@culturasp - secretaria da cultura do estado de são paulo

Acervo das Tradições: memória cultural preservada e difundida

Publicado em 26 de junho de 2018

A documentação, a difusão e apropriação do acervo musical das comunidades de culturas populares e tradicionais é uma tarefa ainda mais desafiadora do que a produção de um evento ou material cultural. Com isso em mente, Henry Durante, biblioteconomista com mestrado em Políticas Públicas para as Culturas Populares pela ECA – USP e pesquisador de cultura popular tradicional, começou, há 20 anos, um projeto de mapeamento e gestão de acervos. Em 2016, o projeto foi selecionado para receber R$ 25 mil do Governo do Estado por meio do edital de apoio a projetos de publicação de conteúdo cultural do ProAC. O prêmio tornou possível o desenvolvimento do portal e de materiais físicos e digitais de preservação da memória cultural de comunidades brasileiras.

“Acervo das Tradições”, que recebeu o prêmio internacional da Fundação Cultural Latin Grammy em 2018 na modalidade Pesquisa e Preservação – o único projeto brasileiro que já ganhou essa premiação – tem como propósito registrar, catalogar e divulgar material sobre as tradições da cultura popular brasileira, especialmente as afro-brasileiras, caipiras e caiçaras, por meio de fotografias, vídeos, CDs e Livros-CD, catalogados e disponibilizados gratuitamente no site www.acervodastradicoes.com.br. Já foram produzidos 14 CDs – 13 deles, com apoio do ProAC Editais -, dois livros-CD e 2.000 fotografias, além de vídeos e áudios. O projeto também trabalha pela implantação de centros de memórias, geridos pelas comunidades locais.

Henry Durante - Foto: Joca Duarte
“O projeto Acervo das Tradições se tornou um grande parceiro de várias comunidades, como uma forma de registro e conservação de sua cultura. Por permitir a auto-gestão, o projeto propicia o empoderamento dos grupos sobre sua memória cultural.”
Henry Durante

 

Samba Rural Paulista

Primeiro patrimônio cultural imaterial registrado pelo Condephaat, o samba rural paulista teve todas as suas comunidades mapeadas pelo projeto, e cada uma recebeu a implantação de centros de memória, entre eles, a Casa do Samba de Pirapora, em homenagem a Dona Maria Esther, referência da história do samba de São Paulo. “Foi um trabalho pioneiro de registro dessa manifestação cultural que é referência em São Paulo e que ajudou a definir o samba paulista”, completa Henry.

Para conferir o site do projeto “Acervo das Tradições”, acesse: www.acervodastradicoes.com.br

Texto: Stephanie Gomes
Fotos: Joca Duarte

Compartilhe!