.br

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô)

Tel.: 11 3326-5393 – agendamento / educativo para visitas monitoradas

Horário: Terça-feira a domingo, das 9h00 às 17h00 (bilheteria das 9h00 às 16h30)

Ingresso: R$ 6,00 (estudantes e idosos pagam meia); grátis aos sábados

Número de obras: 45

Dimensões: 30 x 40 cm a 80 x 100 cm

Livro: Guarda o Círio de Nazaré

Autora: Soraya Montanheiro

Editora: Origem

Nº de Páginas: 175

Dimensões: 30,0 x 23,4 cm

Valor: R$90,00

Museu de Arte Sacra traz para a capital, pela primeira vez, Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

Imagem estará no museu para a inauguração da mostra “Guarda o Círio de Nazaré” da fotógrafa Soraya Montanheiro e encontro com paulistanos, paulistas e brasileiros.

O Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, recebe a primeira visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré à cidade de São Paulo. A missa de acolhimento será celebrada na Catedral da Sé, em São Paulo, oficiada por D. Devair Araújo da Fonseca, com participação de Fafá de Belém, devota da Senhora de Nazaré. Após a celebração, a Imagem Peregrina será transportada para seu local de visitação –o Museu de Arte Sacra de São Paulo – onde fica abrigada para seu encontro com os visitantes por quatro dias – de 28 de junho a 01 de julho, retornando então à Belém.

A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré estará na capital paulista para a abertura da exposição e lançamento do livro homônimo “Guarda o Círio de Nazaré” da fotógrafa paulista Soraya Montanheiro.  Com curadoria do fotógrafo e crítico Juan Esteves, a exposição é composta por 45 fotografias captadas em Belém do Pará, cidades do Baixo Amazonas, Rio de Janeiro, Maranhão e São Paulo, em que a artista retrata a liturgia, as peregrinações e toda estrutura que envolve o Círio, com enfoque para o trabalho da Guarda de Nossa Senhora de Nazaré.

Em sua chegada ao MAS/SP, a imagem será recepcionada pela Banda da Marinha do Brasil. Seu espaço foi concebido e executado por Osley José Viaro, com destaque para a Rosa de Ouro, criada pelo artista Paulo von Poser, onde os visitantes poderão colar “gotas” douradas e fazer seus pedidos à Santa. A Rosa de Ouro será levada a Belém como um presente de seus devotos.

A  Imagem Peregrina substitui a Imagem autêntica que está guardada na Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na cidade de Belém. Ela foi esculpida na cidade de Ortisei, norte da Itália, no fim dos anos 1960, pelo escultor Vincenzo Giacomo Mussner, a pedido do então pároco de Nazaré e também italiano padre Alfredo Brambilla. O artista teria esculpido a Imagem Peregrina deixando o rosto da santa com características amazônicas e do menino Jesus com traços indígenas, conforme recomendação do padre Brambilla. A imagem foi restaurada em 2002 por técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

História

A devoção a Nossa Senhora de Nazaré surge de uma antiga tradição cristã. O próprio São José esculpiu uma imagem de Maria em madeira, pintada por São Lucas. Mais tarde, a imagem foi levada para a Espanha permanecendo no Mosteiro Cauliniana. Por volta do início do século VIII  711, após a batalha entre árabes e visigodos na região da Andaluzia, foi levada para Portugal.

Os diferentes relatos ao longo destes séculos contam que a imagem ficou em uma gruta no litoral até 1182, quando o nobre almirante português Fernão Gonçalves Churricão, mais conhecido como Dom Fuas Roupinho, companheiro do primeiro rei de Portugal, Dom Afonso I, O Conquistador, foi salvo milagrosamente pela imagem. Ainda que não se saiba mais detalhes do ocorrido, a vila onde estava foi batizada de Nazaré, onde atualmente está o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré.

No Brasil

A Imagem de Nossa Senhora de Nazaré teria sido encontrada por volta de 1700 pelo paraense Plácido José de Souza, em Belém, popularmente conhecido Belém do Pará. A Imagem Original é de Madeira, com 28cm de altura, carrega o Menino Jesus no colo e fica permanentemente na Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, Belém do Pará, no Glória, um lugar confeccionado em mármore Carrara em forma de anel.

O Círio de Nazaré em Belém do Pará

A maior e mais popular manifestação do Círio acontece no segundo domingo de outubro, na cidade de Belém do Pará, desde os fins do século XVIII. Com cerca de 2 milhões de devotos no cortejo, a Procissão do Círio percorre aproximadamente 5 km entre a Catedral Metropolitana e a Basilica de Nazaré. Desde 2013, é Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Agenda da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

Dia 28 de Junho

12h00 – Missa Solene na Catedral da Sé

15h00 – Chegada ao MAS/SP; abertura da exposição e visitação à Imagem Peregrina

Dia 29 de Junho

8h00 – Missa com a presença da Imagem Peregrina na Capela de São Frei Galvão

9h00 – visitação à Imagem Peregrina (MAS/SP)

Dia 30 de Junho

8h00 – Missa com a presença da Imagem Peregrina na Capela de São Frei Galvão

9h00 – visitação à Imagem Peregrina (MAS/SP)

Dia 1 de Julho

8h00 – Missa com a presença da Imagem Peregrina na Capela de São Frei Galvão

9h00 – visitação à Imagem Peregrina (MAS/SP)

17h00 – Missa de Envio da Imagem Peregrina nos jardins do MAS/SP

SERVIÇO

Evento: Visita da Imagem Peregrina de N. S. de Nazaré à São Paulo

Data: 28 de junho de 2018, quinta-feira, às 15h00

Período de visitação: 28 de junho a 1 de julho de 2018

Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo – www.museuartesacra.org.br

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (metrô Tiradentes)

Tel.: 11 3326-5393

Horário: Terça-feira a domingo, das 9h00 às 17h00

O museu

Instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Museu de Arte Sacra de São Paulo é uma das mais importantes instituições do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 28 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de p ilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 18 mil itens no acervo. O museu possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco de Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

Museu do Café realiza mais uma edição do Espaço Café com Leite em julho

Este ano, os pequenos poderão aproveitar jogos educativos com temáticas voltadas para o café e o futebol

O mês de julho está chegando e, com ele, as tão aguardadas férias da criançada, que ficam cheias de energia para brincar. Pensando nisso, o Museu do Café, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, localizado em Santos, realiza mais uma edição do Espaço Café com Leite, iniciativa que reúne atividades educativas, lúdicas e artísticas para entreter os pequenos durante o período. Este ano, a programação ocorre entre os dias 4 e 29, de quarta a domingo, e terá atrações envolvendo duas paixões brasileiras: o café e o futebol, devido ao campeonato mundial na Rússia.

Das 11h00 às 17h00, o público infantil poderá aproveitar piscina de bolinhas, pula-pula, fantasias e jogos educativos. Um dos principais destaques do ambiente é o “Cafezalzinho”, atividade que mostra, de forma lúdica, a rotina de uma fazenda, ensinando sobre o cultivo, colheita, secagem, torra, moagem dos grãos e preparo da bebida.

No final de semana, a programação de férias conta com ações especiais. No dia 7 (sábado), acontece a Mediação de Leitura, que incentiva o hábito por meio de textos e imagens relacionados ao esporte e ao café. A partir desse contato, os participantes também serão convidados a criar uma produção artística abordando o que foi aprendido. No mesmo dia, às 16h00, será realizado o roteiro lúdico Viva o Café, tour que leva famílias para conhecer o Centro Histórico de Santos com personagens que fazem parte da história do grão, envolvendo dramaturgia e interatividade. Quem não puder participar no sábado, pode entrar na diversão na segunda-feira, dia 9, no mesmo horário.

Já no dia 8 (domingo), o Museu promove o Cine Café com Leite, com a exibição do filme Um Time Show de Bola. O longa narra a história de Amadeo, um garoto que é transformado em um futebolista imbatível na versão pebolim do jogo. Quando um valentão local o desafia para uma partida de verdade, os brinquedos ganham vida e ajudam o menino a enfrentar seu inimigo.

No sábado e domingo seguinte (14 e 15), a diversão fica por conta da Peneira do Saber e da Oficina de Pebolim. A primeira é uma ação educativa de duração rápida e conteúdo dinâmico, na qual o público utiliza o “abanador”, instrumento de trabalho nas lavouras de café, para lançar ao ar bilhetes com curiosidades acerca dos tópicos estabelecidos. Na segunda, o objetivo é resgatar brincadeiras tradicionais ligadas ao futebol, incentivando a participação de toda a família na confecção do jogo com materiais inusitados, usando a criatividade.

Finalizando a programação de férias, a criançada ainda terá a chance de se divertir com a Oficina de Minibarista, marcada para os dias 21 e 28. A atividade irá ensinar os pequenos sobre o processo de preparo da bebida e, também, como fazer os desenhos decorativos conhecidos como Latte Art.

O Espaço Café com Leite funciona no interior do Museu do Café e o valor de entrada é R$10,00, sendo que crianças até 5 anos não pagam e estudantes pagam meia-entrada. O ingresso também proporciona a visita às exposições em cartaz. O ambiente tem capacidade para 40 pessoas simultaneamente (criança e acompanhante), com classificação etária até 10 anos.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico de Santos. Seu horário de funcionamento é de terça a sábado das 9h às 17h, e aos domingos entre 10h00 e 17h00. Aos sábados, a visitação é gratuita. Já a Cafeteria do Museu funciona de segunda a sábado, das 9h00 às 18h00, e aos domingos entre 10h00 e 18h00. Outras informações estão disponíveis no site www.museudocafe.org.br.

Festival Santos Café

A quarta edição do Festival Santos Café contará com a grade de programação das atividades de férias e também degustações, música e visitação noturna. O evento ocorre entre os dias 6 e 9 de julho, tendo sua solenidade oficial de abertura no Museu do Café, com a apresentação musical de Tite Franco e Denis Carvalho, às 17h00, visita com a curadoria na exposição temporária Vai um Café? Cafeteiras e Modos de Preparo, e apresentação de diferentes métodos de extração do café, às 18h00. Para quem sempre quis passear pela instituição à noite, a oportunidade chegou: entre os dias 6 e 8, das 18h00 às 21h00, o Museu ficará aberto ao público.

Nos dias 7 e 8 (sábado e domingo), um dos destaques será a degustação de café gourmet no Centro de Preparação de Café, que ocorre às 10h30, 12h00, 15h00 e 17h00, ao valor de R$10,00. No dia 7 (sábado) o público poderá prestigiar a apresentação do Coro Cênico Céu da Boca, que trará o espetáculo “Raça”, às 17h00. Já no domingo, no mesmo horário, o barista do Museu do Café dará dicas na Cafeteria de Museu de como se extrair o melhor da bebida em casa. A ação Dica do Barista acontece novamente no dia seguinte (9), às 17h00, ocasião em que o Museu abrirá excepcionalmente em uma segunda-feira.

Durante o festival, o valor do ingresso será diferenciado. Na sexta-feira, o público poderá participar da visitação noturna gratuitamente. Como de costume, a isenção é completa no sábado, em horário integral. Nos últimos dois dias, domingo e segunda-feira, será cobrado o valor de meia-entrada para todos os visitantes.

SERVIÇOS

ESPAÇO CAFÉ COM LEITE

Data: 4 a 29 de janeiro (quarta a domingo)

Horário: 11h00 às 17h00

Ingresso: R$ 10,00

Faixa Etária: até 10 anos

Local: Museu do Café

Endereço: Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico – Santos/SP

Telefone: (13) 3213-1750

Agenda

As inscrições para todas as atividades são gratuitas e as vagas limitadas. Serão distribuídas senhas na bilheteria do Museu do Café uma hora antes do início da ação.

