secretaria da cultura do estado de são paulo

Encontro de Corais reúne mais de 200 vozes em concerto gratuito na Sala São Paulo

Publicado em 12 de dezembro de 2017

Cinco grupos da Escola de Música do Estado e do Guri da capital encerram o ano cantando músicas de resgate à ancestralidade africana compostas por Tiganá Santana, Lenna Bahule, Luciano Cossina, entre outros; concerto é neste sábado, 16 de dezembro

O Coral Jovem do Estado, grupo ligado à EMESP Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura de Estado, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura – encerra a temporada com uma grande apresentação de final de ano, neste sábado, 16 de dezembro.

O grupo recebe outros conjuntos mantidos pela escola e também pelo Guri da capital e Grande São Paulo, como o Coral Juvenil do Guri e o Coral de Familiares do Guri, o Coral Juvenil EMESP e o Coral Adulto EMESP, mais os alunos do curso de prática coral da EMESP Tom Jobim. Juntos, eles interpretam um repertório que remete às nossas origens de brasilidade. A apresentação na Sala São Paulo começa às 21h00 e a entrada é gratuita.

Para acompanhar as centenas de vozes, também foram convidados alguns instrumentistas de destaque e autores de parte do repertório, como a moçambiquenha Lenna Bahule e os brasileiros Denis Duarte e Maurício Badé (percussão), Luciano Cossina e Tiganá Santana (violão) e Juliana Ripke (piano).

Com influências da música africana, o repertório traz Vazante e The invention of colour, de Santana, Tingarakatima e Kungô, de Bahule, Marafo e O dia da morte de Domingos Jorge Velho, de Cossina e Omin e Sereno, de Duarte.

Para o regente titular do Coral Jovem do Estado, Tiago Pinheiro, a base da música brasileira está muito ligada à herança africana. “É um projeto antigo fazer um mergulho nesse material, nessa música que é das coisas mais interessantes que temos. Escolhi alguns jovens compositores que têm um trajeto muito interessante. São pessoas que trazem aportes muito consistentes dentro dessa pesquisa da música com a essência africana”, destaca.

A primeira parte do programa, com oito músicas, será entoada pelo Coral Jovem do Estado, grupo ligado à EMESP Tom Jobim e formado por 44 bolsistas. Na segunda parte, todos os demais coros se juntam ao palco para interpretar as sete canções que completam o repertório. Serão mais de 200 vozes em um espetáculo que vai encerrar o ano em grande estilo.

“Estamos fazendo uma segunda versão desse concerto que já apresentamos em outros espaços da capital, desta vez ampliando o número de vozes. Com certeza é um dos grandes momentos do Coral Jovem do Estado, desde que assumi”, completa Pinheiro.

Reestruturado em 2015 com a chegada de Tiago Pinheiro para a regência titular e da preparadora vocal Marília Vargas, o Coral Jovem do Estado estabeleceu um importante tripé artístico. Além do fundamental repertório lírico, o grupo passou a explorar a música antiga e a música popular – incluindo a criação de um núcleo de música popular dentro do coral. Outro diferencial é a proposta artístico-pedagógica que vai além do canto e permite apresentações dinâmicas e com repertório eclético.

Essa diversidade – aliada à oportunidade de transitar por diferentes períodos da música ao lado de importantes solistas, arranjadores e grupos – proporciona aos jovens cantores uma formação de maior abrangência técnica e intelectual, transformando-os em artistas capazes de explorar seus corpos e vozes de forma mais criativa e precisa.

A Santa Marcelina Cultura conta com o patrocínio de parceiros que acreditam no poder transformador da música para a formação dos jovens brasileiros, como o Bank Of America Merrill Lynch, Grupo Verzani & Sandrini, Sabesp, Chiesi Farmacêutica, escritório de advocacia Machado Meyer e Bank New York Mellon, todos por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura.

“O Bank of America Merrill Lynch acredita que a arte e a cultura têm o poder de conectar as pessoas, promover a educação e enriquecer sociedades. Ao longo dos sete anos de ação conjunta com a Santa Marcelina Cultura, tivemos a oportunidade de patrocinar uma série projetos que, por meio da música, contribuem de fato para o desenvolvimento integral de jovens talentos”, destaca Thiago Fernandes, head de Environment, Social and Governance (ESG) do Bank of America Merrill Lynch na América Latina.

