HomeAssessoria ReleasesAydan Schmidt participou da primeira turma de intercambistas do MOVE Project e hoje se dedica a trabalhos autorias

Aydan Schmidt participou da primeira turma de intercambistas do MOVE Project e hoje se dedica a trabalhos autorias

A música sempre esteve no sangue e na família de Aydan Madureira Schmidt. Acompanhando o pai, que é músico, compositor e cantor, Schmidt se interessou pela arte e traçou como seu objetivo seguir essa carreira. Hoje, se dedica ao desenvolvimento de trabalhos autorais, possui um EP gravado e dois singles.

Foi com 12 anos que Schmidt ingressou no Polo São Vicente do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. Seu intuito foi estudar violão, mas lá também participou da primeira turma de violão de sete cordas e do Grupo de Referência – Cameratas de Violões, de Santos.

Já ex-aluno do Projeto, Aydan foi aprovado na primeira edição do MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange), em 2016, programa de intercâmbio e voluntariado entre as organizações musicais JM Norway, Music Crossroads Malawi, Music Crossroads Moçambique e a Sustenidos, instituição responsável pela gestão dos polos de ensino do Projeto Guri no interior, litoral e Fundação CASA. “Sabia que teria muitos desafios, já tinha começado a faculdade, mas eu resolvi que queria essa experiência e me inscrevi. Fui selecionado entre os quatro primeiros intercambistas para ficar seis meses fora do Brasil”, ressalta Aydan.

Aydan foi selecionado para Noruega. Lá, além de uma intensa rotina de estudos da Trøndertun, uma das maiores escolas de música do país, ele pôde desenvolver projetos próprios e participar de atividades musicais, sociais e culturais, como workshops, festivais, competições e capacitações, permitindo o seu aprimoramento como músico. “Foi durante o intercâmbio que eu gravei o meu EP, que comecei minha carreira, pois antes eu compunha e não tinha a oportunidade de gravar. Lá, gravei com amigos, em um estúdio. Profissionalmente, a música moldou e tem moldado minha vida até hoje”, explica Schmidt.

Do Guri para o Mundo

A série Do Guri para o Mundo foi criada para retratar o caminho trilhando pelos Guris: quem são, onde estão e o que mudou na vida deles. São histórias inspiradoras que celebram os 25 anos do Projeto Guri e prestam homenagem aos mais de 810 mil ex-alunos beneficiados pelo programa e, consequentemente, pelo poder de transformação da música. A cada semana, a série destaca um personagem nas redes sociais do Projeto Guri e na Sustenidos – organização que administra o programa. Projeto Guri www.projetoguri.org.br

Patrocinadores e apoiadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; SulAmérica; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; Banco Votorantim; VALGROUP; Novelis; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander; Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval e Pirelli.

Sobre o MOVE

O MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchage) é um programa de intercâmbio e voluntariado criado pela JM Norway, membro da JMI – Jeunesses Musicales International (associação sediada na Bélgica que reúne diversas organizações musicais em cerca de 70 países), em parceria com a instituição musical Music Crossroads, do Malawi e de Moçambique. O programa visa o desenvolvimento da prática musical internacional e troca de experiências.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos

Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/.

Compartilhe!