Mediação de Leitura

7/07 | SÁB | 15h00

Roteiro Lúdico “Viva o Café”

7 e 9/07 | SÁB e SEG | 16h00

Peneira do Saber

14/07 | SÁB | 15h00

Oficina de Pebolim

15/07 | DOM | 15h00

Oficina de Minibarista

21 e 28/07 | SÁB | 15h00

FESTIVAL SANTOS CAFÉ

Data: 6 a 9 de julho (sexta a segunda)

Local: Museu do Café

Endereço: Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico – Santos/SP

Telefone: (13) 3213-1750

Agenda

Café com Música | Tite Tite Franco e Denis Carvalho

Grátis

6/07 | SEX | 17h00

Visita com curadoria à exposição temporária e apresentação de métodos de preparo

Grátis

6/07 | SEX | 18h00

Visitação noturna

Sexta-feira e sábado: grátis

Domingo: meia-entrada

6, 7 e 8/07 | SEX, SÁB e DOM | 18h00 às 21h00

Degustação de café

Ingresso: R$ 10,00

7 e 8/07 | SÁB e DOM | 10h30, 12h00, 15h00 e 17h00

Apresentação do Coro Cênico Céu da Boca – Espetáculo “Raça”

Grátis

7/07 | SÁB | 17h00

Dica do Barista

Grátis

8 e 9/07 | DOM e SEG | 17h00

Museu do Café terá apresentação musical na Virada Cultural Paulista

Em 2018, evento volta a contar com participação da instituição na agenda de atividades

No dia 17 de novembro, o Museu do Café, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, complementará a programação da Cidade para a Virada Cultural Paulista com o espetáculo da Orquestra Filarmônica Jovem da Baixada Santista. O show gratuito acontecerá no Salão do Pregão, dentro do edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, às 16h00.

Criado em 2017, o grupo tem, como um de seus principais objetivos, promover o interesse e acesso à arte na região. Por meio de concertos didáticos e da experiência orquestral, 40 jovens músicos, participantes da iniciativa, dão os primeiros passos em direção a uma carreira na área.

O Museu do Café fica à rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico de Santos. Seu expediente é de terça a sábado, das 9h00 às 17h00 e, aos domingos, entre 10h00 e 17h00. Aos sábados, a visitação é isenta a todos os públicos. Já a Cafeteria do Museu abre de segunda a sábado, das 9h00 às 18h00 e, aos domingos, entre 10h00 e 18h00. Em dezembro, devido a temporada de navios, o local funcionará, excepcionalmente, em duas segundas-feiras: dias 10 e 17. Outras informações estão disponíveis no site www.museudocafe.org.br.

SERVIÇO:

Apresentação da Orquestra Filarmônica Jovem da Baixada Santista

17/11 | SÁB | 16h00

Museu do Futebol e Lew’Lara/TBWA levam Copa ao metrô de São Paulo

Campanha criada pela agência tem 56 pôsteres sobre jogadores históricos do futebol brasileiro e conecta os usuários do transporte público à memória do esporte mais popular do país

Os usuários do metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) têm mais uma razão para entrar no clima da Copa de 2018. A agência Lew’Lara/TBWA criou para o Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, uma campanha que leva ao transporte público a memória do futebol brasileiro. Trata-se da Seleção no metrô”,  uma coleção de 56 pôsteres exclusivos, alusivos aos maiores nomes do país em Mundiais, colocados nas linhas de 1 a 11 para criar uma conexão entre passado e presente do esporte mais popular do país.

O material faz um paralelo entre o número da linha do metrô e as camisas usadas por grandes jogadores brasileiros em Copas. Nesse contexto, por exemplo, a linha 1 terá pôsteres sobre os grandes goleiros; a linha 9, imagens de grandes centroavantes. Cada peça tem texto explicativo sobre o que o público vai encontrar naquele percurso: “aproveite que você está na linha 10 e conheça todos os craques que já vestiram a camisa 10 da seleção”, por exemplo.

“O amor pelo futebol se manifesta nos espaços públicos: nas avenidas fechadas para as comemorações e nas calçadas tomadas de gente em frente aos bares com televisão nos dias de jogos. Usar o metrô para homenagear os grandes jogadores que foram da seleção é transformar esse comportamento em campanha e em design. Quem passar pelo metrô passará também pela história do nosso futebol e será convidado a ir ao Museu, que é a maior manifestação de amor ao futebol.”, comenta Felipe Luchi, CCO e sócio da Lew’Lara\TBWA.

Os pôsteres foram criados por 19 diretores de arte e retratam nomes como Leônidas da Silva, Nilton Santos, Garrincha, Zico e Taffarel. As peças serão expostas nas plataformas, dentro dos vagões e em filmetes animados de mídia interna. A campanha será veiculada até 18 de julho e as artes também serão expostas no Museu do Futebol.

A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Com esse apelo histórico, a campanha “Seleção no metrô” conecta os usuários do transporte público ao sentido de memória do Museu do Futebol, que tem uma exposição temporária em cartaz sobre a Copa de 1958, ano em que o Brasil conquistou o primeiro título mundial de sua história.

Aberta ao público até 09 de setembro, a mostra “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” é uma exposição audiovisual com conteúdo inédito sobre o Mundial que revelou ao mundo craques como a dupla Pelé e Garrincha, o uniforme azul da seleção e a própria imagem de um país vencedor no futebol.

O clima de Copa no Museu do Futebol ainda conta com um espaço para transmissão dos jogos de 2018. A sala Jogo de Corpo, que tem atrações como o Futebol Virtual e o Chute a Gol, recebeu novos aparatos interativos, que oferecem ao visitante a chance de criar sua própria figurinha ou tirar uma foto segurando uma versão virtual da taça. No centro, uma arquibancada acomoda o público para ver as partidas em um telão.

A exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” tem patrocínio do Banco Itaú, por meio da Lei Rouanet, e apoio da Epson. O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da

Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Exposição Temporária – A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Visitação: 05 de junho a 09 de setembro de 2018

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Seleção no metrô – Ficha técnica

Agência: Lew’Lara\TBWA

Cliente: Museu do Futebol

Produto: Institucional

Título: Seleção no metrô

CCO: Felipe Luchi

Direção de Criação: Gustavo Diehl e Sthefan Ko

Criação: Rafael Merel, José Neto, Gabriel Sotero e Ulisses Razaboni

Designers: Alexandre Kazuo, Alessandro Trimarco, Cesar Russo, Diego Canhisares, Elisa Rubio, Fabiano Pinel, Felipe Luchi, Felipe Pimentel, Gustavo Caldara, José Neto, Laura Aira, Pedro Gatringer, Renato Valim, Ricardo Garrido, Sthefan Ko, Thiago Fernandes, Ulisses Razaboni, Victor Chamas eVitor Lessa

Ilustração: Norte/Bernado Abreu e Estudiorama

VP de atendimento e operações: Wilson Negrini

Atendimento: Rodolfo Vettore, Stela Espindola e Renata Fioravanti

CSO: Renata Serafim

Estratégia: Murilo Chagas

Diretor geral de mídia: Thiago Ferraz

Mídia: Bruna Dantas, Suellen Kiss e Vitória Vaz

Direção de produção: Patricia Gaglioni

Animação: Rafael Ribeiro

Produção gráfica: Marcos Pedra e Alexandro Coelho

Art buyer: Ale Sarilho e Sabino

Retoque: André Santos

Cliente: Governo de São Paulo

Governador do Estado: Márcio França

Secretário de Cultura: Romildo Campello

Secretária-adjunta: Patrícia Penna

Chefe de gabinete: Alessandro Soares

Coordenadora da unidade de preservação do patrimônio museológico: Regina Ponte

Museu do Futebol

Gestão: IDBrasil Cultura, Educação e Esporte – Organização Social de Cultura

Presidente do conselho de administração: Carlos Luque

Diretor executivo: Erick Klug

Diretora administrativa e financeira: Vitoria Boldrin

Diretora de conteúdo: Daniela Alfonsi

Centro de referência do futebol brasileiro: Camila Aderaldo, Aira Bonfim, Ademir Takara, Julia Terin, Doris Régis e Ligia Dona

Comunicação e desenvolvimento institucional: Carolina Bianchi, Guilherme Costa, Ariana Marassi, Beatriz Aoki, Mônica Saraiva, Hugo Takeyama, Gabriele Martinez

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O percurso está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais. Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

Museu do Futebol homenageia seleção convocada para a Copa de 2018

Jogadores que representarão o Brasil na Rússia serão incluídos temporariamente na sala Anjos Barrocos, que homenageia os maiores nomes da equipe nacional; ação faz parte de intervenções ligadas à mostra “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”

A seleção que vai representar o Brasil no Mundial da Rússia será homenageada pelo Museu do Futebol. Como parte das intervenções temporárias relacionadas à exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”, a instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo adicionará jogadores atuais à sala Anjos Barrocos, que homenageia grandes nomes da história da seleção. O espaço tem 27 personagens fixos (25 do time nacional masculino, além de Marta e Formiga), e a partir do dia 14, esses nomes receberão companhia de atletas convocados para a Copa de 2018.

A proposta da sala é representar os jogadores como hologramas, efeito que demanda representação em grandes proporções. Cada tela de acrílico especial tem 3 metros de altura e 2m de largura. Os jogadores escolhidos fizeram história na seleção brasileira e tiveram impacto a ponto de mudar o futebol.

Inicialmente composta apenas por 25 grandes nomes da história da seleção masculina, a sala já havia passado por uma revisão em 2015, quando o Museu do Futebol fez um trabalho voltado à representatividade e abriu mais espaços para o futebol feminino. Nesse contexto, Marta e Formiga foram adicionadas ao espaço nobre.

A intervenção temporária deste ano faz parte de uma programação especial do Museu do Futebol para a Copa. O projeto também contempla a transmissão de todos os jogos do torneio em um telão na Sala Jogo de Corpo, espaço caracterizado por atrações interativas e lúdicas como o Chute a Gol e o Futebol Virtual.

Além disso, a área externa foi decorada com grandes bandeiras verticais que homenageiam os jogadores convocados para a Copa de 1958. O material faz parte da exposição temporária “A Primeira Estrela”, que fala sobre o primeiro título mundial conquistado pela seleção e o contexto social, econômico e cultural da época.

A exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” tem patrocínio do Banco Itaú, por meio da Lei Rouanet, e apoio da Epson. O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Exposição Temporária – A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Visitação: 05 de junho a 09 de setembro de 2018

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O percurso está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais. Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

Museu do Futebol leva mostra “Visibilidade para o Futebol Feminino” a Limeira, SP

Painéis e vídeos com conteúdo da exposição original poderão ser conferidos pelo público, de 04/06 a 31/07/2018, Museu Histórico e Pedagógico Major José Levy Sobrinho, com entrada gratuita

Em junho, o Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado, leva para Limeira a exposição itinerante “Visibilidade para o Futebol Feminino”. A mostra faz parte do projeto de mesmo nome, criado pelo museu em 2015, que uniu pesquisa, programação cultural, ações educativas e uma exposição temporária com o objetivo de ampliar a visibilidade da trajetória feminina no esporte mais popular do Brasil.

Hoje, o Museu se orgulha de possuir um vasto acervo sobre a modalidade, disponível para consulta na biblioteca em sua sede, no banco de dados online (http://dados.museudofutebol.org.br) e na exposição virtual de mesmo nome do projeto, na plataforma Google Arts&Culture.

A mostra ficará em cartaz no Museu Histórico e Pedagógico Major José Levy Sobrinho, instituição vinculada à Secretaria de Cultura do Município de Limeira. “Composta por 11 painéis e três vídeos com roteiro de Marcelo Duarte e narração de Claudete Troiano, a mostra foi feita especialmente para viajar para outras localidades e colaborar, assim, para tornar mais conhecida a participação feminina no futebol”, afirma Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu do Futebol.