Serviço

Encontro de Corais com:

Coral Jovem do Estado, Coral Juvenil do Guri, Coral de Familiares do Guri, Coral Juvenil EMESP, Coral Adulto EMESP e Prática de Coral EMESP

Regente titular: Tiago Pinheiro

Preparação vocal: Marília Vargas

Músicos convidados: Lenna Bahule (percussão e voz), Tiganá Santana (violão e voz), Denis Duarte (percussão e voz), Juliana Ripke (piano), Maurício Badé (percussão), Luciano Cossina (violão e voz) e Charles Razl (percussão corporal)

Data: 16 de dezembro, sábado

Horário: 21h00

Local: Sala São Paulo

Endereço: Praça Júlio Prestes, 16, Luz

Entrada gratuita

Ingressos disponíveis na bilheteria do 1º subsolo da Sala São Paulo a partir das 10h00 da segunda-feira anterior ao concerto. Devido à grande procura, recomendamos que verifique se há disponibilidade de ingressos. Informações: T 55 11 3223 3966.

Duração: 70 minutos (aproximadamente)

Classificação indicativa: Livre

Acessibilidade: Sim

Repertório

TIGANÁ SANTANA (1982) Vazante

                                              The invention of colour

LENNA BAHULE (1989) Tingarakatima

                                         Nakupenda

DENIS DUARTE (1977) Omin

TIGANÁ SANTANA (1982) Reverência

LUCIANO COSSINA (1985) Marafo

LUCIANO COSSINA (1989) / RENATO DANCINI (1984) Maracutaia

LENNA BAHULE (1989) Kungô

LUCIANO COSSINA (1985) O dia da morte de Domingos Jorge Velho

DENIS DUARTE (1977) Sereno

                                        Marimbondo

LENNA BAHULE (1989) Kundaka Kambidi

TIGANÁ SANTANA (1982) Dembwac

Tiago Pinheiro, regente titular

Graduado clarinetista, especializou-se em canto na Berklee College of Music. Dirigiu o grupo Beijo do Coralusp que, nas décadas de 80 e 90, investiu na pesquisa de interação cênica-musical em seus espetáculos e realizou parcerias com artistas como Marlui Miranda e Gilberto Gil, além de registros fonográficos e turnês nacionais e internacionais. Foi solista em diversas obras sinfônicas, entre as quais: “Carmina Burana” de C. Orff e “Paixão segundo São João” de J.S.Bach. Integrou o coro da OSESP entre 2000 e 2001. Foi regente titular do coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo. Desde fevereiro de 2015 passa a compor a equipe artística da EMESP como regente titular do Coral Jovem do Estado de São Paulo.

Marília Vargas, preparação vocal

Uma das mais ativas sopranos brasileiras de sua geração, formou-se na Schola Cantorum Basiliensis (Suíça, 2001) e obteve o “Konzert Diplom” na classe de Christoph Prègardien, no Conservatório de Zurique (Suíça, 2005). Apresenta-se regularmente como solista com diversas orquestras no Brasil e na Europa, entre as quais a Orquestra Sinfônica do Paraná, Petrobras Sinfônica, Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra de Câmara de Curitiba, Orquestra Sinfonica Brasileira (OSB), Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Aargauer Symphonie, Orchestra of the Age of Enlightement e Zürcher Kammerorchester. Atua com diversos Ensembles de Música Antiga, entre eles a Capella Reial de Catalunya, sob direção de Jordi Savall, com quem gravou o CD Misteri D’Elx (Alia Vox) e atuou como Ninfa na ópera Orfeo, de Claudio Monteverdi (BBC – Opus Arte); e Le Parlement de Musique, sob direção de Martin Gester.

Bank of America Merrill Lynch

O Bank of America é uma das principais instituições financeiras do mundo e tem como propósito promover a melhoria da vida econômica e financeira das pessoas e dos países em que está presente por meio do poder das conexões. Para isso, adota uma estratégia de crescimento responsável, com foco nas necessidades dos clientes, em um criterioso controle de riscos, visando à sustentabilidade em longo prazo.

 Bank of America Merrill Lynch é a marca para os negócios de banco comercial, investimentos e corretora, sendo um dos líderes globais também nesses segmentos. Na América Latina, possui escritórios em seis países, entre eles o Brasil, e atua no aconselhamento financeiro de empresas e investidores institucionais.

 As ações de responsabilidade corporativa do Bank of America Merrill Lynch têm foco em educação financeira, empreendedorismo de impacto, projetos de desenvolvimento econômico, arte e cultura, uma vez que esses temas apresentam grande potencial de transformação e de geração de benefícios para os cidadãos e para toda a sociedade.

Compartilhe!