HomeAssessoria ReleasesApós intercâmbio no Malawi, Luana Paula Carvalho Silva dedica-se a grupo musical

Após intercâmbio no Malawi, Luana Paula Carvalho Silva dedica-se a grupo musical

Do Guri para o Mundo

Ex-aluna do Projeto Guri, Luana Paula Carvalho Silva acaba de voltar de uma das maiores experiências da sua vida, o Move (Musicians and Organizers Volunteer Exchange), programa custeado pelas Forças de Paz da Noruega (Fredskorpset – FK Norway), que envia jovens dos países participantes para intercâmbios com o intuito de desenvolver novas habilidades individuais, interpessoais e culturais, ampliando e enriquecendo também as referências das comunidades onde eles desenvolvem projetos e atividades transformadoras. 

Luana Paula entrou para o Projeto Guri, no Polo Piracicaba, em 2011, e participou das aulas de percussão e coral por dois anos. A jovem continuou os estudos e se formou em 2018, no curso Música-Licenciatura, pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Também trabalhou como professora de musicalização para crianças e jovens com deficiência visual. Hoje, estuda percussão MPB/Jazz, no Conservatório de Tatuí e é integrante no grupo de música infantil Formiga Balão. 

A  percussionista  participou, em 2015, com a Banda CLAVIX, do Imagine Brasil, competição voltada para jovens músicos e que contempla a todos os gêneros musicais, criada pela Jeunesses Musicales International (JMI), maior ONG de música para jovens do mundo. O Imagine é realizado no Brasil pela Sustenidos Organização Social de Cultura gestora de polos de ensino do Projeto Guri – maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. E, em 2019, foi selecionada pelo Move para participar do intercâmbio no Malawi. 

“Esta foi uma oportunidade única para me desenvolver como musicista e contribuir para o aprendizado de outras pessoas, além de vivenciar outra cultura”, conta Luana. Durante o período na Music Crossroads Malawi, realizou projetos e oficinas de percussão corporal, dança circular e ritmos brasileiros. E, trabalhou como voluntária de musicalização, com crianças e jovens deficientes, na escola pública Kaliyeka.

Além disso, realizou o projeto Ritmos Brasileiros e composição com crianças de rua no Lilongwe Social Rehabilitation Centre; e o projeto Ritmos Brasileiros, para jovens que participam do Hear us Children, na Music Crossroads Malawi, em conjunto com a intercambista brasileira Mariana Duarte. E, também ajudou na organização de um intercâmbio musical com o grupo de Ritmos Brasileiros, em Nkhotakota Cultural Centre.

De acordo com Luana, a experiência ainda contribuiu para o seu desenvolvimento profissional e garante que irá aplicar muito do que aprendeu com os seus docentes. “Eu participei da aula do professor Simba, ele tinha uma turma de 32 alunos com diferentes deficiências. E eu admirei muito o jeito com que ele exercia e concentração e o respeito, sendo o único condutor da sala. Tudo o que eu aprendi lá foi essencial na minha formação e vou trazer para a minha nova jornada no Brasil”, explica. 

Luana participou de diversos eventos e festivais como Festival Tumaini, no campo de refugiados Dzaleka; Festival BAF, em Blantyre; festivais Oslo Afro Arts Festival e Festival Verdens kuleste dag. “Eu aprendi muito com o intercâmbio, mas também consegui transmitir os meus conhecimentos na música. Eu dei o máximo para que eles conhecessem um pouco da nossa cultura. Posso afirmar que foi uma das experiências mais enriquecedoras que eu tive”, finaliza Luana.

Do Guri para o Mundo

A série Do Guri para o Mundo foi criada para retratar o caminho trilhando pelos Guris: quem são, onde estão e o que mudou na vida deles. São histórias inspiradoras que celebram os 25 anos do Projeto Guri e prestam homenagem aos mais de 810 mil ex-alunos beneficiados pelo programa e, consequentemente, pelo poder de transformação da música. A cada semana, a série destaca um personagem nas redes sociais do Projeto Guri e na Sustenidos – organização que administra o programa. 

 http://www.projetoguri.org.br/noticias/do-guri-para-o-mundo/

MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange).

O programa, custeado pelas Forças de Paz da Noruega (Fredskorpset – FK Norway), envia jovens dos países participantes para intercâmbios com o intuito de desenvolver novas habilidades individuais, interpessoais e culturais, ampliando e enriquecendo também as referências das comunidades onde eles desenvolvem projetos e atividades transformadoras. Desde 2015, esta iniciativa já beneficiou 40 jovens brasileiros e estrangeiros. 

Devido às restrições impostas pela pandemia, o MOVE foi interrompido em 2020 nos países parceiros: Noruega, Malawi, Moçambique e Brasil.  As atividades de intercâmbio que regularmente iniciam na Noruega e continuam nos demais países parceiros, serão retomadas apenas em 2021. http://www.sustenidos.org.br/move/

Patrocinadores do Projeto Guri – Sustenidos: CTG Brasil; CCR AutoBAn; Instituto CCR; VISA; Bayer; WestRock; Microsoft; Supermercados Tauste; banco BV; Novelis; Arteris; EMS; Capuani do Brasil; Faber-Castell; Pinheiro Neto; Santander; VALGROUP; Raízen; BTP; Distribuidora Ikeda; Grupo Maringá; Instituto 3M; Supermercados Rondon; Frigol; Mercedes-Benz; Castelo Alimentos; ENEL; GRUPO GR; Cipatex; Grupo Herval, Pirelli.

Patrocinadores Sustenidos: CTG Brasil; Visa; SulAmérica e Microsoft.

Sobre o Projeto Guri

Mantido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, o Projeto 

Guri é o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (até 21 anos nos Grupos de Referência e na Fundação CASA). Cerca de 50 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Sustenidos, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 810 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Sobre a Sustenidos: Eleita a Melhor ONG de Cultura de 2018, a Sustenidos é a organização gestora do Festival Ethno Brazil, Som Na Estrada, Festival Imagine Brazil, MOVE (Musicians and Organizers Volunteer Exchange) e Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa de ensino musical no litoral e no interior do estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação CASA. Além do Governo de São Paulo, a Sustenidos conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas. Instituições interessadas em investir na Sustenidos, contribuindo para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD). Pessoas físicas também podem ajudar. Saiba como contribuir: http://www.sustenidos.org.br/pessoa-fisica/

Compartilhe!