Dentre os conteúdos abordados, a mostra conta que o futebol feminino foi relegado ao esquecimento, a ponto de haver o silêncio na mídia e o desconhecimento de que a prática da modalidade feminina chegou a ser proibida às mulheres por 39 anos, de 1941 a 1979, durante o Estado Novo. Além disso, leva à reflexão de que a modalidade, sem investimento por parte de clubes e federações e sem a memória afetiva da população, ficou relegada a uma prática para homens.

A itinerância resulta de ação com o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância ligada à Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, para a difusão de acervos e ampliação do acesso à cultura.

A exposição é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura gestora das atividades do Museu do Futebol, e conta com o apoio do SISEM-SP, CEME, Guerreiras Project, e apoio local do Museu Histórico e Pedagógico Major José Levy Sobrinho.

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Mostra itinerante “Visibilidade para o Futebol Feminino”

Museu Histórico e Pedagógico Major José Levy Sobrinho

Rua Boa Morte 471, Centro- Limeira, SP I SP Tel: (19) 3441-4805

Dias e horários de funcionamento: segunda a sexta, das 9h00 às 12h00 e das 13h00 às 16h00; fechado aos sábados, domingos e feriados.

Entrada gratuita.

MUSEU DO FUTEBOL

Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento:

Terça a domingo, 09h00 às 18h00

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu, consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais.

Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

Museu do Futebol promove oficina de animação sobre futebol

Evento gratuito com profissionais da Matiz Filmes vai ensinar o público a produzir personagens com massinha de modelar e criar filmes com uso de técnica de quadro a quadro

O futebol vai virar cinema animado. Essa é a proposta de uma oficina que a Matiz Filmes e o cineasta Ralph Friedericks promoverão no Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, no dia 19 de maio, sábado, a partir das 11h00. Na atividade, gratuita e direcionada a crianças a partir dos cinco anos, o público aprenderá a desenvolver personagens com massinha de modelar e transformar essas figuras em filme usando técnica de animação quadro a quadro.

A oficina terá cerca de duas horas de duração. Depois desse período, os participantes poderão levar para casa os bonecos e os filmes produzidos. Há apenas 30 vagas, e por isso o evento terá distribuição de senhas na bilheteria do Museu do Futebol, a partir das 10h00.

A Matiz Filmes é uma produtora baseada em São Paulo, e a empresa tem expertise em oficinas de cinema, vídeo, animação e foto. Ralph Friedericks, um dos sócios da empresa, tem trajetória como arte-educador e formação em publicidade e criação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

A técnica de animação quadro a quadro, escolhida por eles para a oficina no Museu do Futebol, utiliza personagens estáticos e cria roteiros a partir de sequências de fotos. Também conhecido como stop motion, esse processo foi a base de filmes como “O estranho mundo de Jack” (dirigido por Tim Burton em 1993), “A fuga das galinhas” (dirigido por Peter Lord e Nick Park em 2000) e “O fantástico senhor Raposo” (dirigido por Wes Anderson em 2009), por exemplo.

O uso do stop motion como recurso cinematográfico, contudo, é bem mais antigo. Em 1902, o francês George Mélies já havia usado a técnica para produzir o curta “Viagem à Lua”, que narra a trajetória de um foguete com tripulação humana.

O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria da Cultura do Estado e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Oficina de animação

Com Matiz Filmes e o cineasta Ralph Friedericks

Quando: 19 de maio de 2018, sábado, das 11h00 às 13h00

Quanto: Entrada gratuita, limitada a 30 participantes (retirada de senha na bilheteria do Museu do Futebol, a partir das 10h00)

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O passeio está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

MUSEU DO FUTEBOL

Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento:

Terça a domingo, 09h00 às 18h00

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu, consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário o uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais.

Museu do Futebol relembra o primeiro título mundial da seleção brasileira, em 1958

Exposição “A Primeira Estrela”, em cartaz a partir de 5 de junho, celebra 60º aniversário da conquista de 1958 e dá ao público a chance de ver a Copa que o país só ouviu pelo rádio

Quando a bola começar a rolar na Copa do Mundo da Rússia, as atenções de todo o mundo estarão voltadas ao futebol. A seleção brasileira mais uma vez ingressa no torneio como favorita, status de quem é pentacampeã e participou de todas as edições. Contudo, nem sempre foi assim, e esse é o mote da exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”, no Museu do Futebol a partir de 05 de junho. A instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo vai celebrar o maior evento do planeta relembrando os feitos da primeira conquista do mundial, conectando-a com o momento atual.

Montada no piso térreo, em um espaço com 220 metros quadrados, a instalação audiovisual e interativa proporcionará um mergulho no clima da Copa de 1958 e das transformações que ela trouxe ao futebol e ao país. Registros da concentração da seleção em Poços de Caldas (MG) feitos pelo fotojornalista Antonio Lúcio, cenas das partidas e do cotidiano brasileiro e depoimentos de seis campeões mundiais (Pelé, Nilton Santos, Bellini, Joel, Didi e Vavá), décadas depois do ocorrido, dão o tom da narrativa. As entrevistas foram retiradas do material dos cineastas João Moreira Salles e Arthur Fontes, do final dos anos 1990, e alguns trechos são inéditos ao público.

“É essencial o resgate e a valorização da história da Copa, promovendo um encontro de gerações tanto na exposição quanto entre os visitantes. O Museu do Futebol é muito importante para oferecer ao público a experiência de vivenciar a trajetória da modalidade no Brasil, com atuação que vai além da expografia: conta também com o centro de referência do futebol brasileiro, essencial para a formação e atualização do acervo do museu”, afirma Romildo Campello, secretário da Cultura do Estado.

Para trazer a emoção da primeira vitória brasileira em Copas, a partida final de 1958, entre Brasil e Suécia, será exibida em uma instalação audiovisual projetada no antigo túnel de acesso dos jogadores ao gramado do Estádio do Pacaembu. O filme é uma montagem de vários trechos recolhidos por diferentes TVs europeias que transmitiram o torneio, mixados com trechos de locuções de rádio no Brasil. A montagem foi um trabalho de garimpo feito por Carlos Augusto Marconi, apaixonado pela seleção brasileira.

“A Copa de 1958 não foi transmitida pela televisão no Brasil. Então, ‘A Primeira Estrela’ é uma chance de as pessoas verem o que o país só ouviu pelo rádio. É uma chance de conectar passado, presente e futuro, tendo como elos a beleza e a emoção que o futebol proporciona”, afirma Eric Klug, Diretor Executivo do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, organização social responsável pela gestão do Museu do Futebol.

O visitante verá a Taça Jules Rimet em uma vitrine virtual e poderá interagir com uma cena de 1958, um modo de entrar virtualmente no contexto daquela Copa. Os 22 convocados e membros da comissão técnica da seleção do futebol-arte, dentre os quais Pelé e Garrincha, dupla que começou naquela Copa sem ter perdido uma partida, serão homenageados e estamparão a fachada do Estádio, que recebe o nome do chefe da delegação daquela seleção: Paulo Machado de Carvalho.

“Esse é o papel da tecnologia para as nossas exposições: criar sensações que reverberem na memória afetiva de quem viveu aquele momento e, ao mesmo tempo, encantar quem desconhece nosso passado no futebol” comenta Daniela Alfonsi, Diretora de Conteúdo do Museu e co-curadora da mostra, ao lado do jornalista Roberto Benevides.

Celebrando a Copa e conectando passado e presente, o museu também fará intervenções na sua exposição principal, tais como a inclusão da seleção de 2018 na Sala Anjos Barrocos, a exibição da camisa histórica de 1958 que foi do jogador Moacir, além de chuteiras que pertenceram a ídolos de seleções mais recentes, como Daniel Alves, Kaká, Dida, Thiago Silva e Ronaldinho Gaúcho. Haverá também uma sala especialmente preparada para exibição dos jogos do mundial, com novas interatividades.

A exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” tem patrocínio do Banco Itaú, por meio da Lei Rouanet, e apoio da Epson. O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Exposição Temporária – A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Visitação: 05 de junho a 09 de setembro de 2018

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O percurso está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

CONFIRA A AGENDA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS E CULTURAIS DO MUSEU:

museudofutebol.org.br/visite/agenda/

OUTRAS FORMAS DE CONTATO:

Acompanhe o Museu do Futebol (museudofutebol) e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo (culturasp) nas redes sociais. Para conhecer a programação cultural de todo o Estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura: www.estadodacultura.sp.gov.br

Museu do Futebol vai exibir jogo final da Copa de 1958

Sessão especial da vitória brasileira sobre a Suécia homenageia os 60 anos do primeiro título mundial da seleção e integra programação cultural da mostra “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”

O Brasil vai celebrar na próxima sexta-feira (29) os 60 anos do primeiro título mundial conquistado pela seleção. E para marcar a data, o Museu do Futebol, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, preparou uma sessão especial com o jogo final da Copa de 1958. A vitória do Brasil por 5 a 2 sobre a Suécia será exibida às 12h00 (com reprises às 14h00 e às 16h00) em um telão na Sala Jogo de Corpo, espaço que já tem sido usado para transmitir os jogos do Mundial deste ano.

Marcada pela interatividade, a sala tem atrações como o Chute a Gol e o Futebol Virtual. Em 2018, recebeu também dispositivos interativos em que os visitantes podem produzir suas próprias figurinhas ou tirar fotos com uma versão virtual da taça da Copa. O espaço, que ainda conta com telão, arquibancada e lounge, tem sido um grande sucesso de público durante a Copa de 2018.

Na sexta-feira (29), dia em que não haverá jogos do Mundial da Rússia, o clima de Copa vai continuar. O jogo entre Brasil e Suécia é uma composição feita após trabalho de garimpo do engenheiro Carlos Augusto Marconi, 68, apaixonado pela seleção brasileira.

Por que o jogo final de 1958 é raro

Em 1958, quando o Brasil venceu a Copa pela primeira vez, o país ainda não tinha TV ao vivo ou videoteipe. Na época, portanto, a população local teve de esperar até o dia seguinte ao título para ver trechos do jogo contra a Suécia em formato 16 mm.

Marconi fez uma colagem com diferentes materiais até chegar ao conteúdo completo da final. O material é uma das principais atrações da exposição temporária “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958”, que está em cartaz no Museu do Futebol até 09 de setembro.

Exposição “A Primeira Estrela” também celebra título

A mostra temporária é uma chance de o Brasil ver a Copa que o país só ouviu pelo rádio. Trata-se de uma instalação audiovisual sobre o Mundial disputado na Suécia, que usa o futebol como linha narrativa para falar sobre questões como cultura, economia, política e construção da identidade nacional.

Na exposição, o jogo final da Copa de 1958 foi reproduzido no túnel de acesso ao gramado do estádio do Pacaembu. O percurso parte da sala em que a mostra temporária foi montada, onde anteriormente funcionava um dos vestiários.

Exposição temporária tem programação cultural

Entre um jogo e outro da Copa de 2018, o telão da Sala Jogo de Corpo já tem exibido uma programação cultural especial para este ano. A programação inclui filmes oficiais de Mundiais passados, animações e o documentário 10×10, que retrata dez jogadores brasileiros que usaram a camisa 10 e foram protagonistas do Canal 100.

A exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” tem patrocínio do Banco Itaú, por meio da Lei Rouanet, e apoio da Epson. O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Exibição do jogo final da Copa de 1958: Suécia 2 x 5 Brasil

Data: 29 de junho de 2018 (sexta-feira)

Horário: 12h00 (reprises às 14h00 e às 16h00)

Local: Sala Jogo de Corpo (Museu do Futebol)

Ingressos: R$ 12 (meia-entrada a R$ 6)

Exposição Temporária – A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Visitação: 05 de junho a 09 de setembro de 2018

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Sobre o Museu do Futebol

Inaugurado em setembro de 2008, o Museu do Futebol está instalado em uma área de 6,9 mil metros quadrados que fica embaixo das arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho, conhecido como Pacaembu. Trata-se de um espaço interativo, lúdico e multimídia, no qual a história do esporte mais popular do Brasil acaba se confundindo com a própria história do país.

A exposição de longa duração do equipamento está espalhada por 15 salas, com 1.500 imagens e cinco horas de vídeos. O percurso está alicerçado em três eixos (emoção, história e diversão).

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro recebem Orquestra Filarmônica de Valinhos

O concerto ‘Trilhas da Vida’ será apresentado no domingo, dia 10, às 16h00, na Série Museu com Orquestra; entrada é gratuita

A Série Museu com Orquestra retorna à programação do Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão (SP), – instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari, e traz ao palco a Orquestra Filarmônica de Valinhos (OFV) que apresentará um repertório de clássicos que irão encantar toda família.

O espetáculo conta com a especial presença do solista Guilherme Correia, spalla da Orquestra Municipal de Botucatu, e também da pianista Carol Rodrigues, além da regência da maestrina convidada, Renata Ortiz de Villate, natural de Campos do Jordão, e que contribuiu por vários anos para formação musical de jovens da cidade no Projeto Guri e na Fundação Lia Maria Aguiar. Renata idealizou e fundou a Orquestra Filarmônica Jovem de Campos do Jordão, que se apresentou dentro e fora da cidade, e fez história entrando por três anos consecutivos para a programação do melhor festival de música da América Latina, o Festival Internacional de Campos do Jordão.

Integrando a Temporada 2018 da OFV, o tema desta apresentação é “Trilhas da Vida”. É composta por músicas clássicas populares de diversos países que, certamente, já foram ouvidas pelo público em algum momento da vida, não necessariamente em uma sala de concerto. A sessão terá início com “Willian Tell”, do italiano Gioachino Rossini, seguido pelo consagrado tango de Carlos Gardel, “Por una Cabeza”, no arranjo de John Willimas e com o solo de violino de Guilherme Correa. Na sequência serão executadas “Dança Hungara 05 e 06”, de Johannes Brahms, “Marinera”, de San Miguel de Piura, e “Danzon nº 02”,  de Arturo Márquez. Encerra a apresentação “Extractos da Suite de Carmem”, de Georges Bizet.

Orquestra Filarmônica de Valinhos

A Sociedade Filarmônica de Valinhos foi fundada em 1997, porém, iniciou efetivamente sua atividade musical em meados de 2003, com a criação da Orquestra Experimental que, em 2004, dá lugar à Orquestra Filarmônica de Valinhos. Desde então, consegue significativa evolução em seu aspecto artístico – graças ao empenho dos maestros que estiveram à sua frente, como os regentes Luana Madeira Lamas, Moisés Cantos e Walter Nascimento. Atualmente é formada por aproximadamente 50 instrumentistas, um maestro titular, um maestro adjunto, além da diretoria, e é hoje reconhecida como um dos mais importantes bens culturais da cidade de Valinhos, se apresentando regularmente na cidade em espaços como o Teatro Multiuso da Câmara Municipal de Valinhos.

O endereço do Museu e Auditório é Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 – Campos do Jordão. No domingo, dia da apresentação, a entrada é gratuita. Nos outros dias o valor do ingresso é R$10,00, a meia R$5,00 (estudante e idoso). Conheça a política de gratuidade em www.museufelicialeirner.org.br/expediente-e-ingresso.

SERVIÇO

Série Museu com Orquestra – Apresentação da Orquestra Filarmônica de Valinhos

Data: 10/06/2018 (domingo)

Local: Museu Felícia Leirner – Auditório Claudio Santoro (Av. Dr. Luis Arrobas Martins, nº 1.880 Alto da Boa Vista – Campos do Jordão/SP)

Horário: 16h00

Informações: (12) 3662-6000

Entrada: gratuita

#SejaSolidário – os visitantes poderão contribuir com a doação de agasalhos e cobertores, que serão destinados a instituições de caridade do município

Museu Índia Vanuíre realiza sétima edição do Encontro Paulista Questões Indígenas e Museus

Evento acontece de 26 a 28 de junho, em Tupã (SP), e está com inscrições abertas pelo www.museuindiavanuire.org.br/inscricao/; programação deste ano discute “Políticas públicas para ampliação da gestão compartilhada”

De 26 a 28 de junho, o Museu Índia Vanuíre – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari – realiza a sétima edição do Encontro Paulista Questões Indígenas e Museus – VII EPQIM, em Tupã. O tema deste ano é “Políticas públicas para ampliação da gestão compartilhada” e pretende reunir pessoas envolvidas na gestão pública em debates, com o objetivo de avançar as discussões para o apoio de ações e programas que promovam relações entre a cultura indígena e os museus.

Nos três dias do evento, a bancada será composta por pesquisadores, indígenas e gestores, com a intenção de abordar as boas práticas de construção de políticas públicas voltadas para fortalecer os direitos indígenas ao museu e no museu. Também será abordada a valorização de iniciativas de criação de museus indígenas, incentivando diferentes formas de preservação patrimonial e práticas museográficas.

A abertura, no dia 26 de junho (terça-feira), contará com autoridades e lideranças indígenas. Representantes da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo estarão presentes na mesa de abertura, para uma apresentação panorâmica de distintos setores da Cultura, discussões sobre aproximações e complementaridade e preservação do patrimônio indígena e construções de memórias por meio dos museus, em face às ações públicas em vigor, muitas delas já configuradas como de larga duração. A mesa será coordenada pelo diretor do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), Davidson Kaseker.

Na sequência, o debate “Os indígenas no museu, o papel dos museus” mostra as expectativas dos indígenas sobre os museus, quais suas principais preocupações, como pensam as formas de representação de suas culturas e da formação de coleções para as futuras gerações. Os convidados representam os grupos parceiros do Museu Índia Vanuíre Kaingang, Krenak, Terena e Guarani das terras indígenas Vanuíre, Icatu, Araribá Apucarana. A coordenação será da responsável pelo Centro de Referência Kaingang e dos Povos Indígenas no Oeste de São Paulo, Andressa Anjos de Oliveira.

Em 27 de  junho (quarta-feira) a agenda começa com o debate “Museus Indígenas em São Paulo” que apresenta iníciativas indígenas de articulação para o desenvolvimento de museus e de suas etnias, como o Akãm Oram Krenak (Krenak) e o Museu Wowkriwig (Kaingang), na T.I. Vanuíre, e o Museu Nhandé Manduá-Aty (Guarani Nhandewa), na Aldeia Nimuendaju (T.I. Araribá). Quem media a ação é a educadora Lilian Budaibes Zorato.

Na parte da tarde, Marília Xavier Cury media a atividade “Os Museus e os Indígenas – buscando caminhos para a valorização indígena nos museus paulistas, apoiando os museus indígenas em São Paulo”. A Ela irá responder questões como “Qual é o lugar para os indígenas nos museus?”, “Onde os indígenas estão, em que museus, quais tipologias, como estão representados e como participam constitutivamente das instituições?”.

No último dia (28 de junho – quinta-feira), entra na agenda a discussão “Em Rede”, conduzida pela coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico, Regina Ponte, que busca caminhos para a valorização indígena nos museus paulistas, apoiando os museus indígenas por meio da articulação na gestão, parcerias, sistemas e redes. O tema “Plano Estadual de Cultura – protagonismo indígena: contribuições museais” e a palestra “Os Indígenas no Museu, o Papel dos Museus”, ministrada por Carlos Papá e coordenada pela diretora da ACAM Portinari, Angelica fabbri, encerram a programação.

As inscrições podem ser feitas pelo https://museuindiavanuire.org.br/inscricao/.

Programação:

VII Encontro Paulista Questões Indígenas e Museus

– “Questões Indígenas e Museus – políticas públicas para ampliação da gestão compartilhada”

Período: 26, 27 e 28 de junho de 2018

Local: Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre (Rua Coroados, nº 521 – Centro – Tupã/SP)

Data: 26/06/2018 (terça-feira)

Abertura com autoridades e lideranças indígenas

Mesa de abertura – “Representantes da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo”

Em face das ações públicas em vigor, muitas delas já configuradas como de larga duração, visamos uma apresentação panorâmica de distintos setores da Cultura, para discussões sobre aproximações e complementariedade, para a preservação do patrimônio indígena e construções de memórias por meio dos museus.

– Patrícia Penna – Secretária-Adjunta da Secretaria da Cultura do Estado

– Maria Thereza Susano Ortale – Assessoria do Gabinete

– Sandra Regina Gomes – Assessoria do Gabinete

– Antonio Maurício Fonseca de Oliveira – ProAC

– Efren Colombani – Assessoria de Gêneros e Etnias

– Regina Ponte – Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico

Coordenação: Davidson Panis Kaseker

Debate – “Os Indígenas no Museu, o Papel dos Museus”

Torna-se importante a consulta aos indígenas sobre suas expectativas sobre os museus, quais as principais preocupações, o que esperam dos museus, como pensam as formas de representação de suas culturas, de formação de coleções para as futuras gerações e outros aspectos da participação indígena nos processos de musealização. O debate é um espaço de colocação, visando (re)formulações presentes e futuras. Os convidados representam os grupos parceiros do Museu Índia Vanuíre e apresentarão suas reflexões.

– Representação Kaingang

T.I. Icatu – Ana Paula Victor Campos, Carlos Roberto Indubrasil, Rafael Pedro Iaiati, Ronaldo Iaiati, Rosemeire Iaiati Indubrasil

T.I Vanuíre – Dirce Jorge Lipu Pereira, Susilene Elias de Melo, Itauany Larissa de Melo Marcolino, Ana Carolina Jorge, José da Silva Campos

T.I. Araribá, Aldeia Kopenoty – Evelin Cristina Rodrigues, Hilda Umbelino

TI Apucarana – Lucilene de Melo, Gelson Galdino Campolim, Cleuza dos Santos Galdino

– Representação Guarani Nhandewa

T.I. Araribá, Aldeia Nimuendaju – Vanderson Lourenço, Samuel de Oliveira Honório, Claudinei de Lima

– Representações Terena

T.I. Icatu – Rodrigues Pedro, Candido Mariano Elias, Edilene Pedro, Márcio Pedro

T.I. Araribá, Aldeia Ekeruá – Jazone de Camilo, Gerolino José Cezar, Admilson Felix, Afonso Lipú, David Henrique da Silva Pereira

T.I. Araribá, Aldeia Kopenoty – Cleber Silva Felix, Dario Machado

– Representação Krenak

T.I Vanuíre – Lidiane Damaceno Cotui Afonso, Mateus Vieira Rodrigues, Helena Cecilio Damaceno, João Batista de Oliveira

Coordenação: Andressa Anjos de Oliveira

Data: 27/06/2018 (quarta-feira)

Debate – “Museus Indígenas em São Paulo”

O Estado de São Paulo, especialmente o Centro-Oeste e o Oeste paulista, vem presenciando a criação e a consolidação de museus indígenas como formas legítimas de fortalecimento e resistência cultural. Cada museu é único e no debate queremos conhecer mais das particularidades dos museus indígenas em implantação e funcionamento. É também uma oportunidade de conhecer suas demandas para a Cultura.

– Akãm Oram Krenak (Krenak), T.I. Vanuíre – Fabiana Damaceno de Oliveira, William Piui Afonso, Gabriel Damaceno da Silva

– Museu Nhandé Manduá-Aty (Guarani Nhandewa), T.I. Araribá, Aldeia Nimuendaju – Gleyser Alves Marcolino, Tiago de Oliveira, Josias Marcolino

– Museu Wowkriwig (Kaingang), T.I. Vanuíre – Dirce Jorge Lipu Pereira, Susilene Elias de Melo, Itauany Larissa de Melo e Ana Carolina Jorge

Coordenação: Lilian Budaibes Zorato

Debate – “Os Museus e os Indígenas – buscando caminhos para a valorização indígena nos museus paulistas, apoiando os museus indígenas em São Paulo”

Qual é o lugar para os indígenas nos museus? Onde os indígenas estão, em quais museus, quais tipologias, como estão representados, como participam constitutivamente das instituições? Essas e tantas outras questões fazem parte do debate que busca a visibilidade e  valorização das culturas indígenas nos museus do estado de São Paulo. Nesse contexto, espera-se uma reflexão sobre o futuro que se reserva para os museus indígenas.

– Regina Celia Pousa Pontes, Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico – UPPM

Coordenação: Marília Xavier Cury

Data: 28/06/2018 (quinta-feira)

Debate – Em Rede

Buscando caminhos para a valorização indígena nos museus paulistas, apoiando os museus indígenas – gestão, parcerias, sistemas e redes

– Maria Augusta Assirat – CTI – Centro de Trabalho Indigenista, SP

– Angelica Fabbri – ACAM Portinari

– Tamimi D. R. Borsatto e Andressa Anjos de Oliveira – Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre

– Davidson Panis Kaseker – Sisem-SP

Coordenação: Regina Celia Pousa Pontes

Debate – “Plano Estadual de Cultura – protagonismo indígena: contribuições museais”

O VII EPQIM mostra-se, neste momento, como um cenário para o levantamento de questões e temas para o Plano Estadual de Cultura. Dessa forma, se realizará uma explanação sobre o Plano e consulta aos presentes.

Coordenação: Secretaria de Estado da Cultura

Palestra de encerramento – “Os Indígenas no Museu, o Papel dos Museus”

– Carlos Papá

O protagonismo dos indígenas no museu está acontecendo e deve se ampliar. Nesse sentido, queremos conhecer visões indígenas e possibilidades para a consolidação desse processo.

Coordenação: Angelica Fabbri

Museus da Secretaria participam de mostra de cinema sobre transexualidade

TRANSdocumenta abordará desafios da população LGBTI+, com programação gratuita no Museu da Diversidade Sexual, Casa das Rosas e MIS; evento faz parte de agenda do Governo do Estado sobre direitos humanos realizada ao longo de 2018

De 28 de junho a 09 de julho, o Museu da Diversidade Sexual, a Casa das Rosas e o Museu da Imagem e do Som – MIS, participam do TRANSdocumenta, mostra que irá discutir assuntos ligados à transexualidade por meio de exibição de documentários, debates, exposições fotográficas, entre outras atividades. O evento é parte da agenda de direitos humanos “O Mundo que Queremos”, do Governo do Estado, por meio da Assessoria Especial para Assuntos Internacionais (AEAI), em parceria com a ONU, e da campanha “Sonhar o Mundo”, realizada pelos museus da Secretaria da Cultura do Estado.

A abertura será na quinta-feira, 28, no Red Bull Station. Durante o evento, além de conferir a exposição fotográfica “Com Muito Orgulho”, o público terá a oportunidade de acompanhar o lançamento do projeto “Memórias da Diversidade”, apresentado por Franco Reinaudo, diretor do Museu da Diversidade Sexual. A iniciativa traz depoimentos de pessoas LGBTIs com mais de 65 anos de idade. Também participa da cerimônia, Ana Paula Fava, assessora especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo, que irá discursar sobre o tema. Os interessados em participar da abertura devem se inscrever aqui. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas.

O objetivo da mostra é promover o diálogo e o debate abordando os desafios enfrentados pela população LGBTI+. Para isso, a programação inclui também rodas de conversas com diretores dos documentários que serão exibidos ao longo da semana, pocket shows e a feira “Ocupa Diversa”, com peças de empreendedores LGBTI+.

Entre os documentários, estão curtas e longa-metragens nacionais e internacionais. Dirigido por Chico Santos e Rafael Mellim, o curta-metragem de ficção “Estamos Todos Aqui” abrange a transexualidade e explora a realidade dos moradores das favelas, por meio de Rosa Luz, líder da Favela da Prainha, localizada no litoral sul de São Paulo. Premiado, foi considerado o melhor curta-metragem pelos júris da 21ª Mostra de Tiradentes e pelo 25º Festival Mix Brasil.

Produção holandesa, com direção de Daniel Abma, “Transit Havana” se passa em Cuba e conta a história de três transexuais que aguardam na fila de espera para realizar a cirurgia genital, realizada por cirurgiões europeus e organizada por Mariela Castro, filha do presidente. Além destes, serão apresentados os brasileiros “Quarto Camarim”, “Meu Nome é Jacque” e “Meu Corpo é Político”; os canadenses “Last Chance” (Última Chance), “My Prairie Home” (Meu Lar nas Pradarias) e o alemão “Auf der Anderen Seite” (Do Outro Lado).

Confira a programação completa da mostra TRANSdocumenta:

RED BULL STATION

28 de junho, quinta-feira

19h00 às 22h00

Praça da Bandeira, 137, Centro, São Paulo

(11) 3107-5065

www.redbullstation.com.br

 Abertura oficial da Mostra TRANSdocumenta

Exposição de fotografias Com Muito Orgulho, do Museu da Diversidade Sexual

Exibição do documentário “Estamos Todos Aqui” e conversa com os diretores

O curta de ficção abrange a questão da transexualidade, além de explorar a realidade dos moradores das favelas usando a personagem Rosa Luz como líder da Favela da Prainha, litoral sul de São Paulo. O papel de Rosa permite esclarecer os constantes desafios de discriminação sexual que tentam superar pessoas LGBTs de periferias do Brasil. Duração: 22 min | Direção: Chico Santos e Rafael Mellim (Brasil) | Classificação: 12 anos

Lançamento do projeto Memórias da Diversidade

Coquetel com pocket show

MUSEU DA DIVERSIDADE SEXUAL

Estação República do Metrô – piso Mezanino

Rua do Arouche, 24, República – São Paulo

(11) 3882-8080

www.mds.org.br

29 de junho, sexta-feira

16h00 – Exibição do documentário “Last chance” (Última Chance)

Este documentário conta a história de cinco pessoas que buscam por asilo e fogem de seus países de origem para escapar da violência LGBTfóbica. Eles enfrentam obstáculos para chegarem até o Canadá, temem deportação e aguardam ansiosamente uma decisão que irá mudar suas vidas para sempre. Duração: 84 min | Direção: Paul-Émile d’Entremont (Canadá) | Classificação: 14 anos

18h00 – Exibição do documentário “Quarto Camarim”

O documentário apresenta a busca da diretora por a sua tia transexual depois de 6 anos sem contato. Desenvolvendo a temática da comunidade LGBT no papel da tia, o roteiro lida as ideias sociais e políticas que envolvem a controvérsia e os preconceitos da transexualidade com uma abordagem artística e familiar. Duração: 101 min | Direção:  Fabrício Ramos e Camele Queiroz (Brasil) | Classificação: 12 anos

30 de junho, sábado

16h00 – Exibição do documentário “Meu Nome é Jacque”

O documentário apresenta a história de uma mulher transexual lidando com a AIDS há mais de 20 anos. Reflete as questões da transfobia e da exclusão social contra as quais a protagonista luta. A diretora tentou expor a realidade da comunidade LGBT esforçando-se para quebrar os paradigmas usando o exemplo pessoal da ativista Jacque. Duração: 72 min | Direção: Angela Zoé (Brasil) | Classificação: 12 anos

 18h00 – Exibição do documentário “Auf der anderen Seite” (Do outro lado)

Inicialmente, Nejat (um personagem andrógino) não aprova o relacionamento de seu pai com a prostituta Yeter, o que muda quando ele descobre que o pai envia constantemente dinheiro para a Turquia no intuito de pagar os estudos da filha dela, Ayten. Nejat cresce apaixonado por Yeter, mas sua repentina morte faz com que ele se afaste de seu pai. Nejat decide ir a Istambul para procurar Ayten, descobrindo que ela se tornou uma ativista política e está na Alemanha. Duração: 120 min | Direção: Fatih Akin (Alemanha) | Classificação: 12 anos

CASA DAS ROSAS

Av. Paulista, 37, Bela Vista – São Paulo-SP

Estação Brigadeiro do Metrô (850m)

(11) 3285-6986 | (11) 3288-9447

www.casadasrosas.org.br

01 de julho, domingo

13h00 – Exibição do documentário “Meu Corpo é Político” e conversa com a diretora Alice Riff

Vivenciado o dia a dia ao lado de diversos ativistas LGBTs moradores das periferias de São Paulo, o documentário faz um panorama do contexto social em que os personagens estão inseridos. Além disso, levanta questões sobre a população trans no Brasil e suas disputas políticas. Duração: 72 min | Direção: Alice Riff (Brasil) | Classificação: 12 anos

16h00 – Exibição do documentário “Transit Havana

Em Havana, as transexuais Odette, Juani e Malú aguardam cirurgia genital – realizada por cirurgiões de primeira linha e organizada pela filha do presidente, Mariela Castro. Novas possibilidades enfrentam problemas antigos: as pessoas trans cubanas encontrarão felicidade apesar da intolerância, pobreza e prostituição? Duração: 86 min | Direção: Daniel Abma (Holanda) | Classificação: 18 anos

05 de julho, quinta-feira

20h00 – Exibição ao ar livre do documentário “My prairie home” (Meu Lar nas Pradarias)

Neste documentário-musical feito por Chelsea McMullan, a pessoa não-binária de gênero fluído cantora indie Rae Spoon nos leva em uma viagem lúdica, meditativa e melancólica, às vezes. Com imagens majestosas das expansões infinitas das pradarias canadenses, o filme apresenta Spoon cantando sobre seu amadurecimento de gênero e musical. Entrevistas, performances e sequências musicais revelam processo de inspiração de Spoon de construir uma vida própria, como uma pessoa trans e como músico. Duração: 77 min | Direção:  Chelsea McMullan (Canadá)

MUSEU DA IMAGEM E DO SOM – MIS

Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo-SP

(11) 2117-4777

www.mis-sp.org.br

09 de julho, segunda-feira

Auditório

Exposição de fotografias COM MUITO ORGULHO, mostra do Museu da Diversidade Sexual

14h00 – Exibição do documentário “Transit Havana”

16h00 – Exibição do documentário “Estamos Todos Aqui”

17h00 – Exibição do documentário “Auf der anderen Seite” (Do outro lado)

18h30 – Exibição do documentário “Bicha Preta”

Bicha Preta aborda os aspectos socioculturais que auxiliam na marginalização da negritude, especificamente em relação ao indivíduo homossexual e contribui relatando a diversidade de expressões e lutas dentro de um mesmo movimento, trazendo a público nova reflexões e deixando marcado na história, vivências antes nunca documentadas. Duração: 23 min | Direção: Thiago Rocha | Classificação: 12 anos

Área externa

12h00 às 18h00 – Feira de expositores LGBTI+ e pocket shows

 

O Mundo Que Queremos

A Assessoria Especial para Assuntos Internacionais do Governo do Estado de São Paulo e a Rede Brasil do Pacto Global promovem ao longo deste ano a agenda “O Mundo Que Queremos”, que comemora os 70 anos da Declaração Universal do Direitos Humanos, assinada pela ONU em 10 de dezembro de 1948. #SmashTheGlass, que tratou a igualdade de gênero e violência contra a mulher na Pinacoteca, e “Abolição – 130 anos depois”, realizado no Museu Afro Brasil, com foco na população negra e igualdade racial, foram as primeiras ações da agenda.  A Pinacoteca e o Museu Afro Brasil são museus da Secretaria da Cultura do governo paulista.

Sonhar o Mundo

A Secretaria da Cultura realiza, desde 2015, a campanha “Sonhar o mundo – museus e Direitos Humanos” a partir de uma programação específica e ações na mídia na semana dos Direitos Humanos nos museus do Estado de São Paulo. Em 2018, a Secretaria da Cultura se une à agenda “O Mundo que Queremos”, objetivando realizar uma programação ao longo do ano para celebração dos 70 anos da Declaração dos Direitos Humanos.

Museus-casa literários de São Paulo realizam exposições especiais nas férias

A Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, composta por Casa das Rosas, Casa Mário de Andrade e Casa Guilherme de Almeida, apresenta três novas exposições que permanecem nos espaços até agosto. As mostras “Tipoeta: Guilherme Mansur”, “Artistas Italianos na Coleção Mário de Andrade” e “Robert Musil em letra e imagem” trazem ao público trabalhos de importantes artistas que dialogam com literatura e/ou o patrono dos museus-casas.

A Casa das Rosas apresenta na exposição Tipoeta – Guilherme Mansur a obra de um dos mais importantes editores e artistas gráficos brasileiros, inserindo-a no contexto das produções poéticas experimentais. A mostra, em cartaz até 26 de agosto, ressalta a estreita relação entre Guilherme Mansur e Haroldo de Campos, não apenas identificada pela produção poética, mas também pelas diversas edições nas quais trabalharam em conjunto, tais como Gatimanhas e felinuras e Escrito sobre Jade. A exposição tem curadoria de Flávio Vignoli e Mario Alex Rosa.

Mário de Andrade (1893-1945) formou uma significativa coleção de obras de artistas italianos ou ítalo-brasileiros. A Casa Mário de Andrade, em parceria com o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo, exibe até 4 de agosto a mostra Artistas italianos na coleção Mário de Andrade, uma seleção de reproduções do acervo do escritor que celebram a importância da produção artística da Itália para o desenvolvimento técnico e temático das artes do Brasil. Entre os destaques da mostra estão O Japonês, tela de Anita Malfatti, O Índio em Pé, gravura de Cândido Portinari e Pietá, desenho de Victor Brecheret enviado em uma correspondência endereçada ao poeta modernista.

Considerado um dos mais importantes romancistas modernos, Robert Musil inspira exposição na Casa Guilherme de Almeida. Por ocasião do lançamento da primeira tradução brasileira de “Uniões” (1911), o museu-casa realiza, até 21 de setembro, a mostra Robert Musil em letra e imagem, com 17 gravuras criadas por Maria Tomaselli, Marcos Sanches e Raúl Cassou, que ilustram a edição brasileira da obra. “A exposição faz o vínculo entre a sensorialidade da imagem e o processo da leitura. Tenho absoluta certeza que as sugestões das gravuras dão vislumbres interessantes, que tornarão a leitura dessas intrigantes histórias ainda mais interessantes”, explica Kathrin Rosenfield, curadora e cotradutora do livro.

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização não governamental que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SERVIÇO

Artistas italianos na coleção Mário de Andrade

Visitação até 4/8. Terça-feira a sábado, das 10h00 às 18h00.

Local: Casa Mário de Andrade | Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda 

Tipoeta – Guilherme Mansur

Visitação até 26/8. Terça-feira a sábado, das 10h00 às 22h00. Domingos e feriados, das 10h00 às 18h00.

Local: Casa das Rosas | Avenida Paulista, 37 – Paraíso.

Robert Musil em letra e imagem

Visitação até 21/9.  Terça-feira a domingo, das 10h00 às 18h00.

Local: Casa Guilherme de Almeida – Anexo | Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Sumaré.

Na Pinacoteca, mostra que investiga a importância da representação do artista e seu trabalho na arte brasileira

Conjunto de 120 obras, produzidas entre o século 19 e início do século 20, de 35 diferentes artistas, traz imagens de ateliê, retratos e autorretratos

Abertura: 8 de dezembro de 2018, sábado, às 11h

Em cartaz: até 25 de fevereiro de 2019

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta, de 8 de dezembro de 2018 até 25 de fevereiro de 2019, a exposição Trabalho de artista: imagem e autoimagem (1826-1929), que ocupa quatro salas do 1º andar da Pina Luz. Com concepção curatorial de Fernanda Pitta, da Pinacoteca de São Paulo, e co-curadoria de Ana Cavalcanti (UFRJ) e Laura Abreu (MNBA), a exposição apresenta um conjunto de cerca de 120 obras – pinturas, esculturas, gravuras e desenhos. São 36 autores, mulheres e homens, que representaram seu trabalho e suas figuras  de artista, entre o século 19 e início do século 20, período em que se constitui o sistema artístico moderno no Brasil.

A exposição, patrocinada pelo Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, foi organizada em torno de quatro eixos: Criação e ofício, O ateliê como motivo, A persona do artista (retratos e autorretratos) e O artista e a modelo. O conjunto traz obras que, mais do que o simples exercício da representação de retratos e autorretratos ou de cenas pitorescas de ateliê, representam o esforço de gerações de artistas para apresentar ao público sua imagem e seu trabalho, sua persona e seu universo de criação, legitimando sua presença na cultura  brasileira. Obras como Longe do lar (1884), de Benedito Calixto e O importuno (1898), de Almeida Júnior, ambas pertencentes à coleção da Pinacoteca, são testemunho da autoconsciência dos artistas em construir uma imagem pública de si e de seu ofício.

Integram também  obras provenientes de 25 coleções privadas e públicas, incluindo o Museu D. João VI (Rio de Janeiro), Museu de Arte de Belém e o Museu de Arte de São Paulo. Além delas, a mostra apresenta ainda fotografias de ateliês, revistas ilustradas com reportagens sobre a vida de pintores e escultores brasileiros, álbuns de artistas, e os primeiros livros dedicados à história da arte e dos artistas no Brasil, como Belas Artes: estudos e apreciações, de Felix Ferreira (1885), A Arte Brasileira: pintura e escultura, (1888) de Gonzaga Duque, e a primeira edição da biografia de Antonio Parreiras, História de um pintor contadas por ele mesmo, (1881-1926), de 1926.

O conjunto propõe demonstrar que a estratégia, usada pelos artistas da época, de construir uma imagem de si mesmos e de seu trabalho significava elevar seu próprio status na sociedade brasileira, tradicionalmente marcada pela desvalorização de todos os ofícios ligados ao artesanato e ao esforço manual. Evidencia também as exigências contraditórias de uma formação artística oferecida pelo sistema acadêmico, dirigida para a pintura de história ou para o monumento público, que também requisitava ao artista que se afirmasse como profissional “em exposição”, que deveria construir sua imagem e reputação, para concorrer num mercado pouco a pouco em expansão.

ARTISTAS PARTICIPANTES

Abgail de Andrade, Amadeu Zani, Antonio Parreiras, Arthur Timótheo da Costa , Beatriz Pompeu de Camargo, Benedito Calixto, Benjamin Parlagreco, Carlos Chambelland, Carlos De Servi, Dario Villares Barbosa, Edgard Parreiras, Eliseu Visconti, Eugênio Latour, Gaston Gérard, Georgina de Albuquerque, Giuseppe Leone Righini, Henrique Bernardelli, José Ferraz de Almeida Júnior, Lucilio de Albuquerque, Marques Campão, Modesto Brocos, Nicolas Antoine Taunay, Numa Camille Ayrinhac, Oscar Pereira da Silva, Pedro Américo, Pedro Peres, Pedro Weingartner, Rafael Frederico, Regina Veiga, Rodolfo Amoedo, Rodolpho Bernardelli, Theodoro Braga e Theodoro de Bona.

SERVIÇO

Trabalho de artista: imagem e autoimagem (1826-1929)

Curadoria de Fernanda Pitta (Pinacoteca), Ana Cavalcanti (Escola de Belas Artes, UFRJ) e Laura Abreu (Museu Nacional de Belas Artes), assistência de curadoria de Khadyg Fares

Abertura: 8 de dezembro de 2018, sábado, às 11h

Visitação: de 8 de dezembro de 2018 até 25 de fevereiro de 2019

De quarta a segunda, das 10h às 17h30 – com permanência até as 18h

Pinacoteca: Praça da Luz 2, São Paulo, SP

Ingressos: R$ 6,00 (entrada); R$ 3,00 (meia-entrada para estudantes com carteirinha)

Menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento *.

Aos sábados, a entrada da Pina é gratuita para todos.

A Pina Estação é gratuita todos os dias.

Amigo da Pina tem acesso ilimitado, além de desconto na loja e no café. Também pode participar de visitas guiadas e outros eventos com a equipe da Pinacoteca. Para saber mais sobre o programa, acesse: http://pinacoteca.org.br/apoie/amigos-da-pina/

* A partir do dia 2 de janeiro de 2019, o ingresso passará a custar R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada).

Não perca o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão!

OSESP sob a regência de sua diretora musical e regente titular Marin Alsop (foto: Divulgação)

Tradição em julho, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão chega à sua 49ª edição em 2018 e é uma ótima opção cultural para as férias de inverno. Começou no dia 30 de junho e segue até o último domingo de julho, dia 29, oferecendo ao público uma intensa programação, com apresentações em palcos da cidade de Campos do Jordão (Auditório Claudio Santoro, Praça do Capivari, Capela do Palácio Boa Vista e Igreja de Santa Terezinha) e de São Paulo (Sala São Paulo).

Maior evento de música clássica da América Latina, o Festival oferece uma extensa programação de concertos para todos os gostos e plateias. Grandes obras do repertório sinfônico e camerístico, recitais solo e música coral estão entre as atrações imperdíveis do evento.

O 49º. Festival de Inverno de Campos traz ao público 90 concertos sinfônicos e de câmara, sendo 68 gratuitos, com a participação de prestigiados artistas nacionais e internacionais e, ainda, de grupos formados pelos bolsistas do festival que se apresentam com seus professores.  Ao todo, esta edição contará com 198 bolsistas originários de vários locais do Brasil e do mundo, selecionados dentre os inscritos.

Os ingressos gratuitos estarão disponíveis de acordo com o local do espetáculo e os pagos variam de R$ 10,00 a R$ 100,00.

Mais informações: http://www.festivalcamposdojordao.org.br/

Programação completa: http://www.festivalcamposdojordao.org.br/programacao/

Ingressos: http://www.festivalcamposdojordao.org.br/ingressos/

Artistas e professores da temporada: http://www.festivalcamposdojordao.org.br/artistas

 

 “Orquestra do Festival”, formada por bolsistas, com regente Sian Edwards em ensaio de 2015 (foto: Divulgação)

 

 

 

Não perca! Projeto Guri abre vagas para cursos de música no dia 18 de junho

O Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – abre matrículas para cursos gratuitos de música. As inscrições serão realizadas de 18 a 29 de junho. Crianças e adolescentes de 6 a 18 anos podem se inscrever nos polos de ensino do interior e litoral de São Paulo. São mais de 30 opções de cursos de música gratuitos.

Para realizar a matrícula, os interessados devem comparecer ao polo em que desejam estudar, acompanhados dos responsáveis, portando RG ou certidão de nascimento e comprovante de matrícula escolar e/ou declaração de frequência escolar referente ao primeiro semestre de 2018. Não é preciso ter conhecimento prévio de música, nem possuir instrumentos ou realizar testes seletivos. As aulas começam de acordo com a data de inscrição de cada aluno**.

*Em alguns polos as matrículas podem ocorrer em datas diferentes.

**Consulte cursos, vagas disponíveis, data de início das aulas e horário de funcionamento diretamente com o polo de sua cidade. Para mais informações acesse www.projetoguri.org.br/matriculas/

Projeto Guri – Crédito: Divulgação

Newsletter

[newsletter]

No Dia de São João, quinteto Xaxado Novo lança CD no MCB

O grupo de música nordestina com influência cigana e árabe se apresenta no dia 24 de junho, domingo, às 11h00 – entrada gratuita 

Grupo Xaxado Novo (Foto: Jimmy Bro)

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida pela Organização Social A CASA museu do objeto brasileiro, traz a música nordestina no Dia de São João, 24 de junho, domingo, às 11h00, com o grupo Xaxado Novo em uma apresentação especial gratuita para lançamento do CD “Xaxado Novo Ao Vivo”.

Formado em 2013, o grupo vai além da sonoridade e se caracteriza com figurino regional durante os shows, entre chapéus e coletes que remetem aos caboclos, vaqueiros e cangaceiros. Em 2016, o grupo lançou o seu primeiro álbum, “Sertão Cigano”, com músicas próprias e releituras.

Composto por músicos pesquisadores de culturas tradicionais, o Xaxado Novo tem influências da história de diversos povos, como os ciganos e árabes, grupos fomentadores da música nordestina. Além disso, há a valorização de tradições ao utilizar instrumentos como a rabeca, que se espalhou pelo Nordeste no século XVIII, e também do souzafone, o surdo de samba e o davul.

Sobre o projeto Música no MCB

Com edições contínuas desde 1999, o projeto Música no MCB já beneficiou mais de 240 mil pessoas, que tiveram acesso gratuito a shows de grupos como Pau Brasil, Zimbo Trio, Projeto Coisa Fina, Orquestra Bachiana Jovem, Grupo Aum, Mawaca e Traditional Jazz Band, entre outros. As apresentações, que acontecem em palco montado no terraço do Museu da Casa Brasileira entre os meses de março e dezembro, reúnem atualmente cerca de 400 espectadores em média a cada domingo.

Sobre o MCB

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, dedica-se à preservação e difusão da cultura material da casa brasileira, sendo o único museu do país especializado em arquitetura e design. A programação do MCB contempla exposições temporárias e de longa duração, com uma agenda que possui também atividades do serviço educativo, debates, palestras e publicações contextualizando a vocação do museu para a formação de um pensamento crítico em temas como arquitetura, urbanismo, habitação, economia criativa, mobilidade urbana e sustentabilidade. Dentre suas inúmeras iniciativas, destacam-se o Prêmio Design MCB, principal premiação do segmento no país, realizado desde 1986; e o projeto Casas do Brasil, de resgate e preservação da memória sobre a rica diversidade do morar no país.

SERVIÇO

Música no MCB – 19ª temporada

Junho

24/06 – Xaxado Novo

Julho

01/07 – Banda Infanto Juvenil do Guri

08/07 – Noneto de Casa

22/07 – Christianne Neves e Vozes – Retalhos do Brasil

29/07 – OABAND, Big Band da OAB-SP – Regência Maestro Antunes

Entrada gratuita 

Dia e Horário: Domingos, sempre às 11h00

Local: Museu da Casa Brasileira

Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano

Tel.: (11) 3032.3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h00 às 18h00
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) | Crianças até 10 anos e maiores de 60 anos são isentos | Pessoas com deficiência e seu acompanhante pagam meia-entrada
Gratuito aos finais de semana e feriados

Acessibilidade no local
Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3026.3913 | agendamento@mcb.org.br | www.mcb.org.br

Notas Contemporâneas do MIS recebe o cantor e compositor Toquinho em junho

O autor de grandes clássicos da música brasileira, como Aquarela e Tarde em Itapuã, recebe o público para um bate-papo musical sobre sua carreira, enquanto a Banda MIS interpreta suas canções.  Evento acontece no dia 20, quarta-feira, às 20h00, com entrada gratuita

Em Junho, o programa Notas Contemporâneas do MIS, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, convida o cantor e compositor Toquinho – autor de grandes clássicos da música brasileira, como Aquarela, O Caderno e Tarde em Itapuã, para um bate-papo sobre sua carreira, mediado por Cleber Papa, curador do projeto, enquanto a Banda MIS interpreta seus sucessos no palco. O público presente poderá interagir e enviar perguntas a Toquinho durante o evento.

O Notas Contemporâneas acontece no dia 20 de junho, às 20h00, no Auditório MIS (172 lugares). O ingresso, gratuito, deve ser retirado com 1h de antecedência na bilheteria do Museu.

Sobre o artista

Nascido em São Paulo no dia 6 de julho de 1946, com o nome de Antonio Pecci Filho, na primeira infância a mãe o chamava de “meu toquinho de gente”. E o apelido Toquinho permaneceu, identificando-o depois como um dos mais expressivos artistas da música popular brasileira. Começou cedo a se interessar pelo violão. Aos 14 anos já tinha aulas com seu principal mestre, Paulinho Nogueira, que o introduziu no caminho do violão, quando compreendeu a descoberta da passagem do acompanhamento para o solo. Então, com Edgard Gianullo, enriqueceu conhecimentos harmônicos, e aprimorou esses conhecimentos em função da amizade com Oscar Castro Neves.

Em meio a apresentações amadoristas em clubes e faculdades, levado por Paulinho Nogueira, Toquinho iniciou sua carreira durante os anos de 1964 e 1965. No que se refere a Toquinho, a atividade profissional passou a ser mais palpável e definida a partir de um show realizado em São José do Rio Preto, quando recebeu seu primeiro cachê. Naquela época, o radialista Walter Silva soube como reunir artistas como Elis Regina, Zimbo Trio, Marcos Valle, Bossa Jazz Trio, Taiguara, Ivete, Tuca, Geraldo Cunha, Chico Buarque, e aproveitar e expandir seus talentos em marcantes shows no palco do Teatro Paramount. Toquinho cultiva até hoje com Chico Buarque uma forte amizade iniciada aos 17 anos, época em que compuseram juntos a canção “Lua cheia”, a primeira melodia de Toquinho a receber uma letra, e que se constituiria, em 1967, na sua primeira canção gravada em disco, no LP da RGE, Chico Buarque de Holanda – Volume 2. Experimentaria a emoção de ter seu primeiro LP gravado pela Fermata, um LP instrumental: O Violão do Toquinho. Assina contrato com a Excelsior para o programa “Ensaio Geral”, comandado por Gilberto Gil, e depois participa dos grandes musicais da TV Record e de seus importantes Festivais da Canção Popular. Em 1970, compôs, com Jorge Ben, seu primeiro grande sucesso, Que Maravilha. Ainda nesse ano, Vinicius de Moraes o convidou para participar de espetáculos em Buenos Aires, formando uma sólida parceria que durou onze anos (e encerrou-se com a morte de Vinicius de Moraes), 120 canções, 25 discos e mais de mil espetáculos. Entre as composições da parceria destacam-se: O Bem-amado, Como dizia o poeta, Carta ao Tom 74, entre outras. Já em 1983, compôs seu grande sucesso: Aquarela.

Sobre o Programa Notas Contemporâneas

O projeto mensal, com curadoria de Cleber Papa, registra depoimentos de compositores e intérpretes icônicos da música popular brasileira. O programa se divide em duas etapas: a primeira é composta por um longo depoimento realizado em estúdio com a pesquisadora Rosana Caramaschi, que passa a integrar o acervo do MIS; a segunda é ao vivo no palco do auditório do museu com mediação do jornalista Cadão Volpato ou de Cleber Papa, acompanhado da Banda MIS que faz releituras inéditas e exclusivas dos maiores sucessos do homenageado. A entrada é livre e os fãs dos artistas muito bem-vindos, o público pode participar fazendo perguntas que serão selecionadas pelo museu e, assim, integram o roteiro da noite.

SERVIÇO

Notas Contemporâneas | Toquinho

Data 20.06, quarta-feira

Horário 20h00

Local  Auditório MIS (172 lugares)

Ingresso Gratuito (sujeito à lotação da sala – retirada de ingressos com uma hora de antecedência na Recepção MIS)

Informações para a imprensa – MIS

Clarissa Janini | clarissa.janini@mis-sp.org.br| (11) 2117 4777, r 312

Marina de Castro Alves | marina.castroalves@mis-sp.org.br| (11) 2117 4777, r 363

Museu da Imagem e do Som – MIS

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

Estacionamento conveniado: R$ 18. Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.

Núcleo Luz apresenta espetáculo de dança “Heurói” em julho

Projeto de dança para jovens realiza duas apresentações gratuitas no Teatro Sérgio Cardoso, localizado no centro da cidade

Quem gosta de dança tem programação gratuita nas férias! O Núcleo Luz realiza apresentações no Teatro Sérgio Cardoso dias 11 e 12 de julho, quarta e quinta-feira, às 21h00. O espetáculo apresentado é Heurói, que integra o repertório do projeto desde 2013 e une dança, canto e teatro para falar, com humor e delicadeza, das aventuras e desventuras do herói humano. As apresentações são gratuitas e os ingressos podem ser retirados uma hora antes de cada sessão.

Foto: Mariana Petit

O espetáculo, bastante solicitado pelo público nas redes sociais do grupo, narra a história de um herói que não tem superpoderes, mas sim o encanto e a vulnerabilidade de sua humanidade. Seu poder está na infinita capacidade de se reinventar diante do que não dá certo.

A obra conta com a criação e direção de Chris Belluomini. O Núcleo Luz é um projeto do programa Fábricas de Cultura, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis.

SERVIÇO

Apresentações Núcleo Luz – Heurói

11 e 12/7. Quarta e quinta-feira, 21h00

Local: Teatro Sérgio Cardoso – Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista.

Recomendação etária: livre. Duração: 80 min.

Entrada gratuita. Retirada de ingressos 1h antes do espetáculo. 835 lugares.

SOBRE O NÚCLEO LUZ

Criado em 2007, o Núcleo Luz é um projeto artístico-pedagógico que oferece a jovens de baixa renda a oportunidade de experimentar a dança de forma mais aprofundada. Os aprendizes de 14 a 24 anos vivenciam, além das aulas de corpo – balé, dança contemporânea, danças africanas, capoeira, entre outras –, atividades socioculturais e processos criativos, em interface com outras linguagens artísticas. O projeto é gratuito e oferece bolsa-auxílio, alimentação e transporte.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Oficina Cultural Oswald de Andrade oferece espetáculos gratuitos de dança e teatro

As peças ficam em cartaz até o começo de dezembro, e abordam temas como maternidade, resistência, memória e relações sociais contemporâneas

Última oportunidade de 2018 para assistir espetáculos na Oficina Cultural Oswald de Andrade! Até o começo de dezembro a instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciada pela Poiesis oferece ao público sete espetáculos que abordam temas como maternidade, resistência, memória e relações sociais contemporâneas. Todos os espetáculos são gratuitos: basta chegar 1h antes para retirar os ingressos.

Em Homem ao vento, as relações aparentemente caóticas entre os personagens – e mesmo entre os atores – vão se transformando no decorrer da peça, revelando universos complexos entre pai, mãe e filho, homem e mulher, homem e menino, vida e arte, o amor e a morte, a ordem e o caos, a memória e a invenção. A temporada vai de 19 de novembro a 4 de dezembro, segundas e terças-feiras às 20h.

Em Adoráveis Criaturas Repulsivas, o público conhece o circo Pantaleon, que está decadente, mas não para graças a seu autoritário apresentador, o sr. Realejo Amargus. O espetáculo traz bonecos e músicas autorais para uma reflexão sobre as relações sociais estabelecidas e deformadas pelos conceitos neoliberais. As apresentações da Companhia Casa da Tia Sirê são nos dias 17, 19 e 20 de novembro – sábado e terça-feira às 18h, e segunda-feira às 20h.

O espetáculo ¡Deprisa, Jnji! tem uma linguagem contemporânea e ágil, trazendo frescor às discussões femininas que são tão presentes no cotidiano. Com um ponto de vista leve, divertido e fantástico, a protagonista deste monólogo faz com que o espectador embarque em questões íntimas, e por vezes delicadas, como privacidade, fidelidade, relações virtuais e principalmente as quebras de paradigmas e conceitos enraizados na condição de ser mulher em tempos efêmeros e confusos. A peça de Danilo P Marques vai até 27 de novembro, às segundas e terças-feiras, às 20h.

Veja abaixo todos os espetáculos em cartaz até o fim do ano na Oficina Cultural Oswald de Andrade:

Teatro | Homem ao vento

19/11 a 4/12 – segundas e terças-feiras às 20h (20/11 às 18h)

Classificação indicativa: maiores de 16 anos

Duração: 1h10

Teatro | Terra tu pátria

21/11 a 1/12 – quartas, quintas e sextas-feiras às 20h, e sábados às 18h.

Classificação indicativa: maiores de 16 anos

Duração: 1h30

Dança | #Poéticasderesistência

22 a 24/11 – quinta e sexta-feira, às 20h, e sábado, às 18h.

Classificação indicativa: maiores de 14 anos

Duração: 1h

Teatro | Uma mãe

Até 24/11 – quintas e sextas-feiras às 20h, e sábados às 18h.

Classificação indicativa: maiores de 16 anos

Duração: 1h

Teatro | Quando Ismália enlouqueceu

27 e 27/11 – segunda e terça-feira às 20h

Classificação indicativa: maiores de 16 anos

Duração: 1h

Teatro | ¡Deprisa, Jnji!

Até 27/11 – segundas e terças-feiras, às 20h (dia 20/11 às 18h).

Classificação indicativa: maiores de 16 anos

SOBRE A OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE

A Oficina Cultural Oswald de Andrade realiza atividades na formação e difusão cultural em diferentes linguagens artísticas. As atividades são gratuitas e no formato de oficinas, workshops, núcleos de estudos, seminários, residências artísticas, intercâmbios, apresentações cênicas, exposições, entre outros. Oficinas Culturais é um programa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo que atua desde 1986 na formação e na vivência da população no campo de cultura. O Programa é administrado pela organização social POIESIS.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Oficina Cultural Oswald de Andrade
Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo
Telefone: (11) 3221-4704
Funcionamento: de segunda a sexta-feira das 9h às 22h, e aos sábados das 10h às 18h
www.oficinasculturais.org.br

Oficinas Viver com Saúde no Museu Catavento

Programa Viver com Saúde tem programação para crianças com foco em alimentação saudável e qualidade de vida

Em julho, quem visitar o Museu Catavento – instituição da Secretaria da Cultura do Estado – e o Zoológico de São Paulo terá a oportunidade de assistir e participar das apresentações teatrais gratuitas do programa Viver com Saúde, promovido pela Fundación MAPFRE, instituição sem fins lucrativos criada pela MAPFRE.

A iniciativa apresenta um espetáculo teatral com duração de uma hora, que incentiva a adoção de uma alimentação saudável e a prática regular de exercícios físicos entre o público infantil. Além da peça, a programação inclui a preparação de um café da manhã recheado de alimentos saborosos e saudáveis, com participação das crianças de forma dinâmica e interativa.

“Sedentarismo e obesidade são problemas que têm se tornado cada vez mais frequentes para crianças e adolescentes. Diante disso, o programa Viver com Saúde tem o papel fundamental de contribuir com a diminuição desses indicadores por meio de atividades lúdicas, que educam e proporcionam acesso à informação”, comenta Wilson Toneto, CEO da MAPFRE no Brasil e representante da Fundación MAPFRE no país.

SERVIÇO

Oficinas Viver com Saúde no Museu Catavento – Espaço Cultural da Ciência
De 4 a 14 de julho

Horários: dias 4, 5, 8, 9, 12 e 13 de julho, 13h30 e 15h30; e 6, 7 e 14 de julho, 14h00
Endereço: Pq. Dom Pedro II (Avenida Mercúrio, s/nº, Brás)
Quanto: R$ 6 e meia-entrada para estudantes, idosos e portadores de deficiência (valor de entrada no museu, sem custo adicional para participação nas oficinas).
Entrada gratuita aos sábados.

Oficinas Viver com Saúde no Zoológico de São Paulo

Sábados, de 7 até 28 de julho
Local: Fundação Parque Zoológico de São Paulo – Arena Cultural
Horários: dias 7, 14, 21 e 28 de julho, 10h00 e 15h00
Endereço: Avenida Miguel Stéfano, 4241 – Água Funda/SP
Ingressos:
Crianças até 5 anos- (gratuito)
Crianças de 6 à 12 anos – R$ 15
Adultos ou crianças acima de 12 anos – R$ 36
Pessoas com deficiências – (gratuito)
Idosos (a partir de 60 anos) e estudantes portando documento de identificação estudantil vigente – R$ 15

Mais informações sobre o programa Viver com Saúdefmapfre@mapfre.com.br

Órgãos Vinculados

Fundação Memorial da América Latina

Diretora Presidente: Jorge Damião
Fone: (11) 3823-4600
Bilheteria: (11) 3823-4768
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
01156-001 – Barra Funda – São Paulo SP 
Site: www.memorial.org.br

O Memorial da América Latina é uma Fundação de Direito Público Estadual sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira. Seu objetivo principal é difundir as manifestações latino-americanas de criatividade e de saber e integrá-las às atividades intelectuais do Estado de São Paulo.


Fundação Padre Anchieta

Diretor Presidente: Marcos Mendonça
Fone: (11) 2182-3000
Fax: (11) 2182-3128
Rua Rua Cenno Sbrighi, 378 – Água Branca – São Paulo-SP
Sitewww.tvcultura.com.br

A Fundação Padre Anchieta – Centro Paulista de Rádio e TV Educativas foi instituída pelo Governo do Estado de São Paulo em 26 de setembro de 1967. É uma entidade de direito privado que goza de autonomia intelectual, política e administrativa, custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada. A Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão – TV Cultura – e duas emissoras de rádio: Cultura AM e Cultura FM.

Orquestra de Cordas e Big Band Infanto-Juvenil do Guri se apresentam neste sábado em São Paulo

Com repertórios distintos, Orquestra toca obras que vão do barroco ao contemporâneo, enquanto a Big Band interpreta clássicos de grandes nomes do jazz e da música brasileira; os concertos são gratuitos

Neste sábado, 16 de junho, dois grupos artísticos do programa de educação musical e inclusão sociocultural que atende 13 mil jovens na capital e Grande São Paulo sobem ao palco, ambos com entrada franca.

Orquestra de Cordas Infanto-Juvenil do Guri  (foto: Roberta Borges)

A Orquestra de Cordas Infanto-Juvenil do Guri toca às 11h00, no Auditório Lina Bo Bardi, no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo). Sob a batuta de Thibault Delor, professor de contrabaixo e música de câmara da EMESP Tom Jobim, e regente do grupo desde 2015, o grupo interpreta obras do alemão Händel e do italiano Jean-Baptiste Lully, chegando às composições atuais como do compositor Salvador Martínez.

Big Band  Infanto-Juvenil do Guri (foto: Roberta Borges)

Já a Big Band Infanto-Juvenil do Guri toca no CEU Navegantes, na zona sul da capital, às 15h00. O conjunto será regido por Paulo Tiné e o repertório é bem diversificado, com canções autorais do próprio maestro e clássicos de Egberto Gismonti, João Gilberto, Moacir Santos e Toninho Horta, passando por Astor Piazzolla, Miles Davis e Stevie Wonder.

Ao todo, são dez conjuntos artísticos do Guri, que até dezembro farão 60 concertos com diferentes repertórios e convidados, entre maestros e solistas, incluindo músicos internacionais. As apresentações serão nas principais salas de concerto e espaços culturais da capital e região metropolitana de São Paulo, como o Masp Auditório, Museu da Casa Brasileira, Museu de Arte Moderna (MAM-SP), Pinacoteca do Estado, Theatro São Pedro, Unibes Cultural e unidades do CEU (Centro de Educação Unificado).

Os Grupos Infantis e Juvenis são parte fundamental da estrutura artístico-pedagógica do Guri. Suas apresentações refletem não apenas o ensino de música oferecido pelo programa, como também deixam evidente o trabalho social presente em cada um dos 46 polos distribuídos pela capital e região metropolitana de São Paulo. Mais informações na internet: www.gurisantamarcelina.org.br.

A temporada 2018 dos Grupos Infantis e Juvenis do Guri conta com parceiros que acreditam no poder transformador da música para a formação dos jovens brasileiros: o patrocínio master do Bank of America Merrill Lynch, parceiro da Santa Marcelina Cultura desde 2010, o patrocínio ouro do Grupo Verzani & Sandrini, o patrocínio prata da Chiesi Farmacêutica e com o patrocínio bronze do Bank New York Mellon, todos por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.

SERVIÇO

ORQUESTRA DE CORDAS INFANTO-JUVENIL GURI

Data: 16 de junho, sábado

Horário: 11h00

Local: MAM

Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° – Parque Ibirapuera, São Paulo

Telefone: (11) 5085-1300

Entrada gratuita

Duração: 60 minutos (aproximadamente)

Classificação indicativa: Livre

Acessibilidade: Sim

Programa

GEORG FRIEDRICH HÄNDEL / JEAN FRANÇOIS NOEL

Sarabande da Suíte XI HWV 437

JEAN-BAPTISTE LULLY

Marche Pour La Ceremonie des Turcs

FELIX MENDELSSOHN

Sinfonia para Cordas nº 2

JONATHAN SANTOS

Cânone Nordestino

SALVADOR MARTINEZ

Danza de los Cuatro Huesos

Thibault Delor, regente

Thibault Delor é formado pelo Conservatório Superior de Música de Paris, e foi aluno particular de Daniel Marillier. Atuou na Orquestra da Ópera de Paris de 1989 a 1993, e na Orchestre de Contrebasses de Paris. É professor de contrabaixo e solista dos festivais Femusc, de Santa Catarina, Fimce, em La Serena, Chile; e professor de contrabaixo e música de câmara da EMESP Tom Jobim desde 2016. Desde 2015, é regente da Orquestra de Cordas Infanto-Juvenil do Guri. Em 2017, Thibault lança seu disco solo “Troubadour”, de contrabaixo e voz, com a participação especial de seus filhos Léonard e Juliette Delor.

SERVIÇO

BIG BAND INFANTO-JUVENIL DO GURI

Data: 16 de junho, sábado

Horário: 15h00

Local: CEU Navegantes

Endereço: Rua Maria Moassab Barbour – Parque Residencial Cocaia, São Paulo

Telefone: (11) 5976-5513

Entrada gratuita

Duração: 60 minutos (aproximadamente)

Classificação indicativa: Livre

Acessibilidade: Sim

Programa

HENRY MANCINI

The Pink Panther                   

HERBIE HANCOCK

Chamaleon (arr. Jay Chattaway)  

SEVERINO ARAÚJO

Espinha de Bacalhau  

MOACIR SANTOS

Nanã (arr. Paulo Tiné)  

THAD JONES

A Child Is Born  

EGBERTO GISMONTI

Frevo (arr. Paulo Tiné)